Page 1

Maranduba, Dezembro de 2013

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 4 - Edição 56 Fotos: Ezequiel dos Santos

Centro Cambucá de Observação de Aves


Página 2

Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Queima de fogos na Maranduba Há dois anos organizamos a queima de fogos para a Maranduba. Este é um trabalho árduo feito por poucas pessoas em prol de todos aqueles que direta ou indiretamente dependem do turismo da Maranduba. Além do que é espetáculo para nossos turistas e para todos os cidadãos da Maranduba, Sertão da Quina, Araribá e todos os bairros que circundam a praia da Maranduba. É um momento muito importante de confraternização e festa e por isto esperamos ter a participação de todos. O espetáculo de fogos é como uma vitrine para a Maranduba dando a ela visibilidade e a importância que a Maranduba merece. É na valorização do turismo e de eventos maravilhosos como este que nossos turistas tão caros continuarão a nos visitar, promovendo a nossa sobrevivência e evolução como comunidade e como local turístico de atração. Gostaríamos que todos contribuíssem, na proporção de suas posses e de sua situação, nosso desejo é de que todas as diferenças sejam deixadas de lado em prol de um valor maior que é a manutenção e o crescimento do nosso turismo com vistas a prosperidade no futuro.

Editado por:

Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3832.6688 (12) 9714.5678 / (12) 7813.7563 Nextel ID: 55*96*28016 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Responsabilidade Editorial:

Emilio Campi Colaboradores:

Adelina Campi e Ezequiel dos Santos Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo

Sabemos que a situação não está fácil para muitos, mas cremos que com a efetivação de evento tão importante como a queima de fogos haverá a valorização da Maranduba e com isto a melhoria das condições de todos. Nossa luta já teve resultados, pois tanto a Prefeitura como a Contur já se comprometeram a ajudar para a queima de fogos. Contudo, existe ainda a necessidade de completarmos mais R$ 16.000,00 para que tudo fique certo. Assim, contamos com a ajuda de todos para promovermos este evento. Dividiremos as doações por cotas: 1) R$ 1.000,00 para as grandes pousadas, chalés, quiosques,comerciantes e congêneres; 2) R$ 500,00 para pequenos e médios comerciantes, pousadas, chalés e congêneres; 3) R$ 300,00 para proprietários de casas de veraneio, profissionais liberais, microempresários etc. 4) A quantia que for possível para todos os que puderem contribuir, o pouco que for já ajudará. Para aqueles que quiserem todas as contas estão abertas para conferência no escritório da D. Cecília no Marbela, tanto o livro de ouro quanto os recibos de pagamento.

Agradecemos a todos que nos contribuíram no anos passados e pedimos gentilmente que nos apoiem e nos ajudem nesta nova empreitada. E antecipadamente, BOAS FESTAS, FELIZ NATAL E FELIZ ANO NOVO. Cecília e equipe Marbela Produtos a serem utilizados: 12 Morteiros de 3” tiro seco c/ prata p/ início 95 Morteiros de 2” cores 02 Tortas de 60 tubos cores em leque 100 Morteiros de 2,5” cores 01 Torta 100 tubos leque crakiling 02 Torta de 49 tubos dourados c pisca 110 Morteiros de 3” cores 02 Tortas de 63 tubos efeitos zig zag 80 Morteiros de 4 “ cores 02 Tortas de 25 tubos efeitos giratorios creptante 40 Morteiros de 5” cores 01 Torta de 100 tubos efeito cascata 13 Morteiros de 6” cores 01 Torta de 145tubos super show 02 Tortas de 30 tubos efeito em w 06 Morteiros de 7” cores 01 Torta 100 tubos efeito crossete vermelho 13.000 Tiros p/ encerramento Tempo: Aproximadamente 25 minutos Evento realizado por técnico habilitado,detonado eletrônicamente. Já incluso todos os custos como :montagem,desmontagem,trans porte,hospedagem,alimentação, impostos e taxas.


Dezembro 2013

Página 3

Jornal MARANDUBA News

Bruno Covas recebe comitiva de Ubatuba PROMATA No último dia 11, o Secretario Estadual de Meio Ambiente de São Paulo, Bruno Covas, recebeu em seu gabinete comitiva de representantes, sendo o das quatro colônias de pescadores do litoral norte paulista, Jerri Eduardo Moraes e Odila – presidente e membro da diretoria da Colônia Z-10, Rafael Irineu da associação de engenheiros e arquitetos de Ubatuba e do PSDB local, um membro da Promata, da assessoria da presidência da Câmara legislativa e membros da executiva do PSDB de Ubatuba, litoral norte paulista. De forma tranqüila e descontraída, a conversa abordou temas de relevante interesse da coletividade do LN. Trabalhos de base comunitária Discutido foi à possibilidade de uma discussão sobre temas ligados a região sul de Ubatuba, precisamente na Pedra Preta, bairro Sertão da Quina. Um trata da religação de energia elétrica a uma residência de septuagenários e outra de uma parceria entre comunidade e PESM para assumir uma área como estrutura de atendimento da UC e trabalhos de base comunitária aquela região. Ficou acordado uma visita de membros da Promata ao gabinete do secretario para tratar deste tema especifico. Na oportunidade, o secretario pode observar em mãos a credencial da atividade de observação de aves de um integrante da associação, a ele foi dito que a idéia era expandir estes trabalhos a outras unidades de conservação dentro do estado. Também foi falado do esforço do trabalho do SOS Cachoeira em defesa

dos recursos hídricos na região. Por conta também dos temas da pauta estudou-se a possibilidade de uma agenda para janeiro a qual o secretario pretende visitar a sede da Promata e a tradicional missa do dia 8 naquele bairro, o PE Ilha Anchieta, órgãos, entidades e pessoas em Ubatuba. Pescadores do litoral Do lado dos pescadores, Jerri solicitou ao secretario a criação de um mecanismo legal para que os pescadores do litoral não sejam impedidos de trabalhar enquanto possuírem apenas o protocolo do registro da renovação da carteira de pesca. O fato acontece porque as renovações demoram a serem entregues à colônia pelo representante do Ministério da Pesca e Aquicultura no estado, isto vem acarretando prejuízos a categoria que fica impossibilitada de pescar por falta da documentação exigida, sendo autuados pela policia ambiental. Outra reclamação foi à preocupação quanto a criação de mais zonas restritivas à pesca artesanal, segundo Jerri o conjunto que trabalha os conselhos, não todos, mas a maioria tende a prejudicar o pequeno pescador, as vezes não é uma tratativa equilibrada. Na oportunidade ele diz ao secretario que a pergunta que a categoria faz é: até quando vamos poder pescar? O secretario se manifesta no sentido de que todos têm de participar das reuniões dos conselhos e que antes de assinar algum documento ele pretende informar e dialogar com a categoria. Também é uma reclamação dos pescadores que as regras são sempre criadas de cima pra baixo penalizando o pequeno.

Fotos: PROMATA

Autorização para exercer a dignidade A presidência da Câmara Municipal se fez representar através do assessor Roberto a qual informou das reclamações que o legislativo municipal vem recebendo referente à demora na expedição da autorização da troca de telhados, portas, janelas nas residências precárias no entorno e dentro da Unidade de Conservação. O secretario solicitou cópia de algum documento referente ao pleito. O secretario foi informado que não se trata de autorizar uma construção nova, mas oferecer condições habitáveis e dignas as já existentes. Resolução SMA 31/09 Outro tema importante discutido foi a dos levantamentos e possíveis alterações da resolução SMA 31/09 que vem prejudicando e limitando excessivamente o setor de moradias e construções. Irineu ressalta que já existem mecanismos legais a serem res-

peitados e que da forma que a resolução trata não significa necessariamente crescimento organizado, já que no litoral as áreas não seguem os padrões do resto do estado, necessitando, portanto serem tratadas de formas também diferenciadas, de acordo com a realidade daquele território. Todos interagiram nas conversas expondo os problemas e possíveis soluções. O secretario por telefone despachava com assessores as solicitações e as medidas às resoluções dos problemas. Parcerias e melhorias A reunião foi agendada pelo presidente do PSDB de Ubatuba Marcilio Lopes. Ele solicitou estudos da possibilidade de um mecanismo a qual permitisse a construção de uma rampa de salto de parapente, segundo ele existe em Ubatuba um grupo organizado que solicita entendimentos com a secretaria estadual para a atividade, já existe

um ponto identificado acima da serra próximo a Oswaldo Cruz, há mais de 900 metros de altura. O secretario solicitou mais informações e disse que tem que articular com outros atores esta possibilidade. Marcilio aproveitou a oportunidade para solicitar em nome do PSDB local a possibilidade daquela secretaria assumir o Horto Florestal em Ubatuba e transformá-lo numa espécie de parque ecológico com varias atrações e infraestrutura as famílias do município. Lá pode haver uma concha acústica com uma ampla área de lazer, trilhas, praticas de esportes, estudos, estágios e muito mais. Bruno Covas disse que iria estudas a possibilidade. Alguns ficaram de encaminhar documentos ao qual o secretario havia solicitado durante a reunião. Ao final todos tiraram uma foto no gabinete. Para a comitiva a reunião foi proveitosa e que agora aguardam os resultados práticos.


Página 4

Jornal MARANDUBA News

Dezembro 2013

Conseg e ACIU sugerem programa de rodízio voluntário para otimizar viagem ACIU Projeto é iniciativa da comunidade, que vai distribuir panfletos pedindo alternância de placas na SP-125 O Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) de Ubatuba inicia no próximo dia 22 o projeto “Rodízio Solidário, Amigos do Trânsito”, cujo objetivo é implementar revezamento voluntário do uso da Rodovia Oswaldo Cruz (SP125) aos domingos e finais de feriados no verão. 20 mil panfletos, custeados em parceria com a Associação Comercial de Ubatuba, serão distribuídos nas praias, restaurantes, pontos turísticos e cidades da região. A ideia é incentivar que o uso alternado da estrada seja adotado por livre arbítrio dos

motoristas conforme os números finais das placas dos carros: aqueles com identificação terminando em 1, 2, 3, 4 e 5, no retorno do litoral, passariam pela SP-125 das 14h às 19h. Já os veículos com placas encerrando em 6, 7, 8, 9 e zero optariam pelas viagens das 19h à meia-noite. O projeto dependeria da adesão voluntária porque, por lei, não há respaldo para torná-lo obrigatório. A ideia surgiu depois do último feriado de 15 de Novembro, quando o fluxo na Oswaldo Cruz ultrapassou em 48% o valor estimado, segundo o próprio DER (Departamento de Estradas de Rodagem), ligado à Secretaria de Estado de Logística e Transportes.

MEGA BRECHÓ NO SERTÃO DA QUINA Neste sábado, dia 21/12, a partir das 14 horas, grande venda de roupas usadas e semi-novas no Sertão da Quina. Preços populares! Local: Salão da Capela de Nossa Senhora das Graças ao lado da Igreja de Pedra. Objetivo: Melhorias a sede da Promata para atender a comunidade com cursos e qualificações a seus moradores. Colaboração: Capela NS das Graças, entidades associadas e colaboradoras. Participe!

Leia o Jornal Maranduba News na Internet:

www.jornalmaranduba.com.br


Dezembro 2013

Página 5

Jornal MARANDUBA News

Observação de aves – Uma alternativa sustentável – Parte 1 PROMATA A fim de melhorar o relacionamento com a comunidade e falar o porquê alguns membros da comunidade resolveram partir para esta atividade, a Promata descreverá um pouco da história da observação de aves. De inicio Embora pareça uma atividade exclusivamente de elite, várias comunidades já perceberam a importância como atividade sustentável de interação social e ambiental. Os observadores de aves representam o maior grupo de observação da vida silvestre do planeta. Esta atividade beneficia as comunidades por atraírem um grande número de profissionais à descoberta de temas específicos e da difusão do etnoconhecimento e etnoproteção. Também da possibilidade de proporcionar a seus agentes comunitários serem reconhecidos e descobridores de sua própria história. È uma atividade que existe há bastante tempo por volta do século XIV, onde o interesse por história natural, em especial pelas aves, tinha se tornado popular na Inglaterra, chegando mais tarde aos Estados Unidos. Conforme publicação de Lincoln Barnett, da The Wildlife Society, o interesse de Charles Darwin pelas aves era tão grande que certa vez ele questionou: “Por que todos os cavalheiros ingleses não se dedicam à ornitologia?”. Esta atividade ganhou força através da aristocracia do fim do século XVIII, onde a observação era praticada por proprietários rurais em suas terras Naquele período um livro que muito influenciou a atividade foi Natural History of Selborne, escrito e publicado

Os primeiros registros de aves dependiam exclusivamente dos desenhos observados. John James Audubon foi um dos pioneiros desta técnica em 1789 por Gilbert White, religioso de Hampshire, Inglaterra. O autor realizava notas cuidadosas das aves. Para se ter uma boa idéia da luta pela preocupação das aves da época o bom é ler sobre a história do lenhador Americano, que na realidade começou inglês John James Audubon (http://www.audubon. org/john-james-audubon)-(1785-1851), que embora andasse com uma espingarda conseguiu se tornar ícone maior do etnoconhecimento e também visionário da catalogação e proteção das aves no mundo. Audubon trocou a história

de matar pela a de contar. Sua história inspirou o premiado filme “The big year”. Ainda nos EUA em 1873, quando a Nuttall Ornithological Club – primeira organização norteamericana dedicada à observação e ao estudo de aves – foi criada em Boston por dois jovens ornitólogos: William Brewster e Henry Henshaw. Mais tarde em 1934, Roger Tory, deu inicio ao que conhecemos hoje como guia de aves, este modelo facilitou em muito as viagens ao redor do mundo para novas catalogações, em 1940, ainda nos Estados Unidos, John Baker, criou a National Audu-

bon Society, porque estava preocupada com o dilema de algumas espécies ameaçadas da Flórida. Esta entidade foi responsável pela popularização da atividade naquele país. Lá era difícil motivar a população para a proteção dessas aves em virtude do impacto econômico da caça aos patos selvagens para a hotelaria local, considerando que os observadores de aves naqueles tempos ainda não eram representativos. A National Audubon Society se movimentou no sentido de motivar a observação de tais espécies. A idéia funcionou. Os hotéis às margens do Lago Okeecho-

bee logo ficaram repletos de observadores de aves que se inscreveram para excursões conduzidas por guias especializados e guardas-parques. Birders oubirdwatchers é como são chamados os observadores de aves e é o grupo que mais cresce setorialmente no mundo, são pessoal adeptas do ecoturismo e que em sua maioria são entusiastas de interações com o meio ambiente e com as comunidades participantes. Para isto existe uma preparação dos dois lados: do observador a busca por informações sobre o local e as comunidades existentes. Do lado da comunidade a preparação e capacitação para esta e outras atividades relacionadas à observação. Como diz Carlos Rizzo, que não acompanha como guia, realiza outras tarefas tão importantes quanto caminhar ao lado dos ecoturistas observadores, um exemplo são os que preparam os pratos típicos, o pessoal da música, os contadores de história, os artesãos. Os diferencias é que são procurados por observadores profissionais – as atividades e conhecimentos ecocomunitários. A Promata vê Ubatuba e o Litoral Norte ainda possuírem um grande potencial a ser explorado, mas em parceria, o que trará possivelmente melhoras consideráveis na qualidade de vida e bem estar das comunidades. Fonte: Ubatubabirds, Carlos Rizzo, Wikiaves, Instituto Ecobrasil, Intituto Bioatlantica, The Internayional Ecoturismo Society, Global Sutainable Concil, National Audubon Society, Jornal Maranduba, Itamambuca Eco Resort, Parque Estadual Serra do Mar - Núcleo Picinguaba.


Página 6

Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Trabalho de Observação de Aves da Promata é apresentado ao Conselho do PESM Caragua EZEQUIEL DOS SANTOS No último dia 10, a Promata apresentou ao Conselho do Parque Estadual do Núcleo Caraguatatuba os seus trabalhos de base comunitária e inclusão ambiental. Na ocasião Carlos Rizzo utilizou o mesmo slide apresentado no Sertão da Quina na entrega das credencias de observação de aves a integrantes do grupo. Na oportunidade Rizzo falou dos benefícios em que estes trabalhos podem oferecer as comunidades que vivem no entorno e dentro das Unidades de Conservação. Para ele, nas explicações, existem muitas comunidades que querem ser parceiras do meio ambiente, porém no passado a criação destas unidades excluíram a população do entorno, criando um desconforto que é sentido até hoje por muitos habitantes do litoral. Foram apresentados os números de horas e as atividades em que o grupo do Ser-

tão da quina trabalhou para a finalidade e que outras comunidades, as do entorno da Unidade de Caraguatatuba, também podem realizá-lo. O conselho observou atentamente a apresentação, algumas perguntas foram levantadas e o cartão de visitas da equipe foi distribuído. Parte dos problemas em que o conselho de Caraguatatuba vem abordando foi discutido com muita propriedade pelos membros da Promata que participam das discussões. A apresentação é para dar embasamento a validação da credencial de observação de aves àquela unidade, também para falar um pouco da região sul de Ubatuba e das potencialidades que existem na localidade. A apresentação foi elogiada e representantes de outros municípios solicitaram informações para aplicar os trabalhos em sua cidade, já que é vista com bons olhos a atividade e seus trabalhos

Foto: Antonio de Oliveira

considerados uma alternativa viável tanto econômica, social e ambiental.

A apresentação deu o resultado esperado, o conselho se interessou pela atividade

e os trabalhos envolvidos e aguarda outra reunião para votar o reconhecimento.

Entrega de certificados do Projeto Oportunidades para Todos na Regional Sul Foto: ARS

No último dia 14, nas dependências da regional sul aconteceu a confraternização de entrega dos certificados de informática básica do Projeto Oportunidade Para Todos. Ao todo foram seis turmas de quinze alunos cada, duas vezes por semana, com faixa etária entre 12 a 60 anos. Ao todo foram 90 inscritos e formados 55 depois de 60 horas de qualificação entre os dias 2 de setembro e 14 de dezembro. O projeto é uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Ubatuba através da Administração Regional Sul e o Instituto de Cidadania e Raízes.

O evento contou com a presença dos alunos, familiares e convidados, do secretario de administração Jaime Coelho e de Odair Miguel que realizou as tratativas para que o curso acontecesse. Foram dias angustiantes até que o curso teve inicio. Segundo o administrador regional, Damião José, a idéia é não parar por aqui, a intenção da ARS é de buscar mais cursos de qualificação a comunidade da região. O certificado que foi entregue diz tudo, fala que a educação é uma longa estrada, mas que a viagem vale a pena. Agora é aguardar os que virão.


Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

A pé para Aparecida: “Vale a pena pela fé”, dizem romeiros EZEQUIEL DOS SANTOS Mais um grupo da região sul se juntou a grande equipe da cidade para mais uma edição da Romaria a pé para Aparecida do Norte/SP. Num total de quatro dias, três pelo menos passados caminhando e cantando e seguindo a multidão de fiéis em cumprimento ao seu dever religioso. A caminhada começou no último dia 27 de novembro e terminou no domingo seguinte. A cada ano um numero considerável de fiéis engrossam e se juntam aos milhares de peregrinos. Tirando os curiosos muitos tem uma finalidade real para realizar esta caminhada, alguns pelas graças alcançadas, outras pela promessa realizada, porém em sua maioria pela fé pura e simplesmente já que o caminho é árduo e a cruz a ser carregada é pesada. Ao fim, então a recompensa – o corpo dolorido, porém com a alma restaurada. Mais do que um costume apenas a atividade faz relembrar as histórias de infância e a vida de desbravadores dos entes passados. No quesito fé, são várias as paradas para colocar a prova o verdadeiro objetivo desta caminhada. Cansados, com os pés feridos, o corpo dolorido, com sede, picadas de borrachudos, nada disto é pra desanimar. Como atividade turística esta pratica vem crescendo vertiginosamente, existem agencias especializadas em peregrinações. Também por ser uma das formas de valorizar o simples, o sacrifício para um objetivo maior, as pessoas se sentem capacitadas a terem uma história valorosa para contar, não apenas falar de uma aventura qualquer.

A romaria a pé trata-se de uma caminhada para juntar pessoas que andam tão separadas pelas ferramentas tecnológicas que oferecem conforto e solidão. A turma da região sul vem na última década participando ativamente deste evento e tem em seus antepassados histórias comuns de fé e religiosidade que pretendem guardar e difundir como identidade cultural própria. Para alguns, o intuito da caminhada não é fazer turismo é pedir proteção, sentir em paz, engrandecer a alma, agradecer as graças e iluminação do caminho futuro. O evento que começou tímido tende a aumentar o numero de fiéis no próximo ano e com certeza a região sul mais uma vez marcará presença.

Página 7

Fotos: Aguinaldo José


Página 8

Jornal MARANDUBA News

Dezembro 2013

PROMATA divulga observação de aves na RedeTV CARLOS RIZZO Mais uma vez o PROMATA colabora na divulgação das aves de Ubatuba participando das gravações do programa Good News da Rede TV. O programa Good News é um espaço para divulgação dos atrativos naturais do Brasil e do exterior e a observação de aves de Ubatuba atraiu a atenção dos produtores pela maneira como foi implantada e vem sendo fomentada com o envolvimento das comunidades tradicionais e as escolas do município. Ubatuba tornou-se referência no trabalho com a observação pois desde o começo não ficou restrita ao turismo que atividade atrai. Claro que o turista interessa para a cidade, e os setores do receptivo envolvidos são capacitados desde 2005. Desde lá Ubatuba foi pioneira ao dedicar atenção especial a este importante segmento do turismo. O resultado é muito simples de se notar, em 2000 foi feita uma pesquisa para traçar o perfil do turista que nos visitava. Naquela época a sua grande maioria era de estrangeiros e eles eventualmente dormiam uma noite na cidade, quando a mesma pesquisa foi replicada em 2010 o que mais chamou a atenção foi que os turistas estrangeiros passaram a permanecer de 3 a 4 dias na cidade. Isso significa que depois do receptivo capacitado o turista estrangeiro passou a se sentir “em casa” e eles passaram a desfrutar com mais tranquilidade e informações a rica diversidade da nossa avifauna. Mais ainda em 2010 já podia se notar um grande numero de observadores do Brasil fazendo turismo em Ubatuba.

A equipe da RedeTV registra imagens de aves orientados pelo grupo PROMATA no Centro de Observação de Aves do Cambucá. Abaixo, o observador Fábio de Souza comenta sobre a atividade e sobre o surgimento do grupo PROMATA.

Do mesmo jeito Ubatuba inovou ao incluir a observação de aves como ferramenta de Educação Ambiental nas escolas do município. Muitos jovens observadores surgiram deste trabalho. O envolvimento das comunidades é uma decorrência do trabalho nas escolas, as crianças conversavam com os pais e eles começaram a se interessar pelo assunto e em 2010 começou o trabalho de capacitação das comunidades utilizando o Turismo de Base Comunitária. O Turismo de Base Comunitária impõe que o fomento da

atividade de turismo em comunidades deve envolver a comunidade na criação e gerenciamento do produto turístico. O programa veio para registrar justamente tudo isso e o grupo PROMATA foi solicitado pelo Núcleo Picinguaba do Parque Estadual da Serra do Mar (PESM) para apresentar o trabalho feito na comunidade do Sertão da Quina. Não é a primeira vez que isto acontece, o PROMATA já participou de outros programas e vem sido reconhecido como exemplo de participação da comunidade com responsabilidade ambiental.


Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Página 9

Centro Cambucá de Observação de Aves EZEQUIEL DOS SANTOS Criado em 2010 o Centro Cambucá nasceu para fomentar a observação de aves disponibilizando as instalações que o Núcleo Picinguaba tem naquele local. Além das instalações o local possui diversos ambientes que possibilita o avistamento de mais de 200 espécies de aves. O local era uma fazenda e com a desapropriação as áreas que foram degradadas com as atividades da fazenda aos poucos de estão se recuperando. O próprio lago era uma cava de areia que foi inundada como o encerramento da atividade. Tudo isso compõe um cenário ideal para as mais diversas espécies de aves, inclusive as migratórias que encontram abrigo no lago. Entre as atividades do Centro Cambucá está a utilização pelas escolas do município, tanto na capacitação dos professores quanto na parte prática da Observação de Aves com os alunos. O grupo PROMATA também recebeu esta capacitação lá no Centro Cambucá e por esta razão sempre é convidado para participar dos eventos de divulgação da atividade de Observação de Aves de Ubatuba. Não é a primeira vez que isto acontece, o PROMATA já participou de outros programas e vem sido reconhecido como exemplo de participação da comunidade com responsabilidade ambiental. O próprio PESM já manifestou o interesse que esta conquista da comunidade do Sertão da Quina seja passa para mais comunidades de outros municípios onde o Parque atua.

Vista aérea do Centro de Observação de Aves do Cambucá. Abaixo gestor da UC, Danilo Silva em entrevista a RedeTV


Página 10

Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Inventor de Ubatuba é premiado no programa “Caldeirão” da TV Globo Mais uma vez o estudante Isaias Campos Júnior surpreendeu e emocionou a platéia de todo o Brasil na apresentação de sua invenção – o SISMAR, um alarme que avisa quando há potenciais deslizamentos de terras em encostas. Isaías que mora na comunidade do Corcovado, região sul de Ubatuba, estudante de escola pública, tem viajado por todo o Brasil para apresentar seu trabalho, são poucos os que acreditam no seu talento que logo dará o fruto tão esperado. A façanha desta vez aconteceu no último dia 7, naquela tarde em rede nacional ele pode enfim ser reconhecido e premiado pela apresentação do seu invento no bloco Jovens Inventores idealizado pelo apresentador Luciano Huck, do programa Caldeirão da TV Globo. Um vídeo emocionante e interessantíssimo sobre alguns acontecimentos

em Ubatuba, a perseverança do jovem e o apoio dos familiares ajudou o público e os jurados a pensar nas notas que dariam. Segundo Isaías, mais do que o valor da premiação o reconhecimento é de muito valor para ele. Isaias que tem o

apoio incondicional dos pais fez uma bela apresentação do seu experimento, emocionando a todos que o assistiam. Os julgadores foram unânimes em suas notas dando a ele a pontuação máxima que podia receber. Com isto conquistou um curso preparatório

pré-vestibular e R$ 30 mil para ajudar no projeto. O bloco propõe a descoberta e mostra de boas iniciativas de jovens inventores espalhados pelo Brasil. A idéia é criar um dispositivo capaz de soar um alarme que avisa com antecedência a população de que um deslizamento acontecerá. Além da engenhoca possuir todas as condições de se tornar eficaz ela é de baixo custo. O jovem foi julgado por conhecedores da área, o geólogo Eduardo Soares de Macedo, o empreendedor Gilberto Dimenstein e o jornalista André Trigueiro. Seu trabalho encontra-se publicadas em varias revistas especializadas e é tema de varias matérias jornalísticas em todo país. Na internet é fácil achar publicações e trabalhos citando o jovem inventor de Ubatuba. O equipamento Isaias utilizou uma barra de cano PVC e dentro dele revestiu-se uma placa metálica

Vila Santana recebe padroeira na missa do dia 8 EZEQUIEL DOS SANTOS O padre Carlos Alexandre entregou oficialmente, na missa do último dia 8 no Sertão da Quina, a imagem de Santa Rita de Cássia Padroeira da Vila Santana a dois moradores do lugar. Nas explicações Padre Carlos diz que como foi difícil encontrar uma imagem desta santa ele pediu a de sua mãe para trazer a esta comunidade. A imagem foi entregue a Admilson Sena, 45, que ficará responsável por ela. O morador conta que utiliza sua casa para as atividades religiosas enquanto não tem um local mais adequado, fala que tem muita gente do bairro que o acompanham e que vai reali-

zar as visitas e rezas do terço nas casas dos moradores solicitantes. Morador da vila desde 95 ele tem um sonho de abrir um local para as celebrações no bairro, porém ainda esta em estudos. Moradores comemoraram a entrega e aguardam ansiosos à regularidade das atividades no bairro. Santa Rita de Cássia possui uma história muito sofrida, porém espetacular. Ela que foi colocada a prova várias vezes mostrou dentro da simplicidade o que poderia fazer em nome do amor de Cristo. Padroeira nos casos impossíveis e Advogada nos casos desesperados, tem seu histórico de vida documentado e registrado através

das irmãs do convento em que viveu depois de se tornar viúva. Como não viveu fantasiosamente deu vários testemunhos de milagres e resolução de causas impossíveis, como por exemplo, a árvore seca que regou por um ano e que floresceu depois de muitas chacotas e risos de quem a via molhar, sabe-se que até hoje são colhidos os frutos daquela arvore. Cheia de feridas, Santa Rita faleceu no dia 22 de maio de 1457 aos 76 anos de idade, neste dia o sino tocou sozinho anunciando a sua partida. As suas chagas se transformaram em perfumes e a que tinha na testa em rubi.

acompanhando seu contorno, colocando dentro da barra de cano uma barra de ferro. Foi feita uma rede elétrica simples, onde o cabo com polo foi ligado ao pêndulo. Na placa envolta ao cano há um cabo que leva direto ao dispositivo de alerta, ou seja, o sistema é como um interruptor convencional. A rede é ligada em um cabo que no caso vai ligado no pêndulo e ao acionar o sistema, quando encosta o pêndulo na placa, é levada energia ao sistema de alerta. “Percebi que era necessário um sistema que captasse ondas mecânicas geradas por possíveis acomodações de terreno ou erosões que podem ter como fato adjacente o deslizamento de terra, ou seja, algo como um medidor sísmico de fácil criação e funcionamento e de baixo custo já que o projeto foi originalmente criado para atender comunidades e vilas carentes”, explicou.


Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Página 11

Capela do Sapê passa por melhorias A capela do Sapê é um tanto quanto antiga, guarda belas recordações do povo primeiro do litoral brasileiro. Ícone de sua história, ponto de referencia até a atualidade, ela ajudou a receber os primeiros visitantes e religiosos da região. Toda construída em grandes tijolos e erguida em regime de mutirão, suas paredes ainda escondem o que a saudosa Olaria Maranduba fazia aos montes – os tijolões de barro. Hoje a capela está passando por melhorias depois de décadas sem alteração. Com o crescimento de visitantes, fiéis e colaboradores a comunidade se viu na necessidade de realizar algumas adaptações e melhorias. Na época em que foi construída ela dava conta do número de paroquianos que existiam, mesmo que por vezes muitos deles ficando do lado de fora, no caso dos casamentos. Existem obras-primas da mão-de-obra local em seu interior, como exemplo o estilo e a forma de colocação do forro interno. Ela já passou por melhorias de pintura e pequenos reparos e hoje a intenção é ampliar com varandas, reforço no telhado, colocação de um santíssimo, banheiros para cadeirantes, portas extras, cozinha nos fundos e mais algumas coisas. Os fiéis da região ainda se lembram da data em que ela quase foi vendida como um imóvel qualquer, mas a comunidade bateu o pé e resguardou este

patrimônio nacional. Bingos para a reforma Os organizadores estão satisfeitos com as colaborações, principalmente com os bingos que realizam. Quem não pode doar alguma coisa, doa mão-de-obra, quem não faz uma coisa, procura outra para colaborar e assim toda arrecadação está sendo revertida em melhorias. Há os que pagam alguns dias de pedreiro, outros são voluntários para o jardim, há quem providencie alimentação, café, suco, água por exemplo. Os bingos têm atraído fiéis de outras cidades e paróquias, caso da Paróquia Santa Terezinha de Caraguatatuba, que muito tem colaborado com esta obra. O último bingo realizado, dia 15, foi sucesso de público e crítica, já que muitos colaboradores comparecerem, principalmente turistas. O encontro também serve para reunir os familiares, amigos, parentes e os novos que queiram colaborar com esta causa e colocar a conversa em dia. Os novos integrantes são bem vindos, pois são muito importantes na manutenção e melhoria deste patrimônio brasileiro. As celebrações na Capela Santa Cruz do Sapê acontecem todos os domingos as 8 da manhã, horário ideal para o turista que pretende aproveitar o vento, o mar e as belezas da região.

Bingo! Dia 05/01/2014 (domingo) a partir da 14:30 hs. Local: Salão da Capela Santa Cruz no Sapê, em frente a Camar Carnes na Maranduba. 1º Premio: bicicleta 2º Premio: jogo de panelas 3º Premio: ferro elétrico Participe e traga sua família!

ANUNCIE: (12) 99714.5678 - 38326688 Jornal Maranduba News

Jornal MARANDUBA News

TODO MUNDO LÊ. ANUNCIE: (12) 9714.5678


Página 12

Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Dicionário de vocábulos e expressões caiçaras - Parte 26

TATETO - ( s.m. ) - cateto; porco do mato de pequeno porte. TATU - ( s.m. ) - madeira empregada no vigamento das construções , como a casa de pau a pique, a casa de farinha, o rancho, etc... TAUBA DA BALANÇA - (s.f. ) lascas de madeira ligadas por fios de arame ao varão, recebendo as pedras que o envergam, constituindo assim uma peça da arataca. TECENDO- (v.t.d.) – andar se tecendo é andar de baixo pra cima, batendo perna, ou andar de um lado para outro, atrapalhando as pessoas. ” Mas não dá pra ver nada com esse menino se tecendo pelo meio da sala.” TEMPERá - (v.t. ) - afinar o instrumento ; afinar um pelo outro, no mesmo tom; temperar o café com açucar. TEMPO ARRUINADO- (s.f.) – tempo de chuva, improprio para pesca, para plantio. TEMPO-QUENTE - (s.m.) -confusão em que se envolvem muitas pessoas; rolo. TENCA - ( s.f.) - buraco que fica numa das extremidades, no jogo de bolinha de vidro ( de gude ) , que consiste de cinco buracos, em forma de cruz; começando-se pelo primeiro buraco chamado de matança, vai-se depois para o meio, lado esquerdo, volta-se ao meio, lado direito, volta-se ao meio, vai-se para a tenca ( último buraco, acima) e volta-se na mesma sequência até a matança-reta ( primeiro buraco ), quando procura-se acertar a bolinha do adversário para ganha-la. TENDáR- ( s.m. ) - mesmo que estendal, local para estender e

secar as redes de pesca. Armação onde se expõe as redes de pesca para enxugar depois de encascadas no banho de jacatirão. TENHO COMIGO - ( loc.v. ) tenho para mim; eu acho que; eu penso que. TENHO PRA MIM - ( loc.v. ) eu acho que; eu penso que; eu tenho comigo. “ Eu tenho prá mim que essa individa tá mentindo . “ TERÇA - ( s.f.) - denominação de cada uma das três varas roliças , na sustentação da coberta de sapê da casa de pau a pique; peça de madeira que segura os caibros, para estes não vergarem. TERNEIRO - ( s.m. ) - cria da vaca até um ano de idade; bezerro novo. TERREIRO - ( s.m. ) - espaço terraplenado em redor da casa , constituindo o quintal de solo firme e desnudo. TERRINA - ( s.f.) - vaso de louca ou metal, e com o qual se leva a sopa ou o caldo à mesa. TESO - (adj.) - rijo; esticado; imóvel. TESOURA - ( s.f.) - peça de madeira, que sustenta a cobertura da casa. TETéIA - (adj.) - pessoa ou coisa muito graciosa; nome dado pelos adultos à lua, quando falam com crianças. THABAUM- ( interj. ) - expressão que imita o som de um corpo caindo na água; ou usada no sentido de alguma coisa feitas às pressas ou sem muito capricho. “ Comemo um franguinho feito à moda thabaum mesmo que não dava prá esperar a fome. TIBá - (adj./s.m. ) - valentão ; competente ; craque. TIBÍ - ( s.m. ) - cheio; apinhado; lotado. TIBUM - ( interj. ) - expressão que imita o som de um corpo caindo na água. “ caiu n’água e fez tibum. “ TICACA - (adj.) - pessoa de cor escura; negro. TIÇãO - ( s.m. ) - pedaço de lenha acesa ou meio queimada. TIGUéRA - ( s.f.) - vegetação característica de terra, anos atrás cultivada, apresentando núcleos compactos de árvores

novas de médio porte; capoeira; roça abandonada depois da colheita. TIJUCO - ( s.m. ) - lama; lodo; atoleiro; charco. TIMBOPéVA -( s.m.) - cipó forte e flexível usado na confecção artesanal de de balaios, cestos, chapéus, saricos . TIMIRIDADE - (s.f.) - temeridade ; grande quantidade ; muita coisa. TINA - ( s.f.) - peça de madeira, em forma de vaso, para banho ou lavagem de roupa. TINGUAÇO, TINGUACEIRO( adj.) – mesmo que prealo, lapa, coisa mto grande. “ Aquele caxo de banana alhí deu cada tinguaço que só vendo” “ Caiu um tinguaceiro de chuva que quaje se alagámo.” TINGUILIM - ( s.m. ) - peça de madeira usada como armador nas buizas. TINHOSO - (adj.) - teimoso ; pertinaz ; diz-se também do diabo. TINJóL- ( s.m. ) - corante de roupas. TINTO- (adj.) – mesmo que retinto; céu escuro com nuvens negras de temporal. ” Vosmece não vai sai pro mar com esse temporá que vem aí.Olha o céu como tá tinto” TINTUREIRA - ( s.f. ) - tubarão de tamanho médio, muito temido pela sua ferocidade. De cor cinzento plúmbeo, atinge até 10 mts de comprimento e tem a cabeça arredondada. TIPIOCA - ( s.f.) - vide tapioca; fécula decantada do caldo verde da massa sevada da mandioca; bijú de tapioca temperado com erva-doce ou coco raldo. TIPITI - (s.m.) - cesto de cipó timbopeva, tecido na técnica dos samburás ou saricos e balaios de tecidura flexível, onde se acondiciona a massa verde da mandioca sevada para ser prensada e enxugada na arataca, numa determinada etapa do seu beneficiamento, para o fabrico da respectiva farinha. TIPUTá – ( s.m.) – diz-se daquelas folhas e galhos boiados, que a maré vazante leva consigo, formando um redemoinho . TIRá CANOA - ( loc.v.) - o mesmo que tirar o corte.

TIRá FARINHA - ( loc.v. ) - procurar briga; exigir satisfações; levar vantagem. TIRá DA PROA - ( loc.v. ) - tirar da frente. TIRá O CORTE - (loc.v.) - operação em mutirão, preliminar ao fabrico da canoa, que consiste em, com a presença do cabador, acamparem na mata, derrubarem a árvore , limparem-na e tirarem o corte, e em seguida com cabos e alavancas arrastarem a tora até o curso de um rio próximo, lancarem-na na água, afim de que o rio a transporte até o local onde será lavrada. TIRAMENTO - ( s.m. ) - operação de tirar algo. “ esta perna é boba anssim que machuquei no tiramento de canoa “ TIRANIA - tiranice; maldade; crueldade. “ Isso daí já é tirania dela . “ TIRANTE - (adj. ) - afora; excluído; fora isso; com excessão;exceto. TIRARÍRA - (s.m. ) - levar um tiraríra é levar um fora; levar uma vaia ou uma gozação. TIRARO - ( v.t.) - tiraram; pescaram. “ Faiz tempo que tão arrastando ? Já tiraro quantas tainha ? TIRIÇA - ( s.f.) - icterícia . TIRIÚMA , TIRIÚME - ( s.m. ) - só; desacompanhado; diz-se do cafezinho simples. Esta expressão, com este significado, é originária do Caribe, com a grafia Tyrieume. TIRIVA - ( s.f.) - espécie de pássaro ; tipo de periquito. TIRPE ou TIPE- ( s.m. ) - o integrante da cantoria da Bandeira do Divino, com voz de soprano; mesmo que tiple; menino que canta na romaria do divino espírito santo (bandeira), cujo timbre de voz é igualada ao agudo. TIRRITICA - ( s.f.) pigarro;irritação da garganta; gripe forte; doença do peito; espécie de pássaro. TÍSICO - ( s.m. ) - tuberculoso. TISNADO - (adj.) - tostado; enegrecido. TITéLA - ( s.f. ) – a parte mais carnuda do peito das aves; peito gordo das aves. TITICA - ( s.f.) - excremento ; coco ; merda

TITICA DE GALINHA - ( s.f.) coisa sem valor; traste; excremento ; cocô de galinha. TITINGA , PITITINGA - ( s.f.) manchas na pele; sardas. TIZIU - ( s.m. ) - espécie de pássaro. TO-FRACO - (adj.) - nome dados à galinha d’angola. TOCHEIRO - ( s.m.) - facheiro; grande lampião usado para pesca. TOEIRA - ( s.f.) - a segunda corda da viola. TOLETE - ( s.m.) - pequeno rolo de madeira, de fumo ou de qualquer outra coisa. TOMADOR DE CONTA - ( s.m. ) - caseiro; tomador de conta de terreno ou casa. TOMARA QUE AMANHEÇA - ( adj. ) - diz-se do cobertor curto. TOMBA LAS AGUAS - ( s.m. ) lugar onde se encontram duas marés, num canal que tenha duas saídas para o mar. TONíCA ou TUNíCA – (s.f.)mesmo que aratú, denominação popular de várias espécies de caranguejos que habitam manguezais, todos eles apresentando carapaça trapezoidal; caranguejo vermelho-escuro com pintas claras sobre a carapaça, também conhecido em Cananéia como Tonica, Tunica ou Maria Mulata. TOPADA - ( s.f.) - bater ou ir de encontro com os pés. TORNOQUE - ( s.m. ) - osso; ossada do peixe ou galinha. TORó - ( s.m. ) - chuvarada; aguaceiro. TORRADO - (adj.) - bêbado; embriagado. TOSSE-COMPRIDA - ( s.f.) coqueluche. TOTIÇO - ( s.m. ) - parte posterior da cabeça; nuca. TRAÇADO - ( s.m. ) - bebida feita com a mistura de cachaça com vermute. TRAFICÂNCIA - ( s.f.) - mesmo que bugigangas. Fonte: PEQUENO DICIONÁRIO DE VOCÁBULOS E EXPRESSÕES CAIÇARAS DE CANANÉIA. Obra registrada sob nº 377.947-Liv.701. Fls. 107 na Fundação Biblioteca Nacional do Ministério da Cultura para Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP .


Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Página 13

Família faz festa para casal que comemora 64 anos de matrimonio EZEQUIEL DOS SANTOS Em ritmo de festa, a família de Sebastião Pedro e Maria Gaspar realizaram no último dia 7 no Sertão da Quina a 64ª festa de comemoração matrimonial do casal. A rua ficou lotada de parentes, familiares, amigos e convidados para este evento. A chuva prejudicou um pouco, já que nem todos podiam vir por conta dos aguaceiros. Num total de 10 filhos, 27 netos e 12 bisnetos a festa foi grande e comemorada a cada minuto. O padre Manoel compareceu para realizar a benção das alianças, porém o noivo pediu uma missa, foi uma correria para atender o patriarca. No final tudo correu bem. Pelos anos de vida a comemoração passou de um evento familiar para um evento do bairro, tendo em vista a existência dos raros casais que chegam a este tempo de matrimonio. Os preparativos consumiram dois dias dos familiares, foi um tal de esticar a lona, corta bambu, prepara

os equipamentos de som e iluminação, arrumar o quintal, arruma o caminho, realiza os convites, confere o check list, etc. Ao final da festa as brincadeiras se fizeram presentes. Este ano foi colocado um slide com varias fotos do passado e do presente, um vídeo também foi preparado pela família. Na foto oficial dos pombinhos a réplica de uma grande foto foi esticada atrás do bolo de recomemoração. Em tom de brincadeira, uma das filhas confessa que não gosta deste momento, pois quando os pais perdem a conta dos anos de convivência, recorrem a ela para realizar as contas de que esqueceram, pois pela idade da filha relembram o tempo passado juntos, claro que é pura brincadeira. A família agradece os participantes que ajudaram a realizar um daqueles momentos em que o dinheiro não pode pagar – felicidade pura e verdadeira. Os convidados claro já aguardam para a próxima edição. Falta dizer onde será a lua de mel. Parabéns ao casal!


Página 14

Dezembro 2013

Jornal MARANDUBA News

Região recebe mais uma edição do Ubatuba Cup EZEQUIEL DOS SANTOS Mais uma vez os campos da região sul de Ubatuba recebem em peso a 4ª Edição do Ubatuba Cup. Com pelo menos vinte equipes, vários clubes de grande porte enviaram seus alunos para disputar troféus em nosso litoral. Desta vez participa também um time do Paraguai. O evento que começou dia 16 e tem previsão de término para o dia 19. Para o futebol disputam as categorias sub 11, 13, 14 e 15 e no futsal as categorias sub 11, 13 e 15. Ubatuba está representada na competição com as equipes do Sertão da Quina e Sumidouro. Os campos utilizados são dos bairros da Maranduba, Sertão da Quina, Rio Escuro e o estádio municipal. Para o professor Pérsio Jordano, que dirige a equipe do Sertão da Quina “é uma opor-

tunidade de interagir com outras pessoas, conhecer novas jogadas de futebol, mostrar os talentos e quem sabe fazer amizade, mas na realidade a molecada quer mesmo é jogar futebol”, comenta o professor. Para a organização do evento existe para esta competição uma combinação perfeita entre amigos, futebol e natureza. Na realidade é para aproveitar as férias escolares e participarem de atividades físicas - educacionais. Os municípios participantes são os considerados circuitos das águas: Lindóia, Monte Sião, Serra Negra, Águas de Lindóia e Ubatuba, a única do litoral. Cada partida é disputada como se fosse à última e raramente algum jogador deixa de participar. No país da Copa mais do que vontade de jogar é mostrar paixão por este esporte considerado parte da identidade nacional.

Embora despercebidos, região possui mostra de trabalhos artísticos EZEQUIEL DOS SANTOS Dois dos últimos trabalhos artísticos em tamanho grande encontra-se em exposição permanente na região. Para ver e apreciar o trabalho não é cobrado entrada, basta observar melhor o que a localidade oferece. Um deles cobre a parede central da Capela de São Maximiano Kolbe, no bairro da Lagoinha e o outro está na rua da cachoeira no Sertão da Quina. Da Lagoinha trata de pintura sacra e que na missa do bispo diocesano chamou a atenção de centenas de fiéis que participavam da celebração. A assinatura é do artista A. Batista e que levou algumas semanas para ficar pronto.

Outro é do já conhecido Sergio Filé que vem galgando degraus num projeto de pinturas de temas da floresta nos muros do bairro, desta

vez ele pintou uma onça bebendo água na parede externa de uma residência na rua da cachoeira, esquina com a Rua do Boiadeiro. Ali, na-

quela esquina o camarada dá de cara com uma onça, ainda bem que é apenas uma pintura. Numa região cuja história se formou pela cultura nas suas mais variadas formas, entre elas o artesanato, a musica, a gastronomia, a dança é sempre bom lembrar-nos dos artistas que ousam à bem da comunidade. Quantos outros ainda estão por vir e quantos foram deixados para traz. A boa observação e incentivo ajuda

muito a revelar e enaltecer estes talentos que embelezam o lugar e enriquecem nossa manifestação cultural. Faça a sua parte, colabore e observe melhor a paisagem.


Dezembro 2013

Página 15

Jornal MARANDUBA News

Coluna da

Médicos Cubanos chegam em Ubatuba para atender pelo SUS Adelina Campi

O Espírito do Natal Deixa eu ver se o espírito do Natal já está na sua casa. Não, não quero ver a árvore iluminada na sala, nem quero saber quanto você já gastou em presentes. Quero, sim, sentir no ambiente a mensagem viva do aniversariante deste dezembro mágico: toda a família está unida? O perdão já eliminou aquelas desavenças que ocorrem no calor das nossas vidas? Não quero ver a sua despensa cheia, quero saber se você conseguiu doar alguma coisa do que lhe sobra, para quem tem tão pouco, às vezes nada. Não exiba os presentes que você já comprou, mesmo com sacrifício; quero ver aí dentro de você a preocupação com aqueles que esperam tão pouco, uma visita, um telefonema, uma carta, um e-mail... Quero ver o espírito do Natal entre pais que descobrem tempo para os filhos, em amigos que se reencontram e podem parar para conversar, no respeito do celular desligado no teatro, na gentileza de quem oferece o banco para o mais idoso, na paciência com os doentes, na mão que apóia o deficiente visual na travessia das ruas, no ombro amigo que se oferece para quem anda meio triste, perdido.

Quero ver o espírito de Natal invadindo as ruas, respeitando os animais, a natureza que implora por cuidados tão simples, como não jogar o papel no chão, nem o lixo nos rios. Não quero ver o Natal nas vitrines enfeitadas, no convite ao consumo, mas no enfeite que a bondade faz no rosto das pessoas generosas. Por fim, mostre-me que o espírito do Natal entrou definitivamente na sua vida, através do abraço fraterno, da oração sentida, do prazer de andar sem drogas e sem bebidas, do riso franco, do desejo sincero de ser feliz e, de tão feliz, não resistir ao desejo de fazer outras pessoas também felizes. Deixe o Natal invadir a sua alma, entre os perfumes da cozinha que vai se encher de comidas deliciosas, no cheiro da roupa nova que todos vão exibir, abrace-se à sua família e façam alguns minutos de silêncio, que será como uma oração do coração, que vai subir aos céus, e retornar com um presente eterno, duradouro: o suave perfume de Jesus, perfume de paz, amor, harmonia e a eterna esperança de que um dia todos os dias serão como os dias de Natal. Feliz Natal para você e para os seus!

COMUNICAÇÃO PMU Dois médicos cubanos chegaram em Ubatuba nesta sexta-feira, dia 13 de dezembro, para trabalharem na cidade pelo Programa Mais Médicos do Governo Federal. A Dra. Rosa Losada, 51 anos, e o Dr. Eduardo Varela, 40 anos, foram recebidos na Secretaria de Saúde do Município pelo secretário de Governo e pela equipe da pasta. A partir do mês que vem, eles estarão à disposição da população em postos de saúde a serem definidos nos próximos dias. O salário dos profissionais será pago pela União. O município fica responsável pelos custos de estadia e alimentação. No Brasil desde o começo do último mês de novembro, os profissionais passaram por um curso de adequação ministrado na capital paulista e encon-

tram-se aptos para atender os munícipes. Experientes, Dra. Rosa e Dr. Eduardo contam que já estiveram em outros países da América Latina (Venezuela e Guatemala) e afirmam que o internacionalismo é um princípio nas universidades de medicina de seu país. “Viemos contribuir humildemente, ajudar a população mais necessitada e apoiar o Sistema Único de Saúde (SUS)”, diz Varela. “Além disso, viemos para trocar experiência e conhecimento com os colegas brasileiros”, completa Losada. “A chegada desses profissionais é importantíssima para ajudar na construção do Sistema Único de Saúde ubatubense. Estamos muito felizes e esperançosos”, comemora Hebe Soares, coordenadora de gestão da Secretaria de Saúde.

Anuncie! Jornal Maranduba News (12) 99714.5678 (12) 3832.6688


Jornal Maranduba News #56  

Notícias da Região sul de Ubatuba

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you