Issuu on Google+

A N O T Í C I A PCidade O R Q U Ede M Deus V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

1

Abril ‐ Maio de 2012 ‐ Ano III ‐ No 4

Você sabia que a justiça veio até a Cidade de Deus? Então vá até a página 16 e conheça alguns dos serviços que o ônibus Justiça Itinerante oferece na comunidade.

16

Bloco Coroado

O bloco, que existe desde 1972, foi promovido à escola de samba no carnaval de 2012. Conheça aqui um pouco mais sobre a história do bloco e do samba enredo que coroou os artistas de rua da CDD.

12

Portal Comunitário da CDD

Desde 2009, a Cidade de Deus está online com um Portal Comunitário que reúne diversas organizações atuantes na comunidade. Na comemoração dos 3 anos do Portal, uma das fundadoras conta como surgiu o projeto e quais são os planos para o futuro do site.

E MAIS...

Visite o Portal: http://www.cidadededeus.org.br

03

Companhia Dança Trevo...........................................4

Bairro Educador Cidade de Deus.................................8

Espaço Cultural Escola Sesc.......................................5

Aprendendo a falar através do texto e da fotografia.......9

Charges, piadas e poesia...........................................6

Quem são as pessoas que fazem este jornal?................10

Nós do Jornal "A Notícia por quem vive" e o edital........7

Saber é poder!.......................................................13

Alimente sua família usando a poupa, cascas ou folhagem Associação Semente da Vida da Cidade de Deus...........14 das verduras frescas ................................................7

II Festival Ponto de Cultura Itinerante.......................15


2

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Editorial por SOLTEC ‐ UFRJ

Mostrando a cara

Quem faz e quem é dono do jornal "A notícia por quem vive" Nos últimos anos, a Cidade de Deus se tornou ambiente muito rico de oportunidades. Novas oportunidades, vindas de fora, por um lado. Por outro, novas oportunidades de mostrar o que a Cidade de Deus há muito fazia. E de fazer por aqui coisas novas. Justiça Itinerante, Bairro Educador, Festival Ponto de Cultura Itinerante, oficinas de fotografia e redação criativa realizadas a partir do edital do Ministério da Cultura, são só alguns exemplos das novidades trazidas nesta edição do jornal A notícia por quem vive. Pela quarta vez, o grupo que mostra aqui a sua cara

(literalmente, nas páginas X e Y) produz este veículo de comunicação comunitário, que aos poucos se firma como um espaço de registro da história desses novos tempos na Cidade de Deus. É por aqui, nessas páginas, que parte da memória deste lugar e dessa gente vem sendo contada, e é por aqui que, anos a frente, ela poderá ser resgatada. Para o Núcleo de Solidariedade Técnica da UFRJ (SOLTEC/UFRJ) é gratificante participar da experiência de construção deste jornal. Ver que a Cidade de Deus tem seus próprios meios de comunicação (e aqui incluo também o Portal Comunitário da Cidade de Deus), feitos “por quem vive”, por quem trabalha, por quem luta aqui, graças à dedicação constante de cada morador que participa de

forma voluntária desses grupos. Por fim, ficamos muito felizes em ver esse jornal como mais um elemento que integra diversas pessoas e organizações da Cidade de Deus em prol da sua comunidade. Um jornal que produz comunicação comunitária, valorizando as diversas melhorias que vem acontecendo aqui, sem perder a visão crítica dos problemas que ainda existem. Nossa expectativa é que cada vez mais pessoas venham participar deste grupo e que a Cidade de Deus possa se sentir cada vez mais representada neste veículo, em toda sua diversidade. Para isso, o jornal mantém suas portas abertas: participe você também. Nossa intenção é que a CDD seja sempre a maior proprietária deste jornal, mostrando a notícia por quem vive.

Expediente Abril a Maio de 2012 FUNDADORES:

Colaboradores:

Ariana Apolinário, Celso Alexandre Alvear, Cilene Vieira, Dara Bandeira, Dayse Vieira, Felipe Brum, Joana da Conceição Campos, João Carlos Souza, José Alberto, Julcinara Vilela, Landerson Soares, Leila Martiniano, Maria Angélica Ponciano, Marília Gonçalves, Mônica Rocha, Rita de Cássia, Rosalina Britto, Valéria Barbosa da Silva

Cristiane Ribeiro e Valéria Barbosa

Membros do jornal:

Apoio:

Maria Angélica Ponciano, Cilene Vieira, Felipe Brum, Joana da Conceição Campos, José Alberto, Julcinara Vilela, Mônica Rocha, Rosalina Britto

CDD, SOLTEC/UFRJ, SESC e ASVI

Revisão de textos: Camille Perissé, Marília Gonçalves e Renata Melo Diagramação: Diana Helene Agradecimentos: Ao Bairro Educador e, especialmente, aos diagramadores deste jornal: Diana Helene, nesta edição, Alan Tygel e César Campos nas demais.

Este jornal foi diagramado utilizando somente programas de computador livres: Scribus, Gimp, LibreOffice e Ubuntu. Use Software Livre!!

Visite o Portal da CDD >> http://www.cidadededeus.org.br


3

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Portal Comunitário chega aos seus 3 anos! por Maria do Socorro Melo Brandão

O Portal Comunitário da Cidade de Deus surgiu a partir de uma pesquisa feita por Celso Alexandre Souza de Alvear, pesquisador do Núcleo de Solidariedade Técnica da UFRJ (SOLTEC/UFRJ), com as organizações sociais comunitárias da Cidade de Deus. Depois dessa pesquisa, em janeiro de 2008, surgiu a proposta de criação de um portal que reunisse as atividades realizadas pelas instituições e foi dado início à sua realização. Após a apresentação de sua dissertação, Celso retornou aos encontros com as instituições a partir de Junho de 2008, quando outras propostas começaram a surgir. As reuniões se tornaram mensais, e eram realizadas nas sedes das organizações participantes. Numa delas, a Sra. Ednalva Assis, representante do

Centro de Estudos de Ações e Culturais e de Cidadania (CEACC) lançou a ideia do nome Portal Comunitário Cidade de Deus, que se firmou. A proposta do Portal Comunitário Cidade de Deus é muito importante para que as instituições da comunidade mostrem os seus trabalhos, como também para que a comunidade tenha acesso dando sugestões e buscando serviços. Um dos resultados mais importantes já obtidos é a integração das instituições em torno dessa proposta – o envolvimento dessas pessoas que trabalham pelo bem da Cidade de Deus pode trazer, com certeza, muitos benefícios à comunidade. No dia 18 de Abril de 2009 o Portal foi ao ar pela primeira vez, e,

desde então, vem se tornando ferramenta importante, porque oferece à comunidade vários serviços como: informações sobre as atividades oferecidas pelas instituições, vagas de emprego, entre outros. Em 2012, quando o Portal comemora 3 anos, queremos fazer uma festa diferente. Para isso estamos buscando junto aos moradores fotos antigas para que possamos fazer uma grande exposição da Cidade de Deus antiga em comparação à Cidade de Deus que hoje recebe as obras do Bairro Maravilha. Nos dias de hoje, o Portal não é só acessado no Brasil, mas também em vários países. Acesse, participe e divulgue: www.cidadededeus.org.br. Veja na tabela uma evolução do Portal:


4

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Companhia de Dança Trevo por Julcinara Vilela

Por que TREVO? A Companhia de Dança Trevo surgiu no ano de 2010 pela ideia de três professores: Lucio Santos, Adani Lima e Anderson Billi Bill, todos moradores da Cidade de Deus. O principal objetivo é oferecer aos jovens uma opção de vida ligada à arte e à cultura. As modalidades exploradas são: dança de rua, contemporânea, ginástica olímpica e acrobacia. “É através destas modalidades que temos a intenção de formar indivíduos capazes de darem novas formas a si mesmo, ou seja, que eles descubram mais sobre suas capacidades corporais desenvolvendo também autoconhecimento, habilidades e coordenações”, diz o professor Lucio. O professor Lucio é o grande incentivador do grupo, além de coordenador, há anos está atuando na comunidade e antes de ser TREVO teve uma história que vale a pena conhecer no portal: http://www.cidadede‐ deus.org.br/entidades/asderem. Através de professor Adani

veio a sugestão de se chamar TREVO, pois é um trabalho novo e diferente. “TREVO” seria ideal por representar a sorte e por ser verde que também significa esperança. Atividades que compõem o Trevo: Acrobacias  são performances de destreza  corporal  comuns em circos. A ginástica artística  é uma das modalidades da ginástica. A dança contemporânea  não se define em técnicas ou movimentos específicos, pois o

intérprete/bailarino ganha autonomia para construir suas próprias partituras coreográficas. A Dança de rua seja Breaking, Up Rocking, Popping, Locking ou outro nome que queiram dar, todos estes estilos são da rua é uma expressão corporal dançante do Hip Hop. O maior objetivo da Companhia é: 1) Conseguir montar um excelente espetáculo com todas as atividades que estão trabalhando e dar um ótimo entretenimento ao seu público; 2) Que no final de cada trabalho os bailarinos possam ter um cachê digno de seu esforço pelo propósito da companhia; 3) Fazer com que o trabalho seja visto, reconhecido e aplaudido nacionalmente e internacionalmente. A Companhia de Dança atualmente faz parte do Circuito Itinerante de Cultura e suas atividades são no espaço da ASVI – Associação Semente da Vida da Cidade de Deus – Rua Israel, 129 as 3ª e 5ª feiras de 19h as 21h.


5

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Espaço Cultural Escola SESC: mais de 150 atividades culturais gratuitas e abertas ao público por Assessoria de Cultura da Escola SESC de Ensino Médio

Inaugurado em 2009, o Espaço Cultural Escola SESC vem se tornando um centro de produção artístico‐cultural amplo e heterogêneo, preocupado em observar a cultura através de suas três dimensões: simbólica, cidadã e econômica. Os projetos implementados fazem parte de um conjunto de políticas culturais planejadas que objetivam a democratização e promoção do acesso aos mecanismos de produção, distribuição e fruição de bens culturais, além do estímulo à criação artística e da oferta de formação. A programação é composta por projetos temáticos que se repetem anualmente, incluindo todas as linguagens artísticas. Ao longo do ano, são mais de 150 atividades oferecidas ao público gratuitamente, entre espetáculos de música, teatro e dança, exibição de filmes, exposições, cursos, oficinas, laboratórios, palestras, debates, entre outros. Para aproximar ainda mais os

moradores do entorno, a Assessoria de Cultura da Escola SESC desenvolveu o projeto Clube de Espectadores com o intuito de dinamizar a freqüência do público, identificar as demandas culturais da região e guiar a linha conceitual estabelecida para a programação artística. Para ser sócio, o visitante deverá preencher a ficha de cadastro do Clube de Espectadores e entregá‐la na Assessoria de Cultura da Escola SESC ou enviá‐la para o e‐mail: assessoriadeculturaesem@gmail. com. A ficha de inscrição é disponibilizada ao público em todas as atividades do Espaço Cultural Escola SESC. A partir da confirmação dos dados enviados, o espectador receberá em sua casa uma carteira de sócio que lhe dará os seguintes benefícios: livre acesso ao Espaço Cultural Escola SESC nos dias de atividades culturais; prioridade na inscrição de oficinas, cursos, palestras, debates e/ou qualquer atividade cultural que haja limitação de

vagas; empréstimo de livros, CDs, DVDs e outros materiais que compõem o acervo do Canto Poético, Banco de Textos e Núcleo de Música; brindes produzidos para os projetos realizados (camisas, chaveiros, bonés, livros, etc); participação em assembleia anual para sugestão de programação; convite para sessões especiais, como ensaios e apresentações; possibilidade de transporte para grupos comunitários, de instituições de ensino e/ou projetos sociais (mediante disponibilidade da programação); recebimento da Revista Clube de Espectadores por correios com a programação bimestral do espaço; e 50% de desconto nos livros e DVDs vendidos dentro do espaço cultural. A inscrição e todas as vantagens citadas são gratuitas. Acompanhe a programação do Espaço Cultural Escola SESC nas mídias sociais: Site: teatroescolasesc.wordpress.com Facebook: Espaço Cultural Escola SESC Twitter: teatroesc_sesc


6

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Charges por Rosalina Brito

PARTIU O MAIOR HUMORISTA DO BRASIL

POESIA FOI NA DANÇA DO PASSINHO QUE GUALTER ROCHA CONHECIDO COMO GAMBÁ FICOU FAMOSO MAIS FOI ASSASSINADO BRUTAMENTE NO DIA 1 DE JANEIRO. VAMOS HOMENAGEAR TAMBEM OS VIVOS.

A voz dos inocentes (Rosalina Brito) Eu sou sobrevivente das enchentes, Sou sobrevivente da violência Eu sou sobrevivente da fome Das drogas, dos estupros Sou sobrevivente do abandono do governo Da falta de moradia, falta de médicos Da falta de infra‐instrutura Da falta de alternativas De uma juventude sem perspectivas Sem auto estima, sem educação, Lazer, trabalho, sem esperança, e... pois e... Sou sobrevivente do recrutamento para o crime do trafico de armas e drogas, prisão, da prostituição Sou sobrevivente da cidade de deus, Do poder publico, que me abandonou aqui Também sou sobrevivente de suas violências Que pra mim foi a maior delas, o desprezo Mais ainda não acabaram comigo Estou viva, viva, viva ...


7

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Nós do Jornal A Notícia por quem vive e o edital... por Maria do Socorro Melo Brandão

Os representantes do Jornal desde que começaram com a proposta do Curso de Comunicação Comunitária através do SOLTEC/UFRJ não pararam de ter surpresas. A primeira delas foi após o curso ter a primeira edição do jornal que acendeu um desejo maior de ver a comunidade lendo cada vez mais o que produziam. Quando tiveram a oportunidade de participar do Edital de Pequenos Projetos do MINC e tiveram a adesão da ASVI – Associação Semente da Vida da Cidade de Deus

viram a possibilidade do sonho não morrer e ter novas edições e assim foi uma GRANDE CONQUISTA! Isso mesmo GRANDE CONQUISTA é o que se pode dizer desse edital que fez com que o grupo aprendesse mais coisas e crescesse a partir das propostas que surgiram. A partir daí foi necessário se pensar num regimento interno que foi pensado e construído a várias mãos. Hoje estamos apresentando a comunidade a edição n° 04 e estamos particulamente satisfeitos com o que o edital nos possibilitou,

pois além do aprendizado, vimos que a proposta é muito importante para a comunidade que aos poucos já reconhece o jornal como mais um espaço de comunicação. Somos gratos aos representantes do SOLTEC/UFRJ por acreditar no nosso potencial, na Associação Semente da Vida que também confiou no produto participando do edital, pelos representantes do MINC em apoiarem o nosso jornal e também por todos os que têm de alguma maneira nos fortalecido nesse aprendizado.

Alimente sua família usando a poupa, cascas ou folhagem das verduras frescas por Joana da Conceição Campos

Sucos:

Abóbora e melancia 100grs de abóbora 100gras de melancia Bater no liquidificador e colocar açúcar a gosto Espinafre e couve Duas folhas de couve Uma porção de espinafre Bater no liquidificador e coar Açúcar a gosto

Receitas:

Refogado ou salada de casca de melancia Descascar a parte branca e cortar em cubinhos Refogar e temperar a gosto Bife da casca de banana Tirar a poupa da banana, deixar por vinte minutos a casca da banana descansar. Temperar a gosto. Passar a casaca num ovo batido, depois na farinha de rosca e virar. Aumentar a quantidade de acordo com o número de pessoas.


8

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Bairro Educador Cidade de Deus e muitos desafios em 2012 por Maria do Socorro Melo Brandão e Cristiane Ribeiro

O projeto Bairro Educador Cidade de Deus continua a sua atuação nas Escolas Municipais Alberto Rangel, José Clemente Pereira, Professoranda Leila Barcellos de Carvalho, Helena Lopes Abranches, Pedro Aleixo e CIEP Luiz Carlos Prestes. Integrado ao programa Escolas do Amanhã, da Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro, o projeto é realizado pelo CIEDS (Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável). A proposta é de uma maior aproximação dos responsáveis com as escolas e contribuir com o protagonismo juvenil, sem esquecer os principais objetivos do programa, que são: melhoria do IDEB e diminuição da evasão escolar. As gestoras de Núcleo e de projeto, Maria do Socorro e Cristiane Ribeiro, organizaram junto às unidades escolares várias propostas de atividades/ações. Algumas já foram realizadas em parceria com instituições que querem contribuir com o aprendizado dos estudantes, conforme abaixo: Exposição Aventura no Corpo

Humano, do Museu da Vida, levada pela Gestão Social de Farmanguinhos para as escolas com espaço livre, integrando aquelas que levaram seus alunos para visitar a exposição; Dia Internacional da Mulher em parceria com a ASVI CDD (Associação Semente da Vida) e CDI (Comitê para a Democratização da Informática), levando oficinas e orientações sobre o mercado de trabalho para as mães do CIEP Luiz Carlos Prestes; Dia da Mulher na Escola Municipal Alberto Rangel, oferecendo para um grupo de mães limpeza de pele através de uma parceira com a Natura; Outras atividades ainda estão sendo realizadas como, por exemplo: 1 ‐ Pesquisa com os alunos dos 8° e 9° anos a fim de saber quais os cursos de interesse para apresentar à Secretaria Estadual de Educação, devido à implantação da escola de 2° grau e também para que possamos levar profissionais para palestras nas escolas; 2 ‐ A exposição sobre a vida do Marechal Rondon será levada para as escolas numa parceria

com a ASVI CDD e Agência do Banco do Brasil Cidade de DEUS – Projeto Memória; 3 ‐ Atividades com os alunos das escolas como aula/passeio, oficinas em sala de aula baseadas no Projeto Político Pedagógico da escola; 4 ‐ Daremos continuidade aos encontros com os responsáveis, com atividades de interesse, buscando integrá‐los mais na escola; Para que possamos ter um Bairro Educador consolidado ainda temos muito a realizar, articular, etc., mas será muito importante podermos contar com a comunidade, instituições, para novas oportunidades de aprendizagem e formação cidadã. Precisamos cuidar para que os alunos se interessem em participar das aulas, que seus responsáveis acompanhem o seu desenvolvimento. Assim, além de um Bairro Maravilha também teremos uma Escola Maravilha!


9

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Aprendendo a falar através do texto e da fotografia por Maria Angélica Ponciano

Em 2010, as três esferas do governo (federal, estadual e municipal) se uniram e lançaram um edital, através do Ministério da Cultura (MinC), para pequenos projetos nas comunidades pacificadas. O jornal A notícia por quem vive, da Cidade de Deus, foi um dos projetos beneficiados pelo edital. Com o patrocínio, o jornal pôde realizar duas oficinas: Fotografia e Escrita Criativa (redação), em janeiro e fevereiro de 2012, na Associação Semente da Vida (ASVI), localizada na Travessa Mesopotâmia, 32, na Cidade de Deus. A Associação convidou a comunidade e instituições a participarem.

A oficina de fotografia ocorreu aos sábados, das 9h às l3h, com aulas teóricas sobre a história da fotografia, conhecimento dos equipamentos e sobre como utilizá‐los. Nas saídas para as aulas práticas, pelas ruas da Cidade de Deus, era interessante os alunos fotografarem com o seu olhar. De volta à sala de aula, eles analisavam a melhor posição do objeto e luz. Com isso, conseguiram fazer um grande arquivo que, com o consenso de todos, servirá para uma exposição na comunidade em breve. Com método diferente. Assim foi a oficina de Escrita Criativa (redação), muito longe de ser uma aula de português tradicional. Se falamos e conversamos por que não escrevemos bem? Assim, descontraídas e alegres foram as noites de quinta‐ feira, finalizando com as oficinas dos dois últimos sábados. Há a proposta de um período maior de oficinas na comunidade ainda em 2012.


10

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Quem são essas pessoas que fazem este jornal existir? por Cilene Regina Vieira da Cruz

De um modo geral, são integrantes de instituições que atuam, em sua maioria, na Cidade de Deus e entorno. Esse grupo tem a preocupação de atender às necessidades da comunidade, já que as políticas públicas não estão integralmente presentes na Cidade de Deus, dificultando, assim, as oportunidades de conhecimento para esta comunidade. O grupo é composto por:

‐ Joana da Conceição Campos, 70 anos, maranhense, mora no Gardênia Azul. É pedagoga (aposentada), integrante ativa do Comitê Comunitário e do Jornal A notícia Por Quem Vive. Essa senhora dá um banho de disposição quanto à participação em movimentos sociais.

‐ Felipe Brum, 50 anos, gaúcho, morador da Cidade de Deus. É presidente da organização não governamental Coopeforte CDD (Cooperativa da

Construção Civíl). Integrante do Comitê Comunitário, do Portal Comunitário da Cidade de Deus e do jornal A Notícia Por Quem Vive. O Felipe se preocupa com a pouca participação de algumas instituições locais.

‐ Maria Angélica Ponciano, 56 anos, é educadora integrante da ONG Associação Semente da Vida (ASVI), moradora da Cidade de Deus e integrante do jornal A Notícia Por Quem Vive. Ela não é de falar muito, mas sempre dá seu parecer nas questões que estão sendo discutidas. Já fez parte do Pré Vestibular CEDEDUCOM.

‐ Rosalina Brito, 51 anos, é capixaba, tem 3 filhas e netos e é moradora da Cidade de Deus. É chargista, fotógrafa, poetisa, produtora do espetáculo "Outra Paixão" e Poesia D'Esquina, educadora em artes visuais com os jovens da ASVI e integrante do Portal Comunitário da CDD e do jornal A Notícia Por Quem

Vive. Também é ilustradora, com a publicação de cinco livros de história infantil e com mais dez livros em andamento, inclusive um romance em poesia da escritora Isa Colli, atriz e pesquisadora – com um blog sobre a Cidade de Deus [http://cidadededeus‐ rosalinablogspot.com.br/] e outro blog de poesias: http://rosalinabrito.blogspot.co m.br.

‐ Mônica Rocha, 47 anos, moradora da Cidade de Deus, é bonequeira (produz bonecos, dando vida em suas interpretações) e arte educadora. Ela gosta de participar de movimentos sociais que tenham o propósito de enriquecer o conhecimento dos participantes. Mônica tem muito interesse em falar sobre a história de Jacarepaguá.

‐ Maria do Socorro Melo Brandão, 50 anos, cearense, tem um casal de filhos e mora na Cidade de Deus. É psicóloga, gestora de núcleo do Bairro


11

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012 Educador e presidente da organização não governamental Associação Semente da Vida (ASVI). É fundadora e integrante do Portal Comunitário da Cidade de Deus e do Jornal A Notícia Por Quem Vive. Essa mulher é tão dedicada a tudo que se empenha que não para nunca, sempre participando de atividades transformadoras.

‐ Julcinara Vilela, 45 anos, moradora da Cidade de Deus, é educadora e vem desenvolvendo suas atividades com as crianças e jovens da ONG ASVI, junto à Maria do Socorro. Mesmo sendo mãe de três filhos, consegue dividir o seu tempo para fazer as coisas de que gosta: produzir bolsas, sacolas e afins com material reciclado, junto a um grupo de mães de alunos da ASVI. É importante mencionar que Julcinara teve duas filhas participando dos projetos da ASVI há alguns anos atrás e atualmente é a “mãezona” desses jovens.

‐ Cilene Regina Vieira da Cruz, 46 anos, tem um filho de 19 anos e é educadora da FAETEC, assistente social e moradora da Cidade de Deus. Fundadora e integrante ativa do Grupo Teatral

Raiz da Liberdade (desde 1981), do Portal Comunitário e do Jornal A Notícia Por Quem Vive, além de integrante do Circuito Itinerante de Cultura/Farmanguinhos/FIOCRU Z e do Projeto Cultural Mata Atlântica. Eu sempre me preocupei com a Educação de nosso país, que, apesar de ser um direito de todos, não atende a todos igualitariamente. Então creio que não adianta eu obter um conhecimento e guardá‐lo só para mim, eu os socializo nos grupos de que participo, com pessoas que conheço ou não. Para que todos tenham a oportunidade de aprender e trocar conhecimentos.

‐ Elis de Aquino tem 23 anos, é estudante de jornalismo na UFRJ e atuou no jornal A Notícia Por Quem Vive enquanto foi bolsista do SOLTEC/UFRJ, até janeiro de 2012. Ela é moradora do município de Caxias.

‐ Camille Perissé, 20 anos, estudante de jornalismo na UFRJ, é bolsista do SOLTEC/UFRJ e moradora da Ilha do Governador.

Elis, Renata e Marília

‐ Marília Gonçalves, 24 anos, é Jornalista, Coordenadora de Comunicação do Núcleo de Solidariedade Técnica da UFRJ (SOLTEC), mora na Tijuca e, desde 2009, vem trabalhando no Portal Comunitário da Cidade de Deus e, atualmente, no Jornal A Notícia Por Quem Vive, ajudando também na revisão das matérias que produzimos para colocá‐las no Portal e no jornal. Apesar de ela ter pouca idade, é muito responsável com as atividades que se propõe a fazer. ‐ Renata da Silva Melo, 22 anos, é estudante de jornalismo na UFRJ e bolsista do SOLTEC/UFRJ. Ela mora em Nova Iguaçu.

‐ Celso Alexandre Souza de Alvear, 30 anos. É Analista de Tecnologia da Informação da Superintendência de TIC da UFRJ (SuperTIC/UFRJ), pesquisador extensionista do Núcleo de Solidariedade Técnica (SOLTEC/UFRJ), fundador do Portal Comunitário Cidade de Deus e organizador, junto à Marília, do curso de Comunicação Comunitária na Cidade de Deus em 2010, possibilitando que fosse feita a primeira edição do jornal A Notícia por quem vive. Ou seja, grande incentivador, junto à Marília, da capacitação dos moradores na área da Comunicação.


12

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Olá, como vai você? Muito prazer. Sou Artista de Rua. por Mônica Rocha

A feliz escolha do carnavalesco – Wellington Morais – levou o Coroado à vitória. Premiação merecida pela ousadia e determinação em investir em 16 alas para o desenvolvimento do tema que tem tudo a ver com o povo da Cidade de Deus e do Brasil. Empreender na confecção de fantasias, carros, equipe e colaboradores foi trabalho disciplinado do Wellington que vivencia o carnaval do Coroado desde quando tinha 16 anos. Agora, com 26 anos, é campeão. O trabalho de Rodrigo Felha, desenvolvend o maior estrutura no espaço agradável do Coroado, são muitos atores importantes do bloco; Seu Deda atencioso com tudo que diz respeito à organização; mestre Gil impecável. Para contar o samba enredo foram criadas alas: palhaços, drag queens,

bandinhas, estátuas vivas, capoeira do mestre Derli e muito mais. A bateria do Mestre foi um show à parte. Fora as passistas, mestre sala e porta bandeira, com elegância e leveza da grande côrte, levando o Coroado, fundado em 1972, ao posto de escola de samba. Diz o samba: “fazendo da Rua um palco principal, CDD com a turma de bambas já é celeiro de campeões”.

Realmente, Coroado, a hora é essa. Belo samba fala do Profeta Gentileza, cordéis, malabaristas, marionetes. “Gentileza Gera Gentileza”. Artistas anônimos no dia a dia da gente, isto é, que importa a arte que a gente vive. Aproveitando o tema, vou pedir licença colocar várias fotos dos nossos artistas populares da Cidade de Deus, como: Valdete,

poetiza; Gilmar Ferreira, artista plástico; Landinho da acordeom, aquele abraço; Joacir Rios da Viola Caipira; Davi e Daniel palhaços da folia de Reis; Seu Carlos Ferreira, cronista genial; e tanta gente que eu queria falar, mas ainda não consegui. Notáveis para o mundo. Sou coroado e vou registrar aqui esta bela gente que faz a CDD mais feliz. Assim escolhi pela amplitude do tema que Wellington carnavalesco promissor nos brindou: “Olá, com vai você? Muito prazer. Sou artista Rua”. O jornal A Notícia Por Quem Vive teve a iniciativa de concorrer ao edital para áreas pacificadas. Foram três edições do jornal contemplados, no edital do MinC (microprojetos Mais Cultura), na busca de registrar, contar mais da vida de gente que recicla, investe, cria novos roteiros para Cidade de Deus.


13

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Saber é poder! Por que a maioria dos jovens não se matricula ou evade das escolas de ensino médio no Brasil? por Valéria Barbosa

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional governa o sistema de ensino do Brasil. "É responsabilidade do governo federal atuar no ensino superior e prestar assistência técnica e financeira para os níveis estadual e municipal. É dever do Distrito Federal afirmar o fornecimento de educação primária e secundária aos municípios, oferecer ensino fundamental e pré‐escolar"1. Por que é que o ensino secundário não é obrigatório para os jovens no Brasil? A importância da educação começando na primeira infância (entre 0 e 5 anos) tem sido um êxito em modelos desenvolvidos por especialistas em educação. No Brasil, até o ano de 2009, o ensino primário era obrigatório dos 6 aos 14 anos, garantindo que 97,6% das crianças brasileiras fossem matriculadas na escola. No mesmo ano foi criada a Emenda Constitucional (EC) 59, que estende a educação de 4 a 17 anos. O país terá um período até o ano de 2016 para a sua implementação progressiva em redes. Mas muitos jovens de 15 anos não completaram o ensino fundamental. A matrícula do ensino médio para adolescentes de 15 a 17 anos no Brasil em 2009 atingiu 50,9%. No estado do Rio de Janeiro, sudeste do país, 60,5% dos jovens estavam matriculados nas escolas secundárias. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 1999 a 2009 aponta a desigualdade social como um fator que influencia os jovens pobres a não irem para a escola ou evadir dela,

principalmente nas últimas séries.  Neste estudo, 32% dos adolescentes entre 15 e 17 anos que estavam na escola eram pobres e 78% desses estudantes eram ricos. Do número total de alunos, 13,1% não conclui seu ano escolar e 10% evadem. Por que a grande maioria dos jovens pobres não chega ao ensino médio? O que os atrai fora do ambiente escolar? O que pode ser mudado? Poucas são as comunidades populares que têm uma escola em seu território. A distância é um fator que pode servir como um obstáculo para o jovem permanecer estudando. Além disso, por vezes este jovem cuida dos irmãos mais novos para que os pais possam sair para trabalhar. Além disso, o mercado de trabalho informal usa a juventude como força de trabalho e isso não incentiva os jovens a continuarem com os estudos formais. Não existem escolas suficientes para absorver a demanda das comunidades. Devido a isso, muitos alunos são encaminhados para locais distantes de suas casas. A Cidade de Deus é um exemplo eloquente de todos estes desafios. Durante 21 anos, a comunidade vem lutando para a construção de uma escola secundária, como mostramos na última edição do jornal. Em 27 de janeiro de 2012, em reunião com lideranças locais e diversos moradores, a Secretaria de Estado da Educação concordou em construir uma unidade escolar, que será chamada Centro Educacional Pedro Aleixo. Com a construção da escola, a Cidade de Deus terá

580 adolescentes matriculados no ensino médio. Seis grupos estudarão na parte da manhã e seis na parte da tarde. Mas ainda não temos qualquer garantia de que isso irá assegurar as matrículas e reduzir a evasão. Assim, devemos investir em uma escola com mais qualidade, onde a família é vista como uma parceira. Uma escola com equipe interdisciplinar, que é capaz de fornecer suporte para o aluno e sua família, ao primeiro sinal da possibilidade de abandono escolar. Uma escola que deve ser interessante para o aluno, que adicione pesquisas sobre os interesses profissionais dos alunos. Assim, por exemplo, se eles estão interessados em ir direto para o mercado de trabalho, a escola deveria encontrar uma maneira de lhes dar apoio ou orientá‐los a procurar um treinamento técnico. E em que posição esta promessa da construção de uma escola nos deixa? Nós todos devemos perseguir esse direito até a escola ser construída na Cidade de Deus ‐, bem como continuar lutando para a melhoria do sistema escolar como um todo no Brasil. Este artigo é parte de um trabalho escrito para o  Vozes do nosso futuro,  um programa de Pulso Mundial que fornece rigorosa  aprendizagem de novas mídias e jornalismo cidadão de formação para mulheres líderes de base. Pulsar do Mundo levanta e une as vozes das mulheres de 186 países de algumas das regiões mais desconhecidas do mundo.


14

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

ASVI CDD – Associação Semente da Vida da Cidade de Deus e sua trajetória na comunidade por Julcinara Vilela

Em 26 de Agosto de 2002 era fundada a ASVI CDD – Associação Semente da Vida da Cidade de Deus, reunindo em seu Conselho representantes de diversas instituições, numa proposta ecumênica para pensar o bem comum, no benefício da comunidade.

Inicialmente, o seu trabalho era somente com mulheres, incentivando a geração de renda, mas, com o passar dos anos, percebeu que essas mulheres também precisavam de espaços educativos e culturais para seus filhos. Em 2006 a ASVI‐CDD implantou o Projeto REI – Restituição Educacional Interativa, oferecendo para crianças de nove a onze anos diversas atividades no contra turno escolar: capoeira, dança, ginástica olímpica, informática, cidadania, reforço escolar, higiene e saúde. Viu a necessidade de também trabalhar o pré‐adolescente e o jovem, iniciando um projeto para prepará‐los para o mercado de

trabalho. Assim, agora, o jovem tem diversas atividades, como inglês, informática, higiene e saúde, fotografia, etc. Os projetos “Jovem em Desenvolvimento para a Vida” e “Comunicadores da Semente” são dois exemplos de trabalho que buscamos realizar com nossos jovens a fim de capacitá‐los para inserção no mercado de trabalho. As mulheres, agora em grupo menor, continuaram a trabalhar e, por meio do seu projeto “Espaço Criativo Florescer”, começaram a ajudar na formação dessas crianças e jovens, como também a participar de oficinas diversas de reciclagem. Além desses projetos, a ASVI CDD tem parceiros como CDI – Comitê para a Democratização da Informática, que oferece à comunidade cursos de informática para alunos de 16 a 75 anos. Também possui patrocínio do Instituto Rio para a realização do Projeto Jovens

Comunicadores da Semente e apoio de vários padrinhos e madrinhas que ajudam na realização do trabalho. O que é importante saber é que nesse ano de 2012 a ASVI CDD fará 10 anos que está contribuindo na transformação de algumas famílias e, além desses projetos, a Instituição está sempre de portas abertas para outras parcerias que possam oferecer cursos/atividades para os moradores. Atualmente, a ASVI faz parte do Portal Comunitário da Cidade de Deus – [www.cidadededeus.org.br/asvi] e, por meio de um edital do Ministério da Cultura (MinC), está apoiando o jornal A Notícia Por Quem Vive.


15

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012 Acesse o site e veja no nosso espaço mais detalhes sobre o trabalho que só é possível devido ao envolvimento de muitos voluntários que já passaram ou que ainda estão conosco na realização das atividades. Então, fica o convite: seja você também um voluntário da ASVI CDD, venha ajudar na transformação dessas famílias que têm sede de conhecimento!

II FESTIVAL PONTO DE CULTURA ITINERANTE CIDADE DE DEUS por Cilene Regina Vieira da Cruz

O Ponto de Cultura Itinerante da Cidade de Deus é um Coletivo de artistas formado na comunidade, no ano de 2010. Apoiado pela Secretaria Estadual de Cultura do RJ, dentro do Projeto mais Cultura (MINC), o Coletivo reúne canto, artes cênicas, artes plásticas, audiovisual, música, dança e literatura. A Casa de Santa Ana, instituição presidida por Maria de Lourdes Braz é a proponente do projeto. Em 2011, o grupo se capacitou em elaboração e formatação de projetos culturais, através de seminários promovidos pelo próprio Ponto, e pelo Curso Cultura Portátil, realizado pela Farmanguinhos/Fiocruz. Nesta segunda etapa, o grupo tem por objetivo articular e transmitir seus processos criativos, no intuito de levar à comunidade reflexões e propostas relativas ao ambiente e à história da Cidade de Deus, promovendo assim a recuperação, caracterização e manutenção da cultura local. Está sendo realizado um circuito de eventos com apresentação coletiva, que ao longo do ano se estenderá a todas as áreas da Cidade de Deus. O II Festival Ponto de Cultura Itinerante da CDD se realizou no dia 17 de março, sábado, de 15h às 19h, na Quadra do Karatê. Um evento DA comunidade PARA a comunidade!

Este II Festival foi tudo de bom para a Cidade de Deus. A começar pelo Coral Intergeracional e pelo grupo de Balé da Casa de Santa Ana, que se apresentaram maravilhosamente bem, fazendo com que o público interagisse com o que foi apresentado. As apresentações tiveram direção musical de Neuma Morais e coordenação de Maria de Lourdes Braz. O Grupo Teatral Raiz da Liberdade apresentou o espetáculo “As Largadas”, de autoria e direção de Victor Costa, com as atrizes Dayse Vieira e Cilene Vieira, que puderam mostrar a realidade da solidão e a falta dos familiares quando a idade vai avançando. Mas existe a solidariedade de alguns para reverter a situação. O público ficou bem atento e gostando do que viu. O artista plástico Gilmar Ferreira e seu curador Roberto Cabral deram oficina de Artes para quem quisesse expressar seus dons artísticos através da pintura. Dessa forma todas as gerações interagiram harmonicamente. A escritora Jurema Batista apresentou seu livro “Sem passar pela vida em branco”, mostrando a importância da mulher na sociedade, em especial a mulher negra, que, em sua maioria, é chefe de família nas comunidades de

baixa renda. O professor de artes marciais e escritor Wellington mostrou algumas técnicas de defesa pessoal, e o público ficou muito impressionado com o que viu. Wellington fechou a sua apresentação recitando algumas poesias suas. A Companhia de Dança Trevo apresentou o espetáculo “Pesadelo”, com direção e coreografia de Lúcio Santos. Os bailarinos deram um show de interpretação, com um trabalho corporal magnífico que chamou a atenção de todos os presentes. Os cineastas Julio Pécly e Paulo Silva mostraram alguns curtas metragens, que o público gostou bastante. Neste II Festival fizemos concursos de dança e de artes plásticas com uma premiação simbólica. Os integrantes adoraram participar desse evento. FICHA TÉCNICA Produção de Base: Wilson Carlos de Freitas Produção Executiva: Paulo Silva e Lúcio Santos Administração: Luciano Bouças Coordenação Geral: Maria de Lourdes Braz Consultoria Técnica: Juliana Mattar (Farmanguinhos / FIOCRUZ)


16

A NOTÍCIA POR QUEM V IVE | A BRIL ‐ MAIO 2012

Justiça é para todos por Rosalina Brito

Para aqueles que moram juntos e querem se casar é só procurar o ônibus “Justiça Itinerante”, que fica na praça principal da Cidade de Deus. Ele existe há sete anos e, em 2011, foi implantado em 5 comunidades carentes de justiça. Os atendimentos oferecidos são: direito da família (até para aqueles que não querem mais viver juntos), divórcio, pensão alimentícia, inter‐ dição. Documentos 2º via que podem ser retirados no local: Certidão de casamento Identidade Certidão de nascimento Outros serviços: Inserção nada consta do PIS Ações de direito do consumidor Alvará judicial Os serviços só são feitos mediante comprovação de endereços, pois são oferecidos apenas para moradores da Cidade de Deus. O atendimento acontece às quinta feiras. Fonte: Informações cedidas pelo funcionário da Defensoria Pública, Gabriel

Apoios:

Patrocinador:


A noticia por quem vive - Ed 4