Issuu on Google+

apresentação

lata de conserva


1. A LATA DE CONSERVA Tendo como objetivo a promoção da Cavala de Peniche, a Câmara Municipal de Peniche desenvolveu um grafismo original para o lançamento deste novo produto. Graficamente a lata tem como base uma serigrafia da autoria de Alexandra Prieto, representando a mítica Onda da praia dos Supertubos. Esta obra, produzida em 2012, foi oferecida no contexto das 7 maravilhas Praias de Portugal: “para a praia Supertubos Praia Finalista”. Cromaticamente, os tons de azul forte são os que predominam na referida pintura, sendo essa a tonalidade que dá vida às laterais que acompanham o conjunto. De forma a encontrar um alto contraste, o branco foi o tom escolhido para as diversas aplicações de texto para ilustrar a restante composição. Além do logotipo “Peniche Capital da Onda” colocado ao centro nas laterais, foi criado uma representação gráfica muito simples, num misto de texto e imagem, de forma a identificar e valorizar o produto “Cavala de Peniche”. A base inferior é composta por uma representação gráfica de uma ânfora, “Ânfora Dressel 7/11”, utilizada no passado para o transporte da pasta de peixe. De forma a valorizar o produto em causa foi incluído ainda o pequeno texto: “O garum produzido com cavala de Peniche por Lúcio Arvénio Rústico foi comercializado por todo o Império Romano”. A composição fica completa nos topos laterais com a seguinte inscrição: “PENICHE, 2000 anos a produzir conservas!”. À criação gráfica propriamente dita foi ainda acrescentada a informação sobre o produto, nomeadamente os seus ingredientes, informação sobre prazos de validade, empresa produtora do seu conteúdo (ESIP), bem como a identificação do controlo sanitário da referida empresa.


2. A CAVALA DE PENICHE 1.1.

A espécie

Scomber colias (Cavala) pertence à família Scombridae, ordem Perciformes, sendo uma espécie pelágica que se distribui ao longo do Atlântico Norte e Mediterrâneo. Encontra-se em águas sobre a plataforma continental, preferindo profundidades entre os 0 e os 300 metros. Alimenta-se sobretudo de crustáceos zooplantónicos, lulas e peixes. A cavala atinge a maturidade sexual aos 28 cm de comprimento, ocorrendo a sua época de reprodução entre fevereiro a abril. O principal método de captura é através da arte do cerco, podendo igualmente ser capturada através da arte xávega, arrasto ou artes fixas. Apesar do desconhecimento sobre o estado do stock, é provável que esteja a ser exercido um nível de pesca sustentável.


1.2. Peniche: 2000 anos a produzir conservas O garum ou liquamen era um género de condimento muito utilizado na Antiguidade, especialmente na Roma Antiga. É feito de sangue, vísceras e de outras partes selecionadas do atum ou da cavala misturadas com peixes pequenos, crustáceos e moluscos esmagados. Estes elementos eram deixados em salmoura e ao sol durante cerca de dois meses, ou aquecidos artificialmente. Este produto era exportado em ânforas, contentores cerâmicos produzidos para o efeito. Na cidade de Peniche foi descoberto e estudado, desde 1998, um complexo oleiro no Morraçal da Ajuda. Este é composto por quatro fornos conhecidos que terão laborado entre o final do século I a. C e III da nossa era. Esta olaria fundada na época de Augusto, 1º imperador romano, por Lúcio Arvénio Rústico, terá funcionado até ao final do Alto Império, fabricando ânforas para transporte de conservas de peixe e, possivelmente, de algum vinho produzido na então ilha de Peniche. A produção industrial associada às conservas de peixe, utilizando espécies como a cavala e a sardinha, era envazada em contentores anfóricos e comercializada por todo o império romano. Assim, com os elementos hoje conhecidos, resultantes de 15 anos de estudo deste complexo oleiro, pode-se afirmar com propriedade que “o garum produzido com cavala de Peniche por Lúcio Arvénio Rústico foi comercializado por todo o Império Romano”.


1.3. A cavala em Peniche Já Baldaque da Silva, em 1892, no seu tratado “O Estado actual das Pescas em Portugal”, nos dizia que “Como porto de pesca é Peniche muito importante, porque, alem das armações permanentes, onde diariamente cae abundante pescaria, possue grande numero de embarcações empregadas n'esta industria, explorando o alto, o mar das Berlengas e as aguas da costa, muito ferteis em pescada, pargo, congro, cavalla, sardinha, etc. (…)” (p. 127). De facto, e apesar da diversidade de pescado, nos séculos XVIII e XIX observam-se a sardinha, o carapau e a cavala como espécies favoritas. Como exemplo, entre as espécies predominantemente capturadas entre 1786 e 1788, a sardinha está em primeiro lugar, a cavala em segundo e o carapau em terceiro. Esta ordenação mantém-se ainda hoje. Segundo a publicação Recursos da Pesca, editada pela Direção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos, na última década a cavala aparece, de forma constante, em segundo ou terceiro lugar do pescado desembarcado em Peniche (atrás da sardinha destacada e, por vezes, do carapau), sendo uma das espécies notáveis que se destacam ao ocupar os lugares cimeiros das percentagens em termos nacionais. No ano passado, de acordo com os dados da DGRM, a estimativa de desembarque da sardinha em Peniche foi de 4 454,1 toneladas, seguida da cavala, com 3 198,1 toneladas e do carapau (1 359,4 toneladas).


1.4. Campanha da cavala em Peniche No contexto da missão da Docapesca Portos e Lotas, S.A. da prestação de um serviço de qualidade ao sector da pesca, nomeadamente ao nível da primeira venda de pescado e no âmbito do projeto CCL Comprovativo de Compra em Lota, a Docapesca encontra-se a desenvolver uma campanha promocional dedicada à Cavala, durante os meses de Verão. A Cavala, rica em ómega 3, abundante na costa portuguesa e capturada pela frota do cerco, sem restrições de contingente e de baixo valor comercial, pode e deve ser valorizada, contribuindo para o aumento da rentabilidade da frota, a retribuição justa do pescador e um consumo económico e responsável. Trata-se de uma espécie de sabor intenso e fácil de preparar, devido à ausência de escamas, cujo consumo a tradição consagrou na confeção de pratos simples e com caráter regional. As suas características gastronómicas e nutricionais justificam a sua utilização na preparação de um elevado número de pratos, em conjunto com outras espécies, tanto na cozinha tradicional como nas novas preparações culinárias. A campanha, desenvolvida em colaboração com os Municípios, as Escolas de Turismo e Hotelaria da região e com a ANICP, decorre nas manhãs de 6ªs feira e Sábado, nos Mercados Municipais e Grandes Superfícies, onde os visitantes podem participar em aulas de culinária e degustações gratuitas e aprender a confecionar receitas inovadoras com cavala fresca e em conserva. O início desta campanha teve lugar em Peniche no dia 30 de junho, junto à Estação Salva-Vidas, com a participação da Chef Patrícia Borges, da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar de Peniche, e com o apoio da Câmara Municipal de Peniche.


3. PRAIA DE SUPERTUBOS finalista das 7 maravilhas Praias de Portugal e anfitriã do Rip Curl Pro Portugal

Como acima referido, foi escolhida para ilustração desta lata de conservas uma serigrafia da autoria de Alexandra Prieto referente à Praia de Supertubos. Esta Praia, também conhecida como praia de Medão-Supertubos, destaca-se pela singularidade do seu enquadramento paisagístico e das condições naturais que oferece, com especial destaque para a sua onda, mundialmente reconhecida. É, em 2012, finalista das 7 maravilhas Praias de Portugal e será, pelo 4º ano consecutivo, anfitriã do Rip Curl Pro Portugal - Peniche. O concelho de Peniche vem investindo e apostando fortemente na qualidade ambiental, o que se traduz, em larga medida, na qualidade das suas praias, incluindo a praia de Supertubos. Nos últimos anos o município tem implementado, de forma continuada, um programa de proteção e recuperação do cordão dunar, recuperando algumas áreas mais afetadas e travando, de um modo geral, o ritmo da erosão. Integrada num sistema dunar de significativo valor ambiental (Sítio Rede Natura 2000 Peniche/Santa Cruz), a praia de Supertubos possibilita um uso balnear de elevada qualidade e segurança, pelas condições naturais e enquadramento paisagístico existentes, pela excelente qualidade da água (Praia Qualidade Ouro 2011 pela Quercus), pela boa acessibilidade (Praia Acessível 2011 pelo Instituto Nacional para a Reabilitação) e pelo cumprimento de um conjunto de critérios de natureza ambiental, de segurança e conforto dos utentes e de informação e sensibilização ambiental (Praia Bandeira Azul 2011 pela Associação Bandeira Azul da Europa). A praia de Supertubos é designada zona balnear no âmbito da Diretiva 76/160/CEE e Decreto-Lei n.º 336/98 de 1 de Agosto e classificada como uma praia de tipo II - praia não urbana de uso intensivo. Localiza-se numa zona de litoral baixo e arenoso, com acesso viário e área de estacionamento própria e delimitada, parcialmente pavimentada, com capacidade para mais de uma centena de viaturas. Em termos de serviços, conforto, segurança e comodidade, esta praia dispõe de uma concessão constituída por bar com esplanada, aberto ao longo de todo o ano, nadador salvador, posto de primeiros socorros, instalações sanitárias e duche de água doce, durante a época balnear.

ilustração de Alexandra Prieto >


Situada na baía sul do tômbolo de Peniche, entre o Molhe Leste do porto de pesca da cidade e o promontório de Nossa Senhora da Consolação, esta praia dispõe de um enquadramento paisagístico singular, podendo observar-se o recorte do casario de Peniche a Norte, até ao cabo Carvoeiro e, para sul, o Forte de Nossa Senhora da Consolação e a lindíssima costa rochosa que se estende até onde é possível a vista alcançar. Constituída por areias médias, de cor clara, à base de rochas detríticas, conchas e vestígios rígidos de outros organismos marinhos, é uma praia que oferece condições de conforto privilegiadas, encontrando-se bastante abrigada dos ventos de norte, predominantes na Região Oeste durante o verão. A sua localização, com acesso direto ao IP6 e na proximidade dos principais hotéis do concelho de Peniche, faz com que seja procurada por um grande número de praticantes de desportos de deslize nas ondas, veraneantes, viajantes e turistas das mais diversas proveniências, principalmente durante a época estival, mas também noutras alturas do ano, sempre que esta praia é palco de grandes eventos desportivos. Para o reconhecimento mundial desta praia em termos ambientais, paisagísticos e desportivos e para a consequente valorização do território em que ela se encontra integrada, muito tem contribuído o trabalho de enorme valor artístico, realizado por diversos fotógrafos, entre os quais se destaca Ricardo Bravo.


A "Onda dos Supertubos" contribui fortemente para o impacto económico e social que, nos últimos anos e de forma crescente, a fileira socioeconómica da onda tem tido no concelho de Peniche. Esta praia constitui um local de eleição para a prática de surf de outros desportos náuticos de deslize, devido à mundialmente famosa "Onda dos Supertubos" que permitiu, a partir de 2009, que Peniche tivesse sido colocado na rota da "fórmula 1" do surf mundial, com a realização anual de uma das 11 provas do circuito da Association of Surfing Professionals, estando já garantido mais um ciclo de 3 anos (2012-2014). O Rip Curl Pro Portugal resulta de uma parceria público-privada entre a Câmara Municipal de Peniche e a empresa Rip Curl. O papel da entidade pública prende-se com a prestação de apoio logístico necessário à realização do evento. Em 2011, segundo números da Proteção Civil, citados pela organização da etapa, cerca de 120 mil pessoas estiveram na praia de Supertubos a assistir à etapa do Campeonato do Mundo de Surf. Durante a realização da etapa, o setor hoteleiro registou taxas de ocupação rondaram os 100%, não obstante ter-se verificado uma quebra para cerca de 75% devido à diminuição de dias de prova. Os efeitos do evento para o concelho são sobretudo ao nível das receitas (em particular no setor hoteleiro) e a sua importância deriva do forte impacto sobre a sazonalidade, uma vez que se realiza na “época baixa”. Outro efeito relevante em termos de promoção turística nacional e internacional é o facto de mais de um milhão e duzentas mil pessoas terem assistido ao evento em direto, através da internet. De acordo com um inquérito da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar IPL, realizado em 2009 e 2010, mais de 51% dos visitantes inquiridos durante a etapa do Campeonato do Mundo de Surf são portugueses, seguidos pelos cidadãos de outros países do mundo (8,5%), cidadãos de outros países europeus (7,4%), espanhóis (6,9%), alemães (6,8%) e britânicos (6,5%). O retorno acumulado dos primeiros três anos (2009-2011) é bastante significativo, destacando-se o que está associado à promoção do destino PENICHE-CAPITAL DA ONDA: Internet - site do evento: 30,5 Milhões de page views; 4,9 Milhões de unique views; Retorno de Media: 30,5 M€; Nº de presenças acumuladas na praia: 340 000 pessoas.


HELENA COELHO | Embaixadora da Cavala de Peniche


DAMIEN HOBGOOD | Embaixador da Cavala de Peniche

© CARLOS BARROSO

© JORGE AMARAL


CecĂ­lia Meireles | SecretĂĄria de Estado do Turismo


Manuel Pinto de Abreu | Secretรกrio de Estado do Mar



Apresentacao Cavala de Peniche B