Issuu on Google+


Corpo Docente Juliano Vinícius C. de Brito Karina M. Meira Laila Kely Maia Luizi de Souza Santos Maicon Oliveira Mayra Line O. Gusmão Márcia Mineiro Márcio Santos Meiriva Quaresma Meisa S. Gusmão Milana Ribeiro Murílo Gomes Santos Orônio Nunes Raika Lopes Robério Rocha Roberta Sousa Rose Mary Ferreira Rozimeire Soares de O.Porto Sandra Marjorie L. Lourenço Sara de França Silvana Viana Silvina A. Souza Sheyla Queiroz Santos Symara Gomes Tereza Cristina Luz Valdirene Flores Vilce Novaes dos Santos Braga

Abdon Santos Abigail Guimarães Aydil Gusmão Alcides Fagundes Ana Maria Alves André Harada Camila Botelho Carlos Ney Cláudia Rizzo Daniel Nery Dilson Fernandes Edimário Freitas Emília Medeiros Euvaldo Cotinguiba Flávio Flores Brito Francisco Almeida Gabriela da Silva Gutemberg Sacramento Gláucia Lílian Portela Hiasmini Bastos Ileuza Costa Cardoso Isabela Souza Pereira Ivonilce Oliveira Jarbas Lacerda Jair Lopes José Florêncio dos Santos Juliane Oliveira 37


ÍNDICE

Sobretudo, desejamos-lhes boas-vindas a um novo ano letivo, com muitas páginas em branco a serem escritas, por vocês!

Um forte

no nosso abraço!

Bem-vindos(as) a 2013! ĜØÞÒŐÑ Ĩ ÑŇMŊXŊÒŃMdo Educandário Juvêncio Terra

Temática 2013: Brasil / Portugal: Laços Culturais ................................................. Calendário Letivo 2013 ........................................................................................... Distribuição das Unidades ....................................................................................... Calendário Avaliações - Ensino Fundamental I (1º ao 5º Ano)................................ Calendário Avaliações - Ensino Fundamental II (6º ao 9º Ano)............................... Calendário Avaliações - Ensino Médio (1º e 2º Ano) .............................................. Calendário Avaliações - Ensino Médio (3º Ano) ..................................................... Convivência ............................................................................................................. Recursos e Serviços Disponíveis ............................................................................. Informações Importantes ........................................................................................ Direitos do Aluno ................................................................................................... Deveres do Aluno .................................................................................................... O que não deve ocorrer .......................................................................................... Em caso de ocorrência ............................................................................................ 10 Princípios básicos para educar seus filhos ......................................................... Orientações aos Pais ............................................................................................... Sistema de Avaliação .............................................................................................. A Aprovação ............................................................................................................ Simulados ................................................................................................................ Dependência ............................................................................................................ Estudos de Recuperação ......................................................................................... O segredo é.... Saber estudar ................................................................................... Redes Sociais: custos e benefícios .......................................................................... Leitores, Leitoras e Leituras..................................................................................... PROLOF - Programa da Lógica Formal .................................................................. Núcleo de Projetos ................................................................................................... Serviço de Apoio Psicopedagógico ......................................................................... Equipe ...................................................................................................................... Corpo Docente .........................................................................................................

04 14 15 16 17 18 19 20 22 22 23 23 24 24 26 34 28 28 29 29 29 30 31 32 33 34 35 36 37


Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões Gosto de ser e de estar E quero me dedicar a criar confusões de prosódia E uma profusão de paródias Que encurtem dores E furtem cores como camaleões Gosto do Pessoa na pessoa Da rosa no Rosa E sei que a poesia está para a prosa Assim como o amor está para a amizade E quem há de negar que esta lhe é superior? E deixe os Portugais morrerem à míngua "Minha pátria é minha língua" Fala Mangueira! Fala!

03

Flor do Lácio Sambódromo Lusamérica latim em pó O que quer O que pode esta língua? [...] Sejamos o lobo do lobo do homem Lobo do lobo do lobo do homem Adoro nomes Nomes em ã De coisas como rã e ímã Ímãímãímãímãímãímãímãí mã Nomes de nomes [...] Se você tem uma ideia incrível é melhor fazer uma canção Está provado que só é possível filosofar em alemão Blitz quer dizer corisco Hollywood quer dizer

Laços Culturais Falar de laços culturais implica falar primeiramente de ‘laços’. O que é um laço, qual a sua importância?

(Meu Deus! Como é engraçado. Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço. Uma fita dando voltas. Enrosca-se, mas não embola. Vira, revira, circula e pronto, está dado o laço. É assim que é o abraço [...] Ah, então é assim o amor, a amizade, tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita. Enrosca, segura um pouquinho, mas não pode se desfazer a qualquer hora, deixando livres as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade. E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços. Então o amor, a amizade são isso. Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam. Porque, quando vira nó, já deixou de ser um laço.) 04


Já haviam parado para pensar em que consiste um laço? Para refletirmos sobre essa pergunta, vamos ter de mergulhar no terreno das simbologias.

Fernando Pessoa dizia: “a minha Pátria é a minha língua”. Hoje, 200 milhões de pessoas, mais da metade formada de brasileiros, têm como pátria a língua portuguesa. Os laços existentes entre Brasil e Portugal foram atados há mais de cinco séculos. Um longo período compartilhando a mesma língua e outros traços culturais, num enlace de enriquecimento recíproco.

'Stamos em pleno mar... Dois infinitos Ali se estreitam num abraço insano, Azuis, dourados, plácidos, sublimes... Qual dos dous é o céu? Qual o oceano?...

A língua e a cultura nos enriquecem, pela unidade, e nos tornam mais plenos, pela diversidade.

(O Navio Negreiro - Tragédia no mar – Castro Alves)

Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! (Mar Português - Fernando Pessoa)

Não sabes, criança? 'Stou louco de amores... Prendi meus afetos, formosa Pepita. Mas onde? No templo, no espaço, nas névoas?! Não rias, prendi-me Num laço de fita. (Laço de fita - Castro Alves)

05

06


Dimensões Culturais

Vivemos um tempo em que, além dos laços afetivos, laços econômicos nos unem, e é hora de fortalecermos a convicção de Vinícius de Moraes, em uma estrofe do lindo poema Pátria Minha:

Não te direi o nome, pátria minha Teu nome é pátria amada, é patriazinha Não rima com mãe gentil Vives em mim como uma filha, que és Uma ilha de ternura: a Ilha Brasil, talvez.

Villa-Lobos

Cultura é a fábrica de significados em torno dos quais os seres humanos interpretam experiências e guiam ações.

É preciso avaliar até que ponto falamos a mesma língua. Se regras semelhantes garantem a unidade da língua portuguesa, regras diferenciadas provocam estranheza na interação entre os falantes dos dois países. Como dois irmãos que buscam firmar a identidade, Brasil e Portugal têm as suas próprias regras sobre o que dizer, como dizer, a quem dizer e em que circunstâncias fazê-lo, de modo muito espontâneo.

.

O conceito de cultura não é pacífico, mas não há dúvidas de que envolve o reconhecimento de que membros de um determinado grupo partilham traços em comum, e diferenciam-se noutros. As pessoas, em cada cultura, não têm idênticos artefatos, normas, valores e princípios, mas é possível identificar pontos de semelhança entre membros de culturas diferentes.

07

08


A desigualdade é um fator sempre presente, mesmo em sociedades que primam pela igualdade. Entretanto, há variações quanto à capacidade de aceitação dessa desigualdade. O Brasil classifica-se como um país em que a hierarquia é muito forte. Essa tendência relaciona-se a fatores históricos e políticos, uma vez que traz consigo toda uma herança colonial.

No centro das metrópoles, características individualistas ainda persistem, tornando os laços entre os indivíduos mais tênues. Entretanto, nas periferias, na zona rural ou em cidades menores, predominam características coletivistas, como a integração das pessoas em grupos coesos e fortes e a proteção mútua. E o coletivismo dos portugueses, como se explicaria? Vem de sua história de conquistadores, quando precisavam da força de todos, para enfrentarem o desconhecido?

Somos, em alguns aspectos, individualistas; noutros, coletivistas.

Navegadores antigos tinham uma frase gloriosa: "Navegar é preciso; viver não é preciso". Quero para mim o espírito desta frase, transformada a forma para a casar como eu sou: Viver não é necessário; o que é necessário é criar. [...] (Navegar é preciso - Fernando Pessoa)

Viria esse coletivismo da necessidade de posicionar-se diante dos demais países vizinhos, caracteristicamente individualistas? Perdi-me dentro de mim Porque eu era labirinto E hoje, quando me sinto, É com saudades de mim. (Dispersão - Mário de Sá Carneiro)

Somos coletivistas ao considerarmos família uma estrutura ampla, que enlaça parentes próximos e distantes, e quando transformamos o ambiente de trabalho numa nova ‘família’, onde todos são unidos por obrigações mútuas de proteção e de lealdade, criando laços de amizade.

09

a Membro da Comunidade Europeia, não precisará Portugal mostrar-se mais coeso e mais forte? Essas são apenas reflexões e cogitações para as quais ainda não formulamos respostas, ou não encontraremos respostas. Mas a proposta é esta: provocar perguntas! Não basta colonizar para atar laços. Outros povos contribuíram para a formação da grande aquarela que é a nação brasileira.

10


Diversidade Falar de laços culturais não se resume a falar do colonizador. Uma palavra ou teoria não seria capaz de abarcar todos os processos e experiências históricas que marcaram a formação do povo brasileiro.

Chegamos às primeiras décadas do século XXI com um acervo de culturas que forma a cultura de um só lugar. Em meio a tantas diferenças, frestas, preconceitos e jeitinhos, ainda reconhecemos o famoso jeitinho ‘brasileiro’, que, purificado da carga de preconceito ou de efeitos antiéticos, identifica um povo: o nosso povo. Tatuados pelas contradições do conflito e da convivência, o Brasil constitui uma nação com traços singulares, que ainda se mostram vivos no cotidiano dos vários tipos de “brasileiros” que conhecemos nesse território de dimensões continentais. A primeira marcante mistura aconteceu quando as populações indígenas entraram em contato com os colonizadores do Velho Mundo. Ao longo do tempo, graças aos interesses comerciais de Portugal, grande leva de africanos foi expropriada de suas terras, para aqui viverem, na condição de escravos Mas esse caleidoscópio de gentes não parou de se multifacetar. A força rude do trabalho escravo abriu espaço para a entrada de outros povos. Italianos, alemães, poloneses, japoneses, eslavos e tantos outros fazem parte desse caldeirão cultural.

São estas as intenções da temática 2013:

Gestoras, Coordenadoras, Professores (as), Coreógrafos(as), Funcionários(as) e Alunos(as) vão-se debruçar sobre o tema.

Descobrir histórias, formas, tons, cores, sons, tempos, espaços...

E mostrar com quantos laços se faz um tecido intercontinental!

11

12


Calendário 2013 Janeiro D

S

T

Q

Q

Fevereiro S

S

D

S

T

Q

Q

S

Março S

D

S

T

Q

Q

S

S

S

S

O ano de 2013 foi declarado pela UNESCO como o Ano Internacional da Cooperação da Água. Durante todo este ano os países do mundo devem unir esforços para tornar os recursos hídricos acessíveis para todas as pessoas do mundo. De acordo com o relatório da ONU, apresentado à UNESCO, chamado "Gestão dos recursos hídricos em condições de incerteza e risco", até 2070 o déficit de recursos hídricos será sentido por 44 milhões de pessoas, especialmente na Europa Central e Meridional. Lançada durante a sétima edição do Fórum Juventude UNESCO, a campanha Tour Voz da Juventude irá ouvir, durante dois anos, os desejos dos jovens por mudanças no mundo e em suas comunidades. A campanha promete levar as ideias dos jovens para o próximo Fórum da Juventude da UNESCO, em 2013.

01 - Confraternização Universal

12 - Carnaval

Abril D

S

T

Q

29 - Paixão

Maio Q

S

S

D

S

T

Q

Q

Junho S

S

D

S

T

Q

Q

Você pode participar desse movimento! A edição do Fórum 2011 ocorreu em Paris e contou com cerca de 245 jovens delegados de 193 países, além de mais de 250 observadores da sociedade civil. Entre eles estavam dois jovens de comunidades carentes do Brasil. Informe-se! A proposta é realizar a ação nos mesmos moldes do revezamento da tocha olímpica, só que no lugar de esportistas, diferentes personalidades transportarão o microfone e irão simular a cerimônia, através de atividades do universo juvenil, como paraquedismo e skatismo. Fique atento! Você sabe o que é a Agenda 21? É um documento que foi gerado com os principais resultados da Conferência Eco-92 ou Rio-92, ocorrida no Rio de Janeiro, no ano de 1992. Com ele, foi estabelecida a importância de cada país se comprometer a refletir, global e localmente, sobre a forma com que governos, empresas, organizações nãogovernamentais e todos os setores da sociedade poderiam cooperar para solucionar os problemas socioambientais. No Brasil, as discussões da Agenda 21 são coordenadas pela Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável. Os Estados e Municípios também elaboram as suas agendas, em consonância com o planejamento global. Fique atento à Agenda 21 da nossa Cidade! 13

29 - Paixão

01 - Dia do Trabalho 30 - Corpus Christi

Julho D

S

T

Q

Agosto Q

S

S

02 - Independência da Bahia

D

S

T

Q

12 - Padroeira do Brasil 15 - Dia do Professor

Q

T

Q

Q

S

S

D

S

D

S

T

Q

Q

Q

S

S

Q

S

Dezembro S

02 - Finados 09 - Aniversário da Cidade 15 - Proclamação da Republica

14

T

07 - Independência do Brasil

Novembro S

S

11 - Dia do Estudante 15 - Padroeira da Cidade

Outubro D

S

Setembro

D

S

T

25 - Natal

Q

Q

S

S


Ensino Fundamental 1

Calendário Letivo 2013

AVALIAÇÕES DA I UNIDADE DATA DIA DISCIPLINA DATA DIA DISCIPLINA DATA DIA DISCIPLINA

DISTRIBUIÇÃO DAS UNIDADES UNIDADE I II III

RECESSOS E FERIADOS 10 a 12/02 28 a 30/03 01/05 30/ e 31/05 15 e 16/08 07/09 12/10 14 e 15/10 02/11 09/11 15/11 25/12

3ª feira Português 5ª feira Redação 2ª feira Matemática 4ª feira Ciências 6ª feira História 2ª feira Geografia

09/04 11/04 15/04 17/04 19/04 23/04

3ª feira Português 5ª feira Redação 2ª feira Matemática 4ª feira Ciências 6ª feira História 2ª feira Geografia

SÁBADO 24/02 16/03 06/04 04/05 22/06 25/05 31/08

ESPECÍFICO PARA E. FUNDAMENTAL 1º e 2º ANO ENSINO MÉDIO

DIAS SUBSTITUÍDOS Compensa 08/07 – 2ª feira Compensa 09/07 – 3ª feira Compensa 10/07 – 4ª feira Compensa 11/07 – 5ª feira Compensa 12/07 – 6ª feira Compensa 31/05 – 6ª feira Compensa 16/08 – 6ª feira

ESPECÍFICO PARA 3º ANO ENSINO MÉDIO Resultado Provas Finais Resultado Provas Finais Inscrição para Recuperação Inicio da Recuperação Resultado da Recuperação Pedidos de Revisão Resultado da Revisão

21/11 às 10 h 22 a 28/11 30/11 às 10h 30/11 e 2/12 03/12 21/12 21 e 23/12 27/12

3ª feira Português 5ª feira Redação 6ª feira Matemática 2ª feira Ciências 4ª feira História 6ª feira Geografia

12/11 às 10 h 14 a 21/11 25/11 às 10h 25 e 26/11 27/11 17/12 21 e 23/12 27/12

AVALIAÇÕES DA II UNIDADE DATA DIA DISCIPLINA DATA DIA DISCIPLINA DATA DIA DISCIPLINA 11/06 13/06 17/06 19/06 20/06 21/06

3ª feira Português 5ª feira Redação 2ª feira Matemática 4ª feira Ciências 5ª feira História 6ª feira Geografia

23/07 25/07 30/07 02/08 03/08 07/08

3ª feira Português 5ª feira Redação 3ª feira Matemática 6ª feira Ciências 4ª feira História 4ª feira Geografia

6ª feira Português 2ª feira Redação 4ª feira Matemática 6ª feira Ciências 3ª feira História 5ª feira Geografia

DATA DIA DISCIPLINA DATA DIA DISCIPLINA DATA DIA DISCIPLINA 02/09 04/09 06/09 10/09 12/09 13/09

2ª feira Português Redação 4ª feira 6ª feira Matemática Ciências 3ª feira História 5ª feira 6ª feira Geografia

18/10 21/10 23/10 25/10 29/10 31/10

6ª feira Português 2ª feira Redação 4ª feira Matemática 6ª feira Ciências 3ª feira História 4ª feira Geografia

1º ao 3º Ano Ensino Médio 1º ao 3º Ano Ensino Médio Ensino Fundamental 3º Ano Ensino Médio 15

16/08 19/08 21/08 23/08 27/08 29/08

AVALIAÇÕES DA III UNIDADE

SIMULADOS 29/05 05 e 06/09 06/09 24/10

30/04 02/05 03/05 06/05 08/05 10/05

SÁBADOS LETIVOS

Carnaval Paixão Dia do Trabalho Recesso e Corpus Christi Padroeira da Cidade e Recesso Independência do Brasil Padroeira do Brasil Recesso e dia do Professor Finados Dia da Cidade Proclamação da República Natal

Resultado Provas Finais Resultado Provas Finais Inscrição para Recuperação Inicio da Recuperação Resultado da Recuperação Pedidos de Revisão Resultado da Revisão

05/03 07/03 11/03 13/03 15/03 18/03

Nº DE DIAS 70 64 69 203

PERIODO 04/02 a 10/05 13/05 a 24/08 26/08 a 28/11

16

21/11 22/11 25/11 26/11 27/11 28/11

5ª feira Português 6ª feira Redação 2ª feira Matemática 3ª feira Ciências 4ª feira História 5ª feira Geografia


Ensino Médio (1º e 2º Ano)

DIA 4ª feira 6ª feira 3ª feira 2ª feira 4ª feira 6ª feira

DATA 31/08 03/09 05/09 09/09 11/09 13/09

DIA Sábado 3ª feira 5ª feira 2ª feira 4ª feira 6ª feira

DATA 11/11 12/11 13/11 14/11 18/11 19/11

DIA 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 2ª feira 3ª feira

DATA 13/05 14/05 15/05 16/05 17/05

AVALIAÇÃO I

DIA HORA DISCIPLINA 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira

Port-Red Cienc(fis)-Inglês Geom-Geog Hist-Esp Mat-Fil

AVALIAÇÃO III

2ª CHAMADA

DATA 26/08 27/08 28/08 29/08 30/08

AVALIAÇÃO I

DIA HORA DISCIPLINA 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira

Port-Red-Esp Geog-Ingl Mat-Hist Cienc-Fis Geom-Fil

DIA Sábado 5ª feira Sábado Sábado 3ª feira 5ª feira

DATA 16/05 18/05 23/05 25/05 13/06 15/06

DIA 5ª feira Sábado 5ª feira Sábado 5ª feira Sábado

DATA 01/08 03/08 08/08 10/08 22/08 24/08

DIA 5ª feira Sábado 5ª feira Sábado 5ª feira Sábado

DATA 31/08 09/09 12/09 14/09 17/09 19/09

DIA Sábado 2ª feira 5ª feira Sábado 3ª feira 5ª feira

DATA 11/11 12/11 13/11 14/11 18/11 19/11

DIA 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 2ª feira 3ª feira

AVALIAÇÃO II

DISCIPLINA DATA DIA HORA DISCIPLINA HORA 09/10 Port-Red 07h10 às 08h50 4ª feira Port-Red 07h10 às 10h 11/10 6ª feira 07h10 às 08h50 Geog - Esp 10h50 às 12h30 Geog - Esp 17/10 Mat-Fil 5ª feira 07h10 às 08h50 Mat-Fil 10h50 às 12h30 22/10 3ª feira 07h10 às 08h50 Cienc-Inglês 10h50 às 12h30 Cienc-Inglês 28/10 2ª feira 07h10 às 08h50 Hist-Geom 10h50 às 12h30 Hist-Geom Fis (9º Ano) 10h50 às 12h30 Fis (9º Ano) 30/10 4ª feira 07h10 às 08h

AVALIAÇÃO III

DISCIPLINA HORA Port-Red 07h10 às 08h50 Geog - Esp 07h10 às 08h50 Mat-Fil 07h10 às 08h50 07h10 às 08h50 Cienc-Inglês 07h10 às 08h50 Hist-Geom 07h10 às 08h Fis (9º Ano) 17

DATA 20/04 25/04 27/04 04/05 07/05 09/05

AVALIAÇÃO II

DISCIPLINA DATA DIA HORA DISCIPLINA HORA 22/07 Port-Red 10h50 às 12h30 2ª feira Port-Red 07h30 às 10h 24/07 4ª feira 10h50 às 12h30 Geog - Esp 07h10 às 08h50 Geog - Esp 26/07 6ª feira 10h50 às 12h30 Mat-Fil Mat-Fil 07h10 às 08h50 30/07 3ª feira 10h50 às 12h30 Cienc-Inglês Cienc-Inglês 07h10 às 08h 01/08 5ª feira 10h50 às 12h30 Hist-Geom 07h10 às 08h50 Hist-Geom 07h30 às 10h Fis (9º Ano) 05/08 2ª feira 11h40 às 12h30 Fis (9º Ano) DISCIPLINA HORA 07h10 às 08h50 Port-Red 07h10 às 08h50 Geog - Esp 07h10 às 08h50 Mat-Fil 07h10 às 08h50 Cienc-Inglês 07h10 às 08h50 Hist-Geom 07h10 às 08h Fis (9º Ano)

DIA 5ª feira Sábado 5ª feira Sábado 5ª feira Sábado

PROVAS FINAIS

DATA 22/11 25/11 26/11 27/11 28/11

DIA HORA DISCIPLINA

2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira

Port-Red-Esp Geog-Ingl Mat-Hist Cienc-Fis Geom-Fil

AVALIAÇÃO II

DISCIPLINA DATA DIA HORA DISCIPLINA HORA 21/03 Fis-Esp 14h15 às 17h15 5ª feira 14h15 às 17h15 Fis-Esp 07h30 às 10h30 Port-Lit-Red 23/03 Sábado 07h30 às 10h30 Port-Lit-Red 04/04 5ª feira 14h15 às 17h15 Mat-Ing 14h15 às 17h15 Mat-Ing Biol-Geom 07h30 às 10h30 Biol-Geom 06/04 Sábado 07h30 às 10h30 14h15 às 17h15 Geog-Soc-Fil 13/04 Sábado 07h30 às 10h30 Geog-Soc-Fil 18/04 5ª feira 14h15 às 17h15 Qui-Hist 07h30 às 10h30 Qui-Hist

AVALIAÇÃO III

2ª CHAMADA

DISCIPLINA HORA 07h30 às 10h30 Port-Lit-Red Fis-Esp 14h15 às 17h15 07h30 às 10h Geog-Soc-Fil Qui-Hist 07h30 às 10h Mat-Ing 10h às 12h30 14h15 às 17h15 Biol-Geom

DATA 13/05 14/05 15/05 16/05 17/05

AVALIAÇÃO I

DIA HORA DISCIPLINA 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira

8h as 9:h 40

DATA 07/08 09/08 13/08 19/08 21/08 23/08

2ª CHAMADA

AVALIAÇÃO I

DATA 28/02 02/03 07/03 09/03 14/03 16/03

Port-Red-Hist Geog-Fis-Ing Mat-Lit Bio-Esp-Fil Qui-Geom-Soc

AVALIAÇÃO II

DISCIPLINA DATA DIA HORA DISCIPLINA HORA Fis-Esp Fis-Esp 21/06 07h10 às 10h 6ª feira 14h15 às 17h15 07h30 às 10h30 Port-Lit-Red 22/06 Sábado 07h30 às 10h30 Port-Lit-Red Mat-Ing Mat-Ing 20/07 Sábado 07h30 às 10h30 14h15 às 17h15 Biol-Geom 07h30 às 10h30 Biol-Geom 23/07 3ª feira 07h10 às 10h 14h15 às 17h15 Geog-Soc-Fil 25/07 5ª feira 14h15 às 17h15 Geog-Soc-Fil Qui-Hist Qui-His 27/07 Sábado 07h30 às 10h 07h30 às 10h30

AVALIAÇÃO III

2ª CHAMADA

DISCIPLINA HORA Fis-Esp 14h15 às 17h15 07h30 às 10h30 Port-Lit-Red 14h15 às 17h15 Geog-Soc-Fil Qui-Hist 07h30 às 10h30 Mat-Ing 14h15 às 17h15 07h30 às 10h30 Biol-Geom

DATA 26/08 27/08 28/08 29/08 30/08

AVALIAÇÃO I

DIA HORA DISCIPLINA 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira

8h as 40 às 9:h 9:h40

DIA Sábado 4ª feira 6ª feira 5ª feira 6ª feira Sábado

DISCIPLINA HORA Port-Red 10h50 às 12h30 Geog - Esp 10h50 às 12h30 Mat-Fil 10h50 às 12h30 Cienc-Inglês 07h30 às 10h 10h50 às 12h30 Hist-Geom 10h50 às 12h30 Fis (9º Ano)

8h as 40 8h às9:h 10h

DATA 25/05 29/05 14/06 20/06 21/06 22/06

AVALIAÇÃO III

8h 40 8hasàs9:h10h

DIA 3ª feira 5ª feira 2ª feira Sábado 4ª feira 6ª feira

AVALIAÇÃO II

DISCIPLINA DATA DIA HORA DISCIPLINA HORA 10h50 às 12h30 Port-Red 07h10 às 08h50 5ª feira 21/03 Port-Red 10h50 às 12h30 Geog - Esp 26/03 3ª feira 07h10 às 08h50 Geog - Esp 10h50 às 12h30 Mat-Fil 01/04 2ª feira 07h10 às 08h50 Mat-Fil 10h50 às 12h30 Cienc-Inglês 06/04 Sábado 07h30 às 10h Cienc-Inglês 07h30 às 10h Hist-Geom 10/04 4ª feira 07h10 às 08h50 Hist-Geom 11h40 às 12h30 Fis (9º Ano) 12/04 6ª feira 07h10 às 08h Fis (9º Ano)

8h 40 8hasàs9:h10h

DATA 23/04 25/04 29/04 04/05 08/05 10/05

III UNIDADE II UNIDADE I UNIDADE

DIA 6ª feira 3ª feira 5ª feira 4ª feira Sábado 2ª feira

I UNIDADE II UNIDADE III UNIDADE

AVALIAÇÃO I

DATA 01/03 05/03 07/03 13/03 16/03 18/03

Port-Hist-Red Geog-Fis-Ing Mat-Lit Bio-Esp-Fil Qui-Geom-Soc

AVALIAÇÃO II

DISCIPLINA DATA DIA HORA DISCIPLINA HORA 10/10 Port-Lit-Red 5ª feira 14h15 às 17h15 Port-Lit-Red 07h30 às 10h30 17/10 5ª feira 14h15 às 17h15 Mat-Ing Fis-Esp 10h às 12h30 19/10 Biol-Geom Mat-Ing 07h30 às 10h Sábado 14h15 às 17h15 Biol-Geom 07h30 às 10h Geog-Soc-Fil 24/10 5ª feira 14h15 às 17h15 26/10 Fis-Esp Geog-Soc-Fil 07h30 às 10h Sábado 10h às 12h30 31/10 5ª feira 14h15 às 17h15 Qui-Hist Qui-Hist 14h15 às 17h15

AVALIAÇÃO III

DISCIPLINA HORA 07h10 às 10h30 Port-Lit-Red Fis-Esp 07h10 às 10h 07h10 às 10h Geog-Soc-Fil Qui-Hist 07h10 às 10h Biol-Geom 07h10 às 10h Mat-Ing 07h10 às 10h

DATA 22/11 25/11 26/11 27/11 28/11 18

PROVAS FINAIS

DIA HORA DISCIPLINA

6ª feira 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira

8h as às9:h 40 07h30 10h30

Ensino Fundamental 2 (6º ao 9º Ano)

Port-Lit-Hist Geog-Fis Bio-Esp-Fil Mat--Ing Qui-Geom-Soc


AVALIAÇÃO I

DISCIPLINA HORA Linguagens 14h15 às 17h15 14h15 às 17h15 Ciências Humanas 14h15 às 17h15 Ciências Naturais Matemática 14h15 às 17h15

DISCIPLINA HORA Linguagens 14h15 às 17h15 07h30 às 10h Ciências Humanas 14h15 às 17h15 Ciências Naturais Matemática 14h15 às 17h15

DISCIPLINA HORA Linguagens 14h15 às 17h15 14h15 às 17h15 Ciências Humanas Matemática 14h15 às 17h15 07h30 às 10h Ciências Naturais

AVALIAÇÃO I

DATA DIA 29/08 5ª feira 12/09 5ª feira 19/09 5ª feira 26/09 5ª feira

DISCIPLINA HORA Linguagens 14h15 às 17h15 Matemática 14h15 às 17h15 14h15 às 17h15 Ciências Naturais 14h15 às 17h15 Ciências Humanas

13/05 14/05 15/05 16/05 17/05

2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira

HORA DISCIPLINA Port-Hist-Red Geog-Fis Mat-Lit Bio-Esp-Fil-Soc Qui-Ing

O cumprimento de normas de convivência diminui as tensões geradas por diferentes regras ou costumes familiares, favorecendo a harmonia e a satisfação nas relações interpessoais. A adesão às normas é obrigatória a partir do momento em que o aluno é matriculado na Escola. Portanto, é importante que o responsável leia atentamente todas as normas estabelecidas, discuta-as com o(a) seu(sua) filho(a) e cobre dele(a) o seu cumprimento integral. O Regimento Interno está disponível para Alunos, Pais, Professores (as) e Funcionários (as), na Biblioteca Rosália Figueira Silveira

DISCIPLINA HORA Linguagens 07h10 às 10h30 07h10 às 10h30 Ciências Humanas 07h10 às 10h30 Ciências Naturais Matemática 07h10 às 09h

19

1.1- Informações Preliminares ESCOLA E FAMÍLIA Escola e Família são instituições educativas complementares. Conhecendo-se e respeitando-se mutuamente, tornam-se espaços agradáveis e úteis na consecução do objetivo maior da Educação: formar indivíduos felizes, saudáveis, bem sucedidos e úteis à sociedade, verdadeiros cidadãos.

AVALIAÇÃO II

DATA DIA 21/06 6ª feira 22/06 Sábado 18/07 5ª feira 25/07 5ª feira

DISCIPLINA HORA Linguagens 07h10 às 10h 07h30 às 10h30 Ciências Humanas 14h15 às 17h15 Ciências Naturais Matemática 14h15 às 17h15

DATA

DIA

26/08 27/08 28/08 29/08 30/08

2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira

HORA DISCIPLINA Port-Hist-Red Geog-Fis Mat-Lit Bio-Esp-Fil-Soc Qui-Ing

AVALIAÇÃO II

DATA DIA 03/10 4ª feira 10/10 5ª feira 17/10 5ª feira 19/10 Sábado

DISCIPLINA HORA Linguagens 08h50 às 12h30 14h15 às 17h15 Ciências Humanas Matemática 14h15 às 17h15 07h30 às 10h Ciências Naturais

PROVA FINAL

AVALIAÇÃO III

DATA DIA 05/11 3ª feira 06/11 4ª feira 07/11 5ª feira 08/11 6ª feira

DIA

2ª CHAMADA

AVALIAÇÃO III

DATA DIA 01/08 5ª feira 08/08 5ª feira 22/08 5ª feira 24/08 Sábado

DATA

8h as 9:h 40

DISCIPLINA HORA Linguagens 14h15 às 17h15 14h15 às 17h15 Ciências Humanas 14h15 às 17h15 Ciências Naturais Matemática 07h30 às 10h

AVALIAÇÃO I

DATA DIA 23/05 5ª feira 01/06 Sábado 06/06 5ª feira 13/06 5ª feira

DISCIPLINA HORA Linguagens 08h50 às 12h30 Ciências Humanas 14h15 às 17h15 14h15 às 17h15 Ciências Naturais Matemática 14h15 às 17h15

2ª CHAMADA

AVALIAÇÃO III

DATA DIA 25/04 5ª feira 02/05 5ª feira 09/05 5ª feira 11/05 Sábado

AVALIAÇÃO II

DATA DIA 27/03 4ª feira 04/04 5ª feira 11/04 5ª feira 18/04 5ª feira

8h as 9:h 40

DATA DIA 28/02 5ª feira 07/03 5ª feira 14/03 5ª feira 21/03 5ª feira

1 - Convivência

DATA

DIA

14/11 18/11 19/11 21/11 22/11

5ª feira 2ª feira 3ª feira 5ª feira 6ª feira

HORA DISCIPLINA

8h asas9:h 07h30 10:h40 30

III UNIDADE II UNIDADE I UNIDADE

Ensino Médio (3º Ano)

Port-Hist Geog-Fis Mat-Lit Bio-Esp-Fil-Soc Qui-Ing

PONTUALIDADE DO ALUNO É função da escola propiciar aos alunos experiências que preparem a sua inserção na complexidade das relações sociais, da cultura e do trabalho, como verdadeiros cidadãos, portadores de valores e de princípios. Isso significa educar para que sejam autônomos, críticos e participativos, capazes de atuar em sociedade com competência, dignidade e responsabilidade. Uma dessas responsabilidades é o cumprimento de horários: MATUTINO Início: 7h10 (com duração de 50 minutos, por aula) Término: 11h40 ou 12h 30, conforme horário. As atividades programadas para o turno oposto terão horários e específicos VESPERTINO Início: 13h10 Término: 17h30 SAÍDA DA ESCOLA O Aluno deve permanecer na Instituição durante todo o período letivo. Solicita-se que os Pais organizem os horários de seus filhos, como: médico, dentista etc. fora dos horários de aulas, a não ser em situações específicas, justificadas. Caso o aluno tenha necessidade de ausentar-se, antes do horário previsto, só poderá fazê-lo com a presença dos pais/responsáveis, ou com solicitação, por telefone ou por escrito, dirigida ao Coordenador. A movimentação das turmas, durante as aulas e nas entradas e saídas para o Recreio, deve ser feita de forma tranquila, respeitosa, sem correrias. O sinal, no intervalo das aulas, é para troca de professores; o aluno deve permanecer em sala, no seu devido lugar preparando-se para a próxima aula. FALTA ÀS AULAS Quando o aluno precisar faltar às aulas, por motivo de doença ou de eventos familiares, deve notificar à Coordenação ou ao SOE, para encaminhamentos pedagógicos.

20 19


2 - Recursos e Serviços Disponíveis

ATIVIDADES EXTRACLASSE Todas as atividades pedagógicas serão comunicadas aos Pais, por escrito e publicadas no site. O Estabelecimento não se responsabiliza por quaisquer atividades promovidas pelos alunos, sem a autorização e a comunicação da Direção ou da Coordenação FARDAMENTO Calça comprida jeans, tradicional, azul ou preta; calça padrão de Educação Física; camisa oficial; tênis ou sapato. A farda é padronizada: não é permitido cortá-la ou modelá-la ao gosto pessoal, sob pena de ter de substituí-la, para adentrar ao recinto escolar.

Multimeios

Laboratório de Ciências

Esportes

Coleta Seletiva

rientação Profissional

TAREFAS DE CASA É importante que tanto o aluno quanto os pais saibam que a rotina de estudo não acaba na porta da escola, após as horas diárias de aula. Em casa, o estudo deve continuar, sob a forma de «Tarefa de casa». Lembrem-se de que ‘aula dada, aula estudada’. Isso facilita a aprendizagem dos conteúdos, pois o celebro processa melhor o que foi visto mais recentemente. O aluno que faz suas tarefas participa mais, vibra mais, questiona mais e, consequentemente, conquista sua independência, seus direitos, sua liberdade. Diariamente, o aluno terá «Tarefas de Casa» como continuação do aprendizado desenvolvido em sala de aula. As ‘Tarefas de casa’ são importantes para o aluno, para o professor e para os pais. PARA O ALUNO - Ensinam-no a enfrentar desafios pedagógicas fora do contexto escolar, além de ajudá-lo a construir autonomia, a estabelecer uma rotina e a melhorar a capacidade de organização; ajudam a sistematizar o aprendizado da sala de aula; preparam para novos conteúdos e aprofundam os conhecimentos. PARA O PROFESSOR - Ao analisar os exercícios que os alunos resolvem sozinhos, em casa, o professor pode descobrir quais são as dúvidas de cada um e trabalhar novamente os pontos em que ainda apresentam dificuldades PARA OS PAIS - É uma oportunidade de acompanhar o que está sendo ensinado na escola do filho. OBSERVAÇÃO IMPORTANTÍSSIMA: Trabalhos e Pesquisas reproduzidos literalmente da Internet, ou elaborados por terceiros, não serão reconhecidos como válidos. Consultar sempre a Agenda 0n-line: www.juvencioterra.com.br CONSERVAÇÃO DAS INSTALAÇÕES As instalações sanitárias, salas de aula, corredores, mesas da Biblioteca, pátios e móveis em geral, são de uso coletivo. Logo, todos são responsáveis pela sua conservação e responsabilizados pelos danos causados. A carteira escolar é de uso individual e sua conservação é da responsabilidade do aluno. OBJETOS PERDIDOS Quaisquer objetos perdidos e / ou esquecidos na Escola devem ser procurados no SOE ou na

Auditório

Laboratório de Informática

Coral

 Utilizar corrente com cadeado, para segurança de sua bicicleta ou moto.  Prestar atenção às notas divulgadas a cada Unidade e arquivar todos os testes e

provas. Se houver alguma dúvida, procurar o(a) Professor(a) e/ou Coordenador(a), em tempo hábil.  Procurar o Coordenador de Educação Física, se desejar praticar alguma

modalidade esportiva oferecida.  Mesmo quando não houver "Tarefa para Casa", revisar a aula do dia.  Certificar-se de que compreendeu realmente as solicitações do trabalho proposto.

No caso de dúvidas, esclarecê-las com o(a) Professor(a).  Buscar outras fontes de pesquisa, além das indicadas, na realização dos trabalhos.  Evitar o acúmulo de tarefas e de deveres.

esquisa na rede

Esse portal constitui-se em um ambiente virtual que permite a coleta, a integração, a preservação e o compartilhamento de conhecimentos, sendo seu principal objetivo o de promover o amplo acesso às obras literárias, artísticas e científicas (na forma de textos, sons, imagens e vídeos), já em domínio público ou que tenham a sua divulgação devidamente autorizada, que constituem o patrimônio cultural brasileiro e universal.

Confira alguns sites que permitem essa aventura rumo ao conhecimento.

GRÊMIO LIVRE Nascerá do saudável desejo dos próprios alunos terem seu Grêmio Livre, para que possam exercer liderança, através de uma Diretoria eleita democraticamente. O Serviço de Orientação

21

Cantina

3 - Informações Importantes

Coordenação, sem que isso implique responsabilidade desses Setores pelos pertences do aluno.

Educacional dará apoio, assessorando e orientando a nova Diretoria que despontar na comunidade

Biblioteca

http://educacao.uol.com.br

http://www.dominiopublico.gov.br Klick Educação tem como missão participar do processo de construção do conhecimento dos cidadãos, promovendo o aprimoramento do ensino, difundindo informação especializada e integrando entidades, pessoas e instituições que se dedicam ou se interessam pela educação. O portal Klick Educação é fruto da crença de que a educação é, hoje, reconhecidamente, uma das principais formas de consolidação da cidadania.

http://www.klickeducacao.com.br 22


4 - Direitos do Aluno O aluno é o centro da escola. Ela existe em função dele. O Aluno precisa da escola para apreender, para se desenvolver, para fazer amigos, para conhecer o mundo. para entender a vida, para projetar o seu futuro, para contribuir com o seu país. Por isso. ele tem direitos assegurados.  Receber informações sobre as disposições contidas no Regimento Escolar.  Usufruir de igualdade de atendimento, independentemente do

estágio de aprendizagem em que se encontre.  Participar das aulas e das demais atividades sociais, cívicas e recreativas, promovidas pelo Estabelecimento.  Tomar conhecimento dos resultados obtidos em provas e de trabalhos realizados, em tempo hábil.  Solicitar, quando se julgar prejudicado, revisão de provas e de trabalhos realizados, dentro do prazo de 48 horas, a partir da divulgação dos resultados.  Solicitar orientação aos (às) Professores (as) e aos demais profissionais da Escola, sempre que necessário.  Utilizar-se das instalações, das dependências e dos recursos materiais oferecidos, mediante prévia autorização.  Fazer as perguntas que julgar convenientes para uma melhor compreensão do assunto em pauta, em linguagem compatível com o ambiente social de sala de aula.  Ser ouvido em suas reivindicações e sugestões, por quem de direito, buscando o bom entendimento e o consenso.  Receber orientação e ensinamento de seus mestres  Ser respeitado como ser humano, sem sofrer qualquer forma de discriminação em decorrência de diferenças físicas, étnicas, de credo, ou quaisquer outras.  Expressar o que pensa e aquilo de que gosta, de acordo com as normas da boa educação, sem medo de não ser aceito ou de ser discriminado Todos os alunos são diferentes, mas têm o direitos iguais. Nem todos têm família nos padrões tradicionais, mas todos merecem respeito.

5 - Deveres do Aluno

     

Todas as instituições, para terem funcionamento eficaz e eficiente, são reguladas por normas. É a partir do atendimento a essas normas que podemos experimentar uma convivência saudável, produtiva e cidadã. No EJT, somos regidos pelo que prescrevem a Legislação vigente, o Regimento Escolar e o Estatuto da Criança e do Adolescente. É importante lembrar que direitos e deveres andam lado a lado. Conhecendo os seus deveres você pode posicionar-se de forma ética, madura e responsável. Zelar pelos materiais e objetos de valor que porventura traga para a Instituição, pois eles ficam sob sua inteira responsabilidade. Atenção especial a telefones celulares e a calculadoras, dentre outros objetos de valor, que podem ser facilmente extraviados, pois o Estabelecimento não se responsabilizará por quaisquer danos nesse sentido. Comparecer pontualmente às aulas, às provas e a outras atividades programadas, inclusive no turno oposto. Preservar o patrimônio da Escola, não "pichando" equipamentos ou dependências. Danos físicos serão ressarcidos pelo Responsável (Cláusula Contratual). Apresentar-se devidamente uniformizado, conforme indicado nas Informações Preliminares, inclusive no turno oposto, portando a Carteira de Identificação Estudantil. Respeitar Professores(as), Funcionários(as) e Colegas, não os agredindo física ou verbalmente, sob nenhum pretexto. Fazer chegar às mãos dos pais ou dos responsáveis as Circulares, os Comunicados, os Boletins e outros documentos encaminhados pela Escola. Frequentar as aulas de Educação Física com a mesma obrigatoriedade das outras disciplinas (Art. 24º, Inciso VI da Lei nº 9394). Os Atestados Médicos, para problemas preexistentes, só terão validade se apresentados ATÉ O ÚLTIMO DIA LETIVO DO MÊS DE MARÇO.

23

6 - O que Não Deve Ocorrer Entrar em outros recintos da Escola, que não seja a sala de aula, sem autorização. Promover ou participar de jogos de azar (baralho, carteado, etc.) nas salas de aula e noutras

dependências. Praticar qualquer modalidade de bullying. Desrespeitar colega, funcionário(a), professor(a) ou qualquer outro(a) educador(a). Atrasos no primeiro horário. A repetição do atraso implicará advertência verbal e/ou escrita e comunicação aos Pais. Danificar mobiliário ou instalações. Nesses casos, será cobrado o ressarcimento dos prejuízos, sendo aplicado ao aluno infrator as sanções disciplinares cabíveis. Portar ou estimular porte de material pornográfico, preconceituoso, ou qualquer outro não condizente com o contexto escolar. Faltar à aula para executar outras tarefas, tais como: trabalhos de grupo, ensaios, etc.  Portar material estranho aos estudos (fone de ouvido, rádio, jogos, Mp3 e similares, bolas, videogames etc.). O celular deve ficar desligado durante as aulas. Fica terminantemente proibido portar celular ou equivalente, durante as Avaliações. Caso o aluno tente burlar essa norma, terá sua prova anulada. Promover jogos, excursões, coletas, lista de pedidos ou campanhas de qualquer natureza, sem prévia autorização da Direção. Andar de bicicleta, skate ou patins, na quadra da Instituição, bem como no Ginásio de Esportes.  Entrar na sala de aula ou dela sair sem permissão, ou ausentar-se da Instituição, sem autorização. Usar bebidas alcoólicas, fumo, e outros geradores de vícios, nas dependências da Escola e em atividades extraclasse.

6.1 - Em Caso de Ocorrência A disciplina escolar, como conjunto de normas de convivência social, ajuda a revelar e a cultivar valores pessoais e coletivos. O EJT procurará promover o ajustamento dos alunos à comunidade estudantil, tornando-os cientes de seus direitos e deveres. Na repressão à indisciplina, adotará sempre medidas educativas, buscando levá-los à conscientização de que responsabilizar-se pela falta cometida já é um passo para evitála, no futuro. A Instituição não se responsabiliza por discussões, brigas ou desavenças que aconteçam entre alunos e quaisquer outras pessoas, fora das suas dependências. Caso o aluno seja visto por qualquer Funcionário em situação não condizente com as normas do Estabelecimento, será imediatamente encaminhado à sua Coordenação, para ser orientado. Quando for necessário usar de punição, ela será ministrada, após reflexão sobre sua função educativa. Conforme a gravidade da falta cometida, o (a) aluno (a) estará sujeito (a) à seguinte sequência de penalidades: 1. Advertência verbal, sem registro em caderneta. 2. Advertência verbal, com anotação em caderneta. 3. Encaminhamento, com registro, para a Coordenação. 4. Suspensão de um (01) dia letivo, com aplicação de medida socioeducativa. 5. Suspensão de até três (03) dias letivos, com aplicação de medida socioeducativa. 6. Concessão de Transferência.

A depender da gravidade da infração, a Instituição desobriga-se de adotar a sequência citada.

24


6.2 - São Consideradas Faltas Graves:

10

PRINCÍPIOS BÁSICOS PARA EDUCAR SEUS FILHOS

1. 2. 3. 4. 5. 6.

Agressões verbais e/ou físicas. Desacato à autoridade. Dano ao patrimônio escolar. Saída sem autorização. Todas as formas de Bullying. Divulgar, por Internet ou outros meios, fotos, informações ou brincadeiras que envolvam professores, colegas ou a Instituição. 7. Burlar mecanismos de avaliação, utilizando-se de qualquer modalidade de consulta indevida, o que configura falta de ética estudantil. 3. Participe da vida de seus filhos Conheça o nome dos professores, dos amigos, mais próximos, das celebridades, das músicas e dos filmes favoritos, dos assuntos que estão estudando e dos livros que estão lendo. Crie um horário especial para se divertir com seu filho. Cuidado para não exagerar na preocupação, para não comprometer o fortalecimento da autoestima.

8. Evite castigos severos É aceitável punir os filhos, desde que a punição não seja violente, injusta, cruel ou fira a criança verbalmente. O mais aconselhável é dialogar. Se necessário castigar, explique à criança porque está sendo punida e dê-lhe a oportunidade de reparar o erro.

7 - Serviço de Psicologia Atende ao aluno nos aspectos social, afetivo e comportamental, contribuindo para a sua adaptação à escola e para o seu desenvolvimento integral; observa os problemas de aprendizagem; encaminha soluções para os pais e os professores, dentre outras ações. Os pais serão notificados ou convocados a virem ao Estabelecimento para uma reunião com a Coordenação, caso o aluno esteja com dificuldades de aprendizagem ou apresente acentuado desinteresse pelas aulas. O objetivo é partilhar a preocupação e traçar metas para o rendimento acadêmico do aluno e, caso seja necessário, encaminhá-lo a um profissional especialista.

9. Explique as regras e as decisões Exponha com clareza suas expectativas e argumente-as com seus filhos. Ouça as opiniões deles e admita quando errar.

( Trechos adaptados do livro 10 princípios básicos para educar seus filhos – Laurence Steinberg)

25

26


8 - Orientações aos Pais «É preciso toda uma aldeia para educar uma criança», diz um provérbio africano. Hoje, mais do que nunca, educar vem-se constituindo numa tarefa árdua. Para a maioria das pessoas, «educar» é uma obrigação exclusiva das escolas e de seus profissionais, esquecendo-se de que Educar é função de todos, tanto dos pais quanto dos educadores, quanto da sociedade, como um todo. O conceito de educar vai muito além do ato de transmitir conhecimentos. Educar é estimular o raciocínio, é aprimorar o senso crítico, as faculdades intelectuais, emocionais, físicas e morais. O ser humano precisa de orientação, de formação e de informação, constantemente. Os conhecimentos sistematizados são adquiridos na escola, e ela, juntamente com as famílias, deve despertar nos aprendizes a curiosidade e a capacidade para entenderem o mundo que os cerca, ensinar-lhes os conceitos úteis empregados pela sociedade e a questionarem aqueles que são passíveis de equívocos. Ao estreitar as relações com a escola, os pais acompanham mais de perto o desenvolvimento dos filhos, identificando mais cedo as dificuldades, ou reconhecendo e reforçando o progresso, a fim de que continuem se desenvolvendo; discutem sobre valores, e conversam sobre temas que ajudam no relacionamento pais e filhos. O Coordenador Pedagógico é a pessoa-chave para atendê-lo(a), quando precisar esclarecer dúvidas, trazer sugestões, obter informações, ou buscar ajuda para resolver os problemas escolares dos filhos. Nenhuma outra modalidade de contato substitui a presença equilibrada dos pais na escola, e essa presença é entendida como amor, atenção e interesse pela educação dos filhos. RESPONDAM PRESENTE À ESCOLA DO SEU FILHO!  Em seus movimentos reivindicatórios, procure a Direção ou a Coordenação, a fim de chegar a uma

solução mais rápida e mais eficaz.  Não deixe para dar sugestões, tomar iniciativas, fazer críticas ou solicitar providências no final do ano,

quando não se poderá mais corrigir o problema em questão.  Interessar-se pela vida escolar dos(as) filhos(a), acompanhar a aprendizagem, o cumprimento de tarefas, a

rotina de estudos, a frequência, a pontualidade, os prazos de entrega de Atestados, e outras situações necessárias ao êxito nos estudos e à formação disciplinar são formas de demonstrar amor.  A Escola não se responsabiliza pela permanência de alunos no recinto, depois de meia hora do

encerramento das atividades discentes, pois, nesse horário, não conta mais com a presença de funcionários para acompanhamento e vigilância.  No horário de saída dos Alunos, evite atitudes que possam congestionar o tráfego e ferir as normas de

segurança no trânsito.  Os Pais não podem entrar em sala de aula, em funcionamento. Em casos de necessidade, deverão dirigir-se

à Coordenação, que se incumbirá de chamar o (a) Aluno (a) ou de transmitir recado(s).  O Regimento Escolar e o Projeto Político - Pedagógico encontram-se à disposição, para leitura e análise, na

Biblioteca Escolar.

COMUNICAÇÃO FAMÍLIA E ESCOLA. 

A Escola comunica-se com os Pais, de modo geral, através de Circulares.

 A agenda on-line é um dos principais veículos de comunicação entre o aluno, a família e a escola.  Após cada Unidade, será expedido um Informativo com o resumo das atividades pedagógicas

desenvolvidas. Esse é um importante veículo que permite aos pais acompanharem as atividades pedagógicas. O Informativo é publicado no site do Estabelecimento.  Estaremos à disposição para atendê-los via Internet, por telefone ou pessoalmente. Para atendimento

personalizado, pela Direção ou pela equipe Técnico-Pedagógica, ligue com antecedência, para agendar a visita.

27

9 - Sistema de Avaliação

Consoante a Lei nº 9.394/86, Resolução nº 127/97 CEE e a Proposta Pedagógica da Instituição, o Sistema de Avaliação será processual: avaliação qualitativa e quantitativa para as três unidades e Prova de Recuperação, fechando o processo avaliativo. Cada Unidade terá o seu resultado expresso em notas de 0 (zero) a 10 (dez). A Avaliação Processual será feita pelo(a) Professor(a), acompanhado(a) da Coordenação. O (a) Professor (a) poderá operacionalizar essa forma de Avaliação através de portfólio e de autoavaliação. A seu critério, em parceria com a Coordenação, adotará modalidades e instrumentos avaliativos, como: testes, seminários, periódicos, resenhas, questionários, pesquisas, relatórios e outros métodos que permitam avaliar a aprendizagem de modo significativo. As modalidades e os instrumentos avaliativos, adotados, serão explicitados no Plano de Curso, sob o permanente acompanhamento do Corpo Técnico-Pedagógico e a aprovação da Direção Pedagógica. A Avaliação, no Ensino Fundamental, é realizada diariamente, através do acompanhamento em atividades diversas, a fim de ir corrigindo os rumos da aprendizagem do aluno. Além das avaliações contínuas, haverá também avaliações programadas, para melhor adaptação dos alunos aos diversos mecanismos avaliativos. Existe ainda o Conselho de Classe, órgão humanizador do processo avaliativo, porém com limite de disciplinas para que dele o (a) Aluno(a) possa ser beneficiado(a).

9.1 - Segunda Chamada

O aluno deve evitar avaliações em Segunda Chamada, privilegiando o processos avaliativo junto com seus pares. No entanto, em casos especiais, esse recurso pode ser utilizado. A Segunda Chamada é justificada nos seguintes casos: a. luto, no prazo previsto em Lei. b. eventos familiares comprovados, tais como casamentos e formaturas, fora da Cidade. c. questões de saúde, através de Atestado Médico.

Nos casos de Segunda Chamada previstos, os responsáveis deverão dirigir-se à Secretaria, no prazo de quarenta e oito (48) horas, para justificarem a ausência do(a) aluno(a) e preencherem o Requerimento. Esse Setor informará data, horário e taxa de inscrição. Não há Segunda Chamada na 3ª Unidade.

9.2 - Aprovação A Avaliação do aproveitamento é contínua e progressiva, expressa em notas de 0 (zero) a 10 (dez). No decorrer das Unidades, serão avaliados assuntos das Unidades anteriores. Será aprovado (a) o (a) aluno (a) que, ao final da 3ª Unidade, obtiver como resultado a média 7,0 (sete pontos). A nota de cada Unidade (M1, M2 e M3) será a Média de todas as avaliações desenvolvidas durante o processo. As Avaliações terão pesos diferentes dentro da Unidade. Assim:  O(a) Aluno(a) que não se enquadrar no padrão acima descrito e tiver média entre 5,0 e 6,9, até o final da 3ª Unidade, terá direito à Prova Final.  Média anual menor que 5,0 levará automaticamente para a Recuperação.  O(a) Aluno(a) que não for aprovado(a) em Educação Física, em decorrência do número de faltas, não terá o direito à Prova Final, indo diretamente para a Recuperação.  Não haverá Prova Final de Redação, de Artes e de Cultura Bíblica, levando o(a) aluno(a) não aprovado(a) automaticamente para a Recuperação.  O(a) professor(a) dará o rol de conteúdos da Prova Final.  Será aprovado o (a) Aluno (a) que, ao término das Provas Finais (PF), obtiver Média Final (MF) igual ou superior a 5,0 (cinco) em cada disciplina, de acordo com a fórmula: MU + PF > 5,0 2

Serão encaminhados para Estudos de Recuperação os alunos que obtiverem a Média Final (MF) menor que 5,0 (cinco). Será aprovado na Recuperação o (a) Aluno (a) que obtiver no mínimo média 5,0 (cinco), em cada disciplina. Será considerado não-aprovado para a série seguinte o (a) aluno (a) que frequentar menos de 75% (setenta e cinco por cento) das horas de atividades escolares oferecidas. Em relação aos valores quantitativos, será reprovado (a) o (a) aluno (a) que não alcançar as médias estipuladas por esta Instituição.

28


9.3 - Simulados Será realizado um ou mais Simulado(s) para os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º anos do Ensino Médio, valendo pontos extras. Ao fazer a inscrição, o aluno pagará uma taxa simbólica mais uma doação para uma Entidade Filantrópica. O percentual do Simulado será utilizado na Prova Final, em todas as disciplinas (exceto em Redação e em Educação Física).

O SEGREDO É... SABER ESTUDAR! O nosso cérebro é meio fanfarrão: na hora de pensar em estratégias para aquele jogo complicado de videogame ou de ler aquela revista que você adora, ele coopera facilmente. Mas quando é preciso sentar e estudar um pouco, parece não haver jeito de alcançar a concentração! Aprender nem sempre é uma tarefa fácil...e se torna um desafio, à medida que os conteúdos ficam mais complexos! Por isso, fique atento a estas valiosas dicas para aprender sempre mais e melhor!

9.4 - Estudos de Recuperação A Recuperação é uma excelente chance para aqueles que tiveram dificuldades, durante o ano letivo, para compreender determinados conceitos em diferentes disciplinas. Para os que ficaram em Recuperação, o melhor a fazer é estudar e garantir o próximo ano em outra série. Antes dos Estudos de Recuperação, os (as) professores (as), através da Coordenação Pedagógica, divulgarão o conteúdo programático, para estudo. A seleção deverá abranger, obrigatoriamente, um mínimo de 70% (setenta por cento) do conteúdo anual Continuamente, no processo ensino-aprendizagem e, também, nos Conselhos de Classe, serão observados os aspectos comportamentais e atitudinais: interesse, cooperação, responsabilidade, pontualidade, cordialidade, entre outros. A Recuperação Contínua é realizada no decorrer das aulas, através de orientações de ensino e de atividades diversas, adaptadas à dificuldade de cada aluno; através de aulas de adaptação, para alunos que apresentam dificuldade mais acentuada e que requerem mais contato com a matéria. Recuperação Final: Ocorre em dezembro, após o término das aulas regulares, quando o aluno fará um curso com planejamento específico, e prova que avaliará se conseguiu construir os conceitos e atingir a pontuação necessária para prosseguir os estudos.

9.3 - Dependência Em conformidade com o artigo 15, parágrafos 1, 2 e 3 da Resolução 127/97-CEE, o(a) aluno(a) tem direito a cursar a série seguinte, com aulas no turno oposto, frequência obrigatória, das disciplinas em que ficou conservado, ficando obrigado a atingir os objetivos referentes aos requisitos não assimilados na série anterior conforme Calendário e Sistema de Avaliação específicos:  No Ensino Fundamental (6º ao 8º ano): 02 (duas) disciplinas;  No Ensino Médio não há dependência. A Avaliação dos Estudos de Dependência será quantitativa, expressa em notas de 0 a 10. Será aprovado(a) o(a) aluno(a) que obtiver média igual ou superior a 7,0(sete), ao final do processo.  Ao término do ano letivo, apurada a aprovação na série regular e na disciplina em dependência, o aluno estará aprovado para realizar a matrícula na série seguinte;  Na hipótese de reprovação na disciplina em dependência, concomitantemente, com a reprovação em disciplina da série em curso, obriga-se o aluno à repetência da série em curso e da dependência.  É vedada a emissão do Certificado de conclusão do Ensino Fundamental, ao aluno que, tendo cursado disciplina(s) em regime de dependência, nela(s) não tenha logrado aprovação.

29

Estude em um local organizado e tranquilo Escolha um local específico para estudar e mantenhao sempre organizado e silencioso. Ter muitas coisas espalhadas cer tamente atrapalhará a sua concentração! Se você gosta de ouvir música enquanto estuda, prefira músicas instrumentais e, quando houver letra, ouça aquelas que estão em idiomas que você não conhece! Assim, terá menos chance de ter a atenção desviada.

Crie um pequeno ritual para estudar Sempre que for mergulhar nos estudos, crie um ritual antes! Pode ser um alongamento, pegar um copo de água para deixar na mesa, ou o que achar melhor! Com o tempo, seu cérebro vai entender que é hora dos estudos e fica mais fácil concentrar!

Respeite seu tempo Reserve um tempo do dia para estudar, e o faça sempre no mesmo horário! Se você é mais produtivo pela manhã, deixe para estudar as matérias mais difíceis nesse período! Além disso, nossa concentração é flutuante: ela costuma atingir um pico com 1h30 de estudo, e depois declina. Então, faça intervalos regulares de 5 a 10 minutos para retomar sua concentração! Mas nada de transformar os cinco minutinhos em duas horas no Facebook

Desligue todos os aparelhos eletrônicos Falando em redes sociais, na hora de estudar, não dá para concorrer com a Internet! Nada de deixar o celular por perto, avisando cada notificação do Facebook! Reserve um tempinho do seu dia só para acessar as redes sociais, os e-mails e os sites de que mais gosta e acostume-se a checá-los apenas nesse tempo específico!

Não se contente em ler: escreva! Quem estuda apenas lendo, perde a concentração, mas quem estuda escrevendo, consegue manter o assunto na mente e entendê-lo melhor!

Saiba o que colocar no papel Faça resumos, fichamentos e esquemas da matéria, mas nada de ficar copiando todo o conteúdo dos livros! Destaque apenas os pontos principais e assinale-os com marcatextos.

Revise a matéria que aprendeu na aula no mesmo dia Esse hábito evita que você acumule matérias para estudar, além de ajudá-lo a assimilar a fixar os conteúdos por mais tempo.

30

Sucesso!


REDES SOCIAIS: CUSTOS E BENEFÍCIOS

LEITORES, LEITORAS E LEITURAS

Além dos contatos via telefones celulares e MSN, muitos adolescentes mantêm relacionamentos através das Redes Sociais, das quais, no Brasil, as mais acessadas são o Orkut, o Facebook e o Twitter. Recentemente a Academia Americana de Pediatria divulgou um relatório em que relaciona os benefícios e os riscos das Redes Sociais.

A primeira inserção das pessoas no mundo da cultura é pela leitura, porta que deve ser aberta desde o momento em que o bebê nasce.

Entre os benefícios, destacam-se: - Proporcionar melhor comunicação com familiares e com amigos. - Estimular maior envolvimento comunitário. - Proporcionar colaboração mútua e troca de ideias entre os participantes. - Maior acesso a diversos tipos de informações, inclusive sobre saúde, artes e cultura, em geral.. A lista dos riscos é bem maior:

deve O adulto zer ao p r a ra demonstr o hábito e ler, porqu ansmitido tr é ra de leitu xemplo e lo e p

- Cyberbullying: divulgação de informações embaraçosas, preconceituosas e hostis sobre outrem. - Assédio on-line: envolve uma gama de ações desrespeitosas, incluindo ameaças. - Sexting: envio e recebimento de mensagens sexualmente explícitas, incluindo fotografias e vídeos. - Depressão Facebook: há relatos de que status de amigos muito populares e felizes podem fazer com que alguns adolescentes sintam-se deprimidos, por se julgarem inferiores. - Prejuízos à reputação pessoal e à violação da privacidade.

10 SUGESTÕES PARA ACESSO SEGURO ÀS REDES SOCIAIS 1- Monitore o uso do computador e das Redes Sociais. Acompanhe os passos de seus filhos, saiba por onde andam navegando, com quem estão falando.

Ler não é uma ação apenas para quem sabe ou para quem consegue ler. Essa ideia equivocada exclui dessa importante atividade as crianças abaixo de 6 anos, os analfabetos e as pessoas com deficiências visual que não estão excluídas no mundo do leitor

2- O computador deve ser mantido em local de circulação da casa. Não o deixe no quarto de seu filho, pois ele pode navegar na web em horários e em sites que estão fora do seu controle. 3- É aconselhável que não se navegue por mais de 2 horas diárias e que, nesse espaço, esteja incluído o tempo para pesquisas e para atividades escolares. 4- Seja parceiro de seu filho nas Redes Sociais, ajudando-o a utilizá-las de forma segura e saudável. 5- É sempre possível restringir a conversa às pessoas que você quiser, ou seja, dar acesso apenas a quem, de fato, conhece e confia. 6- Estimule o uso educacional e cultural da Internet. 7- Verifique o teor das páginas e dos jogos on-line usados por seu filho. 8- Oriente-o a não divulgar dados, fotos, informações, filmes pessoais ou familiares, na web. 9- Pesquisas apontam que o uso das TICs, em excesso, pode causar várias doenças, inclusive depressão. 10- Ofereça atividades off-line como alternativas para diversão e estudo, evitando que a vida de seu filho fique apenas dentro de casa, entre o videogame, a TV, o computador e o celular.

31

Os contos de fadas trazem valores que são perenes e a criança é levada a se identificar com o herói, não pela sua bondade ou pela sua beleza, mas por sentir nele seu inconsciente desejo de bondade e de beleza e, principalmente, sua necessidade de segurança e proteção.

32


prolof

Programa do desenvolvimento da lógica formal

Núcleo de Projetos Durante o ano letivo são desenvolvidas atividades pedagógicas que aliam conceitos, arte e cultura, favorecendo e ressignificando a aprendizagem. Os Projetos, em 2013, serão norteados pelo tema Brasil/Portugal: Laços Culturais, abrindo um leque de discussões e de atividades sobre origens, identidade, nacionalidade, atualidade, cultura, diversidade, solidariedade, amizade etc. Quando lemos, estabelecemos um diálogo com a obra, fazemos perguntas e descobrimos respostas. Essas convicções deram origem ao Projeto Contínuo de Leitura, um diferencial da Instituição.

O que é o Prolof? O Programa de Desenvolvimento da Lógica Formal (PROLOF) é um programa psicoeducativo que tem como objetivo estimular o raciocínio dos alunos. O programa foi criado pelo Prof. Dr. Cristiano Mauro Assis Gomes, do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e já foi aplicado em diversas escolas de Belo Horizonte e no interior do estado de Minas Gerais.

Não é suficiente preservar , m a s estabelecer a harmonia entre a n a t u r e z a e o homem. O respeito ao meio ambiente, palco de atuação de todos os seres vivos, contribuintes do desencadear da vida, é preocupação do SEEJT/CONEEJT.

Como o Prolof Funciona? O programa foi planejado para ser aplicado no período de um ano letivo, através de atividades com duração de cinquenta minutos/dia, uma ou duas vezes por semana. Concomitante à aplicação das atividades, os alunos serão avaliados quanto a seu desempenho acadêmico, em momentos distintos, de forma a acompanhar a sua evolução no programa. Aqui, no EJT, o Prolof está sendo desenvolvido com os alunos do Ensino Fundamental II (sétimo, oitavo e nono anos).

Quais os Benefícios do Programa? O objetivo do Prolof é estimular o raciocí nio dos alunos. Com essa intervenç ã o, o pensamento formal-abstrato dos estudantes é aguado e, como consequência, o seu rendimento escolar aumenta. O Prolof também amplia o interesse dos alunos pelos estudos, aumentando a motivação para aprender!

33

Proporcionar as aprendizagens dos conteúdos e o desenvolvimento de valores, respeitando o princípio da dignidade e a construção de projetos de felicidade, que devem ser difundidos, principalmente para os menos favorecidos, são as preocupações do Projeto APRENDER A SER. Oportunizar o acesso ao conhecimento cultural, através do CINEMA, buscando despertar nos alunos a facilidade de expressão, o gosto pela “sétima arte” e a investigação crítica e estética de algumas películas deu origem à vertente LEITURA FÍLMICA, que integra o PCL.

O momento da escolha profissional faz parte do processo contínuo de amadurecimento do aluno. Para orientar essa escolha, a Instituição desenvolve o POP (Projeto de Educação Profissional).

34


Equipe

Serviço de Psicologia As experiências que vivemos na escola são muitas e bastante enriquecedoras! Na nossa sociedade, esse é o espaço considerado por excelência para evoluirmos como aprendizes e como cidadãos! São muitas as vivências compartilhadas com os colegas, com os professores e com os funcionários. Mas, às vezes, elas despertam sentimentos contraditórios, que podem levar a conflitos, a frustrações, a decepções... É, a vida nem sempre é fácil! O importante mesmo é entender que os problemas são postos em nosso caminho para nos impulsionar a crescer! Para aprender a lidar melhor com as dificuldades encontradas nesta jornada, esta Escola conta com um Serviço de Psicologia, funcionando nos turnos vespertinos e matutinos. As profissionais responsáveis são altamente capacitadas para acolher alunos, professores e funcionários, nas demandas que surgirem! Núcleos de Atividades: 

Direção

Coordenação Pedagógica

Diretora Emérita (in memoriam) Profª. Rosália Figueira Silveira

Área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Profª. Maria Cláudia Alcoforado Silva

Direção Administrativa Profª. Adeny Bittencourt Santos Mendes Direção Financeira Profª. Virgínia Maria Brito Fagundes Direção Pedagógica Profª. Christiane Oliveira Mendes Profª Mariana Teles Santos

Orientação, apoio e aconselhamento psicológico ao Educando, a seus responsáveis e aos professores.

Interlocução e acompanhamento junto aos profissionais que cuidam dos Educando, fora da Escola.

Acompanhamento dos alunos do 3° ano do Ensino Médio para Orientação Profissional.

Área de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias Profª. Jezonita de Oliveira Brito Coordenação Ensino Fundamental I Profª. Nadjane Oliveira Araújo Coordenação Ensino Fundamental II Profª. Aydil Franco Gusmão

Identificação de dificuldades de aprendizagem e possíveis encaminhamentos para profissionais especializados.

Área de Ciências Humanas e suas Tecnologias Profª. Ione Barbosa de Góes

Coordenação Ensino Médio Profª. Nadjane O. Araújo (1º e 2º Anos) Profª. Maria Rosicler M. Meira (3º Ano)

Corpo Técnico Administrativo e Auxiliares Serviço de Secretaria Maria Izabel B. Dutra Maiza Cardoso dos Santos

Auxiliar Administrativo Flávia Sampaio Brito Maria Cenise Brandão Oliveira Biblioteca Célia Maria da Silva Régis João Paulo Silveira Brito

Equipe Responsável: -

35

Adriene Leite Laís Aguiar Brandão Mariana Teles Santos

Auxiliar de Disciplina Adriana Brito Avanilda Teixeira Ana Paula Viana Alice Campos

Coordenação de Serviços Gerais Profª. Carmelita Nery Almeida Costa Serviço de Psicologia Adriene Leite Laís Brandão Mariana Teles Serviço de Recepção e Portaria Débora S. Cardoso Recursos Multimeios Aminadab Teixeira Ednalva Silva José Carlos Pereira Lucimauro Palles Nielle Pita

36

Serviço de Apoio Aline Fernandes Edite Araújo Gildete de Jesus Isabel de Sousa Isabel Nunez Souza Maria do Socorro Marvione Saraiva Zenaide Rosa


Informativo EJT 2013