Issuu on Google+

PAULA BAZAN

PARQUE CHICO MORO

2013

REQUALIFICAÇÃO URBANA EM PONTAL-SP


PARQUE CHICO MOURO


PAULA BAZAN

PARQUE CHICO MORO REQUALIFICAÇÃO URBANA EM PONTAL-SP Monografia apresentada ao Centro Universitário Moura Lacerda para cumprimento das exigências parciais para a obtenção do título de Bacharel em Arquitetura e Urbanismo sob a orientação do Prof. Ms. Gabriel Vendruscolo de Freitas.

RIBEIRÃO PRETO - 2013


PARQUE CHICO MOURO


PAULA BAZAN

PARQUE CHICO MORO REQUALIFICAÇÃO URBANA EM PONTAL-SP

ORIENTADOR:________________________________________________ NOME:

EXAMINADOR 1: _______________________________________________ NOME:

EXAMINADOR 2: _______________________________________________ NOME:

RIBEIRÃO PRETO, __/__/__


PARQUE CHICO MOURO


Agradeço primeiramente por ter feito a escolha pelo curso de Arquitetura e Urbanismo, o qual trouxe muitas realização à minha vida, em virtude das conquistas alcançadas e do conhecimento adquirido. Aos meus familiares, principalmente em minha mãe Regina, por acreditar no meu potencial, apoiando-me em todos os momentos e em todas as minhas escolhas nesta longa e importante caminhada. Aos meus amigos, os quais jamais esquecerei, pelo que passamos nas horas estressantes de trabalhos, nas dificuldades divididas, nas vitórias compartilhadas. Às amizades que levarei comigo para sempre. Agradeço ao Eduardo, meu namorado, pela paciência, pelo amor, pela amizade e compreensão durante todo esse tempo. Agradeço a confiança e a amizade de todos do escritório Sylvio Nogueira Arquitetos Associados, o qual me deu a oportunidade de estágio, contribuindo muito para o meu desenvolvimento profissional. E finalmente, aos meus professores que sempre me ajudaram na busca pelo conhecimento, e principalmente ao Gabriel, meu orientador, pela paciência e auxílio na elaboração deste trabalho.


PARQUE CHICO MOURO


RESUMO Esta monografia tem como tema a requalificação de uma área verde situada na cidade de Pontal, interior do estado de São Paulo, no entorno da Lagoa “Chico Moro”, com a finalidade de proporcionar uma melhor qualidade de vida e integração da população pontalense. Para isso é proposto a elaboração de um parque urbano com a intenção de ser um espaço aberto, que assegure lazer, contemplação, recreação e educação ambiental. PALAVRAS-CHAVE: REQUALIFICAÇÃO – PARQUE URBANO – INTEGRAÇÃO


PARQUE CHICO MOURO


ABSTRACT This monograph has as its theme the redevelopment of a green area in Pontal city, located in São Paulo state, around “Chico Moro” lake, in order to provide a better quality of life and integrate the city population. For it intent is proposed the creation of an open sky urban park that is going to assure leisure, nature contemplation, recreation activities and environmental education. KEYWORDS:

REQUALIFICATION

-

URBAN

PARK

-

INTEGRATION


PARQUE CHICO MOURO


SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 1.1 APRESENTAÇÃO ................................................................................................................................. 15

1.2 PROBLEMÁTICA .................................................................................................................................. 16 1.3 OBJETIVOS ............................................................................................................................................. 16 1.4 JUSTIFICATIVA ...................................................................................................................................... 17 1.5 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS ......................................................................................... 18

2 SÍNTESES TEÓRICAS

2.1 PARQUE URBANO PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA URNABA ................................... 21 2.2 PARQUE URBANO E O LAZER ...................................................................................................... 22 2.3 ÁREAS VERDES E O CONFORTO AMBIENTAL URBANO ..................................................... 23

3 REFERÊNCIAS PROJETUAIS

4 LEVANTAMENTO DE DADOS

5 PROJETO

6 BIBLIOGRAFIA ..................................................................................................................................... 68

7 ANEXOS

7.1 DADOS DO IBGE - PONTAL ............................................................................................................ 71 7.2 QUESTIONÁRIO PARA A POPULAÇÃO PONTALENSE ........................................................ 78

3.1 PARQUE CIDADE DE TORONTO ................................................................................................... 25 3.2 PRAÇA VICTOR CÍVITA .................................................................................................................... 26 3.3 RED RIBBON ........................................................................................................................................ 27

4.1 CARACTERISTICAS FÍSICAS E MORFOLÓGICAS DA ÁREA DE INTERVENÇÃO ............. 29

5.1 DIRETRIZES PROJETUAIS .................................................................................................................. 49 5.2 DESENVOLVIMENTO E APRESENTAÇÃO DO PROJETO ...................................................... 51 5.3 CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................................................ 67


PARQUE CHICO MOURO


INTRODUÇÃO 1


15

PARQUE CHICO MOURO 1.1 APRESENTAÇÃO O parque urbano surge como forma de solucionar um problema frequente nas sociedades contemporâneas, como meio de buscar um equilíbrio entre as mudanças causadas com a crescente urbanização e a preservação do meio ambiente. Segundo Scalise (2002. Não paginado), parque urbano é definido como:

tal. Meunier (2009, p.37) nos apresenta alguns dos atributos que um parque urbano possui:

A área de estudo proposta possui acidentes topográficos naturais por conter a lagoa “Chico Moro”, formando uma barreira natural de crescimento para cidade. Pode-se notar que a área esta degradada, por abandono e falta de infraestrutura, mostrando-se um local inseguro, principalmente no período noturno. Ela esta locada em uma área particular, que pertence a família Moro que reside na cidade, porém a prefeitura cogita a algum tempo a sua desapropriação por falta de pagamento de tributos e para oferecer melhorias a população. A proposta é a requalificação e implantação de um parque urbano no local, oferecendo um espaço aberto que assegure a integração dos bairros do entorno, sendo um grande centro de convivência social, com espaços destinados a lazer, recreação, cultura, esportes, contemplação e educação ambiental. Serão contempladas também, diretrizes para a requalificação do entorno, como infraestrutura adequada, conectividade com os bairros vizinhos e possibilidade de expansão da cidade que é interrompida pela lagoa. Segundo Meunier (2009, p.37) “os parques urbanos brasileiros durante o século XIX eram voltados aos passeios da classe dominante”. A mudança de

Um grande espaço aberto ao público, que ocupa uma área de pelo menos um quarteirão urbano, normalmente vários, localizado em torno de acidentes naturais, por exemplo, ravinas, córregos, etc.. fazendo divisa com diversos bairro. Os limites principais de um parque urbano são ruas, sua organização espacial (paisagem) apresenta um equilíbrio entre áreas pavimentadas e ambiências naturais. O parque urbano pode abrigar o uso formal, de passagem, caminhos secundários de pedestres, esportes recreativos, centros comunitários, festivais, playgrounds, piscinas, etc.

Anos atrás questões ligadas ao meio ambiente não se encontravam relacionadas ao crescimento urbano, preservação ambiental e qualidade de vida, as áreas verdes tinham apenas a função estética e de lazer. Scalise (2002. Não paginado) diz que: Somente em 1980, o aparelho estatal brasileiro institucionaliza a questão ambiental, e essas questões passam a ganhar relevância nas ciências ligadas ao urbanismo.

O parque urbano quando implantado, traz vários benefícios para a cidade e sua população, por esse motivo, foi escolhido para o nosso trabalho, que tem sua área de estudo localizada no entorno da lagoa “Chico Moro”, em Pon-

São espaços destinados ao lazer contemplativo e a prática de esportes, aliada ao fornecimento de serviços ambientais como conforto térmico, conservação e conhecimento da biodiversidade, controle da poluição sonora e do ar, considerados proporcionais a densidade de árvores existentes os locais.


INTRODUÇÃO público ocorre somente no século XX, com uma conquista social importante para a democratização dos espaços urbanos, incluindo os parques, atendendo a demanda da sociedade contemporânea. Scalise (2002. Não paginado) diz que: A provisão de parques públicos é função do município, e ocorre a partir da necessidade de existência de tais equipamentos, de sua presença nos planos e da endência contemporânea das reivindicações por parques e áreas verdes.

Uma questão importante relacionada ao tema é se os parques urbanos devem ter visitação controlada através de bilheterias, aspecto que muitos autores defendem dizendo ajudar na conservação e segurança do local. Segundo Mazzei (2007, p.33) “atrai um público identificado como lazer contemplativo”. Do outro lado está o parque aberto ao público gratuitamente, que na maioria dos casos abrange variados grupos de frequentadores de diferentes faixas etárias, pelo motivo de conferir mais liberdade, permitindo a entrada de bolas, patins, bicicletas, entre outros. Porém muitas pessoas dizem não frequentar parques abertos por medo de não encontrar o local desejado, por insegurança ou superlotação. Para Scalise (2002. Não paginado), “essa diversidade é reflexo das necessidades do parque, do pensamento e do gosto de um grupo, de uma época”. Para nossa pesquisa, o parque aberto ao público gratuitamente se encaixaria melhor, pois seria acessível e oferece mais liberdade a população, que é carente desses equipamentos. É Através desse pensamento que permite Mazzei (2007, p.39) dizer que:

As Unidades de Conservação em áreas urbanas representam locais fundamentais para a visitação, o lazer e a recreação das comunidades vizinhas, mas essas atividades devem ser planejadas de tal maneira para não comprometer mais ainda a frágil qualidade ambiental dos centros urbanos.

É por esses motivos que se torna imprescritível a presença de um planejamento adequado do parque a ser implantado para aquela comunidade que ele será destinado. Levantando as principais características e aspectos que o equipamento deve apresentar para satisfazer o público e tornar possível a requalificação da área e de seu entorno.

1.2 PROBLEMÁTICA Como um parque urbano pode auxiliar na requalificação do entorno da Lagoa “Chico Moro”?

1.3 OBJETIVOS Objetivo geral da pesquisa é elaborar um projeto de parque urbano que garanta a requalificação do entorno da Lagoa “Chico Moro” em Pontal - SP. Os objetivos específicos são: - Refletir sobre a importância dos parques urbanos para as cidades; - Refletir sobre as áreas degradadas; - Analisar quais as melhores formas de requalificar a área; - Levantar dados do que a população espera do parque; - Levantar dados do que a população espera do entorno.

16


17

PARQUE CHICO MOURO 1.4 JUSTIFICATIVA

Linha eclética: Jardim botânico - RJ

Disponível em: <http://www.vidaeturismo.com/2013/05/jardim-botanico-rio-de-janeiro.html >. Acesso em: 05 de junho 2013.

Linha Contemporânea: Parque da Costa Azul - Salvador/BA

Disponível em: < http://www.acasadopeu.combr.net/fotosnew.htm >. Acesso em: 05 de junho 2013.

É cada vez maior a necessidade de se pensar na integração das questões urbanas e ambientais, o que nos leva a recorrer de estratégias e meios que possam resolver esse problema das sociedades contemporâneas. Entre esses meios inclui-se o tema de pesquisa deste trabalho que são os parques urbanos. Os problemas ambientais ganham uma maior amplitude em áreas urbanizadas, por isso a implantação de espaços destinados ao lazer e manutenção da qualidade ambiental se torna cada vez mais importante, nós levando a recorrer de meios que tenham como objetivo a diminuição dos efeitos negativos produzidos pela urbanização acelerada e desordenada. As áreas verdes preservadas no perímetro urbano, destinadas a trazer benefícios, como lazer e contemplação, contribuem para o equilíbrio entre o meio ambiental e a população. Existem alguns estudos recentes que buscam saber a importância ambiental dos parques e áreas verdes no perímetro urbano e qual sua contribuição para a melhoria da qualidade de vida. Esses estudos são fundamentais para melhor compreender a gestão desses espaços e proporcionar aos habitantes das cidades condições mais favoráveis ao seu bem-estar. A Primeira Revolução Industrial trouxe as grandes indústrias, e com elas a necessidade de de mão de obra, causando uma grande mudança no estilo de vida, trazendo a população que habitava o meio rural para as cidades, fazendo com que a cidade industrial moderna sinta a necessidade de implantar áreas verdes não somente destinadas a ornamentação, e sim como importantes elemen-

tos urbanísticos, de lazer, recreação e como forma de higienização, trazendo equilíbrio ao meio ambiente e ao psicológico, amenizando o cotidiano desgastante, é nesse contexto que surgem os primeiros parques urbanos. No Brasil, os parques se desenvolveram e dividiram-se em três linhas, que são a eclética, a moderna e a contemporânea, todas com soluções para as condições que a sociedade de cada época propõe. O parque urbano aparece, portanto, como uma proposta de conservação do ambiente e diminuição dos impactos existentes na cidade. São locais que, se preservados dentro do perímetro urbano, são frequentados e utilizados por uma vasta parcela da população como áreas de lazer, convívio, contemplação, prática de esportes, representando qualidade de vida. Além disso, pode funcionar como uma espécie de barreira para impedir a ocupação indevida de áreas sujeitas a desmoronamentos e processos erosivos, e também para evitar que alguns rios e córregos tornem-se depósitos de lixo e uma área insegura, como no caso da nossa área de estudo, o parque então seria utilizado como elemento requalificador. Nesta pesquisa o parque urbano, além de requalificar a área de estudo e seu entorno, possui uma função de lazer público importante, pois a cidade de Pontal, que é uma cidade pequena, possui um número muito baixo de espaços destinados a esse uso, tendo a população que recorrer às cidades vizinhas. E por esse motivo e pelos outros expostos acima que um parque urbano público seria um objeto importante para a cidade de Pontal.


INTRODUÇÃO 1.5 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

Linha moderna: Parque Barigui - Curitiba/PR

Disponível em: <http://rota66.embaixadaamericana.org.br/?p=306>. Acesso em: 05 de junho 2013.

Para alcançar os objetivos propostos, alguns procedimentos metodológicos se tornam necessários, começando pela pesquisa que tem caráter exploratório, pois não há estudos sobre o objeto de estudo, sendo preciso buscar informações sobre ele. Quanto ao procedimento técnico de coleta de dados, foi feita uma pesquisa bibliográfica, através de livros, artigos e dissertações, e pesquisa documental onde pode-se encontrar dados sobre o objeto e a área de estudo. Realizou-se um estudo de campo como uma pesquisa qualitativa, capturando dados pessoais que auxilie na compreensão do objeto e aplicando formulários para saber a opinião da população quanto a proposta de implantação de um parque urbano na lagoa “Chico Moro”. A análise de projetos apresentando referências projetuais que auxiliaram na elaboração do projeto. A pesquisa foi desenvolvida por observação assistemática, que através de visitas ao local de estudo, permitindo analisar e tirar algumas conclusões sobre o objeto. Os instrumentos técnicos que auxiliaram na pesquisa são os softwares ligados ao campo de arquitetura e urbanismo, como o AutoCad, ArchiCad, SketchUp, Sol-Ar, entre outros.

18


PARQUE CHICO MOURO


SÍNTESES TEÓRICAS 2


21

PARQUE CHICO MOURO 2.1 PARQUE URBANO PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA DE IMPLANTAÇÃO Parque do Abaeté - Salvador/ BA

Fonte: (MACEDO, 2001, p.162)

Com a crescente evolução da malha urbana sem um devido planejamento, a existência de áreas verdes ambientalmente degradadas e abandonadas se tornou um grande problema para as cidades, pois pode abrigar ocupações indevidas, servir ilegalmente de depósito de lixo urbano, principalmente próximo a lagos e córregos, se tornar um local inseguro, entre outros problemas relacionados as áreas urbanas. O parque urbano então surge como um elemento de grande importância para a requalificação dessas áreas, beneficiando o local, seu entorno, a cidade e a população.

Atualmente, com a temática da requalificação dos espaços urbanos, principalmente das áreas centrais das cidades, com a demanda crescente de espaços de recreação

e lazer, e com a introdução das dimensões ambiental e paisagística no planejamento, a temática do Parque Urbano assume papel central no desenvolvimento dos planos e projetos urbanos. (MACEDO E SAKATA, 2010, p.7)

Mas para que esse equipamento seja utilizado corretamente, é necessário um planejamento no qual a população e a cidade se beneficiem. Para isso é importante conhecer o perfil dos usuários, seus interesses, a demanda, ter conhecimento das transformações deste ambiente com o passar do tempo, formas de conservação, para que então essa área não se torne um problema para a cidade no futuro. Em 1992, os arquitetos Rosa Grena Kliass e Luciano Fiaschi, com um planejamento adequado, projetaram o Parque do Abaeté, em Salvador. Este parque foi implantado com o intuito de preservar a lagoa, suas dunas e seu ecossistema, que estavam sofrendo um continuo processo de ocupação informal e degradação ambiental.

Parque do Abaeté - Salvador/ BA

Perspectiva geral do Parque do Abaeté - Salvador/ BA

Disponível em: < http://www.portofarol.com.br/oquefazer.asp >. Acesso em: 18 de setembro de 2013.

Disponível em: < http://ba.anasps.org.br/index.asp?link=7> Acesso em: 18 de setembro de 2013.


SÍNTESES TEÓRICAS 2.2 PARQUE URBANO E O LAZER O parque urbano tem o papel de ser um espaço livre público onde exista vegetação e equipamentos dedicados ao lazer e bem-estar da massa urbana. Com dimensões significativas, qualificando a paisagem urbana e amenizando o ambiente edificado. Com a vinda das pessoas do meio rural para o urbano, a paisagem natural comum tem perdido espaço, surgindo à necessidade da criação do verde artificial, plantado com funções recreativas e como forma de atuar do psicológico das pessoas, servindo como uma ‘válvula de escape’ do ambiente urbano.

O parque urbano responderá ás demandas de equipamentos para as atividades de recreação e lazer decorrentes da intensificação da expansão urbana e do novo ritmo introduzido pelo tempo artificial – tempo da cidade industrial -, em contraposição ao tempo natural, inerente à vida rural. (KLIASS, 1993, p.19)

Os parques atendem a uma grande diversidade de lazeres, os esportivos com áreas destinadas a caminhadas, corridas, quadras, equipamentos de ginástica, ciclovias, piscinas públicas, etc.; os ecológicos onde a há a conservação dos recursos naturais e educação ambiental; os temáticos, como os que possuem brinquedos eletrônicos, mecânicos e espaços cenográficos; os culturais, entre outros. Toda essa diversidade mostra a abrangência de papeis que os parques urbanos possuem. O parque São Lourenço, situado em Curitiba projetado pelo arquiteto Roberto Gandolfi, é um exemplo de parque ecológico. Os galpões da antiga fábrica foram reciclados e unidos por estruturas metálicas e os bosques nativos de araucárias foram preservados proporcionando espaços para caminhadas, corridas, piqueniques, entre outros.

Pespectiva geral do parque São Lourenço Curitiba/ PR

Disponível em: < http://www.curitiba-parana.net/parques/sao-lourenco.htm.. Acesso em: 19 de setembro de 2013.

Parque São Lourenço - Curitiba/ PR

Parque São Lourenço - Curitiba/ PR

Disponível em: < http://www.curitiba.parana.blog.br/parque-sao-lourenco/ >. Acesso em: 18 de maio 2013.

Disponível em: < http://www.parques-curitiba.com/sao-lourenco-natureza.htm >. Acesso em: 18 de maio 2013.

22


23

PARQUE CHICO MOURO 2.3 ÁREAS VERDES E O CONFORTO AMBIENTAL URBANO Parque do Piqueri - São Paulo

Disponível em: < http://guia.uol.com.br/album/2012/12/21/veja-roteiro-de-parques-para-passear-em-sao-paulo.htm#fotoNav=11 >. Acesso em: 18 de maio de 2013.

Parque do Piqueri - São Paulo

Disponível em: < http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/ parques/regiao_leste/index.php?p=5761 >. Acesso em: 18 de setembro de 2013.

A existência de áreas verdes no ambiente urbano deixou a muito tempo de serem implantadas para fins de embelezamento e contemplação, sendo reconhecidas atualmente como um elemento que oferece qualidade de vida as pessoas, garantindo lazer, convívio, contemplação e prática de esportes. As áreas verdes são locais que possuem significativas vegetações, sejam elas verticais, com vegetações imponentes ou horizontais, com jardins. O mais comum são as vegetações verticais, pois essas proporcionam sombreamento, o que é adequado para a busca de uma amenização climática. A presença da vegetação, em razão das amenizações climáticas e do embelezamento, é fundamental na vida urbana, funcionando como referências fisionômicas, podendo ser encontrada em uma praça ou em um parque. (PAIVA E GONÇALVES, 2002, p.23)

Essas áreas verdes além de serem permeáveis, o que é ideal para as regiões com chuvas para drenagem da água, amenizam o clima local e influenciam no micro-clima do entorno, proporcionando uma maior umidade relativa do ar e um clima mais agradável, agindo portanto como uma ‘ilha de frio’ para a cidade. As áreas verdes também interferem no equilíbrio ecológico da cidade, pois garante a biodiversidade da fauna e da flora. O parque do Piqueri, em São Paulo, dos arquitetos Célia Kawai, Maria Elena Vieira e Reinaldo Cabral, foi projetado para minimizar os efeitos do seu entorno que é extremamen-

te urbanizado, criando caminhos sombreados para caminhadas e corridas e a implantação de uma grande massa de vegetação vertical que funciona como uma barreira visual e acústica.


REFERÊNCIAS PROJETUAIS 3


25

PARQUE CHICO MOURO 3.1 PARQUE CIDADE DE TORONTO Local: São Paulo Ano de inauguração: 1992 Autor: Arqs Plinio Toledo Piza, Barry Hughes, Eunice Takahasi, Ana Maria Archangeletti. Em 1987, um acordo de cooperação entre as cidades de São Paulo e Toronto veio de encontro às reivindicações da população e deu origem a este parque em área verde pública, cuja superfície é, em grande parte, ocupada por um lago. O projeto foi elaborado por uma comissão técnica do Depave em conjunto com uma delegação canadense, e os custos de sua implantação foram arcados pela cidade de Toronto. Compostos com equipamentos de ginástica, churrasqueiras, deck, wadingpool, playground, administração, sanitários, quadras esportivas, palco, ciclovia, quiosque, esculturas, pontes, mesas para piquenique, bancos, lixeiras, cercamento.

Perspectiva geral. Parque Cidade de Toronto. Disponível em: <www.skyscrapercity.com>. Acesso em 06 abril 2013.

Fonte: “Parques Urbanos no Brasil” Silvio Macedo e Francine Gramacho Sakata

Quadra. Parque Cidade de Toronto. Disponível em: <www.facebook.com/parquecidadedetoronto >. Acesso em 06 abril 2013.

Ponte sobre o lago. Parque Cidade de Toronto. Fonte: Arquivo pessoal, 2013. .

Essa referência projetual foi escolhida por se semelhar com nossa área de estudo, contendo uma lagoa e a população reivindicar sua melhor utilização. Os equipamentos existentes neste parque são em sua maioria iguais aos escolhidos para o nosso projeto, como playground, trilhas, quadras e principalmente o deck sobre o lago, que é umas das marcas registradas deste parque. Trilha próxima ao lago. Parque Cidade de Toronto. . Fonte: Arquivo pessoal, 2013. .

Playground. Parque Cidade de Toronto. Fonte: Arquivo pessoal, 2013. .


REFERÊNCIAS PROJETUAIS 3.2 PRAÇA VICTOR CIVITA Local: São Paulo Ano de inauguração: 2008 Autor: Arqs Adriana Levisky e Anna Julia Dietzsch O objetivo do trabalho foi a recuperação de uma área degradada e marginalizada para a reinserção desta na cidade. O local abrigava o incinerador de lixo de Pinheiros e a atividade de coleta seletiva, atualmente desativados. A proposta das arquitetas no terreno antes cercado de muros, era de integrar a praça com a cidade, manter as atividades de um grupo de terceira idade, já existente na área, a não remoção das árvores frutíferas do local e a preservação da edifi cação do antigo incinerador. Porém, o mais urgente era a preocupação com a descontaminação do solo para só então proporcionar o contato humano com o terreno. Assim, surgiu a idéia de criar uma praça elevada, que resume o partido do projeto, e que abriu espaço para a ampliação do programa com a incorporação das atividades de um museu focado no conhecimento ambiental e cultural. O uso de materiais e sistemas permeáveis de piso, aliados a áreas de agricultura e tratamento para reuso das águas, propõem um percurso museográfi co a céu aberto que se interliga às atividades educativas e culturais da praça.

Essa referência projetual foi escolhida pelo alto desempenho da requalifi cação da área e pelo seu programa ecológico. A maneira como houve a integração da praça com a cidade é um ponto muito importante que buscamos no nosso projeto, conectando o equipamento com a cidade e atraindo a população.As ofi cinas de educação ambiental, informações sobre a vegetação e mobiliário ecológico também farão parte do nossa proposta. Mapa da Praça. Praça Victor Civita. Disponível em: <http://pracavictorcivita.org.br/>. Acesso em 12 abril 2013.

Deck de Madeira. Praça Victor Civita. Disponível em: <http://pracavictorcivita.org.br/>. Acesso em 12 abril 2013.

Centro da terceira idade. Praça Victor Civita. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Palco e arquibancada. Praça Victor Civita. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Museu da sustentabilidade. Praça Victor Civita. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Fonte: SORIANI, M,N. REQUALIFICAÇÃO DE ÁREA AMBIENTALMENTE DEGRADADA: IMPLANTAÇÃO DE UM PARQUE URBANO NO BOSQUE MUNICIPAL DE BATATAIS, SP. Ribeirão Preto, 2011.

26


27

PARQUE CHICO MOURO 3.3 RED RIBBON – QINHUANGDAO, CHINA Local: Qinhuangdao, China Ano de inauguração: 2007 Autor: Kongjian Yo

Mapa do parque. Red Ribbon. Disponível em: <http://www.architizer.com/en_us/projects/view/qinhuangdao-red-ribbon-park/26974 > . Acesso em: 11 de abril 2013

Contra um fundo de terreno natural e da vegetação, que antes era uma área inundável e degradada, criou-se uma "fi ta vermelha" que mede 500 metros, que integra as funções de iluminação, assentos, interpretação ambiental e orientação. Preservando o máximo de corredor natural do rio possível durante o processo de urbanização, este projeto demonstra como uma solução de design mínima pode alcançar uma melhoria dramática para a paisagem. Disponível em: <http://www.architizer.com/en_us/projects/view/qinhuangdao-red-ribbon-park/26974 >. Acesso em: 11 de abril 2013.

Perspectiva. Red Ribbon. Disponível em: <http://www.architizer.com/ en_us/projects/view/qinhuangdao-red-ribbon-park/26974 >. Acesso em: 11 de abril 2013

Perspectiva Noturna. Red Ribbon. Disponível em: <http://www.architizer.com/en_us/projects/view/qinhuangdao-red-ribbon-park/26974 >. Acesso em: 11 de abril 2013

Essa referência projetual foi escolhida pelo alto desempenho da requalifi cação da área, por conter a preservação do lago e pela sua simplicidade, mostrando que poucas ações modifi cam drasticamente a paisagem urbana. No nosso projeto ao invés da “fi ta vermelha” entrarão como equipamentos que circundam o lago, preservando-o e valorizando, a pista de cooper e a ciclovia, onde também trarão iluminação e vegetação. 3D do parque. Red Ribbon. Disponível em: <http://www.architizer.com/en_us/projects/view/qinhuangdao-red-ribbon-park/26974 >. Acesso em: 11 de abril 2013

Perspectiva. Red Ribbon. Disponível em: <http://www.architizer.com/ en_us/projects/view/qinhuangdao-red-ribbon-park/26974 >. Acesso em: 11 de abril 2013


LEVANTAMENTO DE DADOS 4


29

PARQUE CHICO MOURO 4.1 CARACTERIZAÇÃO - FÍSICAS E MORFOLÓGICAS

LOCALIZAÇÃO NO ESTADO DE SP E CIDADES LIMÍTROFES AO MUNICÍCIO DE PONTAL. FERREIRA, C,C. Pontal: Campos em Flor. 1°ed. Pontal. 2007. P.10.

REGIÃO ADMINISTRATIVA DE RIBEIRÃO PRETO. FERREIRA, C,C. Pontal: Campos em Flor. 1°ed. Pontal. 2007. P.11

LOCALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO E ESTRADAS. Fonte: Arquivo da Prefeitura Municipal de Pontal.

MUNICÍPIO DE PONTAL O município de Pontal está situado na região nordeste do estado de São Paulo, considerada uma das mais ricas do Estado, para onde os desenvolvimentos industriais, agrícolas e tecnológicos vêm, a cada dia, atraindo investimentos dos mais variados locais do País e do exterior. O município atrai a cada ano uma grande quantidade de emigrantes que vem trabalhar na safra de cana-de-açúcar, os quais muitas vezes permanece e se fixam na cidade.

LOCALIZAÇÃO: Situada na região nordeste do Estado de São Paulo, faz confluência com os rios Pardo e Mogi Guaçu. O rio Pardo nasce na Serra da Canastra e o rio Mogi Guaçu nasce na Serra da Mantiqueira. Os municípios limítrofes de Pontal são: ao leste, a cidade de Jardinópolis; ao sul, a cidade de Sertãozinho; a oeste, a cidade de Pitangueiras; e, ao norte, as cidades de Sales de Oliveira e Morro Agudo. Pontal pertence à região administrativa de Ribeirão Preto. Além da rede municipal de estradas, a cidade de Pontal é servida pela Rodovia Estadual Armando de Salles Oliveira (SP-322, Rodovia da Laranja), que proporciona interligação com as principais rodovias do Estado, como a Via Anhanguera, a Via Washington Luís e a BR-114. Suas coordenadas são: Latitude -21° 01’ 21” e longitude -48° 02’ 14”. Fonte: FERREIRA, C,C. Pontal: Campos em Flor. 1°ed. Pontal. 2007


LEVANTAMENTO DE DADOS EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA CIDADE Em fins do século XIX, o comércio do Norte do Estado utilizava, as vias fluviais, a partir do Porto dos Ferreira (atual Município de Porto Ferreira), pelo rio Mogi-Guaçu até sua foz, no rio Pardo. Então a Companhia Paulista de Estrada de Ferro e Navegação Fluvial, inaugurou na confluência dos rios Mogi-Guaçu e Pardo, o Porto de Pontal. Construiu-se, um armazém que funcionava como entreposto comercial e de mercadorias. Nessa época, Antônio Moreira adquiriu terras locais dando inicio a uma povoação. Quando os trilhos da Companhia Paulista de estrada de ferro atingiu a região, a população concentrou-se junto a estação, onde foi construída uma capela de São Lourenço, o padroeiro da cidade. O município começou a se desenvolver nesse centro e depois foi crescendo mais para o sul (sentido Sertãozinho e Ribeirão Preto). Em 1907 era considerada Distrito de Sertãozinho, mas em 1935 foi decretada município. MARCOS DE ORIGEM: Pontal tem como marco de origem a estação ferroviária aberta em 1903. A estação possibilitou o crescimento da cidade. Hoje encontra-se abandonada, sem nenhum tipo de conservação.

LAGOA

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA

PRAÇA SÃO LOURENÇO

LAGOA CHICO MORO

MASSA DE VEGETA��O

CÓRREGO

CÓRREGO

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth - editada pelo autor, 2013.

LIMITADORES DE CRESCIMENTO: Analisando o mapa, percebemos claramente alguns elementos que limitam o crescimento da cidade: como córregos, lagoas (inclusive a LAGOA CHICO MORO), massas de vegetações , plantações, linhas férreas. Fonte: FERREIRA, C,C. Pontal: Campos em Flor. 1°ed. Pontal. 2007

MARCOS DE ORIGEM: Estação ferroviária. Fonte: “Pontal: Campos em flor”, 2007, p.31

MARCOS DE ORIGEM: Capela São Lourenço. Fonte: “Pontal: Campos em flor”, 2007, p.31

30


31

PARQUE CHICO MOURO Imagem aérea de Pontal. Disponível em: < http://www. digiforum.com.br/viewtopic.php?t=19757&sid=611f5ca7830548314a45a43206147114>. Acesso em: 06 de abril de 2013.

ÁREA DE ESTUDO: A área de estudo proposta possui acidentes topográfi cos naturais por conter a lagoa “Chico Moro”, formando junto com a ferrovia desativada ao lado, uma barreira de limite no município. Por observações pode-se notar que a área esta degradada, pelo abandono e pela falta de infra estrutura, mostrando-se um local inseguro, principalmente no período noturno. O local do nosso trabalho é de propriedade particular, porém, através de dados obtidos na prefeitura municipal, é possível ser desapropriada por falta de vários anos de pagamentos de impostos pelos proprietários.

PROPOSTA: A proposta é requalifi car e implantar no local um parque urbano público, oferecendo um grande centro de convivência social, com espaços destinados a lazer, recreação, cultura, esportes, contemplação e educação ambiental. Sugerindo ainda diretrizes para a requalifi cação do entorno como infra estrutura adequada, conectividade com os bairros vizinhos e possibilidade de expansão da cidade que é interrompida pela lagoa. Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.


LEVANTAMENTO DE DADOS CARACTERÍSTICAS DA ÁREA DE IMPLANTAÇÃO A área de implantação do parque urbano, representa uma área significativa para a cidade, com aproximadamente 28,2 ha, isto é 5,3% da área urbana do município, que possui um total de 527,59 ha (segundo dados da Prefeitura Municipal de Pontal). Os bairros do entorno são predominantemente residenciais e de classe C e D.

N

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

32


33

PARQUE CHICO MOURO FOTO ÍNDICE A própria população criou “caminhos” para facilitar a transação entre os bairros do entorno da área. Com a falta de infraestrutura, principalmente da iluminação no período noturno, o local se tornou um ponto de drogas.

Caminhos feitos pela própria população

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

A lagoa e a ferrovia, hoje desativada, se tornaram para o crescimento da cidade uma barreira física.

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

N Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Ferrovia desativada

Fonte: Arquivo pessoal, 2013. Elevatória de esgoto

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


LEVANTAMENTO DE DADOS VISÃO SERIAL

CAMINHO FEITO PELA RUA JOSÉ LEONEL PUPO SENTIDO RUA APRÍGIO DE ARAÚJO.

As imagens mostram a chegada na área de implantação, chegando pela principal massa de vegetação existente e identificada com características de mata atlântica. A própria população criou “caminhos” para facilitar a transação entre os bairros do entorno da área, sendo bastante movimentada por pedestres e ciclistas.

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

1 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

2 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

3 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

4 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

5 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

6 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

34


35

PARQUE CHICO MOURO CAMINHO FEITO PELA RUA 13 DE MAIO.

VISÃO SERIAL Caminho feito do centro para a área de implantação do parque. Área de grande movimento por ser de fácil acesso e proximidade com o centro da cidade.

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

Observa-se que não há nenhum tipo de barreira como cercas e portões para acessar a área de implantação do parque.

1 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

2 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

3 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

4 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

5 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

6 - Foto olhando do interior da área para a Rua 13 de Maio. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


LEVANTAMENTO DE DADOS VISÃO SERIAL

CAMINHO FEITO PELA RUA APRÍGIO DE ARAÚJO SENTIDO RUA JOSÉ LEONEL PUPO

A própria população criou “caminhos” para facilitar a transação entre os bairros do entorno da área, sendo bastante movimentada por pedestres e ciclistas, ligando o centro aos bairros vizinhos. As margens da lagoa existe vegetação capoeira, assim como na foto “1” que existe um pequeno afluente da lagoa recoberto por essa vegetação.

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

Vegetação capoeira

1 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

2 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

3 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

4 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

5 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

6 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

36


37

PARQUE CHICO MOURO Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

VISTA DE UM LOCAL DE VÁRIOS ANGULOS DIFERENTES: RUA DOMINGOS MORO.

PANORÂMA A Rua Domingos Moro é bastante tranquila, com pouco movimento de automóveis e pedestre, por ser uma rua que termina na ferrovia desativada e logo após há estrada. Maior parte da sua área é de vegetação rasteira, e possui um campinho de futebol que é utilizado para o lazer da vizinhança local.

Final da Rua Domingos Moro, onde existe a linha do trem desativada e logo após estrada. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth, 2013.

1 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

2 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

3 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

4 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

5 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

6 - Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


LEVANTAMENTO DE DADOS

38

TOPOGRAFIA A Lagoa “Chico Moro” é considerada uma bacia hidrográfica endorréica, ou seja, as águas não possuem saídas superficialmente para o mar ou rios. Quando chove a água cai na bacia endorréica e ali ela permanece por não ter saída e somente desaparece através da infiltração ou da evaporação. Esse tipo de bacia é também denominado como sistema de drenagem interna. Os motivos causadores dessas bacias podem ser muitos, como o relevo quando há depressão endorréica, o clima também é um dos causadores, entre outros. Em locais de maior pluviosidade as águas podem ir acumulando até formar um rio.

N 533 530 535

Pela análise das curvas de nível, conclui-se que a cidade é relativamente plana com níveis de altitude entre 515 e 535m aproximadamente. Existe na área de implantação uma elevatória de esgoto, que bombeia o esgoto para a região mais baixa da cidade, e por observações existe um sutil mal cheiro que é local (próximo a elevatória) e não se alastra na área toda. Fonte: COUTINHO, F. Bacia Endorreica. 7 fev.2012. Disponível em: <http://meioambiente.culturamix.com/natureza/bacia-endorreica> . Acesso em: 12 abril 2013.

Topografia. Fonte: Google earth - editado pelo autor, 2013.


39

PARQUE CHICO MOURO CLIMA Pontal: Aw : clima tropical com estação seca de Inverno A - Clima tropical: • Climas megatérmicos; • Temperatura média do mês mais frio do ano > 18°C • Estação invernosa ausente; • Forte precipitação anual (superior à evapotranspiração potencial anual). W • Clima desértico: • Precipitação anual total média < 250 mm. Disponível em: < http://www.cpa.unicamp.br/outras-informacoes/clima_muni_451.html >. Acesso em: 09 de abril de 2013.

A imagem mostra que a temperatura média anual de Pontal é aproximadamente 22° C. Disponível em: < http://www.ciiagro.sp.gov.br/ >. Acesso em: 08 de abril de 2013.

A imagem nostra que Pontal é classifi cado como clima AW. Disponível em: < http://www.ciiagro.sp.gov.br/ >. Acesso em: 08 de abril de 2013.

Disponível em: < http://www.cpa.unicamp.br/outras-informacoes/clima_muni_451.html >. Acesso em: 09 de abril de 2013.

Em relação ao clima, o parque urbano é um objeto muito importante para a cidade. Com a alta frequência de chuvas, principalmente nos meses de primavera e verão (como mostra a tabela acima), a área permeável que o parque proporciona é muito signifi cativa para a drenagem da água da cidade. No período de seca, o parque garante um microclima agradável ao entorno e uma melhor umidade relativa do ar , sendo uma “ilha de frio” para a cidade, com opções de lazer, esportes, mais atraentes para os usuários frequentarem. A existência de áreas sombreadas também favorecem a utilização dos usuários ao parque.


LEVANTAMENTO DE DADOS MAPA DE USO DO SOLO O mapa mostra o uso por predominância em um raio de 1km da área de estudo. Há uma grande quantidade de comércios e serviços, que são os principais que abastecem a cidade, na área central. Nos bairros do entorno, nas periferias, as residências são o que predominam, mostrando que o parque implantado no local vai ter uma considerável demanda de usuários. As áreas institucionais e verdes estão espalhadas de forma igual para os bairros. LAGOA CHICO MORO

Residencial Comercial Serviços Institucional Mapa de Pontal - sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Áreas verdes

40


41

PARQUE CHICO MOURO VAZIOS URBANOS O mapa destaca os banos existentes na cidade

vazios urde Pontal

Geralmente são terrenos vazios sem utilização, mas também encontramos áreas edificadas porém estão abandonadas e em processo de degradação, como no caso da antiga estação ferroviária.

LAGOA CHICO MORO

Podemos concluir que o principal responsável pelos vazios urbanos é a Especulação Imobiliária, que aumenta o preço dos terrenos em áreas mais valorizadas (áreas centrais) e com isso a população carente busca locais mais acessíveis, que são encontradas nas periferias. O problema é que muitas delas não possui um planejamento e infraestrutura adequados, fazendo com que essas pessoas sofram com a falta de rede de água e esgoto, e também a distância em relação aos serviços. Essa falta de planejamento da cidade nos mostra um mal aproveitamento da infraestrutura já existente.

Vazios urbanos Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth - editado pelo autor, 2013.


LEVANTAMENTO DE DADOS MAPA GABARITO O mapa com o raio de 1km da área de estudo, mostra que a maioria das edificações não são maiores que 2 pavimentos. Tendo apenas 2 edifícios de 3 pavimentos ou mais, e que não possuem mais que 15 metros de altura, o que não causa sombras e barreiras contra o vento que possam interfirir na área de implantação do parque.

LAGOA CHICO MORO

1 a 2 pavimentos. 3 ou mais pavimentos.

Mapa de Pontal - sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

42


PARQUE CHICO MOURO HIERARQUIA VIARIA E DINÂMICA IMOBILIÁRIA

Via principal Via coletora

suem onde ços e Rua 9 de Julho CENTRO Rua 13 de Maio Rua 1° de Maio

Rua Manoel Vasconcelos

Via local

Rua Ananinas C. Freitas

43

Por concentrar os principais comércios e serviços da cidade, as vias mostradas no mapa são as mais valorizadas economicamente: Centro, Av. Maria Lídia N. Spínola, Av do Cristo e Av. Etore Quaranta.

LAGOA CHICO MORO

Por ser um município pequeno, o fluxo de bicicletas é muito alto, equivalente ou superior ao dos automóveis. Av do Cristo

Av Maria Lídia N. Spínola

O mapa mostra as vias que posos maiores fluxos da cidade, pois são se concentram os principais servicomércios que atendem a população.

Av Etore Quaranta Mapa de Pontal - sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


LEVANTAMENTO DE DADOS ÁREAS VERDES Áreas verdes

As áreas verdes estão em destaque na imagem, sendo representadas por praças, canteiros, bosque e áreas de conservação (mata nativa).

PRAÇA SÃO LOURENÇO

Nem toda área verde é suficientemente arborizada, em muitas a vegetação é feita por grama e árvores de pequeno porte. Observa-se que elas tribuídas igualmente entre

estão disos bairros. BOSQUE MUNICIPAL

LAGOA CHICO MORO

Porém, as áreas verdes que mais atraem usuários são o bosque municipal, que tem uma área arborizada considerável em relação as outras e a praça São Lourenço. (em destaque no mapa).

Mapa de Pontal - sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

44


45

PARQUE CHICO MOURO LAZER PÚBLICO E PRIVADO Lazer Público

A cidade de Pontal não possui muita diversidade em lazer, existindo apenas quadras privadas e públicas, bosque público, praças públicas, recreativa privada e bares.

Lazer Privado

Tendo a população que recorrer as cidades vizinhas, como Sertãozinho e Ribeirão Preto.

LAGOA CHICO MORO

Mapa de Pontal - sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


LEVANTAMENTO DE DADOS ESTUDO DE INCIDÊNCIA SOLAR FACHADA NORTE: É onde ocorre a maior incidência solar durante o dia e em grande parte do ano (Março a Setembro).

“Fachada NOROESTE”

“Fachada NORTE”

“Fachada NORDESTE”

FACHADA OESTE: A insolação acontece nos meses de junho a dezembro no período da tarde (12h as 18h). FACHADA SUL: Acontece a presença forte do sol de setembro a março no período da manhã e da tarde.

“Fachada LESTE” “Fachada OESTE”

FACHADA LESTE: A insolação acontece no primeiro semestre do ano no período da manhã.

Conclui-se que a melhor fachada para as aberturas dos equipamentos que serão cobertos, como administração, quadras poliesportivas, etc; é a leste, pois recebe menos sol durante o ano e no período em que recebe é pela manhã, o que favorece a higienização dos ambientes.

“Fachada SUDOESTE”

“Fachada SUDESTE” “Fachada SUL”

46


47

PARQUE CHICO MOURO

N

LAGOA

Mapa declividade - Sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

0 A 1% - MUITO PLANO 1 A 8,33% - ACESSIBILIDADE PEDESTRE, ESCOAMENTO DE ÁGUA 8,33% A 20% - ACESSIBILIDADE DO AUTOMOVEL MAIOR 20% - ÁREAS INGRIMES

DECLIVIDADE Por análise, conclui-se que a área é bastante plana, sendo considerada em sua maior parte de acessibilidade ao pedestre e permitindo o escoamento de água. E em alguns lugares é considerada muito plana, lugares os quais podem se observar a permanência de água e árvores.


PROJETO 5


49

PARQUE CHICO MOURO 5.1 DIRETRIZES PROJETUAIS DIRETRIZES VIÁRIAS

DIRETRIZ VIÁRIA

CENTRO

O projeto tem como característica revitalizar a área de implantação e integrá-la a cidade, para isso houve a necessidade de propor duas diretrizes viárias que atendam as necessidades da área, facilitando o acesso ao local através dos meios de circulação e transporte, e proporcionando a ligação dos bairros do entorno.

JARDIM PRINCESA

Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth - editado pelo autor, 2013.


PROJETO CORREDOR VERDE Algumas áreas de vegetação ficam isoladas na cidade, o que pode ocasionar problemas com a biota, animais que habitam o local. Afim de solucionar esse problema é proposto um corredor verde, passando pelas maiores massas de vegetação da cidade, que são a mata nativa (1), o bosque municipal (2) e a área da lagoa Chico Moro (3), ligadas pelo canteiro da avenida principal da cidade (Av. Maria Lídia Neves Spínola) onde terá também uma ciclovia e pista de cooper/caminhada que ligará com a do parque. O corredor verde garantirá o deslocamento dos animais para o convívio com outras espécies, garantindo qualidade de vida para eles e também para as pessoas, evitando a proliferação de algumas doenças. Além de facilidade de acesso com a implantação da ciclovia e pista de cooper/caminhada até o parque.

(3)

(2)

(1) Imagem aérea de Pontal. Fonte: Google earth - editado pelo autor, 2013.

CORTE AV. PRINCIPAL Desenho sem escala Ciclista Pedestre 1,2m 1,2m

Pedestre Ciclista 1,2m 1,2m

Calçada

Calçada Avenida

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Avenida

50


51

PARQUE CHICO MOURO 5.2 DESENVOLVIMENTO E APRESENTAÇÃO DO PROJETO PROGRAMA DE NECESSIDADES

LAZER

DESCANSO

A definição do programa de necessidades foi baseado através do questionário aplicado e no perfil da população pontalense (ver anexo), pensando em um equipamento que garanta lazer e qualidade de vida as pessoas e ao meio ambiente. O programa foi dividido em três partes que contemplam atividades de lazer, de esportes e de serviços.

BANCA DE JORNAL

DECK PRAÇAS

TRILHA ECOLÓGIA

MESAS P/ PIQUENIQUE OFICINAS

ESPORTES CICLOVIA PISTA DE COOPER/CAMINHADA CAMPO DE FUTEBOL QUADRA POLIESPORTIVA

PLAYGROUND

SERVIÇOS

ADMINISTRAÇÃO

BICICLETÁRIOS

ÁREA P/ COMÉRCIO AMBULANTE BANHEIROS SEGURANÇA INFORMAÇÕES LIXEIRAS DEPÓSITO BEBEDOUROS ESTACIONAMENTO

Programa de necessidades. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

CONCEITO DO PROJETO O projeto tem como conceito a INTEGRAÇÃO e a CONVIVÊNCIA dos moradores pontalenses, requalificando a área e proporcionando lazer a população.


PROJETO FLUXOGRAMA des e jeto. uma para

O Fluxograma mostra as atividaos equipamentos que compõe o proEntendendo que todos possuem ligação, ou seja, estão integrados um bom funcionamento do parque.

ÁREA P/ COMÉRCIO AMBULANTE TRILHA ECOLÓGICA

BICILETÁRIO

DECK NA LAGOA

INFORMAÇÕES

MESAS P/ PIQUENIQUE

SEGURANÇA

PLAYGROUND

DEPÓSITO

CAMPO DE FUTEBOL

OFICINAS

ADMINISTRAÇÃO

QUADRA POLIESPORTIVA

PRAÇAS

SANITÁRIOS/VESTIÁRIOS

ESPORTES

LAZER

SERVIÇOS

PISTA DE COOPER / CAMINHADA E CICLOVIA ACESSO

Fluxograma. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

ACESSO

ESTACIONAMENTO

ACESSO

52


53

PARQUE CHICO MOURO PLANO DE MASSAS ENTRADA SECUNDÁRIA

ENTRADA SECUNDÁRIA

CENTRO

ENTRADA SECUNDÁRIA

PISTA DE COOPER

DECK

CICLOVIA

BANCA DE JORNAL

ESPORTES

LAZER

ADMINISTRAÇÃO SEGURANÇA

DESCANSO PLAYGROUND DESCANSO ESPAÇO P/ COMÉRCIO ENTRADA PRINCIPAL

Imagem aérea de Pontal - editada pelo autor. Fonte: Google earth, 2013.

LAZER

SERVIÇOS

BANHEIROS ESTACIONAMENTO

OFICINAS ENTRADA SECUNDÁRIA PLAYGROUND

QUADRAS

N

O plano de massas foi feito pensando na funcionalidade das atividades e dos equipamentos. A entrada principal é feita pensando em dar continuidade a Av. Maria Lídia Neves Spínola, o que trará maior visibilidade e facilidade de acesso ao parque, os serviços e apoios ficarão no centro. O lazer está dividido em 2 áreas distintas facilitando o acesso dos bairros do entorno, e o esporte em um local com uma maior área livre para abrigar os equipamentos propostos, além da ciclovia e pista de cooper distribuídos ao longo do parque.


PROJETO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO Para atingir a proposta de integração, convivência entre os moradores pontalenses, lazer e a requalificação da área, o projeto tem como partido os caminhos e as ligações, tendo como principal equipamento para esse proposito a ciclovia e a pista de cooper/caminhada, foi a partir deste ponto que iniciou-se o projeto do parque. Os equipamentos foram escolhidos e definidos a partir de questionário feito a população que encontra-se em anexo.

Croqui : perspectiva da praça e do playground Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

O parque em um primeiro momento, considerou-se a possibilidade de ser fechado por alambrados, porém visto que o conceito do projeto é o de integração, não teria mais sentido fechar, deixando-o portanto como uma área verde aberta, considerando a idéia de que as pessoas podem passar pelo equipamento apenas para atravessar de um bairro ao outro, e não só necessariamente utilizar o parque somente para lazer e recreação.

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Fonte: Google Earth - editado pelo autor, 2013.

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Primeiro estudo de organização espacial dos equipamentos do parque: Do lado direito foram locadas as quadras por ser um equipamento de maior dimensão. Praça e playground em dois lugares distinos para atender os bairros do entorno. Entrada principal com maior visibilidade e entradas secundárias para facilitar o acesso.

Nesta fase, viu-se que a ciclovia e a pista de cooper tinham distâncias pequenas para a pratica do esporte, portanto foi necessário aumentar sua área com a implantação do equipamento não somente ao entorno da lagoa mas também ao redor do parque. O que gerou mudanças na organização espacial dos equipamentos em geral.

Alguns equipamentos foram excluídos do programa por conta de que outros serem de maior importância e suprirem as necessidades. Como por exemplo o palco: anteriormente próximo as quadras, logo depois teve a ideia de se colocar dentro da lagoa, porém após análise crítica viu-se que seria um equipamento que não seria muito utilizado. Resolvendo implantar somente o deck sobre a lagoa, onde é possível ocorrer eventos musicais.

54


55

PARQUE CHICO MOURO

PROJETO: PLANTA BAIXA

B 7 7

19 18

7 3 4

15

16 17

A

D1

13

12

A

14

D2 9 D3 1

2 13

6 3 4

LEGENDA: 1 – Entrada principal (portal) 2 – Praça principal 3 – Praça 4 – Playground 5 – Área destinada à comércio ambulante 6 – Mesas 7 – Entradas secundárias 8 – Estacionamento e bicicletário 9 – Segurança D2 10 – Depósito 11 – Administração D1 12 – Oficinas D3 13 – Sanitários 14 – Campo de Futebol 15 – Quadras poliesportivas A 16 – Pista de cooper/caminhada 17 – Ciclovia 18 – Deck 19 – Trilha ecológica

10 11

EXISTENTES: A – Elevatória de esgoto B – Construção (residencial)

8 5

7 8

B Projeto. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

B

Postes Árvores

0 25 50 100m


PROJETO CORTES

A área do parque não é considerada ingríme, portanto não foi necessário alterações na sua topografia, somente na área das quadras onde foi necessário modificações e feito um talude mas com largura compativel para se obter acessibilidade sem a necessidade de escadas.

0 2,5 5 10m Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

DETALHE DAS CONSTRUÇÕES: D1 e D2 D2

D1

9.70

4.00

7.50

7.50

4.10

0 2,5 5 10m

Segurança

Oficina 4.00

9.70

WC/vestiário feminino 4.10

P01

5.45

P01

5.45

Depósito

7.05

WC/vestiário masculino

Oficina

Copa

P01

P01

2.50

WC Fem. Entrada pelo portal WC Masc

2.50

2.50

7.35

6.70

WC

2,85

2,85

P01

2,85

2.50

P01

P01

4.05

P01

4.70

Administração

7.35

D3

2.50

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

56


57

PARQUE CHICO MOURO IMPLANTAÇÃO GERAL

Implantação geral. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

LEGENDA VEGETAÇÃO:

Ipê roxo anão Fruto-de-pomba Cerejeira-do-rio-grande Ipê branco Pau-pereira

Jambo amarelo Jequitibá branco

Mulungu Ipê amarelo

0 25 50 100m Amoreira Palmeira Imperial


PROJETO DETALHE VEGETAÇÃO

Fonte: GUZZO E CARNEIRO, “Vamos arborizar Ribeirão Preto”. 1°ed. Ribeirão Preto. 2008

PORTE PEQUENO: Ipê roxo anão

Disponível em: < http://www.flickr.com/photos/flaviocb/7451576314/in/pool-nossas_vidas%7Cflaviocb>. Acesso em: 11 de novembro 2013

PORTE MÉDIO: Ipê branco

Disponível em: < http://www.panoramio.com/photo/14202211>. Acesso em: 11 de novembro 2013

PORTE GRANDE: Jequitibá branco

Disponível em: < http://areiaquecanta.blogspot. com.br/2010/07/as-arvores-no-areia-que-canta-setima.html>. Acesso em: 11 de novembro 2013

Fruto-de-pombo/ murta-branca

Disponível em: < http://www.ipdsa.org.br/?pg=arborizacao-arvore-de-pequeno-porte >. Acesso em: 11 de novembro 2013

Jambo amarelo

Disponível em: < http://ibflorestas.org.br/loja/sementes/jambo-semente.html>. Acesso em: 11 de novembro 2013

Ipê Amarelo

Disponível em: < http://agriculturaalternativa.com/ agrialternativa/2011/10/27/ipe-amarelo-acho/>. Acesso em: 11 de novembro 2013

Cerejeira-do-rio-grande

Disponível em: < http://www.jardimcor.com/arvores/ cerejeira-do-rio-grande/>. Acesso em: 11 de novembro 2013

Mulungu

Disponível em: < http://lookaholic.wordpress. com/2013/06/26/cha-de-mulungu-analgesico-e-sedativo-natural/>. Acesso em: 11 de novembro 2013

Pau Pereira

Disponível em: < http://naturezadivina.org.br/textos/pau-pereira-geissospermum-laevis-miers/>. Acesso em: 11 de novembro 2013

58

Os parques normalmente, são representados por grandes áreas abundantemente arborizadas e com jardins diversificados, podendo-se utilizar árvores de todos os portes. A tabela ao lado mostra as espécies escolhidas para a arborização do parque, além de manter as já existentes. No entorno da lagoa houve um desassioramento, tirando um pouco da vegetação capoeira existente e implantando algumas espécies de vegetação aquática. As áreas sem pavimentação do parque serão recobertas de grama do tipo esmeralda. Amoreira

Disponível em: < http://humbertodealmeida.com. br/?p=coluna_int&id=103245>. Acesso em: 11 de novembro 2013

Palmeira Imperial

Disponível em: < http://www.marronmudas.com.br/ index.php?pagina=1220537523_67>. Acesso em: 11 de novembro 2013


59

PARQUE CHICO MOURO IMPLANTAÇÃO NA FOTO AÉREA

Implantação com foto aérea de Pontal. Fonte: Google earth / arquivo pessoal, 2013.


PROJETO

60

DETALHAMENTO DO EQUIPAMENTO: PISTA DE COOPER/CAMINHADA E CICLOVIA

D5

1,40

1,40 0,40

2,80

D4

Pista de cooper/ caminhada

Ciclovia 1,40

1,40 0,40

2,80

Detalhe pista de cooper/caminhada e ciclovia. Sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013. Detalhe pista de cooper/caminhada e ciclovia. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

LEGENDA:

Pista de cooper/ caminhada

0 25 50 100m

Ciclovia

O equipamento é o principal do projeto, ele funcionará através da sua implantação ao redor da lagoa e também nas calçadas que serão alargadas e verdes, fazendo parte do parque, possuindo ao todo 2,7km de percurso aproximadamente. Este equipamento ainda integrará o parque com a cidade, através da diretriz projetual apresentada anteriormente de ciclovia e pista de cooper/caminhada, que passará na Av. Maria Lídia Neves Spínola (Av. principal da cidade), ligando o Bosque municipal ao parque. No canteiro central que divide a ciclovia da pista de cooper/caminhada terá a função de iluminar, orientando os usuários, de conter vegetação como pequenos arbustos não espinhosos, além de em alguns lugares a instalação de bancos voltados para a faixa de cooper/caminhada, proporcionando espaços de descanso e contemplação.

D4

Detalhe do equipamento com iluminação e vegetação. Sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

D5

Detalhe do equipamento com banco e iluminação. Sem escala. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


61

PARQUE CHICO MOURO

DETALHE DA ILUMINAÇÃO A ilumimnação do parque será feita através de postes alimentados por energia solar fotovoltaica, pois são independentes de rede elétrica e sustentáveis. Além da iluminação no canteiro que divide a pista de cooper/caminhada com a ciclovia feira por LEDs, que são de alta eficiência energética e possui longa vida útil.

Disponível em: < http://www.dyasolar.com.br/ produtos-servicos.html>. Acesso em: 03 de novembro 2013

Distribuição da iluminação no parque. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.

Poste e raio abrangente de luz

0 25 50 100m

Disponível em: < http://www.dyasolar.com.br/ produtos-servicos.html>. Acesso em: 03 de novembro 2013


PROJETO MATERIALIDADE, ESTRUTURA E MOBILIÁRIO DECK Será feito de eucalipto tratado em autoclave assim como o guarda corpo, sendo um material ecologicamente correto e economicamente viável. Sua estrutura será feita em vigas longitudinais metálicas e pilares de concreto, aumentando a durabilidade do equipamento. PRAÇAS Serão pavimentadas de piso intertravado, que é permeável e de fácil execução, banca de jornal ao lado, mobiliário será composto por bancos, lixeiras de lixo comum e reciclado e bebedouros. PLAYGROUND Piso emborrachado, pois é ecológico, seguro e prático, além de altamente resistente a intempéries e de alta durabilidade. Os brinquedos serão de madeira, podendo ser fabricados e receberem manutenção pelas oficinas do parque.

CAMPO DE FUTEBOL Será feito por grama natural do tipo esmeralda. QUADRAS POLIESPORTIVAS Piso vinílico, e estrutura da cobertura será metálica tipo “sanduíche” para um isolamento termo acústico. CICLOVIA Pavimento betuminoso, baixos custos e necessita de pouca manutenção. PISTA DE COOPER /CAMINHADA Piso intertravado, pois é permeável e de fácil execução.

Piso intertravad - Praças e pista de cooper/caminhada. Disponível em: < http://www.pedreirao.com.br/tag/intertravado/ >. Acesso em: 03 de novembro 2013

SANITÁRIOS, OFICINAS, ADMINISTRAÇÃO, SEGURANÇA E DEPÓSITO Serão construções de alvenaria tradicional, e telhado com telha de barro romana e beiral.

TRILHA ECOLÓGICA Será de terra batida por ser de baixo custo e pouca manutenção. Existirão placas indicando as espécies das árvores.

Trilha de terra batida. Parque Cidade de Toronto. Fonte: Arquivo pessoal, 2013. .

Detalhe do Deck. Fonte: SORIANI, M,N. REQUALIFICAÇÃO DE ÁREA AMBIENTALMENTE DEGRADADA: IMPLANTAÇÃO DE UM PARQUE URBANO NO BOSQUE MUNICIPAL DE BATATAIS, SP. Ribeirão Preto, 2011.

Piso emborrachado - playground. Disponível em: < http://www.bmplay.com.br/piso-borracha-playground.php >. Acesso em: 03 de novembro 2013

Piso vinílico - quadras poliesportivas. Disponível em: < http://easyartigos.com.br/quadra-poliesportiva-para-que-serve-cada-uma-das-marcacoes/ >. Acesso em: 03 de novembro 2013

Pavimento betuminoso - ciclovia e Piso intertravado - pista de cooper Disponível em: < http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2011/04/13/ interna_gerais,221636/obras-para-implantacao-de-ciclovia-na-savassi-comecam-nesta-quinta-feira.shtml >. Acesso em: 03 de novembro 2013

62


63

PARQUE CHICO MOURO PERSPECTIVA - MAQUETE ELETRテ年ICA

Maquete eletrテエnica. Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


PERSPECTIVA 01

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


65

PARQUE CHICO MOURO PERSPECTIVA 02

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


PROJETO

66

PERSPECTIVA 03

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


67

PARQUE CHICO MOURO

5.3 CONSIDERAÇÕES FINAIS O trabalho foi iniciado com a proposta de requalificação da Lagoa Chico Moro e de seu entorno localizado na cidade de Pontal, interior do estado de São Paulo. O projeto foi de um equipamento urbano que fosse um espaço aberto e que trouxesse , além da requalificação da área, um grande centro de convivência social, com espaços destinados a lazer, recreação, cultura, esportes, contemplação e educação ambiental, com o conceito principal de integração e convivência dos moradores pontalenses, para isso buscou-se a criação de um parque urbano afim de recuperar esta área degradada. Para se chegar a uma proposta de projeto foi necessário um embasamento teórico com reflexões sobre a importância dos parques e de como esse equipamento pode requalificar áreas degradadas, analisar referências projetuais, levantar dados da cidade de Pontal e da população pontalense. Conclui-se que o principal conceito do trabalho, que é o de integração, é alcançado com a proposta de um espaço aberto e com o uso do equipamento–chave do projeto, que são a pista de cooper/caminhada e a ciclovia, que liga o equipamento com os bairros do entorno, além de proporcionar lazer, esporte e recreação aos usuários do parque. Com o desenvolvimento arquitetônico deste projeto, fica a proposta de um futuro detalhamento mais específico de seu mobiliário, assim como o corredor verde e as diretrizes viárias propostas como diretrizes projetuais deste trabalho.


BIBLIOGRAFIA

6 BIBLIOGRAFIA

GUERIN, N. – Arquitetura Parque urbano Maurílio Biagi: anteprojeto de um parque urbano e recuperação do entorno. Trabalho de conclusão de curso. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Moura Lacerda, Ribeirão Preto, 1999. KEINERT, T e KARRUZ, A.P – Qualidade de vida: observatórios, experiências e metodologias. 1.ed. São Paulo: Annablume, 2002. KLIASS, R. G – Parques urbanos de São Paulo, 1 ed. São Paulo: PINI, 1993. MACEDO, S.S e SAKATA, F.G – Parques Urbanos no Brasil. 3. ed. São Paulo: Edusp, 2001. MAZZEI, K. – Áreas verdes urbanas, espaços livres para o lazer. Uberlândia, 2007. Disponível em : (http://www.seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/9350/5730) . Acesso em: 05 out. 2012. MEUNIER, I.M.J – Percepções e expectativas de moradores do Grande Recife em relação aos parques urbano. 2.ed. Piracicaba: REVSBAU, 2009. Disponível em: (http://www.revsbau.esalq.usp.br/artigos_ cientificos/artigo80-versao_publicacao.pdf). Acesso em: 08 out. 2012. NEUFERT - A arte de projetar em arquitetura. 17ed. Barcelona. Ed Gustavo Gili, 2010. PAIVA, H. N.; GONÇALVES, W. Florestas urbanas: planejamento para melhoria da qualidade de vida. 2 ed. Viçosa, MG: Aprenda fácil, 2002. SCALISE, W – Parques Urbanos: evolução, projeto, funções e uso. 1. ed. Marília, 2002. Disponível em : (http://www.unimar.br/fea/assent_humano4/parques.htm). Acesso em: 08 out. 2012. SORIANI, M.B – Requalificação de área ambientalmente degradada: Implantação de um parque urbano no Bosque Municipal de Batatais-SP. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Moura Lacerda, Ribeirão Preto, 2011.

68


PARQUE CHICO MOURO


ANEXOS 7


71

PARQUE CHICO MOURO 7.1 DADOS DO IBGE - PONTAL Área de Implantação do parque

Os dados nos mostram que o entorno da nossa área de implantação é onde possui a maior densidade demográfica da cidade, onde existe o maior número de moradores por domicílio. Isso significa que existe usuários para o nosso equipamento.

Os dados nos mostram que o maior número de domicílios particulares e coletivos se encontram nas periferias e em alguns lugares no centro, onde existe as áreas mais carentes da cidade.

Os dados nos mostram que no entorno da nossa área de implantação, a maioria da população residente é de homens. IBGE - CENSO 2010 - Pontal/ SP Fonte: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/calendario.shtm> Acesso: 14 de abril de 2013.


ANEXOS

Analisando os dados, conclui-se que a maioria das pessoas residentes da cidade se concentram na periferia. Na área e no entorno de implantação a maio ria da população residente tem faixa etária de 16 a 24 anos, considerada uma população jovem e economicamente ativa.

IBGE - CENSO 2010 - Pontal/ SP Fonte: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/calendario.shtm> Acesso: 14 de abril de 2013.

Área de Implantação do parque

72


73

PARQUE CHICO MOURO DADOS IBGE – MUNICÍPIO DE PONTAL: POPULAÇÃO IBGE - CENSO 2010 - Pontal/ SP Fonte: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/calendario.shtm> Acesso: 14 de abril de 2013.

Pela análise dos dados, a população total de Pontal é de 40189 pessoas, apresentando cor/raça parda, branca, preta e amarela. Sendo a maioria parda e do sexo masculino. A parte da população que mora na zona rural é baixa, de 1,9%, em relação as 98,1% que residem na zona urbana. Já em relação ao sexo, prevalece os homens e de 25 a 29 anos, e mulheres em quantidade menor mas na mesma faixa etária. É observado um grande número de crianças também. Sendo necessário levar em consideração esses dados para projetar equipamentos destinados a esses usuários.


ANEXOS DADOS IBGE – MUNICÍPIO DE PONTAL: DOMICÍLIOS IBGE - CENSO 2010 - Pontal/ SP Fonte: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/calendario.shtm> Acesso: 14 de abril de 2013.

Pela análise dos dados e conhecimento geral da área, a quantidade de moradores por domicílio predomina 3 moradores, e a população em geral reside em residências tipo casa, existindo poucos apartamentos, e nenhuma residência tipo condomínio. Informação que pode interferir muito pouco no projeto do parque, em relação a sombras, bloqueio de vento, etc.

74


75

PARQUE CHICO MOURO DADOS IBGE – MUNICÍPIO DE PONTAL: SANEAMENTO E ENERGIA IBGE - CENSO 2010 - Pontal/ SP Fonte: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/calendario.shtm> Acesso: 14 de abril de 2013.

Pela análise dos dados, o município possui abastecimento de água para toda a população, possibilitando 99,9% das residências possuírem sanitários. A destinação de lixo e a energia elétrica porém, não é igual para toda a população, tendo que buscar outras formas. Esses dados podem influenciar no projeto do parque em criar mecanismos para a conscientização da população quanto a destinação dos seus lixos, economia de energia, água, etc.


ANEXOS DADOS IBGE – MUNICÍPIO DE PONTAL: RENDA IBGE - CENSO 2010 - Pontal/ SP Fonte: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/calendario.shtm> Acesso: 14 de abril de 2013.

Pela análise dos dados, a maioria dos domicílios particulares permanentes ganham em média de 2 a 5 salários mínimos. Os salários mais altos são dos homens, de cor/raça parda e branca.

76


77

PARQUE CHICO MOURO

Pela análise dos dados, muitos não possuem rendimento, mas alguns pelo fato de ser menor de idade (acima de 10 anos). A maioria das pessoas, indiferentemente de raça/cor, ganha em media 1 a 2 salários mínimos.

IBGE - CENSO 2010 - Pontal/ SP Fonte: < http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/ censo2010/calendario.shtm> Acesso: 14 de abril de 2013.


ANEXOS

78

7.2 QUESTIONÁRIO PARA A POPULAÇÃO PONTALENSE - Questionário sobre a IMPLANTAÇÃO DE UM PARQUE URBANO PARA REQUALIFICAÇÃO DO ENTORNO DA LAGOA “CHICO MORO” EM PONTAL-SP. - Aplicado em abril de 2013 em 15 pessoas que residem na cidade de Pontal.

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


79

PARQUE CHICO MOURO

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


ANEXOS

80

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


81

PARQUE CHICO MOURO

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


ANEXOS

82

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


83

PARQUE CHICO MOURO

Fonte: Arquivo pessoal, 2013.


ANEXOS

84


PARQUE CHICO MOURO


Parque Chico Moro - Paula Bazan