Page 1


Disponibilização : Mamis Tradução – Juuh allves Revisão Inicial – Manoela Revisão Final – Tanny Formatação – Regina Leitura Final – Regina


Sinopse Seduction está se tornando rapidamente o mais quente novo restaurante em Portland, e Addison Wade tem o orgulho de afirmar que tem 1/5 do crédito. Ela está determinada a torná-lo um sucesso e não consegue pensar em uma maneira melhor de trazer novos clientes do que a música ao vivo. Mas quando o ex-astro do rock Jake Keller vem com a sua presunção através das portas para dar o show de fim de semana, ela sabe que está em apuros. Addie instantaneamente o reconhece todos cartazes que foram afixados em toda a parede do seu quarto na escola, ele é todo bad boy ... exatamente o tipo dela e exatamente o que ela não precisa. Jake Keller se afastou dos holofotes há cinco anos e anseia por voltar ao que sempre lhe tem conduzido: a música. Se ele começa então a trabalhar para, uma mulher com a boca inteligente e engraçada poderia ser uma bomba, melhor assim. Mas falar em Addie dar-lhe o trabalho é muito mais fácil do que convencer a ela que ele quer mais do que uma brincadeira em sua cama. Apenas quando ela começa a derrubar os seus muros, o passado de Jake finalmente alcança ele. Addie vai ser dilacerada, mais uma


vez, ou Jake vai ser capaz de convencê-la a afogar suas dúvidas e ouvir seu coração?


Informações sobre a série

Listen to Me (Fusion, #1) by Kristen Proby


Capítulo um Addison "Em

suma", Cami, uma das minhas melhores amigas, e parceira

de negócios, lê a partir do Portland Tribune, "’Seduction é um restaurante diferente de qualquer outro que eu já experimentei. A comida é deliciosa, o bar de vinhos impressionante, e o ambiente tão sexy, que vai tirar seu fôlego. Eu recomendo este restaurante para o seu próximo encontro a noite'." "Eu quero enviar flores a este crítico", Mia diz com um sorriso largo. "Quem teria pensado que apenas seis meses depois de abrirmos este lugar, nós já teríamos um comentário como este?" "Bem, é claro que eles adoraram a comida", eu respondo, e alcanço o jornal para que eu possa lê-lo novamente pela décima quinta vez. "Você é um gênio na cozinha, Mia. Nós sabemos disso desde que estávamos na escola." "Eu ainda fico nervosa, especialmente agora que eu nunca sei quem serão os clientes. Nós nem sabíamos que esse cara ia estar aqui." Mia morde a cutícula em seu polegar e franze a testa. "Talvez eu deva acrescentar o menu." "O menu é perfeito", Cami responde com um aceno de sua cabeça loura. "Ele nos amou".


Sorrimos uma para outra, e eu finalmente faço uma pequena dança feliz no meu lugar. Nós não abrimos para o dia ainda. Kat e Riley, as duas últimas parceiras de negócios em nosso quinteto, não chegaram. Mas Mia, Cami, e eu lemos este artigo uma e outra vez, sorrindo e dançando. Satisfação. Porque diabos, temos trabalhado nossas bundas aqui desde que abrimos as portas há seis meses. Todos os nossos ovos estão nesta cesta. Não podemos falhar. E nós não vamos. Nós ouvimos a porta da frente abrir e fechar, e esperamos para ver, Riley ou Kat, mas ao invés disso, Jeremy passeia pela sala de jantar, parecendo todo amarrotado e bagunçado de sono. Suas pálpebras ainda estão pesadas. O queixo desalinhado. Seu cabelo loiro está em pé, ainda no caos dos meus dedos na noite passada. Jesus, este homem faz meus hormônios fazerem horas extras. Ele sorri e beija minha cabeça, em seguida, pega o meu café e senta-se ao meu lado. "Por que você está aqui?" Cami pergunta com uma careta. "Eu estou de muito bom humor para ter que fingir gostar de você." Eu olho para a minha melhor amiga, mas ela apenas dá de ombros. "Minha namorada está aqui". Jeremy responde e bebe o meu café. "Eu senti a falta dela."


"Por favor", Mia sussurra com um rolar de olhos. Minhas amigas gostavam de Jeremy, no início, mas agora elas não fazem nenhum segredo que elas não se importam mais com ele. Mas elas são apenas superprotetoras. Elas não querem me ver machucada. Claro, ele é um músico. Não um particularmente talentoso, mas ele faz bem, reservando shows para sua banda, Roses Hells, regularmente. E, oh meu Deus, o que o homem pode fazer no quarto deve ser um crime. Ele me faz rir, e apesar de sua personalidade arrogante em torno de todos os outros, ele tem momentos de verdadeira vulnerabilidade e doçura quando estamos sozinhos. Ele é o único? Provavelmente não, mas eu estou muito convencida que essa coisa de “o único” foi inventada por escritores de romance e Disney. "Seja agradável", eu vocifero e continuo a ler o jornal. "Temos uma avaliação arrebatadora no Tribune".

Eu informo a Jeremy

com um sorriso. "Claro que você tem", ele responde e beija minha bochecha. "Há comentários de música lá também?" Ele arranca o jornal das minhas mãos e folheia através das páginas, em seguida, lê todas as críticas de música e cena de clubes em Portland. "Nem uma porra de menção?" Cami

encontra

meu

olhar,

então

rola

os

olhos

em

aborrecimento. Eu simplesmente dou de ombros. Ele não está no


negócio de restaurante. Ele não iria entender que grande negócio isto é para nós. "Eu estive pensando", eu começo, e inclino meus cotovelos sobre a mesa. "Agora que o negócio está pegando, eu acho que devemos adicionar música ao vivo nos fins de semana." "Desculpe, cupcake". Jeremy diz com um suspiro. "Estamos reservados." Graças a Deus. A banda de Jeremy não é o que eu quero para o meu lugar. Mas ao invés de dar um golpe em seu ego, eu simplesmente sorrio e beijo seu ombro. "Eu sei querido. Mas eu ainda gostaria de trazer alguém. Talvez apenas um ato de uma única pessoa, apenas um microfone e um banquinho, sabe?" "Nós podemos permitir isso". Cami responde com uma careta pensativa. Cami é nossa diretora financeira. Ela lida com todas as coisas de dinheiro, e é uma feiticeira para somar números em sua cabeça. "Quem você está pensando?" "Eu não sei." Eu pego minha caneca de café e franzo as sobrancelhas, quando vejo que Jeremy bebeu até a última gota. "Babe, por favor, corra para Starbucks e pegue-nos mais café?" "Eu esqueci a minha carteira", ele responde com uma carranca. Eu alcanço minha bolsa e passo-lhe uma nota de vinte. "Você entendeu." "Obrigado."


"Ah, e há um lugar que você pode olhar para um músico", acrescenta ele, quando ele pisa fora da mesa, "é a noite aberta de microfone no Crush neste sábado. Normalmente existem alguns bons cantores lá. Eu aposto que você encontrará o que você está procurando". Eu sorrio para o meu namorado sexy e sopro-lhe um beijo. "Obrigada." Ele pisca e passeia para fora do restaurante. Quando a porta se fecha atrás dele, Mia sacode a cabeça para mim. "Sério?" "Noite aberta de microfone é uma ideia brilhante." Eu a informo. "Isso não é o que ela está falando", diz Cami. "Jeremy é um babaca." "Ele não é." Eu rolo meus olhos e sento na minha cadeira. Ok, talvez ele tenha seus momentos babaca. "Ele é doce. E sexy." "E se aproveita de você. Sua carteira estava no bolso de trás." Mia argumenta. "E eu aposto todo o orçamento de chocolate deste mês que ele vai ficar com você também." "Seu companheiro de quarto se mudou, e ele não podia pagar o seu lugar sozinho." "Addie." Cami pega minha mão. "Você não é um capacho." "Ele não me trata como um capacho." "Sim. Ele trata." Mia suspira e pega a minha outra mão. "Você merece alguém muito melhor."


"Eu amo vocês duas". Eu começo, meu estômago agitando. "Eu sei que vocês só querem me proteger. Jeremy é um bom rapaz. Eu gosto dele." "Ok." Cami bebe seu café, em seguida, encolhe os ombros magros. "Mas quando ele quebrar o seu coração, nós estaremos aqui." "Vamos falar sobre esta noite de microfone aberta. Quem vai comigo? " Mia e Cami trocam olhares. "Eu vou estar trabalhando", diz Mia. "Eu tenho alguns novos especiais de sábado à noite que eu quero tentar." "Eu não quero", diz Cami honestamente. "Eu confio em você para encontrar exatamente o que precisamos." "Vou levar Kat." Eu mordo meu lábio, ideias já rodando na minha cabeça. "Ela é uma boa juíza nessas coisas." "Boa ideia." A porta se abre outra vez. "Oh Deus. Mr. Maravilhoso está de volta " Cami murmura. "COMO VOCÊ FAZ isso com seu cabelo?" Riley pergunta do alto de seu assento, tomando sorvete Chunky Monkey 1 da embalagem,

1


enquanto eu enrolo meu cabelo em cachos grossos. Eu matizei com roxo esta noite. "Não é difícil. Só demora a pegar prática, mas uma vez que você pega, vai mais rápido." "Eu gosto do roxo", ela diz com um sorriso. "E o jeans pintado. Você tem uma bunda grande." Eu sorrio e viro para o lado, olhando para minha bunda nesses jeans. Ela está certa. Minha bunda não é ruim. Eu estaria melhor sem os quadris, mas o que é que vou fazer? "Devo vestir um casaco sobre este top?" É um corpete delicado preto, mostrando meu decote, mas não abraçando minhas áreas problemáticas. "Não. Está quente. Você quer encontrar um cantor quente para o restaurante, ou um encontro." "Eu tenho um namorado." Eu olho para os céus. "Dê-me forças." "Jeremy não é um namorado." Riley responde enquanto raspa o fundo da embalagem de sorvete. "Ele é alguém para foder." "Riley!" "Verdade”, ela diz com um encolher de ombros. "E não tem nada de errado nisso, contanto que você saiba o que está fazendo." "Bem, o sexo não suga." Há uma batida forte na porta do meu quarto, e, em seguida, Kat entra, olhando alta, linda e parecendo fodona. Seu cabelo vermelho está preso. Ela está em um top sem


mangas, mostrando sua incrível tatuagem, e ela está em um incrível salto agulha rosa. "Deveria ser ilegal parecer tão quente”, Riley diz com um suspiro. "Você duas estão quentes." "Por que você não vem com a gente?", Kat pergunta. "Porque eu tenho que chegar a um novo plano de marketing para este novo ato de música." "Desculpa”, maquiagem.

Kat "E

diz,

por

observando-me

falar

em

aplicar

gostosa,

olá,

a

minha surpresa

estarrecedora." Eu sorrio para ela no espelho. "Você é o encontro mais quente que eu já tive em um longo tempo." "O mesmo." Ela pisca. "Ok, o que estamos procurando esta noite? Addie, este é o seu show, eu só estou aqui para ajudar." "É o nosso show”, eu respondo. "A

frente

da

casa

é

sua,

e

você

faz

um

trabalho

impressionante com ela." Riley rapidamente passa um pouco do meu batom em seus lábios cheios, verificando-os, em seguida, tira. "Eu não posso usar o batom." "Eu quero encontrar um ato de uma ou duas pessoas." Eu bagunço o meu cabelo, até que cai do jeito que eu quero. "Alguém com uma voz sexy. Estou pensando Gavin DeGraw-ish2". "Quente". Kat acena com a cabeça em concordância. "Quanto podemos gastar?" 2

é um músico norte-americano


"Vamos tentar mantê-lo em torno de quinhentos uma noite”, responde Riley. "Cami disse que é o quanto podemos gastar confortavelmente." "Isso não é ruim. Vamos apenas esperar encontrar alguém. Eu já coloquei uma placa na janela também. Não faz mal”. "OK.

Vamos

fazer

isso."

Kat

nos

leva

para

fora

do

apartamento. "Divirtam-se”, Riley diz e se vira enquanto ela caminha até o carro. "Isso vai ser divertido”, Kat diz, então batendo a mão na minha e me leva para seu carro. "Posso lhe servir outro chardonnay?" A garçonete pergunta a Kat, que balança a cabeça negativamente. "Eu só vou ter uma Diet Coke." "O mesmo para mim." A garçonete acena com a cabeça e segue em frente. "O vinho não é bom aqui?", pergunto a Kat com um sorriso. "Tem gosto de mijo”, ela responde. "Eu entendo totalmente querer servir uma garrafa barata, e há algumas deliciosas lá fora. Mas não há nenhuma desculpa para servir o vinho abaixo da média." Meu sorriso cresce. “Me liga quando você começar com a conversa de vinho”. "É o que eu faço."


"E você faz isso muito bem." E ela faz. Kat é a melhor sommelier3 no Noroeste do Pacífico. Ela conhece vinho. "O que você acha até agora?" Estamos sentados em uma mesa alta, perto do palco, no centro da sala, por isso é fácil assistir aos atos. Agora uma jovem mulher está cantando uma música de Trisha Yearwood4 elegante. "Eu não ouvi nada para escrever." Kat acena com a cabeça em concordância, em seguida, olha para o homem que acabou de agarrar a bunda dela enquanto ele passava. "Mantenha suas mãos para si mesmo, amigo." Ele encolhe os ombros e sorri, sem falsa modéstia, em seguida, continua a andar. "Os homens são brutos", Kat murmura. Eles com certeza podem ser. A menina elegante termina sua canção e nós aplaudimos. Em seguida é uma reminiscência de 1967. Exceto que o cara é jovem, talvez vinte e dois. Seus dreadlocks caem para o meio das costas. Ele tem uma barba. Suas roupas estão sujas. Ele provavelmente é um cara sem-teto que geralmente canta na rua. Mas então ele começa a cantar, e oh minha palavra. Ele tem a voz de um anjo, cantando "Hallelujah”, como se estivesse

3

Sommelier é um profissional especializado, encarregado em conhecer os vinhos e de todos os assuntos relacionados ao serviço deste. 4 Patricia Lynn "Trisha" Yearwood é uma cantora country estadunidense três vezes vencedora do Grammy .


cantando do céu. Estamos hipnotizadas enquanto ele toca sua guitarra e canta. Ele é incrível. Quando ele termina, o aplauso é ensurdecedor. "Uau”. Kat vira seus grandes olhos azuis para mim. "Você ouviu isso?" Eu concordo. "Nós vamos chegar a sua informação de contato. Se pudéssemos limpá-lo, ele poderia ser perfeito." "Se ele estiver disposto a se limpar”, responde Kat. "Isso pode ser o que ele quer." Vários atos mais mornos passam, então uma dupla sobe ao palco. Um homem e uma mulher, que se olham com estrelas em seus olhos, e cantam uma balada de amor. Suas harmonias são suaves como seda. "Eu gosto deles”, Kat diz quando ela se inclina em minha direção. "Eles têm o olhar certo. E eles estão no amor, o que trará uma química sexy para o nosso lugar ". "Eu concordo." Eu quero eles. Como, querer eles. Eles seriam absolutamente perfeitos. "Eu estou indo falar com eles." Kat balança a cabeça, voltando sua atenção para outro ato já cantando. Eles não são tão bons quanto a dupla que acabou de terminar. "Desculpe-me." Eles se voltam para mim, e eu coloco o meu melhor sorriso. "Eu sou Addison. Eu sou coproprietária da


Seduction, um novo restaurante na cidade, e eu gostaria de conversar com vocês sobre um possível trabalho de fim de semana possível no meu lugar." Eles olham um para o outro e sorriem. "Obrigado. Eu sou Rebecca." A pequena loira aperta minha mão. "E este é o meu marido, Paul." "Vocês dois são muito talentosos." "É tudo ela”, Paulo responde e olha para baixo, para Rebecca com os olhos apaixonados. "Eu preciso de um ato para as noites de sexta e sábado. Eu estou pagando quinhentos uma noite. " "Quinhentos cada um?" Rebecca pergunta, seus olhos de repente perspicaz. "Não." Eu balanço minha cabeça. "Pelo ato." Eles olham um para o outro novamente, e Paul balança a cabeça. "Desculpa. Nós valemos mais do que isso. " "Quanto vocês normalmente cobram?" "Oh, não pegamos nenhum trabalho ainda. Somos novos na área. " Eu levanto uma sobrancelha. "Você vale o que alguém está disposto a pagar. Foi bom conhecê-lo." Sem olhar para trás, eu volto para nossa mesa. "Egos”, eu digo de forma simples e encolho os ombros. "Vadios." "Acontece."


Um homem caminha para o palco e senta-se no banco, dedilha seu violão. O MC não anunciou seu nome. O cantor está vestindo uma camiseta preta e jeans. Sem sapatos. Um chapéu puxado para baixo sua testa, sombreando seu rosto. Mas eu reconheceria aquelas tatuagens em qualquer lugar. "Oh meu Deus, eu acho que é Jake Knox”, eu sussurro para Kat em descrença. "As tatuagens”, ela respira e eu rolo meus olhos. "Deus, eu costumava ser apaixonada por ele. Eu tinha seus cartazes em minhas paredes quando eu estava no colégio ". "A maioria tinha”, eu respondo e vejo como seus dedos tocam as cordas em sua guitarra como se estivesse fazendo amor com uma mulher. "Deus, ele pode tocar." "O que ele está fazendo em uma noite de microfone aberto?" Kat vira os olhos arregalados para mim. "Ele mora aqui?" Eu concordo. "Sim, eu ouvi em algum lugar que ele vive nas proximidades. Talvez ele precise de um impulso para seu ego?" Mas, em seguida, ele começa a cantar uma canção familiar, Lifehouse, e meu peito aperta. Eu amo essa música. Eu amo a sua voz. É cru e rica e um pouco rouca. É puro sexo. "Ele seria absolutamente perfeito." A voz de Kat é um sussurro. Ela provavelmente não queria dizer isso em voz alta. "Eu sei que não podemos pagá-lo. Ele provavelmente faz casamentos de celebridades e essas merdas".


Jake olha para cima, mostrando seu rosto e aqueles incríveis olhos verdes, pela primeira vez, e olha diretamente para mim. Ele canta, pelo menos, cinco linhas, segurando meu olhar, depois pisca e abaixa a cabeça novamente. Arrogante. "Falando de ego”, murmuro. "Isso seria uma bagunça quente." "Uma sexy-como-foda bagunça quente”, responde Kat. "Deus, olha para a forma como seus músculos se apertam quando ele toca." Confie em mim, eu notei. Você teria que ser cego com um QI de menos 20 para não notar a forma como Jake Knox se movimenta. Ele faz tudo em mim acordar. O que faz sentido, porque ele provavelmente foi treinado para fazer isso. Ele tem que vender música, depois de tudo. Ele termina a música e deixa o palco. Há murmúrios na plateia. Nós, obviamente, não fomos as únicas a reconhecê-lo. Vamos ser honestos, Jake Knox é uma das maiores estrelas do rock que existe. Ou, foi. Eu acho que ele não divulgou nenhuma nova música nos últimos anos. Me pergunto o porquê. "Eu não acho que nós vamos encontrar o nosso ato aqui”, Kat diz com um suspiro. "Nós vimos, pelo menos vinte pessoas nas últimas duas horas. Os únicos que gostei eram um sem-teto, um casal ego maníaco, e uma estrela do rock".


"Você está certa. Vamos." Nós reunimos nossas bolsas e saímos para a noite fria de primavera. Andando na frente de nós, longe do clube, está um homem com seu violão. Eu reconheço aquela forma, aquela caminhada, em qualquer lugar. Jake Knox. O que se passa comigo por ser tão malditamente atraída pelos tipos de músicos bad-boy? Isto nunca falha. Se há um músico bad-boy dentro de um raio de trinta milhas, minhas partes de menina estão em alerta máximo. Cada. Único. Momento. Desde que eu perdi minha virgindade com Todd Perkins, no décimo primeiro ano. Todd foi o vocalista de uma banda de garagem e me seduziu a tirar minha calça na referida garagem, bem atrás da bateria. E me despejou no dia seguinte. "Ele ainda tem esse andar sexy”, Kat sussurra em meu ouvido. "Mm”, eu respondo. "Não aja toda indiferente comigo”, diz ela, empurrando meu ombro. "Ele me excita, e você é a pessoa que ama os meninos maus. Você sempre teve isso desde que te conheci no primeiro ano." Eu dou de ombros. Ela está certa. "Vamos para o restaurante. Eu quero ver como Jamie está se virando atrás do bar”, Kat finalmente diz quando é evidente que eu não vou falar sobre a minha propensão para músicos.


"Eu vou verificar os garçons, e nós duas podemos fazer Mia ir para casa." "Mia está trabalhando?", Kat pergunta com uma careta. "É claro que Mia está trabalhando. Ela não está dormindo." "Ela precisa de uma intervenção." "EU VOU TOMAR UM copo por isso”, Mia diz quando ela se junta a Kat e a mim no bar após o fechamento. Kat e eu lidamos com nossa própria equipe pelo resto da noite, lidamos com alguns contratempos, em seguida, enviamos todos para seus caminhos e decidimos relaxar com um copo de vinho antes de ir para casa. "Eu não posso acreditar que você ainda está aqui”, eu digo para Mia. "Você esteve aqui desde esta manhã." "O mesmo para você”, ela responde com um suspiro enquanto se senta em um banquinho ao meu lado e rola a cabeça para trás e para frente sobre os ombros, fazendo alongamento. "Foi um bom dia." "Você está tirando folga amanhã”, eu digo, não a olhando no rosto. "Você não é a minha chefe." "Sim, nós somos”, Kat responde e passa dois copos de vinho para Mia. "De todos nós, você trabalha mais horas. A cozinha vai sobreviver por um dia sem você ". "O que se faz em um dia de folga?", Mia pergunta.


"Limpar seu banheiro. Ir para a praia e colocar os pés na água. Transar. Só não venha aqui. " "Talvez." Mia encolhe os ombros. "Será que você encontrou um ato?" "Não." Eu balanço minha cabeça e saboreio o fresco vinho seco. "Mas vocês estavam tão quentes. Ninguém se jogou em vocês?" "Kat teve seu traseiro agarrado uma vez ou duas." "Eu quero agarrar a bunda de Kat." Mia responde. "Desde que a conheci na faculdade nós queríamos pegar sua bunda." "E você agarrou”, Kat responde com uma saudação e toma um tiro de tequila. "E você adorou”, responde Mia. "Conte-me sobre esta noite?" "Não há muito a dizer. Encontramos um casal que seria bom, mas eles queriam uma tonelada de dinheiro. " "Também encontramos Jake Knox”, Kat diz com um sorriso satisfeito. "O quê?", grita Mia. "Você não encontrou!" "Nós encontramos. Ele cantou uma canção." "Por quê? Ele é famoso. Ele não tem que ir para essas coisas." "Confie em mim, eu não estava questionando seus motivos." Kat tira seus óculos novamente. "Eu estava simplesmente grata por estar sentada cerca de 3 metros dele."


"Eu estou tão ciumenta! Eu tinha cartazes de Hard Knox por todo o meu quarto!" Kat alcança um punho para uma colisão. "Eu também." "Hard Knox foi uma boa banda." Eu saboreio o meu vinho. "Eles se separaram, você sabe." "Tão triste." Mia balança a cabeça. "Você tem que ver Jake Knox." "Mas nós não encontramos um ato para aqui." Sinto-me derrotada. Eu queria tanto encontrar isto esta noite. "Nós vamos encontrar um." Kat diz. "Faça Jeremy perguntar ao redor." "Ele realmente não toca o tipo de música que eu quero para nós." "Você quer dizer o tipo bom?", Mia pergunta sarcasticamente. "Ok, então ele não é Daughtry5. Ele não é horrível." Ambas Kat e Mia simplesmente levantam uma sobrancelha para mim e sorriram. "Ok, ele não é bom." Nós todos rimos e caímos em um silêncio confortável. Finalmente, Mia choraminga e deita a cabeça para baixo no bar. "Tão cansada." "Dia de folga amanhã, Mia. Quero dizer isso." Eu esfrego suas costas em grandes círculos. "Você precisa dormir." "OK. Mas se alguma coisa acontecer, você me chama." 5

Daughtry é uma banda norte-americana de rock liderada pelo ex-participante do programa de televisão American Idol, Chris Daughtry


"Vamos", Kat diz. Nós olhamos uma para a outra, enquanto eu continuo a esfregar as costas de Mia e não precisamos falar em voz alta para saber o que a outra está pensando. O local teria que estar pegando fogo antes de chamarmos Mia amanhã.


Capítulo dois Jake “Você está quieto. " Minha cabeça levanta ao som da voz dela, puxando-me de alguma droga de devaneio, e eu franzo as sobrancelhas. "Desculpe, eu não quero ser." "O que está em sua mente?" Eu mastigo meu bacon e assisto minha melhor amiga de mais de quinze anos do outro lado da mesa neste drive dinner6, que serve o melhor café da manhã em Portland. Christina tem estado comigo através de fama e dinheiro, e alguns dos piores momentos da minha vida. Ela viu quando eu bati no fundo e fiz meu caminho para fora da escuridão novamente. Ela é a única pessoa no mundo que eu sei que posso confiar sem pestanejar. "A música está sempre na minha mente”, eu respondo e tomo um gole de café. Ela revira seus bonitos olhos castanhos e joga o cabelo marrom sobre o ombro dela do jeito que ela faz quando está irritada. "Você foi convidado para ─"

6

Tipo de lanchonete


"Não estou interessado”, eu respondo, cortando-a. "Eu vivi isso, e eu não preciso mais disto." "Você sente falta. Você cantou naquele microfone aberto no último fim de semana e você acertou em cheio". Eu dou de ombros com um ombro e não nego que ela está certa. Eu sinto falta disto. Não tocar músicas para as pessoas dói tanto quanto se estivesse faltando uma perna, mas tocar naquele show aberto na outra noite foi um grande erro. Porque agora eu desejo isto novamente. Mas eu não mereço isso. Porque Christina perdeu uma perna. Por minha causa. "Eu amei a música que você escreveu para Nash, que acabou de ser lançado na semana passada." Eu forço um sorriso. "Obrigado." "Por que você fez isso?", ela pergunta inesperadamente. "O que?" "Noite de microfone aberto." Eu esfrego a mão sobre meus lábios e suspiro. "Eu só... Deus, eu sinto falta, C. " Seus olhos amolecem. "Eu sei." "Então, eu cantei e eu tirei isto fora do meu sistema. Caso encerrado." Uma mentira completa, mas eu não vou admitir isso para ela.


"Trabalha esta tarde?", ela pergunta. "Sim, Max e eu estaremos no estúdio, esta tarde, terminando um par de canções para Daughtry." Ela balança a cabeça, pensativa. "Deve realmente sugar ser você, com a sua própria companhia de produção e estúdio fantasia em sua casa, e as pessoas famosas que voam para trabalhar com você e tudo isso." "Sim, é chato ser eu”, eu respondo secamente. "Você está escrevendo e produzindo, ainda fazendo a diferença no mundo da música, apenas não está se apresentando." Ela inclina a cabeça para o lado e corre o dedo-cor-de-rosaderrubado sobre o lábio inferior, pensando. "Você já sabe disso." "Com licença?" Nós dois viramos para a bela loira ao lado de nossa mesa, torcendo as mãos nervosamente. "Oi”, eu respondo com um sorriso. "Você não é Jake Knox?" Ela pergunta e eu imediatamente mudo de postura. Meu sorriso é arrogante, e eu inclino para trás na cadeira, assumindo o papel. "Eu com certeza sou. Qual é o seu nome, querida?" "M-Michelle”, ela responde com uma leve gagueira, e suas bochechas coram. Por mais de cinco anos eu fora do centro das atenções e isso ainda acontece, pelo menos uma vez por semana. "Eu tinha ouvido um boato de que você vive em Portland agora."


Eu levanto uma sobrancelha e olho para Christina, que está escondendo o seu sorriso atrás de sua caneca de café. "Eu moro na área”, eu respondo. "O que posso fazer para você?" "Oh! Eu sinto muito. Eu poderia talvez, fazer uma selfie com você?" Ela puxa seu telefone do bolso e sorri timidamente. "Claro." Eu levanto, e coloco o meu braço em volta dos seus ombros, e pego o telefone dela, apontando-o para o alto. Eu coloco o meu sorriso assinatura no meu rosto e tiro a foto. "Puxa, obrigado. Eu amo sua música. Você vai lançar um novo álbum em breve? " Agora Christina franze a testa e olha para seu prato vazio. "Obrigado. Não, a banda se separou. Eu estou mais nos bastidores agora." "Ahhh, isso é uma vergonha”, Michelle diz com uma careta. "Obrigado pela foto." “De nada”. Michelle sai feliz olhando para o telefone, e eu volto para o meu lugar. "Isso não foi muito doloroso”, eu digo e pego outra mordida de bacon. "É uma vergonha", Chris diz. "Não comece C." Eu coloco o bacon no meu prato e o afasto. "Tudo o que eu estou dizendo é ─"


"A mesma coisa que vem dizendo há anos. Eu não quero mais viver uma vida pública. Isto só fode as coisas". "Você não tem que viver uma vida pública para tocar música." Ela balança a cabeça, me cortando quando eu ia falar. "Apenas ouça. Kevin me levou a um novo restaurante na outra noite. É impressionante." Ela se inclina e seus olhos castanhos estão brilhando de emoção. "É sexy." "O restaurante é sexy?" "Sim, e é incrível. Assim, estas mulheres abriram este lugar no centro de Portland chamado Seduction. Há afrodisíacos no menu, música e atmosfera sexy, e uma adega incrível. Você sabia que o aspargo é um afrodisíaco?" "Eu não fazia ideia." "Eu também! Até que nós fomos lá. É tão bom para casais, e parece que ele está fazendo um grande nome para si mesmo." "Que porra que isso tem a ver comigo?", pergunto levemente e tomo mais café. "Havia uma placa na janela procurando um músico para o fim de semana." Olho para ela, piscando. "Então?" "Então você deve ir se candidatar!" Ela bate a mão na mesa e se inclina para trás com um sorriso satisfeito, orgulhosa de si mesma. "Porra não."


"Por que não?" "Jake Knox não toca mais." "Jake Keller podia." Eu inclino minha cabeça, de repente, intrigado. "Você não tem que ir lá e ser uma estrela do rock, você sabe. Você pode apenas entrar com sua guitarra e tocar música. Você não precisa fazer o velho material Hard Knox, a menos que você queira tentar alguns arranjos acústicos. Você pode apenas fazer covers, se for isso que você queira. Ou coisas novas que você está escrevendo." De repente, o desejo no meu intestino é tão intenso que mal consigo respirar. Adoro produzir e escrever música. Inferno, eu passei um mês em Seattle, no último outono, fazendo coautoria e produzindo com Leo Nash, um velho amigo meu, para o novo álbum de sua banda. É gratificante. Mas foda-me, como eu sinto falta de me apresentar. E não é realmente sobre as mulheres gritando, as luzes, a música mais alta do que a foda. É apenas a música em si. Me apresentar e observar a multidão cantando junto. Não há nada como isto. E na outra noite, quando eu estava sentado no palco e cantei, foi como visitar um velho amigo. Mas eu desisti em uma noite chuvosa cinco anos atrás, quando Christina quase foi morta e perdeu a perna, tudo por minha causa. Balanço a cabeça e aperto minha mandíbula. "Não."


"Deus, você é tão teimoso, porra”, ela rosna e aperta seu pequeno punho. "Eu não espero que você nunca se apresente novamente por causa de algo estúpido que aconteceu há muito tempo." "Não é isso." "Corte o papo furado." Ela se inclina e estreita os olhos para mim. "Meu acidente não foi sua culpa, J. Eu não sei quantas vezes eu tenho que dizer isto antes de você acreditar." "Se não tivéssemos lutado ─" "Eu vou bater em você. Forte." "Sim, eu gostaria de ver você tentar com a sua perna." Eu sorrio, mas meu peito dói com as palavras. "Eu não sei o que eu faria sem você, C." "Em seguida, faça-me um favor e vá para esta oferta. Eu quero ver você cantar novamente. Tenho saudade. E uma música na outra noite não foi suficiente. Eu sei que não foi." "Eu vou trazer a minha guitarra para esta noite." Ela sorri e balança a cabeça. "Basta ir se candidatar. Elas podem não o contratar. Talvez você vá sugar agora." Eu sorrio. "Baby, eu nunca sugo a música." "Então prove." "Deus, você é um pé no saco." Ela ri. "Eu sei. Eu tenho que ir ao médico agora." Ela torce o nariz e suspira. "Eu juro, Portland inteira viu a minha hoo-haw7". 7

Vagina, partes femininas.


"Sua

o

quê?",

pergunto,

levantando

uma

sobrancelha.

"Quantos anos você tem? Oito?" Ela lança uma fatia de laranja para mim. "Esta coisa toda da gravidez precisa resolver-se. Deitar com os pés em estribos não é sexy ou divertido". "Você vai descobrir hoje se funcionou?" Christina e seu marido, Kevin, têm tentado engravidar por três anos. Eles querem isso mais do que qualquer coisa no mundo, e é apenas outra coisa que o acidente roubou dela. Outra coisa que eu roubei dela. "Sim”, ela diz com um sorriso. "Então, cruze os dedos." "E meus dedos do pé."

"POSSO AJUDÁ-LO?" Uma jovem me cumprimenta quando entro no Seduction, situado no coração do distrito de Pearl8, uma das zonas mais elegantes de Portland. Do lado de fora, parece um antigo armazém. No interior, é puro sexo. Mas não o tipo de sexo decadente que você vai encontrar em qualquer um dos muitos clubes de sexo ou clubes na cidade. Este é um sexo elegante. "Eu gostaria de falar com o seu gerente, por favor."

8


"Esta é Addison”, ela responde com um sorriso brilhante. "Eu acredito que ela está no bar." Ela aponta para a parte de trás da casa. Eu aceno e percorro um mar de mesas pretas espaçosas, com cadeiras cinzentas e toalhas de mesa azul-petróleo. Ao longo da

parede

traseira

tem

convidativas

cabines,

dando

uma

sensação de privacidade com cortinas cinza penduradas no lado de cada cabine. A sala é organizada para enfrentar um pequeno palco que atualmente se encontra vazio. É hora do almoço, portanto, em vez de música ao vivo, Adele está cantando Chasing Pavements, através dos altos falantes. Eu cantarolo junto com a música quando eu entro na área do bar, similar no esquema de cores, mas um pouco mais nervosa. Uma parede de tambores de vinho sobe atrás do bar, com garrafas de vinho deitadas dentro. Deve haver umas mil garrafas na parede. Sob a bancada está a maior adega de vinho que eu já vi, também repleto de garrafas. Então eles fazem bons vinhos. "Você precisa de mais para o almoço do que um copo de vinho”, uma mulher anuncia. Ela tem cabelos vermelho escuro, quase da cor de vinho, olhos azuis e está vestindo um par de jeans que foi feito para a bunda dela, juntamente com um top branco que mostra um pouco de uma tatuagem bastante surpreendente. Seu rosto é feito para se parecer com uma modelo atraente, e seus lábios vermelhos com a ponta de um


sorriso, enquanto a loira de costas para mim toma um gole do seu copo de vinho. "O vinho vem de uvas, que é fruta. Eu estou tendo uma salada de frutas para o almoço”, ela diz e bebe o seu copo. "Deus, isso é bom." "Claro que é”, a ruiva diz com um sorriso, em seguida, me vê encostado no arco levando para o bar. "Podemos ajudá-lo?" "Eu estou procurando a gerente. Foi-me dito que eu iria encontrá-la aqui." "E você a encontrou", a loira diz e se vira em seu banquinho de bar para olhar para mim. E de repente o ar é roubado de meus pulmões. Esta é a mulher que eu vi na outra noite no clube. A que eu não conseguia tirar os olhos. A que fez o resto da sala desaparecer. A única palavra que eu tenho para ela é mulherão, e eu nunca usei essa palavra na minha vida. Ela desliza para fora seu assento, perfeitamente em casa em seus saltos agulha pretos, e avança com rapidez e confiança para mim. Ela está em uma saia lápis, preta, de cintura alta, com um botão branco, para baixo dobrado para ele. As mangas são dobradas, os poucos botões superiores abertos em sua camisa, me dando um olhar sobre o decote mais impressionante que eu já vi. Seu cabelo loiro é empilhado no alto da cabeça, em cachos preguiçosos. Sua maquiagem é simples e sem falhas.


E ela está usando óculos de aro preto. Foda-me. Eu engulo em seco e estendo minha mão para apertar a dela, mas ela vem a uma parada abrupta sobre dois pés longe demais para levá-la. "Você é ─" "Jake Keller”, eu interrompo e diminuo a diferença para apertar sua mão. A mão dela é quente e esbelta, mas o aperto dela é firme. Seus olhos estreitos. "Jake Knox”, ela me corrige. "Todas as minhas amigas tiveram seus cartazes em suas paredes." "Você não fez isso?", pergunto com um sorriso arrogante, me divertindo dela. "Não, eu não estava particularmente apaixonada por você." Ela puxa os óculos fora de seu nariz, para minha decepção, e enfia-os em cima de sua cabeça em seu cabelo. Deus, eu sou um otário para uma mulher bonita usando óculos. "Que vergonha”, eu respondo e continuo a sorrir para ela. "Como posso ajudá-lo?" "Eu estou aqui pelo trabalho." Ela franze a testa. "Você quer ser um garçom? Os tempos realmente estão assim tão ruins, Sr. Knox? "


"Keller”, eu a corrijo. "Na verdade, apenas me chame de Jake. E eu estou aqui pelo show de música de fim de semana. Embora, eu posso limpar as mesas se for necessário". Ela inclina a cabeça coloca uma mecha de cabelo atrás da orelha, e sorri, e meu coração para. Porra, de onde veio essa mulher? E de onde diabos esses pensamentos estão vindo? "Tenho certeza de que eu não posso pagar-lhe, Sr. Keller." Ela se vira para ir embora, mas eu pego seu cotovelo, virando de novo para mim. "Não é sobre o dinheiro”, eu digo rapidamente. "Eu realmente só gosto de tocar." "Toda a sua banda?", ela pergunta com uma careta. "Não, apenas eu. Vou trazer meu violão e tudo que eu preciso de você é fornecer um microfone e um banquinho, mas tenho certeza de que posso vir até com um microfone, se você não tiver um." Ela pisca para mim, como se eu não estivesse falando Inglês, em seguida, finalmente diz: "Tudo bem, onde estão as câmeras?" Ela olha ao redor da sala e aponta para a ruiva atrás do bar. "Você quis encenar isso? Sério, vocês são cadelas por fazer isso para mim." A ruiva ri e balança a cabeça. "Sem truques aqui, Addie. Mas o envie para mim quando tiver terminado com ele".


Addie volta-se para mim com olhos céticos. "Ela era uma das minhas amigas com seu cartaz em sua parede." "E eu não tenho medo de admitir isso”, a ruiva diz em voz alta quando ela coloca mais vinho. "Então, o trabalho." Eu cruzo meus braços sobre o peito e assisto seus olhos se dilatarem quando caem na tatuagem da luva no meu braço direito. Ela não é imune a mim. "Você quer seriamente cantar aqui em troca de amendoins?" "Eu prefiro pipoca, mas eu vou ter os amendoins." Eu sorrio e ela mastiga o lábio inferior e cruza os próprios braços, me imitando. Tudo o que consegue é empurrar seus peitos juntos, dando-me uma visão privilegiada do melhor corpo que já vi em... sempre. Suas curvas têm curvas, e ela possui cada uma delas, embalados muito bem em uma roupa que grita classe. Neste momento, tudo que eu quero fazer é levá-la em minhas mãos e festejar em cima dela. Mas, uma coisa de cada vez. "O trabalho é para as noites de sexta e sábado, das dez até fechar." "A que horas você fecha?" "Meia-noite". "Eu posso trabalhar com isso."


Ela balança a cabeça e, em seguida, inclina a cabeça para trás e ri. Sua voz é rouca e tão sexy quanto o resto dela. "Acabei de contratar Jake Knox?" "Não, senhora, você acabou de contratar Jake Keller." Eu suspiro e esfrego minha mão sobre a boca, lembrando-me de que eu não me barbeei em cerca de uma semana. Eu devo parecer profissional real, andando aqui em calça jeans questionáveis limpas e camiseta preta, barba por fazer, cabelo em uma bagunça do caralho porque eu tenho certeza que eu apenas corri meus dedos por ele, antes de eu sair de casa esta manhã. Mas Addie apenas mastiga que lábio novamente, depois assente. "Ok, você pode começar nesta sexta-feira e vamos ver como isto vai." "Trata-se de um teste?", pergunto com surpresa. "Testo todos, Mr. Keller”, ela responde e descansa as mãos nos quadris. "Mas é um teste mútuo. Vou ver se você é um ajuste para nós, e você vai ver se somos um ajuste para você. " Oh, eu tenho certeza que o ajuste vai ficar bem, querida. "Parece bom. Estarei aqui às nove e meia na sexta-feira à noite para preparar." "Ótimo. Você pode apenas voltar aqui para o bar. Vou encontrá-lo aqui e mostrar-lhe ao redor." Concordo com a cabeça e enfio as mãos nos bolsos, de repente parecendo nervoso, pela primeira vez desde que eu era


uma criança, do tipo que me incomoda e me faz sorrir, tudo ao mesmo tempo. "Agora que isso está resolvido”, eu digo e mantenho seus bonitos olhos azuis com os meus, "que tal se eu a levar para uma bebida depois de fechar na sexta à noite?" Ela pisca por um momento, sem se mexer, depois balança a cabeça e ri, olha para os sapatos e depois de volta para mim. "Deixe-me dizer algo perfeitamente claro”, ela começa falando claramente. "Eu não sou uma parte desta oferta. Nem nunca serei. Eu sou sua chefe, é isso. E para não falar, que eu estou em um relacionamento." "Mulher idiota”, murmura a ruiva atrás do bar, mas Addie ignora. "Entendido”, eu respondo com respeito, mas não posso deixar de sentir um momento de pesar. Addison é uma mulher bonita. Tenho a sensação de que ela é muito mais do que isso, mas ela pertence a outra pessoa, por isso realmente não importa. E por que diabos isso importa para mim de qualquer maneira? Jesus, tem realmente muito tempo que eu fiz sexo? "Vejo você na sexta à noite." "Sim, você vai”, ela responde e imediatamente vira as costas para

mim,

passeando

de

volta

para

o

bar

naqueles

surpreendentes saltos foda-me, olho sua bunda balançando o caminho todo.


Eu não posso esperar para vê-la sexta-feira noite. Eu aceno para a ruiva e caminho de volta para onde eu vim. O restaurante está cheio de clientes de almoço. Quando eu bato na calçada do lado de fora, eu chamo Christina. "Sentindo minha falta já?" Há um sorriso em sua voz. "Desesperadamente.

E,

eu

acho

que

eu

tenho

um

emprego." "Você foi?" Ela grita e depois retransmite as informações para o marido, Kevin, antes de voltar para mim. "E você conseguiu o emprego?" "Claro que eu consegui o emprego." "Será que o gerente o reconheceu?" "Sim, mas algo me diz que eu tenho o trabalho, apesar da minha história da música, não por causa dela”. "Interessante. Eu gosto dela já." "Eu também."

A CONDUÇÃO PARA A minha casa à oeste de Portland, através da estrada do sol, só leva cerca de 30 minutos do centro da cidade. Isso é uma das coisas que eu amo sobre esta cidade: você pode ir da movimentada cidade para o preguiçoso subúrbio em apenas meia hora. Eu comprei uma casa em três propriedades nas colinas fora de Hillsboro9 cerca de quatro anos atrás. É fechada e monitorada de 9

Hillsboro é uma cidade localizada no estado norte-americano do Oregon, no Condado de Washington.


perto por segurança. A casa principal é maior do que eu realmente preciso, mas foi a piscina e, mais importante, a casa da piscina que me fez cair de amor com ela. Gosto de nadar, e eu trabalho na piscina todos os dias em que estou em casa. Meu melhor amigo e co-fundador do Hard Knox, Max Bishop, e eu convertemos a casa da piscina em um estúdio completo e uma parceria para começar Hard Knox produção. Desde o início do negócio, há dois anos, eu tive todos, de U2 até Usher, no meu estúdio, estabelecendo as faixas, escrevendo canções. Fazendo música. A música alimenta minha alma e tem alimentado desde que eu tinha nove anos e ganhei a minha primeira guitarra no Natal. É uma magia que eu não tenho sido capaz de duplicar ou substituir por qualquer outra coisa. E por pouco tempo, quando eu pensei que eu ia abandonar a música por completo, parecia que eu estava vivendo no purgatório. Um purgatório necessário, mas porra, como machucou. Eu estaciono e corro em torno de volta, ignorando a casa completamente, e não estou surpreso de encontrar Max já trabalhando quando eu entro no estúdio. "Você está atrasado”, ele murmura, então morde seu lápis e e faz cócegas nas chaves do bebê grande no canto, com vista sobre a piscina. "Eu tenho um emprego”, eu anuncio e vou até o piano, lendo a música que se encontra na frente de Max.


"Quem está vindo agora? Pensei que Maroon 5 tivesse que adiar, uma vez que Adam tem que fazer o tape das audições para o show." "Não, um trabalho de apresentação regular." Sua cabeça empurra para cima, e por apenas um momento, há tanta esperança em seus olhos, que faz o meu peito doer. "Você tem uma apresentação para a banda?" "Não." Eu balanço minha cabeça e olho para a parte superior do piano. "Há um novo restaurante da cidade que precisa de um músico para fim de semana. Eu vou fazê-lo." Max não disse nada por um longo momento. "Quem é você?" "Eu estava pensando que poderia ser divertido para você vir comigo às vezes. Nós podemos executar algumas versões acústicas de algumas das músicas antigas. Mostrar a nossa harmonia." "Você está doente? Devo chamar uma ambulância?" "Foda-se”, eu respondo e viro para ir embora. Eu não preciso de sua merda. Eu provavelmente deveria chamar Addie e dizer a ela que eu mudei minha mente. Esta é uma ideia ridícula. "Jake”, diz ele. "Fale comigo. Você odeia se apresentar." "Não, eu só não posso me apresentar da maneira que nós fazíamos”, eu respondo e me viro, com as mãos nos bolsos. "Isto quase destruiu a minha vida uma vez. E eu sinto muito que quando perdi isto, você teve que perder também."


"Eu não tive”, ele responde assunto com naturalidade. "Já me ofereceram para tocar guitarra, me apresentando em outras bandas. Você sabe disso. Eu não quero fazer isso sem você." "Não vamos falar sobre nossos sentimentos. Nós somos caras." "Diga-me sobre este show. O que fez você decidir olhar para ele?" "Christina me disse sobre ele e me pediu." Eu caio em um sofá de couro e suspiro, minha cabeça se inclina para trás na almofada, e olho para o teto. "Adoro produzir e escrever com você. Não perco turnês. Não perco a bebida ou as meninas. Nós ainda temos os mesmos amigos, e ainda fazemos música, então eu não tenho nada a reclamar." "O que você sente falta?", Max pergunta. Eu mastigo meu lábio, e lembro-me de imediato de Addie fazendo o mesmo, e me pergunto como seria sentir seus lábios cheios sob os meus. Para senti-la plenamente debaixo de mim. "Eu sinto falta de cantar." Olho para Max e o vejo acenar. "Eu sinto falta de ver a multidão cantar junto com nossas músicas. Eu sinto falta da sensação que tenho quando estou cantando, tão duro e por muito tempo que meus pulmões estão gritando e minha garganta parece crua, mas eu não me importo, porque isso é apenas a música que importa." "Eu sei."


"E quando eu fiz a coisa do microfone aberto no último fim de semana, isto só martelou como quanto eu realmente sinto falta disto." "Eu sei." "Então, por algumas horas por semana, quero sentar em uma sala cheia de pessoas, dedilhar meu violão e cantar." "Eu acho que isso é incrível." Ele sorri. "E eu não posso esperar para mostrar nossas harmonias. Porque nós vamos chutar alguns traseiros." "Claro que sim." Eu sorrio e ligo meus dedos atrás da cabeça. "Então, diga-me em linha reta. Você não acha que é uma má ideia? " "Eu acho que pode ser a melhor coisa que você fez para si mesmo, desde que você saiu da banda." Concordo com a cabeça, pensativo, mas, em seguida, balanço a minha cabeça. "Este estúdio é a melhor coisa que eu fiz." "É uma grande coisa, e está nos fazendo uma merda de tonelada de dinheiro, e nós amamos isso, mas acho que a música, cantar, vai curá-lo. E eu não acho que você tenha feito isso ainda." "Você acha?" "Eu nunca fui quebrado, amigo. Essa foi a sua viagem. E isso me faz feliz para caramba como o inferno, para te ver neste lugar, porque eu não tenho visto em um longo tempo, e eu perdi".


"Sentimentos. Sem sentimentos. " "Sim, sim. Se você terminar de ser preguiçoso, você pode me ajudar com essa música. Eu não consigo descobrir o segundo verso." Eu levanto e volto ao piano, sentindo-me melhor depois de falar sobre o show na Seduction com Max. Ele tem razão. Eu preciso disso. "Nós conversamos sobre o segundo verso em intensidade, e, em seguida, caindo abruptamente no final. Isso vai tornar o coro muito mais poderoso, lembra? " "É isso mesmo”, diz ele e resmunga sob sua respiração enquanto apaga o que escreveu anteriormente. "Você acha que é tão inteligente." Eu sorrio. Eu não sou inteligente, ou especial. Eu só conheço música.


Capítulo três Addison "Esses

aspargos não foram grelhados tempo suficiente”. Mia

anuncia e franze o seu bonito nariz. Desde que ela não está na cozinha esta noite, seu cabelo escuro comprido está solto ao redor de seus ombros e pelas costas em ondas longas e naturais. Sua maquiagem está feita e seu corpo curvilíneo está balançando em uma roupa pouco divertida. Riley agarra a mão de Mia e balança a cabeça. "Você não vai à cozinha esta noite”, ela diz com autoridade, fazendo com o resto de nós sorrir. "Estamos nos divertindo." "Eu sei”, Mia responde e toma uma respiração profunda. "Eu estou me controlando. Mas eu vou ter outra reunião com os meus chefs na segunda-feira. Eu gostaria de poder trabalhar todos os dias, durante todo o dia". "Você se mataria, e não vamos permitir isso", Cami diz e leva uma mordida de seu prato. "Alguém mais acha irônico que estamos todas aqui sentadas, comendo afrodisíacos, e nenhuma de nós está indo obter sexo esta noite?" Estamos sentadas na mesa bem na frente do palco, comendo o jantar, à espera de Jake aparecer. Quando o resto das meninas descobriu

que

eu

tinha

contratado

Jake,

para

ser

o


entretenimento de fim de semana, você teria pensado que tínhamos quinze anos novamente. Então, é claro que estamos todas aqui, na frente e no centro, para a sua noite de abertura. E estamos todas vestidas com esmero. Porque eu contratei Jake fodido Knox. Quer dizer, Jake Keller. "Duas meninas tiveram muita sorte na noite passada”, eu respondo, as palavras ainda amargam na boca. "Ok, eu não ouvi a história ainda”, Kat diz e toma seu vinho. "Sim, diga isso de novo" Mia diz. "E então eu vou adicionar a parte onde eu vou arrancar as bolas de Jeremy fora." "É apenas a história típica”, eu começo. "Eu fui para casa mais cedo na noite passada, e entrei em casa para encontrá-lo fodendo duas meninas na minha sala de estar." Os olhos de Riley estreitam. "Eu nunca gostei dele." "O que você fez?", Cami pergunta e ajusta a parte de cima do seu top brilhante prata. "Bem, pelo tempo que eles finalmente me notaram ali, eu tive tempo de ir de choque para tristeza, cega a raiva, então eu apenas sorri politicamente”. "Uh-oh, isso nunca é um bom sinal", Cami murmura. "E eu disse a todos eles para dar o fora da minha casa." "E Jeremy?" Kat pergunta. "Jeremy tentou dar desculpas, mas eu só olhava para ele, impassível."


"Outro mau sinal”, Mia acrescenta. "E disse-lhe que nunca mais queria ver seu repugnante pau pequeno traidor novamente. E ele saiu." É claro, eu não menciono que eu me enrolei em uma bola na minha cama e chorei por algumas horas, e me questionei do por que os homens parecem pensar que está tudo bem andar em cima de mim como um capacho. Porque ninguém nunca vai ver esse lado de mim. "Meu selecionador de homem está quebrado”. Eu anuncio e tomo uma mordida grande de uva e crostini brie10 assadas com mel e sal do mar, e imediatamente e silenciosamente elogio o gênio culinário de Mia. "O que é bom, porque eu estou feita com os homens." "Não está quebrado, está fora de ordem”, Riley diz com um sorriso. "Talvez você precise de uma pausa de homens por um tempo. Não demorou muito tempo depois da separação com Craig, antes Jeremy pegar você". Eu franzo a testa, surpresa que a dor que costumava vir quando alguém mencionava o nome de Craig e agora não está mais lá. "Eu ainda quero dar um soco em Craig”, Kat murmura em seu copo. "Eu estava torcendo por ele."

10


"Outro músico”, Riley diz com um encolher de ombros. "Com certeza, aquele que todos nós pensávamos que era um ser humano descente, e esteve com você pela a maior parte dos oito anos, mas ainda assim. Um músico." "Isto nunca ia funcionar com Craig”, eu respondo com um suspiro. "Mesmo que ambos tentássemos por um longo tempo. Mais tempo do que deveríamos ter tentado. Eu estou carente. Eu quero estar com um homem em uma base regular, e não apenas ouvir a sua voz através do telefone, e ele estava sempre em turnê." "Você vai encontrar um não-músico, não bad boy”, Mia diz com confiança. "Sim, pelo amor de tudo que é sagrado, pare de namorar meninos maus", Cami acrescenta. "Embora, com a roupa que você está usando, você vai atrair cada menino mau de qualquer forma, em um raio de dez milhas." Eu olho para os meus jeans skinny preto, camisa vermelha, e colete de couro preto, depois de volta para Cami. "O que há de errado com a minha roupa?" "Nem uma coisa”, Kat responde com um sorriso. "E os saltos vermelhos são de matar, para não mencionar as camadas vermelhas em seu cabelo". "Você nunca parece a mesma dois dias seguidos", Riley diz. "Eu amo isso."


Eu dou de ombros. "A maneira como eu pareço não tem nada a ver com os homens sendo fiel a mim." "Isso é porque você escolhe idiotas." Mia leva outra mordida de aspargos e franze a testa para isto... "Eu sei o que você precisa", Riley anuncia. "Você precisa de um homem sexcation11." Eu engulo o vinho na minha boca e faço uma cara feia para a minha amiga. "Um o quê?" "Você precisa encontrar um cara que você pode apenas chamar, tipo, uma vez por mês e ir ver ele ─" "Mas

ele

não

pode

morar

aqui”,

Cami

acrescenta,

surpreendendo o inferno fora de mim. "Você tem que viajar para vê-lo." "Certo, porque você não precisa dele pendurado em volta, se aproveitando de você, ou geralmente apenas irritando o inferno fora de você", Kat diz com um aceno de cabeça. "Exatamente”, Riley diz e sorri. "Então, ele vive em Seattle ou talvez San Francisco, porque isso é apenas um voo curto. E você vai vê-lo por um par de dias, tem um monte de sexo louco, em seguida, volta para casa e volta para a sua vida. Todo mundo está feliz. Sem cordas". Eu sinto que eu estou vendo algum tipo de jogo de esportes quando eu olho de amiga para amiga, tentando seguir essa conversa louca. 11

Escapada sexual.


E é ainda mais louco, porque eu meio que gosto dessa ideia. "Mas ele não pode ser um músico”, Mia acrescenta. "De jeito nenhum”, eu respondo, entrando no espírito. "Estive lá e me arrependi. Mas ele tem que ter um bom trabalho. Um bom trabalho realmente. E ser muito inteligente." "E saber o seu caminho em torno do quarto”, Kat diz. "Ou cozinha”, Cami diz com um sorriso. "Ou banheiro. Brincar na água é divertido”, Mia acrescenta. "Ou varanda”, Riley diz, levantando o copo em saudação. Eu não consigo parar de rir. Oh meu Deus, essas meninas são tão engraçadas. "É por isso que nós somos amigas”, eu digo, enxugando uma lágrima no canto do meu olho. "Além disso, ele tem que ter um abdômen incrível. Como, abdomens por dias. E talvez cabelo loiro. Olhos azuis. Verde? Não, azul." Estou

balbuciando

agora,

e

as

meninas

estão

todas

sorridentes, mas apenas me assistindo, deixando-me divagar. "Eu gosto de tatuagens, mas elas não são um bom negócio. Ele tem que ser alto. Mais alto que eu, com certeza. E ele pode fazer essa coisa com his ─" Eu olho para cima e percebo Cami olhando por cima do meu ombro e um sorriso mais largo e eu paro no meio da frase. "Oh Deus. Quem está atrás de mim? " "Oi, Jake”, Mia diz e mexe os dedos em uma onda. Eu deixo cair o queixo no meu peito e murmuro, "Foda-me."


De repente, os lábios quentes estão ao lado de minha orelha, e Jake sussurra: "Sim, eu acho que isso é o que estaria envolvido nesta coisa sexcation." Kat bufa e eu faço o meu melhor para puxar minha dignidade em torno de mim, junto com minhas calcinhas de menina grande, e limpo minha garganta. "Olá, Jake." Eu levanto e aponto para as meninas ao redor da mesa. "Você se lembra de Kat do outro dia." Kat acena um olá. "Esta é Mia, a nossa cozinheira mestre." Mia sorri. "Cami é a nossa CPA12, e Riley é responsável pelo marketing e publicidade. E nós cinco somos as coproprietárias da Seduction". "É um prazer conhecer todas vocês. Vocês são um bando bem intimidador, não é?" "O que quer dizer?", Riler pergunta. "Lindas, inteligentes, poderosas."

Jake encolhe os ombros.

"Muito incrível." "Eu gosto dele", Kat diz. "Ele pode ficar." Jake pisca para ela, e eu me viro para levá-lo embora. Ele é charmoso. E parece melhor do que qualquer um seria em seus jeans rasgados e uma camiseta cinza simples. As tatuagens em seus braços são apenas... Deus. E seu corpo é firme. Controle a situação, Addison!

12

Gerente Financeira.


"Esta é uma configuração muito simples”. Eu começo, olhando por cima do meu ombro para me certificar de que ele está me seguindo, e pego ele olhando para a minha bunda. "Não olhe para a minha bunda." "Não, senhora”, ele responde com um sorriso arrogante. Aquele sorriso faz com que todo um jardim zoológico fixe residência em meu estômago. A primeira vez que ele sorriu para mim no outro dia, o meu pensamento imediato foi: Oh! Merda. Porque ele poderia me trazer de joelhos com aquele sorriso. De jeito nenhum. "Eu sou mais alto do que você, você sabe. E eu tenho tatuagens. Eu sei que não era um disjuntor do negócio, mas é um bônus." Eu balanço minha cabeça. "Eu tenho cabelo castanho, mas eu poderia clareá-lo. E eu acho que você selecionou olhos azuis, mas eu ouvi verde mencionado e....bingo." Ele olha para mim e antes que eu saiba o que está acontecendo, ele levanta a bainha de sua camisa. Oh, doce Jesus. "E eu não sou de me gabar, mas, abs ─" "O microfone e banquinho estão aqui como você pediu." Eu me afasto, fazendo o meu melhor para acalmar minha respiração e ignorá-lo. "Você está convidado a beber o que quiser enquanto toca. Basta deixar a garçonete saber o que quer e ela vai ter certeza de você ter isto a noite toda".


Ele balança a cabeça e tira a os sapatos, me fazendo franzir as sobrancelhas. "Eu sempre canto descalço”, diz ele. "Tem sido um hábito desde os primeiros dias." "Por quê?" "Eu não tenho ideia." Ele ri e balança a cabeça. "Eu acho que é apenas confortável." E seus pés são sexy. Imagino... "Eu não posso acreditar que você está realmente fazendo isso!" Uma morena lança-se nos braços de Jake e mantém-se firme. Ela é linda, alta e claramente muito ligada a Jake. Ele sorri amplamente e envolve seus braços em volta dela com ternura. "Eu disse que iria." "Eu sei. É apenas tão grande. Eu estou tão orgulhosa de você." Alguém deveria dizer a esta pobre menina que seu namorado irá bater em alguém. Típico. Filho da puta típico. O que diabos está errado com os homens? Jake coloca a mulher de lado e oferece sua mão para apertar a de um homem que eu não vi vir atrás de nós. "Ei, cara”, diz Jake. "Obrigado por ter vindo." "Como se fossemos perder isso”. O homem alto, bonito responde e puxa Jake para ele para a coisa de abraço de homem que eu nunca entendi muito bem.


Assim como a coisa da traição e a coisa de se aproveitar e a coisa-deixando-o-assento, levantando–ir-no banheiro. É tudo um sangrento mistério para mim. "Somos tão rudes!" A mulher sorri educadamente para mim. "Sou Christina, e este é o meu marido, Kevin." "Christina tem sido minha melhor amiga desde o colégio”, Jake acrescenta com um sorriso. "Eu estou preso com ela." "Ele está”, ela balança a cabeça alegremente. "Eu sou Addison, coproprietária aqui. Bem-vindos." Eu sorrio calorosamente e me viro para ir embora, mas Christina arrebata minha mão. "Você vai sentar-se conosco por alguns minutos? Eu adoraria conversar com você." "Claro”, eu respondo imediatamente e silenciosamente me amaldiçoo. Estou muito condicionada a dar ao cliente tudo o que quiserem. Mas Christina sorri amplamente e, em seguida, abraça Jake mais uma vez. "Quebre a perna, J." Kevin leva-nos a uma mesa no centro da sala. Quando minha garçonete chega, digo-lhe para trazer qualquer coisa que estes dois queiram, por conta da casa, por toda a noite. "Você não tem que fazer isso", Kevin diz depois que a garçonete sai. "O prazer é meu." Eu aliso a toalha com a mão e olho para Jake, enquanto ele puxa sua guitarra fora de seu case e a


dedilha, certificando-se que está afinada. Ele fala com sua garçonete, em seguida, instala-se no banco, ajusta o microfone, e dedilha a guitarra novamente. "Boa noite”, ele começa e sorri para a multidão. Mas esse sorriso é diferente do que ele apontou para mim antes. É destacado. Profissional. Ele tem a sua cara de jogo. Fascinante. "Esta é minha primeira noite aqui no Seduction. Sou Jake Keller." Ele visa uma olhada Christina, que lhe oferece um polegar para cima e um sorriso encorajador. "Serei gentil." O público ri, e de repente está sussurrando e comoção. "Você não é Jake Knox?" Alguém chama na multidão. O sorriso de Jake nunca falha. "Eu costumava ser, mas, esta noite, eu sou apenas um cara com uma guitarra." E com isso ele invade um cover rápido-tempo. Sua voz é suave como caramelo, com um pouco de aspereza no ponto certo. É sexy. "O que foi?", pergunto a Christina. "Eu só queria dizer obrigado por dar a Jake este trabalho. Pode parecer uma coisa pequena, mas é importante para ele." Ela o olha com olhos cheios de amor. "É importante para mim." Kevin pega a mão de sua esposa e beija-a ternamente.


"Fiquei chocada quando ele entrou aqui no outro dia.”

Eu

admito. "Eu aposto”, ela diz com uma risada. "Você nunca saberia que ele está nervoso, não é?" Eu viro meu olhar para Jake e o vejo tocar com confiança, seus dedos se movimentando sem esforço sobre a guitarra, como se fosse apenas parte dele. As notas provenientes de sua boca são perfeitas e suave. "Não”, eu respondo. "Ele está apavorado”, ela responde séria. "Ele não se apresentou na frente de pessoas em cinco anos." "Eu o vi na outra noite." Eu franzo a testa para Christina. "Ele cantou em uma noite de microfone aberto. Eu estava à procura de talentos para ocupar o cargo". "Ele cantou uma canção”. Christina diz com um aceno de cabeça. "E essa foi a primeira vez que o fez desejar isto novamente, eu acho. Embora ele não vai admitir isso." "Eu não ouvi que ele ainda escreve e produz?" "Sim, mas cantar para uma sala de quatro de seus amigos é muito diferente disto”, diz ela. "Então, obrigado." "O prazer é meu." Meus olhos passam pelo salão, feliz de ver os clientes aproveitando os alimentos, cantando junto com Jake, sorrindo para ele. "Ele faz meus clientes muito felizes." "E ele vai continuar a fazê-lo”, Kevin diz, ganhando um beijo no rosto de Christina.


"Como vocês se conheceram?" "Eu tive

um acidente

há alguns anos e precisava de

fisioterapia”, Christina responde. "E eu era o seu terapeuta”, Kevin acaba por ela. Eu sorrio. "Isso é muito legal. E romântico." "Nós também pensamos assim." Só então Jake muda para uma música mais lenta. Minha música favorita. Está atualmente nas paradas, e cada vez que eu a ouço, meu coração simplesmente chora. Porque é sobre tudo o que eu estou convencida de que eu nunca vou ter. Jake detém o meu olhar quando ele canta a música, nunca olhando para longe, e eu não posso tirar os olhos dele também. Christina está falando ao meu lado, mas eu não a ouço. É só ele. Quando ele chega ao refrão, me pedindo para amá-lo como eu faço, eu pisco e olho para baixo, em seguida, me levanto, me desculpando e corro para o banheiro, tranco a porta, e inclino minhas mãos no balcão, olhando para mim no espelho. Que porra há de errado comigo? Pelo menos a minha maquiagem está segurando. Olhos enfumaçados olham para mim. Eu vejo meus lábios brilhantes enquanto eu começo a minha conversa interna. "Você não está atraída por músicos. Você vai encontrar um CPA, ou um agente imobiliário ou um advogado, sem tatuagens.


Ele será dedicado a você. Ele não terá as mulheres se jogando encima dele. Ele será um cara bom. Claro, ele terá um grande sorriso, porque eu tenho uma coisa sobre os dentes, mas ele não será um traidor. E ele não mentirá. E ele vai ter orgulho de você e você será sua prioridade”. "Com certeza, ele pode ser um pouco chato, mas chato é bom. Ele não será um manipulador, e ele se mataria antes de machucá-la." Eu me endireito e aliso minhas mãos no meu corpete de couro e sobre os meus jeans skinny em meus quadris, em seguida, passo o dedo sobre o meu reflexo. "Jake não é quente. Você não está interessada. Deixe isso para trás." Eu me dou o olhar ao redor, antes de marchar para fora do banheiro, com a minha nova armadura intacta.

SEDUCTION ESTÁ PRATICAMENTE vazio agora. A apresentação de Jake foi surpreendentemente bem, e se ele estiver disposto, vamos mantê-lo como cantor do fim de semana, durante o tempo que ele quiser. Eu posso ouvir algum movimento na cozinha, provavelmente o chef preparando para amanhã. Os últimos funcionários acabaram de sair, com grandes sorrisos em seus rostos graças a pesadas gorjetas de hoje à noite. Cami, Riley, e Mia saíram logo depois que Jake terminou, e Kat acabou de passar pela porta.


"Posso comprar uma bebida para você?" Eu giro, surpresa ao ver que Jake ainda está aqui. "Eu disse que não antes. Você está louco?" "É apenas uma bebida, Addie. Eu suspeito que você tenha tido um longo dia". Eu dou de ombros. "Eu não vou negar isso. Ok, eu vou acompanhá-lo." Que porra, Addison? Isto não é profissional! Eu mentalmente balanço a cabeça, resignada a ser uma idiota que não consegue dizer não. Eu o levo para o bar e ando atrás dele para nos colocar uma bebida. "O que você bebeu esta noite? Jack e Coca-Cola? " "Apenas a coca" ele responde. "Eu não preciso do Jack." Eu derramo sua bebida, surpresa ao ouvir que ele não bebeu álcool enquanto ele tocava, mas eu não pergunto nada sobre isso. Coloco para mim um copo de vinho, e levanto sobre o balcão para bater a taça com ele. "Para a sua primeira noite." "Saúde". Seus olhos sorriem para mim sobre a borda do copo quando ele toma um gole de sua bebida. "Vem sentar-se comigo. Saia desses saltos assassinos." "Eu estou acostumada com os saltos”, eu respondo, circulando em torno do bar e me sento em um banquinho ao lado dele. "Mas eu estive com eles durante todo o dia." "Você trabalhou o dia todo, e ficou esta noite também?" "Claro. Era a sua primeira noite. "


"Minha audição”, ele diz com um aceno. "Eu não acho que eu já fiz o teste para qualquer coisa." "Bem, você passou. Você é bem-vindo para tocar aqui durante o tempo que você quiser. " Seus incríveis olhos verdes aquecem quando ele sorri para mim. "Obrigado. Eu gosto disso. É uma multidão íntima, e a sala tem uma grande acústica. Eu gostaria de trazer Max comigo, às vezes, para que possamos tocar algumas das músicas antigas, cantar algumas harmonias, se estiver tudo bem." Se isso está bem? Duh. "Parece bom para mim." Eu bebo meu vinho. É calmo aqui agora, e o silêncio é muito alto. Ele está olhando para a bebida, os olhos de um verde profundo na luz baixa do bar. Uma ruga se forma entre as sobrancelhas com um olhar severo, e, em seguida, ele balança a cabeça, só um pouquinho. Jake sorve sua bebida, e eu não posso ajudar, mas pergunto o que ele está pensando. E eu sou uma mulher, por isso peço. Porque quem já atendeu ao aviso não faça a pergunta, se você não quer a resposta? "O que você está pensando?", pergunto suavemente. Ele ri e balança a cabeça. "Você não quer saber." "Eu perguntei."


Ele gira no banquinho, de frente para mim, e descansa a mão sobre o braço do meu próprio banco, inclinando-se para mim, e leva tudo em mim para não recuar. Seus olhos abaixam para os meus lábios. Eu os lambo, e vejo seus olhos se dilatarem. Esta é uma ideia muito ruim. Eu engulo em seco enquanto ele continua a olhar para a minha boca. "É calmo aqui”, diz ele uniformemente. "Eu estava pensando o mesmo." "Você está confortável na sua zona de conforto, Addie?" Eu franzo a testa e sinto meus mamilos endurecerem quando ele me atinge e enfia o meu cabelo atrás da minha orelha. Seus dedos estão quentes. E quando ele está tão perto, eu não posso ajudar, mas o respiro e aprecio o cheiro dele. "Por que não deveria estar?" "Alguns não estão. Alguns precisam de caos, barulho. O silêncio os faz ficarem nervosos." Você me deixa nervosa. Eu lambo meus lábios novamente. "Eu não me importo com o silêncio. Você?" "Eu amo o silêncio." Eu sorrio. "Você é um músico."


"E eu amo a música também. Mas o silêncio é o lugar onde a verdade vive." Eu pisco uma vez, duas vezes. "Onde a verdade vive?" Eu estou sussurrando agora. Ele simplesmente balança a cabeça. "Não há distrações. Não há forma de negar o que é. É honesto." "E você diz ser honesto?" "Para uma falha”, ele confirma. "Eu também adoraria ouvir mais sobre este sexcation que você está planejando." Eu sinto minhas bochechas corar e viro, tomando mais um gole do meu vinho. "Eu estava simplesmente sendo boba com as minhas amigas, Jake. Deixe isso para lá." Ele não responde. Dane-se a porra do silêncio. Eu arrisco uma olhada para ele, apenas para encontrá-lo ainda me observando, luxúria pesando em seus olhos. "Por que você está me olhando?" "Eu não estou olhando. Mas você fica fodidamente linda quando cora e eu não posso ajudar, mas pergunto o quão baixo este rubor vai." Meu queixo cai, então eu rapidamente o fecho novamente. "Eu acho que você é honesto." Ele sorri aquele maldito sorriso arrogante e eu estou apenas.... Louca. "Culpado."


"E muito charmoso para o seu próprio bem." "Charmoso não é uma coisa ruim." Eu ri, mas não de uma ‘oh, você é de maneira tão engraçado’, e seu contido rosto. "Você realmente acha que você está entrando em minhas calças com isto? Me comprando uma bebida, dizendo coisas sensuais, utilizando a linguagem corporal ‘impossível dizer não’? " "É apenas uma bebida e uma conversa Addie." "Certo. Eu não compro isto. Eu estive nessa estrada antes, com homens como você, Jake, em uma motocicleta sem capacete indo rápido demais, e tudo me levou a um acidente de fogo." "Veja ─" "Não, veja você." Eu deslizo para fora do banco e caminho para longe, muita energia fluindo através de meu corpo. Muita frustração. Meus saltos ecoam na sala silenciosa. "Já namorei uma dúzia como você, e vocês são todos a mesma coisa." "Não. Nós não somos." Eu viro para encontrar a mandíbula apertada e os olhos. "Sério? Você está me dizendo que você não esteve com inúmeras mulheres?" Eu cruzo meus braços, inclino meu quadril para o lado, e o vejo cerrar os punhos. Mas ele não nega isso. "Você vai negar ter dito a pobre menina que ela significa algo para você, ao mesmo tempo em que você esteve com outra pessoa na mesma noite?"


Ele engole duro e levanta, mas ainda não diz nada. "Não tente me dizer que você não é um prostituto, Jake, porque eu sei de forma diferente. Já namorei bad boy toda a minha vida. E eu tenho lido os tabloides. Eu conheço o seu passado." Seu rosto se transforma por apenas uma fração de segundo em pura dor, então ele se foi e tudo o que resta é... Nada. Depois do que se parece como dez minutos de silêncio, ele simplesmente balança a cabeça e diz: "Bem, eu acho que você já tem tudo planejado, não é?" Ele me olha para cima e para baixo, então se vira e sai do bar. Não,

dois

segundos

depois,

Mia

sai

da

cozinha,

me

surpreendendo. "O que você ainda está fazendo aqui?" "Ele não merecia isso, Addie." Eu pisco rapidamente e caminho atrás do bar para me servir um copo de vinho. "Eles são todos iguais, Mia, e foi um insulto para nós dois ele negar. Estou cansada de ser enganada. Estou farta de ser atingida por homens que só querem levantar minha saia, mas não dão a mínima sobre os meus sentimentos. " "Ele estava sendo legal com você." "Claro que ele estava." "Addie, Jake não foi quem foi encontrado na noite passada com outras duas mulheres."


Meu olhar chicoteia sobre ela e eu faço uma careta. "Eu não estava levando isso em Jake." "Besteira." Lágrimas se reúnem, em meus olhos e eu me afasto, embaraçada, e com um pouco de vergonha, porque Mia está certa; ele não merece. "Eu sou uma cadela." "Você não é uma cadela, você está ferida, e você não quer estar atraída por ele." "Eu não estou atraída por ele." Mia sorri e balança a cabeça. "OK." "Tudo bem, eu estou atraída por ele, mas eu estou tentando realmente duro não estar." "Nem todas as pessoas são iguais, Addie." "Eu só mereço muito mais, Mia. Eu não entendo o que é sobre mim que grita ‘Foda-me’. ‘Me machuque’. Eu gosto disso." As lágrimas querem fluir, mas eu engulo e as mantenho de volta. "Sua sorte com os homens tem sido de merda”, diz ela. "Eu acho que você poderia dizer isto sobre todas nós." "Menina, você não está brincando." De repente, ouvimos a porta da frente abrir e fechar. "Estamos sozinhas”, Mia diz suavemente. "Não há problema em chorar, você sabe." "Não, não é. Isto não resolve qualquer coisa."


"Oh, Addie. Você não tem que ser forte o tempo todo. É só você e eu. Você pode ser vulnerável por cinco minutos e deixar isso sair. Eu não vou dizer a ninguém". Ela coloca o braço em volta dos meus ombros. Eu me inclino minha cabeça em seu ombro e choro, grata que eu tenho alguém, quatro realmente, que eu posso ser honesta. Porque Deus sabe que eu aprendi há muito tempo que mostrar fraqueza a qualquer outra pessoa só vai ter seu coração arrancado e desfiado. E eu nunca vou por esse caminho novamente, em uma motocicleta ou de outra forma.


Capítulo quatro Jake Tem

sido um mês desde que comecei a tocar no Seduction nos

fins de semana. Estes shows foram mais divertidos para mim do que qualquer outro que eu já realizei, e eu fiz todos os principais shows de premiação, casamentos de celebridades, e nas maiores arenas do mundo. No entanto, sentado este banco com a minha guitarra, tocando novas e velhas canções para uma sala cheia de talvez uma centena de pessoas, me satisfaz mais do que qualquer uma das outras performances que já fiz. Porque isto será em meus termos. Sou só eu e a música, na sua forma mais crua, e desejo isto mais fortemente do que eu jamais pensei que faria. É viciante. "Ashley, você pode ir depois de terminar de embrulhar estes talheres”, Addie diz à sua funcionária, que atualmente está contando suas gorjetas. Falando de desejo. Addison é um inferno de uma mulher. Sim, ela é linda por fora. Alta e loira, com curvas em todos os lugares certos, ela faz todas minhas partes masculinas se levantarem e tomar nota. Mas ela é tão inteligente também, porra. Ela mantém este lugar


funcionando como uma máquina bem oleada. Seus empregados a respeitam e gostam dela, e os clientes são sempre sua prioridade. Não é a mínima dificuldade vê-la se misturar de mesa em mesa, quando eu canto, encontrando o seu olhar de vez em quando. Observando seus lábios se contorcer em um sorriso relutante antes dela se virar e ir embora, sempre faz meu coração bater um pouco mais rápido. E eu nunca sei como ela vai estar quando eu chego aqui a cada noite. Ela muda de estilo mais do que a maioria das pessoas mudam suas roupas íntimas, e ela parece incrível a cada vez. Se ela parece clássica ou nervosa, ou em qualquer lugar, é sempre uma surpresa. A melhor surpresa que eu tive nos últimos anos. Agora, o lugar está calmo. A equipe está preparando as coisas para a noite quando eu mexo com a minha guitarra, ajustando a afinação. Se eu for honesto, a guitarra já estava perfeitamente sintonizada. Eu só quero assistir Addie se movimentar pela sala. E isso é patético, porra. Ela não quer ter nada comigo. Ela deixou bem claro, o que me irrita e me diverte ao mesmo tempo. Eu nunca fui bom em tomar um não como resposta. E eu não posso ajudar, mas pergunto se é sobre isso que esta atração toda é: o desafio.


"Podemos discutir o meu horário?", Ashley pergunta. "Eu tenho um jantar de família para o aniversário do meu pai na próxima semana. Eu gostaria de trocar com alguém, se estiver tudo bem." "Claro”, Addie responde, em seguida, franze a testa pensando. "Merda, eu deixei meu iPad no carro. Eu volto já." "Vou encontrá-la no bar" Ashley diz. Boa ideia. Eu não bebo muito, não mais, mas eu poderia usar um agora. "Grande serie esta noite, Jake", Kat diz atrás do bar. Seus lábios são vermelhos escuro, quase da cor do cabelo dela. Ela está em um top brilhante rasgado do AC/DC esta noite e jeans apertados, mostrando sua tatuagem. "Obrigado”, eu respondo com um sorriso. "O que posso fazer por você? O seu habitual? " "Eu tenho um habitual?" Pergunto com uma sobrancelha levantada, mantendo um olho na porta dos fundos que leva ao beco. Onde ela está? Parece ser muito tempo para pegar seu iPad, mas, novamente, eu provavelmente estou sendo ridículo. "Coca-Cola". Kat ri. "Eu sou uma barwoman, Jake. Esse é o meu trabalho." "Você é mais do que isso”, eu respondo sério. "Você corre este lugar muito bem."


"Eu sei." O sorriso dela é confiante, inspirando mais respeito de mim. Estas mulheres são todas incríveis, porra. "Eu tenho uma coisa com bebida alcoólica." "Você soa como um bêbado”, Mia diz assim que ela sai da cozinha e toma um banquinho ao meu lado. "Ela não é." "Ser bom em álcool não faz qualquer um alcoólatra”, eu respondo, começando a me preocupar com Addie. "É uma forma de arte." "Eu gosto de você”, Kat diz e me sopra um beijo. "Onde está Addie?", Mia pergunta. "Você a mandou gritar para a lua?" "Isso não é como as mulheres geralmente reagem a mim, não". Kat desliza uma bebida para mim e eu saboreio. "Ela correu para o carro dela para pegar seu iPad”, Ashley diz enquanto ela rola através de seu telefone. "Há algum tempo. Eu estou indo para ir ver como ela estava." "Eu realmente gosto dele”, Kat diz quando eu ando pela cozinha e pela porta dos fundos. Eu paro e ouço, não tenho certeza onde Addie estacionou. "Você é um pedaço inútil de merda", alguém grita, e eu imediatamente corro nessa direção. Eu viro a esquina e vejo vermelho. Um homem, não muito mais alto do que Addie a tem presa de costas contra seu carro, e sua mão está envolvida em torno de seu pescoço fino. Seus olhos estão arregalados de medo


enquanto ela empurra em seu peito, mas ela não consegue movê-lo. Ele puxa a outra mão para trás, punho cerrado, quando eu os alcanço e a solto. "Que porra é essa?", ele grita, então não diz nada quando meu punho se conecta com sua mandíbula. "Jake!" A voz de Addie é áspera, e eu mal sinto a mão no meu braço enquanto eu fico em cima do pedaço de merda que tinha as mãos sobre ela. "Jake, pare." "Fique atrás de mim." "Quem é esse idiota?" O filho da puta grita do chão, limpando o sangue do canto da boca. "Você está fodendo ele também?" "Cale a boca." Minha voz é de aço. "Eu sugiro que você saia, agora, antes que eu chame a polícia." "Por quê? Nós estávamos conversando." Ele cambaleia de pé e olha para mim. Ele está claramente bêbado. Provavelmente alto. "Você estava agredindo-a." "Não é da sua conta." "Basta ir, Jeremy”, Addie diz por trás de mim. Sua voz é firme, mas ela ainda está segurando meu braço, e sua mão está tremendo, me irritando mais. Algo me diz que é preciso muito para assustar esta mulher. "Você ouviu." Jeremy olha para mim, em seguida, cospe e se desvia, tropeçando para fora do beco. Quando ele se foi, eu giro e a puxo


em meus braços, segurando-a com força contra mim. Ela está tremendo, mas ela não está chorando. "Você está bem?" "Estou bem." "Quem era aquele idiota?" "Um ex”, ela murmura. "Ninguém importante." Importante o suficiente para vir à procura dela. Mas eu mantenho esse pensamento para mim mesmo. "Você quer que eu chame a polícia?" "Não. Ele não me bateu. " "Eu vou segurar você por um minuto." "Bom plano." Ela está agarrada a mim, os dedos segurando minhas costas, o rosto pressionado contra o meu peito. Ela se encaixa. Não há outra maneira de descrever. Eu envolvo meus braços em torno dela com firmeza e inclino meu rosto para baixo e enterro meu nariz em seu cabelo, respirando. Ela cheira como pêssegos. Ela está linda esta noite em uma blusa preta que cai em um ombro e uma saia vermelha apertada. Finalmente, ela empurra para longe de mim e engole. "Obrigado por isso. Eu não vi Jeremy desde que o expulsei do meu apartamento, mais de um mês atrás. Eu não sei o que ele estava fazendo aqui esta noite." "Então ele não a ameaça em uma base regular?" "Não." Ela endireita os ombros e levanta o queixo. Boa menina.


"OK. Vamos levá-la para casa." "O quê?" Ela franze a testa. "Por quê?" "Porque você foi atacada no beco, Addie." "Eu tenho trabalho para terminar." Ela chega a seu carro para recuperar o seu iPad e caminha em direção ao restaurante. "Eu não posso ir para casa." E a mulher teimosa está de volta. Sigo-a, assistindo-a como um falcão. Ela caminha direto para Ashley, disparando acima de seu tablet, mas os dedos são um pouco instáveis. Eu deveria pegá-la e levá-la para casa, mas ela não me deixava chegar a três passos longe dela sem me dar um basta. Ela é tão quente. "O que está acontecendo?", Kat pergunta, observando nós dois. "Addie ─" Eu começo, mas Addie me corta com um olhar. "Nada." Ela se vira para Ashley e as duas prosseguem discutindo a agenda para o próximo fim de semana. "O que foi?", Mia pergunta. "Está tudo bem?" "Jeremy estava no beco", Addie admite, sem olhar ninguém nos olhos. "Ele estava sendo um idiota bêbado, e Jake se assustou com ele." Ela está propositadamente deixando de fora a parte em que ele estava prestes a bater a merda fora dela. Mas, nenhum dos meus negócios.


Eu simplesmente dou de ombros e derramo a minha bebida, em seguida, empurro o copo para a Kat, apontando para o outro. "Muito obrigado”, Ashley diz com um sorriso e então se dirige para fora, deixando nós quatro sozinhos. "Você vai nos dizer o que aconteceu?", Kat pede a Addie, que ainda tem seu olhar no seu iPad. "O que aconteceu com o quê?", Addie responde. "Deus, ela é teimosa”, Mia murmura, em seguida, deixa seu cabelo longo e escuro cair. Ela coça seu couro cabeludo e suspira em êxtase. "Assim é melhor." "Você tem o cabelo bonito”, eu digo. Normalmente, eu me sinto atraído por morenas, e Mia é uma mulher muito bonita. Ela também é cheia de curvas, com um pouco mais de curvas do que Addie, e muito mais baixa, com longos cabelos escuros e lindos olhos escuros. O sorriso que faz cócegas em seus lábios é um de pura satisfação feminina. "Obrigado." "Se você terminou de flertar com as proprietárias, você pode ir", Addie diz. Eu olho para encontrá-la fazendo cara feia para mim, o que só me faz sorrir. "Estou saindo quando você sair, bonita." "Ele está flertando", Kat diz a Mia, como se eu não estivesse sentado aqui. "Eu não estou." "Ok, bonito", Kat responde com um sorriso de satisfação.


"Bem, eu estou saindo agora”, Addie diz e vira seu iPad fechado, então caminha para o escritório para recolher suas coisas. "Ela está bem?", pergunta Mia. "Honestamente." "Ela está agora." Kat e Mia ambas olham para mim, mas antes que eles possam dizer algo mais, Addie retorna. "Você não tem que me acompanhar." "Hmm." Eu levanto a minha guitarra e não comento mais nada quando Addie me leva para fora pela parte de trás, para o beco, em direção a seu carro. E só acontece de eu estar estacionado ao lado dela. Sem dizer nada, ela desliza em seu Jetta último modelo, assim como eu me abaixo no meu Mustang. Eu saio atrás dela e nós dirigimos pelo centro da cidade, que ainda é muito ativo em uma noite de sábado, e pelas colinas de Portland a oeste, a um agradável condomínio fechado de apartamentos. Eu a sigo pelo portão, e uma vez que ela puxa em sua garagem, eu estaciono atrás dela e saio do carro. "Por que você está me seguindo?" "Eu queria ter certeza de que aquele idiota não a seguiu”, eu respondo, meus dedos coçando para dobrar uma mecha de seu cabelo atrás da orelha. "E eu quero ter certeza de que você está bem." "Estou bem."


"Você precisa dizer as outras que ele a agrediu." Ela nem sequer tentar fingir que ela não entende. "Elas não precisam se preocupar." "Elas

precisam

saber,

no

caso

daquele

idiota

vir

ao

restaurante." Ela franze a testa e olha para baixo, mas eu sou um idiota persistente. "Addie". "Tudo bem, vou dizer-lhes. Mas você está sendo tolo. Estou bem." Mas ela engole em seco e seus olhos ainda parecem assustados. "Convide-me entrar." "Desculpe-me?" Ela cruza os braços, me encarando no meio de sua garagem. E agora eu não aguento mais. Eu passo à frente e suavemente coloco o cabelo atrás da orelha, em seguida, arrasto a ponta do dedo pelo pescoço para o ombro nu. "Você tem ombros sensuais." "Eu não posso ter você aqui." Meu olhar encontra os seus azul-gelo. "Você tem um toque de recolher?" Ela não sorri. "Eu acho que estou indo a desmoronar, e eu não posso ter você vendo isso." "Ah, baby." "Eu não quero que você me veja desmoronar." "Ok." Eu suspiro. "Mas eu preciso ter certeza de que você entre em segurança, e eu preciso disso para ficar sossegado."


E eu nem sequer entendo o porquê. Por que a necessidade de protegê-la e confortá-la é tão extremamente forte. Eu nunca me senti assim com ninguém além de Christina antes, e mesmo assim não é tão forte. Mas eu não posso parar. "Eu não preciso de ninguém para cuidar de mim." "Apenas ceda." Ela revira os olhos e se desvia, dá um tapa no botão para baixar a porta da garagem, em seguida, leva-me para dentro e sobe as escadas para o apartamento. Os quartos são grandes, abertos. Novo. E o mobiliário é moderno, mas confortável. Addie deixa cair sua bolsa e as chaves sobre a mesa da sala de jantar, então se vira para mim. "OK. Eu estou em segurança." Dou um passo para ela, incapaz de me virar e caminhar de volta e ir embora daqui, e envolvê-la em meus braços, da mesma maneira que eu fiz no beco, balançando-a para frente e para trás. "Me assustou”, eu sussurro. "O que?" "Vê-lo com a mão em volta do seu pescoço." O pensamento dele machucando você. O pensamento de perder você, e você não é nem mesmo minha. "Eu não gostei também." Eu sorrio suavemente, meus lábios escovando sobre seu cabelo. Deus, ela cheira como céu, e ter seu corpo sexy pressionado contra o meu, parece puro pecado.


O melhor tipo de pecado. "Tem certeza de que não quer que eu chame a polícia?" "Tenho certeza." "Vá se trocar", eu sussurro e puxo para trás. "Fique à vontade". Ela suspira, me observando, depois se vira e caminha para o que eu assumo que seja o quarto dela, os saltos clicando nos pisos de madeira. Quando ela fecha a porta, eu volto para a sala. As paredes e caimento são brancos. Os armários da cozinha são brancos, com bancadas em granito preto. As janelas são largas, e eu aposto que ela tem uma bela vista durante o dia. Sou atraído para o manto sobre a lareira e examino as fotos no visor. Há fotos de todas as proprietárias da Seduction, em diferentes idades. Parece que Addie conhecia Mia e Cami quando elas eram jovens, e à medida que crescem, Riley e Kat são adicionadas às fotos. Ao lado da lareira tem uma estante, cheia de livros do chão ao teto. Ela tem livros de culinária, romances, biografias.... Tudo. Mas um livro, sem nada escrito sobre a coluna vertebral, me chama a atenção. É um grande livro, o tipo que a maioria das pessoas mantém em sua mesa de café. E quando eu abro eu fico chocado por encontrar ele cheio de fotos de Addie. Addison era uma modelo.


Há fotos de desfile, fotos de moda, fotos de maiô. Sorrindo, flertando, sério. Jesus, ela é linda. E tão dolorosamente jovem nestas fotos. Ela era um pouco mais magra, mas ainda tinha suas curvas. "O que você está fazendo?" Dirijo-me lentamente e sorri para ela. "Eu pensei que tivesse reconhecido seu rosto." Seus olhos caem para o livro em minhas mãos, então chicoteia para os meu. "Isso é privado." Meu coração acalma quando eu a olho da cabeça aos pés. Ela está com uma T-shirt branca velha e bermudão de homem. Seus longos cabelos estão empilhados em cima de sua cabeça em um nó. E seu rosto está completamente sem maquiagem Eu nunca a vi mais bonita, e eu a vi em uma dúzia de olhares diferentes. Mas isso, aqui, é Addie, e ela é tão impressionante, ela tira o meu fôlego. "Você vai falar alguma coisa, ou você está indo só para olhar para mim?" "Você é tão incrível." Ela tropeça, piscando rapidamente. "Desculpe-me?" "Você é linda." "Por que você está sendo bom para mim?", ela pergunta confusa. "Eu tenho sido horrível para você".


Eu fecho o livro e o devolvo para a prateleira, em seguida, atravesso a sala e pego a mão dela levando-a para o sofá estofado. Eu sento e a guio ao meu lado. Quero puxá-la para o meu colo, mas eu não tenho tanta certeza de que ela vai permitir isso. Ela puxa as pernas para cima e inclina seu rosto contra meu ombro, segurando meus bíceps com as mãos. "Eu posso levar isto", eu sussurro e resisto ao impulso de beijar o topo da cabeça dela. "Você estava perfeitamente profissional." "Estava fria." "Você estava quebrada." Ela bufa. "E você gosta de mim, e isso assusta você." Ela imediatamente se afasta, sacudindo a cabeça. "Seu desejo." Eu sorrio e puxo-a para o meu colo agora, segurando-a para mim. Seus lábios estão virados para cima, mas seus olhos azuis são cautelosos, assim como eles devem estar. Mas eu não vou fazer o meu caminho para sua cama. Não essa noite. Hoje à noite ela precisa de um amigo, e ela precisa ser cuidada. Eu nunca iria admitir isso, mas depois de vê-la em perigo, mais cedo esta noite, talvez eu também precise de cuidado. "Admita, você gosta de mim."


"Eu gosto quando você sai." Ela sorri amplamente e bate seus cílios. "Você é uma espertinha." "Absolutamente." "Bom." "Bom?" Ela inclina seu rosto no meu peito e traça círculos imaginários na minha camisa. "Isto geralmente irrita as pessoas." "Eu sou um espertinho também, então eu falo a mesma língua." "Eu gosto que você seja alto." "Por quê?" "Porque eu sou alta." E você se encaixa. "Conte-me sobre a modelagem." "Eu não faço mais isso." "Você está brincando." Minha voz é seca quando eu arrasto minha mão pelas costas dela, sobre sua camisa macia, na bunda dela, depois para cima novamente. "Cuidados para elaborar sobre isso?" Ela suspira. "Meninas com curvas não duram muito tempo nesta indústria. Eu era um tamanho oito, o que é muito grande para ser uma modelo de passarela". "Besteira." "Não, é verdade." "Eu sei que é verdade, eu só acho que é besteira."


Ela encolhe os ombros. "É o que é. Eu sou maior do que isto, aqueles dias estão bem longe de mim agora. Mas eu amo moda. Eu adoro brincar com olhares diferentes. Eu sempre gostei." "Já reparei. É sexy como o inferno." "É divertido." "Quem lhe deu o livro?" "Foi um presente da minha estilista, Cici. Nós nos encontramos no início, e levei-a em todos os lugares comigo. Ela é a melhor pessoa de cabelo e maquiagem lá fora. Ela ainda faz meu cabelo. Todas as cinco de nós, na verdade". "Ela mora aqui em Portland?" "Sim. Ela se mudou para cá com o marido e as crianças, há alguns anos. Fazemos uma noite das meninas, uma vez por mês e obtemos o nosso cabelo feito, aumentado, as unhas, o pacote inteiro". "Isso parece... aterrorizante”, eu respondo com uma risada, mas não posso ajudar, mas pergunto o que, exatamente, ela tem aumentado. O pensamento tem o meu pau se contorcendo então eu respiro fundo e penso sobre cachorros e beisebol, porque essa noite é SEM SEXO. "Bem, então é uma coisa boa que você não está convidado a se juntar a nós." "Você sente falta?" Ela encolhe os ombros novamente, ainda escovando a ponta do dedo bem cuidado sobre o meu peito. Se ela não parar de me


tocar daquele jeito, eu não vou ser responsável por minhas ações. Como dobrá-la sobre as costas do sofá. Jesus, controle a situação, Keller. "Eu sinto falta das roupas. Deus, as roupas eram tão divertidas, porra. E eu perco o cabelo e maquiagem também." "Você faz isso por si mesma todos os dias." "Não é a mesma coisa”, ela responde, quase com tristeza. "Eu sinto falta das pessoas. Alguns dos designers e fotógrafos. Mas eu não sinto falta de ser dito que eu era gorda." "Você não é gorda." "Nesse mundo eu era. Eu sou uma mulher curvilínea, é assim que meu corpo é, e eu não posso mudá-lo". "Nem você deveria." "Quando você é jovem, isto pode realmente mexer com a sua cabeça. Eu sou tão grata que tive essa experiência, e eu ainda tenho amizades dessa vida, mas estou bem com isto tendo acabado". Deus, eu posso me relacionar com isso. "Por que a banda se separou?", ela pergunta baixinho. "Porque eu sou um idiota." Ela puxa de volta para que ela possa olhar para mim. "Seus colegas de banda não gostam de você também?" "Também?" "Como eu."


"Oh, você gosta de mim." Ela simplesmente levanta uma sobrancelha, me fazendo rir. "É claro que eles gostam de mim." "Então me diga sobre o seu idiotismo." "Esta é uma história mais adequada para outra hora. Primeiro, eu quero que você me fale sobre Jeremy. " "Você sabe tudo." Ela esconde o rosto no meu peito novamente, escondendo-se. "Ele tem uma chave para o seu apartamento?" "Eu vou ter as fechaduras trocadas amanhã." "Por que você não fez isso já?" "Eu não achava que ele faria qualquer coisa. Ele se foi." Eu não vou sair daqui esta noite. "Tenha o código portão trocado também." "Eu vou." Ela está em silêncio por um longo momento. "Ele ia me bater." Meu instinto aperta mais uma vez e eu gostaria que ele estivesse aqui para que eu pudesse bater nele. "Não, ele não ia. Eu não teria deixado." "Se você não estivesse lá, ele teria. Eu não fui a pessoa que o traiu. Eu não fiz nada de errado, mas ele ia me bater." "Isso não importa”, eu sussurro, e beijo sua cabeça enquanto eu a levanto em meus braços e caminho até seu quarto. Eu tiro os meus sapatos, puxo as cobertas para trás, e a deito na cama, em seguida, eu subo atrás dela com todas as minhas roupas.


"O que você está fazendo?" Excelente pergunta, querida. Eu acredito que este é chamado reconfortar sem a expectativa de sexo depois. E é uma experiência completamente nova para mim. "Cura do câncer." Eu a puxo para mim, emaranhado nossas pernas e meus braços em torno dela enquanto ela descansa a cabeça no meu peito. "Nós poderíamos ambos ter algum conforto, eu acho." "Por que você precisa reconforto?" Oh, doçura, por tantas razões que se eu pô-los todos para fora, você ia correr a partir desta sala gritando. "Porque eu acertei um cara esta noite e machuquei minha mão." "Oh!" Ela agarra meu punho em suas mãos e beija meus dedos, tornando a respiração silvar por entre os dentes. "Eu sinto muito." "Você deve beijá-lo novamente." Ela

faz,

pressionando

suavemente

seus

sensuais

lábios

carnudos contra a minha pele, e em seguida, para minha surpresa, ela desenrola meus dedos e enfia sua bochecha na minha mão, segurando-a no rosto. "Obrigado." "Pelo quê?", eu sussurro. "Por me salvar daquele babaca. Por ser tão bom para mim, embora eu tenha sido uma cadela total com você". "Você não é uma cadela. Você só gosta de mim."


"Não." Eu sorrio e a mantenho perto, olhando para as sombras de sua janela no teto. O quarto é escuro e fresco. Condição perfeita para dormir. "Você gosta de mim. Está tudo bem, eu tenho esse efeito sobre as mulheres. " Ela endurece por um momento, então relaxa novamente. "Tenho certeza que sim." Eu tiro o rosto, para que eu possa ver seus olhos à luz do luar. "Foi uma piada, Addie." "Não importa." "Sim, acho que com você, isto importa." Seus olhos caem para meus lábios enquanto ela lambe seu próprio e leva toda a minha força de vontade para não rolar ela debaixo de mim e levá-la aqui e agora. Mas então ela olha para trás para mim e aperta os lábios no meu queixo. "Obrigado." "Você já me agradeceu." "Isto vale a pena dizer duas vezes." E com isso ela se instala contra mim, e poucos minutos depois, ela está respirando longas e profundas respirações do sono. Lutei contra insônia durante anos, assim que resolvo ficar para uma longa noite de ficar olhando para o teto de Addie, mas com ela respirando longo e lento contra mim, com os braços em volta da minha cintura e pernas entrelaçadas com as minhas, eu encontro-me à deriva com ela. Ela só se encaixa.


Capítulo Cinco Addison Ele não foi embora. Eu não abri meus olhos, mas eu posso sentir o calor de seu corpo ao meu lado. Eu posso ouvir até mesmo sua respiração. É claro que Jake Knox não ronca. Eu ronco. O que é apenas a coisa mais humilhante do mundo. Abro um olho, e com certeza, lá está ele, ainda em suas roupas de ontem à noite, parecendo todo amarrotado e sexy como o inferno. Ele está de costas, e eu estou no meu lado, ao lado dele, e nós não estamos tocando. Mas com as vibrações sensuais de calor rolando fora dele, podíamos muito bem-estar. Deus, ele é quente. Tipo, se você olhar para a palavra quente no dicionário, a imagem de Jake estará lá. E quando ele sorri, todas as apostas estão fora. Ele esteve derretendo minha calcinha por um mês com aquele sorriso arrogante. Foi legal da parte dele dar desculpas para mim na noite passada, mas eu sei a verdade. Eu tenho sido horrível para ele. Porque eu estou tão atraída por ele, e meu selecionador de homem não está apenas quebrado: Eu tenho certeza que ele não existe.


Meu coração não aguenta mais contusões. Ontem à noite, meu rosto quase ganhou algumas contusões, e meu estômago aperta novamente com o pensamento. Que porra, sempre fui amorosa com todos. Eu tinha acabado de chegar ao meu carro quando Jeremy assustou o inferno fora de mim, vindo por trás de mim, me girando, prendendo-me no lugar e gritando sobre ele não ter para onde ir, e é tudo culpa minha. Eu não sou nenhuma mosca morta, então eu devolvi de volta para ele, chamando-o de perdedor e que ele precisava obter suas merdas juntas. Ele não levou isso amigavelmente. Mas eu nunca poderia acreditar que ele teria me ferido. Jeremy é um monte de coisas, mas um abusador não é algo que estava no meu radar. E então Jake veio para o resgate. Eu nunca senti tanto alívio como quanto eu senti, quando ele puxou Jeremy longe de mim. Ele foi o meu salvador. E isso é brega como o inferno. Mentindo aqui na luz do sol de manhã cedo, eu não posso ajudar, mas admito que ele seja sexy, e surpreendentemente, tem um lado doce. E não é apenas a maneira como ele se parece que me atraiu. Não me interpretem mal, meus dedos coçam para passear pelas tatuagens em seu braço, para sentir seu cabelo em minhas mãos.


Mas também tenho vindo a aprender, neste mês passado, que Jake é um cara legal. E eu sou madura o suficiente para admitir que ele me assusta mais do que um pouco. Agora é a manhã seguinte. Nada aconteceu, mas parece que isto era muito mais íntimo do que ficarmos nus juntos. Eu rolo em minhas costas, mordo o lábio, e tento me esgueirar para fora da cama, mas de repente um braço forte envolve em torno do meu estômago e Jake me puxa firmemente contra seu peito. "Onde você está indo?", ele rosna em meu ouvido. "É de manhã." Sua mão desliza sob a barra da minha camiseta e as pontas dos dedos começam a desenhar círculos na minha pele. Santa mãe de Deus, isto se sente bem. "Eu não vou fazer sexo com você”, eu digo afetada e tento me distanciar dele. "Eu não a convidei... Pare de se contorcer." Ele cheira meu pescoço, fazendo meus olhos virarem, e continua a tocar o meu estômago como uma guitarra enlouquecida. Em seguida, ele empurra mais firmemente contra mim, me fazendo rir. "Seja o que for que está pressionado para minha bunda não concorda com você." "Isso não é nada. Apenas uma lanterna."


Começo a rir. "Você carrega uma lanterna em seu bolso muitas vezes?" "Principalmente apenas na parte da manhã”, ele responde sério e beija meu pescoço, logo abaixo da minha orelha, e meus quadris giram involuntariamente. Meus mamilos endurecem, e eu sei que minhas calcinhas estão molhadas. Este homem é potente. Perigoso. Tão gostoso "Sério, Jake, eu não estou fazendo sexo com você." "Sério, Addie, não estou nem mesmo atraído por você. Pare de tentar fazer sexo comigo." Eu rio um pouco mais, pego sua mão na minha, e a levo aos meus lábios. E mordo. "Ah, ela é uma vigarista." "Eu não me sinto atraída por você também." "Não vamos ficar loucos, querida. Mas sim, você está. Você gosta de mim." "Você está delirando." Ele me puxa para as minhas costas, sorrindo para mim. Ele arrasta as pontas dos dedos pela minha bochecha, então enfia uma mecha de cabelo atrás da minha orelha. E olá, hálito da manhã.


Não ele, claro. Mas tenho certeza de que meu hálito poderia rivalizar direto com o de um dragão agora, então eu puxo a coberta para cima e sobre a minha boca, enquanto os olhos de Jake sorriem para mim. "Certificando-se de que eu não vou te beijar?" "Certificando-me de que eu não vou matá-lo com meu hálito matinal." Ele ri e se inclina para acariciar minha testa. "Seu cheiro é tão bom." "Certo. Você não tem algum lugar que você precisa estar?" "É domingo, Addison”, ele sussurra. "Então? Talvez você precise ir ao supermercado. Ou ao ginásio. Ou a igreja." Ele ri. "Nada disso está na minha lista de hoje." "Bem, alguns deles estão na minha lista." Sua mão faz uma viagem até a minha camisa de novo, e os dedos talentosos roçam minha pele. "Você me deixa louco quando você morde seu lábio assim”, ele sussurra enquanto a coberta é puxada para baixo em torno do meu queixo. Seus olhos verdes estão pegando fogo enquanto ele continua a me acariciar e me abraçar. Quando foi a última vez que eu fui abraçada? Eu nem me lembro. Provavelmente porque eu odeio aconchego. Odeio.


"Você está pensando demais”, diz ele. "Eu não estou." "Você esteve pensando demais durante os últimos trinta minutos”, ele diz simplesmente. "Como alguém que compartilha essa aflição, eu estou aqui para dizer-lhe para parar. Isso vai fazer você ficar louca." "Você me deixa louca." "Eu sei. Você é selvagem sobre mim. É constrangedor, realmente." Eu rio, incapaz de parar. Este lado lúdico dele é justo. Divertido. Meu peito se sente mais leve com a brincadeira divertida, fazendo-me relaxar. Talvez ele esteja certo, talvez eu pense demais em tudo. "Você realmente precisa de uma verificação de ego." "Oh, eu tenho muitas dessas”, ele responde e beija minha testa. "Mas você estava certa, eu tenho coisas para fazer hoje." Droga. Não que eu tivesse qualquer intenção de mantê-lo para mim mesma hoje, mas isso só é tão bom. Eu não quero que isso acabe. "Onde está seu telefone?", pergunta ele. "Ali." Eu aponto para a mesa de cabeceira do seu lado, e de repente ele se afasta, o agarra, em seguida, retorna para mim e puxa seu telefone do bolso. "Nós não precisamos mandar mensagens, Jake. Eu estou bem aqui."


"Eu não tenho o seu número. Eu só tenho o número restaurante." Ele levanta seu telefone, em seguida, aguarda com expectativa para mim. "Esse é o único número que você precisa." "Não, não é." Ele se inclina e fuça meu nariz. "Porque eu quero vê-la fora da Seduction ". "Você tem certeza?" "Estive certo desde o primeiro momento que eu vi você, doçura." Eu engulo em seco e franzo as sobrancelhas. "Eu não vou apenas entregar o meu número privado." Ele parece um pouco magoado por uma fração de segundo, o que traz alguma tensão de volta ao meu peito, e depois seus lábios se espalham naquele sorriso arrogante. "Addison, por favor, me dê o seu número?" Deus, ele é arrogante. E eu sei que eu não vou dizer a ele que não. Quer dizer, eu sempre posso optar por simplesmente não atender ao telefone. Eu digo o meu número para ele. Alguns momentos depois, meu telefone alerta com um texto dele. Você é linda.

"Você é muito charmoso para o seu próprio bem”, eu respondo, revirando os olhos. "Não muda o fato de que você parece bem na parte da manhã."


Eu sorrio timidamente, em seguida, enterro meu rosto em minhas mãos. Ele ri e cutuca minhas mãos. Seus lábios são apenas polegadas do meu. "Addie, eu quero te beijar." "OK. Eu estou bem com isso. " "Se eu te beijar, não vamos deixar esta cama. Então, eu estou indo para salvá-la." Decepção senta-se pesadamente em minha barriga quando ele simplesmente beija minha testa, em seguida, me abraça de novo, enterrando seu rosto no meu pescoço. "Você está bem?" "Sim." Eu sorrio quando ele puxa para trás. "Estou bem." "Bom. Agora, eu preciso que você pare de me aconchegar e me deixe ir. Eu tenho que trabalhar hoje." Eu levanto uma sobrancelha e o deixo ir, mas ele puxa meus braços ao redor dele de novo e suspira, como se ele estivesse frustrado. "Sério, Addie, eu tenho que ir. Deus, você é pegajosa." "Você não é tudo isto, você sabe." Eu rio e me sento, em seguida, ofego quando vejo as horas. "Puta merda, dormimos até quase onze!" "Você fez. Eu estive acordado por um tempo. Você sabia que você ronca?" "Droga." Eu enterro meu rosto em minhas mãos novamente. "Eu estava esperando que eu não fizesse isso."


"É meio bonito, na verdade. E isso significa que você dormiu bem. Eu não me importei. " Eu deixo cair as minhas mãos e olho para ele. "Você é muito bom para mim." "Eu tenho meus momentos." Ele beija minha bochecha e depois sobe para fora da cama, coça a cabeça, fazendo seu cabelo ainda mais confuso, então sorri para mim. "Estou fora daqui. Ligue-me se precisar de mim. " Se eu precisar dele para quê? "Tenha um bom dia." "O que? Sem chame-me se precisar de mim também?" "O que você poderia possivelmente precisar de mim?" Seus olhos estão sóbrios e ele suspira enquanto ele me observa, como se quisesse subir de volta nesta cama e levar-nos para uma queda. E eu não tenho tanta certeza se eu iria rejeitá-lo, se ele fizesse. "Isso é uma lista que falaremos mais tarde. Tenha um bom dia." E com isso, ele se foi. Será que isso aconteceu? Eu arrasto minha mão sobre a cama, e com certeza, ainda está quente onde ele estava deitado. Decido obter minha bunda para fora da cama, caminho para o banheiro e ligo o chuveiro e suspiro de felicidade quando a água quente atinge meus ombros e costas.


Jake é engraçado. Esta manhã poderia ter sido muito, muito ruim. Mas ao invés disso ele me fez sentir à vontade. Ele me fez sentir cuidada. Ele é bom para a coisa do dia seguinte. E então me bate: ele é bom para a coisa do dia seguinte. O que significa que ele tem feito muito. É o velho chapéu para ele. Porcaria. Corro pelo resto do meu banho e chego para o meu telefone. Preciso

de

algum

tempo

de

meninas.

Mia

e

Kat

estão

provavelmente, ainda dormindo, então elas estão fora. Riley seria muito lógica. Cami. Ela é doce, mas também lógica, e ela deve estar de pé agora. Então eu ligo para ela. "O que foi botão de ouro?" "Hey, eu preciso de você para ir para a academia comigo." Eu puxo um short de ioga, saltando no lugar para obtê-los sobre a minha bunda, então chego para um sutiã esportivo. Eu meio que fiz a coisa toda banho-e-ginásio de trás para frente, mas é o que acontece quando você precisa de uma emergência de coração para coração, com uma melhor amiga, e tem muita energia para ficar parada. "O que eu fiz? Você está com raiva de mim?"


Eu sorrio suavemente. Deus, eu amo Cami. "Não boba. Eu preciso conversar, e eu preciso chegar na esteira, por isso, poderia muito bem fazer as duas coisas ao mesmo tempo." "Eu não quero." Sua voz é apenas um pouco chorosa. "Vamos. Vai ser divertido. E você é a minha pessoa e eu preciso conversar." "Você tem três outras pessoas, Addie. Riley gosta do ginásio." "Eu quero você. Eu preciso falar sobre Jake." "Jake?" Isso a animou. "Eu te encontro lá em quinze minutos."

"VOCÊ SABE, VOCÊ é membro desta academia", lembro a Cami quando começamos caminhando lado a lado nas esteiras. Ela está olhando para a dela como se fosse uma entidade do mal. "Eu sei. E eu vim aqui, uma vez." "Uma vez?" Eu rio e aumento a minha velocidade. "Eu tive esses efeitos colaterais horríveis. Eu fiquei toda suada. Eu estava fora do ar. Minhas pernas tremiam. Tenho certeza por todos os meios de que isso não é bom para mim. Quer dizer, eu não conseguia respirar, Addie." "Está uma bagunça quente." Eu ri alto quando eu aumento a velocidade para uma corrida lenta. "Ok, eu estou nesta máquina de destruição. Fale." "Eu passei a noite passada com Jake." Cami tropeça, quase caindo para fora da extremidade traseira da esteira, em seguida, tosse histericamente. O cara quente no


balcão de atendimento ao cliente observa com preocupação, o dedo pairando sobre o botão de discagem rápida para o 911, tenho quase certeza. "O que?" "Você me ouviu." "Você fez sexo com Jake Knox?" "Não." Ela franze a testa. "Espera. O que?" "Ele ficou comigo ontem à noite, mas nós não tivemos relações sexuais." "O que você fez? Jogou Parcheesi13? " Eu repasso a história de Jeremy me encurralando no meu carro ontem à noite, mas deixo de fora a parte sobre Jake me salvar de ter meu primeiro olho roxo. Isso só vai assustá-la, e isso não aconteceu. Ele se foi. Provavelmente já passou para a próxima pobre garota. Ela pode ficar com ele. "Eu sabia que eu odiava aquele cara." "Sim, eu deveria ter escutado." "Então como é que você acabou com Jake?" "Ele me seguiu para casa para me certificar de que estava a salvo."

13


"Olá, desmaio", diz ela com um suspiro. "E depois?" "E então ele me segurou a maior parte da noite." Ela olha para mim por um longo minuto. "E é isso?" "Sim." "E você o deixou segurá-la? Você não é uma abraçadora. " "Eu sei. Senti-me bem." Eu dou de ombros e limpo o suor da minha testa. "Eu não me lembro da última vez que me aconcheguei com alguém." "Isso é porque você não é uma pessoa que gosta de aconchego", ela diz novamente. "Tenho certeza de que você sempre foi anti-aconchego." Sim, porque isso foi antes de eu ter sido aconchegada por Jake. "Ele quer me ver novamente." "Bom." "Não é bom." "Eu estou tão confusa." Cami balança a cabeça, seu cabelo loiro cor de mel saltando enquanto ela caminha rapidamente ao meu lado. "Por que é ruim? Você gostou de aconchegar. Ele a resgatou do seu ex idiota. Ele é bom para você, Addie. Isto é uma coisa boa." "Ele é muito bom no que faz. Ele fez esta manhã fácil divertida e relaxante." "Aquele desgraçado! Você está certa. Fique longe dele." Ela revira os olhos.


"Olha, espertinha, eu estou dizendo que ele é muito bom no que faz. Tipo, ele é bom no que faz, porque ele já fez muito isso. Eu não sou especial. Eu sou apenas outra mulher que ele está acordando ao lado." "Ok, número um, isto é um tipo de coisa mal-intencionada a dizer. Ele não tinha que ir para o seu lugar. E ele certamente não tinha que passar a noite. Só porque ele não queria que esta manhã fosse estranha não significa que ele faz isso todos os dias." "Exceto,

que

ele

é

uma

estrela

do

rock,

então

ele

provavelmente faz." Ela olha para mim por um minuto. "Ele é uma ex-estrela do rock. Ele não foi o centro das atenções durante cinco anos, Addie. As pessoas mudam muito em cinco anos. E isso me leva o número dois. Ele é um cara bom. Ele é sempre muito bom para todos os funcionários no restaurante. Ele é rápido para dar um elogio doce, mas ele não é excessivamente glamoroso. Exceto com você". Eu franzo a testa, ouvindo Cami, e pensando em como Jake tem sido ao longo do mês passado. Ela está certa, ele é amável, mas não excessivamente atrevido. "Eu realmente acho que você está pensando demais isso." "Você não é a primeira pessoa a dizer isso para mim." Eu diminuo o ritmo para uma rápida caminhada agora. "Eu acho que é da minha natureza pensar demais."


"Claro que é. Você é uma mulher." Cami também retarda o passo. "Puta merda, olhe para isso." Do outro lado da sala está um homem levantando pesos. Seus músculos são loucamente grandes. Ele não é ruim para os olhos em tudo. "Eu estou lhe dizendo”, Cami diz, ainda com os olhos no Sr. Bolo de Carne. "Eles deveriam ter uma plataforma de observação aqui onde podemos sentar com um copo de vinho e ver o show. Eu viria para o ginásio todos os dias." "Eu posso arranjar algo atrás dessa ideia”, eu respondo pensativa. "Devemos colocá-la na caixa de sugestão." "Eu vou totalmente fazer isso." "Ótimo. Agora que isso está resolvido, o que eu vou fazer com Jake? " "Você vai vê-lo. Se tudo isso te incomoda muito, fale com ele. Pergunte-lhe se isto é apenas uma diversão na cama por um tempo, ou se ele quer mais. E se a resposta te fizer feliz, vá para ele. Se isso não acontecer, não o veja mais." "Você faz parecer simples." "É, Addie. É realmente simples. Não torne mais difícil do que isto precisa ser". Ela está certa. Eu não sei se eu quero ter essa conversa com ele, mas isto não tem que ser difícil.


"Eu preciso fazer as minhas raízes." Cami diz com um suspiro quando ambas paramos nossas máquinas e saímos caminhando direto para os chuveiros. "Vamos chamar Cici e agendar uma noite das meninas para esta semana." "Isso soa como o céu. Há poucas coisas melhores do que ser mimada por Cici. " Ser mimada por Jake Keller não suga, amiga.

"VOCÊ DEMOROU MUITO entre cortes." Cici repreende Mia enquanto ela corta seu cabelo. "Você deveria ter estado aqui semanas atrás." "Eu

não

sei

sarcasticamente,

se "mas

você eu

sabe tenho

disso", uma

Mia

cozinha

responde para

ser

administrada." "Isso não é desculpa para negligenciar o seu couro cabeludo." Cici é pequena e magra, apesar de ter quatro filhos. Ela mantém seu cabelo lixívia-loira 14 em um corte pixie, e sua composição é sempre impecável. Sua maquiagem era impecável quando deu à luz, para sair chorando. "Quando você conseguiu a nova bolsa Chanel?", ela me pergunta.

14

Loiro bem claro.


"Na semana passada." Eu bato o couro preto com alegria pura. "Ela não é bonita?" "Eu prefiro Gucci", Riley diz enquanto ela lê a revista People, esperando a cor trabalhar em sua cabeça. "Existem alguns novos saltos marrons fora de época que eu estou morrendo para ter." Kat está deitada em uma cama facial com uma máscara no rosto e pepino em seus olhos. Suas mãos estão dobradas sobre seu estômago. "Vocês gastam muito dinheiro em acessórios", ela murmura. "Você gosta de tatuagens." Cami responde, aconchegando o bebê mais novo de Cici em seus braços. Ela tem apenas três meses de idade, e todos nós amamos aconchegá-la. "Eles gostam de bolsas e sapatos." "O que você gosta?", Mia pergunta a Cami. "Salvar o meu dinheiro”, Cami diz com um sorriso, então beija a cabeça do bebê. "Mamãe! Mamãe! Mom!" Dois rapazes pequenos que vêm correndo através do porão de Cici, empunhando espadas de espuma. Seus rostos estão sujos com chocolate. "Papai não nos deixa ficar acordado para assistir TV!" "Você deveria ficar lá em cima." Cici diz com uma careta. "Onde está sua irmã?" "No telefone. Como de costume." Os rapazes dão de ombros, fazem uma longa e dramática luta de espadas no meio da sala,


em seguida, correm de volta no andar de cima tão rapidamente quanto eles vieram para baixo. "Você sabe que eu te amo, Cici", diz Kat. "Mas o melhor controle de natalidade no mundo é uma noite por mês em sua casa." "Oh, por favor, aprenda com meus erros, amigas. Não que eles sejam erros, e eu não trocaria qualquer um deles por qualquer coisa, mas eles são um punhado." "Eu só vou vir e compartilhar seu punhado por um tempo." Cami diz com um sorriso suave no rosto bonito. Ela parece tão em casa com o bebê em seus braços. Cami vai ser uma mãe incrível um dia. Meu telefone alerta na minha mão com a chegada de um texto. Eu sorrio quando eu vejo que é de Jake. Eu não o vi desde domingo de manhã, mas ele me mandou uma mensagem várias vezes durante o dia, todos os dias. Eu nunca sei o que elas vão dizer. Às vezes ele é sedutor. Às vezes, ele envia selfies tolas, e às vezes ele apenas compartilha algo que aconteceu naquele dia. É quarta-feira, mas sinto falta de seu rosto. Pensando em você. O que você quer fazer hoje à noite?

"Quem é?", Mia pergunta com uma careta. "Todas nós estamos aqui." "É Jake?" Cami pergunta inocentemente, mas eu estreito os olhos para ela.


Estou ficando mimada com as meninas esta noite. O que está rolando?

“Por que Jake mandando mensagens para você?", pergunta Riley. “O que não está nos dizendo?" "E por que Cami sabe de alguma coisa e o resto de nós não?", Kat pergunta enquanto retira os pepinos de seus olhos. Boa. Você merece ser mimada. Eu estou escrevendo uma música com Max esta noite. Vamos jantar amanhã à noite?

"Addie. Comece a falar", Mia demanda. "Eu não posso ter dois minutos para responder a mensagens?" Eu mordo meu lábio, e digito a minha resposta. Ok, mas não tenha ideias sobre eu estar atraída por você ou qualquer coisa.

"Ela está vendo Jake?", Riley finalmente pergunta a Cami. "Não é minha história para contar." "Addie!" Pare de bajulação em cima de mim. Eu vou sair com você. Jesus. Tenha uma boa-noite.

"Todo mundo se acalmem." Enfio o meu telefone no meu bolso e tomo uma respiração profunda, então retransmito a mesma história que eu contei a Cami no outro dia. Todo mundo já parou o que estavam fazendo para ouvir a história. Até mesmo Cici parou de aparar o cabelo de Mia.


"Eu nem vi ele desde domingo." "Quando é que você vai vê-lo novamente?", Kat pergunta com um sorriso. "E também, eu aprovo isso. Eu gosto dele." "Ele está me levando para jantar amanhã." "E depois do jantar, sexo." Riley faz uma dança feliz, então bate os punhos com Kat. "Talvez." "Talvez?", Cici revira os olhos e volta a cortar o cabelo de Mia. "Garota, ele é lindo. E sexy. E uma estrela do rock. É melhor você acertar isso." "Acertar isso?" Eu rio em voz alta. "Desde quando você fala assim?" "Eu não sei, isto acabou de sair." Cici diz com uma risada. "E você sabe que vou querer mais detalhes." "Não há detalhes." "Você não é divertida." Riley faz beicinho e cruza os braços sobre o peito. "Você nunca quis detalhes antes", eu indico. "Você nunca fez sexo com Jake Knox antes", Mia diz. "Keller", eu respondo automaticamente. Todos eles piscam para mim por um minuto, em seguida olham uma para a outra. "Ela entendeu mal", Kat diz. "Não que eu a culpe." "Ele

é

o

personalidade."

trio",

Cami

diz.

"Música,

corpo

quente

e


"Eu estou com ciúmes", Cici diz com um suspiro. "Você tem um marido impressionante", eu respondo rolando de meus olhos. "E ele adora o chão que você pisa." "Verdade. Mas ele não é uma estrela do rock. " "Não, ele é um cientista de foguetes literalmente", Riley responde. "Você nunca pode reclamar." "Eu não estou reclamando. Eu estou cobiçando." "Estamos todas cobiçando", Mia diz. "Mas eu estou tão feliz por você." "E se ele te machucar, temos que matá-lo e esconder o corpo", Kat diz que enquanto coloca uma uva congelada em sua boca. "Nós sempre ameaçamos fazer isso, mas agora teríamos de fazer isso muito bem com ele." "Nós ainda podemos matar Jeremy e esconder o corpo”, Riley sugere. "E por falar nisso, o que ele estava fazendo no beco, Addie? Isso não faz nenhum sentido." "Ele estava bêbado, e sendo estúpido. Não é realmente grande coisa." Se qualquer uma delas mentisse para mim sobre algo assim, eu ficaria chateada. Mas, eu não quero que elas se preocupem. Acabou. Jeremy é muito preguiçoso para voltar para mais. Ele provavelmente mudou-se para uma nova pessoa agora. E boa sorte para ela. "Eu não acho Jeremy valha a pena um potencial tempo de prisão", Mia diz. "E Jake?", pergunto com uma risada.


"Oh sim. Jake é o negócio real. Ele poderia fazer algum dano sério." Isso é do que eu estou com medo. "Ou poderia ser a melhor coisa que já aconteceu com você", Cami diz pensativa. "Basta levar com a cabeça e não o coração. Porque seu coração é um idiota." "Todos são." Kat concorda com um sorriso simpático. Eu aceno e mastigo meu lábio. O conselho de Cami é exatamente o que eu precisava ouvir. E estar com minhas meninas hoje à noite é exatamente o que eu precisava para a minha alma.


Capítulo Seis Jake Max

e eu estamos no estúdio, terminando uma música e

verificando a nossa agenda para a próxima semana. Estamos lotados. E maldição se isso não me faz feliz. Quando começamos

o

negócio,

eu

estava

com

medo

de

que

estragássemos com isso. Que os artistas não gostariam de trabalhar com a gente. Mas parece que a partir do minuto que Max veio a mim com a ideia e a colocamos em movimento, isto tinha uma vida própria. Temos de recusar pessoas. "Eu sei que você não gosta de trabalhar aos domingos", eu digo para Max ao examinar o cronograma. "Mas é o único dia em que podemos conseguir Steve no estúdio, e eu não estou disposto a deixar uma lenda musical para baixo." "Concordo”, Max diz com um aceno de cabeça. "Está bem. Talvez eu traga Tiffany comigo. Ela vai se divertir muito com isso." Max e Tiffany estão juntos há mais de dez anos, sem nenhum sinal de casamento à vista. Ela passou por tudo com ele. Os domingos são o seu único dia de folga por semana juntos.


"Boa ideia." Eu me pergunto se eu posso falar com Addie para vir também. O que eu estou pensando? Isto não é um churrasco no quintal. Isto é trabalho. "Quer começar essa nova canção para Starla hoje à noite?" Balanço a cabeça e fecho o laptop. "Eu não posso. Eu tenho que me arrumar para ir. " "Ir

para

onde?",

Max

pergunta

com

uma

sobrancelha

levantada. "Eu tenho um encontro." Eu sorrio, mas não o olho nos olhos. Ele vai me dar merda. Se eu não olhar nos olhos dele, talvez ele me deixe em paz. "Um encontro? Com quem?" Ou talvez não. "Com Addie." Silêncio. Finalmente, eu olho para cima para encontrá-lo me olhando, as mãos em seus quadris, uma carranca entre as sobrancelhas. "Addie, do restaurante?" "Essa é a única Addie que eu conheço." "Então, você tem namorada?" "Não. Ela não é uma menina, ela é uma mulher incrível". "Então, você vai transar com ela?" "Você está começando a me irritar, homem." Eu cruzo os braços e olho para baixo para Max, olho no olho agora.


"Estou confuso. Você não tem encontros. Você trabalha e fica de mau humor, e às vezes você fica com alguém porque você é Jake fodido Knox, mas não tem encontros." Eu suspiro e esfrego minhas mãos sobre o meu rosto. "Aonde você quer chegar?" "É isso mesmo." "Eu gosto dela", eu respondo com um encolher de ombros. "Eu quero sair com ela. É realmente muito simples. Não há necessidade de fazer um grande negócio disto." "Ela é linda." Eu estreito meus olhos para meu amigo. "Vamos lá, cara”, diz ele com uma risada. "Eu posso estar tomado, mas eu não estou morto. Ela é uma mulher bonita. Inteligente. Inteligente demais para perder tempo com um palhaço como você." "Eu também te amo." "Não precisamos ter a conversa?" Seu sorriso se transforma em puro mal agora. Ele ama jogar merda para mim. "Foda-se." "Esteja seguro. Os preservativos são importantes." "Pare de falar." "Não, significa não." "Cale a boca, Max." Mas, eu não posso deixar de rir. Deus, ele é um bastardo.


"Seja um cavalheiro. Abra as portas, puxe sua cadeira, e toda a palhaçada. Oh! Você precisa de dinheiro para o jantar?" Ele pega sua carteira. "Ela não deve pagar para o jantar." "Eu vou me enfeitar para você." Max está rindo a sério agora, quase dobrou às minhas custas. Idiota. Eu me viro e caminho até a porta, sem olhar para ele. “Elogie seus sapatos!", ele grita atrás de mim. "As meninas gostam disso!" Eu passo por ele, em seguida, corro para casa para tomar banho rápido e trocar de roupa, e assim que eu puxo para fora do meu caminho, meu telefone toca. "Keller." "Ei lindo." Christina. "Será que Max a chamou e disse para me dar merda sobre meu encontro hoje à noite?" "Eu não sei o que qualquer uma dessas palavras quer dizer", ela responde. "Eu não falei com Max." Bem merda. "Mas agora eu quero saber de tudo." "Claro que você quer. Por que você está ligando?" "Oh, não", ela diz com uma risada. "Você não está mudando de assunto. Derrame."


Eu respiro fundo e viro para a rodovia. "Eu tenho um encontro com

Addie

esta

noite.

E

antes

de

começar",

eu

digo,

interrompendo-a "Max já me deu um monte de merda". "Eu gosto dela." "Você gosta?" "Certo. O que há para não gostar. Espere um pouco." Ela não se incomoda em puxar o telefone longe de seu rosto enquanto ela fala com seu marido. "Jake está saindo com Addie esta noite. Sim, em um encontro real. Eu sei, eu também gosto dela. Eu disse isso a ele. Oh, você acha que ela é bonita?" "Chris, você quer que eu a deixe ir para que vocês possam falar sobre Addie, ou havia um ponto para esta ligação?" "Desculpa. Nós dois aprovamos. " "Graças a Deus", eu respondo com sarcasmo. "Caso contrário, eu teria que ligar e cancelar." "Então, agora que você tem uma namorada, isso significa que eu não vou vê-lo tão frequentemente?" Minhas mãos apertam no volante. Eu sabia que ela me provocaria. "Não, você não vai me ver mais, porque você irrita a merda fora de mim." "Ahhh, você é tão doce", diz ela com um sorriso na voz. "Se você conversar com Addie assim esta noite, você vai ficar com alguém, com certeza." "Por que está todo mundo tão extremamente preocupado comigo para transar?"


"Bem, todos devem ficar com alguém", diz ela, como se eu fosse uma criança lenta. "Transar não é o meu objetivo esta noite", murmuro. "Qual é o objetivo?", pergunta Christina. "Jantar. Para passar o tempo com ela. Conhecê-la." "Você realmente vai a um encontro." Sua voz é pesada com surpresa, o que apenas me irrita. "Eu já tive encontros antes." "Ok, brincadeiras à parte", diz ela, com a voz animada, mas sincera. "Eu realmente gosto dela, Jake. Ela é inteligente e engraçada, e ela corre o seu negócio de forma brilhante." Inferno sim, ela faz. "Vocês parecem bem juntos", acrescenta ela. "Isso é parte dos critérios?", pergunto com uma risada. "Claro. E vocês parecem um bonito casal". "É tudo ela", eu respondo suavemente. "Qualquer um ficaria bem ao seu lado." "Uau!", ela sussurra. "Isso pode ser a coisa mais doce que eu já ouvi você dizer sobre uma mulher." "Eu gosto dela." "Estou feliz. Divirta-se esta noite, amigo. Ligue-me amanhã e me conte, depois de chegar em casa, é claro ". "Eu estarei em casa esta noite."


"Jake, se você está levando para fora em um encontro, você realmente deve ficar a noite depois de ter relações sexuais com ela. É a coisa certa a fazer." "Eu não estou fazendo sexo com ela esta noite." Christina fica calada na outra extremidade por muito tempo que eu acho que deixei cair a chamada. "Chris?" "Isto é diferente", diz ela. "Você está chorando?" "Não." Ela funga e eu rolo meus olhos. "Estou tão feliz por você." "Oh meu Deus, C. pare de chorar. É um encontro, não um casamento." "Você merece encontrar alguém como Addie que é inteligente e bonita e gosta de você." "Eu não tenho tanta certeza de que ela gosta de mim", eu respondo honestamente. "Ou, se isso acontece, ela não quer." "Confie em mim, J, se ela não gostasse, ela não estaria saindo com você esta noite." Eu aceno, então lembro que ela não pode me ver. "Bom ponto." "Eu tenho que ir." "Por que você chamou, em primeiro lugar?" "Oh! Eu quase esqueci. Eu tenho novidades." "OK."


Ela funga de novo, e meu estômago cai. "O que está errado, C?" "Eu não vou ter um bebê. Isto não funcionou este mês." Meus próprios olhos ficam embaciados. "Uau." Minha voz é rouca de emoção. "Sinto muito, querida." "Eu sei." "Você está bem?" "Eu acho que sim. Kev e eu estamos um pouco tristes, mas vamos tentar novamente no próximo mês", diz ela, tentando soar melhor do que eu sei que ela sente. "Queria te dizer. Porque você é a minha pessoa." "Eu te amo, C. Isso vai acontecer." Eu espero. Eu rezo. "Obrigado. Agora, você vai desfrutar de seu encontro, e me ligue amanhã". "Sim, senhora." Eu sorrio quando desligo, e puxo pelo portão de Addie, pronto para ver a minha menina. "EU NUNCA ESTIVE aqui antes”, Addie diz com um sorriso enquanto ela mergulha seu pão no queijo. "Como é que você nunca comeu fondue antes?", eu pergunto, olhando para ela comer. Deus, aquela boca faz tudo em mim sentar e tomar nota. "Eu não sei", ela diz com um encolher de ombros, o que faz a blusa preta cair de um de seus ombros para baixo do braço. Ela tem ombros lindos. "Só não tenho tempo para isso. Aqui, você tem que tentar isso."


Ela segura um pedaço de pão, pingando com queijo, para eu pegar. Eu a agrado. É delicioso. "Bom?", pergunta ela com um sorriso. "Bom." Ela imediatamente mergulha mais e ocorre-me que eu nunca a vi comer antes. O jeito que ela aproveita sua comida é divertido. "Você cresceu em Portland?", eu pergunto e, finalmente, cavo com meu próprio espeto. Se eu continuar a observá-la, eu vou sair daqui com uma embaraçosa ereção. "Sim", ela responde e lambe queijo fora de seus lábios. Talvez fondue não fosse uma boa ideia. "Mia, Cami, e eu crescemos aqui, e somos amigas desde que éramos pequenas." "Isso é legal”, eu respondo, lembrando as fotos em seu livro. "Seus pais ainda estão casados?" "Eles são, e vivem no Havaí." "O que os levou lá?" "Um trabalho. Meu pai é um professor universitário, e ele pegou um trabalho lá para que mamãe pudesse trabalhar lá como uma bióloga marinha. Ela teve sua licenciatura com quarenta anos." "Uau, isso é incrível." Addie balança a cabeça e sorri. "Ela me teve muito jovem. Foi um enorme escândalo." Ela se inclina para frente, como se ela estivesse me dizendo fofocas familiares, me fazendo sorrir. "Ela


fazia aula de física avançada com meu pai quando estava no último ano da faculdade, e eles tiveram um caso. Ela ficou grávida”, ela aponta para ela mesma. "E eles se casaram." "Uau, isso é escandaloso." Addie balança a cabeça e empurra mais pão na boca. "Ela escondeu a gravidez até o fim do semestre então meu pai não iria perder o emprego, e depois eles se casaram." "Ele é muito mais velho que ela?" "Cerca de dez anos”, ela responde. "Ele era uma criança prodígio em matemática e ciências. Ele era um professor da faculdade com a idade de vinte e dois anos ". "Isso explica por que você é tão inteligente." Ela bufa e revira os olhos. "Ele discordaria de você, tenho certeza. De qualquer forma, minha mãe ficou em casa, cuidando de mim e sendo dona de casa, e ela nunca reclamou. Ela gostava. Mas quando eu fui para a faculdade, ela decidiu terminar a faculdade, e agora trabalha como bióloga marinha, com um amor por todas as coisas de tubarões." "Tubarões?", pergunto com uma risada. "Ela é uma candidata à emoção?" "Ela ficou grávida de seu professor de faculdade. Eu diria que sim." "Você os vê com frequência?"


"Não." Ela balança a cabeça, os olhos subitamente tristes. "Eles estão ocupados, eu estou ocupada. Falamos ao telefone cerca de uma vez por mês. " Eu inclino minha cabeça, mastigando, observando a mudança nela. "Isso é um ponto sensível para você." Ela encolhe os ombros novamente. "Um pouco." A garçonete troca o nosso aperitivo de queijo e pão pelo prato principal de diferentes carnes e legumes. "E você?" Addie pergunta antes que eu possa interrogá-la ainda mais. "Você é daqui?" "Eu pensei que você lesse os tabloides”, eu respondo com uma sobrancelha levantada. "Minha história de vida está lá fora para todo mundo ver." "Eu só leio o material suculento sobre as mulheres que você enganou." Seus lábios rosados mostram em um meio sorriso, mas os olhos são astutos, observando qualquer reação. "Você percebe que a maioria disso é inventado, certo? Isto vende revistas, mas não é a verdade." "Então, você não teve uma mulher grávida de gêmeos e depois os enviou para Bermudas e ter os bebês e a fez dar-lhes para adoção, pagando dez milhões de dólares para não falar sobre isso?" Meu queixo cai quando eu a vejo contar essa história. "Se eu paguei dez milhões para calar a boca de alguém, como é que a história saiu?"


"Então você admite?" Eu ri e sacudo minha cabeça. "Não, Addie. Nada disso é verdade. Jesus, essa única eu perdi." "Eu inventei", ela admite com uma risadinha. "Mas seria uma história divertida." "Vamos fazer isso direito, agora, para que possamos seguir em frente sem qualquer suspeita. A banda se separou há cinco anos, e desde então eu tive uma namorada, durou cerca de um ano antes de eu descobrir que ela estava mais interessada em meu dinheiro e do que meu nome poderia fazer, do que por mim, e eu dormi com algumas mulheres desde então." "E antes de a banda se separar?", ela pergunta, me observando atentamente. "Eu era um idiota", eu respondo. "Eu deixei a fama e a atenção subir a minha cabeça. Eu dormi com mais de minha parte das mulheres. Eu gostava da bebida. Demais. Abusei de cocaína, porque, combinado com a bebida, é a melhor subida que existe, e eu nunca mais vou por esse caminho novamente. Isto quase me custou a pessoa mais importante na minha vida. Então eu andei longe de tudo isso." Ela pisca, segurando meu olhar, em seguida, pega seu garfo e apunhala um pedaço de frango. "Então, onde você cresceu?" "Você não quer continuar falando sobre o meu passado sórdido?"


"Não, eu não." Ela atinge outro lado da mesa e pega a minha mão na dela. "Nós todos cometemos erros, Jake. Especialmente quando somos mais jovens. Eu dormi com homens que não deveria em meus dias de modelagem". Eu não quero saber disso. "Eu quero saber quem você é agora." "Quem eu era antes afeta quem eu sou agora." Ela balança a cabeça lentamente. "Verdade. E talvez, com o tempo, vamos falar mais sobre isso. Mas, por agora, eu estou contente em falar de outras coisas." "Minnesota". "Desculpe-me?", ela solta minha mão para comer mais da sua refeição. "Eu sou de Minnesota. Meus pais se divorciaram quando eu tinha nove anos. Mãe se casou novamente e vive no Texas com o marido. Eu fiquei em Minnesota com o papai". "Será que ele se casou novamente?" Balanço a cabeça e como uma cenoura. "Ele era uma espécie de coração partido quando a mãe deixou. Ele faleceu há alguns anos atrás " "Eu sinto muito." Seus olhos ficam tristes. "Não é culpa sua." Eu dou de ombros, a dor familiar que chega ao meu peito se estabelece quando eu penso em meu pai. "Eu sinto falta dele também. E eu poderia me sentir um pouco culpado."


"Por quê?" "É o tipo de volta para o idiota. Quando eu estava com Hard Knox, viajávamos constantemente. Eu estava embrulhado na banda, e eu não via ou falava com ele tanto quanto eu deveria." "Tenho certeza que ele estava muito orgulhoso de você”, diz ela com um sorriso suave. "Eu acho que estava." Deus, eu espero que ele estivesse. "Como você acabou em Portland?" "Max é daqui", eu respondo. "Quando a banda se separou e ele voltou para cá, eu decidi vir com ele. Eu comprei um lugar fora de Hillsboro." "Você gosta daqui?" "Eu

estou

gostando

mais

e

mais”,

eu

respondo

com

sinceridade, segurando seu olhar azul no meu. "Ajuda que você está louca por mim." "Você é louco", ela responde com exatidão. "Sério, você está me envergonhando. Pare de bajulação em cima de mim." Ela revira os olhos, mas ela está sorrindo, e eu sei que ela gosta das brincadeiras, tanto quanto eu faço. "Qual é seu tipo favorito de música?" Eu viro a minha cabeça para o lado. "Eu amo todas as músicas." "Mas deve haver um favorito. A banda, ou um gênero."


"Vocês querem sobremesa?" A garçonete pergunta, mas eu rapidamente balanço a cabeça que não, e ela sai. "Talvez eu queira sobremesa”, Addie diz com uma sobrancelha levantada. "Eu também, mas nós estamos indo para obtê-lo em outro lugar." "Legal." Ela sorri. "Um, baby, você tem algo em seus dentes." Eu aponto para o local, e ela franze a testa enquanto ela procura por ele, me fazendo rir. "Você entendeu." "Obrigado." Eu pago a conta, em seguida, pego a mão de Addie e a levo para fora na noite quente no início do verão, levando-a para o meu lugar favorito de sorvete. "Então, você não respondeu minha pergunta”, diz ela. "Você responde primeiro, e então eu vou." "Você só quer copiar a minha resposta para me fazer pensar que temos coisas em comum." Deus, ela é engraçada. "Você me pegou. Apenas obedeça." Eu olho para baixo e vejo seu movimento ao meu lado. Ela está em saltos vermelhos assassinos com os dedos dos pés vermelhos combinando, brotando no final, e uma saia preta, mas ela está andando tão facilmente como se ela estivesse usando tênis.


Surpreendente. "Johnny Cash", ela responde, surpreendendo o fora de mim. "Desculpe-me?" "Eu amo Johnny Cash. Especialmente o material mais antigo." "Você está me gozando." "Não", ela diz e ri, então choca o inferno fora de mim, ligando seus dedos com os meus. "Ele era incrível. Eu também gosto de coisas mais recentes, como Daughtry e eu sempre amei o Goo Goo Dolls." "E sobre Hard Knox?", pergunto incapaz de me ajudar. Ela olha para mim com os olhos apertados. "Eu não tinha seus cartazes em minhas paredes." "Eu

não

dou

a

mínima

para

cartazes",

eu

respondo

honestamente. "Nunca foi sobre essa merda para mim." "Eu amava sua música", ela responde suavemente e nós paramos na calçada para que ela possa olhar para mim. "'Simply Red" é minha música favorita, mas eu conhecia todas elas. Sua voz me dá arrepios. “Mas não é por isso que estou aqui esta noite”. "Por que você está aqui?" Ela olha para baixo, mas eu pego seu queixo com o dedo e faço com que ela me olhe nos olhos. "Eu estou aqui porque eu não consigo dizer não para você, mesmo que eu queira dizer não para você. Eu não tenho um bom histórico com músicos."


"Namorou alguns?", eu pergunto, sentindo meu intestino apertar. Eu sei como os músicos podem ser em relacionamentos. Inferno, eu sei como os homens podem ser. "A minha parte", diz ela com um aceno. "Então, eu não estou aqui porque você é um músico de sucesso, Jake, eu estou aqui, apesar disso. Eu estou aqui porque eu sinto a química entre nós." "E porque você gosta de mim." "Eu não disse isso." Ela sorri agora, o alívio em seus olhos. "Eu ainda estou decidindo sobre isso." Eu pego a mão dela e continuo levando-a para baixo da calçada para doces. "Como eu posso inclinar a balança a meu favor?" "Diga-me o tipo de música maldita que você gosta." "Eu gosto das bandas que você mencionou", eu respondo pensativo. "Claro que sim." Sarcasmo escorre de cada palavra, me fazendo rir. "Mas eu também amo B. B. King, Sarah McLachlan, Alan Jackson, Maroon 5, Sugarland. " "Uau, isso é uma bastante gama de sons." "Eu te disse, eu amo música. Eu respeito tudo. Tudo evoca emoções diferentes, sentimentos." Ela balança a cabeça. "Onde é que tudo começou para você? A música?"


"Nascimento." Eu ri e puxo-a para o lado enquanto um ciclista pedala nos passando. "Meu pai tocava violão e gostava de música. O rádio estava sempre ligado." "Será que ele te ensinou a tocar?", ela pergunta enquanto caminhamos até Sweet Treats e começo a olhar para o menu. "Ele ensinou." "Devo obter um batido de leite?", pergunta ela pensativa. "Baby, meus filhos já estão em seu quintal", eu respondo, olhando para o sundae brownie. Ela pisca, então começa a rir. "Agora eu tenho que pegar um milk-shake." Nós fazemos nosso pedido e guloseimas na mão, caminhamos lentamente de volta para o meu carro. "Como está o seu shake?", pergunto. "Achocolatado", diz ela, e depois suspira. "Dane-se, Jake!" "O que?" "Agora eu tenho esta maldita música em minha cabeça!" Ela começa a dançar, movendo os ombros e bunda. "Meu milk-shake traz todos os meninos à jarda... " Eu paro e observo, rindo dela enquanto ela canta todas as palavras, movendo seu corpo mais sexy do que a foda. Eu sou um idiota de primeira classe por tirar o sexo fora do menu hoje à noite.


"Obrigado pelo jantar." Addie diz e abre a porta. "E a sobremesa. E colocar essa música na minha cabeça. Ela vai estar lá por semanas." "De nada." Eu aperto seus ombros e a viro para me encarar, em seguida, sorrio para ela suavemente. "Foi meu prazer." Ela está olhando para mim, mordendo o lábio, os olhos azuis arregalados e talvez um pouco de medo. Eu entendo completamente. Ela assusta a merda fora de mim também. Eu a prendo contra a porta e puxo o lábio fora de seus dentes com o polegar, em seguida, escovo-o sobre a pele gorda. "Você me deixa louco quando você morde seu lábio assim", eu sussurro. "Então, você disse", ela responde, vendo minha própria boca. "Jake?" "Sim, querida." "Me beijar agora seria bom." "Pequena coisa mandona, não é?" "Eu não sou uma pequena coisa." "Só mandona então." Eu toco seu rosto na minha mão, amando a suavidade de sua pele, a forma como ela está respirando um pouco mais forte, a forma como sua garganta pulsa contra meus dedos. Eu escovo o meu nariz com o dela, apenas

mal

roçando

meus

lábios

nos

dela.

Ela

inala


drasticamente à medida que meus lábios suavemente mordiscam o dela. Foda-me, ela é doce. Sua mão aperta minha camisa enquanto meus quadris a pressionam mais perto de mim, e eu a beijo ardentemente agora. Ela tem gosto de chocolate, e o que eu tenho certeza é simplesmente Addie. O beijo é lento e profundo, levando-a toda. Seu corpo flexível, longo, é pressionado ao meu, seus braços em volta de mim agora, suas unhas mal arranhando minha pele através da minha camisa. Deus, eu não consigo me controlar com ela. Meu corpo, minhas emoções. Ela me devasta. Eu puxo para trás, respirando com dificuldade. "Durma bem, baby." Ela balança a cabeça, como se limpando o desejo dela para que ela possa pensar direito. "Você não está vindo?" Eu arrasto meus dedos pelo seu rosto, seu pescoço e então coloco minha testa para baixo contra a dela. "Confie em mim, eu quero. Eu quero você mais do que qualquer coisa que eu já quis na minha vida, Addison. Mas isto não é uma corrida, é uma maratona". "Você acabou de usar uma analogia sobre correr?" Eu sorrio e a beijo suavemente. "Sim."


"Ok." Ela planta a mão no meu peito e me empurra para longe, em seguida, abre a porta a suas costas. "Boa noite." "Durma bem." Ela sorri e fecha a porta e eu tenho que tomar uma respiração profunda antes de caminhar de volta para o meu carro. A viagem para casa é rápida, já que há pouco trânsito no momento da noite. Minha casa está tranquila enquanto eu ando até a cozinha e bebo suco de laranja do jarro, então passeio até a sala e me sento atrás do piano. Max é geralmente aquele que escreve a música no piano. Eu prefiro a guitarra. Mas a melodia passando agora pela minha cabeça é de piano. Então eu sento e toco, pensando em um determinado estilo, loura engraçada-como-inferno. O som de sua risada. A maneira como seu corpo se movia enquanto ela cantava na calçada. Eu toco através da melodia três vezes, comprometendo-me a memória, antes de caminhar até o meu quarto. Eu sinto falta dela. Jesus, eu sou ridículo. Eu só a vi há uma hora. E eu fui o idiota que optou por ir embora, em vez de tomar o convite para entrar e me enterrar nela pelo resto da noite. Sou um idiota. Eu não sei o que diabos está acontecendo comigo. O que é sobre esta mulher que me tem amarrado em nós? Talvez eu devesse ficar longe dela. Desacelere. Dê-lhe algum espaço.


Foda-se. Finalmente, eu alcanço meu telefone e ligo para ela. "Olá?" "Ei." "Você está bem?" Ela não parece sonolenta, então eu sei que não acordei. "Estou bem. Eu só estava pensando em você". Silêncio. "Por que isso a confunde?", pergunto. "Não", ela mente e eu posso ouvir farfalhar. "Você não deveria esperar três dias para chamar a menina depois de um encontro?" "Este não é um jogo, Addie", eu respondo de repente irritado. "Nós não estamos na escola. Se eu quiser ouvir a sua voz, eu vou chamá-la." "Tudo o que tinha a dizer era: eu sinto sua falta, Addie." Eu ronco. "Eu acabei de ver você." "Você sentiu minha falta", ela repete com confiança. Deus, sua boca me excita. Em um milhão de maneiras diferentes. "Ok, eu senti sua falta." "Agora diga: Você está sempre certa, Addie." "Sem chance!", eu respondo com uma risada. "Uma menina pode tentar." "Eu tive um bom momento esta noite”, murmuro. "Eu também. Obrigado novamente." "O que você está vestindo?"


"Um sorriso." Eu posso ouvi-lo em sua voz, e depois mais farfalhar ao redor. "E um lençol." "Droga." "O que você está vestindo?" "Uma ereção", eu respondo. "Pelo menos você é honesto." Ela ri. "Eu meio que gosto que você está ligado por lá." "Você me tem excitado desde o momento em que eu coloquei os olhos em você." "Por favor." Eu quase posso ouvi-la rolar os olhos azuis. "Você não me achava atraente quando eu disse que você teria que fazer um teste para a posição no Seduction". "Na verdade, eu achava. Mas essa não é a primeira vez que te vi. Você estava naquela noite microfone aberto com Kat no fim de semana anterior." "Você se lembra disso?" "Você era tudo que eu podia ver no público." "Sim, as luzes eram brilhantes." Dirijo-me do meu lado e rio. "Não, querida, você era tão bonita que era tudo que eu podia ver." "Oh." "Sim, oh." "Isto é meio doce." "Eu tenho momentos", eu respondo, absorvendo o som de sua voz. "Quando eu vou te ver de novo?"


"Você está cantando na sexta-feira", ela me lembra. "E eu tenho um dia cheio amanhã, trabalhando." "Sexta-feira então", eu respondo suavemente. "Durma bem, baby." "Boa noite, Jake."


Capítulo Sete Addison "A parte de trás deste

top é adorável", Kat diz quando ela passa

por mim. Eu estou sentada no bar, passando por cima da agenda da próxima semana. "E você está cantarolando." "Hmm”, eu concordo com um leve sorriso. É um bom dia. Jake tocou ontem à noite, e tivemos a melhor contagem de pessoas que tivemos até agora no Seduction. E os sábados sempre são mais lotados, por isso esta noite deve estabelecer outro recorde. "Terra para Addie!", Kat sussurra inclinando-se sobre o balcão em minha direção. "O que você quer?", pergunto com uma risada. "Por que está tão tagarela? Espere." Ela balança a cabeça e continua fazendo um balanço dos vinhos brancos do cooler. "Eu não quero saber." "Não é isso", eu respondo. "Ainda não dormiu com ele, né?" "Ainda não", eu digo com um suspiro e rezando para que isto mude rapidamente. O homem tem todos os nervos do meu corpo em estado de alerta e ele nem mesmo está aqui. Isto é tão estranho.


E, admito, é muito divertido. "Nossos números foram muito bons na noite passada." Eu tomo um gole no meu café com leite. "Eu sei", diz ela com um sorriso. "Eles foram bons aqui também. Seu garoto com certeza traz multidão. " "E eles estão voltando porque eles gostam de nós", eu digo com confiança. "Quando faço minhas rondas pela sala de jantar, os clientes podem se deliciar com a comida e a atmosfera." "O mesmo aqui também", Kat responde e fica para tomar notas. "É bom." "É foda." Nós sorrimos alegremente para a outra, em seguida, batemos os punhos, assim como Marcy, uma das minhas garçonetes do dia que entra no bar. "Eu tenho uma pergunta", Marcy diz, com uma carranca no seu lindo rosto jovem. Ela tem apenas vinte e dois anos, mas tem uma ética no trabalho como alguém do dobro de sua idade, e ela está enlouquecendo adorável com seu corpo esguio, grandes olhos castanhos e cabelo castanho longos, de modo que ela faz ótimas gorjetas. "Manda", diz Kat. "Quem é Brian Tallman?" Kat e eu olhamos uma para a outra e, em seguida, rolamos nossos olhos.


"Será que Cami deu-lhe o seu número?", pergunto, então encaro a própria mulher quando ela salta alegremente na sala, em seguida, para, quando ela nos vê olhando para ela. "O que?" Seus olhos azuis alargam inocentemente, mas eu sei melhor. Ela não é inocente. "O que eu fiz?" "Você deu a Marcy o número de telefone do seu ex-marido, sério?", Kat pergunta. "Ele é seu ex-marido?", Marcy pergunta com desgosto. "Ai, credo!" "Como eu te disse, ele é um cara muito legal", Cami diz. "Ele está procurando a garota certa." "Você não precisa ser a única a encontrar para ele uma menina agradável", eu digo a ela pela centésima vez desde o seu divórcio no ano passado. "Não há nenhuma razão para tentar colocá-lo para cima, Cam. Ele tem boa aparência, tem um emprego estável, e não é um completo idiota. Esses são requisitos da maioria das mulheres aqui." "Eu sei, mas sua mulher batedora de carteiras é tão distorcida", ela responde com uma careta, e Kat e eu olhamos para ela. "Uh, Cami, ele escolheu você", Kat a lembra. "Exatamente!" Cami joga suas mãos para cima e passa em frente ao bar agitada. "Ela está bem?", Marcy sussurra para mim. Eu simplesmente aceno de cabeça, em seguida, dou de ombros.


Porque ela é um pouco maluca quando se trata de Brian. "Eu não era a certa para ele." "Isso significa que o seu selecionador de homem está distorcido também? Você se casou com ele", aponta Marcy, ganhando um olhar sóbrio de Cami. "Eu não deveria ter casado com ele. Mas ele é uma grande pessoa. Ele merece uma pessoa bela, doce e amorosa". "E ele vai encontrá-la", Kat diz, enquanto ela limpa o balcão. "Apenas não é o seu trabalho encontrá-la para ele." "Vou voltar ao trabalho", Marcy diz antes de voltar para a sala de jantar. "Sério, Cam," eu digo, "pare de tentar penhorar seu ex-marido nas minhas garçonetes." "E minhas barwomen." Aponta Kat para Cami, dirigindo seu ponto. "Tudo bem." Ela se senta no banco ao lado do meu. "A parte de trás do seu top é bonito. Somente você pode puxar algo como isto." Eu sorrio para a minha amiga. "Obrigado." A parte da frente superior cinzenta é bastante modesta, mostrando pouco decote, embora seja grudento. Mas a parte de trás está aberta, pendurada em uma rusga para o topo da parte inferior das minhas costas. Os lados são mantidos juntos por três alças finas no centro.


"Eu tenho que saber." Cami diz suavemente, inclinando-se. "Como você mantém seus peitos para cima? Você é muito peituda para não usar um sutiã." "Eu quero saber também", Kat diz com um aceno de cabeça. "É um sutiã colado”, eu as informo com um sorriso. "Isso os mantém em pé, colados nas laterais e por baixo." "Isso é como rasgar a fita adesiva fora de sua pele." Cami recua e se encolhe. "Ouch." "Veja os seus mamilos", Kat diz com ambas as sobrancelhas levantadas. "Você não precisa rasgá-los fora quando você tirá-lo." "Eu tenho, já fiz isso antes." Eu asseguro-lhes com uma risada e puxo meu cabelo para trás, cobrindo a maior parte da minha parte superior. Oh meu Deus, minhas amigas são engraçadas. "E não é tão forte como a fita adesiva. Mas mesmo que fosse, não cobre os mamilos. " "Eu ouvi você falando sobre seus mamilos?", Uma voz pergunta atrás de mim, fazendo com que todos os pelos do meu corpo fiquem em pé. Deus, eu amo a sua voz, porra. "Nós estamos olhando para você”, Kat a informa ele. "Ela está tentando arrancá-los." Eu rolo meus olhos e me viro no meu banco para encará-lo. "Eu não estou tentando arrancá-los." "Bom. Tenho planos para eles mais tarde." Seus olhos verdes ardem, enquanto ele me olha por cima do meu cabelo, que eu


tenho para baixo em cachos ondulados, aos meus saltos azuis marinhos. "Eu aposto que ele tem”, Cami diz a Kat. Eu as ignoro, mas os mamilos endurecem com o pensamento. Jesus, espero que ele tenha planos para eles mais cedo ou mais tarde! Ele dá um passo para mim e me prende contra o balcão, seu rosto a polegadas do meu. Ele tem cheiro de seu gel de banho, e eu quero apenas envolver meus braços em torno dele e enterrar meu nariz em seu pescoço. Então eu faço. Eu ouço dois awws de Cami e Kat, mas eu as ignoro, embebedando-me. Eu só o vi na noite passada, mas eu não tive qualquer momento a sós com ele. E eu não estou sozinha com ele agora. Mas eu só preciso senti-lo contra mim, só por um minuto. "Você está bem, baby?", ele sussurra em meu ouvido, apenas para eu ouvir. "Eu estou tão bem”, eu respondo e puxo para trás, mas suas mãos permanecem em mim, acariciando para cima e para baixo as minhas costas, não ajudando a situação do mamilo duro, no mínimo. "Você

está

perdendo

metade

de

sua

camisa”,

diz

ele

levemente, mas seus olhos estão em chamas. Eu não sou a única excitada. "Eu vou olhar isto mais tarde."


EU TINHA RAZÃO. A noite passada foi movimentada, mas esta noite está mais movimentada, e há um tempo de espera de uma hora para sentar. E Jake está cantando seu coração para fora no palco. A velha música Matchbox Twenty é perfeita na sua voz rouca. Ele olha para cima e me encara com aqueles olhos, em seguida, me oferece um sorriso largo e lento, fazendo com que os dedos dos meus pés enrolem nestes saltos. Deus, ele me transforma de dentro para fora. "Senhorita?" Uma mulher faz sinal de sua mesa. "Como posso ajudá-la?", pergunto educadamente, tentando ignorar o rock star sexy no palco. "Nós colocamos já a nossa ordem, mas eu queria ter certeza que a garçonete observou se há pinhões na salada do meu marido. Ele é severamente alérgico." "Vou verificar novamente para você”, eu digo a ela e caminho para a cozinha, onde Mia está latindo ordens e se movendo como louca. "Esse bife passou do ponto”, ela diz a seu sous chef15. "Eu não vou servi-lo assim. Quando o cliente diz meio termo, eles querem meio termo." "Está tudo bem aqui?", eu pergunto, com um largo sorriso, pronto para levar uma surra da Mia. "Por que você está na minha cozinha?" 15

é "o segundo em comando em uma cozinha.


"Eu estou verificando, de novo, para me certificar de que a ordem da mesa dezenove veio com as instruções para não colocar nenhum pinhão em sua salada. Ele é alérgico." Mia procura o bilhete, o encontrando sob um balcão pronto para sair, e faz uma carranca quando ela olha para a salada. "Há pinhões nesta salada. Quem preparou?" Ela se vira para olhar sua equipe para baixo, franzindo a testa quando o sous chef cai sua cabeça em derrota. "Não leu o bilhete?" "Obviamente não perto o suficiente”, ele responde. "Você está demitido!", ela grita, em seguida, aponta para a porta. "Caia fora da minha cozinha." "Chef ─" ele começa, mas ela o corta. "Não. Você quase matou um cliente. Caia. Fora." Suas narinas alargam quando ele olha para Mia. O resto da equipe de cozinha mantém a cabeça para baixo, montando pratos o

mais

rápido

possível.

Finalmente,

depois

de

um

longo

momento, ele desata seu avental, joga-o no chão, e caminha para fora da cozinha. "Mia ─" "Addie, obrigada pelo alerta, mas eu quero você fora da minha cozinha também. Estamos inundados esta noite e tenho que me concentrar". Eu concordo. "Justo."


Quando eu volto para a sala de jantar, os clientes estão rindo de algo que Jake disse. Seu olhar encontra o meu. "Então, como eu estava dizendo”, diz ele no microfone, me olhando com aquele sorriso de cair calcinha. "Há essa mulher especial em minha vida agora e eu gostaria de cantar uma música que diz a ela exatamente como me sinto sobre ela." Eu paro perto do fundo da sala e levanto uma sobrancelha. Isso deve ser bom. Em vez de uma balada lenta, ele se transforma em uma música rápida, otimista. Eu a reconheço. Um dos meus artistas favoritos, Matt Nathanson, canta ela. A canção é super sexy, tudo sobre o quanto ele quer ela. E a voz de Jake torna isso, o pecado puro, puro. Jesus, eu quero correr ao palco e subir nele. Aqui e agora. Eu não posso ajudar, mas mexo meu dedo do pé com a música e sorrio para as letras ostensivamente sexuais. É uma canção divertida. O

resto

da

noite

voa.

A

apresentação

de

Jake

vai

perfeitamente, e os clientes estão satisfeitos. Quando ele termina de cantar, ele coloca sua guitarra em seu case, então passa por mim e pega a minha mão, leva-a aos lábios para pressionar um beijo na minha palma, então, com os olhos preso ao meu, arrasta os dentes até a pele sensível no meu pulso e mordisca. Os clientes dispersos estão assistindo, então eu o levo de volta para o escritório e fecho a porta.


"Eu tenho gosto de luz solar, não é?", eu pergunto, citando a canção. "E chiclete de morango”, ele responde com um sorriso arrogante. Este é o lado do rock star dele. Ele é confiante e talvez um pouco arrogante, e caramba, se não é sexy. "Se eu o convidar de volta para o meu lugar, você está indo me beijar e me deixar na minha porta de novo?" Porque se você for, você pode esquecê-lo, amigo. Eu sei que ele não queria que fosse, mas foi humilhante. "Eu não sei. Você já ganhou alguma coisa mais do que isso?" Agora é a minha vez de oferecer-lhe um sorriso arrogante. Eu ganhei isso? Eu nem sequer tento responder a essa pergunta. Em vez disso eu viro e vou para a porta, puxando meu cabelo por cima do meu ombro para que minhas costas estejam em exibição. Ouço-o tomar uma respiração profunda, e então ele solta um longo e baixo gemido. Sim, esta camisa é impressionante. Antes que eu possa abrir a porta, eu estou sendo girada e prendida a ela, e a boca de Jake na minha. Quente, duro, exigente. Ele agarra minha bunda em suas mãos e me impulsiona para cima, me apoiando contra a porta e simplesmente me devora.


"Eu quero você”, ele sussurra contra os meus lábios. "Eu estive lutando para levar isto devagar, Addison, mas eu sou um filho da puta, e eu quero você." "Eu estou bem aqui." "Não." Ele se afasta, me colocando no chão, balançando a cabeça, engolindo em seco. Ele começa a dizer alguma coisa, mas tem

que engolir de

novo, os músculos do pescoço

trabalhando e as mãos suadas. "Isso não está acontecendo aqui, contra a porta de seu escritório. Eu preciso chegar em casa para que eu possa tomar o meu tempo com você. " Eu pisco para ele, tentando reunir minha inteligência. "Vamos." Ele pega a minha mão e me leva para o bar. "Eu estou levando Addie para casa." "Eu tenho que fechar." Eu começo, mas Kat simplesmente sorri para Jake e assente. "Já lidamos com isso", ela responde. "Tenham uma boa-noite." "Obrigado." Jake acena e me leva de volta para a sala de jantar e pega sua guitarra, então praticamente me puxa para fora para o seu carro. "Eu tenho um carro aqui também”, eu o lembro. "Eu vou te trazer de volta aqui de manhã para pegá-lo". Eu franzo a testa. "Eu não disse que você poderia passar a noite."


Ele empurra sua guitarra no banco de trás, então se vira para mim e me puxa para seus braços, abraçando-me perto. Ele enterra o rosto no meu cabelo e respira fundo. "Eu preciso estar com você esta noite. A noite inteira”, ele sussurra. "Deixe-me ficar." Como posso recusar. Eu não quero recusar. Estive desejando ele por um longo, longo tempo. Eu saio de seu abraço, e seus ombros caem em derrota. "Eu entendo”, diz ele. Antes que ele possa se virar, eu pego sua mão e beijo sua mão do jeito que ele fez com a minha antes. "Você vai voltar para casa comigo?" Seu olhar chicoteia acima do meu. "Se eu fizer isso, eu não vou deixar você até de manhã." Eu beijo sua mão novamente, então aceno. "Eu gostaria que você ficasse." Ele inala acentuadamente antes de me levar para o lado do passageiro de seu carro. O passeio para o meu lugar é calmo, a tensão sexual pendurada em torno de nós. Agora eu estou ficando nervosa. Ter relações sexuais no calor do momento é uma coisa, mas quando é premeditado, bem... isso é assustador. Nem tomei banho desde manhã e eu estive trabalhando todo dia. Eu não posso cheirar bem. E se ele quiser ir para o centro? Oh, Deus, talvez eu devesse dizer-lhe para esperar por mim enquanto eu tomo banho.


Eu poderia refazer a depilação das minhas pernas, porque eu raspei elas ontem e eu estava com preguiça de fazer isto esta manhã. Talvez isto seja uma má ideia. "Pare”, resmunga e beija minha mão. "Pare o que?" "Pensar demais." Eu franzo a testa para ele. "Você é um leitor de mente?" "Eu não tenho que ser, doçura. Você está pensando tanto aí, há praticamente fumaça saindo de suas orelhas." "Tenho certeza que isso não é verdade”, eu respondo afetada. "E ser uma pensadora não é uma coisa ruim." "Não, não é. Exceto quando você começar a ter segundos pensamentos de você mesma, e você não tem razão para isso." "Eu não raspei minhas pernas”, eu admito, envergonhada. Eu enterro meu rosto em minhas mãos, embaraçada. "Ah não. Bem, isso não pode acontecer, então." O sarcasmo escorre de cada palavra quando ele estaciona, sai do carro e abre minha porta, me puxando para fora ao lado dele. "Olhe para mim." Eu rio no meu próprio ridículo enquanto eu espio ele por trás minhas mãos. "Eu não dou a mínima para quando foi a última vez que você raspou suas pernas”, diz ele, cobrindo meu rosto com as mãos e olhando para mim com os olhos em chamas. "Se eu não tiver


você debaixo de mim, rapidamente, eu vou morrer de frustração sexual." "Oh, bem, isso é um alívio”, eu respondo, e ando adiante dele para o meu apartamento. "O que é?" Eu posso sentir seus olhos em minha bunda. "Você está olhando para minha bunda?", pergunto sem olhar para ele. "Claro que estou." Eu sorrio e desbloqueio minha porta, em seguida, viro para ele. "Aqui está sua chance de me beijar e me deixar toda quente e perturbada novamente." Seus lábios se contorcem enquanto ele se inclina para mim, seu antebraço apoiado na porta, sobre a minha cabeça. "O que é um alívio, Addison?" "Que eu não sou a única sexualmente frustrada." Minha voz é um sussurro trêmulo enquanto eu olho para seus lábios a apenas polegadas do meu. Ele se inclina e escova aqueles lábios na minha testa. "Você está frustrada?" Eu cantarolo e fecho os olhos, absorvendo-o entrar. Ele abre a porta e me leva para dentro, em seguida, fecha e tranca a porta atrás de nós, perfeitamente calmo. Não há cansaço apressando. Sem agarrar um ao outro, derrubando coisas em uma corrida para o quarto.


Em vez disso, seu rosto está perfeitamente calmo quando ele se vira para mim e move-se lentamente para frente, pedindo-me para seguir, andando com ele através da minha sala de estar. Eu aperto a barra da sua camiseta em minhas mãos e querendo tirála, até que ele finalmente toma o assunto em suas próprias mãos, tirando-a sobre a cabeça com uma mão, da forma que os homens fazem o que é tão sexy. E o meu primeiro vislumbre vivo de Jake sem camisa é algo para assustar escrever. Caro doce Jesus, a pele lisa. Os salpicos de fios de cabelo. Os longos e vigorosos músculos que flexionam em seus braços e no peito. Deus o abençoou com talvez o melhor conjunto de abs que eu já vi. E ele tem o sexy inferno V em seus quadris, levando-se em seu jeans baixo. Jeans que mal escondem a ponta de seu pênis. Eu estou salivando. "Você é boa para o meu ego, querida”, ele murmura, chamando a minha atenção. "Você está ─" Eu engulo em seco, incapaz de terminar a frase. "Meus pensamentos exatamente”, ele responde com esse sorriso arrogante de volta no lugar. Estou surpresa ao descobrir que já estamos no meu quarto. Jake se inclina e acende a lâmpada de cabeceira, então se vira para mim, mas ao invés de puxar minhas roupas, ele me puxa para seus braços e me abraça


apertado, balançando-nos para trás. Sua pele nua sob minhas mãos é incrível. Não consigo parar de tocá-lo. Minhas mãos estão em toda parte, vagando sobre as costas, os braços, em seguida, por cima dos ombros e em seu cabelo. Finalmente, ele empurra as mãos sob meu top e puxa-o por cima da minha cabeça, deixando cair no chão. Seus olhos estreitam e escurecem quando ele olha meu sutiã improvisado que mantém as meninas. Mas ao invés de tentar removê-lo, ele faz o trabalho rápido da minha calça e sapatos, deixando-me em apenas minha calcinha. Eu estendo a mão para ajudá-lo sair de sua calça jeans, mas ele me interrompe com um movimento rápido da cabeça. "Espere." "Você está atrás." Eu levanto uma sobrancelha e chego para ele novamente, mas ele me para. "O que estamos esperando?" Eu descanso minhas mãos em meus quadris e inclino a cabeça para o lado. "Se você sair agora, eu vou desmembrá-lo." "Nem cavalos selvagens poderiam me arrastar para fora daqui”, ele responde suavemente, seus olhos vagando cima e para baixo do meu corpo. "Jesus, Addison, você é tão bonita porra." Tudo em mim amolece. Sua voz é áspera. Ele parece... devastado.


"Você está bem?" Eu caminho para ele e pego seu rosto em minhas mãos. "Jake?" Ele escova os dedos pela minha bochecha, então seu polegar sobre meu lábio inferior. Ele coloca sua testa para descansar na minha. "Admita”, ele sussurra. "Você não pode resistir a mim." Ali está ele. "Eu posso resistir a qualquer coisa”, eu respondo com uma risada. "Mas você é muito tentador." "Só tentador? Eu estou indo para irresistível aqui." "Você

está

perto”,

eu

respondo

e

alcanço

seu

jeans

novamente. Ele não resiste a mim neste momento. Ele sai fora deles, e está diante de mim nu. Gloriosamente nu. "Agora eu estou atrás”, eu sussurro. Ele está completamente excitado, e eu estou ansiosa para ter em minhas mãos o seu pênis. Então eu faço. Eu o acaricio duas vezes, fazendo-o amaldiçoar sob sua respiração. "Como faço para obter este sutiã fora de você sem te ferir?" Ele pergunta. "Com

muito cuidado”,

eu

respondo com um sorriso

e

simplesmente retiro-o eu mesma. É desconfortável, mas não faz mal. Eu o deixo cair no chão, e finalmente, finalmente, suas mãos


me tocam, no meu quadril e de volta para os meus seios. Ele os segura suavemente, roçando os polegares sobre os mamilos. Ele me leva até minhas pernas encostar na cama, então me empurra para trás, cobrindo-me com o seu corpo incrível. "Você é tão linda”, ele respira, beijando-me com ternura. Suas mãos estão por toda parte, todo o meu corpo. Ele conecta seus polegares na minha calcinha e as desce pelas minhas pernas, então desliza as mãos de volta até ela, sorrindo para mim. "Exceto por essas pernas de homem das neves." "Elas não estão tão ruins." Eu rio, não de todo desconfortável com ele agora. A apreensão que senti no carro está muito longe. E agora é apenas ele. "Você tem pernas maravilhosas”, diz ele, sério agora. Seus lábios seguem as mãos para cima nas minhas pernas, e eu estou mortificada. Eu não tive um chuveiro em mais de doze horas. "Por que você enrijeceu?", ele pergunta baixinho. "Porque eu não estou exatamente fresca do banho”, eu respondo honestamente. "Você tem um cheiro incrível”, ele responde. Seu nariz escova sobre meu púbis liso. "E eu amo que você encera isto totalmente." Ele sopra na minha pele, fazendo meu arco de volta. Suas mãos deslizam até a volta das minhas coxas, da minha bunda, e


ele inclina meus quadris por isso estou exposta para ele, como o seu próprio buffet privado. "A sua boceta é tão rosa”, ele sussurra quando ele abaixa o rosto e gentilmente coloca a ponta da sua língua na minha abertura, sobre os meus lábios, no meu clitóris. "Oh Deus." "E você cheira como você não pudesse esperar que eu te foda." "É preciso, então”, eu respondo sem fôlego. Minhas mãos encontram seu caminho até seu cabelo, segurando firmemente enquanto ele continua a me lamber. Ele não aplica qualquer pressão; ele está apenas preguiçosamente escovando sua língua incrível para cima e para baixo nas minhas dobras, fazendo-me ficar louca. "Jake!", eu respiro. "Bem aqui?", ele pergunta, e faz cócegas no meu clitóris com a ponta da língua. "Isso é bom?" "Tão bom." "E quanto a isso?" Ele puxa um lado da minha bunda e circunda o meu clitóris com a ponta do dedo, em seguida, empurra-o dentro de mim, fazendo-me apertar para baixo sobre ele duro. "Porra!" "Eu estou supondo que significa que você gosta." Ele é tão espertinho.


"Você é incrível, Addie. Cada porra de polegada de você me deixa louco”. "Eu quero cada polegada de você para me fazer louca também”, eu respondo ofegando. Ele ri e morde o interior da minha coxa, fazendo-me gemer. "Você gosta quando eu te mordo?" "Eu gosto de tudo”, eu respondo com sinceridade. "Contanto que você seja o único a fazê-lo." "Fodidamente certo”, ele rosna, e beija o seu caminho até o meu corpo, parando para prestar atenção especial para os meus seios. Ele morde cada mamilo, puxando, lavando-os com a ponta da sua língua, fazendo-me contorcer-me como uma louca embaixo dele. "Jake, por favor, afunde dentro de mim agora." "Oh Deus”, ele resmunga e cerra os olhos fechados. "Addie, eu não tenho nenhum preservativo comigo." "Eu estou supondo que você nunca foi um escoteiro”, eu reclamo. "Não”, ele responde e balança a cabeça em desgosto. "Deus, baby, eu sinto muito." "Eu tenho um DIU 16 ”, eu digo, enquanto eu arrasto meus dedos por seu braço, traçando a tatuagem lá. "E eu sou saudável."

16

método contraceptivo.


"Eu não estive com ninguém desde antes do meu último check-up”, ele admite e sorri lentamente. "Então, isso significa que você ainda me quer dentro de você?" "Deixe-me pensar sobre isso." Mas antes que eu possa, ele se instala entre as minhas pernas, e esfrega a cabeça de seu pau sobre minhas dobras, sobre o meu clitóris, e em seguida, empurra lentamente dentro de mim, me fazendo ofegar em voz alta. "Estou machucando você?", ele sussurra. "Da melhor maneira”, eu confirmo. Ele para frio, e quando ele iria puxar para fora, eu o impeço. "Você é um grande homem, Jake, mas eu estou bem. Apenas me dê um segundo para me ajustar." "Eu não quero feri-la”, ele sussurra e escova uma mecha de cabelo do meu rosto. "Eu não quero machucar você nunca." "Esta é a melhor dor que existe”, eu respondo, circulando meus quadris. Ele aperta os olhos fechados e amaldiçoa sob sua respiração. "Addie, se você continuar com isso, eu não vou ser capaz de ficar parado. Deus, você está fodidamente molhada." "Basta olhar para o seu corpo duro que me deixa molhada. Mas adicione sua boca em mim na mistura, e eu estou toda molhada."


"Deus, baby." Seus quadris começam a se mover agora, lentamente, dentro e fora, e é a melhor coisa do caralho que eu já senti. "Sua boceta abraça meu pau perfeitamente." Eu sorrio e aperto para baixo, encantada quando seus olhos passam. "Eu meio que amo excitar você." Eu suspiro. "Estou passei da excitação”, ele rosna, e coloca seus lábios contra os meus, beijando-me profundo e lento, enquanto seu corpo faz amor comigo. Ele acelera seus quadris balançando contra o meu, seu pau batendo no meu clitóris com cada impulso. "Deus, Jake, eu vou gozar." "Bom." Ele sorri contra a minha boca. Seus olhos estão abertos e me observando. "Goza, Addison." Eu o vejo enquanto ele pega a velocidade novamente, empurrando forte. Cada nervo do meu corpo está em alerta máximo, e eu sinto a explosão construir na base da minha espinha, até que eu não posso segurar mais. Eu arqueio minhas costas, enrolando meus dedos do pé, cavando minhas unhas na pele de seus braços, enquanto eu desmorono. "Tão malditamente incrível”, ele rosna e empurra mais duas vezes antes de parar, com as bolas profundas, e goza duro, gemendo em meu ouvido. Nós somos um, ofegando, uma bagunça suada exausta, enquanto ele rola para longe, mas ele me mantém com ele, ainda dentro de mim, me puxando para cima dele.


"Eu sou muito pesado para ficar em cima de você, e eu quero ficar dentro de você”, diz ele e me abraça apertado. "Obrigado." "Pelo quê?" Eu franzo a testa para ele. "Eu estou dentro de você. E eu sou grato." Eu sorrio e beijo seu queixo, em seguida, empurro contra seu peito para que eu possa beijar seus lábios completamente. Eu não posso ajudar, mas círculo meus quadris, ao mesmo tempo, e sorrio amplamente quando eu o sinto começar a endurecer dentro de mim novamente. "Segundo round”, murmuro e deslizo para trás e para frente. Ele

agarra

meus

quadris

firmemente

em

suas

mãos,

provavelmente deixando pequenas contusões do tamanho do dedo, e isso me deixa quase tonta. Eu não posso esperar para vê-los mais tarde. "Você tem um sorriso maroto neste rosto lindo”, diz ele, em seguida, geme quando eu chego para baixo e círculo meu clitóris enquanto eu o monto. "Eu sou uma garota malvada”, eu respondo antes de morder o lábio. "Então, notei."


Capítulo Oito Jake Eu

procuro por ela, mas onde ela deveria estar dormindo contra

mim está frio. Ela está fora da cama por um tempo, contrariando minhas intenções de fodê-la no colchão, esta manhã. O que é bom. Eu vou encontrá-la e trazer ela de volta para cá. Eu ainda deito e escuto, na esperança de ouvi-la no chuveiro. Algumas brincadeiras na água também podem ser divertidas, mas o apartamento está quieto... E, em seguida, ocorre-me: cheira a comida. Ela está fazendo café da manhã. Eu vou casar com ela. Hoje. Eu deslizo da cama e puxo minhas cuecas boxer, em seguida, saio para fora do quarto para a cozinha, esfregando o sono dos meus olhos. E então eu chego a uma paragem completa, olhando com espanto para a linda mulher na cozinha. Ela está de costas para mim. Seu cabelo está empilhado no alto da cabeça, desarrumado, cachos soltos caindo fora dele. Ela está na minha T-shirt da noite passada, que é comprida o suficiente para cobrir a maior parte de seu traseiro, mas a parte inferior do mesmo, onde a bunda e as


coxas se encontram, e a calcinha preta, se mostram, fazendo-me ter uma semi-ereção pela manhã. Ela está balançando seus quadris de um lado para o outro enquanto mistura algo em uma tigela. Um waffle-iron 17 está configurado ao lado dela, aquecendo. E ela está cantarolando. Completamente faceira. Deus, ela é adorável. Ela se volta para a pia que fica na ilha que nos separa, o lábio afundado entre os dentes perfeitos, então grita quando me vê de pé aqui. "Não quis assustá-la”, eu digo baixinho, todas as minhas emoções de repente estão uma bagunça confusa. Seu rosto está limpo de qualquer maquiagem, o cabelo loiro é um halo em volta do rosto. Minha camiseta parece incrível nela. E ela está cozinhando para mim. Não me lembro de uma mulher que eu fui íntimo, que alguma vez tenha cozinhado para mim. Certamente não o café da manhã, porque eu tenho certeza que saí correndo o mais rápido que eu pude. Mas vendo esta mulher cozinhar para mim faz meu coração doer da maneira mais doce. Deus, eu me tornei um molenga. Max teria um dia de campo, se ele ouvisse meus pensamentos.

17

utensílio de cozinha usado para assar waffles.


"Está tudo bem, eu estava imersa em pensamentos." Ela suspira, lava as mãos, e me oferece um sorriso doce. "Eu espero que você esteja com fome, porque eu estou fazendo waffles." "Estou morrendo de fome." De você. Eu a quero debaixo de mim, sobre mim, de qualquer maneira que eu puder levá-la agora, contanto que eu esteja dentro dela. Mas eu sento em um banquinho no balcão e a vejo se mover sobre a cozinha. "Bacon também?", eu pergunto em surpresa quando ela coloca as tiras de bacon em uma assadeira. "Claro. Não é ilegal ter o café da manhã sem o bacon?" "Cuidado, você vai me fazer sentir especial." Ela bufa e balança a cabeça, voltando a misturar sua bacia de waffle. "A que horas você tem que trabalhar hoje?", pergunto. "Eu estive tentando tirar folga aos domingos. Eu tenho uma ideia!", ela se vira, os olhos azuis rodada de excitação. "Vamos ficar na cama o dia todo e trocar favores por viagens para a geladeira." Meus lábios inclinam-se em um sorriso. "Isso soa como a melhor ideia que eu ouvi em anos. Mas, eu não posso. Eu tenho que trabalhar hoje." "Oh." Seus ombros curvam com o lábio inferior sobressaindo em um bonito bico, em seguida, ela se vira para derramar a mistura no waffle iron.


"Eu gostaria de levá-la comigo." "O quê?" Ela inclina seus quadris contra o balcão e cruza os braços. "Onde? Trabalhar?" Eu concordo. "Eu só vou estar no caminho." "Não, não vai." "O que você vai fazer?" Ela inclina a cabeça para o lado, e eu quero enterrar meu rosto em seu pescoço e beijá-la lá. "Max e eu temos algum trabalho para terminar hoje”, eu respondo, propositadamente fugindo. Eu não quero dizer a ela quem estará no estúdio com a gente hoje. Ela pode ficar nervosa e decidir que ela não quer ir. E por razões que eu não estou inteiramente certo agora, eu não apenas quero-a lá hoje. Eu preciso dela. "Eu quero lhe mostrar o meu estúdio." Um sorriso travesso, lento se espalha por seu rosto. "É assim o que eles estão chamando isso hoje em dia?" Eu sorrio e deixo meus olhos visivelmente viajar para cima e para baixo de seu corpo, transando com ela com os meus olhos. Quando

meu

olhar

encontra o

dela

novamente,

ela

está

respirando mais difícil, e sua mão direita é branca e está enrolada no granito. Seus olhos são um pouco vítreos. Eu a quero. Os vários turnos de fazer amor durante a noite não fizeram nada para amenizar isso.


Mas eu também quero mostrar-lhe a minha vida. Porque eu tenho a sensação de que ela está prestes a tornar-se uma parte muito grande dela, e por mais novo e confuso que isto seja, isto também é muito bom. "Vem comigo hoje", eu digo simplesmente. "Ok." Ela sorri suavemente antes de tirar um waffle e passar para mim, junto com manteiga e mel. "Mas, primeiro, vamos comer." "Eu vou comer isso." Eu começo, enfiando uma mordida na minha boca e gemendo em êxtase. Jesus, ela pode cozinhar. "E então eu vou colocá-la no chuveiro, limpar você, em seguida, levá-la de volta para a cama e comê-la." Seus olhos chicoteiam acima do meu. Seus mamilos estão enrugados contra a minha camisa. "E você não pediu emprestado isso." "Minha culpa." Eu sorrio. "Está bem. Vou pegá-lo de volta depois do café da manhã." Ela sorri de volta, em seguida, para e puxa a camiseta sobre sua cabeça, dobra a camisa, e passa para mim. Ela está de pé lá com apenas sua calcinha preta. Jesus Cristo fodido. "Não precisa esperar." Ela responde com doçura e dá uma mordida em seu waffle. "É uma camisa macia."


"Eu a tive por algum tempo." Deus, o que tem minha voz? Eu pareço como um adolescente, apenas fazendo o seu sorriso aumentar. Ela coloca seu prato para baixo e estende seus braços para o alto sobre a cabeça, depois se inclina e toca os dedos dos pés, dando-me uma visão privilegiada do seu corpo incrível, e eu não aguento mais. Eu marcho ao redor da ilha, coloco-a sobre meu ombro, e me dirijo para o banheiro. "O que está acontecendo?" Ela está rindo agora, me fazendo rir também. "Eu sei o que você estava fazendo, e funcionou, doçura. Você tem toda a minha atenção, e você está prestes a ter muito mais do que isso." "Promessas, promessas”, ela responde, rindo ainda mais quando eu dou um tapa em sua bunda. "Podemos nos atrasar um pouco para o trabalho."

"ENTÃO ESSA É A MINHA CASA”, eu digo e levo Addie para uma volta pela parte detrás dela. "Eu vou te dar um grande tour mais tarde. Isto é melhor." "Melhor do que a casa?", ela pergunta. "Porque a casa é muito grande do lado de fora." "A parte de trás é melhor”, eu asseguro-a, e sorrio quando a piscina fica à vista. "Isto é o que me fez comprar o lugar." "A piscina?" Eu concordo. "Eu gosto de nadar."


"Faz sentido”, ela diz com um aceno. "Você tem o corpo de um nadador." Eu sorrio para ela. "Você ama meu corpo." "Eu disse que você tem o corpo de um nadador. Não houve menção de como me sinto sobre isso." Ela levanta uma sobrancelha. "Você não pode obter o suficiente de mim", eu respondo com confiança, lembrando a quão louca eu a fiz ficar depois de nosso banho esta manhã. Tão louca que precisamos tomar outro banho depois. Eu pego seu rosto em minhas mãos e dou um beijo bobo, até que ela se derrete contra mim e aperta minha camisa para os meus quadris, dessa forma, que me faz louco. "Eu ainda tenho de mostrar-lhe a melhor parte”, murmuro contra seus lábios. "Achei que a piscina fosse a melhor parte." Eu acaricio seu nariz com o meu, depois tomo distância. "Não. É isso." Faço um gesto para a casa da piscina que virou estúdio e sorrio. "Bem-vindo ao Knox Productions”. "Este é o estúdio?" "Sim."

Eu

conduzo-a

para

dentro

e

fecho

a

porta

silenciosamente atrás de mim, no caso de alguém já estar gravando, mas Max e Steve estão sentados ao piano, brigando. "Você decidiu aparecer." Max diz com uma careta, então seus olhos iluminam quando ele vê Addie. "Bem, oi olá."


"Oi”, diz ela calmamente. Há uma lenda da música sentado nesta sala, e ela está muito calma. Boa menina. "Você conheceu Addie”, eu digo a Max, então abraço Steve. "É bom ver você, Steve." "Você também, cara”, diz ele, o grosso sotaque inglês. "Quem é esta mulher magnífica?", pergunta ele, seu olhar coberto de óculos de sol indo de cima e para baixo de seu corpo. Ela está em shorts cáqui e uma camisa branca amarrada na cintura. Suas pernas vão para os dias. "Steve, esta é Addison. Addie, eu gostaria de apresentá-lo a Steve. " "Olá”, ela responde, segurando sua mão estendida para a dele. "É um prazer vê-lo novamente. Eu tive a honra de conhecêlo um par de anos atrás, quando a banda do meu ex-namorado, Philadelphia Story, se apresentou no Grammy". "Eu me lembro." Ele levanta a mão à boca e beija seus dedos, um por um, fazendo-me levantar uma sobrancelha. Steve é conhecido por ser um mulherengo. "Você estava com Craig Parker, então." Addie balança a cabeça e muda os olhos para mim, hesitante. Eu conheci Craig Parker antes. Ele não é um cara mau. Vamos falar sobre isso mais tarde. "Se sua voz é metade tão incrível quanto o seu rosto, você vai ser um mega-astro, amor."


"Eu não sou uma cantora”, Addie responde com uma risada. "Addie é dona de um restaurante em Portland”, eu o informo. Meu queixo aperta enquanto ele enfia a mão de Addie na dobra do seu braço e acompanha-a de volta para o piano. "Por favor, me diga que você vai ficar aqui enquanto eu gravo hoje. Eu poderia usar uma bela musa." "Oh meu Deus, Sr. Jennings”, ela ri de novo e dá um tapinha no

ombro.

"Você

é

absolutamente

encantador,

e

é

verdadeiramente uma honra vê-lo novamente." Seu olhar azul pega o meu por um momento antes dela continuar. "Eu cresci ouvindo sua música. Meus pais são grandes fãs." "Eu tenho alguns talentos que você seria uma fã, querida." OK. Ele está apenas levando longe demais, mas antes que eu possa entrar em cena, Addie ri, dá um tapinha em sua bochecha, e diz: "Você é tão engraçado." "Engraçado?" Steve repete enquanto Addie caminha para mim. "Os tempos mudaram com certeza. Costumava ser, uma bela mulher nunca teria me chamado de engraçado. Charmoso talvez, mas não engraçado " Addie sorri e simplesmente liga de seus dedos com os meus. "Onde eu posso sentar para estar fora do caminho?" "Você não está no meu caminho”, eu respondo e beijo sua bochecha, em seguida, sussurro em seu ouvido. "Bem feito." "Tiffany está a caminho com o almoço." Max diz olhando para seu molho de chaves.


"Tiffany?", Addie pergunta curiosamente. "Quer dizer, eu não vou ser a única mulher no meio de toda essa testosterona hoje?" "Tiff é minha namorada”, diz Max. "E ele tem a sorte de ter-me." Tiffany diz enquanto ela fecha a porta atrás dela. Ela está carregando sacos de sanduíches e bebidas de uma deli local. "Você deve ser Addie." "A primeira e única." Addie confirma com um sorriso e se junta a Tiffany. "Deixa-me ajudá-la." "Nós estamos indo pelo caminho simples hoje”, diz Tiffany. "Sanduíches, saladas e bebidas. Nós vamos apenas colocar sobre a mesa de Jake. " "Perfeito”, Addie responde e começa a perguntar Tiffany uma ampla gama de questões, puxando a outra mulher em uma conversa fácil. Me junto a Steve e Max no piano. "Eu gosto dela”, Steve diz calmamente. "Eu não poderia dizer”, eu respondo com sarcasmo. "Eu não sabia que ela namorou Craig." "Você e eu sabemos que era um teste”, diz ele com um sorriso. "Eu te amo. Eu quero saber que a mulher que você escolheu para trazer para a sua vida, quer seja por uma semana ou vinte anos, não é A- " "Ela não é”, eu interrompo. "Não”, Steve concorda. "Ela não é. Craig é um monte de coisas, mas ele a amava. Ele disse coisas boas sobre ela. Pena que ele fodeu ao redor e a perdeu ".


Típico. "Podemos parar de falar sobre as mulheres agora e começar a trabalhar?", pergunta Max. "Temos quatro músicas para gravar hoje." "Eu pensei que nós estávamos gravando três”, eu respondo, e sorrio para Addie enquanto ela me entrega um sanduíche. "Eu encontrei uma quarta”, Steve diz todo negócio agora. "É brilhante, e pode até mesmo ser o primeiro single do álbum." "Vamos ouvi-lo”, eu respondo. Max deixa a demo tocar enquanto nós comemos o almoço. Steve estava certo, a música é incrível e perfeita para a sua voz. Está na moda, mas tem uma borda vintage nela, o que irá agradar a sua base de fãs mais velhos. "Eu amei isso. Toca outra vez." No momento em que todos nós terminamos de almoçar, nós já ouvimos a nova música cinco vezes, e eu memorizei a letra. "Nós já temos as faixas de música definidas para os outros três”, Max diz. "Esta nova canção terá de ser feita do zero." "Então, vamos em frente e registrar as três, então vamos ver onde estamos sentados para o tempo. Eu posso ter músicos no estúdio aqui amanhã para gravar esta nova". "Perfeito." Steve diz com um sorriso. "Eu vou ficar em Portland mais um dia. Talvez sua namorada virá a seus sentidos e decida que eu sou o melhor homem depois de tudo." Nós todos olhamos para as duas mulheres sentadas na minha mesa, comendo. Addie é alta, cheia de curvas, e loira. Sua


maquiagem é mínima hoje, fazendo-a parecer mais jovem e fresca. Tiffany é mais baixa, com menos curvas e cabelo escuro cortado curto. Ela está usando sua assinatura, batom vermelho, e um sorriso que ilumina a sala. Elas estão rapidamente se tornando amigas... "Sim, eu não acho que isso vai acontecer, amigo." Eu bato no ombro de Steve. "Pena." Tem sido um longo dia, mas finalmente terminamos com as três músicas que originalmente queríamos gravar hoje. Eu tenho músicos alinhados para amanhã, e Steve deixou para a noite. As meninas mudaram a sua pequena festa para fora ao lado da piscina cerca de uma hora atrás, enquanto resolvíamos as coisas. Addie parecia aproveitar o tempo de estúdio. Eu adorei têla aqui. Eu adorei responder suas perguntas, e ver seu rosto quando Steve cantou. Mesmo com tantos anos que ele tem em seu currículo, o homem ainda pode cantar. "Ei, pessoal”, Tiffany diz que ela entra na sala. "Posso ter um minuto com Max?" Há algo acontecendo. Eu estreito meus olhos para ela, mas ela apenas sorri, silenciosamente me tranquilizando. " Addie está na piscina?" "Sim. Nós temos falado sobre você ".


"Ótimo." Eu rio e saio pela porta, fechando-a atrás de mim, e vejo imediatamente Addie sentada em uma chaise 18 sob um grande guarda-sol, vermelho. "Como está baby?" "Eu estou bem." "Por que tenho a sensação de que Tiffany tem um segredo?" "Porque ela tem." Eu levanto Addie, em seguida me sento com ela no meu colo. "O que é isso?" Ela encolhe os ombros e se instala contra mim, enterrando seu rosto no meu pescoço. "Você sabe?", eu pergunto e beijo sua cabeça. "Claro. O que você acha que temos falado?" "Mas você não vai me dizer?" "Não

é

o

meu

segredo

para

contar”,

ela

responde

simplesmente. "Ok, me fale sobre Craig ao invés". Ela não endurece, ou olha desconfortável. Ela simplesmente beija meu pescoço. "Ele é o passado, Jake. Nós ficamos juntos por um longo tempo, mas não conseguimos fazer funcionar." "Steven diz que ouviu que Craig te traiu." "Eu ouvi o mesmo rumor”, ela responde suavemente.

18

Tipo de sofá.


De repente, a porta do estúdio irrompe aberta e Max sai correndo, os olhos arregalados e animado, e se eu não me engano, molhado. "Qual o problema?", pergunto me levantando e coloco Addie em seus pés ao lado de mim. "Nem uma coisa”, ele responde e me puxa para um abraço. O tipo

de

abraço

que

geralmente

faz

os

homens

muito

desconfortáveis. "Eu vou ser pai." "O quê?" Eu me afasto e aperto seus ombros em minhas mãos. "Sério?" "Eu tenho certeza que a dúzia ou mais testes que fiz não estão errados”, Tiffany diz se juntando a nós. Max grita e levanta Tiffany no ar, rindo e chorando ao mesmo tempo. E eu me junto a eles. Abraçando-os, rindo e chorando com eles. Eu amo essas pessoas. Eu não poderia amá-los mais, se eles estivessem relacionados a mim pelo sangue. "Eu não posso acreditar nisso”, eu digo quando todos nós sossegamos e puxo Addie para um abraço. "Nós vamos ter um bebê." "Hum, eu acredito que vou ter o bebê”, resmunga Tiffany. "Mas você pode segurá-la." "E trocar a sua fralda." Max acrescenta. "De jeito nenhum. Esse é o seu trabalho." Eu sorrio tão feliz por eles e também tentando parar de sentir a dor em meu


coração por Christina. Ela e Kevin vão tentar novamente este mês. "Um bebê." "Ok, eu vou levar minha mulher para casa para comemorar." Max mexe as sobrancelhas, fazendo Tiffany rir. "Tenham uma boa-noite." "Parabéns”, diz Addie. "E Tiffany, não se esqueça de me ligar." "Confie em mim, eu não vou." Eu sento eu e Addie de volta na cadeira. "Vocês se tornaram amigas." "Ela e eu fomos para a mesma escola”, diz Addie. "É um mundo pequeno." "Hmm." "Além disso, ela é uma mulher doce. Você pode dizer que ela tem um coração muito bom." Há uma tristeza na voz de Addie agora, me fazendo fazer cara feia. "Você está definitivamente certa sobre isso", eu respondo com cautela. Addie fica quieta por um longo minuto. "O que está errado?" "Eu não acho que eu tenho um bom coração”, ela sussurra. "Meu coração não é um lugar bonito, Jake. Você deve saber isto antes que isto vá muito mais longe." Oh baby. "Porque você pensa assim?" Ela encolhe os ombros. "Jake, meus pais não querem ficar perto de mim. Homens andam em cima de mim. Eu tenho amigas


maravilhosas, mas eu não acho que eu sou particularmente amável." "Você está errada, você sabe." Ela simplesmente balança a cabeça. "Não, eu não estou. Meu coração foi fodido demais. Eu sou insensível. Eu sou cínica." "Então, você está dizendo que você é humana”, eu respondo e inclino o queixo para que eu possa olhá-la nos olhos. "Addie, você é uma mulher adulta, com experiências de vida, é claro que você deve ter tido seu coração quebrado, isso fez você se proteger. Eu não preciso de alguém com um coração impecável. Me dê alguém que já passou por alguma merda, que tivesse que levantar, limpar a sujeira e seguir em frente. " "Eu só desejaria que eu fosse menos cínica e mais gentil." "Pare com isso. Você é gentil. E você não é necessariamente cínica. Você se protege, e isso é bom. Você é uma mulher inteligente. Mas eu vejo você mostrar bondade com as pessoas o tempo todo. No seu trabalho, com seus amigos, com meus amigos." Ela franze a testa, e eu beijo sua testa, em seguida, estabeleço-a contra mim novamente. "Não seja tão dura consigo mesmo, querida. Posso ter levado algum tempo para romper algumas das suas paredes, mas aqui estamos. Você é selvagem sobre mim." "Eu tolero você”, ela responde com um sorriso na voz. "Pare de bajulação. É embaraçoso."


Ela joga a cabeça para trás e ri, e eu estou contente por tê-la feito sorrir novamente. "Então, você gosta de nadar?", ela pergunta, traçando as tatuagens no meu braço. "Adoro. Você?" "Eu sei nadar”, diz ela suavemente. "Eu aprendi quando eu era pequena." De repente, ela se levanta e retira suas roupas, deixando-me dolorosamente excitado e meu queixo caído. "Eu aposto que posso vencê-lo, de ponta a ponta." "Você?" Eu levanto e tiro as minhas próprias roupas. Ela ergue uma

sobrancelha

na

visão

do

meu

pau

duro,

mas

eu

simplesmente dou de ombros. "A culpa é sua, doçura." "Eu não fiz isso." Eu ri. "Você está respirando. Eu estou duro. É assim que funciona." Ela sorri e salta para o lado fundo da piscina, em seguida, surge pisando na água. "Você está dentro ou não?" "O que eu ganho se eu ganhar?", pergunto e salto atrás dela. "Eu." "E o que você ganha se você ganhar? Que você não vai, de qualquer maneira". "Eu te pego." "Soa como uma vitória para mim." Ela encolhe os ombros e vai para a borda da piscina. "Nós vamos sair daqui. Pronto?"


"Isto vai ser embaraçoso para você", eu aviso. "Vamos!" Eu a vejo dar um impulso e nadar para longe, e então eu a acompanho, dando-lhe uma margem de três segundos de vantagem. Porque eu estou a ponto de esmagá-la nesta corrida. Assim como eu passo por ela, ela agarra meu tornozelo, me puxando para baixo. Ela me solta, mas em vez de continuar para a outra extremidade da piscina, eu simplesmente a pego e a jogo em direção ao fundo da piscina. "Hey!", ela esbraveja quando ela volta à superfície. "Isso é trapaça!" "E você me segurando, não é?", pergunto com uma risada. "Você estava me passando”, ela responde com exatidão. "Isso não foi justo." "Foi uma corrida. Isso é o que acontece quando alguém está ganhando." "Você não deveria ganhar”, ela responde, como se eu fosse uma criança lenta que simplesmente não entende o que está sendo dito. "Mau perdedora, não é?" "Eu gosto de chamar de competitiva." Ela ri e nada para mim, envolve seus braços e pernas ao meu redor, e mantém-se firme, pressionando seu núcleo contra o meu pau. "Sexo na piscina


sempre parece divertido nos filmes", diz ela, em seguida, franze o nariz. "Mas não é divertido na vida real." "Não?" "Não." Ela balança a cabeça e me beija. Eu chego para baixo e oriento-me dentro dela, mas paro por aí, sem me mover para dentro e para fora, e saio da piscina para uma espreguiçadeira ao sol ambiente e a deito de costas. "Mas isso funciona." "Isso funciona, com certeza”, eu concordo, ainda enterrado profundamente dentro dela. "Deus, Addie, você se sente incrível." Ela é apertada. E quente. E foda-me, sua pele pressionada com a minha é o mais próximo do paraíso que eu sempre estarei. Eu deslizo para dentro e para fora lentamente, fazendo-a mais molhada, fazendo-a gemer e se contorcer debaixo de mim. Porra eu amo como vocal ela é quando estou dentro dela. "Como você se sente?", eu sussurro. "Sexy”, ela responde quando seus olhos encontram os meus. "Cheia. Molhada." Eu sorrio e me movo mais rápido, em golpes curtos, esfregando seu clitóris com meu pau cada vez. Ela geme, fazendo meu pau endurecer mais, se isso é mesmo possível. "Você é tão incrível." Eu me inclino para baixo, puxo um mamilo enrugado em minha boca. "Não é possível obter o suficiente de você." "Você pode ir mais duro", diz ela com um sorriso. "Você quer uma vida dura, baby?"


Ela balança a cabeça. Eu arranco e dou um tapa na bunda dela, em seguida, empurro para dentro dela por trás e a fodo com força, segurando seus quadris rudemente. Eu chego para baixo e puxo seu cabelo do couro cabeludo e sinto meus olhos rodando quando ela chega por baixo e segura as minhas bolas. Eu estou batendo nela. Eu não posso obter longe o suficiente dentro dela. Eu estou marcando-a. O orgasmo foge para cima de mim e me puxa para baixo rapidamente. Eu balanço contra a sua bunda perfeita, vindo dentro dela. Ela empurra de volta contra mim, espasmos em torno de mim, gozando comigo. "Fodidamente incrível”, eu sussurro e beijo seu ombro antes de me puxar para fora e rir quando ela cai na chaise, exausta. "Cansada?" "Mm." "Com fome?" "Mm." Eu mordo seu ombro. "Pronta para um banho?" "Não consigo me mover." Eu sorrio. "Todos esses elogios para a minha masculinidade é realmente pela borda, querida. Apenas um simples obrigado é suficiente." Ela ri e se vira para o lado dela para que ela possa me ver. "Por favor, posso cozinhar o jantar?"


"Cozinhar duas vezes em um dia?" "Eu gostaria de bisbilhotar sua cozinha." Eu a pego junto com a almofada e levo, nós dois nus, para a casa. "Você pode bisbilhotar o que quiser, baby." "Bom, porque eu também quero bisbilhotar em torno de seu quarto." "Eu pensei que você nunca pediria."


Capítulo Nove Addison "Deus, eu precisava disso”, Kat geme dois dias depois, enquanto ela e eu sentamos lado a lado em cadeiras de massagem de manicure,

nossos

pés

imersos

em

água

quente

enquanto

esperamos pela nossa vez. "Eu também. Nós gastamos muito tempo encima de nossos pés." "Em saltos, ela concorda com um aceno de cabeça. "Mia precisa disso também." "Mia não vai ter tempo suficiente livre para fazer isso." Eu suspiro, os rolos na cadeira correm para cima e para baixo nas minhas costas, de cada lado da minha espinha. "Ela me preocupa." "Ela preocupa a todos nós”, diz Kat. "Ela é uma viciada em trabalho." "Somos todas viciadas em trabalho”, eu a lembro. "Mia é uma fanática em trabalho." "Verdade”, diz Kat. "Talvez ela precise de uma intervenção." "Eu acho que isso vai eventualmente acontecer. E agora que nós estamos falando sobre a expansão do restaurante, ela vai


precisar de mais ajuda. Ela não pode continuar demitindo todos os seus sous chefs." "Ela é perfeccionista. Eu não iria querer trabalhar para ela." "Ela é uma tirana”, eu respondo com uma risada. "Quer dizer, eu aprecio que ela só quer que os clientes tenham o que pediram, mas caramba." "Mia só quer que as pessoas voltem. Ela quer que eles tenham a melhor experiência de sempre. Não podemos culpá-la por isso." "Não." Eu balanço minha cabeça e sorrio para a mulher que se senta em um banquinho para os meus pés e começa a tirar o meu velho polonês. "O que há de novo com você?" "Ah, não”, Kat diz com uma risada. "Nós vamos falar sobre você. Por favor, diga-me sobre você e Jake... desempenhando Parcheesi 19 “, ela diz levantando as sobrancelhas e me fazendo rir. "Parcheesi?", pergunto com um bufo. "É isso que estamos chamando?" "Por agora é, sim." "Sim, nós jogamos Parcheesi." Kat bate palmas e se mexe em seu assento. "Finalmente! Como era ele? Será que ele sabe o seu caminho em torno do, hum, o conselho?" "Ele não precisa de um GPS, isto é certeza." Tomo um gole do meu café com leite gelado. "Ele passou a noite, em seguida, 19

Tipo de jogo de tabuleiro, parecido com gamão.


levou-me para o seu lugar no dia seguinte. É um lugar agradável." "Eu aposto que é”, Kat responde com olhos astutos. "O que mais aconteceu?" "Conheci Steve Jennings." "O deus do rock, Steven Jennings?", Kat grita. "Feche a porta da frente!" "Esse único”, eu respondo com um aceno. "Ele flerta muito." "Ele é velho”, ela responde com uma careta. "Não significa que ele não flerte. Além disso, velho ou não, eu aposto que ele não tem que trabalhar muito duro para ter mulheres em sua cama." "Verdade. Mas voltando ao Jake. As coisas estão indo bem?" "Eu acho que sim." Ela vira a cabeça para mim, uma sobrancelha perfeitamente esculpida levantada. "Você acha?" "Como é que você sempre tem essa maquiagem perfeita?", eu pergunto, deliberadamente tentando mudar de assunto. "Quero dizer, você já encontrou um novo spray configurado que não me contou? Porque você precisa me dizer essas coisas." "Eu juro, vocês dois são como crianças que não sabem o que estão fazendo, e você é muito teimosa para admitir isso." "Nós não somos como crianças”, eu respondo com uma careta. "Você acha que as coisas estão indo bem”, Kat diz. "Vocês estão falando não? Ou você está apenas jogando Parcheesi?"


"É claro que falamos”, eu respondo, ficando com raiva agora. "Eu só estive com ele um punhado de vezes, Kat. Nós apenas começamos a dormir juntos. Ainda estamos conhecendo um ao outro. Não é como se nós tivéssemos oito anos e eu ainda acho que isto está indo bem. Você esperava que ele já colocasse um anel no meu dedo?" Jesus, apenas o pensamento disso me apavora. "A partir do olhar em seu rosto agora, eu vou dizer absolutamente não”, Kat responde com uma risada. "Eu sei que é cedo, e é totalmente legal para tomar o seu tempo, em Add. Na verdade, tome todo o tempo que quiser. Mas você deve saber se isto está indo bem ou não. Quer dizer, ele te chateia? Irrita-a? Ronca muito alto? Usa toda a água quente? Ele é bom para você?" "Ele é muito bom para mim”, eu respondo suavemente. "E ele não me irrita." "Bom." "E quanto a você?" "Ele definitivamente não me irrita também, mas eu não sou a única fodendo com ele." A mulher esfregando pés de Kat chicoteia a cabeça em surpresa, depois olha de volta para baixo. "Quer dizer, eu não sou a única a jogar Parcheesi com ele."


"Não, quero dizer você está vendo alguém?" Eu fecho meus olhos, apreciando a massagem que estou recebendo. Deus, meus saltos machucam minhas panturrilhas. Mas eles valem tão a pena. "Sim”, Kat responde secamente. "Eu estou vendo o cara da entrega de vinho duas vezes por semana." "Ele não é casado?" "Sim, espertinha, ele é”, Kat ri, suspira de prazer quando a pedicure atinge um bom local na sola do seu pé. "Eu não tenho tempo para namorar, Addie." "Nem eu, mas estou encaixando isto de alguma forma." "Eu acho que se eu conhecer alguém que valha a pena achar espaço, eu faria. Mas isto ainda é um mito." "Ele existe”, eu respondo com confiança. "Você vai encontrálo." "Deus a escute”, Kat diz com uma risada. "Eu sou um punhado." "Todos nós podemos ser." A pedicure se move para a minha outra perna, torcendo as mãos em volta do meu tornozelo. Deus, eu a amo agora. Sério, eu posso só sair com ela? "O que você vai fazer depois disso?" "Eu estou indo para casa para lavar alguma roupa e louça, então me preparar para o trabalho. Você?"


"Riley está me arrastando para a ioga”, diz ela, fazendo uma cara como se ela acabasse de engolir leite azedo. "O que foi que eu fiz para ela? Por que ela quer rir de mim assim?" "O que há com você e Cami e sua aversão a academia?", pergunto com uma risada. "É um bom apaziguador de stress." "Esfaquear as pessoas também, mas eu não faço isso." Sua pedicure olha para ela com horror novamente. "Eu apenas disse que eu não faço isso." "Yoga é divertido." "Por que eu escolho amigas que sempre querem ficar juntas?", ela pergunta com raiva, franzindo os brilhantes lábios vermelhos. "Por que não podemos nós todas amar umas às outras de longe?" "Você nos ama”, eu respondo, me aproximando dando um tapinha

em

seu

braço.

"Você

nos

amou

desde

que

nos

conhecemos na faculdade, e você e Cami eram companheiras de quarto, e iria sentir falta se nunca nos visse." "Sim, sim. Diz a menina que começa a ir para casa e ficar sozinha hoje." "Então dê um fora em Riley. Ela vai entender." Kat faz uma carranca. "Não. Eu não vou cair fora." "Você é uma boa amiga." "Estou onde isto ganhou”, ela responde sóbria agora. "E eu acho que nós fizemos por merecer." "Em pás", eu concordo.


EU TENHO BLUSAS penduradas por todo o meu condomínio, secando. Eu nunca as coloco na máquina de secar, porque elas vão encolher na área do busto, e enquanto eu não me importo mostrar as meninas agora, e depois eu não sou uma stripper. Eles não precisam estar na cara de ninguém. Bem, exceto Jake. Ele parece gostar quando elas estão em seu rosto. Eu sorrio e dobro um par de calcinhas La Perla. Eu só tenho alguns pares destes, e eles valem a pena a despesa. Jake ama. Jake, Jake, Jake. Ele é tudo o que eu penso nestes dias, e isto está começando a irritar até a mim. Eu sou uma dessas mulheres irritantes obcecadas por um cara e incomodando todos ao seu redor? Kat está certa? Sou teimosa demais para admitir que eu não sei o que estou fazendo? Eu sei o que estou fazendo? "Que porra é essa que estamos fazendo? ", pergunto para a sala vazia enquanto eu dobro toalhas. Estamos começando a conhecer um ao outro. Nós estamos tendo muito sexo. Sexo incrível. O melhor sexo na história do sexo. Mas mais do que isso, eu gosto dele. Tipo, realmente gosto dele. Então, isso significa que vai doer mais quando ele quebrar o meu coração?


Correção: quando ele destruir meu coração. Porque ele vai. Neste ponto, se fosse até o fim, eu estaria ferida. Eu ficaria triste. Seria outra chance ao meu coração queijo suíço. Então, novamente, talvez ele realmente seja diferente dos outros. Quer dizer, a única semelhança até agora é o fato de que o homem tem a música correndo em suas veias. Ele não é como os outros músicos aspirantes que namorei. Ele é engraçado e gentil, e, embora ele possa ser um pouco arrogante, ele não é um idiota. Ou é tudo um artifício? Eu penduro minha cabeça, o rosto enterrado em uma toalha limpa, e gemo. "Eu não sei o que diabos eu estou fazendo." Vamos ser honestos, eu nunca soube o que estou fazendo quando se trata de homens. Porque eu sempre fui atraída por homens que eram exatamente o oposto do que era bom para mim. Eu sinto a necessidade de corrigi-los? De alterá-los? De resgatá-los? Dane-se se eu sei. Mas Jake não precisa ser salvo ou corrigido. Ele tem sua merda junta. E eu ainda estou atraída por ele. Mais atraída do que eu já estive na minha vida. Talvez eu deva falar com ele. Perguntar a ele o que ele quer.


Exceto, que eu vou estar mortificada quando ele apenas olhar para mim sem expressão, perguntando o que diabos eu estou falando, porque, afinal, isto é apenas sexo. Mas, isto não parece apenas sexo. Parece que é mais. E eu nem sei por que estou tão perturbada sobre isso porque ainda é super cedo, e nós temos muito a aprender um com o outro, e caramba, Kat por me fazer pensar sobre essa merda! Precisamos encontrar um homem para ela para que ela pare de se preocupar comigo. Eu termino de dobrar as toalhas e olho os pratos na pia. Não há muitos, então eu rapidamente os lavo e empilho na máquina de lavar, em seguida, verifico as horas. Eu tenho uma hora até que eu preciso para ficar pronta para o trabalho. Meu telefone toca, assustando-me. "Oi mãe." "Aloha, querida”, ela responde com um sorriso na voz. "Como está minha doce menina?" "Eu estou bem." É tão bom ouvir sua voz. Eu tenho tantas saudades dela e papai. "O que está rolando? Papai está bem? " "Ele está bem”, ela me assegura. "Ele está dormindo na varanda, como de costume." Eu sorrio. Todas as tardes, meu pai se senta na varanda que tem vista sobre o Pacífico e adormece. Ele diz que está pensando sobre palestras para a classe.


Claro que ele está. "E o que você está fazendo?" "Eu estava pensando em você. Como é que o restaurante está indo?" Eu ouço-a mastigando algo crocante na outra extremidade da linha. "É tão grande, mãe." Eu digo-lhe tudo sobre a contratação de Jake, e como o nosso negócio tem crescido nos últimos dois meses. "Na verdade, estamos pensando em comprar o espaço próximo ao nosso, que está a venda e expandir. Você deve vir visitar! Eu adoraria mostrá-lo." "Isso tudo parece fantástico, Addie! Eu estou tão orgulhosa de você. Você sabe que seu pai e eu iríamos visitar em um piscar de olhos, mas estávamos apenas na sua tia Judy em lugar de Sacramento, então outra viagem para o continente está a poucos meses fora ainda." "Você estava na casa da tia Judy?", pergunto com uma careta. "Quando?" "Oh, apenas um par de semanas atrás. Foi uma viagem rápida." "É um voo de trinta minutos de mim, e você não pensou em deixar-me saber que você estava lá? Eu iria ver você, ou você poderia ter vindo aqui em cima." "Realmente, Addie, foi uma viagem rápida. Você está sendo um pouco dramática."


Dramática? Lágrimas piscam em meus olhos enquanto eu me sento na ponta do sofá. Eram apenas algumas horas de mim. Eu não os vi desde a inauguração da Seduction, mais de seis meses atrás, e eu sinto falta deles. Mas eu estou sendo dramática. Eu só quero a minha mãe. "Addie? Você está aí querida?" "Estou aqui." "Eu vejo o seu pai mexendo. Melhor eu começar a fazer o almoço. Foi tão bom ouvir a sua voz. Mantenha-me informada sobre a expansão, ok?" "Oh, eu posso dizer oi para o papai rapidamente?" "Você sabe como ele é, depois da sesta, querida. Vou dizer a ele que você enviar o seu amor." Ele não quer falar comigo. "OK. Te amo mãe." "Eu também te amo, baby." Eu desligo e limpo com raiva para as lágrimas caindo pelo meu rosto. É estúpido ter meus sentimentos feridos. Eu sou uma adulta. Eles não têm que me checar cada vez que eles vêm para o continente, pelo amor de Deus... Mas teria sido bom vê-los. E o fato de que eles não pensaram em me chamar, fere meus sentimentos. Apenas uma vez na vida eu gostaria de me sentir prioridade de alguém. Que eu importo para alguém.


Meus pais me amam, eu sei disso. Mas eles estão fazendo suas próprias coisas agora, que é o que devem fazer. Eu nem sei por que estou chateada. Eles não fizeram nada de errado. Estou

definitivamente

temperamental.

Talvez

eu

esteja

hormonal. Uma coisa é certa, pela primeira vez desde que abrimos as nossas portas, eu não estou ansiosa para trabalhar esta noite. Eu não quero ir. Eu quero ficar em casa, comer pizza e assistir a filmes de menina. E por que eu não deveria fazer exatamente isso? Eu contratei uma excelente equipe. Eu tenho quatro parceiras que conhecem o lugar dentro para fora. Eu não tenho que estar todos os dias no Seduction. Antes que eu pense demais, eu chamo Kat. "Nunca

me

deixe

ir

para

a

ioga

de

novo”,

diz

ela

imediatamente. "Eles fazem você dobrar-se em poses que não são

naturais...

Eu

tenho

certeza

que

eu

deformei

uma

sobrancelha. " "Uma sobrancelha?" "E uma panturrilha. Talvez o meu pulso, eu não tenho certeza." "Há um ponto ao meu chamado”, eu digo. "Oh, certo. E aí?" "Eu não estou indo trabalhar esta noite."


Silêncio. Finalmente, depois de uma longa pausa, ela diz: "O que você quer dizer?" "Eu fui bem clara”, eu respondo e fungo. "Eu não estou indo." "Ei, isso tem alguma coisa a ver com a nossa conversa anterior? Porque depois que eu lhe dei algum pensamento, eu percebi que eu fui muito dura com você. Eu sinto muito. Eu só te amo e quero ter certeza de que você está feliz." Eu também te amo. Isso só faz com que as lágrimas vêm mais duro. "Não, não é você”, eu minto. "Eu só acho que é melhor se eu ficar em casa. Vocês podem lidar com a frente da casa por uma noite". "Claro que podemos”, Kat me assegura. "Eu vou chamar um bartender extra para que eu possa saltar para trás e para frente. Não será um problema." "Obrigada." "Addie? Você me diria se você está chateada por causa de mim, certo? Porque eu não quero nunca ferir seus sentimentos." "Claro." Provavelmente não. "Eu só vou tomar algum tempo para mim." "OK. Deixe-nos saber se você precisar de alguma coisa." "Obrigado." Eu desligo e suspiro profundamente. Primeiras coisas primeiro. Preciso de um banho, então eu vou pedir pizza e assaltar os


amendoins de chocolate e creme de manteiga de emergência que estão congelados e me contentar em assistir a filmes. Sozinha.

TANTO PARA ESTAR sozinha. Quando saí do banho,

eu tinha quatro chamadas não

atendidas. Kat claramente não pode manter sua boca fechada. Desde então, todas elas, e por todas eu quero dizer todas, incluindo Cici, me enviaram mensagens, me perguntando se eu estou bem. O que está errado. Se preciso de qualquer coisa. Elas estão me deixando louca, e fazendo-me amá-las ainda mais. É estranho. Eu comi quatro fatias de pizza estilo nova-iorquino e estou pensando em acender o forno e assar alguns dos biscoitos de chocolate, prontos para assar que tenho na geladeira, quando a campainha toca. "Você está brincando comigo agora?" Eu paro o meu filme e bato e pisoteio no condomínio. "Sério, vocês não têm que vir! Vocês cadelas precisam obter uma vida e parar de se preocupar comigo." Eu abro porta e paro quando estou olhando para um peito muito largo, muito muscular coberto com uma camiseta. Meus olhos viajam até o rosto de Jake e um sexy lento sorriso se espalha por seu rosto.


Deus, aquele sorriso me mata. Tudo o que ele tem de fazer é sorrir e eu sou uma pilha mole. Exceto, hoje não. "Por que você está aqui?" O sorriso não deixa seu rosto quando ele inclina seu ombro contra o batente da porta. Seus olhos vão mais baixos para o meu peito e seu sorriso se alarga. Olho para baixo e suspiro com a visão de molho de tomate na minha blusa branca, e, em seguida, percebo que eu estou vestindo somente o top e uma calcinha vermelha. Porque eu estou sendo preguiçosa. Sozinha. Eu rolo meus olhos e me afasto, andando para trás na minha sala de estar. Meu cobertorzinho está em um chumaço no meio do sofá, caixa de pizza sobre a poltrona, aberta, com três latas de Diet Coke vazias ao lado da porção não consumida da pizza. Que eu plenamente tenho intenção de comer antes que a noite acabe. "Olha, Jake, eu realmente não estou apta para a companhia esta noite." "Parece que você está tendo uma festa”, ele comenta e me segue

para

dentro.

Ele

está

carregando

uma

sacola

de

supermercado. "Eu trouxe sorvete e o que me disseram ser seu vinho favorito." Deus, eu amo Kat.


"Você não tem que fazer isso." "Eu não tenho que fazer nada”, ele concorda e ele passeia todo sexy pela minha cozinha e coloca o sorvete no congelador, em seguida, encontra um copo de vinho e coloca um pouco para mim. "Mas eu não gosto da ideia de você estar aqui, infeliz, sozinha." "Eu não estou infeliz. Eu estou mal-humorada." Eu cruzo meus braços sobre o peito e olho para Jake. Deus, eu pareço horrível. Não é possível uma menina ter uma festa para um em paz? "Eu não vou incomodá-la." Seus olhos se acalmaram, e ele está olhando para mim agora, esperando por mim para chutar o inferno para fora. O que eu tenho certeza que eu deveria fazer. Agora mesmo. Eu tenho um filme para assistir, beber vinho e pizza para comer. Mas em vez disso eu me sento no sofá e faço gesto para ele se sentar no lado oposto. "Eu estou assistindo a um filme menina”, eu informo-o. "E eu não vou mudar isso." "Bom plano." "E eu estou comendo muita comida, e eu provavelmente vou arrotar. Eu não estou muito bonita esta noite." "Você está sempre linda, e nada disso me ofende." Seus lábios se contorcem enquanto ele se senta, não me tocando. Suas mãos estão apertando dentro e fora dos punhos, e posso dizer que ele


quer me puxar para ele, mas ele está respeitando a minha necessidade de algum espaço. Então, eu continuo o vídeo, oferecendo-lhe uma fatia de pizza, e nós sentamos em silêncio enquanto assistimos A culpa das estrelas. Este filme sempre me faz chorar. Sempre. Especialmente pouco antes do fim. Meu Deus, é um tiro no coração. Mas Jake puxa meus pés em seu colo e apenas esfrega-os com firmeza. Ele não bate na minha perna e diz: "É apenas um filme." Ele simplesmente fica comigo. Quando o filme termina, eu abaixo a TV, limpo os olhos e viro para olhar para Jake, que ainda está esfregando meus pés. "Você é bom na coisa noite de garotas." "Meu melhor amigo desde que eu tinha quinze anos é uma menina”, ele responde com um sorriso. "Eu tive um pouco de prática." Eu devolvo seu sorriso, finalmente me sentindo um pouco melhor. Fico feliz que ele tem Christina. Eu estou contente que ela está lá para ele, através de tudo. Os verdadeiros amigos são difíceis de encontrar. "Ela parece boa." Eu me inclino a minha cabeça contra o encosto do sofá e assisto suas mãos fortes se moverem para cima e para baixo nas minhas pernas. "Ela é incrível”, ele responde. "E por falar dela, ela queria perguntar se você gostaria de vir para o jantar na casa dela, em


algum momento, na próxima semana. Eu deveria descobrir que noite funciona melhor para você." "Não é um pouco cedo para conhecer a família?", pergunto sarcasticamente, e freneticamente tento chegar a uma razão que eu não deveria ir. Isso faz as coisas... Sérias. "Olhe para mim." Eu me obrigo, e imediatamente me sinto como uma puta quando eu vejo a preocupação e um pouco de dor em seus incríveis olhos verdes. "Do que você tem que ter medo? Você já a conhece." "Isto será diferente”, eu sussurro. "Vai ser em seu território, em vez do seu”, ele adivinha corretamente. Eu simplesmente dou de ombros. "A vida acontece fora da nossa zona de conforto, doçura. E ela quer passar algum tempo com você. Não porque ela é super protetora, mas porque ela me ama e sabe que você é importante para mim, então ela quer conhecê-la um pouco." "Entendo. Se as meninas não interagissem com você no restaurante, elas iriam querer a mesma coisa. Eles podem querer que você fique com a gente fora do trabalho de qualquer maneira, agora que penso nisso." "É claro que elas vão, elas me amam." Ele sorri. "Realmente, Addie, isto não é um grande negócio. Ela é minha amiga. Nós iremos jantar e vocês podem conhecer uns aos outros. Você vai gostar dela."


"Eu já gosto”, eu admito, dobrando o cobertor no meu colo. "Ela e Kevin parece realmente grande." "Então, que noite eu deveria dizer a ela?", pergunta ele com uma piscadela. "Bem, desde que eu estou jogando esta noite como gancho, digamos domingo à noite?" "Funciona para mim”, ele responde. "Como foi a outra canção na segunda-feira com Steve?" Ele inclina a cabeça em surpresa. "Foi bom. Vai ser um sucesso para ele." "Eu estou contente." Eu aceno de cabeça e passo os canais de filmes, à procura de outro filme de menina. "Obrigado." Meus olhos chicoteiam para o seu. "Por quê?" "Por perguntar." Ele aperta o meu pé uma vez, então deixa ir e eu rastejo pelo sofá para ele. Eu ainda não quero ser realizada, mas eu coloco minha cabeça em seu colo e suspiro quando ele passa os dedos pelo meu cabelo. "Obrigada”, eu sussurro. "Pelo quê?" "Estar aqui. Mesmo que eu não soubesse que eu queria você aqui." Sua mão faz uma pausa por um momento, e depois recomeça escovar suavemente meu cabelo.


"VocĂŞ nunca tem que me agradecer por estar aqui." "E vocĂŞ nunca tem que me agradecer por perguntar."


Capítulo Dez Jake Ela

está uma bagunça hoje à noite, e eu gostaria de saber por

quê. Eu gostaria de saber o que colocou a tristeza em seus olhos azuis. Por que os ombros caídos? Por que a minha, normalmente, menina forte esta noite parece tão derrotada? Eu a conheço bem o suficiente para adiar as perguntas. Agora, ela só precisa de mim aqui, e estou feliz de sentar-me através de uma dúzia de filmes bobos, comer tanta pizza que quiser e simplesmente estar aqui com ela até que se sinta melhor. Seu cabelo é suave em meus dedos. Ela está colocando outro filme, uma comédia romântica com Sandra Bullock e Ryan Reynolds neste momento. Eu me pergunto se ela sabe que Hard Knox tem duas canções desta trilha sonora? Provavelmente não. Ela ri quando o personagem de Ryan derrama café em cima dele, e faz um colega de trabalho trocar a camisa com ele. Deus, eu amo sua risada. Ela precisa rir mais vezes. Eu vi um lado vulnerável de Addie esta noite que eu tenho certeza que ela raramente deixa qualquer um ver. Faz sentido dela estar nervosa para passar um tempo com a minha melhor amiga, longe do conforto da Seduction, mas eu esqueço que


Addie tem um lado vulnerável, porque ela é tão boa para mostrar a todos como confiante ela é. E eu sei que não é um ato. Ela é confiante. Mas hoje, algo a jogou fora de seu jogo, e isso faz meu coração doer por ela. Addie ronca um pouco, me fazendo sorrir. Deus, ela é adorável. Estou feliz que ela adormeceu. Ela precisa. E eu não vou ficar esta noite. Porque isso não é o que ela precisa de mim esta noite. Ela mal queria que a tocasse, e levou tudo em mim para simplesmente não a pegar e abraçá-la. Tenho a sensação de que a massagem de pé e cafuné de cabelo foram um grande passo para a minha menina. Eu sorrio para sua cabeça loura e escovo meus dedos em seu pescoço suave. Minha. Sim, ela é minha. Se isso é para curto prazo, ou longo, eu não tenho certeza ainda, mas eu sei que o pensamento de outro homem colocando as mãos sobre ela me faz querer socar alguém. E essa reação não acontece muitas vezes para mim. Eu deslizo suavemente de Addie e substituo meu colo por um travesseiro do sofá. Ela se mexe e sorri para mim, fazendo meu coração parar. "Me desculpe, eu adormeci."


"Está tudo bem, baby." Eu beijo sua testa e depois seu rosto e cubro-a com o cobertor que ela tem estado enrolada em toda a noite. "Apenas durma." Mas ela já está respirando longo e profundamente, abraçando o travesseiro. Eu desligo a TV, e deixo uma única lâmpada acesa, caso ela acorde e queira ir para a cama. Antes de eu sair pela porta, eu olho para trás para a mulher encolhida no sofá e sinto meu coração capturar. Deus, ela é incrível. E ela é minha. Uma vez no meu carro, eu mando um texto rápido fora para Christina, para ela saber que domingo à noite funciona para nós, em seguida, envio uma mensagem a Kat informando que Addie está dormindo pacificamente. Quando recebi o telefonema de Kat antes, ela me disse que Addie precisava de sorvetes, vinhos e de mim. E eu não fiz nenhuma pergunta. Eu simplesmente vim. Porque ficar longe não é uma opção. A viagem para casa é rápida. Portland está calmo esta noite, e quanto mais eu dirijo fora da cidade em direção a minha casa, mais isto me lembra de uma pequena cidade americana. O que eu adoro. Minha casa é escura e silenciosa enquanto eu ando, após a cozinha, para o piano. A música que está na minha cabeça desde o dia em que vi Addie é irritante para mim, então eu sento para


trabalhar nela. Esta não é uma que eu vou oferecer a outro artista. Esta é de Addie. Ela pode decidir o que fazer com ela, se eu gravo para ela, ou nós mantemos só para nós. A música veio em primeiro lugar desta vez. Canções populares nunca são o mesmo para mim. Às vezes, as letras vêm em primeiro lugar, e às vezes é a música. Toda vez que eu a tenho em meus braços, esta música aparece na minha cabeça. Às vezes, a melodia é mais rápida, e às vezes mais lenta, mas é sempre essa melodia. Eu chego à partitura que eu trouxe do estúdio na semana passada e começo a escrever as notas, em seguida, pego um caderno para começar a anotar as letras e me perder na canção de Addie.

"VOCÊ ESTÁ ATRASADO”, Christina diz com um sorriso quando atende a porta na noite de domingo. Ela tira as flores das minhas mãos e gesticula para nós entrarmos. "Kevin está preparando a churrasqueira." "A

culpa

é

dele

que

estamos

atrasados”,

Addie

diz

imediatamente me jogando sob o ônibus. "Por que é minha culpa?", pergunto com uma careta. "Você é a única que não podia decidir o que vestir." "Você é o único que manteve tirando todas as minhas opções de cima de mim”, ela me lembra com um sorriso, em seguida,


liga seus dedos com os meus e me dá um aperto. Isto parece ser a forma de afeto público que ela é mais confortável, e isso é bom. Por agora. "Se você não parecesse quente em tudo que você usa, eu não teria que tirar." Eu olho para baixo no vestido vermelho simples que ela está usando agora e começo a salivar mais uma vez. Eu me inclino para sussurrar em seu ouvido: "E eu não posso esperar para chegar em casa para que eu possa tirar esse também." "Deus, você é um homem”, Christina diz com um rolar de olhos enquanto ela nos leva de volta para a cozinha. "E bemvinda, Addie. Da próxima vez, você pode simplesmente vir por si mesmo e deixar este cara em casa". "Este cara?" Eu puxo Christina em meus braços e a giro em torno da cozinha em uma dança rápida. "Confesse, você me ama." "Oh, você quer dizer aquele com o ego”, Addie diz com um aceno de cabeça. "Entendi." "Você é louca por mim”, eu a lembro e entrego Chris para Kevin quando ele vem na porta traseira com um prato cheio de bifes grelhados. "Tome a sua mulher." "Com prazer." Kevin envolve seus braços em volta de sua esposa e beija-a profundamente e eu chego para Addie e a giro em torno da cozinha. "Por que estamos dançando?", pergunta ela com uma risada.


"Porque eu gosto de dançar”, eu respondo e beijo seu nariz. "Mesmo que Chris tenha um gosto horrível para música." "Não comece”, Christina avisa, apontando o dedo para mim. "Você gosta da minha música." Eu me inclino e sussurro alto no ouvido de Addie, "eu tolero sua música." "Eu ouvi isso." Christina ri, em seguida, volta-se para preparar a salada, mas tem que encostar-se à bancada e pressiona a mão à barriga. "Ugh, eu gostaria de não ficar tão ruim após as visitas ao médico." "Você está bem?", pergunto assim como Addie falando ao mesmo tempo. "Você está grávida também?", Addie pergunta com um sorriso animado. "Também?", Christina levanta uma sobrancelha. "Não me diga que você está grávida." "Não!" Todo o sangue deixa o rosto de Addie, e, em seguida, ela ri. "Não." "Nem eu”, Christina responde, balançando a cabeça. "Mas nós estamos tentando. Fiz in vitro hoje, então agora cruzamos os dedos e prendemos a respiração por um par de semanas para ver se isto funciona." "Oh, eu vou cruzar o meu também”, Addie diz com um sorriso largo. "Tenho certeza que isto vai trabalhar." Espero que sim.


"Então, quem está grávida?", Kevin pergunta. “Tiff está grávida”, eu respondo, olhando para Addie. Como me sentiria sobre ter bebês com esta mulher? Por que eu ainda estou me fazendo essa pergunta? "Isso é emocionante”, diz Kevin. "Sim, parece que bebês estão no ar." Eu me estico para agarrar uma fatia de pimenta verde para fora da salada, mas Chris bate na minha mão. "Ai!" "Vou ter que chamá-la”, Christina diz com um sorriso. "Se tudo correr bem, talvez possamos ir as compra de bebê juntas." Addie se junta a Christina. "Como posso ajudar?" "É boa em cortar tomates?" "Eu posso lidar com isso”, responde Addie. "Bom,

porque

eu

acho

um

saco.

Eles

são

muito

escorregadios." Christina pisca para mim, e eu quase posso ouvir seus pensamentos. Eu gosto dela. Ela é útil. Ela não é preguiçosa. Eu pisco para Chris e roubo a pimenta de qualquer maneira, mastigando alegremente. "Como é que você e Jake se conheceram?", Addie pergunta a ela. "Ele perguntou se poderia colar de mim em um teste de matemática na oitava série”, ela responde automaticamente. "E você deixou?"


"Não”, eu respondo por ela. "Ela se recusou, mas, em seguida, se ofereceu para me ensinar." "Isso foi legal da sua parte”, Addie diz enquanto ela corta um pepino. "Ele era patético em matemática”, Chris diz enquanto sorri para mim. "Patético é uma palavra forte." Eu olho para ela e cruzo os braços, mas ela revira os olhos. "Você não me intimida." "Nada a intimida”, Kevin diz quando ele passa por ela, parando para beijá-la na parte de trás do pescoço. "Isso é apenas uma das razões que eu amo você." "Então você o ensinou?", Addie pergunta. "Sim. E então eu nunca o soltei." "Eu acho que é o contrário C., eu não podia me livrar de você. Você é uma mulher pegajosa". Christina bufa, depois ri em voz alta enquanto ela puxa molhos para salada, da geladeira e põe a mesa. "Talvez a gente descobriu que éramos almas gêmeas." "Os nerds”, eu esclareço para Kevin e Addie. "Vamos chamálos do que era." "Eu não posso imaginar qualquer um de vocês como nerds”, Addie diz com um aceno de cabeça e sorri para Kevin, quando ele oferece a ela um copo de vinho.


"Temos os anuários para provar isso”, ele diz com um sorriso. "Eles já percorreram um longo caminho." "Então você cresceu em Minnesota também?", Addie pergunta a Christina. "Sim. É frio lá. " "É a sua família ainda está lá?" Todo humor deixa o rosto de C, e Kevin simplesmente desliza o braço em volta dela. "Não”, ela responde, e eu espero que ela deixe por isso mesmo. Christina nunca é de discutir esta parte da sua infância. Mas em vez disso, ela dá de ombros e passa-me guardanapos para adicionar à mesa. "Meus pais morreram quando eu era jovem”, diz ela. "Minha família está aqui." Addie acena educadamente, mas depois murmura baixinho e puxa Christina para um abraço, surpreendendo a todos nós, acima de tudo, Christina. "Isto é uma porcaria e eu sinto muito." "Foi há muito tempo”, Christina a tranquiliza. "Mas obrigado." "Quem está com fome?", Kevin pergunta. "Eu”, todos nós respondemos, em seguida, rimos e nos sentamos para cavar. "E você, Addie?", Kevin pergunta. "Você cresceu por aqui?" "Sim”, ela responde. "Meus pais vivem no Havaí agora." Ela olha para o prato, mas não antes de eu pegar um pouco da tristeza que vi em seus olhos, na semana passada, e eu não


posso ajudar, mas pergunto se isso é parte do que a tinha perturbado. "Quaisquer irmãos?", pergunta Christina. "Não, apenas eu”, diz Addie. "O que foi bom. Eu era um punhado." "Jake deve ter sido um punhado também”, Kevin diz antes de tomar um gole de vinho. "Isso é um dado”, responde Christina. "Por que vocês estão me dando tanta merda hoje à noite?" "Porque é divertido”, diz Kevin. "O que ele disse”, Chris acrescenta, mas seu sorriso é suave e doce e ela me assiste alcançar a mão de Addie. Quando o jantar termina e os pratos foram retirados e a cozinha arrumada, Christina me pega pelo braço. "Você pode me ajudar na garagem?" "Na garagem?", pergunto. "Sim, na garagem”, ela repete entre os dentes, como se isso me fizesse entender melhor. Isso não acontece. "Eu acho que ela quer falar com você sozinho”, Addie diz com uma risada. "Continue. Eu vou ajudar Kevin carregar a máquina de lavar louça". Eu sigo Christina na garagem e sorrio para ela. "Você poderia ter apenas me dito que queria falar comigo." "Eu não quero parecer rude."


"Ela não é estúpida”, eu respondo e sinto meu rosto sóbrio. "Ela é tão inteligente, C." "Eu posso dizer." Seu mancar dificilmente é perceptível esta noite, enquanto ela anda de um lado para outro pelo seu Volvo. "E eu gosto dela." "Eu gosto dela também ─" "Eu gosto dela”, ela me interrompe, "mas eu a amo para você." Eu paro de falar e assisto a minha melhor amiga, enquanto ela tenta encontrar suas palavras. "Ela é tão grande para você, J. Ela não toma qualquer porcaria de você, mas ela ri com você. Ela não tem adoração de herói por você". “Adoração de herói?" "Você sabe o que eu quero dizer. Ela não é toda sonhadora porque você é Jake Knox." "Não”, eu concordo. “Ela não é." "Mas a melhor parte?" "Há uma melhor parte?" "Oh, sim, amigo, existe. A melhor parte é, você é você novamente. Você está sorrindo e brincando e você está feliz." Ela tem lágrimas nos olhos enquanto ela envolve seus braços em volta da minha cintura e me abraça perto. "E isso me faz feliz." "Eu gosto muito dela, C." "Bom. Não estrague tudo. " Eu rio e a abraço de volta. "Eu vou fazer o meu melhor."


"EU FIQUEI TÃO TRISTE DE ouvir sobre os pais de Christina”, Addie diz ao meu lado no carro no caminho de volta ao seu lugar. "Sim, isso aconteceu antes de eu conhecê-la”, eu respondo. "Como foram mortos?" "Assassino em série”, eu digo suavemente. "O quê?" Addie suspira e aperta meu braço. "Você está falando sério?" "Eu estou." Eu engulo. "Ela só me disse sobre isso uma vez, mas depois fui e olhei artigos de jornais velhos para obter a história completa. Um homem invadiu sua casa tarde da noite depois de todos terem ido para a cama. Ele estava aterrorizando pequenas cidades ao nosso redor por meses, mas eles não poderiam pegá-lo." "Meu Deus." Só espere. "Ele começou no quarto de seu irmão bebê." "Não." Ela está sacudindo a cabeça ao meu lado no horror. "Sim, ele sufocou o bebê no berço, em seguida, entrou no quarto de Chris e fez o mesmo, mas não a matou; ela desmaiou, graças a Deus. Quando ela acordou e saiu em busca de seus pais, ela os encontrou, na cama, mortos a tiros. " Olho para ver Addie olhando para mim com sua boca aberta, uma mão cobrindo-o, e a outra segurando firme no meu braço. "Ela foi morar com os avós." "Essa é a coisa mais horrível que eu já ouvi na minha vida."


Concordo com a cabeça em concordância, em seguida, desaperto

seus

dedos

da

minha

pele

e

beijo

sua

mão

delicadamente. "Ela passou por muita coisa, mas ela está feliz agora." Ela passou pelo inferno e voltou, a maior parte por causa de mim, e Deus, como eu gostaria de poder fazer isto direito. "Ela está com sua família”, Addie diz, finalmente entendendo. "Bom para ela." "Então, você está feliz por ter vindo?" "Sim." Ela se vira no banco e sorri para mim. "Eu tive um grande momento. Eles são pessoas muito agradáveis. E eles te amam". "O que não tem para amar, certo?" Eu lanço-lhe um sorriso irreverente, mas ela simplesmente inclina a cabeça para o lado, me estudando. "Você sabe, você parece bom neste carro." Eu levanto uma sobrancelha ante o desejo repentino que está queimando em seus olhos. "Isso está certo?" "Mm." Ela se inclina e beija meu ombro. "Seus braços apertam só assim, quando você pega o volante, e isso me deixa louca." "Meus braços?" "Sexy”, ela sussurra e desata o cinto de segurança para que ela possa se aproximar de mim, em seguida, beija meu pescoço, quase fazendo meus olhos relarem. "E já mencionei que eu amo a tatuagem sobre este braço?"


"Você não tem que mencioná-lo”, eu respondo com um sorriso. "Você presta atenção suficiente nela para eu saber disso." Ela beija meu braço enquanto sua mão arrasta até minha coxa, e assim, eu fico duro como pedra, porra. Antes que eu possa formar um pensamento completo, Addie tem minhas calças desfeitas e meu pau muito duro para fora e em sua boca sexy. "Eu vou bater este carro, Addison." "Não, não vai”, diz ela com um sorriso antes de deslizar a língua até meu pau, das minhas bolas para a ponta. "Estamos quase lá." "Filha da puta”, murmuro e faço o meu melhor para me concentrar em obter-nos através do portão de Addie e em seu condomínio, em seguida, estacionar o carro e enterrar meus dedos em seu cabelo suave. Ela trabalha o meu pau com a boca quente, me chupando duro, se movendo para cima e para baixo no ritmo perfeito. "Addie, pare." Ela mal balança a cabeça negativamente e continua indo. "Addie, eu não quero vir em sua boca." Ela cantarola, mas não para, e foda-me, eu não posso parar o orgasmo que estremece através de mim e ela se afasta no tempo para que eu venha em sua mão. Eu estou respirando com dificuldade. Eu estou transpirando. Ela se senta, limpa a sua mão em um tecido, ajusta seu vestido,


e sai para fora do carro, enquanto eu sento aqui, peito arfando, perguntando o que diabos aconteceu. Ela apenas me chupou no meu carro. "Onde você está indo?", pergunto quando eu salto para fora do carro. "Casa." Ela se vira e sorri. "De nada. Boa noite." "Espere." Minha voz é aguda, e eu não faço nada para amaciála. "Ou eu estou voltando para dentro com você ou eu vou tomála aqui para todos os seus vizinhos verem. Você decide. Eu não gozo e, em seguida a deixo. Não é assim que isso funciona." "Oh." Seus olhos estão arregalados, e depois um sexy lento sorriso se espalha sobre os lábios, inchados de meu pau. Seus outros lábios estarão inchados de meu pau antes que a noite termine também. Ela simplesmente se vira e vai até a porta, abre, e logo que estamos dentro, eu a bato fechada em seguida, bato-a contra a porta e agacho na frente dela. Eu não tenho tempo para despi-la, beijá-la. Tudo o que posso pensar é em saboreá-la. "Deus, você cheira tão bem para caralho." Eu puxo a saia de seu vestido em torno de sua cintura, levanto uma das pernas no meu ombro, e arranco sua calcinha para o lado, expondo-a. "A sua boceta está tão fodidamente molhada." "Você diz muito foda quando você está excitado."


Eu não posso tirar os olhos dela. Eu me inclino e passo a língua na abertura de seu clitóris, em seguida, de volta para baixo novamente, e gemo de satisfação quando ela agarra meu cabelo em seu punho, gemendo e arqueando as costas contra a porta. "Deus, Jake." Eu pressiono o polegar ao seu cerne duro quando eu toco minhas bochechas, puxo os lábios na minha boca e transo com ela com a minha língua. Ela está se contorcendo, tentando me afastar e me pressionar mais perto, ao mesmo tempo. Agora eu mudo, empurrando dois dedos dentro dela e chupo seu clitóris, fazendo-a louca. Eu provavelmente vou estar careca de seu agarre no meu cabelo quando isto acabar, mas eu não me importo, no mínimo. Finalmente, ela endurece e grita, vindo com força contra minha boca. Eu fico aqui, beijando e acariciando-a enquanto ela cavalga seu orgasmo, e quando estou preparando-a para que ela não caia, eu a beijo duro, deixando-a provar a si mesma. O que me deixa duro novamente. "Bem, isso foi divertido”, ela murmura com os olhos vidrados. "Oh, querida, nós estamos apenas começando."


Capítulo Onze Addison "Eu amo a mudança de menu." Eu sorrio para Riley, depois olho de volta para baixo, para os belos menus que ela desenhou. "Sério, estes são lindos." "Mia surgiu com o conteúdo, eu apenas os desenhei”, ela responde e toma seu café. Nós ainda não abrimos para o almoço, então eu e ela estamos sentadas em uma mesa na sala de jantar, passando por cima dos menus e recuperando o atraso. Meus garçons chegaram, e eles estão se apressando ao redor, arrumando tudo para nós para abrirmos. Uma das minhas garçonetes em tempo integral, Daisy, passa por nós, puxando o decote da blusa, e sorri. "Bom Dia." "Dia”, eu respondo. "Então, nós não falamos em um tempo”, Riley diz e se senta em sua cadeira. "Diga-me como você está indo. Como você e Jake estão se entendendo?" "Estou ótima”, eu respondo honestamente. "Mesmo

depois

de

seu

pequeno

colapso

algumas

semanas?" Eu rolo meus olhos. "Não foi um colapso. Deus, vocês são dramáticas. Eu só tive um dia ruim."


"E chamou doente”, ela me lembra. "Você nos preocupou." "Não precisa se preocupar. Estou bem." "E Jake?" Eu saboreio o meu latte e lambo os lábios. "Eu estou supondo que ele está bem também." "Não seja um pé no saco”, Riley diz com um suspiro. "Eu não o vejo muitas vezes. Eu preciso saber essas coisas." "Nós estamos bem”, eu respondo honestamente e vejo quando Daisy vai para o banheiro. "Essa é a terceira vez que ela foi ao banheiro na última hora." "Eu notei”, Riley diz com um aceno de cabeça. "Talvez ela tenha uma infecção da bexiga." "Mm." "Jake. Não mude de assunto. " "As últimas semanas têm sido grande. Gastamos mais noites juntos do que separados nos dias de hoje." Eu levanto minhas sobrancelhas para Riley, e, depois, ambas explodimos em um ataque de risos. Só então, Daisy caminha de volta para fora do banheiro. "Então, ele é bom nesse departamento." "Oh, menina. Bom, não começa nem a fazer jus a ele. O homem deve dar aulas sobre a arte de cunnilingus20 ". "Eu te odeio”, Riley diz com um beicinho. "Você tem uma estrela do rock e ele é bom no sexo? Não é justo." 20

Cunilíngua (cunnilingus) é uma prática de sexo oral que consiste na estimulação da genitália feminina com a língua e boca, principalmente o clitóris e a entrada da vagina.


"Você não é celibatária”, eu a lembro. "Eu não estou batendo quaisquer estrelas do rock também”, diz ela com um aceno de cabeça. "Mas eu estou feliz por você. Eu posso ver que ele te faz feliz, e isso é tudo o que qualquer uma de nós quer para você. " "Além disso, ele não é um aproveitador ou um idiota”, acrescento. "Certo.

Essas

coisas

também

são

importantes."

Nós

levantamos nossos copos e os saboreamos quando Daisy passa por nós em direção ao banheiro novamente. “Algo está acontecendo lá”, Riley murmura. "Então, eu não estou louca." Eu suspiro e esfrego a testa com os meus dedos. "Eu vou ver como ela está... Ela pode estar com a infecção de bexiga que você mencionou ou doença de manhã." "Será que ela tem um namorado?", Riley pergunta com surpresa. "Eu não tenho ideia." Eu dou de ombros e levanto. "Estes menus são perfeitos." "Vou enviá-lo para a impressora, então." "Obrigado, Ri." Eu caminho para o banheiro e chego a uma parada abrupta quando eu assisto sem acreditar, Daisy cheirar alguma coisa no nariz. Sou imediatamente transportada de volta para os meus dias de modelagem, andando em reboques e banheiros, mesmo nos bastidores de eventos de desfiles, observando modelos


cheirando coca em vez de comer uma refeição, lutando para manter o peso, assim como o pouco sono que tem de festejar demais. "Estou interrompendo?", pergunto calmamente e cruzo os braços sobre o peito, em pé na frente da porta para que Daisy não possa escapar. "Oh meu Deus”, ela geme e limpa o resíduo branco fora de suas narinas. "Não é o que você pensa." "Eu acho que você está vindo aqui toda a manhã para cheirar cocaína”, eu respondo e inclino a cabeça para o lado. "Você vai me dizer que eu sou idiota?" "Não." Ela deixa a cabeça cair em derrota e começa a chorar. "Minha mãe está muito doente." "Eu sei." A mãe de Daisy tem câncer de mama em estágio quatro, e Daisy está cuidando dela desde o início. "O que isso tem a ver com você cheirando drogas em meu lugar?" "É tão difícil”, ela murmura. "Eu estou com ela durante todo o dia e eu trabalho aqui a noite toda, e eu estou exausta. A cocaína apenas me ajuda a lidar com tudo isso". "Bem, a parte de trabalhar aqui está prestes a mudar." Minha voz é dura e fria. Daisy chicoteia a cabeça para olhar para mim com os olhos arregalados. "Você realmente acha que se você fosse pega eu não iria demiti-la?" "Por favor, não”, diz ela, chorando mais. "Precisamos deste trabalho. Eu não posso perdê-lo."


"Temos uma política de tolerância zero aqui, Daisy. Você está lidando com o público e sua comida. Você poderia machucar alguém." "Eu não iria nunca fazer mal a ninguém”, ela chora. "Por favor, dê-me uma chance. Eu vou parar de cheirar coca. Eu prometo." "Há quanto tempo você vem fazendo isso? E não se atreva a mentir para mim. " Ela morde o lábio, depois suspira. "Por um tempo. No início, era apenas ocasionalmente, mas agora é muito. Eu sinto que eu preciso disso o tempo todo." "Você está tirando o resto da semana de folga." "Mas, eu preciso o dinheiro!" "Você tem sorte de não está perdendo seu trabalho por completo, Daisy." Eu puxo o meu telefone do meu bolso e procuro através de meus contatos. "Eu tenho um amigo que trabalha como conselheiro de drogas. Vou pedir-lhe para vir aqui para conhecê-la e vocês dois podem descobrir um programa ambulatorial para você entrar assim você ainda pode cuidar de sua mãe e trabalhar para mim, mas eu estou te avisando, Daisy, assim que eu ver uma pequena fungada ou contração, você está fora daqui para sempre." "Eu prometo, Addie. Eu prometo, eu não vou deixar você para baixo. " Eu seguro minha mão com a palma para cima. "Entregue-o.”


"VOCÊS DOIS ESTÃO BEM?" Eu pergunto, e dou um tapinha no ombro de Daisy. Ela e o irmão de Cici, Dan, estão sentados em uma mesa no canto do bar, conversando. "Nós vamos ficar bem”, Dan diz com um sorriso. "Obrigado novamente, Addie." Daisy oferece-me um sorriso aguado e começo a caminhar até o bar para um copo de vinho. São cinco horas em algum lugar, pelo amor de Deus. É isso ou ir a academia para trabalhar fora um pouco dessa energia. Mas quando eu olho para cima, Jake está encostado no bar me observando com olhos preocupados. Parece que ele se preocupa muito comigo. "Esta é uma agradável surpresa”, eu digo com um sorriso e imediatamente envolvo meus braços ao redor dele, abraçando-o com força. "O que você está fazendo aqui?" "Pensei em roubar você para o almoço." Sua voz é suave no meu ouvido, imediatamente me acalmando. "O que você acha?" "Bem, eu realmente não estou com fome, mas eu adoraria sair daqui por um tempo. Em algum lugar sem um monte de gente." Mas eu não quero ter sexo. Nossa, como eu digo isso? "Eu conheço um lugar”, ele responde com um sorriso suave. Ele arrasta os dedos pela minha bochecha. "Eu odeio quando seus olhos estão tristes." "Não aqui”, eu digo de forma simples e balanço a cabeça. "Não vamos fazer isso aqui."


"Ok." Ele pega a minha mão na sua e liga nossos dedos, apertando a minha na maneira que eu amo, e me dá um sorriso tranquilizador. "Vamos." Quando passamos pela sala de jantar, vejo Riley falando com Cami. "Ela está bem?", pergunta Riley. "Eu acho que sim”, eu respondo com um aceno. "Eu vou tirar a tarde de folga. Eu vou voltar para o turno do jantar." "Não tem problema", Cami acena "Temos isto coberto." Jake leva-me para o carro, me tem sentada, em seguida, caminha para o lado do motorista e entra. Nós puxamos para longe do restaurante. "Nós temos que parar no seu lugar”, diz ele em silêncio, enquanto ele manobra com o tráfego. "Por quê?" Ele olha para baixo para os meus calcanhares, minha calça marrom e minha blusa azul-petróleo. "Porque você vai precisar de algo mais casual e sapatos melhores." "As minhas roupas de ginástica funcionam?" "Perfeito."

VESTI MINHAS ROUPAS de ginástica e tênis, mas trouxe minhas coisas de trabalho comigo porque eu vou voltar ao trabalho hoje. Não mato aula duas vezes no mesmo mês. Ou duas vezes no mesmo ano.


O caminho por Portland tem sido tranquilo e perfeito. Exatamente o que eu precisava para limpar a minha cabeça. Como é que ele sempre sabe o que eu preciso? Ele tira I-84 apenas cerca de 30 minutos fora da cidade, em seguida, puxa para um estacionamento. "Você já viu Multnomah21 antes?" "Eu sou daqui”, eu respondo com uma risada. "Mas eu não estive aqui desde que eu era uma criança." "Eu venho aqui o tempo todo. Normalmente, o período de entressafra, no meio da semana". "Menos pessoas”, eu concordo. "Bem, não é período de entressafra, mas é no meio da semana, por isso não deve ser ruim." Ele balança a cabeça e pega a minha mão e fazemos o caminho para as cataratas. Elas são magníficas, transbordante a centenas de pés acima. A névoa fria da água que cai faz mais frio aqui em cima, mas eu mal noto e eu aprecio a paisagem. "É tão verde”, eu respiro. "Cheira bem também”, acrescenta ele, e me leva até um caminho para obter uma visão melhor. Não há muitas pessoas aqui hoje, o que é bom. "Você conhece a lenda por trás das quedas?" "Há uma lenda?"

As Cataratas Multnomah são quedas de água no Oregon, nos Estados Unidos da América, a leste de Troutdale 21


"Claro que há." Ele ri e aponta um galho de árvore que passa por cima. "De acordo com a sabedoria do nativo americano, isto foi criado para conquistar o coração de uma princesa que queria um lugar privado para tomar banho." "É claro que é sobre uma princesa”, eu respondo com sarcasmo. "E um cara que queria levá-la nua. Mas a história que ouvi quando era criança dizia que a princesa se jogou das quedas como um ato de sacrifício para acabar com um assassino que queria matar sua tribo e seu amor". "Ei deveria ser uma história romântica, não trágica”, diz ele, quase ofegante enquanto subimos as poucas centenas de pés até a ponte que atravessa as quedas, para que possamos ter uma visão ainda melhor. Eu estou ofegante como uma prostituta na igreja. Espere. Há prostitutas ofegando na igreja? "Eu corro três vezes por semana”, eu reclamo. "Como é que eu estou sem fôlego com uma subidinha dessa e você não está?" "Porque eu sou um exemplo impressionante de um homem, e você tem sorte de me ter aqui?" "Eu não acho que é por isso." Deus, ele é engraçado. "Pode ser por isso." "Ou, você tem sorte quando se trata de genética e você apenas está em melhor forma."


"É a natação”, ele diz simplesmente, encolhendo um ombro. "Eu não sou um atleta olímpico ou qualquer coisa, mas é bom para os pulmões." "Huh." Eu sorrio quando eu me lembro do nosso próprio tempo privado em sua piscina. Foi divertido. Nós chegamos à ponte, e quando estamos no meio, olhando para a mais bela cachoeira que eu já vi, eu me inclino contra a grade. Jake se move por trás de mim, aperta o peito à minha volta, e me prende dentro, as mãos apoiadas sobre a ponte de pedra em ambos os meus lados. "É tão lindo”, eu digo. "Você é linda”, ele sussurra em meu ouvido. "Você vai me dizer o que está te incomodando?" "Eu estou bem”, eu respondo automaticamente. "Você não está bem, doçura. Fale comigo." Eu me inclino a cabeça para trás em seu ombro, viro para seu rosto, e beijo seu queixo. "Às vezes, possuir seu próprio negócio é difícil." Ele balança a cabeça e eu volto para a água. "Continue." "É muito mais responsabilidade do que eu percebi. Não me interprete

mal,

eu

adoro

isso,

Jake.

É

gratificante

e

recompensador, e eu não posso me imaginar fazendo outra coisa." "Addie, o trabalho que amamos ainda dá trabalho". "E às vezes as pessoas me decepcionam, e eu preciso superar isso."


"Por que você precisa para superar alguma coisa?", ele pergunta, e circunda os braços em volta da minha cintura, me segurando perto. "Por que não está autorizado a sentir a maneira que você faz?" "Porque isto interfere com a minha vida. Eu digo que estou doente no trabalho e tomo tardes de folga com você." "Seduction não é a sua vida inteira, Addie. É uma parte importante dela, sim, mas você ainda é uma mulher. Uma amiga. Um ser humano. Dias de folga não são contra a lei". Eu simplesmente dou de ombros e assisto à queda de água na minha frente. A névoa saindo dela se sente tão grande na minha pele. Tem cheiro limpo, e eu posso sentir o cheiro das árvores nas proximidades. "Eu costumo ir para a academia quando eu preciso esvaziar minha cabeça." Mas isso é muito melhor. "Feche os olhos." Eu olho para ele, em seguida, abrigo-me, de pé em seus braços, os olhos fechados. "Agora basta ouvir”, diz ele no meu ouvido. "Ouça a música da água, Addie. Os pássaros, o vento nas árvores, as batidas do seu coração. Mesmo sua própria respiração. Escute isto." É hipnótico. Eu mordo meu lábio e simplesmente ouço tudo e, de repente, é como se um cobertor de calma fosse envolto em torno de mim. Minha mente acalma, meus ombros caem. Posso até sentir os músculos do meu rosto relaxar.


Os braços de Jake apertam em torno de mim, e isso é quando eu sei, sem sombra de dúvida, que eu caí no amor com este homem. Não é necessariamente onde estamos que me acalmou. É ele. Ele sabe o que eu preciso para me fazer sentir melhor. Ele escuta sem julgamento. Pela primeira vez na minha vida, um homem quer cuidar de mim. Porque ele cuida de mim. E isso é novo. "Você simplesmente se derreteu em mim”, ele murmura, "como se um enorme peso fosse tirado de você." Porque foi. Dirijo-me em seus braços, de costas para a água, e dobro os braços contra o meu corpo enquanto ele segura-me apertado. Estou num casulo com ele, embebecida. Eu quase me sinto culpada por quão bom ele me faz sentir. "Melhor?" "Mm." Eu aceno, em seguida, inclino para trás para que eu possa olhar em seus olhos verdes. "Obrigado por isso." "Bem, é o meu lugar especial”, ele brinca, mas depois fica sério e beija minha testa. "E você é bem-vinda, baby. Seus lindos olhos não parecem mais tão tristes." "Você tem uma forma incrível de me fazer sentir melhor." Eu mordo meu lábio novamente, incapaz de olhar na cara dele. Eu


sempre estive um pouco desconfortável dizendo aos homens como me sinto. Mas ele levanta meu queixo para cima e beija meus lábios suavemente. "Eu estou contente." Ele sorri. "Você ainda está com fome?" Com o pensamento de comida, sinto meu estômago roncar. "Eu acho que eu estou morrendo de fome." "Bom. Assim nós podemos ir para a pousada. " "Podemos ficar aqui apenas um pouco mais? Bem assim?" Ele me enfia debaixo do queixo, e simplesmente me balança lentamente para trás e para frente, seu nariz enterrado em meu cabelo, e eu não acho que eu já senti tão segura em minha vida. Diga a ele que você o ama! Mas eu não. É muito novo. É muito assustador. Em vez disso, me delicio com as mãos que deslizam para cima e para baixo a minha volta, o som da água e do vento, e o cheiro do meu homem, como ele me segura em seus braços. "EU QUERO UM CHEESEBURGER COM bacon, bem feito, com batatas fritas e molho rancho”, eu digo a garçonete na pousada perto das cataratas. "Ah, e um milk-shake de chocolate." "Eu quero o mesmo”, Jake diz com um sorriso, então só olha para mim por um longo minuto. "O que?" "Eu adoro a forma como você come." "Confie em mim, meus quadris não vão gostar disso, mas eu estou morrendo de fome e é isso que eu quero." Eu dou de


ombros e saboreio a minha água. "Eu vou para a academia um dia extra esta semana." "Seus quadris são impressionantes”, diz ele, olhando para os quadris em questão. "Eles são perfeitos para explorar enquanto eu estou atrás de você." Bem, isso me faz contorcer na cadeira. "Estou feliz que você aprove." "Tanto quanto eu estou preocupado, você é perfeita, Addie. Se você quiser ir ao ginásio para fazer-se sentir bem, então por todos os meios o faça, mas por favor, não pense que você precisa mudar algo sobre você " "Oh”, eu digo, como eu aceno e balanço a cabeça. "Confie em mim, esse navio navegou. Se fosse minha intenção, isto teria acontecido quando certos fotógrafos me chamaram de vaca antigamente". Sua mandíbula dá um tique agitado, e eu não posso ajudar, mas o amo por estar ofendido em meu nome. "Eu só vou agora para ficar na forma que eu estou agora. Estou perfeitamente bem com o meu tamanho, Jake." Nosso alimento é servido e eu bato palmas alegremente. "Além disso, eu amo comida demais para alguma vez ser um tamanho zero”. "Eu amo comida também." Ele leva uma mordida grande de seu hambúrguer e suspira. "Tão bom. Conte-me mais sobre isso." "Sobre a comida?"


"Não, espertinha, a modelagem. Como você chegou a ela?" Eu mastigo uma batata frita na minha boca, pensando sobre isso. "Eu era uma caloura na faculdade no estado de Oregon. Riley era minha companheira de quarto; foi assim que eu a conheci." "Eu não sabia disso”, Jake diz com um sorriso. "Como você conheceu Kat?" "Kat era colega de quarto de Cami, e coincidentemente, Kat e Riley já eram boas amigas, portanto, todos nós só nos tornamos um quinteto. De qualquer forma, meus pais pagaram para a escola, mas os extras, e eu estava preparada para obter um emprego em tempo parcial para que eu tivesse algum dinheiro fácil, mas eu vi um anúncio de uma agência de modelos que estava vindo através de Portland." "E você foi." Eu dou de ombros, mastigando as minhas batatas fritas. "Eu pensei sobre isso e até o ensino médio. Eu sabia que eu tinha a altura, mas não a figura waiflike22. Cami me falou para apenas ir para a audição, então eu fui. E eu não fui contratada." "idiotas". "Eles tiram fotos de teste de você na audição, e em algum lugar abaixo da linha, um fotógrafo viu minha foto de teste e disse que eu era perfeita para um anúncio que estava fazendo.

22

Pessoa muito magra.


Isto foi cerca de seis meses mais tarde, durante o verão, e eu recebi um telefonema. E foi aí que tudo começou." "Queria voltar para a escola, ou que você fez a modelagem por um tempo?" "Eu coloquei a escola em espera por um ano, e deixe-me dizer, que era uma educação tudo por conta própria. Meus pais odiavam, mas eu sou teimosa como o inferno, então ─" "Então você fez isso de qualquer maneira." Ele sorri. "Eu gosto da sua teimosia. O que você aprendeu?" "Para desenvolver uma pele grossa. Algumas pessoas são apenas paus. Mas alguns são realmente ótimos também. Não é uma vida glamorosa. De todo. Existem drogas e sexo e coisas decadentes que acontecem nos bastidores, provavelmente, assim como em qualquer outra coisa." Ele inclinou a cabeça para o lado e olhou astutamente. "Eu não posso imaginar você se envolvendo em cenários de droga." "Confie em mim, se eu tivesse sido a única cheirando cocaína, eu teria sido muito mais magra”, eu respondo com um aceno de mão. "Isso não me interessava. Eu também conheci algumas das pessoas mais incríveis, e Cici está em nossas vidas. Então, tudo deu certo no final." "E por que você parou de fazer isso?" "Eu queria parar toda a viagem. Eu queria as minhas amigas. Eu queria comer cheeseburgers e ir para jogos de futebol e viver uma vida normal."


"Tudo isto parecem boas razões." Ele acena e suspira, então muda de assunto. "Você gosta de cozinhar?" "Eu gosto? Às vezes." Eu mergulho algumas fritas no molho ranho e como. "Eu sou muito boa nisso. Eu acho que eu tenho que estar de bom humor. Eu não sou nenhuma Mia". "Ninguém é, mas Mia é Mia”, Jake diz com um sorriso. "E quanto a você?" "Eu gosto de cozinhar”, ele responde e toma seu shake. "Eu não faço muito isto para mim, mas eu gosto de cozinhar para os outros. Na verdade, eu amaria cozinhar para você." "Isso seria incrível”, eu respondo com um sorriso. "Posso ajudá-lo a fazer o preparo?" "Não, mas você pode se sentar com um copo de vinho e ser linda." "Isso não é uma tarefa muito difícil." Ele dá de ombros, mastigando suas batatas fritas. "Eu não preciso de você para trabalhar em minha casa, baby. Gosto de cuidar de você, às vezes." E quem sabia que eu iria amá-lo por cuidar de mim? "Eu sei, não é realmente PC querer cuidar de uma mulher”, Jake acrescenta antes que eu possa responder. "E eu sei que você é perfeitamente capaz de cuidar de si mesma." "Mas às vezes é bom ter alguém por perto que você possa se apoiar”, eu digo. "E eu gosto que você tenha alguns valores antiquados".


"Não espalhe”, diz ele com uma piscadela. "Eu não quero que isso afete a minha reputação de bad boy." "Seu segredo está seguro comigo." Eu rio e como o meu almoço, satisfeita com o silêncio. "É muito fácil estar com você”, diz Jake fora do azul. "E eu nem sempre acho fácil de estar com alguém." "Obrigado." Eu sorrio e roubo uma de suas batatas fritas. "Você pode apenas estar comigo, sempre que quiser." "Não se você estiver indo para continuar roubando minhas batatas fritas." "Engula isto, Keller."


Capítulo Doze Jake "Você

tem certeza de que quer ir?", Addie pergunta a partir do

banco do passageiro do meu carro, mexendo com os babados na parte da frente da blusa sem mangas. "Quer dizer, eu iria entender se você não quiser." Nós estamos no nosso caminho para a casa dos pais de Mia no sudoeste de Portland para um churrasco para o irmão mais velho de Mia, que está em casa de licença da Marinha. "Addie, você já passou tempo com Max e Christina. Eu não tive a oportunidade de passar tempo com as pessoas que você ama, fora do restaurante. Mas se você não quer que eu vá só diga." "Não." Sua cabeça chicoteia para a minha. "Eu quero que você vá, eu só não quero que você se sinta obrigado." Eu balanço minha cabeça com uma risada, seguindo as instruções do GPS. "Querida, eu não me sinto obrigado a fazer qualquer coisa que você está preocupada. Eu simplesmente quero estar com você." O sorriso dela amolece. "OK. Vai ser bom ver os pais de Mia. Apenas Cami e eu estamos indo porque Riley e Kat não conhecem


bem

Landon,

então

elas

estão

segurando

as

pontas

no

restaurante." Nós puxamos até a casa no bairro nobre da cidade e eu desligo o motor. Addie sorri quando ouve o barulho vindo do quintal. "Vamos encontrá-los." "Vamos fazer isso”, eu respondo e a deixo me levar pela mão ao redor da casa. Há uma fogueira no canto de trás do pátio amplo com cadeiras colocadas ao redor. Ainda não está acesa, mas a grade no pátio coberto é escaldante, enviando o aroma de carne assando no ar. "Você está aqui!", Mia exclama e corre para abraçar nós dois. "Papai não vai me deixar cozinhar." "Bom”, eu respondo antes que Addie possa. "Você deve apenas relaxar e desfrutar esta noite." "Mia não compreende o significado dessas palavras”, um homem alto, diz e ele se aproxima de nós. Ele é escuro, assim como Mia, mas onde Mia é baixa e cheia de curvas, seu irmão é alto e magro. "Sou Landon. Você deve ser Jake." Concordo com a cabeça e aperto sua mão. "Prazer." Seu sorriso se alarga quando ele se vira para Addie. "Ei, loira". "É sobre o tempo que você chegou em casa, bonito." Ele a abraça com força e levanta-a fora de seus pés. "Senti sua falta."


"Senti sua falta mais”, ele murmura, em seguida, define-a para baixo e bagunça seu cabelo, do jeito que alguém poderia fazer com seu irmão. "Você está bagunçando meu cabelo!" "Desculpa. Não muito." "Para alguém que pilota aviões de trilhões de dólares para o governo, você está sendo imaturo”, diz ela e fura sua língua para ele. "É isso o que você faz?", pergunto enquanto ele ri de Addie. "Eles não são trilhões de dólares, mas sim. Eu piloto jatos para a marinha. Atualmente sediado na Europa". "Isso é incrível; bem-vindo em casa. Quanto tempo você vai ficar?" "Apenas alguns dias”, Mia diz com um beicinho. "Ele pensou que seria divertido visitar amigos na Escócia, antes que ele viesse para casa desta vez." "Rude”, Addie diz, olhando para Landon. "Como se atreve a ter uma vida?" "Como você lida com essas mulheres?", ele me pergunta. "É uma dificuldade, isso é certo”, eu respondo e puxo Addie contra mim para que eu possa beijar sua cabeça. Ela cheira a maçãs frescas hoje. Seu cabelo tem reflexos roxos e está puxado para trás em uma trança frouxa que cai no meio das costas. Ela está vestida de forma simples, em um top com uma frente de babados e uma saia preta longa com sandálias.


Ela está mais confortável do que eu já vi. Esta é a sua família. "Você não veio para casa em dezoito meses”, diz ela afetadamente. "Você nem sequer voltou para casa para a nossa grande abertura." Landon se encolhe. "Eu sinto muito. Eu não pude chegar em casa para isto. Mas eu estou voltando para o jantar amanhã à noite". "Se você ficar no fim de semana, você pode a ouvir Jake tocar", Mia diz, piscando os olhos. "É chamado de AWOL23, Mia”, ele lembra. "Eu não começo a decidir quanto tempo é a minha licença." Então ele se vira para mim e inclina a cabeça. "Eu achei que eu o reconheci. Jake Knox, certo? " Eu aceno, surpreso que Mia não disse ao seu irmão que eu tenho tocado em seu restaurante. "Eu gosto do seu material”, Landon diz e pega uma cenoura de uma mesa próxima. "Eu prefiro as coisas que você produz agora." Eu levanto uma sobrancelha. A maioria das pessoas não sabem que eu produzo. "Pare de agir como se você não soubesse que ele é parte do nosso círculo." Mia revira os olhos. "Ele vem fazendo a coisa de irmão mais velho e fez uma verificação de antecedentes em você." Agora ambas as sobrancelhas sobem em meu cabelo. "Sério?" 23

Sem permissão.


"Você está trabalhando com a minha irmã e dormindo com uma mulher que eu amo como se fosse minha irmã. Pode apostar que eu fiz." Ele sorri e me bate no ombro. "Mas você saiu limpo." "Isso é um alívio." "Ou você é um cidadão íntegro, ou você ainda não foi pego”, ele diz mastigando sua cenoura. "Você realmente disse isso?", Addie demanda, mas Landon apenas continua a olhar para mim, e a mensagem é clara: Foda com elas e eu vou matá-lo e fazer com que pareça um acidente. "Você não tem nada para se preocupar de mim”, asseguro-lhe sobriamente. "Esta ─" aponto para Mia ─ "adora o chão que caminho, e esta" ─ aponto para Addie ─ "não pode obter o suficiente de mim. É constrangedor como elas são loucas por mim." "Ele está delirante”, Addie diz secamente e Mia simplesmente revira os olhos e corre para cumprimentar vários caras que acabaram de entrar no quintal. Três deles estão trazendo guitarras. "Será

que

você

contratou

uma

banda?",

pergunto

em

surpresa. "Não, meus amigos gostam de tocar ao redor do fogo." Landon sorri e agita o nariz de Addie enquanto ele caminha para saudar os seus amigos. "Talvez você possa tocar com a gente mais tarde."


"Eu não trouxe uma guitarra”, eu falo. "Eu tenho algumas que você pegar tomar emprestado." "Você totalmente não tem que tocar”, Addie diz e balança a cabeça. "Mas conhecendo seus amigos, eles serão todos fangirl24 quando te virem. Desculpa." "Está bem. Depois de cinco minutos, eles vão estar normais de novo." Ela balança a cabeça e, em seguida, sorri quando um casal de idosos sai pela porta dos fundos da casa, com os braços carregados de pratos e tigelas. "Deixe-nos ajudar”, Addie diz e passa para frente, mas a pequena mulher morena simplesmente balança a cabeça e coloca a bacia em uma mesa. "Você é uma convidada, mi amore". Ela pega o rosto de Addie em suas mãos e puxa-a para que ela possa beijar ambas as faces de Addie. "Você fica longe por muito tempo." "Sinto

muito,

Mama,

estamos

muito

ocupadas

com

o

restaurante." "Nossa Mia diz o mesmo”, o homem alto responde com firmeza. "Você trabalha muito duro." "Mama, papa, este é Jake. Estes são os pais de Mia e Landon, Noemi e Giovanni Palazzo".

é um termo usado em muitos fóruns para definir uma pessoa que não é só um fã de alguma coisa, mas é obcecada por ela e defende fortemente sua opinião a respeito do assunto, ignorando quase sempre a opinião alheia, sem estar, muitas vezes, aberto a novas ideias. 24


"Prazer em conhecê-los”, eu digo, apertando a mão de Giovanni, e, de repente, minhas próprias bochechas estão sendo puxada para baixo assim Noemi pode beijar meu rosto também. "Você é bonito”, diz ela com uma piscadela. "Você está mantendo a nossa Addison na ponta dos pés, sim?" "Estou tentando”, eu respondo com uma risada. "Mas eu acho que ela está mantendo-me no meu pé." "Boa menina”, diz ela com outra piscadela. "Você está em casa aqui, Jake. Coma, ou eu vou alimentá-lo eu mesma." "Sim, senhora." "Eu estou aqui!" Cami anuncia quando ela se junta a nós, recebendo abraços dos pais de Mia, então arrebata um cookie da mesa. "Deus, eu estou com fome." "Obrigado”, Landon diz, agarrando o pulso de Cami na mão e levando o cookie dela para sua própria boca, mordendo, pelo menos, metade dele. "Eu estou com fome também." Ele pisca e vai embora, conversando com alguns amigos. Cami simplesmente engole em seco, cerra os olhos fechados, respira fundo, e depois come o restante de seu cookie. "Você está bem?". Addie pergunta a ela suavemente. "Nunca estive melhor. Tem licor?" "Eu vejo alguns coolers perto da fogueira”, eu respondo e agarro a mão de Addie na minha enquanto nós seguimos Cami para as cadeiras. "Por quanto tempo ela esteve apaixonada por ele?"


O olhar de Addie chicoteia para o meu, então de volta para Cami. "Nossa vida inteira." "Isto mostra." "Não para ele”, Addie responde enquanto nós dois assistimos Landon embrulhar Cami em um abraço de urso, então despentear o cabelo dela, da mesma maneira que ele fez Addie. "Vê?" "Talvez ele veja, mas não sabe o que fazer sobre isso?" Addie dá de ombros. "Talvez não seja nenhum dos nossos negócios." Ela ri quando nos sentamos um ao lado do outro. "Obrigado por ter vindo." "Obrigado por me convidar."

JANTAR FOI INCRÍVEL. Posso ver de onde Mia recebe suas habilidades culinárias. Tem que estar incorporado em sua composição genética. Nós estamos em um grande semicírculo ao redor do fogo iluminando agora. Cami e Addie estão assando marshmallows. Dois dos três amigos de Landon, Mike e Corey tocam violão e cantam algumas músicas antigas de Johnny Cash. Eles não são tão ruins. Corey para de tocar na metade de "Ring of Fire" e diz: "É uma sensação estranha cantar músicas com Jake Knox apenas sentado aqui com a gente. Toque com a gente, cara." "Eu não ten─" "Eu tenho uma guitarra para você tocar”, Landon diz e caminha para a casa para pegá-la.


"Você não tem que ─”, Addie diz com olhos preocupados, mas eu apenas sorrio e escovo minha mão para baixo de sua longa trança. "Vai ser divertido. Talvez eles me ensinem uma coisa ou duas". "Certo." Bufa Mike. Landon passa-me a guitarra, uma Gretsch, que é linda. "Bonita guitarra, homem." Ele sorri e senta-se em um banco ao lado de Cami. "Eu sei." "Vamos fazer 'Ring of Fire' de novo, a partir do refrão”, diz Mike e todos nós pausamos na música. Eu canto junto com os caras, me divertindo. Eu não tenho tocado apenas por diversão em um tempo muito longo. Nós tocamos mais três músicas, e depois a conversa assume. S'mores25 são feitas, piadas são contadas. Eu começo a dedilhar a melodia que não me deixa em paz recentemente. Eu só a toquei no piano, mas soa tão doce na guitarra. "Isso é muito bonito”, murmura Addie ao meu lado. "Eu não a reconheço." É sua. "É apenas algo que eu venho mexendo”, eu respondo honestamente.

25


"Oh meu Deus, Addie!", Mike chama do outro lado do fogo. "Eu não posso jogar 'Margaritaville' 26 sem pensar sobre esse tempo que você e eu fomos nessa viagem de fim de semana para a praia." Addie ri ao meu lado. "Você quer dizer o tempo que eu fui, quando meus pais disseram que eu não podia, e eu fiquei de castigo por um mês, quando chegamos em casa?" "Hey, não é minha culpa que você era uma adolescente desobediente”, Mike responde com um sorriso. "Addie e eu namoramos na escola”, ele me informa. Olho para Addie, que simplesmente ri. "Namorar é uma palavra forte, Mike. Eu acho que você a usou para irritar o inferno fora de mim na escola é mais preciso." "Certo”, Mike diz com um aceno sarcástico. "Você apenas se mantenha dizendo isso." "Addie era uma menina bastante impertinente quando éramos mais jovens”, Mia me informa enquanto ela dava uma mordida em sua s'more. "Oh, diga." Eu coloco a guitarra de lado e me inclino, já fascinado. "Lembra propriedade

daquela do

vez

velho

que

tivemos

Mathewson,

uma

quando

festa

fora

estávamos

da nos

formando?", pergunta Corey. "Isso significa que Addie, Mia, e Cami estavam no segundo ano". 26

Coquetéis de margaritas.


"Oh Deus”. Addie geme e depois ri alto. "Por que você está fazendo isto comigo?" "Ela ficou tão bêbada”, Cami diz com um aceno de cabeça. "Então, tão bêbada." "Tão bêbada que se despiu e pulou no lago”, Landon diz, rindo. "Era março, eu acho." "Fevereiro”, murmura Addie. "Estava tão frio!" "A fez ficar sóbria”, Mia acrescenta. "Mas então, quando ela tentou se vestir, ela não conseguia encontrar a calcinha. Acontece que, ela atirou sobre sua cabeça, e ficou presa em um galho de árvore a vinte pés no ar." As meninas então se dobram de tanto rir, limpando as lágrimas de seus olhos. "Ei, eu as recuperei para ela!", diz Corey. "Eu escalei a maldita árvore e obteve campo em cima de mim." "Pobre bebê”, Addie diz, então suspira quando o riso diminui. "Ah, dias dos bons". "Espere”, Cami diz com uma careta. "Isso foi há doze anos, ou na semana passada, porque ela totalmente ainda faz isso." "Não em fevereiro”, Addie diz, rindo novamente. "Loira!" Landon bate na perna, em seguida, aponta para Addie. "Lembra-se do verão depois que você se formou, e eu vim para casa de licença, e fomos acampar?" "Uhh...", Addie responde, mas Mia salta. "O homem triste e velho!", exclama Mia.


"Homem triste e velho?", pergunto encantado. "Addie viu este homem velho em um acampamento próximo ao nosso, e decidiu que ele parecia triste”, explica Mia. "Então, ela foi até a borda do seu local e lançou-lhe”, termina Cami, rolando de rir novamente. "Alguma vez você mantém suas roupas?", eu pergunto a ela. "Não se eu puder ajudar”, admite ela com um sorriso travesso. "Por que alguém faria aquilo?" Vou foder o inferno fora dela quando chegarmos em casa. Ela olha para mim e franze a testa. "O que está errado?" "Absolutamente nada." Seus olhos estreitam. "O que você está pensando?" Eu sorrio e ela engole em seco, então eu me inclino e sussurro em seu ouvido: "Eu estou pensando em estar atrás de você mais tarde e te comer até que você não possa se lembrar do seu nome." Eu me afasto e ela pisca rapidamente. "Oh." "Oh”, eu concordo.

"VOCÊ DEIXA AMANHÃ?", pergunta Addie. "Na parte da manhã, sim, mas eu só vou ficar fora por vinte e quatro horas." Ela balança a cabeça tristemente, mas sorri com bravura. "Você vai sentir minha falta." "Você só vai ficar fora por vinte e quatro horas”, diz ela e revira os olhos. "Eu acho que vou sobreviver a isso. Porque você está indo para L.A. de novo?"


"Eu estou apresentando Steve Jennings em um prêmio”, eu respondo. "É um grande negócio." "Definitivamente." Ela balança a cabeça e segue-me em minha casa. "Isso é emocionante para ele. Meus amigos gostaram de você", Addie diz enquanto fazemos o nosso caminho até as escadas para o meu quarto. "Eu poderia dizer." "Como você pode dizer?" "Eles não tentaram bater em você”, ela diz com uma risada. "Eu gostei deles também”, eu respondo e puxo as cobertas de volta na cama, em seguida, puxo minha camisa sobre a minha cabeça e a jogo no chão. Eu chego para Addie, para ajudá-la tirar suas roupas sexys, mas ela balança a cabeça. "Basta sentar." "Desculpe-me?" Eu levanto uma sobrancelha e coloco minhas mãos em meus quadris. "Você me ouviu”, diz ela com um sorriso tímido. "Sente-se na cama. Por favor." "Desde que você pediu bem." Eu sento na cama e quase engulo minha língua quando ela vira as costas para mim e lentamente levanta a parte superior sobre a cabeça, em seguida, deixa-a cair no chão. Ela está usando um sutiã sem alças cor de pele, que é rapidamente desprendido e se junta a seu top no chão. Deus, até suas costas são lindas.


Ela me lança um sorriso sedutor por cima do ombro e empurra seus polegares na cintura de sua saia, e com apenas um par de reboladas em seus quadris, ela flutua para o chão, deixando-a completamente nua. Ela se vira lentamente, inclina seu quadril para o lado, e o grande sorriso em seu rosto lindo é nada, senão, o puro pecado. "Venha aqui." Ela caminha lentamente em direção a mim, e quando ela estica uma mão para mim, eu a pego na minha e puxo-a para a cama, nós rolando até que ela esteja abaixo de mim. "Você não tem ideia o quão rápido o meu coração dispara quando eu olho para você”, eu sussurro, os meus lábios a meras polegadas do dela. "Você me vira do avesso, Addison." "Você faz o mesmo para mim”, ela murmura. Seu dedo está traçando

a

tatuagem

no

meu

braço

em

cursos

longos,

preguiçosos. "Eu ia te foder esta noite duro." Minha voz é calma. Questão de fato. "Mas isso não é o que eu preciso agora." "O que você precisa?", ela pergunta. "Eu preciso ─” eu beijo o canto da sua boca "─ fazer ─” então o outro canto, " ─ amor com você." Meus dedos escovam para baixo do pescoço para o peito, onde provoco seu mamilo até que ele fica duro, e depois viajo mais ao sul, sobre a barriga mal arredondada para a mais bela buceta que eu já vi na minha vida, porra.


"Você já está molhada." "Você já está duro”, ela responde e circula seus quadris, balançando sobre o meu tesão ainda coberto de jeans. "Querida, eu estive duro desde o primeiro momento em que te vi." "Isso deve ser muito desconfortável para você”, ela sussurra antes de morder o lábio inferior. Ela atinge entre nós e desabotoa minhas calças, puxando-as para baixo dos meus quadris, e quando o meu pau fica livre, ela imediatamente me orienta para a sua umidade. "Addie, não tem que ter pressa." "Eu não estou com pressa." Ela balança a cabeça e suspira quando apenas a ponta está dentro dela. "Eu só preciso isso com você." "Por quê?" Ela abre os olhos azuis grandes, e eu posso ver isto lá. Ela me ama. E Deus, eu a amo tanto que dói. Como é que eu só agora percebi isso? Ela é tão importante para mim agora como respirar, e não há nada que eu não faria para ter certeza que ela está segura. Que ela está feliz. "Porque eu ─" "Você o quê, baby?" "Eu só preciso."


Ela inclina a cabeça contra meu ombro, escondendo-se. É a coisa mais doce que eu já vi. Eu afundo todo o caminho dentro dela e descanso lá. Estamos ambos ofegando mais forte agora, e suor é frisado na minha testa na energia que está me levando para segurar de partir para bater fora dela. "Você me assusta um pouco”, ela admite suavemente. "Você me assusta muito”, eu respondo com um sorriso. "Eu acho que se não fosse assustador não significaria tanto." Ela sorri lentamente e circula seus quadris novamente, fazendo meus olhos rolarem. "Deus, baby, você se sente bem pra caralho." "É tão bom”, ela concorda e se agarra a mim e começo a pressionar dentro e fora, em um ritmo lento. Eu não quero apressar as coisas. Eu não quero que isto acabe ainda. Eu quero saborear cada porra de segundo com ela. Eu empurro uma de suas pernas por cima do meu ombro, abrindo-a para mim, para que eu possa afundar ainda mais profundo. Ela grita e cava as unhas na minha bunda, me puxando. E eu quase gozo, bem aqui. Mas eu mordo meus lábios e seguro, montando-a, observando seu rosto enquanto seu próprio orgasmo começa a lavar sobre ela. "Tão perto”, ela sussurra. "Tão perto."


"Tão linda." Eu beijo seus lábios e pressiono a minha testa contra a dela. Sua buceta apertada está me apertando agora, quase desesperadamente, e seu aperto aperta na minha bunda e ela goza espetacularmente. "Isso mesmo, baby”, eu cantarolo, escovando pedaços soltos de cabelo fora de suas bochechas úmidas. "Deixe ir." "Venha comigo." "Eu estou aqui com você”, eu a asseguro e deixo ir, explodindo dentro dela, ao redor dela. Ela tem-me perto até que os tremores secundários desaparecem, e eu nos rolo para os nossos lados, de frente para o outro. "Isto sempre se sente como a primeira vez”, diz ela, quase timidamente. Eu sorrio e beijo seu nariz, os lábios, bochecha. "É tudo você, doçura." "Não, somos nós."


Capítulo Treze Addison "Hey, loira ". Eu me viro ao som da voz de Landon no meu ouvido, e sou instantaneamente pega em um grande abraço de urso. "O que você está fazendo aqui, bonito?" "Meu voo sai em poucas horas, então eu pensei que em parar aqui antes do lugar ficar lotado para o almoço para dizer adeus as minhas melhores meninas." Meu coração afunda com o pensamento de Landon partir. Poderia ser mais um ano antes de vê-lo novamente. "Eu odeio que você está estacionado no inferno da Europa”, eu respondo com um beicinho. "Não existem bases navais nos Estados Unidos?" Ele apenas sorri e encolhe os ombros. "Eu gosto de lá." "Bem, pare de esperar tanto tempo entre as visitas para casa”, eu o repreendo à medida que caminhamos em direção ao bar. "Agora você soa como a minha mãe”, ele responde com uma risada, assim que seus olhos pousam em Cami, que está sentada no bar, com planilhas por todo lado. Ela está mordendo o lábio enquanto seus dedos voam sobre uma calculadora de dez teclas.


"Eu vou pegar Mia”, murmuro e passo em direção à cozinha. Talvez Jake esteja certo. Talvez Landon não seja tão imune a Cami como todos nós pensamos que ele é. Ele é apenas um homem teimoso, o que é totalmente normal. "Mia?" "Sim?" Ela chama em pé, dentro do refrigerador. "Landon está aqui para dizer adeus." Mia anda para fora da geladeira, carregando uma bandeja de carne de frango. "No bar?", ela pergunta. "Sim." "Logo estarei lá." Concordo com a cabeça e volto para o bar, onde Cami e Landon estão rindo e Kat está derramando café para cada um. Mia caminha atrás de mim. "Seu voo não sai até esta tarde”, diz ela com uma careta. "Eu pensei em parar antes de abrir para o almoço”, ele diz, enquanto abraça sua irmã perto. "Vou sentir sua falta, pirralha." "Não, não vai. Você estará muito ocupado pilotando aviões e tentando ficar fora de problemas para sentir a minha falta." Ela tem lágrimas nos olhos enquanto ela inclina a cabeça no peito dele e abraça-o com força. "Eu sempre tenho tempo para sentir sua falta”, diz ele. "Você deveria vir me visitar."


"Claro." Ela ri e dá um passa de distância, enxugando os olhos. "Eu vou fazer isso, logo que eu receber um período de férias." "Você trabalha muito duro”, diz ele, mas Mia já está sacudindo a cabeça para ele. "Nós tivemos essa conversa já. Está encerrada." "Eu não encerrei isso”, ele começa, mas para quando ela olha para ele. "Tudo bem." "Quanto tempo você vai viajar?", Kat pergunta, mudando de assunto. "Cerca de 12 horas”, diz ele, como se fosse um curto voo para Seattle. "Eu vou dormir mesmo." Kat olha para ele com horror. "Como você pode suportar isso? Oh meu Deus, eu teria um acidente vascular cerebral. Eu ficaria louca." "Kat tem medo de voar”, Cami informa a Landon secamente. "Se Deus pretendesse que nós voássemos”, Kat diz: "Ele nos teria dado asas." "Ele deu”, Landon responde com aquele sorriso arrogante que todos nós tanto amamos. "De metal." Kat treme e balança a cabeça. "Não, obrigado." "Você estará mais segura em um avião do que ─", Landon começa, mas ela o corta no meio da frase. "Sim, sim, eu sei. Eu ouço as estatísticas. Eu ainda não gosto disso."


"Você se sentiria segura se você voasse comigo”, diz ele, confiante. "Sem ofensa, e tenho certeza de que você é um excelente piloto, mas besteira”, Kat diz com um sorriso doce, fazendo todos rirmos. "Ok”, ele diz, segurando as mãos para cima em sinal de rendição. "Foi bom vê-la novamente, Kat." "Você também." Eu estou vendo Cami, que está mexendo com a caneta e olhando para as planilhas. Ela parece tão malditamente triste, e isso parte meu coração. "Vem cá, camaleão”, ele diz para Cami quando ele a puxa para um abraço. Ele a chama assim desde que estávamos na escola. Cami o camaleão. "Fique segura”, ele sussurra para ela e toma uma respiração profunda, cheirando seu cabelo. Mia e eu compartilhamos um olhar rápido, mas não dizemos nada quando ele se afasta, acena para Kat, e sorri para mim. "Seja boa, loira". "Eu sou sempre boa”, eu respondo, batendo meus cílios. "Leve o seu próprio conselho, por favor. Fique seguro e seja bom." "Eu vou ficar bem”, ele responde com um aceno. "Amo vocês, senhoras." E com isso, ele sai. Quando ouvimos a porta da frente se fechar, Cami se dissolve em lágrimas, descansando a cabeça em seu braço.


"Vou pegar um chocolate”, Kat diz, correndo em direção a cozinha enquanto Mia e eu consolamos Cami, esfregando suas costas e falando suavemente com ela. "Eu sinto muito, Cam”, eu digo. "Não chore”, Mia sussurra, passando a mão sobre o cabelo muito loiro de Cami. "Ele é um grande idiota." Cami ri através das lágrimas. "Eu sou estúpida”. "Não, você não é." Kat coloca um prato de bolo de chocolate no bar. "Há quanto tempo você o ama, Cami?" "Não me lembro de não o amar”, ela responde honestamente. Ela se senta e toma o guardanapo que lhe ofereço para assuar o nariz. "E eu sou ridícula. Eu amo um homem que não me ama de volta. Ele pensa em mim como uma irmã". Não tenho tanta certeza disso. Mas ao invés de dizer isso em voz alta, eu só sento ao lado dela e a deixo desabafar. "Quero dizer, quão patética eu sou? Eu vou te dizer”. Cami aponta para Kat, em um rolo agora, ainda chorando. "Eu estava tão desesperada para esquecê-lo, que eu me casei com alguém completamente errado para mim. Eu arruinei a vida de um homem perfeitamente bom". "Eu acho que arruinar é um pouco forte”, Mia diz, ganhando um olhar de Cami. "Brian é um grande homem, e eu quebrei seu coração, tudo porque eu sou apaixonada por seu estupido irmão, piloto de caça."


"Hey, não é minha culpa”, Mia diz e balança a cabeça. "Eu acho que o meu irmão é estúpido também." "Eu acho que você deveria ir para casa pelo resto do dia”, Kat diz, dando uma mordida no bolo de Cami. "Ou ir receber uma massagem ou algo assim." "Ela está certa”, eu digo com um aceno. "Vai ficar triste por algumas horas e, em seguida, puxe-se e se agrupe. Você merece um dia para si mesma." "Absolutamente”, diz Mia. Cami apenas encolhe os ombros e limpa o nariz na parte de trás da sua mão. "Eu acho. Eu não tenho mais nenhum trabalho a ser feito hoje de qualquer maneira". "Alguém vai cair para jantar fora com você mais tarde”, Mia diz, mas Cami balança a cabeça. "Vou pedir chinês e assistir filmes." "Menina esperta." "Falando de homens que sugam”, Mia diz, virando-se para mim. "Como vai você?" Eu olho em volta como se ela estivesse falando com alguém atrás de mim. "Eu?" "Ela não tem visto isso?", Mia pergunta as outras, que balança a cabeça. "Landon chegou aqui quando eu estava indo para mostrarlhe”, Kat diz calmamente. "Mostrar-me o quê?"


"Então, eu sigo a página velha de Hard Knox no Facebook”, Kat diz e puxa seu telefone do bolso, rolando a tela, e entrega para mim. "E eles colocaram isso esta manhã." Meu coração para quando eu olho para uma foto de Jake em um

tapete

vermelho,

vestido

com

um

terno

preto

sexy.

Infelizmente, os lábios estão plantados na bochecha de Karina, uma famosa cantora que tem a mão em seu peito, inclinando o seu amplo peito contra ele. Eles não parecem apenas acolhedores, porra? Ao invés de jogar o telefone em frente ao bar do jeito que eu quero, eu o passo de volta para Kat e viro para ir embora. "Addie?", Mia chama. "Eu estou bem”, eu respondo com um aceno da minha mão e continuo caminhando. Exceto, que eu não estou bem. Não estou mesmo no reino do bem. Estou chateada e eu estou ferida e acabei de ser lembrada, mais uma vez, que eu não posso contar com os homens. Eles não são leais. Eles não são confiáveis. Até o meu próprio pai não quer tomar o tempo para falar comigo. A única pessoa que posso contar é comigo mesma, e é sobre o tempo que eu tenho a minha cabeça para fora da minha calça e me lembrei disso.


"UH, ADDIE", RILEY DIZ quando ela entra em nosso escritório menos de uma hora depois, "Jeremy está no bar perguntando por você." "O quê?" Eu faço uma carranca e sacudo a cabeça. "O que diabos ele está fazendo aqui?" "Bem, já que eu não sou vidente, eu não tenho certeza." Ela revira os olhos e se senta em sua mesa. "Mas você deve ir ver." "Burro-esperto”, murmuro enquanto eu ando pela sala de jantar ainda quase vazia, em direção ao bar. Cami saiu cerca de uma hora atrás, e nós mal abrimos para o dia. Eu mentalmente cruzo os dedos, esperando que o bar ainda esteja vazio para que eu não tenha que chutar o traseiro de Jeremy na frente dos clientes. "O que você quer, Jeremy?", pergunto enquanto eu ando rapidamente para o balcão, meus saltos estalando no chão. "Porra, você é linda, Addie." "Corte a merda”, eu respondo friamente. "O que você quer?" "Eu

quero

pedir

desculpas”,

ele

diz

com

tristes

olhos

castanhos. Eu acreditaria nele, se ele não fosse um pedaço de merda. "Você sabe que eu nunca magoaria você." "Seu punho inclinado para trás me disse o contrário”, eu respondo e cruzo os braços sobre o peito, e eu ouço Kat suspirar atrás de mim. Droga, eu nunca disse a elas essa parte.


"Eu não teria batido em você”, ele diz e balança a cabeça. "Nunca. Eu te amo." Eu rebento a rir. "Certo." "Eu quero você de volta, Addie. Sinto tanta falta sua." Kat observa com o interesse de trás do bar enquanto Jeremy caminha na minha direção e eu dou um passo atrás, fora de seu alcance. Eu não quero suas mãos sobre mim. "Você foi expulso de onde quer que esteja ficando?" Seus olhos caem, e eu sei que eu bati o prego na cabeça. "Eu poderia usar um lugar para dormir, sim." Inacreditável. "Eu tenho capacho tatuado na minha testa?", pergunto, incrédula. " Não é nada disso”, ele diz, mais uma vez pisando em minha direção. "Toque-me e eu vou tê-lo preso por agressão." Seus olhos estreitam. "Eu estou tentando me desculpar aqui, Addie. Eu realmente sinto muito." "OK. Você já se desculpou. Adeus, Jeremy ". "Eu apenas preciso ─" "Seja o que for que você precisa, você não está recebendo de mim”, interrompo, a minha voz aguda. "Addie". Os ombros de Jeremy caem. "Você ouviu." A voz de Jake vem atrás de mim, me surpreendendo, e lavando emoção sobre mim de uma vez. O


medo, traição e raiva, mas eu não mostro qualquer reação na frente de Jeremy, que finalmente marcha para fora, passando por mim sem dizer uma palavra. "Você está bem?", Jake pergunta e eu viro, olhando para ele. "Eu gostaria de vê-lo em meu escritório, por favor." Eu estou orgulhosa de como eu mesma sou capaz de manter minha voz, quando eu estou raiva. Minhas mãos estão tremendo, meu coração batendo. "O que eu fiz?", pergunta ele, girando em seus lados, mas eu o ignoro e caminho para o escritório. Felizmente, Riley não está aqui, e eu fecho a porta atrás de nós, em seguida, giro para ele novamente. "Eu não precisava de sua ajuda lá atrás, Jake. Eu estava cuidando daquilo muito bem ". "Olha, ele a machucou antes, Addie. Você acha que se eu vir um homem ameaçando a minha garota eu não estarei indo para tornar conhecido que vou fazer tudo o que eu preciso para defendê-la?" "Por que os homens têm que ter concursos mijando sobre toda coisa de maldição?", pergunto para ninguém em especial e ando para trás e para frente. "Eu não sou uma donzela em perigo, Jake. Eu fiz muito bem antes de você, e eu vou fazer bem depois de você." "Depois de mim?", ele pergunta com uma sobrancelha levantada.


"Depois de você”, eu repito, olhando para ele. Meu coração está batendo e minhas mãos estão tremendo e eu quero bater nele e beijá-lo, tudo ao mesmo tempo. "Você acha que eu não iria descobrir?" "Addie”, Riley diz, entrando no escritório sem bater. "Daisy está aqui e diz que ela está limpa e quer falar com você sobre colocá-la de volta na programação." "Limpa?", pergunta Jake. "Daisy é a única que Addie encontrou cheirando cocaína no banheiro”, Riley diz, fazendo-me estremecer. Jake me imobiliza com um olhar. "Diga a Daisy que vou chamá-la mais tarde”, eu digo a Riley, que simplesmente balança a cabeça e se vira para fora do escritório. "Você tem dependentes tóxicos trabalhando para você?" "Você não sabe nada sobre isso”, eu respondo. "Você está certa. Porque você não me disse." "Este é o meu trabalho, Jake. Meu negócio. Eu não tenho que lhe dizer cada pequena coisa que acontece aqui. Assim como, aparentemente, você não tem que me dizer sobre as mulheres que você está ficando quando você está trabalhando." Seus olhos e narinas estreitaram, enquanto ele aperta sua mandíbula.


"Eu vou começar com o primeiro comentário, e depois vamos lidar com o outro. Encontrar alguém cheirando cocaína em seu banheiro não é uma coisa pequena". "Você vai tentar me proteger disso também?", pergunto, exasperada. "Eu realmente gostaria de saber por que você está colocandoa de volta na programação”, ele diz, as mãos nos quadris. "Este lugar é muito elegante para empregar viciados." Que faz isso. "Por que você está aqui, Jake?" "Eu pensei que eu iria surpreendê-la e levá-la para almoçar ou algo assim." "Bem, eu não tenho tempo”, eu respondo, querendo acabar com isto. "Tenho um compromisso esta tarde, e eu tenho que trabalhar hoje à noite." Eu pego a minha bolsa e volto para ele, mas minha bolsa abre no canto da mesa, derramando seu conteúdo no chão. Antes que eu possa chegar para qualquer coisa, Jake se inclina e pega frasco de cocaína de Daisy. "Diga-me que isto não é seu." "E se for?" "Que porra, Addison?" Agora os olhos olham um olhar ferido, e ele não tem o direito de estar ferido comigo. Nenhum.


"Era de Daisy, Jake. Tirei dela quando eu a peguei com ele no banheiro e esqueci de jogar fora. Eu te disse antes, eu não faço essa merda. Eu não minto. Ao contrário de você." "Ok, o ponto número dois. Que porra você está falando?" "Você, ficando com Karina na premiação na noite passada." Ele faz uma carranca. "Eu apresentei um prêmio com ela." "Certo." Eu cegamente agarro um punhado de coisas da bolsa e empurro de volta. "Eu tenho certeza que é exatamente o que você estava fazendo no tapete vermelho quando seus lábios estavam sobre ela." "Eu beijei seu rosto, e foi isso, Addie." "Ok." Eu preciso dar o fora daqui. "Eu não quero você aqui quando eu voltar." "Você não acredita em mim." "Não. Eu não." "Então vamos falar sobre isso até que você acredite. Eu não estou mentindo para você. Eu não quero brigar com você." "Bem, eu vou brigar com você, então”, eu respondo e bato a porta atrás de mim enquanto eu caminho para fora do escritório.

"EU ESTAVA PENSANDO SOBRE a tentativa de uma nova cor em você hoje”, Cici diz enquanto ela remove meu velho esmalte dos meus dedos do pé. "O que você acha?" "Faça o que quiser”, eu respondo com uma careta.


"Bem, não estamos apenas duas colheres de mal-intencionado em uma bacia cheia de ranzinza esta tarde?", diz Cici. "O que se arrastou até sua bunda?" "Os homens chupam." "Bem, isso é verdade”, ela diz. Eu venho em cada duas semanas para uma mani-pedi e para alguma conversa de menina com Cici. Se não tivesse sido no último minuto, eu teria cancelado hoje embora. Eu só não quero falar sobre isso. "O que ele fez?" "Ele tentou vir em meu socorro quando eu não precisava dele." "Hmm." "E eu tenho prova fotográfica que ele tinha as mãos e os lábios em outra mulher na noite passada." Cici para e olha para mim com seu queixo caído. "Desculpeme?" "Ele diz que nada aconteceu e que era uma foto para a imprensa, mas eu não dou a mínima. Ele não deveria tê-la beijado." "Foi o tipo de beijo em que parecia que ele estava prestes a comer seu rosto, ou foi um beijinho?" "Ele estava beijando seu rosto." Ela se senta para trás e pisca para mim, franzindo a testa. "OK."


"Ele está constantemente se intrometendo, tentando me ajudar”, eu digo, usando as aspas no ar. "Como se eu não fosse uma adulta e precisasse de sua ajuda”. "Eles têm uma tendência a ter muito testosterona”, diz ela com um aceno. "Certo! Quer dizer, eu sou uma mulher inteligente. Ele nem sempre tem que vir salvar o dia." "Micah faz isso o tempo todo também”, diz Cici, sorrindo enquanto ela pensa em seu marido. "Mas é só porque ele me ama." "Mas isso te deixa maluca”, eu insisto. "Sim."

Ela balança a cabeça e

esfrega os meus pés,

exatamente quando meu telefone acende em minhas mãos. Jake. Eu rolo meus olhos e atiro o meu telefone na minha bolsa. "É ele?" "Sim. Ele pode simplesmente ir para o correio de voz." Eu suspiro,

pensando

em

todas

as

coisas

que

me

irritam

completamente sobre Jake. "Sabe o que mais ele faz? Ele vai beber quase todo o suco ou o leite ou o que quer seja, e coloca as últimas gotas de volta na geladeira." "Ugh, eu odeio isso!" Cici ri... "Ou quando você lhes pergunta o que eles querem para o jantar, e dizem 'Eu não me importo', mas quando você começa a sugerir coisas, eles não querem qualquer uma das sugestões."


"Sim!", eu aponto para Cici de acordo. "Eu odeio isso! Ou quando eles colocam o novo rolo de papel higiênico, com a aba virada para a parede. Quer dizer, quem faz isso? " "Exatamente”, Cici diz com um aceno de cabeça, alternando os pés. "E por que não podem realmente colocar a louça suja na pia? Por que eles a colocam no balcão ao lado da pia?" "Na verdade, eu não posso reclamar sobre isso porque Jake coloca os seus pratos na máquina de lavar louça." "Oh meu Deus”, diz ela, olhando para mim com os olhos arregalados. "Eu pensei que o homem que coloca a louça máquina de lavar louça era um mito." "Não, eu encontrei um no seu habitat natural." "Impressionante." Ficamos em silêncio por um momento, enquanto ela continua a esfregar meus pés, em seguida, limpa fora minhas unhas para pintá-los. "Pelo menos Micah não faz xixi em todo o banheiro, e ele está ensinando nossos filhos a não fazerem." "Isso é bom”, eu respondo suavemente. "Além disso, eu realmente adoro quando Jake se aconchega comigo." "Sério? Você odeia aconchegar! " "Eu sei." Eu sorrio, depois rio. "Eu costumava odiar abraço. Mas Jake é realmente bom no que faz. E, às vezes, ele me abraça e não espera por sexo depois." "Eu adoro quando isso acontece”, diz Cici. "Quer dizer, eu amo o sexo também. Obviamente, porque eu tenho quatro filhos."


"Eu queria saber se você sabia de onde aqueles vieram”, eu digo e vejo quando ela aplica o revestimento superior sobre o minha polonês-robin's-ovo27 azul. "Micah me traz café na cama todas as manhãs. E eu quero dizer todas as manhãs, não importa o quê." "Mesmo quando ele tem que se levantar super cedo para o trabalho?" "Sim." Ela sorri suavemente. "É o nosso tempo juntos antes das crianças se levantarem e a vida ficar louca." "Isso é tão doce." Nós nos movemos para a estação de manicure e nos instalamos. "Jake me trouxe vinho e sorvete quando eu tive um dia ruim, há algumas semanas”, eu digo suavemente. "Fez-me sentir realmente especial." "Ahhh”, ela diz e sorri para mim. "Isso me faz sentir muito especial. Ele soa como um cara muito legal, Addie." Eu suspiro. "Ele é. Exceto a parte de beijar outras garotas. E falando do sexo, droga garota". "Bom?" "O melhor. Sempre." "Sempre?" Ela faz uma pausa nas minhas unhas, surpresa. "Melhor do que com aquele fotógrafo nas Bahamas?" Eu concordo.

27

Mais ou menos essa cor;


"Melhor do que o baterista quando estávamos filmando em Nova York um verão?" Eu tremo. Nossa, eu não preciso de ser lembrada de todos os caras com que eu tive relações sexuais. "O melhor." "É o melhor a cada vez?", pergunta ela com ceticismo. "Claro que não." Eu rolo meus olhos. "Mas é sempre íntimo, mesmo quando é mais áspero, sabe?" "Eu sei." "E ele sempre me faz sentir sexy. Ele diz que eu sou mais sexy quando meu cabelo está uma bagunça e não estou usando nenhuma maquiagem." "Mantenha-o”, diz ela imediatamente, fazendo-nos tanto rir. "Sério, Addie, quando foi a última vez que esteve com um cara que até queria ajudá-la?" É verdade, eu nunca namorei um cavaleiro branco antes. "Provavelmente nunca." "Está tudo bem o cara que você ama a querer defendê-la." Faço uma pausa, franzindo a testa. "Quem disse alguma coisa sobre o amor?" "Oh, vamos lá”, diz ela com um suspiro. "Eu te conheço toda a sua vida adulta. O amor está escrito todo sobre você com marcador permanente. E também, ele beijou sua bochecha, Addie. Você não tem fotos dele transando com uma garota." Eu mordo meu lábio e vejo enquanto ela pinta as unhas. "Amá-lo me assusta."


"À medida que deveria." Ela tira do pincel na garrafa de polonês e senta-se na cadeira. "O amor é aterrorizante porra." "É uma besteira fodida”, murmuro. "Não, não é." Ela sorri e dá um tapinha no meu braço. "Mas eu entendo o sentimento." "Eu não fui muito boa para ele mais cedo." Eu tremo e sopro em meus dedos. "Ele estava apenas tentando obter Jeremy da minha bunda." "Você pulou essa parte”, diz Cici. "O que Jeremy queria?" "Um passeio livre”, eu respondo. "Sob o disfarce de ‘Eu quero você de volta, eu fui estúpido, blá, blá, blá’". "Idiota." "Grande momento. E todo mundo tentou me avisar, mas eu não ouvi." "Isso é muito típico para mulheres cujos lombos são atraídos para alguém." "Lombos?" Eu sorrio. "Meus lombos foram atraídos para ele?" "Sério, havia alguma outra coisa lá?" Penso em meu tempo com Jeremy e encolho de ombros. "Não. Você está certa." "E o que você acha atraente sobre Jake?" "Bem, os meus lombos estão certamente atraídos por ele." Eu rio. "Mas é mais do que isso, com certeza. Eu amo vê-lo trabalhar. Ele é muito bom no que faz, e ele adora. Não é apenas o que ele faz, é quem ele é."


Eu inclino minha cabeça para o lado, pensando. "Ele é pensativo. Ele é bom para as minhas amigas. E quando ele sorri, eu estou dizendo a você, minha calcinha explode em chamas." "Você tem que gastar muito dinheiro em roupa intima”, ela diz com uma risada. "Eu gosto dele para você, Addie. Você merece estar com alguém que te faz feliz". "Todos nós merecemos." Eu mastigo meu lábio. "Eu posso ter exagerado esta tarde." "Acontece. Pelo menos você sabe disso, e você pode trabalhar em fazer as pazes com ele." "Eu acho que um boquete está em seu futuro muito próximo." "Eu acho que você vai ser perdoada rapidamente."


Capítulo Quatorze Jake O que acabou de acontecer? Eu fico olhando para a porta que Addie apenas saiu, e estou pasmo. Nós apenas tivemos a nossa primeira discussão, e ela foi embora. Ela afastou-se. Eu suspiro e empurro a mão pelo meu cabelo, exasperado, Riley caminha de volta para o escritório. "Oh, desculpe. Eu pensei que vocês tivessem saído. " "Addie saiu”, eu respondo. Riley inclina a cabeça loira escuro para o lado e franze a testa. "Está tudo bem?" "Eu acho que ficará”, eu respondo honestamente, empurrando o frasco de cocaína no meu bolso, então rio em frustração. "Nós discutimos e ela saiu." "Ah." Riley balança a cabeça e anda atrás de sua mesa. "típico de Addie." Eu simplesmente levanto uma sobrancelha, esperando por ela para continuar. “Addie é boa em confrontos quando se trata de estranhos ou pessoas que ela não ama”, diz ela com cuidado. "Mas, quando


seu coração está investido, seja com a família ou amigos, ou um homem, ela não é boa em confronto em tudo. Ela nunca foi." "Um argumento não é o confronto”, eu respondo e balanço a cabeça. "É uma conversa acalorada." "Para

alguns”,

ela

diz

simplesmente.

"Para

outros,

é

assustador. Não que ela nunca, nunca admita isso. Ela tem problemas de abandono." Claro que ela não iria admitir isso. "Quem a abandonou?" "Os pais dela. Eles são boas pessoas, mas eles são muito egoístas. Não estão realmente por perto quando ela precisa deles. Ela cresceu e eles praticamente lavaram as mãos. Os homens não ficam por aqui quando eles não conseguem o que querem dela. Ela aprendeu a guardar seu coração, Jake." Ela e eu precisamos conversar. "Acho que vou voltar para casa e obter algum trabalho feito." "Não se preocupe, ela vai esfriar a cabeça, e por este tempo amanhã, ela nem vai se lembrar de que vocês brigaram." Riley me oferece um sorriso de apoio. "Mas essa foto de você com Karina? Não é legal, cara." "Eu não fodi Karina!" "Eu não disse que você fodeu, mas Addie tem uma história com músicos que não pensam duas vezes antes de foder por aí, por isso só ver esta foto de vocês de ontem à noite seria suficiente para fazê-la correr. Ela vai vir ao redor."


"Obrigado." Eu aceno e saio, ainda completamente confuso. Eu tinha planejado vir buscá-la e levá-la em algum lugar próximo para um almoço rápido, ver como seu dia está indo. Inferno, eu só queria vê-la. Porque eu sou um bastardo egoísta. Eu sou viciado nela. Mas quando eu cheguei, Jeremy estava se inclinando em direção a ela, prestes a colocar as mãos sobre ela, e eu vi vermelho. Eu sei que ela pode cuidar de si mesma, mas porra, ela não precisa. Não comigo por perto. Talvez eu tenha ultrapassado a linha quando vim a descobrir que uma das garçonetes estava usando, mas porra, por que é que ela tem uma viciada trabalhando para ela? Não é da sua maldita conta, Keller. Eu aperto forte no volante enquanto eu dirijo através do túnel e acima da estrada do pôr do sol, em direção ao oeste de Portland. Esta rodovia é cheia de curvas, e montanhosa. As pessoas vão muito rápido até esta coisa. Então, como é que eu vou corrigir isso? Como é que eu vou convencê-la de que ela precisa correr em minha direção ao invés de correr de mim? Porque eu serei amaldiçoado se eu vou deixá-la virar as costas e sair de mim novamente. Vou colocá-la sobre a porra do meu joelho. Assim quando eu chego a saída Portland Zoo, vejo uma equipe de demolição e um Jetta, amassado no acostamento.


Meu coração acelera quando eu percebo que é da mesma cor que o carro de Addie. É o carro de Addie? Eu puxo para cima atrás de um carro policial, e corro para fora do meu carro para o primeiro oficial que vejo. "Onde ela está?" "Você não pode parar aqui”, ele diz com firmeza. "Este é o local de um acidente." "Quem estava no carro?" Por favor, pelo amor de Cristo, digame que um cara estava no carro. "Uma mulher estava no carro”, disse um oficial do sexo feminino responde. "Ela já foi transportada para o hospital." Eu presto atenção no horror quando o que eu tenho certeza é que o carro de Addie é carregado em cima da cama de um caminhão de reboque. Eu corro de volta para o meu carro e dirijo para fora no tráfego, desesperado para chegar ao hospital. Eu chamo número de Addie, rezando para que, pela graça de Deus que não fosse ela, mas ele só toca e nada e, finalmente, me despeja no correio de voz. Filho da puta. Eu tento mais uma vez, amaldiçoando mais quando eu recebo o correio de voz de novo, então eu tento Kat. "Seduction, é Kat." " É Jake. Addie já voltou?"


Por favor, diga sim. "Não, ela tinha um encontro com Cici esta tarde. Por quê?" "Eu só vi um carro em uma destruição no pôr do sol”, eu respondo severamente. "O mesmo carro que o dela, mesma cor. A pessoa no carro já foi levada para o hospital. Eu estou no meu caminho. Tentei o celular dela e ela não está respondendo." "Tenho certeza que ela está bem”, diz ela, mas sua voz é instável agora. "Deixe-me chamar o telefone de Cici e me certificar que ela está lá." Ela desliga, mas chama de volta em menos de trinta segundos. "Cici não respondeu." "Porra." "Mas

o

seu

telefone

pode

estar

desligado”,

diz

ela

rapidamente. "Ela normalmente desliga quando ela tem um cliente." "Eu estou puxando para o hospital agora. Eu te ligo quando eu tiver informações. " Eu desligo, agradecendo aos deuses de estacionamento quando eu encontro um local perto da porta da sala de emergência, e corro para dentro. "Estou à procura de Addison Wade”, eu digo sem fôlego enquanto me aproximo de um recepcionista. "Ela teria estado em um acidente, e teria sido trazido por uma ambulância." Eu acho. A jovem clica no teclado, franzindo a testa. "Eu não vejo ninguém com esse nome."


Isso é um bom sinal. "Mas se ela acabou de ser trazida, talvez não esteja no sistema ainda. Vá em frente e tome um assento. Vou ficar de olho e perguntar ao redor." Ela sorri gentilmente, mas ela não me faz sentir melhor. A mulher que eu amo tanto que dói, poderia estar machucada estar lá agora. O pensamento me faz querer gritar. E vomitar. Sento-me, inclinando os cotovelos sobre os joelhos, e me amaldiçoando com todo o tipo de bastardo egoísta que existe. O que eu estou fazendo? Eu destruo as pessoas ao meu redor. Aqueles que eu amo sofrem por causa de mim. Meus pais. Minha banda. Christina. E agora Addie. Addie merece muito melhor do que eu. Depois de trinta minutos de espera, olho para a recepcionista, fazendo contato com os olhos, mas ela só balança a cabeça, em silêncio, me dizendo que ainda não existe uma palavra. Meu telefone toca no meu bolso. "Kat. Diga-me que a encontrou." "Ela está bem”, diz ela, deixando-me respirar com alívio. "Ela e Cici ambos desligaram seus celulares. Ela está segura, Jake." Eu aceno, sem me importar que Kat não possa me ver, e desligo o telefone. Eu esfrego os dedos pelo meu cabelo e fico de


pé, no piloto automático quando eu volto para o meu carro e dirijo em direção a minha casa. Ela está segura. Ela não correu para fora, chateada, e se machucou no caminho como Christina fez. Ela vai ficar bem. Mas o que acontecerá na próxima vez que eu estragar tudo? Eu, obviamente fodi em grande-tempo na noite passada. Nem sequer me ocorreu como ela ficaria comigo, beijando a bochecha de Karina. É a sua maldita bochecha. Mas eu deveria ter pensado nisso. Jesus, mesmo quando eu tinha meus lábios plantados contra o rosto de Karina, tudo que eu conseguia pensar era que Addie cheira melhor e gostaria que ela tivesse sido o meu encontro. Em vez de apenas pensar em mim, eu deveria também ter percebido que as fotos não ficariam tão inocente como era. Eu puxo na minha garagem e ignoro a casa, indo para o estúdio. "Sabe, você era muito mais pontual antes de ter uma namorada”, Max diz com um sorriso enquanto eu entro, mas quando ele vê meu rosto, ele fica sóbrio. "O que está errado." Balanço a cabeça e me sento na cadeira do escritório. "O que estou fazendo, cara?"


"Bem, agora você está me assustando”, ele responde e caminha na minha direção, caindo na cadeira do outro lado da minha mesa. "Quem morreu?" "Isso não é engraçado." "Eu não quis dizer isso para ser engraçado." Eu pego uma caneta e coloco-a sobre a mesa, girando de ponta a ponta. "Ninguém está morto." Eu digo a ele sobre o argumento e conto sobre o acidente e a espera no hospital pelo que pareceram horas. "Ela não é Christina”, diz ele em voz baixa. "Eu sei disso porra." "Mas isto te assustou." Eu concordo. "Foi como há cinco anos, mais uma vez. E então eu me senti como um idiota." "Porque você estava preocupado que ela poderia ter estado em um acidente?" Max pergunta com uma carranca. "Sim, isso é um verdadeiro movimento idiota." "Não, porque eu comecei este relacionamento com uma mulher incrível. Porque eu estou tocando música todo fim de semana novamente, e eu estou amando isso. E eu não mereço nada disso, Max. Afastei-me de tocar por uma razão. Eu não faço a coisa de relacionamento por uma razão ". Max suspira. "Você sabe, eu nunca realmente entendi quais exatamente são essas razões."


Eu estreito meus olhos para o meu melhor amigo, que não tem medo de me cobrir se eu precisar. "As pessoas ao meu redor se machucam." "Besteira." "Como você pode dizer isso? Você estava lá há cinco anos. Antes disso." Eu levanto e ando. "Christina perdeu a perna por minha causa." "Como ela disse, muitas vezes, besteira." Eu balanço minha cabeça. "Não é besteira. E poderia ter sido Addie hoje. Ela poderia ter sido ferida. Ela poderia ter morrido." Meu sangue corre frio com o pensamento. Eu me sento na cadeira e olho para Max. "Ela merece muito melhor do que eu, homem." "Talvez ela devesse ser a única a decidir o que ela merece." "Eu tenho que parar de tocar." "Você é um idiota." "Cara, essa é a verdade." "E você está sendo um babaca egoísta." Eu fico olhando para Max, incrédulo, assim como meu telefone alerta com um texto. Addie: Kat disse que você estava preocupado comigo. Estou bem. Sinto muito que você ficou preocupado. Vamos conversar amanhã, ok? "Primeiro de tudo, há cinco anos, foi um acidente. Não foi culpa sua, mas você se convenceu de que era. Então a banda se


separou, o que eu não tenho muito ressentimento. Quero dizer, nós provavelmente teríamos nos separado em algum ponto de qualquer maneira, e escrever e produzir shows é impressionante. "Mas você se tornou um eremita. E Addie estava o tirando disso. Você merece ser amado, você sabe." Eu balanço minha cabeça, mas ele me interrompe antes que eu possa falar. "Você merece. Todo mundo merece. Você merece se apaixonar e ter uma dúzia de bebês e fazer o que você ama. Se você gosta de cantar para algumas centenas de pessoas, todos os finais de semana em um restaurante muito legal, então faça isso." Eu não respondo. Eu simplesmente balanço a cabeça e levanto e caminho para fora do estúdio. Preciso de algum tempo na piscina. Preciso de Addie. Tudo em mim está gritando para eu ir encontrá-la, abraçá-la e me certificar de que ela realmente está segura e inteira. Mas Addie não precisa de mim.


Capítulo Quinze Addison "Será outro dia estelar em Portland, Bill." "De fato é, Shelley." Eu olho para fora da janela e sorrio para o sol. O newspeople28 está certo; que vai ser outro bonito dia em Portland. Eu levanto meus braços para acima, alongando e, em seguida, me curvo para tocar os dedos dos pés. Mesmo nos saltos, eu posso tocar em meus dedos do pé. Não é ruim, se eu me puder dizer. Me sinto bem hoje. Eu dormi como os mortos, embora eu teria dormido melhor se eu tivesse sido envolvida em torno de uma estrela de rock sexy, mas eu acho que foi bom ter uma noite longe um do outro. Minha conversa com Cici ajudou muito. Eu sei que haverá momentos em que nós irritaremos um ao outro, mas nós somos apenas humanos. Acontece. E se eu gosto ou não, ele é uma celebridade, e haverá momentos em que ele irá em torno de outras pessoas famosas, e fotos serão tiradas. A imprensa é uma filha da puta que gosta de começar rumores, e eu preciso aprender a confiar.

28

Jornal de Notícias.


Porque eu realmente não acredito que ele iria me machucar. Não de propósito. Na verdade, eu sinto falta dele. Pego meu telefone, mas paro com o polegar que paira sobre o seu nome. O que eu vou dizer? Sinto muito parece banal. Mas eu sinto muito. Assim quando eu estou prestes a chamar seu nome, a campainha toca, e eu não posso deixar de sorrir e correr para a porta, borboletas que tomam conta da minha barriga. Espero que seja Jake. Eu não fico desapontada quando eu abro a porta. Ele está encostado no umbral, e quando seus olhos encontram os meus, eu vejo o alívio em seus profundos olhos verdes. Eu pego a sua mão na minha e o puxo para dentro, em seguida, me lanço em seus braços, segurando-o firmemente em torno do pescoço. "Eu estava prestes a chamá-lo! Jake, eu sinto muito por ontem. Eu exagerei totalmente. Eu acho horrível e fiquei irritada por Jeremy aparecendo, e então você me surpreendeu, e eu realmente só reagi mal." Eu beijo sua bochecha e enterro meu rosto em seu pescoço. Deus, ele se sente tão bem. "Mas eu falei com Cici ontem por um tempo e ela me ajudou a vir aos meus sentidos. Às vezes eu apenas deixo minhas emoções obter o melhor de mim. Eu sinto muito."


Eu beijo seu pescoço e chego ainda mais perto dele, absorvendo seu calor e seu limpo, perfume surpreendente. "Eu realmente sinto muito que você pensou que eu era parte desse acidente. De agora em diante, eu vou manter o meu telefone ligado." De repente, ele endurece contra mim, e me ocorre que ele não disse uma única palavra desde que chegou aqui. "Você está bem?" "Não." Ele agarra meus ombros em suas mãos e me coloca para longe dele, em seguida, caminha para minha janela, de costas para mim. Ele enfia as mãos nos bolsos. "Não, Addie, eu não estou bem." "Isso é sobre ontem?" Eu franzo a testa e vejo como ele fica perfeitamente imóvel. Ele não está olhando para mim. Ele está completamente fechado. Ele simplesmente balança a cabeça negativamente e suspira. "Você não está falando comigo?", eu pergunto, incrédula. Ele suspira de novo e vira-se para mim agora, olhando para mim com olhos injetados de sangue. "Você dormiu?", eu pergunto, franzindo a testa. "Não”, ele responde. "Por que não?" Suas mãos ainda estão em seus bolsos. Eu ando com ele, mas ele imediatamente se afasta, fora do meu alcance. "Por que você não me deixa tocar em você?"


Ele balança a cabeça e suspira. "Minha vida é ocupada, Addie." "As nossas vidas são ocupadas, Jake." Ele esfrega a mão sobre os lábios, depois se vira para mim e tudo que eu vejo é um estranho. Eu não conheço esse homem me olhando com olhos vazios sem emoção. "Você está dizendo que precisa de tempo longe de mim? Temos gastado muito tempo juntos ─" "Eu não quero tempo longe de você”, ele sussurra. "Eu sei que você está atraído por mim." Por que minha voz está tremendo? E por que eu quero pedir-lhe para ficar? Eu odeio isso! "Olhe para você”, ele murmura, com um meio sorriso triste, apontando para a minha roupa. "Essa blusa vermelha mostra seus peitos perfeitamente, sem realmente me mostrar seus peitos. Como diabos você faz isso? Você aprendeu isto a partir de modelagem?" Eu simplesmente aceno. "Eu pensei assim. Mas você é linda, não importa o que você usa. Você poderia usar um saco de serapilheira e meu pau estaria duro para você." "Obrigado. Eu acho." Pura emoção está rolando fora dele em ondas. "Isso não é o nosso problema em tudo, Addison." "Qual é o nosso problema, Jake?" Eu me aproximo dele agora, aperto seus ombros, e o olho nos olhos. "Eu não posso fazer isso”, ele murmura.


"O que não se pode fazer?" Você está brincando comigo? Ele está caindo fora. Ele não tem que dizer sequer as palavras, eu posso ver isto escrito em todo o seu rosto. Eu amo-o. Dei-lhe tudo, aprendi a confiar, e ele está caindo fora. "Eu não posso fazer nós." "Bem, então, você precisa sair." Eu mantenho meu rosto perfeitamente limpo de qualquer emoção e meu corpo não se move, até que ele se foi e eu fechei a porta atrás de mim. Cegamente me sento na mesa da sala de jantar e coloco a minha cabeça em minhas mãos. Estou atordoada demais até mesmo para as lágrimas virem, e eu nem tenho certeza do por que. Por que isso me surpreende? Isto é o que acontece. As pessoas me deixam. A única pessoa de quem posso depender sou eu.

"PASSE-ME A GARRAFA”, eu digo, chegando a direção de Kat para a garrafa de tequila que ela acabou de abrir. Todas nós estamos sentadas no chão da sala de Cami, ficando bêbadas. Cada uma de nós tem um copo e um garfo para o bolo de chocolate colocado no meio de nós. "Obrigado por terem vindo, pessoal." "Ei, nós temos regras”, Riley diz, observando-me derramar um pouco de tequila no meu copo. "Se há uma morte, um nascimento, ou um rompimento, nós viemos... Sem perguntas." Eu aceno, em seguida, jogo para trás o tiro, apreciando a forma como ele queima na minha garganta.


"Além disso”, Cami diz com um sorriso enquanto ela toma uma mordida de bolo, "eu gosto de nossas noites do clube mulher ─ odeia ─ Homem." "Eu não sou uma inimiga do homem”, eu digo com um aceno de cabeça. "O único que amo é apenas imbecil." "Totalmente

imbecil”,

Kat

diz,

levantando

o

copo

em

saudação, então atira o licor de volta. "Ele disse por que ele estava despejando-a?", Mia pergunta. Ela está deitada no chão, olhando para o teto, o cabelo comprido, escuro espalhando em torno dela como um halo. "Não realmente." Eu dou de ombros, e pego a garrafa de volta de Riley. "Ele vociferou um pouco sobre ter estado longe demais do trabalho, e algumas outras coisas que eu não entendo muito bem, e então ele apenas disse que não poderia fazer mais isso de nós e saiu." "Isso não faz qualquer sentido”, Cami diz com uma careta. "Você segurou a garrafa”, Kat diz e volta para a cozinha de Cami por mais bebidas. "Existe alguma vodca que a chicoteia lá?" Mia chama. "Eu quero algo doce." "Sim”, Kat diz com um sorriso quando ela volta com a garrafa que Mia pediu, juntamente com uma lata de creme de chantilly. "Há essa também. Ele tem álcool." Ela borrifa algum em sua boca e passa para Cami, que toma uma mordida de bolo, borrifa algum chicote sobre ele, e enfia tudo na boca.


"Eu odeio quando os homens são idiotas”, Riley diz com uma careta. "Tipo, por que eles têm que ser assim, tão idiotas?" "Porque é com isso que eles estão pensando. Seus paus”, Mia diz com um suspiro, então entorna diretamente da garrafa antes de passá-la de volta para Kat. "É como se eles não conhecessem nada melhor." "Besteira. Eles sabem melhor". Cami aponta seu garfo em Mia. "Ser idiota é uma atitude escolhida." "idiota." Eu ronco, então rio em voz alta. Deus, eu não posso sentir meus lábios. Eu dou de ombros e tomo um gole de tequila fora

da

garrafa.

"Eu

simplesmente

odeio

quando

eles

simplesmente saem." Eu arremesso meu braço para fora, dirigindo o meu ponto casa. "Eles simplesmente saem, e você não sabe o porquê. Não há razão. Eu quero dizer..." Eu torço meu rosto, tentando encontrar minhas palavras. "Talvez haja uma razão, mas eles não lhe dizem." "Exatamente”, Riley diz com um aceno de cabeça. "Porque eles são cagões." "E há o ser idiota." Cami enche mais bolo em sua boca. "Ser idiota, o caralho." "Às vezes as suas idiotices são divertidas”, Kat diz com uma piscadela. "Muita diversão." Ela aponta para Cami e esguicha um chicote de álcool em sua boca. "Deus, isso é forte." "Deus abençoe o homem que colocou o álcool em chantilly”, diz Mia.


"Foi provavelmente uma mulher”, eu respondo. "Em uma noite como esta." "Bem, Deus a abençoe”, Mia repete, em seguida, olha para mim com um olho fechado. "Você sabia que se você fechar um olho, depois mudar para o outro, parece que as coisas se movem ao redor, mas isso não acontece." "Mia bêbada!", Cami anuncia e ela e eu brindamos nossas garrafas em comemoração. Eu mergulho no bolo, colocando de forma grande demais em minha boca, fazendo-me tossir e vomitar pedaços de chocolate por todo o tapete. "Desculpe, Cami." "Meh." Ela encolhe os ombros. "Eu vou aspirar amanhã." "Eu tenho boas amigas”, eu digo com um suspiro, depois de engolir o bolo e tomar um gole de tequila. Deus, essa merda é boa. "Como, as melhores amigas de sempre. Eu não tenho só uma pessoa, eu tenho pessoas. Quantas cadelas podem dizer isso?" "Quatro outras pessoas que eu conheço”, Riley diz com uma risada. "Temos a sorte de ter uma tribo." "Nós temos”, eu digo, acariciando seu cabelo bonito. "Seu cabelo é tão macio." "Você sabe quem tem cabelo macio?", Cami pergunta com a voz muito alta, "Landon." "Estamos falando de Landon?", Kat pergunta "Eu pensei que ele ainda estivesse fora dos limites."


"É uma festa ridícula-homem”, eu indico. "Eu digo vamos falar sobre todos os homens burros". "Exceto, ele não é burro”, Cami diz com tristeza. "Ele é muito, muito, muito inteligente. Ele foi o orador oficial de sua classe". "Isso não faz dele inteligente”, eu respondo, mas depois franzo a testa. "Espere. Talvez isto faça." "Ele é burro por feri-la”, diz Mia. "Mas ele ainda não sabe que ele está fazendo isso, o que o torna duplamente burro." "Acho que ele talvez saiba”, Cami diz suavemente, lágrimas se formando em seus olhos. "Mas acho que ele simplesmente não se importa." "Landon se importaria”, eu digo com uma careta. "Landon é uma boa pessoa. Ele não seria tão idiota com você. Ele te ama." "Mas ele não me ama, e esse é o problema." Todas acenamos, compreendendo o significado do Cami disse perfeitamente. "Bem, eu vou mandar uma mensagem para Jake”, eu decido com um aceno. "Eu acho que eu deveria. Ele não deve ter a última palavra". "Faça isso!", Mia diz, batendo palmas. "Vamos tirar uma foto de seus peitos e você pode enviar-lhe os demais, de modo que ele se lembrara do que ele está perdendo." "Não”, Riley diz, sacudindo a cabeça enfaticamente. "Tudo isso é uma ideia muito ruim."


"Você está certa." Eu aceno de cabeça e sorrio para Riley inocentemente. "Eu não vou enviar-lhe uma imagem de meus peitos. Mas ainda posso enviar uma mensagem e dizer-lhe que seu pau é muito pequeno." "É pequeno?", Mia pergunta, atirando-se em uma posição sentada, em seguida, quase caindo outra vez. "Uau!" "Não. O tamanho é realmente muito bom". "Droga”, Kat murmura. "E ele é bom com ele. Você me disse isto, eu acho”. "Realmente bom com ele”, eu confirmo. "Eu nunca tive um orgasmo sem penetração antes." "Isso existe?", Cami pergunta, surpresa. "Você quer dizer, Brian nunca fez isso para você?", eu pergunto a ela. "Infelizmente, Brian não é tão talentoso na idiotice como Jake." Ela bufa, em seguida, começa a rir, e todos nós nos juntamos a ela, encontrando esta notícia hilariante. "Eu preciso saber sobre o que é todo este alarido..." "Então, Brian é bom, mas ele não é grande no saco”, eu digo, agora acariciando o cabelo de Cami. "Seu cabelo é macio também." "Por que você está acariciando todas?", Kat pergunta . "É reconfortante”, eu sussurro em voz alta para ela. Jesus, ela não está maternal em tudo.


"Brian é bom com a língua”, Cami diz, pensativa. "Mas o resto? Meh." "Então por que você está constantemente tentando definir o homem em cima?", Mia pergunta. "Bem, o que foi meh para mim pode ser wowza29 para outra pessoa. É tudo subjetivo." Nós acenamos de acordo. Quer dizer, isto faz todo o sentido. E então eu me lembro que eu estava indo mandar mensagem a Jake. "Eu vou mandar uma mensagem a Jake." Eu rastejo através do quarto para buscar a minha bolsa, e Kat vem depois de mim. "Não, você não." Ela atinge em torno de mim, tentando encontrar meu telefone, mas eu o seguro perto de minha barriga e me curvo, fora do seu alcance. "Dê-me seu telefone, Addison." "Deixe-a”, grita Mia. "Não, ela não deve enviar mensagem a ele”, Riley diz. Kat me faz cócegas e eu me contorço, perdendo meu aperto no meu celular, e ela arranca-o para fora da minha mão. "Você é forte para alguém que pensa que a academia é uma arma de extinção em massa." "Destruição em massa", Cami me corrige, ainda comendo bolo. "Isso é o que eu disse." Eu volto para Kat e estico a minha mão. "Dê-me o telefone." 29

Expressão de surpresa, sinônimo de Wow.


"Não." "Sim!" "Addie, olhe para mim." Há duas dela. "Você vai se arrepender amanhã. Não envie texto a ele. Não lhe dê esta satisfação. Ele terminou com você, querida. Você não pode enviar mensagem a ele: faz você parecer fraca e patética". Olho para ela, piscando rapidamente enquanto as lágrimas começam a vir. "Eu nunca disse a ele que eu o amo." "Ah, baby”, Kat diz e me puxa para um abraço. "Eu confiava nele. Eu abaixei a minha guarda com ele." Eu saio dos braços de Kat e me estatelo no chão em derrota. "Contei-lhe tudo sobre os dias de modelagem." "Tudo?", Cami pergunta, surpresa. "Tudo. Eu disse a ele sobre meus pais, e eu deixei-me ser vulnerável com ele. Eu me aconcheguei com ele, pelo amor de Deus, e eu odeio aconchegar!" "Rapaz, não a conhecemos”, murmura Riley e atira sua vodca. Os soluços duros são provenientes agora, me fazendo tremer com cada respiração. Tenho certeza de que o ranho está escorrendo pelo meu queixo. E eu simplesmente não me importo. "Eu caí tão difícil para ele! Na maioria das vezes eu não dou nenhuma foda. Nenhuma. Mas desta vez eu dei a foda", eu digo a Cami, que acena com os olhos arregalados. "Eu dei muita foda, Cam. Eu sou uma prostituta de sentimentos."


"Eu não acho que você precisa chamar um sentimento de prostituta”, Mia diz sabiamente. "Ter sentimentos é bom." "Ter sentimentos, porra, suga”, Kat murmura com um aceno de cabeça. "Especialmente quando se trata de homens, porque quando nós nos importamos, nós damos a eles o poder de pisar em nossos corações." "Nós damos”, eu digo entre soluços quebrados. "E dói tanto, meninas. Eu não sabia que eu poderia sofrer assim. "Eu balanço minha cabeça violentamente. "Eu não sabia." "É por isso que você não pode mandar mensagem a ele”, Kat diz e escova meu cabelo para trás por cima do meu ombro. "Porque ele vai responder, e então isto vai apenas manter machucando." "Eu não quero que ele me machuque mais”, eu sussurro e limpo os meus olhos, em seguida, olho para a máscara manchada através da palma da minha mão. "Eu estou tão cansada de me ferir. Eu estou tão cansada de ser jogada fora como se eu fosse nada." "Você não é nada disso”, Riley diz, sua voz dura e irritada. "Mas eles me jogam fora como eu não fosse nada”, eu respondo, enxugando o outro olho. "Quem são eles?", pergunta Mia. "Homens. Meus pais." Eu engulo em seco. "Jake. Jake me jogou de lado como eu fosse nada. E isto dói mais porque eu podia ver um futuro com ele, meninas. Eu não estou dizendo que


eu tinha escolhido um vestido ou qualquer coisa, mas era tão fácil estar com ele, que, quando eu pensei em estar com ele para sempre, não assustou o inferno de mim." "Isso é tão doce”, Cami diz, enxugando os olhos. "Eu sei." Eu fungo e limpo o nariz com as costas da minha mão. "Existem lenços de papel?" "Eu acho que estamos todas muito bêbadas para tentar ir encontrar algum”, Mia diz. Então, eu só limpo o meu nariz novamente na minha camisa, em seguida, me deito sobre o tapete, meu rosto embalado na parte de trás da minha mão. "Eu já sinto falta dele."

É MUITO, MUITO CLARO aqui. E meus olhos estão fechados. Eu gemo e abro um olho, apenas uma fenda, ao descobrir que todas as luzes ainda estão do lado de Cami da sala de estar, e todas as minhas amigas estão desmaiadas no chão e sofá. Na verdade, parece que Cami e Riley estão afagando no sofá, roncando. Pelo menos eu não sou a única pessoa que ronca. Eu rolo em minhas costas e a primeira onda de náusea chuta violentamente. Tão violentamente, que me levanto e corro para o banheiro, em seguida, quando eu chego lá, eu caio de joelhos e vomito no banheiro. Tanto que eu tenho certeza que eu perdi alguns órgãos vitais.


De repente, alguém aperta um pano frio no meu pescoço, mas eu não posso nem olhar para trás para ver quem é, porque eu continuo a vomitar. Meu estômago é tão exigente que eu não posso nem respirar e eu posso sentir meu rosto indo bater vermelho. Deus, isso dói. Tudo machuca. "Oh meu Deus”, eu lamento quando eu sou capaz de tomar um fôlego, meu rosto ainda a meio caminho dentro da privada. "Eu sinto muito, Add”, Mia sussurra, esfregando grandes círculos em torno de minhas costas. Ela vira o pano sobre isso fico com o lado frio na minha pele. "Eu sinto muito." "Faça isso parar, Mia." Eu estou implorando e chorando, e depois vomito um pouco mais. Eu não consigo parar de vomitar. Eu não posso parar de doer. "Isto vai ficar melhor”, ela sussurra, segurando meu cabelo para trás. "Eu sei que dói tanto agora que você quer morrer, mas vai ficar melhor. Eu prometo." Mia sabe. Mia esteve aqui. Eu coloco minha bochecha no assento do vaso e tento não pensar sobre o fato de que meu rosto está em um assento do vaso sanitário. Eu não acho que é sábio me mover ainda. "Ele disse que não poderia fazê-lo, e quando eu perguntei o que ele não podia fazer, ele disse que não poderia fazer nós." "Desgraçado."


"Mas ele não me disse o porquê e isto dói quase tanto porque eu não sei o que eu fiz de errado." "Oh, querida, eu não acho que você fez alguma coisa errada." Ela está escovando os dedos pelo meu cabelo, me acalmando. "Eu devo ter feito alguma coisa, Mia. Você não despeja alguém sem nenhuma razão". "Idiota”, ela sussurra, me fazendo rir. "A coisa é, ele não é um pau. Mas eu acho que ele não é mais problema meu." Isso me faz rasgar tudo de novo. "Sinto falta dele." "Eu sei." "Eu amava o jeito que ele me tocava. Ele me fez sentir importante, Mia." Ouço-a fungar, me fazendo chorar mais. Estou tão farta de chorar. "E eu odeio soar tão maldita chorona, porque eu não sou uma chorona." "Você tem direito. Não se passaram nem sequer vinte e quatro horas ainda." Eu aceno, mas isso me faz náuseas tudo de novo, então eu passo os próximos cinco minutos, o que se sente como pelo menos uma hora, sentada no vaso sanitário. Finalmente, estou agarrando para a borda do vaso sanitário fracamente, meus ombros tremendo. "Eu não acho que eu tenho mais nada em mim." "Tem certeza?", Mia pergunta.


"Sim." "Ok, fique parada, eu vou por esse pano frio novamente e eu vou levá-la até o quarto de hóspedes de Cami." "Mia?" Aperto sua mão antes que ela possa recuar. "Sim." "Eu te amo." "Eu também te amo, amiga."


Capitulo dezesseis Jake Eu

não podia ir para casa. Eu iria receber uma palestra de Max,

ou pior, eu iria socar ele e foder nossa amizade, e isto iria apenas acrescentar mais merda para um dia já de merda. Talvez o pior dia da minha vida. Porque eu tive que deixá-la ir, e foi a coisa mais difícil que eu já fiz, porra. Quando eu fecho meus olhos, tudo que eu posso ver é o desgosto em seu rosto lindo e isso me faz sentir como um pedaço de merda. O que eu sou. Mas é melhor machucá-la agora, antes de ficar profundo demais e antes de eu fazer algo que faça muito mais do que apenas ferir seus sentimentos. Não, eu não poderia ir para casa. Em vez disso, cheguei a um bar na periferia de Hillsboro, não muito longe da minha casa. Estive aqui toda a manhã. Eu acho que deve ser algum momento durante a tarde por agora, porque uma nova bartender veio para o turno, substituindo a jovem ruiva que me serviu durante toda a manhã. Eu realmente não sei que horas são. Ou me importo.


O barman de meia-idade limpa para baixo o balcão com um pano branco e acena com a cabeça em direção ao meu copo. "Obter-lhe outro?" Eu concordo. "Jack e Coca-Cola." Ele se vira para ir buscar a minha bebida, em seguida, deslizao para mim, e como eu estou levantando o copo aos lábios, eu ouço ao meu lado, "Bem, você não é a coisa mais sexy que eu já vi em até agora”. A voz da estranha é áspera de muitos anos de cigarros. Eu a ignoro, tomando a minha bebida, esperando que ela só vai tomar a dica e ir embora. Mas ela não faz. Droga. "Eu não acho que eu já o vi aqui antes”, ela tenta novamente. Não, você não viu. Eu saboreio a minha bebida de novo, ainda a ignorando. "Hey”, ela diz e coloca a mão no meu braço. "Você está bem?" Finalmente, olho para ela, quase se levando em cabelos loiros e lábios vermelhos brilhantes. Eu balanço minha cabeça e levanto o meu copo aos lábios. "Eu não estou interessado em tudo o que você está oferecendo." "Como você sabe?", ela pergunta, ainda tocando meu braço. "Eu gosto de suas tatuagens. Por que você não me diz o que você está procurando?" Eu giro no meu banco, obtendo um bom olhar para o trabalho da tintura ruim em sua cabeça loura, com pelo menos duas


polegadas de exibição marrom nas raízes. Ela tentou muito duro com a maquiagem, provavelmente levando a mesma quantidade de tempo que Addie para ficar pronta, mas em vez de olhar natural e elegante, a mão pesada com delineador e blush apenas faz seu olhar uma porcaria. Sua camiseta branca está muito apertada, e sua saia jeans curta demais. "Você quer saber no que eu estou interessado, querida?", eu pergunto a ela. Ela morde o lábio, gira uma mecha de cabelo em torno de seu dedo, e assente. "Ela é cerca de cinco pés dez, com o cabelo louro natural, a cor da luz do sol de manhã e olhos tão azuis que você poderia se afogar neles. Ela tem curvas por dias, e suas pernas são tão longas que fazem um homem se sentar e pedir-lhe para envolvêlas em torno de sua cintura. Ela é atrevida e tipo, e tem os mais inteligentes retornos de qualquer um que eu já conheci." "Ela parece impressionante”, a mulher responde, então sorri. "Mas eu aposto que posso fazer você esquecer-se dela." "Não." Eu volto para o bar e levanto o meu copo, bato para trás o que sobrou, e sinalizo para o barman me dar uma recarga. "Você está desperdiçando seu tempo aqui." "Bem, eu vou estar bem ali, se você mudar de ideia." Seus saltos clicam, ela se afasta, e eu nem sequer lhe dou uma segunda olhada. Será que eu realmente pensava que


mulheres como ela eram atraentes? Porque houve um dia em que eu teria levado a sua oferta. Gostaria de tê-la levado para o banheiro, trancado a porta ─ ou não, eu não dou a mínima ─ e fodido seus cérebros para fora, em seguida, ido pelo meu caminho. Tem sido um tempo muito longo desde aqueles dias, mas eles existiram. E o pensamento disto agora me deixa doente. "Transformou-a para baixo, hein?", o barman diz enquanto ele me passa uma nova bebida. "Não é o que eu quero”, eu respondo secamente. "Não, eu ouvi o que você quer. Isso é o que todos nós queremos, garoto." Ele relincha e lava copos na pia na minha frente. "Eu sou Bill." "Jake. Sim, bem, eu posso querê-la o dia inteiro, e eu quero, mas eu não posso tê-la." "Então ela existe?" Eu rio e aceno. "Oh sim. Ela existe." Eu puxo o meu telefone do meu bolso e procuro através das minhas fotos, até que eu volto a selfie que tiramos nas quedas. Estou beijando a bochecha dela e ela está sorrindo brilhantemente para a câmera. "Ela é um nocaute”, diz ele com um assobio. "Estragou tudo, não é?" Eu apenas aceno e coloco meu celular de volta no bolso.


"Minha Marion, ela era um nocaute quando eu a conheci, trinta e três anos atrás, em fevereiro." Ele puxa a carteira do bolso de trás e me mostra uma foto de uma linda ruiva com grandes olhos verdes e um bonito sorriso. "Ela é definitivamente um nocaute”, concordo com um aceno de cabeça. "Você é casado?" "Por trinta e três anos em agosto deste ano”, ele confirma com uma piscadela. "Eu reconheci uma coisa boa quando eu a conheci e eu a arrebatei antes que alguém pudesse." "Crianças?" Eu engulo o resto da minha bebida e empurro em direção a ele para outra. "Nah." Seus olhos ofuscam enquanto ele encolhe os ombros e derrama a minha bebida. "Tentamos. Não deu certo para nós." "Lamento ouvir isso." Eu lanço metade da nova bebida para trás, meu peito pesado com simpatia. Foda-se, eu preciso chamar Christina. Quando ela descobriu se a última rodada de FIV trabalhou? "Eu a tenho." Ele sorri. "Isso é tudo que importa." Eu estou fodidamente com ciúmes de um cara com o dobro da minha idade e sua bonita esposa. Porque ele tem o que eu quero. Ele tem a mulher dos seus sonhos pelo resto de sua vida. Eu lanço para trás o resto da minha bebida. "Outra." "É melhor abrandar, filho. São quase quatro horas da tarde." Já é tão tarde? Estive aqui, mais tempo do que eu pensava. "Basta mantê-los chegando."


"Será que isso será uma ‘foda-se a minha vida’ tipo de bêbado, ou ‘eu só quero esquecer’ tipo de bêbado?" Eu sorrio. "Honestamente, eu acho que são ambos." Eu deslizo para fora do banco. "Você derrama, eu vou estar de volta." Eu tropeço, Jesus, eu não posso ter bebido tanto, vou ao banheiro dos homens e mijo. Depois de fechar a braguilha, eu empurro minha mão no meu bolso, e saio com o pequeno frasco de cocaína que Addie tinha em sua bolsa. Foda-me. O álcool sempre foi a minha porta de entrada para a cocaína, e olhando para ela agora, eu quero mais do que eu quero que minha próxima respiração. Quem se importa se eu ficar alto mais uma vez? Quem iria doer? Quer dizer, eu já obliterei completamente a regra de semálcool, então eu vou fazer isso uma última vez e chamá-la. Eu olho para mim mesmo no espelho, inclino-me sobre o balcão, e junto uma faixa azul e eu giro sobre a água, abro a cocaína e jogo pelo ralo, em seguida, atiro o frasco no lixo. Eu não sou um viciado, e eu vou ser a porra de um condenado se eu vou cheirar essa merda no meu nariz agora, só porque eu estou fazendo beicinho sobre Addie. Mas eu vou beber cada garrafa de Jack Daniel deste lugar.

O BAR ESTÁ LOTADO esta noite. Há crianças que jogam piscina e afundam dólares em um jukebox, escolhendo uma boa música, mas principalmente música de merda.


Ou talvez eu apenas não esteja no clima para canções felizes. Eles tocaram uma música Hard Knox, o que só me fez querer socar alguém. Esqueci de que o álcool me faz agressivo, e isso é apenas uma das razões pelas quais eu desisti há muito tempo. "Você quer encerrar a comanda, Jake?", Bill pergunta e ele me dá uma bebida. Eu tenho ficado cada vez mais bêbado, durante todo o dia. E parece fodidamente fantástico. "Não. Vou precisar de outro." "Eu acho que eu vou te cortar, amigo”, ele responde. "É quase meia-noite, e se você esteve bebendo o dia todo." "Você é a polícia do álcool porra?", pergunto com uma careta. "Sim, na verdade, eu sou." Ele sorri. "Quem eu posso ligar para você?" "Por que você vai chamar alguém para mim?" Deus, minhas palavras estão todas arrastadas, porra. "Porque você não está dirigindo para casa. Eu posso chamar um amigo ou um táxi, qual vai ser? " "Chame Addie." Eu puxo o meu telefone do meu bolso e, em seguida lato uma risada. "Espere. Você não pode chamá-la." Eu deslizo o meu telefone através do bar para ele. "Ela me odeia. Chame Christina." "Tem certeza?", pergunta ele com um sorriso. "Ou há o nome de outra mulher que você quer jogar fora?"


"Christina”, repito e coloco minha cabeça para baixo no meu braço, de repente muito cansado. Quando eu cheguei para caralho cansado? "Este é Bill no bar Yellow Rose em Hillsboro." Estou na Yellow Rose? Hã. "Eu tenho Jake aqui, e ele vai precisar de uma carona para casa. Ele me disse para chamá-la." Eu não preciso de uma carona para casa. Eu tenho um carro, porra. Assim que eu dormir fora desta bebedeira no banco de trás, eu posso dirigir para casa. Deus, parece que eu estou girando. As crianças que jogam, estão rindo. A música é alta. "Você está bem, Jake?" "Sim, Bill, eu estou bem”, eu lhe respondo sem abrir os olhos. "Eu posso só dormir aqui." "Não, você não pode." Ele ri e de repente eu sinto o cheiro de café. "Tenha um pouco isso." "Não, obrigado." "Como quiser." Eu não tive os giros desde... Inferno, desde antes de a banda se separar. Desde antes do acidente de Christina. Eu franzo a testa e abano a cabeça, tentando limpá-la. Por que diabos eu estou pensando sobre isso? Foi há muito tempo. Não tem nada a ver com agora. Eu sinto uma mão nas minhas costas.


"Eu disse a você, querida, a menos que seu nome é Addison, eu não vou te foder. Tenho certeza de que um dos caras que jogam na associação irá levá-la para trás e agitar o seu mundo, basta perguntar-lhes." "Estou aliviada de ouvir isso." Christina. "Hey." Eu abro meus olhos e tento me concentrar em três Christinas de pé ao meu lado. "Como você chegou aqui?" "Eu dirigi até aqui, Einstein. Será que ele pagou sua comanda?" "Eu tenho aqui”, Bill diz, entregando Christina meu cartão de débito e me passando uma caneta para assinar o recibo. Dou-lhe uma nota de quinhentos dólares. Ele mereceu. "Aqui está o seu telefone." "Obrigado." "Você não tinha que vir." Eu saio do banco, e Chris enfia-se no meu lado, ajudando-me pela a porta. "Obrigado, Bill! Tenha um bom dia!" "Obviamente, eu tinha que vir”, diz ela enquanto ela me leva para seu carro. "Você está bêbado". "Graças a porra." Eu me deixo cair em seu carro e caio no banco de trás, imediatamente fechando os olhos. "Girando?", ela pergunta enquanto ela puxa para fora do estacionamento.


"Sim." "Se você vai vomitar, me avise para que eu possa puxar mais." "Não vou vomitar." Eu respiro fundo pelo nariz e me forço a não vomitar. "Foda." "O que aconteceu?" Eu engulo a bile subindo na parte de trás da minha garganta. "Addie foi embora. Eu a sinto puxar para a autoestrada e me fortaleço quando ela vira para a direita. “Deus, diminua. Esta não é uma corrida de merda." "O que quer dizer Addie se foi? Onde ela foi?" "Acabamos”, eu respondo. Chegamos a uma parada, e eu empurro para fora do carro e vomito na grama, incapaz de mantê-lo mais. "Pelo menos você não fez no meu carro”, Chris diz atrás de mim. "Vamos, burro". Braços de homem me pegam, e eu olho para Kevin, que sorri feliz. "Como você chegou aqui?", eu pergunto a ele. "Eu moro aqui." "Você não vive comigo. Christina não gostaria disso, e eu não balanço dessa forma, cara." "Oh meu Deus”, Chris diz com uma risada, levando-nos à porta da frente. "Nós não estamos em sua casa." "Oh." Antes que eu saiba, estamos no quarto de hóspedes. "Eu fodi, C."


"Por que vocês terminaram?", ela pergunta baixinho e me ajuda a sair dos meus sapatos. "Porque eu estrago a vida de todos”, eu digo e me deito na cama. Pelo menos vomitar fez tudo parar de girar. "Você é um especialista em foder a sua própria vida”, murmura C. mas, em seguida, as luzes se apagam, e deixo o sono assumir.

BACON. Posso sentir o cheiro de bacon. Eu me viro para o meu lado e gemo. Porra, eu nunca devo beber assim. C A coisa é, eu nunca bebo assim. Estou velho demais para essa merda. "Jake! Traga sua bunda para fora da cama!" Christina está gritando da cozinha, e isso me faz sorrir. De volta ao dia, antes da fama e toda a besteira, ela costumava me fazer café da manhã para me curar de uma ressaca. Uma omelete de quatro ovos com bacon e queijo é mais do que qualquer pessoa deve comer em um dia. Exceto, que eu não pretendo me mover. Minha cabeça parece que dez pessoas estão sentadas sobre ela e eu tenho certeza que eu já não tenho um fígado funcionando. "Jake”. Christina aparece quando ela abre a porta para o quarto. "Não me faça jogar água em você." "Você não faria isso." Isso é mesmo a minha voz?


"Oh, você sabe tão bem quanto eu, que eu faria. Já fiz. E farei novamente se eu tiver que fazer. Portanto, obtenha o seu rabo de ressaca fora da cama". Ela bate a porta, o que me faz pegar minha cabeça, precisando para estabilizá-la. O que ela queria dizer? Eu rolo para o lado da cama e me levanto em uma posição sentada, gemendo. Deus, eu fiz um número em mim ontem. E Addie se foi. Foda-me. Eu rastejo para a cozinha, ainda com roupas de ontem, e muito provavelmente cheirando igual ao bar cheio de bebidas, quase batendo em Christina que está em seu caminho de volta para o quarto com um copo cheio de água. "O que você queria dizer." "É meio-dia”, ela responde com um rolar de olhos, e me leva para a cozinha. "E a sua omelete está pronta." "Esta omelete é a razão de sermos amigos." "Não, eu pegar você na noite passada é o porquê de sermos amigos." Ela sorri e me sento à mesa do café, observando enquanto devoro a omelete. "Pelo menos você tem um apetite." "Eu preciso de algo no meu estômago. Sinto-me cru. " "Ele provavelmente está”, ela responde com um sorriso suave. "Quer falar sobre isso?" "Eu tenho uma escolha?"


Ela encolhe os ombros e olha para fora da janela, o que nos dá uma bela vista do Monte Hood. "Você sempre tem uma escolha, mas eu não vou parar de insistir até que você fale, então você pode muito bem tornar mais fácil para nós dois e fazê-lo de bom grado. Você rompeu com Addie." "Como você sabe disso?" Minha cabeça chicota até a olhar para ela. "Você me disse ontem à noite." "Eu estava tão bêbado, porra." Eu abaixo a cabeça na minha mão. "Sim, você deu a todo bar um meio show dublando Cyndi Lauper, e tirou para baixo a sua roupa interior e tudo." "Eu não estou vestindo roupas íntimas”, murmuro um pouco envergonhado. "Yuck." Ela torce o nariz, depois ri. "Estou brincando. Parece que você ficou chocado." Concordo com a cabeça e como o último pedaço da omelete. "Aqui." Ela me dá quatro ibuprofenos e um copo de suco de laranja. "Obrigado por cuidar de mim." "Eu estou praticando." Ela sorri e esfrega a barriga. Eu paro frio e olho para ela. "Para o quê?" "Para ter um bebê." Seus olhos levantam. "Funcionou. Estou grávida."


"Oh meu Deus, C!" Eu a puxo em meus braços e abraço-a apertado. "Eu estou tão feliz por você. Quando foi que você descobriu? " "Ontem". Ela se afasta e sorri feliz. "Eu teria dito a você na noite passada, mas eu estava puxando seu rabo bêbado ao redor." "Você não tem que fazer isso." "Você não se viu ontem à noite. Você tem sorte que você chegou até a grama para vomitar." "Oh Deus. Eu sinto muito." Ela encolhe os ombros e toma um gole do meu suco. "Então me diga por que você terminou com a melhor coisa que já aconteceu com você." Olho para o meu prato vazio e toda a tristeza das últimos vinte e quatro horas vem deixando de funcionar para baixo em mim. "Porque eu não sou certo para ela." "Por que você pensa isso? Pareceu-me que vocês estavam muito bem juntos." "Nós não funcionaríamos para longo prazo." "Então, você não está interessado?" Ela balança a cabeça. "Acontece. Quer dizer, ela parece boa o suficiente, e Deus sabe que ela é linda, mas isso é apenas superficial. Talvez seja que ela não é tão grande quanto ela me levou a acreditar." "Ela é incrível”, eu sussurro. "Ela é melhor do que você acha."


Chris está calma, me observando e, finalmente, pega minha mão na dela, segurando forte. Eu preciso disso, esta conexão com ela. "Então por que você não está com ela, J?" "No outro dia, depois que ela e eu tivemos uma discussão e ela saiu correndo, frustrada comigo, eu achei um acidente na autoestrada. O carro era o mesmo que de Addie". Os olhos de Christina estreitam, mas ela não diz nada. "Eu tinha certeza de que era ela. Eu pensei que ela tinha ficado com raiva, e ela se meteu em um acidente, e que ela tinha sido ferida. Deus, C, por cerca de uma hora, quando eu não sabia ao certo se era ela, eu pensei que eu a tinha matado. " "Do que você está falando?" Balanço a cabeça, olhando para nossas mãos unidas. "Eu não posso continuar um relacionamento com ela. Sim, ela é a melhor coisa que já me aconteceu, mas você não percebe? Eu só vou estragar sua vida." Ela está de cara feia para mim agora, sacudindo a cabeça. "Eu não estou te seguindo em tudo, Jake." "Eu machuco as pessoas. Eu desaponto as pessoas." Eu engulo em seco. "Eu não ligava para o meu pai do jeito que eu deveria ter ligado nos últimos anos de sua vida." "Você estava fazendo exatamente o que seu pai queria que você fosse fizesse, Jake. Ele estava tão orgulhoso de você, ele estava explodindo com isso."


"Como você sabe?" "Quem você acha que lhe deu atualizações regulares sobre você? Falei com ele o tempo todo. Sabe quantas vezes eu ouvi, ‘eu estou tão orgulhoso desse rapaz? ’ " Uma lágrima desliza pelo seu rosto. "Ele queria que você perseguisse a música, Jake. Teria irritado-o se você tivesse feito qualquer outra coisa". "Eu sei”, eu sussurro. Ela está certa. Ele teria. Mas porra, como eu sinto falta dele. Eu gostaria de ter sido o único a chamálo regularmente, para dizer-lhe sobre a minha vida. "E então, você." "Eu?" Ela levanta as sobrancelhas. "Você." Eu balanço minha cabeça lentamente. "Eu sinto muito, C." "Pelo quê? Por ser um babaca? " "Pelo o acidente." Eu encontro o seu olhar agora, surpreso ao encontrar tanta confusão em seus bonitos olhos. "Por você perder sua perna. Pelas coisas horríveis que eu disse a você antes de você partir naquele carro naquela noite. Por você ter levado tanto tempo para engravidar. " "Sim, vamos falar sobre isso, Jake. Você tem se esquivado sobre isso por cinco anos malditos, e é hora de você e eu termos esta conversa." "Eu não quero falar sobre isso”, eu respondo. "Eu só queria pedir desculpas por isso."


"Eu não quero a porra do seu pedido de desculpas!", ela grita, batendo a mão na mesa. "Eu quero que você me escute!" Sento-me para trás, atordoado. Ela nunca, nunca gritou comigo antes. Assim não. "Você é tão teimoso”, ela murmura e respira fundo. "Primeiro de tudo, eu quero saber, o que você acha que foi que você me disse antes do acidente?" "Você sabe o que eu disse. Eu disse-lhe que, se você não gostasse do estilo de vida que eu escolhi você poderia dar o fora daquilo. Eu não precisava de você." "Não, você não fez." Ela está franzindo a testa, balançando a cabeça. "Jake, eu não me lembro de muito sobre o acidente em si, mas lembro-me tudo sobre essa conversa. Você estava bêbado para caralho, e você poderia ter usado alguma coisa, quem sabe. " Eu tremo. "E eu estava falando de você, dizendo para você crescer o inferno. Você estava bebendo demais, experimentando drogas, fodendo um monte de mulheres. Eu estava dizendo para você obter um controle sobre a sua vida." "E eu disse-lhe para se foder." "Não. Você não fez. Você não disse muita coisa em tudo. Talvez você estivesse dizendo essas coisas em sua cabeça, mas eu não podia levá-lo a dizer qualquer coisa, então eu disse que ia falar com você no dia seguinte depois que estivesse sóbrio, e eu


saí. Jake, você realmente acha que eu deixaria você me dizer que você não precisa de mim e sair da sua vida? Eu teria chutado sua bunda." Eu sorrio com desdém em seguida, fico sóbrio novamente. "Não importa, o resultado final foi o mesmo. Você estava chateada comigo, e por isso você esteve nesse acidente." "Besteira." Eu jogo minhas mãos para cima em frustração. "Agora quem é teimosa?" "Você não vai ouvir ninguém, Jake. O acidente não foi culpa minha. Não foi culpa de ninguém. Eu estava indo para a rodovia, e o carro à frente de mim perdeu um pneu. Ele veio saltando diretamente para o meu carro, me bateu, e me fez perder o controle. Eu estava presa no carro, porque um pneu caiu, não porque eu estava tão chateada com você que eu perdi o controle". O que? Eu pisco para ela por um momento, em seguida, levanto e ando para fora. "É por isso que se separou da banda, J? Porque você pensou de alguma forma iria estragar suas vidas também?" "Não”, eu respondo honestamente. "Isso pode ter sido parte disto, mas seu acidente bagunçou comigo, C. Eu não poderia tocar por um longo tempo depois. Era uma chamada para acordar com certeza, e eu sou grato por isso, porque isso me fez dar uma


olhada em mim mesmo e cortar tudo de tóxico na minha vida. Muitas dessas toxinas foram por causa da banda. Mas porra, eu perdi a música." "E agora você tem isso de novo”, ela responde. "Você faz uma boa vida fazendo o que você ama e você começou a se apresentar para as pessoas também. É um grande show." Eu concordo. "E você tem Addie." "Não, eu não." Mas, oh Deus, como eu queria. "Você a ama?" "Mais do que eu posso te dizer”, eu respondo imediatamente. "Mas eu disse a ela que eu não posso ter uma relação com ela. Eu feri totalmente nós dois, C." "Bem, então nós apenas vamos ter que descobrir uma maneira de você limpar com ela. Ela trouxe o melhor de você de volta à vida, Jake, e eu não quero perder isso de novo." Eu sorrio, a esperança florescendo em meu peito pela primeira vez em um longo tempo. "Você acha que isto vai trabalhar?" "Só há uma maneira de descobrir."


Capítulo Dezessete Addison Eu

não poderia cortá-lo. Ontem à noite foi a primeira noite que

Jake tocou no Seduction desde que ele decidiu ser um animal sujo e cortar meu coração com uma faca enferrujada. Sim, eu me tornei um pouco dramática ao longo dos últimos dias, mas isso é exatamente como me sinto. Sinto-me sangrado. Estou cansada, provavelmente porque não estou dormindo, e estou fraca, muito provavelmente porque não posso manter o alimento para baixo. Estou apenas triste. E isso realmente me irrita. Eu odeio que ele tenha esse tipo de poder sobre mim, que ele afete meu humor assim. Então, ele me largou. E daí? Quer dizer, a vida continua. Mas na noite passada, quando ele começou a tocar "Sad30 ”, uma das minhas músicas favorita do Maroon 5, eu apenas não poderia ouvi-lo. Virei-me, acenei para Kat, e andei direto para a parte de trás. É ruim o suficiente que eu fiquei afastada por uma hora ou duas antes dele aparecer para tocar, então eu não esbarrei com

30

https://www.youtube.com/watch?v=OM8FCtZALyU


ele antes que ele subisse ao palco. Apenas o som de sua voz me fez em pânico. Eu tenho Jake PTSD31. "Você não vai fazer isso esta noite”, eu digo para o meu reflexo no espelho do banheiro, enquanto eu verifico o meu brilho labial e aliso as minhas mãos para baixo da minha saia lápis de cintura alta. "Jake traz um monte de dinheiro a cada semana. Goste ou não, para os negócios é melhor tê-lo aqui." Eu aponto para mim e estreito os olhos. "Você é uma mulher adulta. Você é uma profissional. Então, puxe sua calcinha de menina grande e lide com ele". "Isto funciona?", Riley pergunta quando sai da tenda atrás de mim. "Eu acho que sim." Ela sorri e lava as mãos. "Você não tem que estar aqui, Addie. O resto de nós pode lidar com isso aqui." "Eu vou ficar bem." "Addie ─" "Este é o meu lugar também”, eu a interrompo com um aceno de cabeça. "Eu fiz o mau erro de cair para um empregado, e agora eu estou pagando as consequências. Lição aprendida." "Se você precisar de alguma coisa, todas as quatro de nós estamos aqui."

31

Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT)


"Eu sei." Eu abraço Riley apertado. "Obrigado." O fato de que minhas amigas virem quando não têm que vir, só porque elas sabem que eu enfrentar Jake é difícil para mim, me faz mais grata do eu posso dizer. "Ele me pediu para dar isso a você." Ela puxa um pequeno envelope branco do bolso. "Você pode rasgá-lo e jogá-lo fora." "Vamos, Addie. Basta lê-lo." Reviro os olhos e pego a nota.

AddieEu sinto falta de você. Basta falar comigo. ─ Jake Podemos ouvir aplausos da sala de jantar. "Ele subiu”, diz Riley. "É seguro você ir lá fora agora." "Eu não sei o que dizer." Eu fungo e coloco meu nariz no ar e eu dobro a nota e a enfio no meu sutiã, depois caminho para fora do banheiro, propositadamente sem olhar na direção de Jake, e começo a fazer minhas voltas pela sala de jantar, perguntando aos clientes se eles estão satisfeitos com os seus jantares, e se alguém precisa de qualquer outra coisa. Eu posso estar evitando olhar para ele, mas não há nenhuma maneira de evitar ouvi-lo. Deus, eu amo a sua voz. Ele está


cantando uma música Gavin DeGraw, e sua voz raspa sobre mim. É a mais incrível e a coisa mais dolorosa, tudo ao mesmo tempo. Mas eu forço um sorriso quando alguém pede mais um copo de vinho e eu tento bloquear que o amor da minha vida está se apresentando no meu palco. Ele não vai me levar para casa esta noite, me tocar ou fazer amor comigo. Ou simplesmente sorrir para mim ou me fazer rir. Não há nada lá, mas eu posso ouvi-lo, e é meu próprio inferno particular. "Você está bem?", Cami pergunta quando ela passa por mim no caminho para o bar. "Sim. Você pode, por favor, pegar outra taça da casa do branco para a mesa catorze?" "Indo." Ela balança a cabeça e agita-se afastando, como se ela fosse garçonete todas as noites. Dirijo-me ao som de meu nome e sorrio quando vejo Christina e Kevin sentados em uma mesa no centro da sala de jantar. "Oi pessoal. Como vocês estão?" "Nós estamos bem”, Christina responde, seus olhos astutos como ela me olham. "Como você está?" "Estou ótima." Finja até que você faça isso, menina. Eu sorrio brilhantemente. "Posso pegar alguma coisa?" "Nós estamos muito bem”, Kevin responde gentilmente. "É bom vê-la, Addie."


"Você também." Eu sorrio novamente. "Eu preciso verificar uma ordem do bar." Eu preciso ficar longe deles. É muito cedo para ver as pessoas que eu viria começar a me importar e me preocupar com quem eu não consegui manter na minha vida. Assim eu chego ao fundo da sala, Jake começa a falar. "Esta próxima música é para alguém especial." Isso é tudo o que ele diz, antes que ele começa a cantar um cover de “Thinking Out Loud.32” Querida eu estarei te amando até estarmos setenta. Eu não posso fazer isso. Meu coração literalmente dói batendo fora de controle. Eu marcho direto de volta para o bar, onde Kat e Cami estão enchendo as ordens de bebida. "Eu não posso." "Addie ─" Cami olha preocupada. "Não. Eu não posso fazer isso. Eu pensava que era forte o suficiente, mas eu não sou. Esta é sua última noite. Vou encontrar alguém." Eu respiro fundo, tentando manter minhas lágrimas na baía. "Eu tenho que ir." "Vá", Kat levanta o queixo em direção à porta dos fundos enquanto derrama uma cerveja da torneira. "Você não deveria estar aqui de qualquer maneira."

32

https://www.youtube.com/watch?v=pqT-VW5ty0o


Concordo com a cabeça e busco a minha bolsa, em seguida, ando em linha reta para fora da porta sem olhar na direção de Jake. Considero isto uma vitória.

ESTIVE OUVINDO " THINKING OUT LOUD” em repetição no meu apartamento todo maldito dia. É o meu dia de folga, e eu estou fazendo exatamente o que eu quero fazer: trabalho doméstico e lavanderia. Eu tenho uma máscara verde no meu rosto, meu cabelo em uma toalha, deixando o condicionador profundo fazer o seu trabalho. Eu poderia raspar minhas pernas depois, só para me fazer sentir melhor. Quero dizer, meu coração pode estar quebrado, mas isso não é motivo para que uma menina se descuide. Cami e eu nos encontramos no café da manhã, e ela me disse que antes que pudesse dizer a Jake que ele foi demitido, ele se demitiu depois de seu set. Isso me deixou triste, o que eu não entendo de todo. Mas, realmente, eu não entendo muitos dos meus sentimentos esta semana. Assim que eu estou a ponto de ir lavar meu rosto e meu cabelo, há uma batida na porta.


"Senhora. Wade?" Uma jovem mulher pergunta. Ela está segurando uma grande caixa branca com uma fita vermelha em torno dela. "Sim." "Isto é para você." Ela está sorrindo amplamente quando ela o entrega para mim. A parte inferior é quente. "Será que vai explodir?" "Não, senhora”, ela responde com uma risada. "Aprecie." "Obrigado." Eu carrego a caixa para o balcão da minha cozinha, puxo a fita vermelha à parte, e abro a caixa, franzindo a testa para o conteúdo. Há outra caixa branca com uma fita vermelha e um saco de papel marrom com os mais deliciosos cheiros vindo disto. Eu puxo tudo para fora, coloco a grande caixa de lado e abro o primeiro saco. Um hambúrguer e batatas fritas a partir de Multnomah Falls. Eles entregam? Dentro da caixa menor está uma foto emoldurada da selfie que Jake e eu tiramos nas quedas. Ele está beijando minha bochecha. No quadro está gravado sempre me beije, boa-noite. E há uma nota.


A─ Isto foi no meu segundo lugar favorito com a minha pessoa favorita. Eu sinto falta de você. ─J Eu sinto falta dele também, mas eu estou completamente confusa. Ele está tentando me levar de volta? Ou ele está apenas brincando com as minhas emoções? Eu coloco a foto no peitoril da janela acima da pia da cozinha e sento contra a bancada, comendo o hambúrguer. E como ele conseguiu isso para mim ainda bem quente? Ele mandou isto por um helicóptero? E como ele sabia que eu estaria em casa? "EU TENHO UMA entrega para Addison Wade." Eu franzo a testa para o menino de entrega de flores que acabou de entrar na Seduction. Ainda não estamos abertos para o dia. "Esta sou eu." "Oh, olhe o quão bonito esses são”, Daisy diz ao meu lado. Ela é todo o coração de olhos, eu levo o buquê de rosas amarelas. Eles cheiram tão bem. O que ele está fazendo? "Há um cartão”, Daisy diz a Riley que se junta a nós. "Ganhou flores?", Riley pergunta.


"Não, eu tenho catapora”, murmuro e puxo o cartão do seu envelope.

A─ Sessenta e três rosas amarelas. Uma para cada dia que nossa amizade cresceu. Eu sinto falta de você. ─J

"Droga, isso é a coisa mais doce que eu já li”, Cami diz atrás de mim, me assustando. "De onde você veio?" "Eu ouvi Riley dizer que você ganhou flores. Isso é muito doce dele, Addie. " Eu dou de ombros e coloco as belas rosas de volta ao nosso escritório, Cami, Riley, e Daisy me seguindo como patinhos. "Ele está me enviando coisas”, murmuro com uma careta. "Esta não é sua primeira entrega?", Cami pergunta, trocando olhares com Riley. "Não." Eu digo a elas sobre a foto e a comida de ontem. "Ele está obviamente tentando cortejá-la”, Cami diz com um suspiro romântico. "Bem, isso não vai funcionar”, eu digo, quase sem tanta convicção quanto eu gostaria.


"Por quê?", Daisy pergunta "Ele é quente e, assim, está totalmente na sua." Eu balanço minha cabeça. De jeito nenhum. "Você poderia simplesmente falar com ele”, Riley diz. "Vou passar. Kat disse que é o melhor na outra noite. Quanto mais eu falar com ele, mais isto vai continuar doendo. Já dói bastante. Ele vai desistir e ir embora." Eu dou de ombros, como se isso não fosse grande coisa, mas eu quero enrolar-me e chorar. E eu me recuso a dar-lhe mais uma lágrima. Eu tenho uma vida para continuar. "ENTÃO, COMO É QUE VOCÊ ESTÁ realmente?", Cici pergunta no próximo dia enquanto ela faz minha unha polonesa. "Eu estou realmente cansada de responder a essa pergunta”, eu respondo, olhando para a minha amiga. "Sério, tudo o que precisamos para seguir em frente." "Ei, eu não vi você desde que tudo aconteceu, então eu tenho que perguntar." "Eu estou machucada e eu estou cansada, eu tenho certeza que todo mundo odeia sair comigo nestes dias, porque sou uma cadela." Eu sorrio docemente. "Mas eu estou fantástica." "Bem, você ainda é uma espertinha, então isso é um bom sinal." "Um bom sinal de quê?" "Eu não sei, isto só parecia uma boa coisa a dizer."


Eu rio e sacudo a cabeça. "Você é engraçada." "E suas unhas parecem como se você estivesse arranhando as paredes." "Limpei meu apartamento no domingo de cima para baixo, sem luvas." Eu dou de ombros. "Eu limpo quando estou estressada." "Da próxima vez, vamos limpar a minha casa." "Você tem quatro filhos. Eu não limpo a sua casa nem mesmo com luvas." Nós duas estamos rindo quando o marido de Cici entra em seu estúdio carregando um enorme buquê de rosas. "Desculpe interromper, mas estas foram entregues para você, Addie." "Uau”, Cici diz com os olhos arregalados. "Você não me manda flores assim." "Eu não acho que eu estrago tão grande quanto esse cara deve ter estragado”, ele responde com uma piscadela e retorna para a casa principal. "Há uma grande quantidade de flores aqui”, murmuro, olhando para as belas flores cor de rosa. "Ele enviou sessenta e três ontem, e há mais do que isso aqui." "Ele mandou flores ontem também?", Cici pergunta. "Sim." Ela puxa o cartão para fora do suporte de plástico e o passa para mim antes de enterrar o nariz nas flores perfumadas. "Sério, meu marido precisa pegar o seu jogo."


AUma rosa para cada momento que eu penso em beijar seus lábios lindos. Não uma para cada vez, porque elas nunca iriam todos se encaixar em um quarto, mas uma centena é um começo. Eu sinto falta de você. -J "Case com ele. Agora mesmo." Balanço a cabeça e dobro o cartão na minha bolsa, ao lado das outras três notas de Jake. "Ele não é meu." "Mas é claro que ele poderia ser. Você não está sendo teimosa? " "Sim." Eu aceno e sento-me na cadeira. "E você sabe por quê? Porque quando eu perdoo, eu só obtenho meu coração pisado de novo e de novo, e eu não estou caindo para isso de novo. Ele me jogou para longe. Ele não me levará de volta." "EU VOU TRANCÁ-LA para fora da cozinha." Advirto Mia na tarde seguinte, um pouco antes de abrir para o almoço. "Estou falando sério, Mia, você precisa de um dia de folga." "Eu levei última terça-feira de folga”, ela diz teimosamente, olhando para Kat e eu. "Eu preciso verificar o novo menu de aperitivo."


"Não. Você não precisa." Kat cruza os braços sobre o peito. "Vá para casa, Mia." Os olhos castanhos escuros de Mia estão furiosos quando ela gira e pisa para fora do restaurante, batendo a porta atrás dela. "Eu odeio que ela não vai tomar voluntariamente dias de folga”, murmuro. "Mesmo um dia por semana." "Eu sei”, Kat responde, arregalando os olhos para algo sobre o meu ombro. "Hum, eu acho que essas são para você." Eu giro ao redor e dou de cara com o mesmo sorriso do motoboy de entrega de segunda-feira-e com mais rosas brancas do que posso contar. "Para mim?", pergunto. "Sim, senhora." "Você pode simplesmente colocá-las no bar." Ele cumpre, sorri de novo, em seguida, deixa, contando mentalmente suas gorjetas de todas as entregas que ele está fazendo para mim, eu tenho certeza. "Isso é loucura”, murmuro quando eu pressiono o meu nariz contra uma das flores suaves. "Leia o cartão”, Kat diz com um sorriso. Todas as meninas têm vindo a amar suas cartas, provavelmente por causa da maneira doce que ele tem com palavras. Não é à toa que ele ganhou Grammys com as músicas que ele escreveu.


A─ Estas cheiram as melhores, e quando eu as toco, elas me lembram a suavidade de sua doce pele. Eu não sei quantas são, eu lhes disse apenas para enviar todas. Sinto tanta falta sua. ─J Eu simplesmente descanso minha cabeça no bar, contra a madeira, e deixei que as lágrimas caíssem. "Eu tenho que dizer-lhe para parar”, eu choro. "Eu não posso mais fazer isso, Kat. Simplesmente não posso. Você estava certa: quanto mais eu o ouço, mais dói". "Uau, Jake”, eu ouço atrás de mim. Eu rapidamente limpo meu rosto e viro para encontrar Christina de boca aberta olhando para as rosas brancas. "Ele poderia ter sido um pouco louco com um presente." Eu aceno, mortificada que ela ouviu meu choro. A única coisa pior seria se o próprio Jake me ouviu. E eu serei amaldiçoada se isso acontecer. "O que posso fazer por você, Christina?" "Eu estava esperando que você tivesse tempo para eu levá-la para o almoço. Eu realmente adoraria para falar com você." "Eu realmente não ─"


"Claro que sim”, Kat diz com um sorriso inocente. "Vá em frente e vá embora." Eu olho para ela, em seguida, volto para Christina. "Então, aqui está a coisa. Eu adoraria conversar com você, mas eu não quero falar sobre Jake. " "Perfeito." Ela sorri e me leva para fora, para a tarde ensolarada de Portland. "Na verdade, você se importa se nós apenas caminharmos até o parque?" "Funciona para mim." Nós caminhamos em silêncio. Eu não tinha percebido o quão bom seria estar fora no ar fresco. Isso é bom. "Como está Kevin? Foi bom ver vocês na outra noite." Eu começo, quebrando o silêncio. "Nós dois sabemos que isso é besteira”, Christina responde com um sorriso amável. "Ver-nos foi como colocar sal em uma ferida aberta, e eu sinto muito por isso." Eu dou de ombros. "É o que é. Você é sempre bem-vinda no meu restaurante, e eu gostaria que você viesse muitas vezes. Eu gosto tanto de você." "Nós gostamos de você também." Christina limpa a garganta. "Jake diz que ainda não entrou em contato com ele." "Não." Eu balancei minha cabeça. "E eu não pretendo. Seus esforços são lisonjeiros, mas eu só estou tentando seguir em frente."


"Então, você não acredita em segundas chances?", ela pergunta, colocando minha guarda para cima. "Você não sabe nada sobre mim”, eu respondo friamente. "Você não sabe quantas segundas chances eu dei para as pessoas que me jogaram fora como se eu fosse lixo, e Jake não foi diferente do resto deles. Então, não, eu não acredito mais em segundas

chances

porque

eu

sou

a

única

que

acaba

decepcionada." "Ele definitivamente não acha que você seja um lixo”, Christina começa, mas eu seguro minha mão, parando-a. "Eu disse que viria se não falasse sobre Jake." Ela toma uma respiração profunda. "Você está certa. Em vez disso, vamos falar sobre mim." Eu levanto uma sobrancelha. "OK." "Será que Jake te disse como eu perdi a minha perna?" Eu balanço minha cabeça, não tendo certeza quanto eu deveria dizer, e definitivamente mantendo minha guarda. "Eu tive um acidente de carro, depois que Jake e eu tivemos uma briga muito brutal. Eu estava irritada com ele, mas isso não foi o que causou o acidente. Foi simplesmente isso: um acidente, e eu acabei de cabeça para baixo no acostamento de uma autoestrada, a minha perna presa entre o volante e o assento, e os médicos não puderam salvá-la. "Não foi culpa de ninguém, mas Jake estupidamente carregou nos ombros a culpa por um tempo muito longo. Ele estava


convencido de que foram suas estúpidas ações que me fizeram perder a perna. E há outros fatores lá que ele provavelmente deve ser o único a falar sobre isso". "Não que eu não seja solidária, mas por que você está me dizendo tudo isso?" "Porque eu acho que você é boa para o meu amigo, e eu só queria dar-lhe algum pensamento no porque Jake reage da maneira que ele faz às vezes. Pensar que você poderia ter estado naquele acidente na semana passada depois que vocês tinham brigado colocou ele em um lugar ruim. Acho que ele está tentando compensar isso agora." "Olha." Eu levanto e começo a me afastar. "Eu entendo o que você está dizendo. Eu entendo. Lamento que todos vocês passaram por isso. Mas, honestamente, eu sinto que estou sendo punida pelo passado. Eu não fiz nada de errado, mas eu fui punida de qualquer maneira, e, francamente, eu não posso darlhe a oportunidade de fazer isto novamente." Eu dou de ombros, segurando minhas mãos do meu lado enquanto eu ando para longe de Christina, que simplesmente parece triste. "Te desejo nada, apenas o melhor”, eu digo a ela. E com isso, eu vou embora, sem olhar para trás.


Capítulo Dezoito Jake Eu

estou sentado no banco ao lado de Max ao piano, cantando

as poucas linhas finais da canção de Addie. Eu terminei de escrevê-la ontem e pedi a Max para entrar no estúdio comigo para afinar, como só ele sabe. O homem é incrível quando se trata de melodia, e ele pegou minha boa canção e a fez perfeita, porra. Tiffany, Cami, e Mia estão sentadas nas proximidades, observando com expressões de olhos arregalados e surpresa, à medida que ouvem a letra e melodia. Fiquei surpreso quando Mia e Cami aceitaram meu convite para vir ouvir a música de Addie. Elas foram boas o suficiente me ajudando durante a semana passada, me dando atualizações de onde Addie estaria assim eu poderia ter as flores entregues diretamente para ela, mas agora elas estão indo acima e além, e eu as aprecio. Addie tem algumas pessoas maravilhosas em sua vida. E tê-las aqui é como ter um pedaço de Addie, também aqui, e eu não dou a mínima sobre quão tolo isto soa. Estou desesperado esses dias. Espero que seus queixos caídos sejam um bom sinal. Eu sei que é uma grande canção. Sinto em meus ossos, a maneira que


eu sinto quando sei que uma canção vai ser um sucesso. Essa música é tão boa, mas Addie gostará disso? Porque essa é a coisa mais importante. Quando a última nota desaparece, todas as três meninas ficam de pé, aplaudindo. Cami limpa uma lágrima de seu rosto. "Sim?", pergunto, a esperança surgindo no meu peito. "Oh sim”, Cami diz com um aceno de cabeça. "Não apenas sim, mas o inferno sim”, Mia concorda. "É tão lindo, Jake." "Você sabe”, Tiffany diz quando todas as três meninas se aproximam do piano e se apoiam contra o lado. "Eu tenho ouvido suas canções de amor antes. Você escreveu canções que ganharam Grammys que eram lindas canções de amor ─" "Mas, elas nunca foram assim”, finaliza Max para ela, sorrindo. "Isso é o que eu disse a ele também." "É especial”, Cami diz com um aceno de cabeça. "Ela vai amar, Jake." Eu aceno, aliviado. "Espero que sim. Isto tem de funcionar. É a minha última opção." Eu olho para Mia. "Você falou com Mike?" Mia, Cami, e o amigo de Addie, Mike, concordaram em ele assumir o show fim de semana na Seduction até que elas sejam capazes de me substituir com alguém fixo... "Sim, e ele disse que ele vai tocar ‘Drops of Jupiter33’”, e você pode vir para cima no palco depois disso. Ele estará pronto para 33

https://www.youtube.com/watch?v=7Xf-Lesrkuc


você, e você pode usar sua guitarra." Mia sorri, depois balança a cabeça. "Eu não posso acreditar que você nos atraiu para ajudálo na semana passada." "Eu não poderia ter feito isso sem vocês”, eu respondo honestamente. "Estamos fazendo isso porque pensamos que você é perfeito para ela”, Cami diz. "E quando ela descobrir, todos nós podemos ser mortos." "Vamos esperar que não vá por esse caminho”, Tiffany diz com uma risada. "Eu tenho que avisá-lo”, Mia acrescenta. "Não espere uma cena de um romance, Jake. Essa música é incrível, e todos os seus gestos têm sido muito romântico, mas ela pode levar um pouco de tempo para processar tudo." "Então ele não deveria esperar que ela corresse para cima no palco e atirar-se nos braços dele?", Tiffany pergunta, levantando uma sobrancelha. Deus, eu devo ser muito sortudo. "Provavelmente não”, Cami diz com um encolher. "Quero dizer, nós poderíamos estar erradas, e ela pode se jogar de forma dramática no palco, jogar-se em seus braços e comprometer seu amor eterno a ele." "Você a conhece melhor. É por isso que eu pedi sua ajuda em primeiro lugar." Eu olho para as chaves e tomo uma respiração


profunda. "Eu só espero que ela não fuja gritando na outra direção." "Ou te soque”, Max sugere. "Quero dizer, isso só poderia irritá-la." "Obrigado,

cara."

Eu

olho

para

o

meu

melhor

amigo.

"Obrigado pelo incentivo." "Ela não vai bater em você”, Cami diz, mas seu rosto não parece muito confiante. "Ela geralmente não é do tipo violento." "Ela bateu em Robert Valenetti na quarta série, quando ele roubou seu apontador de lápis”, Mia a lembra. "Bem, Robert tinha isto vindo." Eu provavelmente tenho isto vindo também. "Neste momento, eu me contentaria com qualquer tipo de comunicação com ela. Eu não ouvi um pio dela. Como ela está?" Mia e Cami compartilham um olhar. "Ela está bem”, Cami diz com um sorriso. "Ela está triste”, Mia diz com um encolher de ombros, ganhando um olhar de Cami. "Eu não vou mentir para você, Jake. Ela está triste. Mas ela está bem. E Jake? Você precisa saber que se ela está com você, ou sem você, ela vai continuar bem. Porque isso é o que Addie é." "E isso é só mais uma coisa que eu amo sobre ela, Mia. Eu não iria querer de nenhuma outra maneira. Eu quero que ela esteja mais do que bem. Mas eu espero que ela escolha ser incrível


comigo, porque vamos estar muito melhor juntos do que estamos separados." "Espere." Max agarra meu ombro. "São esses sentimentos que saem de sua boca?" "Eu a amo." Eu dou de ombros. "É tão simples e tão terrível como isso." "Bem, então, ganhe a sua menina, bonito." Tiffany sorri e acaricia sua barriga. "Porque eu gosto dela. E eu quero que ela fique por perto." Eu beijo o rosto de Tiff. "Eu também amiga. Eu também."

EU ESTOU TÃO FODIDAMENTE nervoso que não consigo ver direito. "Eu não acho que eu já vi você assim”, Christina diz, franzindo a testa enquanto ela me olha andar no estacionamento do Seduction, empurrando minhas mãos pelo meu cabelo. "Quero dizer, eu sei que às vezes você fica um pouco nervoso, mas não assim." "Será que é suor em seu lábio?", Max pergunta, em seguida, cai na gargalhada. Ele vai prender minhas bolas por isso. "Sr. legal e controlado tem medo do palco." "Foda-se." Eu

olho para Max,

em

seguida, tomo uma

respiração profunda e rio. "Sim você está certo. Eu tenho. Minhas mãos estão suando. E pela primeira vez na minha vida, eu acho que eu poderia precisar vomitar." "A música é incrível”, Tiffany me lembra. "Sério, Jake, é tão bonita. Você não tem nenhuma razão para estar nervoso."


"Eu não acho que ele está nervoso sobre a música”, diz Kevin. Seu braço está envolvido em torno dos ombros de Christina. "É a mulher para quem ele está cantando que está deixando ele nervoso." "Vai ser ótimo." Christina me dá um sorriso. O que ela costumava dizer-me antes de shows em nossos primeiros dias, quando eu ainda deixava os nervos assumir. "Eu não posso esperar para ouvi-la." "É melhor irmos para dentro”, Max diz, batendo meu ombro enquanto ele passa. "Você tem isso, bro. E se você precisar, eu posso pedir um balde de gelo e passá-lo para você no palco quando você vomitar o seu almoço." "Muito engraçado, idiota. Obrigado." Eu aceno e assisto os meus amigos entrarem pela porta da frente, em seguida, corro ao redor para trás. Quando eu entro na cozinha, Mia sorri e pisca para mim. "Como ela está?" "Mais resmungona do que eu esperava”, diz ela, pensativa. "Porcaria. Isso não é bom." "Na verdade, eu acho que ela está ranzinza, porque você não está aqui." Seu sorriso se alarga. "Então, eu diria que é um bom sinal." "Ela disse alguma coisa sobre mim?" "Não na sala de estudo, mas eu poderia vê-la antes do show”, Mia responde, revirando os olhos, depois ri. "Não, ela não disse


nada, mas eu não esperava que ela fizesse. Ela está no modo seguir em frente." "Vamos ver se podemos parar o modo seguir em frente e, em vez chutá-la ao perdão adequado." Mike começa a cantar "Drops of Jupiter” e meu coração começa

imediatamente

a

correr.

Eu

solto

um

suspiro

tempestuoso e esfrego as mãos juntas. Quando ele atinge a ponte, eu ando na sala de jantar, passando perto das bordas externas das mesas onde está um pouco mais escuro, então Addie não me vê. Mas eu posso vê-la. Ela está em uma mesa, sorrindo para os clientes, balançando a cabeça, com uma mão no ombro de um homem. Deus, ela é linda. Eu me sinto como se tivesse sido anos desde que eu a vi pela última vez, em vez de ser duas semanas. Duas das mais longas semanas da porra da minha vida. Seu

cabelo

está

preso

esta

noite,

com

cachos

soltos

pendurados em volta do rosto. Ela está usando os óculos de aro preto sexy que eu aprendi que ela só usa quando está lutando contra uma dor de cabeça, juntamente com um vestido vermelho delicado e saltos pretos que imploram para um homem dobrá-la sobre a superfície mais próxima e transar com ela. Rezo para que ela me dê a oportunidade de fazer exatamente isso mais tarde esta noite. Logo depois que eu contar a ela o quanto eu a amo e explorar cada polegada de seu corpo incrível.


Mike termina sua canção e, sem uma única palavra, passa sua guitarra para mim e deixa o palco. O salão acalma enquanto os clientes assistem, querendo saber o que estou fazendo. Eu olho para cima para ver Max, Tiff, Chris e Kevin em uma mesa no centro da sala, mas meus olhos passam as mesas, procurando Addie. E lá está ela, no lado direito da sala, observando-me com uma carranca. "Boa noite, pessoal. Não se preocupe, Mike vai estar de volta em apenas alguns minutos. Pensei em dar-lhe uma pausa e cantar uma música para alguém especial." Meus olhos estão fixados em Addie. Suas mãos estão apertadas em sua cintura enquanto ela me olha. "Eu machuquei alguém que eu me importo muito. Ok, eu vou ser honesto, eu fodi..." Eu dou de ombros, jogando com o público. "Mas eu me arrependeria pelo resto da minha vida se eu não cantasse esta canção para ela. Eu a tenho escrito desde o dia que nos conhecemos." Uma mulher nas proximidades solta um sonoro "Awww!" Eu rio e aceno. "Sim, eu acho que você poderia dizer que senti o clique no minuto em que a vi pela primeira vez. Eu não sei se eu acredito em amor à primeira vista, mas, menino, se eu não acredito nesse clique. Então, isso é para você, Addie. É chamado de ‘Se eu nunca tivesse te conhecido’." Meus dedos começam a dedilhar as cordas enquanto Riley, Cami, Kat, e Mia se juntam a Addie, segurando as mãos e


sorrindo em encorajamento. Logo estou varrido nas letras, cantando só para ela e o resto da sala desaparece, e eu estou apenas olhando para seu rosto bonito enquanto a música vem se derramando de mim. Se eu nunca tivesse te conhecido, o que seria de mim agora? Eu ficaria incompleto e arruinado, um homem que viveu sem nada Eu não teria visto o nascer do sol segunda-feira de manhã E eu não teria cheirado seu cabelo enquanto o sol estava nascendo Você pegou o que estava quebrado, tocou suavemente, e o tornou melhor Você é a corrente de luz que continua empurrando, suavemente rompendo No quarto mais escuro Eu vejo como uma única lágrima rola para baixo de sua bochecha, e ela chega até ela para descuidadamente limpar. Eu não quero nada mais do que puxá-la em meus braços e pedir desculpas. Para lhe dizer que tudo vai ficar bem. Mas eu não estou tão certo de que ficarão. E se eu nunca tivesse te conhecido, onde eu estaria agora? Eu estaria procurando, perdido, e sem rumo, sem saber quando, ou como Eu estaria procurando a minha história com final feliz


Eu estaria olhando para a estrada quebrada na minha frente Você entrou na minha vida e me salvou Do meu próprio mal e me deu A razão para acreditar que poderia haver um plano maior Todos os meus dedos doem para tocar você Ambos meus braços têm que prendê-la Vamos fazer música doce com esta Fender em minhas mãos E se eu nunca tivesse te conhecido, onde eu estaria agora? A canção termina e a plateia explode em aplausos. Eu sorrio e aceno de cabeça, mas depois sossego rapidamente quando meu pior pesadelo se torna realidade. Addie diz algo a Kat, então se vira e corre para fora da sala, para a cozinha, e tenho certeza que direto para fora pela porta de trás. Porra. Eu passo para Mike sua guitarra e caminho através das mesas para onde meus amigos estão sentados, batendo palmas e sorrindo. "Acabou." "O que aconteceu?" Eu não respondo quando eu continuo indo para a porta da frente do restaurante e para o meu carro. Eu preciso sair daqui. "Jake, pare!", Kevin chama. Viro-me para encontrar não apenas as quatro amigas de Addie, mas os meus também marchando atrás de mim.


"Ela me deixou”, eu digo, meu coração dolorido. "Acabou. Ela não me quer" "Eu estava olhando para ela”, Tiffany diz, balançando a cabeça. "Jake, aquilo não era o rosto de uma mulher que não quer você." "Ela está certa”, Mia diz. "Eu disse que não ia ser bonito, lembra?" "Addie correu”, Cami diz com um aceno de cabeça. "Você tem que ir atrás dela." "Eu não vou mendigar." Eu estou tão frustrado. "Ela não quer que você implore, seu idiota”, Kat diz, revirando os olhos. "Deus, artistas são tão dramáticos. Basta ir atrás dela. Ter uma conversa séria com ela. Diga-lhe o que quiser." "Vá”, Christina diz, balançando a cabeça enfaticamente. "Você veio até aqui, não desista agora." "VAMOS, ADDIE, RESPONDA”, eu imploro pela porta branca. "Eu sei que você está em casa." Eu bati quatro vezes e ela não respondeu. "Dê uma pista, Jake”, sua voz vem através da porta. Eu fecho meus olhos em alívio e me inclino contra o batente. "Se você não vai abrir, apenas me escute. Não tenho nenhum problema de falar por esta porta, Addie. E eu não dou a mínima se os vizinhos podem ouvir." Eu engulo em seco, recolhendo meus pensamentos. "Deus, eu sinto falta de você, baby. Foi tão


bom vê-la esta noite. E eu sei que sentir sua falta é minha culpa. Eu realmente fodi tudo." Eu balanço minha cabeça, e eu acho que ouço ela dizer, "Não me diga." "Eu fiquei com medo, Addison. Quero dizer, há todas estas razões pelas quais eu reagi da maneira que eu fiz, como pensar que eu de alguma forma ia acabar estragando sua vida, ou decepcionar você, mas no final, eu percebi que era apenas puro medo. Quando eu pensei que era você naquele acidente, bem, eu não sabia que eu podia sentir tanto medo assim. Isto me colocou em um lugar ruim, doçura." Estou quieto por um momento, quando ela diz, "Continue". "Bom, você ainda está ouvindo." Eu sorrio. "Eu sabia desde o minuto em que eu a vi pela primeira vez que você era incrível. Você é tão bonita, Addie. Mas mais do que isso, você é.… você. Inteligente, amável, engraçada. Quando você sorri, todo o seu ser brilha, e você faz com que todos ao seu redor se iluminem como você." Eu inclino a minha testa na porta. "Abra, Addie." Nada. Então, eu continuo a falar. "Então, sim, a partir desse primeiro momento, eu tinha planos, baby. Eu planejei passar tanto tempo com você quanto você me permitisse. Eu pretendia te conhecer, por dentro e por fora. E eu achei mais em você do que eu esperava”. "Você me mostrou do que eu preciso em uma mulher, Addison. Preciso de alguém que me chama na minha besteira.


Preciso de alguém que vê o fogo nos meus olhos e quer jogar com ele, e não tentar extingui-lo. Preciso de alguém que me desafia; no quarto, na minha carreira, na minha cabeça louca. E sabe de uma coisa? Eu achei tudo isso em você". Ainda nada, e isto está fodidamente me matando. Eu quero segurá-la enquanto eu lhe digo tudo isso. Eu não quero dizer isto por esta porta, porra. "Eu não sei de que outra forma posso dizer que eu sinto muito pela

forma

como

agi.

Eu

deveria

ter

vindo

para

você,

compartilhado meus medos com você, em vez de correr. Eu deveria ter confiado em nós, tanto quanto você confiou. " Eu engulo em seco. Deus, realmente acabou. O que eu vou fazer sem ela? "Você sabe o que, Addie? Eu aprendi mais sobre mim mesmo nos dois meses que estive com você do que eu fiz em toda a minha vida. Então, se nada mais, tenho de lhe agradecer por isso. Eu sou tão grato, que eu sou uma parte de sua vida ou não. E provavelmente você está certa, você merece algo melhor do que eu. Você merece grandeza. Por favor, abra essa porta, Addie. Por favor, deixe-me olhar nos olhos para que eu possa dizer-lhe como me sinto sobre você. " Há uma longa pausa, mas finalmente, finalmente, ela abre a porta, apenas para que eu possa ver seu rosto. Ela não está me convidando.


"Obrigado por tudo isso”, diz ela calmamente. Seus olhos estão vermelhos, mas ela não está chorando agora. "Obrigado pelo pedido de desculpas." "Por favor, posso entrar?" Ela mastiga o lábio. "Eu não penso assim, Jake. Eu aprecio o seu pedido de desculpas. É mais do que eu recebi antes, e eu não tinha percebido o quanto eu precisava dele até agora." "Eu estive pedindo desculpas a você toda a semana, querida." "Não." Ela balança a cabeça, parecendo resignada. "Não, você me mandou coisas bonitas e disse que você sentia minha falta, o que também foi bom, não me interprete mal, mas isso é muito diferente de um pedido de desculpas." Eu franzo a testa, balançando a cabeça. "Addie ─" "Não, eu não estou dizendo isso para culpá-lo”. diz ela. "Alguma vez lhe

ocorreu

que,

enquanto você

estava me

mandando flores e cheeseburgers caros, o que eu realmente queria era você? Só você." Ela sorri suavemente, pegando no meu cabelo, rosto e peito. "Eu nunca me importei com o resto, Jake. O dinheiro ou a fama, ou a casa legal. Esses são apenas os extras. Eu queria você, porque eu senti esse clique também." "Addie ─" Eu tento novamente, mas ela me interrompe. "Eu tive um tempo surpreendente com você. Você é um homem maravilhoso, e você merece tanta grandeza também. Mais do que você se dá crédito, eu acho."


"Eu quero você." Eu me inclino perto, capaz de sentir o cheiro dela agora. "Só você." "Você me teve”, ela responde suavemente. "E você me machucou." "Eu sei. Eu sinto muito." "A coisa é, Jake, eu perdoei antes, e geralmente o final é o mesmo de qualquer maneira. Eu sou deixada de lado para outra coisa, seja isso o que for. Eu não acho que eu iria sobreviver isto duas vezes com você. " "Deixe-me entrar, Addison." "Não." Ela engole. "Eu não quero nada, mas o melhor para você, Jake Keller." "Você é o melhor para mim." "Não, eu não sou. Adeus, Jake. " Ela fecha a porta suavemente, e eu estou atordoado. O que acabou de acontecer? Ela está dizendo adeus? "Não. Não, Addison, isto não é um adeus. Droga." Eu caminho a distância, empurrando minhas mãos pelo meu cabelo, em seguida, novamente, esperando que eu esteja errado, que ela abra a porta e veio a seus sentidos, mas está fechada e escura. Jesus. Eu não percebo que é verdade o que dizem, que quando seu coração está realmente quebrado você pode sentir o momento em que ele racha. Até agora.


Eu tenho certeza que eu estou sangrando, aqui na porta de Addie. E isso é porra dramático. Mas eu não me importo. Não.


Capítulo Dezenove Addison Eu

não posso parar as lágrimas, e eu não posso deixar ele as

ver. Estou inclinada na porta quando eu ouço seus passos indo embora. Eu dou um impulso e começo a andar ao redor da minha sala, chorando. Droga, eu derramei lágrimas suficientes por Jake Keller! E este rímel é caro. Por que ele não pode simplesmente ir embora? Acho que já deixou bem claro que eu não posso confiar nele o suficiente para levá-lo de volta, e eu não posso continuar fazendo isso. Eu não posso ter lembretes constantes dele, praticamente todos os dias! Ele não veio para mim. Ele não tentou falar comigo. Eu enxugo as lágrimas do meu rosto, e, em seguida, paraliso nos meus pés. "Jesus, Addie, você está sendo como uma porra de uma hipócrita." Ele veio a mim esta noite. Ele pediu desculpas e disse-me que ele me perdeu, e ele me escreveu essa música incrível.


E o tempo todo, eu o tenho punido pela forma como os outros homens no meu passado me trataram. E é isso que eu tenho o acusado de fazer: me punir pelo que aconteceu em seu passado. Eu sou uma hipócrita maldita. Meu Deus. Sim, ele estava com medo, e ele fez uma decisão precipitada. Não é como se eu nunca tivesse feito isso. Sim, eu fiz isso muito. Ele fez um grande esforço para vir até a mim, e eu agi como um urso mimado, ferido, lambendo minhas feridas. Pego minha bolsa e deslizo os pés descalços em flip-flops34. Eu tenho que o seguir. Rezar para que ele ainda esteja disposto a conversar. Por favor, deixe-o estar disposto a conversar. Eu fecho minha porta atrás de mim e me viro para trancá-la para bloquear. É difícil ver através da escuridão e minhas lágrimas. "Deus, ver você chorar me faz querer chorar." Eu giro, assustada, e suspiro de alívio quando vejo Jake encostado na parede ao lado da minha porta. "Você está aqui”, eu respiro. "Eu estava tentando descobrir uma maneira de levá-la a me deixar entrar." Aquele sorriso. Mesmo no escuro eu posso vê-lo se espalhar pelo seu rosto, e eu não aguento mais. Eu só ando

34

Chinelo tipo havaianas.


direto para seus braços, descansando minha cabeça em seu peito, e começar a chorar a sério. "Sinto muito, Jake." "Eu sou o único que está arrependido”, ele sussurra, seu rosto pressionado no meu cabelo. Seus braços estão tão apertados em torno de mim que quase dói, mas não há nenhuma maneira no inferno que eu vou pedir-lhe para me deixar ir. Suas mãos esfregam suavemente para cima e para baixo em minhas costas, como se não pudesse acreditar que estou em seus braços. "Deus, você se sente bem." Eu inclino a cabeça para trás e pego sua bochecha na minha mão. O resto de sua barba está duro, mas o que me faz suspirar é a umidade que eu sinto na pele. "Não vá embora." "Eu não vou a lugar nenhum, doçura." Ele inclina sua frente contra a minha. "Addie, eu te amo tanto que dói." Apenas quando as minhas lágrimas estão secando, ele vai e diz isto. "Eu sinto como se eu te amasse por um longo tempo”, eu admito baixinho. "Eu acho que é por isso que eu estava tão teimosa esta semana. Fiquei apaixonada por você, e quando você me machucou, eu sabia que eu nunca iria sobreviver se isso acontecesse novamente. "


"Ah, querida." Ele planta seus lábios na minha testa e toma uma respiração longa e profunda. "Vamos entrar. Eu prefiro que os vizinhos não estejam a par de toda a conversa". Eu sorrio e aceno. "Boa ideia." Eu levo-o para o meu apartamento, para o sofá, onde ele se senta e me puxa para o seu colo, envolvendo os braços em volta de mim novamente. "Eu pensei que tinha perdido você para sempre”, ele murmura, sua voz áspera com lágrimas não derramadas. "Eu não quero me sentir assim novamente, Addie." "Eu também." Eu arrasto meus dedos pelo seu rosto, seu pescoço, e de volta para o seu cabelo. "Você precisa entender, Jake, que você nunca poderia arruinar a minha vida, desde que você esteja nela. Você traz um monte de bem para as pessoas". Ele começa a interromper, mas eu coloco meu dedo sobre os lábios, parando-o. "Você. É. Maravilhoso. Você está cercado por pessoas que se preocupam muito com você. Você não vai arruinar a minha vida, Jake." "Eu sei disso agora”, diz ele em voz baixa. "E eu percebi que era muito egoísta da minha parte achar que sim." Ele dá de ombros, envergonhado. "Eu sempre liguei minhas más decisões ao sofrimento dos meus entes queridos, e eu não queria arriscar fazer isso com você nunca." "E fugir de mim é o que me machucou. Irônico, não é? " Ele balança a cabeça. "Eu sinto muito."


"Eu lhe devo um pedido de desculpas também. A primeira vez que me pediu para falar com você, eu deveria ficado. Mas eu tenho a minha própria bagagem, porque você não chega a essa idade, têm experiências de vida, e não têm a bagagem que vai com ela." "Eu gostaria de ajudá-la a desfazer as malas”, diz ele, beijando minha testa. "Eu gostaria disso também." Eu enterro meu rosto em seu pescoço, beijando sua pele lisa, e tomando a primeira respiração profunda que eu tenho tido desde antes de nossa briga no restaurante. "Jake, não há uma pessoa neste mundo que eu quero mais do que eu quero você." Ele acalma, em seguida, esfrega as mãos para cima e para baixo a minha volta, a minha cintura, e depois simplesmente abraça-me apertado. "Nem mesmo um?" "Eu poderia pensar duas vezes se Scott Eastwood fosse para me fazer uma proposta." Ah, como eu perdi isso! "Quem é Scott Eastwood?", pergunta ele com um rosnado. "Você sabe, o ator. O filho de Clint". "Hmm." Ele aperta os olhos. "Eu já fui substituído por um Eastwood? Estou claramente fora de meu jogo." "Eu não o substitui ainda”, eu digo, com uma risada, penteando os dedos pelo cabelo macio. "Eu só estou dizendo, você é tudo que eu quero. A menos que Scott trapaceie o dedo


para mim. E mesmo assim, eu provavelmente ainda iria escolhêlo." "Provavelmente?" Ele beija minha testa, em seguida, toca meu nariz com o dele. "Provavelmente." Ele mordisca o canto da minha boca, a minha mandíbula para o meu pescoço, e então suga a pele entre os lábios, liberando-o com um estalo alto. "Tem certeza?", ele sussurra em meu ouvido, e todos os pelos do meu corpo ficam em pé. "Eu não tenho tanta certeza do meu nome agora”, eu respondo sem fôlego. Deus, como é que ele me excita com apenas um pequeno toque? "Eu acho que eu posso fazer você esquecer tudo sobre esse cara Eastwood”, diz ele enquanto ele me move sem esforço para as minhas costas, colocando-me em todo o sofá, pairando sobre mim, beijando meu peito, onde meu vestido mergulha para mostrar meu decote. Ele está arrastando o nariz para baixo o vinco, mal me tocando, mas fazendo-me contorcer debaixo dele. "Jake, me dispa." "Ainda não." Ele sorri, e eu sei que estou em apuros. O melhor problema de sempre. Eu estou agarrando sua camiseta preta, tentando arrastá-la até seu torso, mas ele está mantendo-se apenas fora do meu alcance, frustrando o inferno fora de mim.


"Por favor”, eu sussurro. Ele arrasta os lábios, a língua indo para o meu peito e pescoço, movendo contra mim, e enterra suas mãos no meu cabelo, escovando-o suavemente. "Não vamos levar isso rápido, baby." Ele mordisca meus lábios. "Eu vou fazer amor com você, o mais lentamente possível. Eu não achava que estaríamos aqui novamente, e eu quero saborear você." "Não é à toa que você ganhou Grammys”, murmuro. "Você tem jeito com as palavras." Ele balança a cabeça e ri. "Cada palavra é verdadeira." Ele desliza o nariz para baixo a minha, enviando arrepios por meus braços. "Eu sei que o nosso amor não é perfeito, Addie. Mas eu sei que vou lutar por nós, eu vou te proteger." "Mesmo que eu seja um desastre, por vezes?", eu sussurro. "Apesar disto. Eu amo o seu caos, querida." Ele me beija agora, realmente me beija, longo e lento, da forma perfeita que só Jake faz. Este homem tem um dom quando se trata de sua boca. Ele está arrancando as presilhas do meu cabelo, deixando-os para baixo, e depois as pontas dos dedos esfregam meu couro cabeludo, fazendo-me ronronar. "Isso é bom”, eu digo contra seus lábios. "Eu amo o seu cabelo”, diz ele com um sorriso. "Eu amo seu estilo. E eu amo que eu nunca sei de um dia para o outro como que você vai parecer. Eu tenho me divertido muito com você. "


"Isso pode ser o melhor elogio que alguém já me deu”, eu digo surpresa. "A maioria das pessoas só veem os peitos ou as pernas. Eles não prestam atenção a qualquer outra coisa." "Eu vejo você”, diz ele enquanto seus lábios fazem uma viagem no meu pescoço. Suas mãos estão puxando meu vestido em meus ombros, puxando-o para baixo o suficiente para revelar os meus seios. "Não que seus peitos não sejam absolutamente lindos." Ele sorri para mim enquanto toma meu mamilo já duro em sua boca, provocando-o com a ponta da língua. Meus quadris levantam, mas ele está me segurando com firmeza. E ele está duro. Ele move-se para o outro, pagando-lhe a mesma atenção. Eu tento puxar sua camisa de novo, e desta vez ele me ajuda a puxá-la sobre sua cabeça e joga-a de lado, em seguida, recomeça mostrando aos meus seios o quanto ele os perdeu. E eu começo a tocar sua pele suave, deslizando os dedos em ambos os lados da sua coluna, em seu cabelo, e para baixo novamente. Ele está baixo o suficiente para que eu possa ligar os meus pés nos bolsos de trás da calça jeans e dar um pequeno puxão. "Eu adoraria que você já estivesse nu agora." "Eu gostaria de chegar lá primeiro”, ele responde, e me ajuda a sair meu vestido e sutiã; então, com apenas minha calcinha restante, ele planta a mão plana no meu peito e me empurra de volta para o sofá. "Deus, você tira meu fôlego."


Eu sorrio brilhantemente enquanto seu olhar passeia pelo meu corpo, em seguida, volta para o meu rosto. "Obrigado." Ele deixa molhados beijos de boca aberta pelo meu torso, no meu umbigo, meu quadril. Ele conecta os polegares em minha calcinha e tirando-a pelos meus quadris e pernas, beijando cada polegada de mim enquanto ele lentamente a tira fora de mim. Ele joga-a de lado, e beija o arco do meu pé. Eu estou aqui deitada, nua como o dia em que nasci, aberta para ele, e ele ainda está tomando seu doce tempo, me beijando, olhando para mim. Me fazendo louca. "Sua pele é tão macia”, ele murmura, em seguida, toma o meu outro pé na mão e começa sua jornada de volta a minha perna. Eu pulo quando a língua roça a parte de trás do meu joelho. "Cócegas?", ele pergunta. "Eu não tinha ideia de que era uma zona erógena”, eu respiro. Ele levanta a sobrancelha e passa a língua sobre a pele sensível novamente. Eu inclino a cabeça para trás e lamento, em seguida, ofego quando ele beija a parte interna da minha coxa. "Eu nunca vou ter o suficiente de sua vagina”, ele sussurra enquanto puxa meus lábios com os polegares e se inclina para roubar a língua da minha abertura para o meu clitóris em um movimento longo, fluido, enviando-me a cambalear. "Tão rosa, tão sensível."


Eu enterro meus dedos em seus cabelos e puxo, mas ele é mais forte do que eu. Ele apenas sorri para mim e continua a causar estragos em todos os nervos do meu corpo, com essa boca incrível, puxando meus lábios em sua boca e sugando suavemente, sua língua massageando e me dirigindo para fora da minha mente sempre amando. "Jake!" "Sim, querida." Ele desliza suas mãos sob minha bunda e me inclina. "Você tem um gosto tão doce." "Você vai me fazer gozar." Eu não posso respirar, e eu não me importo. "Esse é o objetivo”, diz ele com uma risada, então sopra sobre mim, fazendo o frio na pele molhada. Ele gentilmente empurra dois dedos dentro de mim e envolve os lábios em volta do meu clitóris, sugando em pequenos pulsos. E é isso. Terminei. Eu grito quando o meu mundo explode em um milhão de minúsculos pedaços. Meu corpo está em chamas. Eu não posso pensar. Eu não posso fazer nada a não ser sentir. Quando eu desço do alto, Jake beija o vinco sensível entre minha coxa e buceta, em seguida, até meu corpo, cobrindo-me novamente. Eu chego entre nós e desabotoo suas calças de brim, puxando-a para baixo seus quadris, e quando ele fica livre, eu pego-o na minha mão e oriento a ponta para onde sua boca estava há poucos momentos.


"Addie”, ele sussurra, seus incríveis olhos verdes preso ao meu. "Jake." Ele mal está dentro de mim, mas, oh, Deus, é bom para caralho. Eu ainda estou segurando seu eixo, e instalo no mais distante, até que ele seja enterrado completamente dentro de mim e nós dois suspiramos. Eu cerro os músculos, apertando-o, e ele geme. "Eu senti tanto sua falta." "Eu também." Ele começa a mover-se lentamente, em cursos longos, estáveis. Ele não está me batendo, ele não está me fodendo. Ele está me desfrutando. Cada polegada de mim. Eu nunca me senti tão bonita na minha vida. Ele liga os nossos dedos e passa minhas mãos sobre minha cabeça e se move um pouco mais rápido, apenas um pouco mais forte, como se ele apenas não pudesse ajudá-lo. "Está tudo bem?", ele sussurra. "Muito mais do que bem”, eu respondo, olhando para ele. Eu não

consigo

parar

de

vê-lo.

Seus

músculos

estão

todos

flexionados apertados, e seu estômago enquanto ele se move dentro e fora é justo.... Bem, deve ser fodidamente ilegal. "Você é tão sexy”, eu gemo.


E que o faz. Ele jura sob sua respiração, libera minhas mãos, e enterra o rosto no meu pescoço quando ele goza, empurrando um último momento difícil quando ele solta. Minhas mãos estão deslizando por suas costas e para baixo seus lados, meus pés descansando em suas panturrilhas. "Deus, o que você faz para mim”, ele sussurra em meu ouvido, beija meu pescoço, e empurra-se para sorrir para mim. "Eu te amo." "Eu te amo."

"ISSO É BOM”, Jake diz, com a boca cheia de queijo grelhado com peru e tomate. Ele me passa o saco de Doritos. Depois de nos aconchegarmos ─ eu não posso acreditar que eu sou um aconchegadora ─ decidimos que estávamos morrendo de fome. Não me lembro da última refeição que eu tive. Então eu fiz para nós sanduíches saudáveis e nós caímos de volta no sofá com a nossa comida. "Acho que o sol está prestes a nascer”, eu digo, olhando para fora da janela. "Quanto tempo nós nos aconchegamos?" "Por um tempo. Você é tão louca por mim, que você não poderia me deixar”, diz ele com um aceno de cabeça. "Você deve estar tão envergonhada." "Você é hilariante”, eu respondo secamente e reviro os olhos. "Isso é um ego que você tem lá, Keller." "Não é ego se é tudo verdade."


Eu sorrio com desdém, em seguida, dou de ombros. "Ok, eu acho que é verdade. Eu poderia gostar de você. Um pouco." Ele suspira profundamente, mastigando o último pedaço de seu sanduíche. Ele está sentado no lado oposto do sofá, em apenas seu jeans, e eu não posso tirar meus olhos de seu bronzeado, torso tonificado. E então eu rio na aliteração na minha cabeça. "O que?" "Nada." Eu mordisco meu sanduíche enquanto ele coloca o prato vazio de lado e começa a esfregar meus pés, seu polegar cavando meu arco. "Eu acho que eu te amo por isso." "Sim, minhas habilidades com o polegar são impressionantes." Eu envio-lhe um sorriso maroto. Sim, ele é bom no plantio do polegar contra o meu clitóris e fazendo meu mundo explodir. "Eu deveria saber." "Você é uma menina tão impertinente”, diz ele com um sorriso. "Eu amo isso." "Eu avisei há muito tempo que eu era." "E você não estava mentindo." "Eu não minto. Sobre qualquer coisa." Terminando com o meu sanduíche, eu coloco o meu prato de lado e resolvo voltar para desfrutar da massagem. "É um desperdício de tempo, e então você tem que tentar lembrar o que você disse." "É uma boa política para ter."


"Eu também não perco o meu tempo com mentirosos." Eu estou olhando na cara dele agora, esperando que ele entenda o que estou dizendo. Ele para de esfregar meu pé, pega a minha mão e me puxa para o seu colo, embalando-me perto. "Eu não sou um mentiroso também, doçura." Eu envolvo meus braços em volta de seu pescoço e seguro firme. Ele realmente está aqui? Isto é real? Suas mãos são firmes e quentes sobre a camisa que estou vestida, enquanto ele esfrega minhas costas para cima e para baixo. "Mas eu percebo que você é uma ladra, sempre roubando minhas camisas." "Eu gosto delas”, murmuro contra o seu pescoço. "Addie, eu não posso prometer que não haverá vezes em que vou estragar tudo ou que as coisas não vão parecer quebradas." Sua voz é um sussurro trêmulo, com a boca plantada contra o meu templo. "Mas eu posso te prometer que eu não vou andar para longe de nós." Nós. Eu não. Nós. Eu o abraço apertado enquanto as lágrimas formam nos cantos dos meus olhos. "Essa é a melhor promessa que você pode fazer." Meus olhos estão ficando pesados. Seus braços são fortes em torno de mim, sua respiração é longa e estável, e em pouco tempo, sinto-me à deriva.


A próxima coisa que eu sei, ele está me levantando e me carregando através do apartamento, desligando as luzes e verificando se a porta está trancada antes de levar-me para a cama. Ele me coloca suavemente na cama, em seguida, sai da calça jeans e se junta a mim, me afastando dele para que ele possa acolher-se atrás de mim. Mas eu quero vê-lo, então eu me viro e coloco minhas pernas através dele, abraçando-o em torno do meio e enterrando meu rosto em seu peito. "Basta ir dormir, baby”, ele sussurra contra a minha testa. "Eu não quero." Ele pega meu rosto, franzindo o cenho para mim na escuridão. "Por quê?" "Porquê e se eu acordar e você não estiver realmente aqui? E se isto é apenas o melhor sonho que eu já tive?" "Eu estou aqui”, ele responde em voz baixa. "Eu estou aqui por tanto tempo quanto você vai me deixar ficar." Para sempre. Eu não estou pronto para dizer isto em voz alta ainda, mas, isso é tão bom. Tão certo. Eu perdi muito dele. "Durma”, diz ele de novo, e eu não posso resistir a isto. Meus olhos se fecham, e eu adormeço com o som da pulsação do coração de Jake no meu ouvido e os braços fechados em torno de mim.


Capítulo Vinte Jake Eu

tenho que convencê-la de que eu sinto muito, e que eu a

amo. Eu preciso dela comigo, sempre. Deus, eu sinto tanta falta dela. Eu acordo, lavando a angústia sobre mim, assim como ele tem todos os dias desde que eu estupidamente saí do apartamento de Addie, e então eu tomo uma respiração longa e profunda. Eu posso sentir o cheiro dela. Abro os olhos e me sento, olhando ao redor do quarto bem iluminado e sorrio. Estou no apartamento de Addie. E eu a segurei a noite toda enquanto ela dormia. Bem, tecnicamente toda a manhã, porque nós não adormecemos até muito cedo esta manhã, mas quem está contando. Ela é minha. E se eu tiver algo a dizer sobre isso ela vai ser minha pelo o resto de sua magnifica pequena vida. Mas primeiro as primeiras coisas.... Onde diabos ela está? Eu caminho para fora do quarto e encontro-a na cozinha, ainda vestindo minha camisa, puxando panelas para fora de um armário.


"Eu

disse

que

você

poderia sair

da

cama?",

pergunto

severamente. Sua cabeça empurra para cima, os olhos azuis arregalam com surpresa. "São duas horas da tarde, Jake." "Eu não dou a mínima”, eu respondo e tomo sua mão na minha, abandonando as panelas, e os ovos e bacon sentado na bancada, e a levo de volta para o quarto. "Eu estou com fome." Eu olho para trás para ver sua boca e seus lábios em um biquinho. Vou levar tirar esse biquinho direito de seu rosto bonito. Uma vez ao lado de sua cama, eu levanto a minha camisa e a lanço de lado, depois inspiro acentuadamente, tendo em seu corpo surpreendente, nu. "Bonita." As mãos dela derivam para baixo do meu peito para o meu pau, e eu passo fora de seu alcance. "Deite-se de costas." "Mandão”, diz ela levantando uma sobrancelha, mas sua respiração aumentou e eu sei que ela está excitada. "Eu tenho que dizer-lhe de novo?" "Não, você não." Ela está no meio da cama, de costas, cruza as mãos sobre a barriga, e me olha com os olhos cheios de humor. "O que agora?" Oh, baby, é só esperar. Eu não respondo. Eu apenas sorrio e vejo como ela morde o lábio, já antecipando o meu próximo passo.


Eu abro suas pernas e inclino para beijar os seios. "Agarre seus tornozelos." "Desculpe-me?" Eu ergo minha cabeça, olhando em seus olhos. "Eu quero que você pegue seus tornozelos." "Você sempre pode dizer por favor?" Eu pisco para ela. "Não, agora." Ela estreita os olhos, tentando decidir se ela vai confiar em mim

neste

nível

de

controle

e,

finalmente,

ela

cumpre,

agarrando-se a seus tornozelos enquanto suas pernas estão espalhadas. "Boa menina." Ela ri. "Boa menina?" "Mmm." Eu chupo um mamilo em minha boca, então lambo seu pescoço e beijo seus lábios, mordendo o fundo de seu lábio. "Eu entendo porque você sempre morde este lábio. É delicioso. " "Você está em um humor muito interessante esta manhã." "É tarde." "Tanto faz." Eu a beijo novamente, e depois com os lábios ainda pressionado ao dela, eu digo: "Agora eu quero que você conte até vinte. Se você deixar de ir seus tornozelos, eu vou bater em você. Duro." Os músculos de seu pescoço trabalham enquanto ela engole, olhos preso ao meu.


"Você entendeu?" Ela balança a cabeça. "Palavras, Addie." "Eu não vou deixar ir." Eu sigo o corpo dela com a minha língua, trabalho o meu caminho para baixo, mas em vez de comer sua buceta, eu empurro dois dedos dentro dela. "Conte." "Um, dois ─" E eu começo a foder ela com o dedo, grosso modo, o polegar pressionando o clitóris. Seus arcos de volta e ela libera os tornozelos. "Você soltou." "Espere!" Ela ri, balançando a cabeça. "Deixe-me tentar de novo." Eu inclino minha cabeça para o lado. "Ok, vamos chamar isto de prática. Agarre seus tornozelos." Ela está em conformidade. "Conte." "Um, dois, três, merda, merda, merda... " "Merda não está contando. Comece de novo." Eu não retardo minha mão, e ela geme. "Um, oh meu Deus." "Ele não está aqui, baby. Conte." Ela olha para mim, mas não se deixar ir. "Um, dois, três, quatro... "


"Mais devagar." Ela choraminga, mas diminui sua contagem e eu retomo a condução louca com a minha mão, observando como seu corpo, aperta, me fazendo absolutamente duro. Ela atinge vinte, sem deixar ir, e eu paro a tortura como ela suspira de alívio. "Muito bom." Ela sorri triunfante. "Ok, vamos tentar isso." "Posso soltar meus tornozelos agora?" Eu sorrio. "Sim, você pode. Você está em recuperação. " "Eu não tinha ideia de que poderia ser muito divertido. Eu pensei que era apenas sujo, talvez um pouco tóxico, para um relacionamento." "O que, dominância?" Ela balança a cabeça. "Nada tóxico vem de genuíno amor e confiança. Sempre. Lembre-se disso, baby. " "Eu confio em você”, ela sussurra timidamente, fazendo-me amolecer. Eu nunca vou abusar dessa confiança. Eu a recompenso com um longo doce beijo molhado e enrolo suas pernas em volta da minha cintura, deslizando em sua umidade quente. "Porra, você se sente bem."


"Mmm”, ela geme. "Agora você vai falar comigo”, eu digo. Seus olhos abrem de surpresa, um V formando enquanto ela franze a testa para mim. "Sobre o que?" "Sobre isso." Eu deslizo para fora, em seguida, deixando o meu pau roçar nas suas dobras, o pau fazendo cócegas seu clitóris. "Eu quero que você me diga como isso se sente." "Isso é bom." "Seja mais específica." Eu mordo o lábio inferior e sinto o suor brotar na minha testa quando sua pequena língua espreita para fora para deslizar sobre o local. Eu só mordo. "Diga-me o que você está sentindo." "Eu estou quente." "E?" Eu retiro e deslizo meu pau de volta dentro dela. Sua buceta se sente completa e perfeita e eu a seguro, puxando-a ainda mais contra mim. "E excitada." "Eu preciso de mais, Addie." "Sinto-me animada. Seu pênis atinge este ponto que envia apito na minha espinha". "Boa menina." Eu acaricio seu mamilo com o meu nariz. "O que mais?" "Seus dedos na minha bunda." "Sim?"


"Eu quero que ela tenha hematomas para que eu possa vê-los mais tarde, quando eu tomar banho." Sinto

um

sorriso

se

espalhar

pelo

meu

rosto

com

o

pensamento de marca-la. Porque ela é fodidamente minha. "Eu amo isso. Muito." "Gosto da maneira como o cabelo em sua perna se sente sob o meu pé." "Mmm. Eu adoro quando você arrasta o pé na minha perna." Ela faz isso de novo, me fazendo sorrir. "Seu peso se sente bem em mim”, ela sussurra, em seguida, recupera o fôlego quando eu bato nela, apenas um pouco mais duro. "E quando você faz isso ─" "O que, baby?" "Quando você faz isso, isto se sente como se estivesse enterrado tão profundamente, eu não sei onde você termina e eu começo." "Eu te amo para caralho." Seu sorriso ilumina a sala. "Eu também te amo. E eu amo o quanto você dizer 'foda' quando você está excitado." Eu arranco e a beijo para baixo de seu corpo à sua buceta, puxando seus lábios na minha boca, chupando duro, em seguida, beijo de volta para cima e mergulho dentro dela. "Você é uma coisa doce”, eu rosno. "Jake?"


"Sim, baby." "Eu ainda estou falando?" "Absolutamente." Eu empurro uma de suas pernas por cima do meu ombro, espalhando a sua boceta mais ampla, indo mais fundo, fazendo-a ofegar. "Eu me sinto livre." "Sim, esta posição lhe abre bem." "Não”, ela respira enquanto ela balança a cabeça. "Sinto-me vulnerável. Eu confio em você. Eu te amo. Eu me sinto livre." Eu paro de transar com ela duro e olho para baixo em seus olhos, abaixo sua perna, e a cubro com o meu corpo. "Eu estou aqui com você." "E eu sinto que estou indo vindo." Seus lábios estão agradando o meu enquanto ela fala. Meus olhos cruzam quando ela aperta para baixo em mim, duro. "Ainda com você”, eu gemo quando minha espinha formiga, e eu sinto a filmagem do orgasmo através de mim, quase violentamente. "É tão bom”, ela suspira, preguiçosamente arrastando as mãos pelas minhas costas para a minha bunda. "E uma bunda tão quente." Eu sorrio e nos rolo para o lado para o meu peso fique fora dela, mas eu ainda posso vê-la e tocá-la.


"Então, você esperou até eu dizer que eu te amo para sair do lado dominante?", ela pergunta, brincando, mas eu posso ver que a questão é honesta. "Não, eu só não mostrei todos os meus truques ainda. Às vezes eu estou nesse estado de espírito. Especialmente quando... bem deixa para lá." "Quando o que?" Eu engulo, beijo sua testa. "Você não vai ficar ofendida?" "Eu não disse isso”, ela diz com uma risada. "Eu fico assim quando eu sinto que estou marcando meu território." Seus olhos estreitam, e eu acho que ela vai gritar comigo, mas, em seguida, ela me abraça apertado. "Eu meio que gosto disso. Mas não conte a ninguém que eu disse isso." "Eu não tenho em um hábito de dizer às pessoas sobre minha vida sexual”, eu respondo secamente. "Eu acho que seu segredo está seguro comigo." "Você está com fome?", pergunta ela docemente. "Um pouco." Mas eu não quero sair desta cama. "Você?" "Na verdade, não." "Você estava com fome trinta minutos atrás”. Lembro-a e ela chega mais perto. "Sim, mas agora você está acordado, e eu estou em seus braços, isto está confortável."


"Vamos ser preguiçosos então." Eu a abraço perto e inspiro. Ela tem cheiro de seu xampu cítrico e sexo. Melhor cheiro de sexo neste mundo. "Devemos verificar nossos telefones." Ela suspira e chega até a mesa de cabeceira para o telefone dela, e eu faço o mesmo. "O teu tem explodido?" "Sim." Nós chegamos juntos e nós rolamos através de nossos telefones. " Eu tinha seis chamadas e, puta merda, oito textos." "Eu tive quatro chamadas e vinte e dois textos”, diz ela, rindo. "As meninas são persistentes." "Sim, Christina e Max, ambos querem saber o que está acontecendo. Vou chamar Max rápido e ele pode chamar Christina ". "Vou ligar para Cami”, diz ela com um aceno. "Você está vivo”, Max diz que quando ele responde. "Eu pensei que talvez ela te levasse para algum lugar e te abandonasse." "Ainda não”, eu respondo. "Nós estamos bem, cara." "Sim?" "Sim. As coisas estão bem aqui. Você chame Christina e deixaa saber? Ela está enchendo o meu celular." "Claro, ela está explodindo o meu também. Eu não sei por que, não é como se nós estamos tendo uma orgia ou qualquer coisa, e eu não sou vidente."


"Ela é como uma mãe”, eu respondo, vendo Addie quando ela ri e diz a Cami que estamos apenas sendo preguiçosos na cama. "Eu agradeço." "Sem problemas. E eu estou feliz por você, Jake." "Obrigado." Eu desligo, atiro o meu telefone de lado, e ouço descaradamente a conversa de Addie. Ela pressiona o dedo aos lábios, me dizendo para ficar quieto, e coloca o telefone no viva-voz, colocando-a sobre a cama entre nós. "Quero dizer, você estava tão teimosa Addie, e ele foi tão doce. É uma coisa boa que ele tinha eu e Mia para ajudá-lo, então ele sabia para onde enviar flores e outras coisas. Ele não é doce?" "O mais doce”, Addie diz, revirando os olhos. "Ele realmente é. E o menino te ama. Quer dizer, o que não há para amar, certo? Mas o homem é a cabeça sobre os saltos indo sobre você. E você merece isso, Addie." Ela funga e Addie balança a cabeça em resignação. "Você merece alguém que praticamente adora o chão que você pisa. E ele adora." Mais fungadas. "Eu sei que você tem um monte de bagagem, mas eu realmente acho que Jake é completamente diferente de qualquer um dos idiotas de seu passado. Estou feliz que você puxou sua cabeça fora de seu traseiro e percebeu que ele era apenas um homem estúpido que cometeu um erro."


Eu faço uma carranca com o comentário estúpido, olhando para o telefone. "Ei! Eu não sou idiota." Addie suspira e Cami fica em silêncio. "Eu estou no alto-falante?", ela exige. "Oi, Cami”, eu digo com um sorriso. "Eu acho que você é doce também." "Bem, eu acho que é bom que eu estava dizendo coisas boas sobre você”, diz ela. "Hey, Jake, você tem alguma amiga solteira que eu posso apresentar a Brian?" "Cami! Pare com isso." Addie diz, exasperada. "Sério, deixe o homem encontrar seu próprio encontro." "Ele é ruim nisso”, diz ela com um suspiro. "Ok, vocês vão ter relações sexuais, porque realmente, alguém deve ter. Vou ver se eu posso ajudar no restaurante." "Será que eles precisam de mim hoje?", Addie pergunta, mas eu já estou balançando minha cabeça. "Não. Estamos muito bem. Vocês apreciem um ao outro hoje e compensem o tempo perdido. Amo vocês dois!" Ela desliga e Addie preocupa o lábio. "Você ouviu. Eles estão bem." "Sim. Tenho certeza de que você está certo. " "Eu sei que estou certo. As meninas são muito boas em seus postos de trabalho, e elas vão sobreviver sem você hoje. Além disso, eu quero te levar a algum lugar. " "Onde?"


Eu a beijo levemente, em seguida, dou um tapa na sua bunda e saio da cama. "Você verá. Pare de ser tão preguiçosa e necessitada e deixe meu pau descansar por um tempo. Sério, Addie, eu mal posso manter-me com você." "Você não é tão engraçado quanto você pensa que é." Ela cheira e rola para fora da cama, mas não pode disfarçar o humor em seus olhos. "Querida, eu sou hilário para caralho."

"VAMOS BUSCAR hambúrgueres depois disso?", ela pergunta. "Claro." "Eu amo isso aqui”. Addie suspira quando ela se inclina para trás em mim e observa a queda de água para baixo Multnomah Falls. "É tão calmo." "Mmm." Eu beijo a cabeça, respirando seu perfume doce. Estamos sentados em uma pedra na base das quedas. Ela está sentada entre minhas pernas, recostando-se no meu peito. Isto é a mais calma que eu senti no.... Bem, desde a última vez que estivemos aqui. "Você está bem?", pergunto, sussurrando em seu ouvido. "Claro." Ela olha para mim com uma expressão confusa. "Por que não estaria?" "Eu só estou checando. Eu quero pisar com cuidado." "Jake, você não tem que me tratar como se eu fosse feita de vidro. Eu estou bem. Estou contigo."


Eu arrasto meus dedos pelo seu rosto e a beijo no nariz. "Eu sou fantástico quando eu estou com você também." "Você sabe, a última vez que você me trouxe aqui foi quando eu tive um tipo de momento lâmpada." "Sério?", ela vai contra mim, olhando a água. "O que era?" "Nós estávamos de pé sobre a ponte, e seus braços estavam ao meu redor. Eu tenho tido um momento difícil, lembra?" "Eu me lembro." Lembro-me de sentir impotente, porque eu não sabia como fazê-la se sentir melhor. "Você me disse para fechar os olhos e ouvir as cataratas. E eu fiz. Foi lindo, mas não foi o que me acalmou. " "O que?" "O homem cujos braços estavam ao meu redor”, ela diz e sorri para mim. "Você é o único que me acalma." Jesus. Ela se sentiu segura comigo, e eu arranquei isso dela. Eu sou tão sortudo que ela me deixou voltar. "Sinto muito, Addie." "Ei, eu não disse isso para fazer você se sentir culpado." Ela se vira em meus braços e pega meu rosto em suas mãos. "É uma memória feliz, Jake. Eu acho que eu já te amava; eu era muito teimosa para admitir". "Eu nunca vou esquecer o momento em que eu percebi que eu te amo." Eu sorrio para baixo em seus olhos quando ela levanta o queixo, oferecendo seus lábios para um beijo. Eu, felizmente, obrigo.


"Naquela noite, depois o churrasco na casa dos pais de Mia." "Isso foi um bom sexo”, diz ela com um aceno. "Aquela

noite

mudou

meu

mundo”,

eu

respondo

automaticamente. "Eu estava caindo de amor por você por semanas, mas naquele momento, eu sabia que eu estava perdido para você, Addison." "Você me faz feliz”, ela diz simplesmente. "E eu amo a minha música. Obrigado por isso." "De nada. Ela meio que se escreveu sozinha." Ela inclina a cabeça em questão. "Eu comecei a ouvir a melodia na noite eu te vi pela primeira vez. O clique é uma coisa poderosa." "Deve ser”, diz ela com um aceno. "Eu trabalhei nela quase todos os dias, sempre que eu não estava com você ou trabalhando." "Então você não a escreveu porque tinha fodido as coisas?" "De jeito nenhum." Eu rio e a abraço apertado. "Essa música me agarrou pela garganta e não me deixou ir." "É a nossa música”, diz ela suavemente. "Não, querida, é a sua canção. Nós não precisamos de uma canção. Somos uma canção." Ela dá um longo suspiro, instável antes de me beijar docemente. "Obrigado." "De nada." Nós sentamos por um longo tempo, calmamente assistindo a água, ouvindo o vento nas árvores e desfrutando do


sol quebrando através das folhas acima, quando algo me ocorre. "Ei, isso significa que eu posso ter meu emprego de volta?" "Você quer de volta?" "Sim. Gosto de ver o público quando eles cantam junto com as canções. Max e eu recebemos um chute de fora jogando harmonias e apenas dando a cada outra merda no palco. E eu amo estar perto de você, e isso é apenas outra maneira que eu posso fazer isso." "Bem, então o trabalho é seu. Ele sempre foi seu". "Eu serei sempre seu”, eu respondo suavemente. "Por quanto tempo me quiser." "Bom." Ela beija a parte de baixo do meu queixo. "Porque eu pretendo mantê-lo praticamente para sempre." "Excelente ideia."


Epílogo Addison Três meses depois . . .

"Eu

Não posso acreditar”, Kat diz com uma carranca enquanto

ela come um croissant com geleia de morango. Nós cinco estamos tendo um brunch no domingo de manhã. É um belo dia de outono cedo, e o pátio aqui em Portland Noroeste é perfeito esta manhã. "Eu preciso vê-lo novamente”, Riley diz, apontando para onde eu enfio a mão por cima da mesa para que ela possa obter um outro olhar para o anel. "Quero dizer, isso é impressionante, Addie." "Obrigado." Eu sorrio feliz e pego uma mordida de bacon. Jake se superou com este anel. Mas a melhor parte foi a proposta. "Eu não posso acreditar que ele compartilhou quase todos os aspectos de seu relacionamento com a gente, conhecê-lo no restaurante, contando com a nossa ajuda para levá-la de volta, e então ele fez a proposta sozinho!" Kat faz uma carranca. "Isso não é justo."


"Como ele fez isso?", Cami pergunta, descansando o queixo na sua mão e sorrindo sonhadora. Deus, essa menina é tão romântica. "Ele apenas me pediu para casar com ele”, eu respondo simplesmente. Jake e eu concordamos que os detalhes ficariam entre nós. Foi uma surpresa. Ele me levou para o nosso lugar, as Cataratas, no final do dia quando estaria praticamente deserto. Eu pensei que íamos apenas lá em cima para um pouco de paz e tranquilidade. Nós estávamos de pé sobre a ponte, exatamente como naquele primeiro dia que ele me levou lá. Mas, de repente, ele abaixou-se sobre um joelho e tirou uma pequena caixa azul. "Eu me apaixono por você todos os dias, Addison. Não só porque você é bonita e inteligente e tão engraçada que você me faz rir até que eu chore, embora você definitivamente seja todas essas coisas. Eu quero você, porque simplesmente não há mais ninguém neste mundo como você. Eu sei que não há ninguém melhor do que você, ou mais certa para mim do que você, e eu não quero mais começar um dia sem você nele. Você é o meu lugar feliz. Você é meu lugar seguro. Por favor, case comigo. Venha nesta aventura comigo. " "Terra para Addie”, Mia diz, acenando com a mão na frente do meu rosto. "Você vai se juntar a nós?" "Desculpa."


"Então, você não está indo para nos dizer como ele fez isso”, Riley diz, desapontada. "Isso é péssimo." "Eu estou autorizada a ter algo só para mim”, eu digo com um sorriso. "Mas, eu vou dizer que foi incrivelmente romântico e que ele me fez chorar. Mas em um bom caminho neste momento." "Ok, eu posso viver com isso”, diz Kat com um suspiro. "E, veja só, ele chamou meus pais e eles estão voando para a nossa festa de noivado. Mamãe vai me ajudar a planejar o casamento." "Isso é incrível!", Mia diz com um sorriso. "Eu sei que você sente falta deles." "Brian saiu em um encontro!", Cami exclama e bate palmas. "Eu o arranjei com a filha do meu vizinho, e parece que eles tiveram um bom tempo." "Você é tão estranha”, Mia diz, balançando a cabeça. "Você realmente

precisa

deixar

o

homem

encontrar

sua

própria

mulher." "Talvez ele não queira outra mulher”, Riley diz calmamente. "Talvez ele ainda queira você." Cami engole em seco. "Ele não pode me ter." O telefone de Mia toca, e ela franze a testa para baixo para ele. "Mãe, normalmente, você não me chama no início do dia. Olá?" "Ele vai seguir em frente”, eu asseguro Cami.


"O que você quer dizer?", Mia demanda, fazendo com que todos nós congelarmos e ouvir. "Bem, quando saberemos? Oh meu Deus, Mama". "É Landon”, Cami sussurra com a voz rouca. "Chame-me, assim que você souber. Será que precisamos ir para lá?" Os olhos de Mia encontram os meus. Oh, amiga. O que está acontecendo? "OK. Eu também te amo." Eu aperto a mão de Cami firmemente a minha. "O que aconteceu?", Cami demanda assim que Mia termina a chamada. "Landon foi ferido." Os olhos de Mia estão cheios de medo enquanto ela enxuga lágrimas. "Nós não sabemos o quanto ainda." "Mas ele está vivo”, Cami diz. Não é uma pergunta. Os olhos de Mia encontram os dela. "Ele está vivo." "Quando vamos saber mais?", pergunto. "Ela não sabia." Mia esconde o rosto entre as mãos e deixa as lágrimas vir. Eu envolvo um braço em volta Cami, mas ela só olha para frente. "Ele vai ficar bem”, murmuro para ela. "Landon é um lutador." "Ele está bem”, Cami repete, depois balança a cabeça, como se ela estivesse saindo de um nevoeiro. Ela vira os olhos para os meus. "Ele tem que ficar bem."


New York Times SĂŠrie fusion do autor do best-seller, Kristen Proby continua em

Close To You


Camilla, "Cami", LaRue tinha cinco anos de idade, quando ela se apaixonou por Landon Palazzo. Todo mundo que disse a ela que o amor era um filhote de cachorro e que iria desaparecer claramente nunca conheceu Landon. Quando ele saiu após a graduação sem olhar para trás, ela estava de coração partido. Mas Cami cresceu, mudou-se, e tornou-se co-proprietária do popular restaurante Seduçtion. Ela tem tudo o que poderia querer ... ou ela pensa que tem.. Depois de passar os últimos 12 anos como piloto de caça da Marinha, Landon retorna para Portland para assumir o negócio de construção da família. Quando ele pega um pequeno vislumbre de Cami LaRue, ele percebe que ela não é mais tão pequena. Ele sempre teve um fraquinho pela melhor amiga da sua irmã, mas nada mais é suave , quando ele está por perto da linda restauranteur . Landon não vai deixar passar a chance de ficar com a garota da sua porta ao lado . Ela nunca foi para ter um romance, mas ele é o único a mudar sua mente. Vai seduçtion (sedução) ser apenas o nome de seu restaurante ou Cami vai deixá-lo chegar perto o suficiente para satisfazer todas as suas fantasias?


Profile for Milla

Listen to me (Fusion #1) - Kristen Proby  

Seduction está se tornando rapidamente o mais quente novo restaurante em Portland, e Addison Wade tem o orgulho de afirmar que tem 1/5 do cr...

Listen to me (Fusion #1) - Kristen Proby  

Seduction está se tornando rapidamente o mais quente novo restaurante em Portland, e Addison Wade tem o orgulho de afirmar que tem 1/5 do cr...

Profile for millascs
Advertisement