Page 1


Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi Profa. Dra. Benedita Cássia Sant’anna Prof. Dr. Carlos Bauer Profa. Dra. Cristianne Famer Rocha Prof. Dr. Eraldo Leme Batista Prof. Dr. Fábio Régio Bento Prof. Dr. José Ricardo Caetano Costa

Prof. Dr. Luiz Fernando Gomes Profa. Dra. Magali Rosa de Sant’Anna Prof. Dr. Marco Morel Profa. Dra. Milena Fernandes Oliveira Prof. Dr. Ricardo André Ferreira Martins Prof. Dr. Romualdo Dias Prof. Dr. Sérgio Nunes de Jesus Profa. Dra. Thelma Lessa Prof. Dr. Victor Hugo Veppo Burgardt

©2016 Diego Melo de Abreu; Milton Geovani Bergamaschi Direitos desta edição adquiridos pela Paco Editorial. Nenhuma parte desta obra pode ser apropriada e estocada em sistema de banco de dados ou processo similar, em qualquer forma ou meio, seja eletrônico, de fotocópia, gravação, etc., sem a permissão da editora e/ou autor.

T265 Teoria e prática do mini-handebol/Diego Melo de Abreu; Milton Geovani Bergamaschi. Jundiaí, Paco Editorial: 2015. 280 p. Inclui bibliografia. ISBN: 978-85-462-0681-0 1. Mini-handebol 2. Educação Física Escolar 3. Técnicas Fundamentais 4. Professores. I Abreu, Diego Melo de II. Bergamaschi, Milton Geovani. CDD: 372.86 Índices para catálogo sistemático: Educação Física - esporte Handebol

796 796.312

IMPRESSO NO BRASIL PRINTED IN BRAZIL Foi feito Depósito Legal

Av. Carlos Salles Block, 658 Ed. Altos do Anhangabaú, 2º Andar, Sala 21 Anhangabaú - Jundiaí-SP - 13208-100 11 4521-6315 | 2449-0740 contato@editorialpaco.com.br


Dedico este livro à minha mãe Edna, meu pai Paulo, meu irmão Igor e minha esposa Monique por estarem sempre ao meu lado. Meu carinho especial a cada um dos meus alunos, ex-alunos, atletas, amigos, colegas de trabalho, professores, técnicos e todos que de forma direta ou indireta contribuíram para que este livro fosse possível. Diego Melo de Abreu

Dedico este livro à minha mãe Nair e meu pai Milton (in memoriam), que mesmo com sua origem humilde me ensinaram os valores mais importantes da vida, às minhas irmãs Elenice e Jakelini, que sempre me apoiaram e incentivaram, minhas sobrinhas Milena e Cassia, a todos os meus amigos e alunos que trilharam grande parte do caminho junto comigo e à minha esposa maravilhosa Juliete Dalcastagne, que me auxiliou em toda essa jornada. Milton Geovani Bergamaschi


Agradecimentos Fomos honrados com a ajuda de muitas pessoas para colocar neste livro informações valiosas e fizemos questão de incluir ilustrações de diversas situações em fotos que contaram com a participação de algumas crianças praticantes de mini-handebol. Durante uma tarde inteira no ginásio da Universidade Metodista de São Paulo em São Bernardo do Campo/SP, pudemos reunir professores, crianças, familiares, amigos e estudantes de Educação Física em mais um dia de felicidade que o mini-handebol pode nos proporcionar. A todos que participaram e contribuíram, presencialmente ou a distância, desse dia e deste processo tão importante nosso muito obrigado! Crianças que participaram das atividades: Ana Yumi Lima Corá; Daniel Parpinelli Ananias da Silva; Enrico Alves Pereira; Felipe Troyano e Santos; Hanna de Oliveira Melo; Ícaro Gonçalves da Silva; Maria Clara Abilio Rodrigues; Miguel Bastos Pacheco; Rafaela Oliveira do Rio; Vitor Tashima. Familiares das crianças: Adriano José Pacheco; Alessandra Abilio Rodrigues; Amaurilio de Melo; Ana Cristina Parpinelli Silva; Angela Corá; Carlos Tashima;


Denise Troyano; Denise Zilio Tashima; Dirceu Ananias da Silva; Edmario Gonçalves da Silva; Edneide Nunes da Silva; Elihud Rodrigues Alves Pereira; Marcelo Corá; Marcelo Oliveira; Mauricio Rio; Ricardo Rodrigues da Silva; Sidnei Contó Pereira; Sonia de Oliveira Rocha Melo; Vanessa Oliveira; Vânia Bastos Pacheco. Professores: Adriano Aparecido dos Santos; Carlos Alberto Ferrão Garcia (Portugal); Cássio dos Santos Marques; Claus Rosenbom-Jessen (Dinamarca); João Batista Freire; Lucila Vianna Silva dos Santos; Luis Felipe Tubagi Polito; Morten Soubak (Dinamarca); Rogério Toto. Atletas: Carlos Alberto Mirabal Castillo (Carlito) da A.D.C. Metodista/São Bernardo/Besni; Eduarda Amorim Taleska (Duda) do Győri Audi ETO KC (Hungria). Leandro Dias Vieira Barboza (Leandrão) da A.D.C. Metodista/São Bernardo/Besni.


Arbitragem/Orientação: Professora Bruna Rainieri Tomé; Professora Mirella Bueno Queiroz Silva. Fotógrafo: Igor Melo de Abreu. Portal do Handebol (patrocinador e apoiador): Vinicius Coltri. Instituições: A.D.C. Metodista/São Bernardo/Besni. São Bernardo do Campo/SP; Colégio Integrado Americano. São Bernardo do Campo/SP; Universidade Metodista de São Paulo. São Bernardo do Campo/SP.


Sumário Apresentação

13

Prefácio

15

Introdução

19

Capítulo 1 O que é o mini-handebol?

27

Capítulo 2 A história do mini-handebol Os primórdios A disseminação na Europa O início no Brasil

29 29 32 35

Capítulo 3 Sugestões de regras e adaptações para o mini-handebol 1) A quadra 2) A baliza 3) A bola 4) Os jogadores 5) Equipamentos de jogo 6) O árbitro/supervisor 7) Duração do jogo 8) Tempo técnico (timeout) 9) Contagem do placar 10) Tiro livre 11) Pênalti (tiro de 6 metros) 12) Tiro de saída 13) Tiro lateral 14) Tiro de canto (escanteio) 15) O gol (ponto)

41 42 45 52 54 55 55 55 56 57 59 59 60 60 61 62


16) Sanções (penalizações) 17) Ações permitidas 18) Ações não permitidas

62 63 64

Capítulo 4 As principais características motoras, socioafetivas e cognitivas das crianças de 6 a 10 anos de idade O desenvolvimento motor O desenvolvimento cognitivo O desenvolvimento socioafetivo

67 68 69 70

Capítulo 5 Objetivos específicos do mini-handebol e a relação com os conteúdos da Educação Física escolar

73

Capítulo 6 Conceitos de jogo e técnicas fundamentais do mini-handebol 93 Fases do jogo 94 Adaptação e manejo da bola 98 Posição de base 100 Posição Ofensiva 100 Posição de base defensiva 101 Drible 102 Tipos de drible 103 Passe 106 Tática individual relacionada ao passe 108 Recepção 116 Tipos de recepção 118 Arremesso 120 Deslocamentos 126 Fintas 129 Desmarques 133 Roubada de bola 136 Interceptação da bola 137 Bloqueio defensivo 139 O goleiro 142 Considerações do capítulo 151


Capítulo 7 Atividades para desenvolver o mini-handebol 1) Adaptação e manejo de bola 2) Posição de base 3) Exercícios para drible 4) Exercícios para passe e recepção 5) Exercícios para arremesso 6) Deslocamentos 7) Exercícios para fintas e mudanças de direção 8) Exercícios para desmarque 9) Exercícios para roubada de bola 10) Exercícios passa e vai 11) Exercícios para interceptação

153 159 166 170 176 182 188 193 198 204 207 211

Capítulo 8 O planejamento no mini-handebol Planejamento de periodização Planejamento das aulas Recursos materiais e humanos Tempo de aula e condução das atividades 1) Parte inicial/conceitual 2) Parte principal/procedimental: gerenciando atividades 3) Parte final/atitudinal 4) Anotações e avaliações após a aula

221 222 225 225 227 228 229 230 230

Capítulo 9 A conduta do professor 235 Condutas pedagógicas e estratégias de acordo com a idade 239 5 dicas da Duda para crianças praticantes de mini-handebol 242 5 dicas da Duda para a família dos praticantes de mini-handebol 242


Capítulo 10 Os festivais de mini-handebol Conceito Objetivos Organização geral Sugestões de atividades e ações Antes do início das atividades O início da festa Durante o festival Encerramento do festival A importância do festival

245 245 246 247 248 249 250 252 256 258

Considerações finais

261

Referências

265

Os autores

275


Apresentação Prof. Ms. Rogerio Toto1

Com alegria tenho a honra de apresentar o mais completo livro de mini-handebol do nosso país! Como assim? Ora, muito simples. Desejo que você, leitor ou leitora, assim como eu, se surpreendam e percebam nesta obra o cuidado que Diego e Milton tiveram de não cair na armadilha de tratar crianças como miniatura de adultos! Adaptar o jogo e suas regras é muito pouco diante da complexidade que são as crianças. Nesse sentido, o olhar criterioso dos autores alçou os conteúdos muito além das meras adaptações, na medida em que mergulharam nas sutilezas dos sentidos, dos comportamentos e dos sonhos dos seus educandos. A busca em bem compreender as crianças fez-se da forma mais legítima e imaginável possível: a experiência do “chão da quadra”! O campo primevo dos desafios da prática docente, espaço onde as teorias deveriam se construir, pois teoria alguma ensina encontrar soluções estando frente a frente e vivendo a intensidade dos dilemas e aflições das crianças. Justamente isso faz deste um livro impar. Teoria e prática do mini-handebol é um livro completo que transita inicialmente pela história e contexto atual do handebol, em seguida apresenta os conceitos do jogo, das regras, das técnicas e aborda o desenvolvimento das crianças. Disserta sobre os objetivos, atividades e planejamento do mini-handebol, chegando detalhar a organização de festivais. Relaciona as propostas com a Educação Física escolar e toca numa questão delicada, porém importante, que é a conduta do professor, a importância 1. Professor de Educação Física, Mestre em Educação, supervisor da seleção brasileira de handebol masculino (2001-2003), presidente da Federação Paulista de Handebol (2011-2015), docente e coordenador do curso superior de Educação Física da Universidade Metodista de São Paulo. 13


Diego Melo de Abreu – Milton Geovani Bergamaschi

da cooperação e implicações para a cidadania. Por tudo isso, trata-se de leitura fundamental para graduandos, professores de Educação Física e amantes da iniciação esportiva em geral. Sua narrativa é leve-convidativa e sua natureza didática ultrapassa a concepção dos velhos manuais, supera o pragmatismo dos livros e com sua linguagem coloquial entra, quase sem querer e despercebido, na atmosfera dos propósitos do que fundamenta os sentidos de ser professor. Em que pese à miopia dos leigos colegas de profissão ainda insistentes na tese da especialização precoce quando o assunto é iniciação esportiva para crianças de 6 a 10 anos, o que tenho a dizer (não para eles, mas para você leitor) é que estarão diante de uma produção que propõe um olhar verdadeiramente humano, no sentido mais profundo do termo, um livro que respeita a condição existencial das crianças, sem, contudo, abrir mão da função que tão somente a nós professores de Educação Física compete: rigor e critério na qualidade do ensino dos gestos, elemento central da boa prática, mas, sobretudo, quando bem trabalhada a ferramenta que inspira a busca pela excelência, ou melhor, da felicidade em fazer bem feito. Por fim e sob o pressuposto de fomentar novos praticantes, não me contive em 2014 criar o departamento de mini-handebol na Federação Paulista, mas foi-se o tempo que me orgulhei disso, pois, do modo como é proposto neste livro, o mini-handebol é muito mais, é o poder de transformar o “gosto de praticar” pelo “amor de jogar”!

14


Prefácio Carlos Alberto Ferrão Garcia1

Prefaciar um livro, embora possa parecer, não é de fato tarefa fácil. Escrever um livro, também não. Mas se compararmos esses dois momentos, sem dúvida a escrita supera o prefácio, de longe. No entanto, compete ao prefaciador encaminhar os potenciais leitores para a obra. E nessa qualidade gostaria de registrar aqui que foi com enorme honra e grato prazer que aceitei o desafio dos autores, Diego Melo de Abreu e Milton Geovani Bergamaschi em juntar umas palavras a este magnífico trabalho que chega às mãos de todos. Imagino que muitos dos leitores saltem estas páginas. As razões para tal serão muito díspares certamente. No entanto, quer a temática quer o trabalho que os autores têm vindo a fazer ao longo da sua carreira profissional, merecem sem dúvida uma palavra de estímulo, de incentivo, de felicitação. E aqui pelo menos fica a minha: parabéns. Está um trabalho impecável. Escrever sobre educação e sobretudo educação desportiva, como é o caso, é determinante no mundo atual. Valorizar a nossa juventude significa assegurar um melhor futuro. Valorizar os nossos treinadores e professores, a quem este livro trará certamente muito de positivo, significa uma melhor educação em geral e desportiva em particular. O mini-handebol é uma “ferramenta” espetacular para a entrada no desporto… Para a entrada no handebol. Se for bem organizado, se for bem planeado e sobretudo bem suportado no conhecimento científico, só tem uma saída: o sucesso. E esta obra sem dúvida vai ajudar e muito. 1. Professor de Educação Física, presidente do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas do Algueirão MDS (Portugal), técnico de Handebol e formador na European Handball Federation e Federação Portuguesa de Handebol e coordenador técnico do Departamento de Ginástica Sport Lisboa e Benfica (Portugal). 15

Profile for pacoeditorial

Teoria e Prática do Mini-Handebo  

O mini-handebol é mais que uma iniciação ao esporte handebol. É uma prática de reconhecimento da importância do lúdico, do jogo infantil, da...

Teoria e Prática do Mini-Handebo  

O mini-handebol é mais que uma iniciação ao esporte handebol. É uma prática de reconhecimento da importância do lúdico, do jogo infantil, da...

Advertisement