Page 1


Índice

SCODB

02 Nota de Pesar 03 SCODB auxilia na fundação e instalação do 1 º Capítulo DeMolay da Argentina 05 Supremo Conselho do Grau 33 reconhece SCODB como único, soberano e legítimo 06 GNLJ lança maior campanha filantrópica da Ordem DeMolay brasileira 07 Apaixonado por ritualística, Mestre Conselheiro Nacional Adjunto lança livro 09 Dois projetos filantrópicos já foram aprovados e serão beneficiados pelo FNF

GOB–RJ 10

Posse do Tio Edimo Muniz Pinho como Grão Mestre e o Ir. Archimedes Machado como G.M. Adjunto

Ordens filiadas e paralelas 11 12 13

EFOC - Encontro Fluminense da Ordem da Cavalaria Fundação de um Bethel Lírio Imperial Escudeiros da Távola Redonda

Artigos 15

“Comece o ano Bem na Ritualística”

15 15 17

Posse no Sir Galahad nº1 0 Iniciação e posse no Capítulo Nova Friburgo nº1 38 Dia DeMolay

19

Entrevista com o DeMolay André William Chormiak sobre a estrutura do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil

A ordem pelo Estado

Bate-papo DeMolay com...

Palavra do Grande Mestre Estadual 23

Palavra do Grande Mestre Estadual, Rodrigo José Nascimento, sobre expectativas de crescimento da Ordem nesse ano.

Equipe DeMolay RJ: Icaro Titan, Igor Tostes, Wallace Tarenta, Dawyson Wüster Frossard, Lucas Costa de Lima e Gustavo Gevesier. Aloan Sobral e Marcelo Junior, Nickolas Fernando, Lucas Melo de Almeida, Matheus Fernandes, Renan Lemos e Willen Vieira. Saul Zinato. Revisores: Samuel Figueiredo e Guilherme Cirne.


O Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil mais perto de você!

Nota de Pesar Neste último domingo nosso Pai Celestial chamou à sua companhia uma grande quantidade de jovens, e dentre eles estavam Victor Datria Macagnan, DeMolay membro do Capítulo Cruz Alta e as Filhas de Jó Isabela Fiorini e Mariana Comassetto do Carmo, pois eles já tinham cumprido sua missão nesta terra. Nesta hora questionar o inquestionável, não nos servirá de nada, nada podemos frente às interrogações da vida. Basta-nos, neste momento de dor infinita, tomar para nós a visão de um futuro feliz, alegre e promissor que eles nutriam e com esta visão os perpetuaremos em nossos corações. O Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, neste momento, se solidariza com todas as famílias que se viram privadas da companhia de seus entes queridos e sente-se também em Luto pela partida do Victor e para homenageá-lo usa das palavras de seus irmãos de Capítulo: “Victão, o Capítulo Cruz Alta quer que você saiba, onde quer que você esteja, que somos eternamente gratos pela sua competência e colaboração. Que você tenha podido olhar o sol meridiano, se aproximado do meio dia da vida, descoberto o ocaso da vida, encontrado sol nascente da manhã da vida e que já possa olhar através do portal dos anos de preparação. E jamais se esqueça, UMA VEZ DEMOLAY, SEMPRE DEMOLAY! Descanse em paz, irmão!” “Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem antes de nós”. (Amado Nervo).

Rogamos ao Pai Celestial para que o receba em sua Santa Glória. Aceitem, em nome de toda Família DeMolay do Brasil, nossas solidariedade e sentidas condolências. Fraternalmente, ALEXANDRE VOLNEY RIZZI

Grande Mestre Nacional


SCODB auxilia na fundação e instalação do 1 º Capítulo DeMolay da Argentina dessa vez em Rosário. “Com a mesma ideia falei sobre a Ordem para as Lojas e Maçons, que a princípio não via muito fatível. Inteirado de que havia alguns DeMolays vivendo aqui tratei de procurá-los e somar esforços para o empreendimento, que realmente deu mais força para tal”, explica. O primeiro Capítulo DeMolay da Argentina, oficialmente instalado na manhã de hoje (24), em Rosário, a aproximadamente 300 quilômetros de Buenos Aires, contou com o auxílio do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil (SCODB), desde sua fundação. O momento é histórico e marca um avanço em prol da juventude daquele país. O objetivo de fundar um Capítulo na Argentina surgiu ainda em 201 0, em Santa Fé. Por trás desse sonho estava o DeMoLay e Maçom brasileiro, Gledson Luiz. “Tratei de difundir e explicar o que era a Ordem DeMolay para as Lojas e maçons daquela cidade, e ao mesmo tempo pude conversar duas vezes com o Grão Mestre da Grande Loja Argentina”, conta. Após o primeiro passo, Gledson deu prosseguimento ao sonho,

Segundo Gledson Luiz, foram várias conversas e logo surgiu o interesse de apoiar a iniciativa, “sobretudo do Lugar Tenente Comendador do Supremo Conselho do Grau 33 para a República Argentina, Cesar Díaz Colodrero”, que teve contato com a Ordem DeMolay através do maçom, Alberto Mansur, nos anos 80 e 90, no Rio de Janeiro. Logo no começo, o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil (SCODB) foi procurado por maçons de Rosário, que queriam saber os procedimentos para abertura de um Capítulo DeMolay, os seus objetivos, como era o funcionamento da Ordem, entre outras coisas. O diálogo ocorreu através da Comissão de Relações Internacionais, presidida por Carlos Eduardo Amaral. Após os primeiros passos, começaram os trabalhos em busca dos primeiros DeMolays

a serem iniciados em solo argentino. “As buscas foram através das Lojas Maçônicas, filhos de maçons, visitamos escolas, palestras com vídeos e panfletos sobre a Ordem, com e-mail e telefones de contato nas portas de colégios. Posteriormente foi feito a devida sindicância com cada candidato”, detalha Gledson Luiz. Gledson explica, porém, que a busca por jovens de 1 2 a 21 anos tem sido difícil, devido ao preconceito. “Tivemos várias desistências dos que não eram filhos de maçons porque aqui existe um preconceito enorme sobre a Maçonaria e, por tabela, nos atingiu. Por mais que argumentamos e demos toda explicação possível sobre a Ordem foi difícil porque é uma coisa nova e desconhecida para a Nação Argentina”, argumenta. Mesmo com as barreiras ainda encontradas, o Capítulo Rosário nº 01 nasce com muita força, emanada de homens de bem, que se dedicam pelo sucesso da Ordem no país. Atualmente o Conselho Consultivo possui 11 membros, sendo Gledson Luiz o presidente. No começo, o Capítulo trabalhará em um estatuto interno, junto com o Conselho Consultivo e com maçons advogados, tendo em vista uma futura constituição baseada na do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil (SCODB) e na do Supremo Conselho da Ordem


No começo, o Capítulo trabalhará em um estatuto interno, junto com o Conselho Consultivo e com maçons advogados, tendo em vista uma futura constituição baseada na do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil (SCODB) e na do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Paraguai (SCODP). Os rituais utilizados serão os já traduzidos pelo SCODP. “Futuramente teremos que traduzir e modificar algumas palavras que não usam e que são diferentes em países de língua castelhana”, afirma Gledson. O Grande Mestre Nacional do SCODB ressalta o orgulho de ver a Ordem DeMolay

crescendo pela América do Sul e pelo mundo. “A expansão da Ordem DeMolay representa a continuação do trabalho iniciado pelos Tios Frank Shermann Land e Alberto Mansur. Nosso pensamento é de que a Ordem DeMolay deva existir em todos os países, assim como a Maçonaria, pois ela trabalha diretamente na formação dos jovens, garantindo um futuro melhor a eles”, destaca Rizzi.

disposição para o que eles precisarem em termos de auxílio administrativo, ritualístico e fraternal”, afirma Rizzi. Nossa expectativa é que o Capítulo Rosário n° 01 possa mostrar sua vibração à toda a Argentina, pois não era possível que um país tão influente na discussão de ideias - e com uma Maçonaria tão atuante - não tivesse ainda abraçado uma causa como a da Ordem DeMolay”, enfatiza o presidente da Comissão de Relações Internacionais do SCODB, Carlos Eduardo Amaral.

A partir de agora, o SCODB continuará com o trabalho que vem sendo desenvolvido. “Nós enfatizamos que eles devem se auto-gerenciar e promover a expansão de novos Texto/Crédito: Maycon Corazza Capítulos. Estaremos à


Supremo Conselho do Grau 33 reconhece SCODB como único, soberano e legítimo O Supremo Conselho do Grau 33 (SC33) do Rito Escocês Antigo e Aceito reconheceu o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil (SCODB) como única instituição, soberana e legítima para gerir a Ordem DeMolay no Brasil. O decreto oficializando a posição foi assinado em agosto e divulgado no último sábado (11 ), durante as comemorações dos 1 80 anos da instituição maçônica. De acordo com o Grande Mestre Nacional do SCODB, Alexandre Volney Rizzi, o Tratado de Reconhecimento foi uma grande surpresa. “Na realidade o que buscávamos há algum tempo era um Tratado de Amizade, mas para nossa grata surpresa fomos agraciados com um Decreto de Reconhecimento, o que nos deixa muito honrados pela confiança a nós depositada”, afirma Rizzi. Rizzi destaca a importância do Supremo Conselho do Grau 33. “Sendo o SC33 uma

Instituição maçônica que completa 1 80 anos e conta em seus quadros com as mais altas dignidades maçônicas de nosso país, pode-se muito bem avaliar o peso desta Instituição. Este peso mede-se por sua história, pelo respeito e por sua tradição bem como pelos inúmeros maçons que por ali passaram e que ajudaram a construir a história de nosso país”, argumenta. O decreto trará como reflexos garantir ainda mais confiabilidade e respaldo para que o SCODB atue junto às Lojas Maçônicas, com o objetivo de mostrar a importância de se patrocinar um Capítulo DeMolay. O documento é ainda um reconhecimento da História, maior prova da soberania do SCODB. Sem dúvida alguma este decreto faz jus e comprova o que a história já conta, ou seja, a legalidade e a soberania para gerir a Ordem DeMolay em nosso pais é do Supremo Conselho da Ordem DeMolay

para o Brasil, que a custa de muita luta e trabalho de inúmeros jovens e maçons mantem em plena atividade há mais de 25 anos este honroso mister de proporcionar a nossos jovens uma formação sadia e cidadã”, enaltece o Grande Mestre Nacional. A solenidade em que o decreto foi tornado público contou com a presença de vários Grãos Mestres do Grande Oriente do Brasil (GOB), DeMolays e autoridades maçônicas. Representando o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil nas comemorações do SC33 estiveram presentes: o Grande 1 o Conselheiro, Rodrigo Cesar Cardoso, o Ex-Mestre Conselheiro Nacional, Rafael dos Reis e o Ex-Mestre Conselheiro Estadual do Rio de Janeiro, Raphael Castro.

Crédito/Texto: Maycon Corazza


GNLJ lança maior campanha filantrópica da Ordem DeMolay brasileira O Gabinete Nacional de Liderança Juvenil (GNLJ) lançou no dia 24 de dezembro de 201 2 a 2a edição do Arrastão Nacional da Solidariedade, maior filantropia desenvolvida pela Ordem DeMolay brasileira. A campanha contou com o apoio do Fundo Nacional de Filantropias (FNF) do SCODB (Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil). Para participar do arrastão o Capítulo deve efetuar a inscrição na internet. Na sequência, os DeMolays deverão se empenhar na arrecadação dos alimentos, fazer a contagem, doar à instituição (ou às instituições) e preencher um recibo conforme modelo disponibilizado pelo GNLJ, informando todos os dados necessários. O documento, preenchido junto com um responsável pelo recebimento da doação, deve ser encaminhado para a Secretaria Nacional de Filantropias: filantropia.gnlj@demolay.org.br De acordo com o Gabinete Nacional de Liderança Juvenil, os participantes podem encaminhar quantos recibos forem necessários. O cadastro online poderá ser realizado até o dia 24/02, último dia da campanha. Já os recibos deverão ser encaminhados a partir do dia 07/01 até o dia 24/02. O resultado da campanha será divulgado no dia DeMolay (1 8/03), após

apuração e checagem do GNLJ. Ao todo serão seis vencedores, sendo três Grandes Capítulos Estaduais e três Capítulos (aqueles que tiveram o maior número total de alimentos arrecadados). Segundo o gabinete, os GCE’s não precisam fazer inscrição, pois concorrem conforme os seus capítulos participam. Os Capítulos e Estados vencedores receberão troféus de ouro, prata e bronze. O Capítulo que ficar em primeiro lugar ganhará também R$ 2 mil. A edição desse ano tem como meta: 500 toneladas de alimentos arrecadados, batendo, desta forma, o recorde da última edição, quando cerca de 350 toneladas de alimentos foram arrecadadas em todo o país.

Importante

Marco

A união de forças entre lideranças juvenis e adultas, tendo como foco principal fazer o bem, deve resultar em um marco. “A mobilização dos Irmãos de norte a sul, leste a oeste, por uma causa filantrópica comum do país, será, sem dúvidas, uma marco para nossa Ordem e um exemplo do potencial de nossa união”, pontua Scudeler, lembrando que está sendo dado um destaque à filantropia, um dos principais ideais da Ordem, a nível nacional. Para que a meta seja atingida, o Gabinete Nacional de Liderança Juvenil conta com o empenho de todos os DeMolays do país. “Vamos mostrar o que a nação DeMolay brasileira é capaz de fazer quando o assunto é filantropia. Devemos e podemos aproveitar essa oportunidade para que o trabalho da Ordem seja difundido e que nossa chama brilhe para o bem de várias pessoas. Engaje-se! Engaje seu Capítulo! Engaje sua cidade!”, finaliza o Grande Mestre Nacional, engajado.

O Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil teve um papel importante para que a segunda edição da campanha fosse realidade, segundo o Mestre Conselheiro Nacional, Mateo Scudeler. “Sem o apoio do Fundo Nacional de Filantropias, o projeto não seria possível, pois não teríamos a verba necessária para a realização da campanha. Assim sendo, a ajuda do fundo, através principalmente de seu presidente foi imprescindível, bem como todo o incentivo dado por nosso Grande Mestre Nacional”, destaca Scudeler. Texto/crédito: Maycon Corazza


Apaixonado por ritualística, Mestre Conselheiro Nacional Adjunto lança livro O Mestre Conselheiro Nacional Adjunto da Ordem DeMolay, Yan Walter, lançou na abertura oficial do XVII Congresso Mineiro, realizado no dia 1 7 de novembro, em Pouso Alegre, o livro “Caderno de Estudos Ritualísticos”. A publicação é um reflexo da paixão do DeMolay pela ritualística da Ordem. “Frequentemente, eu reclamava a ausência de um material oficial sobre prática Ritualística, algo que fosse suficientemente didático e eficiente para instrução dos Irmãos. Assim, depois da última palestra interestadual que fiz, no Mato Grosso do Sul, em agosto deste ano, senti vontade de perpetuar as explanações que tinha nessas palestras, então surgiu a vontade de transcrevê-las”, contextualiza o Mestre Conselheiro Nacional Adjunto, Yan Walter. A partir da inspiração, Yan começou a escrever o livro. Algumas partes já haviam sido feitas para utilizar em aulas e palestras, outras ainda estavam no campo das ideias. De acordo com ele, logo quando o trabalho começou, o Grande Mestre Nacional do SCODB (Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil), Alexandre Volney Rizzi foi procurado e “se demonstrou muito receptivo à ideia, sendo de grande motivação para a realização do trabalho”. Yan explica que aproveitou o

período de greve da UFPI (Universidade Federal do Piauí), onde cursa Direito, e se dedicou quase que exclusivamente ao livro. “Iniciei em agosto e terminei no dia 1 9 de outubro, feriado de Independência do Piauí. Durante esse tempo, tive a grande ajuda de um Irmão Iniciático que serviu de laboratório para o livro. Escrevia e enviava para ele: se ele não entendesse algo ou tivesse alguma dúvida, refazia aquela parte até ficar totalmente acessível”, conta o Mestre Conselheiro Nacional Adjunto. Ao finalizar o trabalho, Yan encaminhou o material para Irmãos das Comissões Nacionais de Ritual, Liturgia e Joias e de Treinamentos. O último crítico da obra foi o presidente da Comissão Nacional de Ritual, Liturgia e Joias, Irmão Erick de Oliveira Santos. Após a aprovação, o livro seguiu para os últimos ajustes antes da impressão. “O SCODB foi fundamental nesse processo por reconhecer o livro como oficial, assim como suas informações, e por se responsabilizar pela publicação e venda do material para toda nossa nação DeMolay”, destaca Yan.

Conteúdo O livro “Caderno de Estudos Ritualísticos” possui 11 6 páginas e é dividido em cinco capítulos, além de uma

dedicatória, um prefácio e de uma apresentação. No final, a obra conta com 25 exercícios para o leitor testar os conhecimentos. Yan Walter destaca que a principal preocupação foi de que o livro fosse didático e acessível. “Abordamos a parte prática do Ritual, sem maçonismos e sem simbologia. Dessa forma, procuramos superar os impasses de vícios ritualísticos e apresentar como deve ser feita a Ritualística ‘pura’. Procuramos escrever como se estivéssemos dialogando, conversando com o leitor, para facilitar a leitura”, pontua. A publicação está sendo comercializada pela Loja DeMolay, através do site oficial (www.lojademolay.org.br). Além disso, nos congressos estaduais também irão exemplares para serem vendidos. O livro está sendo vendido por R$ 20 e é possível pagar por boleto bancário, cartão de crédito e débito em conta.

Sentimento Ao ver um sonho se tornando realidade, o sentimento do Mestre Conselheiro Nacional Adjunto é de dever cumprido. “Sempre senti que tenho uma grande dívida com a Ordem DeMolay, pelo poder de transformação que ele teve e tem na minha vida. Se não fosse a Ordem, certamente eu não seria o homem que sou


hoje. Tento retribuir, então, servindo aos meus Irmãos, assim como fui servido e bem acolhido em toda essa jornada”, afirma Yan Walter.

Quem é? Yan Walter Carvalho Cavalcante (foto) nasceu em 1 4 de fevereiro de 1 993, em Picos, no Piauí. DeMolay filiado ao Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, iniciou em 1 º de maio de 2005, no Capítulo Luiz Ribeiro Gonçalves Neto nº 408. Desde então ocupou diversos cargos dentro da estrutura da Ordem, sendo

Ritualística (2011 /201 2). O DeMolay destaca-se também pela criação do Programa de Aprofundamento de Estudos (PAE) e do Desafio Nacional de Ritualística. Atualmente, ocupa o cargo de Mestre Conselheiro Nacional Adjunto do Gabinete Nacional da Ordem DeMolay (201 2/201 3). É autor do bloghttp://rotinademolay.com/. Segundo Conselheiro por Na vida profana, é acadêmico cinco gestões capitulares, de Direito na Universidade Secretário Estadual de Federal do Piauí. Ritualística do Piauí por três anos, Mestre Conselheiro Texto/Crédito: Maycon Corazza Estadual do Piauí (2011 /201 2) e Secretário Nacional de


Dois projetos filantrópicos já foram aprovados e serão beneficiados pelo FNF A Comissão Nacional de Filantropias do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil (SCODB) aprovou dois projetos filantrópicos para receberem recursos do Fundo Nacional de Filantropias (FNF), esse mês. Ao todo serão disponibilizados, nesta primeira etapa o montante de R$ 3,8 mil para a execução das atividades; contando com os recursos dos próprios proponentes será um total de R$ 7,6 mil. Uma proposta foi encaminhada pelo Capítulo União e Beneficência nº 650, de Campina Grande (PB), e o outra pelo Gabinete Nacional de Liderança Juvenil (GNLJ). O processo de avaliação foi feito por pelo menos dois membros da CNF. O presidente da Comissão Nacional de Filantropias, Luiz Filipe Reinecke, explica que todo o procedimento segue o que está previsto no Decreto 66/201 2, em que o FNF foi criado. “Quando é submetido o projeto, é feita uma análise inicial por mim. Após analisado o projeto, vendo se não faltam informações obrigatórias no projeto, como por exemplo, o valor solicitado e o cronograma de ações, é passado então ao processo de avaliação. Após o processo de avaliação, que duram aproximadamente 5 dias úteis, o presidente analisa as avaliações e, caso haja notas

com muita diferença, é feita uma nova avaliação. Depois é publicada a portaria com a aprovação ou reprovação do projeto”, detalha Reinecke. Esses foram os dois primeiros projetos aprovados, o que traz um sentimento especial para as pessoas envolvidas com a Comissão Nacional de Filantropias. “Todos estavam muito ansiosos para que os primeiros projetos fossem avaliados, e se aprovados, fossem colocados em prática. Agora é efetivamente fazermos o processo de

avaliar, como também para dar o suporte necessário para a elaboração e a implementação dos projetos”, afirma. O Grande Mestre Nacional do SCODB, Alexandre Volney Rizzi, recebeu com alegria a notícia de que duas propostas sairão do papel a partir do Fundo Nacional de Filantropias. “Fico muito feliz de saber que os Capítulos estão aproveitando esse benefício que o SCODB está oferecendo. Sempre se questionou sobre o retorno das taxas pagas, e agora podemos ver na prática elas sendo aplicadas em prol dos Capítulos e da sociedade. O FNF é uma forma do SCODB agradecer a lealdade e a gratidão de seus membros”, exalta Rizzi. A publicação da portaria oficializando a aprovação dos dois projetos ocorreu na última segunda-feira (1 9) (e está disponível na área restrita do site do SCODB, em Circulares). Agora, segundo o presidente da CNF, o processo é de execução de convênios dos projetos, para que então o repasse dos recursos seja efetivado. O Fundo Nacional de Filantropias continua aberto para projetos.

implementação em parceria com os proponentes e trabalharmos para melhorarmos o processo”, aponta o presidente da CNF. Reinecke afirma que a expectativa é de que a partir desse primeiro passo outros Capítulos e também os Grandes Capítulos, Conventos e Gabinetes de Liderança Texto/Crédito: Maycon Corazza Juvenil sintam-se motivados a enviarem propostas. “Estamos com uma equipe competente a espera de mais projetos para


Posse do Tio Edimo Muniz Pinho como Grão Mestre e do Ir. Archimedes Machado como G.M. Adjunto

Em uma linda noite no Palácio do Lavradio a Poderosa Assembleia Legislativa Estadual deu Posse ao nosso querido Ir. Edimo Muniz Pinho como Grão Mestre e o Ir. Archimedes Machado como G.M. Adjunto, por determinação do Poder Judiciário Central do GOB, legalmente e legitimamente eleitos, que somente não tomaram posse anteriormente por força de ação movida pelos candidatos perdedores do pleito. Estiveram presentes o Soberano G.M.G do GOB Ir. Marcos José da Silva, o Presidente do Supremo Tribunal Maçônico, Ir. Dorival Lourenço da Cunha, Procurador Geral do GOB, Ir. Antonio Adonel de Araujo, o Representante da Soberana Assembleia Federal Legislativa, Adão de Oliveira Lopes, o Soberano Grande Comendador do REAA Enyr Jesus e sua Alta Administração, Lugar Tenente Comendador Cidney Filardo, Ir. Antonio Carlos,

Ir. Assis, Ir. Jaricé Braga, Ir. Mario Sergio (Marinho) (GM do GOSP e Grande Secretário de Relações Exteriores do REAA), e outros valorosos Irmãos daquela Potência Litúrgica; O Grande Primaz do Rito Brasileiro, Ir. Nei Inocêncio Santos, o Grande Secretário Geral Adjunto de Comunicação do GOB , Ir. Fernando Colacioppo, o Ir. Colin Foster Grão Mestre Distrital da GLUI, o Ir. Fernando Paiva (Past. Grão Mestre Adj da GLMERJ) com os Irmãos, Francisco Campelo (Grande Orador representando o G. M. Waldemar Zveiter), Ir. José Maria, Ir. Adir Maurício, Ir. José Fernando Quintans V.M. da Loja Vigilância N°1 e sua Administração, Ir. Silvio Laviola V.M. da Loja Evolução N° 2 e sua Administração, Ir. José Ribamar V.M. da Loja Vitória de Marica N°92 e sua Administração todos da GLMERJ. Também presentes O procurador do GOB RJ e seu Adjunto Irmãos André Lima Strony e Paulo Roberto Silva,

Os Secretários do GOB RJ, Aildo Carolino, Ir. Aderaldo Madureira, Ir. Manoel Barbosa, Ir. Jimmy Laureano, Ir. Antonio Ferreira, Ir. Vandir Encarnação, Membro do Conselho Federal da Ordem Ir. Vicente Paiva, o Assessor do Grão Mestre Geral Ir. Matheus Casado Martins, o Secretário Geral Adjunto de Administração e Patrimônio Ir. Anibal Ayalla, Os Secretários Adjuntos do Rito Moderno, Ir. Wilson Aguiar, do Rito Brasileiro, ir. Júlio, do Rito Adonhiramita, Ir. José Gonçalves, Vários Veneráveis Mestres do GOB, que saudamos no nome do Ir. Orquinézio. Foi uma linda cerimônia não havendo número de lugares suficientes para todos no templo, mesmo sendo ocupadas as galerias superiores. Parabéns o GOB, parabéns ao GOB-RJ pela linda Cerimônia.

Texto/Crédito: Fernando Paiva


Econtro Fluminense da Ordem da Cavalaria A Ordem da Cavalaria hoje em dia continua a crescer mais e mais, de ponta a ponta em todo o Brasil. Para os poucos que conhecem a Cavalaria, ela funciona como uma continuação da jornada de um jovem DeMolay, tal como um “Complemento” na Ordem DeMolay, sendo na qual constitui 4 Graus Históricos e 3 Filosóficos.

Um Pouco da História da Cavalaria:

A Ordem da Cavalaria chegou ao Brasil em 1 993, e junto com ela, nasceu o Primeiro Convento da América Latina, o Sir Percival 001 , no Mui Poderoso Consistório do Santo Império do Grau 33, no Supremo Conselho para o Brasil do Grau 33 do R.E.A.A. , onde até então, só foi usado para a concessão do 33º Grau do Rito Escocês Antigo e Aceito. Mas hoje em dia, funciona ativamente na sede do Grande Oriente Indepedente do Estado do Rio de Janeiro, em Olaria. A Ordem da Cavalaria no Rio de Janeiro no ano de 201 3 terá como seu pontapé inicial de suas atividades, no Encontro Fluminense da Cavalaria, que em sua 5ª Edição será sediado no Convento Fraternidade Templária nº11 9, situado na cidade de Duque de Caxias. O EFOC, ou Encontro Fluminense da Cavalaria, tem como intuíto, reunir os Cavalerios de todo o Estado do Rio de Janeiro anualmente, para confraternizar e deliberar sobre assuntos da Cavalaria. De Costume, o EFOC sempre há Concessões de diversos Graus do Ilustre Rito da Cavalaria Brasileira, mas também conta com diversas palestras de assuntos tanto da Cavalaria ou da Ordem DeMolay, ou palestras filosóficas, e etc. No ano de 201 3, o EFOC será na cidade de Duque de Caxias, nos dias 2 e 3 de Março. Para mais Informações e Inscrições, vão ao site do Evento: http://efoc.demolayrj.com.br

Texto/Crédito: Nickolas Fernando


Fundação do Bethel Lírio Imperial

Sem dúvida a maçonaria petropolitana unida conquistou um de seus mais belos trabalhos, a fundação do 1 ° Bethel das Filhas de Jó na cidade e da região serrana. O Bethel #1 5 Lírio Imperial de Petrópolis foi fundado, instalado e empossado no dia 26 de janeiro de 201 3, com ajuda de outros betheis e com nove meninas iniciadas. Esse evento, que foi realizado na Loja Amor e Caridade 5ª, n°0896 contou com a participação de muitos tios, tias e primas de várias cidades. Perguntamos a 1 ª guardiã empossada, Fátima Vital, do Bethel Lírio Imperial, qual foi a sensação de tirar uma ideia do papel e realizá-la:

"O Bethel Lírio Imperial foi um sonho que se tornou realidade. A fundação foi um momento muito especial para todos e para mim. Estou orgulhosa em ser Guardiã desse Bethel e também estou orgulhosa de nossas meninas, do Bethel Lírio Imperial. Nosso Conselho está unido e todos trabalhando em prol do Bethel. A cerimônia pública de posse das oficiais foi um sucesso e isto é apenas o começo da linda história que nosso Bethel está escrevendo".

Natasha Vic, 1 ª Princesa do Bethel Lírio Imperial, a sensação é de dever cumprido? "A fundação desse Bethel foi a realização de um sonho. Então é assim que eu me sinto: realizando um sonho, não só meu, como de muitas pessoas. É poder oferecer para as meninas de Petrópolis a mesma

oportunidade que eu tive".

Como surgiu a ideia para o nome? "A escolha do nome

Lírio Imperial veio da soma de dois nomes que eu havia sugerido: Lírios de Petrópolis e Imperial de Petrópolis. Daí o tio Paulo Branco teve a ideia de juntar os dois e chamar o Bethel de Lírio Imperial de Petrópolis".

boa qualidade na construção desse Bethel. A previsão do término desta construção não existe, é uma construção para vida inteira, são muitos e muitos andares. Não podemos dizer que é a torre de Babel, mas com certeza cada andar que é construído é buscando chegar mais perto do nosso Pai Celestial".

Paulo Roberto Branco fala sobre a ideia do Bethel e a sua No dia seguinte, 27 de janeiro de 201 3, teve a posse da nova construção: "O Bethel foi uma ideia da gestão do Capítulo Imperial de Natasha, e desde o começo Petrópolis n°470, tendo como pensei na oportunidade para Mestre Conselheiro o Irmão as meninas de Petrópolis. Já Luan de Almeida Bastos, que no trabalhava com o Capítulo seu discurso afirmou um grande Imperial de Petrópolis e apoio do capítulo aos trabalhos sempre vi os frutos desse filantrópicos do Bethel. trabalho que era extremamente gratificante para esses jovens. Então pensei, por que não para as meninas? Por que a gente não faz uma família completa? Após pesquisar sobre a instituição, percebi os bons frutos desse trabalho. Logo após passamos para a parte logística. Levei as ideias para os irmãos, levei à proposta às lojas da cidade e foi extremamente bem aceito pelos membros da maçonaria. Conseguimos o patrocínio das cinco lojas de Petrópolis (...) O que foi feito foi um alicerce. Um alicerce de uma construção. Agora temos que levantar as pedras e colocar material de

Texto/Crédito: Matheus Fernandes e Willen Vieira

"Com isso não foi o bethel, os maçons, DeMolays que ganharam, mas sim o povo brasileiro que com o auxílio da maçonaria moldam as meninas mais justas da terra. O Brasil hoje é o país mais rico do mundo, mas nos falta patriotismo. As virtudes dos Demolays e das Filhas de Jó com certeza é a resposta de um Brasil melhor", finaliza o

Tio Paulo Roberto Branco.


Escudeiros da Távola Redonda História

Brasil, algumas modificações foram feitas para a adaptação Fundada em Vancouver no dessa Ordem em nosso país. ano de 1 995, a Ordem dos Uma delas foi à mudança da Escudeiros da Távola Redonda palavra Solar para Távola. é uma organização criada pelo maçom Michael Senders. Ele ao ver seu filho Jhonattan brincando com os Demolays do O Ritual, a simbologia Capítulo local teve a iniciativa e a filosofia da Ordem. de fundar uma Ordem onde crianças mais jovens pudessem ter contato com os O ritual é bem simples, para princípios da Ordem DeMolay. uma melhor compreensão dos Em junho de 1 997, foi meninos, mas de uma riqueza instalado o primeiro “Manor”, simbólica incrível. A Ordem dos que em português ficaria Escudeiros possui três virtudes, “Solar. Nele, Jhonattan foi o simbolizadas em três baluartes: Os livros da Sabedoria, a primeiro Mestre Escudeiro. A palavra Solar era dada para Espada da Verdade e o a propriedade de nobres na Malhete da Justiça. Idade Media, portanto, já que A Távola é um círculo dividido a nossa Ordem tem uma por duas linhas amarelas em relação com o passado quatro quadrantes: uma linha medieval foi decidido que um se encontra na horizontal e núcleo de escudeiros seria outra na vertical, formando denominado Solar e o local de uma cruz. Na parte superior, no quadrante do lado reunião de Távola. Já o nome Távola deriva do esquerdo está o brasão da local onde os escudeiros se Ordem DeMolay, afina de reuniam. O primeiro encontro contas se não existisse a dos membros dessa nova Ordem DeMolay, não existiria Ordem aconteceu no salão de a Ordem dos Escudeiros. jogos do Capítulo local. Nessa O brasão também relembra o sala havia uma mesa patrocínio que os Capítulos arredondada e a primeira DeMolays dão as Távolas. No reunião aconteceu em volta dela. quadrante direito da parte superior fica o Malhete da O começo da Justiça. No quadrante Ordem no Brasil esquerdo da parte inferior fica a Espada da Verdade e no No dia 07 de dezembro de quadrante direito da parte 201 2, por iniciativa do Colégio inferior ficam os Livros da Alumini Juiz de Fora n° 001 , o Sabedoria. Os oficiais de uma primeiro núcleo de Escudeiros Távola são o Mestre Escudeiro, da Távola Redonda chegou ao Primeiro e Segundo Escudeiros, Brasil, sendo patrocinado pelo Tesoureiro, Escrivão, Mestre de e Capelão, Capítulo Juiz de Fora n° 33. Cerimônias Com a chegada da Ordem no Sentinela e Organista.

A Ordem no Estado Atualmente, se encontra em atividade no Estado, a Távola Guy D’auvergnie 031 , patrocinada pelo Capítulo Guy D’auvergnie 027, e a Távola Gonçalense nº 82, recém-instalada no dia 23 de fevereiro, patrocinada pelo Capítulo Gonçalense nº209. E são essas mesmas Távolas, comandada pelo Nobre Cavaleiro Yan Alcântara e pelo consultor Marcelo Marinho, da Távola Guy D’auvergnie, e a do Gonçalense, pelo Nobre Cavaleiro Ícaro Calazans Titan e pelo consultor Caio Melo, que têm servido como modelos, e tem dado fundamental suporte, para a expansão da Ordem dos Escudeiros por todo o Estado.

A ordem dos Escudeiros têm proporcionado novos horizontes para a Ordem DeMolay carioca. Veja alguns depoimentos sobre a expectativa de crescimento e opinião sobre essa Ordem O irmão Yan Alcântara, Nobre Cavaleiro da Távola Guy D’auvergnie nº 31 , fala um pouco do sentimento de participar dessa maravilhosa Ordem. “Um suspiro para a

juventude. A cada dia que passa podemos ver o quanto as crianças serão a influência no futuro, o ideal da távola nos contagia a poder fazer a


fragmentos que nós herdamos. Então, junto com um grupo de DeMolays, presenciei uma maravilhosa cerimônia, que

a diferença de maneira única, realizando a cada dia que passa excelentes passos de renovação e importância para o mundo mais do que globalizado. Como nobre cavaleiro desde o primeiro grito de resurgimento da certamente era uma grande távola Gd031 a alegria de poder novidade para o meu pequenino. fazer dar certo, tomou conta a Agora, poderei em diversas cada reunião de mim, por entre ocasiões, levar o meu guri, as todas as dificuldades que tenha reuniões publicas da Ordem em tratar de távola, nossos ideais DeMolay, como Escudeiro”. de DeMolay e de Escudeiros não O Irmão José Augusto podem ser apagados na história. Bernardes Lima, membro do O sonho, a realização de uma Capítulo Alberto Mansur nº 722, távola é a esperança de um também comenta a expectativa escudeiro, de um DeMolay de um do Cap. Alberto Mansur de cidadão melhor; Sem uma fundar uma Távola dos esperança não há futuro Escudeiros: “Por acreditar que as #prafrenteTávola!" crianças são o futuro de uma O Tio Sergio Antonio da Silva nação, e representam a esperança é Primeiro Grande maior da Ordem DeMolay, e no Mestre do GCE RJ e Grande compromisso da Ordem dos Secretário de Assuntos Escudeiros Távola Redonda com a Paramaçônicos do GOIRJ- educação e formação destas COMAB, que agora também crianças, temos a expectativa e o ocupa as fileiras da Távola com o desejo de trazer a Ordem dos honrado cargo de Pai do Escudeiros pra o nosso capítulo, Escudeiro Kauã, ao ser apesar de ser um capítulo recém questionado do porque deixar o fundado, acreditamos fielmente na seu filho iniciar na Ordem dos ideia do Tio Frank Sherman Land, Escudeiros, o Tio Sergio de que “se trabalharmos sobre o respondeu da seguinte maneira: mármore, um dia ele acabará”. Se “É o desejo de ver seu filho trabalharmos sobre o metal, um crescendo dentro de um dia o tempo o consumirá. Se ambiente mágico e ao mesmo erguermos Templos, um dia se tempo secular. Sorver de toda a tornará pó. Mas se trabalharmos filosofia que outrora fora vivida sobre almas jovens e imortais. Se por antigas civilizações, nós as imbuirmos com os

princípios de justo temor ao criador e amor a humanidade. Nós gravaremos sobre essas almas algo que brilhará eternamente. Daqui a cem anos pouco importará o quanto tenhamos acumulado no banco; que tipo de casa, palacete ou carro possuímos, Mas o mundo poderá ser diferente, talvez porque fomos importantes na vida dos jovens”.

E com a intenção de aumentar a renovação do capítulo, o capítulo Macaé Nº 453 tem a intenção de estar ativando, de fato a sua Távola dos Escudeiros, que foi fundada em 2007, porém não foi ativada por causa das dificuldades que o capítulo passava. “O mestre conselheiro,

João Paulo Gomes, relata que o capítulo espera que a távola esteja funcionando antes do meio do ano de 2013. A princípio o capítulo, de um modo geral, está bem empolgado e conta com o apoio de suas lojas patrocinadoras”.

Ícaro Calazans Titan, Secretário Estadual de Távolas do Gabinete de Liderança Juvenil, lembra a importância da Távola no futuro da Ordem DeMolay. “A Ordem

dos Escudeiros da Távola Redonda, é sem dúvida, o futuro da Ordem DeMolay. Será “ali” na Távola, onde a Ordem poderá colocar seus alicerces para continuar crescendo, tendo na mesma uma “fonte” de DeMolays já dilapidados e prontos para continuar a sua caminha dentro da Ordem DeMolay. A Távola também pode ser considerada a maneira que os DeMolays têm de retribuir, para os irmãos mais novos deles, os escudeiros, todo aquele amor, cuidado, sabedoria e ajuda que nós, DeMolays, recebemos dos nossos Tios Maçons”.

Texto/Crédito: Ícaro Calazans Titan


porém devemos Comece o ano ritualístico, nos lembrar daquela que tínhamos Bem na empolgação acabamos iniciar, Ritualística! quando aquela vontade de aprender de ler o ritual e sempre,

Ritual DeMolay sem duvida é um dos maiores atrativos que a Ordem possui, porém não adianta sabermos que o ritual é importante se não o estudarmos, entendermos e praticá-lo em nossas vidas, como o nosso ritual mesmo diz que devemos fazer isso. Às vezes o desgaste da vida profana ou mesmo a ocupação com os trabalhos da ordem nos afasta do estudo

repito, sempre há uma coisa nova a aprender, algo que vai além interpretações oficiais. Então meus irmãos para começarmos bem esse ano na ritualística devemos dedicar não mais que quinze minutos diários para a Ordem DeMolay e nos lembrar de três pequenas coisas: Estudo, entendimento e prática. Texto/Crédito: Marcelo Barizão Junior

como o Sir Barra Mansa (Ir. João Posse no Metropolitanas Percival de Gales Nº 1 , Sir Estevam, como CE) e Agulhas Arthur - O Pendragon Nº027 e Negras (Ir. Fabiano Lellis, Sir Galahad No sábado, dia 1 6, às vésperas o Fraternidade Templária Nº como CP) carrega agora a

do fim do horário de verão, alguns irmãos presenciaram um recomeço. O Convento Sir Galahad Nº01 0, iniciou as atividades de sua nova gestão, uma gestão que representa o começo de uma longa jornada de reconstrução da Ordem de Cavalaria na região da Costa Verde e Médio Paraíba. Auxiliados por membros de conventos das regiões

11 9 e até mesmo a presença de nosso MCE, Ir. Ramon Viana e do nosso 1 ºGMA, Tio Sergio Antonio, cujas presenças tiveram papel primordial no pontapé inicial dessa empreitada, a nova administração, composta por membros dos três maiores capítulos da região, Volta Redonda “Wilton Cunha” (Ir. Antônio Sabença, como ICC),

responsabilidade de reestruturar a Ordem de Cavalaria no sul do nosso estado e colocá-la novamente no caminho do crescimento e, quem sabe, entre os destaques de nossa Ordem. Potencial pra isso, com certeza há!"

Texto/Crédito: Lucas Melo


Dentro da Sala capitular e extremamente normal que haja algum irmão praticando erros comuns dentro da ritualística. Qual é a melhor maneira de se resolver esses problemas tão comuns? Além do estudo diário do Ritual é muito interessante e eficiente um estudo em conjunto entre os membros do Capitulo pois juntos

as duvidas são sanadas evitando esses erros. Uma outra maneira muito pratica de se melhorar o rendimento ritualístico é criando uma gincana praticando e interpretando o Ritual algo que facilita muito, e é sem duvida prazeroso. Esses são métodos que se utilizados no inicio das gestões , pode ser ainda mais proveitoso , já que estamos vindo desse período de recesso.

Texto/Crédito: Aloan Sobral

Posse e Iniciação no Capítulo Nova Friburgo

No dia dois de fevereiro de 201 3, no Capítulo Nova Friburgo nº1 38 a iniciação de 11 novos irmãos que a partir de então somam às fileiras de nossa Ordem importante força de trabalho e fraternidade. Às 1 4 horas deste mesmo dia foi dado início a cerimônia de posse da XXIII gestão administrativa do Capítulo

Nova Friburgo, empossando e árdua dedicação para a aos cargos de MC, 1 C e 2C os reativação do Capítulo Nova irmãos Mayron Sardou, Friburgo, que ficara Marcelo Risso Klein e Marlon adormecido por 11 anos, Sardou, respectivamente. A sendo três deles de dedicação cerimônia foi marcada pela e esforços em virtude do homenagem do Supremo renascimento do capítulo Conselho da Ordem DeMolay friburguense. para o Brasil ao irmão Vitor Rodrigues, ex Mestre Texto/Crédito: Saul Zinato Conselheiro, por seu trabalho


A morte de oportunidade de ter sua morte Jacques de Molay poupada. Através deste ato, No dia 1 8 de março de 1 31 4, Jacques DeMolay, 23º e ultimo Grão- Mestre da Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, e seu Preceptor, Gui d’Auvergnie, foram queimados vivos, através de uma fogueira, em Paris, na França. Préviamente a sua morte, Jacques DeMolay realizou dois pedidos: que suas mãos fossem atadas juntas ao seu peito, em posição de oração, e que seu corpo estivesse voltado para a Catedral de Notre-Dame. Enquanto queimava em meio as chamas, rogou em direção ao rei Filipe, o Belo e ao Papa Clemente V, principais responsáveis por sua morte: Nekan, Adonai! Chol-begoal! Papa Clemente, Cavaleiro Guilherme de Nogaret, Rei Filipe: intimo-os a comparecer perante o tribunal de Deus dentro de um ano para receberem o justo castigo. Malditos! Malditos! Todos malditos até a décima terceira geração de vossas raças! Anteriormente a sua morte, Jacques DeMolay ficou preso durante sete longos anos, devido a uma armadilha, fruto de ganância e inveja, criada pelo Rei Filipe, o Belo, Guilherme de Nogaret e o Papa Clemente V. Enquanto esteve preso, DeMolay foi cruelmente torturado, tendo até, devido às fortes dores oriundas das agressões, confessado heresia. Porém, antes de sua morte, revogou suas confissões, perdendo a

Jacques DeMolay demonstrou a verdadeira lealdade à sua Ordem, optando pela morte frente a traição aos seus irmãos. O Surgimento da Ordem DeMolay Em Kansas City, Estados Unidos, após se comover com a história do Jovem Louis Gordon Lowler, que perdera o pai na Guerra, o maçom Frank Sherman Land, percebendo que não apenas Gordon, porém, também, outros jovens pereciam de uma atenção paterna, decidiu criar uma Organização Juvenil para sanar este problema. Após esta decisão, Frank Sherman Land, com a ajuda dos jovens selecionados por ele, foi reunindo, em um Templo Maçônico do Rito Escocês, jovens que se interessavam por aquela nova Organização. Esta Organização perecia de uma denominação, e devido a sua estrita relação com a Maçonaria, optaram pelo nome de Ordem DeMolay. Foi no dia 1 8 de Março de 1 91 9 que os primeiros irmãos reuniram-se como membros da Ordem Demolay, oficializando a Ordem. Anos mais tarde, notouse a coincidência entre a data da inauguração da Ordem DeMolay e a data da morte de seu patrono, Jacques DeMolay.

O Dia do DeMolay

obrigatório e devemos realizar atividades ligadas à memória de nosso herói. No Brasil, o dia 1 8 de março é reconhecido por lei federal como o Dia do DeMolay. A lei referida é a Lei nº: 1 2.208, promulgada em 1 9 de janeiro de 201 0.

Planejamento do GCE para o Dia do DeMolay O GCE, para comemorar o Dia Nacional do DeMolay e o Dia Obrigatório em Memória a Jacques DeMolay, pretende realizar uma iniciação simultânea no dia 1 6 de Março ( sábado mais próximo ao dia do DeMolay ). Com o intuito de estimular a participação dos Capítulas nesta iniciação simultânea, o GCE está disponibilizando alguns benefícios para o Capítulo que participar, são eles: desconto de 25% na taxa de filiação e a doação de um vale ritual para ser usado na loja DeMolay. A realização das iniciações simultâneas favorece a formação das egrégoras, que são geradas pelo somatório de energias físicas, emocionais e mentais emitidas por um grupo empenhado em uma mesma causa. Com isso, neste dia, teremos em nosso Estado um alto teor de energia positiva e benéfica, sendo este o principal motivo para o seu Capítulo participar deste dia.

Atualmente, no sábado mais Para falar sobre o projeto do próximo ao dia 1 8 de março é GCE, fizemos uma entrevista com comemorado o Dia Devocional o Grande Secretário Executivo em Memória de Jacques Estadual Miguel Alves Neto: DeMolay. Este dia tem caráter


Revista DeMolay RJ: Está sendo difícil coordenar um projeto que envolva Capítulos de todo o estado do RJ?

Miguel : Estamos contando com um apoio muito grande dos Capítulos e da liderança juvenil

estadual nesse projeto inédito, com isso as dificuldades acabam diminuindo. Outro ponto a nosso favor é a proposta, que por si só já motiva a integração, que é o objetivo do projeto.

DMRJ: Quantos capítulos já confirmaram participação no projeto? Miguel : Muitos Capítulos já confirmaram participação no evento. Prefiro não informar esse número, pois estamos em janeiro e muitos Capítulos ainda estão elaborando seus calendários. Qualquer numero que eu der vai ser inferior ao numero exato do dia do evento. Nossa expectativa é de uma adesão de 85-90% dos capítulos.

DMRJ: Qual o número estimado pelo GCE de candidatos a iniciarem na Ordem DeMolay no dia 16 de março?

Miguel : A expectativa é de uma média de 60 iniciados em apenas um dia. Estamos trabalhando para que cada Capitulo inicie ao menos 2 novos irmãos, mas já tivemos informações de Capítulos que pretendem iniciar 5, o que daria um grande incremento ao numero total de iniciados.

DMRJ: Quantas pessoas estão mobilizadas diretamente no planejamento desta ação? Miguel : Para as iniciações simultâneas: Miguel (secretaria), Diego (tesouraria), Vinicius (secretário de comunicação) e o Ramon (MCE). Mas existem outros irmãos que, juntamente com os já citados, estão trabalhando para buscar outra atividade, como é o caso dos irmãos Adalberto Martins e dos Tios Rubem e Sérgio.

DMRJ: Deixe um depoimento final para a Revista DeMolay-RJ. Miguel : Estamos em constante evolução, um verdadeiro amadurecimento, tentando sempre

responder às expectativas dos DeMolays do nosso Estado. A forma como estamos conduzindo os projetos implementados é novidade. É o momento de termos a frente de nossos Capítulos verdadeiros líderes, para que possamos parar de apenas tomar outros Estados como exemplos, mas sermos, também, exemplo. Não existe limite para aqueles que trabalham para transformar sonhos em realidade, nós somos do Rio de Janeiro, o berço da Ordem DeMolay brasileira, o Estado do Tio Mansur, temos que ser exemplo de trabalho e de fraternidade. A Revista DeMolay RJ agradece ao irmão Miguel Alves Neto por ter aceitado a nos conceder essa entrevista e a paciência ao responder a todas as nossas perguntas.

Autores: Wallace Tarenta e Igor Tostes


Bate-papo DeMolay com... André William Chormiak

Nessa edição a Revista DeMolay RJ entrevistou o Demolay André William Chormiak, ele é ex-MCE do Mato Grosso, ex-MCNA, já foi Presidente da Comissão de Organizações Filiadas e Paralelas do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, período de 2010/2011, e prestou inúmeros serviços em prol da ordem demolay do seu estado e pelo país também, que não caberiam nessa revista caso falássemos de todos, e ele hoje ocupa o cargo de Grande Secretário Estadual do GCE-MT. O assunto da conversa foi sobre a estrutura do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil.

DMRJ - Irmão André, qual é a importância de termos um Supremo Conselho ou de ter um Grande Capítulo Estadual?

Chormiak - Bem, ambas as estruturas trabalham conjuntamente para possibilitar o desenvolvimento do projeto da Ordem DeMolay, que é formar cidadãos melhores através de nossos baluartes e virtudes, com exemplos de liderança, mérito, ações sociais e outros que possam contribuir para o desenvolvimento de uma juventude melhor. Ter um Supremo Conselho garante a unidade litúrgica e metodológica da Ordem em sua atuação, além de possibilitar a realização de projetos com abrangência macro, tal qual é o ‘Arrastão da Solidariedade’ e outras iniciativas que mobilizam toda a nação DeMolay; além, é claro, de ser um órgão centralizador para fins de cadastro e informações, garantindo uma base de dados íntegra e adequada sobre a Ordem DeMolay, o que raramente vemos em outras organizações, que acabam tendo suas administrações descentralizadas e um total descontrole a respeito das informações a respeito dos seus membros. No que tange os Grandes Capítulos, estes foram uma das grandes inovações do Estatuto Social (então chamada, erroneamente, de Constituição) de 2004, devidamente capitaneado pelo Estado de São Paulo, visando organizar a administração Estadual. Até então tínhamos, em maioria nos Estados, 3 Oficiais Executivos Jurisdicionais(OEJ), um por potência maçônica, com iguais poderes e mando internamente, cabendo a apenas um deles o direito de representar a jurisdição junto ao Supremo Conselho, na qualidade de Membro Efetivo do Supremo Conselho. Essa forma de administração não se mostrava profícua, já que em alguns casos cada OEJ gerenciava apenas a sua base de Capítulos e Organizações Filiadas e Paralelas, dificultando um pensamento uno em cada jurisdição. A maior mudança que os GCEs promoveram foi a substituição dessa visão e concepção no que tange a gestão da Ordem. Desde então, a Ordem DeMolay se fortaleceu mais e mais, independentemente da potência maçônica do Corpo Patrocinador, possibilitando a realização de ações em conjunto nos Estados e fazendo com que os jovens DeMolays assimilassem a noção de unidade em suas jurisdições. Devido a atitude e mudanças como essas, percebo que as estruturas, na forma como se apresentam hoje, são essenciais para a manutenção da Ordem, possibilitando, em nível Estadual, uma representação adequada e oriunda da vontade da base. Os GCEs não bastariam para cuidar da Ordem DeMolay pelo Brasil? Pois essa é uma pergunta que alguns demolays se fazem, pois eles não entendem muito bem essa importância de termos um Supremo Nacional, um órgão nacional tomando conta da Ordem. Chormiak - Não, os GCEs não seriam suficientes para gerir a Ordem DeMolay, ao menos não no panorama e estrutura atual. Sobre o Supremo Conselho recai toda a responsabilidade de resguardar a ritualística da Ordem, a organização e aprovação de Honrarias e Prêmios, o aprimoramento das relações institucionais com a Maçonaria e sociedade civil organizada, e a gestão do Ilustre Rito da Cavalaria do Brasil. Talvez, se analisássemos pontualmente, poucos GCEs tenham condições de gerir seu


negócio na íntegra. Entretanto, a grande maioria possui muitas dificuldades e deixa a desejar na forma que conduz suas obrigações mínimas, pouco inovando para a Ordem. O grande motor da Ordem DeMolay foi, é, e sempre será os Capítulos, o início de tudo. Agora imaginem se cada GCE fosse decidir acerca de rituais, PACC ou gerir as honrarias e prêmios! Dentro destes temas as Comissões do Supremo Conselho já enfrentam uma diversidade de opiniões e visões; se cada GCE for responsável pela Ordem como um todo, em poucos anos, teremos diferenças irreconciliáveis na Ordem. Isso é apenas um exemplo de condução dos trabalhos e da importância de uma unidade nacional, representada pelo Supremo Conselho.

DMRJ - Qual área do SCODB você vê com bons olhos? E outra que você acredita merecer ter mais cuidado, receber melhorias.

Chormiak - Atualmente tenho que destacar os trabalhos das Comissões de Organizações

Filiadas e Paralelas e de Honrarias e Prêmios, que não têm deixado de envidar esforços, através do voluntariado de seus membros, no aprimoramento de suas áreas de atuação. São equipes que estão no caminho certo e têm tudo para desenvolverem um excelente trabalho, que certamente se perpetuará pelo tempo. As áreas que necessitam de maior cuidado são as de Marketing e Comunição, Informática e a de Treinamento. Todas devem se profissionalizar, mesmo que isso demande investimentos, já que podem trazer um grande retorno em manutenção dos membros já alcançados e, conseqüentemente, atingir mais e mais jovens em prol da causa da Ordem DeMolay. É comprovado que um marketing bem feito fideliza qualquer cliente. Por vezes, o Supremo Conselho peca nos detalhes no que diz respeito a este quesito. Temos que valorizar todos os Irmãos, trazer mais benefícios, em especial o econômico, que é o mais sensível, através de Convênios e vantagens; isso parte tanto do Supremo Conselho quanto dos GCEs em realizar convênios em sua jurisdição. Avançamos enormemente com o SISDM em 2006, porém poucas implementações foram feitas no sistema desde então, e boa parte, senão todas elas, foram oriundas do dedicado trabalho de voluntários. Não podemos deixar uma área tão importante somente na mão do voluntariado, precisamos investir. Quanto a Comissão de Treinamentos, poderíamos investir em materiais, baratear custos de manuais e guias (quem sabe até disponibilizar on-line) para Conselhos Consultivos e Administrações Capitulares, tudo desenvolvido de forma lúdica, pedagogicamente correta e com orientação de profissionais, ou seja, temos que investir em educação corporativa. Muitos DeMolays e Tios Maçons participam da Ordem como é possível, porém sem conhecer, talvez, a missão, o objetivo e as metas da DeMolay na vida de um jovem e dos consultores. Com isso, caímos em outra temática: as Finanças e Orçamento do Supremo Conselho. Em que pesem estas serem feitas com esmero e dedicação dos Irmãos que estão à frente desta comissão, faltam dados gerenciais dos resultados produzidos em cada investimento. Afinal, cada viagem ou representação da Liderança Adulta ou Juvenil tem que trazer um resultado, porém qual é este resultado? Poderíamos alcançar ele de outra maneira, com um menor custo? Quero salientar, ainda, que não são críticas à atual administração, à qual, boa parte do que aqui disse, já foi conversado com Irmãos que a integram, mas é o panorama que temos vivenciado a anos, nossa zona de conforto. Quem sabe seja a hora de agitar um pouco as coisas, ‘sacudir a poeira’ e ver com outros olhos diversas áreas de atuação do Supremo Conselho, buscando gestão e controle nas despesas.


DMRJ - Sobre a estrutura do Supremo, renová-la é preciso? Mudar ou trabalhar mais para crescer?

Chormiak - A atual estrutura do Supremo Conselho é extremamente engessada, temos um

órgão legislativo (Assembleia Geral), um judiciário (Superior Tribunal de Justiça DeMolay) e um executivo (Diretoria Executiva). Em que pese parecer bonito, não funciona. Toda essa estrutura peca ao absorver muitos voluntários sem aproveitar ao máximo o que eles podem oferecer em favor da Ordem; sem contar que esvaziam as atribuições e a liberdade de gestão dos Grandes Mestres, seja na esfera nacional ou Estadual. E com o tempo que temos, tirando estas estruturas, que malmente foram implantadas, a exemplo do Superior Conselho Fiscal, organizado apenas no ano passado, em que pese a previsão de existência desde 2009, e do Superior Tribunal de Justiça DeMolay, que simplesmente restou esvaziado e paralisado desde a saída de seu Presidente, o Ir. Anderson Ferreira do Paraná. Avançamos pouco em relação à estrutura das gestões anteriores, de concentração de poderes na mão do Grande Mestre Nacional e atribuições de legislativo e de queixas as comissões respectivas. Resumindo, precisamos mudar. Mas também trabalhar com foco em objetivos comuns. O que vemos muitas vezes é a alternância entre os gestores, entretanto não há a continuidade de um projeto. Precisamos rever a agenda do Supremo Conselho e estabelecer um planejamento estratégico, comprometendo todos os GMNs e GMEs, estabelecendo indicadores e metas quantitativas e qualitativas nas diversas áreas de atuação do Supremo Conselho.

DMRJ - O que você sugere de mudanças no SCODB? Chormiak - Ao longo desta entrevista citei diversas formas que podem melhorar a atuação do

Supremo Conselho, resumidamente, destaco algumas: - Estrutura flexível e pouco engessada, possível com alteração de estatuto e RGD; - Criar um Conselho de Administração do Supremo Conselho, com liberdade para tomada de decisão em apoio ao Grande Mestre Nacional, sem necessidade de tudo passar pela Assembleia Geral; - Unidade de gestões, criação de metas de curto, médio e longo prazo, ampliando o mandato do GMN e criando um plano diretor que vincule os sucessores a seguir o plano plurianual estabelecido em assembleia. - Profissionalização de setores críticos: TI, Marketing, Produtos; - Ampliação das vantagens em ser regular, com ampliação do sistema de convênios e estabelecer metas aos GCEs; - Inversão do sistema de regularização, o SCODB receberia 1 00% dos recursos e faria os repasses aos GCEs, conforme Capítulo de origem, facilitando a implementação de sistemas de boletos, pagamento com cartão de crédito e etc. - Realização de assembléias seccionadas, ou seja, a assembléia eleitoral ocorreria 1 mês antes do CNOD, oportunidade em que cada Capítulo Regular votaria e enviaria as atas contendo seus votos aos GCEs, e em seguida enviaria ao Supremo Conselho para chancelar o resultado expresso diretamente da base, evitando a interferência dos GMEs na decisão da base dos Capítulos. - Definir temas que serão de competência da assembléia de capítulos (creio que eleições basicamente) e outros que serão de competência da assembléia de GMEs; - Focar no preparo das lideranças e conselhos consultivos, na sensibilização do trabalho em prol da Ordem e desenvolvimento de melhores cidadãos, de maneira profissional, através de equipe multidisciplinar com a finalidade de preparar material para sensibilização; A Revista DeMolay RJ agradece ao irmão André William Chormiak por ter aceitado a nos conceder essa entrevista e a paciência ao responder a todas as nossas perguntas.


Palavra do Grande Mestre Estadual, Rodrigo José Nascimento, sobre expectativas de crescimento da Ordem nesse ano Meus irmãos, o GCERJ gostaria de deixar frisado que todos estão imbuídos no propósito de crescimento do Estado e fortalecimento sustentável, haja vista que, não sendo desta forma nossos Capítulos podem enfraquecer-se. Observem o tanto que os nossos Capítulos têm realizado, como é o caso do Alberto Mansur e do Nova Friburgo, ainda que recém instalados estão demonstrando gradativamente o poder da administração, bem como solidariedade. Estamos buscando parcerias com empresas, para trazer mais benefícios, bem como com os próprios Capítulos, demonstrando a eles que suas opiniões são valiosíssimas, que suas participações nos projetos do GCERJ são importantes para a evolução gradativa do mesmo. Acreditamos que o GCERJ está bem mais pujante e fortalecido, no que tange a parte administrativa, participativa e regulamentar. Logo, esperamos que todos os irmãos Maçons e DeMolays, continuem acreditando em suas lideranças adultas e juvenis e cobrem, dentro da parcimônia, seus direitos e obrigações, para que juntos possamos fazer muito mais para nosso querido Estado, que é o berço da Ordem DeMolay brasileira. Abraços, RODRIGO JOSÉ NASCIMENTO

Grande Mestre Estadual

Revista DMRJ 01-2013  

Revista DeMolay do GCE-RJ

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you