Page 1


DISPONIBILIZAÇÃO: JUUH ALVES TRADUÇÃO: JÉHH ANTUNES E CRISTINA REVISÃO INICIAL: ADRIANA E CRISTINA REVISÃO FINAL: CURLY E MI FERREIRA LEITURA FINAL: ALESSANDRA FORMATAÇÃO: DADÁ


by Samantha Towle

LANÇAMENTO

PRÓXIMO


A mecânica de carros Andressa "Andi" Amaro tem uma regra — não namorar pilotos. Com uma boa razão por trás dessa regra, ela não tem planos de quebrá-la. Carrick Ryan é o bad boy da Fórmula Um, com um rosto e um corpo que derretem calcinhas à primeira vista, e uma cadência irlandesa que deixa as mulheres de joelhos e implorando por mais. Ele corre duro nas pistas, e nas festas, mais duro ainda. O piloto mais jovem a assinar com a F1, ele ainda está no topo cinco anos depois, quebrando corações dentro e fora das pistas. Quando é oferecido a Andi o seu emprego dos sonhos - trabalhar no mundo glamouroso da F1 - ela deixa sua casa no Brasil, confiante de que pode lidar com trabalhar para Carrick. Mas ela não está preparada para as faíscas que voam no momento em eles que se encontram. Agora Andi tem uma queda por um homem que não pode ter, e sua determinação está prestes a ser posta à prova, porque Carrick decidiu que quer Andi, e ele planeja testar seus limites...


Para Trishy e Sall. Minha adoração por ambas é imensurável.


PRÓLOGO MONTE CARLO, MÔNACO

Eu olho para a minha mãe. Ela parece preocupada e ela está segurando a minha mão apertada. Ela sempre faz isso quando papai está correndo, mas eu não me importo. Eu sei que ela fica nervosa, então eu a deixo esmagar minha mão porque eu sei que segurá-la faz com que ela sinta-se melhor. No entanto, eu não sei por que ela fica nervosa. Eu não fico nervosa, nunca, simplesmente porque meu pai é o melhor piloto do mundo. Ele é o campeão, e ele está prestes a ser o campeão novamente. Eu mexo meus dedos um pouco quando eles começam a formigar. "Desculpe, querida." Mamãe sorri para mim. É um sorriso apertado, preocupado. Eu gostaria que ela não se preocupasse tanto. Eu sorrio para ela, tentando fazê-la sentir-se melhor. Ela é realmente bonita, a minha mãe, e muito alta. Ela costumava ser modelo, mas desistiu quando me teve. Eu vou ser alta como ela. Eu já sou alta para minha idade. Eu odeio isso. Eu tenho dez anos e sou mais alta do que a maior parte dos


meninos da minha turma. Eu sou grande e toda desengonçada. Ugh. Eu gostaria de ser pequena e miúda, como as outras meninas na minha classe. Todo mundo diz que eu pareço muito com a minha mãe, no entanto, o que é uma coisa boa, porque ela é a pessoa mais bonita no mundo. Meu pai diz que eu pareço com ela, também, e que ele viverá um pesadelo quando eu crescer. Aparentemente, ele vai manter um bastão de cricket na porta da frente para bater em qualquer namorado eu possa ter. Ele é louco. Como se eu fosse um dia ter um namorado. Eu não vou ter tempo para meninos quando eu for mais velha. Quero correr como o papai ou talvez até mesmo ser uma mecânica como o tio John. Ele não é o meu tio de verdade, mas eu sempre o chamo assim. Ele é o melhor amigo do meu pai e meu padrinho. Eu adoro quando o tio John me permite trabalhar nos carros com ele e eu fico toda coberta de óleo e sujeira. A mamãe fica louca quando eu sujo minhas roupas também, mas eu não me importo. Ela não diz, mas eu sei que ela não me quer trabalhando em carros, e ela definitivamente não vai me querer em corridas. Acho que ela ficaria feliz se eu fizesse o que ela costumava fazer – ser modelo. Mas eu não gosto de coisas bonitas como ela. Eu sou como meu pai. Eu amo carros. E o papai diz que eu posso fazer qualquer coisa que eu queira desde que eu coloque isso em mente e trabalhe duro na escola. "E ele está vindo para fazê-lo! Vindo para a última volta! " Ao som da voz do locutor, eu olho para as telas e vejo que meu pai está na última volta, liderando e indo para a linha de chegada. Eu sinto aquela sensação animada no meu estômago como sempre faço quando eu o vejo correndo, e começo a saltitar no lugar.


"Nosso atual campeão, William Wolfe, está pronto para levar para casa o troféu novamente. Espera – algo está acontecendo. Está errado... oh Deus, não. Pa-parece ser um problema com o carro. Há fogo vindo da parte de trás de seu carro... " Eu assisto impotente como o carro do meu pai rodopia fora de controle, a traseira em chamas e ele bate na barreira. Eu sinto seu impacto como se fosse meu próprio corpo a bater nessa barreira. Então, tudo acontece tão rápido ainda tão incrivelmente lento. Eu posso ouvir a mamãe gritando. E as pessoas estão gritando. Nas telas acima, vejo os seguranças correndo para seu carro. Eu não posso me mexer. Eu não quero me mover ou desviar o olhar das telas para não perder nada. Por favor, esteja bem, papai. Por favor. Então, de repente, sou pega por trás e levada embora. Tio John. Ele me vira em seus braços, pressionando meu rosto em seu peito, para que eu não possa ver nada. Ele move-se rapidamente pela garagem, levando-me longe das telas, longe da pista. Longe do meu pai. Eu estou gritando: "Não!" Eu estou tentando lutar com ele. Eu tenho que ficar aqui. Eu tenho que ver que meu pai está bem. Então, eu ouço o estrondo. É tão alto que dói meus ouvidos mesmo através de meus fones. Tio John para de se mover. Ele lentamente se vira comigo em seus braços. Cada músculo em seu corpo fica rígido. Lutando para me livrar, eu olho para as telas, e é quando eu vejo isso.


O carro do meu pai se foi. Substituído por chamas. E fumaça. Fumaça preta densa subindo para o céu.


1 Quatorze anos mais tarde São Paulo, Brasil

"Eu vou sentir tanto sua falta, querida." A emoção na voz de minha mãe faz meus lábios tremerem e meus olhos encherem de lágrimas. "Eu vou sentir falta de você, também." Eu a abraço mais apertado. Inclinando-se para trás, ela segura o meu rosto entre as mãos, olhando nos meus olhos. Ela está chorando. Eu odeio vê-la chorando. "Você está absolutamente certa que você tem que ir?" Nós tivemos essa conversa muitas vezes ao longo das últimas semanas. Eu sei que a estou machucando. Eu odeio isso, mas eu tenho que fazer. Se eu não o fizer, eu sei que vou me arrepender pelo resto da minha vida. "Mãe, esta é uma oportunidade incrível para mim", eu digo em voz baixa. "Eu sei que você está preocupada, mas eu vou estar bem. Eu estarei com Tio John, e não é como se eu estivesse realmente entrando nos carros de corrida e dirigindo." "Eu sei..." Ela suspira. É um suspiro preocupante, e eu sei de onde vem. Eu sei que minha partida a está machucando por várias razões, principalmente porque ela vai me perder, mas em grande parte por causa de onde eu estou indo. Isso está mexendo em memórias dolorosas para ela.


"Eu não estou tentando feri-la", eu digo em voz baixa. "Eu só... Eu tenho que fazer isso." "Eu sei." Ela beija minha testa. "Você é tão parecida com seu pai. Ele estaria tão orgulhoso de você, você sabe." Bem, isso me quebra e uma lágrima cai no meu rosto. Mamãe a limpa com o polegar. "Eu só estou sendo uma mãe boba cacarejante. Eu não quero deixar a minha bebê ir. " "Eu vou voltar", eu a tranquilizo. "Eu não vou embora para sempre." "Eu sei. Apenas cuide de si mesma e tome cuidado. Você vai estar em um monte de países estranhos.” Você tem aquele alarme anti-estupro que eu comprei pra você?" "Sim. Está na minha bolsa." "E você não vai andar em qualquer lugar sozinha, especialmente à noite." "Eu não vou." "E se você tiver que pegar um táxi, verifique se ele é um táxi regulamentado da cidade." "Eu irei." "E você vai falar comigo todos os dias quando chegar em casa?" "Eu irei. Eu prometo.” Eu dou-lhe outro abraço apertado. "Não se preocupe." Eu pego minha bolsa do chão e penduro no meu ombro. "Eu tenho que ir. Caso contrário, eu vou perder o check-in. " "Ok." Ela sufoca as lágrimas. "Tchau querida. Tenha um voo seguro." "Eu voltarei para casa para uma visita, logo que eu puder. Eu te amo." Eu começo a andar para trás em direção ao portão de check-in, com meu peito pesado de emoção.


"Eu também te amo", diz ela, enxugando o rosto com um lenço de papel. "Eu mando uma mensagem assim que eu aterrissar." "OK. Eu vou sentir sua falta, querida. " "Vou sentir saudades de você também." Então, eu viro e vou embora. Limpando uma lágrima do meu rosto, eu entrego o meu bilhete para o guarda e passo pela segurança.

DEZESSEIS HORAS MAIS TARDE LUTON, INGLATERRA Eu acho que deveria estar exausta depois de horas em um aeroporto, esperando meu voo, que foi adiado, antes de tomar um voo de doze horas de São Paulo para Luton, e agora, é uma da tarde pelo horário do Reino Unido. Meu relógio biológico está um pouco em cada lugar, mas conforme eu arrasto a minha mala, empurrando-a através da porta para chegadas, estou cheia de um sentimento de emoção que foi formado durante toda a viagem até aqui. Estou muito feliz por estar de volta à Inglaterra, vibrando com a perspectiva de começar o meu novo emprego. Mas acima de tudo, eu apenas não posso esperar para ver o tio John. Faz tempo desde que eu o vi pela última vez. Eu faço uma análise rápida sobre a multidão, procurando por tio John, e então eu o vejo. Ele é difícil de perder grande como um urso com uma cabeça cheia de cabelo grisalho.


Ele me vê e abre um sorriso enorme. Ele acena com a mão. Eu me apresso em direção a ele e ele se move em direção a mim, abrindo os braços para um grande abraço. Eu pulo em seus braços como uma criança. Tio John sempre teve essa mania de me fazer sentir como se eu tivesse dez anos novamente. "Ei, garota." Ele me solta e sorri para mim, seus olhos mostrando sua idade nos cantos. Tio John está nos seus quarenta e tantos anos, mas está bem para a idade. "Hey." Eu respondo. "Como foi o seu voo?" Ele se inclina para pegar a minha mala. "Bom. Comprido." Nós vamos em direção à saída. "Eu estou estacionado na área de espera, então, não está muito longe para caminhar." "Graças a Deus." Eu estremeço quando a porta se abre, e o bom velho ar frio inglês me atinge. Eu envolvo minha jaqueta de couro em torno de mim, não que ele esteja fornecendo muito calor. Estou feliz que eu pensei antes e me troquei no banheiro do avião, dos shorts e regata que saí do Brasil para os jeans skinny e camiseta que estou vestindo. Estou feliz também que me refresquei com lenços umedecidos e passei desodorante. Não há nada pior do que sentir fedida depois de um voo. Eu esqueci como é viver na Inglaterra, como é frio aqui em fevereiro. Eu costumava estar acostumada com o clima, mas já se foram quatorze anos desde a última vez aqui. Nasci na Inglaterra. Eu vivi aqui até os dez anos. Depois que perdemos o papai, mamãe e eu nos mudamos para o Brasil, seu país de origem.


"Eu ofereceria meu casaco se eu estivesse vestindo um." Tio John ri enquanto ele caminha com sua camisa de manga curta. "Estou bem. Não se preocupe. " "Claro, mas eu vou ligar o aquecedor no carro assim que ligar o motor." Eu adoro o tio John. Depois que meu pai morreu e minha mãe e eu nos mudamos, ele ficou em nossas vidas com ligações regulares de telefones e e-mails e nos visitou toda vez que esteve no Brasil. Tio John é o engenheiro-chefe da equipe Rybell de Fórmula 1, na verdade, a equipe de Carrick Ryan. Cada equipe de Fórmula 1 tem dois pilotos. O outro da Rybell é Nico Tresler, um piloto experiente da Alemanha. Carrick Ryan é o playboy da Irlanda, mas ele é um piloto insanamente talentoso. Ele é bonito demais para o gosto mulherengo e festeiro. Está na imprensa fim de noite e farras no seu quarto do direção. Ele age mais como uma estrela Fórmula 1.

de toda mulher. Ele é um mais por suas travessuras de que por suas habilidades de de rock do que um piloto de

Ele não parece ter o senso de disciplina que pode ser visto nos outros pilotos. Mas seu talento é inconfundível. Seu avanço nas corridas foi tão rápido que ele fez sua estreia na Fórmula 1 aos vinte anos e levou para casa o troféu nesse mesmo ano. Agora, cinco anos depois, ele perdeu apenas um campeonato. Eu vou trabalhar na equipe de Carrick, graças ao tio John. Um dos seus mecânicos saiu de repente, há algumas semanas, e tio John me ofereceu o trabalho. Se você ainda não adivinhou, eu sou uma mecânica. Desde que eu comecei a trabalhar para uma equipe da Stock Car Brasil há três anos, tio John me diz que eu deveria vir e trabalhar na Fórmula 1, e no minuto que ele tivesse uma chance, o lugar seria meu. Ele não estava brincando, e aqui estou eu.


Empregos na Fórmula 1 não vêm com facilidade, especialmente na equipe de Carrick. Ele mantém tudo amarrado, então eu sei como sou sortuda de obter a posição. "Como está a sua mãe?" tio John pergunta. "Ela está bem... lutando com a minha partida. Preocupada. Você sabe como ela é. " "Sim." Ele ri. "Eu sei como a Kátia fica." "Tio John... você não disse a ninguém em Rybell quem foi meu pai, não é?" "Não. Você me pediu, então eu não disse. Eu entendo porque você quer mantê-lo em segredo, mas, honestamente, eu não acho que seja necessário." “Para mim, é. Meu pai é considerado um dos maiores pilotos de todos os tempos. Ele era como o Messias da Fórmula 1. As pessoas nessa indústria, o idolatravam, continuam a fazê-lo especialmente aqui no Reino Unido. E eu não quero que as pessoas pensem que, como uma mulher mecânica de vinte e quatro anos, consegui o emprego por causa do nome do meu pai. Eu prefiro deixá-los pensar que fui contratada pela minha aparência do que isso. Assim, enquanto estiver aqui, vou usar o nome de solteira de minha mãe, Amaro, e não direi a ninguém que eu sou filha de William Wolfe. "Eu só quero provar ser eu mesma sem as pessoas saberem quem meu pai era." "Não é necessário", ele reitera. Eu dou-lhe um olhar. "É necessário. As pessoas vão pensar que eu consegui o emprego por causa do meu sobrenome. " "Não, eles não vão. Você conseguiu o emprego porque você é um inferno de uma mecânica excelente e nenhuma outra razão. " "Você sabe disso, mas as outras pessoas não. Eu só quero a chance de provar quem eu sou antes de todos saberem quem era meu pai."


"Ok." Ele solta um suspiro derrotado. "É o seu pedido. Eu vou manter minha boca fechada até que você me diga: abra-a." "Obrigado." Eu sorrio para ele com gratidão. Tio John conhece quase todo mundo na Fórmula 1, então pedir-lhe para manter isso em segredo é uma grande coisa. Tio John está com Carrick desde que ele começou no kart quando tinha quatorze anos. Assim que o tio John acabou de volta na Fórmula 1. Após o acidente do meu pai, o tio John deixou a Fórmula 1 e passou a trabalhar com kart. Eu acho que estar lá, depois do meu pai, era muito difícil para ele. Era difícil para todos. Mas quando Carrick progrediu e tio John viu seu talento, Carrick e Owen Ryan, pai e gerente de Carrick o convenceram a voltar à Fórmula 1 com eles, então ele o fez. Trabalhar para Carrick vai ser uma honra. Estou preocupada com a sua reputação? Claro que estou. Mas sorte minha, eu estou acostumada a pilotos tesões. Sendo uma mulher em um mundo de homens, eu tenho que estar. Eu trabalhei em volta de homens tempo suficiente para saber como colocá-los em seu lugar. Envolver-me com um piloto não é uma opção para mim. Depois de ver o que perder meu pai fez para a minha mãe, eu não sou exatamente uma pessoa para relacionamento. Eu tendo a sair aqui e ali, um par de meses, no máximo. Não é que eu sou avessa a ter um namorado. Eu apenas não encontrei algum com quem eu queira passar muito tempo. E com o meu trabalho, viajo muito, por isso não é realmente viável. Eu estou ou com outros mecânicos, que são todos do sexo masculino e eu não me envolvo com colegas de trabalho, muita confusão, ou estou com pilotos. E eu definitivamente nunca vou me envolver com pilotos. Nunca. Eles são um caminho direto para o desgosto.


Tio John para ao lado de um carro que eu instantaneamente reconheço porque passei muito tempo da minha infância nele. "Esse é... o seu velho Ford Capri?" Eu abro um sorriso. O tio John tinha este carro quando eu fui para o Brasil. Um Ford Capri 1987 preto com uma faixa de corrida vermelha do lado. Eu não posso acreditar que ele ainda o tem. "Sim, eu ainda o tenho." Ele sorri. Abrindo o porta-malas, ele põe a minha mala para dentro. "Eu não posso acreditar que ele ainda está funcionando." "Você duvida do mestre." Ele me dá um olhar atrevido antes de subir no lado do motorista. Eu entro no lado do passageiro, coloco o meu cinto. "Não, eu só achei que você já teria atualizado." "Você nunca pode substituir o seu primeiro amor." Ele amorosamente dá um tapinha no volante. Em seguida, ele liga a ignição, e o motor ronca. "Ok, então onde estamos indo?" Eu dou-lhe um olhar questionável. "Eu pensei que você soubesse disso." "Bem, eu apenas pensei em verificar se você tinha se tornado uma pessoa normal, alguém que acaba de chegar depois de viajar a maior parte do dia e pode querer ir para seu novo apartamento e obter algum descanso." Tio John alugou para mim um apartamento de um quarto pouco mobiliado, perto da sede da Rybell em Heath e Reach, que é um pequeno vilarejo em Bedfordshire. "Mas se eu estiver certo e você não é normal como eu, então eu estou imaginando que vamos direto para Rybell? " Eu olho para ele, com um enorme sorriso no meu rosto. "Você adivinhou certo."


No caminho para Rybell, tio John fala comigo sobre o trabalho e o que eu vou fazer quando começar amanhã. Ele me diz os nomes das pessoas com quem eu vou trabalhar e eu não decoro nenhum deles, mas eu tenho certeza que vai ficar fácil uma vez que tenha um rosto para colocar com o nome. Eu vejo a Rybell aparecendo adiante e começo a saltar no meu lugar com excitação. Eu não sou estranha. Esta é apenas uma coisa minha. Sabe como algumas garotas ficam animadas com a perspectiva de ir às compras para sapatos? Bem, eu fico assim perto de carros, especialmente carros de corrida. Passei a maior parte da minha vida em torno de uma garagem de Fórmula 1 e a segunda metade dela com meus primos em casa, trabalhando em seus carros. Eu fui praticamente criada na garagem, uma garagem de Fórmula 1 para ser mais precisa, por isso, para mim, isso é como voltar para casa. "Andi…" A voz de tio John chama a minha atenção da vista para ele. "Eu não perguntei isso ainda, e eu só quero verificar... você está se sentindo bem sobre isso?" "Sim. Claro que estou." Eu dou-lhe um sorriso confuso. "É só que... Eu sei que a minha primeira de volta na garagem, depois de perder seu pai... foi duro." Ah, certo.


Meu sorriso se desvanece um pouco. "Estou bem. Foi há muito tempo, e não é como se eu não estivesse de volta para as pistas desde que aconteceu. " Cada vez que o tio John esteve no Brasil para o Grand Prix, ele me deu entradas para ir e assistir. Admito, foi um pouco diferente, ser uma espectadora nas arquibancadas do que ser uma parte disso, mas eu tenho certeza que vou ficar bem. "Eu sei. Eu só queria ter certeza de que você está bem, antes de entrarmos. " "Eu estou bem." Eu dou um tapinha tranquilizador em seu braço. Tio John segue a estrada particular, levando-nos a Rybell. "Aqui estamos nós." Ele vai para o estacionamento em frente ao prédio. É uma grande construção propositalmente branca. Rybell em si é de propriedade de alguns grandes acionistas e liderada pelo CEO Pierce Vose. Ele próprio era um piloto antes, não da Rybell, no entanto. Pierce e meu pai dirigiram na mesma equipe no começo de suas carreiras de pilotos. Tio John estaciona seu carro e eu o sigo para dentro do prédio, passando pela porta que ele segura aberta para mim. "Bom dia, Liz." Tio John levanta a mão cumprimentando a mulher de quarenta e poucos anos de cabelos loiros na recepção. Eu vejo a maneira como seus olhos se iluminam quando o vê. Eu acho que alguém tem uma coisa pelo tio John. Compreensível. Ele é um cara de boa aparência e em ótima forma para um homem se aproximando dos cinquenta. "Liz, esta é Andi Amaro, nossa nova mecânica." "Oh." Sua sobrancelha levanta até a linha do seu cabelo. Em seguida, ela se levanta para me cumprimentar. "Bem, olá, Andi. É bom conhecê-la." Ela inclina a cabeça para o lado, com as mãos nos quadris, me avalia com os olhos. "Então... você é a nossa nova mecânica?"


"Sou." Eu dou um sorriso tenso. "Bem, você definitivamente não é o que eu estava esperando." Huh? Eu a vejo dar uma olhada para tio John, e ele franze a testa. "Vamos. Deixe-me mostrar-lhe ao redor," Tio John diz, me puxando pelo cotovelo. "Andi, você pode só assinar aqui, antes de entrar?" Liz me diz. "Claro." Pegando a caneta da mesa, eu rabisco meu nome na folha de registro de entrada. "Tchau, John", ela diz com uma voz adocicada. Ele levanta a mão enquanto caminha em direção à porta. "Prazer em conhecê-la," eu digo a Liz. Eu sigo pela porta que o tio John está segurando aberta. "O que foi aquilo?", pergunto-lhe assim que a porta está fechada. Ele me dá um olhar confuso. "O que foi sobre o quê?" "O comentário: você definitivamente não é o que eu estava esperando." "Nada." Ele olha para longe, matreiro. "Tio John." Eu coloco minha mão em seu braço, impedindo-o. "Tudo bem", ele bufa. "Eu posso ter deixado de mencionar às pessoas que você é... bem, que você é uma menina ". O quê? "Eu não sou uma garota. Eu sou uma mulher. E por que você faria isso? " "Porque eu sabia que Pierce não iria dar-lhe o trabalho, se ele soubesse que você era uma mulher." "Por que não?" Jesus, eu sei que a Fórmula 1 pode ser um pouco sexista, mas a não contratação de alguém por causa de seu gênero seria antiético e um tanto ilegal.


Tio John solta um suspiro. "Por causa de Carrick. Deus sabe, eu amo aquele menino, mas... ele tem um olho para as mulheres. " "Eu estou ciente disso, como qualquer outra pessoa que leia notícias. Mas só porque eu sou mulher não quer dizer, eu vou transar com ele." "Eu sei disso, mas Pierce não. E por causa de um pequeno incidente que aconteceu há algumas semanas, e ainda está queimando nos tabloides aqui, Pierce vai querer manter todas as formas possíveis de tentação longe de Carrick. " "Que tipo de incidente?" "Bem, você sabe como sua vaga de repente ficou aberta?" "Carrick transou com o último mecânico? Não, espere. Ele não era um cara? Será que Carrick balança para os dois lados? " "Não, graças a Deus. Caso contrário, ele seria um pesadelo pior de controlar do que ele já é. Não, Rich, o cara que teve o seu emprego, ficou conosco por três anos. Quando a nossa recepcionista saiu para ter seu bebê, a namorada de Rich, Charlotte, pegou o trabalho. " Eu posso ver onde isso vai dar. "Rich pegou Carrick e Charlotte aqui uma noite, fazendo..." Tio John para na palavra. "Sexo. Você pode dizê-lo. Eu não tenho dez anos, tio João." Eu rio. Suas bochechas ficam vermelhas enquanto ele ri com o desconforto que apenas uma pessoa que ainda vê você como uma criança pode. "Então, sim, Carrick estava fazendo isso com Charlotte na suíte do diretor, Rich os pegou e foi um pesadelo sangrento. Eles entraram em uma briga. Felizmente, Owen, pai de Carrick, e eu ainda estávamos aqui mesmo sendo tarde da noite. Rich largou o emprego e terminou com Charlotte. Ela não parecia muito triste sobre isso já que ela pensou que teria mais de Carrick. " "Mas ela não teve?"


Ele solta uma gargalhada estrondosa. "Carrick vai além. Ela teve sorte de conseguir mais do que uma vez com ele." "Então, eles estavam tendo um caso?" "Não era um caso, no sentido real da palavra. Acho que Carrick dormiu com ela algumas vezes, e ela pensou que estava acontecendo mais do que realmente havia. De qualquer forma, Charlotte não aceitou muito bem ser jogada de lado e ela vendeu sua história para os tabloides. Posso te dizer que Pierce ficou muito puto da vida com a má repercussão logo antes da temporada estar prestes a começar. Além disso, Charlotte está processando Rybell por perder seu emprego. Total pesadelo. E eu sabia que Pierce e Owen ficariam desconfortáveis com a ideia de ter uma mecânica do sexo feminino, especialmente uma tão bonita como você, trabalhando tão estreitamente com Carrick. " "Eu posso entender isso. Mas você me conhece, Tio John. Não é assim que eu trabalho. " "Claro que eu sei e é por isso que eu queria que você chegasse aqui, então não há nada que Pierce ou Owen podem fazer sobre isso. Eu não vou deixar que você perca o emprego dos seus sonhos, porque Carrick não pode manter suas calças fechadas. " "Mas... você me coloca em uma situação desconfortável aqui, tio John. Eu aprecio porque você fez isso, mas eu meio que não quero ir lá e conhecer todo mundo agora, considerando o que pode acontecer. " "Nada vai acontecer. Pierce não está aqui no momento. Ele está fora em uma reunião. E eu vou falar com ele antes de conhecê-lo. Não se preocupe." Ele coloca o braço em volta do meu ombro, me dando um aperto. "Vai ficar tudo bem. Agora, você quer um passeio pelo prédio ou pela garagem primeiro? " "Garagem. Eu prefiro começar com o inevitável. " Estou me sentindo menos animada agora, sabendo que eu vou ser um choque para meus novos empregadores.


Vamos, Andi. Você consegue fazer isso. E daí se você tiver alguns olhares e cochichos? Isso não vai ser nada novo. Coloque suas cuecas femininas e levante a mulher que você tem dentro de você. Com um novo propósito, eu sigo tio John na direção da garagem. No momento em que ele abre a porta, eu ouço os sons de máquinas e motores acelerando e música tocando no rádio, juntamente com o cheiro que só pode vir de carros, especialmente carros de corrida. E todo meu nervoso desaparece no ar. Já faz muito tempo desde que eu estive em uma garagem de Fórmula 1. Me vem uma nostalgia e eu me sinto um nó na garganta. "Então, o que você acha?" Tio John pergunta ao meu lado. "Eu acho que é incrível." Eu abro um sorriso no meu rosto. "Vamos. Deixe-me apresentá-la às pessoas com quem você vai trabalhar." Eu sigo o tio John até um dos carros em que um dois rapazes estão trabalhando. "Ben." Tio John toca no ombro do rapaz. O cara levanta a cabeça do carro, voltando-se para nós. Ele é um pouco atraente, com cabelo castanho claro e olhos verdes e apenas um pouco mais alto do que eu. Mas, não faz o meu tipo. "Andi, este é Ben. Ben é o mecânico chefe, assim você estará trabalhando principalmente com ele. Ben, esta é Andi Amaro. " Eu vejo os olhos de Ben arregalarem com a visão de mim. "Oi, Ben." Eu passo para frente, estendendo a minha mão para apertar a sua. Suas mãos estão cobertas de óleo, o que não me incomoda. "Bom te conhecer. Eu suponho que você é uma das pessoas para quem Tio John não conseguiu dizer que eu sou uma mulher. " Os olhos de Ben piscam de mim para o tio John e depois de volta para mim. "Ele não disse." Ben pigarreia.


"Mas não que isso seja um problema. Prazer em conhecê-la, também, Andi. Estou ansioso para trabalhar com você.” “John me disse coisas impressionantes sobre você com um carro." Ele limpa a mão em seu macacão e aperta a minha. "Este aqui é Robbie." Ele chuta um pé na perna de um corpo embaixo do carro. "Robbie, levante a sua bunda do chão e venha dizer olá a Andi." "Ele está aqui?" O cara sai de debaixo do carro e fica em pé. Ele olha para mim e em seguida, olha em volta. "Esta é Andi." Ben aponta para mim. "Oi. Prazer em conhecê-lo." Eu sorrio para Robbie e em seguida, estendo minha mão para ele. Robbie olha para minha mão como se fosse de um alienígena. Em seguida, ele olha de volta para o meu rosto, um pouco atordoado e com uma certa dureza em seus olhos. Tio John limpa a garganta atrás de mim, chamando a atenção de Robbie para ele. Robbie limpa a mão em seu macacão e aperta a minha. "É bom conhecer você ... Andi." Em seguida, ele vira-se para Ben. "Eu tenho que ir buscar aquela... coisa. Eu estarei de volta em alguns... " Em seguida, ele vai embora. Ben sacode a cabeça. "Não ligue para ele", diz ele para mim. "Ele não tem essa coisa chamada personalidade. Grande mecânico, no entanto. " "Então, não é só porque eu sou mulher?" Eu sorrio. Ben ri. "Não. Ele é assim com todos. Mas quando ele ver que você é apenas como um dos meninos, ele vai se aproximar... ou talvez não. "Ele ri, de novo. Eu gosto de Ben cada vez mais conforme passa o tempo. Eu acho que nós vamos conviver muito bem. "John, você tem um minuto?"


Viro-me ao som da voz e vejo um homem, eu diria que da mesma idade que o tio John, usando um terno preto lindo. Ele é muito bonito nesse estilo mais velho e diferenciado com o cabelo loiro escuro curto com mechas grisalhas e olhos azuis penetrantes. "Owen, sim, com certeza. Apenas deixe-me apresentar-lhe Andi primeiro. " Os olhos de Owen param sobre mim, focam, em seguida, arregalam-se e algo se instala em sua expressão que não é completamente agradável. Forma-se um nó desconfortável no meu estômago. Eu sigo tio John até Owen. Durante todo o tempo, os olhos de Owen estão me observando como um falcão. "Owen Ryan, conheça Andi Amaro, nossa nova mecânica." Tio John diz a palavra mecânica muito incisivamente. Owen Ryan, este é o pai de Carrick. Bem, isso vai ser interessante se a expressão em seu rosto melhorar. "Oi, é realmente um prazer conhecê-lo, Sr. Ryan," eu digo, forçando confiança em minha voz. Estendo a minha mão para apertar a sua. Ele apenas olha para minha mão, como Robbie fez, mas com um olhar mais irritado em seu rosto. Ignorando a mim e minha mão, que eu desajeitadamente recolho, ele se vira para o tio John. "Este é Andi?" Owen aponta um dedo para mim. Seu sotaque é puro irlandês. Eu adoro o sotaque irlandês, e eu, normalmente, estaria feliz ao ouvi-lo, mas não quando ele está vindo de um homem que claramente tem um problema comigo. Tio John franze a testa. Através de lábios apertados, ele diz, "Sim, esta é Andi." "E ela é do sexo feminino", diz Owen entre os dentes.


"Claramente." Eu sou invisível? "E", ele rosna, “ ela se parece como uma." Ele balança uma mão de cima e para baixo em minha direção. Eu pareço como o quê? "Cuidado, Owen. Você está perto de cruzar a linha. " "Eu estou? Você contrata uma mecânica que parece uma porra de supermodelo, e eu estou cruzando a linha?” “Porra, brilhante, John. Pierce já a viu? Pior ainda, Carrick a viu?” A voz do tio John sai como um chicote enquanto ele diz, "Pare com isso. Você e eu, lá fora. Agora." Tio John aponta com a cabeça para a porta atrás deles. Com a cara amarrada, Owen atravessa a porta com um furioso tio John logo atrás dele. A porta bate. Então, eu ouço o sussurro de vozes iradas vindas do outro lado. Bem, isso foi bom. Eu fico aqui de pé me sentindo o mais desconfortável que eu já senti na minha vida. Qual é o problema aqui? Claro, eu sou do sexo feminino, e ninguém sabia. Mas o que o Carrick é? Um cão no cio com desejos incontroláveis? Apesar de dormir com a namorada de seu mecânico, eu tenho certeza que ele pode manter-se bem perto de mim. Mas agora, eu estou tendo visões de um Carrick Ryan com tesão, tentando transar com a minha perna como um cão começo a rir comigo mesma. Minha risada prontamente para quando a porta se abre e Owen ressurge com tio John com o rosto vermelho atrás dele. Owen vem até mim. Eu fico tensa, sem saber o que esperar. Talvez venham minhas primeiras ordens.


"Andi", Owen diz suavemente, sua voz um inferno de muito diferente do que era há alguns minutos atrás, "Eu sinto muito sobre antes. Falei sem pensar. Você foi apenas uma surpresa para mim." Ele respira profundamente. "As coisas têm sido um pouco... tensas por aqui há um tempo. Mas isso não justifica o meu comportamento. Por favor aceite minhas desculpas. " "Aceito." Eu sorrio timidamente. Alívio aparece em seu semblante. Mas seus olhos dizem algo completamente diferente. Eles mostram suspeita. E eu sei que as desculpas não são para mim, e também sei que não será fácil lidar com Owen Ryan. "Pelo seu currículo, eu vi que você é muito experiente para sua idade." "Mmhmm, eu cresci com a minha cabeça sob o capô de um carro." "E você tem faculdade em engenharia mecânica?" "Isso. Depois que me formei eu arrumei um emprego trabalhando para uma equipe de corrida de stock car. " "Claro, você trabalhou para a equipe de Ingo Serra." "Sim." Minhas respostas são breves, porque se eu aprendi alguma coisa neste negócio e sobre pessoas como Owen Ryan, é de dar-lhes apenas o suficiente, mas não o suficiente para me prender. "Eu vi Serra correr. Ele é incrivelmente talentoso. " "Sim, ele é." Eu dou um sorriso genuíno com o pensamento no meu antigo chefe. Ingo era um cara tão legal. "Eu gostei muito de trabalhar para ele. " "Fabuloso". Owen balança a cabeça, sorrindo com os lábios apertados. "Bem, John fala muito de você, e eu tenho certeza que você vai se encaixar aqui, sem nenhum problema. "


Ele não quis dizer isso. Ele está preocupado que eu vá transar com seu filho. Mas acredito que seja bom que ele disse. "Eu estou ansiosa para começar." "Ótimo. Bem, eu devo ir, e eu acredito que vou ter que roubar John por dez minutos ". "Você vai ficar bem sozinha?" tio John me pergunta, aproximandose. "Tudo bem." Eu sorrio suavemente para ele. Tio John olha para mim por um momento. Owen está diante da porta, mantendo-a aberta para ele agora. "Vá em frente, e eu estarei lá em um minuto", diz ele para Owen. Com um aceno de cabeça, Owen deixa a porta fechar. Depois de ter certeza que Owen se foi, ele diz baixinho: "Não estou desculpando o comportamento de Owen, mas o que aconteceu com Rich e Charlotte, tudo caiu sobre ele. Ele é gerente de Carrick. Ele que tem que limpar a bagunça que Carrick cria. Pierce ficou muito bravo, e os patrocinadores não gostaram da publicidade negativa. Foi tudo um pesadelo. A última coisa que eles querem é mais um escândalo. Por isso que ele reagiu assim quando viu você ". "E é por isso que você deveria ter dito a eles que eu sou uma mulher." Eu dou-lhe um olhar de desaprovação. "Se eu tivesse, você não estaria aqui agora. E eu estou feliz por você estar aqui. " Eu sorrio. "Sim, eu também, mesmo com o ódio instantâneo de um dos chefes." "O Owen está numa boa. E ele não te odeia. Ele só tem preocupações. Mas uma vez que ele comece a conhecê-la e perceba que Carrick é a última coisa que te interessa, ele vai ficar bem ". "Sim você está certo. De qualquer forma, vá. Você é necessário, lembra? " Eu o mando embora com as mãos.


"Tem certeza que você vai ficar bem?", diz ele, dando um passo para trás. "Tenho certeza. Eu só vou dar uma olhada por aqui. " "OK. Vejo você em uns dez minutos, e então eu vou mostrar-lhe o resto do lugar. " Eu vejo tio John sair pela porta, e então eu me viro para o carro que Ben e Robbie estavam trabalhando, mas Ben não está mais lá. A tampa do motor ainda está aberta assim que eu decido dar uma olhada, e ver com o que eu vou ser trabalhando. Conforme caminho para o carro, "Dangerous" do David Guetta começa a tocar no rádio. Cantando baixinho junto com a música, eu tiro a minha jaqueta, colocando-a sobre o cockpit. Eu corro meus dedos sobre a pintura azul e prata conforme ando em direção a traseira do carro. Curvando-me, eu começo a olhar ao redor, dando uma olhada no motor. "Por favor, me diga que você é meu presente de aniversário." O sotaque irlandês faz os pelos na parte de trás do meu pescoço ficar em pé. Eu viro minha cabeça para encontrar Carrick Ryan em pé atrás de mim. Oh. Uau. Ele é definitivamente mais bonito em carne e osso do que na televisão. Eu sabia que ele era atraente. Mas loiros geralmente não são a minha praia. Eu sou mais o tipo de cabelo e olhos escuros. Mas seu cabelo loiro sujo, os olhos azuis cheios de pecado, seus lábios carnudos do tipo que você gasta horas chupando, e o queixo bem esculpido... sim, tudo parece estar bom para mim. Bem, para o meu corpo. Definitivamente não para minha cabeça. Homens galinhas não são para mim. Meus olhos encontram-se com os seus conforme ele levanta-os descaradamente da minha bunda. Seu olhar me acerta direto no


estômago, me surpreendendo. Seus olhos são profundamente azuis e cheios de calor. Minha pele começa a formigar conforme seu olhar intenso me queima. Eu nunca tive uma reação visual, tão instantânea por um homem antes. Porra. Acalme-se, Andi. Isto não é um problema. Você conheceu homens bonitos antes. Você pode desativar esse. Pilotos são uma área proibida, especialmente aqueles para quem você trabalha. Meu trabalho é muito importante para perder por um homem. Recomponho-me, e volto a encará-lo. "Olá", eu digo na minha voz mais confiante e formal. Ele não responde, isso porque ele não me ouviu. Ele está muito ocupado olhando para os meus seios. Homem típico. Eu tenho a súbita vontade de socá-lo nesse rosto bonito. Mas eu não o faço, porque sou uma profissional. Eu vou lidar com isso da melhor maneira que eu sei quando se trata de lidar com cabeças pervertidas como a dele. "É seu aniversário?" Eu digo docemente, com um sorriso de lado para flertar. Ele sorri. "Com certeza é, e está definitivamente melhorando, agora que você está aqui. Você irá torná-lo muito especial para mim, docinho? " Ele acha que está prestes a ter sorte. Longe disso. Bajulador babaca. Eu inclino minha cabeça para o lado, mantendo o sorriso sedutor no meu rosto, enquanto eu ando até ele até que haja pouco espaço entre nós. Eu pressiono meus dedos em seu peito. Deus, como é firme. Eu posso sentir seus músculos debaixo dos meus dedos.


Ele é alto, também, alguns bons centímetros maior do que os meus 1,75. Eu diria que ele tem 1,85 , o que é alto para um piloto, mas ele é magro. Ele precisa ser para se encaixar nesses carros. Aposto que, sob suas roupas, há nada além de músculos tonificados. Os motoristas têm que estar absolutamente em forma, e Carrick Ryan certamente se encaixa no caso. Agora, eu estou imaginando-o nu. Ótimo. Bom pra caralho. Eu forço meu foco de volta para o presente. "Bem..." Eu me inclino para perto dele, ouvindo sua respiração forte. Eu abaixo a minha voz e sussurro, “Se você alguma vez me chamar de docinho novamente, você não vai ver seu próximo aniversário. Isso é certeza.” Ele inclina a cabeça para trás em diversão. "Briguenta. Eu gosto disso." Dou um passo para trás, soltando minha mão do seu peito. "Não há nada aqui do você gosta." Seus olhos correm o meu corpo, demorando nas minhas pernas novamente. "Eu vejo muito para gostar. Jesus... suas pernas não acabam mais. " Eu gostaria de ter algo para esconder minhas pernas. Em vez disso, cruzo os braços para trazer seu foco para cima. "Eu não sou o seu tipo. " Erguendo os olhos de volta para os meus, ele me dá um sorriso confiante. "Bunda surpreendente. Peitos grandes. Rosto bonito. Sim " ele afirma " você é definitivamente meu tipo. " "Eu pensei que estúpida, ingênua e disponível, o que eu não sou em nenhum caso, seria mais seu estilo ". Ele solta uma gargalhada, que me faz tremer, deixando minha pele coberta de arrepios. "Bem. Veremos a parte disponível. " Com um suspiro, eu viro e pego meu casaco do carro antes de vesti-lo. "Você está saindo?"


"Parece que sim." "Me de seu telefone." "Não." "Pelo menos me diga o seu nome?" Fazendo uma pausa, eu olho para ele. "Andressa". "Sobrenome?" Eu sorrio com a sua persistência. Nesse momento, Ben volta para a garagem. "Ah legal. Você conheceu Andi ", ele diz para Carrick conforme passa por ele. O olhar de Carrick me bate em cheio. Ele fica confuso. "Andi?" "Mmhmm." "Mas Andi não é meu-" "Mecânico novo? Sim essa sou eu." "Você é Andi... meu novo mecânico?" Seus olhos estão arregalados de surpresa. Eu tenho que segurar o riso. Inclinando a cabeça para o lado, eu coloco minhas mãos em meus quadris. "Sou eu." "Bom, foda-se. Eu estava esperando alguém- " "Com um pênis e uma voz profunda? Desculpe desaponta-lo. " Seu rosto fica branco, e ele começa a gargalhar. Naquele momento, eu percebo que eu acabei de dizer pênis para Carrick Ryan. Eu disse pênis. Porra. Me mate. Mate-me agora. Ele está olhando para mim com um sorriso sexy no rosto e profunda curiosidade em seus olhos. Ele está olhando para mim como se eu fosse sua próxima refeição.


Ele dá um passo para mais perto de mim. Sua voz diminui, enquanto ele diz, "Eu estou longe de estar decepcionado. Você é bonita, inteligente, animada e boa com as mãos. Todas as minhas coisas favoritas embrulhadas em um embrulho quente." Seus olhos me medem. Eu ouço uma tossida e viro para ver o tio John em pé atrás de mim com um olhar chateado. "Carrick, seu pai quer vê-lo em seu escritório." Ele franze o cenho para o tio John. "Por quê?" "Eu não sei. Por que você não vai vê-lo e descobre? " Ele solta um suspiro e começa a andar para trás. Seus olhos ainda estão em mim. "Estamos todos saindo, a equipe e alguns dos meus amigos, para beber pelo meu aniversário esta noite. Você deveria vir." "Oh." Estou surpresa. "Obrigada, Sr. Ryan, mas-" "Carrick. Na verdade, me chame de Carr. Assim que meus amigos me chamam. " "Carr. Original " Cara de pau. Eu não consigo evitar. Ele naturalmente me deixa fora de mim. Ele sorri. É um sorriso de baixar a calcinha. "Sim você é minha amiga." Oh, ele é bom. Mas sou melhor. "Eu vou ficar com Carrick. Obrigada. E agradeço o convite, mas eu já tenho planos para hoje à noite. " Sua testa franze. "Com quem?" Um pouco rude? Minha cama nova, se ele quer saber. "Comigo," tio John diz com um tom paternal em sua voz. Os olhos de Carrick piscam entre nós dois, parando no tio John. "O que vocês vão fazer?" "Jantar". Acho que eu vou jantar com o tio John hoje à noite.


"Bem, você pode vir para uma bebida depois. Isso vai me dar a chance de conhecer a minha nova melhor mecânica. " Ele me dá um olhar aguçado. "Te vejo hoje à noite." Eu o vejo indo embora, seu passo é confiante pela garagem. "Então, esse é Carrick," tio John diz, deixando escapar uma bufada. "Hmm." "Ele é um bom garoto. Inteligente demais e um inferno de um piloto, como nada que eu já vi desde o seu, erm " Meu pai. Ele para e limpa a garganta. "De qualquer forma, infelizmente, Carrick é praticamente liderado pelo seu pau." Percebendo o que ele disse, tio John fica vermelho. "Merda. Desculpe, Andi. " Eu rio. "Tio John, eu sou uma mulher adulta, e eu trabalho em volta de homens o tempo todo. Eu ouvi palavras piores do que pau. " "Claro, claro." Suas bochechas ficam vermelhas novamente. "Então, o Carrick foi bem com você? Eu o ouvi dizer- " "Sim. Não há problema algum. " Eu desconverso. Eu decido não dizer-lhe que Carrick tentou sua sorte comigo. Eu lidei com ele, por isso não preciso preocupar tio John com isso. De repente, sinto uma onda de cansaço e tenho que conter um bocejo. "Você tem certeza que vai estar bem para ir esta noite? Você não tem que ir, você sabe. " "Não. Eu estou bem. " Um bocejo escapa. "Vai ser uma boa maneira de conhecer os meus novos colegas de trabalho. Mas daria pra você me levar para o apartamento agora? Posso tomar um banho e dar uma dormida. Então, eu vou ficar bem para esta noite. " Outro bocejo me escapa, e tio John ri. "Vamos, dorminhoca. Vamos levá-la para a sua nova casa."


2 BEDFORDSHIRE, INGLAT ERRA

"NÃO TEMOS QUE FICAR MUITO TEMPO. Uma hora no máximo, e então eu vou te levar para casa." "Ok." Eu sorrio para o tio John e, em seguida, saio do seu carro. Jantamos num restaurante italiano agradável, e agora, que já chegamos ao pub onde Carrick faz sua festa de aniversário, eu já estou começando a sentir o fuso. Quando tio John me levou para o meu apartamento novo, eu mal olhei em volta. Ele me instalou, e eu caí de cara na cama. Acordei horas depois, com apenas 30 minutos de sobra antes de tio John estar voltando para me pegar. Foi uma chuveirada rápida, com uma tentativa desanimadora de secar meu cabelo, depois de cavar o secador na minha mala. Acabei fazendo um coque bagunçado. Eu raramente uso meu cabelo solto. Eu enfiei um jeans skinny limpo, e uma blusa de mangas compridas verde-esmeralda com alguns brilhos ao longo do decote. Minha mãe que comprou para mim. Depois de colocar minhas sapatilhas e passar um brilho labial, tio John estava batendo na minha porta. Eu sigo o tio John para o pub, atravessando pela multidão de pessoas. Um monte de gente está aqui, mas então eu imagino que Carrick é um cara popular.


"Ei, você veio. Eu vou te pegar para vocês uma bebida, " Ben diz quando nos aproximamos dele no bar. "Não se preocupe. Eu pego, " tio John a diz ele. "Cerveja?", Ele pergunta a Ben. "Sim." Ele levanta a garrafa, tomando o último dele. Tio John se vira para mim. "Eu vou tomar uma cerveja, também, por favor", eu digo. Tio John inclina-se contra o bar, à espera de ser servido. "Vocês tiveram um bom jantar?" Ben me pergunta, chamando minha atenção para ele. "Sim, foi bom. Obrigada. É bom estar com o tio John ". "Há quanto tempo você conhece o John?" "Toda minha vida." "Legal". Ele sorri. "Então, o que você está achando da Inglaterra? Eu ouvi que você é do Brasil. " "Sim. Ótimo. " Eu decido não mencionar o fato que eu nasci e morei aqui por dez anos. "A quanto tempo você trabalha para a Rybell? ", pergunto-lhe. "Quatro anos." "Você gosta disso?" "Adoro. São longas horas e quartos de hotel de merda, mas conheço o mundo, e nada bate o burburinho do dia da corrida. " "Concordo." E sorrio. "Aqui está." Tio John entrega uma cerveja para mim e, em seguida, dá uma para Ben. "Bem, bem-vinda ao Rybell." Ben levanta a garrafa para mim, então eu brindo com a minha. "Obrigada." Eu tomo um gole de cerveja. Perfeito. Apenas o que eu precisava para me levantar.


"Você quer que eu a apresente para um pouco mais da equipe?" Ben pergunta. "O resto do grupo do pitstop está aqui e alguns da equipe de Nico junto com as meninas da recepção. " "Sim, isso seria ótimo." Digo para o tio John onde estou indo, e ele me diz que está indo encontrar Owen - negócios para discutir. Tio John está sempre trabalhando. Eu sigo atrás de Ben através do pub para uma mesa na parte de trás. Enquanto eu estou andando, eu olho em volta por Carrick mas nenhum sinal ainda. Ben para em frente à mesa. "Pessoal, esta é Andi, a nossa nova mecânica. Não que você vá se lembrar dos nomes, Andi, mas estes são Amy, Petra, Damon, Paul, Mike, Davis, e você sabe Robbie. " Eu sigo o dedo de Ben ao redor da mesa. "Oi." Eu levanto a mão em saudação. Uma menina bonita com o cabelo loiro e olhos azuis enormes, que eu acho que é Petra, me dá um grande sorriso. Ela é mais baixa que eu, eu diria, mas é difícil dizer com ela se sentada. "Chega mais, Andi. Venha sentar-se conosco”, diz ela. Eu sento no banco ao lado dela e coloco minha cerveja sobre a mesa. "Então, você é do Brasil?" Petra pergunta. Eu suponho que Ben deve ter dito a ela. "Eu sou de Inglaterra originalmente, mas eu vivo no Brasil desde os dez anos. " "Uau. Você é tão sortuda. Gostaria muito de viver em algum lugar quente " "Você gasta mais da metade do ano em países quentes," a outra garota, que eu acho que é Amy, diz. "Deus, eu não posso esperar para ir para a Austrália. Nunca estive lá antes. "


"A Amy é nova, como você," Petra me diz. "Está aqui a algumas semanas. Ela trabalha como recepcionista comigo." "Então, vocês são as meninas que eu devo procurar se quiser excelente comida." Eu sorrio. "Com certeza", diz Petra. Amy apenas olha fixamente para mim, o que ela tem feito desde o momento em que vim para cá. Eu posso dizer que ela está fazendo aquela avaliação mal-intencionada de mulher sobre mim. Eu odeio isso. Eu tomo outro gole da minha cerveja, e sou grata quando um dos rapazes me faz uma pergunta. Eu estou lá a um tempo, conversando, e minha cerveja está rapidamente vazia. Eu provavelmente deveria ir encontrar com o tio John. "Eu vou até o bar", eu digo a ninguém em particular. "Alguém quer alguma coisa?" Recebo alguns nãos daqueles que estavam ouvindo em volta da mesa. Azar dos outros porque não vou perguntar novamente. Pegando minha bolsa, eu vou na direção do bar. Eu estou surpresa que eu não vi Carrick ainda. O pub não parece ser tão grande, e ele não é exatamente um cara que você pode perder. Eu realmente quero lhe desejar um feliz aniversário, o que eu não consegui fazer mais cedo, que foi uma merda da minha parte. Sem nenhum sinal de tio John ou Carrick, eu paro em um local no bar e espero para ser servida. Eu decido que vou pegar uma bebida e, em seguida, vou procurar tio John. Ele está, provavelmente, com Carrick. Eu pude senti-lo antes de ouvi-lo. Sinto seu calor do meu lado. "Você veio." Carrick.


Virando-me para ele, eu sorrio. Deus, ele está lindo. Seus olhos estão brilhantes, e seu rosto corado, como quem acaba de chegar de fora. "Vim. Cheguei aqui há um tempo. " "Hmm. Você sabe? " Ele ergue uma sobrancelha. "Você deveria ter vindo me encontrar." "Eu pensei que talvez você estivesse ocupado já que não tinha como ser visto." "Eu estava encurralado. Não podia sair. " "Mas você está livre agora?" Um brilho malicioso aparece em seus olhos. "Sim, eu estou definitivamente livre." Sentindo a tensão correr sob a minha pele, eu olho para trás de volta para o bar. "Então, Amaro é um nome brasileiro, certo?" Ele se inclina mais perto de mim. Eu dou uma olhada para ele. "Certo." "Papai me disse que você chegou hoje de lá." "Sim." Deus, não estou cheia desse vocabulário por hoje? "Não quero parecer ofensivo, mas você não soa brasileira. Seu sotaque parece um pouco misturado ". "Eu sou da Inglaterra originalmente. Eu nasci aqui. Minha mãe é brasileira. Nos mudamos para lá quando eu tinha dez anos. " "Ah, certo. Explica a mistura, então. " E sorri. "Então, eu não desejei um feliz aniversário mais cedo", eu digo, mudando de assunto da minha história. "Não, você não o fez." Seu olhar em mim de repente é direto e intenso. "Bem... feliz aniversário", eu digo sem jeito.


Seu olhar relaxa, e um sorriso se abre com seus olhos. "Obrigado." "Deixe eu te pagar uma bebida. Cerveja? " Eu verifico, apontando para a garrafa na sua mão. "Mmhmm." Ele vira sua garrafa, e eu não posso evitar de ver seus lábios ao redor do gargalo ou os movimentos da garganta conforme o álcool desliza para baixo. "Posso te ajudar?" Esse é o barman. Sentindo como se tivesse sido pega olhando para Carrick, meu rosto fica em chamas. "Hum, duas cervejas, por favor." O barman coloca duas garrafas no bar no momento que Carrick coloca a sua vazia em cima. Eu estou procurando na minha bolsa o dinheiro para pagar quando vejo Carrick entregando mais uma nota de vinte. "Ei, eu deveria comprar uma bebida de aniversário." Eu franzo a testa. "Chame de uma bebida de boas-vindas à equipe." "Bem, obrigada. Mas isso acaba com a finalidade de eu comprarlhe uma bebida de aniversário. " Eu levanto a minha garrafa e brindamos, e então eu tomo um pouco. "Então, Andi é o diminutivo de que?", Ele pergunta. "Andressa". Eu lhe disse meu nome completo antes na garagem, mas claramente, ele esqueceu. Então, novamente, ele provavelmente tem um monte de nomes de mulheres para se lembrar. "Andressa..." Ele repete meu nome. Eu amo o jeito que soa com seu sotaque irlandês, a forma como sua língua rola no S. Sinto arrepios pela minha espinha.


"Claro, você me disse antes. Então, por que Andi ao invés de Andressa? " "Porque Andressa é um pouco grande, e é simplesmente como todos sempre me chamaram." Meu pai começou a me chamar de Andi. Ele, aparentemente, deixou a minha mãe louca, até que ela finalmente cedeu. Carrick levanta os olhos, e eu posso ler a sugestão sexual por todo o rosto. "Grande pode ser uma coisa boa." Ele sorri de forma sexy. "Andi é nome de menino, e você está longe de ser um garoto. Não, Andressa... que é um nome lindo de mulher. É perfeito para você. " Oh, ele é bom. Eu sinto-o chegar mais perto de mim. Meu coração começa a bater mais e mais rápido do que eu já o senti bater na vida. Que diabos está errado comigo? Incapaz de olhar para o rosto dele, eu mantenho meus olhos em seu peito. "Você é muito bom em cantadas". "Isso não é tudo em eu sou bom." Conforme eu olho para cima, vejo-o dar uma olhada para baixo, fazendo com que meus olhos focassem na grande saliência em suas calças. Meu Deus. E isso quebra o feitiço que ele estava tendo sobre mim. Dirijo-me de volta para o bar, inclinando-me, eu coloco minha garrafa no balcão e apoio os cotovelos. "Você realmente não deveria falar assim comigo ". Ele encosta suas costas contra o bar, mas posso sentir seus olhos em mim. "E como exatamente eu deveria falar com você?" Eu viro meus olhos para ele. "Como você falaria com qualquer um dos seus mecânicos."


"Como você sabe que eu não falo com Ben assim? E Robbie? Ele e eu temos algo especial acontecendo. " Ele pisca descaradamente antes de tomar um gole de sua cerveja. Um riso me escapa. Cortando-o, eu olho para frente. "Sério, precisamos traçar uma linha aqui. Então, deixe-me deixar claro pra você-" "Perfeito. Sua casa ou a minha? " "Jesus, você não pode falar sério por um minuto?" Ele vira seu corpo para mim. "Eu estou falando sério." O tom de sua voz desperta uma seriedade totalmente diferente em mim. "Eu também" Fico reta, e me viro para encará-lo. "Exatamente quanto você bebeu esta noite? " Suas sobrancelhas se juntam. "Não o suficiente para que eu não possa levantá-lo. E mesmo se eu estivesse destruído, eu posso garantir que eu não teria nenhum problema em levantá-lo para você. " Então seus olhos fazem aquilo de novo, medem todo meu corpo, fazendo uma leitura lenta. E isso me irrita demais. Ele não iria tratar seus mecânicos do sexo masculino desta forma, então ele definitivamente não vai fazê-lo comigo. "Vamos cortar a palhaçada. Você precisa parar com o flerte e as insinuações sexuais. Você e eu, não vai acontecer. Eu não saio com pilotos. É uma regra minha. " Ele franze a testa. "Você não sai com pilotos?" "Eu não durmo com eles." "O que eu estava sugerindo não envolveria sono." "Sim, eu faço ideia. Mas se você está querendo sexo hoje à noite ou qualquer outra noite, isso não vai ser comigo. Pilotos estão fora dos limites para mim, especialmente aqueles com quem trabalho. Agora, obrigada pela bebida. " Eu pego a minha garrafa. "E tenha um bom resto de aniversário." E me viro para sair. "É isso?", Ele diz, sua voz me puxando de volta para ele.


Dou-lhe um sorriso tenso. "Sim. É isso aí." "Então, não podemos nem mesmo ser amigos?" Dou-lhe um olhar desconfiado. "Você quer que sejamos amigos?" "Por que você parece tão surpresa?" "Hum... porque a menos de trinta segundos atrás, você estava tentando entrar na minha cama." "Olha", ele esfrega o rosto "o flerte... é só o jeito que eu sou. Eu não quis ofender. Mas eu gosto de você. Eu acho que você é legal. Eu suponho, como você sendo nova aqui, você não tem muitos amigos além de John, então estou dizendo, vamos ser amigos. " Eu reflito sobre isso por um minuto. É uma boa ideia para ser amiga de Carrick? Provavelmente não. Mas eu vou estar trabalhando para o cara, sendo assim amigos parece lógico. Não bons amigos. Apenas colegas de trabalho. "Amigos... ok, eu posso fazer isso." "Bom." Ele sorri triunfante. "Carrick? Você está pronto para ir? " Meus olhos viram para a voz chamando seu nome, e eu vejo um grupo de rapazes e moças na porta de entrada, parecendo estarem prestes a sair. Eu noto que Amy e Ben estão com eles. Amy está me olhando de modo nada agradável. Com uma carranca definitivamente. Tenho a impressão a carranca é porque Carrick está falando comigo, e ela gosta de Carrick, o que não é surpreendente. Neste momento, me vejo me comparando com ela, algo que eu não costumo fazer. Ela é bonita, feminina. Ela tem quadris definidos e coxas e bastante coisa na parte de cima. Quanto a mim... bem, sou mais masculina. Tenho quadris estreitos e muito pouca bunda. Meu tamanho de seios é generoso, mas não muito. Eu sei que meu rosto é legal porque as pessoas sempre me dizem o quanto eu me pareço com minha mãe, e ela é linda. E eu tenho um cabelo bom, castanho escuro comprido, grosso, e com um movimento natural. Eu não o uso solto


frequentemente, no entanto, ele está sempre amarrado por causa do trabalho. "Eu estarei lá em um segundo", diz Carrick para o grupo. "Bem, os táxis estão aqui, por isso apresse-se", alguém grita. Eu vejo quando eles vão para fora antes de eu olhar de volta para Carrick, que já está olhando para mim. "Nós vamos a uma discoteca. Você quer vir?", Ele pergunta com uma inclinação de sua cabeça. "Não, mas obrigado por perguntar. Estou cansada. A diferença de fuso está me pegando agora. Vou para casa logo." Ele olha para mim por um longo momento, antes de ele começar a andar para trás. "OK legal. Durma bem, e vejo você em breve, amiga. " Ele dá um sorriso insolente, um que eu não posso evitar, e dou-lhe um sorriso suave. "Boa noite, Carrick." Um último sorriso deslumbrante, e então, ele se foi, e por uma fração de segundo, eu lamento não ir com ele muito embora eu saiba que eu fiz a coisa certa. Nada de bom poderia ter vir em ir a discotecas com Carrick. Isso se torna ainda mais evidente de manhã, quando eu saio para comer alguma coisa perto de casa e vejo os jornais nas bancas. Eles estão cheios de imagens de Carrick deixando um clube noturno, com a aparência péssima, com uma dupla de meninas penduradas nele, e eu reconheço uma como Amy, a recepcionista. Eu imagino que Carrick não aprendeu a lição sobre dormir com colegas de trabalho. Vendo esta imagem e tendo uma sensação nojenta no meu estômago de saber que Carrick muito provavelmente teve relações sexuais com ambas as meninas, provavelmente, ao mesmo tempo, eu estou começando a pensar que talvez não seja uma boa ideia eu ser amiga dele.


Porque, se depois de um dia de conhecĂŞ-lo, eu me sinto nojenta sobre uma imagem, isso sĂł pode piorar.


3 MELBOURNE, AUSTRÁLIA

Estamos em Melbourne para o início da temporada. É a minha primeira vez na Austrália. Nós estivemos ocupados desde que chegamos com a preparação para a primeira corrida da temporada em Albert Park, então eu não vi muitos pontos turísticos, mas o que eu já vi é incrível. O que, ou eu deveria dizer quem, eu não tenho visto é Carrick, há duas semanas agora. A última vez que o vi foi na manhã após seu aniversário. Ele entrou na garagem, vestindo óculos de sol e um boné puxado para baixo. Quando ele me viu, ele parou e olhou para mim de uma forma que eu não consegui decifrar, mas eu o senti olhar profundamente, até meus ossos. Então seus olhos afastaram, ele levantou a mão com um aceno, e se foi. Senti-me balançada o dia rapidamente me resolvi com isso.

todo

depois

disso,

mas

então

Carrick é um jogador. E um piloto. Pilotos significam: ruim. E a minha pequena, o que quer que fosse, atração corporal se foi. Fim. Finito. Tem que ir, porque a temporada de corridas vai de março a novembro, e Carrick e eu vamos estar nos vendo muito. Nada de


bom pode vir desta coisa de meu corpo querer pular em seu corpo pelos próximos oito meses ou mais. Carrick deve chegar na Austrália hoje. Estamos a poucos dias para iniciar as sessões de treinos, mas Carrick precisa estar aqui mais cedo para se acostumar com o clima. Nico está também para chegar. Eu ainda tenho que conhecê-lo, não que eu vá ter muita interação com ele já ele tem seus próprios mecânicos, mas eu ainda estou ansiosa por isso. Do que eu sei de Nico por parte da imprensa, ele é o oposto completo de Carrick. Muito focado e dedicado, ele nunca foi visto em festas e é um homem de família, casado e com filhos. Eu me pergunto como ele e Carrick convivem e se dão bem em tudo. Não é incomum para companheiros de equipe não gostarem um do outro. Pilotos podem estar em duplas sob a mesma escuderia, mas é um esporte solitário e incrivelmente competitivo. Está chegando a hora do jantar, e eu estou no meu quarto de hotel, o quarto que eu estou dividindo com uma das meninas da hospitalidade, Petra. Ela vai chegar em breve. Eu não a vi desde que a conheci no aniversário de Carrick. Para ser honesta, eu estou surpresa por dividir o quarto com ela. Eu pensei que ela iria dividir um quarto com outra garota da escuderia, a Amy, aquela que foi fotografada deixando o clube com Carrick. Eu esperava estar sozinha num quarto. Mas isso não é um problema. Eu tenho certeza que ela vai ficar bem. Eu acho que vai ser estranho à primeira vista, dividir o quarto com alguém que mal conheço, mas eu tenho certeza que vamos nos acertar sem nenhum problema. Eu não tenho problema em me dar bem com as mulheres. Eu só tendo a me dar melhor com os homens. Eu acho que meu interesse, carros, não costuma interessar a mulheres. Estou esparramada na minha cama, decidindo o que fazer para o jantar, enquanto assisto a TV, quando eu ouço a porta abrir. Petra entra, arrastando uma mala atrás dela, parecendo sem fôlego.


"Oi." Eu sento, abaixando o volume da TV. Ela fecha a porta e apoia sua mala contra a cômoda. "Ei. Andi, tudo certo? Nos conhecemos no aniversário de Carrick? " "Oi. Sim foi onde nos conhecemos." "Desculpa. Eu estava um pouco bêbada naquela noite. Minha memória é uma merda quando eu bebo. Então, nós vamos dividir quartos nos próximos mais de oito meses." Ela cai na outra cama, sua cama. "Acho que vamos." Eu coloco as mãos sob as minhas coxas, sentando-se sobre elas. "Bem, eu não ronco aparentemente. E não importa se você o faz. Eu tenho sono pesado." Ela encolhe os ombros. "OK. Erm ... bem, eu não acho que eu ronco. Quer dizer, nunca ninguém me disse que eu faço. " "Fantástico. Então, qual é o plano para hoje à noite? " "Plano?" "Os caras vão sair?" "Hum, acho que sim." Eu dou de ombros. "Ben disse algo sobre sair para uma cerveja mais tarde." "Legal. Vamos mandar uma mensagem para eles e ver qual é o plano. Você comeu? Porque eu estou morrendo de fome. " "Não. Eu estava pensando sobre o jantar. " "Ótimo. Vamos comer alguma coisa, aqui ou fora. Então, podemos nos encontrar com os rapazes para uma bebida." "Parece ótimo." Eu cruzo as pernas sobre a cama, sentando em pernas de índio. "Você não está cansada?" Pergunto a ela. Eu estava exausta quando cheguei aqui. Eu ainda estou tentando ajustar-me ao fuso horário agora. Eu tinha começado a me acostumar ao fuso na Inglaterra.


"Nada. Eu tive uma boa noite de sono no avião, e eu estou acostumada a todas as viagens por aí. Tenho isso a anos. Eu sou facilmente adaptável." Ela chuta suas rasteirinhas. "E de qualquer maneira, quem precisa dormir?" "As pessoas." Eu sorrio. "Sim, mas eu não sou a maioria das pessoas.” E nas sábias palavras de Bon Jovi, "Eu vou dormir quando eu estiver morto.” Eu rio levemente. Estou começando a gostar dessa garota já. "Sim, eu acho que você tem razão. Eu não costumo querer descansar, mas eu estava exausta quando cheguei aqui." Ela ri. "Você vai se ajustar a tudo em breve." "Sim, eu tenho certeza que eu vou. E a outra menina, Amy, chegou, também? " Petra franze o cenho com a menção do nome de Amy. "Não, ela saiu." "Saiu?" "Foi dispensada". "Oh. Por quê?" "Porque ela transou com Carrick. Eu lhe disse muito que não o fizesse, que nada de bom viria dele, especialmente não tão cedo depois do que aconteceu com a Charlotte, mas ela não deu ouvidos ". "Oh, certo. Sim, Tio John me contou sobre a coisa da Charlotte, não é que nós que estávamos bisbilhotando. " Eu sou rápida para esclarecê-la. "Tio John estava me contando quando minha posição veio à tona." "Sim, foi tudo um pouco de confusão, para ser honesta." "Então, cada menina que dorme com Carrick é demitida?" Pela sua expressão, eu esclareço: "Não estou perguntando porque eu quero dormir com ele. Perguntando puramente por curiosidade. "


Ela encolhe os ombros. "Ele nunca se meteu com a equipe antes. Quero dizer, ele nunca tentou nada comigo, não que eu iria deixá-lo. Ele não é meu tipo. Mas antes de Charlotte, era Lea, e ela era casada. Então, ela saiu para ter bebê, e Rich arrumou Charlotte para o trabalho, e nós sabemos como isso terminou, uma bagunça fodida enorme nos tabloides. Então, quando Amy conseguiu o emprego, ela ficou de olho em Carrick imediatamente, e eu disse a ela que não seria uma boa ideia, de como Pierce ainda está espinhoso com toda essa bagunça. Então, ela vai e se deixa ser fotografada com ele e outra garota. Fala sério! " Ela ri, jogando as mãos para cima. "Então, Pierce fez meu chefe, David, mandá-la embora, o que ele fez Davi facilmente já que ela foi trazida apenas como temporária porque Pierce não queria arriscar quaisquer problemas futuros decorrentes, como o que eles tiveram com Charlotte, você sabe, ela processá-los e tudo." "Hmm. Não que isso seja bom, mas, sim, eu acho que posso entender o ponto de vista de Pierce. " "Sim, mas agora, estou trabalhando sozinha. Pierce não vai deixar David contratar ninguém, porque ele está preocupado que Carrick vá transar com a próxima. E David não pode contratar um cara porque você sabe que tudo são aparências neste negócio. Então, ele trouxe o Franco para ajudar na cozinha para me aliviar nessa parte, mas estou na frente, servindo sozinha." Ela faz uma careta. "Verdade", eu simpatizo. "Sim, mas não importa. É o que é. " Ela salta da cama. "Eu vou tomar banho para tirar o voo de cima de mim e prepare-se para sair. Não quer mandar uma mensagem para o Ben para descobrir o que eles vão fazer? " "Certo." Eu pego meu telefone no criado-mudo e começo a digitar uma mensagem para Ben enquanto Petra desaparece no banheiro.


No final, os caras já tinham saído, por isso Petra e eu fazemos um lanche rápido no hotel. Agora, nós estamos andando para encontrá-los na Rua Fitzroy em St. Kilda. É um lugar bem agitado. A rua é cheia bares e restaurantes. Petra disse-me que este é o melhor lugar para vir beber enquanto estivermos em Melbourne, não que eu saiba o quanto vou beber enquanto estiver aqui. O ar é quente e úmido, então eu estou vestindo shorts jeans, uma camiseta de mangas curtas, e rasteirinhas. Conforme nós chegamos, vemos os caras sentados do lado de fora do bar, e Carrick está com eles. Com a visão dele, meu coração acelera no meu peito. Ele está vestindo um boné, uma camiseta, e bermudas jeans. Ele está bonito. Não, é melhor do que bonito. Ele está lindo. Não vê-lo por duas semanas, enquanto tentava tirá-lo da memória só fez com que vê-lo agora fosse a primeira vez, e minha atração volta como uma pancada. Eu sinto essa pancada em todas as minhas partes femininas. Porcaria. Seus olhos encontram os meus enquanto eu me aproximo, e ele sorri. Eu vou desmaiar. Na verdade, porra estou desmaiando. Eu sou tão patética. "Senhoritas", ele fala lentamente. Sua voz me bate em todos os lugares certos. "Oi," eu digo a ele. Olhando ao redor da mesa, cumprimento o resto deles.


"Eu vou pegar uma bebida", diz Petra. "O que você quer?" "Cerveja seria ótimo. Obrigada." "Eu preciso de outra", diz Ben, levantando-se de seu lugar. "Eu vou com você." "Sente-se, Andressa." Carrick se estica e agarra cadeira agora vazia de Ben e puxa-a ao lado dele. "O Ben não vai precisar dela quando voltar?" Inclinando a cabeça, ele sorri. "Ele pega outra." "Ok." Eu sento na cadeira, e eu tento não ficar ligada nele, mas estou. "Então, você sentiu minha falta?" Eu viro meu rosto para olhar para ele. "Com cada fibra do meu ser," Respondo com a cara de pau. Um sorriso aparece em seus lábios. "Um simples sim seria suficiente." "Por que ser simples, quando você pode ser incrível?" "Verdade". Seus olhos ardem em chamas para mim. E eu amo a ardência do olhar, então desvio os olhos. "Então, como tem passado minha nova melhor amiga? Além de ser surpreendente, é claro". Olhando de volta para ele, eu levanto minhas sobrancelhas. "Melhor amiga?" "Oh sim. Nós somos melhores amigos. Você não sabia? " "Aparentemente não. Então, como é que somos melhores amigos, exatamente? " "Nós somos melhores amigos, porque", ele se inclina para perto, entrando no meu espaço, com os lábios próximos ao meu ouvido, e seu hálito quente me faz arrepiar - "você não me deixa transar com você. Agora, nós seremos a próxima melhor coisa, que é melhores amigos, porque eu não sou de fazer as coisas pela metade, Andressa. Eu sou o


tipo de cara tudo ou nada.” Ele encosta para trás em sua cadeira, olhando para mim. Eu sinto uma trepidação dentro de mim. E engulo. "Hum, sim... Eu estou tendo essa impressão ". "Então?" Ele ainda está olhando para mim. "Então o que?" "Como você tem estado?" "Ah... Ótima. E você? " Eu coloco uma mecha solta de cabelo que caiu do meu rabo de cavalo atrás da minha orelha. "Estou bem." Ele dá de ombros. "Melhor agora que estou com minha melhor amiga." "Você realmente precisa parar de dizer isso. Isso faz você soar estranho. E um pouco trágico. " Ele solta uma gargalhada, os olhos brilhantes de alegria. Sinto aquele sorriso irradiar dentro do meu peito. Petra volta com a minha bebida. "Obrigada", eu digo, pegando da mão dela. E coloco em cima da mesa. "Você quer sua cadeira de volta?" Ofereço para Ben, levantando minha bunda do assento. "Não, não se preocupe. Pego outra. " Ele pega duas cadeiras de outra mesa e coloca ao meu lado. Petra senta-se do meu lado, e Ben usa a cadeira ao lado dela. Pego minha cerveja, e tomo um gole de boas-vindas. "O que você está achando da Austrália?" Carrick me pergunta. "Ótima. Eu não vi muito ainda, mas planejo fazer um pouco de turismo quando tiver uma chance." "Estou pensando em fazer algumas compras," Petra comenta. "Quer dizer, um par de Uggs. Muito mais baratas aqui do que em casa. "


"Eu poderia ir junto quando você for, se estiver tudo bem?" Eu amo botas Ugg. "Claro que sim." Ela sorri. "Vai ser bom ter outra companheira de compras, uma vez que eu perdi a última. " Ela se inclina para frente e incisivamente olha para Carrick. Eu o vejo mudar de lugar, e depois ele está de pé. Meus olhos o seguem para cima. "Eu vou dar um mijo", diz ele, para ninguém em particular. Eu vejo suas costas enquanto se dirige para o bar, sentindo-me mal por ele. "Pet ..." Eu ouço o tom baixo punitivo da voz de Ben. "Pega leve com ele, com a coisa da Amy." "Eu sei. Eu sei. " Ela levanta a mão. "Eu só estou chateada porque eu estou trabalhando sozinha." "Eu sei, mas isso não é culpa dele. Isso é com Pierce. Carrick se sente uma merda sobre isso. Ele mesmo me disse.” “E eu estava lá naquela noite no clube. Amy fez toda a perseguição. Ela não o deixava sozinho. Ele estava com a outra garota, e Amy estava lá junto. Foi dela a ideia dos três saírem juntos. Sério, qualquer cara teria tido dificuldade em dizer não a isso. Era seu aniversário, e ele estava bêbado. Você conhece Carrick. Ele não teria tocado na Amy se soubesse que isso significaria ela perder o emprego. Ele não é desafiado por mulheres." Ben pega a garrafa de cima da mesa e toma um gole. "Você sabe, ele discutiu com Pierce sobre isso no dia seguinte." "Ele fez?" Petra soa surpresa. "Sim, eu ouvi quando ele e Pierce foram para o escritório de Pierce." "Ele disse que Pierce estava errado em despedi-la. Carrick tentou conseguir seu emprego de volta, mas Pierce não aceitou. "


"E o trabalho que ela tem agora, quem você acha que conseguiu para ela?" Ben acrescenta. "Carrick? Ele fez isso? " Petra perguntou. Ben toma um gole de sua cerveja, acenando com a cabeça. "Ele não é um bastardo, Pet. Você sabe disso." "Eu sei que ele não é. Apenas... Amy nunca disse, " ela murmura em sua bebida. "Sim, bem, ela não o faria, né? Ela estava a procura de mais de uma noite, como todas elas estão. Ela vai pintá-lo como o ruim. " Eu vejo os olhos de Ben levantarem, e eu viro meus olhos para ver Carrick voltar para a mesa. Ele cai em sua cadeira e pega sua cerveja. "Então, vamos ficar aqui a noite toda ou seguimos para outro lugar?" Carrick pergunta. "Outro lugar!", Diz Petra e Ben ao mesmo tempo.

Nós seguimos para alguns dos bares, e eu estou começando a me sentir um pouco tonta e cansada e pronta para a minha cama. Petra parece nem de longe cansada. Ela e Ben estão no bar, pegando mais algumas bebidas. Eu espero ela voltar para a nossa mesa e, em seguida, ela senta ao meu lado. "Petra, eu vou voltar para o hotel. Estou exausta. Você não tem que vir ", eu digo diante de seu olhar decepcionado. "Não, eu vou. Eu não quero você andando de volta sozinha. " "Eu estou pronto para ir, então eu poso levá-la de volta." Esse é Carrick. Eu vejo os olhos de Petra balançarem para ele.


"Hum... ok. Contanto que você não se importe ", eu digo a ele. "Estamos hospedados no mesmo hotel, por isso não é nenhum problema." Ele sorri. "Claro. Sim ", eu respondo, sentindo-me um pouco estúpida. Ele se levanta de sua cadeira. Pega o telefone da mesa, e coloca-o no bolso. Eu pego minha bolsa do chão antes de pendurá-la no meu ombro. "Te vejo no hotel," digo a Petra. "Tem certeza que está tudo bem voltar com Carrick?", ela diz baixinho. "Eu estou bem." Eu rio um pouco sem jeito, sabendo o que ela está pensando. "Eu pego você mais tarde." Eu aceno para a mesa e caminho em direção a Carrick. "Pronta?", Ele pergunta. "Sim." Eu o segui para fora do pub e para a rua. É tarde, mas a temperatura ainda é alta, não que eu não esteja acostumada a isso. Vivendo no Brasil, isso é comum. Por um tempo, caminhamos lado a lado em silêncio até que Carrick quebra o silêncio. "Por onde você vive no Brasil? Ou vivia antes de mudar para o Reino Unido? ". "Santos. É em São Paulo, no litoral. " "Sim, eu sei Santos. Lindas praias." "Passei muito tempo nessas praias." Eu sorrio com carinho com a memória de passar o tempo na praia com a minha mãe. "Eu morei em São Paulo por um tempo, também." "Ah é?" "Eu fui para a universidade, vivi no campus, para não ficar indo e vindo. Minha mãe não estava muito feliz comigo morando fora, no entanto. " Eu rio levemente, lembrando como ela ficou estressada da primeira vez que saí de casa.


"Você já foi assistir o Grand Prix lá?" "Algumas vezes. Tio John me deu ingressos." "Você me viu correr?" "Vi." Eu sorrio. "E você foi incrível, especialmente naquele ano, quando você passou o Leandro Silva na curva do Bico de Pato. Foi sensacional. " Olhando para mim, ele pisca. "Como é que eu nunca a conheci antes de algumas semanas atrás?" "Porque o tio John provavelmente não confiava em você perto de mim." Dou-lhe um sorriso maroto. "Sim, bem pensado! Não que se possa confiar muito em mim hoje em dia também. Tô brincando. " Ele ergue suas mãos, rindo. "Nós somos melhores amigos, e eu não transo com minha melhor amiga." "Você realmente precisa parar de dizer isso." "O quê? Que nós somos melhores amigos? " "Sim." "Por quê?" "Porque isso faz você soar estranho, como se fosse um menino de cinco anos de idade." "Eu definitivamente não sou nenhum garoto. E eu estou mais para encantador do que estranho. Claramente, isso não está funcionando." Eu rio da alegria em seus olhos. "Então, John não é seu tio de verdade, certo? Mas você o chama de tio John? " Eu fico instantaneamente tensa com a pergunta, preocupada com a direção que poderia tomar. "Sim." Eu engulo seco. "Ele é um amigo próximo da família. Ele me conhece desde que eu era um bebê. Ele é meu padrinho. " Acho que Carrick detecta o meu desconforto, porque ele muda de assunto. "Então, o que você estudou na universidade? "


"Engenharia Mecânica." "Números". Ele sorri calorosamente. "Eu nunca fui para a universidade." "Muito ocupado correndo?" "Sim. Mas, acho que eu teria gostado. " "Hmm... sim, a vida estudantil com certeza teria sido adequada pra você", eu brinco. "Festas, mulheres, e bebida. " Ele rio levemente. "Eu não sou tão ruim quanto a imprensa me faz, você sabe?" "Mas você não fica muito longe disso..." Ele me dá um olhar sóbrio. "Não, muito longe, não." Olhando para cima, eu vejo que chegamos ao hotel. Carrick mantém a porta aberta para mim, me deixando entrar primeiro. Nós andamos pelo lobby e entramos em um elevador. Eu pressiono o botão para o meu andar, percebendo que Carrick não pressiona o botão para o seu. "Qual o andar?", Pergunto-lhe. "Cobertura". Números. Eu pressiono o botão para a cobertura e, em seguida, volto para ficar ao lado dele. Estamos em silêncio enquanto o elevador começa a subir, a música de elevador tocando ao fundo. Carrick muda de posição e coloca as mãos nos bolsos, seu braço bate contra o meu. "Desculpe", ele murmura. "Tudo bem", eu respondo. Deus sabe como eu consegui dizer as palavras, porque eu estou sentindo toda uma eletricidade e um chama intensa de calor através da minha pele, vindo de onde seu braço apenas tocou o meu.


O espaço aqui de repente fica muito menor. Eu respiro fundo, tentando ficar calma, mas isso não funciona. Estou totalmente atenta a ele ao meu lado. Tudo o que posso sentir é o cheiro da sua loção pós-barba sexy como o pecado, e isso está fazendo minha cabeça ficar tonta. Estou começando a queimar. O que diabos está errado comigo? Eu fixo meus olhos sobre o painel, observando a subida dos números. Eu preciso sair desse elevador e logo, mas o contador parece estar indo num ritmo de caracol. Maldição! Carrick respira fundo. É um som suave, mas eu sinto como se ele estivesse soprando no meu ouvido. Eu tremo. Na verdade, eu estremeço pra caralho. Eu envolvo meus braços em volta de mim, tentando manter o controle dos meus hormônios em fúria, mas de alguma forma acabo eu encostando meu braço no dele dessa vez. Bem feito, Andi. Agora, tudo que eu consegui fazer é para soltar a chama de calor de novo, e ela vai rapidamente rumo ao sul do meu corpo. Eu posso sentir os olhos de Carrick em mim, mas não me atrevo a olhá-lo. E eu definitivamente não me atrevo a falar, por medo de dizer algo estúpido, então eu finjo não perceber que toquei em seu braço. Em vez disso, eu aperto minhas coxas juntas e imploro aos deuses para me tirar deste elevador rápido. O que diabos está acontecendo comigo? E este elevador nunca vai chegar na porra do meu andar? Vai! Vai… Finalmente! Ele chega no meu andar com um “plin”, como o temporizador em um forno com um frango, eu sou pronta.


"É o meu." Minha voz soa muito elevada. Eu saio pela porta antes que ela esteja totalmente aberta. "Obrigada por vir andando comigo", eu digo, recuando. Ele dá um passo fora do elevador, com a mão segurando a porta. "Às ordens. Boa noite, Andressa. " Sua voz soa diferente, mais profunda, rouca. "Boa noite, Carrick." Viro e ando tão rápido quanto eu posso para o meu quarto. Meu coração está batendo como uma tempestade no meu peito enquanto minha cabeça está se perguntando o que diabos foi tudo isso.


4 MELBOURNE, AUSTRÁLIA

HOJE É O DIA DA CORRIDA. O box é um centro de atividades. E eu estou mais do que animada. Eu estive em inúmeras pistas de corridas, especialmente quando estava trabalhando na stock car em casa. Mas estar aqui, fazendo parte do Grand Prix, é incrível. O barulho dos motores aquecendo, o cheiro dos carros, e as pessoas ao redor se preparando para a corrida, há um zumbido de energia no ar. Não há nada como o dia da corrida. É elétrico, e me sinto privilegiada por fazer parte dele. Sou levada de volta para quando eu era uma criança, e eu vinha para assistir as corridas do meu pai. Eu pensei se esta primeira corrida iria ser estranha para mim. Eu acho que ela é um pouco, mas eu estou mais focada na emoção da corrida de Carrick que está por vir, e todo o trabalho que precisa ser feito antes me mantém ocupada. E não é como se eu não tivesse vindo para um Grand Prix desde que meu pai morreu. Mas estar aqui no meio de tudo isso... é uma sensação totalmente diferente de estar assistindo. É incrível. Eu espio Nico Tresler entrando no box. Eu não o vi durante os treinos. Se ele esteve aqui, foi quando eu não estava. Certo, é isso. Vou parar de ser uma covarde, e eu vou até lá e me apresentar.


Cruzo a pequena distância para o lado de Nico no box. Vindo por trás dele, eu passo para o lado, para que ele possa me ver. Ele está conversando com Damon, seu chefe de mecânicos. Quando Nico me nota, ele para sua conversa, e vira a cabeça para mim. "Posso ajudar?" "Oi, Sr. Tresler. Desculpe por interromper. Meu nome é Andi Amaro. Eu sou a nova mecânica de Carrick, e eu só queria me apresentar. Eu sou uma grande fã." Não é uma mentira total. Eu prefiro outros pilotos antes de Tresler, mas lisonjear um piloto é sempre o melhor caminho a percorrer. Ele se vira para mim, então ele está me dando toda sua atenção. "Ah sim. A nova mecânica de Ryan. Eu ouvi tudo sobre você. " Seus olhos pairam sobre mim de uma maneira nada confortável. Eu mudo de lugar. "Não é de se surpreender que ele lhe deu o trabalho." Ele não o fez realmente. "Fui contratada por John, não Carrick." Eu mantenho o meu tom uniforme, profissional, e definitivamente sem confronto. Pilotos podem ser difíceis às vezes, especialmente no dia da corrida. Eles estão tensos e estressados, por isso é melhor não atiçar. Mantenha-se educada. Ele pode estar agindo um pouco como idiota mas ele é um piloto, e eu preciso respeitar isso. "Claro que foi", diz ele com desdém. Em seguida, ele se inclina para perto. "Você pode ser ingênua o suficiente para pensar que Ryan contratou você, baseado em seu conjunto de habilidades. Ele não o fez. Ele contratou você por causa do tamanho do seu sutiã. O cara não tem classe e trata essa profissão como uma piada. Ele é um bastardo egoísta, que não dá a mínima a ninguém além de si mesmo. " Uau. OK. Eu dou uma olhada para Damon, que me dá um olhar de simpatia antes de se virar e sair. "Eu não diria isso-" Eu começo a defender Carrick.


"Tudo bem por aqui?" Carrick me corta. Eu viro para ele. Seu olhar é em cima de Nico. O rosto de Carrick está perfeitamente normal, mas em seus olhos há muita ira. "Está tudo bem." Nico sorri, mostrando os dentes para Carrick. "Eu estava apenas deixando Andi saber no que ela se meteu, trabalhando para você.” Carrick solta uma gargalhada sarcástica. "Tenho certeza que você estava. Andressa, você tem um minuto?” Ele pressiona os dedos contra o meu braço. Mesmo através do meu macacão, eu sinto seu toque, como se fosse na minha pele nua. "Sim, claro." Sentindo-me um pouco vazia, eu sigo Carrick conforme Nico se afasta de nós. Quando chegamos do lado de Carrick no box, eu paro e pergunto: "Então, para que você precisa de mim?" "Nada. Basta você ficar longe de Nico. Ele é um idiota pomposo com uma enorme etiqueta em seu ombro." Eu cubro uma risada. Eu quero concordar, mas eu não quero ser vista sacaneando um piloto, especialmente do calibre de Nico. Isso não seria profissional da minha parte. "Ele é realmente interessante", eu digo, escolhendo as palavras com cuidado. "Ele é um idiota. E posso garantir que o que ele disse sobre mim foi, provavelmente, apenas cerca de sessenta por cento verdade. Ele simplesmente me odeia porque eu já ganhei mais corridas nos meus primeiros dois anos do que ele tem em toda sua carreira. Punheteiro do caralho. " Eu rio. Eu não consigo evitar dessa vez. Tenho notado que Carrick faz muito isso, me faz rir. Eu gosto disso.


"Meu conselho: não fale absolutamente necessário."

com

Nico,

a

menos

que

seja

"OK. Entendi, chefe. " Sorrindo descaradamente, eu dou-lhe uma saudação. Eu vejo uma centelha de luz em seus olhos. "Chefe? Hmm... Eu gosto disso. " "Carrick?" Ele se vira ao som da voz de seu pai, que não parece satisfeito quando vê Carrick falando comigo. "Estou indo." Ele levanta a mão para Owen. Olhando para trás para mim, Carrick diz: "Te vejo antes da corrida, certo?" "Certo." Ele me dá um de seus sorrisos de parar o coração, deixando-me sentindo um pouco sem fôlego, e então ele vira para ir com o pai.

Eu realmente não tenho a chance de falar com Carrick quando ele volta para baixo de novo, estamos todos ocupados como loucos deixando seu carro pronto, e ele vai direto para fora, para tirar fotos, encontrar pessoas – a maioria patrocinadores – e dar entrevistas. Eu observo como ele dá atenção às meninas da grade. Mas eu estou... que seja. Isso não me incomoda nem um pouco. Quando Carrick finalmente chega de volta, é hora de ele entrar em seu carro. Eu estou com meu capacete assim como todos os mecânicos, já que estamos no pitstop. Mas de alguma forma, ele consegue travar os olhos comigo. Ele me dá uma piscadela insolente e, em seguida, pega seu capacete, puxando-o em cima do gorro à prova de fogo.


Ele entra no cockpit e é amarrado. Ben encaixa seu volante, e Carrick está pronto para ir. Todos nós voltamos para o box. Eu tiro meu capacete, para que eu possa assistir à corrida nas telas. Eu lanço um olhar para o tio John, que está sentado à mesa de controle com Pierce e Owen. Então, meus olhos voltam para as telas, e eu vejo como Carrick sai para sua volta de aquecimento. O rugido dos motores vibra através de mim. Deus, eu amo isso. Eu vejo como os carros correm em ziguezague de lado a lado ao longo das retas, para aquecer seus pneus. Mas meus olhos concentram-se principalmente no carro de Carrick. O azul brilhante de seu capacete reflete no sol. Finalmente, todos os carros enfileiram atrás da linha e tomam suas posições no grid. Carrick está na “pole position” já que se classificou em primeiro lugar ontem. É um ótimo início de temporada, e eu sei Carrick está feliz com isso. Em seguida, a atmosfera aumenta, e eu me vejo prendendo a respiração enquanto os cinco semáforos acima da linha de partida brilham vermelho, vermelho, vermelho, vermelho, vermelho. Em seguida, eles saem... e VAI! Carrick tem uma grande largada, chegando na curva em primeiro como o profissional que ele é. À medida que as voltas acontecem, ele começa a se afastar do bloco, tendo uma boa vantagem. Quando ele entra para uma troca de pneus, a vibração é toda boa. A equipe do pitstop começa a trabalhar trocando os pneus. Carrick permanece em seu carro, assistindo a corrida nas telas acima de sua cabeça. Quando os pneus são trocados, ele está volta para a pista.


Ele pega sua posição de volta rapidamente. Existem alguns momentos tensos na corrida, como quando ele cai para segundo conforme Leandro Silva, o piloto brasileiro, passa por ele. Eu nunca diria isso para Carrick, como todos sabem que Leandro e Carrick tem uma séria rivalidade, mas eu amo Leandro. Não de uma forma assustadora, mas de uma maneira de idolatria a herói. Ele é um piloto incrível. Ele não é melhor do que Carrick. Ele é apenas diferente. Eu prendo a respiração conforme Carrick entra no interior de uma curva e toma seu lugar de volta de Leandro. Isso! A corrida é praticamente desse jeito o tempo todo. É nervoso e emocionante como Carrick luta com Leandro pela pole position. Estamos na última volta, e Carrick está agora na liderança, mas ainda há aquele nervosismo dele poder perder seu lugar no último momento já que Leandro não é de desistir facilmente. Carrick precisa vencer essa. Ela vai definir todo o seu curso para o resto da temporada. Cruzando os dedos, eu vou com ele. Vamos, Carrick. Você pode fazer isso. Vamos… Estou contando os últimos segundos, o meu coração batendo no meu peito e minhas veias estão cheias de adrenalina. Em seguida, ele cruza a linha de chegada, a bandeira quadriculada balança. Ele ganhou! Sim! Eu solto a respiração que eu nem estava ciente de que eu estava segurando e faço uma dancinha feliz no lugar. Eu estou sorrindo de orelha a orelha, e não apenas por Carrick, mas por toda a equipe e eu também. Eu não vim apenas assistir, mas para ajudar e faço parte da vitória de Carrick Ryan. Este é apenas o começo.


Há muito mais por vir. Eu sinto uma imensa sensação de privilégio no momento. Eu estou vendo todo mundo no box, todos aplaudindo e torcendo. A atmosfera é eletrizante. E eu sou levada de volta para todas as vezes eu estava com meu pai quando ele ganhou e como nós todos comemoramos em seu box. Eu sinto uma pontada no meu coração, uma dor forte por todas as coisas que já acabaram. Arrastando-me do passado para o presente, eu vejo Carrick saindo de seu carro. Tirando seu capacete e o gorro à prova de fogo, seu cabelo está todo preso à sua cabeça, mas ele ainda parece incrível, lindo. Ele está sendo parabenizado por toda a nossa equipe, seu pai, o tio John, e Pierce. Carrick está dando risadas, gargalhando. Só observá-lo faz meu coração inchar, enchendo meu peito de felicidade. Então, o rosto de Carrick inclina o rosto para o meu lado, seus olhos parando nos meus, e o olhar que ele me dá, a profundidade em seus olhos, o sorriso em seu rosto, me deixam sem fôlego cambaleando, emocionada. Neste momento, eu percebo que eu estou extremamente ferrada. Porque eu gosto dele. Grande momento. E agora, eu tenho que encontrar uma maneira de lidar com isso. Acredite em mim para ter uma queda pelo único homem que eu não posso ter. Puxando uma respiração profunda, cobrindo meus sentimentos por ele, eu sorrio e faço meu caminho para lhe dar os parabéns.


5 KUALA LUMPUR, MALÁSIA

"Eu estou entediado." Carrick cai na cadeira em frente a mim. Ele está tão lindo como sempre, vestida com bermudas cáqui e uma camisa polo branca, que mostra o bronzeado dourado da sua pele. Eu estou tentando realmente não olhar para seus braços. Eles são realmente muito bons. Pele lisa e suave, musculosos, veias sensuais correndo ao longo deles, eles são o tipo de braços que você deseja lamber. Como você pode ver, a minha atração está indo muito bem. A parte de para-la? Não muito bem. Estamos em Kuala Lumpur para a segunda etapa da temporada. É a minha primeira vez neste país, e eu devo dizer, é incrível. "Como você pode estar entediado? São apenas nove e meia da manhã. " Eu dou uma mordida na minha torrada. Eu estou tomando café da manhã sozinha já que Petra ainda está na cama, dormindo por causa da ressaca da noite anterior. Surpreendentemente, estou me sentindo viva, esta manhã, considerando o quanto eu bebi ontem à noite. Carrick saiu ontem à noite, mas ele não ficou muito tempo porque tinha uma sessão de treino de manhã cedo.


"Sim, bem, eu estou em pé desde às seis. Sinto como se metade do dia já passou ". "Você simplesmente saiu da academia?" "Sim." "Seu novo treinador chutou sua bunda?" Carrick estava reclamando ontem à noite sobre seu pai ter contratado um treinador para ele enquanto está aqui. Como ele é mais alto que um piloto médio, ele naturalmente pesa mais, então ele tem que ter cuidado para não subir a balança. Carrick pode vencer suas corridas, mas ele gosta de beber, e sua dieta não é exatamente saudável. Se ele não tiver cuidado, ele vai ganhar peso, colocando-o em desvantagem nas pistas, daí, a nova dieta e regime de treinamento. "O cara é um sargento do caralho. Eu estou morrendo de fome, inclusive. Muesli era o que eu estava autorizado a comer no café da manhã. Cereal da porra", ele resmunga. "Pobre bebê," Eu provoco. Isso me custa um grunhido. Meu telefone dá um alerta de mensagem de texto da mamãe. Boa noite querida. Os fusos horários estão realmente começando a mexer com ela. Rindo para mim mesmo, eu digito de volta. Mãe, eu estou dez horas à sua frente, por isso são nove e meia da manhã aqui. Eu vou ligar pra você esta noite, então vai ser de manhã para você. Ela manda de volta imediatamente. Eu te amo. ♥ Então, eu olho para cima do meu telefone para ver Carrick olhando meu bacon com um olhar que só pode ser descrito como saudade.


"Você está bem?" Eu rio. "Não, eu estou morrendo de fome." Ele olha para mim. "Você vai comer esse bacon?" O nosso hotel é um dos únicos lugares em Kuala Lumpur que serve o bacon certo. Eu pretendia comê-lo, e eu meio que não quero dividir com ele. Eu sou gulosa. Inclinando-me para trás na cadeira, eu pego minha xícara de café. "Você realmente acha que é uma boa ideia você comer o bacon? Você está nessa questão de saudável por uma razão. " Ele deixa escapar um suspiro exagerado. "Jesus, eu não estou exatamente acima do peso, estou?" Ele flexiona os músculos em seus braços, e eu tenho que resistir ao impulso de acaricia-los, ou lambê-los. "E um pedaço de bacon não vai me transformar na porra do Jabba fodido Hutt." "Eu tenho certeza que quando George Lucas criou, era apenas Jabba the Hutt. Não Jabba fodido Hutt.” “E se seu pai me ver dando-lhe bacon, ele vai me mandar embora. " "Não, ele não vai. Vamos lá... apenas um pedaço de bacon. " "Não." Eu trago meu prato para mim e para longe dele. "Ah, vamos lá, baby. Você sabe que você quer me dar. " Baby? Eu sinto que a palavra me lava como uma limpeza erótica. Pressionando minhas coxas e lábios juntos, eu balanço minha cabeça. "Não. Seu charme suave irlandês não vai funcionar comigo. " Sorrindo, ele me dá um olhar do diabo do sexo. "Ah, Andressa, baby, se você me der... Eu vou fazer valer a pena. Esse pode ser o nosso pequeno segredo. Não vou contar a ninguém. Eu prometo." "Como você consegue fazer uma conversa sobre bacon soar suja?"


"Eu diria que é um talento... mas talvez não seja eu que esteja sujo. Talvez seja você. Afinal, você é a única interpretá-la dessa forma. " Ele levanta uma sobrancelha. E o meu rosto fica vermelho. Seus dedos rastejam sobre a mesa em direção ao meu prato. "Então, estou recebendo esse bacon?" Ele pisca seus cílios para mim. Bastardo sabe como é bonito. "Tudo bem." Eu cedo. "Um pedaço, essa é a sua parte." Eu pego um pedaço de bacon e entrego a ele. "Eu já te disse recentemente como acho você impressionante?" "Não." Eu vejo como ele coloca na boca, a forma em que seus olhos se fecham sobre o sabor. "Bem, você é. A porra de impressionante. Deus, isso é um bacon. " Ele geme, ao mastigá-lo. Eu começo a me contorcer na cadeira com os sons que ele está fazendo. Quem diria que um pedaço de bacon poderia dar tanto tesão? Eu tenho uma visão de mim nua na cama com ele em cima, dentro de mim, fazendo os mesmos barulhos. "Ok, eu preciso de mais." Sua voz corta meus pensamentos sexuais. "Hmm? O quê? Sim. " Eu passo o prato pra ele, sem sequer pensar. Em seguida, um segundo depois, eu percebo o que eu fiz. "Espera! Dá isso de volta! Você vai me colocar em apuros!" Eu tento pegar o prato, mas Carrick pega todo o bacon e coloca na boca. "Oh meu Deus! Eu não posso acreditar que você fez isso! " Eu ponho minha mão sobre a minha boca, mas o riso escapa.


"Nunca subestime do que um homem faminto é capaz", diz ele, mastigando o monte de bacon da boca, com um brilho em seus olhos. Eu não posso deixar de olhar para ele conforme ele engole, seu pombo de Adão mexendo, é estranhamente sexy. "Deus, isso é muito melhor. Eu me sinto como a porra de um ser humano normal agora. " Ele se recosta na cadeira colocando a mão em seu estômago. "Você tem problemas," Eu gracejo. "Você quer o resto do meu café da manhã?" Eu gesticulo para o que resta: meu café e torradas metade comidas. "Desculpe." Ele me dá um sorriso insolente. "Você quer que eu te pegue mais um pouco?" "Não, não se preocupe com isso." Eu aceno para ele. "Então, o que você tem planejado para hoje?" "Nada demais. Provavelmente só vou descansar ao redor da piscina. " "Mesmo que o pensamento de você usando um incrível-"

biquíni seja

Eu o interrompo: "Quem disse que eu estaria usando um biquíni?" "Minha imaginação. Por quê? Você vai fazer topless? Nadar nua? " Seus olhos faíscam como um fósforo aceso conforme ele senta reto na cadeira. "Não, pervertido. Eu quis dizer, que eu poderia estar usando um maiô inteiro. " "Querendo tirar a diversão disso." Ele faz beicinho. Balançando a cabeça, eu rio. "Eu sou sua amiga, lembra? Você não é pervertido com seus amigos. " "Que nada! Enquanto eu não estiver tocando, eu posso fazer o que eu quiser aqui em cima. " Ele bate um dedo em sua cabeça.


"E se você me quiser manter sendo sua amiga, então você vai parar." Dou-lhe um sorriso de satisfação. "Tudo bem, desmancha-prazeres." Ele revira os olhos. "Então, em vez de ficar à beira da piscina em seu maiô de senhora, você quer vir se divertir um pouco comigo? " A parte anterior da nossa conversa e o brilho insolente em seus olhos me fazem perguntar "Que tipo, de diversão? " "O tipo divertido." "O tipo divertido de diversão?" "Exatamente." Ele inclina a cabeça, os lábios provocando um sorriso. É um sorriso de menino tão encantador que me vejo, dizendo: "Ok, estou dentro."

Depois do café da manhã, Carrick volta ao seu quarto para pegar sua carteira, e eu vou para o meu quarto para pegar algum dinheiro. Carrick me disse para colocar tênis, então eu tenho a sensação que estamos indo fazer algum tipo de atividade esportiva. Petra ainda está na cama, mas ela está acordada, sentada assistindo TV. "Ei, eu perdi o café da manhã?" Sua voz está rouca. "Sim, eles pararam de servir às nove e meia, mas eu peguei isso." Eu entrego um bolinho e uma banana. "Ah, você é uma estrela." Ela abre o plástico do bolinho e começa a morder. "Então, o que vamos fazer hoje? "


Sento-me na beirada da minha cama e chuto meus chinelos fora. Estou calçando meus tênis quando respondo. "Oh, eu vou sair com, er ... Carrick." Ela levanta uma sobrancelha. Ela sabe que Carrick e eu nos damos bem, e ela não disse nada, mas eu sei o que ela pensa. "Só como amigos", acrescento. "Sim, eu sei disso." "Você sabe?" "Mmm." Ela dá uma outra mordida no bolinho. "Se vocês fossem transar, vocês já teriam feito isso. Carrick não é de ficar cercando. Já era hora dele aprender a ter amigo do sexo oposto. Eu acho que é bom que vocês são amigos." "Sim", eu digo em um sorriso. "Então, o que vocês vão fazer?" "Eu realmente não sei." Eu pego minha bolsa do lado da minha cama, verificando se minha carteira está nela. "Ele não quer me dizer, mas, aparentemente, é divertido." "Bem, divirtam-se." Pego os meus óculos de cima da cômoda, e coloco-os na minha cabeça e paro na porta. "Hmm. Você não quer vir com a gente? " Não é exclusivo para ele e para mim. Acho que não. "Não, tudo o que eu quero para hoje é ficar descansando na piscina." "Até mais tarde." Eu abro porta. "Nós vamos sair hoje à noite?" "Com certeza” Deixando Petra, eu pego o elevador para encontrar Carrick no saguão. Ele já está esperando por mim quando eu chego lá. Seus lábios se levantam em um sorriso quando me vê. "Pronta?"


"Pronta". Eu o sigo para fora do hotel para a garagem. Levantando a chave, ele abre a porta para um elegante Mercedes SLS AMG Roadster preto. "Legal", eu comento. "Emprestado." Ele dá de ombros. "Os comerciantes gostam de me dar carros quando eu estou aqui para as corridas." "Deve ser incrível ser você." Eu deixo escapar um pequeno suspiro sonhador enquanto meus dedos se estendem sobre a pintura brilhante do carro. "Tem seus benefícios." Ele sorri. "Você quer dirigir?" Ele segura a chave. Eu sinto um frisson de excitação, e, em seguida, meu sorriso cai. "Eu não sei para onde estamos indo." "Ah, sim, ok. Você pode dirigir na volta então. " Isso me faz sorrir. Eu subo no carro, ponho o cinto, e coloco os óculos de sol. Carrick liga o motor, e o carro se enche com o som de "Real Love" da Clean Bandit. Ele coloca seus óculos e nos leva para fora da garagem para o lindo dia ensolarado.

"Você quer andar de kart?" Eu olho para o sinal acima da entrada, minhas mãos indo para os meus quadris. Estamos do lado de fora do circuito de Sepang de Kart, que fica ao lado da pista que ele estará correndo em alguns dias. "Sim", diz ele do meu lado. "Mas você ganha para correr."


"E daí?" "Ok, então você quer que eu corra contra você, o antigo campeão do mundo de kart e atual da Fórmula 1? Bem, acho que pelo menos eu não me sentirei muito mal quando perder. " "Se isso faz você se sentir melhor, eu vou deixar você ganhar." "Ugh, uma vitória de piedade? Não, isso é ainda pior. " Eu o cutuco com meu ombro, ignorando a pontada de atração que sinto com o contato. Ele ri. "Na verdade, você deveria estar fazendo isso? E se você se machucar?" Desconcertada, eu olho para ele. Se ele se machucar e não puder correr e Owen Pierce descobrir que eu estava com ele, minha cabeça vai estar à prêmio. Ele me dá um olhar ofendido. "Você sabe com quem você está falando, certo? Sou Carrick Ryan, deus das corridas.” "Ha!" Eu rio. "Eu deveria me curvar a seus pés, oh homem santo?" "Não é necessário, jovem gafanhoto". Ele me dá um tapinha na cabeça com sua mão, e eu saio, fazendoo rir. Então, seu rosto fica sóbrio. "Mas... o que eu preciso de você é o seu silêncio." "O silêncio?" Eu olho confusa. "Mmhmm. Meu pai não sabe que eu estou aqui, pela razão mencionada antes, então para evitar um mês de dor de ouvido, dele falando sobre o meu comportamento irresponsável, seria ótimo se você mantivesse essa pequena coisa de kart em segredo." "Ah." Cruzo os braços. "Então, eu sou o seu pequeno segredo sujo." "Bem, eu não iria tão longe, mas você pode ser o meu segredo sujo se você quiser ser. Você só tem que dizer a palavra."


Eu balanço a cabeça em desgosto, zombando, o que faz minha risada soar nojenta. Eu finjo que não o senti em cada parte de mim. "Então, o que você está realmente pedindo é para eu manter isso em segredo de seu pai, que coincidentemente me apavora?", eu digo, desviando de volta para o assunto inicial. "Você tem medo do meu pai? Por quê? " Ele parece surpreso. "Porque ele não gosta de mim." "Ele gosta de você." Ele me ignora. "Ele acha que eu sou uma distração." "Uma distração para quem?" "Você. E o resto dos caras, é claro". "Oh. Certo. Bem, então, você é a pessoa perfeita para manter o meu segredo porque você tem medo do meu pai, assim você nunca vai me entregar a ele." Ele sorri enquanto começa a caminhar em direção ao prédio. "Ei, agora, espera aí. Porque seu pai me apavora é a razão exata porque isso vai custar você ". Parando, ele se vira para trás. Com a cabeça inclinada para o lado, ele me dá um olhar avaliando. "Interessante. Vá em frente. " Ele aponta sua mão para mim. "Bem, se você machucar sua bunda divina aqui hoje", esse comentário me custa uma virada de olhos, “eu perco o emprego porque seu pai me demitiria mais rápido do que eu poderia dizer “espere”. " Ele olha para mim por um longo tempo, a ponta de sua língua pressionada contra os dentes. Ele tem uma língua agradável. Alguém pode ter uma língua agradável? Aposto que beija bem. Dentre outras coisas. Agora, eu estou me imaginando chupando sua língua e, em seguida, Carrick usando sua língua em mim e...


Pelo amor de Deus, Andi. Esquece isso. Eu volto do meu devaneio sujo. "Então, você está me subornando por silêncio?" Eu não entendo bem seu tom de voz. Ele parece muito bravo, e agora, eu estou começando a me preocupar se eu disse a coisa errada. Claro, eu estava brincando, e ele geralmente percebe o meu humor, mas ele pode não estar percebendo desta vez. "Mais ou menos isso", eu vacilo. "Bem, você vai, ou não? Qual é, Andressa? " "Sim..." Eu dou um sorriso sem graça. Ele me olha por um momento mais longo. Então, eu vejo uma centelha de admiração divertida em seus olhos. "Chantagem. Estou impressionado. " Ele sorri enquanto coloca vem com o punho para cima de mim. Eu solto a respiração que estava segurando. "Então, o que é isso vai me custar?" Ele começa a se mover para trás em direção à porta, de modo que ele ainda está de frente para mim. "Hmm." Pressionando meus lábios, eu bato meu dedo sobre eles. "Eu não sei." "Sexo? Eu posso ser seu escravo sexual por uma semana. Caralho, você não precisa nem me chantagear para conseguir isso. Vou fazê-lo gratuitamente. " Eu balanço minha cabeça, lutando contra um sorriso. "Você é um maníaco sexual." "Eu não sou um maníaco. Eu adoro fazer sexo. Há uma diferença." "Claro que existe." "Oh, Jesus. Por favor, não me diga que você é daquelas pessoas que não gostam de fazer sexo.”


“Porque se você for assim, então você tem feito isso com as pessoas erradas, e isso significa que definitivamente temos que fazer isso. " "Claro que eu gosto de fazer sexo!" Ok, eu disse que um pouco alto demais. "Graças a Deus." "E você e eu definitivamente não faremos isso." "Que pena!" Eu viro meus olhos. "Por que estamos falando sobre isso de novo?" "Porque o sexo é a coisa mais interessante do mundo, e eu sou incrível nisso." Ele para na minha frente, olhando nos meus olhos. Eu sinto seu olhar escaldante em mim. De repente, estou lutando para voltar a respirar e ter a capacidade de me mover. A energia sexual está crepitando entre nós. E eu só quero agir sobre isso... descobrir se ele é tão bom como ele diz que é. Mas eu não posso. "Nada de sexo, amigo." Minha voz sai rouca, então eu limpo a garganta. "Apenas amigos, lembra?" Eu aponto entre nós. "Ah, certo. Claro. Eu me esqueci por um minuto. " Em repreensão, ele trava sua língua contra os dentes. "E nós não somos apenas amigos. Nós somos melhores amigos, Amaro. Fale direito." "Desculpe." Eu seguro minhas mãos em sinal de rendição. Nós começamos a andar novamente. "Então, vamos lá. Me tire dessa tristeza. Qual é o preço? " "Eu ainda não decidi. Eu acho que vou guardar isso na manga e usá-lo quando eu realmente precisar de alguma coisa. " "Bem, tenha certeza de ser algo que você realmente, realmente precisa, porque você só vai conseguir me subornar uma vez." Com um piscar de olhos, ele abre porta e me leva para dentro.


Nos aproximamos do balcão. Eu vejo o cara atrás do balcão olhando para Carrick como quem sabe que o conhece, mas não tem certeza de onde. Eu me pergunto quanto tempo vai demorar para o cara do caixa descobrir isso. "Que sessões de corrida você tem?" pergunta Carrick. "Nós temos um circuito rápido, que dura até 15 minutos", diz o rapaz do caixa em um inglês realmente bom. "Ou você pode contratar por mais tempo, se quiser." Carrick olha para mim. "O que está afim?" "Você escolhe. Eu não me importo. " "Nós vamos contratar por quinze minutos. Mas nós podemos adicionar mais se quisermos depois? " "Claro", diz o rapaz. "Basta dizer para o segurança, e você pode pagar o extra antes de sair." Ele imprime nossos ingressos, enquanto Carrick e eu discutimos sobre quem vai pagar. "Sério, você não vai pagar, Andressa." "Qual é? Você paga tudo. Mesmo quando saímos para beber, você está sempre pagando bebidas para todos. " "Quanto você ganhou no ano passado?" Eu estou surpresa. "O que isso tem a ver?" Ele se inclina perto do meu ouvido. A sensação do seu corpo a milímetros de mim me faz rodar. "Você sabe quanto eu ganhei? Vinte milhões. Eu vou pagar para a porra dos ingressos. " Eu me inclino para trás, encontrando seus olhos. "Ok", eu digo. Eu rapidamente olho para o rapaz dos ingressos, que está definitivamente tentando fingir que não está ouvindo.


Com um sorriso de vencedor, Carrick entrega seu cartão de crédito para o rapaz. Depois de pagarmos, o rapaz diz para entregarmos os ingressos para o segurança. Estamos prestes a entrar quando o rapaz diz: "Você é... Carrick Ryan, certo?" Eu vejo o lampejo de alarme nos olhos de Carrick. Era bobagem pensar que Carrick poderia vir aqui e não ser reconhecido. Carrick dá a volta no balcão. "Sim... mas eu só estou aqui para me divertir um pouco com minha amiga. Assim, eu não estou aqui, ok? " "Ok", diz o rapaz. "Mas você pode me dar um autógrafo?" "Claro", diz Carrick com um sorriso. "Você assina o meu boné?" Ele retira o boné de Fórmula 1 que está usando. Carrick concorda com a cabeça, e o rapaz o entrega junto com uma caneta. "Você é um fã de corridas?" pergunta Carrick enquanto assina o seu nome. "Grande fã. Eu e meu irmão mais novo sempre assistimos na TV. Você é o nosso favorito. Meu irmão vai ficar arrasado que eu te conheci, e ele não ". "Você já foi num Grand Prix?" Carrick pergunta. "Não." O rapaz faz uma careta de desconforto. "Os ingressos são muito caros para um cara que trabalha no balcão de um circuito de kart. " Eu sinto uma dor no meu peito. Carrick deve senti-la, também, porque ele diz: "Qual é seu nome?" "Sulaiman."


"Prazer em conhecê-lo, Sulaiman." Carrick lhe entrega o boné e a caneta de volta. "Anote seu nome e do seu irmão e seu endereço para mim, e eu vou mandar dois ingressos VIP para a sua casa. " Sulaiman parece que acabou de levar um soco na cara, no bom sentido. "Sério?", Ele pergunta com os olhos arregalados. "Sério." Carrick sorri. Eu observo Carrick, intrigada, e eu posso ver em seus olhos como fazer outras pessoas felizes o deixa feliz. Agora, eu entendo porque ele tem que pagar por tudo. Não é para mostrar quanto dinheiro ele tem. É sobre ser capaz de fazer outras pessoas se sentirem bem com seu dinheiro. Há um grande coração enterrado embaixo de todo aquele ego alfa sexual. E isso puxa meu coração em sua direção. No momento, estou tendo dificuldade em evitar isso. Sulaiman rabisca rapidamente as informações em um pedaço de papel e entrega para Carrick, que dobra e coloca em sua carteira. "Eu mandar os bilhetes amanhã", Carrick diz a ele. "Muito obrigado." Sulaiman se aproxima, agarrando a mão de Carrick e sacudindo-a. "Eu não posso dizer o quanto isso significa para nós. Meu irmão vai ficar muito feliz quando eu lhe disser." "Espere até eu ir embora para contar porque eu não estou aqui, lembra?" Carrick bate seu nariz. Sulaiman faz a mesma coisa. "Lembro." "Eu vou ver você e seu irmão depois da corrida." Carrick começa a se afastar, e eu o sigo. "Tchau! E obrigado novamente! " Sulaiman fala atrás de nós. "Isso foi uma coisa muito legal que você fez", eu digo. Caminho ao lado de Carrick, e encosto em seu braço com o meu.


Olhando para mim, ele dá de ombros. "Se isso significa eu ter meia hora de paz com você sem fãs de corridas aparecendo, então vale a pena. " "Eu não acho que é por isso que você fez isso. Eu acho que você viu um cara que não tem muito, e você quis fazer o seu dia. " Ele olha para o nada, conforme fala. "Eu nunca fui tão pobre como aquele cara lá atrás, mas não tínhamos muito também. Tudo o que tínhamos, meu pai colocou nas minhas corridas, então eu meio que sei um pouco como é para ser duro. " Eu sinto um aperto no meu peito. Eu tenho que apertar minha mão ali para me conter. Eu sabia isso de Carrick. Ele não do tipo que veio de família rica para um esporte rico. Ele veio de um lar modesto, e tanto ele como seu pai tem trabalhado duro para trazê-lo onde ele está agora. "Você tem um grande coração, Carrick Ryan." Eu o cutuco novamente, desta vez com o meu ombro. Ele me dá um olhar de horror. "Foda-se, não vai dizer isso em público. Você vai acabar com a minha imagem. " "Deus, sim, nós não queremos que isso aconteça." Deixo escapar uma risada. "Então, esse é um outro segredo que eu tenho que manter?" "Hmm... Acho que sim." Ele olha para mim, um sorriso em seus olhos. "Eu vou perder a conta de todos esses segredos que eu tenho que guardar pra você", eu brinco. "Bem, se você jogar suas cartas certas, você pode chegar a ser um desses segredos." E lá está ele. Eu viro meus olhos, zombando. "Em seus sonhos, Ryan." Dou-lhe um pequeno empurrão na direção da saída para a pista. "Agora, traga seu traseiro aqui fora, para que eu possa vencê-lo."


"Ha! Isso é definitivamente em seus sonhos, Amaro ". "Vamos ver." Levantando o queixo, eu dou-lhe um olhar altivo conforme passo por ele, dirigindo-se ao segurança. Uma vez que tivemos a nossa conversa sobre segurança com o guarda e Carrick deu um autógrafo para ele também, vestimos nossos macacões e fomos para a pista. Nós definitivamente fomos no momento certo já que há apenas nós dois aqui, usando a pista. Os karts estão fora da pista esperando por nós. Eu solto meu cabelo do rabo de cavalo. Eu não vou conseguir colocar o capacete com o meu cabelo assim. Ele precisa ser amarrado em uma trança, que é como eu sempre uso quando estou em uma garagem ou na pista. Eu estou passando os dedos pelo meu cabelo, soltando os emaranhados, quando vejo Carrick me observando. O calor em seus olhos é perceptível, mas eu deixo pra lá. "Você nunca viu uma garota arrumar o cabelo dela antes?" Eu digo com uma inclinação dos meus lábios. "Eu nunca vi você arrumar o seu cabelo antes. E eu nunca o vi solto também. É bonito." "Obrigada." Minhas bochechas ficam coradas. "Mas não vai ficar solto." Eu começo a trança-lo rapidamente. Quando termino, eu prendo o elástico na ponta. Carrick ainda está me observando. E do jeito que ele está olhando para mim está me fazendo querer coisas que eu realmente não posso ter. Eu puxo meu gorro à prova de fogo para baixo, cobrindo meu rosto. "Você vai colocar o seu? Ou você está demorando porque você está preocupado que eu vá ganhar de você? " Ele sorri amplamente. "Prepare-se para ter um chute na bunda, Amaro".


Eu adoro tirar sarro dele sobre isso. Sério, não há nenhuma possibilidade de eu vencer Carrick aqui, mas é divertido fazê-lo pensar que eu acho que posso. Eu não sou uma pilota ruim, mas eu definitivamente não sou nenhuma campeã como ele. Carrick põe seu gorro, cobrindo seu rosto lindo, e, em seguida, ele coloca seu capacete, mantendo a viseira levantada. Ele coloca as luvas. Eu coloco o meu próprio capacete e, em seguida, minhas luvas. "Pronto?" Ele balança a cabeça na direção dos karts. "Sim." Nós caminhamos para os karts, e uma ideia me ocorre. Carrick nunca deixa ninguém pagar por qualquer coisa, eu sei que vou perder. Então, estou pensando em uma aposta, e eu sei que ele não será capaz de não aceitar porque ele é muito competitivo. "Acho que devemos apostar nesta corrida". Ele vira o rosto para mim, para que eu possa ver seus olhos através de sua viseira ainda aberta. "Oh, você acha?" "Sim." "Tudo certo. Quais são os termos? " "O perdedor paga o jantar." Ele faz uma pausa por um minuto. "Combinado." Ele estende a mão enluvada para mim, e eu aperto. Sorrindo para mim mesmo, eu puxo minha viseira para baixo e subo no meu kart. Carrick entra no seu ao meu lado. O segurança está ao lado da pista, com bandeira verde na mão. Nós temos quinze minutos. Levando provavelmente menos de um minuto por volta, vão ser cerca de quinze voltas.


Ele estende três dedos, indicando a sua contagem regressiva. Três... Dois... Eu ronco meu motor. Um. A bandeira vai para baixo, e nós saímos, zumbindo e ganhando velocidade pela pista. Carrick está na minha frente, mas não tão longe como ele deveria estar, e eu sei que ele está segurando para mim. Eu deveria ver isso como uma coisa agradável, mas eu sou competitiva por natureza, e isso só me irrita. Eu não preciso de piedade. Nós estamos dando voltas, mas Carrick não está colocando muita distância entre nós. Ele quer ou me zombar ou ser gentil. Bem, seja o que for, está me tirando do sério. Meu instinto assassino entra em ação, e agora tenho de vencer esta corrida, não importa como. Quando eu finalmente vejo o segurança na pista, ele está mostrando a bandeira branca, para nos dizer que estamos na nossa última volta, e eu já sei o que vou fazer. Eu vou vencer, não importa como. Carrick ainda está na minha frente, e eu sei que ele está apenas esperando até a última curva para em seguida, voa e cruzar a linha de chegada. Sim, isso não vai acontecer amigo. Chegamos à última curva. Eu vejo a minha oportunidade chegando. Estamos reduzidos a quarenta quilômetros por hora para fazer a curva, então eu aproveito. Em vez de diminuir ainda mais como Carrick faz, eu mantenho a


velocidade e corto pela traseira do seu kart, girando-o para fora da pista na terra. Ha! Olhando para trás para verificar se ele está bem, eu vejo seu kart na terra, e a cabeça de Carrick está virada para mim. Eu não tenho preciso ver seu rosto para saber que ele está puto. Rindo para mim mesmo, eu enfio meu pé no pedal e cruzo a linha de chegada. A bandeira de xadrez vem para baixo, e eu ganho. Vencedora! Sorrindo para mim mesmo, eu dirijo meu kart até o box. Paro, saio e tiro o meu capacete e o gorro. Vendo Carrick vindo em minha direção, eu começo a dançar ao redor, fazendo um pouco de dança da vitória. Carrick freia o kart estacionando atrás do meu. Ele salta para fora, arrancando seu capacete e gorro. Ele está de cara feia. Oh, ele está puto! Isso só deixa o meu sorriso mais largo, e me mantém dançando. "Eu não posso acreditar que você fez isso!", Exclama. "Fiz o que?" Eu me faço de boba. "Me tirar da pista! Você trapaceou porra! " Parando minha dança de vencedora, eu coloco minhas mãos na cintura. "Eu não trapaceei. Eu ganhei." "Trapaceando!" Ele joga as mãos para cima. "Oh, alguém é um mau perdedor. Bem, se você não tivesse feito papel de piloto piedoso, você poderia ter pensado na estratégia você mesmo e ter ganho. Você só está bravo porque eu cheguei lá em primeiro lugar! Um movimento estratégico não é trapaça, Carrick. " Ele rosna, o que me faz sair rindo.


"Eu ganhei do grande Carrick Ryan, e ele não admite!" Eu canto. Ele me dá um olhar irritado, uma mão puxando o cabelo. "Você não ganhou porque você trapaceou porra! " "Vencedora! Vencedora! Andi é a vencedora! Levantando as mãos no ar, eu dou um giro.

"

Eu

canto.

"Ladra!" "Mau perdedor!" Eu estou rindo tão forte agora que eu tenho de curvar-me para recuperar o fôlego. Na verdade, tenho lágrimas nos olhos. Não me lembro a última vez que eu ri tanto. Mas eu me lembro a última vez que eu ri, e foi com ele. É sempre com ele. Eu vejo seus pés se aproximando, e quando eu levanto minha cabeça, o encontro de pé na minha frente, seu rosto em todos os tons de bravo. Eu enxugo as lágrimas de alegria dos meus olhos com as costas das minhas mãos, ainda rindo. "Vencido por um dos seus mecânicos e uma mulher. O que isso vai acontecer com a sua reputação, Carrick? Isso poderia acabar com sua carreira. Você estaria arruinado se isso for à tona ". Seus lábios novamente?"

se

contorcem.

"Eu

estou

sendo

chantageado

Eu inclino minha cabeça para o lado, sorrindo. Levantando um ombro, eu digo: "Talvez." Ele balança a cabeça. Eu posso dizer que ele está desesperadamente tentando não rir, mas seus olhos estão brilhando com ele. "Chantagem, trapaça, e agora chantagem de novo. Quem é você? E o que você fez com a Andressa que eu conheço? " "Talvez você não me conheça tão bem quanto você pensa." Eu pisco, tocando o seu nariz com o dedo.


Ele pega meu dedo, segurando-o. No instante em que minha pele entra em contato com a dele, é como se algo sobrecarregado acabasse de entrar pelo meu corpo. De repente, me sinto muito alerta e muito consciente dele. A forma como o peito está levantando em cada respiração. A separação de seus lábios enquanto ele exala. Como seu corpo está tenso. Como está muito perto de mim. Tudo é intensificado. E o ar fica pesado entre nós. Eu encontro seus olhos, e minha boca seca instantaneamente. O riso que estava neles foi substituído por algo completamente diferente. Algo muito quente. É um calor que eu sinto dentro de mim. Seus dedos deslizam sobre a minha mão, enrolando-a, agarrando. "Andressa, você é-" Sua voz mudou. É mais profunda, rouca. "A vencedora?" Eu o interrompo, tentando injetar força em minha voz. Mas não funcionou. Eu estou completamente ofegante. Eu preciso nos trazer de volta para onde estávamos, mas eu não sei como. Ele está lentamente me puxando para mais perto dele, mais perto de tudo o que eu quero, mas não posso ter. "Como ninguém que eu já conheci antes." Uau. E foda-se. Fodidamente, foda, foda, foda. Tenho certeza que ele está pensando em me beijar agora, e eu realmente, quero que ele o faça. Deus, eu quero tanto beijá-lo. Meus lábios estão se preparando para agir.


Mas eu não posso. Ele é um piloto Eu não posso me envolver com ele. Eu me afasto, quebrando o momento, e minha mão desliza da sua. Vejo decepção aparecer em seu rosto, mas eu finjo que não vejo. Colocando meu capacete no carro, minha mão ainda queima do seu toque. Eu fecho o punho para me livrar da sensação dele. Eu limpo minha garganta. "Então, você me deve um jantar, Ryan." Jantar. Merda. Era para eu perder, para que eu pudesse pagar por isso. Eu poderia ser mais burra? Eu estou culpando minha idiotice. Voltando-me para encará-lo mais recomposta, eu dou um sorriso leve, fraco mas posso dizer. Só espero que ele não perceba. Ele ainda está olhando para mim, e seus olhos estão ilegíveis. Eu prendo a respiração, esperando que ele fale. Erguendo a mão, ele passa os dedos pelo cabelo. Em seguida, os lábios dão um sorriso suave. "Não que você mereça o jantar porque você me enganou... mas tecnicamente, você venceu. Então, bem, eu pago. O que você está com vontade de comer? " Você. Eu só quero você. Colocando a mão na cintura, eu inclino minha cabeça para o lado, limpando a minha mente de todos os pensamentos de querendo Carrick. "Do que eu estou a fim?" Eu franzo os lábios e, em seguida, tomo minha decisão. "Comida local." Ele sorri. "Ótima escolha. Eu sei exatamente o lugar para levá-la."


6 KUALA LUMPUR, MALÁSIA

Rodamos por cerca de quarenta minutos, e agora, Carrick está estacionando na rua, perto do que parece ser um mercado. Carrick nos trouxe aqui porque ele sabia o caminho, mas eu vou dirigir de volta para o hotel mais tarde, e eu mal posso esperar colocar minhas mãos neste carro. Saio do carro, me aproximando de Carrick na calçada. "Então, onde vamos?" Eu pergunto, enganchando meus dedos sob a alça da minha bolsa, segurando-a para mim, quando começamos a entrar no mercado. "Há um ótimo lugar um pouco mais para cima." À medida que caminhamos junto, eu observo as bancas e lojas, me distraio com as coisas - comidas, frutas, roupas, joias. Há artistas de rua pintando retratos e alguns velhos sentados a uma mesa, jogando um jogo de tabuleiro que tem um aspecto semelhante ao jogo de damas. Tudo ao redor traz uma música tradicional, uma canção misturando com outra. Então, eu vejo esta pequena tenda em estilo kitsch combinando com o que parece ser as joias Disney, e foi aí que eu vejo. "Oh meu Deus, é um colar de Lightning McQueen?" Parando, eu viro e vou até a tenda.


Eu sou uma grande fã de Lightning McQueen. Sério, Carros é o melhor filme da Disney da história. Prefiro do que qualquer princesa da Disney. Ao me aproximar, vejo que ele é definitivamente um colar de Lightning McQueen, e que era simplesmente a coisa mais legal que eu já vi. É um pequeno pingente do McQueen pendurado em uma corrente de prata. Eu imagino que não seja de prata, provavelmente, não é prata, e meu pescoço ficará verde após uma hora de uso, mas eu não me importo porque eu quero. Eu passo a minha mão em torno do pingente, e eu estou prestes a perguntar ao homem quanto custa, quando sinto o calor de Carrick atrás de mim. "Por que você está olhando para aquele colar do Carros como se fosse um diamante da Tiffany?" Eu inclino meu rosto para ele. "Porque para mim, é. O que pode ser lixo para uma garota é o tesouro de outra ". Seus olhos estão brilhando para mim à luz do sol. "Então, devo entender que você é uma fã de Carros?" "Hum, sim." Eu olho para ele, surpresa que ele ainda tenha que perguntar. Quero dizer, quem não gosta desse filme? "Você não?" Um sorriso toca seus olhos. "Não." "O quê? Por que não?" "Porque eu não tenho cinco anos de idade." Isso lhe rende um soco nas costelas com meu cotovelo. Eu fico olhando para ele, curioso. "Você nunca viu o filme, não é?" "Não." "Como isso é possível?" Exclamo. Tiro minha mão do colar, e voltome para encará-lo. "Porque, mais uma vez, não tenho cinco anos de idade."


Eu balanço minha cabeça decepcionada. "Você está seriamente perdendo. E você se considera um piloto de carro de corrida. " Fazendo uma pausa, ponho minhas mãos na cintura. "Sério, você tem que assistir a este filme. É incrível. É isso aí. " Eu tomo uma decisão. "Vamos assistir da próxima vez que você estiver livre." Ele aperta os lábios, e eu posso dizer que ele está segurando um sorriso. "O que você vai fazer? Comprá-lo e forçar-me a vê-lo? " "Não, eu já tenho DVD, tonto." Algo aparece em seu rosto, e eu percebo o meu fora. "Você tem isso com você, não é?" Minhas bochechas explodem, meus olhos vão para os meus pés. "Talvez", murmuro. "Você viaja ao redor do mundo com um DVD da Disney com você, não é?" Ele está morrendo de rir. Eu posso dizer. E eu estou morrendo porque ele agora sabe o quão idiota que eu sou. "É o meu cobertor de segurança", eu digo na defensiva. Seus dedos encontram o meu queixo, levantando o meu rosto para ele. Seu rosto é iluminado com humor. "Você sabe, normalmente pessoas têm um cobertor real para a segurança." "Você está dizendo que eu não sou normal?" "Não. Eu estou dizendo que você é única. " "Única boa ou única ruim?" Eu mordo meu lábio. Ele puxa a boca para o canto, mas um clarão de algo mais está em seus olhos, algo um pouco mais sério. "Oh, definitivamente boa. Você é... sem precedentes, Andressa. " Oh. Uau. Um arrepio passa pelo meu corpo. "Então, você quer o colar?"


"Mmhmm ..." Ele não parou de olhar para mim, nem eu, para ele. Estou deslumbrada, presa em seu doce feitiço. Ele tira os olhos de mim, e eu instantaneamente perco o olhar. Então, eu o vejo pegando a colar da tenda. Antes que eu possa pará-lo, ele está segurando o colar e perguntando ao vendedor do mercado, "Quanto?" O vendedor diz: "Cinquenta e cinco ringgit, mas você pode levá-la por cinquenta." Carrick puxa a carteira, e eu o vejo tirar muito mais do que cinquenta ringgit. Ele entrega o dinheiro para o homem. "Fique com o troco." Eu não sei o quanto Carrick deu a ele, mas os olhos do homem brilham com o dinheiro, e ele rapidamente guarda em seu cinto de dinheiro. "Aqui está". Carrick me pede para virar. Então, eu o faço, me colocando de costas para ele. "Você não tinha que fazer isso", eu digo em voz baixa. "Eu queria." Ele coloca o colar em volta do meu pescoço. O pingente fica bem contra a minha pele. Fecha a corrente e põe as mãos nos meus ombros. "Agora, você vai ter sempre o seu cobertor de segurança com você." Eu sinto algo profundo e significativo dentro do meu coração. Eu coloco minha mão sobre o pingente. "Obrigada." Eu olho para ele sobre meu ombro. Seus olhos piscam para os meus lábios. O azul em seus olhos escurecerem, e, em seguida, ele levanta o olhar para o meu, afastandome. "Vamos. Vamos comer. "


Andamos um pouco mais adiante até que Carrick para em frente a um pequeno restaurante. É tão obscuro que eu teria passado reto. "Aqui?" Eu aponto para o lugar. "Ele não parece muito de fora, mas espere até ver o interior." Carrick abre a porta para mim, e eu entro em um pequeno oásis da Malásia. Ele não estava brincando. Eu quase vou para fora para verificar se eu ainda estou no mundo real. Eu sinto que acabei de pisar em Nárnia. O teto é alto e lanternas vermelhas caem penduradas do teto. As mesas são de madeira escura, todas com serviços coloridos, diferindo em tons vermelhos, verdes e roxos. As cadeiras de madeira têm as costas almofadadas, todas igualmente tão coloridas quanto os talheres. As paredes são douradas revestidas com lindas pinturas, e uma cortina está pendurada na janela da parte de trás, que surpreendentemente dá para um lindo jardim completo com uma fonte de água. "Senhor. Ryan! " Um pequeno sujeito malaio vem vagando da área do bar com um grande sorriso no rosto. "Bom ver você de novo. Eu estava me perguntando quando você viria. E eu vejo que você trouxe uma amiga. Olá ", ele me diz, sorrindo largamente. "Olá." "Guntur, esta é minha amiga Andressa Amaro. Andressa, Guntur Wan. Ele é o proprietário deste lindo lugar ", Carrick me informa. "Que lindo lugar você tem aqui", eu digo. "Obrigado", ele diz com um aceno de mão. "Mas a decoração é nada em comparação com a comida." Ele me dá uma piscadela, fazendo-me rir. "Ele não está brincando", Carrick me diz conforme Guntur nos leva a nossos assentos. "Por que você acha que eu venho até aqui cada vez que estou em Kuala Lumpur? " "Bem, obrigada por me trazer com você." Eu sorrio, encontrando seus olhos.


"O que vocês querem beber?" Guntur nos pergunta. "Água com gás para mim", eu digo. "Pra mim também", Carrick diz. Guntur entrega a cada um menu. "Nós adicionamos alguns pratos novos desde que você veio aqui." Guntur diz a Carrick, batendo nas suas costas de uma forma amigável. "Eu já trago as suas bebidas." "Então, como você encontrou este lugar?", Pergunto a Carrick. "Não está exatamente no mapa turístico." "Quando eu comecei na Fórmula 1 e eu estava aqui para a minha primeira corrida, eu conheci Guntur através dos patrocinadores. Ele é um tipo de relações públicas. Guntur é um grande fã de corrida. De qualquer forma, ele me deu o seu cartão para o restaurante, disse-me para vir. Disse que servia o melhor nasi lemak de toda a Malásia. Eu não tinha idéia do que era nasi lemak, mas eu estava entediado uma noite, peguei o carro e vim para cá. Experimentei o nasi lemak além de uma tonelada de outras comidas, e agora, eu volto aqui para comer cada vez que eu estou em Kuala Lumpur. E Guntur é um grande cara. " "Sim, ele parece legal." Eu apoio meu queixo na minha mão. "E o que é nasi lemak?" "É o prato nacional. É basicamente o arroz cozido em leite de coco e uma folha pandan. " "Você sabe cozinhar?" Eu pergunto, confusa, tentando imaginá-lo na cozinha. "Não, eu estou lendo no menu." Ele me dá um sorriso insolente, os olhos cintilando para baixo para o menu na frente dele. Rindo, eu balanço minha cabeça para ele. "Então, o que vamos comer?" Guntur aparece de volta com nossas bebidas.


Agradeço a ele como ele coloca a minha água na minha frente, e eu olho para o meu menu. Com nenhum indício do que pedir, eu olho para Carrick para ter ajuda. "Você quer que eu peça para nós dois?" "Por favor." Eu sorrio. Eu escuto Carrick recitar o que parece uma enorme quantidade de comida enquanto eu tomo um gole da minha água. Guntur anota o pedido e, em seguida, desaparece para a cozinha. "Então, eu não acredito que eu nunca perguntei antes, mas aonde na Irlanda você cresceu?" "Houth. É uma antiga vila de pescadores não muito longe de Dublin. " "Ela tem praias?" "Não." Ele ri. "Perto do porto tem uma parte de rochas onde você só pode sentar para ficar mais perto do água. Nada como o que você tem no Brasil. " "Eu nem sempre tive essas praias, lembra? Nasci no Reino Unido ". "Sim, claro", diz ele. "De onde na Inglaterra você é?" "Londres." "E por que você se mudou para o Brasil?" Tomo um gole de água, preparando-me para a minha resposta. "Meu pai morreu quando eu tinha dez anos." "Jesus, Andressa. Eu não sabia disso. Sinto muito." "Está tudo bem. Você não o matou ". Ele me olha por um momento, parecendo desconfortável. "Desculpa. Piada mal feita. " Eu brinco, e seu rosto relaxa. Eu só queria que o olhar de pena em seu rosto fosse embora. Eu posso recebê-lo de qualquer um, mas vindo dele... isso me incomoda.


"De qualquer forma, minha mãe não tinha família na Inglaterra, mas ela tem um monte no Brasil. Nós estávamos sozinhas na Inglaterra, então ela me levou de volta para o Brasil para viver. " "Deve ter sido duro perder seu pai e mudar do outro lado do mundo." "Eu consegui." Apenas um pouco. "E eu tenho um monte de primos e tias e tios, por isso era bom para estar perto da família. " "Como é que o seu pai morreu? Se você não se importa de perguntar ". "De acidente." "Que tipo de acidente?" "O pior tipo." Minha voz é dura, e eu instantaneamente me sento mal, então eu tento mudar o assunto. "Então, como é que você acabou se tornando um piloto de Fórmula 1?" "Meu pai era um mecânico." "Eu não sabia disso." Eu me inclino para frente com interesse. "Sim, eu cresci em volta de carros. Meu avô-pai de meu pai era um mecânico-, também, então eu acho que os carros estão em meu sangue. Quando eu tinha sete anos, meu pai levou eu e alguns dos meus amigos para correr de kart para no meu aniversário, e daquele momento em diante, eu estava viciado. Eu corria no kart regularmente, comecei a participar de competições. Eu amei. Não foi o suficiente. Meu pai logo percebeu o quão sério eu estava sobre isso, e é claro, que ele viu como eu era, principalmente porque eu estava ganhando todas as minhas corridas. " Ele dá um sorriso atrevido. "Então, ele começou a dedicar muito do seu tempo para o meu sonho. Com todas as corridas que eu estava participando, foi difícil para ele com o trabalho, por isso ele acabou tendo que reduzir suas horas de dia e assumir mais á noite com trabalhos extras para ganhar dinheiro.” "Então, quando eu tinha treze anos, meu avô faleceu, e ele deixou tudo para o meu pai – a casa e um bom bocado de dinheiro que ele


tinha guardado ao longo dos anos. Kart era bom na Irlanda, e as corridas foram sérias, mas eu queria mais. Meu pai viu que havia mais oportunidades com kart na Inglaterra e a possibilidade de progredir para Fórmula 1. Então, ele vendeu a casa do meu avô e nossa casa, e nos mudamos para a Inglaterra. Ele alugou um lugar e fazia alguns trabalhos quando podia. Ele usou o dinheiro do vovô e das vendas das casas para nos manter.” "Entrei na Intercontinental A, quando eu tinha quatorze anos, que eu acho que agora é chamada de KF-dois. Então, um ano depois, eu progredi para a Fórmula A. No ano seguinte, eu estava na Fórmula Super A. Eu fui subindo para a F-3, F-2, e, em seguida, a F-1 quando eu tinha vinte anos ". "Uau. Isso é que é uma história. Seu pai fez muito por você para ajudá-lo estar onde você está", eu digo, começando a ver a razão para toda a proteção de Owen sobre a carreira de Carrick. "Sim, ele fez. Ele é ótimo. O melhor pai que um cara poderia pedir. " Isso traz um nó na minha garganta. "E a sua mãe?" Seus olhos escurecem. "Ela não está por perto. Não esteve há muito tempo. " "Ela foi embora?" "Quando eu tinha dois anos. Aparentemente, ela não era feita para ser mãe. " "Oh, Carrick... Eu sinto muito." Eu não posso imaginar alguém deixar uma criança. Minha mãe nunca teria me deixado, e meu pai... de jeito nenhum. A única maneira que ele me deixou foi pela morte. E para deixar alguém como Carrick... Eu não posso imaginar. Ele brilha tanto. Passando sobre a mesa, eu toco a minha mão na dele, enrolando meus dedos em torno dos dele. "Ela perdeu muito, Carrick. Realmente muito."


Seus olhos olham para as nossas mãos, demorando-se ali por um momento, e então ele olha para o meu rosto. Meu coração começa a bombear no meu peito. Eu tiros meus dedos. Pegando minha bebida, eu tomo um gole nervoso. "Qual é o seu carro favorito?", ele pergunta do nada, para consertar o clima criado com o meu momento segurando sua mão. "Oh, isso é fácil. Jaguar XK-um vinte." Era o carro que meu pai dirigia, seu orgulho e alegria. Ele o tinha até o dia que ele morreu. Eu não vi que esse carro desde então. Quando meu pai morreu, minha mãe se livrou de seus carros em um leilão e deu todo o dinheiro para caridade. Eu fiquei com raiva por um bom tempo sobre isso. "E você?" "Normalmente o que eu estou dirigindo. Eu sou inconstante assim. " Ele sorri, e eu rio. "Como você sabia que queria ser uma mecânica?", Ele pergunta. "Do mesmo modo que como você sabia que queria ser um piloto. Eu cresci em volta de carros. Era uma progressão natural. Minha mãe, porém, provavelmente gostaria que eu tivesse feito outra coisa com a minha vida ". "Como o que?" "Qualquer coisa, menos mecânica. Eu acho que ela secretamente queria que eu fosse uma modelo, como ela era. " "Sua mãe era uma modelo?" "Mmhmm." Eu provavelmente não deveria ter dito isso a ele. Não seria preciso ser um gênio para ligar a minha mãe com meu pai com a ajuda do Google, não que eu acho Carrick vá sair pesquisando eu ou minha mãe.


"Você sabe o que é engraçado. A primeira vez que te vi, eu achei que podia ser modelo. " Eu viro meus olhos para ele. "Então, é da sua mãe de quem eu teria ouvido falar?" "Provavelmente não. Ela desistiu da modelagem depois que ela me teve. Ela era incrivelmente bela, ainda é." "Eu posso imaginar." "Aqui. Eu tenho uma foto dela. " Eu pego meu telefone da minha bolsa e entrego a ele, mostrando-lhe a imagem de protetor de tela que eu tenho da minha mãe e eu. Tirei um pouco antes de deixar o Brasil. "Essa é a sua mãe? Porra, vocês parecem irmãs. Ela é uma mãe gostosona definitivamente. " "Ew!" passando sobre a mesa, eu pego meu telefone de sua mão. "Isso é nojento! Você não pode ser pervertido com a minha mãe!" Ele está rindo agora. "Desculpa. Eu não estou dizendo que eu gostaria de... erm, você sabe... com sua mãe, mas eu posso imaginar que alguns homens gostariam muito de conhecê-la. " "Jesus, Carrick. Você está deixando pior. " Eu deixo cair a minha cabeça em minhas mãos. "Desculpe." Ele ri. Eu levanto a cabeça, balançando-a para ele. "Continuando. Eu quero te perguntar isso já faz um tempo. Você não tem nenhum ritual de coisas que você faz antes de uma corrida? " Meu pai tinha. Ele sempre tinha que usar bermudão preto e meias pretas. Antes de cada corrida, ele fazia também uma omelete simples de café da manhã. Eu nunca soube por que. "Sim." Eu espero, mas ele não se expande. "Bem... você vai me dizer o que é?"


Com os braços sobre a mesa, ele se inclina para a frente. "Ok." Ele deixa escapar um suspiro. "Eu tenho que comer uma barra de chocolate Galaxy antes de cada corrida. " "Sério?" Eu sorrio. "Por quê?" Com os olhos em mim, ele descansa para trás em seu assento, mantendo as mãos sobre a mesa. "Depois que nos mudamos para a Inglaterra, eu não sei se foi a pressão ou estar em um país diferente ou o que, mas eu não estava ganhando as corridas. Eu chegava em quarto na melhor das hipóteses. Eu estava em pânico porque o papai tinha desistido de tanto para nos mudarmos para a Inglaterra, e eu estava ficando frustrado porque eu sabia que eu era capaz de mais.” "De qualquer forma, neste dia em particular, eu estava com fome, porque eu tinha esquecido de comer, e meu pai falava, 'Você vai perder esta corrida com o estômago vazio. "Então, ele saiu para me pegar algo para comer. Enfim, ele voltou, me dizendo que só havia esta máquina de venda automática de merda. Em seguida, ele estendeu uma barra de chocolate Galaxy, e eu estava tipo, 'Que diabos é isso? Eu não vou comer isso. É chocolate das mulheres. Homens não comem Galaxy. Eles comem Yorkie. "Você se lembra dos anúncios?" "Eu lembro." Eu rio, amando o jeito que ele está contando a história. Ele está tão animado com os olhos iluminados. "Então, meu pai ficou puto e disse:" Bem, eles não têm o chocolate dos homens, então coma a porra do chocolate das mulheres, e cala a boca! '" Eu dou uma risada. "Então o que você fez?" "Fiquei amuado por cerca de um minuto, e então eu comi a porra da barra do Galaxy, e foi o melhor chocolate. Eu nunca tinha provadonão que eu tenha admitido para o meu pai na época. Então, eu entrei no meu kart e ganhei minha primeira corrida na Inglaterra". Ele sorri com carinho, e eu posso ver a memória em seus olhos.


"E desde então, antes de cada corrida, meu pai me compra uma barra de Galaxy de uma máquina de venda automática, e eu como. É minha uma coisa estranha." "Mas e se não há qualquer Galaxy em uma máquina de venda automática? Ou pior, não há uma máquina de vendas?" Ele se inclina para frente, um sorriso sexy no rosto. "Sempre há uma máquina de venda automática, Andressa e há sempre uma barra de Galaxy nela ". "Ah." O poder de ser Carrick Ryan. Guntur aparece na nossa mesa com uma enorme bandeja nas mãos, cheia de comida. Ele começa a colocar os pratos na nossa frente. Em seguida, outro garçom põe uma folha verde diante de mim. "Folha da banana", Carrick me diz quando ele me vê olhando para ele. "É, no lugar do prato." "Oh, certo. Legal." Depois que toda a comida é colocada na mesa, eu olho para os arrozes, carnes, legumes e outras coisas que eu nem sequer sei como descrever, e Guntur nos diz para aproveitarmos a refeição. Olhando para cima, eu digo para Carrick, "Tudo para a sua alimentação saudável." Eu sorrio, então ele sabe que eu estou brincando. "Você vê qualquer pessoa da Malásia com excesso de peso por aqui?" Eu dou uma olhada para as poucas pessoas sentadas aqui. "Não." "Bem, aí está então." Ele sorri. "Ok, Jabba," Eu provoco. "Então, o que devo experimentar primeiro?" Ele me dá uma olhada e, em seguida, pensa sobre os pratos. Ele pega um prato de arroz. "Tente isso."


Nos divertimos muito durante o jantar, comendo e falando. Nós conversamos sobre a escola, os amigos, e coisas aleatórias, como música e os livros favoritos. Nós estamos a horas, o tempo simplesmente desapareceu. É um dos melhores dias que eu já passei com alguém. Quando estamos satisfeitos, Carrick paga, novamente recusandose a me deixar pagar ou até mesmo dividir. E eu não discuto, para evitar o último discurso de quanto você ganhou no último ano. "Obrigada por hoje, o kart e a comida", eu digo, enquanto caminhamos de volta no início da noite, no pôr do sol. "Ás ordens." Caminhamos de volta através do mercado para o carro. Quando chegamos nele, Carrick me joga as chaves. Eu sorrio como um cachorro que ganhou um osso. "De volta para o hotel?" Eu verifico, subindo no lado do motorista. "Sim, mas pegue o caminho mais longo." Eu coloco o meu cinto de segurança e ligo o motor. Ela ronca. O aparelho de som ganha vida com o som de "Wish You Were Mine de Philip George." "Você está pronto para o passeio da sua vida?" Eu bato minha mão no volante enquanto eu viro meu rosto para ele, e eu vejo que ele já está olhando para mim, sua expressão ilegível. "Sim, eu estou pronto." Algo em seu tom faz meu coração acelerar no meu peito. Eu engato a marcha. Verificando meus espelhos, eu saio para a rua. Pressionando o pedal eu nos levo de lá.


7 XANGAI, CHINA

"Então, o que você achou?" Carrick e eu estamos na sala de estar de sua suíte de hotel, e acabamos de assistir Carros. Eu finalmente o convenci a ver. Estou esparramada no sofá, com os pés em cima da mesa de centro. Carrick está na outra extremidade do sofá, e há um pote enorme vazio de sorvete de creme entre nós. Foi o melhor sorvete que eu já comi. Fezme lembrar o monte de sorvete que Macaulay Culkin tinha em Esquecerão de Mim. Claramente, Carrick fez uma pausa em sua dieta saudável. Mas eu estou lhe dando um crédito esta noite porque foi dia de corrida, e ele ficou em terceiro lugar, o que é incomum para ele. Ele geralmente é primeiro ou segundo. Raramente terceiro. Ele disse que o carro estava desalinhado. Ben e eu checamos isso, mas não conseguimos encontrar nada de errado, então eu não sei o que aconteceu. Mas Carrick está compreensivelmente com um humor de merda desde então. Ele é competitivo, e não gosta de perder. Quando ele disse que não estava a fim de sair, eu disse que iria ficar com ele enquanto Petra e os caras saíram. Eu não me importo uma vez que todos nós vamos para Bahrain amanhã, mas Carrick ainda tem que permanecer para algumas entrevistas e coisas de patrocínio, e ele tem que filmar um anúncio


publicitário. Eu não vou vê-lo por alguns dias até que ele se junte a nós lá, por isso estou feliz de passar este tempo com ele antes de ir. Pedimos uma mistura de comida junto com o sorvete de creme no serviço de quarto, e tivemos uma noite divertida. Mas na verdade, todas as noites que passo com Carrick são divertidas. É justo dizer que nós estamos mais próximos ultimamente. Muito mais perto. Eu o vejo quase todos os dias, e se eu não vê-lo, nós mandamos mensagens ou ligamos. Ele está se tornando rapidamente o melhor amigo que eu já tive. "Foi okay", ele brinca. "Só okay?" Dou-lhe um olhar de desgosto. Ele passou a maior parte do filme rindo. Eu até o vi com os olhos úmidos em um momento. "Sim, apenas ok." "Você está mentindo." Sentando-me, eu tiro as pernas da mesa de centro e coloco por baixo de mim, de frente para ele. "Você adorou. Admita." "Eu disse, foi apenas ok." Ele franze a testa. Seu humor ainda está ruim. Eu pensei que o filme fosse ajudar, mas a tensão ainda está lá. Eu preciso fazê-lo rir. "Diga a verdade. Diga que você adorou Carros, e foi o melhor filme que você já viu, ou você vai ver." "Eu vou ver?" ele levanta a sobrancelha. "Mmhmm." "E o que eu vou ver?" Eu olho o pote de sorvete e, em seguida, pego. Levanto o pote até o nível do peito, e levanto a colher de sorvete, deixando-o escorrer de volta para a tigela. "Admita que Carros foi o melhor filme que você já viu, ou você fica com creme." Eu dou-lhe um olhar arrogante.


Sua sobrancelha levantar. Poe os pés fora da mesa de centro, e senta, com os olhos alerta, trazendo seu corpo em minha direção. "É sim, Amaro? Você percebe que eu posso me mover muito rápido. Eu vou pegar o pote das suas mãos, e vou cobrir você de sorvete antes mesmo de você ter a chance de vir com essa colher em minha direção. " "O que?" Eu levanto uma sobrancelha. "Essa é uma afirmação ousada para fazer." Ele fica de joelhos no sofá, de frente para mim. "Não é ousada. É fato ". "Você está me desafiando, Ryan?" Ele inclina a cabeça para o lado. "Sim. Por quê? Você amarelou, Amaro? " "Ha! Imagina. Desafio aceito." Em seguida, tudo meio que acontece muito rapidamente. Eu pego uma colher com um pouco de sorvete, levantando minha mão para derramar nele. Foda, ele é rápido. Ele não estava brincando. Eu só consigo jogar um teco de sorvete em sua camisa antes de estar deitada de costas e o pote longe da minha mão, no chão, com Carrick sorrindo prendendo minhas mãos sobre minha cabeça, arrancando a colher dos meus dedos. "O que você estava dizendo?", Diz ele de cima de mim, segurando a colher tirando sarro da minha cara. "Aargh!" Eu grito, fechando os olhos, prevendo o sorvete caindo. "Você desiste?" Sua voz é profunda. Ela provoca um calor no meu ventre. Abro os olhos, olhando para os seus. "Nunca. Eu prefiro ficar coberta de sorvete do que me submeter. " Algo pisca em seus olhos com a minha última escolha de palavras. "Basta fazer o seu pior, e acabar logo com isso." Apertando meus olhos, eu me preparo para o sorvete.


Então, eu o sinto, algo muito grande e muito significativo pressionado contra a minha coxa. Minha respiração para, e meus olhos abrem para encontrar os seus. Seu rosto está muito mais perto do meu do que estava há pouco. E o brilho em seus olhos agora... é quente. Como com o toque de um botão, eu sinto meu corpo inteiro acender contra o seu. Seu corpo está sobre o meu e sua ereção pressionada contra a minha coxa. Saber que apenas estar tão perto de mim faz isso com ele, me traz coisas loucas na cabeça. Eu mordo meu lábio. Ele fica ofegante. Seu peito se contrai. Seus olhos escurecem com desejo. Abaixando a colher na minha boca, ele passa sobre os meus lábios, sujando de sorvete. Eu trepido com o contato frio. Colocando a colher no chão, ele abaixa a cabeça. Mantendo os olhos nos meus, ele passa muito lentamente sua língua ao longo meus lábios, lambendo o sorvete deles. Santo Deus. Estou congelando. Cada músculo está paralisado. Não poderia me mover, mesmo se eu quisesse. E eu realmente não quero. Eu realmente, definitivamente não quero. Desde que conheci Carrick, tudo que eu tenho pensado é como que seria beijá-lo, o gosto dele... e agora, parece que eu estou prestes a descobrir. Mesmo que eu realmente não devesse estar fazendo isso, porque nada de bom pode vir dele, eu não consigo parar. Mas eu deveria pelo menos tentar.


"O que você está fazendo?", eu sussurro. Minhas palavras são fracas e sem sentido. Ele pisca aqueles olhos azuis lentamente, umedecendo os lábios com a língua. Deus, ele é lindo. Quando seus olhos abrem de novo para mim, eu vejo como eles estão cheios de desejo, e eu o sinto entre as minhas pernas. "Eu estou ganhando", ele sussurra. Em seguida, ele pega a minha boca e dá o beijo mais sensual e delicioso que eu já experimentei. Cada nervo do meu corpo se acende. É como se eu estive dormindo, meu corpo estivesse dormente nos últimos vinte e quatro anos, e agora, ele me acordou com o simples toque dos lábios. Sua língua se move em minha boca, deslizando com a minha. Eu posso provar o sorvete doce nele. Ele tem o gosto de cada um dos meus sonhos. Com um gemido, ponho meus braços ao redor de seu pescoço, meus dedos agarrando seu cabelo na nuca. Minha ação parece fazê-lo explodir. Com um rosnado, ele afasta minhas pernas com o joelho. Deitado entre elas, ele pressiona contra mim. Cada centímetro duro dele está contra meu sexo dolorido. Deus, isso é incrível. E eu sei que estou com um grande problema, porque eu não quero que ele pare, especialmente quando ele começa a se mover contra mim. O som de Fleetwood Mac do "The Chain" de repente explode alto do meu telefone na mesa de centro, me arrancando de Carrick e do momento que eu me deixei levar. Merda! O que eu estou fazendo?


"Ignore." Ele esfrega seus lábios sobre os meus novamente, e enfia os dedos no meu cabelo, me trazendo de volta para mais. E Deus, eu quero continuar a beijá-lo. Mas meu cérebro voltou a funcionar agora, e ele está dizendo que eu preciso parar com isso. Porque nada de bom pode vir se isso continuar. Além de uma amizade arruinada. Carrick é um piloto. E ele é meu amigo. Eu sinto um nó no meu estômago. Pressionando minhas mãos contra o peito dele, eu o afasto. "Pare. Precisamos parar. " Eu estou sem fôlego. "Parar?" Ele não parece satisfeito com essa ideia. Eu também não estou. Mas parar é a coisa certa a fazer. "Sim. Pare. " Eu saio de debaixo dele, deslizando para fora do sofá. Eu fico em pé com dificuldade e me apoio. Eu preciso colocar alguma distância entre nós. "Isso... isso não deveria ter acontecido." Eu coloco meus dedos em meus lábios. Eu ainda posso senti-lo lá. Carrick está sentado agora, olhando para mim confuso e frustrado. "Isso absolutamente deveria ter acontecido. E precisa continuar acontecendo. " Ele se levanta. "Não. Eu não posso fazer isso com você. " Minha voz é rígida. Eu não quero que seja. "Você não pode fazer isso comigo?" Seu rosto fica com raiva. "Que porra isso quer dizer?" Sabe aquele momento em que você sabe que está entrando num buraco, mas você não pode parar de cavar, não importa o quanto você tente? Sim, eu estou lá agora. "Isso significa que, você é você, e eu sou eu." Eu coloco a mão no meu peito.


"Eu sou eu?" Ele está começando a ficar puto. Estou ficando confusa, e desesperada. Francamente, eu também estou com tesão. "Sim! Você é Carrick Ryan, supremo mulherengo! Você transa com qualquer coisa que se move, e eu não quero ser uma dessas transas! E eu trabalho para você, e você é um piloto, e eu não me envolvo com pilotos. Você sabe disso!" O silêncio bate como um baque surdo na minha cabeça. Eu não estou plenamente consciente de tudo que eu disse, mas eu sei que não foi bom. Eu percebo isso pela maneira como ele está olhando para mim como se eu fosse realmente um gosto ruim em sua boca. Suspirando, eu passo a mão pelo meu cabelo. "Olha... falei tudo errado-" "Não, eu acho que falou certo." Sua voz é forte, dura. "Eu..." Eu não sei o que dizer. Deixei escapar um suspiro de resignação. "Eu provavelmente devo ir." "Sim. Você provavelmente deve. " Ele não olha para mim agora. Ele se vira, de frente para a janela. Pegando meu telefone e chave do quarto da mesa de centro, eu ponho meus chinelos. Quando eu chego à porta, digo pra ele, "Te vejo mais tarde?" Eu espero e não tenho uma resposta. Abro a porta, eu a deixo bater atrás de mim.

Como eu pude deixar isso acontecer? Nós nos beijamos, e agora, estamos com raiva um do outro, é simplesmente estúpido.


Estou sentada na minha cama no meu quarto, pelas últimas duas horas desde que deixei Carrick, passando por raiva e tristeza e raiva novamente. Estou na conformação agora. E arrependimento. Grande arrependimento. Eu odeio como nós deixamos as coisas. Eu não quero brigar com Carrick. Ele é a melhor coisa na minha vida. Minha mãe sempre diz que você nunca deve ir dormir brigada. Honestamente, eu não vou conseguir dormir esta noite se eu não resolver isso com Carrick. Eu não quero que isso estrague o que nos tornamos. Um beijo realmente não deve estragar as coisas. E sim, beija-lo acendeu a queda que eu tenho por ele, mas eu consigo me controlar perto dele. Porque ter um Carrick do que nenhum. Decisão tomada, eu calço meus chinelos de volta, pego meu telefone e a chave do quarto, e sigo para o elevador. Meu estômago está se contorcendo até seu andar. Quando a porta se abre, eu me encho de determinação, e caminho para a porta. Eu bato na sua porta e espero. E espero. Sem resposta. Ele não está aqui? Eu bato de novo, um pouco mais alto desta vez. Nada ainda. Eu fico um minuto e me sinto murcha. Eu estava pronta para conversar sobre isso com ele, e a porra dele não está aqui.


Eu me pergunto: Onde ele está? Talvez ele tenha saído e se encontrado com Ben e o resto deles. Eu mando uma mensagem para ele, perguntando se podemos conversar. Se eu tiver que sair para encontrá-lo é bom. Eu realmente preciso falar com ele. Ando arrasada de volta ao elevador e aperto o botão. Então, eu digito rapidamente uma mensagem para Carrick, perguntando se eu posso vê-lo, dizendo que nós precisamos conversar. Acabei de pressionar “enviar” quando o elevador apita que chegou. Conforme as portas abrem, eu levanto os olhos do telefone para o som de risadas femininas. Meu coração para de bater. Carrick. E ele não está sozinho. Ele tem uma garota local muito atraente, miúda pressionada contra a parede do elevador. Sua boca está na dela. Sua mão está acima de seu vestido. A boca e as mãos que estavam me tocando apenas algumas horas antes. Lágrimas instantaneamente queimam meus olhos, um nó se forma na minha garganta. Eu dou um passo para trás, e meu movimento chama a atenção da garota. "Oops." Ela ri, a voz com forte sotaque. "Temos companhia." Ela bate no ombro dele. Levantando a cabeça dela, ele se vira para mim. Seus olhos vidrados bêbados encontram os meus. Por uma fração de segundo, conforme seus olhos azuis encontram os meus, ele parece em choque que rapidamente vira culpa, e então eles endurecerem ficando pretos. E de repente sinto muito frio.


"Que porra você está fazendo aqui?" Eu estou surpresa com sua resposta ácida. "Eu..." Eu pisco, vacilante. Ele nunca falou comigo desse jeito antes. Então, eu me recomponho. "Eu vim para ver se estávamos bem. Claramente, você está. " Meu tom é duro e frágil conforme aponto para ele... eles. Como se perceber que ainda estava lá, ele tira sua mão de debaixo do vestido, me lembrando onde ela estava. Eu vou vomitar. De verdade. Eu penso se tem uma caixa ou qualquer coisa para segurar o vômito antes de eu faça isso aqui em frente a ele. Pare, Andi. Respira fundo. Ele é livre para fazer isso. E esse é quem Carrick é. O que ele faz. Mas ele estava comigo... E eu o afastei. Bem, certamente ele não teve problema em encontrar uma substituta. "Carr, quem é essa?" Sua voz soa desconfortável. Ela provavelmente está preocupada que eu seja sua namorada ou algo. Eu abro meus lábios secos para falar. Mas Carrick rebate. "Ela não é ninguém." Ninguém. Se ele tivesse me batido, ele teria machucado menos. Eu vou para trás em choque, pressionando a palma da minha mão para diminuir dor presa no meu peito. Não afetado pela dor que ele acabou de me infligir, ele sai do elevador, levando a menina pela mão.


Ele aponta. Sua voz diz "O elevador é todo seu." Monótona, quase como se ele estivesse cansado de ter de realmente falar comigo. Eu olho para o elevador, mas tudo que eu posso ver é ele lá dentro com ela, pressionado contra ela. Beijando-a. A mão dele- "Eu vou de escada." "Tanto faz." Ele passa por mim, levando-a para sua suíte. Tomando um pouco de ar, eu me sustento em pé e me forço em direção à escada enquanto ouço os sons desaparecendo dela rindo conforme eles vão para dentro da suíte. Eu enrolo firmemente os braços sobre o peito, segurando-me, enquanto as rachaduras dentro de mim estão abertas. Eu alcançar a porta para a escada. Abro-a com o meu ombro, e saio, a respiração que eu estava segurando sai dolorosamente de mim. Um soluço para na minha garganta. Eu cubro minha boca com a mão, e segure-o conforme eu corro para baixo pelas escadas. Empurrando a chave na minha porta, eu entro no meu quarto. Deixando a porta se fechar atrás de mim, eu me amasso contra isso. Removendo a mão da minha boca, eu a pressiono contra a dor no meu estômago e o soluço sai. Com as lágrimas que escorrendo dos meus olhos, eu coloco meus dedos em torno do pequeno pingente do carro pendurado em volta do meu pescoço.


8 SAKHIR, BAHRAIN

No dia seguinte, eu deixo a China sem ter de ver Carrick. Agora, eu cheguei no Bahrein com os caras e ligo meu telefone. Eu estou sentada no ônibus para nos levar para o hotel, e eu estou lendo uma mensagem de texto dele. Sinto muito. Ele está arrependido. Do que? De me beijar? De beijá-la? De fazer sexo com ela? Por ser o maior babaca do mundo? Aargh! Um acesso de ira pulsa dentro de mim. Eu apago a mensagem e jogo meu telefone na bolsa. "Você está bem?" Eu levanto meus olhos para ver o tio John de pé do meu lado. "Mmhmm. Eu estou bem. Apenas cansada. " Eu forço um sorriso. Ele toma o assento ao meu lado. "Eu te entendo. Eu acho que estou ficando velho demais para todas essas viagens. " "Nunca." Eu olho para ele, sorrindo. "Você não saberia o que fazer se parasse. Você ama isso."


"Claro que eu sim." Ele me dá uma piscadela. "Mas eu ainda sim, estou ficando velho." "Bom, para mim, você ainda parece o mesmo de quando eu era uma menina." Eu enrolar minha mão em seu braço e descansar minha cabeça em seu ombro. "Estou feliz que você está aqui." "Sim, eu também." "Como nos velhos tempos." Ele deixa escapar um longo suspiro. "Você tem passado muito tempo com Carrick." Aí está. Eu ergo minha cabeça e olho em seus olhos. "E?" "E eu quero ter certeza de que você está bem." Ele olha para mim, e eu sinto que ele pode ver através de mim. Ele sempre foi capaz de saber quando algo está acontecendo comigo. "Estou bem. Carrick e eu somos apenas amigos ". "Tenho certeza que você pensa assim. Mas e ele? " Eu penso sobre ontem. "Sim, ele também." Outro longo olhar, e em seguida, ele parece se contentar. "Eu só me preocupo com você, garota." "Eu sei que sim e eu aprecio isso, mas está tudo bem. Eu prometo." Só que não está. Ele deixa escapar um longo suspiro. "Apesar de te ver todos os dias, eu sinto como se tivesse apenas passado algum tempo com você desde que você chegou". "Sim, eu sei o que quer dizer. Mas eu entendo. Estamos todos ocupados. Você mais do que a maioria. " Tio John está sempre trabalhando contra o relógio.


"Sim, bem, eu quero passar algum tempo com a minha garota. Quando chegar ao hotel, você quer jantar comigo? Ou você está muito cansada? " Sorrindo, eu digo: "Eu nunca estou muito cansada para jantar com você."

Eu estou dormindo quando começa uma batida na porta. Eu jantei com o tio John e, em seguida, vim direto para a cama porque estava quebrada. Petra não está aqui. Ela estava voando de volta para o Reino Unido por uma semana porque há alguma coisa sobre o abastecimento de comida para ser resolvido em casa, e então ela está indo. Eu mal posso esperar que ela chegue. Seria bom uma companhia feminina agora. Então, eu estou sozinha no meu quarto de hotel com alguém batendo na porta. Tropeçando para fora da cama, eu acendo a luz, cegando-me no processo. Olhando para o relógio, eu vejo que são cinco horas. Aproximando-me da porta, eu olho pelo olho mágico. Carrick. Merda. O que ele está fazendo aqui? Eu pensei que ele ainda estava na China. Tenho certeza que ele tinha algumas coisas de imprensa para fazer antes de vir para Bahrein. Mas ele está aqui, o que significa que ele não poderia ter saído muito tempo depois que eu de lá. Com uma respiração profunda, eu abro a porta.


"Hey." Seus olhos piscam para minhas pernas nuas antes de levantar para o meu rosto. Eu estou vestindo shorts de pijama e uma camiseta. E agora estou me lembrando que eu também não estou de sutiã. Ótimo. Cruzo os braços sobre o peito. "O que você está fazendo aqui? Eu pensei que você ainda estava na China. " Olhando para ele, eu observo os olhos vermelhos e o olhar vidrado. Será que ele andou bebendo? "Eu vim mais cedo. Jato particular ", explica. "Bem, isso é ótimo, Carrick, mas é ridiculamente madrugada, e eu estava dormindo." "Desculpe, eu..." Ele esfrega o rosto com as mãos. "Eu queria falar com você." Eu queria falar na outra noite, mas você estava muito ocupado para falar comigo, apertando outra mulher. "Bem, você não poderia ter esperado até uma hora razoável?" Eu estou sendo uma cadela porque eu estou ferida. Machuca que ele dormiu com alguém. Machuca que ele me substituiu. Mas acima de tudo, eu estou ferida, porque ele acha que eu não sou ninguém. "Ela não é ninguém." Essas palavras ficam martelando meus ouvidos. E elas me deixam em pedaços toda vez. Eu pensei que era algo para ele. Eu pensei que eu era sua amiga. Claro que não. "Não, eu não podia esperar." Sua voz é tão firme como o seu olhar.


Então, eu dou-lhe um olhar puta da vida de volta, e eu deixo escapar um suspiro exagerado. "Bem, e o que é exatamente que você quer?" Ele apoia o ombro contra o batente da porta, colocando-se mais perto de mim, e eu cheiro instantaneamente o uísque nele. Ele esteve bebendo. Eu não sei por que, mas isso só me irrita ainda mais, alimentando a dor e ira no meu estômago. "Você andou bebendo?" Ele me dá um olhar estranho. "Um pouco. No voo. " Ele deixa escapar um suspiro. "Olha, Andressa, eu só- " "Como é que você soube em que quarto eu estou?" Eu o interrompo, saindo da minha boca no segundo que o meu cérebro raciocina. Seus olhos piscam em desconforto. Em seguida, ele se endireita à sua altura máxima, com os braços cruzando seu peito, a confiança enchendo seu olhar. "Você realmente quer a resposta para isso?" Eu mantenho-me ereta, como ele. "Sim, eu realmente quero." Colocando as mãos sobre o batente da porta, ele pretensiosamente se inclina para frente. "Porque eu sou Carrick porra Ryan, e eu tenho uma porra quantidade enorme de dinheiro. Essas duas coisas podem me comprar praticamente qualquer coisa que eu queira, incluindo o número do quarto de hotel em que você se hospedar. " Eu não. Você não pode me comprar, Carrick. Aargh! Eu estou tão pronto para bater a porta em sua cara arrogante de merda. Este não é ele. Não o real ele. Não é o Carrick que eu passei o último mês conhecendo. Este... Eu não sei quem esta versão é, mas ele é um beberrão completo, e eu realmente quero dar um soco nesse seu rico rosto bonito.


Dou um passo para frente, enfiando um dedo no peito dele, obrigando-o a soltar as mãos e ir para trás. "O que diabos é isso? Este não é você! Você não diz merdas como essa, especialmente não para mim!” “E chega aqui como se fosse dono do lugar, descobre o número do meu quarto, me acorda antes da porra do raiar do dia, você não tem o direito! Você sabe que alguns chamariam isso de ilegal ou talvez uma invasão de privacidade ou perseguição porra! " Eu praticamente grito a última parte. Ele pelo menos tem a decência de parecer constrangido. Ele recua um passo para trás com a força da minha ira. "Jesus." Ele solta um suspiro, passando a mão pelo cabelo. "Isso não vai sair como eu queria que fosse. " "Não? Como você gostaria que fosse com você que chegando aqui do nada, bêbado e agindo como um idiota arrogante? " Ele fixa em meus olhos. "Eu posso ter bebido, mas eu não estou bêbado." Eu passo a mão pelo meu cabelo bagunçado da cama, retirandome para o meu quarto. "Olha, eu estou cansada, e eu não estou com disposição para brigar com você. " Eu começo a fechar a porta, mas ele põe a mão contra ela, me parando. "Por favor, Andressa. Só espere…" Deixo escapar um suspiro, levantando os olhos para os dele. "O quê?" "Eu mandei uma mensagem para você." "Eu sei." Eu posso ver pela sua expressão que ele não estava esperando essa resposta. "Por que você não me mandou de volta?" Suas palavras são suaves. Ele parece ferido.


Bom, porque eu também estou fodidamente ferida. "Porque eu não tenho nada a dizer." Ele olha como se eu tivesse acabado de lhe dizer que o seu carro favorito foi esmagado em pedacinhos. Ele vai para trás, parecendo que vai sair, mas então ele para. "Eu não dormi com ela." As palavras são ditas tão baixinho que eu me pergunto por um momento se ele realmente as disse. Oh. A sensação de alívio que sinto ao ouvir isso é imensa. E é errado, porque eu não deveria sentir qualquer coisa, especialmente não por ele. Ele levanta os olhos em busca dos meus. Há desespero neles, e eu sinto isso la no fundo, como uma dor em meus ossos. "Por que você está me contando isso?" Minha voz é fria, desprovida de emoção. "Porque... eu pensei ... eu não sei o que eu pensei." Ele balança a cabeça. "Eu só quero que você saiba que eu não sou o filho da puta completo que você acha que eu sou ". Apenas meio bastardo então. "E eu sinto muito. Muito pra caralho. " "Você não tem nada que se desculpar. Você é uma pessoa livre. Você pode fazer o que quiser com quem você quiser. Não é da minha conta. Eu não sou ninguém, lembra? " Isso dói nele. Eu vejo isso através de seus olhos. Bom. Agora, ele sabe um pouco de que eu tenho sentido desde que ele disse isso para mim. Então, surpreendentemente, sua dor se transforma em raiva. E isso me deixa puta da vida.


"Você não acha que eu fiz nada de errado? Eu te beijei, me esfreguei em você na porra do sofá, e, em seguida, algumas horas mais tarde, você me encontrou em um elevador com outra mulher, que eu estava pronto para foder ". Eu realmente não preciso de um resumo de uma das piores noites que tive há muito tempo. Ele está tentando ver minha reação? Porque se é isso, então ele vai ver uma grande. "Mas isso é apenas uma noite padrão para você, não é?" Eu mordo o lábio. Foi um golpe baixo, e isso era exatamente o que eu estava buscando. O que eu não estava planejando era o quanto o olhar de mágoa em seu rosto iria me doer Eu ando para longe dele, precisando da distância. "Olha, eu estou cansada e irritada, e se você esteve bebendo. Não devemos ter essa conversa agora. Não estamos chegando a lugar nenhum. " "Sim... você está certa." Ele solta um suspiro derrotado. "Antes de eu ir... Eu só quero que você saiba que eu sinto muito. Muito mesmo. Você merece mais do que a maneira como eu te tratei. Eu estava tão fodidamente fora da linha. O que eu disse... Deus, Andressa, você não é ninguém. Você é tudo. Além de meu pai, você é a melhor pessoa que eu conheço." Passando a mão pelo cabelo, ele volta os olhos para mim. "E não que isso seja uma desculpa para o meu comportamento, mas eu simplesmente não... sei lidar bem com a rejeição. " Claramente. "Ela não parecia que estava te rejeitando de onde eu estava." "Jesus, Andressa. Eu quis dizer que você. " Olhando para longe, eu escondo minha dor e envolvo meus braços sobre o peito. "O que você quer que eu diga, Carrick? " Ele aproxima-se de mim. Olhos sinceros para mim. "Apenas me diga que eu não fodi com isso." Sua voz está perto de um sussurro, um


sussurro desesperado. "Eu não quero perder minha amiga. Eu não quero perder você." Eu engulo minha própria amargura conforme uma mão de dor envolve meu coração e aperta. "Você não me perdeu. Nós apenas... estragamos isso, e estamos consertando. Nós vamos ficar bem.” Eu ignoro a pequena voz na minha cabeça me perguntando como a porra disso pode estar bem quando eu claramente sinto o que sinto por ele.


9 BARCELONA, ESPANHA

Estou na Espanha, e já é tarde e quente. Eu ainda estou na pista, finalizando depois das sessões de treinos de hoje. Eu estou sozinha, já que disse aos caras para voltarem para o hotel. Eles estavam morrendo de vontade de sair para tomar uma bebida, e eu estava cansada demais para sequer pensar nisso, então eu disse a eles que eu ia terminar. Agora, eu estou finalmente encerrada para o dia e tão pronta para minha cama que nem acredito. As coisas têm melhorado entre Carrick e eu desde a China e Bahrein. Ficamos na ponta dos pés um com o outro enquanto estávamos no Bahrein. Então, quando nos vimos na Coréia para aquela perna da turnê, depois de alguns dias de intervalo, voltamos ao que éramos. Mas mesmo o tempo que passamos juntos, não ficamos nenhuma vez sozinhos. Nós sempre estivemos com os rapazes e Petra. Se isso é uma atitude consciente dele ou subconsciente minha, eu não sei. Estou feliz que somos amigos ainda. Mas a imagem dele com aquela mulher na China ainda está gravada na minha mente. Eu gostaria que houvesse alguma maneira de tirá-la do meu cérebro.


"Eu preciso de um favor." Minha cabeça chicoteia-se ao som da voz de Carrick. É estranho estar pensando em alguém e essa pessoa apenas aparecer assim. "Um favor?" Eu levanto uma sobrancelha para ele, vendo-o caminhar em direção a mim, conforme limpo minhas mãos sujas no meu macacão. "E o que você ainda está fazendo aqui?" "Encontro com o papai e Pierce." "Oh. E, esse favor? " "Hmm." Ele está olhando para mim com um sorriso sexy crescendo em seu rosto. "Bem, o que é?" Eu sou suspeita porque os favores de Carrick geralmente envolvem me fazer algo que potencialmente coloca meu trabalho em risco. Parando na minha frente, ele levanta a mão, e passa o polegar no meu rosto. Eu separo meus lábios com a respiração conforme a minha pele se inflama em uma labareda de chamas. "Óleo." Ele me mostra seu polegar. "Oh." Eu esfrego meu braço contra o meu rosto. "Então, esse favor?" Eu ando para trás, para longe dele e para a bancada. "Eu preciso de um encontro. Mais especificamente, eu preciso de você para ser meu par. Eu tenho que ir a este evento de patrocínio amanhã à noite. É o nosso maior patrocinador, por isso é tipo, uma grande coisa. " "E você quer que eu vá com você?" "Sim." "Por quê?" "Porque eu não quero ir sozinho. E porque você é incrível. " Rindo, eu balanço a cabeça. "Eu quis dizer, por que eu?"


"Porque você vai garantir que uma noite que tem tudo para ser a porra de chata um milhão de vezes, seja melhor." Seu elogio me deixa toda vermelha, todo o caminho até os dedos dos pés. "E eu quero passar algum tempo com você. Só eu e você. Como amigos...", acrescenta pela minha expressão. "Eu sinto falta de sair, só nós." Eu sinto falta de sair apenas nós, também. "Ok." Eu sorrio. Seu rosto se ilumina, e eu gosto do jeito que ele me faz sentir. Eu gosto de fazê-lo feliz. "Que horas começa?" Eu estou pensando nas sessões de treinos de amanhã, se eu vou ser capaz de me afastar por uma hora para comprar uma roupa e ter tempo para me arrumar depois. "Começa às sete e meia. E não se preocupe. Eu vou falar com John, deixa-lo saber que você vai comigo e libera-la mais cedo. " Sim, eu tenho certeza que isso vai cair bem. "Deixe-me falar com ele." "Tem certeza?" Eu dou-lhe um olhar. "Eu tenho certeza." Vou até a pia para lavar as mãos. "Então, o que eu deveria usar?" "É black tie, então um vestido." "Vestido. Entendi." Merda. Eu não tenho nada para vestir e não tenho ideia do que comprar. Eu sou do tipo jeans e camiseta. Eu terei que pedir para Petra. Eu tenho certeza que ela vai às compras comigo. Ela adora fazer compras. Carrick enfia a mão no bolso de trás e puxa um cartão de crédito. "Tome isso."


Em busca de um papel toalha, eu seco minhas mãos. "O que é isso?" "Com o que isso se parece? É um cartão de crédito, sua boba. " Ele ri. "Seu cartão de crédito?" "Sim." "E por que você está dando para mim?" "Para você comprar um vestido." Ele o coloca na minha mão. "Erm, Não. De jeito nenhum que eu vou usar seu dinheiro. " Eu empurro o cartão de volta para ele, mas ele segura as mãos para cima, recusando-se a levá-lo. "Pegue. Você está me fazendo um favor de vir comigo. Você não tem que gastar uma porrada de dinheiro em um vestido que você só está comprando para me ajudar. " "Como você sabe que eu não possuo um vestido já?" Ele cruza os braços. "Você?" Cruzo os braços, imitando ele. "Não, mas isso não vem ao caso." "É a única condição, assim, pegue a porra do cartão e compre um vestido." Ele vai embora antes que eu possa ter outra chance de devolvê-lo. "Vejo você amanhã." Ele dá uma piscadela para mim. No minuto que ele se foi, o modo de pânico se instala. Como diabos eu vou comprar um vestido e me deixar bonita amanhã à noite?

Cheguei ao alto nível de medo, me perguntando por que diabos eu concordei em ir a este evento com Carrick assim que voltei para o meu quarto, e eu estou surpresa de encontrar Petra aqui.


"Eu pensei que você ia sair?" "Mudei de ideia. Pensei que em ter uma noite de folga e ficar aqui com você. " Eu caio na minha cama e viro de lado, de frente para Petra. "Eu preciso de ajuda." "Ok." Ela tira os olhos da TV para olhar para mim. "É sobre Carrick?" Jogo a cabeça para trás. "O que você quer dizer?" "Vamos. Eu sei que tem havido alguma tensão estranha entre vocês dois. Vocês saíram da China todo estranhos, e você não tem sido a mesma desde então." "Não, eu não tenho. E não há nenhuma tensão entre mim e Carrick. " "Claro que não." Ela revira os olhos. Eu finjo não tê-la visto, já que eu não quero entrar nos meus problemas com Carrick com ninguém. Eu conheço a Petra, e eu gosto dela, mas eu não a conheço bem o suficiente para confiar a ela a minha merda com Carrick. "De qualquer forma, isso está relacionado com Carrick. Ele me pediu para ir com ele para este evento amanhã à noite, como amigos ", acrescento eu, quando vejo sua testa subindo. "E eu preciso de um vestido." Eu não vou dizer a ela que Carrick está pagando pelo vestido porque ela vai pensar com certeza que alguma coisa está acontecendo. "Mas eu não tenho ideia que tipo de vestido comprar ou onde compralo aqui, em Barcelona, e eu preciso de sua ajuda, pois sou uma porcaria nas compras. " Ela bate as mãos de satisfação. "Claro que vou ajudar." Ela olha para o relógio, e eu sigo seu olhar, vendo que são sete e meia. "Sorte sua, nós estamos em uma das melhores cidades para fazer compras de fim de noite. As lojas estão abertas até as nove." Ela se


levanta da cama. "Quanto você vai gastar? Porque o Passeig de Gràcia tem as melhores lojas de designer, mas eles também têm Zara e Mango. " "Bem, eu não quero gastar muito." Eu posso sentir o cartão de crédito de Carrick queimando um buraco em meu bolso. "Mas eu quero parecer bem”. "Quente no orçamento. Entendi. Vamos lá, gata." Ela dá um tapinha na minha perna quando passa. "Nós temos algumas compras sérias para fazer e pouco tempo para isso. "

E é assim que eu me encontro no provador do Mango no Passeig de Gràcia. Petra grita para mim. “Você ainda não colocou? Você está aí há horas!” "Sim." "E?" Eu corro minha mão para baixo pelo vestido novo, olhando para mim mesma. Eu só... Eu não sei. Eu acho que pareço bem, mas é um pouco audacioso para mim. É de cetim vermelho, longo, de alças com um decote cavado, para que se possa ver bem o colo. Mas essa não é a parte audaciosa. É a fenda lateral. Não chega a ser colado, mas você pode ver minha perna quando eu ando, até a parte da coxa. "Jesus ... suas pernas seguem para sempre." Eu lembro das palavras de Carrick no primeiro dia na garagem. Será que ele gostaria de mim neste vestido? Eu me importaria? Acho que já sei a resposta a essa última pergunta.


"Andi?" Petra chama, impaciência em sua voz. "Se você não sair nos próximos três segundos, eu vou entrar. " "OK. Eu estou saindo." Respirando fundo, eu puxo a cortina e saio. "Caralho", diz Petra, ficando de pé. "Caralho, bom?" "É um ótimo caralho." Ela sorri. "Você está maravilhosa, não que você pareça uma merda normalmente, mas você está sempre naqueles macacões ou jeans horríveis e uma camiseta. Todo esse tempo, você estava escondendo isso tudo embaixo." Ela acena uma mão sobre mim. "Carrick vai crescer em suas calças quando ele te ver neste vestido ". "Bom." Faço uma careta com sua escolha de palavras. "Sério, você acha que está bom?" Eu me viro para olhar para mim mesmo no espelho. "Não é muito... vermelho?" "De jeito nenhum. E com a sua pele, você pode usar, sem problema. " "Então, você acha que eu devo comprar?" "Eu definitivamente acho que você deve comprá-lo e talvez usá-lo todos os dias." Ela sorri, vindo ficar do meu lado, olhando no espelho. "Deus, eu me sinto a porra de um anão ao seu lado." Ela faz beicinho. Petra tem 1,65, que é uma boa altura. Eu sou alta demais. "Eu acho que devemos usar pouca joia", diz ela. "Talvez apenas alguns brincos. Não quero tirar a atenção do vestido. Ah, sapatos. Você definitivamente precisa de alguns saltos. Talvez preto ou nu. Nós vamos ter que procurar. " Saltos? "Er, Petra, eu não estou acostumada com saltos." "Vamos devagar." Ela dá um tapinha no meu braço. "Sete, talvez dez centímetros." Sete ou dez centímetros? "Eu estava pensando em três. Sério, eu não serei capaz de usá-los. Vou cair e fazer papel de boba. E eu vou parecer um gigante. Não posso simplesmente usar sapatilhas? "


Ela olha para mim como se eu tivesse pedido café no meu cereal. "Não, você não pode usar porras de sapatilhas! Seria um insulto para este vestido lindo. Vou ensiná-la a caminhar em si. E você não vai olhar muito alto.” “Você vai olhar como uma supermodelo parvos. Agora, vá se trocar." Ela me leva de volta para o provador com um tapinha nas costas. "Nós não temos muito tempo, e nós precisamos comprar os saltos."


10 BARCELONA, ESPANHA

Eu estou de pé FORA SALÃO DE BELEZA DO HOTEL, me perguntando que diabos eu estou fazendo aqui. Isso não é para mim. Eu não faço essas coisas de mulherzinha. Claro, eu vou ao cabeleireiro para um corte quando meu cabelo precisa. Mas fazer as unhas? De jeito nenhum. É muito embaraçoso. Olho para a mensagem que recebi de Petra esta manhã. Ela já tinha levantado e saído antes de eu acordar, já que teve que fazer um café da manhã para uma reunião que Pierce e o resto da equipe de gerência tinham. Salão de beleza do hotel. 16:00. Marquei unha para você. Esteja lá. Te vejo no quarto depois, para que eu possa fazer o seu cabelo e maquiagem. Eu olho para minhas mãos. Eles estão secas, e a pele é áspera. Manchas de óleo estão em torno das minhas cutículas, e minhas unhas foram roídas. Ugh. A manicure vai olhar para as minhas mãos e sair gritando. "Posso ajudar?", Diz uma voz com forte sotaque. É então que eu percebo a porta do salão aberta, e uma mulher ali de pé, olhando para mim. Eu devo parecer uma louca, parada aqui só olhando para o lugar.


"Oh, hum, sim, eu tenho um horário... para fazer minhas unhas." Eu escondo minhas mãos atrás das costas. "Minha amiga marcou para mim. " "Oh, você é Andi?" Ela sorri para mim. "Sim", eu respondo timidamente. "Maravilhoso! Entre." Ela dá um passo para trás, acenando-me. " Eu sou Martina” Ela coloca a mão no peito. Quando eu vejo como são lindas suas unhas, eu me encolho de novo com as minhas roídas. "Eu tenho você marcada com a Alma. Ela vem em alguns minutos. Sente-se." Eu sou levada a uma cadeira. "Gostaria de uma bebida?" "Um café seria ótimo. Obrigada." Martina desaparece através do salão de beleza, deixando-me entrar em pânico por estar aqui. O salão é um centro de atividade, com as mulheres fazendo seus cabelos. Todos parecem elegantes e glamorosas, e eu não sou nenhuma dessas coisas. Na verdade, estou considerando fugir quando Martina aparece com meu café. "Aqui está!” Ela entrega me passa o café. "Obrigada." Acabei de tomar um gole do meu café quando uma mulher de cabelos escuros na casa dos trinta passa atrás do balcão. "Andi". Ela me cumprimenta com um sorriso. "Gostaria de me acompanhar? Eu levo o seu café. " Ela o pega da minha mão. Nervosa, eu a sigo por um corredor e em uma sala. "Sente-se. Então, o que vamos fazer hoje? " "Minhas unhas... elas estão horríveis."


"OK. Posso ver?" Eu percebo que eu estou sentada em minhas mãos novamente. "Desculpe." Eu dou uma risada nervosa. Então, eu levanto minhas mãos e as descanso sobre a mesa na minha frente. Ela não parece chocada, o que é uma coisa boa. Ou isso, ou ela é realmente boa em disfarçar. "Eu sou uma mecânica," eu explico. Ela balança a cabeça. "E eu roo minhas unhas," Eu continuo sem jeito. "Mas eu tenho que ir a um lugar especial esta noite, e eu preciso que elas estejam boas... se possível. " "Não se preocupe. Suas unhas vão estar maravilhosas em pouco tempo. "

Uma hora e trinta minutos mais tarde, eu saio do salão, sentindome como uma nova mulher. Bem, com uma mão nova, de mulher. Elas estão tão suaves, e minhas unhas estão pintadas de vermelho sangue, um tom mais escuro do que o meu vestido, que Alma disse que iria complementá-lo. Ela fez algo chamado de cera de parafina em minhas mãos para ajudar a suavizar a pele. Eu nunca tinha ouvido falar disso antes, mas eu quero fazer todos os dias. Tão relaxante. Enquanto eu estava esperando a cera de parafina fazer sua mágica, a Alma fez meus pés, então eles agora combinam com as minhas mãos. Eu sou uma garota quase pronta para sair agora. Apenas o resto de mim para arrumar. Entrando no nosso quarto de hotel, eu largo a bolsa na minha cama e mostro minhas unhas para Petra.


"Muito bom. Ótimo, tome um banho e lave o cabelo, e eu vou arrumá-lo para você e te maquiar. " "Não muita maquiagem." Não combina comigo. "Eu vou fazer uma leve. Você não precisa de muito. " "E o meu cabelo?" Ela olha para mim por um bom tempo. "Com esse vestido, eu diria para prendê-lo, mas você nunca tem o seu cabelo solto, então eu acho que você deve usá-lo com ondas soltas. " "Você é a chefe", eu digo com um aceno de mão. Agarrando minha escova de dentes, eu ponho um pouco de pasta e começo a escovar meus dentes. "Você vai sair hoje à noite?" Eu grito do banheiro. "Sim, vou sair para uma cerveja mais tarde com os meninos", ela grita de volta. Eu cuspo e enxaguo. Fechando a porta do banheiro, eu entro no chuveiro. Meia hora mais tarde, eu estou inteira depilada. Pernas, virilha, axilas e todas como um bebê. Eu me seco e aplico minha loção de corpo. Então, eu visto uns shorts e um top. Eu saio do banheiro com uma toalha na minha cabeça. "Sou toda sua." Eu pego meu telefone, e sento na nossa penteadeira improvisada, que é na verdade uma mesa com um espelho apoiado em cima e eu verifico minhas mensagens. Há uma de Carrick. Como foram as compras? Eu tenho um vestido e sapatos. ☺ Fico feliz em ouvir isso. Vou buscá-la às 19:30 Vejo você então. x


Eu aperto “Enviar” antes de perceber que eu coloquei um beijo no final. Por que eu fiz isso? Oh Deus, e se ele tiver uma ideia errada e achar... Oh, seja o que for, eu realmente preciso parar de me preocupar e apenas me divertir. "Pronta?" Petra está atrás de mim com um secador de cabelo em uma mão e um saco de maquiagem na outra. "Pronta." Eu sorrio de volta.

"O que você acha?" "Petra... eu adoro isso." Eu sorrio de volta para o meu reflexo, tocando o meu cabelo. Ela fez um trabalho incrível. Meu cabelo está com ondas soltas pelas minhas costas, e minha maquiagem é neutra e bonita. "Você é uma profissional?" Eu pergunto. "Não, mas minha mãe é uma estilista. Você vai pegando as coisas. " Minha mãe é uma modelo, e a única coisa que eu peguei foram seus bons genes. "Bem, obrigada, mãe de Petra. Na verdade, que horas são? " Eu olho para o meu telefone. "Merda! São 7:20. Carrick estará aqui em dez minutos." Agarrando o vestido e meu novo conjunto de calcinha e sutiã, eu vou até o banheiro. Sim, eu comprei novos. Petra me convenceu. Ela disse que eu precisava para combinar com o vestido. O conjunto é vermelho e


bonito, de bom gosto e não de sacanagem, não que alguém além de mim vá ver isso. Rasgando as etiquetas do sutiã e da calcinha, eu rapidamente os visto. Então, eu entro no vestido, puxando o zíper para cima o máximo que eu posso. Eu saio do banheiro. "Petra, você pode subir o resto?" Eu tiro o meu cabelo do meu ombro, fora do caminho, enquanto Petra o fecha, e coloco os brincos que eu comprei. "Pronto." "Obrigada." Eu pego meu perfume e me dou uma borrifada. "Sapatos." Ela os entrega. Eu deslizo meus pés dentro deles, levanto um tempo para firmar meu equilíbrio. Ficamos com um sete – eu a convenci do dez – mas ainda me sinto como um gigante. "Estou muito alta?" "Você está deslumbrante." Levando-me pelos ombros, ela me vira para o espelho. Uau. Aquela sou eu? Eu estou bonita, não, não estou bonita. Eu estou quente. Eu pareço com minha mãe quando ela tinha a minha idade. Eu sorrio para Petra no espelho. "Obrigado pela ajuda. Você não tem ideia o quanto eu aprecio isso. " Meus olhos veem o colar que Carrick me comprou. Não importa o quanto eu o amo, eu não posso transformar-me em uma festa a fantasia vestindo um colar do Lightning McQueen. Eu não quero constranger Carrick. Soltando-o, eu o coloco cuidadosamente na minha nécessaire por segurança. Há uma batida na porta. Eu olho para ela, borboletas voam com força total no meu estômago. "Você quer que eu abra, ou abre você?" Petra pergunta.


"Você. Eu." "Alguma decisão sobre isso?" Eu respiro profundamente. "Eu abro." Eu ando a curta distância até a porta, minhas mãos tremendo um pouco. Estou surpresa como estou nervosa. Eu sinto que é um primeiro encontro. Não é um encontro, Andi. São apenas dois amigos saindo juntos. Com a mão na maçaneta, eu abro a porta.


11 BARCELONA, ESPANHA

Carrick. Puta merda. Ele está... incrível. Lindo. Ele está usando um smoking. Jesus, meus ovários começaram a fazer piruetas, e eu tenho certeza que molhei minhas calcinhas novas. "Caralho...", ele suspira. "Você está..." Ele balança a cabeça lentamente. "Na verdade, não existem palavras para te descrever agora ". OK… "Então, é um caralho de bom ou de ruim?" Eu me mexo nervosa, passando a mão pelo meu vestido. "Porra, é um caralho de ótimo, Andressa, pelo menos pra mim é." Seus olhos fazem aquela leitura preguiçosa sobre mim, o que me deixa quente em todos os lugares certos. Quando eles se encontram de volta com os meus, eles estão ... extremamente quentes. "É muito, muito bom, porra. Pensando desta maneira, cada homem no salão, na verdade, todo homem, do mundo vai desejar estar na minha pele essa noite ". "Sério?" Eu coro. Ele dá um passo mais perto, seus dedos roçando meu queixo. "Realmente. Você está deslumbrante, Andressa. Absolutamente impressionante. "


Meu rubor aumenta com seu elogio. E meu queixo ainda está formigando onde ele só me tocou. "Você está pronta para ir? Eu tenho um carro esperando lá embaixo. " "Uh, sim, eu só preciso da minha bolsa." Quando me viro, vejo Petra atrás de mim, com a bolsa de festa na mão. "Obrigada." Eu sorrio, pegando da mão dela. "Oi, Carrick." Há um sorriso em sua voz. Eu dou-lhe um olhar antes de virar para ele. "Petra", diz ele. "Eu te vejo mais tarde," digo a ela, saindo para o corredor. "Divirtam-se, crianças. Não faça nada que eu não faria ". Eu levanto a mão, acenando para ela, e Carrick e eu começamos a caminhar pelo corredor. "E se você não puder mantê-lo dentro, então, mantenha-o seguro!", Ela diz. Eu quase morro de vergonha. Eu lanço um olhar assassino para ela, mas tudo que eu vejo é um sorriso. Carrick ri. Nós chegamos ao elevador e esperamos em silêncio. Quando a porta se abre, Carrick me deixa entrar primeiro. Entrando, ele aperta o botão para o térreo fica ao meu lado. "Você não está usando o seu colar", ele comenta. Meus olhos balançam para ele conforme a minha mão toca o espaço vazio. "Eu o tirei. Eu pensei que eu deveria, pelo menos, fingir ser uma noite de adulto. E... eu não queria envergonhá-lo por usá-lo.” Ele olha para mim como se eu estivesse louca. Há algo profundo e escuro em seus olhos. "Eu comprei para você a maldita coisa. E a última coisa que você poderia fazer é me envergonhar. "


Eu nervosamente engulo. "Eu posso colocá-lo novamente se quiser. Está no meu quarto. " "Não, tudo bem." Ele olha para frente. "Só que nunca mais o tire por esse motivo. Eu sempre quero que você seja quem você é. Nunca tente ser alguém que não seja você. Acontece que eu realmente adoro a porra de você como você é. " Chegamos ao térreo, e eu fico feliz. Após esse comentário, eu tenho certeza que um vácuo veio e sugou todo o ar para fora do elevador, me deixando ofegante. Carrick me leva através do hall de entrada com uma mão nas minhas costas. Nós saímos para a noite quente, e um carro está esperando por nós. O motorista abre a porta do carro quando nos aproximamos. Subo primeiro, e Carrick senta ao meu lado. Quando já estamos no trânsito, lembro que eu ainda tenho o seu cartão de crédito. "Oh, aqui está o seu cartão de volta." Tiro da minha embreagem, e entrego a ele. "E obrigada pelo vestido ", acrescento. Ele passa os olhos pelo meu corpo, e eu tenho que parar de me contorcer com sua leitura. "Valeu a pena cada centavo." Eu coro novamente. Eu realmente preciso parar com isso. Chegamos ao evento. Carrick me oferece sua mão para me ajudar a sair do carro, o que eu sou grata. É muito mais fácil entrar neste carro do que sair dele neste vestido e sapatos. "Obrigada", murmuro quando ele fecha a porta atrás de nós. Em seguida, ele faz algo que me surpreende. Ele pega na minha mão como se fosse a coisa mais natural do mundo para ele fazer. Talvez seja. Ele passa muito provavelmente fez isso sem perceber.

tempo

com

mulheres.

Ele


Então, eu não o questiono, ou o que a sensação de formigamento no meu corpo signifique tanto. Eu sinto-o esfregar o polegar sobre a minha mão, e então ele a levanta, olhando para ela. "Eu fiz as unhas," eu explico, sabendo por que ele está olhando para a minha mão com interesse. Ele sorri suavemente. "Estão lindas." E eu me derreto no chão. Viro uma grande gosma feminina. Uma vez que estamos dentro, eu olho em volta, percebendo o ambiente. O local em si grita sofisticação. E está cheio de parede a parede de pessoas bonitas vestindo roupas bonitas, as mulheres com joias pingando como gelo. Todos transpiram riqueza. Este é o lado glamouroso da Fórmula 1 que eu não costumo ver, e eu me sinto um pouco fora. Carrick nos pega um par de taças de champanhe de um garçom que passava. "Deixe a loucura começar." Ele brinda seu copo com o meu. E loucura é a palavra certa, porque esse é o único momento de silêncio que temos juntos, devo dizer-lhe. As pessoas, no momento que veem que ele chegou, estão em cima dele como abelhas no mel. É interessante ver como ele é com essas pessoas - encantador com as mulheres, é claro – mas ele está reservado, não o cara relaxado com quem eu passo o tempo. Ele está mais sério, focado, como se ele sentisse que tem algo a provar. Talvez ele o tenha. Tudo o que sei é que estou feliz que ele não é este Carrick comigo, que ele sente que pode ser ele mesmo comigo. Eu já tomei várias taças de champanhe, que continuam magicamente aparecendo na minha mão. Depois de ter tanta conversa fiada com estranhos quanto eu posso aguentar, vou até o banheiro.


Quando eu volto para a festa, Carrick está falando com uma loira atraente. Ele está com aquele lindo sorriso sedutor nos lábios. E parece muito interessado em tudo o que ela está dizendo. Uma onda de ciúme me bate. Forte. Irritada comigo mesma por me sentir desse jeito, eu decido deixar Carrick com a sua conversa, e me dirijo para o bar. Eu quero pedir cerveja, mas todas as mulheres aqui estão bebendo vinho ou champanhe ou coquetéis diferentes. Eu não quero parecer estranha com uma garrafa de Bud na mão, por isso, quando o bartender pergunta o que quero beber, eu peço champanhe. Posso muito bem continuar como estou. "Se você queria uma bebida, você devia ter vindo me dizer. Eu teria conseguido uma. " Eu tremo com a voz de Carrick ao meu lado. Eu dou um olhar para ele. "Você parecia ocupado. Eu não queria interromper. " Merda, que isso soou muito parecido com ciúme. E eu realmente não queria que parecesse. Ou queria? Um sorriso enorme se abre em seus lábios. "Eu não estava ocupado. E você é sempre uma interrupção bem-vinda. Você sabe disso." O bartender coloca a minha bebida no bar. Carrick lhe entrega seu cartão de crédito antes de eu tenha a chance de pagar. "Jameson com gelo, por favor, companheiro." Eu franzo a testa para ele. Em resposta ao meu olhar severo, eu recebo. "Andressa, eu saio com uma mulher e não espero que ela pague suas próprias bebidas. " "Isso é o que você faz em um encontro. Isso não é um encontro, " Eu o lembro. O bartender coloca um uísque na frente de Carrick. Ele pega, segurando o copo perto de seus lábios. "Talvez não, mas ainda assim estou comprando as suas bebidas. Fim."


"Neanderthal". Ele bufa. Mencionei que ele estava bebendo uísque no momento? "Merda, subiu no meu nariz!" Ele estremece, cobrindo o nariz com a mão. A visão dele, todo bonito em seu smoking com uísque escorrendo pelo queixo, é o que eu vou sempre lembrar. Rindo, eu pego um guardanapo do bar e passo para ele. "Obrigado." Ele se seca e depois balança a cabeça, tentando clareála. "Porra, que sensação estranha." Ele sorri aquele seu sorriso de menino, e que me dá um soco no peito, deixando-me sentindo momentaneamente sem fôlego. "De qualquer forma, onde estávamos?" "Eu te chamei de Neanderthal, e você bufou uísque até o seu nariz." "Obrigado pela retrospectiva completa." Seus olhos tão azuis soltam faísca para mim sob as luzes do bar. "Eu já fui chamado de várias coisas antes, mas nunca um homem das cavernas. " Colocando meu copo no granito, eu descanso meu cotovelo nele. Apoio o queixo na minha mão, e olho para ele. "Do que você costuma ser chamado?" "Você quer dizer antes ou depois do sexo?" Meu rosto fica corado imediatamente. Eu não sou uma puritana, trabalho com homens desordeiros e cheios de energia sexual todos os dias, mas Carrick fala tão abertamente sobre sexo, de uma forma tão pessoal que eu nunca tinha visto antes. Ele sempre parece tão íntimo quando ele fala sobre isso. Ou talvez soe íntimo porque o sexo que ele fala, eu quero que ele faça comigo.


"Você está corando." Seus dedos tocam a minha bochecha. "Eu te deixei constrangida?" "Não." Movendo a cabeça para trás, eu pego o meu copo e tomo um gole de champanhe. Então, eu me endireito, descansando meu lado contra o bar. "Antes do sexo?" "Deus do sexo. Garanhão. Foda-me-baby-use-seu-pau-grande-emmim-me-mostre-que-a-história-sobre-você-é-verdade”. Ok, eu definitivamente estou corando agora, e não há como esconder. "Entendi o ponto", eu digo, levantando a mão para cortá-lo, o que faz ele rir. "E do que você é chamado após o sexo? " Ele olha para longe de mim, para o mar de pessoas perto de nós. Sua expressão se transforma... mudando para algo que eu não entendo. "Desgraçado. Idiota. Arrogante.” “Pinto-egoísta-de-um-piloto-dequerm-um-dia-ninguém-vai-lembrar”. Eu sinto a mudança de ar, a temperatura no salão cai algumas centenas de graus, e eu percebo que ele quis dizer isso. Ele realmente acredita no que ele disse. Este belo homem talentoso acha que ele vai acabar sozinho. Eu fico olhando para ele, atordoada. Como é sequer possível que ele pense isso? Os olhos de Carrick agora estão sobre sua bebida, já que ele acha que todas as respostas que procura estão lá, e ele parece assim tão solitário que eu quero envolver meus braços em torno dele. Mas eu não posso. Então, eu tento fazê-lo se sentir melhor da única maneira que eu posso agora com humor. Eu coloco meu copo no bar. "Bem, isso é besteira, porque eu vou lembrar de você." Seus olhos levantam de seu uísque. "Ah é?"


"Sim. Eu não serei capaz de esquecer você, porque nós vamos ter sido casados e divorciados duas vezes e você ainda vai estar na minha vida, porque nós vamos ter filhos para quem você pagará uma polpuda mesada. E eu vou sentir pena de você porque, a essa altura, você vai ter envelhecido muito mal, depois de ter ficado meio feio e gordo, por isso vou ter piedade e transar de vez em quando. " "Você pintou um bela imagem." "É um talento." Eu dou de ombros. "Então, casado... duas vezes?" "Sim, você me comprou na segunda vez uma vez que eu queimei através todos os milhões que você me deu no nosso primeiro divórcio. " Eu levanto o meu copo, tomando um gole de champanhe. "E como eu consegui a primeira vez?" "Sexo. Eu era jovem e ingênua. " Eu sorrio, esperando que ele sorria de volta, mas ele não o faz. Há algo em seu olhar que faz o meu coração bater mais rápido, minha respiração desaparece, e eu afasto meu olhar, enquanto eu tento encontrar ar. Eu concentro meus olhos onde os seus estavam, sobre as pessoas conversando, algumas na pista de dança. Em qualquer lugar, menos no homem ao meu lado. O homem que está se tornando cada vez mais perigoso para mim a cada segundo. Carrick se inclina, e assim que seu braço é pressionado contra o meu, perto do meu peito, parece que ele está, na verdade, queimando minha pele através de suas roupas. "Sinto muito sobre as pessoas monopolizando o meu tempo hoje à noite." Eu pisco para ele com um sorriso. "Está tudo bem. Entendo. Você é a estrela, e eu sou sua prenda de luxo ". "Você faz bem a prenda de luxo, especialmente com esse vestido."


"Eu sei, ok? Estou completamente montada na classe." Ok, as borbulhas estão realmente começando a subir para a minha cabeça. "Mais do que você imagina." Algo escuro e inexplicável está em seu tom de voz que faz minha pulsação aumentar. Tomando um gole de sua bebida, ele acena com a cabeça na direção da pista de dança. "Você quer dançar?" "Hum ... eu não sei. Eu não sou realmente uma dançarina. "E nesses sapatos, eu provavelmente vou ser letal. "Sorte sua, eu sou um dançarino incrível. Eu vou dançar por nós dois. " Balançando a cabeça, eu rio. "Deus, então você é -" "Bonito? Quente? " "Eu ia dizer arrogante." "Cativante, não é?" Ele sorri, e então ele pega a taça de champanhe quase vazia da minha mão e coloca no bar. Agarrando minha mão, ele começa a me levar, apenas me dando uma chance de levantar a barra do vestido. "Caught Up" do Usher começa a bombar através dos alto-falantes conforme nós caminhamos para a pista de dança. Eu vejo conforme passamos pelas pessoas, como elas olham para ele... como ele é uma luz brilhante e elas são as mariposas atraídas para ele. A presença de Carrick chama a atenção. Tire a corrida, a fama, e eu acho que ele ainda faria o mesmo. Confiança e virilidade simplesmente naturalmente quanto o ar de seus pulmões.

anda

com

ele

tão

Eu também vejo os olhares que estou recebendo de mulheres, que eu tenho recebido a noite toda. Felizmente para mim, aqueles olhares de desgosto e inveja passam direto por mim. Sendo uma única mulher trabalhando no mundo dos homens endurece uma garota.


O que eu estou realmente sentindo dos olhares invejosos é uma tremenda excitação. Elas o querem, e ele está comigo. Bem, por esta noite de qualquer maneira. Carrick nos para no meio da pista de dança e se vira para mim. Sinto-me estranha. Eu não sou realmente certa do que fazer, onde colocar minhas mãos. Eu também estou segurando a minha bolsa, o que torna ainda mais difícil. Devo colocá-la no chão? É tão bonita e nova. Eu não quero estragar. Decidido manter minha bolsa na mão, e descanso meus pulsos desajeitadamente por cima dos ombros. Carrick ri. Pegando minha pequena bolsa, ele coloca no bolso do paletó. Em seguida, ele pega minhas mãos. Uma ele coloca em seu ombro. A outra, ele envolve com seus dedos. Então, desliza a mão livre ao redor da minha cintura, os dedos, pressionam suavemente em minhas costas, me puxando para mais perto. Eu estou tentando não ficar tensa, mas sua proximidade e contato estão me deixando louca. Os homônios estão disparando como balas para as minhas terminações nervosas, acendendo fogos que não devem ser de iluminação. "Relaxe", ele diz baixo em meu ouvido. O que só faz me dar mais arrepios, em direção ao sul. "Você nunca dançou com um homem antes?" "Um..." Eu mordo meu lábio. "Claro que eu sim. Mas não desse jeito. " Não com um homem como você, um homem que pode mudar meu corpo com um único olhar... um único toque. Ele levanta uma sobrancelha. "Desse jeito?" "Sim, você sabe, o tipo adequado de dança. Quando eu danço com um homem, eu estou geralmente bêbada, e eu estou, hum... " Merda, como eu termino essa frase? Que eu estou na pista, dançando com o


cara que estou pensando em levar para casa e ter relações sexuais nas raras ocasiões em que isso acontece? Sua mão aperta a minha, e eu vejo como a boca forma as palavras que estão na minha mente. "Quando você está na pista." Calor engole meu rosto, então eu me afasto. "Algo como isso." Ele se inclina, assim que seus lábios estão junto ao meu ouvido, raspando, ele fala, "Só para você saber, a dança que eu quero fazer com você não é definitivamente a porra adequada. " Que porra de dança? Meus olhos piscam de volta, mas seus olhos azuis não desviam. Antes de eu ter a chance de falar, ele diz, "Quantos namorados você já teve?" Minha cabeça vai para trás em surpresa. "O quê?" "Eu perguntei quantos namorados você teve." "E por que exatamente você está perguntando isso?" "Curiosidade". "Sabe o que ela fez?" "Sim, ela matou o gato - e a satisfação trouxe-o de volta, então eu vou me arriscar. Quantos namorados, Andressa? " Sorrindo com sua piada, eu me solto e decido responder. "Poucos. Nada sério." "Poucos? Eu pensei que você os tivesse em fila. " Eu dou-lhe um olhar. "Surpreendentemente, não. Nem todos os homens querem namorar um macaco de graxa." "Macaco de graxa?" Ele solta uma risada. "Jesus, você está longe disso. E você está errado sobre os homens não quererem uma mulher que foda quente, que trabalhe sob o capô. Confie em mim. Não há nada mais sexy. " Mulher foda quente...


"Quando foi seu último relacionamento?" Sua pergunta momentaneamente me arremessa. Eu ainda estou presa no meu torpor do foda quente. Mas sua persistente intrusão na minha vida pessoal traz uma carranca para o meu rosto. "Jesus, Carrick, o que é isso? Hora do interrogatório?" "Hora de conhecer você." "Você já me conhece." "Eu não sei tudo." "Você precisa saber tudo?" Seus olhos escurecem... aprofundando como um abismo sem fim, que eu poderia facilmente cair. "Sobre você? Sim." Meu coração para umas dez batidas antes de voltar a bater. Engolindo em seco, eu tento pegar a respiração que ele roubou. "Bem, há melhores coisas para aprender sobre mim que a minha história de namoro", murmuro. "Estou plenamente consciente que sim, mas apenas me divirta." "Tudo bem..." Eu bufo. "Meu último namorado foi, hum ..." Marcelo, mas isso pode realmente ser classificado como um relacionamento? Nós só namoramos por dois meses, e eu estava na estrada com a equipe uma boa parte do tempo. "Cerca de dois anos atrás," eu respondo. "Você não fica com um cara há dois anos?" Eu não posso dizer se ele está chocado ou horrorizado. Talvez ambos. Me faz sentir desconfortável e envergonhada. "Não. Eu disse que não estive em um relacionamento há dois anos, não que eu não estive com ninguém ". Isso não é verdade... merda. Ok, não chega a ser dois anos - cerca de dezoito meses. O que diabos eu tenho feito? Não admira que eu sou


tão quente para ele como eu sou. Eu tenho privado meu corpo de sexo há muito tempo. "Tenho estado ocupada." Eu pareço na defensiva, mas não posso evitar. "E não há muito tempo para namorar quando você trabalha em corridas, caso você não tenha notado. " Não que isso o impeça, mas então ele não tem exatamente relacionamentos. "Qual era o nome dele?" "De quem?" "O cara que você namorou há dois anos." "Marcelo." "Soa como um cafetão." O riso me escapa, balançando meus ombros. "Ele era legal. E você?" "Eu? Eu nunca tive um namorado, especialmente não um com uma porra de nome de cafetão como Marcelo ", ele diz. Com jeito de brincadeira esmago seu ombro. "Você sabe o que eu quis dizer. Namorada. Diz ". "Uma". Eu sinto uma pontada de ciúme. Se ele dissesse dez, eu me sentiria melhor. Mas uma menina significa que ela tinha seu coração. Talvez ela o partiu, e é por isso que ele é o que ele é hoje. Concentro meu olhar por cima do seu ombro, como se algo me chamasse a atenção, então ele não pode ver o que eu sei que ele veria em meus olhos. "Quanto tempo vocês ficaram juntos?" "Um dia." "Um dia?" Eu digo, horrorizada. Eu olho de volta para ele, meus olhos arregalados com o choque. Todos os vestígios do meu ciúme se foram. "Sim..." Ele deixa escapar um suspiro melancólico, o que me dá um soco direto no peito. "O nome dela era Payton Ahearn. Eu a amava


totalmente, e ela me largou para o caralho do Tommy O'Connor, tudo porque ele lhe deu um colar. Eu nunca superei isso. Ela me arruinou para todas as outras mulheres. " Meu rosto enruga em confusão. "Eu tinha seis anos." Ele sorri. "Você é um idiota." Eu sorrio. Na verdade, eu dou risada. Que diabos está errado comigo? Além do fato de que eu estou me transformando em uma menina total, eu diria que é alívio. Estou aliviado porque ninguém teve seu coração ainda. Por que, Andi? Porque você o quer, pra si mesma? "Eu sou um idiota." A gravidade em sua voz chega em mim, trazendo a minha atenção de volta para ele. Seus olhos seguram os meus, e algo desconhecido neles me cativa. Mas eu quero saber. E o quanto eu quero saber está me assustando. Usher termina e Rihanna começa a cantar "Diamonds". "Sinto muito sobre a China", ele diz as palavras tão baixinho. Meus olhos mergulham, junto com meu coração. O aperto dos meus dedos no seu terno solta. "Eu sei. " Eu suspiro levemente. "Você já disse. E eu já disse, você não fez nada de errado. " Seus dedos encontram o meu queixo, levantando o meu rosto para ele. "Sim eu fiz. Eu provei a você que eu sou tudo o que você acha que eu sou. Você parou o nosso beijo, porque você acha que eu sou um jogador, que eu uso as mulheres." "Você usa as mulheres, e você é um jogador. Mas não é por isso que eu parei de te beijar. " Suas sobrancelhas juntam, enquanto sua mão se move para trás na minha cintura. "Então por quê?" "Porque eu não me envolvo com pilotos." "Você diz muito isso."


"Eu digo isso porque é verdade." "E por que exatamente você não se envolve com pilotos?" "Além do fato de que eu trabalho para eles... para você." Eu dou um olhar sério antes de virar. "Eu tenho minhas razões." "As quais você não vai me dizer?" Meus olhos voltam para os seus, dando-lhe a minha resposta. "E se eu não fosse um piloto? Será que você faria sexo comigo, então? " Meu corpo se abala com as suas palavras, e ele sente. E ele definitivamente gosta de minha resposta. Eu posso dizer a partir do sorriso tocando seus lábios. "Jesus, você é tão direto... pra frente." "Você não chega a lugar nenhum na vida, indo para trás." Será que ele tem uma resposta para tudo? "Exatamente como é que nós fomos de mim não se envolvendo com os pilotos para você e eu fazendo sexo?" "Nós não chegamos ao sexo ainda. Confie em mim. Quando fizermos isso, você vai saber. " "Ainda?" "Sim. Agora, responda a pergunta. " Como responder? É difícil se concentrar com ele tão perto, o cheiro dele enchendo minha cabeça, o toque de suas mãos em mim nublando meu julgamento. "Você é meu amigo, Carrick..." Eu deixei minhas palavras à deriva. "Isso não é uma resposta. E a razão que você não vai responder é porque você está com medo. " Medo é pouco. Eu estou aterrorizada. Apavorada com o que tudo isso significa. Com o que está prestes a acontecer. Porque se ele fizer um movimento, eu sei com certeza que eu não vou ser capaz de detêlo... porque eu


Não quero. "Devo responder para você?" Sua voz é baixa, decadente. Lambendo meus lábios secos, eu concordo. Ele se move, sua boca tão perto da minha. Sua respiração sopra sobre os meus lábios, secando a umidade que eu acabei de colocar, e seu olhar está fazendo todos os tipos de coisas extraordinárias em mim. "Sua resposta é sim, você o faria. Você tem medo de dizer isso em voz alta, porque você sabe, uma vez que você fizer isso, torna-se real essa coisa entre nós, e então você não será capaz de impedir que isso aconteça. O quê, bem lá no fundo, você sabe que é inevitável. " Ele é um leitor de mente? Ele inclina a cabeça para trás um pouco, para que seus olhos fiquem no nível com os meus. "Como eu fui?" Meus olhos vão para a sua boca. Seus lábios perfeitos completos. Deus, eu quero prová-los novamente. Concentre-se, Andi. Eu forço meus olhos, e com um encolher de ombros, eu digo: "Você falou... blá." Blá? Jesus, o que diabos foi isso? Eu estou morrendo agora. Porra, morrendo. Eu fecho meus olhos em uma longa piscada. Quando eu os abro, eu vejo um sorriso nos cantos da sua boca enquanto seus olhos continuar a foder o inferno fora de mim. "Blá?" risinhos abafam em seu peito. "Jesus, Andressa. Bom, pode negar tudo o que quiser, mas você sabe que é verdade. Você quer que eu te foda. " "E você quer me foder," eu atiro de volta.


"Claro que eu quero. Não sou eu que estou negando aqui. " Ele levanta a mão da minha cintura para a minha bochecha, seu polegar toca perigosamente perto dos meus lábios. "Então o que você diz?" "Sobre o quê?" "De foder". "Eu digo que você é sério confiante demais sobre isso." Ele joga a cabeça para trás com uma risada profunda. Isso me faz brilhar por dentro. Um sorriso ainda está tocando em seus olhos quando ele diz: "Você diz isso agora. Vai ser uma história diferente depois. " "Não vou estar te chamando de bastardo depois?" Refiro-me à nossa conversa anterior. "Provavelmente. Mas você se importa com isso agora? " Eu? Eu balanço a minha cabeça antes mesmo de perceber o que estou fazendo. Vejo luxúria dando a vida em seus olhos, e eu posso senti-lo em cada parte de mim. Nós ainda estamos dançando, mas eu não me sinto tão estranha mais. Agora, eu me sinto ligada como eu nunca estive antes. Eu me sinto conectada com ele. Muito ligada. Em sintonia com seu corpo. Minha pele está queimando quente como uma fornalha. Minhas mãos estão coçando para tocá-lo em lugares que eu realmente não deveria. Seus dedos deslizam em meu cabelo, e me sinto no céu. Ele se move mais perto de mim, deixando praticamente nenhum espaço entre nós. "Eu amo o seu cabelo solto."


Há um baixo gemido em sua voz que faz minha barriga tremer, que por sua vez, me faz querer puxá-lo o resto do caminho. Trazê-lo até o ponto onde eu não sei onde ele começa e eu termino. Ele torce os fios do meu cabelo em torno de seus dedos. "A partir do momento que eu vi você na garagem, inclinada por cima do meu carro com seu cabelo amarrado, eu não tenho sido capaz de tirar a imagem da minha mente de mim soltando-o e enroscando minhas mãos nele enquanto eu te fodo duro ". Jesus do céu. "Carrick..." Meus dedos ficam apertados na lapela de seu paletó. O que eu vou dizer? Pare de falar comigo dessa maneira? Eu não tenho certeza se eu posso porque eu não acho que eu quero que ele pare, nunca. "Eu ... isto não é uma boa ideia." Minha voz é entrecortada. Eu não pareço eu. "As melhores geralmente não são. Agora, me peça para beijar você. " "Eu... diga não. Nada de bom pode vir disso. "Não." Mas minha voz treme, me traindo. Voz estúpida. "Pare de lutar com isso... comigo ... e só dizer, Andressa." Suas palavras são sussurradas, persuadindo, e sua boca está tão perto da minha, um fio de cabelo entre nós. Meus lábios estão doendo pelos seus. A memória do nosso beijo na China explode no meu cérebro, acordando todos os meus hormônios para a vida. Mas ele é meu amigo. E ele é um piloto. Será que eu realmente quero ir para lá com ele? Sim, eu realmente quero fazer. Estou cansada de lutar contra meus sentimentos por ele. Eu quero que ele me beije. Na verdade, eu quero que ele me foda por horas.


A razão me deixou. Foi embora. Caiu fora. E eu não estou nem aí agora. Se eu perder meu emprego, que assim seja. Tudo o que importa é deixar Carrick beijar-me, tocar-me, e me fazer sentir incrível, então eu vou esquecer todas as razões pelas quais eu não deveria estar fazendo isso com ele. Que, eu sei que ele vai ser mais do que capaz no instante que eu o deixar. "Carrick ..." "Diga." "Me beije." Eu sinto o seu salto no peito em uma respiração. Seus dedos apertam no meu cabelo. Eu fecho meus olhos com antecipação. Seus lábios sempre tão gentis tocam o canto da minha boca, pressionando um beijo suave lá. Meu coração está palpitando. Eu sinto a ponta da língua, uma vez que ela toca meus lábios, correndo suavemente em toda a boca, me degustando. Meus lábios abrem, um suave gemido escapa. Nós dois estamos respirando pesadamente. Seu hálito quente se mistura com o meu próprio, o aroma suave de uísque e sua loção após barba cara, provocando meus sentidos. Abro os olhos para encontrar seus azuis queimando nos meus, tão intensos que seu olhar quebra tudo o que me resta. Necessidade pura. Como uma onda dentro de mim. Sou agora sua para o que ele quiser fazer comigo. Tudo e todos em torno de nós desaparecem. Tudo o que eu posso ver é ele. Tudo o que sei é o quanto eu o quero.


Eu nunca precisei ser beijada por alguém tão desesperadamente quanto eu preciso ser beijada por ele agora. Eu deslizo a minha mão em torno da volta de seu pescoço. "Eu quero você", eu sussurro baixinho. Algo quente e intenso passa através de seus olhos. Em seguida, os lábios vêm em cima de mim. A mão dele pega meu cabelo, e seus dedos apertam minha cintura, me segurando perto dele, conforme ele devora minha boca no beijo mais intenso que eu já experimentei. Toda a tensão acumulada entre nós, desde o momento que eu o conheci, do nosso beijo na China, cada momento, está explodindo aqui e agora. Sua língua desliza ao longo da minha, um gemido vibra através de seu peito, e eu o sinto entre as minhas pernas. O áspero de sua barba crescendo está eroticamente arranhando contra a minha pele. Sua mão acha meu bumbum, e ele a mantém firme conforme ele pressiona seus quadris nos meus. Santo Deus. Ele está duro. Muito duro. E eu tenho que tê-lo. Agora. Nada além de ter Carrick dentro de mim importa agora. O mundo poderia acabar, e eu não daria a mínima, desde que eu comece a fazer sexo com ele em primeiro lugar. Honestamente, estou me controlando para não arrancar suas calças agora e examinar exatamente o que eu vou estar recebendo. Precisamos estar em uma sala sozinho em poucos minutos, ou eu posso realmente morrer. Carrick deve estar pensando exatamente a mesma coisa, porque ele se afasta de mim, ofegante, seus olhos brilhando nos meus. Sua voz rouca e sexy como inferno pergunta, "Você quer sair daqui?"


Um sorriso sai dos meus lábios enquanto minha cabeça se inclina para o lado. "Isso é uma pegadinha?" Ele sorri o sorriso mais sexy que eu já vi, e antes que eu possa pensar nas minhas calcinhas, ele pega a minha mão e praticamente me arrasta para fora de lá e na direção de seu carro esperando.


12 BARCELONA, ESPANHA

A viagem de volta ao hotel é repleta de tensão, bem, da minha parte de qualquer forma. Estou inquieta e discutindo comigo mesmo na minha cabeça sobre o quanto isso é uma má ideia contra o quanto a ideia é incrível. Com "The Other Side" de Jason Derulo tocando no carro, a teoria da má ideia está começando a ganhar. Se Carrick estivesse me mantendo ocupada agora e, na verdade, estivesse com as mãos ou boca em mim, então eu não estaria pensando em qualquer outra coisa, exceto nele, mas esse não é o caso agora. Surpreendentemente, a única parte de mim que Carrick está tocando é a minha mão, que é mantida firmemente na sua, e não de uma maneira sexy, com todos os dedos. Não, ele está segurando minha mão como a minha mãe costumava fazer quando eu era uma criança pequena. Adicione a isso, que nossas mãos estão descansando no assento de couro, num buraco muito notável entre nós, que ele colocou lá, eu poderia acrescentar, e eu estou sentindo como se estivesse em um desses desajeitados primeiros encontros. Sabe, aquele do tipo cego em que o cara não está realmente a fim de você, mas ele se sente na


obrigação de segurar sua mão enquanto conta os minutos para o encontro acabar. Sim, eu estou meio que lá agora. Na verdade, estou começando a me perguntar se este é o famoso mulherengo Carrick Ryan, ao meu lado, ou algum clone com falta de testosterona colocado em seu lugar. Ele não está se comportando como o mesmo cara que eu estava beijando na festa. No momento em que o carro para no nosso hotel, eu tenho aproximadamente sessenta por cento de certeza que não vou transar com ele. Mas... Eu continuo imaginando ele me beijando e eu ainda posso sentir o gosto dele na minha língua e o cheiro da sua loção pós-barba na minha pele. Isso me mantém indo para frente para manter a minha boca fechada e apenas ir com o fluxo. Saímos do carro. Carrick coloca a mão nas minhas costas, me orientando no interior do hotel. Ok, aqui tem algo. Pode ser o menor dos toques, mas parece o mais íntimo. E eu estou de volta ao impressionante. Quando alcançamos os elevadores, ele me guia para um aberto. Uma vez na segurança do seu interior, ele pressiona o botão para o seu andar. Eu observo conforme a porta fecha, e meu coração começa a correr de saber que estamos finalmente sozinhos. É isso. Ele vai me violentar no segundo que essas portas fecharem, fechando o resto do mundo fora. Apenas... eles estão fechadas agora. O elevador sobe, e ele não fez nenhum movimento, nenhum maldito movimento. Ok, o que diabos está acontecendo? Eu o vi na China... com aquela mulher. O pensamento de que me faz querer vomitar. Mas suas mãos estavam por toda parte. Em todos


os lugares! Ele estava inteiro sobre ela, mas comigo, nada. Não é uma porra de movimento! Ele definitivamente gosta de mim. Isso eu sei. Então por quê? Talvez ele só achasse que ela era mais quente do que eu. Talvez ela o pegou mais quente do que eu faço. Oh, Deus. Agora, eu definitivamente me sinto mal. Devo fazer alguma coisa? Tomar uma atitude? Será que ele quer que eu seja mais sexualmente para frente? Pode ser isso que ligue seu motor. Eu sempre tive a impressão de que Carrick é todo sobre estar no comando, alfa macho ao máximo, mas talvez eu esteja errada. Eu olho para ele, tentando entender o que se passa, e vejo que suas mãos estão inquietas dos seus lados. Conforme meus olhos observam, eu vejo uma protuberância definitivamente lutando contra seu zíper. Ok, então ele ainda está duro para mim. Então por quê? Eu só não entendo. Oh, Deus. Talvez ele tenha mudado de ideia. Ele pode estar duro porque ele é um maníaco sexual, mas ele pode ter percebido que esta não é uma boa ideia com a gente sendo amigos e eu trabalhando para ele, e ele não faz sabe como me dizer. Começo a ficar mortificada. Ok, eu tenho que dizer algo antes que minha cabeça exploda. "Carrick..." Minha voz soa alta no silencio do elevador. "Olha, se você mudou...” “De ideia sobre isso, você e eu, tudo bem. " Bem, não é bom. Eu provavelmente vou morrer de humilhação e nunca serei capaz de olhar na cara dele novamente. Mas o que mais eu posso dizer? Por favor, transe comigo por pena? Não provavelmente. "Quero dizer, provavelmente não é uma boa ideia para nós para dormirmos jun-"


O resto das minhas palavras são arrancadas da minha boca já que estou presa com força contra seu corpo. Então, ele virou-se, não muito gentilmente, e me prendeu contra a parede. Agarrando minha mão, ele pressiona-a contra seu zíper forte. "Será que isso mostra que eu mudei de ideia? " Minha respiração e meu coração começam a bater contra minhas costelas. "N-não," eu gaguejo. Meus dedos enrolam em torno de seu pênis por instinto. Um assobio lhe escapa, fechando os olhos, enquanto ele descansa sua testa contra a minha. "Então, por que diabos você me pergunta isso? " "Porque, na China, quando eu vi você com aquela mulher no elevador, você parecia... mais em cima dela." Eu tremo na última parte. Ugh, eu odeio o quão vulnerável eu pareço e que ele esteja vendo o quanto aquela noite me afetou. "Jesus... Andressa." Movendo a cabeça para trás, ele toma meu rosto em suas mãos, seus olhos queimando nos meus. "Você acha que porque eu não estou pregando você neste elevador agora que eu não quero que você?" "Eu não sei. É estúpido. Apenas esqueça o que eu disse ". Tento afastar-me, mas ele não está me deixando ir a qualquer lugar. Seus olhos ficam escuros e sérios. "Você não poderia estar mais errada. Eu quero tanto te foder mal que eu não consigo ver direito. Eu não tenho sido capaz disso desde o momento em que coloquei os olhos em você. Essa é a porra do problema. Você acha que eu a queria mais do que eu quero você? Eu não queria nada dela. Eu queria você, naquele dia, e em todos os dias antes e todos os dias depois desde então. Tudo o que eu quero é você. Eu estava me segurando agora e confie em mim, eu estou usando toda a força que eu tenho que fazer isso, porque você merece mais do que ser pega em um elevador.” Ele


corre o polegar sobre meu lábio inferior, seus olhos escurecendo ainda mais. "Você vale muito mais." Ele substitui o polegar pelos lábios, dandome o mais suave dos beijos, sugando suavemente no meu lábio inferior, fazendo meu corpo amolecer. "Mas, se eu soubesse que por um segundo que isso faria você pensar desta forma, então eu teria feito tudo o que você queria. " Outro beijo de borboleta. "Eu teria fodido você aqui." E outro. "Eu vou foder você onde quer que você quer que faça." Só mais um. "E então, eu vou levá-la para minha cama e foder você a noite toda." Meu menino Jesus. Que diabos eu devo dizer sobre isso? O elevador chega no seu andar, a porta abre. "Então, o que vai ser? Será que começamos aqui ou na minha cama? " Eu fico olhando para ele. Tantos pensamentos e emoções estão correndo em minha mente, mas eu não sei qual escolher. Então, eu fico com a única coisa que eu sei com certeza agora. Eu não quero uma transa de elevador. "Leve-me ao seu quarto." Deslizando sua mão na minha, ele me leva de lá. A curta caminhada pelo corredor até seu quarto é de matar. Meu coração está batendo como uma britadeira com cada passo que dou. É isso. Eu vou ter sexo com Carrick. Puta merda! Isto não é assim uma boa ideia. Mas porra se isso não é bom. Ele insere seu cartão-chave na porta, e abre a porta. Então, me coloca para dentro sem a menor cerimônia e me empurra contra a parede. Ele chuta a porta com o pé. "O tempo para me segurar acabou", ele rosna. "Eu vou foder você bem e duro. " Então, sua boca desce na


minha, me levando para o beijo mais molhado, mais sujo e mais quente que eu já tive. Meus dedos enrolam no seu cabelo na parte de trás do seu pescoço, um gemido baixo me escapa. A mão de Carrick encontra o seu caminho para a minha perna através da fenda bem colocada do meu vestido. Seus dedos deslizam para cima da minha coxa, me fazendo ofegar. Minha pele está queimando. Meus seios estão inchados. E eu sei que eu sou mais do que pronta para ele. Eu só preciso que ele continue me tocando, me beijando. Eu não quero que ele pare nunca. Eu nunca estive tão necessitada... tão desesperada por um homem antes. Beijando-o como se eu estivesse faminta por ele, eu me atrapalho para tirar seu terno. Conseguindo abrir, eu deslizo as mãos até seu peito duro, tirando de seus ombros. Suas mãos me deixam pelo que se parece o segundo mais demorado conforme ele libera os braços do terno, jogando-o no chão. Em seguida, suas mãos já estão de volta em mim. A mesma mão está de volta dentro do meu vestido, mas desta vez, uma mão está na minha bunda, agarrando e amassando. A outra mão está agarrando meu cabelo enquanto ele dá beijos quentes no meu pescoço. E quando eu sinto o toque erótico de sua língua quente contra a minha pele, eu quase me desmancho. "Por mais sexy você esteja nele, esse vestido precisa sair", diz ele com a voz rouca. Eu espero que ele tire minha roupa aqui, mas ele não faz isso. Ele me toma pela mão e me conduz, para o escuro da suíte, para o quarto. Deixando-me no pé da cama, ele acende a luz, nos iluminando. Voltando-se para mim, ele sorri. Isso faz o meu estômago virar. Ele é tão bonito. Meus dedos estão ansiosos para estarem de volta em cima dele. Bem, tudo em mim está ansioso para estar de volta nele, na verdade.


Mas ele não está se mexendo. Ele está ali parado, olhando para mim. Será que ele quer que eu vá até ele? "O que foi?", eu sussurro, meu peito de repente se sentindo apertado. Eu não me lembro de ninguém me olhando desse jeito antes. Como se eu fosse o prêmio final. "Nada." Ele pisca lentamente, balançando a cabeça. "Você é apenas... bonita pra caralho." Falo devagar. "Oh, você é bom." E sorrio. Ele sorri, inclinando a cabeça para o lado. "E eu estou prestes a ficar muito melhor." Com promessa e safadeza acendendo nos olhos azuis, ele avança para mim, fazendo meu corpo tremer com a necessidade. "Vire-se." O comando calmo em sua voz praticamente me derretendo a seus pés. Colocando meu cabelo de lado, ele beija meu ombro, raspando os dentes, fazendo-me contorcer como as mãos passando na lateral do meu corpo. Agarrando-me na cintura, ele pressiona sua ereção contra a minha bunda. Inclinando-me para trás, eu descanso minha cabeça em seu ombro enquanto sua mão deslizar para a minha barriga, chegando até meus seios através do meu vestido. Meus mamilos são embaraçosamente duros, e eu gemo quando seus polegares pressionam contra eles através do tecido. "Eu preciso ver você." As palavras urgentes roçando meu ouvido, me fazendo tremer. Dedos hábeis encontram o zíper do meu vestido. Ele desliza-o para baixo, o som alto é erótico no silêncio do quarto. Quando ele abre todo, suas mãos voltam para cima, e ele desliza os dedos sob as alças do meu vestido e tira-as dos meus ombros. Minha respiração é tão alta que deve soar como se eu tivesse um microfone colado aos meus lábios.


O vestido desliza pelo meu corpo, as mãos de Carrick acompanham a descida. Quando o tecido está nos meus pés, ele sussurra, "Andressa..." Eu olho para trás por cima do meu ombro para ele, mordendo meu lábio. O olhar em seus olhos é quase o suficiente para me colocar de joelhos. Lentamente, eu viro para ele. Eu vejo seus olhos se arregalarem enquanto eles me olham por inteira. "Foda-se...", ele respira com a voz rouca, seus olhos encontrando os meus. Eu pensei que o seu olhar era intenso antes, mas não tinha nada sobre isso. O ar some dos meus pulmões. "O vermelho é agora oficialmente minha nova cor favorita." Estendendo a mão, a ponta do dedo traça a borda do meu sutiã. "Eu sou o bastardo mais sortudo do planeta. Deus, Andressa, eu nunca vi nada como você antes na minha vida." Suas palavras deixam uma marca dentro de mim. Para nos trazer de volta para onde nós estamos, eu me inclino e dou um beijo quente nos seus lábios. "Bem, é melhor você aproveitar o máximo de mim, então. " Algo que eu não consigo entender passa através de seus olhos, mas foi embora tão rápido quanto veio. Seus dedos deslizam para cima no meu cabelo. "Oh, eu planejo fazer muito para você." "De qualquer forma. Agora, tira. É a minha vez de te ver. " Um sorriso maroto aparece em seus lábios. Ele dá um passo para trás, me dando ampla visão. Ele remove a gravata-borboleta e os dedos vão para os botões de sua camisa conforme tira os sapatos. Eu vou tirar os saltos, quando sua voz rouca diz: "Fique com eles." Um pulsar forte começa entre as minhas pernas.


Carrick tira a camisa com a confiança que só um homem como ele é capaz, e mãe de Deus... eu tirei a sorte grande. Nunca na minha vida vi um homem com um corpo como o seu. Calças abertas em seus quadris estreitos. Meus olhos devoram centímetro por centímetro da sua pele dourada suave cobrindo uma, duas, três, quatro, cinco... sim, sei gomos de tanquinho, e mãe de Jesus, obrigada! Ele tem um V! Eu sinto que eu deveria tirar uma foto apenas para que eu possa olhar para ele mais tarde, quando estiver sozinha. Ele começa a tirar as calças, ousado ainda em sua postura. Mas então, se eu fosse com ele, eu seria o bastardo mais arrogante do planeta. O som de seu zíper abrindo é dolorosamente lento. Eu mordo meu lábio com antecipação. Ele deixa cair as calças. E minha boca cai aberta. Santo... pau. É grande e grosso e duro para cima. Eu sinto que eu deveria ficar de joelhos e pedir piedade. "Gosta do que você vê?" Mordendo meu lábio novamente, eu levanto o meu olhar. Ele está usando o sorriso mais sexy que eu já vi na minha vida. E a pulsação entre as minhas coxas se intensifica a proporções épicas. Eu inclino minha cabeça para o lado. "Será que funciona tão bem quanto parece?" O sorriso atinge seus olhos, levantando a sobrancelha. "Melhor". A próxima coisa que eu sei, é que estou em seus braços, e ele está me beijando profundo e duro, sua língua deslizando contra a minha. Suas mãos me agarram por trás, e ele me levanta. Eu envolvo minhas pernas em volta de sua cintura.


Eu não me sinto tão alta como eu sou quando estou com Carrick. Ele é tão macho, confiante pra caralho em tudo que faz, que ele me faz sentir feminina. Mas o mais assustador de tudo é o quão vulnerável ele me faz sentir. De alguma forma, acabamos na cama comigo deitada de costas e Carrick firmemente situado entre as minhas pernas. Nosso beijo se torna mais duro, quase agressivo. Eu tomo isso pela tensão sexual que vem se construindo entre nós há semanas. Sua mão puxa a taça do meu sutiã para baixo, seu polegar roça meu mamilo sensível. Eu suspiro, meus quadris empurrando contra ele com a necessidade. Parecendo gostar da minha reação, ele quebra nosso beijo, me deixando sem ar, conforme ele vai me beijando até o seio que ele acabou de tocar. Quando os lábios se fecham em torno do meu mamilo, eu sou toda orgasmo. "Você gosta disso?", Ele pergunta rouco. Minha resposta sai como algo entre um gemido e um lamento. Então, ele fica de pé. Eu pisco para ele ali de pé em toda a sua glória divina. Sua mão passa em torno de meu tornozelo, levantando minha perna. Com os dedos deslizando ao longo de minha pele, ele tira meu sapato e ele cai no chão. Ele pressiona um beijo suave no peito do meu pé, e minha barriga treme. Ele tira meu outro sapato, jogando-o por cima do ombro. Inclinando-se sobre mim, ele coloca os dedos na minha calcinha e olha profundamente em meus olhos. "Você está pronta para mim, Andressa? " "Sim," meus lábios falam em um sussurro ofegante.


Conforme ele puxa minha calcinha para baixo, eu levanto meus quadris para ajudar. Sem se importar em esperar por ele, eu tiro meu sutiã, jogando-o no chão atrás de mim. Eu sei que o instante em que vê os meus seios nus, pela primeira vez, porque seus olhos piscam quentes, como se alguém tivesse riscado um fósforo atrás deles. Em seguida, ele solta um grunhido áspero, e é quando as coisas ficam loucas. Ele está de volta em mim, prendendo-me na a cama e me beijando inteira, enquanto sua mão pega meu peito, beliscando meu mamilo com a pressão certa. Sua outra mão desliza entre nós. Eu quase desmaio com o primeiro toque de seus dedos em mim. "Caralho...", ele geme. "Você está encharcada." Eu deveria me sentir envergonhada, mas eu não estou. Tudo que eu sinto por ele é... tudo. Tudo o que eu não deveria. "Eu meio que quero você... muito", eu admito em um sussurro. Olhos cheios de desejo encontram os meus. "Eu meio que quero você também. Você não tem ideia da porra de quanto " Levantando minha cabeça, eu dou um beijo em seus lábios enquanto a minha mão vai para baixo e envolve seu pau, algo que eu queria fazer há algum tempo. Ele queima quente ao toque. Um gemido lhe escapa. "Pelo que posso sentir, eu diria que você me quer realmente, realmente muito", murmuro com voz rouca contra sua boca. Sinto um sorriso de responder. "E eu realmente vou te ter, realmente vou." Ele coloca um dedo dentro de mim, até sua junta. Minhas pernas abrem descaradamente em um gemido, e ele começa a me foder com o dedo, o polegar esfregando sobre o meu clitóris.


"Deus, sim," eu gemo conforme meu corpo começa a enrolar e apertar, começando a ir em direção à um orgasmo incrível que eu sei que ele vai me dar logo. "Você é tão sexy. É isso aí, querida. Deus, eu vou te foder muito a noite toda", diz ele áspero. Eu não tenho nenhuma dúvida sobre isso. Carrick Ryan pode ser rápido nas pistas, mas eu aposto que ele usa todo o seu tempo da cama. Passando meus dedos em seus cabelos, eu arqueio as costas enquanto sua boca desce de volta para o meu mamilo, chupando duro. Um temor corre pelo meu corpo, indo direto para o meu sexo. "Sim!" "Você está perto, Andressa?" "Sim, oh Deus, sim. Não pare... " Eu imploro. Em seguida, os dedos se foram, e eu estou largada. "Que porra é essa?" Eu grito. Sim, isso saiu em Português. Eu faço isso às vezes quando sou surpreendido ou estou chateada. "O que você acabou de dizer?" Há um rosnado baixo de sua voz que traz calafrios através de mim. "Eu disse, 'Que porra é essa?' depois que eu disse: 'Não pare", em inglês, se você de alguma forma souber uma língua estrangeira." Eu bufo de aborrecimento. Ele solta risadinhas. "Andressa, eu parei porque a primeira vez que você vier, eu vou estar dentro de você. Eu quero sentir seu orgasmo, não só vê-lo. " Primeira vez? Vai ter mais de uma? "E você pode falar a sua imundice brasileira para mim enquanto eu te foder bem." Minha boca cai aberta. Ele é um... Neanderthal! Mas Deus ... tão quente.


Carrick alcança o criado-mudo e pega um preservativo da gaveta. Eu tento não pensar em quantos preservativos desse pacote já foram utilizados em outras mulheres. Ele coloca o preservativo em tempo recorde, e ele está de volta para mim, prendendo meu corpo com o seu e as minhas mãos sobre minha cabeça. Sem outra palavra, ele empurra dentro de mim. Eu suspiro na plenitude dele, meu corpo está tenso em torno dele. Ele acalma, todo o seu corpo rígido, e seus olhos se fecham apertado, quase como se ele estivesse com dor. "Jesus... você é apertada pra caralho. " Seus olhos se abrem, e o olhar neles faz o meu fôlego e meu coração pararem. "Quanto tempo tem sido realmente?" Ele sabe que o meu pequeno discurso de não namorar ninguém a dois anos mas ter estado com alguém é mentira. Eu fecho meus olhos. "Um tempo... mas não o suficiente para deixar de volta ao estado de virgem. Talvez você seja apenas realmente grande." Eu dou um sorriso com meus lábios enquanto eu levantar minhas pernas e coloco-as em torno dele. Sinto risada em resposta. "Não vou discutir com você disso, querida. Mas me diga, Quanto tempo? Eu quero saber " Ele roça seus lábios sobre os meus, me fazendo tremer com a necessidade. Abro os olhos para os dele, um rubor aparecendo em minhas bochechas. Eu não estou acostumado a falar de conquistas passadas com rapazes atuais, especialmente, não com aquele que está atualmente dentro de mim. "Dezoito meses mais ou menos." "Como isso é possível?" Ele balança a cabeça, incrédulo. "Não que eu esteja reclamando." Eu dou de ombros, olhando para longe. "Honestamente, eu não sei. Simplesmente não apareceu qualquer um com quem eu quisesse dormir, eu acho. "


Isso traz um sorriso arrogante no rosto. "No entanto, aqui estou eu." Ele empurra seus quadris contra o meu, empurrando seu pau mais para dentro. Segurando um gemido, eu esmago seu braço. "Nós ainda vamos falar sobre a minha história sexual a noite toda? Ou você vai realmente transar comigo?" Trazendo seu rosto para baixo para o meu novamente, ele me beija, mordiscando meu lábio inferior com os dentes. Ele tira o pau um pouco. "Oh, eu definitivamente vou transar com você." Ele vai para trás, mas, em seguida, enfia duro novamente. Solto minhas mãos, ele prende minha cabeça entre os braços, seus dedos enfiados no meu cabelo. Ele olha para mim, e algo em sua expressão muda. Tenho a sensação súbita de queda. "Andressa, isso... com você, é muito melhor do que eu jamais imaginei que poderia ser." Minha respiração para, deixando-me tonta. Eu fecho meus olhos. "Só... me foda, Carrick... por favor." "Abra seus olhos." No momento em que eu o faço, ele puxa para fora de mim e, em seguida, enfia de volta para dentro, o tempo todo segurando meu olhar. "É isso que você quer?" "Sim", eu gemo. Ele segura meu cabelo conforme começa a me foder, batendo dentro e fora, meu corpo preso à cama pelo seu. "Mais... mais forte", eu imploro. Mergulhando a cabeça, ele me beija com todo o desespero. Eu sei o que eu estou sentindo conforme ele bate dentro e fora de mim, dandome exatamente o que eu quero. Então, ele se ajoelha e pega minha perna, colocando-a do outro lado de seu corpo.


Inclinando meus quadris, ele começa de novo, desta vez com golpes mais lentos. Seus dedos me encontram, e ele começa a mexer no meu clitóris. "Carrick..." Eu gemo. "É isso aí, querida." Sua voz é rouca crua, conforme aumenta seu ritmo, movendo-se dentro e fora de mim com estocadas duras e confiantes. Então, sem aviso, eu estou vindo, gritando seu nome. É como um espelho de explosões, todas ricocheteando umas nas outras, sem fim, criando o orgasmo mais incrível que eu já tive. "Jesus..." Eu abro meus olhos com o tom na voz de Carrick. Seus olhos estão em mim e encheram-se com o que eu penso ser veneração. "Que foi?", eu sussurro timidamente. Eu gritei muito alto? Eu sou conhecida por falar bem alto às vezes. "Nada." Ele balança a cabeça, piscando rapidamente. "Você só... Eu nunca... senti nada assim antes." De repente eu tenho a sensação de que alguém está de pé no meu peito. Eu coloco minha mão sobre a dor. Inclinando-se, ele me beija de novo, profundamente, sua língua enroscando com a minha. A próxima coisa que eu sei, é que ele está saindo dos meus lábios, e eu estou em movimento, sendo levantada. Carrick senta-se novamente, me sentando em seu colo, com as costas contra seu peito e minhas pernas em cada lado das suas. E ele faz tudo isso ao mesmo tempo mantendo seu pênis dentro de mim. O homem é um maldito mágico. "Monte em mim", ele geme em meu ouvido enquanto suas mãos deslizam até meus seios. Ele começa a provocar meus mamilos, puxando suavemente sobre eles.


Minha cabeça cai para trás, desejo me inundando. Agarro seus braços como apoio, eu me levanto, sentindo seu pênis facilmente deslizar para fora de mim, e então eu bato de volta para baixo sobre ele. "Porra. Sim, assim mesmo," ele rosna, seu aperto em meu seio aumentando. Sentindo-me poderosa da forma como eu estou fazendo-o sentir, eu começo a montá-lo como se eu fosse uma maldita estrela pornô. Ok, talvez estrela pornô seja demais, mas estou fazendo um trabalho muito bom, posso dizer, e Carrick parece que está gostando pelas palavras de louvor quentes que ele continua gemendo no meu ouvido. Sua mão desliza entre as minhas pernas, seus dedos tocando meu clitóris novamente, mas eu ainda sou muito sensível do meu orgasmo épico de poucos minutos atrás. Eu pressiono minha mão na sua, parando-o. "Carrick, não, eu não posso novamente-" "Silêncio", ele adverte. "Você pode, e você vai. Eu quero sentir você ir." Ele soa tão gostoso quando ele está sendo dominante que eu nem sequer discuto. Eu só tiro a minha mão da dele e o deixo trabalhar a sua magia. E você não acredita? Em tempo recorde, estou bem lá de novo, escalando o precipício para o céu. "Carrick..." Eu choramingo. Eu preciso pressionar as pernas juntas para aliviar a pressão de alguma forma ainda que eu não o deixe parar. Sem aviso, eu sou levantada e virada de costas. Então, a cabeça de Carrick está entre as minhas pernas, e sua boca está sobre mim. "Oh meu Deus!" Eu grito, minhas mãos segurando a cabeça.


Ele empurra a língua onde seu pênis estava a apenas momentos atrás. Então, ele está chupando meu clitóris e arrancando meu segundo orgasmo da noite em segundos, deixando-me gritar seu nome e meu corpo caindo relaxado na cama. Ele sobe até o meu corpo, com as mãos na cama, e ele paira sobre mim. Eu olho para ele com admiração. Seus lábios estão brilhando de mim, seus olhos escuros, a pele do rosto tensa. Ele parece um homem no limite do controle, que está rapidamente desaparecendo. Ele corre a língua sobre seu lábio inferior, me degustando. É a coisa mais erótica que eu já vi. Eu levanto os meus quadris nos dele, deixando-o saber que eu o quero de volta dentro de mim. Honestamente, eu não quero ele saia nunca. Agarrando meu quadril, ele empurra aquele incrível pau dele, empurrando até ao máximo. Suas mãos saem do meu quadril para as costas, levantando-me, para que ele possa deslizar mais profundo. Eu o vejo com fascínio enquanto ele me fode, vendo como ele é realmente bonito, ainda mais, quando ele chega a esse momento onde todos os sentidos se foram, e a única coisa que importa agora é chegar ao orgasmo. Uma foda puramente animal. "Porra! Andressa... ", diz ele, soltando o meu nome, seu corpo trêmulo. As veias do pescoço estão esticando, fechando os olhos como se tudo fosse muito, enquanto ele solta o seu orgasmo dentro de mim. Quando ele termina, a cabeça cai para meu ombro, ofegante. Nós dois estamos pegajosos de suor, desesperadamente tentando recuperar o fôlego. Oh meu Deus, eu acabei de fazer sexo com Carrick! Sexo quente, suado... e foi incrível! Levantando a cabeça do meu ombro, ele segura meu rosto em suas mãos e me beija. "Eu só vou me limpar ", ele murmura.


Eu dou um aceno gentil, e então ele está escorregando para fora de mim, deixando-me sentindo-me estranhamente vazia. Eu o vejo conforme ele caminha para o banheiro, amando a visão de sua bunda apertada, e eu estou surpreso de ver que Carrick tem uma tatuagem em suas costas. Uma grande tatuagem do que parece ser um anjo caído. Talvez seja isso que ele é, meu anjo caído. Não! Pare de pensar assim. Carrick não é sua coisa, e ele nunca será. Uma vez que a porta do banheiro fechou, eu cubro meu rosto com as mãos e solto um grito mudo. Puta merda! Eu acabei de ter incríveis relações sexuais com Carrick, do tipo estrela pornô, só que melhor! Ok, respiro fundo... calma. Ele estará de volta em um minuto. Eu ouço água correndo no banheiro. Movendo minhas mãos do meu rosto, eu olho para o teto, forçando minha respiração para fora. A adrenalina está começando a desaparecer. Eu refaço essas palavras na minha cabeça novamente. Eu tive sexo com Carrick. Oh, Deus. Eu dormi com um piloto. Justo para quem eu trabalho. Eu fiz sexo com meu amigo. Todas as promessas feitas para mim mesma eu quebrei da maneira épica. O que vai acontecer agora? A porta do banheiro se abre, revelando Carrick, antes do meu pânico se assentar. Sento-me. Trazendo meus joelhos no meu peito, eu envolvo meus braços em torno deles. O olhar de Carrick é suave para mim.


Eu sinto essa suavidade dentro de mim, como uma carícia e isso me assusta demais. Eu vejo que ele tem uma toalha na mão. "Eu pensei que você pudesse querer se limpar", explica ele, caminhando até a cama. "Obrigada." Eu alcanço a toalha, mas em vez de dá-la a mim, ele gentilmente abre minhas pernas com uma mão e me dá a toalha com a outra. Diabos. Não admira que tem tantas mulheres que querem ficar com ele, se ele se cuida delas assim, além do óbvio que Carrick é no sexo e os orgasmos incríveis que ele dá, é claro. Todos os caras com quem eu já dormi rolaram e foram dormir no segundo que eles terminaram, deixando-me a me virar na cama. Eu vejo seu rosto, enquanto ele me limpa. A forma como seus longos cílios chegam até as maçãs do rosto cada vez que ele pisca. A infinidade de tons de azul, que se misturam para fazer a cor dos seus olhos é deslumbrante. Ele é perfeito. Carrick, de repente olha para cima, pegando-me olhando, fazendo meu rosto corar. Segurando meu olhar, ele se inclina e pressiona um beijo suave nos meus lábios. Meu coração realmente salta em uma batida. Coração estúpido. Ele joga a tolha sobre a cômoda e sobe na cama ao meu lado. Ele me enrola com suas longas pernas, os braços chegando em torno de mim, e ele dá um beijo no meu ombro. Eu me sinto meio estranha agora. Quero dizer, ele está sendo realmente doce e tudo, mas eu não tenho certeza do que eu deveria fazer. Claro que já tive transas de uma noite antes, mas nunca com alguém que é meu amigo ... Para quem eu trabalho a quem eu tenho que ver de novo no prazo de algumas horas. Eu deveria sair?


Sim, eu provavelmente deveria ir. Não Carrick não se repete, e eu não deveria ter feito isso em primeiro lugar, não importa o quão incrível foi. E ele tem uma corrida amanhã. Ele precisa descansar. Descansando meu queixo no meu ombro, eu olho para ele. "Eu deveria ir. Deixá-lo dormir um pouco. Você tem uma corrida amanhã. " Sua testa franze. "Não, fique." Ele engole uma respiração. "Eu realmente quero que você fique." Eu mordo meu lábio, assustada com o quanto eu quero ficar com ele. Eu realmente não deveria... mas pareço não ter forças em mim para lutar contra meus desejos versus o que é certo neste momento. "Ok." Eu sorrio suavemente. Calor enche seus olhos. Eu me movo para que ele possa puxar as cobertas. Eu vou para dentro. Ele fica ao meu lado, deitado e de frente para mim. Ele põe meu cabelo para trás da minha testa. Ele se sente íntimo. Eu sei que, com tudo o que fizemos, e eu sei que colocar meu cabelo atrás do meu rosto pareça intimista, mas de alguma forma parece, muito mais do que o sexo quente. "Eu não sabia que você tinha uma tatuagem", eu digo, tentando mudar a direção dos meus pensamentos. "Sim." "Quando foi que você fez?" "Uma semana depois de eu ter assinado com a Fórmula 1. Foi o meu presente para mim mesmo ". "O mais jovem piloto a assinar. Eu teria pensado que você teria comprado uma casa ou algo extravagante do tipo. " "Comprar uma casa era a última coisa em minha mente naquela época." Ele sorri. "Sim, eu acho que festas e mulheres estavam na frente." Eles ainda estão.


O sorriso cai de seu rosto, e ele olha para longe. "Algo como isso. Enfim, eu não fui o piloto mais jovem. Eu tinha a mesma idade de William Wolfe quando ele assinou com a Fórmula 1. " Ouvindo Carrick dizer o nome do meu pai me abala, lembrando-me por que eu não deveria estar aqui em sua cama. Meu coração começa a disparar. "Ei, você está bem?" Seus dedos tocam a minha bochecha. "Tudo bem." Eu forço um sorriso, tentando acalmar o coração disparado. "Posso ver a sua tatuagem?" Eu preciso que ele para de me tocar, para de olhar para mim do jeito que ele está fazendo. É demais. "Claro." Carrick rola sobre seu estômago, então eu subo em suas costas, sentando sobre ele. A tatuagem é de um anjo caído. Um homem está inclinando-se, cabeça baixa, as asas protegendo o corpo. Há algo escrito acima dele, que mede o comprimento de suas omoplatas. A DOR É TEMPORÁRIA. VITÓRIA É PARA SEMPRE. É lindo. Eu sigo o meu dedo sobre ela. "É lindo, Carrick." Assim como você. Ele levanta a cabeça do travesseiro e olha para mim, rindo. "Nunca diga a um homem que sua tatuagem é linda, querida. Diga que é irada, mas nunca bonita." "Desculpe." Eu rio. "É totalmente foda." Eu coloquei em uma voz rouca, tentando soar como um cara. "É a tatuagem mais fodástica que eu já vi ". "Fodástica?" Ele levanta uma sobrancelha. "É uma palavra." Eu sorrio. "Bem, no meu mundo é assim mesmo." "Você está louca." Ele ri, me fazendo sorrir. Chegando de volta, ele envolve uma mão no meu pulso e me puxa para frente. Eu caio fora de seu corpo no colchão, deitada ao lado dele. Levantando-me, ele me puxa para ele e me coloca sob seu corpo. Ele segura meu rosto em


suas mãos. "Mas eu realmente, realmente gosto muito do mundo louco de Andressa Amaro. " Meu coração e minha cabeça colidem, causando pânico a ondulação através de mim, mas tudo é tragado pelo seu beijo. E o momento exato em que sua língua desliza contra a minha tudo desaparece, exceto ele. Ele me beija pelo que parece ser para sempre. Suave e macio. E eu não quero que ele pare nunca. Quando ele finalmente para, levantando o rosto do meu, ele me dá esse olhar de desejo que faz meu coração realmente doer. Eu não posso me apaixonar por ele. Eu não posso. "Eu deveria dormir um pouco, se eu quiser ganhar amanhã", diz ele em um bocejo abafado. "Claro." Minha voz treme. Se ele percebeu, ele não disse nada. Ele se estica e se apaga a luz. Então, ele me puxa para ele. Me aconchega ao seu lado, ele emaranha as pernas para cima com a minha. Ele dá um beijo na minha testa. "Noite, baby", ele murmura, sua voz já parecendo sonolenta. "Noite", eu sussurro, meus olhos ainda abertos.


13 BARCELONA, ESPANHA

Eu desperto com um salto. Ainda é escuro lá fora, mas o sol está começando a subir. E há um corpo sólido quente em volta de mim. Carrick. Eu estou em sua cama. E nós fizemos sexo. Sexo quente, incrível. Flash de imagens na minha mente da noite anterior, fazem-me doer em todos os lugares certos. Mas o que também vem com essas imagens e formigamentos, agora que os hormônios do champanhe e do sexo enlouquecido já se foram, é uma mistura de pesar e preocupação. Eu dormi com Carrick. Um piloto. Eu quebrei minha regra fundamental. Merda. Merda. Merda. Eu não posso acreditar que fiz isso. Bem, eu posso acreditar... mas você sabe o que quero dizer. E o pior de tudo, estou sentindo coisas que eu não deveria estar. Como o quão incrível o seu corpo se sente envolto ao redor do meu e do desejo de nunca mais sair.


Querendo mais. Querendo ele. De novo e de novo. Oh, Deus. Eu não posso pensar dessa maneira. Não que Carrick jamais queira ficar comigo a longo prazo. Ele é o tipo de cara que dorme e some. Mas isso é sobre mim, o que eu estou sentindo por ele. Esse é o problema. Eu não posso me envolver com. E agora, aqui em seus braços, eu estou muito confortável. É hora de eu ir. Cuidadosamente, eu deslizo a perna para fora de entre as suas. Segurando minha respiração, eu espero ter certeza de que eu não o acorde. Quando eu tenho certeza que ele ainda está dormindo, eu levanto o braço e deslizo para fora da cama como se eu fosse tipo de ninja. Olhando para ele no escuro, eu resisto à vontade de tirar para trás o cabelo caindo sobre a testa. Ele é lindo. E eu realmente preciso dar o fora daqui. Eu passo longe da cama, e sou tão silenciosa quanto humanamente possível, eu vou na ponta dos pés, pegando minhas roupas jogadas. Tomo-as comigo, eu vou para a sala de estar e me visto silenciosa e rapidamente. Lembrando que a minha bolsa ainda está no bolso do terno de Carrick, eu a recupero de onde o deixamos, na porta de entrada ontem à noite na minha pressa para tirá-lo dele. Memórias de ontem à noite inundam minha mente. Carrick beijando-me neste mesmo lugar, tocando-me... como eu tanto queria. Meu corpo começa a doer para voltar para ele, para me enrolar em torno dele e nunca deixá-lo ir.


Seria tão fácil tirar esse vestido de volta, ir lá, deslizar de volta em seus braços, e esperar para ver o que iria acontecer quando ele acordar. Mas eu não posso. Então, eu penduro o terno em um gancho. E com os meus saltos e bolsa na mão, eu calmamente me retiro de sua suíte. Eu vou para o elevador. O hotel está parado. Eu verifico as horas no meu telefone, 6:30. Quando o elevador chega, eu entro no espaço vazio e pressione o botão para o meu andar. Caminhando descalça pelo corredor até o meu quarto, felizmente não vejo uma alma, passo o cartão-chave na porta, tentando ser o mais tranquila possível, para não acordar Petra. Mas o som da fechadura abrindo fazem sons realmente altos no silêncio. Fechando a porta suavemente atrás de mim, eu ando pelo quarto, colocando meus sapatos no chão na porta de entrada. Eu coloco minha bolsa e o cartão-chave em cima da cômoda. "Vendo como você está voltando para casa no início da madrugada, eu vou entender que você teve uma boa noite?" "Jesus!" Eu quase salto para fora da minha pele ao som da voz de Petra. "Você me assustou, porra! " Meu coração está batendo como louco. Rindo, ela clica na lâmpada, temporariamente cegando-nos, e então ela rola na cama para me encarar. "Então, você transou com Carrick, né?" Ela tem o mais convencido sorriso em seu rosto. Sentando-se na beira da minha cama, eu enrolo meus dedos dos pés no tapete, e levanto os ombros. "Uh-uh. De jeito nenhum, senhorita. Despeja. Eu preciso de algo para iluminar a minha manhã. Eu tive uma noite de merda. "


"Por quê? O que aconteceu? " Eu levanto a cabeça, a preocupação franzindo a testa, sabendo que ela saiu com os rapazes na noite passada. "Oh, nada de importante." Ela acena. "Foi apenas uma porcaria sem você lá, e Robbie estava sendo uma boceta, como de costume. " Eu fico um pouco feliz, de saber que ela acha que sua noite teria sido melhor comigo lá. "Você sabe que Robbie gosta de você, certo?" Eu sorrio. "O quê? Robbie? Não, ele não... é? " Ela vê os meus olhos sorridentes. "Claro que ele é. É totalmente evidente pela maneira como ele olha para você o tempo todo, olhos brilhando. " Ela solta um “hunf!”. "Então, por que ele age como um idiota perto de mim?" "Porque... ele é um homem." Eu dou de ombros impotente. Tenho zero pista sobre por que os homens são da maneira que são. "Falando de homens e suas maneiras, boa tática desviando o assunto para Robbie, Carrick. Solta. Eu quero detalhes. " Com um suspiro, eu digo: "Sim, eu transei com ele." "Eu sabia que você não seria capaz de resistir a ele! Ele foi incrível? Ouvi dizer que ele fode como uma estrela pornô. " Deus, ele absolutamente é. Mas eu não disse isso. Eu só olho para as minhas unhas bem pintadas. "Oh meu Deus. Ele foi ruim? " Ela parece horrorizada. Sua mão está presa sobre a boca, os olhos arregalados. "Não", apresso-me a dizer. "Ele foi... grande. Incrível. " Como nada que eu já conheci antes. "Eu só... acho que eu cometi um erro por dormir com ele ". "Por quê?" Ela sai da cama e vem sentar-se perto mim. "Ele foi idiota depois?"


"Não mesmo. Ele foi muito doce, na verdade, mas eu só... " Deixo escapar um suspiro e esfrego meu rosto. "Você está preocupada que você vai perder seu emprego?" Meus olhos se arregalaram com o choque de suas palavras, a preocupação me bate. "Bem, eu não estava, mas estou agora. Você acha que eu vou perder o meu trabalho porque eu dormi com ele? " "Não", ela diz rapidamente. "A Amy perdeu o emprego porque ele foi parar nas notícias, e foi muito perto de toda a merda com Rich e Charlotte. Não há nenhuma maneira que você vá perder o seu emprego. John não iria deixar que isso acontecesse. " "Sim, eu acho." Eu suspiro. "Então, o que está preocupando você, então? Quero dizer, como é que vocês terminaram? " "Hum... bem, nós não exatamente terminamos. Depois, ele me pediu para ficar, e nós adormecemos. Então eu acordei, e Carrick estava dormindo, então... Eu só meio que... saí ". "Oh meu Deus! Você escapou! " Ela cacareja. "Bem, isso faz diferença. Uma mulher esgueirando-se de Carrick. É geralmente ele que sai. " Eu deslizo um olhar para ela. "Você acha que ele vai ficar puto?" "Não, ele é... Carrick", ela diz seu nome como se fosse uma explicação. "Mas... ele pediu-lhe para ficar mais depois que vocês fizeram sexo? " O tom de sua voz mudou para surpresa e curiosidade. "Mmhmm." Eu começo a roer meu dedo. Petra bate na minha mão, me parando. Eu dou-lhe um olhar, e então eu solto outro suspiro. "Eu disse que ia sair, para que ele pudesse dormir um pouco, mas ele disse que queria que eu ficasse, então eu concordei ". "Uau…" "O quê?"


"Bem, pelo que eu ouvi, Carrick não pede para meninas para dormirem. Ele geralmente empurra-as para fora da porta no segundo depois que ele goza. " "Legal", murmuro. Mas ele não foi assim comigo. Tudo que ele foi, foi doce. "Você acha que ele gosta de você?" Eu atiro-lhe um olhar. Eu? Mesmo se o fizesse, isso não muda nada. "Não, não acho isso. Quero dizer, claro que ele queria transar, mas, além disso, nós somos apenas amigos. Ele foi provavelmente gentil porque eu trabalho para ele. " "Ele não foi gentil com Amy ou Charlotte." "Sim, mas eles não faziam parte de sua equipe. Eu mantenho o seu carro de corrida. Talvez ele tenha pensado que eu poderia cortar seus freios se ele fosse um desgraçado para mim. " Eu sorrio, mas eu realmente não sinto isso dentro. Honestamente, eu não sei o que eu sinto. Só de falar com Petra sobre isso me sacode e deixa tudo confuso. Petra ri. "Eu duvido que seja por isso. Eu não sei. Ele é diferente com você. Eu vi o jeito que ele olha para você. Ele pode realmente gostar de você, Andi." "Não." Eu balanço minha cabeça com veemência. "Carrick não é comigo dessa forma. Ele só queria transar comigo. " Ela olha para mim por um minuto com uma luz em seus olhos, e depois escurece. "Sim, você está provavelmente certa. Só eu e minhas noções românticas sobre como domar bad boys. Eu estou deixando me levar. Eu amo uma boa história de amor. Mas você está certa. Carrick não é do tipo relacionamento. " Eu sei que é verdade. Eu mesma forcei seus pensamentos nesse sentido. Mas, por que ouvi-la dizer isso me incomoda tanto? "Então, você não acha que ele vai ficar puto que eu escapei?"


"Não, ele vai ficar bem. Os caras não ficam chateados por esse tipo de coisa. Somos nós mulheres que ficamos histéricas se acordamos e o cara não está lá. Somos mais emocionais sobre sexo do que eles são, bem, talvez exceto você." "Hey!" Em jeito de brincadeira empurro ela, fazendo-a rir. "O que isso significa?" "Eu só quero dizer, que você é a única que escapou do Carrick. Todas as mulheres com quem ele dormiu ficam penduradas lá até o fim, agarrando-se à esperança de que ele poderia oferecer-lhes um pouco mais. " "Sim, bem, eu não sou como essas mulheres. Eu sei quem o Carrick é e o que a noite passada foi. De qualquer forma, eu não me envolvo com os pilotos. " Eu me levanto da cama, e pego o meu telefone da bolsa. "Eu vou tomar um banho e, em seguida, vou para o banheiro." "Legal. Bem, eu vou voltar a dormir enquanto você faz isso. Acordeme quando estiver pronta, então eu posso levantar. Tenho que preparar a comida para alimentar os ricos e detestáveis. " Ela se levanta da cama e sobe de volta na dela. Eu tiro o meu colar da minha nécessaire, e o levo comigo para o banheiro. Eu fecho a porta ligo a luz. Eu defino o chuveiro para quente. Puxo o assento do vaso para baixo, e sento sobre ele e olhando para baixo para o colar na minha mão. Eu posso saber o que a noite passada foi, e eu posso ter sido a única que saiu do quarto de Carrick, mas não me sinto tão fácil sobre ele como eu fiz parecer para Petra. Ele me afetou. Na verdade, eu nunca me senti tão afetada por qualquer coisa... ou por alguém em toda a minha vida. Fechando os olhos, tudo que eu posso ver é ele. Eu ainda posso sentir o cheiro dele na minha pele, ainda sinto seu toque. Eu só queria...


O quê? O que eu quero? Carrick? Eu quase rio em voz alta para mim mesma. Eu estive desejando muitas coisas desde que Carrick entrou na minha vida. Que ele não fosse um piloto. Que eu pudesse tê-lo. Isso precisa parar. Respirando fundo, eu me fortaleço e ligo a tela do meu celular, trazendo-o para a vida. Usando o Google, eu digito William Wolfe acidente no motor de busca. Imagens do acidente do meu pai inundam minha tela. Eu sinto uma pontada de dor tão aguda no meu coração que me faz suspirar. Mas eu preciso olhar para estas fotos. Eu preciso de um lembrete de porque eu não posso ter Carrick. Ele vive uma vida perigosa, e eu não posso perder alguém que eu amo de novo. Eu não posso arriscar. Eu preciso acabar com estes sentimentos que tenho que crescem dentro de mim por Carrick. Eu não posso me apaixonar por ele. Porque nada de bom poderia vir disso. Mesmo assim, eu aperto o colar de volta ao redor do meu pescoço e entro no chuveiro.

Depois que eu tomo banho e me visto, deixo Petra se preparando, e vou para fora do hotel, temendo esbarrar em Carrick. Então, eu não


tomo o café da manhã lá, mas no meu caminho para a pista, eu opto por pegar uma Bagel de uma padaria perto do hotel. Eu apenas não estou pronta para enfrentá-lo ainda. Vai ser difícil, e eu não sei como lidar com isso, então por agora... Eu não estou lidando. Eu estou evitando. E com bastante sucesso até agora. Eu fico escondida no box durante toda a manhã. Carrick geralmente não desce até pouco antes da hora da corrida, por isso estou segura. Eu nem sequer me atrevo a ir ao banheiro para o caso de vê-lo lá fora. Estou sendo estúpida. Eu sei que não posso evitá-lo para sempre, mas eu só preciso desse tempo para arrumar minha cabeça antes de enfrentá-lo. Estou sob seu carro, fazendo algumas últimas verificações, quando ouço sua voz. Todo o meu corpo congela. E o seu carro desaparece da minha vista com imagens da última noite inundando minha visão, fazendo meu corpo crepitar à vida. Eu posso ouvi-lo e tio John falando sobre o problema que o carro estava tendo durante o treino ontem. Não estava alinhado. Essa foi a primeira coisa que eu reparei quando entrei esta manhã. "Está tudo resolvido." A voz do Tio John se aproxima. Isso significa que Carrick está vindo para cá também. Merda. "Andi consertou. Ela está aqui, trabalhando nisso, desde cedo esta manhã", diz o tio John. "Ela está aqui agora?" Há algo no tom de Carrick que eu não posso decifrar, mas o seu belo sotaque irlandês me toca em todos os lugares certos, me fazendo tremer. Tocando-me assim como suas mãos o fizeram na noite passada. Suas mãos em mim... ele dentro de mim...


Oh, Deus. Concentre-se, Andi. Sem pensamentos sexuais com Carrick. Sabendo que eu vou ter de comprimentar os homens que estão perto das minhas pernas, especialmente aquele que me viu nua na noite passada, eu me preparo em uma face neutra e escorrego para fora de debaixo do carro. Merda. Ele parece... lindo. Injustamente quente. Por que ele tem que ser tão lindo? Isso torna as coisas muito mais difíceis. Não é que se Carrick fosse feio tornaria isso mais fácil porque ele ainda seria ele, e isso é o que eu mais gosto de tudo, o Carrick tem por debaixo dele. Oh, Jesus. Pare. Pare com isso agora. A próxima coisa que você sabe, é que vai estar enfeitiçado sobre o azul, azul de seus olhos. Que nesse momento estão brilhando para mim. Há uma expressão indecifrável no rosto dele. O cabelo louro está todo desarrumado, como se ele não tivesse mexido desde que ele deixou a cama, a que ele compartilhou comigo. E agora, eu não posso parar de pensar em Carrick e eu na cama. Vejo-o nu. Sua pele dourada suave. Sua barriga de tanquinho. Seu enorme pa"Bom dia", diz ele, me trazendo de volta para os meus sentidos. Sua testa está levantada, e há um brilho inconfundível em seus olhos. Ele sabe onde minha mente estava. Eu coro imediatamente. Encobrindo, murmuro para fora, "Bom dia", e fico em pé. Eu preciso me restabelecer e rápido. Caso contrário, o tio John vai entender imediatamente. Pela maneira como estou agindo atualmente, eu poderia muito bem dizer pelo fato de que eu transei com Carrick na última noite está escrito na minha testa.


Eu posso fazer isso. Eu posso ser um adulto e agir como se nada tivesse mudado, porque realmente não mudou. Eu apenas sei como Carrick é nu. Isso é tudo. Oh, Deus. "Seu carro está pronto." Eu forço meus olhos até os seus, mas eu sinto uma sacudida no instante em que nossos olhos se encontram. Levando uma respiração rápida, eu engulo. "Você não terá problemas. Ele vai funcionar perfeitamente agora. " "John, você tem um minuto?" Isso é um chamado do Ben. "Certo. Eu encontro com você antes da corrida. " Tio John dá um tapinha no ombro de Carrick. Ele foi encontrar com Ben, que está do outro lado do box, deixando Carrick e eu sozinhos. Eu assisto tio John ir. Quando eu trago meus olhos de volta para Carrick, ele ainda está olhando para mim, mas mais intensamente agora. Isso faz com que o meu coração pare de funcionar e um enxame de borboletas me invada, impiedosamente atacando minhas entranhas. Estou começando a sentir-me quente, e eu tenho um forte desejo de fugir. "Então, sim... é melhor eu, hum..." Eu começar a recuar, mas Carrick me segue. "Andressa" - sua voz é baixa "Podemos conversar?" O que devo dizer, como um adulto maduro, sim, é claro que podemos falar. Infelizmente, eu não estou me sentindo amadurecer agora, é por isso que eu ajo como uma criança completa. Eu murmuro para fora, "Uh... eu não posso agora. Eu preciso, hum... lavar as mãos. " Eu levanto minhas mãos sujas como prova, e, em seguida, antes que ele possa dizer outra palavra, eu corro de lá com minha bunda em chamas.


Meu coração está praticamente batendo fora do meu peito até eu chegar no banheiro. Eu estou na pia, minhas mãos tremendo. Jesus, o que diabos há de errado comigo? Por que não posso apenas falar com ele? Porque você está com medo do que ele vai dizer. Ele vai dizer o que precisa ser dito, que a noite passada foi um caso de uma noite. É o que eu preciso dizer. Porque isso é tudo que foi. Mesmo que eu não fosse quem eu sou e eu não poderia estar com ele, este é Carrick. Ele não tem namoradas. Ele tem transas de uma noite. Eu esfregar a sensação estranha no meu peito, que me deixou sentindo um pouco sem fôlego, e por sua vez, eu esfrego mais sujeira em meu macacão. Eu suspiro para mim mesmo no espelho. Eu preciso agir como a minha idade e falar com ele. Eu sou uma mulher crescida, porra. Eu posso ter uma conversa com o homem que teve relações sexuais comigo a noite passada. Eu só preciso resolver o inevitável, assim Carrick e eu podemos voltar ao normal. O que quer que seja nosso normal. Decidindo que eu vou falar com ele na próxima vez que o ver, coloco um pouco de sabão em minhas mãos com um novo propósito. Eu abro a torneira da água quente e esfrego as mãos limpas. Eu apenas peguei algumas toalhas de papel quando o meu telefone recebe uma mensagem no meu bolso. Eu seco minhas mãos, despejo as toalhas de papel no lixo, e busco o meu telefone do bolso do meu macacão. Carrick. Meu coração começa a bater mais rápido.


Eu não sei o que porra que acabou de acontecer, mas nós precisamos conversar, agora. Sala de pilotos. Dois minutos. Meus dedos tremem enquanto eu digito a minha resposta. OK. Eu olho para mim mesma no espelho novamente, tentando criar coragem. Eu me dou uma conversa de ânimo. "Você pode fazer isto. Vai ser fácil. Carrick é um jogador. Ele está acostumado com casos de uma só noite. Vocês dois são adultos. Você consegue fazer isso." Respirando fundo, deixo o banheiro e vou direto para a sala de Carrick. Eu tomo uma respiração profunda antes de bater em sua porta. "Entre." Sua voz rouca vem do outro lado. Mãos tremendo, eu passo para dentro antes de fechar a porta atrás de mim. Carrick está inclinando contra a janela, de braços cruzados, olhos com nada de graça. "Oi," eu digo, minha voz soando minúscula. "O que diabos está acontecendo, Andressa?" "O que você quer dizer?" "Quero dizer", ele desenrola os braços, jogando para cima "que, em primeiro lugar, eu acordo em uma cama vazia. Então eu desço para o box, porque nós precisamos falar sobre ontem à noite, e você age como se eu tivesse uma porra de uma doença mortal e corre para as montanhas. " "Eu não estava correndo. Eu precisei-" "Lavar suas mãos. Sim, você disse. " Seus dedos esfregam a testa, os olhos piscando com impaciência. "Não me venha com mentiras. Eu sei quando estou sendo evitado. " "Eu não estou evitando você." Mentirosa. Mentirosa.


Ele me dá uma olhada e, em seguida, um suspiro. Ele junta as mãos atrás do pescoço, inclinando a cabeça, conforme seus olhos vão até o teto. Eu vejo os músculos dos braços flexíveis e tensos, e eu tenho um flash dele em cima de mim ontem à noite, os seus braços enrijecendo ao lado da minha cabeça enquanto ele se movia dentro de mim. Isso me deixa com uma sensação estranha no peito. "Eu pensei que nós tivemos um bom momento na noite passada." Sua voz é mais suave, mais suave, enquanto seus olhos voltam para os meus, os braços caindo para os lados. De repente eu me sinto exposta. Eu envolvo meus braços em volta de mim, olhando para ele e pela janela para a cidade além. "Tivemos um bom tempo..." "Mas?" "Mas..." Eu solto. "Isso foi ontem à noite, e... bem, este é hoje." "O que isso significa?" "Isso significa que... Eu não sei, Carrick." Deixando cair meus braços, eu dou de ombros, impotente. "Eu acho que isso significa que passamos a partir de ontem à noite e voltamos para onde estávamos. " Algo parecido com incredulidade cintila em seu olhar. "Você está me jogando fora." "Eu não estou jogando fora. Eu só... dormimos juntos, e foi incrível, mas ... isso foi ontem à noite e hoje é hoje. " "Então você continua jogando fora." Ele não está facilitando as coisas, e eu não entendo por que. Eu pensei que ele fosse querer isso. Com toda a honestidade, eu pensei que ele fosse dizer isso antes de mim. Eu corro minha mão sobre minha trança, puxando-a. "O que você quer que eu diga?" "Diga o que você quer dizer." "Você precisa de mim para soletrá-lo?"


"Sim, eu realmente preciso." "Por que você está assim?" Ele dá de ombros, e isso me irrita. "Bem. A noite passada foi coisa de uma vez, para nunca mais ser repetida." Ela está soando mais dura do que eu quero dizer. Eu vejo algo que se parece muito com flash de mágoa através de seus olhos, e isso me faz sentir como uma cadela. "Nós dois tivemos algo que precisava sair de nossos sistemas, e nós fizemos isso ontem à noite. De qualquer forma, não é como se você estiver interessado em ter um relacionamento com alguém, e eu não me envolvo com pilotos ". Deus, eu desejo que eu pudesse. Eu realmente, realmente desejo que eu pudesse tê-lo. Ele está olhando para mim como se ele nem sequer me conhecesse. Agora, eu tenho que concordar com ele. Eu não me reconheço. Eu não sou a garota que diz que este tipo de coisa. Seus olhos vão para o teto novamente, e ele sopra um suspiro. "Então, o que acontece agora?" "Eu não entendo o que você quer dizer." Seus olhos voltam aos meus, com o cenho franzido. "O que há para não compreender? Que porra acontece agora? " Ele enuncia as palavras. Eu posso dizer que ele está ficando com raiva. Isso me faz contorcer-me desconfortavelmente. "Bem... eu acho que voltamos a ser amigos." Ele deixa escapar um riso incrédulo. "Você está me zoando?" Eu franzo a testa, descontente. "Sempre fomos amigos em primeiro lugar, Carrick." Ele dá uma risada oca. "Eu não posso acreditar que estou recebendo o discurso vamos-ser-amigos." "Não é isso que está acontecendo aqui."


"Não?" Ele me dá um olhar duro direto. Então, olhando para longe, e coloca suas mãos na parte de trás da cadeira na frente dele, agarrando-a, e seus olhos indo para o chão. Parece uma eternidade antes que ele olhe de volta para mim. E quando o faz, eu gostaria que ele não tivesse, porque ele parece frio. O calor nos olhos dele que eu tenho estado tão acostumada se foi, e foi sido substituído por algo pedregoso. "E se eu dissesse que eu não quero ser seu amigo?" A pancada me bate, morro no centro do meu peito, deixando-me com falta de ar. O pensamento de não ser amiga dele... é inconcebível. Ele tornouse muito importante para mim em um espaço tão curto de tempo para eu perdê-lo. "Carrick..." "Responda à pergunta do caralho." Sua voz é firme e resoluta. Eu não sei o que dizer. Minha garganta se sente apertada. Eu nervosamente torço minhas mãos na minha frente. Eu estou tentando achar as palavras, mas eu estou não tenho nada. Tudo o que tenho preso na minha cabeça é o desânimo total de nunca ser capaz de estar perto dele de novo... para falar com ele. Eu nunca sequer considerei isso na equação. Engolindo meu medo, eu separo meus lábios secos. "Então... eu vou respeitar os seus desejos." E eu gastaria o resto da minha vida sentindo sua falta. "Claro que sim." Ele soa amargo. Eu estou tão confusa com o que está acontecendo aqui. "Deus, Carrick, você está sendo tão difícil porque você não foi o primeiro a dizer que a noite passada foi apenas uma noite? Eu machuquei seu ego ou algo assim? Porque se esse for o caso, então eu vou com prazer sair e voltar, assim nós podemos começar tudo de


novo. Então, você poderia me dar o discurso de uma noite. " Eu faria qualquer coisa para voltar para onde estávamos. "Sim, isso é o que é sobre, a porra do meu ego ferido", ele responde. "Eu só... Eu não entendo você!" A raiva explode de mim. Estou praticamente arrancando meus cabelos. "Você dorme com as mulheres o tempo todo. Por que você está fazendo um negócio tão grande disso? " Algo em sua expressão muda, e é aí que eu vejo seus olhos fecharem, fechando-me para fora. "Eu não. Seja como for, Andressa. Terminamos aqui. " Virando-se, ele se afasta de mim e para a janela. "Feito?" Pânico me dá um tapa na cara. "Carrick, eu não posso perder meu emprego por isso." As palavras saem antes que eu possa pará-las, e eu sei que é a coisa errada a dizer, mas agora é tarde demais. Eu nem mesmo sei por que foi a primeira coisa que saiu da minha boca, porque o que eu tenho mais medo de perdê-lo é da minha vida. Que vem antes de qualquer coisa. Ele se vira para mim, sua expressão endurece. E eu me sinto mal no meu estômago. "Wow ..." Um riso amargo lhe escapa. "Eu não sabia que você pensava tão baixo de mim." "Eu não. Eu só... Quero dizer " eu tropeço nas minhas palavras, tentando corrigir o meu erro. Ele levanta a mão, me parando. "Você ainda tem o seu trabalho. Ao contrário da crença popular, eu tenho, na verdade, uma porra de integridade. " Ele se vira para longe de mim, dando-me as costas. "Feche a porta quando sair." "Carrick..." Dou um passo em direção a ele. "Eu não estava tentando ser uma cadela. É só você sabe... Amy e Charlotte, ambas perderam seus empregos, porque eles dormiram com você. " Por que


não posso parar de falar? eu sei que estou piorando, mas as palavras apenas saem. Eu vejo ele endurecer de volta. Lentamente, virando-se para mim, o olhar em seu rosto me atinge como uma explosão de nitrogênio líquido me transformando em gelo. A maneira como ele está olhando para mim... é como se ele realmente me odiasse. Sinto-me sem fôlego. Sua mandíbula se apertou com tanta força que parece que poderia quebrar. "Saia, Andressa. Agora." A baixa advertência em sua voz é pior do que quaisquer palavras que ele poderia ter gritado comigo. Mordendo o lábio para parar de chorar, eu me volto para a porta. Enrolando minha mão trêmula em torno do punho, e abro a porta. Saindo para o corredor, fecho a porta atrás de mim e encosto contra a parede ao lado dela. Meu corpo está tremendo, meu coração acelerado. Oh, Deus. Acho que cometi um erro enorme. Meu estômago se contorce. Aperto a mão nele conforme um soluço sobe na minha garganta, mas eu o seguro a tempo, cobrindo minha boca com a mão. Mas eu não posso impedir as lágrimas de caírem. Eu limpo-as com a parte de trás da minha mão. Eu não posso acreditar que eu disse aquelas coisas para ele. Preciso corrigir isso, mas eu sei, não há nenhuma maneira que ele vá me ouvir para mim no momento. Ele está muito zangado, e eu provavelmente iria acabar dizendo ainda mais coisas erradas. Piscando rapidamente tomo respirações calmantes, eu enfio minhas emoções de debaixo de um alçapão de aço para lidar com isso mais tarde. Eu vou deixar Carrick se acalmar, e então eu vou falar com ele depois da corrida. Vai ficar tudo bem. Nós vamos ficar bem.


Agora, eu tenho um trabalho a fazer, e eu posso ser uma melhor amiga para ele tendo certeza que seu carro está funcionando perfeitamente para a corrida. Isso é o que é importante agora. Respirando fundo, eu caminho de volta para baixo para o box.

Quando chega a hora da corrida, Carrick vem até o box, mas ele não olha na minha direção, e eu não tento falar com ele. Agora não é o momento, não antes de sua corrida. Ele sai do box e vai para a pista para falar com a imprensa. Quando suas entrevistas são feitas, um bando de modelos deslumbrantes e meninas de grade estão bajulando ele, e ele está lambendo a atenção. Elas são todas meninas bonitas vestindo quase nada em calças quentes e camisetas com propagandas apertadas em seus grandes seios. Vejo-o com essas meninas. Uma particularmente linda, loira está perto dele, reivindicando seu espaço das outras. Ela pressiona seu corpo contra o seu lado e coloca a mão em seu peito, tomando a sua atenção. Eu sinto um flash de ciúme tão forte que me choca no útero. Eu levo um tempo para perceber que minhas mãos estão flexionando inquietas ao meu lado. Eu tento respirar através da mágoa, tento olhar para longe deles, mas eu não consigo. Eu não consigo tirar os olhos da cena que se desenrola diante de mim. Ele está flertando com ela, colocando a mão em seu ombro e torcendo seu cabelo em torno de seu dedo, enquanto ela fala com ele. Eu fecho meus olhos longamente. Quando eu abri, Carrick está olhando diretamente para mim.


O olhar que ele me dá é vazio, quase como se ele estivesse vendo através de mim. É como se eu já não existisse para ele. Dói, mais do que eu jamais poderia ter antecipado. Meu coração parece que está realmente sendo esmagado. Então, dispensando-me com os olhos, ele olha para a menina, dando-lhe aquele seu sorriso sedutor, conforme ela fala com ele. Vira o cabelo de lado, e ele se inclina e diz algo em seu ouvido. Eu posso imaginar o que ele está dizendo. Na verdade, eu não quero imaginar. Ela lhe dá um sorriso tímido, e a mão que estava em seu peito desliza mais para baixo. Meu estômago se contorce dolorosamente. Pressiono a mão nele, tentando me segurar. E quando eu vejo o movimento de sua mão descendo para pegá-la por trás, eu sei que eu já vi demais. Tirando os olhos da cena, murmuro ao tio John que eu estou indo no banheiro, e, em seguida, eu corro de lá, prendendo a respiração e as lágrimas querendo derramar. Tranco-me em uma cabine, coloco a tampa para baixo e sento no vaso sanitário, e deixo as lágrimas estúpidas caírem pelas minhas bochechas. Eu sei que estou sendo ridícula. É assim que tem que ser. Dói vê-lo com outras mulheres, e isso é normal, é claro. Eu só... eu não esperava para vê-lo com outra tão cedo. Então, novamente, é de Carrick Ryan que eu estou falando. Ele não fica por baixo por muito tempo. E isso é bom. Ao vê-lo com ela, como ele estava em cima dela, é o lembrete que eu precisava de quem ele é. Um jogador. Um piloto.


Não é o homem para mim. Mas ainda assim, eu me sento lá dentro, me escondendo em uma cabine de banheiro até que eu tenha certeza de que não vou estourar em lágrimas se eu sair e ver Carrick apalpando outra mulher. No momento em que eu volto para o box, a corrida já começou. Eu não sabia que eu tinha sido ficado tanto tempo. "Onde diabos você estava?" Ben sibila, chegando próximo a mim. "Sinto muito. Eu estava me sentindo um pouco mal. " Eu pressiono minha mão no meu estômago, fingindo doença. Não é uma mentira total. Eu estava me sentindo doente depois de ver Carrick com aquela garota. Ben olha no meu rosto por um momento. "Você parece um pouco pálida. Você precisa voltar para o hotel? " "Não, eu estou bem." Eu forço um sorriso, e então volto minha atenção para a tela para assistir a corrida.

Carrick termina em quarto. É um fim decepcionante e surpreendente, vendo que se ele se classificou em primeiro lugar ontem. Não é comum que ele termine fora do pódio. Isso nunca acontece. E por um momento doentio, eu me pergunto se eu sou a culpada. Talvez a nossa briga antes da corrida afetou sua concentração. Pensando nisso, eu começo a me odiar ainda mais pelo que eu disse a ele. Quando Carrick entra no box, eu estou determinada a falar com ele, mas ele sai de seu carro sem uma palavra sem olhar para


ninguém. Ele anda em linha reta fora de lá, ir para cima para a sala de piloto. Estou prestes a segui-lo quando vejo que Owen vai atrás dele. Então, eu sou puxada de volta para o trabalho, e eu não vejo Carrick novamente pelo resto do dia. Mais tarde, quando eu chego de volta ao hotel, depois de ter que preparar o carro para o transporte, a primeira coisa que eu faço antes de ir para o meu quarto para me limpar é ir direto para seu quarto. Precisamos organizar a bagunça e ter a nossa amizade de volta aos trilhos, porque eu não posso perdê-lo. Ele tornou-se muito importante para mim. Quando eu chego ao seu quarto, eu encontro a porta aberta e uma camareira está dentro. "Carrick Ryan?" Eu digo para a mulher. "O homem que estava hospedado aqui?", Eu explico para ela branca. "Ele fez check-out, senhora", ela me diz em um inglês quebrado. Ele saiu. Meu coração afunda, e é neste momento que eu percebo que talvez Carrick e eu não teremos solução. Pode ser que a noite passada tenha sido a última vez que eu vou estar perto dele novamente. Conforme eu ando longe do quarto, este sentimento de vazio doentio afunda em mim, me quebrando em pedaços. E eu me odeio apenas um pouco mais.


14 MONTE CARLO, MÔNACO

Eu não vi CARRICK por cerca de duas semanas. Quando ele deixou Barcelona, foi direto para casa, para o Reino Unido. Eu só sei disso porque, mais tarde naquela noite, durante o jantar, eu finalmente não aguento e pergunto para o tio John o que aconteceu com Carrick após a corrida. Ele me disse que Carrick estava de mau humor porque ficou em quarto e que ele pegou um voo para casa mais cedo. No dia seguinte, depois de Carrick partir, eu parti com o resto da equipe para Monte Carlo, e é onde eu estou desde então. Monte Carlo é um lugar difícil para mim. Desde o momento que eu assinei com Rybell, eu não tenho estado ansiosa para vir aqui. Monte Carlo é onde a minha vida mudou para sempre, há catorze anos. Circuito de Mônaco é a pista onde meu pai sofreu o acidente. O lugar onde ele morreu. Tio John fica me perguntando se eu estou bem. Antes de viajar para cá, ele até me disse que eu poderia perder essa corrida. Ele disse que eu poderia mudar o meu bilhete e voltar para o Reino Unido. Era doce dele, mas eu sei que se eu tivesse feito isso, teria levantado questões, e eu não gosto de perguntas. E se eu pretendo ter a minha


carreira na Fórmula 1, então eu não posso evitar este lugar para sempre. Melhor eu me resolver com isso. Então aqui estou eu. Ficou mais fácil conforme o tempo foi passando, mas o dia da corrida provavelmente será uma história diferente. A primeira vez que fui para a pista, fui sozinha, e foi... doloroso. Especialmente depois, quando eu fui ver a estátua comemorativa do meu pai no Cassino Square. Eu fiquei lá por um longo tempo, apenas olhando para ele, perguntando como minha vida teria sido se meu pai não tivesse morrido. Não é que eu não tenha uma grande vida, porque eu tenho. Minha mãe fez o melhor que podia sem ele, mas eu senti sua perda nos últimos quatorze anos, como um buraco no meu coração. E isso só alimentou para me lembrar porque Carrick nunca poderia ser o homem para mim. Sei que minha mãe está preocupada sobre eu estar aqui. Ela está ligando duas vezes por dia, todos os dias, para se certificar de que estou bem. Eu sei que é difícil para ela, eu estar aqui. Traz más lembranças. Eu tenho certeza de me manter ocupada. Quando não estou trabalhando, eu tenho feito coisas de turistas e saído com os caras à noite, me divertindo. Hoje é quinta-feira, e as corridas do fim de semana começam amanhã. Carrick chegou hoje, não que eu já tenha visto ele. Acabei ouvindo que ele estava chegando hoje, e é noite agora, então ele deve estar aqui. Eu não sei onde as coisas estão entre nós. Eu não tenho notícias dele, não que eu tentei entrar em contato com ele também. Eu tinha quase mandado uma mensagem para me desculpar alguns dias depois de ele ter ido de volta para o Reino


Unido. Eu estava me sentindo emotiva de estar aqui, e eu senti falta de falar com ele. Eu digitei o texto inteiro, mas então eu me acovardei antes de enviá-lo, e apaguei. Eu sei que o momento em que eu terei que enfrentá-lo está se aproximando rapidamente, e eu estou temendo isso. Estou preocupada que ele vai me ignorar porque eu sei que vai doer mais do que qualquer coisa. Por isso, eu estou fora em um bar com a equipe, bebendo um pouco de coragem holandesa no caso de ver Carrick esta noite. Nós estamos em um bar chamado Pattaya, que tem vista para o porto. É realmente muito bonito aqui. Estamos sentados do lado de fora, e eu estou bebendo um copo de cerveja local, conversando com Ben. Petra não chegou em Mônaco ainda. A esposa de seu irmão entrou em trabalho de parto prematuro ontem, seis semanas mais cedo, de modo que ela atrasou seu voo. Ela queria ficar e se certificar que tudo estava bem com o bebê. Felizmente, foi tudo certo, e agora, Petra é a tia orgulhosa de um bebê ainda sem nome. Ela só poderia ter um voo à noite então ela vai chegar mais tarde. Eu mal posso esperar até que ela chegue aqui. Mesmo que os caras sejam ótimos, para ser honesta, eu estou sentindo falta de sua companhia. "Carrick acabou de mandar uma mensagem, perguntando onde estamos", Ben me informa. Seus olhos estão para baixo em seu telefone enquanto ele Digita uma mensagem, presumivelmente de volta para Carrick. "Ele está aqui?" Minha voz sai parecendo um pouco estrangulada. Eu cubro-a com uma tosse. "Sim, ele está vindo ao nosso encontro." Ele coloca o telefone em cima da mesa. Pânico desliza como uma mão em volta do meu pescoço e aperta forte. Eu tomo uns goles calmantes da minha cerveja.


Eu posso fazer isso. Vai ficar tudo bem. Precisando de um momento, eu me desculpo e vou para o banheiro. Quando eu volto, Carrick ainda não chegou. Meus nervos estão no limite. Eu não posso ficar parada na minha cadeira. Eu sinto que estou prestes a sair de minha pele, e minha cabeça está a girando cada poucos minutos, à procura de um sinal dele. Eu só preciso vê-lo, então eu sei como as coisas estão entre nós. Já faz um bom tempo desde que Ben mandou uma mensagem de volta, e eu estou começando a pensar que talvez Carrick não esteja vindo no final das contas. Mas então eu ouço Robbie começar a assobiar, e o resto deles a participar, então eu sei que Carrick chegou. Meu estômago e cabeça se enchem com borboletas, fazendo-me sentir um pouco tonta. Seja leve, Andi. Leve... Tentando agir indiferente, eu lanço um olhar por cima do ombro para Carrick. E eu sinto que levo um tapa no rosto com um tijolo. Ele está andando em nossa direção com uma garota anexada ao seu braço. Uma realmente bonita e alta, provavelmente cerca da minha altura, uma garota de aparência e altura de modelo com o cabelo castanho longo. Aquelas borboletas que eu estava sentindo viram poeira, e eu sinto apenas um vazio. Eu não posso acreditar que ele pegou uma mulher aleatória e trouxe-a com ele. Claro que ele fez. Este é Carrick. Respirações profundas. Não importa. Não é da minha conta o que ele faz e com quem ele faz nada. Tudo que me importa é ter a amizade com ele de volta nos trilhos. Certo?


Pressionando meus lábios, eu viro de volta para a mesa. Eu pego meu telefone de cima dela e olho, como se estivesse lendo algo realmente interessante. "Hey", diz Carrick atrás de mim. Não ouvir a sua voz, o sotaque irlandês dele, por quase duas semanas traz calafrios em mim. Eu reprimo o sentimento, empurrando-o para longe. Supondo que ele está falando com toda a mesa e não diretamente a mim, eu não viro, mas eu murmuro um vago, "Olá". Alguns dos caras levantam-se para cumprimenta-lo, fazendo aquela coisa de aperto de mão viril, Ben é um deles. "Eu vou pegar para você uma bebida", diz Ben. "Não. Não se preocupe. Vou pegar. O que você está bebendo?" "Cerveja", Ben diz a ele. "Traz um cosmo para mim, baby?", Diz a menina. Baby? Ela tem um sotaque inglês muito bom, doce e elegante. Não gosto de meu inglês fodido misturado com sotaque brasileiro. "Claro, gata." Gata? A memória de estar na cama com Carrick, seu corpo envolto em torno de mim, sua voz sonolenta murmurando no meu ouvido, "Noite, baby," bate em mim dolorosamente. Os termos carinhosos entre os dois parecem terríveis para duas pessoas que acabaram de se conhecer. Ou talvez eles não acabaram. O pensamento faz minha sensação de vazio transformar-se rapidamente em um sentimento doente. Um sentimento muito doente. "Deixe-me te dar uma cadeira", diz Ben.


Eu suponho que ele esteja falando com a menina. Ele arrasta uma cadeira, colocando-a ao meu lado. Obrigado, Ben. Com o canto do meu olho, eu vejo ela se sentar na cadeira com a graça de uma gazela. Ela está usando uma saia curta, que sobe, revelando mais de suas pernas longas curtidas. Eu olho para as minhas próprias pernas, agradecendo a minha mãe por passar seus genes bons para mim e agradeço meu bom senso para, pelo menos, estar vestindo shorts jeans e mostrá-las, não que haja uma competição a caminho. E nem de longe eu pareço tão bonita como ela. Ela está vestida para uma noite fora, completando a saia curta com saltos e um top. Todos de grife em comparação com o meus shorts jeans, rasteirinhas, e uma camiseta vermelha, que tem a palavra Geek estampada no peito. Deus, eu sou uma geek. Na verdade, as únicas coisas que eu tenho a meu favor agora são as minhas pernas e meu cabelo. Eu estou vestindo por baixo, e ele parece muito por cima. Desde quando eu começar a prestar atenção como estou ou me comparando com outras mulheres? Desde Carrick. "O que todos bebem?" Carrick pergunta. Um monte de pedidos principalmente cerveja.

de

bebida

são

gritados

para

ele,

"Eu vou dar-lhe uma mão no bar," Ben se oferece, rindo. Eu sinto uma mão no meu ombro, e congelo. "E você?" Carrick pergunta, em voz baixa. Viro minha cabeça para trás, e olho para ele, certificando-me de manter minha expressão vazia. "Eu o que?"


Algo cintila através de seus olhos, mas isso se foi antes que eu possa entender o que era. "Bebida posso pegar uma pra você?" "Não. Eu estou bem. Obrigada. " Eu aponto a minha cerveja sobre a mesa. Ele me encara. "Tudo bem então." Ele me dá um aceno afiado e vai embora. Sem controle, meus olhos o seguem até o bar. Me repreendendo por olhar fixamente, eu dou um rápido olhar na mesa para ter certeza que ninguém me viu observando-o. Então, eu relaxo no meu lugar. Bem, relaxo o melhor que posso com Carrick e sua garota aqui. Eu posso sentir a presença dela sentada ao meu lado como um espinho. Eu sei que sou mal educada ignorando-a, e minha mãe não me criou para tratar outras mulheres desta forma. Ela sempre diz: "Como mulheres, se não podemos respeitar umas às outras, então como podemos esperar que os homens respeitem a nós? " Trate alguém como você quer ser tratada, Andi. Sendo da indústria da moda, minha mãe encontrou um monte de mulheres mal-intencionadas, e ela me ensinou a não ser assim, é isso que ela me ensinou. Mas agora, eu estou agindo como uma daquelas mulheres malintencionadas e eu não gosto de mim por isso. Assim, mesmo que falar com a menina de Carrick é a última coisa que eu sinta vontade de fazer, eu forçar a polidez em mim, guardo meu telefone no bolso, e olha para ela. Vendo como ela é linda de perto faz-me sentir ainda pior.


Chupa essa, Andi. Ela não fez nada para você, e ela não merece que você seja uma cadela com ela. Seu problema é com Carrick, não com ela. "Oi," eu digo, sorrindo. Virando a cabeça, ela me dá um olhar vazio. "Er, Olá." Então, ela se afasta e pega seu telefone de sua bolsa. Ok... isso foi um pouco estranho. Talvez ela esteja apenas tímida. Eu penso na minha cabeça em outra coisa a dizer. "Então, você está de férias em Mônaco ou está aqui apenas para a corrida? " Ela tira os olhos de seu telefone para olhar para mim de novo. Ela me dá um olhar que só pode ser descrito como estúpido, como quem acha que eu sou estúpida. " Os dois." Ignorando o olhar estúpido, eu volto a sorrir e digo: "Legal. Então, quando você chegou? " Ela suspira alto, dando-me a impressão de que eu sou chata com ela. "Esta tarde com Carr." Ela veio do Reino Unido com Carrick? Eu me sinto como se eu tivesse acabado de ter um desfibrilador no peito. Na verdade, eu sacudo no meu lugar, e minha respiração vai embora mim, junto com estas palavras: "Você veio com Carrick? Desde do Reino Unido? No avião? Juntos? " Eu sei que soa um pouco estranho, mas eu não me importo. "Eu não acabei de dizer isso?" Ela me dá um olhar afiado. "É claro que eu vim com Carr. Eu sou sua namorada. E ele praticamente me implorou para vir, não podia suportar ficar longe de mim. Então, eu disse: "Que diabos? Eu tenho alguns dias de folga do trabalho, então por que não? " Ela levanta a mão e começa a examinar as unhas. A namorada dele? Eu sinto como se eu tivesse levado um soco no rosto.


Quanto tempo ela tem sido sua namorada? Eu não sabia Carrick tem namoradas. Ela era namorada dele quando fez sexo comigo? Algo estranho, sólido e frio chega no meu estômago. Eu pego minha cerveja e tomo grandes goles apenas para a necessidade de fazer algo além de vomitar ou talvez gritar. Acabo de terminar de engolir quando ouço o som de desgosto vindo do meu lado. "Ugh, eu não sei como você pode beber essas coisas." Eu levo os meus olhos para os dela. Eu vejo que ela está olhando para a minha cerveja como se eu estivesse bebendo veneno de rato. "Cerveja?" "Sim, é assim... nojento. Basta tê-la perto de mim me faz querer vomitar.” Ela enruga o nariz. E eu tenho a súbita vontade de fazer isso. E eu tentando tanto respeitando outras mulheres. Eu apenas abaixei o vidro para a mesa, quando ela diz: "Então, quem é você, afinal? Quero dizer, por que você está aqui? Você é a namorada de alguém ou alguma coisa? " Ela aponta uma mão para os meus amigos ao redor da mesa. "Não!" Deixo escapar uma risadinha, balançando a cabeça. "Eu trabalho para Rybell." Eu posso dizer pela sua expressão que ela não tem ideia do que isso significa, então eu esclareço: "Eu trabalho para Carrick." Isso chama sua atenção, porque eu vejo seu olhar afiar, e ela começa a me avaliar sob uma nova luz. Tenho certeza de que, neste momento, se ela não o fez antes, agora ela me vê como concorrência para a atenção de Carrick, e faz com que ela não goste de mim instantaneamente. Eu me sinto como dizendo-lhe para não se preocupar. Eu definitivamente não sou competição para ela. Carrick mal está falando comigo, deixe isso pra lá.


Eu posso ver que ela está prestes a me questionar mais, mas Carrick e Ben retornam com as bebidas, parando toda a conversa. "Sienna, aqui está o seu". Ben entrega a ela um coquetel de aparência extravagante. Sienna, então é o nome da namorada. "Obrigada", ela diz com uma voz doce doentia. Depois de entregar as bebidas de todos, Carrick puxa uma cadeira ao lado de Sienna e toma um gole de sua cerveja. Ver que ele está bebendo cerveja traz um sorriso em meus lábios, sabendo o quanto sua namorada odeia. Namorada. A palavra continua esmagando minhas entranhas. Conforme tiro meus olhos longe dele, eu vejo que Sienna está olhando para mim. Ela sabe que eu estava olhando para ele. Sentindo-me desconfortável, eu digo a primeira coisa que vem à minha cabeça "Então, o que você faz da vida, Sienna? " Ela me dá um olhar confuso. "Eu estou no The Diamond Babes." The Diamond Babes? "Sinto muito. Eu não sei o que é. " Eu dou um sorriso estranho. Eu ouço uma risada coberta, e eu tenho certeza que se trata de Carrick, mas é difícil ter certeza já que eu só vi a parte de trás de sua cabeça porque ele está conversando com Robbie. Sienna faz um som de desgosto total, o rosto dela se estraga. "Você não sabe quem somos? Como isso é possível? " Estou meio que me sentindo estúpida agora, como eu deveria saber quem são The Diamond Babes. "The Diamond Babes são uma banda de garotas do Reino Unido," Ben gentilmente me informa. "Elas são bastante populares. " "Nós não somos 'bastante’ populares." E faz aspas com as mãos. Eu realmente odeio aspas no ar.


"Nós somos a maior banda de meninas no Reino Unido", ela corrige-o muito alto. "Certo..." Ben pronuncia antes de saborear sua bebida. Eu dou um sorriso estranho. "Me desculpe, eu não sabia que vocês são uma banda. Eu só se mudei recentemente de volta para o Reino Unido. Eu vivi no Brasil durante os últimos quatorze anos. E eu não sou muito do seu tipo de música". "Meu tipo de música?" Ela levanta a sobrancelha perfeitamente feita. "Eu estou supondo que você quer dizer o tipo bom." "Sim, algo assim," murmuro antes de pegar minha cerveja e tomar um gole. Eu ouço outro riso, e vejo os ombros de Carrick tremendo, eu definitivamente sei está vindo dele. Sienna parece alheia ao fato. E eu sei que é errado, mas eu gosto que eu ainda posso fazê-lo sorrir, mesmo que seja através de sua namorada. Mas então, eu me sinto mal. Então, eu digo: "Eu vou ter que ouvir a sua música. Eu tenho certeza que é ótima. " Quando eu na verdade, quero dizer, eu prefiro picar meus olhos com agulhas do que ouvir a sua música. O elogio funciona, e seu rosto relaxa. "Você disse que você trabalha para Carrick. O que exatamente é isso o que você faz? É como, sua empregada ou algo assim? " Empregada? Será que vivemos no século XIX? Ben solta uma risada do meu lado. Eu tenho que segurar um riso também. Espero Carrick rir também, mas, surpreendentemente, ele não o faz. "Não, eu não sou a porra da sua empregada!" Exclamo, injetando humor em minha voz. Carrick vira o rosto em minha direção, e ele olha nos meus olhos. Ele está olhando para mim como costumava fazer, como quando era


sua amiga, como se eu importasse, e isso dói, porque eu sei que ele não sente mais assim. Ignorando a dor no meu peito, eu forço meus olhos de volta para Sienna. "Eu sou uma mecânica," digo a ela. "Você é uma mecânica?" Ela contorce o rosto com o que só pode ser descrito como desgosto total. Sério, é como se eu dissesse a ela que eu era uma assassina em série. Ou que eu limpo a bunda de Carrick para viver. "Mas não é o trabalho de um homem?" "Depende para quem você está perguntando." "Hmm... bem, sim, eu suponho... olhando para você agora, eu posso ver que você é bem adequada para o trabalho com homens.” Os olhos dela me medem de cima para baixo. "Você tem a constituição certa e uma vibração muito", ela estica uma mão em minha direção, “masculina." Vibração masculina? A constituição certa? Que porra é essa? Eu sou do mesmo tamanho que ela! Sério, quem é essa galinha? Eu não poderia me importar menos se ela está na maior banda pop do Reino Unido. Ela é ruim. Ela pode ser bonita por fora, mas ela é feia por dentro, e eu estou percebendo isso depois de passar apenas menos de dez minutos com ela. Eu conheci meninas más antes, mas ela é uma cadela por completo. Eu nunca conheci alguém que ataque tão de frente em toda a minha vida. Meu corpo está tenso, minhas mãos cerrando os punhos e eu estou prestes a abrir a boca e deixar a princesa pop saber exatamente o que eu penso dela quando Ben passa o braço em volta do meu ombro, me puxando perto dele. "Acalme-se", ele sussurra em meu ouvido. Eu pisco um olho para ele, e ele me dá um sorriso calmante.


"Ela não vale a pena." "Sim..." Eu exalo. "Você está certo." Afrouxando seu aperto, mas mantendo o braço em volta de mim, ele se inclina para a frente e diz em voz alta: "Na verdade, Sienna, Andi é a nossa melhor mecânica. Ela é melhor do que todos nós juntos. Ela é a mecânica mais talentosa Com quem eu já trabalhei. Honestamente, eu não sei o que a equipe faria sem ela." Eu sei que ele está apenas dizendo para ser gentil e me colocar para cima, mas independentemente do motivo pelo qual ele faz, funciona porque eu me sinto cem vezes melhor do que eu estava há pouco. E eu meio que amo Ben, neste momento, sorrindo para o rosto dele, eu digo: "Você está bêbado? Porque não é muito você me dar um elogio. " Seus olhos sorriem para mim. "Eu dou-lhe elogios o tempo todo. Você nunca ouve. " "Ah." Eu sorrio para ele, e então eu me inclino e sussurro: "Você é um bom amigo, Ben." Ele dá de ombros, e então ele diz baixinho: "Eu não posso ter o nosso melhor mecânico se demitindo porque ela foi nocauteada pela mais recente atração de Carrick. " Rindo baixinho, eu bato levemente em seu braço, que ainda está em torno de mim. Ben levanta o braço dos meus ombros, e eu volto para a mesa para pegar minha bebida, mas eu congelo ao ver os olhos irritados de Carrick em mim. Sua mandíbula está tão apertada que parece que vai quebrar. Então, sem aviso, a raiva em seus olhos lança chamas de algo totalmente diferente, colocando o meu corpo em fogo. Eu tenho que pressionar minhas coxas juntos para conter a dor súbita, e eu posso sentir meu corpo rapidamente agitado com memórias de nossa noite juntos piscando pela minha mente.


Voltando aos meus sentidos, sabendo que há uma mesa cheia de pessoas aqui, eu quebro o nosso olhar. Então eu vejo os olhos de Sienna balançando entre Carrick e eu, e eu sei que ela viu o olhar que apenas aconteceu entre nós. Suas sobrancelhas puxam juntas, como ela está trabalhando em algo. E então eu vejo em seu rosto. Ela sabe que Carrick e eu dormimos juntos. Porra. Algo agita muito desconfortável no meu estômago. Ela vira torce em seu assento para me enfrentar. "Então, seu nome é Andi?", Diz ela, seu tom cortante. "Sim ..." Eu respondo com cuidado. "Andi ...", ela diz com uma voz cantante mal-intencionada. "Andi, que tem o trabalho de um homem e um nome de homem. Talvez você deve apenas aproveitar e ter uma mudança de sexo, não que há muito para mudar! " Ela solta uma risada como se fosse a coisa mais engraçada que ela já ouviu. Ela olha em volta da mesa, esperando que os outros comecem a rir com ela. Mas o que ela não está percebendo é que estes são os meus amigos, não dela. E ninguém está rindo. "Sienna", Carrick fala o seu nome em sinal de advertência. "O quê? Foi apenas uma piada! Não é possível vocês entenderem uma piada? " Ela solta uma risada estranha. Deus, eu estou tão fodida aqui que não é mesmo engraçado. "Claro que era uma piada." Empurrando minha cadeira, eu pego o meu casaco das costas da cadeira e visto-o. "Assim como você. Mas a coisa é, Sienna, sim, eu poderia trocar minha vagina por um pau, mas infelizmente para você, você não pode corrigir o que tem de feio. " Jogando um olhar rápido ao redor da mesa, ignorando os olhos de


Carrick e a boca aberta de Sienna, eu digo: "Eu vejo todos vocês amanhã." Então, eu me viro e começo a me afastar. Ouço Carrick chamando meu nome, mas eu simplesmente ignoro, movendo minhas pernas tão rápido quanto eu posso. "Jesus, Andressa. Pode esperar um pouco? " Ele me alcança finalmente. Ele puxa meu braço, fazendo-me parar. "O quê?" Eu tiro meu braço da sua mão. Minha pele queima onde ele me tocou. "Você está bem?" "Estou." Eu me afasto e começo a caminhar novamente. "Jesus, só... espere!" Suspirando, eu viro para trás, colocando as mãos nos quadris. "O que você quer, Carrick?" "Eu só..." Seus olhos vão para o chão. Ele parece incerto por um momento. Em seguida, ele levanta os olhos para os meus, sua confiança de volta. "Aonde você está indo?" "Para o hotel." Então, você não sabe? A princesinha pop vem marchando em seus belos saltos. "Carrick!", Ela berra seu nome como um chicote. "Onde diabos você pensa que está indo?" Ele vira a cabeça para ela e lhe dá um olhar que eu estremeço. Sério, seu olhar podia derrubar um urso. Eu não estou surpresa quando ela encolhe porque eu provavelmente faria isso com a raiva que emanava dele. "Eu estou certificando-me de Andressa está bem." Sua voz é como granito. "Então, volte para o bar, senta a porra da sua bunda, e tenta não ofender mais nenhum dos meus amigos antes de eu voltar. " Amigos? Ah, então agora eu sou sua amiga.


"Ugh! Que seja! " Ela joga as mãos, gira nos calcanhares, e dá o fora de volta na direção do bar. No momento em que ela se foi, eu viro e começo a andar. Meta: me afastar de Carrick. Plano: pegar um táxi e ir para a cama. E, possivelmente chorar. Carrick aperta o passo ao meu lado. "O que você pensa que está fazendo?" Eu dou um olhar irritado para ele. "Indo com você." "Bem, eu vou voltar para o hotel e, em seguida, direto para a cama, e você definitivamente não está mais convidado." Ele solta uma risada gutural, e eu tenho que lutar muito para manter o sorriso fora dos meus lábios. "Hábitos", de Tove Lo e Hippie Sabotage começa a tocar nos altofalantes de um dos bares que nós passamos. Eu amo essa música. A letra. Só às vezes... eu desejo que eu poderia atenuar a dor. Do nada, de repente eu me sinto exausta e triste. Realmente triste. Passando os braços em volta de mim, eu digo em voz baixa: "Volte para o bar, Carrick. Eu vou ficar bem sozinha." "Andressa, eu sei que você pensa que eu sou um bastardo total, mas não há nenhuma maneira que eu vá deixar você andar por aí tarde da noite sozinha. Qualquer coisa poderia acontecer com você ". "Como se você se importasse." Eu me arrependo no momento que eu digo. Ele agarra meu braço. Me puxando para uma parada, ele está na minha frente, muito perto. Eu posso praticamente provar sua loção pós-barba na minha língua e sentir o calor de sua respiração no meu rosto.


Sua mão ainda está no meu braço, e isso está me queimando de fora para dentro, até o meu núcleo. Eu preciso que ele pare de me tocar... e nunca pare de me tocar. Eu estou tão confusa, e dói como uma dor física. "É claro que eu me importo", ele diz baixo. "Você está-" Ele corta. Esfregando a testa com a palma da mão livre, ele dá um passo para trás. Ele deixa cair a mão do meu braço, e eu estou mais do que aliviada por esse espaço. "Você é minha amiga, Andressa." Ele soa resignado. Eu só não sei por que ele está resignado. Eu rio, e é um som oco. "Estamos quase amigos agora." Seu rosto aperta, e vejo sua mandíbula começar a ficar com raiva. Não querendo uma outra briga, eu passo em torno dele e começo a andar novamente. Um momento depois, ele está de volta ao meu lado, mantendo o ritmo, mas ele não diz nada mais, e o silêncio se segue. "Como tem passado?", Ele finalmente pergunta com uma voz suave. Eu mantenho meus olhos fixos à frente. "Bem. Você?" "Igual." Nós continuamos em um silêncio horrível. É de partir o coração estar em um silêncio tão desconfortável com ele. Desde o momento que eu conheci Carrick, encontrar algo para falar nunca foi um problema para nós. Agora parece que é. Eu ouço um barulho atrás de nós. Olhando por cima do meu ombro, esperando que não seja a princesa pop, eu vejo um homem.


É o mesmo homem, eu me lembro agora, que estava parado fora do bar em que estávamos. Eu também me lembro vê-lo pairando perto quando Carrick chegou primeiro. Eu só não o registrei na minha ira. Eu só notei ele antes porque ele é um cara tão grande, e agora, na escuridão do porto, ele parece ainda maior e um pouco ameaçador. Ele está andando muito perto de nós, para o meu gosto. "Carrick..." Eu assobio. "Eu sei que isso pode soar um pouco louco, mas eu acho que estamos sendo seguidos." Eu levo minha cabeça de volta na direção do cara enorme. Carrick olha para trás e dá risadas. "Não se preocupe. Ele é meu segurança. Papai me atribuíu um guarda-costas enquanto estou aqui. Você sabe, sendo Monte Carlo, uma corrida louca, e eu sendo- " "Você." Eu sorrio. "Sim." Ele ri novamente. "E com a atenção da imprensa sendo um pouco mais intensa por causa da Sienna- " Ele corta. A leveza que eu estava apenas sentindo vai embora. Ele deixa escapar um suspiro. "Sinto muito sobre a maneira como ela falou com você." "Não é culpa sua." Eu dou de ombros. Ela é uma cadela por conta própria. "Sim, mas ela está aqui comigo. E ela não tinha o direito de falar com você do jeito que ela fez. Não vai acontecer de novo." Eu não me importo como ela falou comigo. Eu só me importo que ela está aqui com você. Eu odeio que ela está aqui com você. Claro, eu não disse isso. Eu simplesmente dou de ombros novamente e digo: "Não importa." "Quando se trata de você, tudo importa." Suas palavras tiram o ar dos meus pulmões. Eu quero saber o que isso significa. E eu não sei. Deus, eu estou tão ferrada.


Mergulhando meu queixo, eu olho para os meus pés em movimento. "Há quanto tempo você a conhece?" "Não muito." Pelo menos ele não a conhecia antes de dormir comigo. Ainda assim, eu não sei se para devo me sentir melhor ou pior à esse fato. "Eu a conheci depois que eu voltei para o Reino Unido." Quando você deixou Barcelona e eu para trás. "Certo." "Eu não quis convidá-la para cá." "Mmhmm." "Ela meio que convidou a si mesma, e meu pai estava lá quando ela disse algo sobre a vinda. Ele pensou que a publicidade que ela traria seria positiva, você sabe, comigo, na verdade, estando com apenas uma mulher por uma vez. " Ele ri, e é um som incômodo. Eu realmente não gosto nada do que ele está me dizendo. "E... Eu acho que eu só entrei na dele." Eu fico olhando para ele fixamente. "Por que você está me contando isso?" Ele sopra fora uma respiração, empurrando as mãos nos bolsos jeans. "Eu não sei." Ele levanta os ombros, olhando impotente. Nós alcançamos a estrada principal agora, e a sorte está do meu lado porque eu vejo um táxi com sua luz acesa se aproximando. Eu coloco minha mão para chamá-lo. O táxi para, e eu alcanço a maçaneta da porta, mas eu faço uma pausa. Pelas duas últimas semanas, eu queria pedir desculpas para Carrick para o que eu disse a ele, e essa pode ser a única chance que eu tenho. Meu coração começa a bater no meu peito, meus dedos tremendo, conforme eu viro de costas para ele. "... Carrick, o que eu disse em


Barcelona sobre o meu trabalho e Amy e Charlotte, eu não deveria ter dito isso. Foi uma coisa de merda de dizer." "Você não disse nada que não fosse verdade." "Bem, ainda assim... eu sinto muito." Deixo escapar um leve suspiro. "O pior é, eu não sei por que eu disse isso porque isso não era o que estava na minha mente naquele momento. " Não perder você era. Segurando a maçaneta, me impeço de dizer mais nada. Não importa o que, eu não acho que qualquer coisa que eu possa dizer vá nos voltar para onde estávamos antes daquela noite. "De qualquer forma, obrigado por me acompanhar. Acho que vou vê-lo amanhã." Eu subi no taxi, fechando a porta atrás de mim, deixando Carrick onde ele está parado na rua.


15 MONTE CARLO, MÔNACO

PORQUE EU estou evitando CARRICK e sua princesa pop, eu não saio na sexta-feira à noite muito embora Petra tenha me implorado. Eu me mantive firme e fiquei no hotel com serviço de quarto e Jason Bourne de companhia. Eu estava no humor para um filme de luta. Acabou sendo uma boa eu não ter ido porque Carrick e a princesa do pop foram. Petra tomou uma aversão real por Sienna puramente por causa da maneira que ela me tratou. Mas Petra disse que a Sienna tinha sido numa boa com ela, um pouco arrogante, mas nada como ela tinha sido comigo. Parece que ser cadela no final está reservado exclusivamente para mim. Ou talvez ela atendesse o que Carrick disse a ela. Petra me disse que Carrick mal tinha falado com Sienna toda a noite, preferindo beber com os meninos. Ela também disse que ele a puxou de lado e perguntou onde eu estava. Ela disse que ele parecia desapontado quando ela lhe disse que eu não ia sair. Ela inventou alguma mentira branca para mim, dizendo que eu estava apenas me sentindo um pouco doente, para ele não pensar que eu não tinha ido por causa dele. Vê? É por isso que eu amo essa garota. Eu não vi Carrick muito ontem. Eu me mantive ocupada com o trabalho, e eu não o vi até que era hora de descer para a qualificação.


Eu lhe desejo boa sorte conforme lhe entrego o capacete. Mas isso foi toda extensão do nosso contato. Eu odeio a maneira como as coisas estão entre nós. Eu só não sei como tê-lo de volta, então eu decidi desistir de tentar. Eu acho que é o melhor de qualquer maneira. Eu só estou contando os minutos para que esse fim de semana acabe, para que eu possa ficar longe de ambos. Mas, principalmente, eu estou contando os minutos para que este dia acabe. É o dia da corrida, o dia que eu estive temendo desde que cheguei aqui. Petra e eu saímos ontem à noite. Ela não aceitou um não como resposta duas noites seguidas, e acabou que Carrick estava em alguma coisa de patrocínio. Os pilotos sempre tem um monte disso durante toda a temporada de corridas. Então, Petra e eu saímos para algumas bebidas com os meninos, e, depois, fomos por conta própria para ter algum divertimento de garotas. E nós definitivamente tivemos um monte de diversão, a julgar pela dor de cabeça, boca seca e dores no corpo que eu sinto. Acabei de acordar. "Ugh," eu gemo, me virando, me sentindo como se tivesse um martelo pneumático batendo na minha cabeça. Eu pisco para abrir os olhos que parecem ter perdido toda a umidade, e imediatamente, eu fecho-os novamente, apertando os olhos para a fresta de luz que vem das persianas. Eu ouço um som semelhante vindo da cama de Petra. "Foda-se", ela geme. "Estou morrendo. Realmente morrendo." "Eu também. E é culpa sua ", eu resmungo. "É o dia da corrida. Eu tenho a língua como uma lixa e eu não posso enxergar direito." "Vamos tomar um café, e você vai ficar bem."


Viro a cabeça no travesseiro e dou-lhe um olhar. Deus, isso dói. "Vou precisar de um galão de café para resolver isso. " Eu aponto para minha cabeça. "Algo bem gorduroso e café, e você vai estar ótima." "Ugh, não fale de alimentos fritos agora!" Eu cubro minha boca com a mão, sentindo-me doente. "Eu nunca mais vou sair para beber com você de novo ", eu falo entre os meus dedos. "Ei, não me culpe. Foi sua ideia para beber Sambuca. " "Foi?" Dou-lhe um olhar de surpresa. "Sim." Imagens de ontem à noite começam a voltar para mim, nós tomando shots, cantando no karaoke, dançando nas mesas. Ah, foda-se. "Oh Deus ..." Eu suspiro. "Eu fiz papel de idiota na noite passada?" "Um pouco." Ela ri. "Mas eu também, então você não está sozinha, e não era ninguém que conhecemos estava lá. Mas você se divertiu, e tirou da sua mente você-sabe-quem e a princesa pop." "Sim, eu acho", murmuro. "Olha, Andi." Ela rola para o lado, de frente para mim. "Eu sei que você disse que o que aconteceu com Carrick era uma coisa de uma vez... mas eu só quero saber se você disse isso porque você sabe como ele é, ou porque era o que você queria. Porque está te incomodando muito, ele estar aqui com ela. " "Está quase incomodando a todos." "Você se escondeu atrás de uma árvore ontem, porque você não queria ter que falar com eles." "Você viu isso?", Eu me encolho. "Sim, eu vi isso."


Deixo escapar um suspiro. "É só que... eu gosto dele com certeza, e eu sei que nunca poderíamos ficar juntos. No entanto, sabendo de tudo isso, ainda- " "Dói vê-lo com outra mulher." "Sim", eu expiro, esfregando os olhos secos. "Por que você e ele nunca poderiam ficar juntos?" "Porque ele é um homem-galinha." Ela ri. "Eu não sei. Eu acho que, da forma como as coisas foram com vocês dois e pelo que você me contou como Carrick se comportou... talvez ele queria mais com você ". "Eu duvido. Independentemente disso, eu não me envolvo com os pilotos de qualquer maneira.” Eu rolo em minhas costas, olhando para o teto. "Por quê?" "Eu simplesmente não faço." Ela sopra um suspiro. "Você pode me dizer, você sabe. Você pode confiar em mim. Não vou contar a ninguém. Eu sei que você pode pensar que eu sou uma fofoqueira, mas eu posso manter as coisas particulares que realmente importam." Olho para ela e de repente me encontro em um raro momento de honestidade. "Eu perdi alguém que eu amava para a Fórmula 1. Ele morreu em um acidente na pista ". "Eu sinto muito, Andi." "Foi há muito tempo atrás." Eu dou de ombros como se não importasse, mas é tudo o que importa. "É por isso que você trabalha para a Fórmula 1? Para de alguma forma, ainda ser próxima a esta pessoa? " Petra é mais perspicaz do que eu dou-lhe crédito. "Em parte. Estudei engenharia na universidade porque eu queria aprender a construir motores melhores. As pessoas estão sempre indo


correr, mas eu quero ser capaz de ajuda-los a ter um carro o mais seguro possível antes de colocá-lo na pista. Além disso, eu trabalho aqui, porque eu adoro isso. Os carros são tudo o que eu já conheci. Eu cresci com minha cabeça sob o capô de um carro. " Eu rio, com uma pitada de tristeza. "Sim, eu acho que estar aqui, fazendo isso, me faz sentir perto de meu pai." Eu percebo meu deslize imediatamente, e eu congelo. "Foi seu pai que morreu?" Eu dou um olhar de pânico para ela, de repente sentindo como se eu não pudesse respirar. "Está tudo bem, Andi," ela tranquiliza com uma voz suave. "Eu não vou dizer nada a ninguém, mas porque você pode mantém em segredo?” Deixo escapar um longo suspiro, e depois eu digo para ela. "Eu mantenho isso em segredo, porque o meu pai é- era ... William Wolfe. " "Oh." Ela parece surpresa. "Oh. Porra. Andi... por que você não me contou? Mas espera- " Ela balança a cabeça como se estivesse limpando-a. "Será que ele não ... seu pai ... não ... ele morreu ... aqui em Mônaco?" "Sim." Eu me jogo para trás, olhando para o teto. Eu posso sentir as lágrimas enchendo meus olhos, então eu seguro em uma respiração, Mantendo-as. "Jesus ... Andi. Por que diabos você não me contou? Eu não posso imaginar o que você está passando por estar aqui, especialmente por ser hoje o dia da corrida, e ter que lidar com todas as porcarias Carrick e Sienna” "Eu só não quero que as pessoas saibam e pensem que o tio John me deu o trabalho por causa do meu pai, e eu quero que continue assim”. "Hmm... Eu acho que eu posso entender isso."


Eu olho de novo para ela. "Petra, aqui, só o meu tio John William sabe quem é o meu pai, e eu quero que continue assim. " "Você pode confiar em mim. Qualquer coisa que você me diga fica aqui.” Apertando os lábios, ela cruza os dedos sobre a boca "Eu aprecio isso." Eu sorrio suavemente para ela. "Tenho que dizer, você faz muito mais sentido para mim agora, com toda essa coisa de não namorar pilotos. " Deixo escapar um suspiro. "Quando você vê seu pai morrer na pista e, em seguida, assiste a sua mãe passar pelo dor de perdê-lo...” Eu viro minha cabeça e olho para ela. "Eu não quero isso para mim." "Mas você gosta de Carrick ... certo?" "Claro, eu gosto dele. Mas nada pode vir dele. " "Eu entendo, considerando o que aconteceu com o seu pai ... mas Carrick não é o seu pai, Andi." Meus olhos encontram os dela. "Mas ele é... tirando a galinhagem, bem, meu pai era um pouco antes de conhecer minha mãe, Carrick é tudo o que ele era. E isso é o que todo mundo diz sobre Carrick. Ele é o próximo Wolfe. Tudo sobre Carrick, desde o início jovem na Fórmula 1 até a sua imprudência e a maneira fácil como ele dirige... há um monte de coisa sobre Carrick que é semelhante ao meu pai ". "Mas isso não significa que ele está destinado para o mesmo fim." Eu tremo com sua escolha de palavras. "Jesus... desculpe. Isso não deu certo. " "Não, está tudo bem. Eu geralmente estou muito bem com isso. Quero dizer, tem sido quatorze anos. Mas hoje é apenas um dia estranho para mim, é tudo. Eu estou mais sensível do que o habitual. " Há um ligeiro silêncio. Em seguida, ela diz, "Carrick vai ficar bem hoje. Você sabe disso, certo? " Eu fecho meus olhos, soprando uma respiração. "Sim."


"Olha, só fazendo o advogado do diabo aqui, mas claramente você se preocupa quando Carrick corre, e você gosta do cara, então você estando com ele ou não, você ainda vai se preocupar, certo? " Abro os olhos e olho para ela. "Sim, mas há uma diferença entre preocupar-se com um amigo do que com um namorado ou pior, alguém que você ama ". Ela olha para mim por um longo momento. Eu posso ver suas órbitas girando atrás de seus olhos. Deitada de costas, ela coloca as mãos atrás da cabeça. "Você acha que a princesa do pop estará na pista hoje? " "É o dia da corrida, então eu esperaria vê-la lá." Sienna não foi na pista nenhuma vez desde que chegou em Mônaco, o que tem sido perfeito para mim porque eu tenho sido capaz de me esconder lá. "Ela é uma vadia", murmura Petra. Um sorriso toca meus lábios, e eu viro de lado para encará-la. "Você sabe que você não tem que odiar ela só porque eu faço. " Ela franze a testa, claramente insatisfeita com o que eu disse. "Eu não gosto dela porque ela foi uma cadela com você e ela faz música de baixa qualidade". Eu rio com a expressão no seu rosto. "Bem, eu aprecio seu apoio." Eu caio sobre minhas costas. Levantando as mãos para o meu rosto, eu olho para elas. Elas são todas ásperas e secas. Eu faço uma careta no meu rosto. Aposto que as mãos de Sienna são bonitas e macias. Ugh. Eu realmente preciso parar de comparar-me a ela. Deixando meus pensamentos me escaparem, porém, eu digo: "Eu me pergunto por que ele está com ela. Quero dizer, eu entendo Sienna é linda, mas ela é tão má, porra ".


Petra solta uma gargalhada. "Ele não está com ela, Andi. Ele só está transando com ela. Desculpe. " Ela faz uma careta para o meu rosto angustiado. "Mas vamos lá, você tem que ver." "Ver o que?" Ela senta-se na cama, envolvendo os braços em volta dos joelhos, e eu viro para o meu lado, apoiando nos meus cotovelos. "Além do olhar de desejo que lhe Carrick dá, quando ele pensa que ninguém está olhando, você deu realmente tomado uma boa olhada na Sienna? " "Ele não me dá olhares de desejo." Eu mostro a minha língua para ela. "E, infelizmente, sim, eu dei. " "E você não vê?" "Ver o quê?" Eu estou ficando frustrada agora. "Como você se parece." "Eu não me pareço com ela! Deus! Graças a Deus!” Eu bufo. Claro, Sienna é bonita, mas ela é tão feia por dentro que ela estraga seu exterior e em nenhuma maneira que eu me assemelho a alguém como ela. Petra solta um som de frustração, sacudindo a cabeça. "Eu não quero dizer que você é como a mega cadela. Eu só quero dizer que vocês parecem incrivelmente similares." "Vamos, Petra. Eu não sou exatamente de parar o trânsito. Eu tenho cabelo castanho, olhos castanhos e pele morena. " Ela revira os olhos. "Claro, você não é com suas pernas longas, o corpo de supermodelo, e o rosto impressionante. entenda, eu odeio essa cadela da Sienna, mas ela é linda, como você. Ela tem exatamente os mesmos atributos que você." "Como um milhão de outras meninas." "Sim, claro, porque, naturalmente, todas as mulheres parecem como supermodelos." Ela estende suas pernas, indicando a falta delas em comparação com as minhas, me fazendo rir.


"Basta pensar nisso. Carrick voltou para o Reino Unido, seriamente chateado com você porque você o jogou fora, e quando ele volta, ele traz com ele alguém como você. Coincidência? Acho que não." Ela bate seu dedo na sua cabeça. "Talvez ele só tenha um tipo," Eu desafio. "O único tipo que Carrick tem é um com uma vagina que esteja aberta para o negócio. Mas agora, eu estou começando a pensar que talvez agora ele tenha apenas o tipo Andi Amaro. " "E eu acho que você ainda está bêbada." Eu mostro-lhe o dedo médio. Soltando uma gargalhada, ela coloca a língua para fora. "Negue tudo que você quiser, mas no fundo você sabe que eu faço sentido." Balançando as pernas sobre a borda da cama, ela fica de pé. "Certo, eu vou tomar banho." Eu vejo-a desaparecer no banheiro. Então, eu puxo a coberta sobre a minha cabeça, tentando não pensar sobre a última coisa que ela disse, mas, infelizmente, essas palavras estão nadando ao redor como pequenos tubarões mordendo meu cérebro.

Três horas mais tarde, depois de uma montanha de croissants e café, eu ainda estou me sentindo um lixo. Mesmo que meu humor já estivesse um lixo devido à ressaca, uma ligação com minha mãe antes do café deixou-me emotiva. Hoje pode não ser a data exata de quando meu pai morreu, mas esta corrida em especial sempre foi uma tarefa difícil para nós. Então, eu já estava sentindo porcaria quando eu tive que ver Carrick e a princesa do pop se beijando fora do hotel conforme eu estava saindo com Petra.


Doeu muito, vê-lo com ela, como se alguém desse um soco no meu peito e estava tirando a vida do meu coração. Eu sei que era apenas mais difícil de ver porque a minha cabeça está em um lugar estranho hoje. Mas sua linguagem corporal parecia estar meio fora. Ele parecia desconfortável por beijá-la em público. Suas mãos estavam em seus braços, e não ao seu redor, e ele não parecia estar puxando-a mais perto, era mais como se ele estivesse tentando afastá-la. Não é que eu estava examinando-os ou qualquer coisa ou que eu tenha passado toda a manhã esmiuçando-o em detalhes microscópicos na minha cabeça. Enfim, o que eu sei? Eu estou provavelmente apenas vendo o que eu preciso ver no momento. Ele deve realmente gostar de Sienna para ela estar aqui, independentemente do que ele disse sobre apenas indo junto com ela para a publicidade. Carrick não é de fazer qualquer coisa que ele não queira. Na manhã seguinte, após o incidente no bar, Ben me disse que, quando Carrick chegou de volta ao bar, ele e Sienna tiveram uma briga enorme. Aparentemente, ele tinha brigado com ela pelo o jeito que ela tinha falado comigo. Ben disse que ela tentou minimizar isso, disse Carrick estava fazendo tempestade em copo d´água. Então, Carrick tinha dito a ela que se ela não podia comportar-se que então ela poderia apenas se foder de volta para casa. Ben disse que ela começou a chorar, ali mesmo na frente de todos, dizendo que sentia muito e que ela iria desculpar-se comigo, o que eu ainda estou esperando. Ben disse que ela ficou muito desconfortável, e que Carrick e Sienna tinha saído logo depois. Provavelmente foram fazer sexo de reconciliação. Ugh! Eu tenho que parar de ter esses pensamentos torturantes. Vou ficar louca se eu não o fizer. "Um real por seus pensamentos?" A voz de Petra vem de trás de mim.


Eu rodo no meu banquinho para vê-la segurando uma caneca fumegante na mão. "Eu te trouxe café." Isso traz um sorriso ao meu rosto. "Eu já te disse como você é impressionante?" "Eu sou incrível", ela concorda. "E por causa de como sou impressionante, eu pensei que você poderia fazer alguma coisa animada depois desta manhã. Você sabe ... " Ela tira um enorme bolo de chocolate de trás das costas dela. "Ah,” respondo. “Você não é impressionante. Você é espetacular. " Alcançando-a, eu pego o café e o muffin dela. Eu coloco o café sobre a mesa, mas fico com o muffin. "Além disso, eu pensei que eu deveria deixá-la saber que a princesa do pop está aqui", ela me diz em uma voz calma. De qualquer forma, eu sabia que era provável que Sienna estivesse aqui com ele já que é o dia da corrida, eu estava rezando aos deuses que ela pudesse não aparecer. Não estou boa para ver quaisquer manifestações mais públicas de afeto hoje. Resmungando para mim mesmo, eu dou uma mordida enorme no muffin. Ah, chocolate Deus da bondade. Nada supera-o. "Onde ela está?" Eu pergunto com a boca cheia de muffin. "Em cima na hospitalidade, e surpresa, surpresa, ela está sendo uma cadela. Ela falou comigo como se eu fosse um pedaço de porcaria porque eu coloquei o leite semi-desnatado em seu chá em vez de leite desnatado. Quer dizer, olha o horror disso! " ela diz com um toque dramático. Eu rio. "Eu deveria ter cuspido nele, aquela vaca." Balançando a cabeça, eu dou outra mordida no muffin. "Isso é tão bom", murmuro. "Você quer um pouco?" Eu ofereço a ela.


"Não, obrigado. Você precisa disso mais do que eu. Só não venha no andar de cima, se você não quer encontrar com ela, OK? Eu não a imagino vindo até aqui". "Deus, sim, ela não quer estar em torno de nós mecânicos humildes." Eu ponho a mão sobre a minha boca conforme Eu cuspo algumas migalhas, alguns caem na Petra. "Oh, Deus! Desculpe!" Eu dou uma risada pela minha mão, tentando manter o muffin dentro da boca. "Você é realmente grossa." Petra ri, tira as migalhas da cabeça. "Você tem chocolate em seu rosto, sua louca." Eu esfrego no meu rosto com o braço. "Limpou?" eu mostro meu rosto para ela. Ela dá um olhar rápido. "Sim, você está bem. Apenas certifique-se de olhar em um espelho quando você está acabar com ele, sim? " Dou-lhe um polegar para cima enquanto dou outra mordida. "Então, vamos sair esta noite?", Pergunta ela, descansando as costas contra a mesa. "Er ... Eu não sei. Provavelmente não. Eu ainda estou me recuperando da noite passada ". "Você diz isso agora, mas quando Carrick ganhar hoje, você vai querer comemorar." Seu rosto fica branco quando ela percebe que disse. Eu levanto minha mão, impedindo-a de pedir desculpas, e eu doulhe um sorriso tranquilizador. "Você está certa. Eu provavelmente posso tentar sair. E isso vai ser bom para comemorar quando Carrick ganhar." "Boa menina. Bem, é melhor eu voltar lá pra cima. Eu encontro você mais tarde." Voltando-se para a minha mesa, eu coloco o muffin comido pela metade e tomo um gole de café, tirando o gosto doce da minha boca. "Ei, eu não tenho um café?" Isso é Robbie falando para Petra.


"Desculpe, apenas um par de mãos, e elas estavam cheias." Ela me dá uma piscadela, andando para trás. "Você ouviu falar dessas coisas chamadas bandejas?" "Você ouviu falar dessas coisas chamadas pernas? Use-as se você quer algo. Você sabe onde estou. " Com um salto em seu passo, ela se vira e corre até as escadas. "O que você tem que eu não tenho? Além do óbvio ", diz Robbie, deixando seu olhar desviar para sua virilha. Deus, ele está agindo como um idiota total hoje. Normalmente, eu posso lidar com a sua estranheza, mas hoje, eu realmente não me sinto tolerando. "Eu não sei, Robbie. Talvez essa coisa chamada personalidade. " Eu me afasto, mas algo em mim não me sinto bem. Eu sinto tudo acabado, eu acho que todo o stress e tristeza dentro de mim quer vir à tona. Eu giro meu banquinho de volta. " Você sabe, se você quer mesmo transar com Petra, então por que você não para de agir como um idiota o tempo todo e é mais agradável só pra mudar um pouco? Ela pode realmente ficar interessada em você, se você fizer isso." Seus rosto fica vermelho. Eu envergonhei ele. O problema de envergonhar um homem na frente de outros homens é que eles saem para luta, e eles lutam sujo. "Você quer dizer como você fez com Carrick? Acho que todos nós sabemos que você deu um polimento em seu pau. E agora, que ele te fodeu pra fora com algo muito melhor, está toda amarga e puta sobre isso." Eu sinto minha garganta fechar-se, e os meus olhos começam a arder. Não chore. Não se atreva a chorar, Andi Amaro. E, realmente, o que posso dizer sobre isso? Ele está certo. "Que diabos está acontecendo?"


Meus olhos balançar ao som da voz dura de Carrick. Ele está de pé na parte inferior da escada, e ele parece louco, não, é isso. Ele olha lívido. No início, eu acho que ele está falando comigo, mas então eu vejo seus olhos direcionados sobre Robbie. "Nada", gagueja Robbie. "Nós estávamos apenas" "Não tente me enrolar. Eu ouvi o que você disse, porra. Dizendo merda como essa vai te deixar em apuros. " Virando para o quadro com alfinetes, Carrick arranca um pedaço de papel dele, sem a remoção do pino, que cai no chão. Eu estou completamente imóvel no meu lugar. Ele nem sequer olhou para mim ainda. Eu estou querendo saber se a próxima sou eu, mas, em seguida, ele começa a se afastar, e eu solto a respiração que eu estava segurando. Tudo volta rapidamente quando Carrick para no fim das escadas e se vira. Ele caminha até Robbie com determinação, bravo. Eu estou congelada em estado de choque, sem saber o que fazer. Assim como qualquer um dos caras. E eu estou supondo que Robbie pense o mesmo. Não temos certeza do que vai acontecer. Quando Carrick para centímetros do rosto de Robbie, os punhos cerrados ao seu lado, eu realmente estremeço, temendo que ele vá bater em Robbie. Robbie tropeça para trás com um passo. "Você é um idiota irritante, Robbie, e eu estou cansado da sua merda. Arrume suas coisas e caia fora. Está despedido." "O que?" Robbie sufoca. Carrick dá mais um passo ameaçador para frente, não deixando espaço entre eles. "Você é surdo tanto quanto estúpido? Eu disse que você está demitido, então dê o fora! " Em seguida, ele vira as costas e sai do box.


Há um momento de silêncio horrorizado. Meus olhos arregalados balançam para Robbie, que está ali parado, olhando chocado. Então, meu corpo entra em ação. Saltando de meu lugar, eu corro em frente ao box, dirigindo-me às escadas. Eu começar a subir rapidamente. "Carrick!" Eu grito para suas costas enquanto ele se aproxima do degrau mais alto. Ele para e lentamente se vira para mim. Vou mais alguns passos para cima, fechando a distância entre nós. " Por favor, reconsidere demitir o Robbie. Ele pode ser um idiota às vezes, mas realmente, isso foi minha culpa. Honestamente, eu comecei. Eu o feri com uma coisa que não é da minha conta. Eu fui uma cadela, e ele estava apenas devolvendo. Se alguém deveria ser demitido, sou eu." Ele olha para mim por um longo momento, sua expressão apertada, as sobrancelhas juntas. Então, eu vejo seu rosto relaxar, algo morno passa através de seus olhos. Ele balança a cabeça. "Robbie repreende você na frente de todos. Em seguida, você vem correndo atrás de mim para defende-lo, e oferece o seu próprio trabalho em vez do dele? " Eu ando um passo. "Eu nunca disse que era brilhante." Eu ponho meus lábios para cima em um meio sorriso. A sugestão de um sorriso toca seus olhos, e então ele fica sério novamente. "Se ele falar com você desse jeito novamente, ele vai embora. " Eu solto uma respiração. "Ele não vai. Obrigada." Nossos olhos se pegam e seguraram, e o ar entre nós de repente se torna espesso e elétrico.


Eu vejo-o explodir em seus olhos, exatamente ao mesmo tempo que tenho memórias de Barcelona. Eu em seus braços ... ele dentro de mim. Ele leva vem passos para baixo, chegando perto de mim. Ele segura meu olhar o tempo todo. Meu estômago está girando como um acrobata. Ele para um passo longe de mim. Meu coração começa a bater fora do meu peito. "Eu sinto sua falta." Sua voz é tão baixa, tão cheia de significado, que traz um nó apertado em mim. Eu separo meus lábios para Falar"Carr!" Eu gelo ao som da voz de Sienna. Os olhos de Carrick levantam até o teto, e ele deixa escapar um som de aborrecimento. O momento é quebrado. Dou um passo para baixo para longe dele. "Eu devo deixar você ir. E eu preciso voltar e deixar Robbie saber que ele ainda tem um emprego. " Carrick me olha por um segundo mais longo e, em seguida, dá um aceno afiado. Ele se vira, subindo as escadas em dois degraus de cada vez. "Aí está você", diz a voz de Sienna. "Eu estava ficando só sem você." Eu paro de ouvir e corro para baixo o resto da escada, meu coração pulando o tempo todo. "Eu sinto sua falta." Quando eu voltar para o box, Robbie ainda está lá, ainda olhando em estado de choque. Alguns pares de olhos levantam para mim, Robbie inclusive.


Vou até ele. "Você é bom. Você ainda tem o seu trabalho." Ele sopra um suspiro de alívio. "Merda... obrigado, Andi." Ele passa a mão pelo cabelo. "Olha… sinto muito sobre o que eu disse. " "Não se preocupe com isso." Eu aceno para ele. "Eu também sinto muito. Eu não deveria ter dito o que disse sobre Petra." Eu lhe devo um pedido de desculpas também. "Bem, de qualquer forma, você salvou a minha bunda, então a primeira bebida é minha esta noite, ok? " Ele segura o punho para fora a mim. "Ok", eu digo, dando-lhe um soquinho.

A corrida é repleta de tensão para mim, especialmente quando Carrick estoura um pneu e vem para o pitstop. Os rapazes rapidamente trocam e ele vai de volta para a pista. Mas, depois disso, eu não posso tirar meus olhos das telas. Meu coração está em minha boca pelo resto da corrida. Petra fica um pouco de tempo fora da cozinha e vem assistir a corrida comigo. Eu deveria fazer uma pausa, eu ainda preciso ir o banheiro, mas estou com muito medo de me mover caso algo aconteça. Então, eu começo a me sentir doente, desejando que eu tivesse dito Carrick que eu sinto falta dele também. Desejando que estivéssemos bem, de novo, para a forma como costumava ser antes de Barcelona. Então, todos esses cenários terríveis começam a passar na minha mente, e em cada um desses cenários, eu o perco permanentemente. De repente, me sinto quente, e a sala gira. "Ei, você está bem?" Petra toca meu braço.


Eu viro meu rosto para ela. Um olhar para mim, e ela está dizendo: "Vamos lá. Vamos tirar você daqui. "Então, ela está me levando para fora do box com o braço enfiado no meu. Em vez de me levar ao banheiro, ela me leva até o quarto privado de Carrick. Estranhamente, estando cercada por coisas dele, eu começo a me sentir um pouco melhor. Ela me senta e traz um copo de água. "Obrigada." Eu coloco meus dedos em torno do copo plástico e tomo um gole de água gelada. "Eu não sei o que aconteceu. Eu me senti um pouco estranha." Eu não me refiro ao fato de que as memórias do acidente do meu pai estavam aparecendo em uma visão de Carrick morrendo exatamente da mesma maneira. Há uma batida na porta, e ela abre, revelando o tio John. Seus olhos vão para Petra e depois de volta para mim. "Eu vi você indo para fora. Está bem?" "Sim. Eu estou bem. " Eu sorrio para tranquilizá-lo. Seus olhos pressionam levemente para Petra novamente. Sei que ele é cauteloso ao dizer qualquer coisa em frente a ela. "Petra sabe... sobre o meu pai, tio John. Eu disse a ela esta manhã. " "Bom." Ele balança a cabeça. "Já era hora de alguém mais por aqui saber." Ele me dá um sorriso. "Eu não posso ficar, no entanto. Eu tenho que voltar. Eu só queria verificar e certificar-me de que você estava bem. " "Obrigada, tio John". Eu o detenho quando ele está perto da porta. "Como Carrick está indo lá fora?" Ele se vira para mim. "Muito bem." Ele sorri grande. "Ele ainda está liderando."


Isso traz um sorriso aos meus lábios. Eu fico com Petra na sala de Carrick por mais alguns minutos, até que eu me sinta como eu de novo, e, em seguida, voltamos para baixo para ver o resto da corrida. Ainda é tenso para mim. Mas pelo menos eu não surto novamente. Carrick termina em primeiro. O alívio que sinto ao vê-lo entrar no box é imenso. E o conhecimento que ele ganhou aqui em Mônaco é o quanto grande isso é para ele me traz um alívio e euforia. Quando ele tira seu capacete e o gorro à prova de fogo, ele sai de seu carro, e seu cabelo está todo preso à sua cabeça. Ele tem o maior sorriso no rosto. Ele parece tão belo assim que faz meu coração inchar. Ele reconhece meus olhos em todo o box, sorrindo para mim. Parabéns, eu faço com a boca para ele no meio da multidão da nossa equipe conforme todos eles saltam sobre ele, aplaudindo e comemorando. Mas seus olhos nunca deixar os meus, e quando ele começa a fazer o seu caminho até mim, empurrando os caras, meu coração começa a bater mais rápido, borboletas que pulam em meu estômago. Então, eu ouço um som estridente todo-poderoso vindo, e com movimentos bruscos da cabeça me viro para ver Sienna atravessando o box. Ela lança-se em Carrick, pulando em cima dele, e ela envolve suas longas pernas em volta de sua cintura. Seus braços ao redor de seu pescoço, ela planta um beijo falso em sua boca. Incapaz de assistir, eu desvio o olhar. Olhando através da piscada dos meus olhos, eu calmamente faço o meu caminho para sair do box.


16 MONTE CARLO, MONACO

"Você está se divertindo?" Petra pergunta, uma oscilação em sua postura. Ela está em pé diante de mim, bebida na mão, parecendo um pouco bêbada. Bem, todos nós estamos. Nós estamos em La Rascasse, um bar situado na famosa curva na pista de Fórmula 1, na curva onde Carrick foi o profissional que é e trouxe para casa o troféu. Estamos todos celebrando a vitória. Menos Carrick. Ele teve que participar de uma festa de patrocínio arrumada antes. Seu pai e tio John estão lá, também. Assim como Sienna. Mas eu não estou pensando em qualquer um deles esta noite. Eu estou no bar me divertindo com os meus amigos. Fiquei aliviado quando eu descobri que Carrick não estaria aqui já que eu não queria ser forçada a passar o tempo em torno dele e da princesa do pop. Agora que eu estou aqui e me divertindo, eu acho que estou com saudades dele. Parece estranho estar comemorando sua vitória sem ele aqui. "Eu estou me divertindo." Eu sorrio para Petra. Então, Ben se aproxima, tropeçando um pouco, e abre seus braços em torno de nós duas. "Você meninas estão ok com as bebidas? "


"Eu estou bem." Eu lhe mostro meu copo meio cheio. Estou indo de leve hoje à noite, acalmando-me, como eu sei que vai ser uma longa noite, e eu já estou me sentindo um pouco tonta. "Eu vou querer outra, a Andi também," Petra informa a Ben. Ben dá uma olhada em mim perguntando. Com o canto do meu olho, eu posso ver Petra com seu olhar: você vai tomar outra. "OK. Parece que eu vou tomar outra. " Eu termino o que está na minha mão, sentindo descer queimando. Estou na vodka dupla com limonada, indo devagar, mas acho que agora já era. Petra fica alegre, batendo palmas, conforme eu coloco meu copo vazio em cima da mesa nas proximidades. Eu os sigo para o bar. "Então, do que vamos?" Ben pergunta. "Shots!" Petra grita. Eu dou uma piscada para Ben, que sorri e encolhe os ombros. "Parece que nós queremos shots," murmuro. Não que importe o que eu digo já que Petra já está inclinando-se por cima do bar, chamando a atenção do barman, pedindo as bebidas. Eu honestamente não sei como ela faz isso. Está lotado de pessoas aqui esta noite, mas cada vez que ela vai ao bar, ela é servida imediatamente. Eu sempre tenho que ficar lá como uma planta, esperando por horas para ser servida. Eu vou ter de descobrir seu segredo com o barman. "Então, como você está?" Ben bate no meu ombro. "No geral ou hoje à noite?" Eu dou um sorriso. "Ambos." "Estou bem."


Seus olhos permanecem no meu rosto por um tempo longo demais, como se ele estivesse tentando ter uma leitura sobre mim. E ele deve ver algo lá porque ele diz: "Você tem certeza?" "Claro, eu tenho certeza." Deixo escapar um riso nervoso. "Apenas... o que aconteceu com Robbie, esta manhã, o que ele disse sobre você e Carrick." Eu congelo. Então, eu me trago de volta à vida. "Não importa." Eu dou de ombros indiferente. "Está tudo resolvido agora.” Ben dá um leve aceno de cabeça. "Foi bom você conversar com Carrick, para o Robbie manter seu emprego.” Eu dou de ombros novamente, desviando os olhos. "Não era justo o Robbie perder o emprego por algo tão estúpido. " "Sim, você está certa, mas nem todo mundo teria tido a coragem de ir atrás de Carrick e convencê-lo como você fez. Foi legal de você, Andi. Você é uma boa pessoa." Um sorriso largo se espalha pelo meu rosto. "Eu realmente preciso passar mais tempo perto do Ben bêbado. Eu sempre tenho os melhores elogios dele quando eu o faço. " Rindo, ele balança a cabeça, e então seus olhos se voltam sério. "Ele estava certo, porém, não é?" "Quem?" Eu dou um olhar confuso. "Robbie". O sorriso desliza do meu rosto. Eu tenho certeza que minha cor se vai, também. "Não como ele disse," Ben esclarece. "Mas há algo acontecendo entre você e Carrick." Estava. "Olha, você não precisa dizer nada", continua ele.


Que bom, eu penso. Porque o pensamento de falar sobre isso agora está me escapando. Eu ainda estou lidando com o choque que Ben está realmente dizendo essas coisas. "Eu só quero que você saiba que eu acho que Carrick é um idiota para deixá-la escorregar por entre os dedos. E se você precisar de um companheiro para conversar ... bem, eu sou este homem. " Ele dá um tapinha no meu braço com a mão. Mas porque eu sou eu, eu não quero que Ben pense mal de Carrick já ele não fez realmente o que Ben acha que ele fez. Carrick não me deixou escapar por entre os dedos. O que nós fizemos, ter relações sexuais e destruir a nossa amizade no processo, fomos nós dois, e agora, estamos em algum lugar estranho, onde ele seguiu em frente, mas eu não consigo mesmo sabendo que tenha que fazer. E bem, isso é tudo. "Obrigada." Eu limpo minha garganta obstruída. "Mas não é como você pensa." "Não?" Ele franze a testa. "Então, se eu te disser que Carrick acabou de entrar pela porta com Sienna a tiracolo, não seria um problema para você?” Segurando minha respiração, eu pressiono meus lábios juntos em alguma forma de um sorriso estranho e balanço a cabeça. "Não. Não será problema nenhum. " "Bom, porque ele acabou de entrar com Sienna." Porra. Virando minha cabeça, eu olho por cima do ombro, e no meio da multidão de pessoas, vejo Carrick. É impossível não vê-lo. Ele se destaca por onde passa. Ele olha impressionante em seu smoking, o primeiro botão da camisa aberto, sua gravata perdida em algum lugar pelo caminho. Fios de seu cabelo, no seu estilo largado, caem sobre sua testa. Seus olhos azuis dançam sob as luzes conforme ele para conversar com alguns fãs de corrida.


Meu coração dispara, dando um golpe no meu peito. E eu realmente preciso me conter, porque eu estou começando a soar como uma adolescente apaixonada. Eu sou na verdade, fazendome sentir náuseas com os meus pensamentos românticos. "Você está mesmo ok?" A voz de Ben vem em meu ouvido. "Porque nós podemos sair antes dele chegar aqui, se você quiser? " Virando-me para olhar para ele, eu sorrio com seu gracejo. "Eu estou bem. Mas obrigado por ser incrível ". Ele me dá uma piscadela, seguida de um sorriso. Eu sei que ele pode ver através do meu papo furado, e eu aprecio que ele não me pressione. Minha máscara está começando a escorregar, e eu realmente preciso coloca-la de volta no lugar antes que Carrick veja. "Aqui está." Petra me dá o que parece um Jägerbomb e, em seguida, dá um para Ben. "Isto é um Jägerbomb?", Pergunto. "Sim. E você tem mais um para beber, depois disso, de modo a ficar para cima, menina. " OK… Para ser honesta, eu estou pronta para esta bebida agora. Eu preciso da coragem do álcool para me ajudar a aguentar o longo show de Sienna que está por vir. "Na contagem de três ..." Petra começa. Eu coloco o copo nos meus lábios antes mesmo da contagem regressiva começar, e tomo a coisa toda. "Foda-se!" Eu sopro um sopro de fogo, batendo o copo no bar. Petra está olhando para mim com o que só pode ser descrito como admiração total. "Grande garota!" Levantando uma mão, ela me dá um high-five. "Vamos, Benny Boy, temos que alcançar ela."


Ambos tomamos nossos Jägers. Uma série de maldições vem deles conforme sopram respirações de fogo. Eu rio deles, sentindo-me um pouco mais leve já. Quando acabei de virar meu segundo shot eu sinto Carrick atrás de mim. Ele não precisa dizer nada hoje em dia para eu saber que ele está lá. Posso apenas sentir a sua presença, como se ele estivesse realmente me tocando. Felizmente, após os Jägers, o bar está começando a parecer um lugar muito mais atraente. Então, eu acho que eu posso aguentar ele e a princesa do pop. Então, eu o sinto. Sua mão pressiona suavemente contra minha cintura. Meus corpo congela e então explode de volta à vida. Memórias de suas mãos na minha pele nua naquele quarto de hotel em Barcelona inundam minha mente. "Hey." Sua voz profunda vem em meu ouvido, causando um arrepio através do meu corpo. Virando, eu olho para ele, amando a sensação de sua mão, e ele permanece em mim, deslizando nas minhas costas, provocando mais arrepios por dentro em lugares onde eu realmente não deveria estar sentindo calafrios. Seus olhos azuis brilham para mim, e eu sinto uma vibração no meu peito. Ele está simplesmente tão bonito. Eu realmente odeio isso. "Hey." Eu sorrio. Eu olho ao redor para Sienna, mas ela está longe de ser vista. Talvez ela tenha sido levada pelos nativos Desejo em pensamento. "Parabéns pela vitória, a tempo. Você foi incrível. Realmente, realmente brilhante. A maneira como você derrapou na última volta, incrível! " Eu estou sorrindo como louca agora e acenando minhas mãos como um maestro. Eu preciso me conter.


Isto é o que muito álcool faz. Ele me transforma em um idiota ainda maior do que já sou. "Obrigado." Ele sorri, e atinge todo o caminho até seus olhos. Em seguida, ele mergulha a cabeça na minha. "Eu senti saudades de você mais cedo. Eu queria comemorar com minha melhor... " Ele faz uma pausa por um instante, como se pensando sobre suas palavras. Em seguida, ele diz, "Mecânica. Um minuto, você estava lá, e depois que você se foi. Onde você foi?" Corri de lá porque eu não podia suportar vê-la em cima de você. E esse pensamento é como um balde de água sobre o meu fogo. Eu posso sentir meu sorriso desaparecendo, então eu o forço de volta, iluminando-o. "Me desculpe por isso. Eu tinha um recado para dar. " Mentirosa. Mentirosa. "Certo." Ele balança a cabeça, não movendo os olhos dos meus, e eu estou começando a me sentir um pouco mais do que exposta, como se ele pudesse ver através de meu papo furado, assim como Ben fez antes. "Talvez a gente possa tomar uma bebida esta noite para comemorar? " "Claro." Eu sorrio amplamente de novo. Então, eu vejo quando seus olhos fazer aquela coisa que eles fazem sobre mim, entrando em mim, me despindo nua. Ele não fez isso desde Barcelona. Faz-me sentir fraca e necessitada do que eu não posso ter. Ele traz a boca até meu ouvido. "Você está linda esta noite." Suas palavras sussurram sobre a minha pele, fazendo minha cabeça ficar leve. "Onde está Sienna?" É como um reflexo, mas é definitivamente o pontapé que eu preciso para voltar para o aqui e agora. Algo semelhante a aborrecimento pisca através de seus olhos. Ele deixa cair a sua mão de mim, dando um passo para trás. "No banheiro". "Carrick, você quer uma bebida?" Este é Ben.


Ele levanta o queixo na direção de Ben. Então, seus olhos seguem, e eu sinto que eu posso finalmente respirar pela primeira vez desde que ele chegou. "Uma cerveja seria ótimo. Obrigado, cara." Percebendo que eu estou conversando de frente para Carrick, de costas para Ben e Petra, eu me viro para encará-los, de pé ao lado Carrick. Os olhos de Petra estão em mim no momento em que viro. Eu posso ver a preocupação neles, por isso dou-lhe um sorriso tranquilizador. "Eu não sabia que você viria hoje à noite. Eu pensei que você estivesse preso naquela festa chata ", diz Petra para Carrick. "Sim, eu estava, e era pior do que chata, então eu fugi para vir e ficar com vocês." "Claro que sim. Somos muito mais interessantes do que um bando de pessoas ricas chatas. Sem ofensa." Ela sorri quando ela percebe que ela disse. Carrick é rico, mas ele está longe de ser chato. Ele é a pessoa mais interessante que eu já conheci. Oh Deus, eu estou nele novamente. "Sem ofensas. E você está certa. As pessoas aqui são a porra de muito mais interessante. " Com profundidade de sua voz ergo os olhos para os seus para encontrá-los olhando diretamente para mim. Minha boca seca. "Então, como você sabia onde estávamos?", Pergunto, umedecendo os lábios com a língua. Algo pisca através de seus olhos. O que se parece muito com desejo, mas como eu estou em negação agora, eu sou finjo que não era.


"Ben me disse mais cedo, onde vocês iriam estar." "Ah, é?" Eu dou uma olhada para Ben, mas ele está de costas, tentando ser servido no bar. "Andressa." A mão de Carrick toca a minha parte inferior das costas, chamando a minha atenção de volta para ele. Os olhos dele estão profundos e sérios. "Podemos conversar? Há alguma coisa-" "Deus, eu pensei que nunca ia voltar para você! Está lotado aqui. Por que estamos aqui de novo? A festa que estávamos estava muito melhor. " A voz irritante de Sienna toca em meus ouvidos como um sinal de alarme. Eu vou para longe de Carrick, fazendo com que sua mão caia, deixando frio onde estava. "Você me traz uma bebida, Carr? Vou precisar de uma grande, se eu vou ser forçada a ficar aqui para o resto da noite. " Ela solta um suspiro dramático. Aborrecimento pisca através de mim. Você pensaria que ele a levou para um mergulho pelo jeito como ela está agindo. Este lugar é muito bom, daí a razão para estar tão cheio de gente. Mordendo a minha língua para não dizer a ela para voltar para onde ela veio, eu viro para olhar para ela. Ela está realmente bem com um vestido de renda preto na altura do joelho, que parece que custa mais do que o meu guarda-roupa inteiro. Na verdade, há um pouco demais rendas, revelando muito dos peitos, mas ela pode mostra-los. Ela parece muito mais bonita do que eu agora. Eu odeio isso. Mas eu posso lidar com isso. Eu sou uma mulher forte, que trata outras mulheres com respeito. Deixando minha antipatia por ela de lado, eu me forço a ser educada e sorrio para ela. "Olá, Sienna."


Ela me dá um olhar vazio ao ouvir o som da minha voz. "Ah. Você está aqui." Então, ela vira os olhos. Tudo bem ... parece a pequena conversa de Carrick com ela claramente não teve efeito. Deus, eu adoraria dar um soco nela na cara apenas uma vez, mas é claro, que eu não vou. Então, engolindo a vontade, eu dou um sorriso tenso. "Estou. E agora eu estou saindo. Pausa para a toalete. Bom ver você como sempre." Eu vou matá-la com a teoria da educação. Seria fantástico se realmente funcionasse. Essa foi uma piada. Vou até Petra, que está fazendo uma carranca para Sienna. "Banheiro", eu digo com um puxão da minha cabeça. "Vamos." Ela toma a minha mão. "Voltamos logo, Benny Boy." Ela dá um tapinha no ombro dele quando passamos. No momento em que começo a ir para o banheiro, eu estou realmente na necessidade de ir. Quando eu saio da cabine, Petra está na pia, passando o batom olhando no espelho acima dela. Posso vê-la me olhando com cuidado conforme eu lavo minhas mãos, mas ela não disse nada. Eu olho a minha roupa no espelho. Na verdade, estou vestindo uma saia esta noite. Um modelo preto esvoaçante bonito que eu comprei quando fui fazer compras com a Petra no outro dia. Eu juntei com regata preta linda brilhante e alguns saltos prata baixos. Meu cabelo está solto com ondas. Eu estou bonita. Bem, não tão linda como a princesa do pop, mas que seja. Eu solto a respiração. "Você está bem?" Petra perguntou. "Eu estou ótima." Eu pisco com um sorriso, e então eu pego o meu brilho da minha bolsa e começo a aplicá-lo nos meus lábios.


Estive fingindo sorrisos e dizendo: "Eu estou bem," muito ultimamente. "Eu não sabia que Carrick e a mega cadela viriam hoje à noite." Ela faz uma careta. Isso me leva a encará-la. "Não é sua culpa que eles estão aqui. E eu não sabia que eles iam vir também. Mas não é grande coisa. " Eu levanto os meus ombros de uma forma que diz que eu não me importo quando ambas sabemos que eu realmente me importo. "Eu estou bem com isso." Eu volto para o espelho para terminar de aplicar o meu brilho. " Eu já ultrapassei a coisa sobre Carrick e Sienna de qualquer maneira. " Eu pressiono meus lábios, fazendo um som batendo. Então, eu fecho meu tubo de gloss e jogo na minha bolsa. "Claro que você fez." Ela me dá um olhar incrédulo. “É comigo que você está falando, Andi, não com o Ben. Você não tem que tentar me enganar. Se você não quer passar a noite perto de Carrick e a mega cadela, então podemos ir para outro lugar, não tem problema. Hoje foi um dia difícil para você, e eu não estou a fim de arruinar o seu humor que levantamos, por causa dessa pé no saco ". Eu solto uma risada com sua descrição singela de Sienna. Ontem, eu sucumbi, e por curiosidade mórbida, ouvi uma das canções mais recentes das The Diamond Babes. Não é o meu tipo de coisa, mas eu pude ver por que elas são populares. A cantora principal é realmente talentosa. Dito isto, Sienna está definitivamente lá apenas para fazer papel de bonita. Petra insistiuem me mostrar um pouco do material ao vivo, você sabe, apenas para me torturar. É justo dizer que Sienna não sabe cantar uma nota, e isso não faz de mim uma cadela. Ela realmente não canta nada. "Tudo bem ..." Admito com uma respiração profunda. "Mas eu estou bem para ficar, eu prometo. Eu preciso tirar essa minha atração estúpida ou seja lá o que for que eu tenha por Carrick, e a maneira para que isso aconteça é eu estar perto dele e dela ". Ela olha para mim por um longo momento, a cabeça inclinada para o lado.


"O quê?" Eu me mexo, desconfortável. "Não é apenas uma paixão, não é?" "O quê?" Eu dou uma risada nervosa. "Claro que é. O que mais poderia ser? " "Amor? Se não for amor, então está definitivamente indo no caminho para ser isso. " "Eu não estou apaixonada por Carrick!" Eu zombo. Estou? Não... definitivamente não estou. Suas mãos vão para seus quadris. "Andi, eu posso não conhecer você a muito tempo, mas eu sou boa em ler as pessoas, e você pode até não perceber isso mesmo, mas você está apaixonada por ele." Eu rio em voz alta, porque eu realmente não sei mais o que fazer. Eu não estou apaixonada por Carrick. Definitivamente não. Pego minha bolsa, colocando-a debaixo do braço, me preparando para deixar o banheiro e colocou um fim na esta conversa. "Se Carrick não fosse piloto, você estaria com ele?" Sou trazida de volta àquele momento, em Barcelona, dançando com Carrick na festa, quando ele me fez praticamente a mesma pergunta, apenas em um contexto diferente. Suspirando, eu inclino meu quadril contra a pia. "Pode ser." Ela me olha. "Eu acho que é definitivamente um sim." "Você é uma psicóloga na verdade?" E então eu sorrio para não parecer grossa. Mas ela não disse nada. Um suspiro sombrio me escapa. “Certo, tudo bem. Sim, talvez eu corresse o risco de estar com Carrick se ele fosse apenas um cara normal. Mas ele não é um cara normal. Ele coloca sua vida em risco toda vez que ele sobe no carro e corre pelas pistas. E isso não é algo com que eu possa viver. Mas, realmente, tudo isso é um ponto forte


porque Carrick é um piloto, e ele não está na minha dessa forma. Claro, ele queria transar comigo, e eu acho que ele provavelmente o faria novamente, dado a oportunidade, se ele não estivesse com Sienna, mas ele está, e ele definitivamente não quer um relacionamento comigo.” "Oh meu Deus!" Ela joga as mãos para cima no ar. " Andi, eu te adoro. Mesmo. Mas você é o mais pessoa iludida que eu já conheci. " "Obrigada!" "Sério, se você fosse lá e dissesse para Carrick para jogar a mega cadela fora e ficar com você, ele faria na porra de um piscar de olhos. Como você não vê isso?" Virando-se para o espelho, eu seguro meus dedos ao redor da borda da pia enquanto eu tento controlar minhas emoções. Eu olho para ela no espelho. "Porque se ele se importasse comigo, então ele não estaria aqui com Sienna. Isso não é o que você faz quando você se preocupa com alguém. E definitivamente não é como você mostra a alguém que você se importa. " Eu engasgo na última palavra. "Você jogou ele fora, Andi! E Carrick é um homem que não está acostumado a ser deixado. Você seriamente feriu seu orgulho, e esta é sua maneira de retaliar. Eu não estou dizendo que é certo, mas é óbvio que é por isso que ele a trouxe aqui. Ele está lá fora com Sienna, tentando mostrar a você que ele não se importa quando é tão claro como cristal que ele o faz. " Isso é verdade? É por isso que Carrick trouxe Sienna aqui? Não. E pensar assim seria apenas pura vaidade da minha parte. Eu não sou tão importante para ele. "Eu não penso assim, e mesmo que ele a trouxesse aqui por esse motivo, não importa porque-" "Ele é um piloto, e você não pode ficar com ele! Eu entendi essa parte. Eu só..." Ela solta um suspiro melancólico. "Vocês seriam incríveis juntos. Eu só queria que você pudesse ver isso. "Virando-se


para pegar sua bolsa da pia, ela termina com: "Eu só queria que as coisas fossem diferentes para você, é tudo. Você merece ser feliz." Eu desejo isso, também. "Assim como você." Eu coloco meu braço em torno dela, dando-lhe um meio abraço. "Você sabe o que você precisa fazer? Se sacudir, como a Taylor Swift está sempre nos dizendo para fazer. Sacuda fora toda essa porcaria de Carrick e Sienna. Isso vai fazer você se sentir um milhão de vezes melhor. " Deixo escapar uma risada enquanto Petra agarra minhas mãos e começa a sacudi-los ao redor. Então, ela está balançando seu corpo, e eu estou rindo e juntando-me a ela. "Funcionou?" "Na verdade, sim." Eu sorrio para ela. "Legal. Bem, vamos levar nossas bundas quentes de volta para lá e ocupar nosso pedaço de terra. Você vai esquecer tudo sobre Carrick. E eu estou achando que eu preciso me arrumar em francês essa noite e transar com alguém no estilo francês ". "Existe uma maneira francesa de transar?" "Não sei." Ela encolhe os ombros. "Mas eles inventaram beijos impressionantes, então eu estou apostando que eles fodam tão bem quanto, se não for melhor." Rindo, eu enfio meu braço através dela e deixo-a me levar de volta para o bar.


17 MONTE CARLO, MÔNACO "Bebida?", Diz Petra em meu ouvido no momento em que estamos de volta no meio da multidão. Concordo com a cabeça em resposta. Nós voltamos para onde deixamos Ben e Carrick. Meu coração começa a pegar ritmo a medida que nos aproximamos, e eu estou um pouco mais do que aliviada ao ver que foram embora. "Gostaria de saber onde Ben está", diz Petra. "Ele deve estar com os caras." Eu me esmago em um pequeno espaço no bar para tentar fazer o pedido das bebidas. Petra fica na ponta dos pés, olhando ao redor. "Ah, sim, lá está ele. Ele está lá fora na área de estar com o resto deles ". Virando a cabeça, eu sigo o dedo na direção que ele está apontando. Eu posso ver os caras, alguns sentados em torno de uma pequena mesa, alguns de pé. Infelizmente, Sienna está lá, sentada, de costas para nós, conversando com um dos caras da equipe. Carrick está de pé, de frente para nós, conversando com Ben. Quase como se me ouvisse pensando no seu nome, seus olhos piscam direto na minha direção, então eu rapidamente viro o olhar, voltando-me para enfrentar o bar, na esperança de ter a atenção do garçom.


"Por que você não vai até eles?" Eu digo a Petra por cima do meu ombro. "Não há razão em nós duas ficarmos esperando aqui. Pode levar horas. Eu levo as bebidas logo. Você pode ir conversar com Robbie ", Eu digo provocando. Eu disse a Petra o que eu disse a Robbie e tudo sobre a nossa briga. Ela ficou bem com isso, e eu fiquei feliz porque a última coisa que eu jamais iria querer fazer é deixa-la chateada. "Talvez eu o faça." Ela coloca a língua para mim. "Eu poderia até mesmo deixar passar os meus planos para uma transa francesa se Robbie agisse como uma pessoa normal pela primeira vez. " Deixo escapar uma risada, balançando a cabeça. "Vá em frente." Eu dou-lhe um empurrão brincalhão. Vendo como ela faz seu caminho através da multidão, eu me volto para o bar, suspirando ao ver ambos os barmen na outra extremidade do bar. O DJ acabou de colocar a música do Calvin Harris "I Need Your Love" que começa a bombar através dos alto-falantes. É impossível não dançar com essa música, então eu me encontro me mexendo com a batida, cantando junto com a música. Eu sinto um corpo pressionando do meu lado. Virando a cabeça, vejo Leandro Silva em pé ao meu lado. Puta merda! Leandro Silva dirige para uma das melhores equipas da Fórmula 1. Ele é brilhante, e ele foi considerado número um por um longo tempo, até que Carrick veio e colocou ele para fora do seu posto. Há rumores de que eles têm uma antipatia mútua um pelo outro. Eu admirei o modo de dirigir do Leandro por um longo tempo. Ele é um dos meus pilotos favoritos, e ajuda que ele é brasileiro, não que eu seja preconceituosa ou qualquer coisa. Eu sempre quis conhecê-lo. Claro, eu tenho visto ele na pista, mas eu nunca tive a coragem de ir lá e me apresentar.


Eu me pergunto o que ele está fazendo aqui. "Olá." Ele me dá um sorriso de baixar as calcinhas, uma covinha sexy aparecendo em seu rosto. Oh, Deus. Eu mencionei que Leandro é realmente bonito? Digo realmente bonito. Não mais do que Carrick. Apenas diferente. Ao invés do cabelo loiro de Carrick, do Leandro é preto. Para os olhos azuis de Carrick, os olhos de Leandro são tão escuros como a noite. E a pele dourada de Carrick, a do Leandro é oliva. Ok, eu suponho que você consiga imaginar. "Oi." Eu tento sorrir, mas sai como mais do que um sorriso, e soa estranho. E isso é provavelmente porque eu estou olhando para ele como um idiota chocada. É que ... Eu assisto corridas desse cara na TV desde que eu tinha dezesseis anos! Ele é um herói no Brasil. "Você é Andi Amaro, certo?" Ele sabe o meu nome! Segurem-se... ele sabe o meu nome? "Como você sabe o meu nome?" Acaba soando um pouco mais rápido do que eu pretendia, por isso dou uma balançada na minha cabeça para disfarçar. Ele solta uma risada profunda. "Você é famosa. Você não sabia? " "Não." Eu franzo meu rosto. "Famosa por que exatamente?" Ele chega com seu corpo perto do meu. Estamos muito perto de repente para duas pessoas que acabaram de se conhecer. Tão perto que eu posso ver a sugestão de castanho claro que centra seus olhos, e eu posso sentir seu loção-pós barba musky. Mas, na verdade, para ser sincera, não há exatamente um monte de espaço livre aqui no bar.


"Não há muitas mecânicas do sexo feminino na Fórmula 1 e definitivamente nenhuma tão bonita como você." Minhas bochechas coram. O quê? Eu sou uma mulher, e Leandro Silva acabou de me chamar de bonita. Ele é um piloto brilhante e um cara mais velho quente, bem, quando eu digo mais velho, quero dizer, ele tem trinta e então, naturalmente, eu me sinto lisonjeada. "Desculpe, eu me esqueci. Eu espero que você saiba quem eu sou, mas talvez não. Eu sou Leandro Silva. " Ele estende a mão para apertar a minha. "Claro que eu sei quem você é", eu respondo, meu rosto ruborizando, conforme eu deslizo minha mão na sua. Sua mão é quente e áspera. E eu sinto uma centelha de alguma coisa. Mas nada como o que eu sinto quando Carrick me toca. Removendo a minha mão da dele, eu viro para o bar. "Então, eu ouço que você é uma companheira brasileira. Bem, meio brasileira. A outra metade é inglesa, certo? " Eu olho para ele, um sorriso puxando meus lábios. "Você sabe muito sobre mim." Ele dá de ombros, um sorriso toca seus olhos. "Quando eu encontro alguém interessante, eu faço de tudo para encontrar tudo o que puder ". Ele está flertando comigo? Não é nenhum segredo que Leandro gosta de suas mulheres. Ele é um namorador em série, mas as mulheres são sempre modelos e atrizes. Definitivamente não são mecânicas do sexo feminino. E eu não sei por que, talvez sejam os Jägerbombs ou meus sentimentos com Carrick e Sienna, a inveja corroendo-me, mas eu me encontro inclinando-me e dizendo com uma inclinação para flertar na minha boca, "E você me acha interessante?"


Um calor definitivo entra em seus olhos. "Muito. Eu queria conhecê-la já faz algum tempo. " Eu não sei por que, mas eu dou uma olhada em frente para Carrick. E quando eu ver que ele não está sequer olhando, mas falando com Ben, isso me irrita, o que por sua vez, alimenta-me ainda mais para flertar. Eu olho para trás para Leandro, dando-lhe toda a minha atenção. "Eu queria conhecê-lo há algum tempo, também. Eu realmente admiro a sua direção. Eu vi todas as suas corridas.” Ok, isso era deprimente. Eu realmente não deveria ser autorizada a falar com homens. Mas, surpreendentemente, parece dar certo com ele, já que ele se inclina ainda mais perto. "Você é uma fã?" "Mmhmm." "Então, por que você está trabalhando para Ryan quando você claramente deveria estar trabalhando para mim?" Descansando meu braço no bar, eu encolho os ombros, inclinando o canto dos meus lábios. "Porque ele me ofereceu um emprego, e você não o fez ". "Que estúpido da minha parte." "Eu sei?" Eu mordo meu lábio. Levantando uma mão, ele tira meu cabelo do meu ombro e traz sua boca perto do meu ouvido. "Eu tenho que ir embora daqui, mas eu queria saber se você não gostaria de sair e ir a uma festa comigo." Eu inclino minha cabeça para trás, olhando-o nos olhos. "É o código para ir para seu quarto de hotel?" Eu levanto uma sobrancelha. Ele solta uma gargalhada gutural profunda. Ele me faz sorrir. "Não, na verdade é o código para sair. Mas se você quiser ir para o meu quarto de hotel, eu não teria nenhum problema com isso. "


Uau! OK. Isso está se movendo muito rápido, e eu estou ficando um pouco tonta. Eu definitivamente não devia ser autorizada a flertar com homens especialmente quando eu estou apenas fazendo isso para irritar alguém, e claramente nem está funcionando. Deus, eu sou tão estúpida. Recuando um pouco para colocar algum espaço entre nós, eu digo: "Eu acho que nós precisamos colocar os freios um pouco. Eu preciso saber de um homem por mais de cinco minutos antes que eu sequer pense em dormir com ele." Um par de horas, no mínimo. Ok, não digo isso. Eu viro o meu corpo de volta em direção ao bar, inclinando-me para ele. "E de qualquer forma, eu não me envolvo com pilotos. " Eu descanso meu queixo na minha mão e sorrio para ele. Ele ri. "Sim, eu já ouvi falar." Eu me endireito. "Você já ouviu falar? De quem?" "Ryan." Ele inclina a cabeça na direção onde Carrick está. "Eu perguntei a ele sobre você, e depois que ele não tão educadamente me disse que você estava fora dos limites, ele informou-me que você não sai com pilotos, de qualquer maneira, então eu estaria desperdiçando meu tempo. " Eu dou uma olhada em Carrick. E desta vez, acho que ele está olhando diretamente para mim, e ele parece irritado. Bom, porque estou me sentindo extremamente irritada. Quem diabos ele pensa que é para alertar o Leandro para longe de mim? "Eu não posso acreditar que ele fez isso", eu solto. "Para ser justo com Ryan, se você trabalhasse para mim, eu teria feito a mesma coisa. Eu definitivamente iria querer mantê-la só para mim. " Algo dispara dentro de mim.


Decisão tomada. Eu concentro meus olhos em Leandro. "Só para ficar claro, eu não vou dormir com você, mas se a oferta para sair daqui e ir a essa festa ainda estiver de pé, então eu realmente gostaria de aceitar. " "Você vai vir comigo só para chatear Ryan?" "Em parte," Eu confesso. "Isso é um problema?" "Não. Não há problema nenhum. " Ele sorri, seus olhos enrugando nos cantos. "Legal. Bem, me dê só um minuto para deixar a minha amiga saber que eu estou saindo, e eu já vou estar de volta. " Conforme eu passo por entre a multidão em direção a Petra, estou borbulhando de raiva. Quem diabos Carrick pensa que é? Ele alertou Leandro sobre mim! Ele não tinha o direito! Eu não posso acreditar que ele me bloqueou de transar! Ele pode dormir com quem ele quiser, essas irritantes da porra inclusive, mas eu não estou autorizada. Dane-se isso. Desgraçado. Bem, não que eu estou indo realmente para transar com Leandro, mas Carrick não sabe disso. Sim eu sei que é infantil, mas eu não estou me sentindo muito madura agora, e meu principal objetivo é deixar Carrick puto. "Hey." Eu toco em Petra no ombro, puxando-a da atenção de Mike, um dos caras da equipo do Nico. Tanta coisa para falar com Robbie, que atualmente está sentado em uma cadeira, com uma carranca em seu rosto enquanto cuida de um litro de cerveja. "Hey, onde está a minha bebida?", Ela reclama com minhas mãos vazias.


"Oh, desculpe. Esqueci ", eu digo, distraída. "Mas advinha só quem eu conheci no bar?" "Matt Damon?" "Não. Por quê? Ele está aqui? " Eu giro minha cabeça no meu pescoço. Não é incomum ver celebridades por aí e quando o GrandPrix está acontecendo. "Não!" Ela ri. "É apenas um sonho meu conhecer Matt Damon em um bar. Ou devo chamá-la de fantasia sexual? " "Ok, Muita informação. Enfim, foi Leandro Silva. " Eu coloquei um efeito dramático no seu nome. "Leandro está aqui?" Sua cabeça começa a girar em seu pescoço como o meu fiz há alguns momentos. Percebo quando ela o viu, porque seus olhos acendem. "Deus, ele é tão gostoso", diz ela com um estranho gemido de som na sua voz, que me assusta um pouco. Sacudindo, eu digo: "Sim, e ele me convidou para ir a uma festa com ele." Seus olhos se arregalam. "É sério? Você vai, certo? Por favor, me diga que você está indo! " Com vida própria, meus olhos procuram Carrick. Ele não está olhando para mim, mas posso dizer que ele está ouvindo a nossa conversa pela maneira que o queixo está inclinado em nossa direção. "Eu disse que sim..." Segurando o cotovelo de Petra, eu falo longe de ouvidos indiscretos. "Mas agora, eu não tenho tanta certeza ", eu sussurro. Honestamente, a minha raiva e a confiança começaram a murchar agora que eu estou aqui dizendo a Petra com Carrick a apenas alguns metros de distância. "O que?" Ela olha horrorizada. "Por que não?" Então, ela pisca um olhar na direção e o olhar de Carrick direto para mim. Eu sou recompensada com um olhar de desaprovação.


"Eu só acho que... talvez seria um erro sair com Leandro," eu calmamente lhe digo. "O que? Não é que você está indo transar com o cara. Você só está indo para uma festa com ele. " "Mas eu não estou indo pela razão certa", eu sussurro. "Eu só disse sim depois que o Leandro me disse que Carrick o alertou para ficar longe mim. " "O que" Sua boca se abre, formando um O. "Você está brincando?" Eu vejo alguns dos caras virarem a cabeça pelo seu grito, sendo um deles Carrick. "Pet ..." Eu a repreendo, meus olhos encontrando brevemente com os curiosos do Carrick. "Merda. Desculpe. " Ela coloca sua mão sobre a boca e fala através de seus dedos. "É serio que ele fez isso? ", sussurra. "Sim, é sério, e isso me irritou. E então eu me vi dizendo sim para ir para esta festa com Leandro, mas eu estou indo pelo motivo errado. " Ela pega a mão da sua boca e repousa sobre meu ombro. "Andi, se você estivesse indo para se vingar transando com o Leandro, que eu totalmente recomendaria se você não fosse você, Deus, eu iria dizer-lhe para se vingar transando com o quente do brasileiro até que você não pudesse andar. Mas porque você é você, e eu sei que você vai se torturar por um ano se fizer isso, então eu digo não a qualquer foda. Mas eu dizer um grande caralho de sim para você ir a uma festa com ele. " "Mas e se ele tentar me beijar?" "Então, beije de volta!" Eu dou-lhe algo entre uma desaprovação e um olhar bemhumorado. "Tudo bem", diz ela apaziguadora. "Vamos dizer que se ele tentar beijá-lo e você não quiser que ele, em seguida, você o empurra e diz


não, obrigado. Sério, querida, você está pensando demais. Basta ir se divertir com o homem mais velho e quente. " Eu mordo meu lábio, hesitando. "Olha, você quer que eu vá com você? Para agir como uma vela? " "Você?" Eu me alegro. "Claro, uma mudança de lugar seria bom agora, e eu tenho certeza que Leandro tem alguns amigos quentes nessa festa. " Eu observo que algo em seu tom é desligado. "Petra, está tudo bem?" "Sim, está tudo bem." Ela sorri, e é tão forçado quanto o meu tem sido a noite toda. Eu dou-lhe um olhar convencido. "Tem certeza?" Ela passa rapidamente um olhar na direção de Robbie. Em seguida, ela olha para mim, reboco um brilhante sorriso em seu rosto. "Claro, eu tenho certeza." Ela não está bem, mas eu não vou pressioná-la com isso. Ela vai me dizer quando estiver está pronta. "Obrigada." Eu envolvo meu braço em torno do seu ombro, dandolhe um aperto. "Você sabe que você é a melhor amiga que eu já tive, certo? " "Eu sou a única amiga que você já teve." "Verdade." Dou-lhe um grande sorriso, e ela ri. Passando por Ben, ela pega sua bolsa da mesa. "Certo, rapazes, estamos amando e saindo. Vemos todos vocês amanhã. " "Onde você está indo?" Isso é Carrick, e ele não está olhando para Petra. Ele está olhando para mim. Abro a boca, mas não sai nada, exceto ar.


Felizmente, Petra percebe a minha luta e responde por mim, “Leandro Silva acabou de convidar Andi para uma festa, então vamos lá.” Seus olhos se arregalam, a raiva provocou a vida neles. Sentindo-se desconfortável, eu desvio os olhos para o chão. Eu nem sequer me atrevo a olhar para Sienna agora. "Nos deixando para uma equipe rival?" Ben bate dramaticamente a mão no peito. "Isso machuca." "Desculpe, Benny Boy, você sabe que eu te amo, mas não há como uma garota recusar festejar uma noite com Leandro Silva. " Petra pisca com um sorriso. Puxando-me pela mão, ela me leva embora no meio da multidão, voltando para o bar onde Leandro aguarda. Nós estamos no meio do caminho quando eu sinto uma mão em meu braço, me puxando para parar. Carrick. Eu me perco de Petra. Ela lança um olhar sobre o ombro. Vendo que Carrick está atrás de mim, ela acena com a cabeça na direção do bar. "Eu vou me apresentar a Leandro. Vejo você logo ". Eu dou-lhe um sorriso desconfortável, e então eu vejo quando ela vai. Com o coração acelerado, eu volto para enfrentar Carrick. "O que você quer?" Minhas palavras saem curtas. Mágoa cintila em seu semblante, mas isso não o impediu de dizer o que ele está dizendo, "Você está realmente saindo com Silva?" "Para ir a uma festa, sim." "Ele é uma má notícia, Andressa." "Ele parece bom para mim." Cruzo os braços sobre o peito.


"Ele é um jogador. Ele usa as mulheres para o sexo e, em seguida, as descarta como lixo. " "Você também." Suspirando, ele balança a cabeça. "Mas não estamos falando de mim. Eu só...” Ele aperta a ponta do seu nariz com o polegar e o indicador. Soltando sua mão, ele olha para mim, e eu não posso dizer se é pena ou tristeza que está em seu olho agora. "Eu só não quero ver você se machucar. Silva está apenas usando você para chegar a mim, para tentar me tirar fora da próxima corrida porque eu o venci hoje. É como ele funciona. " Ok, por isso foi pena. Ele acha que eu só posso ter um homem para tirá-lo de sua próxima corrida. Filho da puta. "Wow!" Deixo escapar um riso incrédulo. "Então, você está me dizendo que ele está apenas me usando para chegar em você? “Você tem alguma ideia do quanto arrogante isso que soa? Quer saber, Carrick? Foda-se! " Eu giro no meu calcanhar, mais do que pronta para me afastar dele, mas ele agarra meu pulso, me parando. "Apenas espera, porra ", ele rosna. "Não. Agora, tire suas mãos de mim. " Em vez de fazer como eu peço, ele me puxa para ele, para que meu corpo esteja alinhado com o seu. Sua outra mão vai à minha volta, os dedos pressionando na minha pele, me segurando no lugar. A sensação de seu corpo duro contra o meu é dolorosamente familiar. E uma dor começa a pulsar dentro de mim. Meu coração está batendo forte no meu peito, e minhas mãos estão começando a suar. Porque, mais do que qualquer coisa, eu quero


sentir sua pele pressionada contra a minha. Cada centímetro nu dele. Eu quero lamber e beijar e provar cada parte dele. "Eu não quero que você vá com ele." Sua voz é baixa, crua. E isso me expõe. "Sim, bem, eu também não queria que você trouxesse a Sienna aqui, mas nós nem sempre conseguimos o que queremos." As palavras saem antes que eu possa pará-las. Eu vejo seu rosto branco e seu queixo vai para trás. Mortificação e arrependimento caem sobre mim como uma tempestade. Eu não deveria ter dito isso. Eu só basicamente disse a ele o que eu sinto de uma forma indireta. Porra. Porra. Porra. Eu definitivamente preciso ficar longe dele, agora. Como se minha oração fosse atendida, vejo uma Sienna furiosa batendo em nossa direção. E para ser justa, ela está certa De estar com raiva. Carrick está pressionado contra mim depois que ele tentou me impedir de sair com Leandro. Eu ficaria com raiva, também. Na verdade, eu estou com raiva. Eu estou fodidamente furiosa. Ele está aqui com Sienna. Ele não deveria estar se comportando desta maneira comigo. É definitivamente um caso de ele ter seu bolo e querer comê-lo. Bem, não vai comer deste bolo esta noite. Ou nunca mais. Acabou. "Falando na sua namorada, ela está vindo, e ela não parece feliz." Ele não diz nada. Ele está apenas olhando para mim como se ele nem sequer ouvisse o que eu disse. "Você me ouviu, Carrick? Sienna está vindo, então deixe-me ir. "


Mas ele não me deixar ir. Ele apenas continua a olhar nos meus olhos, e minha determinação está começando a quebrar. "Carrick, por favor, você precisa me deixar ir." Minhas palavras saem em um sussurro suplicante. De repente, suas mãos cair longe de mim como se eu o tivesse chocado. Seus olhos estão brilhantes com um pânico que não entendo. Sem mais uma palavra, eu saio de lá, abrindo meu caminho através da multidão para o bar. "Tudo bem?" Petra me pergunta, olhando-me com cuidado no instante em que chego até ela e Leandro. "Perfeito." Eu forço um sorriso, tentando ignorar a adrenalina subindo pelas minhas veias. Então, eu me volto para Leandro e digo: "Pronto para ir?" "Mais do que pronto." Ele sorri. Descansando a mão na parte inferior das minhas costas, ele me guia para fora do bar. E eu não olho para trás uma vez.


18 MONTE CARLO, MÔNACO

"OH MEU DEUS! Eu não pude acreditar quando aquele cara subiu no bar e começou a tirar a roupa! " Petra ri conforme saímos do táxi. "Isso foi uma loucura!" Eu rio. "Mas ele definitivamente tinha o corpo para tirar." "Não é?" Petra sorri para mim, piscando os olhos. São duas horas, e nós estamos voltando da festa que Leandro no levou. Quando chegamos lá, nós nos encontramos com os mecânicos de Leandro. Eles foram todos muito legais. Petra e eu nos divertimos. E Leandro foi incrível. Eu ri muito com ele. O cara é hilário. Ele ficou me contando piadas me fazendo rachar de rir. E quer saber, eu não pensei nenhuma vez sobre o quão difícil hoje tinha sido para mim. Ou sobre Carrick. E ao contrário do que Carrick tinha dito, Leandro não chegou em mim nenhuma vez. Ele foi um verdadeiro cavalheiro. Ele me deu o seu número, no entanto e me pediu para ligar. Eu poderia, mas apenas como amigos, e nada mais. Ele é gostoso e divertido, mas ele simplesmente não seria uma boa ideia.


Foi legal sair e me divertir e não pensar em minhas aflições com Carrick. Mas agora, eu estou de volta ao hotel, sabendo que Carrick está aqui em algum lugar com Sienna, provavelmente na cama. Ugh. Deus. Então, sim, eu estou de volta a me torturar por pensar nele novamente. Isso nunca terminará? Eu só queria poder jogar meus sentimentos por ele fora, então eu estaria livre de me sentir assim. Eu acho que eu só preciso de uma certa distância, e eu estou esperando que eu vá conseguir isso no Canadá. Claro, Carrick estará lá, mas ele vai estar ocupado treinando. Eu vou ter tempo para arrumar minha cabeça. Petra e eu entramos pelo lobby deserto, dando um aceno insolente para o gerente de recepção da noite conforme ele nos cumprimenta. Deixo escapar um grande bocejo, mais do que pronta para cair na minha cama e puxar um travesseiro sobre a minha cabeça, quando Petra tem uma paralisação súbita. "Andi ..." ela murmura baixo. "Hmm?" "Carrick está ali no bar." Eu levanto os meus olhos para encontrá-lo sentado no bar do hotel, um copo de líquido âmbar na mão, segurando no ar. Seus olhos estão fixados firmemente em mim. Seu cabelo está todo bagunçado, como se tivesse passado sua mão nele a noite toda. Ele ainda está em seu smoking. Bem, sem o paletó, e as mangas da camisa são enrolados, mas ele ainda parece tão bonito como sempre. Mas o que está segurando a minha atenção é sua expressão. Ele parece perdido e irritado e aliviado, tudo ao mesmo tempo. É um inferno de uma combinação.


Sangue vibra em meus ouvidos com o barulho repentino do meu coração, e eu imediatamente me sinto sóbria. "Vai falar com ele," Petra solta. "Por quê?" Ela me dá um olhar. "Porque ele está claramente esperando por você." Minha testa franze em confusão. Eu não vejo o que é tão claro nisso. "Eu duvido muito", murmuro. "Jesus, Andi, você é a pessoa, mais esperta e mais idiota que eu já conheci. Basta ir falar com ele. " Ela me dá um pequeno empurrão na direção dele." Vejo você lá em cima." Deixando-me, ela se dirige para o elevador. Eu tomo uma respiração profunda. Então, com as pernas bambas, eu ando em direção a Carrick. Seus olhos ficar parados em mim o tempo todo, fazendo-me sentir exposta e vulnerável, então eu envolvo meus braços ao redor do meu peito na tentativa de me proteger dele. Conforme eu chego mais perto, eu ouço o som suave dos Arctic Monkeys '"Do I Wanna Know?" tocar. Parando no final do bar, alguns metros de onde Carrick está sentado, eu vejo que a música está vindo do seu telefone, que está no bar em frente a ele, ao lado de uma garrafa meio vazia de Jameson. O bar está vazio, o bar em si parece estar fechado, mas Carrick está sentado aqui, bebendo. Eu acho que você pode fazer o que quiser quando é Carrick Ryan. "Oi," eu digo em voz baixa. Ele silencia a música em seu telefone. "Oi." Ele deixa escapar um longo suspiro. "Então, você teve uma noite boa? " Seu tom é duro e seco, e imediatamente me deixa com o pé atrás.


Por sua vez, isso me faz responder com mais entusiasmo, "Eu tive. Foi brilhante. Eu me diverti muito." Eu vejo uma contração muscular em sua mandíbula. Trazendo o copo aos lábios, ele toma um longo gole. Eu sei que minha resposta o irritou, e em vez de me fazer sentir melhor, só me faz sentir cagada. "Você acabou de voltar?" Eu pergunto, encostada no bar. Eu coloco minha bolsa nele. Colocando meus braços sobre o mármore frio, eu fecho minhas mãos juntas. "Não", ele responde com firmeza. "Eu voltei a algumas horas atrás." "O que você está fazendo aqui sozinho? Você não consegue dormir? " "Tipo isso." Ele esvazia o copo e imediatamente enche de novo. Eu inclino minha cabeça para o lado, estudando-o com cuidado. Carrick gosta bastante de beber, mas eu nunca o vi beber assim antes. Ele vira Jameson como se fosse água. É óbvio que ele está com raiva de alguma coisa, e está ficando bem claro que, que a alguma coisa sou eu. Ele está puto por eu ter saído com Leandro antes. Eu deveria me sentir com raiva dele por agir desta maneira, porque ele não tem o direito de estar com raiva, mas eu não sou. Eu estou apenas triste com isso. Eu odeio que ainda estamos aqui, ainda brigando. Eu só quero que a gente fique bem. "Carrick ... você está bem?" Eu me certifico de manter a minha voz suave e gentil. "Eu só estou puto." OK…


Eu corro a mão pelo meu cabelo e tomo uma respiração calmante. "Olha, eu sei que você está com raiva de mim, e eu suponho que é porque eu fui a essa festa com Leandro. " Olhos de fogo encontram os meus. Eu observo como eles são injetados de sangue, o quão cansado ele parece. "Eu não sei, Andressa. É disso que se trata? Existe algo pelo que eu deveria estar chateado? Por favor, me diga. Porque eu só estou fodidamente morrendo de vontade de ouvir tudo sobre sua noite brilhante com Silva. " Aargh! Raiva explode em mim para níveis catatônicos. Ele está pronto para uma briga desde o momento que eu cheguei aqui. Bem, agora, ele vai ter uma. "Que diabos está errado com você? Você está fazendo birra porque eu fui a uma festa com um dos seus rivais de corrida! É isso?" "Eu não estou fazendo birra. Estou chateado porque eu o avisei- " Ele corta. "Você o quê?" Dou um passo em torno do bar em direção a ele. "Advertiu Leandro sobre mim. Sim, eu sei. Ele me disse." Ele me olha com um olhar furioso. "Silva é um maldito idiota que precisa aprender a ficar de boca fechada." "'Silva é um maldito idiota.". “Deus! Você está se ouvindo? Você soa como uma criança! A única piada por aqui é você! Advertindo-o sobre mim. O que nós somos? Estamos na escola? Você não tinha o direito de fazer isso!” Ele gira seu banco para me encarar, seus pés batendo no chão. Seus olhos estão arregalados e lívidos. "Eu tinha todo o direito! Apenas o mesmo direito que eu tinha quando eu pedi-lhe para não ir a essa festa e transar com ele, mas você foi! Você fez isso para me deixar puto? Porque se você foi, então funcionou porra! ", Ele ruge essa última parte para mim.


Isso me leva um passo para trás, e eu vacilo por um momento. Então, eu returco de volta. "Eu fui porque eu posso! Eu sou livre para fazer o que quiser! Eu não tenho que responder a você! Eu não sou sua! " Eu mal tenho a chance de entender o que está acontecendo antes que ele me ataca. Agarrando-me pela parte de trás da minha cabeça, os dedos entrelaçados no meu cabelo, ele aperta seus lábios nos meus, duro. Há apenas um milésimo de segundo de hesitação antes de beijá-lo de volta. Um gemido de prazer faz o seu caminho até minha garganta enquanto nossas línguas se tocam e depois se enrolam juntas. Eu posso provar o uísque dele, sentir o total desespero de seu beijo, e ele envia-me em espiral, acendendo uma luz dentro de mim que eu não tenho certeza se posso desligar. Ou se eu ainda quero. Mas eu tenho que fazê-lo porque ele está com outra pessoa. Deus, o que estou fazendo? Esta não é quem eu sou. Eu não faço coisas como essa. Eu o empurro, usando toda a minha força. Tropeçando para trás, respirando pesadamente, eu pressiono a parte de trás minha mão nos meus lábios. Eu ainda posso senti-lo lá. "Eu não posso acreditar que você fez isso", eu sussurro, me odiando por deixar isso acontecer ... pelo quanto eu o queria. "Foi necessário fazer. Você precisava ser beijada por mim tanto quanto eu precisava beijá-la. Porra, ainda preciso. " O olhar predatório que seus olhos se acendem me enfurece. "Eu não tenho certeza que sua namorada concordaria," eu devolvo. "Ela não é minha namorada." "Não? Bem, isso não é o que ela diz a quem vai ouvir, e ela está aqui, dormindo em sua cama, então eu diria que ela está tão perto de ser sua namorada como é possível!” Ele aperta os olhos fechados, sua mandíbula apertada com irritação óbvia. "Eu vou dizer isso mais uma porra de vez. Ela não é


minha namorada. " Seus olhos agitam abertos, e ele me fura com seu olhar. "Nunca foi, e qualquer merda que ela era antes, ela não é mais, porque eu acabei." Oh. Isso me leva de volta um passo. "Você terminou? Por quê?" Suspirando, ele olha para o chão. Quando ele olha de volta, eu vejo em seus olhos o mal-estar flagrante neles. "Por causa de você." Meu coração diminui até parar. "Eu?" "Sim... você." A maneira como ele está olhando para mim, a suavidade em seus olhos, está me tocando como uma carícia suave. "Sienna foi um erro por tempo demais, e eu percebi isso hoje à noite no La Rascasse ... quando você disse o que você disse sobre ela estar aqui. " Porra oh! Eu sei onde ele está indo para ir com isso, então eu tento distraí-lo para longe do que ele vai dizer porque eu não posso ir lá com ele agora. "E a Sienna está bem?" Ele levanta uma sobrancelha. Ele sabe que eu não dou a mínima se ela está bem ou não. Mas ainda assim ele responde, "Eu tenho certeza que ela está bem. Não é como se ela realmente desse a mínima para mim. Tudo o que a Sienna queria de mim era o que eu represento, que eu poderia lhe dar visibilidade fora do Reino Unido. Ela é mais chateada de perder isso do que eu. " Como ele pode até dizer isso? Como alguém pode ter Carrick e se recuperar de perdê-lo? Isso não é possível. Eu sei que eu não poderia, daí, a razão de eu me encontrar na posição em que estou. Dou um passo de volta para ele. "Você está bem?"


Seus olhos levantam, segurando a minha. "Não. Mas não pela razão que você está pensando. " "E o que razão eu estou pensando?" Minha voz está nervosa. Assim como minha mente. "Que eu estou aqui em baixo, afogando minhas mágoas por causa de Sienna. Mas você está errada. Eu não dou a mínima para ela. Eu estava apenas usando-a tanto quanto ela estava me usando. " Ele passa a mão pelo cabelo, trazendo para baixo o seu olhar. " Eu fiquei aqui, porque eu precisava vê-la. Eu precisava saber que você voltou, que você não foi com ele para o seu... hotel ". Parece que ele está com dor, e eu a sinto como se fosse em mim mesma. "Você sabe que eu não faria isso", eu digo em voz baixa. Seus olhos levantam, queimando os meus. "Apenas o pensamento dele sequer tocar em você..." Sua mão vai para trás da cabeça, puxando seu cabelo. "Nada aconteceu, Carrick. Nós nos divertimos. Ele me deu seu número e me pediu para ligar, mas é isso." Suas sobrancelhas juntam, mal-estar alinhando em seu rosto. "E... você vai ligar?" "Não." "Por que não?" Eu tomo um outro pequeno passo na direção dele. É como se eu estivesse sendo puxada para ele em um fio invisível. "Porque eu não o quero." A agonia desaparece de seus olhos conforme um calor entra. "Quem você quer, Andressa?" Você. Pânico engole as minhas palavras. "Carrick... eu..."


O ar entre nós é muito grosso, muito, e eu não posso respirar corretamente. Estou tão confusa. Eu sei o que é certo, o que eu deveria dizer, mas eu não consigo encontrar a vontade de fazer o que é certo. Tudo o que eu posso ver é ele. Ele ofusca minha visão, como o vapor em um espelho, e não importa o quanto eu limpo-o embora, ele ainda volta. Estendendo a mão, ele envolve a mão em volta do meu pulso, me puxando para ele, e eu o deixo. Ele pressiona a testa na minha, colocando meu rosto entre as mãos, e eu sinto uma sensação de paz que eu não sentia desde Barcelona. "Logo antes de você deixar o bar com Silva, o que você disse sobre não querer Sienna aqui, eu soube. Então, que eu tinha fodido tudo. " Ele acaricia minha bochecha com o polegar. "Você estava tão indiferente em Barcelona. Quando você estava lá e me disse que era apenas uma coisa de uma vez, eu acreditei em você, e doeu como uma faca. Eu queria que você achasse que eu não me importava, também. Então, eu deixei ela vir aqui porque eu queria que você pensasse que eu tinha superado... mas eu não fiz isso. " Eu não sei por que, mas em vez de me fazer sentir melhor, isso me irrita. "Então, você trouxe outra mulher aqui para me fazer pensar que você não se importa comigo quando você faz. Isso tem alguma porra de lógica, Carrick. " Eu me afasto de seu abraço, mas ele me agarra antes que eu possa ir a qualquer lugar. Me puxando contra ele, me segura com as costas pressionadas contra o peito, um braço unido em torno da minha cintura, o outro pressionado sobre os meus seios. Meu coração está batendo contra minhas costelas. "Eu nunca disse que era a porra de um gênio", ele sibila, seus lábios no meu ouvido. "Você sabe o quão difícil tem sido para mim


estar perto de você e não ser capaz de tocá-la da maneira que eu quero? Tem me deixado louco ". "Então, você fode com a Sienna para que se sinta melhor. Agradável." "Sinto muito. Eu estraguei tudo, e eu sinto muito. Você me rejeitou, e eu ... reagi mal. " Ele descansa sua testa contra a parte de trás da minha cabeça. Eu posso sentir sua respiração soprando através de meu cabelo pelo o meu pescoço, me deixando louca. "Sabe o que eu achava cada vez que eu fodi com ela?" "Não! E eu não quero saber! " Eu suspiro, lágrimas quentes batendo instantaneamente nos meus olhos. Eu tento me soltar, mas sem sucesso. Sua força sobre mim é muito forte. "Você. Pensei em você a cada momento. Eu imaginava que ela era você. E sim, eu sei que merda é isso, mas isso não a torna menos verdadeira. Eu não consigo tirar você da minha cabeça. E você sabe qual é a pior coisa? " Há algo em seu tom, algo tão solene que me faz virar o rosto para o dele, encontrando sua expressão tão grave. Não faz o meu coração torção. "É que você nem esta aqui." Ele bate um dedo na sua cabeça. "A única garota que eu quero, e ela não me quer. " Eu me sinto esmagada. "Carrick, eu quero você. Eu só não posso- " O resto das minhas palavras são tragados por seu beijo. "Não..." ele sussurra contra os meus lábios. "Eu não quero ouvir o “não posso” agora. Eu só quero ouvir “quero”." Ele desliza os dedos em meus cabelos, inclinando a cabeça para trás de modo que eu estou olhando diretamente em seus olhos. "Apenas me diga que você me quer."


Eu o quero. Meu corpo está vibrando com a necessidade que eu sinto por ele. A necessidade que eu sempre senti por ele. A necessidade que eu estou constantemente tentando enterrar. Mas eu não posso enterrá-la hoje à noite. Fecho os olhos e deixo escapar um suspiro. "Eu te quero." Seus lábios pressionam muito duro contra os meus, sua mão agarrando meu cabelo. Viro-me em seus braços, pressionando meus seios contra seu peito, passando os braços em volta do pescoço, conforme ele me devora com o beijo mais intenso que eu já tive. "Eu preciso estar dentro de você", diz ele, ofegante contra a minha boca. Meus olhos abrem para encontrar os seus, e eles são preenchidos com uma possessividade crua, lançando um feitiço sexual sobre mim. E eu deixo isso me assumir. "Sim." A palavra mal sai antes que eu estou andando, sendo puxada através do bar. Abrindo uma porta, ele me puxa para dentro, e eu me encontro em uma escadaria deserta. Tudo acontece muito rapidamente depois disso. A boca de Carrick vai pra cima da minha enquanto ele me empurra para cima contra a porta. Suas mãos estão em todos os lugares, como ele não pudesse tocar o suficiente de mim. E minhas mãos estão praticamente fazendo o mesmo. Eu sou um desespero absoluto. Meu corpo é só desejo, a sensação e o gosto dele, lembrando o quão incrível é tê-lo dentro de mim. Então, minha saia é levantada sobre meus quadris, e as minhas calcinhas são arrancadas com um estalar do elástico. Carrick


mergulha o dedo dentro de mim. Um gemido de prazer sai dos meus lábios conforme a minha cabeça cai para trás contra a porta. Estou perdida, afogada na sensação. "Sempre tão molhada para mim", ele rosna. Encontrando seus olhos, eu agarrar seu pau através de suas calças. "Sempre tão duro pra mim." Ele empurra-se na minha mão. "Desde o momento que eu vi você." Desejo explode através de mim. Inclinando-se, ele suga meu lábio inferior em sua boca, seu dedo se movendo lentamente para dentro e para fora de mim. "Peça que eu te foda, Andressa. " Estou tão desesperada por ele que meu corpo está tremendo, desejo de tê-lo dentro. Eu não me importo se estou na escadaria do hotel. Eu não me importo que alguém possa vir e nos pegar. Eu não me importo que eu não deva estar fazendo isso. Eu não me importo com nada, só em tê-lo dentro de mim, me fazendo sentir da maneira que só ele pode. Como nenhum Ninguém nunca fez antes. Eu belisco o lábio inferior com os dentes, amando a sensação de resposta de seu corpo a mim. "Foda-me, Carrick." Seus olhos selvagens queimam de necessidade. Deslizando o dedo para fora de mim, ele coloca-o na boca e me chupa dele, fazendo-me sentir tonta com o desejo. Segurando meus olhos, ele tira um preservativo do bolso. Ele abre o zíper da calça, empurrando-a para baixo sobre seus quadris, apenas o suficiente para que seu pau fique livre. Ele rasga o preservativo com os dentes e habilmente coloca. Nem uma vez que ele olha para longe dos meus olhos. Em seguida, suas mãos vão sob as minhas coxas, me levantando. Ele abre as minhas pernas e empurra dentro de mim.


"Ah," eu gemo, fechando meus olhos com a sensação dele. Minha cabeça bate contra a porta enquanto ele começa a me foder, cada impulso cada vez mais difícil e mais insistente que o próximo. Movendo os lábios desde o pescoço até a minha boca, ele desesperadamente me beija. "Porra. Eu tive saudade ... de você, tanta ", ele solta, sua respiração misturada com a minha própria. Eu senti falta de você, também. "Deus, Carrick... eu ..." Minha mente e meu corpo estão girando fora de controle, sua pélvis e seu pau batem todos os lugares certos. "Vem pra mim. Eu preciso sentir você apertar em torno de meu pau. Me dê isso." Sua mão se move entre nós, e ele esfrega meu clitóris com os dedos. Então, eu estou amolecendo em seus braços, chegando duro e rapidamente. "Porra ... Andressa", ele geme, pressionando sua testa na minha, segurando meu olhar. Eu sinto seu pau empurrando dentro de mim, seu corpo enrijecendo. E eu vejo com fascinação, beirando obsessão, como as ondas do desejo lavam através de seus belos olhos. O momento é tão intenso que eu sinto como se estivesse caindo. Estou caindo. E então eu desejo poder ficar aqui para sempre. Ficar neste momento com ele e nunca mais sair. Presa a ele... ele... mantê-lo. Eu o quero. Não apenas por um dia. Eu quero que ele por todos os dias. Então, a realidade vem batendo em mim, me bater com a força de um tsunami, e eu percebo o que estou fazendo. Desejando coisas que eu não posso ter.


O choque de volta à terra me deixa sem fôlego, como se meu peito estivesse rachando sob a pressão. Carrick pressiona um beijo suave nos meus lábios, trazendo minha atenção de volta para ele. "Fique comigo." Seus lábios se movem em beijos suaves, por sobre a minha bochecha em direção ao meu ouvido, sua mão enrolada em volta do meu pescoço. "Eu vou pegar um quarto." "Onde? Próximo ao seu com a Sienna? " É uma coisa de merda de dizer, e eu imediatamente me arrependo. Vou para trás, ele me dá um olhar duro, e isso me faz sentir ainda pior do que eu já faço. Eu mal posso encontrar seus olhos. "Eu não posso ficar com você." Eu posso sentir o medo crescente em mim como um monstro, preparando-se para sair do armário. Eu me deixei ser egoísta com Carrick, levando o que eu queria com nenhum pensamento sobre ele ou as consequências. Eu não deveria ter feito isso. Foi errado da minha parte. Eu sei que não posso ficar com ele, mas eu fiz sexo com ele mais uma vez. Eu estou levando adiante. Eu não sou o tipo de pessoa que faz isso. Eu não me envolvo com alguém para quem eu não posso me entregar mesmo que apenas por um curto período de tempo. E eu não posso dar a Carrick qualquer parte do meu tempo. Eu não sou a pessoa certa para ele. Eu não quero magoá-lo, essa é a última coisa que eu jamais iria querer, mas eu não sei mais o que fazer. Deus, eu odeio como sou fraca quando se trata dele. E sabendo de tudo isso, sabendo o quanto eu estraguei tudo com ele, faço minha escalada de pânico para o nível mais alto, e a pior coisa sobre mim quando eu entro em pânico é a pessoa que eu me torno, a pessoa que eu não sou. "Não faça isso, Andressa ..."


Ele tenta segurar minha bochecha, trazer meu rosto de volta ao seu, mas eu faço o que eu faço melhor quando eu não sei como lidar, especialmente com Carrick. Eu o afasto literalmente. Ele se move para trás, deslizando para fora de mim, e eu sinto imensamente sua perda. Quase como se ele estivesse tomando uma parte de mim com ele. Ele puxa as calças, fechando-as. Seus movimentos são ásperos com raiva reprimida. Envergonhada, eu me afasto, puxando minha saia para baixo sobre meus quadris, alisando-a. Eu me curvo, e pego minha calcinha em ruínas do chão, fechando a minha mão em torno delas. "Eu não posso acreditar que você está fazendo isso de novo", ele diz que com a voz tão baixa, tão dura, que eu congelo. Eu levanto os meus olhos para os dele, e eu odeio o que vejo lá. "Eu não estou fazendo nada." Negar é o meu melhor amigo e meu pior inimigo. "Apenas a porra que não." Ele me para com a mão, mexendo seu lábio com desdém. "Você está fazendo exatamente o que você fez em Barcelona, só que eu estou acordado para vê-la desta vez. " Vergonha cai sobre meus olhos. "Sinto muito. Eu só... " Eu hesito, presa nas palavras que estão me rasgando em pedaços. As palavras que vão machucá-lo. "Eu sinto muito...", eu sussurro. "Mas... eu não posso fazer isso com... você." "Não é possível fazer o que exatamente?", Ele fala com raiva. Eu levanto os meus olhos para os dele. Devo-lhe que, pelo menos. "Eu não posso ..." eu puxo uma respiração. "Eu não posso dar-lhe mais do que o que aconteceu ". Ele deixa escapar uma pequena risada dura, mas eu posso ver a dor em seus olhos, e isso está me rasgando em pedaços. "Inacreditável!"


Do nada, um tiro de raiva irrompe através de mim. "O que é que você quer de mim?", Eu choro. Fúria passa através de seus olhos. Ele dá um passo em direção a mim com raiva, me respondendo. "Não está claro já? Eu quero você! " Baixando os olhos, ele deixa escapar uma respiração irregular. "Eu só quero você." Tantos pensamentos e sentimentos me atingem de uma vez pelo medo, exaltação, pânico, desejo, confusão, necessidade. Mas o primordial, o sentimento dominante, como sempre é quando se trata de Carrick, é o medo. Um medo arraigado e escuro. E como sempre, com meu medo vem o pânico, e o pânico está no meu lugar do condutor. "Eu sinto muito..." Meus lábios tremem. "Eu não posso estar com você. Você é apenas ... um risco muito grande para mim. " O olhar em seu rosto. Eu nunca mais quero ver esse olhar em outro ser humano, enquanto eu viver. Ele solta um solene, riso amargo. "Você sabe, eu realmente gostaria de saber o que isso significa." Seus olhos se encontram com os meus, e a angústia que eu vejo neles me esmaga em pedaços. "Desde o momento em que te conheci, Andressa, eu pensei que você fosse forte, talvez a pessoa mais forte que eu já conheci, e eu admirava isso em você." Ele deixa escapar uma respiração partida. "Mas eu percebi uma coisa." Ele se inclina para mim, o rosto perto do meu. Eu puxo uma respiração na escuridão absoluta dos seus olhos, sentindo-o se fechando a minha volta. "Você não é forte. Você é uma covarde. E eu estou cheio. " Me movendo de lado, ele abre a porta, e ele foi embora, deixandome apenas com o retumbante estrondo da porta, uma vez que ecoa na escada e profundamente dentro da minha mente.


Você é uma covarde. Covarde. Ele tem razão. Eu sou. Eu caio de costas contra a parede, sentindo-me como se tivesse levado um tiro. A dor é insuportável. Parece que meu coração está realmente quebrando, quebrando-se de forma implacável, estilhaços dentro do meu peito. É irônico, eu acho, como eu sempre tive muito medo de Carrick, de querer ele, com medo da maneira que eu me sinto sobre ele, e ficando longe por medo de se ter meu coração partido. Mas, como se vê, eu quebrei meu coração, eu mesma. E eu tenho uma sensação que não há como corrigi-lo agora.


19 SPIELBERG, AUSTRÁLIA

QUANDO CARRICK DISSE que ele estava cheio, ele quis dizer isso. Andressa Amaro já não existe para ele. Se ela estiver em uma sala, ele sai. Ela é invisível para ele. Andi, sua mecânico... bem, ela apenas mal existe. Na pista, ele late ordens para ela quando ele tem que fazer e a ignora o resto do tempo. Eu tenho certeza que é óbvio para todos, mas eles não estão dizendo nada, e eu aprecio isso. Eu suponho que seja devido a Petra colocar uma ordem de mordaça sobre eles. Tio John notou Carrick sendo um merda comigo no outro dia, e ficou com a sobrancelha levantada, o que significa que seu questionamento virá em algum momento em breve. Eu não quero que isso aconteça. Eu sei que as pessoas vão tirar suas próprias conclusões a respeito do porque Carrick me odeia. Eles provavelmente vão chegar às conclusões certas. Mas, por enquanto, eu apenas escolho viver no meu estado de negação que está tudo ok quando não poderia estar mais longe disso. Na primeira semana enquanto estávamos no Canadá, Carrick mal ficou por perto, mas quando ele ficou... foi horrível.


A primeira vez que o vi depois daquela noite em Mônaco, ele olhou para mim como se ele me odiasse. Era doloroso. Na verdade, isso é para falar o mínimo. Era insuportável. Eu não tenho ninguém para culpar além de mim mesma, mas isso não faz doer menos. Sinto falta dele com uma dor física. Ele era o melhor amigo que já tive. Que já se foi, e eu não sei como lidar. Mas eu sei, mesmo me sentindo tão mal como eu faço no momento, quão pior teria sido se eu tivesse dado esse passo em frente com Carrick e depois perde-lo no futuro. Eu sei que tomei a decisão certa para ele e para mim. Assim, por agora, eu só estou vivendo em um estado perpétuo de agonia, esperando que as coisas melhorem. Só que... eles não parecem estar ficando melhor. Na verdade, ficou pior, bem, pelo menos para mim. Esta semana passada na Áustria, Carrick ficou com raiva de mim do nada. Era como se dependesse do toque de um botão. Assim, em vez de estar puto comigo o tempo todo, ele só parece indiferente, como se ele não se importasse mais o suficiente para ficar com raiva. Agora, quando ele é forçado a falar comigo, eu não recebo olhares de ódio. Eu recebo olhares apáticos. E eles são de partir o coração. Pelo menos quando ele estava com raiva de mim, eu sabia que era porque uma parte dele ainda se importava, e eu tive isso para me segurar. Mesmo que eu não mereça nada, eu tive isso, e eu me agarrei a isso para sobreviver. Mas agora, que isso se foi, e eu estou apenas deixada vazia, esperando a dor diminuir. Eu não posso te dizer quantas vezes as palavras têm estado na ponta da minha língua, de ficar de pé diante do Tio John, e entregar


meu aviso prévio. Mas o lado sádico e cruel de mim não me deixa, porque eu não posso suportar deixar Carrick. Sim, eu sei a besteira que isso é, mas é o que é, e eu estou preso com ele até que Carrick me mande embora ou eu tenha um colapso nervoso, esse último bastante provável no momento. Se nenhuma dessas coisas acontecerem, então, eu estou condenada a subir no trem da miséria que eu criei até a temporada acabar em cinco meses, e eu então sou obrigada a deixá-lo para trás, a menos que eu decida me torturar mais e voltar para a próxima temporada. Estou triste, patética, e fraca. Eu sei disso. Eu só não consigo mudar quem eu sou ou o que eu sinto no momento. Eu sei que Petra está ficando frustrada comigo sobre essa coisa sobre Carrick e eu. Ela não entende por que eu não fico com ele. Ela está sendo a mesma amiga impressionante, me apoiando, mas eu posso ver isso em seus olhos que ela não entende. Para ela, é simples, você se preocupa com alguém, então você está com essa pessoa. Eu sei que ela tentou me entender e a minha situação, mas ela não pode compreender plenamente a realidade do que eu sinto a menos que ela tenha vivido o que eu vivi. Então, com ela, agora eu finjo que estou bem com tudo isso, que eu já superei. E deixo minhas lágrimas para aqueles momentos sozinha, quando eu estou no chuveiro, e tudo fica um pouco demais para mim para enfrentar.

Quando voltei para o meu quarto naquela noite depois que Carrick e eu transamos, Petra estava acordada, à minha espera. Dei uma olhada para ela e comecei a chorar. Depois que ela me deixou chorar em seu ombro, ela disse que eu deveria dizer a ele, sobre tudo, meu pai, como eu me sinto, e por que eu não vou ficar com ele.


Mas eu não posso. Porque se eu fizer isso, eu sei que ele vai ficar ao meu redor. E seria ótimo por um tempo... mas seria apenas uma questão de tempo antes de acontecer algo na pista enquanto eu o observo na corrida. Eu me desligaria. Eu surtaria e só acabaria me machucando mais do que agora. Eu sei que, a longo prazo, eu não sou forte o suficiente para ficar. Eu sou uma covarde. Como ele disse. Essa é uma das razões porque eu estou onde estou agora. Bem, apenas uma pequena parte da razão, a principal é que eu não posso perder a chance de estar perto dele de novo, e quando digo ele, quero dizer, o meu pai. Ouvi falar de uma exposição de carros antigos aqui, patrocinada por um cara rico, e o carro do meu pai vai estar na exposição com um monte de outros carros de corrida antigos e carros de celebridades mortas. Funcionou bem como uma desculpa para me tirar de ir a um jantar hoje à noite. Tio John me pediu para participar como sua acompanhante, mas eu sei que Carrick estará lá também. Ele não me quer lá, e eu estou tentando tornar as coisas o mais fácil possível para ele. Eu quero saber quem vai ser a acompanhante de Carrick. Não houve mais Sienna. Eu vi que ela vendeu sua história para um dos jornais sobre seu desgosto sobre Carrick jogando-a fora. Mas desde ela, eu devo dizer, eu não tenha ouvido falar dele estar com mais ninguém. Não significa que ele não o tenha. Pela experiência do passado, eu sei que nada mantém Carrick por baixo por muito tempo. Então, aqui estou eu, vagando pelas grandes portas de vidro da exposição. Eu entrego o meu ingresso para a mulher na entrada. Ela me dá um panfleto que detalha o layout do show, e eu entro. Conforme eu entro pela porta principal, eu vejo que a sala já está cheia de pessoas. Um garçom em um terno, de pé ao lado da porta, me entrega uma taça de espumante, que eu pego com gratidão. Um pouco de coragem líquida.


Eu sei que soa um pouco louco para mim estar tão nervosa sobre ver um carro, mas este carro representa e detém a maioria das minhas melhores lembranças com meu pai. Portanto, o pensamento de vê-lo deixa-me sentir um pouco trêmula. Eu não vi o carro dele desde que a minha mãe o vendeu no leilão de caridade, logo antes de deixarmos a Inglaterra para mudar para o Brasil. Eu estava tão zangada com ela no momento. Os outros, eu poderia deixar de ir, mas este, este foi nosso carro. Neste carro, ele a levou para sair em seu primeiro encontro, ele os levou da igreja depois que eles se casaram, ele me levou para o meu primeiro dia da escola. Ele sempre me levou no carro a cada oportunidade que ele tinha, apenas para uma volta. Ele adorava aquele carro. Ele comprou-o como uma sucata e o restaurou. Aquele carro era uma extensão dele, da nossa família, tudo o que ele representava. Levei muito tempo para perceber por que minha mãe tinha se livrado dele. Ter isso teria sido um lembrete constante de tudo o que ela tinha perdido. E depois de me encontrar Carrick e tê-lo em minha vida, mesmo por pouco tempo, eu entendo mais ainda. Olho para o panfleto, olhando para o carro do meu pai. Eu quero ver os outros, mas eu preciso ver o seu primeiro. Está, no centro. Parece ser uma das principais atrações aqui. Eu dobro o panfleto e coloco-o na minha bolsa. Então, eu tomo o espumante. Eu dou meu copo vazio de volta para o garçom, agradecendo-lhe. Eu respiro fundo e sigo para o carro do meu pai. Eu olho para os outros carros conforme eu passo, notando aqueles que eu vou voltar e prestar mais atenção, mas o meu foco está no Jaguar XK120 M Roadster preto que eu posso ver no pódio à frente. Meu coração começa a bater mais rápido com cada passo que dou. Ele não mudou. Parece exatamente o mesmo, e é tão imaculado como sempre. Os tampões das rodas ainda estão pintados de vermelho


brilhante para coincidir com o revestimento interior vermelho e assentos de couro vermelho. Parece que ele não foi tocado desde o dia em que deixou minha família. Conforme eu passo perto dele, eu pressiono minha mão no meu coração batendo. Há um cartaz na frente do pódio, pedindo às pessoas para não tocarem no carro. Em seguida, um outro está ao lado, detalhando a história do carro com o nome certo do meu pai no topo. Ele fala brevemente sobre como ele restaurou o carro e como ele estava até sua morte em 1991. Em seguida, foi comprado em um leilão e manteve-se nesta coleção desde então. Dou um passo mais perto do carro. Eu posso sentir o cheiro da cera fresca proveniente da pintura. Eu rapidamente olho ao redor para ver se alguém está vendo, e então eu toco suavemente meus dedos no carro. A memória da última vez que estive em com ele vem de volta para mim como se fosse ontem. "Vamos lá, papai. Dirige mais rápido!” Eu disse sob o som da brisa chicoteando meu cabelo. "Você está dirigindo como um velho aposentado!" "Eu vou fazer setenta." Ele riu. "Como eu disse, dirigindo como um aposentado. Como pode o piloto número um de corridas do mundo ir assim tão lento? Sério, como você ganha suas corridas? " Eu estava enrolando-o para conseguir o que queria. Eu sabia exatamente como fazer para conseguir o que eu queria. Ele foi tão fácil, meu pai. Ele me lançou um olhar e sorriu. Eu amei o seu sorriso. Havia apenas algo sobre isso que sempre me disse o quanto ele me amava. "Tudo bem." Ele soltou um pequeno xingamento. "Só não diga a sua mãe que eu estava acelerando de novo com você no carro, porque ela vai ficar puta", ele rapidamente corrigiu. "Ela vai me matar”


Eu rio com seu deslize. "Os meus lábios estão selados." Eu fiz uma ação de fechadura na boca e fingi atirar a chave para fora do carro, fazendo-o rir. "Sério, eu só não entendo por que mamãe odeia que você dirija rápido, por que ela se preocupa tanto. É seu trabalho, pelo amor de Deus.” "E é por isso que ela não gosta dele." Eu dei-lhe um olhar engraçado. Ele me lançou um olhar e sorriu. "Ela se preocupa porque ela me ama." "Eu não me preocupo." Ele deu uma risada suave antes de olhar de volta para a estrada. "É diferente para sua mãe. Um dia, quando você for uma mulher adulta e você escolher um homem pra você, de preferência quando eu estiver senil, cego, e surdo, então você vai entender." "Ugh! Deus, pai!” Eu gritei, empurrando-o com o braço, fazendo-o rir em voz alta. "Eu nunca vou ter um namorado”, eu disse a ele irritada, cruzando os braços sobre o peito. "Os meninos são idiotas." Ele olhou para mim de novo, a tensão em sua testa. "Aquele garoto Patrick ainda está te enchendo?" Ugh, Patrick Webber, a maldição da minha existência. Sério, o cara feri-a me o tempo todo. Indo constantemente sobre quão alta eu era, me chamando de magra e dizendo que eu era como um menino apenas porque eu estava em carros. Honestamente, um destes dias, eu ia dar um soco bem dado no seu nariz perfeito. "Nada que eu não possa lidar." Eu dei de ombros. "Bem, se começar a ser demais para suportar, diga-me, e eu vou classificá-lo, ok?" Meu pai segurou meu queixo com o dedo. Eu sorri de volta para ele. "Tudo bem, papai." Ele olhou de volta para a estrada.


"Pai?" "Hmm?" "Eu só... Eu quero que você saiba que eu não me preocupo como mamãe quando você dirige porque eu sei que você é o melhor piloto do mundo todo. Não porque eu não te amo.” Ele olhou para mim por um longo momento. Em seguida, ele se aproximou e colocou o braço em volta do meu ombro, me puxando para ele. Ele beijou o topo da minha cabeça. "Eu sei garota. Eu também te amo. E você está certa. Eu sou o melhor piloto do mundo." Eu podia ouvir o sorriso em sua voz. "Então, nós estamos levantando o bebê para cima à velocidade máxima ou o quê?”, disse ele, me liberando conforme ele se virou para um trecho com a faixa larga da estrada. "Velocidade máxima!" Eu gritei, rindo, colocando meus braços no ar como se estivesse descendo uma montanha-russa. Ele soltou um ronco de riso, pressionando o pé no acelerador. "Grite se você quiser ir mais rápido, Andi.” "Você sabe que você não pode realmente tocar nos carros." Sou sacudida da minha memória ao som da voz de Carrick. Minha mão deslizando no carro, eu giro em torno dele. Conforme eu olho para o rosto dele, meu coração bate descontroladamente. Vejo a testa de preocupação em Carrick, e eu percebo que minhas bochechas estão molhadas de lágrimas. Virando meu rosto, eu rapidamente enxugo com as mãos. "Ei, você está bem?" Sua voz é suave, cuidadosa. Ele dá um passo em minha direção, sua mão estendida, mas então ele para antes de me tocar, como se lembrasse a si mesmo. "Eu estou bem." Eu forço um sorriso brilhante no meu rosto. "Você não parece bem." "Bem eu estou ótima." Eu levanto a minha voz. Eu sei que não parece natural, mas eu não sei o que fazer. Porque eu não vou


explicar-lhe por que eu estava chorando em pé diante do carro de William Wolfe. Eu vejo seus olhos piscarem para o carro do meu pai, e então eles voltam para mim. Eu posso ver sua mente trabalhando. Não ligue os pontos. Não ligue os pontos. "Eu pensei que você estava naquele jantar hoje à noite?" Eu mudo rapidamente de assunto. Ele olha para mim por um longo momento. Felizmente, ele decide deixar pra lá. "Era para eu ir, mas então eu ouvi sobre isso exposto hoje, então eu vim. Enviei meu pai por conta própria." Ele ia com seu pai. O alívio que sinto é extremamente assustador. "Ele ficou bravo?" Ele dá de ombros, provocando um sorriso nos lábios. "Um pouco, mas eu o abandonei para vir a uma exposição de carros, para não ir me divertir, então ele não pode ficar muito bravo. " Ele dá um sorriso insolente que faz meu coração inchar no meu peito. E isso me faz dar um passo atrás. "Bem, eu sinto muito. Eu não sabia que você estava vindo. Se eu soubesse, eu não teria vindo. " Eu sei que isso não é verdade. Eu teria vindo porque eu tinha que ver o carro do meu pai. Eu teria vindo quando eu soubesse que ele não estaria aqui. "Uau", diz ele com um tom incrédulo em sua voz e um olhar magoado no rosto. "Eu sei que estamos em um lugar estranho agora, mas você me odeia tanto assim? " Meus olhos se arregalaram com o choque. "Não. Eu não odeio você. Claro que não. E 'lugar estranho' é colocá-lo suavemente, Carrick. Você dificilmente pode suportar estar na mesma sala que eu. Quando eu disse que não teria vindo, eu quis dizer, por sua causa. Eu sei que é ruim o suficiente você ter que me ver no trabalho."


"Jesus... Andressa." Ele esfrega a testa com os dedos e, em seguida, dá um passo em minha direção. "Isso é. Não... Eu só... fodase ". Seus olhos piscam em série para mim. "Estou realmente muito triste pela forma como eu me comportei recentemente. A maneira que eu tenho tratado você... Eu fui um canalha completo " Eu envolvo meus braços em volta de mim na proteção. "Você não tem nada que se desculpar. Sou eu quem deve se arrepender. " Ele balança a cabeça. "Eu acho que nós dois temos culpa de uma maneira ou de outra recentemente. Eu só ... Eu não sei lidar bem com a rejeição. "Ele passa a mão pelo cabelo, olhando estranho. "Quando eu sou rejeitado, eu ajo como um idiota total. " "Eu sei. Você me disse isso antes. Na China, lembra? " "Sim, e eu agi como um idiota, em seguida, também. Não admira que você não me queira. " Meu rosto cai. "Carrick... eu ..." "Desculpe. Basta fingir que eu não disse isso e me ouvir como o maior perdedor do caralho no planeta. Na verdade, podemos simplesmente esquecer tudo e começar do começo? " "Iniciar a partir do começo?" Minhas sobrancelhas se juntam. "Sim. Pode ser como nós nos conhecemos pela primeira vez. Esqueça tudo o que aconteceu e começamos do zero. " "Oh." Eu não quero esquecer um momento de qualquer coisa com ele. Mesmo as coisas ruins. "Por quê?", Eu pergunto em voz baixa. Ele dá mais um passo mais perto. O espaço entre nós é pequeno agora. Eu posso cheirar sua loção pós-barba... senti-lo. Meu corpo começa a doer com a necessidade. "Porque eu vim a perceber que eu prefiro ter você em minha vida... do que não em nada." Ele solta a respiração, olhando-me com os olhos esperançosos. "Então o que você diz?" Mesmo que doa que ele queira apagar o nosso passado, como se não importasse, eu sei que eu não tenho nenhum direito de me sentir


assim. E eu não posso perder a chance de tê-lo em minha vida novamente. Eu estendo a minha mão para ele. "Oi, eu sou Andi Amaro." Ele olha para a minha mão, um sorriso toca seus olhos. Quando ele pega a minha mão, sinto aquelas faíscas familiares eu sempre sinto quando ele me toca, mas desta vez, eu sinto uma dor tão profunda que ela queima em meus ossos. De alguma forma, eu consigo me segurar. "Carrick Ryan", diz ele. "É bom conhecer você, Andi." "Na verdade, me chame de Andressa." Eu sorrio. "Esse cara que eu conheci, o melhor, sempre insistiu em me chamar pelo meu nome completo ". Leveza cintila em seu olhar. "Soa como um cara inteligente." "Ele é." "Ok, Andressa então." Deslizando sua mão da minha, ele se volta para o carro do meu pai. Vendo-o pela primeira vez, ele solta um assobio baixo. "Uau, o carro de William Wolfe. Eu ouvi sobre isso, mas eu nunca vi isso pessoalmente. Porra deslumbrante. Será que ela ainda funciona? Você sabe?" "Eu penso que não." Eu balanço minha cabeça tristemente. "Eles geralmente tiram os motores fora destes clássicos para mantê-los como novo. " "Pena. Um carro como este deve ser conduzido. " "Não estou certa? É um desperdício sentar-se apenas ao redor, não estar sendo usado. Ele teria odiado isso." Carrick olha para mim, questionando. E eu percebo meu deslize. Merda.


"Quer dizer, eu estou supondo que ele o teria porque nenhum piloto gostaria de ver seu carro deixado, não estar sendo usado, certo? " Eu estou inquieta, então eu cruzo os braços sobre o peito. "Certo." Ele olha de volta para o carro, olhando para ele. "Este é o seu tipo favorito de carro, também, certo? O Jaguar XK120 M Roadster. " Ele lembrou. "Sim", eu digo lentamente. "Hmm", diz ele. Hmm. O que isso significa? Ele está olhando para o carro ainda, e eu estou começando a me sentir um pouco nervosa. Preocupada que talvez ele esteja começando a amarrar as coisas juntas. Então, eu decido que é hora de sair, e realmente, eu deveria deixálo. Eu não quero empurrar isso muito longe, arruinar este mesmo espaço que acabamos de encontrar. Voltando para ele, eu digo: "Então... Eu vou olhar ao redor. Foi ótimo esbarrar em você... e sabe arrumar as coisas.” Eu dou um sorriso. "Eu acho que eu te vejo mais tarde." "Andressa", ele me chama de volta. Meu corpo aperta e anseia chegar perto dele. Quando me viro, ele já está se movendo em direção a mim. "Você..." Ele faz uma pausa, esfregando uma mão sobre seu cabelo. Ele parece nervoso, o que é estranho, porque Carrick nunca fica nervoso. "Você se importaria se eu olhar por aí com você? " Eu prendo minha respiração enquanto meu coração pula na minha garganta. Eu sei que eu disse que eu não queria empurrar as coisas com ele, mas ele pedir para ficar perto de mim agora é um jogo totalmente diferente.


"Claro que não." Eu pressiono meus lábios em um sorriso sincero, ignorando a batida em meu coração com a visão de seu rosto relaxando em um sorrido incrível.


20 BEDFORDSHIRE, INGLAT ERRA

Eu estou no meu apartamento, finalmente em casa. Estamos de volta para o Grande Prêmio da Inglaterra, que começa em poucas semanas. Chegamos na Inglaterra ontem à tarde, e agora tenho cinco dias de folga do trabalho antes de estar de volta para Rybell. Estou pensando em dormir por quatro desses cinco dias. Todas as viagem e voltar tarde da noite e trabalhando ou festejando me esgotou. Eu vi Carrick na noite antes de todos nós voltarmos para casa. Eu estava no bar do hotel sozinha. Petra já tinha saído, e Carrick estava voltando para o hotel. Ele me viu, veio, e sentou-se comigo, e tomamos uma bebida juntos no bar. Eu tive que parar de me lembrar da última vez estivemos juntos em um bar de hotel. Não era uma memória fácil de apagar. Mas isso é o que eu venho tentando fazer, assim como ele pediu. E nós estamos fazendo direito. Eu ainda tenho sentimentos por ele? Sim. Eu ainda quero rasgar suas roupas fora de seu corpo cada vez que o vejo? Absolutamente.


Mas isso não nos leva a lugar nenhum. Então, eu estou focando no fato de que estamos nos falando, e eu estou feliz por tê-lo na minha vida novamente, mesmo que haja uma sensação de estranheza entre nós. Às vezes, é quase como se estivéssemos pisando na água, tentando descobrir um ao outro novamente. E é como ele soubesse que eu estava pensando nele, porque o meu telefone acende com o seu nome. "Oi", eu respondo. "Hey." Seu sotaque irlandês passa por de baixo da linha, fazendo a minha barriga sacudir. "Como vai você?" "Eu estou bem. Você?" "Sim, tudo bem. Olha, eu queria saber se você está livre esta tarde. Eu só ... Eu tenho algo que eu quero mostrar a você. " "Soa ameaçador. Mas, sim, claro, eu estou livre. " "Realmente?" "Por que você parece tão surpreso?" Eu rio. "Eu não sei. Eu pensei que você pudesse estar ocupada ou algo assim. " "A única coisa com que eu estou ocupada com agora é com uma barra de chocolate." "Que chocolate?" "Galaxy, é claro." Eu sorrio. Ele faz um som de gemido, e isso faz eu me arrepiar. "Você quer um momento a sós com minha barra de chocolate? Eu posso colocá-la no telefone, se quiser. Eu tenho FaceTime. " Ele solta uma risada. "Não, eu estou bem." "Então, o que é essa coisa que você quer me mostrar de qualquer maneira?" "Você vai ver."


"Ah, vamos lá! Você não pode me deixar nessa pendência. Apenas me diga. " "Você não vai ficar pendurada por muito tempo. Eu estarei aí para buscá-la em meia hora ". "Então, você vai me dizer quando você me ver." "Não." Ele ri. "Trinta minutos, Amaro. Esteja pronta para ir. " Olho para o meu estado sem banho e de pijamas. "Na verdade, você pode fazê-lo em quarenta? Eu preciso me vestir. " "Por favor, não me diga que você está nua agora." "Não!" Eu coro. "Obrigado porra. Eu teria que dirigir mais rápido se você estivesse. " "Oi?" Eu castigo de brincadeira, gostando que parece estarmos deixando para trás o constrangimento e voltando para nós. "Quarenta minutos e nem um segundo a mais." E então, ele desligou, e eu estou pulando do sofá, correndo para o chuveiro.

Eu estou vestida com jeans skinny e uma camiseta, cabelo solto e quase seco, estou passando brilho nos lábios quando eu ouço a buzina do carro. Indo até a minha janela, eu abro e vejo um Lamborghini vermelho como o pecado estacionado na frente do meu prédio. Carrick põe a cabeça para fora da janela, sorrindo para mim. "Dois minutos." Eu sinalizo para ele.


Correndo em volta do meu apartamento, eu pego a minha jaqueta, bolsa e telefone. Pego a barra de chocolate que eu comprei ontem, enquanto estava pensando em Carrick e enfio na minha bolsa. Eu saio do apartamento, tranco e desço as escadas correndo, saindo do meu prédio. "Belo passeio." Eu assobio enquanto dou a volta no carro, dando uma boa olhada nele. Ela é uma Aventador LP 700-4 Pirelli Edition com um teto preto fosco e capô aberto no motor, para que você possa ver os motores abaixo. Uma listra vermelha fina corre ao longo do teto preto, ligando-a à marca Pirelli. Ela é nova, e não há muitos delas. "Há quanto tempo você tem?" Eu pergunto, deslizando no assento de couro rico. "Não muito." Eu sei que elas foram anunciadas no início do ano, a previsão de entrega era para o verão, mas eu não ficaria surpresa se ele tivesse conseguido a primeira. Ele é Carrick Ryan. Tê-lo dirigindo um carro novo é o sonho de qualquer fabricante, independentemente do nível da marca. "Ela é linda." Eu corro minha mão sobre o painel. "Sim, ela é." Com o tom de sua voz viro a cabeça para ele. Ele está olhando para mim. Não, ele está vidrado olhando para mim. Eu engulo nervosamente e, em seguida, começo a divagar, "Seisponto-cinco litros, motor 12 V, 690 cavalos, com transmissão ISR, suspensão “pushrod”, e tração nas quatro rodas, certo? Aposto que ela anda como um sonho ". Ele está sorrindo para mim, seus olhos se iluminaram todo. "Ela é."


"Ela chega a cem em 2,9 segundos, certo? No máximo a trezentos e cinquenta quilômetros por hora?" "Mmhmm." "Você já a teve na velocidade máxima?" "Não, eu não tive tempo para levá-la para a pista ainda." "Legal. Bem, eu adoraria estar lá quando você o fizer. " Então, eu rapidamente me preocupo que talvez eu tenha ultrapassado meus limites com ele. "Você sabe, se eu estiver por perto ou qualquer coisa assim." "Nós podemos levá-la esta semana, se você quiser?" "Sério?" Sorrio para ele. "Sério." "Sim!" Eu bato palmas junto, e ele ri de mim. "Como você pode ser essa garota legal e ainda com o seu conhecimento fodido de carro?" "Eu sou apenas incrível. O que posso dizer? " Eu dou de ombros, sorrindo. Ele está olhando para mim de novo, e eu estou começando a ficar quente. "Eu trouxe uma coisa", eu anuncio um pouco alto demais, sacudindo-nos de volta para o presente. Eu pego a minha bolsa e puxo uma novíssima barra do Galaxy Crumble com biscoito. "Porra, tem que got-" "Cookies nele? Sim. Você não teve ainda, não comeu? " "Não, e eu estou querendo saber qual a porra do sabor." Seus olhos estão iluminados como uma criança. "Eu já te disse ultimamente o quão incrível você é? " "Não ultimamente," eu digo, lhe entregando.


Ele abre rasgando o papel e quebra um pedaço, colocando-o em sua boca. Em seguida, ele começa a gemer novamente, e eu estou me contorcendo em minha cadeira. Talvez trazer-lhe o chocolate não foi a melhor ideia. Atualmente estou com ciúmes de um barra de chocolate Galaxy. "Porra ... isso é bom. Quer um pouco? ", Ele me oferece com a boca cheia de chocolate. "Não, eu estou bem. Obrigada. Eu não gostaria de privá-lo de nenhum pedaço. " "Desculpe." Ele sorri. "É só que eu e Galaxy temos essa coisa. É muito sério. " "Claramente." Dou-lhe um sorriso maroto e amo o sorriso que eu recebo em troca. "Vamos então", diz ele, colocando o chocolate na console central. "Vamos indo." Coloca o carro no modo dirigir e pisa no acelerador, ele ruge na rua.

BUCKINGHAMSHIRE, INGLATERRA Trinta minutos depois de deixar o meu apartamento, estamos em uma vila tranquila chamada Radclive, e Carrick está saindo da estrada indo para uma ruazinha na frente de um conjunto de portas de metal. Pressionando um botão no volante, as portas se abrem, e, em seguida, nós estamos dirigindo por um longa curva de entrada de


automóveis. No final da entrada há uma grande casa de estilo eduardiano cercado pelo eu só posso imaginar serem acres de terra. "Uau", eu digo, olhando através do para-brisas. "Isso é seu?" "Sim. Esta é a minha casa. " Ele para na frente e salta fora do carro, então eu sigo o exemplo. Estou um pouco nervosa que ele me trouxe para sua casa, perguntando por que eu estou aqui. "Eu vou mostrar-lhe a casa daqui a pouco, mas o que eu trouxe você aqui para ver está na garagem." Eu ando com Carrick para uma dependência, que está localizado do lado da casa. Ele puxa uma pequeno controle remoto do bolso do paletó e abre uma das portas da garagem. Nós vamos para dentro, e eu me encontro em uma garagem ou devo chamá-la de um showroom construído. Estou espantado com o número de carros que ele tem aqui. Deve haver trinta, no mínimo, com abundância de espaço para mais. Eles são em sua maioria carros clássicos com alguns mais modernos. "Uau, Carrick. Isto é incrível. Eu sabia que você colecionava, mas ... wow ... "Este lugar é como o meu sonho se tornando realidade. "Obrigado. Eu tenho cada carro que eu sempre quis, tirando alguns. Mas o que eu queria lhe mostrar é só descer aqui no final. Ele só chegou esta manhã. " Eu ando atrás dele, arrastando meus olhos sobre cada carro que passo, um Mini Cooper clássico, um Dodge Viper... "Aqui está." Viro-me para o som de sua voz, arrastando os olhos do Lamborghini Miura amarelo 1960, eOh meu Deus. Meu coração bate contra meu peito. "É o..." Dou um passo mais perto, minhas mãos tremendo.


"O carro de William Wolfe? Sim." Eu dou a volta nele. "Você comprou?" Eu não posso acreditar que ele fez isso. Por que ele fez isso? Uma parte esperançosa estúpida da minha parte gostaria que fosse por minha causa, que de alguma forma ele percebeu que este carro é importante para mim. "Eu não roubei. Não se preocupe. " Ele sorri, colocando as mãos nos bolsos. "Fiquei incomodado com o que você disse sobre ele parado lá, não sendo usado, e como Wolfe teria querido que fosse dirigido. Então, eu entrei em contato com o proprietário, e eu disse a ele que eu o queria”. "E ele simplesmente disse sim?" "Não de imediato. Precisou de alguma persuasão. " "Tipo muita persuasão?" "Um monte, mais uma entrada VIP de cinco anos para o GrandPrix." "Uau. Persuasão cara. " "Um gota no oceano." Ele dá de ombros, caminhando para a frente do carro. Às vezes, eu esqueço o quanto dinheiro ele tem à sua disposição. Eu chego mais perto do carro, as pontas dos meus dedos tremendo para tocá-lo. "Eu posso?" "Lógico." Estendendo a mão, eu abro a porta. Em seguida, tomar uma respiração profunda, e deslizo para o assento do motorista. Eu estou tentando não agir estranha, mas é difícil. Este é um momento agridoce para mim. Fechando meus olhos, eu coloco minhas mãos no volante, enrolando meus dedos em torno dele.


Eu sinto o movimento do carro. Abrindo meus olhos, eu vejo Carrick sentado no banco do passageiro ao meu lado. "Você está feliz que eu comprei?" Além de feliz. Lágrimas estão batendo atrás dos meus olhos. Eu luto com elas. Puxando meus lábios em um sorriso, eu digo: "Claro, eu estou feliz por você, e feliz que este carro não vai estar parado aí como um ornamento a mais.” Ele está olhando para mim, quase como se ele estivesse pesando algo. "Bom, porque eu preciso de sua ajuda para tê-lo funcionando. Se você quiser, claro? " Se eu quero? O céu é azul? "Sério?" Eu me sinto de repente sem fôlego. "Sim. Mas vai ser um grande trabalho. Reequipamento total já que ele está vazio. Se você estiver a fim? " "Eu estou muito a fim." Eu sorrio tão grande que quase divide meu rosto. Carrick retorna meu sorriso. "Eu vou te pagar por isso, é claro." Huh? Encaro-o como se ele tivesse perdido a cabeça. "Eu não quero que você me pague." "Andressa, este é um trabalho grande. Eu não vou deixar você fazer o trabalho de graça. " "Eu acho que você não entendeu." Ele realmente não o faz, e parte de mim deseja que ele o fizesse neste momento. Deus, eu venderia minha alma para ser capaz de ter este carro de volta na estrada. E com Carrick conduzindo-o, eu daria tudo. Mas eu disfarço. "Trabalhar em um carro como este é divertido para mim, como um dia no spa para as outras garotas."


Ele balança a cabeça, rindo. "Andressa, você é como nenhuma menina que eu já conheci." Eu inclino minha cabeça para o lado, franzindo os olhos para cima. "Coisa boa ou coisa ruim?" "A melhor coisa." Sua voz é profunda cheia significado. Meus olhos param nos seus e seguram. O ar crepita entre nós, e de repente eu sinto tudo. Batidas de sangue em meus ouvidos, meu pulso acelerado. Memórias dele e eu juntos... ele dentro de mim... estão piscando na minha mente, me fazendo quente, fazendo-me necessitada. Carrick olha para longe, quebrando o momento. Ele limpa a garganta. Eu preciso dizer algo para nos colocar de volta onde estávamos. Eu não posso estragar as coisas com ele novamente, não quando eu acabei de te-lo de volta. "Então, não vamos mais falar de dinheiro. Eu estou fazendo isso porque eu quero. " Ele vira seus olhos para mim. "Se é isso que você quer." "É." Eu sorrio ligeiramente, curvando minhas mãos para trás em torno da roda, conforme eu solto. "Então, quando nós começamos? " "Agora, se você quiser?" Ele abre a porta e sai do carro. "Você pode me ajudar a elaborar uma lista do que vamos precisar. Vou faço o pedido, e depois vamos a partir daí. " Vou para fora do carro, e digo: "Vamos começar."


21 BUCKINGHAMSHIRE, INGLATERRA

Eu tenho trabalhado no carro do meu pai com Carrick sem parar durante os últimos quatro dias. Eu mal tenho estado em casa. Tem sido incrível, fazer isso com Carrick, restaurar o carro do meu pai de volta à vida. Mesmo que tenha sido incrível, tem sido difícil, também, e não só porque eu estou trabalhando no carro do meu pai. Apesar de ter sido emocionante para mim, eu tenho mantido esses sentimentos enterrados. Eu só estou rezando para que eu não vá explodir em lágrimas quando ouvir o motor em funcionamento pela primeira vez. Tem sido também difícil estar em torno de Carrick. Eu sou como um copo esperando para transbordar. Minhas mãos estão coçando permanentemente para tocá-lo, e a tensão sexual construindo dentro de mim está no ponto em que eu tenho certeza que estou prestes a entrar em combustão espontânea. Mas não é apenas a tensão sexual que está me deixando louca. É como me sinto sobre ele. Isso é o que está mais me rasgando. Estar com Carrick tão intensamente nestes últimos dias trouxe tudo de volta, tudo o que eu tenho lutado para se esconder. Meus sentimentos por ele têm crescido. Eles são mais insistentes e maiores, mais difíceis de ignorar.


Foi um pouco mais fácil fingir que eu não o queria, que eu não estava totalmente louca por ele, quando estávamos viajando com a equipe ou quando ele estava com raiva de mim ou quando estávamos com dedos um com o outro, tentando construir uma ponte de volta para amizade. Mas isso, de estar perto dele o tempo todo em estreita proximidade... isso está chegando ao ponto de ser insuportável. E em vez de estar aliviada de que estamos quase chegando ao fim do trabalho no carro do meu pai bem, carro de Carrick, para que eu possa colocar certa distância entre nós, eu acho que eu quero levar mais tempo, para que eu possa estar perto dele, daí, a razão que me levou duas horas e meia para arrumar o motor do limpador de parabrisa. Duas horas e meia ferradas para fazer um trabalho que deveria ter me levado uma hora no máximo. Eu só... Eu não quero que esse tempo termine. Eu quero estar perto dele o tempo todo. Eu quero ele. Eu só gostaria de saber uma maneira que eu poderia tê-lo. Mas todo o meu querer é infrutífero. Carrick já ultrapassou tudo isso agora. Ele está além de mim. Eu posso dizer isso... senti-lo pela maneira como ele é comigo. Ele mostra em sua linguagem corporal. Não há mais toques acidentais. Ele mantém-se a uma distância amigável de mim. Tirando aquele momento rápido no carro no outro dia, ele não mostrou nenhuma indicação de se sentir da maneira como ele costumava sobre mim. Ele é afável, e nós temos nossas brincadeiras de costume, mas aquele sentimento eu sempre tive dele, aquele que me dizia que ele me via com olhos diferentes, agora desapareceu. Eu sei que ele me vê como uma amiga. Eu sei que era o que eu queria, quando eu estava dizendo a mim mesma que eu precisava que


ele parasse de me querer, para que eu pudesse parar de querê-lo. Mas agora que ele o fez, eu odeio isso. Dói como uma faca. E agora tudo o que eu quero é que ele me veja da maneira como ele costumava fazer. Olhe para mim do jeito que ele costumava fazer. Eu quero que ele me queira como ele fazia antes... como eu agora quero ele. E dói além da conta que ele já não o faz. "Como está indo?" A voz de Carrick vem atrás de mim. Ele me abala, para meus pensamentos e meu cantarolar junto à música que está tocando no rádio. Eu dou outra volta, apertando uma última vez o parafuso. "Sim, tudo feito." Virando, eu o vejo segurando dois cafés em suas mãos. Dou-lhe um sorriso de agradecimento. Eu coloco a chave de fenda de volta na caixa de ferramentas e limpo minhas mãos sujas em um pano. Depois de jogá-lo no bancada, eu pego o café dele. "Obrigada." Ele se inclina para trás contra a bancada. "Então... estamos quase feitos." Meus lábios viram para baixo nos cantos, então eu tomo um gole do meu café, cobrindo-os. "Sim, quase feito. Falta só o motor de arranque, e nós vamos ter terminado ". "Vai ser entregue amanhã. Eu sei que você vai estar de volta ao trabalho então... eu posso dar um jeito de terminar, se você quiser? " "Ah é? Certo, certo. " Eu tento esconder a minha decepção com um sorriso. Carrick está me observando. Abaixando o olhar, ele toma um gole do café. Segurando o copo contra o seu peito, ele diz: "Você virá amanhã depois de terminar o trabalho? Eu queria liga-lo amanhã. Pensei que poderia levá-la junto." Isso me ilumina. "Certo. Vou tentar sair mais cedo, e venho direto para cá."


"Legal". Ele sorri para mim e toma mais um gole do seu café. O ar fica tenso entre nós, e eu não estou realmente certa por que. Talvez eu esteja fazendo isso porque estou me sentindo triste com o pensamento de que meu tempo aqui com ele está chegando ao fim. Acabo de tomar outro gole de café quando começa "Dangerous" do David Guetta pelos alto-falantes. Esta música estava tocando na garagem na primeira vez que encontrei Carrick. Eu sinto uma energia súbita no lugar. Como eletricidade pura. Eu levanto os meus olhos para Carrick e descubro que ele já está olhando para mim. Há algo profundo e intenso em seus olhos, e isso faz meu estômago virar e meus joelhos enfraquecem. "Essa música... ela estava tocando a primeira vez que nos encontramos." Sua voz é baixa com significado. E é como se ele acabasse de ler a minha mente. Eu não posso acreditar que ele se lembra. "Você... lembra?" Minhas palavras saem em um sussurro ofegante. "Lembro-me de tudo." Respirando, eu baixo meus olhos. Eu sinto que estou explodindo com todo sentimento único que tenho por ele. Os sentimentos que eu tive desde o momento em que eu virei minha cabeça e o vi de pé lá na garagem da Rybell. Os sentimentos que só têm crescido desde então. Crescendo e mudando para algo tão grande que eu não posso mais ver antes deles. Tudo o que eu posso ver agora é ele. Eu levanto os meus olhos, e encontro com os de Carrick. O olhar lá quase me deixa de joelhos. Eu começo a tremer, até meus ossos.


Sem dizer nada, ele coloca o seu café na bancada e lentamente caminha para mim, não tirando os olhos dos meus. Eu estou paralisada. E mesmo se eu não estivesse eu não iria me mover. Eu preciso dele perto de mim agora mais do que preciso de ar. Tomando o copo da minha mão, ele o coloca ao lado. Então, levantando uma mão, ele tira uma mecha de cabelo do meu rosto. Eu inspiro em uma respiração. Meu corpo desencadeia a vida sob seu toque. "O que você está fazendo?" Minha voz treme. "Tomando o que eu quero... o que é meu." Ele segura meu rosto com a mão, correndo a ponta de seu polegar sobre meu lábio inferior, enviando um arrepio através de mim. "Eu não posso mais fazer isso, Andressa. Eu pensei que eu poderia lidar com apenas ser seu amigo, mas eu não posso. Eu estou cansado de fingir, fingir que eu não sinto o que eu sinto por você. Eu quero você, e isso não vai embora. E eu sei que você sente o mesmo. Eu posso ver isso em seus olhos... senti-lo em seu corpo. " Ele passa a mão para baixo na curva da minha cintura. "Estou farto de ignorar o inevitável." Ele dá um beijo no canto dos meus lábios, e eu suspiro. "Você é minha. Você tem sido minha desde o momento em que te vi. E eu sou definitivamente seu. Então eu estou aqui, dizendo a você que eu quero você hoje e todos os dias depois. Estou tão além da porra de louco por você que eu estou ficando louco de não estar com você. Então, o que quer que seja que a esteja impedindo de ficar comigo, já que nós dois sabemos que você me quer, então apenas combata isso, gata, porque eu não posso ficar sem você por mais nenhum momento. " "Eu..." Minha mente está girando, minha boca seca. Meu corpo e coração estão gritando por ele, mas minha lógica está tentando lutar contra isso.


Mas suas palavras estão penetrando minha parede já em ruínas. O modo que eu me sinto sobre ele nunca vai mudar, não importa o quão duro eu queira lutar contra isso. Então, tudo de repente parece tão fácil. Eu tenho que tentar isso com ele. Se eu não o fizer, eu vou me arrepender pelo resto da minha vida. Olhando em seus olhos, eu pressiono minha mão em seu peito. Eu amo o jeito que seus olhos se fecham sobre a sensação de eu tocá-lo. A batida do seu coração é tão forte contra a minha mão. "Eu quero você", eu sussurro. Ele abre os olhos e vejo algo profundo em movimento dentro deles. "Você quer foder comigo? Ou você quer ficar comigo? Porque eu não posso fazer um sem o outro. Eu não posso continuar transando com você e, em seguida, perder você, Andressa. Eu preciso de você. Você toda." "Eu preciso de você também. Eu não quero continuar fugindo mais. " É só então que eu percebo que eu estou chorando. Com emoção, Carrick observa a lágrima rolar no meu rosto. Ele a limpa com a seu polegar. Eu posso sentir seu corpo tremendo debaixo da minha mão. E é neste momento que eu entender o quão profundo ele sente por mim, e eu quero que ele saiba que eu sinto o mesmo. "Eu sou louca por você", eu sussurro. "Eu quero estar com você... você todo... se você me quiser?" Minhas palavras têm algum efeito sobre ele. A próxima coisa que eu sei, ele está me beijando e me dizendo: "Deus, você é tudo que eu quero porra. Tudo o que eu sempre quis.” Eu caio em seu beijo, pressionando meu corpo contra o dele, passando os braços em volta do pescoço. Ele me aperta, devorando minha boca, como se ele nunca quisesse me deixar ir.


E eu não quero nunca mais deixá-lo ir, mas há coisas que eu preciso lhe dizer... meus medos, por isso que eu sou do jeito que eu sou. Eu preciso dizer a ele sobre o meu pai, então ele vai saber perfeitamente no que ele está se metendo comigo. "Carrick, espere..." Eu ofego sobre seu lábios. "Antes de fazermos isso, existem algumas coisas que eu preciso lhe dizer" "Não", ele rosna contra a minha boca, parando minhas palavras. "Não vamos falar mais. Podemos falar mais tarde, mas agora, eu só preciso estar dentro de você. Isso não pode esperar." Como eu vou discutir com isso. "Ok", eu sussurro. "OK." Então, nós estamos beijando um ao outro, forte e desesperado, como duas pessoas morrendo de fome. Eu acho que nós estivemos com fome um do outro. Carrick começa a tirar as minhas roupas, abrindo o resto do meu macacão com toda a impaciência. Empurrando-o para baixo das minhas pernas, eu tiro meus sapatos e chuto o macacão fora, me deixando de shorts jeans e blusa. Eu tiro a roupa de Carrick com a mesma ferocidade, puxando seu macacão fora. Ele chuta os sapatos e, em seguida, puxa o macacão fora das suas pernas com uma impaciência que me faz sorrir. Minhas mãos vão para seus jeans. Ao mesmo tempo exato que suas mãos vão para o meu shorts, desabotoando-o, e em seguida, ele se foi, chicoteado pelas minhas pernas. Todo o tempo, nós dois estamos nos beijando desesperadamente - bocas, bochechas, pescoço, ombros, em qualquer lugar que pudermos. Então, ele me levanta, gira comigo, e me coloca na bancada. Ele puxa minha blusa por cima da minha cabeça. Colocando meu peito por cima do meu sutiã, ele esfrega os polegares sobre os meus mamilos já duros, e eu suspiro. "Você está molhada para mim, Andressa?"


Mordendo meu lábio, eu olho em seus olhos. "Sim." Alcançando atrás de mim, ele abre meu sutiã. Tira e joga no chão. Segurando meus seios em suas mãos, ele espreme, ele mergulha sua cabeça, tomando um mamilo na boca. "Sim." Minha cabeça cai para trás em um gemido urgente e desesperado. Minhas mãos sobem à sua cabeça, segurando-o para mim, conforme ele começa a lamber e chupar o meu mamilo, delicadamente amassando o outro seio com a mão. Então, ele está beijando seu caminho do meu peito, de volta à minha boca. Ele pega um punhado de meu cabelo e começa a beijarme com força. Há uma vontade quase irritada com a forma como ele está tomando minha boca. Isso é muito excitante, saber o quão desesperado ele está por mim. Depois morde meu lábio inferior, e lambe a mordida. Suas mãos que agarram as minhas costas, os dedos cravando minha pele, ele me puxa contra ele, sua ereção pressionando em mim, me fazendo ainda mais desesperada para ele. "Eu preciso foder você agora, e vai ser forte, gata, porque eu já passei tempo demais sem você. Mas logo depois, eu vou levá-la até minha cama, e então eu vou fazer com calma com você. OK?" Hum ... como vou dizer não. Deslizando a mão entre nós, eu agarrar seu pau através de seus shorts, dando-lhe um aperto firme. "Foda-me agora. Eu quero você, forte ". Seus olhos acendem como se um fósforo tivesse sido riscado atrás deles. Ele arranca a camiseta. Então, segurando no cós de seus shorts, ele empurra-o para baixo sobre seus quadris, deixando-o cair no chão. Meus olhos vão famintos para seu pau. Eu mordo meu lábio em antecipação.


"Continue olhando para mim assim, e isso vai acabar em segundos." Sorrindo, eu levanto os meus olhos para o seu rosto. "Eu não me importo quanto tempo temos. Eu só me importo que você esteja dentro de mim, de preferência nos próximos três segundos ". Ele arranca minha calcinha fora. Então, ele está de volta entre as minhas pernas, seu pau pressionado contra a minha umidade. "Jesus, você é boa pra caralho", ele rosna, pegando a minha boca novamente. O beijo começa suave, mas nós dois estamos tão desesperados para ter um o outro que logo voltamos para a força. Meus dedos estão cravando em sua bunda, tentando trazê-lo impossivelmente mais perto. Carrick tem uma mão no meu peito, a outra fazendo o seu caminho para baixo. Seu polegar pressiona o meu clitóris conforme ele empurra o dedo dentro de mim, e ele aperta meu mamilo com a outra mão. Uma carga tão forte incendeia através de mim que eu acho que eu poderia vir agora mesmo. "Deus! Eu preciso de você dentro de mim! " Eu grito. Com toda essa necessidade, ele tira o dedo de mim. Então, eu vejo algo cintilando em seu rosto que parece estar surgindo. "Foda-se!", Ele solta. "Eu quero muito." Ele olha para mim, e eu sorrio. Tocando a mão no meu rosto, ele diz, "Eu não tenho um preservativo aqui. Eles estão na minha carteira, que está na casa, no balcão da cozinha ". Oh. Ele me olha para uma resposta. "Você... quer que eu vá buscá-lo?" Eu sei o que ele está pedindo. E o que eu sei é que eu não quero que ele saia agora. Nem mesmo por um segundo. Nós poderíamos ir


para a casa dele juntos e pegar um preservativo, mas eu não quero esperar. Eu quero ele dentro de mim agora. Talvez eu esteja sendo imprudente, mas eu não me importo. "Você quer ir buscá-lo?", Pergunto baixinho. Algo possessivo entra em seu olhar. Segurando meu olhar, ele balança a cabeça. "Eu só quero estar dentro de você." "Estou tomando pílula," Eu digo suavemente. Ele desliza a mão no meu cabelo. Puxando o elástico para fora, ele desliza os dedos no meu cabelo. "Eu estou limpo, gata. Eu tenho verificado, e não houve ninguém além de você desde a última vez que fizemos sexo. " Eu fico quente e vermelha com a lembrança dele me levando contra a porta da escada no hotel. "Eu também. Não houve ninguém além de você. " Tomando minha mão, ele pressiona-o contra o peito. "Baby, todas essas coisas no passado, os erros que eu fiz" "Não..." Meus olhos olham nos seus, a minha mente indo para coisas que eu não quero pensar. Ele pega meu rosto em suas mãos, forçando os meus olhos para os dele. "Sempre foi você. A partir do momento que eu vi você, foi você, Andressa. " "Leve-me", eu sussurro. "Me faça sua." Tirando a mão do meu rosto, ele pega seu pau na mão e esfrega contra a minha entrada. Meu corpo começa a implorar por ele, meus quadris vão para frente. Ele lentamente começa a empurrar, e eu suspiro com a sensação nua quente dele e com o olhar escuro e possessivo em seus olhos. Eu observo conforme seu rosto se contrai, o aperto da sua mandíbula, enquanto ele empurra todo o caminho dentro de mim.


"Andressa... Jesus, você é fenomenal." Seus quadris pressionam contra mim, e ele pega meu rosto em suas mãos novamente. "Você é minha, baby, e você sempre vai ser." "Sim", eu respiro. Ele me beija apaixonadamente, profundamente. Eu enrolo minhas pernas em volta de seus quadris, cavando minhas unhas apertando por trás, implorando para ele se mover, e ele o faz. Carrick me fode lá na sua bancada de trabalho, duro e desesperado. Agarrados um ao outro, devorando o corpo um do outro, nós fazemos o que nós precisamos. E logo eu estou vindo, desfalecendo. "Foda-se...", ele geme antes de morder com força o meu ombro. "Foda-se, querida, eu estou vindo." Eu sinto a ponta do seu pau empurrando dentro de mim conforme ele vem, cobrindo minhas entranhas com seu gozo. Uau. Sexo quente em uma garagem com Carrick. Nós definitivamente temos que fazer isso de novo, e logo. Sua cabeça está no meu ombro, sua respiração pesada. Eu corro minhas mãos por suas costas e em seu cabelo. Ele levanta a cabeça, e eu vejo o brilho de desconforto nos olhos. Eu sei o que ele está pensando. Ele está preocupado que eu vá embora de novo. Isso me faz me odiar por ter feito isso com ele nos momentos anteriores. Agarrar seus pensamentos, eu trago sua cabeça para a minha, e eu o beijo forte desesperada. Eu derramo tudo o que eu sinto por ele nesse beijo, segurando-o como se minha vida dependesse disso. Porque de certa forma, ela o faz. "Eu sou sua, Carrick," eu sussurro contra seus lábios. "Eu sou sua, e eu vou ficar, se você quiser que eu fique."


Inclinando a cabeça para trás, ele olha para mim. "Você não vai a lugar nenhum, porque eu não estou nem de longe satisfeito de ter você, e eu acho que nunca vou estar. " Suas palavras me balançam no ventre. Com as mãos nas minhas costas, ele me tira da bancada e começa a se mover através da garagem, seu pau ainda aninhado em segurança dentro de mim. "Onde você está me levando?" "Para o chuveiro e, em seguida, cama, para que eu possa te foder novamente. E, desta vez, eu vou saborear você, aproveitar meu tempo." Uau. OK. Eu estou dentro com isso. É somente então eu percebo o que isso significa. Para chegar à sua cama, temos que ir para fora. Oh meu Deus, ele está me levando para fora, e eu estou nua, assim como ele, e seu pau semi-ereto ainda está dentro de mim! "Carrick! Não! Nós não podemos ir lá fora. Estamos nus! " "E daí?" Ele sorri. "Eu vivo a quilômetros de alguém. Estamos sozinhos, baby. Não se preocupe. " Ele pressiona um doce beijo nos meus lábios. Em seguida, empurrando a porta aberta, ele sai para o ar morno da tarde, e eu sinto a brisa leve tocando minha pele. Chiando, eu envolvo meus braços em volta do seu pescoço, enterrando meu rosto nele. "Eu não posso acreditar que você está fazendo isso!" Ele abafa uma risada. "Acredite, e acostume-se com isso. Porque eu vou te comer muito, em qualquer momento que eu imaginar necessidade, não importa onde estivermos ". Ele dá um tapa na minha bunda, fazendo-me ofegar. Então, eu mordo a pele em seu pescoço com meus dentes, recebendo uma risada profunda, que vibra sobre mim.


Ele atravessa a grama e faz o caminho até a porta, que nos leva para a cozinha. No momento em que estamos dentro, eu respiro um suspiro de alívio. Carregando-me da casa, ele nos leva lá em cima. Eu estive dentro de casa de Carrick muitas vezes semana passada, mas eu não fui lá em cima ainda. Ele caminha por uma porta aberta. Em seu quarto, eu dou uma rápida olhada antes dele nos levar para seu banheiro, e vejo uma cama grande deliciosa no centro de um quarto muito masculino. Ele abre a porta de seu chuveiro. Liga-o, e um jato frio me bate, me fazendo gritar. Me afastando para longe da água fria, ele se vira, pressionando as costas contra os azulejos frios. "Vai estar quente em um segundo ". Em seguida, ele pega a minha boca, me beijando, e eu estou de repente já sentindo muito quente. Eu sinto a ponta do seu pau endurecer dentro de mim. "Outra vez?" Eu pisco para ele. "Sempre". Então, ele está se mexendo, levando-me contra a parede de seu chuveiro, me fodendo forte, e é incrível e intenso. Ele me faz gozar e vem comigo. "O que você está fazendo comigo?" Ele fala ofegante, seus olhos olhando para os meus com admiração. Eu toco seu rosto com a mão. "Exatamente o que você está fazendo comigo", eu sussurro. Ele pressiona a testa na minha, e fechando os olhos, ele deixa escapar um gemido. "Era para eu usar meu tempo com você quando eu tivesse você aqui em cima. Você está me transformando em um animal. "


Deixo escapar uma risada suave. "Eu gosto que você seja um animal comigo. E há tempo de sobra para ir devagar. " Ele abre os olhos. "Sim, verdade. Todo o tempo do mundo. " Ele me beija e me coloca de pé, finalmente me deixando ir. Entro debaixo do jato, ele vem comigo, e nós tomamos banho juntos. Eu lavo o corpo de Carrick. E ele lava o meu. Então, ele me observa enquanto eu lavo meu cabelo usando seu xampu. Ele está ali de pé, inclinando-se contra os azulejos, seu corpo brilhando com gotas de água, conforme eu tiro o xampu do meu cabelo. "Que foi?" Eu sorrio timidamente, torcendo meu cabelo. "Nada. Estou feliz que você está aqui... que estamos aqui. " Isso traz um sorriso aos meus lábios. "Sim eu também." Fechando o chuveiro, Carrick pega a minha mão e me tira do box. Entrega-me uma toalha e pega da prateleira uma para si mesmo, envolvendo-a em torno de sua cintura. Depois de espremer a água do meu cabelo com a toalha, eu a envolvo em volta do meu corpo, eu fico olhando para ele por um momento. Pele dourada úmida, cabelo molhado, por Deus, ele é lindo. E ele é todo meu. "Que foi?" Ele sorri. "Apenas admirando seu corpo quente." Eu sorrio. "Admire tudo que você quiser." Ele deixa cair a toalha e, em seguida, puxa meu corpo. Ele me pega, me fazendo gritar. Tenho notado que ele gosta muito de me carregar, e eu não tenho absolutamente nenhum problema com isso. Ele puxa o edredom da sua cama e me coloca no colchão firme. Ele sobe ao meu lado. Me puxando para ele, entrelaçando as pernas com as minhas, seu braço em volta da minha cintura, ele pressiona seu rosto em meu pescoço e beija ali.


"Fique hoje à noite?" Seus lábios raspam sobre a minha pele. Eu coloco minha cabeça para trás, para que eu possa olhar para o rosto dele. "Como você se você pudesse me impedir." Eu sorrio. Isso o faz sorrir, e ele se aconchega mais perto. "Eu vou alimentála em breve. Eu só quero ficar aqui e prendê-la um pouco. " "Isso funciona para mim, porque eu quero ser presa por você." Ficamos deitados satisfeitos em silêncio, meus dedos acariciando suas costas fazendo nossos nomes, e não passa muito tempo, quando eu ouço que a respiração de Carrick começa a nivelar. Ele deve estar cansado de todo o sexo. Então, sentindo-me a mais tranquila que eu já estive há muito tempo, eu deixei meus olhos fecharem à deriva.

Quando eu acordo, está escuro lá fora, uma luz baixa no quarto. Conforme eu viro a minha cabeça, vejo Carrick já acordado, com a cabeça no travesseiro ao meu lado, me observando. "Hey." Eu sorrio, esticando os braços para cima. "Há quanto tempo você está acordado?" "Um tempo." "Você deveria ter me acordado." "Você estava cansada." Então eu noto o desconforto em seus olhos. "Carrick ... está tudo bem?" Há um ligeiro tremor na minha voz. "Está tudo bem." Ele coloca o meu cabelo atrás da minha orelha. "Você ainda está aqui, então está tudo bem." Você ainda está aqui.


Ainda. Ele pensou que eu fosse sair. Mesmo depois do que eu disse na garagem, ele ainda achou que eu ia deixá-lo. E eu não tenho ninguém para culpar além de mim mesma por ele pensar isso. O que ele precisa de mim agora é garantia, e eu vou darlhe isso. Virando o meu corpo para o seu, eu descanso minha mão contra seu peito. "Você pensou que eu iria acordar e sair?" Ele dá de ombros com a luz nos seus ombros, mas eu vejo isso cintilar através de seus olhos. "Eu não vou sair. E eu sinto muito por todas as coisas estúpidas que eu fiz no passado, te afastando depois que fizemos sexo, fugindo de você e tudo isso." Inclinando-me, eu suavemente beijo sua boca. "Eu estou aqui, e estou não vou a lugar nenhum. " Ele me puxa para perto, enganchando minha perna sobre o seu quadril, pressionando sua testa na minha. "Eu estou sendo um porra de um estúpido. Eu sei. Eu só não quero acordar e você ter ido embora. Então, eu estava com medo que você fosse acordar e perceber que você cometeu um erro e saiu." "Você não está sendo estúpido. Eu dei-lhe todas as razões para pensar dessa maneira, e eu sinto muito. Eu não posso mudar o passado. Mas posso prometer que eu vou falar com você, explicar tudo o que eu estou sentindo, porque eu me comporto como eu faço." "Você quer dizer surta?" Deixo escapar uma pequena risada triste. "Sim, surto." Virando, eu coloco minha cabeça no travesseiro, para que eu possa olhar para ele. "Há algo que eu preciso te dizer sobre mim." "Ok." Ele me dá um olhar cauteloso. "Não é nada de ruim sobre nós." Agora que eu estou a ponto de dizer isso, parece que eu vou falar algo enorme. "Não é crucial para


qualquer coisa. É apenas algo que eu não disse a você, e você deve saber. Eu quero dizer, eu não disse a ninguém aqui, bem, além de Petra. Ela sabe e tio John sabe, mas ele é porque sempre soube- " Sua mão toca o meu braço. "Andressa, está tudo bem. Você pode me dizer." Respiro profundamente. Uma. Duas. Três vezes. "Meu pai é William Wolfe." Eu espero que ele pareça surpreso, mas ele não o faz. Olhando fixamente para mim, ele acena com a cabeça uma vez. "Sim, eu sei." "Você sabe?" o ar para em meus pulmões conforme minhas sobrancelhas se reúnem. "Como você sabe?" Suas bochechas ficam um pouco vermelhas, e ele morde o lábio. Se eu não estivesse tão perturbada agora, eu morderia seu lábio, também, porque ele parece tão sexy assim. Ele solta um suspiro antes de falar: "Quando eu vi você lá naquela exibição de carros, olhando para o seu carro, e você estava chorando, eu só então soube que havia algo, e isso estava afastando a porra de você de mim. Eu sabia que o carro era importante para você. Eu só não sabia o porquê, e é por isso que eu comprei." Meu peito aperta com tantas emoções. Tomando sua mão, eu a beijo. Seu rosto se aquece com seus sentimentos por mim. Pegando meu rosto, ele pressiona um beijo em meus lábios. Mantendo a mão no meu rosto, ele acaricia minha pele com o polegar. "Eu tinha que comprar aquele carro, não importava como, por isso liguei para o proprietário, e eu o fiz vendê-lo para mim. Depois que o negócio foi feito, eu saí do telefone com ele, e comecei a pesquisar o carro, encontrar mais sobre ele, o que eu ia precisar para tê-lo instalado e funcionando novamente. Não havia nenhuma maneira que o carro fosse ficar parado na minha garagem, não depois do que você me disse. E honestamente, foi um bom motivo para ter você comigo, para ser capaz de passar o tempo com você de novo.”


"Enquanto eu estava pesquisando o carro, me deparei com uma foto do seu pai com o carro. Ele estava em pé na frente dele com sua esposa... e foi quando eu soube. Lembrei-me da sua mãe na foto que você me mostrou em Kuala Lumpur. Claro, ela parecia mais jovem, mas era como olhar para você. Eu olhei toda a página na Wikipédia do seu pai, e tudo estava lá. Esposa, Katia Amaro-Wolfe. Criança, Andressa Wolfe. Não precisava ser um gênio para perceber que você é sua filha, gata. Eu deveria ter percebido antes por causa do John. Eu sabia que ele tinha trabalhado para William e que eles eram bons amigos. Eu só...” Carrick esfrega o rosto com a mão. "Eu não entendo por que você não me disse. Por que manter isso em segredo?" Deixo escapar um suspiro. "Porque eu não queria que as pessoas pensassem que o tio John me deu o trabalho por causa do que meu pai foi, porque o tio John era o melhor amigo do meu pai. " "Ninguém teria pensado isso." Eu dou-lhe um olhar. "Eles teriam pensado tudo isso. Eu sou uma mulher jovem moderadamente atraente e mecânica. " "Moderadamente atraente?" Ele levanta uma sobrancelha. "Eu estou mais inclinado a dizer que você é a mais bela mulher que eu já vi na minha vida. Eu não podia acreditar nos meus olhos quando eu vi você na primeira vez, inclinada no meu carro com suas pernas longas e sua bunda sexy no ar.” Ele aperta minha bunda com a mão. "Jesus, eu quase vim nas minhas calças. A coisa mais quente fodida da vida, querida. " Rindo, eu dou um leve tapa com a minha mão no seu peito. "Se todo mundo soubesse quem o meu pai era, teriam pensado que era a única razão pela qual eu estava lá. Eu só queria provar quem eu sou antes que as pessoas soubessem que eu era a filha dele." "Você provou mais vezes do que suficientes. Você é brilhante em seu trabalho.” Ele desliza sua mão para baixo sobre a minha bunda e ao longo da minha coxa. "Você percebe, agora que eu tenho você, eu nunca vou deixar você ir, certo? Da minha garagem ou da minha cama. Você tem que ficar para sempre. "


Para sempre. Eu ignoro a pequena onda de medo no meu peito. "Está bom para mim." Eu sorrio. Correndo os dedos para baixo pelo seu abdome, eu começo a rastreá-lo, amando a sensação dele estremecendo sob o meu toque. "É por causa do seu pai, do que aconteceu com ele... é por isso que você não queria ficar comigo?" Isso me abala de novo. Emoções me invadem, acalmando minha mão. "Eu não... Eu só não quero passar por perder alguém com quem eu me preocupo novamente." "Você não vai me perder, Andressa." Ele levanta meu queixo para cima com os dedos, então eu estou olhando-o nos olhos. "Eu não vou a lugar nenhum." "Você não pode prometer isso." Há uma ponta quebrada a minha voz. "Não, eu acho que ninguém pode. Mas as coisas agora são diferentes, mais seguras do que costumavam ser quando você perdeu seu pai." Carrick dirige a velocidades perto de trezentos e setenta e cinco quilômetros por hora. Não há nada seguro sobre isso. "Eu só... o que eu sinto por você, Carrick... isso me aterroriza. É por isso que eu tentei ficar longe o máximo que eu pude. Quando eu penso em perder você... o pânico me consome, e eu sei que não faz sentido, mas é o medo de perder você que me fez fugir." "Sem mais fugas, querida." Ele aperta o mais doce beijo na minha testa. Isso traz lágrimas aos meus olhos. "Você me aterroriza, também." Seus lábios roçam sobre a minha pele. "Eu nunca me senti tão perto de alguém na minha vida. A maneira que eu me sinto por você... é além de qualquer coisa que eu já


conheci. Mas podemos fazer isso porque estamos destinados a ficar juntos. " E conforme ele envolve seus braços em volta de mim, segurandome firmemente, eu tento ignorar essa pequena voz me perturbando muito longe no fundo da minha mente que está me dizendo que é apenas uma questão de tempo antes que o medo tome conta novamente.


22 BUCKINGHASHIRE, INGL ATERRA

Eu acordo com a sensação de Carrick. Seu corpo sobre o meu, sua boca pressionando beijos suaves, doces no meus lábios. Eu gemo em consentimento, meus lábios abrem, e ele aprofunda o beijo, deslizando sua língua na minha boca, me trazendo para a vida em um instante. Meu corpo se sente deliciosamente dolorido da única maneira que pode ser depois de ter grandes quantidades de sexo, mas ainda assim, eu estou pronta para mais com ele. Ontem à noite, Carrick pediu o jantar. Tivemos pizza, que comemos na sala de estar. Nós também começamos a assistir a um filme, mas eu não poderia te dizer uma coisa sobre isso, porque eu só vi os primeiros dez ou mais minutos dele. Nós transamos novamente em seu sofá, o que acabou com ele me curvado sobre a mesa do café enquanto ele me pegava por trás. Depois, que nós retomamos a respiração e nos limpamos, Carrick sugeriu irmos para a cama, para o que eu estava pronta, cansada de todo o sexo. Transamos de novo na escadaria antes de chegarmos lá novamente. Claramente, eu não estava tão cansada.


Ele me levou ali na escada. Eu não sabia que você poderia ter relações sexuais assim nas escadas, mas aparentemente, você pode. Eu tenho certeza que eu tenho queimaduras do tapete na minha bunda, joelhos e cotovelos. Como se eu me importasse, no entanto. Estamos fazendo isso como adolescentes cheios de tesão, e eu adoro isso. Sexo com Carrick é como nada que eu já conheci antes. Ele gosta de me foder em posições diferentes. Eu tento não pensar sobre como ele é tão experiente em transar de muitas formas diferentes. Em vez disso, eu me concentro em seu apetite sexual por mim e como é insaciável. E como eu sou da mesma forma para ele. Nós não podemos ter o bastante um do outro. Eu nunca tinha ficado assim por um cara antes. Mas, na verdade, Carrick não é exatamente um sujeito comum. Seu beijo começa a diminuir, deixando-me respirar, e eu pisco para abrir os olhos. "Esse é meu serviço de despertador? Porque eu poderia seriamente me acostumar com isso todas as manhãs. " Esticando meus braços para cima, eu os envolvo em torno do seu pescoço. "Bem, acostume-se com isso, porque tenho a intenção de te acordar todos os dias assim." Outro beijo. "Você parecia tão porra sexy. Eu não pude evitar. " Sua mão desliza para baixo do lado na minha coxa. "Que horas são?", Pergunto, vendo a luz do amanhecer, sabendo que tenho que estar no trabalho. "Cedo. Agora, shsh, e deixe-me beijá-la novamente. " Prestativa, eu ofereço minha boca para ele, que ele pega de bom grado. Não demora para que as coisas fiquem quentes e pesadas. Carrick começa beijando seu caminho pelo meu corpo.


Pressionando beijos prolongados pela minha barriga, ele começa a lamber uma trajetória descendente. Abrindo minhas pernas, ele se encontra entre elas e coloca a boca em mim. "Oh!" Meus quadris empurram com a sensação de sua língua em mim, meus dedos enrolam no lençol. "Deus, você tem um gosto tão bom", ele rosna contra mim, a vibração de sua voz atinge todos os pontos certos. Ele empurra a língua dentro de mim, e eu não posso evitar, mas me movo no ritmo contra o seu rosto. Minha cabeça pressiona de volta no travesseiro, enquanto ele corre a língua até meu clitóris. Ele começa a lamber com gosto, deslizando um dedo dentro de mim e depois outro, me fodendo com eles. "Sim", eu gemo. "Deus, Carrick, sim... bem ali." Meus dedos do pé enrolam na cama, os músculos nas pernas apertam, conforme eu sinto que se deslocam através do meu corpo. Em seguida a mola se solta. E eu estou gritando o seu nome, minhas costas curvando-se para fora da cama. Quando isso acaba, eu caio de volta, relaxada, no colchão enquanto ele sobe até o meu corpo, levando a minha boca num beijo. O meu gosto nele me excita ainda mais. Ele está se preparando para colocar dentro de mim, e eu quero isso, mas primeiro... Empurrando-o de cima de mim, eu rolo-o de costas e subo em cima dele. "Você vai me cavalgar, cowgirl?" Ele sorri, batendo na minha bunda. Seus olhos são tão cheios de calor e desejo que eu sinto ondas através de mim, indo direto para o meu sexo.


Eu mordo meu lábio. "Talvez, mas primeiro..." Eu deixo minhas palavras no ar conforme eu movo para baixo do seu corpo, preparando-me para levá-lo em minha boca. Eu não posso acreditar que esta é a primeira vez que eu vou saboreá-lo. Eu quis por tanto tempo. Mas ele está sempre tão no controle no quarto, então eu apenas o deixo assumir a liderança. Mas agora é a minha vez. Ajoelhada entre suas pernas, eu pego o seu pau na minha mão. Enrolando meus dedos em torno dele, eu o movo para cima e para baixo. Ele solta um som tão sexy que eu sinto isso fundo dentro de mim. Lambendo meus lábios, eu movo minha cabeça para baixo e deslize seu pau entre meus lábios. "Ah, foda ...", ele geme, a mão agarrando meu cabelo. "Isso é tão bom. Jesus, seus lábios em torno de meu pau... você não tem ideia de quantas vezes eu imaginei isso. É ainda melhor do que eu pensei que poderia ser." Querendo continuando a agradá-lo, eu afasto a minha língua, levando-o ainda mais na minha boca, até que ele está enfiado no fundo da minha garganta. "Deus, porra. Sim, assim mesmo, Andressa. " Eu começo a chupar mais forte, deslizando minha boca cima e para baixo no seu pau, levando-o de volta cada vez. Eu amo as palavras sujas quentes saindo de seus lábios, a forma como sua mão está puxando meu cabelo, enquanto ele transa com a minha boca. "Baby, foda... ah, você precisa parar, ou eu vou vir." Ele puxa meu cabelo, levantando minha cabeça dele. "Esse era meio que o ponto." Eu faço um beicinho. "Outra hora. Agora, eu quero te foder. " Ele começa a se mover, para assumir, mas eu o impeço com uma mão no peito.


"Não. Fique aí. Do jeito que você está. " Eu deslizo minhas pernas sobre seus quadris, então estou cima dele, seu pau pressionado contra mim. Ele rosna. "Sempre tão porra molhada para mim. Você não tem ideia do quanto isso me excita." Desejo arremessa através de mim. Levantando-me de joelhos, eu pego seu pau na minha mão e o coloco na minha entrada. Eu lentamente deslizo para baixo em seu comprimento. Eu puxo uma respiração com a sensação dele me enchendo. E seu gemido retumbante me diz ele se sente tão bem como eu agora. Eu começo a subir e descer, montando-o. Suas mãos rapidamente encontram meus quadris, dedos apertados na minha pele. Sabendo que não será muito tempo antes que ele assuma, eu monto duro. Minhas mãos estão em seu estômago, mas eu não posso ter o controle. Ele oferece as mãos para mim. Pegando-as, posso ligar os meus dedos com os dele. Rapidamente ele está sentado, pressionando seu peito no meu. Eu deixo cair as mãos e agarro seus ombros. Suas mãos nas minhas costas, ele assume o controle, me levantando e me abaixando no seu pau, aumentando o ritmo. "É tão bom", eu gemo. "É isso aí, querida. Eu preciso que você venha para mim ". O atrito é quase demais para suportar. Meu corpo passa dos limites, e eu logo estou me despedaçando em volta dele. Meus olhos estão fixos nos dele conforme eu venho, incapaz de desviar o olhar. Eu nunca mais quero olhar para longe dele nunca mais. E aquele sentimento que eu tive antes vem de novo, mas é mais difícil desta vez, sangrando em minhas veias, deixando-me tonta... Eu o amo.


Estou apaixonada por ele. Oh, Deus. Antes que eu possa até mesmo processar os meus pensamentos, eu estou indo para trás. Carrick está em cima, seu corpo prendendo o meu. Os cotovelos estão pressionados contra os meus braços, mantendo-os no lugar, conforme ele segura o meu rosto com as mãos. Ele está entrando e saindo com golpes duros certeiros, e eu levanto minhas pernas, envolvendo-as em torno dele, levando ele mais forte. Seu rosto está contraído. Seus olhos estão escuros com urgência e necessidade. A maneira como ele está olhando para mim é de alguma forma mais intensa do que nunca, e ele para a respiração. "Andressa...", ele geme meu nome como uma prece. "Foda-se, querida ..." Então, quase como se fosse demais para ele, ele fecha os olhos. Ele traz sua boca com a minha, quebrando a conexão entre nós, permitindo-me respirar. Seu corpo fica tenso, estremecendo, conforme eu sinto seu pau estremecer dentro de mim, me enchendo com seu calor. Nós ficamos ali por um momento, dando beijos macios onde quer que podemos encontrar pele. Em seguida, ele rola de cima de mim, levando-me com ele, assim minha cabeça está em seu peito, seu braço em volta de mim. "Isso foi..." Ele diz acabado e feliz, e eu estou ali com ele. "Fora deste mundo." Eu inclino minha cabeça, para que eu possa olhar para ele. "Não vá trabalhar hoje." Ele toca meu lábio inferior com o dedo. "Fica comigo." "Eu gostaria... mas eu não quero deixar o Tio John na mão."


"Você não vai deixá-lo na mão. Você vai bancar a doente, como noventa por cento da população faz. Tecnicamente, de uma forma indireta, você trabalha para mim, e eu estou dizendo que é mais do que certo você fazer esse papel. " "Isso porque você vai se beneficiar de me fazer matar aula." "Verdade". Ele aperta os lábios, com a sobrancelha levantada, um olhar bonito em seu rosto. "Mas eu vou ter certeza de que você se beneficie também. " Eu rio, considerando-o. "E a peça para o carro do seu pai será entregue hoje de manhã. Podemos ajustá-lo e, em seguida, o levarmos para fora juntos. " E ele me pegou. Eu estava com oitenta por cento de certeza que eu ia ficar apenas pela sensação de seu corpo quente sob minhas mãos, mas se eu posso ficar aqui para terminar o carro do meu pai ... "Você sabe como me pegar." "Claro que sim. Se eu não o fizesse, você não estaria nua e na minha cama agora. " Eu levanto uma sobrancelha. "Com certeza, isso me levou um tempo", acrescenta. "Mas nós estamos aqui no final." "Nós com certeza estamos." Eu sorrio, dando-lhe um beijo. Conforme eu vou para trás, lembro-me que o meu telefone está na garagem. Deixei-o lá ontem. E se eu vou ligar que estou doente, então eu vou precisar dele. "Ugh, eu deixei meu telefone na garagem. Eu preciso dele para ligar para o tio John e deixar ele saber que eu não vou hoje. " "Use o meu." "Ah, sim!" Eu rio, mas eu paro abruptamente quando eu vejo o olhar menos do que feliz em sua face. "O que há de errado? " "Você não quer que John saiba que estamos juntos?"


"Eu não disse isso. Mas se eu ligar do seu telefone, ele vai saber em um instante que eu não vou matar o trabalho porque eu estou doente, mas porque eu estou muito ocupada na cama com você. E eu prefiro que o meu tio John não saiba detalhes íntimos da minha vida. " "Mas você vai dizer-lhe que estamos juntos?" "Se é isso que você quer." "Eu quero." "Você vai dizer a seu pai e Pierce?" Ele me dá um olhar estúpido. "Claro. Eu vou dizer a quem quiser me ouvir que nós estamos juntos. Que eu estou com a garota mais quente do mundo. " Eu viro os olhos com a sua fala brega, mas estou secretamente adorando. "Você não acha que vai ser estranho no trabalho?" "Baby, eu tenho certeza que todos no trabalho sabem que nós, pelo menos dormimos juntos. A maneira como temos sido um com o outro nessas últimas semanas, eles sabem.” Saindo debaixo de mim, ele sai da cama. Indo para sua cômoda, ele puxa para fora um par de calças de pijama cinza escuro e veste. "Meu pai até me perguntou sobre isso no outro dia. Perguntou o que estava acontecendo com você e eu." Deitada de lado, eu me sustento no meu cotovelo. "O que você disse a ele?" "Que eu estava chateado porque você não queria me foder." Ele sorri. "Você não disse isso!" Eu suspiro. "O que mais eu ia dizer?" Ele vem e senta-se na cama. "Que eu estava fodido em pedaços porque você não me queria? Eu não iria tão profundo com o meu pai, querida. " Meus olhos abaixam, os meus lábios se voltando para baixo nos cantos. "Hey." Ele levanta meu queixo com os dedos.


Eu olho de volta para ele. "Não se sinta mal. Essa merda está toda no passado. Estamos aqui agora, e estamos bem. " Ele coloca o meu cabelo atrás da minha orelha. "Não, nós estamos mais do que bem. Estamos ótimos. " Eu deslizo minha mão em seu pescoço. Trazendo seus lábios para baixo para os meus, eu o beijo. "Você quer que eu pegue o seu telefone?", Diz ele entre beijos. "Você pega?" Eu pisco, olhando em seus olhos. "Eu faria qualquer coisa por você." Ele pisca e, em seguida, levanta-se da cama. "Volto logo." Eu assisto o seu rabo quente sair do quarto. Precisando ir ao banheiro, eu sair da cama e uso o banheiro. Depois que eu termino, meu estômago está oco, e eu estou morrendo por um café, então eu decido encontrar Carrick no piso térreo. Eu pego sua camiseta e bermudão seus do Rybell que eu usava na noite passada quando comemos pizza porque toda a minha roupa ainda está espalhada na sua garagem. Eu espero que ele as pegue quando ele pegar o meu telefone. Eu caminho até térreo e para a cozinha. Eu acabei de preparar o café e colocar o pão no torradeira quando Carrick aparece com o meu telefone, minhas roupas, e uma caixa nas mãos. "O entregador apareceu enquanto eu estava fora. O Motor de arranque está aqui. " Ele coloca a caixa sobre o balcão junto com minhas roupas, e ele me dá o meu telefone. "Ele veio cedo", eu comento. "Sim. Ah, você está fazendo café e torradas. Você é a melhor namorada do mundo. " Ele dá um beijo no meu rosto quando ele passa por mim.


Eu congelo no tempo, surpresa ao ouvi-lo me chamando de sua namorada. Então, eu relaxo, deixando isso infiltrar-se em mim. Eu sou sua namorada. E ele é meu namorado. E eu soar como se eu ainda estivesse na escola. "Você quer geleia, Nutella, ou manteiga de amendoim em sua torrada?", Ele pergunta-me da geladeira. "Hum... Nutella." "Boa escolha." Ele vem com um pote de Nutella, colocando-o sobre o balcão na minha frente. "Eu deveria ligar para o tio John e falar que não vou." "Ligue para ele. Eu termino o café da manhã. " Tomando meu telefone, eu ando para o corredor. Eu vejo algumas mensagens da minha mãe, Petra, e Ben, e eu tenho uma chamada não atendida do Tio John. Passando a tela, eu o chamo de volta. "Eu liguei para você ontem. Eu estava esperando jantar com você na noite passada. " A voz do Tio John vem pelo telefone. "Desculpa. Eu estava com um amigo. " Eu escolho não entrar em detalhes. Eu não posso dizer-lhe agora, não comigo bancando a doente. "Esse é o motivo que eu estou ligando. Eu acho que eu comi algo na noite passada que não caiu bem, e eu me sinto mal. Dor de estômago. " Na verdade, eu pressiono o lado da minha barriga, como se ele pudesse me ver. "Você está bem? Você precisa de mim aí, cuidar de você? " "Não." Minha voz vai anormalmente alta, então eu a controlo de volta. "Não, eu vou ficar bem. Eu só preciso dormir mais, eu acho. Eu vou ficar bem até amanhã. " "Bem, sem pressa. Venha só quando você se sentir bem. " "OK. Obrigado, tio John ".


"Eu te ligo mais tarde, para ver como você está. Fique bem logo, garota. " Dizendo tchau, eu desligo. Então, eu respondo a mensagem da minha mãe. Se eu não fizer isso, ela vai começar a pirar. Então, eu vou volto para a cozinha. Carrick já serviu o meu café e fez minha torrada, tudo pronto para mim na bandeja de café da manhã. Ele está mastigando sua própria torrada, lendo algo em seu telefone. Ele abaixa quando ele me vê. "Tudo bem?", Ele verifica. "Sim, tudo bem." Sento-me no banco. "Eu me sinto uma porcaria mentindo para ele, mas se isso significa que eu vá passar o dia com você, então vale a pena." Isso me faz ganhar um sorriso de parar o coração. Depois que terminamos o café, eu levo os pratos e copos para máquina de lavar pratos. Tomamos banho juntos, o que acaba sendo mais do que deveria, como eu acabo curvada, as mãos pressionadas nos azulejos, com Carrick me levando por trás. Nós finalmente voltamos até a garagem onde eu coloco meu macacão sobre as roupas limpas de Carrick de uma camiseta uma cueca samba-canção. Como minhas roupas estão sujas, eu coloco em sua máquina de lavar, de modo a pelo menos ter algumas roupas limpas para ir para casa. Carrick parece gostar muito de mim em suas Honestamente, eu gosto de usá-las. Eu gosto do cheiro dele.

roupas.

Temos o motor de arranque montado em menos de uma hora. Tarefa fácil e rápida feita pelos dois. Mas eu deixo Carrick fazer a maior parte da montagem. Estou muito feliz em sentar e assistir sua bunda deliciosa inclinar-se sobre o carro.


"Sério, eu me sinto como um pedaço de carne com a forma como você está me secando daí." Sua voz vem sob o capô do carro. "Bem-vindo ao meu mundo. E sério, você está reclamando? Eu pensei que você gostasse de ser adorado por mulheres." Ele levanta a cabeça, olhando de volta para mim. "Eu adoro." Saindo de debaixo do carro, ele vem até mim, deslizando as mãos sujas ao redor da cintura do meu macacão. "Mas somente por uma mulher." Ele beija a ponta meu nariz. "Boa resposta." "Eu pensei isso." Ele sorri. "Como está ficando?" Eu aceno com cabeça para o carro. "Tudo pronto." Ele sorri. Eu sinto um pouco de tremor dentro do meu peito. "Você está pronta para experimentar? Ver se todo nosso trabalho duro valeu a pena? " Meus olhos voltar para seu belo rosto. "Eu acho que valeu pena, mesmo que não funcione." Eu dou sorriso, referindo-se a ele e eu, o tempo que passamos, arrumando-o juntos. "Definitivamente valeu a pena." Ele esfrega o nariz sobre o meu e, em seguida, me beija suavemente uma vez. Recuando, ele puxa a chave do carro de seu macacão e dá para mim. "Vamos. Ligue, querida. " Eu o sigo até o carro. Abrindo a porta do motorista, eu entro. Ele abaixa o capô com um baque suave e fica no banco do passageiro ao meu lado. Eu olho para a chave na minha mão por um momento e, em seguida, coloco-a na ignição. Eu olho para Carrick, e ele me dá um olhar encorajador.


Depois de uma respiração profunda, eu viro a chave. Ele se movimenta um pouco conforme eu me sinto toda mecânica tentando funcionar em conjunto, ajustando, uma parte à outra. Solto a ignição, e aguardo alguns segundos e, em seguida, eu ligo novamente, e desta vez, ele vem à vida. Eu sorrio para Carrick. "Ele está funcionando! Eu não posso acreditar que ele está funcionando! " "Eu posso. Você pode consertar qualquer coisa que você coloque na sua mente." Mas eu não. Eu não posso consertar o quebrado em mim. Eu mordo meu lábio, sentindo-me vacilar. "Você está ficando emotiva comigo?", Ele pergunta. "Um pouco." Uma lágrima desliza do meu olho. Eu limpo. "Bem, eu posso levar isso pro melhor ou pro pior." Ele abre o porta-luvas e tira alguns papéis. Ele os segura para que eu pegue. "O que é isto?" Eu pergunto, pegando dele. "Se a minha garota não sabe o que é um diário de bordo, então eu vou ficar preocupado." Eu ouço o toque nervoso em sua voz enquanto meus olhos começam a digitalizar os documentos. Porra… "Carrick... eu... você ..." "Ele é seu." "Não", eu suspiro. "Carrick ... é demais ... você não pode ..." "Eu posso, e eu fiz." Ele se vira em seu assento. Indo mais além, ele toma meu rosto em suas mãos. "Eu o comprei para você. Ele pertence a você. É o que seu pai queria. " Eu fecho meus olhos com um piscar de olhos, e as lágrimas rolam pelo meu rosto. Minha garganta está cheia de emoção.


"Eu amo isso, o que você fez ... mas é apenas muito dinheiro. Eu não posso pegar esse tipo de dinheiro de você." "É inegociável. A papelada está feita. É legal e obrigatória. A única maneira de você se livrar deste carro é se você vendê-lo, e eu não acho que você vai fazer isso.” Ele me dá um olhar de vencido. Eu deveria estar brava com ele por fazer isso... gastar tanto dinheiro comigo. Mas como eu posso ficar com raiva com um homem tão bonito que fez uma coisa tão bonita por mim? "Carrick... eu ..." Te amo. "Estou além de louca por você." Então, eu o beijo, com tudo o que tenho. Quando finalmente nos separamos, respirando pesadamente, ele descansa sua testa contra a minha. "Eu realmente quero você agora, mas eu acho que seria um pouco assustador se eu transasse com você no carro do seu pai. " "Não é meio assustador. Seria totalmente assustador. " Ele ri. "Bem, vamos levá-la para uma volta, ver como ele se sai. Então, nós voltamos aqui, e eu vou passar o resto do dia dentro de você, te comer em cada quarto da minha casa e bastante possivelmente no jardim. " Sorrindo para ele, eu digo: "Parece perfeito."


23

BUDAPESTE, HUNGRIA

É justo dizer que Carrick e eu temos estado incrivelmente perto nestas últimas semanas. Chegamos a um nível de intimidade que eu nunca pensei que eu seria capaz de ter com um homem. Estamos muito juntos, separados trabalhando ou ele está treinando.

apenas

quando

estou

Carrick queria que eu parasse de dividir o quarto com Petra e apenas ficasse com ele, mas eu senti que deveria manter alguma forma de independência dele. Ele não estava feliz com isso, mas eu estava firme. Permanecer em seu quarto com ele seria quase como viver juntos, e eu não quero apressar as coisas. Embora minhas coisas estejam no meu quarto e da Petra, eu ainda durmo na cama de Carrick todas as noites. É uma tarefa difícil, ficar longe dele, sendo assim ter minhas roupas e pertences em outro quarto é a única maneira de fazê-lo sentir como nós estamos indo realmente devagar. Todo mundo sabe que estamos juntos. Carrick foi insistente sobre isso. Ele disse a seu pai e Pierce, e eu disse a Tio John, que não ficou tão surpreso quanto eu esperava. Claro que eu disse Petra, e ela simplesmente surtou com entusiasmo. Eu ouvi um, "Já era hora, caralho", de Ben.


Aparentemente, a tensão sexual entre Carrick e eu foi matando todos. Carrick venceu o Grande Prêmio da Inglaterra. Foi um grande momento para ele. Vencer em casa é sempre uma grande coisa. E ele ganhou na Alemanha, também. Eu estava orgulhoso dele. Mas, no Grande Prêmio da Inglaterra, foi o momento em que eu percebi o quão difícil estar com Carrick vai ser para mim. Assistindo-o correr na tela, eu tive um ataque de pânico. Ele veio do nada. Felizmente, eu tive sendo o suficiente para ir para o banheiro antes de alguém ver. Eu não disse nada a Carrick sobre isso. Ele estava muito feliz com a sua vitória, e eu não queria preocupa-lo, então eu não disse nada. Foi o que aconteceu na Alemanha, também. E agora, estamos em Budapeste, e a corrida está a poucos dias de distância. Dizer que estou ansiosa é pouco. Eu só preciso encontrar uma maneira de lidar com isso. Se eu estou com ele, ele vai sempre correr. Então eu sempre vou ter que assistir. Eu tenho que aprender a lidar com isso. "Eu pareço bem?", Eu pergunto a Carrick. Estamos no meu quarto. Ele está deitado na minha cama, parecendo incrível em um jeans escuro e uma camisa, assistindo TV enquanto eu me visto. Petra foi jantar fora com os caras. Carrick e eu estamos indo jantar com seu pai. Foi ideia de Owen. Estou nervosa. Eu sei que Owen não gosta de mim. "Você está linda." Carrick se levanta da cama e vem até mim. Envolvendo os braços em volta da minha cintura por trás, ele olha de volta para mim no espelho. "Você sempre está linda." Eu estou vestindo vestido floral bonito, sem mangas na altura do joelho com sandálias douradas que eu comprei quando fui fazer


compras com Petra. Ela é uma grande ajuda com a compra de roupas femininas para mim. Mordendo meu lábio, eu olho para ele. "Eu só quero dar uma boa impressão. Eu quero que ele goste de mim. " "Ele gosta de você." Ele ri. Sinto seu peito contra minhas costas. Eu levantar uma sobrancelha para ele. "Ele gosta", ele afirma. "Ele acha que você é uma boa influência sobre mim." "Ele acha que eu o distraio." "Você me distrai. Você é uma má... má distração, Andressa. " Ele leva sua língua do meu pescoço até minha orelha. Ele belisca minha orelha com os dentes, me fazendo tremer. "Eu sou ruim, hein?" "Mmhmm ... você é muito, muito ruim." Ele desliza a mão por meu estômago. Colocando-a em meu peito, ele esfrega o polegar sobre meu mamilo já duro. A sensação vai direto para o meu sexo. "E eu lhe mostraria exatamente quanto ruim se nós não tivéssemos que ir para o jantar agora." Girando em seus braços, eu ponho meus lábios para cima em um canto. "Nós poderíamos cancelar e ficar aqui. Eu vou te deixar punirme por ser ruim.” Levantando meus braços, eu pressiono meus pulsos juntos, dando-lhe um olhar inocente. Isso recebe sua atenção. Vejo paixão cintilar em seus olhos e o sinto pressionar contra o meu quadril. "Porra. Agora, eu estou duro. " Ele olha para o relógio e geme. "Já estamos atrasados, e eu não posso foder você rápido. " colocando meu queixo em sua mão, ele me dá um beijo duro, deslizando sua língua em minha boca, fazendo-me gemer. "Quando voltarmos, eu vou amarrar você na minha cama, e eu vou te mostrar exatamente quanto ruim que eu posso ser. "


Me liberando, ele se afasta com o olhar mais quente do que nunca em seu rosto, fazendo meu interior tremer. "Agora, vamos terminar essa porra de jantar, para que possamos voltar, e eu possa foder o inferno fora de você." Sentindo o calor entre as coxas, eu decido me acalmar, porque eu não vou conseguir o que eu quero. "Ah, e só pra você saber, eu não estou vestindo nenhuma calcinha. " Eu dou-lhe um olhar atrevido conforme eu passo por ele, pegando minha bolsa da cômoda. Eu ia guardar essa informação para mais tarde, mas eu simplesmente não aguentei. "Por favor, me diga que você está brincando." Seu peito aperta-se contra as minhas costas, me fazendo parar, conforme a mão levanta o meu vestido, encontrando-me nua e pronta para ele. "Jesus, você não está brincando." Ele geme, deixando cair a testa no meu ombro. "Basta pensar quanto mais fácil será para me acessar mais tarde." Eu pisco os olhos de volta para ele conforme ele levanta a cabeça. "Deus... isto vai ser um jantar longo da porra, sabendo que você está sentada ao meu lado, nua. Não fique surpresa se eu arrastá-la para o banheiro e te foder ali mesmo. " Meus olhos se arregalam. "Você não faria isso. Não enquanto estamos fora com o seu pai. " "Não seria?" Ele levanta a sobrancelha. Em seguida, ele bate na minha bunda conforme ele se afasta. Abrindo a porta, ele diz: "Depois de você."

Vamos nos encontrar com Owen no Costes. É o restaurante favorito de Carrick aqui em Budapeste. E como estamos hospedados


no Four Seasons, que é apenas uma curta distância a pé, Carrick e eu vamos andando. Chegamos ao restaurante primeiro. Estamos sentados e pedimos nossas bebidas quando Owen chega. "Eu não estou atrasado, estou?" "Não, você está bem", Carrick responde. "Andi, encantado em ver você." Owen se inclina sobre a mesa para beijar minha bochecha, então eu me levanto para encontrá-lo. Ele senta à minha frente. Olhando seu menu, ele faz seu pedido de bebida para a garçonete. "Então, como foi o seu dia?" Owen pergunta a Carrick. "Bom. Eu treinei esta manhã. Então, eu levei Andressa para um passeio sobre a Chain Bridge, e fomos ver alguns pontos turísticos. " "Oh? Onde?" "Basílica de São Estêvão, e também visitamos Shoes na margem do Danúbio", eu respondo. "Oh, sim, eu fui no Danúbio. Extremamente tocante, eu achei ". "Sim, foi." A garçonete volta com nossas bebidas. Eu pego o meu menu e começo a olhar os pratos. "O que você recomendaria?", Pergunto a Carrick. "Vitela. Isso é o que eu costumo comer. " "Mas... vitelas não são bebês de vacas?" Minhas sobrancelhas se juntam. "Sim." "Jesus, eu não vou comer bebês de vacas!" Eu franzo meu rosto em desgosto. "Eu vou comer bife em vez disso."


Carrick solta uma gargalhada. "Você não vai comer bebês de vacas, mas você vai comer vacas adultas? Onde está a lógica, baby? " "Eles são bebês!" Eu gesticulo. "É simplesmente errado!" "Mas não há problema em comer as vacas mães?" Porra. Ele me pegou. "Bem. Eu vou comer o lagostim. " "Mas e se ele for um crustáceo bebê?" Desgraçado. Os olhos de Carrick são preenchidos com alegria. Mesmo Owen está segurando uma risada. Eu estreito meus olhos para Carrick, e, em seguida, o meu olhar volta para o menu, decidindo rapidamente. "Eu vou comer o ravióli de espinafre. " Eu fecho meu menu, fazendo um bico. "Ah, querida, estou apenas brincando. Coma o bife. " "Não, eu me sinto estranha com ele agora." "Não fique emburrada." Ele puxa meus lábios de beicinho com o polegar e o dedo. Como se eu pudesse ficar brava com ele. "Eu não estou brava. Juro. " Eu sorrio facilmente. "Eu estou bem com o ravióli." Ele sorri para mim com tanto calor que eu sinto esquentar minha pele como o sol estivesse brilhando em mim. Ele trava o braço em volta da parte de trás da minha cadeira. Conforme eu viro meu rosto para frente, vejo Owen nos observando com interesse óbvio. Me pergunto se Carrick é sempre carinhoso com as mulheres na frente de seu pai. Owen não parece surpreso com isso, talvez então Carrick seja. Então, eu tenho o pensamento se ele era assim com Sienna, e de repente eu me sinto mal.


Fico feliz quando a minha taça de vinho aparece na minha frente. Tomo um gole profundo. "Vocês estão prontos para pedir?" A garçonete pergunta. Carrick me desliza um sorriso. "Sim, estamos." Nós fazemos nossos pedidos e voltamos a ter uma conversa confortável. Owen me pergunta sobre minha família, mas eu artisticamente me esquivo de qualquer conversa sobre o meu pai com a ajuda de Carrick então, Owen me pergunta sobre minha época nas corridas de stock car. Ele parece genuinamente interessado. E estou me sentindo relaxada. Talvez fosse esse o ponto. Relaxe a presa e, em seguida, dê um bote quando ela menos esperar. "Eu só vou até o banheiro", diz Carrick para mim, um brilho malicioso nos olhos. Se ele acha que eu vou deixar a mesa para me juntar a ele, ele que esqueça. Não que eu seja adversa ao sexo no banheiro público com Carrick. Eu sou apenas adversa a ele quando estamos jantando fora com seu pai. "Ok." Eu dou-lhe um sorriso doce. "Não demore muito." Ele divertidamente aperta os olhos, e então ele me surpreende, tomando meu queixo em sua mão e beijando-me suavemente nos lábios. "Em alguns minutos." Eu o vejo ir, a sensação de seu beijo ainda persistente em meus lábios. Então, eu viro para a mesa. Owen está me observando. E algo em sua expressão mudou. Ele parece mais duro agora. E isso deixa uma sensação de vazio no meu estômago. "Ele gosta de você. Muito."


"Estou feliz. Eu gosto muito dele, também. " Eu sorrio, mas parece forçado. Owen senta-se para a frente, os cotovelos sobre a mesa. "Você sabia que a mãe de Carrick o deixou quando ele era apenas em moleque? " "Sim, ele me disse." Ele parece surpreso com isso. "Bem, por causa de sua partida, ele não confia nas pessoas facilmente. Ele não as deixa chegar perto. Especialmente as mulheres. Haja vista a maneira como ele viveu sua vida, saltando de uma mulher para outra. Até você. Por alguma razão, você é diferente. Ele confia em você. Ele está te deixando entrar. E eu ficaria feliz por isso, aliviado, para ser honesto, porque tudo que eu quero para ele é para ele se resolva com uma boa mulher. E você é adorável, Andi. Você não é como uma garota normal. Você é inteligente e bonita, mas ... " E aí está. O “mas” que eu sabia que viria. "Eu vejo isso em você, o que via na minha ex-mulher. Você tem o mesmo olhar em seus olhos que ela sempre teve o olhar de voo. O dela era porque ela achava que havia mais na vida além de ficar com Carrick e eu. Ela estava sempre à procura de coisas maiores e melhores, correndo atrás do que ela achava que era. Mas você...” Ele balança a cabeça, seus olhos me avaliando. "Você parece-me mais que está fugindo de alguma coisa, em vez de indo em direção a ela.” Sinto-me sem fôlego. Ele pode ver através de mim, e, neste momento, sinto-me mais vulnerável do que eu sou. "Owen" Ele levanta uma mão para me parar. "Eu acho que eu sei o que você vai dizer, e você não precisa. Tudo que eu estou pedindo de você é, se você não achar que você pode seguir um longo caminho com Carrick, deixe-o agora. Quebre seu coração enquanto ele ainda pode se recuperar e não depois de anos quando já for tarde demais, e ele nunca vá se recuperar. "


Eu sinto como se ele me desse um soco no peito. Eu estou lutando por ar. E o que eu digo? Que ele está certo. Eu sei que cada vez que assisto Carrick correr, meu medo está crescendo exponencialmente. Que um dia em breve, ele vai explodir e assumir o controle de mim, e eu vou correr dele. Que eu acordo todas as manhãs, olhando para o rosto de Carrick, sabendo como sou fraca. Sabendo que, um dia, eu vou machucá-lo, e eu não vou ser capaz de me impedir de fazê-lo. Que eu sei que não sou boa o suficiente para Carrick, e eu nunca vou ser. "Tudo bem?" Carrick está de pé ao lado da mesa. Eu rapidamente tiro toda a emoção do meu rosto e abro um sorriso antes de olhar para ele. Eu penso logo numa resposta. "Claro. Seu pai estava me contando algumas histórias engraçadas sobre quando você era um criança. " "Oh Deus." Carrick geme, deixando-se cair na cadeira. "O que você disse a ela, para que eu possa rapidamente reparar o dano que você fez? " "Nada de ruim, filho." Owen olha para mim. "Nada para você se preocupar de qualquer maneira." Eu pegar o meu copo de vinho e tomo de novo.

O resto do jantar passa como um borrão para mim. Faço questão de participar da conversa e rir em todos os momentos certos, mas tudo o que tenho em torno de minha mente são as palavras de Owen.


Acabamos a sobremesa, e eu estou mais do que pronta para sair. "Vocês querem um café?" Owen pergunta. "Ou um brandy?" "Eu estou satisfeita", eu respondo. "Carrick?", Diz Owen. Eu olho para ele quando ele não responde a seu pai imediatamente. Ele está olhando para mim, e eu posso vê-lo em seus olhos. Ele sabe que eu não estou cem por cento de mim. "Você está cansada?", Ele me pergunta. "Um pouco. Mas vá em frente e tome uma bebida. Eu não me importo. " Ele olha para mim por alguns segundos mais longos. Ele parece estar pesando algo naqueles olhos lindos azuis dele. Ele vai de mim para seu pai. "Não, eu estou bem. Obrigado, pa. " Adoro quando ele faz isso, tira o “i” e chama o pai dele pa. É tão doce. "Acho que vamos voltar para o hotel agora." Carrick chama a garçonete para a conta. "Eu pago essa, meu filho." Seu pai coloca a mão conforme Carrick pega a sua carteira. "OK. Saúde, pa. " Owen é a única pessoa que eu já vi Carrick deixar pagar por algo. Deve ser uma coisa de pai e filho. Uma vez que a conta está paga, eu me levanto da minha cadeira. Carrick me ajuda com meu casaco. "Você vai voltar para o hotel com a gente?" Carrick pergunta a Owen conforme nós deixamos o restaurante. "Não, eu tenho um lugar para ir." Ele acena com a cabeça na direção de um carro esperando. "Mas eu vejo vocês amanhã ". "OK."


"Foi adorável passar um tempo com você fora do trabalho, Andi." Owen beija minha bochecha. "Também achei." Meu sorriso é apertado. À medida que começamos a andar, Carrick coloca o braço em volta dos meus ombros, e eu coloquei o meu em torno dele. Sua mão livre toma conta da minha mão, deslizando seus dedos nos meus, segurando-a contra seu quadril. "Tenho certeza que meu pai tem um caso em cada país para onde vamos, ou ele tem um problema com jogo." Ele ri para si mesmo. "O que te faz dizer isso?" "Ah, para, pelo menos, uma das noites em que estamos cada país, ele simplesmente desaparece em algum lugar que tem que ir sem mais explicações.” "Houve alguém sério desde... sua mãe?" "Não havia ninguém quando eu era criança, ninguém que eu soubesse. Em seguida, houve algumas amigas quando eu era um pouco mais velho, mas seu foco tem sido sempre na minha carreira de piloto ". "Ele te ama muito." "Sim, verdade. Às vezes demais. Acho que ele é assim porque ele sente que tem que compensar por minha mãe me deixar. " "Você não pode culpá-lo por isso." "Eu sei." "Minha mãe é a mesma coisa", digo a ele. "Desde que meu pai... ela é um pouco superprotetora, às vezes." "Como ela está lidando com você estar longe, viajando pelo mundo?" "Ela está lentamente ficando melhor sobre isso." Eu rio levemente. "Que tal você namorar um piloto? Como ela se sente sobre isso? "


Ele nunca perguntou sobre a opinião da minha mãe sobre ele antes. Eu estou supondo que ver seu pai hoje à noite provocou isso. "Ela está feliz, se eu estiver feliz." Honestamente, ela não disse muito quando eu lhe contei as coisas sobre Carrick e eu. Eu acho que um monte tem a ver com a sua reputação. E uma parte do que ele faz para ganhar a vida, também. "E você está?" Eu sorrio largo. "Muito." Ele se inclina e me beija. "Eu também. Como eu nunca estive antes. " Segurando sua mão que está sobre o meu ombro, eu levanto meus lábios, dando um beijo nele. Eu me aconchego do seu lado. À medida que caminhamos, eu ouço o som suave de Ed Sheeran com "Thinking Out Loud" tocando nos alto-falantes do lado de fora de um restaurante do outro lado da rua onde as pessoas estão sentadas em frente, jantando bela noite. "Eu amo essa música", sussurro. Me fazendo parar, Carrick diz: "Dança comigo?" Eu olho ao redor. "Uh, aqui?" "Sim, aqui. Eu quero dançar com a minha garota sob as estrelas. " Ele aponta para o céu noturno brilhante. Então, ele me gira em seus braços, e eu estou de frente para ele. Movendo o braço do meu ombro até a cintura, a mão livre pega a minha mão. "Você quer dançar aqui mesmo na rua, ao lado de um caixote do lixo?" Eu lanço um olhar a direção do lixo Ele desliza um olhar para ele, com um sorriso correndo em seu rosto. "Você não pode negar o romance que um lixo pode levar em uma situação ".


"Oh, sim, todo aquele lixo... tão sexy." Eu começo a rir, amando a sensação de sua própria risada. "Cale a boca, e dance comigo. Você está matando o momento. " "Ok", eu concordo, deixando-nos mover para a música. Mas eu estou me sentindo autoconsciente e um pouco boba. Eu lanço um olhar para o restaurante do outro lado da rua. "As pessoas estão olhando", eu sussurro. "Então, deixe-os olhar. Eu não me importo, porque eu não estou olhando para eles. Eu só estou olhando para você ". Isso traz os meus olhos para os dele. Ele está olhando para mim como ele sempre faz, com tal intensidade que eu sinto-o profundamente dentro do meu coração, enrolando-se em torno do lugar onde ele já está profundamente enraizado. "E se alguém te reconhecer?", Pergunto apenas para tentar me manter com os pés no chão e não me perder completamente nele. Então ele diz: "Então, eles vão me ver dançando com minha namorada, e ver que eu sou louco por ela." Ele para de dançar, seus olhos sérios. "E eu sou, querida, completamente louco, a porra de pernas para o ar." Qualquer sensação de pés no chão que eu tinha flutuam até as estrelas, juntamente com o meu coração. Inclinando-me, eu descanso minha testa contra a dele, fechando os olhos contra a profundidade das emoções que estou sentindo. "Eu sou louca por você, também." E eu fico lá dançando com ele naquela rua em Budapeste até que acaba a música, sabendo que o tempo eu tenho com ele está acabando rapidamente e não sei como impedir que isso aconteça.


24 MARINA BAY, CINGAPURA

Eu pressiono meus dedos contra o vidro frio conforme eu olho para fora da janela, para o iluminado. Marina Bay Circuit Street, onde Carrick estará correndo amanhã. Está tarde. Carrick está na cama dormindo, e eu estou com medo. Meus medos vêm crescendo exponencialmente a cada corrida. Nas vésperas de cada uma, eu luto para dormir. Minha mente está em todo o lugar. E eu sinto como se eu não tivesse uma pausa de preocupação porque as corridas vêm tão rápido. Estou exausta, esgotada, e por isso muito confusa. E aqui, em Cingapura, eu estou me sentindo o pior que já estive. Eu realmente estou lutando, e eu não sei se é porque a corrida de amanhã é à noite, às nove horas, na verdade. Não é que Cingapura tenha uma pista ruim. É apenas a escuridão, embora iluminado, isso dificulta a visibilidade. Com o pensamento de Carrick subindo em seu carro e indo para a pista amanhã à noite... Eu me sinto mal no estômago.


Carrick sabe que, desde que estamos juntos, eu me preocupo com as corridas. Ele sabe que eu estou preocupado com essa. Ele só não sabe quanto. Ele não sabe sobre os ataques de pânico. E eu não quero falar com ele em detalhes sobre eles ou dos meus medos, porque não há nada que ele possa fazer ou dizer para me fazer sentir melhor. A única maneira que eu me sentiria melhor seria se ele foi não estivesse correndo, e isso nunca vai acontecer. Um, porque ele não pode parar. Corrida é quem ele é. E dois, eu nunca iria pedir isso a ele e não só porque eu sei qual sua resposta seria. A corrida é o que faz Carrick. É o ar que respira, o sangue que corre em suas veias. E mesmo que eu saiba de tudo isso, eu sei que isso é o que ele é, isso não diminui os meus medos. Ele aparece em tudo que faço. Estou além de meticulosa com a verificação do seu carro, muito mais do que eu costumava ser. Eu já era rigorosa com os controles de segurança em seu carro antes, agora, eu sou obsessiva. Eu verifico tudo três ou quatro vezes. Estou tão meticulosamente aprofundada sobre o assunto que Ben está começando a perceber. Toda vez que Carrick sai da pista, eu não respiro até que ele volte em segurança. É isso que minha mãe sentia o tempo todo quando meu pai estava correndo? Todos esses anos com ele, doente com a preocupação de que uma corrida poderia ser sua última. Até que finalmente foi. Eu descanso minha cabeça contra o vidro frio, tentando esfriar meus pensamentos com a corrida. "O que você está fazendo, amor?"


O som da voz sonolenta de Carrick me pega desprevenida, congelando meus músculos no lugar. Forçando-me a relaxar, dirijo-me a ele. "Eu não conseguia dormir." Ele diminui a distância entre nós. Deslizando as mãos quentes até meus braços, ele envolve meus ombros. "Você está preocupada com a corrida de amanhã?" "Um pouco." Tanto que eu mal posso respirar. Eu não posso olhar para o rosto dele, temendo que ele vá ver a verdade em meus olhos. Tomando meu rosto em suas mãos, ele inclina a cabeça para trás, me fazendo olhar para ele. "Vai dar tudo certo." Ele diz isso com um olhar sólido. "Eu já dirigi neste circuito toneladas de vezes. Eu vou ficar bem." Ele pressiona seus lábios macios tranquilizadores nos meus. Eu sinto uma onda de lágrimas. Engulo-as de volta, eu envolvo meus braços em volta do seu pescoço, segurando-o. "Me desculpe, eu acordei você", eu murmuro contra sua boca. Ele vai para trás. "Você não fez. O espaço vazio frio na cama onde você deveria estar foi o que me acordou. Eu não gosto de chegar e você não estar lá.” "Sinto muito. Volta para a cama. Você precisa descansar para amanhã. Eu estarei lá em poucos minutos. " "Não, o que eu preciso é você." Suas mãos deslizam para baixo das minhas costas. Levantando minha camisola com os dedos ásperos, suas mãos pegam minha bunda nua conforme ele toma minha boca novamente, desta vez mais firme. Eu sei o que ele quer. Eu quero também. Eu sempre quero ele. Mais ainda ultimamente com um desespero, temendo que cada vez que eu tenha ele possa ser a última. O corpo de Carrick pressiona o meu contra o vidro. À medida que o beijo se aprofunda, eu sinto sua ereção contra o meu estômago, enviando raios de desejo através de mim.


Rompendo com a minha boca, ele tira minha camisola. Me pressionando de volta contra o vidro frio e implacável contra a minha pele. Ele roça o polegar sobre meu mamilo, fazendo-me suspirar em sua boca. Depois de beijar todo o caminho até meu queixo, meu pescoço, e meu peito, ele dá um beijo para cada seio antes de ficar de joelhos. Olhando para mim no escuro, ele desliza a mão debaixo da minha coxa. Levantando-a, ele a coloca em seu ombro. Me abrindo com os dedos, ele pressiona a boca em mim. Meus dedos afundam em seu cabelo em um suspiro enquanto sua língua quente me toca. Eu olho para ele, com a cabeça entre as minhas pernas me dando prazer, meus quadris balançando contra sua boca. Eu o amo. Tanto que dói. E eu não posso dizer-lhe. Porque se eu fizer isso, torna-se real, e se eu perder ele… Está tudo se tornando demais para suportar. Eu fecho meus olhos contra o medo, amor e confusão, e me concentro no jeito que ele está me fazendo sentir agora. A fuga para o céu que ele está me oferecendo. Em seguida, sua língua me toca no caminho certo, e eu quebro em torno de sua boca. Sem dizer nada, ele fica de pé. Meus dedos puxam o cordão de suas calças de pijama. Eu puxo-as para baixo de seus quadris, deixando-as cair no chão. Ele sai delas, chutando-as de lado. Levantando minha perna, ele a coloca sobre seu quadril. Em seguida, mergulhando os quadris levemente, ele empurra-se para dentro de mim. "Carrick..." eu gemo, minhas mãos segurando seus braços enquanto minha cabeça cai para trás contra o vidro. Com os olhos em mim, ele me beija, quase desesperadamente, enredando sua língua com a minha, conforme ele me leva lá, contra o vidro onde qualquer um poderia nos ver.


O sexo é intenso e profundo... na verdade muito profundo. Nós não falamos. Na escuridão que nos rodeia, o único som é nossa respiração irregular. Eu estou tremendo na hora que chego ao meu segundo orgasmo, meu corpo aperta firmemente em torno dele. Então, meu nome está saindo de seus lábios enquanto ele bombeia para dentro de mim, enchendo-me com tudo o que ele tem. Ele descansa sua testa na minha, ofegante, sua respiração tocando e misturando-se com a minha. "Não há um momento único no meu futuro onde eu não a vejo nele. " Suas palavras são sussurradas, seus dedos enfiados no meu cabelo. Eu estou sufocada pela emoção, incapaz de falar. E se eu pudesse falar, o que eu diria? Não conte sua vida comigo. Sim, eu quero isso também, mas eu não vejo isso como você faz. Eu luto por isso diariamente, mas no final, eu não sei se eu sou forte o suficiente para ficar. Eu não posso. Então, como a covarde que eu sou, eu não digo nada e escondo minha fraqueza. Passando os braços ao redor de seu pescoço, eu enterro meu rosto nele. Levantando minhas pernas, Carrick as traz em torno de sua cintura, e ele me leva de volta para a cama. Gentilmente me deita no colchão, ainda dentro de mim, ele descansa a cabeça no meu peito, e é onde permanece o resto da noite.


25 MARINA BAY, CINGAPURA

"Eu deveria estar lá, fazendo verificações de última hora." "Baby, relaxa, Ben e Robbie estão. O carro está pronto. Está mais do que pronto. Você é mais útil para mim aqui. " Ele envolve seus braços em volta da minha cintura por trás. Queixo apoiado no meu ombro, ele olha para fora da janela em frente de nós. "Eu gosto de ter você aqui comigo antes de uma corrida. Você é o meu novo ritual précorrida. " Isso deveria me fazer sentir quente e segura, mas isso não acontece. Nada pode penetrar a parede de medo que é construída dentro de mim. Estive andando em nervos durante todo o dia, nervos que eu estive lutando para esconder de Carrick. Eu não quero tirar seu foco. Eu não quero que ele se preocupe comigo. Eu quero que ele pense em sua corrida. Eu não tenho sido capaz de comer o dia todo. Eu quase não dormi a noite passada. Depois de Carrick me levou para a cama, eu fiquei só ali, observando-o, enquanto ele dormia em cima de mim. Conforme eu corri meus dedos pelo seu cabelo, meu corpo estava rígido do peso dele, mas eu não podia me mover porque eu não queria. Eu estava com medo que essa poderia ser minha última noite com ele, e eu


precisava dele tão perto de mim quanto possível. Eu precisava segurálo. Estou com tanto medo que esta corrida vá levá-lo de mim. Eu sei que estou sendo irracional. Mas eu não posso evitar. Eu me sinto fora do meu controle agora. Eu gostaria de ser diferente. Desejo que eu fosse mais forte para ele. Quando as coisas ficaram tão ruins para mim? No momento em que eu me apaixonei por ele. Meu medo se mantém em escalada, crescendo como um monstro. E eu continuo tendo o desejo insistente de dizer-lhe para não ir. Para ficar aqui comigo para sempre. Para nunca mais sair. Cada corrida tem sido pior do que a anterior, e me pergunto quando ele vai atingir o seu pico e se esse pico será administrável. Agora, ele está quase intolerável. Eu sinto como se estivesse à beira de um penhasco, olhando para o fundo rochoso, sem escolha, só cair. "Baby... fala comigo." Minha mente volta em solavancos para ele. "Sobre?" Eu tento manter minha voz calma, leve. "Sobre por que seu corpo está fechado mesmo quando eu estou envolvido em torno de você." Viro a cabeça, olhando para ele. "Eu só estou um pouco nervosa... sobre a corrida." "Eu já lhe disse, não há nada para ficar nervosa. Você me viu correr cem vezes antes ". "Não é exatamente uma centena de vezes. E você não era a pessoa mais importante na minha vida, até então." As palavras saem dos meus lábios. Foi a coisa errada a dizer, mas a coisa certa a dizer por tantas muitas diferentes razões.


Seus olhos se enchem de carinho e tudo o que ele sente por mim, que eu sei que é muito. Eu só não sei exatamente quanto. Carrick não disse que ele me ama. Mesmo que eu queira que ele me ame, uma parte de mim, a parte covarde, não quer. Se ele me amasse, tornaria tudo muito mais difícil. "Você sabe que isso vai nos dois sentidos, certo? Você está no topo da minha lista... não que seja uma longa lista. Bem, na verdade, há apenas você e meu pai nela." Ele sorri, me virando em seus braços para eu vê-lo. Eu passo o meu polegar sobre a curva de seu sorriso, e ele morde de brincadeira. "Eu gosto que você se preocupe comigo, mas você se lembra de quem eu sou, certo? Carrick Ryan, o melhor piloto do mundo. Eu tenho essa merda de corrida resolvida fácil, querida. Eu vou fazer esta corrida, e então nós vamos comemorar minha vitória na cama onde eu vou transar com você de seis maneiras diferentes. " Eu forçar um sorriso. "Apenas seis maneiras?" "Essa é a minha garota." Ele roça seus lábios sobre os meus. "Deus, eu adoro você, porra, Andressa." E eu te amo, Carrick. Há uma batida na porta antes que eu possa responder. "Hora". A cabeça de Ben aparece pela porta. "Indo". Carrick me dá outro beijo. Eu posso provar o seu ritual pré-corrida de chocolate Galaxy em sua língua, e por alguma razão, ele traz lágrimas na minha garganta, trazendo aquele desespero crescente em mim novamente. Enrolando meus dedos em seu macacão de corrida, eu pressiono sua boca, mais forte, precisando mais dele. Dando-me o que eu quero, com os braços em torno de mim, me esmagando contra seu corpo. Ele me beija quase como se fosse a primeira e última vez na vida.


Por favor volta para mim. Ele para, ofegante, os olhos acesos de desejo. Ele aperta os lábios na minha testa, cantarolando as palavras sobre a minha pele, "Porra, eu adoro você, querida." Deslizando a mão na minha, ele pega o capacete do lado, e nós deixamos o seu quarto juntos, Ben segue as escadas para o box. Carrick veste seu gorro e capacete. Ele pisca para mim antes de puxar a viseira para baixo. Depois ele sobe na cabine. Ben o amarra. O volante é colocado. Ele está pronto para ir. Volta. Sua cabeça se vira para mim bem na hora de ele sair para o aquecimento dos pneus. Ele bate dois dedos em seu capacete, e, em seguida, ele puxa para fora do box e para a pista. E eu passo para trás para vê-lo nas telas.

Eu estou me levando a loucura. Eu não posso falar com ninguém. Algumas vezes, Petra e Ben têm tentado conversar comigo sobre a corrida, mas o meu olhar sempre permanece fixo nas telas, minha boca murmurando de volta as respostas de uma palavra só. Meus olhos estão secos e doloridos, porque eu tenho tanto medo piscar no caso de eu perder alguma coisa. Eu não posso perder nada. Carrick está dirigindo bem... muito bem. Mas ele não veio para mudança de pneus ainda, e isso está começando a me incomodar. Ele vai precisar da mudança em breve. Ele está puxando muito o carro.


Ele está em uma linha reta, no momento, se aproximando rapidamente de uma curva. Um retardatário está na frente dele, e eu sei que Carrick está ficando frustrado, querendo passar. Eu posso ver isso pelo movimento agressivo do seu carro. Eu não preciso estar na mesa de controle para saber que ele está xingando o outro motorista para o inferno. Eu posso ouvir a voz de Owen daqui, dizendo-lhe para ter calma. Eu dou um olhar preocupado na direção de Owen, mas meus olhos voltam direto para as telas, procurando-o. Segurança de prova com a sua bandeira azul para dizer ao retardatário para deixar Carrick passar. Eu vejo a bandeira vir para cima. Graças a Deus. Eles estão quase na curva quando a bandeira vem para cima, e eu espero que o retardatário desacelere para deixar Carrick passar. Mas ele não está em desaceleração. Será que ele não vê a bandeira? Então, eu vejo o que vai acontecer uma fração de segundo antes de acontecer. O outro motorista, em sua arrogância, não desacelera o suficiente para a curva. Suas rodas traseiras giram para fora no momento em que Carrick está fazendo a ultrapassagem. A traseira do retardatário vai para fora, em linha reta no caminho do carro de Carrick. Ela bate de frente, o carro de Carrick é jogado para fora da pista e bate em uma parede. Não! O grito sai da minha garganta. Eu quero correr, ir para ele, mas eu estou congelada no lugar. Meus olhos estão arregalados de medo, minhas mãos cobrindo minha boca, conforme eu desesperadamente procuro as telas para um sinal de que ele está se movendo no cockpit. Eu posso ver os detritos do seu


carro pela pista, e o segurança está escalando a parede para chegar até ele. Há um silêncio ao redor. Menos Owen. Eu posso ouvir a sua voz frenética, verificando Carrick, pedindo-lhe para responder que ele está bem. Meu coração está batendo tão duro que é doloroso. Por favor, esteja tudo bem, baby. Por favor. Então, eu vejo a mão de Carrick se movendo. Arrancando do volante, ele joga-o para fora do carro. Ele está bem. Graças a Deus ele está bem. Há uma exalação de alívio coletivo. Estou aliviada. Além de aliviada. Mas ainda assim, eu não posso respirar. Por que eu não posso respirar? Porque ele poderia ter morrido. Esse acidente poderia tê-lo matado. Uma batida errada, é tudo o que precisa, e ele está morto. Assim como meu pai. "Graças a Deus ele está bem. Eu estava preocupada ali por um segundo. " Petra está ao meu lado, exalando seu alívio, o braço em volta da minha cintura. Eu nem sabia que ela estava aqui. "Ei, você está bem?", Ela me pergunta. Eu inexpressivamente olho de volta para ela. Tento mexer os lábios, mas nada está funcionando como deveria. Tudo o que posso fazer é acenar com a cabeça muda. Ele poderia ter morrido. Ele teve sorte desta vez. Mas o que dizer da próxima vez? Eu movo meus olhos de volta para a tela. Carrick está fora do carro agora, caminhando de volta para os boxes. Ele parece zangado. Ele vai ficar louco e frustrado de sair da corrida.


Ele está bem. Ele está voltando. Mas ainda assim, eu não posso respirar. Por que eu não posso respirar? Porque ele poderia estar morto agora. Assim como meu pai. Ele poderia ter morrido naquele carro. Minha cabeça começa a girar. Minha visão começa borrar. Meu coração batendo. Barulho em meus ouvidos. As pontas dos meus dedos formigando. O pânico desliza as mãos feias em torno de minha garganta e aperta. Eu tenho que sair daqui. Eu não posso fazer isso. Tropeçando para longe de Petra, murmuro algo incoerente. Eu ouço ela me chamando, mas eu não posso parar. Eu saio do box para o corredor vazio, com falta de ar. Eu não consigo respirar. Eu vejo um bebedouro e vou em direção a ele. Abrindo a água fria, eu coloco minha boca nele, molhando os meus lábios secos. A respiração ainda queimando minha garganta, meu peito arfante, eu inclino meu corpo contra o bebedouro, e coloco meu pulso sob a água corrente, um truque eu li para ajudar a tentar acalmar um pulso acelerado no meio de um ataque de pânico. Leva o que parece uma eternidade para mim para manter alguma forma de controle. Da escuridão para o claro da minha visão. Mas eu ainda não estou certa. Minha mente ainda está inquieta com medo. Eu ainda estou agitada. Tudo o que posso pensar e ver são os “e se”. E se seu carro tivesse batido na parede no ângulo errado? Em vez de andar, ele teria sido carregado de lá.


E se o tanque de combustível tivesse rompido com o impacto? E se o carro pegasse fogo? Ele não teria tido a chance de ser levada para fora de lá, porque ele seria... Jesus. Minha visão borra novamente. Eu esfrego meus olhos. Eu não posso mais fazer isso. Eu não posso continuar me sentindo assim. Eu não posso ir lá novamente. Eu não posso perder alguém que eu amo desse jeito. E Carrick merece mais do que eu. Mais do que eu posso lhe dar. Qualquer namorada normal teria ido correndo em sua direção, precisando senti-lo e tocá-lo para saber que ele está bem. Não gosto de mim fugindo, escondendo-me no corredor, tendo um ataque de pânico, porque tudo isso é muito para lidar. Ele merece muito mais. Eu não sou forte o suficiente para ficar com ele. Eu estou quebrada. Seu pai estava certo. Eu deveria deixá-lo agora, enquanto o dano é mínimo. Eu deveria tê-lo deixado semanas atrás. Eu nunca deveria ter deixado chegar até aqui. Eu só estava enganando a mim mesma, pensando que eu poderia fazer isso. Porque eu não posso. Conforme eu viro do bebedouro, eu vejo a máquina de venda automática de Carrick cheia do seu chocolate. Ela dispara uma dor esmagadora intensa no meu coração. "Andressa?" Fechando os olhos com o som da voz de Carrick, eu tomo uma respiração profunda antes de abri-los e virar-me para encará-lo. Ele parece confuso. Irritado. Mas assustado. Ele está lá em seus olhos, uma pequena centelha de medo e incerteza. "O que você está fazendo aqui fora? Eu estava procurando por você."


"Você está bem?" Eu pergunto, minha voz tremendo. "Eu estou bem." Ele tira minhas palavras com impaciência. "O que eu não estou bem é de estar de volta da pista e você não estar lá. " "Eu-eu sinto muito." Meus lábios tremem. "O que está acontecendo, gata? Você está bem? " Ele dá um passo em minha direção. Em vez de ficar parada ou me mover em direção a ele, eu dou um passo atrás. E ele entende instantaneamente. Vejo isso claramente pela mostra de horror que passa sobre o seu rosto. "Andressa... o que está acontecendo?" Sua voz oscila. "Eu só... Eu acho que eu não posso mais fazer isso." As palavras me deixam em uma corrida sem fôlego. "Você não pode fazer... o que mais?" Suas palavras são cuidadosamente faladas. Quase como se ele estivesse com medo de dizê-las por medo do que virá. Eu tomo uma respiração profunda. "Isso." Eu faço um gesto com uma mão impotente entre nós. "Babe, se isso é sobre o acidente... foi apenas uma colisão." "Não foi só uma porra de uma batida!" As palavras rasgam minha garganta. "Você poderia ter morrido lá fora!" "Besteira. Foi pequena. Já tive piores. Eu estou aqui, Andressa, e eu estou bem." Ele tenta me acalmar com as mãos e palavras enquanto ele tenta se aproximar de mim, mas eu me defendo, movendo-me mais longe. Ele não gosta disso. Isso está claramente escrito por todo seu rosto em linhas de profunda frustração. Mas eu não posso absorver qualquer coisa dele. Tudo com o que eu estou em sintonia são meus próprios medos agora. É quase como se eu não estivesse realmente aqui de pé, pensando e dizendo essas coisas. É como se eu tivesse saído do meu corpo, entregue para outra pessoa, e eu estou olhando de volta para mim em


horror, incapaz de parar de destruir a melhor coisa que eu já tive. Porque tudo o que importa agora é parar o medo e pânico, quero fazer tudo para que o ruído em minha cabeça pare, mesmo que isso signifique destruir tudo. Ele. Eu. Nós. Lágrimas começam a correr pelo meu rosto. "Você está bem agora, mas o que dizer da próxima vez? Uma coisa errada. Isso é tudo o que precisa e você se foi, para sempre. Eu pensei que eu pudesse fazer isso... mas eu não posso. Sinto muito." Minha cabeça está balançando, e eu estou pisando para trás, mais distante dele. Neste momento, eu só preciso fugir. Eu não posso ver além do medo. Eu estou cego por ele. E agora, eu não vou fazer nada para parar de me sentir desta forma. Virando no meio do caminho, eu começo a andar para longe. Mas ele agarra meu braço por trás, puxando-me de volta para ele. Há fogo e ira e dor nos seus olhos. "É isso?", Ele rosna. "Você diz que você não pode mais fazer isso e então você só vai embora, porra? " Minha mente está girando. Sinto-me presa, encurralada como um animal selvagem. E como um animal selvagem, eu vou fazer o que é necessário para me afastar mesmo que isso signifique ferir uma pessoa que não mereça ser ferido por mim. "Sim, isso é exatamente como é! Eu lhe disse que eu não posso mais fazer isso! Eu tentei, e isso não está funcionando. Agora, deixeme ir. " Eu puxo meu braço, mas sua força é muito forte, e é como se ele nem sequer me sentisse. "Eu não posso acreditar que isso... porra todo esse tempo juntos... eu..." Ele faz uma pausa, tomar uma respiração dolorida. Então, seus olhos encontram os meus, me segurando com tal poder que eu não posso nem começar a explicar. "Jesus... Andressa, isso está realmente acontecendo? Você está realmente... me deixando? " Respiração profunda…


"Sim. Estou." O olhar em seu rosto... Eu nunca mais quero ver esse olhar no rosto de ninguém. Eu acho que eu estou na verdade, testemunhando um ataque cardíaco neste momento, e eu me odeio por isso. Abominavelmente me odeio. Ele deixa cair meu braço como se eu tivesse apenas o repreendido. "Eu sinto muito..." Minha voz quebra, as lágrimas correndo sobre meus lábios e minha boca. Meus olhos ficam baixos com vergonha e com a dor do meu próprio coração partindo. Viro-me e começo a andar de novo. "Andressa! Você não pode simplesmente me deixar assim! Você não pode me deixar! " O pânico em sua voz é palpável. Ele corta a minha pele como as lâminas de barbear com uma dor que eu mereço, cavando fundo, tirando lascas dos meus ossos, me crucificando. Eu mantenho meus lábios apertados. Se eu separá-los, eu tenho medo de enfraquecer e viro de costas para ele e saio. Então, eu continuo andando para longe do único homem que já amei. "Você está indo embora porque você está com medo, mas eu não sou seu pai, Andressa! você está me ouvindo? Eu não sou ele. Eu não vou morrer nessas pistas do caralho! " Paro com a menção de meu pai, eu volto para Carrick. "Você não sabe disso!" Eu grito. "Eu acreditava com todo meu coração que meu pai não iria morrer lá fora! Eu tinha tanta porra de certeza disso! Eu pensei que porque ele era o melhor piloto do mundo, isso de alguma forma o fizesse invencível! Imune à morte. Que ele nunca iria morrer. E eu estava muito errada, porra!” Eu grito, meu peito arfando com emoção. "Um movimento errado no carro, isso é tudo que é preciso, e depois você se foi, para sempre." Minha voz é fria, dura, isolada. Eu nem me reconheço agora. "Eu caí vítima da minha certeza uma vez, e isso me rasgou em pedaços. Eu não vou fazer isso de novo. "


Eu acho que é neste momento que ele percebe que isso está realmente acontecendo. Sua máscara dura desliza no lugar, blindando-se contra mim. "Você vai, e acabamos para sempre. Você sai por aquela porta. Eu não vou persegui-la. " Sua voz é áspera, com emoção, mas grave, mortalmente grave. Um tremor de medo passa através de mim, penetrando em minha consciência. Uma pequena parte de mim está gritando que eu estou cometendo o maior erro da minha vida. Não. Eu tenho que fazer isso. É a coisa certa para nós dois. Eu tomo uma respiração profunda. Passando os braços em volta de mim, eu fixo meus olhos nos dele. "Esse é o ponto... Não quero que você me persiga. " Eu me afasto, mas não antes de ver a dor debilitante enchendo seus olhos. Isso me rasga a cada passo que me leva dele. "Andressa... só porra espere... por favor! Eu-eu... te amo! " Eu congelo. Minha respiração me deixar em uma corrida dolorosa, como se eu levasse um soco no peito, como se suas palavras ricocheteassem através de mim. Meu corpo sacudindo, joelhos tremendo, eu tenho que lutar para inspirar o ar para ficar de pé. Eu o escuto se mover em direção a mim, sua voz baixa se aproximando. "Por favor. Eu te amo. Isso tem que contar para alguma coisa. Apenas... não vá. " "Eu também te amo", eu sussurro as palavras tão baixo que ele não vai ouvir. Mas eu precisava dizer isso a ele apenas uma vez. Eu respiro através da agonia, e as lágrimas começam a derramar pelo meu rosto novamente. Eu puxo com esforço a respiração. Então, eu começo a andar, e eu não paro até que eu esteja fora da porta e fora de sua vida.


26 DOIS MESES MAIS TARDE SÃO PAULO, BRASIL

Arrependimento... que retarda o tempo da pior maneira possível. Como um assassino silencioso, ele desliza sua mão ao redor da sua garganta e tira a vida de você. Mesmo que eu saiba que deixar Carrick era a coisa certa a fazer, o arrependimento não parou de vir atrás de mim. Quando eu corri, eu estava em uma névoa, presa em uma névoa de pânico e medo. Mas uma vez que o nevoeiro se dissipou, ele me bateu com a força de um trem de carga. Era como o assentamento após a tempestade, eu saindo para ver os destroços. Eu o tinha deixado. Eu realmente o deixei. Não havia como voltar atrás. Eu nunca mais serei capaz de falar com ele, vê-lo, estar perto dele... tocá-lo mais uma vez. Eu me perdi por alguns dias. Eu não conseguia levantar da cama. Eu não conseguia parar de chorar. Eu era uma bagunça. Ainda estou de certa maneira.


Eu sei que parece loucura... que sou louca. Às vezes, eu acho que eu deveria realmente embarcar num trem de louco. Mas naquela noite em Cingapura, para resumir eu estava com tanto medo, tão consumida por tudo o que eu estava sentindo que eu não podia ver além daquilo. E agora eu estou vendo além, e eu sinto falta dele como uma dor física. Não diminui. Na verdade, está ficando mais forte. Não mudou muito sobre a maneira como eu me sentia com as corridas de Carrick. Eu ainda me preocupo toda vez que ele entra no carro. Eu ainda assisto na televisão dentro dos limites da minha casa, preocupando-me com ele todo o tempo. A única diferença é que aqui sinto um sentimento de desapego dele. Não estar fisicamente lá diminui a loucura em mim, eu acho. Quando o deixei naquela noite em Cingapura, saindo da pista, eu fui direto para o hotel. Eu rapidamente embalei minhas coisas e peguei um táxi para o aeroporto. Eu tive que voar para Istambul, em um voo de conexão para o Brasil, durante a maior parte de um dia. Tio John e Petra me ligaram quando eu estava no avião. Eu tinha mensagens de voz e de textos de ambos. Enquanto eu estava em Istambul, à espera de meu voo para o Brasil, eu mandei uma mensagem para os dois, dizendo-lhes que eu estava bem e que eu ligaria quando pudesse. Eu também mandei uma mensagem para minha mãe para dizer a ela que eu estava voltando para casa. Eu simplesmente não conseguia lidar com falar com ninguém naquele momento. Levei uma eternidade para chegar em casa, para o Brasil, e eu estava exausta e drenada no momento que eu desembarquei em São Paulo. Minha mãe estava me esperando no aeroporto. Fiquei tão aliviada ao vê-la ali de pé. Eu caí em seus braços como a pilha de bagunça que eu estava. Ela não perguntou nada. Ela apenas me abraçou e acariciou meu cabelo, me acalmando.


Eu realmente não tenho falado com a mamãe, ou com qualquer pessoa sobre esse assunto, sobre o que aconteceu. Tudo o que ela sabe é que eu terminei com Carrick, e eu saí da equipe. Falei com Petra e tio John. Liguei para eles no meu primeiro dia de volta ao Brasil depois que eu chorei rios com a minha mãe. Eu não expliquei o que tinha acontecido. Eu só disse a eles que eu não poderia estar mais com Carrick. Que não estava funcionando para mim. Eu acho que ambos sabiam o motivo real, mas não me questionaram, o que eu estava grata. Pedi profundas desculpas para o Tio John por simplesmente deixalo em apuros assim. Ele me disse para parar de ser tonta, e então ele perguntou quando eu ia voltar. Eu disse a ele que eu não iria voltar. Ele não aceitou. Ele não vai preencher a minha vaga. Ele contratou um mecânico temporário, um cara chamado Pete, para cobrir o meu trabalho até eu voltar. Mas como eu posso? Carrick disse se eu o deixasse ele não iria me perseguir. Ele quis dizer isso. Não tem havido nada. Nenhuma ligação ou mensagens. Não que eu esperava que houvesse. Mas eu acho... Eu não sei. Eu não sei o que eu esperava. Mas está certo desta maneira. Um rompimento claro. Você acha que isso iria facilitar as coisas. Isso não acontece. Fica mais difícil de alguma forma. Não estar com Carrick, eu sinto como se tivesse perdido um membro. Nada poderia ter me preparado para o quanto eu me sinto mal por não estar com ele. Eu pensei que viver com o medo das suas corridas era ruim. Foi uma brincadeira de criança, comparado com o que eu sinto agora.


Então, por que não posso voltar? Por que eu não ligo e digo a ele que sinto muito e peço-lhe para me aceitar De volta? Porque nada mudou. Eu ainda sou eu. Eu ainda não sou boa o suficiente para ele. Afastei-me dele, e eu o feri. E ele seguiu em frente agora, de qualquer maneira. Não com qualquer outra pessoa, bem, não que eu saiba. Mas depois que eu saí, eu não pude evitar de procurar por notícias dele. No início, não havia muito. Notícias sobre a forma como ele estava perdendo as poles positions nas corridas. Eu me senti imensamente culpada por isso. E havia uma foto dele tirada algumas semanas depois que tínhamos terminado. Ele não parecia bem. Ele foi fotografado deixando um jantar de patrocinador com o pai. Ele estava vestido com calças de brim e uma camisa, barba por fazer. Ele parecia cansado. Doeu-me que ele parecia ruim, que ele estava claramente sofrendo, mas uma parte escura de mim ficou aliviada ao saber que ele não tinha me superado. Mas depois a algumas semanas atrás, eu vi a notícia de que suas pole positions estavam de volta e que ele tinha ficado em primeiro lugar em ambas as corridas americanas e mexicanas. Eu estava feliz por isso. Então, ontem, eu vi uma foto dele aqui no Brasil. Ele está em São Paulo para a penúltima perna da turnê. Ele estava em algum evento, cercado por modelos, e isso me tirou de si. Ele parecia melhor. Parecia Carrick. Ele estava sorrindo. Ele estava feliz. Isso foi como um soco no meu estômago, vendo a imagem, sabendo que ele me superou agora. Eu sei que está machucando e que eu mereço, mas isso não me faz sentir menos merda.


Eu sabia que estava chegando, eu só não sabia o quão difícil seria saber que ele tinha me superado. E eu acho que basta saber que ele está aqui, a apenas uma hora de distância de mim, que faz as coisas doerem mais. Ainda mais agora porque eu estou no caminho para São Paulo para jantar com Tio John, Petra, e Ben. Estou dirigindo. Peguei emprestado o carro da minha mãe para me salvar de ter que tomar o trem. A mamãe foi convidada esta noite, mas ela já tinha planos. Então, nós vamos ter mais um jantar com Tio John antes que ele parta. Vou me encontrar com eles em um restaurante chamado Pizzaria Speranza. É um ótimo lugar com uma pizza incrível. Eu estou tentando não pensar sobre o quanto Carrick iria amar lá. Estou tão ansiosa para ver os três. Vai ser bom vê-los, abraça-los. Tenho conversado com eles pelo telefone, mas não é o mesmo. Eu sinto falta deles. É engraçado como eu fiquei tão ligada assim logo, bem, quero dizer, com Petra e Ben. Já era ligada ao meu tio John. Eu acho que é de estar na estrada juntos. Você passa muito mais tempo juntos do que faria normalmente. Eu resolvi não perguntar como Carrick está. Eu já me abstive de mencioná-lo quando eu falo com eles no telefone. Mas tem havido ocasiões estranhas quando seu nome surgiu com Petra. Especialmente no início logo depois que eu saí, ela me dizia o quanto ele estava sentindo minha falta. Era difícil ouvir. E tornou ainda mais difícil ficar longe. Mas eu sou um veneno para Carrick. Ele não precisa de mim em sua vida. Ele está melhor sem mim, e eu acho que ele percebeu isso agora. Eu estaciono em frente ao restaurante. Eles já estão aqui, sentados no exterior. Então, no momento em que eu chego lá, eles já estão sem mim.


Petra é o primeiro a chegar a mim, e ela abraça a vida fora de mim. "Maldição! Eu senti sua falta!" "Também senti a sua Pet", eu digo, sentindo uma onda de emoção. Me segurando pelos ombros, ela olha na minha cara. "Não estou dizendo que você parece uma merda, mas você parece cansada, e você definitivamente perdeu peso, e não havia muito para perder. Você está OK?" "Eu estou bem." Eu respondo com um sorriso. Eu não estou bem. Ela sabe disso. Eu sei disso. E ela está certa. Eu perdi peso. Quando eu estou triste, eu sou daquelas pessoas que perde o apetite. "É bom ver você, Andi." Ben move-se para me dar um abraço. "Não é a mesma coisa a garagem sem você." "Aw, Ben, eu realmente estou sentindo o amor agora." Eu rio para ele, mas honestamente, eu estou lutando com as lágrimas. No momento em que Ben me solta, tio John me levantar tirando meus pés do chão em um abraço de urso. "Senti sua falta, garota. Eu tive você de volta, e você se foi e me deixou novamente. " Tio John raramente mostra emoção, mas eu a ouço claramente em sua voz. E então eu a vejo brilhando em seus olhos quando eu vou para trás para olhar para ele. Dou-lhe um olhar triste, desejando tanto que as coisas fossem diferentes, que eu fosse diferente. "Senti saudades de você, também, Tio John. " Eu dou um beijo na sua bochecha antes que ele me abaixe de volta em pé. "Mas estamos aqui agora, então vamos lá. Vamos começar a festa! " Eu forço um grande sorriso e leveza na minha voz. Petra agarra a minha mão e me leva para a nossa mesa, me sentando ao lado dela. "Então o que bom para beber aqui? " "Bebida?" Ben ri. "Não viemos comer?" "Sim, claro, nós vamos comer." Ela lhe dá uma olhada. "Mas o importante é a primeira coisa álcool."


Ela sorri, me fazendo rir. Deus, eu senti falta desses caras. E eu tento não focar na pessoa que eu estou sentindo mais falta.

"Vou levá-lo de volta. É meu caminho. " "Você tem certeza?" tio John verifica. "Claro. É bobagem, todos vocês irem de táxi de volta quando eu vou passar por lá.” Nós estivemos no restaurante durante horas, apenas comendo e dando risada. Eu não bebi já que eu estou dirigindo, mas os três entraram na cerveja, e a Petra está definitivamente feliz. Todos nós entramos em meu carro, e logo, eu estou parada na frente do hotel. Eu saio do carro, para que eu possa dizer adeus a eles corretamente. Eu estou abraçando Ben quando eu o vejo. Ele está saindo do hotel com o pai. Meu coração para na visão dele. Todo o resto em torno de mim desaparece. A dor constante com que eu aprendi a viver desde que o deixei se intensifica, deixando-me sem fôlego. Eu fecho meus olhos sobre a dor, mas eu sinto no instante em que ele me vê. Quase como se ele estivesse tocando minha pele com as mãos, sinto-me tocar os olhos em cima de mim. Eu olho diretamente para ele, notando seu choque ao me ver. Eu me afastar de Ben, e os meus olhos seguem Carrick enquanto ele caminha em direção a mim.


Meu corpo começa a tremer, meu coração batendo em tempo duplo. Ele para a poucos passos de distância. Ele está vestido com calça jeans e uma camiseta da equipe. Ele está lindo. "Andressa..." Ouvir sua voz dizendo meu nome é como ter um copo de água no deserto árido, apenas para descobrir que não é real, mas uma miragem. "Oi." Minha voz é fraca. "Vamos deixa-los." tio John dá um beijo na minha testa. "Vejo você em breve, garota." Eu não os vejo sair. Eu não posso tirar meus olhos de Carrick. Nós dois estamos de pé aqui, olhando um para o outro. "Eu vou pegar o carro", diz Owen. Carrick dá um aceno em reconhecimento, mas ainda não se afasta de mim. Estar aqui com ele, olhando em seus olhos, eu sinto que estou me afogando e voltando à vida, tudo ao mesmo tempo. "Como... você tem estado?" Ele dá mais um pequeno passo mais perto, mas de alguma forma, ele não está perto o suficiente. Mas então, nada nunca foi próximo o suficiente para mim quando se tratava dele. Esse sempre foi o problema. Eu sinto demais quando estou perto de Carrick. É a nossa grande coisa e a minha maior queda. "Tudo bem... eu acho. Quero dizer... eu não sei. Você?" Finalmente, ele olha para o lado, seu olhar varrendo o chão. Eu o ouço soltar um suspiro antes que ele traga seus olhos de volta aos meus. "Igual... eu acho." Sua mão está flexionando ao seu lado. Parece que ele quer me tocar e fugir ao mesmo tempo.


Eu sei disso porque eu estou sentindo exatamente da mesma maneira. Nada foi mais difícil do que este momento agora. Eu pensei que o dia que terminamos foi difícil... horrível, mas isso parece pior de alguma forma. Acho que é porque, naquela época, embora estivéssemos brigando... caindo aos pedaços, ele ainda estava no meu caminho. E agora... não somos nada, mas duas pessoas que costumavam estar juntos. "Eu ia ligar para você." Ele limpa a garganta áspera. "Nós precisamos conversar" meu coração salta um pouco. "Sobre o seu carro" Então, ele solta. "Ele ainda está na minha garagem, mas eu pensei que... Quer dizer, se você for ficar aqui, então eu posso tê-lo enviado a você. Ou se você estiver vindo de volta para a Inglaterra, eu poderia dirigi-lo até a sua casa, ou você pode ir busca-lo. Quero dizer, o que você quiser. De qualquer maneira... apenas me deixe saber." O carro do meu pai. De Carrick e meu carro. Eu sinto uma onda de emoções tão fortes que eu não sei o que fazer comigo mesmo. Esse carro simboliza tudo o que importava na minha vida. Era o que finalmente trouxe Carrick e eu juntos. Eu tenho que deixá-lo ir. É a coisa certa a fazer. Respirando fundo, eu mantenho minhas emoções para trás. "Muito obrigada. Mas eu não posso manter o carro. Isto não é certo, não agora. " Suas sobrancelhas se juntam, e eu posso ver um mundo de dor em seus olhos. "Ele é o seu carro, Andressa. Eu comprei para você. " Suas palavras são ditas em voz baixa. E eles me dão um soco direto no coração.


"Ele custa tanto dinheiro, Carrick. Agora que não estamos... mais juntos, seria errado eu mantê-lo. " Ele solta uma respiração, apertando a ponta do seu nariz. "Eu não posso ficar com o carro, Andressa." Sua palavras são suaves, aflitas. "Mesmo se você não o queira mais, eu só... Eu não posso ficar com ele. Posso doar ele para um leilão de caridade ou algo assim. Eu não sei. Apenas me diga o que fazer, e eu vou fazê-lo. " Ele olha para mim com olhos suplicantes, e há um desespero em suas palavras que diz muito mais. Ele não me superou? É errado eu sentir uma centelha de esperança, eu não tenho o direito também, mas ainda assim, eu sinto isso. Eu tão desesperadamente quero alcançá-lo neste momento. Me segurando, eu amarro minhas mãos juntas na minha frente. "Eu vou ficar com ele." Eu não quero machucá-lo mais do que eu já fiz. Seus olhos levantam um pouco. "Para onde eu devo envia-lo? Aqui... ou seu apartamento na Inglaterra? " Eu ainda tenho meu apartamento. O contrato de arrendamento foi por um ano, e não venceu ainda. É esperança em sua voz com o pensamento de eu voltar para a Inglaterra? "É... provavelmente melhor manda-lo para cá." Seus olhos escurecem. Eu envolvo meus braços em volta de mim para tentar afastar o frio que eu sinto. Mas não resolve porque está vindo de dentro de mim. "Por favor, certifique-se de me mandar a conta para o transporte." "Não, está tudo bem." Ele responde. Mas eu não posso deixá-lo pagar. Ele já fez o suficiente para mim. "Por favor, deixe-me pagar pelo transporte, Carrick," Eu digo suavemente.


"Jesus, Andressa!", Ele se encaixa. "Apenas deixe-me fazer uma última porra de coisa para você." Sua impaciência é impulsionada pela mágoa. Eu sei disso, e é por isso que eu digo em voz baixa, triste, "Ok, Carrick... tudo bem." O ar é denso com tudo. Tanta coisa não é dita entre nós. É difícil respirar. Meu corpo todo está doendo pelo seu. Memórias estão pintando no ar em torno de nós, me matando lentamente. Eu levanto meus olhos, encontrando com os seus. Está lá, aquela conexão entre nós, aquela que esteve lá desde o início. Seus lábios abrem, como se ele estivesse prestes a dizer algo, mas ele é cortado pelo rugido do motor conforme o carro de Owen para na frente do meu. Rompendo com o seu olhar, eu olho para o carro de Owen. "Eu deveria... deixá-lo ir." Deus, isso machuca muito. Eu não quero deixálo. Mas eu tenho que. Eu forço meus pés a se moverem em direção ao meu carro. "Foi muito bom vê-lo." "Andressa..." Sua voz me puxa para trás, não que precisasse de muito mais. "Sim?" Há esperança na minha voz. Eu sei disso, e eu não posso evitar. "Eu só... queria..." Ele está lutando. É difícil de ver, mas me dá uma esperança estúpida novamente. Ele passa a mão pelo seu cabelo enquanto ele solta um suspiro. "Eu só queria dizer que a garagem é vazia sem você." Em seguida, ele vai embora, entrando no carro de Owen, e eles vão embora. Eu assisto o piscar dos faróis do carro que desaparecem no tráfego.


Firmando-me com uma mão no profundamente, sugando as lágrimas.

meu

carro,

eu

respiro

Eu abro meu carro e entro. Eu ligo a ignição, o rádio vem em meio a voz comovente da Beyoncé dizendo que ela está "com medo da solidão." E eu quebro. Leva-me quinze minutos antes que eu possa me recompor o suficiente para ser capaz de ir para casa.


27 SANTOS, BRASIL

"Bridget Jones ou The Holiday?" Eu fico olhando para os caixas de DVD nas mãos da minha mãe, sem estar realmente a fim de assistir a qualquer um. Eu não estou exatamente com humor para um filme de mulherzinha. Eu tenho sido aparentemente "um pé no saco de mau humor" – segundo a minha mãe nos últimos dias... desde que eu vi Carrick basicamente. Eu acho que esses filmes são sua maneira de me trazer de volta. Dedilhado meu colar, eu digo, "Carros". "Bridget Jones." Ela me dá um sorriso doce. Minha mãe não é exatamente uma fã de carros. Eu acho que eu já a deixei louca com ele ao longo dos anos. Passando por mim, ela coloca o disco no aparelho. "Eu vou pegar algumas guloseimas", diz ela antes de sair da sala de estar. Ela reaparece um minuto depois com as mãos atrás das costas. "Quando eu estava na cidade mais cedo, fui para a loja que vende comida inglesa, e você nunca vai adivinhar o que eles tinham. " Seu rosto está todo iluminado. "Álcool?" Isso é apenas o meu pensamento positivo que ela me comprou algum.


Minha mãe não é realmente uma grande bebedora, e ela raramente bebe em casa. Mas eu poderia realmente afogar minhas tristezas direito com cerveja agora. "Chocolate inglês!" Ela puxa de trás de suas costas um grande barra de Cadbury Dairy Milk e uma ainda maior do Galaxy. Jesus Cristo. O chocolate de Carrick. Eu tenho que me impedir de irromper em lágrimas. De todo o chocolate em toda a porra do Brasil que ela poderia ter comprado, ela compra o Chocolate dele, não que ela saiba que é seu chocolate. Ainda assim, é como se os deuses tivessem rancor de mim ou algo assim. "Eu sei o quanto você odeia o chocolate brasileiro, já que é muito amargo e como você ama o chocolate da Inglaterra, então eu pensei que isso poderia animá-la." "Obrigada", eu conseguir falar. Encostando de volta no sofá, deixo minha depressão se espalhar em mim, eu jogar um braço sobre meu rosto e me espalho, minhas pernas longas ocupando todo o espaço. Com um toque, mamãe levanta minhas pernas. Eu mover meu braço do meu rosto para vê-la sentar-se, minhas pernas ainda em suas mãos. Uma vez que ela está sentada, ela coloca as pernas em seu colo. "Sorria, querida. Eu odeio ver você tão triste. " "Eu estou sorrindo." Eu forço de uma maneira mostrando demais os dentes. Ela me dá um olhar triste, mas não fala nada. "Qual deles você gostaria?" Ela levanta ambas as barras de chocolate, sem saber da minha agitação interna sobre o chocolate, que está me ferindo como uma cadela.


E porque eu sou uma masoquista e eu realmente estou querendo me torturar, eu pego o Galaxy. Eu tento não chorar quando eu tiro um pedaço e o coloco na minha boca. Assim que o chocolate bate na minha língua, tudo em que eu posso pensar é na última vez que Carrick me beijou. Foi antes de sua corrida em Cingapura, e eu podia sentir o chocolate em sua língua. E agora, tudo o que posso pensar é como me sentia ao ser beijada por ele, ter ele fazendo amor comigo. Meu corpo começa a doer por ele. E eu tenho essa dor no meu peito, como se alguém estivesse em pé sobre ele. Será que essa dor de perder ele nunca vai embora? "Não." O quê? Eu disse isso em voz alta? Eu dou um olhar para a minha mãe, mas ela está olhando para o seu telefone. Ela fica olhando para mim. "Desculpe querida. Sua tia Clara que pediu um par de meus brincos de novo. Mas eu estou dizendo a ela não como eu não recebi o último par de volta. Ela saiu, ficou bêbada, e perdeu! " ela exclama. Isso me faz rir, e eu rio com o pensamento de tia Clara bêbada. A campainha toca. Nós duas nos entreolhamos. "Você está esperando alguém?" Mamãe pergunta. "Não." "Eu quero saber quem está tocando a esta hora." Poderia ser Carrick? Meu coração levanta e, em seguida, esvazia com a mesma rapidez quando percebo que estou sendo estúpida. Ele não sabe onde eu moro, para começar, e não é como se ele tivesse um motivo para vir me ver.


Já se passaram dois dias desde que eu esbarrei nele fora do seu hotel e nada. Se ele quisesse me ver, ele teria vindo já. "São apenas sete horas, mãe." Eu rio. "E nós não vamos descobrir a menos que você abra a porta." "Acho que eu vou abrir a porta então." Ela me dá um olhar. Usando o controle remoto, ela para o DVD, levanta minhas as pernas dela, e se levanta do sofá. "Olhe através do olho mágico antes de abrir a porta," Eu grito atrás dela. Eu não quero que ela abra a porta para um assassino com um machado. Mas, até que pode não ser uma coisa ruim. Ele poderia colocar-me fora da minha miséria. Eu ouço as vozes para ver quem é. Eu posso ouvir murmurinhos baixos, mas nada que eu possa entender. Estou prestes a levantar-me do sofá quando minha mãe vem de volta na sala de estar. "Você tem uma visita." Ela se move de lado para revelar Owen Ryan em pé atrás dela. "Owen, Sr. Ryan, o que você está fazendo aqui?” Lutando para me sentar, eu passo a mão no meu cabelo, bem consciente da bagunça que eu sou. Não me lembro a última vez que eu tomei banho, meu cabelo está amarrado em um nó bagunçado, e eu estou vestindo meus pijamas antigos “Ainda brinca com carros”. Eu pareço péssima enquanto Owen Ryan está de pé aqui em seu terno do Savile Row. Mas então, não é como se eu tivesse que impressioná-lo mais. Eu já não trabalho para ele, não que eu nunca o impressionou quando eu dei certo na equipe. "Eu gostaria de falar com você", ele me diz. "Oh." Eu olho para a minha mãe.


"Eu vou trazer algumas bebidas", diz ela. "Um café está bem, Owen?" "Sim, obrigado." Ele se move para a sala conforme minha mãe desaparece pelo corredor até a cozinha. "Você se importa se eu me sentar?" Ele aponta para a cadeira. "Não, claro que não." Eu estou esquecendo minhas maneiras. Eu só estou chocada ao vê-lo aqui. E eu estou passada porque Owen é a coisa mais próxima de Carrick, e ele estar aqui me machuca mais uma vez. Bem, não que a dor tenha jamais parado. Há aquele momento constrangedor de silêncio sempre existe quando você não tem ideia do por que alguém chegou em sua casa, sem aviso prévio. Então, eu decido quebra-lo com a pergunta mais óbvia. "Carrick está bem?" "Sim e não." "Não?" O pânico na minha voz é evidente. Sento-me reta no meu lugar. " Carrick está bem... fisicamente". "Oh, certo. OK. Bom." "Mas Carrick é a razão pela qual eu estou aqui." "Certo…" Eu não tenho certeza se eu quero ter alguma conversa com Ryan Owen sobre nada, muito menos sobre Carrick. Talvez ele esteja aqui sobre o carro do meu pai. Talvez ele descobriu que Carrick quer que eu o mantenha, e ele acha que é muito dinheiro para dar para mim. E ele estaria certo. "Antes de começar, eu posso perguntar, como é que você sabe onde eu moro?" Eu dobrar minhas mãos sob minhas coxas. " O meu tio John lhe disse?"


É melhor que ele não o tenha, porque vou ter uma conversa com ele! "Não. Eu não pedi a John, porque eu não quero que ninguém saiba que eu vim vê-la. " "Por quê?" "Porque eu não quero que Carrick saiba." "Oh." Eu coloco minhas mãos e meus braços em volta de mim. "Então, como foi que você descobriu?" "Não foi difícil. Há apenas uma Wolfe listada como vivendo aqui em Santos. " Eu congelo. Ele percebe. "Carrick não me contou sobre seu pai." "OK. Então, como?" "Eu mandei levantar sobre você quando você começou a trabalhar para Rybell... bem, no momento que eu soube que meu filho estava bastante interessado em você. " Então, Owen sempre soube quem eu sou, quem meu pai era. E honestamente, eu estou me sentindo um pouco chateada com ele por ter me checado. Quero dizer, quem faz isso, além de pessoas em programas de TV? "Você realmente tinha me checado?" "Sim." Ele não parece com vergonha do fato. "Por quê?" Eu exclamar um pouco irritada. "Porque eu amo meu filho e porque eu sou seu empresário.” “Sua carreira, em grande parte, está em minhas mãos. Você sabe seu perfil. Com quem ele sai é importante. Especialmente se ela importa para ele. Seria uma grande notícia. Eu sabia que você importava, então eu tinha que saber se havia algum esqueleto no seu armário que poderia potencialmente prejudicá-lo". Eu importava para Carrick.


Importava. "E você achou alguma coisa?" "Não. Mas isso você já sabe. Mas quando eu consegui descobrir que seu pai é William Wolfe, isso se apresentou como um outro problema para mim. Não para a carreira de Carrick. Se fosse para se qualquer coisa, teria sido grande publicidades para ele. Não, o que me preocupou foi você. O acidente do seu pai... Eu sei que você estava lá quando isso aconteceu, Andi... e você era tão jovem. Tem que ter afetado você, deixado uma marca. E Carrick fazendo o que ele faz para viver... Eu previa problemas. Eu sei que você nunca teve um namorado que durasse para além de um par de meses. Você tem um exterior duro, e você é difícil de conhecer.” “E eu sei que por causa de quem Carrick é, se ele se preocupa com alguém, na verdade, se permite que a pessoa entre, então, é tudo ou nada com ele. Eu percebi que você estava sentada em algum lugar no meio. Apegos emocionais não parecem ser sua coisa, então eu prestei atenção. " "Eu realmente não quero falar sobre isso", eu saio, virando meu rosto. "Andi... Eu não vim aqui para te chatear." "Então, por que você veio?" Virando meus olhos para trás, eu olho para ele. "Eu vim porque o que eu disse naquela noite para você no restaurante... eu estava errado." "Bem, aparentemente, você estava certo. Como você previu, eu o deixei ". "Não." Ele balança a cabeça. "Quero dizer, eu estava errado quando eu disse que você devia deixá-lo mais cedo em vez de mais tarde, antes que ele chegasse muito fundo com você. Eu estava errado, porque ele já estava muito fundo... ainda está. E eu acho que você está, também. "


"Você está prevendo as coisas de novo?" Eu estou sendo uma cadela, mas eu não me importo. Esse cara tem sido nada além de um idiota para mim desde o momento que eu o conheci, e agora, eu descubro que ele está invadindo minha privacidade. Eu estou lívida. "Eu mereço isso", diz ele. "Mas não. Eu vi seu rosto na outra noite quando você viu Carrick fora do hotel. Você está apaixonada por ele, e isso foi quando eu soube que você o deixou, não porque você não importa o suficiente, mas porque você se preocupa demais, e você não pode lidar com isso. Você acha que não pode ser a pessoa que ele precisa. " Esse cara é uma porra de um leitor de mente? Ou um psicólogo disfarçado? "Carrick nunca amou uma mulher em sua vida até, você. E a maneira como ele te ama... isso não é algo que você possa jogar fora. Eu nunca o vi em um lugar melhor do que quando ele estava com você. E, certamente, ele é mais seguro nesse lugar do que onde ele está agora. Ele não está indo bem sem você. Você não estando por perto... Eu conheço meu filho, e isso está matando-o.” "Me incomoda, o que ele faz para ganhar a vida, Andi. Claro que sim, toda vez que ele está lá fora, na pista. Ele é tudo que eu tenho, mas eu não posso impedi-lo de fazer o que ele ama, e eu não iria querer. Em vez disso, me certifico de que eu estou lá para mantê-lo tão seguro quanto eu puder. "Não fique longe dele porque tem medo do que possa acontecer. É um desperdício, e eu sei tudo sobre desperdício de tempo. Não cometa os erros que eu cometi na vida. Não viva uma vida cheia de arrependimento. Porque arrependimento faz coisas feias, terríveis para as pessoas, e eu não quero isso para você ou meu filho. " Tudo o que posso fazer é olhar para ele, atordoada. Estou vendo que há muito mais sobre Owen Ryan do que eu provavelmente nunca vou saber.


"Aqui vamos nós." Minha mãe vem com os cafés e coloca a bandeja sobre a mesa. "Eu sinto muito, mas eu vou ter que sair." Owen fica em pé. "Eu não percebi o tempo." "Oh, não há problema", minha mãe responde. "Eu vou te levar até lá fora." Eu não consigo mover. Eu estou congelada no lugar. "Oh, Andi..." Para, ele se vira para trás. "Há algo que eu quero devolver para você." Owen coloca sua mão no lado de dentro do paletó, tirando meu passe de acesso para o Grande Prêmio. Eu deixei para trás no quarto de hotel de Carrick em Cingapura. "Como você conseguiu isso?" Eu pisco para Owen. Minha mão passa em torno do cartão, eu pego dele. "Carrick o carrega com ele desde que você deixou. Eu pensei que era tempo de você ter isso de volta. " E eu sou deixada segurando o cartão, agarrado ao meu peito, conforme minha mãe leva Owen Ryan de nossa casa.


28 SANTOS, BRASIL

Falta meia hora para a corrida começar. Trinta minutos antes que Carrick suba em seu carro e saia para pista no Autódromo. Eu estou andando na minha sala, fazendo uma trilha no carpete. Eu tenho o meu passe do Grande Prêmio na minha mão, dedos agarrados agarrando ao redor dele, enquanto eu roo meu dedão. Eu não consegui dormir nada na noite passada depois de ver Owen. Minha mente ficou relembrando, saltando para frente e para trás sobre o que fazer. Eu quero ver Carrick? Claro que sim. Eu quero vê-lo mais do que qualquer coisa no mundo. Mas eu não sei se eu posso dar-lhe o que ele precisa, se eu posso ser o que ele merece. Isso é o que ainda está me mantendo aqui em vez de eu estar no meu caminho para São Paulo. Minha mãe entra na sala de estar, marcha até mim e me para no meu caminho. "OK. Chega, Andressa. Você precisa ir vê-lo. " Olhos baixos, eu balanço minha cabeça. "Eu não acho que eu posso."


"Você vai." Meus olhos disparam para dela. Ela tem esse olhar determinado em seus olhos que eu não vejo com muita frequência. "Eu não vou ficar aqui vendo você se torturar. Eu já fiquei nos bastidores por muito tempo, sem dizer nada, porque eu não quero interferir, mas isso é claramente o que eu deveria ter feito desde o início. Você precisa parar de fazer um buraco no tapete da sala e ir até ele. "Minha mãe coloca as chaves do carro na minha mão. "Leve-o e siga para São Paulo o mais rápido que puder, mas tão rápido que você não esteja segura ". Deixo escapar uma risada, enquanto as lágrimas enchem meus olhos. Minha voz enfraquece quando eu digo, "Eu estou... com medo, mamãe." "Oh, querida." Ela pega meu rosto em suas mãos. "Não há nada a temer." Deixo escapar uma risada sem humor. "Se apenas isso fosse verdade. Há tudo para ter medo. Eu continuo pensando, se eu pudesse encontrar uma maneira de parar de amá-lo, então seria muito mais fácil. " "Eu não acho que você realmente queira dizer isso. Você está apenas à procura de uma saída fácil, mas fácil não vem com amor. Você tem que trabalhar duro para isso, às vezes lutar por isso. " Eu olho em seus olhos conforme lhe faço esta pergunta: "Se você pudesse ter se desligado do meu pai, parado de amá-lo no início, você teria? " "Nem por um segundo", ela responde sem hesitar. "Eu nem quero imaginar como a vida teria sido sem amar seu pai. O que eu sei é que não teria havido uma vida ". Tirando suas mãos do meu rosto, ela toma minhas mãos nas dela. "Eu ouvi tudo que Owen disse para você ontem à noite. Ele estava certo em tudo. Estou tão irritada comigo mesma agora." Meus olhos se arregalam. "Por quê?"


"Porque deveria ter sido eu a dizer o que Owen disse ontem à noite. Eu deveria ter visto o que estava acontecendo com você. Você é sempre tão forte, tão certa de suas decisões, então eu a deixo ser, mas eu não deveria ter deixado. Eu deveria ter feito você falar comigo. Eu sabia que você estava sofrendo. Eu apenas não percebi quão mal, e eu não sabia que você tinha deixado Carrick porque você tinha medo de que o que aconteceu com o seu pai fosse acontecer com ele ". À menção de meu pai, lágrimas espalham pelo meu rosto. Mamãe envolve seus braços em volta de mim, sua voz me lavando. "Andressa, cada vez que seu pai subiu no carro de corrida, meu coração parou de bater, até o momento em que ele voltou para mim com segurança, e foi assim até o dia em que ele não voltou. Mas isso não significa que eu voltaria atrás um único momento do tempo que tive com ele.” Ela se inclina para trás, olhando para o meu rosto. "Seu pai me deu um dos maiores presentes no mundo: você. E não apenas isso, ele me deu uma vida de amor nos quinze anos que eu vivi com ele. Eu preferia ter isso do que nada. Não me arrependo de nada. Levei muito tempo para chegar a um acordo com perdê-lo, mas a vida acontece como deve ser. Nós não podemos controlá-la. Assim como você não pode controlar o fato de que você ama Carrick. Claro que você vai preocupar-se com ele, se você estiver com ele ou não. Então, não seria melhor estar com ele, para fazer essas memórias e ter uma vida com ele? "Tome o bom com o mau. Aprenda a viver com seus medos. Porque estar com ele... tendo o bom, faz do mal um conjunto muito melhor. "Ela sorri suavemente. "E você sabe que se seu pai pudesse ter escolhido um homem para você, ele teria sido um homem como Carrick. " Ela coloca o meu cabelo atrás da minha orelha. "Esta vida, de corridas, está em seu sangue, assim como Carrick. Então, vá agora, e pegue o homem que você ama. Conserte coisas, e então traga-o de volta aqui porque eu quero conhecer o homem que tem o coração da minha menina. "


"Deixa de foder. Vamos!" Eu grito, buzinando para o idiota que está dirigindo como uma maldita lesma na minha frente. Basicamente, eu só disse a ele para se mover para fora do caminho, mas de uma forma não tão agradável. Eu sei. Eu estou sendo impaciente, gritando com pessoas aleatórias, mas não posso evitar. Eu preciso chegar no Autódromo. Eu preciso ver Carrick. Eu não tenho ideia do que eu vou dizer a ele. Eu só sei que eu tenho que lhe dizer como me sinto, que eu o amo e que uma vida sem ele não é nenhuma vida. Eu tenho que parar de temer o futuro e começar a viver o hoje. E se eu tenho que gritar com um estranho aleatório para chegar até ele um pouco mais rápido, então que assim seja. Meus olhos continuam piscando para o relógio no painel. A corrida está prevista para começar a qualquer minuto. Eu não vou chegar antes que ela comece, mas isso não importa. Eu só tenho que chegar lá. "Finalmente!" Eu bufo como o carro se move, permitindo-me passar. Engatando a terceira, eu pressiono o acelerador fundo, para que eu possa acelerar e ganhar impulso. Eu engato a quinta no momento que eu estou voando. Então, eu ouço a cautela de minha mãe em meus ouvidos. "Dirija com cuidado." Entro em pânico como nas corridas de Carrick, e aqui estou eu, conduzindo rapidamente para chegar até ele. Eu preciso ter calma. eu posso capotar, bem se eu não tomar cuidado.


Eu alivio o meu pé do acelerador um pouco, mas, em seguida, "Back to December" começa a tocar no aparelho de som, e agora, eu estou xingando a minha mãe por ouvir um CD da Taylor Swift. Sério, mãe? Porque Taylor está cantando sobre como ela está arrependida por aquela noite, como ela deseja que ela pudesse voltar atrás, fazer tudo certo... fazê-lo amá-la novamente. Meu pé encontra o chão novamente, acelero mais rápido do que eu estava antes, me impulsionando para baixo na estrada, em direção a São Paulo e para Carrick. E se eu receber uma multa, eu vou culpar a minha mãe e Taylor Swift.

Pisando nos freios do carro, eu derrapo parando no estacionamento do Autódromo. Eu estou fora do carro com meu passe na mão, e eu estou correndo em direção à entrada. Uma vez que eu estou dentro, eu pergunto ao guarda de segurança em qual box está Rybell, ao que ele me dirige. Eu começo a correr novamente, atingindo o paddock, eu avisto a tela gigante, vendo a corrida bem encaminhada. Minhas pernas começam a desacelerar, o meu coração bate mais rápido, quando eu vejo o nome de Carrick na tela dizendo que ele está atualmente na pole position. Ganhando velocidade novamente, eu começo a correr em direção à entrada do box. Eu não estou muito longe da Rybell quando pensamentos assustadores invadem o meu cérebro, me atrasando quase me parando.


E se ele não quiser me ver? Eu sei que ele não está lá agora, mas eu não quero emboscá-lo na frente de todos. Talvez eu deva voltar aqui e assistir a corrida na tela até ela terminar. Pare de ser uma galinha, Andi e leve o seu rabo naquele box agora! Eu forço meus pés a se moverem novamente, e eu só dei dois passos adiante quando eu ouço um coletivo de suspiros cheios de, "Oh Deus", e, "não", do grupo de pessoas assistindo a corrida no paddock. E eu sei. Eu só sei. Meu coração derrapa até parar. Não seja Carrick. Por favor, não ele. Girando no local de volta para a tela, meus olhos se encontram com a visão de um carro em pedaços na pista, chamas saindo da parte de trás dele. E eu estou piscando de volta à quatorze anos. Não. Eu não espero para ver mais. Acabei de começar a correr. Em direção a Carrick. Meu coração e mente estão correndo mais rápido que minhas pernas. Por favor, não seja ele. Por favor, não seja ele. Alcançando o box da Rybell, eu explodo pela porta. Toda a equipe está lá, todo mundo olhando as telas, mas ninguém está falando. "Diga-me que não é ele!" Eu grito para fora as palavras em um pânico cego. Todos na sala viram em direção a mim. "Diga-me que não é ele!" Eu grito novamente. "Andi, está tudo bem." Esse é Ben. Ele está se movendo em direção a mim. "Não é Carrick. Ele está bem. "


Eu quase caio de alívio. É imenso. Eu nunca senti nada assim antes. "Não é ele?" Eu estou sem fôlego. Eu pressiono minha mão no meu peito, tentando firmar meu coração disparado. "Não. Ele está bem. Absolutamente bem. " Ben coloca suas mãos sobre os meus ombros, me firmando. "Graças a Deus." Eu levanto os meus olhos para os dele. "Então quem foi?" Seus olhos abaixam, e os meu estômago dói. "Leandro Silva." "Oh Deus, não. Como ele está?" Ele balança a cabeça lentamente. "Ninguém sabe ainda. Eles conseguiram tirá-lo do carro. Os médicos estão com ele ... mas não parece bom. " Como posso odiar e amar este esporte em igual medida? Eu odeio que leve grandes homens de nós, mas eu amo o homem que o amo além de toda razão. Meus olhos levantar para ver Owen caminhando em nossa direção. "Eles estão parando a corrida", diz Ben Owen. Eu vejo o choque no rosto de Ben, e está espelhado no meu próprio. Tem que ser muito ruim se eles estão parando a corrida. "Eles precisam limpar o carro da pista. Eles estão trazendo um helicóptero para levar Leandro para o hospital. Ele precisa do espaço da pista como eles não podem arriscar transferi-lo ". "A corrida... quando ele vai reiniciar?", Pergunto a Owen. Ele olha para mim brevemente e depois de volta para Ben. "Não vai. Eles estão parando-a para agora por respeito. É o país natal de Leandro. Não seria certo continuar... não até que eles saibam se ele vai sobreviver. "


Oh, Deus. Meu estômago cai, sentindo-me oca. Parar uma corrida acontece raramente. Eu só sei de algumas vezes, e uma foi no dia que meu pai morreu. Oh, Deus. Pobre Leandro. E sua família. Eu sei exatamente o que estão passando, porque eu estive na mesma. Meu coração começa a doer por eles. Mas eu também me sinto doente com culpa. Porque mesmo através da devastação que eu sinto por Leandro e sua família, estou cheio de alívio que eles não estão levando de helicóptero Carrick daqui. "Carrick estará aqui em breve, então deixe a equipe pronta", diz Ben Owen. "Agora mesmo". Ben se afasta para o outro lado do box, parecendo sombrio. Quando algo assim acontece... mesmo que não seja da sua escuderia, você sente isso. "Então, você veio." Eu viro meus olhos para Owen. "Você não achou que eu o faria?" "Eu esperava, pelo amor de Carrick. Acredite ou não, eu não sei tudo, Andi. " Ele me dá um meio sorriso antes de caminhar de volta até a mesa onde meu tio John está sentado. Ele está falando em seu porta-voz, provavelmente com Carrick, mas ele olha para mim e sorri suavemente. Uma pitada de tristeza está em seus olhos, e eu sei que ele deve estar pensando sobre o meu pai agora. Quando ouço o barulho do motor de Carrick conforme ele entra com seu carro no box, minhas pernas começam a tremer, meu coração batendo em tempo duplo. Eu não estou realmente certa de como eu ainda estou de pé agora.


Estou com medo de como ele vai reagir por eu estar aqui. Especialmente com o que acabou de acontecer lá fora, eu poderia ser a última pessoa que ele queira ver no momento. Meu coração está em minhas mãos, pronto para lhe dar. Eu estou esperando que ele não jogue fora... me mande embora. Porque depois da maneira que eu o tratei, eu sei que não mereço nada. Eu vejo conforme Ben tira o volante, desafivelando ele. Então, Carrick está saindo da cabine do piloto, e eu tenho certeza que eu vou vomitar. Meu estômago está virando. Mãos tremendo, eu flexiono-as em meus lados. As costas de Carrick estão viradas para mim. Ele não me viu ainda. Não posso me mover. Eu estou congelada no lugar. Ele puxa o capacete e, em seguida, seu gorro, e ele passa a mão pelo cabelo úmido, despenteando-o. Sinto dor para tocá-lo. Em seguida, ele se vira, e seus olhos se chocam com os meus. Eu vejo o choque reverberar através deles. Eu espero o que parece ser para sempre, na realidade, são apenas alguns segundos, para ver qual será sua reação. E eu não recebo nada. Depois de seu choque inicial, os olhos claros não me dão nada. Ele só fica lá, olhando para mim, esperando. É isso. Aqui vou eu. Conforme eu começo a me mover em direção a ele, tudo e todos desaparecem, e só há ele. Sempre só foi ele. A partir do momento que eu o vi na Rybell, ele sempre esteve na minha vista e na minha mente. Mantendo os olhos em mim, ele coloca seu capacete no carro. Eu não parar de me mover até que haja menos de um pé de espaço entre nós. E agora eu estou aqui, de pé


Na frente dele. Meus nervos estão debatendo, agitação e destruição do meu corpo e mente como se eu estivesse dentro de um liquidificador. "Oi." Minha voz é pequena, e vê-lo assim, estar tão perto dele e ainda assim tão longe, faz minhas emoções quebrarem em mim. Meus olhos se enchem de lágrimas. Eu pisco, e elas correm para o canto do meu olho. Eu rapidamente as afasto com meus dedos. Eu vejo que seus olhos seguem o movimento antes de voltar para os meus, mas ele não disse nada. Ele só está me olhando com olhos bem guardados. Mas, em seguida, no meio dessa guarda, eu vejo a menor faísca, e faz o que eu tenho que dizer ficar apenas pouco mais fácil. Respirando forte, eu separo meus lábios secos. "Você está bem?" Eu quero ter certeza que ele está se sentindo bem depois do que aconteceu na pista com Leandro. Isso em primeiro lugar, e, em seguida, ele e eu. "Eu não tenho certeza." "Por quê?" "Porque eu não sei por que você está aqui." Oh. Eu solto o fôlego, preparando-me. "Estou aqui porque... eu queria, não, eu precisava vê-lo... porque eu... " Eu estou tropeçando, vacilante. Eu estou estragando isso. Tiro meus olhos para longe dele, eu tomo uma respiração profunda, e então eu olho de volta para ele, tentando retratar tudo o que eu sinto por ele através dos meus olhos. "Eu vim porque eu precisava te dizer que... Eu amo você. E eu sinto muito. E eu te amo." Sua expressão não demonstra nada. "Você sente muito pelo que? Me amar?"


"Não!" Eu me apresso a dizer. "Eu sinto muito por tudo, por deixar você. Eu nunca poderia me arrepender por amar você. Você é a melhor coisa que já aconteceu comigo." Seus olhos e rosto ainda não estão me dando nada, e eu sei que não é o suficiente o que estou dizendo. Preciso dar-lhe mais, dizer mais. Eu só não sei o que dizer. Por que sou tão ruim nisso? Minha garganta engrossa conforme meu desespero leva a melhor sobre mim, e eu começo a chorar. Eu não me importo que as pessoas estão em torno de nós agora. Eu só me importo que eu estou arruinando a minha última chance com ele. "Eu estou estragando isto ", eu sussurro através das minhas lágrimas. "Eu acho que você está indo muito bem." Eu mal tenho a chance de registrar o que ele disse antes do meu rosto estar em suas mãos, e ele esta me beijando, tirando minha respiração que estou além de disposta a lhe dar. Meus braços envolvem instantaneamente ao redor de seu pescoço enquanto ele toma minha boca dura e profundamente, puxando meu corpo contra o dele. A sensação de seus lábios, seu corpo contra o meu, me quebra e, em seguida, me coloca de volta, mais inteiro do que jamais fui. "Eu amo você", eu soluço contra seus lábios. "Me desculpe, eu falo. Eu só... te amo tanto, Carrick. " Embalando meu rosto em suas mãos, ele limpa minhas lágrimas com seus polegares. "Eu também te amo querida." Isso só me faz chorar mais. Olhando nos meus olhos, ele diz, "Você quer sair daqui?" Estou instantaneamente lembrando de Barcelona e a primeira vez que dormimos juntos. Engolindo um soluço, eu dou-lhe um sorriso aguado. "Isso é uma pegadinha?" "Essa é a minha menina."


Em seguida, ele sorri tão belamente que faz meu estômago lançar milhares de borboletas. Me dando mais um beijo, ele pega a minha mão e me leva até o box, sem dizer uma palavra para ninguém. Quando estamos fora da porta e perto das escadas para o quarto do piloto, ele diz: "Espere aí. Não. Se. Mexa." Depois de um beijo rápido nos meus lábios, eu o vejo correr até as escadas, subindo dois degraus ao mesmo tempo. Então, antes que eu possa pensar, ele está vindo para baixo. "Chave do quarto." Ele a segura, empurrando-a no bolso de seu macacão, juntamente com sua carteira e telefone. Em seguida, ele pega o boné que estava na sua outra mão. Ele pega a minha mão novamente, e nós estamos saindo por outra porta. Quando estamos fora, nos movemos rapidamente pelo paddock para a saída principal. "Você tem um carro?", Pergunta ele. "Da minha mãe." Eu pego a chave do meu bolso, segurando-a. Ele tira de mim. "Estou dirigindo. Eu sou mais rápido do que você. " Então, eu sou forçada a me afastar dele conforme nós entramos no carro da minha mãe. Mas no minuto em que estamos dentro, ele me agarra pela parte de trás do pescoço e pressiona um beijo firme nos meus lábios, deixando-me sem fôlego e querendo mais. Ligando o motor, ele sai do estacionamento. Minha mão está na sua todo a caminho para o hotel de Carrick felizmente, o hotel não é muito longe do Autódromo, e logo, nós estamos parando na frente e saindo. Encontro Carrick na calçada, ele pega a minha mão novamente. Levando-me para o hotel, ele joga as chaves para o manobrista. "Estacione."


Então, nós estamos no elevador. Carrick pressiona o botão para o seu andar. Eu não posso esperar pela porta abrir, para que possamos chegar lá em cima, e eu finalmente possa tocá-lo como eu preciso. Mas, claramente, os deuses não estão do nosso lado, porque um homem aparece fora do elevador, querendo entrar. Um rosnado baixo vem de Carrick, e então ele diz: "Eu vou te dar tudo o que tenho na minha carteira agora se você não entrar neste elevador." Meus olhos vão para Carrick em estado de choque, mas ele não está olhando para mim. Ele está olhando para o homem. Portanto, eu olhar para o homem, interessado em saber como é que isto vai acabar. O homem parece ser Inglês. Ele tem em seus quarenta e tantos anos, bem vestido em um terno preto fino. A sugestão de um sorriso toca os lábios do homem de terno. "Você é Carrick Ryan, certo?" Não é uma pergunta. Ele sabe que é Carrick. "Mmhmm." A porta começa a fechar, mas o homem do terno para com o pé. "Meu filho é um grande fã seu. Você pode assinar isso para ele? " Ele estende o jornal que estava debaixo do braço. "Faça isso, e eu vou deixá-lo em paz." Eu ouço uma breve explosão de risos vinda de Carrick, e então ele estende a mão e pega o papel. Na seção de esportes, e eu posso ver a foto de Carrick na frente. "Você tem uma caneta?" Pergunta Carrick ao homem de terno. "Sim." Ele puxa uma de dentro do bolso do casaco e passa para Carrick. Apoiando o papel contra a parede do elevador, Carrick rapidamente assina o seu nome através de sua imagem devolve o jornal e a caneta. "Obrigado," o homem de terno diz, recuando do elevador. "Meu filho vai ficar feliz. Eu estarei bem na fita por semanas. "


Carrick ri baixo. "Bom, dê-lhe isto, também, e ele pode transformar essas semanas em meses." Carrick puxa o boné da cabeça e dá para o homem de terno. "Isso é ótimo." Ele pega o boné de Carrick de sua mão. "Muito obrigado. E desfrute o resto de sua dia. " "Oh, eu pretendo", Carrick murmura baixo, apertando o botão para o seu andar. A porta se fecha, e finalmente estamos indo para cima. "Isso foi doce o que você fez, dando-lhe o seu boné." Carrick vira o rosto para mim. Seus olhos estão em chamas, e isso faz meu interior tremer. "Eu não sou doce, Andressa. Eu sou duro. Realmente muito duro. " Ele pega a minha mão e pressiona-a contra sua ereção muito presente, fazendo-me suspirar e minha calcinha molhar instantaneamente. Girando totalmente para mim, ele me coloca minhas costas contra a parede. Mãos apoiadas em ambos os lados da minha cabeça, ele coloca sua boca na minha, os lábios quase se tocando. Sua respiração passa sobre a minha pele. Meu corpo está tremendo de necessidade e, de repente, eu estou muito sem fôlego. "Eu não posso acreditar que você ofereceu àquele o homem dinheiro para não entrar no elevador. " Movendo uma mão, ele corre sobre a curva de minha cintura, pressionando seus quadris contra o meu. "Eu não tenho estado dentro de você por dois malditos meses. Eu praticamente digo ou faço qualquer coisa para acelerar isso." Eu não tenho a chance de responder já que as minhas palavras são tragadas por seu beijo quente. Estamos ambos desesperados e pegajosos. Suas mãos estão no meu cabelo, inclinando a cabeça para trás, então ele pode ter um


melhor acesso à minha boca enquanto ele lambe o interior dela. Meus dedos vão nos lugares certos, conforme eu praticamente escalo seu corpo para ficar mais perto. Dois meses de não termos o outro estão extravasando em um beijo. Mas estávamos separados. Nós realmente não falamos sobre isso ou qualquer coisa, e nós provavelmente deveríamos antes mesmo de pensar em sexo. Paro, respirando com dificuldade. "Carrick... não deveríamos falar primeiro?" Ele ergue as sobrancelhas. "Que porra é essa que nós precisamos falar?" "Nós. O tempo que ficamos separados. " "Você esteve com outro homem?" "Não!" Eu suspiro, brava que ele tenha perguntado. Então, meu coração afunda porque eu nem sequer considerei a possibilidade de que ele pudesse ter estado com outra mulher. "E você?" "Não." Eu respiro aliviada. "Você me ama, certo?" Eu olho em seus olhos. "Você sabe que sim." "E eu te amo, porra louca e profundamente, e isso é tudo o que precisamos saber agora. A conversa pode ficar para depois. Agora, eu vou lhe mostrar o quão profundo o meu amor por você pode ir, ou seja com meu pau dentro de você." "Você é tão romântico." Eu rio conforme corro as mãos por baixo do seu cabelo, enrolando-os ao redor da nuca. "Você me conhece, querida." Ele dá um sorriso sexy. "E o que você precisa saber é que eu não apenas te amo, Carrick." Eu chego com meus lábios bem perto dos seus, por isso há apenas


uma lasca de ar entre nós. "Eu estou apaixonado por você." Com um rosnado, ele está me beijando de novo, me devorando. O elevador para chegando em nosso andar. Carrick levanta-me, para que eu coloque minhas pernas ao redor de sua cintura, como por instinto. Ele me leva para fora do elevador pelo corredor. Passa o cartão-chave em sua porta, e estamos em sua suíte e, em seguida, no quarto. Ele me coloca na cama. Deixando-me lá, ofegante e com um tesão louco ele fica ao pé da cama. Ele arranca os sapatos e remove seu macacão. Não querendo ficar de fora desta corrida, eu rapidamente remover os meus sapatos e roupas. Então, nós estamos nus, e ele está em cima de mim. Pele com pele. Eu começo a queimar como uma febre. Não há nenhuma necessidade de preliminares aqui. Nós dois estamos mais do que prontos porque tem sido um caminho muito longo. Ele fixa minhas mãos na cama em cima da minha cabeça, e empurra seu pênis dentro de mim. "Carrick!" Eu grito, fechando meus olhos com a sensação dele dentro. "Foda-se", ele rosna, acalmando dentro de mim. Abro os olhos para os dele. Eles são ferozes em mim, seu rosto austero, apertado. "Nunca mais, Andressa. Eu nunca mais vou ficar sem você, porra. " "Não", eu sussurro, engolindo, minha garganta grossa com emoção. "Agora, me diga que você me ama, enquanto eu te fodo." "Eu te amo." Ele puxa e empurra de volta para mim duro. "Mais uma vez." "Eu te amo!" Eu grito.


Sua boca vem até a minha, e ele me beija com força conforme ele empurra dentro e fora de mim, seus movimentos desesperados, urgentes e difíceis. "Não... nunca... porra... deixe-me... de novo", ele diz ofegando, a testa pressionada à minha. "Eu não vou. Eu prometo. " Sentindo e vendo a dor que eu causei a ele traz lágrimas aos meus olhos. Elas correm pelos cantos, como uma torneira conforme um soluço me escapa. Ele para, e puxa para trás, vendo minhas lágrimas. Preocupação aparece em seus olhos. "Jesus, Andressa, que há de errado? Eu estou te machucando? " "Não." Eu toco minha mão em seu rosto, tranquilizando-o. "Você não está me machucando. Estou tão... tão pesarosa por ferir você. " "Shh, querida." Virando o rosto, ele dá um beijo na palma da minha mão. "Não chore. Você está aqui agora, e isso é tudo que importa. "Enxugando minhas lágrimas, ele carinhosamente me beija. "Eu te amo, Andressa. " Ele começa a se mover dentro de mim de novo, desta vez mais devagar. "Eu te amo tanto." Nós mantemos nossos olhos fixos juntos durante todo o tempo que ele faz amor comigo. Mesmo quando os nossos orgasmos vêm e colidem quase violentamente e isso quase se torna demais para suportar, nós não quebramos o contato dos olhos. Depois de diminuirmos nosso ritmo, ele pega meu rosto nas mãos, e me beija suavemente, reverentemente. Em seguida, escorregando para fora de mim, ele vira, deitando de lado. Ele me traz para cima dele de frente, enganchando minha perna sobre o seu quadril, mantendo-se assim. "Eu vou te limpar em breve", diz ele. "Mas agora, eu só preciso estar com você." "Eu preciso estar com você, também." Eu não posso imaginar não estar com ele novamente.


Ele está olhando nos meus olhos. Eu vejo como ele puxa uma respiração profunda e solta. "Olha, eu sei que você disse no elevador que devemos falar, mas eu não quero que a gente refaça toda aquela merda. Eu quero que ela fique no passado onde ela pertence. Tudo o que posso dizer é... estar longe de você, foi a porra da coisa mais difícil que eu já tive que fazer. Esses foram os piores dois malditos meses da minha vida. Eu queria vir atrás de você tantas vezes. Eu não posso contar as vezes que eu peguei no telefone, pronto para ligar para você. Eu cheguei a ir no aeroporto uma vez, com bilhete na mão, pronto para voar para o Brasil e te implorar para me ter de volta, mas eu percebi que jamais ficaria bom entre nós se eu o fizesse. Você tinha que voltar para mim. Eu precisava que você voltasse para mim porque eu tinha que saber que você queria estar comigo. Que você sente isso fortemente por mim como eu faço por você. Eu tinha que saber que você me amava, e a única maneira de saber era se você voltasse. Mas eu juro por Deus, Andressa, se você me deixar novamente, eu vou atrás de você, para o confins da porra terra que você estiver. Eu nunca vou ficar sem você de novo. " Eu toco meus dedos em sua bochecha, enquanto as lágrimas enchem meus olhos novamente. "Você nunca vai ter de me perseguir. Eu não vou a lugar nenhum, eu juro. Eu sinto muito que eu te machuquei, que eu deixei os meus medos tirarem o melhor de mim. Mas... você tem que saber que não vai ser fácil. Esses temores que tenho sobre você correr... eles não foram embora. Eles ainda estão aqui. Acabei finalmente percebendo que eu não poderia ficar sem você, com medos ou não. Então, agora, eu só precisa encontrar uma maneira de viver com eles. E eu vou ", eu prometo-lhe. Cobrindo meu rosto, ele toca um dedo nos meus lábios. "Nós vamos encontrar um caminho juntos. Somos uma equipe, querida. Nunca se esqueça disso. " "Nós somos uma equipe." Eu adoro o som disse.


Eu sorrio quando ele traz sua boca de volta à minha, roçando seus lábios suavemente sobre os meus. "Somos eu e você, querida. Se você tem que conquistar alguma coisa, nós fazemos isso juntos. OK?" "Ok." Eu sorrio de novo enrolando meus dedos em seus cabelos e esmagando meus lábios nos dele. Eu delicadamente sussurro sobre eles, "Equipe Ryan e Amaro para sempre."


29 YAS ISLAND, ABU DHABI

Estamos aqui para a última corrida da temporada. Para ganhar o campeonato, Carrick precisa vencer esta corrida. Ele está na pole position, como ficou em primeiro na fase de qualificação, mas tudo que vale é hoje. Estou nervosa por ele. E sobre a corrida em si. Mas eu estou lidando. Mais ou menos. Ok, estou a porra de assustada. Mas eu estou me forçando a ficar calma. Eu não vou pirar. Eu não estou trabalhando hoje. Carrick não me deixou. Eu não sei se isso é uma coisa boa ou não, mas ele disse para deixar Pete terminar esta última corrida, então eu não estou preocupada sobre a mecânica do seu carro. Ele disse que me quer relaxada. Bem, tão relaxada quanto eu consiga. Nós vamos passar por esta corrida final, e, em seguida, quando formos para casa na Inglaterra, eu vou começar a ver alguém, um terapeuta, para ajudar com as minhas questões sobre suas corridas. Se eu quiser ficar com ele, eu tenho que aprender a lidar com isso. Ir a um terapeuta foi ideia de Carrick, e eu concordei com ele. Ele disse que ele irá comigo nas sessões. Ele disse que se ele entender


melhor as minhas preocupações, então ele vai saber como lidar comigo, se ou quando eu surtar novamente. Eu não tenho certeza de como me sinto sobre ser tratada, mas acho que não posso reclamar se Carrick está fazendo o tratamento. Uma coisa que eu sinto, por incrível que pareça, é uma sensação de alívio. Estou aliviada que ele saiba o quão ruim foi para mim naquela época e por isso que eu o deixei. Eu só desejo que eu tivesse dito a ele na época, então não teríamos perdido estes dois meses juntos. A aprendizagem é uma grande coisa. Mas está tudo no passado agora, e nós estamos em um bom lugar, um ótimo lugar. Nós conversamos muito. E passamos muito tempo na cama. Isso tem definitivamente sido divertido, a parte da foda. Carrick teve que conhecer a minha mãe enquanto ainda estávamos no Brasil, e eles se deram bem de forma brilhante. Nós todos jantamos juntos, eu, Carrick, minha mãe, o tio John, e Owen. Foi uma ótima noite. Owen está sendo realmente muito mais agradável comigo esses dias, o que é uma coisa boa. Ele finalmente confia em mim com Carrick, e isso significa alguma coisa. Debaixo do exterior duro ele é um bom homem que ama seu filho, como qualquer pai deve. Eu ouço conforme os anúncios começam a surgir para a corrida de hoje. Logo já é hora de Carrick ir lá fora. Meu coração começa a bater um pouco mais rápido, então eu tomo uma respiração profunda para acalmar. A Fórmula 1 está sentindo falta de um homem hoje nos anúncios Leandro. Felizmente, ele sobreviveu ao acidente, mas as coisas levam um tempo. Houve uma série de prejuízos para o seu corpo, hemorragia interna, mas ele conseguiu sobreviver, e agora, ele está se recuperando. Eu não tenho certeza se algum dia ele vá correr de novo. Para o seu bem, espero que ele o faça.


Carrick e eu fomos visitá-lo enquanto ele estava no hospital. Leandro não parecia estar em seu estado normal, mas ele ainda estava fazendo piadas, então, tomei isso como um sinal positivo. Carrick está do outro lado do box, falando com Ben, e eu estou olhando para ele. Bem, eu estou olhando fixamente em sua bunda. É realmente um belo rabo. Virando, Carrick me pega olhando. O sorriso se espalha por seu rosto, fazendo minhas bochechas corarem. Mas eu faço meu jogo e dou-lhe um olhar arrogante. Deixando Ben, Carrick vem até mim. "Você está verificando a mercadoria?" Ele coloca suas mãos sobre a minha cintura. "Pode ser. É um bom produto. " Ele me dá um olhar ofendido. "Apenas bom?" "OK, o melhor produto do mundo. Está melhor assim? " "Muito." Ele sorri. Tirando meu cabelo do rosto, ele diz em voz baixa: "Você está bem?" "Estou um pouco assustada. Os anúncios me assustaram um pouco, mas estou lidando ", respondo com sinceridade. Eu fiz uma promessa a ele que eu iria sempre ser honesta com ele, não importa o quê, e eu pretendo manter essa promessa. "Você se lembra do que falamos?" "Se eu começar a entrar em pânico, sento, faço respirações lentas calmantes, e bebo um pouco de água. Sem correr. Fico em pé, e espero até que você esteja de volta ". Seus lábios se levantam enquanto ele aperta minha cintura. "A Petra vai ficar com você, certo?" "Sim, ela é minha guarda-costas." Eu dou-lhe um olhar, e ele suspira. Carrick pediu a Petra para ficar comigo enquanto ele corre. Fiquei um pouco irritada com ele sobre isso, não que eu não ame estar com


Petra porque eu o faço, mas eu não preciso de Carrick me arrumando uma babá. "Eu só não queria que você ficasse sozinha." "Eu sei. Está tudo bem. Eu entendo. " Eu descanso minha mão contra seu peito. "Eu aprecio você cuidar de mim. É bom que ela esteja aqui, então não vou estar sozinha. " Sua testa franze. "Você nunca está sozinha, querida. Você precisa ouvir a minha voz, vai sentar-se com John e meu pa, e você pode colocar um fone de ouvido. Certo? " "Ok." Eu sorrio. Ele retorna meu sorriso antes de me beijar. Eu posso provar seu chocolate pré-corrida em seus lábios. Delicioso. "Você tem um gosto bom", murmuro em sua boca. "Chocolate... gostoso." "Beijos de chocolate de Carrick." Ele me beija novamente, dandome um outro sabor. "Hmm ... Eu gosto disso." "E eu gosto de você. Muito." "Sério, caras. Chega de beijo! " Eu paro com Carrick para ver Petra parada lá. "Com ciúmes?" Eu sorrio. "Sim. Totalmente. Eu realmente preciso de um homem. " Ela solta um suspiro falso-dramático. "Agora, você, choo choo", diz ela para Carrick. "Eu quero algum tempo com a minha garota. Você já fica o suficiente. " Eu olho de volta nos olhos de Carrick, tocando uma mão no seu rosto. "Boa sorte."


"Obrigado, mas eu não preciso dela, querida. Carrick Ryan, deus das pistas, lembra? "Ele me dá uma piscadela insolente. "Até logo, querida." Um beijo final e ele se foi. Sentada nas cadeiras com Petra, Eu vejo conforme ele coloca seu capacete e entra no cockpit. Bem afivela seu sinto. Então, Carrick está saindo para a pista, e eu sinto meu coração começar a correr. Estendo a mão para mão de Petra. "Ele está apenas se aquecendo. Ele vai ficar bem, Andi ", ela diz baixinho. "Ele vai vencer esta corrida, e então vocês vão voltar para o hotel e ter uma maratona de sexo. " Isso faz-me rir. Eu me viro para olhar para ela, e ela está sorrindo para mim. "Fico feliz que você está aqui, Pet." Eu dou-lhe um aperto na mão. "Sim eu também."

"Ele consegue fazer isso. O atual campeão está na reta final, pronto para levar o ouro para casa... " Eu estou em pé ao som da voz do locutor. Meu coração está batendo mais rápido, sabendo que Carrick está quase lá na reta final, tão perto de cruzar aquela linha de chegada. Vamos, baby. Você pode fazer isso. Volte para mim seguro. Foi uma hora difícil para mim, não que as corridas de Carrick não sejam perfeitas porque elas são. Mas agora, eu estou olhando-o se aproximar da bandeira quadriculada, e meu coração está na minha garganta, animado por ele, mas ainda nervoso, e apenas precisando dele de volta aqui comigo.


A bandeira é baixada. Ele ganhou! Sim! Toda a equipe está de pé, aplaudindo e se abraçando. Petra e eu estamos pulando para cima e para baixo, gritando. Mas eu não relaxo, não totalmente, até que ele esteja aqui comigo e eu estou em seus braços. Meus olhos estão colados no pit stop, esperando por seu retorno. No momento que eu vejo seu carro chegando, eu saio correndo para fora, para ele. Ele mal sai do carro e eu estou pulando em seus braços. Ele nem sequer tirou o capacete, mas eu só preciso segurá-lo. Preciso me lembrar que ele é real. Que ele está aqui, e ele é meu. Derrubo minha cabeça para trás, e pressiono um beijo na viseira do seu capacete. Sinto sua risada no fundo, através de seu peito. Soltando uma mão em torno de mim, ele solta a fivela e puxa o capacete. Eu remover seu gorro para ele. Seu cabelo está todo preso à sua cabeça. E ele nunca esteve mais bonito para mim do que ele é neste momento. Corro os dedos pelos seus cabelos, despenteando-o. Seus olhos são brilhantes com a sua vitória. "Você está aqui", diz ele em um sorriso. Eu inclino minha cabeça para o lado. "Você duvidou que eu estivesse?" "Não, nem por um minuto." "Bom." Eu sorrio. "Porque eu sempre estarei aqui, Carrick, esperando por você." "E eu sempre vou voltar para você, querida", diz ele em voz baixa. Eu toco meus dedos em sua boca, traçando a curva de seus lábios. "Então, você ganhou."


"Eu fiz." "Campeão de novo." "Mmhmm." "Logo é a hora do podium. Troféu. Estouro de Champagne. " Ele ama essa merda toda. "Rá." Ele dá de ombros. "Rá?" Eu olhei para ele, surpreso. "Sim, rá." Ele encosta o nariz no meu. "O pódio pode esperar porque eu já tenho a maior vitória da minha vida aqui em meus braços. " Então, ele está me beijando, e eu nunca, nunca quero que ele pare.


EPÍLOGO CARRICK TRÊS MESES DEPOIS BUCKINGHASHIRE, INGL ATERRA

Abro a porta da garagem e caminho para dentro para ver Andressa inclinada sobre seu carro, a cabeça sob o capô, o lindo rabo solto no ar. A porra da visão mais sexy do mundo. E é exatamente assim que a vi há um ano hoje, na garagem da Rybell. Eu soube então, quando ela se virou e me mostrou toda sua ousadia, que a minha vida estava prestes a mudar, e eu não estava errado. Andressa é tudo o que eu nunca soube que queria, e agora, eu não sei como viver sem ela. Almas gêmeas ou qualquer outra merda que você quiser chamá-lo, ela é minha. Depois que voltamos de Abu Dhabi, Andressa foi morar aqui comigo algumas semanas mais tarde. As pessoas poderiam pensar que era muito rápido, mas eu não dou a mínima. A vida é muito curta para desperdiçar, e depois de não tê-la por dois meses, eu sabia que não


podia ficar sem ela nunca mais. Eu convidei ela para morar comigo, e ela disse que sim. Fazia sentido, ela vivia aqui de qualquer maneira. Ela nunca estava no seu apartamento, principalmente porque eu não a deixava sair da minha cama. Vamos. Olha para ela. Que homem no seu perfeito juízo iria? Viver com Andressa é tudo o que eu sabia que seria. Nós não somos perfeitos. Nós ainda temos algumas coisas para trabalhar como seus medos com a minha corrida e meus problemas com a rejeição, mas nós vamos chegar lá juntos. Somos felizes. Quando a imprensa descobriu quem era Andressa, que ela é a filha de William, as coisas ficaram um pouco intensas por um tempo. Paparazzi acamparam do lado de fora da casa por dias, seguindo em torno de nós e esse tipo de coisa. Eu me preocupava como ela lidaria, mas ela estava bem. Mas o que fizemos principalmente foi ficar em casa durante esse tempo. Eu não queria que ela fosse perguntada sobre seu pai, o que poderia trazer lembranças dolorosas para ela. Eu quero que ela seja feliz. E ela é, mas eu não tenho certeza por quanto tempo. A temporada de corridas vai começar em poucas semanas. Nós estaremos voando para Melbourne em breve. Andressa está de volta a seu trabalho na Rybell. Ela não aceitaria nenhuma outra maneira, e nem eu. Não há ninguém em quem eu confio mais com o meu carro do que ela. Mas eu sei que ela está ficando ansiosa, porque ela me disse. Ela sempre me diz. E eu sou fazendo tudo que posso para tranquilizar e ajudá-la. Ela está vendo um terapeuta. Ela tem ido desde que voltamos de Abu Dhabi. Fui assistir as sessões com ela. Ela faz uma sozinha e uma comigo, em semanas alternadas. Eu acho que ele está ajudando.


Ela diz que sim. Eu acho que nós vamos descobrir o quão bem em algumas semanas, mas não importa como, ela vai não vai a lugar nenhum. Agora estou confiante no fato de que ela não vai me deixar de novo, porque ela passou os últimos meses tranquilizando-me disso. Somos sólidos, mas eu estava machucado com o tempo que passamos separados. Estávamos nos dando as garantias que precisamos, e estamos ficando mais fortes a cada dia. As coisas só podem melhorar a partir daqui. Bem, pelo menos é o que eu estou esperando depois desta noite. "Por favor me diga que você é meu presente de aniversário", eu digo, movendo-me mais perto dela. Virando a cabeça, ela sorri para mim por cima do ombro. Eu sei que ela se lembra de que essa foi a primeira coisa que eu disse a ela. Eu posso ver isso em seus olhos lindos. Ela se move para fora sob o capô, enxugando as mãos em um pano. Com óleo no rosto, ela vem até mim. Deus, ela é a porra de linda. Eu nunca vou cansar de olhar para ela. "É seu aniversário?", Diz ela, inclinando a cabeça com um sorriso sexy em seu rosto, enquanto sua voz deixa o meu pau duro. Ela está brincando junto. Deus, eu amo ela. Pelo menos eu vou transar com ela desta vez, ao contrário da primeiro vez quando falamos estas palavras um ao outro. Esse foi a porra de um osso duro de roer. "Sim." Me alcançando, ela passa os dedos no meu peito enquanto ela pressiona seu corpo contra o meu, e eu instantaneamente quero transar com ela. Deslizando minhas mãos em volta das suas costas e para baixo, eu pego sua bunda.


"Acho que seria melhor torná-lo extremamente especial para você, então." Há um brilho nos seus olhos que está me deixando de todos os tipos animado. Removo a mancha de óleo do seu rosto com meu polegar, e digo a ela: "Você já faz tudo ainda mais especial, querida. " O brilho se vai, e ela fica com aquele sorriso aguado feliz em seus olhos que ela sempre fica quando eu digo alguma merda sentimental para ela. Eu amo esse olhar. Trazendo seus lábios nos meus, ela me dá um beijo suave, deixando tudo em mim em posição de sentido, mas, em seguida, ela se afasta, tudo muito rápido. "Que horas são?" Ela olha para o relógio. "Hora de você ficar pronta e quente." Eu dou-lhe um tapa por trás brincalhão. "Nós temos reservas para jantar em uma hora. " "Merda! Essa hora já? " "Sim." "Desculpe amor. Eu te deixei de lado no seu aniversário? " "Um pouco." Eu faço um beicinho antes de beijá-la novamente. Eu estou jogando aqui, para conseguir uma transa por piedade. Elas são sempre as melhores já que ela vem toda pra mim quando está se sentindo culpada por alguma coisa. E não me venha com qualquer porcaria, porque você sabe que você faria o mesmo. "Mas você pode fazer isso no chuveiro." Eu ponho um sorriso nos lábios. "Eu vou chupa-lo tão forte", ela murmura. Puta merda. Com as mãos ainda em sua bunda, eu a levanto, amando o jeito que suas longas pernas instintivamente se envolvem em torno de mim.


E eu começo a sair de lá, levando-a de volta para a casa. Enquanto eu estou em movimento, ela abre o macacão, dando-me uma visão porra de fantástica dos seus peitos, e eu posso ver o colar do McQueen que eu lhe comprei pendurado no pescoço. Ela nunca o tira. Ela me disse que ela o manteve em todo o tempo estávamos separados. Eu só espero que haja outra coisa que ela nunca vá tirar, em breve. Mas definitivamente não é a roupa. Não, elas vão desaparecer em poucos segundos. Ao ver os seios dela e o pensamento de seu trabalho de sugar, eu pego velocidade, praticamente correndo para a casa, fazendo-a rir. Porra eu amo este som. Faz o meu coração bater mais rápido e meu pau ficar tão duro como madeira. Mas então, não é preciso muito, porque tudo nela me deixa duro. Eu a tenho nua e no chuveiro em minutos. Mais um minuto, e ela está de joelhos, me dando o melhor presente de aniversário que um cara poderia pedir.

Estamos no meu carro, e eu estou dirigindo. Andressa está no banco do passageiro, sua mão na minha. Ela parece deslumbrante, vestindo um vestido preto curto que me dá muitas pernas para olhar. Ela também não está usando calcinha. Eu tenho certeza que ela está tentando me matar. Eu vou definitivamente transar com ela no banheiro do restaurante. E não me importa o que ela diz. Só que há um limite de provocação que um homem pode ter. Na verdade, pensando nisso, eu posso até estar dentro dela antes mesmo de chegarmos ao restaurante, baseado no fato de que as coisas vão sair conforme eu espero que eles saiam.


Andressa acha que estamos indo direto para o restaurante, mas há um desvio que temos que fazer primeiro. Eu estava me sentindo todo relaxado depois da chupada espetacular que ela tinha me dado no chuveiro e o sexo incrível logo após, mas agora, eu estou tenso novamente. Estou me sentindo tenso nos últimos dias. Eu pego a terceira saída na rotatória, indo em direção a Heath e Reach. "Baby, você pegou a saída errada", diz ela, batendo os dedos contra minha mão. "Eu saí mesmo. Eu preciso apenas dar um pulinho na Rybell. Eu deixei uma coisa lá. " "Mas vamos nos atrasar para o restaurante." "Tudo bem. Nós temos tempo. " Vamos nos encontrar com o meu pai, Kátia, John, Petra, e Ben no restaurante. A mãe de Andressa está aqui, para nos visitar. Ela não quis ficar com a gente. Ela disse que é necessário termos nossa privacidade, de modo que ela está hospedada no apartamento de Andressa. Eu acho que ela simplesmente não quer estar sob o mesmo teto com sua filha e eu transando o tempo todo. Eu tenho uma dificuldade em manter minhas mãos longe da minha garota, caso você ainda não tenha percebido isso. Chegamos a Rybell logo. Eu estaciono na frente do prédio escuro e desligo o motor. Meu coração começa a bombear no meu peito. "Devo esperar no carro?", Ela me pergunta. "Não! Venha comigo. " Minhas palavras saem afiadas, minha voz soando estranha.


E ela percebe, sua sobrancelha subindo. Ela olha para mim por um momento, e eu posso sentir meus nervos explodindo como a porra de uma bomba dentro de mim. Não me questione, querida, por favor. Seu rosto relaxa, e ela solta uma gargalhada. "Você está com medo de ir lá sozinho no escuro?" "Sim, eu tenho muita porra de medo do escuro. Eu preciso de você para me cobrir, no caso de um bicho-papão aparecer. " Soltando outra risada doce, ela libera o cinto de segurança e sai do carro. Ok, essa parte foi fácil. Agora, vamos para a parte não tão fácil. Destravando a porta principal do edifício, eu deixo-nos entrar, acendo as luzes e fecho a porta atrás de nós. "Então, onde é que você deixou o que você esqueceu?" "Está na garagem. Vamos lá. " Agarrando sua mão, eu começo a levá-la. Vim mais cedo para arrumar. Eu tinha dado a ela algum motivo bobo que Pierce precisava me ver. O que eu precisava era de um pouco de tempo para deixar isso perfeito. Papai disse que iria acender as velas antes de ir para o restaurante. Estou apenas esperando que as filhas da puta não tenham queimado. Eu quero que tudo esteja certo, perfeito. Abro a porta da garagem um pouquinho e vejo a iluminação bruxuleante. Ainda acesas. completamente.

Eu

respiro

fundo

e

abro

a

porta

inteira,

Eu arrumei a garagem exatamente como estava no dia em que a conheci, o que não era exatamente difícil. Tudo o que era necessário era o meu carro estar aqui e no local daquele dia com seu capô aberto. A única coisa que está faltando é seu belo corpo debaixo daquele capô.


Velas estão acesas em todo o lugar. Em torno do carro, eu as coloquei na forma de um coração. E eu tenho "Dangerous" tocando. Eu sou um merda sentimental, mas eu não me importo, porque valeu a pena para ver o olhar em seu rosto agora. Seus olhos estão arregalados, e ela tem o maior sorriso. Ela parece mais bonita do que nunca. De tirar o fôlego. "Carrick ..." Eu aproveito o fato de que ela está sem palavras. Eu não perco tempo. Se eu fizer isso, então eu vou ficar nervoso e foder isso. Eu não posso foder isso. De pé diante dela, eu pego suas mãos na minha e digo o que eu precisava dizer a um longo tempo, "Desde o momento que eu te vi aqui, Andressa... você me teve. Eu sabia que minha vida estava prestes a mudar. E mudou, além dos meus sonhos. Eu costumava pensar que o único lugar que eu poderia realmente me sentir vivo era na pista, mas agora eu sinto diferente. Eu me sinto mais vivo quando estou com você. Você me desafia. Você me faz mais feliz do que eu jamais fui. Você me faz rir como ninguém mais. Você me ama como eu não sabia ser possível. Mas o mais importante, você me torna um homem melhor. " Minhas mãos estão tremendo, meu coração pulando. Eu posso sentir suas mãos tremendo na minha. Eu só estou rezando que isso seja um bom sinal. "Eu quero continuar me sentindo assim para o resto da minha vida, então é por isso que eu trouxe você aqui." Eu puxo a caixa do anel do meu bolso. Ela engasga. Puxando a mão da minha, ela cobre a boca. "Eu quero pedir-lhe no mesmo lugar, no mesmo dia em que você mudou a minha vida, se você considerar compartilhar a sua comigo.


Deixe-me mudar a sua vida. Deixe-me dar de volta para você tudo o que você já deu a mim. " Eu me abaixo em um joelho e abro a caixa. "Quer se casar comigo, Andressa?" Ela está olhando para mim e depois para o anel, seus olhos vão e voltam. Sua mão ainda está cobrindo o boca, enquanto uma lágrima corre pelo seu rosto, rapidamente seguida por outra e mais outra. Minha boca está seca, o meu coração batendo como um filho da puta. Eu nunca estive tão assustado na minha vida inteira como estou agora. "Andressa ..." "Sim", ela sussurra, movendo a mão de sua boca. "Sim?" "Sim! Um milhão de vezes, sim! " Ela sorri grande. E meu coração explode com alívio, e a porra de pura felicidade. Com as mãos tremendo, eu pego o anel da caixa, e deslizo para o único dedo que ele sempre esteve destinado a estar. Então, eu fico em pé, puxando-a para mim. Pegando sua boca, eu a beijo como se não fosse suficiente, porque isso nunca vai acontecer com ela. Eu vou sempre querer mais. Afastando um pouco de mim, ela me olha com os olhos brilhantes. "Então... vamos nos casar?" Ela parece quase não acreditar que isso está acontecendo. Meu coração aperta no meu peito. "Sim, querida, vamos nos casar." E eu sorrio sabendo que estou prestes a entrar na corrida mais emocionante da minha vida, e não há ninguém com quem eu gostaria de estar mais do que com que ela.

FIM

Profile for Lua Crescente

Samantha towle revved #1 [revisado]  

Um livro de Samantha Towle.

Samantha towle revved #1 [revisado]  

Um livro de Samantha Towle.

Profile for ladycrew
Advertisement