Issuu on Google+

Esportivo

Legião estrangeira para o Gauchão MARCELO MACIEL

Com atrasos e lista incompleta, Alviazul vai apostar em jogadores de parcerias para disputar o estadual e buscar novos rumos em 2014

Página 14

BENTO GONÇALVES, QUARTA-FEIRA, 4 DE DEZEMBRO DE 2013 – ANO 47 – N°2983 – R$ 3,00 – www.jornalsemanario.com.br

Polícia Federal

Bento na rota do tráfico Empresário de 73 anos e outros dois bento-gonçalvenses foram presos pela PF acusados de participar de quadrilha internacional

Variação

RODRIGO BERGSLEITHNER, ARQUIVO

COMBUSTÍVEIS

Página 12

FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA

Prefeitura tenta mudar lei e recua

absurda Página 9

JOSIANE RIBEIRO

Aumento autorizado pelo governo faz preço da gasolina variar de R$ 2,89 até incríveis R$ 3,21 em Bento Página 8


-

-

a s -

2

Opinião EXPEDIENTE

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

EDITORIAL

De quem é a culpa?

SEDE Wolsir A. Antonini, 451 Bairro Fenavinho - Caixa Postal 126 95 700.000 - Bento Gonçalves - RS ESCRITÓRIO CENTRAL Mal. Deodoro, Centro, 101 Galeria Central - Sala 501 DIRETOR PRESIDENTE HENRIQUE ALFREDO CAPRARA DIRETORES ANA INÊS FACCHIN HENRIQUE ANTÔNIO FRANCIO

JORNALISTA RESPONSÁVEL HENRIQUE ALFREDO CAPRARA Registro Prof. DRT 3321 Somos filiados à ADJORI / RS Este jornal não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados e não devolve originais que não foram publicados.

O mês de janeiro está chegando e mais uma vez produtores rurais e vinícolas entram em um impasse: o que fazer com tantas uvas produzidas? Não há como receber e estocar tanto produto. Com isso, onde será colocado este excedente? A situação é considerada preocupante e pode colocar em risco as finanças de muitas famílias. Pelo menos 12 delas, residentes no Vale dos Vinhedos, já estão sentindo o reflexo da mudança de postura de algumas empresas. A ordem agora é optar-se pela qualidade e não mais pela quantidade. Somente nas terAs ações paternalistas das ras destas famílias, estima-se vinícolas, que recebiam todos os que a produção ultrapasse 100 toneladas. tipos de uvas já estão com os As ações paternalistas das vidias contados e chegando ao fim nícolas, que recebiam uvas de todos os tipos já estão chegando ao fim. O futuro nos remete para o recebimento de uvas selecionadas, com qualidade superior e com capacidade de produzir vinhos e espumantes e, até mesmo sucos, acima da média para contentar o paladar cada vez mais exigente do consumidor. Os produtores precisarão se qualificar e garantir melhores produtos para não caírem em desespero como está acontecendo nesta safra. Além da produção qualificada, está mais do que na hora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da Emater e da Embrapa começarem uma conscientização em massa para a diversificação de culturas em nossa região. Afinal, nossa região consome, em grande parte, toma-

tes, verduras, legumes e frutas vindos da Ceasa de Porto Alegre. A diversificação de culturas é uma alternativa rentável e muito proveitosa, caso seja implantada de forma coerente e orientada pelos produtores. Caso contrário, teremos uma crise de proporções nunca vistas no setor vitivinícola. A postura das empresas em primar pela qualidade não é simplesmente um capricho, mas sim uma exigência de mercado. Para competir em igualdade com os vinhos estrangeiros, nosso produto precisa de qualidade similar para ser reconhecido. Afinal, é inadmissível que o Vale dos Vinhedos, única região da Serra com Denominação de Origem (DO) venha a produzir vinhos de baixa qualificação. Seria uma contrariedade à evolução do produto. Por isso, é necessário que os produtores se adequem a esta nova exigência do mercado. Precisamos de um meio termo nesta questão. Uma evolução na cultura implantada nos parreirais e um pouco de tolerância das empresas nesta fase de amadurecimento do processo. Abandonar nossos produtores não é uma saída das mais louváveis. Pois, quem garantiu os bons resultados das empresas no passado, não pode ser simplesmente deixado de lado nesta fase de transição. O bom senso precisa imperar nesta questão. Se faz necessária a intervenção de mediadores habilidosos, que estejam a par da situação para acalmar os ânimos. Bento Gonçalves é uma cidade com várias entidades ligadas ao setor vitivinícola, o que permite que um entendimento entre empresas e produtores seja encaminhado de forma satisfatória para os dois lados. Pelo menos isso é o que esperamos que aconteça.

AntônioFrizzo FALE COM A GENTE Telefones: Central/Fax: 3455.4500 Escritório Centro: 3452.2186 Rádio - Estúdio: 3455.4530 Rádio - Coordenação: 3455.4535 Atendimento ao assinante: 3055.3073 ou 9971.6364 E-mails: classificados@jornalsemanario.com.br jornal.semanario@italnet.com.br radio@radiorainha.fm.br Sites: www.jornalsemanario.com.br www.radiorainha.fm.br Representante em Porto Alegre Grupo de Diários Rua Garibaldi, 659, Conjunto 102 Centro - POA - Fone: (51) 3272.9595 e-mail: fernanda@grupodediarios.com.br

Semanário na Internet Siga-nos no Twitter: @jsemanario Curta a fan-page: on.fb.me/jsemanario

Leia também no nosso site: www.jornalsemanario.com.br

Antônio Frizzo

antoniofrizzo@italnet.com.br

Atropelamentos? Até quando? Ao longo desses mais de 35 anos militando na imprensa já comentei inúmeras vezes sobre o trânsito de Bento Gonçalves. Como já dirigi em muitos locais, não tenho dúvidas em afirmar que os dois piores são, pela ordem, Bento e Caxias. E quando falo em trânsito me refiro a todos os envolvidos, tais como motoristas, motociclistas, ciclistas, pedestres, agentes de trânsito, policiais de trânsito, responsáveis pelos departamentos municipais, estaduais e federal. Todos têm grande parcela de responsabilidade por tudo o que acontece no trânsito. Mas, falemos, mais uma vez, sobre os problemas nossos de todos os dias. É inacreditável o que se vê por aqui. Motoristas sem noção, motociclistas idem, pedestres da mesma forma. E a fiscalização não possui agentes em número suficiente para um trânsito de mais de setenta mil veículos. As faixas de segurança são ignoradas, solenemente, pela maioria dos condutores de veículos e, pior de tudo, pelos próprios pedestres. Os primeiros não param e os segundos, quando as utilizam indolentemente, distraidamente, abusadamente. Observando isso nas ruas centrais, várias perguntas se impõem: Por que muitos motoristas não respeitam as faixas de pedestres? Por que muitos pedestres não utilizam as faixas e, quando as utilizam, o fazem indolentemente? Por que muitos pedestres que veem veículos parados permitindo a travessia de outros pedestres e eles, mesmo estando longe,

nas calçadas, chegam e pensam que a prioridade continua sendo deles? Por que sequer sinaleiras a eles destinadas são ignoradas, desrespeitadas por muitos? Por que, mesmo estando próximos delas, muitos pedestres cruzam ruas fora delas e, não raro, falando ao celular e/ou com sombrinhas/guarda-chuva enfiados na cabeça? Por que muitos pedestres se julgam indestrutíveis e imunes a atropelamentos, pouco ou nada fazendo para se protegerem, pensado “tô na minha”? Para motoristas, não entendo necessárias quaisquer “campanhas de conscientização” por elementar motivo: se possuem carteira de habilitação é porque participaram de cursos teóricos e práticos para formação de motoristas. Mas, pedestres não precisam disso. Deveriam, sim, desde pequeninos, receber “cursos de formação para pedestres no trânsito” de seus pais. Mas, o que se vê não é isso. Esta semana, duas pessoas foram atropeladas no centro. Fora das faixas de pedestres. Por que, então, não se deflagra uma intensa campanha de conscientização para pedestres? Já é mais que necessário isso. Existem verbas originárias das multas (que, aliás, estão sendo aplicadas em bem menor número do que as infrações que se veem diariamente) que podem – e devem – ser utilizadas desta forma. A Secretaria dos Transportes poderia e deveria pensar bem sobre isso. Mas, antes que tenhamos mais mortes por atropelamento a lamentar.


Opinião 3

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Painel Exposição Permanente

Exposição fotográfica A realidade vista de diversas formas. Assim pode ser definida a exposição fotográfica dos alunos do ensino médio do colégio Visconde de Bom Retiro, de Bento Gonçalves. Intitulado “Olhares do Bom Retiro”, o projeto é resultado de três meses de estudos dentro da disciplina de Artes, ministrada pelo professor João Carlos Pereira Júnior. A abertura da exposição acontece no dia 6 de dezembro a partir das 19h30min e segue até o dia 17 no saguão do colégio.

O Brasil conseguiu reduzir a taxa de mortalidade infantil na passagem de 2011 para 2012. O País registrou 15,7 óbitos de menores de um ano para cada mil nascidos vivos no ano passado. No ano anterior, essa taxa foi de 16,4 mortes entre crianças nessa faixa etária para cada mil nascidas vivas. O resultado está nas Tábuas Completas da Mortalidade para o Brasil 2012, divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar da melhora, o resultado brasileiro ainda está longe do verificado em países desenvolvidos, onde as taxas de mortalidade infantil situam-se em torno de cinco óbitos de menores de um ano para cada mil nascidos vivos.

28 anos sem o Rei do disco Hoje, completam 28 anos da morte do maior cantor do Rio Grande do Sul. No dia 04 de dezembro de 1985, morria em Porto Alegre, em sua residência, no bairro Glória, o cantor e compositor Vitor Matheus Teixeira, o Teixeirinha. Ele gravou mais de 700 músicas e 12 filmes de grande sucesso e se apresentou em palcos do país inteiro e do exterior, sempre levando a cultura e retratando a vida e o cotidiano do povo gaúcho. Recententemente, a Casa das Artes exibiu dez dos seus filmes, e que recebeu a presença de muitos expectadores. Até hoje, o cantor é conhecido como um dos recordistas de vendas de discos e para os seus fãs, espalhados em todo o Brasil, ele continua sendo um ídolo imortal. Não dá para esquecer o gaúcho “Coração do Rio Grande”.

Bingo beneficente Ocorre no dia 13 de dezembro, às 19h30min, um bingo beneficente, no salão da comunidade São Cristóvão, do bairro Vila Nova. As cartelas custam R$ 10 com direito a oito rodadas e com muitos brindes que serão oferecidos para os participantes, além do serviço de cozinha que terá neste dia. A organização é dos próprios moradores do bairro.

TrêsPontos... Você concorda com a multa para quem jogar lixo nas ruas da cidade?

JOSIANE RIBEIRO

Livros para comunidade

País reduz taxa de mortalidade infantil

Iniciou ontem, terça-feira, 03, a Exposição Permanente dos Artistas Plásticos de Bento Gonçalves. A atividade integra o Projeto Semeador da Secretaria da Cultura, e tem o objetivo de valorizar os talentos locais. A partir das 17h a Fundação Casa das Artes recebe obras de 30 artistas, no terceiro piso.

Uma Minibiblioteca Comunitária foi instalada na Via Del Vino, no Centro de Bento. O projeto integra a programação de Natal e é organizado pelo Rotaract Clube Bento Gonçalves, com o apoio das secretarias de Turismo e Cultura. O objetivo é compartilhar a leitura através de livros que estarão disponíveis em uma mini casa de madeira e que poderão ser trocados. Essa iniciativa deixa o livro mais próximo das pessoas.Para pegar o livro, basta escolher o que mais lhe agradar. Não é necessário fazer nenhum cadastro.

A lei da cultura é uma lei séria e estamos dando a devida atenção a ela JOVINO NOLASCO, SECRETÁRIO DE CULTURA

Falecimento “Família Bertuol (Tide - Carlinhos - Paulo já falecido) perdeu a matriarca, Dona Elmira. Tenho boas recordações dela pois frequentava constantemente a residência localizada no lado do posto Bianchi, no centro. Aristides, o patriarca, dono da revenda Chevrolet, ex-prefeito, ex-deputado, ex-corredor campeão de carreteiras, era o anfitrião. Eu costumava, aos sábados, véspera de corrida, ir até a oficina e polir a bichinha número 04. Na sala de visitas Dona Elmira, alta, discretíssima, cordial, porém reservada, nos servia o cafezinho e, como uma pluma, suavemente, desaparecia da sala mostrando discrição absoluta. Morreu aos 92 anos deixando um legado que hoje é perpetuado por seu filho Tide, lá em Camboriú, onde é empresário do ramo imobiliário, e Carlinhos, líder empresarial a frente da Meber Metais Sanitários. Minha afeição por esta família é muito grande pela vivência de coisas boas no passado e amizade do presente. Foi com muito pesar que fui me despedir de Dona Elmira e rememorar de quanto o casal foi importante para esta cidade.”

A pergunta que não quer calar Quatro governos estaduais se passaram e ninguém conserta e/ou conclui aquele trecho de estrada ali no rio das antas que nos conduz a Guaporé, a ERS-431. O asfalto cedeu uma vez na enchente, fizeram um remendo, o trecho não está concluído, todo mundo prometeu concluir e ninguém fez nada. Está faltando força política? Envie a sua sugestão de pergunta pelo e-mail redacao@jornalsemanario.com.br

Henrique Alfredo Caprara

“Concordo, pois isso representa que as pessoas terão que colaborar com a limpeza, até porque, Bento é uma cidade turística e devemos conservá-la limpa e organizada”. Salézio Luiz Ferreira, 65 anos, aposentado, morador do bairro Cidade Alta.

“Acho que essa será a melhor forma de fazer com que as pessoas tenham consciência ecológica, e mantenham sempre limpa a nossa cidade, porque isso é uma forma de também educar e todos nós fizemos parte”. Gislaine Dupont, 25 anos, gerente, moradora do bairro Maria Goretti.

“Com certeza, concordo plenamente, pois quanto menos lixo nas ruas mais saudável será o povo, além de que moramos numa cidade turística e que poderá ser subsede de Copa do Mundo”. Romeu Paludo, 65 anos, empresário, morador do bairro Centro.


4

Geral

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Entidades

Ivo Cansan é reeleito na Movergs Executivo avalia as contribuições no comando da entidade e comenta sobre o contexto atual do segmento moveleiro gaúcho

C

om o aporte da experiência adquirida ao longo de quatro anos no comando da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), Ivo Cansan assume, novamente, o desafio de representar os interesses da cadeia produtiva moveleira gaúcha. Em assembleia realizada no dia 28 de novembro, ele foi reconduzido à presidência da entidade para o período 2014/2015. Sua administração virá renovada pela missão de buscar a unidade dos polos – gaúchos e nacionais – como forma de fortalecer o segmento, ampliar sua representatividade – e de suas reivindicações. Prestes a concluir sua segunda gestão, Cansan faz um balanço dos últimos quatro anos, destacando como principal conquista o trabalho que tem sido feito com esse objetivo de aproximar os diferentes elos do setor, tendo em vista a similaridade de interesses entre eles: a geração de oportunidades capazes de estimular o desenvolvimento e ferramentas para lhes proporcionar crescimento frente às dificuldades. Ele revela, ainda, o grande legado proporcionado pela experiência – o conhecimento detalhado do segmento – e de que maneira aplicá-lo em prol das indústrias da cadeia produtiva. Com base nesse aprendizado, Cansan opina a respeito do atual cenário para os fabricantes de móveis gaúchos, aponta as dificuldades, possíveis soluções para alavancar o crescimento dos fabricantes e destaca: a união é a única forma de o setor obter maior competitividade e manter o posto de relevância ocupado por seus produtos no país e participação no mercado internacional. Como a Movergs tem contribuído com o desenvolvimento do setor moveleiro? A Movergs, ao longo de seus 26 anos, tem contribuído de forma consistente e constante na busca de soluções para o desenvolvimento da cadeia produtiva de madeira e móveis. Com a FIMMA Brasil, por exemplo,

EVANDRO SOARES, DIVULGAÇÃO

Cansan ficará por mais dois anos à frente da presidência da Movergs

buscamos alternativas para que as indústrias moveleiras possam inovar e criar caminhos capazes de facilitar e promover a competitividade, e, com essa ferramenta, permitir aos consumidores experimentarem uma grande oportunidade ao comprar nossos móveis – certamente trazendo bem-estar e conforto para suas residências. A Movergs trabalha sem medir esforços para encontrar alternativas às dificuldades do setor, sempre em parceria com as indústrias, associados e a cadeia produtiva. Com isso, temos a certeza de que estamos fortalecendo o coletivo e dando continuidade ao ciclo do segmento moveleiro. Quais as principais conquistas consolidadas, até agora, em sua gestão? As conquistas são o resultado do trabalho feito ao longo de tantos anos, por todos aqueles que fizeram e fazem parte da Associação. Por vezes consegui-

mos vitórias em temas que beneficiam as indústrias e os consumidores – elas são frutos dos muitos anos de luta que a Movergs, e o setor moveleiro como um todo, vêm executando, sempre visando o crescimento e no fortalecimento coletivo. Qual o aprendizado registrado no período de quatros anos – duas gestões – em que presidiu a entidade? O grande aprendizado ao presidir uma associação como a Movergs, que possui abrangência não só no estado do Rio Grande do Sul, mas em âmbito nacional e, por vezes, internacional, é o grande conhecimento adquirido. Se aplicado de forma associativa e participativa, esse aprendizado ajuda a fortalecer o setor moveleiro, fazendo com que nossas indústrias tenham informações e capacidade de competir de forma global. No trabalho de integração da entidade podemos buscar parcerias,

informações e inovações que certamente irão beneficiar a todos os fabricantes. No entanto, isso somente terá resultado se todos entenderem que precisamos nos unir para nos fortalecermos, pois competir dentro do mesmo estado ou país não nos parece difícil, já que as regras são as mesmas. Os entraves maiores aparecem quando precisamos disputar com economias que comercializam vilmente seus produtos, vendendo-os de forma predatória, usando subsídios e ganhos dos seus governos para ganhar mercado. Quais as expectativas e desafios para os próximos anos, considerando o momento econômico do setor moveleiro? O caminho dos próximos anos passa por uma atuação ainda mais forte junto aos órgãos governamentais para que as indústrias não tenham a capacidade de competição subtraída. Da forma como se apresentam as legislações tributária, fiscal e trabalhista, está ficando inviável produzir e competir com nossos produtos. Temos que trabalhar junto ao Poder Público para garantir instalações de parques fabris de fornecedores de insumos mais próximos às nossas indústrias, facilitando e agilizando os processos, com um custo condizente com a realidade. Sofremos, ainda, com deficiências de infraestrutura e logística, além de um custo Brasil tão elevado que torna nossos produtos extremamente caros. Somados, esses fatores prejudicam, em última instância, também os consumidores: diante das dificuldades para adquirir itens de mobiliário, por vezes acabam abrindo mão e comprando somente o básico para sobreviver. Com isso, são penalizados sem o conforto e a praticidade que poderiam estar levando para suas casas. Quais as dificuldades do setor no mercado interno? As maiores dificuldades que nosso setor enfrenta, diariamente, são os altos custos e as alternativas pouco eficientes de logística, a infraestrutura precária das estradas brasileiras e a

carência de mão de obra qualificada. Além disso, embora existam alguns programas específicos, outro problema são as altas taxas de financiamento para os equipamentos necessários, nacionais ou internacionais, para agilizar os processos e inovar nos produtos fabricados – o setor moveleiro depende quase que exclusivamente de tecnologia de produção importada e isto dificulta os investimentos, principalmente para as pequenas indústrias, inviabilizando a compra ou deixando seus produtos excessivamente caros e sem poder de competição perante o mercado. Como será a próxima gestão frente a Movergs? De antemão podemos garantir que nosso compromisso será o de buscar a unidade do setor, de modo que sua pauta de reivindicações seja sincronizada e ganhe cada vez maior expressividade junto aos órgãos competentes. Agora, o grupo de trabalho da Movergs tem como prioridade a elaboração de uma agenda de trabalho bem planejada para atender essa necessidade de aproximação com os pólos regionais e nacionais. Assim, teremos bases muito mais sólidas para que nossas pertinentes reivindicações sejam ouvidas e atendidas com a brevidade necessária, a fim de garantir a manutenção de oportunidades de crescimento e desenvolvimento para todos.

A nova direção Presidente Ivo Cansan Vice-presidente José Agnelo Seger Diretor adm-financeiro Dorvalino Lovera Diretores: Alberto Peliciolli Celso Theisen Daniel Mazzochhi Gelson Ponzoni Conselho Fiscal: Henrique Bertolini João Farina Neto Luiz Attilio Troes Maristela Cusin Longhi Sérgio Dalla Costa


Geral

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

TARDE DE CAMPO

Grupo do Tomate se reúne hoje A Secretaria Municipal do Desenvolvimento da Agricultura, englobando as ações de qualificação e valorização do agricultor promove a III Tarde de Campo - Grupo do Tomate, formado em São Luis de Tuiuty. A atividade será realizada hoje, 4 de dezembro, a partir das 14h, na propriedade da família Postal. O trabalho será conduzido pelo engenheiro agrônomo Marcio Mota Nunes. Conforme a coordenadora do projeto, engenheira agrônoma, Sheila Andreia Carvalho, é a oportunidade que os produtores têm para a troca de experiências sobre os tratamentos aplicados em suas propriedades.

5

Concurso

Sabrina é eleita a Garota Bento Representante do bairro Santa Helena também recebeu o título de Musa do Clube Esportivo 2014 ESTEFANIA V. LINHARES

Estefania V. Linhares

A

nova Garota Bento e Musa do Esportivo é Sabrina Dallé, 19 anos, representante do bairro Santa Helena. Ela tem como primeira princesa Natália Casagrande, segunda princesa Shaiane dos Santos e simpatia Maria Eduarda Cabral. Para Sabrina será uma honra representar Bento, na etapa estadual, além de apoiar o Clube Alviazul nas competições disputadas no próximo ano. As representantes deste ano, Bruna Rodrigues Franciscon, Letícia Rodrigues, Maitê Silveira e Liane Oliveira entregaram

Sabrina, Natália, Shaiane e Maria Eduarda formam a nova corte

as suas faixas após a escolha realizada no sábado, 30, no Ginásio da Associação dos Moradores do Bairro Santa Helena.

A Musa do Esportivo Camila Milani, 21 anos, passou a faixa para a nova eleita. O concurso é promovido pela União das

Associações Comunitárias de Bairro (UACB). A escolha da garota que representará o município no Mais Bela Comunitária que acontecerá em Canoas foi bastante acirrada. Mais de 20 meninas representando diversos bairros e o interior do município disputavam o título. Elas tiveram que justificar para os jurados o motivo que as levaram concorrer a faixa. Já os jurados avaliaram as candidatas nos quesitos beleza, desenvoltura e simpatia. A melhor torcida eleita foi a do bairro Municipal. bairros@jornalsemanario.com.br


6 Geral

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Transporte coletivo

Paradas atrapalham o trânsito Pontos de ônibus estão instalados em locais impróprios e prejudicam o fluxo de veículos em determinadas vias do município ESTEFANIA V. LINHARES

Estefania V. Linhares

U

ma das reclamações dos condutores do município diz respeito à localização das paradas de ônibus. O transporte coletivo nestes locais tanto para pegar como para deixar passageiros, acaba atrapalhando o fluxo dos veículos. Entre os casos mencionados está o ponto localizado na rua Marechal Humberto Castelo Branco, próximo a um posto de combustível. Nesta situação, há um semáforo, assim, quando o sinal está aberto no sentido centro-bairro, e o ônibus está no local de desembarque e embarque de passageiros, os motoristas que desejam acessar a rua Herny Hugo Dreher precisam aguardar e em inúmeras vezes acabam travando o trânsito. Outro local se refere ao ponto próximo a um supermercado localizado na rua Treze de Maio. Segundo o secretário adjunto de Gestão Integrada e

Condutores reclamam dos locais onde estão instalados os abrigos

Mobilidade Urbana (Smurb) Vanderlei Mesquita, para a implantação das paradas de ônibus, não existem muitas opções em função do relevo do município. Com isso, existe uma dificuldade para atender algumas solicitações. “A Lei de Mobilidade Urbana tem alguns itens que temos que respeitar em função da preservação da

vida, e de melhores condições para as pessoas que é um lugar reto e plano”, explica. Em determinadas regiões é necessário que se tenha uma adaptação do relevo. “Em alguns casos é preciso mudar de rota e infelizmente a nossa cidade cresceu com o projeto do século passado”, comenta. Ele lembra que existem estudos

que apontam que as pessoas ficam irritadas, pois os ônibus param e atravancam o trânsito. A estimativa é que quase 30 mil pessoas utilizam o transporte coletivo. Para Mesquita seria muito diferente se desenvolvesse algumas ações, porém neste momento a Secretaria está se adequando à implementação da Lei de Mobilidade Urbana. “Isso nos remete muitas mudanças e temos que nos adequar para não gastar duas vezes”, destaca. O secretário da Smurb, Mauro Moro, revela que tem uma lei que está sendo proposta pelo prefeito Guilherme Pasin, que tem por objetivo firmar uma parceria entre o público e o privado para a implantação de abrigos de ônibus e placas com nomes de ruas. Acesso Conforme Moro, o ideal é que o transporte coletivo chegasse para toda a população,

mas em virtude do estreitamento das vias não se tem condições de disponibilizar. Outro ponto apontado que está entravando as adequações em temática é a indefinição da licitação dos ônibus que está no Tribunal de Contas. Ele aponta que de acordo com levantamentos, 596 mil pessoas utilizam o transporte de ônibus mensalmente. “Se pensarmos proporcionalmente é muito pequena em relação ao que era há 20 anos. Nós temos que mudar a cultura para a utilização do transporte coletivo”, ressalta. Um estudo para a recolocação das paradas de ônibus foi realizado. Assim, se tornará mais ágil e atrativo para a população prevê a Smurb. Porém, antes é necessário que seja definido o processo licitatório das empresas de transporte coletivo no Tribunal de Contas. bairros@jornalsemanario.com.br


Geral 7

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Crema/Serra

Troca de asfalto começa na RSC-470 Início das ações acontece em Nova Prata, onde a rodovia está mais precária. Expectativa é de até 800 metros novos por dia Fernando Levinski

A

pós tantos meses de espera, iniciaram nesta semana as obras de troca do asfalto do Contrato de Restauração e Manutenção de Rodovias da Serra (Crema/Serra) na RSC470. O início desta etapa dos trabalhos aconteceu na altura do km 152, nas proximidades de Nova Prata. De acordo com o coordenador da 2ª Superintendência Regional do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Sílvio Roberto Pinheiro, a escolha do ponto para o início da troca do asfalto aconteceu pela situação mais precária do quilômetro 152. No total a RSC-470 terá a troca de asfalto em 57,18

ERS-431

Encontradas pedras para a reconstrução Após procurar por uma semana um local para extrair pedras para usar como base na reconstrução da ERS-431, que registrou o desabamento de alguns trechos há cerca de duas semanas, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) encontrou um local a cerca de seis quilômetros da rodovia com pedras de basalto. De acordo com o coordenador da 2ª Superintendência Regional do Daer, Sílvio Roberto Pinheiro, as pedras são remanescentes da construção da linha férrea que passa nas proximidades. “São do tamanho ideal que precisamos, a partir disso eu encaminhei a sugestão para Porto Alegre e estamos aguardando um retorno”, explica. Para utilizar o local será necessário somente realizar algumas adequações, como a construção de rampas para possibilitar o acesso das máquinas.

FERNANDO LEVINSKI, ARQUIVO

km entre o entroncamento com a ERS-324 (Nova Prata) e a ERS-431 (São Valentim do Sul). O coordenador da 2ª Superintendência acredita que será possível fazer uma média entre 700 e 800 metros de asfalto novo por dia. “Essa é a média que já está sendo feita no Lote 2 (parte do Crema que abrange as rodovias ERS-122 e RSC453)”, complementa Pinheiro. As obras deverão ser feitas em trechos de meia pista e, após a conclusão da troca da pavimentação, a próxima etapa será a sinalização. Atrasos O edital do Crema/Serra foi publicado pelo governo do Estado no dia 1 de novembro de

Roçada, que aconteceu no final de julho foi a primeira ação do Crema

2012, na época foi divulgado que as obras deveriam iniciar em março. Entretanto, o Tribunal de Contas do Estado

(TCE) revogou o documento no início do mês de janeiro alegando algumas irregularidades. No dia 21 de janeiro um

novo edital foi encaminhado, porém, a Central de Licitações do Estado (Celic) devolveu o documento alegando irregularidades. O documento só foi publicado em definitivo no dia 25 de fevereiro. As primeiras ações na RSC470 começaram ainda no mês de julho, com a roçada dos acostamentos. Em agosto o Daer realizou uma operação tapa-buracos na rodovia. A troca do asfalto estava prevista para iniciar ainda no mês de setembro. Porém, somente no início de outubro o Daer alegou que o projeto executivo da empresa vencedora licitação tinha problemas que precisariam passar por correções. geral1@jornalsemanario.com.br


8 Geral

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Reajuste

Novos valores nas bombas de Bento Gasolina e diesel passaram por aumento no final da semana passada. Alterações nos postos da cidade começaram no sábado FERNANDO LEVINSKI, ARQUIVO

Fernando Levinski

O

aumento da gasolina já chegou nas bombas dos postos de gasolina de Bento Gonçalves. O aumento, comunicado no final da semana passada pela Petrobras, foi de 4% para a gasolina e 8% para o diesel no preço das refinarias. A expectativa era de que o aumento repassado para o consumidor ficasse em, aproximadamente, 2,5%. Entretanto, o Procon do Rio Grande do Sul afirmou que será aceito um aumento de até 4% e, acima disso, poderá ser aplicada uma multa de até R$ 30 mil. A reportagem do Semanário visitou 10 postos da cidade e constatou que todos já haviam aumentado os preços. A maioria alterou os valores no final da tarde de segunda-feira, 2. Em um posto o aumento

Aumento na refinaria ficou em 4% para gasolina e 8% para o diesel

ocorreu ainda no sábado, 30 de novembro, e em outro estabelecimento os valores foram alterados na manhã de ontem, terça-feira. Nem todos os postos alteraram os valores do litro do etanol. De todos os postos visitados, nenhum registrou um

aumento superior a 4%. O cálculo foi feito baseado nos valores coletados pela pesquisa feita pelo Procon de Bento Gonçalves no dia 26 de novembro, e que foi publicada no site da prefeitura. geral1@jornalsemanario.com.br

Preços em alguns postos Serra Gaúcha Fenavinho Gasolina Comum R$ 2,89 Gasolina Aditivada R$ 3,09 Diesel R$ 2,55

Posto Bento Gasolina Comum R$ 3,04 Gasolina Aditivada R$ 3,10 Diesel R$ 2,56

Barracão Gasolina Comum R$ 3,10 Gasolina Aditivada R$ 3,17 Diesel R$ 2,53

Posto Pozza Gasolina Comum R$ 3,08 Gasolina Aditivada R$ 3,21 Diesel R$ 2,52

Abast. Minneapolis Gasolina Comum R$ 3,07 Gasolina Aditivada R$ 3,09 Diesel R$ 2,49

Di Trento (Cidade Alta) Gasolina Comum R$ 3,08 Gasolina Aditivada R$ 3,17 Diesel R$ 2,61

Zambon Gasolina Comum R$ 3,07 Gasolina Aditivada R$ 3,19 Diesel R$ 2,73

Posto São Bento Gasolina Comum R$ 3,07 Gasolina Aditivada R$ 3,19 Diesel R$ 2,62

Posto Ravanello Gasolina Comum R$ 3,09 Gasolina Aditivada R$ 3,14 Diesel R$ 2,74

Abastecedora Serrana Gasolina Comum R$ 2,89 Gasolina Aditivada R$ 2,98


Geral 9

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Fundo de Cultura

Prefeitura quer mudanças na lei Alterações referentes à destinação dos recursos foram feitas sem consulta ao Conselho de Cultura e chegaram a ser levados à Câmara JOSIANE RIBEIRO

Josiane Ribeiro

A

lterações nos dispositivos da lei municipal nº5467/2012 causaram movimentação na classe cultural do município no início desta semana. A proposta de modificação foi realizada pela prefeitura de Bento e enviada para votação na Câmara de Vereadores. No entanto, o pedido de alteração foi encaminhado sem o conhecimento da classe artística e do Conselho Municipal de Política Cultural de Bento. Devido a pressão dos artistas, o projeto de lei foi retirado da pauta na segunda-feira, 2. A lei, que dispõe sobre o sistema municipal de Cultura, seus princípios, objetivos, organização e gestão, teria alterações referentes à destinação dos recursos do Fundo Municipal de Cultura (FMC) - hoje atribuídos exclusivamente às pessoas físicas e jurídicas, segundo artigo 80. Com a mudança, eventos comprovadamente culturais organizados pelo município,

Conselho e artistas buscaram explicações na Secretária de Cultura

como Feira do Livro, festivais de dança ou teatro, por exemplo, também seriam contemplados conforme disponibilidade financeira de recursos do Fundo Municipal de Cultura. Além disso, o processo também altera o art. 92 com a justificativa de inconstitucionalidade. O artigo determina que o valor destinado ao investimento e incentivo cultural do FMC deve ser fixado de acordo com o Imposto Sobre Serviços de Qualquer

O que mudaria Com a alteração a verba do Fundo de Cultura seria destinada também para eventos culturais organizados pelo município como Feira do Livro e Festivais de dança ou teatro. Hoje o Fundo é utilizado exclusivamente para pessoas físicas ou jurídicas. Para conferir teor de legalidade na lei, os recursos do Fundo passariam a ser definidos anualmente pelo Poder Executivo, através da Lei Orçamentária Anual, perdendo o vínculo com o ISSQN.

Natureza (ISSQN). De acordo com a Constituição Federal, fica vedada a vinculação de receita de imposto a órgão, fundo ou despesas. Os recursos do Fundo seriam definidos anualmente por Ato do Poder Executivo, através da Lei Orçamentária Anual. A redação também revoga o art. 94 tendo em vista o interesse público decorrente da inviabilidade técnica na execução dos procedimentos previstos. Segundo Cristian Bernich,

presidente do Conselho de Cultura, o momento é de aguardar uma manifestação da prefeitura sobre as mudanças. “Estamos surpresos com essa questão tão delicada, pois em nenhum momento fomos comunicados sobre a alteração na lei. Buscamos um esclarecimento coerente com a proposta cultural do município”, afirma. De acordo com o secretário de cultura, Jovino Nolasco, a antecipação da proposta teve como objetivo beneficiar os artistas e garantir que os recursos para os projetos deste ano sejam liberados. “Nossa preocupação foi em corrigir essa inconstitucionalidade da lei pensando também na regularização dos projetos de 2013”, explica. Após as manifestações dos artistas e do Conselho, a prefeitura convocou um reunião para amanhã, às 18h, para avaliar as alterações da lei. O projeto deverá ser dividido em duas partes com alteração inicial do artigo 80 para garantir a consti-

tucionalidade. “A lei da cultura é uma lei séria e estamos dando a devida atenção a ela”, destaca. Convênios parados Na terça-feira, 26, ocorreu a assinatura dos convênios dos projetos habilitados e aprovados para recebimento de auxílio financeiro do Fundo de Cultura. Após a assinatura foram verificados alguns pontos que precisam ser corrigidos nos convênios. Os pequenos ajustes referem-se a números de conta corrente, valores de contrapartida, entre outros. Devido a essas correções os convênios estão parados na procuradoria municipal e não tiveram as verbas liberadas. Os processos aguardam a liberação do procurador Sidgrei Spassini e do prefeito Guilherme Pasin. De acordo com a Secretária de Cultura, a verba está prevista para liberação na quinta-feira. geral4@jornalsemanario.com.br


10 Geral

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Futuro incerto

Viticultores formam comissão Grupo de produtores elegeram ontem, 3 de dezembro, representantes para articular um destino para a próxima safra ESTEFANIA V. LINHARES

Estefania V. Linhares

U

ma comissão foi constituída na manhã de ontem, 3 de dezembro, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Bento Gonçalves (STR/BG). Além da presidente da entidade, Inês Fagherazzi, os viticultores Edegar Cristofoli e Glademir Moro irão buscar alternativas para que se tenha um destino para entregar a uva. Uma vinícola do Vale dos Vinhedos informou no dia 13 de novembro um grupo de 12 produtores, de que não receberiam a uva colhida na próxima safra. Assim, foi realizada uma mobilização entre eles, com o apoio do Sindicato. No primeiro encontro, os viticultores expuseram as dificuldades em encontrar uma cantina, associação ou vinícola para entregar a uva. Um dos viticultores

Exemplo de legenda de foto xxxxxxxxxx Onze viticultores estiveram reunidos no STR/BG para buscar alternativas para a produção

presentes no encontro desabafou que “passamos de produtores integrados para independentes pela vinícola a partir do dia 13 de novembro”. Na safra do ano passado foram entre-

gues produtos com 19 graus babos, assim são todas uvas consideradas de qualidade. O encontro contou com a presença do vice-presidente da Comissão da Agricultura, Pau-

lo Roberto Cavalli, o vereador Paco, que se comprometeu em ajudar os produtores. Para o viticultor Dalarosa, fornecedor há 15 anos, seria o primeiro ano que iria colher a uva, após cortar os

parreirais e implantar o sistema espaldeira. Inês enfatizou que os produtores estão abandonando as propriedades pela falta de garantias. “Não se tem direitos e na cidade se tem aviso prévio, seguro desemprego. Agora, esses produtores estão perdendo o investimento de um ano, o suor e não tem onde colocarem a produção que dá origem ao recurso para sobreviverem”, ressalta. Uma das alternativas apontadas pela presidente do STR/BG é buscar auxílio junto ao governo federal. Cada viticultor especificou a quantia e a variedade da uva disponível para a comercialização para que a comissão possa negociar nas empresas. No decorrer da semana, o grupo constituído dará os próximos passos. bairros@jornalsemanario.com.br


Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

11


12

Segurança

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Polícia Federal

RSC-470 MARCELO MACIEL

Bento está na rota do tráfico internacional Empresário e dois irmãos são acusados de comandarem as ações na Serra ANTÔNIO SÉRGIO DE OLIVEIRA/DIFUSORA, DIVULGAÇÃO

Marcelo Maciel

U

m empresário de 73 anos de Bento Gonçalves é considerado um dos principais suspeitos de participar da quadrilha internacional que traficava cocaína e maconha na Serra Gaúcha. Segundo o delegado da Polícia Federal de Caxias do Sul, Noerci Mello, em coletiva de imprensa, o empresário importava resíduos plásticos recicláveis do Paraguai para a fabricação de móveis e, junto com a carga, trazia a droga em fundos falsos, que era repassada para os dois irmãos bento-gonçalvenses, de 37 e 47 anos, que se encarregavam da distribuição. A droga vinha do Paraguai e tinha como fornecedor principal Aristides Ayala Elizeche, 42 anos, um narcotraficante foragido do sistema prisional brasileiro e procurado pela Interpol. Durante sete meses de investigação, a PF juntou imagens do empresário em visita à casa do traficante em Ciudad Del Este. Foram apreendidas cocaína e maconha, sete quilos de explosivos, 15 armas e alguns veículos. O empresário e os dois irmãos ficarão presos preventivamente.

Motorista perdeu o controle do carro e bateu de frente nas pedras

Jovem de 24 anos fica ferido em acidente

Agentes da Polícia Federal passaram o dia em Bento Gonçalves

Os três bento-gonçalvenses estão na lista de pessoas procuradas no cumprimento de 26 mandados de prisão preventiva e 32 de busca e apreensão em cinco cidades gaúchas (Bento Gonçalves, Santa Tereza, Muçum, Marau e Guaporé), quatro catarinenses (Barra Velha, Itajaí, Balneário Camboriú e Camboriú), uma paranaense (Santa

Terezinha do Itaipu) e uma no Paraguai (Ciudad Del Este). Durante todo o dia, agentes da Polícia Federal percorreram os bairros de Bento Gonçalves. De acordo com o delegado Melo, não está descartada a prisão de mais pessoas na cidade e também na região. editoria@jornalsemanario.com.br

Um acidente de trânsito ocorrido por volta das 6h40min desta segunda-feira, 2, no quilômetro 217 da RSC470, deixou uma pessoa ferida e provocou um congestionamento de aproximadamente cinco quilômetros na rodovia. Um jovem de 24 anos trafegava no sentido Garibaldi/ Bento Gonçalves, quando perdeu o controle de seu automó-

vel Gol, placas IGT-7852 de Bento, e bateu de frente nas paredes de pedras na lateral da rodovia. O motorista foi socorrido pela ambulância do Samu com suspeita de fratura no nariz e levado para o Hospital Tacchini. O congestionamento durou cerca de meia hora, até o veículo ser recolhido pelo guincho.

VIA PÚBLICA Dois atropelamentos no Centro de Bento Nesta segunda-feira, 2, por volta das 14h, foram registrados dois atropelamentos no Centro de Bento Gonçalves. Na rua Júlio de Castilhos com a Ramiro Barcelos, uma jovem de 17 anos foi atropelada e sofreu feri-

mentos. O segundo atropelamento aconteceu na Rua Marechal Deodoro com a Júlio de Castilhos e feriu uma idosa de 64 anos. As duas vítimas foram socorridas pelo Samu e encaminhadas para o Hospital Tacchini.


Esportes 13

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Motovelocidade

Pedro Sampaio é o novo campeão Piloto da Fábio Loko se consagrou no domingo,1, ao levar o título Brasileiro da GPR 250cc na cidade de Cascavel, no Paraná LEANDRO CAMPOS, DIVULGAÇÃO

Vinicius Mieznikowski

B

ento Gonçalves tem mais um campeão brasileiro de motovelocidade. Pedro Sampaio mostrou talento e força na prova que deu título nacional na GPR 250, categoria que incentiva jovens talentos da motovelocidade no Brasil. A etapa decisiva aconteceu na cidade de Cascavel no Paraná. Foi a última parada do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Pedro Sampaio, representante do município na competição fez bonito na última corrida que definiu quem seria o grande campeão. O piloto da Fábio Loko se consagrou no Autódromo Zilmar Beux e levou o título em uma corrida nada fácil. A prova foi dura, com Meikon Kawakami, da Alex Barros Racing liderando a com-

Sampaio teve um campeonato difícil no início do ano e recuperou pontos em várias vitórias

petição até o último momento. As motos alternavam posições o tempo todo. Tom Meikon, também piloto da Alex Barros Racing, que havia conquistado a terceira posição no grid,

pulou na frente. A prova ficou com os três pilotos trocando posições. Na última volta, Meikon foi para cima de Sampaio que era o líder e assumiu a ponta por algum tempo, mas

não conseguiu sustentar a posição. Na entrada da reta para a bandeirada final, Sampaio abriu vantagem com Sabrina e Meikon colados, brigando pelo segundo lugar. No final, Sam-

paio confirmou a vitória com Sabrina em segundo e Meikon Kawakami na terceira colocação. Pedro Sampaio ao final da prova respirava aliviado e comemorava muito a vitória. O atleta lembrou dos momentos que marcaram sua participação na competição ao final da prova. “Foi um começo de ano desanimador. Antes da metade do campeonato eu estava bem atrás dos líderes na classificação. Mas o trabalho forte, meu e da equipe, animou para a segunda parte da temporada. Esse não é um título só meu, mas da equipe”, disse Sampaio. O próximo desafio de Pedro Sampaio agora será no GP 600. O bento-gonçalvense sobe de categoria na busca de novos horizontes. esporte@jornalsemanario.com.br


14 Esportes

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Alviazul

MONTE BELO DO SUL FOTOS DIVULGAÇÃO

Esportivo apresenta elenco para o Gauchão Grupo de jogadores foi apresentado depois de muita espera pela imprensa VINICIUS MIEZNIKOWSKI

Vinicius Mieznikowski

A

apresentação do clube Esportivo foi marcada pelo atraso na tarde de segunda-feira, 2. Profissionais da imprensa de Bento Gonçalves esperavam o começo da coletiva que não iniciou no horário previsto (a coletiva estava marcada para às 15h e começou somente às 16h40min, com 1he40min de atraso). O presidente Luis Oselame pediu desculpas pelo imprevisto e iniciou a apresentação do novo grupo que vai jogar o Gauchão 2014. Foram anunciados mais cinco reforços para o Gauchão, o zagueiro Raphael Assis, o volante George Júnior, o segundo volante Vinicius Goes Barbosa Souza, e os laterais Diogo de Freitas e Murilo Mendes. Além destes cinco jogadores, estiveram presentes atletas que já foram anunciados: Lucas de Deus Santos (Cacá), Wesley Ladeira, Cássio Gabriel, Reginaldo Júnior, Damião Vinicius e Ramon Machado. Para o presidente do Esportivo Luis Delano Oselame o momento é de muito trabalho. “Vamos para o início da nossa pré-temporada, o que importa hoje aqui é que nós possamos começar bem. Nós fizemos um esforço muito grande para

Muita festa dentro e fora de campo na hora de levantar a taça

Santa Bárbara vence o Municipal de Campo Base do novo plantel vem de clubes como Fluminense e Goiás

que as coisas dessem certo. Queremos que todos se sintam bem, já que o campeonato é muito curto, pois são somente quatro meses. O que nós estamos focando é num grande campeonato.” disse Oselame. O técnico Emerson Ávila pediu desculpas na coletiva de imprensa e se explicou pelo atraso da chegada por conta dos voos dos atletas. O técnico pediu ainda o apoio dos meios de comunicação, mesmo que o clube viva momentos difíceis. “Esperamos ter no campeonato gaúcho muitos momentos de alegria, do que de transtornos, como aconteceu hoje aqui. Pedimos o apoio da imprensa também para os momentos difíceis da competição.” disse Ávila Para o treinador é um moti-

vo de satisfação estar no futebol gaúcho e treinar um clube como o Esportivo. “Aqui no Rio Grande do Sul é um futebol diferente do que se pratica da região sudeste para cima. Eu me senti muito honrado com o convite,” explicou o experiente treinador. O grupo de jogadores deverá estar completo até o dia 15 de dezembro. A formatação do elenco, segundo a comissão técnica, visa deixar a equipe com peças de reposição, sem perder a qualidade do grupo titular. O Esportivo tem três amistosos programados, dois não podem ser divulgados, mas um dos jogos é com o Inter no dia 9 de janeiro.

Monte Belo do Sul esteve em festa no domingo, 1º de dezembro. A final do Campeonato Municipal de Futebol de campo reuniu um grande público e mobilizou toda a comunidade para o grande jogo da final. A expectativa para saber quem seria o grande campeão era grande. O Santa Bárbara depois de muita luta, levou o caneco do Municipal de Futebol. A equipe levantou a taça no domingo,1, no jogo contra o 24 de Maio. O Santa Bárbara venceu o jogo pelo placar de 2 x 0. Na partida que decidiu a terceira colo-

cação, o Grêmio ganhou do Cruzeiro pelo placar de 5 x 4. A equipe do Santa Bárbara teve o goleiro Juruna como o menos vazado da competição e o atacante Razzador foi o goleador. O Campeonato Municipal de Futebol encerrou com grande sucesso. Foram no total 34 jogos entre fase classificatória, quartas de final, semi e fase final. As outras equipes que disputaram a competição ficaram na seguintes colocações: quinto colocado Nacional, sexto Rosário, sétimo São Paulo, oitavo Fátima, nono Miramar, décimo São José.

ESTADUAL MÁSTER

Bento Máster vence e espera jogo da volta

esporte@jornalsemanario.com.br

Bento Máster busca a vitória jogando em casa para chegar na final

O Bento Máster foi até Morro Reuter no domingo, 1º de dezembro, na partida de ida da fase semifinal do campeonato gaúcho de futebol máster. O jogo foi muito bom para o Bento, vitória de 2 x 0 e vantagem para o jogo da volta na Associação Geremia a partir das 10h do domingo, 8. O técnico Silvio dos Santos segue satisfeito. Segundo ele a

equipe joga um futebol muito eficiente e de grande qualidade. “O pensamento do grupo é o mesmo, não vencemos nada ainda, apenas eliminamos a primeira etapa dos 180 minutos que nos resta disputar. Cabe-nos ainda fazer o dever de casa, fazer um resultado positivo no domingo” disse o treinador do Bento Máster.


Esportes 15

Quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Distrital

Só empate nas partidas de ida Flamengo e Estrela da Serra ficaram no 1 a 1 no quadro B, enquanto Barracão e Flamengo não saíram do zero no quadro A Vinicius Mieznikowski

F

lamengo e Barracão fizeram um jogo muito pegado no domingo, 1, na primeira partida válida pela grande final do distrital do Quadro A, empate de 0 x 0. O primeiro tempo foi marcado por domínio do Barracão, que aproveitou o fator local para tentar abrir vantagem no primeiro jogo. A equipe pressionou o Flamengo e em pelo menos duas oportunidades claras de abrir o marcador, uma com Tessaro e em outras duas com Alan. Para o técnico Alcindo Somensi a equipe conseguiu atingir um

CITADINO DE FUTSAL

São Bento e Ligeirinho na final sexta

São Bento Futsal venceu o Parma e avançou para a semi

Na sexta-feira, 6, Ligeirinho e São Bento Futsal entram em quadra para ver quem é o melhor do Campeonato Citadino de Futsal. O São Bento passou na fase semifinal pelo Parma em partida equilibrada, vitória de 5 x 4. Já o Ligeirinho, que perdeu o jogador Matheus para a grande final eliminou na semi a equipe do Santa Helena. O jogo dessa sexta acontece no Ginásio Municipal de Espotes a partir das 22h. A decisão do terceiro lugar acontece às 20h. No futsal feminino a decisão acontece às 21h entre as equipes do Panizzi e Áscora. Na decisão do terceiro colocado, às 19h tem Oh Lá em Casa e Só Zueira.

dos objetivos que era não perder. “Nós viemos com o intuito de não perdermos e somar pontos, sendo que o primeiro objetivo foi atingido. A partida teve dois tempos distintos, no primeiro tempo o jogo foi do Barracão, no segundo tempo já foi nosso, por isso o 0 x 0 acabou sendo justo pela atuação das duas equipes,” disse Somensi. O treinador do Barracão acredita que a equipe foi melhor em campo durante toda a partida, mas acabou deixando de marcar gols. “Com certeza a nossa equipe esteve melhor no jogo, deixamos de mar-

VINICIUS MIEZNIKOWSKI

Flamengo e Barracão ficaram no 0 x 0 na partida final do quadro A

car de três a quatro gols e no segundo tempo foi parelho. Se uma equipe merecesse a vitória seria a nossa equipe,”

disse Agostini. No quadro B no primeiro confronto da final entre Estrela da Serra e Barracão, empate. O Estrela saiu abrindo o placar e depois permitiu o empate do Flamengo de São Valentim, placar final de 1 x 1. A decisão da taça no quadro B também fica para o domingo, 8, no Caldeirão Rubro Negro. Veteranos No Distrital de Veteranos o São Pedro seguiu fazendo o mesmo “script” da fase classificatória, não sabe o que é derrota. Na partida que acon-

teceu no sábado, 30, a equipe dos Caminhos de Pedra bateu o Cruzeiro da Leopoldina pelo placar de 1 x 0, gol marcado pelo jogador Leandro. Para o São Pedro levantar a taça no próximo sábado, 7, basta um empate. O São Pedro deverá ter na torcida um reforço de peso para o último confronto. Já o Cruzeiro para ser campeão necessita de uma vitória no tempo normal para levar a partida para os pênaltis. O jogo acontece a partir das 17h no distrito de São Pedro. esporte@jornalsemanario.com.br


www.jornalsemanario.com.br

A Edição

BENTO GONÇALVES

32 páginas

Quarta-feira

4 DE DEZEMBRO DE 2013 ANO 47

Primeiro caderno .................... 16 páginas Classificados .......................... 16 páginas

CAMPEONATO DISTRITAL

Página 15

Reunião define ações para escoamento de mais de 100 mil quilos Página 10 de uva que não têm destino certo até o momento

ESTEFANIA V. LINHARES

Produtores em alerta Empates nos quadros A e B e vitória nos Veteranos

N°2983

R$ 3,00


04/12/2013 - Jornal Semanário - Edição 2983