Page 1

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

16

DEZEMBRO - 2014

Mais uma opção de lazer em Peruíbe Sindicatos filiados a FETRHOTEL têm uma nova colônia de férias para oferecer aos seus associados. As novas instalaçôes tem 16 apartamentos e mais uma área de lazer com piscina, em frente a Colônia de Férias da Federação. Segundo o presidente da FETRHOTEL, Cícero Lourenço Pereira, a nova colônia vai suprir a demanda de associados durante a temporada. Antes da compra do imóvel, chegava a faltar quartos para atender os associados. A nova colônia é composta por vários chalés, estilo europeu que foram reformados e ganharam cores novas. O local tem amplo estacionamento e fica a cerca de 50 metros do restaurante da Colônia da Fetrhotel. É só atravessar a rua.

Luta contra injustiças praticadas pelo Mc Donald´s rompe fronteiras internacionais A diretoria da FETRHOTEL se reuniu com sindicalistas de outras partes do mundo, em New York, para debater os problemas enfrentados pelos trabalhadores da empresa Mc Donald´s. O resultado do encontro, realizado no início de 2014, chegou a Copa do Mundo quando sindicalistas pediram á FIFA que boicotasse a empresa durante o evento. Os sindicalistas não foram ouvidos, porém as palavras de ordem de manifestações mundiais, pelas ruas das principais cidades de diversos países não passaram despercebidas. (pg 3)

Conforto e excelente atendimento num paraíso ecológico Vitória em ação Peruíbe é uma das praias mais saudáveis do Estado de São Paulo. Tem o segundo melhor ar do mundo e a qualidade da água do mar é de ótima qualidade. A praia é tranquila e a cidade tem estrutura de um município de pequeno porte, com restaurantes, bares, centro comercial e agências bancárias. Em Peruíbe fica a Estação Ecológica Juréia Itatins, uma área montanhosa de 12.058 hectares da Mata Atlântica. A região da Serra da Juréia é um dos pontos mais preservado do litoral paulista. Devido ao alto grau de preservação em que se encontra, esta região concentra quase 40% de vegetação primitiva da área de todas as unidades de conservação do Estado. É nesse paraíso ecológico que estão localizadas a Colônias de Férias da FETRHOTEL. Um lugar charmoso onde você pode aproveitar o verão com a família, pagando bem pouco.

judicial reforça legalidade da Federação (pg 15)

Vice-presidente da FETRHOTEL, Francisco Calasans Lacerda faz analise da conjuntura política

Entidades que apostam no Garçom Cross querem tornar a competição estadual

(pgs 4 e 5)

2014 não foi fácil! Mas vencemos todas as lutas. Tanto é que chegamos até aqui para comemorar o Natal e as festas de final de ano. Desejamos á todos que 2015 seja um ano tranquilo, de muitas conquistas e com muitas comemorações de vitórias. Boas Festas, para você e sua família!

Sindicatos da Baixada Santista e de Jundiaí dicidem negociações da categoria em dissídio coletivo (pg 13)

Eventos marcaram trabalhos de entidades sindicais e da Federação no decorrer de 2014 (pg 6)

Nove entidades realizaram o tradicional Garçom Gross, este ano, algumas inovaram o evento. Sindicatos que apostam no sucesso da competição querem que a Federação realize um evento estadual. (pg 8 e 9)


Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

02

EDITORIAL

15

Em 2015, a luta continua

JURÍDICO

FETRHOTEL ganha ação na Justiça que reconhece sua legalidade

Cícero Lourenço Pereira é bacharel em Direito, presidente da FETRHOTEL e do SINTHORESSOR

R

uas tomadas por manifestantes, país mobilizado pela Copa do Mundo e eleições majoritárias. Com tudo isso parece pouco dizer que chegamos ao fim de um ano agitado e atípico. Este ano não foi fácil para o Brasil e nem para outros tantos países que tiveram de driblar guerras, violências, problemas políticos e econômicos e suportar sensações muito piores do que perder de 7 X 1 para a Alemanha. Tudo bem! Vamos esquecer isso. Não vamos falar em futebol. Vamos falar em trabalho, ou melhor, no trabalho de nossa categoria que foi aprovado por 98% dos turistas que estiveram aqui durante a Copa do Mundo. Estes trabalhadores marcaram inúmeros gols e venceram um grande desafio – o de mostrar para o mundo que temos profissionais qualificados que somos uma categoria de verdade e que fazemos a diferença. Os mais de três milhões de turistas que circularam pelas 12 cidades-sede do mundial, destacaram o atendimento e a receptividade como ponto alto da categoria, com

90% de aprovação. Se fomos responsáveis pela imagem do país no exterior, podemos afirmar, com certeza, que mostramos um belo Brasil. Para nós, sindicalistas, estes números não nos surpreenderam, porque conhecemos a força de trabalho da nossa categoria. Esses números e essa aprovação apenas reforçaram a necessidade de acirrar a luta e apertar o cerco contra os que ainda não aprenderam a respeitar o direito alheio. Para pressionar e fazer com que sejamos ouvidos, sabemos que o melhor caminho ainda é tomar conta das ruas, caminho que este ano foi descoberto por tantos brasileiros, embora nós sindicalistas fôssemos os primeiros a percorrê-lo. Muitas vezes estivemos sozinhos, e não pudemos contar com a solidariedade de tantos quantos os que ocuparam as ruas do país em 2014. Apesar dos desvios e dos excessos de alguns, vimos nessas manifestações o exercício da democracia. É claro que exercer a democracia não é somente ocupar as ruas com velhos gritos de guerra, mas a liber-

dade de poder agir dessa maneira já é um começo. E por falar em democracia, Dilma Rousseff foi reeleita numa das eleições presidenciais mais disputadas que este país já presenciou. Desejamos que a presidenta nos conceda quatro anos de desenvolvimento, crescimento e prosperidade. Bom, depois de tudo isso nada mais justo do que descansar alguns dias e nos preparar para a chegada de 2015. Não vou desejar que o próximo

ano seja tranquilo. De sindicalista para sindicalista, tranquilidade não é nossa praia e não nos leva muito longe. Preferimos a sensação de frio na barriga, efeito da adrenalina que nos envolve quando estamos na luta. Companheiros, agradeço a confiança que todos têm depositado nesta diretoria. Que em 2015 haja muita coragem e disposição para continuar defendendo os direitos desses milhares de trabalhadores que compõem nossa categoria. Feliz 2015!

EXPEDIENTE

Jornal da Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiros e Similares de São Paulo e Mato Grosso do Sul Presidente: Cícero Lourenço Pereira Vice-presidente: Francisco Calasans Lacerda Secretário geral: Antonio Carlos da Silva Filho Primeiro secretário: Luiz Parente Dias Tesoureiro geral: Isiquiel Pereira Carvalho Primeiro Tesoureiro: Valter Ventura Oliveira Diretor de Relações Sindicais: Antonio Luiz de Souza (Jandaia) Diretor Assuntos Técnicos e Assuntos Serviços: Edmilson Cavalcante de Oliveira: Diretor de Educação e Cultura: Dalcirene Bernardo Lourenço de Campos Diretor de Divulgação e Imprensa:José Arimatéa dos Santos Diretor de Patrimônio: Edimundo Alves dos Santos Diretor do Departamento Jurídico:Marcelo Batista Silva Endereço: Rua Fagundes nº 226/ 228 Liberdade - São Paulo - São Paulo - CEP 01508-030 Fone: (11) 3209-0567 - 3341-5895 Site:www.fetrhotel.com.br Jornalista responsável: Inês Ferreira (MTB) 026623 Tiragem: 3 mil exemplares

A Justiça negou um pedido de impugnação do registro da FETRHOTEL, proposto pela FECHSESP ( Federação dos Empregados no Comércio Hoteleiro e Similares de Estado de São Paulo). A sentença, que coloca fim a qualquer questionamento sobre o registro da FETRHOTEL, foi proferida, em primeira instância, numa ação que tramita na 20ª Vara, da 2ª Região da Justiça do Trabalho. “É uma vitória importante. A Justiça reconheceu a legalidade do nosso registro e ainda afirmou que estamos zelando pela observância do princípio da unicidade sindical”, afirmou o presidente da FETRHOTEL, Cícero Lourenço Pereira. A ação, com pedido de liminar, foi proposta pela FECHSESP em 13 de novembro 2009. Na ação, consta o

pedido de nulidade dos atos constitutivos da FETRHOTEL, tornando sem efeito o registro sindical e o código de inscrição concedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego. A contestação da ação foi feita pelo advogado responsável pelo Departamento Jurídico da FETRHOTEL, Antonio Gilberto de Souza. A primeira vitória da FETRHOTEL, com relação a ação, foi conseguir na Justiça, que o pedido de liminar fosse anulado. Depois de quatro anos, no último dia 13 de outubro, a sentença da ação principal foi proferida. Segundo a Justiça, “ não prospera a pretensão, não se vislumbrando qualquer irregularidade na constituição da Federação ré (FETRHOTEL) ou qualquer ofensa ao principio da unicidade sindical ''.

Mato Grosso do Sul luta pela regularização sindical

Federação é nomeada para conduzir Sindicato de Rio Preto Uma junta administrativa composta por diretores da FETRHOTEL está conduzindo o SINDHOTELEIROS (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de São José do Rio Preto). O Sindicato, que está sob intervenção, está passando por uma grande mudança. Desde fevereiro deste ano, a junta administrativa segue as determinações judiciais para que a entidade cumpra sua função e atenda as necessidades dos trabalhadores.

A junta é composta pelo presidente da FETRHOTEL Cícero Lourenço Pereira, o diretor de Relações Sindicais Antonio Luiz de Souza, o diretor do Departamento Jurídico Marcelo Batista da Silva e o advogado Antonio Gilberto de Souza. Os diretores fazem um rodízio e viajam semanalmente para São José do Rio Preto. A junta ficará na direção da entidade até que a Justiça determine a realização de eleições para escolha da nova diretoria.

A luta pela regularização de sindicatos no Mato Grosso do Sul continua. O presidente da FETRHOTEL, Cícero Lourenço Pereira tomou conhecimento de uma representação contra entidades daquele Estado, proposta pelo Ministério Público. A informação foi encaminhada para o Departamento Jurídico da Federação.Segundo informações de sindicalistas, o Ministério do Trabalho e a Procuradoria Regional estão se recusando a aceitar homologações até que as entidades se regularizem. Dos 79 municípios do Estado, apenas 13 têm sindicatos regularizados. Os sindicatos de Campo Grande, Dourados, Corumbá e Três Lagoas são filiados a federação.


Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

14

03

NACIONAL

INTERNACIONAL

Diretores da Federação protestam em New York

Política em debate As políticas nacional e sindical foram discutidas durante o Seminário Nacional sobre Questões Políticas, Sindicais, Econômicas e Sociais, realizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (CONTRATUH). O evento foi realizado, em setembro, no Dorisol Recife Grand Hotel, em Pernambuco. A FETRHOTEL foi representada no evento pelo vice-presidente Francisco Calasans Lacerda, que também faz parte da diretoria executiva da CONTRATUH e o diretor-executivo de Assuntos Sindicais Antonio Luiz de Souza (Jandaia).

O seminário foi aberto pelo higienista ocupacional Luis Sérgio Lessi, que falou sobre a ética, as políticas sociais no Brasil e o comportamento e as mudanças sociais. Ele apresentou a diferença entre moral e ética destacando que um indivíduo que age e pensa de forma ética é um ser social e coletivo, quando a moralidade trata da individualidade de cada um. Na sequência o mestre em educação, professor Erledes Elias

da Silveira, conduziu uma palestra sobre a importância da participação do movimento sindical na política geral. “Temos de discutir a política porque entendemos que esse é um dos compromissos que o movimento sindical tem que ter em mente. Não dá pra fazer um movimento sindical sem política. Isso tem de ser discutido sempre e não apenas em época de eleição. As transformações e as mudanças só vão acontecer por meio das leis, e as leis são feitas pelos parlamentares, pela política. Nós precisamos estar inseridos nesse processo”, afirmou.

Para o presidente da CONTRATUH, Moacyr Roberto Tesch Auersvald, foi uma realização ver um auditório repleto de pessoas interessadas em aprender e tomar uma decisão consciente nas próximas eleições. No último dia do evento a diretoria da entidade apresentou um documento que foi encaminhado aos candidatos aos poderes Executivo e Legislativo com as reivindicações da categoria.

Mc Donald’s é alvo de denúncias e trabalhadores americanos vão para a Times Square protestar e cobrar mudanças

Sindicatos dizem sim ao plebiscito

Sindicatos filiados a FETRHOTEL participaram da primeira etapa para realização do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político.Entre os dias 1º e 7 de setembro as entidades foram as ruas colher “sim” para convocação da consulta. Segundo a CUT (Central Única dos Trabalhadores) mais de 7,5 milhões de brasileiros disseram “sim” à convocação. A segunda fase da mobilização foi em Brasilia, nos dias 14 e 15 de outubro, quando a CUT e os parceiros que integram a campanha apresentaram a presidenta Dilma Rousseff,

entre outras autoridades, o resultado do plebiscito. A realização do plebiscito foi debatida no mês de novembro em audiências públicas nas assembleias legislativas e câmaras municipais. O objetivo de toda essa mobilização é fazer com que o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 1508/2014, seja aprovado na Câmara. Uma das promessas da presidenta Dilma, ao vencer as eleições foi lutar pela realização do plebiscito, que tem o prazo de até dois anos para a convocação, após a aprovação do projeto.

A luta pelos direitos dos trabalhadores do Mc Donald’s uniu dirigentes sindicais brasileiros e de outros países, no início deste ano, na cidade de New York, Estados Unidos. Diretores da FETRHOTEL (Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares de São Paulo e Mato Grosso do Sul) engrossaram o coro dos trabalhadores descontentes em todo o mundo e participaram, na cidade americana, de um manifesto muito parecido com os que ocorrem no Brasil. Na Times Square, principal avenida de New York, o grito dos trabalhadores "Workers united will never be defeated", demonstrou que em qualquer lugar do mundo funcionários do Mc Donald’s têm problemas semelhantes e usam o mesmo grito de guerra para reivindicar seus direitos – “trabalhadores unidos jamais serão vencidos”. Cícero Lourenço Pereira, presidente da Fetrhotel participou do manifesto e também integrou os debates na 1ª Conferência Internacional do Setor de Fast Food. “No Brasil ou na América do Norte os funcionários do Mc Donald’s são tratados de maneira semelhante. Aqui, as empresa exploram mão de obra de jovens que estão iniciando no mercado de trabalho. Nos EUA, eles exploram chineses, negros e latinos, que são obrigados a trabalhar mais de 35 horas semanais para ganhar salários que não cobrem suas

despesas pessoais", afirmou Cícero. Durante a conferência, trabalhadores de empresas Mc Donald’s denunciaram que são tratados quase que como escravos. Segundo eles, a rede obriga os trabalhadores a exercerem a jornada móvel e variável - quando a empresa não delimita o horário e a duração do expediente de trabalho dos empregados. Assim o trabalhador não tem uma carga horária diária fixa, ficando à disposição da necessidade da empresa. Os trabalhadores também afirmaram que moram em alojamentos sem calefação e longe do trabalho, ganham cerca de $ 1.105 dólares por mês, valor que, dá apenas para pagar o aluguel de um cubículo. As despesas mensais dos trabalhadores chegam a $ 1.260. Desse total ainda é descontado $ 20 para o seguro saúde (lá não existe saúde gratuita), que não é suficiente para cobertura médica. "Constatamos que os trabalhadores do Mc Donald’s, no Brasil, tem alguns avanços em relação aos dos EUA, como o fim da jornada variável (conquista do SINTHORESSOR de Sorocaba) e também a obrigatoriedade da empresa oferecer refeição brasileira. Lá, os trabalhadores são obrigados a comer hambúrguer e batata frita todos os dias", disse Cícero. Os sindicalistas que estiveram na conferência, ao retornar para o Brasil participaram de um dia mundial con-

tra os descasos do Mc Donald’s. Na ocasião, sindicalistas e trabalhadores tentaram chamar á atenção

da empresa Arcos Dourados, proprietária da franquia latino americana do Mc Donald´s.

Mc Donald´s FETRHOTEL foi denunciado participou de durante a Copa pacto na Copa do Mundo do Mundo A mobilização contra o Mc Donald’s chegou a Copa do Mundo, realizada no Brasil, este ano. Sindicalistas, filiados a UITA (União Internacional dos Trabalhadores da Alimentação e Agricultura), entre eles diretores da FETRHOTEL chegaram a entregar uma carta ao presidente da FIFA, Joseph Blatter, pedindo a exclusão da McDonald’s como patrocinadora da Copa do Mundo 2014. A FIFA não respondeu a carta dos sindicalistas e não atendeu a reivindicação. Mesmo assim, a ação dos sindicalistas foi válida porque denunciou internacionalmente as práticas do Mc Donalds. Na carta, os sindicalistas acusaram a transnacional de explorar os trabalhadores e acusaram a empresa “pela escassa salubridade de muitos dos alimentos do seu cardápio e, também, por explorar, maltratar e discriminar trabalhadores e trabalhadoras”.

O presidente da FETRHOTEL, Cícero Lourenço Pereira participou da assinatura do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 – Setor Turismo e Hospitalidade e o Compromisso Nacional pelo Emprego e Trabalho Decente, ocorrida este ano. A solenidade foi realizada no Palácio do Planalto, em maio. A iniciativa foi ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias e contou com a presença da presidente Dilma Rousseff. O evento teve a veiculação nacional do slogan: “Gente Decente respeita o Trabalho Decente”. A campanha foi construída baseada em quatro pilares: princípios e direitos; proteção social; trabalho e emprego; e diálogo social. A expectativa era de que esses princípios prevalecessem após a Copa.


Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

04

13

CONJUNTURA POLÍTICA

Ações do PT não foram suficientes para acabar com a desigualdade salarial O sindicalista Francisco Calasans Lacerda faz uma analise da atual conjuntura política e do movimento sindical. Calasans é advogado, vice-presidente da FETRHOTEL e presidente do SINTHORESP. Por : Inês Ferreira "Não há divisão no Brasil. Há divisão de opiniões com relação ao governo. A oposição está forte. Pode ser que algumas coisas que não aconteceram venham acontecer". Assim começa a analise da atual conjuntura política feita pelo vice-presidente da FETRHOTEL (Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares de São Paulo e Mato Grosso do Sul ) e presidente do SINTHORESP (Sindicato dos Trabalhadores Hoteleiros de São Paulo), Francisco Calasans Lacerda. Detalhista e muito critico em relação ao governo petista, Calasans disse não acreditar no modelo atual de democracia. Para ele, "a democracia é outra coisa", um regime político bem diferente desse que o Brasil está vivenciando. Apesar das duras criticas ao PT (Partido dos Trabalhadores), Calasans previu mudanças que podem melhorar a situação dos trabalhadores. Entre elas, a extinção do Fator Previdenciário. A esse respeito, o sindicalista, que preside um dos maiores sindicatos da América Latina, lembrou que o senador Paulo Paim (PT), lutou para aprovar, no Congresso Nacional, a lei que o extinguia o Fator Previdenciário, porém a lei acabou sendo vetada pelo presidente Lula. É justamente aqui que começaram

as criticas ao ex-presidente petista. Calasans se referiu a Lula e a outros políticos com intimidade. Isto porque há décadas ele participa das lutas no movimento sindical e está há muitos anos no caminho que o levou a ocupar a vice-presidência da segunda maior central sindical do país - a Força Sindical. "Fica difícil entender. O movimento sindical lutou por mudanças e melhorias para classe trabalhadora e elegeu um sindicalista como presidente da República. Pela lógica, tudo deveria estar voltado aos interesses do trabalhadores. No caso do Fator Previdenciário, por exemplo, se isso interessa aos trabalhadores o governo, o presidente que os trabalhadores elegeram não deveria vetar sua extinção", defendeu o sindicalista. Para Calasans essas e outras atitudes dificultam o entendimento do comportamento de políticos e de centrais sindicais em relação ao movimento sindical.

A CUT (Central Única dos Trabalhadores), que para ele sempre foi "aguerrida" ao se transformar "em governo" passou a aceitar tudo como razoável. Por outro lado, a Força Sindical comete deslizes graves - como a abertura de um sindicato para defender uma empresa multinacional. (Leia denúncia na página 5) Além disso, o sindicalista reforçou que as ações do governo Lula, ou do PT, para melhorar a vida da classe trabalhadora, não foram suficientes para acabar com a desigualdade salarial. Embora reconheça que o governo Lula tenha usado mecanismos para melhorar o poder aquisitivo e o salário mínimo, Calasans defendeu que isso ainda é pouco e está muito distante do que a Constituição Federal sugere. "É preciso que a evolução do salário mínimo seja mais significativa e que se estabeleça uma redução na diferença entre o menor e o maior

salário do país. Tem que haver salários diferenciados porque as pessoas não são iguais. Essa coisa de todos são iguais perante a lei é um tratamento isonômico que tem que haver, mas existem pessoas qualificadas, que se esforçaram mais e por isso tem que ganhar mais, porque dão mais ao país do que outras", afirmou ele. Calazans reforçou seu argumento declarando: "Não pode haver diferenças tão grande a ponto de um trabalhador ser miserável. Quem trabalha não pode ser miserável". Segundo ele, é preciso que exista um atitude salarial mais eficaz, mais eficiente que atenda com maior rapidez o conceito que a Constituição Federal impôs. Salários que dê para manter o trabalhador e sua família com dignidade, com moradia, com alimentação adequada, com saúde e educação”, concluiu o sindicalista. a

CAMPANHA SALARIAL

Intransigência de patrões leva Sindicatos de Santos e Jundiaí a propor dissídio coletivo

A diretoria do SINTHORESS (Sindicato dos Trabalhadores em Comércio Hoteleiro, Bares Restaurantes e Similares de Santos , Baixada Santista, Litoral Sul e Vale do Ribeira) decidiu ajuizar o Dissídio Coletivo da categoria. Segundo o presidente do Sindicato, Edmilson Cavalcante de Oliveira, a pauta de reivindicação da categoria será levada ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho) que deverá marcar audiência para resolver o impasse com o patronal. O presidente explicou que as reuniões de negociação com o patronal começaram em junho, muito antes da data base da categoria, que é agosto. Porém, depois de várias rodadas de negociações, que sempre remetiam para uma reunião posterior com a promessa de resposta dos patrões às propostas dos empregados, não houve avanço nas negociações. Conforme o presidente, as reuniões foram frustrantes. Restou apenas mais uma tentativa, que ocorreu numa mesa de negociação com a Gerência Regional do Trabalho de Santos, no último dia 10 de novembro. A reunião contou com a presença da Gerente Regional Rosângela Mendes Ribeiro Silva. "Mesmo nessa mesa redonda não houve acordo. Assim, a campanha salarial de 2014, dos trabalhadores em comércio hoteleiro, restaurantes, bares e similares vai para o TRT, em São Paulo. Foi expedida uma ata da reunião noticiando que a negociação foi infrutífera e agora deverá ser ajuizado o Dissídio Coletivo", afirmou o presidente. Segundo ele,desde o começo das negociações o posicionamento do sindicato patronal causou estranheza. O sindicato patronal chegou a

contratar um negociador profissional, de Brasília, ligado à confederação dos patrões para participar das negociações. Além disso, sistematicamente o patronal se negou a negociar os itens da pauta de reivindicações, oferecendo proposta de aumento salarial bem abaixo do que vinha sendo praticado nas campanhas salariais. O patronal também apresentou propostas consideradas absurdas, como a implantação de banco de horas (o que não é previsto na Convenção Coletiva atual), e a aplicação de tabela de projeção de taxa de serviço. "Tudo isso deixou claro que o ânimo do sindicato dos patrões era desrespeitar os trabalhadores e sua disposição era ir para o confronto judicial", afirmou. Por isso, segundo o presidente, nos próximos dias o sindicato deve ajuizar o dissídio coletivo. Enquanto o dissídio não for julgado a Convenção Coletiva permanece em vigência. O presidente alertou os trabalhadores que, como o reajuste que será decidido pela sentença do TRT será protelado, haverá uma diferença salarial entre o que era pago em julho passado e o que deveria ser pago a partir de agosto, data base da categoria. Essa diferença deverá ser paga de uma só vez pelos patrões. Nos próximos dias, os diretores do sindicato estarão distribuindo jornal aos trabalhadores nas 23 cidades que compõem a base territorial e a categoria. Também será decidido o tipo de mobilização que será feita para sensibilizar a sociedade com relação as reivindicações salariais da categoria e que envolve cerca de 20 mil trabalhadores de Bertioga até a fronteira com o Paraná.

Sindicato de Jundiaí propõe dissidio e conquista 8% de reajuste

Depois de ingressar com dissídio coletivo o Sindicato dos Trabalhadores Hoteleiros de Jundiaí (SINTHOJUR) conquistou 8% de reajuste salarial elevando o piso da categoria para R$ 1.130,00. O índice de reajuste foi considerado uma vitória pela presidente do Sindicato Renata Magalhães. Segundo ela, foram dias difíceis de negociações. "Depois de cinco meses de reuniões, encontros e mesas redondas, finalmente os empresários perceberam que o Sindicato não estava pedidindo nada além daquilo que é justo", afirmou. O Sindicato ainda comemorou a manutenção das cláusulas sociais garantidas em convenções passa-

das. Apesar dos bons números, a presidente diz que nem tudo "foram flores na hora de negociar". Segundo ela, a pauta de reivindicações foi entregue no mês de maio e foi necessário esperar por longos quatro meses por um posicionamento do setor patronal. “É lamentável ter de dizer isso, mas os empresários não se preocuparam em resolver rapidamente a situação e o SINTHOJUR, teve sim que ingressar com dissídio coletivo junto ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 15ª região para defender os direitos dos trabalhadores. Infelizmente, as negociações chegaram neste ponto, pois sabemos que os empresários do ramo hoteleiro têm condições de conceder aumento digno aos seus trabalhadores”, afirmou. A presidente também falou que os empresários “só lembram dos prejuízos, mas nunca mencionam os lucros obtidos durante o ano. Só pensam neles, se esquecendo que sem os trabalhadores eles não seriam ninguém”.


Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

12

05

REUNIÕES

Sindicalistas discutem a possibilidade de realizar Garçom Cross Estadual Diretores de sindicatos filiados a FETRHOTEL debateram a possibilidade de realizar uma competição estadual do Garçom Cross. Esse foi um dos itens da pauta de reunião dos sindicalistas com a diretoria da Federação, que ocorreu em setembro, no auditório do SINTHORESP, em São Paulo. A reunião foi dirigida pelo presidente da entidade, Cícero Lourenço Pereira. A organização de um evento estadual que agregue todos os trabalhadores do setor foi bem recebida pela maioria dos sindicalistas, mas ainda não houve um consenso. Alguns sindicalistas defenderam que o evento também deve buscar a participação de outros trabalhadores do setor, não ficando restrito a garçons e garçonetes. Os dirigentes sindicais aproveitaram o momento para falar sobre o Garçom Cross de 2014, realizados pelas entidades que presidem e as inovações que cada um tem feito no evento para atrair a participação dos trabalhadores. Presidentes de sindicatos, que trocaram a realização do Garçom Cross por competições esportivas, falaram sobre o sucesso que essas competições tem feito entre os trabalhadores.

Ministério Público O ponto alto dos debates da reuião, de setembro, foi o relacionamento das entidades com o Ministério Público do Trabalho e Emprego. Na ocasião, o presidente da FETRHOTEL falou sobre as exigências que tem sido feita aos sindicatos pelo MPT e descreveu o quem tem sido discutido nas reuniões entre o MPT e a federação, em Brasília. Na reunião também foram ressaltadas as dificuldades nas negociações com a patronal, durante a Campanha Salarial de 2014. Segundo o presidente da FETRHOTEL, o setor está vivendo uma situação inédita de pleno emprego e

está faltando mão-de-obra no setor. No entanto, empresários se recusam a melhorar as condições de emprego e os salários dos trabalhadores. “O movimento sindical está apático. As negociações estão cada vez mais complicadas. A categoria está crescendo e estamos vivendo o pleno emprego, mas os patrões continuam não valorizando a categoria e tratando como se fosse uma categoria de subemprego. As negociações dos Acordos Coletivos são também momentos de luta e pressão. Sabemos que por sermos uma categoria pulverizada a luta é mais difícil, mas temos que lutar e fazer pressão”, concluiu o presidente.

Nova forma de cobrança sindical é apresentada em reunião da diretoria, em Peruíbe

A diretoria executiva da FETRHOTELse reuniu no dia 11 de maio, em Peruíbe, para assistir a apresentação do projeto de cobrança sindical Arrecada Mais. O projeto tem o objetivo de aumentar a arrecadação dos sindicatos por meio de cobranças de empresas inadimplentes. No Arrecada Mais a captação de empresas é feita com ferramentas que realizam pesquisas junto a órgãos públicos. Também é feita a inclusão, cobrança extrajudicial e negociações. Após a apresentação, a diretoria executiva se reuniu para discutir assuntos relacionados a categoria.

CONJUNTURA POLÍTICA

Avanços para o setor em debate

Sindicalistas do setor hoteleiro filiados a CONTRACS (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços) participaram, no mês de maio, em Porto Seguro, dos debates sobre os avanços conquistados para o setor hoteleiro. O evento foi aberto pela palestra de José Lopes Feijó, assessor especial da secretaria geral da Presidência da República. Feijó apresentou as comissões o Termo de Compromisso Nacional e a Campanha Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescente. Participaram do evento: o presidente da FETRHOTEL, Cícero Lourenço Pereira e os diretores Antonio Carlos da Silva Filho, Edmilson Cavalcante, Renata Magalhães, Dalcirene Bernardo de Campos, José de Arimatéa, Luiz Apolinário, Antônio Arlindo da Silva .

Acesse os canais de comunicação da FETRHOTEL e dê a sua sugestão para melhorarmos nosso trabalho

www.fetrhotel.com.br

fetrhotel@gmail.com

“Estamos numa situação em que uma democracia que, segundo a definição antiga, é o governo do povo, para o povo,nessa democracia precisamente está ausente o povo.” (José Saramago)

Força Sindical criou sindicato para beneficiar multinacional Após o governo Lula o sindicalismo se acomodou e ficou desmotivado. Essa acomodação gerou um efeito psicológico de desestímulo, originado pela frustração do trabalhador por ter acreditado num sindicalista, do qual esperavam uma grande mudança. A afirmação é do sindicalista Francisco Calasans. Segundo ele, isso refletiu também nas entidades sindicais, que ficaram desmotivadas. "Quando o Lula foi eleito pensamos: - Elegemos um companheiro, agora nós vamos mudar. No entanto, a CUT que era mais aguerrida mudou o discurso, porque passou a ser governo, e ainda convenceu as demais correntes da organização a ficarem inibidas", declarou. Segundo o sindicalista, desestimulados os trabalhadores passaram a não acreditar nos sindicatos. Agora, para mudar esse quadro é preciso aperfeiçoar a relação capital x trabalho e acabar com as incoerências no mundo sindical. Ao falar mais uma vez sobre "incoerências" , o sindicalista usa como exemplo uma denúncia contra a Força Sindical e uma das maiores multinacionais de fast food do mundo que atua no Brasil. "Uma empresa multinacional chega ao Brasil e esbarra numa legislação um tanto rígida que é a CLT. A proposta que ela tem é a chamada jornada variável, mas ela não consegue estabelecer essa jornada e pagar com base nela porque a

nossa legislação diz que o trabalhador enquanto aguarda a ordem para entrar em serviço deve receber. Nossa legislação é correta porque não permite que o trabalhador fique jogado ou trabalhe só na hora que tem muito movimento e receba com base nas horas que trabalhou, ou seja, não permite que o trabalhador seja usado pelo patrão só nos momentos de extrema necessidade", disse Calasans. Segundo ele, essa empresa de alimentação encontrou respaldo na Força Sindical, que criou um Sindicato a pedido da empresa. "Isso mesmo. A empresa criou um sindicato e esse sindicato é filiado a Força Sindical. Por mais que se denuncie dentro da Força Sindical nada é feito a respeito. Eu denunciei e falei várias com o Paulinho (da Força) quando ele era presidente da Central mas não adiantou nada. Isso é uma das incoerências do movimento sindical. São líderes sindicais brasileiros que estão a serviço de multinacionais e não dos trabalhadores", denunciou o sindicalista. O outro lado Foi enviado e-mail para a assessoria de imprensa da Força Sindical, solicitando resposta a denúncia.Porém até o fechamento desta edição do jornal, a Força Sindical não respondeu.

charge do sblogo - http://www.professorgranjeiro.com.br

Nem PT, nem PSDB, mas sim a verdadeira democracia O PT não avançou em conquistas para os trabalhadores. Por outro lado, se Aécio Neves (PSDB) ganhasse as eleições presidenciais também não haveria grandes avanços. Esse é o pensamento do sindicalista Francisco Calasans Lacerda, que também afirmou que não acredita em grandes mudanças para a classe trabalhadora neste governo de Dilma Rousseff. "Tem sido difícil. Quando o movimento sindical sonhou com um sindicalista presidente da República evidentemente não sonhou com um presidente que propiciasse o maior lucro aos bancos e a classe empresarial, em detrimento da classe trabalhadora. Isso aconteceu num governo de um operário, de um trabalhador. Ai fica a dúvida. Então não estaria ele a serviço dos trabalhadores?", questionou. Calasans dá continuidade ao seu discurso afirmando que o cenário político brasileiro é cheio de incoerências. Ele cita como exemplo o comportamento do deputado federal Vicentinho (PT). "O movimento sindical queria, em certa época, que o salário fosse de R$ 580,00. A presidente Dilma queria R$ 545,00. A proposta deveria ser aprovada no Congresso Nacional e o relator do projeto era o deputado Vicentinho, ex- presidente da CUT, do PT, e eleito pelos trabalhadores. Porém, o deputa-

do defendeu os R$ 545,00 que era a proposta do governo", relembra Calasans. Para ele isso é um dos exemplos do que ocorreu quando um sindicalista deixou de ser sindicalista e passou a ser governo. As incoerências apontadas por ele também esbarram no partido de oposição ao regime atual, o PSDB. "Se fosse Aécio Neves isso não mudaria. O PSDB também criou muita dificuldade para a classe trabalhadora. O governo Fernando Henrique é criticado, e com razão, por ter criado o Fator Previdenciário, que é uma forma de o Estado, injustamente, reduzir o direito de quem se aposenta. Entre o cidadão e o Estado existe um pacto. O cidadão diz eu pago e quando eu for me aposentar você me paga. Tá certo assim?. Tá.Chega na hora reduz o pagamento. Então o PT, a CUT vetou uma lei que exterminaria com o Fator Previdenciário. Isso é incoerente", explicou Calasans. Segundo ele, falta um novo líder que defenda a classe trabalhadora e isso deixa os trabalhadores desamparados, coibi a evolução da Justiça social e reflete no valor do salário mínimo. " A Constituição Federal de 1998 e CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) de 1943 sugerem um salário que dignifique o trabalhador brasileiro. Mas isso não aconteceu", concluiiu p


Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

06

11

Águas de Lindóia

EVENTOS

Brincando na Praça chega ao 9º ano No dia 12 de outubro o SINTHORESCA (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Bares e Restaurantes de Águas de Lindóia e Região) realizou a nona edição do “Brincando na Praça”, evento realizado pelo Sindicato com o apoio dos trabalhadores da categoria, comunidade, comerciantes e empresários. O evento faz parte do calendário oficial do município e desde a primeira edição é realizado na “Praça do Forró”. Segundo o presidente do SINTHORESCA, Antonio Carlos da Silva Filho, a ideia inicial foi levar lazer e diversão para as famílias dos trabalhadores que estão nos bairros, por isso a escolha da “Praça do Forró” no Bairro Bela Vista.

Ourinhos

Festa de Confraternização prá lá de amimada, em Ourinhos

Mais uma vez o almoço de Confraternização dos Trabalhadores Hoteleiros realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores Hoteleiros e Similares de Ourinhos e Região foi um sucesso. A edição da festa de 2014 foi realizada na Colônia de Férias dos Trabalhadores Hoteleiros, em Salto Grande, no dia 31 de agosto. Segundo a presidente do Sin-

SAÚDE BUCAL

dicato, Dalcirene Bernardo de Campos a festa foi maravilhosa e foram distribuídos inúmeros prêmios para trabalhadores. “Fizemos questão de presentear o trabalhador com prêmios de qualidade, como aparelhos de televisão de 43 polegadas, tablets de última geração, microondas, grills e churrasqueiras elétricas”, disse a presidente.

O Brincando na Praça cresce a cada edição. Em 2014 repetiu o feito, desta vez com mais atrações, brindes e prêmios. As crianças ganharam sorvetes, pipoca e algodão doce e houve a distribuição de sucos doados por uma empresa local. Elas também participaram das gincanas, ganharam brinquedos e concorreram ao sorteio de seis bicicletas. “Nossa obrigação legal como Sindicato é garantir os direitos dos trabalhadores e nisso estamos sempre alertas e empenhados. Também temos responsabilidade social e a abraçamos com estes eventos. Esse é nosso compromisso.Além do mais, o sorriso no rosto das crianças vale o esforço”, afirmou o presidente.

Sorocaba

Festa da Criança leva alegria e presentes para filhos de associados

Alegria, presentes e guloseimas. Estes foram os principais ingredientes da Festa da Criança, realizada no dia 12 de outubro pelo SINTHORESSOR (Sindicato dos trabalhadores de Hotéis Bares, Restaurantes e Similares de Sorocaba). Junto com a festa, o Sindicato realizou a assembleia para votação da Convenção Coletiva de Trabalho. Mais de 200 crianças receberam presentes das mãos dos diretores do Sindicato.Também foram sorteadas quatro bicicletas. As crianças foram homenageadas no Clube de Campo do Sindicato

onde foram instalados brinquedos e colocados a disposição da garotada. Os adultos não ficaram de fora da festa. Eles participaram de sorteios de vários primeiros, entre eles eletrodomésticos e aparelhos de TV. Antes da entrega dos presentes, os associados aprovaram, por unanimidade, a Convenção Coletiva de Trabalho de 2014. “É um prazer ter a oportunidade de fazer essas crianças um pouco mais felizes. Também ficamos satisfeitos com a participação da categoria na aprovação da Convenção Coletiva”, disse o presidente do SINTHORESSOR Cícero Lourenço Pereira.

Sindicato de Campinas entrega consultório odontológico moderno para trabalhadores

Trabalhadores de Campinas e região ganharam uma clinica moderna para tratamento odontológico. A clinica ocupa o 4º andar do Edifício José Kauffmann, localizado na Avenida Francisco Glicério, bem no coração de Campinas. Ciente de que a principal ferramenta de trabalho dos profissionais da categoria é o sorriso, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Hoteleiros de Campinas, Orides Rodrigues de Sousa informou que a nova clínica odontológica oferece avaliação, orientação bucal, restauração, tratamento de canal, limpeza, extração, retratamento de canal, periodontia, extração do siso e pediatria e em determinados casos até a liberação de próteses dentárias, tudo de graça. A dentista chefe Cristina Leite coordena seis profissionais, entre eles, dois odontopediatras, que

prestam atendimento aos associados do Sindicato. Outras conquistas A entrega da clinica se deve ao trabalho do presidente Orides Rodrigues, que também tem investido em projetos de lazer e esporte para a categoria. Recentemente o Sindicato também adquiriu uma colônia de férias em Ubatuba a qual está passando por reformas. Também foi ampliado o Clube de Campo de Valinhos. Além disso, o Departamento Jurídico que conta com 21 advogados, agora está sob a coordenação do advogado chefe Silvio Carlos de Andrade Maria.

Presidente Prudente elege as mais belas da categoria

Trabalhadores de Aparecida recebem Papai-Noel

Beleza, elegância e simpatia fizeram parte do concurso para escolha das princesas e misses de 2014, do setor hoteleiro de Presidente Prudente. A tradicional festa realizada pelo Sindicato reuniu trabalhadores e chamou a atenção da cidade numa festa impecável. O primeiro lugar do concurso de Miss Hoteleira foi conquistado por Georgia Neves Pereira de Santos, 26 anos, recepcionista da empresa Terra Parki Eco Resort. Também foram eleitas a Princesas do Setor Hoteleiro, cujos os primeiro e segundo lugares foram conquistados por Bárbara Aline de Souza Araujo e Isabella Belarmino Burani, respectivamente.

O SECHSAR (Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro e Similares de Aparecida e Região) organizou uma festa especial para saudar a chegada do "Bom Velhinho" e envolver os trabalhadores no clima de Natal. Segundo o presidente do Sindicato, Luiz Carlos Apolinário, para os trabalhadores o Papai-Noel chegou mais cedo, dia 12 de dezembro. A saudação ao Papai-Noel foi feita no Clube de Campo Roseira, que fica na Rodovia Washington Luis. Em clima de festa, os trabalhadores e suas famílias participaram de brincadeiras e de um delicioso almoço com sorteio de prêmios e distribuição de presentes.

Na foto a esquerda, no centro, o presidente do Sindicato de Campinas Orides Rodrigues de Sousa durante visita a clinica odontológica. Na foto a direita, o novo consultório odontológico.

Serra Negra esteve no lançamento de calendário anti-racismo da CUT

O presidente do SECHSSN (Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Restaurantes, Bares e Similares de Serra Negra), José Benedito Baquiega Cozano participou da abertura do mês de Consciência Negra, realizado no dia 29 de outubro, em Campinas, pela CUT (Central Única dos Trabalhadores). No evento, realizado pelo Coletivo de Combate ao Racismo foi lançado o Calendário de Mesa para 2015. O Coletivo que tem por finalidade desenvolver e fortalecer políticas junto ao movimento negro e assegurar o

debate e as ações ligadas às questões étnico-raciais voltadas à classe trabalhadora, completou 14 anos em novembro. "Todos os dias em nosso país há diversos casos de racismo e discriminação, às vezes velados e outros amplamente expostos nas redes sociais, na televisão, nos campos de futebol, nas ruas, no comercio, nas escolas, no trabalho, e etc.", disse o presidente. Segundo ele, a atividade desenvolvida pela CUT é de extrema importância para acabar com a desigualdade racial no Brasil.


Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

Federação Interestadual dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e Similares dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul

08

09

GARÇOM CROSS 2014 BARRETOS

Corrida que surgiu na França se tornou tradição nos sindicatos paulista

O SINTHORESBAR (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Barretos e Região) decidiu inovar. Este ano os competidores participaram do evento usando um chapéu. Segundo o presidente do SINTHORESBAR, Ivair José de Oliveira, o chapéu foi usado para integrar o Garçom Cross a característica country da cidade, conhecida como a cidade do rodeio. Em Barretos o evento também tem o nome diferente do restante do Estado, chama-se Corrida do Garçom Country de Barretos e Região. Realizada no dia 04 de agosto, a corrida contou com a participação de 80 competidores.

A tradicional corrida de garçons surgiu na França, por volta de 1918. Mas é aqui no Brasil, e por meio de entidades sindicais, que a corrida foi incorporada aos calendários de atividades de trabalhadores de bares e restaurantes e também aos de muitos municípios paulistas. Realizada no mês de agosto, o evento se aprimora a cada ano. Presidentes de sindicatos filiados a FETRHOTEL, que realizaram o evento em 2014, ficaram tão satisfeitos com os resultados que querem transformar a corrida numa competição estadual.

RIBEIRÃO PRETO

SANTO ANDRÉ

ARARAQUARA

VOTUPORANGA

SOROCABA

A realização do Garçom Cross de Ribeirão Preto ocorreu no dia 11 de agosto. O evento contou com a participação 45 competidores, que chamaram a atenção da população durante as competições. No mesmo dia, o Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Ribeirão Preto realizou a Festa do Trabalhador Hoteleiro que contou com a participação de mais de 1.500 trabalhadores. O presidente do Sindicato, Paulinho karatê, disse que a realização da festa é a prova de que a entidade está sempre buscando a valorização dos trabalhadores no mercado de trabalho e dentro da sociedade.

Dez trabalhadores foram premiados na Corrida do Garçom de 2014, realizada pelo SINTSHOGASTRO (Sindicato dos Trabalhadores no Comércio e Serviços em Geral de Hospedagem Gastronomia, Alimentos Preparados e Bebidas a Varejo de Santo André). A corrida foi realizada no dia 11 de agosto, na Praça do Carmo. Segundo o presidente do Sindicato, Valter Ventura a corrida foi extremamente organizada. “Foi uma bela festa e todos sairam satisfeitos com a premiação”, afirmou o presidente. Na categoria masculina o vencedor foi Moacir Vanderlei Grasel. Na categoria feminina a 1º colocada foi Dayse Lizziane Alves.

Bicicletas, estadia na Colônia de Férias, tanquinho, fogão e R$ 2.000,00 em dinheiro. Estes foram os principais prêmios oferecidos aos competidores do Garçom Cross do SINTHORESSARA (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis Bares, Restaurantes e Similares de Araraquara). O evento foi prestigiado por políticos e sindicalistas. Segundo o presidente do SINTHORESSARA, Iziquiel Pereira Carvalho, a competição foi um sucesso e promoveu a interação da população com os trabalhadores. O vencedor da competição na categoria masculina foi Luciano Pires. Na categoria feminina, o primeiro lugar foi conquistado por Maria Aparecida Budin.

O XX Garçom e Garçonete Cross de Votuporanga foi realizado no dia de 25 agosto, pelo Sindicato dos Trabalhadores Hoteleiros de Votuporanga. Segundo o presidente do Sindicato Celso Antonio Teruel o evento já faz parte do calendário municipal porque coincide com o mês do aniversário da cidade. “Ficamos muito felizes com a realização de mais um Garçom e Garçonete Cross. Além de ser uma forma de aproximação dos profissionais também tem o intuito de valorizar, incentivar a categoria e celebrar o Dia do Garçom, afirmou o presidente. No dia 11 de agosto o Sindicato promoveu a 16ª Festa do Garçom de Santa Fé do Sul, onde fica a subsede da entidade.

O SINTHORESSOR (Sindicato dos Trabalhadores de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Sorocaba e Região) realizou três competições do Garçom Cross, no mês de agosto. Segundo o presidente do Sindicato, Cícero Lourenço Pereira, todos os eventos foram um sucesso. A primeira competição foi em Sorocaba, no dia 11 de agosto, com a participação de 43 garçons e 9 garçonetes. No dia 18 de agosto foi realizado o Garçom Cross de Botucatu onde o destaque foi a participação feminina. Dos 23 inscritos na competição, 10 eram mulheres. A última edição do Garçom Cross foi realizada em Avaré, no dia 25 de agosto. O evento contou com a participação de 30 trabalhadores.

SÃO CARLOS

Foi acirrada a disputa pelos prêmios em dinheiro, oferecidos pelo SINTSHOGASTRO, durante o Garçom Cross, realizado no dia 4 de agosto, em São Carlos. Participaram da competição 30 homens e 12 mulheres.O evento foi prestigiado pelo diretor de Assuntos Sindicais da FETRHOTEL, Antonio Luiz de Souza, o Jandaia, e o prefeito de São Carlos Paulo Altomani. Este ano o Sindicato inovou. A contagem do tempo do percurso foi feita por cronômetros digitais, e a animação pelos locutores Sombra e Edson Nunes Sobrinho, este último também é o organizador do evento. O presidente do Sindicato Manuel Simões Pires aifrmou que ficou satisfeito com os resultados.

CAMPOS DO JORDÃO

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Gente bonita, muito frio e muitos prêmios. Tudo isso chamou a atenção da população e da imprensa de Campos de Jordão, no dia 11 de agosto, quando foi realizada a 12ª Corrida Recreativa dos Garçons e Garçonetes. Segundo o presidente do SECHOTEL (Sindicato dos Trabalhadores Hoteleiros de Campos de Jordão) Antonio Arlindo da Silva, nos últimos anos houve um crescimento marcante na participação de trabalhadores no Garçom Cross, em relação às edições anteriores. “Quando começamos eram apenas 17 inscritos, este ano foram 140 inscrições. O mais interessante é que desse total, 40% são mulheres”, disse o presidente.

O SINTHOTÉIS (Sindicato dos Trabalhadores no Comércio Hoteleiro e de Similares de São José dos Campos e Região) realizou no dia 11 de agosto, a 5ª Corrida Cross Garçom e Garçonete, no Lar São Vicente de Paula. Segundo o presidente do Sindicato, José de Arimatéa, o evento proporcionou uma grande alegria aos associados e se transformou numa festa em comemoração ao Dia do Garçom. A diretoria do Sindicato se uniu para organizar a realização da corrida, junto com o presidente. Nenhum membro da diretoria ficou de fora. “Mesmo diante das dificuldades por causa dos obstáculos e labirinto os trabalhadores marcaram seus gols”, disse o presidente.

Profile for Inês Ferreira

Fetrhotel  

Fetrhotel  

Advertisement