Page 1

A REVISTA DA DROGARIA são Paulo

EDIçÃO 48

Boa postura Mantenha a pose de bailarina e tenha mais saúde

fev/mar 2014

b e m - e s ta r

00052 9 771982 21430 3

00050

00051 9 771982 21430 3

9 771982 21430 3

|

9 771982 21430 3

00049

00048

SAúde

9 771982 21430 3

00047

Issn 1982-1433

9 771982 21430 3

Esta é uma publicação oficial da Drogaria São Paulo distribuída gratuitamente com exclusividade para seus clientes

Perfume-se Sabia que existe uma fragrância especial para você?

|

Rosana Jatobá

Invista! maquiagem ideal para destacar sua beleza

Jornalista talentosa e mãe de família pra lá de feliz

estilo de vida

|

c u lt u r a

|

g as t r o n o m i a

|

beleza


editorial

“Nada renasce antes que se acabe. E o sol que desponta tem de anoitecer.” (Vinicius de Moraes) É tempo de renovação! A vida nos convida a rever estratégias, traçar novos planos e colocar em movimento os projetos que, porventura, tenham ficado pelo caminho, mas que se mostram fundamentais para dar aquele gostinho especial ao dia a dia. E a nossa capa mostra muito bem o valor do renovar-se. A jornalista Rosana Jatobá deixou de ser a “moça do tempo” para se tornar uma conceituada profissional especializada em sustentabilidade e hoje transita por várias plataformas da mídia, cuida de seus gêmeos, Lara e Benjamim, da saúde e continua linda. Outra matéria interessante fala dos sebos e antiquários, que resistiram à passagem do tempo e se tornaram ponto de encontro dos mais descolados públicos. E quem não gosta de um bom perfume? Entrevistamos dois especialistas que ensinam tudo sobre notas e aromas para ajudar você a escolher um para chamar de seu. Confira! Seja qual for a estação do ano, toda mulher adora estar sempre bem maquiada. Preparamos dicas incríveis para você fazer uma maquiagem de estrela.

Outro tema em voga nesta edição é o papel do pai contemporâneo dentro dos lares brasileiros. Dá uma olhada como ficou bacana a matéria. Para o pessoal da melhor idade, separamos informações fundamentais para ajudar esse pessoal a navegar no ambiente virtual – a internet – e ainda fazer novos amigos. Tudo isso e muito mais: tem culinária, nutrição, qualidade de vida, dicas de cultura, poesias... A sua Ponto de Encontro está aqui, feita do jeitinho que você gosta! Afinal, estar de bem com a vida e vivê-la com emoção é o que realmente importa. Grande abraço e boa leitura!

Sandra Teschner Publisher pontodeencontro@profashional.com www.profashional.com www.blogprofashional.com Sandra Teschner @SandraTeschner


sumário

6

8

10

Críticas, sugestões e depoimentos

Fazendo o bem

O papel do pai moderno

espaço do leitor

espaço consciente

16

nutre+Ação Por uma dieta equilibrada

Pare de fumar

Internet para todos

18

20

Dicas de maquiagem

Feliz com suas escolhas

de frente para o espelho

rosana jatobá

28

positivo

positivo

Perfume no ar

Postura correta para evitar dores

Sebos e antiquários em voga

30

melhor idade

26

24

velhos costumes

vida simples

14

criança na área

34

Curtas e Quentes

Dicas divertidas para toda a família

36

38

Cheesecake de gorgonzola e agridoce de peras

Frases inspiradoras de nossos leitores

Água na Boca

Final Feliz

expediente Publisher Sandra Teschner Diretor Executivo Gabriel Sales Diretora de Projetos Especiais Dio Jaguarível Gerente do Núcleo de Jornalismo Adriana Rosa – MTB 47.337 Gerente de Design Alice Hecker Departamento Comercial Márcia Souza comercial@profashional.com Web Ricardo Cerdan Atendimento ao Leitor contato@profashional.com Av. Jandira, 843 – Moema – São Paulo/SP Fone/Fax: (11) 5051-4084 www.profashional.com

4

Conselho Editorial Adriana Rosa, Cátia Alves, Fabiana Oliveira, Karina Oliveira, Lilian Travaglioni Nezi, Luanda Silva, Rafael Medeiros, Sandra Teschner e Tuca Sardinha Editora Interina Maria Helena Bellini Direção de Arte Claudia Carvalho

Anderson Silvestrini, Berenice Caparroz, Carina Queiroz Pereira, Claudia Soares, Cristiane Dal Magro, Edson Ramos, Eunice Dias Cunha, Fernanda Molina, Fernando Amaral, George Sampaio, José Alexandre Portinho, Maíra Oshiro, Marcel Miyata, Marcelo Anjos, Marcelo Pinheiro, Maria da Conceição Pascoal, Messias Antônio Coelho, Mônica Botelho Rodrigues, Nelson Antunes Júnior, Renato Kaufmann, Ricardo Hatanda, Silvia Cury Ismael, Tiago Motta e Tiago Volpi

Designers Analu Ferreira, Danielle Lima, Katherine Gomes e Marco Túlio Grandi

Cartas pontodeencontro@profashional.com

Jornalistas Ana Carolina Contri, Fernanda Mendonça e Mirella Stivani

A revista Ponto de Encontro é uma publicação da Profashional Editora Ltda., sob licença da Drogaria São Paulo, dirigida aos seus clientes e distribuída em suas filiais. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores e não representam a opinião da revista, da Editora ou da Drogaria São Paulo.

Revisão Tatiana Lopes Colaboradores Adermir Ramos da Silva Filho,

Não é permitida a reprodução das matérias nem dos artigos. Tiragem: 600.000 exemplare Publicidade Drogaria São Paulo

Sac 0800 015 2070


Aqui é o espaço para você enviar comentários, sugestões e perguntas. Participe e faça com que a nossa Ponto de Encontro fique cada vez melhor. Estamos aguardando o seu e-mail: pontodeencontro@profashional.com

Olá, É um prazer escrever para vocês. Há três meses, comprei medicamentos e ganhei um exemplar da Ponto de Encontro e gostei muito das reportagens, principalmente da maneira como a revista expressa a beleza e a saúde. Parabéns um feliz 2014! Marcos Penna Por e-mail

Essa foi a melhor edição de todas da Ponto de Encontro. Primeiro porque traz Luciana Mello na capa – essa artista completa e carismática. E nota 10 para a matéria “Uma fase espetacular”, que tratou dos cuidados com a pele dos idosos. Adorei a foto que ilustrou a mencionada matéria, trazendo um homem se cuidando. Parabéns a toda a equipe. Taíse Raquel de Souza Por e-mail A edição da Ponto de Encontro de Dezembro 2013/Janeiro 2014 está SENSACIONAL. Todos os assuntos abordados me agradaram muito, principalmente um sobre grafologia. Parabéns a todos. Um belo trabalho da primeira à última página. Tânia Regina Zanateli Borges Por e-mail

6

Gostaria de parabenizá-los pela revista. Ótimas matérias. Não quero perder por nada a próxima edição. Também quero agradecer pelo atendimento muito especial que tenho recebido dos funcionários! Noelia Souza Por e-mail

Acabo de conhecer e ler a revista Ponto de Encontro de Dezembro 2013/Janeiro 2014, da qual gostei muito, principalmente do artigo “Qual romance você está lendo” e a matéria “Saúde dos ossos”. Parabéns pelo trabalho, que muito contribui para a divulgação da leitura em nosso país. Forte abraço. Tânia Regina Mendes Lima, Por e-mail

Gostaria de deixar registrado o quanto gosto de ler a Ponto de Encontro. A matéria de capa está espetacular! Essa revista cativa a mim e a minha família a cada edição. Parabéns! Loretta Bellini Por e-mail Como clientes da Drogaria São Paulo há mais de 10 anos, gostamos muito da revista, pois é completamente interessante em absolutamente todas as matérias expostas. Fala sobre saúde, cultura, dicas de beleza, entre outros temas, e sempre nos apresenta produtos novos. Queremos parabenizar não só pela qualidade do conteúdo, mas também é mister dizer sobre sua qualidade editorial. Parabéns aos editores da revista! Wendel Matheus de Oliveira Guimarães e Windson Tupinambá Guimarães Por e-mail

Gosto bastante dessa publicação, que a cada edição traz matérias mais interessantes, esclarecedoras e de grande utilidade. Gostei muito das matérias “Tempo de mudanças” e “Saúde dos ossos”. Parabéns pela linguagem coesa e objetiva. Continuarei acompanhando as próximas edições. João Vítor Silva Por e-mail

o próprio envio de correspondências já caracteriza autorização e cessão de uso para publicação

espaço do leitor


espaço consciente

Por Ana Carolina Contri

Fazer o bem

Ajudar instituições que contam com doações e trabalhos voluntários é uma forma de exercer a cidadania e melhorar a qualidade de vida

C

ampanhas como arrecadação de agasalhos e alimentos acontecem no decorrer do ano de acordo com as necessidades que vão surgindo diante de estações frias, datas comemorativas, entre outras. A própria Drogaria São Paulo realiza algumas delas, como doação de brinquedos, de sangue, de ambulâncias (em 2013) e campanha do agasalho. Porém todo cidadão pode ajudar. Conheça algumas instituições que recebem donativos e auxílio de trabalho voluntário e saiba por que fazer o bem sem olhar a quem é tão importante.

O voluntariado e sua missão

Destinar uma parte de seu tempo livre para as pessoas que estão em entidades assistenciais proporciona bem-estar e alegria a quem o realiza, ao mesmo tempo em que eleva a autoestima, melhora a ansiedade e pode até mesmo prevenir doenças como a depressão. A psicóloga Maria da ConceiçãoPascoal, de Minas Gerais, explica que ajudar o próximo é tão gratificante para quem realiza que proporciona momentos interessantes de felicidade. “Esse contato com o

AD São rogar abr Pau ia lo aç cau a esta sa

8


diferente, com uma necessidade que não faz parte da nossa vida nos faz crescer internamente. Poder observar como é possível compartilhar novas experiências, alegrar alguém com uma ação ou palavra é importante para um voluntário”, comenta.

A quem precisa

Instituições grandes ou pequenas existem em todas as cidades e precisam constantemente de ajuda para manter seu trabalho sempre ativo e com qualidade. Um exemplo é a Fundação Dorina Nowill para Cegos, em São Paulo, que atua há 67 anos facilitando a inclusão de crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão, por meio de serviços gratuitos e especializados de reabilitação, educação especial, clínica de visão subnormal e programas de empregabilidade. Existem diversas formas de colaborar com a instituição, desde doações em dinheiro até trabalho como voluntário em diversas áreas da fundação. “Toda doação é repassada por meio de melhorias em produtos e serviços especializados, que vão atender diretamente as pessoas com deficiência visual e suas famílias. As doações são revertidas para projetos e iniciativas da própria instituição”, explica Adermir Ramos da Silva Filho, superintendente da fundação. Lar Amor Luz e Esperança da Criança (Lalec), também em São Paulo, é outra casa que conta com ajudas para se manter. Com 14 anos de trabalho, completados este ano, surgiu da necessidade de abrigar crianças soropositivas, portadoras do HIV, que, na epidemia desse caso nos anos 1990 e falta de informação sobre o tratamento, acabavam por morar em hospitais. “Há quatro anos, nosso trabalho mudou, devido a acertadas ações do governo, que intensificou o pré-natal e conseguiu diminuir esses casos em São Paulo. Assim passamos a abrigar crianças abandonadas e em situação de vulnerabilidade social”, conta Marcelo Anjos, porta-voz da Lalec. A entidade depende única e exclusivamente de doações, e as coletas podem ser agendadas pelo site – roupas, sapatos, brinquedos, eletrodomésticos, livros, louças para os bazares que são realizados, tudo é muito bem-vindo. Assim, toda a renda é revertida para o Lalec, e com ela pode-se comprar leite, fraldas, remédios, comida, material de limpeza, e manter em dia os custos da casa.

foto: © Robert Kneschke / fotolia

Ajude você também Basta uma busca rápida para descobrir quantas instituições existem espalhadas pelos quatro cantos do país. E há diversas maneiras de se tornar um voluntário: trabalhar com crianças carentes, idosos, pessoas com alguma doença, atuar em prol do meio ambiente e da fauna. Ficou animado? Confira nos sites como ajudar as instituições citadas na matéria, e para descobrir uma em sua cidade, acesse o site www.redebrasilvoluntario.org.br. Fundação Dorina Nowill para Cegos Tel.: (11) 5087-0970 (voluntariado) www.fundacaodorina.org.br Lalec – Lar Amor Luz e Esperança da Criança Tel.: (11) 5052-8085 www.lalec.org

9


criança na área

Pai moderno Criar os filhos é uma tarefa para ser cumprida a dois. E o papel do homem nessa parceria é marcado pela atenção, carinho e, é claro, presença

E

m tempos passados, a mulher era considerada a responsável pelos cuidados com os filhos, o marido e a casa. Ao homem, cabia ser o provedor. Coisas do século passado, não é mesmo? Muitos movimentos revolucionários depois, ainda enfrentamos essa situação em lares pelo mundo afora. Mas o cenário começou a mudar. Um bom exemplo é que pais contemporâneos estão mais presentes no dia a dia de seus rebentos e também no ambiente escolar dos pequenos, como em reunião de pais e mestres e em outras atividades curriculares. Eles também entenderam que não deixar faltar nada material é importante sim, mas estar presente, abraçar, beijar, participar do cotidiano infantil é fundamental. Afinal, criança gosta e precisa de afeto. Embora não exista um modelo de mãe nem de pai ideal, muito pode ser feito para que as crianças cresçam saudáveis emocionalmente. Para o psicólogo e especialista em psicologia clínica e em atendimento de casal e família na abordagem sistêmica, fundador do IGT – Instituto de Gestalt-Terapia –, no Rio de Janeiro, Marcelo Pinheiro, as crianças são o centro da família, e a agenda infantil comanda a agenda familiar, pelo menos enquanto são pequenos. Ele explica que a família está mais unida, os pais estão mais voltados para os filhos, e se fazem mais presentes. “A mulher continua sendo aquela que é a cuidadora, porém o homem começa a ganhar algum bônus, embora já não tenha mais aquela autoridade que tinha. É como se o pai tivesse perdido a força”. A internet, segundo o psicólogo, exerce papel fundamental para que isso venha acontecendo. As crianças estão mais aptas a manusear equipamentos eletrônicos, e com grande destreza. “A hierarquia não é mais tão marcante, pois muitas vezes um filho sabe mais a respeito de um tema do que os

10

Por Maria Helena Bellini

pais, devido a essa rapidez no acesso às informações”, exemplifica, e complementa: “A autoridade exercida pelos mais velhos apresenta hoje limites tênues, e aquele olhar que antigamente se dirigia a alguém por quem se tinha grande admiração não é visto nos adolescentes”. Pinheiro conta que a avalanche de notícias sobre violência que aparece diariamente nos noticiários leva os pais a superprotegerem seus filhos, mantendo-os debaixo de atenção e cuidados extremos. “Vivemos a era da Síndrome do Pânico – questões ligadas ao medo mexem nas relações familiares: ninguém mais deixa as crianças andarem sozinhas”. A mulher também saiu para trabalhar, e a divisão dos trabalhos domésticos e do cuidado com as crianças está mais equalizada. “Em alguns casos, é o homem quem fica em casa, e a mulher que sai para trabalhar. Quando isso ocorre, é preciso que esse pai de família se sinta emocionalmente confortável nessa posição e valorizado em seus afazeres”.

Como nascem os pais

O jornalista Renato Kaufmann é também escritor. Quando soube que ia ser pai de Lucia, começou a escrever um blog (www.diariogravido.com.br) como uma forma de organizar seus próprios pensamentos e sentimentos, de forma a aprender a lidar com a insegurança que isso tudo lhe causava. Autor dos livros “Diário de um Grávido” e “Como Nascem os Pais”, trabalha como redator em uma agência de publicidade. Ele conta que com o tempo surgiram leitores que sempre o incentivaram a escrever os livros e continuar atualizando a parte on-line. “O diálogo é incrível, em especial no Facebook (www.facebook. com/diariogravido). Tenho imenso orgulho da comunidade de pais e mães que se formou ali”, destaca. As venturas e desventuras desse pai tão contemporâneo você fica sabendo nesta entrevista exclusiva para a Ponto de Encontro. Ponto de Encontro: Conte um pouco para nós como tem sido sua experiência na criação da Lucia. Renato Kaufmann: Com a inclusão das mulheres no mercado de trabalho, todos os papéis do casal tiveram que ser rearranjados, e as tarefas, redivididas. Realmente não existe modelo ideal, e cada um tem que lidar com as restrições que encontra. Mas cada um, pai e mãe, precisa encontrar uma maneira de estar presente, de participar. Eu já tive fases de trabalho em que conseguia levar e buscar a Lucia na escola todo dia, e fases em que só chegava em casa com ela dormindo. E é muito importante que os pais também continuem se desenvolvendo, e eles precisam achar um espaço na vida que não seja só filhos e trabalho. Parece impossível? Talvez seja mesmo. Mas pais e mães fazem milagres.


foto: © Jabuticaba Conteúdo – websérie Jabuticabas

Renato Kaufmann: “A Lucia me transformou em uma pessoa melhor, justamente para poder ser um exemplo melhor”

P.E.: Um dos maiores desafios ainda é criar limites aos pequenos sem impô-los. Como fazer isso de maneira mais tranquila? R.K.: Em qualquer cenário, o pai precisa estabelecer limites, e muitas vezes eles precisam ser impostos mesmo. Não dá pra explicar a razão de cada limite. Como filho eu sempre achei isso muito frustrante, mas como pai hoje eu entendo que eles são essenciais para sermos adultos saudáveis. Para fazer isso de forma tranquila, vai do jogo de cintura de cada um. Ontem, por exemplo, falei pra Lucia não apontar o brinquedo na cara das pessoas. Ela foi lá e apontou, e eu tirei o brinquedo. Ela ficou chorando e dizendo que estava magoada. Dói no coração, né? A criança praticamente implora por limites

e se sente mais segura com eles, mesmo que fique magoada na hora. P.E.: Muitos homens ainda pensam que seu papel na criação dos pequenos é apenas o de suprir as necessidades materiais. Por favor, fale um pouco a respeito da importância da presença, do carinho, do se importar... R.K.: Isso me deixa louco. Pode até ser que, na sua estrutura familiar, o papel de provedor financeiro seja seu, mas de forma alguma isso te exime de participar. O exemplo clássico é quando dizem que o pai “até ajuda” nas coisas da casa e da criança. Até ajuda uma ova, “ajudar” parece que é favor. Não faz mais do que a obrigação.

11


Renato e Lucia, abraço apertado

melhor, justamente para poder ser um exemplo melhor. Mas ninguém é perfeito ou deve fazer imensos sacrifícios para ser alguém que não é. Ser autêntico também é um exemplo, e procurar (e encontrar) a própria felicidade, outro. Além do exemplo, é importante impor limites e despertar a paixão pelo conhecimento. Ser pai é uma experiência incrível, excruciante e recompensadora.

Dica do especialista

P.E.: De que maneira mostrar ao mundo que um pai sozinho é capaz de cuidar sozinho de uma criança? R.K.: As mulheres querem que os pais participem, mas também muitas vezes não ajudam, não nos dão espaço. As meninas são treinadas a cuidar, desde criança. De certa forma, brincar de boneca é isso. Os homens são igualmente capazes, mas menos treinados. A melhor forma é largar a criança na mão do pai e deixá-lo se virar. Para isso, é preciso paciência, persistência, e saber que isso não é favor que ela te faz, é um direito seu, um dever. E, convenhamos, pode ser assustador no começo, mas é um imenso prazer. P.E.: Pai e mãe devem atuar em colaboração, trocando opiniões sem que um desautorize o outro. Como fazer essa mágica acontecer? R.K.: A mãe e o pai devem colaborar um com o outro. A gente precisa pensar nessa dinâmica como uma divisão igualitária, mesmo que em algumas famílias a mãe passe mais tempo com as crianças. E só existe um segredo para fazer isso acontecer, que é o diálogo. Aliás, ainda mais importante em caso de pais separados. P.E.: Ser um bom exemplo é bem bacana... afinal, os pequenos estão sempre muito atentos às atitudes dos adultos. O que fazer para ser um bom pai? R.K.: Há quem diga que as crianças só aprendem pelo exemplo. A Lucia me transformou em uma pessoa

12

Criança bem cuidada 1 - cabelos limpinhos e cheirosos. Shampoo Johnson’s Baby. 2 - fragrância delicada no ar. Colônia suave Bebê Natureza. 3 - XÔ, assaduras! Creme Hipoglós Amêndoas. 4 - proteção contra a cárie. Gel dental com flúor ativo Tandy. 5 - absorção diferenciada e conforto. Fralda Huggies Turma da Mônica Tripla Proteção.

3

2 1

4

5

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

foto: arquivo pessoal renato Kaufmann e divulgação drogaria são paulo

P.E.: Como se portar com autoridade e não confundila com autoritarismo? R.K.: Então, os filhos sempre vão achar que é autoritarismo. É preciso lembrar que, mesmo havendo amizade, os pais são figuras de autoridade, e não coleguinhas. Mas dentro do possível, é preciso ser firme e coerente.

Marcelo Pinheiro explica que é preciso estabelecer o constante diálogo entre as gerações, pois a possibilidade de comunicação interpessoal é muito ampla. “Essa aproximação entre os membros de uma mesma família é ótima, e aí também se pode incluir o ambiente virtual. Além disso, as crianças e os adolescentes conversam muito entre si, pelo celular, pelas redes sociais, e a ampliação do conhecimento se faz diariamente. O principal desafio dos pais é justamente oferecer um bom espaço no qual os filhos possam crescer sem riscos nem consequências dramáticas”, finaliza.


melhor idade

Por Fernanda Mendonça

ConexĂŁo para todos

A turminha com mais de 50 anos acessa cada vez mais as redes sociais. Saiba quais sĂŁo os interesses desse grupo e como eles interagem por meio desses portais

14


S

egundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), existe hoje no Brasil um grupo de 20 milhões de idosos, com 65 anos de idade ou mais, e ainda os chamados “seniores”, que têm a partir de 50 anos. Somando esses dois grupos são 25 milhões de brasileiros que já chegaram à metade da vida. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), essas pessoas se preocupam ainda mais com a saúde, equilíbrio e, principalmente, com qualidade de vida. A melhor idade está cada vez mais cheia de energia, moderna e conectada. No Facebook, a rede social mais utilizada no Brasil, por exemplo, é possível encontrar várias comunidades destinadas exclusivamente a esse público.

Turma antenada

Jurema Sidraque de Almeida é um exemplo. Ela é profess0ra aposentada, tem 65 anos e adora navegar, inclusive pelo celular. “Eu uso Hotmail, Gmail, Hangouts, Line, WhatsApp, We Chat, Instagram e Facebook”, afirma. Para ela o maior atrativo dessas ferramentas é a velocidade. “Com esses aplicativos e sites, eu posso entrar em contato com as pessoas rapidamente e sem precisar telefonar. Já reencontrei amigos do colégio e até alguns dos meus ex-alunos”, conta.

fotos: © Günter Menzl / fotolia e divulgação drogaria são paulo

Mil e uma utilidades

Reencontrar amigos está no topo da lista de interesses, mas também há quem esteja em busca de novas amizades – mesmo que virtuais. A assistente administrativa Shirley Maria de Souza, de 51 anos, é uma dessas pessoas. Ela conta que já conheceu muitas pessoas por meio da internet. “A rede social que mais utilizo no momento é o Facebook, mas já entrei em salas de bate-papo, onde tive oportunidade de fazer novas amizades. Conheci pessoas de outros estados e até de outros países, e com alguns mantenho amizade até hoje”. Embora o contato seja apenas virtual, ela diz que aprende sobre culturas diferentes sem sair de casa. Shirley também usa a internet para cumprir algumas tarefas do dia a dia. “Eu acesso minha conta corrente sempre que preciso fazer transações e pagamentos e ainda faço compras on-line. Aproveito também para me atualizar sobre as notícias do Brasil e do mundo e faço pesquisas quando estou com alguma dúvida. Estou até fazendo um curso de inglês”, afirma.

“Aproveito também para me atualizar sobre as notícias do Brasil e do mundo e faço pesquisas quando estou com alguma dúvida. Estou até fazendo um curso de inglês” Shirley Maria de Souza

acordo com seus interesses, restringindo o acesso às informações que não deseja divulgar para todos. Outra recomendação é nunca encontrar pessoas desconhecidas em locais isolados, o ideal é marcar sempre em lugares públicos e movimentados e pedir que um amigo ou familiar vá junto. Também não é legal compartilhar informações particulares, como endereço e telefone residencial. A aposentada Maria Lourdes Cotes, de 60 anos, está sempre atenta a esses detalhes. “Prefiro conversar apenas com conhecidos e familiares, pois não confio em adicionar pessoas que não conheço. Utilizo as redes para manter contato facilmente com quem já é do meu convívio”, resume. Vale ressaltar que, com as devidas precauções, é possível aproveitar tudo de melhor que o mundo virtual oferece, sem correr riscos.

fique belo

1

1 - poderoso hidratante para todos os tipos de pele. Hidratante Nivea Creme. 2 - hidratação eficaz e de longa duração para pele seca. Loção hidratante Cetaphil RestoraDerm. 3 - frescor com fragrância cítrica. Colônia Phebo Limão Siciliano. 4 - Restaura a suavidade e hidratação das mãos e cutículas. Hidrafil Creme Anti- Aging para as mãos. 5 - Rejuvenesce e valoriza o grisalho, Escurece alguns fios brancos, mas nem todos. Tonalizante Grecin Tons de Grisalho.

2

3

4 5

Tenha cuidado, sempre!

Apesar de todas as vantagens, é preciso ter alguns cuidado para fazer uso da internet com segurança. Encontros com amigos, por exemplo, devem ser combinados por meio de mensagens particulares e nunca em conversas públicas. Também é indicado ajustar as configurações de privacidade de todas as páginas utilizadas. Cada usuário deve configurar sua página de

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

15


nutre+ação

Por Fernanda Mendonça

Equilíbrio no prato Dieta vegetariana ou um plano alimentar que inclui carnes? Confira os prós e contras de cada tipo de dieta e faça a sua escolha!

U

ma porção média de carne bovina, frango ou peixe no almoço e outra no jantar. Essa é a quantidade de carne que entra diariamente no prato de grande parte dos brasileiros. O dobro da indicada pelo Ministério da Saúde! Em contrapartida, o vegetarianismo ganha cada vez mais adeptos pelo mundo. Há quem exclua a carne do cardápio por questões ideológicas (como evitar o sofrimento de animais), e também aqueles que acreditam que sem ela é possível ser mais saudável. Será que esse grupo está certo? Conversamos sobre o assunto com a nutricionista funcional Fernanda Molina e o médico nutrólogo Dr. Tiago Volpi, ambos de São Paulo, e ainda com o nutrólogo Dr. José Alexandre Portinho, do Rio de Janeiro. Confira!

De origem vegetal

Segundo Portinho, a dieta sem proteína nem gordura animal garante maior longevidade e menor risco de doenças crônicas, como as cardíacas, o diabetes e a obesidade. “Os vegetarianos tendem a ser mais magros e com níveis sanguíneos de colesterol menores”, afirma. Porém, quem não ingere alimentos de origem animal tem maior tendência a ter anemia por deficiência da vitamina B12, que não pode ser encontrada em vegetais. “Para evitar esse problema, o ideal é ingerir regularmente suplementos ou alimentos fortificados com vitamina D, ômega-3 e a vitamina B12”, orienta. Em alguns casos, a falta de cálcio e vitamina D pode aumentar o risco de fraturas. “Mas desde que a dieta seja orientada por um especialista, não há riscos”, tranquiliza Dr. Volpi.

De origem animal

Esses produtos são ricos em nutrientes que fazem bem ao nosso organismo, como a vitamina B12, as proteínas, o ferro e o cálcio. “A carne faz bem à saúde, entretanto deve ser consumida em quantidades adequadas e sem excessos. Evite as muito gordurosas e os embutidos. Além disso, antes do consumo, retire toda a gordura visível e consuma poucas frituras, dando preferência aos grelhados, assados e cozidos”, orienta Dr. José Alexandre. Entre os argumentos negativos acerca

16

da dieta carnívora, a ingestão involuntária de derivados químicos se destaca. Essas substâncias que não fazem bem ao organismo podem estar contidas nas carnes em decorrência do uso de pesticidas, vacinas, antibióticos etc. “Outro ponto é que a digestão da carne vermelha é mais demorada, por isso é preciso equilibrar a quantidade e a frequência, além de escolher bem os acompanhamentos”, argumenta Dr. Portinho.

Cuide da sua saúde!

Antes de mudar o tipo de dieta habitual, é recomendável consultar um médico especialista para fazer uma avaliação por meio de exames e saber se não existe algum tipo de carência nutricional que impeça o início imediato da mudança. “Todas as pessoas saudáveis podem se tornar vegetarianas, independente de idade, desde que haja acompanhamento nutricional”, orienta Fernanda. “Apenas as mulheres gestantes devem esperar o nascimento do bebê”, avisa a especialista.


Sem pressa

A mudança deve ser gradativa. Comece excluindo a carne vermelha, depois os outros tipos de carne. “O ideal, seria manter os ovos e o leite”, opina Fernanda. “Pelo menos no início”, acrescenta Dr. Portinho. Anêmicos precisam ser ainda mais cautelosos. “Essas pessoas devem procurar um médico para tratamento. A retirada da carne do cardápio só deve ser feita após a melhora do quadro”, complementa o médico.

fotos: © Kesu / fotolia

Invista na soja e nas leguminosas

Decidiu apostar no vegetarianismo? Inclua mais legumes e soja no seu dia a dia. “As leguminosas são especialmente importantes, pois são os alimentos vegetais mais ricos em proteínas e, em termos nutricionais, são os melhores substitutos da carne”, recomenda Dr. Volpi. Feijão, ervilha e grão-de-bico, por exemplo, são ricos em fibras, vitaminas do complexo B, ferro, zinco, cálcio e outros minerais. “Um vegetariano precisa, como qualquer outra pessoa, ter uma dieta variada, para que haja o equilíbrio”, alerta Dr. Volpi. Segundo ele, muitas pessoas confundem um pouco as informações e acham que devem substituir a carne pela soja. “A soja não possui as mesmas características nutricionais de nenhum produto animal. Embora seja rica em nutrientes, ela serve como auxiliar na dieta e também na culinária”, avisa. Para Dr. Portinho, ela é importante especialmente para as mulheres. “A soja contém antioxidantes e isoflavonas,

que ajudam a reduzir o risco de doenças cardíacas e ainda ajudam a aliviar os sintomas da menopausa”, diz. Algumas pessoas são alérgicas a ela. Nesse caso, existem outros alimentos que podem ser consumidos em substituição. Chia, quinoa e linhaça são alguns exemplos.

Entenda as diferenças Existem vários tipos de vegetarianismo, mas os principais são estes quatro grupos denominados: ovolactovegetarianos, lactovegetarianos, ovovegetarianos e vegetarianos estritos. Fernanda explica que o primeiro grupo consome ovos, leite e derivados; o segundo consome apenas leite e derivados, mas exclui o ovo da dieta. A terceira denominação vai para os que ingerem ovos e derivados, e o último tipo é o dos que não consomem nenhum tipo de alimento de origem animal. Vegano, segundo os nossos especialistas é quem não se alimenta nem consome nenhum tipo de produto derivado de animais ou que cause danos a eles. “É a forma mais restritiva do vegetarianismo. Esse grupo de pessoas não utiliza, de forma nenhuma, nada de origem animal, nem na alimentação, nem no vestuário nem em forma de cosméticos”, traduz Fernanda.

17


de frente para o espelho

Por Mirella Stivani

Muito mais bonita A maquiagem certa ajuda a destacar os pontos fortes do rosto e disfarçar os defeitinhos. Saiba mais e acerte no make!

U

m bom make-up é a maneira perfeita de deixar toda mulher muito mais bonita. Afinal, sua função é justamente acentuar os pontos fortes de cada rosto e disfarçar o que incomoda na aparência. Usando truques fáceis, é possível conseguir um visual impecável. Para começar, a pele deve estar totalmente limpa e hidratada (o protetor solar também deve ser passado nessa etapa). Depois, é a vez do corretivo, que tem como objetivo esconder espinhas, manchas e olheiras Escolha uma base de boa qualidade e cobertura e espalhe bem para que não haja concentração do produto em determinadas partes do rosto. Finalize com o pó compacto e aplique o blush. Com a pele pronta, você já pode investir nos olhos (lápis, sombra, delineador, máscara para cílios) e lábios (batom e gloss), com as cores e estilo que combinam com sua pele e gosto.

Disfarçando as espinhas

Quem sofre com acne ou eventuais espinhas pode usar a maquiagem para disfarçar o problema (lembre-se de sempre usar produtos que não obstruam os poros – os não comedogênicos. Senão, a situação pode piorar). De acordo com a especialista em make do I9 Hair, Claudia Soares, o uso de um pincel fino ou de uma haste flexível é essencial para aplicar o corretivo (que deve ser da cor da pele). O ideal é optar pelos pastosos, que garantem uma cobertura maior. “Depois de aplicar o corretivo com o pincel, basta dar leves batidinhas com a ponta dos dedos em volta da espinha para não deixar marcado

18

e, logo em seguida, aplicar a base, também com leves batidinhas. Para finalizar, é preciso aplicar o pó”, ensina Claudia, que complementa: “Já as espinhas inflamadas pedem corretivos verdes, que têm como função neutralizar a vermelhidão”.

Reforço nos olhos

Para quem deseja um olhar marcante, os cílios postiços são perfeitos. “Eles são poderosos, e existem em diversos tamanhos, volumes e até cores, fazendo com que o make-up fique ainda mais personalizado”, explica a maquiadora e designer de sobrancelhas Ana Paula Basílio. A especialista destaca ainda que o importante é sempre adequar o tamanho da base dos cílios, que será aplicada na pálpebra, ao formato dos olhos e também ao tamanho dos fios, de acordo com o efeito desejado para o olhar.


cuidado com a pele e precisam começar por algo. São práticos, pelo fato de se usar um único produto para várias funções, mas, na maioria das vezes, insuficientes quando o objetivo é alcançar algum resultado terapêutico”, finaliza.

Fique sempre linda

fotos: © Valua Vitaly e © vitals / fotolia e divulgação drogaria são Paulo

Nesses dias de calor é importante estar sempre bem maquiada e com as madeixas bem cuidadas. Batom colorido, olhos bem delineados, sombra com brilho e tons rosados são o must have da estação. Bocas em tons de laranja, vermelho ou roxo. Pálpebras com delineador metalizado ou azul, verde e até rosa, e esqueça o traço na base dos cílios superiores... ele pode aparecer inclusive no côncavo e na raiz dos cílios inferiores, traçando paralelas. Sombras em dourado e cores brilhantes para iluminar o olhar. Para a noite, capriche nas cores preta, cinza e vinho e aposte no glitter para finalizar os olhos, mas deixe a boca quase sem cor. Lembre-se: menos é mais! Já os estilos de corte estão democráticos. Segundo o hairstylist do Yushô Hair Spa e Estética, de São Paulo, Marcel Miyata, “o comprimento vai do médio ao longo com a base mais reta com pontas repicadas e as franjas aparecem maiores, predominando o já famoso ‘franjão’”.

Para não haver erros na aplicação e garantir o resultado magnífico, é preciso, primeiro, colocar um pouco de cola (específica para cílios) no dorso da mão e depois aplicá-la na raiz dos cílios postiços. Após esse processo, é fundamental aguardar a cola secar por cerca de 20 segundos antes de aplicar o cílio na pálpebra. Depois é preciso deixá-lo secar por alguns segundos e aplicar o rímel, unindo os cílios naturais aos postiços, além de garantir mais volume e naturalidade ao olhar.

Beleza natural 1 - minimiza a aparência dos poros e linhas de expressão. Primer HD Vult. 2 - traços precisos com inigualável pigmentação. Delineador gel Vult preto. 3 - lábios valorizados. Batom Vult. 4 - Remove máscara de cílios e maquiagem. Demaquilante bifásico Nivea. 5 - hidrata, suaviza imperfeições, ilumina e protege. B.B. Cream 5 em 1 L’Oréal para peles claras.

BB, CC ou DD Cream?

Em se tratando de cosméticos, a nova febre do momento são os BB (blemish balm) creams, que evoluíram para os CC (color control) creams, até chegarem aos DD (daily defense) creams. “É preciso conhecer um pouco os três produtos. Eles não são a mesma coisa. Cada um tem uma função e uma área específica do corpo onde deve ser aplicado. É indicado procurar um especialista para que ele identifique qual o seu tipo de pele e, assim, o produto recomendado para ela”, explica Dra. Cristiane Dal Magro, dermatologista de Brasília. Hidratação da pele, proteção solar, primer, anti-idade e clareamento são algumas das funções que esses cosméticos carregam. Além, é claro, de funcionarem como base para receber a maquiagem. Dra. Cristiane ainda vê outras vantagens nos multicosméticos, mas com ressalvas: “Esses produtos agem como grandes aliados para pessoas que não costumam ter nenhum

1

2

3

4

5

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

19


womanize-se

20

Por Ester Jacopetti


multitalentosa e feliz

R

A jornalista que mudou sua história e conquistou novas oportunidades ao se reinventar no universo da comunicação e na maternidade

foto (inclusive capa): André Schiliró

osana Jatobá até seguiu os passos do pai, Agenor Cefas Cavalcante Jatobá, e formou-se em Direito pela Universidade Católica de Salvador. Mas foi no jornalismo que a baiana se encontrou. Formada em Comunicação pela Universidade Federal da Bahia, ela começou a trabalhar na televisão como repórter da TV Bandeirantes, aos 25 anos. Em 1999, veio para São Paulo, onde trabalhou também como apresentadora no “Jornal Dia a Dia”. Em 2000, foi contratada pela Rede Globo, onde ficou exatos 12 anos. Suas escolhas resultaram no desenvolvimento de novos projetos, como um programa de rádio e outro de TV, um portal e um livro. “Tenho total liberdade para comentar temas e dar dicas de consumo consciente, uso de recursos naturais, aproveitamento e descarte de lixo, e assuntos ligados à responsabilidade social. Estou dedicada à sustentabilidade”. Com 18 anos de estrada, a jornalista também conta como é ser mãe de um menino e uma menina. “Logo que soube que seriam gêmeos, tremi na base”. Conheça um pouco mais sobre Rosana Jatobá nesta entrevista exclusiva. Ponto de Encontro: Após anos trabalhando na televisão, você embarca como radialista. Como surgiu essa proposta? Rosana Jatobá: A proposta surgiu da direção da Rádio Globo, por causa do meu interesse pelo tema sustentabilidade. O diretor Giovanni Faria já lia meus textos no G1 e acompanhava minhas atividades no segmento, como mediação de debates e apresentação de eventos. Ele me ligou e disse que buscava um profissional conhecido para traduzir esses complexos conceitos para a nova classe C. Fiquei honrada com o convite, pois sempre quis falar do assunto e contribuir para a

conscientização das pessoas de forma didática e prática. Quando fiz o mestrado sobre Gestão e Tecnologias Ambientais na Universidade de São Paulo, já sabia que queria repassar esses conhecimentos para o grande público. Trata-se de um dos mais prestigiados veículos de comunicação do país. O rádio é uma mídia incrível, que tem um enorme poder de alcance. São 400 mil ouvintes por minuto na Rádio Globo. Chega a superar, em audiência, muitos programas da TV aberta. E me trouxe um novo ar de desafio, de conquista em um território diferente, que exige mais improvisação e jogo de cintura. Tenho total liberdade para comentar temas e dar dicas de consumo consciente, uso de recursos naturais, aproveitamento e descarte de lixo, e assuntos ligados à responsabilidade social. A rádio é parte de uma plataforma multimídia que engloba um portal, um livro e um programa de TV. Resolvi disseminar o tema em vários veículos. Na Fox, faço um programadocumentário, sobre temas abrangentes de interesses universais. Falamos sobre todos os assuntos possíveis, como preconceito, animais, maus-tratos, cultura... Meu papel na emissora é amarrar esses assuntos, comentar um pouco sobre cada um deles. A ideia é avançar pra aproveitar a experiência que acumulei ao longo desses 18 anos de carreira. Além da Fox, temos o Portal Universo Jatobá, que é um polo de convergência de todo o conteúdo que produzo nas outras mídias. É um portal de prestação de serviços para os consumidores. Sou editora-chefe, e temos mais duas jornalistas. Também me lancei no cenário literário, com o livro “Questão de Pele”, que reúne crônicas sobre sustentabilidade. É o meu olhar sobre o tema, de forma leve. Ele é ilustrado pelo Evandro Teixeira, que é o maior fotojornalista do país. E o prefácio é da ministra Isabella Teixeira, com quem eu tenho parceria na Rede de Mulheres Líderes pela Sustentabilidade do Ministério do Meio Ambiente.

21


P.E.: Quando surgiu a vontade de trabalhar com esses temas? R.J.: Em 2007, fui cobrir a vinda do Al Gore ao Brasil. Ele veio divulgar o livro “Uma Verdade Inconveniente”. Fiquei muito encantada com a palestra dele e, como eu já estava atuando como “a moça do tempo”, tratando de mudanças climáticas na meteorologia, me apaixonei. Foi quando decidi fazer mestrado, porque seria a melhor forma de me aprofundar. Eu sou uma Jatobá! A árvore que mais sequestra carbono na atmosfera [risos]. P.E.: Você é natural de Salvador, e mora em São Paulo. Você sente muita saudade da sua terra natal? R.J.: Toda a minha família mora em Salvador. E por mais que tenha me adaptado a São Paulo nestes últimos 14 anos, não consigo esquecer minha terra. Estou sempre por lá, pelo menos uma vez a cada três meses. Sinto falta do cheiro, do calorzinho eterno, da cultura rica e única, das pessoas mais relaxadas, das maravilhas da cozinha… É tanta coisa que nem dá pra enumerar. Mas o que me realiza mesmo é encontrar toda a família reunida em torno da mesa. Aí é uma farra, a conversa é longa e prazerosa, e o carinho, grande e eterno. P.E.: Você é mãe da Lara e do Benjamim (gêmeos). Como é criar e educar os filhos? R.J.: Logo que soube que seriam gêmeos, tremi na base. Não apenas pelos desafios de uma gravidez especial, que demandava mais cuidados, mas pelo medo de não dar conta de dois de uma vez. Por mais que tivesse o bom senso de me cercar de bons profissionais e planejar cada fase do processo, sentia-me intimidada diante das mudanças gigantescas. E o receio de não saber educar para serem pessoas de bem? O medo de mimá-los ao extremo? Passa tanta coisa pela cabeça... Até que vem uma voz suprema que te diz: “Calma, vai dar tudo certo! Se você recebeu essa bênção, é porque tem condições de honrá-la!”. Daí em diante, transformei todo aquele medo em garra e virei uma leoa. Hoje constato que é só ter paciência, dedicação e fé, que tudo vai bem.

22

P.E.: A Revista Time publicou uma matéria falando sobre amamentação, em que uma mãe amamentava o filho, que já tinha três anos de idade. Qual é a sua opinião? R.J.: A amamentação foi uma das experiências mais maravilhosas que tive na vida. Uma sensação de entrega total de ambas as partes. Uma cumplicidade perfeita. Nunca pensei nos possíveis danos para o meu corpo, nem no tempo dedicado aos meus filhos. Foi uma rotina dura, em que mal dormia, sentia dores fortes no início e tinha que limitar muitas atividades para não parar de produzir o leite. Mas valeu por cada gota. Amamentei por nove meses e o faria por mais tempo, se eles quisessem. Mas decidiram parar, o que me deixou até tristinha nas primeiras semanas. Acho que amamentar um filho por três anos é um tanto exagerado, pois pode comprometer a independência da criança e alimentar uma simbiose também prejudicial para a mãe. Mas não acho absurdo não. Aqui no Brasil isso é muito comum, principalmente longe dos grandes centros urbanos. A minha irmã amamentou por dois anos e tem filhos lindos e saudáveis. Mais importante do que definir o tempo de dar o peito é estar ciente de que a maternidade é um processo especial, que ocorre de forma única para cada mulher. P.E.: As crianças já estão um pouco maiores. Você pensa em ter mais um filho? R.J.: Eu até queria, adorei ser mãe, mas agora não posso. Estou envolvida com muitos trabalhos profissionais. P.E.: Durante a gravidez, você chegou engordar 16 quilos, certo? Em pouco tempo voltou à bela forma. Qual é o seu segredo para manter o peso? R.J.: Engordei 18 quilos! Deixei quase 10 no hospital e depois de três meses de resguardo, tratei de expelir as gordurinhas extras. Fiz caminhadas diárias de 30 minutos na esteira e musculação duas vezes por semana. Também evitei as extravagâncias da mesa durante o pós-parto. Aquela panela de brigadeiro de colher, só quando estava barriguda, pra aproveitar o paladar aguçado. Depois, só um docinho no fim de semana. E a amamentação também me ajudou a perder peso. P.E.: Uma criança normalmente exige atenção, duas devem exigir muito mais. Como você tem feito para dar conta dos cuidados necessários? O Frederico te ajuda? R.J.: Tenho duas babás, mas participo de tudo. Sou eu quem dá banho duas vezes por dia, quem embala o sono, quem brinca no chão da sala de TV… Não faz sentido ter filhos se não puder participar do crescimento deles. E é uma delícia, uma dádiva ter tempo pra

foto: André Schiliró

Esse é o outro trabalho que faço, porque preciso de tudo isso pra me abastecer do que está acontecendo nessa seara ambiental. Estou com três programas na Rádio Globo. O primeiro é “Por um Mundo Melhor”, que trata sobre consumo consciente, com a ideia de destrinchar sobre sustentabilidade para esse contingente de 40 milhões de brasileiros que adquiriram poder de compra e precisam fazer melhores escolhas. E tem também a biodiversidade, que é o “Globo Natureza”. Já o meu terceiro é meu xodó, e se chama “Conversa com Jatobá”, com duração de uma hora, em que entrevisto personalidades que tenham projetos sociais e ambientais. A ideia é influenciar as pessoas para o bem.


“Mas o que me realiza mesmo é encontrar toda a família reunida em torno da mesa. Aí é uma farra, a conversa é longa e prazerosa, e o carinho, grande e eterno Rosana jatobá

ser mãe! O Fred ajuda quando pode. Ele acorda mais cedo pra brincar com as crianças por duas horas e dedica os fins de semana aos gêmeos. O importante é ter qualidade na relação, quando está junto, está presente totalmente, imerso no universo deles. Essa imersão eles percebem e retribuem com carinho e equilíbrio. P.E.: A maternidade traz uma nova mulher, mas também é necessário abrir mão de muita coisa. Foi difícil deixar de fazer o que normalmente você fazia quando não tinha filho? R.J.: Não foi difícil, porque fiz tudo o que queria antes de engravidar. Fui mãe aos 40 anos, já madura emocionalmente e realizada profissionalmente. Então, não sinto falta de nada. A maternidade traz um sentido de completude que é maior do que qualquer coisa. Quando preciso de um tempinho só pra mim, me ausento por algumas horas e volto renovada para os braços dos meus anjinhos. P.E.: Você comentou que ouve músicas para acalmar os bebês. Tem alguma em especial de que eles gostem bastante? R.J.: Agora eles estão na fase de ouvir MPB e clássicos. Mas também adoram “Os Muppets”, “Vila Sésamo”, “Palavra Cantada” e a “Galinha Pintadinha”… Menina, eles vibram quando a galinha começa a dançar! E eu babo quando vejo que meus anjinhos estão crescendo, interagindo, descobrindo o mundo. Sou fã da maternidade. Recomendo como receita de felicidade! P.E.: Apesar de se dedicar a vários projetos, você tem ideia do que mais pode acontecer na sua careira profissional neste ano? R.J.: Não posso adiantar, mas tenho novos projetos em vista. Inclusive adoraria fazer cinema. Eu tenho formação de atriz, que fiz pra ganhar expressividade. É bom estar envolvida com a Fox, porque permite uma licença poética maior do que acontecia com a televisão aberta. Meus projetos serão sempre com o tema sustentabilidade. E a Fox tem muito interesse em se aprofundar nele. Estou muito feliz com essa acolhida.

23


velhos costumes

Por Ana Carolina Contri

O antigo em voga Sebos e antiquários ganham novo público e são excelentes para quem busca novidades dos tempos passados

A

char preciosidades a preços bons, garimpar relíquias e reviver épocas que se foram exprimem bem o perfil de quem frequenta sebos e antiquários. Essas famosas lojas que sobrevivem à modernidade estão espalhadas por diversas cidades e contam, em cada prateleira, um pouco da história. A chave do sucesso é simples: manter-se renovado sempre quando o assunto são antiguidades, independente da época.

24

Entre livros

Quer se encantar? Basta caminhar por um sebo. Além de encontrar grandes nomes de autores cujos títulos nem circulam mais, é possível gastar pouco e sair de lá com livros e até vinis antigos. O público é cativo, sempre gente interessada no que há de mais inusitado, um ou outro estudante procurando um livro mais barato e até aqueles que vão apenas para vender as preciosidades que tinham na estante de casa.


Fotos: © adistock , © Brad Pict e © Andrey Kuzmin / fotolia

Em uma passadinha rápida pelo centro de São Paulo, é possível conferir os mais diversos sebos, mas um em especial chama atenção. Inaugurado em 1970, o Sebo do Messias, na Praça João Mendes, atrai o mais variado público e tem como principal objetivo colaborar com a cultura, recuperando livros que seriam esquecidos no tempo. Proprietário da loja, Messias Antônio Coelho, ou Seu Messias, como é carinhosamente chamado, está sempre por lá e garante que o segredo do sucesso é a atualização diária do catálogo. “O público que frequenta o sebo vem atrás de gibis, livros, discos, DVDs, romances, e ele aumentou com o passar dos anos. Isso também porque o preço é sempre acessível”, comenta. O número de livros à venda impressiona: 250 mil. Isso sem contar os DVDs e CDs, que chegam a 30 mil. Em Belo Horizonte, entre prateleiras organizadas sem tecnologia, apenas pelas mãos apuradas dos livreiros, publicações raras podem ser encontradas entre livros escolares ou técnicos, infanto-juvenis, enciclopédias, ao alcance do pedido de um cliente. O mais antigo sebo, a Livraria Amadeu, completou 65 anos. Entre os seus 40 mil exemplares, na rua dos Tamoios, é possível encontrar relíquias inimagináveis, é só dar uma olhadinha com mais atenção. Além disso, o site do Catraca Livre (http://catracalivre. com.br) disponibiliza uma lista de sebos on-line para quem quer olhar tudo o que tem espalhado pelo país e ainda encontrar exclusividades no ambiente virtual.

Objetos do tempo

As antiguidades também possuem um público cativo, em franca expansão e que não para de aumentar e mudar de cara com o passar dos anos. O que conta é o interesse da pessoa por determinada época. Uma das feiras mais tradicionais de antiguidades de São Paulo acontece todos os domingos no vão livre do Masp, e lá é possível encontrar diversos expositores com os mais variados tipos de relíquias. Referência obrigatória do turismo em São Paulo, é possível encontrar desde artefatos de guerra até livros sobre arte. Uma das marcas da feira é a organização e a padronização das barracas, onde se acha de tudo um pouco: de singelos botões para roupas, fivelas para sapatos, bijuterias excêntricas a valiosas obras de arte. George Sampaio, diretor de comunicação da Associação de Antiquários de São Paulo, responsável pela

organização da feira, comenta que o segredo do sucesso é a dinâmica de acompanhar a mudança de gosto das pessoas. “Hoje em dia, o antiquário abriu as portas para um novo gênero de colecionismo, aquele que busca as antiguidades do século 20. Os jovens despertaram interesse por objetos mais recentes”, explica. Frequentar locais como esses é uma maneira de entrar em contato com momentos da importante história mundial. Afinal, podem ser considerados uma grande e permanente exposição de arte.

25


POSITIVO

Por Maria Helena Bellini

Postura de bailarina Costas retas, abdômen contraído, braços relaxados, cabeça alinhada ao tronco. Trabalhar adequadamente os movimentos corporais é uma ótima maneira de prevenir dores e lesões

P

ilates, ioga, RPG, Rolfing®. Inúmeras são as possibilidades de aprender como obter uma boa postura, aliviar tensões e, de quebra, ter uma barriga um pouco mais definida. Mas não existe milagre. É preciso dedicação e paciência. Para conhecer melhor qual é a atividade mais adequada para você, conheça algumas delas.

Equilibre-se

A ioga existe há milênios. Ela é caracterizada por seu compêndio de técnicas, que visam a união entre corpo, mente e espírito, por meio de posições físicas (ásánas), exercícios respiratórios (pranáyámás), vocalizações de sons (mantras), abstração sensorial, rela-

26

xamento consciente e de processos meditativos e de concentração (samyama). O professor Edson Ramos, do Espaço Nirvana, no Rio de Janeiro, ensina que a prática de ásánas é, em grande parte, uma prática física que ajuda no condicionamento do praticante. “Os ásánas atuam no psicológico e no sistema nervoso, o que ajuda também a melhorar a saúde mental e, consequentemente, a qualidade de vida do aluno”. Os resultados são o fortalecimento, a definição corporal e o alinhamento postural. Já a reeducação postural global (RPG) é uma fisioterapia baseada em posturas específicas. Segundo a fisioterapeuta do Instituto Philippe Souchard, no Rio de Janeiro, Mônica Botelho Rodrigues, a RPG Souchard


é um método de tratamento fisioterapêutico original e revolucionário, criado pelo francês Philippe E. Souchard, na década de 1980. “A sua forma de abordagem permite tratar as patologias dos sistemas muscular, ósseo e articular de forma eficaz e duradoura”. Trata de forma diferenciada cada paciente, de acordo com sua patologia e suas consequências. “Começa-se corrigindo o local do sintoma, buscando identificar quais regiões do corpo estão relacionadas com o problema. O fisioterapeuta passa tempo integral corrigindo o paciente no decorrer da postura, mantendo sempre uma descompressão da articulação que está sendo trabalhada”, explica. Para o fisioterapeuta do Centro de Qualidade de Vida de São Paulo, especialista em RPG pelo Centro Científico e Cultural Brasileiro de Fisioterapia e em Shiatsu pela Escola Toyo Seitai Jissen Gakuin – Hamamatsu, do Japão, Ricardo Hatanda, a RPG auxilia indiretamente no condicionamento físico, porque, para dar início a uma atividade, a pessoa precisa fazer os exercícios com a postura correta, caso contrário podem ocorrer lesões. “O resultado a curto prazo é o alívio das dores, a médio e a longo, é a mudança da estrutura do corpo”, ressalta. Uma das características mais importantes da RPG é que esse tipo tratamento permite alongar os músculos cujas fibras se mantêm em contração permanente enquanto encurta progressivamente os grupos musculares com tendência à flacidez. “Realizamos posturas que vão evoluindo lentamente, com a participação do paciente, para podermos corrigir, de forma progressiva, as regiões mal posicionadas do corpo do indivíduo, durante o tratamento”, destaca Mônica.

foto: © lightwavemedia / fotolia

A RPG Souchard é importante pelos seguintes motivos: A coluna vertebral se mantém sem inclinação ou rotação e com as curvaturas normais, evitando dores e proporcionando bem-estar. As articulações realizam os movimentos em um eixo fisiológico, o que permite seu bom desempenho, sem desgaste articular. Se o corpo se encontra bem posicionado, teremos a cabeça em equilíbrio, com a direção do olhar para frente.

Alongue-se

O pilates é um método de condicionamento físico e mental criado pelo alemão Joseph Pilates. Ele possui uma vasta gama de exercícios, que se encaixam em todas as idades e em todos os níveis de aptidão motora, e em sua maioria são individualizados e de baixo impacto, o que não prejudica as articulações e proporciona ótimos resultados. Maíra Oshiro, fisioterapeuta especializada em Saúde da Mulher e instrutora de Pilates no Centro de Qualida-

“Com a postura ideal, tem-se um sistema: ossos, músculos, articulações, ligamentos, todos trabalhando de maneira harmônica. E isso faz com que os órgãos vitais funcionem de maneira adequada” Maíra Oshiro, fisioterapeuta

de de Vida, de São Paulo, explica que esses exercícios são usados para reabilitação de lesão, para atletas, para quem procura esculpir o corpo e para quem procura bem-estar. O pilates não só alonga como também fortalece a musculatura de maneira dinâmica. “O praticante ganha força, controle muscular, melhora capacidade respiratória, circulação, flexibilidade, equilíbrio e corrige a postura. E esse conjunto de benefícios promove harmonia, força, flexibilidade e equilíbrio que gera bem-estar”. Os resultados variam muito de pessoa para pessoa. Os relatos vão desde a conscientização corporal até o aumento da autoestima, alívio de dor, melhora da postura, prevenção de lesões, precisão e eficiência dos movimentos. “Como o pilates trabalha muito com o centro de força, o aluno ganha estabilização e fortalecimento da musculatura profunda de abdômen. Por isso o praticante tem um enrijecimento da musculatura bastante acentuada, o que o leva a adquirir a famosa ‘barriga tanquinho’”. Mônica explica que muitas vezes o volume abdominal está relacionado a um mau posicionamento da coluna, como na hiperlordose lombar. “Nesses casos, a RPG poderá beneficiar pela correção desta, junto com o trabalho expiratório associado a abdominais”, diz. A postura correta não está relacionada apenas com a melhora na parte estética, mas com a saúde também. “Com a postura ideal, tem-se um sistema: ossos, músculos, articulações, ligamentos, todos trabalhando de maneira harmônica. E isso faz com que os órgãos vitais funcionem de maneira adequada. Além disso, já há estudos que mostram o quanto a postura está ligada com os nossos sentimentos”, conclui Maíra. Para mais informações, acesse os sites: Espaço Nirvana: http://www.enirvana.com.br/ Sociedade Brasileira de RPG: www.sbrpg.com.br Projeto Inovar RPG: www.rpgsouchard.com.br Centro de Qualidade de Vida: http://cqv.net.br

27


POSITIVO

Por Ana Carolina Contri

Um pouco de perfume no ar Você sabia que para escolher a fragrância certa é preciso levar em consideração as notas de aromas e as características de cada pessoa?

P

erfumar a pele é uma maneira de se comunicar com o mundo. Escolher a essência certa é uma forma de marcar sua personalidade para as pessoas ao seu redor. Porém, diante da extensa paleta aromática, é difícil selecionar qual deles irá combinar mais com a gente, por isso é importante levar em consideração diferentes aspectos nessa hora. E quem vai nos ensinar tudo é Tiago Motta, Fine Fragrances Marketing Analyst, e Fernando Amaral, osmólogo da Aromagia.

Treinando o olfato

Apesar de não sermos especialistas em cheiros, é possível descobrir as notas que compõem o perfume, e elas dizem muito sobre o que queremos passar, por isso é importante identificá-las. Fernando explica que todos os seres humanos têm uma capacidade olfativa significativa para suas funções biológicas, e o mais importante na hora de sentirmos os cheiros é prestar atenção à memória que ele evoca e a estrutura de bem-estar ou mal-estar que ele provoca. “Devemos escolher e nos aproximar dos odores com uma atenção investigativa para sabermos se há afinidade entre o cheiro e a nossa pessoa”, ensina. Como as fragrâncias evoluem na pele, devemos considerar o cheiro que fica depois de meia hora para definirmos a família olfativa da fragrância, já que uma fragrância pode conter diversas notas que se intercalam, tais como florais, frutadas, amadeiradas, resinosas etc. “A melhor maneira de identificar ingredientes em um perfume é associá-lo às substâncias naturais com as quais temos contato, tais como frutas, flores, ervas e madeiras. Se você sente um cheirinho de laranja, limão ou tangerina, e esse cheiro perdura no perfume, trata-se

28

de uma fragrância cítrica. Se o cheiro de cítricos se vai, deixando notas de rosa, jasmin, ylang-ylang, por exemplo, temos uma fragrância floral”, ensina Tiago.

Características das notas

De maneira geral, os cítricos correspondem à vitalidade e à força. Os amadeirados são identificados com a irreverência e a capacidade de renovação. Os orientais ressaltam a sensualidade e o instinto, já os florais realçam o aspecto romântico. Por fim, uma nova categoria de perfumes, mais suaves e discretos, batizada de “segunda pele”, está relacionada com o lado maternal e acolhedor. Uma fragrância é dividida em três notas principais, que são: Notas de saída (ou de topo) – são as notas mais voláteis, que evaporam com mais facilidade. Geralmente cítricas, frutadas e verdes. Notas de corpo (ou coração) – são as notas que perduram por mais tempo e definem o caráter da fragrância. São em sua grande maioria os florais, mas também os herbais e amadeirados. Notas de fundo – são os fixadores da fragrância, ou seja, são as notas que definem o quanto a fragrância vai durar na pele, pois são as mais pesadas, de menor volatilidade. São compostas pelo musk, âmbar, resinas e madeiras pesadas.

Escolha certa

Os perfumes devem realmente nos seduzir de uma maneira tão especial que se tornem irresistíveis e característicos da nossa personalidade. É possível sentir um envolvimento com o perfume como se ele fosse uma extensão de cada um. Os melhores perfumes têm


foto: © Zanna Korobova / fotolia

o poder de expandir nosso estado de espírito original, nossa natureza, é isso que nos fascina. Segundo Fernando, o principal para a escolha certa é a aceitação. “Não podemos ter dúvida nenhuma a respeito do perfume na hora de comprar, pois se algum aspecto dele não estiver 100% de acordo com a personalidade do usuário, em algum momento ele irá sentir desconforto em relação ao produto e interromper seu uso”, complementa. É importante lembrar que um perfume que fica bom em alguém próximo pode não ter o mesmo cheiro quando usados por nós, por isso é importante prestar atenção em como ele reage a nossa pele. “A oleosida-

de dela interfere na fixação do perfume. Quanto mais oleosa a pele, maior a fixação da fragrância. Fatores como alimentação, estilo de vida, ambiente de trabalho podem também influenciar as características de uma fragrância, pois a substância que estiver na sua pele (no suor, oleosidade natural) e a maneira como a sua pele reage a estímulos externos (ar-condicionado, calor extremo, sol, poluição) irão interagir diretamente com o perfume aplicado”, ensina Tiago. Leve sempre em consideração a mistura das notas de sua preferência com as suas características individuais e faça a escolha que mais combine, e seja marcante com seu estilo.

29


vida simples

Por Mirella Stivani

Pare, agora!

ai ano, entra ano, e você promete para si mesmo: “Vou parar de fumar”. Mas os dias passam, e nada muda. Mas não se sinta culpado. Afinal, a nicotina é uma substância que atinge o cérebro rapidamente, o que a torna altamente viciante. Por isso, parece tão difícil largar esse hábito que traz tantos danos à saúde. “Parar de fumar sempre é um desafio. O cigarro é uma droga de fácil acesso, relativamente barata e cuja frequência e intensidade de consumo o usuário aprende a regular. Anteriormente, tinha boa aceitação social também. A grande questão é que, além da dependência física, há uma dependência psicológica. As pessoas associam comportamentos e situações ao ato

30

de fumar”, ressalta Dra. Carina Queiroz Pereira, pneumologista da Life Clínica, de Campinas. Por isso, a Dra. Silvia Cury Ismael, responsável pelo Serviço de Psicologia do Hospital do Coração em São Paulo (HCor) e coordenadora do Programa de Cuidado Integral ao Fumante, lembra que, para quem quer largar o cigarro, é importante repensar a rotina e quebrar as associações que existem entre o fumo e a tarefas diárias. “É normal, portanto, que os primeiros dias sem fumar sejam os mais difíceis. Ao parar, a pessoa pode se sentir ansiosa, com dificuldade de concentração, irritada, ter dores de cabeça e sentir aquela vontade intensa de fumar. O importante é não desanimar, já que os sintomas desaparecem com o tempo”, acrescenta.

foto: © rangizzz / fotolia

S

Deixar de fumar não é uma tarefa fácil. Requer disciplina, força de vontade e, em alguns casos, até ajuda médica. Mas largar esse vício é possível sim, você consegue


Hora de parar Segundo Dr. Anderson, existem inúmeros benefícios a curto, médio e longo prazo para quem deixa de fumar: Às vezes, ter força de vontade não é o suficiente para que o ato de parar de fumar seja iniciado e mantido. Mas existem tratamentos que podem auxiliar nessa decisão tão importante na vida de todo fumante. “Existem vários tratamentos e programas que ajudam o tabagista a parar de fumar, desde antidepressivos até adesivos de reposição de nicotina. O Ministério da Saúde possui um programa que faz o acompanhamento e tratamento de tabagistas que desejam parar de fumar. Segundo a instituição, o Brasil tem cerca de 3 mil unidades de saúde que oferecem tratamento contra o vício em tabaco, o que inclui apoio psicológico, medicamentos, atendimentos educativos e terapêuticos”, conta o médico Dr. Anderson Silvestrini, oncologista clínico do Grupo Acreditar, de Brasília. Em muitos casos, a ajuda psicológica também pode ser essencial para se abandonar o vício. “A dependência da nicotina é um comportamento tão virulento que, embora 70% dos fumantes desejem parar de fumar, apenas 5% destes conseguem fazê-lo sozinhos. Isso ocorre porque o comportamento de fumar não só causa doenças, como a dependência à nicotina por si só já é uma doença. O paciente precisa entender por que fuma, o que é a dependência, os sintomas da abstinência e como lidar com eles, como se preparar para deixar de fumar e como evitar os gatilhos que dão essa vontade. Tendo em vista as dificuldades apresentadas, as pessoas acabam buscando ajuda do médico, que poderá indicar tratamento psicológico em conjunto. O sucesso depende não só de reduzir a ansiedade ou desfazer o vício químico, mas também de desativar os gatilhos que levam a acender um cigarro”, explica a Dra. Carina.

1 Em 20 minutos, a pressão arterial estabiliza. 2 Depois de duas horas, a nicotina deixa de circular no organismo.

3 Após oito horas, o oxigênio no sangue se estabiliza.

4 Após 24 horas, a chance de infarto diminui. 5 Após 48 horas, o paladar e o olfato melhoram. 6 De 2 a 12 semanas, a capacidade pulmonar aumenta em 30%, e a circulação sanguínea melhora.

7 De 1 a 9 meses, a tosse e o cansaço diminuem. 8 Entre 2 meses e 1 ano, os riscos de doença cardíaca diminuem consideravelmente.

9 De 10 a 15 anos, alcança-se expectativa de vida igual à de quem nunca fumou.

deseja largar o cigarro? 1 - Terapia de Reposição de Nicotina. Nicorette Nicotina gomas 4 mg Johnson & Johnson. 2 - controla o desejo de fumar. NiQuitin adesivos transdérmicos etapa 2 GSK. 3 - libera nicotina através da pele. Nicotinell Nicotina adesivos fase 1 Novartis.

1

3 2

mexa-se!

A prática de atividade física é indicada para todas as pessoas, mas também deve ser inserida no planejamento de quem deseja largar o cigarro. “Quando o fumante para de fumar, as células nervosas da língua que são responsáveis pelo sabor dos alimentos voltam a funcionar, além do olfato, que volta a ser ativado, tornando todos os alimentos mais saborosos. Para não ocorrer um possível ganho de peso, o paciente deverá realizar exercícios físicos e reeducação alimentar. Além disso, é importante adquirir novos hábitos, para conseguir se distrair das dificuldades e ansiedade”, finaliza Dra. Carina.

32

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

Advertência do Ministério da Saúde: O USO DESTEs MEDICAMENTOs PODEm TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. Não use este medicamento se você é fumante com problemas cardíacos.

fotos: © marylooo / fotolia e DIVULGAÇÃO DROGARIA SÃO Paiulo

Ajuda médica


CURTAS E QUENTES

livro • música • filme • teatro A Menina que Roubava Livros Adaptação para o cinema do best-seller de Markus Zusak, o filme conta a trajetória da jovem Liesel Meminger. A narradora é a Morte, que se mostra surpreendentemente simpática ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa. Ela se afeiçoa à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943, durante a Alemanha de Hitler, na Segunda Guerra Mundial. Fox Filmes.

Particular Cuba Com a sensibilidade apurada de quem está acostumado a visualizar o mundo por meio das lentes de uma câmera, Du Ribeiro, especialista em fotos publicitárias de automóveis, traz nesse livro imagens de carros antigos, capturadas por ele durante viagens à ilha de Fidel Castro. Editora Alaúde.

O Amor em 365 Dias – Ilumine o Seu Dia

Hugh Laurie no Brasil O ator Hugh Laurie, conhecido por interpretar o Dr. House na série “House”, vem ao país mostrar seus dotes musicais em março. Ele se apresenta com sua banda no dia 20 no Rio de Janeiro; dia 21 em Belo Horizonte; dia 23 em Brasília; dia 25 em Curitiba; dia 27 em Porto Alegre; e dias 29 e 30 em São Paulo. Laurie toca músicas de seus dois álbuns: “Let Them Talk” e “Didn’t It Rain”.

A Madrinha Embriagada Com direção e versão de Miguel Falabella, a peça, que recebeu o Prêmio Aplauso Brasil – Melhor Musical de 2013 –, conta a história da musa do teatro Jane Valadão (Sara Sarres), que vai deixar os palcos para se casar com o empresário Roberto Marcos (Frederico Reuter). Como era costume da época, uma madrinha é contratada para cuidar da noiva antes do casamento. Em cartaz em São Paulo, no Teatro do Sesi, até junho.

34

Fotos: divulgação das assessorias

O amor é o tema desse livro do Padre Roque Vicente Beraldi, que reuniu uma frase para cada dia do ano, todas pesquisadas na história, na filosofia e na literatura. Publicação da editora Ave-Maria, traz pensamentos de nomes conhecidos como Antoine de Saint-Exupéry, Oscar Wilde, Clarice Lispector, São Francisco de Assis, William Shakespeare, Friedrich Nietzsche, Mario Quintana, Leon Tolstói, entre outros.


água na boca

Receita gentilmente cedida por USA Pears

Cheesecake de gorgonzola e agridoce de peras Base • 1 pacote de biscoito água com gergelim (200 g) • 2 colheres (sopa) de manteiga • 4 colheres (sopa) de água Recheio • 2 pacotes de cream cheese (300 g) • 150g de queijo tipo gorgonzola • 4 ovos • 1 caixinha de creme de leite (200 g) • 1 colher (chá) de sal • 1 pitada de pimenta do reino branca moída Agridoce de peras • 2 colheres (sopa) de azeite • 1 cebola em cubinhos • 3 peras em cubinhos • 1/4 xícara (chá) de vinagre de maçã • 1/2 xícara (chá) de vinho tinto • 1 colher (chá) de mostarda • 2 colheres (sopa) de açúcar mascavo • 1 colher (sopa) de tomilho fresco • 1 colher (café) de sal

36

• 1/2 xícara (chá) de tomatinhos sweet grape

Modo de fazer Base • Bata os biscoitos no liquidificador e coloque em uma tigela. Adicione a manteiga em pedaços e vá mexendo com a ponta dos dedos até ficar uma farofa grossa. Acrescente a água e mexa bem. Pressione a mistura no fundo de uma fôrma de torta de fundo removível média (22 cm de diâmetro). Deixe na geladeira enquanto prepara o recheio. Recheio • Bata o cream cheese, o queijo gorgonzola, os ovos, o creme de leite, o sal e a pimenta no liquidificador. Retire a massa da geladeira e despeje a mistura de queijos na fôrma. Leve ao forno médio (180 °C), pré-aquecido, por cerca de 30 minutos. Espere esfriar.

Agridoce de peras • Aqueça o azeite e refogue a cebola por cinco minutos. Adicione as peras, refogue por mais cinco minutos e acrescente o vinagre, o vinho, o açúcar mascavo, o tomilho e o sal. Abaixe o fogo e deixe cozinhar por cerca de 15 minutos. Retire e reserve. • Coloque sobre a torta, enfeite com os tomatinhos e sirva morna ou fria.

Para ficar mais light Base • Substitua o biscoito tradicional por sua versão light e a manteiga por 1/4 de xícara (chá) de leite desnatado e não utilize a água. Recheio • Substitua o cream cheese e o creme de leite por sua versão light. Reduza a quantidade de queijo gorgonzola para 100 g.

foto: divulgação / USA Pears.

ingredientes


Dignidade, esperança e fé Não há dignidade na dor, Na velhice sem amor, Na loucura, no pavor. Não há dignidade no enterro Do corpo, dos sonhos, Na morte dos sentidos Na perda do sorriso, Na procura da mente, No cansaço insolente. Não há dignidade em sobreviver Quando se quer morrer. Não há esperança no chão Nos ossos partidos No Eu não refletido No silêncio da solidão. Não há esperança na vida que vai Que se perde Que se mata Que se maltrata. Não há dignidade no desgosto Não há esperança na ausência No vazio, no escuro Não há mais nada, Não há Fé. Daniela de Oliveira Coimbra Leitora da Ponto de Encontro

“Quando a tristeza for ao seu encontro, deixe sair dos olhos uma lágrima, da boca uma prece, pois não são covardes os que choram por amor, mas sim aqueles que não amam com medo de chorar.” Samuel J. – Leitor da Ponto de Encontro

Trocadilho de menina Concreta coisa com discreta excreção. Secreção escorreu a paixão que deslizou no corrimão daquele que outrora chamou-se explosão Falo do calo que deslizou no ralo levando canção Como se faz para engrossar caldo de feijão? Talvez o dia nascera cinza por falta de ação De repente surge sol com traço de união.

Traço sem linha apenas uma galinha cocoricó digitando canção do Zé do cordão Cordão amarrado no estralado verbo sem conjunção Conjunção é privilegio, tem gente que viu no tempo do colégio sem nenhuma noção... Noção é coisa fina mas tem gente que escreve purpurina Purpurina brilha na máscara de Josefina Josefina é quinina vive na faxina... Faxina, limpa? Ah, ah, ah aspirina! Aspirina tira dor de cabeça Mas a cabeça continua tropeça Tropeça é Josefina que nunca vai ser fina. Nilzangela Souza Leitora da Ponto de Encontro

Maria Cecília – A notícia Você deu o ar da sua graça Entrou na minha vida. Um telefonema inesperado Do outro lado suspense. Eu sentado na varanda de um hotel, Da tarde ensolarada Olhando o céu desanuviado, O pensamento oco. Apreciando o mar pensando distante Seus mistérios e surpresas, Suas belezas, seus barulhos silenciosos, Pensantes? Eu imóvel, parado, inerte, Percorrendo as redondezas até aonde a vista alcança. Eu inerme, um apoio querendo. Transformações virão? Pergunto-me! Eu junto com uma das minhas mulheres Os olhares se fechando Soluções, respostas buscando Querendo alçar mais adiante, Já que os pés não andam na areia fofa, quente. Quando parece que chega o fim

É o recomeço, a continuidade, o florescer. Eu me animo porque vejo um clarão A luminosidade divina. Pergunto se ela também vê a luz Que desponta no horizonte atrás do mar Mas ela não quer olhar. Os dias passam agora mais lentos. Estou em casa entre paredes (porque não vou pro relento?) Agrupando as palavras ouvidas, Refazendo o trajeto da viagem. A ida, a volta, as fotos... Uma em especial nem mereceu análise. Das cidades onde não fui será essa? Das pessoas que não conheci, será essa? Um sonho se refugia no meu sono Eu desperto pra decifrá-lo antes do esquecimento É ela mesma! Estou vendo seu nascimento! Mas não era um sonho?! É um sonho. Geraldo Felismino dos Santos Leitor da Ponto de Encontro

Eu Sou Como as Ondas das Águas do Mar Eu sou como as ondas das águas do mar Neste vaivém com o vento a bailar Batendo em rochedos tentando entrar Levando a magia do fundo mar Que em calmaria faz vida brotar Pois sou como as ondas das águas do mar Se encontro a passagem ali vou estar Deixando as marcas por onde passar E não se admire se um dia eu voltar Pois sou como as ondas das águas do mar Pois sou como as ondas das águas do mar... Carolina Prado Bustamante – Leitora da Ponto de Encontro

Escreva para: pontodeencontro@profashional.com

38

o próprio envio das poesias já caracteriza autorização e cessão de uso para publicação.

final feliz


Revista Ponto de Encontro Ed. 48  

A Ponto de Encontro é uma revista especial, produzida para levar aos clientes da Drogaria São Paulo conteúdo de qualidade a respeito de saúd...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you