Issuu on Google+

Organizar ~ reunioes de pais

Geovana Aparecida Teixeira ´ Izidorio

Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Educação de João Monlevade de Minas Gerais. Especialista em Gestão pela Universidade Federal de Viçosa. Experiência em estabelecimentos de ensino público e privado com coordenação de processos administrativos e pedagógicos. Coordenadora Operacional do Colégio Pitágoras Cidade Jardim.

1.ª edição 2009


Diretoria de Produtos e Serviços Paulo César Dias de Moura

Projeto Gráfico Mariana do Espirito Santo

Gerência Editorial Adriana Batista Gonçalves

Preparação e Revisão de Texto Língua e Estilo

Produção Editorial Alex Alves Bastos Daniela Pereira de Melo Denise de Barros Guimarães Gabrielle Cunha Vieira Hélio Martins Joana Paula de Souza Júnia Kelle Teles Martins Lilian Ferreira de Souza Luciana Marinho da Silva Luciano Pereira Marins Marcelo Correa de Paula Priscilla Alves do Nascimento Raquel Barcelos e Melo Roberta Mara de Souza Lima Tatiane Aline do Carmo e Melo

Editoração Eletrônica Mariana do Espirito Santo

Pesquisa Iconográfica e Autorização de Textos Aline Paula de Oliveira Douglas Nunes Brandão Luana Félix da Silva Magali Luciene dos Santos Miriam Carla Martins Consultoria e Coordenação Pedagógica Aldeir Antonio Neto Rocha Aparecida Costa de Almeida Cornélia Cristina Sampaio Brandão Gustavo Celso de Magalhães Lydston Rodrigues de Carvalho Marinette de Cácia Freitas Raquel Cristina dos Santos Faria

Ilustração Guto Respi Impressão e Acabamento Formato Artes Gráficas Reprodução proibida. Art. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Todos os direitos reservados. Rua Paraíba, 330 – 17º andar 30130-140 – Belo Horizonte – MG Tel.: (31) 2126-0853 www.eeducacional.com.br

Dados internacionais de catalogação na publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Izidório, Geovana Aparecida Teixeira Organizar reuniões de pais / Geovana Aparecida Teixeira Izidório. -- Belo Horizonte : Editora Educacional, 2009. -- (Coleção é + fácil). 1. Educação - Participação de pais 2. Escola e família 3. Pais e professores 4. Reuniões I. Título. II. Série. 09-07892

CDD-371.103


~

~

Apresentaçcao Preparar e realizar uma reunião de pais é um grande desafio para todas as escolas.Apesar de rotineira, essa atividade é necessária e fundamental para renovar a parceria estabelecida entre família e escola com o intuito de trabalhar para o alcance de um objetivo comum: as aprendizagens cognitivas e afetivas dos alunos. De forma generalizada, estas reuniões têm sido ocasiões de simples troca de informações sobre notas e rendimentos. O que fazer? Como trazer as famílias à escola? Como tornar as reuniões atrativas e interessantes? Como intensificar a presença das famílias na escola? Percebe-se uma grande angústia de diretores, coordenadores e professores no momento de preparação dessas reuniões, pois se sentem divididos entre o desejo de inovar e a dúvida sobre como fazê-lo. É preciso ousar, desconstruindo este modelo de reunião que a maioria das instituições educacionais utiliza e, reconstruí-la alicerçada no Projeto Pedagógico e nas ações de toda a Equipe Escolar. O objetivo principal deste livro é sugerir passos a serem seguidos em sua preparação, apresentando sugestões de propostas bem-sucedidas, retiradas de práticas simples do dia a dia, transformando-as num encontro prazeroso e produtivo.


´ Sumario

Contextualizando a prática

7

Propostas de reuniões

9

Passo a passo na organização de reuniões

19

Considerações finais

44

Anexos

46

Referências

55


Contextualizando ´ a pratica De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, a educação abrange processos formativos que se desenvolvem no convívio escolar e familiar. Assim, família e escola devem caminhar lado a lado, mas, geralmente, elas se encontram apenas em eventos escolares ou em reuniões para a entrega de notas e para averiguação se o aluno obteve fracasso ou sucesso. Isso ocorre porque se perde de vista que a educação é processual. Sua eficácia reside na participação efetiva da família na escola, e o caminho para se alcançar isso está no estabelecimento de um diálogo contínuo entre ambas, que pode ser viabilizado por meio de reuniões. O foco de uma reunião entre a família e a escola deve ter como objetivo a busca conjunta do entendimento do universo a que pertencem, transformando-se num momento de planejamento de metas, de agregação de contribuições, uma vez que a escola não consegue educar sozinha. Por isso, a reunião deve ir além da troca de informação acerca de notas e comportamento do aluno. Nas últimas décadas, a organização familiar mudou muito, em virtude de transformações demográficas, econômicas e sociais, como o aumento dos centros urbanos, a elevação da expectativa de vida, a conquista de mais espaço no mercado de trabalho pela mulher e o declínio do número de filhos por casal. De acordo com Berquó (1989), “tem-se presenciado uma pluralidade cada vez maior de arranjos familiares”. Esses novos modelos de famílias fazem parte da realidade de muitas crianças, adolescentes e jovens; portanto crescem as exigências em relação ao papel que a escola deve desempenhar em razão desta nova estrutura social.

7


Como a criança passa mais tempo na escola, espera-se que, além de preparar sua formação para a vida em sociedade, para a escolha profissional e o respeito ao meio ambiente, ela aprimore os seus valores familiares. Organizar reuniões que alcancem e contemplem os diferentes tipos de família é um ponto fundamental que fará o diferencial da escola, pois a família sentir-se-á acolhida em suas especificidades. E aí reside sucesso ou insucesso da escola: no cuidado com o indivíduo.Anteriormente, a presença da família na escola era, no mínimo, desconfortável, e qualquer reclamação era recebida como uma invasão de território.Atualmente, a escola sabe que essa parceria é importante, principalmente, porque, se a escola trabalhar dentro dessa proposta, os pais perceberão que, salvo as competências de cada uma das partes na educação dos filhos, caminharem lado a lado é garantia de êxito. Juntos,famíliaeescolautilizarãoasreuniõescomoespaçoefetivo paradivisãoderesponsabilidades,semperderdevistaque,mesmo tendopapéisdiferentesnaformaçãoenodesenvolvimentodofilho /aluno,precisamperceberquetêmemcomumocomprometimento com esta educação. E, assim, buscarão alinhar ações para que alcancem a formação integral desse indivíduo. Por essa razão, as atenções da escola devem estar voltadas para a promoção de pequenas reuniões ao longo de todo o período letivo, atendendo grupos de pais ou em reuniões mais individualizadas, quando se fizerem necessárias.

8 8


Propostas de ~ reuniãoes Reunião de captação A reunião de captação pode ser realizada no dia do teste de seleção. Logo após os alunos terem sido encaminhados ao local onde acontecerá a prova, os pais serão convidados para participarem de um encontro com a equipe pedagógica. Neste momento, devem ser apresentadas a proposta pedagógica, as estruturas administrativas e feita uma visita guiada pela escola. Nesta oportunidade, apresentam-se os espaços escolares e sua utilização, através de um roteiro previamente organizado. Outro formato para uma reunião de captação seria estabelecer parcerias com outras escolas que não oferecem as mesmas séries / anos ou mesmo com empresas locais, no período de matrícula. Agende com essas parceiras uma reunião com os pais / funcionários que tenham filhos nas séries / anos que sua escola oferece. Assim, faça uma bela apresentação e convide-os para conhecer o espaço escolar.

9


Reunião para o início do ano letivo As reuniões para início do ano letivo devem ser assim divididas: reunião com pais novatos e reunião com os pais veteranos. É importante observar que a organização de uma reunião para início de ano deve levar em consideração as especificidades de cada série e / ou segmento. As reuniões com pais veteranos, normalmente, acontecem no primeiro mês de aula. Para que ocorram de forma dinâmica e personalizada, o ideal é que tenha um número menor de pais. Não há uma regra, devem ser estruturadas de acordo com cada escola e número de alunos, podendo ocorrer por turma, por exemplo. Fazer uma reunião para todos os pais num só horário deve ser um último recurso. O ideal é dividi-los em grupos menores conforme as características em comum que apresentam. Por exemplo, os pais de alunos do berçário e maternal devem ser acolhidosdeumaformadiferenciadadospaisdealunosdoEnsino Médio. Enquanto os primeiros precisam conhecer em detalhes como será o período de adaptação, como poderão auxiliar na formação da rotina dessas crianças e mesmo serem amparados em suas próprias inseguranças e receios de deixarem os filhos tão pequeninos aos cuidados da escola, o segundo grupo de pais terá um foco mais voltado para as propostas que a escola apresentará para que seus filhos alcancem sucesso no vestibular.

10

Caso seja necessário organizar uma reunião com todos os pais da escola, sugere-se que, em um primeiro momento, todos sejam acomodados num auditório ou na quadra, cuidando-se para que a acústica e estrutura sejam capazes de acolhê-los de forma adequada. Assim, a Direção faz uma breve apresentação da estrutura administrativa da escola. A seguir, os pais devem ser convidados a dirigirem-se a locais já sinalizados, que poderão ser salas de aula e outros espaços da escola, e, neste segundo momento, serão recebidos pelos professores / orientadora da turma de seus filhos.


Para os alunos da Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental, o professor de cada turma ficará responsável pela coordenação da pauta. Já com os pais de alunos dos anos finais do EnsinoFundamentaleEnsinoMédio,comosãováriosprofessores dosdiversoscomponentescurriculares,sugere-sequeelessejam distribuídos em grupos menores e, em cada subgrupo, um deles coordene a reunião com o apoio dos demais. Essa segunda parte da reunião deve ocorrer num clima mais informal, sem se esquecer, é claro, de seguir os passos para a organização de reuniões: estabelecer objetivos, elaborar pauta e fazer o registro.

Reunião para início do ano letivo: para o primeiro momento desta reunião, elabore uma apresentação em PowerPoint ou um painel-mural com as fotos e os cargos de todos os profissionais da escola. Esse mesmo recurso pode ser usado paraapresentaçãodapropostaeestruturadaescola,cuidandose para que haja fotos de alunos realizando atividades que demonstrem na prática o que está sendo apresentando.

11


Entregue aos pais, nesta reunião, o Calendário Escolar em que deve constar, também, o cronograma anual de reuniões de pais. Esclareça ainda que, ao longo do ano, por iniciativa / necessidade da escola ou dos pais, reuniões esporádicas poderão ocorrer, combinando-se com antecedência o seu agendamento. Uma sugestão é que essa antecedência seja, no mínimo, de cinco dias, período necessário para a entrega da comunicação, confirmação ou não da presença e elaboração de uma pauta adequada, além de outras providências necessárias. Para os anos iniciais, os professores podem preparar com seus alunos uma mensagem de agradecimento pela presença dos pais na reunião.

Reunião com pais novatos Este tipo de reunião é importantíssimo e, preferencialmente, deve ocorrer um dia antes do início de ano letivo. É comum os pais novatosteremdúvidassobrearotinaqueseusfilhosenfrentarãono novo espaço que passarão a frequentar, principalmente se vieram de escolas menores que a atual. Organizando uma reunião com os pais novatos, a escola terá a oportunidade de sanar dúvidas e angústiasdasfamíliasedar-lhessegurança,poisconhecerãotodo o processo e a dinâmica da rotina escolar antes mesmo que seus filhos ingressem efetivamente na escola.

12

Nesta reunião, após conhecerem a proposta pedagógica, a estrutura administrativa da escola, serem apresentados à equipe pedagógica e até conhecerem a rotina de sala de aula, vale abrir um espaço para que possam fazer perguntas.


Reuniãocompaisnovatos:façacomospaisnovatosdasturmas de Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental uma visita pelos espaços da escola que seus filhos passarão a usar. Esse trajeto pode ter início no portão de entrada por onde os alunos terão acesso ao Colégio, passando por corredores, até chegarem à sala de aula em que estudarão. Vale, ainda, caminhar com eles até a cantina, os banheiros e as demais dependências. Sugere-se o mesmo com os pais de 6.º / 9.º ano, pois o filho está mudando de segmento e eles podem sentir-se também inseguros.

Reunião para atendimento pedagógico Durante o ano, faz-se necessário promover reuniões para atendimento pedagógico, por meio de encontros individualizados entre professores e pais. São reuniões pedagógicas acompanhadas pelos coordenadores, que visam monitorar o desempenho do aluno.Aescola poderá prever em seu calendário anual, por etapa ou semestral um período destinado a esses atendimentos, por exemplo, após as semanas ou os períodos de avaliação.Apesar de o objetivo desses encontros não ser a entrega de resultados, ao visualizar esse agendamento no Calendário, os pais sentem-se mais seguros. As reuniões para atendimento pedagógico devem ter como participante um número reduzido de pessoas. Como exemplo: o professor e o orientador ou psicólogo da turma mais os pais do(s) aluno(s), caso o assunto envolva o baixo rendimento em virtude de uma mudança de comportamento. Ou ainda, o coordenador pedagógico e os pais do(s) aluno(s) caso seja para comunicar o destaque dele(s) em alguma atividade esportiva na escola e a sugestão de encaminhá-lo(s) a uma instituição esportiva em que possa aprimorar este talento. Enfim, inúmeras serão as

13


possibilidades para que esses atendimentos ocorram. Deve-se, ainda, incentivarospaisasolicitaremessasreuniõesesporádicas sempre que necessitarem de algum esclarecimento. Outra estratégia para que se façam essas reuniões e assim intensificar a participação de pais na escola seria disponibilizar horáriodeprofessoresparaquefiquemnoschamados“plantões”. A escola organiza um cronograma desses plantões em uma semana que julgar mais apropriada, por exemplo: a última de cada mês. Assim, eles ficariam à vontade para estar com o professor da turma. É importante deixar um coordenador à disposição, caso seja necessário um suporte nesses encontros. A reunião para atendimento pedagógico pode ocorrer com uma única família ou com pequenos grupos de pais que apresentem característicassemelhantes,issopossibilitaráumatrocamaiorde experiências, pois abrange um número maior de pais. Promova reuniões desse tipo para ressaltar aspectos positivos no desenvolvimento do(s) aluno(s). Não se esqueça de definir pauta e registrar essas reuniões; afinal, os registros feitos pela escola servirão como um portfólio de alunos.

Reunião de atividades extraclasse

14 14

Todas as vezes em que forem propostas atividades extraclasse, deve-se preparar uma reunião com os pais para que seja feita a apresentação, sejam estabelecidos combinados e divididas as responsabilidades entre a escola e a família. Podem-se citar, como exemplo, as atividades de campo, em que são apresentados os roteiros de viagem, regras e custos; organização de formaturas, dentre outras. Se a operacionalização for terceirizada, deve-se solicitar a presença da empresa que promoverá o evento para possíveis esclarecimentos.


As reuniões que envolvam o assunto custos e data limite para devolução de autorizações, dentre outros, devem ocorrer de uma forma clara, pois corre-se o risco de, durante a execução das atividades, acontecerem ruídos de comunicação. É fundamental que o coordenador dessa reunião esteja ciente de todas as etapas da atividade extraclasse. É fundamental que os pais presentes na reunião de atividades extraclasse assinem a ata e que a escola providencie, logo após a reunião, uma síntese das decisões e informe os ausentes, que deverão dar ciência das informações, devolvendo à escola um protocolo de recebimento.

Reunião para entrega de resultados e encerramento de etapa De acordo com o calendário escolar distribuído no início do ano letivo, existem períodos e datas previstas para a entrega de resultados, relatórios e para o encerramento do ano letivo. Sendo assim, os pais já se organizam para que estejam presentes nessas datas; entretanto a escola deve cuidar para que estas reuniões não tenham somente o propósito de entrega de resultados, evitando-se o fortalecimento do velho modelo de reunião, conforme se alertou na apresentação. Esse tipo de reunião propicia aos pais, além do acesso às notas, à descrição do desenvolvimento de seu filho, através de relatório da etapa, a possibilidade de junto de professores e da equipe pedagógica da escola buscar opções de como ajudar o filho na melhoria ou na continuidade de seu rendimento. Essas reuniões devem ser rápidas, possibilitando que um maior número de pais possa encontrar com o(s) professor(es) de seu filho. Devem ser divididas em três partes:

15


1

16

Os pais, devidamente alojados num ambiente preparado, receberão os agradecimentos da escola pela etapa vencida e poderão tomar conhecimento de obras, propostas ou outras metas que a escola julgar apropriado divulgar. Essa fala institucional, que deve ser feita pela Direção, não deve ultrapassar vinte e cinco minutos; a seguir, faz-se a orientação sobre a dinâmica da reunião e o encaminhamento aos locais para entrega dos boletins e relatórios.

2

Os funcionários da Secretaria, os assistentes e o pessoal de apoio, em lugares devidamente sinalizados, entregarão aos pais os boletins e / ou relatórios. Após receberem os boletins, os pais serão encaminhados para as salas e outros locais já definidos.

3

O(s) professor(es) estará(ão) aguardando para que possa(m) tirar dúvidas, dar esclarecimentos e ouvir as sugestões ou pedidos dos pais.

É importante ressaltar que os coordenadores e diretores devem se dividir nesses períodos para dar suporte à reunião. O professor não deve estar sozinho, pois, numa reunião de atendimento individualizado, é fundamental o apoio institucional. É necessário deixar definido no convite para a reunião o tempo que cada um terá para conversar com o professor e cuidar para que alguém fique monitorando esse tempo, orientando os pais quando extrapolar o limite.


Umaestratégiaqueaescolapodeusarparaagilizaressasreuniões que tendem a demorar é deixar, em lugar bem visível, papel (fichas e formulários) e lápis para que os pais que não possam aguardar o encontro com o professor registrem suas dúvidas e as deixem numacaixa.Nesseformulário,devemconstarespaçosparadados sobre o pai, tais como: o nome, endereço, telefone, e-mail e a indicação da série / ano em que o filho estuda. Após a reunião, é imprescindível que os pais tenham retorno imediato.

Para a entrega de resultados, caso a escola tenha um número grande de alunos e queira fazer essa reunião simultaneamente em todos os segmentos, sugere-se usar essa estratégia para alunos dosanosfinaisdoEnsinoFundamentaleEnsinoMédio,noperíodo noturno.Assim,osprofessoresdaEducaçãoInfantileanosiniciais do Ensino Fundamental poderão receber os pais no início ou no final das aulas no turno regular, conforme for mais adequado à demanda dos pais, pois muitos preferem trazer os filhos para a escola e já ficarem para as reuniões ou participar delas quando forem buscar os filhos no encerramento do turno. Caberá à escola montar um cronograma de revezamento de forma que os alunos de cada série / ano sejam encaminhados a atividades com os professoresdeaulasespecializadas,porexemplo,enquantooseu professor se encontra com os pais para a entrega de resultados. É interessante frizar que não serão resolvidos casos particulares, para não expor nenhum aluno / filho e que, caso isso seja necessário, deve-se solicitar um atendimento pedagógico em outro momento.

17


Reunião para capacitação de pais Este tipo de reunião possibilita à escola transformar-se num espaço de referência educativa, isso porque, na maioria das vezes, os pais não se sentem preparados para enfrentar as diversas circunstâncias que se apresentam na educação dos filhos. Além disso, podem não estar cientes das características de cada fase da evolução da criança ou do jovem e de outras questões pedagógicas. Partindo de uma sondagem das principais dúvidas que inquietam os pais, a escola deve propor reuniões, como grupo de estudo para capacitação dos pais. Nessas reuniões, caberá à equipe de especialistas da escola promover formas diferentes e atrativas para desenvolver esse aprimoramento da família. Exemplo: debates,palestras,seminários,congressossobreosmaisdiversos assuntos de interesse dos pais ou que tenham sido detectados pela escola. Uma sugestão para fomentar a reunião para capacitação de pais seria promover o envio de textos a eles, o que pode ser feito por e-mail, pela agenda do aluno e até pelo correio. Esses textos podem ser enviados quinzenal ou mensalmente e podem ser de diversos autores ou escritos por membros ou pais da própria escola.

18


~

Passo a passo ~ na organizacaç ão ~ de reuniõoes 1

Definir o calendário

O 1.º passo na organização de reunião de pais é definir um calendário e divulgá-lo para toda a comunidade escolar.

Tomando conhecimento antecipado das datas de reuniões, as famílias poderão se organizar para que estejam presentes. Deve-se observar na escolha das datas se não há sobreposição dessas em relação aos outros eventos escolares, portanto cada instituição escolar deve ter um planejamento anual de reuniões. Este calendário de reuniões poderá ser anual, por etapa ou semestral, levando-se em consideração a melhor forma de atender à realidade da escola. Uma vez divulgado, ele não deve ser alterado, pois se perde a credibilidade. Caso seja necessário, éimprescindívelumcomunicadoporescrito,justificandoomotivo e agendando nova data.

19


2

Estabelecer objetivos No 2.º passo, é preciso estabelecer objetivos claros pautados em verbos como: identificar, resolver, definir, avaliar...

Os objetivos de uma reunião são diversos, mas devem ser bem definidos com a equipe, pois determinarão toda a organização e o planejamento para sua realização. Em geral, eles se norteiam da seguinte forma: • • • •

Identificar ações necessárias para se chegar a um resultado. Resolver determinado problema. Chegar a um consenso diante de algum empecilho. Definir os rumos de uma ação que precisa ser dividida em várias fases, distribuindo tarefas. • Avaliar determinado processo, redefinindo ações diante do levantamento de experiências dos participantes ou da redistribuição de responsabilidades de cada um. Debater, discutir ou rever não devem ser listados como objetivos de uma reunião, porque se subentende que esses atos já são por si a essência de uma reunião e seria redundância enumerá-los.

20

Não utilize reuniões especificamente para comunicar alguma atualizaçãodeinformaçãoemassuntostaiscomo:preços,alterações em métodos de instrumentos de avaliação, troca de profissional e outros afins. Por se tratarem de assuntos polêmicos, existem outros meios mais eficazes de fazê-lo e isso evita as reuniões exaustivas, desgastantes e improdutivas. Entretanto, não se deve esquecer de deixar a abertura para que aqueles que acharem necessário procurem a escola para reuniões individualizadasparamaioresesclarecimentos.


3

Construir a pauta Prepare uma pauta objetiva; defina quem será o coordenadordareunião,alémdequaisassuntos serão tratados, e o tempo determinado para cada um. Cumpra os horários estabelecidos à risca. Isso evitará reuniões longas e cansativas.

A pauta deve ser um norteador não somente para quem vai coordenar a reunião, como para todos os participantes. Deve-se cuidar para que não haja a repetição dos assuntos abordados, já que muitos pais têm filhos em diferentes séries / anos. Se houver necessidade de algum estudo prévio ou preparo para participação na reunião, os envolvidos devem recebê-lo com certa antecedência. Não havendo tal necessidade, ela deve ser distribuída no início da reunião ou afixada em local que permita visibilidade e acompanhamento dos presentes. Ao se construir uma pauta, existem algumas informações essenciais para que se cumpra o seu objetivo: Título Deve ser claro e informar a que a reunião se destina. Nomes dos participantes Citar os envolvidos na reunião. Caso sejam muitos, deve-se fazer menção apenas ao cargo / função. Local Com relação ao local, uma vez definido e divulgado, deve-se mantê-lo, a fim de não se passar a sensação de desorganização logo no início. Reserve esse local com antecedência e cuide para que esteja limpo e cuidado. Disponibilize papéis e lápis para

21


anotações dos participantes, providencie todos os recursos de áudio e projeção necessária, além de fácil acesso aos banheiros ou locomoção de pessoas com necessidades especiais. Se for no interior da escola, atenção para a sinalização, evitando que o participante perca tempo. Para motivar os participantes, coloque ainda, no trajeto seguido até o local de reuniões, agradecimentos pela presença, além de frases alusivas ao tema e trabalhos de alunos. O local deve ser sossegado e o coordenador da reunião deverá cuidar para que não o interrompam com assuntos externos à reunião. Nas reuniões individualizadas, que acontecem na sala da Coordenação, deve-se solicitar que os telefones sejam desligados. Deve-se ter a atenção em preparar um lanche, conforme o horário estabelecido, pois isso demonstra um cuidado especial com os participantes. Pode ser um café de boas-vidas, uma simples jarra com água e cafezinho, ou um lanche preparado pelos próprios alunos no final de tarde. Entretanto, deve-se atentar para que o lanche não fique servido o tempo todo no local da reunião, evitando-se dispersões e conversas paralelas. O ideal é que ele fique em local próximo à entrada.

22

Coordenador É importante que seja definido antecipadamente quem conduzirá a reunião e que essa pessoa tenha segurança e clareza da pauta, dos horários. Espera-se, também, que este “coordenador” da reunião incentive a participação dos integrantes e, acima de tudo, assuma a postura de observador e ouvinte atento quando alguém estiverfalando,possibilitando,assim,enfatizarpontosimportantes que possam passar despercebidos pelos demais.


O coordenador deverá cuidar para que os pontos da pauta sejam seguidos, cumprindo-se o tempo definido para cada um. Em reuniões com mais de cinco participantes, ele pode delegar essa função a um assistente. Objetivos (veja a descrição no 2.º passo) Horário de início e término Deverá ser rigorosamente mantido, a fim de se respeitar quem se organizou para estar na reunião no horário combinado. São toleráveiscincominutosdeatraso,semseesquecerdecomunicar aos presentes o horário definido. As reuniões com três a cinco participantes devem ter, no máximo, trinta minutos, enquanto as com número superior a este não devem exceder a duas horas. Havendo necessidade de estender o tempo, isso deve ser combinado com os presentes e, em hipótese alguma, exceder esse novo combinado. Sugere-se que se agende nova data, caso haja necessidade. Com relação ao melhor horário para a realização de uma reunião, o ideal é pesquisar o assunto junto aos pais. Por exemplo: no início do turno ou final deste, quando buscam os filhos; à noite ou aos sábados. O importante é que, diante de um levantamento prévio, o que pode serfeitopormeiode umsimplesquestionáriodistribuído aos pais ainda no ato de matrícula, procure-se atender à maioria, sabendo-seque,sendoinviávelatenderatodos,pode-secombinar um revezamento dessas sugestões durante o ano letivo. Assunto abordado, responsável e recurso utilizado Nestes tópicos, os objetivos serão transformados em ações e devem-se definir quem conduzirá cada uma delas, bem como o recurso audiovisual para sua apresentação.

23


Elaborar o Plano de Ação e o Check List

4

No 4.º passo, deve-se elaborar o Plano de Ação ao responder às perguntas: O quê? Quem? Quando?Como?Preenche-setambémo Check List, verificando se tudo foi providenciado. Uma vez elaborados e discutidos com toda a equipe, o Plano de AçãoeoCheckList transformam-seemprocedimentosepassarão a ser consultados na elaboração das próximas reuniões. A construção do Plano de Ação possibilita planejar cada parte da reunião, definindo tarefas e possibilitando aos envolvidos no processo de sua organização acompanhar o que deve ser feito para que ela ocorra. O Plano de Ação existe para facilitar a execução de um planejamento; assim, ele deve se adequar à realidade da escola e à necessidade de quem vai coordenar a reunião. Dessa forma, podem-se acrescentar outras colunas para observações pertinentes, por exemplo, custos. Uma vez elaborado um Plano de Ação e colocado em prática, caberá ao coordenador acompanhar e fazer as alterações e adequações necessárias. A seguir, sugestão de formulário para elaborar um plano de ação. (logomarca e nome da escola) PLANO DE AÇÃO REUNIÃO... Objetivo (da reunião): Data (da realização da atividade):

24

Local: Participantes: O QUÊ?

QUEM?

QUANDO?

COMO?


Descrição dos tópicos: Objetivos, data, local e participantes = listar os objetivos, data e local que foram definidos para a reunião, além das pessoas que participarão dela. O quê? = usando o verbo no infinitivo, descrever tudo que deverá ser providenciado. Ex.: planejar a reunião; escolher e aplicar dinâmica; elaborar e enviar carta-convite ou bilhete; solicitar limpeza do local e providenciar lanche, dentre outros.Vale lembrar que o último tópico no plano de ação deve ser: avaliar e propor melhorias. Quem? = indica o responsável pelos tópicos. Quando? = um Plano deAção deve estabelecer prazos para que os envolvidos possam dar retorno ao coordenador e / ou se reunirem com o objetivo de informar sobre a execução e o cumprimento das etapas do plano, avaliando se o que foi imaginado está se efetivando ou se há necessidade de alterar tarefas, providências e prazos. Como? = indica a maneira como se realiza a ação, o verbo deve estar no gerúndio. Outro passo importante na organização de reuniões é fazer o Check List. Por se tratar de uma lista de verificação de cada item a ser providenciado para uma reunião, ele é um valioso instrumento de conferência. Com ele, é possível aferir se tudo foi providenciado e tomar outras medidas, caso se detecte alguma falha.

25


Sugestões de Plano de Ação e Check List: Reunião de pais dos alunos novatos

(logomarca e nome da escola) PLANO DE AÇÃO REUNIÃO DE PAIS DOS ALUNOS NOVATOS Objetivos: • Apresentar a equipe técnica-pedagógica • Explicar a estrutura de funcionamento da rotina escolar e a organização pedagógica para os pais novatos Data (da realização da atividade): (um dia antes do início do ano letivo. Ex: 02/2/2009) Local: (citar o local) Participantes:Direção,Coordenação,Professores,Assistentes(oupessoal de apoio) e Pais dos alunos novatos. O QUÊ?

QUEM? Coordenação,

Planejar a reunião

Direção e Professores

QUANDO? 13 e 14/12/2008

COMO? Definindo datas, objetivos e estratégias. Estabelecendo os tópicos:

Elaborar a pauta

Coordenação

15/12/2008

horários, assunto, responsáveis e recursos. Agendando a reserva da Sala de Multimídia. Estrutura física necessária:

Reservar local

26

e recursos necessários

Coordenação

18/12/2008

200 cadeiras, montagem de telão e recursos de som, mesa para lanche. Solicitando limpeza do local.


O QUÊ?

QUEM?

QUANDO?

COMO? Solicitando a compra ou preparação do lanche para

Solicitar o lanche

Coordenação

05/1/2009

200 pessoas, baseando-se no número de matrículas. Elaborando o convite e enviando

Elaborar e encaminhar

Coordenação e

comunicação e

Assistentes

via serviço 03/1/2009

convite

de entrega. Divulgando internamente: recepção, secretaria, etc.

Preparar a dinâmica de abertura e roteiro da visita guiada pela escola

Escolhendo

Coordenação, Orientação /

15/12/2008

Psicólogas

texto/ dinâmica e elaborando roteiro de visita guiada. Elaborando e

Confeccionar Placas de sinalização e listas

afixando placas, Assistentes

Até

de sinalização.

25/1/2009

Organizando em

de presenças

pastas listas de presenças. Fazendo a ata. Realizando

Registrar a reunião

Assistentes

02/2/2009

o registro fotográfico.

27


O QUÊ?

QUEM?

QUANDO?

COMO? Descrevendo

Elaborar o

check list

as atividades Coordenação

25/1/2009

no check list e verificando seu cumprimento. Avaliando o nível de satisfação dos participantes, através de

Avaliação da

Coordenação e

reunião

Assistentes e Pais

2/2/2009

impresso de avaliação e contabilizando os dados para divulgação e melhorias.

28


Data:

(logomarca e nome da escola) Check List REUNIÃO DE PAIS DOS ALUNOS NOVATOS Local: ITENS PARA VERIFICAÇÃO

SITUAÇÃO

Os objetivos estão definidos

Pauta: foi feita a divulgação interna e todos tomaram conhecimento

Solicitação de: lanche, limpeza do local e recursos audiovisuais (citar)

Definição de como e em qual local será servido o lanche Convite: foi confeccionado, passou por correção e foi entregue aos pais

O protocolo de confirmação retornou e foi feita a tabulação. Será X o número de participantes.

Placas de sinalização e listas de presenças

Dinâmica de abertura

Roteiro para visita guiada • Definição do trajeto • Preparação do material que será apresentado (power point e vídeo/mural) aos pais, com trabalhos desenvolvidos pelos alunos no ano anterior • Instrução da Equipe sobre como será apresentada aos pais • Solicitação à Equipe da Limpeza que intensifique a organização da escola nos dias (instruí-la para que nos horários de visita não permaneçam nos corredores e recepção com vassouras, enceradeira e materiais de limpeza). • Encaminhamento de pedido de verificação de manutenção e reparos (pintura, instalações, todas as lâmpadas) • Comunicação internamente (porteiros, recepcionista, setores) • Instrução à recepcionista sobre a forma de receber e encaminhar as famílias. Definição de quem redigirá a ATA Definição de quem fará o registro fotográfico Solicitação de cópia xerográfica do formulário de avaliação da reunião

pendente

29 √ pendente


Reunião de pais para divulgação de atividade extraclasse

(logomarca e nome da escola) PLANO DE AÇÃO REUNIÃO DE PAIS PARA DIVULGAÇÃO DE ATIVIDADE EXTRACLASSE Objetivos: • Apresentar aos pais a estrutura para realização do trabalho de campo X proposto para a turma Y Data da reunião para apresentar aos pais a organização da excursão do dia 28/11/2008: 30/10/2008 Local: (citar o local) Participantes: Coordenação, Professora da turma X, empresa de Turismo responsável pela excursão e Pais dos alunos. O QUÊ?

Planejar a reunião

Elaborar a pauta

Reservar local e recursos necessários

Solicitar, lanche e água para alunos e professores

QUEM?

QUANDO?

COMO?

29/9/2008

Definindo data, e combinando a apresentação com a empresa de Turismo.

29/9/2008

Estabelecendo os tópicos: horários, assunto, responsáveis e recursos.

Empresa de Turismo 29/8/2008 contratada

Agendando a reserva e informando a estrutura física necessária para a excursão.

Empresa de Turismo 20/10/2008

Solicitando a compra ou preparação do lanche

Coordenação

Coordenação


O QUÊ?

Elaborar a comunicação sobre a reunião e junto encaminhar a autorização de viagem

QUEM?

Coordenação e Assistentes

QUANDO?

COMO?

05/10/2008

Elaborando a carta explicativa sobre a excursão e enviar via aluno. Providenciando ainda a autorização de viagem, para entrega no momento da reunião aos pais.

Preparar a dinâmica de apresentação da estrutura para a excursão

Coordenação e Empresa de Turismo

10/10/2008

Montando em recurso visual, como será a excursão: roteiro de atividades, custo, enxoval, regras, documentação necessária...

Confeccionar placas de sinalização e listas de presenças

Assistentes

25/10/2008

Organizando em pastas listas de presenças

20/10/2008

Descrevendo as atividades no check list e verificando seu cumprimento

30/10/2008

Avaliando o nível de satisfação dos participantes, através de dinâmica do plusdelta ao final da reunião.

Elaborar o check list

Avaliação da reunião

Coordenação

Coordenação e Assistentes


(logomarca e nome da escola)

Check List Reunião de pais para divulgação de atividade extraclasse Data: Local: ITENS PARA VERIFICAÇÃO

Pauta: foi elaborada juntamente com a empresa de turismo. Foi providenciada cópia xerográfica para que os pais acompanhem durante a reunião.

Solicitação de: lanche, limpeza do local e recursos audiovisuais (citar) • Definição de como e em qual local será servido o lanche Convite: foi confeccionado, passou por correção e foi entregue aos pais • O protocolo de confirmação retornou e foi feita a tabulação. Será X o número de participantes.

Placas de sinalização e listas de presenças

Cópia xerográfica de Autorização de viagem a ser entregue aos pais para assinatura e retorno ainda na reunião.

Registro da reunião (a ATA será redigida por X )

Avaliação da reunião Definição de quem redigirá a ATA Definição de quem fará o registro fotográfico

32

SITUAÇÃO

Os objetivos estão definidos

Solicitação de cópia xerográfica do formulário de avaliação da reunião

√ √ pendente


Reunião de pais para captação (logomarca e nome da escola) PLANO DE AÇÃO REUNIÃO DE PAIS PARA CAPTAÇÃO DE ALUNOS Objetivos: • Apresentar aos pais a estrutura organizacional e proposta pedagógica para captação de alunos. Data: 02/10/2008 Local: (citar o local) Participantes: Direção, Coordenação, Representantes de Professores, Pais que tenham procurado pela escola no período X e Pais de alunos de escolas parceiras. O QUÊ? Planejar a reunião

Elaborar a pauta

Reservar local e recursos necessários

Solicitar lanche

QUEM? Coordenação

Coordenação

Coordenação

Coordenação

QUANDO?

COMO?

25/8/2008

Definindo data, e preparando a apresentação.

29/9/2008

Estabelecendo os tópicos: horários, assunto, responsáveis e recursos.

01/09/2008

Reservar a quadra da escola e solicitar à equipe técnica montar um telão para projeção de imagens.

20/10/2008

Solicitando a compra ou preparação do lanche.

33


O QUÊ?

QUEM?

QUANDO?

COMO? Elaborando a carta-convite e enviar as escolas/ empresasparceiras para distribuírem aos pais que pretendem trazer os filhos para a escola ao final

Elaborar o convite

Coordenação e Assistentes

01/09/2008

deste ano. Solicitando à Secretaria o controle de pais que procuraram pela escola com intuito de matrícula e enviar carta-convite aos mesmosviaserviço de entrega.

34

Preparar a dinâmica de apresentação da estrutura administ., operacional e pedagógica da escola

Direção Coordenação e Professores

05/09/2008

Montando em recurso áudiovisual, como será a a apresentação. Preparando a atividade de sala de aula que será trabalhado com os pais. Solicitando na gráfica confecção do folder e brinde para entregar aos participantes.


O QUÊ?

QUEM?

QUANDO?

COMO? Sinalizando a escola e posicionando quem ficará em postos definidos

Confeccionar placas de sinalização e listas de presença

no dia da reunião Assistentes

até

para receber e

15/09/2008

acolher aos pais, encaminhando-os ao local da reunião. Organizando em pastas listas de presenças.

Elaborar o check list

Coordenação

15/09/2008

Descrevendo as atividadesnocheck list e verificando seu cumprimento Avaliando o nível de satisfação dos

Avaliação da reunião

Coordenação e Assistentes

participantes, 02/10/2008

através de dinâmica do plusdelta ao final da reunião.

35


5

Comunicar a reunião Acomunicação de uma reunião deve ser clara e objetiva e muito bem cuidada, pois determina a imagem que o público externo terá da escola.

Confeccione o comunicado, carta ou bilhete usando sua criatividade; faça uso do impresso padrão e da logomarca da escola e submeta o texto a uma primorosa correção linguistica. Apesar da formalidade, acrescente uma participação dos alunos, porexemplo,desenhos,colagensououtrostrabalhosartísticosna capa do convite ou nos envelopes. Nunca envie uma correspondência sem antes solicitar a leitura e sugestão de dois ou três membros da escola, pois isso possibilita que, olhando de outro ângulo, possa ser mais assertiva. Cuidado com dizeres muito longos e não copie carta de um ano para outro, lembre-se de que seus alunos mudam de série, mas os pais recebem em casa os comunicados para reuniões semelhantes, salvo alguma novidade ou outra.

36

Apartir do momento em que o convite está pronto, deve-se pensar qual a forma mais adequada de enviá-lo, pois a baixa participação da família em reuniões, muitas vezes, está ligada ao fato de a comunicação ter sido feita com pouca antecedência ou de forma ineficiente. Por exemplo, entregar os convites via alunos é um processo que nem sempre dá certo. Muitos deles, principalmente no Ensino Médio, temem a presença dos pais e acabam não entregando a correspondência. O que pode ser feito é se cercar de ações que garantam o recebimento via aluno, como solicitar que assinem um protocolo. Outra forma é a utilização de correio ou serviços de entrega.


Toda correspondência deverá ter um protocolo de recebimento, que tem por finalidade confirmar o recebimento do convite, além de orientar a coordenação sobre o número de participantes, possibilitando uma organização mais assertiva. Esse protocolo deve conter a data para sua devolução. É importante definir quem ficará responsável por recebê-lo e também por fazer o levantamento de dados. A seguir, o coordenador da reunião deve definir a melhor forma de utilizá-los para o planejamento da reunião.

37


6

Registrar a reunião O registro da reunião deve ser feito por meio de ata, além de poder contar com outros recursos, como fotos, que posteriormente poderão ser divulgadas no mural ou pelo site, valorizando ainda mais o momento.

O responsável pelo registro deve conhecer as normas para elaboração de uma ata: registrar o nome das pessoas presentes; cuidar para o cumprimento do início e término da reunião; assessorar o coordenador na execução da pauta; informar questões não concluídas ao longo da reunião e coletar assinatura dos participantes para validação da ata. Para elaboração de uma ata, deve-se atentar para as seguintes características básicas: • O texto deve ser escrito sem parágrafos, itens ou listas. Deve ser contínuo em um único parágrafo. • O tempo verbal empregado deve ser o pretérito perfeito do indicativo (disse, informou...) • Deve informar datas, valores e números sempre escritos por extenso, sem o uso de abreviaturas ou siglas.

38

• Uma ata não deve ter rasura. Não se deve fazer uso de corretivo. É necessário, sempre que preciso, o uso da expressão digo, para reescrever a frase. Exemplo: “[…] O coordenador solicitou, digo, informou a data para a próxima reunião [...]”. Se o erro for notado apenas ao final da ata, mas antes de ela ser assinada pelos presentes, pode-se retificar antesdasassinaturas.“Emtempo:ondeconstasolicitou,favor considerar informou.”


ATA DA REUNIÃO ..... Aos quinze dias do mês de setembro de dois mil e oito mil, com início às dezenove horas, na sala de festas da Escola X, sita ..., número duzentos, Belo Horizonte, realizou-se uma reunião de todos os pais dos alunos da quarta série da escola, com o objetivo de preparar as festividades de confraternização pela conclusão desta primeira etapa do primeiro grau. A reunião foi presidida pelo orientador pedagógico da quarta série, o Sr. (nome) , tendo como secretária a Senhora (nome). Contou com a participação de vinte e quatro pais, dos professores das três turmas e da diretora, (nome). Inicialmente, o Sr. (nome) orientador pedagógico, solicitou à diretora que fizesse a exposição das providências administrativas e o andamento legal referente ao término do primeiro grau. (....). Foi escolhido por unanimidade, o dia vinte e dois de novembro. Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, que vai assinada por mim, (nome), secretária, pelo presidente da reunião, pela diretora e pelos professores e pais de alunos presentes. (assinaturas...)

39


7

Avaliação É importante que toda reunião passe por um processo de avaliação, possibilitando melhorias para as futuras reuniões. Essa avaliação deverá ser feita com os pais participantes e também, internamente, com os professores e demais funcionários envolvidos.

A avaliação é o 7.º passo e é fundamental, pois, após os participantes avaliarem a reunião e serem apurados os dados, há necessidade de um feedback. Essa ação representa o grau de importância dada às ponderações coletadas. Significa que as observações, sugestões e críticas têm valor para a escola e, por isso, serão levadas em consideração. Deve-se entregar aos participantes um impresso, conforme o Fomulário 1, em que eles possam citar livremente os pontos negativos ou positivos.

40


Formulário 1 (logomarca e nome da escola) AVALIAÇÃO DA REUNIÃO ..... Srs. Pais / responsáveis, Agradecemos sua participação na Reunião de Pais do dia ___/___/___ e solicitamos registrar seus comentários sobre a mesma. Atenciosamente, A Direção. _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ ________________________________________________________

Se necessário, pode se usar um modelo mais direcionado, como o Formulário 2, contendo itens como adequação do dia, do horário, local e assim, sucessivamente, citando cada item. É importante diversificar os meios de avaliação.

41


Formulário 2 (logomarca e nome da escola) __________________, _____ de ____ de _____. Srs. Pais / responsáveis, Agradecemos sua participação na Reunião de Pais do dia ___/___/___ e solicitamos sua avaliação. Atenciosamente, A Direção. Avaliação da reunião (citar o nome da reunião) Itens avaliados

Satisfeito

Parcialmente

Não

satisfeito

satisfeito

Organização geral da reunião Adequação do dia Adequação do horário Local Sinalização Comunicação da reunião Sobre a reunião Pauta coerente com os objetivos propostos Duração suficiente para a pauta proposta Informações suficientes Conteúdo coerente com a proposta da reunião De um modo geral Seu nível de satisfação é... Deixe registrados seus comentários e sugestões: ______________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________


As avaliações e sugestões coletadas deverão ser apresentadas numa síntese e possibilitarão mudanças na organização das próximas reuniões. O retorno pode ser dado em uma correspondência,apósareunião,ounareuniãoseguinte.Lembrese: o que mais garante a satisfação dos pais é o sentimento de serem acolhidos e ouvidos em suas sugestões e esta é uma excelente oportunidade para isso. Esta ação reforçará a parceria entre família e escola.

43


~

~

Consideracoes fifinais Para transformar família e escola em parceiros, a reunião de pais, sem dúvida, é excelente recurso. Entretanto, é necessária a reconstrução desse instrumento, e a escola deve encarar isso como meta. Comece conscientizando toda a equipe da escola e os pais sobre a importânciadessasreuniõesecomoessaparceriapoderáajudaro aluno, pois, juntos, buscarão meios de vencer os desafios que ora se apresentam na educação. Lembre-se de que o sucesso de uma reunião está no seu alinhamento com os demais acontecimentos da escola e, para isso, busque embasamento em seu Projeto Pedagógico. Fique aberto às observações e críticas que virão, pois todo momento de reconstruç��o é também um momento de reavaliação, reflexão e, principalmente, crescimento. Organize uma sondagem para conhecer melhor a comunidade a que pertence sua escola, através do levantamento de informações

44


sobre o perfil dos alunos, dos pais e famílias; demandas, necessidades e recolha sugestões de temas que gostariam que fossem trabalhados. Adote pequenas, mas significativas mudanças que garantam reuniões mais objetivas, dinâmicas e produtivas, tais como: implantarnocalendárioescolarasdatasparareuniõesecumpri-las; definir e divulgar objetivos claros; comunicar e registrar a reunião de forma mais eficiente; preparar a pauta, o plano de ação, o check list e, por fim, fazer uso da avaliação destas reuniões para melhorar cada vez mais sua organização. Utilize as orientações deste livro passo a passo, sem se esquecer, é claro, de acrescentar aquele “toque” que é característico da sua escola. Convide todos para esta reconstrução e mãos à obra! Agora, É mais Fácil organizar reuniões de pais!

45


Anexos Sugestões de dinâmicas para reunião de pais Para que as reuniões promovam efetivamente o encontro entre os pais e a escola, utilizar a dinâmica de grupo é um excelente recurso. Isso porque, para que uma reunião alcance seus objetivos, às vezes, torna-se necessário o uso de vídeos, músicas e dinâmicas diferenciadas. As dinâmicas de grupo oportunizam um elo entre o individual e o coletivo,fazendoseusparticipantespartilharemobjetivoscomuns, papéis e normas, além de despirem-se, muitas vezes,dopreconceito,oureveremparadigmas, o que os auxilia na reflexão sobre açõese na mudança de postura. As dinâmicas servem para sensibilizar, acordar, estimular, trabalhar a cooperação e confraternizar, dentre outros objetivos. Entretanto, é necessário ressaltar que existem pessoas com extremas dificuldades e que são avessas ao fato de terem de cantar, abraçar, etc. no meio do grupo. É preciso ponderar muito e já conhecer o grupo para lançar mão de certas dinâmicas.

46

Vale lembrar que, caso o coordenador da reunião não se sinta preparado para a realização de uma dinâmica, ele pode recorrer à ajudadeoutro,designando-ofacilitador.Importanteéquequemfor designado para ser o facilitador conheça a dinâmica em todas as suas fases, prepare todo o material necessário para sua realização com antecedência e, inclusive, esteja atento para perceber se o local escolhido para a reunião é apropriado para a dinâmica. Se houver necessidade, deve-se realizar a dinâmica em outro espaço


e, após sua conclusão, os participantes devem se dirigir ao espaço designado para reunião. Algumas dinâmicas são baseadas em brincadeiras de crianças, em jogos, ou podem ser encontradas em diversos livros sobre o assunto. É importante que o facilitador faça a escolha conforme o objetivo da reunião e o perfil do grupo, encha-se de muito entusiasmo, use sua criatividade e jogo de cintura, caso precise contornar algum imprevisto.Assim, terá muito sucesso!Aseguir, algumas dinâmicas adaptadas para reuniões de pais.

Dinâmica do fósforo

• Material necessário: fósforos Dinâmica: o facilitador convida os participantes a organizarem em círculo (assentados ou não). A seguir, comunica que o objetivo da dinâmica é que todos conheçam um pouco de cada participante.Explicaseufuncionamento,informandoquecadaum receberá um palito de fósforo que deverá ser aceso quando for a sua vez de falar. Assim, um a um, a começar pelo facilitador, terá a oportunidade de se apresentar enquanto o fósforo estiver aceso. A apresentação deve ser interrompida quando a chama se apagar. Após a apresentação de cada participante, sugere-se que o facilitador coloque, sobre uma mesa ou mesmo no chão, no centro do círculo, os palitos queimados e promova uma rápida reflexão sobre as diferenças individuais e o quanto a diversidade pode trazer benefícios para uma equipe.

Cantando seu nome

• Material necessário = folha de papel, caneta hidrocor e alfinetes ou clipes • Dinâmica = o facilitador explica que cada participante deverá escrever o próprio nome em uma folha de papel e prendê-la em sua roupa de modo que fique

47


bem visível. Cada um cantará o nome de seu vizinho de forma bem criativa. Assim, a começar pelo facilitador, um a um, todos cantam de uma forma diferenciada o nome do outro.

Eu sou eu...

• Material necessário = nenhum Dinâmica = o facilitador explica que todos formarão um círculo e, em um sentido horário, os participantes irão até o centro do círculo e dirão a frase: “Eu sou...”, a seguir, fazem um breve relato criativo sobre sua pessoa.

Memória fotográfica

• Material necessário = aparelho de som e cd • Dinâmica = o facilitador aguarda que todos os participantes se acomodem e, logo depois, pede que observem atentamente durante alguns minutos quem está a sua direita e a sua esquerda, pois precisarão de sua memória fotográfica, para, ao término da dinâmica, retornarem para próximo desses vizinhos. A seguir, solicita que reúnam suas bolsas e demais pertences e, ao seu comando (ou ao som de uma música), todos mudem de lugar. Após novo comando (ou ao cessar a música), devem procurar pelosvizinhosnovamente.Aseguir,numasequênciadefinidapelo facilitador, cada um fala seu nome.

Almas gêmeas 48

• Material necessário = para esta dinâmica, o facilitador precisará de objetos que possam ser divididos em metades. Podem ser: figuras geométricas, gravuras recortadas de jornais ou revistas, lápis de cor, fragmentos de músicas, brinquedos iguais e outros; e aparelho de som e cd


•Dinâmica=previamente,ofacilitadorcoloca,dentrodeduascaixas ouemsacolas,osobjetosduplos,deformaque,emcadarecipiente haja a mesma quantidade e que sejam complementares.Aseguir, forma duas colunas com os participantes e distribui os objetos de modo que, na primeira coluna, cada participante tenha um objeto que corresponderá a outro que tenha o participante da segunda coluna.Após o comando do facilitador para que se misturem e, ao som de uma música, eles caminharão pelo ambiente procurando sua outra metade. Ao final, formam um círculo e cada um da dupla falará o nome dooutro. Fica muito interessante fazeresta dinâmica utilizando fragmentos de música, pois o facilitador não colocará som, mas pedirá que, ao seu comando, todos comecem a cantar a música e busquem encontrar um ao outro dessa forma.

Como vai você?

• Material necessário = pares de fichas de cores diferentes •Dinâmica=ofacilitadordistribuiasfichaseorientaosparticipantes a procurar seu par. A seguir, comunica que cada dupla deverá se cumprimentar conforme as orientações dadas. Assim, ele irá orientando: cumprimentem-se com as mãos; cumprimentem-se usando os ombros... as costas... Agora, troquem de lugar e cumprimentem-se com os pés... com os joelhos ... e assim por diante.

Resta uma

• Material necessário = cadeiras e aparelho de som • Dinâmica = os participantes sentam-se nas cadeiras em círculo. O facilitador explica que esta dinâmica é parecida com a dança das cadeiras, mas ninguém pode sair da brincadeira; As cadeiras é que serão retiradas.Assim, ele coloca uma música e, quando ela parar, todos devem se sentar nas cadeiras, de forma que, mesmo tendoumnúmeroinferiordecadeirasemrelaçãoaosparticipantes, todos deverão sentar. A cada rodada, o número de cadeiras irá diminuindo até restar somente uma e todos se sentarem um no colo do outro.

49


Revezamento

• Material necessário = duas ou mais bolinhas (caso seja um grupo maior) de borracha com mais ou menos cinco centímetros de diâmetro, aparelho de som e cd • Dinâmica = o facilitador divide os participantes em dois grupos e solicita que formem duas (ou mais) colunas, com o mesmo número de participantes. A seguir, explica que, quando iniciar a música, o primeiro participante de cada uma das colunas, segurando a bolinha com a mão esquerda, fará o contorno do lado direito do próprio corpo começando pela cabeça até o dedão do pé e a entregará ao segundo participante que fará o mesmo e assim sucessivamente até chegar ao último. Após completarem esta fase, farão novamente o revezamento, desta vez começando do último participante. Este, segurando a bolinha com sua mão direita, fará o contorno do lado esquerdo do corpo e, assim, um a um até chegar ao primeiro. Não é objetivo desta dinâmica a competição, apenas a descontração de seus integrantes.

Balões ao alto

50

• Material necessário = balões de duas cores diferentes, aparelho de som e cd com vários ritmos de música • Dinâmica = o facilitador divide os participantes em dois grupos e entrega balões de mesma cor para um e de outra cor para o outro


grupo.Cadaparticipantedeveráencherseubalão.Aseguir,solicita que o grupo fique unido o mais próximo possível e explica que, ao som de ritmos variados, cada grupo deverá proteger seu balão, mas sem descer as mãos, que deverão ficar acima da cabeça. Ao mesmo tempo, cada grupo deve tentar estourar o balão do outro grupo com os pés. Vale lembrar que, para proteger seu balão, o participante não pode ficar segurando-o sobre a cabeça. Ao som da música, deve soltá-lo e ficar jogando-o para cima.

Vamos ao zoológico

• Material necessário = crachás, pedaços de papéis com nome de animais (deve-se repetir a mesma quantidade de papéis com nomes de animais. Ex.: dois cachorros, três jacarés... isso vai variar conforme o número de participantes). • Dinâmica = o facilitador solicita que os participantes formem um círculo com as cadeiras ou se sentem no chão. A seguir entrega o crachá e cada um com o nome de um animal, de forma que fiquem bemmisturados.Depoisexplicaque,quandoouviremaexpressão: ”Vamos ao zoológico ver o...” ela citará o nome de um animal e os participantes que tiverem em seus crachás o nome daquele animal deverão trocar de lugar. E, quando ouvirem a expressão: “Olha a bicharada!” todos devem levantar e trocar de lugar.

51


Modelos de Formulários Sugestão de formulário para elaboração de pauta para reunião (logomarca e nome da escola) Pauta da Reunião (título) Participantes Data

Local

Coordenador

Objetivos Horário início Assunto abordado

52

Horário término Responsável

Recurso utilizado

Observação


Sugestão de formulário com protocolo (logomarca) _____________, ___ de _____ de _____ Prezados pais / responsáveis, Convidamos ... Nesse encontro, refletiremos __________________________________________ (citarobjetivos).

Aparticipação de vocês é fundamental para buscarmos cada vez mais a qualidade do nosso processo de ensino/aprendizagem. Segue o cronograma das datas: Data

Horário

Turma

Local

Responsável

Início: Término:

Atenciosamente, A coordenação. ------------------------------------------------------------------------------------------------------------PROTOCOLO Favor confirmar presença até dia __/__/__, _____ feira e devolver este protocolo para ______________________________________ . Título REUNIÃO DE PAIS ________________________________

DATA: ___/___/___ Estarei presente (

)

(

) Não estarei presente

53

Aluno (a) ______________________________ Turma _____________________________ Assinatura do(a) responsável ________________________________________


Sugestão de apresentação dos resultados da avaliação (logomarca e nome da escola) SÍNTESE DA AVALIAÇÃO DA REUNIÃO.... Data: ___/___/___ ITENS AVALIADOS Em relação a ....

Você ficou .... Satisfeito Parcialmente Não Satisfeito

Adequação do dia Adequação do horário Local

10

2

(70%)

(25%)

(5%)

25

2

13

(62,5%)

(5%)

(32,5%)

-

-

-

-

40 (100%)

Sinalização

40 (100%)

Comunicação da reunião Pauta coerente com os objetivos propostos Duração suficiente para a pauta proposta Informações suficientes

Conteúdo coerente com a proposta da reunião

54

Reunião de um modo geral

Satisfeito

28

35

5

(87,5%)

(12,5%)

30

10

(75%)

(25%)

36

4

(90%)

(10%)

36

4

(90%)

(10%)

38

2

(95%)

(5%)

38

2

(95%)

(5%)

-

-

-

-

-

Comentários _________________________________________________________ ____________________________________________________________________ ____________________________________________________________________


^

Referencias ANTUNES, Celso. Manual de técnicas de dinâmica de grupo, de sensibilização e de ludopedagogia. 17. ed. Petrópolis. RJ: Vozes, 1999. BERQUÓ, E. S. A família do século XXVI, um enfoque demográfico. São Paulo. Revista brasileira de estudos de população. v. 6 – n 2. 1989. p. 1-16 . BRASIL. Lei 9.394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília: MEC, 1996. MILITÃO, Albigenor & Rose. Vitalizadores: mais de 100 opções pra você acordar o seu grupo e mantê-lo aceso. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora Ltda, 2003. OLIVEIRA, Marta Kohl de. Vygotsky. Aprendizado e desenvolvimento, um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1993. p. 98.

55



Organizar reuniões de pais