Page 1

EaD em Rede é uma publicação on line trimestral da Câmara de Educação a Distância (EaD) da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem) Ano 01 - Edição 01 - Dez 2016 a Fev 2017

A Ciência portátil 6

Formação continuada, uma ação de sucesso 7, 9 e 10

Novo portal EduCapes tem a marca Abruem 8

Câmara de EaD apresenta metas para 2017 13


Carta ao leitor Nossa equipe Reitor Aldo Nelson Bona (Unicentro) Presidente da Abruem Reitora Adélia de Melo Pinheiro (Uesc) Vice-presidente da Abruem Reitor Marcus Tomasi (Udesc) Presidente da Câmara de EaD Abruem Carmen Cipriani Pandini (Udesc) Secretária da Câmara de EaD Abruem Eliane Rauski (UEPG), Eloisa Maia Vidal (Uece), Fernando Guilherme Veloso Queiróz (Unimontes), Glória Maria Farias da Rocha (Uepa), Ilka Marcia Ribeiro de Souza Serra (Uema), Maria Aparecida Crissi Knüppel (Unicentro), Renato Medeiros de Moraes (UPE), Valter Gomes Campos (UEG) Membros da Câmara EaD Abruem e conselheiros de EaD em Rede Marcio Fernandes (Unicentro) Jornalista responsável EaD em Rede MTb 01022/SC Luiz Fernando Santos (Unicentro) Designer

Você está lendo a primeira edição online da Revista EaD em Rede, que é uma publicação da Câmara de Educação a Distância da Abruem. Idealizada por seus membros (vide lista ao lado), como uma de suas metas anuais, foi implementada em parceria com profissionais da Comunicação das Universidades que compõem esta Câmara (nominata ao lado também). Como uma das faces de sua identidade, pretende revelar-se enquanto uma publicação informativo-acadêmica em rede, em que os assuntos tratados tornar-se-ão relevantes na medida em que possibilitam o conhecimento, a informação, a troca de saberes e as experiências com destaques à modalidade a distância nas suas múltiplas formas, expectativas e impactos. Com esse propósito, a publicação procura trazer ao leitor conteúdos que, de algum modo, se movem em uma sociedade conectada, que é vasta e múltipla, com o intuito de integrar e, por conseguinte, tecer novos caminhos, desvendar potencialidades, abrir fronteiras para o desenvolvimento e valorização da Educação a Distância nas universidades públicas da Abruem! As edições da EaD em Rede serão trimestrais, com entrevistas, notícias, tendências e inovações, indicações de leituras e mídias, bem como socialização de boas práticas integrando diferentes olhares, tendências e inovações. Ao integrar essas possibilidades pretende-se também provocar reflexões sobre a importância de reconhecer a EaD como parte do projeto institucional, permitindo e promovendo práticas institucionalizadas, com projetos conectados tecendo a grande rede de colaboração, para o compartilhamento e o fortalecimento da EaD nas nossas instituições e como projeto educacional mais amplo. Desejo uma excelente leitura e um olhar crítico sobre os conteúdos!

Marcus Tomasi Presidente da Câmara de EaD da Abruem e Reitor da Udesc Dez 2016 Foto Assessoria Unesp

Ariane Carla Pereira (Unicentro), Júlio Stanczyk (Unicentro) e Marcio Fernandes (Unicentro) Editores Athon Gallera (UEPG), Júlio Stanczyk (Unicentro), Melina Ayres (Udesc), Thiago Augusto (Udesc) e Vanessa Haddad (Unesp) Redatores Fale Conosco eademrede@unicentro.br (42) 3621 1364 EaD em Rede é uma publicação on line trimestral da Câmara de Educação a Distância (EaD) da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem)

Membros da Câmara EaD da Abruem, com a Presidência da própria associação, durante evento na Unesp em 2015


Novos Cursos

3

EaD em rede

Edital da Capes acrescenta cerca de 50 mil alunos ao sistema UAB Júlio César Stanczyk

M

uitos brasileiros terão nova oportunidade de fazer uma graduação ou de cursar uma especialização, de maneira gratuita e na modalidade de Educação a Distância (EaD), em universidades estaduais e municipais afiliadas à Abruem. Esse patamar de pessoas beneficiadas está previsto em um documento lançado no começo do segundo semestre de 2016 pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, a Capes, no chamado Edital 75. Ao todo, são 46.286 vagas que serão ofertadas por 23 instituições estaduais e municipais, localizadas em 13 Estados brasileiros. Uma verificação do edital permite notar que 28 cursos de graduação estão incluídos na oferta, enquanto há 50 títulos de especialização. Entre as possibilidades estão as licenciaturas em Ciências Biológicas, Filosofia, Artes Visuais e Física e bacharelados em Sistemas de Informação, Turismo e Administração Pública. Quando do fechamento desta edição da revista EaD em Rede, boa parte das universidades já havia iniciado as atividades de tais cursos, nos dois níveis. “O edital 75 foi um processo longo que iniciou há quase dois anos. Algumas instituições começaram os cursos, ofertando as vagas previstas, em 2016, outras optaram por

Fotos Assessoria Unicentro

Formandos de Administração Pública em Apucarana/PR: 4170 novas vagas disponibilizadas para o curso

iniciar os trabalhos somente no ano seguinte. Edital semelhante a este deve ser lançado apenas em 2018”, avalia a coordenadora do Núcleo de Educação a Distância da Unicentro, Maria Aparecida Crissi Knuppel, integrante da Câmara de EaD da Abruem. As universidade estaduais e municipais são responsáveis por 27% das vagas do edital. Entre os diversos objetivos do sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), está o cumprimento da meta 15 do PNE 2014/2024, que busca assegurar aos professores de Educação Básica a formação específica de nível superior, em cursos de licenciatura na área de conhecimento em que atuam. Neste edital, 40,1% das vagas são destinadas para formação pedagógica e licenciatura destes docentes. Entre as diversas áreas se destacam as disciplinas de Humanas, com 17.616 vagas disponibilizadas, seguidas pelos cursos de Sociais Aplicadas, com 14.635 e 4.680 de Ciências Exatas e Ciências da Natureza. Outro aspecto importante de observar são as vagas por regiões: 40,3% foram destinadas para a região Sul, 39,6% para a região Nordeste e 12,4% para região CentroOeste. O Sudeste e o Norte tiveram o menor número de vagas disponíveis com 5,5% e 1,9%, respectivamente. O edital contemplou 2130 novas vagas para licenciatura em Geografia


EaD em rede

4

Entrevista Especial

Câmara EaD da Abruem, um fórum qualificado de discussões Ariane Carla Pereira

O Foto Assessoria Unicentro

cupando a Presidência da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais) desde o último mês de agosto, o reitor da Unicentro Aldo Nelson Bona avalia o trabalho da Câmara Técnica (CT) de Educação a Distância e faz projeções das ações em que a CT deverá se envolver nos próximos anos. A seguir, confira os principais trechos desta entrevista exclusiva concedida à editora Ariane Pereira, da revista EaD em Rede:

em fóruns qualificados de temas específicos como a questão da internacionalização, a questão da graduação, da pós-graduação, da educação à distância, a questão da saúde, dos hospitais universitários. Discussões técnicas que vão, então, subsidiar, orientar as ações da Diretoria da Abruem, do Conselho Pleno da Associação. É, também, uma via de mão dupla, já que a Diretoria e o Conselho Pleno da Abruem delegam tarefas a essas Câmaras, cujas respostas conduzirão as discussões ao longo do período. Então, a estratégica de criação das Câmaras Técnicas foi nesse sentido, de fazer com que o debate amplo da atuação institucional fosse constante no âmbito da Abruem, que esse debate não se reduzisse, meramente, às questões administrativas do dia-a-dia, que acabam tomando conta, muitas vezes, do fazer de um reitor. EAD em Rede: Por que, entre as temáticas privilegiadas das Câmaras Técnicas, há a EaD?

Novo presidente da Abruem, Aldo Nelson Bona é defensor incondicional da Educação a Distância

EAD em Rede: A estrutura da Abruem é composta por Câmaras Técnicas. De que maneira o trabalho das CTs auxilia no desenvolvimento do que é realizado pela Associação? Aldo: A Abruem como uma entidade que, originalmente, reunia os reitores somente, por vezes, as discussões acabavam sendo focadas mais na questão do administrativo-operacional. A Associação tinha uma dificuldade de atuar institucionalmente em questões de matéria mais acadêmica, pedagógica. A estratégia de criação das Câmaras Técnicas foi, justamente, nesse sentido, de que pudesse haver no âmbito da Abruem discussão

Aldo: A educação a distância foi escolhida como uma Câmara necessária de ser instalada justamente por conta de que, quando nós estávamos estruturando essa nova sistemática de organização da Abruem, a educação à distância estava surgindo como uma indução do Ministério da Educação. A educação à distância estava, no Brasil, sendo atribuída, também, como tarefa das instituições públicas a partir da uma ação de regulação e de financiamento do MEC (Ministério da Educação). E como as nossas instituições afiliadas à Abruem, já havia um conjunto delas participando da educação à distância, nós entendemos que seria importante e pertinente organizar uma Câmara neste sentido para que o coletivo das universidades pudesse se beneficiar dessas discussões e, eventualmente, mais instituições aderissem ao processo de EaD - tanto a educação a distância promovida com os esforços isolados da própria instituição, como a educação à distância promovida com os esforços articulados pelo sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). EAD em Rede: A Câmara de Educação a Distância é bastante atuante. De que maneira o trabalho desses profissionais colabora com as ações da Presidência, da Diretoria da Abruem nesse processo de institucionalização da Ead? Aldo: A Diretoria da Abruem é aquela instância que é encarregada de fazer as gestões políticas e administrativas necessárias à defesa dos interesses e das prioridades definidas pela Abruem, pela Associação. Neste sentido, o trabalho da Câmara

Foto reprodução Unesp Tv


Entrevista Especial

5

EaD em rede

Educação a Distância da Abruem possa participar intensamente desse debate e contribuir para a melhoria da nossa educação a distância, que nós tenhamos uma posição claramente definida, a partir do debate entre os pares, que não admita retroceder jamais, que a gente possa articular ações no sentido da melhoria do sistema e da participação cada vez mais efetiva das nossas universidades estaduais e municipais na EaD no País. EAD em Rede: Uma das ações em andamento da Câmara de Educação a Distância é a oferta de Aldo Bona, à esquerda na imagem, participa da abertura do 57º Fórum Nacional de Reitores da Abruem, na Unesp, em 2015 disciplinas EaD para estudantes de outras universidades do sistema. de Educação à Distância é fundamental para que De que maneira isso é benéfico para os alunos, as nossas ações, enquanto Diretoria da Abruem, para as instituições e para a Abruem? possam promover a articulação no sentido de Aldo: Eu identifico como mais um passo do que as demandas das universidades estaduais, a trabalho que a Associação vem fazendo no sentido particularidade da atuação com educação à distância de aproximar mais as nossas instituições e de das universidades estaduais e municipais possam articular mais as universidades afiliadas à Abruem estar contempladas no contexto da regulação, no trabalho conjunto. É um desafio bastante grande do financiamento e das políticas nacionais de que a gente tem, de fazer com que o trabalho em educação a distância. Então, a atuação da Câmara rede possa se desenvolver cada vez mais entre é decisiva no sentido de articular as ações entre nossas associadas. E a experiência de compartilhar as universidades da Abruem, mas, também, de conteúdos, de compartilhar disciplinas por meio das articular a defesa das particularidades dos sistemas tecnologias da educação à distância, de oferecer a estadual e municipal de educação superior no partir de uma instituição determinadas disciplinas âmbito das políticas do Ministério da Educação, que possam atender alunos de outras instituições, pautando e debatendo questões importantes para que não haja um tratamento da educação a isso tudo, a meu ver, contribui neste processo de distância como se se tratasse apenas de um sistema articulação cada vez maior das instituições ligadas federal de educação superior. A Câmara tem feito à Abruem. muito bem esse papel, tem contribuído no sentido de articular ações de educação à distância em EAD em Rede: Outra ação frequente da Câmara cooperação entre as nossas universidades - agora, de EaD é a organização de livros sobre o processo com um trabalho mais interno de oferecer cursos, de estruturação e consolidação da Educação oferecer programas, compartilhar conteúdos. a Distância no Brasil. Isso também fortalece a Mas, também, tem sido importante no sentido do modalidade e as universidades? debate e da defesa política, do posicionamento da Aldo: Eu vejo que fortelece - não só a Abruem no âmbito da EaD em nível nacional. modalidade, como também as universidades porque é um registro, é um recorte das reflexões EAD em Rede: Nesse sentido, quais são suas feitas até aquele momento sobre o processo. Isso expectativas para o trabalho da Câmara em acaba se constituindo num documento, num texto relação aos próximos dois anos, que é a duração que retrata a realidade do momento, as reflexões do seu mandato? de um determinado contexto e, portanto, um texto Aldo: A expectativa é a melhor possível no sentido importante da avaliação da trajetória ao longo do de que possamos ter a Abruem como uma instância tempo. Nesse sentido, esta constante produção da qualificada para esse debate do re-ordenamento Câmara - produção teórica, produção biográfica do sistema Universidade Aberta do Brasil. A nova tem, também, esta relevância e esta importância Presidência da Capes, assim como a nova Diretoria de apresentar um retrato do estágio atual, das de Educação a Distância (DED), tem sinalizado reflexões e das discussões sobre a educação à para a necessidade de repensar e re-organizar o distância. Na medida em que o processo vai se sistema, para a necessidade de institucionalizar a construindo, outras reflexões se formam, outra educação à distância nas universidades e não ficar produção surge, e isso tudo constitui um material apenas essa ação da Universidade Aberta do Brasil. rico da análise desse processo de crescimento da Nós temos a a expectativa de que a Câmara de EaD no nosso País e no âmbito da Abruem.


EaD em rede

6

Boas Práticas

UEPG cria kit portátil de Mineralogia Assessoria UEPG

U

Foto Assessoria UEPG

m novo recurso científico está auxiliando decisivamente os alunos do curso Geografia (modalidade EaD) da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no Paraná: trata-se de um kit que contém 12 amostras de minerais, além de uma cartilha e de um conjunto de pequenas ferramentas para testes e observações das pedras. O material faz parte da disciplina de Geologia e integra o projeto de Extensão denominado “Geodiversidade na Educação”, coordenado pelo professor Antônio Liccardo. “Com o kit, a instituição oferece um equipamento muito útil para verificação das características dos minerais”, explica o docente. Os itens colocados na caixa foram escolhidos por representar sobretudo a crosta terrestre nacional, explica Liccardo, caso da Hematita, produto extraído do ferro e que tem o Brasil como segunda potência mundial, atrás somente da China. Logo, continua Liccardo, o kit se torna um material bastante didático. O pacote acabou desenvolvido por uma equipe composta por professores e por alunos da carreira presencial de Geografia da UEPG mas focada nos estudantes do curso de EaD, contribuindo também para a integração entre os dois sistemas de Ensino Superior. Todos fazem parte do Departamento de

Geociências da UEPG, em cooperação, portanto, com o Núcleo de Tecnologia e Educação Aberta e a Distância (Nutead) da instituição. Tudo começou com uma percepção do professor Gilson Cruz quando lecionava a disciplina de Geologia no curso de EaD. Ele conta ter percebido que as caixinhas distribuídas nas saídas de campo dos alunos no começo de 2016 fizeram enorme sucesso. “Os comentários eram de que a caixinha, o vídeo e todo material que acompanhava auxiliaram no processo de aprendizagem e instrumentalizando o futuro professor de Geografia, pois o minilaboratório não é usado apenas no Ensino Superior a Distância mas também é um instrumento que desperta nas crianças o interesse sobre o assunto”, completa o pesquisador, que também atua como coordenador do referido curso.

A vez do QR Code

Mas tem mais: no exterior da embalagem que cada estudante recebe há o endereço eletrônico do projeto (www.geocultura.net) e um Quick Responde Code (QR Code), que, em Português, significa Código de Resposta Rápida. Trata-se de uma espécie de código de barras que, quando exposta à tela de um dispositivo móvel conectado à Internet, permite acesso a conteúdos extras sobre o tema que está sendo trabalhado “ neste caso, a Minerologia. A partir do QR é possível acessar, por exemplo, um vídeo que colabora na identificação mais detalhada dos 12 minerais. Este suporte audiovisual pode ser visto diretamente por meio do link https://goo.gl/XN1r2l. “Esse é um material didático que se insere perfeitamente no conceito moderno de Ensino a Distância, no ensino fora da sala de aula”, avalia Liccardo. “A proposta é que, com esse minilaboratório, qualquer pessoa consiga dominar um mínimo de conteúdo de reconhecimento de rochas”, Exemplar de kit de mineralogia e que integra a disciplina de Geologia finaliza o professor.


Boas Práticas

7

EaD em rede

Formação continuada de docentes: uma experiência em EaD na Uergs Alexandre Guimarães Derivi / Aline Calvo Hernandez / Armgard Lutz / Uergs *

N

Fotos Assessoria Uergs

o presente texto relatamos e discutimos a experiência da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) na elaboração e implementação do Programa de Formação Continuada de Docentes (PFCD) que vem sendo ofertado nas modalidades presencial e semipresencial de Ensino, por meio do uso de Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Moodle. O objetivo do Programa foi atender a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96) que, em seus artigos 62, 64 e 67, prevê a formação continuada de docentes em âmbito universitário. A proposta teve por objeto a intervenção, formação e reflexão docente para o exercício profissional contemporâneo, com sentido interdisciplinar e de potencialização das competências docentes ampliadas a EaD. A metodologia de trabalho, inspirada em Morosini (2006), compreendeu uma etapa presencial de 30 horas, distribuída em três dias, seguida de uma etapa de EaD com duração de 60 horas. O Programa de Formação esteve composto por quatro módulos de trabalho: 1º Módulo Acolhimento: Conhecendo a Uergs; 2º Módulo Conhecendo as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação; 3º Módulo - Atendimento Educacional Especializado (AEE); 4º Módulo Pedagogia Universitária. A capacitação ocorreu por intermédio de duas experiências-piloto,

Curso teve duas etapas, que somaram 90 horas e contemplaram 24 docentes de diversas áreas

envolvendo 24 docentes das diferentes unidades universitárias da Uergs. Os resultados apontaram que o Programa de Formação vem promovendo espaços de aprendizagem e reflexão docente nas diferentes áreas do conhecimento: Ciências Humanas, Ciências Exatas e Engenharias, Ciências da Vida e Meio Ambiente, desenvolvendo recursos didáticos, pedagógicos, tecnologias e objetos de aprendizagem (OA), refletindo e discutindo sobre processos de avaliação que compõem o exercício docente; instrumentalizando os docentes na utilização da EaD, Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação, Atendimento Educacional Especializado (AEE), além de estimular a produção de conhecimentos sobre pedagogia universitária. Concluiu-se que o PFCD atingiu os seus objetivos e alcançou indicadores do seu aperfeiçoamento. As avaliações docentes reafirmaram o alcance da formação ao promover novas competências, habilidades e atitudes na perspectiva da Educação a Distância, modalidade educacional tão importante para uma universidade multicampi cuja missão é o desenvolvimento regional e sustentável no Estado do Rio Grande do Sul.

Equipe do PFCD em ação na Uergs: resultados excelentes na primeira edição do curso de formação continuada de professores

*Alexandre Guimarães Derivi é professor adjunto e presidente do Núcleo de Educação a Distância (Nead) da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs); Aline Calvo Hernandez é professora adjunta e coordenadora de Qualificação Acadêmica junto à Pró-Reitoria de Ensino da Uergs; Armgard Lutz é professora adjunta e pró-reitora de Ensino da Uergs


EaD em rede

8

Boas Práticas

Unesp é parceira no EduCapes Assessoria Unesp

B

rasileiros interessados em aprimorar seus conhecimentos têm uma nova opção para encontrar material didático de fontes confiáveis na Internet: trata-se da plataforma EduCapes, desenvolvida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O portal disponibiliza recursos educacionais abertos em temas e formatos variados, compreendendo desde a Educação Básica até a Pós-Graduação. E essa nova iniciativa tem a presença do Núcleo de Educação a Distância (NEaD) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), que participa do projeto desde o seu início, colaborando com a formatação do repositório e oferecendo acesso ao acervo digital da Universidade, com mais de 120 mil objetos educacionais. Entre os conteúdos disponibilizados pela Unesp, estão e-books, áudios, vídeos, jogos, softwares e imagens, além de artigos científicos, dissertações de mestrado e teses de doutorado. “Permitir aos cidadãos o fácil acesso a recursos educacionais de qualidade significa favorecer a construção de conhecimentos que podem gerar oportunidades pessoais e profissionais”, afirma o professor Klaus Schlünzen Junior, coordenador do NEaD da Unesp, que esteve presente na cerimônia de lançamento do portal, no final de setembro, em Brasília. “É fundamental aproveitar as tecnologias do século 21 para criar condições de estudo e aprimoramento que alcancem a todos, igualitariamente”, continua o dirigente. A plataforma EduCapes utiliza o D-Space, software livre para criação de repositórios digitais. “Nos dois últimos anos, dedicamo-nos à customização do programa, definindo layout, padronizando metadados e criando novas funcionalidades”, explica Guilherme de Andrade Lemeszenski, analista de sistemas do Grupo de Tecnologia de Informação (GTI) do NEaD, que trabalhou em conjunto com a equipe de Tecnologia da Informação (TI) da Capes. Entre os recursos adicionados no processo, estão os de acessibilidade - como o ajuste das páginas para uso de leitores de tela, possibilidade de leitura com alto contraste e adição de links para navegação rápida. A Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), futuramente, também integrará o EduCapes, a partir da criação de seu próprio repositório digital, uma iniciativa da Câmara de Educação a Distância da organização. A elaboração deste acervo é uma das ações do projeto EaD em Rede,

que tem a finalidade de usar as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação para o compartilhamento de conhecimentos, produtos e serviços acadêmicos e pedagógicos. O Núcleo de Educação a Distância da Unesp é parceiro nessa iniciativa e colaborará com o desenvolvimento e customização da nova plataforma, como fez com o EduCapes. A integração dos metadados da biblioteca digital da Abruem com o repositório da Capes será outra atividade do NEaD. Dentre as 45 universidades da Abruem, 25 são credenciadas na Universidade Aberta do Brasil (UAB), sistema coordenado pela Diretoria de Educação a Distância (DED) da Capes. A UAB integra universidades públicas para oferecer cursos de graduação e de pós-graduação àcamadas da população que possuem dificuldade de acesso à formação universitária, dando prioridade aos profissionais que atuam na Educação Básica. “A Abruem é parceira do Fórum de Coordenadores da UAB e da DED. Nos colocamos à disposição para fazermos avançar o processo de institucionalização da EaD. Com ela, conseguimos alcançar locais em que, certamente, a educação presencial demorará muito tempo para chegar”, analisa o professor Aldo Nelson Bona, presidente da Abruem e reitor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro/Paraná). Atualmente, o EduCapes reúne também o material educacional da UAB e plataformas de outras universidades e instituições, como a Universidade Federal do ABC , o Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro, a Sociedade Brasileira de Matemática, a Representação do Governo dos EUA no Brasil, a Fundação Lemann, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, a Khan Academy e o Banco Internacional de Objetos Educacionais. Foto Assessoria Unesp

Equipe do Nead da Unesp: administrando 120 mil objetos educacionais no acervo digital da Universidade


Boas Práticas

9

EaD em rede

Formação continuada para professores municipais no PR Assessoria Unicentro Foto Assessoria Unicentro

Professores participam de oficinas durante encontro no município de Pinhão, no Paraná

A

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Brasileira (lei n. 9394/1996) é taxativa ao afirmar que a formação continuada de professore sé necessária para qualificar o trabalho docente. A partir dessa reflexão definida claramente em uma legislação federal é que uma equipe da área de Educação a Distância (EaD) da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro, Paraná) elaborou o Projeto de Formação Continuada e Integrada para os profissionais da Educação – Construindo o Plano Municipal de Educação do Município de Pinhão, no interior do Paraná. Atualmente, quase 500 docentes da rede municipal são beneficiados pela proposta. O projeto, explica a diretora de EaD da Unicentro, professora Maria Aparecida Crissi Knüppel, possibilita novos olhares a respeito dos currículos formadores das instituições de Ensino, além do redimensionamento das práticas pedagógicas e a reflexão da participação social do professor como agente de transformação social. Maria Aparecida explica que, visando o alcance de níveis mais altos de aprendizado bem como buscando assegurar aos profissionais da Educação condições para a reflexão sobre sua prática pedagógica, a ação está dividida em três anos: o primeiro, dedicado a práticas pedagógicas (2014); o segundo, à construção do Plano Municipal de Educação (2015); e o terceiro,

em fase de finalização, que trabalha a elaboração das Diretrizes da Educação Municipal. Maria Aparecida aponta ainda que, antes do começo do projeto, fez-se um levantamento com professores do Centro-Oeste do Paraná com o objetivo de conhecer as principais necessidades em relação à formação pedagógica inicial. Desse estudo, verificou-se a necessidade de aprofundamento em temáticas relevantes, como a alfabetização e o letramento, educação inclusiva, gestão da escola e linguagem midiática. A organização de estudos do programa foi elaborado nos princípios da heutagogia (do grego: heuta = auto + agogus = guiar), aliadas com propostas de aula invertida na modalidade de EaD. Neste cenário, o projeto foi concebido de forma híbrida - presencial e a distância. O formato possibilitou a socialização de práticas pedagógicas que oportunizaram apropriações de conhecimento, como subsídio ao planejamento pedagógico e a construção de proposições de ensino e de aprendizagem para as escolas do pequeno município paranaense. “Eu acho fantástico, com nosso pouco tempo de estar em cursos presencialmente, essas oportunidades que temos na EAD são muito boas, porque a gente tem como estar nos aperfeiçoando em casa”, disse em uma das etapas a professora Leda Maria Ferrari, lotada na Escola Professor Cipriano de Paula Santos, a 30 km do centro de Pinhão. Após a planificação, os cursos foram efetivados com o apoio de 15 docentes da Unicentro, de diversos departamentos pedagógicos e também coma ajuda de 10 membros da comunidade externa. Esse projeto estava previsto para ocorrer durante dois anos, mas foi ampliado a pedido da Administração Municipal. O segundo ano acabou voltado para elaboração do Plano Municipal de Educação e consistiu no esforço para adaptar a realidade local do município às metas do Plano Nacional de Educação. Os docentes foram, então, divididos em grupos que abordaram os diferentes níveis e as modalidades de Ensino: Educação Infantil, Fundamental, Média e Superior. Atualmente, o projeto está na terceira fase, voltada para a construção das Diretrizes da Educação Municipal. O que diferencia esta fase da anterior é que discute as disciplinas do currículo básico de acordo com as áreas do conhecimento. Essa fundamentação teórica atinge diretamente a Educação Infantil e Fundamental da cidade.


EaD em rede

10

Boas Práticas

Uema investe na qualificação em EaD de seu corpo docente Assessoria Uema

U

ma iniciativa de formação continuada na Universidade Estadual do Maranhão (Uema) está beneficiando diretamente docentes da instituição na modalidade de EaD. O Projeto Novas Tecnologias Para Docência (TEC-EDU) tem como objetivo apresentar aos professores da Uema ferramentas tecnológicas que podem ser aplicadas eficazmente em sala de aula na melhoria do Ensino, em distintos cursos. A formação continuada de professores da Universidade acontece de maneira semipresencial, com carga horária de 20 horas, explica a coordenadora geral de EaD da Uema, Ilka Serra. Os docentes contemplados contam com calendário flexível, sem data pré-definida para a finalização da formação em sua fase virtual. A Uema possui experiência em diversas modalidades de cursos a distância que vão desde cursos abertos, cursos de idiomas e cursos técnicos de qualificação profissional, até graduações e pós-graduações. Somente nos cursos de curta duração, que possuem carga horária semelhante ao Projeto de Novas Tecnologias para Docentes, embora sejam exclusivamente a distância, a Uema

Foto Divulgação

já atendeu mais de 90 mil alunos que acessaram os materiais em 36 países diferentes. Ilka lembra que, nos módulos, são trabalhados temas como: - A utilização de tecnologia móvel (smartphones e tablets) com seus aplicativos nas mais variadas modalidades que podem ser utilizados no contexto educativo; - Blogs são utilizados como ferramentas que potencializam a construção de redes de relacionamento e disseminação de saberes. Através do blog, os professores ganham uma valiosa ferramenta de compartilhamento de materiais didáticos como textos, arquivos de áudio e vídeo. - O software Prezi é usado como uma ferramenta inovadora para a criação de apresentações com maior impacto visual. Efeitos como 3D e zoom permitem a produção de apresentações dinâmicas que despertam maior atenção dos alunos; - A redes sociais são vistas como grande revolução comunicativa do novo século, com múltiplas possibilidades de interação entre pessoas e organizações no ambiente escolar; - Por fim, o conjunto de serviços Google também é abordado no curso, auxiliando a maximização da comunicação e a troca de dados.

Aplicativos do Google, Prezi, blogs e redes sociais fazem parte da formação coordenada pela Uema


Lançamentos

11

EaD em rede

Universidade recebe menção honrosa por práticas educativas inovadoras

A

Foto Assessoria Unesp

a

Organização Universitária Interamericana (OUI) reconheceu a excelência das ações do Núcleo de Educação da Distância (NEaD) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) para tornar o Ensino Superior acessível aos estudantes que são alvo da Educação Especial (pessoas com deficiências, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/ superdotação). Com essa finalidade, os pesquisadores e profissionais do NEaD implementaram um conjunto de soluções para formação de professores e a adequação de ambientes virtuais de aprendizagem, materiais didáticos e metodologias de ensino. Essas iniciativas e seus resultados foram reunidos em um projeto, considerado um dos 11 melhores entre 61 apresentados para concorrer ao Prêmio Interamericano de Inovações Educativas no Ensino Superior 2016. As menções de honra foram entregues no final de novembro, na 36. Assembleia geral de Membros da OUI, na Universidade de Guadalajara, México. Na ocasião, houve o lançamento de um livro com as práticas finalistas.

Professores Klaus Schlünzen Jr, coordenador do NEaD/Unesp, e Elisa Moriya Schlünzen, especialista em educação inclusiva, recebem a menção honrosa das mãos de David Julien, secretário-geral executivo da OUI

EaD da Unesp apresenta novo volume de revista científica

O

Núcleo de Educação a Distância (NEaD) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) disponibiliza, neste final de 2016 e meados de 2017, o segundo volume de sua revista eletrônica Infor - Inovação e Formação (http://ojs.ead.unesp. br). A publicação tem o objetivo de divulgar pesquisas e trabalhos relacionados à Tecnologia, Inovação, Inclusão e Formação. Todos os textos publicados são disponibilizados para acesso pela web ou para download. Seguindo o propósito do NEaD/Unesp de incentivar e expandir a educação inclusiva, os artigos completos e seus resumos são acompanhados de áudios, o que os torna acessíveis para pessoas com deficiência visual.

Foto Reprodução

MANDE SUA SUGESTÃO - A revista EaD em Rede recebe sugestões de lançamento (livros, games, ferramentas educacionais, documentários, etc). Se você quer contrubuir, faça contato com a nossa equipe, pelo telefone (42) 3621 - 1364 e/ou email eademrede@unicentro.br


EaD em rede

12

Agenda Abruem

Câmara com agenda cheia em 2016 Assessoria Udesc

dois em setembro, na Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), Minas Gerais. “De fato, tivemos felizmente um ano bastante produtivo e em diversas esferas, em favor do sistema público de EaD no Brasil”, pondera a professora Maria Aparecida Crissi Knüppel, integrante da Câmara e diretora de EaD da Universidade Estadual do CentroOeste (Unicentro), Paraná. Outra novidade de impacto em 2016 foi a construção do projeto EaD em Rede, que inclui o lançamento desta publicação eletrônica, homônima. Uma das metas do projeto, que está em Câmara de EaD reunida na Unesp, em São Paulo: agenda cheia o ano todo e em fase piloto, inclui uma consulta às diversos pontos do Brasil universidades afiliadas à Abruem no sentido de mapear e difundir boas práticas nesta nova modalidade de Educação Superior. O EaD em ano civil que está acabando demarca Rede também está elaborando um grande mapa também o momento de um balanço das dos 10 anos de atividades em Ensino a Distância atividades de 2016 da Câmara de Educação no âmbito de todas as instituições estaduais e a Distância (EaD) da Abruem. Para além dos dois municipais. encontros anuais da Associação (em Goiás no Já neste último trimestre do ano, a equipe da primeiro semestre e na Bahia no segundo), os Câmara tem na agenda pontos como um balanço membros da Câmara se reuniram por diversas geral de 2016 e o planejamento dos próximos 12 vezes e em vários locais, para prosseguimento das meses. Um dos últimos encontros de 2016, aliás, atividades da equipe. A maior parte dessas ações teve mais uma novidade: a reunião foi on line, com teve natureza técnica e política simultaneamente. os membros da Câmara espalhados pelo Brasil mas É o caso, por exemplo, das reuniões com membros interagindo com a devida sintonia. do Conselho Nacional de Educação (CNE) e com a Diretoria de Educação a Distância (DED) da Capes. Ambos encontros ocorreram em Brasília. Com o CNE, o eixo principal dos diálogos esteve no entorno do Marco Regultário da EaD e seus desdobramentos. A equipe igualmente participou dos acontecimentos envolvendo grupos de trabalho no INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e na mesma DED. Com o INEP, a pauta esteve focada em referenciais de qualidade para a EaD. No segundo último caso, um dos eixos centrais dizia respeito às fontes de financiamento do sistema brasileiro de EaD. Já no que se refere a eventos, dentre as diversas presenças, a Câmara da Abruem esteve no ESUD, o Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância, e no CIESUD (Congresso Internacional de Educação Superior a Distância), os Câmara reunida na Universidade Estadual do Maranhão (Uema)

Foto Reprodução Unesp TV

O

Foto Assessoria Uema


Perspectivas

13

EaD em rede

Câmara de EaD apresenta metas para 2017 Assessoria Udesc

Equipe da Câmara de EaD da Abruem pretende alternar reuniões on line com encontros presenciais

A

s ofertas de ações de formação continuada, de disciplinas a distância e também dos Moocs (Massive Open Online Course) são três das metas para 2017 da Câmara de EaD da Abruem, conforme acordado entre os membros da unidade durante a última reunião do grupo em 2016, em meados de dezembro, na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em Florianópolis. Estas proposições estão devidamente aprovadas no âmbito da Abruem, depois que reitores que compõem a diretoria da entidade apreciaram o teor do regimento, também em Brasília, durante a agenda mensal dos dirigentes na sede da entidade. Sobre o Projeto EaD em Rede (nome guardachuva das proposições), os membros da Câmara definiram como essencial para dar eficiência e efetividade às ações o agendamento de uma reunião com as demais Câmaras da Abruem, ampliando esta pauta para um diálogo com os gestores de EaD das universidades afiliadas à Associação. Esta reunião deverá ser realizada em março próximo em Brasília. Outra meta importante para o ano que começa é a realização do I Simpósio Internacional em Inovação na Educação Superior, possivelmente na Universidade Estadual do Maranhão (Uema), na cidade de São Luís. O encontro está previsto para o final de junho. O Simpósio terá submissão de trabalhos, pôsteres, mesas redondas e conferências, atividades essas serão classificadas em diferentes linhas levando em conta os distintos modelos e abrangência de oferta da Educação Superior.

A Câmara também pretende apresentar projeto para efetivar parcerias com a DED/Capes para o desenvolvimento de atividades conjuntas, com o intuito de potencializar ações em rede e contribuir com o debate sobre a institucionalização. Na comissão instituída pela DED/CAPES, o professor Klaus Jr (Unesp) representa a Abruem, juntamente com Eloísa Vidal (Uece/Ceará). Durante o encontro em Florianópolis (12 e 13 de dezembro), a equipe da Câmara participou de uma reunião com os gestores do Ceadd, da Esag e da Proen (unidades da Udesc), mostrando os trabalhos em andamento e tendo a oportunidade de trazer ao debate alguns temas importantes, como a própria institucionalização e a importância da parceria entre diferentes instituições e órgãos de fomento. O segundo dia de reunião, por indicação do reitor da Udesc e presidente da Câmara, professor Marcus Tomasi, foi realizado no Museu da Escola Catarinense (Mesc), criado em 1992 e abrigado no edifício construído para receber a Escola Normal Catharinense (1892-1926). O imóvel é tombado pelo patrimônio histórico. “Foi um momento de nostalgia proporcionado pela visita em que os móveis, os objetos e os espaços trouxeram a memória dos tempos, dos cheiros e dos valores e princípios de uma época vivida”, pondera a professora Carmen Pandini, da equipe de EaD da Udesc, lembrando ainda que, sempre que possível, alternando com reuniões on line, a Câmara se reunirá presencialmente em uma instituição vinculada à Abruem. O primeiro encontro do grupo para 2017 está agendado para a Unesp, em São Paulo. Fotos Assessoria Udesc

Última reunião de 2016 da Câmara ocorreu em Florianópolis, na Udesc, com a presença do reitor da instituição, professor Marcus Tomasi (ao centro, de paletó)


EaD em rede

14

Leituras recomendadas

Obras oferecem subsídios para pensar a EaD Livro: Práticas de EaD nas Universidades Estaduais e Municipais do Brasil: cenários, experiências, reflexões Organizadores: Antonio Heronaldo de Sousa (Udesc); Carmen Maria Cipriani Pandini (Udesc); Sabrina Bleicher (Udesc); Ana Laura Tridapalli (Udesc); Ilka Marcia Ribeiro de Souza Serra (Uema); Eliane de Fátima Rauski (UEPG); Maria Aparecida Crissi Knüppel (Unicentro); Valter Gomes Campos (UEG) Sinopse: Publicado em 2015, o livro materializa um importante esforço coletivo e representa um marco histórico para o sistema Abruem, tornando-se um grande repositório das trajetórias, experiências e reflexões já desenvolvidas, principalmente, ao longo da última década, na área de Educação a Distância, em importantes universidades brasileiras. Esse livro-repositório é um convite para se entender a trajetória das políticas e práticas de institucionalização de EaD em várias instituições estaduais e municipais, de como essas universidades têm conseguido organizar a oferta de cursos a distância e de que modo as metodologias e ferramentas de EaD têm contribuído para a melhoria dos cursos presenciais. O livro também permite ampliar nossa visão das práticas pedagógicas utilizadas em nossas instituições, desde o desenho de estruturas curriculares e a formação docente para EaD, até a produção de material didático. Finalmente, uma terceira parte da publicação aborda as práticas de Tecnologia e Gestão, apresentando importantes depoimentos dos desafios e soluções encontradas na gestão da EaD e no desenvolvimento e uso de tecnologias, tanto para a oferta presencial como a distância. Ao compartilhar as experiências presentes neste livro, a Abruem, através de sua Câmara de EaD, catalisa o potencial de cada filiada, numa ação de união de esforços para que, juntamente com a Universidade Aberta do Brasil (UAB/MEC), governos estaduais e municipais possam contribuir para uma educação cada vez mais inclusiva e libertadora. Observação: A obra estará disponível em 2017 em versão online no Repositório Aberto da Abruem.

Livro: Políticas de Ensino Médio no Ceará: escola, juventude e território Organizadoras: Eloisa Vidal e Sofia Lercehe Sinopse: Publicado em 2016. Esta obra é fruto de iniciativa de pesquisa da Fundação Tide Setúbal e coordenado pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) nos Estados de São Paulo, Pernambuco, Goiás e Ceará. As constatações da pesquisa foram apresentadas em eventos científicos e de divulgação, integrando um dossiê de Cadernos Cenpec - 2016. O presente livro oferece alguns achados inéditos do estudo realizado no Ceará, desenvolvido em seis escolas estaduais localizadas em Fortaleza, Canindé e Paraipaba. O trabalho permitiu perceber visível esforço na busca por uma educação de qualidade para jovens destinatários desta etapa de escolaridade. Por outro lado, foi possível notar a persistência de um conjunto significativo de problemas a superar. Em meio a um contexto marcado por desafios diversos, é alentador verificar que Governo do Estado e escolas têm empreendido no sentido de promover o direito à educação dos jovens, em particular os habitantes de territórios marcados por vulnerabilidade social e econômica. Observação: A obra estará disponível em 2017 em versão online no Repositório Aberto da Abruem.


Leituras recomendadas

15

EaD em rede

Livro: Na tessitura da Distância: entre políticas, docência e tecnologia na EaD Organizadores: Sarah Mendonça de Araújo; Eucidio Pimenta Arruda; Maria Teresa Meneses Freitas Sinopse: Escritos por profissionais e pesquisadores que vivenciam e pensam esse campo da Educação desde pelo menos a constituição do sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), em 2006, os capítulos desta publicação colaboram para uma melhor compreensão dos novos desafios financeiros, administrativos, tecnológicos, pedagógicos e institucionais que as instituições públicas de Ensino Superior, experientes em cursos presenciais, têm enfrentado no processo de consolidação da Educação a Distância (EaD). Esses desafios envolvem a preocupação em garantir uma formação baseada na relação Ensino e Pesquisa, constituinte da identidade do Ensino Superior público, e na gestão democrática, preconizada pelas políticas públicas, a partir das reflexões produzidas por diferentes grupos que lutam, no Brasil, por uma educação de qualidade. Observação: após a distribuição desse livro à rede da Universidade Aberta do Brasil (UAB), a obra será disponibilizada também para aquisição via EDUFU, a partir de 2017.

Livro: Da Internet para a sala de aula: educação, tecnologia e comunicação no Brasil Organizadores: Adriana Aparecida de Lima Terçariol; Mônica dos Santos Mandaji; Nuria Pons Vilardell Camas e Renata Aquino Ribeiro Sinopse: Este livro traz reflexões sobre os elementos e características das redes digitais e as emergências das novas Tecnologias de Informação e Comunicação, analisando suas interfaces técnicas e seus pressupostos mais complexos e conectivos dentro da relação do que acontece nas salas de aula e das necessidades e expectativas de formação dos profissionais de Educação. Nesta obra, são discutidas temáticas fundamentais como projetos educacionais, interdisciplinaridade, letramento digital, colaboração, gestão democrática, tendo sempre em vista como as tecnologias podem não apenas ser integradas e incorporadas a essas dimensões do processo educacional, como podem concretizar situações de autoria e autonomia, dar visibilidade para os processos e viabilizar colaborações e, assim, serem meios fundamentais para essas transformações. Observação: disponível para compra via Internet


EaD em rede

Contracapa

Perspectivas

UERN prepara graduação focada em Internet Assessoria UERN

A

Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) se prepara para uma experiência inédita em seu âmbito de atuação: a oferta de uma graduação a distância em Sistemas para Internet, com início previsto o segundo semestre de 2017. Concebido pelo Departamento de Informática da Universidade, no Campus de Natal (capital do Estado), o curso pretende atender demandas do mercado regional. São 60 vagas ofertadas, comenta o professor Heitor Liberalino, da UERN. Nesta edição inaugural, 18 professores efetivos deverão participar. “Esse número atende à

necessidade de docentes requeridos pelo referido curso no que diz respeito à atividade do perfil para cursos EaD”, continua Heitor. Os alunos aprovados terão excelente estrutura à disposição, incluindo uma sala de videoconferência (equipada com TV de 40 polegadas) e uma base computacional interligada por fibra ótica. Laboratórios de computadores e laboratórios de pesquisa igualmente poderão ser utilizados pelos discentes. “Uma vez que as empresas vêm se adequando à era tecnológica, na qual grande parte da movimentação comercial é feita pela rede de computadores, são necessários profissionais que garantam que este fluxo seja eficiente e, principalmente, seguro”, pondera Heitor, docente com doutorado pela Université Blaise Pascal (UBP), na França.

Revista EaD em Rede - Ed. 1  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you