Issuu on Google+

o pinheirinho | PETIT COIN DU FRANÇAIS | CRÓNICAS TEMÁTICAS | INFORMÁTICA | DESPORTO | CHARNECA DE CAPARICA À LUPA |

ano doze | número 2 | março de 2005 | 1 pinheiro | e b i charneca de caparica

| NOTÍCIAS | ANIMAIS | CIÊNCIA | CINEMA | 1º CICLO | CRIAÇÃO LITERÁRIA | ENGLISH CORNER | PASSATEMPOS |


o Sumári

2 notícias 2 ia diferente até sempre!

uma experiênc ar menina do m io ár et an pl visita ao rret t ga da ei m al or te de 150 anos da m tografia concurso de or tsunami estrangeiras ento de ling. am rt pa de do estrangeiras o chá dia das línguas l festa de nata

english

corner

s e’s day poem love; valentin

| Editorial rdadeiramente nsamos que ve pe o .” nã e qu em nos fazem mal “São as coisas iss Garnet” “O Anjo de M Salley Vickers, ano rquê fazer um da Física. Po l na tão io s, ac ze rn ve te In o e, por 2005 – Ano a tão abstract m tal te vi um ea ár m co é uma internacional mente porque es pl ão m pç Si ce ? ex er nd o (com difícil de ente qualquer naçã de to to en en im m st vi ve ol o não in para o desenv ) É claro que a… os ni ss iro no m os co ais: da nossa, digo da vez será m eocupante e ca pr é à procura de s ea iro ár ge as an nest para o estr ir nós sa de m zão gastamos doutorados tê tão por que ra En . da ça há o an nã av cá formação trabalho que de euros na s 00 õe 40 ilh m o 0 nd financia anualmente 10 qualificados, de os s an to m ec hu oj os a pr de recursos os tantos ligad tr ão ou aç e ig s st ai ve du vi lsas de in bolseiros indi lvimento? Bo s vo oa en ss es pe D as & que Investigação Até quando é o? a rn um to é re o o l nã ua bolseiro para quê? Q perceber que o no vã te s) en te am an is prec (leia-se govern oblema reside ís s uma vez o pr ai M s do nosso Pa ? te ão en ss rig ofi pr , estruturas di es s ar na ul ic tir is rr cu ex tras áreas facto de não ou m co ce disso, mo aconte Consequência um lobby, co ta situação. do es po er m rt te ve in ainda do que possa ar, herdada ul o ic rn rr ve cu go a lo rm prática pe em a última refo da ca lo co e as áreas rno do PS, rriculares nest cu anterior gove es riz at m ades da com que as reais necessid PSD/CDS, fez sfasadas das de l, quer to na ui io m ss o vida profi tenham saíd quer para a ns exista ve e jo qu s er do mo perceb Co preparação s. do tu es o de guimento de inar um curs para o prosse um aluno term de ica? m de uí da Q ili ib ou r tido Física agora a poss te a nc nu m s uma vez, cnologia se Geologia? Mai Ciências e Te e ia og ol Bi adas para a ter tido e ser concretiz Ou sem nunc qu m tê as ei mercial é que as id a balança co ss e como acho no da so o negativo idas, o ca de 2004 o sald serem entend e tr es im tr o no últim exportações paradigmático: s (9%) e as õe aç rt po im e passo a entre as m sobretudo, ra acentuou-se fo s õe aç rt e as impo os químicos (6%), sendo qu óveis”. Produt m to au e os s químic ir, de forma ou de ex tingu citar, “produto ab ac e qu ís Num Pa ímica e de ógicos de qu e automóveis! ol cn te os rs nte, os cu quase hilaria r mais? reira rá preciso dize Se Prof. Isabel Pe mecânica…

4

animais

cavalos

5

1º ciclo

moldavo es: português/ textos bilingu

6

ciência

7

emática piadas da mat dia do Pi; olím ática de de matem jornal de pare sobre o som curiosidades sobre a luz curiosidades psoríase as dia das ciênci

em repor tag porto

rinho no colar; o pinhei corta-mato es

9

a ntrevist grande e esidente do C.E. ao pr criação

10

literária

do mundo ou os corações al ab e qu da de joana sobre a on tocar-te; a lua

11

as temátic crónicas no brasil; obrigada o carnaval

12

cidade o carnaval; rica passou a costa da capa ico de freitas praceta freder

o despor t

mes tebol; nuno go história do fu figo ís lu ça ta

passate

13

mpos

ddy-paper atemática; pe m em a afi gr to concurso de fo

15

nçais in du fra o c it t e our p racisme; l’am

16

a de charnec à lupa caparica ral

cultu neca, um pólo junta da char

17

música

astacia concer to de an

o pinheirinho 1 | 2

18

cinema

sorte-nula

18

repetida uma nheirinho saiu Pi do r rio te edição an Por lapso, na na 7, onde mbém na pági r, (pag.14.) Ta la co Es to or Desp notícia sobre e “who live”. es” deve ler-s se lê “who liv leitores. pa aos nossos dimos descul pe os ct fa s te Por es

| Errata

a..... a boa Pásco Votos de um eirinho! ores do Pinh d ra o b la co Os


| Uma experiência diferente...

O Presidente do Conselho Executivo, Prof. Carlos Gargaté, foi forçado a pedir reforma antecipada, por motivos de saúde, pouco antes de terminar o seu mandato. As suas funções, neste curto espaço de tempo, ficam asseguradas pelas vice-presidentes em exercício. Como Presidente de sucessivas Assembleias desta Escola, não posso, nem quero deixar de expressar aqui, que, apesar de termos, por vezes, opiniões bem diferentes sobre vários assuntos, sempre nos uniu um elo fortíssimo. Ambos pertencemos ao pequeno número de professores que permanecem na Escola desde a sua inauguração, há doze anos atrás. Temos em comum, além de uma forte amizade, a crença numa escola diferente, aberta à comunidade, à inovação, buscando permanentemente vias diferentes para interligar os vários intervenientes no processo educativo. Acima de tudo, pretendemos uma escola inclusiva que aceite os contributos fornecidos por todos que a integram. Neste sentido, lançámos sementes esperando que os que vierem depois de nós consigam colher resultados e dar continuidade ao nosso trabalho. Acredito que, independentemente da idade, das convicções pessoais, a nossa Escola precisa, acima de tudo, de quem acredite nela e lhe proporcione um trabalho conjunto na busca de um ideal que, precisamente por ser ideal, dificilmente será alcançado. Mas o que importa é que continuemos a tentar alcançá-lo, como ele sempre o fez. Prof. Teresa Pereira, Presidente da Assembleia de Escola

No dia 26 de Outubro, a TVI veio ter com o nosso colega Nuno, que é autista, para gravar uns “tracks”. Esses ”tracks” eram para uma grande reportagem sobre o autismo, uma doença um pouco desconhecida. Então, eu colaborei nessa reportagem dado que o Nuno costuma estar comigo muitas vezes, depois das aulas, a jogar à bola. Já convivo com ele há 4 anos; vi a sua evolução até hoje e acho que foi estupenda. O Nuno há três anos ainda não falava, mas já fala e tem uma memória incrível: decora números de telefone de toda a gente, matrículas e até chega a pôr nos testes a página do livro onde se encontra a resposta! Há muitas pessoas que gozam com ele, normalmente na escola. Vê--se isso muitas vezes, mas eu tento defendê-lo com alguns colegas meus. A reportagem já foi emitida e acho que se ficou a saber mais um pouco sobre o Nuno e a doença dele. Foi uma experiência que valeu a pena!... João Miguel Soares, 8ºA

notícias

| Até sempre!

| Menina do Mar No dia 23 de Janeiro, pelas 15:00 horas, assisti no teatro Politeama a uma peça que a nossa escola vai ver agora. O nome da peça é a “Menina do Mar”. O teatro estava cheio de crianças acompanhadas pelos familiares, que se divertiram muito, tal como eu. A peça fala de uma menina que vive no fundo do mar e quer conhecer a terra, assim como um menino que vive na terra e quer conhecer o fundo do mar. O fundamento da peça é mostrar que a amizade consegue vencer todos as barreiras e é o sentimento muito importante na nossa vida. Mafalda, 6ºA

| Visita ao Planetário No dia 5 de Janeiro de 2005, fomos ao Planetário. Por volta das 13.35, subimos para o autocarro e fizemos uma viagem rumo a Lisboa, muito agradável. Uns falavam, outros cantavam ,outros ouviam música. Estavam todos muito divertidos... Quando lá chegámos fomos ver uma exposição de dinossauros que até tinha cadáveres deles ! As 15.00, fomos para dentro duma sala, ia dar-se início ao momento mais aguardado. Lá estava o maior astrónomo português que nos explicou como tudo funcionava. Podemos também colocar as nossas dúvidas, tudo o que nos passasse pela cabeça. Quando acabou, todos estávamos satisfeitos e regressámos à nossa escola com grande vontade de aprender mais e mais sobre o universo. Rute Sousa, 7ºC

supervisão, edição e revisão de texto | profs. cecília almeida | isabel pereira | margarida valente | teresa pereira | teresa pombo | núcleo jornalístico adriano costa | ana amaral | ana raquel | daniela costa | filipa coutinho | gonçalo costa | mafalda ferreira | marta laureano | patrícia costa | rita laureano | colaboradores associação de pais | profs. amália castanheira | bruno bastos| catarina pinheiro | cecília almeida | ilda ribeiros | isabel pereira | joana conde | sónia dias | sylvie dias | teresa pereira | | turmas 1º B catarina joão | 3º B cristina nica e seus pais | roxana alexandru e seus pais | 4º B | 4º A | 6ºA mafalda | rafael dinis | 7º C rute sousa | 8ºA alberto azevedo | joão miguel soares | gonçalo nazaré | marta antunes | 8ºC sara gonçalves | 8ºD ana cavadas | esperança | isabel cavadas | raquel azevedo | verónica cardoso | 9º D andreia vilas-boas | carolina alves | inês matias | layout josé mendes | paginação teresa pombo | impressão gráfica triunfadora, artes gráficas ltd | propriedade escola básica integrada de charneca de caparica | praceta frederico de freitas | 2819-504 charneca de caparica | tel 212 979 660 | fax 212 973 079 | e-mail ce@eb123-charneca.caparica.rcts.pt | tiragem 300 exemplares | março de 2005

a redacção d’o pinheirinho agradece a colaboração de todos os patrocinadores


| 150 anos da morte de Almeida Garrett Quem não conhece uma rua, uma pastelaria, uma praça com o nome de Almeida Garrett? O homem que inventou o português moderno, só viveu 54 anos, mas deixou uma vasta obra e uma enorme revolução estética, sendo considerado o pai da língua que hoje falamos. Com o objectivo de comemorar os 150 anos da sua morte, esteve patente, no CRE, uma exposição sobre a vida e obra do escritor e dramaturgo. Simultaneamente, os alunos do 8º ano puderam assistir a um powerpoint e a declamação de poesia por alguns alunos do 8ºA. Prof. Amália Castanheira | “ Tsunami” | Concurso de Ortografia Vem aí mais uma prova! Prepara-te! • Melhora os teus hábitos leitura • Exercita o trabalho de cópia e de reescrita • Utiliza o dicionário sempre que tiveres dúvidas em relação à maneira como escreves uma palavra Prepara-te para seres a(o) campeã(o)! Prof. Amália Castanheira

Um tsunami (palavra japonesa), isto é, uma agitação do mar de elevado comprimento de onda e grande poder destrutivo, provocado por sismos superficiais (com menos de 60 Km de profundidade) assolou a costa asiática no final do ano de 2004 provocando uma catástrofe em 9 países desse continente. Apesar do seu poder destrutivo, quer físico (casas, hotéis, pontes, etc.) quer humano, ainda podemos continuar a acreditar no velho ditado português: “ Enquanto há vida, há esperança”, ou não fosse disso exemplo, aquele menino de 8 anos ( vestido com a camisola da Selecção Portuguesa) que foi encontrado por um jornalista britânico passado 19 dias da catástrofe. Ana Rita Laureano

| O Chá do Departamento de Línguas Estrangeiras Scones No dia 14 de Fevereiro comemorou-se mais um dia das Línguas Estrangeiras e na sala de professores houve chá. Foi mais um chá Europeu que contou com a colaboração de todos os professores do Departamento. Para quem é novo na escola, esta iniciativa foi uma agradável surpresa, não só porque foram presenteados com deliciosos chás e scones, mas porque a sala de professores estava diferente. As mesas decoradas a rigor para a ocasião, enchiam os olhos a qualquer um. Ah! E os bolos e aquela tarte de maçã... Foi um momento de convívio à volta das mesas, com a colaboração dos alunos, que nestas ocasiões não falham com a sua preciosa ajuda e alegria. Para o ano há mais mas... por enquanto, aqui fica a receita:

Retrosaria

o pinheirinho 3 | 4

400 gr farinha 1 ovo 6 c/sopa leite 1 c/sopa açúcar 50 gr manteiga 75 gr natas 1 pitada de sal 1 c/chá fermento

Bate-se o ovo com as natas. À parte mistura-se a manteiga, a farinha, o fermento e o açúcar (sem derreter a manteiga). Incorporar tudo com os dedos até a massa ter consistência. Juntar o ovo e as natas rapidamente sem levar muito tempo. Fazer uma dose de cada vez. Moldar pequenas bolas que se colocam em tabuleiro untado e polvilhado com farinha. Convém dar um golpe em comprimento antes de os pincelar com gema de ovo. Cada dose dá +/- para 12 scones. O forno deve estar previamente bem aquecido ; os scones demoram 15 a 20 minutos a fazer. Bom apetite! Prof. Teresa Pereira


| A festa de Natal

No dia de S. Valentim – 14 de Fevereiro – comemorámos, na nossa escola, o Dia das Línguas Estrangeiras. Temos procurado sempre que este dia seja um dia diferente com espaços de aprendizagem diferenciados em que os alunos sintam que a sua participação activa pode tornar o aprender mais fácil e divertido. Não havendo interrupção lectiva, apostámos na Sala de Informática, como espaço mais motivador para uma viagem pelos sites de S. Valentim. Mas… azar dos azares, sites preparados, calendarizações feitas e tudo a postos e… falha na ligação à Internet. Segundo os especialistas, a mesma não foi culpa da escola, mas sim do servidor que, possivelmente, não estava preparado para a vinda de um qualquer Cupido…! Não nos deixámos abalar e recorremos aos tradicionais jogos de tabuleiro ou de papel e lápis, que já tínhamos preparados para alguma eventualidade… O Karaoke, que contou com grande envolvimento dos alunos na selecção das músicas, foi um sucesso e todos puderam exibir os seus dotes de potenciais artistas. Dois cupidos divertidos distribuíram as mensagens do Correio de S. Valentim pelas turmas nos turnos da manhã e da tarde e outras mensagens de amor puderam ser admiradas na exposição temática que decorreu durante a semana no corredor do bar. Finalmente, às quatro e trinta e, em simultâneo com o Karaoke, os professores tiveram oportunidade de saborear uma chávena de chá, um scone ou uma fatia de bolo preparados pelas professoras do Departamento. Só o espírito de equipa e cooperação entre todos tornaram possível a realização deste dia que, apesar de alguns sobressaltos, pensamos ter contribuído para desenvolver nos alunos o gosto pela aprendizagem das Línguas Estrangeiras. Prof. Cecília Almeida

No dia 15 de Dezembro aconteceu a festa de Natal do 1º ciclo na nossa escola. Após um ano sem haver a festa ela realizou-se no pavilhão. À hora marcada o pavilhão estava cheio de familiares. Com a ajuda dos professores lá nos fomos agrupando por turmas e ficando cada vez mais nervosos. Cinco alunos apresentaram o espectáculo. A nossa turma fez a abertura cantando uma canção difícil porque a letra não era portuguesa: “Adeste Fideles”. Os meninos do 1º e 2º ano apresentaram uma “Cantata de Natal”, que foi muito aplaudida por todos. À frente do grupo de crianças estava representado um presépio ao vivo, sendo um participante de cada turma. Para finalizar cantámos todos juntos a canção “A todos um bom Natal” que os pais também acompanharam em coro. Esta festa só foi possível com a motivação e o apoio dos nossos professores de Música, especialmente o professor Libânio Tiago que trouxe a sua aparelhagem para que todos nos pudessem ouvir. Texto colectivo das alunas do 4ºB, Beatriz, Catarina Ferraz, Daisy Saavedra e Marcela Jorge

I was wondering about St.Valentine’s day And there’s something I would like to say Love’s multiplied by two And divided between us, too! Andreia Vilas Boas, 9ºD

| LOVE ok. Let’s think; you talk with me, you are nice, I like you, yes, I guess I like you, I know you better, I like you very… I like you very much… After that you give me a kiss, a little kiss…harmless kiss… and ooohhhh my god!! I love You! I really don’t care about what people think of this, about you or about us! I just love you! It is a very nice feeling this way… and…I don’t know…I love you! I just love you David! Filipa Coutinho, 7ºC

english corner

| Dia das Línguas Estrangeiras


| Psicologia do cavalo

animais

O cavalo, constantemente apresentado nos filmes como bravo, corajoso e trabalhador, é na realidade um animal nervoso, apreensivo e meigo; gosta de uma vida calma e mesmo muitos anos de treino não conseguem alterar a sua verdadeira personalidade e independência. A sua submissão ao homem é apenas um compromisso consigo próprio, que lhe permitirá ultrapassar alguns sentimentos de fúria e insegurança. Quando assustado, a sua reacção mais provável é disparar, imaginando que o perigo atrás, corre em direcção aquilo que, no seu pânico, lhe parece a segurança. Apesar da sua natureza tímida e insegura, o cavalo possui uma grande inteligência e sensibilidade, não esquece, no entanto, facilmente a crueldade e mesmo muitos anos depois lembrar-se-á de tudo aquilo a que a sua mente associa a dor e sofrimento. A sua relação, com o respectivo dono, deve ser baseada em confiança e estabilidade, pois é nele que o cavalo procura protecção. O cavalo, tal como o humano, possui características próprias. Assim, um cavalo pode ser generoso, obediente, agressivo, nervoso, curioso, obstinado, indiferente, generoso. Este interpreta os desejos do homem dependendo do tom e volume da sua voz. Inês Matias, 9ºD

(Talho 20 e Grill 20) directamente do produtor ao consumidor

o pinheirinho 5 | 6


No Inverno há muita neve. E as pessoas fazem bolas de neve e atiram-nas. Também os adultos e as crianças fazem esqui. No Inverno, como está muito frio, as pessoas têm que vestir muita roupa, se não ficam doentes. No Inverno, já não há flores: os passarinhos vão para os países mais quentes e já não há muitos animais. Iaroslava Kholoshe, 4ºA

| Eu chamo-me Cristina Nica O meu país chama-se Moldávia e tem 4 milhões de habitantes. O meu país não é muito grande mas é muito bonito. A Moldávia é um país que tem todas as quatro estações do ano. Na Primavera e Verão está tudo verde, no Outono está dourado e no Inverno está tudo muito branquinho. Eu vim para Portugal em 1999. Andei no colégio Um-DóLi-Tá até 2002, depois fui para a Escola Básica Integrada da Charneca de Caparica no 1º ano, e hoje já estou no 3º ano. O tempo passa tão depressa! Gosto muito de estar em Portugal, mas tenho muitas saudades da minha terra. Como todos os países, o meu tem as suas tradições. Uma tradição de que toda a gente gosta, em especial as crianças, é o Natal. Naquele dia, a rua está toda branca de neve, só das chaminés das casas o fumo cinzento devagarinho se levanta para o céu. De dia as crianças, à noite os adultos vão vestir o seu disfarce e, com música e o sino, vão por todas as casas desejar às pessoas um bom ano, muita paz e felicidade. Em troca receberão prendas das pessoas, e continuam assim até à manhã do dia seguinte. É muito bonito passar o Natal na Moldávia. Cristina Nica 3ºB

Eu mã numesc Cristina Nica. Mam nãscut în Moldova. Tara noastrã are 4 milioane de abitanti. Moldova e o tarã micã, dar foarte frumoasã. Se caracterizeazã prin frumusetea care o ore de la naturã. Primãvara si vara e verde, Toamna e argintie si Iarna parca îsi îmbracã un cojoc de blanã albã. Eu am venit în Portugalia în anul 1999. Pînã în anul 2002 am mers la grãdinita “Um-Do-Li-Ta”, mai tîrziu am intrat la Scoala Básicã din Charneca de Caparica si iatã am ajuns în clasa a 3ºB. Îmi place mult sã atau aici în Portugalia, dar mii dor de Moldova. Moldova ca orce tarã are si ea traditiile ei. Una din ele mai frumoasã e Anul-Nou. In acea zi în general afarã e totul alb, iar de la fiecare casã din hojeag ese o suvitã de fum ce se ridicã încet spre cer. Ziua copiii iar noaptea adultii îsi îmbracã mãstile de Carnaval si pornesc pe la case a ura, a colenda, cu muzicã si clopotelul. În schimb primesc darurile gospodarilor si se întorc acasã, si asa pînã dimineatã. E foarte frumos sã petreci sarbãtoarea de Anul-Nou în Moldova.

1º ciclo

| O Inverno (um texto em moldavo)


| Moldávia Sou Oxana Macarici Alexandru, tenho nove anos, vivo em Portugal, mas nasci na Moldávia. A Moldávia é uma país pequeno, mas muito bonito. A capital é Chisinãu. Na Moldávia também há quatro estações do ano: a Primavera com o sol brilhante e as flores lindas, no Verão o vento está a correr para ajudar o Outono a deitar todas as folhas no chão e finalmente a minha estação do ano preferida, o Inverno. No Inverno está tudo branco e bonito. Eu gosto do Inverno porque há muitas festas e principalmente a minha festa de anos e o Natal. Na Moldávia o Natal é no dia 7 de Janeiro e há uma tradição: no dia 14 de Janeiro de manhã vamos às casas dos outros com arroz cru ou com sementes de sol, e dizemos uma poesia que pede para teres um novo ano com felicidade e muitas coisas bonitas. E, à noite, uma canção sobre lendas e sobre Jesus. Oxana Alexandru 3ºB

ciências

| Dia do π Mais uma vez, o Departamento de Matemática vai comemorar o Dia do π. E em que dia se celebra este dia? 14 de Março, pois então. E porquê? Bom, para os mais distraídos, o valor de π aproximado com duas casas decimais é 3,14… Quem quiser saber um pouco mais sobre este número místico, pode deslocar-se ao CRE, na semana de 14 a 18 de Março, onde se podem ver alguns trabalhos realizados por alunos do 9º ano. No átrio da sala de Ciências ainda estão as primeiras quatrocentas casas decimais deste número maravilhoso, que os alunos do ano passado construíram. Este ano, os professores de Matemática prepararam ainda uma surpresa para todos os alunos dos 2º e 3º ciclos. Para aguçar a curiosidade, aqui ficam alguns sites interessantes, que podem consultar: http://www.atractor.pt/fromPI/index.html Neste site podem procurar sequências de números, como o número BI ou o número do telemóvel, nas casas decimais de π. Depois podem fazer um postal alusivo ao π e enviá-lo a quem quiserem. http://www.educ.fc.ul.pt/icm/icm98/icm11 Neste site existem imensos problemas, curiosidades e história do π. http://www.apm.pt/apm/curiosidades/curio3.htm Neste site podem estudar a evolução cronológica do cálculo de π. http://www.pi314.net/ Este site é bom para praticares o teu francês. Tem músicas, poemas e um grafismo espectacular. http://members.aol.com/LooseTooth/pi.html Este site é bom para praticares o teu inglês. Tem músicas, poemas e muitas alusões às Sailor Moon.

Prof. Sónia Dias

o pinheirinho 7 | 8

Sunt Oxana. Am 9 ani. Trãesc în Portugalia dar mam nãscut în Moldova. Moldova este o tara micã dar foarte frumoasã. Capitala Moldovei este Chisinãu. În Moldova la fel sunt patru anotimpuri. Primavara, cu flori frumose si cu soare strãlucitor. Vara fêntue vîntul sã ajute pe Toamnã ca sã cadã toate frunzele jos. Si în sfîrsit, vine Iarna. Iarna este tot în jur alb si strãlucitor. Mie îmi place iarna pentrucã sunt multe sãrbãtori, în principal ziua mea de nastere si Crãciunul. Crãciunul este pe data de 7 ianuarie. Mai este o traditie pe data de 14 ianuarie. În aceastã zi dimíneata copiii pleacã pe la case cu orez sau cu rasãrita, pentru a dori familiilor apropiate, printro poezie un an plin de roada, si sãnãtate. Apoi vine seara, la fel colindãm casele si cîntam un cîntec despre lejenda lui Isus. Pais de Oxana Alexandru

| Olimpíadas da Matemática A Sociedade Portuguesa de Matemática organizou este ano, uma vez mais, as Olimpíadas Portuguesas de Matemática. No passado dia 10 de Novembro, decorreu a 1ª eliminatória que contou com a participação de 36 alunos da nossa escola, distribuídos por duas categorias: Pré-Olimpíadas (para os 7ºs anos) e Categoria A (para os 8º e 9º anos). Pelo regulamento destas olimpíadas, os alunos de 7º ano terminavam aqui a sua participação, enquanto que os alunos de 8º e 9º anos podiam apurar-se para uma segunda eliminatória, a final nacional que, este ano, se realiza no Funchal e para a final internacional, que se realiza no México. Dos nossos alunos, apuraram-se para a 2ª eliminatória o Rafael Santos do 8ºC e a Andreia Vilas Boas do 9ºD. No dia 12 de Janeiro, realizouse na nossa escola a 2ª eliminatória, onde participaram nove alunos de cinco escolas do nosso concelho. Infelizmente, o Rafael e a Andreia não passaram à final mas, enquanto estiveram em prova, foram uns dignos representantes da nossa EBI. Prof. Sónia Dias

| Jornal de parede de Matemática Desde o passado dia 12 de Janeiro, a secção de ciências do Pinheirinho ganhou outra dimensão. Agora já não precisas de esperar três meses para saberes mais sobre curiosidades matemáticas, charadas e muito mais, pois tens todos os meses novidades no πnheirinho, o teu novo jornal de parede, situado nas vitrinas, perto do bar. Aproveita para descobrir mais sobre ciências e participa nos jogos e passatempos que podem sempre surgir. Profs Bruno Bastos e Joana Conde


|CURIOSIDADES SOBRE O SOM… O Os comboios do Canadá têm hoje um som mais alto do que antigamente porque os alces interpretavam o apito de menor altura de som como um chamamento para acasalar, correndo, por isso, para os carris em busca da companheira. O Em 1940, a ponte de Tacoma, nos Estados Unidos, ruiu devido a vibrações ressonantes provocadas pelo vento. O No espaço, os astronautas comunicam, em geral, através de microfones, via sinais de rádio, pois não existe meio material para se propagar o som. O Beethoven, compositor famoso dos finais do século XVIII, continuou a compor música mesmo depois de ficar surdo. Para ouvir os sons, utilizava uma vara, encostando uma das extremidades às cordas do piano e a outra prendia-a nos dentes, sendo assim o som conduzido até ao cérebro. O Os morcegos utilizam o som para se deslocarem no escuro e, usando a localização por eco, conseguem apanhar cerca de 600 mosquitos numa hora. O As cobras não têm orelhas mas, encostando a cabeça ao solo, captam as vibrações provenientes dos movimentos de um animal que se aproxima, através de um osso existente no interior da cabeça. O A maioria das aranhas captam as vibrações sonoras através dos pêlos das patas. CURIOSIDADES SOBRE A LUZ… N Uma tempestade eléctrica (relâmpago/trovão) representa a grande diferença de velocidade de propagação existente entre a luz e o som. N O primeiro laser foi construído em 1960. N A energia concentrada num finíssimo raio laser pode ser utilizada para cortar materiais duros como metais ou vidros. N A abelha não tem a percepção do vermelho. N Os gatos vêem as cores mas os cães são daltónicos. N A capa vermelha do toureiro é mais um sinal de perigo para nós que para o touro, que é daltónico. Este reage porque o toureiro agita a capa. Eu e o Planeta Azul (Porto Editora)

| As Termas BALIKLI KANGAL e os peixinhos Cyprinion Macrostomus e Garra Rufa As termas de Kangal Balikli têm um lugar muito importante no termalismo turco. São as únicas termas no mundo a “oferecer um milagre” médico e científico curando a doença “Psoríase” . O miraculoso tratamento dos peixes que vivem nas águas termais a uma temperatura de 36-37ºC. Os peixes da família Cyprinide, com cerca de 2 a 10 cm de comprimento, chamados Cyprinion Macrotomus e Garra Rufa curam: borbulhas, eczemas, doenças de pele variadas e a chamada Psoríase A Psoríase é uma doença da pele relativamente frequente e atinge homens e mulheres, sendo mais frequente na raça branca. Pode manifestar-se logo após o nascimento, ou mais tardiamente no idoso, mas, o mais comum é entre os 20 e os 40 anos de vida. Caracteriza-se pelo aparecimento na pele de lesões rosas ou avermelhadas, cobertas de escamas secas e esbranquiçadas. É geralmente localizada mas deve ser tratada para evitar que alastre ou crie formas mais invalidantes. É necessário entrar na água 3 vezes ao dia e permanecer 8 horas no total, para que o tratamento tenha um bom resultado. Também é necessário beber alguns copos desta água saudável em jejum. A acção das bolhas de água da nascente e o contacto dos peixes com a pele criam um relaxamento geral no corpo. Durante este tratamento não é utilizado nenhum tipo de medicação e não tem nenhum efeito secundário.

A habituação aos peixes de cor castanha, cinzenta ou bege, que nadam em torno do paciente e começam a limpar em zonas em que a doença se concentra, leva entre 2 a 3 dias. Estes peixes que não têm dentes limpam as cicatrizes ( que amolecem por estarem dentro de água), com movimentos lentos da boca, não causando dor nem sangramento, até que a pele fique lisa e macia. A Psoríase não é uma doença infecciosa ou transmissível pelo contacto com pessoas através da água da piscina, por exemplo.

Dados sobre as águas termais Temperatura 36Cº - 37º Valor de PH 7,3 Características Cálcio, Magnésio, Bicarbonatos Químicas Características Água mineral isotermal, hipotónica, Físicas oligometálica Excerto do trabalho em Área-Projecto (Saúde e Animais) Ana Cavadas, Esperança Silva, Isabel Cavadas, Raquel Azevedo e Verónica Cardoso, 8ºD


| Corta-Mato Escolar

reportagem

O Corta-Mato escolar, uma das actividades já conhecidas na nossa escola, este ano foi realizado no parque das Quintinhas... Viemos a descobrir que a nossa escola tem grandes desportistas! E ainda bem, pois o desporto é muito importante! Mas vamos ao que interessa, o Corta-Mato... Pois é, como eu vos estava a dizer, o Corta-Mato, que ocorreu no final do primeiro período, podemos dizer que proporcionou uma manhã diferente... Quase todos os alunos participaram, do 1º, 2º e 3º ciclos. Isto sim é que é espírito desportivo...Claro que todos não ganharam, mas o importante não é ganhar mas sim participar!!! Tivemos um pouco de azar, pois estava um dia de chuva, mas isso não impediu que esta actividade desportiva se realizasse. Continuem a praticar desporto...! Sara Gonçalves, 8ºC

Catarina João, 1ºB

| O PINHEIRINHO NO PORTO Mesmo às 9 da manhã, o bom humor entre o núcleo jornalístico estava presente! Nem nós sabíamos o que nos esperava! Tínhamos 5 longas horas de viagem pela frente até ao Porto… começaram bem secantes mas acabaram bastante divertidas! Sempre na tagarelice, o tempo foi passando! Na nossa última paragem, imaginem quem estava na estação de serviço? Os actores do “Gato Fedorento”! Fiz o papel de fã babada o que mais tarde nos deu grandes momentos de risota! Comecei com um: “Eh Pá! Tu fazes o “Gato Fedorento”, não fazes? Eh pá! Tu és um espectáculo! “ e acabei com um grande beijo na cara e um homem espantadíssimo a olhar para mim! Mais tarde entrámos no Porto! E a nossa próxima aventura era descobrir o sítio da entrega dos prémios… a Fundação Serralves! Quando finalmente chegámos, entrámos no auditório e sentámo-nos… demos com 6 ou 7 Drs. e Dras. sentados numa mesa em frente ao público e um pódio ao lado! Esses doutores eram os elementos do júri e patrocinadores do concurso! Entre eles estava o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa… um verdadeiro gentleman, sempre a sorrir! Começou a entrega dos prémios… nós fomos dos últimos mas assistimos a todos os momentos de alegria de alunos e professores a receberem com orgulho todos os prémios... tão esperados e sonhados! Mas, de repente, nem a meio estávamos, entram os tipos do “Gato Fedorento” a fazerem sketches ao vivo da série da SIC RADICAL! Continuou a entrega mas, de vez em quando, lá entravam eles com humor para dar e vender! Chegou o momento! A E.B.I. 1,2,3 da Charneca da Caparica com o “Pinheirinho” foi chamada! Lá fomos todos (7 alunos e 3 profs.) receber a tão esperada Menção-Honrosa! A Prof. Teresa Pereira

o pinheirinho 9 | 10

deu 2 palavrinhas… talvez 3… ok, deu um “granda” discurso… e aquilo acabou! Doida como sou, peguei na mão da Carolina e fui cumprimentar o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa! Ele ia a levantarse da cadeira e nós estávamos atrás dele… esperavamos um “com licença” mas, em vez disso, recebemos um “Olá minhas queridas!” com um grande sorriso no rosto, seguido de dois beijinhos e de um “que olhinhos tão bonitos!”. “Era mesmo simpático, o raio do homem!” by Carolina. Às 16:30, se não me engano, partimos para o autocarro com a Prof. Teresa Pombo completamente histérica com a câmara de filmar digital que a TVI ofereceu à escola! Seguiram-se mais 5 horas de viagem, mas desta vez muito mais animadas! Sempre a rir… chegou ao choro e às dores de barriga! Sempre a “picar” o motorista mal humorado que prometeu nunca mais viajar connosco! Chegámos à escola por volta das 21:30, cansados mas satisfeitos! Filipa Coutinho, 7ºC


diga-nos lá...

| Entrevista ao Presidente do Conselho Executivo da nossa escola P: Como se sente a dirigir esta escola há 11 anos consecutivos? PCE: Eu não dirijo esta escola há 11 anos. Estou no conselho executivo há 10 e sou presidente, apenas, desde 1997/98. Sinto-me bem neste papel porque ninguém me obrigou a fazê-lo. Candidatei-me e tenho sido eleito. P: Teve algum projecto especial para a nossa escola? PCE: Talvez se possa dizer que todos os projectos da escola tiveram um objectivo comum e bem definido: ajudar as crianças e os jovens a crescer, saudavelmente, do ponto de vista físico, social e com as competências de conhecimento básicas construídas. P: O que é que esta escola tem de diferente e porquê? PCE: A nossa escola só é diferente, porque não há duas escolas iguais. As características de cada um de nós, professores, alunos e funcionários, determinam essa diferença que se revela na maneira de encarar esta pequena comunidade onde todos procuramos que aprender e crescer possa ser mais agradável. P: Os melhores e os piores momentos até aqui vividos por si na escola? PCE: O melhor: há uns anos havia na escola um conjunto de alunos, fora da escolaridade obrigatória e com dificuldade em terminar o 9º ano. Para que pudessem terminar a escolaridade obrigatória construímos um currículo escolar adaptado a estes alunos. Dois anos depois terminarem o 9º ano com sucesso e são hoje, na quase totalidade, pessoas ganhas para a vida. Foi deveras gratificante! O pior foi, talvez, um de sinal contrário: o enorme esforço feito pela escola no sentido de tentar recuperar um aluno que revelava comportamentos pouco sociais dentro e fora da escola. O fracasso foi completo, pois nem, sequer, conseguimos que este aluno terminasse o 6º ano de escolaridade. Agora, a um nível mais pessoal… P: Que tipos de livros gosta de ler? PCE: Infelizmente hoje, devido a limitações de visão não consigo ler um livro. Apenas alguns artigos de jornal ou revistas. P: Gosta mais de cinema ou teatro? PCE: Gosto mais de teatro, porque a comunicação com o público é mais “quente”. P: Qual o seu clube de futebol? PCE: Sou um adepto, não fanático, do Benfica. Quando ganha fico contente, mas quando perde, é aos jogadores e, eventualmente, à equipa técnica, que devem ser pedidas responsabilidades. Não me perturbam as eventuais derrotas do Benfica. É porque não se esforçou por ganhar… P: Qual o seu actor favorito? PCE: Não conheço pelo nome os actores estrangeiros que mais gosto de ver representar. Contudo gosto muito de ver actuar alguns actores portugueses (vivos) como o José Pedro Gomes, Maria do Céu Guerra, Eunice Munoz, Nicolau Breyner entre outros … P: Qual a viagem da sua vida? PCE: Não tenho uma viagem da minha vida. No entanto gosto muito de revisitar algumas cidades estrangeiras como Paris e, em Itália, Florença, Veneza, Siena, Verona, entre outras. P: Mensagem ao Pinheirinho PCE: Desejo que este projecto, assegurado por este grupo de alunos e professores, continue a ser uma boa motivação para a leitura e para desenvolver o gosto pelo jornalismo. Nós continuaremos a apostar nele. É a nossa escola que aí se revela através, sobretudo, das capacidades reveladas pelos nossos alunos. Devem orgulhar-se do trabalho realizado, mas devem também alimentar a ambição de fazer sempre melhor. PARABÉNS! É preciso não deixar morrer o sonho. Rute Sousa, 7ºC


criação literária

Tudo levou Sem dúvida, tudo arruinou Unidos Nada conseguiram fazer Alguém consegue lutar contra a força do Mar? Isto pergunto eu?

Gonçalo Nazaré, 8ºA

Com o meu amor Insuficiente Não te mereço certamente Diariamente Escrevo-te cartas… Raros dos que possuem amor… Entende por favor, Lá no fundo meu Amor … Rodrigo Alves e João Soares, 8ºA

O povo

Trouxe desespero Sem nada deixar passar Um dia, levou cidades ao enterro. Neste desastre havia muita gente a orar Ambiguamente confiantes em Deus. Martirizados, de Deus estavam a duvidar, Inteiramente destroçados, com a morte dos seus. Alberto Azevedo,8ºA | Tocar-te Se te pudesse tocar levar-te-ía ao céu, à mais alta nuvem. Se te pudesse sentir dava-te a Estrela mais brilhante do Universo. Se pudesse beijar essa boca, Esses lábios da cor de uma maçã Seria feliz eternamente.

Quero ser o povo, A chorar mas com razão, Mas não um pobre, Com uma mesa sem pão.

Só damos valor às coisas Quando não as temos, só tu Me poderias dar o que me Falta.

Não quero ver as crianças, Descalças pelo chão, Nem um pobre velhinho, Sem ter lar nem pão.

Amar-te é o que sinto Mas o que eu queria era Que sentisses o mesmo por mim, E que demonstrasses isso com o teu amor.

Não quero ser rico, Com tudo menos coração, Mas sim humilde Com muita satisfação Marta Antunes 8ºA

Sinto que algo está mal Não te tenho perto de mim Tu estás no meu coração E por mais que te ame Isso não chega para que fiques comigo. O amor que sinto por ti Chega para nós dois Deixa ser o meu coração a amar-te a ti e a mim. Quando te olho e tu sorris Parece que tudo desaparece à nossa volta e ficamos ali a olhar um para o outro como se fôssemos os únicos naquele lugar. O teu olhar ilumina a minha Vida e o meu destino. Afinal quem sou eu sem ti?... NINGUÉM....

o pinheirinho 11 | 12

Lúcia Soraia


| Lua de Joana

| O Carnaval O Carnaval em Portugal tem vindo a modificar-se ao longo dos anos, não sendo o de 2005, uma excepção. Em Portugal, a tradição dos Carnavais à portuguesa foi-se perdendo, para dar lugar a um Carnaval mais brasileiro. Senão vejamos, nós imitamos os desfiles nas ruas, com todo aquele esplendor de cor, carros alegóricos, samba e alegria, mas esquecemo-nos de que o nosso clima não é o deles e que aquela celebração não faz parte da nossa tradição, apesar de ser muito mais bonita e alegre do que os nossos”assaltos” ou a nossa celebração do Entrudo. O Carnaval no Brasil, também ele é uma tradição do povo brasileiro pois, já nos anos 60, se viam as “Baianas” desfilarem nas ruas. Estas tiveram a sua origem no tempo da escravatura, pois elas representam as escravas que tudo economizavam para poderem fazer roupas brancas, para participarem na procissão da Nossa Senhora do Rosário. Além disso, os brasileiros utilizam o Carnaval para fazerem uma critica social (que lhes custou a sua proibição na altura do domínio militar no Brasil), para contarem a sua história,

a da música ou outra qualquer, através do samba enredo (início do samba como música é em 1917) que cada uma das escolas faz desfilar no Sambódromo, sito na Avenida da Sapucai, há 20 anos. Mas, não é só o Carnaval brasileiro que tem reconhecimento mundial, apesar de ser aquele mais próximo de nós pela história que temos em comum. Um deles, é o Carnaval de Veneza, cujos desfiles nas gôndolas têm o seu início na época barroca. É um Carnaval mais triste, mas não menos belo e esplendoroso. Podemos dizer que, com os seus desfiles pelos canais, a caminho dos célebres bailes de máscaras (criados ao que parece pelo Papa Paulo II) parecem imitar o teatro “Comedia del arte “ do século XVI, com as suas magníficas máscaras e trajes. Por tudo o que se disse anteriormente, pode-se concluir que o Carnaval, sendo mais ou menos alegre, é uma festividade comemorada em vários lugares do Mundo (Portugal, Itália, Brasil e Martinica entre outros), segundo a tradição de cada um desses países. Ana Rita Laureano, 6º A

| O Carnaval no Brasil Os festejos carnavalescos foram levados para o Brasil pelos portugueses. Em alguns festejos de carnaval, havia muitas confusões. Estas confusões foram proibidas por lei e, por isso, passaram a ser utilizadas serpentinas de papel e confettis coloridos. A tradição dos desfiles tem origem nas reuniões de escravos, que organizavam cortejos com bandeiras e improvisavam cantigas ao ritmo de marcha. Aos escravos devem-se os ritmos e instrumentos de percussão usados no Carnaval brasileiro. No tempo em que se desenvolviam as futuras escolas de samba, institucionalizadas no Rio de Janeiro em 1935, as classes altas importavam da Europa os sofisticados Bailes de máscaras e as Alegorias. Hoje em dia, o Carnaval é um dos expoentes máximos do Brasil, atraindo anualmente turistas de todo o mundo. Rute Sousa, 7ºC | obrigada! São neste momento duas da manhã do dia 8 de Janeiro e eu, para relaxar, estou a escrever à minha adorada ex-professora de Inglês, que me convenceu (não foi preciso muito) a entrar no núcleo jornalístico da escola fazendo-me descobrir uma grande paixão: O JORNALISMO! Descobri como gosto de escrever notícias ou relatar acontecimentos e cada vez me vejo mais como uma importante jornalista de um jornal nacional! Também há a hipótese de ser repórter! Daqui a uns anos ligam a TV e vêem-me em directo do Iraque, com grandes guerras atrás a dizer que a situação para aqueles lados está complicada! OBRIGADA teacher e vão lendo os jornais…. Filipa Coutinho, 7ºC

crónicas temáticas

Este livro fala-nos de uma rapariga, a Joana, que perdeu a melhor amiga, Marta, devido às drogas. Joana não compreende porque é que a amiga começou a dar-se com aquele tipo de pessoas e vai tentar responder a esta pergunta. Joana escreve cartas à amiga, o que revela as saudades que sente de poder desabafar com alguem sobre a sua família e sobre os seus problemas. No desenrolar da história, Joana começa a dar-se com os “amigos” que Marta adoptou antes de morrer e, por influência, também começa a injectar-se com drogas. Com o passar do tempo, Joana já não consegue separar-se daquele vício, que acaba por provocar a sua morte. Este livro faz-nos pensar sobre a dependência física e psicológica que as drogas exercem sobre nós. Aconselho este livro a todos os jovens (e adultos) para que não caiam no erro de consumir qualquer tipo de drogas. Carolina Alves, 9ºD


| Costa de Caparica passou a cidade!!!

desporto

Se ainda não leu esta noticia passamos a oferecê-la: a Costa de Caparica foi elevada a cidade. A realidade é que temos 42 Quilómetros de lindíssimas praias que bem podemos aproveitar. Esperemos, desde já, que esta boa oportunidade sirva para que a “Costa” melhore as suas condições e assim as nossas estupendas praias terão mais turistas e que tanto eles como nós possamos desfrutar das mesmas e dar a conhecer este lindo cantinho do mundo. Para isso, existe um projecto que trará, se for cumprido, belíssimas mudanças que tem como nome Projecto Polis. Esperemos que esse projecto seja posto em prática o mais rapidamente possível para que o nosso país seja mais enriquecido com a nossa pequena parte. Adriano,6ºA | A Propósito da Praceta Frederico de Freitas…onde se situa a nossa Escola Frederico Guedes de Freitas nasceu e morreu em Lisboa (16/11/1902- 12/01/1980), onde viveu, na Av. dos Estados Unidos (Campo Grande). Herdou a vocação musical da mãe, tendo estudado piano desde novo. Estudou no Conservatório Nacional, tendo terminado o curso de composição em 1925 com a mais alta classificação. Obteve vários prémios: 1º Prémio Nacional de Composição com “Nocturno” (1926), Prémio Domingos Bomtempo (1935) e Prémio Nacional Carlos de Seixas (1962). Escreveu para canto, piano e violino cantigas de amigo e cantigas de amor sobre poesia do séc. XVIII. Estudou o folclore Português e tornou conhecidos em Portugal importantes autores estrangeiros, como Bach, Mendelssohn e Pergolese. Frederico de Freitas foi pedagogo, musicólogo, chefe de orquestra, Maestro Titular da Orquestra Sinfónica da Emissora Nacional e Fundador da Sociedade Coral de Lisboa. Compôs para vários genéros (música, cinema, a “Severa”, por exemplo, filme protagonizado por Amália Rodrigues); compôs ainda canções populares,bailados (“Dança da Menina Tonta”, 1941), prosa (“Igreja do Mar”, 1957) e música de Câmara. Podemos destacar como principais obras deste compositor as seguintes: As Lavadeiras de Caneças (1928), Fado do Capelão e do Timpanas (1931), Pátio das Cantigas (1941), Gaivota Branca (1979), Sonata para Violino e Violoncelo (1932), Missa Solene (1941), Dança da Menina Tonta (1941), Quarteto Concertante (1943). Frederico de Freitas foi efectivamente um grande compositor modernista e o mais eclético dos compositores do seu tempo. Fábio, 9ºA | História do Futebol Primeiro jogo internacional Na China, em 206 A.C., surgiu um manual que regulamentava O primeiro jogo internacional, terminou empatado a zero e foi um jogo, parecido com o futebol, já praticado 2.500 anos antes. disputado em Glasgow, a 30 de Novembro de 1872. A introdução Os jogadores evitavam que a bola tocasse no chão, sem usar as dos árbitros e dois fiscais de linha, fizeram cumprir as regras do mãos. jogo. Na Grécia, em 20 A.C., surgiu uma competição chamada O futebol moderno foi introduzido em Portugal em 1884 por Speskiros. O campo era limitado por duas linhas de fundo e uma Guilherme Pinto Basto. No entanto, foi preciso esperar quatro outra no centro. Duas equipas colocavam-se nas linhas de fundo, anos para que se realizasse o primeiro jogo oficial, nos arredores e quando o juiz dava a ordem de partida as equipas “disparavam” de Lisboa, na pitoresca vila costeira de Cascais. em direcção à bola. Em 1893 foi construído o primeiro campo de futebol no A Inglaterra é o berço do futebol moderno. Há quem afirme que centro de Lisboa, no Campo Pequeno, no local onde hoje se os Romanos foram os responsáveis ao introduzirem o Harpastum encontra a Praça de Touros. no país, a juventude britânica praticava um jogo parecido. O primeiro campeonato Cidades vizinhas competiam e na altura já se chamava futebol. Em 1921 assistiu-se ao primeiro encontro internacional de Os jogadores empurravam a bola com pontapés e murros até Portugal, em que houve uma derrota por 3-1 frente à Espanha, e a meta. Em 1349, Eduardo III incluiu o futebol entre os jogos à realização do primeiro campeonato nacional, uma competição "estúpidos e de nenhuma utilidade". por eliminatórias ganha pelo FC Porto. Em 1926, foi fundada a Em Florença, o futebol chamava-se calcio. Longe de Florença, Federação Portuguesa de Futebol. nos jardins do Vaticano, os Papas Clemente VII, Leão IX e Vantagens do Futebol: Urbano VIII "arregaçavam" as batinas para jogar o calcio. Era • Fortalecimento da músculos das pernas e tronco. comum ver uma multidão de estudantes a correr atrás da bola e • Aumento da massa muscular das pernas e aumento do tecido também alguns padres a dar murros e chutos poderosos. ósseo dos membros inferiores. Riscos: • o jogador está sujeito a ter lesões nas articulações dos membros inferiores, principalmente do tornozelo e do joelho Excerto do trabalho em AP (Futebol) o pinheirinho 13 | 14 Carlos S., Henrique B., Jonathan, José M, Vasco J., 8ºD


| Nuno Gomes No dia 5 de Julho de 1976 nasceu um dos jogadores portugueses mais adorados, a quem foi dado o nome de Nuno Miguel Soares Pereira Ribeiro. Apesar de ser natural de Amarante, Nuno nasceu na cidade do Porto, no hospital Ordem do Carmo. Desde pequeno que Nuno joga futebol. Tudo começou no Amarante e foi também aí que ganhou a alcunha Nuno "Gomes", dada pelo seu primo Zé Maria. A razão para tal alcunha foi as semelhanças do corte de cabelo do Nuno, aos 19 anos, com o jogador do FCPorto , Fernando Gomes, o seu grande ídolo. Nuno manteve-se no Amarante até aos seus 15/16anos mudando-se depois para a cidade Invicta, para jogar no Boavista. Nuno não cresceu apenas como jogador, mas também como homem. Foi nessa altura que conheceu a sua ex-mulher, Isméria, que veio mais tarde a ser mãe da filha de Nuno, Laura Sofia Ribeiro, agora com 5 anos. Nuno Gomes jogou na equipa principal do Boavista durante 3 anos, tendo-se depois mudado para a Capital para jogar no Benfica. Manteve-se no Benfica até ao ano 2000, altura em que foi jogar no Fiorentina em Itália. No Fiorentina passou por bons momentos, mas também por muitos maus momentos, como a falência do clube. Apesar de tudo, Nuno nunca guardou nenhum rancor. Depois da falência do Fiorentina, Nuno regressou ao Benfica, clube onde ainda hoje se mantém e onde pretende ficar até ao fim da sua carreira! Golos marcados:

97/98 98/99 99/00 02/03 03/04 04/05

Época

CN 18 24 18 9 7 1

TP 4 3 1 ----

LC -7 -----

TU --1 -5 3

TOTAL--» 100

+30 no Boavista 16 na Fiorentina 21 na Selecção TOTAL NA CARREIRA--» 168 CN-Campeonato Nacional; TP-Taça de Portugal; LC-Liga dos Campeões; TU-Taça Uefa Informação recolhida em http://groups.msn.com/NunoGomes021

Sara Gonçalves, 8ºC

| O exercício físico Quais as vantagens do Exercício Físico ? - O exercício ajuda a manter a força e elasticidade dos músculos, evita a obesidade e dá uma sensação de bem-estar. - À medida que a idade avança, os movimentos começam a ser mais lentos e o andar menos seguro. Se fizer exercício diariamente, passará a movimentar-se com maior rapidez

e

segurança.

- O exercício físico também ajuda a prevenir algumas doenças (principalmente as do coração e dos vasos sanguíneos) e a diminuir a perda de cálcio dos ossos. - A mobilidade articular está directamente relacionada com a amplitude do movimento e a flexibilidade com sua qualidade. -

A

resistência

está

ligada

à

frequência

com

que

o

idoso

se

dedica

- A redução da mobilidade e da resistência prejudica o desempenho de muitas actividades do dia a dia. Assim, a força dos membros inferiores é muito importante para a

a

ocupações

prevenção

de

activas.

quedas.

- E a força dos músculos abdominais e lombares para a manutenção da estática corporal e no andar, evitando dores crónicas e muita incapacidade. Rute Sousa, 7ºC


| DESPORTO ESCOLAR / TAÇA LUIS FIGO No dia 30 de Novembro de 2004, realizou-se o Corta Mato Escolar, mais uma vez num ambiente acolhido pela natureza, no Parque das Quintinhas, com grande participação de toda a comunidade escolar. Apesar da chuvinha inicial, o S. Pedro resolveu dar uma ajuda e a prova decorreu a bom ritmo com grande empenhamento de todos os participantes que rondaram os 400 alunos. O Torneio Inter Turmas de Basquetebol 3x3, realizado no dia 17 de Dezembro, contou com a colaboração do BAC (Basket Almada Clube) que dinamizou um concurso de lançamentos para o 1º ciclo e ajudou na arbitragem dos jogos dos 2º e 3º ciclos. Esta manhã dedicada ao Basquetebol foi também preenchida com uma demonstração de Dança das alunas do núcleo de Desporto Escolar da nossa escola. Mais uma vez, todos os participantes estiveram bastante activos e empenhados, contribuindo para o sucesso desta actividade que terminou com um jogo de Futsal entre um grupo de professores e alunos e o núcleo de Desporto Escolar da nossa escola. No 2º período, e pela primeira vez nesta escola realizou-se o Torneio de Atletismo envolvendo os alunos dos 2º e 3º ciclos nas seguintes modalidades: Salto em Comprimento, Salto em Altura, Lançamento da Bola e do Peso, Corrida de Fundo (900m), Corrida de Velocidade (40m) e Corrida de Estafetas (4x130m). Registaram-se boas prestações em todas estas modalidades, reveladoras do crescente interesse dos alunos por esta actividade.

No dia 16 de Fevereiro de 2005, os alunos que se classificaram nos 10 primeiros lugares do nosso Corta Mato, participaram no Corta Mato Concelhio realizado no Parque da Paz, em Almada. Os nossos alunos classificaram-se em 6º lugar na classificação colectiva, num universo de 18 escolas envolvidas. Há ainda a destacar o 1º lugar obtido na classificação do escalão iniciado feminino. Individualmente, obtivemos um honroso 1º lugar conquistado pelo aluno Daniel Pereira no escalão infantil B masculino e um não menos honroso 2º lugar no escalão iniciado feminino da aluna Verónica Cardoso. Destacam-se também o 6º lugar conquistado pelo aluno Frederico Oliveira no escalão com maior número de participantes, iniciados masculinos. Agradecimentos: Na organização destas actividades o Subdepartamento de Educação Física teve a colaboração da Junta de Freguesia da Charneca de Caparica, da Câmara Municipal de Almada, do BAC (Basket Almada Clube) e do Conselho Executivo da Escola. Actividades previstas para o 2º período: Está a decorrer o Torneio de Badminton cujas finais estão previstas para o dia 17 de Março de 2005; no dia 2 de Março ,realiza-se o Torneio de Multi-Actividades na Pista Municipal de Almada; no dia 4 de Março, vai decorrer o Corta Mato Distrital no qual irão participar 32 alunos da nossa escola; no dia 16 de Março, na Pista Carla Sacramento, Seixal, irá decorrer uma prova denominada Mega Sprint, na qual irão participar 13 alunos. Profs. Sylvie Dias e Catarina Pinheiro

passatempos

No número anterior, foi dado um quadrado mágico para preencher. O número que temos de colocar no lugar do ponto de interrogação é o número 5. 5+2 8

6

3+5

12 - 5

6

6

2+5 Dep. Matemática | Concurso de Fotografia em Matemática Um concurso de fotografia e tu ainda não participaste? Se és aluno do 5º, 6º ou 7º anos, o tema proposto é Geometria; se és aluno do 8º ou 9º anos, o tema proposto é Funções. Aproveita, pois os três melhores vão ter prémios. Pergunta ao teu professor de Matemática como participar, ou consulta os cartazes expostos nas salas. Agarra esta oportunidade de ganhar um prémio. Tens ainda até 11 de Março para participar. Boa sorte! Profs Bruno Bastos e Joana Conde

o pinheirinho 15 | 16


| Peddy-paper No dia 18 de Março, vai realizar-se, na escola, um peddy-paper em que podem inscrever-se alunos dos 2º e 3º ciclos. Se ainda não te inscreveste, apressa-te... O grupo tem de ser misto e composto por 4 alunos. Pede a ficha de inscrição ao teu professor de Matemática. Atenção Encarregados de Educação: que tal aceitarem o desafio e participarem também no peddy-paper? As regras são as mesmas: grupos mistos de 4 elementos. Basta informar um professor de matemática da escola sobre o nome da equipa e dos participantes. Vai ser divertido! Prof. Sónia Dias

Junta de Freguesia da Charneca de Caparica apoia “O Pinheirinho”!

L’immigration origine beaucoup de problèmes et nous, les élèves de la 3ème, avons étudié le grand problème du racisme ! Comme a dit Tahar Ben Jelleun : « On ne naît pas raciste. On le devient par peur, par ignorance ou par bêtise »... le racisme, la xénophobie... sont juste des problèmes psychologiques car quand on dit que nous ne sommes pas racistes et que nos respectons la multiculturalité... nous disons la vérité ! J’ai aussi lu sur le thème de la solidarité, que « certains sont riches, d’autres sont pauvres » et que « certains sont aimés, d’autres sont rejetés », mais je pense qu’il faut être équilibré : ni beaucoup... ni peu... Il y a dejá des ONG (organisation non gouvernemental) qui aident les personnes. Les ONG plus connues sont l’ONU, l’UNICEF, la Croix Rouge Internationale et l’Amnesty Internationale. Mais, malleureusement, il y a beaucoup de pays qui ne les respectent pas ! Pendant que dans quelques pays il manque qualité de vie, culture, esthétique, science et technologie, il y a d’autres où il ne manque pas. Ils ont toutes ces choses... On a des monuments, des musées, de la médicine avancée, des hôpitaux équipés et modernes, etc... Mais il reste encore un problème plus sérieux que le problème du racisme et des différences culturelles, économiques et sociaux... C’est le problème de l’environnement. Attention ! « Notre planète est en danger... ». On a la pollution visuelle, sonore, atmosphèrique, de l’eau et du sol. Mais, heureusement, il y a des personnes et des organisations (comme GreenPeace, WWF, CITIES, ONU, etc.) qui aident à préserver l’environnement et qui tentent repérer les choses qu’on a ruiné sur notre planète pour nous offrir un monde meilleur. Alors, cette année, nous avons l’occasion de discuter les problèmes de l’actualité. Ça touche à tous ! Andreia Villas-Boas, 9ºD

petit coin du français

| Racisme, environnement... Ça touche à tous!


Assoc. de Pais – Há pouco, quando mencionou que a Junta realiza exposições, fez-me recordar a presença aqui na Charneca de um célebre pintor. Porque é que nunca se fez uma exposição com as suas obras, uma vez que ele pintava sobra a vida quotidiana aqui da região? Sr. Anastácio – Está-me a falar do pintor José Rodrigues, já falecido. Bom, infelizmente, a Junta não possui nada dele, nada mesmo. Eu próprio, o visitei uma vez na sua residência, em 1995, para ver se ele possuía alguns quadros que dissessem alguma coisa à Junta da Charneca, pois a Junta estaria interessada em adquiri- -los. Mas, infelizmente, ele na altura possuía um espólio muito reduzido, com alguns quadros sobra a Fonte da Telha e outros sobre a Costa de Caparica, mas da Charneca não existia nada, nem mesmo paisagens. Assoc de Pais – O Sr. José Rodrigues era natural da Charneca? Sr. Anastácio – Não, ele não era natural da freguesia, embora já residisse aqui há muitos anos. Já agora, como curiosidade, sabia que houve uma tentativa de dar o nome dele à E B I? Assoc. de Pais – Sim , já tinha ouvido falar sobre isso. Sr. Anastácio – Pois é verdade, mas foi recusado pela Câmara. Sabe que, ainda hoje, estive com um recorte de jornal na mão que falava sobre o pintor José Rodrigues e que também continha um pequeno comentário de Óscar Mascarenhas, criticando a Câmara, pelo facto de não ter sido atribuído o nome do pintor à vossa Escola. Mas continuando a falar da exposição, sabe que eu sei de uma pessoa que tem uma quantidade representativa de quadros dele e que estaria na disposição de os emprestar à Junta, para que fosse feita uma homenagem ao pintor após a sua morte, uma vez que todas as tentativas por mim realizadas de o fazer em vida, saíram frustradas. Assoc. de Pais - Então, seria talvez uma boa ideia criar um pequeno museu com algum do seu espólio aqui mesmo na Charneca? Sr. Anastácio – Sim, seria muito interessante, mas não compatível com o orçamento da Junta, pois os terrenos e logradouros aqui são muito caros. Seria muito interessante, porquê? Porque, segundo também aquilo que eu li, a sua casa na Quinta de Fátima, foi ele próprio que a projectou e construiu, decorando-a com mobiliário também por ele desenhado. Assoc. de Pais – Além das exposições e actuações de que falámos, em que outras iniciativas participa a Junta? Sr. Anastácio – Há pouco tempo, estava em fase de arranque um Grupo de Teatro no Charnequense, mas que não vingou por dificuldades várias, embora possua umas óptimas condições, como é o caso do seu palco. Infelizmente, este projecto não avançou, mas já outro tomou o seu lugar (com o apoio da Junta), agora levado a cabo pelo Grupo Desportivo da Quinta Nova. Este projecto irá ter duas modalidades de representação: a tradicional e a representação da mesma peça com fantoches, mais virada para as crianças. Além disso e, por iniciativa da Junta, temos vindo a proceder a uma recolha de documentos sobre o património histórico da Charneca para, posteriormente, podermos editar um livro, à semelhança dos que já existem sobre Almada e outras freguesias da região, embora com a consciência de que a nossa história e património são bem mais pequenos.

o pinheirinho 17 | 18

Assoc. de Pais - Como é que procedem a essa recolha? Sr. Anastácio – Algumas destas informações foram recolhidas através dos programas ocupacionais para jovens, pois além de os ocupar com algo, queríamos que esse ”algo” fosse também educacional para eles e que também tivesse algum proveito para nós. Neste momento, possuímos documentos ligados à Laura Alves e ao Vasco Morgado, que recolhemos nas ruínas da casa, já depois de roubada e vandalizada. Fizemos um levantamento monográfico e fotográfico do património edificado da Charneca, onde constam desde as fotografias dos painéis de azulejos da Quinta de Monserrate que datam do século XVIII (azulejos na linha da azulejaria dos utilizados na reconstrução da Baixa Pombalina após o terramoto), as fotografias da Quinta de Vale Rosal (que incluem a Capela) e da Quinta do Alemão. Apesar de tudo isto, temos plena consciência de que ainda possuímos pouca coisa e que será muito difícil concretizarmos o nosso projecto, uma vez que na Charneca não havia a tradição de se tirar fotografias e, além do mais, quem as tinha não lhes dava grande importância, deixando-as mesmo desaparecer. Além disso, temos a funcionar, nas antigas instalações da Junta, vários cursos de informática para adultos e crianças. Assoc. de Pais – Seria muito interessante e valoroso para a freguesia que todo esse material já recolhido, bem como todo aquele que venha a ser adquirido, fosse transformado num pequeno museu da história da Charneca, bem como da sua evolução. Sr. Anastácio – Seria uma boa ideia, até para que o material já recolhido não viesse a desaparecer e fosse dado a conhecer a todos. Assoc. de Pais – Para terminar, pois já se faz longa esta entrevista, gostaríamos de saber que projectos tem para o futuro? Sr. Anastácio – Para um futuro muito próximo, gostaria de concretizar um projecto que tenho, ultimamente, vindo a desenvolver. Esse projecto consiste na construção de uma ludoteca infanto-juvenil aqui na freguesia da Charneca, para a qual já possuo a verba necessária para avançar , estando somente dependente da Câmara a concessão do terreno para a construção. Mas caso isso não venha a verificar-se, a Junta por sua própria iniciativa avançará para a compra de um imóvel e respectivo recheio da ludoteca, uma vez que tem previsto no seu orçamento tal situação. Achamos que não devemos deixar passar a oportunidade, quando há disponibilidade financeira para o fazer. Assoc. de Pais – Congratulamo-nos em saber que tal projecto faz parte dos planos da Junta, pois na nossa freguesia muitas são as crianças que não têm acesso quer a determinados livros, quer muito menos a computadores, que na ludoteca estarão disponíveis para consulta e pesquisa na Internet, de forma gratuita.

charneca de caparica à lupa

charneca de caparica à lupa

| JUNTA DA CHARNECA, UM POLO CULTURAL (2ª parte da entrevista com o Presidente)

Associação de Pais


Bem, na noite de 24 para 25 de Novembro (dia dos meus anos) vi um “espectáculo espectacular”! Dos concertos mais lindos a que já assisti! Foi um espectáculo muito cativante...foi o concerto da ANASTACIA! Cantou apenas músicas comerciais dos três cd’s... lindo! Começou com uma música desconhecida e logo a seguir o “sick and tired”! Foi eleita a vencedora dum concurso sobre a cantora para entrar no vídeo dela e ir quatro dias com ela para a Roménia. Todas as fatiotas que ela vestia lhe ficavam lindas! O pessoal da dança e da voz é que nos entretinha enquanto ela se trocava! Deu uns minutinhos de canto às bacanas da voz que eram fantásticas...Cativou imenso o público... mas houve uma vez que ela se foi e nunca mais voltava, os fãs começavam a ficar impacientes! Mas depois, para surpresa das surpresas apareceu no palco do som, no meio da plateia…Lá cantou apenas duas músicas...e com a ajuda dos guarda-costas, foi pelo meio da multidão a cantar até sair pelos extremos do pavilhão até que voltou, linda, para o palco principal! Eu estava lá perto dela, na primeira fila da plateia... nunca gritei tanto! Nunca saltei tanto! E há muito tempo que não me divertia tanto! Adorei! Foi um espectáculo memorável! Ganhou mais uma grande fã! Esqueci- me só de dizer como foi a entrada! Apareceu numa varandinha no canto superior esquerdo! Ela chorou, também falou muito... disse palavras realmente comoventes... a dizer que fomos nós a ajudá-la a sobreviver ao cancro... E percebi que as aulitas de Inglês até são muito úteis! Filipa Coutinho, 7ºC

música

| Concerto da Anastacia

Nunca se vive uma grande paixão sem adversidades pelo meio. Pior ainda quando a sorte está contra nós. Este filme conta-nos o que todos temos curiosidade de ver e descobrir... Como é que alguém com tanto azar se consegue apaixonar e viver para contar?! Alberto tem um plano, fugir com o amor da sua vida. Ele já fez as malas, tem os bilhetes na mão e nada parece poder falhar. Mas o destino por vezes joga cartadas inesperadas: mesmo os planos mais perfeitos desmoronam como castelos de areia quando se instala a sorte nula e o impensável acontece. Alberto e a sua misteriosa paixão são empurrados para uma surpreendente teia de aventuras terríficas que os vão pôr duramente à prova e testar a solidez dos seus laços amorosos. Máxima adrenalina a cada esquina, pois Alberto tem tanto azar que até o transmite a quem o tenta ajudar. Helder Mendes, Bruno Nogueira, Rui Unas, António Feio, Isabel Figueira, Adelaide de Sousa, Pedro Teixeira, Tânia Miller, Carla Matadinho, Zé Pedro dos Xutos e Pontapés entre outros, dão corpo e rosto a outras tantas curiosas e enigmáticas personagens que, ao longo da alucinante jornada, vão interagindo entre si num crescendo de tensão até atingir o insólito desenlace.

Conseguirão alguma vez Alberto e o seu amor secreto apanhar o avião para a felicidade? Uma história onde sorte nula, automóveis e seus portabagagens se combinam num puzzle de suspense, mistério e humor negro, que o vai prender e surpreender do primeiro ao último segundo de filme. O filme Sorte Nula é uma produção da Virtual Audiovisuais e co-produzido pela S.I.C com distribuição da Lusomundo. O tema musical “Mundo Ao Contrário” foi composto pelos Xutos & Pontapés. Sorte Nula é o filme português mais visto de 2004. O trailer e alguns clips da rodagem podem ser vistos em www.sortenula.com Com produção executiva de Sandra Menino, Sorte Nula é um filme com argumento, produção, realização, montagem, e música original de Fernando Fragata. Rita e Marta Laureano, 6ºA

cinema

| SORTE NULA de Fernando Fragata


Capa da autoria de Gonçalo Costa, 6º A (com a colaboração das professoras de EVT)


Pinheirinho_n2_2004_2005