Issuu on Google+

TEMPOR ADA 201 7

T E AT RO M U N I C I PA L D O PORTO ⁄ JAN — FEV — MAR

DANÇA • PERFORMANCE • TE AT RO • MÚSICA PENSAMENTO • CINEMA • LITER ATUR A • MARIONETAS • NOVO CIRC O RE SIDÊNCIAS ARTÍSTICAS • WORKSHOP S

SE AS ON 201 7 ⁄ JAN — FEB — MAR DA N C E • P E RF O RMA NC E • T HE AT R E • MUSI C • T HOUG HT • C I NE MA • LITER ATURE • PUPPETRY • N EW CIRCUS ART I ST R E SI DE NC I E S • WOR KSH OP S

W W W.TE ATROMUNICIPALDOPORTO.PT


PARABÉNS RIVOLI! C O N GR ATU L ATI O N S RI VO L I ! In the first three months of the year, the Teatro Municipal do Porto will stage 41 shows – 19 co-productions and 15 premieres – and in doing so reaffirm its main lines of action: an intense international programme, a focus on dance and contemporary performance arts, and the co-production of new work by national companies, with a special emphasis on those working in Porto. I particularly mention the 85th Anniversary of the Rivoli, which will be commemorated on 21st January with 15 hours of non-stop activities, chiefly staged by performers and companies from Porto. Seven shows, four concerts, two installations and an exhibition that will literally open the theatre’s archives. In the international programme, we will have the opportunity to see the Catalan company

N

os primeiros três meses do ano o Teatro Municipal do Porto reafirma, através da apresentação de 41 espetáculos - 19 deles em coprodução e 15 em estreia as suas principais linhas de ação: uma intensa programação internacional, a aposta na dança e nas artes performativas contemporâneas e a coprodução de novas criações de companhias nacionais, dando especial atenção às que trabalham a partir da cidade..

Destaco o 85º Aniversário do Rivoli, que se comemora a 21 de janeiro com quinze horas non-stop de atividades protagonizadas, maioritariamente, por artistas e companhias do Porto. São sete espetáculos, quatro concertos, duas instalações e uma exposição que abrirá, literalmente, os arquivos do Teatro. Na programação internacional temos a oportunidade de conhecer, pela primeira vez na cidade, a companhia catalã El Conde de Torrefiel que apresenta o seu teatro engajado política e socialmente. Em estreia mundial, será apresentada a nova criação de Olivier Saillard, diretor do Palais Galliera - Museu da Moda de Paris, que constrói delicadas performances, entre a instalação e a moda.

El Conde de Torrefiel for the first time, with its politically and socially engaged theatre. Olivier Saillard, director of the Palais Galliera – Musée de la Mode de la Ville de Paris, who constructs delicate performances between installation and fashion, will present the world premiere of his latest work. Dorothée Munyaneza (Rwanda) and Mithkal Alzghair (Syria) will give body and voice to the drama of refugees, migrations and the contexts of war in their countries, as part of a focus of the programme that will take place at Campo Alegre – Displacement – with two shows, a workshop, two films, a talk and a final concert. Various national premieres will “bombard” the stages of the Rivoli and Campo Alegre. Marco da Silva Ferreira, whose choreographic work interweaves urban and contemporary dance, will present a world premiere on the day of the anniversary of the Rivoli. Companhia Instável will perform a work choreographed by Laurence Yadi and Nicolas Cantillon (from the Swiss company 7273) and the Portuguese Companhia Nacional de Bailado will return to the city to show its more contemporary side, this time with a new piece of work by the highly awarded choreographer Akram Khan. Ana Rocha, with the company O Cão Danado, and Luís Mestre, with his Teatro Nova Europa, will perform new plays that attest to the vitality of the theatre companies in the city. Since this is only a brief glimpse of what awaits, I invite you all to cast your eyes over the calendar to confirm these projects in detail and to discover the whole programme for the first few months of 2017!

Dorothée Munyaneza (Ruanda) e Mithkal Alzghair (Síria) dão corpo e voz ao drama dos refugiados, às migrações e aos contextos de guerra dos seus países, num foco de programação que decorre no Campo Alegre – Deslocações – com dois espetáculos, um workshop, dois filmes, um encontro e um concerto final. Várias estreias nacionais tomarão de “assalto” os palcos do Rivoli e do Campo Alegre. Marco da Silva Ferreira, com uma escrita coreográfica que cruza a dança urbana com a contemporânea, apresenta uma estreia mundial no dia de aniversário do Rivoli. A Companhia Instável traz-nos um trabalho coreografado por Laurence Yadi e Nicolas Cantillon (da companhia suíça 7273) e a Companhia Nacional de Bailado regressa à cidade, mostrando desta vez o seu lado mais contemporâneo com uma nova criação do ultra premiado coreógrafo Akram Khan. Ana Rocha, com a companhia O Cão Danado, e Luís Mestre, com o seu Teatro Nova Europa, estreiam novas peças que atestam a vitalidade teatral das companhias da cidade. Como muito mais existiria para nomear, convido todos a percorrer esta agenda, a confirmando em detalhe os projetos mencionados e descobrindo toda a programação destes primeiros meses de 2017!

Tiago Guedes Director of the Teatro Municipal do Porto

Tiago Guedes Diretor do Teatro Municipal do Porto


JAN ⁄ FEV ⁄ MAR JAN UARY, F E B RUA RY & M A RC H

DANÇA

PERFORMANCE

DA NC E MA RC O DA SILVA F ER R EIR A B ROTH E R (PÁGS . 22 E 2 3) C O MPA NHIA NAC IONAL D E BAIL AD O C OM C OREOGR A FIA DE A K R A M KH A N ITM O I (PÁGS . 56 E 57 ) MITHKA L A LG Z H AIR ( SYR) DISPL ACE MENT (PÁ GS . 50 E 51 )

OLI VI E R SA I LL A RD ( FR ) C OU T U R E E S S E N T I E LL E ( P Á G S . 62 E 63 )

TE ATRO TH E ATRE D OROT H É E M U N YA N E Z A ( RWA ) SA M E D I D É T E N T E ( P Á G S . 4 8 E 49 )

MÚSICA M U SI C TR Ê S TR I STE S TI GR E S + O L D JE RU SA L E M + DA N RI VE R M A N P ORTO BE ST OF ( P Á G S . 6 0 E 61 )

WORKSHOP S

E XHIBIT IONS MULT IP LE X 201 7: VICTOR ERIC E ( PÁG. 6 )

NUNO C OELHO 5 º CADE RNO – E NSAI O S O B RE O S ARQ UI VO S DO RI VO LI ( PÁGS . 1 8 E 1 9 )

O L I V I ER SAI LL AR D (FR ) (PÁG. 63)

K INO – MO ST R A DE C INEMA DE E XP RE S SÃ O A LEMÃ ( PÁG. 25 )

O QUA DRO NEGRO SAMI R A MAK H MALBAF ( PÁG. 4 6 )

TÓ NA N Q U I TO U M I N I M I G O D O P OVO ( P Á G S . 26 E 2 7 )

JOC LÉC IO A Z EV ED O ENSAIO C OM ORQ UE ST R A (PÁG. 1 6)

M A RTI M P E DRO S O FI L HO S DA S M Ã E S ( P Á G. 5 5 )

EL ISA BE T H L AMBECK DISTR A ÍDO (PÁG. 1 4)

ANA RO C H A ⁄ O C Ã O DA NA DO STA BAT M AT E R FU R I O SA – OR AT ÓR I A PA R A U M A VOZ (PÁGS. 34 E 35)

S O N O SC O P I A DA S G AV ETA S NA S C E M S ON S ( P Á G. 1 5 )

LU ÍS M E STR E ⁄ TE ATRO N OVA E U RO PA N OI T E D E OU TON O ( P Á G. 67 )

DRU M M I N G – GRU P O DE P E RC U S SÃ O D RU M M I N G M A R I M BA QUA RT ET + M ARE S ( P Á G S . 1 7 + 32)

RO M E U C O STA A M A N TA ( P Á G. 8 )

L AU R A Q UA R E SM A N OVO S TA L E N TO S ( P Á G. 28 )

AN T ÓN I O JO RGE GO N Ç A LVE S A M ON TA N HA ( P Á G. 31 )

A N TÓ N I O O L I VE I R A N OVO S TA L E N TO S ( P Á G. 41 )

N U N O P R E TO FOM O S FI CA N D O ( P Á G. 1 4 )

H E N RI Q U E A L M E I DA N OVO S TA L E N TO S ( P Á G. 59 )

FÁ BIO LOP E S À PROCUR A DO LUG A R F E L IZ (PA LC O S INST Á V EIS) (PÁ G. 69)

E XPO SIÇÕE S

DO ROTH É E M U N YA N E Z A ( RWA) ( P Á G. 5 2)

A L DA R A BI Z AR RO CAR A (PÁG. 5 8 )

MIC KA ELL A DAN TAS FR ANKENSTE IN_ 3R1 5 (PA LC O S INST Á V EIS) (PÁG. 36 )

CINEMA

INDIEJ ÚNIOR A LLIA NZ - FE ST IVA L INT ERNAC IONA L DE C INEMA INFA NT IL E J UVENIL DO P ORTO ( PÁG. 3 3 )

EL C ON DE DE TO RRE F I E L ( E S ) L A P O SI BI L I DA D QU E D E SA PA R E C E FR E N T E A L PA I SA J E (PÁGS. 64 E 65)

FL Á VIO ROD R IG U E S & MA RIA NA AM OR IM CAB R AS (PA LC O S INST Á V EIS) (PÁG. 36 )

JA NUA RY, FEBRUA RY & MA RC H

JOA NA G A M A , LU Í S F E R NA N D E S & R I CA R DO JAC I N TO HA R M ON I E S ( P Á G S . 20 E 21 )

C OMPA NHIA I N ST ÁV EL C O M C OREOGR AFIA DE L AURENCE YA DI & NIC OL AS CA NTILLO N ( C IE . 72 73) L A NUIT TOUS L E S CH ATS S O NT G RIS (PÁGS . 3 8 E 39)

FR ANC ISC O PINHO, JOÃO D IN IS PIN H O & DINIS SAN TO S NEM A PRÓPR IA RUÍNA (PA LC O S INST Á V EIS) (PÁ G. 2 9)

JAN ⁄ FEV ⁄ M AR

TI AGO P E RE I R A , GRU P O DE P E RC U S SÃ O DE VA L H ELHAS & SE N SI B L E S O C C E RS U N D E R STAG E ( P Á G. 24 ) ZA! (ES) U N D E R STAG E ( P Á G. 4 0 ) N O CTU RNA L E M I S SI O N S ( U K ) U N D E R STAG E ( P Á G. 6 6 )

Á GUA P R AT E A DA – UM AUTO- RE T R ATO DA SÍRIA O S SAMA MO H AMME D & WI AM SI MAV B E DI R X AN ( PÁG. 47 ) SAGUENA IL DE CRE SCE NTE ( PÁG. 3 0 ) FA NTASP ORTO – FE ST IVA L INT ERNAC IONA L DE C INEMA DO P ORTO ( PÁG. 42)

EMA NUEL DE S OUSA G ( I NSTAL AÇÃO ) ( PÁG. 1 2) J OA NA CAST RO PAR ADI SUM ( I NSTAL AÇÃO ) ( PÁG. 1 3 )

ENC ONTRO S MEE T INGS

REGISTO E REFÚGIO MI TH K AL ALG Z H AI R ( SYR) , DO ROTH É E MUNYANE Z A ( RWA) , I SAB E L G ALV ÃO, GO LGO NA ANG H E L , PE DRO SANTO S GUE RRE I RO ( MO DE R AÇÃO ) ( PÁG. 5 3 )

M I THKAL AL ZG HAI R (SY R ) (PÁG. 5 4) TO NÁN Q UI TO (PÁG. 2 7 ) L AUR ENCE YAD I & NIC OL AS CANTI LLO N ( CI E . 72 73 ) (C H) (PÁG. 39) WORKSHO P PAR A M ÃE S , PAI S E F I L HO S MARTIM PEDRO S O & FLÁVIA GUSMÃO (PÁG. 55) APROXI M AÇÃO À DANÇA C O MPANHIA NAC IONAL DE BAIL ADO (PÁG. 57 ) DR AM ATURG I A NAS ARTE S P ERFOR M ATI VAS C O NTEM PO R ÂNE AS E L C ONDE DE TOR R EFIEL (E S) (PÁG. 65) AQ UECI M ENTO PAR AL ELO M ARC O DA SILVA FER R EIR A (PÁG. 39) ANDR É MENDE S (PÁG. 5 4)

TONÁ N QUITO C OM A LUNO S DA E SMA E ( PÁG. 2 7 )

LITER ATUR A LIT ER AT URE QUINTAS DE LEIT UR A ( PÁGS . 7, 37 E 6 8 )

DOROT HÉE MUNYA NE Z A NA E SMA E ( PÁG. 5 4 ) EL C ONDE DE TORREFIEL ( E S) C OM A LUNO S DE A RT E S P ERFORMAT IVAS ( PÁG. 6 5 )

CA FÉ LIT ERÁ RIO ( PÁG. 70 )

RE SIDÊNCIAS ARTÍSTICAS ARTI ST R E SI D ENCI E S LO NG A D UR AÇÃO CASA DA ANIMAÇ ÃO C OMPANHIA INSTÁVEL DRUMMING GRUPO DE PERC US SÃO ERVA DANINHA MEDEIA FILME S NOME PR ÓPR IO TE AT RO E XPER IMENTAL DO PORTO (PÁGS . 73 E 74)

MA RTA BERNA RDE S E STÓ RI AS DO PÓ ( PÁG. 1 5 ) VA LT ER HUGO MÃ E I NTI MI DADE ( PÁG. 1 7 )

A N TÓ N I O JÚ L I O FE STA PA R A U M ( P Á G. 1 6 )

8 5º A NIVERSÁ RIO DO RIVOLI FOC O DE SLOCA Ç ÕE S

CURTA D UR AÇÃO C LÁUDIA DIAS JONATHAN SALDANHA LUÍ S ME STR E ⁄ TE ATRO NOVA EUROPA J OANA VON MAY ER TR INDADE (L A)HOR DE (FR ) J ONATHAN CAPDEVIELLE (FR ) (PÁG. 74)


6

LI TE R ATUR A QUI 19 JA N ⁄ 22H00

MULTIPLE X 201 7: VICTOR ERICE

QUINTAS DE LEITUR A ⁄ A C ONVERGÊNCIA DO S VENTO S

P ROGR A MA

QUA 11 ⁄ 21 H3 0 E L E SP Í RI TU DE L A C O L M E NA (97’) G R A N D E AU D I T ÓR I O M O • R I VOLI QU I 1 2 ⁄ 1 8 H0 0 ALUMBRAMIENTO (TEN MINUTES OLDER) L A M O RTE RO U GE CRISTALES ROTOS (CENTRO HISTÓRICO) (80’) AU D I T ÓR I O I AC • R I VOL I

A convite da Universidade Lusófona do Porto, Victor Erice – nascido em 1940 e um dos cineastas mais secretos e relevantes do nosso tempo – profere uma masterclass e acompanha um ciclo retrospetivo da sua obra, numa iniciativa organizada em conjunto pela Universidade Lusófona do Porto e o Teatro Municipal do Porto. O ciclo reúne algumas das películas mais representativas do autor madrileno, abrindo, na presença do cineasta, com “El espíritu de la colmena” (1973). O programa privilegia a leitura cronológica duma obra rara pautada pelo humanismo e pelo olhar contemplativo, desenvolvida ao longo de quatro décadas até à curta-metragem “Cristales Rotos”, produzida no âmbito da Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura e dedicada ao encerramento de uma das maiores fábricas têxteis do Vale do Ave. Victor Erice integrou o júri do Festival de Cannes em 2010 e foi premiado na 67ª edição do Festival de Locarno em 2014, com o Leopardo de Carreira pelo conjunto da sua obra.

QU I 1 2 ⁄ 21 H3 0 E L SU R (9 5 ’ ) AU D I T ÓR I O I AC • R I VOL I

Nuno Júdice Inês Pedrosa Ana Celeste Ferreira Pedro Lamares Teia Campos, Samuel Úria Mariana, a Miserável

L IT E R AT U R E T H U 1 9 TH JAN ⁄ 1 0 PM This session marks the return of Nuno Júdice, a lead-

S E X 1 3 ⁄ 1 8 H0 0 E L S O L DE L M E M B RI LLO (1 4 0 ’) AU D I T ÓR I O I AC • R I VOL I

ing name in Portuguese poetry, to “Quintas de Leitura”. A show constructed around his book “A Convergência dos Ventos”. This was the poetic world that inspired Mariana, a Miserável to construct the image

Todos os filmes apresentados serão legendados em português

for the session. First of all, Inês Pedrosa will converse with the poet about his work. This will be followed by readings, by Ana Celeste Ferreira, Pedro Lamares and the guest poet himself. Between poems, the voice of Tea Campos. The guest musician is Samuel Úria.

CINEMA FROM WED 11 TH TO FRI 13 TH JA N

As someone said, we are in the presence of a person who is “half human, half gospel, with fado hands and

At the invitation of Universidade Lusófona do Porto,

rock’n’roll feet”. He will present some songs from his

Víctor Erice – born in 1940 and one of the most se-

latest recording “Carga de Ombro”.

cret and important filmmakers of our time – offers a masterclass and accompanies a retrospective cycle of his work, in an initiative jointly organised by Universidade Lusófona do Porto and the Teatro Municipal do Porto. The cycle brings some of the Madrid director’s most representative films, opening, in his

UN I VER S I DAD E LUS ÓFON A D O P ORTO, G R A ND E AU D I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R I O I AC • R I VO LI EN TR A DA G R ATU I TA • M /1 2

Imagem © Mariana a Miserável

presence, with “El espíritu de la colmena” (1973).

AUDIT ÓRIO • CA M P O A L E GRE 7,5 0 E UR • M /12

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

Esta sessão marca o regresso de Nuno Júdice, nome maior da poesia portuguesa, às “Quintas de Leitura”. Um espetáculo construído à volta do seu livro “A Convergência dos Ventos”. Foi neste universo poético que Mariana, a Miserável se inspirou para construir a imagem da sessão. Num primeiro momento, Inês Pedrosa conversará com o poeta convidado sobre a sua obra. Seguem-se as leituras, desta feita a cargo de Ana Celeste Ferreira, Pedro Lamares e do próprio poeta convidado. Entre poemas, a voz de Teia Campos. O convidado musical é Samuel Úria. Como alguém disse, estamos perante “meio homem, meio gospel, mãos de fado e pés de roque enrole”. Apresentará alguns temas do seu mais recente disco “Carga de Ombro”.

QUA 11 ⁄ 1 0 H0 0 M ASTE RC L AS S VI CTO R E R I CE U N I V E R S I DA D E LU S ÓFONA D O P ORTO TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

7

CINEMA D E Q UA 11 A SE X 1 3 JA N


CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

T E AT RO QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

2 1 JAN KINO

85º

ROMEU C O STA ⁄ A MANTA

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

“Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta um pedaço de uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma história para contar. Há uma manta de retalhos, uma avó com boa memória e muitos netos de ouvido atento. À noite, ao deitar, não são precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enredos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição Planeta Tangerina

A KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã, já na sua 14ª edição, apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas salas de cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do Porto, apresentando no Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta mostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o mais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, Meu Amor”), um filme que narra, num contexto extremamente atual, a viagem de uma jovem mulher ao Japão – e a busca de si mesma. Esta procura existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vários temas que marcam o programa deste ano que, a par dos grandes nomes, dá a conhecer filmes jovens M ARCnovamente O DA SI LVA F Ede RR E I R Arealizadores e que, também do ponto de vista geográfico, oferece um olhar para um quaNUNO C O E L HO dro mais alargado.

ANIVERSÁRIO TE ATRO RIVOLI

THE ATR E SAT 2 8 TH JAN ⁄ 4 PM & 5:30 P M “In comic books, each panel tells part of a story. In this book, which is not a comic book or anything like one, every little panel (of fabric) also has a story to tell. There is a patchwork quilt, a grandmother with a good memory and lots of attentive grandchildren. At bedtime, no books are needed: the grandmother just has to look at the quilt and all the characters and plots that live there, for the session to start...” — in A Manta, published by Planeta Tangerina Romeu Costa studied at the Lisbon Theatre and Film School. While working as an actor, he also worked as coordinator and director of artistic proturgest, he co-created o show “Enquanto Vivermos”

Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver,

with Pedro Gil. He is currently coordinating artistic

paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e

projects for the “Maratona de Saúde” competition for

direção de projetos artísticos com jovens não-atores e

the Gulbenkian Foundation and teaches the Science

investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro

Communication course at Universidade Nova de Lis-

Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente,

boa’s Doctoral School.

In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

J OANA G AM A , LUÍ S F E R NAND E S & R I CAR D O JAC I NTO

jects with young non-actors and researchers. For CulRomeu Costa é formado pela Escola Superior de

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN

Toda a programação disponível em www.goethe.de/portugal/kino

T I AG O P E R E I R A , G RUP O D E P E RC US SÃO D E VAL HE L HAS & SE NSI B L E S O C C E R S JOCLÉCIO AZEVEDO

coordena os projetos artísticos do concurso “Marato-

ANT Ó NI O J ÚL I O

na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona o curso de Comunicação de Ciência na Escola Dou-

D RUM M I NG

toral da Universidade Nova de Lisboa.

VALT E R HUG O M ÃE

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D U LTO S 5,0 0 E U R • M /6

E L I SAB E T H L AM B E C K

• Coordenação Técnica Nuno Figueira • Produção Executiva Teresa Leal • Uma encomenda do Maria Matos Teatro Municipal • Coprodução Teatro Municipal do Porto, Cine-Teatro Constantino Nery (Matosinhos), Maria Matos Teatro Municipal (Lisboa) • Duração aprox. 40 mins • Lotação maxima por sessão 80 participantes

NUNO P R E TO S O NO SC O P I A M ARTA B E R NAR D E S J OANA CAST RO E M ANUE L D E S O USA

Imagem © Nuno Figueira

Texto Isabel Minhós Martins • Criação e direção artística Romeu Costa • Interpretação Carla Galvão • Animação e edição Marta Costa, em parceria com os alunos do módulo Animação da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (sob supervisão do professor Fernando Galrito) • Espaço cénico e figurinos Marta Carreiras • Música Rui Rebelo

2 1 JANUARY AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I

0 E UR S E S SAT Ã O •RME/12 85 T H ANNI V E R SARY O F T HE R3,5I VO L IP ORT HE

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

C OP ROD U Ç Ã O


T E AT RO QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

ROMEU C O STA

2 1 JAN 85º ANIVERSÁRIO ⁄ TE ATRO RIVOLI A MANTA C OP ROD U Ç Ã O

7 E SP E TÁCULO S , 4 C ONCERTO S , 2 INSTAL AÇÕE S , 9 E SPAÇO S DIFERENTE S D E AP RE SENTA ÇÃ O “Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta um pedaço de 115nem A RTISTAS uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma história para contar. Há uma manta de retalhos, uma avó com boa ENTR DA GR ATUITA memória e muitos netos de ouvido atento. À noite, ao deitar, nãoAsão precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enredos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição Planeta Tangerina I N STA L A Ç Ã O DA S 11 H0 0 À S 2H0 0 J OANA CASTRO, E M A N U E L DE S O U SA F OYE R S AU D I T ÓR I O S • R I VOL I

Romeu Costa é formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver, DA NÇ A ⁄ T E AT RO ⁄ M Ú S I CA ⁄ L I T E R AT U R A paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e direção de projetos artísticos com jovens não-atores e investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente, coordena os projetos artísticos do concurso “Marato-

DA S 11 H0 0 À S 1 3 H0 0 ELI SA B E TH L A M B E C K ⁄ M ARTA BE RNA R DE S ⁄ N U N O P RE TO ⁄ S O N O SC O P I A V Á R I O S E S PA Ç O S • R I VOL I

na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona o curso de Comunicação de Ciência na Escola Doutoral da Universidade Nova de Lisboa.

DA NÇA ⁄ T E AT RO ⁄ M Ú S I CA ⁄ L I T E R AT U R A DA S 1 5 H0 0 À S 1 7 H0 0 AN T ÓN IO JÚ L I O ⁄ DRU M M I N G GP ⁄ J O C L É C I O A Z E VE DO ⁄ VA LTE R H U GO M Ã E V Á R I O S E S PA Ç O S • R I VOL I

EXPOSIÇÃO DE SÁB 21 JA N A S E X 24 M A R INAUG UR A Ç Ã O: S Á B 21 JA N ⁄ 1 7 H3 0 NUNO COELHO ⁄ 5º CAD E R N O – E N SA I O S O B RE O S ARQ U I VO S DO R I VO L I F OY E R 3 º P I S O • R I VOL I

M Ú S I CA 1 8 H3 0 JOA NA G A M A , LU Í S F E R NA N DE S & R I CA RDO JAC I N TO ⁄ HARMONIES C OP ROD U Ç Ã O AU D I T ÓR I O I AC • R I VOL I

DA N Ç A 21 H3 0 M A RC O DA SI LVA F E R R E I R A ⁄ B ROTH E R E ST R E I A G R A N D E AU D I T ÓR I O M O • R I VOLI

M Ú S I CA 23 H3 0 TI AGO P E RE I R A , GRU P O DE P E RC U S SÃ O DE VA L H E L H AS & SE N SI B L E S O C C E R S S U B- PA LC O & CA FÉ - C ON C E RTO • R I VO LI

FE STA 0 0 H0 0 M VR I A DJ SE T PA S S O S M A N U E L

KINO

⁄ Sonoscopia, Drumming Grupo de Percussão, Joana Gama com Luís MOe Ricardo STR Jacinto A DEe um CINEMA DEproposto E XPRE Fernandes inusitado concerto pela S SÃO ALEMÃ Matéria Prima, que junta Tiago Pereira com o Grupo de Percussão de Valhelhas e os Sensible Soccers, fazem com que, no aniversário, a música tenha um papel preponderante. A KINO –está Mostra de Cinema detodo Expressão Alemã, já naimaginados sua 14ª edição, A dança presente durante o dia, com projetos por apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas Elisabeth Lambeck e por Joclécio Azevedo que, para esta ocasião, se salas de cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do faz acompanhar pela Orquestra da Faculdade de Engenharia da UniPorto, apresentando no Teatro Rivoliespectáculo e no Cinemado Passos Manuel. Esta versidade do Porto (FEUP). O novo coreógrafo Marco mostra cinema, com a duração dehorário quatronobre dias, abre este anoAuditócom o da Silvade Ferreira é apresentado em no Grande mais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, rio, em estreia mundial, fazendo jus ao acompanhamento que o Teatro Meu Amor”), filme que narra, num contextoartista. extremamente Municipal do um Porto tem feito a este promissor No teatro,atual, Nunoa viagem de uma jovem mulher ao Japão – e a busca de si mesma. Preto, um dos intérpretes do Teatro da Palmilha Dentada, apresentaEsta um procura existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vánovo trabalho para toda a família e António Júlio uma nova criação. A rios temastambém que marcam o programa deste ano que, a par dospalavras grandes literatura faz parte desta festa através da voz e das nomes, dáBernardes a conhecer novamente de Marta e Valter Hugofilmes Mãe. de jovens realizadores e que, também do ponto de vista geográfico, oferece um olhar para um quadro mais alargado.de Joana Castro e Emanuel de Sousa transitam da Duas instalações

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

cena – de onde as pudemos ver na temporada passada – para os foa programação disponível em www.goethe.de/portugal/kino yers dos Toda auditórios, transformando-os através do som e da luz. E porque este aniversário traz com ele a memória do Teatro emblemático da cidade e dos seus 85 anos de história, convidamos o designer e investigador Nuno Coelho a “mergulhar” nos arquivos do Rivoli, propiciando uma exposição que revela o que raramente se vê. Guardem este sábado para o Rivoli, vamos celebrar o Teatro da cidade. The anniversary of the Rivoli (opened on 20th Jan-

Marco da Silva Ferreira will have its world premiere

uary 1932) will be commemorated with a 15-hour

during the prime time slot at the Grand Auditorium,

party, featuring a non-stop programme, that will give

in keeping with Teatro Municipal do Porto’s support

the public the opportunity to discover new work,

for this promising performer. In theatre, Nuno Preto,

much of which created by the city’s own performers

one of the members of the Teatro da Palmilha Den-

and staged for the first time. With seven shows (four

tada, will present a new play for all the family, while

for a younger audience), four concerts, two instal-

António Júlio will stage a new show. Literature will

lations, an exhibition and a party at the end of the

also feature through the voice and words of Marta

night, it will be possible to move freely around the

Bernardes and Valter Hugo Mãe.

Rivoli and visit all nine of the different venues used

Two installations by Joana Castro and Emanuel de

in the programme for the current season.

Sousa will transfer from the stage – where they were

Sonoscopia, Drumming Grupo de Percussão, Joa-

shown last season – to the foyers of the auditoriums,

na Gama with Luís Fernandes and Ricardo Jacinto,

transformed by the effect of sound and light. And be-

and a surprising concert proposed by Matéria Pri-

cause this anniversary brings with it the memory of

ma that combines Tiago Pereira with the Grupo de

the city’s emblematic theatre and its 85 years of histo-

Percussão de Valhelhas and Sensible Soccers ensure

ry, we have invited the designer and researcher Nuno

that music plays a central role during the anniver-

Coelho to “dive” into the Rivoli’s archives and organise

sary celebrations.

an exhibition that reveals what is rarely seen.

Dance also features throughout the day, with projects

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D U LTO S 5,0 0 E U R • M /6

created by Elisabeth Lambeck and Joclécio Azevedo,

Set Saturday aside for Rivoli, so we can celebrate

who, for this occasion, will be accompanied by the

the city’s theatre. AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I

Orchestra of the Faculty of Engineering, University of Porto (FEUP). The new show by choreographer

3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

1 E X P O SIÇÃ O, 1 FE STA

CI NE Comemoramos o aniversário do Rivoli (20 de janeiro deMA1932) com uma A DOM 2 9 JA N nonfesta que dura quinze horas e que, atravésDE deQUA uma26programação -stop, dá ao público a oportunidade de descobrir novas criações, grande parte delas em estreia e imaginadas por artistas da nossa cidade. Com sete espetáculos (quatro deles para os mais novos), quatro concertos, duas instalações, uma exposição e uma festa no final da noite, vamos poder circular livremente pelo Rivoli percorrendo nove diferentes espaços, cruzando as diferentes áreas de programação presentes na temporada.


12

J OA NA CAST RO ⁄ PA R A DISUM FOYE R DO AUDI TÓ RI O I AC • RI VO LI

I N STA L A Ç ÕE S T E AT RO SÁ B 2 1 JA N ⁄ DAS 11 H 0 0 À S 2 H 0 0 QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

13

A partir do projeto coreográfico “Partículas douradas

ROMEU C O STA

num mundo quase sempre vestido de preto”, estreado em 2015 no Auditório do Teatro Campo Alegre, transporto a instalação criada na peça, para um novo lugar, no foyer do Auditório IAC do Teatro Rivoli, como objecto independente.

⁄ A MANTA

KINO

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

“Paradisum” é uma cidade embalada em plástico, in-

finitamente em construção, amplificando um mundo

que se fabrica cá dentro e lá fora ao mesmo tempo. Observamos e somos observados, como uma repre-

C OP ROD U Ç Ã O

sentação da nossa própria existência, em permanente expansão. Mas no sentido inverso. — Joana Castro

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

E M A N U E L DE S O U SA ⁄ G FOY E R D O G R A N D E AU D I T ÓR I O M O • RI VO LI Na escuridão da vasta blackbox teatral, a coleção de

ST

estruturas parece flutuar livremente no espaço, à deriva, distantes das fachadas, despregadas das paredes, despojadas do texto e da imagem que lhes daria

AM

AM

under construction, amplifying a world that is manu-

sentido, na impossibilidade de narrar à posteriori a

factured in here and out there at the same time. We

Romeu Costa é formado pela Escola Superior de

própria impotência de anunciar um evento passado,

Toda a programação disponívelofem www.goethe.de/portugal/kino observe and we are observed, as a representation

Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver,

presente, futuro. A instalação é parte integrante do

our very existence, in permanent expansion. But in

paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e

dispositivo cenográfico da produção “GH” da Ponto

the opposite direction. — Joana Castro

direção de projetos artísticos com jovens não-atores e

Teatro, em coprodução com o TMP, que estreou no

investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro

Teatro Campo Alegre, em abril de 2016.

Joana Castro (1988). After completing the dance

Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente,

course at Balleteatro Escola Profissional in 2006, she

coordena os projetos artísticos do concurso “Marato-

Emanuel de Sousa nasceu em Espinho, em 1980.

attended the PEPCC (Choreographic Study, Research

na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona

Arquiteto, cenógrafo e encenador, desenvolve pesqui-

and Creation Programme) course at Fórum Dança in

o curso de Comunicação de Ciência na Escola Dou-

sa em torno de práticas espaciais críticas, cruzando

2008. As co-creator and/or performer she has worked

toral da Universidade Nova de Lisboa.

os campos disciplinares da arte, arquitetura e das

on pieces with Né Barros, Victor Hugo Pontes, Ana

artes performativas. Fundador e diretor artístico da

Borralho and João Galante, Flávio Rodrigues, Joa-

Ponto Teatro desde 2011.

na Providência and Joclécio Azevedo, among others.

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

INSTAL ATIO NS SAT 2 1 ST JAN ⁄ FROM 11 AM TO 2 AM In the darkness of vast theatrical blackbox, the collection of structures appears to float freely in the space, drifting, far from façades, disconnected from walls, stripped of the text and images that would give them meaning, in the impossibility of narrating a posteriori the very powerlessness of announcing a past, present, future event. Emanuel de Sousa was born in Espinho, in 1980. An architect, set designer and theatre director, he crossing the disciplinary fields of art, architecture and performance arts. Founder and artistic director of Ponto Teatro since 2011.

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D U LTO S 5,0 0 E U R • M /6

Imagens © Direitos Reservados

has developed research on critical spatial practices,

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

“Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta um pedaço de uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma história para contar. Há uma manta de retalhos, uma avó com boa memória e muitos netos de ouvido atento. À noite, ao deitar, não são precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enredos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição Planeta Tangerina

A KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã, já na sua 14ª edição, apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas Joana Castro (1988) concluiu o curso em dança no salas de cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do Balleteatro Escola Profissional em 2006, em 2008 frePorto,o curso apresentando Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta quenta PEPCC do Fórumno Dança e em 2013 o DanceWeb Schoolarship Program. Como cocriadora mostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o e/ou performer tem colaborado em peças de Né Barmais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, ros, Victor Hugo Pontes, Ana Borralho e João GaMeu Amor”), um filme que narra, num contexto extremamente atual, a lante, Flávio Rodrigues, Joana Providência, Joclécio viagementre deoutros. umaDesde jovem mulher ao Japão – e a busca de si mesma. Esta Azevedo, 2009 que desenvolve oprocura seu próprioexistencial, trabalho. nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vários temas que marcam o programa deste ano que, a par dos grandes nomes, dáSAT a conhecer novamente filmes de jovens realizadores e que, INSTA L ATIONS 2 1 JA N ⁄ F RO M 11 TO 2 também do ponto de vista geográfico, oferece um olhar para um qua“Paradisum” a city packaged in plastic, infinitely dro maisisalargado.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 201 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

Conceção, banda sonora, desenho de luz e instalação Joana Castro Colaboração e assistência técnica Fábio Ferreira Agradecimentos F. Ribeiro e Sonoscopia


14

DA N Ç A ⁄ T E AT RO ⁄ M Ú S I CA ⁄ L I T E R AT U R A T E AT RO SÁ B 2 1 JA N ⁄ DAS 11 H 0 0 À S 1 3 H 0 0 QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

ROMEU C O STA ⁄ A MANTA C OP ROD U Ç Ã O

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

chegarem tarde à festa de aniversário.

LI TE R ATUR A MA RTA BERNA RDE S ⁄ E ST ÓRIAS DO P Ó CAFÉ - C O NCE RTO 3 º PI S O • RI VO LI

Eu sou vizinho de mil histórias que, tal como eu, fo-

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

ram ficando... bem perto. Testemunhas e testemu-

trada na exploração das muitas ideias de Tempo.

“Estórias do Pó” é uma experiência-oficina em ambiente cénico, pensada para crianças e famílias, cen-

nhos de que o meu corpo é bem mais que uma pedra.

A partir de um texto-colagem criado pelos partici-

Quero que me aprendas e me contes, que me contes

MÚSI CA pantes, uma plataforma de desenho em tempo real é S ONO SC OP IA disponibilizada para que possam, em conjunto, expe⁄ rimentar um pequeno momento de improvisação que DAS–GMostra AVE TAS NASC EM S ONSde Expressão inclui a narrativa, o desenho e a composição sonora. A KINO de Cinema Alemã, já na sua 14ª edição, - PALC O • RI LI apresentaSUBem 2017 asVOmais recentes produções de língua alemã nas

como fui ficando. Como fomos ficando. – Nuno Preto Criação e Interpretação Nuno Preto Duração aprox. 20 mins

Textos e Desenho Marta Bernardes

/ Músicavez, em Tempo Real cidade Pedro Mourado salas de cinema portuguesas e passa,Sonoplastia mais uma pela Um pequeno armário encontrou um outro armário, e Duração aprox. 20 mins Porto, apresentando no Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta juntaram-se. Logo depois encontraram outros dois... E o que acham que aconteceu? Pois! E assim conmostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o tinuaram. Como qualquer armário, também estes Marta Bernardes (1983, Porto) licenciou-se em Pinmais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, gostavam de guardar coisas, mas neste caso coisas tura pela FBAUP em 2006 onde leccionou entre 2010 Meu Amor”), um filme que narra, nume 2012. contexto extremamente atual, a muito especiais: sons. “Das Gavetas Nascem Sons” é Desde 2005 apresenta-se regularmente ao púviagem de uma jovem mulher ao Japão – e acombusca si mesma. Esta um objeto/instrumento musical coletivo que surgiu blico tanto trabalhode plástico e audiovisual, como aprocura convite da “Casa das Brincadeiras”, um dos projecom peças de pendor performativo-teatral, poético existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vátos do festival Manobras no Porto, que decorreu em musical. Apresentou obra em Portugal, Espanha, rios temas que marcam o programa eItália, deste ano que, a par dos grandes 2012 e 2013. Tunísia, França, Brazil, Marrocos e Canadá. nomes, dá a conhecer novamente filmes de jovens realizadores e que, Conceção Henrique Fernandes,de Casa das Brincadeiras também do ponto vista geográfico, oferece um olhar para um quaApoio à montagem e construção Sandra Neves L ITER ATURE SAT 2 1 JA N ⁄ 11 dro mais alargado. e Emanuel Santos

Nuno Preto nasceu em 1981 e formou-se na Escola Artística Soares dos Reis, no curso de cerâmica. É nessa altura membro fundador do grupo de artes circenses, Círculo de Fogo. Tirou o Curso de Teatro na vertente de interpretação na ESMAE. Membro fundador do Mau Artista, onde colaborou como ator, encenador e dramaturgo. Trabalha regularmente como professor convidado na ESMAE e FEUP. Desde 2011 que faz parte da companhia Teatro da Palmilha Dentada, com a qual tem vindo a realizar várias produções como ator.

Coreografia Elisabeth Lambeck Intérpretes Diana Vieira, Francisco Pinho, Joana Couto/Liliana Oliveira Duração aprox. 20 mins

ST

THE ATR E SAT 2 1 ST JAN ⁄ 11 AM

AM

Monitor Henrique Fernandes e Patrícia Caveiro Produção executiva Patrícia Caveiro “Estórias do pó” is a workshop-experience on a staProdução Sonoscopia disponível em www.goethe.de/portugal/kino Toda a programação ge, designed for children and families, focusing on Duração aprox. 20 mins

Romeu Costa é formado pela Escola Superior de Elisabeth Lambeck trabalha como bailarina profis-

I am the neighbour of a thousand stories that, like

Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver, sional desde 2000, logo após concluir o Curso Supe-

myself, end up ... close by. Witnesses and evidence

paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e rior de Dança na Fontys Hogescholen, Tilburg (NL).

that my body is much more than a stone. I want you

direção de projetos artísticos com jovens não-atores e Desde 2000 trabalhou com Carte Blanche, Dance-

to learn me and tell me, to tell me how I have ended

A Sonoscopia é uma associação/plataforma de cria-

of real-time drawing is made available so that they

investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro theatre of Nurnberg e Conny Janssen Danst, assim

up. How we have ended up. – Nuno Preto

ção, produção e promoção de projetos artísticos e

can, together, experience a brief moment of impro-

educativos. Centra-se essencialmente nas áreas da

visation that includes narrative, drawing and sound composition.

exploration of the many ideas of Time. Based on a text-collage created by the participants, a platform

Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente, como com os coreógrafos Sharon Eyal, Stijn Celis, coordena os projetos artísticos do concurso “Marato- Jorma Elo, Conny Janssen, Daniela Kurz, Rui Horta

Nuno Preto was born in 1981 and studied cerami-

música experimental, improvisada e electroacusti-

na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona e outros Atualmente é professora de Dança Contem-

cs at Escola Artística Soares dos Reis. He studied

cada, na exploração e investigação sonora e no seu

o curso de Comunicação de Ciência na Escola Dou- porânea no Ginasiano Escola de Dança em Gaia e en-

theatre (performance) at ESMAE. He was a founding

cruzamento interdisciplinar com a literatura, a dan-

Marta Bernardes (1983, Porto) has a degree in Pain-

toral da Universidade Nova de Lisboa.

quanto coreógrafa esta finalizar a sua nova criação

member of Mau Artista, with which he worked as an

ça, o teatro e as artes visuais.

ting from FBAUP (2006) where she taught from 2010

“Harmida” para a Companhia KALE.

actor, director and playwright. He regularly works as

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

to 2012. Since 2005 she has regularly performed with

a visiting lecturer at ESMAE and FEUP.

both artistic and audiovisual work, and with theatriM USIC SAT 2 1 ST JA N ⁄ 11 AM

cal-performance, poetry and musical works.

DANCE SAT 2 1 ST JAN ⁄ 11 AM A small cupboard met another cupboard, and they got together. Immediately afterwards they met two

party. During their travel they loose track of time and

others ... And what do you think happened? Exactly!

space while being distracted by their imaginary wor-

And so it continued. Like all cupboards, these also

lds that are provoked by everything that has to do

liked to keep THINGS, but in this case very special

with birth, birthdays and birthday parties.

things: sounds.

Elisabeth Lambeck began her career as a professio-

Sonoscopia is an association/platform for the crea-

nal dancer in 2000, immediately after completing a

tion, production and promotion of artistic and edu-

degree in dance at Fontys Hogescholen, Tilburg (NL).

cational projects. It focuses mainly on the areas of

She currently teaches Contemporary Dance at the

experimental, improvised and electro-acoustic mu-

Ginasiano Escola de Dança in Gaia and as a choreo-

sic, on sound exploitation and research and on their

grapher is completing her new creation HARMIDA

intersecting with literature, dance, theatre and the

for the Company KALE.

visual arts.

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D UELTO R •I TA M /6• M /6 N TRS A5,0 DA 0GERUATU

Imagens © Direitos Reservados

Three friends on their way to the 85th year birthday

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma Três amigos deslocam-se para a festa do 85º Aniverhistória para contar. Há uma mantasário. deDurante retalhos, uma avó com boa a viagem, perdem a noção do tempo e espaço enquanto se distraem com os seus memória e muitos netos de ouvido atento. À noite, ao deitar, nãomundos são imaginários, provocados pelas recordações de nasciprecisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enmentos e festas de aniversário. Com o apoio do públiredos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição co, flutuam entre a realidade e a fantasia, mas têm Planeta Tangerina que prestar atenção ao tempo que passa para não

KINO

T E AT RO N U N O P RE TO ⁄ F O M O S F I CA N DO E ST R E I A SA L A D E FU M O 2º P I S O • R I VOLI

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 201 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

DA N Ç A EL I SA B E TH L A M B E C K ⁄ DI STR A Í DO “Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta E ST R E um I A pedaço de 5 º P I S O • R I VOL I uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem

15


16

DA N Ç A ⁄ T E AT RO ⁄ M Ú S I CA ⁄ L I T E R AT U R A T E AT RO SÁ B 2 1 JA N ⁄ DAS 1 5 H 0 0 À S 1 7H 0 0 QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

ROMEU C O STA ⁄ A MANTA C OP ROD U Ç Ã O

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

(FEUP) entre maio e novembro de 2016. Nesta re-

KINO

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

Este programa trata da natureza, não só poeticaHá um homem sozinho numa sala em frente a uma

mente, como muitas das músicas a que estamos ha-

cortina. Está vestido para uma festa e segura balões.

bituados, mas também de uma forma realista. Esta

Está tranquilo, à espera, e sorri: vai tudo correr bem.

pequena mostra de programa explora sonoridades inauditas e imprevistas: uma voz espalhada e me-

Criação e interpretação António Júlio Texto Raquel S. Imagem Nuno Matos Apoio Teatro do Bolhão Duração aprox. 20 mins

tamorfoseada no espaço e mimada por um performer, um quarteto de marimbas recriando pássaros

A KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã, já na sua 14ª edição, apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas Interpretação André Dias, João Tiago Dias, Bernat, Pedro Góis salas de Miquel cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do Duração aprox. 20 mins Porto, apresentando no Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta mostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o Vocacionado para a música contemporânea e de pormais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, tas abertas a todos os mundos sonoros, o Drumming Meu Amor”), um filme que narra, num contexto extremamente atual, a Grupo de Percussão afirma-se como um dos mais viagem de umadojovem ao Japão – e a busca de si mesma. Esta importantes coletivos género amulher nível internacional. Fundado e dirigido por Miquel Bernat, o grupo procura existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos váconstituiu-se em 1999. rios temas que marcam o programa deste ano que, a par dos grandes LI TE R ATUR A nomes, dá a conhecer novamente filmes de jovens e que, VA LT ERrealizadores HUGO MÃ E USIC ponto SAT 2 1 de JA N vista ⁄3 ⁄ tambémMdo geográfico, oferece um olhar para um quaINT IMIDA DE dro mais alargado.

e sons do bosque…

António Júlio (Gaia, 1977) é intérprete e encenador e desenvolve o seu trabalho a partir da cidade do Porto. É diretor do curso de Interpretação na ACE Escola de Artes, e professor da mesma disciplina. Iniciou o seu trabalho como intérprete em 1999 e desde então tem participado em projetos de teatro, dança e performance. Trabalha como encenador desde 2004.

THE ATR E SAT 2 1 ST JAN ⁄ 3 PM

sidência pensam-se as ligações e as relações entre o laboratório e a performance, indagando a função da

There is a man alone in a room in front of a curtain.

técnica como instrumento, examinando procedimen-

He is dressed for a party and holding balloons. He is

tos de observação e experimentando ferramentas de

calm, waiting, and smiling: everything will be fine.

ST

PM

This programme deals with nature, not only poeti-

WC H O ME NS PI S O 0 • RI VO LI

cally like much of the music we are used to hearing,

escrita performativa.

Romeu Costa é formado pela Escola Superior de

António Júlio (Gaia, 1977) is a performer and direc-

a programação disponível www.goethe.de/portugal/kino such as most Toda of Beethoven’s “Pastoral”, but also inem O escritor Valter Hugo Mãe vai “instalar-se” num es-

Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver, Coreografia, sonoplastia e interpretação Joclécio Azevedo

tor; he works based in the city of Porto. He is the direc-

a realistic manner.

paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e

tor of the Performance course at ACE Escola das Ar-

Participação e interpretação Orquestra Clássica da FEUP Direção José Eduardo Gomes direção de projetos artísticos com jovens não-atores e Duração aprox. 20 mins

paço inusitado do Rivoli – o W.C. de Homens do piso zero. Aí, qual sala de visitas improvisada, receberá

tes, and teaches the same subject. He began working

Focusing on contemporary music and open to all sou-

os seus leitores, rodeado de alguns objetos pessoais

investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro

as a performer in 1999 and since then has taken part

nd worlds, Drumming Grupo de Percussão is one

reveladores. Um momento de histórias desconcer-

Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente, Joclécio Azevedo nasceu no Brasil, em 1969. Vive no

in theatre, dance and performance projects.

of the most important collective of its type in the

tantes, no seu jeito intensamente livre.

coordena os projetos artísticos do concurso “Marato- Porto desde 1990. Os seus trabalhos atravessam dife-

world. Founded and directed by Miquel Bernat, the

na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona rentes disciplinas artísticas, tendo-se dedicado mais

group was set up in 1999.

Valter Hugo Mãe é um dos mais destacados autores

o curso de Comunicação de Ciência na Escola Dou- intensamente à criação coreográfica a partir de 1999.

portugueses da atualidade. A sua obra está traduzida

toral da Universidade Nova de Lisboa.

Tem participado regularmente em projetos de criação

em variadíssimas línguas, merecendo um prestigia-

e investigação, desenvolvendo colaborações e inte-

do acolhimento em países como o Brasil, a Alema-

grando residências artísticas em diversos contextos.

nha, a Espanha, a França ou a Croácia. Publicou já

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

sete romances. DANCE SAT 2 1 ST JAN ⁄ 3 PM L ITER ATURE SAT 2 1 ST JA N ⁄ 3 P M This presentation is both sound installation and perThe writer Valter Hugo Mãe will “install himself” in

space on the 5th floor of Teatro Rivoli. It began to be

an unusual space in the Rivoli – the ground floor WC.

constructed during the artistic residency “A circula-

There, as if in an improvised visiting room, he will

ção das técnicas (micro coreografias em laboratório)”,

receive his readers, surrounded by some revealing

developed at the Faculty of Engineering of Porto Uni-

personal objects. A moment of disconcerting stories,

versity from May to November 2016.

in his intensely free manner.

Joclécio Azevedo was born in Brazil, in 1969. He

Valter Hugo Mãe is one of the most important Portu-

has lived in Porto since 1990. His work crosses over

guese authors of the present day. His work has been

various different artistic fields, having focused more

translated into many different languages and has

intensely on choreographic creation since 1999.

been very well received in countries such as Brazil,

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D UELTO U R •I TA M /6• M /1 2 NTRSA 5,0 DA 0G RE ATU

Imagens © Direitos Reservados

formance, having been designed specifically for the

Germany, Spain, France and Croatia. He has published seven novels.

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma Esta apresentação desdobra-se enquanto instalação história para contar. Há uma mantasonora de eretalhos, avópensada comespecifiboa performance,uma tendo sido espaço do piso do Teatro memória e muitos netos de ouvido camente atento.para À onoite, ao5ºdeitar, nãoRivoli. são Este trabalho começou a ser construído durante a precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enresidência artística “A circulação das técnicas (miredos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição cro coreografias em laboratório)”, desenvolvida na Planeta Tangerina Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

MÚSI CA DRUMMING GRUP O DE P ERC US SÃ O ⁄ DRUMMING MA RIMBA QUA RT E T SUB - PALC O • RI VO LI

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 201 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

DA N Ç A J O C L É C I O A Z E VE DO ⁄ EN SA I O C O M O RQ U E STR A “Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta pedaço de E ST R E Ium A 5 º P I S O • R I VOL I uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem

T E AT RO A N TÓ N I O JÚ L I O ⁄ F E STA PA R A U M E ST R E I A CA FÉ - C ON C E RTO 3 º P I S O • R I VOLI

17


18

EXPOSIÇÃO T E AT RO DE SÁ B 2 1 JA N A SE X 24 M A R QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0I NAU 0 ( SE GU S SÕ R A EÇSÃ OE SC SÁOBL2A1RE JAS) N ⁄ 1 7H 3 0 S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

ROMEU C O STA NUNO C OELHO

Nuno Coelho é designer, docente na Universidade de Coimbra (UC) e investigador no CEIS20. Doutorado em Arte Contemporânea pela UC, Master em Design e Produção Gráfica pela Universidade de Barcelona e

⁄ ⁄ MANTA — ENSAIO S OBRE 5ºA CADERNO O S ARQUIVO S DO RIVOLI

19

KINO

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

Licenciado em Design de Comunicação/ Arte Gráfica pela Universidade do Porto. Desenvolve regularmente projetos autorais na interseção entre o Design e

a Arte, levantando questões, na sua maioria, sobre

C OP ROD U Ç Ã O

temáticas sociais e políticas. Tem igualmente explorado questões de identidade e memória através da exploração de arquivos de marcas comerciais históricas portuguesas. Realizou trabalhos de curadoria

A KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã, já na sua 14ª edição, apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas salas de cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do Porto, apresentando no Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta mostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o mais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, Meu Amor”), um filme que narra, num contexto extremamente atual, a viagem de uma jovem mulher ao Japão – e a busca de si mesma. Esta procura existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vários temas que marcam o programa deste ano que, a par dos grandes nomes, dá a conhecer novamente filmes de jovens realizadores e que, também do ponto de vista geográfico, oferece um olhar para um quadro mais alargado.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

“Nos livros aos quadradinhos, cadaComo quadrado conta um pedaço de qualquer atividade, o trabalho de produção e de gestão de um uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem equipamento cultural deixa vestígios físicos, vestígios estes que se acunada assim parecido, cada quadradinho (deno tecido) tem também se uma mulam que normalmente designa como arquivo ou depósito, ou história para contar. Há uma mantasimplesmente de retalhos, uma avó com boa como arrumos ou arrecadações. “5º Caderno – Ensaio memória e muitos netos de ouvido atento. À arquivos noite, ao do deitar, nãoé um sãoprojeto que partiu à procura das vásobre os Rivoli” precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enrias dependências onde se encontram depositados os vestígios físicos redos que lá moram, para a sessão começar...” —deste em Ateatro Manta,que, edição da atividade pela sua natureza, pareciam irremediaPlaneta Tangerina velmente remetidos para a periferia e para o silêncio. Não confinando a sua investigação ao espaço físico do Rivoli, o projeto procurou identificar e integrar outros vestígios que se encontram depositados noutros locais. O projeto materializa-se em dois momentos – uma exposição e uma publicação – em que o primeiro propõe dar visibilidade a determinados objetos agora transportados para a centralidade do Foyer do 3º Romeu Costa é formado pela Escola Superior de Piso, dando ênfase a narrativas normalmente invisíveis para o público; Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver, paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e e em que o segundo não pretende ser um mero registo da exposição, direção de projetos artísticos com jovens não-atores e antes pretende tornar público um fragmento do arquivo deste teatro. investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro Em resultado de uma leitura subjetiva e autoral, o projeto pretende enGil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente, coordena os projetos artísticos do concurso “Marato- saiar possíveis novas leituras do que é, ou do que poderá ser, o arquivo na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona do Rivoli. — Nuno Coelho

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

Toda a programação disponível em www.goethe.de/portugal/kino E X HIB ITION SAT 2 1 ST JA N ⁄ 5 :30 P M Like any activity, the production and management of a cultural centre leave physical traces that gather in what is normally known as the archives or repository, or simply storage. “Essay on the expanded ar-

o curso de Comunicação de Ciência na Escola Dou-

chives of the Rivoli” is a project based on the search

toral da Universidade Nova de Lisboa.

for the different rooms where the physical traces this theatre’s activity are deposited and which, due to their nature, appear irremediably set aside and silenced. — Nuno Coelho Nuno Coelho is a designer, teacher at Coimbra University and researcher at CEIS20. PhD in Contem-

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LEFGOY R EE R 3 º P I S O • R I VO LI CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D U LTO S 5,0 0 ELIU VR R•EM• /6M /3 E NTR A DA

Imagens © Nuno Coelho

Autoria (conceito da investigação, exposição e publicação) Nuno Coelho • Assistência de produção Ana Rita Chibante • Apoio no desenho da exposição Pedro Treno

porary Art from Coimbra University, MA in Design and Graphics from Barcelona University and degree in Communication Design/Graphic Art from Porto University. He regularly develops authorial projects in the intersection between design and art, raising questions mostly on social and political issues.

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

e é autor de dois livros.


20

M Ú S I CA T E AT RO SÁ B 2 1 JA N ⁄ 1 8H 3 0 QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

ROMEU C O STA JOANA G AMA , ⁄ LUÍS FERNANDE S A MANTA & RICARDO JACINTO

21

KINO

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

⁄ HARMONIE S

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

“Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta um pedaço de uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma C OP ROD U Ç Ã O história para contar. Há uma manta de retalhos, uma avó com boa memória e muitos netos de ouvido atento. À noite, ao deitar, não são precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enredos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição Planeta Tangerina Passados quatro anos de 100 Cage - celebração que juntou vários músicos num fim de tarde no Teatro Maria Matos, e na qual os três participaram individualmente – Joana Gama, Luís Fernandes e Ricardo Jacinto juntam-se em trio, para mais uma celebração: os 150 anos do nascimento de Erik Satie. E a relação é simples: pelo seu pensamento descomprometido e inusitado, Satie abriu caminho a John Cage Romeu Costa é formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver, que, por sua vez, dignificou o valor do som pelo som. Sob o nome de paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e “Harmonies” – título de um conjunto de estudos harmónicos da autoria direção de projetos artísticos com jovens não-atores e de Satie – e da mesma forma que a música original deste espetáculo investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro se baseia em fragmentos da mú- Joana Gama (Braga, 1983) é pianista. Para além Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente, da atividade a solo, nos últimos anos - como pianiscoordena os projetos artísticos do concurso “Marato- sica do compositor, estendeu-se ta, compositora e performer - tem estado envolvida na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona este procedimento de apropriao curso de Comunicação de Ciência na Escola Doução às ruínas de outros materiais em projetos que aliam a música às áreas da dança, do teatro, do cinema e da fotografia. toral da Universidade Nova de Lisboa. que sempre orbitaram a sua música, nomeadamente os exercícios Luís Fernandes (Braga, 1981) é músico, artista socaligráficos e as instruções que noro e programador cultural. Fundador da banda peiacompanham as suas partituras. xe : avião, mentor do projeto The Astroboy e Land-

M USIC SAT 2 1 ST JA N ⁄ 6:30 P M

Toda a programação disponível em www.goethe.de/portugal/kino Four years after 100 Cage – a celebration that brought together various musicians in the late afternoon Piano Joana Gama • Eletrónica Luís Fernandes • Violoncelo e eletrónica Ricardo Jacinto • Composição Joana Gama, Luís Fernandes e Ricardo Jacinto • Cenografia Ricardo Jacinto • Desenho de luz Side Effects • Desenho de som Suse Ribeiro • Coprodução Teatro Municipal do Porto, Maria Matos Teatro Municipal, Convento de São Francisco e Theatro Circo • Apoio Roadcrew e Elise Derochefort Luthier • Duração aprox. 50 mins.

forms, membro do coletivo La La La Ressonance e dos duos Palmer Eldritch e Quest.

Ricardo Jacinto (Lisboa, 1975). Músico e artista

at Maria Matos Teatro Municipal, and in which the three participated individually – Joana Gama, Luís Fernandes and Ricardo Jacinto appear as a trio for a new celebration: the 150th anniversary of the birth of Erik Satie. And the connection is simple: through his independent and unusual thinking, Satie pre-

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

pared the ground for John Cage who, in turn, dignified the value of the sound for sound’s sake. Joana Gama (Braga, 1983) is a pianist. In addition to her solo work, in recent years – as a pianist, composer and performer - she has been involved in projects that combine music with the areas of dance, theatre, film and photography. Luís Fernandes (Braga, 1981) is a musician, sound

plástico, concentrando-se principalmente na relação

artist and cultural programmer. Founder of the band

entre som e espaço. Desde 1998 tem apresentado o

peixe : avião, mentor of The Astroboy and Landforms

seu trabalho em exposições e concertos em Portugal,

projects, member of the La La La Ressonance col-

Europa e América do Sul. Como violoncelista tem

lective and of the duos Palmer Eldritch and Quest.

trabalhado essencialmente no campo da música exRicardo Jacinto (Lisbon, 1975). Musician and art-

perimental e improvisada.

ist, concentrating mainly on the relationship between sound and space. Since 1998 he has presented his work at exhibitions and concerts in Portugal,

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LEAU G RDEI TÓ R I O I AC • R I VO LI CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D UELTO R •I TA M /6• M /6 N TRS A5,0 DA 0GERUATU

Imagem © Eduardo Brito

Europe and South America. As a cellist he has worked essentially in the field of experimental and improvised music.

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

A KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã, já na sua 14ª edição, apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas salas de cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do Porto, apresentando no Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta mostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o mais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, Meu Amor”), um filme que narra, num contexto extremamente atual, a viagem de uma jovem mulher ao Japão – e a busca de si mesma. Esta procura existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vários temas que marcam o programa deste ano que, a par dos grandes nomes, dá a conhecer novamente filmes de jovens realizadores e que, também do ponto de vista geográfico, oferece um olhar para um quadro mais alargado.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 201 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

C OP ROD U Ç Ã O


22

DA N Ç A T E AT RO SÁ B 2 1 JA N ⁄ 2 1 H 3 0 QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

ROMEU C O STA MARC DA SILVA ⁄ FERREIR A A MANTA C OP ROD U Ç Ã O

KINO

“Brother” é uma criação para seis intérpretes que estabelece uma relação de complementaridade com o anterior trabalho “Hu(r)mano”. Em ambos, o foco é a dança existente em contexto de grupo, mas descolam-se uma da outra nas referências temporais e nos processos de composição. “Brother” compõe-se através do mimetismo constante entre os intérpretes que é gerador de movimento, comportamentos e padrões. Desenvolve-se vocabulário não-verbal que se regenera e se transforma ao longo do tempo através de compromissos ou desbloqueadores que individualmente cada um manifesta. “Brother” é também um incómodo “bother”, uma tentativa de pulsar comum, uma sensação de pertença e afecto, um eco de forças externas e, no funA KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã, já na sua 14ª edição, do, uma assumida fragilidade pela constatação de perda e finitude. apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas salas de cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do Porto, apresentando no Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta mostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o DA NC E SAT 2 1 JA N ⁄ 9:30 mais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, Meu Amor”), um filme que narra, num“Brother” contexto extremamente atual, a is a creation for six performers that estabviagem de uma jovem mulher ao Japão a buscaof de si mesma.with Esta lishes–a e relationship complementarity the previous work “Hu(r)mano”. In both works, the foprocura existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vácus is dance existing in a group context, but they rios temas que marcam o programapart deste ano que, a par dos grandes company in time references and in processes of nomes, dá a conhecer novamente filmes de jovens e que, composition. “Brother”realizadores is constructed through constant mimicry between the performers, generating também do ponto de vista geográfico, oferece um olhar para um quamovement, behaviours and patterns. dro mais alargado.

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

⁄ BROTHER E ST R E I A

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

ST

Shechter, Sylvia Rijmer, Tiago Guedes, Victor Hugo Pontes, Paulo Ribeiro, entre outros. Como coreógrafo estreou-se em 2012 com “Nevoeiro 21” e, desde então, apresentou vários espetáculos, sendo que o seu último trabalho, “Hu(r)mano” (2014) recebeu o

PM

Marco da Silva Ferreira worked with choreogra-

prémio de “Jovem Criador Português 2015”.

Toda a programação disponível em www.goethe.de/portugal/kino phers such as André Mesquita, Hofesh

Romeu Costa é formado pela Escola Superior de

Shechter,

Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver,

Sylvia Rijmer, Tiago Guedes, Victor Hugo Pontes,

paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e

Paulo Ribeiro, among others. As a choreographer

direção de projetos artísticos com jovens não-atores e

he made his debut in 2012 with “Nevoeiro 21” and,

investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro

since then, he has presented several performances,

Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente,

his last, “Hu(r)mano” (2014) having been given the

coordena os projetos artísticos do concurso “Marato-

“Young Portuguese Creator 2015” award.

na da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona

In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

o curso de Comunicação de Ciência na Escola Dou-

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P OG ARLE A NGDREE AU D I TÓ R I O M O • R I VO LI CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D UELTO R •I TA M /6• M /6 N TRS A5,0 DA 0GERUATU

Imagem © Marco da Silva Ferreira

toral da Universidade Nova de Lisboa.

Direção artística e coreografia Marco da Silva Ferreira • Assistência artística Mara Andrade • Interpretação Anaísa Lopes, Cristina Planas Leitão, Duarte Valadares, Marco da Silva Ferreira, Vítor Fontes, Filipe Cáco, Max Makowski, (Teresa Silva, Elisabeth Lambeck) • Direção Técnica e Desenho de Luz Wilma Moutinho • Música Rui Lima e Sérgio Martins • Produção executiva Célia Machado • Produção Pensamento avulso, associação de artes performativas

• Residências O Espaço do Tempo, Centro de Criação de Candoso (Centro Cultural Vila Flor), Les Subsistances – Laboratoire International de Création Artistique • Coprodução Teatro Municipal do Porto, São Luiz Teatro Municipal, Centre Choreographique National de Rillieux-laPape • Duração aprox. 1h

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

“Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta um pedaço de uma história. Neste livro, que não é um livro de banda-desenhada nem nada assim parecido, cada quadradinho (de tecido) tem também uma história para contar. Há uma manta de retalhos, uma avó com boa memória e muitos netos de ouvido atento. À noite, ao deitar, não são precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e enMarco da Silva Ferreira tem formação em fisioteredos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição rapia mas é intérprete de dança desde 2008. TrabaPlaneta Tangerina lhou com coreógrafos como André Mesquita, Hofesh

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 201 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

23


24

M Ú S I CA T E AT RO SÁ B 2 1 JA N ⁄ 2 3 H 3 0 QU I 26 & S E X 2 7 JAN ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S ÁB 28 JA N ⁄ 1 6 H 0 0 & 1 7H 3 0

CI NE MA DE QUA 26 A DOM 2 9 JA N

ROMEU C O STA UNDERSTAGE

KINO

⁄ ⁄ A TIAGO MANTAPEREIR A , GRUPO DE PERCUS SÃO DE VALHELHAS & SENSIBLE S OCCERS

⁄ MO STR A DE CINEMA DE E XPRE S SÃO ALEMÃ

C OP ROD U Ç Ã O

A KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã, já na sua 14ª edição, apresenta em 2017 as mais recentes produções de língua alemã nas salas de cinema portuguesas e passa, mais uma vez, pela cidade do Porto, apresentando no Teatro Rivoli e no Cinema Passos Manuel. Esta mostra de cinema, com a duração de quatro dias, abre este ano com o mais recente filme de Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima” (“Fukushima, Meu Amor”), um filme que narra, num contexto extremamente atual, a viagem de uma jovem mulher ao Japão – e a busca de si mesma. Esta procura existencial, nas suas diversas vertentes, é apenas um dos vários temas que marcam o programa deste ano que, a par dos grandes nomes, dá a conhecer novamente filmes de jovens realizadores e que, também do ponto de vista geográfico, oferece um olhar para um quadro mais alargado.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

“Nos livros aos quadradinhos, cada quadrado conta um pedaço de uma história. Neste livro, que não é um livroPereira de banda-desenhada nem António Arroio e formou-se em DeTiago estudou na Escola nada assim parecido, cada quadradinho tecido) tem também uma de Belas Artes de Lisboa, desensign (de de Comunicação na Faculdade história para contar. Há uma mantavolvendo de retalhos, uma avó com boana área do teatro, música e pedagoem paralelo formação memória e muitos netos de ouvido atento. noite, ao deitar, são na área da percussão tradicional gia. EmÀ1997 iniciou o seunão percurso precisos livros: basta à avó olhar a manta e todas as personagens e portuguesa, criando um gostoenmuito forte por esta área, ao qual deu redos que lá moram, para a sessão começar...” — em A Manta, edição continuidade nos projetos de música portuguesa em que toca atualPlaneta Tangerina mente, como Roncos do Diabo e Ai!. O Grupo de Percussão de Valhelhas é um projeto comunitário que nasceu em Valhelhas, no concelho da Guarda. Diferentes gerações reúnemse em volta de um gosto comum, a percussão tradicional. Entre bombos e caixas, seguindo a melodia da gaita-de-fole, o grupo apresenta um espetáculo de fusão rítmica e sonoridades que remetem o público para Romeu Costa é formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e tem vindo a desenvolver, um ambiente de festa popular, em que todos estão convidados a bailar. paralelamente ao trabalho de ator, a coordenação e Os Sensible Soccers embalam-nos com a música “Sofrendo Por Você” direção de projetos artísticos com jovens não-atores e numa versão de cerca de 20 minutos, acompanhados pelo Grupo de investigadores. Para a Culturgest, cocriou com Pedro Percussão de Valhelhas. Gil o espetáculo “Enquanto Vivermos”. Atualmente,

C INEM A FRO M W E D 26 TH TO S U N 2 9 TH JAN In 2017 KINO – German Film Festival, now in its 14th year, is presenting the latest German-language productions in Portuguese cinemas and once again visiting the city of Porto, at Teatro Rivoli and Cinema Passos Manuel. This film festival, which lasts four days, opens this year with the latest film by Doris Dörrie, “Grüße aus Fukushima”, a film that narrates, in an extremely topical context, the journey of a young woman to Japan – and her search for herself. Further information avalable at www.goethe.de/portugal/kino

Toda a programação disponível em www.goethe.de/portugal/kino

MUSIC SAT 2 1 ST JAN ⁄ 11:30 PM

coordena os projetos artísticos do concurso “Maratona da Saúde” para a Fundação Gulbenkian e leciona o curso de Comunicação de Ciência na Escola Dou-

Tiago Pereira studied at Escola António Arroio and

toral da Universidade Nova de Lisboa.

has a degree in Communication Design from the Fac-

Q UA 26 ⁄ 21 H 3 0 SE S SÃO DE AB E RTUR A

ulty of Fine Arts of Lisbon. He has also studied the-

GRÜS SE AUS FUKUSHIMA DO RI S DÖ RRI E ( DE ) ⁄ ALE MANH A • 20 1 6 • 1 0 9 ’ FAL ADO E M ALE MÃO LE GE NDADO E M PO RTUGUÊ S

atre, music and teaching. In 1997 he began his career in the area of traditional Portuguese percussion, gaining extensive interest in this field. The Grupo de Percussão de Valhelhas is a community project that was set up in Valhelhas, in the municipality of Guarda. Among drums and tambourines, following the melody of the bagpipes, the group presents performances of rhythmic fusion and sounds that remind audiences of the atmosphere of popular feast days, where everybody is invited to dance. Sensible Soccers envelop us with the song “Sofrendo por Você” in a version that lasts around 20 minutes, accompanied by the Grupo de Percussão de Valhelhas.

PALC O D O AU D I TÓ R I O S• UCA P OLCAOLE&G CA R E F É - C O NC E RTO 3 º P I S O • R I VO LI B -MPA CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D UELTO U R •I TA M /6• M /1 2 NTRSA 5,0 DA 0G RE ATU

Imagem © Daniel José

Músicos Francisco Castro, Luís Gonçalvs, Frederico Teixeira, Fernanda Pinto, João Teixeira, Soraia Pinheiro, Adilia Antunes, Paulo Carvalho, Filipe Tavares, António Antunes, Tiago Carvalho Pereira, Leonel Pires, Diana Caramelo, João Santos, Marco Silva, Tiago Pereira (Grupo de Percussão de Valhelhas), Sensible Soccers, Tiago Pereira

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 3,5 0 E UR P OR S E S S Ã O • M /12

APOIO:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

E M PA RC E R I A C OM M AT É R I A P R I M A


26

27

T E AT RO S E X 2 7 JA N ⁄ 2 1 H 3 0 S Á B 28 JA N ⁄ 1 9 H 0 0

TÓNAN QUITO

THE ATRE F RI 2 7 TH ⁄ 9: 3 0 PM & SAT 28 TH JAN ⁄ 7 PM In “An Enemy of the People” (1882), Henrik Ibsen directly and crudely exposed the collision between

⁄ UM INIMIGO DO POVO

the individual and the collective; the breakdown of a man who discovers a truth and, when confronted by the town, realises that, manipulated by the press and by the authorities, it prefers live the lie. Family arguments, corruption, political manipulation, popular assembles and stonings, all this happens when the water in the health baths (the town’s source of

Em “Um Inimigo do Povo” (1882), o autor Henrik Ibsen expõe de uma forma direta e crua a colisão do indivíduo com o coletivo; a rutura de um homem que descobre uma verdade e, confrontando-a com a cidade apercebe-se de que esta, manipulada pela imprensa e pelo poder, prefere viver na mentira. Discussões familiares, corrupção, manipulação política, assembleias populares e apedrejamentos, tudo isto acontece quando o Dr. Stockmann, no início da peça, descobre que as águas da estância balnear (fonte de receitas da cidade) estão infetadas. No fim descobre também que a própria cidade está podre, e mesmo sendo expulso insiste em ficar para “educar” a sociedade; acreditando que, um dia, os cidadãos podem vir a ser melhores: como indivíduos e como coletivo. Será que isso é possível? Será que cada cidadão é livre na democracia em que participa? Quem tem o poder?

income) is contaminated.

PAR ALELO

Tónan Quito was born in 1976. He has a degree in

PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PE RFO RMATI VAS

atro e Cinema. He began his career as an actor in 4º Período – O do Prazer, directed by António Fonseca. In 2003 he founded Truta, where he works regularly

Q UA 25 JAN ⁄ DAS 1 8 H 3 0 ÀS 20 H 3 0 WORKSHOP C O M TO NAN Q UI TO

as an actor and where he has directed several shows.

Em “Um Inimigo do Povo” (1882), o autor Henrik Ibsen expõe de uma forma direta e crua a colisão do indivíduo com o coletivo; a rutura de um homem que descobre uma verdade e, confrontando-a com a cidade apercebe-se de que esta, manipulada pela imprensa e pelo poder, prefere viver na mentira. Partido destes temas, este workshop pretende focar-se nas relações pessoais, usando o texto da peça e as dinâmicas pessoais de cada ator como instrumentos de trabalho para a construção de uma cena. • The workshop takes these themes and focuses on personal relationships, using the script and the personal dynamics of each actor as tools with which to construct a scene. Destinatários Profissionais ou estudantes de teatro com idade superior a 16 anos. Nº Máximo de inscrições 16

Tónan Quito é licenciado pela ESTC. Começou o seu

Inscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt

percurso como actor no “4º Período – O do Prazer”,

Gratuito mediante apresentação de bilhete para o espetáculo

com António Fonseca. Trabalhou com Luís Miguel

“Um Inimigo do Povo”

Cintra, Lúcia Sigalho, Paula Diogo, Nuno Cardoso,

Tiago Rodrigues, Jorge Andrade, Patrícia Portela,

Q UI 26 JAN ⁄ DAS 11 H 0 0 ÀS 1 2H 0 0 ENC ONT RO DE T ÓNA N QUITO C OM A LUNO S DA E SMA E

Pedro Gil, Giacomo Scalisi, Gonçalo Waddington, entre outros. Foi cofundador da Truta Associação Cultural e dirigiu “Ivanov”, de A. Tchekov, “Histórias

do Bosque de Viena”, de Horváth, e “Anatol”, de

SE X 2 7 JAN C ONVERSA P ÓS- E SP E T Á C ULO C O M MANUE L PI Z ARRO

A. Schnitzler. Fundou a HomemBala em 2015 e dirigiu “Um Inimigo do Povo”, de H. Ibsen, e “Ricardo III”, de W. Shakespeare. No cinema participou em filmes de Miguel Angél Vivas, Inês Oliveira, Jorge

Médico e Vereador da Câmara Municipal do Porto

Silva Melo, Simão Cayatte, Jacinto Lucas Pires e

Manuel Mozos.

SE X 2 7 & SÁB 28 EU TA MBÉM VOU! NÃO S O U MANI PUL ADO Dos 5 aos 10 anos • 2€ por criança Monitor Ricardo Barbosa Serviço de babysitting performativo mediante marcação prévia.

Imagens © Alípio Padilha

A atividade começa 15 minutos antes do início

G R AN DE AU D I TÓ R I O M O • R I VO LI 7,5 0 E U R • M /1 2

Actor/Director Training from Escola Superior de Te-

do espetáculo e termina após o mesmo. Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

Autor Henrik Ibsen • Direção artística Tónan Quito • Interpretação Filipa Matta, Isabel Abreu, João Pedro Vaz, Miguel Loureiro, Pedro Gil e Tónan Quito • Cenografia F. Ribeiro • Desenho de luz Daniel Worm • Figurinos José António Tenente • Assistência de direção Simão Pamplona

• Produção executiva HomemBala • Coprodução São Luiz Teatro Municipal e Teatro Viriato • Residências O Espaço do Tempo, Teatro Viriato e Espaço Alkantara • Apoio às residências Truta • Duração aprox. 2h30 c/ intervalo

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

Dr. Stockmann, at the start of the play, discovers that


28

M Ú S I CA S Á B 28 JA N ⁄ 1 7H 0 0

29

DANÇA SÁ B 28 JA N ⁄ 2 1H30

FR ANCISC O PINHO, JOÃO DINIS PINHO & DINIS SANTO S ⁄ NEM A PRÓPRIA RUÍNA

“Nem a Própria Ruína” é um espetáculo de dança criado com base em “10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte”, uma obra de rock progressivo e instrumental de 1978, composta por José Cid. Para além de banda sonora, também a narrativa desta obra é conceptualizada como ponto de partida, uma redenção pós-apocalíptica. A história recente tem sublinhado a perigosidade humana, a sua destruição do planeta e possível extinção. Toda a evolução que a espécie protagonizou e assistiu parece então destinada a um desaparecimento total, não deixando ninguém para a recontar. Num futuro distante restará um universo imenso, possivelmente em expansão, cujo tudo e nada a nossa compreensão nunca perceberá.

L AUR A QUARE SMA ⁄ NOVO S TALENTO S

PA RC E RIA C O M C U R S O D E M Ú S I CA S I LVA M ON T E I RO

DAN C E SAT 28 TH JAN ⁄ 9: 3 0 PM “Nem a Própria Ruína” is a dance performance based on “10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte”, a progressive and instrumental rock work from 1978, composed by José Cid. Besides the soundtrack, the narrative of this work is also conceptualised as a starting point, a post-apocalyptic redemption. Recent history has stressed the harmfulness of humans, their destruction of the planet and possible extinction. Francisco Pinho, João Dinis Pinho and Dinis Santos were born in 1994 and have been involved in the world of dance from an early age. In 2004 they were

Francisco Pinho, João Dinis Pinho e Dinis San-

formances that they have given together throughout

tos nasceram em 1994 e desde cedo se envolveram

their years at the Ginasiano. After this course, they

Laura Quaresma concluded the 8th level of the Com-

com o mundo da dança. Em 2004 participaram no

followed different paths within and outside Portu-

plementary Piano Course at the Academia de Músi-

“Quebra-Nozes”, o primeiro de muitos espetáculos

gal, always remaining in contact and imagining co-

ca de Lagos with the highest possible grade. She is

que fazem juntos ao longo do percurso vocacional

operation, materialised in this show.

currently studying music at the University of Aveiro.

no Ginasiano. Após este curso seguiram diferentes

She has taken part in several national and interna-

percursos dentro e fora de Portugal, sempre man-

tional piano competitions and has received various

tendo contacto e imaginando uma colaboração, que

awards in her short career. She gave her first recit-

se concretiza neste espetáculo.

al at the age of 8.

Criação, interpretação, figurino, texto e desenho de luz: Francisco Pinho, João Dinis Pinho e Dinis Santos • Música José Cid • Duração aprox. 45 mins

Imagem © Direitos Reservados

CAFÉ- C O NC E RTO 3 º P I S O • R I VO LI P R EÇ O Ú NI C O 5,0 0 E U R • M /6

involved in the “Nutcracker”, the first of many perMUSIC SAT 2 8 TH JAN ⁄ 5 PM

Imagem © Direitos Reservados

Laura Quaresma concluiu o Curso Complementar de Piano, em 8º grau, na Academia de Música de Lagos com a classificação máxima. Frequenta atualmente o curso superior de Música, na Universidade de Aveiro. Tem participado em vários concursos nacionais e internacionais de piano e recebido várias distinções ao longo da sua curta carreira. Realizou o seu primeiro recital aos 8 anos. Foi, com 10 anos, a única aluna convidada a participar na primeira Gala Algarve 2007, a favor do Programa Regional de Desporto Adaptado, e que reuniu os melhores instrumentistas de música erudita do Algarve. Em 2009, com treze anos, estreou como solista, e com a Orquestra do Algarve, o concerto para Piano e Orquestra, do compositor Cristóvão Silva, obra escrita propositadamente para si. Tem realizado inúmeras apresentações públicas como solista.

S A L A-E ST ÚDIO • CA M P O A L E GRE 5,00 E UR • M /6

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

E STRE I A ⁄ C O PRO DUÇÃO • PALC O S I NSTÁV E I S ⁄ C O MPANH I A I NSTÁV E L


30

31

CINEMA T E R 31 JA N ⁄ 2 2 H 0 0

TE ATRO SE X 3 FEV ⁄ 15H00 & 16H00 (SE S SÕE S E SC OL A RE S) SÁ B 4 FEV ⁄ 16H00

DECRE SCENTE

ANTÓNIO JORGE GONÇALVE S

⁄ SAGUENAIL

⁄ A MONTANHA

A NT E ST REIA NO Â MB ITO DA RET RO SPET I VA S OBR E A OBR A C I N E M ATOG R Á FI CA D E SAG U E NA I L ,

Estamos em guerra. Todos os dias rebentam bombas. Por toda a parte. O atentado terrorista é imparável. O inimigo é invisível. E contudo as armas são as mesmas. Há interesses comuns. E o comum denominador é financeiro. O jogo das alianças negoceia-se e modifica-se constantemente no tabuleiro de xadrez mundial. As ações no terreno seguem o curso das ações na Bolsa. Há vítimas mas os danos são todos colaterais. É preciso porventura reconstruir a geografia à medida que se reescreve a História. E pensar que toda a janela é espelho, toda a imagem reflexo. Oito personagens simbólicas que representam metaforicamente algumas das forças que dominam o mundo contemporâneo – grandes blocos: EUA, Rússia, Europa, Terceiro Mundo; grandes sectores de atividade: Armamento, Recursos Energéticos, Finanças, Burocracia; oposições ideológicas: Passado Tradicionalista, Juventude Revoltada, Oportunismo Cínico, Desencanto Conformista – jogam uma partida de xadrez verbal durante a qual talvez se decida um futuro próximo.

“De tanto dizer ‘NÃO’ um dia Céu perdeu a cabeça”. É este o ponto de partida que vai levar esta menina de cinco anos numa viagem surpreendente pelas encostas íngremes até ao coração da montanha em busca da cabeça perdida. Lá, onde só uma palavra mágica a pode ajudar a dar um sentido a tudo o que lhe aconteceu. Depois de “Barriga da Baleia” (que teve longa digressão pelo país), o artista visual António Jorge Gonçalves e a atriz Ana Brandão voltam a dar corpo a uma estória de contorno clássico, com o sabor das narrativas tradicionais, que nos inspira na superação das dificuldades pela persistência e pela amizade.

T H E AT R E SAT 4 TH FE B ⁄ 4 PM “De tanto dizer ‘NÃO’ um dia Céu perdeu a cabeça” [“The Sky said ‘NO’ so many times that one day it lost its head”]. This is the starting point leading a 5 year old girl on a surprising journey up and down steep slopes to the heart of the mountains in search of the lost head. There, where only a magic word can help her to find the meaning in everything that is happening. António Jorge Gonçalves studied Graphic Design at the Fine Arts School in Lisbon (1989) and has an MA in Theatre Design from the Slade School of Fine Art in London (1999), where he had a Calouste Gulbenkian Foundation grant. He has taught at IADE and

António Jorge Gonçalves licenciou-se em Design

RESTART. His work covers drawing, photography,

Gráfico pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa

music and public art.

(1989) e fez Mestrado em Theatre Design na Slade School of Fine Art em Londres (1999), onde foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Lecionou no IADE e na RESTART. O seu trabalho abrange desenho, fotografia, música e arte pública. A narração CINEMA TUE 31 ST JAN ⁄ 10 PM

por imagens é o seu território favorito: desde 1978 que publica banda desenhada em jornais, revistas e fanzines em Portugal, Espanha, França e Itália.

War rages all around. Every day, bombs explode. Everywhere. The terrorist attacks are unceasing. The enemy is invisible. But nevertheless the weapons are the same. There are common interests. And the common denominator is money. The game of alliances is negotiated and changes constantly on the global chessboard. Events on the ground follow the

Autoria António Jorge Gonçalves • Interpretação Ana Brandão, António Jorge Gonçalves, Nuno Pratas • Coprodução Maria Matos Teatro Municipal, Centro de Artes de Ovar, Teatro Virgínia e Culturproject • Duração aprox 30 mins.

course of events on the stock market. There are victims but the damage is only collateral. Geography

P O RT U G A L , 20 1 6, FI C Ç Ã O, 5 6 ’ AU D I TÓ R I O I AC • R I VO LI P R EÇ O Ú NI C O 3,0 0 E U R • M /1 2

Imagem © Direitos Reservados

must be rebuilt as history is rewritten.

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I C RIA N Ç A S E GRUP OS E S C OL A RE S 2,00 E UR • A DULTOS 5,00 E UR • M /3

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 201 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

O RG A NIZ A DA P E LO C I N E C LU BE D O P ORTO


32

33

M Ú S I CA SE X 3 F E V ⁄ 2 1 H 3 0

CI NE MA DE DOM 5 A DOM 12 FEV

DRUMMING GRUPO DE PERCUS SÃO

INDIEJÚNIOR ALLIANZ

⁄ FE STIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA INFANTIL E JUVENIL DO PORTO

A relação de Portugal com o mar é de incontornável importância: tem vindo a definir social, cultural e estrategicamente o país, marcando e definindo a sua longa história. Atualmente, com os avanços técnicos e científicos, descobriram-se benefícios que o mar pode proporcionar e que representam novas oportunidades e relações que com ele devemos construir e proteger: o mar é uma importante fonte de energia, de combustíveis fosseis e de alimentos que não podemos ignorar. Além desta importância estratégica, a presença do mar tem, também, uma forte influência na nossa cultura e são inúmeras as manifestações artísticas que ao longo de séculos de história refletiram a nossa vivência marítima desde o manuelino a Fernando Pessoa, desde a gastronomia às artes plásticas…e à música. Assim, o Drumming Grupo de Percussão convida a uma viagem sonora pelos univerDrumming Grupo de Percussão surgiu em 1999 sos dos compositores Viet Cuong, do primeiro curso superior de percussão aberto em José Manuel Lopez Lopez, Antó- Portugal, cinco anos antes, pela Escola Superior de nio Chagas Rosa, Isabel Soveral e Música e Artes do Espetáculo do Porto, com o apoio do Instituto Politécnico e da Escola Profissional de Fernando Villanueva.

P ROG R AMA

THE ATR E FRI 3 RD FEB ⁄ 9:30 PM

O IndieJúnior Allianz - Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil do Porto é realizado em parceria com a Câmara Municipal do Porto e terá lugar de 5 a 12 de Fevereiro, no Teatro Rivoli, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett e no Cinema Trindade. Um projeto pensado de raiz para a cidade do Porto e que visa contribuir para a formação estético-cultural das crianças e dos jovens através da valorização do cinema enquanto experiência artística e lúdica. São seis dias para ver mais de 50 filmes de todo o mundo, destinados a crianças e a adolescentes, segmentados em programas para famílias, escolas e público em geral. Tendo em conta o público a que se destina, o festival engloba na programação filmes de animação, ficção e documentários. A programação é composta por uma competição internacional com curtas e longas metragens, um foco sobre o trabalho de dois realizadores vistos em perspetiva, uma secção dedicada a grande clássicos de filmes sobre a infância/adolescência e uma secção dedicada aos primeiros filmes vistos por diversas personalidades.

The Portugal’s relationship with the sea is of indisputable importance: it has defined the country socially, culturally and strategically, marking and defining its long history. Currently, with technical and scientific advances, benefits that the sea can provide have been discovered, representing new opportunities and relationships that we should build and protect: the sea is an important source of energy, of fossil fuels and of food that we cannot ignore. For this reason, Drumming Grupo de Percussão invites us on a sound journey through the worlds of the composers Viet Cuong, José Manuel Lopez Lopez, António Chagas Rosa, Isabel Soveral and Fernando Villanueva. Drumming Grupo de Percussão emerged in 1999 from the first percussion degree course taught in Portugal, five years earlier, at the Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, with the support of the Instituto Politécnico and Escola

Música de Espinho. Sob direção de Miquel Bernat,

Profissional de Música de Espinho. Directed by Mi-

percussionista e pedagogo de prestígio internacional,

quel Bernat, a percussionist and teacher of interna-

o agrupamento, formado por alunos e professores,

tional prestige, the group, formed by students and

destaca no seu currículo dezenas de atuações em to-

teachers, has given dozens of performances in all the

das as principais salas do país e também no estran-

major concert halls in the country, as well as abroad.

C INEMA FRO M S U N 5 TH TO S U N 1 2 TH FE B Indiejúnior Allianz – Porto International Children’s and Youth Film Festival is held in partnership with Porto City Council from 7 to 12 February, at Teatro Rivoli, Biblioteca Municipal Almeida Garrett and Cinema Trindade. This is a project designed specifically for the city of Porto and aims to contribute to the aesthetic and cultural formation of children and young people, through appreciation of film as an artistic and fun experience, according to the festival directors. There will be six days to see more than 50 films from all over the world, designed for children and adolescents, divided into programmes for families, schools and the general public. Further information avalable at

Mais informação disponível em www.indiejunior.com

geiro. Foi grupo residente da programação musical da “Porto 2001, Capital Europeia da Cultura”. O Drum-

HA IKUS DE L MAR J O SÉ MANUEL L Ó P EZ L Ó P E Z

ming é uma estrutura apoiada pela Direcção Geral das Artes e em residência no Teatro Campo Alegre, no âmbito do programa Teatro em Campo Aberto.

WAT ER, WINE , BR AN DY, BR IN E VIET CUO NG

SE A MINIAT URE ( INT ERL ÚDIO EL ECTRÓNIC O ) FERNA NDO VILL A NUE VA

• Desenho de Luz Emanuel Pereira • Vídeo Miguel C. Tavares • Produção Drumming Grupo de percussão • Projecto apoiado pelo SEC / Direcção-Geral das Artes • Duraçao aprox 1h10

MA RE S ANTÓNIO CHAG A S RO SA AUD I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E 7,5 0 E U R • M /6

Imagem © David Penela

YEMAYA ´S S ON G A NTÓNIO CHAG A S RO SA

Direção Miquel Bernat • Percussão Miquel Bernat, Rui Rodrigues, João Tiago Dias, Pedro Oliveira, Saulo Giovannini, João Miguel Braga Simões • Desenho de Som Süse Ribeiro

Imagem © Susana Neves

O DR AGÃ O WATAT S U M ISAB EL S OV E R A L

T E AT RO RIVOL I • B IB L IOT E CA M UN IC IPA L A L M E IDA G A RRET T • C IN E M A T RIN DADE

www.indiejunior.com

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 201 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

⁄ MARE S


34

35

T E AT RO SEX 10 FEV ⁄ 21H30 SÁ B 11 F E V ⁄ 1 9 H 0 0

ANA ROCHA ⁄ O CÃO DANADO

“Stabat Mater Furiosa – Oratória Para Uma Voz” é uma obra artística que cruza fundamentalmente a criação teatral e as práticas de movimento. É uma criação para palco que tem como fundamento a tradução máxima da significação da figura materna, de origem, que se reflete como raiz das unidades de organização social humanas. A mulher como entidade congregadora de todo o potencial de criação, alicerce, génese, construção, sustentação e destruição, e reinvenção de um lugar que transporta o ulterior e primordial significado de proteção e desprendimento naquilo que é a sua presença incontornável nos princípios da humanidade e dos seus valores. Stabat Mater Dolorosa que se traduz numa ode quase de homenagem à figura de Maria no momento da crucificação de Cristo em contraponto com Stabat Mater Speciosa que se prende à glorificação da criação na imagem do nascimento do filho.

⁄ STABAT MATER FURIO SA — OR ATÓRIA PAR A UMA VOZ E ST R E I A ⁄ C OP ROD U Ç Ã O

THE ATRE F RI 1 0 TH ⁄ 9: 3 0 PM & SAT 11 TH FE B ⁄ 7 PM “Stabat Mater Furiosa – Oratorio for One Voice” is an artistic work that primarily combines theatrical creation and movement practices. It is a creation for the stage that is based on the maximum reflection of the meaning of original mother figure, reflected as the root of units of human social organisation. Stabat Mater Furiosa reflected in an ode that is almost a tribute to the figure of Mary at the time of the crucifixion of Christ, in contrast to

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

ation in the image of the birth of her son.

ne associação desde 2009. Coreógrafa, performer e mediadora de artes performativas. Iniciou o seu per-

Ana Rocha (1982, Porto). Co-director of the Mezza-

curso em 2001, na produção de artes visuais, tendo

nine associação since 2009. Choreographer, perform-

até à data cruzado outras disciplinas artísticas acom-

er, and performance arts mediator. Began her career

panhando criações, desenvolvido programação e for-

in 2001 in the field of visual arts production, since

mação. Bolseira InovArt 2010 no Uferstudios Ber-

when she has interwoven other art forms into her

lin e DanceWeb – Impulstanz 2012. Tem colaborado

creations and worked in programming and training.

como performer ou cocriadora em projetos de artes

Awarded an InovArt 2010 grant to work at Uferstu-

performativas e dança contemporânea desde 2006.

dios Berlin and DanceWeb – Impulstanz 2012. Has collaborated as a performer and co-creator on pro-

O Cão Danado é uma associação cultural sem fins

jects within the performance arts and contemporary

lucrativos criada em 2001. É uma estrutura de cria-

dance since 2006.

ção e de produção de artes, desenvolvendo o seu trabalho não só na área das Artes Performativas, mas

O Cão Danado is a structure for the creation and

também nas áreas das artes visuais, da música, do

production of art, developing work not only in per-

cinema e da formação.

forming arts, but also in music, visual arts, cinema and teaching.

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E 7,5 0 E U R • M /1 2

Imagem © Direitos Reservados

Texto Jean-Pierre Siméon • Tradução Olinda Gil • Cedência especial Artistas Unidos • Agradecimentos especiais Jorge Silva Melo e Maria João Luís • Direção artística Ana Rocha • Cocriação e interpretação Sara Barbosa • Desenho de Luz Rui Monteiro • Sonoplastia Pedro Augusto • Espaço e Elementos Cénicos André Guedes • Produção O Cão Danado Companhia • Coprodução O Cão Danado Companhia e Teatro Municipal do Porto • Apoio Direção Geral das Artes e Ministério da Cultura • Duração aprox. 1h

PAR ALELO PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PE RFO RMATIVAS

SE X 1 0 FE V C ONVERSA P ÓS- E SP E T Á C ULO C O M LUÍ SA A Z E VEDO Investigadora do i3s e professora da Faculdade de Ciências da U. Porto. Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

Stabat Mater Speciosa related to glorification of creAna Rocha (1982, Porto). Codirectora da Mezzani-


36

37

DA N Ç A S Á B 11 F E V ⁄ 2 1 H 3 0

LI TE R ATUR A QUI 16 FEV ⁄ 22H00

FLÁVIO RODRIGUE S & MARIANA AMORIM + MICKAELL A DANTAS

QUINTAS DE LEITUR A ⁄ O PENSAMENTO OPERÁRIO

⁄ CABR AS + FR ANKENSTEIN_3R15

CABRAS • “Cabras” é um projeto performance criado em colaboração entre Mariana Amorim e Flávio Rodrigues. Tendo como ponto de partida a ideia de manifesto e voz coletiva, a proposta elaborada surge da necessidade de, em conjunto, criar um possível coro. Falamos em voz alta para que nos oiçam e dançamos em uníssono para que a força se mantenha. A resistência, a persistência e a continuidade são também mote de pesquisa. Se “Karma is a bitch” onde é que nos colocamos? Onde ficamos? E onde estamos? Emigramos? Viajamos? Transitamos de estado em estado em busca ou em fuga do mundo que nos foi impingido. — Flávio Rodrigues & Mariana Amorim FRANKENSTEIN_3R15 • Uma criatura constrói outra criatura. O primeiro torna-se criador, o segundo torna-se monstro. O criador sente-se monstro pelo ser que criou. O monstro sente-se humano pelas suas descobertas. Ambos se arrependem da existência de seus corpos. Há possibilidade de reinventar um corpo. Em que lugar estamos no laboratório? Espetáculo livremente inspirado na obra de Mary Shelley. — Mickaella Dantas

DANCE SAT 11 TH FEB ⁄ 9:30 PM CABRAS • “Cabras” is a performance project created as a collaboration between Mariana Amorim and Flávio Rodrigues. Based on the idea of a manifesto and collective voice, the proposal derives from the need to create, in conjunction, a possible choir. We talk aloud for people to listen to us and we dance in unison for strength to be maintained. Resistance, persistence and continuity are also rallying cries. FRANKENSTEIN_3R15 • One creature constructs another creature. The first becomes the creator, the second becomes the monster. The creator feels like a monster because of the being they have created. The regret the existence of their bodies. Flávio Rodrigues and Mariana Amorim have accompanied each other’s work since 2008 and, having already worked together, this is their first joint

Frankenstein - Investigação sobre corpos biomecânicos”.

Mickaella Dantas é bailarina e criadora. Atualmente dedica-se ao projeto de sua autoria “Experimento Frankenstein – Investigação sobre corpos biomecânicos”.

S AL A- E STÚ D I O • CA M P O A LE G R E 5,0 0 E U R • M /6

Imagem © Alex Gozblau

dois sonhadores sediados no Porto e adoram viajar.

• Produção MDantas • Residências Artísticas Contagiarte, Companhia Instável, Teatro de Ferro • Agradecimentos Teatro de Ferro, Ana Dora Borges, Tony Oliveira • Duração aprox. 25 min

Imagem © Direitos Reservados

Frankenstein_3R15: Criação Mickaella Dantas em colaboração com João Paulo Marques • Interpretação Mickaella Dantas e João Paulo Marques • Desenho e Fotografia João Paulo Marques • Paisagem Sonora Artur Pispalhas • Orientação Artística Clara Andermatt

gumas colaborações, esta é a primeira em criação. São

taguarda na curva interior da estrada”. This was the poetic world that inspired Alex Gozblau to construct the image for the session. The guest poet will con-

Uma sessão gizada em torno de João Habitualmente e do seu mais recente livro “Poemas físicos da frente para a retaguarda na curva interior da estrada”. Foi neste universo poético que Alex Gozblau se inspirou para construir a imagem da sessão. O poeta convidado conversará com o letrista e escritor Carlos Tê. Sandra Salomé, Isaque Ferreira e Rui Spranger asseguram as leituras da sessão. Num momento de novo circo, Alexandre Duarte irá surpreender-nos com um número de tecido acrobático. A noite fecha com a presença e o ritmo fulgurante de B Fachada, figura cimeira da canção lusófona contemporânea. Um mini-concerto que se adivinha esmagador, com letras certeiras e desarmantes.

currently working on her own project “Experimento

o trabalho um do outro desde 2008, e contando já al-

his latest book “Poemas físicos da frente para a re-

verse with the song-writer and author Carlos Tê. San-

Mickaella Dantas is a dancer and creator; she is

Flávio Rodrigues e Mariana Amorim acompanham

A session focused around João Habitualmente and

creation. They are two dreamers based in Porto who love to travel.

Cabras: Direção, coreografia e interpretação Flávio Rodrigues e Mariana Amorim • Duração aprox. 25 mins

L IT E R AT U R E T H U 1 6 TH FE B ⁄ 1 0 PM

João Habitualmente Carlos Tê Sandra Salomé Isaque Ferreira Rui Spranger Alexandre Duarte B Fachada Alex Gozblau

monster feels human through its discoveries. Both

AUDIT ÓRIO • CA M P O A L E GRE 7,5 0 E UR • M /12

dra Salomé, Isaque Ferreira and Rui Spranger will provide readings during the session. In a new circus moment, Alexandre Duarte will surprise us with an aerial dance number. The evening will end with the presence and the brilliant rhythm of B Fachada, a key figure in Portuguese-language contemporary song.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

E ST RE IA ⁄ C O P RO DUÇ Ã O • PA LC O S I N ST Á V E I S ⁄ C OM PA N HI A I N ST Á V E L


38

DA N Ç A SE X 1 7 F E V ⁄ 2 1 H 3 0

39

PAR ALELO PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PE RFO RMATI VAS

C OMPANHIA INSTÁVEL

Direção Artística Laurence Yadi e Nicolas Cantillon • Assistência artística Daniela Cruz • Intérpretes Melissa Ugolíni, Marie Khatib-Shahidi, Sérgio Noé Quintela e Rosana Ribeiro • Música Maurice Louca • Diretor Técnico Ricardo Alves • Estagiários à criação Ana Isabel Castro, Carlota Rodrigues e Maria Soares • Coprodução Teatro Municipal do Porto, Culturgest • Produção Companhia Instável • Duração aprox. 50 min.

C OM C OR EOG R AF IA D E L AU R ENC E YA DI & N I C O L AS CA N TI LLO N ( C I E . 72 73 ) ( C H)

⁄ L A NUIT TOUT LE S CHAT S S ONT GRIS

⁄ Sala de Ensaios • Teatro Rivoli “Tarab” expressa o prazer de dançar no Médio Oriente, em árabe. É obtido através da execução do “Maqam”, um sistema musical vinculado à religião muçulmana, conhecido desde a China até ao Magrebe. • Tarab expresses the groove of the Middle East in Arabic. It is obtained through the execution of the Maqam, a musical system bound to the Muslim religion, known from China to the Maghreb. Número máximo de participantes 20 Inscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt (até 24h de antecedência) Gratuito mediante apresentação de bilhete para o espetáculo “La Nuit Tout Les Chats Sont Gris”

“À noite todos os gatos são pardos” é um provérbio muitas vezes usado em rimas e em histórias infantis. Este provérbio inspira-se, antes de mais, num fenómeno fisiológico: à noite, quando a luz é fraca, os três tipos de cones da nossa retina, que são responsáveis pela visão diurna, não têm sensibilidade suficiente. Os bastonetes, que permitem a visão noturna, substituem-nos, mas só há um tipo que permite distinguir as cores. Assim, todos gatos, seja qual for a sua verdadeira cor, parecem pardos. Sem iluminar os factos não se podem tirar conclusões, porque todas as coisas se assemelham. Deixa de haver belo, ou feio, ou bom ou mau. A peça “La nuit tous les chats sont gris” (À Noite Todos os Gatos são Pardos) procura reinventar a perceção e interpretação do movimento coreográfico numa quase penumbra. Este projeto visa criar uma multitude de sensações perante um ato coreográfico sem narrativa explícita. — Laurence Yadi e Nicolas Cantillon / Cie. 7273

DAN C E FRI 1 7 TH FE B ⁄ 9: 3 0 PM

SE X 1 7 FE V ⁄ DAS 1 9 H 0 0 ÀS 20 H 0 0 AQUEC IMENTO PA R A LELO C O M MARC O DA SI LVA FE RRE I R A

“All cats are grey in the dark” is a proverb often used

erb is inspired, above all, in a physiological phenom-

Sala de Ensaios • Teatro Rivoli

enon: at night, when the light is low, the three types of cones in our retina, responsible for the day vision,

Desde a criação da Cie. 7273 (2003), Laurence Yadi

Neste workshop, convidam-se os espectadores de todas as idades, com

are not sufficiently sensitive. The play “La nuit tous

ou sem experiência, a aprenderem a qualidade do movimento, sensações

les chats sont gris” (All cats are grey in the dark)

ou ideias coreográficas que estão na base de um determinado espetáculo,

seeks to reinvent perception and interpretation of

mesmo antes de o verem. • We invite our audience from any age group,

choreographic movement in semi-darkness. This pro-

with or without experience, to learn the quality of movement, the sen-

ject aims to create a multitude of sensations with re-

sations and choreographic ideas, which are at the base of a given per-

gard to a choreographic act without a clear narrative.

formance, before they even see it.

— Laurence Yadi and Nicolas Cantillon

Marco da Silva Ferreira é intérprete da nova geração da dança portuguesa.

Since the foundation of Compagnie 7273 (2003),

A sua escolha para esta sessão recai no facto de ser dotado de uma quali-

Laurence Yadi and Nicolas Cantillon have creat-

dade de movimento hipnótica e ondulada que continuamente descobre o

ed around twenty choreographic plays, all of which

corpo e da sua constante relação com a sonoridade que intercepta o movi-

have toured internationally (Culturgest presented

mento. • Marco da Silva Ferreira is one of the leading members of the la-

Simple proposition and Climax in 2006 and Ro-

test generation of Portuguese dancers and a talented choreographer with

mance-s in 2011). They regularly organise work-

a hybrid, detailed and rhythmic physicality. He was chosen for this ses-

shops in Switzerland and abroad, and are frequent-

sion due to his hypnotic and undulating movement which continuously

ly invited to give dance classes to young dancers in

discovers the body and his constant relationship with the sonorous quality

professional training.

that intercepts the movement.

e Nicolas Cantillon criaram cerca de vinte peças coInscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt

reográficas, e todas elas tiveram digressões internacionais (a Culturgest apresentou “Simple Proposition”

(até 24h de antecedência)

e “Climax” em 2006 e “Romance-s” em 2011, e o

Gratuito mediante apresentação de bilhete para o espetáculo

Teatro Municipal do Porto apresentou “Tarab” em

“La Nuit Tous Les Chat Sont Gris”

janeiro de 2015). Dirigem regularmente workshops

na Suíça e no estrangeiro, e são frequentemente conção profissional. Receberam o Swiss Prize for Dance

SE X 1 7 FE V C ONVERSA P ÓS- E SP E T Á C ULO C O M B RUNO TE I XE I R A

and Choreography e o prémio da Fondation Lietchi

Fundador do Pazpazes, instrutor de yoga, meditação e musicoterapia

vidados para dar aulas a jovens bailarinos em forma-

for the Arts.

• SE X 1 7 FE V EU TA MBÉM VOU! H Á G ATO S NA SAL A DE E NSAI O S Dos 5 aos 10 anos • 2€ por criança

Imagem © Michel Cavalca

Monitor Joana Espanha

G R AN D E AU D I TÓ R I O M O • R I VO LI 7,5 0 E U R • M /1 2

in nursery rhymes and children’s stories. This prov-

Serviço de babysitting performativo mediante marcação prévia. A atividade começa 15 minutos antes do início do espetáculo e termina após o mesmo. Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

E ST R E I A ⁄ C OP ROD U Ç Ã O

TE R 1 4 FE V ⁄ DAS 1 9 H 0 0 ÀS 21 H 0 0 WORKSHOP C O M L AURE NCE YADI & NI C O L AS CANTI LLO N


40

M Ú S I CA SEX 17 FEV ⁄ 23H00

ZA!

ANTÓNIO OLIVEIR A

( E S PA N H A )

⁄ UNDERSTAGE

⁄ NOVO S TALENTO S

EM PA RC E RI A C OM LOV E R S A N D LOLLY P OP S

PARCE RI A C O M CURS O DE MÚSI CA SI LVA MO NTE I RO

António Oliveira estudou em Portugal, Alemanha e Estados Unidos da América com os professores Sofia Lourenço, Helena Sá e Costa, Laszlo Simon e Luiz de Moura Castro. É professor de piano no Conservatório de Música do Porto. Tem realizado recitais a solo e de música de câmara em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Finlândia, Canadá e Estados Unidos da América. É membro do duo Projecto XXI, com quem gravou 2 cd’s de música portuguesa, e do PORTriO, com quem gravou um cd. Apresentou-se a solo com a Orquestra Clássica da Madeira, com a Orquestra do Norte, com a Fundação Orquestra Estúdio e com a Orquestra Sinfónica da ESART sob a direção dos Maestros Rui Massena, Sandor Gyudi e Miguel Graça Moura. No Verão de 2016 lançou o seu primeiro trabalho a solo, intitulado “Chopin & Liszt”.

Os ZA! são um duo, e são tudo o que pode caber em todas as formações musicais, do jazz, à electrónica, ao rock e com paragens em todos os pontos emissores de frequências, numa mistura a que chamam “post-worldmusic” e onde cabe tudo o que possa ser feito pela espécie humana. Dedicados a essa exploração impossível de conter, a dupla de Barcelona regressa a Portugal ainda com “loloismo” a encher-lhes o peito de fôlego para viagens infindáveis por entre escalas, harmonias e aromas insondáveis.

MUSIC FR I 1 7 TH FEB ⁄ 11 PM

MU S I C SAT 1 8 TH FE B ⁄ 5 PM

ZA! are a duo, and they are everything that suit any

António Oliveira studied in Portugal, Germany and

musical group, from jazz, to electronic, to rock, stop-

the USA with Sofia Lourenço, Helena Sá e Costa,

ping over at all points that issue frequencies, in a

Laszlo Simon and Luiz de Moura Castro. He teach-

mixture that they call “post-world music”, in which

es piano at the Conservatório de Música do Porto.

everything that can be done by humans fits. Dedicat-

He has given solo and chamber music recitals in Por-

ed to this uncontainable exploration, the duo from

tugal, Spain, France, Germany, Finland, Canada and

Barcelona returns to Portugal yet with enough “lolo-

the USA. He is a member of the duo Projecto XXI,

ismo” to fill them with energy for endless journeys

with which he has recorded 2 CDs of Portuguese

through scales, harmonies and unfathomable aromas.

music, and of PORTriO, with which he has record-

Imagem © Direitos Reservados

S U B - PA LC O • R I VO LI 5,0 0 E U R • M /1 2

Imagem © Thomas Gueuens

ed one CD.

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I P RE Ç O ÚN IC O 5,00 E UR • M /6

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

41

MÚSI CA SÁ B 18 FEV ⁄ 1 7H00


CINEMA D E S E G 2 0 F E V A DO M 5 M A R

FANTASPORTO

MARTIM PEDRO S O

⁄ FE STIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DO PORTO

⁄ FILHO S DAS MÃE S C O PRO DUÇÃO

1.

FOC O DE SLOCAÇÕE S

THE ATR E FRI 24 TH & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM “Filhos das Mães” [Mothers’ Children] is the follow-up to “Consegues ver os teus pés?” [Can you see your feet], an original idea by Flavia Gusmão for six pregnant actresses, premièred in Teatro Taborda in May 2014, directed by Martim Pedrosa and produced by Nova Companhia. While the first show was a poetdirectly and indirectly influences the acting of the six pregnant actresses, this next show now addresses, after the birth of all the children, a poetic and political monument to filiation and responsibility. Martim Pedroso was born in Lisbon, in April 1979. Between 2001 and 2006 he worked as an actor and co-creator with various Portuguese and international companies. In 2013 he founded the Nova Companhia production structure with the producer Bruno Reis.

CINEMA FROM M ON 2 0 TH FEB TO SUN 5 TH M A R The 37th edition of Fantasporto – International Festival will be held from 20 February to 5 March at Teatro Rivoli. This festival is considered one of the most important in the world, for its innovation and research into new values and cinematographies outside breakdown channels, making way for independent films and fantasy films. A highlight of the Retrospectives will be the first showing in Portugal of Taiwan action cinema and the also little-known horror films of Argentina. We will also be able to see, in partnership with TV Globo, unreleased episodes from three ranges and soaps created in the context of Fantástico, bringing well-known figures from Portuguese television to Porto. Further information avalable at www.fantasporto.pt Martim Pedroso nasce em Lisboa, em abril de 1979.

2.

Entre 2001 e 2006 colaborou como ator e cocriador em diversas companhias nacionais e internacionais. Em 2013 funda a estrutura de produção Nova Companhia com o produtor Bruno Reis.

1. The White King 2. A Floresta das Almas Perdidas

FOCUS DISPL ACEMENT G R AN D E AUD I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R I O I AC • R I VO LI

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

ic-dramatic digression about how the gestational state


CINEMA D E S E G 2 0 F E V A DO M 5 M A R

FANTASPORTO

MARTIM PEDRO S O DESLOCAÇÕES Sobre Ficar e Partir

FOC O DE SLOCAÇÕE S

⁄ FE STIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DO PORTO CINEMA S Á B 25 FE V ⁄ 1 8 H3 0 O Q UA DRO N E GRO ⁄ SA M I R A M A K H M A L BA F CINE -E ST Ú D I O • CA M P O A L E G R E

CINEMA S Á B 4 M A R ⁄ 1 8 H3 0 Á GUA P R ATE A DA – U M AU TO - RE TR ATO DA SÍ R I A ⁄ O S SA M A M O H A M M E D & W I A M SI M AV B E DI R X A N C I N E - E ST Ú D O • CA M P O A L E G R E

DA N Ç A S Á B 4 M A R ⁄ 21 H3 0 M I TH KA L A L ZG H A I R ( S Í R I A ) ⁄ DI SP L AC E M E N T E ST R E I A NAC I ONA L AU D I T ÓR I O • CA M P O A L E G R E

⁄ FILHO S DAS MÃE S

THE ATR E FRI 24 TH & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM “Filhos das Mães” [Mothers’ Children] is the follow-up to “Consegues ver os teus pés?” [Can you see your feet], an original idea by Flavia Gusmão for six pregnant actresses, premièred in Teatro Taborda in May 2014, directed by Martim Pedrosa and produced by Nova Companhia. While the first show was a poetic-dramatic digression about how the gestational state directly and indirectly influences the acting of the six pregnant actresses, this next show now addresses, after the birth of all the children, a poetic and political monument to filiation and responsibility. Martim Pedroso was born in Lisbon, in April 1979. Between 2001 and 2006 he worked as an actor and co-creator with various Portuguese and international companies. In 2013 he founded the Nova Companhia

E N C ON T RO SÁ B 4 M A R ⁄ DA S 1 5 H0 0 À S 1 7 H0 0 R E GI STO E RE F Ú GI O ⁄ M IT H KA L A L ZG H A I R ( SY R ) , D OROTH É E M U N YA N E Z A ( RWA ) , ISABEL G A LVÃ O, GO LGO NA A N G H E L , P ED RO SA N TO S GU E R R E I RO ( M OD E R A Ç Ã O) CA F É -T E AT RO • CA M P O A L E G R E

production structure with the producer Bruno Reis. How to dance, sing, think and artistically inscribe

M Ú S I CA S Á B 4 M A R ⁄ 23 H0 0 DO ROTH É E M U N YA N E Z A ( RUA N DA) ⁄ C O N C E RTO CA FÉ -T E AT RO • CA M P O A L E G R E

real events that leave scars on history? How can one resist beyond war and fear? The focus of DESLOCAÇÕES is based on these and many other questions present in the work of two artists from countries that are experiencing or have experienced conflicts: Syria and Rwanda. Dorothée Munyaneza (1982, Rwanda) reflects, through theatre, dance and music, on her country’s past, evoking her childhood to speak of violence and the exodus following the genocide in Rwanda in 1994. Mithkal Alzghair (1981, Syria) works on the reconstruction of identity from the body, combining Syrian folk traditions with military choreography and images from contexts of war. For two days we invite the public to accompany these singular journeys through two performances, workshops, a film cycle, a concert and a great encounter around the works of these artists. From violence to totalitarianism, from exodus to the movement of people and goods, from migrations to working conditions for refugee artists, the Teatro Municipal do Porto puts its finger in the wounds of the stories Martim told Pedroso here through nasce em Lisboa, em abril de 1979.

2.

performance arts.

Entre 2001 e 2006 colaborou como ator e cocriador em diversas companhias nacionais e internacionais. Em 2013 funda a estrutura de produção Nova Com-

BI LHETE C O NJUNTO 1. The White King 2. A Floresta das Almas Perdidas

panhia com o produtor Bruno Reis.

12,00 EURO S

O BI G R AN D E AUD I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R LHETE I O I ACC •O NJUNTO R I VO LI I NC LUI ENTR A DA PA R A

O S 2 E S P ETÁ C ULO S + C O NC ERTO + 2 S E S S Õ E S DE C I NEM A

APOIOS:

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

T E AT RO ⁄ DA N Ç A S E X 3 M A R ⁄ 21 H3 0 D OROT H É E M U N YA N E Z A ( RUA N DA ) ⁄ SA M E DI DÉ TE N TE E ST R E I A NAC I ONA L AUDI T ÓR I O • CA M P O A L E G R E

Como dançar, cantar, pensar e inscrever artisticamente acontecimentos reais que deixam cicatrizes na história? De que modo se resiste para além da guerra e do medo? O Foco Deslocações parte destas e de muitas outras questões presentes no trabalho de dois artistas originários C O PRO DUÇÃO de países que atravessam ou atravessaram conflitos de guerra: a Síria e o Ruanda. Dorothée Munyaneza (1982, Ruanda) testemunha, através do teatro, da dança e da música, o passado do seu país, evocando a sua infância para contar a violência e o êxodo na sequência do genocídio do Ruanda, em 1994. Mithkal Alzghair (1981, Síria) trabalha sobre a reconstrução da identidade a partir do corpo, cruzando a tradição folclórica síria com coreografias militares e imagens de contextos de guerra. Durante dois dias convidamos o público a acompanhar estes percursos singulares através de dois espetáculos, workshops, dois filmes, um concerto e um grande encontro à volta das obras destes artistas. Da violência ao totalitarismo, do êxodo à circulação de bens e pessoas, das migrações às condições de trabalho para artistas refugiados, o Teatro Municipal do Porto coloca o dedo nas feridas das histórias aqui testemunhadas através das artes performativas.


46

CINEMA CINEMA D E S E G 2 0 F E V A DO M 5 M ASÁ R B 2 5 F E V ⁄ 1 8H 3 0

FANTASPORTO O QUADRO ⁄ NEGRO FE STIVAL INTERNACIONAL

⁄ DE CINEMA DO PORTO SAMIR A MAKHMALBAF I R Ã O, I T Á L I A , JA P Ã O, 20 0 0

47

CI NE MA SÁ B 4 MA R ⁄ 18 H30

MARTIM ÁGUA PEDRO S O ⁄ PR ATE ADA UM FILHO S–DAS MÃE S AUTO-RE TR ATO DA SÍRIA C O PRO DUÇÃO

THE ATR E FRI 24 TH & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM

“Filhos das Mães” [Mothers’ Children] is the follow-up feet], an original idea by Flavia Gusmão for six preg-

FR ANÇA , 20 1 4

ter the birth of all the children, a poetic and political

nant actresses, premièred in Teatro Taborda in May 2014, directed by Martim Pedrosa and produced by Nova Companhia. While the first show was a poetdirectly and indirectly influences the acting of the six pregnant actresses, this next show now addresses, af-

“O Quadro Negro” é uma espécie de “conto” sobre professores que percorrem a fronteira montanhosa entre o Irão e o Iraque em tempo de guerra, com quadros negros presos às costas, que procuram crianças a quem ensinar, junto da fronteira do Iraque. Nos céus rondam abutres e helicópteros, há refugiados do Curdistão iraquiano em busca da fronteira do seu país, de onde haviam fugido devido à guerra Irão/Iraque, miúdos que fazem contrabando… O filme foi selecionado para Cannes, fazendo de Makhmalbaf a mais jovem realizadora de sempre a entrar no festival.

“No princípio, há um fio de água, e um bebé a nascer. No fim, Omar, o miúdo pequeno que podia ser aquele bebé e que agora caminha pelas ruas destruídas da cidade de Homs, a mais massacrada de todas as cidades da Síria, e a neve manchada de sangue. Pelo meio, 1001 imagens, gravadas por 1001 sírios e sírias e pela jovem professora curda Wiam Simav Bedirxan. “E por mim”, diz-nos, no ecrã, o realizador, o sírio Ossama Mohammed. “Água Prateada – Um Auto-Retrato da Síria” é o resultado do trabalho de um guardador de imagens. Foi esse o papel que o cineasta encontrou para si depois do início da revolução do seu país, em Março de 2011. “Neste filme há um plano em que as pessoas arriscam a vida para resgatarem um corpo da rua. Não há nada mais bonito do que isso. Eles estão a tentar salvar a dignidade daquele corpo. Pessoas que fazem isso têm de ter direito a um futuro.” — Ossama Mohammed & Wiam Simav Bedirxan

Martim Pedroso was born in Lisbon, in April 1979. Between 2001 and 2006 he worked as an actor and co-creator with various Portuguese and international companies. In 2013 he founded the Nova Companhia production structure with the producer Bruno Reis.

CINEMA SAT 2 5 TH FEB ⁄ 6:30 PM

C INEM A SAT 4 TH M A R ⁄ 6:30 P M

“The Blackboard” is a kind of “story” about teachers

“Silvered Water – Syria Self-Portrait” is the work of

who cross the mountainous border between Iran and

a protector of images. This was Martim the role Pedroso that the nasce filmem Lisboa, em abril de 1979.

Iraq in times of war, with blackboards tied to their

director found for himself after Entrethe 2001 start e 2006 of revolucolaborou como ator e cocriador

backs, looking for children to teach, near the border

tion in his country, in Marchem 2011. diversas “In this companhias film there nacionais e internacionais.

with Iraq. In the skies vultures and helicopters hov-

is a scene in which people risk Em 2013 their funda lives toa save estrutura a de produção Nova Com-

er, there are refugees from Iraqi Kurdistan seeking

o produtor body in the street. There is panhia nothingcom more beautifulBruno Reis.

the border of their country, which they had fled due

than this. They are trying to save the dignity of that

to the Iran/Iraq war, children who are smuggling …

body. People who do this have the right to a future.”

G R AN D E AUD I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R I OC I INE AC- E• STÚ R I VO D ILIO • CA M P O A LE G R E P R E Ç O Ú NI C O 3,0 0 E U R • M /1 2

C IN E -E ST ÚDIO • CA M P O A L E GRE P RE Ç O ÚN IC O 3,00 E UR • M /12

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

ic-dramatic digression about how the gestational state

monument to filiation and responsibility.

2.

1. The White King 2. A Floresta das Almas Perdidas

⁄ O S SAMA MOHAMMED & WIAM SIMAV BEDIR X AN

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

to “Consegues ver os teus pés?” [Can you see your


48

Como contar o indizível? Como falar sobre o momento em que se deixa um lugar amado? Sobre as circunstâncias que levam alguém a fugir do berço da sua infância, percorrendo estradas pejadas de corpos, sangue e silêncio? Como contar os dias de caminhada sem fim, com sede e fome? Como contar as pulgas, as noites numa tenda de lona no meio da floresta ou o acordar sob a chuva intensa no meio do nada? Como contar as viagens por plantações de café, debaixo de um luar intenso? Como contar as gargalhadas, os choros convulsivos, as músicas, as danças? Como contar os meses sem notícias da mãe? Como contar aos outros o genocídio do Ruanda quando as notícias transmitidas eram superficiais? Sinto que falta informação sobre a gravidade deste genocídio. Quero, por isso, colocar o foco artístico neste tópico C O PRO DUÇÃO da história mundial. Foram 20 anos a viver longe do meu país, anos em que tive a oportunidade de crescer, refletir e escrever sobre o que se passou. Voltei ao Ruanda várias vezes, tive a oportunidade de rever os membros da minha família. Pude ver as cicatrizes deixadas pelas armas e as feridas invisíveis aos olhos, mas que reconheci como também sendo minhas. É sobre isto que quero falar, através dos olhos e das palavras daqueles que lá viveram. — Dorothée Munyaneza

CINEMA DA N Ç A D E S E G 2 0 F E V A DO M 5 M ASE R X 3 MAR ⁄ 21H30

FANTASPORTO DOROTHÉE ⁄ MUNYANE FE STIVAL INTERNACIONAL Z A

MARTIM PEDRO S O ⁄ FILHO S DAS MÃE S

( RUA NDA )

⁄ DE CINEMA DO PORTO SAMEDI DÉTENTE E ST R E I A NAC I ONA L

Cantora, autora e coreógrafa, Dorothée Munyaneza é um dos nomes fundamentais da arte contemporânea internacional. Desde 2000 que assina vários

THE ATR E FRI 24 TH & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM “Filhos das Mães” [Mothers’ Children] is the follow-up to “Consegues ver os teus pés?” [Can you see your feet], an original idea by Flavia Gusmão for six pregnant actresses, premièred in Teatro Taborda in May 2014, directed by Martim Pedrosa and produced by Nova Companhia. While the first show was a poet-

o primeiro grande trabalho de projeção internacio-

ic-dramatic digression about how the gestational state

nal em 2014, estando já a trabalhar no seu segundo

directly and indirectly influences the acting of the six DA NC E F R I 3 RD M A R ⁄ 9:30 P M

grande espetáculo, com estreia prevista para 2017.

pregnant actresses, this next show now addresses, after the birth of all the children, a poetic and political

Natural do Ruanda, Dorothée Munyaneza deixou

monument to filiation and responsibility.

Kigali em 1994, aos 12 anos, instalando-se em In-

I feel that there is not enough information on the

glaterra com os seus pais. Depois de ter assumido a

gravity of this genocide. For this reason, I want to

nacionalidade britânica, estudou música e, através

place the artistic focus on this topic in international

Martim Pedroso was born in Lisbon, in April 1979.

desta arte, perpetuou a memória dos corpos, indivi-

history. It has been 20 years living far from my coun-

Between 2001 and 2006 he worked as an actor and

duais e coletivos, através das palavras dos seus te-

try, years in which I had the opportunity to grow, re-

co-creator with various Portuguese and international

mas. Em 2004, compõe e interpreta a banda sonora

flect and write about what happened. I returned to

companies. In 2013 he founded the Nova Companhia

original de “Hotel Ruanda”, de Terry George, e, en-

Rwanda several times, I re-encountered members

production structure with the producer Bruno Reis.

tre colaborações, lança o seu primeiro álbum a solo

of my family. I was able to see the scars left by arms

em 2010. A sua música é marcada por uma série de

and the wounds invisible to the eye, but which I rec-

referências, entrelaçando o afro-folk, a dança e as

ognised as also mine. It is about this that I want to

letras militares com poesia e música experimental.

speak, through the eyes and words of these who lived

Vive atualmente em Marselha, França.

there. — Dorothée Munyaneza The singer, author and choreographer Dorothée Munyaneza is a major figure in international contemporary art. Since 2000 she has produced several musical and choreographic projects, with her first major international work appearing in 2014. She is currently working on her second large show, due to be premièred in 2017.

1. The White King 2. A Floresta das Almas Perdidas

• Direção de Produção, Administração, Difusão Emmanuel Magis/ANAHI • Coprodução Théâtre de Nîmes–scène conventionnée pour la danse contemporaine, Théâtre La Passerelle– scène nationale de Gap et des Alpes du Sud, Théâtre des Salins–scène nationale de Martigues, Bois de l’Aune–Aixen-Provence, L’Onde– Théâtre Centre d’Art de Vélizy-Villacoublay,

Pôle Sud, centre de développement chorégraphique en préfiguration– Strasbourg, Théâtre Jacques Prévert– Aulnay-sous-Bois, Le Parvis–scène nationale de Tarbes, Théâtre Garonnescène européenne – Toulouse (projet House on Fire), Réseau Open Latitudes com o apoio de Programme Culture Europe, Théâtre de Liège,

G R AN D E AUD I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R I O AU I ACD I•TÓ R IRVO I OLI• CA M P O A LE G R E 1 0,0 0 E U R • M /1 4

Théâtre de la Ville–Paris, BIT Teatergarasjen, Bergen • Apoios Théâtre Le Monfort–Paris, de la Friche Belle de Mai– Marseille, DRAC PACA– ministère de la Culture et de la Communication, SACD, l’Association Beaumarchais • Com o apoio especial de Arcadi Ile-de-France / l’ADAMI et de la Mairie de Paris. • Duração aprox. 1h15

Martim Pedroso nasce em Lisboa, em abril de 1979. Entre 2001 e 2006 colaborou como ator e cocriador em diversas companhias nacionais e internacionais. Em 2013 funda a estrutura de produção Nova Companhia com o produtor Bruno Reis.

Imagens © Laura Fouquere

2.

Conceção e Coreografia Dorothée Munyaneza • Interpretação Nadia Bugré, Alain Mahé, Dorothée Munyaneza • Apoio Dramatúrgico Mathurin Bolze • Desenho de Luz Christian Dubet • Cenografia Vicent Gadras • Figurinos Tifenn Morvan • Direção Técnica Marion Piry • Luz Marine Le Vey • Som Valérie Bajcsa • Produção Cie Kadidi

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

projetos musicais e coreográficos, tendo assumido

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

49


50

51

CINEMA DA N Ç A D E S E G 2 0 F E V A DO M 5 M ASÁ R B 4 MAR ⁄ 21H30

FANTASPORTO MITHKAL ⁄ AL ZG HAIR FE STIVAL INTERNACIONAL

MARTIM PEDRO S O DA NC E SÁ B 4 TH M A R ⁄ 9:30 P M

My research in this creation is centred on the patri-

mony of the Syrian culture traditions, physicalities,

⁄ FILHO S DAS MÃE S

(SÍRIA)

trance, dynamics and repetitions.

I try to understand the sources of their traditional dances, the process of impregnation and contagion

⁄ DE CINEMA DO PORTO DISPL ACEMENT

in which they are built, taking into consideration

C O PRO DUÇÃO the social and political reality that has contributed to the creation of this heritage: military heritage, dictatorship, authoritarian regimes, revolution, war

E ST R E I A NAC I ONA L

“Filhos das Mães” [Mothers’ Children] is the follow-up to “Consegues ver os teus pés?” [Can you see your

dancer. He created “Displacement” in March 2016,

feet], an original idea by Flavia Gusmão for six preg-

a solo and trio in which he questions his heritage in

nant actresses, premièred in Teatro Taborda in May

a context of exile. The performance won first prize

2014, directed by Martim Pedrosa and produced by

at the international “Danse Élargie” competition, or-

Nova Companhia. While the first show was a poet-

ganised by Theâtre de la Ville de Paris and Museum

ic-dramatic digression about how the gestational state

of Dance/CCN Rennes.

directly and indirectly influences the acting of the six pregnant actresses, this next show now addresses, after the birth of all the children, a poetic and political monument to filiation and responsibility. Martim Pedroso was born in Lisbon, in April 1979. Between 2001 and 2006 he worked as an actor and co-creator with various Portuguese and international companies. In 2013 he founded the Nova Companhia production structure with the producer Bruno Reis.

Élargie”, uma organização do Thêatre de la Ville de Paris e do Museu da Dança / CCN Rennes.

2.

G R AN D E AUD I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R I O AU I ACD I•TÓ R IRVO I OLI• CA M P O A LE G R E 1 0,0 0 E U R • M /1 2

Imagens © Laura Giesdorf

1. The White King 2. A Floresta das Almas Perdidas

Coreografia Mithkal Alzghair • Interpretação Rami Farah, Shamil Taskin, Mithkal Alzghair • Apoio Dramatúrgico Thibaut Kaiser • Desenho de Luz Séverine Rième • Coprodução Godsbanen – Aarhus (Dinamarca), Musée de la Danse – CCN de Rennes et de Bretagne, The Foundation AFAC, Les Treize Arches – Scène Conventionnée de Brive

• Com o apoio de Centre National de la Danse – Pantin (França), Studio Le Regard du Cygne, Thêatre Louis Aragon, Scène Conventionnée Danse de Tremblay-enFrance • Duração aprox. 55mins

Martim Pedroso nasce em Lisboa, em abril de 1979. Entre 2001 e 2006 colaborou como ator e cocriador em diversas companhias nacionais e internacionais. Em 2013 funda a estrutura de produção Nova Companhia com o produtor Bruno Reis.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

Mithkal Alzghair is a Syrian choreographer and

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

A minha pesquisa para esta criação centrou-se no património das tradições culturais sírias, na fisicalidade, no transe e na dinâmica das repetições. Através da dança tento compreender as fontes das quais emanam as danças tradicionais, o processo de impregnação e contágio em que são construídas, tendo como base a realidade social e política que contribui para a concretização deste trabalho: a herança militar, a ditadura, os regimes autoritários, a revolução, a guerra e o deslocamento. A necessidade deste trabalho está relacionada com a forma como é transmitida a questão do deslocamento e da migração, da violência, dos massacres, dos conflitos e das revoluções no Médio Oriente. O meu objetivo é definir a identidade do corpo sírio, o património reconhecido, vivido e construído. Qual a identidade de uma sociedade formada sob domínio de uma ditadura colonial? Um corpo que viveu a guerra e um corpo que viveu a migração Mithkal Alzghair é coreógrafo e bailarino sírio. Os são dois corpos diferentes? Onde seus estudos dividiram-se entre a Síria (Higher Insestá o espaço de liberdade para titute of Dramatic Art, Damasco) e a França (Cenesses corpos? É urgente e neces- tro Nacional de Coreografia de Montepellier). Trabalhou com vários coreógrafos, tendo colaborado com sário para mim mostrar ao mundo a companhia italiana In-Occula, para o projeto eua realidade do conflito sírio, como ropeu CRACK. Criou “Displacement” em março de esperança para uma liberdade ple- 2016, um solo e trio onde questiona a sua herança num contexto de exílio. O espetáculo venceu o prina e futura. — Mithkal Alzghair meiro prémio na competição internacional “Danse

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

THE ATR E FRI 24 TH & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM

and displacement. — Mithkal Alzghair


52

CINEMA M Ú S I CA D E S E G 2 0 F E V A DO M 5 SÁ M ABR 4 M A R ⁄ 2 3 H 0 0

FANTASPORTO DOROTHÉE ⁄ MUNYANE FE STIVAL INTERNACIONAL Z A

MARTIM REGISTOPEDRO S O ⁄ E REFÚGIO FILHO S DAS MÃE S

( RUA NDA )

⁄ MITHKAL AL ZG HAIR (SYR), DOROTHÉE MUNYANE Z A (RWA), ISABEL GALVÃO, GOLGONA ANGHEL, PEDRO SANTO S GUERREIRO (MODER AÇÃO)

DE CINEMA DO PORTO

C O PRO DUÇÃO

THE ATR E FRI 24 TH & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM “Filhos das Mães” [Mothers’ Children] is the follow-up to “Consegues ver os teus pés?” [Can you see your feet], an original idea by Flavia Gusmão for six pregnant actresses, premièred in Teatro Taborda in May 2014, directed by Martim Pedrosa and produced by Nova Companhia. While the first show was a poetdirectly and indirectly influences the acting of the six pregnant actresses, this next show now addresses, after the birth of all the children, a poetic and political monument to filiation and responsibility.

Dos trabalhos apresentados aos percursos artísticos e de vida dos coreógrafos Mithkal Alzghair e Dorothée Munyaneza surgem movimentos e memórias de corpos errantes que testemunham ideologias em conflito, a guerra e o desejo de liberdade. Um encontro para pensar os lugares, os atos de resistência dos deslocados e as reconfigurações territoriais e políticas do nosso tempo, falado em inglês.

M EETING SAT 4 TH M A R ⁄ F RO M 3 P M TO 5 P M From the work presented to the artistic careers and MUSIC SAT 4 TH M AR ⁄ 11 PM

lives of the choreographers Mithkal Alzghair and Dor-

Martim Pedroso was born in Lisbon, in April 1979. Between 2001 and 2006 he worked as an actor and co-creator with various Portuguese and international companies. In 2013 he founded the Nova Companhia production structure with the producer Bruno Reis.

othée Munyaneza, movements and memories arise Dorothée Munyaneza exploited her social situation

of wandering bodies that bear witness to conflicting

to create a musical project that is essentially based

ideologies, war and the desire for freedom. A meeting

around the memory of a forgotten people – hers, and

to think about places, about the acts of resistance of

that of others. Born in Rwanda, she left Kigali with

the displaced and about the territorial and political

her family at the age of 12 to settle in Britain. There

reconfigurations of our time.

she began studying music at the Jonas Foundation in London and social sciences in Canterbury, before relocating to France. Using music, song, dance and text, Dorothée Munyaneza begins with facts and reality to examine the relationship between memory and 2.

Martim Pedroso nasce em Lisboa, em abril de 1979.

bodies, individual and collective; to provide a voice for the unheard; to put into words the Tutsi geno-

G R AN D E AUD I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R I O CA I ACF É• -TE R I VO LI • R I VO LI ATRO 5,0 0 E U R • M /1 2

Imagem © Direitos Reservados

1. The White King 2. A Floresta das Almas Perdidas

Imagem Jérémy Pajeanc, Code Postal © Bruno Lopes

cide, violence against women and racial inequality.

Participantes: Mithkal Alzghair (coreógrafo sírio), Dorothée Munyaneza (encenadora, performer e música ruandesa), Isabel Galvão (professora do Conselho Português para os Refugiados),

Golgona Anghel (escritora e investigadora) Encontro moderado por Pedro Santos Guerreiro (jornalista e diretor executivo do semanário Expresso)

CA FÉ -T E AT RO • CA M P O A L E GRE E N T R A DA GR AT UITA • M /12

Entre 2001 e 2006 colaborou como ator e cocriador em diversas companhias nacionais e internacionais. Em 2013 funda a estrutura de produção Nova Companhia com o produtor Bruno Reis.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

ic-dramatic digression about how the gestational state TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

Dorothée Munyaneza serviu-se da sua condição social para criar um projeto musical que se ancora, essencialmente, na memória de um povo esquecido – o seu e o dos outros. Nascida no Ruanda, deixou Kigali aos 12 anos para se instalar com a sua família em Inglaterra. Aí começou a estudar música na Jonas Foundation de Londres e Ciências Sociais em Canterbury, antes de se instalar em França. Com a música, o canto, a dança e o texto, Dorothée Munyaneza parte da realidade dos factos para abordar a relação da memória e dos corpos, individuais e coletivos; para dar voz aos povos silenciosos; para dar palavras ao genocídio Tutsi, à violência contra as mulheres, à desigualdade racial. Um projeto para ouvir o silêncio e ver as cicatrizes da história. Em 2004 é a responsável pela composição e interpretação da banda sonora original do filme “Hotel Ruanda”, de Terry George, e participou, em 2005, no álbum “Anatomic” do grupo Afro Celt Sound System. Em 2010 lança o primeiro álbum a solo. Nele, faz dialogar a música com outros modos de expressão: entrelaça afro-folk, dança e letras com o canto militar americano, poesia e música experimental, que servem de mote para as canções que apresentará ao vivo no Porto.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

53

E NC O NTRO SÁ B 4 MA R ⁄ DAS 15H00 À S 1 7H00


54

CINEMA D E S E G 2 0 F E V A DO M 5 M A R

TE ATRO SE X 24 & SÁ B 25 FEV ⁄ 19H00

PAR ALELO

P ROG R A M A D E A P ROX I M A Ç Ã O À S A RT E S P E R FOR M AT I VA S

QUA 2 M A R ⁄ DA S 1 8 H0 0 À S 1 9 H0 0 E N C O N TRO C O M DO ROTH É E M U N YA N E Z A NA E SM A E

FANTASPORTO

MARTIM PEDRO S O

S E X 3 M A R / DA S 1 8 H0 0 À S 20 H0 0 WO R KSH O P C OM M I T HK A L A L ZG HA I R

⁄ FE STIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DO PORTO

⁄ FILHO S DAS MÃE S

Sala-Estúdio • Campo Alegre

C O PRO DUÇÃO

A prática física que eu gostaria de partilhar está centralizada na questão da relação instável com o solo, a transferência do peso corporal, a deslocação, a caminhada e o ritmo. Partindo de um passo, o Debki, that I would like to shear is centralized in the question of the unstable relation with the ground, the transfer of body weight, the displacement, the walking, and the rhythm. Destinatários Aberto a todos, com ou sem experiência prévia. Nº Máximo de participantes 35 Inscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt (até 24h de antecedência)

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

Gratuito mediante apresentação de bilhete para o espetáculo “Displacements”

• SEX 3 MAR C ON VE RSA P Ó S- E SP E TÁ C U LO SA M E DI DE TÈ N TE C OM J ORG E R I BE I RO

to “Consegues ver os teus pés?” [Can you see your feet], an original idea by Flavia Gusmão for six pregnant actresses, premièred in Teatro Taborda in May 2014, directed by Martim Pedrosa and produced by Nova Companhia. While the first show was a poetic-dramatic digression about how the gestational state directly and indirectly influences the acting of the six pregnant actresses, this next show now addresses, after the birth of all the children, a poetic and political monument to filiation and responsibility.

Between 2001 and 2006 he worked as an actor and

• S Á B 4 M A R / DA S 1 9 H0 0 À S 20 H0 0 AQ U E C I M E N TO PA R A L E LO C OM A N D R É M E N D E S

PAR ALELO

PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PE RFO RMATI VAS

Sala-Estúdio • Campo Alegre

SÁB 25 FE V ⁄ DAS 11 H 0 0 ÀS 1 2H 3 0 WORKSHOP PAR A MÃE S , PAI S E FI LH O S

Neste workshop, convidam-se os espectadores de todas as idades, com ou sem experiência, a aprenderem a qualidade do movimento. Para esta sessão, a escolha recai sobre André Mendes, intérprete e criador da novíssima geração do Porto. O seu corpo e linguagem frágil e extremamente articulado, a sua pesquisa por danças tradicionais de guerra gregas e por heróis da mitologia, criam potenciais

paralelismos com a peça desconcertante de Mithkal Alzghair. • We invite our audience from any age

Sala de Ensaios • Campo Alegre

group, with or without experience, to learn the quality of movement, the sensations and choreograEste workshop foca-se essencialmente na interação das mães e/ou pais

phic ideas, which are at the base of a given performance, before they even see it.

com os seus filhos através de diversas atividades lúdicas e criativas que resInscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt

peitam essencialmente as opções espontâneas dos filhos. • This workshop

(até 24h de antecedência)

focuses essentially on the interaction between mothers and/or fathers and

Gratuito mediante apresentação de bilhete para

their children through various playful and creative activities that respect

o espetáculo “Displacements”

the essential spontaneity of kids.

André Mendes nasceu em 1990, Vila Nova de Famalicão. Desde 2012, trabalhou com vários artistas,

Famílias com crianças dos 2 aos 4 anos

nomeadamente com Victor Hugo Pontes, Né Barros, Mariana Tengner Barros, Tânia Carvalho e Luís

Lotação máxima 10 Pais e 10 Crianças

Texto coletivo com direção de Martim Pedroso • Apoio à dramaturgia Flávia Gusmão • Interpretação e cocriação Ana Cloe, Flávia Gusmão, Joana Seixas, Katrin Kaasa, Rita Calçada Bastos e Vera Kolodzig • Assistência de encenação e figurinos João Telmo • Direção Técnica e desenho de Luz Paulo Santos • Desenho de som e música original Rui Rebelo • Músico convidado Chullage • Espaço cénico João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira • Vídeo Luísa Homem • Fotografia Alípio Padilha • Assistência de ensaios Sofia Correia • Produção Nova Companhia • Coprodução Teatro Municipal do Porto, São Luiz Teatro Municipal, GDA, DGArtes • Duração aprox. 1h40

co-creator with various Portuguese and international companies. In 2013 he founded the Nova Companhia production structure with the producer Bruno Reis.

Guerra, entre outros. • André Mendes (b. 1990), Vila Nova de Famalicão.Completed a course in

Inscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt

contemporary dance at the Balleteatro Escola Profissional, in 2012. Resident dancer at the Ballet

Gratuito mediante apresentação de bilhete para o espetáculo

Contemporâneo do Norte in 2014. Has worked with various performers since 2012, namely Victor

“Filhos das Mães”

Hugo Pontes, Né Barros, Mariana Tengner Barros, Tânia Carvalho and Luís Guerra, amongst others.

Martim Pedroso nasce em Lisboa, em abril de 1979.

SE X 24 C ONVERSA P ÓS- E SP E T Á C ULO C O M SUSANA PE RE I R A

em diversas companhias nacionais e internacionais.

• SÁB 4 MAR C O N VE RSA P Ó S- E SP E TÁ C U LO DI SP L AC E M E N T C OM L A M A A L I M A N

Psicóloga Clínica

Entre 2001 e 2006 colaborou como ator e cocriador Em 2013 funda a estrutura de produção Nova Companhia com o produtor Bruno Reis.

Doutoranda em Economia – Projecto Mobility da Universidade do Porto Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

G R AN D E AUD I TÓ R I O M O & AU D I TÓ R I O I AC • R I VO LI

Imagem © Alípio Padilha

1. The White King 2. A Floresta das Almas Perdidas

“Filhos das Mães” [Mothers’ Children] is the follow-up

Martim Pedroso was born in Lisbon, in April 1979.

Investigador do Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto

2.

THE ATR E FRI 24 TH & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM

AUDIT ÓRIO • CA M P O A L E GRE 7,5 0 E UR • M /12

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

“Filhos das Mães” é o espetáculo subsequente de “Consegues ver os teus pés?”, uma ideia original de Flávia Gusmão para seis atrizes grávidas, que estreou no Teatro Taborda em Maio de 2014 sob a direção de Martim Pedroso e produção da Nova Companhia. Se o primeiro espetáculo era uma divagação poético-dramática sobre como o estado gestacional influi direta e indiretamente na representação de seis atrizes grávidas, o espetáculo que se segue será, agora, com os filhos todos nascidos, um monumento poético e político à filiação e responsabilidade. Como é que as mesmas atrizes se posicionam no teatro após a experiência de serem mães? O que é que os filhos acrescentam a estas mães? E o que é que este espetáculo acrescenta ao próprio teatro?

uma tradicional dança síria, revela-se a necessidade de estar em movimento. • The physical practice


56

57

DA N Ç A QU I 9 & SE X 1 0 M A R ⁄ 2 1 H 3 0 S Á B 11 M A R ⁄ 1 9 H 0 0

C OMPANHIA NACIONAL DE BAIL ADO

DA NC E T H U 9 TH & FRI 1 0 TH MAR ⁄ 9: 3 0 PM SAT 11 TH MAR ⁄ 7 PM In this work, I am interested in the dynamics of how Stravinsky transformed the classical world of music by evoking emotions through patterns, rather than through expression, and these patterns were rooted in the concept of a woman dancing herself to death. this approach is a huge inspiration to me. This approach is a huge inspiration to me. But in a sense I hope to reinvestigate it, not just through patterns,

C OM C OR E O GR A F I A DE A K R A M K H A N

as Stravinsky did, but also through exploring the

⁄ iTMOi

human condition. — Akram Kahn Akram Khan is one of the most celebrated and respected dance artists today. In just 16 years he has created a body of work that has contributed signiftation has been built on the success of imaginative, highly accessible and relevant productions such as Until the Lions, DESH, iTMOi, Vertical Road, Gnosis and zero degrees. An instinctive and natural collabo-

Neste trabalho, interessam-me as dinâmicas com as quais Stravinsky transformou o mundo clássico da música evocando emoções através de padrões, em vez de expressões, e como esses padrões foram enraizados no conceito de uma mulher que dança até à morte. Para mim, esta abordagem é de uma enorme inspiração. Mas, de certa forma, espero poder investigá-la novamente, não apenas através de padrões, como Stravinsky o fez, mas também através da exploração da condição humana. Uma ruptura na mente, uma morte no corpo e um nascimento na alma, tudo lembrando-nos que a mente Khan é um dos mais conhecidos e respeitae a imaginação são selvagens e auto-criativas. Adi- Akram dos artistas da dança da atualidade. Em apenas 16 cionalmente, criar esta obra com três compositores anos, criou um conjunto de obras que contribuíram diferentes – Nitin Sawhney, Jocelyn Pook e Ben Frost significativamente para as artes no Reino Unido e – permitiu-nos descobrir inúmeros e diversos sons, no estrangeiro. A sua reputação afirmou-se graças ao sucesso de produções imaginativas, relevantes e usando Stravinsky como referência, o guia, o mapa. muitíssimo acessíveis, tais como “Until the Lions”, — Akram Kahn “DESH”, “iTMOi”, “Vertical Road”, “Gnosis” e “zero

PAR ALELO

from other cultures and disciplines.

PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PE RFO RMATI VAS

Q UA 8 & Q UI 9 MAR ⁄ DAS 1 0 H 3 0 ÀS 1 2H 0 0 WORKSHOP APROXI MAÇÃO À DANÇA ⁄ Sala de Ensaios • Rivoli Este workshop da CNB convida estudantes entre os 9 e os 16 anos a conviverem com os criadores, intérpretes e a experimentarem a dança nas suas diversas dimensões. • This workshop by the CNB invites children aged between 9 and 16 to interact with choreographers and performers and to experience dance in its various dimensions. Gratuito mediante inscrição prévia para: paralelo.tmp@cm-porto.pt

degrees”. Colaborador natural e instintivo, Khan tem

sido um polo de atração para artistas oriundos de laboradores incluem o Ballet Nacional da China, a

Q UI 9 C ONVERSA P ÓS- E SP E T Á C ULO C O M NUNO PI NH O

atriz Juliette Binoche, a bailarina Sylvie Guillem, os

Compositor

coreógrafos/bailarinos Sidi Larbi Cherkaoui e Israel

outras culturas e disciplinas. Os seus anteriores co-

Galván, a cantora Kylie Minogue, os artistas visuais

Q UI 9, SE X 1 0 & SÁB 11 EU TA MBÉM VOU! À VO LTA DE RI TUAI S

Anish Kapoor, Antony Gormley e Tim Yip, o escritor Hanif Kureishi e os compositores Steve Reich, Nitin Sawhney, Jocelyn Pook e Ben Frost.

Dos 5 aos 10 anos • 2€ por criança Monitor Joana Espanha Serviço de babysitting performativo mediante marcação prévia. A atividade começa 15 minutos antes do início do espetáculo e termina após o mesmo.

Imagem © Cláudia Varejão

Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

G R AN DE AU D I TÓ R I O M O • R I VO LI 1 0,0 0 E U R • M /6

rator, Khan has been a magnet to world-class artists

Direção Artística e Coreografia Akram Khan • Música Original Nitin Sawhney, Jocelyn Pook e Ben Frost • Cenografia Matt Deely • Figurinos Kimie Nakano • Desenho de Luz Fabiana Piccioli • Dramaturgia Ruth Little • Pesquisas Joel Jenkins • Desenho de Som Nicolas Faure • Direção de Ensaios Andrej Petrovic com a assistência de TJ Lowe, Catherine Schaub Abkarian e Sadé Alleyne • Conceção e interpretação do material original Kristina Alleyne, Sadé Alleyne, Ching-Ying Chien, Sung Hoon Kim, Denis “Kooné” Kuhnert, Yen-Ching Lin, Christine Joy Ritter, Catherine Schaub, Abkarian, Nicola Monaco e Blenard Azizaj

• Cantores Melanie Pappenheim, Tanja Tzarovska, Manickam Yogeswaren, Voya Zivkovic, Jocelyn Pook (partitura de Jocelyn Pook) • Interpretação Artistas da Companhia Nacional de Bailado • Figurinos executados no atelier da CNB sob orientação da Mestra Paula Marinho • Planos e Construção do Cenáro Sander Loonene Firma Smits • Duração aprox. A definir

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

icantly to the arts in the UK and abroad. His repu-


58

59

MÚSI CA SÁ B 11 MA R ⁄ 1 7H00

DA N Ç A S E X 1 0 MAR ⁄ 1 0 H 3 0 & 1 5 H 0 0 ( SE S SÕ E S E SC O L A RE S) S Á B 11 M A R ⁄ 1 6 H 0 0

ALDAR A BIZ ARRO

HENRIQUE ALMEIDA

⁄ CA R A

⁄ NOVO S TALENTO S

Neste espetáculo-aula concebido para crianças e jovens, mas da maior relevância para todos os públicos, uma bailarina de skate começa por confessar ao público “não saber nada” de história. Mas logo depois, aos nossos olhos, um pequeno país se vai formando e de seguida viajando por um mapa mundi cuidadosamente desenhado e corrigido pela jovem ao longo de mais de 1200 anos. Nesta longa viagem de ir sendo, que se estende até aos dias de hoje, assistimos de modo crítico à constituição da(s) identidade(s) portuguesa(s), em diálogo com a realidade política, cultural e económica mundiais. Através de um dispositivo simples e eficaz - uma bailarina conversando e desenhando um mapa, provocadoramente centrado num Portugal fora de escala e cheio de si -, temos ao nosso dispor um conjunto vasto e relevante de informações para discutir com os jovens, cara a cara: “- Quem somos, hoje e aqui, neste país pequeno que faz por caber numa Europa cansada?; De que forma nos foi contada a nossa história? Como gostaríamos de continuar a escrevê-la?; Como podemos ser melhores portugueses?”

Aldara Bizarro é ex-bailarina, coreógrafa. Nasceu em 1965 em Maputo, Moçambique. Estudou dança, desde os 5 anos, em Luanda, Lisboa, Nova Iorque e Berlim. Como intérprete, trabalhou com vários coreógrafos portugueses dos anos 80 e 90. Desenvolve trabalho como coreógrafa desde 1990 pertencendo ao grupo da Nova Dança Portuguesa. O seu trabalho artístico centra-se na criação para o público jovem e no desenvolvimento de projetos para a comunidade.

Conceção, direção e coreografia Aldara Bizarro • Interpretação/ Cocriação Isabel Costa • Música Vítor Rua • Colaboração Manuela Ribeiro Sanches • Apoio ao Desenho David Bernardino • Apoios CEM – Centro em Movimento, TM Collection • Coprodução Cine -Teatro Municipal João Mota, Teatro Maria Matos, Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura • Produção Jangada • Financiamentos Governo de Portugal/Secretaria de Estado da Cultura/ Direção Geral das Artes • Parceria Liga dos Combatentes • Duração aprox. 50 mins

Henrique Almeida nasceu em 1990, em Amarante, e com apenas 12 anos iniciou os estudos musicais no conservatório CCA - Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira, sob a orientação do professor Hélder Almeida. Posteriormente, aos 17 anos, ingressa na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE) na cidade do Porto, tendo como professores José Pina e Artur Caldeira e realizado o exame final de curso com nota máxima. No ano de 2012 é admitido como estudante de mestrado na Hochschule für Musik und Tanz Köln, Alemanha, tendo sido instruído pelo concertista Roberto Aussel. Posteriormente é admitido na Universidade de Maastricht sob a orientação de Carlo Marchione. Vive e trabalha em Colónia, Alemanha, onde fundou o quarteto de guitarras Cologne Guitar Quartet, ensemble que já tem no seu currículo o primeiro prémio no concurso Zeitgenuss para interpretação de música contemporânea, e é vencedor da bolsa de concertos “Live Music Now” da instituição Yehudi Menuhin. DANCE SAT 11 TH M AR ⁄ 4 PM In this show-lesson designed for children and young people, but relevant to all audiences, a dancer on a skateboard starts by confessing to the audience that she “doesn’t know anything” about history. But soon after, in front of our eyes, a small country forms and starts to travel across a mapa mundi that is carefully drawn and corrected by the young woman over more than 1200 years. In this long voyage of existence, that leads to the present day, we watch critically the creation of Portuguese identity(ies), in a dialogue with global political, cultural and economic realities. Aldara Bizarro is a choreographer and former dancer. She has worked as a choreographer since 1990 and is a member of the Nova Dança Portuguesa group. Her artistic work focused on creation for younger audiences and the development of projects

Imagem © Direitos Reservados

PALC O D O AU D I TÓ R I O • CA M P O A LE G R E CR I AN ÇA S E G RUP OS E S C O L A R E S 2,0 0 E U R • A D U LTO S 5,0 0 E U R • M /1 0

Imagem © José Alfredo

for the community.

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I P RE Ç O ÚN IC O 5,00 E UR • M /6

MU S I C SAT 11 TH MAR ⁄ 5 PM Henrique Almeida was born in Amarante in 1990 and began his musical studies at the CCA - Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira conservatory. He lives and works in Cologne, Germany, where he has founded the Cologne Guitar Quartet, an ensemble that has already won the first prize at the Zeitgenuss competition for its performance of contemporary music, and has been awarded a scholarship from Yehudi Menuhin’s Live Music Now.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

PARCE RI A C O M CURS O DE MÚSI CA SI LVA MO NTE I RO


60

61

M Ú S I CA QUI 1 6 M A R ⁄ 2 1 H 3 0

TRÊS TRISTE S TIGRE S + OLD JERUSALEM + DAN RIVERMAN

Old Jerusalem, o projeto do músico Francisco Silva, regressa às edições discográficas com “A rose is a rose is a rose”, o sexto trabalho de longa duração do projeto. Por contraponto ao anterior “Old Jerusalem” (PAD 2011), integralmente composto e interpretado pelo músico, “A rose is a rose is a rose” retoma a colaboração com outros músicos, destacando-se a este título o trabalho desenvolvido com Filipe Melo, responsável pelo piano e arranjos de cordas do álbum e cúmplice empenhado na delineação do rumo estético do trabalho. O projeto Old Jerusalem iniciou atividade em meados de 2001.

⁄ PORTO BE ST OF

M U S I C T H U 1 6 TH MAR ⁄ 9: 3 0 PM TRÊS TRISTES TIGRES • In 1996, the album “Guia Spiritual”, by Três Tristes Tigres, was considered the best record of the year by Blitz. Later, it also appeared in the list drawn up by the newspaper Público of the best records of the 1990s, alongside its predecessor “Partes Sensíveis”. 30 years later, Ana Deus, Alexandre Soares and two of the musicians who used to play live with them, João Pedro Coimbra and Quico Serrano, revisit the world of the Três Tristes Tigres, and songs, like Zap Canal, from the first record by the Ana Deus/Alexandre Soares pairing and their partnership with the poetess Regina Guimarães. Old Jerusalem, a project by the musician Francisco Silva, returns to recordings with “A rose is a rose is a rose”, the project’s sixth album. Unlike the earlier

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

performed by the musician, “A rose is a rose is a rose” returns to collaboration with other musicians, notably with Filipe Melo, responsible for the piano and the string arrangements on the album and accomplice in outlining the aesthetic direction of the work. Dan Riverman present a series of new songs that will be part of their next album of originals. “Profound, mature and enveloping” is how we could characterise the sound of Dan Riverman, a band from Santo Tirso. Its current line-up includes Dan Alves on voice and guitar, Rui Materazzi on bass, Mike Peixoto on drums, Bruno Macedo on electric guitar and Jonas Araújo on keyboards. In 2017, Dan Riverman will be issuing a new recording, with a tour that will cover the whole country.

Dan Riverman apresentam uma série de novos temas que irão fazer parte do seu próximo álbum de originais. Profunda, madura e envolvente, assim se pode caracterizar a sonoridade dos Dan Riverman, banda de Santo Tirso composta atualmente por Dan Alves na voz e guitarra, Rui Materazzi no baixo, Mike Peixoto na bateria, Bruno Macedo na guitarra eléctrica e Jonas Araújo nos teclados. Rumo a Londres, iniciam trabalho de produção com Saul Davies, guitarrista dos britânicos James. Em 2017, os Dan Riverman regressam às edições discográficas, com uma digressão que promete percorrer todo o país.

G R AN D E AU D I TÓ R I O M O • R I VO LI P R EÇ O Ú N I C O 7,5 0 E U R • M /1 2

Imagens © Direitos Reservados

TRÊS TRISTES TIGRES • Em 1996, o álbum “Guia Espiritual”, dos Três Tristes Tigres, foi considerado pela Blitz o melhor disco do ano. Mais tarde, também figurou na lista, elaborada pelo jornal Público, dos melhores discos dos anos 90, assim como o seu antecessor “Parte Sensíveis”. Passados 30 anos, Ana Deus, Alexandre Soares e dois dos músicos que com eles tocaram ao vivo, João Pedro Coimbra e Quico Serrano, revisitam o universo dos Três Tristes Tigres, e canções, como a Zap Canal, desse que foi o primeiro disco da dupla Ana Deus / Alexandre Soares e da sua parceria com a poetisa Regina Guimarães.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

“Old Jerusalem” (PAD 2011), entirely composed and


62

63

P E R FOR M A N C E S E X 1 7 ⁄ 2 1 H 3 0 & SÁ B 1 8 M A R ⁄ 1 9 H 0 0

OLIVIER SAILL ARD ⁄ C OUTURE E S SENTIELLE E ST R E I A M U N D I A L

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

Conceção Olivier Saillard • Interpretação Christine Bergstrom, Axelle Doué, Claudia Huidobro, Anne Rohart • Colaboração Gaël Mamine • Conceção sonora Mode-F • Produção Studio Olivier Saillard • Coprodução Teatro Municipal do Porto, Centre National de la Danse • Duração aprox. 50 mins.

PERFORMANCE FRI 17 TH 9:30 PM & SAT 18 TH MAR⁄ 7 PM Every gesture, every enterprise, every outcome is the manifestation and questioning of a system of fashion that we want to examine somewhere else. If we want to produce a fashion collection, we create it around a dance studio. If we want to present a fashion show, we plan it externally, outside the established circuits, outside fashion. If our aim is to produce and publicise the collection, we organise a showroom performance where what is for sale may not be the clothes per se. Neither brand nor label, this collection is an SOS to the world of fashion. It is the result of the work of novice seamstresses, qualified machine operators, who came to attention in famous establishments. — Olivier Saillard Olivier Saillard is currently director of Palais Galliera, the Museum of Fashion in Paris. An acknowledged fashion historian, he has curated prominent international exhibitions on fashion, amongst which “Alaïa puis Jeanne Lanvin”, at the Palais Galliera; “Paris Haute Couture”, at the Hôtel de Ville de Paris; “Madame Grès, la couture à l’œuvre’, at the Musée

tifs) ; “Yohji Yamamoto, juste des vêtements” (Arts

Bourdelle ; “Christian Lacroix, histoires de mode”

Déco), “Andy Warhol et la mode” (Musée de la Mode,

(Arts Décoratifs); “Yohji Yamamoto, juste des vête-

Marseille), entre muitas outras. É autor de uma obra

ments” (Arts Déco) ; and “Andy Warhol et la mode”

literária abrangente nesta área, “Histoire idéale de la

(Musée de la Mode, Marseille). He is the author of a

mode contemporaine” (Edition Textuel), através do

comprehensive literary work in this area.

qual Olivier Saillard identificou e analisou os maiores desfiles dos anos 70 até ao presente. Como parte do Festival de Outono, criou três performances com a atriz Tilda Swinton: “The Impossible Wardrobe” (2012), “The Eternity Dress” (2013) e “Cloakroom” (2014). Em 2015, criou “Models Never Talk” com a participação de sete modelos convidadas e as suas memórias, que foi apresentado em Nova Iorque.

PAR ALELO

PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PE RFO RMATI VAS

Q UI 1 6 MAR ⁄ DAS 1 4 H 3 0 ÀS 1 6 H 3 0 WORKSHOP C O M O LI V I E R SAI LL ARD ⁄ Modatex – Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil, Vestuário, Confecção e Lanifícios APOIOS:

Olivier Saillard propõe criar um espaço de trabalho aberto. Será um encontro à volta do gesto e da deambulação entre modelos e alunos. • Olivier Saillard’s idea with this workshop is to create an open working space. The focus will centre on gesture and the interaction between models and students Nº máximo de participantes 20 Destinatários Alunos da Modatex

S AL ÃO Á R A B E D O PA LÁ C I O DA B O LS A 1 0,0 0 EUR • C L A S S I F I CA Ç Ã O ETÁ R I A A D E F I N I R

Imagem © Direitos Reservados

• SE X 1 7 MAR C ONVERSA P ÓS- E SP E T Á C ULO C O M B ÁRBAR A C O UTI NH O Diretora do MUDE – Museu do Design e da Moda Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

Cada gesto, cada empresa, cada resultado é a manifestação e a contestação de um sistema de moda, que queremos examinar noutro local. Se pretendemos fazer uma coleção de moda, criamo-la a partir de um estúdio de dança. Se queremos apresentar um desfile de moda, programamo-lo no exterior, fora dos circuitos estabelecidos, fora da moda. Se a nossa intenção é produzir e divulgar esta coleção, organizamos um showroom performance onde o que está à venda pode não ser a roupa propriamente dita. Nem griffe, nem etiqueta, esta coleção é um “S.O.S.” ao mundo da moda. Resulta do trabalho de principiantes da costura, operárias e operários qualificados, que se foram revelando em casas famosas. Apela às nossas memórias de modas, procura uma arte da aparência, no seio da qual o gesto, a palavra e o vestuário já são trajes. O resultado é uma coleOlivier Saillard é atualmente o diretor do Palais ção de roupas-memórias, objetos, Galliera, o Museu da Moda de Paris, em França. Rede peças de roupa e de segmenconhecido historiador de moda, é comissário de grandiosas exposições na área da moda a nível mundial, tos corporais em que a história da como “Alaïa puis Jeanne Lanvin”, no Palais Galliera; moda oficial, mas também íntima “Paris Haute Couture” no Hôtel de Ville de Paris; “Mae quotidiana, funciona como madame Grès, la couture à l’œuvre” no Musée Bourdelle, terial de criação. — Olivier Saillard “Christian Lacroix, histoires de mode” (Arts Décora-

(FRANÇA)


64

65

T E AT RO S E X 24 M A R ⁄ 2 1 H 3 0 SÁB 25 MAR ⁄ 19H00

EL C ONDE DE TORREFIEL

( E S PA NH A )

THE ATRE F RI 24 TH ⁄ 9: 3 0 PM & SAT 25 TH MAR ⁄ 7 PM

PAR ALELO

Ten landscapes that head the public towards the

PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PE RFO RMATI VAS

darkness and the violent territories of people’s minds. This is followed by a woman’s voice and four performers in movement, their actions not appar-

⁄ L A PO SIBILIDAD QUE DE SAPARECE FRENTE AL PAISA JE E ST R E I A NAC I ONA L

Q UA 22 MAR ⁄ 11 H 0 0 ENC ONT RO C O M ALUNO S DAS ARTE S PE RFO RMATI VAS

ently connected to the spoken and/or projected text.

scale, a playroom in which four people are able to

Teatro Rivoli

make the sense of their actions transcend, decon-

structing the dictates of so-called “normal behav-

Q UA 22 MAR ⁄ DAS 1 8 H 3 0 ÀS 20 H 3 0 WORKSHOP DR AMATURGI A NAS ARTE S PE RFO RMATI VAS C O NTE MPO RÂNE AS

polished aesthetic, under which is hidden the wild

The show is presented on an elegant and inoffensive

iour”. It draws up a behavioural map comprising a territory of the mind, a territory of perversion and fear, where moral laws are weak and do not control

O que significa a dramaturgia num espetáculo contemporâneo? Este

encabeçado por Tanya Beyeler (Suíça, 1980) e Pa-

workshop tem como objetivo observar as possibilidades de desenvolvi-

blo Gisbert (1982). Ambos estudaram Teatro e Fi-

mento, contextualização e execução de uma ideia, de forma a estruturar

losofia, mas sempre se interessaram por música e

a criação e a entender a composição dramatúrgica. Durante as duas horas

dança contemporânea, tendo colaborado, com re-

de duração deste workshop, serão analisadas várias peças significativas a

gularidade, com a companhia de dança La Veronal

fim de compreender a composição dramática que as consolida. • During

no trabalho dramatúrgico. São, hoje, dramaturgos,

the two hours of the workshop, various important plays will be looked at

músicos, performers e videastas / realizadores. As

to try and understand their dramatic composition. Important aspects in

suas criações – com assinatura da sua companhia –

dramatic structure will be examined from a theoretical point of view and

são marcadas pela componente textual e visual, onde

short creative exercises proposed.

o teatro, a coreografia, a literatura e as artes visuais Destinatários Público interessado nas Artes Performativas,

coexistem. A companhia iniciou a sua atividade em 2010 com o espetáculo “La Historia del Rey Venci-

profissionais e estudantes

do por el Aburrimento”, tendo apresentado os seus

Número máximo de participantes 15 Inscrição prévia para paralelo.tmp@cm-porto.pt

trabalhos por toda a Europa.

Gratuito mediante apresentação de bilhete para o espetáculo “La Posibilidad que Desaparece Frente al Paisaje”

Em estreia nacional em Portugal, “La Posibilidad que Desaparece Frente al Paisaje” é um espetáculo para ser lido e pensado, criado com base num livro aberto, onde o imperceptível mundo de atmosferas, pensamentos e memórias são descritos. O ambiente é organizado como um modelo, um jogo ingénuo de agradáveis e frágeis representações. Num primeiro momento, um palco vazio surge perante o público, onde um ecrã de grandes dimensões leva o público por uma viagem narrativa ao longo de dez cidades europeias. Dez paisagens que dirigem o público para a escuridão e para os territórios violentos da mente das pessoas. Segue-se uma voz feminina e quatro intérpretes em movimento, onde as ações não aparecem ligadas ao texto falado e/ou projetado. O espetáculo é apresentado numa escala elegante e inofensiva, uma sala de jogos onde quatro pessoas são capazes de transcender o sentido das suas ações, desconstruindo os ditames do chamado “comportamento regular”. Elabora um mapa comportamental composto por uma estética apurada, por baixo da qual se esconde a terra selvagem da mente, um território de perversão e medo, onde as leis morais são fracas e não controlam o carácter humano descontrolado.

Especialista em estudos sobre Utopia da Universidade do Porto

• SÁB 24 & SÁB 25 EU TA MBÉM VOU! PAI SAGE NS Dos 5 aos 10 anos • 2€ por criança Monitor Ricardo Barbosa Serviço de babysitting performativo mediante marcação prévia. A atividade começa 15 minutos antes do início do espetáculo e termina após o mesmo. Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

Imagens © Cláudia Pajewski

G R AN DE AU D I TÓ R I O M O • R I VO LI 1 0,0 0 E U R • M /1 6

SE X 24 MAR C ONVERSA P ÓS- E SP E T Á C ULO C O M FÁTI MA V I E I R A

Conceção El Conde de Torrefiel com a colaboração dos performers • Direção e Dramaturgia Tanya Beyeler e Pablo Gisbert • Texto Pablo Gisbert • Desenho de Luz Octavio Más • Cenografia Jorge Salcedo • Música Rebecca Praga e Salacot • Som Adolfo García • Coreografia Amaranta Velarde • Interpretação: Tirso Orive Liarte, Nicolás Carbajal Cerchi, David Mallols, Albert Pérez Hidalgo • Imagens Claudia Pajewski, Ainara Pardal • Coprodução Festival TNT Terrassa, Graner Espai de Creació de Barcelona, El Lugar sín Límites / Teatro Pradillo / CDN Madrid • Com o apoio de Programa IBERESCENA, La Fundición de Bilbao, ICEC – Generalitat de Catalunya, Antic Teatro de Barcelona, Institut Ramón LLull • Duração aprox. 1h15

El Conde de Torrefiel is a Barcelona-based project, headed by Tanya Beyeler (Switzerland, 1980) and Pablo Gisbert (Spain, 1982). The two studied Theatre and Philosophy are also interested in music and contemporary dance. As theatre authors, musicians, performers, and video-makers, their creations seek a visual and textual aesthetic wherein theatre, choreography, literature, and the visual arts coexist.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

uncontrolled human character. El Conde de Torrefiel é um projeto de Barcelona,


66

M Ú S I CA S E X 24 M A R ⁄ 2 3 H 0 0

NOCTURNAL EMIS SIONS

LUÍS ME STRE ⁄ TE ATRO NOVA EUROPA

( R E I NO U NI D O )

⁄ UNDERSTAGE

⁄ NOITE DE OUTONO

E ST RE IA NACIO NA L • PA RC E R I A C OM M AT É R I A P R I M A E A N D R ÓM E DA

E STRE I A ⁄ C O PRO DUÇÃO

“Noite de Outono”, a primeira de quatro noites da “Tetralogia das Estações” do dramaturgo Luís Mestre, é uma celebração de um corpo em fim de linha, em perda irremediável de si mesmo. Um homem de teatro, isolado, fragmentado, já sem forças, em plena crise das suas faculdades criativas, tem momentaneamente por companhia e testemunha inesperada uma jovem mulher. Este noturno é atravessado por diferentes momentos de perturbação e deslocamento: um encontro entre a arte, com o seu sacrifício e violência, e a vida mundana, repleta de acontecimentos banais. Neste drama íntimo irá encontrar nostalgia, fotografia, música, Eurípides, recortes do quotidiano e rompimentos de alguns tratados canónicos.

A génese de Nocturnal Emissions remonta ao final da década de 1970, banda formada nessa época por Nigel Ayers, o seu irmão Daniel, e Caroline K. Este projeto experimental/industrial, para além de ter granjeado um estatuto de culto similar aos seus compatriotas Throbbing Gristle, Nurse With Wound e Coil, foi a única banda a dar um concerto no meio dos históricos motins de Brixton, no subúrbio Sul de Londres, em Abril de 1981. Nas décadas subsequentes, Nocturnal Emissions transformou-se no veículo de expressão artística de um só homem, Nigel Ayers. Atualmente, Nocturnal Emissions define-se como um projecto de sound art que cruza diversos estilos musicais, como a electroacústica, música concreta, sound collage, post-industrial, ambient e noise. Em quase quatro décadas de atividade contínua, 2017 marca a estreia de Nocturnal Emissions nos palcos nacionais.

THE AT R E T H U 3 0 TH & FRI 31 ST ⁄ 9: 3 0 PM SAT 1 ST APR ⁄ 7 PM “Noite de Outono” (Autumn Night), the first of four nights of the “Tetralogy of the Seasons” by the playwright Luís Mestre, is the celebration of a body at the end of the line, facing its irremediable loss. A man of the theatre, isolated, fragmented, already without strength, his creative powers in crisis, briefly has the company and unexpected witness of a young woman. Luís Mestre (1974) is a playwright, theatre director, translator, resident teacher at Balleteatro Escola Profissional and researcher-collaborator at the Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (ILCML-FLUP). As a playwright he has received sever-

Luís Mestre (1974) é dramaturgo, encenador, tradu-

al national and international prizes and awards and

tor, professor residente do Balleteatro Escola Profis-

is thus currently one of the Portuguese playwrights

sional e investigador colaborador do Instituto de Li-

with most awards. He has been the artistic director

teratura Comparada Margarida Losa (ILCML-FLUP).

of Teatro Nova Europa since 2004.

Como dramaturgo recebeu vários prémios e distinções nacionais e internacionais tornando-se assim num dos

Texto e Encenação Luís Mestre • Interpretação Ana Moreira, António Durães • Cenografia Ana Gormicho • Desenho de Luz Joana Oliveira • Figurinos TNE • Operação de Luz Joana Oliveira • Produção Patrícia Vale • Crédito de Fotografia TNE

autores dramáticos portugueses mais premiados da atualidade. Tem diversas publicações dos seus textos dramáticos em português, inglês e castelhano. É diretor artístico do Teatro Nova Europa desde 2004. MUSIC FR I 24 TH M AR ⁄ 11 PM Nocturnal Emissions was formed by Nigel Ayers, his

• Coprodução Teatro Municipal do Porto, Teatro Nova Europa • Apoio Visões Úteis, Casa das Artes de Famalicão, Teatro Académico Gil Vicente, Teatro Íntimo • Duração aprox. 1h

brother Daniel and his friend Caroline K in the late 70s from the ashes of their former band, The Pump.

PAR ALELO

This experimental/industrial project, besides gaining cult status similar to that of British bands such as Throbbing Gristle, Nurse With Wound and Coil, was the only band to play a gig during the historic

SÁB 1 AB R ⁄ 1 6 H 0 0 ENC ONT RO DE DR A MAT URGO S AUDI TÓ RI O I AC • RI VO LI

PRO GR AMA DE APROXI MAÇÃO ÀS ARTE S PER FOR MATIVAS

ANA ME NDE S , JACI NTO LUCAS PI RE S , J O RGE LO UR AÇO FI GUE I R A , LUÍ S ME STRE & MI CK AE L DE O LI V E I R A

Q UI 30 MAR C ONVERSA P Ó S-E SPE TÁCULO C O M RO S SANA MENDE S FONSECA

Brixton riots, in April 1981. In later decades, Nocturnal Emissions was transformed into a vehicle for the artistic expression of a single person, Nigel Ayers.

Imagem © TNE

S U B - PA LC O • R I VO LI 5,0 0 E U R • M /1 2

Imagem © Direitos Reservados

Fotógrafa e Escritora

MO DE R ADO PO R CARLO S C O STA ( V I SÕ E S ÚTE I S)

Informações paralelo.tmp@cm-porto.pt

AUDIT ÓRIO IAC • RIVOL I 5,00 E UR • M /16

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

67

TE ATRO QUI 30 & SE X 31 MA R ⁄ 2 1H30 SÁ B 1 A BR ⁄ 19H00


68

DANÇA SE X 31 MA R ⁄ 2 1H30

QUINTAS DE LEITUR A

FÁBIO LOPE S

⁄ À PROCUR A DO LUG AR FELIZ

⁄ S OMBR AS BR ANCAS

O poeta Jorge Sousa Braga verteu para português 78 poemas de autores de todo o mundo sobre um tema inusitado: os anjos. Um trabalho admirável e cirúrgico que será objeto de uma conversa entre Jorge Sousa Braga e Fernando Alves, prestigiado radialista da TSF e autor de “Sinais”, programa que revolucionou a forma de dizer e fazer rádio em Portugal. A sessão, intitulada “Sombras Brancas”, revelará, nas vozes de Clara Andermatt, Crista Alfaiate e António Durães, poemas de autores como Wislawa Szymborska, Roger McGough, Lawrence Ferlinghetti, Bertold Brecht, Heiner Muller, Jacques Prévert, entre muitos outros. A imagem da sessão, baseada neste tema inspirador, é assinada por Marta Madureira. Qual “Cabaret Voltaire”, caracterizado pela sua rebeldia, o Teatro Campo Alegre servirá de palco a um momento de dança do varão e à expressividade de Natasha Semmynova (drag, performer e cantora). E no fim disto tudo, a presença de Lula Pena. Uma voz e uma guitarra desafiando o silêncio. Temas de “Phados” e “Troubador” no repertório.

E STRE I A ⁄ C O PRO DUÇÃO • PALC O S I NSTÁV E I S ⁄ C O MPANH I A I NSTÁV E L

DAN C E FRI 31 ST MAR ⁄ 9: 3 0 PM “Character (nameless): The construction of an anonymous identity in a place of distraction”; and/ or “Character (nameless): The hiding of an identity in a place of distraction.” and/or “Character (nameless): The body as a receptacle for different identities LITER ATUR E THU 30 TH M AR ⁄ 10 PM

in a place of distraction. “What place is this? What right is there to desire?” — Fábio Lopes

The poet Jorge Sousa Braga translated into Portuguese 78 poems by authors from all around the

Fábio Lopes was born in 1991. He studied for a

world on an unusual theme: angels. A remarkable

degree in Theatre (Performance) (ESMAE) and,

and surgical task that will be the subject of the con-

through the mobility programmes, for the degree

versation between Jorge Sousa Braga and Fernando

Fábio Lopes nasceu em 1991. Frequentou a licen-

in Dance (ESD) and the Choreography and Perfor-

Alves, prestigious DJ on TSF and creator of “Sinais”,

ciatura em Teatro, Ramo – Interpretação (ESMAE),

mance course at Falmouth University (UK). He is

a programme that revolutionised radio in Portugal.

através de programas de mobilidade frequentou a li-

currently studying for an MA in Contemporary Ar-

The session, entitled “Sombras Brancas” (White

cenciatura de Dança (ESD) e o curso Choreography

tistic Practices (FBAUP). He has presented work in

Shadows), will reveal, through the voices of Clara

and Performance na Falmouth University (Reino

his own name since 2013.

Andermatt and António Durães, poems by authors in-

Unido). Atualmente frequenta o mestrado Práticas

cluding Wislawa Szymborska, Roger McGough, Law-

Artísticas Contemporâneas (FBAUP). Desde 2013

rence Ferlinghetti, Bertold Brecht, Heiner Muller,

apresenta os seus trabalhos em nome próprio.

Jacques Prévert, among many others. The session image, based on this inspiring theme, is by Marta Madureira. Like a “Cabaret Voltaire”, characterised by its rebelliousness, Campo Alegre will act as a stage

“Personagem (sem nome): A construção de uma identidade anónima num lugar de distração”; e/ou “Personagem (sem nome): A ocultação de uma identidade num lugar de distração.” e/ou “Personagem (sem nome): O corpo enquanto recetáculo de várias identidades num lugar de distração. “Que lugar é este? Que direito há ao desejo?” — Fábio Lopes

for a moment of striptease and expressivity by Natasha Semmynova (drag artist, performer & singer). And at the end of all this, the presence of Lula Pena.

Jorge Sousa Braga Fernando Alves Clara Andermatt Crista Alfaiate António Durães Natasha Semmynova Lula Pena Marta Madureira

Imagem © Direitos Reservados

Imagem © Marta Madureira

AUDI TÓ R I O • CA M P O A LE G R E 7,5 0 E U R • M /1 6

Direção artística e Interpretação Fábio Lopes • Desenho de Luz Eduardo Pousa • Apoio à residência Companhia Instável • Duração aprox. 45 mins

S A L A-E ST ÚDIO • CA M P O A L E GRE 5,00 E UR • M /16

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

69

L I T E R AT U R A QU I 3 0 M A R ⁄ 2 2 H 0 0


70

CAFÉ LITERÁRIO

PROJETOS CONTINUADOS

L I TE R A RY CA F É

ONGOING PROJECTS

C ONHECE O MEU VIZINHO?

OFICINA DO E SPECTADOR

FORTUNA

Este projeto do Teatro Municipal do Porto conta com

O Teatro Municipal do Porto desafiou alguns alunos

a participação dos vizinhos do Teatro Rivoli. Localiza-

do Ensino Secundário de diferentes escolas da cidade

do no centro do Porto, faz parte de uma cidade que,

a assistir, de uma forma regular, aos espetáculos da

AP R E SE N TA Ç Ã O DO L I VRO DE A NA M A R

à semelhança de muitas outras localidades, se tem

sua programação. Para além de uma simples vinda

transformado ao longo dos anos, levando a algumas

ao Teatro, estes alunos têm ainda a possibilidade de

alterações nos hábitos e vivências daqueles que aqui

realizar algumas atividades exclusivas relacionadas

trabalham ou habitam. Este projeto pretende assim

com os espetáculos a que assistem (encontros com os

trazer para palco os “nossos” vizinhos, levar os es-

artistas, oficinas, ensaios,...). Este projeto visa pro-

Anamar, mais conhecida pelo seu percurso artístico

pectadores a conhecer as suas profissões, a partilhar

mover o questionamento e a aproximação às artes

e criativo, em especial nas artes do espectáculo e na

as suas cumplicidade e a descobrir um pouco mais

performativas. • Teatro Municipal do Porto challen-

música, publica agora o seu primeiro livro. “Fortuna”

sobre o que é ser “vizinho”. O Rivoli será o ponto de

ged secondary school students from various schools

é uma viagem poética e espiritual, um testemunho

encontro, o lugar onde todos os vizinhos se cruzam,

in the city to regularly attend performances from its

se observam, se conhecem. A apresentação pública

programme. Besides a simple visit to the theatre,

do projeto terá lugar no Teatro Rivoli, a 7 e 8 de ju-

these students will also be offered exclusive activi-

lho de 2017, e contará com encenação de Hugo Cruz

ties related to the shows that they watch (meetin-

e cenografia de Hugo Ribeiro. • This Teatro Muni-

gs with the artists, workshops, rehearsals, ...). This

cipal do Porto project has neighbours of Teatro Ri-

project aims to encourage questioning and a closer relationship with performance arts.

Q U I 2 F E V ⁄ 1 8H 3 0

Café-Teatro • Campo Alegre • Entrada Gratuita

VINTE MINUTO S

vivo e uma reflexão intimista sobre a vida e o muito que somos, levando-nos ao lugar do emaravilhamento perante o melhor de nós próprios. Afonso Cruz e outro orador convidado apresentam o livro. Pedro Lamares, Isabel Medina e Anamar lêem excertos da obra. A autora reserva ainda um momento especial.

Este é um programa do Teatro Municipal do Por-

voli as its participants. This project seeks to put on

• Anamar, better known for her artistic and creati-

to que se destina a alunos finalistas do ano letivo

stage “our” neighbours, to tell the audience about

2016/2017, das escolas artísticas do Porto: ACE –

their professions, to share their complicity and to

Q U I 1 6 M A R ⁄ 1 8H 3 0

Escola das Artes; BALLETEATRO; ESAP Escola Su-

discover a little bit more about which it is like to be

E XERCÍCIO S DE DIZER

perior Artística do Porto; ESMAE – Escola Superior

a “neighbour”. The Rivoli will be a meeting place, a

de Música, Artes e Espectáculo. Tem como objetivo a

place where all neighbours meet, observe each other,

apresentação de novas criações desenvolvidas e inter-

get to know each other. The public presentation of

pretadas exclusivamente por alunos. Nesta primeira

the project will be at Teatro Rivoli, on 7 and 8 July

edição foram selecionados projetos de cada uma das

2017, directed by Hugo Cruz and with set design

O P O E M A E N SI NA A CA I R

escolas envolvidas: “A NAVE DOS LOUCOS”, da ES-

by Hugo Ribeiro.

ve career, especially in the performing arts and in

and an intimate reflection on life and on how much we are, leading us to the place of wonder towards the best of ourselves. Afonso Cruz and another guest speaker present the book. Pedro Lamares, Isabel Medina and Anamar read excerpts from the work.

MAE; “COSTURAR SETE VAZIOS”, do BALLETEATRO, “ESTE SILÊNCIO”, da ESAP; e “RESPIRAR

Foyer • Campo Alegre • Entrada Gratuita

RESPIGAR”, da ACE – Escola das Artes. A apresenJuntam-se a este exercício três elementos saídos dos

tação destas propostas decorrerá a 29 de setembro,

Laboratórios de Leitura Poética do Teatro Municipal

às 18h00, e a 30 de setembro, às 16h00, no Teatro Ri-

do Porto – Cristiana Sabino, Manuela Gomes e Jor-

voli. • This is a Teatro Municipal do Porto program-

ge Pereira - para dizerem poemas emulsionantes de

me for 2016/2017 final-year students at art schools

autores perdidos no tempo. • This exercise is joined

in Porto: ACE – Escola das Artes; BALLETEATRO;

by three people from the Laboratories of Poetic Rea-

ESAP Escola Superior Artística do Porto; ESMAE –

ding of the Teatro Municipal do Porto. – Cristiana

Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo. Its

Sabino, Manuela Gomes and Jorge Pereira - to read

aim is the presentation of new creations developed

emulsifying poems by authors lost in time.

and performed exclusively by students. These proposals will be presented on 29 September, at 18.00, Imagem © José Caldeira

is a poetic and spiritual voyage, a living testimony

Imagem © Direitos Reservados

music, is now publishing her first book. “Fortune”

and on 30 September, at 16.00, in Teatro Rivoli.

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

A programação de Literatura do Teatro Municipal do Porto não se esgota nas “Quintas de Leitura”. Com efeito, numa perspetiva de complementaridade, dar-se-á vida, a partir de fevereiro de 2017, a um Café Literário a funcionar no foyer do Teatro Campo Alegre. Será um espaço para lançamentos de livros, conversas e tertúlias com as novas veias comunicantes da literatura portuguesa, o palco privilegiado para alguns exercícios de dizer e experiências várias de “spoken word”. • The Literature programme at the Teatro Municipal do Porto is not limited to “Quintas de Leitura”. Indeed, from a perspective of complementarity, from February 2017, Literary Café will be operating in the foyer of the Teatro Campo Alegre.

71


ERVA DANI NHA

73

A companhia Erva Daninha tem como missão a criação de circo contemporâneo, explorando o diálogo entre diferentes expressões das artes performativas. Desde 2009, o trabalho da companhia centra-se na

CAMPO ABERTO

investigação de novas formas de fazer e apresentar circo, procurando elevar o virtuosismo a uma forma de comunicação de ideias e emoções por excelência. A Erva Daninha é uma das poucas companhias portuguesas dedicadas, em exclusivo, à experimentação

⁄ PROGR AMA DE RE SIDÊNCIAS ARTÍSTICAS

e criação do circo. • The mission of Erva Daninha is the creation of contemporary circus, exploring the combination of different expressions in the performing arts. Since 2009, the work of the company is focused on the research of new ways of making and presenting circus, elevating its mastery to a distinct way of communicating ideas and emotions. Erva Daninha is one of the few Portuguese companies exclusively dedicated to circus experimentation and creation.

RE SIDÊNCIAS Campo Aberto – Programa de Residências Artísticas é um dos pilares da programação do Teatro Municipal do Porto, dirigido a várias companhias, projetos e artistas. No Teatro Campo Alegre, sete estruturas da cidade desenvolvem residências de longa duração que comportam espaços de produção, ensaios e apresentação. Estão representadas cinco áreas diferentes – dança, teatro, música, cinema e novo circo – transformando o Campo Alegre num autêntico laboratório criativo. As estruturas residentes são: Casa da Animação, Companhia Instável, Drumming Grupo de Percussão, Erva Daninha, Medeia Filmes, Nome Próprio e Teatro Experimental do Porto. As residências de curta duração têm lugar nos dois polos do Teatro Municipal, trazendo à cidade artistas de várias latitudes que, mais tarde, apresentam as criações resultantes destes momentos de trabalho.

www.ervadaninha.pt

A Companhia Instável surgiu no Porto como resposta à necessidade de criar opções de valorização do intér-

M ED EI A F I L M E S

prete de dança contemporâneo. Foi criada uma companhia que, no seu nome, encerra a contradição em

Há mais de 20 anos a exibir cinema em Portugal e há

que trabalha: companhia enquanto elemento cons-

dez anos no Teatro Campo Alegre, a Medeia Filmes

tante e estabelecido e instável enquanto referência

aposta na qualidade e diversidade, com estreias em

à mutação característica da criação contemporânea.

exclusivo, privilegiando o cinema europeu, o cinema

O projeto assenta num modelo que tem, no seu cen-

independente americano, o “cinema do mundo”, di-

A Casa da Animação nasceu em 2001, com o apoio

tro, a vontade de dar oportunidades de experimentar,

vulgando as mais variadas cinematografias e exibin-

da Capital Europeia da Cultura – Porto 2001 e da Câ-

praticar e divulgar linguagens coreográficas pertinen-

do os melhores filmes selecionados e premiados nos

mara Municipal do Porto. Conta, desde 2002, com

tes a cada tempo da dança contemporânea. • Com-

mais importantes festivais de cinema. • Medeia Film-

o apoio do Instituto de Cinema e do Audiovisual e

panhia Instável was created in Porto as a response

es has been showing films in Portugal for more than

da autarquia para promover e divulgar a animação

to the need to provide options to improve the skills

20 years, and at Teatro Municipal Campo Alegre for

nacional e internacionalmente. Em 2014 integra-se

of contemporary dancers. The company was given

10. Medeia privileges quality and diversity, with ex-

no Teatro Campo Alegre, passando a desenvolver as

a name that captures the contradiction of its exist-

clusive premieres, focusing on European, American,

suas atividades regulares nos dois edifícios do Teatro

ence: a company as a permanent and established el-

independent and World cinema. Showing different

Municipal do Porto: Rivoli e Campo Alegre. • Casa da

ement, but unstable (instável) like the ever changing

cinematographies and a selection of films from the

Animação came to life in 2001, with the support of

conditions in contemporary creation. The project

most important film festivals.

the European Capital of Culture Porto 2001 and the

is based on a will to experiment, practice and pro-

Municipality of Oporto. Since 2002 it has the sup-

mote pertinent choreographic languages for every

port of Instituto do Cinema e do Audiovisual and of

moment in time.

CASA DA A NIMA Ç Ã O

the municipality, to promote Portuguese animation films in Portugal and abroad. In 2014 it moved to Te-

www.companhiainstavel.pt

www.medeiafilmes.com

NO M E PR Ó PR I O

atro Municipal Campo Alegre, developing its regular Campo Aberto – Artist Residencies Programme

A Nome Próprio é uma estrutura dedicada à produ-

activities in the 2 hubs of Teatro Municipal do Porto.

is one of the pillars for the artistic development of

www.casa-da-animação.pt

several companies and artists. In Teatro Municipal

DRUMMING – GRUP O DE P ERC US SÃ O

ção e promoção de projetos artísticos, sobretudo de dança contemporânea e teatro. Fundada em 2000

Vocacionado para a música contemporânea e de por-

por Victor Hugo Pontes, coreógrafo e encenador, que

op long-term residencies, comprising production fa-

tas abertas a todos os mundos sonoros, o Drumming–

assegura a direção artística, as suas atividades in-

cilities, rehearsal studios and stage presentations.

Grupo de Percussão (DGP) afirma-se como um dos

tensificaram-se a partir de 2010. Desde a sua funda-

Five areas will be represented, turning Campo Alegre

mais importantes coletivos do género a nível inter-

ção, produziu diversos espetáculos, entre os quais “A

into a real creative lab with Casa da Animação, Com-

nacional. Fundado e dirigido por Miquel Bernat, o

Ballet Story” (espetáculo de dança do Ano 2012, Pú-

panhia Instável, Drumming Grupo de Percussão,

grupo institui-se em 1999, aliando a necessidade de

blico e Expresso), “Zoo”, “Fall”, “Coppia” e “Orlando”.

Erva Daninha, Medeia Filmes, Nome Próprio and

tocar ao vivo com a vontade de mostrar o trabalho

Para além da circulação de alguns destes projetos,

Teatro Experimental do Porto. The short-term resi-

de formação desenvolvido na EPME (1° Curso Pro-

a Nome Próprio tem em curso novas criações, com

dencies take place in the two hubs of Teatro Munici-

fissional na área de Percussão) e na ESMAE (1° Cur-

estreias em 2016 e 2017. • Nome Próprio is a struc-

pal, bringing to Porto artists from different latitudes,

so Superior de Percussão em Portugal). • Devoted to

ture dedicated to the production and promotion of

which later on will present the work resulting from

contemporary music and open to all sound spheres,

artistic projects, mainly contemporary dance and

these residencies.

Drumming - Grupo de Percussão (DGP) is interna-

theatre. Founded in 2000 by Victor Hugo Pontes -

tionally established as one of the most important

choreographer, theatre director and artistic direc-

groups of its kind. Founded and directed by Miquel

tor of the structure - the activities of Nome Próprio

Bernat, the collective appears in 1999, connecting

have intensified since 2010.

CA MP O A B ERTO ⁄ A RTI ST R E S I D E NC I E S P RO G R A M M E

Imagem © José Caldeira

Campo Alegre, seven companies and projects devel-

the need to perform live with the will to show the training work developed at EPME (1st Professional Course in Percussion). www.drumming.pt

www.facebook.com/nomeproprio

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

DE LONG A DUR A Ç Ã O ⁄ LO NG TE RM RE SI DE NCI E S

C OMPA NHIA INST Á VEL


74

75

T E AT RO E XPER IM EN TAL DO PORTO ( T EP) É a mais antiga companhia teatral portuguesa em funcionamento, tendo estreado o primeiro espetá-

RE SIDÊNCIAS D E C U RTA DU R A Ç Ã O ⁄ SH O RT T E R M R E S I D E N C I E S

DO T E AT RO MUNIC IPA L DO P ORTO EM C IRC UL A Ç Ã O

ENSAIO S GER AIS S OLIDÁRIO S

No âmbito do projeto “Noite de Outono”, uma copro-

culo em 1953. Sob a direção artística de António

dução do Teatro Municipal do Porto, com estreia a 30

Pedro (1953-1961), o TEP foi uma companhia per-

de março de 2017 no Auditório Isabel Alves Costa do

cursora do teatro moderno em Portugal. Em 1978 foi

C OPRODUÇÕE S

D E 21 A 25 FE V LU Í S M E STR E ⁄ TE ATRO N OVA E UROPA R I VOL I

Teatro Rivoli. • Under the project “Noite de Outono”,

D E 9 A 1 3 JA N C L Á U DI A DI AS CA M P O A L E G R E P O RTA S A BE RTA S : 1 3 JA N ⁄ 1 8 H3 0

a co-production by Teatro Municipal do Porto, due

mental do Porto is the oldest Portuguese theatre

No âmbito do projeto “Terça-Feira”, uma coprodu-

dezembro de 2010. Esta iniciativa propõe que o en-

company. Their first production was in 1953. Di-

ção do Teatro Municipal do Porto, com apresenta-

rected by António Pedro (1953-1961), TEP was a

ção prevista no Festival DDD – Dias da Dança 2017.

leading company of modern theatre in Portugal. In

• Under the project “Terça-Feira”, a co-production

2012, Gonçalo Amorim assumed the artistic direc-

by Teatro Municipal do Porto, due to be presented

D E 28 FE V A 5 M A R DE 7 A 18 MAR JOA NA VO N M AY E R TR I N DA D E R I VOL I & CA M P O A L E G R E P ORTA S A BE RTA S : 1 M A R ⁄ 1 8 H30

tion, being its resident stage director since 2010.

at Festival DDD – Dias da Dança 2017. No âmbito do projeto “Da insaciabilidade no caso ou

an initiative which proposes that the dress rehearsal

cofundador do FITEI. Em 1999, e após um incêndio nas suas instalações, transferiu-se para Vila Nova de Gaia, onde esteve até dezembro de 2014. Em 2012, a direção artística foi assumida por Gonçalo Amorim,

to be premiered in March 30, 2017 at Auditorium Isbale Alves Costa of the Teatro Rivoli.

O Ensaio Geral Solidário nasce de uma proposta de Luís Moreira à Companhia Nacional de Bailado, em

www.cct-tep.com

saio geral de determinado espetáculo ou artista, seja potenciado em benefício de instituições de solidariedade social, através da cedência de bilhetes, que a instituição por seu turno disponibiliza aos seus associados e ao público. • Dress Rehearsal for Charity is

ao mesmo tempo um milagre”, uma coprodução do

for a specific show or artist should be designed to

NOIT E CI RC O L ANDO

FILHO S DAS MÃ E S MARTI M PE DRO S O

po um milagre”, a co-production by Teatro Munici-

13 & 14 JANEIRO

9 A 18 FEVEREIRO

will thus support the organisations and bodies that

No âmbito do projeto “Un Crime” (título provisório),

pal do Porto, due to be premiered at Festival DDD

Macau City Fringe Festival

Sala Mário Viegas, São Luiz Teatro Municipal

apply and the causes they hope to support indirectly

a estrear em novembro de 2017. • Under the project

– Dias da Dança 2017.

(Macau, China)

(Lisboa, Portugal)

D E 6 A 1 4 FE V J ONATH A N CA P DE VI E LL E CA M P O A L E G R E

Teatro Municipal do Porto, com estreia prevista no Festival DDD – Dias da Dança 2017. • Under the pro-

ganisation free tickets, which then gives them to its associates and the public, Porto Municipal Council

ject “Da insaciabilidade no caso ou ao mesmo tem-

11 MARÇO

“Un Crime” (temporary title), due to be premiered

Sala Concha Velasco (Lava)

in November 2017.

D E 1 4 A 25 FE V DE 14 A 19 MAR J O NATH A N SA L DA N H A CA M P O A L E G R E P O RTA S A BE RTA S : 23 FE V ⁄ 1 8 H3 0

benefit charitable organisations. By giving the or-

D E 21 M A R A 1 A BR ( L A ) H O R DE R I VOL I P ORTA S A BE RTA S : 25 M A R ⁄ 1 8 H 3 0

(Valladolid, Espanha) •

HU(R)MA NO MARC O DA SI LVA FE RRE I R A

through the Porto Municipal Theatre.

Mais informações www.teatromunicipaldoporto.pt

L A NUIT TOUS LE S C HAT S S ON GRIS C O MPANH I A I NSTÁV E L

8 MAR ⁄ 2 1H30 ENSAI O G ER AL S O L I D ÁR I O ⁄ I TMOI ⁄ C OMPANHIA NAC IONAL DE BAIL ADO GR ANDE AUDITÓR IO MO • R IVOLI

24 & 25 FEVEREIRO Culturgest (Lisboa, Portugal)

No âmbito do projeto “To Da Bone”, uma coprodução do Teatro Municipal do Porto com estreia nacio-

31 JANEIRO

11 MARÇO

nal prevista no Festival DDD – Dias da Dança 2018.

Cabo Verde

Cine-teatro de Estarreja (Estarreja, Portugal)

No âmbito do projeto “O Poço”, uma coprodução do

• Under the project “To Da Bone”, a co-production

7 MARÇO

Teatro Municipal do Porto, com estreia prevista no

by Teatro Municipal do Porto, due to be premiered

KLAP Maison Pour La Danse

Festival DDD – Dias da Dança 2017. • Under the

at Festival DDD – Dias da Dança 2018.

(Marselha, França)

project “O Poço”, a co-production by Teatro Muni-

21 MARÇO

cipal do Porto, due to be premiered at Festival DDD

São Luiz Teatro Municipal

BROT HER MARC O DA SI LVA FE RRE I R A

(Lisboa, Portugal)

– Dias da Dança 2017.

A NOIT E CA NTA TI AGO C O RRE I A 4 & 5 FEVEREIRO Teatro Helena Sá e Costa (Porto, Portugal) 11 FEVEREIRO Teatro Diogo Bernardes (Ponte de Lima, Portugal) 18 FEVEREIRO Cineteatro Louletano (Loulé, Portugal) 26 FEVEREIRO

Imagem © José Caldeira

Imagem © José Caldeira

Fábrica das Ideias (Gafanha da Nazaré, Portugal)

24 & 25 MARÇO São Luiz Teatro Municipal (Lisboa, Portugal)

 

contacto paralelo.tmp@cm-porto.pt

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

encenador residente desde 2010. • Teatro Experi-


76

77

PÓS-GR ADUAÇÃO EM DANÇA C ONTEMPORÂNE A

AC OLHIMENTO S N O T E ATRO M U N I C I PA L DO P O RTO

DA N Ç A QU I 23 M A R ⁄ 1 6 H0 0 & 21 H0 0 I N DA N C E A B E L A A DO R M E C I DA AU D I T ÓR I O • CA M P O A L E G R E Num reino de encantar nasce a princesa Aurora! As Fadas Madrinhas a bela princesinha vêm abençoar. A Fada Lilás da maldição da Carabosse a vai salvar. 100 anos irá dormir até o Príncipe a beijar! — In-

A Pós-graduação em Dança Contemporânea é dirigida a diplomados e a profissionais em dança (bailarinos e coreógrafos) ou provenientes de outras áreas disciplinares com experiência em práticas artísticas relacionadas. Muito próxima do espírito de residência artística, a Pós-graduação em Dança Contemporânea possibilita a cada estudante a oportunidade de desenvolver e apresentar publicamente o seu projeto artístico nas áreas da coreografia, interpretação, produção, programação e mediação de públicos. A Pós-graduação tem a duração de um ano letivo – 2 semestres (60 créditos) com uma média de horas de contacto (docente/ discente) próxima das 15 horas semanais, correspondentes a um total anual de 480 horas. No final dos estudos os alunos recebem um diploma de Pós Graduação em Dança Contemporânea. Este diploma possibilita a continuação de estudos para a obtenção do grau de Mestrado.

dance • “Princess Aurora is born in an enchanted beautiful little princess. The Lilac Fairy from Carabosse’s curse will save her. She will sleep 100 years until she is kissed by the Prince!” Mais informações www.indance.pt

PENSAME NTO QUA 8 FEV ⁄ 1 9H 0 0 C ONFERÊNC IA PO RTO ACAD EMY ANNE HOLTROP E X AV IE R RO S MA JÓ ‘HARQUITE CT E S ’ GR ANDE AUDITÓRIO MO • RIVO L I

M Ú S I CA T E R 21 M A R ⁄ 21 H3 0 ORQU E STR A C L Á S SI CA DA F E U P 1 0 6 º A NI V E R S Á R I O DA U N I V E R S I DA D E D O P ORTO G R A ND E AU D I T ÓR I O M O • R I VOL I

M Ú S I CA S Á B 25 M A R ⁄ 21 H3 0 C O N SE RVATÓ R I O DE M Ú SI CA DO P ORTO P R É M I O M A DA L E NA S Á E C O STA ⁄ C ÂMAR A M U N I C I PA L D O P ORTO AU D I T ÓR I O • CA M P O A L E G R E

A Porto Academy vai apresentar oficialmente a sua

Atuação da Orquestra Clássica da Faculdade de En-

No âmbito do Concurso Interno do Conservatório de

quinta edição que se irá realizar entre os dias 20 e

genharia da Universidade do Porto (FEUP), em re-

Música do Porto foi instituído no ano de 2015, em

27 de julho. Para celebrar o acontecimento vão estar

presentação da Universidade do Porto. Concerto in-

parceria e com o patrocínio da Câmara Municipal

no Rivoli os arquitetos Anne Holtrop e Xavier Ros

tegrado nas comemorações do 106º aniversário da

do Porto, o Prémio Madalena Sá e Costa / Câmara

Majó ‘Harquitectes’, para apresentarem o seu traba-

Universidade do Porto, dirigido eminentemente à co-

Municipal do Porto. Na sua segunda edição (2016),

lho numa conferência. • Porto Academy will officially

munidade académica. A Orquestra Clássica da FEUP

este prémio foi atribuído em ex-aequo a Isabel Santos,

present its fifth edition, which will take place from

é dirigida pelo maestro José Eduardo Gomes. • Per-

em flauta, e Lia Yeranosyan, em violino, que se apre-

20-27th July. To celebrate the event, the architects

formance on behalf of the University of Porto by the

sentam em recital, acompanhadas ao piano pelos

Anne Holtrop and Xavier Ros Majó, ‘Harquitectes’,

Classical Orchestra of the Faculty of Engineering,

professores João Queirós e Cristóvão Luiz, respeti-

will make an appearance at the Rivoli to present

U.Porto (FEUP). Concert performed for the acade-

vamente. • The Madalena Sá e Costa/Porto City Cou-

their work in conference.

mic community, as part of the commemorations for

ncil Prize was set up in 2015, as part of the inter-

the 106th anniversary of the University of Porto.

nal competition of the Porto Music Conservatory, in

The Classical Orchestra of the FEUP is conducted

partnership with and sponsored Porto City Council.

by Maestro José Eduardo Gomes.

In its second edition (2016), this prize was awar-

Entidades promotoras Instituto Politécnico do Porto ⁄ Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo (ESMAE) • Câmara Municipal do Porto ⁄ Teatro Municipal do Porto Masterclasses com os coreógrafos Boriz Charmatz • Emanuel Gat • Filipa Francisco • Laurence Yadi & Nicolas Cantillon • Lisbeth Gruwez • Vera Mantero • Rashid Ouramdane (…) Corpo Docente para o ano letivo 2016/2017 Tiago Guedes e Cláudia Marisa (coordenação) Maria José Fazenda, Daniel Tércio, Luísa Roubaud, Mónica Guerreiro, Joana von Mayer Trindade, Alexandra Balona, Né Barros, Elisabete Monteiro, Stephan Jürgens, Maria de Fátima Lambert, Dina Lopes, José Reis, Carla Moreira, Paulo Covas (professores convidados) Docentes da ESMAE

ded ex-aequo to Isabel Santos on flute and Lia YeraMais informações www.up.pt

nosyan on violin, who will be giving a recital, accompanied on the piano by the teachers João Queirós and Cristóvão Luiz, respectively. Mais informações www.conservatoriodemusicadoporto.pt

Imagem © José Caldeira

Mais informações www.portoacademy.info

The Post-graduate Course in Contemporary Dance is aimed at those holding diplomas in dance or those working professionally within the field (dancers and choreographers) or from other areas with experience in related artistic practices. Very close in spirit to an art residency, the Post-graduate Course in Contemporary Dance allows students the opportunity to de-

Imagem © Direitos Reservados

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

kingdom! The Fairy Godmothers come to bless the

Mais informações para o ano letivo 2017/18 disponíveis em fevereiro no site www.esmae-ipp.pt

velop and present their projects in the areas of choreography, performance, production, programming and public mediation before an audience. The Post-graduate Course in Contemporary Dance is a one-year programme – consisting of 2 terms (60 credits) – with an average teacher-student contact time of approximately 15 hours per week, corresponding to an annual total of 480 hours. At the end of the course, students will receive a post-graduate diploma in contemporary dance. This diploma allows students to go on and complete their studies for a master’s degree.

U M A I N I C I AT I VA :


EQUIPA

INFORMAÇÕE S

78

BILHE TEIR A

RE SERVAS

C OMO CHEG AR

C Â MA R A MUNIC IPA L DO P ORTO

Espetáculos Internacionais no Grande Auditório

Os bilhetes reservados deverão ser

TE ATRO RI VO L I

Presidente Rui Moreira

MO Rivoli e Auditório Campo Alegre

obrigatoriamente levantados num período máximo

10,00 EUR

de cinco dias, após o qual serão automaticamente

Praça D. João I — 4000-295 Porto

cancelados. No caso de serem efetuadas reservas nos cinco dias anteriores à iniciativa, estas

De carro

manter-se-ão até 72 horas antes da iniciativa.

Coordenadas GPS: Latitude 41° 08’ 51” N

Espetáculos Nacionais no Grande Auditório

Não se efetuam reservas nos três dias

Longitude 8° 36’ 34” O

MO Rivoli e Auditório Campo Alegre

(72 horas) que antecedem o espetáculo.

7,50 EUR

De comboio Estação de São Bento

DE SC ONTO S

De metro Trindade ou Aliados

Espetáculos no Auditório Isabel Alves Costa

5,00 EUR

50% • Cartão de Amigo, Bilhete de Grupo

De autocarro

(min. 10 pessoas), Colaboradores da Câmara

200, 207, 302, 904, 22, 11M

Espetáculos do Programa Paralelo

30% a 60% • Instituições e empresas protocoladas

Municipal do Porto

2,00 eur preço criança

30% • Menores de 30 anos, maiores de 65 anos,

(até aos 12 anos de idade);

portadores de Cartão Jovem, profissionais do

2,00 eur por aluno, professores

espetáculo, desempregados e estudantes

(Grupos Escolares)

Rua das Estrelas s/n — 4150-762 Porto De carro

acompanhantes com entrada gratuita O programa Paralelo e as sessões de cinema não

Coordenadas GPS: Latitude 41° 09’ 03” N

se encontram ao abrigo destes descontos.

Longitude 8° 38’ 21” O

O programa Paralelo não se encontra ao abrigo dos descontos previstos. Cinema 3,00 eur Rivoli (preço único); 5,50 eur Medeia Filmes no Campo Alegre

OUTR AS INFORMAÇÕE S

Direção e Programação Geral Tiago Guedes

Adjunto Guilherme Blanc

Chefe de Divisão de Equipamentos Cénicos Stela Rato

Diretora Municipal de Cultura e Ciência Mónica Guerreiro

Assistente de Direção Francisco Malheiro

Diretora de Departamento Sofia Alves

PRO GR AMAÇÃO Programa Paralelo Dina Lopes (coord.) Rute Pimenta Quintas de Leitura João Gesta

PRO DUÇÃO TE ATRO CA M P O A L E GRE

5,00 eur preço adulto;

DI RE ÇÃO

De comboio Campanhã (e metro até Casa da Música) De metro Casa da Música

Cristina Oliveira e Paulo Covas (coord.) Carla Moreira* Marina Freitas* Tânia Rodrigues* Bryan Morgado* (assist.)

AS SE S S O RI A DE I MPRE NSA E DI VULG AÇÃO José Reis* Rita Xavier Monteiro* Leonor Tudela* (assist.)

(sujeito a descontos específicos: reformados, De autocarro

estudantes, Cartão Jovem, Tripass) para espetadores com mobilidade reduzida.

FRE NTE DE CASA E RE L . PÚB LI CAS

Terça a Sexta 13h00 – 22h00

Vânia Ferreira (coord.)

Sábado 14h30 – 22h00

Não é permitida a entrada nas salas após o início

Em dias de espetáculo a bilheteira mantém-se

do espetáculo, salvo indicação em contrário

aberta até 30 mins. depois do início do mesmo.

dos assistentes de sala. Em caso de atraso

Aos Domingos, a bilheteira funcionará apenas

e impossibilidade de entrada, o valor do bilhete

em dias de espetáculo, em horário a definir.

não será devolvido.

Todas as salas têm acesso e lugares disponíveis Teatro Rivoli

200, 204, 207, 209, 1M

VISITAS GUIADAS

Tel. 22 339 22 01

bilheteira.tmp@cm-porto.pt

Espetáculos de entrada gratuita estão sujeitos

De forma a desvendar os seus bastidores, o Teatro

à lotação do espaço e pode ser necessário o

Municipal do Porto abre as portas dos seus dois

Teatro Campo Alegre

levantamento prévio de bilhete.

equipamentos: Rivoli e Campo Alegre.

Seg a Dom 14h30 – 19h00

Uma visita guiada, para maiores de 6 anos, onde não só conhece os espaços, mas também a equipa

e 19h30 – 22h30

Os menores de 3 anos podem assistir a espetáculos

Tel. 22 606 30 00

classificados “Para todos os públicos”

que neles trabalha. • As a way of unveiling the

bilheteira.tmp@cm-porto.pt

(Decreto-Lei 23/2014 de 14 de fevereiro).

mysteries of the backstage, the Porto Municipal

Theatre is opening the doors at its two venues:

Bilhetes também disponíveis em

A participação nos workshops é feita mediante

Rivoli and Campo Alegre. A guided visit for all

www.tmporto.bol.pt

inscrição prévia, limitada à lotação definida.

those aged 3 and over in which participants will

www.bilheteiraonline.pt

Informações e pedidos de inscrição através de

both explore the spaces and meet the people that

geral.tmp@cm-porto.pt

work there.

• A informação presente nesta agenda poderá ser alterada por motivos imprevistos.

Gratuito mediante inscrição prévia para: paralelo.tmp@cm-porto.pt Lotação mínimo 8 / máximo 25

APO I O ADMI NI STR ATI VO Vitória Sousa Florbela Casal Ana Viegas Ana Margarida Pinto Emília Sousa Sara Gonçalves (atendimento digital assistido)

TÉ CNI CA

79

M E D I A PA R T N E R S

Direção Pedro Vieira de Carvalho Direção de Cena e Produção Técnica Luísa Osório* Vanessa Santos* Gonçalo Gregório* Jorge Soares Som Tiago Pinto Luís Carlos Pereira Ricardo Cabral* Luz Romeu Guimarães Diogo Barbedo Luís Silva* Maquinaria António Silva* João Queirós* Paulo Pereira* Marco Silva Audiovisuais Luís Miguel Sousa

APOIOS

PA R C E R I A S

A L G U M A S I N I C I AT I V A S D O T E AT R O M U N I C I PA L D O P O R T O C O N TA M C O M A P O I O S E S P E C I A I S : “COUTURE ESSENTIELLE” DE OLIVIER SAILLARD

KINO – MOSTRA DE CINEMA DE EXPRESSÃO ALEMÃ

MANUTE NÇÃO João Bastos (coord.) Francisco Choupina APOIO NO ÂMBITO DO FOCO SOBRE A CRIAÇÃO CONTEMPORÂNEA FRANCESA EM 2017

APO I O I NFO RMÁTI C O DMSI / Paulo Moreira

B I LH ETE I R A Armanda Rodrigues Carlos Ribeiro Maria da Glória Ribeiro Paulo Vasconcelos

DE SI GN White Studio

FOTO GR AFI A José Caldeira

SE GUR ANÇA

De fevereiro a junho de 2017, o Institut Français e o Institut Français du Portugal associam-se aos seus parceiros da cena artística portuguesa para apresentar um caleidoscópio da criação contemporânea francesa. Duas ideias guiam este projeto: a criação contemporânea alimentase das formas artísticas que nos trazem as novas gerações de criadoras e criadores. Devemos apoiá-las e reconhecê-las. Nesta perspetiva, o diálogo com os nossos parceiros portugueses e as escolhas que juntos fazemos ganham sentido. Este tempo forte é proposta de uma nova geração de programadores que hoje encabeçam as direções de instituições culturais e festivais internacionais que desejam abrir-se às formas mais contemporâneas e inovadoras e desenvolver o diálogo com o panorama cultural contemporâneo francês em toda a sua diversidade (Teatro, Dança, Performance, Instalação, Circo, Marionetas, Artes Visuais, Música...) e é dirigido a todos os públicos. Esta dinâmica será visível em Portugal já a partir de 2017, nas programações de vários espaços culturais em Portugal (Teatro Nacional D. Maria II - Lisboa, Teatro Municipal do Porto, Teatro Municipal Joaquim Benite - Almada, Fundação de Serralves - Porto, Fundação Calouste Gulbenkian - Lisboa, Fundação Eugénio de Almeida - Évora e nos festivais (Bienal de Arte contemporânea BoCA - Lisboa e Porto, FIMFA e LX Connexions – Lisboa v/s Paris). — Institut Français

Polícia Municipal do Porto Securitas

REDE DE P RO G R AM AÇÃO LI MPE Z A Iberlim

*Teatro do Bolhão

A rede 5 Sentidos foi criada em 2009, no âmbito do QREN 2007-2013, com o intuito de promover a programação cultural e a produção artística em rede. Os equipamentos que integram esta rede de programação cultural são: Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre (Porto), Teatro Viriato (Viseu), Centro Cultural Vila Flor (Guimarães), Centro de Artes de Ovar (Ovar), O Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo), Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra), Maria Matos Teatro Municipal (Lisboa), Teatro Micaelense (Ponta Delgada), Teatro Municipal da Guarda, Teatro Nacional São João (Porto) e Teatro Virgínia (Torres Novas).

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

do Rivoli e noutros espaços do Campo Alegre

P ELOURO DA C ULT UR A

T E AT RO MUNIC IPA L DO P ORTO

APOIO S E PARCERIAS


AS SINATUR AS

CALENDÁRIO JAN ⁄ FEV ⁄ MAR

81

CA LENDA R JA NUA RY ⁄ FEBRUA RY ⁄ MA RC H

JAN EIRO ⁄ JA N UA RY

25

EURO S

HORA

E SPETÁCULO

DI SCI PLI NA

E SPAÇ O

PÁG.

Qua 11

21h30

Multiplex 2017: Victor Erice

Cinema

Rivoli • Grande Auditório MO

6

Qui 12

18h00 & 21h30

Multiplex 2017: Victor Erice

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

6

Sex 13

18h00

Multiplex 2017: Victor Erice

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

6

Sex 13

18h30

Terça-Feira ⁄ Cláudia Dias (Portas Abertas da Residência Artística)

Dança

Campo Alegre • Auditório

74

Qui 19

22h00

QUINTAS DE LEITURA ⁄ VÁRIOS ARTISTAS

Literatura

Campo Alegre • Auditório

7

Sáb 21

11h00-2h00

Paradisum + G ⁄ Joana Castro + Emanuel de Sousa

Instalação

Rivoli • Vários Espaços

12 – 13

11h00-13h00

ELISABETH LAMBECK ⁄ NUNO PRETO ⁄ SONOSCOPIA ⁄ MARTA BERNARDES

Dança ⁄ Teatro ⁄ Música ⁄ Literatura

Rivoli • Vários Espaços

14 – 15

15h00-17h00

JOCLÉCIO AZEVEDO ⁄ ANTÓNIO JÚLIO ⁄ DRUMMING GRUPO DE PERCUSSÃO ⁄ VALTER HUGO MÃE

Dança ⁄ Teatro ⁄ Música ⁄ Literatura

Rivoli • Vários Espaços

16 – 17

17h30

5º Caderno – Ensaio Sobre os Arquivos do Rivoli ⁄ Nuno Coelho (Inauguração)

Exposição

Rivoli • Foyer 3º Piso

18 – 19

18h30

HARMONIES ⁄ JOANA GAMA, LUÍS FERNANDES & RICARDO JACINTO

Música

Rivoli • Auditório IAC

20 – 21

21h30

BROTHER ⁄ MARCO DA SILVA FERREIRA

Dança

Rivoli • Grande Auditório MO

22 – 23

23h30

TIAGO PEREIRA, GRUPO DE PERCUSSÃO DE VALHELHAS & SENSIBLE SOCCERS ⁄ UNDERSTAGE

Música

Rivoli • Sub-Palco + Café-Concerto

24

Qua 25

18h30-20h30

Workshop com Tonán Quito

Workshop

Rivoli • Sala de Ensaios

27

Qui 26

10h30 & 15h00

A MANTA ⁄ ROMEU COSTA

Teatro

Campo Alegre • Palco do Auditório

8

11h00-12h00

Tonán Quito com alunos da ESMAE

Encontro

ESMAE

27

21h30

KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã (Sessão de Abertura)

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

25

Vários

KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

25

10h30 & 15h00

A MANTA ⁄ ROMEU COSTA

Teatro

Campo Alegre • Palco do Auditório

8

21h30

UM INIMIGO DO POVO ⁄ TONÁN QUITO

Teatro

Rivoli • Grande Auditório MO

26 – 27

Vários

KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

25

16h00 & 17h30

A MANTA ⁄ ROMEU COSTA

Teatro

Campo Alegre • Palco do Auditório

8

17h00

LAURA QUARESMA ⁄ NOVOS TALENTOS

Música

Rivoli • Café-Concerto

28

19h00

UM INIMIGO DO POVO ⁄ TONÁN QUITO

Teatro

Rivoli • Grande Auditório MO

26 – 27

21h30

NEM A PRÓPRIA RUÍNA ⁄ FRANCISCO PINHO, JOÃO DINIS PINHO & DINIS SANTOS (PALCOS INSTÁVEIS)

Dança

Campo Alegre • Sala-Estúdio

29

Dom 29

Vários

KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

25

Ter 31

22h00

Decrescente ⁄ Saguenail (Antestreia)

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

30

O Rivoli Dança! inclui os seguintes espetáculos: La Nuit Tous Les Chats Sont Gris Companhia Instável • Samedi Détente Dorothée Munyaneza (RWA) • Displacement Mitkhal Alzghair (SYR) • iTMOi Companhia Nacional de Bailado • Couture Essentielle Olivier Saillard (FR) • La Posibilidad que Desaparece Frente al Paisaje El Conde de Torrefiel (ES) Para qualquer outro espetáculo da programação em vigor, os portadores desta assinatura beneficiam de 50% de desconto. Esta assinatura deve ser guardada até ao final desta temporada de programação. Os descontos não se aplicam às atividades do programa PARALELO e Cinema.

Sex 27

CARTÃO RIVOLI ALEGRE

Como aderir? O Cartão Rivoli Alegre é oferecido na compra simultânea de 3 bilhetes para espetáculos distintos. O desconto deste cartão de amigo é aplicável a apenas um bilhete por espetáculo. Tem a validade de um ano. Quais os benefícios? Desconto de 50% na aquisição de bilhete para espetáculos a confirmar nas bilheteiras; Convites para ensaios abertos; Convites para conversas com o Diretor do Teatro Municipal do Porto (marcação prévia)

Sáb 28

Estreias

85º Aniversário Teatro Rivoli

Grande Auditório MO · Rivoli [Grande Auditório Manoel de Oliveira Rivoli] Auditório IAC · Rivoli [Auditório Isabel Alves Costa Rivoli]

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

DI A


82

F E V E R E I RO ⁄ F E B RUA RY HOR A

E SP ET Á C ULO

D I S C I P L I NA

E S PA Ç O

PÁG.

DI A

HORA

E SPETÁCULO

DI SCI PLI NA

E SPAÇ O

PÁG.

Qui 2

18h30

Fortuna ⁄ Café Literário

Literatura

Campo Alegre • Café-Teatro

70

Qua 1 a Dom 5

Vários

FANTASPORTO – Festival Internacional de Cinema do Porto

Cinema

Rivoli • Vários Espaços

42

Sex 3

15h00 & 16h00

A MONTANHA ⁄ ANTÓNIO JORGE GONÇALVES

Teatro

Rivoli • Auditório IAC

31 Qua 1

18h30

Da Insaciabilidade... ⁄ Joana Von Mayer Trindade (Portas Abertas da Residência Artística)

Dança

Rivoli • Sala de Ensaios

74

21h30

MARES ⁄ DRUMMING GRUPO DE PERCUSSÃO

Música

Campo Alegre • Auditório

32 Qui 2

18h00-19h00

Dorothée Munyaneza na ESMAE

Encontro

ESMAE

54

Sáb 4

16h00

A MONTANHA ⁄ ANTÓNIO JORGE GONÇALVES

Teatro

Rivoli • Auditório IAC

31

Sex 3

18h00-20h00

Workshop com Mithkal Alzghair

Workshop

Campo Alegre • Sala-Estúdio

54

Dom 5 a Qui 9

Vários

INDIEJÚNIOR ALLIANZ

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

33

21h30

SAMEDI DÉTENTE ⁄ DOROTHÉE MUNYANEZA (RWA)

Teatro

Campo Alegre • Auditório

48 – 49

Sex 10

Vários

INDIEJÚNIOR ALLIANZ

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

33

15h00-17h00

Registo e Refúgio ⁄ Vários Convidados

Encontro

Campo Alegre • Café-Teatro

53

21h30

STABAT MATER FURIOSA – ORATÓRIA PARA UMA VOZ ⁄ ANA ROCHA + O CÃO DANADO

Teatro

Campo Alegre • Auditório

34 – 35

18H30

Água Prateada – Um Auto-Retrato da Síria ⁄ Ossama Mohammed & Wiam Simav Bedirxan

Cinema

Campo Alegre • Cine-Estúdio

47

Vários

INDIEJÚNIOR ALLIANZ

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

33

19h00-20h00

Aquecimento Paralelo ⁄ André Mendes

Workshop

Campo Alegre • Sala de Ensaios

54

STABAT MATER FURIOSA – ORATÓRIA PARA UMA VOZ ⁄ ANA ROCHA + O CÃO DANADO

21h30

DISPLACEMENT ⁄ MITHKAL ALZGHAIR (SYR)

Dança

Campo Alegre • Auditório

50 – 51

19h00

Teatro

Campo Alegre • Auditório

34 – 35 23h00

DOROTHÉE MUNYANEZA (RWA)

Música

Campo Alegre • Café-Teatro

52

21h30

CABRAS + FRANKENSTEIN_3R15 ⁄ FLÁVIO RODRIGUES & MARIANA AMORIM + MICKAELLA DANTAS (PALCOS INSTÁVEIS)

Dança

Campo Alegre • Sala-Estúdio

36

Qua 8

10h30-12h00

Aproximação à Dança ⁄ Companhia Nacional de Bailado

Workshop

Rivoli • Sala de Ensaios

57

Qui 9

10h30-12h00

Aproximação à Dança ⁄ Companhia Nacional de Bailado

Workshop

Rivoli • Sala de Ensaios

57

Dom 12

Vários

INDIEJÚNIOR ALLIANZ

Cinema

Rivoli • Auditório IAC

33

21h30

ITMOI ⁄ COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO

Dança

Rivoli • Grande Auditório MO

56 – 57

Ter 14

19h00-21h00

Workshop Tarab com Laurence Yadi & Nicolas Cantillon

Workshop

Rivoli • Sala de Ensaios

39

Dança

Campo Alegre • Palco do Auditório

58

22h00

QUINTAS DE LEITURA ⁄ VÁRIOS ARTISTAS

Literatura

Campo Alegre • Auditório

37

10h30 & 15h00

CARA ⁄ ALDARA BIZARRO

Qui 16 Sex 17

19h00-20h00

Aquecimento Paralelo / Marco da Silva Ferreira

Workshop

Rivoli • Sala de Ensaios

39

21h30

ITMOI ⁄ COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO

Dança

Rivoli • Grande Auditório MO

56 – 57

LA NUIT TOUT LES CHATS SONT GRIS ⁄ COMPANHIA INSTÁVEL

16h00

CARA ⁄ ALDARA BIZARRO

Dança

Campo Alegre • Palco do Auditório

58

21h30

Dança

Rivoli • Grande Auditório MO

38 – 39 17h00

HENRIQUE ALMEIDA ⁄ NOVOS TALENTOS

Música

Rivoli • Auditório IAC

59

23h00

ZA! ⁄ UNDERSTAGE

Música

Rivoli • Sub-Palco

40

19h00

ITMOI ⁄ COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO

Dança

Rivoli • Grande Auditório MO

56 – 57

17h00

ANTÓNIO OLIVEIRA ⁄ NOVOS TALENTOS

Música

Rivoli • Auditório IAC

41 Qua 15

21h30

TRÊS TRISTES TIGRES + OLD JERUSALEM + DAN RIVERMAN ⁄ PORTO BEST OF

Música

Rivoli • Grande Auditório MO

60 – 61

Qui 16

14h30-16h30

Olivier Saillard na Modatex

Workshop

Modatex

63

18h30

Exercícios de Dizer ⁄ Café Literário

Literatura

Campo Alegre • Foyer

70

Sex 17

21h30

COUTURE ESSENTIELLE ⁄ OLIVIER SAILLARD (FR)

Performance

Salão Árabe do Palácio da Bolsa

62 – 63

Sáb 18

19h00

COUTURE ESSENTIELLE ⁄ OLIVIER SAILLARD (FR)

Performance

Salão Árabe do Palácio da Bolsa

62 – 63

Qua 22

11h00

El Conde de Torrefiel com Alunos de Artes Performativas

Encontro

Rivoli • Auditório IAC

65

18h30-20h30

Dramaturgia nas Artes Performativas Contemporâneas

Workshop

Rivoli • Sala de Ensaios

65

21h30

LA POSIBILIDAD QUE DESAPARECE FRENTE AL PAISAJE ⁄ EL CONDE DE TORREFIEL (ES)

Teatro

Rivoli • Grande Auditório MO

64 – 65

23h00

NOCTURNAL EMISSIONS (UK) ⁄ UNDERSTAGE

Música

Rivoli • Sub-Palco

66

18h30

(LA)HORDE (Portas Abertas da Residência Artística)

Dança

Rivoli • Sala de Ensaios

74

19h00

LA POSIBILIDAD QUE DESAPARECE FRENTE AL PAISAJE ⁄ EL CONDE DE TORREFIEL (ES)

Teatro

Rivoli • Grande Auditório MO

64 – 65

21h30

NOITE DE OUTONO ⁄ LUÍS MESTRE ⁄ TEATRO NOVA EUROPA

Teatro

Rivoli • Auditório IAC

67

22h00

QUINTAS DE LEITURA ⁄ VÁRIOS ARTISTAS

Literatura

Campo Alegre • Auditório

68

21h30

NOITE DE OUTONO ⁄ LUÍS MESTRE ⁄ TEATRO NOVA EUROPA

Teatro

Rivoli • Auditório IAC

67

21h30

À PROCURA DO LUGAR FELIZ ⁄ FÁBIO LOPES (PALCOS INSTÁVEIS)

Dança

Campo Alegre • Sala Estúdio

69

Sáb 4

Sex 10

Sáb 18

Sáb 11

Seg 20 a Qua 22

Vários

FANTASPORTO – Festival Internacional de Cinema do Porto

Cinema

Rivoli • Vários Espaços

42

Qui 23

Vários

FANTASPORTO – Festival Internacional de Cinema do Porto

Cinema

Rivoli • Vários Espaços

42

18h30

O Poço ⁄ Jonathan Saldanha (Portas Abertas da Residência Artística)

Performance

Campo Alegre • Sala-Estúdio

74

Vários

FANTASPORTO – Festival Internacional de Cinema do Porto

Cinema

Rivoli • Vários Espaços

42

19h00

FILHOS DAS MÃES ⁄ MARTIM PEDROSO

Teatro

Campo Alegre • Auditório

55

Vários

FANTASPORTO – Festival Internacional de Cinema do Porto

Cinema

Rivoli • Vários Espaços

42

Sex 24

Sáb 25

Sex 24

Dom 26 a Ter 28

11h00-12h30

Workshop para Mães, Pais e Filhos

Workshop

Campo Alegre • Sala de Ensaios

55

18h30

O Quadro Negro ⁄ Samira Makhmalbaf

Cinema

Campo Alegre • Cine-Estúdio

46

19h00

FILHOS DAS MÃES ⁄ MARTIM PEDROSO

Teatro

Campo Alegre • Auditório

55

Vários

FANTASPORTO – Festival Internacional de Cinema do Porto

Cinema

Rivoli • Vários Espaços

42

Sáb 25

Qui 30

Sex 31

Estreias

Foco Deslocações

Grande Auditório MO · Rivoli [Grande Auditório Manoel de Oliveira Rivoli] Auditório IAC · Rivoli [Auditório Isabel Alves Costa Rivoli]

Estreias

Foco Deslocações

Grande Auditório MO · Rivoli [Grande Auditório Manoel de Oliveira Rivoli] Auditório IAC · Rivoli [Auditório Isabel Alves Costa Rivoli]

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇO 20 1 7

DIA

Sáb 11

TE ATRO MUNICIPAL DO PORTO • RIVOLI • CAMPO ALEGRE • JANEIRO ⁄ FEVEREIRO ⁄ MARÇ O 2 01 7

83

MARÇO ⁄ M A RC H


Fotografia La Posibilidad que Desaparece Frente al Paisaje ⁄ El Conde de Torrefiel (ES) © Claudia Pajewski

W W W.TE ATROMUNICIPALDOPORTO.PT Teatro Rivoli • Praça D. João I, 4000 - 295 Porto • t. +351 22 339 22 00 Teatro Campo Alegre • Rua das Estrelas, 4150 - 762 Porto • t. +351 22 606 30 00 bilheteira.tmp@cm-porto.pt • geral.tmp@cm-porto.pt

/teatromunicipaldoporto.cmp

/teatro_municipal_do_porto

/tmunicipalporto


Teatro Municipal do Porto | Programação