Page 1

a

g

a

z

i

n

e

PUBLICAÇÃO YEMNI – BRANDING, DESIGN & COMM

MAI . 2012

Nº 10 – ANO II

magazine 01

m

Escola OAS

Construindo marca e cidadãos

????? ????? Entrevista: Marta Sobral

Notas

# 10


magazine 02

Simples como ceder o assento.


ah!

Caro leitor, O que esperar de uma marca? Produtos de boa qualidade e serviços bem prestados costumam vir em primeiro lugar em qualquer lista. Mas isso é suficiente? Cada vez mais, a resposta é “não”. A competição e a própria iniciativa das empresas de oferecer algo mais têm demonstrado que é preciso ir além. É fundamental tornar a marca maior do que o produto em si, enriquecê-la de novos valores. Esta edição da Yemni magazine traz matérias que falam justamente sobre esse tema, com foco num de seus desdobramentos mais positivos: as ações socioambientais. São atitudes que beneficiam a todos, a natureza, a sociedade e a empresa, que conquista a simpatia dos investidores. Mas, muito mais importante do que isso, essas ações mudam a percepção que os consumidores têm em relação às marcas. Em outras palavras, uma postura construtiva com relação a questões sociais ou ambientais inrestaurante, entre dizer sim ou não a qualquer coisa que uma empresa possa oferecer. Diante de tal relevância, é essencial que se saiba como trabalhar essas ações. Montar estratégias que permitam oferecer mais do que o esperado pela sociedade e reverter esse trabalho em benefício da marca é o assunto da seção yestrategy. Indo ainda mais a fundo, a seção yexperience traz a gerente de responsabilidade social Fernanda Oliveira, que revela como a Construtora OAS atua nessa área e colhe os frutos da iniciativa à qual a Yemni teve a oportunidade de contribuir. Quem também compartilha conosco sua experiência é Martha Sobral, estrela do basquete brasileiro dedicada, hoje, a traçar uma nova perspectiva de vida para crianças de áreas carentes. Por fim, a seção yexplore, que foge do tema ação socioambiental, mas mostra outro tipo de ação que pode agregar muito valor às marcas: campanhas interativas que exploram com criatividade o grande potencial do QR code. Espero que esses exemplos inspirem novas ações a todos, como indivíduos ou como representantes de marca. Vitor Patoh

Publicação da Yemni – Branding, Design & Comm Produção e Execução: Yemni – Branding, Design & Comm Diretor Executivo: Vitor Patoh Jornalista responsável: Danielle Borges (MTb 40.642/SP) Produção Editorial: Idearia Comunicação e Criação de Conteúdo Edição: Fernando Brito e Danielle Borges Designer: Pauliana Caetano Martins Revisão: Eleonora B. Rantigueri Foto de Capa: Istockphoto Impressão e Acabamento: Neoband Tiragem: 1.000 exemplares © 2012 Yemni – Branding, Design & Comm Todos os direitos reservados – www.yemni.com.br

Esta revista é impressa em papel. O papel é biodegradável, renovável e provém de florestas plantadas. Essas florestas são lavouras que dão emprego a milhares de brasileiros e as árvores plantadas amenizam o efeito estufa, pois absorvem o gás carbônico durante seu crescimento. Imprimir é dar vida!

Fale Conosco redação@yemni.com.br

www.yemni.com.br/blog

Yemni – Branding, Design & Comm

twitter.com/yemni

magazine 03

fluenciam na escolha entre adquirir ou não um produto, entre entrar ou não em um


magazine 04

strategy

Sustentabilidade

e valorização da marca POR Fernando Brito

De laboratórios clínicos a grandes indústrias farmacêuticas, empresas de saúde movimentam-se para estabelecer suas marcas junto a o consumidor

U

ltrapassando seu campo de atuação e oferecendo algo além do que é es-

perado. Um número cada vez maior de empresas atua dessa forma e assume ações de responsabilidade Socioambiental. São práticas como mudanças nos hábitos dos funcionários, adoção de políticas de controle ambiental, doações a organizações não governamentais e criação de instituições dedicadas aos próprios funcionários ou à população local. Em evidência crescente para o público, esses projetos baseiam-se em estratégias que geram benefícios às comunidades e, ao mesmo tempo, associam à empresa uma imagem positiva, agregando valor à marca. Para uma empresa, atuar nesse campo é sempre vantajoso. Além de passar um sinal de maturidade e solidez, é uma opção que afeta fortemente a percepção dos


os relatórios apresentados”, explica Fernando Badô, consultor

Investidores veem com bons olhos empresas que atuam nessas áreas. Investimentos em ações sociais geram resultados no longo prazo.” Marcos Hiller, coordenador do MBA Gestão de Marcas, da Trevisan Escola de Negócios

de conteúdo da Report Comunicação, empresa especializada em relatórios socioambientais. Entre as diretrizes que devem ser seguidas, estão: apresentar a forma pela qual a gestão corporativa prevê o tratamento de questões socioambientais; responder a um número mínimo de indicadores de desempenho nas áreas de desenvolvimento econômico, social e ambiental; elaborar o conteúdo com clareza e objetividade. Uma vez realizado o investimento, é possível colher os frutos, que podem vir de várias formas. Empresas com atividades socioambientais agregam não apenas valor econômico a suas

consumidores em relação à marca, o que tem influência direta

conceito abstrato, existem maneiras de medir os resultados desse

na decisão de compra. Segundo estudo divulgado em 2010 pelo

processo. O relatório de responsabilidade corporativa é a melhor

Instituto Akatu de Consumo Consciente, 87% das pessoas con-

delas. Ele permitem mostrar claramente aos sócios o quanto foi

sideram importante ou muito importante que a marca possua

investido e qual foi o retorno gerado. Dois pontos muito impor-

programas ambientais, ou de educação e saúde para passar a

tantes na apresentação do relatório são: em que medida a em-

consumir seus produtos ou serviços.

presa partilha com a sociedade o valor econômico gerado por

Mas como implementar e divulgar as ações de responsa-

sua atividade e qual é seu aporte para diminuir a dependência

bilidade socioambiental e aproveitá-las numa estratégia de co-

que sua presença causa a uma comunidade. Isso gera material

municação de marca? Preparo é fundamental. “Antes de qual-

pronto a ser usado pela empresa em suas campanhas.

quer coisa, é preciso uma pesquisa séria, que identifique onde

O retorno do investimento para a empresa não tem uso po-

a empresa pode atuar de forma efetiva”, aponta Marcos Hiller,

tencial em campanhas publicitárias, mas é de grande importância

coordenador do MBA Gestão de Marcas, da Trevisan Escola

para conquistar o acionista. A valorização da marca é um bom

de Negócios. Iniciativas nesse sentido precisam ser pensadas

exemplo de retorno. “Investidores veem com bons olhos empresas

por especialistas da área e não somente pelo departamento de

que atuam nessas áreas”, afirma Marcos Hiller. “Investimentos em

marketing. Ainda mais importante é garantir que as ações se-

ações sociais geram resultados no longo prazo”, complementa.

jam concretas. Não basta usar a contribuição à sociedade e ao

Assumir sua parcela de responsabilidade junto à sociedade

meio ambiente como base para uma campanha de marketing

torna-se aos poucos parte indispensável da consolidação da iden-

puro. É preciso legitimidade. Segundo o mesmo estudo do Ins-

tidade empresarial. Se antes isso servia para valorizar uma marca

tituto Akatu, 85% das pessoas consideram significativo que as

em relação a outras outras, agora o processo se inverte. Compa-

empresas desenvolvam ações além das previstas na legislação.

nhias que não dão algum retorno à população passam a ter des-

44% delas, porém, não acreditam no que é divulgado. A respos-

taque negativo. “Responsabilidade social está na boca de todos,

ta para transformar essa desconfiança em valorização da mar-

transitando na vice-presidência de qualquer empresa”, explica

ca é a elaboração de relatórios estruturados, em conformidade

Marcos Hiller. Para a Organização Internacional do Trabalho, o

com normas reconhecidas internacionalmente e subordinados

processo deve começar dentro de casa. A empresa que garante os

a diretrizes estabelecidas por órgãos de gestão socioambiental.

direitos trabalhistas, respeita as normas ambientais e cumpre as

“O principal desses órgãos é o GRI – Global Reporting Initia-

obrigações fiscais já está, na realidade, desempenhando grande

tive. Ele define uma série de regras que servem para embasar

parte de seu papel social. •

magazine 05

marcas, mas também valor socioambiental. Embora pareça um


xperience

Presenรงa magazine 06

que faz a diferenรงa


magazine 07

U

ma empresa que leva o desenvolvimento a lugares onde ele ainda

POR Danielle Borges

Executando projetos de grande impacto nas comunidades onde atua, a OAS investe em ações sociais e colhe os frutos do fortalecimento de sua marca

não chegou. Com um perfil como esse, a Construtora OAS poderia ficar satisfeita realizando apenas o trabalho para o qual é contratada. Afinal, erguer obras de engenharia,principalmente de infraestrutura, já é uma ação positiva em si. Mas nada é tão simples. Ao mesmo tempo em que constrói usinas e estradas, a empresa causa fortes impactos nas regiões onde atua. Lidar com o lado negativo de sua ação é um enorme desafio. Para proporcionar uma compensação direta às comunidades locais e, principalmente, para fazer algo além do que é exigido por lei, a OAS investe em diversas ações sociais. Os resultados dessa atitude podem ser medidos por meio da melhoria da qualidade de vida das milhares de pessoas beneficiadas, do aumento da produtividade dos empregados e também da valorização da marca. A Yemni está presente nessas ações através da identidade visual desenvolvida para a Escola OAS. Em salas de aula adaptadas nos canteiros de obras, a instituição oferece cursos de alfabetização e especialização. Fernanda Oliveira, gerente de responsabilidade social da


magazine 08

xperience

Ele nasceu de uma motivação maior do que o fortalecimento da marca: a vontade e o dever da OAS, como uma das maiores empresas de engenharia do país, de contribuir para a erradicação do analfabetismo, que ainda alcança altos índices entre os trabalhadores da construção civil.” Fernanda Oliveira, gerente de responsabilidade social da Construtora OAS

Construtora OAS,, explica o projeto: “Ele nasceu de uma

mais elementar da palavra ‘desenvolver’, que significa

motivação maior do que o fortalecimento da marca: a von-

desenrolar”, diz Johnny Brito, designer responsável pela

tade e o dever da OAS, como uma das maiores empresas

criação do logotipo. “Outro aspecto importante foi a pre-

de engenharia do país, de contribuir para a erradicação

servação dos padrões da marca OAS, como cores e fontes”,

do analfabetismo, que ainda alcança altos índices entre os

aponta Vitor Patoh, proprietário da Yemni. “Por se tratar

trabalhadores da construção civil”.

de uma instituição já conhecida, recebemos parâmetros

Para refletir essa postura, a Yemni criou uma mar-

muito bem definidos. Isso pode parecer um complicador,

ca que lembra o crescimento pessoal conquistado pelos

mas, na verdade, permitiu que tivéssemos uma noção exa-

participantes do projeto. “Utilizamos uma escada caracol

ta da necessidade da OAS”. Quando acompanhados por

como símbolo, para transmitir ascensão. Desenvolvimen-

um trabalho sólido de criação da identidade da marca, in-

to, crescimento e aprendizado eram as palavras que nos

vestimentos em ações sociais como a Escola OAS geram

orientavam. Ao mesmo tempo, ela exprime o aspecto

retornos positivos não apenas para os funcionários, mas


Utilizamos uma escada caracol como símbolo, para transmitir ascensão. Desenvolvimento, crescimento e aprendizado eram as palavras que nos orientavam.”

magazine 09

Johnny Brito, designer

para a própria empresa. Para isso, entretanto, é preciso adotar uma política séria. Segundo Fernanda Oliveira, vários aspectos contribuem para o sucesso da OAS em seus projetos sociais. Antes de qualquer coisa, deve haver franqueza entre a empresa e a população local. “O relacionamento deve ser conduzido com transparência. É preciso deixar claro que a empresa está na região para a construção de uma obra, com prazo para terminar. As pessoas sempre conseguem visualizar os benefícios desta parceria, mesmo que seja a curto ou médio prazo. Além

prima, prima, ou da Petrobras, com atividades voltadas às

disso, quando são desenvolvidos projetos sustentáveis, a

comunidades por onde passam aos gasodutos.

comunidade pode continuar gerenciando a atividade

Ao oferecer mais do que seus serviços e produtos, as

mesmo depois da saída da empresa da região”, explica.

empresas precisam garantir que se transmita à população

Outro ponto relevante é oferecer aquilo que a empresa

a mensagem correta. O sucesso das ações depende dos

sabe fazer de melhor. “É preciso haver coerência entre o

resultados apresentados em relatórios e premiações e da

produto ou serviço oferecido pela empresa e a ação social

conexão entre a identidade e o trabalho executado. Com

realizada”, complementa Fernanda Oliveira. É o caso de

ação e comunicação bem entrosadas, amarca lucra em

empresas como a Natura, com projetos que desenvolvem

todos os níveis, do fortalecimento de sua imagem àcapa-

e valorizam as comunidades fornecedoras de sua matéria-

cidade de atrair o investidor. •


POR Marleide Rocha

Cada vez mais presente no DIA A DIA das pessoas, o QR code permite a aproximação entre marcas e consumidores

N

ão chega a ser novo, mas sempre que é

usado em ações criativas, o QR code desperta interesse magazine 11

do público e gera comentários. Uma espécie de código de barras em 2D que armazena informações e pode ser escaneado pela maioria dos aparelhos celulares com câmera fotográfica, ele elevou a interação entre empresas e seu público a um novo nível.

em adesivos e colados na roupa. Qualquer partici-

Coreia do Sul e Chile acolheram uma ideia que

pante poderia escaneá-los e ver as mensagens. O

uniu tecnologia e espaço público na solução um proble-

público todo aderiu à ideia e a ação virou um gran-

ma sério dos moradores das grandes metrópoles: arru-

de sucesso.

mar tempo para as compras de supermercado. Com esse

São vários os usos do QR code em ações pu-

cenário, as redes varejistas Tesco e Jumbo decidiram dar

blicitárias, mas ele pode tornar-se ainda mais co-

uma forcinha e levar as compras até o cliente. Eles ela-

mum na vida das pessoas, como no caso de busca

boraram uma ação na qual o usuário de metrô poderia

por produtos da mesma marca. Um consumidor

aproveitar o tempo e fazer suas compras enquanto es-

que tivesse nas mãos uma embalagem de iogurte,

perava o trem. Foram espalhados nas estações painéis

por exemplo, poderia usar o QR code para buscar

semelhantes a gôndolas de supermercado. Eles conti-

outros locais próximos que também oferecessem o

nham fotos dos produtos e os QR codes corresponden-

produto. Além de obter informação sobre outros

tes. As pessoas efetuavam a compra com o smartphone,

locais de venda do produto, ele também poderia

escaneando os códigos e pagando on-line. Depois, rece-

comparar preços e comprar onde melhor lhe con-

biam os produtos em casa, com a maior comodidade.

viesse. A tecnologia está toda à disposição. Falta

Além de ser premiada em Cannes, a ação contribuiu

apenas ser criativo e aproveitá-la.

para levar clientes ao e-commerce das marcas.

QR codes, redes sociais e intervenções urbanas

Mais lúdica, uma campanha da Heineken faci-

têm colocado marca e consumidor cada vez mais

litou a interação dos participantes de um festival de

próximos. Assim como o investimento em ações

música. A marca de cerveja propôs um “quebraro

sociais, esses recursos vêm promovendo uma iden-

gelo” do primeiro contato diferente.Numa tenda,

tificação crescente do público com as empresas. Co-

o público podia customizar QR codes com mensa-

erentemente, o resultado das iniciativas é medido

gens a outras pessoas. Os códigos eram impressos

sobretudo pelo grau de fidelização conquistado. •


xpression

Estrela do basquete marca pontos também nas ações sociais POR Clarissa gaiarsa

magazine 12

Confiança e relacionamento com os gestores são essenciais para crescimento profissional

Decidi, então, dedicar minha imagem e prestígio para a criação e implantação de um programa educacional baseado na prática do esporte.”


P

romessa de sucesso aos 14 anos, Marta Sobral deve muito a sua entrada precoce no mundo do basquete. Pouco depois, já competia profissionalmente e, em alguns anos,

estava na seleção brasileira. Ao lado de Hortência e Magic Paula, foi medalha de ouro no Panamericano de Cuba de 1991 e ganhou medalha de prata nas olimpíadas de Atlanta de 1996 e de bronze nas olimpíadas de Sidney, em 2000, quando encerrou sua carreira na seleção brasileira. O sucesso profissional e toda a alegria proporcionados pelo basquete motivaram a atleta a fazer algo para a sociedade. Assim, surgiu o Lance Livre, um projeto que leva atividades esportivas a crianças e jovens em São Paulo, em Barueri e e na periferia de Diadema com o objetivo de diminuir os índices de violência e evasão escolar, integrar famílias e elevar a autoestima de seus participantes. Para sair do papel, o projeto contou com o patrocínio de empresas que sabem aproveitar ações desse tipo para fortalecer suas marcas, como Telefonica, Bauducco, Intermédi-

Tudo o que ganhei do basquete quero retribuir a elas. Esse esporte mudou muito a minha vida e tenho certeza que vai mudar a vida dessas crianças.” : O que é o projeto Lance Livre?

especialmente desenhado para contem-

senvolvimento dos participantes e sua

Marta: O Lance Livre é um projeto

plar uma metodologia que beneficiasse a

disseminação futura.

desenvolvido para estimular a prática

população mais carente diante de todas as

Quem financia o projeto?

esportiva entre crianças de 7 a 14 anos

questões sociais que ela enfrentava.

Nós dependemos de doações e parcerias

da comunidade de Heliópolis, na Zona

Como ele funciona hoje e qual sua im-

com a iniciativa privada. Nessa hora,

Sul de São Paulo, uma das maiores

portância?

é muito importante que a imagem das

favelas da América do Sul. Objetivo é

Hoje, atendemos quase 200 crian-

pessoas envolvidas não tenha arranhões,

mostrar que o basquete, assim como

ças, meninas e meninos. As crianças

pois para investir dinheiro num projeto e

mudou minha vida, é capaz de mudar

aprendem a história do basquete e

associar uma marca a uma iniciativa, é

a vida das pessoas, além de fazer bem

praticam esportes. Além disso, é fei-

preciso conhecer muito bem a seriedade

à saúde. Ele funciona duas vezes por

to um trabalho com psicólogos e um

dos envolvidos.

semana, de manhã e à tarde.

acompanhamento da frequência e

O que o Lance Livre representa para

Como surgiu a ideia desse projeto?

do desempenho escolar. Uma equipe

você?

Quando me consolidei como atleta do

técnica supervisionada diretamente

Adoro este projeto. Tomo café na casa

basquete, percebi a força do esporte e o

por mim também é responsável por

das crianças e elas me recebem com

poder da imagem do atleta como influen-

cuidar e avaliar das crianças e adoles-

muito carinho. Tudo que ganhei do

ciador de opinião. Decidi, então, dedicar

centes atendidos pelo projeto. Mais

basquete quero retribuir por a elas.

minha imagem e prestígio para a criação

do que tratar da execução do plano

Esse esporte mudou muito a minha

e implantação de um programa educa-

de trabalho, essa equipe monitora os

vida e tenho certeza que vai mudar a

cional baseado na prática do esporte e

resultados, visando os impactos no de-

vida dessas crianças. •

magazine 13

ca, Piraquê, Brinquedos Bandeirantes e outras.


tc...

Exposição Circunstâncias e Antiguidades da Cor O venezuelano Carlos Cruz-Diez explora as cores com arte cinética. Uma grande oportunidade para os designers gráficos de encontrar novas inspirações sobre cores e formas. Grátis. Até02 de junho. Galeria Raquel Arnaud, Rua Fidalga, 125 – Pinheiros.

magazine 14

Fone: 3083-6322

Pensar com Tipos Um livro que já chama a atenção pela capa rústica. Tem uma linguagem de fácil compreensão e muitos exemplos bons sobre

Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira 2012

tipologia e design. É essencial pra quem não tem muita base em tipografia e gostaria de

O prêmio ABRE da

estudar o assunto com maior profundidade.

Embalagem Brasileira chega a sua 12ª edição

Autor: Ellen Lupton. Editora: Cosac Naify Idioma: Português Edição: 2 ª

reunindo empresas de todos os portes e mostrando que uma boa embalagem faz muita diferença para a escolha de um produto. Este ano, receberão os prêmios Ouro, Prata e Bronze, respectivamente, as três embalagens que mais se destacaram em sua categoria nos módulos Embalagem, Design Gráfico, Design Estrutural, Tecnologia de Materiais e Conversão (injeção, sopro, impressão, etc.), Marketing e Especial. Podem competir embalagens em circulação no mercado nacional desenvolvidas ou projetadas de 1º de janeiro de 2011 a 22 de junho de 2012. Mais informações em http://www.premioabre.org.br


Yemni Magazine #10  

Potfólio da agência Yemni. Publicação bimestral. Responsável pela projeto gráfico, diagramação, ilustração, fotos e fechamento.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you