Notaer Outubro 2021

Page 1

www.fab.mil.br I Ano XLV I Nº 10 I Outubro, 2021

DIA DO AVIADOR

Do sonho à realidade de voar (Págs 4 e 5) APOIO

DATA COMEMORATIVA

Participação da FAB em missões humanitárias (Págs 6, 7 e 8)

Engenharia da Aeronáutica comemora avanços e conquistas (Pág 11)


2

Outubro - 2021

CARTA AO LEITOR

Expediente

UM MÊS DE CELEBRAÇÃO Outubro é o mês em que celebramos o Dia do Aviador e o Dia da Força Aérea Brasileira (FAB). Por isso, nesta edição do Notaer, queremos homenagear aqueles que sonharam em fazer parte da Instituição e também aqueles que voam e que fazem voar. A data é uma referência ao maior feito do Pai da Aviação, Alberto Santos-Dumont, quando, em 1906, realizou o primeiro voo com o mais pesado que o ar: o 14-Bis. Também em homenagem ao inventor, trazemos em nossas páginas o lançamento do livro “E o mundo falava de Santos-Dumont...”. A obra apresenta uma série de notícias de jornais de diversos países, além de jornais

brasileiros, datadas do início do século XX. Outra matéria desta edição do Notaer trata das missões humanitárias, momentos em que a FAB levou, em suas asas, apoio a diversas nações. A mais recente ocorreu em agosto e setembro para o Haiti, quando transportou insumos, medicamentos e contingente para socorro ao país amigo após um terremoto. Ainda tratando de apoio, destacamos a atuação do Tenente Médico da FAB Leonardo Martins Mota de Morais nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2021. O militar ajudou a salvar a vida de um tenista belga que sofreu uma parada respiratória. O aten-

dimento médico decisivo evitou uma possível morte súbita. Voltamos agora nossa atenção a outras duas datas comemorativas: Dia da Engenharia da Aeronáutica e Dia do Dentista. Ambas as profissões carregam grande importância para o efetivo da FAB e merecem todo o nosso reconhecimento. Por fim, o Notaer traz uma matéria de alerta à saúde da mulher, em referência à campanha Outubro Rosa. Confira essas e outras notícias nas próximas páginas. Boa leitura! Brigadeiro do Ar Adolfo Aleixo da Silva Junior Chefe do CECOMSAER

MÍDIAS SOCIAIS

O post do Dia da Independência do Brasil no instagram foi destaque nas mídias sociais da FAB. A publicação obteve cerca de 45 mil curtidas e mais de 500 comentários. A FAB divulga em suas Mídias Sociais os produtos elaborados pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) e pelos elos do Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica.

/portalfab

Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Adolfo Aleixo da Silva Junior Vice-Chefe do CECOMSAER: Coronel Aviador Luis Felipe da Silveira e Eliseu Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador João Gustavo Lage Germano Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Tenente-Coronel Aviador Igor Correa da Rocha Editores: Tenente Jornalista Letícia Faria (MTB 3327/SC) Tenente Relações Públicas Wanessa Liz (CONRERP 862) Colaboradores: Textos enviados ao CECOMSAER via SISCOMSAE Revisão Ortográfica e Gramatical: Sargento SST Rogerio Braga Bandeira

POST DA INDEPENDÊNCIA É DESTAQUE NO INSTAGRAM

@fab_oficial

O j o r n a l N OTA E R é u m a publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) voltado ao público interno.

Diagramação: Sargento SDE Pollyana Dias Capa e Artes: Subdivisão de Publicidade e Propaganda Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Endereço: Esplanada dos Ministérios Bloco “M” 7º andar CEP: 70045-900 Brasília/DF

/aeronauticaoficial /portalfab

@fab_oficial /faboficial

Impressão e Acabamento: Marina Artes Gráficas e Editora


Outubro - 2021

3

PALAVRAS DO COMANDANTE

NOSSA HISTÓRIA, NOSSA FAB, NOSSA VOCAÇÃO O ano era 1906, e o Campo de Bagatelle, em Paris, estava atulhado de espectadores de olhares curiosos e admirados. Eram testemunhas de uma nova história, projetada para a humanidade por um brasileiro. Alberto Santos-Dumont, que, em poucos mas valiosos segundos, provou que o "Mais Pesado que o Ar" poderia voar. Aquele 23 de outubro, com o primeiro voo do 14-Bis, marcou a história da aviação mundial e, para nós, ficou eternizado como o Dia do Aviador e o Dia da Força Aérea Brasileira. Em nossa data magna, o Comando da Aeronáutica julga como prioritária a reverência

ao maior feito do Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira, afinal, nossa existência enquanto Instituição veio de sua dedicação às visionárias invenções. Foi a partir delas que construímos nossas asas, erguemos nossas estruturas, edificamos nossos Esquadrões e, principalmente, formamos nossas fileiras, que hoje alcançam a marca de quase 70 mil homens e mulheres imergidos em profissionalismo. Assim como nos orgulhamos de Santos-Dumont e de suas obras, ele certamente estaria envaidecido ao perceber a Força que seu país arquitetou. Vivemos a era de vetores multimissão, de

projetos espaciais robustos e de pessoal constantemente preparado para o combate. À nossa Instituição e aos nossos Aviadores - aqueles que por amor às asas escolheram o cockpit como escritório de trabalho -, o Comando da Aeronáutica dedica sua mais vívida homenagem. Se de um lado reverenciamos os que voam, também devemos honrar aqueles que, em solo, elevam o nome da Força. Em outubro, celebramos, ainda, o Dia da Engenharia da Aeronáutica. Diuturnamente, os integrantes desse quadro atuam com abnegação nas mais diversas áreas de desenvolvimento do Brasil, desde

programas de infraestrutura de abrangência nacional até setores estratégicos para a Ciência e Tecnologia. Aviadores, Engenheiros e todos os demais que fazem a FAB, o Comando da Aeronáutica sente-se honrado em contar com seus labores em prol da sociedade. Sigamos inspirados por todos os feitos do passado, reconhecendo e valorizando nossa história, como também marchando juntos rumo ao futuro, sempre com o sentimento de pertencimento às Asas que Protegem o País. Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior Comandante da Aeronáutica


4

Outubro - 2021 FOTO: SO JOHNSON BARROS / CECOMSAER

DIA DO AVIADOR

DO SONHO À REALIDADE DE VOAR

DATA COMEMORATIVA RELEMBRA O MAIOR FEITO AERONÁUTICO DA HISTÓRIA MUNDIAL: O VOO DO 14-BIS Ten JOR Cristiane dos Santos Em 23 de Outubro é celebrado o Dia do Aviador e o Dia da Força Aérea Brasileira (FAB). A data homenageia os aviadores que cruzam os céus inspirados pelo Pai da Aviação, Alberto Santos-Dumont. A data é uma referência ao maior feito do inventor, quando, em 1906, realizou o primeiro voo com o mais pesado que o ar. A bordo do 14-Bis, Dumont decolou do Campo Bagatelle, na França, marcando o início

da evolução nos meios de transporte na Terra. Cento e quinze anos depois, o ato ainda inspira homens e mulheres que ingressam na Força Aérea Brasileira com a missão de realizar o sonho de voar. Para se tornar piloto da FAB, é preciso ingressar na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), onde ocorreram os primeiros passos, que são os voos iniciais da carreira. Já formados, os pilotos da FAB podem atuar nas Aviações de Caça, de

Transporte, de Asas Rotativas e de IVR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento). O Cadete do último ano da AFA, Álvaro Luiz Campos Justen da Costa, comenta sobre a busca do sonho, já que desde pequeno tem o desejo de ser aviador. “A carreira de aviador proporciona diversas oportunidades, na defesa e na vigilância de nossas fronteiras, como

também atuando na busca e salvamento, no transporte de órgãos, remédios e alimentos. Em resumo, vibro bastante com a missão da FAB, principalmente no que tange à atividade fim dos aviadores”, declarou.


Outubro - 2021

Gripen. “São desafios diários para que estejamos preparados para receber e operar essas aeronaves”, conta.

“Essas e outras

situações que vivi me emocionam e mostram o que a Força Aérea Brasileira tem de mais valioso: a sua gente”

FOTO: SD ANDERSON SOARES / CECOMSAER

A carreira de quase 35 anos permite acumular memórias. Segundo o Coronel Pestana, a Operação Regresso à Pátria Amada Brasil é um exemplo de grande

FOTO: SD WILHAM CAMPOS / CECOMSAER

Movido pela mesma dedicação, há quase três décadas na Força Aérea e três mil horas de voo, o Coronel Aviador Gustavo Pestana Garcez sente que está cumprindo a sua missão de vida.

“O meu interesse na carreira militar iniciou cedo. Por ser natural da cidade do Rio de Janeiro, berço da FAB e da Aviação de Caça no Brasil, o sonho de ser aviador foi alimentado pela constante passagem de aeronaves nos céus da cidade”, lembra. Hoje, como Comandante da Ala 2, em Anápolis (GO), o Oficial permanece ligado à atividade operacional, porém com uma nova missão: participar do processo de implantação dos dois novos vetores da FAB, o KC-390 Millennium e o F-39

5

ensinamento. “Tivemos pouco tempo para preparar a infraestrutura necessária e bem receber aqueles que, naquele momento, precisavam do nosso País", comenta. O Oficial também relembra a participação de quatro KC-390 no combate à pandemia da COVID-19, o socorro ao Amapá num momento de crise energética e o atendimento às missões humanitárias no Líbano e no Haiti. Para ele, cada missão teve seu desafio e trouxe aprendizado. “Essas e outras situações que vivi me emocionam e mostram o que a Força Aérea Brasileira tem de mais valioso: a sua gente”, finaliza.


6

Outubro - 2021

FOTO: SD WILHAN CAMPOS / CECOMSAER

MISSÕES HUMANITÁRIAS

FAB PARTICIPA DE MAIS UMA MISSÃO HUMANITÁRIA INTERNACIONAL IMPORTÂNCIA DA FORÇA AÉREA PARA O SUCESSO DESSE TIPO DE MISSÃO É RECONHECIDA PELOS BRASILEIROS QUE ESTÃO NO HAITI

MISSoES HUMANITaRIAS

Ten JOR Antonio Gonçalves A Força Aérea Brasileira (FAB) participou, nos últimos meses, da ação de apoio emergencial ao Haiti, após a ocorrência de um terremoto, transportando Bombeiros Militares, equipamentos e materiais de emergência, além de medicamentos e insumos. Mas essa não é a primeira vez que a FAB mobiliza suas equipes para participar de uma missão humanitária. Conforme estabelecido na Doutrina Básica da Força Aérea Brasileira (DCA 1-1), esse tipo de missão é considerada uma Tarefa de Apoio às Ações de Estado (ApAE), que abrange as atividades realizadas pela FAB para o desenvolvimento nacional e para as atividades de cunho

governamental. O documento determina que, em um cenário de crise regional, a FAB pode ser acionada pelo governo para contribuir, por meio do emprego de suas capacidades, nas operações de ajuda humanitária e para mitigação de efeitos de desastres ocasionados por incêndios, tempestades, furacões, terremotos, tsunamis, rompimento de barragens ou qualquer outro efeito, natural ou não, que destruam o meio ambiente ou parte da infraestrutura de um País ou região. O Coordenador-Geral da Missão Humanitária no Haiti destaca que o apoio da FAB é fundamental para o sucesso das operações de ajuda. “Quando acionada para colaborar no apoio ao enfrentamento de calamidades, a Força

Aérea Brasileira é sempre rápida. Podemos perceber a satisfação de todos os militares em poderem contribuir de forma efetiva para que alcancemos lugares distantes e cumpramos missões como essa no Haiti”, destaca Armin Braun, que também é Diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Risco e Desastres do Ministério da Integração Nacional. Para os militares da FAB, a participação em missões humanitárias é a chance de colocar o treinamento em prática e de contribuir para ajudar a diminuir o sofrimento do próximo. “É muito gratificante poder contribuir e levar a solidariedade do brasileiro. Além disso, é a oportunidade de mostrar que temos a expertise necessária para participar

de missões desse tipo com eficiência”, disse o Capitão Aviador Romulo dos Santos Pinto, piloto da aeronave KC390 Millennium do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) – Esquadrão Zeus. O Loadmaster (mestre de cargas) responsável por preparar a carga do KC-390, Sargento Matheus Miquelitto dos Santos, que participou da missão no Haiti, faz questão de destacar a satisfação que tem ao cumprir mais essa tarefa. “Sinto muito orgulho de pertencer à Força Aérea Brasileira e mais uma vez com sucesso representar o Estado e a nação brasileira, mostrando com grande maestria nossa pronta resposta, eficiência no planejamento e dedicação no cumprimento da missão”, finaliza.


7

Outubro - 2021

TERREMOTOS NO CHILE E NO PERU

2007

TERREMOTO DO HAITI

FOTO: SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

Porto Príncipe, capital do país caribenho, foi atingida por um terremoto que destruiu boa parte da cidade. Além do transporte aéreo de militares e de ajuda humanitária, a FAB montou uma unidade do Hospital de Campanha (HCAMP). Os militares atenderam, entre janeiro e maio, mais de 24 mil pacientes em procedimentos odontológicos, retirada de pontos e curativos, além da realização de exames, partos e cirurgias e da distribuição gratuita de medicamentos. No total, cerca de 460 mil medicamentos foram entregues à população haitiana.

2016

2010

FOTO: AGÊNCIA FORÇA AÉREA

Ao lado das Forças Armadas Chilenas, a FAB atuou com dois helicópteros H-60 Black Hawk, que levaram comida às comunidades isoladas atingidas por um tsunami após o terremoto que assolou o Chile no início de 2007. No mesmo ano, empregou o C-130 Hércules no envio de doações e equipes de resgates e de médicos legistas no apoio às vítimas do terremoto de 8 graus que atingiu o Peru.

ACIDENTE DA CHAPECOENSE NA COLÔMBIA A Força Aérea realizou o transporte das vítimas do acidente com a aeronave que levava os jogadores e a delegação da Chapecoense, além de profissionais da comunicação. Três C-130 Hércules fizeram o traslado dos corpos para o Brasil. No total, mais de 30 tripulantes da FAB participaram da missão, que durou cerca de 24 horas entre pousos e decolagens até Chapecó (SC). Após o velório coletivo na Arena Condá, 15 urnas foram levadas para o Rio de Janeiro, de onde foram encaminhadas para sepultamento nas cidades de origem das vítimas. Além disso, a FAB transportou também dois sobreviventes da tragédia.

ENFRENTAMENTO AOS INCÊNDIOS NO CHILE No combate ao incêndio que atingiu o Chile, a FAB apoiou o governo chileno com o emprego de uma aeronave C-130 Hércules equipada com um módulo aerotransportável de combate a incêndio em voo. A aeronave realizou o lançamento de mais de 20 mil litros de água por meio de pressão pneumática. Foram mais de 500 mil litros de água lançados sobre os focos de incêndio localizados na região de Bío-Bío.

2017

FOTO: AGÊNCIA FORÇA AÉREA

FOTO: SILVA LOPES / AGÊNCIA FORÇA AÉREA

CONHEÇA ALGUMAS DAS MISSÕES HUMANITÁRIAS QUE A FAB PARTICIPOU


8

Duas aeronaves C-130 Hércules transportaram mais de 20 toneladas de materiais para assistência às vítimas do Ciclone Idai, que atingiu Moçambique. Os aviões também levaram 40 militares da Força Nacional e Bombeiros da Polícia Militar de Minas Gerais para ajudarem nos resgates dos atingidos.

Na operação de resgate às vítimas do desastre ocorrido devido ao rompimento de uma barragem em Brumadinho (MG), a FAB empregou aeronaves H-36 Caracal para dar suporte aos trabalhos na região. Além disso, montou um Centro de Operações Aéreas para coordenar os quase 300 voos das aeronaves envolvidas na operação e, ainda, realizou a coordenação de todo o tráfego aéreo.

2019

2020

REPATRIAÇÃO DE BRASILEIROS NA CHINA E NO PERU Em apoio às missões de enfrentamento à pandemia da COVID-19, a Força Aérea Brasileira participou de missões de repatriação de brasileiros que estavam no exterior e impedidos de retornarem ao País. A primeira foi a Operação Regresso à Pátria Amada Brasil, uma ação interministerial, quando duas aeronaves VC-2, modelo Embraer-190, foram usadas. Outra missão foi para Cusco, no Peru, onde dois C-130 Hércules foram utilizados. As missões contaram com a participação de equipes de saúde capacitadas para realizar Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN).

FOTO: SD WILHAN CAMPOS / CECOMSAER

CICLONE EM MOÇAMBIQUE

FOTO: AGÊNCIA FORÇA AÉREA

APOIO EM BRUMADINHO

2019

AJUDA AO LÍBANO O KC-390 Millennium e o Embraer 190 VC-2 foram empregados na missão especial humanitária brasileira a Beirute, na República Libanesa. Foram transportadas cerca de seis toneladas de carga, entre medicamentos, alimentos e equipamentos de saúde doados pelo Ministério da Saúde e pela comunidade libanesa no Brasil.

2020

FOTO: AGÊNCIA FORÇA AÉREA

FOTO: AGÊNCIA FORÇA AÉREA

Outubro - 2021


Outubro - 2020

9

RECONHECIMENTO

TENENTE MÉDICO DA FAB SALVA A VIDA DE ATLETA EM TÓQUIO Ten JOR Flávia Rocha O Tenente Médico da Força Aérea Brasileira (FAB) Leonardo Martins Mota de Morais, de 36 anos, chegou ao Japão no dia 8 de agosto. Crente que sua missão era cuidar da saúde apenas de atletas brasileiros que participavam dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, teve uma surpresa no dia 3 de setembro: o chamado para salvar a vida do atleta belga de tênis em cadeiras de rodas Joachim Gérard, de 32 anos. O episódio, ocorrido no antepenúltimo dia da competição, foi um exemplo de união entre pessoas e nações por meio do esporte e da medicina. No incidente, o atleta havia sofrido uma parada respiratória quando estava nas instalações da Vila Paralímpica e recebeu atendimento médico decisivo, o que evitou

uma possível morte súbita. Acompanhado do Médico Gustavo Stalen e da Enfermeira Ana Paula Zalem, ambos brasileiros, além de dois médicos alemães, o Tenente Mota socorreu imediatamente o esportista que é considerado um dos principais tenistas de cadeira de rodas do mundo. “Assumi as manobras de ressuscitação e iniciei o uso de desfibrilador. Após o rápido atendimento com choque elétrico, o paciente voltou à vida”, comemorou. De acordo com Comitê Paraolímpico Belga, após exames foi constatado que o tenista sofreu um ataque cardíaco. “Se não fosse a intervenção tão precoce, o desfecho poderia ter sido outro”, explicou o Tenente Mota. “Vale destacar que a circunstância não foi de grande complexidade. Entretanto, o mais importante

Junta médica – com representantes do Brasil, Alemanha e Bélgica – reunida um dia após o atendimento ao atleta belga

FOTOS: ARQUIVO PESSOAL

O TENENTE LEONARDO MARTINS MOTA DE MORAIS PARTICIPOU DOS JOGOS PARALÍMPICOS, DEIXANDO SUA MARCA PARA ALÉM DAS LINHAS DA COMPETIÇÃO

foi agir rápido. Após o atendimento, os médicos belgas e alemães me chamaram para discutir o caso e me parabenizaram pelo atendimento prestado”, contou. O militar, que atua no Hospital da Forças Armadas (HFA), em Brasília (DF), como Chefe da Seção de Cirurgia Vascular, participou dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, como Médico-Chefe das seleções masculina e feminina de vôlei sentado, na Comissão Técnica da Delegação Brasileira Paralímpica. Além

da competição no Japão, o médico, que ingressou na Força Aérea Brasileira em 2018 no Quadro de Oficiais Médicos (QOMED), esteve também nos Jogos Mundiais Militares, em Wuhan, na China, em 2019, representando a FAB, bem como participou de várias outras competições internacionais como médico civil. Além disso, com apenas três anos de Força Aérea, já foi agraciado com a Medalha do Mérito Desportivo Militar, concedida pelo Ministério da Defesa.


10

Outubro - 2021

MÊS DA ASA

CENDOC LANÇA LIVRO COMEMORATIVO DOS 148 ANOS DO NASCIMENTO DE SANTOS-DUMONT

FOTOS: ARQUIVO / CENDOC

OBRA É COMPOSTA POR NOTÍCIAS DE JORNAIS NACIONAIS E INTERNACIONAIS SOBRE O PAI DA AVIAÇÃO

Em celebração ao 148º aniversário de nascimento de Alberto Santos-Dumont, o Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC), situado no Rio de Janeiro (RJ), lança o livro “E o Mundo Falava de Santos-Dumont...”. A publicação comemorativa prefaciada pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, tem o objetivo de difundir o acervo documental do Pai da Avia-

ção. O lançamento também faz referência ao aniversário de 52 anos do CENDOC e ocorre no mês do Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. O livro é composto por notícias de jornais de diversos países, como Russia, Polônia, Grécia, França, Alemanha, Inglaterra, Espanha, dentre outros, bem como pela iconografia original do arquivo pessoal de Santos-Dumont. Além disso, a obra traz reportagens de jornais brasileiros, datadas

do início do Século XX, transcritas fidedignamente. A obra apresenta recortes de jornais autênticos, colecionados e trazidos ao Brasil pelo próprio Santos-Dumont, cuja aquisição se deu por meio do serviço de coleta de notícias, em sua maioria pela Agência “Le Courrier de La Presse”. Para o Diretor do CENDOC, Coronel Intendente Aldo José Pereira da Rosa, a obra é um convite para uma

viagem sobre a vida do aeronauta. "O leitor poderá se transportar no tempo e fazer uma imersão nos jornais de época que exaltam os feitos do célebre inventor, motivo de orgulho para todos nós, brasileiros", disse. O acesso ao livro poderá ocorrer, virtualmente e gratuitamente, após o lançamento, pelo site do CENDOC: www.fab.mil.br/cendoc Informações da Assessoria de Difusão Cultural do CENDOC


Outubro - 2021

11

DATA COMEMORATIVA

Ten JOR Letícia Faria Na Força Aérea Brasileira (FAB), o profissional de engenharia tem atuação nos mais distintos segmentos, como Engenharia Civil, Aeronáutica, Aeroespacial, Mecânica, Elétrica, Eletrônica, Cartográfica, de Infraestrutura, de Agrimensura, Cartografia, de Computação, Elétrica, Eletrônica, Infraestrutura, Mecânica e de Telecomunicações, entre outras. O ingresso na Instituição ocorre por meio do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), por concurso para o Quadro de Oficiais Engenheiros (QOENG) e Quadro de Oficiais de Apoio (QOAP) e, por processo seletivo, para o Quadro de Oficiais Convocados (QOCON). O Dia da Engenharia da Aeronáutica é comemorado em 28 de Outubro e tem como Patrono o Marechal do Ar Casimiro Montenegro Filho. A implantação da Diretoria de Obras ocorreu em 1942 com a missão pioneira de realizar a gestão das atividades de

engenharia voltadas para a construção das instalações do recém-criado Ministério e da Infraestrutura Aeroportuária. Referência nacional e internacional O Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara, ressalta que a história da Engenharia confunde-se com a da própria Força Aérea e destaca os avanços. “A Engenharia da FAB destaca-se como referência internacional, atestada pelas conquistas de nossos engenheiros nas mais diversas áreas do Comando da Aeronáutica: Ciência e Tecnologia Aeroespacial, Emprego do Poder Aéreo, Controle do Espaço Aéreo, além da necessária Infraestrutura Aeronáutica. Nossos profissionais da engenharia têm contribuído significativamente para um futuro promissor”, destaca o Oficial-General. Para o Diretor de Infraestrutura da Aeronáutica

FOTO: ARQUIVO PESSOAL

AVANÇOS DA ENGENHARIA DA AERONÁUTICA AO COMPLETAR 79 ANOS DE ATIVIDADES NA FAB

(DIRINFRA), Major-Brigadeiro Engenheiro Jorge Luiz Cerqueira Fernandes, Oficial-General mais antigo do quadro na FAB, o momento é de comemoração. “É com orgulho que no dia 28 de outubro comemoraremos 79 anos de atividades realizadas pelos Engenheiros do Comando da Aeronáutica, que contribuíram sobremaneira para a atual capacidade operacional da FAB e terão papel fundamental para atingirmos o patamar operacional estabelecido na concepção da Força Aérea 100. São profissionais dos ramos da engenharia, civis e militares, comprometidos com a missão da FAB, atuando em todas as áreas de interesse do COMAER e participando das várias fases

do ciclo de vida dos materiais, desde a concepção, projeto, certificação e obtenção, até o suporte ao emprego dos nossos sistemas de armas”, ressalta. O Capitão Aviador João de Barro Monteiro Cavalcanti, obteve a nota 9,81 – considerada a melhor média de todos os tempos – no curso de Engenharia Aeronáutica do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Para o Oficial, “os projetos estratégicos da FAB, tais quais o projeto de propulsão hipersônica e outros da área espacial, serão os definidores de um cenário futuro num contexto que extrapola as próprias atividades da Força Aérea, englobando conquistas sólidas para o desenvolvimento industrial, acadêmico e social do nosso País”, finaliza.


12

Outubro - 2021

FOTOS: SO JOELSON NERY / CECOMSAER

DATA COMEMORATIVA

PANDEMIA DA COVID-19 REFORÇA NECESSIDADE DE PREVENÇÃO E ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL Ten JOR Marayane Ribeiro O Dia do Dentista é comemorado no dia 25 de Outubro. A data homenageia o profissional responsável pela saúde bucal. Divididas por especialidades e escalonadas por idade, as funções desempenhadas pelos especialistas abrangem desde limpezas dentárias até restaurações, remoções, radiografias e cirurgias. Atualmente, a FAB conta com 995 dentistas que atendem em diversas unidades de Saúde, dentre elas três odontoclínicas, localizadas em Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ) e Recife (PE). Segundo a Diretora da Odontoclínica da Aeronáutica de Brasília (OABR), Coronel Maria Elizabeth Medeiros, o atendimento odontológico ao efetivo, no entanto, foi dificultado pela pandemia da COVID-19. Por conta da crise sanitária, o serviço foi suspenso por aproximadamente seis meses. “Isso está refletindo

na percepção que nós temos da necessidade de tratamento. Com o retorno do atendimento presencial, no início do ano, a procura está sendo muito grande. Muitos nos procuram com uma debilidade grande nessa área. Na pandemia, as pessoas ficaram muito tempo em suas casas e descuidaram da saúde bucal”, alertou. Segundo a Oficial, a Unidade de Saúde está realizando, hoje em dia, cerca de 1.700 consultas por semana. “Por isso, tivemos que nos readequar à nova realidade. Tivemos um aumento considerável no número de consultas ofertadas. Os agendamentos são escalonados por idade (desde o pré-natal até a odontogeriatria), o que dá a todas as faixas etárias a oportunidade para iniciar e terminar o tratamento e, a partir daí, o acompanhamento desses pacientes de forma mais efetiva, buscando prevenir as doenças da boca”, explicou.

ABSENTEÍSMO ACENDE ALERTA A alta procura pelo serviço na Clínica Odontológica também proporcionou o aumento de outro índice: o de pacientes que marcam consultas e não comparecem. De acordo com a Coronel Elizabeth, o número de faltas, de março a julho deste ano, foi o equivalente a cerca de 10% do número de consultas marcadas no mesmo período. “Somente em julho, tivemos 6.820 atendimentos e 668 faltas”, apontou. Ainda segundo a Diretora, o horário que é dispo-

nibilizado para o paciente na marcação é perdido caso não ocorra o aviso prévio de sua ausência. “Por isso, nossa preocupação em orientar os pacientes para que, se não puderem comparecer, façam a desmarcação em tempo hábil para que possamos chamar outro em seu lugar”, orientou. A marcação de consultas na OABR pode ser realizada de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 19 horas, nos telefones (61) 2023-2885, (61) 2023-2882 e (61) 2023-2928.


Outubro - 2021

13

OUTUBRO ROSA

DIAGNÓSTICO PRECOCE É A PRINCIPAL ALTERNATIVA PARA EVITAR E TRATAR O CÂNCER DE MAMA SUBOFICIAL DA FAB FOI DIAGNOSTICADA AOS 48 ANOS E DESTACA A IMPORTÂNCIA DOS EXAMES DE PREVENÇÃO

A Capitão Médica Luciana Jandre Boechat Alves, mastologista do Hospital Central da Aeronáutica (HCA), no Rio de Janeiro (RJ), explicou que o câncer de mama é a principal causa de morte por câncer entre as mulheres e que é possível realizar um diagnóstico precoce da doença por meio da mamografia. “O exame é capaz de detectar lesões ainda não palpáveis e, com isso,

podemos realizar cirurgias menos mutilantes com menos sequelas no futuro. Existem também outros fatores de risco importantes, como sobrepeso, cigarro, tabagismo e a ingestão de bebida alcoólica, que também precisam ser controlados. Além disso, é preciso estar atenta a indícios que podem indicar o câncer, como mama endurecida, alteração na textura e vermelhidão ou lesão no mamilo”, alertou.

FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Um câncer extremamente raro e agressivo deixou a Suboficial Elizabeth de Araujo Risuenho sem chão em 2019. Aos 48 anos, a militar da

Força Aérea Brasileira (FAB) acompanhava a evolução de um nódulo na mama direita, identificado em uma ressonância magnética no final de 2018, e, em fevereiro do ano seguinte, descobriu outro, mas na mama esquerda. Uma biópsia revelou o que ela mais temia: o câncer. Em março, a Suboficial, que integra o efetivo do Hospital de Aeronáutica de Belém (HABE), fez a cirurgia para retirada do tumor, que, em seguida foi constatado ser ainda mais agressivo. Por isso, em abril, a militar vol-

Ten JOR Marayane Ribeiro

tou para a mesa de cirurgia para outro procedimento. “Em questão de um mês, o câncer se alastrou de uma forma muito rápida. Fiz 16 sessões de quimioterapia e 25 sessões de radioterapia. Na quimio, tive efeitos colaterais, ficava ruim três dias, no máximo, e já ficava bem, mas a radioterapia foi pior, pois você vê os efeitos dela no seu corpo”, disse. Hoje, com o câncer em remissão e preocupada em viver um dia de cada vez da forma mais intensa possível, Elizabeth fez uma aler-

ta sobre o diagnóstico da doença. “Eu não consegui sentir nenhum nódulo por meio do autoexame, não sentia nada; se não fosse o exame de imagem, e é essa a importância dele, eu só teria começado a sentir sintomas quando, talvez, fosse tarde demais”, destacou. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), para o ano de 2021, foram estimados 66.280 casos novos, o que representa uma taxa de incidência de 43,74 casos por 100 mil mulheres.


14

Outubro - 2021

OUTUBRO ROSA A Campanha Outubro Rosa é essencial para incentivar o combate ao câncer de mama e diagnóstico precoce. Criada no início da década de 1990, é uma campanha internacional de conscientização para a prevenção da doença. A prevenção, no entanto, deve ocorrer durante todo o ano”, ressaltou a médica. A FA B p a r t i c i p a d o movimento em diversas

unidades, com arrecadação de lenços, doação de cabelo, além de eventos técnicos, debates e apre-

sentações sobre o tema. Em complemento, produz conteúdos e outros recursos educativos para

disseminar informações sobre fatores protetores e de detecção precoce desse tipo de câncer.

COLUNAS

ENCONTRO NO INCAER - NAV BRASIL O 273º Encontro no INCAER, realizado no dia 28 de julho de 2021, teve como tema “NAV BRASIL”. A palestra foi apresentada pelo Presidente da NAV Brasil Serviços de Navegação Aérea S.A, Major-Brigadeiro do Ar R1 José Pompeu dos Magalhães Brasil Filho, que explanou sobre a criação da NAV

BRASIL, Serviços de Navegação Aérea S/A, vinculada ao Ministério da Defesa, por meio do Comando da Aeronáutica (COMAER), dedicada exclusivamente à prestação de Serviços de Navegação Aérea, e sobre sua atuação. A empresa NAV Brasil assumiu as atribuições relacionadas à

navegação aérea, que ficavam a cargo da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O Diretor do INCAER, Tenente-Brigadeiro do Ar R1 Rafael Rodrigues Filho agradeceu pela oportunidade da palestra. Como de costume, a apresentação contou com a partici-

pação de membros do Conselho Superior do INCAER, além do efetivo do Instituto e convidados. O Encontro ocorreu em ambiente virtual, devido às restrições impostas pela pandemia do Coronavírus. Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica (INCAER)

USO SEGURO DA INTERNET A Internet vem sendo uma importante ferramenta na vida social e profissional de qualquer pessoa, ajudando desde a procura por uma vaga de emprego até a hospedagem de diversas ferramentas educacionais, além de outras infinitas possibilidades. A Internet modernizou as formas de ensino, aproximou as pessoas e as

regiões; no entanto, abriu portas para criminosos praticarem crimes virtuais. É nesse meio que usuários mal intencionados tentam ganhar dinheiro roubando os internautas mais distraídos e desinformados, seja através de roubos de senha, sequestro digital, pornografia, chantagens e até pela violência psicológica, como o cyberbullying.

Assim como os benefícios e as facilidades do mundo online, os perigos são diversos, até mesmo para usuários mais experientes. Pensando nisso, para reduzir alguns riscos mais frequentes, devemos nos atentar para algumas boas práticas: evite anúncios suspeitos, tenha cuidado com conteúdos e anexos de e-mail, utilize um bom

antivírus e atualizado, troque as senhas periodicamente, bloqueie pop-ups, evite acessar redes públicas por meio de Wi-Fi, mantenha o sistema operacional atualizado e evite acessar páginas da web cujos certificados são identificados como não confiáveis. Centro de Inteligência da Aeronáutica (CIAER)


Outubro - 2021

15

ENTRETENIMENTO

CAÇA PALAVRAS A Campanha OUTUBRO ROSA é essencial para incentivar o COMBATE ao CÂNCER de MAMA e o DIAGNÓSTICO PRECOCE. Ela foi criada no início da década de 1990. A FAB participa do movimento em diversas unidades, com arrecadação de lenços, doação de cabelo, além de eventos técnicos, debates e apresentações sobre o tema. Fonte: Agência Força Aérea

Resposta do Caça Palavras da Edição de Setembro de 2021