Issuu on Google+

O PESO DO SEU VOTO EM BRASÍLIA

PÁGINA 6

Confira o campeão no envio de recursos para o Vale do Ribeira

Mala Direta Postal Domiciliária

ELEIÇÕES/2010 9912261176/2010 - DR/SPM ELEIÇÃO 2010 MARCIO LUIZ FRANÇA GOMES - DEPUTADO FEDERAL

Distribuição Lei 6.538/78, Art. 40 § 1º

Edição 29, Ano I

a ão ir iç ibe Ed do R

le Va

Internet grátis e para todos

20 a 27 de setembro de 2010

As cidades do Vale do Ribeira foram beneficiadas com um volume total de recursos de R$ 6,3 milhões para a implantação do Programa Cidade Digital. Página 4.

Jornal de campanha do deputado federal Márcio França (PSB-SP)

Vale do Ribeira

respira ares de desenvolvimento Ele está nas grandes lojas e empresas recentemente instaladas, nas ruas pavimentadas, nos carros novos que circulam pelas ruas, no pré-sal a ser explorado na costa, no coração e na mente de sua gente boa e trabalhadora. Quem conhece o Vale do Ribeira sabe que a região já respira ares de desenvolvimento, sobretudo de quatro ou cinco anos para cá. E se ainda há muito por fazer, certamente será com a união de forças da piscicultura, da extração do petróleo, do pupunha, da bananha e do leite de búfula, do potencial turístico-ecológico, do respeito à tradição que a Região vai ajudar a puxar o desenvolvimento de São Paulo e do Brasil. Páginas 10 e 12.

Grana do Pré-Sal para os aposentados De autoria do deputado Márcio França (PSB-SP), a Câmara Federal prepara-se para a votação final, em novembro, da emenda que reserva 5% dos recursos do Fundo Social do Pré-sal para recompor as perdas das aposentadorias superiores a um salário mínimo. Página 3

Os muitos sabores do Vale

Preservar o verde beneficia os municípios A proposta do deputado federal Márcio França (PSB-SP), transformada em projeto de lei, é simples: cidades com áreas de preservação ambiental devem ser compensadas com recursos do Fundo de Participação dos Municípios, o FPM. Página 10

Duplicação da BR 116 na Serra do Cafezal Para o deputado federal Márcio França (PSB-SP), é simplesmente inaceitável que a duplicação da BR 116, no trecho central da Serra do Cafezal, uma extensão aproximada de 18 km, não saia do papel em função da burocracia que tudo atravanca. Página 11

De dar água na boca. Não há exagero algum em definir, assim, sabores típicos da Região do Vale do Ribeira. Foi, por exemplo, da mistura entre os pratos portugueses e alguns ingredientes cultivados pelos índios, que se originaram algumas das receitas mais conhecidas e apreciadas na culinária paulista. Ah, mas ninguém faz como no Vale. Página 11


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

2

O X DA QUESTÃO

Um novo tempo no Vale. O desenvolvimento bate à porta! Que não se tenha dúvida: a extração do petróleo do pré-sal vai movimentar a economia de todo o litoral e do Vale do Ribeira. Além dos empregos diretos e indiretos que serão criados com a exploração, a arrecadação de impostos vai crescer e possibilitar mais investimentos em educação, saúde e infraestrutura. Apesar de já ser sentido hoje, todo o benefício dessas novas descobertas vai se dar de forma gradativa. O primeiro reflexo na economia será mesmo na criação de empregos. De acordo com a Petrobras, serão 19,7 mil postos de trabalho diretos nos próximos quatro anos, considerando não só a operação dos campos, mas também a construção da infraestrutura. Serão 5,1 mil engenheiros, 2 mil trabalhadores da construção civil, 11 mil empregos na construção e montagem e 1,6 mil na manutenção e operação das plataformas. O apoio marítimo e as atividades administrativas ligadas à exploração do petróleo devem resultar na criação de outros 50 mil empregos no litoral até 2018, de acordo com a Comissão Especial de Petróleo e Gás (Cespeg), órgão da Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, uma estimativa, aliás, conservadora, visto que não leva em consideração a instalação de

CHARGE

Mais empregos e oportunidades no Vale do Ribeira

novas indústrias. Em todo o Brasil, a estimativa da Federação Única dos Petroleiros (FUP) é de que seja criado um milhão de empregos no setor de produção, exploração e refino de petróleo nos próximos dez anos, isso sem incluir a parte de atividades que giram em torno da indústria do petróleo. Em termos de arrecadação, o retorno do petróleo deve se dar a partir de 2015, quando tem início, previsto, a produção comercial. O certo é que, desde já, a discussão em torno dos royalties e participações especiais exigem uma voz forte, de representação, em defesa dos municípios produtores e do estabelecimento de um Fundo Social que efetivamente garanta combater muitas das mazelas sociais que ainda confrontam o País. O Fundo Social do Pré-Sal, cuja criação está em tramitação na Câmara e que tem emenda do deputado federal Márcio França (PSB-SP), beneficiando aposentados e pensionistas, deverá recolher royalties do pré-sal para financiar um salto de qualidade em direção ao desenvolvimento sustentável. Ele deve gerar uma renda estável de 1% a 1,5% do PIB, nos próximos 70 ou 100 anos, período e recursos mais do que suficientes para financiar aquilo

a que se propõe: o combate à pobreza, o desenvolvimento da educação, da ciência e da tecnologia, a melhoria da saúde pública e da cultura e a própria adaptação às mudanças climáticas, algo que tem que ser pensado hoje. O Brasil arrecada por ano 800 bilhões reais/ano em impostos. Cerca de 90% desse total vão para custeio da máquina pública. Sobram 10% para investimentos. Com o pré-sal entrarão, a mais, de 300 a 400 bilhões de reais/ano líquidos, que poderão ser usados para cumprir todas as prioridades necessárias ao desenvolvimento do País, incluindo a melhoria da infraestrutura e a modernização urbana, principalmente das cidades diretamente impactadas pela exploração. Esse é um assunto que interessa muito ao Vale do Ribeira como um todo, e não somente às cidades que serão diretamente beneficiadas com a distribuição de créditos da exploração, até porque há outros tipos de créditos que beneficiam os demais municípios. Para isso, a Região precisa adotar um discurso e uma voz forte que a represente, a fim de que os novos tempos promissores que se anunciam sejam, de fato, bons para todos, para todos mesmos.

BOM DIA! Edição de 20 a 27 de setembro de 2010 Dia 21 – Dia da Árvore Dia 22 - Dia do Contador

Entre os muitos registros que carrega em seu “livro” de memórias, o deputado federal Márcio França destaca:

De Santos Dumont a Fittipaldi

A HISTÓRIA REGISTRA Em 20 de setembro de 1898, Santos Dumont realiza primeiro voo de um balão com propulsão própria Em 24 de setembro de 1989, Emerson Fittipaldi sagrouse campeão mundial da Fórmula Indy por antecipação.

ARTIGO

Vale do Ribeira e o desenvolvimento regional sustentável Por muitos anos, o Vale do aqui. Alguns municípios já veem Ribeira foi considerado uma das isso como prioridade, procurando regiões mais pobres do Brasil. parcerias que visem à melhoria Hoje, somos reconhecidos por das oportunidades oferecidas a nossa riqueza cultural e ambien- turistas e empresários. tal. E prevemos um grande cresciO fato de termos o pré-sal mento com a instalação de portos como uma alavanca de crescimenem cidades mais próximas e da to deve ser decisivo na definição duplicação de vias de escoamento das políticas públicas. Temos que de produção. ampliar a capacidade dos muTemos um novo desafio: o nicípios de absorver os recursos desenvolvimenque serão gerados to sustentável. pela exploração Ações como a neda nova riqueza. O repasse de recursos gociação de créE para isso, é imfederais ao Vale do Ribeira ditos de carbono portante a parcecresceu significativos por porcentagem ria com candida66% entre 2007 e 2009, de mata nativa em período em que o deputado tos de visão defederal Márcio França bolsas de valores, senvolvimentista. cumpre seu mandato por exemplo, posSomente a sibilitariam sucesaliança com parso na preservação lamentares e oude nosso maior patrimônio: as tros agentes comprometidos com matas nativas. E o Vale seria re- o nosso projeto de região resultará conhecido como uma das regiões em melhorias reais para a populaque mais preservam o ambiente ção. Assim, seremos reconhecidos no País. como uma região que está cresPrecisamos também preo- cendo e não vai parar. cupar-nos em melhorar a infraestrutura da região, com qualificação profissional voltada as nossas vocações econômicas: o ecoturismo, o turismo de serviços e a indústria manufatureira nãopoluente. Precisamos oferecer caSérgio Yasushi Miyashiro pacitação e condições para que os é prefeito de Pedro de Toledo e novos profissionais permaneçam filiado ao PSB


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

RECUPERAÇÃO SALARIAL

3

Novembro marca votação final da emenda dos aposentados Proposta de autoria do deputado Márcio França (PSB-SP) vai destinar 5% dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal para recompor as perdas de aposentados e pensionistas A liderança do Governo Lula. Federal na Câmara dos DeDe autoria do deputado putados afirmou, na semana federal Márcio França (PSBpassada, que deve ser votada SP), a emenda deixa claro definitivamente, em novem- que o montante, estimado em bro, a emenda R$ 650 bilhões, que destina 5% será aplicado dos recursos do no combate à A liderança do Fundo Social Governo na Câmara pobreza excludo Pré-Sal para prevê para novembro sivamente para a recomposição a recomposição a votação final da das perdas de da diferença emenda que beneficia aposentados e entre o que foi pensionistas recolhido em aposentados que recebem salários mínimais de um samos e o efetivalário mínimo. mente pago pela Previdência Aprovada em fevereiro, Social aos seus segurados, ou no plenário da Câmara dos seja, corrige a perda acumuDeputados, por 356 votos a lada ao longo dos anos por um, a proposta seguiu para milhões de brasileiros País o Senado, onde também foi afora. aprovada. Agora, ela será de A emenda diz, ainda, que novo votada na Câmara e se- após a recomposição das gue para sanção do presidente perdas, mas só após ela, os

A opinião de aposentados do Vale do Ribeira

“É importante quando um político olha pela gente, no caso, por milhões de brasileiros que de fato têm visto, ano a ano, o valor de seu benefício diminuir. Agora é torcer para que todos os deputados tenham a mesma sensibilidade do Márcio França”. Manoel Almeida, Registro

BARRA DO TURVO Ainda repercute de modo bastante positivo na cidade a recente “Caminhada do Bem-Estar”, para hipertensos e diabéticos, promovido pelo Departamento de Fisioterapia, em conjunto com a Estratégia Saúde da Família, e que será realizada, de modo coletivo, mensalmente. “Esse tipo de evento, que inclusive leva informação às pessoas, é fundamental para determinar uma melhor qualidade de vida ao cidadão”, destaca o deputado federal Márcio França (PSB-SP).

“É uma força e tanta para aposentados e pensionistas. O valor da aposentadoria vai baixando e a gente não sabe o que fazer. Sempre achei isso muito injusto e essa medida do deputado Márcio França, tenho certeza, vai corrigir isso”. Anésia Ribeiro, a Tata, Iguape

CAJATI “Organizados, os produtores terão um frigorífico central já no ano que vem, o que vai ajudar a aumentar o mix de produtos processados à base de peixe, agregando mais valor ao que hoje é produzido”. A afirmação é do deputado Márcio França, comentando a disposição dos sócios da Aquivale, Associação de Aquicultores do Vale do Ribeira, em focar o Oriente Médio em suas vendas externas. Na Região, O município de Cajati tem papel de destaque na produção de pescado”.

recursos serão direcionados para a realização de projetos e programas nas áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação. Dívida com os aposentados Segundo o deputado Márcio França, o Brasil tem uma dívida histórica com seus aposentados. “Todo mundo sabe que as aposentadorias, com o passar dos anos, foram acumulando perdas, penalizando os nossos aposentados. A riqueza do pré-sal é estimada em R$ 13 trilhões, de modo que a destinação de uma parte desses recursos para a Previdência Social é mais do que justificável, sobretudo quando o propósito é assistir os aposentados”, argumenta. O parlamentar destaca, ainda, que a medida está plenamente de acordo com as prioridades sociais defendidas pelo Governo Federal e com os anseios da população. “Muitos desses aposentados são, hoje, os chefes de suas famílias e veem ano a ano o valor de suas aposentadorias perderem o poder de compra. A recuperação dos salários dos aposentados é, antes de tudo, uma questão de justiça para com os brasileiros, que durante anos e anos emprestaram a força de seu trabalho ao País”.

IGUAPE A cidade foi anfitriã da última reunião da Associação dos Municípios Produtores de Gás Natural da Bacia de Santos, a AMPROGAS, que ganhará novos municípios filiados, além das oito que já possui. O tema central do encontro foi o fortalecimento da luta pelos royalties do gás e petróleo. “Essa mobilização é superimportante porque integra e fortalece as cidades na discussão de um tema que é vital para o futuro de todas elas”, explica o deputado Márcio França (PSB-SP).

Serão R$ 650 bilhões para recompor as perdas acumuladas

Fundação Casa vai contratar agentes As inscrições para o processo seletivo do concurso público da Fundação Casa, que vai contratar 719 agentes de apoio socioeducativo em todo o Estado, serão abertas na próxima segunda-feira, dia 20. O salário é de R$ 1.255,69, mais benefícios, e existem 40 vagas para a Baixada Santista e Vale do Ribeira, especificamente nas cidades de Santos, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém, Peruíbe, Pedro de Toledo, Juquiá e Registro. Para participar do processo é necessário ter o Ensino Médio com-

pleto, ser do sexo masculino e ter altura de 1,65m. A idade mínima exigida é 21 anos. As inscrições poderão ser feitas pelo site da Vunesp: www. vunesp.com.br, até o dia 19 de outubro. A taxa de inscrição é de R$ 40,00. A previsão é que a prova objetiva seja realizada em 19 de dezembro, em Santos, para os candidatos da Região. “É importante que as pessoas participem desses concursos, pois é uma ótima oportunidade de atuação profissional”, destaca o deputado federal Márcio França (PSB-SP).

MEU VOTO NOSSA VOZ “O deputado federal Márcio França trabalha muito por Pedro de Toledo. Posso dizer que é o pai do nosso município e precisamos focar nossos votos apenas no nº 4040 porque ele é um deputado que faz”. Elisabete Silva, vereadora de Pedro de Toledo


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

4

CIDADE DIGITAL

O Vale é mais

tecnologia O Vale do Ribeira recebeu R$ 6,2 milhões para fazer a implantação do programa “Cidade Digital”, que prevê internet grátis para todos

Alessandra, professora, Iguape

Antônio, motorista, Pedro de Toledo

João Gomes, agricultor, Itariri

O cheiro de mato e a tranquilidade das cidades do Vale do Ribeira podem viver um novo momento, o da tecnologia e informação. Foi aprovado pela Câmara Federal um projeto de lei, elaborado pelo deputado federal Márcio França (PSB-SP), que destina R$ 420 mil para as cidades de Barra do Turvo, Cajati, Eldorado, Ilha Comprida, Itariri, Iporanga, Jacupiranga, Juquiá, Pariquera-Açu e Sete Barras; e R$ 500 mil para as cidades de Cananéia, Iguape, Pedro de Toledo e Registro para a implantação do programa “Cidade Digital”, que prevê internet grátis para todo o Município. Com o recurso disponível, basta as prefeituras escolherem as tecnologias que se adequam ao município, e, depois, cada usuário utilize o sistema mais adequado para conexão. Além da internet grátis, o programa também prevê a com-

pra de lousas digitais interativas para as escolas municipais. Já pensou uma lousa que mistura quadro negro e computador? Os alunos da rede pública vão contar com essa tecnologia e ter mais recursos para aprender as matérias. E não é só. Está prevista a construção de Centros de Acesso à Inclusão Social e Digital (Catis). Os Catis são como lan-houses públicas, onde quem não tem computador pode ter acesso à internet. No local, as pessoas também poderão fazer cursos de informática. O motorista Antônio Nunes Soares, de Pedro de Toledo, acredita que o Programa Cidade Digital vai trazer desenvolvimento para o Vale. “Ter internet pra todo mundo é o primeiro passo para que a nossa Região, que fica longe de tudo, possa ficar mais próxima das novidades”, afirma. Já a professora Alessandra Matias, de Iguape, espera que

É o Programa Cidade Digital, que garante internet grátis, em banda larga, para quem não tem grana para pagar um provedor

a lousa digital possa dar mais qualidade às aulas. “Aqui no Vale, as lousas digitais vão transformar as aulas de todas as disciplinas, é a tecnologia aprimorando a educação”, explica. O agricultor João Gomes Pereira ressalta a importância da internet para a cidade de Itariri. “A gente não está acostumado com essas modernidades, mas os jovens vão utilizar muito desse recurso. É uma forma de deixar o Vale

mais perto de outros lugares”, diz Pereira. “Antes, esse tipo de serviço só existia em lugares limitados, como shoppings e restaurantes. Com esse projeto, qualquer pessoa, residente ou não na cidade, poderá acessar a internet. A ideia é que toda a nossa Região possa ter acesso à tecnologia, trazendo mais desenvolvimento econômico e social”, destaca o deputado federal Márcio França (PSB-SP).

Dom José Luiz Bertanha: “Em Brasília, não esqueceu dos votos de confiança que nele foram depositados” A declaração que compõe o título deste texto é de Dom José Luiz Bertanha, Bispo Diocesano de Registro, que concedeu entrevista ao Expresso 4040. Ele acredita que pessoas de fé e com sensibilidade conseguem realizar grandes façanhas. O bispo diz que conheceu Márcio França na Festa do Senhor Bom Jesus, em 2006, em sua primeira candidatura à Câmara Federal. “Do nosso primeiro encontro nasceu sua sensibilidade à Casa da Criança, que passava por dificuldades. Estavam atrasados os pagamentos de água, luz,

telefone, INSS e o salário dos funcionários. O Márcio ajudou em um momento difícil da entidade. Seu gesto solidário amenizou as preocupações da direção da Casa”, conta Bertanha. Com humor, lembra que Márcio França, além de advogado, é “excelente cozinheiro, pelo menos é o que afirmam seus amigos”, e que gosta de pescar. “Além do jeito diferente de fazer política, o pragmatismo e o dinamismo fizeram de sua passagem na Prefeitura de São Vicente um divisor de águas na história recente dessa cidade do Litoral Paulista.

Afinal, ele deixou a cadeira de prefeito com 93% de aprovação popular, segundo o Ibope, e ainda emplacou o sucessor”, explica. Campanha limpa Bertanha também lembra a campanha limpa que fez em 2006 e das perspectivas do amigo político. “Com 215.388 votos, Márcio França desembarcou no Planalto, em 2007, como o deputado mais votado na história do Litoral Paulista. Foi também o segundo mais votado do partido no Brasil, o nono mais votado no Estado de São Paulo. Não esqueceu

dos votos de confiança que nele foram depositados. É esperar para ver onde termina o difícil e começa o impossível, até onde chegará o advogado, o cozinheiro, o pescador de oveva com linhada, sem vara”, conta o Bispo. Dom José finaliza dizendo que confia no trabalho de Márcio França. “Por tudo isso, tenho pelo Márcio França, hoje deputado, um reconhecimento pela sensibilidade humana aos problemas sociais. Aproveito para agradecer e desejar que consiga a reeleição, pois deverá, ainda, olhar muito pelo Vale do Ribeira”.


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

5

EM DEFESA DA VIDA

Burocracia atrasa duplicação da BR 116 no trecho central da

Serra do Cafezal Deputado federal Márcio França (PSB-SP) cobra agilidade na autorização para a obra O trecho central da Serra do Cafezal, da BR-116, precisa de duplicação urgente e a obra não sai por falta de uma autorização ambiental, conforme revela o Governo do Estado. O deputado federal Márcio França (PSBSP) cobrou a liberação desta autorização em caráter de urgência: “Não dá para perder mais vidas humanas por causa de um papel que está trancado em uma gaveta qualquer”, disse o deputado, que em visita à região, constatou os problemas naquele trecho da rodovia, que acabam afetando toda a ligação entre os estados de São Paulo e Paraná. Recentemente, acidentes

graves, além de causarem vítimas, provocaram enormes congestionamentos que afetaram a vida de toda a população do Vale do Ribeira: “Uma população de mais de 400 mil pessoas não pode ficar refém da burocracia. Do que adianta duplicar a BR -116 e deixar um gargalo de 18 quilômetros bem no meio da Serra do Cafezal? Isto é uma piada de mau gosto e as autoridades ambientais têm que agir rápido, despachar logo esta autorização para que a duplicação comece rapidamente. É uma obra que não pode esperar mais”, disse Márcio França.

O trecho da Serra do Cafezal é vital para o escoamento econômico dos produtos de São Paulo e do Paraná. Os problemas na rodovia federal

afetam todos os moradores do Vale do Ribeira porque os congestionamentos costumam refletir em toda a estrada, que serve as cidades da região.

há acostamento. “Só isso é o suficiente para comprovar a necessidade da duplicação, já que estamos falando não só da segurança de quem trafega por essa importante rodovia, mas também de quem vive nas cidades por ela servidas”. Garcia Soares explica que a SP-79 é a única rodovia que verdadeiramente se constitui em um rodoanel, por justamente ser o elo entre o Vale do Ribeira e a região de

Sorocaba, e o Vale do Ribeira e os estados do Sul do País. “Além do aspecto da segurança, a duplicação vai emprestar mais agilidade e pontualidade ao tráfego”, conclui. Márcio França diz que a estratégia já está traçada. “Vou buscar unir forças na Câmara Federal para que o pleito de recursos junto ao Ministério dos Transportes seja bem acolhido e a duplicação saia mesmo do papel”.

Lei cria a Região Integrada de Desenvolvimento do Vale O Vale do Ribeira pode virar uma Região Administrativa Integrada de Desenvolvimento (RAIDE). Esse é o objetivo do Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 324, em tramitação na Câmara Federal, que estabelece também o Programa Especial de Desenvolvimento da Região, do qual o deputado federal Márcio França (PSB-SP) é relator. A formação da RAIDE do Vale do Ribeira surge para enfrentar problemas estruturais das áreas que, de um lado, sofreram afluxos desordenados de crescimento e, de outro, receberam parcelas pequenas de investimentos oficiais. Associado à reduzida renda local, esse espaço apresenta grandes contrastes socioeconômicos.

“Em outras palavras, é uma área extremamente pobre, circundada por territórios de grandes investimentos e população com as maiores rendas do País”, comenta Márcio França. A região administrativa abrigará 22 cidades, sendo constituída pelos municípios de Barra do Turvo, Cajati, Cananéia, Eldorado, Ibiúna, Iguape, Ilha Comprida, Iporanga, Itariri, Jacupiranga, Juquiá, Juquitiba, Miracatu, Pariquera-Açu, Pedro de Toledo, Registro, Sete Barras, Tapiraí e Ribeirão Grande, do Estado de São Paulo e ainda pelos municípios de Guaraqueçaba, Antonina e Paranaguá, no Estado do Paraná. Em comum, essas cidades,

Já está em fase de construção, no distrito de Itapeúna, em Eldorado, a Estação de Tratamento de Esgoto. Como parte integrante do projeto, os esgotos de todas as casas serão interligados, com 100% de captação e tratamento, totalizando o atendimento a 229 residências, com duas estações elevatórias. De acordo com o deputado Márcio França (PSB-SP), esse tipo de equipamento é fundamental “para a saúde e melhor qualidade de vida da população”. A obra deve ser entregue até o final do ano.

ITARIRI

Rodovia SP-79 também tem que ser duplicada Com o apoio do vice-prefeito do município de Tapiraí, Lauro Garcia Soares, que é do PSB, o deputado federal Márcio França (PSB-SP) vai insistir, junto ao Ministério dos Transportes, na proposta de duplicação da Rodovia SP-79, que liga o Vale do Ribeira e o planalto sorocabano à Região Sul do País. Márcio destaca que no trecho que liga os municípios de Tapiraí e Juquiá sequer

ELDORADO

além de margearem ou serem próximas da Rodovia Federal Régis Bittencourt, pertencem a um único sistema de preservação ambiental, definido e dividido legalmente em três Áreas de Proteção Ambiental (APA): APA Serra do Mar, APA Ilha Comprida e APA Guaraqueçaba. A essas, soma-se o município de Iguape, que abriga a Estação Ecológica Juréia-Itatins, uma das maiores áreas ainda preservadas da Mata Atlântica, composta de grande diversidade de espécies vegetais e animais. A criação da RAIDE do Vale do Ribeira é fundamental para o desenvolvimento socioeconomico da Região. “A criação da RAIDE do Vale

do Ribeira é fundamental para o desenvolvimento socioeconômico da Região, em sintonia com a preservação e a proteção ambiental, já que visa à integração e harmonização de ações e programas federais e estaduais, além da ampliação de incentivos fiscais que promovam e aumentem os recursos disponíveis, alavancando um crescimento ordenado e sustentável”, explica o parlamentar. O deputado ainda acrescenta que “será um suporte indispensável para a melhoria da qualidade de vida da população dos municípios da Região, fato esse que trará efeito positivo à principal área de preservação ambiental de reserva de Mata Atlântica da Serra do Mar e do litoral sul brasileiro”.

A Seção de Esportes da Prefeitura de Itariri vai promover, no dia 24 de outubro, no Campo Municipal, o 1º Torneio Municipal de Futebol Feminino, que visa a integrar a comunidade e, ao mesmo tempo, disseminar a prática da modalidade. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3418.0200. Para o deputado federal Márcio França (PSB-SP), esse incentivo ao esporte, que mobiliza a juventude, “é antes de tudo uma forma de criar um espaço de ocupação produtiva da garotada e de modo saudável”.

ILHA COMPRIDA O Espaço Cultural Plínio Marcos, em Ilha Comprida, abriga desde a semana passada e até o início de novembro, a exposição fotográfica “Gente do Mar”, organizada pela Secretaria do Estado da Cultura, e que conta a história caiçara por meio de retratos. “A gente que tem uma ligação estreita e pessoal com a região fica emocionado ao ver as 23 fotografias e é inevitável apoiar a ideia de se viabilizar o Projeto Acervo Memória Caiçara”, defende o deputado federal Márcio França (PSB-SP).

MEU VOTO NOSSA VOZ

“O amigo e deputado federal Márcio França merece todo o nosso respeito e apoio pela luta em favor da nossa região e da cidade de Iguape. É pelo voto que diremos: obrigado deputado federal Márcio França! A nossa luta continua!”. Nei Forati, vereador de Iguape


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

6

BARRA DO TURVO • CAJATI • CANANÉIA • ELDORADO • IGUAPE • ILHA COMPRIDA • ITARIRI • IPORANGA • JACUPIRANGA • JUQUIÁ • MIRACATU • PARIQUERA-AÇU • PEDRO DE TOLEDO • REGISTRO • SETE BARRAS • JUQUITIBA

Márcio França lidera en recursos para o Vale do R Votados à Câmara BARRA DO TURVO Federal em 2006 Campeão no envio os rs u c re e d 1.393 ...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 121º

Votos

2007 a 2010

SILVINHO PECCIOLI ............................. 344 1º FRADE .......................................................... ........... 343 ....... ....... ....... ....... TE MARIÂNGELA DUAR ................................ 311 VICENTINHO ..................................... . ............................................

Márcio França

..............................................

1

Votados à Câmara Federal em 2006 ...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 5º

Márcio França

....................

............... 1.864 ARNALDO MADEIRA ........ ................. 918 ARNALDO JARDIM............. ................. 661 RAUL CHRISTIANO ............ ................. 498 RICARDO TRIPOLI..............

...................................

..................................................

1º 2º 3º 4º 7º

Márcio França

R$ 100 mil

1º Márcio França R$ 2,280 milhão 2º 3º

.... R$ 700 mil ARNALDO MADEIRA.... .... R$ 100 mil CANDIDO VACAREZZA.

Votos

287

...................................

..................................................

1º 2º 3º 4º 5º

Márcio França

...........................

Campeão no envio de recursos

2007 a 2010

Márcio França R$ 940 mil

Votos

750

2007 a 2010

Márcio França R$ 1,598 milhão

1 1º DEIRA........................... 44

ARNALDO MA ................... 258 FRADE . ............................ .................... 220 VALDEMAR COSTA NETO ................. 199 MARIÂNGELA DUARTE ......

2º 3º 4º

2º 3º

. R$ 500 mil ARNALDO MADEIRA ...... .. R$ 150 mil RICARDO TRIPOLI..........

CAJATI

Votos

................ 2.602 FRADE . ............................ .............. 2.136 1º ARNALDO JARDIM ............ ............... 1.703 ARNALDO MADEIRA ........ 2º .............. 1.346 PAULO CORRÊA JR.............

Márcio França

.....................................

87

Votados à Câmara Federal em 2006 ...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 5º

Votos

................ 970 ARNALDO MADEIRA .......... ................... 415 1º FRADE . ............................ ................. 387 ARNALDO JARDIM ............ .................. 333 RICARDO IZAR ..................

Márcio França

............................

210

2º 3º

...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 12º

Votos

Márcio França

206

2º 3º

Votados à Câmara Federal em 2006 ...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 6º

Votos

Márcio França

815

... R$ 850 mil

ARNALDO MADEIRA....

Márcio França R$ 820 mil

Campeão no envio de recursos

2007 a 2010

Márcio França R$ 920 mil

.. R$ 450 mil ARNALDO MADEIRA. .... . R$ 250 mil RICARDO TRIPOLI ..........

Campeão no envio de recursos

2007 a 2010

Márcio França R$ 940 mil

. R$ 200 mil SUELY .............................. ... R$ 150 mil WALTER IHOSHI ............

REGISTRO

Campeão no envio de recursos

2007 a 2010

Márcio França R$ 1,250 milhão

........... 10.034 ARNALDO MADEIRA .......... .............. 1.478 1º ARNALDO JARDIM ............ .............. 1.397 MARIÂNGELA DUARTE...... .............. 1.064 PAULO CORRÊA JR............. ............................

2007 a 2010

JUQUIÁ

............... 2.713 RICARDO IZAR .................. ................... 984 1º VALDEMAR COSTA NETO ................. 972 ARNALDO JARDIM ............ ................ 626 ARNALDO MADEIRA .......... ............................

Campeões no envio de recursos

ILHA COMPRIDA

Votados à Câmara Federal em 2006

JACUPIRANGA

Votados à Câmara PEDRO DE TOLEDO Federal em 2006 Campeão no envio de recursos

Candidatos. ........................................

18º

2007 a 2010

............... 1.216 ARNALDO MADEIRA ........ ................... 958 VALDEMAR COSTA NETO ................. 696 1º PAULO CORRÊA JR............. .................. 517 FRADE............................... ............................

.....

Campeão no envio de recursos

Votados à Câmara Federal em 2006 Candidatos. ........................................

VICENTINHO . ............................

...................................

..................................................

Candidatos. ........................................

IGUAPE

Votos

4169

Márcio França R$ 720 mil

Votados à Câmara Federal em 2006

2º 3º

.. R$ 600 mil ARNALDO MADEIRA. .... .. R$ 500 mil RICARDO TRIPOLI..........


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

7

BARRA DO TURVO • CAJATI • CANANÉIA • ELDORADO • IGUAPE • ILHA COMPRIDA • ITARIRI • IPORANGA • JACUPIRANGA • JUQUIÁ • MIRACATU • PARIQUERA-AÇU • PEDRO DE TOLEDO • REGISTRO • SETE BARRAS • JUQUITIBA

nvio de Ribeira Votados à Câmara Federal em 2006 1º 2º 3º 4º 5º

Márcio França

............................

Campeão no envio de recursos

Votos

.............. 1.115 ARNALDO JARDIM ............

930

.................. 549 ARNALDO MADEIRA......... ................... 547 FRADE . ............................ ................... 546 WALTER IIHOSHI ..............

2007 a 2010

1º Márcio França R$ 1,4 milhão 2º 3º

Votados à Câmara Federal em 2006 ...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 36º

................... 599 FRADE . ............................ .................. 327 ARNALDO MADEIRA ........ ................... 295 1º SILVINHO PECCIOLI ......... ..................... 99 PANNUNZIO .................... ..............................................

5

Votados à Câmara Federal em 2006 ...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 5º

Votos

............................

474

2º 3º 4º 17º

......................... Votos ..................................................

............... 1.730 ARNALDO MADEIRA......... .............. 1.484 1º ARNALDO JARDIM ............ ................. 628 TELMA DE SOUZA.............. ................. 315 MARIÂNGELA DUARTE ......

Márcio França

.....................................

46

2º 3º 4º 22º

2007 a 2010

Márcio França R$ 620 mil

2007 a 2010

85 NALDO MADEIRA ....... R$

Márcio França R$ 550 mil

AR

.. R$ 350 mil

RICARDO TRIPOLI..........

2º 3º

............. 1.599 RICARDO TRIPOLI .............. .............. 1.052 1º MICHEL TEMER .................. .................. 810 ARNALDO MADEIRA ........ ................... 808 FRADE . ............................

Márcio França

.....................................

...................................

..................................................

Candidatos. ........................................ 1º 2º 3º 4º 5º

Márcio França

...........................

348

.................. 284 WILLIAM WOO .................. ................ 216 EDSON APARECIDO............

...................................

..................................................

Candidatos. ........................................

2º 3º 4º 5º

Campeão no envio de recursos

Márcio França

............................

602

................. 524 TELMA DE SOUZA.............. ................. 502 PAULO CORRÊA JR.............

108,0 MILHÕES

Campeão no envio de recursos

2007 a 2010

Márcio França R$ 720 mil .. R$ 100 mil

RICARDO TRIPOLI..........

ITARIRI

Campeão no envio de recursos

2007 a 2010

Márcio França R$ 820 mil

2º 3º

.. R$ 700 mil ARNALDO MADEIRA. .... .. R$ 150 mil RICARDO TRIPOLI..........

PARIQUERA-AÇU

Campeão no envio de recursos

Votos

.............. 2.214 ARNALDO JARDIM ............ ............... 1.235 ARNALDO MADEIRA ........

Sem o Márcio França na Câmara Federal

2007 a 2010

.. R$ 250 mil ARNALDO MADEIRA. .... R$ 200 mil LUCIANA COSTA ..............

Votos

.................. 676 CELSO RUSSOMANNO . .... .................. 381 ARNALDO MADEIRA ........

Com o Márcio, Vale tem

Márcio França R$ 820 mil

27

Votados à Câmara Federal em 2006 1º

ELDORADO

Votos

Votados à Câmara Federal em 2006

SETE BARRAS

..........

Campeão no envio de recursos

Campeões no envio de recursos 0 mil

Votados à Câmara Federal em 2006 Candidatos. ........................................

MIRACATU

............... 3.389 ARNALDO MADEIRA ........ 1º ................. 727 RICARDO TRIPOLI. ............ .................. 590 2º PAULO ALVES CORRÊA JR. ................... 518 PAULO MALUF .................

Márcio França

... R$ 450 mil ARNALDO MADEIRA.... .... R$ 70 mil LOBBE NETO. ................

...................................

..................................................

Candidatos. ........................................

IPORANGA

Votos

Márcio França

Votados à Câmara Federal em 2006

CANANÉIA

Fonte: Siafi/STN Em milhões de R$

...................................

..................................................

Candidatos. ........................................

Você já parou para pensar o quanto o seu voto pode ser importante para melhorar a qualidade de vida na cidade onde você mora? Pois é, muitas vezes a gente vota em um candidato e acaba não acompanhando, quando eleito, o seu desempenho no Legislativo, algo mais do que importante para avaliar se ele continua ou não merecendo o voto. Só quem tem compromisso com a sua cidade e a sua Região, trabalhou pelo desenvolvimento de ambas, pode prestar contas desse jeito aí, mostrando o quanto em recursos pode viabilizar ao longo de seu mandato. Analise e decida. O valor do seu voto é o peso que ele tem em possibilitar mais desenvolvimento.

2007 a 2010

Márcio França R$ 940 mil

recursos federais

Com o Márcio França na Câmara Federal

126,1 MILHÕES

160,8 162,5 MILHÕES MILHÕES

2010

até maio

2006

2007

2008 2009

75,6 MILHÕES

É uma publicação da campanha eleitoral do deputado federal Márcio França (PSB-SP). Equipe de redação: Mauricio Juvenal (Mtb. 23260) e Bruno Piesco. Arte e diagramação: Renato Cássio. Impressão: Gráfica Diário do Litoral - CNPJ: 04.720.567/000193. Eleição 2010 - Marcio Luiz França Gomes - Deputado Federal - CNPJ: 12.169.390/000107 Edição 29 - Vale do Ribeira - Tiragem 50 mil exemplares


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

8

FÉ NA VIDA, FÉ NO HOMEM

Jovem de Cananéia vive o sonho de cursar Medicina Com o apoio do deputado federal Márcio França (PSB-SP), Tamirez foi beneficiada por um convênio entre o PSB e o Governo de Cuba Ela passou a infância entre o casario histórico, a mata atlântica e o mar tranquilo do estuário de Cananéia. No meio de tanta beleza natural alimentava um sonho que considerava impossível: tornar-se uma médica ou uma profissional da área de saúde. Apesar das dificuldades financeiras que a mantinham distante da Medicina, a menina bonita de nome grande jamais perdeu a esperança. Hoje, Tamirez dos Santos Oliveira Rosa Calima Neves

vai para o 3º ano de Medicina na Escola Latino-Americana de Medicina, em Cuba, um país conhecido mundialmente por formar excelentes profissionais. Tamirez convive diariamente com futuros médicos vindos de vários países, frequenta hospitais e mergulha nos estudos. E mesmo em meio a tantas atividades, faz questão de lembrar que este sonho se tornou realidade graças ao deputado federal Márcio França, que conseguiu a bolsa de estudos em Cuba. “Márcio França fez por mim

o que só meu pai faria. Meu sonho sempre foi estudar Medicina. Sou eternamente grata ao deputado”. Ao lado de Tamirez, o pai Denis Caliman Neves, com os olhos molhados de emoção, conta como aconteceu: “Márcio estava em Cananéia junto com o vereador Rogério. Pedi ao Márcio uma bolsa de estudos para minha filha. A resposta veio rápido. Tamirez foi chamada para uma entrevista e, em três semanas, já estava embarcando para Cuba”, disse Denis.

Especialização em Pneumologia A jovem sonha agora em se especializar em A parceria entre o Governo de Cuba e o Partido Pneumologia e atender as comunidades mais Socialista Brasileiro – PSB – de Márcio França - já carentes de Cananéia e de todo Vale do Ribeira. levou vários jovens do Vale do Ribeira, da Baixada “Aqui há poucos médicos e principalmente nesta Santista e de São Vicente para estudar Medicina especialidade. Vou aproveitar a no país caribenho. qualidade do curso em Cuba e Para Tamirez, que sempre estuEm Cuba, mortalidade aprender o máximo para ajudar dou em escola pública, como para infantil caiu de 40 quem precisa”, disse Tamirez, lemoutros jovens, o ideal de servir agobrando que os professores cubanos por mil nascidos vivos ra está em primeiro lugar. Tanto nos anos 50 para são idealistas e justos. que, nas férias, vai participar de um Ela também não esquece do trabalho voluntário em Suzano. 4 por mil hoje seu professor de espanhol, de um Mesmo com o embargo econômico curso que fez em Cananéia: “A imposto a Cuba pelos Estados Unimaioria preferiu estudar inglês. E ao optar pelo dos, muitos jovens carentes americanos estudam espanhol acabei me saindo bem na entrevista Medicina na ilha. “É a força daqueles que não de seleção para a bolsa”. desistem dos seus sonhos”, conclui Tamirez.

JACUPIRANGA Com um jogo entre os funcionários da Prefeitura e a equipe 100 Compromisso, de Cajati, foi inaugurada a Iluminação do Campo Municipal de Jacupiranga, no último dia 11 de setembro. “O incentivo ao esporte, principalmente como forma de lazer, é fundamental para o bem-estar da população”, afirma o deputado federal Márcio França (PSB-SP). Em breve, também deve ser inaugurado o Campo Municipal do bairro Flor da Vila.

JUQUIÁ Entre os dias 16 e 19 de setembro, aconteceu em Juquiá a “2ª Festa da Pupunha e Agronegócios”. No evento, foram expostos além da pupunha, diversos produtos agrícolas, além de realizadas palestras para os produtores e apresentação de shows para a população. O deputado federal Márcio França (PSB-SP) afirma que eventos desse tipo são vitais para o Vale do Ribeira. “Esses encontros movimentam a economia da Região e aprimoram o conhecimento dos agricultores”.

MIRACATU Segundo o deputado federal Márcio França, a cidade de Miracatu tem uma das culturas de artesanato mais promissoras do Estado de São Paulo. “O artesanato produzido com fibra da bananeira tornou-se, atualmente, uma importante fonte de renda para muitas famílias, tendo conquistado espaço no mercado interno e sendo exportado para vários países. A Banarte, que é uma cooperativa informal de artesãos, é um exemplo para outros profissionais que vivem do artesanato”, explica França.

Cláudio França mantém viva a tradição da família com Iguape e o Vale De canoa, a pé, de jipe, valia tudo para chegar aos pacientes mesmo nos lugares mais distantes das cidades de Iguape, Cananéia e Ilha Comprida. Assim foi com dois médicos muito queridos daquele trecho do Vale do Ribeira. Primeiro, o pai, Luiz Gonzaga de Oliveira Gomes, que lá chegou em 1959 e ficou até 1969. O doutor Luiz Gonzaga, como era conhecido, apaixonou-se pela terra e pela gente do Vale. Tanto que, além de salvar vidas, atuou com vibração também na área esportiva, seja jogando futebol ou tênis. Em Iguape nasceram dois dos filhos do doutor Luiz Gonzaga e Dona Myrthes: Cláudio e Heloísa. Os outros dois são Márcio e Flávio França, já nascidos em São Vicente. Cláudio veio a se tornar médico e também cumpriu o destino do pai, ao atuar durante 17 anos em Iguape e Ilha Comprida. Hoje em São Vicente, como secretário de Saúde, Cláudio mantém sua casa em Iguape e, quando pode, volta à terra

do Bom Jesus para curtir os amigos, comer manjuba e participar de uma pescaria. Mantém também uma clínica e uma escola em Iguape, cumprindo, assim, com amor, o mesmo destino do pai. “Atendo pacientes cujos pais e avós foram assistidos pelo meu pai. É muito gratificante”. O deputado federal Márcio França tem orgulho da história do seu pai, um médico dedicado que deixou bons exemplos. E fica muito contente ao ver o irmão mais velho investindo e gerando empregos na região que tanto marcou a vida da sua família.

MEU VOTO NOSSA VOZ “Márcio França é uma pessoa realmente ligada ao Vale do Ribeira. Tenho certeza que ele vai continuar ajudando muito a nossa Região”. Aldo Cesar Nogueira, presidente do PSB de Pariquera-Açu


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

RAÍZES

9

Tradição portuguesa, com certeza Uma das primeiras regiões colonizadas pelos portugueses, a história do Vale do Ribeira se confunde com a história do Brasil Uma viagem no tempo. Essa é a sensação ao percorrer as ruas do centro de Iguape. Seus casarões coloniais, muito bem preservados, são testemunhas da importância histórica que o município tem para o Brasil. "Iguape faz parte do processo histórico de formação e ocupação do território brasileiro, do desenvolvimento do País. A Cidade foi local-chave no início da colonização e foi erguida por ordem da Coroa Portuguesa para abrigar a administração pública, ocupar e proteger a Região", comenta o deputado federal Márcio França (PSB-SP). A ligação entre Iguape e Portugal é tão grande que um dos seus filhos tornouse Presidente de Portugal. “Bernardino de Campos nasceu na cidade e viveu no Brasil até os nove anos. Chegando em Portugal, estudou filosofia e se dedicou à carreira política, presidindo o país em duas oportuni-

dades, 1915 e 1925”, conta o historiador, Roberto Fortes, autor do livro “Iguape... Nossa História”. Aliás, a influência portuguesa pode ser conferida em outras cidades do Vale. Cananéia, por exemplo, foi a primeira região povoada do Brasil, segundo pesquisadores. Possui dentro dos seus limites casarões restaurados e ruínas conservadas, marcos junto ao descobrimento do Brasil. Reconhecimento – Recentemente, o casario de Iguape, um dos mais preservados centros históricos de São Paulo, foi tombado como patrimônio nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A proposta do instituto enquadra-se num projeto maior, que busca um plano de valorização e desenvolvimento estratégico do Vale do Ribeira. Estudos vêm sendo feitos desde 2008 para que Iguape receba a chancela de paisagem cultural.

Prove e comprove Há 100 anos, um sabor conquista a cidade de Iguape: as cocadas da dona Sinhá. O típico doce iguapense leva coco bem raladinho e ainda é feito de modo artesanal, conservando o segredo de família.

Apesar da herdeira da receita, dona Sinhá, ter falecido, o filho, Benedito Pierre, mantém a tradição e produz, semanalmente, uma fornada do doce, que é distribuído em vários pontos do local. O doce é tradicional de Iguape e ainda é feito de modo artesanal . “Desde criança, quando brincava pelas ruas de Iguape, aprecio essa maravilha. Acho, até, que foi uma das coisas que influenciaram meu gosto pela culinária”, diz o deputado Márcio França

Os casarões coloniais do centro de Iguape foram construídos na época da fundação da cidade, em 1538

Um pouco do Oriente no Vale do Ribeira

Eles desembarcavam no Porto de Santos e usavam trens e pequenas embarcações fluviais para chegar à Região do Vale do Ribeira, na época, área isolada e marcada pela intensa presença de mata virgem. Lá, se dedicaram ao cultivo do arroz, da banana e do chá. Estamos falando dos imigrantes japoneses, que vieram para o Brasil com a intenção de enriquecer e depois retornar ao país de origem. A contribuição que deram à Região é incalculável. Em Iguape, a Colônia Katsura foi a primeira do Brasil a receber colonos japoneses. Durante muitas décadas, ela experimentou grande progresso, tornando-se autossuficiente. Possuía engenhos

de arroz, alambiques, comércio variado, escola, agência do Correio, indústria de sericultura, médicos e outras comodidades. Com forte presença da colônia japonesa, Registro tem incorporado à sua história a arquitetura e os costumes da cultura oriental. O prédio do KKKK, empresa japonesa instalada no Brasil em 1918, é marco dessa influência e foi reconhecido pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condhepaat) como patrimônio cultural do Estado de São Paulo. “É indiscutível a importância japonesa no desenvolvimento econômico, social e cultural do

nosso Estado, do nosso País”, reconhece o deputado federal Márcio França (PSB-SP). Márcio França, que possui a cidadania japonesa por ter recebido o título de cidadão de Okinawa, província do Japão, valorizou os costumes orientais durante sua gestão como prefeito de São Vicente. Ao receber uma delegação de Naha, cidade-irmã de São Vicente situada em Okinawa, emocionou os presentes ao saudá-los na língua de origem do local com um provérbio que diz: “Somos todos irmãos a partir do nosso primeiro encontro”.

MEU VOTO NOSSA VOZ

“Não há como negar que Registro e o Vale do Ribeira passaram a ter outro tratamento, em Brasília, depois que o Márcio França assimiu como deputado, em 2007. Por isso eu o apóio e recomendo seu nome”. Roberto Stuchi Duarte, vereador à Câmara de Registro.

Hoje, o prédio da antiga empresa japonesa abriga um centro cultural


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

10

JUQUITIBA Está sendo desenvolvido em Juquitiba o Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHIS). O plano é um projeto do governo do município, em parceria com o Governo Federal, que tem o objetivo de elaborar ações de planejamento e gestão na área habitacional para atender famílias de baixa renda. “O plano esta dividido em três partes. Atualmente é desenvolvida a fase de coleta de dados que tem o intuito de identificar os problemas e propor soluções”, explica o deputado federal Márcio França (PSB-SP).

SETE BARRAS No último dia 5 de setembro, um grupo de voluntários da 5ª Campal Jovem da Região Sul da Igreja Adventista do Sétimo Dia desenvolveu o projeto “Hospital de Cara Nova”, que contou com recreação dos pacientes, limpeza e pintura do Pronto-Socorro Municipal. “É de extrema importância a participação da sociedade nas obras públicas do governo. Esse grupo de jovens deu um exemplo de cidadania”, diz, orgulhoso, o deputado federal Márcio França (PSB-SP).

REGISTRO A Universidade Estadual Paulista (Unesp) terá dois novos cursos em Registro. Um deles, Engenharia de Pesca, é inédito no Estado, e o outro é Agrimensura Cartográfica. Segundo o deputado federal Márcio França, a expansão da Unesp é motivo de comemoração. “Os cursos novos que chegam a Registro, inclusive um inédito, é fundamental para o desenvolvimento do Vale do Ribeira, e torna a Região num polo de pesquisa”, salienta França.

MEU VOTO NOSSA VOZ

“Ele é amigo da Cidade e bastante conhecido aqui. Todos sabem que ele mandou muitos recursos para a Região. É o deputado federal do Vale do Ribeira”. Sátiro, ex-vereador de Pariquera-Açu

PISCICULTURA

No Vale do Ribeira, cresce a produção de pescado Atrás apenas da banana e da pupunha, a psicicultura planeja voltar ao topo do ranking na na geração de riquezas na Região, como acontecia no início da década de 90 Filé de tilápia ao molho, croquete de tambaqui, almôndega de pacu. Caso tenha dado água na boca, e não é para menos, vale destacar que esses pratos, que fazem sucesso em tantos bons restaurante à beira mar, compõem, em Jacupiranga, o cardápio da merenda das escolas públicas. Não bastasse garantir à criançada uma alimentação de alto valor nutritivo, a iniciativa da Prefeitura local tem estimulado o desenvolvimento da piscicultura na Região. Dados da Aquivale, a Associação dos Aquicultores do Vale do Ribeira, dão conta de que, atualmente, cerca de 800 produtores, em 15 municípios, mantêm 12 milhões de metros quadrados de tanques para a engorda de pacus, tambaquis e tilápias, numa atividade que emprega mais de 3.500 pessoas. A produção prevista para 2010 é de 5 mil toneladas de pescado. Em 2011 esse número deve mais do que dobrar, já que os produtores estimam uma produção final de 12 mil toneladas, quando a associação, inclusive, terá seu frigorífico próprio

para processar o pescado, algo que hoje é realizado fora, em uma unidade do Paraná. A psicicultura no Vale do Ribeira é considerada um bom negócio, sobretudo para pequenos e médios produtores que, em geral, desenvolvem outras atividades e usam a criação de peixes para aumentar a renda. Técnicos e especialistas que acompanham a piscicultura no Vale do Ribeira apontam que é possível dobrar a produção do pescado sem abrir novos tanques, sobretudo com o melhor aproveitamento da capacidade ociosa e a introdução de tecnologias. “É nesse sentido que acredito ser possível o poder público interferir, criando condições favoráveis para que os produtores invistam na piscicultura, que, ao gerar emprego e renda contribuem para o desenvolvimento regional”, afirma o deputado federal Márcio França (PSB-SP), destacando que a iniciativa da Prefeitura de Jacupiranga é pra lá de louvável. “É mais qualidade e saúde na merenda, ao mesmo tempo que estimula a economia local”, finaliza.

Os mais criados na Região Tambaqui Originário da Bacia do Rio Amazonas, o tambaqui é o segundo maior peixe de escamas do Brasil (atrás do pirarucu). Um adulto da espécie pode atingir até 55 quilos. Muito utilizado para criação em tanque-rede, apresenta bom desempenho em regiões mais quentes. Tilápia É a espécie de peixe de água doce mais industrializada no Brasil. É um peixe predominantemente de águas quentes - a temperatura da água do cultivo pode variar de 20 a 30 graus - e a linhagem tailandesa é uma das mais procuradas no País para a piscicultura. Pacu Junto com o surubim (pintado) e o dourado, é um dos principais peixes esportivos das bacias do Paraguai e do Prata. Tem carne saborosa e a produção em cativeiro é bem aceita. É um peixe rústico e resistente, com crescimento rápido pode atingir 1,8 quilo em um ano.

Mais recursos para cidades com área de preservação FPM Ecológico: esse assunto tem tudo a ver com o Vale do Ribeira. FPM é o Fundo de Participação dos Municípios e, recentemente, o deputado federal Márcio França propôs uma inovação que vai beneficiar muito as cidades que possuem territórios ambientalmente protegidos. De acordo com o projeto de lei complementar apresentado pelo Márcio, a distribuição de 4,5% do FPM total (pensando nos municípios que não são capitais) seria feita com base na proporção da ocupação territorial – do referido município – por áreas especialmente protegidas, ou seja, as áreas de proteção ambiental e de mananciais. “O que eu busco com essa proposta é estabelecer uma compensação financeira aos municípios

que possuem restrição de uso do solo em seus territórios para o desenvolvimento de atividades econômicas clássicas”, argumenta o deputado federal Márcio França. Ele destaca, no entanto, que além de um instrumento de compensação, o FPM Ecológico representa um incentivo e uma contribuição à preservação ambiental. “O grande barato é que acaba sendo um estímulo às cidades que não possuem unidades de conservação a criar ou defender a criação destas áreas”. Não distante disso, os municípios que já possuem unidades de conservação em seu território terão imenso interesse em adotar iniciativas como a regularização fundiária e o planejamento e manutenção das unidades de conservação.

O que é e como funciona o FPM O Fundo de Participação dos Municípios, popularmente conhecido como FPM, nada mais é do que uma transferência de recursos federais às cidades, feita de acordo com o número de habitantes que possui. O FPM é composto de 22,5% da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados, o IPI. Municípios com até pouco mais de 10 mil habitantes têm direito a 0,6% de repasse, estando inseridos na menor faixa. Já as cidades com mais de 156 mil habitantes estão enquadradas no teto máximo, de 4%.

Veja o que a proposta do Márcio vai estimular: • O aumento do número e da superfície de unidades de conservação e outras áreas especialmente protegidas • Regularização, planejamento, implementação e busca da sustentabilidade das unidades de conservação • A justiça fiscal pela conservação ambiental


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

SaboresdoVale

Chef Márcio França

Os ingredientes cultivados e colhidos no Vale do Ribeira estão na mesa da maioria dos brasileiros. Com eles é possível fazer deliciosas receitas, que foram testadas e aprovadas pelo “chef” e deputado federal Márcio França (PSB-SP). Confira algumas delas:

O deputado federal Márcio França (PSB) tem por hobby a culinária e utiliza esse talento em eventos beneficentes, quando cozinha voluntariamente

Saiba como preparar a famosa moqueca de manjuba

A simpática Izabel Martins Ribeiro, a dona Izabel de Iguape, de 85 anos, faz uma das receitas mais populares do Vale do Ribeira, que ela chama de Moqueca Caiçara. Ela conta que morava em um sítio, e quando casou-se, aos 19 anos, foi morar no Centro de Iguape. "Me casei já faz 60 anos e aprendi a cozinhar sozinha tudo que sei hoje, nem sabia que minhas receitas eram famosas", conta, alegre, sobre seus quitutes. Dona Izabel não esconde a receita e divulga a famosa moqueca: Para preparar o prato é necessário: 2kg de manjuba em filé; 1kg de farinha de mandioca; 1 pacote de salsinha; 1 colher de sopa de gengibre ralado; meia colher de sopa de sal; 1 lata de molho de tomate; meia colher de sopa de alho e pimenta dedo de moça a gosto. Para preparar a receita, cozinhar todos os ingredientes juntos por 15 minutos, menos a farinha. Reserve e deixe esfriar de cinco a 10 minutos. Acrescente a farinha de mandioca e mexa até ficar no ponto da moqueca. Pegue uma assadeira e coloque um pouco de óleo ou azeite, para não grudar, e deixe para assar por volta de 20 minutos, que é quando vai dourar.

Paçoca de carne com farinha de mandioca

Ingredientes Meio quilo de carne seca Farinha de mandioca Cebola Alho Salsinha Gengibre a gosto Modo de Preparo A primeira coisa a fazer é deixar a carne de molho durante 24h. Após esse período, cozinhe na panela de pressão por 45 minutos. Retire as gorduras e tempere com alho, cebola e gengibre a gosto, coloque um pouco mais de água e deixe cozinhando. Aos poucos coloque a carne seca em um pilão de madeira, junte aos poucos a farinha de mandioca, socando até desfiar toda a carne. A paçoca fica úmida. Depois de pronta coloque a salsinha picadinha. Um dica importante: se você não tem pilão pode usar o mixer ou o liquidificador, mas com o pilão o sabor é melhor. A elaboração da farinha de mandioca é uma prática comum na comunidade quilombola do Vale do Ribeira. A produção da farinha pelos quilombolas tornou-se, com o passar dos anos, uma característica da Região.

Com a proposta de abordar a alimentação sob todos os pontos de vista, o quilombo de Mandira, em Cananéia, foi palco, de 4 a 8 de setembro, de oficinas de culinária com a participação de universitários italianos, da região do Piemonte, e cozinheiras locais. “O cruzamento de tradições é rico para ambos os lados. Aliás, foi da mistura entre os pratos portugueses e alguns ingredientes cultivados pelos índios que originaram receitas conhecidas na culinária paulista”, afirma o deputado Márcio França.

Sanduíche com mussarela de búfala Ingredientes 1 pão francês 2 fatias de presunto 1 folhas de rúcula 30 gramas de mussarela de búfala Quanto baste de pimenta-do-reino branca Quanto baste de azeite extra virgem Modo preparo Corte o pão francês ao meio, adcione as fatias de presunto, as folhas de rúcula e a mussarela de búfala fatiada. Se quiser, acrescente a pimenta moída e o azeite a gosto. A criação de búfalos está presente no Vale do Ribeira desde 1989. A Região é o maior criadouro de Búfalos do Estado de São Paulo, com 200 criadores e 19.000 cabeças, para a produção de carne e leite. Atualmente, a produção de leite é de aproximadamente 12 mil litros por dia, que é destinada a laticínios e queijarias.

Creme de palmito pupunha Banana caramelada Ingredientes 4 colheres de sopa de açúcar 3 colheres de sopa de água 4 bananas maduras 2 colheres de sopa de mel Modo de preparo Coloque em uma panela o açúcar, a água e o mel, cozinhe em fogo médio até caramelizar. Abaixe o fogo e acrescente as bananas. Cozinhe por mais 8 minutos ou até as bananas ficarem levemente douradas. Agora é só colocar no prato e comer. Esta receita rende 4 porções O Vale do Ribeira tem como sua principal atividade o cultivo de banana. São 48 mil hectares de plantação da fruta, que corresponde a 70% da produção estadual, com quase 800 toneladas por ano.

CANANÉIA

11

PEDRO DE TOLEDO Pedro de Toledo adquiriu um ônibus escolar 0km. O recurso de R$ 185 mil veio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e o itinerário está sendo estudado pela prefeitura, que agora soma quatro ônibus escolares . “O veículo será de suma importância para os 66 alunos, que precisam utilizar o transporte coletivo com segurança e qualidade, evitando a evasão escolar”, comenta o deputado federal Márcio França (PSB-SP).

IPORANGA O Ministério do Turismo, o SEBRAE e a Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura realizam, no dia 30 de setembro, em Iporanga, o Seminário Técnico Aventura Segura para apresentar os principais avanços e resultados alcançados pelo segmento de Turismo de Aventura e Ecoturismo. “É importante que uma cidade do Vale esteja sediando esse tipo de evento, já que é uma das áreas, dentro do Turismo, que mais crescem”, destaca o deputado federal Márcio França.

Ingredientes 300 gramas de palmito pupunha 200 ml de leite Quanto baste de creme de leite 1 colher de sobremesa de amido de milho Quanto baste de sal Quanto baste de pimenta-do-reino branca Quanto baste de noz-moscada 1 colher de sopa de cebolinha verde picada fina 1 colher de sopa de manteiga 1 colher de sopa de azeite de oliva Quanto baste de pão francês torrado Quanto baste de queijo parmesão ralado Modo de preparo Bata no liquidificador, o palmito, o leite e o amido de milho. Pegue a mistura e cozinhe junto com o azeite e a manteiga em fogo baixo, mexendo sempre. Quando levantar fervura, coloque o sal e tempere com pimenta-do-reino e noz moscada. Deixe cozinhar até obter um creme espesso e liso. Adicione o creme de leite, misture bem e desligue o fogão. Esta receita rende quatro porções, sirva num vasilhame grande ou em potinhos individuais. Polvilhe cebolinha picada. O Vale possui 7 mil hectares para o cultivo de palmito pupunha. Estima-se qua haja cerca de 36 milhões de pés de palmito, que geram 22 toneladas por ano. A Região figura entre as maiores do País na produção do vegetal, ao lado de Bahia, Espírito Santo, Pará e Rondônia.

MEU VOTO NOSSA VOZ

“O Márcio França é uma liderança nacional, que tem tido a sensibilidade não só de olhar pelo Vale do Ribeira mas, também de tratar de assunto de amplo interesse popular, como é caso da perda dos aposentados. Por isso tem nosso apoio”. André Kikuchi, vereador à Câmara de Registro


Expresso 4040 20 a 27 • Setembro • 2010

12

Vale do Ribeira em um novo patamar de desenvolvimento

É o que se anuncia para a Região com o início da exploração de petróleo na camada pré-sal. Somada a outras iniciativas, Região se prepara para viver os melhores anos de sua história A exploração do pré-sal vai garantir ao Brasil oportunidades de crescimento e desenvolvimento econômico, produzindo mudanças geopolíticas que vão transformar a vida de muitos brasileiros nos próximos anos, como é caso de quem vive nas cidades do Vale do Ribeira, sobretudo em Cananéia, Ilha Comprida e Iguape. Não custa destacar que a

extração vai ocorrer a aproximadamente 300km da costa e que a situação geográfica do Vale, estrategicamente posicionado em relação à base de exploração, vai gerar créditos significativos decorrentes da própria exploração, sem contar as oportunidades de crescimento, com a instalação de mais e mais empresas ligadas ao setor. Estima-se que a exploração

de petróleo e gás na camada présal represente uma receita para o País de R$ 13 trilhões, dinheiro suficiente para colocar o País, e seu povo, num outro patamar de vida, a partir da criação de um fundo social soberano, cujos recursos sejam investidos em educação, saúde, geração de empregos, entre outros. “Aliás, é possível fazer muita coisa com esse dinheiro, a come-

çar pela destinação de boa parte dessa riqueza para os municípios, a fim de que possam investir em questões sociais e, em especial, na educação, incluindo a capacitação da mão-de-obra. Combater o déficit habitacional deve ser outra prioridade, assim como a consolidação de um sistema público de saúde que atenda aos cidadãos”, argumenta o deputado Márcio França (PSB-SP).

AS CIDADES Apesar de a exploração na camada pré-sal ainda engatinhar, já há aquecimento em termos de postos de trabalho em algumas cidades. Só a Petrobras deverá contratar 9 mil pessoas nos próximos quatro anos. O número de novos funcionários na cadeia produtiva, no entanto, será bem maior. Segundo os especialistas, para cada emprego direto criado no setor, surgem outros cinco indiretos. As novas oportunidades de emprego no setor começaram a surgir antes do anúncio do présal, em 2005. A área de petróleo e gás já emprega cerca de 1.100 funcionários na Baixada Santista, mas esse número deverá crescer, contemplando as cidades e regiões vizinhas. A estimativa é que a Região chegue a 32,5 mil postos, um aumento de 30%. De olho nesses empregos e influenciados pela descoberta da camada pré-sal, não são poucos os que têm investido em capacitação na área de petróleo e gás. O desembolso inicial na formação é considerado investimento. O salário de um engenheiro nessa área oscila na faixa de R$ 10 mil a R$ 15 mil. Especialistas garantem que as profissões ligadas ao setor estão em alta no mercado. Além disso, com o aumento dos investimentos federais no setor, toda a cadeia é afetada, inclusive a construção civil. Recentemente, a Petrobras anunciou que vai investir R$ 394 bilhões (US$ 224 bilhões) até 2014 em tecnologias e processos relacionados à exploração de petróleo, sobretudo na camada pré-sal. Os fornecedores de peças e serviços do mercado interno deverão abocanhar R$ 50 bilhões (US$ 28,4 bilhões) por ano desse total.

A opinião de quem vive o Vale Residente há 29 anos no Vale do Ribeira, dos quais os últimos 15 anos em Cajati, Luiz Francisco Faggioni afirma que é visível que a Região já vive um momento virtuoso de crescimento, com muitas obras de caráter urbano sendo realizadas nas diversas cidades. “E não é só isso. Muitas lojas, de grandes redes, foram inauguradas, o que demonstra que o Vale do Ribeira é cada vez mais atraente ao capital privado”, explica. Segundo ele, todo esse crescimento – e apesar de a renda per capita ainda ser baixa – é resultado da melhora do poder aquisitiva da população. “A gente vê mais carros novos nas ruas e bairros com casas de excelente padrão. A cidade de Registro, por exemplo, está praticamente toda

pavimentada e outras cidades também investem em obras de infraestrutura urbana”, comemora. Para Luiz Francisco, o présal já movimenta pelo menos os sonhos de muita gente no Vale do Ribeira. “A proximidade com Santos e mesmo a posição estratégica de algumas cidades já indicam que a Região também será beneficiada pela exploração de petróleo na camada pré-sal”. A chegada de grandes empresas à região, mesmo que ainda em pequeno número, revelam que o Vale de fato vai viver nos próximos anos seus melhores anos. “Em Cajati já temos a Vale do Rio Doce, a CIMPOR e a Fosbrasil. Registro acaba de ganhar um centro logístico do Boticário. Assim, aos poucos, o desenvolvimento vai chegando e todas vão

crescendo”. Ativista social e candidato a deputado estadual pelo PSB, o médico oftalmologista Franklin Cangussu destaca que algumas cidades, como Registro, de fato vêem se transformando em polo econômico. “Eu entendo que a própria privatização das operações da BR-116 também está trazendo desenvolvimento. A Região, no entanto, precisa equacionar, de forma plena, a questão da regularização fundiária para que outras ações pró-ativas se estabeleçam”, argumenta. O candidato a deputado estadual destaca que são os recursos do pré-sal, que vão beneficiar diretamente algumas cidades e, indiretamente, todas as outras devem ter uma destinação que permita a melhoria das condições

de vida do povo. “Isso adotando, também, todas as cautelas para que o desenvolvimento caminhe lado a lado com o respeito ao meio ambiente”. Para Franklin, o investimento na geração de empregos e o melhor aproveitamento das riquezas

naturais e do potencial turístico do Vale do Ribeira devem ser tratados com prioridade. “Se isso acontecer, o Vale do Ribeira também se transformará em engrenagem importante para puxar o desenvolvimento do Estado”, finaliza.

Franklin Cangussu

Luiz Francisco Faggioni


Expresso 4040 - Edição Especial Vale do Ribeira