Issuu on Google+

EDIÇÃO Nº 15 TRIMESTRAL | SCMG | Abr/Mai/Jun | 2012 Gratuito

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

LAÇOS DE AMOR Uma família ao ser viço da comunidade

1.ªs Jornadas de Envelhecimento Ativo “Adultos Maiores: Um recurso vital para a sociedade”

Tomada de Posse dos Corpos Gerentes para o triénio 2012/2014


ÍNDICE EDITORIAL 83 ANOS DE HISTÓRIA A PALAVRA DOS UTENTES O QUE ACONTECEU

3 4 5 6

Procissão em honra a N.ª Sr.ª da Misericórdia

14

83.º aniversário da Misericórdia de Gaia

15

ENTREVISTA

Célia Rodrigues fala sobre Laços de Amor

ESPAÇO SAÚDE HISTÓRIAS DE VIDA

João Xavier - um exemplo de envelhecimento ativo

NÚCLEO MUSEOLÓGICO ESPAÇO VOLUNTARIADO AGENDA SABIA QUE...

21 23 25

25

26 26 27 27


EDITORIAL

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

Três anos a comunicar emoções Na comemoração do seu 3.º aniversário, Laços de Amor recebeu o melhor presente que poderia desejar – a participação cada vez maior da “família” da Misericórdia de Gaia e a entusiástica adesão de um crescente número de novos leitores. É com muito orgulho e carinho que a direção deste órgão de comunicação recebe os textos, os poemas, os pensamentos dos nossos utentes e colaboradores, os importantes conselhos dos nossos profissionais de saúde que respondem a problemas com que nos debatemos frequentemente, bem como a generosidade de todos aqueles que aceitam o nosso convite para divulgarmos a sua história de vida, na maioria dos casos, tão rica e repleta de curiosidades e que, não pode passar despercebida a quem diariamente convive com o “protagonista” da história. Continuamos nesta edição a privilegiar o que os utentes têm para dizer, bem como todas as atividades e iniciativas dos equipamentos sociais e unidades de exploração, evidenciando a atividade e dinamismo de todos os que são acolhidos e acolhedores. Por outro lado, mostramos ainda os grandes acontecimentos da Misericórdia no último trimestre como foram os casos do 83.º aniversário da irmandade que contou com a presença do ilustre Bagão Félix, e a Procissão em honra a N.ª Sr.ª da Misericórdia, este ano realizada na Madalena. No entanto, o grande especial desta edição refere-se às 1.ªs Jornadas de Envelhecimento Ativo, intituladas “Adultos Maiores: Um recurso vital para a sociedade” que a Misericórdia de Gaia organizou com o apoio da Câmara de Gaia e de muitos outros parceiros que possibilitaram produzir este evento. Este foi sem dúvida um grande evento com oradores e temáticas de luxo, tendo superado todas as expectativas da organização. Durante os dias 18 e 19 de junho, no Campus Escolar da Serra do Pilar, viveram-se momentos de muita sapiência, atividade e intergeracionalidade, tendo-se comemorado com distinção e grande qualidade o Ano Europeu do Envelhecimento Ativo. Este grande acontecimento só foi possível, graças ao empenho e dedicação de uma equipa multifacetada e pró-ativa, que a Misericórdia de Gaia tem o privilégio de ter, e que trabalhou durante um ano para a realização das Jornadas. Mas há ainda que destacar a elevada qualidade de todos os oradores convidados, bem como de todos os nossos parceiros, participantes do Concurso de Posters e dos trabalhos de Boas Práticas em prol de um envelhecimento ativo, sem os quais este evento não teria sido

3

possível. Todos os pormenores e situações são retratados nesta edição da revista, mas também na página www. facebook.com/jornadasenvelhecimento. Nesta edição, Laços de Amor conta ainda a história de vida de João Xavier, utente da Misericórdia de Gaia e um exemplo singular de envelhecimento ativo. E como estamos a comemorar o 3.º aniversário nada melhor como saber como esta aventura começou e quais as evoluções que Laços de Amor tem produzido em busca de um contínuo incremento de qualidade. Para isso, estivemos à conversa com Célia Rodrigues, chefe de Divisão da Ação Social, por ter colaborado no nascimento deste grande projeto de comunicação. Em jeito de conclusão devo dizer a todos os que nos leem que o futuro não vai ser fácil, mas estou certo que com esforço e criatividade vamos conseguir “fintar” os obstáculos e vencer. Nesse sentido, comunico que a revista Laços de Amor passou no início de 2012 a trimestral, sempre procurando transmitir informação séria, realista e de qualidade quer aos públicos internos, como externos da Misericórdia de Gaia. A todos os que tornam este projeto possível, bem como a todos os nossos leitores, o meu muito obrigado. Pedro Nobre

(Mesário da Comunicação, Sistemas de Informação e da Saúde)


83 ANOS DE HISTÓRIA

4

Com a eleição para o cargo de Provedor do Senhor Comendador Manuel Moreira de Barros, feita pelos seus colegas da Mesa, o ano de 1955 foi um ano de viragem na história da Misericórdia. Para melhor se compreender esta afirmação, passo a transcrever uma parte da ata da sessão de posse da Mesa Administrativa, realizada em 28 de janeiro de 1955: “Aos vinte e oito dias do mês de Janeiro do ano de mil novecentos e cinquenta e seis, pelas dezoito horas, reuniram-se na sala das sessões desta instituição, para dar satisfação ao preceituado no artigo vigésimo terceiro dos estatutos desta Misericórdia, os irmãos a seguir designados eleitos em Assembleia Geral realizada em trinta e um de Maio de mil novecentos e cinquenta e quatro, para constituírem a Mesa Administrativa que funcionará no triénio de mil novecentos e cinquenta e cinco a mil novecentos e cinquenta e sete, a saber: Doutor Basílio Ferreira de Macedo, Manuel Moreira de Barros, António Gonçalves de Castro, Claudino da Rocha Romariz, Guilherme Augusto Leal, Doutor Joaquim Francisco Pedrosa Júnior, Salviano Valente Perfeito, Fiel Rodrigues e António Adolfo Seabra Vieira. Estiveram também presentes nos trabalhos os Senhores Albino Pereira dos Santos, António Correia de Carvalho e Narciso Matos dos Corpos Gerentes da instituição... O Senhor Claudino da Rocha Romariz, na qualidade de Irmão mais velho dos eleitos para a referida Mesa tomou a presidência e convidou os novos mesários, a, por escrutínio secreto, procederem à votação para a eleição dos respectivos cargos. Feita esta verificaram-se os seguintes resultados: Provedor - Manuel Moreira de Barros; Vice-Provedor – Doutor Basílio Ferreira de Macedo; Primeiro Secretário – Salviano Valente Perfeito; Segundo Secretário – António Adolfo Seabra Vieira; Tesoureiro – António

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

Gonçalves de Castro, todos eleitos com oito votos cada… Depois de se ter procedido à distribuição dos pelouros, disse o Senhor Manuel de Barros: Que agradecia a deferência com que o distinguiram, elegendo-o Provedor da Misericórdia de Vila Nova de Gaia e que, muito embora tivesse já sobre os seus ombros uma grande carga de trabalho, como se tratava de uma instituição de caridade, à qual todos têm o dever moral de dar o melhor do seu esforço, trabalhando a favor da humanidade, não pudera deixar de aceder ao convite feito pelos Excelentíssimos Senhores Doutor Basílio de Macedo e Albino dos Santos – pessoas da sua mais elevada consideração. Podia a Mesa portanto contar com o seu mais vivo entusiasmo e dedicação em prol desta instituição, o que, aliás não será mais do que prosseguir na obra encetada por todos quantos o antecederam, destacando aqueles cujos retratos estão nesta sala, e aos quais prestava a sua mais comovida homenagem. Acrescentou: o concelho

de Vila Nova de Gaia, o terceiro do país, tem direito ao seu hospital e se todos o ajudarem, dentro em breve erguer-se-ão nos terrenos da cerca desta Misericórdia as paredes para a sua construção. Para tanto tinha já a promessa do Governo

e da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, a quem esta tão útil iniciativa merecera todo o carinho. Apenas restava que todos vivessem com entusiasmo esta ideia de que a obra deve ser de todos os Gaienses. Assim, apresentava como programa a construção de um hospital sub-regional com lotação para duzentas e sessenta camas, para o que iriam ser elaborados os respectivos ofícios com as propostas, a enviar a Suas Excelências os Ministros das Obras Públicas e do Interior, e Subsecretário de Estado da Assistência, entidades estas com quem já se avistara pessoalmente. Enquanto, porém, se iria tratar de construir o novo hospital, por-se-ia a funcionar o antigo, com cerca de trinta camas, dedicando-se a sua actividade especialmente à alta cirurgia, para o que contava com a dedicação de iminentes cirurgiões, que, como o Excelentíssimo Senhor Doutor Gomes de Almeida, lhe haviam oferecido os seus serviços, incluindo até a cirurgia de coração de que aquele é reputado especialista….”. Foi com este ambicioso programa que o Senhor Comendador Manuel Moreira de Barros iniciou as suas funções como Provedor, programa que cumpriu com todo o brilhantismo e que se alargou a outras áreas, durante os cerca de vinte anos em que esteve à frente dos destinos desta instituição, como poderemos ver mais tarde. Luís Marques Gomes (Assessor da Provedoria da Misericórdia de Gaia)


A PALAVRA DOS UTENTES

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

Vivendo a Páscoa Aleluia, aleluia. Já Cristo ressuscitou. Aleluia, aleluia. De chorar sua mãe deixou. Lá da morte triunfante Ressuscita glorioso. Veio redimir o mundo Com seu sangue luminoso. O Senhor ressuscitou Entre o jardim das flores, Veio remir o mundo E salvar os pecadores. Nunca vos esqueceis cristãos Deste venturoso dia. E cantai por toda a parte: Hossana Aleluia. Matias Gonçalves (Utente do Lar José Tavares Bastos)

S. João

S. João

Santo António com as marchas E com as sardinhas assadas. S. João vai com as rusgas. S. Pedro dança na Afurada.

Não te zangues S. João Com a alegria do povo. Assim cresça a devoção Nos jovens do mundo novo.

Santo António em Lisboa É o santo casamenteiro. S. João bebe um bom Porto E passeia o seu carneiro.

Alho porro e manjerico Em manhãs de orvalhadas. Nasce o sol e é bonito, Vão-se as moças e vêm cansadas.

O S. Pedro mais sisudo Não larga as chaves do céu, Guarda o povo da Afurada E todos lhe tiram o chapéu.

S. João era um bom santo, Mas era muito "velhaco". Com as moças pelo campo Levou três e trouxe quatro.

Adriana Pereirinha (Utente do Lar José Tavares Bastos)

As moças bem enfeitadas Cada qual com seu balão. Todas vão enamoradas À festa de S. João. Adriana Pereirinha (Utente do Lar José Tavares Bastos)

O céu é um mistério que habita em nós. É a presença de Deus. Nós somos matéria. Mas somos envolvidos pelos dons de Deus, que nos sustenta. Somos alimentados pela Fé. Deus alimenta em nós um estado de alma, que nos permite aproximar Dele, e dos seus projetos. É uma vida que se vive para outra vida. O céu não tem fronteiras, é amplitude e plenitude. O céu é uma arte de viver, é o que esperamos no futuro, quando a nossa vida se transformar. É uma ciência que se deixa transparecer por gestos, palavras e obras que edificam por tudo o que vem de Deus. O céu é uma catedral enorme que não tem fim. Está guarnecida de tesouros, diamantes e das pedras preciosas dos belos e variados tons. O céu é viver com o coração cheio de Deus. O céu e uma atitude de gratidão, que não fica indiferente a tudo o que é bom e belo. Deus dá-nos tudo o que é bom e belo, porque nós somos as pedras vivas da sua Igreja. Em Deus só existe o bem e o bom, lá há céu. O céu é uma luz que nunca se apaga. O céu é uma energia de cada momento e de cada dia. O céu é uma palavra que tem apenas três letras e a sua dimensão enche o mundo. Estamos todos envolvidos neste mistério de amor. O céu é a vida que nunca morre e é uma vida para ser vivida contra a maldade do pecado, que é negro, feio e mal-encarado. Só a vida de Deus é linda. Clara Cavadas (Utente do Lar António Almeida Costa)

O CÉU, O QUE É O CÉU?

5


O QUE ACONTECEU...

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

… NO CENTRO DE ACOLHIMENTO TEMPORÁRIO N.ª SR.ª DA MISERICÓRDIA

CAT luta há 13 anos por projetos de vida de crianças em risco O Centro de Acolhimento Temporário N.ª Sr.ª da Misericórdia completou, no passado dia 8 de abril, 13 anos de vida e está com todas as suas vagas preenchidas.

6

No dia da comemoração festiva estiveram presentes algumas caras já conhecidas das crianças, padrinhos, órgãos sociais e mesários que pertencem à instituição há algum tempo, mas também caras novas: novas crianças, novos padrinhos, novos elementos da Mesa Administrativa. A diretora do Centro de Acolhimento Temporário (CAT) fez uma breve apresentação da realidade desta unidade social, do trabalho que é desenvolvido diariamente pelos profissionais e dos cerca de 127 projetos de vida que passaram pelo centro. Mas, mais do que os números e as palavras, foram os gestos, os sorrisos e as emoções que estas crianças transmitiram aos seus convidados e

que os esclareceu sobre a verdadeira essência do CAT. “A palavra acolhimento parece estar a querer desaparecer. Mas o acolher deve ser a nossa palavra de ordem”, referiu Joaquim Vaz e acrescentou que “o fácil é dizer que não há dinheiro e, por isso, fecha-se, mas o mais difícil é construir”. O Provedor reconheceu que o CAT dá muitos resultados negativos à instituição, mas “é preciso descobrir formas de angariação de fundos para esta unidade, como a causa do Apadrinhamento”. “Se o amarmos verdadeiramente, tudo

faremos para que o CAT nunca saia das nossas vidas”, acrescentou. O novo Mesário do CAT, Fernando Dias Pereira, garantiu ao Provedor que vai lutar pela continuidade do centro: “Pelas minhas mãos esta causa vai andar para a frente. No entanto, terei mais para dizer daqui por um ano”. No encontro, não foram só as crianças que deixaram marcas, também os adultos presentes foram convidados a deixarem a sua marca ao pintarem, em grupo, o desenho de uma casa que ficou exposto no centro.

Novos PADRINHOS Dia Mundial da Criança

As crianças do CAT comemoraram o Dia Mundial da Criança da melhor forma: com muita diversão e surpresas. Nesse dia, as crianças realizaram trabalhos no centro e foram ter com o Noddy ao TOYS R US. Os mais crescidos também foram à loja de brinquedos assistir a uma peça de teatro e ainda fizeram pinturas faciais. Mas o dia não ficou por aí, seguindo-se uma visita ao Parque da Lavandeira para apreciar a natureza, fazer um piquenique e, ainda, dar muitos “pulos” nos insufláveis.


… NA CRECHE E JARDIM DE INFÂNCIA D. EMÍLIA DE JESUS COSTA

Crianças comemoram Dia do Livro

As crianças da Creche e Jardim de Infância D. Emília de Jesus Costa têm recebido muitas visitas: as suas mamãs na comemoração do Dia da Mãe e a escritora Leonor Mexia. Na comemoração do Dia Mundial do Livro, as crianças da Creche e Jardim de Infância D. Emília de Jesus Costa tiveram uma surpresa muito especial: a escritora Leonor Mexia. Leonor Mexia contou, no passado dia 20 de abril, uma das suas histórias infantis às crianças que se mostraram bastante atentas. Os mais pequeninos apreciaram, sobretudo, as ilustrações do seu livro e despediram-se da escritora, cantando uma música alusiva à história. Já os mais crescidos não perderam a oportunidade de no final interagir com Leonor Mexia, tecendo comentários sobre a história que acabaram de ouvir. Depois das apreciações das crianças, a escritora garantiu que saía da creche e jardim de infância da Misericórdia de Gaia já com novas ideias para os próximos livros.

jhjg

Dia da Mãe No dia 7 de maio, os meninos do Jardim de Infância receberam as suas mamãs para um almoço muito especial, dando-lhes uma prendinha feita por eles. Já os mais bebés realizaram nas suas salas atividades com as mães.

Dia Mundial da Criança

Imagem, cor, sol e muita brincadeira é resumo do Dia Mundial da Criança vivido na CJI, no passado dia 1 de junho. No seu dia, as crianças assistiram a uma sessão de cinema e pintaram vários painéis que foram expostos na parte exterior da creche. O almoço também foi diferente do habitual, tendo sido realizado um piquenique nos jardins do complexo social António Almeida Costa.

7


O QUE ACONTECEU... … NO LAR RESIDENCIAL CONDE DAS DEVEZAS

Peregrinação a Fátima Os residentes do Lar Residencial Conde das Devezas e os utentes dos lares António Almeida Costa e José Tavares Bastos entregaram-se a mais uma peregrinação a N.ª Sr.ª de Fátima. À semelhança dos anos anteriores, em maio é a altura da peregrinação a N.ª Sr.ª de Fátima. Nos dias 23 e 24 de maio residentes e utentes viveram em Fátima momentos de paz e reflexão. Os peregrinos participaram na procissão das velas, constatando o quanto este momento é apreciado no país e no mundo, uma vez que estavam a participar na celebração eucarística da Santíssima Trindade grupos de devotos oriundos da Indonésia, Índia, Japão, Itália, entre outros países. Apesar das limitações provocadas pela idade, utentes e residentes passaram dois dias de forma muito intensa pela fé e tranquilidade do local e do momento.

SANTOS DOS NOSSOS MESES

8

Santa Zita (1218-1278)

Santa Zita é a padroeira das domésticas e das despenseiras. Nasceu perto de Luca em 1218 e os seus familiares trabalhavam na terra. Desde sempre foi muito devota a Jesus. Quando cresceu vendia verduras e frutas na cidade até que aos 18 anos recebeu uma proposta de um cidadão rico e nobre de Luca para ser sua empregada. Zita era uma empregada dedicada, mas todas as manhãs pedia autorização aos patrões para assistir à primeira missa na igreja. Era a empregada em que os patrões tinham mais confiança para entregar as esmolas aos pobres. Para além dessas esmolas dava também roupa sua e comida de que se privava. Um dia o patrão descobriu que Zita dava mais esmolas do que ele destinava e perguntou-lhe o que levava no avental, que estava repleto de comida. Zita respondeu que eram flores e folhas e, nesse momento, caíram flores e folhas.

N.ª Sr.ª de Fátima 13 de Maio

As aparições de Fátima são conhecidas em todo o mundo. Em 1916 Ciclo Angélico - apareceu aos pastorinhos de Fátima três vezes um anjo que lhes pedia orações e sacrifícios pela paz. Em 1919 - Ciclo Mariano - aparece pela primeira vez, a 13 de maio, aos pastorinhos N.ª Sr.ª de Fátima, vestida de branco e envolta em luz. N.ª Sr.ª pediu aos pastorinhos que rezassem todos os dias o terço pela paz no mundo e pelo fim da guerra. N.ª Sr.ª pediu ainda que aparecessem nos próximos seis meses ao dia 13 no mesmo local e à mesma hora. As aparições aconteceram como o previsto e os pastorinhos puderam assistir ao milagre do sol como prova da veracidade das aparições. O bispo de Leiria, D. José Alves Correia da Silva, declarou em 13 de outubro de 1930 como verdadeiras as aparições aos pastorinhos em Fátima e permitiu oficialmente o culto a N.ª Sr.ª de Fátima

São João Baptista 24 de junho

Já antes de nascer, São João Baptista foi declarado profeta e precursor do Messias pelo Anjo Gabriel. Pouco ou nada se sabe da sua infância. Nas margens de Jordão, João Baptista, mensageiro do Senhor, oferecia o batismo àqueles que se queriam redimir dos seus pecados. A sua imagem e discursos impressionavam quem o seguia. Muitos julgavam que era o próprio Messias e seguiam-no para todo o lado. No dia em que Jesus veio ter com ele às margens do Jordão e foi batizado, João Baptista apresentou-o aos discíplos, dizendo que Jesus era o Filho de Deus. Naquele momento, entendeu que a sua missão tinha chegado ao fim. Foi preso e decapitado, mas viveu toda a sua missão com entusiasmo. São João Baptista faz o ponto de encontro entre os dois testamentos: o Antigo e o Novo. O seu nascimento celebra-se a 24 de junho.


… NO LAR ANTÓNIO ALMEIDA COSTA

Lar António Almeida Costa tem um envelhecimento ativo

Apesar de ter 97 anos de idade, o Lar António Almeida Costa é bastante ativo e dinâmico, quer pela ação dos utentes, como dos profissionais. À medida que vai ficando cada vez mais velho, o Lar António Almeida Costa (LAC) torna-se mais inovador e ativo. Para comemorar o 97.º aniversário, o lar preparou um evento bastante ativo e emocionante. O Provedor da Misericórdia de Gaia felicitou a “família” do LAC pelo aniversário, principalmente, “os utentes que são a parte mais importante”. O Provedor Joaquim Vaz referiu ainda a importância da formação dos colaboradores: “Vamos ter de nos formarmos todos para servirmos cada vez melhor”. Os convidados, elementos da Mesa Administrativa e profissionais da instituição foram brindados com uma atuação coreografada pelos utentes, cuja mensagem transmitida foi a de amor e paz. Também os profissionais do lar

atuaram para os presentes, tendo como música de fundo o sucesso “Sexta-feira (Emprego Bom Já)” de Boss AC, mas gritando bem alto “Este lar é mesmo bom, bom, bom”, proporcionando diversão, risadas e muito orgulho em quem dirige e é dirigido. Mas as surpresas não ficaram por aqui. A diretora do lar, Helena Ferreira, afirmou que, este ano, na comemoração do aniversário do LAC fez questão de preparar uma mesa requintada e servir “todos aqueles que servem no lar durante o ano – os colaboradores”. O dia de aniversário começou como habitual com a celebração eucarística, que foi animada pelo Grupo de Cantares do LAC, dirigido pelo maestro Mário Mesquita.

Ilustrador Rui Castro ...

Gaia conVIDA ... na Hora do Conto A atividade Hora do Conto no LAC, desenvolvida uma vez por mês ao longo do ano, terminou no dia 25 de junho, com a voluntária Graça Castro a contar histórias que eram ilustradas no momento por Rui Castro.

Durante o mês de maio e junho os utentes realizaram algumas visitas culturais, de acordo com o projeto da estagiária Carla Peito, "Gaia conVida". Os idosos visitaram a Biblioteca Municipal, a Casa Museu Teixeira Lopes, a Casa Barbot, o Mosteiro de Grijó e o Centro de Educação Ambiental das Ribeiras de Gaia. Os idosos participaram com muito entusiasmo, porque tiveram oportunidade de conhecer melhor o local onde vivem, que muitos não conheciam, e aumentar o seu conhecimento cultural.

9


O QUE ACONTECEU... … NO LAR SALVADOR BRANDÃO

Os vencedores do torneio inter-lares

Sueca

Dominó

Bingo

3 modalidades, 10 instituições, 8 semanas e vários utentes é o balanço do torneio de jogos inter-lares 2012, organizado pelo Lar Salvador Brandão.

10

A diretora do Lar Salvador Brandão (LSB), Irene Fontoura, agradeceu o empenho de todos os participantes em mais um torneio inter-lares na cerimónia de entrega de prémios, no passado dia 17 de abril: “Sei que por vezes não é fácil, mas garanto-vos que vale a pena, por isso continuem a ter esta coragem, esta força e continuem a sorrir. Nós estamos cá para ajudar no que for preciso”. A diretora prestou ainda homenagem a todos os colaboradores das instituições: “Parabéns a todo o pessoal, porque sem eles não seria possível estarmos aqui”. Os vencedores da modalidade de Sueca foram, em primeiro lugar, os utentes Alzira e Vítor do Centro Social de S. Félix da Marinha, em segundo lugar, as utentes Natércia e Manuela do Centro Social de Vilar do Paraíso e, em A animadora sociocultal terceiro lugar, os utentes Joaquim Sónia Magalhães organizou o evento Nunes e Joaquim Sousa do Centro

Passeio a Fátima

O momento pelo qual os utentes do LSB mais aguardam: a peregrinação a N.ª Sr.ª de Fátima. O passeio decorreu no dia 17 de maio. Os utentes assistiram ao terço e à celebração eucarística e, da parte da tarde, colocaram várias velas a arder para cumprirem as suas promessas.

Dia da Mãe

Social de Pedroso. O Centro Social de S. Félix da Marinha voltou a ficar em primeiro lugar na modalidade de Dominó graças aos utentes João e Raul. O Centro Social de Pedroso levou mais uma medalha, a de segundo lugar, da responsabilidade dos utentes Ermelinda e José. O terceiro lugar no Dominó ficou na casa, no Lar Salvador Brandão, dada a prestação das utentes Teresa e Ilda. O torneio de Bingo teve três primeiros lugares que foram entregues ao utente Nascimento, do Lar José Tavares Bastos, à utente Irene do Centro Social de S. Miguel e à utente Lurdes do Centro Social de Pedroso. A quarta medalha do Centro de Pedroso foi da utente Elsa que ficou em segundo lugar no Bingo. O terceiro lugar desta modalidade foi entregue aos utentes Valério e João que salvaram a honra do Lar Santa Isabel. No passado dia 6 de maio, o LSB prestou uma homenagem a todas as Mães. Na capela do lar, várias voluntárias, orientadas pela colaboradora Maria do Céu Guia, fizeram uma pequena apresentação cénica, lembrando as Mães da Igreja: Sara, Joquebede, Ana e Maria.

Pintar com café… Durante o mês de junho predominou o convívio, a troca de experiências e a arte no LSB. A utente de centro de dia Teresa Leite ensinou os colegas a pintar com café. Os utentes chegaram à conclusão de que era uma pintura fácil e com um cheirinho muito agradável.


… NO LAR JOSÉ TAVARES BASTOS

Utentes preocupados com Biodiversidade Mais um momento de intergeracionalidade, neste caso, a favor do ambiente. Os utentes do Lar José Tavares Bastos (LJTB) foram convidados pela Escola E B 2/3 da Madalena, para comemorarem com os alunos o Dia da Biodiversidade. Os utentes que normalmente não estão muito sensibilizados com o tema, mostraram-se bastante atentos e concentrados em tudo o que assistiram e participaram, no passado dia 22 de maio, Dia da Biodiversidade. Os alunos mostraram aos idosos uma projeção fotográfica de animais e plantas em vias de extinção, realizaram uma palestra sobre primeiros socorros, jogaram com os utentes o loto, adaptado ao tema da Biodiversidade e ainda fizeram um jogo no exterior relacionado com a poluição. Os utentes tiveram ainda a oportunidade de visitarem a horta da escola, para além de terem adquirido vários novos conceitos sobre a biodiversidade.

Espetáculo GASP No dia 26 de maio, um grupo de utentes do LJTB foi convidado a assistir ao espetáculo de solidariedade, promovido pela GASP – Gabinete de Apoio Social de Proximidade. Os utentes assistiram a momentos de dança, teatro e de histórias, muitos deles executados por pessoas com deficiência.

D i a

d a

M ã e

O Dia da Mãe no LJTB foi comemorado com um momento de reflexão da parte da manhã, na sessão eucarística, e com um momento de música e alegria, proporcionado pelo Grupo de Reformados da Alameda do Cedro.

Utentes refletem sobre a história do livro

O Dia Mundial do Livro serviu de mote para mais uma reunião dos utentes dos lares sociais da Misericórdia de Gaia, no passado dia 23 de abril, no Lar António Almeida Costa. A voluntária do Lar António Almeida Costa, Graça Castro, falou aos utentes sobre a história e a evolução do papel, do livro e da escrita. A voluntária mencionou que esta história foi acompanhada pela evolução das tecnologias. A importância da transmissão da men-

sagem e da informação foi outro dos temas que despertou a atenção dos utentes. Graça Castro trouxe para a discussão vários tipos de livros e deixou o apelo aos utentes para lerem, lerem muito: “Podem ir à nossa biblioteca e pegar em qualquer livro para lerem, porque todos os livros são bons. E aqueles que não souberem ler ou que já tiverem dificuldades de visão podem sempre pedir ao colega para lhes ler um bocadinho”, acrescentou.

11


O QUE ACONTECEU... DIA INTERNACIONAL DA FAMÍLIA Os motivos são muitos para os familiares visitarem os utentes dos lares da Misericórdia de Gaia. No entanto, foi na comemoração do Dia Internacional da Família que mais se sentiu essa presença.

12

Comemorar em família

O Lar Salvador Brandão recebeu os familiares no dia 15 de maio para assistirem à celebração eucarística que contou com a forte participação dos utentes nos cânticos, nas leituras e no ofertório. Os familiares ficaram surpreendidos com a coreografia apresentada pelos utentes da música “Dançando com o coração, unidos pelas mãos”, conseguindo sensibilizá-los da importância da sua visita na vida dos utentes. Nesse mesmo dia, o Lar António Almeida Costa recebeu cerca de 70 famílias para uma tarde de fados, da responsabilidade de vários fadistas e do Mesário do lar, Jorge Soares. Como nem todos os utentes têm ainda a oportunidade de ter as suas famílias, 23 colaboradoras do lar coreografaram os fados cantados pelo Mesário, transmitindo a esses utentes que são a sua família. O Lar José Tavares Bastos (LJTB) reuniu os familiares dos utentes no dia 19 de maio para uma eucaristia, na qual, no momento do ofertório, os utentes levaram quatro símbolos: o arco-íris, representando a amizade; uma coroa, simbolizando a união; uma pomba branca, a paz e um coração, retratando o amor. Esses elementos transmitiram os valores da família que estão presentes para os utentes do lar, seja pela sua família biológica, seja pela família do LJTB. O LJTB apresentou ainda aos familiares uma reportagem fotográfica que ilustrou as atividades, o quotidiano e o bem-estar dos utentes.

Salvador Brandão em festa no S. João Caldo verde, sardinhas, marchas e muita diversão. Foi assim a festa de S. João no Lar Salvador Brandão, no passado dia 22 de junho.

Mais uma vez, utentes dos três lares sociais, bem como as crianças do Centro de Acolhimento Temporário N.ª Sr.ª da Misericórdia (CAT) juntaram-se para festejar o S. João, no passado dia 22 de junho, no Lar Salvador Brandão.A decoração alusiva ao festejo deste santo popular e a mesa composta com a tradicional ementa deste dia foram complementadas com uma nova marcha, protagonizada pelos utentes. Este ano, a marcha de S. João da Misericórdia de Gaia “vestiu-se de azul” e desfilou ao som das músicas populares animadas da responsabilidade do grupo “Os Rebuçadinhos de Sermonde”. Mais uma vez os mais pequenos – as crianças do CAT - aceitaram o desafio dos mais velhos e também marcharam. O rebuliço do S. João preencheu a tarde dos idosos e das crianças da instituição.


SCA - 4.º FÓRUM GLOBAL DE INCONTINÊNCIA

Misericórdia de Gaia com “Estratégias ao longo da

vida” “Estratégias ao longo da vida” foi o tema do seminário do 4.º Fórum Global de Incontinência, realizado pela empresa SCA, em Copenhaga de 23 a 26 de abril de 2012, na qual a Misericórdia de Gaia esteve representada.

A convite da empresa sueca e produtora de fraldas TENA, o Provedor e o Diretor-Geral da Misericórdia de Gaia assistiram ao seminário do 4.º Fórum Global de Incontinência, sobre o tema “Estratégias ao longo da vida”. O tema da incontinência foi abordado por personalidades, médicos especialistas e estudiosos, oriundos do Canadá, Suécia, Noruega, Finlândia, Alemanha, Inglaterra entre outros pontos do mundo. “Fiquei impressionado e até comovido em saber quais os transtornos e impedimentos que a incontinência provoca nas pessoas”, referiu o Provedor da Misericórdia de Gaia. “Neste seminário tive a certeza de que a nossa Misericórdia, entre muitas outras, cuida muito bem dos seus utentes com produtos de qualidade e isso deve ser evidenciado aos familiares dos nossos utentes”, acrescentou. A SCA é uma das maiores produtoras da Europa de fraldas TENA, comercializando-as para todo o mundo. A empresa tem apostado na investigação e no estudo da incontinência para que, segundo o Provedor Joaquim Vaz, “possa criar produtos que correspondam, verdadeiramente, às necessidades das pessoas, sejam bebés, crianças, adolescentes ou adultos com o objetivo de promover a qualidade de vida de cada ser humano”. No encontro marcaram presença a Ministra da Saúde da Dinamarca, uma Deputada do Parlamento Sueco e o Comissário do Parlamento Europeu, que foram sensibilizados pelos oradores para a necessidade do despertar das consciências dos decisores dos países da Europa, designadamente dos Ministros da Saúde dos 27 países da comunidade e dos outros países do mundo ali representados para o problema da “incontinência”. Este problema é transversal a todas as idades e interfere na vida psíquica, sexual, ocupacional, doméstica e social dos cidadãos. No seminário estiveram representados 35 países, entre eles, Portugal, com um grupo de 20 pessoas de várias instituições parceiras da SCA.

13


O QUE ACONTECEU... DIA DA N.ª SR.ª DA MISERICÓRDIA Este ano o cortejo litúrgico em honra a N.ª Sr.ª da Misericórdia, no passado dia 27 de maio, começou no Lar José Tavares Bastos, percorrendo as principais artérias da freguesia da Madalena até à igreja matriz.

Colaboradoras carregam andor

As colaboradoras do lar disponibilizaram-se em serem as próprias a transportar o andor ao contrário dos anos anteriores, em que o mesmo deslocava-se no carro dos Bombeiros Voluntários de Coimbrões. No percurso da procissão foram muitos os madalenenses que apareceram nas ruas e nas janelas para verem N.ª Sr.ª da Misericórdia passar, atirando flores.

14

Imagem de N.ª Sr.ª da Misericórdia foi transportada, pela primeira vez, por colaboradoras do Lar José Tavares Bastos na procissão em honra à padroeira da Misericórdia de Gaia.

O Provedor da Misericórdia de Gaia pretende que em cada ano deste novo triénio a procissão em honra à padroeira parta de um lar diferente, envolvendo desta forma cada vez mais os colaboradores e a comunidade onde se encontram as respostas sociais da instituição.

No cortejo participaram os órgãos sociais e colaboradores da instituição, utentes e as crianças do Centro de Acolhimento, a vereadora do pelouro da Ação Social, Saúde e Emprego da Câmara de Gaia, Amélia Traça, o presidente da Junta de

Freguesia da Madalena, os Bombeiros Voluntários de Coimbrões, os Mareantes do Rio Douro, o Grupo Folclórico da Madalena, o Orfeão da Madalena, o Ideal Clube da Madalena e a Conferência de S. Vicente de Paulo da Madalena.


83.º ANIVERSÁRIO DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

Bagão Félix falou da crise ética, de valores e princípios

Na comemoração do 83.º aniversário da Misericórdia de Gaia, no passado dia 26 de junho, Bagão Félix falou da crise global que se vive e das Misericórdias no futuro. O Provedor deu as boas-vindas aos novos irmãos entronizados e novos voluntários e homenageou os colaboradores com 50 e 25 anos de Misericórdia de Gaia.

Entronização e homenagem

A comemoração do 83.º aniversário da instituição teve como habitual a entronização de muitos novos irmãos, destacando-se a vereadora da Câmara de Gaia Amélia Traça e o presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, Álvaro Monteiro. Um dos momentos mais esperados foi o da homenagem aos colaboradores que completam este ano 50 e 25 anos de casa, como o atual assessor da provedoria, Luís Marques Gomes. “Ao fim de 50 anos, continuo a sentir-me bem na Misericórdia”, referiu Luís Gomes, acrescentando que se completa pessoalmente “naquilo que é o dar para além do profissional”. “Esta casa tem muito da minha história”, concluiu. Um outro momento de destaque foi a saudação das boas-vindas aos novos voluntários da instituição com a imposição de crachás. O dia terminou em beleza com a atuação do Grupo Coral de Gulpilhares, dirigido pelo Maestro Ramiro Lopes, cujas interpretações “arrepiaram” e surpreenderam os convidados.

“A comemoração de mais um aniversário é sempre uma oportunidade para repensar a missão do dever do serviço social que é sempre novo e exigente”, referiu o Provedor da Misericórdia de Gaia. “No contexto das Misericórdias Portuguesas, a nossa Misericórdia é ainda muito jovem, apenas completa 83 anos de vida, mas no panorama nacional ela vai procurando marcar a diferença e, por isso, podemos dizer sem receio que somos uma instituição com pergaminhos firmados no serviço social, credora do respeito de todos e de toda a sociedade, e de um modo especial das entidades oficiais”, adiantou. Joaquim Vaz realçou ainda que com escassos recursos é necessário cada vez mais “sensatez, ponderação, lucidez e que se fale verdade” nas instituições: “A transparência de todos os nossos atos é o rosto e a imagem da instituição que servimos”. Para o Conselheiro de Estado Bagão Félix “os recursos não monetários têm de ser conjugados, através de uma simbiose perfeita entre o profissionalismo, o voluntariado e a generosidade”. Bagão Félix afirmou que no presente vive-se uma “crise global”: “Eu acho que esta crise mais do que económica e técnica, é ética, de valores, de princípios." Para o Conselheiro de Estado esta crise resulta de uma “excessiva supremacia ou hegemonia dos bens exteriores” (dinheiro, poder, fama, prazer sem consciência) sobre os bens interiores (amizade, lealdade, paciência, partilha, solicitude, capacidade de se dar ao outro, verdade), que tem causado a “erosão das fronteiras entre a noção do bem e do mal”. Na sua intervenção sobre “As Misericórdias ontem, hoje e no amanhã”, Bagão Félix frisou que “o desassossego e inquietude são elementos indestrutíveis do futuro das misericórdias e das instituições”. “Achei muito curioso no livro ´A MISERICÓRDIA - A Santa Casa de Vila Nova de Gaia´ o apelo do senhor Provedor no prefácio às futuras gerações. Acho que esta solidariedade social das misericórdias é uma solidariedade de grande portugalidade”, acrescentou, partilhando com todos que quem trabalha na área social tem sempre “o espírito de profundo desassossego”.

15


O QUE ACONTECEU... Apresentação do livro “A MISERICÓRDIA - A Santa Casa de Vila Nova de Gaia”

Os convidados da Misericórdia de Gaia tiveram, neste dia, o primeiro

contacto com a obra “A MISERICÓRDIA - A Santa Casa de Vila Nova de Gaia”, da autoria do irmão e escritor Fernando Correia. O autor apresentou a história da Misericórdia e do município, reunida neste livro. “Fiz aquilo com que me comprometi, verti-a para o papel com a paixão e a entrega de um trabalho diário, com o objetivo de, como irmão, deixar para os vindouros a rica história da Santa Casa”, reiterou. Lembrando o escritor britânico Joseph Conrad, que um dia escreveu “O autor só escreve metade do livro. Da outra metade deve ocupar-se

o leitor”, o autor convidou todos os presentes para se ocuparem com a outra metade desta obra. No final da comemoração foram muitos ao que quiseram ocupar-se, levando o livro para casa, autografado pelo escritor.

ESPECIAL 1.ªS JORNADAS DE ENVELHECIMENTO ATIVO

“Adultos Maiores: Um recurso vital para a sociedade”

16

A Misericórdia de Gaia levou a efeito pela primeira vez, no âmbito de 2012 ser o Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade Entre Gerações, as 1.ªs Jornadas de Envelhecimento Ativo, intituladas “Adultos Maiores: Um recurso vital para a sociedade”. O evento juntou no Campus Escolar da Serra do Pilar cerca de 250 participantes e oradores nos dias 18 e 19 de junho, revelando-se um autêntico sucesso.

Durante dois dias a comunidade do norte do país ficou mais esclarecida e sensibilizada para a problemática do envelhecimento ativo em Portugal e nas suas casas, bem como para a importância da solidariedade intergeracional. Pelas 1.ªs Jornadas de Envelhecimento Ativo desfilaram vários painéis dedicados ao tema, desde a importância da avaliação, intervenção e cuidados aos adultos maiores, a importância da vertente espiritual, física, psicológica, nutricional e social na idade sénior. O leque de oradores de luxo, composto por profissionais das áreas abordadas captou o interesse e aten-

ção dos participantes, bem como os vários workshops que proporcionaram momentos de interação e dinamismo nestas jornadas. Os momentos de intergeracionalidade não faltaram com painéis, repletos de mensagens das crianças da Creche e Jardim de Infância D. Emília de Jesus Costa sobre o que entendem de intergeracionalidade e dos idosos, bem como uma representação teatral da “Lenda de Gaia” com crianças e idosos. O Provedor Joaquim Vaz afirmou que a realização desta iniciativa, promovida pela Misericórdia e com a forte colaboração da Câmara de Gaia, deveu-se a duas razões: por se estar

O Provedor Joaquim Vaz

O protocolo do evento por Manuela Pinto


a viver o Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações, e para “se sensibilizar os decisores políticos e a sociedade em geral para as oportunidades e desafios que esta maior longevidade pode trazer”. Das conclusões deste evento destaca-se que estas “primeiras Jornadas foram um contributo também para combater o estereótipo de que ser velho é ser inútil e incapaz”, tendo-se proporcionado “um espaço rico de debate e troca de experiências que fomentem a mudança de atitudes e culturas institucionais”. Marco António Costa falou de solidariedade intergeracional e de mais apoio para as IPSS´s O Secretário de Estado da Segurança e da Solidariedade Social, Marco António Costa, marcou presença neste

encontro em que realçou a importância da solidariedade intergeracional. O Secretário de Estado anunciou que o governo vai promover a “responsabilidade social de proximidade”, através do alargamento de apoios financeiros às IPSS´s, disponibilizando mais 150 milhões de euros por um período de sete anos, com uma carência de dois anos. Testemunhos de envelhecimento ativo As 1.ªs Jornadas de Envelhecimento Ativo contaram com o testemunho de figuras ilustres da nossa sociedade que deram a todos os presentes o seu testemunho de vida ativa e saudável, como foi o caso de Belmiro de Azevedo, do Maestro Vitorino de Almeida, do ex-preparador físico do Futebol Clube do Porto Hernâ-

ni Gonçalves, do ator de Gaia José Pinto, do Bispo Emérito de Setúbal D. Manuel Martins. Todos os vídeos dos testemunhos, das intervenções científicas, dos workshops e dos momentos de intergeracionalidade podem ser vistos no página de facebook das jornadas www.facebook.com/jornadasenvelhecimento.com.

Jorge Prendas apresentou o workshop da Casa da Música

Utentes da Misericórdia de Gaia criaram lembranças para os convidados

Estiveram 20 posters a concurso

"Seniores - um novo estrato etário e social" por Daniel Serrão

A vereadora da Câmara de Gaia Amélia Traça

Manuel Sampaio Pimentel do Centro Distrital do Porto da Segurança Social

Envel hecimento Ativo em Portugal

António Leuschner falou de "Promoção e prevenção em saúde mental"

O moderador da mesa José Fernandes Costa

António Fonseca falou sobre "Reforma, refor- Óscar Ribeiro falou sobre "Envelhecimento ativo - aspetos psicológicos" mados e envelhecimento ativo"

17


O QUE ACONTECEU...

ESPECIAL

Os cuidados de saúde primários em prol de um envelhecimento ativo

Soraia Pereira apresentou um estudo que desenvolveu sobre os utentes do Lar António Almeida Costa

O moderador da mesa Domingos Queirós

"Os cuidados de saúde primários em prol de um envelhecimento ativo", abordado por Luciana Couto e Isabel Costa

Avaliação e intervenção em prol de um envelhecimento ativo"

"Apoio a cuidadores informais - projeto Cuidar em Casa", apresentado por Maria João Azevedo A moderadora da mesa Célia Rodrigues

18

"Um modelo de avaliação clínica para cuidar de pessoas mais velhas" por Filomena Santos

"Docilidade ambiental", apresentada por Fer- Apresentação de um programa intergeracional por Fernanda Resende nanda Morgado

Em forma para a vida

A moderadora da mesa Graça Guedes

"Andar, comer, conversar e ler" por Margarida Sotto Mayor

"Envelhecer e dormir" por Ana Gonçalves

"Nutrição e envelhecimento" por Carlos Leite

"Atividade física e envelhecimento" por Joana Sousa

"A alegria de viver" por João Xavier


A moderadora da mesa Ana Costa

O amor não tem idade

"Idoso sexual, conSENSUAL" por José Fernandes Costa

Miguel Castro falou de "Sexualidade na idade sénior"

"A coragem de um abraço" por Irene Fontoura

O moderador da mesa António Monteiro

"Psiquiatria Geriátrica" por João Barreto

A evolução na assistência e nas políticas sociais aos seniores 19

"Psicogeriatria em contexto hospitalar, o que poderá ser o futuro?" por Pedro Carvalho

"Evolução na avaliação do idoso" por Marta Malheiro

"Envelhecimento Demográfico: Importância da Solidariedade entre Gerações" por Maria Joaquina Madeira

Envelhecimento ativo - Boas práticas em Gaia

A moderadora da mesa Amélia Traça

“Enquadramento demográfico e social em Vila Nova de Gaia” por Olívia Rito

“Apresentação de exemplos de boas práticas”, Olívia Rito e Célia Rodrigues

A espiritualidade na grandeza da velhice" pelo Frei Luís Oliveira

Espetáculo de folclore pela Academia Sénior de Gaia

Apresentação da peça "A Lenda de Gaia" por crianças e idosos


O QUE ACONTECEU...

ESPECIAL

Workshops

"A Casa vai a casa" por Bruno Estima e Paulo Neto

"Na tua pele" por Maria Manuela Martins

"O afeto vai..." por Renata Ribeiro

Os resultados do Concurso de Posters foram os seguintes: 1.º Prémio – Poster n.º 14 – “Maroto Memória” – Programa de estimulação cognitiva com adultos maiores em contexto institucional”; Menção Honrosa – Poster n.º 1 – “Porto, Cidade Amiga das Pessoas idosas”; Menção Honrosa - Poster n.º 12 – “Estimulação Cognitiva com idosos”.

Parceiros e outros momentos... 20

www.jornadasenvelhecimento.com | geral@jornadasenvelhecimento.com | facebook.com/jornadasenvelhecimento


ENTREVISTA

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

CÉLIA RODRIGUES EM ENTREVISTA

"Os utentes dos lares dão muita importância à sua imagem" Célia Rodrigues, chefe de Divisão da Ação Social da Misericórdia de Gaia, foi uma das principais responsáveis pela criação do projeto de informação “Laços de Amor”. Na comemoração do 3.º aniversário da nossa revista, Célia Rodrigues desvenda como tudo começou e as evoluções deste órgão de comunicação. A revista Laços de Amor está a comemorar o seu 3.º aniversário. Como a Dr.ª Célia esteve ligada a este projeto desde o seu nascimento, gostaríamos que nos contasse como tudo começou… A revista Laços de Amor surgiu da vontade manifestada pelo Sr. Provedor sobre a existência de uma publicação periódica para a promoção da imagem da Misericórdia e para a divulgação, junto da comunidade, das atividades desenvolvidas nas diversas unidades. Na altura, existiam duas publicações internas, da iniciativa de dois lares – do Lar Residencial e do Lar Salvador Brandão – cujo alcance era circunscrito ao universo desses mesmos lares, não sendo divulgada a informação para o exterior. Promovi então uma reunião com as três animadoras socioculturais e, em conjunto, analisámos os objetivos que se pretendiam alcançar com a edição de uma publicação institucional e as diferentes rubricas a incluir. Como o principal propósito consistia em promover a participação dos utentes e em estimular a sua criatividade, dessa reunião resultou um esboço da estrutura do boletim, englobando diferentes rubricas. O “Editorial”, que contaria com a colaboração rotativa dos membros da Mesa Administrativa. “A Misericórdia de Gaia … 80 Anos de História”, rubrica que ficaria a cargo do diretor-geral. O “Espaço Sénior … A Palavra dos Utentes” seria um espaço exclusivamente destinado à participação dos utentes dos quatro lares. O “Espaço Sénior … O Que Aconteceu…” seria para descrever e ilustrar as atividades realizadas pelos lares, e contaria com a colaboração das animadoras socioculturais.O “Espaço Júnior” seria destinado ao relato e ilustração das atividades realizadas na Creche e Jardim de Infância e no Centro de Acolhimento N.ª Sr.ª da Misericórdia. O “Es-

paço Saúde”, que contaria com a colaboração rotativa dos profissionais de saúde ao serviço da Misericórdia. O “Espaço do Voluntariado” seria destinado à participação dos voluntários com os seus testemunhos, ao relato e ilustração de atividades realizadas e à divulgação de informação. Por último, a “Agenda” onde seriam divulgadas as atividades de âmbito geral previstas para o trimestre seguinte. Foi então proposta esta grelha à consideração superior, assim como a periodicidade trimestral para o boletim e que a distribuição do primeiro número coincidisse com a data do 80.º aniversário da Misericórdia. E assim nasceu o n.º 1 do boletim “Laços de Amor”, referente ao período de abril, maio e junho de 2009. Muitas Misericórdias e IPSS´s dão o seu nome aos seus órgãos de comunicação internos, como “Boletim da Misericórdia …”. No entanto, a Misericórdia de Gaia (M.G.) diferenciou-se, escolhendo o nome de “Laços de Amor”. Porquê esta opção? Realmente o nome escolhido para o nosso boletim é invulgar e diferencia-se da generalidade das instituições. Já não sei precisar com rigor como é que chegamos a este nome, mas creio que está associado à perspetiva que tínhamos de que o boletim fosse um meio de estabelecer e de reforçar os laços entre os utentes, colaboradores e órgãos sociais da Misericórdia. Seria como que uma forma de incentivo a uma maior união entre todos, e a sentirmo-nos mais ligados uns aos outros e à instituição a que nos dedicamos com amor. Penso que também terá recebido “influências” do nome do Jornal então existente no Lar Salvador Brandão e que era o “Jornal do Amor”.

21


ENTREVISTA

22

Em 2009 as publicações que eram específicas de alguns dos equipamentos da instituição passam a estar integradas neste projeto de comunicação e informação que tem evoluído até ao presente. Quais as principais alterações pelas quais este órgão tem passado? Efetivamente, e como já referi, na altura existiam duas publicações específicas em dois lares. No Lar Residencial Conde das Devezas existia a “Folha Informativa” desde setembro de 2003, e que tinha um caráter trimestral. A ideia da sua criação partiu do então Mesário Dr. Pinto Brandão. Pretendia-se que fosse um meio de diálogo, um espaço de informação, de reflexão e de participação, que contribuísse para o reforço relacional entre os residentes, os colaboradores e a Mesa Administrativa. No Lar Salvador Brandão, o seu “Jornal do Amor” surgiu em dezembro de 2007 e nasceu da necessidade de estimular a criatividade dos utentes, de os pôr a pensar e de compilar os seus saberes. Foi um desafio lançado aos utentes que foi bem acolhido, e que teve a sua total participação na escolha do nome e das rubricas do Jornal. Os artigos eram escritos pelos utentes com exceção do “Editorial”, que era da responsabilidade do Mesário, da diretora técnica ou da animadora sociocultural, e do “Espaço Saúde” que era da autoria dos enfermeiros do lar. Para além destes espaços, havia outros do interesse dos utentes. Ao surgir, em 2009, uma publicação única direcionada para a ação da Misericórdia, que abarcasse todas as atividades que vão ocorrendo ao longo dos meses, a “Folha Informativa” e o “Jornal do Amor” deixaram de existir. Quanto à evolução deste projeto até ao presente, é notória a evolução da revista “Laços de Amor” nos seus 3 anos de existência, sobretudo, ao nível do grafismo, na sua forma de apresentação, que a tornou mais alegre e colorida. A valorização que tem sido dada à parte ilustrativa torna a revista mais apelativa, sem dúvida. Recordando os primeiros números da revista, e referindo-me particularmente aos artigos relacionados com as atividades dos lares, notam-se alterações, que são positivas na medida em que os textos demasiado descritivos deram lugar a um breve relato da atividade que é enriquecida com o colorido das fotos, e este pormenor acaba por ser mais convidativo à leitura e é do agrado dos nossos utentes que gostam de se rever nas fotos. Também não posso deixar de focar o que me parece ser o lado menos positivo desta alteração, e que tem a ver com uma menor participação dos utentes na elaboração dos textos. Contudo, penso que esta alteração era necessária face à importância de serem relatadas outras atividades de âmbito mais institucional, assim como eventos em que a Misericórdia se encontra representada, já que a revista é divulgada para o exterior, não se circunscrevendo ao público interno. Neste momento, a revista Laços de Amor chega aos utentes da M.G. e seus familiares, parceiros, entidades, Misericórdias e IPSS´s. Qual é o feedback que tem obtido de quem tem participado neste projeto (utentes,

colunistas, órgãos sociais) e de todos os que nos leem? De um modo geral, os utentes dos lares dão muita importância à sua imagem e gostam de visualizar as fotografias na revista. Sempre que uma nova revista é distribuída nos lares, ficam curiosos em ver as suas fotografias. Há um conjunto de utentes que continuam a ter uma participação regular. Nota-se que vão mantendo entusiasmo em colaborar e curiosidade em ler na revista aquilo que escreveram. Relativamente aos familiares têm acesso a ela sempre que é distribuído um novo número. Uns interessam-se e leem. Noutros casos, são os próprios idosos que mostram aos seus familiares, sobretudo se a revista inclui alguma foto sua. Sobre os colunistas, realço a disponibilidade e o agrado com que têm colaborado na nossa revista. Os órgãos sociais têm correspondido com toda a prontidão sempre que solicitados para colaborarem no “Editorial”. Também os profissionais de saúde têm-se manifestado disponíveis para colaborar no “Espaço Saúde”. Aos voluntários a quem tem sido solicitada colaboração para o “Espaço do Voluntariado”, todos têm mostrado interesse em participar, e noto da parte de alguns voluntários o gosto em colecionar todos os números da revista. Que sugestões gostaria de partilhar para que este órgão pudesse envolver ainda mais quem faz parte da família da M.G. e a comunidade? Na nossa revista, os profissionais de saúde têm um espaço reservado que é fundamental para a divulgação de informação relevante na respetiva área de especialidade. É um espaço privilegiado para informar e alertar para as temáticas relacionadas com os processos de crescimento, desenvolvimento e envelhecimento do ser humano. Mas também é igualmente importante dar espaço a outros profissionais da Misericórdia ligados a diferentes áreas técnicas, e permitir que partilhem os seus conhecimentos e experiências profissionais. Daí que considere essencial dar continuidade às entrevistas, pois ainda temos áreas de grande interesse por focar, como a educação, a animação sociocultural, a psicologia, entre muitas outras. Se o objetivo é envolver ainda mais quem faz parte da família da Misericórdia, então temos muitos colaboradores que decerto terão histórias e experiências ricas para partilhar, já que o leque de áreas funcionais nos diferentes departamentos da Misericórdia é muito vasto. E como a família da Misericórdia é uma “família alargada”, porque não abarcar familiares de utentes dos lares e encarregados de educação das crianças da nossa creche e jardim de infância. Temos utentes que estão integrados nos lares há muitos anos e crianças que fazem um percurso de 5, 6 anos na nossa creche, e seria interessante envolver os familiares que decerto terão muito para contar.


SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

ESPAÇO SAÚDE

O amor não tem idade:

O Idoso Sexual, conSensual

Não existe realmen- os homens quem mantém a iniciativa para a prática do te consenso em re- sexo genital. lação à sexualidade A atividade sexual, trata de prazer, evoluindo de um preno global e, particu- domínio genitalizado na juventude para uma atitude larmente, nos idosos. predominante de troca afetiva, envolvendo a carícia, o Existem sobretudo mi- toque, o beijo, a partilha, entreajuda, compreensão e tos, estereótipos e pre- apoio reciproco – contribui para saúde física e mental. conceitos que impor- É urgente uma mudança de paradigma e adaptação a ta resolver, e que em muitos casos rondam a crueldade. uma nova realidade. É necessário formar e informar técniA sexualidade enquanto expressão de afetos evolui ao cos preparados para responder às necessidades dos idolongo dos anos em atividades criativas, focando-se mais sos libertos de juízos de valor, censura, repressão e incomna genitalidade reprodutiva, respondendo a um predo- preensão, felizmente, muitos com saúde física e mental, minante impulso de continuidade e conservação da sensíveis ao desejo, interessados e motivados à partilha, espécie no adulto jovem. Sexo, amor e romance estão competentes e capazes, disponíveis e conhecedores. Enassociados à juventude. A publicidade, o marketing e riquecidos pela longa experiencia que acumularam ao até as campanhas de prevenção da sida esquecem os longo da vida. mais velhos. Não há porém razões biológicas para excluir Uma vida sexual ativa acaba com o tédio, a solidão e o quem participou na construção do mundo em que vive- aborrecimento, descentrando-os de preocupações hipomos e no que somos. condríacas dos limites do corpo, das queixas somáticas, Aprendemos ao longo dos anos a utilizar melhor o nosso da tristeza e da depressão. cérebro, tornando-o mais eficiente, apesar de mais lento. FAÇAM O FAVOR DE SE AMAR………….. Tal como na fábula da tartaruga e da lebre, devagar se vai longe. José Fernandes Costa Todos somos ao longo da vida diferentes na forma como (Psiquiatra da Misericórdia de Gaia) vivemos a sexualidade e o mesmo irá acontecer na velhice. A vida sexual Farmácia da Misericórdia de Gaia persiste de forma semelhante dos 40 A cuidar de si... aos 80 anos e somente acontecimentos adversos (morte de companheiro/a, doença grave) podem bloquear essa Serviços: função. Os idosos sentem desejo sexu- - Uma vasta gama de produtos e al e quando existe oportunidade têm serviços relações sexuais. A maioria exprime a sua sexualidade, baseando-se no - Administração de vacinas que foram as suas experiências prévias, cultura e educação. São muitos - Controlo da tensão arterial os exemplos de idosos ativos, vivendo uma vida conjugal proporcionada - Uma equipa de profissionais pela longevidade. Há uma correlação disponível para aconselhar na positiva entre os que têm melhor saú- área da saúde de física e praticam sexo. E as pessoas com demência continuam a precisar - Serviço de Podologia Segunda a sexta-feira das 9h00 às 20h30 e de carinho, dar e receber afeição. As sábados das 9h30 às 13h00 Consultas de Nutrição (em R. Capitão Salgueiro Maia, 311/7; 4430-518 preferências entre idosos são carícias, Vila Nova de Gaia Tel.: 227828971; Fax.: 227826246 beijos e toques, depois o coito, sendo breve)

23


ESPAÇO SAÚDE

Hidratação e envelhecimento A água é o elemento mais importante do corpo humano. É utilizada no organismo para o transporte de nutrientes e eliminação de elementos indesejáveis, atua na regulação da temperatura, na manutenção da estrutura dos tecidos e no funcionamento do metabolismo celular. A sede fisiológica resulta da desidratação e é estimulada por dois mecanismos principais: aumento da tonicidade celular (desidratação celular) e diminuição do volume de fluído extracelular (desidratação extracelular). Existem mudanças fisiológicas na sequência do processo de envelhecimento que podem afetar o equilíbrio hídrico nesta população. O mecanismo de resposta de sede diminui com a idade. A quantidade total de água no organismo do idoso é menor em virtude da perda de massa muscular. Alterações na concentração plasmática de vasopressina: - Perda de sensibilidade dos receto-

24

res responsáveis pela transmissão de sensação de sede; - Uso de diuréticos, laxantes e sedativos; - Febre, vómitos e diarreia; - Hipernatremia e diminuição de água no organismo; - Diabetes insipidus, insuficiência renal; - Dificuldades de mobilidade quanto ao acesso a água; - Alterações cognitivas (doença de Alzheimer); - Problemas de visão e de deglutição; - Medo da incontinência levando alguns idosos a limitar o consumo de líquidos; - Baixo consumo de líquidos, diminui a quantidade de água proveniente dos alimentos; Sinais de desidratação - Indisposição para a realização das atividades diárias; - Secura da boca e mucosas, prega cutânea persistente; - Aumento da agitação psicomotora, confusão, cefaleias, tonturas, desorientação; - Hipotensão arterial, taquicardia; - Obstipação, urina concentrada in-

feções do trato urinário, pneumonia. Sugestões/recomendações As recomendações atuais da ingestão de água não diminuem com a idade. 1.5 litros de água por dia é válida se se verificar a ingestão adequada de alimentos. - Observar e verificar diariamente a ingestão de água dos idosos; - Verificar se o volume de urina é suficiente e de cor clara; - Estar atento aos eventuais sinais/sintomas supra citados que estão correlacionados com a desidratação; - Os sinais de sede surgem com um grau de desidratação correspondente a perda de 0,2% de peso, por isso, estimular à ingestão de água, mesmo antes da existência de sede. - Informação adequada sobre a importância da água aos idosos e cuidadores; - Nos períodos de maior calor, devem ser desenvolvidas estratégias para o aumento de consumo de líquidos (chás, sumos de frutas, infusões, sopa e leite) e preferir alimentos ricos em água, tais como vegetais frescos, frutas, iogurte, entre outros. Carlos Leite

(Assessor para a Nutrição na SCMG)

POR ESTARMOS AO SERVIÇO DA SOCIEDADE, E PARA SERMOS REFERÊNCIA NOS CUIDADOS DE SAÚDE,

HUMANIZAR É O VERBO DAS NOSSAS AÇÕES. A saúde é o bem mais precioso que o ser humano pode possuir. A recuperação e reabilitação de pessoas cujo estado de saúde se encontra fragilizado é uma missão que a Clínica Fisiátrica da Santa Casa da Misericórdia de Gaia com a sua equipa de profissionais de saúde, cumpre com dedicação, grande emprenho e satisfação. A Clínica da Santa Casa da Misericórdia de Gaia está incorporada no complexo do Lar Salvador Brandão, com amplos espaços verdes e um parque de estacionamento privativo. Beneficia ainda de fácil acesso pelas novas vias de circulação circundante.

Nova valência – Terapia da Fala ACORDOS ARS ADM ADMG CAIXA GERAL DEPÓSITOS CAIXA DE PREVIDÊNCIA

MEDIS (ACIDENTES TRABALHO) MINISTÉRIO JUSTIÇA MONTEPIO GERAL PLANICARE PORTUGAL TELECOM

SAD/PSP SAMS SAMS QUADROS SEG. MULTICARE SEG. AÇOREANA

SEG. ALLIANZ SEG. AXA SEG. FIDELIDADE MUNDIAL GLOBAL SEG. IMPÉRIO BONANÇA

SEG. LUSITÂNIA MACIF SEG. SAGRES SEG. TRANQUILIDADE SEG. VITÓRIA


HISTÓRIAS DE VIDA

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

João Xavier – um exemplo de vida ativa aos 80 anos

“Repugnava-me sempre a ideia de vir para um lar”

Tem raízes africanas, mas corre-lhe nas veias sangue de mais dois continentes: o europeu e o asiático, dadas as suas origens familiares. João Xavier Almeida é um dos exemplos vivos de envelhecimento muito ativo que reside no Lar António Almeida Costa. A irreverência e o revolucionarismo da juventude deram, nesta fase da sua vida, com 80 anos, lugar à calma e à pacificação. No entanto, o interesse pela vida, o dinamismo e a curiosidade por tudo o que é novo, mantém-se. Veio pela primeira vez a Portugal com 32 anos de idade, vivia-se a década de 60. Em terras lusas manteve-se de férias cinco meses, de acordo com a licença graciosa que podia usufruir e prolongar. Em Portugal gostava de ver as ruas, os museus e ainda se lembra bem do primeiro concerto a que assistiu no Teatro de S. Carlos: “Costumava dizer que o S. Carlos tinha uma passadeira de vaidades e eu depois também estava lá de smoking. Fiz a mesma figura”. Mas aproveitava ainda a estadia na terra lusa para estudar. João Xavier vivia um sentimento antagónico – por um lado era bastante patriota, não querendo deixar o seu país: “Dizia a todos que quanto pior estivéssemos, mais obrigação teríamos de ficar lá”. Por outro lado, o nível cultural e a qualidade de vida em Portugal fazia com que não quisesse ir embora, prolongando cada vez mais as estadias. O sonho Uma noite teve um sonho premonitório sobre a sua vinda para Portugal. Era altura da descolonização. "Quinze dias depois estava em Portugal com uma mala, cinco contos, que era o que se podia trazer na altura, e alguns livros”, revela. Em Portugal ficou a morar em Lisboa com a mulher. Em 2002 mudou-se para Vila Nova de Gaia, ficando

a morar na casa de um sobrinho, com quem estava a participar num negócio comercial. Mas nem tudo correu bem. No seguimento dos infortúnios na empresa, o sobrinho teve de mudar para uma habitação mais pequena onde já não havia espaço para João Xavier. “Procurava um sítio para ficar. Pensei que já tinha, nessa altura, 77 anos, que podia ficar doente de repente e estava sozinho”, comenta. E apesar de ter uma imagem muito negativa dos lares, a sua curiosidade levou-o a procurar as respostas sociais da Misericórdia de Gaia: “Repugnava-me sempre a ideia de vir para um lar, mas sempre que vinha cá para entrevistas sentia uma simpatia muito grande”. “Alguma coisa me chamava para aqui”, completa.

Envelhecimento ativo

João Xavier é um dos bons exemplos de envelhecimento ativo da Misericórdia de Gaia. Preocupa-se em fazer exercício físico e mental como sempre fez na vida e garante sentir-se muito bem. “Faço um pouco ioga, sobretudo respiração”, embora sozinho, porque no lar mais ninguém o acompanha. Comprou uma máquina de exercício físico que, depois de se aconselhar com os médicos do lar, pratica ao mesmo tempo que faz os exercícios de ioga. Garante que quando vai ao café dá a sua “corridinha” não para chegar mais rápido, mas para viver mais tempo. Por outro lado, a parte intelectual e social também estão muito presentes na vida do utente: “Continuo a dar a minha colaboração ao movimento espírita, escrevo para os jornais e revistas do movimento e leio muito”. Mas há uma atividade que João Xavier não dispensa: “A internet é uma maravilha”. “Antes a minha loucura eram as enciclopédias, hoje é a internet”, reconhece. João Xavier está quase todos os dias na internet, mas sempre que existem atividades no lar, com as quais se identifica, participa com agrado, como as palestras e as visitas culturais. João Xavier considera-se uma pessoa feliz, de bem com a vida e com os outros. O segredo, reconhece, está no estilo e vontade de ter uma vida ativa e no pensamento com que acorda todos os dias: “A fonte do nosso ser que é Deus e isso dá-me força”.

25


SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

NÚCLEO MUSEOLÓGICO

Os paramentos que se podem ver nas fotografias anexas eram pertença do Rev.º Padre Januário da Fonseca e Silva, que durante 50 anos desempenhou as funções de Capelão do Lar Salvador Brandão, em Gulpilhares, e que ele quis deixar-nos para memória futura. Parte destes paramentos tinham sido por ele oferecidos a D. Maria do Céu Lourenço Guia Pedrosa, ajudante de ação direta daquele Lar, e que a mesma disponibilizou de imediato para assim poderem ser expostos no Núcleo Museológico, gesto que a Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Gaia agradece reconhecida e publicamente. Luís Marques Gomes

(Assessor da Provedoria da Misericórdia de Gaia)

26

ESPAÇO VOLUNTARIADO

Tem sido habitual, desde 2009, incluir a apresentação dos novos voluntários na sessão solene de comemoração do aniversário da Misericórdia, que este ano decorreu no Salão Nobre. De junho de 2011 a junho de 2012 a Misericórdia acolheu 10 novos voluntários nas suas diferentes unidades: - Na Creche e Jardim de Infância D. Emília de Jesus Costa: Esperança Maria Moreira Pereira. - No Lar António Almeida Costa: Fernando Manuel Araújo Oliveira, José Carlos Paiva, Maria da Conceição Oliveira, Maria Cristina Morais, Maria Madalena Brochado e Mercês Sousa Fidalgo. - No Lar Tavares Bastos: Maria de Fátima Pinto Lopes e Maria da Conceição Alves. - No Lar Salvador Brandão: Maria da Conceição Fernandes Dias. Na generalidade, estes novos voluntários têm vindo a exercer atividades orientadas para a conversação com os utentes dos lares, para o apoio nas tarefas de alimentação, para o acompanhamento de utentes a consultas, para o apoio de companhia a utentes do Serviço de Apoio Domiciliário. Excecionam-se duas voluntárias que

realizam tarefas mais concretas - de cabeleireiro e de costura que estão relacionadas com a atividade profissional exercida ou com aptidões pessoais. Todos eles manifestam o desejo de ajuda ao próximo, oferecendo um pouco do seu tempo livre, e curiosamente, as motivações que os unem são basicamente idênticas. Aqui deixamos ficar algumas das suas expressões: “Ajudar os outros a sentirem-se menos sós”. “Aliviar a solidão de alguém”. “Querer ser útil e dar conforto a quem precisa”. “Contribuir para o bem-estar emocional de quem visitar”. “Ajudar os mais necessitados e fazer algo de diferente no meu dia a dia”. Célia Rodrigues

(Coordenadora do Serviço de Voluntariado na Misericórdia de Gaia)


AGENDA

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA NOVA DE GAIA

JULHO: Dia 2 - Comemoração do 23.º aniversário do Serviço de Voluntariado da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Gaia Dia 4 - Comemoração do 20.º aniversário do Lar Residencial Conde das Devezas - Visita ao Museu do Vinho do Porto pelos utentes do Lar José Tavares Bastos Dia 5 - Passeio a Lamego pelos utentes dos lares sociais da Misericórdia de Gaia

AGOSTO:

SETEMBRO:

Dia 2 - Feirinha de petiscos no Lar Salvador Brandão

Dia 3 - Início do ano letivo 2012/2013 na Creche e Jardim de Infância D. Emília de Jesus Costa

Dia 17 - Visita ao Museu de Santa Maria de Lamas pelos utentes do Lar José Tavares Bastos

Dia 20, 21, 22 - X Congresso Internacional das Misericórdias

Dia 24 - Peregrinação ao Santuário N.ª Sr.ª da Saúde

Dia 21- Passeio convívio entre utentes e colaboradores do Lar António Almeida Costa

Dia 29 - Visita ao Museu do Vinho do Porto pelos utentes do Lar Salvador Brandão

Dia 7 - Lançamento do livro “A MISERICÓRDIA – A Santa Casa de Vila Nova de Gaia” no Arquivo Municipal Sophia de Mello Breyner Dia 19 - Cruzeiro no Riu Douro pelos utentes do Lar Salvador Brandão

SABIA QUE... … O Polo 2 do Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia / Espinho, antigo Hospital da Misericórdia, tem o nome do Comendador Manuel Moreira de Barros? ... O terreno onde se encontra o Dispensário Anti Tuberculoso, na rua Conselheiro Veloso da Cruz, foi cedido a título gratuito ao Estado, pela Misericórdia de Gaia? ... O primeiro estabelecimento a ser criado pela Misericórdia de Gaia, após a sua fundação, foi a Farmácia, inaugurada em 2 de Dezembro de 1930?

FICHA TÉCNICA: PROPRIETÁRIO: Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Gaia; DIRETOR: Dr. Pedro Nobre; EDITOR: Dr. Pedro Nobre COORDENADORA: Dr.ª Marisa Pinho; REDATORA: Dr.ª Marisa Pinho; COLABORADORA: Dr.ª Manuela Pinto; DESIGN GRÁFICO: Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Gaia; TIRAGEM: 1150; PERIODICIDADE: Trimestral; SEDE DA REDAÇÃO: Rua Teixeira Lopes, n.º 33, 4400-320, Vila Nova de Gaia; PRODUÇÃO: Gráfica São Miguel, Rua Norton Matos 731, Gulpilhares, 4405-671 Vila Nova de Gaia. NOTA: Publicação isenta de registo na ERC ao abrigo da Lei de Imprensa 2/99 de 13 de janeiro, artigo 9

Os artigos foram escritos com base no novo acordo ortográfico

27


EQUIPAMENTOS SOCIAIS E UNIDADES DE EXPLORAÇÃO

www.scmg.pt geral@scmg.pt www.facebook.com/misericordiadegaia


Laços de Amor n.º 15