Page 1


2


Editorial Expediente DIREÇÃO Paschoal Sabatine paschoal@topbrasileditora.com.br William Gimenes william@topbrasileditora.com.br

Não basta ser um bom vendedor, é preciso ser consultor Há três etapas que podem mudar o rumo de uma venda e, consequentemente, a

PUBLICIDADE Marco Aurélio vendas1@topbrasileditora.com.br (11) 3271-5867

opinião do consumidor. O primeiro passo é ter um repertório adequado, o que signi-

JORNALISTA RESPONSÁVEL Lia Freire (MtB 30.222) redacao@topbrasileditora.com.br

o que significa que é necessário ouvir a necessidade no momento da abordagem. Em

PROJETO GRÁFICO, DIAGRAMAÇÃO Cristiana Lacutissa (ClStudio) (11) 2749-0738 producao@topbrasileditora.com.br CAPA - Patricia Chammas ADMINISTRAÇÃO Av. Alcântara Machado, 924 cj. 03 – Brás CEP 03102-001 – São Paulo Fone (11) 2306-1246 www.topbrasileditora.com.br

fica que o vendedor precisa, de fato, se preparar mais. Ao abordar o cliente é necessário ter uma história relacionada ao mundo dele, caso contrário, fatalmente, o consumidor vai se sentir mal atendido. A segunda etapa está relacionada à credibilidade, vez de falar do produto logo no início e correr o risco do cliente saber mais do que o vendedor, pergunte qual o problema que ele enfrenta e como acha que o produto pode ajudá-lo. Desta forma conquista-se a confiança e deixa uma porta aberta para que ele fale das suas reais necessidades. E, por fim, chega-se a diferenciação, depois da “consulta investigativa” sobre o que o cliente realmente precisa, oferecendo algo a mais. Assim, é possível se destacar em relação ao concorrente e evita-se demonstrar falta de conhecimento. Em entrevista à Revista Papelaria & Negócios, Carlos Cruz, diretor do IBVendas – Instituto Brasileiro de Vendas - fala sobre as atuais necessidades dos consumidores, o perfil destes e como os vendedores devem se preparar para melhor atendê-los. Também nesta edição apresentamos as coleções 2016 de agendas, cadernos escolares e mochilas, afinal este é o momento para os lojistas prepararem o mix para a próxima temporada de negócios. As indústrias não pouparam esforços para manter a qualidade, aprimorar produtos e inovar, todos com o desejo de que pouco a pouco a economia melhore e os negócios também possam se recuperar.

A Revista Papelaria e Negócios é uma publicação mensal da Top Brasil Editora dirigida a lojistas e fornecedores de artigos para papelaria e informática. Circulação nacional.

O conteúdo dos artigos e as declarações textuais contidas nas reportagens da Revista P&N são de responsabilidade dos articulistas e entrevistados.

4

Esta Papelaria & Negócios circulará na 29ª Escolar Office Brasil 2015 – Feira Internacional de Produtos para Papelarias, Escritórios e Escolas e estaremos no evento em busca de mais novidades. No mês de agosto apresentaremos os lançamentos, não perca! Desejamos a todos um ótimo evento e excelentes negócios! Boa leitura!


Sumário

08 Entrevista Lançamentos

14

28 Tendência Categoria de Produto

68 Seções 6

54

Artigos

42


Entrevista

O foco é a venda consultiva

Não é rara a ocasião em que os consumidores sabem mais que o profissional de vendas em termos de informação sobre o mercado e o produto, quando são abordados. Esse fato é facilitado porque em geral, as pessoas têm se especializado em consumo. Além disso, o autosserviço ganhou a atenção do consumidor e, consequentemente, as pessoas estão mais autônomas em suas decisões Um estudo divulgado pela empresa de pesquisas Loudhouse, em parceria com a SAP, mostrou uma realidade cada vez mais comum no universo das vendas. Entre dez empresas pesquisadas, 75% dos compradores sentem que estão à frente do vendedor na hora da negociação. A tecnologia também colabora para essa independência na hora de comprar, com a facilidade ao acesso de informações relevantes de cada segmento. Atrelada a isso, está a escassez de inovação que deixa os itens e serviços ofertados semelhantes. O cliente passa a não ver diferença entre os produtos de empresas concorrentes. Por outro lado, com as demandas da rotina, o profissional de vendas acaba se preparando menos que o comprador, que está sim mais

“O vendedor profissional deve apostar em uma comunicação assertiva, isso é, conhecer o mercado e argumentar de maneira concreta, capaz de mostrar ao cliente a importância do produto e/ou negócio em questão”, Carlos Cruz.

8


Entrevista atento em relação às tendências e possibilidades de

pergunte qual o problema que ele enfrenta e como acha que o produto

seu mercado.

pode ajudá-lo. Dessa forma conquista-se a confiança e deixa uma porta

Porém, ainda é possível se diferenciar em um

aberta para que ele fale das suas reais necessidades. E, por fim, chega-se

mercado saturado pelas mesmas ideias e compra-

a diferenciação, depois da “consulta investigativa” sobre o que o cliente

dores mais espertos! Há três etapas que podem mu-

realmente precisa, é possível oferecer algo a mais. Assim é possível se

dar o rumo de uma venda e a opinião do consumi-

destacar em relação ao concorrente e evita-se demonstrar falta de conhe-

dor: o primeiro passo é ter um repertório adequado,

cimento. É necessário oferecer uma solução e ainda se diferenciar para garantir a preferência. Em entrevista à Revista Papelaria & Negócios, Carlos Cruz, diretor do IBVendas – Instituto Brasileiro de Vendas - fala sobre as atuais necessidades dos consumidores, o perfil destes e como os vendedores devem se

“A falta de empatia de vendedores é um problema. É preciso criar identificação com o comprador e transmitir boa impressão. Ser invasivo também é um erro, procure sempre o diálogo e nunca se esqueça de que cautela é essencial.”

preparar para melhor atendê-los. Revista Papelaria & Negócios - Hoje em dia o que é exigido dos vendedores que estão no atendimento das lojas? Que características devem possuir, que perfil devem ter? Carlos Cruz - Hoje em dia é exigido que o vendedor deixe de focar na venda tradicional, na qual boa parte da energia é dedicada na apresentação do mix de produtos e fechamento, para a venda consultiva. A principal característica que o vendedor precisa ter é a capacidade investigativa para identificar, explorar e ativar necessidades dos clientes para oferecer soluções adequadas. Em resumo, deve atuar como um vendedor profissional. Revista Papelaria & Negócios - De que maneira os vendedores devem se preparar para atender um consumidor que está cada vez mais informado? Carlos Cruz - O vendedor profissional precisa, de fato, se preparar mais. Caso contrário, fatalmente o consumidor vai se sentir mal atendido. É preciso também ouvir a necessidade no momento da abordagem. Em vez de falar do produto logo no início e correr o risco do cliente saber mais do que você, pergunte qual o problema que ele enfrenta e como acha que o seu produto pode ajudá-lo. Após uma “consulta investigativa”

que significa que o vendedor profissional precisa,

sobre o que o cliente realmente precisa, é possível oferecer algo a mais.

de fato, se preparar mais. Para falar com o cliente

Dessa forma, você consegue se destacar em relação ao concorrente e evi-

é necessário ter uma história relacionada ao mundo

ta demonstrar falta de conhecimento. É necessário oferecer uma solução

dele, caso contrário, fatalmente, o consumidor vai se

e ainda se diferenciar para garantir a preferência.

sentir mal atendido; o segundo passo está relacionado à credibilidade, o que significa que é necessário ouvir a necessidade no momento da abordagem.

10

Revista Papelaria & Negócios - No momento da abordagem da venda como o vendedor deve se posicionar?

Em vez de falar do produto logo no início e correr

Carlos Cruz - A abordagem não pode ser extremamente agressiva,

o risco do cliente saber mais do que o vendedor,

antes de acontecer é preciso que haja o que a gente chama de silên-


Entrevista cio de ouro. O que é isso? Você olha para o cliente

de que cautela é essencial. Tente fugir de jargões, exageros, mentiras e

e, antes de qualquer manifestação, busca entender

evite falar demais. A sinceridade é muito mais bem vista e aceita pelos

o estilo dele. Se é um cliente que entra na sua loja

clientes do que uma simpatia exagerada, que soa como falsidade. O des-

com passos apressados, provavelmente vai querer

preparo e a insegurança também atrapalham a credibilidade do profis-

falar rapidamente sobre o que deseja. Se é um clien-

sional.

te que entra de forma mais lenta, olhando tudo, é importante que você vá preparado para fazer uma

Revista Papelaria & Negócios - Como o lojista deve se posicio-

abordagem mais calma, um pouco mais tranquila. O

nar em relação a sua equipe de vendedores, que tipo de assistência

cliente é que determina qual o estilo ou qual o nível

e suporte deve oferecer, visando o aprimoramento profissional dos funcionários?

“Hoje em dia é exigido que o vendedor deixe de focar na venda tradicional, na qual boa parte da energia é dedicada na apresentação do mix de produtos e fechamento, para a venda consultiva.”

Carlos Cruz - Quatro pilares são essenciais para treinar os vendedores: aplicar os indicadores de resultados já utilizados no estabelecimento, a fim de mensurar o desempenho e melhorar; respeitar os processos de vendas, para que todos conheçam as estratégias adotadas para influenciar o processo de compra; exigir competências do vendedor, como disciplina, comunicação, criatividade, adaptabilidade e empatia; e saber motivar, pois nada adianta todo o conhecimento sobre as técnicas se não houver motivação para aplicá-las. Revista Papelaria & Negócios - Como o vendedor pode atrair e cativar o cliente/consumidor? Carlos Cruz - O vendedor profissional deve apostar em uma comunicação assertiva, isso é, conhecer o mercado e argumentar de maneira concreta, capaz de mostrar ao cliente a importância do produto e/ou negócio em questão. É necessário inspirar confiança, ser agradável e ter empatia para entender o que o cliente quer. São esses detalhes que fazem toda a diferença na relação entre cliente e vendedor. Revista Papelaria & Negócios - Independente da área em que atua, quais as recomendações gerais para os vendedores? Carlos Cruz - Saiba investigar, perceber o que o cliente precisa, utilizando perguntas e conversando amigavelmente. É o primeiro passo para

de agressividade que vai ter esse primeiro contato

um bom negócio. Ajude o comprador na tomada de decisões e na con-

na abordagem.

solidação de sonhos. Venda mais que serviços ou produtos, ofereça a solução de problemas ou necessidades.

Revista Papelaria & Negócios - Quais são os

12

principais equívocos cometidos pelos vendedo-

Revista Papelaria & Negócios - Qual a mensagem para o mercado?

res?

Carlos Cruz - Trabalhar com vendas, assim como em qualquer outra

Carlos Cruz - A falta de empatia é um proble-

profissão, exige conhecimento específico e habilidades relacionadas di-

ma. É preciso criar identificação com o comprador e

retamente ao dia a dia. Atualmente, fazer uma venda é possível apenas

transmitir boa impressão. Ser invasivo também é um

para quem prova que as soluções disponibilizadas permitem otimizar os

erro, procure sempre o diálogo e nunca se esqueça

resultados do comprador, em diferentes áreas.


Lançamentos

Cadernos

Com essa nova geração, estudar ficou muito mais divertido Inspiração não falta à indústria caderneira que apresenta a sua nova coleção

Se tem um item da lista de material escolar que é aguardado com expectativa pela criançada e até mesmo pelos mais crescidinhos, sem dúvida alguma é o caderno. Estampas e cores com referências na moda; personagens e marcas que estão em evidência na TV, nos cinemas e nos games; recursos gráficos aprimorados e a indústria segue investindo pesado no desenvolvimento das coleções e leva para o mercado opções bem elaboradas e criativas. A coleção 2016 do fabricante de Campina Grande (PB), considerado o

A Cadersil virá com 33 linhas de cadernos, atendendo os mais variados tipos de consumidores e com temas que contemplam moda, música, esportes e outros.

14


Lançamentos sétimo maior caderneiro do Brasil e líder de mercado nas regiões Norte e Nordeste do País, a Cadersil, virá com 33 linhas de cadernos, atendendo os mais variados tipos de consumidores e com temas que contemplam moda, música, esportes e outros. São 11 novas linhas, com cadernos universitários espiralados – que representam 70% da produção - voltados para os públicos jovem, feminino e masculino. A coleção conta também com cadernos 1/4 com espiral, universitário, 1/4 brochura, de desenho e com capa plástica e fechamento com botão. Cartela de adesivos, bolsas plásticas e pocket, tabela periódica, miolo decorado, guarda personalizada, hotstamp dourado e glitter acompanham os cadernos Cadersil. “Para a nova coleção empregamos recursos gráficos diferenciados nas capas. Aquarela, estampas e texturas combinam com frases, fotografias e ícones do universo infanto-juvenil. As linhas Premium têm aplicações de hotstamp dourado e glitter. A nossa proposta é estar sempre na vanguarda, fabricando cadernos com preços justos e de maneira responsável em relação às pessoas e ao meio ambiente”, afirma Laércio Barros, do departamento de marketing da Cadersil. Para a safra 2016, a empresa pretende Na linha da Cadersil, aquarela, estampas e texturas combinam com frases, fotografias e ícones do universo infantojuvenil.

obter um crescimento na ordem de 14%. “O crescimento sólido dos últimos anos pautado por nosso processo de expansão da área de atuação - hoje atendemos todo o Brasil -, aliado a práticas eficientes de produção, distribuição planejada e ampliação gradativa do mix de produtos feita a partir de pesquisas de tendências e comportamento do público final são aspectos que levam-nos a projetar essa expectativa de crescimento.”

Marcas e personagens nos cadernos escolares O licenciamento é uma importante ferramenta utilizada pelo fabricante Foroni para atrair e conquistar os consumidores. Este ano dentre as novidades e destaques em suas coleções estão: Thinker Bell, Divertida Mente, Jurrasic World, Olimpíadas Rio 2016, Gabriel Medina, Lala Loopsy, Henry Monstrinho, Descendentes e MTV, que devem fortalecer ainda mais o seu mix de marcas formado por propriedades como Barbie, Marie, Ferrari, Peppa Pig, Moranguinho, Minions, Batman, Carros, entre outros. “Nossa linha de cadernos está recheada de opções para todos os tipos de consumidores. Além das propriedades, investimos em recursos gráficos como hotstamp e laminação fosca, utilizamos também aplicações em glitter e há capa que brilha no escuro e promote ser sensação entre os ado“Além das licenças, investimos em recursos gráficos e em novidades como a capa que brilha no escuro e promote ser sensação entre os adolescentes”, Ricardo Baena, da Foroni.

16

lescentes”, observa Ricardo Baena, gerente nacional de vendas da Foroni. A empresa acredita que em um ano com uma perspectiva mais desafiadora como 2015 é preciso manter o compromisso com os clientes em oferecer soluções que fortaleçam o faturamento e por isto a empresa


está investindo em novas e fortes licenças e na manutenção dos investimentos de trade marketing. “Manteremos ainda mais foco no trabalho de desenvolvimento de planos personalizados aos clientes estratégicos e criaremos modelos mais dinâmicos a toda nossa base de clientes, através de planogramas de negócios que são desenvolvidos para conceitualmente gerar um melhor fluxo nas lojas com um faturamento de maior valor agregado”, esclarece Baena. Uma das cinco maiores fábricas de cadernos do país, a São Domingos tem uma produção anual de 12.000 toneladas, destinadas ao mercado interno e à exportação. São cadernos universitários, de cartografia, pedagógicos, cadernos CD costurados, brochuras, brochurões capa flexível e capa forte, além das cadernetas de anotações. O gerente comercial da São Domingos, João Antônio Corniani, lembra que as capas dos cadernos acabam sendo o elemento que muitas vezes definem a opção do usuário, por isso, lembra que elas têm que ser muito bem elaboradas. “Nós utilizamos hotstamp, glitter, verniz UV localizado, laminações com efeitos holográficos e demais recursos para agregar valor, beleza e um to-

O licenciamento é uma importante ferramenta utilizada pela Foroni para atrair e conquistar os consumidores.


Lançamentos que de sofisticação aos cadernos.” Em relação à parte interna, o gerente da São Domingos lembra que como se destina à escrita é preciso preservar ao máximo possível a área. “No miolo predomina a sobriedade e a praticidade, com design discreto.” Das 53 coleções de cadernos da São Domingos, 32 são licenciadas. Há várias opções da tradicional Turma da Mônica; diretamente da Dreamworks, os destaques são: Home, da animação recém-lançada ou os grandes sucessos nos cinemas como Mr. Peabody Divertida Mente, franquia dos estúdios Pixar, está no portfólio da Foroni.

& Sherman, Pinguins de Madagascar, Gato de Botas e Kung Fu Panda; da Warner Bros. são as coleções Looney Tunes, Penélope Charmosa, The Flash, Catwoman, Arqueiro Verde, Superman e DC Friends. Para o público um pouco mais velho há opções como CSI, Dog Patrol, Nicoboco, Cobra D’Água, Jordana, Einstein e Playboy. E tem mais novidade, a celebrada série Walking Dead. Sobre a expectativa de negócios, João Antônio afirma que apesar da atual situação econômica do país, espera-se um crescimento em torno de 10% em relação ao ano anterior. “Temos informações de que o mercado está desabastecido, visto que no último volta às aulas as lojas compraram menos, então, acreditamos que para a próxima temporada os resultados sejam melhores.”

Tendências das passarelas A cada ano a Dac vem ampliando sua linha de cadernos, que de início apresentava apenas modelos de 10 matérias, hoje o portfólio apresenta modelos de 1 e 15 matérias, além das cadernetas de anotações. Todos os cadernos Dac são Das 53 coleções de cadernos da São Domingos, 32 são licenciadas.

de capa dura e 90% do portfólio é direcionado ao público feminino. Os modelos escolares têm adesivos personalizados, elástico para fechamento, divisórias de matérias e as capas trazem novidades

18


Lançamentos no acabamento: aplicação de hotstamp e verniz que levam mais sofisticação e destaque aos produtos. Já os cadernos de anotações têm relevo nas capas que são encapadas com papel metalizado. “O uso de conceitos criativos e que são tendências no mundo da moda e a qualidade nos acabamentos são os atributos que hoje fazem parte do sucesso dos cadernos. A linha 2016 apresenta 22 modernos conceitos”, cita Nathalia Ibelli, analista de marketing máster da Dac. Na categoria de cadernos escolares são 9 estampas femininas e 3 masculinas. Tem, por exemplo, a linha College que traz o conceito indie rock, com ilustrações de spikes, corações, caveiras e asas; Flower, uma coleção mais delicada com a leveza das flores; linha Lace que apresenta a última tendência das passarelas, que é a mistura das estampas animal print, renda e flores. Os cadernos vêm com adesivos decorados, divisórias de matérias e as folhas são decoradas com desenhos referentes às capas sem, no entanto, invadir o espaço da escrita. Na categoria de cadernos para anotações são 10 modelos de estamHomer, animação recém-lançada da Dreamworks, é um dos destaques da São Domingos.

pas abstratas metalizadas que decoram as capas duras e dão um toque de sofisticação. Estão disponíveis em três formatos: pequeno, médio e grande. Os papéis dos cadernos de anotações têm a coloração chamada de yellow gold, para não cansar a visão. O modelo brochura tamanho pequeno não tem pauta, já o brochura tamanho médio e o brochura espiral tamanho grande vêm com pauta. A analista de marketing da Dac, Nathalia, lembra que ainda existe uma fatia de consumidores que são adeptos aos fichários e, por isso, a empresa continua apostando também neste produto. A coleção 2016 traz 13 conceitos criativos: 10 modelos femininos e 3 masculinos. Destaca-se a linha So Cute que traz o conceito folk com estampa étnica e tecido em camurça, tem a Love Heart com tachas metalizadas, aplicadas em material nobre e uma fita entrelaçada com fundo em jeans preto e a Lume com os ícones de Londres, além de um chaveiro removível e placa dourada em metal. As referências vindas do universo das passarelas também inspiram o fabricante de cadernos, Confetti, que traz ainda ou-

Caderno College, da Dac, tem o conceito indie rock, com ilustrações de spikes, corações, caveiras e asas.

tros diferenciais , a começar pelo tipo de matéria-prima utilizada. Os cadernos são

Atenta à tendência das passarelas, a Dac em sua linha Lace traz uma mistura das estampas animal print, renda e flores.

20


Lançamentos Os cadernos da Confetti são produzidos a partir de chapas de PP e TERA, este feito com caixas tipo longa vida pós-consumo.

produzidos a partir de chapas de PP e TERA (este feito com caixas tipo longa vida pós- consumo, que após serem coletadas pelos catadores vão para um centro de triagem e reciclagem, retirando-se todo o papel, que segue para as empresas fabricantes de papel. O restante é uma mistura de plástico e alumínio, que a Confetti utiliza para produzir as chapas). A empresa apresenta este ano cadernos nas opções escolar, executivo e universitário. Este último, em dois formatos: com 96 ou 192 folhas. A Confetti realizou um pré lançamento de seus cadernos na feira de papelaria de Nova York - NSS (National StatioOs fichários estão no portfólio da Dac. Estampas étnicas, tachas metalizadas e ícones de Londres são algumas opções trabalhadas.

nery Show) e dois deles foram selecionados para finalistas de melhores produtos. O modelo Flex, que tem lombada quadrada e folhas picotadas, pode ser enrolado sem deformá-lo e é disponibilizado nas linhas Nepal e Cashemir. O outro modelo selecionado foi o Mood, com divisórias reposicionáveis, podem expressar o humor do momento. Os detalhes são cuidadosamente elaborados nos cadernos da Confetti, observa Silvia Regina Slinger Rettmann, diretora de criação. A empresa utiliza diferentes recursos gráficos. São impressões em silk screen ou digital, há versões com texturas, outros flocados e com glitter. Destacam-se também os espirais, que são mais espessos e resistentes e os wire os, que têm uma contracapa rígida. “Nosso público é jovem adulto, moderno, criativo e exigente. É o tipo de consumidor que tem também consciência ambiental, por isso, temos que criar opções que atendam a todas essas exigências e ainda que sejam produtos de bom desempenho e qualidade”, conclui Silvia.

22

Impressões em silk screen ou digital, versões texturizadas, flocadas e com glitter estão entre os recursos gráficos usados pela Confetti.


Lançamentos

A história e o sig Como surgiu o caderno

No século 17, nos colégios de elite, os alunos tinham um “livro branco”. Encadernado, e muitas vezes grosso, era feito de folhas de papel virgem. Nesse suporte, os estudantes copiavam os textos que acabavam de

Na antiguidade, os egípcios, os gregos e os

traduzir (para o latim, o grego ou a língua falada na escola). A tradução,

romanos faziam seus registros em um papel

que constituía no exercício base, não era escrita no caderno, mas em uma

rústico, feito de papiro, uma planta comum no

folha avulsa. Só depois de corrigida ela era copiada no caderno. A fina-

Egito. Esse papel era muito frágil e por volta do

lidade do caderno não era avaliar o progresso do aluno, e sim acumular

ano 400 a.C. surgiu o códex. O códex tinha um

todos os textos trabalhados, como se fosse um “livro de memória”, sem

formato parecido com dos livros atuais e era

erros.

fabricado a partir do pergaminho, o qual usa-

Nas escolas dos mestres escrivães aritméticos, o princípio era o mes-

va o couro lavado, esticado e seco de animais.

mo. Os discípulos de comerciantes e artesãos aprendiam a escrever e fa-

Depois, ele era dobrado duas vezes e formava,

zer contas e o caderno utilizado para tal servia por toda a vida, reunindo

assim, quatro páginas. Suas folhas eram costu-

os exemplos (as operações e as resoluções de problemas) e os modelos

radas com nervos de animais e tiras de couro. Os

(de escrita, de caligrafia, fórmulas de correspondência, apresentação de

romanos chamava-o de quatemi, termo que deu

contas, de faturas, de orçamentos etc.). Era um tipo de “obra-prima”, ca-

origem ao nome caderno.

paz de provar que o estudante chegou a um nível de habilidade - todos

Por volta do século III, na Roma antiga, os chamados “avós” dos cadernos de nossos dias

os testes eram feitos em tabletes de cera, que se desfaziam ou em folhas avulsas, que não eram conservadas.

foram se aperfeiçoando e, tendo folhas mais

Nas escolas onde a população frequentava também não existiam ca-

finas de pergaminho e às vezes coloridas, cha-

dernos. A minoria que permanecia na escola depois das aulas se reunia

madas de livretes, passando a ser encadernados

para aprender a escrever e contar. Os escritos que o professor julgava

com chapas de marfim decoradas e se torna-

bem-sucedidos eram conservados e só depois reunidos e encadernados

ram objetos de grande valor ao ponto de ser-

para formar um caderno.

vir como presente a pessoas importantes, con-

Nas três situações, o caderno era um manuscrito livre, que o aluno

tendo dedicatórias e poemas. Outros nomes

construía para manter a memória daquilo que ele aprendeu e que dava

foram surgindo como: hombook (hom=chifre;

testemunho de seu conhecimento. Como se destinava a ser consultado

book=livro). Esses livros foram usados até na Ni-

como um livro, não devia conter erros. Não é de espantar que os cadernos

géria, nos séculos XVI e XIX, para ensinar o Co-

escritos antes de 1850 passem a impressão de um tempo em que todos

rão, a obra sagrada da cultura dos mulçumanos.

os alunos eram excelentes.

Os cadernos sempre estiveram presente na vida

O que muda no uso dos cadernos são as inovações tecnológicas. Elas

dos artistas. Os chamados Sketchbooks (sketc =

definem de outro modo a relação entre o oral e o escrito e entre a leitura

anotações, registros; books=livros) foram usa-

e a escrita. Na metade do século 19, o caro papel de tecido foi substituído

dos por nomes como Leonardo da Vinci, Pablo

pelo papel de celulose. O preço caiu pela metade e os cadernos ficaram

Picasso (pintor), Henry Moore (escultor), Frida

ao alcance da maioria. Ao mesmo tempo, se difundiam as plumas com

Kholo, Petr Ginz e Ane Frank.

ponteiras de aço, mais fáceis de usar (com elas, os alunos aprendiam a escrever mais cedo do que nos tempos das plumas de ganso). Dessa for-

Fonte: Revista Ciência

ma, nos cadernos que foram conservados é possível ver linhas de letras e sílabas escritas pelos iniciantes, que tentavam escrever primeiramente em

24


nificado do caderno grandes traços, depois médios e, por fim, muito finos. Assim é possível

ponto de vista sobre a criança e pela chegada de

ter uma ideia do percurso que os alunos faziam anteriormente. Começa

novas ferramentas à escola. As normas educativas

a nascer o caderno que dá uma visão do aprendizado em andamento.

familiares ficaram menos autoritárias, a Psicologia

Na França, enquanto os alunos do Ensino Médio continuavam a fazer có-

do desenvolvimento permitiu aos pais acompa-

pias impecáveis de textos corrigidos pelos mestres, os do Ensino Fun-

nharem os primeiros rabiscos dos pequenos e os

damental foram submetidos a outra organização. Na Terceira República

novos instrumentos de escrita (lápis de cor e cane-

(1870-1940), como a escola se tornou obrigatória, o governo pedia que

tas coloridas) começam a ser usados. Os exercícios

os professores reunissem em um único caderno (o chamado “caderno do

gráficos e o desenho à mão livre começaram a ser

dia”) todos os exercícios feitos em classe à medida que eram executados.

explorados na Educação Infantil. Nas turmas dos

A ordem era que os escritos fossem ser uma imagem fiel do que cada alu-

pequeninos não havia cadernos, anotações e cor-

no era capaz de fazer no momento em que o aprendizado era adquirido.

reções. O foco do projeto pedagógico era favorecer

Dessa maneira, os inspetores que chegavam às classes podiam avaliar os

as atividades lúdicas. Produções feitas em grandes

mestres e o trabalho deles com maior eficiência. Podiam ver as diferenças

folhas e com tinta, lápis de cor e canetas coloridas

entre os alunos e o progresso de cada um e constatar como a aula era

passaram a ser colecionadas no portfólio que o edu-

organizada.

cador enviava aos pais no fim do ano como uma

Entre 1880 e 1900, o caderno se tornou um verdadeiro espelho

evidência do trabalho de seu filho. A partir deste

da organização dos avanços dos alunos e da semana: ao lado das li-

material eles podiam checar como a criança evoluiu.

nhas de escrita, dos ditados e dos problemas, observavam-se mapas,

Os cadernos passaram a testemunhar os avanços

desenhos científicos, cronologias e numerosos motivos decorativos.

dos alunos e os professores não sentiam mais ver-

Entretanto, como a lembrança dos cadernos “sem erros” da geração

gonha dos erros da turma e os considerava normais.

anterior ainda era muito presente, ficava impossível fazer as escritas

Além disso, a chegada de aparelhos de reprodu-

aparecerem “no primeiro esboço”, como em um caderno de rascunho.

ção (como mimeógrafos e fotocopiadoras) tornou

O trabalho dos alunos se fazia, então, em dois momentos: o rascunho

rapidamente inúteis as atividades antigas de cópia:

era mostrado ao mestre, que indicava correções (coletivas ou indivi-

por que reproduzir manualmente um texto se o pro-

duais) e, depois, a correção do exercício, “passada a limpo”. Tem-se

fessor pode distribuir para cada aluno um impres-

um testemunho do aprendizado, mas não a escrita espontânea nos ca-

so? Em alguns anos, a figura dos cadernos mudou.

dernos. A diferença com os cadernos contemporâneos continua mui-

Os exercícios em que o aluno deve simplesmente

to grande. Entretanto, os dessa época, parecem bem menos belos

preencher as lacunas, completar as informações,

do que os antigos. Certos professores da velha geração demoraram

se multiplicaram. As várias tarefas fizeram com

a aceitar as novas normas e preferiam manter os ditados sem erros.

que os cadernos se tornassem bem mais grossos

Foi preciso esperar os anos 1920 e 30 para que se generalizasse

e se multiplicassem para as diferentes disciplinas.

o uso da tinta vermelha para as correções do professor, as anota-

Nota-se que em dois séculos, o caderno deixou de

ções e as felicitações e as críticas duras aos erros e, sobretudo, à fal-

ser um livro de memória (antes dos anos 1850 e 60),

ta de cuidado (revelada em folhas sujas e escrita desleixada). Até

passou a ser uma vitrine do trabalho escolar (de

os anos 1960, o caderno não testemunhava as competências pes-

1880 aos anos 1960 e 70) e, por fim, o espelho das

soais do aluno, mas o desempenho que se podia esperar dele quan-

aprendizagens em curso (a partir dos anos 1970).

do estivesse integrado ao grupo e recebesse a vigilância do docente. A última época foi marcada ao mesmo tempo por uma mudança de

Fonte: Revista Nova Escola


26


Tendência

Mochilas escolares

Objetos de desejo Bem elaboradas, confortáveis, resistentes e com um visual para encantar, as mochilas são um capítulo a parte na categoria de itens escolares

Fica cada vez

mais difícil para o consumidor decidir qual mochi-

la comprar. São tantas as opções que torna-se um grande “problema” ter que escolher uma. Não são apenas as várias estampas, licenças e estilos que chamam a atenção, os mochileiros vêm caprichando também em detalhes relacionados ao bem-estar e conforto dos usuários. Alças acolchoadas, formatos ergonômicos, rodinhas mais resistentes, materiais mais leves e produtos devidamente aprovados pelo Inmetro são alguns dos aspectos levados a sério pelos fabricantes. A empresa Clio oferece ao segmento escolar uma linha diversificada de mochilas, há opções com personagens próprios e licenciados, chegando a mais de 30, além de estamparia e aviamentos exclusivos. Em 2016 uma nova marca entra para o seu portfólio: Hotel Transilvânia 2, com a turminha do Conde Drá-

Uma nova marca entra para o portfólio da Clio: Hotel Transilvânia 2, com a turminha do Conde Drácula. A mochila vem com uma capa removível, que deixa o produto ainda mais divertido.

cula. A mochila vem com uma capa removível, que deixa o produto ainda mais divertido. Para o público teen, a Clio desenvolveu linhas criadas a partir de pesquisas de moda e exigências dessa galerinha. Tem, por exemplo, a

versão com a it dog Rebecca Bonbon, que volta em peças elaboradas com detalhes em patch, matelassê, puxadores personalizados, além de porta ipad. Outra opção é a Hay Up, que traz apostas como a tradicional estampa Navy, o clima retrô e a dupla do jeans misturado ao detalhe com rendas. Com a nova coleção, vem o lançamento da Hay Up Premium, uma linha masculina desenvolvida com materiais modernos e de alta tecnologia. E tem mais novidades para

28


Tendência O uso de materiais que exploram cores e a interatividade é destaque na linha da Clio, como na mochila da Princesa Yris com a sua saia em tecido voil.

a temporada 2016: a Clio desenvolveu um novo tamanho de mochila, em dezesseis polegadas, feita na medida da necessidade das meninas e dos meninos. “Viemos pau-

tados numa forte pesquisa de referências da moda e comportamento de consumo que nos nortearam na criação de novos personagens como o Robot Warriors, além dos carros versáteis que se transformam em robôs na linha Racing Club. Já a coleção infantil feminina ganhou uma remodelação de algumas personagens, buscando alinhamento com o público final, que é ansioso por uma linguagem ainda mais descolada e fashion. Um exemplo é a linha da Candy e Lisa, duas “it meninas”, super modernas e descoladas. Para a galera juvenil o trabalho foi voltado para o uso de uma estamparia e silks exclusivos, explorando ícones do ambiente cool e cheio de tecnologia em que vivem, além de modelagem Referências da moda e do comportamento de consumo norteiam o desenvolvimento das mochilas Clio. A coleção Hay Up explora a dupla jeans e rendas.

moderna, puxadores personalizados e materiais tecnológicos”, cita Carla Gonçalves, do marketing da Clio. A linha infantil da marca, composta de mochilas com e sem carrinho em tamanhos variados, é rica em detalhes. As frentes das mochilas, por exemplo, são sempre trabalhadas com materiais que exploram cores e a interatividade. O EVA expandido, por exemplo, dá a personagens mais vida através do seu efeito 3D. Há também detalhes holográficos que criam texturas diferenciadas, puxadores em metal personalizado, estampas

Hay Up Premium é a linha masculina da Clio desenvolvida com materiais modernos e de alta tecnologia.

e silks exclusivos. “Além destas características temos hits que fazem sucesso: mochilas com luzes que piscam com a interação da criança e que vem com super capa retrátil”, cita Carla. E para as meninas, a Clio investiu no 3D com efeito holográfico, como na linha da gatinha Nini, que muda os detalhes conforme a mochila é mexida. Tem também a coleção da Princesa Yris, com sua sai em tecido voil, o uso de matelassê, aplicação de glitter, patches, cetim e pedraria.

30


Novas opções para os consumidores brasileiros Pela primeira vez trabalhando no Brasil com mochilas escolares, a unidade brasileira do grupo mexicano Ruz traz opções de alças e com rodinhas. “Queremos entrar forte neste segmento e distribuir os nossos produtos, que vêm com design moderno, alegre e divertido, entre todas as grandes redes de varejo e pequenas lojas”, afirma o diretor, Francisco Cortez. O portfólio da Ruz Brasil virá com mochilas infantis das marcas Discovery Kids – o canal infantil pela primeira vez licencia a própria marca; Ursinhos Carinhosos – os personagens que fizeram um grande sucesso na década de 80 agora vêm repaginados e estão em programas de TV em vários canais e Plants vs Zombies – um dos games mais acessados pelas crianças do mundo todo e que já é um case de êxito no Brasil. O executivo lembra que relacionar os produtos escolares com os personagens preferi-

Game de sucesso no Brasil, Plants vs Zombies está nas mochilas do Grupo Ruz Brasil.


Tendência dos das crianças é fórmula do suces-

A mochila Princess Skull, da Dac, é voltada para o público pré-adolescente tem material matelassê na cor Pink.

so. “Além disso, o êxito está na convergência entre o estilo do produto com a licença escolhida.” Após quatro anos, a empresa Dac lança inéditas mochilas escolares. O fabricante investiu em pesquisas sobre o mercado mochileiro e aproveitou o gancho da pesquisa de tendência realizada para a nova coleção volta às aulas 2016. Com isso, os modelos apresentam atrativos para um direcionamento apropriado ao público-alvo: alças almofadadas e resistentes, bolsos com zíper, repartições internas, tecidos de alta qualidade, apliques de detalhes em metal e estampas que seguem as tendências do mundo da moda. “A estratégia é complementar as linhas escolares com um produto de alto valor agregado. Apresentamos novi-

dades como: Princess Skull voltada para o público pré-adolescente, tem material matelassê na cor pink; para o perfil adolescente a adulto, a linha Sucesso na década de 80, os Ursinhos Carinhosos vêm repaginados nas mochilas Ruz.

Em sua estreia com a linha de mochilas escolares, a Ruz Brasil aposta em licenças como Discovey Kids, Ursinhos Carinhosos e Plants vs Zoombies.

32


Tendência Vintage Style, na versão preta e roxa com ilhós dourado e estampas de animal print; tem também a So Cute em PVC nobuk na cor goiaba e estampa étnica e a linha Love Heart na cor preta, etiqueta em metal, PVC preto com aplicação de tachas e detalhes em jeans com fita de cetim”, cita Nathalia Ibelli, analista de marketing master da Dac. A intenção do Grupo Yangzi com a sua marca de mochilas Colorizi é oferecer proPela primeira vez, a marca Discovey Kids tem produtos licenciados com a sua marca. A linha escolar traz mochilas e outros produtos desenvolvidos pela Ruz.

dutos de qualidade, desenvolvidos exclusivamente para os consumidores brasileiros e a um baixo custo. “Para 2016 oferecemos as linhas pré escolar e infantil dos clássicos Disney, tem ainda a variedade de estampas na coleção West Pack e a mochila 2 em 1 que é uma mistura de fashion bag e mochila. Trabalhamos com diversas fibras de tecidos, prezando sempre pela resistência e beleza, além da variedade nos detalhes desenvolvidos em PVC, EVA, entre outros materiais”, exemplifica Guga Almeida, diretor de marketing e produtos do Grupo Yangzi. A Foroni busca oferecer aos seus consumidores mochilas que se adaptem ao estilo de vida atual. “Nos posicionamos como uma marca que traz produtos alinhados com a moda e as tendências atuais do segmento, que apontam para materiais resistentes, cores e detalhes contemporâneos, funcionalidade com compartimentos multiuso e de fácil visualização e acesso, além de conforto ao usá-la”, explica Marici Foroni, diretora de marketing da Foroni. Na coleção 2016, a marca trará uma linha bastante colorida e alinhada às tendências de moda. Tem opções fabricadas em nylon e poliéster que imitam fibra de carbono, as alças das mochilas são reforçadas e acolchoadas e há vários detalhes que podem variar de acordo com o modelo como: bolsos frontais com fechamento em

Aplicação de tachas e detalhes em jeans com fita de cetim destacam-se na linha Love Heart, que também compõe o portfólio da Dac.

34

Estampa ética na mochila So Cute, em PVC nobuk, da Dac.


Tendência Clássicos Disney como os 101 Dálmatas e Margarida estão nas coleções 2016 da Yangzi.

zíper, porta laptop, compartimentos/bolsos organizadores de fácil acesso, case removível para laptop, compartimento na parte traseira para acondicionar as alças e hastes retráteis em alumínio, entre outros. Além das mochilas escolares e totebags, a Foroni lançará o “sketch folio”, um porta caderno e/ou porta tablet, segundo o fabricante, super inovador. E, na linha licenciada, a empresa trabalha com a marca Ferrari e Paul Frank na coleção de totebags. Corujas, animados ícones emoji e temas florais  estão presentes nas mochilas da A mistura de fashion bag e mochila é uma novidade da Yangzi.

Obi Brasil, que tem a proposta de oferecer mochilas com o melhor custo e valor agregado do mercado, sempre com resultado positivo para os seus parceiros lojistas e sem pesar  no bolso do “Nos posicionamos como uma marca que traz produtos alinhados com a moda e as tendências atuais”, Marici Foroni.

Resistência, beleza e a variedade nos detalhes são destacadas pela marca Yangzi.

36


Tendência Na coleção 2016, a Foroni trará uma linha bastante colorida e alinhada às tendências de moda.

consumidor final. “Embora o cenário econômico no Brasil não seja favorável, planejamos aumentar nossas vendas em 15%. Acreditamos que podemos chegar a este índice por comercializarmos produtos diferenciados a  preços  competitivos”, justifica Ricardo Chuang, diretor da Obi Brasil

Distribuidora.

Ergonomia e conforto A nova linha da Holly é composta por modelos de grande funcionalidade, com amplo espaço interno, diversos bolsos e compartimentos. “O foco desta coleção, além da funcionalidade, beleza e ostentação das marcas que licenciamos, está também na ergonomia e no conforto no seu uso. Diversos modelos, por exemplo, possuem o ajuste lateral, que minimiza o movimento dos pertences dentro da mochila, e o peitoral, que prende melhor a mochila no corpo, diminuindo o peso sobre os ombros e a pressão sobre a coluna. Em toda coleção, utilizamos poliéster de altíssima qualidade e resistência, proporcionando maior segurança e proteção aos pertences. As costuras são reforçadas e a parte da mochila que tem contato com o corpo é espumada, visando a ergonomia e conforto”, explica Marcelo Coelho, gerente

A Obi Brasil tem a proposta de oferecer mochilas com o melhor custo e valor agregado do mercado.

de produto da Holly, desPara os fãs da marca Ferrari, a Foroni traz diferentes opções de mochilas.

tacando que a marca é voltada ao jovem de personalidade, que preza pela diversidade cultural e a troca de experiências. “Nossa mochila é o produto perfeito para viajar, para ir à escola, faculdade ou simplesmente para quem deseja uma mochila linda para o dia a dia.”

38


Tendência A linha da Holly é composta por modelos que priorizam a funcionalidade, com amplo espaço interno, diversos bolsos e compartimentos.

A Holly também trabalha com coleções licenciadas e em 2016 estará com mochilas da Mormaii, Ecko Unltd., Qix e Risca.

Interatividade A interatividade é o ponto alto na linha da Xeryus. Na mochila do Minion é possível trocar os óculos do personagem.

A interatividade é o ponto alto na linha da Xeryus, que apresenta mochilas com patches removíveis que dão a possibilidade do consumidor interagir com o produto, como no caso da mochila Moranguinho “DressUp”, em que a consumidora pode trocar a roupinha da personagem. Já na mochila Minion é possível trocar os óculos da criaturinha amarela. “Além disso, estruturas em 3D, contornos em relevo, painéis frontais 3x1 ou 2x1, que mudam a estampa da mochila de acordo com o gosto da criança, atributos como plush, cetim, holografia, glitter, identificadores e carrinhos personalizados também

A Holly também trabalha com coleções licenciadas e em 2016 estará com mochilas da Mormaii, Ecko Unltd., Qix e Risca.

40


Há mochilas da Xeryus em que a criança pode trocar os painéis frontais.

fazem parte da nova coleção”, comenta Carolina Turtelli de Andrade, gerente de marketing da Xeryus. Carolina afirma que o licenciamento contribui de forma expressiva nas linhas escolares, agregando valor ao produto, diferenciando-o no ponto de venda e quando possui visibilidade e destaque na mídia com o lançamento de filmes, desenhos animados exibidos em paytv e TV aberta, o sucesso é garantido. Em sua linha 2016, a empresa traz Avengers Age of Ultron, Alice in Wonderland, Holly Hobbie, PawPatrol, Invizimals, Dragons, Pac Man, Lalaloopsy, Minions, Winx, Galinha Pintadinha, Peppa Pig, Dora a Aventureira, Backyardigans, além dos clássicos como Batman, Liga da Justiça, Moranguinho, Marvel Comics, Smurfs, Scooby Doo, Pica Pau, times de futebol (nacionais e internacionais), Pretorian e UFC. “A Xeryus se posiciona como uma empresa inovadora, que está sempre em busca de novidades para oferecer o que há de melhor para o consumidor, com um preço sempre competitivo”, afirma Carolina.

O licenciamento, as estruturas em 3D e os contornos em relevo se destacam nas linhas da Xeryus.


Categoria de Produto

Agendas Elas continuam sendo indispensáveis

Coleções 2016 Está chegando a época em que as papelarias começam a dedicar um espaço maior para elas: as agendas. Pela diversidade apresentada pelos fabricantes pode-se constatar de que se trata de um produto utilizado pelos mais diferentes perfis de consumidores: crianças, jovens, executivos(as), profissionais liberais, donas de casa e todos aqueles que sentem a necessidade de ter um produto que os ajude a lembrar e organizar compromissos, fazer as mais diversas anotações, entre outras tarefas. A cada ano a marca Rotermund faz alguma mudança em suas agendas, que pode ser um detalhe na matéria-prima, no acabamento, nas cores ou grandes mudanças. A inspiração para a coleção 2016 está na moda, naquilo que as pessoas veem e desejam para si, das linhas em zigue zague de uma poltrona, a uma

As estampas florais e geométricas estão presentes nas agendas da Rotermund em sua linha chamada Pop.

peça de roupa, passando por um detalhe na arquitetura ou o que está nas vitrines. A coleção da Rotermund vem mais alegre e desenvolvida para encantar. Com o sucesso dos livros para pintura, por exemplo, o fabricante levou a proposta para uma agenda. “Criamos um modelo em que o cliente pode personalizar sua capa pintando os modelos com as cores da sua preferência”, explica Gilda Curtinaz, coordenado-

42


Categoria de Produto ra de vendas varejo da Rotermund. Em 2016 o grafite, uma das principais expressões urbanas, também ganhou destaque no mix da marca, com um modelo de capa que possui imagem históA inspiração para a coleção 2016 da Rotermund está na moda, naquilo que as pessoas veem e desejam para si.

rica: o trabalho de grafite no muro de Berlim. “Desta maneira buscamos o incentivo da escrita, diminuindo o uso da linguagem abreviada da tecnologia”, ressalta Gilda. Outro modelo que ganha destaque na coleção 2016 é a que traz na capa algumas imagens alusivas à sorte, seguindo um padrão de comportamento e o desejo que o próximo ano seja muito melhor. As estampas florais e geométricas também estão presentes nas agendas da Rotermund, neste caso na linha Pop. A coordenadora de vendas afirma que a empresa desenvolve suas agendas com o intuito de criar o desejo no consumidor “O nosso objetivo é que ao encontrar com as nossas agendas nas lojas, o consumidor se identifique e queira comprá-las.” Sobre o cenário de comercialização das agendas, Gilda explica que ao fazer um comparativo com 20 anos atrás, atualmente a demanda está menor em determinados segmentos e destaca duas principais razões: as empresas diminuíram a compra de agendas que eram dadas como brindes aos seus clientes e a tecnologia também atingiu a indústria gráfica. “Nós conseguimos manter os nossos clientes, que são fiéis ao que produzimos e por isso superamos todas as expectativas nas vendas de cada coleção. Mesmo com a economia em recesso, acreditamos que neste segundo semestre haverá alguma mudança favorável ao comércio e à indústria. Estamos trabalhando com uma projeção de 15% no aumento das vendas em relação ao ano anterior”, planeja a coordenadora. Estampas vitrais, étnicas, animal

Referências étnicas, florais, tecido color... a Produtos Kit investe na diversidade em sua coleção 2016.

print, floral tropical, aço escovado, poá, brilho e a grande novidade para este ano: a agenda tecido Color são apresentadas nas linhas 2016 desenvolvidas

44


pela Produtos Kit, que traz versões capa dura (nos tamanhos 11x16cm, 14,5x21cm), nos formatos horizontal, brochura e espiral. Ganham destaque as cores quentes para a linha Tropical com Florais e tons mais fechados na coleção Stylus Animal Print. “A parte interna de nossas agendas também está diferente: há novas estampas, mais espaço para anotações e foram adicionadas informações relacionadas às datas comemorativas e DDD’s do Brasil”, cita Pablo Galrão Balbi, coordenador de marketing da Produtos Kit. Voltada para o público adulto, a linha Dac 2016 foi desenvolvida pela equipe interna de designers, de acordo com as tendências de mercado, garantindo a exclusividade dos modelos. Segundo a empresa, a coleção está sofisticada, tem estilo, além da praticidade. É dividida entre modelos permanentes – que podem ser utilizados em qualquer ano; e os modelos anuais, para uso exclusivo do ano determinado. Na nova coleção há três modelos anuais de capas femininas nos tamanhos tradicional e mini, esta última tem formato perfeito para ser levada na bolsa. Na linha masculina são cinco modelos permanentes e três anuais, em cores neutras. “Os consumidores adaptados a novas tecno-

A Dac destaca em sua linha de agendas para o público adulto, sofisticação, estilo e praticidade.


Categoria de Produto logias não abrem mão do prazer da escrita. Eles têm nas agendas tradicionais, acessórios indispensáveis para registro de compromissos, aniversários, ideias e planos futuros. Razão pela qual a Dac tem conseguido crescer nessa categoria e planeja para 2015 aumentar as vendas de 15%”, justifica Nathalia Ibelli, analista de marketing master da Dac.

Atraentes e práticas No desenvolvimento das suas agendas, Agendas Dac. São três modelos anuais de capas femininas nos tamanhos tradicional e mini; e na linha masculina são cinco modelos permanentes e três anuais, em cores neutras.

a Confetti prioriza conceitos e aspectos que as torne atraentes e práticas. Silvia Regina Slinger Rettmann, diretora de criação da empresa lembra que as cores este ano estão bem femininas. São tons de salmon, rosa, vermelho, verde e roxo. “As capas das nossas agendas são bem variadas. Temos opções lisas nas novas cores, além dos tons pastéis e fluor. Temos estampas de flores, borboletas, com temas indianos, de animais, números e infantis. Há também as clássicas masculinas e algumas de couro ecológico.” A parte interna das agendas Confetti recebe a mesma atenção e cuidados que o desenvolvimento da capa e a cada nova coleção é repaginada. Esta coleção foi criada por um escritório de design, que deixou tudo mais bonito, “limpo” e prático. Todas as páginas têm um calendário do mês com as luas, a semana do ano, mês e dia da semana em três idiomas. A Confetti lançou um miolo semanal de mesa em duas versões: Espiral com capa preta em TERA (material 100% reciclado, feito de caixas tipo longa-vida pós consumo), chamada Black board e o Blocado com capa flex. Este modelo é feito com material fino e a agenda pode ser enrolada. A Confetti disponibiliza ainda, agendas com outras três opções de miolos diários: clássico, médio e mini. Silvia afirma que as vendas têm crescido anualmente, mesmo com a presença da tecnologia e o acesso da agenda nos smartphones. “Existe o hábito

As cores este ano estão bem femininas nas agendas da Confetti. São tons de salmon, rosa, vermelho, verde e roxo.

46


Categoria de Produto

Interação é o maior destaque gerido pelas tendências apresentadas na Foroni. Em alguns modelos de agendas há miolos com jogos, brincadeiras e receitas

do uso da agenda e um certo apego ao papel”, conclui.

Conteúdo interativo Interação é provavelmente o maior destaque gerido pelas tendências apresentadas na Foroni. Em alguns modelos de agendas há miolos com jogos, brincadeiras e receitas. Além das linhas de marcas próprias como Cupcake, Femme e Back to Black, o fabricante investe forte no licenciamento e em 2016 apresentará as coleções: Ferrari, MTV, Barbie, Minions, Marie, Rio 2016, Paul Frank e outros. “Teremos em nosso portfólio, as agendas escolares costuradas, no formato pocket e também costuradas, as espirais, masculinas e femininas, além da linha de executivas nos mais variados formatos e tamanhos”, cita Ricardo Baena, gerente nacional de vendas da Foroni. De acordo com Baena, o volume de agendas tem sido estável nos dois últimos anos sendo que no ano passado hou“O mercado de agendas não tem grandes perspectivas de crescimento, porém a Foroni nos últimos cinco anos vem adicionando volumes buscando alternativas para o público estudantil que ainda tem este instrumento como meio fundamental de sua organização pessoal”, Ricardo Baena, da Foroni.

48

ve uma leve retração nas agendas modelo jovem. “Sabemos que este mercado não tem grandes perspectivas de crescimento, porém a Foroni nos últimos cinco anos vem adicionando volumes buscando alternativas para o público estudantil que ainda tem este instrumento como meio fundamental de sua organização pessoal”, analisa o gerente.


Linhas desenvolvidas após muita pesquisa “A cada ano superamos o desafio de trazer para os clientes e consumidores a coleção de agendas mais completa do mercado, com modelos para crianças, jovens e adultos, meninos e meninas, estudantes, executivos, para todos aqueles que buscam facilitar a organização das tarefas do dia. Na coleção 2016 a Tilibra inova em marcas, licenças e modelos. Ouvimos nossos clientes e consumidores e transferimos aos nossos produtos aquilo que filtramos destas pesquisas”, afirma Karina Marchini, gerente de produto da Tilibra. Mediante esta afirmação, a empresa traz na coleção 2016 a Agenda de Recados, direcionada ao público adolescente, o modelo foi lançado nas marcas Minnie e Simpsons. Não são datados e apresentam espaços para anotações e registros da escola, reforçando o contato escola-família. As fãs de Capricho também encontrarão modelos diferenciados, páginas com dicas de maquiagem e espaços para mensagens das amigas. “Um dos grandes lançamentos da coleção 2016 é o modelo Ever After High. As bonecas que são sucesso na TV e no mercado de brinquedos chegam ao mix de agendas da Tilibra com 4 opções de capas, 1 dia por página, bolsa interna decorada e cartela dupla de adesivos. Enquanto que para os meninos, Avengers – Age of Ultron é o destaque. O filme estreou no Brasil e levou mais de 2,5 milhões de pessoas aos cinemas. Na Tilibra os heróis da telona estampam 4 diferentes capas de agendas 2016, além das páginas interiores decoradas com os personagens do filme e cartela dupla de adesivos”, destaca Karina.

Um dos grandes lançamentos da coleção 2016 é o modelo Ever After High. As bonecas que são sucesso na TV e no mercado de brinquedos chegam ao mix de agendas da Tilibra.


Categoria de Produto A agenda de Recados, da Tilibra, foi lançada nas marcas Minnie e Simpsons. Os modelos não são datados e apresentam espaços para anotações e registros da escola, reforçando o contato escolafamília.

A gerente da Tilibra afirma que o consumo de agendas não tem apresentado crescimento nos últimos anos. Entretanto, ainda é um mercado propício para inovações. “A coleção agenda Tilibra 2016 está completa com novos modelos, marcas e inovações.”

Versões clássicas e para adultos A equipe de pesquisa da Pombo busca inspiração nos mais diferentes universos: moda, decoração, cultura etc. Também trabalha com conceitos desenvolvidos e apresentados em feiras internacionais e que ditam tendências e conceitos para os próximos anos. “Além da qualidade costumeira da Pombo foram acrescentados no produtos acabamentos especiais, cores e traços diferenciados. Uma tendência presente em todas as agendas é a “pegada” mais adulta e clássica. A parte interna também recebeu esse toque especial. Hoje em dia, os consumidores não querem apenas artes carregadas na decoração, mas fazem questão de escrever numa folha muito bem desenvolvida, clean e charmosa”, analisa Hottny Hrelryson da SilA Pombo oferece a linha de agendas Ayrton Senna nas versões standard com conteúdo exclusivo do tricampeão e versão luxo com capa feita com material importado, elástico e porta caneta.

va, coordenador de marketing e produtos da Pombo. Em seu portfólio, a Pombo oferece a linha de agendas Ayrton Senna nas versões standard com conteúdo exclusivo do tricampeão e versão luxo com capa feita com material importado, elástico e porta caneta; PlayStation nas versões standard com conteúdo exclusivo

50


sobre a marca e versão luxo com material importado, porta caneta, elástico e acabamento com hot stamping e verniz. Em suas linhas próprias, a Pombo cita as coleções Più Belle (com apelo romântico) e Girls Must Have (pegada mais ousada) com acabamentos especiais e miolo decorado. Também fazem parte do mix, agenda jurídica com conteúdo específico para advogados; agenda de bolsa; de mesa; semanal que tem no final 32 folhas de caderno e régua marcadora; agenda comercial e a agenda Ivory, que tem classe e estilo, nas versões diária e semanal com folhas para anotações no final. “A Pombo tem agendas para todos os gostos e os nossos resultados têm sido positivos. Um dos motivos é a atenção que damos ao mercado, suas exigências e mudanças, sejam econômicas, sejam comportamentais. Para esta nova temporada pretendemos obter um crescimento de 10% no volume de vendas”, almeja Hottny.

Com apelo romântico, a Pombo desenvolveu a Più Belle. Já na linha executiva tem a agenda Ivory, nas versões diária e semanal com folhas para anotações no final.


artigo

Atrás do Balcão

Para ter sucesso em vendas e ganhar fãs, trate todos os clientes como VIPs! Vivemos um tempo de aceleradas mudanças. De um lado, clientes mais exigentes e informados, além de concorrentes cada vez melhores e poderosos. De outro, muito poucas empresas e profissionais que conseguem (de fato!) surpreender, oferecendo experiências memoráveis e marcantes a seus clientes. Isso acontece principalmente em virtude da falha na customização e * José Ricardo Noronha

personalização destas experiências às reais necessidades, desejos e sonhos de quem está do outro lado. Diante

desse

cenário,

clientes são cada vez menos leais e fiéis às marcas e aos produtos e serviços, muito devido ao pouco carinho e cuidado dedicados para atendê-los plenamente em suas individualidades e necessidades. Para ajudar no tão fundamental processo de transformação dos clientes em “fãs”, compartilho mais uma “dica de ouro” das empresas e dos profissionais que têm conseguido se destacar: trate todos os seus clientes como VIP! É bem possível que, em sua jornada profissional e até

54


artigo

mesmo na sua empresa, você já tenha ouvido que

chama todos os seus milhões de clientes no

todo cliente é VIP (“Very Important Person” – “Pes-

mundo todo.

soa muito importante”). E tenho certeza de que irá

Convidados que, de tão encantados,

concordar comigo que, de fato, todo cliente é mes-

se transformam em verdadeiros embai-

mo VIP, pois ele é a pessoa mais importante para

xadores da Disney pelos quatros can-

toda e qualquer organização. É para ele que vivemos

tos do planeta, exatamente como eu faço

e é por ele que existimos!

aqui neste artigo, sem ganhar um tos-

E quando falamos em excelência no atendimen-

tão sequer deles (até porque eu não te-

to ao cliente, uma empresa se destaca como uma

nho qualquer vínculo oficial com a Disney).

das maiores referências: a Disney. Esta companhia

Além disso, eles não têm empregados. Eles

mágica, além de nos brindar com seus personagens

têm “membros do elenco” (ou “cast mem-

deliciosos liderados por Mickey Mouse, compartilha

bers”). Isso deixa claro a todos que de um lado

conosco também lições que podem e precisam ser

existem milhões de convidados e, do outro,

implementadas em nossos negócios. E tudo isso

milhares de membros do elenco. Assim, for-

sempre com foco absoluto na criação e fortaleci-

ma-se o cenário para um grande “show”. O

mento de diferencial competitivo praticamente im-

show do atendimento, do encantamento e da

batível: o atendimento espetacular.

superação das expectativas de todos os clien-

Não sei se você sabe, mas a Disney não tem

tes. Repito: todos!

clientes. Sim, você leu corretamente! A Disney, não

E eles fazem isso ao tratar todo e qualquer

tem clientes. Ela tem “convidados”. É assim que ela

convidado como VIP. O VIP que já conhecemos e falamos anteriormente se relaciona à “pessoa muito importante”, mas, na Disney, o conceito é “pessoa muito individual”. É verdadeiramente como são todos os nossos clientes e que trazem consigo necessidades, desejos, sonhos e preocupações bastante distintos. De nada adianta dizer e propagar pelo mercado que “atendimento ao cliente é prioridade número 1 da sua empresa”. Mais importante que dizer é fazer! Faça com que cada um se sinta verdadeiramente único para você e para a sua companhia.  Antes de falar sobre quão verdadeiramente bons são os excelentes produtos e serviços que você comercializa, busque entender profundamente as necessidades, desejos e sonhos do cliente. Busque de todas as formas que puder não apenas entender o que ele precisa, mas, principalmente, o que ele valoriza. 

56


Faça perguntas claras, como: “O que ou quais são os elementos/atributos/características que o Sr./Sra. mais valoriza neste produto ou serviço?”. Ao entender bem o que ele valoriza, daí sim, você irá incorporar os pontos que ele mesmo compartilhou com você no seu discurso de vendas. E será tudo customizado e personalizado para cada cliente, fazendo com que ele realmente se sinta único e com seus desejos e individualidades compreendidas. Isso o fará se sentir realmente VIP! Entenda as necessidades, atenda com excelência, venda grandes experiências e supere as expectativas dos seus clientes.  Busque de forma incansável transformá-lo em seu “fã”, pois “fãs” são seus maiores defensores e embaixadores no mercado. E, além disso, não cobram um tostão sequer para te “vender” aos seus amigos e familiares. 

* José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor.

“Entenda as necessidades, atenda com excelência, venda grandes experiências e supere as expectativas dos seus clientes.”


artigo

Ambiente corporativo

Colaborador engajado atua como “dono do negócio” *Márcia Dolores Resende

Outro dia li uma matéria em um jornal de circula-

mais produtividade é igual ao aumento nos lucros da

ção nacional que me chamou a atenção. O texto trazia

empresa, está nítida e fácil de entender, e já foi com-

relatos de especialistas em RH alertando sobre a im-

provada muitas vezes. Entretanto a dúvida de todos os

portância de promover o engajamento nas empresas

CEO’s é de como aplicá-la uma vez que nem todos os

– uma questão que eu e minha equipe sempre ressal-

elementos são facilmente identificados em uma cor-

tamos durante as nossas consultorias.

poração. Por exemplo: todos os colaboradores estão

A maioria dos líderes, mesmo sabendo que se tra-

satisfeitos? O ambiente de trabalho proporciona uma

ta de um assunto fundamental para um desempenho

interação saudável? Como está o nível de produtivida-

sadio e sustentável, não se preocupa diretamente com

de? Infelizmente, são poucos que conseguem ouvir em

o termo “felicidade”, mesmo que o tema esteja ligado

suas respostas o que tanto esperam!

diretamente com a produtividade. Entretanto, esse sim tira o sono de qualquer gestor. A fórmula engajamento, mais funcionário feliz,

Para mudar essa realidade, é preciso voltar ao primeiro item da nossa fórmula: os colaboradores. Para saber se estão satisfeitos e motivados, é preciso realizar constantes pesquisas sobre engajamento e satisfação. A partir das respostas obtidas traçar estratégias para saber o que pode ser aprimorado para alinhar, cada vez mais, a função daqueles profissionais com o ideal (missão e cultura) da empresa e identificar os pontos que possam gerar desafios, que muitas vezes não estão ligados diretamente no cumprimento das tarefas, mas que podem influenciar em uma série de outros fatores, principalmente, o engajamento. “Vestir a camisa” se traduz em vontade de cooperar, doar-se de coração e sentir-se de fato pertencendo aquele lugar de forma genuína e única. É agir como se fosse o dono daquela empresa, ou seja, ser apaixonado pelo que faz e pelo como faz. Ter um quadro de colaboradores com essa desenvoltura seria um passo para dominar o mercado e permanecer na liderança do segmento em que atua de forma sustentável.  Este tema sempre foi foco da minha atenção, olhar, sentir e ouvir e, quando comecei minha carreira no ambiente corporativo, lembro claramente em cada ação, sugestão ou resolução estavam atrelados resultado e felicidade. Sempre desconfiei de resultados com infelicidade, afinal, tudo o que uma pessoa determina para

58


si com felicidade terá muito mais chances de se efetivar com empenho natural. Vale lembrar que engajar não significa estar feliz e satisfeito, mas sim, uma série de outras

coisas

como

comprometimento, saber

se

comunicar

na linguagem da empresa, ter relacionamento com o cliente, saber qual a sua função e, principalmente, como o trabalho deve ser executado e estar ciente de suas metas e objetivos. O funcionário deve sentir-se bem por pertencer àquela determinada organização. A relação deve ser de ganhaganha. Comportamentos desrespeitosos e sem ética afastam qualquer profissional engajado e   culminam em um processo de assédio moral. E o que mais assusta são os números desta triste realidade que não param de crescer e que se devem a uma liderança exercida por pessoas sem preparo adequado. As consequências são afastamentos, ações trabalhistas, doenças psicossomáticas e pessoas talentosas procurando oportunidades em outras empresas. Separei algumas dicas para tornar os colaboradores ainda mais engajados: - Apoiar sempre que necessário - Compartilhar sucesso  - Diálogo aberto - Ter uma política sólida de desenvolvimento e crescimento profissional - Sempre reconhecer o sucesso de cada projeto - Manter um relacionamento sadio entre equipe e liderança - Buscar formas inovadoras de reconhecimento

*Márcia Dolores Resende é criadora do método engenharia da Felicidade. Diretora e coordenadora de desenvolvimento do Instituto de Thalentos. Atua há mais de 29 anos em desenvolvimento humano, corporativo e educacional. Responsável pela criação e implantação do método de Coaching Eficaz com PNL dentro de diversas empresas.


artigo

Empreendedorismo

Perfil empreendedor *Adriano Tadeu Barbosa

Quem quer

empreender,

precisa deixar de lado o medo de assumir riscos. Empreender é ser empreendedor diariamente, é trabalhar 24 horas por dia, é pensar em estratégias o tempo todo e é se dedicar 100% para conhecer pessoas e resolver problemas de todos os aspectos. Até a empresa crescer, o empreendedor será o grande responsável por todas as áreas. O treino é a prática diária e muito estudo. Um conselho para

“Para buscar resultados satisfatórios, que farão a empresa crescer, é fundamental trabalhar com metas comerciais. Essa prática é muito sadia para quem empreende, pois é por onde se sabe onde chegar, com prazos estabelecidos.”

lam dia após dia. Para ser um empreendedor de sucesso é preciso ter muita disciplina, fé e força, além de conhecer os princípios do marketing pessoal, aprender lidar com pressões e ter excelente capacidade de relacionamento. Para buscar resultados satisfatórios, que farão a empresa crescer, é fundamental trabalhar com metas comerciais. Essa prática é muito sadia

quem realmente queira empreender, é estudar. Hoje,

para quem empreende, pois é por onde se sabe onde

existem cursos específicos de empreendedorismo que

chegar, com prazos estabelecidos. Para isso, estabe-

trabalham a construção de

leça seu limite de atendimento e a produção diária, e

um plano de negócios e

multiplique pelos números de dias que trabalhará no

trocam experiências entre

mês. Assim você saberá, de uma forma bem simples de

os alunos e professores,

identificar, sua capacidade. Como no começo é sem-

com a chance de sanar

pre mais difícil, busque ao menos metade dessa meta

todas as dúvidas. É com

e sempre meça os resultados, identificando se os cami-

essa imersão que o em-

nhos seguidos são os certos.

preendedor vai descobrir

Para completar, acompanhe como as pessoas e

todos os detalhes sobre o

seus clientes estão vendo o seu negócio. A sua imagem

seu negócio, descobrindo

como empreendedor representa mais de 50% de uma

se existe uma verdadeira

primeira impressão. Estar de acordo com o que se faz,

vocação.  

somado aos resultados que tem alcançado com seu

E a preparação em-

negócio, pode garantir o seu posicionamento diante

preendedora não termina

do mercado empreendedor. Lembre-se desses pontos,

com um plano. Ela precisa

prepare-se e empreenda com sucesso.

ser seguida durante toda a vida, porque há sempre o que se aprender e ensinar. Empreendedorismo também é conversas, trocas,

60

conhecimentos que se acumu-

*Adriano Tadeu Barbosa é supervisor do curso de Empreendedorismo do Centro Europeu, de Curitiba (PR), e fundador da Ponto Pessoal, agência brasileira especializada em Comunicação e Marketing para pessoas. 


artigo

Conjuntura

A crise é a oportunidade de quem está preparado *Alexander Baer

Temos visto e vivido no Brasil um constante ce-

tos, desperdícios, gestão, marketing, comercial, gestão

nário de lamentações, reclamações, busca de culpados,

da informação, gestão da qualidade e assim por dian-

busca de responsáveis e bodes expiatórios para a dita

te), ou seja, empresas que vão aproveitar a maré baixa

crise.

para fazer a limpeza em casa, buscando as melhorias

Tem crise? Tem! Mas toda crise é uma rara oportunidade de mudar!

que precisam ser feitas para aguentar e resistir à crise e, depois que ela acabar, saírem mais preparados e for-

Toda mudança é altamente positiva, desde que se esteja preparado para tal. Quando eu pergunto “Quem

tificados. Além de conscientes de que estar preparado agora e sempre é um diferencial competitivo.

quer mudar?”, basicamente todo mundo levanta a

Situação 03: para aqueles que vão continuar a re-

mão. Porém, sempre tem um “porém” nesta afirmação.

clamar, lamentar, buscar culpados, fazer baderna, de-

“Mudança sim, desde que seja com o outro”.

mitir funcionários sem critério nenhum, cortar verba de

Mas vejo que temos três situações para essa crise, de acordo com quem a examina:

marketing e comunicação... Após a crise, essa parcela das pessoas ou empresas vai voltar para suas tocas, ou

Situação 01: para aquelas empresas e profissionais

seja, continuarão sendo acomodadas. E qual será o re-

que já estão se preparando de longa data, fazendo

sultados para eles? O mais óbvio: vão cada vez mais

todo tipo de análise

entrar no vermelho, até quebrar.

de mercado e cená-

E o que se pode fazer na crise?

rio, seja pessimista,

Agora que você já sabe em qual parcela se encaixa,

provável ou otimis-

vou dar algumas dicas para passar por cima dessa crise

ta, e se preparando

e sair de forma mais fortificada:

para cada uma delas.

62

E estas empresas e

ELABORE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Trace

profissionais

estão

um rumo para daqui a alguns anos (defina claramen-

sim, preparados para

te o ano), faça um diagnóstico do ambiente externo

passar por mais esta

(oportunidades do mercado externo para se aproveitar,

crise, pois adequa-

ameaças do mercado externo para se defender, defi-

ram suas empresas

nição dos pontos fortes da empresa e do profissional

e profissionais para

para potencializar no mercado interno e externo, defi-

estes momentos de

nição dos pontos fracos para corrigi-los no menor pe-

apertos e certa retra-

ríodo possível) e identifique a estratégia (diferenciação,

ção.

oceano azul, liderança em custos, novos mercados, no-

Situação 02: para

vos produtos e serviços, vender mais para os clientes

as empresas e profis-

atuais e diversificação etc.). Tudo isso dividido em pla-

sionais que vão usar

nos de ação a curto, médio e longo prazos, facilitando

a crise para rever

assim a obtenção dos resultados nos objetivos e metas

seus negócios (cus-

traçadas.


BUSQUE UMA REDUÇÃO DE CUSTOS ou, mais propriamente dito, a busca pelo desperdício zero. Sabemos que o desperdício é um canal por onde se joga diariamente, mensalmente e anualmente muito dinheiro na lata no lixo. Logo, para conter esse desperdício, as empresas devem lançar mão de ferramentas de gestão da qualidade, melhoria dos processos e melhoria contínua. Ou seja, fechar de uma vez por todas as torneiras do desperdício. INVISTA NA MELHORIA DAS INFORMAÇÕES DE GESTÃO DA EMPRESA E DOS PROFISSIONAIS através de sistemas de gestão gerencial. Informação online e em tempo real para tomada de decisões é indispensável. FORME E CAPACITE OS GESTORES E AS EQUIPES. Nos dias de hoje, através da internet, EAD, DVDs e muitas outras ferramentas tecnológicas (e a custos muito baixos), as empresas e os profissionais podem se preparar em relação ao conhecimento, criatividade, inovação, melhoria contínua, marketing, liderança e assim por diante. Basta querer. REVEJA O PLANO DE MARKETING E COMUNICAÇÃO para identificar claramente quem é o cliente interno e externo, onde ele está e como ele é (aqui uma pesquisa de mercado vai muito bem para identificar claramente este cliente e/ou novos mercados). Nos dias de hoje, a propaganda certa é a alma do negócio! Em vez de dar um tiro de canhão na comunicação e não acertar ninguém é melhor dar um tiro de laser com mira nas redes sociais. Afinal, como já dizia Chacrinha, “Quem não se comunica, se trumbica”. VENDA MAIS PARA OS CLIENTES ATUAIS, pois com toda certeza, nem todos os clientes conhecem todos os seus produtos e serviços. Busque novos mercados e novos canais de distribuição (como, por exemplo, um site com e-commerce). Nos dias de hoje, quem está fora da web, está morto. DESENVOLVA NOVOS PRODUTOS E SERVIÇOS para vender aos clientes atuais e os novos clientes/mercado que serão conquistados com as dicas acima. Enfim, amigos, é plenamente possível irmos longe. O que não podemos fazer é nos acomodar! Afinal, a crise é a oportunidade de quem está preparado.

*Alexander Baer é presidente da Alexander Baer e Associados, palestrante profissional, professor convidado do MBA da Fundação Getúlio Vargas e Fundação Getúlio Vargas Corporativa e também coach estratégico, com atuação nacional nas áreas de Planejamento Estratégico Organizacional e de Vida e Carreira.


artigo

Atendimento

Bom atendimento é garantia de satisfação * João Alexandre Borba

Coach afirma que, para fidelizar clientes, é preciso trató-los da maneira adequada Com a quantidade de opções mercadológicas que existem nos dias de hoje, a simples vontade ou necessidade de comprar um produto ou contratar um serviço não é mais o principal determinante na escolha de um cliente. Para conquistar a clientela, e ser a sua principal opção na hora da compra, é preciso se mostrar disposto a atendê-la da maneira correta.

O consumidor, além de qualidade e bom preço, também quer se sentir satisfeito na hora da compra, sentir que está sendo “bem cuidado” pelos vendedores. Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba faz diferença, na avaliação de quem está comprando, ter alguns elementos básicos atendidos por quem os atende. “A gentileza, principalmente, deve ser sempre visada e estimulada, por parte dos patrões, para seus funcionários. Ninguém gosta de ser mal tratado em lugar algum, o que dirá em um estabelecimento ou empresa em que se pretende gastar dinheiro”, afirma. O profissional explica que é necessário, primeiramente, que haja um bom relacionamento entre os funcionários de diferentes equipes e setores, pois, se a empresa tiver um bom entrosamento, transmitirá simpatia, também, no atendimento. “Todos os colaboradores devem se esforçar e envolver na hora de receber, captar e fidelizar os clientes, para que eles sintam vontade de voltar”, conta. Ele fala que o famoso ditado “não julgue um livro pela capa”, geralmente, é pouco lembrado nessas horas, pois, o primeiro atendimento em um empreendimento ou empresa pode ser crucial para a criação da imagem dele para o cliente. “Não se pode desconsiderar a opinião do “freguês”, seja em um atendimento via internet, telefone ou presencial. Uma boa ideia, que pode ser implementada pelos superiores é pedir um feedback dos clientes para saber como os funcionários

64


estão se saindo nesse setor, o que pode ser melhorado etc.” Borba apresenta algumas dicas para que um bom atendimento seja o “cartão de visita” da empresa ou empreendimento. “Ser simpático sempre, expondo seus produtos de maneira positiva, porém sem mentiras é uma boa maneira de começar. Ligar ou mandar um e-mail para o cliente, para saber o que ele achou dos produtos e atendimento, indica preocupação com a satisfação”, sugere. Ele ainda lembra que qualificar a equipe para que o atendimento seja sempre melhor é uma forma de estimular os colaboradores, ao mesmo tempo em que melhora a imagem da empresa, na visão do cliente. “De maneira geral, tratar cada cliente como se fosse único leva a grandes chances de fidelizá-lo e, promovendo a gentileza entre os funcionários e freguesia, faz com que o ambiente de trabalho se torne melhor”, conclui. * João Alexandre Borba é master coach trainer e psicólogo

“O consumidor, além de qualidade e bom preço, também quer se sentir satisfeito na hora da compra, sentir que está sendo “bem cuidado” pelos vendedores.”


artigo

Administração

Como preservar o seu negócio em tempos de crise

*Piero Contezini

Em um cenário de crise é normal que pequenos e médios empreendedores tenham uma sensação

Explore os pontos positivos da empresa

de insegurança em relação aos negócios. Em situações assim, tudo se torna mais difícil, até manter a empresa

O empreendedor deve entender que a crise não

funcionando. Contudo, não se pode deixar levar pelo

afeta apenas a sua organização, mas, sim, todo o

pessimismo! É preciso, pelo contrário, saber lidar bem

mercado. Dessa maneira, a empresa precisa reforçar

com esses possíveis apuros para conseguir vencê-los.

seus pontos positivos e buscar eliminar os negativos,

Aquele empresário que não consegue se planejar

além de explorar os pontos fracos dos concorrentes,

em meio à maré agressiva, corre sérios riscos de acabar

para, assim, tirar proveito da crise econômica em vez

perdendo o negócio. Já aquele que sabe se planejar

de sofrer com ela. O empresário deve garantir que

bem acaba conseguindo enfrentar a crise e até tirar al-

sua empresa se fragilize o mínimo possível durante

gum proveito dela. Mas como fazer isso?

os períodos de crise, quando é normal que as organizações se tornem mais frágeis e suscetíveis a falhas. Portanto, esse é o momento da busca pelo espaço, já que a falha do concorrente pode ser sua brecha para o sucesso!

Reduza gastos e foque nos melhores talentos Infelizmente, as crises costumam demandar cortes de gastos, certo? Pois então, em vez de encarar esse cenário com desânimo, o empreendedor pode enxergar aí uma boa abertura para reduzir custos desnecessários, não concorda? Aproveitar esse momento para enxugar os gastos da companhia — eliminando todas aquelas despesas que não valem mais a pena e se concentrando em investimentos mais importantes — é uma ótima ideia e uma oportunidade simplesmente imperdível. Além disso, é fato mais que comprovado que uma crise não dura

66


para sempre. Portanto, também é essencial focar na retenção dos melhores funcionários da empresa para a elaboração de um plano verdadeiramente campeão nos momentos pós-crise.

Mantenha o capital de giro seguro É fundamental que, especialmente nesse momento, mantenha-se um capital de giro seguro dentro da empresa. Assim, é necessário sempre fazer um bom planejamento para que se tenha uma reserva de dinheiro para possíveis problemas futuros e para segurar a barra no presente. Dessa maneira, caso as coisas apertem ainda mais, o empreendedor ainda terá recursos para manter seu negócio sem ter que buscar soluções mais drásticas, como um financiamento, por exemplo.

Preserve o investimento e diversifique Na crise, obviamente o consumo dos clientes cai. Mas, de uma maneira ou de outra, eles continuam consumindo! Enquanto isso, a tendência das demais empresas é diminuir — ou até cessar — seus investimentos. Assim, uma organização que se mantém investindo, mesmo durante a crise, acaba se destacando entre as outras. Por isso, o melhor que um empreendedor tem a fazer em momentos como esse é usar seus recursos para investir e diversificar seu negócio, o que irá atrair mais clientes! Mas lembre-se de que esse investimento deve ser feito sempre mantendo o capital de giro da empresa. *Piero Contezini é CEO do Asaas.com, ferramenta de emissão de boletos para autônomos e pequenos empreendedores.


Giro

Kalunga ingressa no mercado de impressão digital Em abril, a empresa inaugurou seu mais novo negócio, a Kalunga Copy & Print. É a entrada da empresa no segmento de impressão digital, um mercado disputado por gráficas offset, que trabalham com grandes volumes, e gráficas de menor porte ou copiadoras, que muitas vezes funcionam como butiques de impressão. A primeira Kalunga Copy & Print terá seu parque gráfico instalado na unidade de Moema, em São Paulo. Para instalar a gráfica nessa loja, estão sendo investidos incialmente R$ 3 milhões. Essa unidade funcionará como projeto piloto de um plano mais abrangente, que, em seu próximo passo, vai disponibilizar serviços por meio do site da Kalunga, com o conceito web to print, e também pelo televendas. O objetivo é que, em médio prazo, os serviços de impressão possam ser solicitados por telefone, internet ou na loja física e entregues no endereço mais conveniente para o cliente. Isso será possível porque a Kalunga já opera no sistema de omni channel, com todos os seus canais de vendas integrados.  A empresa vai levar esse serviço para as suas mais de 130 lojas no País e estuda quais serão as próximas unidades a implementá-lo, de acordo com sua estratégia de expansão. Estima-se que os serviços somem de R$ 300 mil a R$ 1 milhão no faturamento mensal de cada loja.  Parceiros - A ideia é que os serviços rápidos possam ser produzidos diretamente nas lojas, enquanto os mais complexos e os solicitados por telefone ou internet sejam feitos em uma gráfica maior, que já está em desenvolvimento em um dos centros de distribuição da rede, em Tamboré, Barueri, na Grande São Paulo. Nesse desenvolvimento, a Kalunga conta com parceiros estratégicos, como HP e Ricoh (impressão), EFI (plataforma para web to print e gerenciadores de impressão), Samsung (comunicação digital), Diginove e Lassane (acabamento).  Entre os serviços oferecidos pela Kalunga Copy & Print, estão desde simples cópias e cartões de visita a grandes formatos (banners e plotagens), passando por folders, flyers e apostilas. “Além de atrair o público que busca esse tipo de serviço, queremos fomentar o consumo gráfico entre os clientes da Kalunga, que hoje são majoritariamente empresas, e fechar o conceito de que é possível encontrar na loja realmente tudo o que um escritório precisa”, explica Paulo Haddad, executivo responsável pelo novo projeto. Mais que atuar na lacuna existente entre as gráficas offset e as de menor porte ou copiadoras, e ainda apostar em seu poder de capilaridade, a Kalunga pretende oferecer um nível de personalização de serviços pouco visto até agora e de difícil acesso ao consumidor desse segmento. “Será a oportunidade para o cliente fazer trabalhos com menor tiragem e totalmente personalizados, incluindo a aplicação de dados variáveis, o que agrega muito mais valor ao produto”, comenta Haddad. Outro plano da Kalunga é permitir que os grandes clientes tenham uma loja virtual totalmente customizada, na qual todos os seus materiais gráficos padronizados possam ser acessados e adquiridos com um só clique, conforme a estrutura de compras definida pelo próprio cliente.

68


Suzano Papel e Celulose inaugura em Salvador nova estrutura comercial para atender o Norte e o Nordeste

A Suzano vem se preparando para consolidar a sua posição de liderança no Nordeste há cerca de dois anos e a nova regional vem consolidar esse movimento. Em 2013, uma linha de produção de papel cortado (A4) Suzano Report® foi transferida de Limeira (interior de São Paulo) para a fábrica de

A empresa inaugurou no mês de junho, em Salvador, a sua nova sede

Mucuri (no Sul da Bahia). “Nossas avaliações mos-

de operações comerciais de papéis para o Norte e Nordeste. A iniciativa é

tram que essa foi uma decisão acertada. Também

parte da estratégia de unificação da venda e da distribuição da companhia –

acreditamos que com nossa fabricação e atuação lo-

que antes atuava também por meio da distribuidora SPP-KSR –, garantindo

cal conseguiremos aumentar nossa participação no

maior disponibilidade de produtos nas pontas e proximidade com os clien-

Nordeste, nos diferenciando dos demais fabricantes

tes. “Dessa forma, acreditamos que estamos mais preparados para atender

e concorrentes, que na sua maioria estão localizados

as necessidades dos nossos clientes com agilidade e qualidade”, explica Leo-

no Sudeste e Sul do país, ou em países Europeus e

nardo Grimaldi, diretor comercial da unidade de negócio papel da Suzano

Asiáticos”, completa Leonardo. A fábrica de Mucuri

Papel e Celulose.

já contava com uma das mais modernas máquinas

Desde março, a área comercial atua dividida em cinco escritórios regionais: Norte e Nordeste, Sudeste, Sul, São Paulo interior e Centro-Oeste e São

de papel não-revestido do mundo e tem capacidade produção de 250 mil toneladas de papel por ano.

Paulo. Completam esse modelo quatro Centros de Distribuição Regional

No ano passado, a empresa iniciou as operações

(CDRs) e 16 Centros de Distribuição Local (CDLs). Os CDRs são estruturas

do CDR de Serra, localizado no Norte do Espírito

maiores que, além de estoque de produtos, atuam no corte e na embalagem

Santo, e que também suportará a operação em todo

de papéis “à medida”, ou seja, de acordo com a necessidade do cliente.

o Nordeste.


Feira confirma o bom momento do setor de diversões A 9ª edição da Expo Parques e Festas realizada no final de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo, reuniu 150 expositores que afirmaram bons resultados em termos de volume de negócios fechados e prospecção de novos clientes. A feira teve a participação de empresas de brinquedos e jogos eletrônicos, cenografia, infláveis, equipamentos, artigos de decorações, balões, acessórios, lembrancinhas, presentes e doces (confeitos, snacks e equipamentos). Na avaliação do presidente da organizadora Francal Feiras, Abdala Jamil Abdala, os bons resultados que os expositores se referem se devem a uma característica deste mercado. “Mesmo em momentos de controle de gastos, o consumidor dá um jeito de apertar o orçamento familiar para comemorar algumas datas especiais. O diferencial da Expo Parques e Festas é oferecer um mix abrangente, para todos tipos e tamanhos de festas, o que faz com que lojas e bufês venham ao evento se abastecer para atender seus clientes”. O segmento de produtos e equipamentos para parques de diversões também foi um diferencial da feira, já que a oferta destes itens cresce a cada edição. Para Abdala, é uma questão de tempo para que o setor se desenvolva em sua plenitude no país. “Quando este momento chegar, a Expo Parques e Festas já deu mostras de que estará preparada para atender o mercado”. Ao mesmo tempo em que movimentou os negócios, a Expo Parques e Festas 2015 colaborou para a formação de novos profissionais e ampliou o conhecimento dos que já atuam na área. A feira abrigou três atrações paralelas: SNAB - 7º Seminário de Arte com Balões; Oficinas de Confeitaria, realizadas dentro do salão The Candy Show e 3º Fórum ADIBRA de Parques Temáticos e FEC’s. Juntas, elas somaram cerca de 65 horas de oficinas e palestras. A Expo Parques e Festas, que aconteceu simultaneamente a Natal Show, recebeu 32.055 profissionais do setor de todos estados brasileiros e também do exterior. O número representa um acréscimo de 20% sobre a visitação da edição 2014. Em 2016, a Expo Parques e Festas e a Natal Show acontecem de 3 a 6 de junho, no Expo Center Norte.

A 9ª edição da Expo Parques e Festas reuniu 150 expositores.


Giro

Xerox lança logomarca para celebrar os 50 anos no Brasil A marca acaba de lançar uma logomarca criada especialmente para celebrar os 50 anos de atuação no Brasil. A área de Marketing da companhia desenvolveu o conceito trazendo o mapa brasileiro na imagem para ressaltar a sinergia entre Xerox e o país ao longo de meio século. Desde 15 de junho de 1965, quando foi fundada no Rio de Janeiro, a Xerox comprometeu-se com o desenvolvimento do país, trazendo muitas inovações tecnológicas e ajudando até hoje as empresas a simplificarem a forma como trabalho é feito. Atualmente a Xerox é líder global em processos de negócios e gestão de documentos. Com sedes no Rio de Janeiro e São Paulo, e aproximadamente dois mil colaboradores, a empresa atende clientes em todo o território nacional fornecendo serviços inteligentes para negócios, equipamentos de impressão e softwares para organizações comerciais e governamentais solucionarem problemas.  Nas redes sociais, o público pode conferir a trajetória da Xerox através de uma série que está contando, através de fotos, um pouco da história da empresa. O mês de junho, em especial, será marcado por ações envolvendo os colaboradores, executivos, clientes e público em geral.

Gapa Representações promove ação no varejo Sempre engajada em ações que visam fortalecer cada vez mais a sua parceria com o varejo e ainda promover as marcas trabalhadas, a Gapa Representações investe em campanhas de marketing. A mais recente aconteceu no mês de junho, quando foram confeccionadas 2 mil camisetas e distribuídas aos vendedores das lojas parceiras do Estado de Pernambuco. A finalidade foi promover e informar as mudanças ocorridas nas embalagens dos produtos da marca Leo&Leo, da empresa Leonora, razão pela qual foram escolhidas para as camisetas as mesmas cores das embalagens, o laranja e o verde. “A ação está sendo um sucesso. Fiquei surpreso com as atitudes dos lojistas, alguns inclusive estamparam o nome da sua papelaria no lado esquerdo da camiseta e ficou perfeito. Somos muito agradecidos a Deus, às empresas que representamos e ao nosso maior patrimônio: os clientes”, enaltece Gabriel Ribeiro de Andrade, sócio diretor da Gapa Representações. Vendedores “vestem a camisa”, em ação promovida pela Gapa Representações.

72


Loctite lança pack promocional Líder mundial em adesivos de alta performance, Loctite lança um novo pack promocional. Na compra da unidade de Loctite Super Bonder Precisão, o consumidor leva grátis um Loctite Super Bonder Power Easy Gel. A promoção está disponível em supermercados, home centers e redes de papelarias de todo País. Loctite Super Bonder Precisão possui bico de longo alcance e controle gota a gota, características que garantem uma aplicação precisa. Além de permitir a colagem instantânea e transparente, a fórmula é resistente à umidade. A embalagem, que fica em pé, acompanha tampa com pino antientupimento. Com fórmula 20% mais forte, Loctite Super Bonder Power Easy Gel não cola os dedos imediatamente. A solução permite o ajuste da colagem nos primeiros segundos após a aplicação e, por ser em gel, não escorre, atributos que permitem o acabamento perfeito e o máximo de facilidade no uso. Loctite lança um novo pack promocional. Na compra da unidade de Loctite Super Bonder Precisão, o consumidor leva grátis um Loctite Super Bonder Power Easy Gel.


Giro

Curiosidades sobre a tinta guache A palavra guache provém do italiano “guazzo” que significa tinta de água. O termo começou a ser muito usado no início do século XVI, na Europa e, anos depois, ele continua fazendo parte do dia a dia de muitas pessoas, principalmente, quando se trata de atividades que estimulem o desenvolvimento motor e cognitivo das crianças. Pensando nisso, a Mercur apresenta em seu site algumas curiosidades sobre as Tintas Têmpera Guache. Algumas informações estão em vídeos curtos e divertidos postados no próprio site da empresa www.mercur.com.br/curiosidades e no canal do YouTube https:// www.youtube.com/user/mercursa.  Uma das curiosidades é que as Tintas Têmpera Guache da Mercur possuem resina vegetal em sua formulação, o que permite que sua consistência (tipo gel) seja ideal para ser manuseada durante as aplicações, tendo firmeza e evitando que a tinta se espalhe ao abrir ou que derrame com facilidade. É por isso que, antes de ser usada, ela precisa ser misturada com o pincel, para tornar-se mais fluída.  A tinta é atóxica e livre de ftalato (substância química que, se em contato com seres humanos, pode causar danos à saúde). Um dos princípios da empresa é priorizar o uso de matérias-primas de fontes renováveis e que gerem menor impacto ao meio ambiente. A Mercur também possuiu tinta guache lavável em frasco cilíndrico e robusto que se adapta facilmente à mão, facilitando a pega por pessoas com dificuldade na preensão.  “A pintura estimula os instintos dos pequenos de forma significativa e divertida e também pode proporcionar uma interação ainda maior entre a criança e o adulto”, explica Márcia Murillo, pedagoga da Mercur.  O importante é os pais terem a consciência de que a atividade que estão realizando tem importância para o desenvolvimento dos filhos e que esse contato possibilita a ampliação do repertório das experiências vividas por eles.   Para trabalhos com as crianças a dica é: todas as tintas da Mercur podem ser misturadas dando origem a novas cores. Desta forma, é possível criar uma cor que ainda ninguém inventou ou recriar aquela favorita, mas que já acabou.

As tintas têmpera guache da Mercur possuem resina vegetal em sua formulação, conferindo uma consistência tipo gel.


Fernando Stinchi é o novo Diretor-Presidente da Epson do Brasil Líder mundial em impressão, projeção e imagem digital, acaba de nomear Fernando Stinchi  diretor presidente da Epson do Brasil, tornando-se responsável pela área de vendas, desenvolvimento de novos negócios e serviços no Brasil. O executivo se reportará diretamente a Paulo Ferraz, que assumiu a vice-presidência de vendas da América Latina. Com 20 anos de experiência em posições de liderança, Stinchi possui sólido conhecimento em gestão comercial e desenvolvimento de mercado. Obteve resultados de negócios consistentes em empresas como a Philips, na qual exerceu o cargo de CEO para a América Latina, e mais recentemente na Biosfera, empresa em que foi fundador e CEO. Fernando Stinchi é o responsável pela área de vendas, desenvolvimento de novos negócios e serviços no Brasil.


Brinquedos

Bicicleta da Cinderela A Brinquedos Bandeirante apresenta para as garotas a partir de 3 anos a X-Bike 12� Cinderela Disney, que vem com quadro com amortecedor, selim acolchoado, freio dianteiro, cobre-corrente integral e com bolsinha frontal com a imagem da personagem.

76


Linha Hot Wheels A Candide apresenta os carros de rádio controle Hot Wheels. São três modelos como o Bone Shaker, Monster Truck e Rodger Dodger com sete funções, som e luzes, bateria recarregável e carregador bivolt.


Brinquedos

Bailarinas em linha puzzle Para as garotas que são bailarinas ou simplesmente admiram o mundo das sapatilhas e dos tutus, a Grow em sua linha puzzle apresenta Bailarinas, que tem 1500 peças e é indicada para meninas a partir de 12 anos.

Quartos iluminados e decorados Dog Kids, da Multikids Baby, além de decorar o quarto, ilumina e torna o ambiente mais aconchegante, por meio da luz led nas cores azul, rosa ou verde.

78


Licenças

Novo aplicativo dos jogos de Bob Esponja A Nickelodeon lança o SpongeBob’s Game Frenzy, um aplicativo de jogos global inspirado nos momentos mais divertidos do Bob Esponja. Com 50 jogos disponíveis, os fãs podem colecionar mini games e navegar pelos momentos clássicos do Bob Sponja para salvar a Fenda do Biquini, de maneira interativa e divertida.  SpongeBob’s Game Frenzy já está disponível para IOS e, em breve, no Google Play e

na Amazon APP Store. Pacotes adicionais do game serão lançados e poderão ser comprados pelos usuários dentro do próprio aplicativo.

Divertida Mente, novidade dos estúdios Pixar No mês de maio a Foroni participou da Expo Disney 2015 e apresentou as novas licenças do seu portfólio, como Divertida Mente. Uma franquia dos estúdios Pixar, que tem a personagem Riley como protagonista que é guiada pelas emoções: alegria, medo, raiva, nojinho e tristeza. As emoções vivem no centro de controle dentro da mente de Riley, onde ajudam com conselhos em sua vida cotidiana.

80


Licenças

Uma nova e romântica personagem La Fadinne chegou na agência Andréia Boneti. São princesinhas românticas e mágicas que amam seus pets, vivem num mundo encantado, cercadas por castelos, flores e borboletas preciosas. La Fadinne é para as meninas que amam produtos rosa, delicados e encantadores; e estará em cadernos e mochilas, produtos que serão apresentados na Office Brasil Escolar 2015. 

Galinha Pintadinha marca presença na maior feira de licenciamentos do mundo

espanhol no YouTube (que já somam quase um bilhão de visualizações) e nos apps para smartphones e tablets; na inclusão da Galinha Pintadinha na Netflix cobrindo toda a América Latina; e na parceria com quatro grandes agências de licenciamento em pontos estratégicos

A força dos personagens nacionais pôde ser comprovada na Licensing

do globo: Televisa (no México), CPLG (na Espa-

Expo 2015, que aconteceu entre 9 e 11 de junho em Las Vegas (EUA).

nha), Character Mix (Argentina e Colômbia) e

Considerada a mais tradicional do segmento, a feira conecta os mais

P&L Global (Peru e Chile), cobrindo países da

influentes licenciadores de entretenimento, personagens, moda, arte e

América do Sul, Caribe, México e Europa.

corporativo com fabricantes, licenciados e varejistas. “Trata-se da opor-

“Somos produtores do canal e dos vídeos

tunidade perfeita para estreitar relações com prospects interessados em

brasileiros mais populares no país desde a es-

bons negócios relacionados a marcas”, declarou Miguel Moreira, gerente

treia do YouTube no Brasil (10 anos), por isso

da Bromélia Produções.

as crianças daqui já estão familiarizadas com

A Bromélia, com sua marca mais famosa, a Gali-

a Galinha Pintadinha e os

nha Pintadinha fechou 25 contratos com empresas

produtos relacionados a ela.

internacionais na edição 2014 do evento e, para 2015,

Nosso esforço agora está na

investiu cerca de R$ 1 milhão no estande próprio de

aplicação dessa estratégia

90 m². A cativante personagem, criada por Juliano

de comunicação em outros

Prado e Marcos Luporini, também é responsável por

países do mundo”, finaliza

um feito inédito entre os brasileiros: está entre as 150

Miguel.

maiores marcas do mundo em licenciamento, segundo o ranking “150 TOP Global Licensors” publicado na edição de maio da revista inglesa License! Global, ocupando a 89ª posição ao alcançar o valor de 300 milhões de dólares em produtos vendidos. Além da presença na feira e no ranking, o movimento de expansão global da marca também se dá pelo conteúdo publicado nos canais em inglês e

82

A Bromélia, com sua marca mais famosa, a Galinha Pintadinha esteve na Licensing Expo 2015, que aconteceu entre 9 e 11 de junho em Las Vegas (EUA).


Escolar & Papelaria

Itens que auxiliam na organização Em sua linha AcriNotes, a Acrimet, traz o Marcador de Páginas, reutilizável, que facilita a identificação e localização em livros, cadernos, apostilas, revistas, catálogos etc. A produto vem em embalagem com 100 marcadores de 12x42 mm e 100 marcadores de 12x45mm, em cores sortidas. Outro item que facilita a organização é o Visor para Pastas, em plástico semitransparente e reutilizável, indicado para pastas, documentos e também para identificar conteúdo em livros, revistas ou catálogos etc.

Prático quadro de aviso A Acrimet oferece ao mercado o Quadro Multiuso A4 fabricado em plástico de alta resistência, totalmente transparente e com fita autoadesiva para fixação. Na parte inferior há uma pequena abertura para facilitar a retirada e troca dos papéis e mensagens. Para usá-lo sobre superfícies horizontais, em mesas ou balcões, a Acrimet disponibiliza separadamente o suporte Smart.

Proteção para os livros de colorir Aproveitando a febre dos livros de colorir para adultos, a DAC lançou as capas transparentes, que também podem ser usadas em cadernos. São dois modelos: na versão 25cm x 25cm (tamanho ideal paras as publicações das editoras Sextante, Ediouro, Geek, Universo dos Livros, Companhia Editora Nacional, Gutenberg, Record e Discovery Publicações) e no formato 28cm x 24cm ( ajustável para vários tamanhos e indicado para livros de colorir das editoras Alaúde, Ciranda Cultural e livros didáticos).

84


E&P

Caneta colorida ponta ultrafina A caneta grip fine pen, da Faber-Castell, possui tinta atóxica e design que permite maior conforto e precisão ao escrever. Com ponta ultrafina, é ideal para contornos precisos. O estojo vem com 10 opções de cores.

Opções em lápis de cor A Maped apresenta na linha de coloração Color Peps, os lápis de cor em formato triangular nas opções 12, 24, 36 e 48 cores. Tem a linha Maxi com 12 cores, Duo com 24,  Aquareláveis com 12 e 24, além da versão que vem em estojo em metal.

Clássica esferográfica ganha versão touch A clássica Bic Cristal chega na versão Tech Stylus 2 em 1. Com a facilidade de ter dois acessórios em um só, a caneta pode ser usada para escrita à mão e como auxiliar de dispositivos touchscreen.

86


Novidades em réguas e esquadros Durante a Escolar Office Brasil 2015 a Waleu irá apresentar diversas novidades na linha Escolar. Dentre os lançamentos, o fabricante destaca a cor rosa da régua flexível; e os esquadros da família New Line de 45° e 60°com 26 cm.


Tecnews

Mouse + mousepad Em três versões: Florais, Mondria e Calçadão, este último uma referência ao desenho das calçadas da orla carioca, os kits Passion Mouse + Mousepad, da Leadership, garantem funcionalidades diante do computador, além de decorarem os ambientes. Os mouses possuem conexão USB, resolução de 800 DPI e são compatíveis com Windows XP / Vista / 7 / 8, Mac OS 9 ou superior e Linux Kernel 3.5 ou superior.

Nova multifuncional colorida A Sharp apresenta a multifuncional colorida MX-2640N. Ideal para locais que exigem alto desempenho, ela traz tela multi touchscreen de 10.1 polegadas e acesso à internet e é capaz de imprimir imagens de qualidade e segurança. Graças a seu visor LCD multi touchscreen é possível realizar uma pré-visualização da imagem em tempo real, que garante a precisão e evita o desperdício. Outra vantagem da multifuncional é a alta segurança, com pastas e arquivos confidenciais, protegidos por senha.

88


tecnews

Tablet Premium O ZenPad 8.0 (Z380) compõe a série de tablets Premium da ASUS e tem um inovador sistema de capas intercambiáveis que permite ao usuário customizar seu aparelho com tampas funcionais. O equipamento está disponível em conectividade LTE/Wi-Fi e recursos de telefonia (Z380KL) ou em um modelo apenas com Wi-Fi (Z380C). Com tela HD IPS e tecnologias exclusivas, as imagens do tablet, assim como o áudio, são de alta qualidade.

Carregador portátil O Carrega+ Pró, da Carrega+, é um carregador portátil compatível com smartphones e tablets de diversas marcas. O produto é leve (pesa 130g) e ecologicamente correto, pois utiliza baterias de íons de lítio de alto desempenho. Com duração de até quatro cargas de 100% também pode ser utilizado em videogames, MP3, e-Books, GPS, entre outros.

90


Profile for Revista Papelaria & Negócios

P&N131  

P&N131  

Advertisement