Page 1

Ano XXVII - nº 344 Julho de 2013 Distribuição gratuita Infomativo da Paróquia Nossa Senhora de Loreto Fundada em 6.3.1661 www.loreto.org.br

A face jovem

do Loreto

Vida de Santo Antonio Maria Zaccaria Página 6

Tapetes de sal na celebração de Corpus Christi Página 10


Índice

Editorial............................................................................................. 3 Temas Bíblicos................................................................................. 4 Espiritualidade de Santo Antônio Maria Zaccaria ���������������� 5 A vida de Santo Antônio Maria Zaccaria................................... 6 Os mistérios da vida oculta de Jesus........................................... 8 Nossa paróquia cresce cada vez mais......................................... 9 Acontece no Loreto.......................................................................10

10

Expediente Direção Espiritual

Pe Sebastião Coordenação

Hélia Fraga Equipe de Trabalho

Ana Clébia, Bira, Helinho, Badá, Corredeira, Thiago Santos Diagramação

Lionel Mota Impressão

Gráfica Stamppa

Capa - A juventude da paróquia................................................12 Falando Francamente..................................................................16 Irmanados num único ideal.......................................................17 A história da paróquia.................................................................18 Fé e Política.....................................................................................20 Agenda.............................................................................................21 Loretinho.........................................................................................22


“O Mensageiro”, de cara nova, continua sua missão de comunicação.

Com muito carinho a Paróquia de Nossa Senhora de Loreto acolhe os peregrinos vindos de vários lugares do mundo

Editorial Pe. Sebastião Noronha Cintra*

Querido paroquiano, prezado leitor. “O Mensageiro” se apresenta com esta nova ‘cara’, mais bonita, mais colorida, mais atrativa, mais moderna. Quer conservar, porém, aquela fundamental finalidade de ser veículo de comunicação, dentro e fora da nossa Paróquia. Depois de 28 anos e 343 edições mensais consecutivas em circulação, a nossa Pastoral da Comunicação viu que era o momento de encontrar uma nova forma, para continuar sua missão. Somos responsáveis, como Paróquia, como Igreja, por levar o Evangelho a todo o mundo. Queremos também viver em comunidade e mostrar como é a nossa vida. Todo esforço feito, toda história do que aconteceu merece ser publicada. E as aspirações, projetos e sonhos vão nos empurrar para melhorar sempre. E quem vai nos ajudar nesse empreendimento será uma PASCOM sempre mais ativa. Zaccaria, o santo fundador dos Barnabitas, é especialmente lembrado nesse dia 5 de julho. Mesmo tendo vivido há mais de 510 anos e tendo morrido com apenas 36anos, ‘Santo Antonio Maria Zaccaria é um homem e um santo de grande atualidade.’ (Card.. Ratzinger, 2001) Na época de Lutero, junto com outros personagens importantes da Igreja, ele trabalhou propagando a reforma de si, fugindo da tibieza ou mediocridade e buscando forças no Crucificado e na Eucaristia. Vamos continuar a ler e a meditar suas mensagens. Foi a isso que se propuseram os jovens no ENJUZ no ano passado. Eles vão poder se encontrar novamente, retomando os marcos daquele encontro. Será um complemento da Jornada Mundial da Juventude. Já estamos em plena JMJ. Com muito carinho a Paróquia de Nossa Senhora de Loreto acolhe os peregrinos vindos de vários lugares do mundo, partilha seus espaços, celebra com eles, na alegria de servir. São mais de 700 os voluntários que carregam o nome da nossa paróquia, dispostos para os mais variados serviços. Servir na entrega dos kits dos peregrinos, nas Catequeses, nos locais de hospedagem coletiva, nos caminhos para os Atos Centrais, na distribuição dos kits de alimentação. Para tudo isso eles deram o SIM e estão felizes nos trabalhos a que foram designados. Nossa Senhora conceda uma bênção especial aos peregrinos, a toda a comunidade de Loreto e a todos os leitores d’O Mensageiro’. Julho 2013

O Mensageiro

3


Temas bíblicos

Evangelho de João (25) Jo 15,18-16,33 (I)

Padre Fernando Capra

D

epois de ter definido a sua missão (Jo 14) e de ter lembrado aos Apóstolos a deles (15,1-17), Jesus descreve o contexto em que eles serão chamados a atuar. Serão tratados pelas autoridades religiosas judaicas da mesma forma com a qual o trataram. Elas são uma raça perversa que, por princípio, renega a verdade. Nelas não está o amor de Deus, procuram sua própria glória. Por isso odeiam a ele e ao Pai (15,18-25). Os Apóstolos, contudo, prevalecerão, porque o mesmo Espírito que a eles virá para conduzi-los a toda Verdade os tornará capazes de dar testemunho (v.26s). E eles não esmorecerão nem quando os expulsarem da sinagoga e nem quando os levarem à morte (16,1-4). Se, agora, a tristeza toma conta deles diante do anúncio da sua morte e das perseguições que terão que sofrer por causa dele, quando o Defensor vier a eles, os tornará capazes de compreender quanto os judeus são culpados por não terem acreditado nele. Também, saberão ver quanto Deus fez justiça ao glorificá-lo, chamando-o a si. Verão, enfim, que, pela sua morte, o Príncipe deste mundo foi julgado (vv.5-11). O Espírito Santo, além de torná-los capazes do testemunho, porque promoverá neles a compreensão da Verdade, lhes revelará as coisas futuras e qual será o destino final do mundo e dos mártires. Em todo esse processo, o Espírito glorificará o próprio Jesus porque pelos seus que chegarão a realizar obras sempre maiores, o Pai será glorificado (vv.12-15). Tudo isso acontecerá num breve espaço

O princípio de força é o Espírito Santo que Jesus, na condição de Senhor da Igreja enviará do Pai

O Mensageiro

4

Julho 2013

de tempo. Será como quando uma mulher dá à luz. A tristeza da provação logo passará porque voltarão a vê-lo. Então, tudo compreenderão e tudo alcançarão do Pai e a sua alegria será completa. Nem precisará que peçam em seu Nome porque serão amados por ele, por ter levado à plena caridade a fé que depositaram nele, o Filho que saiu do Pai e veio ao mundo e que, tendo chegado a hora de voltar para o Pai, o glorificará, vencendo o mundo. Chamados a viver a sua hora, também eles o vencerão pela confiança que têm nele. A síntese da nossa perícope apresenta dois temas, fundamentais para entender o contexto e o princípio de força que torna a Igreja capaz de levar a termo a missão que Jesus lhe confiou. Os Apóstolos são chamados a viver um embate com o mundo que, a princípio, estarão em condição de vencer, em virtude da sua fé em Jesus, levada à perfeita caridade. O princípio de força é o Espírito Santo que Jesus, na condição de Senhor da Igreja enviará do Pai. Ele é capaz de levar a toda verdade e de infundir nos espíritos o testemunho inquebrantável, porque que os convencerá acerca do pecado do mundo, da injustiça que perpetrou e quanto à condenação que mereceu. Tudo se realizará num tempo breve. Será como o tempo de um parto. Após breve sofrimento, haverá alegria. Mundo e Espírito são os temas que desenvolvidos nos próximos artigos nos levarão à compreensão da doutrina que João está expondo.

Perguntas para reflexão: 1ª) Qual é o modelo que Jesus utiliza para descrever o mundo? 2ª) Qual é a ação determinante que o Espírito realiza na Igreja? 3ª) Por que o cristão não deve desanimar diante da provação?


Espiritualidade de Santo Antônio Maria Zaccaria

T

odo santo é fruto de sua época e procura encontrar respostas para os desafios que a realidade apresenta aos seus contemporâneos. Não foi diferente para Santo Antônio Maria Zaccaria. Num momento de costumes desgastados pela decadência da Idade Média, Antônio Maria se propôs a renovar o fervor cristão em toda parte. Para isso, se valeu de sua formação cristã vinda de casa, dos seus estudos de Medicina que, na época, eram de cunho mais humanista, dos seus estudos bíblicos, especialmente da vida e doutrina do Apóstolo Paulo e da ajuda imprescindível de seu orientador espiritual, o Frei Batista de Crema. Dessa forma, ele

pôde contar com companheiros e companheiras (religiosos, religiosas e casais) que, junto com ele, saíam em missão. A sua época, primeira metade do século 16, trouxe grandes transformações para a humanidade, entre as quais, a de deslocar o homem para o centro das atenções, tirando Deus do lugar central da vida das pessoas. Para não ficar fora da mentalidade da época e para permanecer fiel à fé que tinha recebido desde criança, Santo Antônio Maria Zaccaria, na sua espiritualidade, deixa Deus no centro e traz o homem e a mulher para perto de Deus, pois aí é o nosso lugar. Ao ler os seus Escritos, podemos perce-

ber com clareza que, ao falar de Deus, ele fala do homem e da mulher e, falando das condições humanas, ele fala de Deus, sem nenhuma separação. Uma frase do 4º Sermão de Antônio Maria ilustra muito bem essa realidade: “Você quer chegar à perfeição? Quer ser, pelo menos, um pouquinho espiritual? Quer amar a Deus, ser seu bom filho e ser amado por Ele? Ame o próximo, oriente-se para o próximo, disponha-se a beneficiar o próximo e não a ofendê-lo”. Tirem suas conclusões, meu amigo, minha amiga. Até a próxima vez, se Deus quiser. Pe. Luiz Antônio do Nascimento Pereira CRSP


A Vida de

Santo Antonio Maria Zaccaria

S

anto Antônio Maria Zaccaria nasceu em Cremona (Itália), no fim de 1502. O pai, Lázaro Zaccaria, faleceu um ano após o nascimento de Antônio Maria, deixando uma boa herança para a esposa e o filho. A mãe, Antonieta Pescaroli, após a morte do marido, resolveu não contrair um segundo matrimônio. Deste modo pôde dedicar-se totalmente à educação do filho. Ao completar os estudos secundários, Antônio Maria, então com 18 anos, foi para a cidade de Pádua, onde cursou a faculdade de medicina. Antes de viajar, fez o seu testamento, renunciando a todos os seus bens em favor de sua mãe, reservando para si apenas uma pequena quantia para o seu sustento.

Em Pádua, fez amizade com Serafim Aceti (14961550), que também era estudante de medicina e mais tarde tornou-se Cônego na cidade de Bolonha, tornando-se célebre pregador e escritor de obras espirituais. Esta amizade durou até a morte de Antônio Maria. Diplomando-se em medicina, voltou à sua cidade em 1524, firme na fé e na moral, mais experiente e maduro, sensível às exigências de seu tempo e aberto a toda boa iniciativa. Antônio Maria encontrou Cremona sendo disputada por espanhóis e franceses, que a ocupavam e saqueavam, reduzindo-a a uma situação de miséria. Diante disso, tomou a iniciativa de reunir, na Igreja de São Vital, bem perto de sua casa, os mais variados tipos de pessoas (casais, profissionais, mães, jovens), para lhes fazer palestras baseadas na Bíblia, sobretudo na doutrina de São Paulo, com a finalidade de melhorar os costumes e de propagar a doutrina cristã. Neste tempo, escolhe como diretor espiritual frei Marcelo e, logo depois frei Batista de Crema, ambos dominicanos. As relações com frei Batista, que aliás ele chamava de “pai”, fazem amadurecer nele a vocação ao sacerdócio. Dedica-se, então, ao estudo da Teologia e da Sagrada Escritura, especializando nos escritos de São Paulo. Em 1528 é ordenado sacerdote, sem vínculo com


uma diocese ou congregação, para ter a liberdade de exercer seu apostolado no mundo inteiro, sem ficar ligado a uma Igreja particular.Contrariamente aos costumes de seu tempo, pede para celebrar sua Primeira Missa sem solenidades exteriores. De fato, a celebra na igreja de São Vital, somente com a participação de sua mãe e de alguns parentes. Neste mesmo ano, funda uma capela dedicada a São Paulo, pondo seu sacerdócio sob a proteção do Apóstolo. Como padre exerce seu apostolado como animador do “Grupo Espiritual da Amizade”. Para os participantes deste grupo, faz muitas conferências sobre a perfeição cristã, baseada sempre na Sagrada Escritura, sobretudo em São Paulo. Imbuído totalmente do ideal de renovação, dominado por um compromisso ascético-pessoal, ele dá exemplo de uma vida íntegra e de uma ação incisiva no plano da fé e do amor. Completando sua fé com as obras, abre as portas de sua casa a todos os pobres de Cremona, para poder curar-lhes, ao mesmo tempo, o corpo e o espírito. Nesse ínterim, a condessa da cidade de Guastalla, Ludovica Torelli, por sugestão de frei Batista de Crema, escolheu Antônio Maria como seu capelão e orientador espiritual. Com esse novo compromisso, ele teve que dividir o seu tempo entre Cremona e Guastalla. Em fins de 1530, Antônio Maria, após uma breve permanência em Guastalla, com seu orientador espiritual, frei Batista, decide dedicar suas energias a um campo de pastoral mais aberto e vasto, vai a Milão. Em Milão, entra em contato com a “Confraria da Eterna Sabedoria”, à qual logo adere com entusiasmo. Este movimento de espiritualidade tinha sido fundado nos primeiros anos do séc. XVI, por Antônio Bellotti, padre de Ravena. Neste mesmo ano de 1530 encontramos entre seus membros os futuros fundadores dos Barnabitas e das Angélicas: Antônio M. Zaccaria, Bartolomeu Ferrari, Tiago Antônio Morigia, frei Batista de Crema, Ludovica Torelli e Virgínia Negri. Podemos considerar aí o início das duas Congregações. Antônio Maria encontra Bartolomeu Ferrari e Tiago Antônio Morigia já orientados para programas de reforma e experientes na assistência aos doentes, nas obras de caridade e no estudo de São Paulo. Faz com eles um pacto de amizade que futuramente se concretizará na fundação das três famílias religiosas, inicialmente sob a denominação de “Os Filhos de Paulo Apóstolo”. Em sua mente estão presentes

equipes apostólicas de voluntários bem preparados e disponíveis com a finalidade de trabalhar para a reforma dos costumes ou renovação de vida, seja pessoal, como social. A autêntica vivência do amor ao próximo leva os membros desta equipe à prática organizada da pastoral, sem se vincularem a uma diocese e sem se prenderem à clausura. Às 5 horas do dia 5 de julho de 1539, com 36 anos, veio a "dormir" entre os braços de sua mãe terrestre e acordar nos braços de sua Mãe Celeste. No dia 27 de maio de 1897 é proclamado santo pelo Papa Leão XIII (sua festa é no dia 5 de julho). Seu corpo repousa na Igreja de São Barnabé em Milão (Itália). Santo Antonio Maria Zaccaria viveu poucos anos, mas deixou um alicerce forte onde sua obra permanece viva até hoje através de seus filhos e filhas. (do WWW.vocacionalbarnabita.blogspot.com)


Os mistérios

da vida oculta de Jesus

O

s mistérios da vida oculta de Jesus Nos anos em que Jesus viveu em Nazaré, Ele teve uma existência comum, o que nos permite estar em comunhão com Ele na santidade da vida cotidiana em sua comunidade que era feita de oração, submetendo-se à Lei de Deus, de simplicidade, de trabalho e de amor filial. A Sagrada Escritura nos conta que Ele era submisso a seus pais e que “crescia em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e diante dos homens” (Lc 2,52).Mostrando como Jesus era submisso, vemos como Ele cumpria com perfeição o 4º Mandamento. A obediência dessa época anunciava e antecipava a submissão ao Pai na 5ª Feira Santa na agonia no Calvário “não a minha vontade” (Lc 22,42) e também como uma obra de restabelecimento do que a desobediência de Adão tinha destruído. (Cf. Rm 5,19). A vida oculta de Nazaré permite a todo homem estar unido a Jesus nos caminhos mais cotidianos da vida. Nazaré é a escola do Evangelho:

Uma lição de silêncio - é preciso amar e admirar o silêncio, pois ele é condição indispensável do espírito. Uma lição de vida familiar – comunhão de amor, sua beleza austera e simples, seu caráter sagrado e inviolável. Uma lição de trabalho – aqui se compreende e se celebra a lei severa e redentora do trabalho humano. O reencontro de Jesus no Templo é o único acontecimento narrado deste período oculto. Jesus mostra o mistério de sua consagração total a sua missão por causa de sua filiação divina. “Não sabeis que Eu devo ocupar-me com as coisas de meu Pai?” (Lc 2,49). Aqui é um dos momentos em que podemos perceber o tamanho da fé de Maria e José, que mesmo sem compreender acolhem o que foi dito e Maria “guardava a lembrança de todos esses fatos em seu coração” (Lc 2,51). Jane do Térsio


Nossa Paróquia cresce

cada vez mais

Q

uerida comunidade, Que alegria escrever algumas linhas nessa edição. Tivemos 2 momentos gloriosos de vida comunitária desde o fechamento da edição de junho: a confecção dos tapetes e nossa festa junina. A principio não parece ser nenhuma novidade, pois já tivemos outras "edições". Mas a presença cada vez maior dos paroquianos é um estímulo a desejar mais, voar mais alto. Por isso já estamos pensando no que podemos "aprontar" para a festa de Nossa Senhora do Loreto. E vocês também já podem ir se mobilizando, com sua pastoral, arrumando formas de arrecadar recursos para juntos montarmos uma bela festa para nossa padroeira. Importante lembrar que nossa paróquia é como uma casa ( nossa casa) que precisa de manutenção, e que, grande como é, custa bastante dinheiro. A arrecadação do dízimo não consegue arcar 100% e as contas sempre ficam no vermelho. Por isso a renda que as festas dão a paróquia é tão importante - lembramos que tanto a festa junina como a festa da padroeira tem renda revertida integralmente para a manutenção da paróquia.Resumindo: participando delas nós ajudamos a custear nossa segunda casa. Mas o melhor de tudo é que o trabalho que temos quando partilhado, fica menos pesado.O ato de conseguir doações exercita nossa humildade E fortalece nossa união... Mas... a próxima festa é a Jornada Mundial da Juventude. Nos próximos dias estaremos envolvidos - toda

Que Nossa Senhora do Loreto nos estimule mais e mais à vida comunitária e ao bem comum

a paróquia, nos preparativos finais para a JMJ, nos mutirões para preparar os banheiros, nas idas as casas de hospedagem que ainda não foram visitadas... muito trabalho ainda a fazer...Mas temos a certeza de que unidos,trabalhando e rezando em conjunto, fazemos nossa comunidade mais forte e capaz de vencer esses e os outros desafios que estão por vir. Que Nossa Senhora do Loreto que também e Mãe da Divina Providência nos estimule mais e mais à vida comunitária e ao bem comum Ana Lúcia Fontenele


3º Tapete de Sal e de Fé

Celebração de Corpus Christi

M

ais uma vez na noite do dia 29 de maio entrando pela madrugada adentro, nos reunimos apesar de muito frio, para montagem dos tapetes eucarísticos em nossa Paróquia, mobilizando muitos paroquianos que chegaram cedo para alinhar os seus espaços. Neste ano contamos com 30 tapetes, sendo cada um medindo dois x 2m, por aí se calcula como foi o tamanho do tapete. Foi uma bênção! Sendo motivo de orgulho para nossa paróquia por ver todos reunidos nessa demonstração de fé. Só mostra o amor da nossa comunidade em relação à Eucaristia. Participar dessa exaltação ao Sacramento da Eucaristia que acontece sempre em uma quinta-feira, referência à Quinta-Feira Santa, quando Jesus e seus apóstolos celebraram sua lembrança comendo o pão e o vinho que se transformariam em seu corpo e sangue. Não tendo palavras para traduzir a emoção que se via nos irmãos, sentados no chão, sujos de corantes, de serragem e cansados, preocupados... Será que dará tempo para terminar? Eu, Joel sou suspeito para falar em emoção, pois vivo esse momento maravilhoso com muito amor e dedicação, vendo os tapetes se formando, sabendo que no dia seguinte JESUS vai passar. Nesse momento estaremos esperando para nos direcionarmos à Santa Missa. Cada ano que passa nosso tapete fica maior e mais bonito, sem falar na nossa integração quando todos acabam se conhecendo, pois a necessidade de sempre pedir um pouquinho de material para colaborar é muito importante. Houve um momento em que todos se deram as mãos e fizemos uma oração onde nosso pároco Padre Sebastião abençoou os participantes. Como não podia faltar aquele lanche maravilhoso durante a noite, ele aconteceu, por colaboração de todos. Sendo assim terminamos o nosso 3º Tapete de Sal que construímos para Corpus Christi. Deixamos tudo arrumado e protegido para a manhã do dia 30, quando chega à comunidade um cortejo acompanhando Jesus presente, passando pelo tapete feito pelas pastorais e movimentos. Que Jesus abençoe e ilumine a todos e que em 2014 estejamos todos juntos para construir um tapete maior e mais belo para Jesus passar. Até 2014. PAZ DE CRISTO Joel - Liturgia

10

O Mensageiro

Julho 2013

Nosso pároco, Pe. Sebastião e os tapetes eucarísticos. Foram montados 30 tapetes, medindo 2m x 2m, entre eles, homenagens à JMJ e ao Papa Francisco


Voluntários do Loreto

A

poucos dias da Jornada Mundial da Juventude, nossa paróquia se prepara e se alegra com tantos feitos e esforços de nossa comunidade! Em entrevista com o Padre Ramon Nascimento, diretor executivo do Setor de Voluntários, o Padre diz que a importância do trabalho paroquial é imensa, pois a paróquia é o núcleo que abastece a JMJ, porque dela vem a hospedagem e os voluntários. Pe. Ramon também diz que as famílias acolhedoras devem se preparar para receber os peregrinos através da oração, amando desde já os peregrinos que virão às suas casas. A paróquia Nossa Senhora de

Loreto conta com 700 voluntários na JMJ, o que impressionou o padre, dizendo que "é magnífico ver a mobilização de uma comunidade com 700 voluntários, pois isto é o sinal de compromisso e de amor para com Cristo e a Igreja." Perguntado sobre a contribuição da Jornada em âmbito espiritual e de mudança para os paroquianos, Pe. Ramon disse que "a JMJ contribui com uma grande experiência de catolicidade, e no aspecto espiritual, irá beber de uma graça profunda aqueles que estão servindo num aprofundamento do compromisso pessoal de Cristo." Acreditamos que a Jornada

Festa Junina Sensacional. Este é um dos muitos adjetivos que podemos usar para descrever a festa junina da nossa paróquia, nos dias 8 e 9 de junho. Desde a organização até o preparo e venda das delícias, tudo foi perfeito. A comunidade participou lindamente, maciçamente. As pastorais e movimentos empenharam-se. E capricharam tanto que quase todas as barracas precisaram refazer seus estoques de comida, no sábado mesmo. E no domingo, antes da missa das 19:00 h terminar, algumas já estavam zeradas.

Padre Ramon Nascimento

Mundial da Juventude seja um grande canal de transmissão da Fé, e que muitas graças e bençãos do céu virão através dos jovens de todas as partes do Brasil e do mundo. Continuemos nossas orações e dedicação a este tão belo encontro com o nosso amado Papa Francisco. Os jovens são a força do amanhã, construído hoje! Camila Bertine

Estamos todos de parabéns! A comunidade mais uma vez mostrou a sua força e seu espírito de doação e partilha. Momentos especiais foram vivenciados também por quem participou da missa das 10:30 h de domingo, que contou com a belíssima apresentação do Coral Nossa Senhora de Loreto. Durante a celebração foi feita a apresentação à comunidade de um grande grupo de catecúmenos, em sua maioria jovens, candidatos ao Batismo, Crisma e Eucaristia e também a entrega a eles da Cruz e do Livro da Palavra de Deus. É a comunidade crescendo em número e fé, pela ação do Espírito Santo. Obrigado, Senhor, por todos eles. Foi, enfim, um maravilhoso final-de-semana, alegre, em família, abençoado por Deus.

Julho 2013

O Mensageiro

11


A face jovem

do Loreto

Q

uem não conhece o Loreto, ao ouvir falar nos seus 352 anos, facilmente pode imaginar uma Igreja antiga, talvez um pouco empoeirada, por toda parte imagens de santos com mantos bordados a ouro, dentro de redomas de vidro. A imaginação pode ir mais longe ainda, encontrando confessionários de madeira de lei, escuros e pesados. Silêncio, ambiente úmido, padres velhinhos e estrangeiros, missas celebradas de costas e tantas outras coisas mais, reportadas ao passado da nossa história. No entanto, àquele que percorre o caminho entre o portão e a entrada do Loretão, especialmente se num sábado à tarde ou domingo à noite, se depara com uma realidade bem diferente e muito barulhenta! São eles, que ocupam todos os espaços! Risos altos, falatório, entusiasmo, bandas que tocam nas Missas, mas que poderiam tocar em qualquer show ou festival! Celulares, facebook, fotos, muitas fotos! Eles se abraçam a todo tempo, parece que estão sem se encontrar a anos! São eles, que ocupam todos os espaços! Numa

dinâmica meio incompreensível de incertezas e fé, de buscas e encontros! São eles, que ocupam todos os espaços! São os Jovens do Loreto! Feliz a comunidade que dá espaço à juventude! Feliz a comunidade que compreende que “o novo sempre vem” e que não há o que temer! Que maravilha pertencer a essa comunidade, que acolhe seus jovens e os ajuda a encontrar e percorrer os seus próprios caminhos. Não é fácil, eles muitas vezes são frágeis, outros são rebeldes, outros querem respostas imediatas, querem fazer muitas coisas ao mesmo tempo, querem, querem, querem... E, lá vai a comunidade... ofegante, tentando acompanhar o passo, tentando, tentando, tentando e lembrando: “olha, vamos com calma, eu tenho 352 anos”, mas que nada! Lá vão eles, abrindo às portas, falando de Deus com pureza e escrevendo, dia a dia, as novas páginas dessa história. De certo, foi a juventude, de todos os tempos, que fez essa paróquia chegar aos 352 anos, sem envelhecer! Missa que encerrou o 30º EJC

12

O Mensageiro

Julho 2013


Juventude que diz ao que veio:

Unidos na Fé e no Amor a Jesus e a Igreja Fizemos algumas perguntas aos jovens para entendermos melhor como eles se organizam, como se identificam com as propostas dos diversos movimentos ligados à juventude e principalmente como se relacionam com uma paróquia onde tudo que acontece é um evento. Tudo é “mega” no Loreto, disseram alguns, ressaltando que as atividades exi-

gem muito esforço e dedicação, mas que a alegria de servir a Deus, fazer novos amigos e se sentir parte da Igreja faz com que sigam em frente. “Há mais de três séculos os jovens se tornam adultos e dão a vez à outros, que vão continuar transmitindo a alegria de ser cristão e católico!” Vale a pena conferir:

Thiago Santos ou simplesmente Tayago elegeu o Loreto como sua Comunidade de Fé. Por que o Loreto? Não posso dizer que vim para o Loreto porque é próximo de minha casa, pois moro ao lado do Rio Centro, disse Tayago. Em 2006, me inscrevi e fui chamado para fazer o Encontro de Jovens com Cristo do Loreto (EJC) e dei o primeiro passo nesta direção: uma paróquia nova, uma comunidade nova e onde eu não conhecia absolutamente ninguém. Passado o tempo e após muitos obstáculos que podem afastar qualquer jovem da caminhada (namoro, faculdade, trabalho, cansaço) passei a atu-

ar no EJC e me sentir útil como nunca antes. Hoje, tenho muito orgulho de vestir a camisa do meu movimento e do Loreto. Tenho uma vontade cada vez maior de caminhar com Deus e com a minha comunidade, aprendendo e servindo ao Senhor e aos irmãos. Então, porque o Loreto?! Porque foi uma comunidade que me recebeu, me acolheu, me mostrou o caminho para Deus, mas que também me confiou um serviço, me deu a oportunidade de, através da minha profissão, evangeli-

zar, e de poder sugerir, ouvir e ser ouvido. Estou aqui para fazer algo que aprendi lá atrás, enquanto estudante da PUC, que foi “Em tudo, Amar e Servir – Santo Inácio de Loyola”.

JUVENTUDE MISSIONÁRIA - Oração e Juventude. É Possível? Aline Paggy, da Juventude Missionária, disse que não é só possível, como extremamente necessária.

Enquanto jovens, vivemos dia a dia novas descobertas, nos deparamos com desafios e escolhas a fazer, e nada melhor do que estar em conexão com Aquele que poderá nos dizer qual melhor o caminho a seguir, que é Deus! A oração não deve ser para nós uma obrigação, mas sim uma conversa com o nosso melhor amigo. Assim como passamos horas no chat do Facebook e tantos outros meios de comunicação com nossos amigos, mais do que isso deveria ser nosso tempo dedicado à oração, pois é através dela que abrimos nosso coração e ouvimos o que Deus quer nos falar! Julho 2013

O Mensageiro

13


MEJ – MOVIMENTO EUCARÍSTICO JOVEM Juliana Sabatinelli disse que é possível, necessário e recorrente. O jovem que experimenta o amor de Deus reconhece a importância de falar com o Pai sobre sua vida e aproximar-se desse amor na oração. Se essa atividade for constante, a vida cristã no mundo hoje em dia se torna menos pesada, pois encontra-se força para enfrentar as provações. Vanessa Soares, do MEJ, que também é Coroinha, disse que " oração e juventude é possível quando você realmente quer estar com Cristo. Hoje em dia a juventude está bem afetada, disse ela, mas no MEJ se aprende a buscar cada vez mais a Palavra de Deus, aprende mais sobre Jesus, e a realmente viver o que

o MEJ ensina: Acreditar nas promessas do Sagrado Coração de Jesus, viver, buscar e participar, e claro, ser SANTO SEM DEIXAR DE SER JOVEM." Brincamos também lá, disse ela. "É, SOMOS SANTOS DE CALÇA JEANS!"

EAC – ENCONTRO DE ADOLESCENTES COM CRISTO Desafio do Amadurecimento da Fé Quando o Loreto completou 321 anos, deu para os jovens de Jacarepaguá o melhor

presente que eles poderiam receber: O EAC, disse Philipe Rabelo. O que resume essas três letrinhas é responsável pela formação de muitos jovens que chamam a nossa atenção no dia a dia. São os adolescentes que querem ser santos, que olham para o próximo com compaixão, que cedem lugar no ônibus, que não têm vergonha de dizer que num sábado estão indo para igreja, entre outras atitudes

MaC – MATURIDADE CRISTÃ

Como ser Jovem e Cristão nos dias de hoje? O MaC surgiu na paróquia em 2010, por iniciativa dos próprios jovens unidos ao pároco, Pe. Sebastião. O principal objetivo era oferecer uma opção de grupo voltado ao aprofundamento das bases da fé, além de oferecer um novo espaço onde pudesse ser divulgado o cristianismo entre os jovens, de dentro e de fora da igreja, sem nenhum tipo de requisito ou espera por um retiro específico. Filipe Ferreira, disse que “o desafio de ser um jovem que vive e exerce sua cristandade está no cerne do grupo, que, por suas próprias filosofias, busca propagar o catolicismo com seriedade e coragem”. Inseridos no mundo, os jovens do MaC buscam, portanto, ser exemplo no 14

O Mensageiro

Julho 2013

que não estamos tão acostumados a ver. Antes de chegar aos 19 anos, os adolescentes, ou não mais tão adolescentes assim, precisam se despedir do movimento, e galgar novos degraus na caminhada da fé, porém aquele adolescente que entra no EAC, entusiasmado, imaturo, se despede como um Jovem, maduro, responsável e edificado na pedra angular, firme para aguentar os desafios da vida.

dia a dia, empregando seus aprendizados, defendendo sua fé, sendo testemunho de vida e exercendo o protagonismo juvenil sem deixar de lado, é claro, a alegria característica de sua faixa etária, concluiu.


ENCONTRO DE JOVENS COM CRISTO Perspectivas da Juventude Cristã no Mundo "A perspectiva do jovem cristão é, cada vez mais, ter voz! Voz e credibilidade em suas escolhas, seus projetos, seus espaços”, disse Aline, coordenadora do EJC. Se o jovem é aquele que pode "incendiar o mundo" com sua vontade e sua entrega, é preciso que acreditem em sua capacidade e, já dentro da vivência e da comunidade cristã, lhe deem a credibilidade necessária para deixá-lo acender essa chama. O objetivo do EJC é chamar

jovens que não tenham medo de andar na contramão do mundo e dessa sociedade que vivemos, em nome de Cristo e do amor tão verdadeiro que temos por Ele. É através da nossa experiência e convivência, que nos tornarmos mais corajosos e mais perceptíveis ao chamado de mudança, para que possamos fazer a diferença na sociedade, na sua família e em todos os relacionamentos. Essa é uma tarefa nada fácil, pois são muitas as paixões e as distrações que nos cercam. Po-

rém, um jovem comprometido e verdadeiramente temente a Deus, tropeça, mas não cai, "tem suas forças renovadas e cria asas como águia; corre, mas não se fatiga, anda, mas não se cansa." (Is 40, 31). “São por jovens assim que lutamos e que estamos cada vez mais conquistando e, esperamos encontrar ambientes favoráveis para o desenvolvimento deles, a fim de que a mudança em seu comportamento e em seu modo de vida possam ser exemplo e centelha para muitas outras chamas", concluiu Aline.

Coordenadores da JMJ Rio 2013 - LORETO Como é ter a responsabilidade de organizar uma JMJ? Louise Monteiro, da coordenação de hospedagem, disse: "Acho graça quando os paroquianos comentam que estão ansiosos para a jornada começar, porque pra mim, de certa forma, ela já está acabando. Apesar de ter participado da ultima jornada em Madrid, em 2011, quando aceitei coordenar a equipe de hospedagem no Loreto, há quase dois anos atrás, dei um sim no escuro, pois não sabia a quantidade de trabalho que viria pela frente. Foram inúmeras reuniões, tabelas, casas, telefonemas, voluntários... uma verdadeira missão! Mas tão grande quanto o trabalho, é a satisfação de participar e fazer com que esse evento maravilhoso possa acontecer, para renovar e celebrar a fé de jovens do mundo inteiro, na nossa casa, na nossa Cidade Maravilhosa. Discípulos e amigos do mundo todo, isso é JMJ”. Charlene Cidrini, da coordenação de voluntários, disse que “A Jornada Mundial da Juventude é um dos eventos mais importantes da nossa igreja. Mesmo com a experiência de ter ido à Jornada de Madrid, em 2011, ao aceitar o chamado de coordenar os voluntários do Loreto, não tinha noção da responsabilidade que me esperava. Foi um trabalho

muito árduo, difícil, mas extremamente gratificante. Hoje posso dizer: Eu fiz parte disso! Eu ajudei a construir esses dias de fé, amor e fraternidade! A Jornada vem num momento muito importante da história do nosso país. As pessoas, sobretudo os jovens, foram às ruas mostrar sua força, lutar pela mudança, por um país melhor. Que a JMJ venha nos mostrar que não devemos nos calar! Temos que ir também às ruas para evangelizar! Levar a Palavra de Deus a todos os cantos. Como o Papa Francisco disse: “Revolucionar os corações!” Esse é o lema da JMJ Rio 2013: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”. É isso que Deus espera de nós.

Texto e Edição: Ana Clébia – Pascom Colaboradores: Márcia Lisboa, Philipe Rabelo, Thiago Santos, Bruna Scoralick – Pascom; Mariana - MaC e todos os jovens que nos enviaram fotos e material, citados nas entrevistas.

Julho 2013

O Mensageiro

15


Falando Francamente Zamoura

Trabalho e

dedicação N a oportunidade em que nosso informativo O MENSAGEIRO ganha uma nova apresentação, queremos enaltecer e valorizar a equipe, que com muita competência TRABALHO E DEDICAÇÃO, vencendo muitas dificuldades conseguiu levar ao nosso público leitor, uma revista moderna e atraente, razão pela qual, nós os articulistas nos sentimos no dever de levar até vocês, matérias interessantes, que possam atrair a leitura e ao mesmo tempo mantê-los bem informados. Em termos de Brasil, tivemos em Brasília no ano de 2012 o Encontro Internacional das Equipes de Nossa Senhora, que reuniu cerca de oito mil fiéis. Evidentemente os eventos ora mencionados não se comparam com a JMJ, pois sua magnitude nos surpreende e assusta. Nosso O MENSAGEIRO, mostra sua cara de forma diferente justamente num ano especial e bastante significativo para todos nós praticantes da fé Católica Apostólica Romana. Queremos nos referir à Jornada Mundial da Juventude, evento que reúne no Rio de Janeiro, cerca de dois milhões de pessoas, cuja maioria é composta de jovens peregrinos, que aqui chegam em busca do fortalecimento da fé e do crescimen-

16

O Mensageiro

Julho 2013

to espiritual. Permita-nos lembrar que na nossa cidade já tivemos outros eventos reunindo multidões, tais como Congresso Eucarístico Internacional, que aconteceu na década de 1950, e o II Encontro Mundial do Papa com as Famílias, que aconteceu na década de 1990. Ainda nos referindo ao item hospedagem, devemos ressaltar o incrível espírito de igualdade e amor ao próximo, demonstrado por todos aqueles que abriram suas casas aos peregrinos, inclusive em prejuízo do próprio conforto e bem estar. Sabemos que apesar dos visitantes possuírem suas camas portáteis, nosso povo acolhedor e hospedeiro, em sua maioria cedeu suas próprias camas, no intuito de proporcionar aos queridos irmãos visitantes, mais conforto. Até onde sabemos, as equipes responsáveis pela hospedagem, com muito esforço TRABALHO E DEDICAÇÃO, conseguiram atingir as metas propostas e ninguém ficou na rua, graças a Deus. Agora só nos resta colher os frutos de todo este trabalho, mostrando ao mundo que nosso Brasil, não é só o país do futebol, e sim também o país do bom acolhimento, do amor fraterno e onde o catolicismo ainda predomina. Que Deus abençoe todos aqueles que direta ou indiretamente, colaboraram para o êxito

da Jornada Mundial da Juventude, e que nossos irmãos peregrinos, retornem aos seus lares, com muita paz e segurança, levando na memória e no coração nosso carinho e nossa saudade, se possível, colocando nosso país e nossa gente em suas orações. Imagine prezados leitores, a enorme quantidade de pessoas trabalhando neste mega evento. Tudo bem planejado. Tudo devidamente organizado com inúmeras reuniões preparatórias envolvendo centenas de coordenadores e agentes pastorais. Diversos itens foram considerados e devidamente trabalhados, tais como: Hospedagem, Alimentação, Transporte, Segurança. Incluindo outros serviços de cunho religioso e indispensáveis ao êxito do grande acontecimento como: Confissões, Eucaristia e inúmeras celebrações litúrgicas. Imaginem a grande quantidade de Padres, que gira em torno de mil e ainda centenas de superiores religiosos tais como: Diáconos, Bispos, Arcebispos e Cardeais. No que se refere à hospedagem saiba que numerosas equipes foram organizadas para atender a este quesito, inclusive com especial cuidado no que se refere aos idiomas, apesar de que na caridade, bondade, fraternidade e acolhimento o idioma é universal, quando gestos concretos, boas atitudes e boa vontade, representam o tripé do bem servir. Louvores e Glória a Deus Zamoura (Da Diva) Paróquia N.Sra. de Loreto Jacarepaguá – Rio de Janeiro- Brasil


Irmanados num

F

único ideal

ui convidado para ser um dos articulistas do novo “O Mensageiro”. A proposta é que tenhamos um novo veículo, mais moderno, adequado aos nossos tempos e que acompanhe a evolução da nossa paróquia. Na primeira reunião fui apresentado ao novo formato do jornal, que será transformado em uma revista com uma formatação mais dinâmica e atraente. Também fomos orientados quanto às novas exigências deste veiculo. Teremos que obedecer a margens, número máximo de caracteres digitados, e uma série de novas regras que embora existissem não eram obedecidas com muita rigidez. Conheci os demais colegas de labuta, alguns novos e outros antigos amigos, com os quais inclusive viajei. Foi uma agradável reunião, na qual o Zamoura colocou fatos por vezes curiosos e em outros reminiscências, de uma época em que a paróquia ainda estava iniciando a sua caminhada editorial. Você sabia que o Mensageiro começou a circular em 08/12/1984. Alguns de nós ainda não éramos nascidos.

A proposta é que tenhamos um novo veículo, mais moderno, adequado aos nossos tempos e que acompanhe a evolução da nossa paróquia

Foi dele a frase acima dita, em um momento em que fomos instados a reunir esforços para colocar a revista no ar com uma grande antecedência. A proposta é que ela seja entregue aos peregrinos na JMJ como uma recordação de nossa Paróquia (por isso a premência), além de reativarmos um antigo hábito de enviarmos a revista para outras paróquias tomarem conhecimento das atividades do Loreto. Não parece um grande desafio, mas deve-se levar em consideração que temos que gerar todo o material, aprová-lo, encaminhá-lo aos profissionais que cuidarão de todo o processo de, por assim dizer, execução da revista. Nesta ocasião o Zamoura nos brindou com a frase do título para refletir o espírito de união e coleguismo que deve revestir todos os que estão empenhados nesta empreitada. Naquele momento o desafio deixou de ser do nosso pároco que aceitou a idéia, da equipe que cuidou do Projeto, dos articulistas que atenderam ao prazo, e passou a ser de todos nós que tínhamos um objetivo a ser alcançado. E ai está ela, bonita, nova e moderna, fruto de uma UNIÃO DE TODOS POR MESMO IDEAL. Espero que vocês gostem da revista tanto como nós. Adauto - Pascom Loreto

Este espaço pode ser seu! 3392-4402 / 2425-0900 7801-5092 Acesse nosso site e saiba de tudo que acontece no Loreto www.loreto.org.br

Julho 2013

O Mensageiro

17


Como tudo

começou

Sergio Villié

E

le tinha saído do Caminho do Mateus e depois de entrar na Estrada da Freguesia chegara ao Largo da Porta d’Água e pretendia tomar a Estrada do Guari. Estamos em 1661 . Hoje, 2013, ele teria - usando os nomes de hoje - descido a Estrada dos Três Rios ( ex-Caminho do Mateus ) , passado pela Avenida Geremário Dantas ( ex- Estrada da Freguesia ) , chegado ao Largo da Freguesia ou Praça Professora Camisão ( ex- Largo da Porta d’Água ) para depois tomar a Rua Tirol ( ex – Estrada do Guari ) .O Largo da Porta d’Água recebeu esse nome porque era o caminho para o Engenho d’Água, um dos “ 8 engenhos de Jacarepaguá “ . Na época ( séculos XVII e XVIII ), segundo pesquisadores, havia na região oito engenhos : Engenho de Fora , Engenho d’Água , Engenho da Taquara , Engenho do Camorim , Engenho Pau da Fome , , Engenho da Serra ( cuja casa grande se situava na atual Estrada dos Três Rios ), Engenho União e Engenho do Pimenta . Falaremos sobre eles numa próxima matéria . Pela Estrada dos Três Rios foi que passou o corsário francês Duclerc em 1710, para ocupar a cidade, depois de ter desembarcado na Marambaia . Mas isso é outra história .

Trezentos e cinqüenta e dois anos separam as duas cenas . Essa pessoa provavelmente ouvira a novidade de que a velha capelinha existente na fazenda do Padre Manuel de Araújo seria a sede da nova freguesia ( como, na época, se chamavam as paróquias ) designada, então, com o nome de Nossa Senhora de Loreto e Santo Antonio . Estávamos em 6 de março de 1661 , data de criação de nossa Paróquia . Freguesia não era Freguesia . Só ganhou este nome por uso popular, depois da criação da Paróquia, então designada Freguesia de Nossa Senhora de Loreto e Santo Antonio . Nada parecido com a Freguesia de hoje, exceto pela Capela de Nossa Senhora da Pena , no alto do Morro do Galo. Jacarepaguá seiscentista era formada por caminhos de terra, pequenas estradas, uma ponte de madeira sobre o Rio Sangrador, que permitia o acesso à Estrada da Tijuca (atual Estrada de Jacarepaguá) que tinha esse nome porque era o único acesso de Jacarepaguá para a Barra da Tijuca . Jacarepaguá tinha , então, 8 engenhos e algumas fazendas . A GRAVURA Uma gravura de 1845 , de Abraham Louis Buvelot , uma litografia , da coleção Geyer , existente no Museu Imperial de Petrópolis , mostra uma bela vista da Freguesia dos anos 1800 . Na gravura , muita vegetação, a Capela de N.S. da Penna e a Igreja de N.S. de Loreto . Estaremos premiando aqueles que identificarem onde o autor da gravura se localizou para obter aquela vista da Pena e do Loreto (veja detalhes em outra página). Lembrando que não havia prédios altos naquela época . A CRIAÇÃO Em 6 de março de 1661 era, então criada , pelo Prelado Manuel de Souza Almada, uma Freguesia dedicando-a à Nossa Senhora de Loreto e Santo Antonio.

18

O Mensageiro

Julho 2013


A justificativa era o território de Jacarepaguá ser distante da Freguesia de Nossa Senhora da Apresentação , de Irajá, a Paróquia ( ou Freguesia, na época ) mais próxima. Já habitava em Jacarepaguá “ numeroso povo” e era incômodo o ministério dos Sacramentos , não só aos que ali residiam mas também àqueles das “ terras centrais até a Fazenda de Santa Cruz “ . Foi , então, necessário criar-se um a Paróquia com o título de Capela Curada , isto é, uma capela que recebia um cura (sacerdote) periodicamente para ministrar sacramentos (batismo, matrimônio, primeira Eucaristia , unção dos enfermos, crisma). Nossa Senhora de Loreto foi a 4ª paróquia na Cidade do Rio de Janeiro . Precederam-na : São Sebastião – Antiga Sé , no Morro do Castelo (1569) , Candelária (1634), N. Senhora da Apresentação , de Irajá ( 1644 ) . Em seguida vieram : N.S. do Desterro , de Campo Grande ( 1673 ), S. Salvador do Mundo de Guaratiba ( 1676) , S. Tiago , de Inhaúma ( 1684 ) e N.S.da Ajuda , da Ilha do Governador (1710 ). A LOCALIZAÇÃO Em 1660, o Capitão Rodrigo da Veiga Barbude pediu autorização ao Prelado Manuel de Souza Almada para construir em sua fazenda uma capela curada .O Prelado Almada fora nomeado prelado do Rio de Janeiro em 12 de dezembro de 1658 . A Freguesia (Paróquia ) de Nossa Senhora de Loreto e Santo Antonio foi criada em 6 de março de 1661 com a classe das coladas mas seu primeiro pároco só a assumiu em 1665 . O 1º Pároco foi Padre Antonio Ribeiro de Almeida, empossado em 1665 , um ano depois da edificação da primitiva matriz ( 1664 ) em terras do Padre Manuel de Araujo. Assistiram à inauguração o Prelado Manuel de Souza Almada, o Governador Pedro de Mello e o Provedor Diogo Correa. No mesmo lugar desta igreja, por estar arruinada , se edificou outra , no ano de 1667 . Em lugar próximo do lugar da primeira Igreja, os paroquianos com seus próprios recursos levantaram o terceiro templo e atual, cuja construção começou em 1730. Em 1764 achava-se concluída a Capela- Mor . De qualquer forma, entre 1730 e 1797 já existia a atual Capela-Mor, a atual Sacristia e os corredores laterais.

Portanto, podemos afirmar que a Igreja de Nossa Senhora de Loreto e Santo Antonio foi erguida três vezes : - em 1664, na fazenda do Padre Manuel de Araújo ; - em 1667, visto que ameaçava ruír ou já arruinada a primitiva, foi erguido novo templo ainda no mesmo lugar, isto é, na fazenda do Padre Manuel de Araújo , com recursos dos paroquianos ; - de 1730 a 1797 – a construção da atual Igreja N.S. de Loreto teve início em 1730 seu término em 1764 ou 1797 . O local do terceiro templo foi “ num morro próximo do lugar denominado Porta d’Água “. Dos dois primitivos templos só ficamos sabendo de suas localizações na Fazenda do Padre Manuel de Araújo que, segundo pesquisadores , era próximo da Porta d’Água . Não há registros de ruínas ou vestígios dessas construções na região . A capela curada original , uma ermida, construída em 1658 ou antes , e que teve pequena duração , fora construída dentro da fazenda do Capitão Rodrigo da Veiga de Barbude . LONGA HISTÓRIA Foi assim, portanto, que tudo começou . A partir de então teve início uma longa história que continua até hoje e continuará, da qual participaremos, com muito orgulho .

Julho 2013

O Mensageiro

19


Fé e Política Robson Leite

O Papa Francisco, a opção preferencial pelos pobres

e a política

E

m 1979, ocorreu a terceira Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, realizada na cidade mexicana de Puebla. A América Latina, naquela época, sofria com as ditaduras militares, incluindo o Brasil e todos os seus vizinhos. O continente também sofria com a miséria de grande parte do seu povo, que vivia sem muita esperança. Mas a conferência dos bispos em Puebla foi decisiva para o início de um novo tempo. A volta da Democracia no Brasil, em função da Constituinte de 1988, teve grande participação popular através dos grupos organizados pela CNBB. Essa atuação foi uma consequência da Conferência no México. No entanto, ao contrário do que pode parecer, a opção preferencial da Igreja pelos pobres não surgiu com a publicação dos documentos de Puebla, mas pela prática e ensinamentos do próprio Cristo, muito claramente colocados nos Evangelhos. Ao avaliarmos, por exemplo, a passagem marcante do Juízo Final, no Evangelho, nós percebemos a identificação do rosto de Deus com o rosto do "irmão mais pequenino". "Quando fizeste isso ao menor dos meus irmãos foi a mim que o fizeste". Essa identificação, fundamentada nesse evangelho de São Mateus, torna-se desafiadora para nós, principalmente na sociedade moderna, onde os valores do consumismo desenfreado se tornam, infelizmente, o centro de tudo para muitas pessoas. A ação política é a forma mais sublime de praticar a caridade, já nos dizia o papa Paulo VI. E é nela, praticada de forma despojada de valores materiais

e comprometida com o bem comum, que podemos realizar efetivamente esse ensinamento do Evangelho de São Mateus. Em 2007, a Quinta Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe realizada em Aparecida do Norte reforçou ainda mais a opção da Igreja pelos pobres e pelos jovens. Mas também precisamos fazer a nossa parte. Seja em nossa comunidade, em nossa pastoral ou até mesmo em nosso trabalho, nós precisamos exercer essa opção preferencial do Cristo. A injustiça, a fome e a desigualdade social existentes em nosso país são pecados graves que não podemos compactuar. Estar calado diante disso tudo é ser conivente com essa situação. É ser um Pôncio Pilatos na sociedade moderna. Roguemos a Deus para que a visita do Papa Francisco à nossa cidade seja também um marco para uma nova América Latina, com mais inclusão social, participação popular e, acima de tudo, um direcionamento para o tão sonhado Reino de Amor prometido pelo Cristo no Evangelho. Um grande abraço e Paz e Bem a todos e todas. Robson Leite Robson Leite é deputado estadual, professor e escritor. É paroquiano da Igreja da Nossa Senhora do Loreto há mais de 30 anos , tendo sido fundador e coordenador do Grupo de Fé e Política. Foi coordenador da Pastoral de Crisma e da Pastoral da Juventude. Atualmente integra o Encontro de Casais com Cristo (ECC) e participa da coordenação dos Círculos Bíblicos do Vicariato de Jacarepaguá. www.robsonleite.com.br www.facebook.com.br/robsonleitept

A ação política é a forma mais sublime de praticar a caridade, já nos dizia o papa Paulo VI.

O Mensageiro

Julho 2013

20


Anote em sua agenda Conselho Pastoral – Dia 02 de julho – 20:30h no SCJ Festividades em honra a Santo Antonio Maria Zaccaria: Tríduo: dias: 02/03/04 durante a missa de 19h30 Missa Solene: dia 05, sexta-feira, 19h30; dia 8, domingo, 19h Adoração das 40 Horas - Dias: 06 e 07 Missas nos Hospitais e Casa de Repouso: Dia - 12 – C.A.T.I. – às 16h Dia 19 – Estância São José – às 16h Dia 26 - Hospital Rios D’OR – às 15h Dia 19 - Missa no Conjunto Independência – às 19h 30m Batismo: Celebrações: Dias: 07/14/21 - às 10:30h Palestra para pais e padrinhos: Domingos Horário 16h - Dias: 07e14 Quintas-feiras - Horário –20h: 04 e 11 Catequese: Dia 15 a 31 - Período de férias das atividades da Catequese Infantil

DOMINGO 28/07 PELA MANHÃ Neste domingo 28/07 as missas dominicais serão SÁBADO 18H30 E D0MINGO 17H E 19H. Grupos de Oração da RCC: JESUS RESSURGIU: toda segunda-feira às 14h30min – Santuário NOSSA SENHORA DE LORETO: toda segunda-feira às 20h30min – Santuário Terço dos Homens: toda terça-feira às 20h30min – Santuário Terço da Misericórdia – toda quarta-feira – às 15h – Santuário Coral do Loreto –Ensaios:Toda segunda-feira às 17h e sexta-feira às 19h, no Salão Zaccaria

Atenção: a partir do dia 15 até dia 31 as nossas salas estarão reservadas para hospedagem da JMJ. Jornada Mundial da Juventude: Programação: Pré-Jornada - Peregrinação da Cruz e do Ícone de N. Senhora, símbolos da JMJ: 06/07 - Chega de Itaguaí com destino à Catedral 07/07 – 19h – Par. Imaculada Conceição Recreio 08/07 – 8h PROJAC – 14h-Hosp Curupaiti – 20h Par. N. S. Rosário de Fátima 18/07 – 9h-Sant. Schoenstadt – 10h-Sant. N. S. de Fátima Recreio – 14h30-Pai Eterno e S. José 16h S. Luzia-Gardênia – 17h-S. João Batista-Rio das Pedras -19h N. S. Boa Viagem-Rocinha 21/07 – 9h Jesus no Litoral-Recreio – Barra. 22/07 – Expo-Católica – Rio Centro. Atos Centrais durante a Jornada: 23/07 – Copacabana –Missa de Abertura 25/07 – Copacabana – Acolhida do Papa Francisco 26/07 – Copacabana – Via Sacra 27/07 – Caminhada para Guaratiba - Vigília 28/07 – Guaratiba – Missa de Envio No Loreto – DIAS 24, 25 e 26 – 8h às 13h – Catequese, Confissões e Santa Missa NÃO HAVERÁ MISSAS À NOITE: 23, 25 e 26/07 e no

Julho 2013

O Mensageiro

21


loretinho

Um milhão de amigos

Querido amigo, nossos corações estão em festa porque está muito pertinho de nós a tão esperada Jornada Mundial da Juventude. Temos a alegria de receber nosso Santo Padre, o Papa Francisco, e muitos jovens do mundo inteiro. E vocês sabem por que eles virão ao Rio de Janeiro? Eles estarão reunidos aqui para o encontro da juventude com JESUS! Que bonito! Jesus Se alegra e abraça seus amigos! Em Jesus a experiência da amizade é uma prova do cuidado de Deus. Cristo é a face amiga do Pai

Santo do mês: São Camilo de Lellis.

Lorerindo

São Camilo de Lellis nasceu no dia 25 de maio de 1550, na pequena Bucchianico, em Chieti, no sul da Itália. O contato com os franciscanos foi fundamental para sua conversão. Um dia, a caminho do trabalho, teve uma visão celestial, nunca revelada a ninguém. Estava com vinte e cinco anos de idade quando pediu para ingressar na Ordem dos Franciscanos. Não conseguiu, por

22

O Mensageiro

Julho 2013

do céu que nos quer sempre bem perto d’Ele. Por isso Jesus está sempre perto de nós, como nos ensina nossa querida Mãezinha: no Pão (Eucaristia), na Palavra (Bíblia) e no próximo (nossos amigos!) Que durante a nossa vida saibamos cuidar bem dos nossos amigos a exemplo de Jesus e que durante a JMJ façamos um milhão de AMIGOS em Cristo! “A verdadeira amizade começa na terra e continua no céu.” (Madre Maria Helena Cavalcanti)

causa de sua ferida no pé. Mas os franciscanos o ajudaram a ser internado no hospital de São Tiago. Camilo, já tocado pela graça, além de tratar a ferida passou a cuidar dos outros enfermos, como voluntário. Mas preferia assistir aos doentes mais repugnantes e terminais. Neles, Camilo viu o próprio Cristo e por eles passou a viver. Em 1584, sob orientação do amigo padre Filipe Néri, constituiu uma irmandade de voluntários para cuidar dos doentes pobres e miseráveis. Estudou e vestiu o hábito negro com a cruz vermelha

de sua própria Ordem, pois sua congregação, em 1591, recebeu a aprovação do Vaticano, sendo elevada à categoria de ordem religiosa. Recebeu o dom da cura pelas palavras e orações, logo a sua fama de padre milagreiro correu entre os fiéis, que, ricos e pobres, procuravam sua ajuda. Era muito querido em toda a Itália, quando morreu em 14 de julho de 1614. Foi canonizado em 1746. Em 1886, foi declarado Padroeiro dos Enfermos, dos Doentes e dos Hospitais. Elaborado pelas Irmãs de Belém


24

O Mensageiro

Julho 2013

Profile for Loreto

Mensageiro jul2013  

Mensageiro jul2013  

Advertisement