Page 1

|

setembro 2013

Fora da Rota Lojas que não estão nos shoppings e você precisa conhecer!

Perfil

Morim conta a trajetória de Aládio Marques

Primavera Boho

Rendas, bordados, estampas étnicas e muitos acessórios para a estação mais bonita do ano

1


Revista Projeto Experimental de Conclusão do curso de Comunicação Social - Jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, da aluna Larissa de Almeida Araujo Professora Orientadora - Renata Pitombo Cidreira Reitor da UFRB – Paulo Gabriel Nassif

Edição de Texto – Larissa Araujo Projeto Editorial – Larissa Araujo Projeto Gráfico – Larissa Araujo e Raimundo Cardoso Diagramação – Raimundo Cardoso Texto: Larissa Araujo Pollyanna Macêdo Rafaela Barreto Toni Caldas Imagem: Larissa Araujo Ilana Copque Toni Caldas Rita Barreto Editorial de Moda Concepção: Larissa Araujo Produção: Larissa Araujo e Ilana Copque Fotografia: Ilana Copque Styling: Larissa Araujo Maquiagem: Ilana Copque Modelos: Natália Carneiro e Ingrid Hanna


| RECADO DA DIRETORA

Onde está a moda da Bahia, seus estilistas, sua produção? A produção de moda da Bahia vem crescendo a cada dia, o povo baiano está cada vez mais interessado e preocupado com seu estilo e jeito de vestir; e novos talentos, criadores, surgem a cada edição do concurso homônimo promovido pelo Shopping Barra, em Salvador. Os cursos de graduação em design de moda também proliferaram pelas universidades soteropolitanas, além disso, quadros em programas de TV, cadernos especiais em jornais e editoriais retratam as novidades do meio no nosso estado. Vitorino Campos, Márcia Ganem, Goya Lopes, entre outros levam a nossa produção para o mundo, mas pouco somos representados nas publicações nacionais. Então por que não criar a nossa própria publicação? Mostrar nossos gostos, estilos, produtos, designers, a nossa força a nós mesmos? E assim nasce a Morim, revista da Bahia para os baianos. Morim surge com o intuito de apresentar a produção de moda do nosso querido estado a nós mesmos, os baianos. Valorizar a criatividade dos nossos estilistas, o jeito de ser e vestir do povo baiano, as tendências e o nosso mercado de moda, além de discutir temas atuais sobre a moda no cenário mundial. Do mar, do sertão, da capital e do recôncavo também. Queremos mostrar a moda baiana no contexto global, sem clichês e estereótipos, mostrar que nossa produção é de rendas e bordados, mas também de minimalismo e estrutura. Essa é a primeira edição e foi feita com muito carinho, espero que gostem. Abraços e muito axé, Larissa Araujo

O que é Morim? Tecido originário da índia, o morim é muito utilizado nos terreiros de candomblé na confecção de roupas usadas no dia a dia, as chamadas roupas de ração.

Ilana Copque Jornalista e fotógrafa, Ilana produziu e fotografou o editorial Primavera Boho, além de ter feito alguns registros do Sarastro Brechó, para a matéria Um Charme de Brechó.

4

Pollyanna Macêdo Formada em jornalismo pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Pollyanna assina a matéria de comportamento Qual a cor da Moda?

Rafaela Barreto Estudante de jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e pesquisadora na área de moda, Rafaela assina a matéria Blogueiras vs Jornalistas: Quem tem razão?, na seção Comportamento.

Toni Caldas Jornalista formado pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Toni flerta também com a fotografia. É dele a autoria da matéria Cachoeira de Magia, em Viagem. Toni é editor de jornalismo do portal A Ponte.


|

ÍNDICE PERFIL ALÇANDO VOO – Aládio Marques é o primeiro escolhido de Morim para o perfil.........................................

6

GARIMPO FASHION UM CHARME DE BRECHÓ – Um passeio pelo brechó mais interessante do bairro do Rio Vermelho, em Salvador.........................................................................................................................................................

8

BLOG-SE THE SARTORIALIST SOTEROPOLITANO? – O blog de street style NaRuaSSA mostra o estilo dos baianos......

10

DAS RUAS LOOKS DE TRABALHO – Jovens soteropolitanos esbanjam estilo ao comporem looks para ir ao trabalho.......

11

GENTE QUE CRIA UM HOBBY QUE VIROU NEGÓCIO – Três amigas, uma ideia: Uma nova marca de sapatilhas chega ao mercado.........................................................................................................................................................

12

GLOSSÁRIO FASHION MODA NA PONTA DA LÍNGUA – significado de alguns termos usados na moda em outros idiomas..............

13

EDITORIAL PRIMAVERA BOHO – Peças hit da estação em looks com toque boho............................................................

14

NA CAPA FORA DA ROTA – Lojas de rua que você vai querer conhecer!.......................................................................

20

COMPORTAMENTO QUAL A COR DA MODA? – Existe racismo na moda?.................................................................................... BLOGUEIRAS VS JORNALISTAS: QUEM TEM RAZÃO? – Na moda há espaço para todos...............................

22 24

BELEZA BELEZA DE FARMÁCIA – Profissionais da área da beleza indicam produtos com baixo custo para que você não deixe de se cuidar...........................................................................................................................................

26

RADAR MORIM INDICA: Dicas, eventos e novidades.................................................................................................

28

VIAGEM CACHOEIRA DE MAGIA – Conheça as maravilhas que o recôncavo da Bahia pode oferecer..........................

30 5


| PERFIL

1. Coleção Cidade Proibida 2. Aládio apresentou a coleção Glaciar no desfile dos Novos Talentos 3. O desfile Efflorescence agitou o Museu du Ritmo durante o Sarau du Brown 4. Saulo Fernandes já foi visto usando diversos modelos de camisas AL. Aládio Marques 5. Look do desfile no Dragão Fashion, em Fortaleza

E

O primeiro convidado de Morim para o Perfil é o estilista Aládio Marques, vencedor da última edição do concurso Novos Talentos promovido pelo Shopping Barra 6

stiloso dos pés à cabeça, literalmente falando. Basta dar uma olhada no seu cabelo tipo moicano afro e o seu jeito cool de se vestir combinando looks ora minimalistas, ora alegremente estampados – prints de sua linha de camisas masculinas - a uma maxi bolsa de mão. Assim é Aládio Marques, 24 anos, o novo rosto da moda made in Bahia. Vencedor do concurso Novos Talentos do Shopping Barra 2011/2012, Aládio logo teve mais uma conquista, foi convidado a apresentar suas criações no Dragão Fashion Week, em Fortaleza, a maior semana de moda do Nordeste. O gosto pela moda começou cedo, ainda na adolescência o estilista, que gostava de desenhar sapatos, fez cursos de desenho, coleção e planejamento de moda aos 17 anos; aos 20 decidiu que essa seria a sua carreira e foi estudar moda na universidade. Sob a etiqueta AL. Aládio Marques ele cria peças que vão do clássico ao futurista, buscando sempre um contraponto entre o corte estruturado e o ultra feminino, “eu busco sempre um equilíbrio, se a parte de cima da peça for estruturada, a parte de baixo terá cortes mais femininos”, afirma o estilista, que busca referências nos shapes de Martin Margiela. A moda feminina dá mais liberdade para criar, mas isso não quer dizer que o guarda-roupa masculino não possa sair do básico. Aládio cria padronagens incríveis e irreverentes para suas camisas masculinas, que estão fazendo a cabeça de famosos como


| PERFIL

Cidade Proibida Na 13ª edição do concurso Novos Talentos, em 2011, promovido pelo Shopping Barra, Aládio Marques foi classificado para a final do concurso, juntamente com Carol Barreto. Sua mini coleção, com cinco looks, foi inspirada na arquitetura da Cidade Proibida em Pequim, China. As formas e cores dos telhados foram base de inspiração para o estilista, que apresentou uma coleção permeada por tons pastel em cortes sexy e femininos; e recortes trabalhados com moulage. Destaque para o acessório de cabeça, uma espécie de casquete, com características orientais.

O Novo Talento

Sarau du Brown

Em 2012, etapa final do concurso, com a coleção Glaciar, baseada no ciclo do degelo da era glacial, Aládio foi o grande vencedor. As montanhas e geleiras, suas cores e formas geométricas foram a grande referência para a coleção, dessa vez com dez looks. Variações nos tons de azul e cinza, e formas estruturadas marcam a produção, que rendeu a Aládio ainda, um convite para desfilar no Dragão Fashion Week.

Em janeiro desse ano, Aládio apresentou uma coleção-cápsula de verão no Museu du Ritmo, durante o Sarau du Brown. Efflorescence foi um preview do que viria depois, para o Dragão Fashion.

Saulo Fernandes, Fabrício Boliveira e Luís Fernando Guimarães. O segmento masculino é uma segunda linha da marca AL. Aládio Marques; deu tão certo que ele já pensa em ampliar, criar calças e bermudas. Na próxima coleção de verão já teremos uma amostra do vem por aí, o lançamento de dois modelos de calças e dois de bermudas, só para começar! Para Aládio, a escolha dos tecidos é muito importante, “eu me preocupo sempre em usar tecidos leves, naturais, que sejam adequados à condição climática do nosso estado”. Viscose e tricoline de algodão são os mais trabalhados na linha masculina. Para o público feminino ele usa uma gama maior de opções, mas sempre preocupado com o bem estar de quem veste sua marca, a sarja foi o tecido mais pesado que já usou. Suas roupas não fazem a linha trendy, vão muito além do que está na moda, são peças atemporais. “A minha cliente faz a linha mais clássica, ela conhece o seu corpo e sabe o que lhe cai bem, não está preocupada em vestir a tendência do momento. Eu faço roupas que podem ser usadas tanto agora quanto daqui a três anos”. Perguntado sobre os próximos passos, Aládio conta que pretende abrir pontos de vendas da sua marca fora da Bahia – AL. Aládio Marques já pode ser encontrada em Porto Alegre e São Paulo – alguém duvida que isso seja só o começo?

Baobá Para seu desfile no Dragão Fashion Week, em abril desse ano, Aládio buscou referências no ciclo do Baobá, árvore nativa da ilha de Madagascar, que é considerada sagrada pelo povo africano. Minimalista, o estilista apresentou peças com modelagem elaborada e cores cruas; destaque para as peças cropped e camadas sobrepostas.

Fazendo a cabeça dos famosos A marca AL. Aládio Marques já conquistou alguns famosos: Saulo Fernandes, Luís Fernando Guimarães, Uran Rodrigues, Juca Chaves, Magary Lord e Fabrício Boliveira são adeptos da estamparia cool das camisas da marca. O figurino usado por Daniela Mercury em seu desfile de carnaval na escola de samba Portela é assinado por Aládio, que assinou também o figurino de Elba Ramalho para o São João 2013.

Onde comprar A linha feminina da A.L Aládio Marques é vendida na loja Mesckla, no bairro da Pituba, em Salvador; ou através da página da marca no Facebook. A linha masculina é vendida apenas pela internet, também através da página no Facebook. Endereço loja Mesckla – Rua Território do Rio Branco, 332, Pituba. Salvador - Bahia Facebook – AL. Aládio Marques 7


|

Um lugar onde as roupas do século passado encontram as dos anos 2000 formando ótimos looks Larissa Araujo Fotos: Ilana Copque

G

arimpar. Do dicionário: v. 1. Exercer o ofício de garimpeiro. 2. Buscar, procurar. E foi assim, garimpando, que comecei a minha busca por brechós em Salvador, que por sinal, ficam bem escondidos. Eu procurava por peças vintage, coisas que tivessem uma história para contar, roupas e acessórios da década de 1940, que a minha avó pudesse ter usado. Vestidos da época em que a Rua Chile, no centro de Salvador, abrigava as maiores e melhores boutiques da cidade e a alta sociedade soteropolitana desfilava seus melhores looks. Relíquias vivas de uma época que não pude viver, mas que guardo memórias auditivas das estórias que ouvi. 8

Enquanto pesquisava, encontrei alguns brechós modernos que vendiam lindas roupas, muitas de grifes brasileiras a preços mais que amigáveis, uma verdadeira pechincha! Peças em bom estado, variedades. Mas onde estava a história por trás daquela roupa? Eram todas muito novas, de no máximo uns cinco anos atrás, algumas estão em alta agora, em 2013! Esses espaços me pareceram mais uma extensão como loja física daquele famoso site de compras e vendas de coisas usadas, o Enjoei. Depois de muitas voltas pelo bairro do Rio Vermelho e de descobrir que alguns brechós não existem mais, finalmente encontrei o Sarastro Brechó. Sua fachada lilás


| GARIMPO FASHION

com o número 118 em branco já me conquistou antes mesmo que eu entrasse no lugar, um charme só! No Sarastro o velho e o novo se encontram num ambiente para lá de agradável, tudo é tão bem organizado (por tipo e cores!) que não é preciso muito esforço na hora de garimpar boas peças. Com um acervo de peças do início do século XX, é para lá que vão os estudantes de teatro quando precisam de figurinos de época. Chanel, Hermès, Yves Saint Laurent, Roberto Cavalli. Das grifes mais populares às mais exclusivas, encontramos de tudo em roupas, sapatos, bolsas e acessórios. Produtos novos e seminovos arrematados em show rooms também fazem parte do acervo, que tem peças entre R$2 e R$150 reais. Além disso, Carlito Brasil, dono do estabelecimento, conta que tem em sua coleção particular algumas peças que não estão à venda. “Tenho uma bolsa Chanel da década de 1930, essa para mim não tem preço, além dela, tenho

também um sapato Christian Louboutin”, completa o empresário que confessou sempre gostar de moda e por conta disso decidiu abrir o brechó. “Morei durante cinco anos na Europa e sempre visitei brechós por lá, quando voltei decidi abrir o meu aqui em Salvador”. O Sarastro existe há sete anos e recebeu esse nome por conta de um personagem da ópera da Flauta Mágica, de Mozart. Na decoração o presente contracena com o passado em antigos objetos como uma vitrola, um lustre e uma caixa registradora, todos em ótimo estado de conservação. As vitrines são temáticas e muito criativas, cada data comemorativa do ano ganha uma vitrine especial. Natal, carnaval, dia dos namorados, dia das bruxas e até mesmo o Oscar é motivo de inspiração para vestir os manequins, que têm todos os estilos. Do grunge ao clássico. O atendimento é impecável,

vendedores atenciosos e preparados, estão sempre prontos para responder a qualquer pergunta. Acompanhar a fanpage do brechó é uma ótima alternativa para quem quer conhecer o espaço e os produtos antes de ir à loja, mas o interessante mesmo é ir até lá, garimpar, mexer e remexer, tocar nas peças, sentir os tecidos e texturas e imaginar a história por trás daquilo tudo, acompanhada ainda de um bom café! Vale a visita.

Rua Belmonte, 118, Rio Vermelho – Salvador – Bahia – (71) 3011-8751 Blog: www.sarastrocafebrecho.blogspot.com.br e-mail: sarastrocafebrecho@gmail.com – Facebook: Sarastro Brechó 9


| BLOG-SE

Que roupa você veste? Qual o estilo do baiano? Roupas frescas e pouca criatividade por conta do calor? O blog NaRuaSSA está aqui para provar o contrário Larissa Araujo

F

Ana Gonçalves, do blog Café Dendê, teve seu look fotografado para o NaRuaSSA

O blog ainda apresenta a agenda cultural de Salvador, divulgando os melhores eventos 10

otos de street style. Pessoas altas, baixas, gordas, magras, negras, brancas, homens, mulheres; não importa. O foco aqui é a roupa, o estilo cool de cada fotografado. Scott Schuman, americano, fotógrafo, blogueiro, um dos mais famosos do mundo. O seu The Sartorialist recebe milhares de visitas e comentários diários de todas as partes do planeta. Um fenômeno que fez de Scott uma das pessoas mais influentes do meio fashion. Fotografa e produz campanhas, além de ter colunas em sites e revistas de moda, tudo isso sem deixar de atualizar o blog em seu exercício diário de andar pelas ruas de Nova Iorque ou qualquer lugar do mundo registrando as mais incomuns combinações e os mais loucos penteados. O importante é a criatividade. Mas não é só nas grandes capitais mundiais que encontramos pessoas estilosas e criativas prontas para serem clicadas pelo Sartorialist. No blog NaRuaSSA a estudante de design gráfico, Talita Malvezzi, o designer gráfico Glauco Barboza e a estudante de publicidade e propaganda Caroline Matos se dividem na publicação diária de fotos do cotidiano soteropolitano, o principal personagem? As roupas dos fotografados. Pessoas comuns, que usam roupas que vão da grife ao fast fashion, da última tendência àquela roupa guardada no armário desde 2005. O objetivo é fotografar pessoas reais, em lugares reais e mostrar que Salvador também tem muito estilo, não é só porque vivemos num verão quase eterno que não podemos inovar. A grande quantidade de postagens pode comprovar o quão criativos são os baianos na hora de se vestir. Sem reviews de lançamentos cosméticos ou desfiles do Fashion Rio, nada de look do dia; mas tem look da semana, só que dos outros, nunca dos próprios blogueiros. Nos posts, além das fotos, os “modelos” são apresentados aos visitantes do blog, personagens reais de Salvador, com nome, idade e profissão, alguns têm um estilo tão único e característico, que aparecem mais de ua vez no blog. O NaRuaSSA pode inspirar, ser uma boa fonte para buscar referências e mergulhar no cenário hype de Salvador, um pouco de Scott Schuman na blogosfera baiana. Vale a visita! www.naruassa.com.br


| DAS RUAS – STREET STYLE

Não é só porque você está num ambiente de trabalho, que não pode ousar ao se vestir e deixar para trás a camisa polo, o jeans básico e a camisa branca. Morim encontrou algumas pessoas que dão aquele toque especial no look de trabalho para fugir do comum Texto e fotos: Larissa Araujo

Carolina Alves – 28 anos Técnica administrativa do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) “Sou fã de saias e vestidos longos, coletes e camisas de botão; meu estilo vai do básico ao chique. Compro tudo que me agrada não importa aonde seja, adoro garimpar e não pago caro por nenhuma peça. Não é preciso ter muito dinheiro para se vestir bem, o segredo é garimpar”.

Marina Arguelles – 27 anos Jornalista - trabalha com comunicação e produção cultural “Gosto muito de roupas confortáveis, blusas e camisetas folgadas, tênis e muito preto, que é a cor que mais encontro quando procuro peças que me agradam. Meu estilo é rock ‘n’ roll, por isso tenho muitas camisas de bandas que gosto”.

Murilo Carvalho – 25 anos Estudante de História – trabalha como técnico administrativo no Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) “Eu procuro me sentir bem com as roupas que uso, não sou muito ligado às tendências da moda, mas gosto de acompanhar. Eu visto o que gosto e faço muito hi-lo. Adoro investir em acessórios, se tenho que chamar atenção em algo no meu look, com certeza será com acessórios”. 11


| GENTE QUE CRIA

Um hobby que virou negócio Uma simples customização que transformou o gosto pelo artesanal em atividade lucrativa com grande potencial de crescimento

Camiseta de divulgação da marca

Texto e fotos: Larissa Araujo

T

rês amigas, três profissões, um hobby em comum: dançar forró. Quando as irmãs Juliane Lima e Jamile Brito; e a amiga Ana Paula Tojal se juntaram para customizar suas sapatilhas, elas nunca imaginaram que ali nasceria um negócio com grande potencial de crescimento. O que começou com a simples procura por sapatilhas confortáveis para aulas de forró se transformou na SAPA Tilha, marca criada pelas meninas depois de muitos pedidos e encomendas por parte dos amigos e frequentadores da academia de dança. A procura era por um sapato minimamente confortável, que permitisse que as garotas dançassem sem sentir dor quando tivessem que ficar nas pontas dos pés. Depois de muito procurar encontraram um fornecedor, “eram sapatilhas de tecido, pretas, sem nada, nenhum detalhe, muito sem graça. Decidimos então fazer as nossas próprias sapatilhas, customizadas”, conta Jamile Brito, formada em urbanismo. E assim surgiram desenhos, cores, detalhes, laços, botões, texturas. As sapatilhas ganharam uma nova cara e conquistaram a atenção de todos os colegas de dança das amigas. “Nossos amigos gostaram e começaram a nos pedir, achamos que seria interessante e decidimos fazer. Depois mais e mais pessoas viam as sapatilhas, gostavam e nos pediam para fazer, foi ai que percebemos que isso poderia 12

se transformar em negócio”, destaca Juliane Lima, mestranda em química. Os pedidos começaram a chegar cada vez mais de pessoas desconhecidas, hoje a SAPA Tilha é vendida até fora do estado. “Começamos com uma encomenda de 96 pares de sapatilhas ao fornecedor, hoje esse número é quatro vezes maior, nossas casas estão sempre cheias de caixas por todos os lados, temos que ter um estoque para atender a tantos pedidos”, afirma Ana Paula Tojal, estudante de farmácia. Todo o processo é feito em casa, não é difícil encontrar um par recém-finalizado em alguma parte do apartamento. As garotas pintam, bordam, aplicam enfeites, desenham e aceitam palpites e novas ideias, fazem pares personalizados ao gosto do cliente. Romero Britto, navy, flores, notas musicais, animal print e até mesmo a tabela periódica podem servir de inspiração para os desenhos e acabamentos das peças, tudo artesanal. A idéia é cada cliente ter uma sapatilha com a sua cara, e são muitas, ninguém fica apenas com uma. As peças são vendidas através de uma fanpage no Facebook e são entregues em qualquer lugar do Brasil, mas já existe o projeto de um site da marca, que está em processo de registro. As vendas acontecem também em stands de festas e festivais de forró Bra-

sil afora. “Os produtores das festas constantemente nos convidam, fazemos parcerias e apresentamos nossos produtos em diversos festivais”, completa o trio, que já expôs as sapatilhas em festas da capital baiana, de Camaçari, Cruz das Almas, lhéus e Itaúnas, cidade do estado do Espírito Santo que sedia o maior festival de forró do país. “Nós confeccionamos camisetas e vestidos com a nossa marca para os dias de exposição nos festivais e algumas pessoas também já demonstraram interesse”. As garotas planejam novos modelos femininos de sapatilhas e também uma linha masculina, “os homens também nos procuram, perguntam, dão ideias, estamos estudando algumas possibilidades”. É isso ai, meninas. Vida longa as SAPA Tilhas!

Stand da SAPA Tilha em evento de forró


| GLOSSÁRIO FASHION

MODA NA PONTA DA LÍNGUA A

moda é mesmo engraçada, um dia aquele look maravilhoso é in e no dia seguinte é out. Tudo é fashion, mesmo que fashion seja moda, mas é assim mesmo, na moda os idiomas se confundem. Pelo menos aqui no Brasil onde já tive oportunidade de conhecer uma moda fashion e um tênis sneaker. Mas o que há de errado em usar um sneaker? Absolutamente nada, se você gosta deles. A questão é: qual o significado de sneaker? Ah, é aquele tênis com salto embutido que fez o maior sucesso no ano passado, certo? Certo, mas e se eu disser que sneaker quer dizer tênis? Sim, tênis. Qualquer tênis, com salto, sem salto, de corrida, all star, tanto faz. Sneaker é tênis e se você vai a uma loja e pede

Larissa Araujo

um tênis sneaker, você está pedindo um “tênis tênis”. Mas então por que não falamos tênis com salto? Porque provavelmente não se tem o mesmo “glamour” de falar inglês, o mesmo acontece com o francês, que, diga-se de passagem, é lindo mesmo! Então o que aconteceria se resolvêssemos traduzir todos os termos da moda para o português? Teríamos uma calça namorado e uma garota “isso”; existem termos e gírias que só fazem sentido na sua língua de origem. Certas palavras poderiam ser facilmente traduzidas para o nosso idioma, nós até usamos em português, mas o hábito fala mais alto e acabamos por vezes em falar que alguém tem um jeito cool de se vestir, ao invés de dizer que é legal, fresco,

interessante. Eu, como uma eterna estudante da língua inglesa, sou uma dessas pessoas. Por outro lado, existem termos que são tão específicos, que se traduzíssemos, não faria sentido algum, outros nem existem em português, acabamos por adaptar a palavra para a nossa língua com o intuito de tornar a pronúncia e a escrita mais fácil. É o caso de croqui, paetê, godê, corselete e tantas outras; todas essas palavras são de origem francesa e não temos uma equivalente no nosso português, logo elas não ganharam uma tradução. O que aconteceu foi a adaptação da mesma palavra, com o mesmo som, para o nosso idioma. Se moda é comunicação, seja em inglês, francês ou português, o que importa é comunicar.

Look: visual, aparência. Refere-se à roupa. Shape: forma, contorno. Refere-se aos cortes e formas que a peça pode ter. Vintage: antigo. Significa época do vinho, refere-se a colheita do vinho em que a produção contribui para a melhor qualidade. Vint – safra das uvas e age – tempo das uvas (idade), os vinhos ao envelhecer dentro das garrafas adquirem um sabor especial. Esse termo foi vinculado a moda para identificar peças que marcaram época. Fast-fashion: moda rápida. Produção rápida e contínua de peças; produção em série, por grandes lojas de departamento. Navy: marinha. O uso do termo na moda surgiu para caracterizar um estilo de vestir com o uso de elementos e cores que remetem à marinha americana. Print: estampa. Trendy: tendência. O que é tendência no momento. Última moda. Moulage: técnica de modelagem onde o estilistas desenvolve a peça moldando no corpo da pessoa ou de um manequim. Cropped: de Crop – cortar. Cortado. Caracteriza a tendência de peças mais curtas, cortadas.

13


| EDITORIAL

Larissa Araujo Fotos: Ilana Copque 14


| EDITORIAL

Essa estrada abandonada, que um dia foi de suma importância, faz-se de cenário para as tendências que abrem a estação mais bohemian chic do ano. Azul, branco, off white, rendas, babados, estampas étnicas e acessórios contrastam com o cenário árido do sertão da Bahia. A antiga estrada de ferro passava por Juremal, Carnaíba e Massaroca, finalizando seu percurso na antiga estação do Piranga, em Juazeiro. 15


| EDITORIAL

16


| EDITORIAL

17


| EDITORIAL

18


| EDITORIAL

19


| NA CAPA

Os shoppings centers são a principal lojas, do fast-fashion as grandes grifes Compras em datas comemorativas são lotados, disputa de espaço, peças, pre fugir do caos das compras de Natal e d mas lojas em Salvador, que ficam fora d compras além de conforto e bom aten 1– Site da Boutique Jezebel e alguns produtos vendidos na loja 2 e 3 – Sapatos irreverentes são a marca da DGRIF 4 – Paragima é organizada em dois lados: na esquerda, o feminino e na direita, o masculino 5 e 6 – Ambiente claro e climatizado. Assim é a loja Reticências

Nas Redes Sociais Loja Reticências Presente nas principais redes sociais, na Reticências você tem todas as informações da peça desejada antes mesmo de ir à loja. As fotos podem ser vistas na fanpage da loja no Facebook e também no Instagram. Perguntas sobre preços, tamanhos, disponibilidade e encomendas podem ser feitas por mensagens na fanpage ou pelo Whatsapp. As respostas são rápi20

das e precisas, tudo para garantir total conforto e satisfação do cliente, que pode escolher suas roupas pela internet e só depois vai à loja, já com tudo decidido. Tanta interatividade é justificada com a experiência da dona do estabelecimento, que antes de ter um espaço físico, já se aventurava pelas vendas online, eram sete perfis no Orkut. Hoje a loja conta com mais de 15.000 seguidores em todas as suas redes. A Reticências vende moda fe-

minina para um público jovem, entre 15 e 30 anos. Bolsas, sapatos, roupas e acessórios, tudo num ambiente agradável e com ótimo atendimento. As roupas vão dos tamanhos 36 ao 44, com preços que variam entre R$29 e R$299 reais. Loja Reticências: Av. Oceânica, Edf. Farol Praia Center loja 01. Barra - Salvador – Bahia Av. Paulo VI, Shopping Avenida. Pituba - Salvador – Bahia Facebook: Loja Reticências Instagram: @lojareticencias


| NA CAPA

Larissa Araujo

rota de consumo de moda, todas as s, estão concentradas nesses espaços. como um pesadelo, lojas e corredores eços, vendedores e até clientes. Como dia das mães? Morim selecionou algudos grandes shoppings e garantem boas ndimento.

Masculino e Feminino Loja Paradigma

Irreverência nos pés Loja DGRIF

Décor Online Boutique Jezebel

Localizada no bairro da Boca do Rio, a Paradigma existe há cinco anos e vende roupas para um público bastante amplo: homens, mulheres, jovens e nem tão jovens assim. Com manequins que vão dos tamanhos 34 ao 46, as peças da loja contemplam todo tipo de público, são vendidas marcas como Vida Bela, Equus e Pargan. Além de roupas, na Paradigma podemos encontrar ainda relógios, cintos, carteiras e bonés.

Animal print, tachas, cores, estampas, bordados, salto fantasma. Assim são os sapatos da DGRIF, loja que existe há apenas um ano e meio também no bairro da Boca do Rio. Os sapatos, que custam entre R$ 180 e R$ 220 reais, são o carro-chefe da loja, mas lá são vendidas também roupas entre R$ 29,90 e R$ 300 reais. Pessoas de todas as idades são atraídas pelos sapatos com design diferenciado que compõem a vitrine. A numeração vai do 34 ao 39.

Após se despedir da loja física, a Boutique Jezebel é uma loja online encantadora. Artigos vintage, de decoração, moda, livros, papelaria e fofurices, como a própria loja nomeia alguns produtos, são encontrados aos montes. O paraíso para quem gosta de design! O melhor de tudo? A loja é de Salvador e por vezes promove um bazar em algum lugar da cidade, moleskines, peças retrô, cosméticos, tudo com descontos para lá de bem vindos!

Rua Simões Filho, 96. Boca do Rio – Salvador – Bahia

Rua Simões Filho, 41. Boca do Rio – Salvador - Bahia

Site: www.boutiquejezebel.com.br 21


| COMPORTAMENTO

O

mundo da moda, em especial o mundo das passarelas, das grandes e luxuosas fashion weeks, sempre compreendeu um universo de muita competitividade e exclusividade. Megamodelos magérrimas, altas e de rostos marcantes são tão cobiçadas quanto as próprias marcas e produtos que representam. Acabam então sendo consideradas o exemplo legítimo do que seria, no imaginário, a mulher perfeita, o padrão de sucesso a ser seguido por todas. Mas até que ponto, mesmo no mundo fashion, esses padrões e estereótipos devem ser aceitos e digeridos com total normalidade? Como e quando devem ser questionados? Qual a linha tênue que separa padrões, preferências e preconceitos enrustidos em nosso sub-

consciente? Essas e várias outras indagações se fazem bastante atuais no que diz respeito à questão racial no cenário apresentado. Quantas polêmicas não surgiram a cerca do preconceito à cor negra, em diferentes formatos? No cenário internacional, logo no início do ano, em um editorial dedicado à África na edição de março da revista francesa Numéro, uma surpresa: em meio às lindas peças étnicas e coloridas, se encontrava a modelo americana Ondria Hardin, branca e loira, artificialmente “bronzeada” – ou melhor, pintada – para o ensaio. As fotos causaram muitas críticas negativas para a revista, que também já tinha publicado em 2010, um ensaio com a mesma polêmica da modelo “escurecida”.

Candidatas Miss Bahia 2013

22

A modelo Ondria Hardin ao natural e scan da página da revista Numéro, onde ela teve sua pele escurecida artificialmente

Desfile do estilista mineiro Ronaldo Fraga, que gerou polêmica


| COMPORTAMENTO

Vencedora do Miss Bahia 2013

No Brasil, país onde mais da metade da população se declara negra ou morena, a discussão também é colocada em pauta. Em maio do ano passado, durante a Fashion Rio, semana de moda carioca, modelos negros fizeram um protesto contra o preconceito racial, na porta do evento. Entre os argumentos, estavam questões como a predominância de modelos brancas em desfiles e até mesmo a rejeição da cor da pele e traços característicos negros por parte de grandes marcas. Até famosos estilistas, como o mineiro Ronaldo Fraga, conhecido por sua ousadia e inovação nas passarelas, não escapou de polêmicas ao apresentar uma homenagem duvidosa. No desfile de sua coleção de verão 2014, na São Paulo Fashion Week, tendo como inspiração o futebol de várzea - com referências à cultura negra –, o estilista utilizou perucas de palha de aço cobrindo os cabelos das modelos. A ideia, realizada em parceria com o maquiador Marcos Costa,

Protesto no Fashion Rio

“Era ressaltar a beleza de cabelos que podem ser moldados como esculturas, não importando o fato de serem crespos (...) foi também uma forma de subverter um preconceito enraizado na cultura brasileira”, declarou Costa. Mas assim como qualquer “obra de arte”, o desfile foi livre de interpretações, causando muito frisson nas redes sociais. Comentários como “Como negro me senti ofendido” e “Obrigada Ronaldo Fraga por reforçar mais um estereótipo de pura ignorância” foram lançados raivosamente no twitter. “Miss Bahia Nórdica 2013” O mundialmente famoso concurso de Miss causou muita agitação na edição baiana 2013, confirmando a influência que o estereótipo europeu tem para além do atlântico. No estado em que mais de 75% da população é negra e morena, as misses eram na sua

maioria branca. Dentre as brancas, grande destaque para os cabelos loiros – de farmácia. Das 30 candidatas da capital e interior, duas eram negras. A falta de mulheres negras chamou tanto a atenção que o concurso chegou a ser satiricamente apelidado de “Miss Bahia Nórdica 2013”. Protestos em redes sociais, abaixo-assinados e até mesmo uma petição foram lançados por parte da população, indignada por uma baixa representatividade de negras consequente a uma preferência por um biótipo. Para alegria de muitos, e para quebra de padrões, a escolhida foi a estudante Priscila Cidreira, negra, representante de Salvador, do bairro da Santa Cruz. A esperança é que ações como essas rompam conceitos antepassados, e que as diferenças e especificidades das “raças” sejam vistas como pluralidade, e não como fator de dominação ou exclusão. 23


| COMPORTAMENTO

Rafaela Barreto Imagens: Internet

Print Screen da Home do blog de Priscila Rezende, famosa por atacar as blogueiras de moda.

O

mundo atual é marcado pela evolução da tecnologia, e com isso, várias profissões estão sofrendo profundas transformações, algumas passaram a existir, enquanto outras sofrem o processo de extinção. A comunicação também está sendo muito afetada, principalmente pela internet, que aproxima os blogs do jornalismo. Esse crescimento da internet está modificando também o campo da mídia de moda e essa mudança já se configura com a ascensão dos muitos e distintos blogs de moda. Esse é um dos assuntos mais discutidos no meio da moda atualmente, mas quem tem razão? Para as blogueiras, o blog serve não só como um diário virtual, onde elas expõem sua vida e interesses, como também uma ferramenta de 24

comunicação, que é usada para publicar informações para um grupo de pessoas que os darão audiência. O reconhecimento dos blogs como meios de comunicação implica também sua capacidade de acesso como meios de práticas jornalísticas, seja através de críticas, sejam através de relatos informativos. As blogueiras de moda estão sempre estimulando a publicidade e isso exerce nas leitoras uma influência de longo alcance, que apela à subjetividade no intuito de estimular o consumo. Muitas dessas blogueiras tornaram-se famosas, sendo conhecidas em todo o seu território – às vezes em vários países -, o que as possibilitou transformar os blogs em fonte renda, além de possuir grandes privilégios entre as empresas de moda. Vários gru-

pos empresariais têm utilizado os blogs para transformar a empresa em um personagem que conversa de forma aberta e direta com o seu público alvo. Um fator muito comum nos blogs de moda é a celebrização das blogueiras, que hoje ocupam um espaço de significância no mundo fashion, e estão sempre presentes em desfiles e eventos de moda diversos. Os blogs de moda conquistaram as leitoras interessadas em referências reais para o dia a dia, embora as roupas utilizadas pelas blogueiras não sejam, muitas vezes, de valor acessível. O problema é que para as blogueiras se tornarem famosas, nem sempre prevalece ter um bom texto ou mais conteúdo. Existem blogueiras conhecidas no mundo


| COMPORTAMENTO

Blogueira Camila Coutinho em foto de look do dia, publicada em seu blog Garotas Estúpidas

Leandra Medine, dona do blog The Man Repeller, é conhecida mundialmente

Priscila Rezende - editora do blog Shame on you, blogueira

fashion, que são remuneradas pelos seus blogs, porém a página que administram não tem conteúdo informativo algum. Observa-se que dentro desses sites, existem os que estão baseados em editoriais de moda, feitos com fotos das blogueiras no seu cotidiano, sem nenhum preparo profissional – as fotografias muitas vezes são capturadas pela própria blogueira pelo celular. As postagens possuem um texto que se limita em exibir as grifes usadas no look apresentado, ou seja, a blogueira utiliza da ostentação e do marketing pessoal para conseguir certa fama, ao mesmo tempo que faz com o que a sua página funcione como uma espécie de Reality Show. A blogueira líder do movimento hater de blogs de moda e beleza, Priscila Rezende, editora do blog Shame on you, blogueira, posta cerca de 10 imagens e textos por

dia que denunciam as blogueiras que não apenas disfarçam publicações pagas de opinião própria como acabam cometendo gafes e erros na hora de falar sobre moda e maquiagem. Segundo Priscila, a ideia do site surgiu após perceber o quanto eles enganavam as leitoras e hoje o blog fez tanto sucesso que recebe mais de 3 milhões de visitas por mês. Nas revistas de moda, a maioria das publicações é direcionada para um público classe A, onde afirmam uma linha editorial que mostra mais a moda com padrões europeus, acessível apenas para esse público seleto, do que a moda adaptável para o modo de vida brasileiro. Isso acaba por afastar o grande público desse tipo de publicação. Se por um lado há falta de diálogo entre a leitora e a linha editorial adotada pelas publicações no jornalismo de moda, por outro lado, há uma

enorme interação entre a leitora e a blogueira, o que, nesse ponto, torna a forma de comunicação e interação dos blogs mais eficazes do que a mídia impressa de moda. Não se pode ignorar a força da influência dos blogs na mídia, da mesma forma que não se pode ignorar o fato de que as blogueiras de moda participam efetivamente, não da produção, mas da vendagem de produtos de beleza. Porém as postagens dessas páginas não podem ser classificadas como material jornalístico, já que não cumprem as regras adotadas pelo jornalismo tradicional - dando como exemplo a linguagem pessoal informal utilizada, e muitas vezes a falta de informação ou até mesmo texto nas postagens – e nem sempre passam informação de moda para a leitora, servindo apenas para a função de coluna social. Mas na moda deve haver espaço para todos. 25


| BELEZA

Larissa Araujo Imagens: internet

Há quem diga que beleza custa caro, para ser bonita tem que ter dinheiro. Cabelo, pele, unha, maquiagem, escova, cauterização, relaxamento, drenagem linfática, esfoliação, limpeza de pele, colágeno, base, primer, corretivo, blush... Ufa! Com tantos avanços todos os dias, é difícil acompanhar e muitas vezes pagar por tantos produtos e procedimentos. Mas quem disse que não se pode ser bonita e se cuidar com pouco dinheiro? Basta dar mais atenção aos inúmeros produtos que podemos encontrar nas farmácias e prateleiras de supermercados ou “lojões” de cosméticos. Morim convidou alguns profissionais da beleza para eleger seus produtos baratinhos* preferidos.

A maquiadora Adriana Mota, do salão Barberbeauty selecionou os produtos que, para ela, tem o efeito tão bom quanto o de muitos produtos caros do mercado.

Volume As já famosas máscaras para cílios da Maybelline são as preferidas de Adriana, principalmente a Colossal (R$ 23,90), que deixa os cílios volumosos e bem pretos.

26

3 em 1 Por um preço bem camarada o BB Cream (R$ 29,90) da L’oréal Paris tem hidratante, filtro solar e tonalizante em um só produto. É excelente para ser usado no dia a dia. Ideal para quem tem pouco tempo para cuidar da pele, pois reduz a rotina de cuidados faciais.


| BELEZA

Sem irritação O óleo para bebês Johnson’s (R$ 17) é uma ótima alternativa como demaquilante para a área dos olhos. Tem um ótimo desempenho na remoção de máscara para cílios à prova d’água e maquiagens pesadas. O melhor de tudo? Não irrita os olhos!

Para o cabeleireiro Thiago Valença, do salão Barber City, os produtos disponíveis em supermercados e farmácias possuem tecnologia similar aos profissionais com a finalidade de auto aplicação.

Para quem tem cabelos quimicamente tratados, a cabeleireira Ana Lúcia Nobre, especialista em coloração e relaxamento dá a dica: Fios fortalecidos As linhas Nutrition (R$ 13,99) da SalonLine e Novex (R$ 18) da Embelleze são ótimas para a manutenção do cabelo pós-química. O resultado é ter cabelos sedosos e com aspecto natural por mais tempo. Os produtos ajudam a manter os fios hidratados, além de fortalecê-los, já que todo processo químico enfraquece os fios. Tonificando Os tônicos da Capicilin (R$ 4,49) também são outra recomendação da cabeleireira, existem para diversos fins: queda de cabelo, anticaspa, estimulador de respiração das raízes, fortalecedor, o segredo é usá-los após a lavagem dos cabelos.

Coloridos Se o assunto é coloração, Ana Lúcia recomenda a Imédia Excelence da L’oréal (R$ 16,90), marca consagrada no mundo inteiro.

Brasileirinhos As linhas da marca Seda foram desenvolvidos para a etnia das brasileiras.

Olhos marcados A máscara de cílios Colossal, da Maybelline, chegou em nova versão. A Super Filme (R$ 23) dá Volume extra e resiste ao calor. Para completar o time, o Kajal (R$ 18) possui fórmula de longa duração. Vitaminados Os novos xampus, condicionadores e cremes para pentear da GarnierFructis, linha Vitaminados, tem fórmula enriquecida com dose extra de vitaminas E, B3 e B6 para problemas como oleosidade, falta de brilho e desnutrição. Os cheiros são ótimos! Menta, guaraná e maracujá. Shampoo – R$ 7,99 Condicionador – R$ 8,99 Creme para pentear – R$ 5,99

Crespos A linha Keraforce da Seda, à base de óleo de argan, foi feita especialmente para cabelos crespos e alisados. Spray para pentear – R$ 9 Sem amônia A nova tintura para cabelos da Garnier, Olia (R$ 19,90), substitui em sua fórmula, a amônia pela combinação dos óleos de girassol, flor de maracujá e camélia. Os novos componentes garantem hidratação e maior duração da cor e menor desbotamento dos fios, além de cobertura de 100% dos fios brancos, tudo isso por conta da tecnologia ODS (Oil Delivery System), que utiliza a combinação dos óleos para aumentar o efeito de clareamento sem necessidade de amônia. *Os preços são aproximados e podem variar de acordo com o estabelecimento

27


| RADAR

Morim indica:

dicas, eventos e novidades Larissa Araujo

Na vitrola

Pequenas margaridas Álbum de estreia da cantora e compositora baiana Nana, que fez uma campanha para arrecadar dinheiro junto aos fãs que se interessassem em ajudar a financiar a obra. Estudante de Composição e Regência na Universidade Federal da Bahia e com apenas 22 anos, Nana compôs e produziu todas as faixas do disco, que leva o nome do filme de 1966 da cineasta Vera Chytilová. Pequenas margaridas tem um som doce e aconchegante, com influências de música francesa, bossa nova e rock experimental, além de bases eletrônicas, todas produzidas pela cantora, que gravou tudo em sua própria casa, dando um toque artesanal ao projeto.

Compras

Chic é pagar pouco Esse é o slogan do Outlet Premium, novidade que chega à Bahia no dia 01 de outubro. Com uma área de 14.960,40m² e mais de 120 marcas nacionais e internacionais confirmadas, o Outlet Premium é o primeiro empreendimento do segmento de outlets no Nordeste. Localizado na Estrada do Côco, km 12,5 – Vila de Abrantes, o Outlet Premium traz a moda de grandes marcas como Calvin Klein e Lacoste a preços menores e mais convidativos. Prepara! 28


| RADAR

Setembro na Moda! A edição 2013 do Bahia Moda Design acontece nos dias 25 e 26 de setembro, na Arena Fonte Nova. O evento reúne empresas baianas da área da moda para apresentarem seu potencial criativo. O evento é produzido pela Projeto SSA – sob o comando de Tininha Viana, Almir Júnior e Marcelo Gomes - e acontece em parceria com o Sebrae; tem como objetivo fortalecer a cadeia produtiva da moda baiana: indústria, comércio e design. A programação conta com o desfile do concurso Novos Talentos, além de palestras e oficinas.

História da moda Para quem não sabia, o Instituto Feminino da Bahia possui uma coleção têxtil, que começou a ser montada em 1933; e resultou no Museu do Traje e do Têxtil. O acervo conta com vestidos de noivas de diversas décadas, além de um exemplar parisiense de 1892, que pertenceu a D. Sofia Costa Pinto Gomes, época em que as noivas não se vestiam de branco. Roupas brancas e infantis, roupas eclesiásticas, acessórios, leques e trajes a rigor com exemplares de Christian Dior, Pierre Balmain e Paul Poiret. O Museu do Traje e do Têxtil funciona no Instituto Feminino da Bahia, no bairro do Politeama. Vale a pena conferir!

O vestido de tafetá e seda pura foi usado pela Princesa Isabel na assinatura da Lei Áurea em 13 de maio de 1888

Rua Monsenhor Flaviano, 2 Politeama - Salvador-Ba 29


| VIAGEM

Cachoeira de Magia Descubra as surpresas que uma das primeiras cidades do Brasil pode lhe reservar em sua viagem à Bahia

A

cidade histórica de Cachoeira, a 110 km de Salvador, se revela atualmente como um dos novos polos culturais e turísticos do interior da Bahia. No coração do Recôncavo Baiano, a cidade vive a efervescência promovida pelo boom da produção cultural, especialmente pela realização acadêmica com a chegada da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em 2007. A criação de eventos como a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), o Festival de Documentários de Cachoeira (CachoeiraDoc), o Recôncavo Jazz Festival, além da ação de grupos como o Cineclube Mário Gusmão e a Quarta dos Tambores, tem dado novos ares para o ambiente colonial que se preservou ao longo dos séculos. Sem falar das iguarias da culinária local, com pratos típicos como a maniçoba, poã de caranguejo, moquecas, catados de mariscos, e tantos outros saborosos que deixam qualquer viagem ainda mais agradável. 30


| VIAGEM

Escolha seu destino! A agenda cultural da cidade combina uma série de temáticas durante todo o ano, por isso não é difícil encontrar uma data do calendário de Cachoeira, agitado principalmente pelas Festas Populares da cidade. Desde a tradicional e internacionalmente conhecida Festa da Boa Morte, no mês de agosto, até a Festa D’Ajuda, em novembro, “a cidade não para!”, como muitos costumam afirmar hoje. Um passeio pelo Rio Paraguaçu, uma das rotas do descobrimento Neste rico roteiro é possível estar em contato com a natureza do rio por onde o descobrimento do Brasil começou. Ao longo do seu curso, as belezas naturais e a cultura popular se destacam. Neste rico roteiro é possível também estar em contato com as matrizes culturais do Recôncavo da Bahia em visitas às comunidades de pescadores, passando ainda por diferentes monumentos históricos, além das praias e ilhas desertas de um dos mais belos percursos náuticos da Bahia. Conhecendo a arquitetura da Cidade Monumento Nacional Berço das primeiras construções do Brasil Colônia, Cachoeira e São Félix possuem em suas ruas, ladeiras e esquinas diversas marcas arquitetônicas que ao longo dos séculos se preservaram, reservando aos seus visitantes a sensação de mergulhar no tempo e conhecer algumas raízes de duas joias da arquitetura no Brasil. Entre as casas simples coloridas se estendem os topos dos sobrados e igrejas que se reservam à memória de quem caminha por suas ruas tranquilas em meio às construções que contam a história da Bahia e do Brasil. Visita a templos do Candomblé e comunidades quilombolas No Recôncavo da Bahia, se encontram hoje alguns dos mais tradicionais terreiros de Candomblé e das comunidades remanescentes de escravos do Brasil. A força do Povo de Santo segue no culto e nos festejos aos Orixás e Vodus, que abrem espaço para visitantes de todo o mundo. Na zona rural, em comunidades quilombolas, é possível estar em contato com a produção manual de iguarias do Vale do Iguape, como o azeite de dendê, a farinha de mandioca, entre outras receitas únicas. No clima místico de Cachoeira e São Félix a música envolvente do Samba de Roda marca o ritmo e agita aqueles que buscam um roteiro com diversão, história e cultura.

Gostou? Para organizar melhor sua passagem por Cachoeira, elabore antes o seu roteiro. Pense nos lugares que deseja visitar em sua passagem pela Bahia e saiba mais sobre onde ficar, onde comer, dicas de compras e serviços pelo Portal A Ponte: www.portalaponte.com 31


|

REVISTA PRODUTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – JORNALISMO DE LARISSA ARAUJO 32

Revista Morim  

Revista produto do trabalho de conclusão do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Morim é uma revista de moda...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you