Page 1

Edição 03 / Setembro de 2013

Civismo também se faz com Solidariedade Nelsinho

Uma Escola diferente porque acredita na educação como instrumento transformador, em prol de uma sociedade mais dedicada ao seu semelhante e acima de tudo, mais solidária.

Página 03

Jornal Planeta Azul na cobertura completa das Comemorações do Desfile Cívico de 7 de setembro Página 06

Do Ensino Infantil ao Ensino Médio, o Colégio Planeta Azul comemora o Dia da Independência abordando o tema: Para fazer a diferença todos os dias, tem que ter dom Página 07

Família não é segmento, é um todo. Este ano fizemos a nossa primeira Festa da Família, trabalhando a autoestima e despertando os valores que cada um tem dentro de si. Página 12

Construindo uma Educação de Qualidade do Ensino Infantil ao Ensino Médio Rua Guaporé nº 456, Stella Maris - Peruíbe - SP - (13) 3453-1022


02

Palavra do Diretor

Como fazemos todos os anos, em busca de compartilharmos novas ideias com as demais escolas do Sistema Dom Bosco de Ensino, dia 26 de julho, participei do Congresso Dom Bosco, ocorrido na cidade de Fortaleza, e para propiciar ainda mais satisfação, ficamos hospedados no RESORT VILA GALÉ, um espa-

ço tranquilo e aconchegante. A cada novo Congresso, voltamos com as energias renovadas e com a certeza de que para vencermos os desafios, temos que fazer sempre um pouco mais! Este ano o tema do Encontro foi Redes de Conhecimento, Redes de Aprendizagem, como resumi a seguir:

Jornal Planeta Azul - Edição 03 / Setembro 2013

buscam por aprimoramento na gestão escolar e excelência no ensinar e aprender. Uma forma única de somar e dividir vivências por meio de atividades que mostram como a escola pode obter ganhos significativos nos

do C.E.S.A.R é responsável por descobrir perguntas (ao invés de arranjar respostas) e inovação em geral. Também é Presidente do Conselho de Administração do PORTO DIGITAL e Co Fundador da IKEWAI (rede de investimentos e investidores).

Congresso de diretores 2013 Nas últimas décadas, os Sistemas de Ensino assumem um importante papel no desenvolvimento das Instituições Educacionais, que focam em estratégias organizacionais e desenvolvimento humano. Tais sistemas apresentam soluções que vão muito além de coleções didáticas e, por meio dessas, transformam diariamente diretores, coordenadores, professores, pais e alunos em protagonistas na construção do conhecimento, visando a um ambiente criativo e colaborativo, frente às tendências de educação internacionalizada. Atualmente, existe uma lacuna a ser preenchida, originada entre a força de uma empresa com mais de 50 anos

de experiência em educação e o que ela construiu com seus parceiros, por meio de vivências e experiências, ao longo dessa jornada. Quando modelos de aprendizagem são compartilhados, mobiliza-se a Instituição para uma educação multidisciplinar, levando-a a conectar-se com as necessidades de sua comunidade, agregando valores aos seus produtos e serviços. Assim, o Sistema, que não se restringe apenas à assessoria permanente, se posiciona como uma rede propagadora de formação e informação, promovendo a troca de experiências entre grupos, na busca pela eficácia nos processos de ensino e aprendizagem. Falemos um pouco da Palestra Geral

PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO Estações do conhecimento

Entender e atender as necessidades dos nossos parceiros tem sido uma busca constante pela eficácia nos processos de ensino-aprendizagem.

resultados que busca em todas as frentes da gestão escolar. Assim, mais uma vez parti em busca da excelência para o Colégio Planeta Azul, onde competência e seriedade são os alicerces desta Instituição de Ensino.

Palestrante: Silvio

Lemos Moreira Redes de Conhecimento e Aprendizagem: Caminhos para eficácia da escola Silvio Lemos Meira é paraibano de Taperoá, onde nasceu em 02/02/1955, e Pernambucano de coração. Meira fez Graduação em eletrônica no ITA (1977), Mestrado em Computação na UFPE (1981) e Doutorado em Computação na University of Kent at Canterbury (1985) e é Professor Titular de Engenharia de Software do Centro de Informática da UFPE (como Professor de Graduação e Pós-Graduação). Como cientista-chefe

Redes de Conhecimento e Aprendizagem: Caminhos para eficácia da escola A educação escolar para além do modelo restritivo do passado, em direção a um modelo de CONECTIVIDADE e INTERAÇÃO. Mudanças em relação à construção de conhecimento por meio das redes sociais e do uso de tecnologias nas atividades educativas como estratégia para promover o aprendizado e o desenvolvimento de competências essenciais para o século 21. O uso das redes sociais de conhecimento e aprendizagem como parte da estratégia de negócios das escolas.

André Luiz Inácio do Nascimento é professor há 15 anos. Trabalha atualmente, nas Redes Estadual e Particular, onde leciona a disciplina de Língua Portuguesa para alunos do Ensino Fundamental e Médio, pelos Sistemas Anglo e Dom Bosco de Ensino. É proprietário do blog intitulado “A Nossa Língua Materna”, com conteúdos voltados para a Área de Educação. É editor-chefe do Jornal Planeta Azul, incentivado e mantido pelo Colégio Planeta Azul, na cidade de Peruíbe.

As Estações de Conhecimento tem o objetivo de proporcionar na prática a integração de produtos e serviços Dom Bosco, frente aos processos que

EXPEDIENTE DO JORNAL PLANETA AZUL - PROJETO: “A ESFERA JORNALÍSTICA NA FORMAÇÃO DO ALUNO PROTAGONISTA” - Projeto Jornal Planeta Azul

COLÉGIO PLANETA AZUL – PERUIBE - CNPJ: 06.030289.0001-78 Mantenedores do Colégio: Elizete Zeny Miyata e Satoshi Miyata Editor-Chefe de Redação: André Luiz Inacio do Nascimento Jornalista Responsável: Silvio Siqueira Junior MTB 20989 - Diagramação: Bruno Neri Fotografia: Regina Yamada Edição nº3 - Setembro de 2013 - Periodicidade: trimestral Tiragem: 2.000 exemplares Gráfica: Diário do Grande ABC

EDITORIAL Especial

Querido leitor! É com imensa satisfação que nos reencontramos nessa 3ª edição do Jornal Planeta Azul e como sempre, repleta de novidades. Iniciamos por antecipar que, especialmente nesta edição, optamos por fazer um Jornal Temático, cujos cadernos tradicionais já conhecidos, se mantiveram, porém, distribuídos nas quatro cores da nossa bandeira. Foi, assim, desta forma bem patriótica, nossa homenagem para um ano que em sua metade, já se apresenta pelo menos diferente dos últimos 20 anos, período em que a nossa participação política e social ficou restrita a sermos vistos como apenas contribuintes, eleitores e povão, por isso: Será que agora acordamos? Acordados ou não, pelos últimos acontecimentos o país demonstrou, pelo menos, estar respirando, isto é, ainda vivo. Uma nova geração, motivada por seus avôs que lutaram pelas Diretas Já; seguidos por seus pais, os caras pintadas, da época do impeachment de Collor, hoje são protagonistas e clamam por mudanças. Reconhecemos como legítimas as manifestações, pois sem dúvida, o que começou com reclamações pelo aumento de tarifas, serviu apenas como estopim, que terminou numa série de importantes reivindicações. Vindo ao encontro e reforçando todo este movimento, a passagem do Papa Francisco pelo Brasil, nos deixou um tanto um pouco chocados com nós mesmos, pensativos se de fato, estamos conduzindo nossas vidas e o país de forma simples, justa e, sobretudo, íntegra. Por falar em integridade, acompanhamos ainda neste semestre o maior julgamento contra a impunidade da história do STF, regido corajosamente pelo Ministro, vale ressaltar, negro, Joaquim Barbosa. Estará o Brasil, realmente, mudando seus valores preconceituosos, infiltrados dentro de nós desde o Descobrimento. Preconceito este, novamente trazido à tona pela cantora de Axé, Daniela Mercury, ao assumir sua opção sexual e reascender a polêmica: Diariamente assistimos a casais heterossexuais se beijando, mas... como reagiríamos se fossem homossexuais e nós, estivéssemos passeando com nossos filhos? Pois é, mesmo com todas estas questões bem resolvidas por fora e “mal resolvidas por dentro de nós”, fomos campeões da Copa das Confederações de futebol, tudo bem, que jogando num Mané Garrincha superfaturado, mas até aí, ué, como já dizia Maluf, roubaram, mas pelo menos entramos para o seleto grupo dos países, se não com menos desigualdade, pelo menos possuidores dos melhores estádios do mundo, ufa! E a Dilma, como estará lidando com tudo isso. Ah, foi vaiada lá, aplaudida aqui, num sobe e desce no “Ibope” bastante parecido com a inflação atual. A seca, tão combatida por seu antecessor se mantém, embora agora, mais próxima de Vidas Secas, de Graciliano Ramos, época de um Brasil retratado pela seca de água e também de esperança. Bem, se infelizmente, para algumas regiões do Brasil a tão sagrada água falta, por aqui, obviamente, se desperdiça o que lá mataria a sede e alimentaria a esperança daqueles olhos sertanejos e guerreiros. O que diria então nosso imortal brasileiro, Vinicius de Moraes, homenageado pelo seu Centenário, o pai da bossa nova e de um novo tempo nacionalista? Como podem ver, esta edição não poderia deixar de homenagear tudo isso que tem cara de Brasil. Assim, como em 1822, o Brasil se tornava independente, hoje, o Projeto Criança Esperança, da Rede Globo em parceria com a Unicef, sonha em tocar os corações dos brasileiros, mas para um outro tipo de independência. Aquela independência chamada autonomia, autoestima, amor. Se antes, tínhamos um país com poucos jovens, podemos agora acreditar, podemos agora sonhar que as gerações da nova era digital possam, uma vez mais antenadas através de suas redes sociais, também unirem o Brasil em prol de uma única corrente. É sim, nossa responsabilidade, por sermos adultos e educadores, exercermos o nosso papel social. É nosso dever oportunizarmos e orientarmos estes jovens, sedentos de transformações, para de verdade, assumirem e atuarem como protagonistas desta Era de mudanças para o Brasil, a começarmos pela mudança de pensamento e atitude de dentro pra fora, como devem ser conduzidas as nossas vidas. Acreditamos nessa corrente e abraçamos esta causa, pois entendemos que somente assim, dando voz para os jovens e olhando por aqueles que precisam, perto ou longe de nós, sem fazermos qualquer distinção de raça, credo, idade ou classe social, poderemos servir positivamente a sociedade e mais humanamente, às pessoas, como educadores, mas acima de tudo, como gente que respeita sua gente. Abraço e até a próxima! ANDRÉ LUIZ INACIO DO NASCIMENTO Editor – Chefe de Redação


Reportagem Especial

Jornal Planeta Azul - Edição 03 / Setembro 2013

03

PARA ESTENDER A MÃO, TEM QUE TER DOM

Para mudarmos o mundo, porque não começamos por nós mesmos?

O Projeto Solidário do Colégio Planeta Azul

por Equipe de Redação Planeta Azul

Desde sua Fundação em 2004 até hoje, o Colégio Planeta Azul desenvolve o Projeto Solidário, voltado para atender Instituições da nossa cidade e a escolha é feita a cada início de ano letivo na Reunião de Planejamento. Desta forma, a escola reservava apenas um dia para a ação solidária e percebemos, uma vez que a cidade a sociedade mudou, que nós também precisávamos mudar, por isso, a Equipe do Colégio Planeta Azul resolveu fazer diferente e neste ano de 2013, dividiu o Projeto em 4 momentos, dos meses de abril a agosto. Mês de abril, o início... A 1ª Ação solidária ocorreu em abril, através do Projeto Páscoa

Solidária. Com o apoio dos pais de alunos do Colégio, arrecadamos agasalhos em prol de uma escola da cidade, com apresentação musical para as crianças. Para Liliam, professora da Educação Infantil, que acompanhou os alunos: “É fundamental o ato de doar, pois as crianças aprendem valores. Neste projeto, por exemplo, elas se envolveram e se sensibilizaram bastante”. Mês de maio, o 2º momento: A partir de doações, os alunos do Ensino Fundamental I visitaram o Aterro Sanitário do município, levando roupas e brinquedos para as pessoas que dele dependem e que por lá estavam. Para a professora Débora que

foi com os alunos: “Desenvolver nos alunos o espírito de solidariedade e respeito ao ser humano, possibilitando assim, transcender para além do conteúdo curricular”. Mês de julho, o 3º momento: Através da colaboração dos pais e comunidade, a escola arrecadou agasalhos para serem distribuídos aos moradores de rua próximo à Estação Ferroviária. Este dia foi especial, como podemos observar pelo depoimento da Ivone, colaboradora da escola, ao dizer: “Para mim, significou o amor ao próximo, pois ver pessoas chorando por simplesmente terem sido lembradas, nos faz refletir. É importante valorizar o pouco e muitas

vezes não fazemos isso”. Mês de agosto, o término: O Projeto foi finalizado no dia 11 de agosto, com a distribuição do Café da Manhã para moradores de rua. A ação, que partiu do bairro Flórida, às 7h, percorreu pelos bairros Stella Maris, Centro, Rodoviária, Veneza, finalizando no Caraguava. Segundo André, colaborador do Colégio: “A gente pensa que é muita coisa, mas quando nos deparamos com outras realidades, a exemplo de famílias inteiras de índios jogadas ao relento, vemos quão pequenos somos. A partir de uma pequena doação, de parte do nosso tempo, num domingo de manhã, podemos tirar sorrisos de quem nunca sorri”.

Tem de ter dom para fazer o bem? por André Luiz Inacio do Nascimento

Todos os anos, o Sistema Dom Bosco de Ensino adota um tema como bandeira para seus projetos e quando assistimos ao jingle deste ano de 2013 pela primeira vez pensamos: Para se fazer a diferença, realmente, tem que ter dom! Nesta perspectiva de superação e fé, acima de tudo, elaboramos os nossos projetos com um olhar diferente. Amadurecemos com muita seriedade, de que maneira poderíamos crescer como gente e mais, como conseguiríamos iniciar um processo interno de mudanças, uma mudança de atitude que deveria ser encarada como normal, mas que acabara sendo vista como gesto de bondade, solidariedade, ou até caridade fora de moda de uns anos pra cá. Cientes de nossa responsabilidade social como Instituição de Ensino, mas também conscientes de que antes de sermos educadores, somos filhos, pais, mães, enfim, brasileiros, resolvemos vestir a camisa e sair pra rua e fizemos diferente. Paramos para ver melhor o que está acontecendo ao nosso redor, bem pertinho de nós. Infelizmente, não precisamos ir muito longe para perceber o quanto a cidade mudou. Nem fomos ao encontro destas diferenças, visto que, bem antes e muito rapidamente, elas vieram de encontro conosco, felizmente. No início, fomos resistentes, como sempre fazemos quando o assunto é preconceito, mudanças, questões polêmicas. Depois, nos colocando no lugar daqueles que têm mais a nos ensinar do que nós a eles, tomamos coragem e demos o primeiro passo, rumo a um primeiro ano, no mínimo, desafiador para toda a escola, pois para se fazer o bem ao próximo, antes devemos limpar nossos corações de tanto lixo, escondido por trás do egocentrismo. Ego, palavra tão pequena, mas tão grande quando o assunto é significado. A partir dela, a sociedade aprendeu o defeito de ser egocêntrico, aquele que age voltado pra si mesmo, sem se preocupar com os interesses alheios. Desta forma, simples e rápido assim, motivados por uma sociedade cada dia mais interessada em relações por interesses capitalistas, tornou-se, infelizmente, menos altruísta, pois além de ignorar os sentimentos do outro, ainda se mostra pouco preocupada com a felicidade e o bem-estar alheio. Desta forma, definitivamente, entendemos o nosso lugar nesse Planeta Azul, que é o de estar perto, se não ainda como gostaríamos, pelo menos, procurando agir como cidadãos e educadores mais inseridos, mais envolvidos com questões que deveriam ser de interesse de todos independente de credo, classe, raça. Não pretendemos mudar o mundo com essa atitude, apenas se possível, contribuir a partir do nosso projeto, para o plantio de uma semente chamada esperança, a ser trabalhada na forma de solidariedade dentro da nossa escola. Entendemos que precisamos servir de exemplo para as crianças, gerações responsáveis pelo futuro e pelo germinar desta causa. Podemos, infelizmente, não resolver o “problema”, se é que assim podemos chamar quem se encontra numa situação diferente da nossa; aqui, preferimos afirmar que eles não são, mas sim, estão numa situação diferente, porque independente de condição social, todos somos brasileiros, cidadãos e gente que sente.


Gente

O Gigante acordou

por Henrique Iudy F. Higa

mando por igualdade e pedindo para que as coisas melhorem. Conforme foram acontecendo essas manifestações, infelizmente aconteceram algumas coisas que não foram muito boas, como ações de vândalos contra patrimônios públicos, o que acabou acarretando prejuízos ao movimento. Mesmo assim, não por isso a causa maior foi enfraquecida Em Peruíbe, também foram feitas algumas manifestações, juntando um bom número de pessoas, todos com objetivo de lutar por coisas que a cidade precisa melhorar, como coincidentemente saúde e educação. Tudo isso não é à toa e o povo não vai parar enquanto as coisas não melhorarem, porque é direito e já foi visto que se tiver foco, determinação e persistência, o povão mostra para seu governo a força que tem. Ilustração

Depois de muitos anos e depois de aguentar muitas coisas erradas em nosso país, parece que finalmente o povo brasileiro acordou e está vendo que estamos em uma situação que, se não lutarmos para consertar tudo isso, as coisas só vão piorar cada vez mais. Depois do governo ter aumentado vinte centavos na passagem dos ônibus, deu início uma manifestação com o movimento chamado “Passe Livre” para reduzir essa tarifa, o que resultou na redução da taxa. Mas não acabou aí. Depois do movimento Passe Livre ter dado certo, as manifestações continuaram, mas agora por outros motivos, como por exemplo, a saúde e a educação do país. Ainda vemos manifestações acontecendo até agora e a cada uma, a adesão das pessoas aumenta, cla-

PROTESTO EM PERUÍBE EU ESTAVA LÁ! No dia 21 de julho, Peruíbe participou de seu primeiro protesto em forma de manifestação pelas ruas da cidade, reivindicando a melhoria da cidade e do país. A passeata saiu da rodoviária e seguiu em direção ao centro até a Praça Matriz, onde até os sinos da Igreja São João Batista apoiaram a manifestação. O protesto, acompanhado pela Polícia Militar e pela Companhia de Trânsito Municipal foi pacífico durante mais ou menos quatro horas, tendo sido finalizado na Câmara Municipal. Alguns alunos do Colégio Planeta Azul presenciaram e protestaram também. Como diz o

por Giovanna Timon

lema dos protestos “O Gigante acordou”, e agora, exercendo o nosso papel de cidadãos, temos que ajudar nessa manifestação legítima, que já deveria ter acontecido faz tempo, pois por muitos anos “aceitamos” o governo se aproveitando da população, cobrando impostos muito altos e sem nos dar o devido retorno. Agora, o Brasil decidiu lutar pelos seus direitos e é importante que todos, incluindo jovens, adultos, trabalhadores, estudantes, homens, mulheres, enfim, todo o povo e sociedade brasileira ajudem porque, afinal, “O povo unido jamais será vencido!”.

Manifesto Brasileiro

Estação Ferroviária

por Beatriz Santiago

por Acíria de Pinho Ruud

O patrimônio histórico e cultural do Município, Estação Ferroviária, está modificando seu prédio na parte interna que terá uma estrutura mais adequada para atender os visitantes, com mais segurança e comodidade. Conforme a prefeitura diz, o prédio foi fechado em novembro do ano passado, por problemas estruturais, e o atual Administrador encontrou a Estação sem condições de funcionamento, com muros pichados, janelas quebradas, freqüentado por usuários de drogas e moradores de rua. A prefeitura elaborou um cronograma de trabalhos, e após a reforma prevista para terminar no mês de agosto, a Estação Ferroviária, ponto contros e desenvolveram turístico e importante patrimétodos para difundir o mônio da nossa cidade, deveprotesto por todo o Brasil, rá ser aberta para visitação ao público. Ilustração

04

Atualmente, têm ocorrido muitos protestos em várias regiões do país, por diversos motivos como, por exemplo, pelos gastos excessivos com a Copa do Mundo, com o governo se preocupando em utilizar os recursos para beleza e construção de estádios maravilhosos, em vez de olhar para as prioridades públicas como saúde e educação, cada vez mais precárias e desvalorizadas.

Além disso, outra razão dos manifestos é o aumento das tarifas de transporte público, que gerou revolta e indignação entre a população. Por causa das manifestações, iniciou-se uma Era de mudanças e momento histórico para os jovens, pois agora a juventude abre um novo ciclo, tornando-se protagonista dessa nova etapa do Brasil. Os protestos, que se iniciaram pelas redes sociais, marcaram en-

assim, buscando soluções para nossos problemas sociais, políticos e econômicos. Os brasileiros que passaram anos sendo dominados pelo governo, agora parecem “rebelados” e unidos em prol de um país mais justo e igual. Esperemos que essa corrente não acabe em pizza, como quase todas as ações que envolvem diretamente os interesses do povo.

Para 2014 teremos novidades!

Dom Bosco Assured by Edexcel: Primeira Certificação de Sistema de Ensino no Brasil A inovação já faz parte da filosofia do nosso Colégio e nesta perspectiva, para o próximo ano, seremos novamente os pioneiros com uma nova ideia: O Curso Empreendedor Internacional, oferecido a alunos do Ensino Médio com dupla certificação, em Gestão Pública e Gestão Financeira, fazendo parte da grade curricular do ensino médio. Matrículas abertas, a partir do mês de outubro, para o ano letivo de 2014. Vencendo com sucesso os desafios para implantação da 1ª série do Ensino Médio, para 2014, daremos continuidade ao curso, oferecendo a 2ª série. É o Colégio Planeta Azul, construindo uma Educação de qualidade do Ensino Infantil ao Ensino Médio

PORQUE INOVAR, VALORIZAR, TRANSFORMAR OS SEUS SONHOS EM REALIDADE, É PRECISO SERIEDADE, COMPETÊNCIA, CONSCIÊNCIA E DEDICAÇÃO. COLÉGIO PLANETA AZUL, ACREDITANDO CADA VEZ MAIS NA EDUCAÇÃO, AFINAL, PARA ENSINAR, TEM QUE TER DOM.


Opinião

POLÊMICA

Brasil, um país de todos? por Ighor Gaspar

Profª Maria Helena (Lena) – História

Não é novidade para mim, professora Maria Helena, ver manifestações em nosso país, pois já em minha geração, quando estudante universitária, assisti a algumas delas... isso durante o período militar no Brasil (1964 a 1985). Ocorreram greves, reclamações e manifestações estudantis. Ainda como aluna do 1º Ano do Curso de História, pude estar presente como observadora da famosa “invasão da PUC de São Paulo”. Deste fato, que hoje faz parte dos livros de História, fui testemunha ocular. Os estudantes universitários da USP e PUC organizaram, naquela oportunidade, uma grande manifestação que culminaria no enfrentamento com a Polícia Militar da capital de São Paulo. A Universidade foi invadida e do lado de fora, a Secretaria de Segurança não conseguiu conter os estudantes que estavam insatisfeitos com o sistema militar brasileiro e resolveram sair às ruas para dizer o que sentiam. A manifestação não terminou de forma pacífica Assim, foi dada a ordem de invasão por parte do Secretário de Segurança da capital, o

que ofendia totalmente a autonomia da Universidade. Para quem não sabe um “campus” de Universidade é algo sagrado e que tem no comando um reitor, portanto, na época, foi ferida a autonomia do campus da PUC e os estudantes tiveram sua liberdade de expressão impedida de se manifestar. Muitos ficaram feridos e outros foram levados para averiguação. Estava assim provada que a liberdade de expressão não podia ser demonstrada. Neste ano de 2013, pudemos ver movimentos de liberdade de expressão acontecendo em nosso país, no qual muitos jovens nem imaginam que estas manifestações são próprias e adequadas aos sistemas sociais que se consideram liberais... as ideias e os ideais podem ser realizados e manifestados de forma pacífica para que não afetem, agressivamente, o direito de ir e vir das pessoas. As demonstrações de insatisfação por parte de qualquer grupo humano é digno de admiração, porém, mostra também que algo não vai bem e que devemos refletir melhor sobre como andamos vivendo ou como estão nos tratando socialmente, ou mesmo, humanamente. Jovens! São vocês que fazem as mudanças... Como eu fiz um dia... Lute pelo que você acredita e manifeste-se de forma organizada, pacífica e consciente! Por um mundo sempre melhor...

Momento de Reflexão - Filosofia

Neste segundo semestre de 2013, a disciplina de Filosofia adotará como metodologia de trabalho a exibição de filmes que tragam aos estudantes do Colégio Planeta Azul uma análise de atitudes e emoções humanas, tais como a solidariedade, a amizade, o afeto, a atenção, o carinho, contextos históricos e, em especial, o conviver bem... Os estudantes já tiveram contato com o filme Croods – uma família da Pré-História -, no qual nos mostra a relação familiar entre pais e filhos. Também está na telinha o filme “Espelho, espelho meu”, cujas relações de poder, de solidariedade e de amizade estão presentes. Outro filme dentro do contexto e em andamento é “A corrente do bem”, trama que trata de um estudante de 8º ano, que elabora um projeto de solidariedade para ajudar as pessoas e “passar adiante” a ideia.

Comentando sobre o tema vida e convivência... A frase “conviver é preciso” está citada na apostila do Curso do 1º ano do Ensino Médio, e nos diz que... Somos capazes de fazer escolhas com maior clareza e convicção, evitando preconceitos e falsas noções. Em outras palavras, o ser humano é capaz de criar ideias e princípios éticos de conduta, porque tem competência e habilidade para lidar com fatos, normas, objetos e pessoas, num ambiente moralmente construído. Somos seres que vivemos junto com os outros. A vida coletiva caracteriza a própria existência, pois mesmo na mais absoluta solidão, mantemos vínculo com a realidade, por meio da memória, da necessidade do outro ou da construção de um mundo que imite o real. Boa filosofia e muita reflexão em suas atitudes! Até a próxima!

O País chamado Brasil está sofrendo com impostos altos e a corrupção no governo. O povo brasileiro está cansado de tanto abuso. Bastou a população discordar do aumento da passagem na cidade de São Paulo, para formar um movimento de revolta em toda a nação. O povo percebeu que estava sendo enganado apenas agora, ou isso já

vem de um tempo? De uma forma, ou de outra, os Movimentos populares, voltaram os holofotes de todo o mundo para o Brasil e uma grande mobilização também se faz por meio das redes sociais. Neste momento, governo resolve abaixar, sob pressão R$0,20 centavos nas tarifas dos ônibus, porém, de nada adiantará, se tudo não tiver passado de um sonho. Basta dizer que agora, após já concluído o maior Julgamento da história do STF, o mesmo pretende reabrir os processos para conceder benefícios aos políticos corruptos. Será o Brasil, um país com regras e leis para todos?

CRÔNICA A grande polêmica sobre

Homossexualidade no século XXI Hoje em dia, encontramos nas ruas, em bares, baladas e em qualquer outros lugares, casais de homossexuais. Muitas pessoas ainda não se acostumaram e aceitaram com a ideia de existir casamento e namoro com pessoa do mesmo sexo. Há muita discriminação em todo lugar do mundo, com Casais gays, apesar de não fazerem eles serem diferente de nós. Na opinião dos heterossexuais, O homem foi feito para a mulher, e a mulher foi feita para o homem...Nos dias de hoje existe O Projeto de Lei da Câmara n.º 122/06 visa criminalizar

por Luana Paiva

a discriminação motivada unicamente na orientação sexual ou na identidade de gênero da pessoa discriminada. Se aprovado, irá alterar a Lei de Racismo para incluir tais discriminações no conceito legal de racismo – que abrange, atualmente, a discriminação por cor de pele, etnia, origem nacional ou religião. E também foi aprovado a adoção de crianças para casais de homossexuais terem um “filho”. Mas pleno século XXI, temos de nos acostumar com todas essas mudanças, pois todos temos direito de ser feliz, não importa o que pensam ou digam!

as mãos dadas

Ilustração

Manifestações no Brasil antes, hoje e sempre!

05

por Talita Rocha

Durante as minhas férias de julho, fui ao cinema com meu irmão mais velho assistir a um filme nacional de gosto questionável. Enquanto esperávamos a sessão de cinema começar e decidíamos o que iríamos comer, avistei um casal de homens andando de mãos dadas. Na capital isso é uma coisa bastante comum, mas muitas pessoas ainda não lidam bem com isso. A l g u n s passavam normalmente, outros olhavam tortos e ainda as mais discretas faziam cara feia e sussurravam coisas para os seus filhos. Eu tive a impressão de que uma ou outra mudou o seu caminho para que seus filhos não presenciassem aquele “absurdo”. Não acho que isso seja, de maneira alguma, um “assalto”, ou melhor, atentado ao pudor, nem mesmo fira as regras da boa moralidade. É uma coisa tão normal, atualmente, quando um casal heterossexual é visto de mãos dadas. Se casais homossexuais estivessem se agarrando no meio do shopping seria desconfortável, mas essa regra se aplica a casais de qualquer opção sexual. Além de sofrer este tipo de preconceito, esses casais não tem o direito da união estável reconhecida por lei. Um grande defensor destes valores conservadores é o deputado e presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feli-

ciano. Conhecido por ser contra o casamento homossexual, fazer comentários homofóbicos e racistas no Twitter, é o criador do projeto “cura” gay, motivo de muita polêmica em todo o país. Primeiro, que se os direitos dos homossexuais lhes forem concedidos, em nada prejudicaria os héteros. Será que permitir o casamento é fator estimulante para ao aumento do número de gays? Acho que não! Quem é gay, nasce gay, e a única coisa diferente seria a de que ficaria mais fácil para eles criarem coragem e se assumirem publicamente. Quanto a eles poderem adotar filhos, não vejo problema algum. Essas crianças só terão algum “problema” na criação se a sociedade for intolerante e preconceituosa. Essas crianças não serão necessariamente homossexuais, simplesmente por serem criadas por casais homossexuais. Tem tantas crianças no mundo para ser adotada e não seria um problema, mas sim, uma solução. Por último, mas não menos importante a “cura” gay. Esse projeto de lei devolveria aos psicólogos o direito de “curar” os gays. O projeto de lei, felizmente, não foi aceito. Muita gente sabe disso, mas o que pouca gente sabe é que, o deputado Feliciano fez um vídeo no Youtube negando que esse projeto de lei exista, imagine então admitindo autoria. Eu penso que quando a imprensa divulga por diferentes mídias o mesmo fato, já diz o ditado, onde há fumaça, há fogo e dificilmente seja mentira. Mas o que eu sei? Eu sou só uma garota de 13 anos divagando sobre um casal gay andando de mãos dadas no shopping.

Separados pela rede

por Giovanna Lima Julio

Homem à procura de namorada na internet. Homem encontra mulher ideal. Homem faz de tudo para conseguir seu coração. Mulher se apaixona por suas mentiras. Mulher quer conhecê-lo pessoalmente. Homem não é quem dissera ser. Agora inverta os papéis. Nada mais justo. Ambos os casos ocorrem na rede. O que preocupa é que, com o passar do tempo, mais e mais jovens se metem nessa possível emboscada (principalmente por haver casos em que um dos envolvidos não é tão jovem quanto dizia ser). As mentiras online são tão frequentes por um simples fator: a facilidade. É muito fácil mentir, fingir sentimentos, transmitir confiança e afeto, e após ser laçada uma amizade, é difícil desconfiar. Por isso, nem todos são capazes de provar que o outro mentiu o nome, a idade, a localidade e, principalmen-

te, a aparência. Há casos em que as pessoas chegam a se encontrar pessoalmente; não somente casais, como até mesmo simples amigos, os “virtuais”. Existe a decepção devido à pessoa não ser quem dizia ser. Há os casos que apresentam grande risco (quando ouvir sobre “pedófilos na internet”, é para ficar atento, e não vir com a besteira de “ah não, isso não vai acontecer comigo”. Nunca se sabe o que a confiança exagerada pode lhe trazer). Muitos se conhecem em sites de relacionamento; outros, em diferentes redes sociais. É preciso sempre ter os olhos (e mente) abertos: aquela pessoa que você namora pela internet pode ter mentido a respeito de seu sexo; aquele amigo que diz morar do outro lado do estado pode ser alguém que te conheça pessoalmente e que tenha más intenções para com você. Ninguém está imune a esse tipo de mentiras. Afinal, sentimentos são inevitáveis. Só um aviso: Antes de se envolver com alguém (isso serve tanto para a internet como para a vida real), tente investigar para ver se não acaba encontrando alguma mentira macabra. Não tenha medo de encarnar um detetive; melhor do que quebrar o coração (e a cara!).


06 JORNAL PLANETA AZUL, NA COBERTURA COMPLETA DO DESFILE CÍVICO DE 7 DE SETEMBRO Nada melhor para o dia em que comemoramos a nossa Independência do Brasil, também ser marcado como a data em que nossos jovens protagonistas foram para as ruas e definitivamente, fizeram a diferença. Por sermos a 1ª Escola da cidade a cobrir um Evento de tamanha importância, como é o Desfile Cívico do 7 de setembro, a nossa responsabilidade aumenta e por

isso, todo o nosso cuidado e compromisso durante a cobertura. Para tanto, dividimos a equipe em grupos para realizarmos enquetes, entrevistas e fotos, tudo, no intuito de registrar para você, nosso leitor, os mínimos detalhes deste dia que já entrou para história do nosso Jornal. Obrigado a todos os alunos e autoridades que contribuíram para que esta reportagem fosse possível!

UMA DATA IMPORTANTE: O 7 DE SETEMBRO Ilustração

por Larissa Flose e Willian Franklin

A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes ocorridos em nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Dom Pedro, na época, príncipe regente e responsável pela administração política local brasileira, função esta lhe delegada por seu pai, o então rei de Portugal, D.João VI, du-

rante sua viagem de Santos para São Paulo recebeu a carta de Portugal que anulava a Assembleia Constituinte e exigia sua volta imediata para a metrópole. Desta forma, com as relações entre Metrópole e Colônia deteriorada, restou ao príncipe lutar a emancipação definitiva do Brasil. Assim, próximo ao riacho do Ipiranga declarou “INDEPENDÊNCIA OU MORTE”. Esse fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 no mês de dezembro.

ENQUETE

Durante o Desfile Cívico, a Equipe de redação do Jornal Planeta Azul foi às ruas para saber o que as pessoas sabiam sobre a data comemorada e para isso fez uma enquete com a seguinte pergunta: Você sabe o significado do 7 de setembro? Enquete feita por Gabriel Carlos, Carina Cesca, Giovana Leite, Talita Rocha, André Henrique, Willian Franklin

Você sabe o significado do 7 de setembro?

OPINIÃO E SUGESTÃO

De um modo geral, o Desfile de 7 de setembro foi um sucesso, mas alguns detalhes - e a nossa vida é cheia deles - precisam e podem ser reavaliados para os próximos Eventos. Faz-se importante que os órgãos competentes cuidem para que todos possam e consigam prestigiar o Evento por igual. Estávamos nas ruas e pudemos observar o desrespeito para com pessoas deficientes, idosos e crianças, tanto pela falta de um cordão de isolamento adequado, com as pessoas invadindo o espaço de desfile, assim como, pela distância do

por Heitor Akira

Posto de Água da Sabesp (apenas um para tanta gente) e somente no final da Avenida. Outro fator que nos chamou a atenção foi para a entrada das escolas que não obedeceu à lista e horários pré-estabelecidos pelo cronograma previsto. Sabemos da dificuldade que deve ser realizar um evento deste porte, contudo, mesmo aqui sendo o Brasil e uma cidade de praia, um pouquinho de pontualidade e organização por parte de todos não faz mal a ninguém, além de garantir a boa imagem da nossa independência, concordam?

Entrevista com o Vice-Prefeito, Nelsinho

por Yara Moura Lopes e Gustavo Henrique

Nelson Gonçalves Pinto, Vice-Prefeito do município de Peruíbe, em entrevista exclusiva ao nosso jornal, fala sobre suas expectativas para o desfile e para o Brasil de hoje e de sempre Jornal Planeta Azul - Quais são suas expectativas para o desfile na cidade? Vice-Prefeito - Esperamos que hoje seja um dia de civilidade, onde todas as crianças aprendam sobre a independência do país e todos, adultos, crianças, e 3ª idade se sintam, acima de tudo brasileiros e participem. Jornal Planeta Azul - Você considera o brasileiro um povo patriótico? Por quê? Vice-Prefeito - Sim, a participação de todos é fundamental para sermos um país patriótico. Todos representam o país, exemplo disso é este momento, por isso, apesar de todos os conflitos que existem hoje, considero sim o brasileiro um povo patriótico. Jornal Planeta Azul - É importante este momento de união entre as escolas. Em sua opinião, porque a cidade não desenvolve outros projetos de interação como este? Vice-Prefeito - São muito importantes momentos de encontro como este e algumas atividades se desenvolvem sim, porém, entre as escolas municipais e não envolvendo as particulares. Precisamos evoluir nesse ponto. Jornal Planeta Azul - Sabemos que a data simboliza a independência do Brasil. Para o senhor, podemos nos considerar, de fato, um povo independente? Vice-Prefeito - Sim, o Brasil se desenvolveu muito e hoje apesar de não valorizarmos toda a independência que conquistamos, somos mais respeitados e bem vistos perante o mundo. Jornal Planeta Azul - Para finalizarmos, dê suas considerações. Vice-Prefeito - Obrigado pela entrevista, ótimas perguntas. Hoje, estamos presentes num importante Evento para a cidade, por tudo o que ele representa para nós. Um verdadeiro exemplo de união possível entre as pessoas, possibilitando que elas exerçam seus papéis como cidadãos e acima de tudo, demonstrando bonito exemplo de civilidade.

Entrevista com o 3º Sargento Goulart

Em entrevista ao Jornal Planeta Azul, o 3º Sargento Goulart, da Polícia Militar da cidade, falou sobre suas expectativas para o desfile e sobre ser brasileiro. Quanto às suas expectativas para o desfile cívico, o sargento nos declarou estar otimista e tranqüilo, uma vez que tudo parecia correr bem e sem demais

contratempos. Ao ser perguntado se ele considerava o povo brasileiro patriótico o sargento nos disse: “Em partes, porque hoje estamos todos mais conscientes do que seja democracia, assim como o valor de ser patriota, mas é uma pena que apenas alguns realmente sejam e ajam como patriotas”, concluiu.

O cabo de guerra do patriotismo Patriotismo é definido como o amor à pátria, mas é muito mais que isso.

Patriotismo é conhecer a história do seu país, ter orgulho do lugar onde você nasceu e foi criado, o país que te oferece tanto (ou não) e fazer algo por ele. Agora eu pergunto a você, leitor, quantas pessoas hoje, no Brasil, são verdadeiramente patriotas? Quantas pessoas têm orgulho de serem brasileiras, quantas pessoas fazem, de fato, algo por seu país? A verdade é que a grande maioria não sabe sequer cantar o hino nacional. E boa parte dos que sabem, cantam por cantar, sem saber seu real significado. O povo brasileiro se deixa enganar pelo “pão e circo”, não se importando verdadei-

por Talita Rocha

ramente com o futuro do seu próprio país. Os brasileiros não são conscientizados politicamente, não votam conscientemente, não se informam sobre as votações na câmara, constantemente. Tais ações seriam o mínimo que se poderia fazer como pontapé inicial para participar-se mais como cidadão. Porém, toda história tem seus dois lados. Nosso governo não nos proporciona educação de qualidade, saúde eficiente, cultura de fácil acesso. Será que o povo brasileiro tem motivos para ter orgulho de sua pátria? O Brasil oferece o mínimo para seus “filhos”? Mas a mudança tem de começar pelo povo – eleitores - ou pelo governo, alguém precisa vencer este cabo de guerra. Ilustração

O Grito de Independência dos nossos Jovens Protagonistas

Entrevista com o Presidente da Câmara, José Ernesto Lessa Maragni Jr por Gustavo Henrique e Yara Moura Lopes

José Ernesto Lessa Maragni Jr (Zeca da Firenze) é Presidente da Câmara de vVreadores de Peruíbe desde 2012 e falou com exclusividade ao Jornal Planeta Azul Jornal Planeta Azul – Para você, qual a importância do 7 de setembro para a cidade e para o Brasil? Presidente da Câmara de Vereadores – Considero de suma importância este momento. O Ato Cívico é a representação de amor à Pátria e a demonstração de que podemos ter uma sociedade com menos problemas sociais e mais integração entre as pessoas. Jornal Planeta Azul - Você considera o brasileiro um povo patriótico? Por quê? Presidente da Câmara de Vereadores – Infelizmente não O povo brasileiro só é patriota quando o assunto é futebol, por isso, precisamos de mais união, além de aprender mais sobre o Brasil. Jornal Planeta Azul – Na sua opinião, o povo reconhece a importância de comemorarmos a Independência do Brasil? Presidente da Câmara de Vereadores Acredito que sim, por ser um evento que nos faz pensar na desigualdade social existente no país, e dessa vez reforçado pela pressão das recentes Manifestações populares, desperta ainda mais a atenção e consciência do jovem e povo brasileiro para a importância de sermos independentes de maneira geral.

CURIOSIDADES SOBRE O BRASIL

por Gianluccha R. Adinolf

Onde foi criada a expressão Ordem e Progresso? Ela foi inspirada em um lema do Positivismo, corrente filosófica popular na época da criação da bandeira nacional, em 1889. Ela acreditava que a ciência era a única forma de progresso para a sociedade moderna. A frase original, cunhada pelo positivista Augusto Comte, era "o amor por princípio, a ordem por baixo e o progresso por cima". Já os outros símbolos foram herdados do estandarte

na época imperial, mas ganharam novo significado. O retângulo verde, que passou a representar nossa natureza, antes remetia à Casa de Bragança (a família de dom Pedro I). O amarelo, hoje símbolo da riqueza mineral do país, era a cor da Casa de Lorena (da arquiduquesa dona Leopoldina, esposa de dom Pedro I). E o círculo azul era a esfera armilar, também presente na bandeira portuguesa do Império. Agora, indica nosso céu estrelado.


Galeria

07

Fotos: André Henrique, Willian Franklin

Do Ensino Infantil ao Ensino Médio, o Colégio Planeta Azul participa de desfile Cívico de 7 de setembro e aborda o tema: Para fazer a diferença todos os dias, tem que ter dom Do início ...

desfilando pela nossa escola ...

juntos, até o fim do desfile!


08

Gente Visita do Papa

Pe. Antônio Vieira X Papa Francisco I por Gianlucca Ribeiro , Marcelo Miranda, Danilo Martinez

Comparando os sermões de 350 anos atrás de um padre que buscava igualdade em um brasil recém-formado e já com um preconceito tão grande e evoluído con-

tra a memória que há milhares de anos atrás já estava aqui e até hoje sofre descriminação e com um papa relativamente novo que tenta dar força ao que o padre Antônio

vieira disse. Mas algo que acontece há séculos não vai se resolver do dia para a noite, mas o mais interessante na época foi ver que escutam pessoas que se preocupa-

vam com a minoria, uma atividade muito altruísta de uma pessoa que poderia perder tudo o que tinha e que poderia conquistar por causa de um pensamento de liberdade e altruísmo

único saber que existem pessoas de diversas partes do mundo com o mesmo ideal e filosofia que você. É sensacional.

A Diocese no entanto foi num total de 700 jovens. A viagem foi muito abençoada, passamos a madrugada na estrada mesclando a ansiedade de chegar ao Rio com um pouco de sono, mas a alegria foi imensa quando soubemos que já estávamos na Cidade Maravilhosa. A saída por outro lado foi como costumam ser todas, muito triste, já batendo saudade, não da Cidade Maravilhosa, pois ela estará lá sempre a nos esperar, mas sim uma saudade de me encontrar com esses meus 3,5 milhões de irmãos.

Entrevista com Hugo Lopes por Beatriz Santiago

Hugo Lopes tem 20 anos, ele é coroinha da igreja desde os 8 anos e participou da JMJ (Jornada Mundial da Juventude) no Rio De Janeiro. Ele nos relatou suas experiências e dificuldades que passou no evento religioso: 1 – Quais foram suas experiências lá?

Hugo: Bom a experiência foi única, veja bem, o próprio Papa

disse onde, e em que evento do mundo você vai ver pessoas que não se conhecem, que nunca se viram gritando todos numa só voz? E mesmo sendo de diversas línguas diferentes todos se entendiam e se comunicavam. Não na língua dos homens, mas nos comunicávamos na língua de Deus. Todos ali sabíamos que somos irmãos, então não se viu brigas nem discussões, e com certeza se sabe que uma JMJ é maior que qualquer Copa do Mundo ou Olimpíadas, porque com a JMJ não existe rivalidade, mas sim amor recíproco de todos para todos. Foi

2 – Como foi sua chegada e partida?

Hugo: O grupo saiu da Praça Matriz de Peruíbe às 17 horas de segunda-feira, dia 22/07. Nós pegamos alguns jovens em Itanhaém também, e depois paramos em Cubatão, onde saímos de caravana com a Diocese de Santos. No total ficamos num grupo que reunia Peruíbe e Itanhaém (Litoral Sul) e parte da Orla de Santos, com um número de 48 jovens.

Entrevista e relato com Teo Antunes por Yara Moura

aprendendo lições para a vida, de superação dos limites e valorização pessoal. “O grupo de Peruíbe ficou durante os 6 (seis) dias de evento em uma escola a 45km de Copacabana, junto com um grupo de Santos, Catanduva, e mais dois de Minas Gerais. Passaram por dificuldades pela distância, pouca comida no início, banho frio, e juntos se ajudaram. Ao perguntarmos ao Teo sobre o que ele sentiu durante o pronunciamento do Papa, ele nos respondeu que ficou

Teo Antunes tem 17 anos e vive em Peruíbe. Ele é coroinha da igreja há 3 anos e frequenta grupos de jovens católicos. No mês de julho ele e seu grupo participaram do evento católico Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Conversamos sobre a experiência que segundo ele, o tornou uma pessoa melhor,

motivado e que todos encontraram forças inimagináveis, se sentindo acolhidos e fazendo parte da igreja, levando muito em consideração também, as palavras do Papa sobre os jovens e sua posição revolucionária e responsabilidade em fazer o futuro. A interação e comunicação entre os participantes de diversos lugares do mundo foram resumidas por ele em uma expressão: pela "linguagem do amor e da fé". No momento da partida, a saudade de casa foi misturada ao sentimento de renova-

ção das energias e motivação de sobra”.

Recado e mensagem para a vida

Segundo Teo Antunes: “Bote fé e a vida terá um sabor novo, terá uma bússola que indica a direção. Bote esperança e todos os seus dias serão iluminados e o seu horizonte já não será escuro, mas luminoso. Bote amor e sua existência será como uma casa construída sobre a rocha, o seu caminho será mais alegre, porque encontrará muitos amigos que caminham com você. Bote fé, bote esperança, bote amor!”.

Fé e Solidariedade para o Brasil Ilustração

por Yara Moura

Realmente, o Brasil foi privilegiado por acolher, da forma como fez, o novo Papa Francisco I. Tanto nos ofertaram e ofereceram fé e solidariedade, vindas de todos os lugares do mundo, como também o Brasil parou

para assistir o que promete ser a nova cara da igreja, num resumo de simplicidade e principalmente, demonstração de carisma e humildade. O humilde Papa Francisco I, recém eleito pelo vaticano após a renúncia de Bento XVI, visitou o Brasil no primeiro semestre, promovendo aqui, a 27ª jornada mundial da juventude (JMJ), evento que acontece desde 1986 e que mobiliza os católicos de diversos lugares no mundo, os chamados peregrinos do Papa, em todos os seus pronunciamentos. Durante sua passagem pelo país, Francisco I demonstrou

enfrentar dificuldades ao representar uma Instituição tradicional, porém, com recentes denúncias de corrupção e pareceu convincente quanto às propostas de mudança na entidade católica ao falar abertamente sobre temas polêmicos como a questão dos homossexuais e a humildade para a participação da igreja nas atividades sociais solidárias, incluindo a necessidade dela se aproximar mais das pessoas e se fazer presente em todos os lugares, efetivamente, o que justificou ser parcialmente

a causa de certa diminuição de católicos e crescimento de evangélicos, no que disse: “O povo precisa ouvir o evangelho e se não há um padre, ele ouve um pastor”. O Papa Francisco I chegou dia 22 de julho e partiu sete dias depois, 28 de julho. Fez pronunciamentos no Rio de Janeiro, onde passou a maior parte do tempo e visitou a cidade do interior paulista Aparecida do Norte. Segundo o pontífice, a intenção da jornada é trazer religiosidade aos jovens e a presença da fé em suas vidas.

A descoberta do pré-sal e as transformações na nossa região Por Silvio Siqueira Junior A região metropolitana da Baixada Santista passará por uma grande transformação nos próximos cinco, dez, quinze anos. Com o início da exploração comercial da camada do pré-sal na Bacia de Santos pela Petrobras e demais companhias petrolíferas, como Chevron, Esso, Repsol, entre outras, a Baixada Santista será, cada vez mais, procurada por empresas, com o objetivo estratégico de se instalarem próximas aos centros de exploração e produção de petróleo e gás da Bacia de Santos e, assim, gerarem novos negócios e empregos. Para quem ainda não acredita, a Petrobras já é uma realidade na região e veio para ficar. Hoje, cerca de 2 mil funcionários da companhia ocupam quatro edifícios em Santos. Diariamente, helicópteros pousam e decolam do Aeroporto de Itanhaém, com destino aos campos de Merluza, Lagosta, Mexilhão e Uruguá-Tambaú. Além disso, o potencial da camada de pré-sal é enorme. O volume total de petróleo e gás permite uma exploração consistente e contínua pelos próximos 50 anos. A Bacia de Santos é muito grande. Ela se estende da cidade de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, até o município de Florianópolis, em Santa Catarina. Portanto, compreende quatro estados do país: Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. A Bacia de Santos será a substituta natural da de Campos.(localizada no Estado do Rio de Janeiro), que teve a sua origem exploratória ainda na década de 60. Com a produção do petróleo na camada do pré-sal, o Brasil entrará no seleto grupo dos dez maiores produtores mundiais. Com a chegada das novas empresas e a geração de novos postos de trabalho, haverá um consequente aumento da população na Região Metropolitana da Baixada Santista, que hoje já ultrapassa 1 milhão e 700 mil habitantes. Estudos indicam que poderemos ter um acréscimo de mais 500 mil habitantes nos próximos 5 anos. Será, sem dúvida, o maior crescimento demográfico dentro do Estado de São Paulo e quem sabe do país em uma única região. Mais gente, mais necessidades de transportes, educação, habitação, saúde, coleta de lixo, saneamento básico, ou seja, toda a infraestrutura para se dar conta da nova demanda regional. Mais uma vez, o poder público (Federal, Estadual e Municipais) está atrasado e terá de correr atrás do tempo perdido, a exemplo do que está ocorrendo com os preparativos da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. A região precisará de novos acessos (estradas, ferrovias e portos), novos hospitais, novas habitações, mais escolas, mais universidades, muito treinamento e qualificação de pessoas, pois sem isso as oportunidades de trabalho serão perdidas e as vagas de emprego ocupadas por pessoas que virão de fora. E para que isso não ocorra, uma aproximação maior entre as universidades e a iniciativa privada será fundamental. Segundo a Petrobras, o Brasil vai precisar de 200 mil engenheiros e tecnólogos só para atender a cadeia de petróleo e gás nos próximos quatro anos. Além disso, cerca de 90% do material e equipamento utilizados atualmente no segmento é de empresas estrangeiras, o que revela um promissor campo a ser ocupado por empreendedores brasileiros. Para atender essa demanda, há a necessidade de uma maior aproximação entre governos, empresas, institutos de pesquisa e universidades.


Conectados

09

Serviço de Utilidade Pública

Por Gianlucca Ribeiro Adinolfi

mento Humano Municipal (IDHM) do Brasil cresceu 47,5% entre 1991 e 2010, segundo a “Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013", divulgado nesta segunda-feira (29) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). De acordo com a publicação, a cidade com o IDHM mais elevado é São Caetano (SP), e os municípios que tiveram maior evolução no quesito "renda" são das regiões Norte e Nordeste.

do IDHM geral do Brasil mudou de "muito baixo" (0, 493), em 1991 para "alto desenvolvimento humano" (0, 727), em 2010. Em 2000, o IDHM geral do Brasil era 0,612, considerado "médio". O IDHM é um índice composto por três indicadores de desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). O IDHM do país não é a média municipal do índice, mas é um cálculo feito a partir das infor-

DICAS DE BELEZA

renda (0, 739; "alto") e por educação (0, 637; "médio"). Apesar de educação ter o índice mais baixo dos três, foi o indicador que mais cresceu nos últimos 20 anos: de 0,279 para 0,637 (128%). Segundo o PNUD, esse avanço é motivado por uma maior freqüência de jovens na escola (2,5 vezes mais que em 1991). No indicador longevidade, o crescimento foi 23% entre 1991 e 2010; no caso de renda, a alta foi de 14%.

ROCK IN RIO: HISTÓRIA

por Giovana Leite

Para cabelos mais sedosos e brilhantes, separamos para você 5 super dicas Hidrate os fios 2 vezes na semana: Se você lava mais que duas vezes na semana então as outras você deverá usar o condicionador. Entretanto é importante frisar que o hidratante deve ser adequado para o seu cabelo, e aqui eu ressalto a importância de nessa época usar produtos que contenham aminoácidos e proteínas a fim de fortalecer os fios; Seque os cabelos: Nessa época, os fios tendem a ficar mais úmidos e essa umidade é prejudicial aos fios como citado e explicado pouco acima. Evite também lavar os fios após às 17 horas pois secam com menos velocidade; Evite água quente para os fios: É uma regrinha difícil, até porque a maioria lava os fios em casa na hora do banho, mas torna-se mais fácil quando lavados em salão ou mesmo no banho durante o dia. E não confunda: lavar os fios com a água menos quente não significa tomar banho mais frio; Cauterize os fios: Esse procedimento só pode ser feito no salão por profissional com conhecimento para tal. A cauterização dos fios trata os mesmos de dentro para fora. Se você tem cabelos com luzes, mechas, coloração, relaxamento dentre outros procedimentos químicos o uso da cauterização (e eu indico a cauterização a frio personalizada) não é uma opção e sim uma necessidade; Aposte no movimento: Assim como no verão as pessoas tendem a usar cabelos mais presos, no inverno elas costumam deixar os fios mais “à vontade”, sendo assim opte por um corte que dê movimento aos fios e leveza sem, no entanto, tirar o corpo do mesmo. Moda e tendências Primavera/Verão 2013 Ilustração

por Beatriz Macedo

A estação mais esperada já chegou na Europa: Welcome Spring! A primavera é, sem dúvida, uma das estações mais esperadas. Ela chega trazendo cores, mudando a paisagem e até o humor das pessoas. E é claro que a temporada traz também muita moda e as tendências primavera/verão 2013 que influenciam o mundo todo. E quem não quer saber tudo o que está começando a ditar moda e

mações do conjunto da população brasileiras em relação aos três indicadores. O IDH municipal também tem critérios diferentes do IDH global, que o PNUD divulga anualmente e que compara o desenvolvimento humano entre países. Entre os três indicadores que compõem o IDHM, o que mais contribuiu para a pontuação geral do Brasil em 2013 foi o de longevidade, com 0, 816 (classificação "desenvolvimento muito alto", seguido por

fazer a cabeça das mulheres mais chiques e elegantes? É uma grande vantagem estar numa estação diferente no Brasil, porque dá para se inspirar e criar seus modelos se inspirando na moda internacional, e dos grandes estilistas. Quem estiver prestando atenção na moda internacional e suas tendências, pode ter certeza que vai criar um look muito bacana e desfilar por aí ganhando um monte de elogios.

por Raffaela Timon, Giovana Leite e Aline Silva Almeida

Ilustração

1985

Em 1985 nasce o primeiro grande festival de música no Brasil, o Rock in Rio. Nascido no Rio de Janeiro conquistou não só o Brasil, como Portugal e Espanha. Nesse ano, ao todo, 28 bandas participaram do festival, dentre elas, Iron Maiden, AC/DC, Ozzy Osbourne, Queen e os brasileiros Gilberto Gil, Barão Vermelho e Paralamas do Sucesso. Em 2001, após 10 anos de sua ultima edição (1991), retornaram a Jacarepaguá, reergueram uma nova Cidade do Rock, com capacidade diária para 250 mil pessoas. O festival também bateu mais um recorde de público: foram 1 milhão e 250 mil pessoas em 7 dias de festa com 128 artistas. A expectativa era tão grande em 2011, que os ingressos se esgotaram em 4 dias levando ao Rio de Janeiro 350 mil turistas. Uma verdadeira festa, nos 7 dias, reuniu 700 mil pessoas. Neste ano a diversidade musical foi tanta, que colocaram outros estilos musicais no festival alem do rock, o pop, o axé, e rap, com os artistas Marcelo D2, Katy Perry, Rihanna, Ivete Sangalo, Shakira e Claudia Leitte. Muitas pessoas criticam o Rock in Rio por

Como vai a saúde de Peruíbe?

por Renato Rodrigues Ilustração

IDH Brasileiro A classificação O Índice de Desenvolvi-

Conforme divulgado em nota pelos órgãos de imprensa e governamentais, incluindo o Ministério da saúde, dentre as regiões que mais solicitou médicos está Praia Grande, com 27 profissionais. Em seguida, aparecem Santos (20 a 24), São Vicente (23), Itanhaém (18), Guarujá (17), Cubatão (5), Mongaguá (4) e Peruíbe (1). Tendo em vista a preferência para as áreas prioritárias resta-nos a pergunta: Estamos incluídos nesta lista prioritária? Esperemos que sim, colocando-nos a disposição da prefeitura para eventuais e importantes esclarecimentos à população de Peruíbe.

Mapa Cultural por Rebeca Freitas

2013

terem colocado “Rock” em seu nome, mas o “Rock” deve ser interpretado não pelo gênero, mas como o verbo em inglês que significa “agitar”. Até porque em 1985, teve a participação de Alceu Valença, Al Jarreau, Rod Stewart, Erasmo Carlos, Nina Hagen, entre outros, e foi um dos melhores festivais realizados. Claudia Leite e Ivete Sangalo, não deveriam estar no Rock in Rio, mesmo sendo um festival de musica Pop, elas não trazem nada de novo para o Brasil, o ano inteiro estamos ao redor das musicas de axé e sertanejo, nas festas e carnavais fora de época, para a Espanha e Portugal, eles não estão acostumados com esse tipo de musica então é tudo novidade pra eles. Mas para o Brasil, é desnecessário, nós preferimos que convidem cantores diferentes e não esses que nós estão acostumados de ouvir sempre, por isso tantas críticas. Agora em 2013, aconteceu o Rock in Rio, na terceira semana de setembro, nos dias 13, 14, 15, 19, 20, 21, 22. Com vários artistas amados pelo publico como Metallica, Justin Timberlake, Bon Jovi, Avenged Sevenfold, Iron Maiden, Bruce Springsteen, Beyoncé, David Guetta, Thirty Seconds To Mars e Jessie J.

Está sendo promovido um evento chamado Mapa Cultural, que abrange várias regiões de nosso país, incentivando a cultura que não é priorizada e infelizmente, pouco valorizada no Brasil. Esse evento mostra artes como literatura, artes plásticas, música instrumental e dança em que os competidores mostram o seu melhor e podem assim, serem selecionados para outras “fases”. O Mapa Cultural julga os artistas em suas próprias cidades, que depois de selecionados, vão para a fase regional até a estadual. Para finalizar, é escolhido um artista de cada modalidade a ser apoiado pelo governo para mostrar sua arte. Aqui em Peruíbe, a seleção ocorreu no dia 5 de julho no espaço Chico Latim e tivemos a primeira fase do Mapa. Foram selecionados artistas de várias áreas. Para as artes plásticas: Maria Ros Blat, Eloisa Capasi, Hiltamar Curvelo da Silva; na dança: Cia de Dança Thais Nogueira; na literatura: Ecíla Bezerra, Rogério dos Reis; na música instrumental: João Mike Viola. A fase regional aconteceu no período de 23 de agosto a 15 de setembro deste ano e os ganhadores de cada região só serão selecionados em 2014.

NOVIDADE NO UNIVERSO DOS GAMES por Heitor Akira

Novo Xbox One As informações mais recentes sobre o novo Xbox One é que ele será lançado em novembro de 2013. Para os antenados e interessados, as reservas já podem ser feitas e custará no Brasil, o valor mais alto, comercializado entre todos os 21 países que receberão o produto. O console também virá com um controle e um kinect novo. Alguns jogos serão lançados para o Xbox One, entre eles: Watch dogs; Need for speed: rivals; Battlefield 4; Mirror’s edge 2; Fifa 14; Dead Rising 3; Forza motorsport 5; Halo; Ryse: Son of Rome.


10

Esportes

Futsal no Colégio

por Giovanna Timon

A escolinha de futsal escolar Planeta Azul, dirigida pelo treinador Valdecir Tobias Lopes está de volta para mais um Campeonato. Após a volta da boa participação na Copa TV Tribuna de Futsal Escolar, ambas as equipes (feminina e masculina), participarão da 4ª Copa NUPEC de Futsal Escolar 2013. A copa será realizada em setembro e os alunos já estão se preparando para esse novo desafio. Apesar dos resultados da ultima competição (levando em conta que fomos eliminados por um dos times no feminino que chegou a final, ou seja, estava entre os favoritos), nossas meninas estão bastante confiantes

e determinadas, a partir da experiência adquirida, a trazerem um primeiro título para o Colégio. No período das férias de julho, a quadra do colégio foi reformada e cimentada, ajudando na preparação, no rendimento e no desenvolvimento de nossos jogadores. O espaço possibilitará uma melhor preparação dos times, aumentando as chances de bons resultados no futuro. Como faz parte da filosofia da escola, o investimento em infra - estrutura é tida como uma das grandes prioridades, principalmente porque, agora com o Ensino Médio, são importantes adequações contínuas em prol dos alunos.

DESTAQUES DOM BOSCO Nesta 3ª Edição do Jornal Planeta Azul, trazemos como destaques as bailarinas e alunas do nosso Colégio, Rebeca Souza de Freitas e Luciana Amâncio. Ambas pertencem ao Grupo de Dança Cia de Dança Thaís Nogueira e nos enchem de orgulho pelas alunas excelentes que são e, sobretudo, aqui, pelo Dom de fazerem da dança, algo tão incrível, tão mágico, tão bonito quando feito com amor e dedicação como elas fazem.

Parabéns meninas! Luciana Amâncio

Rebeca Souza de Freitas

Entrevista Especial CIA DE DANÇA THAÍS NOGUEIRA

Thaís Nogueira, 52, professora de balé clássico, contemporâneo, sapateado e jazz. Escola de Dança: Cia de Dança Thaís Nogueira. Jornal Planeta Azul: Você sonhava em ser bailarina quando criança? Thaís: Sim sonhava, quando criança eu relacionava o balé com ser uma princesa e por isso era tão apaixonada. Jornal Planeta Azul: Desde quando você começou a dar aulas de dança? Thaís: Comecei muito jovem, faz 35 anos que exerço a profissão de professora de dança Jornal Planeta Azul: O que lhe motivou a se interessar pelo balé? Thaís: Minha família inteira, praticamente, vivia da dança. Por ser um lugar e atividade que exigia muita organização, me chamou a atenção e me fascinou. Jornal Planeta Azul: Enfrentou alguma dificuldade no começo de sua carreira? Thaís: Não enfrentei dificuldades, pois já estava preparada, eu já dava aulas no palácio das artes que é o Municipal de hoje e logo em seguida fui contratada para dar aula em uma escola particular. Sinto-me privilegiada, pois sempre tive muito apoio Jornal Planeta Azul: Qual sua experiência com a dança fora do Brasil? Algum aluno seu já se apresentou no exterior? Thaís: Completamente diferente dançar fora do Brasil. Primeiro, porque as pessoas reconhecem, te tratam super bem. Tenho vários alunos que hoje estão fora do Brasil e foram tanto para competir como para se profissionalizarem. Jornal Planeta Azul: Como é o apoio da prefeitura quanto ao balé? Thaís: Depende da prefeitura. Falando, por exemplo, da gestão atual, não há nenhum apoio. Eles preferem valorizar coisas desnecessárias e que pouco ou nada contribuem para o progresso de uma região, a valorizarem atividades artísticas que realmente são importantes como investir em cultura na região. Jornal Planeta Azul: Você se inspirou em algum artista ou dançarino do balé clássico? Thaís: Na época em que eu dançava não existiam as tecnologias de hoje e por isso era muito difícil assistirmos a apresentações de balés. Ouvíamos muitas histórias e poucas vezes víamos na televisão programas ou matérias relacionadas à dança. Então, posso lhe dizer que me inspirei em meus próprios professores. Jornal Planeta Azul: Qual estilo de dança lhe agrada mais? Thaís: Formei-me em balé clássico, contemporâneo e jazz. Fui conhecer os outros estilos de dança, como sapateado e street dance depois. Hoje, considero o balé clássico a base para todas as outras danças, mas não tenho um estilo de dança predileto. Jornal Planeta Azul: O que você aconselharia para os jovens que pretendem iniciar na dança? Thaís: Dança não é fácil, dança não é um hobby, dança não é uma brincadeira como muita gente pensa e como tudo na vida, se tem que levar a sério, sabendo que você terá de ter responsabilidades. Terá de se "doar". Na verdade, é quase como um casamento. Precisará abdicar, às vezes, de algumas coisas para dançar, como por exemplo, escolher entre sair e se divertir ou a dança. Recomendo para as pessoas interessadas em iniciar na dança que se dediquem e façam com amor, como tudo o que fazemos na vida. Jornal Planeta Azul: Na sua opinião, como a dança pode contribuir para a qualidade de vida das pessoas? Thaís: A dança vai fazer você evoluir emocionalmente, ira te dar um suporte cultural muito bom, dança é vida, vai te proporcionar você ter uma boa formação para você suportar tanto a parte emocional, você ter caráter para trabalhar as coisas, a dança te da tudo, é você ensinar a pessoa a viver, porque na dança se tem o começo, o meio e o fim e se você faz tudo com responsabilidade e disciplina, você ira ser um bom profissional, ira ser uma boa pessoa. À esqueda da professora Thais Nogueira, as irmãs e bailarinas Mariana Ferreira Caramico e Fernanda Ferreira Caramico, seguidas de Carolina Sallouti Allegrini; à direita da professora, as bailarinas Rebeca Souza de Freitas Moraes e Luciana Amâncio.

Entrevista Felipe Ramos, aluno do Colégio Planeta Azul por Paloma Orbite dos Santos e Clarice Gouveia

Jornal Planeta Azul - Como você se in-

teressou pela natação? Felipe - Na verdade, primeiramente, iniciei a natação por recomendação médica e necessidade. Comecei a nadar porque tinha escoliose e o médico disse que a natação ajudaria no meu tratamento. Assim comecei a fazer aulas e depois de um tempo a treinar mais forte. Como obtive bons resultados nos treinos, fui me estimulando a treinar para competir e então, comecei a gostar mais do esporte. Jornal Planeta Azul – Você pretende se profissionalizar na natação ou só a pratica como hobby? Felipe - Pretendo continuar conciliando duas atividades, nadar e estudar, mas sei que vai chegar um momento na minha vida que talvez precise optar e quando não der mais para fazer os dois, pretendo só estudar. Jornal Planeta Azul - Quantas medalhas já ganhou na sua trajetória como nadador? Felipe - Tenho 67 medalhas ao todo, conquistadas de 2010 até 2013. Jornal Planeta Azul – Quais campeonatos de maior expressão você já conquistou? Felipe - Sim, dentre os campeonatos mais importantes está o Sulamericano e o Brasileiro. Jornal Planeta Azul – Como todo esporte, a natação de grandes ídolos como Gustavo Borges, César Cielo, entre outros brasileiros que fizeram nome no esporte. Para você, quais são seus ídolos na natação? Felipe - São muitos, mas os principais eu diria são Kousuke kitajima, Alexander Dale Oen e o maior de todos, Michael Phelps. Jornal Planeta Azul - Na sua opinião, você recomendaria natação às pessoas? Felipe - Sim, pois como qualquer modalidade esportiva, possibilita se ter uma vida mais saudável, melhorando o desempenho nas diversas atividades cotidianas, além de ser excelente para quem tem problemas respiratórios. Jornal Planeta Azul - Além de você, na sua família mais alguém pratica natação ou outro esporte? Felipe - Não mais. Minha irmã praticava natação antes de mim. Depois de um certo tempo ela decidiu parar.


Conectados

11

TRIBUTO AO CENTENÁRIO DE VINICIUS DE MORAES NAS VOZES DE NOSSOS JOVENS PROTAGONISTAS

De Músicos e Artistas do Colégio Planeta Azul

“São demais os perigos desta vida. Pra quem tem paixão principalmente quando uma lua chega de repenteE se deixa no céu, como esquecida e se ao luar que atua desvairadoVem se unir uma música qualquer aí então é preciso ter cuidado porque deve andar perto uma mulher...”

O biógrafo de Vinicius, José Castello, autor do excelente livro "Vinicius de Moraes: o Poeta da Paixão - uma biografia"

nos diz que o poeta foi um homem que viveu para se ultrapassar e para se desmentir. Para se entregar totalmente e fugir, depois, em definitivo. Para jogar, enfim, com as ilusões e com a credulidade, por saber que a vida nada mais é que uma forma encarnada de ficção. Foi, antes de tudo, um apaixonado — e a paixão, sabemos desde os gregos, é o terreno do indomável. Daí porque fazer sua biografia era obra ingrata. Dele disse Carlos Drummond de Andrade: "Vinicius é o único po-

eta brasileiro que ousou viver sob o signo da paixão. Quer dizer, da poesia em estado natural". "Eu queria ter sido Vinicius de Moraes". Otto Lara Resende assim o definiu: "Manuel Bandeira viveu e morreu com as raízes enterradas no Recife. João Cabral continua ligado à cana-de-açúcar. Drummond nunca deixou de ser mineiro. Vinicius é um poeta em paz com a sua cidade, o Rio. É o único poeta carioca". Mas ele dizia nada mais ser que "um labirinto em busca de uma saída".

O que torna Vinicius um grande poeta é a percepção do lado obscuro do homem. E a coragem de enfrentá-lo. Parte, desde o princípio, dos temas fundamentais: o mistério, a paixão e a morte. Quando deixa a poesia em segundo plano para se tornar show man da MPB, para viver nove casamentos, para atravessar a vida viajando, Vinicius está exercendo, mais que nunca, o poder que Drummond descreve, sem conseguir dissimular sua imensa inveja: "Foi o único de nós que teve a vida de poeta".

No aniversário do Jornal Planeta Azul quem ganha é você, nosso leitor e colaborador

Equipe de Redação Jornal Planeta Azul

Parece que foi ontem, mas em novembro comemoraremos um ano de existência, de trabalho duro, de protagonismo. Estamos ansiosos, pois sabemos que a cada nova edição, aumenta a nossa responsabilidade junto a você leitor e colaborador. Reservamos algumas novidades que serão lançadas em dezembro para homenagearmos essa data tão especial e desde já, sinta-se convidado a prestigiar o nosso 1ºAniversário, evento previsto para o final do ano, data na qual lançaremos a 4ª e última edição deste ano, repleta de matérias surpreendentes, incluindo a nossa visita a uma grande Redação Jornalística de São Paulo, a ser definida. Forte abraço e até dezembro!

Buscando assim, prestar a nossa homenagem a um homem que foi poeta, crítico, diplomata, músico e acima de tudo, pai de muitos filhos, mas filho único de uma nação para a qual ele dedicou toda a sua vida, ao “Brasil”, alguns de nossos alunos definiram o que, sem dúvida, por influência de Vinicius, a música representa em suas vidas. “Apesar de todas as exigências para termos disciplina, tudo vale a pena, pois assim ganhamos respeito e reconhecimento”. Gabriel Carlos

“A música para mim é uma forma de relaxamento e reflexão da minha vida, de pensar em mim, nas minhas atitudes e no que posso fazer ou dizer. Música é tudo na minha vida”. Erica Kazumi

“A música para mim é a base de muitas coisas que eu faço. Também é importante para muitas pessoas buscarem se redimir de seus erros do passado”. Gianluccha Ribeiro

“A música para mim é fonte de inspiração na minha vida, ela faz eu me esquecer do mundo, me faz refletir principalmente sobre meus atos. Música é vida. A vida sem música é como um circo sem palhaço, não tem graça”. Beatriz Santiago

“A música para mim são sensações impossíveis de serem traduzidas por palavras, mas sim, apenas por sons”. Bárbara Veiga

“A música para mim é uma fonte de inspiração. Gosto de tocar, porque esqueço tudo e só sinto a música. Me traz sentimentos positivos”. Maria Eugênia

“A música para mim faz parte de quem eu sou. É a minha inspiração, uma das coisas que me faz feliz, que me motiva”. João Marcos

“A dança é a maneira que eu uso para me expressar. O que me deixa feliz e o que me dá prazer de fazer em qualquer lugar. A dança não está apenas na minha vida, ela é a minha vida. Eu amo dançar”. Giovanna Timon

“A música me deixa feliz, porque por ela, conseguimos expressar os nossos sentimentos”. Julia Arsky

“A música possibilita uma troca entre agradar e ser agradado, de forma pura e natural”. Thalita Sales

“Música é a base de tudo. Acho que sem isso na minha vida não haveria nada. Nos faz mais felizes e junto com isso nos trouxe a responsabilidade. O fato de saber que vamos alegria e orgulho. A onde quer que formos, já me trás paz. Música é tudo música é vida”. Lucas Fadigas

“A música pra mim representa minha vida, não dá para passar o dia sem escutar uma música, é algo que faz parte do meu dia a dia. É de onde eu tiro minha inspiração, são frases de músicas que me ajudam e fazem ser a pessoa que eu sou hoje, que faz eu me sentir bem, pensar e refletir sobre a vida. Resumindo, a música é o que eu preciso para ficar bem e para me expressar, até porque, uma boa música, mesmo que só instrumental, vale mais que mil palavras”. Henrique Yudy

“A música me faz refletir, ao tocar sinto-me importante e aliviado para fazer o que gosto com a música toda pessoa se sente mais feliz e me faz sentir bem. A música me faz pensar na vida e me mostra que qualquer pessoa pode ser importante”.

Ighor Gaspar

“A música é o ato de se expressar. A música faz você refletir sobre os seus pensamentos. Acho que não tem uma pessoa que viva sem a música”.

Raffaela Timon

“A música na minha vida é uma coisa essencial não só para mim, mas para todas as pessoas. Quando eu venho para a banda, me sinto mais feliz, pois o clima é contagiante, quando nós tocamos,recebemos alegria e damos alegria em dobro, a música nos faz refletir sobre a vida”.

Giovana Leite

“É muito explícito dizer que a música é simplesmente tudo para mim, apesar de ser. A música é uma coisa inexplicável, ela nos acalma, às vezes nos deixa triste por nos lembrar algo ou feliz. Fazer parte da banda é uma forma de demonstrar como a música é importante na minha vida”.

Deborah Paixão


12

O Nosso Planeta Azul

Nossa 1ª Festa da Família

Por Equipe de Redação e Erika Kazumi Mizumura

Para aproximar e integrar, no dia 11 de agosto, o Colégio Planeta Azul, representado pela direção, professores, coordenação e colaboradores, organizou sua 1ª manifestação de apreço e carinho às famílias em geral. Assim, fizemos uma caminhada em família, passeando pelos bairros Flórida, Stella Maris, Centro, Rodoviária, Veneza e Cara-

guava. Esse encontro teve como principal objetivo integrar Família x Escola, pois acreditamos que sem essa união, não conseguiremos concretizar nossos projetos de vida. Foi a partir deste momento que encerramos a homenagem com a nossa 1ª Festa da família. No dia 31 de agosto, o Colégio Planeta Azul organizou sua primeira Festa da Família, homenagem feita para a família como um todo, uma vez que reconhecemos as mudanças ocorridas na constituição da formação familiar. Percebemos, recentemente, uma enorme quantidade de

crianças que são criadas pelos tios, avós, padrastos, enfim, a sociedade vem passando por transformações e nada mais natural que a estrutura familiar ser influenciada. O evento incluiu uma caminhada com as famílias e encerrou-se, com apresentações musicais na nova quadra da escola, acompanhada de comes e bebes das barracas montadas com a ajuda de funcionários, professores e alunos. Os formandos estavam presentes e participaram, montando uma barraca pró - formatura de doces e salgados; também houve apresentações de integran-

tes da Banda Colégio Planeta Azul e encenação de teatro ensaiado pela professora Lucinda, sobre o tema: "Conscientização contra o uso de drogas". Ressalta-se ainda que a nossa intenção não foi de substituir a merecida e tradicional homenagem do dia dos pais, mas sim, de entender e reconhecer que Família não é segmento, é um todo. Desta forma, buscamos trabalhar a autoestima e despertar os valores que cada um tem dentro de si, a partir de verdadeiros vínculos afetivos e da convivência para uma vida melhor.

Estivemos na USP! por Equipe de Redação Planeta Azul

No dia 5 de junho, 40 alunos do Ensino Médio do Colégio Planeta Azul, tiveram o seu primeiro contato com a maior Universidade Pública Brasileira, a USP – UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, como forma de incentivo e contato com a vida universitária. O Projeto Giro Cultural, incluiu um roteiro no qual os alunos visitaram todos os prédios

Da Universidade e ainda puderam prestigiar as novidades do Show de Física e do Campus de Oceanografia. Parabéns ao Colégio, por oportunizar aos alunos este contato com o mundo universitário, tão importante para a aquisição de vivência e amadurecimento dos jovens estudantes, neste momento de decisões e escolhas profissionais.

FESTA JUNINA DO COLÉGIO PLANETA AZUL

por Giovanna Timon

A Festa Junina do Colégio Planeta Azul deste ano teve como tema principal “As Regiões Brasileiras”, apresentando tanto danças típicas como culinária e brincadeiras. A festa ocorreu no dia 23 de setembro no próprio colégio, e contou com a participação de grandes apresentações de dança com a professora Bruna Garcia e grupos convidados. O Espaço Cultural Atitu-

de Ton Gaspar fez a abertura da nossa festa, com a apresentação de dança no estilo musical e hip - hop chamada “Vida Maria”, que se encaixou na temática da festa por retratar a história de vida das pessoas do sertão. O Studio de Dança Cynthia Riggo também marcou presença com a apresentação de dança no estilo de quadrilha maluca, com o nome “Deu a louca no Cangaço”, que se encaixou perfeitamente

ao tema da festa. Ambos os grupos foram fantásticos e divertiram muito o público, dando um gostinho a mais à nossa festa. Aproveitamos a oportunidade para agradecê-los pela presença e ilustre participação em nosso evento. A Banda Musical Planeta Azul, regida pelo Maestro Thyago Willians, também nos apresentou uma seleção de músicas, entre elas “Trenzinho Caipira”, homenageando

nosso famoso e consagrado Heitor Villa Lobos. Também contamos com a participação do coral do Ensino Fundamental I, que a cada ano nos surpreende mais. O Colégio, alunos e funcionários, assim como todos os familiares e envolvidos estão de parabéns pelo grande sucesso da festa, que a cada ano está recebendo mais pessoas, agradando e divertindo a todos que a prestigiam.

Viva a Festa Junina!

Visitando o Zoológico de São Paulo

por Equipe de Redação

Em abril, os alunos do fundamental I visitaram o zoológico de SP, com o objetivo de conhecerem a fauna brasileira e entrarem em contato com os animais de forma mais próxima. Segundo as

professoras: “É fundamental que nesta fase da vida escolar os alunos saibam classificar e diferenciar os hábitos e costumes das diferentes espécies. Foi incrível, pois os alunos ficaram encantados”.

Visita ao Butantan

por Equipe de Redação Planeta Azul

No dia 4 de junho, cerca de 90 alunos do Colégio Planeta Azul, do Ensino Fundamental II, visitaram o Butantan, importante Instituto de Pesquisa brasileiro. Por este motivo, considerou-se importante a visitação, para os alunos compreenderem os métodos científicos, assim como, saberem mais sobre a diversidade de animais vertebrados e invertebrados e sua importância no ambiente natural, contribuindo para o equilíbrio ecológico. A exposição ainda contou com uma abordagem histórica, na qual monitores explicavam e contavam sobre a origem histórica do Instituto, mostrada através de objetos e móveis do Instituto, com fotos de cientistas que fizeram parte da história e desenvolvimento da saúde pública no país. Para os educadores do Colégio, este estudo de meio foi importante para que os alunos soubessem o quanto o Brasil está avançado nas áreas de pesquisas científicas. Além disso, também foi significativo para a valorização de um Instituto que está tão perto de nós, mas que muitas vezes, acaba não sendo reconhecido pelos alunos por ser uma referência nos estudos científicos de vacinas. Parabéns aos professores que acompanharam os alunos nesta caminhada de sucesso.


O Nosso Planeta Azul

Volta às aulas no segundo semestre

por Lucas Fadigas

Volta às aulas, aquela época bonita de confraternização e reencontro de colegas, professores e tudo mais. Não fazemos muito além de conversar sobre o que fizemos ou para onde fomos, na primeira semana, mas logo pudemos sentir o ritmo acelerado do 3º bimestre. Os últimos bimestres são mais curtos, por isso a correria é grande, ainda mais com o Jornal Planeta Azul “a milhão”. Apesar de ser gostoso, o ritmo de férias deve ser logo esquecido, pois a distração é prejudicial, ainda mais agora que já iniciamos nossa preparação rumo aos vestibulares. Sabemos que o aluno deve estar o melhor preparado pos-

sível para quando chegar a hora e não pode ficar para trás. Com o tempo, o estresse chegará, e é isso o que nos faz sonhar ansiosos pelas férias de final de ano, para sentir o mesmo no ano seguinte. Para esse semestre esperamos a elaboração do grêmio, para podermos viabilizar e pôr em vigor alguns projetos e desejos em comum dos alunos. A grande maioria também está apreensiva, devido ao final do ano: aquele grande medo de repetir, notas baixas, etc... Enfim, como já dizia o ditado, no final, tudo há de dar certo! Bom segundo semestre para todos nós!

Agradecimentos dos Formandos Agradecemos a presença de todos na Festa da Família e pela cola-

- Compreensão dos fundamentos científicos e tecnológicos produtivos relacionando teoria e prática. Partindo do princípio de que a construção do conhecimento científico, tecnológico e cultural é também um processo sócio-histórico, o Ensino Médio configura-se como um momento no qual necessidades, interesses, curiosidades e conhecimentos diversos se confrontam com os saberes sistematizados, produzindo aprendizagens social e subjetivamente significativas. O material didático para o Ensino Médio abrange todas as dimensões da vida social, possibilitando o desenvolvimento pleno das potencialidades do educando e promovendo seu acesso a conhecimentos sociais, científicos e tecnológicos, necessários à formação cidadã. A partir desta perspectiva, o material de Ensino Médio foi concebido de maneira a conduzir o aluno ao desenvolvimento das competências previstas em importantes documentos oficiais que norteiam o Ensino Médio no país: PCNEM (1999), PCN+ (2002), PCN em debate (2004) e OCNEM (2006). Tais competências, em linhas gerais, são: - Lidar com novas tec-

13

boração na nossa Tradicional Barraca dos Formandos.

Convite V Feira do Dom Empreendedor A expectativa é grande para participarmos da V Feira do Dom Empreendedor e já estamos preparando as exposições. Convidamos a todos para prestigiarem o Evento que este ano, abordará temas como prestação de serviços, comércio, indústria e serviços públicos, este último, desenvolvido por nós, alunos do 9º ano.

Agradecemos aos nossos pais e familiares pela ajuda e apoio em todos os eventos. O que seria de nós sem vocês!

Contamos com sua presença! Comunicado Comunicamos que para esta reta final, reservamos mais algumas novidades como rifas de produtos de beleza e outros, além de atividades prol formatura a serem definidas.

E O ENSINO MÉDIO, COMO VAI? O Ensino Médio pode ser compreendido como um período de consolidação e aprofundamento de muitos conhecimentos construídos ao longo do Ensino Fundamental. Isso significa que o apreendido em etapas anteriores deve ampliar e sistematizar-se, visto que uma das preocupações é desenvolver nos educandos a autonomia e a capacidade de abstração, indispensáveis para avançarem em níveis mais complexos de estudos e assim, atuarem com ética e responsabilidade no meio social em que vivem. Dessa forma, levamos em consideração a lei maior que rege a educação em nosso país, ou seja, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, LDB, a qual declara que o Ensino Médio corresponde à etapa final da Educação Básica e que apresenta, resumidamente, os seguintes objetivos: - Consolidação e aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no Ensino Fundamental; - Preparação básica para o trabalho e para a cidadania; - Aprimoramento do educando como pessoa humana por meio de uma formação ética e com autonomia intelectual;

Formandos

nologias e linguagens; - Compreender fenômenos; - Construir argumentações; - Elaborar propostas; -Enfrentar/solucionar situações-problema. A programação do material didático foi pensada para contribuir na formação do aluno que, ao final do Ensino Médio seja capaz de: - Responder aos novos ritmos e processos, revelando responsabilidade socioambiental e posicionando-se de maneira crítica em diferentes situações; - Acessar, selecionar e articular conhecimentos de diferentes áreas, mobilizando acessar, selecionar e articular conhecimentos de diferentes áreas, mobilizando-os para solucionar problemas de seu cotidiano; - Identificar informações científicas e usá-las como referência em situações concretas; - Mostrar-se preparado para ingressar nas principais universidades do país. O contexto educacional contemporâneo é marcado pela afirmação da diversidade e flexibilidade das formas de organização escolar, originadas na necessidade de atender aos diferentes interesses e às expectativas geradas por fatores de ordem cultural, so-

cial e regional. Para isso, o material didático de Ensino Médio apresenta-se flexível e sensível à variação das formas de organização escolar, currículos e projetos pedagógicos, assim como à diversificação das expectativas e interesses sociais e regionais. Todo material didático parte de uma concepção de escola e de professor. Para este, a escola é concebida como um espaço multifuncional de reflexão e que propicia situações de aprendizagem. O professor, mais do que mero transmissor de conhecimentos, é um facilitador, um mediador que monitora, orienta, assessora e estimula o aluno a aprender a conhecer, a fazer, a ser e a conviver. O material didático, meio para o desenvolvimento de competências, traz sugestões de trabalho para ampliar a formação dos alunos e sua interação com a realidade de forma crítica e dinâmica. Enfatizamos: Cabe ao professor promover os desafios, valorizar a cooperação, incentivar a pesquisa, estabelecer relações intertransmultidisciplinares.

Alunos do 9º Ano trabalhando na tradicional Barraca dos Formandos


14

O Nosso Planeta Azul

Banda Musical Planeta Azul na X Revelando São Paulo Vale do Ribeira - Iguape 2013

por Equipe de Redação

“O encontro foi importante pelo contato com diferentes culturas, sendo possível aprender através da vivência com outras bandas, regências e estilos variados”. No dia 30 de junho deste ano, a Banda Musical Planeta Azul esteve presente na X Revelando São Paulo Vale do Ribeira - Iguape 2013, encontro de Bandas e Fanfarras de várias regiões do país para comemorar a Festa de Iguape e aniversário da cidade. Como já a tradição na festa, a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, que passou por 28 cidades do Esta-

do, chegou ao município de Iguape e seguiu até a Igreja Matriz de Bom Jesus, onde foi realizada uma missa com a comunidade. Após a missa seguiu em procissão até a Igreja São Benedito, onde foi colocada sobre a canoa caiçara e levada por representantes da colônia de pescadores até o Centro de Eventos. A cerimônia religiosa contou com a presença de representantes de

segmentos religiosos e étnicos e a programação do dia foi finalizada com a apresentação do grupo de choro Janelas e Beirais, de Iguape. O Festival contou com 47 espaços de artesanato e 51 de culinária, com os pratos da cultura tradicional paulista, além de mais de 100 apresentações artísticas e musicais. O encontro foi aberto a todos que quiseram expressar suas reflexões.

Aline Almeida

De acordo com os organizadores, foi uma linda concentração de jovens de todas as idades (presencial e online) que fizeram parte desta história de Paz, Cooperação e Integração e abrilhantaram o evento. Parabéns ao nosso Maestro Thiago Willians, pela brilhante participação no evento e por contribuir para a valorização da cultura na nossa região.

FORMATURA DO PROERD

por Equipe de Redação Planeta Azul

Para comemorar o seu 2º ano na escola, o PROERD, curso que visa orientar as crianças quanto à postura e comportamento, incluindo o não uso de drogas, formou mais uma turminha. O curso que é apostilado e com duração de 4 meses, é ministrado por policiais militares um vez por semana em nossa escola. Os alunos são avaliados e agracia-

dos com certificação ao final. Este ano, a Formatura ocorreu na Escola Teresinha Rodrigues Kalil, no mês de junho e formamos nossos 20 aluninhos do 6ºano, classe contemplada no Projeto. Parabenizamos o aluno Luis Felipe Gaioffato, vencedor da nossa escola por ter escrito a melhor redação.

Parabenizamos o aluno Luis Felipe Gaioffato, vencedor da nossa escola por ter escrito a melhor redação.

O Nosso Planetinha

Alegria é com a gente mesmo, comemorando os aniversários, festa junina, da família e muito mais! Parabéns a todos os aniversariantes deste trimestre, muitas felicidades e muitos anos de vida!

Dia do Soldado

O Dia do Soldado foi muito divertido. Fizemos uma pequena caminhada e uma visita ao Batalhão da Polícia

Militar próximo a escola, onde as crianças perceberam a importância desses profissionais para a nossa sociedade.


EDUCAÇÃO INFANTIL Foto das aulas de Musicalização Infantil Ensaios do Coral Infantil Vozes do Planeta.

CRONOGRAMA DE PROJETOS Fonte: Equipe Pedagógica

Este ano o tema da Festa Junina foi "As Regiões Brasileiras", e nos rendeu dentro do Projeto o nosso I Festival de comidas típicas regionais.

Parabéns Caio Satoshi Domingues Miyata, de toda a Família Planeta Azul, pelo seu Aniversário de 6 aninhos!!!

O DOM DE AQUECER E CAFÉ SOLIDÁRIO por Professoras do Infantil e Fundamental

Em maio, demos início ao Projeto “O DOM DE AQUECER”, somente possível a partir das doações de roupas por parte das famílias de alunos do Colégio e total envolvimento de Colégio e comunidade. As roupas doadas foram separadas e em seguida embaladas (agasalhos, calçados e cobertores) para doação. No mês de junho, donativos foram encaminhados para a EMEI do Caraminguava. Para abrilhantar o momento e a entrega, as crianças da Ed. Infantil fizeram uma apresentação em forma de coral. Em julho, o Ensino Fundamental I, fez uma visita ao lixão, onde entregou cobertores e agasalhos para moradores de rua. No domingo, 11 de agosto, tradicional Dia de homenagem aos Pais,

para alguns funcionários da escola foi especial, com as doações recebidas pelos alunos e pais de itens para café da manhã, que foram entregues para os moradores de rua como a primeira alimentação do dia. Agradecemos a participação dos pais e alunos que aqueceram seus corações neste projeto social. Desta forma, a escola abraça definitivamente a idéia de aquecer, agora não mais apenas com agasalhos, mas sim, também com carinho e solidariedade os corações daqueles que precisam e por isso, demos início ao Projeto Solidário para toda a escola, envolvendo professores, alunos, funcionários e comunidade. É o Colégio Planeta Azul, exercendo o seu papel social.

AGOSTO • Projeto: “Viva o Folclore”. Rodas de conversas, vídeos das lendas e parlendas, oficina de brinquedo com garrafas pet, apresentação de teatro de fantoche “Lendas e Brincadeiras”. • Festa da Família - Ensaios do coral do Infantil “Vozes do Planeta”. Música: “Velha Infância” - Os Tribalistas. • Rodas de conversa sobre as diferentes estruturas de família e que o importante é o respeito e o amor. • Caminhada com a família e apresentação do coral “Vozes do Planeta” • Dia do soldado – Oficina de dobradura (chapéu de soldado) e ida até o Batalhão da Polícia Militar para a entrega de um cartão comemorativo. SETEMBRO • Roda de Conversa sobre a data comemorativa da Independência do Brasil/Ensaios para o desfile cívico. • Projeto: “As cores da Primavera”. • Roda de conversa sobre a mudança das estações e a chegada da Primavera. • Dramatização feita pelas professoras sobre a estação das flores. • Confecção de painel coletivo da Primavera. • Atividades Manuais em sala. OUTUBRO • Feira Dom Empreendedor - Projeto “O dom de construir Valores”. O infantil irá trabalhar através de atividades lúdicas e valores como: cooperação, solidariedade e respeito e estas atividades terão como finalização stands que serão montados para o dia da feira. NOVEMBRO • Dia da Bandeira – Iremos trabalhar as cores da bandeira e roda de conversa sobre o significado destas cores. • Ensaios nas aulas de musicalização para apresentação na semana cultural. • Projeto “Tem que ter o Dom de Apreciar” – Elaboração de pintura na tela, artesanato e tudo que envolve a riqueza cultural do nosso país.

Projeto: Resgatando Valores Humanos Profª. responsável: Fátima

• Período de realização: Durante o segundo semestre, para os alunos do quarto ano A, B e 5º ano. • Temas: Respeito, amizade, caráter, responsabilidade, humildade para com os outros. Objetivo geral Proporcionar ao aluno condições para que ele se conscientize da necessidade de respeito entre todos através do reconhecimento dos direitos e deveres de cada um, favorecendo assim, a uma aprendizagem realmente significativa na formação de seres humanos mais conscientes, participativos e principalmente, responsáveis. Objetivos específicos - Desenvolver a autoestima e o respeito. - Formar consciência dos valores éticos e morais. - Reconhecer que a paz é uma conquista diária por meio de nossas ações. - Respeitar os diferentes. - Resgatar atitudes de cooperação, participação, responsabilidade, altruísmo, tolerância, sensibilidade e comprometimento na escola. Atividades relacionadas ao projeto: - Apresentação de filmes relacionados aos temas. - Roda de conversa. - Trabalhos com cartazes. - Jogos e brincadeiras. - O bullying e suas consequências. Fechamento do projeto com apresentações dos trabalhos desenvolvidos durante todo o semestre.

15

OS PROJETOS DESENVOLVIDOS por Equipe de Redação Planeta Azul

Sobre os Projetos pedagógicos desenvolvidos pelo Colégio de abril até agora, mês da última edição do jornal, continuamos abordando a mesma temática do primeiro trimestre, uma vez que a frase e o tema, “Tem que ter dom”, estará presente durante todo este ano. Vamos lá, para falar dos meses de maio e junho: EDUCAÇÃO INFANTIL Temática: REGIÕES BRASILEIRAS, culminando na festa junina que aconteceu em 23 de junho de 2013. Tivemos a representatividade das cinco regiões brasileiras falando sobre culinária, brincadeiras e músicas típicas. ENSINO FUNDAMENTAL I E II Projeto Proerd O 6º ano participou do Projeto PROERD, cuja formatura aconteceu na EMEIF. O NOSSO PLANETA SOLIDÁRIO Este ano, o nosso PROJETO SOLIDÁRIO foi dividido em etapas: 1. Projeto: “O Dom de aquecer”; levando agasalhos e cobertores aos moradores de rua. 2. Projeto: “Café da manhã”, para os moradores de rua, ocorrido no dia 11 de agosto. RESUMOS DAS DATAS COMEMORATIVAS ATÉ OUTUBRO DIA DO SOLDADO Os alunos da educação Infantil homenagearam o dia do soldado, visitando o batalhão da Polícia Militar do Município, levando o nosso abraço e reconhecimento pelo trabalho. FOLCLORE Foi comemorado com dramatização, decoração e comidas típicas. Agora os meses de agosto, setembro e outubro... FESTA DA FAMÍLIA Hoje, as famílias estão constituídas de maneira diferente e reconhecendo a nossa necessidade de nos inserirmos nessa nova realidade, resolvemos comemorar reconhecendo todas as formas de constituições familiares. A Festa ocorreu no dia 31 de agosto. 7 DE SETEMBRO Em busca da valorização deste dia tão importante para o país, participaremos do desfile com o tema: Para ser brasileiro, tem que ter dom. FEIRA DE EMPREENDORISMO Ocorrerá no mês de outubro e será a finalização de um trabalho anual de pesquisas. Professores responsáveis: Vanessa (Fundamental I) e Maria Helena (Fundamental II). PROJETO LEITURA E COMPANHIA Leitura e Companhia Literário Muitos universos, a poucas páginas de distância. A Pearson se uniu à editora Companhia das Letras para criar o Leitura e Companhia, um projeto super inovador que estimula o desenvolvimento das capacidades leitoras e o prazer pela leitura, por meio da interação com uma plataforma digital que permite a realização de avaliações, imprescindíveis ao planejamento de aula do professor. PROJETO DE LABORATÓRIO VIRTUAL DE QUÍMICA, FÍSICA E BIOLOGIA, em desenvolvimento contínuo.


16

Entretenimento

O Dom Empreendedor

O PRIMEIRO SISTEMA DE ENSINO COM CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL Sistema Dom Bosco de Ensino Dom Bosco Assured by Edexcel: Primeira Certificação de Sistema de Ensino no Brasil

O Sistema de Ensino de história, Edexcel é o Dom Bosco tem o pra- maior órgão de certifizer de anunciar uma cação autorizado pelo grande conquista, o governo britânico para Dom Bosco Assured desenvolver qualificaby Edexcel. Essa certi- ções acadêmicas e proficação resultou de um fissionais com reconheprojeto minucioso de cimento internacional. avaliação de processos As renomadas qualificaconstruídos segundo ções BTEC (Business & padrões internacionais Technology Education de qualidade, para Council) que nos coloofertar diferenciais caram na vanguarda da profissional competitivos no merca- educação são usadas em progrado a seus parceiros. Os objetivos de quali- mas de formação de insdade que norteiam a cer- tituições espalhadas por tificação foram desen- mais de cem países que volvidos pela Edexcel, certificam seus alunos e com a colaboração de funcionários. O Empreendedor faz David Crossley, especialista mundial de K-12- parte desse seleto gru-educação básica. Em ju- po de programas que lho de 2013, o sistema de adotam a metodologia ensino recebeu visita da de qualidade asseguraequipe Edexcel do Rei- da internacionalmente e no Unido, liderada por o sistema de avaliação Elizabeth Crofts e David baseado em portfólio de Crossley, para proceder à evidências de aprendizaauditoria nas instalações gem, configurando-se em diDom Bosco e unidades escolares conveniadas ferenciais das qualificaao sistema, para valida- ções BTEC. Com grande experiênção dos processos em referência aos objetivos de cia no desenvolvimento qualidade definidos pelo de qualificações profissionais e acadêmicas e Programa Edexcel. Com mais de 170 anos na realização periódica 1. Gestão da organização • Recursos humanos • Desenvolvimento humano • Infraestrutura • Estrutura organizacional • Sistemas administrativos

Ensino Infantil

Empreendedorismo Ensino Fundamental II

Por Equipe de Redação Jornal Planeta Azul Feira Dom Empre- lores como: cooperação, endedor - Projeto solidariedade e respeito “O dom de construir e estas atividades terão Valores”. O infantil como finalização stands

irá trabalhar através de atividades lúdicas e va-

que serão montados para o dia da feira.

Ensino Fundamental I

Responsável: Professora Vanessa Dalla Valle

A nossa feira é o resultado do trabalho realizado durante o ano, conduzido pelo material Dom Bosco de Empreendedorismo, cujo aluno aprende definições de grande importância para a vida em sociedade e no âmbito pessoal. No mês de setembro, recebemos a visita da

de controle de qualida- sistema de ensino recede dos programas de bem o selo "Assured by aprendizagem que apli- Edexcel". Professores e cam suas qualificações, coordenadores formados a Edexcel coloca-se em nas Jornadas Pedagóposição ideal para ajudar gicas e nos Programas a garantir que os sistemas de Implantação e Apere processos Dom Bosco feiçoamento Docente, sejam cuidadosamente conduzidos pela equidesenvolvidos e correta- pe do sistema, recebem mente executados. certificado de conclusão O “Assured by Ede- emitido e chancelado xcel” é uma referência pelo maior organismo independente para orga- de certificação de pessonizações que oferecem as do Reino Unido. Tal programas de formação condição proporciona e aprendizagem, endos- nível internacional na sando a qualidade dos qualificação a professeus sistemas e proces- sores e coordenadores, sos, para propiciar a tendo impacto direto na melhor experiência de eficácia dos processos aprendizado possível de ensino-aprendizagem. aos alunos. O Sistema Sob o ponto de vista das de Ensino Dom Bosco estratégias de marketing da é o primeiro no Brasil escola, tal informação adea ter endosso de um or- quadamente apresentada à ganismo de certifica- comunidade escolar fortação internacional. Nes- lece sua posição no mercase processo, a Edexcel do. Com essa certificação, baseou-se em objetivos o Sistema de Ensino Dom de qualidade divididos Bosco consolida o conceito em duas grandes áreas de rede de aprendizagem e para medir e avaliar a conhecimento, oferecendo qualidade do sistema de padrões de qualidade interensino e de seus progra- nacional que respeitam as mas de formação. Como características e o perfil de benefício, as capas dos negócio da escola convemateriais didáticos do niada. 2. Gestão de treinamento e desenvolvimento • Manutenção da qualidade • Funções e trabalho em equipe • Revisão, avaliação e melhoria • Recrutamento de treinandos • Suporte a treinandos • Recursos e reclamações

voluntária da ONG Vida Animal, Valéria Lansac, que através de uma palestra sobre os direitos dos animais, ofereceu uma amostra do que será o projeto do 5º ano, que tem como titulo o “Dom de Cuidar” e que resultará em uma feira de doações de animais. Com isso, no dia 26 de outubro as crianças terão acesso à materialização dos projetos elaborados durante suas aulas e realizarão um laboratório com visitação de toda a comunidade do Colégio Planeta Azul.

(6º ao 9º anos)

Responsável: Professora Maria Helena

Neste semestre os alunos estarão organizando a V Feira Dom Empreendedor, que acontecerá dia 26 de outubro de 2013. A Feira é a finalização de um trabalho anual de pesquisas, entrevistas, visitas às Instituições, leituras, exposições em sala de aula, organização de painéis, troca de experiências, no qual os alunos participam de atividades que envolvem temas re-

lacionados com o mercado de trabalho, área comercial, área industrial e serviços públicos.

Seguem os temas por série: TEMA Prestação de Serviços Comércio Indústria Serviços públicos

SÉRIE 6º ano 7º ano A, 7º ano B 8º ano 9º ano

por Raffaela Timon

por Aline Almeida

VAMOS RIR UM POUCO! FESTIVAL DE PIADAS por Julia Arsky

Amo minha sogra!

Dois amigos conversam sobre as maravilhas do Oriente. Um deles diz: - Quando completei 25 anos de casado, levei minha mulher ao Japão. - Não diga? E o que pensa em fazer quando completarem 50? - Volto lá para buscá-la. Truque para emagrecer

- Doutor, como eu faço para emagrecer? - Basta a senhora mover a cabeça da esquerda para a direita e da direita para a esquerda. - Quantas vezes, doutor? - Todas as vezes que lhe oferecerem comida.

CURIOSIDADES

por Marcelo Vinicius de Miranda Junior

Você sabia?

Por que rosa é cor de menina e azul é cor de menino? Marketing. Até o fim do século 19, a tintura do tecido era cara, então os pais não se preocupavam com isso. Isso só surgiu no século 20. E era o inverso do atual! Um catálogo de roupas do EUA de 1918 dizia que o rosa, por ser mais forte, era adequado aos garotos. E o azul, por ser mais delicado, às garotas! Foi só entre 1920 e 1950 que as lojas começaram a sugerir azul para eles e rosa para elas, como forma de agitar as vendas! Que coisa hein!!!

Minha Mãe é Uma Peça Ilustração

por Julia Guimarães

Dona Hermínia, uma mulher dona de casa, divorciada do marido e com três filhos, Marcelina, Juliano e Garib. Por ser uma mulher muito agitada e sem trabalho, dona Hermínia precisa achar o que fazer e se preocupa muito com os filhos só que eles já cresceram e não precisam tanto dela. Certo dia eles saíram com o pai e dona Hermínia escuta um dos filhos reclamar sobre ela quando ele se esquece de encerrar uma ligação, dona Hermínia nunca esperava escutar isso de seus filhos e então ela arruma suas coisas e vai pra casa de uma tia. La ela começa a refletir sobre a criação dos filhos. Na minha opinião, achei esse filme maravilhoso, uma comédia bem desenvolvida e que agrada a todos, pois são capazes de se identificar com a dona Hermínia e seus filhos na vida real.

Planeta azul edição 3  
Advertisement