Issuu on Google+

FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas feminina)  Funções: oogênese e secreção dos hormônios sexuais femininos (progesterona e estrógenos).  Estrutura: Zona do córtex - revestida por epitélio germinativo, contém todos os oócitos (folículo); Zona da medula mistura de tipos celulares; Zona do hilo onde passam vasos sangüíneos e os lifáticos.  Unidade funcional: folículo ovariano individual - células germinativas e endócrinas. Funções: 1) fornece nutrientes para o oócito; 2) libera o oócito no tempo devido (ovulação); 1


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Funções 3) prepara a vagina e as trompas de Falópio para ajudar na fertilização do óvulo; 4) prepara o revestimento interno do útero para a implantação da célula ovo e

5) mantém a produção de hormônios esteróides para o feto, até a placenta assumir esta função.  H. ovarianos: estrógenos, progesterona, andrógenos(androstenodiona, testosterona e diidrosterona), relaxina, inibina e outros fatores.  TAB: pode produzir os estrógenos por conversão periférica, androstenodiona em estroma.

2


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Biosíntese: ... Esteróides ... O

Hormônios esteroidais naturais mais potentes OH

HO

O

3

estradiol (estrógeno) C18

O

O

progesteronaprogesterona (progestógeno) (progestógeno) C21 C21 OH

OH

O testosterona (andrógeno) C19

O

H

5- alfa- diidrotesttosterona

Local: Folículos ovarianos (teca interna e granulosa), corpo lúteo e estroma ovariano (tecido intersticial). Estrutura química: derivados do colesterol com a estrutura básica do pentanoperidrofenantreno 2 (Fig. 10.8).


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Biosíntese: ... Esteróides ... O

LH Colesterol desmolase O

17-αhidroxilase

(células tectais) progesterona (progestógeno) C21 3 -hidroxiesteróide desidrogenase

17-20 liase

17 -hidroxiesteróide desidrogenase

FSH aromatase

2


FISIOLOGIA REPRODUTIVA


FISIOLOGIA REPRODUTIVA


VARIAÇÕES HORMONAIS NO CICLO OVARIANO

Fase luteínica


INTERAÇÃO HORMONAL NO CICLO OVARIANO

aumeno diminuiçãohttp://www.owensboro.kctcs.edu/gcaplan/anat2/notes/Notes2 %20female%20reproduction.htm


PUBERDADE: Ações das gonadotrofinas

 GnRH 

LH

Ciclos

ovulatórios (10-14 anos) mas após o surgimento dos caracteres sexuais 2ºs

FSH

Crescimento

ovariano secreção de Estradiol (8-12 anos)

Caracteres sexuais “secundários”: crescimento linear; pelos axilares e púbicos, etc... surgimento da libido


 GnRH

LH e  FSH

 GnRH

LH e  FSH


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO

 Ovários  Tubas Uterinas  Útero  Vagina

2


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO

 É dividido em 02 partes:  fundo  corpo  istmo  cérvice ou colo uterino  No corpo há três camadas: perimétrio, miométrio e endométrio. 2


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Androstenodiona estrona (E1);Testosterona estradiol (E2) e ambos estradiol.

17 -

Diferenciação: estrona radical -C=O no carbono 17, a estrona é um 17-ceto e o estradiol um 17-hidroxi. O estriol (E3) tem uma hidroxila no C17 e outra no C16.

Controle e Secreção de Estrógeno e Progesterona São sintetizados pelos folículos ovarianos... (células da granulosa e tectais) Fig. 10.8

- GnRH: regulação pulsátil do eixo hipotálamo-hipofisário. Estimula FSH e LH - FSH e LH: a cada 28 dias, é repetida a seqüência de desenvolvimento folicular, ovulação e formação do corpo amarelo, no ciclo menstrual.. 3


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Controle e Secreção de Estrógeno e Progesterona  Fase Folicular: ocorre nos primeiros 14 dias do ciclo menstrual e ocorre o desenvolvimento folicular. Síntese de estradiol, feedbck (-), inibindo FSH e LH.  Fase do meio do ciclo: estradol (200pg/ml de plasma) (proliferação das cél. Foliculares)  Fase do meio do ciclo:----> feedback + na hipofise ----> FSH e LH (surto ovulatório de FSH e LH).  Fase lútea: ocorre nos últimos 14 dias do ciclo menstrual. Síntese de Progesterona..Feedbck (-) FSH e LH.  FSH: estimula o crescimento das cél.granulosas, estimulam a síntese de estradiol. Estradiol mantém o crescimento do FSH (foliculares).  LH: promove a ruptura do folículo dominante, libera oócito. Estimula o corpo amarelo e mantém a produção dos 4 esteróides por este, na fase lútea do ciclo menstrual.


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO

Ovários (Gônadas femininas)

Ação do Estrógeno sobre os Tecidos Alvos:  Maturação e manutenção do Útero, trompas de Falópios, cérvix e vagina  Responsável, na puberdade, pelo desenvolvimento das características sexuais secudárias, no sexo feminino.  Necessário para o desenvolvimento mamário.  Responsável pela proliferação e desenvolvimento das cél. Da granulosa ovariana.  Up.Regulation dos receptores para estrógenos, progesterona e LH.  Efeitos de feedback (- e +) sobre a secreção de FSH e de LH.  Estimula a secreção de prolactina.  Bloqueia a ação da prolactina sobre as mamas.  o limiar uterino p/ os estímulos contráteis (gravidez).

5


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas)

Ação da Progesterona Sobre os Tecidos-Alvos

 Manutenção da atividade secretória do útero (fase lútea)  Desenvolvimento das mamas.  Feedback (-) sobre a secreção de fSH e LH.  Manutenção da Gravidez.  Abaixa o limiar uterino para os estímulos para a contração.

Funções Reprodutoras do Estrógeno e Progesterona:  Ação na Trompa de Falópio: Regulam o crescimento e a diferenciação das cél. ciliadas e secretoras (utilizadas para nutrirem a cél. Ovo); atividades motoras da trompa de falópio. 6


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas)

 Ações sobre o Útero: Estrógeno - Crescimento do endométrio e miométrio (hipertrofia e hiperplasia) P, vascularização e embebição do estroma, consumo de O2 (via glicolítica, das fosforilases que catabolizam o glicogênio no colo uterino). Hiperemia (congestão são caracterizados pelo aumento de volume sangüíneo em um tecido ou área afetada). É dividida em: Hiperemia ativa - é causada por uma dilatação arterial ou arteriolar que provoca um ↑ do fluxo sangüíneo nos leitos capilares, com abertura da capilares inativos e, Hiperemia passiva ou congestão - decorre de da drenagem venosa e, está relacionada com a liberação da histamina e serotonina no órgão embebição de H2O, Na+, Cl- e precursores para síntese de proteínas, hidratos de carbonos e lipídeos 6


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Funções Reprodutoras do Estrógeno e Progesterona:  Ações sobre o Útero: Estrógeno a captação e incorporação de precursores de RNA e proteínas do tecido uteríno. Este efeito é realizado pela via AMPc. proporciona a constrição do cérvix uterino, induzindo o acúmulo de líquido intraluminal, que é inibido por antiestrógenos e progesterona. Progesterona - Estimula a secreção de Gl. Endométriais, a embebição do estroma, que fica rico em glicogênio preparado para receber o blastócito e formar a placenta. - Mantém o ovo fecundado, durante vários dias dentro da cavidade uterina.  Ações sobre o Epitélio Vaginal: Estrógeno - proporciona o crescimento, diferenciação e composição do espitélio vaginal. As cel. superficiais se queratinizam-se e tornam-se acidófilas. Progesterona - descama estas cél. Em blocos, tornando-as basófilas. A mucificação vaginal depende da ação sinérgica destes hormônios. o conteúdo de glicogênio, substrato láctico, importante para manter o pH vaginal (3,8-4,5). O que evita a proliferação de bactérias. 7


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Funções Reprodutoras do Estrógeno e Progesterona:  Ações na Gl. Endocervicais: Estrógeno hipertrofiam as glândula do colo uterino e a secreção de muco bastante fluido. Progesterona o torna (-) volumoso e (+) espesso, dificultando a passagem dos espermatozoides.  Ações na glândula mamária : O crescimento da glândula mamária e a lactação dependem da ação sinérgica e coordenada de vários hormônios: gonadais, hipofisários, adrenais, tiroidianos e pancreáticos. Estrógenos são importantes para o crescimento dos ductos mamários. Progesterona é necessária para o desenvolvimento lóbulo-alveolar.  Ações sobre os ovários: Estrógenos em doses elevadas, o peso ovariano, estimulando o crescimento folicular mesmo em doses baixas. Estes efeitos dependem da presença do útero e são bloqueados pela administração do FSH, que é um agente luteotrófico. 8


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Funções Reprodutoras do Estrógeno e Progesterona:  Ações Tecidos Conjuntivo: Estrogenos, no homem determinam edema da pele e do tecido celular subcutâneo e espessamento das fibras do colágeno. Na rata causam do colágeno, conteúdo de água, hexosamina, lipídios e da condroitina-sulfato B. Na macaca Rhesus existe uma pele “sexual” cobrindo o períneo e parte das pernas que, sob a ação estrogênica, se torna muito edemaciada.  Ações Tecido Ósseo: Estrógenos, ativam a deposição de cálcio e induzem a ossificação precoce das cartilagens epifisárias dos ossos longos. a captação de precursores de síntese de proteínas e de ac. nucleicos pelo osteoblastos.

9


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas)

Funções Reprodutoras do Estrógeno e Progesterona:  Ações Sistema cardiovascular e sangue: Estrógenos exercem efeito sobre a composição da parede dos vasos, a sua permeabilidade por modificações do metabolismo dos mucopolissacarideos da parede vascular. Eles ativam a coagulação sangüínea, o fator V e a protombina. Na ausência de estrogenos, existe fragilidade vascular e tendência a hemorragia na mulher. Estes hormônios os níveis de colesterol plasmático e os do fígado.

10


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Funções Reprodutoras do Estrógeno e Progesterona:  Ações Sistema nervoso central: Os hormônios ovarianos atuam sobre a atividade elétrica espontânea de neurônios de varias estruturas cerebrais como atividade elétrica dos neurônios localizados na área pré-óptica hipotálamo anterior, área septal e outras. Estas modificações da atividade neural estão associadas às modificações comportamentais do animal e da mulher durante as fases do ciclo reprodutor.  Ações Sistema hipotalamo-hipofisario: Os H. ovarianos, controlam, por um mecanismo retroalimentação negativa, a secreção de FSH e de LH. A remoção das influencias gonadais determinam da síntese e liberação de LH e FSH, elevando bastante os seus níveis plasmáticos e hipofisários. Estrógeno exerce ação inibidora mais intensa sobre a secreção de FSH e LH do que a Progesterona. A associação desse dois esteróides é mais efetiva. 11


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) CICLO MESNTRUAL (28 dias)

Fase folicular ou proliferativa: 1º-14º dia. Folículo primordial folículo de Graaf folículo dominante. Up regulation cél. Granulosa e teca para FSH e LH síntese de estradiol 17 -estradiol e feedback (-).  Ovulação: 15º dia. Ocorre o surto de FSH e LH, o que irá promover a ovulação do óvulo maduro. muco cervical (aquoso e mais penetrável para o espermatozóide). estradiol.  Fase lútea ou secretória: 15º-28º dia. Desenvolvimento do corpo amarelo. Síntese de estradiol e progesterona. Progesterona (estimula a atividade secretora do endométrio e a vascularização. Também leva ao aumento da temperatura corporal. o muco cervical, fica mais espesso. E caso não ocorra a fecundação (regressão do corpo amarelo). Cai os níveis da Progesterona e estradiol.  Menstruação: 1º-5º dia. A queda dos H. leva a descamação do endométrio (menstruação). Dura geralmente 4 dias. Neste período os folículos primordiais , já começam ser recrutados e a se desenvolver para o ciclo seguinte. 12


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) CICLO MESNTRUAL (28 dias)  Corpo Lúteo: Gl. Endócrina de duração efêmera. Originado das células. Teca interna e granulosa do folículo maduro (20-40µm). Produz, progesterona e estrógeno (enzimas aromatases). após a ovulação, os elementos residuais do folículo rompido formam, a seguir, uma nova estrutura endócrina, o corpo lúteo;  o corpo lúteo proporciona o equilíbrio necessário dos esteróides gonádicos, que otimiza as condições para a implantação de um oócito fertilizado, e a subseqüente manutenção do zigoto, até que a placenta possa desempenhar essa função;  se não houver fertilização e gravidez, o corpo lúteo começa a regredir após um período de 14 dias (luteólise);  gradualmente, o antigo corpo lúteo é substituído por cicatriz avascular, conhecida como corpo lúteo atrésico

(corpus albicans).

13


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) CICLO MESNTRUAL (28 dias)  Corpo Lúteo: Nos primeiros dias após a ovulação, o corpo lúteo mantém sua capacidade hormonal independente dos H. hipofisários. O estímulo inicial se da pelo LH, lipoproteínas, somatomedina C, insulina e do próprio estrógeno.  Agentes Luteotróficos: Prolactina são os principais, LH estimula a produção de progesterona através dos sistema AMPc., H. hipofisários que estimulam a formação e manutenção do Corpo Lúteo. Ainda temos, hCG, catecolaminas e PGE2.

13


Organelas ovarianas Corpo lĂşteo

http://www.tyler.cc.tx.us/Science/images/r eproduction/60femalex.jpg


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) GRAVIDEZ ou GESTAÇÃO  Fertilização do óvulo: Após ovulação o oócito liberado é apreendido pela trompa de falópio onde vai ser fecundado pelo o espermatozóide no seu terço médio. Na forma de blástula, é que o futuro embrião alcança a cavidade uterina, para o processo de nidação que ocorre entre o 6º e 8º dia.  Progesterona: secretada pelo corpo lúteo (nos primeiros 60 dias) do ovário e durante a gestação pela placenta (após os 60 dias, pelas suas célula Sinciciais). Funções: a excitabilidade uterina, vascularização do corpo e do colo uterino. Efeito termogenético, a temperatura corporal (0,5ºC), até a metade da gestação. deposito de gordura. Mama: desenvolvimento dos lóbulosalveolar.  Homônio melano-estimulante (MSH): modificam a pigmentação, da auréola dos mamílos, linha alba, nevos e pode aparecer máscara gravídica (cloasma). 14


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) GRAVIDEZ ou GESTAÇÃO  Estrógenos (Estradiol (E2), Estrona (E1) e Estriol (E3): Durante a gestação são sintetizados pelas células Sinciciais do trofoblasto. a partir da 12ª semana de gestação. A partir dos 60 dias é sintetizado pela produção placentária. Funções: útero - atuam no crescimento e excitabilidade, vascularização, hiperplasia, e hipertrofia das fibras musculares miometriais. E3 é o predominante nesta fase, tem uma ação antagônica a da progesterona, a espessura e a vascularização do epitélio vaginal e mucosa cervical, e amolece o cérvix uterino. Mama: desenvolvimento dos ductos e o tamanho e a motilidade dos mamilos. Vol. dos líquidos extracelular e retenção de Na+. E alteram as proteínas Plasmáticas e coagulação.  Gonadotrofina Coriônica (HcG): Produzido pelas células citotrofoblastos placentários são detectados até 10 dias após a ovulação (600 a 1000 UI/Ml de soro/g de tecido). Funções: luteotróficos, prolonga a duração do ciclo menstrual, pq promove a duração do corpo lúteo. Seu pico se dá na 60ª dia da gestação. Tem uma ação aderenocorticotrofica fetal. 15


FISIOLOGIA REPRODUTIVA

FEMININO

Ovários (Gônadas femininas) GRAVIDEZ ou GESTAÇÃO

 Hormônio Lactogênico Placentário (hPl): Produzido pelas células sinciciotrofoblastos da placenta a partir da 2ª semana de implantação e eleva-se até a 6ª semana. Função: prolactínica e diabetogênica ( insulina plasmática, acelera a lipólise, os níveis de ag e ativa a neoglicogênese). Tem também funções do GH e lactogênico. Determina o desenvolvimento mamário.

 O diabete gestacional é uma condição de intolerância aos carboidratos, com graus de intensidade variados. Sua principal característica é o início ou detecção durante a gravidez, podendo ou não persistir após o parto, quando se deve fazer nova avaliação. A glândula endócrina localizada no pâncreas, responsável pela produção de insulina, tem como função controlar a quantidade de açúcar no sangue. Devido às mudanças que ocorrem no organismo da gestante, alguns hormônios podem prejudicar a ação da insulina, dificultando a entrada de glicose nas células. Para a maioria das mamães, o corpo compensa este desequilíbrio aumentando a fabricação de insulina, mas quando há uma diminuição desta produção, eleva-se a taxa de açúcar sanguíneo e surge a diabete gestacional. porem é fato que a gestação esta associada a um certo grau de resistência insulínica e acredita-se que as gestantes que desenvolvem o diabetes gestacional possuem uma resistência maior associada a diminuição da reserva insulínica.

16


FISIOLOGIA REPRODUTIVA

FEMININO

Parto  É o momento que o concepto deixa o ventre materno. Depende de contrações uterinas: - dilatar o istmo e o colo uterino. - promover a descida e a expulsão do feto. determinar a expulsão da placenta.  O parto é definido como um aumento na contratilidade do miométrio ou, mais precisamente, uma mudança no padrão de contração:  irregulares de baixa freqüência e longa duração para contrações regulares de alta freqüência e grande intensidade.  O parto é melhor definido fisiologicamente como a liberação de sinais inibitórios sobre o miométrio mais do que um processo ativo mediado por sinais estimulantes da atividade 16 uterina.


FISIOLOGIA REPRODUTIVA

FEMININO

Ovários (Gônadas femininas)

Parto

 Caldeyro-Barcia e cols: estudaram contrações através de: a) Registro de pressão dentro da cavidade amniótica; b) Registro de pressão dentro da musculatura uterina (intramiometrial); c) Registro da pressão intraplacentária. 16


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas)

Parto  Contratilidade Uterina dentro durante a Gestação: Durante a gestação: 2-4mmHg, não é percebível. De 1020mmHg (músculo úterino) percebido. 35ª semana a contração a medida que se aproxima da 40ª semana. As contrações uterinas atingem um ciclo de 4 em cada 10 min e alcança 40mmHg. Expulsão a P chega a 50mmHg e a freqüência está em torno de 5 a cada 10 min. E após a expulsão fetal a P atinge 50 a 60mmHg para deslocar e expulsar a placenta e tirar cerca de 80 a 100Ml de sangue para o feto.  Fase 0 – corresponde a 95% da gestação. Nesse estágio o miométrio é relativamente quiescente e a cérvice uterina é rígida.

 Fase 1- Ativação- Latente -Ocorre a distensão da cérvice. É o resultado da remoção das forças inibitórias e geração das forças mecânicas que atuam sobre o miométrio uterino. A ativação resulta na expressão de proteínas associadas à contração (CAPs) no útero, como a conexina, prostaglandinas e receptores para ocitocina.  Fase 2 – Ativa - fase de contrações fortes. Ocorre a contração sincrônica. Essas contrações são estimuladas pela prostaglandinas e ocitocina.  Fase 3 – corresponde a involução do útero após o parto. Está associada com a liberação neuroendócrina de ocitocina. 17


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO

17


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Parto  Musculatura uterina: O estiramento pelo feto é muito importante para o desencadeamento das contrações uterinas.  Ocitocina: é fundamental para a manutenção das contrações uterinas.  Estrógeno: Ele é importante para excitabilidade uterina, na hora do parto. A falta de sulfatase placentária, a produção de estrógeno e retarda o desencadeamento do trabalho do parto.  Prostaglandinas: derivados de fosfolípidios e do metabolsmo do ac. Araquidônio, produzidos pelas gônadas, musculatura uterina, placenta e outros tecidos. PGF2 é importante estimulador da contratilidade uterina e é luteolítico. Durante a gestação sua concentração se eleva, atinge o máximo no final da gestação e diminui 2-3 dias após o parto.  O ACTH está elevado e no final da gestação síntese de Cortisol o qual pode desencadear o parto. 17

a


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Ovários (Gônadas femininas) Parto  Progesterona: Sua diminuição no final da gestação ativa as contrações uterinas.

 Relaxina: Proteína produzida pelo corpo lúteo. Função: amolece os ligamentos colagenosos da bacia pélvica durante a gestação; facilita a dilatação cervical; contribui para o desenvolvimento da glândula mamária e participa do processo de ruptura a parede folicular (folículo de graaf) durante a ovulação.

18


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO

Ovários (Gônadas femininas) Lactação HORMÔNIOS ENVOLVIDOS COM A LACTOGÊNESE E GALACTOPOESE  PIF/PRF =>Prolactina: Crescimento mamário, início e manutenção da lactação*  GHRH/GHRIH => gH O GH direciona os nutrientes para a síntese do leite e aumenta a produção.  CRH => ACTH =>Glicocorticóides Início e manutenção da lactação ao exercer seu efeito sobre o número de células mamárias e sobre a atividade metabólica.   TRH =>TSH=>T3 e T4 Estimula o consumo de oxigênio e a síntese de proteínas aumentando a síntese do leite. 19


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO

Lactação HORMÔNIOS ENVOLVIDOS COM A LACTOGÊNESE E GALACTOPOESE  Ocitocina Ejeção do leite. A ocitocina liga-se aos receptores nas células mioepiteliais, ocorre contração das células e dos alvéolos com conseqüente ejeção do leite

 GnRH => FSH=>Estradiol dos ductos mamários

Crescimento

 GnRH => LH=>Progesterona Crescimento lóbulo-alveolar mamário e inibição da lactogênese  Insulina

Metabolismo da glicose

 Paratormônio Fósforo

Metabolismo do Cálcio e 19


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Lactação  Desenvolvimento Mamário: Nos primeiro mês da gestação desenvolve-se o sistema canalicular e o crescimento dos alvéolos. Sua atividade secretora iniciase na segunda metade da gestação.  Produção de Leite: A prolactina é o principal h. responsável pela lactogênese. Outros H. trabalham sinergicametne para a síntese do leite: progesterona, glicocorticóides, tiroxina e GH). Durante a gestação os receptores de Prolactina são bloqueados.

19


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO Lactação

 Manutenção da Lactação: Depende da sucção do mamilo. Fenômeno neuroendócrino, onde o arco-reflexo se da pela estimulação de receptores mamilares.  Retorno do Ciclo Menstrual após o Parto: Lactação prolonga o período de amenorréia. Duração de 8 a 12 meses após o parto. Se não amamentar o período dura de 2 a 4 meses. Possivelmente os H. antigonodotróficos da prolactina - no ovário, competindo com LH e FSH; no hipotálamo, a produção de GnRH.

19


FISIOLOGIA REPRODUTIVA FEMININO

MENOPAUSA Conceito: A menopausa é a cessação dos ciclos menstruais nas mulheres, e ocorre, aproximadamente, aos 50 anos de idade. Por vários anos antes da menopausa, ciclos anovulatorios (ciclos menstruais onde não ocorrem ovulação) se tornam mais comuns e o número de Folículos ovarianos funcionais diminui. Assim, a secreção de estrogênio declina gradualmente e, por fim, cessa. Característica: Níveis circulantes elevados de FSH e de LH, com da pulsatilidade de seu padrão secretório, que resulta do feedback inibitório do estrogênio sobre a hipofise anterior. Sintomas da menopausa: são causados pela perda da fonte ovarina de estrogênio. 1) incluem o adelgaçamento do epitélio vaginal, 2) secreções vaginais diminuídas, 3) menor massa mamaria, 4) massa óssea reduzida, 5) instabilidade vascular (“fogacho”) e 6) lnstabilidade emocional (como o estrogênio pode ser produzido, a partir dos precursores androgenicos, no tecido adiposo, as mulheres obesas tendem a ser menos sintomáticas que as mulheres não-obesas). Terapia de reposição estrogenica: reposição da fonte ovarina de estrogênio, o que minimiza ou impede, os sintomas da menopausa.

19


AULA 6 - GONADAS FEMININAS (OVÁRIOS)