Issuu on Google+

Informe PASA

InformePASA | Setembro / Outubro de 2008 | www.planopasa.com.br

Setembro / Outubro| Ano 8 n° 40

Como evitar acidentes domésticos Medidas simples e mudanças de hábitos previnem tombos

Pág.4

Uso de novos medicamentos ganha análise técnica Pág.7

Plano de Assistência à Saúde do Aposentado da Vale - Av. Calógeras, 30, loja H - Centro - Rio de Janeiro - CEP 20030-070




Editorial

InformePASA | Setembro / Outubro de 2008 | www.planopasa.com.br

Comemorações e informações úteis Aniversário de 17 anos do PASA, primeiro ano de vida do Doutor PASA e Dia do Médico. Temos muito que comemorar nesta edição do Informe e, por isso, você vai conferir uma série de matérias especiais que preparamos para você. Em entrevista, o médico Denizar Vianna fala da importância de se realizar pesquisas para o uso de novos medicamentos e a geriatra Bruna Giarola dá dicas sobre como prevenir acidentes domésticos. Além disso, você vai saber as principais causas de dores nas pernas e informações sobre as ações do PASA Saúde em cada região. E, com a proximidade das eleições, trazemos uma reportagem sobre a importância do voto. Aproveitamos para lembrar sobre a última oportunidade de migração para o PASA Plus, que se encerra em novembro. Enviem suas críticas, elogios e sugestões para que possamos fazer um Informe PASA cada vez mais interessante! Boa leitura!

PASA completa 17 anos Em outubro, o Plano PASA completa 17 anos de uma trajetória de sucesso, cumprindo seu objetivo de prestar um atendimento médico de alto padrão aos aposentados do Grupo Vale. Durante este período, o Plano também adotou uma série de medidas para crescer e se modernizar para continuar enfrentando os desafios constantes do setor. Confira no site www.planopasa.com.br, no link Nossa História, localizado no menu lateral, nossas principais ações durante todo esse tempo.

Jorge Luiz de Castro Moraes, Gerente Geral de Administração e Finanças

Atenção com dependentes entre 21 e 24 anos Vale sempre a pena lembrar que desde o ano passado deixou de ser automática a transferência para a condição de agregado daqueles filhos que perderam o direito a permanecer como dependentes, por terem mais de 21 anos (ou até 24 anos completos, para quem cursa faculdade).

Assim, o associado que quer manter o filho no plano precisa se manifestar para que isso seja feito. O PASA segue entrando em contato com o associado que está nessa condição com antecedência, de maneira a facilitar sua escolha e garantir uma decisão bem pensada.

Migração para PASA Plus continua aberta Até o dia 30 de novembro, os associados interessados em migrar para o PASA Plus podem se dirigir ao escritório do PASA mais próximo para receber todas as informações necessárias para o

procedimento. Detalhes sobre as condições de migração e respostas a algumas das principais dúvidas também estão disponíveis no site da empresa (www.planopasa.com.br).

EXPEDIENTE CONSELHO EDITORIAL: Esdras Domingos de Abreu, Adriana Campos, Cristina Leite, Dr. José Sávio Barros e Jorge Luiz Moraes / JORNALISTA RESPONSÁVEL: Veronica Pinheiro / ASSISTENTE DE COMUNICAÇÃO: Suely Tavares e Priscila Drummond / REDAÇÃO: Tempero Comunicação / REVISÃO E EDIÇÃO: Resh Comunicação / PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO: Resh Comunicação / CONTATO: (21) 2139-5700 (r.5724/ 5719) / Fax: (21) 2240-5625 / Carrier: 821-4979 / 4373



Microscópicas Carteirinha por perto Antes de entrar em contato com o escritório do PASA, tenha sempre em mãos sua carteira do Plano. Desta forma, você terá um atendimento mais ágil, já que o número da matrícula é fundamental para qualquer informação, esclarecimento ou solução para eventuais problemas. Separe também antecipadamente papel e caneta para anotar o que for necessário.

Atualização de endereços Para garantir a comunicação por carta e e-mail com o Plano PASA, associados, dependentes e agregados devem manter seus dados sempre atualizados. Para isso, basta telefonar para o Ligue PASA (4004-0183, para capitais e regiões metropolitanas, ou 0800 722 0183, para as demais localidades). É possível ainda enviar os dados pelo e-mail pasa@vale.com ou procurar o escritório mais próximo.


Fique Atento

InformePASA | Setembro / Outubro de 2008 | www.planopasa.com.br

Vote consciente

Microscópicas

Informações sobre atuação e passado dos candidatos estão disponíveis na internet A proximidade das eleições deste ano, quando serão escolhidos prefeitos e vereadores em mais de cinco mil municípios, reforça a necessidade de o eleitor se informar para garantir um voto de qualidade, com a escolha de representantes capazes de honrar a sua opção e, de fato, servir à comunidade. A melhor forma de ter a certeza da escolha certa é pesquisar sobre o passado e a plataforma de governo de cada candidato. Do horário eleitoral na tevê ao contato direto com os concorrentes, existem várias formas de buscar dados sobre os candidatos. Uma delas é a Internet. Alguns sites mostram a atuação dos parlamentares que tentam a reeleição e advertem sobre pessoas que desejam se eleger mas respondem a processos por corrupção e crimes de diversas ordens. Com isso, além do acompanhamento do trabalho da imprensa, o eleitor pode fazer uma boa pesquisa na grande rede sobre cada candidato. En-

tre outras coisas, um alerta é comum em todos os sites: candidatos que fazem promessas mirabolantes e que tiveram grande aumento do patrimônio durante seus mandatos merecem atenção especial, pelos riscos que apresentam.

“Alguns sites mostram a atuação dos parlamentares que tentam a reeleição e advertem sobre pessoas que desejam se eleger mas respondem a processos por corrupção e crimes de diversas ordens” Veja onde pesquisar: www.tse.gov.br (Tribunal Superior Eleitoral); www.tre-(digitar sigladoestado).gov.br (tribunais regionais); www.mcce.org. br e www.amb.com.br (relacionam candidatos com problemas na Justiça); e www.transparencia. org.br (traz um histórico da atuação parlamentar em todo o país).

Cotação antecipada de material em cirurgias eletivas Os usuários que tiverem cirurgias eletivas marcadas que exijam a compra de materiais, como próteses, devem procurar, com antecedência, o escritório do PASA para confirmar se o plano contempla tal cobertura. Em caso afirmativo, os associados devem solicitar a cotação do material. O pedido pode ser feito também no hospital onde será realizada a cirurgia.

Desligamento por falecimento Em caso de falecimento de associados, dependentes ou agregados, é preciso que o Plano seja comunicado para evitar que o sistema continue a gerar a cobrança relativa àquele usuário. Essa comunicação pode ser feita de duas maneiras: entrega de certidão de óbito diretamente no escritório mais próximo; ou envio, pelo correio, aos cuidados do setor de atendimento, de um formulário de desligamento preenchido (que o usuário recebe por e-mail) acompanhado de uma cópia da certidão de óbito. Em caso de separação, o Plano também deve ser avisado por meio de formulário.

Critérios de credenciamento É preciso levar em conta, por exemplo, a qualificação do profissional Quando um associado sugere o nome de um profissional ou instituição para credenciamento pelo PASA, está ajudando o Plano a ter um atendimento cada vez melhor, capaz de satisfazer à demanda de seu público. A possível admissão passará por uma avaliação que obedece aos seguintes critérios: 1- O primeiro critério é saber se há necessidade de um profissional daquela especialidade na área em que se encontra o usuário. Uma rede com excesso de serviços credenciados gera desinteresse dos

profissionais, pois eles acabam atendendo poucos associados; 2- Se for identificada a carência na localidade, é preciso analisar as qualificações do pretendente. Nesta etapa, serão levados em conta itens como currículo e experiência, entre outras coisas; 3- Depois é feita uma visita técnica, que avalia de questões sanitárias à facilidade de acesso para os usuários. Com base nessas informações e seguindo os padrões de atendimento exigidos pelo PASA, uma

comissão de credenciamento, formada por médicos e gestores do Plano, vai decidir quem pode ou não fazer parte da rede.




Viva Melhor Acidentes domésticos causam sérios problemas de saúde Um terço dos atendimentos por lesões traumáticas ocorre em maiores de 60 anos A preocupação com os acidentes domésticos aumenta a cada dia entre os profissionais de saúde, pela freqüência com que acontecem e pelas conseqüências que geram, sobretudo entre os idosos. A geriatra Bruna Giarola, que está na equipe do PASA Saúde no Rio, conversou conosco e apresentou dados que mostram a extensão do problema. Ela ressalta também algumas medidas simples que podem evitar essas ocorrências. Veja a seguir: Informe - Os acidentes domésticos são causas freqüentes de problemas com idosos? Bruna Giarola - Sim, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) de 5% a 10% das pessoas acima de 60 anos sofrem acidentes domésticos e, para cada acidente fatal, ocorrem de 150 a 200 acidentes graves. Estatísticas do SUS (Sistema Único de Saúde) revelam que um terço dos atendimentos por lesões traumáticas no país ocorre em maiores de 60 anos, sendo que 75% dessas lesões acontecem dentro de casa e 34% delas levam a algum tipo de fratura. Informe - Quais são os acidentes domésticos mais comuns? Bruna Giarola - As quedas, seguidas pelo uso

incorreto de facas de cozinha (feridas cortantes) e queimaduras. As quedas são geralmente causadas por fatores como caminhar sobre pisos molhados, úmidos ou encerados; caminhar apenas de meias ou com chinelos e sapatos mal ajustados; móveis no meio do caminho; escadas com degraus de tamanhos diferentes; tapetes nos quartos e banheiros; pouca iluminação; colocar-se em pé em cima de um banco ou cadeira; tontura ao levantar-se; visão alterada pela idade; perda do equilíbrio causada por remédios (tranqüilizantes); enfraquecimento dos ossos e dos músculos; e soleiras das portas não-niveladas com o chão.

Informe - Como é possível prevenir os acidentes? Bruna Giarola - Os principais aspectos que devem ser trabalhados são: exercícios físicos feitos sob orientação médica, os quais aumentam a força muscular e a segurança na marcha; medidas de prevenção de osteoporose (uso de suplemento de cálcio e vitamina D); uso de barras de apoio no banheiro e corredores e de piso antiderrapante; boa iluminação, principalmente à noite (deve-se manter uma luz acessa no trajeto do quarto para o banheiro); não deixar objetos espalhados pelo chão; fixar ou retirar tapetes; e colocar os objetos em locais de fácil acesso, entre outros.

Informe - Quais as conseqüências mais comuns desses acidentes? Bruna Giarola - Os acidentes domésticos levam à perda da autonomia e da independência do idoso, mesmo que por tempo limitado. Suas conseqüências mais comuns são: as fraturas, a imobilidade, a restrição de atividades, o aumento do risco de institucionalização, o declínio da saúde, prejuízos psicológicos, como o medo de sofrer novas quedas, e o risco de morte. Os acidentes implicam também no aumento dos custos com os cuidados de saúde.

Famílias participam do PASA Saúde Demonstrando a importância do programa, o associado Eloy Guerra, do Rio de Janeiro, enviou uma carta em que destaca o atendimento recebi-

do e o trabalho da equipe do PASA Saúde após sua passagem pelo hospital. “Encontrei o amparo de excelentes médicos credenciados e uma dedicação constante de enfermeiras, assistente social e outros profissionais do PASA”, diz um trecho da carta.

Família da paciente Conceição Oliveira

Foto Silva (Taquinho)



Programa recebe reconhecimento de usuário

Foto Silva (Taquinho)

Os encontros do programa PASA Saúde com os familiares dos beneficiários estão gerando resultados positivos. Em Itabira (MG), onde essas reuniões são realizadas periodicamente, de acordo com a necessidade identificada pelos profissionais do plano, a equipe já constatou significativas melhorias. “Percebi uma maior atenção da família em relação ao paciente, aumento da credibilidade do PASA Saúde e até mudanças nos hábitos de vida dos familiares”, ressalta a assistente social Alessandra Motta. Para ela, o engajamento da família no PASA Saúde é importante em todas as situações, independentemente da classe social, cultura e do estado geral do paciente. “O idoso, principalmente diante de suas limitações, requer maior atenção tanto em ações como em afeto, e isso pode ser alcançado por meio da parceria entre família e o programa”, conclui.

Família do casal de pacientes Modesta e José Agripino Toto


DOUTORPASA

orientação médica 24 horas

Dores freqüentes nas pernas exigem acompanhamento médico Problema, que atinge tanto homens quanto mulheres, pode ser prevenido com exercícios regulares e controle do peso Dores nas pernas são uma queixa comum entre as pessoas. A causa do problema pode ser ortopédica, muscular, neurológica ou circulatória. Esta última aparece na forma de varizes, insuficiência venosa e aterosclerose, que ocasiona o estreitamento ou obstrução das artérias das pernas. O angiologista, cirurgião vascular e endovascular, Adib Koury, credenciado do PASA em Belém, lembra que, se sentir dores com freqüência, o paciente deve procurar um médico. “Nos idosos, as dores nas pernas podem ser de origem aterosclerótica. O tratamento depende do grau de comprometimento do vaso, variando desde o acompanhamento clínico com medicamentos até cirurgias de revascularização ou angioplastias, que consistem na dilatação das artérias por técnicas minimamente invasivas, sem

necessidade de cirurgias”, explica. Koury afirma que a dor nas pernas atinge tanto homens quanto mulheres e que o mais importante é identificar sua causa e estabelecer o tratamento adequado. “Pessoas com mais idade, por exemplo, podem apresentar o que chamamos de claudicação intermitente, dor nas pernas que aparece após algum tempo de caminhada”, ressalta o médico. De acordo com ele, o paciente nota que a dor iniciada com a caminhada cessa ao parar o movimento. Isso acontece por que, nesse caso, existe algum grau de redução do fluxo de sangue nas artérias das pernas. Para prevenir o problema, o médico recomenda atividade física regular, sob orientação profissional, e o controle do peso, do colesterol e da diabetes. “E, sempre que possível, procurar um especialista de confiança para orientá-lo”, conclui.

BH: palestras até novembro O ciclo de palestras promovido pelo PASA Saúde de Belo Horizonte, em parceria com a Aposvale, segue até novembro. O último evento falou sobre a enxaqueca, com a presença do neurologista Rodrigo Santiago Gomes, do Hospital Madre Teresa. Veja a programação dos próximos encontros: • Dia 26 de setembro, às 14h: Câncer de pele, com o Dr. Leonardo Peret;

• Dia 31 de outubro, às 14h: Insônia, com a Dra. Míriam Studart. Em breve, será divulgado o tema da palestra de novembro. Os associados PASA e sócios da Aposvale interessados nas palestras podem se inscrever na sede da associação, na Av. Amazonas, 491, 1º andar - Centro, ou ligar para (31) 3201-0406. As vagas são limitadas.

Alimentação Saudável No próximo dia 1° de outubro, às 15h, o PASA vai realizar a palestra “Alimentação saudável, a base da saúde”, ministrada pela Dra. Claudia dos Santos Rodrigues, professora de Nutrição da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro). O evento acontecerá na sede da Aposvale no Rio de Janeiro. Não é preciso fazer inscrição para participar do encontro, basta comparecer ao local no horário marcado. A Aposvale fica na Rua Santa Luzia, 685, 10° andar, no Centro.

Homenagem aos médicos No dia 18 de outubro, comemora-se no Brasil e em muitos outros países o Dia do Médico. Para o PASA e seus usuários, esta é mais uma oportunidade de ressaltar a grande importância desse profissional. É graças à dedicação de médicos de todo o país, que por muitas vezes abdicam do seu lazer e do convívio familiar, que muitas vidas são salvas. Por isso, nossos parabéns pela data!

Veja outras datas especiais: Dia 19/09 Dia do Ortopedista

Dia 01/10 Dia Internacional do Idoso

Dia 13/10 Dia do Fisioterapeuta

Como usar bem seu plano Comparecer às consultas ou desmarcar a tempo Ao agendar uma consulta, o associado estabelece um compromisso com o médico credenciado. Por isso, é essencial que o usuário cumpra este compromisso ou comunique com antecedência sua ausência. Quando deixa de comparecer sem avisar, o paciente prejudica o trabalho do profissional e, por conseqüência, outros pacientes, que poderiam ser atendidos naquele horário. Assim, vale lembrar: caso você não possa ir à consulta no dia marcado, ligue para desmarcá-la. Não esqueça! 


Você Aqui

InformePASA | Setembro / Outubro de 2008 | www.planopasa.com.br

Vida produtiva, aposentadoria também Planos, atividades e rotina saudável são fundamentais para o bem-estar

Mario Borgonovi: qualidade de vida na aposentadoria

Caminhar na praia, ler o jornal tranqüilamente, papear com os amigos, pintar, esculpir e escrever, exercitando sua memória: eis uma boa receita para encarar a aposentadoria como uma fase produtiva e prazerosa da vida, na qual há muito a aproveitar e usufruir. Essa é a fórmula encontrada por Mário Borgonovi, usuário do Rio de Janeiro, para o seu dia-a-dia, aos 94 anos de idade. Paulista de Campinas, ele teve o que se pode chamar de uma trajetória produtiva e interessante, pois, formado em engenharia agronômica, com especialização nos Estados Unidos, trabalhou até os 84 anos. “Vim para o Rio em 1965 trabalhar na Vale, onde fiquei nove anos, quando abri um escritório. Por conta de minhas tarefas, viajei o mundo todo – África, Japão, Europa e Austrália, entre outros lugares”, relembra. Para conseguir se formar, Mário Borgonovi precisou de muita persistência, já que, filho de imigrantes italianos, com oito irmãos, teve que se esforçar para concluir seu curso na Universidade de São Paulo. “Meu pai era um marceneiro de mão cheia, que chegou aqui em 1888, ano da abolição da escravatura. Na última vez em que estive em Campinas, vi bondes que foram construídos por ele e ainda existem”, conta. Hoje, pai de dois filhos e avô de três netos, Má

rio Borgonovi usa toda a experiência acumulada em benefício de sua qualidade de vida. Morador do Leblon, no Rio de Janeiro, há mais de 40 anos, visita diariamente sua antiga rede de vôlei e cuida da alimentação, evitando proteína animal durante os dias de semana e dando preferência sempre às carnes brancas aos sábados e domingos. Para manter a boa saúde mental, Borgonovi se exercita pintando e escrevendo. Apesar de garantir que escreve apenas para “consumo doméstico”, tem uma autobiografia pronta, produzida com base em sua ótima memória.

“Pai de dois filhos e avô de três netos, Mário Borgonovi usa toda a experiência acumulada em benefício de sua qualidade de vida” Sobre dicas e sugestões para quem está se aposentando ou prestes a se aposentar, ele é bem direto: “Claro que muito do que somos e a forma com que vivemos depende de nossa carga genética. Mas, independentemente de nossa origem e do local onde moramos, não se pode deixar de produzir e ter planos. Ficar parado é esperar o fim para breve”.


Em Sintonia

InformePASA | Setembro / Outubro de 2008 | www.planopasa.com.br

Instrumento para avaliar uso de novos medicamentos Remédios devem ter custo compatível com os benefícios oferecidos Os medicamentos estão entre os itens que pressionam a inflação médica, a cada ano maior do que os índices médios de subida dos preços. A indústria farmacêutica pesquisa e lança produtos que combatem os mais diversos males, mas algumas das substâncias que chegam ao mercado beneficiam um grupo pequeno de pessoas, a um custo financeiro muito alto. Como os recursos são limitados, tanto na esfera pública quanto na privada, é preciso decidir quais medicamentos devem ser adquiridos – e até que preço se pode pagar por eles. Existe um ramo da ciência pouco conhecido – a farmacoeconomia – que examina os vários aspectos que envolvem a questão, avaliando tecnicamente, do ponto de vista do interesse coletivo, que medicamentos são mais e menos relevantes para a sociedade. O cardiologista Denizar Vianna, professor da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e especialista no assunto, conta como é possível fazer essa avaliação: Informe - De quais instrumentos a farmacoeconomia se utiliza para aferir se vale a pena ou não incluir um novo medicamento entre aqueles disponíveis no SUS ou presentes no rol da ANS? Denizar Vianna - Primeiro, busca-se na literatura médica a melhor evidência publicada em relação aos estudos realizados sobre o novo medicamento, na comparação entre ele e o tratamento padrão para a doença. É preciso conhecer sua eficácia e segurança. Em um segundo momento, incorpora-se o conceito econômico, levando-se em conta não só o preço do remédio, mas também se ele evitará hospitalizações futuras, por exemplo, no horizonte de tempo em que os pacientes vivem com a doença em questão. Informe - Em entrevista recente, o senhor sugeriu a criação de uma câmara técnica para auxiliar os juízes a tomarem decisões nos processos movidos por pacientes que

buscam medicamentos que não são cobertos pelos planos de saúde ou não constam do rol do SUS. Essa medida parece estar próxima? Denizar Vianna - O setor de saúde, como um todo, busca uma aproximação com a Justiça no sentido de contribuir para embasamento técnico das decisões, pois a concessão de liminares a favor dos pacientes vem tendo impacto orçamentário importante para o Estado e a iniciativa privada, o que pode impedir o tratamento de males que afetam um número maior de pessoas. O juiz, normalmente, analisa a demanda de quem solicita, sem levar em consideração a realidade mais ampla. Cabe aos órgãos públicos de saúde e empresas do setor mostrarem tecnicamente a importância de preservar o interesse coletivo, ainda que eventualmente haja prejuízo individual.

“O juiz, normalmente, analisa a demanda de quem solicita, sem levar em consideração a realidade mais ampla. Cabe aos órgãos públicos de saúde e empresas do setor mostrarem tecnicamente a importância de preservar o interesse coletivo”

Informe - O problema do custo da saúde é mundial. Em relação aos medicamentos, existe algum lugar que possa servir de exemplo para o Brasil? Denizar Vianna - Trata-se de fato de uma questão relevante no mundo, presente em campanhas presidenciais, como a americana. O modelo europeu me parece, hoje, o mais interessante. Mas estamos muito distantes dessa realidade ainda, perseguimos índices já alcançados há tempos por eles. Do ponto de vista do gasto per capita, a medicina suplementar de nosso país pode ser comparada ao que se pratica no Primeiro Mundo. Mas o gasto público está longe disso. A Organização Mundial de Saúde estima em 500 dólares (cerca de R$ 800,00) o custo por pessoa anual em saúde, porém o governo gasta pouco mais de R$ 300,00. Há recursos insuficientes e má gestão dos que

existem. Contudo, entre as medidas positivas na área de medicamentos, pode-se destacar a Farmácia Popular, que aumentou o acesso aos remédios, melhorando a qualidade de vida das pessoas e contribuindo para a diminuição das hospitalizações.

“Do ponto de vista do gasto per capita, a medicina suplementar de nosso país pode ser comparada ao que se pratica no Primeiro Mundo. Mas o gasto público está longe disso”

Informe - Diante desse quadro, o senhor acredita que uma das saídas é o investimento em prevenção? Denizar Vianna - Sem dúvida. É por aí que se deve canalizar o dinheiro, mas antes é preciso fazer uma análise crítica de evidência, análise de custoefetividade e estimativa de impacto orçamentário, pois a “prevenção”, por si só, não é a solução mágica para resolver todos os males do sistema de saúde.

Denizar Vianna, professor da UERJ




Quadrinho

InformePASA | Setembro / Outubro de 2008 | www.planopasa.com.br

Por Aí Espírito Santo

Minas Gerais

Hospital Márcio Cunha exige cadastro

Palestras diárias em Vitória Usuários do PASA de Vitória podem tirar dúvidas diariamente sobre a migração para o PASA Plus. A equipe do Plano no estado está realizando palestras todos os dias no escritório da Praia do Suá, sempre às 9h30 e às 14h30. São conversas rápidas, que duram entre 30 e 40 minutos, e que permitem o esclarecimento de todo o processo de migração. Os encontros acontecem no espaço da Estação Saúde, em frente ao escritório.

Novo horário no PASA de Tubarão Desde 11 de agosto, o horário administrativo do PASA no Complexo de Tubarão é das 8h às 17h. Porém, vale lembrar que o Ligue PASA continua disponível 24 horas, nos sete dias da semana, pelos telefones 4004-0183 (capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 722 0183 (demais localidades).

Para utilizar os serviços do Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, os associados devem preencher primeiro um cadastro.Trata-se de um procedimento rápido, que exige que o associado (somente ele) leve ao hospital os documentos de identidade do titular, dependentes e agregados e a carteirinha do Plano. “Feito o cadastro, o usuário terá um número de identificação para o faturamento em todos os atendimentos. O cadastro permite ainda o agendamento de consultas pelo telefone”, informa Helen Cristina, da equipe de atendimento do PASA em Governador Valadares. Quem não mora na cidade também deve se cadastrar por meio do escritório de Governador Valadares, que repassa ao hospital os dados exigidos. Os associados em trânsito pelo local não precisam se preocupar: caso necessitem, o hospital faz o atendimento e entra em contato com o escritório de Governador Valadares para o cadastramento.

RESPOSTA

SORTEADO

PERGUNTA Quando acaba o período de migração para o PASA Plus?

Daniel Simões da Costa, associado do PASA em Guarapari (ES), foi o sorteado da última edição e ganhou um Grill.

NOME MATRÍCULA PASA

CIDADE /ESTADO

Corte esta tira na linha pontilhada e envie para Av. Calógeras, 30/13º andar, Centro, Rio de Janeiro, CEP:20030-070, aos cuidados do setor de Comunicação do PASA, ou entregue pessoalmente em um dos escritórios PASA. Caso a sua resposta esteja certa, você participará de um sorteio para ganhar uma Centrífuga de Alimentos e terá seu nome divulgado na próxima edição do Informe.

MANTENHA SEU ENDEREÇO SEMPRE ATUALIZADO




/informe40