Notaer Setembro 2022

Page 1

EXCON TÁPIO 2022 Ex-Ministro da Aeronáutica é considerado um dos pioneiros do Correio Aéreo Nacional (Pág. 06 e 07) 126 ANOS DE EDUARDO GOMES Exercício Conjunto simula guerra não convencional na Base Aérea de Campo Grande (Pág. 08 a 10) www.fab.mil.br I Ano XLVI I Nº 09 I Setembro, 2022

2 Setembro - 2022

No ano em que celebramos o Bicentenário da Independência, a edição de setembro do Notaer traz uma reportagem especial sobre as principais atividades realizadas, em 2022, alusivas aos 200 anos do Grito do Ipiranga, fato que fez com que o Brasil deixasse de ser uma colônia portuguesa e passasse a ser uma nação autônoma e livre. É um pouco dessa história que nossa matéria de capaAindaconta.sobre dedicação ao país, relembramos a história do aviador, militar e político brasileiro, Marechal do Ar Eduardo Gomes. Por toda sua trajetória, o Ministro da Aeronáutica nos governos de Café Filho, Carlos Luz e Castelo Branco foi escolhido Patrono da Força Aérea Brasileira (FAB), por cultivar

Boa leitura!

@fab_oficial /aeronauticaoficial @fab_oficial /portalfab /portalfab /faboficial

TenenteEditores: Jornalista Marayane Ribeiro (MTB/PB 3754)

EsplanadaEndereço: dos Ministérios Bloco “M” 7º andar CEP: 70045-900 Brasília/DF

CARTA AO LEITOR

Aspirante Jornalista Roberta Nunes (SRTE/DF 10671)

MÍDIAS SOCIAIS

Chefe da Divisão de Comunicação CoronelIntegrada:Aviador João Gustavo Lage ChefeGermanodaSubdivisão de Produção e Tenente-CoronelDivulgação: Aviador Igor Correa da Rocha

Revisão Ortográfica e Gramatical: Suboficial SST Rogerio Braga SargentoDiagramação:BandeiraTIN

Fabiana Gomes

transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte.

Expediente

Brigadeiro do Ar Adolfo Aleixo da Silva Junior Chefe do CECOMSAER

os mais relevantes valores de uma sociedade por meio do sentimento patriótico e da cidadania sempre presentes em seusNestaatos. edição, o leitor também vai conhecer duas militares, que fizeram história ao ingressar nas primeiras turmas da Instituição que matricularam mulheres, em 1982. Assim, foram essas algumas das pioneiras que, há quatro décadas, abriram os portões das escolas de formação para o públicoAindafeminino.nestaedição, trazemos todos os detalhes do Exercício Conjunto Tápio 2022, que acontece até o dia 3 de setembro, na Base Aérea de Campo Grande (BACG), no Mato Grosso do Sul. Nesse tipo de treinamento, militares e ve-

tores são dispostos em cenário de guerra não convencional, no qual o combate é contra forças insurgentes ou paramilitares. Neste ano, cerca de 30 aeronaves e mais de 16 Unidades Aéreas da FAB estão sendo empregadas.Estaedição parabeniza também o Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), que, há 39 anos, ensina e forma oficiais de carreira das mais diversas especialidades, visando cumprir a missão da Força Aérea Brasileira: manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da pátria.

A publicação no Instagram da FAB com o vídeo das aeronaves KC-390 Millennium e do caça F-5 em uma ação de Reabastecimento em Voo (REVO) foi o

200 ANOS DE LIBERDADE

Chefe do BrigadeiroCECOMSAER:doArAdolfo Aleixo da Silva Vice-ChefeJunior do CECOMSAER: Coronel Aviador Luis Felipe da Silveira e Eliseu

REABASTECIMENTO EM VOO

TextosColaboradores:enviados ao CECOMSAER via SISCOMSAE

elaborados pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) e pelos elos do Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica.

destaque nas mídias sociais. A publicação obteve cerca de 230 mil visualizações e 24 milAcurtidas.FABdivulga em suas mídias sociais produtos

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) voltado ao público interno.

Capa e SubdivisãoArtes:de Publicidade e EstãoPropagandaautorizadas

Inspirados pela história de coragem e vigor de Eduardo Gomes, chegamos ao Bicentenário da Independência do Brasil. Nessa data, a FAB renova seu compromisso com a Nação, ostentando o orgulho de pertencer a essa trajetória como uma das guardiãs da soberania do País.

PALAVRAS DO COMANDANTE

O Marechal do Ar Eduardo Gomes sempre foi idealizador de uma Pátria livre e de espírito pujantemente democrático. Foi um bravo defensor de um Brasil alicerçado por instituições fortes, voltadas ao bem estar de sua sociedade. As aspirações do Patrono da Força Aérea Brasileira deixaram um grande legado para que hoje 70 mil homens e mulheres da nossa Instituição se debrucem abnegados sobre suas atribuições para a defesa, controle e integra-

ção do território nacional.

NOSSO PATRONO E NOSSA INDEPENDÊNCIA

Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior Comandante da Aeronáutica

na busca consciente de que a perenidade de uma Nação está na manutenção de sua autonomia e na liberdade de seu povo. A FAB, pavimentada a partir desse incansável trabalho, continuará seguindo a trilha de realizações daqueles que, por vocação, com sacrifícios e lutas, como as de Eduardo Gomes, legaram a nós a tão sonhada independência.

Setembro - 2022

3

Balizados por tantas memórias e personalidades, hoje, o efetivo da Força Aérea Brasileira prossegue

81 anos que se entrelaça com o Hoje,Bicentenário.certamente nosso Patrono e todos os outros heróis que lutaram por nossa Independência estariam orgulhosos da Aeronáutica que alcançamos. Com vetores modernos, equipando nossos Esquadrões, e, com pessoal preparado, colocamos nossa capacidade de pronta-resposta à prova para qualquer desafio.

A Aeronáutica nasceu em um trecho desse percurso marcado por tantas glórias e, por meio de seus personagens e atos, construiu um admirável itinerário de

De 02 a 04 de setembro, a FAB também expôs, no Parque da Cidade, em Brasília (DF), uma réplica, em tamanho real - feita de fi bra de vidro, madeira e metal - da aeronave de caça F-39 Gripen. Os visitantes puderam conhecer todos os detalhes da aeronave Gripen. Além disso, um estande foi montado no local e, lá, os visitantes souberam um pouco mais sobre as técnicas de sobrevivência e controle de tráfego aéreo.

O tradicional Desfile do 7 de setembro, que havia sido suspenso em 2020 e

DIA DA INDEPENDÊNCIA

2021 devido à pandemia de COVID-19, também estará de volta em 2022. O evento reúne militares da Marinha do Brasil (MB), do Exército Brasileiro (EB), da Força Aérea Brasileira (FAB) e das Forças Auxiliares; de estudantes do Colégio Militar de Brasília (CMB) e de escolas públicas do Distrito Federal, dentre outras entidades.

BRASILEIRAAÉREAFORÇAFEITOSACABOFOTO: HISTÓRICOACERVOFOTO:

da Independência quanto o Dia do Aviador. A atividade conhecida como “Portões Abertos” contará com desfile aéreo, salto de paraquedistas, oficinas educativas, visitação a aeronaves, balonismo, exibição de filmes históricos, dentre outros.

Com o intuito de derrotar a Inglaterra, Napoleão Bonaparte havia decretado o Bloqueio Continental, fazendo com que a Europa fechasse os portos para os ingleses. Mas, quando chegou ao Brasil, a família real, na pessoa de Dom João, abriu os portos ao comércio inglês

FAB CELEBRA BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA COM ATIVIDADES E O TRADICIONAL DESFILE DO 7 DE SETEMBRO

Ten JOR Marayane Ribeiro

A Força Aérea também atuou na missão de busca do coração do primeiro Imperador do Brasil. Foi a bordo da aeronave VC-99 Legacy, da FAB, escoltada por dois caças F-5M, que o coração do Dom Pedro I chegou à Capital Federal no dia 22/08, sendo recebido com todas as honras de chefe de Estado.

DIA DO FICO E GRITO DO IPIRANGA

Além disso, para os meses de agosto e setembro foram programadas apresentações da Esquadrilha da Fumaça, pelo Circuito do Bicentenário da Independência, com a escrita “Independência 200 anos”.Um outro evento que será realizado em 2022 é o Musal Air Show, que este ano celebra, nos dias 24 e 25 de setembro, no Museu Aeroespacial (MUSAL), no Rio de Janeiro (RJ), tanto o Bicentenário

SAIBA O QUE FOI PLANEJADO PARA COMEMORAR A DATA E RELEMBRE A HISTÓRIA POR TRÁS DO “GRITO DO IPIRANGA”

A Força Aérea Brasileira celebra, em 2022, os 200 anos da Independência do Brasil. Em comemoração à data simbólica, diversas atividades vêm sendo realizadas ao longo do ano, como as exposições do mockup da aeronave F-39 Gripen no Rio de Janeiro (RJ) e a divulgação do Projeto Sonoras do Ipiranga na programação da Rádio Força Aérea, que contempla um repertório com músicas clássicas que levam o ouvinte a uma viagem no tempo, de volta ao período da Independência do Brasil.

O processo histórico lembrado no dia 7 de setembro, que marcou a separação entre Brasil e Portugal, teve início em 1808, quando a família Real Portuguesa decidiu se mudar para o Brasil devido às invasões napoleônicas na Europa.

4 Setembro - 2022

decisão de permanecer no Brasil foi comunicada no dia 9 de janeiro de 1822, data em que é comemorado o Dia do Fico.

se tornasse mais tecnológico e desenvolvido, cumprindo sua missão de manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional com vistas à defesa da pátria. Exemplos de sua atuação são o uso de aeronaves em operações de resgate de brasileiros, no transporte de órgãos e no uso dissuasório contra possíveis inimigos.

mais marcante se deu no dia 7 de setembro de 1822, às margens do Rio Ipiranga, em São Paulo, onde Dom Pedro I inteirou-se da situação exigida pela corte portuguesa e entendeu que aquele era o momento de, enfim, a então colônia se tornar independente, bradando o Grito do Ipiranga.

INTEGRAÇÃO E DISSUASÃO

Assim, o Brasil deu o primeiro passo rumo a uma nova nação, deixou de ser uma colônia portuguesa e passou a ser uma nação autônoma e livre. Desde então, as Forças Armadas vêm auxiliando no processo de consolidação da Independência.

BRASILEIRAAÉREAFORÇAJOHNSONSGTFOTO: FUMAÇADAESQUADRILHAFOTO:

Os pioneiros da Força Aérea Brasileira, por exemplo, contribuíram para que hoje o país

e, assim, acabou com o monopólio do comércio português no Brasil.Em1815, o Brasil foi elevado a Reino Unido de Portugal e Algarves e deixava de ser colônia de Portugal, porém, existiam diversas divergências entre os portugueses e brasileiros que, entre outras coisas, lutavam por autonomia territorial.Em1821, Dom João regressou com a família real para Portugal, mas deixou seu filho, Dom Pedro, após nomeá-lo príncipe regente.

Em janeiro de 1822, quando a Corte Portuguesa enviou ordens para Dom Pedro também regressar a Portugal, muitos brasileiros pediram que Dom Pedro ficasse no Brasil e ele decidiu ficar. A sua

No final de agosto de 1822, Dom Pedro recebeu notícias da corte, as quais incluíam a decisão de diminuir os seus poderes no território brasileiro. Com essa notícia, Dom Pedro decidiu romper os laços de união política com Portugal.Ofato

6 Setembro - 2022 ANIVERSÁRIO

Reviver a história do Marechal do Ar Eduardo Gomes, Patrono da Força Aérea Brasileira (FAB), é uma oportunidade ímpar de cultivar os mais relevantes valores de uma socieda-

Ten JOR Johny Vasconcelos

do Exército evoluiu, mas foi com o surgimento da Segunda Guerra Mundial e com a criação da FAB, que ocorreu o mais importante capítulo dessa especialidade militar que tanto auxiliou no combate ao inimigo, garantindo a segurança dos aliados e a vitória.

BRASILEIRAAÉREAFORÇAHISTÓRICO/ACERVOFOTO:

SEU TRABALHO PIONEIRO COMO IMPULSIONADOR DO CORREIO AÉREO NACIONAL (CAN) FOI RECONHECIDO E, EM 1984, RECEBEU O TÍTULO DE PATRONO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

A bordo de um avião Curtiss Fledgling, de matrícula K-263, levaram a primeira mala postal do Correio Aéreo Militar (CAM), mais tarde denominado Correio Aéreo Nacional (CAN), importante ferramenta de integração até os dias de hoje.

nos de Café Filho, Carlos Luz e Castelo Branco.

Em 1916, ainda com 19 anos, ingressou na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro (RJ), tendo se formado dois anos depois como Aspirante a Oficial do Exército na Arma de Artilharia. Desde essa época, já buscava envolvimento com a Aviação.Aprimeira turma de observadores aéreos do Exército Brasileiro (EB) formou-se em 1921 e teve como observador “01” o Tenente de Artilharia Eduardo Gomes, que mais tarde foi incorporado à Força Aérea Brasileira. Ao longo dos anos, a experiência dos observadores aéreos

Em maio de 1931, cerca de dez anos antes da criação do Ministério da Aeronáutica, o então Major Eduardo Gomes comandou o Grupo Misto de Aviação, criado no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro (RJ).

BRASILEIRAAÉREAFORÇAHISTÓRICO/ACERVOFOTO:

de por meio do sentimento patriótico e da cidadania sempre presentes em seus atos. Nascido em 20 de setembro de 1896, na cidade de Petrópolis (RJ). Foi aviador, militar e político brasileiro, além de Ministro da Aeronáutica nos gover-

BRASILEIRAAÉREAFORÇAHISTÓRICO/ACERVOFOTO:

Os Tenentes Casimiro Montenegro Filho e Nelson Freire Lavenère-Wanderley, da Aviação Militar, decolaram para uma viagem histórica.

126 ANOS DO MARECHAL DO AR EDUARDO GOMES

7Setembro - 2022

HONRARIAS E HOMENAGENS

A cidade do Rio de Janeiro o homenageou dando o nome oficial de Parque Brigadeiro Eduardo Gomes ao aterro do Parque do Flamengo, já que este fica em frente ao Edifício

Seabra, onde morou. Em Brasília (DF), o 11º Grupo de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro tem a denominação histórica Grupo Brigadeiro Eduardo Gomes em homenagem ao Patrono da Força Aérea Brasileira.Acondecoração

"Medalha Eduardo Gomes Aplicação e Estudo" foi destinada a incentivar a aplicação nos estudos e na instrução, premiar e dar relevo ao mérito intelectual de Oficiais e Praças da Aeronáutica que venham a distinguir-se nas atividades escolares.

CECOMSAER/BIANCASGTFOTO:CECOMSAERBIANCASGTFOTO:CECOMSAERBIANCASGTFOTO:CECOMSAER/BIANCASGTFOTO:

O Marechal do Ar Eduardo Gomes morreu em 13 de junho de 1981. Seu trabalho pioneiro como impulsionador do CAN foi reconhecido nacionalmente no dia 12 de dezembro de 1972, quando foi proclamado Patrono do Correio Aéreo Nacional pelo Congresso Nacional. Em 1984, recebeu o título de Patrono da Força Aérea Brasileira.

EM SUA 5ª EDIÇÃO, O EXERCÍCIO CONJUNTO TÁPIO, QUE SIMULA UM CENÁRIO DE GUERRA, CONTOU COM 33 AERONAVES E DIVERSAS UNIDADES AÉREAS

GUERRA SIMULADA REÚNE 800 MILITARES EM CAMPO GRANDE

Tápio foi dividida em duas fases. A primeira, realizada entre 08 e 12 de agosto, abordou apenas de-

Ao todo, 33 aeronaves e várias Unidades Aéreas e de Infantaria participaram das atividades operacionais que simularam um cenário de guerra. Durante o Exercício, estão sendo treinadas Ações de Força Aérea em uma

Ten JOR Letícia Faria

os helicópteros H-36 Caracal e H-60L Black Hawk.

Setembro - 2022 EXCON TAPIO 2022 8

A Base Aérea de Campo Grande (BACG), no Mato Grosso do Sul, sediou mais uma vez um dos maiores treinamentos de guerra promovido pela Força Aérea Brasileira (FAB): o Exercício Conjunto (EXCON) Tápio

Desde 2021, a atividade passou a ser denominada EXCON, pois conta com a participação das outras Forças Armadas. O Diretor do Exercício e Comandante da BACG, Brigadeiro do Ar Clauco Fernando Vieira Rossetto, explica que a mudança visa demonstrar a importância da interoperabilidade para a defesa do país. "Nós tivemos a participação das três Forças, porque é um exercício conjunto: Marinha, Exército e Aeronáutica participaram do Exercício. Isso é essencial, não só para a nossa soberania, como para o treinamento das ações principalmente de Força Aérea, mas sempre com respaldo e também a participação das demais Forças. Cada um em seu ambiente, mas integrados, principalmente, quando a questão é de Busca

senvolvimento doutrinário e operacional relacionado ao Atendimento Pré-hospitalar Tático (APH Tático); e a segunda, englobando as demais missões, entre 15 de agosto e 03 de setembro.

possível participação da FAB em missões de paz da ONU, com o objetivo de contribuir para a ordem e a paz mundial e E-99,Hércules,Tucano;caçasdoparticiparamcimentoCaça,AeronavesemAérea,Aeroespacial,Ataque,ramDentredoisparamilitarestranoguerradispostosajudamonial,territorialainternacionais,compromissosgarantindosoberania,aintegridadeeadefesapatri-alémdepromoverhumanitária.Militaresevetoresforamemcenáriodenãoconvencional,qualocombateeracon-forçasinsurgentesouenãoentreestadosconstituídos.asatividades,fo-realizadasmissõesdeReconhecimentoInfiltraçãoBuscaeSalvamentoCombate,entreoutras.dasAviaçõesdeTransporte,Reconhe-eAsasRotativasdasduasfasesexercício.Entreelas,osA-1AMXeA-29SuperasaeronavesC-130C-105Amazonas,R-99eC-98Caravan,e

2022.A

Ten JOR Roberta Nunes

INTEROPERABILIDADE

CECOMSAERVIOL/BIANCASGTFOTOS: TÁPIOEXCON CECOMSAERVIOL/BIANCASGTFOTOS:

PARTICIPAÇÃO DE FORÇAS AMIGAS

Desde 2018, os norte-americanos têm visitado a BACG

CECOMSAERVIOL/BIANCASGTFOTOS: CECOMSAERVIOL/BIANCASGTFOTOS: CECOMSAERVIEGAS/SGTFOTOS:

e Salvamento em Combate e preparação para Missões de Paz das Nações Unidas, atividades que necessitam dessa interação”, destacou o Brigadeiro Rossetto.

e, pelo segundo ano consecutivo, têm vindo com meios aéreos e pessoal especializado para participar do exercício. Este ano, aconteceram voos conjuntos (aeronaves americanas sendo escoltadas por aeronaves brasileiras), voos de intercâmbio (militares americanos nas aeronaves brasileiras e militares brasileiros nas aeronaves americanas) e participação dos americanos no manning do EXCON, ou seja, ajudando na construção dos cenários de treinamento.Aproximadamente 100 militares de diversas especialidades participaram do exercício. A mobilização e a desmobilização dos norte-americanos foram realizadas por aeronaves C-17. Três aeronaves HH-60G Pave Hawk e uma HC-130J Combat King, foram concebidas para o Personal Recovery, que engloba diversas ações de recuperação de pessoal, dentre elas, o CSAR – Busca e Salvamento em Combate.

9Agosto - 2022Setembro - 2022 9 TÁPIOEXCON

MAIS DE 30 AERONAVES EMPREGADAS

Nesta edição, o Exercício contou com a participação da Guarda Nacional Americana de Nova York e de Idaho (NYANG e IDANG) no período de 20 a 30 de agosto. Eles agregaram as atividades com capacidades de emprego de meios de Força Aérea em um ambiente de guerra irregular. Além disso, essa oportunidade de intercâmbio, permitiu que a FAB pudesse evoluir doutrinariamente com as TTP (Táticas, Técnicas e Procedimentos) de uma força armada que está em constante provação no cenário global contra esse tipo de ameaça.

Exército Brasileiro (EB), distante cerca de 180 quilômetros da BACG. A atividade, que ocorreu de forma inédita no Exercício, teve como objetivo testar o Designador Ratler GX, que faz parte da série de designadores laser de solo para bombas guiadas. guerras irregulares. As áreas dos exercícios ficaram maiores e mais distantes, onde os pilotos tiveram mais liberdade para explorar melhor o exercício, de acordo com o que achavam

Entre as novidades deste ano, está a preparação dos envolvidos com uma base teórica em literaturas sobre

LANÇAMENTO DA BOMBA LIZARD II

MAIS DINÂMICO E DESAFIADOR

10 Setembro - 2022 TÁPIOEXCON

Dentre as ações operacionais que os militares executaram, durante a Tápio deste ano, está o Lançamento da Bomba Lizard II, no Centro de Instrução de Betione, do

mais vantajoso taticamente. Nesta 5ª edição, a participação dos militares americamos foi mais expressiva, uma vez que validaram que o EXCON Tápio contribui significativamente para o treinamento deles. Dentro dos cenários teve também o reabastecimento em voo de helicópteros. O exercício foi mais dinâmico e desafiador que os anteriores.

O Kit de Guiamento Lizard II proporciona precisão nos lançamentos de bombas e reduz o risco de fratricídio/ dano colateral. No entanto, necessita ser direcionado por designadores laser. O sistema já foi testado em combate e no EXCON Tápio

comprovou ser um conjunto eficaz, quando acoplado às Bombas Aéreas de Fins Gerais da FAB e designado pelo Ratler GX. Ambos os equipamentos são fabricados na empresa Elbit Systems e comercializados na brasileira AEL Sistemas.

CECOMSAERRONAN/SGTFOTOS: CECOMSAERVIOL/BIANCASGTFOTOS: CECOMSAERVIOL/BIANCASGTFOTOS:

Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (2º/2º GT) – Esquadrão Corsário, com sede no Rio de Janeiro (RJ).

Já a segunda unidade do Airbus A330-200 está em processo similar na empresa de manutenção aeronáutica Sabena, localizada na cidade de Perpignan na França. Com a aquisição, a FAB aumenta sua capacidade em ações estratégicas, como reabastecimento em voo, apoio logístico, ações humanitárias e evacuação aeromédica, sejam elas nacionais ou internacionais.

BRASILEIRAAÉREAFORÇAOLIVIERI/MARCOSMAJORFOTO: CECOMSAERMARIN/MULLERSGTFOTOS: BRASILEIRAAÉREAFORÇAOLIVIERI/MARCOSMAJORFOTO:

TRIPULAÇÃO QUE VAI OPERAR KC-30 RECEBE TREINAMENTO NA UNIAZUL

O Comandante do Esquadrão Corsário, Tenente-Coronel Aviador Marcos Fassarella Olivieri, explicou que a incorporação da aeronave KC-30 pela FAB resgata a capacidade de transporte estratégico perdida desde a parada do FAB 2901, operado pelo Esquadrão Corsário de 2016 a 2019. “Além de ser capaz de voar mais de 8.000 milhas náuticas, o KC-30 possui também o potencial de transportar mais de 230 passageiros e permite o transporte de 50 toneladas de payload. Com a transformação para aeronave multimissão, chamada de MRTT (Multi Role Tanker Transport), o

O curso de pilotos contou com aulas teóricas sobre os sistemas da aeronave, políticas da empresa, tráfego aéreo internacional, dentre outras matérias. Já o curso de mecânicos e loadmaster foi baseado na grade curricular do Despachante Operacional de Voo (DOV) da Azul, além de incluir instruções específicas para a FAB, como familiarização dos sistemas do Airbus 330, instruções de giro de motor e carregamento, performance e procedimentos de trânsito da aeronave.

11Setembro - 2022 KC-30

Aos comissários foram apresentadas as mesmas características do curso já ministrado pela Azul aos seus tripulantes, incluindo aulas teóricas e práticas nos mock-ups existentes na Uniazul, os quais eram dedicados principalmente à operação de portas e procedimentos de emergência a bordo. Os pilotos ainda realizam simulador de voo na CAE South American, em Guarulhos-SP, para posteriormente fazerem voos em aeronaves da Azul e, assim, concluírem a parte prática na aeronave.

Ten REP Wanessa Liz

O primeiro Airbus A330200 a ser convertido em avião-tanque sob o programa KC-30 da FAB chegou ao Brasil no dia 26 de julho. A aeronave recebeu a pintura cinza característica da FAB no Centro de Manutenção, na Irlanda e, após isso, seguiu para Victorville (EUA), onde ocorreu a entrega contratual da aeronave. Duas aeronaves foram adquiridas em processo licitatório, vencido pela empresa Azul Linhas Aéreas, e atuarão com as matrículas FAB 2901 e FAB 2902, operadas pelo Segundo

KC-30 poderá também realizar o reabastecimento em voo em uma variada gama de aeronaves e realizar missões de Evacuação Aeromédica (MEDEVAC). Nesse último caso, parte da aeronave se transforma em um completo ‘hospital no ar’, incluindo leitos de UTI completamente equipados”, comenta.

Com a chegada do primeiro Airbus A330-200 a ser convertido em avião-tanque sob o programa KC-30, os pilotos da Força Aérea Brasileira (FAB) que irão operar a aeronave multimissão KC-30 iniciaram, em junho, o curso na Universidade da Azul Linhas Aéreas. O treinamento incluiu, ainda, os comissários e mecânicos do Esquadrão Corsário. Para que os militares pudessem operar as novas aeronaves da Força Aérea, foi necessário um curso específico, como todos os processos de pilotagem, manutenção e segurança.

PARA QUE OS MILITARES PUDESSEM OPERAR AS NOVAS AERONAVES DA FORÇA AÉREA, FOI NECESSÁRIO UM CURSO ESPECÍFICO, COMO TODOS OS PROCESSOS DE PILOTAGEM, MANUTENÇÃO E SEGURANÇA

PROGRAMA ESTRATÉGICO

Ten JOR Flávia Rocha

INGRESSO DA MULHER NA FAB COMPLETA 40 ANOS

12 ESPECIAL

A PRIMEIRA TURMA DE MULHERES, COMO PARTE DO EFETIVO, INGRESSOU NA FAB EM 1982. UM LEGADO DE QUATRO DÉCADAS DE MEMÓRIAS, AVANÇOS E DESAFIOS SUPERADOS

Enquanto as primeiras Oficiais da FAB ingressaram

no Centro de Instrução Especializada da Aeronáutica (CIEAR), no Rio de Janeiro (RJ), as graduadas pioneiras estudaram a 441 km da capital carioca, no então recém-criado Centro de Instrução de Graduados da Aeronáutica, em Belo Horizonte (MG).

Setembro - 2022 INCAERMILITARES/MULHERESFOTO:INCAERMILITARES/MULHERESFOTO: CECOMSAERROCHA/FLÁVIATENENTEFOTO:CECOMSAERROCHA/FLÁVIATENENTEFOTO:FOTO:TENENTEFLÁVIAROCHA/CECOMSAERCECOMSAERROCHA/FLÁVIATENENTEFOTO:

“Dormia cedo e acordava cedo, sempre estudando”, recorda. “Tenham disciplina. Vão atrás do que vocês querem. Tudo é possível. Se tiver interesse sincero e garra,

De lá pra cá, são quatro décadas de histórias, conquistas e, sobretudo, orgulho de servir à Pátria. As primeiras turmas femininas eram compostas por 156 mulheres que realizaram o curso de formação para ingresso no Quadro Feminino de Oficiais (QFO) e 148 alunas que fizeram o curso para compor o Quadro Feminino de Graduadas (QFG).Achegada das mulheres não se deu por acaso. Foi fruto da necessidade de ampliar o contingente. Por conta disso, foram realizados estudos para a inserção da mulher como militar na Força. Assim, as pesquisas culminaram na criação do Corpo Feminino da Reserva da Aeronáutica (CFRA).

Elas eram 304 mulheres. As pioneiras ingressaram pelos portões das escolas de formação da Força Aérea Brasileira (FAB) no ano de 1982.

Com um sorriso largo no rosto, esbanjando alegria, em sua casa em Brasília (DF), a priemira colocada da turma de Ofi ciais, Coronel Enfermeira Cynthia Maria da Silva, conta que o fato mais marcante ocorreu depois de um mês de ingresso na Instituição: o desfile das novas oficiais na avenida Rio Branco [no Rio de Janeiro]. “Esse momento foi inesquecível para todas as 156 militares”, lembra.Quanto ao segredo para atingir o primeiro lugar da turma, ela revela: é foco.

Já na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), que abrange os ensinos de nível médio e técnico, as mulheres

vocês vão conquistar os seus maiores objetivos, com certeza”, aconselha a Coronel.

(EPCAR), em Barbacena (MG), passou a admitir mulheres em todos os anos do ensino médio em seu Curso Preparatório de Cadetes do Ar (CPCAR). Após três anos de curso, as concluintes se tornaram Cadetes e ingressaram na AFA.

O ano de 2020 foi emblemático, pois uma militar do corpo feminino da FAB foi promovida ao Posto de Oficial-General. A Brigadeiro

Médica Carla Lyrio Martins foi escolhida para promoção ao Posto de Brigadeiro, durante reunião do Alto-Comando da Aeronáutica, realizada em Brasília (DF). Já em 2022, a Brigadeiro Médica Ana Paola Brasil foi a primeira mulher Oficial-General da FAB a ocupar um cargo no Ministério da Defesa. Ela assumiu a direção do Departamento de Saúde e Assistência Social da pasta.

ingressaram em 1998.

CECOMSAERROCHA/FLÁVIATENENTEFOTO:

Em 1996, ingressaram as primeiras Cadetes Intendentes na Academia da Força Aérea (AFA), que atingiram o posto de Coronel em 2021. No mesmo ano, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) contemplou o primeiro concurso aberto às mulheres.

Já em Anápolis (GO), está a Suboficial Especialista em Enfermagem Ivanilda da Silva Valente, outra pioneira da turma de graduadas de 1982. “Fomos recebidas por pessoas que estavam interessadas em fazer com que desse certo. Isso fez toda a

diferença. Fomos bem acolhidas e bem orientadas”, assegura.

Também na AFA, em 2003, ingressaram as primeiras Cadetes Aviadoras. Atualmente, elas ocupam o posto de Major. As Aviadoras ocupam funções como pilotos de todas as Aviações da FAB e podem chegar ao posto de Tenente-Brigadeiro, o mais alto na hierarquia da Aeronáutica.Noanode 2017, a Escola Preparatória de Cadetes do Ar

CECOMSAERROCHA/FLÁVIATENENTEFOTO:CECOMSAERROCHA/FLÁVIATENENTEFOTO:

A militar destaca, ainda, que quando as novas graduadas se formaram na Escola, saíram de lá com uma certeza: aquilo que estavam dispostas a fazer iria dar certo. “Os desafios encontrados lá foram superados, porque tínhamos instrutores adequados.

13Setembro - 2022

CONQUISTAS: DA DÉCADA DE 1990 À ATUALIDADE

Ao longo dos anos, o objetivo do então 4ºRAv foi se intensificando e, com isso, o nome da unidade foi alterado diversas vezes: para Destacamento de Base Aérea; Núcleo do Regimento de Aviação; e 4º Corpo de Base Aérea. Até que, com a criação do Ministério da Aeronáutica, em 1941, foi nomeado como Base Aérea de Belo Horizonte e, logo após, em 1983, nascia o Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica, tendo como missão o planejamento, a coordenação, o controle e a execução dos planos e programas de ensino relativos à adaptação militar de pessoal da Aeronáutica, bem como a progressão de carreira.

ANIVERSÁRIO CIAAR Setembro - 2022

Belo Horizonte, foi sediado o 4º Regimento de Aviação do Exército Brasileiro (4ºRAv), que tinha como propósito a formação de militares.

É com histórias como essas que, neste mês de setembro, o CIAAR completa 89 anos de existência. Tudo começou no ano de 1933, quando, em

Responsável por comandar a Organização Militar (OM), o Brigadeiro do Ar José Henrique Kaipper relata que, na Instituição, além da formação militar, são aprimoradas capacidades específicas na área de especialização de cada um. Nossos graduados especialistas absorvem mais conhecimentos técnicos que serão fundamentais para as funções vindouras. “De forma similar, nos cursos e estágios de adaptação para outras profissões, como da área de saúde, engenharia, pedagogia e tantas outras, estes profissionais aprendem as diferenças da caserna, como prática operacional em hospitais de campanha e adequações a regulamentos exclusivos da vida militar”, concluiu.

Ten JOR Eniele Santos

Atualmente, com o lema “Ser, Saber, Agir e Liderar”, atitudes imprescindíveis ao exercício do oficialato, CIAAR formou cerca de 9.510 Oficiais até hoje, entre médicos, engenheiros, dentistas, especialistas, capelães e diversas outras especialidades de nível superior, sendo desse modo, considerado uma referência na área de ensino da FAB.

de uma longa carreira na EPCAR e na AFA, hoje serve no CIAAR, devido à importância do Centro para a Instituição, uma vez que forma militares de todas as áreas. “No CIAAR confluem a grande massa de conhecimento da sociedade brasileira. Aqui se faz a adaptação para a vida militar de médicos, enfermeiros, engenheiros, dentre diversas especialidades. Além de formar nossos oficiais especialistas. Dessa forma, é aqui que os civis, já formados podem ter o primeiro contato com a vida militar”, pontuou.

COM SABEDORIA E LIDERANÇA, CIAAR FAZ HISTÓRIA AO FORMAR OFICIAIS MILITARES

CIAARFOTOS:

O Tenente-Coronel Ricardo Domiciano Ferreira, depois

e Adaptação da Aeronáutica, o CIAAR.“Dificuldades foram vencidas diuturnamente de maneira que valores como Disciplina, Integridade, Amor a Pátria e Espírito de Corpo, fossem formados e fortalecidos até que o lema: “Ser, Saber, Agir e Liderar” se tornasse a bússola e o motor a me impulsionar”, disse o Oficial.

Mais de oito décadas e um enorme legado para a história da Força Aérea Brasileira (FAB)! Imagine ainda, poder voltar o tempo e reviver histórias como a do Capitão Capelão Católico Nery Charlon Ribeiro Chaves, da Turma Xavante, que escolheu fazer parte da FAB em virtude de sua referência representativa no âmbito nacional e também pela possibilidade de serviço ao povo brasileiro como Capelão Militar, e em 2011, se formou no Centro de Instrução

ORGANIZAÇÃO MILITAR COMPLETA 89 ANOS FORMANDO MILITARES DE DIVERSASESPECIALIDADES, SENDO CONSIDERADO REFERÊNCIA DE ENSINO NO BRASIL

15Setembro - 2022 ENTRETENIMENTO