Page 1

O Microchip Ano 4 FEVEREIRO 2006 n.29 EDV Digital inaugura rede de 25 ‘hotspots’ A rede de hotspots (pontos de acesso à Internet sem fios) implantada no âmbito do projecto Entre Douro e Vouga Digital foi inaugurada com a realização de uma videoconferência em que participaram os presidentes dos cinco municípios envolvidos. Os 25 hotspots, disponíveis nos concelhos de Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra, Arouca, S. João da Madeira e Santa Maria da Feira, permitem que qualquer cidadão aceda gratuitamente à Internet desde que possua um computador portátil ou um PDA compatível com a tecnologia wi-fi, uma tecnologia sem fios que permite o acesso à Internet de banda larga. Para usufruir do serviço basta que o utilizador se dirija a uma zona de cobertura e aí aceder gratuitamente à Internet, num raio máximo de 150 metros. Em Oliveira de Azeméis os pontos de acesso estão localizados junto da Escola Superior de Enfermagem, jardim público, Praça da Cidade, parque de La Salette e Junta de Freguesia de Nogueira do Cravo. Numa segunda fase serão instalados mais 12 hotspots noutros locais da cidade e do concelho. Os responsáveis do Entre Douro e Vouga Digital querem duplicar os actuais 25 hotspots até ao final de 2006. O crescimento previsto pretende melhorar as condições de acessibilidade à Internet em banda larga, disponibilizando meios de acesso gratuito. O projecto EDV Digital é o resultado do esforço das cinco autarquias envolvidas, da ADREDV e de instituições sociais e económicas com o objectivo de promover a massificação das TIC.

Jovens sem 12.° ano perdem apoio O Governo quer impedir a entrada de jovens sem qualificações no mercado de trabalho, pondo fim aos incentivos à contratação de pessoas, com menos de 23 anos, que não tenham completado o ensino secundário. Esta é uma das novidades do programa de promoção da qualificação do emprego.

Concelho aprovado a Português O Júri Nacional de Exames (JNE) publicou o relatório dos exames nacionais do 9.º ano de escolaridade, realizados, pela primeira vez, no final do ano lectivo anterior. A análise aos resultados da disciplina a nível concelhio demonstra que nenhum concelho do país conseguiu registar uma média superior a 2,66. Na escala de um a cinco, a primeira nota positiva é o três. As escolas de Oliveira de Azeméis, no seu todo, como aconteceu nos restantes concelhos do País, não atingiram nível positivo em Matemática, ficando-se nos 2,25. Comparativamente aos restantes concelhos do Centro de Área Educativa (CAE) de Entre Douro e Vouga, aparecem com média superior as escolas de Espinho (2,60), Vale de Cambra (2,33) e S. João da Madeira (2,31), e, com média inferior, as dos concelhos de Arouca e Santa Maria da Feira (2,14) e de Castelo de Paiva (2,05). No que diz respeito ao exame de Língua Portuguesa, em que a média nacional se situou no nível 3, Oliveira

de Azeméis alcançou uma média ligeiramente superior, 3,13, cotando-se como o segundo melhor do CAE da Feira, logo a seguir ao de Espinho (2,30). Seguiram-se os de S. João da Madeira (3,06), Santa Maria da Feira (3,05). Outro dado a reter prende-se com o diferencial entre a média de nível de frequência e a média de nível de exame que, sem excepção, baixou em todos os concelhos, o que evidencia um desempenho inferior dos alunos nas provas de exame. A nível de Língua Portuguesa esse diferencial é pouco acentuado nos concelhos de Espinho (0,6), Oliveira de Azeméis (0,14), Santa Maria da Feira (0,17) e Castelo de Paiva (0,29), enquanto a maior discrepância aconteceu em S. João da Madeira (0,34). No que diz respeito à Matemática, a ordem dos primeiros mantém-se, mas a assimetria é mais acentuada: Espinho (0,66), Oliveira de Azeméis (0,84) e as mais acentuadas em Castelo de Paiva (0,93), Arouca (0,96) e Vale de Cambra (0,97).

Internet cada vez mais utilizada nos trabalhos da escola Um estudo francês revela que a Internet e a novas tecnologias da informação se estão a tornar num instrumento de aprendizagem e de trabalho cada vez mais utilizado pelos alunos, tanto em casa como na escola. Assim, de acordo com os esultados de um inquérito sobre o uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC), encomendado pelo ministério da educação deste país e conduzido pela empresa Médiamétrie, 75 por cento dos alunos franceses entre os 11 e os 18 anos utiliza um computador fora do horário lectivo destinado ao trabalho escolar e 86 por cento admite usá-lo quotidianamente na sala de aula. Os pais também parecem estar a aderir em força às TIC, já que 80 por cento os

encarregados de educação das crianças com idades entre os 8 e os 15 anos reconhece a importância dos seus conteúdos educativos, culturais ou científicos e 56 por cento diz utilizá-la para ajudar os filhos nos trabalhos da escola.

Menos 290 mil alunos desde 1995 Nos últimos dez anos, o sistema de ensino básico e secundário perdeu praticamente 290 mil alunos, indicam os dados mais recentes apurados pelo Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo (GIASE). Já o número de professores tem crescido em todos os ciclos de estudo, com excepção do 1° ciclo do básico: existem 160.531 em exercício, mais 22 mil do que em 1995/ 1996.


“Prata inoxidável” Quando se trata de metais valiosos, a prata ocupa, há séculos, um honroso segundo lugar no imaginário popular. Mais barata que o ouro, mas com a sua própria nobreza, ela é um dos metais preferidos para a fabricação de jóias e utensílios. Mas um problema sempre manchou essa nobreza da prata: mantêla limpa e a brilhar não é exatamente uma tarefa fácil. Agora, pesquisadores da Universidade de Sheffield Hallam, Inglaterra, descobriram uma nova técnica que poderá revolucionar a indústria mundial da prata: descobriram como produzir prata legítima que não mancha com o tempo. A nova “prata inoxidável” resiste ao efeito do descoloramento, causado por poluentes, mantendo sua cor e brilho originais. Os pesquisadores acreditam que isso poderá incentivar o consumo de artefatos do metal, já que eles não exigirão mais as demoradas e repetitivas tarefas de limpeza e polimento.

Office 2007

As manchas nos artefatos de prata surgem pela reação do metal com o enxofre presente no ar, formando um filme de sulfeto de prata que escurece sua superfície. “O maior problema com a prata como um metal precioso é que ela mancha com o tempo. O amarelamento ou escurecimento do metal signfica que ítens tradicionais de prata, como cutelaria, tornam-se cada vez menos atrativos no mercado moderno, porque eles exigem muita manutenção,” explica o Dr. Hywel Jones, coordenador da pesquisa. Os pesquisadores também acreditam que a descoberta poderá abrir novos mercados industriais para a prata, como os contatos elétricos de precisão, hoje uma área dominada pelo ouro.

A próxima versão da suite de produtividade chamar-se-á muito provavelmente Microsoft Office 2007. Apresentará também algumas alterações no que diz respeito às aplicações que o compõem, assim deverá deixar de existir o Microsoft Word e passará a surgir por exemplo o Microsoft Office Word.

Windows Vista O próximo CTP (Community Technology Preview) do Windows Vista será dia 21 de Fevereiro. Para compensar a espera, a Microsoft estará a planear uma build feature-complete, ou seja, seria o primeiro Beta com todos os recursos do Vista. Ainda não se trata da versão Beta 2, esta deverá sair em Abril. Segundo a mesma fonte, o Longhorn Server não estará presente no CTP de Fevereiro.

O futuro Windows DVD Maker Um blog da MSDN (Microsoft Developers Network) comentou sobre o futuro Windows DVD Maker que estará presente no Windows Vista. A ideia é permitir que os utilizadores criem DVD interactivos, incluindo menus de capítulos, sem precisar dominar a tecnologia. Na imagem , pode-se ver a edição do menu, vários estilos já estão disponíveis, tanto empresas como utilizadores avançados poderão criar outros estilos que poderão compartilhá-los. Poderá também pré-

visualizar por completo o DVD antes da gravação, incluindo a visualização do live preview no menu.

S U D O K U

Leds - Tecnologia para o futuro Os Leds são diodos emissores de luz, ou seja, componentes electrónicos semicondutores que convertem energia eléctrica directamente em luz. A electricidade é directa e totalmente convertida em luz, o que permite uma eficiência perfeita. A média de potência consomida estima-se em 6 Watts. A vida média destes produtos com tecnologia LED é de 20/25 anos. Os Leds, devido às suas características técnicas, não requerem substituição periódica, ao contrário das lâmpadas convencionais. A actual tecnologia dos LEDS permite uma vasta escolha de modelos e de cores, com uma grande eficiência de iluminação.

F i c h a T é c n i c a Coordenação, ilustração, redacção e processamento de texto: Prof. Paulo Gonçalves Colaboração: Alunos do 12ºD e Prof. Luís Veloso (Esc. Sec. de Gouveia). Exemplares publicados: 150 Exemplares publicados via E-mail: 140 Escola Secundária Soares Basto (403003) 3720254 Oliveira de Azeméis Telefone: 256600590 Email: essbee@sapo.pt

Solução em www.esec-soares-basto.rcts.pt

M

I

C

R

O

T

O

O

N

Uchip29