Issuu on Google+

Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

1


2

Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

3


Carta do Editor

C

hega de notícia ruim. Nosso propósito nesta edição foi o de buscar dados (concretos, claro) que mostrassem que o cenário mudou ou que está mudando. E os números revelam que está mudando para melhor. O financiamento imobiliário, por exemplo, cresceu 3,5% em junho e acumula alta de quase 42% nos últimos doze meses. E o interessante é que pode crescer muito mais. Pesquisa feita pelo nosso articulista Ari Bruno Lorandi, mostra que o financiamento imobiliário representava quase 10% do PIB há 20 anos e hoje representa apenas 2,4%. E você sabe que o setor imobiliário leva os móveis na carona. Outro dado motivador é o que revela a pesquisa da FGV sobre o índice de confiança da indústria: o maior desde outubro de 2008. E a expectativa de alguns industriais é grande também em relação ao Salão Abimóvel. A feira, que substitui a Fenavem, não tem o volume de expositores que queriam seus organizadores, mas a expectativa é de que os varejistas, especialmente, os de São Paulo, aproveitem o momento para repor estoques. E falando em varejo, a notícia quente do mês e que chegou já no fechamento desta edição, é a saída de Saul Klein da Casas Bahia. A revista Exame informou que ele vendou sua parte na empresa ao irmão Michel pela bagatela de R$ 4 bilhões. Mas, nossos levantamentos preliminares mostram que o valor não seria superior a R$ 1,5 bilhão. O que muda na rede e se Michel contou com ajuda de bancos para fechar o negócio, é o que nossa equipe está apurando e você confere na programação da MVTV (www. mvtv.com.br) ou na próxima edição da revista. E a MVTV inova mais uma vez e estréia ainda em agosto o segundo curso de qualificação do varejo. Desta vez o foco está nas lojas de planejados, com o curso Venda de Planejados em Seis Passos. Outra novidade na Central da Excelência Moveleira é a parceria recém firmada com a Proinvest e que vai facilitar às empresas moveleiras o acesso a recursos financeiros. Mas esta edição tem muito mais. Leia e anime-se

Ano 8 Nº 89 – Agosto de 2009 Móveis de Valor é uma publicação mensal da Central da Excelência Moveleira Ltda.

REDAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO Rua Dep. Estefano Mikilita, 125 Centro Empresarial Paradiso, 3o andar CEP 81070-430 – Portão | Curitiba – PR – Brasil Fone/Fax (41) 3025-8829 www.moveisdevalor.com.br moveisdevalor@moveisdevalor.com.br DIRETORES Ari Bruno Lorandi aribruno@moveisdevalor.com.br Inalva Corsi inalvacorsi@moveisdevalor.com.br Sandro Rudnick sandro@moveisdevalor.com.br GERENTES REGIONAIS Paraná/Capital e Santa Catarina Fernando Raasch (41) 3025-8829 / 9654-0202 fernando@moveisdevalor.com.br São Paulo Sérgio Palma (11) 2673-0435 / 9231-2225 comercial@moveisdevalor.com.br Paraná/Interior Marcos Corsi (44) 9131-2097 marcos@moveisdevalor.com.br Minas Gerais e Espírito Santo Ricardo Saldanha (27) 8851-0321 ricardo@moveisdevalor.com.br ADMINISTRAÇÃO/FINANÇAS financeiro@moveisdevalor.com.br

Inalva Corsi | Publisher

NOSSA CAPA Mesa Flower e cadeiras Natura, da Artefama Fone: (47) 3631-1200 www.artefama.com.br

Criação capa: Rizzare Design e Comunicação www.rizzare.com.br

REDAÇÃO Denise Somera redacao@moveisdevalor.com.br Keila Marques jornalismo@moveisdevalor.com.br Maikel Kist (estagiária de comunicação) PROJETO GRÁFICO E DIREÇÃO DE ARTE Rizzare Design e Comunicação www.rizzare.com.br Diagramação Juliana Deslandes artefinal@moveisdevalor.com.br ASSINATURAS / CIRCULAÇÃO Lunara Santos 0800 600 8829 assina@moveisdevalor.com.br IMPRESSÃO: Gráfica Capital

4

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Divulgação

Sumário 04 CARTA DO EDITOR 08 CÁ ENTRE NÓS 10 CARTAS 12 LANÇAMENTOS E NOVIDADES 14 MAPA DA MINA 16 PELO MUNDO 18 PANORAMA DO VAREJO 26 LOJA DE VALOR

26

28 PLANETA DO VENDEDOR Lojas Cem é destaque no varejo com seu modo particular de fazer negócios

30 PERSONAGEM 40 FEIRAS NACIONAIS 48 CALENDÁRIO 52 DESIGN 58 POLO MOVELEIRO

Panorama do Varejo.......................18 Saul Klein vende sua parte na Casas Bahia ao irmão Michel pela bagatela de R$ 4 bilhões

64 OBSERVATÓRIO DA INDÚSTRIA 68 PANORAMA ELETRO 70 PANORAMA DA INDÚSTRIA 76 ARTIGO | ELOI ZANETTI

Economia......................................... 20

80 MENSAGEM FINAL

Financiamento habitacional acumula 41,8% de expansão em 12 meses e juros de empréstimo ao consumidor podem reduzir até seis vezes Divulgação/Duratex

Mercado...........................................24 Pesquisa da FGV revela que índice de confiança na indústria atingiu maior nível desde outubro

Personagem........................................30 A história de superação de Mário Gazin, que mesmo sem estudo construiu uma das maiores redes de varejo do país

Design................................................56 O design de serviço surge como solução num mercado cada vez mais voltado à experimentação

32

Sustentabilidade.................................62

Especial Cozinhas: De espaço de serviço a área para receber amigos, a cozinha não é mais a mesma

Divulgação/Casa Brasil

Além da destinação final de produtos, a logística reversa pode ser uma estratégia eficiente na indústria e no varejo

Negócios............................................74 Parceria entre Central da Excelência Moveleira e Proinvest vai facilitar às empresas moveleiras o acesso a recursos financeiros

46

Casa Brasil: Na segunda edição, feira supera expectativas de negócios

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

5


6

Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

7


APOIO:

Cá entre nós

CRISE. QUE CRISE?

Divulgação

Diretor de Marketing da

Central da Excelência Moveleira aribruno@moveisdevalor.com.br

De janeiro a junho desse ano, a marca Mercedes-Benz vendeu 2.435 automóveis no Brasil. Esse número representa um crescimento de mais de 45% em relação ao mesmo período do ano anterior (2008: 1.673 unidades). O número de transações feitas com cartão de crédito cresceu 116% nos últimos cinco anos. Média de 23,2%. A expansão mais significativa ocorreu no Centro Oeste, com taxa média anual de 27,5% no faturamento.

ARI BRUNO LORANDI

“O PRINCÍPIO CASAS BAHIA” BRASILEIRO TRABALHA MENOS A carga horária média de trabalho semanal caiu 10,7% entre os trabalhadores brasileiros desde a promulgação da Constituição Federal, em 1988, até 2007. Os dados foram divulgados pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O país como um todo registrou no período estudado (de 1988 a 2007) diminuição de 44,1 para 39,4 horas médias semanais de trabalho. O Estado que registrou a maior quantidade média de horas semanais foi São Paulo (41,9 horas), seguido por Santa Catarina (41,1 horas), Goiás (41 horas) e Distrito Federal (40,8 horas). O que registrou a menor jornada média de trabalho semanal em 2007 foi o Piauí (31,1 horas), seguido por Maranhão (35,1 horas), Acre (35,8 horas), Rondônia (36,6 horas) e Bahia (36,6 horas).

JUROS MENORES, MAS PODEM CAIR MAIS As taxas de juros cobradas nas operações de crédito caíram em junho, segundo o Banco Central. A taxa geral (pessoas físicas e jurídicas) chegou a 36,7% ao ano, o menor patamar desde dezembro de 2007. Houve redução de 6,6 pontos percentuais no primeiro semestre. Mas ainda há bastante espaço para mais redução, na avaliação do chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, pois as reduções da taxa básica, a Selic, ainda não se refletiram na intensidade total. Neste ano, a Selic teve queda de 5 pontos percentuais e atualmente está em 8,75% ao ano. Segundo Lopes, as instituições financeiras (pra não variar) tiveram redução do custo de captação dos recursos, mas elevaram o spread (diferença entre a taxa de captação e a cobrada dos clientes nos empréstimos). 8

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Recentemente vi num blog um comentário interessante sobre o “Princípio da Casas Bahia”: As pessoas preferem ter despesas incrementais infinitas do que despesas grandes únicas. A consequência óbvia é que, quando pensam no parcelamento, as pessoas acabam por pagar muito mais do que o valor do bem que estão comprando. Com empresas é a mesma coisa: preferem fazer investimentos recorrentes para consertar sistemas que simplesmente não funcionam do que gastar uma quantia maior em um sistema novo. As pessoas preferem ganhar um salário menor no emprego que estão acostumadas do que tentar a sorte em um novo emprego que pague muito mais.

LEIA COM ATENÇÃO “O que foi feito do mundo do varejo que levou a tais resultados terríveis? Maior, mais rápido, mais ousado, mais barato, simplesmente extrapolou na maioria das coisas – exceto uma – o atendimento que resulta no cliente acreditar que tem valor. Quando entro na maioria das lojas, eu me sinto como um número. Eu me sinto como se estivesse numa fila sem propósito algum. Meu dinheiro e minha preferência são fluxos, não têm valor individual. Esta atitude em relação aos clientes é uma falta total de gestão e não tem nada a ver com vendedores ou gerentes. Você não precisa realmente de mais clientes na sua loja. Você precisa cuidar dos que já tem. Livre-se das desculpas, comece a se relacionar com tantos clientes quanto forem possíveis e assista às suas vendas crescerem. Francamente, a Internet é mais legal comigo do que a maioria das lojas. Eles me enviam cartões de agradecimento”. Quem escreveu isso foi Harry J. Friedman, um aclamado consultor internacional especializado em vendas e gestão no Varejo.


BRASIL TEM MENOS POBRE

MÓVEL É O VILÃO DO CONSUMIDOR?

Em março de 2002, a taxa dos considerados pobres era de 42,5%, e neste ano a taxa baixou para 31,1%, segundo o Ipea. Significa que 4 milhões de pessoas deixaram a linha de pobreza entre 2002 e 2009. Ipea constatou que a crise não afetou a pobreza comparando a média nos períodos de outubro de 2007 a junho de 2008 e de outubro de 2008 a junho de 2009. Na primeira fase, a taxa de pobreza era de 31,9%. Já no período mais recente, o índice recuou para 31%, mesmo tendo sido esta a fase mais aguda da crise financeira internacional, quando houve forte corte nos níveis de emprego no Brasil. Neste período, o estudo mostra que 503 mil pessoas deixaram a pobreza.

Quando se olha para o aumento de preços do mobiliário no primeiro semestre deste ano, segundo a pesquisa do IBGE (IPCA), pode se tirar várias conclusões. Para rememorar: mobiliário subiu 6%. No mesmo período os preços médios dos eletrodomésticos caíram 2,7%, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), puxados pelo segmento de som que despencou 7,5%. Uma das leituras que podemos fazer é a seguinte: os preços dos eletros caíram em abril por conta da redução de IPI e, portanto, isso explica a queda média de 2,7% no semestre. Mas o comportamento do mobiliário reflete também uma certa orientação do varejo para a venda de eletros, movida por promoções e alavancadas pela redução do IPI. Mobiliário ficou em segundo plano e como o foco era a linha branca, não havia razões para promover móveis. Partindo deste raciocínio, justifica-se a atitude do varejo e revela que há margens para boas promoções a partir de agora. Como vemos na nota abaixo, parece que a demanda da linha branca chegou ao fim. Então, mobiliário deve bombar nos últimos meses do ano, pelo menos enquanto a indústria tiver condições de aumentar a produção. Continuamos acreditando que para recuperar as vendas históricas de móveis, a demanda vai ficar acima da oferta. Quem viver verá.

MUITO MAIS CASAS NOVAS

HABITAÇÃO - CRÉDITO X PIB

O financiamento imobiliário caiu DATA % 74,4% nos últimos 20 anos quanJun/89 9,4 do comparado ao PIB. Em junho de Jun/99 5,1 1989 os recursos disponíveis pelo Mai/09 2,4 sistema financeiro da habitação representavam 9,4% do PIB. Dez anos depois já havia baixado para 5,1% e em maio deste ano a representatividade era de apenas 2,4% do Produto Interno Bruto. Já imaginaram quantas casas a mais teríamos hoje para mobiliar se o ritmo de financiamento tivesse se mantido nos 9,4% do PIB?

INDÚSTRIA AUMENTA PRODUÇÃO

ESGOTAMENTO DOS ELETROS

Os índices da produção industrial para o mês de junho confirmam a sustentação do ritmo da atividade fabril. No confronto com o mês anterior, descontados os efeitos sazonais, a variação foi de 0,2%, sexto acréscimo consecutivo ao longo de 2009, que acumula alta de 7,9%. Com esse desempenho, ainda na série ajustada sazonalmente, o segundo trimestre de 2009 registrou crescimento de 3,4% sobre o primeiro, revertendo a sequência de dois trimestres seguidos de taxas negativas. O índice do setor de móveis registra de janeiro a junho um aumento na produção da ordem de 8,5% e de 4,1% no segundo trimestre. Mas acumula redução de 10,31% na produção quando comparado o período de 12 meses. A indústria de móveis fechou o 2º trimestre com 65% de utilização da capacidade instalada, contra 70% registrados no 2º trimestre de 2008.

Um dos segmentos responsáveis pelo crescimento positivo da atividade comercial em julho foi o de Móveis, Eletroeletrônicos e Informática, o qual registrou elevação de 1,2% no mês passado. A melhora da confiança dos consumidores e das condições de crédito vêm mantendo no território positivo a evolução do movimento varejista deste segmento. Contudo, este avanço de 1,2% registrado em julho foi o menor dos últimos três meses, podendo sinalizar esgotamento dos estímulos positivos sobre a linha branca, o que para nós não é novidade. Já afirmamos anteriormente que a queda do IPI serviu apenas para antecipação de compras e que, independente da prorrogação, satisfeita a demanda, o consumidor vai voltar-se a outros bens duráveis, principalmente móveis, que está com 34% das intenções de compras dos paulistanos, por exemplo.

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

9


Cartas VENDA DE PLANEJADOS Gostaria de ter mais informações sobre como deverá ser feita a inscrição para o curso Venda de Planejados. De que forma deve ser feito o pagamento? E para quando está previsto o início do curso? Aline Pappis | Originally Móveis, de Erechim (RS) Aline, o curso para pessoas que trabalham em lojas de móveis planejados tem um ambiente na internet: http://moveisdevalor.com.br/ site_planejados. Neste endereço estão todas as informações sobre conteúdo e forma de pagamento (boleto, cartão de crédito, etc). A data prevista para começar é 26 de agosto e o prazo para as inscrições se encerra no dia 20.

CURSO SUPERGERENTE A aula sobre motivação do curso SuperGerente foi um sucesso, adorei. A cada aula que passa aumenta minha motivação pessoal e profissional. Vejo quanta coisa boa tem neste curso e quantas pessoas estão perdendo esta oportunidade. O material complementar é muito bom, de fácil entendimento, com muitas informações sobre nosso cotidiano e os e-mails enviados, logo são respondidos. Parabéns pelo seu trabalho Fernanda Castro e muito obrigada por esclarecer minhas dúvidas. Adriana Feltrin | Postado em 14/07/09 - 10:11:47 PM

MÓVEIS DE VALOR DIGITAL Aos amigos Ari Bruno e Inalva parabéns pelo brilhante lançamento da revista Móveis de Valor em formato digital. Seguramente um sucesso como todas as iniciativas desta equipe. Ficamos felizes também com o retorno da Inalva ao comando editorial da revista e agradecemos a divulgação do projeto do senador Adelmir Alcântara, que trata da redução de preço para as compras com cheque ou dinheiro. Paulo César Nauiack | pcnauiack@corepr.org.br

MENSAGEM FINAL Vera Lúcia, leio sempre os seus artigos e gosto muito. Como diretor da Associação de Lojistas e Representantes de Móveis (Alormov – MG) tenho um espaço no nosso informativo chamado reflexões. Você nos abrilhanta com sábias lições de vida e ainda nos alegra com histórias muito engraçadas. Essa última do professor que para encurtar caminho passava dentro do cemitério está ótima. Crescer não é fácil, mas um bom solavanco sempre ajuda. Laudemiro Gomes de Sá | springre@terra.com.br

CARTAS DEVEM SER ENVIADAS PARA R. Dep. Estefano Mikilita, 125, 3o andar CEP 81070-430, Curitiba-Paraná Fax: (41) 3025-8829 editordevalor@moveisdevalor.com.br

CURSO SUPERGERENTE II É com enorme satisfação que venho fazer um comentário a respeito do SuperGerente. Visitei a empresa Cantagalense, em Cantagalo (RJ), cliente da Colibri Móveis, e o proprietário Jumar e sua gerente Letícia elogiaram muito o curso, além de todos os responsáveis. Eles têm feito um aproveitamento enorme, explorando todo o conteúdo e foram direto ao foco principal em todos os itens. Por onde passo, divulgo o curso, pois sei muito bem da qualidade e do potencial de aproveitamento. Fico muito feliz em saber que todos que indiquei estão aproveitando bastante e, principalmente, se aperfeiçoando. Seria muito bom se todas as empresas tivessem acesso ao curso, mais sei que vamos chegar lá. Meu agradecimento à empresa Cantagalense pelo carinho e interesse pelo curso e a Colibri Móveis que nos convidou e pediu nossa atenção ao curso, pois sabem muito bem da seriedade e competência de seus realizadores. Vanessa Fragoso de O. Stele | Postado em 22/07/09 - 11:43:04 AM

CURSO SUPERGERENTE III Olá Ari. Motivação! Um dos tópicos mais importantes de todas as aulas até agora. Pior do que não motivar é desmotivar. Um gerente, líder, que não souber motivar pessoas está fadado ao fracasso. Parabéns pelas colocações precisas sobre o tema motivação. Everson Pereira | Postado em: 15/07/09 - 08:15:38 PM

10

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

11


Lançamentos e Novidades

Divulgação/Colibri

Divulgação/Imobal

Divulgação/Avelan Móveis

A Colibri Móveis, de Arapongas (PR), já apresenta a coleção 2010 produzida com tecnologia exclusiva, o acabamento I.T.S.NOZ®. O destaque está no rack Bancada Vega, disponível em novos padrões de revestimentos em BP, o carvalho negro (na foto) e o amêndoa em combinação com o padrão de laca brilhante em preto ou branco neve, outra novidade da Colibri. “O êxito da bancada Vega está na inovação do novo acabamento, no alto valor percebido e preço atraente”, afirma o gerente de marketing da empresa, Gustavo Aquino. www.colibrimoveis.com.br | (43) 3275-8600

Em sintonia com as tendências internacionais do mobiliário, a Imobal, de São Miguel do Oeste (SC), lança os padrões branco, cinza e preto com acabamento em brilho, um novo diferencial da empresa. “Tudo isso aliado a um design contemporâneo e com impressão de folhas na cor prata no acabamento”, enfatiza a diretora da empresa Milena Baldissera. Na foto está a linha Cozinha Cimbalo Preta produzida em MDF de 15 mm, com revestimento de fórmica e bordas ABS de 2 mm nas laterais. Outra novidade é a linha de acessórios avulsos, como o painel Tamburato em vários padrões e o puxador de alumínio Gola. www.imobal.com.br | (49) 3622.6466

Divulgação/Ronconi

Entre os lançamentos da marca Veneza, linha fabricada pela Ronconi, de Curitiba (PR), está em destaque o Sofá Pietro. O modelo de três lugares é constituído de 2,14 metros de comprimento, 0,96 centímetros de profundidade e 0,85 centímetros de altura. O estofado é produzido com espuma selada, com camadas diferenciadas de densidade, e molejo de cintas elásticas italianas, altamente resistentes e firmemente presas a estrutura. Segundo Josiane Lima, do departamento de marketing da empresa, o estofado será lançado no Salão Abimóvel, em São Paulo (SP). “Qualidade, beleza, conforto e estilo andam juntos nessa linha”, afirma Josiane. www.ronconi.com.br | (41) 2169-6633 12

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Com aposta na tendência de acabamento no preto, a Avelan Móveis lança o home Apolo, com as seguintes combinações de cores: tabaco com maple, branco com preto, chocolate com preto e maple com branco. O home é fabricado em MDP e MDF, com painéis de 15 e 25 milímetros e pintura em UV com alto brilho. “É um produto de excelente qualidade, com design inovador e combinação de cores modernas, além de toque refinado no acabamento”, ressalta o gerente administrativo da empresa, Willame Souza. www.avelanmoveis.com.br | (79) 3411-1217


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

13


MUDANÇAS PARA O FUTURO “Vivemos a era das mesmices em que o resultado são estratégias convergentes”. É com esta observação que a executiva Beth Furtado, sócia da consultoria de Marketing ALIA e colunista do Mundo do Marketing, analisa o modo como as empresas lidam com o futuro. Na opinião dela as empresas falham porque se ancoram no passado, restringem-se à dinâmica de seu setor e desconsideram que vivemos a era das mudanças descontínuas e abruptas. “São fileiras de players pesquisando as mesmas fontes, freqüentando os mesmos eventos, monitorando os mesmos concorrentes, disputando o mesmo dinheiro, concluindo as mesmas reflexões e, em conseqüência, agindo exatamente da mesma forma, com variações cosméticas”, enfatiza Beth. Ela adverte que o rompimento com o conforto da realidade conhecida é o caminho para ganhar novos dinheiros. “É preciso criar rupturas, estimular o pensamento não linear, criar e possibilitar experiências em vez de análises, curiosidade em vez de certezas, exploração em vez de limites, inventividade, emoção e sensibilidade”.

PARA VENDER MAIS

Como atingir metas de vendas, mas sem espantar o consumidor da loja? A consultora do Instituto Tecnológico de Negócios, Soeli de Oliveira, afirma que a excelência do atendimento não significa que vendedores devem grudar nos clientes, tirando-lhes a liberdade. “A comunicação torna-se mais eficiente e eficaz quando utilizamos os cinco sentidos (visão, audição, tato, olfato e gustação). É preciso levar os clientes a querer explorar os produtos e suas funcionalidades. Nada convence tão rápido o cliente das vantagens e benefícios de uma proposta como a sua experimentação”. A consultora ressalta que vivemos a era dos clientes informados e exigentes, que buscam mais do que satisfazer suas necessidades e desejos. “Eles querem ser tratados como únicos e merecem, porque embora nem sempre tendo razão, são a razão de ser de qualquer negócio”, lembra. 14

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

APOIO:

Mapa da Mina

COMO RESOLVI A Lojas Colombo lançou em julho uma novidade que vai aprimorar o atendimento ao consumidor das lojas Premium da rede, o Help Colombo. Os serviços Personal Installer, Personal Expert e Personal Delivery já estão disponíveis em duas lojas Colombo Premium de Porto Alegre (RS) e devem ser levados às demais lojas Premium de grandes shoppings nos estados de Santa Catarina, Paraná e São Paulo. O gerente regional da Lojas Colombo, Alexandre Salazar (foto abaixo)conta com mais detalhes como funciona esta prestação de serviço. O conceito de loja Premium é oferecer atendimento como solução para as necessidades do consumidor. Os consultores dessas lojas identificaram necessidades e embasaram uma pesquisa de abordagem ao cliente para saber quais são os três serviços considerados mais importantes. A entrega com horário marcado ganhou disparada. Em seguida aparece o atendimento vip, com um profissional especializado que apresente o produto mais indicado. E, por último, os clientes gostariam de receber orientação durante a instalação do produto, principalmente com linhas de áudio, vídeo e informática.

“A partir do resultado da pesquisa criamos o Help Colombo, composto por três serviços. O Personal Installer é um atendimento na casa do cliente com horário marcado para instalar produtos como televisores e home-theaters, além de programas e softwares para computadores. Já o Personal Expert é uma consultoria gratuita em que o consumidor expõe suas necessidades e disponibilidade financeira para investir seu dinheiro adequadamente. O atendimento na loja é agendado previamente e está disponível diariamente entre 11h e 17h. E oferecemos também o Personal Delivery, serviço de entrega com data e hora marcada, por Divulgação meio do agendamento com 24 horas de antecedência e entregas entre 9h e 19h. O Help Colombo está funcionando muito bem e a previsão é que seja expandido para as demais lojas neste semestre. Futuramente vamos aumentar a gama de prestação de serviços. Alguns clientes querem atendimento em casa, outros, a indicação de produtos de acordo com o ambiente da casa”.


APOSTA NO EMAIL MARKETING Apesar da disseminação das redes sociais da internet, o email continua sendo o mais utilizado para troca de informações, envio de newsletters e, principalmente, para a comunicação corporativa. O artigo ‘Aperfeiçoando o e-mail marketing’, do superintendente de marketing da Fundação Getulio Vargas (FGV), Marcos Facó, mostra que, segundo a Associação norteamericana MailerMailer, o e-mail possui o maior ROI (sigla em inglês para retorno sobre investimento) entre todos os métodos de marketing direto. Um relatório recente da Associação mostrou que o ROI médio em e-mail marketing é de US$ 45,06 para cada dólar investido, mais que o dobro do valor obtido com marketing na internet, que é de US$ 19,94. Outras informações do relatório são: 74,5% das aberturas de e-mail ocorrem em 24 horas e 84,3% nas primeiras 48 horas; segunda-feira tem a maior taxa de abertura e cliques; e-mails com menos de 35 caracteres no subject são mais abertos do que e-mails com texto do assunto maiores.

DESIGN É DIFERENCIAL COMPETITIVO NO PDV

A aparência de um ponto-de-venda pode resultar em compra e, por isso, o varejo investe cada vez mais em design para que tudo fique mais bonito aos olhos do consumidor. Tudo vale para influenciar a decisão de compra e nada melhor que um produto bem exposto, com recursos tecnológicos e criatividade para gerar vendas. Apesar de estudos feitos para entender e perceber a lógica que motiva o consumo, cada pessoa absorve e reage de acordo com suas emoções e a história contada pela marca dentro e fora do ponto-de-venda. No primeiro momento, um ambiente bem decorado atrai o consumidor para a loja. Além disso, o serviço oferecido pela loja também faz parte do pacote para encantar o consumidor, fazendo com que ele queira levar para casa um “pedaço” do ponto-de-venda – ou da marca – para casa.

POR QUE AS PESSOAS USAM O TWITTER? Um estudo realizado pela TNS e pelo Conference Board nos Estados Unidos indica que 41,6% dos internautas que usam o Twitter o fazem para manter contato com amigos. Além disso, 29,1% usam para atualizar seu status, 25,8% para encontrar notícias e estar atualizado, 21,7% por razões profissionais e 9,4% para pesquisas. Tanto homens quanto mulheres usam o Twitter principalmente para manter contato com amigos. No caso dos homens, acompanhar as notícias foi o segundo item mais citado, enquanto entre as mulheres a atualização do status ocupou o segundo posto. O usuário médio do Twitter usa a ferramenta para interagir com amigos e familiares e, em seguida, com pessoas e marcas famosas. O consultor Cláudio Torres mostra seis dicas para que o usuário aproveite melhor a rede mais comentada atualmente: o Twitter. 1 - Identifique-se pelo seu Twitter nas mídias sociais, não por seu e-mail ou url. 2 - Faça com que o conteúdo do blog, títulos de textos e newsletters, de sua empresa gere “tuits”: Seu site vai receber mais visitas. 3 - Use a busca do Twitter para pesquisas on-line: Permite que você acompanhe o que estão falando de sua empresa e de seus concorrentes, além de poder acompanhar novas ações de marketing. 4 - Utilize seu Twitter para fazer promoções on-line criativas e atrair mais seguidores 5 - Utilize o Twitter para iniciar campanhas virais: Sua rede de seguidores no Twitter é o meio mais fácil e ágil de iniciar suas campanhas de marketing viral. 6 - Use e abuse dos Tags (nomes começados com #): Eles servem para facilitar a busca de informações no Twitter.

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

15


APOIO:

Pelo Mundo

CONSUMO NA ESPANHA ESTANTE “JAMES BOND” Há um público sedento por mobiliários divertidos, que remetam ao seu passado e que tenham ótimas referências artísticas, culturais e por que não, de cinema. As quatro designers do estúdio Front criaram para a italiana Skitsh os armários “Bookshelf Collection”, cujo revestimento é feito de uma adesivagem especial com imagens de livros, imitando uma prateleira. Segundo as criadoras, a idéia é fazer um mobiliário que em primeiro momento, iluda os expectadores, como se os armários escondessem objetos por trás da prateleira. Criativo e diferente. www. skitsch.it

Prudência e contenção. Estas são as palavras que melhor definem a atitude dos consumidores espanhóis a médio e curto prazo. Desta maneira, a Associação Espanhola de Fabricantes de Móveis de Cozinha (AMC) faz previsões para a volta do consumo dos produtos, prevendo que em 2010 os fabricantes podem atingir a marca de 578.000 unidades. Para chegar a este número, a AMC encomendou uma pesquisa, entrevistando 2000 consumidores e perguntando sobre a intenção de mudar os móveis da cozinha nos próximos cinco anos. Entre as perguntas, também foi analisada a possibilidade de compra de casas, o que resultou numa demanda de 246.000 unidades para 2010.

FAROESTE AMERICANO COM DESIGN O estúdio de design Fresh West tem criado objetos que desafiam e instigam a curiosidade de quem os vê pela primeira vez, como é o caso da luminária ajustável “Brave News World Lamp” (foto), inspirada nos fortes de faroeste feitos de bambu. Com suas engrenagens milimetricamente ajustadas, assim como seus encaixes perfeitos, lembra as construções pré-metal e concreto, em que o uso da madeira privilegiava o encaixe. Na mesma linha da luminária, os designers criaram uma mesa de centro, “Brave News World Table”, surpreendendo quem a vê. www.freshwest.co.uk

ELETRODOMÉSTICOS ENGAJADOS A loja online da americana Kitchen Aid tem uma linha exclusiva com renda destinada à entidade “Susan G. Komer for Cure”, que desde 1982 luta contra o câncer de mama. São batedeiras, processadores de alimentos, liquidificadores, tostadeiras, além de acessórios para cozinha na temática da instituição (em tons de rosa). Parte dos valores dos produtos é doada à instituição, que atua na Alemanha, Itália e em Porto Rico, além da matriz americana. Segundo a Kitchen Aid, mais de US$ 1 milhão de dólares foi destinado à “Susan G. Komer for Cure” em 2008 como parte da venda dos produtos especiais. www. shopkitchenaid.com

16

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

O BREXÓ DO DESIGN Os móveis antigos são jogados no lixo, certo? Errado! Uma loja da Inglaterra faz o impossível: reúne inúmeras peças de designers renomados e no estilo “vintage retrô” e as revende, aos inúmeros interessados que sempre estão em busca de algo diferente para compor a decoração de casa. São mesas, cadeiras, sofás, armários e luminárias, todas antigas e cheias de estilo. Além da loja física em Londres, eles possuem uma loja online, com fotos de todos os produtos ofertados. www.retrotrading.co.uk


CRIATIVO E DIFERENTE OPORTUNIDADES NA CHINA Entre os dias 9 e 12 de setembro os principais fabricantes mundiais de móveis expõem os últimos lançamentos na 15º Furniture China, no Shanghai New Internacional Expo, em Shangai. A feira é considerada uma das três maiores do segmento no mundo. Este ano, Itália, França, Estados Unidos, Alemanha, Tailândia e Vietnã estão entre os países que já confirmaram participação. No espaço de 400 mil metros quadrados da 15º Furniture China esperam-se 2,3 mil expositores internacionais, além de 56 mil visitantes estrangeiros. Em 2008, a China importou o equivalente a US$ 1,22 bilhão em produtos desse segmento, 10,7% a mais em relação ao ano anterior. A meta dos fabricantes brasileiros é aumentar em 10% a participação no comércio internacional em 2009, segundo a Abimóvel – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário. Mas a expectativa de vender para a China não é das maiores.

EXPORTAÇÃO EM QUEDA NA ALEMANHA Segundo dados publicados pelo Instituto de Estatísticas da Alemanha nos quatro primeiros meses deste ano a exportação de móveis no país registrou uma queda de 13,5%, comparando com o mesmo período do ano passado. As maiores quedas estão entre as cadeiras e poltronas (-20,6%) e móveis para escritório (-16,15%).

CADEIRA DE TRÊS PERNAS Inspirado naquele banquinho de ordenhar vacas, o designer Walter Papst desenhou uma cadeira de três pernas, que foi reeditada no ano passado e virou objeto de desejo dos que seguem as tendências do design. Desenhada originalmente em 1955 em tamanhos infantis, a nova reedição ganhou também a versão “adulto”, obedecendo as questões ergonométricas.

Produtos úteis e inusitados. Esta é a marca de Gabriella Douglas, designer americana que inova utensílios da casa e traz novidades como o cabide para meias (foto) e a lancheira utilitária, que além de levar os alimentos em seu interior, também serve de banco. Com criatividade e bom gosto, ela apresenta mais das suas criações em seu site na internet. www. gabrielladouglas.com

FORMATOS INUSITADOS Criados pelo designer Richard Ward, os sofás da Wawa são feitos sob encomenda e à mão. Com uma pequena loja no Columbia Road Flower Market em Londres, os desenhos são criativos, diferentes e saem, de fato, do usual. O segredo do “designer artesão” é aliar as ferramentas modernas à qualidade de materiais tradicionais. Os tecidos são contemporâneos e podem ser escolhidos ao gosto do freguês, na própria loja. www. wawa.co.uk

ÁFRICA QUER EVITAR EXPORTAÇÃO DE MADEIRA BRUTA Luanda, na África, foi sede da Feira Internacional Mobiliário, Decoração e Texteis, realizada entre os dias 30 de julho e 02 de agosto. Com a participação de 120 empresas nacionais e estrangeiras, o grande objetivo do evento foi atrair investimentos direitos para a indústria madeireira no país e assim, evitar a exportação de madeira bruta. Realizada numa área de 12 mil metros quadrados no recinto da Feira Internacional de Luanda (Filda), o evento teve a participação de empresas angolanas, espanholas, portuguesas e italianas, e o tema “Casa, Hotel, Restaurante e Decorações”.

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

17


APOIO:

Panorama do Varejo

MOTIVAÇÃO NO MERCADO A compra da Dudony pelo Grupo Silvio Santos em junho deste ano motivou o setor moveleiro para o aquecimento do mercado. Empresários do setor estavam contando com essa aquisição para manter empregos e aumentar vendas. “A entrada do Baú Crediário vai manter os pontos de venda da antiga Dudony e os empregos dos funcionários”, conta o presidente do Simov, Aurélio Sant´Anna. Já o presidente da Super Espuma do Brasil, Walter Almeida de Oliveira, prevê aumento de cerca de 20% das vagas de trabalho em sua empresa. “Estávamos com projeção de demissões e passamos a ver a situação de maneira diferente. O Baú Crediário vai alavancar nossas vendas e sobrará uma fatia maior do mercado”. O diretor executivo da Simbal, Osmar Milani (foto) já está vendendo. “Os pedidos de compra pelo Baú Crediário estão prontos e estamos otimistas no meio de um mercado recessivo. As vendas serão aquecidas”, diz Milani.

PREÇO DIFERENCIADO NO CARTÃO A Câmara dos Deputados derrubou a medida que permitia ao comerciante cobrar preços mais altos nas compras com cartão de crédito em relação aos pagamentos com dinheiro ou cheque. O objetivo do projeto é beneficiar os consumidores com descontos nas compras em dinheiro. No entanto, entidades de defesa do consumidor protestam contra a medida e afirmam que o comerciante iria cobrar acréscimo nas compras pagas com cartão, em vez de dar desconto nas compras à vista.

SAUL DEIXA CASAS BAHIA A mais importante mudança de estrutura societária na Casas Bahia aconteceu no início deste mês com a saída de Saul Klein, filho do fundador Samuel e irmão mais novo de Michael Klein, presidente da empresa. Com isso, um terço das ações da companhia passou a pertencer a Michel Klein. Segundo informações da revista Exame, estima-se que a parte de Saul valeria cerca de 4 bilhões de reais. O empresário era responsável pela área comercial das Casas Bahia e considerado um grande negociador. O principal motivo para sua saída teria sido a série de desentendimentos com o irmão sobre a condução dos negócios e também a decisão do pai de entregar o comando da empresa a Michael. A saída de Saul ocorre em um momento de menor dependência dos fornecedores em relação à Casas Bahia, devido ao fortalecimento de um forte concorrente, o Ponto Frio. 18

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

PONTO FRIO VAI INDENIZAR CLIENTE O Ponto Frio terá que indenizar uma cliente em R$ 10 mil por não repassar o valor correto dos presentes da sua lista de casamento. A cliente afirma que a loja demorou a entregar os vale-presentes relativos aos itens comprados da sua lista de casamento e ainda repassou valor menor ao efetivo crédito. Além da indenização, a empresa terá que pagar R$ 1.434,80 referentes à quantia não repassada para a consumidora.

RANKING DE VAREJISTAS A redes varejistas Pão de Açúcar, Casas Bahia, Ponto Frio, Insinuante, Lojas Cem, Lojas Colombo, Lojas Salfer e Lojas Koerich entraram para o ranking das companhias que juntas faturaram 846 bilhões de dólares em 2008. Essas redes entraram no ranking das 500 maiores empresas em número de vendas publicado na edição de julho da revista Exame. A Casas Bahia que ocupava a 17ª posição no ranking divulgado em 2008 passou para o 24º lugar e o Ponto frio despencou da 80ª posição para 91ª.

Divulgação/Elektra

ELEKTRA É DENUNCIADA POR AMEAÇAS A rede mexicana Elektra, com sede brasileira em Recife (PE), é acusada por cinco clientes de invadir suas casas para cobrar pagamentos atrasados. De acordo com o boletim de ocorrência registrado pelos clientes, entre os dias 16 e 20 de julho um grupo de três homens hispânicos e uma mulher, vestidos de preto, invadiram a casa dessas pessoas ameaçando, gritando, xingando e pedindo dinheiro ou o aparelho comprado. Os clientes atrasaram por mais de três semanas o pagamento de prestações de eletrodomésticos financiados pelo Banco Azteca, que, assim como a Elektra, faz parte do grupo mexicano Salinas, com foco no público de baixa renda.


JORNAL ONLINE NO VAREJO

BOA IDEIA

Um informativo eletrônico disparado mensalmente para uma base de mais de 500 mil clientes cadastrados é a nova ferramenta de marketing direto lançada pela Lojas Colombo. Os internautas ganham mais facilidade para conferir as novidades oferecidas pela rede varejista, com acesso a detalhes dos produtos, preços e valores das parcelas. Outra novidade está na impressão do tablóide em folha ecologicamente correta, disponível nas lojas da rede.

O Armazém Paraíba comemorou 51 anos em 20 de julho com festa de aniversário em todas as filiais, espalhadas nos estados do Piauí, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Bahia e Tocantins. Os clientes foram recebidos com apresentações culturais, promoções e ofertas. Além disso, a rede preparou uma promoção de raspadinhas para distribuir mais de 50 mil prêmios. Os clientes concorrem a carros, motos, computadores, bicicletas, televisores, fogões e geladeiras.

ESTÍMULO AO VAREJO POPULAR A Caixa Econômica Federal fechou convênio com a rede de lojas Top Móveis, de Fortaleza (CE), para operar com o Crediário CAIXA Fácil. A nova linha de financiamento é voltada às classes C e D para a aquisição de eletrodomésticos, eletrônico, móveis, TV e vídeo e material de construção. O valor máximo do crédito é de R$ 10 mil, com prazo de até 24 meses para pagar. A linha de crédito é aberta pelos funcionários da Top Móveis a partir de um sistema próprio da Caixa instalado nas lojas, o vendedor faz o cadastro do cliente e o sistema o analisa em segundos. A Top Móveis é a terceira rede varejista do País a trabalhar com essa linha de crédito e a primeira no Estado do Ceará.

MÓVEIS NA INTERNET A rede varejista norteamericana de supermercados Wal-Mart se tornou a maior vendedora de móveis do comércio eletrônico brasileiro, com mais de 2.500 produtos disponíveis. A comercialização de móveis faz parte da expansão do comércio eletrônico da rede, que hoje conta com 15 categorias. “Antecipamos em dois anos o plano de negócios originalmente aprovado devido aos bons resultados: em maio tivemos que rever o plano de vendas pela terceira vez”, afirma o diretor de e-commerce da rede, Flávio Dias. Outra novidade está no frete grátis para pedidos a partir de R$299, na região Sudeste.

Divulgação

E-MAIL MARKETING PARA VENDAS As Lojas Obino, rede com 72 lojas distribuídas em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, está apostando no e-mail marketing para divulgação da abertura de novas unidades. A rede varejista fez um trabalho de segmentação no mailing para anunciar produtos de acordo com o público abordado. Mais de 90 mil pessoas foram atingidas pela ação, gerando um ROI de 10% a 12% nas vendas.

PERNAMBUCANAS FECHA LOJA ONLINE A rede de varejo Pernambucanas encerrou as operações do site de comércio eletrônico no dia 31 de julho. Desde o início do mês o antigo site não estava mais no ar e as listas de casamentos foram transferidas para as lojas físicas. A mudança gerou diversas reclamações de noivos registradas no site ‘Reclame Aqui’. Com o fim das operações online, a Pernambucanas vai na direção contrária da maior parte dos varejistas que entraram recentemente no mundo virtual, como a Casas Bahia, ou que se preparam para estrear suas lojas online, como o Carrefour.

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

19


Economia

Ano do crédito imobiliário Por Keila Marques, de Curitiba (PR)

Crédito para habitação supera o saldo de operações de financiamento no Brasil no primeiro semestre deste ano

O financiamento habitacional aumentou para 3,5% em junho, enquanto o saldo de todas as operações de crédito registrou 1,3%

20

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Entre as principais modalidades destinadas à pessoas físicas, o financiamento habitacional manteve expansão acelerada no primeiro semestre do ano e atingiu saldo maior que o estoque total das operações de crédito do sistema financeiro. Segundo nota divulgada à imprensa em julho pelo Banco Central (BC), o financiamento habitacional registrou aumento de 3,5% em junho e de 41,8% em 12 meses. Já o saldo de todas as operações de crédito do sistema financeiro registrou elevações de 1,3% no mês e de 19,7% em doze meses – valor total de R$1.278 bilhões. O aumento está relacionado às significativas reduções de taxas de juros, além de ampliação de prazos e elevação de limites operacionais, explica o BC. Segundo o economista-chefe da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Marcel Solimeo, o aumento do crédito imobiliário foi favorecido por diversos fatores: a expansão do crédito em geral ocorrida nos últimos dois anos, que com a queda da taxa de juros viabilizou prazos mais longos de financiamentos e a melhora da renda dos consumidores, que aumentou a procura por habitação. “Além da atuação do governo no direcionamento do crédito para este setor, por meio da Caixa Econômica Federal, incentivou outros bancos a agir neste sentido”, afirma Solimeo,

Divulgação\ACSP

Marcel Solimeo, da ACSP: “Atuação do governo por meio da Caixa incentiva outros bancos”

que enfatiza o crescimento expressivo em 2009. “Só neste ano o crédito para habitação cresceu 17,1%. Esta combinação de fatores, impulsionada pelo lançamento do programa Minha Casa, Minha Vida, deve estimular ainda mais o crédito, principalmente para as classes de baixa renda”. As operações de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal (CEF) cresceram 75% no primeiro semestre de 2009, em relação ao mesmo período do ano passado, um acúmulo de R$ 17,5 bilhões. Segundo informações da Agência Estado, o programa Minha Casa, Minha Vida é responsável por cerca de R$1,5 bilhão das contratações, sendo metade para financiamento à produção e metade para pessoas físicas. O vice-presidente de governo da CEF, Jorge Hereda, afirmou que o primeiro semestre de 2009 foi o melhor em toda a história da Caixa em crédito imobiliário e, se o desempenho for repetido no segundo semestre, a meta de conceder R$ 30 bilhões até o final de 2009 deve ser superada.

Inadimplência Mas, nem tudo ainda são flores na economia. A inadimplência atingiu 5,7% em junho, um aumento de 0,2 pontos percentuais no mês e de 1,7 pontos percentuais em doze meses, considerados os atrasos superiores a 90 dias. Nos empréstimos para pessoas


físicas a inadimplência alcançou 8,6% e revelou estabilidade em relação a maio, já para pessoas jurídicas atingiu 3,4%, com elevação mensal de 0,2 pontos percentuais. Segundo informações do BC, este aumento ainda reflete a escassez de crédito provocada pela crise global. O economista-chefe da ACSP explica que a inadimplência aumentou depois que os bancos se tornaram mais rigorosos para conceder crédito, em outubro de 2008. “O aumento na taxa de desemprego também colaborou, mas como agora está relativamente estável o risco de inadimplência é bem menor”, afirma Solimeo. No entanto, ele ressalta que a taxa ainda está alta e representa uma incerteza relevante na concessão de crédito.

Impactos no setor O programa Minha Casa, Minha Vida deve gerar aumento de demanda, mas não como o governo tem anunciado, afirma Solimeo. “Não há duvida que a demanda para o setor de construção vai aumentar e, portanto, o mercado para mobiliar essas casas também”. Ele explica que o impacto para o setor moveleiro será gradativo. “Já estamos vendo aumento nas construções de casas de renda média e baixa e, independente do programa, construtoras manifestaram interesse em direcionar recursos para a construção de casas populares, então as indústrias de móveis tem de se ajustar a esta demanda”, destaca Solimeo. Outra tendência à fabricação de móveis para casas

populares está no financiamento conjunto de móveis e imóveis proposto pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), com mobiliário adequado às medidas das casas construídas pela Companhia. “A ideia é muito boa, ao adicionar o móvel no financiamento da casa o acréscimo no valor da prestação é pequeno e acaba facilitando muito a vida do comprador”, enfatiza Solimeo.

CRÉDITO COM JUROS MAIS BAIXOS Simulações realizadas pela Serasa Experian em julho mostram que a aprovação do cadastro positivo poderia aumentar em 19% o acesso ao crédito no Brasil. Além de promover queda na inadimplência do consumidor de 8,6% para 4,7%, ou seja, uma redução de 45% na inadimplência no Brasil. Outra redução está no spread bancário - diferença entre a taxa de captação dos bancos e os juros cobrados de seus clientes - que cairia de 37,4% para 31,1%. “Estudos do Banco Mundial mostram que em países onde o cadastro positivo foi implantado houve aumento da oferta de crédito e foi possível cobrar taxa diferenciada, além de reduzir a taxa de juros”, explica Solimeo.

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

21


Economia

Prejuízo no bolso Por Keila Marques, de Curitiba (PR)

Juros de empréstimo ao consumidor apresentam diferenças elevadas e poderiam ser até seis vezes menores Um estudo da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio – SP) apontou a alta diferença nas taxas de juros cobradas em empréstimos de carteiras de crédito parecidas. Como exemplo o estudo mostra o comparativo entre o Crédito Direto ao Consumidor (CDC) e o empréstimo pessoal, a menor taxa é de 41% ao ano para o CDC em bancos e a maior é de 259% ao ano para o empréstimo pessoal em financeiras, sendo que a taxa de juros média equivale hoje a 134% ao ano. De acordo com o assessor econômico da Fecomércio, Fabio Pina, como o consumidor não pesquisa as diversas opções de empréstimos para fazer um comparativo e avaliar o mais vantajoso, bancos e financeiras acabam cobrando taxas elevadas de juros. “O consumidor precisa fazer pesquisa de mercado, assim como faz quando vai comprar um carro, por exemplo”, explica Pina. Entretanto, qual seria a explicação para essa diferença? “É este o questionamento que queremos levantar. Não existe uma razão que justifique esse grande variação, na verdade as instituições financeiras praticam taxas de juros elevadas por que não são contestadas. Então, em parte, a culpa também é do consumidor 22

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

que não se informa para encontrar taxas mais baixas”, afirma Pina. O economista e diretor-executivo da Fecomercio, Antonio Carlos Borges afirma que os juros poderiam ser seis vezes menores se o consumidor optasse pelo empréstimo mais barato. E mesmo assim as financeiras e os bancos teriam lucro. “Os bancos culpam o risco, os custos administrativos dos compulsórios e dos tributos, para cobrar altas taxas de spreads. Essa realidade não será alterada apenas por vontade própria dessas instituições financeiras. Cabe ao consumidor analisar as melhores opções.” Para embasar o estudo, a Federação avaliou diversas modalidades de empréstimos entre financeiras e bancos e constatou que: em abril, o custo de empréstimo pessoal em financeiras foi de 11,2%, enquanto em bancos, 5,4%. Se o mesmo empréstimo fosse feito por CDC, o custo seria ainda menor, de 2,9%. Os dois economistas consultados compartilham de mesma opinião: a falta de informação sobre os custos imbutidos nos financiamentos torna o consumidor passivo a esses diferenciais e facilita a prática de taxas elevadas por instituições financeiras. Contudo, o governo também é responsável, quando não pratica a fiscalização de taxas abusivas e não reduz impostos. “Há um conjunto de fatores que não deixam a taxa de juros ao consumidor flutuar mais atrelada à Selic”, afirma Borges.

TAXA SELIC O estudo da Fecomércio também avaliou a Selic, taxa básica de juros que interfere na definição do juros repassados ao consumidor, como o spread bancário - diferença entre os juros que o banco paga pela captação de dinheiro e aplica em empréstimos. Entre janeiro de 2000 e abril de 2009, a Selic caiu de 19% para 11,25%, que representa no período uma queda de 41%. No entanto, a taxa média de juros ao consumidor caiu de 163% para 134%, ou seja, uma queda de 18%. “Apenas a redução do custo básico do dinheiro não vai resolver o problema do enorme spread bancário. Cabe ao governo e, principalmente, ao consumidor pressionar pela redução dessa diferença entre as taxas”, afirma Borges.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

23


Mercado

Retomada da indústria Por Keila Marques, de Curitiba (PR)

Índice de confiança na indústria atinge o maior nível desde outubro de 2008, mostra pesquisa

Divulgação/Móveis São Carlos

A recuperação do mercado no segundo semestre de 2009 é esperada por fabricantes de painéis

24

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

O fantasma da crise internacional – que desde o final de 2008 assombra a indústria brasileira – está saindo de cena, ainda que vagarosamente e com resquícios em alguns segmentos industriais. O cenário econômico desencadeado pela crise causou uma identificação entre países do mundo todo, daquelas que acontecem quando passamos por um problema em comum, e, por conta disso, acabou promovendo um otimismo generalizado em longo prazo. Em julho um otimismo mais proeminente começou a aparecer. Os dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) apontam aumento de 6,2 % no Índice de Confiança da Indústria (ICI), entre junho e julho, ou seja, o maior nível desde outubro de 2008 (considerando dados com ajuste sazonal). O ICI passou de 93,6 para 99,4 pontos e se aproximou do índice atingido no início da crise: 104,4 pontos. Segundo a pesquisa da FGV, que consultou 1.115 empresas, a partir de abril o índice avançou com mais consistência e se espalhou entre os setores. No mês passado, cerca de 25% das empresas avaliaram a situação

Arquivo

Rosane Donati, da Abipa: “A expectativa está totalmente atrelada à proposta de redução do IPI”

atual dos negócios como boa, resultado que superou o mês anterior, com 20,8%. Por outro lado, houve queda de 28,0% para 24,2% na proporção das que consideram o momento atual fraco. Já o Índice de Expectativas (IE) passou de 90,0 para 97,4 pontos, na comparação com junho deste ano. Todos os quesitos que compõem o IE foram favoráveis, em relação à produção nos próximos três meses saltou de 118,8 para 130,2 pontos - o maior desde setembro de 2008, com 134,2 pontos.

Panorama Para a Associação Brasileira da Indústria de Painéis de Madeira (Abipa), a expectativa em relação ao segundo semestre de 2009 está totalmente atrelada à proposta de redução do IPI apresentada por entidades das indústrias de painéis e móveis ao governo federal em junho. “Sem a redução do IPI para móveis de 5% para zero e para painéis de madeira e estofados de 10% para zero, dificilmente conseguiremos retomar o crescimento da indústria e o bom momento que vivemos no primeiro semestre de 2008”, afirma a superintendente executiva da Abipa, Rosane Donati. A produção de MDP da fabricante de painéis Berneck, de Araucária (PR), no primeiro semestre de 2009 caiu 17%, já a produção de MDF, que começou em outubro do ano passado, trabalhou com 50% da capacidade instalada da empresa. Segundo o gerente comercial de negócios e painéis, Roberto Sanches, a Berneck reduziu a produção sem mexer no quadro de funcionários. “No segundo semestre, a expectativa é que o mercado cresça um pouco, se equiparando com o consumo do mesmo período de 2008”, afirma Sanches. A fabricante de painéis Guararapes, de Palmas (PR), está operando abaixo da capacidade instalada desde o final de 2008, a média da empresa é de 180 mil metros cúbicos de MDF e 380 mil metros cúbicos de compensados por ano. Segundo o diretor de operações


Divulgação/DJ

Ricardo Pedroso, a Guararapes sofreu uma pequena redução no quadro de funcionários para se ajustar à queda na demanda, principalmente do mercado externo. “Esperamos que no cenário externo os preços apresentem uma discreta melhora e os volumes se estabilizem”, afirma Pedroso, que ainda espera uma recuperação no mercado interno, principalmente no setor de construção civil. Para a DJ Móveis a redução do IPI poderia colaborar para o aumento das vendas O diretor presidente da Móveis São Carlos, de Afogados da Ingazeira (PE), Carlos Brito conta que a Para Ari Bruno Lorandi, estudioso do setor moveleiro alternativa encontrada pela empresa para não reduzir o quadro há quase 30 anos, não foi a crise que afetou as vendas de de funcionários foi dar férias. “Com essa iniciativa resolvemos móveis no primeiro semestre, mas sim a antecipação de as duas situações: férias e baixo volume de vendas”, explica compras de eletros de linha branca por conta da queda do Brito. Para ele o segundo semestre deste ano será melhor. “E se IPI. “Esta atitude do governo, que represou a venda de oua redução do IPI for aprovada as vendas devem melhorar muito, tros bens de consumo durável, deixou clara a falta de força e para atender a demanda vamos criar outro turno”, enfatiza política do setor moveleiro”. Mas o diretor de marketing da Brito. Já a DJ Móveis, de Arapongas (PR), afirma ter ajustado CEM considera que não há razões para preocupação com o objetivos e estratégias durante o primeiro semestre de 2009 mercado nos próximos meses. “Historicamente o setor tem e, com isso, atingiu sem alteração da estrutura produtiva os reum comportamento e vai continuar neste ano. Vamos regissultados pretendidos. “Acreditamos que no segundo semestre trar o mesmo crescimento de anos anteriores, algo entre 6% do ano o mercado estará melhor, principalmente por se tratar e 7% em volume”, acredita Lorandi. E completa: se a reação de uma época em que o varejo atende uma demanda maior de acontecer mais tarde, pode faltar móveis nos últimos dois consumo, afirma o gerente de marketing Daniel Nissola Filho. meses deste ano”.

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

25


Loja de Valor

Na contramão dos concorrentes Por Denise Somera, de Curitiba (PR) Divulgação

Lojas Cem é destaque no varejo, com seu modo particular de fazer negócios

CONHEÇA A LOJAS CEM Fundação: 1º de julho de 1952

Enquanto a expansão de grandes varejistas avança para as principais capitais do Brasil, a Lojas Cem faz o caminho inverso: a empresa quer se fortalecer e crescer no interior do Brasil, abrindo mais 70 lojas nos próximos quatro anos. “Nós queremos um crescimento gradual, sustentável, com os pés no chão. Hoje temos 180 lojas e nosso objetivo é chegar a 250, expandindo pelo interior de São Paulo”, explica o supervisor geral das Lojas Cem, José Domingos Alves. Considerada “a primeira empresa varejista em liquidez corrente” pela “ Exame” (que avalia as maiores empresas do país), a rede

Centro de Distribuição das Lojas Cem: expansão para 250 lojas até 2010

– que começou com uma loja de bicicletas – caminha a passos largos. Ter liquidez corrente quer dizer que a empresa consegue em prazos curtos ou longos, honrar seus compromissos financeiros, o que colocou a Lojas Cem na sétima posição no Público-alvo: Classes B e C país e primeira dentro do setor varejista. “Durante os 57 anos de história, todo o lucro gerado foi revertido para a própria Pontos de vendas: 178 empresa. O crediário continua sendo administrado por nós, o que gera rendimentos mensais. Todas as lojas – com exceção Clientes ativos: da filial de Ribeirão Preto – têm prédios próprios e sempre que mais de 3 milhões é possível, pagamos nossos fornecedores à vista ou em prazos Funcionários: curtos, conseguindo preços competitivos”, conta Domingos. En6.000 quanto outras redes trabalham terceirizando o que pode, a Lojas Mix: Cem continua mantendo o seu esquema de fazer negócios, que móveis, eletrodomésticos, celulares, informática e vem dando certo há mais de meio século. “Escolhemos crescer bicicletas para o interior porque já conhecemos mais como as coisas Meta 2009: funcionam. Em cidades menores, de até 200 mil habitantes, crescimento em torno 10% conseguimos mostrar que o bom atendimento, o cumprimento de promessas e a nossa história são diferenciais no mercado. Desta maneira, conseguimos fidelizar nossos clientes”, revela o Domingos Alves. Divulgação Com a política de “fazer carreira” entre os funcionários, nenhum gerente das lojas é contratado de fora: eles priorizam quem se destaca na rede e quer crescer. “Damos oportunidades de crescimento, treinamento e investimos nos profissionais. Quem é gerente, geralmente passou por todos os outros postos de trabalho na loja e com isso, conhece bem o processo. Essa é a nossa maneira de trabalhar e treinar novos funcionários”, explica Domingos, que começou como vendedor há 23 anos e hoje ocupa o maior cargo entre os funcionários, abaixo somente dos diretores da empresa. Com um jeito próprio de trabalhar, a Lojas Cem Lojas Cem optaram por expandir no interior de São Paulo, visando cidades de até 200 mil encontrou seu caminho. habitantes Slogan: ”Ainda bem que tem loja Cem”

26

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

27


Planeta do Vendedor

ExecutAção Consultor nas áreas de varejo, gestão e motivação de pessoas. cursovisao21@moveisdevalor.com.br moacirmoura@terra.com.br www.mouramoacir.blogspot.com www.ogerente.com.br

MOACIR MOURA

Uma pesquisa realizada pelo NBER (National Bureau of Economic Research) nos Estados Unidos, mostra as características e habilidades dos CEOs (diretores executivos) que realmente importam para o mercado de trabalho e asseguram o sucesso dos profissionais de alto nível responsáveis pela gestão de grandes empresas. Realizada com 316 diretores, que foram questionados em relação a 30 habilidades, o que se notou é que as empresas estão mais dispostas a contratar CEOs com habilidades gerais (generalistas) tanto as relacionadas com as funções que eles devem desenvolver quanto com aquelas ligadas ao tratamento da equipe. Gestão de pessoas, o grande desafio do momento. Porém, quando analisado o sucesso desses CEOs, um tipo de habilidade se sobrepõe à outra, que são as ligadas à execução.

Capacidade de execução!

(Implementação efetiva de projetos essências para a empresa). Isso quer dizer que o CEO que se destaca não é aquele mais sensível, criativo ou extrovertido. O diretor com melhor desempenho, pelo contrário, é aquele com capacidade de trabalho repetitivo, detalhista e observador. Visão interna e do mercado, sempre em sintonia com os consumidores. Apesar do resultado apontado pela pesquisa, os dois perfis de diretores são valiosos. De acordo com o headhunter e sócio da consultoria de recrutamento Steer Recursos Humanos, Ivan Witt, na verdade, o resultado da pesquisa confirma o perfil da

28

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

maioria dos profissionais selecionados para cargos de diretoria, que são reservados e têm habilidades de organização e execução. Porém, ele afirmou que não são estes CEOs que têm novas ideias, criam produtos excepcionais e ditam o futuro.

“Os destemidos e multidimensionais é que são os empreendedores, os quais implantam o negócio sem medo de errar.” A tendência de mercado, de acordo com ele, é que os CEOs empreendedores se tornem cada vez mais valiosos para as empresas. Em relação ao Brasil, ele afirmou que já existe um número expressivo de presidentes empreendedores, cujo indicador aumentará sua importância cada vez mais. A idéia é tocar um negócio como se fosse o próprio dono, assumindo o leme como um

INTRAEMPREENDEDOR

Líder interno que faz o papel de dono. COMENTE ESTE ARTIGO E qual é o seu perfil: conservador ou empreendedor? Como você pode desempenhar melhor as suas habilidades naturais?

O consultor Moacir Moura aguarda sua resposta: moacirmoura@terra.com.br


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

29


Personagem

Comendo pelas beiradas Mário Gazin superou a falta de estudo e amplia uma rede de lojas e fábricas que cresceu com a crise do café O que faz alguém se destacar no mercado? Formação acadêmica, garra, competência, empenho? Não é de hoje que se lê e ouve por aí histórias de pessoas que, sem estudo ou alguma formação, “venceu na vida”, mudou sua perspectiva e faz a diferença no mundo dos negócios. Este mês a Móveis de Valor conta a história de Mário Gazin, fundador e dono da rede “Móveis Gazin”, que de Douradina (PR) passou a conquistar o centro-oeste brasileiro. Possui 150 lojas espalhadas em nove estados, quatro fábricas e sete centros de distribuição. Nascida e mantida como negócio familiar, hoje a Gazin é uma holding com 10 sócios e desde 2004 a rede dobra sua receita anualmente, ultrapassando a marca de 1 bilhão de reais em 2009. E pasmem: Mário Gazin só fez o primeiro ano do primário. “O estudo faz parte e eu pago caro por não ter estudado. Mas determinação e não desistir nunca fazem parte da pessoa que não estudou”, diz o fundador, que este ano completa 60 anos de idade e 43 de empresa. Fundada numa época em que as lavouras de café prosperavam no norte do Paraná, a Móveis Gazin também sofreu os impactos da histórica geada de 1975: parte dos seus clientes, parentes e amigos migraram para o Mato Grosso, em busca de no30

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

vas oportunidades. Acompanhando a clientela, lá foi Mário Gazin para o centrooeste. “Fomos para regiões onde tinha pouca gente, mas eu fui empolgado, por causa dos conhecidos da nossa cidade, que mudaram para lá. Parte de Douradina estava espalhada no Mato Grosso e nós fomos abrindo Mário Gazin superou os desafios e é o lojas nas cidades cabeça de uma rede em expansão com conterrâneos”, relembra. A distância entre uma cidade e outra às vezes chegava a 700 km e foi aí que resolveram ‘tapar os buracos no mapa’. “Fomos preenchendo os espaços, inaugurando lojas, já que nossos caminhões passavam por elas de qualquer forma”, explica Gazin. Ser empreendedor em uma cidade pequena não foi obstáculo para que a expansão alcançasse estados longínquos como Acre e Amazonas, esquecidos por muitas redes varejistas nas décadas anteriores. A vontade de aprender mais foi o combustível para continuar crescendo num mercado cada vez mais competitivo. “Quando ouvi falar em MBA (curso de mestrado em administração de empresas) pela primeira vez já me interessei e fui lá para fazer o curso. Mas como não tinha diploma de faculdade, pude assistir às aulas como aluno ouvinte e percebi que muita coisa que ensinavam por lá eu já aplicava nas minhas lojas”, conta Gazin, que começou a trabalhar aos 11 anos como sapateiro durante o dia e empregado de uma padaria à noite. Hoje, a rede já pagou a faculdade de 156 funcionários, assim como MBAs para outros 56. “Nós pagamos a metade do ano, se o aluno tirar média 8,2 a gente paga a outra metade do ano. É uma forma de incentivar”, explica o empreendedor. Para alcançar números expressivos mesmo em períodos de crise, Mário Gazin dá os méritos às metas estabelecidas. O empresário ficou conhecido por divulgar os números em calcinhas e cuecas, entregues aos funcionários no final do ano. “Em todo lugar da empresa estão as metas para o mês e o ano. Até no meu travesseiro estão os números!”, conta descontraído. E expandindo ‘pelas beiradas’ a rede tem o céu como limite. Alguém duvida?

Divulgação

Por Denise Somera, de Curitiba (PR)


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

31


COZINHAS

Especial Cozinhas

O novo e o moderno na cozinha Por Denise Somera, de Curitiba (PR)

Divulgação/Electrolux

De espaço de serviços a área para receber os amigos, a cozinha tem agora outro nível de importância na casa

Divulgação

Funcionalidade, beleza e praticidade são alguns dos requisitos fundamentais para as cozinhas hoje em dia

32

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Todos os cômodos de uma residência sofrem mudanças diversas ao longo dos anos. A função de cada um dificilmente muda, mas a importância na vida social da família vai se transformando com as mutações da própria sociedade, da vida agitada das cidades grandes, da falta de tempo de profissionais e da configuração das famílias, que dita novos padrões e novas necessidades. Um dos ambientes que mais ganhou valor na última década foi a cozinha, antes lugar de empregados e da dona de casa, escondido no fundo da casa, agora é espaço de destaque e que recebeu até um novo batismo: espaço gourmet. Produtos high-tech, eletrodomésticos

“Desenvolver novos produtos é desafio da engenharia e do design”, argumenta Julio Bertola

com design moderno, armários com novos sistemas de “abre e fecha”, fogões sem chama, fornos elétricos. As geladeiras, sonhos de consumo das famílias na década de 1930, também acompanharam a evolução do cômodo ganhando compartimentos especiais e de refrigeração diferenciada, sem deixar de lembrar o microondas, que apesar do atraso para chegar às cozinhas brasileiras (foi lançado em 1946 e só chegou aqui 39 anos depois), consolidou-se como ferramenta de praticidade do dia-a-dia. Os armários, antes resumidos a simplesmente guardar mantimentos e utensílios, viraram o sonho de muitos consumidores e dão o tom da modernidade do ambiente: valorização das linhas horizontais, planejamento em móveis sob medida, compartimentos diversos e tecnologia em ferragens e sistemas de aberturas. “No Brasil as cozinhas foram mudando de status, de local de trabalho dos empregados e escondidos do patrão, a ambiente de receber os amigos, preparar alimentos de maneira mais sofisticada e pelos homens, que descobriram um novo prazer com a cozinha”, observa Silvia Grilli, designer de interiores e consultora de empresas do setor moveleiro. Segundo Silvia, as casas têm uma configuração diferenciada devido a esta inserção masculina na cozinha: uma cozinha do dia-a-dia, com eletrodomésticos e utensílios de uso comum e dos empregados e, de outro lado, o espaço chamado gourmet, com equipamentos de ponta, panelas de última geração e acessórios com preço e status de “carro”. “O homem que gosta de cozinhar investe três vezes mais que a mulher em utensílios para cozinha. É o mesmo investimento que se vê com os carros: quando ele gosta, não se importa em pagar preços altos nos acessórios”, exemplifica a consultora. Esta mudança na maneira de viver o cômodo reflete em outras transformações e desejos de consumo. Objetos, armários e eletrodomésticos cada vez mais tecnológicos, funcionais e práticos.


COZINHAS Divulgação/Electrolux

O grande desafio do design e da engenharia em grandes empresas é desenvolver produtos de custo razoável e tecnologia apropriada, que satisfaça necessidades locais. “A cozinha ganhou status na evolução da vida social hoje em dia. Os prazeres estão valorizados, as pessoas querem que os momentos de convívio sejam uma experiência. Não é qualquer pizza que satisfaz, por exemplo”, exemplifica Bertola. Desta maneira, nasce a necessidade de desenvolver novos produtos que atendam desejos como este, de produzir em casa um alimento tão bom quanto o consumido fora, em restaurantes. “Existe uma produção artesanal de refrigeradores, que atende o público A. Suas dobras e pequenos cortes são manufaturados um a um, aliando o mais alto padrão de gastronomia com tecnologia”, revela o designer.

Integrados ao ambiente, eletrodomésticos high-tech conquistam espaço na cozinha

Casa do Futuro Quando se pensa em uma “casa do futuro” logo a imagem do desenho “Os Jetsons” domina a mente: esteiras rolantes, alimentos prontos a partir de uma pílula, um robô encarregado dos afazeres domésticos. Os anos 2000 chegaram e o futuro imaginado é bastante diferente, mas não menos tecnológico na cozinha: bocas de fogão sem chama, água gelada direto da porta da geladeira, painéis que obedecem a um leve toque e a integração entre a internet e os eletrodomésticos. “Primeiro nasce a necessidade, que avança junto com o desenvolvimento científico. Como a tecnologia evoluiu bastante e está mais disponível no mercado, hoje temos a possibilidade de criar aparelhos que atendem aos desejos dos consumidores”, explica Júlio Bertola, gerente do centro de design da Electrolux, responsável pela criação de produtos para toda América Latina.

Tecnologia nos eletrodomésticos Com o avanço dos aparelhos eletroeletrônicos e também com os desdobramentos que a internet permite, corriqueiros eletrodomésticos ganham novas funções e status. Apesar de não ganhar tanto destaque, funções que reduzem o desperdício (tanto de água quanto de energia) e materiais que podem ser reutilizados ou reciclados fazem a tecnologia servir a sustentabilidade. “Queremos prolongar a vida útil das partes, buscamos formas de controlar os gastos de maneira eficiente. A engenharia evolui para que os produtos sejam os mais ecológicos possíveis e buscamos usar a tecnologia para isso”, conta Bertola. Embora a grande tendência esteja no ornamentalismo e na valorização das formas naturais, todos os novos produtos serão bastante high-tech: integração entre geladeiras

Fotos: Divulgação/Electrolux

Eletrodomésticos aliam funcionalidade e tecnologia, dentro das necessidades dos clientes MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

33


Especial Cozinhas e telefones celulares, cooktops com acesso à internet para buscar receitas, máquinas de lavar que avisam quando o ciclo terminou. “Hoje nós temos uma grande preocupação sócio-ambiental, que de alguma maneira, se choca com o desenvolvimento acelerado da tecnologia”, explica o gerente. Os estudos feitos pela Electrolux indicam produtos que irão se beneficiar de programas governamentais, como por exemplo, o fornecimento de internet pela rede elétrica das residências. “Os eletrodomésticos poderão ter pequenos aparelhos de modem, que farão a conexão com a internet ou envio de mensagens via bluetooth aos aparelhos celulares. Uma geladeira poderá ter um leitor de código de barras, ler as informações dos produtos armazenados e avisar via SMS (mensagem de texto) a proximidade da data de validade”, exemplifica Júlio Bertola. Segundo o designer, a conectividade não vai demorar muito para chegar aos lares brasileiros. “Hoje temos a tecnologia de painéis de toque, com vários comandos que sinalizam a evolução”, finaliza.

Evolução dos materiais

Divulgação/Blum

A função do cômodo “cozinha” não muda tão cedo: é um local de preparo e consumo de alimentos, além de armazenamento de produtos e utilitários. As inovações dentro destas funções aparecem constantemente e os armários são o grande alvo destas mudanças. Na última Interzum, feira que aconteceu em maio na Alemanha para fornecedores da indústria do mobiliário e interiores, os produtos lançados têm o enfoque na perfeição: deslizamentos, movimentos, aberturas e fechamentos que parecem acontecer num passe de mágica. Embora importante, as linhas que compõem um armário de cozinha podem passar despercebidas quando tem um

COZINHAS Divulgação/Itatiaia

“Público C gosta de inovar e não se intimida em colorir o ambiente”, conta Marco Túlio Monteiro, da Itatiaia Móveis”

design focado na perfeição. Movimentos de “abre e fecha” podem ser o diferencial de produtos que, como os armários de cozinha, pouco mudaram ao longo dos anos. “O mercado hoje exige novos sistemas deslizantes, valoriza as linhas horizontais e portas mais largas. O desafio é aliar estas necessidades ao ambiente da cozinha”, explica André Brito, gerente de desenvolvimento da Kitchens. Apresentados na feira alemã, o sistema baseia-se nas dobradiças “clip-top”, que ao comando de um leve toque, inovou o sistema de abertura mecânica no segmento de portas. Também aplicado em gavetas e extensões sem puxadores a solução oferece um jeito novo e funcional de abertura. “Já há alguns anos temos percebido que os puxadores tendem a desaparecer. O design minimalista, que valoriza o ‘clean’ impulsiona esta tendência”, esclarece Brito. A montagem destes aplicativos pode ser feita praticamente sem ferramentas, em pouco tempo e de forma simples e eficiente. Gabaritos de furações correspondentes tornam a montagem confortável e segura. Em sistemas de extensão também não há necessidade de espaço adicional no que diz respeito à profundidade e seu ajuste pode ser feito de forma confortável, até mesmo em gavetas previamente montadas. Estes detalhes são importantes na inovação destes produtos, que embora lançados muitas vezes como “conceito”, viram desejo do consumidor. “Há alguns anos, só as grandes empresas detinham tecnologia, que é cara. Hoje em dia o tempo é inferior a dois anos”, conta Brito. Segundo pesquisa realizada na Europa em 2008, 76% dos consumidores consideram importante a existência de sistemas de amortecimento de portas e gavetas na cozinha, “antes considerado um luxo e até rejeitado por muitos usuários”, diz Ricardo Schartner, coordenador de marketing da Hettich do Brasil. A inovação está na dobradiça: ela possui um pistão de amortecimento integrado e invisível, permitindo um fechamento suave e silencioso, sem agredir o design interno do móvel. “Os sistemas de amortecimento usados nos elementos de abertura e fechamento da cozinha já são considerados itens de série em outros países, ganhando força aqui no Brasil”, argumenta Schartner.

Realidade do mercado

Puxadores serão dispensados e o “abre e fecha” dos armários ganhou tecnologia

34

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

A evolução dos materiais e as possibilidades que a tecnologia oferece hoje também impulsionam mudanças nos móveis de cozinha produzidos em linha. Investimentos em


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

35


Especial Cozinhas

COZINHAS Divulgação/Itatiaia

Itatiaia Móveis aposta em cores vibrantes na cozinha, alinhadas a tonalidades que são tendência

cliente tem como cozinha um espaço retangular, como um pesquisa, design, tendências de mercado e apostas de risco fazem parte do dia-a-dia de quem desenvolve novidades. corredor. Na nossa área, não é a emoção que conta na hora “Observamos que os móveis de cozinha estavam muito mode comprar o móvel e sim, muita racionalidade e pesquisa. nótonos em relação a cores e passamos a pesquisar em feiras O consumidor quer o funcional que cabe no bolso”, cominternacionais as tendências. Vimos que no exterior existia plementa Monteiro. a aplicação de cores mais vibrantes e resolvemos testar”, Para definir as próximas produções, a Criare, fabricante conta Marco Túlio Monteiro, coordenador de design da Itade móveis planejados, apresentou na Casa Brasil deste ano tiaia Móveis. A empresa lançou há alguns anos uma linha de novas texturas em fases de testes. Conforme a aceitação, tons cítricos, que caiu no gosto popular. “Nós atendemos a elas serão colocadas ou não na linha. São revestimentos que classe C, que não se intimidou com as novas possibilidades”, imitam madeira maciça e pedra, que segundo pesquisas da explica. Além de móveis mais bem acabados, diferentes e empresa, alinham-se ao desejo do consumidor. “O trabalho de que acompanha as novas tendências, o público quer funciodesenvolvimento de um produto envolve muitas coisas, como: nalidade. “O consumidor não quer mais só o básico, quer investimentos, estudos, viagens, pesquisas e testes”, explica um diferencial. Porta-objetos, cestos giratórios, ferragens Paulo Farina, diretor-presidente da Criare. Para o arquiteto Luis que solucionam problemas são desejos Divulgação/Criare também da classe C”, revela Monteiro. Segundo o coordenador de design da Itatiaia, os fabricantes de ferragens conseguem adaptar rapidamente produtos para o mercado popular, dando novas possibilidades de criação. “Antes, a tendência e a tecnologia levava muito tempo para sair do mobiliário de alto padrão para ser adaptado ao produto mais popular. Hoje em dia não, tudo chega com muito mais velocidade e o consumidor, seja ele de qualquer classe, quer e pode ter bons produtos”. O desenvolvimento dos móveis de linha também acompanha o comportamento dos consumidores. “As casas têm um espaço reduzido e não adianta desenvolvermos cozinhas em formato de ilha, por exemplo, se o nosso Revestimento que imita pedra é uma das novidades da Criare para 2009/2010 lançadas na Casa Brasil 36

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

37


COZINHAS

Divulgação/Daico

Especial Cozinhas

Henrique Dias, as diferentes classes apontam diferentes necessidades. “A classe mais alta está preocupada com exclusividade e acabamento, móvel com mais durabilidade. Investe em design, lâmina melhor, ferragens de última geração. Já na classe C a condição de pagamento é o mais importante, em seguida vem o preço. Esse consumidor até compra um produto um pouco melhor, desde que haja financiamento”. Investimento em pesquisa de mercado, inovação nos produtos, novas tendências e bom atendimento são a chave para se reinventar em um mercado tão competitivo. Cozinha Cristal, da Móveis Daico, apresenta conceito de ilha e eletros embutidos

CADASTRO NACIONAL DE RECLAMAÇÕES

Espaço e medidas do local de instalação 9 Quais são as medidas do ambiente em que será montada a cozinha? 9 Onde estão as conexões de água, tomadas de energia, janelas e portas? 9 Você vai utilizar a cozinha também como área de estar?

Utilização eficiente 9 Você é destro ou canhoto? 9 Qual o tamanho do espaço que precisa para cada uma das áreas funcionais da cozinha (área de preparo de alimentos, área para materiais de limpeza, etc)? 9 Qual é a melhor forma de organizar estas áreas para que a distância entre elas seja a menor possível?

Ergonomia e segurança 9 O tampo do balcão (área de trabalho) deve possuir a altura adequada para a pessoa que mais utiliza a cozinha. 9 Se possível, inclua um espaço para trabalhar sentado. 9 Planeje o armazenamento dos utensílios e materiais mais pesados ou mais utilizados em altura média. Os itens que são mais leves ou pouco utilizados podem ser armazenados nas partes mais altas ou mais baixas da cozinha.

38

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

9 Priorize a utilização de gavetas e outros sistemas que trazem os materiais para fora da cozinha, para que você não precise “rastejar” para dentro dos móveis.

Sistemas de organização e funcionalidade para as gavetas 9 Utilize sistemas que permitem a variação e regulagem dos espaços internos da gaveta. 9 Gavetas grandes são muito funcionais para guardar o que não deve ser visto. 9 O espaço abaixo da pia, pode ser muito bem aproveitado com sistemas de organização eficiente, que se adaptam ao sifão. 9 Certifique-se de que portas e gavetas serão fechadas suavemente tornando a cozinha um ambiente silencioso. 9 Para gavetas que vão armazenar itens muito pesados, ou gavetas com lixeiras, utilize os sistemas de abertura elétrica. Com um simples toque na frente da gaveta ela abre automaticamente. Divulgação/Hettich

A Hettich do Brasil, fabricante de ferragens e acessórios para móveis, preparou uma série de questões que devem ser levadas em conta na hora de planejar uma cozinha. Com este cheklist o seu cliente estará preparado para buscar os melhores fabricantes e serviços e, portanto, sua loja deve estar também preparada para atender seus clientes em suas dúvidas e necessidades.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

39


Feiras Nacionais

Bons lançamentos para todos Por Keila Marques, de Curitiba (PR)

Expositores prometem atender mercado nacional e externo com a diversidade do móvel brasileiro SALÃO ABIMÓVEL Quando 17 a 21 de agosto Onde Horário

Anhembi São Paulo (SP) 13 às 21 h

www.salaoabimovel.com.br

A primeira edição do Salão Abimóvel, que substitui a Fenavem após 31 anos de história, acontece entre os dias 17 e 21 de agosto no Anhembi, em São Paulo (SP). Para o diretor da Multiplus Eventos, empresa que promove o Salão Abimóvel, Augusto Balieiro, o principal diferencial está no atendimento a lojistas com demanda de um público com grande intenção de consumo. Ele faz referência à pesquisa do Programa de Administração do Varejo (Provar) realizada em junho que mostra números favoráveis de intenção de compras dos paulistanos no terceiro trimestre deste ano.

Lançamentos A Colibri Móveis, de Arapongas (PR), apresenta a nova tecno-

logia de acabamento I.T.S. NOZ®. O diferencial está na proximidade da madeira natural, com textura que destaca os veios da madeira e proporciona visual de profundidade. “Além de melhorar o padrão de móveis destinados às classes B e C, essas vantagens se refletem diretamente no ponto de venda dos lojistas, pois a percepção para o consumidor final é nítida”, afirma o diretor comercial da empresa, José Lopes Aquino. Um dos lançamentos que a Colibri Móveis apresenta no Salão Abimóvel é o home-theater Antares, que recebe o novo acabamento. A Rudnick, de São Bento do Sul (SC), expõe produtos, principalmente na linha de armários e camas, com medidas alternativas. O diferencial está no sistema de montagem e rodapés, que permitem montagem mais rápida e estrutura mais segura. Empresas do Arranjo produtivo local (APL) Móveis do Planalto Norte Catarinense vão participar do Salão em um estande conjunto, com 600 metros quadrados. O principal atrativo será a exposição de Biomóveis, produzidos com foco na redução de impactos ambientais em todas as fases do ciclo de vida. No estande haverá ainda um espaço institucional do Biomóvel e da Móvel Brasil 2011, feira realizada a cada dois anos em São Bento do Sul (SC). Entre os lançamentos de uma dessas empresas, a Grossl, está o rack Roma, fabricado com matéria-prima renovável. Já a Ditália Móveis, de Monte Belo do Sul (RS), lança uma linha exclusiva de dormitórios com lâmina ecológica na composição, textura e alto brilho. Os móveis compõem ambientes que exploram a funcionalidade Divulgação/Colibri

A Colibri lança um novo acabamento com textura e visual mais próximo da madeira. Na foto, o home Antares

40

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Divulgação/Grossl

COM A PALAVRA Qual a sua expectativa para o Salão Abimóvel? EXPOSITORES “Com certeza as melhores. Vamos participar não só como expositores, mas como organizadores, pois somos membros da Abimóvel. E ainda vamos poder mostrar ao público de São Paulo e de todo o País os lançamentos de produtos Biomóvel.” O rack Roma está entre os lançamentos da Grossl, empresa fabricante do Biomóvel

dos módulos. A empresa mostra ainda a linha de cozinhas com diferencial para os puxadores. Já a Anfra Tecidos, de Guarulhos (SP), apresenta novas opções em linhos e variedades de cores em furta cor e bordados. As coleções de Linen Look Like são produzidas com a combinação das fibras do linho com mesclas, que permite a produção em larga escala e vantagens técnicas.

Eventos paralelos Em meio a tendências do mobiliário está a Mostra Nacional de Design, exposição de peças produzidas por 20 alunos e jovens designers brasileiros. Entre eles, cinco serão premiados pelo 5° Prêmio Nacional de Design promovido pela Abimóvel com a exposição de protótipos em feiras moveleiras de Dubai, Las Vegas e Valência, além de todas as despesas pagas, conforme a colocação de cada um. Outra apresentação de tendências é o TexBrasil Décor, resultado da parceria entre a Abimóvel e a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Estão entre os lançamentos, padrões com formas orgânicas e produtos de matérias-primas 100% naturais.

Keila Marques

Carlos Mattos, sócio-administrador da Arte Real Móveis, de Rio Negrinho (SC)

“Vamos apresentar nossos lançamentos e esperamos obter um feedback de nossos clientes para o desenvolvimento de novos produtos. A nossa participação na feira tem o objetivo também de fortalecimento da nossa marca junto aos clientes.” Euclides Longhi, diretor comercial da Multimóveis, de Bento Gonçalves (RS)

“Esperamos uma feira bem movimentada e com bom volume de negócios. Além da perspectiva de melhora no cenário econômico nacional que começa a se definir, o evento acontece no momento em que o mercado se prepara para as vendas de fim de ano.” Gustavo Aquino, gerente de marketing da Colibri Móveis, de Arapongas (PR)

MISSÃO DE CINGAPURA VISITA A FEIRA Cingapura envia uma missão ao Brasil para visitar o Salão Abimóvel e prospectar oportunidades de parcerias. A missão é composta de representantes de entidades governamentais de Cingapura dedicadas à promoção do comércio internacional de móveis – IE Singapore e SPRING Singapore. Também participam representantes do Conselho da Indústria Moveleira de Cingapura (SFIC) e de empresas locais do setor. O objetivo da delegação é conhecer o mercado brasileiro e as tendências do setor e discutir possibilidades de cooperação bilateral, seja na simples troca

comercial de móveis, artigos de decoração, componentes e matéria-prima, seja em projetos de desenvolvimento conjunto de produtos, na busca de parceiros para distribuição de produtos brasileiros, até a abertura de lojas brasileiras na Ásia. O comércio total da indústria em 2007 atingiu US$ 2,4 bilhões em exportações, considerando todas as fábricas das empresas de Cingapura espalhadas pela Ásia, e US$ 671 milhões em importações para o mercado interno consumidor de Cingapura, que está em franca expansão. O que, na opinião dos integrantes da missão, pode representar boas oportunidades aos brasileiros.

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

41


Feiras Nacionais

Häfele patrocina ForMóbile

Divulgação/ForMóbile

Presidentes da Häfele do Brasil e da ForMóbile assinam contrato

42

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

A Feira Internacional de Fornecedores da Indústria MadeiraMóveis – ForMóbile 2010, que acontece de 27 a 30 de julho de 2010, no Anhembi, em São Paulo, terá patrocínio exclusivo da Häfele. “A empresa será nossa parceira em todas as ações promocionais da ForMóbile 2010 e estará presente em todas as iniciativas de divulgação da feira, no Brasil e no exterior”, explica o diretor presidente da ForMóbile, Alexandre Barbosa. O patrocínio da feira faz parte da estratégia da empresa para reposicionar e reforçar a marca no país. “Nossa meta é, dentro de dois anos, sermos top of mind no setor de ferragens e acessórios para móveis”, afirma Tomas Drunkenmölle, presidente da Häfele do Brasil. De acordo com informações da Häfele, para reforçar a marca no país o plano será abrangente, inclui a melhoria da estrutura interna da empresa e ações de marketing, e um dos focos são as ações voltadas ao patrocínio da ForMóbile, em outras feiras para o setor moveleiro, além de distribuição de material impresso e eletrônico. A ForMóbile 2010 será realizada em uma área de cerca de 80 mil metros quadrados. Lançamentos de aproximadamente 750 empresas do Brasil e do exterior serão apresentados para um público estimado em 60 mil pessoas.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

43


Feiras Nacionais

Abimad com saldo positivo Por Denise Somera, de Curitiba (PR) Divulgação/Abimad

Feira contabiliza bons resultados e sinaliza retomada dos negócios para o setor

Divulgação/Butzke

Lançamento da Butzke, o conjunto Jacarta foi lançamento na feira

44

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

A segunda edição de 2009 da Feira Abimad, realizada no início de agosto em São Paulo, fechou com números expressivos e dá sinais de recuperação no setor de móveis e decoração. Segundo os organizadores, mesmo com menos expositores que a edição de agosto de 2008, o volume de vendas foi equivalente. “Este ano tivemos um público muito focado, que esteve na feira para fazer negócios mesmo. Nossos associados que não expuseram e visitaram o Pavilhão ficaram impressionados com a movimentação comercial”, conta Patrícia Linhares, gerente executiva da Abimad. Com parceria da Apex Brasil, o Encontro Internacional de Negócios desta edição patrocinou a vinda de 21 compradores provenientes de 13 países (Bolívia, Chile, Colômbia, Egito, Equador, EUA, México, Panamá, Peru, Porto Rico, República Dominica-

Encontro de negócios reuniu compradores de 13 países

na, Uruguai e Venezuela). O encontro teve a presença de 36 fabricantes brasileiros e gerou um volume de vendas diretas da ordem de US$ 701,200 – com projeções de negócios futuros decorrentes, ultrapassando a casa dos US$ 3 milhões. Cada edição da feira trabalha um tema diferente e a edição “de inverno” da Abimad teve o tema “ABIMAD é coisa de cinema”, trazendo para a entrada do Pavilhão Imigrantes o glamour dos bons tempos de Hollywood: calçada da fama, tapete vermelho, covers de artistas consagrados e uma homenagem especial aos 120 anos de nascimento de Charles Chaplin. O desejo da organização foi surpreender os convidados com algo novo e criar novas expectativas para a edição seguinte.

Lançamentos A Butzke, um dos maiores fabricantes de móveis para o lazer da América Latina, lançou na Abimad quatro novos produtos que estarão à venda a partir de agosto: a Linha Jacarta (sofá três lugares, poltrona e mesa/pufe), Cadeira de Balanço Arpoador e a Linha Copacabana (mesa e banquetas altas, para utilização principalmente em pequenas varandas). “Hoje em dia, há uma tendência cada vez maior de o consumidor buscar móveis práticos e versáteis, que podem ser adaptados às novas necessidades que surgem no cotidiano”, acrescenta Michel Otte, diretor da Butzke. A Móveis James também levou para a Abimad dois lançamentos: a Poltrona Ônix e a sala de jantar Dubai, “saídos do forno” e direto para a feira, segundo Jaime Pfutzenreutr, diretor comercial da Móveis James. Para ele, a feira teve resultado positivo, embora menor e com menos circulação, foi possível dar atendimento especial à clientela. “Tivemos uma tranquilidade para trabalhar com os clientes, apresentar os detalhes das novidades e fazer uma boa rodada de negócios”, conclui.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

45


Feiras Nacionais

Design de alto padrão

Divulgação/Casa Brasil

Com estimativa de R$ 195 milhões em negócios, Casa Brasil supera todas as previsões para 2009

Lançamentos A fabricante de móveis planejados, Criare apresentou projetos de cozinha integrada, cozinha gourmeteria, dormitório do casal, dormitório da solteira, home theater e home office. A empresa promoveu um concurso no site da Casa Claudia para definir os seis arquitetos que projetaram os espaços do estande na Casa Brasil. Já a Todeschini lançou uma nova coleção, a Organix, que ressalta as formas curvas da natureza no mobiliário em padrões como de ondas branco ou preto. Entre as principais novidades da coleção 2009 da Favorita estão sete padrões que destacam os tons amadeirados.

Salão Design

46

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Uma feira que apresenta as últimas tendências em decoração e design de móveis de alto padrão, desta forma é definida a Casa Brasil, realizada entre 4 e 8 de agosto, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves (RS). Em sua segunda edição reuniu mais expositores e promoveu valor mais alto de negócios, foram 150 expositores e volume 30% maior que a previsão inicial de R$ 150 milhões, ou seja, a expectativa é que a Casa Brasil tenha movimentado R$ 195 milhões em negócios. Esses são os dados confirmados até o dia 7, que ainda mostraram a participação de cerca de 16 mil visitantes de 14 países. Com esse resultado, a realização da próxima feira prevista para 2011 já está garantida.

Divulgação/Casa Brasil

Cerca de 16 mil pessoas visitaram a Casa Brasil e conferiram as novas tendências em design

Cerca de mil inscritos, de 14 países, participaram do prêmio Salão Design Casa Brasil, realizado há 21 anos pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves – Sindmóveis e considerado um dos mais importantes de design de produtos do mundo e o maior da América Latina. O prêmio é anual e tem como objetivo integrar a criatividade e a inovação tecnológica por meio do design, nas categorias estudante, profissional e indústria. Neste ano teve novidades, os prêmios Madeiras Alternativas e Mérito Social, para incentivar o manejo sustentável de florestas nativas e premiar projetos em parceria com entidades beneficentes. Os 23 projetos escolhidos foram avaliados por um grupo coordenado pelo presidente da Associação Latino-Americana de Design – Aladi, Paolo Bergomi. Parte da comissão julgadora foi formada por Guto Índio da Costa, Ademir Bueno, Bernardo Senna e Maria Helena Estrada. Na avaliação dos jurados, a indústria teve uma participação muito pequena, especialmente os fabricantes de móveis planejados e de estofados, e os designers devem inscrever produtos mais instigantes na próxima edição. Segundo eles, um produto inovador precisa ser viável industrialmente e ter custo competitivo.

O Salão Design premiou 23 projetos, avaliados por designers renomados da comissão julgadora


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

47


Calendário feiras

NACIONAIS 2009 1ª STC – FEIRA DE TAPETES E CARPETES 02/09 a BRASIL 04/09 Local: São Paulo (SP) abric@abit.org.br

SIAD – SALÃO INTERNACIONAL DE ALTA 21/10 a DECORAÇÃO 24/10 Local: Gramado (RS) www.salaosiad.com.br

NACIONAIS 2010 MOVELSUL 22/03 a Local: Bento Gonçalves (RS) 26/03 www.movelsulbrasil.com.br FIQ 13/04 a Local: Arapongas (PR) 16/04 www.fiq.com.br FIEMA BRASIL 27/04 a Local: Bento Gonçalves (RS) 30/04 www.fiema.com.br FEMUR 10/05 a Local: Ubá (MG) 15/05 www.movimentoempresarial.com.br FEMADE 24/05 a Local: Pinhais (PR) 28/05 www.hanover.com.br

48

INTERNACIONAIS 2009 MAISON & OBJET 04/09 a Local: Paris (França) 08/09 www.maison-objet.com

24ª CHINA INTERNATIONAL FURNITURE FAIR 06/09 a (CIFF) 09/09 Local: Guangzhou (China) www.ciff-gz.com

15ª FURNITURE CHINA 09/09 a Local: Xangai (China) 12/09 www.furniture-china.cn

LAS VEGAS MARKET 14/09 a Local: Las Vegas (EUA) 17/09 www.lasvegasmarket.com

ABITARE IL TEMPO 17/09 a Local: Verona (Itália) 21/09 www.abitareiltempo.it INDEX FURNITURE/INDEX OFFICE/INDEX 18/09 a INTER-FURN 22/09 Local: Mumbai (Índia) www.ueindia.com HABITAT VALENCIA 21/09 a Local: Valência (Espanha) 26/09 http://habitat.feriavalencia.com

TOP MÓVEL 25/05 a Local: Fortaleza (CE) 28/05 www.dinamicaeventos.com.br

INTERMOB/WOOD PROCESSING MACHINERY 26/09 a Local: Istambul (Turquia) 30/09 www.intermobistanbul.com

MOVINTER 20/07 a Local: Mirassol (SP) 23/07 www.movinter.com.br

ZOW TURQUIA 01/10 a Local: Istambul (Turquia) 04/10 www.zow.info

FORMÓBILE 27/07 a Local: São Paulo (SP) 30/07 www.feiraformobile.com.br

Z-TEC ISTANBUL – WOODWORKING 01/10 a MACHINERY FAIR 04/10 Local: Istambul (Turquia) www.z-tec.com.tr/en

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

49


Informe

Valorização do capital humano O Grupo Tubform aposta na qualificação de seus colaboradores para continuar crescendo

Destaque para troféu “DEZ 10”: Prêmio de Reconhecimento para os dez colaboradores que fizeram a diferença no ano

Entre as premissas que norteiam o Grupo Tubform, formado pela empresas MadeForm, TubForm e a rede de Lojas Mathias, está a de investir pesado na qualificação e bem estar da equipe de colaboradores. O Grupo é hoje uma das maiores indústrias de móveis do Nordeste e conta com mais de 1.300 colaboradores. “Consideramos o material humano o maior patrimônio de uma empresa e sabemos que o sucesso da empresa depende fundamentalmente da contribuição de cada colaborador”, afirma o diretor presidente do Grupo TubForm, Edvane Matias. Segundo ele, com base nesta premissa, o Grupo vem a cada dia investindo no aperfeiçoamento profissional como estratégia. Também vem melhorando os processos e

capacitando cada vez mais seus profissionais. “Um exemplo prático acontece com os encarregados da produção, através do programa PDL (Programa Desenvolvendo Líderes). Neste programa de educação contínua, não trabalhamos somente a formação de líderes, mas o despertar da necessidade de auto avaliação e aprendizado constante”, descreve Mônica Matias, diretora de Gestão de Pessoas do grupo. Outra política de Recursos Humanos é a de valorizar o primeiro emprego, tanto que 40% dos funcionários do grupo atualmente são estreantes na vida profissional. “Atuamos também através de parcerias com instituições como a Fundação Edvane Matias e SENAC”, acrescenta. As empresas do grupo também investem em cursos técnicos, de graduação e mesmo de especializações para seus colaboradores, que recebem bolsas para cursos de graduação em contabilidade, técnico de segurança do trabalho e brigada de incêndio, dentre outros. Investem ainda na participação em feiras, palestras e convenções. “Periodicamente enviamos colaboradores nossos a feiras e palestras em todo país e exterior, além de realizarmos duas grandes convenções anuais”, enumera Mônica Matias. Já o curso de informática avançada é direcionado a toda a equipe administrativa e encarregados de produção. Outro grande destaque na política de valorização dos colaboradores é o Programa DEZ DEZ, que premia os dez melhores funcionários do ano. Para os diretores do Grupo, o processo de qualificação contínua, faz com que os colaborados tenham mais motivação, espírito de vencedor e persistência frente a obstáculos. Motivados, os colaboradores também desenvolvem melhor seus planos para realização de objetivos pessoais e profissionais e melhoram os relacionamentos interpessoais. “Tudo isso gera aumento do desempenho profissional e provoca mudança de paradigmas, além de refletir em maior qualidade no atendimento e na fabricação dos produtos da linha Tubform e Madeform”, reconhece Edvane Matias. Fotos: Divulgação/TubForm

PDL desperta auto avaliação e aprendizado constante nos encarregados da produção

50

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Treinamento com tática de guerrilha para a equipe


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

51


Design

Tendência e funcionalidade Por Denise Somera, de Curitiba (PR)

Divulgação/Tok&Stok

Como a tecnologia e o design impulsionaram a mudança de móveis para cômodos menores

Divulgação/Tok&Stok

Tok Stok: 28 lojas no Brasil e móveis fáceis de transportar e montar

52

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

A configuração dos cômodos numa casa contemporânea não é a mesma de um ambiente projetado há 30 anos. Funcionalidade, lazer, integração e convivência da família são consideradas prioridades hoje em dia, acompanhando tendências e mudanças que ocorrem na velocidade da internet. Os desejos de consumo aliados à praticidade dão uma nova cara ao ‘lar doce lar’, mudam tamanho de cômodos, configuração e função dos móveis, além de trazer beleza e personalidade aos ambientes. A produção do mobiliário atualmente precisa preencher inúmeros pré-requisitos das novas necessidades: montagem facilitada, tecnologia em acabamentos, ferragens e mecanismos, sem contar a importância do design e tendências do mercado. “Antes, levava quase cinco anos para que o novo do design e da tecnologia chegasse ao Brasil.

Eduardo Coutinho, coordenador de tendências da Tok Stok: “Somos uma equipe de 45 profissionais internos e 600 forncedores exclusivos”

Hoje em cerca de seis meses o público A e B já consegue consumir”, explica Edson Coutinho, coordenador de tendências da Tok Stok. As transformações dos hábitos familiares também impulsionam mudanças. “Hoje em dia as famílias estão menores, as mães trabalham e passam menos tempo com os filhos, não se recebe tantas visitas quanto antigamente. Os ambientes precisam ser úteis para todos da casa e, se possível, integrados, para que todos passem mais tempo juntos”, explica a designer Daniela Ferro Gil, da Asa Design. Desenvolvendo produtos para indústrias do setor moveleiro, a designer pesquisa além de materiais, formas e revestimentos, as tendências de consumo do público e as mudanças nas configurações dos ambientes.

Soluções inteligentes A valorização da criação brasileira é uma das assinaturas da Tok Stok, que prioriza produtos de soluções inteligentes. “Queremos móveis desmontáveis, de fácil transporte, o que nos diferencia no mercado e é um desafio para a equipe que vai desenvolver o móvel”, explica Edson Coutinho. Com o objetivo de colocar no mercado produtos dentro das tendências e atendendo as necessidades do cliente, uma equipe de 45 pessoas trabalha para que os 28 pontos de venda no Brasil (nas principais capitais do país) tenham lançamentos diários. “A gente lança em torno de 10 produtos por dia. A moda para casa e a cartela de cores, demoram em torno de dois a quatro anos para mudar, diferente da moda para o vestuário”, exemplifica. Levando assinatura de designers renomados no mercado nacional, a Tok Stok possui 600 fornecedores exclusivos que produzem todo seu material. Trabalhar com design assinado é um dos princípios da empresa. “Um produto nem sempre precisa ser mais caro por ter assinatura de um designer. Com a assinatura ele chega resolvido para o consumidor”, revela o coordenador de tendências, destacando


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

53


Divulgação/Tok&Stok

que “60% da produção da Tok Stok é feita pela equipe de designers da empresa, que possui designers”. Pesquisa do mercado consumidor e uma busca constante de soluções disponíveis que simplifiquem seus produtos. É desta maneira que a empresa conseguiu se diferenciar no mercado de móveis, caindo no gosto de quem quer um produto de qualidade, moderno e com preço justo. E sem uma fábrica própria, o que é interessante ressaltar. “Nós compramos produtos prontos do designer, que desenvolve o material no chão de fábrica a partir da tecnologia da indústria, criando depois viabilidade técnica e de custo. Nós compramos o produto pronto e não a ideia”, destaca.

Mudança dos produtos

Tok Stok oferece móveis fáceis de montar, com design assinado e preço acessível

Antes, os sofás eram vendidos em jogos de um, dois e três lugares, com encostos de cabeça mais altos, profundidade do assento reduzida, além da combinação do tecido entre as peças. O produto fabricado hoje e que caiu no gosto do consumidor é completamente diferente e, segundo a designer Daniela Gil, os produtos sofrem a “ditadura do conforto”: o sofá hoje precisa oferecer tudo. “O mobiliário evoluiu bastante e foi atendendo a demanda que é sempre crescente. Hoje, por exemplo, quando o consumidor vai procurar um sofá, ele quer que tenha chaise longue, coisa que há 15 anos não se encontrava no mercado. Este sofá tem, além desta possibilidade de ser ampliado, um encosto de cabeça que é regulável, trazendo conforto na hora de ver um dvd”. A tecnologia empregada nestes mobiliários é fundamental para exercer tais funções hoje em dia. “Os mecanismos do sofá avançaram bastante, dando novas possibilidades na hora de criar. Empregamos tecnologia para desenvolver um produto que reclina em determinado local, que ‘esconde’ parte do sofá em outro, dando oportunidade para produtos robustos em ambientes reduzidos”, detalha Daniela.

Desta maneira, as salas ganham outra configuração. A estante – que antes abrigava livros e porta-retratos, além dos aparelhos eletrônicos – deu lugar ao rack, que possui linhas minimalistas, é mais funcional e tem um apelo estético grande. Conforme a designer, como a televisão e o aparelho de dvd são mais finos e o aparelho de som foi substituído pelo home theater, criou-se a possibilidade de um espaço de linhas mais leves. “O sonho de todas as famílias é ter ambientes maiores, mas não é o que vemos no dia-a-dia. Desta maneira, o ambiente e seu mobiliário precisa aliar conforto, beleza e funcionalidade, aproveitando ao máximo os espaços. Ninguém mais quer um ambiente que não tem utilidade no dia-a-dia, como eram antigamente as chamadas ‘salas de visita’”, explica Daniela. Para entender esta nova tendência de desenvolvimento de produto é necessária muita análise de comportamento do consumidor, a evolução da tecnologia, além das mudanças nas configurações das famílias, espaços disponíveis para mobiliário e a funcionalidade, essencial nos itens que compõe a casa atualmente.

SUSTENTABILIDADE É TENDÊNCIA EM MILÃO A designer de interiores Silvia Grilli proferiu em Curitiba palestra para empresários do setor moveleiro, promovida pelo Sindicato da Indústria do Mobiliário e Marcenaria do Paraná (Simov) em parceria com o Conselho Setorial da Indústria Moveleira da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). Mostrando as tendências apresentadas no iSaloni 2009 (Salão Internacional do Móvel) em Milão, na Itália, a designer contou que sustentabilidade foi o grande tema do evento. “Com menos madeira sendo ofertada no mercado, os revestimentos que a imitam, tanto em textura como visualmente, ganham destaque”. De acordo com Silvia, o conceito no design de móveis apresentado em Milão se traduziu na experimentação de materiais e novas propostas, como o uso racional

54

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

dos recursos naturais e a alta utilização de materiais ecocompatíveis. “Aproveitamento de espaço, eletros escondidos, formas orgânicas e aspectos da natureza também são destaques”. Segundo a designer, outra tendência visível na última edição do Salão foi a busca das indústrias moveleiras por elementos artesanais em suas linhas: “A gente pode explorar mais esse aspecto de marcenaria aqui no Brasil”, observa a designer.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

55


Design | Entrevista

Novo nicho de mercado Divulgação/Design to Business

Por Denise Somera, de Curitiba (PR)

O design de serviços surge como solução num mercado cada vez mais voltado a experimentação MÓVEIS DE VALOR Qual é a definição para Design de Serviços? JAMES SAMPERI,

designer de produtos e sócio da consultoria britânica Engine

Em comemoração os 10 anos de fundação, o Centro de Design Paraná, com apoio da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e da Universidade Positivo, promoveu no dia 4 de agosto em Curitiba (PR), o 12º Seminário Design to Business. O evento, que teve patrocínio da Impress Décor, abordou o design de serviços e contou com duas palestras: uma para empresários convidados e outra para estudantes e profissionais. Mas o que é design de serviços e qual sua importância? Para o designer James Samperi, sócio da inglesa Engine, e que palestrou no Design to Business, essa nova vertente do design surgiu da mudança de perspectiva de quem oferece serviços. O conceito está na melhoria dos serviços prestados, desenvolvendo projetos que aperfeiçoam fatores como a facilidade do uso, a satisfação, a fidelidade e a eficiência, passando ainda por questões como o meio ambiente, a comunicação e os produtos, sem esquecer as pessoas que entregam ou ofertam o serviço. Confira um trecho da entrevista que Samperi concedeu à equipe da MVTV. Para assistir a entrevista na íntegra, acesse: www.mvtv.com.br/videoteca

56

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

JAMES SAMPERI Nós descrevemos design de serviços como a forma de usar técnicas do design para resolver problemas e serviços das organizações. O objetivo é ajudar clientes a fazerem da compra um momento a ser desfrutado, um momento de prazer.

MÓVEIS DE VALOR O que as pessoas buscam hoje em dia em seu momento de compra e no que o design de serviços pode ajudar? SAMPERI O design de serviços é uma maneira de ajudar as pessoas a consumir, o que elas já estão fazendo agora. O interessante é que se paga muito mais para ter experiências, ter vantagens sobre um serviço, porque os serviços estão em um lugar de destaque na vida das pessoas. Hoje compramos menos, porém consumimos mais do que estávamos acostumados, e isso traz impacto à nossas vidas e ao ambiente.

MÓVEIS DE VALOR Qual a diferença entre o designer de serviços e o consultor de negócios, por exemplo? SAMPERI O consultor de bussiness (ou negócios) é mais focado nos processos e na realidade das organizações. Normalmente buscam formas da empresa se mostrar mais ou de ser mais eficiente. Já o designer de serviços opera diferente, ele começa no cliente. Ele busca traduzir a experiência do cliente e tenta fazer com que estas experiências sejam entregues a eles, focando nas pessoas. Nós começamos na pessoa, com o cliente, enquanto eles – os consultores – começam com a organização.

MÓVEIS DE VALOR Que tipo de formação um designer de serviços deve ter? SAMPERI Design de serviços é um mix de diferentes disciplinas, você pode vir de uma formação gráfica, de uma gerência de design ou de gerência de negócios. O truque é entender como todas estas coisas funcionam juntas.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

57


Polo Moveleiro

ª Mostra de Móveis de Ubá Realizado em Vila Velha (ES), evento movimentou R$ 3 milhões em negócios

Divulgação\Intersind

A 3ª edição da Mostra de Móveis movimentou mais de R$ 3 milhões em negociações

O Polo Moveleiro de Ubá (MG) promoveu entre os dias 20 e 21 de julho, a terceira edição da Mostra de Móveis. O evento, que contou com a participação de 25 empresas, foi realizado em Vila Velha, no Espírito Santo. O objetivo da mostra é oferecer aos lojistas da

região um canal de vendas diferenciado, capaz de atingir lojas de todos os portes, incluindo àquelas que não participam das feiras. Ao invés de realizar o evento na capital Vitória, o pólo moveleiro deu preferência à Vila Velha, considerada a cidade com maior porte do Espírito Santo, realizando a mostra no Centro de Convenções, no coqueiral de Itaparica. Organizada pelo Intersind e o Sistema Fiemg, através do Instituto Euvaldo Lodi (IEL/MG), a terceira edição da Mostra teve também o apoio do Sebrae/MG. A participação ativa dos lojistas movimentou o evento, que teve mais de R$ 3 milhões de negócios gerados. “A mostra nos possibilitou apresentar tudo o que trouxemos de novo, de forma direta, simples e com qualidade nos eventos promovidos”, disse Adenilson Rodrigues, diretor comercial da Nova América Estofados. Considerada em fase de expansão, a Mostra de Móveis do Polo Moveleiro de Ubá teve um público superior às outras edições, tornando-se cada vez mais conhecida pelos seus públicos que aguardam a chegada do evento à região. Nesta edição participaram as empresas: Benetil, Boareto, Carioca, Cel, Greice, Helmix, Itatiaia, J.C.M., Josep, L.J., Lopas, Lufer, Mademarques, Mademóveis, Matos e Lopes, Modecor, Móveis Eco, Móveis WW, Nova América, Novo Horizonte, Palmeira, Silmag, Sol, Tcil e Thamig. As empresas levaram para a cidade um mix completo de móveis, como estofados, dormitórios, móveis tubulares, cozinhas, salas de jantar, salas de estar, estantes, racks, mesas para computador, entre outros.

FÓRUM REÚNE EMPRESÁRIOS EM ARAPONGAS Realizado no dia 17 de julho, em Arapongas (PR), o Fórum Setorial Moveleiro organizado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), apontou as maiores dificuldades enfrentadas pelo setor atualmente. Segundo os empresários, as principais dificuldades são: a questão tributária e a concorrência com as microempresas; a informalidade; a concorrência de outros estados e os produtos asiáticos; além da falta de uma marca forte e de uma cultura de valorização do móvel por parte do usuário. A baixa representatividade do setor perante o Legislativo e o Executivo para conseguir benefícios foi bastante enfatizada, já que os moveleiros aguardam resposta para a reivindicação de redução de IPI apresentada ao governo federal em junho. A proposta de redução de IPI para móveis de madeira é de 5% para zero, e para painéis de madeira e estofados de 10% para zero. O diretor-executivo do Sindicato das Indústrias Moveleiras de Arapongas (Sima), Silvio Luiz Pinetti, comenta que a redução

58

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

do IPI para os eletroeletrônicos prejudicou o setor moveleiro. “O consumidor prefere comprar um eletrodoméstico, que ficou mais barato por conta do incentivo do governo, do que investir na compra de um móvel”. Já o presidente do Simov, Aurélio Sant’anna destacou a importância de uma marca forte. “Temos que agregar valor ao móvel e oferecer um diferencial para competir com outros estados e com os chineses”, alertou.

A baixa representatividade do setor para conseguir benefícios do governo foi debatida no Fórum


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

59


Polo Moveleiro

Biomóvel formaliza parcerias Divulgação\MVTV

Evento realizado em julho promoveu parceiros e o lançamento de novos projetos vinculados ao selo O APL Móvel do Planalto Norte Catarinense reuniu, em julho, em São Bento do Sul (SC), parceiros e fabricantes integrantes do projeto Biomóvel. O evento marcou a assinatura do contrato de pa-

trocínio ao selo das empresas Battistella, Aracruz, Tecmatic SCM Group e Comfloresta. Como parte do projeto de divulgação do Biomóvel, 11 empresas do APL apresentam os produtos Biomóvel no Salão Abimóvel, fei- A equipe da MVTV acompanhou o evento. Na ra que acontece entre foto, entrevista com o diretor da SCM Tecmatic 17 e 21 de agosto no Group,Marcos Muller Anhembi em São Paulo (SP). Lançado em 2008, o selo Biomóvel, inédito no Brasil e exclusivo das empresas do APL Móvel do Planalto Norte Catarinense, é uma nova cultura na produção de móveis, utilizando somente madeira renovável, tecnologia limpa e materiais não nocivos ao meio ambiente ou à saúde do consumidor.

INVESTIMENTOS EM POLOS MOVELEIROS Divulgação\Sismat Assessoria

O governo do Estado do Acre está investindo cerca de R$ 2 milhões na construção da estrutura do polo moveleiro de Cruzeiro do Sul, segundo maior município do Estado do Acre, localizado na Presidente do Imac, Cleísa Cartaxo conregião do Juruá. O versa com moveleiros de Cruzeiro do Sul investimento envolve a construção de uma sede administrativa e a aquisição de equipamentos comunitários, como caminhões, instrumentos básicos de marcenaria, afiação e estufas. De acordo com informações do jornal Correio do Juruá o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), em parceria com a Secretaria de Florestas (SEF), está promovendo o licenciamento ambiental para possibilitar o abastecimento das fábricas com madeira legalizada, fornecidas principalmente por projetos comunitários. Além disso, os empreendedores foram capacitados para trabalhar de acordo com o Documento de Origem Florestal (DOF), licença obrigatória do Ministério do Meio Ambiente para o controle do transporte de produ-

60

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

to florestal de origem nativa. Com a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta os empreendedores assumiram uma série de compromissos e passaram a receber o apoio do governo estadual na implantação do pólo moveleiro. Já o Pólo Moveleiro de Itabuna, localizado na região Sul da Bahia, deve receber a implantação de galpões no centro industrial para 34 empresas já filiadas a Associação Itabunense de Marceneiros, Carpinteiros e Moveleiros (Aitamovel). Ainda faz parte do projeto a produção de um showroom, que deverá funcionar como uma exposição permanente dos móveis fabricados da região. O investimento é resultado da parceria entre o governo municipal, o Sebrae e a Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Sudic). Outro exemplo de investimento, mas com foco na preservação ambiental, está no município de Ubá (MG), que com o cultivo de eucalipto pretende tornar o polo moveleiro da cidade independente na produção de chapas de MDF. De acordo com o Portal Click, o projeto da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia e a Universidade Federal de Viçosa (FV), em parceria com as indústrias moveleiras prevê o cultivo de 2.500 hectares de eucalipto. O projeto pretende beneficiar 410 empresas da região, que geram 10 mil empregos diretos e 20 mil indiretos. A primeira etapa já começou, em uma área de dois hectares com 2.500 mudas de espécies nativas de Mata Atlântica. O projeto deve contemplar ainda outras 20 áreas desmatadas.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

61


APOIO:

Sustentabilidade

Descarte consciente Por Keila Marques, de Curitiba (PR)

Arquivo

Logística reversa propõe além da destinação final de produtos consumidos, a revenda de mercadoria com pouco uso A reciclagem do lixo e o tratamento de resíduos industriais contribuem para a diminuição do impacto ambiental, mas não resolvem outro problema: aonde descartar produtos que não tem mais validade? E mais, o que fazer com produtos com pouco ou sem uso? A resposta está na logística reversa, responsável pela reinserção de produtos sem uso ou com pouco uso no mercado ou dar destinação final a um produto com vida útil esgotada ou considerado sem utilidade por seu primeiro comprador. Nesse sentido, o governo federal criou um programa que prevê a troca de 10 milhões de geladeiras com mais de 10 anos de uso, que emitem o gás CFC (clorofluorcarbono), por modelos mais econômicos. O programa envolveria indústrias, lojas, distribuidoras, em-

62

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Paulo Leite, do CLRB: “A logística reversa pode aumentar a competitividade, reduzir custos e fidelizar clientes”

presas de transporte e reciclagem. Além da redução de poluentes na camada de ozônio, o programa tem como meta o aumento do consumo por meio de um acordo com a indústria para a produção de geladeiras de R$ 500. Procurada pela reportagem da Móveis de Valor, o Ministério de Minas e Energias afirmou que o lançamento do programa, previsto para o segundo semestre de 2009, não deve sair antes do final do ano. A mudança ocorreu em razão da redução do IPI para eletrodomésticos, além da crise financeira internacional que está afetando a receita do governo. Outro problema revelado pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), é a dificuldade de recolher as geladeiras antigas e dar uma adequada destinação à elas, “para não se transformarem em ar condicionado no mercado paralelo e gastar ainda mais energia elétrica”, resumiu o presidente da Abinee, Humberto Barbato.

Logística reversa Segundo o presidente do Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB), Paulo Roberto Leite, uma parcela dos produtos que vão para o mercado retorna mesmo antes de ser consumida por diversos motivos: defeitos, entrega errada ou insatisfação do consumidor. A logística reversa promove liquidações ou pontas de estoque para revender esses produtos na própria loja ou até mesmo em assistências técnicas. Por outro lado, os produtos e embalagens consumidos que já atingiram o fim de vida útil podem ser reaproveitados com a finalidade de amenizar impactos ambientais, tornando as fabricantes responsáveis pela destinação final. “A logística reversa é uma estratégia para o fabricante, ele pode fortalecer sua parceria com o consumidor, reutilizar partes de produtos retornados e reforçar a imagem corporativa da empresa”, afirma Leite. Os benefícios se estendem ao lojista, que evita estoques desnecessários e de alto custo, aumenta o espaço na loja para novos produtos e permite mais


Divulgação/Móveis Gazin

flexibilidade ao cliente no serviço de troca e devolução. “Se bem aplicada, a logística reversa poderá oferecer aumento de competitividade através da redução de custos ou da diferenciação no mercado e fidelização de clientes”, afirma Leite.

Abrangência De acordo com o presidente do CLRB a logística reversa de pós-venda tem conquistado o interesse de empresas em diversos Móveis Gazin revende produtos com pouco ou sem uso na assistência técnica, com 40% de desconto setores, com mais ênfase em serviços de mento sobre o processo e os benefícios. “Outros empecilhos assistência técnica e no e-commerce. “Com algumas raras podem diminuir o interesse à adoção da logística reversa exceções, os setores de logística reversa de pós-venda por como, legislações restritivas ao reaproveitamento e às openecessidade mais imediata e satisfação de clientes são os rações de retorno em geral e adaptação do produto para que mais têm investido em boas práticas”, afirma Leite. Ele tornar o retorno e seu reaproveitamento menos oneroso”, conta que o retorno no e-commerce representa uma parcela relata Leite. Outro fator que pode causar desistência por importante no mercado, que cresce mais de 30% ao ano no parte do fabricante é o valor agregado do produto, Brasil. “O retorno de e-commerce é de 5 a 10% do justamente por isso a eficiência da logística que vai para o mercado”, afirma Leite. A Móveis reversa de pós-consumo é muito variável. Gazin, rede varejista com sede em Douradi“O alto valor induz a maior procura para na (PR) e mais de 150 lojas nos estados equacionar o retorno, ao contrário de do Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso produtos ou materiais de baixo valor do Sul, Acre, Rondonia, Amazonas, agregado, às vezes a eficiência é tão Bahia e Rio Grande do Sul revende baixa que acabam sendo descartaprodutos trocados por meio da dos na natureza”, explica. assistência técnica, para lojas de usados ou direto ao consumidor, com 40% de desconto. “É mais um benefício para o consumidor porque FÓRUM INTERNACIONAL DE para nós não traz lucro nenhum, mas não tem como viver sem isso, faz parte LOGÍSTICA REVERSA da dinâmica da loja”, afirma o proprietário da empresa, Mário Gazin, lembrando a tentaO CLRB recebeu mais de 180 profissionais tiva da empresa de providenciar a destinação final no I Fórum Internacional de Logística Reversa, de geladeiras que foi invibializada pelo custo. realizado em maio deste ano, em São Paulo (SP). O Outro exemplo que destacamos é o da Móveis Candieiro, evento apresentou cases e pesquisas, além de palesde Jundiaí (SP) que, em parceria com a entidade social Protras com ministrantes nacionais e internacionais que jeto Cuidar, incentiva o comprador a doar seu móvel usado, agregaram conhecimentos e importantes práticas em fornecendo o transporte até uma comunidade carente. Mais Logística Reversa. A pesquisa Políticas de logística um caso que vale citar é do Grupo Telefônica, que no final de reversa em empresas que atuam no Brasil, realizada 2008 criou uma divisão para centralizar a logística reversa nas pelo CLRB com 188 companhias, foi apresentada no empresas do grupo, Telefônica, Terra e Vivo. De acordo com a evento. O resultado mostrou que entre os produtos notícia da Agência Estado, por mês a empresa chega a arrecadar vendidos no Brasil, 10% retornam para as empresas 76 mil aparelhos obsoletos e com defeitos, retirados das casas e em metade dos casos de devolução os consumidode clientes e em empresas. Os itens passam por avaliação res são atendidos em até uma semana. A pesquisa e, conforme a condição, são consertados ou encaminhados mostrou ainda que o custo do retorno é maior do que para empresas que realizam a reciclagem dos componentes. A a quantidade de itens devolvidos, mas a maior parte empresa afirma que a divisão de logística reversa ainda não é das companhias brasileiras ainda não avalia devidalucrativa, mas que em breve deve trazer resultado econômico, mente este valor. O II Fórum Internacional de Logística pois o controle maior do descarte desses aparelhos pode se Reversa CLRB está previsto para maio de 2010. tornar um diferencial competitivo no mercado. Segundo o professor do CLRB, a maior dificuldade em adotar práticas de logística reversa está na falta de conheciMÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

63


Observatório da Indústria

Com os olhos no Brasil Por Keila Marques, de Curitiba (PR)

Divulgação/Artefama

Artefama investe em móveis com design inovador e ambientalmente corretos para conquistar o mercado nacional

O objetivo da Artefama é atingir 25% do faturamento com vendas no Brasil

EMPRESA: Indústrias Artefama S/A FUNDAÇÃO: 10 de fevereiro de 1945 LOCALIZAÇÃO: São Bento do Sul (SC) ÁREA: Área total: 160 mil m2 Área construída: 50 mil m2 FUNCIONÁRIOS: 945 PRODUTOS: salas de jantar, estantes, racks, poltronas

64

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Experiência, talento no trabalho com a madeira e seriedade nas relações comerciais são atributos definidos como fundamentais na gestão da Artefama, de São Bento do Sul (SC), para se manter no setor moveleiro por 64 anos. “E agora toda essa bagagem profissional está à disposição do mercado nacional. Desde o ano passado, a Artefama vem estudando este mercado e realizando um planejamento para destinar uma parcela de sua produção ao Brasil”, afirma o gerente-comercial da empresa, Ângelo Luiz Duvoisin. Ele conta que a empresa visualizou uma oportunidade de negócios na produção de móveis com apelo em design, alta qualidade e visão ambiental. “Além de desenvolver móveis destinados exclusivamente ao consumidor brasileiro, estamos fazendo parcerias com lojistas para comercializar os produtos da empresa nos principais

mercados nacionais”, ressalta Duvoisin. O objetivo é atingir 25% do faturamento com as vendas para o mercado interno, no prazo de dois anos. A Artefama vem investindo fortemente em design e produtos ecologicamente corretos. Para isso, a empresa estabeleceu parcerias com escritórios de design e com o designer Marcelo Rosenbaum, que está desenvolvendo linhas exclusivas para o mercado nacional com lançamento previsto entre agosto e setembro. O objetivo é oferecer produtos que unam beleza, funcionalidade e durabilidade, dentro do conceito de sustentabilidade que caracteriza o selo Biomóvel. A Artefama faz parte das empresas do Arranjo Produtivo Local Móveis do Planalto Norte Catarinense que produzem com exclusividade produtos com o selo Biomóvel, lançado no final de 2008. O Biomóvel tem como finalidade a diminuição dos impactos ambientais em todas as fases do ciclo de vida do produto e, de acordo com o gerente comercial da empresa, está sendo muito bem recebido pelos lojistas brasileiros. “Além de oferecer um atrativo comercial muito grande, é importante destacar a seriedade com que esse selo vem sendo aplicado, batizando produtos realmente baseados no conceito da sustentabilidade”, enfatiza Duvoisin.

Qualidade A Artefama é uma das maiores exportadoras de móveis do Brasil e atende mercados onde qualidade e prazo de entrega são altamente rigorosos. Para atender estas e demais exigências, a empresa trabalha sob o sistema de gestão de qualidade ISO 9001:2000 e pelo programa Lean Manufacturing, focado na redução de desperdícios. Divulgação/Artefama

Entre os produtos biomóvel está o rack Ravenna, desenvolvido pelo escritório Asa Design


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

65


Observatório da Indústria

Ambientalmente correto Por Keila Marques, de Curitiba (PR)

Cimol lança selo que evidencia o comprometimento da empresa com a preservação da natureza Divulga ção/Cim ol

O selo ambiental da Cimol vai aparecer em embalagens, catálogos e mostruários

EMPRESA: Indústria e Comércio de Móveis Ltda (CIMOL) FUNDAÇÃO: abril de 1991 LOCALIZAÇÃO: Linhares (ES) ÁREA: Área total: 16 mil m² Área construída: 9,5 mil m² FUNCIONÁRIOS: 150 PRODUTOS: camas, criados e cômodas e sala de jantar

66

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

A Cimol, fabricante de móveis para dormitórios e salas, com sede em Linhares (ES), lançou no mês de julho um selo ambiental para evidenciar a preocupação da empresa em diminuir impactos ao meio ambiente. De acordo com o gerente comercial da empresa, Vitor Guidini o selo será impresso em embalagens de produtos, estandes em feiras, displays em pontos de vendas, mostruários, anúncios e catálogos. “O selo está sendo divulgado entre os nossos clientes, eles acharam a idéia muito boa e apoiaram a iniciativa”, afirma Guidini. O lançamento do selo faz parte do início de uma gestão ambiental na Cimol, que aos poucos está se fortalecendo. Atualmente a empresa emprega o controle de emissão de agentes poluentes, a coleta seletiva e a destinação correta de resíduos. Além disso, somente madeira de reflorestamento é utilizada na fabricação dos móveis, que são 100% em MDF. “Nosso objetivo é produzir móveis de qualidade com um processo

que reduza cada vez mais a agressão do meio ambiente, e o selo é uma prova disso”, confirma Guidini.

Responsabilidade A Cimol desenvolve um projeto de responsabilidade social denominado ‘Viver Cimol’, com o objetivo de promover a qualidade de vida no trabalho, na família e na comunidade. Faz parte do programa o Cimol Doação Comunitária e o Viver Cimol com Saúde, projetos de atendimento à comunidade e aos funcionários. Estão entre as ações do projeto, a doação de alimentos e brindes para festas juninas de centros de educação infantil e a promoção de campanhas de vacinação contra a gripe para funcionários e a comunidade. A Cimol ainda tem dois programas para funcionários. O Preserve a Vida – não desperdice – promove palestras sobre a importância da preservação de equipamentos, máquinas, ferramentas e peças da empresa. Já no programa Alimentação Saudável uma nutricionista passa orientações e enfatiza a importância do hábito alimentar adequado em casa e no trabalho.

Lançamentos Com novas cores a Cimol participa do Salão Internacional de Vendas e Exportação de Móveis - Salão Abimóvel, que acontece entre 17 e 21 de agosto no Anhembi Parque, em São Paulo (SP). O gerente comercial da empresa explica que a Cimol está se adaptando à tendência de novas cores do mercado. “Vamos lançar as combinações de branco com preto e castanho com preto para a linha de dormitórios. Essas combinações já estão em um conjunto de móveis para sala”, explica Guidini. Divulgação/Cimol

O programa Alimentação Saudável está entre os projetos da Cimol


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

67


Panorama Eletro

ASPIRADOR QUE ELIMINA IMPUREZAS DO AR A Arno lança o Compacteo 1600W, um aspirador de pó que promete eliminar 99% das impurezas do ar, graças à implantação do filtro Hepa, retirando do ar os ácaros e outras substâncias nocivas à saúde. Outra novidade é o botão “Parquet”, desenvolvido especialmente para limpeza dos pisos em madeira, mármore e porcelanato, que necessitam de um cuidado especial na hora da limpeza. no /Ar ção lga u v Di

GELADEIRAS FUNCIONAIS E MODERNAS

Divulgação/Electrolux

A Electrolux lança uma categoria de refrigeradores batizada de Linha Electrolux Infinity. Considerada de maior capacidade na categoria frost free (550 litros), o Ice Maker, o Espaço Express e o Intelligent Sensor. O Ice Maker produz gelo automaticamente, sem a necessidade de conexão com a rede hidráulica da cozinha. O Espaço Express promete ser a solução para quem precisa gelar bebidas ou sobremesas rapidamente. E o Intelligent Sensor regula automaticamente a temperatura do freezer e do refrigerador conforme a temperatura ambiente. A linha possui um painel tecnológico, que aciona funções por meio de um leve toque dos dedos.

ROUPAS LIVRES DE ODORES A Brastemp acaba de lançar o Brastemp Prêt-à-Porter, que por meio de vapor d’água desodoriza e tira o amassado de roupas usadas, sem o uso de produtos químicos e evitando lavagens repetidas, deixando as roupas novas por muito mais tempo. Super compacto, pode ser usado dentro do quarto e guardado no próprio armário ou debaixo da cama quando fechado. Tem a opção “secagem delicada” e “esfriamento”. p /Brastem Divulgação

LIXO COMPACTADO FOGÃO HI-TECH Div ulg açã o/E lec tro lux

O cooktop Portátil por Indução, da Electrolux, atende ao desejo de quem prepara uma refeição para os amigos e não quer perder o papo: pode ser levado para mesa como uma “chama portátil”, cozinhando risotos, fondues ou até paellas sem que o anfitrião deixe seus convidados esperando. Acionado por sofisticado mecanismo digital, o aparelho funciona à base de indutores eletromagnéticos que promovem o aquecimento somente da panela, único meio a gerar calor. A indução permite resposta imediata e grande precisão no cozimento, além de maior segurança e conforto na cozinha, uma vez que a mesa vitrocerâmica não fica superaquecida. 68

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

Um produto muito comum nos Estados Unidos chega ao Brasil para revolucionar a cozinha: o compactador de lixo k8A15 da KitchenAid. Ecologicamente correto e funcional, o aparelho consegue compactar o volume do lixo em até 80%, fazendo com que ocupe muito menos espaço e evitando odores indesejáveis. Com capacidade de 40 litros, o compactador tem ainda um sistema de isolamento de som, para que o barulho da compactação não atrapalhe Div as funções na ulg açã o/ Kit cozinha. ch e nA id


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

69


Panorama da Indústria

BOM SINAL PARA A ECONOMIA Segundo o relatório da Focus divulgado pelo Banco Central (BC) o mercado melhorou a previsão para o desempenho da economia brasileira em 2009. No entanto, as estimativas de inflação deste e do próximo ano foram elevadas. As instituições financeiras consultadas pelo BC esperam retração de 0,34% do PIB neste ano. Para 2010 a projeção continua sendo de crescimento de 3,5% da economia. Já a previsão de juro básico para o final de 2009 foi mantida em 8,75% ao ano e em 9,25% no encerramento de 2010.

ENSINO A DISTÂNCIA NO VAREJO A educação a distância está conquistando cada vez mais seguidores no Brasil e no mundo todo. O sistema educacional possibilita ao aluno estudar no seu horário, participar de aulas multimídia e receber orientação de tutores que além de colaborar com o acesso ao curso, sugerem leituras de apoio, esclarecem dúvidas e avaliam as atividades propostas. Outra vantagem está na redução de custos, tanto que muitas empresas optam pela educação a distância para eliminar gastos com locomoção e reduzir o período que o funcionário levaria até uma faculdade. Com foco nesse novo nicho, a Móveis de Valor TV (www.mvtv.com.br) desenvolve o curso SuperGerente, para gerentes de lojas que procuram se qualificar ainda mais no mercado de trabalho. O curso é transmitido todas as segundas-feiras no site da MVTV e, além da vídeoaula, o aluno tem acesso ao complemento do curso na página do SuperGerente. A boa aceitação da iniciativa da MVTV mostra o alcance do ensino a distância no setor moveleiro. Por isso, em breve a MVTV vai promover um curso só para marceneiros. Aguardem!

70

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

EXPORTAÇÕES DE ALTA FLORESTA EM QUEDA O volume de produtos comercializados pelas indústrias de Alta floresta (MT) no mercado internacional entre janeiro a maio de 2009 foi 48,12% menor frente ao mesmo período do ano passado. Os embarques que em 2008 totalizavam mais de 8 milhões de dólares fecharam em 4,3 milhões de dólares no período, segundo o Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. Os maiores consumidores da matéria-prima de Alta Floresta foram os Estados Unidos, que importaram 2,3 milhões de dólares, já o Canadá importou 703 mil dólares e a Espanha 424 mil dólares.

QUEDA TAMBÉM NA EXPORTAÇÃO DE MADEIRAS No primeiro semestre deste ano houve uma queda de 43% no volume de exportação de produtos de madeira no país, em comparação com o ano passado. Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias da Madeira do Estado do Paraná, Jorge Valentin Camilotti, neste período a empresas paranaenses demitiram 6% do quadro de funcionários. No Paraná, a queda nas vendas do conjunto dos segmentos do setor madeireiro nos últimos 20 meses foi de 54%. Dois fatores são determinantes para a queda: a cotação baixa do dólar e a queda nos preços da madeira no mercado internacional.

PROMOÇÃO PARA O DIA DOS PAIS A Móveis Belo, fabricante de móveis para escritório de Arapongas (PR), criou uma promoção para o dia dos pais, a ‘Meu pai é Belo’. Na compra de qualquer produto Belo Office Store o pai do cliente concorre a uma cadeira.

NOVA SEDE HÄFELE NO PARANÁ A Häfele já está atuando na sua nova sede em Piraquara, no Paraná, localizada a 15 minutos do centro de Curitiba. A infraestrutura e capacidade de estoque são maiores e permitem o aperfeiçoamento da logística de importações e distribuição nacional. Essa mudança faz parte das ações de expansão da Häfele em 2009, que envolvem a inauguração de três Design Studio. A primeira está prevista para outubro, em São Paulo (SP). Os próximos serão inaugurados em Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ), em 2010. Será um espaço para profissionais, como arquitetos e designers, mostrarem aos clientes as diversas opções e formas de resolver seus espaços, com experimentação de produtos da Hafele.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

71


Panorama da Indústria

NOVA LOGOMARCA

SOB NOVA DIREÇÃO

A Montana Química lançou em julho sua nova logomarca, com ícone mais funcional e contemporâneo. A empresa desenvolveu o trabalho com agências de publicidade. “Essa repaginação reflete um aspecto importante da empresa, o empenho constante na busca por originalidade e criação”, destaca o gerente de marketing e comunicação, Rafael Ferreira. A previsão é que até dezembro todo o material impresso da Montana Química esteja com a nova logomarca.

A Móveis Albatroz, de Arapongas (PR), passa por mudanças na diretoria da empresa. O gerente de compras, Eduardo Paludeto assumiu o cargo de diretor executivo no início de julho e deve dar continuidade aos projetos que já estavam sendo desenvolvidos na empresa. A meta da Moveis Albatroz para o segundo semestre de 2009 é superar o número de vendas alcançado no ano passado. Com novo maquinário adquirido recentemente, a empresa deve oferecer produtos com novos acabamentos.

INVESTIMENTO NO SETOR FLORESTAL O Plano Estadual de Florestas (PEF) lançado em julho pelo governo do Estado do Mato Grosso do Sul prevê que até 2030 a área cultivada chegue a 1 milhão de hectares. Paralelamente, os investimentos no setor florestal podem chegar a mais de R$ 20 bilhões, além da geração de mais de 170 mil empregos diretos e indiretos. O impacto dos investimentos previsto para até 2030 é de 83%, considerando que o PIB atual do Estado é da ordem de R$ 24,3 bilhões. O Mato Grosso do Sul possui hoje 284 mil hectares de florestas plantadas, sendo 265 mil de eucaliptos e 19 mil de pinus. São mais de 500 empresas trabalhando diretamente ligadas ao setor de florestas plantadas.

ESTUDANTES NA FLORESTA Uma delegação de universitários brasileiros e franceses visitou a floresta amazônica em julho, em um projeto de pesquisa universitária sobre as dinâmicas agrícolas e seus impactos espaciais e ambientais em Mato Grosso. A delegação foi à Sinop conhecer mais da atividade madeireira, suas indústrias e projetos de manejo para extração seletiva de árvores próprias para industrialização. Em um projeto de intercâmbio entre a USP (São Paulo) e a Université Rennes (França), há dois anos os estudantes têm o objetivo de buscar soluções para preservação do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável, além de modos de utilização do solo.

SEMINÁRIO MÓVEIS SOB MEDIDA A segunda edição do Seminário de Móveis Sob Medida Marcenaria Industrial, Tendências e Mercado foi realizado em Arapiraca (AL), entre 29 e 30 de julho, pelo Sebrae. O objetivo do evento foi disseminar informações sobre os novos desafios da marcenaria industrial como: formas de agregar valor aos produtos, estratégias para enfrentar as dificuldades do mercado e vantagens da formalização de empresas. “Também foram debatidos temas sobre as questões ambientais em sua dimensão sustentável”, afirma a coordenadora do APL Móveis do Agreste, Zélia Azevedo. 72

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

NOVA COLEÇÃO DELL ANNO A fabricante de móveis planejados Dell Anno inaugurou em julho, em Porto Alegre (RS), um showroom de mil metros quadrados e 40 ambientes para apresentar toda coleção. Inspirada nos quatro cantos do mundo a proposta da nova coleção é mostrar diferentes acabamentos e soluções para compor todos os ambientes da casa. A meta do Grupo Única é elevar em 20% o faturamento de 2009. No ano passado a receita total alcançou R$ 310 milhões, aumento de 41% sobre 2007.

NOVA FÁBRICA DE MDF A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) liberou em julho a licença de instalação da fábrica de MDF do grupo Concrem, que está sendo implantada no município de Paragominas (PA). Será a primeira fábrica de MDF na região Norte do País. A previsão é que em março de 2010 a produção de MDF comece a operar, com estimativa de oferta de 700 empregos diretos e outros 2 mil indiretos. A fábrica vai utilizar, além do eucalipto, madeira de paricá, e deverá abastecer o mercado nordestino também. Com a liberação, a empresa vai manter os 300 funcionários que entraram em aviso prévio no meio de julho, em conseqüência do atraso na tramitação do processo ambiental de instalação da fábrica na Sema.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

73


Negócios

CEM traz novas soluções

Divulgação/CEM

Parceria da Central da Excelência Moveleira e Proinvest vai facilitar para as empresas moveleiras o acesso a recursos financeiros

No início de agosto foi assinado termo de parceria entre a CEM e a Proinvest. Nesta aliança, caberá à CEM a identificação de empresas moveleiras com projetos de expansão e consolidação, através de ampliações, fusões e aquisições, bem como a estruturação dos planos de negócios, possíveis ganhos, sinergias estratégicas e mercadológicas. À Proinvest caberá a identificação, formatação e busca das melhores alternativas financeiras para sustentação destes projetos. “O objetivo da Proinvest é oferecer todas as soluções de financiamentos de longo prazo e capitalização para as empresas e no setor moveleiro vamos utilizar o

amplo conhecimento dos profissionais da CEM para identificar possíveis interessados”, destacou o diretor-fundador da Proinvest, Paulo de Tarso Vieira Barbosa. Para o diretor de marketing da CEM, Ari Bruno Lorandi, esta parceria faz parte do novo posicionamento da CEM, principalmente a partir da entrada na empresa do novo sócio, Sandro Rudnick, que vai operar também na nova área de assessoria e consultoria empresarial, além de responder pela diretoria comercial. “Nos próximos dias deveremos anunciar ao mercado uma nova composição empresarial, com a formação de um grupo que ampliará em muito as atividades que desenvolvemos até agora. Continuamos acreditando no setor moveleiro, principalmente no surgimento de importantes grupos e na mudança do atual modelo, que privilegia a produção em detrimento do mercado”, destaca o diretor de marketing da CEM. Fundada em 1986, a PROINVEST Finanças Corporativas é hoje uma das principais empresas brasileiras de consultoria em finanças corporativas. Reunindo um grupo de profissionais com vasta experiência em operações estruturadas de longo prazo, tem como missão “prover soluções estratégicas e financeiras, visando a melhor adequação de estrutura de capital das empresas e dos interesses dos seus sócios”. A Proinvest possui um sólido histórico de sucesso, tendo como foco principal as empresas de médio porte e matem sede administrativa em São Paulo.

Na foto, a partir da esquerda, André Burger e Paulo de Tarso Vieira Barbosa, ambos diretores da Proinvest; Ari Bruno Lorandi e Sandro Rudnick, diretores da CEM

74

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

75


Artigo

Dá para simplificar? Especialista em marketing, comunicação corportiva e vendas, escritor www.eloizanetti.com.br eloi@eloizanetti.com.br

ELOI ZANETTI

Nunca o ambiente empresarial brasileiro contou com tanta gente “bem preparada” à disposição dos gerenciamentos dos negócios como nos dias atuais. Por outro lado, nunca se viu tanto desperdício financeiro, de tempo e de esforço humano por causa de projetos mal elaborados, planos infalíveis e mágestão administrativa. As possibilidades se abriram e hoje todo mundo é doutor em alguma coisa - menos na arte da simplicidade. Com mestres em gerenciamento brotando por todos os cantos, sobram arrogância e vaidade e faltam simplicidade e humildade. De uns tempos para cá, aqueles que sabem resolver as coisas, receosos de serem tachados de simplórios, deixam de expor suas idéias e opiniões porque pode pegar mal e parecer ingênuo falar o óbvio ululante. Afinal, as cabeças coroadas foram recrutadas por meio de complexos processos de busca e seleção. Seguem os gurus da moda e discutem processos administrativos inovadores com nomes “que a gente nunca ouviu falar”. São íntimos do linguajar técnico-acadêmico, frequentam com desenvoltura as universidades estrangeiras e muito pouco o nosso quintal – o enorme mercado brasileiro, seu povo e seus costumes. Em meio a tanta empáfia, o funcionário comum, aquele que detém a experiência e sabe resolver as coisas de forma simples e direta, se sente intimidado e pensa: “Vou ficar quieto e na minha, porque eles é que sabem das coisas. Não adianta dar opinião porque a conversa ainda não chegou ao meu setor.” É o velho Brasil do “canudo” e do “doutor” repetindo-se em um ambiente que deveria ser de inovação e modernidade – o empresarial. A conversa é parecida em toda parte. Promessas de metas a qualquer custo, cortes implacáveis nas despesas, agregação de valores, quebra de paradigmas, mudanças, reengenharias, incorporações, satisfação aos stakeholders, sustentabilidade e governança corporativa. Eles chegam com suas mochilas da moda e seus laptops carregados de 76

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009

apresentações cheias de efeitos e virtuosismos, mas vazias de conteúdo e praticidade. Como dizia o humorista: “Tá todo mundo enrolando.” Mas, como a busca da simplicidade dá muito trabalho, criam-se dificuldades, justamente para esconder incompetências. Desconfie daqueles que não sabem sintetizar e explicar um projeto em apenas duas folhas de papel. Foram fabricadas tantas cabeças coroadas nos últimos tempos, que encontrar alguém que pense de forma simples e enxergue o óbvio está como procurar uma mosca branca. É famosa a história do vendedor de ração animal que replicou um arrogante gerente de produto que tentava justificar seu baixo desempenho comercial: “Ora, a nossa ração de cachorro não vende porque a cachorrada não gosta dela.” Está na hora de reler um clássico da administração, “O Óbvio Adams”, um livrinho escrito em 1916 que trata da história de um cidadão que só enxergava o óbvio e por causa disso resolvia os problemas mais complicados. Personagem que foi replicado na figura do senhor Chance, vivido por Peter Sellers no filme “Muito Além do Jardim”. E, atenção, simples não quer dizer simplório. Num país que pela formação cartorial tem na cultura o gosto pela complicação, ser visto como simples é ser visto como esquisito. Complicamos tanto a nossa legislação e sistema político que beiramos à ingovernabilidade. Criamos tantos emaranhados nas leis trabalhistas e ambientais que inviabilizamos empregos e o bom andamento dos processos. Por causa deste nosso gosto em dificultar as coisas, tornamonos campeões em perda de tempo, dinheiro e oportunidades. Nossos concorrentes no mercado internacional adoram a nossa maneira de fazer negócios. Faz parte da cultura brasileira criar dificuldades para vender facilidades. É preciso entender que a simplicidade, por carregar na sua essência o máximo de sofisticação e elegância, é como a verdade – nos liberta.


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

77


78

Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

79


Mensagem final

César Cielo, perto do céu Cantora e compositora, criou uma ampla obra de mensagens e músicas antiestresse veralucia@veralucia.art.br www.veralucia.art.br

VERA LÚCIA Assista ao programa “De Bem com a Vida”, com Vera Lúcia, na MVTV todas as quintas-feiras: www.moveisdevalor.com.br.

Os obstáculos até ajudam, quando nós os transformamos em desafios a serem vencidos. Foi o que fez Chesty Puller, da marinha norte-americana, quando se viu cercado durante a guerra coreana, e disse: “Tudo bem, eles estão à nossa esquerda, estão à nossa direita, estão à nossa frente e também atrás de nós, desta vez, eles não podem escapar!” Cerca de 90% dos que fracassam em uma meta, a causa é porque simplesmente desistem. Eu creio que a pior coisa que pode acontecer com alguém é perder a esperança, a fé. Na guerra do Vietnam, um homem foi feito prisioneiro. O general que o prendeu prometeu que se ele colaborasse, seria solto. Dez anos se passaram e o prisioneiro continuava ali. Um dia o general foi transferido. O prisioneiro sabendo disso correu perguntar: “O senhor prometeu que se eu colaborasse eu seria solto e neste tempo todo eu colaborei. Agora vai me soltar?” O general respondeu: “Nós nunca vamos te soltar, eu jamais te soltaria, eu menti”. Ouvindo isso, o prisioneiro ficou tão deprimido que em menos de dez dias morreu. O que motivou o prisioneiro a viver por tanto tempo, ali encarcerado, preso, humilhado, foi a esperança de que um dia seria solto. Que um dia veria novamente sua família, teria sua vida e dignidade de volta. Quando ele percebeu que isso não aconteceria, ele perdeu a esperança, perdeu a fé... Perdeu tudo!

Então, o pior que pode acontecer a alguém é perder a fé, e o melhor, é ter fé. Traduzida na determinação de que mesmo diante dos maiores obstáculos, o pior será superado e o melhor está por vir. Outro exemplo verdadeiro e atual da força da fé é este César Cielo. Não satisfeito com meses de treinos e forte preparação para o Mundial de Roma, o nadador brasileiro contou também com uma ajuda da fé para conquistar o ouro nos 100 m livre e deu certo. Ele faturou o ouro e o recorde mundial dos 100 m livre, com o tempo de 46 segundos e 91 milésimos. O técnico de César Cielo, o australiano Brett Hawke, fez um favor especial para o brasileiro: levou seus óculos de piscina para serem mergulhados em água benta no Vaticano. “Eu levei os óculos com que ele nadou hoje para o Vaticano. Não era necessariamente importante para mim, mas para ele significou bastante”, comentou o treinador. A fé ajudou César Cielo a se tornar uma estrela de primeiro escalão da natação mundial, o homem mais rápido do mundo na natação. A busca por vitórias não impede que percamos algumas batalhas. A vitória pode demorar um pouco a chegar, mas ela chega sempre para quem tem esperança e persiste!

“A fé ajudou César Cielo a se tornar o homem mais rápido do mundo na natação”

80

MÓVEIS DE VALOR 89 • AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

81


82

Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009


Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009

83


84

Mテ天EIS DE VALOR 89 窶「 AGOSTO 2009


Revista Móveis de Valor Ed. 89