Issuu on Google+


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

EXPEDIENTE Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo Centro de Controle de Doenças Centro de Vigilância Epidemiológica “Alexandre Vranjac” Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids – CRT-DST/Aids Programa Estadual de DST/Aids de São Paulo Coordenação do Programa Estadual de DST/Aids Maria Clara Gianna – Coordenadora Artur Kalichman – Coordenador Adjunto Vigilância Epidemiológica do Programa Estadual de DST/Aids/CVE Diretoria Ângela Tayra Organização dessa Edição Carmen Silvia Bruniera Domingues Mariza Vono Tancredi Elaboração Vigilância Epidemiológica do Programa Estadual de DST/Aids - SP: Ângela Tayra, Ana Lúcia C. Monteiro, Carmen Silvia Bruniera Domingues, Emily Anna Catapano Ruiz, Ione Aquemi Guibu, Manoel Ferreira Lima, Márcia Cristina Polon do Carmo, Maria Aparecida da Silva, Mariza Vono Tancredi, Norma Suely de Oliveira Farias, Solange E. Chabu Gomes e Wong Kuen Alencar. Colaboração

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO

PROGRAMA ESTADUAL DE DST/AIDS DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO C.R.T. – DST/AIDS. C.V.E. ANO XXV – Nº 1 DEZEMBRO 2008

Prevenção, Assistência e Assessoria de Imprensa do Programa Estadual de DST/Aids - SP: Elisabete Taeko Onaga, Elvira Ventura Filipe, Herculano D. R. Alencar, Karina Wolffenbottel, Naila Janilde Seabra Santos e Emi Shima. Fundação SEADE: Antonio Etevaldo Junior, Bernadette Cunha Waldvogel, Lílian Cristina Correia Moraes, e Margarete Silva Jordani. Revisão do Texto:

ÍNDICE Editorial........................................................................................ 02

Ângela Tayra, Artur Kalichman, Carmen Silvia Bruniera Domingues, Ione Aquemi Guibu, Leda Fátima Jamal, Luiza H. Matida, Mariza Vono Tancredi, Maria Clara Gianna e Sara Romera da Silva

Análise dos dados referentes à aids no Estado de São Paulo (dados até 30/06/2008) ........................................................................... 03

Equipe Técnica

Casos de aids em pessoas com 50 anos ou mais de idade no estado de São Paulo ................................................................... 34

Ana Lúcia C. Monteiro, Carmen Silvia Bruniera Domingues, Celsis de Jesus Pereira, Emily Anna Catapano Ruiz, Ingrid Napoleão Cotta, Ione Aquemi Guibu, Manoel Ferreira Lima, Márcia Cristina Polon do Carmo, Maria Aparecida da Silva, Marina Maeda Teixeira dos Santos, Mariza Vono Tancredi, Marta de Oliveira Ramalho, Norma Suely de Oliveira Farias, Priscila Mizuno, Solange E. Chabu Gomes, Wong Kuen Alencar Equipe de Apoio Barbara Poti Hasseda, Berenice Alves Ferreira, Magda Cristina B. de Queiroz, Sonia Albertina da Rocha Capa Álvaro Marinho

Diagramação Mauro Teles

Cópias do boletim estão disponíveis no setor de Vigilância Epidemiológica do Centro de Referência e Treinamento em DST/ Aids e no site: www.crt.saude.sp.gov.br Rua Santa Cruz, 81 • 04121-000 – São Paulo – SP Fone/Fax: (11) 5539-3445 ou 5087-9864/9865 E-mail: epidemio@crt.saude.sp.gov.br Disque AIDS: 0800-162550

Rettec, artes gráficas. Rua Xavier Curado, 388 - 04210-100 - Ipiranga Fone: (011) 2063-7000 Fax: (011)2061-8709 E-mail: rettec@rettec.com.br

O sistema de vigilância epidemiológica da gestante HIV e criança exposta no estado de São Paulo – 2000 a 2008......................... 40 Vigilância epidemiológica da sífilis na gestação e sífilis congênita no estado de São Paulo .............................................................. 50 Vigilância epidemiológica dos acidentes ocupacionais com exposição a materiais biológicos no estado de São Paulo, 2007 a 2008.......................................................................................... 64 Vigilância das doenças sexualmente transmissíveis no estado de São Paulo (dados até 30/06/2008) .............................................. 72 Prevalência das doenças sexualmente transmissíveis no município de São Paulo ............................................................................... 80 Circuncisão masculina como método de prevenção para HIV e DST: Eficácia e factibilidade ..................................................... 82 A rede de centros de testagem e aconselhamento (CTA) do estado de São Paulo: distribuição, população atendida e fatores relacionados ao acesso ao diagnóstico sorológico ................................................. 87

Tiragem : 4000 exemplares

Dezembro 2008

1


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

Editorial PROGRAMA ESTADUAL DST/AIDS FAZ 25 ANOS Este ano, o Programa Estadual DST/Aids-SP, pioneiro na resposta brasileira a epidemia, faz 25 anos. Reconhecido internacionalmente por sua política pública para portadores de HIV/aids, o sucesso do programa brasileiro e paulista pode ser atribuído a uma série de mudanças sociais e políticas na década de 80, da redemocratização do país e construção do SUS, à participação da sociedade civil, à mobilização de diversos setores, ao equilíbrio entre prevenção e tratamento e à promoção sistemática dos direitos humanos em todas as estratégias e ações. Trabalhamos muito ao longo desses 25 anos, estruturamos o serviço de vigilância epidemiológica em conjunto com os Grupos de Vigilância Epidemiológica municipais e regionais de saúde do Estado, assim como a rede de assistência, laboratorial e o sistema de distribuição de medicamentos. Realizamos inúmeros treinamentos para formar e atualizar profissionais que trabalham nos serviços de DST/aids. O Boletim Epidemiológico produzido pelo Serviço de Vigilância Epidemiológica, com os dados enviados através do SINAN, tem sido fundamental para orientar as ações do Programa Estadual DST/Aids. A partir dos boletins pode-se acompanhar a trajetória da epidemia de aids, as ações de prevenção e redução da transmissão vertical da sífilis e HIV, propor de forma mais estruturada a eliminação da sífilis congênita até o ano de 2012 no ESP. Assim como, mesmo que de forma singular, apontar para a existência de serviços de saúde que atendem pessoas portadoras de DST por abordagem sindrômica e conhecer as informações de vários Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), que tem demonstrado ser uma estratégia importante para o atendimento de populações mais vulneráveis às DST/aids. As informações do SINABIO (sistema de informação e notificação de acidentes com material biológico), implantado pelo PE em 1999, para maior controle da prevenção e assistência deste evento em profissionais em ações de saúde, passou a fazer parte do SINAN a partir de 2007. Nesta edição, gostaríamos de destacar a continuidade da redução da mortalidade por aids desde 1996 (de 22,9 naquele ano para 8,0/100 mil habitantes em 2007); a redução em quase cinco vezes do número de casos de crianças com aids por transmissão vertical (418 casos em 1997 para 84 em 2006); o aumento de sobrevida dos pacientes com aids, tendo como exemplo 69 casos por transmissão vertical evoluindo para aids após os 13 anos de idade. A parceria, firmada desde 1998, existente entre o Programa Estadual DST/Aids de São Paulo e a Fundação SEADE, possibilitou conhecer a situação dos casos até dezembro de 2006, assim como auxiliar na verificação e redução da taxa de sub-notificação em relação aos óbitos, melhorando de forma

2

substantiva a qualidade das informações do SINAN e do sistema de mortalidade. Criou-se um terceiro banco de dados, denominado de Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids), que deve ser atualizado a cada ano. A análise desta base - BIP-Aids mostrou que até 30/06/2008 foram detectados 171.647 casos de aids, sendo 163.799 provenientes do SINAN e 7.848 óbitos por HIV/Aids existentes no banco SEADE. A partir deste número, disponibilizaremos dados de DST e aids no mesmo boletim. Até o ano passado, estes eram elaborados e impressos independentemente. Apresentamos as informações do SINAN de aids, DST, gestante HIV positiva e crianças expostas à transmissão vertical, sífilis congênita e sífilis na gestação e acidentes com material biológico. Trazemos um artigo de revisão de vários estudos sobre a “Circuncisão Masculina como método de prevenção para HIV e DST: Eficácia e factibilidade”, uma análise dos “Resultados da Pesquisa de Prevalência de DST no município de São Paulo” – ocorrida em 2003-2004 e coordenada pelo programa estadual, e outro artigo sobre “A rede de Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) do estado de São Paulo: distribuição, população atendida e fatores relacionados ao acesso ao diagnóstico sorológico”, ambos a partir de estudos da coordenação nacional de DST/Aids. A proposta de trabalho da vigilância é seguir aprimorando o BIP-Aids, incorporando dados do Sistema de Informação de Exames Laboratoriais (SISCEL) e do Sistema de Controle Logístico de Medicamentos (SICLOM), após investigação dos casos suspeitos, e avançar para os demais agravos e sistemas de informação existentes. Propomos também implementar o sistema de monitoramento de qualidade dos dados das DST/aids no SINAN, com investigação de oportunidades perdidas de prevenção, eliminação/investigação de inconsistências e retirada de duplicidades, e continuar a “batalhar”por um sistema de informação que possa ser oportuno, útil, ágil, flexível e amigável para entrada e análise de dados. Reforçamos que estes atributos colocados não são apenas “jargões” teóricos, mas que de fato se concretizem no cotidiano dos serviços de saúde. Visamos estimular que todas estas atividades ocorram nos diversos níveis de vigilância em saúde - locais, municipais e regionais do estado de São Paulo. Outro desafio é que este processo seja realizado em conjunto com as ações de prevenção e de assistência às DST/aids.

Dra. Maria Clara Gianna - Dr. Artur Kalichman Coordenação do Programa Estadual DST/Aids-SP

Dezembro 2008


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

ANÁLISE DOS DADOS REFERENTES À AIDS NO ESTADO DE SÃO PAULO A parceria existente entre o Programa Estadual DST/Aids de São Paulo e a Fundação SEADE (já citada em boletins anteriores) tem resultado em vários trabalhos, sendo o principal deles a criação da base de dados que permite aprofundar a análise da epidemia de aids no estado. A vinculação dos dados de aids do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN-Aids) com o banco de óbitos por aids do SEADE possibilitou verificar se os casos já notificados foram a óbito ou se existem pessoas que foram a óbito por esta infecção e que não foram notificados. Criou-se, assim, um terceiro banco com todas estas informações que, em comum acordo com os técnicos das duas instituições, foi denominado de Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids). A proposta de trabalho é seguir aprimorando o BIP-Aids, incorporando dados do Sistema de Informação de Exames Laboratoriais (SISCEL) e do Sistema de Controle Logístico de Medicamentos (SICLOM), após investigação dos casos suspeitos, eliminação de inconsistências e retirada de duplicidades. O presente boletim apresenta tabelas elaboradas através do BIP-Aids e outras que são possíveis apenas com dados do SINAN, como a categoria de exposição. Foram incorporados, até 2006, os óbitos oriundos do banco do SEADE, enquanto que a análise dos dados do SINAN incluiu casos notificados até 30/06/2008. Inicialmente é importante enfatizar que, em virtude do atraso do fluxo da notificação de aids e também porque a doença é crônica, o que permite a notificação do caso, anos após o diagnóstico, o último melhor ano para se ter como referência de análise é o ano de 2006. A análise do BIP-Aids mostrou que até 30/06/2008 foram detectados 171.647 casos de aids, sendo 163.799 provenientes do SINAN e 7.848 óbitos por HIV/Aids oriundos do banco do SEADE e que não estavam notificados como aids, correspondendo a uma subnotificação de 4,6% somente através da vinculação destas duas bases de dados (tabela 1). As porcentagens de subnotificação variaram ao longo dos anos, porém foi maior em 2006, provavelmente porque todos os óbitos por aids deste ano entraram na análise, e nem todo caso diagnosticado neste ano tinha sido notificado até junho de 2008. Ao se comparar esta tabela com a do boletim anterior (2007), e tomando-se como exemplo o ano de 2006, nota-se um aumento de 910 casos notificados no SINAN e 115 óbitos sem notificação, com uma diminuição da subnotificação, portanto, de 12,2% para 8,9% neste período de um ano. A tabela 2 apresenta as mesmas informações, porém por Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE). A maior proporção de subnotificação observou-se na GVE de Franco da Rocha

Dezembro 2008

(16,5%). A GVE de Assis também apresentou alta proporção de subnotificação (10,5%), assim como Taubaté (9,3%) e Presidente Venceslau (8,5%). Um dos fatores importantes que deve explicar uma boa parte desta subnotificação, pelo menos nestas três GVEs, é a presença de unidades penitenciárias nestas regiões. No município de Franco da Rocha existiam 5.945 pessoas nos diversos tipos de presídios e 796 nos dois hospitais penitenciários. Em Assis havia 1.120 presidiários, em Taubaté 3.607 (incluindo Tremembé) e em Presidente Venceslau 1.204 (dados da Secretaria da Administração Penitenciária). Os números de casos e respectivas taxas de incidência de aids por ano de diagnóstico (tabela 3 e gráfico 1) confirmaram crescimento da epidemia até 1998, com 34,18 casos por 100.000 hab. Após este ano, observou-se decréscimo progressivo da incidência, sendo que em 2006 ocorreram 16,39 casos por 100.000. No sexo masculino a maior taxa foi em 1996 (46,25) e no feminino em 1998 (23,13). Desde 1996, a razão masculino/ feminino permanece em 2/1. A diferença desta tabela 1 com a correspondente do boletim de 2007 é que, com a incorporação dos óbitos não notificados, as taxas aumentaram, em média, em 01 caso por 100.000 habitantes. Outra diferença é que, anteriormente, a maior incidência no sexo masculino era em 1998, mas com a incorporação dos óbitos, o ano de 1996 foi o que passou a apresentar a maior taxa. Os casos de aids por faixa etária, em número absoluto (tabela 4), apontaram maior freqüência nos indivíduos de 30 a 39 anos (39,3% dos casos), correspondendo à média de 6747 casos por ano de idade em todo o período. A faixa etária de 25 a 29 anos (19,1%), igualmente com grande freqüência, porém pouco menor que a anterior, apresentou média de 6542 casos por ano de idade, semelhante à faixa de 40 a 49 anos, que teve média de 6512 casos por ano de idade. Estas 3 faixas acumularam 77,4% do total de aids notificados de 1980 a 2008. Foram calculadas taxas de incidência para cada cem mil habitantes por faixa etária de 1991 a 2006 (tabela 5) e constatouse, novamente, acentuada diminuição das incidências e que a maior ocorrência deu-se entre os que possuíam 30 a 39 anos de idade (90,4 em 1998 e 37,7 em 2006). A seguir, as faixas de 40 a 49 anos (50,1 em 1998 para 33,6 em 2006) e de 25 a 29 anos (79,3 em 1995 para 23,0 em 2006). Observou-se que as maiores incidências entre os mais jovens ocorreram na primeira metade da década de 90. Assim, entre 20 a 24 anos, o ponto mais alto atingido foi em 1993 (42,0) caindo para 9,1 em 2006. Entre as pessoas de 25 a 29 anos, a maior incidência foi em 1995, já citado anteriormente, e nas idades de 30 a 59 anos em 1998. A faixa de 60 a 69 anos apresentou taxas semelhantes entre os anos de 1998 a 2000, enquanto que entre os de 70 e mais anos houve variação ao longo dos anos sem mudanças acentuadas.

3


Boletim Epidemiológico A análise das taxas de incidência por faixa etária apenas no sexo masculino (tabela 6) constata a mesma tendência descrita no parágrafo anterior, ressalvando-se que estas taxas foram maiores do que no total de casos. No sexo feminino (tabela 7) observou-se algumas diferenças: as incidências são menores, porém os valores mais altos ocorreram em 1998 nas faixas de 10 até 59 anos de idade. Outro fato importante a se ressaltar é que de 0 a 9 anos de idade as incidências no sexo masculino e feminino s��o semelhantes. A diferença começou a aparecer na idade de 10 a 14 anos, e elas são em geral mais elevadas entre os meninos até 1998 depois tendem a se assemelhar e, a partir de 2004, as taxas são pouco maiores no sexo feminino. Há necessidade de atenção para se ter clareza se essa pode ser uma tendência, ou seja, aumento da aids em adolescentes do sexo feminino. Embora tenha havido diminuição progressiva em todas as faixas, a maior diminuição foi observada entre as crianças de 0 a 4 anos, pois a taxa de incidência em 2006 foi 7,5 vezes menor que o de 1997. Entre as idades de maior incidência, houve diminuição de 3,5 vezes entre aqueles com 25 a 29 anos e 2,4 vezes entre os de 30 a 39 anos. Sintetizando, nesse período de 16 anos, a epidemia da aids tem se deslocado para os mais velhos, ou seja, o diagnóstico de aids está sendo feito em pessoas com mais idade. Os casos de aids em maiores de 12 anos de idade por categoria de exposição (tabela 8) continuaram ocorrer, em sua grande maioria, por transmissão sexual (59,9%), e entre estes há proporção de 2/3 heterossexuais e de 1/3 homens que fazem sexo com homens (HSH = homossexuais masculinos + bissexuais masculinos). A transmissão por via sanguínea ocorreu basicamente por uso de drogas injetáveis (UDI), que vem apresentando uma importante diminuição desde o início da década de 90. As transfusões sanguíneas e os casos por hemofilia foram pouco observados a partir de 1998, não representando percentual expressivo no total de casos. Entre os homens com 13 anos ou mais de idade, este padrão descrito para o total de casos, foi semelhante, porém com proporção pouco menor de heterossexuais e um pouco maior de UDI (tabela 9). Os casos com categoria de exposição ignorada representaram em torno de 16% no geral e 17% entre os homens. A principal categoria de exposição entre as mulheres com mais de 12 anos de idade (tabela 10) foi por relação heterossexual, que tem aumentado ao longo dos anos enquanto tem diminuído os casos para UDI. A transmissão do HIV por transfusão de sangue também tem diminuído de forma importante, pois desde 1998 ocorreram 5 casos que estão relacionados com a questão da janela imunológica do teste e não devido à ausência de testagem no sangue das doações efetuadas. Entre os menores de 13 anos de idade (tabela 11), a transmissão vertical é mais importante que as demais, pois cerca de 88% dos casos ocorreram por esta via. Cerca de 9% dos casos estão em investigação ou a forma de transmissão é ignorada até o presente momento. As categorias de transfusão de sangue e hemofilia estavam presentes até meados da década de 90 e

4

ANO XXV – Nº 1

devido ao controle de sangue e seus derivados apenas 3 casos foram notificados até 2001. A tabela 12 apresenta um detalhamento da idade (em anos) entre os casos classificados como transmissão vertical (TV). Com a melhoria do seguimento ambulatorial dos pacientes, adoção de quimioprofilaxias, imunização com imunobiológicos especiais, aumentou o tempo em que pessoas infectadas por transmissão vertical permaneceram assintomáticos, tornando-se casos de aids mais velhos. Até 30/06/2008 foram notificados 69 casos em maiores de 12 anos, sendo 43 mulheres e 26 homens, que corresponderam apenas a 1,4% do total de transmissão vertical. Entre todos os casos por TV, 35,9% teve diagnóstico de aids com menos de 1 ano de idade, e 16% com 1 ano, portanto, em torno de 50% foram diagnosticados com a doença nos primeiros 2 anos de vida. Ainda em relação a esta tabela, nota-se uma diminuição da transmissão vertical ao longo dos anos. Assim, a média de casos por ano de 1991 a 1995 foi 245,4 aumentando para 351 entre 1996 a 2000. A partir de 1997, onde se atingiu o maior número de casos notificados por ano diagnóstico (não detalhado na tabela 12), observou-se diminuição gradativa. Este fato pode ser atribuído em boa parte às medidas adotadas com as gestantes HIV positivas e com as crianças expostas. A variável raça/cor pode ser analisada apenas após 2000 pois antes não existia este quesito na ficha de investigação de aids. Em 2000, 78% dos casos não tinham este campo preenchido. Após treinamentos sobre a importância deste dado para análise das doenças, houve uma substancial melhoria, constatada em 2007/2008 com 6,3% de ignorados (tabela 13). Não houve diferenças entre homens e mulheres nas proporções por cor: 43,5% brancos; 6,9% pretos, 14% pardos, 0,4% amarelos e 0,0% (24) indígenas. Se for recalculada a proporção por cor sem os ignorados, 67% dos casos eram brancos, 11% pretos, 21,5% pardos, 0,6% amarelos e 0,001% indígenas. Em relação à escolaridade dos casos de aids notificados (tabela 14), houve uma grande parcela de ignorados ou em branco no preenchimento desta variável e que, infelizmente, foi maior em 2006 do que nos anos anteriores. Ao se comparar sexo masculino com o feminino, nota-se que este último possuía menor escolaridade que o masculino. Ao longo do período analisado, ocorreram algumas mudanças. Deste modo, em ambos os sexos houve pequena variação nas proporções de pessoas sem instrução alguma. Tomando-se como referência os anos de 1995 e 2006, observou-se que entre os que tiveram 1 a 3 anos de estudo a proporção diminuiu em cerca de 3 vezes. Na faixa de 4 a 7 anos de escolaridade, igualmente em ambos os sexos, a porcentagem variou em torno de 27% a 30%. Entretanto, entre os mais escolarizados, aqueles com 8 a 11 anos de estudo houve aumento em 10 pontos percentuais nos homens e 12 pontos percentuais nas mulheres. Nos casos com 12 anos ou mais de estudo, entre os homens, a diferença foi de 3,7 pontos percentuais a mais em 2006 do que em 1995, enquanto que nas mulheres aumentou de 2 pontos percentuais no mesmo período. Este aumento na proporção de anos de escolaridade nos casos de aids é semelhante ao que ocorreu na população do estado, conforme discutido em boletim anterior.

Dezembro 2008


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

Os critérios de definição de caso de aids sofreram mudanças nestes 28 anos de epidemia. A tabela 15 apresenta a série histórica desde 1995 por tipo de critério em maiores de 12 anos de idade. Neste ano de 1995, 38,7% foram diagnosticados como aids por meio de 2 critérios ao mesmo tempo, CDC+RJ/Caracas, 27,7% apenas pelo critério RJ/Caracas, 14,9% somente pelo CDC. Em 1995 adotou-se o critério óbito e ARC+óbito que foram responsáveis por 12% das notificações. Em 1998 foi introduzido o critério CDC/Laboratório (quando o CD4<350), e foi possível notificar casos retroativamente, por isso a existência de casos desde 1995 (0,8%). A partir de 2004, este e todos os outros critérios que envolviam CDC foram classificados apenas como CDC. Além disso, ainda a partir de 2004, extinguiu-se os critérios CDC excepcional e ARC+óbito, permanecendo no SINAN 3 possibilidades de análise: CDC, RJ/Caracas e óbito. Em 2006, 84,3% dos casos foram classificados como CDC, 10,4% como RJ/Caracas e 5,2% como critério óbito. De 1995 a 2003 aumentou a proporção de casos com o critério CD4, o que significava que a pessoa ainda não apresentava nenhum sintoma muito diferente do critério CDC e/ou RJ/ Caracas. Infelizmente, não será possível, através do SINAN, manter a série histórica para avaliação da gravidade do caso no momento do diagnóstico. Na tabela 16 encontram-se os casos em menores de 13 anos de acordo com os critérios de definição de caso. Houve mudanças assim como nos adultos, e a partir de 2004 tornou-se possível notificar por 2 critérios: CDC (94,7% em 2006) e óbito (5,3% em 2006). A GVE 1, que abrange apenas a cidade de São Paulo, foi a que mais notificou desde o início da epidemia, pois 41,6% dos casos moravam neste município. As regiões que mais notificaram foram: Campinas (6,9%), Santos (6,7%), Santo André (5,3%), Osasco (4,2%) e Ribeirão Preto (4,2%) (tabela 17). A distribuição dos casos em maiores de 12 anos de idade por GVE (tabela 18) foi semelhante ao total de casos, visto que 97% pertencem a este segmento. Os casos em menores de 13 anos segundo GVE de residência (tabela 19) apresentou distribuição semelhante quanto ao volume de casos, isto é, os 6 municípios que mais notificaram, 5 foram os mesmos dos adultos: São Paulo, 39,9%; Santos 7,7%; Campinas 6,6%; Osasco 5,6% e SantoAndré 5,0% e Mogi das Cruzes 4,7%. Na tabela 20 estão relacionados os 150 municípios com maior número de casos e em ordem decrescente de freqüência. A capital do estado foi responsável por 40,6% dos casos; os demais municípios individualmente, em termos de valores absolutos, possuem volume muito menor. Desta forma, dentro deste grande grupo de cidades do interior do estado, Santos foi quem mais notificou (3,1%), porém muito próxima de Campinas (3%) e Ribeirão Preto (3%). Nesta mesma tabela, além dos 150 municípios , foram incorporados no final da listagem outros 7 municípios que fazem parte dos denominados “municípios prioritários” para o programa de controle da aids do estado.

Dezembro 2008

A análise da magnitude em termos absolutos é importante, porém é necessário calcular a incidência da aids, ou seja, o risco de adquirir a doença. Portanto, na tabela 21, estão listadas as taxas de incidência de todos os 150 municípios com maior freqüência mais os 7 prioritários, que constam da tabela 20. Estas taxas foram ordenadas de forma descendente de acordo com o ano 2006. Desta forma, Mirandópolis foi o município que apresentou maior taxa (40,8 por 100.000 hab) do estado no ano 2006 e que possuía 100 casos residentes em sua área de abrangência. Já a cidade de São Paulo, em termos relativos, encontrava-se na 13ª posição (23,8 por 100.000 hab). Os óbitos por aids ocorridos por ano e sexo, desde 1988 a 2007 (tabela 22), apenas com os dados do SEADE, diminuíram tanto em número absoluto quanto em taxas. Entre os homens a maior taxa de mortalidade foi de 35,1 por 100.000 hab. e nas mulheres, 11,0, ambos em 1995. Ao se comparar estas taxas com as observadas em 2007, observou-se diminuição maior no sexo masculino (3 vezes menor) do que no feminino (2,2 vezes menor), lembrando que a incidência também é menor nas mulheres que nos homens. A razão de sexo nos óbitos mantem-se 2 homens para 1 mulher desde 2000. Os óbitos por aids podem ser analisados de duas formas: letalidade e mortalidade (Quadro 1). Para o cálculo da letalidade (ou proporção de óbitos em relação ao número de casos diagnosticados num determinado período) utilizou-se óbitos registrados no SINAN, mas reportados ao ano do diagnóstico. Assim, os casos diagnosticados em 1983, 92% foram a óbito em algum momento de todo o período; dos casos de 1995, ocorreram 77,65% óbitos; em 2006, 20,34% das pessoas com diagnóstico de aids faleceram em 1 ano e meio. Desta forma, concluiu-se que a letalidade era altíssima na década de 80 e foi diminuindo ao longo dos anos. O cuidado que deve se tomar ao analisar esta série histórica é que o tempo de observação não é o mesmo para toda a série. Uma possibilidade de avaliar se houve ou não diminuição da letalidade é comparar períodos iguais. Como exemplo, divide-se a série em 3 períodos de 8 anos: 1982 a 1989, 1990 a 1997 e 1998 a 2005. De 1982 a 1989 houve uma diminuição de 1,13 vezes da letalidade (100/88,82); de 1990 a 1997 a letalidade diminuiu 1,6 vezes (86,53/53,82); de 1998 a 2005 houve diminuição de 2,15 vezes (47,57/22,10). Portanto, constatou-se que a letalidade por aids tem diminuído nestes 28 anos de epidemia. As taxas de mortalidade deste quadro 1 foram calculadas utilizando-se os óbitos por ano de ocorrência do banco SINAN e acrescidos dos dados do SEADE. Estas taxas apresentaram pequenas diferenças com a tabela 22 porque a base de dados para o cálculo são diferentes. No Quadro 1 não foram incluídos os 7.848 casos (da tabela 1). Entretanto o comportamento é o mesmo, ou seja, as taxas aumentaram até o ano de 1995 e foram diminuindo de forma muito acentuada. Assim, em 1995 a taxa era 23,69 óbitos por 100.000 hab., e em 2007 foi 8,0 (tabela 22), correspondendo a aproximadamente 3 vezes menos. Nunca é demais ressaltar o início da quimioterapia altamente potente (HAART) a partir de 1996, para toda a rede de atendimento de aids do país que foi, sem dúvida, o principal fator responsável pela diminuição de óbitos por este agravo.

5


Boletim Epidemiológico Nas duas últimas colunas da tabela 22 constam os números de pessoas que não possuíam registro de óbito nos dois bancos (SINAN+SEADE) e que possivelmente estejam vivos. A estimativa de pessoas vivendo com aids foi calculada subtraindo os óbitos dos casos notificados, acrescido dos casos vivos dos anos anteriores e dividindo-os por 100.000 hab. A taxa vai aumentando, portanto aumentando o contingente de pessoas com aids vivas, somando 75.414 (gráfico 4). Segundo informações da Divisão de Logística do Programa Estadual DST/Aids-SP, aproximadamente 70.000 pessoas estão recebendo medicações anti-retrovirais. Foram listadas, na tabela 23, os 50 municípios do estado com maior número de óbitos. A capital foi responsável por 38,3%, equivalendo a 32.276 óbitos de 1990 até 2007, muito distante

ANO XXV – Nº 1

do segundo com maior volume que foi a cidade de Santos, com 2.799 que representou 3,3% do total de óbitos. Estes 50 municípios juntos apresentaram 82,3% de todos os óbitos do estado desde o início da epidemia. Calculou-se as taxas de mortalidade de aids para os 150 municípios com maior número de óbitos e foram apresentados na tabela 24 aqueles com taxas iguais ou maiores que 8,0 por 100.000 habitantes, que totalizaram 73 municípios. Todas as informações apresentadas apontaram para a necessidade de diagnosticar aids o mais precocemente possível, aumentando o acesso e aprimorando o atendimento às pessoas que chegam a realizar o teste anti-HIV para que continuem seus acompanhamentos em serviços de saúde e recebam todos os cuidados necessários.

Tabela 1 - Casos notificados de Aids, óbitos por Aids não notificados no SINAN, proporção de subnotificação de casos de Aids em relação ao óbito e total de casos estimados por ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2008* Ano de Diagnostico

casos no SINAN

obitos sem SINAN

Total de casos (SINAN+ Óbitos sem SINAN)

% subnotificação em relação ao óbito

1980

1

-

1

-

1981

-

-

-

-

1982

8

-

8

-

1983

25

-

25

-

1984

84

-

84

-

1985

340

9

349

2,6

1986

611

15

626

2,4

1987

1.531

43

1.574

2,7

1988

2.528

96

2.624

3,7

1989

3.435

101

3.536

2,9

1990

5.041

284

5.325

5,3

1991

6.651

439

7.090

6,2

1992

8.143

476

8.619

5,5

1993

8.701

616

9.317

6,6

1994

9.069

614

9.683

6,3

1995

10.085

292

10.377

2,8

1996

10.819

296

11.115

2,7

1997

11.019

598

11.617

5,1

1998

12.022

178

12.200

1,5

1999

10.381

429

10.810

4,0

2000

10.160

201

10.361

1,9

2001

9.477

385

9.862

3,9

2002

9.147

517

9.664

5,3

2003

8.533

562

9.095

6,2

2004

7.112

565

7.677

7,4

2005

6.605

543

7.148

7,6

2006

5.997

589

6.586

8,9

2007

4.894

-

4.894

-

2008

1.380

-

1.380

-

Total

163.799

7848

171.647

4,6

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

6

Dezembro 2008


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

Tabela 2 - Casos notificados de Aids, óbitos por Aids não notificados no SINAN, proporção de subnotificação de casos de Aids em relação ao óbito, por Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de residência, Estado de São Paulo, 1980 a 2008*

casos no SINAN

obitos sem SINAN

Total de casos (SINAN + obitos sem SINAN)

% subnotificação em relação ao obito

GVE 1 CAPITAL

68.208

1454

69.662

2,1

GVE 7 SANTO ANDRÉ

8.646

660

9.306

7,1

GVE 8 MOGI DAS CRUZES

5.826

572

6.398

8,9

GVE 9 FRANCO DA ROCHA

1.108

219

1.327

16,5

GVE 10 OSASCO

6.887

664

7.551

8,8

GVE 11 ARAÇATUBA

2.188

64

2.252

2,8

GVE 12 ARARAQUARA

3.410

61

3.471

1,8

928

109

1.037

10,5

GVE 14 BARRETOS

1.869

90

1.959

4,6

GVE 15 BAURU

3.165

161

3.326

4,8

GVE 16 BOTUCATU

944

33

977

3,4

GVE 17 CAMPINAS

11.334

612

11.946

5,1

GVE 18 FRANCA

1.417

117

1.534

7,6

GVE 19 MARÍLIA

1.400

64

1.464

4,4

GVE 20 PIRACICABA

4.354

317

4.671

6,8

GVE 21 PRESIDENTE PRUDENTE

1.220

67

1.287

5,2

GVE 22 PRESIDENTE VENCESLAU

387

36

423

8,5

GVE 23 REGISTRO

541

34

575

5,9

GVE de residência

GVE 13 ASSIS

GVE 24 RIBEIRÃO PRETO

6.852

292

7.144

4,1

GVE 25 SANTOS

11.030

683

11.713

5,8

GVE 26 SÃO JOÃO DA BOA VISTA

1.642

87

1.729

5,0

GVE 27 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

4.301

200

4.501

4,4

992

84

1.076

7,8

5.913

237

6.150

3,9

358

32

390

8,2

4.923

425

5.348

7,9

GVE 32 ITAPEVA

340

25

365

6,8

GVE 33 TAUBATÉ

3.589

367

3.956

9,3

27

82

109

-

163.799

7848

171.647

4,6

GVE 28 CARAGUATATUBA GVE 29 SÃO JOSÉ DO RIO PRETO GVE 30 JALES GVE 31 SOROCABA

IGNORADO Total

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

Dezembro 2008

7


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

TABELA 3 - Casos notificados de Aids, taxa de incidência (TI)* por 100.000 habitantes, segundo ano de diagnóstico, sexo e razão de sexo, Estado de São Paulo, 1980 a 2008**

Sexo Ano de Diagnóstico

Masculino

Feminino

Total

Ign

Razão de Sexo

casos

TI

casos

TI

casos

casos

TI

1980

1

0,01

-

-

-

1

0,00

-

1981

-

-

-

-

-

-

-

-

1982

8

0,06

-

-

-

8

0,03

-

1983

24

0,18

1

0,01

-

25

0,09

24/1

1984

81

0,60

3

0,02

-

84

0,31

27/1

1985

339

2,46

10

0,07

-

349

1,26

34/1

1986

594

4,22

32

0,22

-

626

2,21

19/1

1987

1.412

9,84

162

1,11

-

1.574

5,45

9/1

1988

2.245

15,34

379

2,55

-

2.624

8,89

6/1

1989

3.003

20,11

533

3,50

-

3.536

11,73

6/1

1990

4.462

29,29

863

5,55

-

5.325

17,30

5/1

1991

5.793

37,28

1.296

8,15

1

7.090

22,55

5/1

1992

6.839

43,23

1.779

10,97

1

8.619

26,91

4/1

1993

7.228

44,90

2.088

12,63

1

9.317

28,55

3/1

1994

7.393

45,13

2.287

13,57

3

9.683

29,13

3/1

1995

7.634

45,81

2.741

15,95

2

10.377

30,66

3/1

1996

7.837

46,25

3.278

18,72

-

11.115

32,26

2/1

1997

7.822

45,40

3.793

21,27

2

11.617

33,13

2/1

1998

7.994

45,62

4.205

23,13

1

12.200

34,18

2/1

1999

7.079

39,72

3.729

20,13

2

10.810

29,74

2/1

2000

6.700

36,99

3.660

19,40

1

10.361

28,02

2/1

2001

6.235

33,95

3.624

18,94

3

9.862

26,30

2/1

2002

6.151

33,03

3.512

18,09

1

9.664

25,41

2/1

2003

5.780

30,61

3.315

16,83

-

9.095

23,58

2/1

2004

4.898

25,58

2.779

13,91

-

7.677

19,62

2/1

2005

4.527

23,30

2.621

12,92

-

7.148

18,00

2/1

2006

4.279

21,77

2.307

11,24

-

6.586

16,39

2/1

2007

3.248

16,34

1.646

7,92

-

4.894

12,04

2/1

2008

899

-

481

-

-

1.380

-

2/1

Total

120.505

-

51.124

-

18

171.647

-

2/1

M/F

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Utilizada projeção populacional da Fundação SEADE (**) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

8

Dezembro 2008


Dezembro 2008

3.036

4.985

1.991

559

194

36

44

14.152

25 - 29

30 - 39

40 - 49

50 - 59

60 - 69

70 e mais

ignorada

Total

7.090

14

15

97

300

961

2.485

1.564

1.130

292

22

21

189

1991

8.619

19

22

107

341

1.224

3.125

2.044

1.233

242

18

33

211

1992

9.317

14

22

106

399

1.304

3.430

2.246

1.292

224

21

34

225

1993

9.683

13

28

134

400

1.430

3.850

2.254

1.089

186

14

25

260

1994

10.377

24

42

173

472

1.646

4.011

2.423

1.037

175

23

37

314

1995

11.115

15

25

137

511

1.841

4.628

2.418

955

163

26

53

343

1996

11.617

14

32

166

561

1.960

4.883

2.425

981

146

29

67

353

1997

12.200

8

37

193

664

2.182

5.169

2.426

982

175

26

59

279

1998

10.810

10

41

194

619

2.012

4.562

2.032

836

140

25

67

272

1999

9.862

2

48

200

688

2.102

4.022

1.612

706

123

32

88

239

2001

9.664

6

50

197

729

2.137

4.018

1.473

662

124

22

67

179

2002

9.095

6

48

216

752

2.216

3.657

1.285

564

119

22

88

122

2003

7.677

3

53

187

729

1.965

2.989

1.063

431

86

30

55

86

2004

7.148

3

43

149

779

1.948

2.699

916

399

71

26

40

75

2005

6.586

4

46

217

709

1.860

2.414

831

333

67

25

30

50

2006

4.894

-

42

146

549

1.379

1.767

634

264

42

21

16

34

2007

1.380

-

6

34

167

361

490

210

74

19

8

2

9

2008

171.647

202

666

3.053

10.611

32.560

67.474

32.708

15.906

3.176

497

909

38,3

53,5

49,6

28,9

13,6

6,5

1,6

22,6

20 - 24

25 - 29

30 - 39

40 - 49

50 - 59

60- 69

70 e mais

Total

26,9

2,3

7,0

14,9

35,3

61,2

69,1

40,9

8,1

0,6

1,0

6,8

1992

28,6

2,2

6,7

16,9

36,2

65,8

75,1

42,0

7,3

0,6

1,0

7,2

1993

29,1

2,6

8,3

16,4

38,2

72,5

74,6

34,7

5,9

0,4

0,8

8,3

1994

30,7

3,7

10,4

18,7

42,3

74,1

79,3

32,3

5,4

0,7

1,1

10,0

1995

32,3

2,1

8,0

19,6

45,6

83,9

78,4

29,2

4,9

0,8

1,6

10,9

1996

33,1

2,6

9,5

20,9

46,7

87,0

77,9

29,4

4,3

0,9

2,1

11,2

1997

34,2

2,8

10,8

23,9

50,1

90,4

77,2

28,9

5,0

0,8

1,8

8,8

1998

29,7

3,0

10,6

21,6

44,5

78,4

64,0

24,1

3,9

0,7

2,1

8,5

1999

28,0

2,1

11,0

23,1

43,5

72,5

56,7

21,9

3,7

0,7

2,4

8,9

2000

Ano de Diagnóstico

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Utilizada projeção populacional da Fundação SEADE (**) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

0,7

10,0

0,6

5-9

15 - 19

6,1

0-4

10 - 14

1991

Faixa Etária (anos)

26,3

3,2

10,3

22,2

43,5

67,1

49,2

19,8

3,4

1,0

2,8

7,5

2001

25,4

3,3

9,9

22,4

42,9

66,2

44,0

18,4

3,5

0,7

2,1

5,6

2002

23,6

3,0

10,6

22,1

43,2

59,5

37,5

15,5

3,4

0,7

2,7

3,8

2003

19,6

3,2

8,9

20,4

37,2

48,1

30,3

11,8

2,5

0,9

1,7

2,7

2004

18,0

2,5

6,9

20,8

35,8

42,9

25,6

10,8

2,1

0,8

1,2

2,3

2005

16,4

2,6

9,6

18,2

33,6

37,7

23,0

9,1

2,0

0,8

0,9

1,6

2006

100,0

0,1

0,4

1,8

6,2

19,0

39,3

19,1

9,3

1,9

0,3

0,5

2,3

12,0

2,3

6,2

13,6

24,5

27,1

17,4

7,3

1,2

0,6

0,5

1,1

2007

Total 3.885

TABELA 5 - Taxa de incidência (TI)* de Aids (por 100.000 hab.), segundo faixa etária (anos) e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1991 a 2007**

10.361

3

30

206

683

2.041

4.290

1.816

774

136

23

76

283

2000

Ano de Diagnóstico

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

646

2.164

84

10 - 14

20 - 24

51

5-9

15 - 19

362

0-4

Faixa Etária (anos) 80 a 90

TABELA 4 - Casos notificados de Aids, segundo faixa etária (anos) e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

9


10

24,8

12,0

0,6

1,0

16,6

58,5

88,6

85,8

49,4

24,0

11,8

3,1

37,3

5-9

10 - 14

15 - 19

20 - 24

25 - 29

30 - 39

40 - 49

50 - 59

60 - 69

70 e mais

Total

44,9

4,2

11,4

27,0

59,7

108,4

118,6

59,9

10,2

1,1

1,0

7,2

1993

45,1

4,4

13,1

26,2

61,6

118,0

114,8

48,9

7,4

0,4

0,8

8,2

1994

45,8

5,9

16,1

27,6

66,6

116,4

119,2

43,3

6,7

0,8

1,1

9,1

1995

46,3

3,9

12,6

28,1

70,5

127,4

112,0

32,4

5,3

1,1

1,6

10,0

1996

45,4

3,9

13,6

29,1

68,2

127,5

102,7

32,7

3,8

1,2

2,0

11,2

1997

45,6

5,2

15,6

33,4

73,3

128,0

95,7

30,7

4,7

0,7

1,7

8,2

1998

37,0

3,1

14,7

32,2

62,1

102,5

68,4

23,0

3,0

0,6

2,2

8,7

2000

34,0

5,8

14,8

29,8

61,3

92,3

58,6

18,7

2,6

1,1

2,7

6,5

2001

33,0

4,8

14,8

32,4

59,9

90,7

50,9

19,1

3,1

0,4

1,5

5,0

2002

30,6

5,3

14,5

29,9

61,3

79,8

43,6

16,7

2,8

0,7

2,9

3,5

2003

25,6

4,8

12,2

26,8

51,8

65,9

36,2

12,3

2,6

0,7

1,4

2,4

2004

23,3

4,1

9,2

27,3

49,4

57,4

30,8

12,0

1,6

0,7

0,7

2,4

2005

21,8

4,4

12,8

24,2

46,5

51,0

29,4

11,8

2,0

0,4

1,0

1,6

2006

16,3

3,3

8,0

17,8

34,9

37,8

23,2

9,6

1,1

0,7

0,4

0,9

2007

8,2

Total

4,6

11,0

0,4

2,7

5,7

11,3

20,8

27,7

22,5

12,6

0,7

2,7

7,5

13,4

24,9

32,7

24,0

4,3

0,2

1,1

7,2

1993

13,6

1,1

4,1

7,3

15,7

28,6

35,2

20,3

4,3

0,4

0,7

8,4

1994

16,0

2,1

5,5

10,5

19,0

33,4

40,4

21,4

4,1

0,5

1,2

10,9

1995

19,1

0,9

4,2

12,2

22,7

43,0

46,1

26,5

4,7

0,5

1,6

11,7

1996

21,3

1,7

6,0

13,3

26,3

48,2

53,6

26,2

4,8

0,5

2,2

11,0

1997

23,1

1,2

6,7

15,2

28,2

54,5

59,1

27,1

5,3

0,8

2,0

9,4

1998

20,1

1,2

6,4

13,1

25,9

47,7

47,9

23,0

4,3

0,7

2,1

9,0

1999

19,4

1,4

7,7

14,7

26,1

43,8

45,3

20,9

4,5

0,8

2,6

9,1

2000

Ano de Diagnóstico

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Utilizada projeção populacional da Fundação SEADE (**) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

0,6

70 e mais

40 - 49

3,9

8,8

30 - 39

1,9

14,6

25 - 29

60 - 69

19,3

20 - 24

50 - 59

3,4

17,9

15 - 19

0,2

1,0

0,7

0,3

5-9

10 - 14

6,7

6,4

0-4

1992

1991

Faixa Etária (anos)

18,9

1,5

6,6

15,2

26,8

43,0

40,0

20,9

4,3

0,8

2,9

8,5

2001

18,1

2,2

5,7

13,4

27,1

42,7

37,2

17,8

3,9

1,0

2,7

6,2

2002

16,8

1,5

7,2

15,0

26,4

40,1

31,5

14,4

4,0

0,6

2,5

4,1

2003

13,9

2,2

6,1

14,7

23,7

31,0

24,5

11,3

2,4

1,2

2,0

2,9

2004

12,9

1,5

4,9

15,0

23,3

29,0

20,4

9,5

2,6

0,9

1,8

2,2

2005

11,2

1,4

6,9

12,8

21,7

24,9

16,7

6,4

1,9

1,1

0,8

1,5

2006

7,9

1,7

4,7

9,8

14,9

16,9

11,6

5,0

1,4

0,6

0,6

1,3

2007

TABELA 7 - Taxa de incidência (TI)* de Aids (por 100.000 hab.) em sexo feminino, segundo faixa etária (anos) e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1991 a 2007**

39,7

5,5

15,4

30,9

64,2

110,4

80,5

25,2

3,6

0,8

2,1

8,2

1999

Ano de Diagnóstico

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Utilizada projeção populacional da Fundação SEADE (**) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

43,2

4,9

60,1

103,0

111,7

59,1

11,5

0,8

0,9

6,8

5,8

0-4

1992

1991

Faixa Etária (anos)

TABELA 6 - Taxa de incidência (TI)* de Aids (por 100.000 hab.) em sexo masculino, segundo faixa etária (anos) e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1991 a 2007**

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

Dezembro 2008


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

GRAFICO 1 - Taxa de incidência (TI) de Aids (por 100.000 hab.) por sexo e razão masculino/feminino (M/F), segundo ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2007* 40,00

50,00 Masculino

Feminino

Total

razão M/F

45,00

35,00

40,00 30,00 35,00

TI p/100mil hab

20,00

25,00

20,00

razão M/F

25,00

30,00

15,00

15,00 10,00 10,00 5,00

5,00

0,00

0,00

ano de diagnóstico

Fonte: SINAN-PEDST/AIDS-SES-SP(dados até 30/06/2008)

GRÁFICO 2 - Proporção de casos notificados de aids em homens com 13 anos de idade e mais, segundo categoria de exposição e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2008*

HSH

Hetero

UDI

Outras

Invest

100,0 90,0 80,0 70,0

%

60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

ano de diagnóstico

FONTE: SINAN - VE-PEDST/AIDS-SES-SP (dados até 30/06/2008)

Dezembro 2008

11


12

12

45

164

305

563

750

865

1.061

1.195

1.278

1.147

1.124

1.061

1.213

1.215

1.226

1.030

963

940

1.007

906

799

754

789

650

229

21.294

1983

1984

1985

1986

1987

1988

1989

1990

1991

1992

1993

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Total

13,4

16,8

13,5

13,4

11,6

11,5

10,9

11,3

10,3

9,8

10,3

10,5

11,5

11,7

10,9

12,8

13,6

16,2

18,6

21,8

26,0

30,9

38,0

51,0

49,0

54,2

48,0

37,5

-

-

%

9.937

79

296

404

395

437

483

506

515

569

616

671

573

466

490

472

476

567

488

398

341

287

195

105

82

16

6

3

-

1

Bi %

6,3

5,8

6,1

6,8

6,1

6,3

5,8

5,7

5,6

5,8

6,1

5,7

5,4

4,5

5,0

5,4

5,6

7,2

7,6

8,2

10,3

11,8

13,2

17,6

24,5

19,3

24,0

37,5

-

100,0

63.827

753

2.720

3.191

3.676

3.880

4.605

4.657

4.613

4.694

4.665

5.034

4.525

3.786

3.073

2.636

2.334

1.871

1.262

790

513

316

161

46

20

3

2

1

-

-

nº -

-

%

40,2

55,2

56,3

54,1

56,8

55,8

55,4

52,4

50,5

48,0

46,5

43,1

42,8

36,4

31,6

30,0

27,7

23,7

19,6

16,2

15,4

13,0

10,9

7,7

6,0

3,6

8,0

12,5

Hetero

37.394

95

347

537

630

736

1.057

1.194

1.410

1.787

1.979

2.536

2.650

2.843

2.897

2.940

3.189

3.177

2.739

2.035

1.278

805

398

89

31

11

3

1

-

-

-

-

-

%

23,6

7,0

7,2

9,1

9,7

10,6

12,7

13,4

15,4

18,3

19,7

21,7

25,0

27,3

29,8

33,5

37,8

40,2

42,6

41,8

38,5

33,1

26,9

14,9

9,3

13,3

12,0

UDI(**)

358

-

3

-

1

1

5

2

-

-

-

-

33

25

27

24

27

28

39

37

26

38

24

12

5

1

-

-

-

-

Hemof

0,2

-

0,1

-

0,0

0,0

0,1

0,0

-

-

-

-

0,3

0,2

0,3

0,3

0,3

0,4

0,6

0,8

0,8

1,6

1,6

2,0

1,5

1,2

-

-

-

-

%

Categoria de Exposição

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal (**) UDI - Uso de drogas injetáveis (&) Todos os casos por transfusão de sangue estão sendo reinvestigados de acordo com o algoritmo da CNDST/Aids-MS

-

3

1982

Homo

1981

-

1980

Ano de Diagnóstico

600

-

-

-

1

-

-

-

-

-

-

2

24

64

95

63

70

88

68

45

32

27

14

6

1

-

-

-

-

-

0,4

-

-

-

0,0

-

-

-

-

-

-

0,0

0,2

0,6

1,0

0,7

0,8

1,1

1,1

0,9

1,0

1,1

0,9

1,0

0,3

-

-

-

-

-

%

T.Sangue(&)

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

0,0

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

0,0

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

%

Ac.Profis

69

5

7

10

6

9

9

6

6

3

2

3

2

-

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

%

0,0

0,4

0,1

0,2

0,1

0,1

0,1

0,1

0,1

0,0

0,0

0,0

0,0

-

0,0

Vertical

25.268

204

807

971

1.012

1.090

1.243

1.517

1.649

1.772

1.740

2.198

1.558

2.013

2.078

1.518

1.191

885

646

502

266

206

126

35

32

7

2

-

-

-

8,0

8,5

8,5

5,9

9,6

8,4

8,0

-

-

-

%

15,9

14,9

16,7

16,5

15,6

15,7

15,0

17,1

18,1

18,1

17,3

18,8

14,7

19,3

21,4

17,3

14,1

11,2

10,0

10,3

Invest

158.748

1.365

4.830

5.902

6.475

6.952

8.308

8.889

9.133

9.788

10.032

11.670

10.580

10.411

9.722

8.777

8.434

7.894

6.437

4.868

3.321

2.429

1.481

598

335

83

25

8

-

1

%

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

-

100,0

Total

TABELA 8 - Casos notificados de Aids em indivíduos com 13 anos de idade ou mais, segundo categoria de exposição e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

Dezembro 2008


Dezembro 2008

789

650

229

21.294

2006

2007

2008

Total

19,0

25,7

20,2

20,6

18,4

18,0

17,2

17,7

16,2

15,1

15,6

15,9

16,9

16,3

14,6

16,6

17,3

20,2

22,4

25,7

30,1

35,4

42,2

53,5

50,2

56,3

50,0

37,5

-

-

%

9.937

79

296

404

395

437

483

506

515

569

616

671

573

466

490

472

476

567

488

398

341

287

195

105

82

16

6

3

-

1

Bi %

8,8

8,9

9,2

10,5

9,7

9,8

9,2

8,9

8,9

8,9

9,3

8,7

8,0

6,3

6,8

7,0

7,2

9,0

9,1

9,6

11,9

13,6

14,6

18,4

25,1

20,0

25,0

37,5

-

100,0

30.117

370

1.377

1.512

1.735

1.841

2.130

2.139

2.039

2.091

2.055

2.146

1.986

1.746

1.484

1.355

1.243

998

731

463

327

194

108

31

13

1

1

1

-

-

nº -

-

%

26,8

41,6

42,8

39,4

42,4

41,4

40,4

37,6

35,1

32,8

31,1

27,9

27,7

23,5

20,4

20,0

18,8

15,8

13,7

11,2

11,4

9,2

8,1

5,4

4,0

1,3

4,2

12,5

Hetero

31.291

77

298

447

524

593

858

984

1.143

1.525

1.643

2.097

2.213

2.363

2.493

2.496

2.693

2.650

2.327

1.710

1.059

652

319

81

31

11

3

1

-

-

27,9

8,7

9,3

11,7

12,8

13,3

16,3

17,3

19,7

23,9

24,9

27,2

30,9

31,8

34,4

36,9

40,7

41,9

43,6

41,3

36,9

30,8

23,9

14,2

9,5

13,8

12,5

12,5

-

-

%

358

-

3

-

1

1

5

2

-

-

-

-

33

25

27

24

27

28

39

37

26

38

24

12

5

1

-

-

-

-

-

-

-

-

%

0,3

-

0,1

-

0,0

0,0

0,1

0,0

-

-

-

-

0,5

0,3

0,4

0,4

0,4

0,4

0,7

0,9

0,9

1,8

1,8

2,1

1,5

1,3

Hemof

Categoria de Exposição UDI(**)

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal (**) UDI - Uso de drogas injetáveis (&) Todos os casos por transfusão de sangue estão sendo reinvestigados de acordo com o algoritmo da CNDST/Aids-MS

754

2005

963

2000

799

1.030

1999

906

1.226

1998

2004

1.215

1997

2003

1.213

1996

940

1.061

1995

1.007

1.124

1994

2002

1.147

1993

2001

1.278

1992

750

1988

1.195

563

1987

1991

305

1986

865

164

1985

1.061

45

1984

1990

12

1983

1989

-

3

1982

Homo

1981

-

1980

Ano de Diagnóstico

333

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

1

10

35

54

34

38

50

35

30

19

15

8

3

1

-

-

-

-

-

0,3

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

0,0

0,1

0,5

0,7

0,5

0,6

0,8

0,7

0,7

0,7

0,7

0,6

0,5

0,3

-

-

-

-

-

%

T.Sangue(&)

26

3

-

2

2

4

3

1

3

3

2

2

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

0,0

0,3

-

0,1

0,0

0,1

0,1

0,0

0,1

0,0

0,0

0,0

0,0

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

%

Vertical

18.927

132

594

680

681

772

890

1.053

1.165

1.223

1.259

1.558

1.138

1.574

1.648

1.268

987

748

519

437

232

181

116

33

31

6

2

-

-

-

-

-

-

%

16,9

14,8

18,5

17,7

16,6

17,4

16,9

18,5

20,1

19,2

19,1

20,2

15,9

21,2

22,7

18,7

14,9

11,8

9,7

10,6

8,1

8,5

8,7

5,8

9,5

7,5

8,3

Invest

112.283

890

3.218

3.834

4.092

4.447

5.275

5.692

5.805

6.374

6.605

7.701

7.169

7.422

7.257

6.773

6.611

6.319

5.334

4.136

2.869

2.117

1.333

570

327

80

24

8

-

1

%

100,0

-

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

Total

TABELA 9 - Casos notificados de Aids em homens com 13 anos de idade ou mais, segundo categoria de exposição e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

13


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

GRÁFICO 3 - Proporção de casos notificados de aids em mulheres com 13 anos emais,segundo categoria de exposição e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1983 a 2008* Hetero

UDI

Outras

Invest

100,0 90,0 80,0 70,0 60,0 %

50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

ano de diagnóstico

FONTE: SINAN - VE-PEDST/AIDS-SES-SP (dados até 30/06/2008)

Gráfico 4 - Taxa de Mortalidade (TM) e estimativa de Prevalência (TP) de Aids por 100 mil habitantes, segundo ano de ocorrência, Estado de São Paulo, 1980 a 2007*

200 180

TP

TM

160

TM e TP p/100mil hab

140 120 100 80 60

75.414 "vivos"

40 20 0 1980

1982

1984

1986

1988

1990

1992

1994

1996

1998

2000

2002

2004

2006

2008

ano de ocorrência

Fonte: Base Integrada Paulista de Aids (BIP-Aids) - Cooperação Técnica PEDST/Aids-SP e Fundação SEADE (*) Dados preliminares até 30/06/08 (SINAN) e 31/12/06 (SEADE), sujeitos a revisão mensal

14

Dezembro 2008


Dezembro 2008

1.281

1.589

2.040

2.539

2.888

2.610

2.603

2.574

2.518

2.475

2.039

1.941

1.679

1.343

383

33.710

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Total

Hetero

%

72,5

80,6

83,3

81,2

81,5

81,4

81,6

78,8

77,3

76,2

76,2

72,8

74,4

68,3

64,5

63,9

59,8

55,4

48,1

44,7

41,2

39,1

35,8

53,6

87,5

66,7

100,0

6.103

18

49

90

106

143

199

210

267

262

336

439

437

480

404

444

496

527

412

325

219

153

79

8

-

-

-

UDI**

13,1

3,8

3,0

4,4

4,4

5,7

6,6

6,6

8,0

7,7

9,8

11,1

12,8

16,1

16,4

22,2

27,2

33,5

37,4

44,4

48,5

49,0

53,4

28,6

-

-

-

%

267

-

-

-

1

-

-

-

-

-

-

1

14

29

41

29

32

38

33

15

13

12

6

3

-

-

-

0,6

-

-

-

0,0

-

-

-

-

-

-

0,0

0,4

1,0

1,7

1,4

1,8

2,4

3,0

2,0

2,9

3,8

4,1

10,7

-

-

-

%

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Ac.Profis

Categoria de Exposição T.Sangue &

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal (**) UDI - Uso de drogas injetáveis (&) Todos os casos por transfusão de sangue estão sendo reinvestigados de acordo com o algoritmo da CNDST/Aids-MS

873

531

1991

1.091

327

1990

1993

186

1989

1992

53

15

1986

122

7

1985

1988

2

1984

1987

1

1983

Ano de Diagnóstico

0,0

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

0,0

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

%

43

2

7

8

4

5

6

5

3

-

-

1

1

-

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Vertical

0,1

0,4

0,4

0,4

0,2

0,2

0,2

0,2

0,1

-

-

0,0

0,0

-

0,0

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

%

6.341

72

213

291

331

318

353

464

484

549

481

640

420

439

430

250

204

137

127

65

34

25

10

2

1

1

-

Invest

13,6

15,2

13,2

14,1

13,9

12,7

11,6

14,5

14,5

16,1

14,0

16,1

12,3

14,7

17,4

12,5

11,2

8,7

11,5

8,9

7,5

8,0

6,8

7,1

12,5

33,3

-

%

46.465

475

1.612

2.068

2.383

2.505

3.033

3.197

3.328

3.414

3.427

3.969

3.411

2.989

2.465

2.004

1.823

1.575

1.103

732

452

312

148

28

8

3

1

Total

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

%

TABELA 10 - Casos notificados de Aids em mulheres com 13 anos de idade ou mais, segundo categoria de exposição e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1983 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

15


16

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

1

-

-

-

-

3

1990

1991

1992

1993

1994

1995

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Total

Homo

0,1

-

-

-

-

0,6

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

0,6

-

1,0

-

-

-

-

%

4

-

-

-

-

1

1

-

-

-

1

-

1

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Hetero

0,1

-

-

-

-

0,6

0,4

-

-

-

0,3

-

0,2

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

%

6

-

-

-

-

-

-

-

1

-

-

-

-

-

-

-

1

-

-

1

1

2

-

-

-

-

UDI**

0,1

-

-

-

-

-

-

-

0,3

-

-

-

-

-

-

-

0,4

-

-

0,6

0,9

2,0

-

-

-

-

%

69

-

-

-

-

-

-

-

-

-

1

-

-

1

2

1

3

4

4

16

9

4

12

7

4

1

Hemof

1,4

-

-

-

-

-

-

-

-

-

0,3

-

-

0,2

0,6

0,3

1,1

1,6

1,9

9,2

7,9

4,0

24,0

53,8

80,0

100,0

%

Categoria de Exposição

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal (**) UDI - Uso de Drogas Injetáveis (&) Todos os casos por transfusão de sangue estão sendo reinvestigados de acordo com o algoritmo da CNDST/Aids-MS

-

1

1989

-

1

-

1986

1988

-

1985

1987

-

1984

Ano de Diagnóstico

108

-

-

-

-

-

-

-

1

1

-

-

-

4

8

7

9

14

10

10

12

17

10

4

1

-

nº -

%

2,1

-

-

-

-

-

-

-

0,3

0,3

-

-

-

1,0

2,2

2,4

3,4

5,6

4,7

5,8

10,5

17,2

20,0

30,8

20,0

T.Sangue &

4.431

13

58

84

124

147

195

228

299

321

316

323

418

369

327

264

232

212

191

134

84

67

25

-

-

-

Vertical

87,7

86,7

90,6

88,4

95,4

91,9

86,7

88,4

86,9

86,3

90,5

91,8

95,2

90,4

90,1

90,4

86,9

85,1

89,3

77,5

73,7

67,7

50,0

-

-

-

%

430

2

6

11

6

11

29

30

43

50

31

29

20

34

26

20

22

19

9

11

8

8

3

2

-

-

Invest

8,5

13,3

9,4

11,6

4,6

6,9

12,9

11,6

12,5

13,4

8,9

8,2

4,6

8,3

7,2

6,8

8,2

7,6

4,2

6,4

7,0

8,1

6,0

15,4

-

-

%

5.051

15

64

95

130

160

225

258

344

372

349

352

439

408

363

292

267

249

214

173

114

99

50

13

5

1

Total

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

%

TABELA 11 - Casos notificados de Aids em menores de 13 anos de idade, segundo ano de diagnóstico e categoria de exposição, Estado de São Paulo, 1984 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

Dezembro 2008


Dezembro 2008

1

-

-

-

-

-

-

310

07

08

09

10

11

12

13 a 22

Total

100,0

-

-

-

-

-

-

0,3

0,3

-

2,9

4,2

10,0

21,6

1.227

1

4

1

2

6

13

17

22

35

44

90

144

234

%

100,0

0,1

0,3

0,1

0,2

0,5

1,1

1,4

1,8

2,9

3,6

7,3

11,7

19,1

50,0

1.757

10

10

10

22

31

53

48

60

103

114

158

221

284

633

100,0

0,6

0,6

0,6

1,3

1,8

3,0

2,7

3,4

5,9

6,5

9,0

12,6

16,2

36,0

%

1996 a 2000 nº

305

6

1

3

5

13

9

20

12

24

29

37

39

42

65

%

2,0

0,3

1,0

1,6

4,3

3,0

6,6

3,9

7,9

9,5

12,1

12,8

13,8

21,3

100,0

2001 nº

234

6

1

4

6

6

11

4

12

25

26

21

35

36

41

%

2,6

0,4

1,7

2,6

2,6

4,7

1,7

5,1

10,7

11,1

9,0

15,0

15,4

17,5

100,0

2002

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal

-

9

04

1

13

03

06

31

02

05

67

01

614

60,6

%

188

1991 a 1995

1987 a 1990

< de 01 ano

Idade (em anos) nº

204

9

3

2

3

12

11

12

15

26

17

10

25

25

34

%

4,4

1,5

1,0

1,5

5,9

5,4

5,9

7,4

12,7

8,3

4,9

12,3

12,3

16,7

100,0

2003

Ano de Diagnóstico nº

156

9

4

4

6

9

11

7

14

10

13

8

12

19

30

%

5,8

2,6

2,6

3,8

5,8

7,1

4,5

9,0

6,4

8,3

5,1

7,7

12,2

19,2

100,0

2004 nº

130

6

5

5

3

6

9

9

3

9

10

9

8

21

27

%

4,6

3,8

3,8

2,3

4,6

6,9

6,9

2,3

6,9

7,7

6,9

6,2

16,2

20,8

100,0

2005 nº

94

10

2

3

6

3

4

7

4

10

4

7

3

12

19

%

10,6

2,1

3,2

6,4

3,2

4,3

7,4

4,3

10,6

4,3

7,4

3,2

12,8

20,2

100,0

2006 nº

65

7

1

3

7

1

3

1

7

2

-

3

-

15

15

%

10,8

1,5

4,6

10,8

1,5

4,6

1,5

10,8

3,1

-

4,6

-

23,1

23,1

100,0

2007

18

5

1

-

1

-

1

-

1

-

1

2

1

3

2

%

27,8

5,6

-

5,6

-

5,6

-

5,6

-

5,6

11,1

5,6

16,7

11,1

100,0

2008 nº

4.500

69

32

35

61

87

125

126

151

244

267

358

519

758

1.668

%

100,0

1,4

0,5

0,8

1,2

2,2

2,8

3,0

3,4

5,7

6,5

8,3

12,0

16,3

35,9

Total

TABELA 12 - Casos notificados de Aids na categoria de exposição transmissão vertical, segundo idade e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1987 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

17


18

59,4

2.170

3.300

2.785

2.599

2.456

1.908

534

18.031

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Subtotal

735

1.153

1.857

1.496

1.349

1.230

907

245

9.487

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Subtotal

57,5

56,4

3.323

5.157

4.281

3.948

3.686

2.815

779

27.518

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

Total

4.391

150

537

579

666

754

761

455

259

230

1.774

65

205

219

300

302

303

184

108

88

2.617

85

332

360

366

452

458

271

151

142

no

Preta

6,9

10,9

11,0

9,7

10,1

10,6

8,9

5,0

2,7

2,3

7,7

13,5

12,5

10,4

12,2

11,6

9,6

5,5

3,1

2,4

6,5

9,5

10,2

9,3

8,8

10,0

8,5

4,7

2,5

2,2

%

8.849

360

1.196

1.257

1.395

1.357

1.450

856

540

438

3.491

145

438

485

568

535

552

343

233

192

5.358

215

758

772

827

822

898

513

307

246

no

Parda

Raça/Cor

14,0

26,1

24,4

21,0

21,1

19,1

17,0

9,4

5,7

4,3

15,2

30,1

26,6

22,9

23,2

20,6

17,6

10,3

6,6

5,3

13,3

23,9

23,3

19,9

19,9

18,2

16,7

8,8

5,1

3,8

%

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal

43,5

61,5

59,8

60,2

60,4

36,3

20,8

1.556

1.973

2001

15,3

41,4

50,9

55,1

58,2

55,0

57,6

59,0

34,5

20,9

14,3

44,6

63,3

62,6

61,7

61,2

37,4

2000

Total

515

2000

Feminino

58,7

1.238

20,8

1.041

15,9

%

2001

no

Branca

2000

Masculino

Ano de Diagnóstico

248

4

30

28

44

38

47

29

15

13

72

-

5

9

14

13

16

12

1

2

176

4

25

19

30

25

31

17

14

11

no

Amarela

0,4

0,3

0,6

0,5

0,7

0,5

0,6

0,3

0,2

0,1

0,3

-

0,3

0,4

0,6

0,5

0,5

0,4

0,0

0,1

0,4

0,4

0,8

0,5

0,7

0,6

0,6

0,3

0,2

0,2

%

24

-

6

8

6

1

-

-

2

1

10

-

1

3

3

-

-

-

2

1

14

-

5

5

3

1

-

-

-

-

no

Indigena

0,0

-

0,1

0,1

0,1

0,0

-

-

0,0

0,0

0,0

-

0,1

0,1

0,1

-

-

-

0,1

0,0

0,0

-

0,2

0,1

0,1

0,0

-

-

-

-

%

22.275

87

310

439

546

681

1.118

4.484

6.688

7.922

8.064

26

90

168

219

250

417

1.653

2.435

2.806

14.211

61

220

271

327

431

701

2.831

4.253

5.116

no

%

35,2

6,3

6,3

7,3

8,3

9,6

13,1

49,0

70,6

78,0

35,2

5,4

5,5

7,9

8,9

9,6

13,3

49,4

69,3

77,9

35,2

6,8

6,8

7,0

7,9

9,5

13,0

48,8

71,3

78,0

Ign/Branco

TABELA 13 - Casos notificados de Aids, segundo ano de diagnóstico, sexo e raça/cor, Estado de São Paulo, 2000 a 2008*

63.305

1.380

4.894

5.997

6.605

7.112

8.533

9.147

9.477

10.160

22.898

481

1.646

2.114

2.453

2.596

3.145

3.345

3.514

3.604

40.407

899

3.248

3.883

4.152

4.516

5.388

5.802

5.963

6.556

no

Total

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

100,0

%

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

Dezembro 2008


Dezembro 2008

1.281

De 12 e mais

Ign/Branco

9.592

1995

100,0

17,8

3,1

12,0

30,1

32,5

4,4

100,0

17,9

7,3

14,3

28,7

29,2

2,6

%

1996

10.310

2.947

576

94

356

864

934

123

7.363

1.391

542

1.016

2.031

2.161

222

100,0

19,5

3,2

12,1

29,3

31,7

4,2

100,0

18,9

7,4

13,8

27,6

29,3

3,0

%

1997

10.496

3.371

522

118

410

1.026

1.120

175

7.125

1.216

494

1.093

2.112

1.997

213

100,0

15,5

3,5

12,2

30,4

33,2

5,2

100,0

17,1

6,9

15,3

29,6

28,0

3,0

%

1998

11.551

3.912

635

138

515

1.086

1.369

169

7.639

1.341

581

1.131

2.087

2.315

184

100,0

16,2

3,5

13,2

27,8

35,0

4,3

100,0

17,6

7,6

14,8

27,3

30,3

2,4

%

9.941

3.381

483

124

480

975

1.201

118

6.560

1.046

455

1.005

1.788

2.108

158

1999

100,0

14,3

3,7

14,2

28,8

35,5

3,5

100,0

15,9

6,9

15,3

27,3

32,1

2,4

%

9.706

3.362

557

125

467

960

1.101

152

6.344

1.100

444

1.024

1.732

1.887

157

2000

100,0

16,6

3,7

13,9

28,6

32,7

4,5

100,0

17,3

7,0

16,1

27,3

29,7

2,5

%

9.054

3.278

607

146

543

993

859

130

5.776

1.074

391

1.073

1.658

1.443

137

100,0

18,5

4,5

16,6

30,3

26,2

4,0

100,0

18,6

6,8

18,6

28,7

25,0

2,4

%

8.801

3.143

604

139

600

1.084

595

121

5.658

1.110

494

1.185

1.791

927

151

2002

Ano de Diagnóstico 2001

100,0

19,2

4,4

19,1

34,5

18,9

3,8

100,0

19,6

8,7

20,9

31,7

16,4

2,7

%

8.225

2.985

499

158

685

1.047

476

120

5.240

1.008

486

1.258

1.706

663

119

2003

100,0

16,7

5,3

22,9

35,1

15,9

4,0

100,0

19,2

9,3

24,0

32,6

12,7

2,3

%

6.892

2.475

436

121

608

883

340

87

4.417

821

417

1.188

1.369

519

103

2004

100,0

17,6

4,9

24,6

35,7

13,7

3,5

100,0

18,6

9,4

26,9

31,0

11,8

2,3

%

6.425

2.350

392

168

602

815

293

80

4.075

684

460

1.103

1.322

422

84

2005

100,0

16,7

7,1

25,6

34,7

12,5

3,4

100,0

16,8

11,3

27,1

32,4

10,4

2,1

%

5.856

2.041

531

104

503

623

216

64

3.815

1.032

419

927

1.037

320

80

2006

100,0

26,0

5,1

24,6

30,5

10,6

3,1

100,0

27,1

11,0

24,3

27,2

8,4

2,1

%

4.797

1.591

591

69

404

387

119

21

3.206

1.250

255

858

649

170

24

2007

100,0

37,1

4,3

25,4

24,3

7,5

1,3

100,0

39,0

8,0

26,8

20,2

5,3

0,7

%

1.351

469

86

20

172

131

43

17

882

187

119

298

204

66

8

2008

100,0

18,3

4,3

36,7

27,9

9,2

3,6

100,0

21,2

13,5

33,8

23,1

7,5

0,9

%

112.997

37.726

6.951

1.599

6.636

11.603

9.454

1.483

75.271

14.541

6.081

14.187

21.544

19,3

8,1

18,8

28,6

22,7

2,4

%

100,0

18,4

4,2

17,6

30,8

25,1

3,9

100,0

Total

17.095

1.823

2.697

RJ/CARACAS

%

149

9,9

1,0

0,1

26,5

7,7

3,1

32,1

10.580

509

109

6

2.362

2.120

592

2.620

596

308

1.358

1997 %

1.011

90

8

1.517

3.476

1.079

1.584

1.094

667

1.144

%

8,7

0,8

0,1

13,0

29,8

9,2

13,6

9,4

5,7

9,8

651

77

8

1.287

3.095

1.042

1.294

978

578

1.022

1999 %

6,5

0,8

0,1

12,8

30,9

10,4

12,9

9,7

5,8

10,2

922

45

8

1.167

3.030

999

1.076

900

590

1.051

%

9,4

0,5

0,1

11,9

31,0

10,2

11,0

9,2

6,0

10,7

2000 nº

673

37

11

1.026

3.194

887

878

771

516

1.140

%

7,4

0,4

0,1

11,2

35,0

9,7

9,6

8,4

5,6

12,5

2001 nº

539

36

14

973

3.051

835

729

732

561

1.419

%

6,1

0,4

0,2

10,9

34,3

9,4

8,2

8,2

6,3

16,0

2002

Ano de Diagnóstico nº

383

29

17

921

2.292

566

572

484

378

2.666

%

4,6

0,3

0,2

11,1

27,6

6,8

6,9

5,8

4,5

32,1

2003 nº

350

-

-

731

-

-

-

-

-

5.871

%

5,0

-

-

10,5

-

-

-

-

-

84,5

2004 nº

363

-

-

674

-

-

-

-

-

5.438

%

5,6

-

-

10,4

-

-

-

-

-

84,0

2005 nº

308

-

-

616

-

-

-

-

-

4.978

%

5,2

-

-

10,4

-

-

-

-

-

84,3

2006 nº

206

-

-

498

-

-

-

-

-

4.126

%

4,3

-

-

10,3

-

-

-

-

-

85,4

2007 nº

45

-

-

144

-

-

-

-

-

1.176

%

3,3

-

-

10,5

-

-

-

-

-

86,2

2008

100,0 11.670 100,0 10.032 100,0 9.788 100,0 9.133 100,0 8.889 100,0 8.308 100,0 6.952 100,0 6.475 100,0 5.902 100,0 4.830 100,0 1.365 100,0

4,8

1,0

0,1

22,3

20,0

5,6

24,8

5,6

2,9

12,8

1998

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal (**) A partir de 2004 o critério cdc/laboratorio (CD4<350) fica agrupado ao critério CDC

1.029

1,4 3,3

1.108

105

6

2.757

801

320

3.347

340

% 15,0

9.722 100,0 10.411 100,0

11,4

1.557

Total

0,6

-

27,7

3,1

1,2

38,7

1,8

0,5

14,9

1996

ÓBITO

59

303

CDC/LAB.**

ARC + ÓBITO

115

CDC/LAB. + RJ/CARACAS

-

3.766

CDC + RJ/CARACAS

CDC EXCEPCIONAL

50

176

CDC + CDC/LAB. + RJ/CARACAS

1.448

1995

CDC + CDC/LAB.

CDC

Critério de Definição de Caso

114.057

8.097

587

78

17.370

21.362

6.435

15.866

6.071

3.797

34.394

Total

100,0

7,1

0,5

0,1

15,2

18,7

5,6

13,9

5,3

3,3

30,2

%

TABELA 15 - Casos notificados de Aids em indivíduos com 13 anos de idade ou mais, segundo critério de definição de caso e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1995 a 2008*

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal

2.421

432

Ign/Branco

Total

75

De 12 e mais

Subtotal

729

291

De 8 a 11

788

De 1 a 3

De 4 a 7

106

Nenhuma

FEMININO

7.171

524

De 8 a 11

Subtotal

2.058

1.028

De 4 a 7

183

2.097

De 1 a 3

Nenhuma

MASCULINO

Escolaridade (em anos)

TABELA 14 - Casos notificados de Aids em indivíduos com 19 anos de idade ou mais, segundo escolaridade, sexo e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo,1995 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

19


20

363

ÓBITO

Total

%

7,7

0,3

16,0

0,8

0,3

42,7

2,5

1,4

28,4

100,0

1995 nº

408

41

1

74

1

6

153

15

4

113

%

10,0

0,2

18,1

0,2

1,5

37,5

3,7

1,0

27,7

100,0

1996 nº

439

12

1

72

25

8

149

25

7

140

%

2,7

0,2

16,4

5,7

1,8

33,9

5,7

1,6

31,9

100,0

1997 nº

352

35

-

60

19

7

92

14

13

112

%

9,9

-

17,0

5,4

2,0

26,1

4,0

3,7

31,8

100,0

1998 nº

349

24

1

63

19

8

90

20

24

100

%

6,9

0,3

18,1

5,4

2,3

25,8

5,7

6,9

28,7

100,0

1999 nº

372

42

2

28

62

21

40

40

38

99

%

11,3

0,5

7,5

16,7

5,6

10,8

10,8

10,2

26,6

100,0

2000 nº

344

28

-

13

71

20

31

42

33

106

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal (**) A partir de 2004 o critério cdc/laboratorio (CD4< do que o esperado para a idade) fica agrupado ao critério CDC

1

28

ARC + ÓBITO

3

58

SINAIS MAIORES E MENORES

1

CDC/LABORATÓRIO + SINAIS MAIORES E MENORES

CDC/LABORATÓRIO **

9

155

CDC + SINAIS MAIORES E MENORES

5

CDC + CDC/LABORATÓRIO + SINAIS MAIORES E MENORES

CDC + CDC/LABORATÓRIO

103

CDC

Critério de Definição de Caso %

8,1

-

3,8

20,6

5,8

9,0

12,2

9,6

30,8

100,0

2001 nº

258

15

-

11

61

16

18

31

20

86

%

5,8

-

4,3

23,6

6,2

7,0

12,0

7,8

33,3

100,0

2002

Ano de Diagnóstico nº

225

3

-

11

40

9

12

12

27

111

%

1,3

-

4,9

17,8

4,0

5,3

5,3

12,0

49,3

100,0

2003 nº

160

4

-

-

-

-

-

-

-

156

%

2,5

-

-

-

-

-

-

-

97,5

100,0

2004 nº

130

5

-

-

-

-

-

-

-

125

%

3,8

-

-

-

-

-

-

-

96,2

100,0

2005 nº

95

5

-

-

-

-

-

-

-

90

%

5,3

-

-

-

-

-

-

-

94,7

100,0

2006 nº

64

3

-

-

-

-

-

-

-

61

%

4,7

-

-

-

-

-

-

-

95,3

100,0

2007 nº

15

-

-

-

-

-

-

-

-

15

%

100,0

-

-

-

-

-

-

-

-

100,0

2008 nº

3.574

245

6

390

301

96

740

208

171

1.417

%

100,0

6,9

0,2

10,9

8,4

2,7

20,7

5,8

4,8

39,6

Total

TABELA 16 - Casos notificados de Aids em menores de 13 anos de idade, segundo critério de definição de caso e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1995 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

Dezembro 2008


Dezembro 2008

69

87

166

GVE 17 CAMPINAS

GVE 18 FRANCA

GVE 19 MARÍLIA

GVE 20 PIRACICABA

GVE 33 TAUBATÉ

13.604

42.649

5

827

66

1.354

57

1.603

179

1.100

321

3.456

1.680

65

61

265

982

315

384

2.415

202

870

535

207

747

463

1.600

267

1.248

2.325

10.819

1

259

20

361

28

422

56

315

92

840

480

30

18

77

295

91

102

757

43

259

140

56

224

147

449

85

293

602

4.277

1996

11.019

4

274

16

270

16

452

41

304

98

688

554

43

22

77

353

85

132

705

46

224

173

59

266

127

463

65

363

644

4.455

1997

12.022

2

292

24

400

21

546

116

344

143

729

527

51

24

73

322

109

110

837

57

199

155

65

271

153

523

74

579

652

4.624

1998

10.381

3

243

24

324

22

392

49

273

108

683

490

42

20

59

290

137

102

710

58

183

95

54

259

143

440

55

474

560

4.089

1999

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal

Total

2

12

139

GVE 32 ITAPEVA

Ignorado

11

260

GVE 31 SOROCABA

GVE 29 SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

GVE 30 JALES

26

342

GVE 28 CARAGUATATUBA

211

GVE 27 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

GVE 25 SANTOS

56

1.285

GVE 24 RIBEIRÃO PRETO

GVE 26 SÃO JOÃO DA BOA VISTA

17

459

GVE 23 REGISTRO

66

602

GVE 16 BOTUCATU

18

61

GVE 15 BAURU

GVE 22 PRESIDENTE VENCESLAU

121

GVE 14 BARRETOS

GVE 21 PRESIDENTE PRUDENTE

74

94

GVE 13 ASSIS

79

480

GVE 10 OSASCO

131

93

GVE 9 FRANCO DA ROCHA

GVE 12 ARARAQUARA

343

GVE 8 MOGI DAS CRUZES

GVE 11 ARAÇATUBA

571

GVE 7 SANTO ANDRÉ

nº 19.050

7.729

91 a 95

80 a 90

GVE 1 CAPITAL

GVE de Residência

10.160

1

315

23

413

32

403

91

316

126

622

472

33

24

74

329

99

85

787

59

205

116

56

233

186

478

44

449

537

3.552

2000

9.477

3

259

20

331

42

324

95

279

118

527

438

34

31

80

269

86

98

749

65

175

118

61

265

145

457

65

338

513

3.492

2001

9.147

3

227

18

292

21

327

65

313

126

485

372

22

35

89

271

118

92

718

60

236

102

60

210

147

459

64

357

504

3.354

2002

Ano de Diagnóstico

8.533

-

224

28

295

19

344

85

215

137

450

328

41

28

79

255

70

61

765

70

178

88

60

183

126

384

52

320

440

3.208

2003

7.112

1

186

31

224

28

229

59

170

78

427

312

42

26

75

201

70

34

619

74

118

63

53

153

130

334

70

297

420

2.588

2004

6.605

1

119

29

187

23

169

57

164

72

358

250

45

26

70

213

73

34

567

56

165

48

54

152

125

271

55

285

335

2.602

2005

5.997

1

122

17

145

25

140

32

136

71

245

202

29

28

64

188

41

57

572

51

131

65

35

138

105

291

61

254

283

2.468

2006

4.894

-

79

7

50

12

145

28

131

73

179

222

34

22

57

169

16

50

419

32

83

64

27

137

98

206

51

180

212

2.111

2007

1.380

-

24

5

17

1

75

13

30

23

56

66

13

4

15

51

3

7

112

10

18

13

7

41

14

52

7

46

48

609

2008 nº

163.799

27

3.589

340

4.923

358

5.913

992

4.301

1.642

11.030

6.852

541

387

1.220

4.354

1.400

1.417

11.334

944

3.165

1.869

928

3.410

2.188

6.887

1.108

5.826

8.646

68.208

Total

100,0

0,0

2,2

0,2

3,0

0,2

3,6

0,6

2,6

1,0

6,7

4,2

0,3

0,2

0,7

2,7

0,9

0,9

6,9

0,6

1,9

1,1

0,6

2,1

1,3

4,2

0,7

3,6

5,3

41,6

%

TABELA 17 - Casos notificados de Aids segundo Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de residência e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

21


22

80 a 90 nº 7.496 549 329 92 453 74 127 69 94 118 57 586 68 87 161 65 18 15 439 1.227 54 208 25 330 11 250 11 134 2 13.149

91 a 95 nº 18.448 2.254 1.207 257 1.523 451 718 204 526 852 195 2.332 373 303 960 257 60 64 1.620 3.350 308 1.055 167 1.561 52 1.306 63 793 5 41.264

1996 nº 4.120 588 272 77 432 145 220 55 135 250 43 737 100 84 279 74 16 30 456 806 87 304 51 408 26 344 20 251 1 10.411

1997 nº 4.285 629 343 60 446 125 255 57 165 210 45 673 128 78 332 75 22 41 529 656 95 291 38 440 15 265 15 264 3 10.580

1998 nº 4.489 631 565 70 506 150 262 60 153 195 54 812 103 104 312 72 23 51 516 702 140 334 115 531 19 393 22 284 2 11.670

1999 nº 3.959 536 457 53 424 141 248 53 91 177 56 682 97 132 282 59 20 40 476 655 106 265 48 380 22 308 24 238 3 10.032

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal

GVE 1 CAPITAL GVE 7 SANTO ANDRE GVE 8 MOGI DAS CRUZES GVE 9 FRANCO DA ROCHA GVE 10 OSASCO GVE 11 ARACATUBA GVE 12 ARARAQUARA GVE 13 ASSIS GVE 14 BARRETOS GVE 15 BAURU GVE 16 BOTUCATU GVE 17 CAMPINAS GVE 18 FRANCA GVE 19 MARILIA GVE 20 PIRACICABA GVE 21 PRESIDENTE PRUDENTE GVE 22 PRESIDENTE VENCESLAU GVE 23 REGISTRO GVE 24 RIBEIRAO PRETO GVE 25 SANTOS GVE 26 SAO JOAO DA BOA VISTA GVE 27 SAO JOSE DOS CAMPOS GVE 28 CARAGUATATUBA GVE 29 SAO JOSE DO RIO PRETO GVE 30 JALES GVE 31 SOROCABA GVE 32 ITAPEVA GVE 33 TAUBATE Ignorado Total

GVE de Residência

Ano de Diagnóstico 2000 2001 2002 nº nº nº 3.430 3.377 3.269 518 492 491 429 316 339 42 57 60 448 429 439 186 143 144 226 259 210 56 59 60 109 116 99 198 165 229 56 63 58 763 719 694 84 95 87 95 85 117 318 263 266 72 78 88 22 30 34 31 32 21 461 423 354 591 511 471 122 114 125 302 268 301 88 93 63 386 313 324 30 39 21 398 324 285 22 19 17 304 248 220 1 3 3 9.788 9.133 8.889 2003 nº 3.118 425 307 47 373 124 183 60 85 177 69 743 59 67 249 76 28 40 323 437 135 209 82 339 19 289 25 220 8.308

2004 nº 2.537 415 288 64 327 128 151 51 62 116 74 611 33 69 190 75 26 42 301 412 73 164 59 225 28 222 31 177 1 6.952

2005 nº 2.557 327 273 51 264 123 150 52 45 164 55 557 32 73 207 69 25 45 246 351 72 160 57 168 23 184 29 115 1 6.475

2006 nº 2.426 283 245 58 284 105 138 35 62 130 51 568 56 41 184 64 28 27 199 239 71 132 31 138 24 144 17 121 1 5.902

2007 nº 2.079 210 176 50 205 97 136 27 64 83 30 411 50 16 166 57 22 34 220 179 72 131 26 143 12 50 6 78 4.830

2008 nº 603 47 45 7 50 14 41 7 13 18 10 111 7 3 51 15 4 13 64 55 23 30 13 75 1 16 5 24 1.365 nº 66.193 8.395 5.591 1.045 6.603 2.150 3.324 905 1.819 3.082 916 10.999 1.372 1.354 4.220 1.196 378 526 6.627 10.642 1.597 4.154 956 5.761 342 4.778 326 3.471 26 158.748

Total % 41,7 5,3 3,5 0,7 4,2 1,4 2,1 0,6 1,1 1,9 0,6 6,9 0,9 0,9 2,7 0,8 0,2 0,3 4,2 6,7 1,0 2,6 0,6 3,6 0,2 3,0 0,2 2,2 0,0 100,0

TABELA 18 - Casos notificados de Aids em indivíduos com 13 anos de idade ou mais, segundo Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de residência e ano de diagnóstico,Estado de São Paulo, 1980 a 2008*

Boletim Epidemiológico ANO XXV – Nº 1

Dezembro 2008


Dezembro 2008 10 1 5 -

GVE 31 SOROCABA

GVE 32 ITAPEVA

GVE 33 TAUBATÉ

Ignorado 1.385

-

34

3

48

5

42

12

45

13

106

60

1

1

8

22

12

11

83

7

18

9

3

29

12

77

10

41

71

602

408

-

8

-

17

2

14

5

11

5

34

24

-

2

3

16

7

2

20

-

9

5

1

4

2

17

8

21

14

157

1996

439

1

10

1

5

1

12

3

13

3

32

25

2

-

2

21

7

4

32

1

14

8

2

11

2

17

5

20

15

170

1997

352

-

8

2

7

2

15

1

10

3

27

11

-

1

1

10

5

7

25

3

4

2

5

9

3

17

4

14

21

135

1998

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal

455

-

GVE 30 JALES

Total

1 12

GVE 29 SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

GVE 27 SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

GVE 28 CARAGUATATUBA

2 3

GVE 26 SÃO JOÃO DA BOA VISTA

58

-

GVE 22 PRESIDENTE VENCESLAU

GVE 25 SANTOS

1

GVE 21 PRESIDENTE PRUDENTE 2

5

GVE 20 PIRACICABA

20

-

GVE 19 MARÍLIA

GVE 24 RIBEIRÃO PRETO

1

GVE 18 FRANCA

GVE 23 REGISTRO

4 16

3

GVE 15 BAURU

GVE 17 CAMPINAS

-

GVE 14 BARRETOS

GVE 16 BOTUCATU

5

GVE 13 ASSIS

27

GVE 10 OSASCO 5

1

GVE 9 FRANCO DA ROCHA

4

14

GVE 8 MOGI DAS CRUZES

GVE 12 ARARAQUARA

22

GVE 11 ARAÇATUBA

233

GVE 7 SANTO ANDRÉ

GVE 1 CAPITAL

91 a 95

349

-

5

-

16

-

12

1

8

2

28

14

2

-

-

8

5

5

28

2

6

4

1

11

2

16

2

17

24

130

1999

372

-

11

1

15

2

17

3

14

4

31

11

2

2

2

11

4

1

24

3

7

7

-

7

-

30

2

20

19

122

2000

344

-

11

1

7

3

11

2

11

4

16

15

2

1

2

6

1

3

30

2

10

2

2

6

2

28

8

22

21

115

2001

258

-

7

1

7

-

3

2

12

1

14

18

1

1

1

5

1

5

24

2

7

3

-

-

3

20

4

18

13

85

2002

Ano de Diagnóstico

225

-

4

3

6

-

5

3

6

2

13

5

1

-

3

6

3

2

22

1

1

3

-

-

2

11

5

13

15

90

2003

160

-

9

-

2

-

4

-

6

5

15

11

-

-

-

11

1

1

8

-

2

1

2

2

2

7

6

9

5

51

2004

130

-

4

-

3

-

1

-

4

-

7

4

-

1

1

6

-

2

10

1

1

3

2

2

2

7

4

12

8

45

2005

95

-

1

-

1

1

2

1

4

-

6

3

2

-

-

4

-

1

4

-

1

3

-

-

-

7

3

9

-

42

2006

64

-

1

1

-

-

2

2

-

1

-

2

-

-

-

3

-

-

8

2

-

-

-

1

1

1

1

4

2

32

2007

15

-

-

-

1

-

-

-

-

-

1

2

-

-

-

-

-

-

1

-

-

-

-

-

-

2

-

1

1

6

2008

0,0

2,3

0,3

2,9

0,3

3,0

0,7

2,9

0,9

7,7

4,5

0,3

0,2

0,5

2,7

0,9

0,9

6,6

0,6

1,6

1,0

0,5

1,7

0,8

5,6

1,2

4,7

5,0

39,9

%

5.051 100,0

1

118

14

145

16

152

36

147

45

388

225

15

9

24

134

46

45

335

28

83

50

23

86

38

284

63

235

251

2.015

Total

TABELA 19 - Casos notificados de Aids em menores de 13 anos de idade, segundo Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de residência e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1984 a 2008*

84 a 90

ANO XXV – Nº 1

GVE de Residência

Boletim Epidemiológico

23


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

TABELA 20 - Casos notificados de Aids segundo 150 municípios de residência com maior número de casos e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1980 a 2008* Ano de Diagnóstico 91-99

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2.008

Subtotal SINAN

Subtotal SEADE

Total SINAN + SEADE

Município de Residência

80-90 nº

%

Total Estado de São Paulo

13.604

86.890

10.160

9.477

9.147

8.533

7.112

6.605

5.997

4.894

1.380

163.799

7848

171.647

100,0 40,6

1

355030 São Paulo

7.729

36.495

3.552

3.492

3.354

3.208

2.588

2.602

2.468

2.111

609

68.208

1454

69.662

2

354850 Santos

730

3.133

222

202

148

136

137

136

114

92

37

5.087

240

5.327

3,1

3

350950 Campinas

369

2.495

310

303

298

292

267

242

238

200

50

5.064

163

5.227

3,0

4

354340 Ribeirão Preto

395

2.800

309

301

231

220

216

148

126

152

44

4.942

168

5.110

3,0

5

354980 São José do Rio Preto

232

2.116

231

155

180

192

106

94

68

71

38

3.483

134

3.617

2,1

6

351880 Guarulhos

224

1.753

235

165

160

158

148

130

127

76

18

3.194

333

3.527

2,1

7

354780 Santo André

226

1.795

170

164

164

142

111

92

86

77

16

3.043

210

3.253

1,9

8

354990 São José dos Campos

141

1.347

196

167

207

149

114

116

90

105

24

2.656

93

2.749

1,6

9

355220 Sorocaba

160

1.519

188

141

133

145

85

74

48

15

1

2.509

159

2.668

1,6

10

353440 Osasco

201

1.350

154

148

148

101

89

57

77

43

16

2.384

239

2.623

1,5

11

354870 São Bernardo do Campo

157

1.206

134

129

132

118

111

113

88

43

9

2.240

73

2.313

1,3

12

355100 São Vicente

237

1.193

114

90

81

76

69

60

30

20

5

1.975

121

2.096

1,2

13

350600 Bauru

57

985

105

91

139

85

63

66

57

36

12

1.696

69

1.765

1,0

14

351870 Guarujá

162

809

102

82

99

76

90

51

29

25

-

1.525

200

1.725

1,0

15

355410 Taubaté

68

823

118

104

75

99

75

41

41

23

4

1.471

107

1.578

0,9

16

352590 Jundiaí

47

730

109

92

71

94

61

71

66

31

9

1.381

97

1.478

0,9

17

353870 Piracicaba

60

729

83

66

54

50

49

66

66

69

12

1.304

153

1.457

0,8

18

350320 Araraquara

54

768

77

77

72

58

61

51

45

39

16

1.318

9

1.327

0,8

19

352940 Mauá

48

607

78

76

85

63

66

45

11

17

8

1.104

210

1.314

0,8

20

351380 Diadema

63

591

106

86

69

56

85

53

67

60

11

1.247

47

1.294

0,8

21

351060 Carapicuíba

72

511

76

71

57

62

43

41

38

41

3

1.015

94

1.109

0,6

22

354100 Praia Grande

63

554

83

73

64

58

57

43

36

26

2

1.059

35

1.094

0,6

23

351620 Franca

54

589

57

55

56

37

23

23

40

34

4

972

61

1.033

0,6

24

352690 Limeira

47

517

86

68

87

63

35

41

33

12

6

995

25

1.020

0,6

25

352440 Jacareí

49

576

58

55

47

42

37

26

33

22

2

947

69

1.016

0,6

26

350280 Araçatuba

32

492

74

45

50

51

49

42

49

45

3

932

20

952

0,6

27

354890 São Carlos

38

407

72

74

60

46

41

41

48

57

15

899

8

907

0,5

28

351110 Catanduva

58

497

63

50

45

40

33

27

23

26

16

878

24

902

0,5

29

354140 Presidente Prudente

54

412

47

58

52

52

39

50

34

39

7

844

49

893

0,5

30

350550 Barretos

37

498

59

44

42

31

30

14

28

20

4

807

51

858

0,5

31

352900 Marília

43

446

51

46

65

35

31

34

25

10

2

788

17

805

0,5

32

353060 Moji das Cruzes

31

323

49

43

49

50

39

41

30

30

7

692

82

774

0,5

33

354880 São Caetano do Sul

65

428

27

33

42

40

23

19

18

11

3

709

54

763

0,4

34

351350 Cubatão

50

429

53

50

45

48

25

30

15

1

4

750

12

762

0,4

35

355280 Taboão da Serra

68

379

28

30

45

30

36

31

31

25

5

708

49

757

0,4

36

354390 Rio Claro

30

374

61

51

30

31

39

38

40

24

19

737

14

751

0,4

37

350610 Bebedouro

42

411

31

41

36

33

20

13

21

22

2

672

7

679

0,4

38

350850 Caçapava

18

391

58

53

53

22

16

19

13

3

2

648

31

679

0,4

39

350160 Americana

21

297

45

42

44

46

40

43

42

33

13

666

12

678

0,4

40

350570 Barueri

26

247

47

48

45

35

37

32

43

22

7

589

60

649

0,4

41

352310 Itaquaquecetuba

29

258

50

39

62

34

37

36

39

25

6

615

4

619

0,4

42

352250 Itapevi

36

246

49

41

34

38

19

35

29

19

8

554

56

610

0,4

43

352390 Itu

17

286

45

33

37

34

25

14

33

9

-

533

31

564

0,3

44

351500 Embu

27

247

44

41

27

23

22

16

26

13

6

492

42

534

0,3

45

355250 Suzano

15

218

32

34

35

32

30

31

27

24

9

487

43

530

0,3

46

351640 Franco da Rocha

57

193

15

17

20

27

29

18

25

27

-

428

93

521

0,3

47

350330 Araras

6

229

27

30

39

40

26

19

13

26

4

459

37

496

0,3

48

351907 Hortolândia

1

204

47

35

31

41

36

21

27

18

6

467

27

494

0,3

49

355240 Sumaré

26

231

31

23

35

27

17

9

23

14

4

440

51

491

0,3

50

352230 Itapetininga

18

200

39

34

24

17

31

20

7

1

1

392

65

457

0,3

51

351340 Cruzeiro

10

189

36

23

26

21

22

16

11

15

5

374

61

435

0,3

52

351840 Guaratinguetá

13

191

39

20

37

21

26

12

19

10

4

392

30

422

0,2

53

351570 Ferraz de Vasconcelos

16

189

39

25

21

20

20

22

11

5

2

370

38

408

0,2

54

351050 Caraguatatuba

7

135

39

40

22

36

32

24

19

23

3

380

18

398

0,2

55

352430 Jaboticabal

14

205

36

21

20

15

18

16

10

11

3

369

23

392

0,2

56

353080 Moji-Mirim

14

163

28

29

28

30

27

18

20

18

4

379

12

391

0,2

57

351300 Cotia

18

157

17

23

40

24

27

21

14

13

1

355

33

388

0,2

58

355710 Votuporanga

13

210

23

24

18

31

15

16

9

9

5

373

12

385

0,2

59

355370 Taquaritinga

12

220

26

27

21

20

6

17

7

3

4

363

17

380

0,2

60

350760 Bragança Paulista

18

172

16

25

30

28

13

20

17

11

3

353

24

377

0,2

61

351630 Francisco Morato

19

136

14

20

24

11

19

23

22

3

3

294

79

373

0,2

62

355400 Tatuí

17

172

29

30

33

18

17

17

15

7

3

358

9

367

0,2

63

355170 Sertãozinho

15

169

24

20

27

21

12

14

11

5

2

320

34

354

0,2

64

350400 Assis

20

149

19

28

14

18

25

18

15

12

2

320

26

346

0,2

65

352260 Itapira

4

185

33

26

22

23

8

10

9

8

2

330

14

344

0,2

continua

24

Dezembro 2008


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

continuação Ano de Diagnóstico 91-99

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2.008

Subtotal SINAN

Subtotal SEADE

Total SINAN + SEADE

Município de Residência

80-90 nº

%

Total Estado de São Paulo

13.604

86.890

10.160

9.477

9.147

8.533

7.112

6.605

5.997

4.894

1.380

163.799

7848

171.647

100,0

66

353470 Ourinhos

15

145

23

18

31

19

10

15

10

5

2

293

51

344

0,2

67

355070 São Sebastião

13

156

25

31

17

16

9

17

7

3

8

302

37

339

0,2

68

350410 Atibaia

24

183

25

18

10

7

7

12

7

1

2

296

29

325

0,2

69

350650 Birigui

8

145

23

21

23

25

26

15

9

9

-

304

5

309

0,2

70

353800 Pindamonhangaba

10

139

30

24

23

20

11

8

10

11

2

288

15

303

0,2

71

353070 Moji-Guaçu

8

123

24

15

27

34

17

17

8

15

5

293

8

301

0,2

72

352530 Jaú

12

173

22

8

10

19

8

15

12

11

-

290

10

300

0,2

73

355480 Tremembé

11

181

19

19

13

11

12

5

5

3

2

281

19

300

0,2

74

355650 Várzea Paulista

7

146

27

15

9

20

13

16

15

5

3

276

19

295

0,2

75

352720 Lorena

15

146

11

16

16

11

14

9

13

1

3

255

37

292

0,2

76

350750 Botucatu

29

124

21

19

13

15

20

12

17

9

4

283

6

289

0,2

77

354580 Santa Bárbara d'Oeste

12

93

16

21

25

27

21

19

17

15

7

273

15

288

0,2

78

354330 Ribeirão Pires

10

127

15

21

9

14

20

11

11

4

-

242

44

286

0,2

79

352210 Itanhaém

21

111

14

7

23

25

16

22

11

8

5

263

22

285

0,2

80

353030 Mirassol

7

155

16

23

20

14

15

5

4

9

2

270

13

283

0,2

81

355540 Ubatuba

6

128

22

21

25

25

16

11

4

2

1

261

22

283

0,2

82

353980 Poá

15

122

23

10

16

12

10

12

7

10

2

239

36

275

0,2

83

352670 Leme

6

104

20

21

13

17

14

10

8

6

2

221

46

267

0,2

84

352710 Lins

13

124

18

16

15

11

11

11

9

7

1

236

20

256

0,1

85

352050 Indaiatuba

6

104

13

21

19

24

17

11

11

13

-

239

13

252

0,1

86

352220 Itapecerica da Serra

9

107

16

17

11

25

21

11

5

8

2

232

20

252

0,1

87

352340 Itatiba

8

77

24

19

21

17

23

15

17

9

2

232

12

244

0,1

88

350450 Avaré

18

122

17

12

8

13

13

13

2

1

2

221

10

231

0,1

89

353130 Monte Alto

6

109

19

20

16

14

8

7

5

8

5

217

11

228

0,1

90

355700 Votorantim

13

107

17

11

9

14

8

5

3

1

1

189

39

228

0,1

91

350190 Amparo

9

79

26

17

6

27

15

13

9

6

3

210

13

223

0,1

92

350210 Andradina

7

103

16

16

17

11

10

10

6

8

3

207

7

214

0,1

93

355060 São Roque

5

86

20

18

13

10

12

16

6

3

4

193

16

209

0,1

94

352500 Jandira

9

89

15

5

14

7

14

6

6

6

2

173

33

206

0,1

95

353930 Pirassununga

6

104

14

11

21

16

13

6

2

3

1

197

5

202

0,1

96

350250 Aparecida

-

87

18

17

9

13

7

10

7

5

3

176

21

197

0,1

97

350960 Campo Limpo Paulista

6

90

11

14

14

8

12

12

8

5

1

181

16

197

0,1

98

352930 Matão

3

90

12

21

11

15

9

5

11

14

-

191

3

194

0,1

99

353050 Mococa

13

94

9

13

13

11

7

6

7

4

1

178

15

193

0,1

100 352850 Mairiporã

6

109

4

7

9

5

7

8

5

9

2

171

14

185

0,1

101 354910 São João da Boa Vista

6

56

13

15

17

18

6

9

14

14

5

173

10

183

0,1

102 350590 Batatais

8

79

18

15

14

11

7

7

3

4

2

168

11

179

0,1

103 353760 Peruíbe

13

77

15

11

15

11

12

5

3

3

-

165

14

179

0,1

104 353650 Paulínia

8

77

14

19

8

16

3

2

1

1

2

151

19

170

0,1

105 355620 Valinhos

7

57

13

8

18

15

9

9

11

4

2

153

17

170

0,1

106 354520 Salto

5

62

14

12

12

12

12

7

9

2

5

152

14

166

0,1

107 351280 Cosmópolis

5

60

9

23

11

13

11

3

12

2

-

149

15

164

0,1

108 353010 Mirandópolis

6

81

22

11

5

1

6

8

9

3

-

152

9

161

0,1

109 353890 Pirajuí

8

77

11

9

13

5

4

8

6

2

-

143

12

155

0,1

110 351040 Capivari

3

66

11

10

12

12

5

10

6

9

1

145

9

154

0,1

111 350970 Campos do Jordão

6

54

18

12

9

5

3

3

7

-

-

117

36

153

0,1

112 353110 Mongaguá

9

51

7

8

3

12

13

9

5

-

2

119

30

149

0,1

113 355500 Tupã

9

70

10

6

11

12

8

6

3

2

-

137

12

149

0,1

114 351550 Fernandópolis

2

57

10

18

4

7

10

10

8

5

-

131

12

143

0,1

115 350900 Caieiras

10

48

7

11

7

4

8

4

3

8

2

112

21

133

0,1

116 353730 Penápolis

7

66

7

9

9

3

6

6

5

5

2

125

7

132

0,1

117 350390 Arujá

10

50

7

13

7

5

7

8

4

6

1

118

12

130

0,1

118 352240 Itapeva

4

64

11

6

4

13

6

11

3

3

1

126

3

129

0,1

119 352680 Lençóis Paulista

2

55

6

11

9

13

7

11

4

-

2

120

7

127

0,1

120 354730 Santana de Parnaíba

3

40

9

13

9

12

5

7

14

8

-

120

7

127

0,1

121 354070 Porto Ferreira

3

49

10

10

8

9

8

9

8

4

1

119

4

123

0,1

122 350920 Cajamar

1

60

4

10

4

5

7

2

6

4

-

103

12

115

0,1

123 351510 Embu-Guaçu

3

46

10

8

11

5

9

4

2

1

-

99

15

114

0,1

124 353390 Olímpia

6

53

11

7

5

8

2

9

2

4

1

108

6

114

0,1

125 353550 Paraguaçu Paulista

25

46

4

4

6

7

5

6

2

2

1

108

6

114

0,1

126 352510 Jardinópolis

3

52

7

7

6

7

6

5

7

5

2

107

3

110

0,1

127 354260 Registro

4

45

6

13

4

6

3

11

5

1

3

101

8

109

0,1

128 355670 Vinhedo

5

46

4

3

8

5

6

6

2

8

1

94

13

107

0,1

129 354130 Presidente Epitácio

1

31

4

11

4

8

14

10

9

5

3

100

2

102

0,1

130 352410 Ituverava

2

44

7

8

7

4

2

3

4

5

2

88

13

101

0,1

131 352920 Martinópolis

1

20

5

12

9

9

16

9

8

5

4

98

2

100

0,1

132 352320 Itararé

3

28

7

8

8

8

15

9

4

2

1

93

5

98

0,1

133 354150 Presidente Venceslau

7

45

7

3

2

5

5

4

5

3

-

86

12

98

0,1

134 350635 Bertioga

-

39

12

4

7

8

8

2

2

4

1

87

9

96

0,1

135 354940 São Joaquim da Barra

3

44

7

11

13

-

1

-

3

1

-

83

11

94

0,1

continua

Dezembro 2008

25


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

continuação Ano de Diagnóstico 91-99

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2.008

Subtotal SINAN

Subtotal SEADE

Total SINAN + SEADE

Município de Residência

80-90 nº

%

Total Estado de São Paulo

13.604

86.890

10.160

9.477

9.147

8.533

7.112

6.605

5.997

4.894

1.380

163.799

7848

171.647

100,0

136 351310 Cravinhos

1

43

5

10

7

6

3

4

3

3

2

87

5

92

0,1

137 353180 Monte Mor

1

43

6

4

7

9

3

4

4

4

-

85

7

92

0,1

138 355150 Serrana

3

47

8

7

3

2

3

5

4

2

1

85

7

92

0,1 0,1

139 355645 Vargem Grande Paulista

1

33

8

3

9

11

7

4

4

3

-

83

6

89

140 350170 Américo Brasiliense

2

40

10

11

6

2

5

6

2

1

-

85

2

87

0,1

141 353670 Pederneiras

3

42

5

4

5

4

4

4

4

3

1

79

8

87

0,1

142 353780 Piedade

2

41

3

6

2

4

7

2

2

1

-

70

17

87

0,1

143 352470 Jaguariúna

2

36

4

3

7

5

4

5

5

8

1

80

5

85

0,0

144 354410 Rio Grande da Serra

2

29

7

4

3

7

4

2

2

-

1

61

22

83

0,0

145 353340 Nova Odessa

4

28

5

4

7

7

4

6

5

4

1

75

4

79

0,0

146 353740 Pereira Barreto

1

24

10

9

10

6

5

4

-

5

2

76

3

79

0,0

147 350925 Cajati

-

23

5

5

4

7

6

7

7

6

2

72

6

78

0,0

148 351670 Garça

12

41

3

5

5

3

4

1

-

-

-

74

4

78

0,0

149 352570 José Bonifácio

2

43

3

6

2

6

5

2

2

-

1

72

5

77

0,0

150 351860 Guariba Subtotal outros municípios prioritários** 157 354660 Santa Fé do Sul

1

36

8

6

3

3

1

5

4

3

-

70

6

76

0,0

13.301

83.602

9.587

8.898

8.569

7.968

6.629

6.128

5.581

4.552

1.297

156.112

7.139

163.251

95,1

15

172

31

26

15

18

13

24

19

16

2

351

29

380

0,2

2

31

7

10

4

2

-

5

2

2

1

66

4

70

0,0

163 352480 Jales

3

24

7

6

3

1

3

5

7

3

-

62

3

65

0,0

172 354680 Santa Isabel

3

15

8

1

1

6

1

2

4

1

-

42

16

58

0,0

198 354160 Promissão

4

27

2

3

3

3

1

3

1

1

-

48

1

49

0,0

205 352640 Laranjal Paulista

-

25

1

2

3

4

5

1

1

2

-

44

3

47

0,0

206 354970 São José do Rio Pardo

1

27

3

2

-

1

1

6

1

3

-

45

2

47

0,0

213 353620 Pariquera-Açu demais municípios do Estado

2

23

3

2

1

1

2

2

3

4

1

44

-

44

0,0

288

3.116

542

553

563

547

470

453

397

326

81

7.336

680

8.016

4,7

Fonte: SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PEDST/Aids-SP) (*) Dados preliminares até 30/06/08, sujeitos a revisão mensal (**) incluido demais municípios prioritários que não estavam na relação dos 150 municípios com maior números de casos municípios prioritários

26

Dezembro 2008


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

TABELA 21 - Taxa de incidência (TI) de Aids por 100.000 habitantes, nos 150 Municípios de residência com maior ocorrência de casos de 1980 a 2008 e maior TI* do ano de 2006, Estado de são Paulo, 1980 a 2008** Ano de Diagnóstico 1995

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006***

2007

Total SINAN+SEADE 1980 a 2008

Município de Residência

1990 TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TOTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

16,4

29,8

27,5

25,3

24,1

22,1

18,2

16,6

16,4

12,0

171.647

1

353010 Mirandópolis

8,3

19,8

84,9

42,2

19,0

3,8

22,5

29,9

40,8

11,1

161

2

352920 Martinópolis

0,0

4,8

22,4

53,2

39,5

39,1

68,9

38,4

33,8

21,0

100

3

350550 Barretos

22,6

63,3

56,8

42,1

39,9

29,3

28,1

13,0

31,5

18,4

858

4

350280 Araçatuba

9,6

45,0

43,8

26,4

29,1

29,4

28,0

23,8

28,1

25,1

952

5

353890 Pirajuí

31,7

56,4

54,8

44,2

63,1

23,9

18,9

37,3

27,9

9,2

155

6

354850 Santos

51,2

87,0

53,1

48,1

35,1

32,1

32,2

31,8

27,8

21,4

5.327

7

350610 Bebedouro

35,3

70,4

41,5

54,6

47,6

43,4

26,2

16,9

27,2

28,4

679

8

351340 Cruzeiro

5,9

21,2

49,0

31,1

34,8

27,9

29,0

20,9

24,7

19,3

435

9

354890 São Carlos

9,1

26,5

37,4

37,7

29,9

22,5

19,6

19,3

24,5

25,9

907

10

354130 Presidente Epitácio

0,0

18,9

10,2

27,8

10,1

20,0

34,7

24,6

24,5

12,2

102

11

352390 Itu

6,8

30,3

33,3

24,0

26,4

23,7

17,1

9,4

24,5

5,9

564

12

350950 Campinas

20,3

33,7

32,0

30,9

30,0

29,1

26,3

23,5

23,9

19,0

5.227

13

355030 São Paulo

28,8

40,9

34,1

33,3

31,8

30,2

24,2

24,2

23,8

19,4

69.662

14

351050 Caraguatatuba

7,9

36,0

49,6

49,8

26,9

43,1

37,5

27,6

23,8

25,8

398

15

350925 Cajati

-

7,6

17,1

17,1

13,7

23,9

20,5

23,9

23,8

20,3

78

16

351110 Catanduva

31,9

61,5

59,6

46,9

41,9

37,0

30,3

24,6

23,5

23,3

902

17

354340 Ribeirão Preto

32,9

71,3

61,3

58,8

44,5

41,7

40,4

27,3

23,5

27,3

5.110

18

354390 Rio Claro

8,2

32,5

36,3

29,8

17,3

17,5

21,7

20,7

23,1

12,7

751

19

350320 Araraquara

15,4

47,1

42,3

41,8

38,6

30,7

31,9

26,4

23,0

19,7

1.327

20

351280 Cosmópolis

2,9

10,3

20,3

50,5

23,5

26,9

22,1

5,9

22,9

3,7

164

21

353080 Moji-Mirim

11,1

26,4

34,4

35,1

33,4

35,2

31,2

20,5

22,5

19,9

391

22

350160 Americana

5,3

19,8

24,7

22,7

23,5

24,2

20,7

22,0

22,2

16,5

678

23

351640 Franco da Rocha

46,9

24,3

13,9

15,4

17,8

23,5

24,7

15,0

22,2

21,8

521

24

350850 Caçapava

17,1

59,8

76,3

68,9

68,0

27,9

20,0

23,5

22,0

3,6

679

25

354150 Presidente Venceslau

8,5

5,4

18,7

8,0

5,3

13,3

13,3

10,6

21,2

7,9

98

26

350970 Campos do Jordão

5,6

12,5

40,7

26,8

19,8

10,8

6,4

6,3

20,8

0,0

153

27

351840 Guaratinguetá

4,0

33,8

37,5

19,0

34,7

19,5

23,8

10,9

20,6

8,9

422

28

352510 Jardinópolis

8,5

18,5

22,8

22,3

18,7

21,4

17,9

14,6

20,1

14,1

110

29

353870 Piracicaba

10,9

26,4

25,3

19,8

15,9

14,5

14,0

18,6

20,0

19,0

1.457

30

351040 Capivari

0,0

29,5

26,6

23,8

28,1

27,7

11,4

22,4

19,9

19,6

154

31

352590 Jundiaí

7,0

23,1

33,7

28,1

21,4

28,0

18,0

20,6

19,8

8,8

1.478

32

354980 São José do Rio Preto

30,5

71,3

64,6

42,5

48,4

50,6

27,4

23,8

19,5

17,5

3.617

33

350250 Aparecida

0,0

32,2

51,6

48,4

25,4

36,4

19,5

27,6

19,2

13,6

197

34

351380 Diadema

7,4

26,0

29,7

23,8

18,9

15,1

22,6

13,9

18,7

15,4

1.294

35

351860 Guariba

3,6

20,1

25,8

19,2

9,5

9,4

3,1

15,4

18,4

9,1

76

36

352340 Itatiba

8,5

12,9

29,6

22,9

24,7

19,5

25,8

16,4

18,2

9,5

244

37

352440 Jacareí

13,3

51,3

30,4

28,4

23,9

21,1

18,3

12,7

17,9

10,5

1.016

38

350570 Barueri

8,9

20,4

22,7

22,3

20,1

15,1

15,3

12,8

17,8

8,3

649

39

350600 Bauru

10,7

53,1

33,3

28,4

42,6

25,6

18,7

19,2

17,8

10,2

1.765

40

355480 Tremembé

3,8

78,4

54,7

53,4

35,6

29,4

31,3

12,7

17,5

7,4

300

41

354140 Presidente Prudente

11,1

22,1

24,9

30,4

26,9

26,6

19,7

25,0

17,4

19,2

893

42

354910 São João da Boa Vista

4,4

6,9

16,8

19,2

21,6

22,7

7,5

11,1

17,2

17,1

183

43

352720 Lorena

9,8

32,5

14,1

20,3

20,2

13,7

17,3

11,0

17,0

1,2

292

44

355410 Taubaté

13,3

45,8

48,4

42,0

29,9

38,9

29,0

15,6

16,9

8,5

1.578

45

350190 Amparo

4,0

27,3

43,1

27,8

9,7

43,0

23,5

20,1

16,8

9,1

223

46

351907 Hortolândia

-

25,6

31,0

22,3

19,0

24,3

20,6

11,6

16,7

9,4

494

47

352470 Jaguariúna

4,2

11,5

13,5

9,8

22,1

15,3

11,8

14,2

16,6

21,5

85

48

355280 Taboão da Serra

20,4

22,5

14,2

14,9

21,8

14,2

16,7

14,1

16,5

11,0

757

49

355370 Taquaritinga

15,3

38,7

50,0

51,3

39,5

37,2

11,0

30,9

16,2

5,3

380

50

351630 Francisco Morato

6,7

26,9

10,5

14,6

17,1

7,6

12,9

15,2

16,2

1,9

373

51

352250 Itapevi

18,9

13,9

30,3

24,4

19,6

21,1

10,2

18,1

16,1

9,3

610

52

350400 Assis

9,6

19,8

21,8

31,8

15,7

19,9

27,4

19,5

16,1

12,7

346

53

352710 Lins

12,0

32,1

27,3

24,1

22,3

16,2

16,1

15,9

15,8

10,0

256

54

352930 Matão

1,7

17,9

16,7

29,0

15,0

20,3

12,0

6,6

15,7

18,1

194

55

354990 São José dos Campos

16,3

40,6

36,4

30,4

37,0

26,1

19,6

19,6

15,6

17,1

2.749

56

354100 Praia Grande

20,7

34,1

43,1

36,7

31,1

27,3

26,0

19,0

15,5

10,9

1.094

57

355170 Sertãozinho

14,6

15,2

25,4

20,8

27,6

21,1

11,9

13,6

15,4

4,7

354

58

354070 Porto Ferreira

2,7

18,9

21,1

20,8

16,3

18,0

15,8

17,4

15,3

7,6

123

59

354780 Santo André

15,8

38,4

26,2

25,1

25,0

21,6

16,8

13,8

15,2

11,4

3.253

60

355500 Tupã

3,3

11,5

15,8

9,4

17,2

18,6

12,3

9,2

15,2

3,0

149

61

355240 Sumaré

7,7

15,2

15,8

11,5

17,0

12,8

7,9

4,1

14,7

6,1

491

62

352260 Itapira

3,6

36,8

52,1

40,6

33,9

35,0

12,0

14,9

14,7

11,7

344

63

355400 Tatuí

8,1

18,1

31,1

31,6

34,1

18,2

16,9

16,6

14,4

6,6

3 67

64

355650 Várzea Paulista

4,7

22,9

29,2

15,9

9,3

20,3

12,9

15,5

14,3

4,7

295

continua

Dezembro 2008

27


Boletim Epidemiológico

ANO XXV – Nº 1

continuação Ano de Diagnóstico Município de Residência

2007

Total SINAN+SEADE 1980 a 2008

1990

1995

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006***

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TI

TOTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

16,4

29,8

27,5

25,3

24,1

22,1

18,2

16,6

16,4

12,0

171.647

65

353110 Mongaguá

33,8

23,4

20,1

22,2

8,0

31,1

32,5

21,8

14,2

0,0

149

66

350330 Araras

1,2

26,4

26,0

28,4

36,5

36,9

23,6

17,0

14,2

22,8

496

67

350210 Andradina

5,8

20,4

29,0

28,9

30,6

19,7

17,8

17,8

14,2

14,1

214

68

350750 Botucatu

8,0

19,4

19,4

17,3

11,6

13,1

17,2

10,1

14,2

7,4

289

69

354730 Santana de Parnaíba

6,1

7,6

12,1

16,6

11,0

13,9

5,5

7,3

14,1

7,7

127

70

352210 Itanhaém

6,9

17,6

19,5