Page 1

www.jornalopa.com.br @jornalopa facebook.com/jornalopa

+


Jornal Opa! Maio de 2012

Pense Nisso> Em briga de saci qualquer chute é uma voadora.

Listamos alguns pontos onde você encontra o Opa! Porto Alegre Reminsul Informática (Andrade Neves, 89)

Dilmão:

UFRGS

A presidente Dilma receber o prêmio Pau de Sebo (edição de abril) de ONG gay na Bahia é pouco. Ela tinha era que ganhar o Pau de Sebo inteiro na cabeça. Fabiano – Porto Alegre

(Biblioteca Central e RU)

ESADE (Luiz Afonso, 84)

Faculdade Senac Tecnologia (Coronel Genuíno, 130)

Luz Vermelha:

O Senado regulamentar as casas de prostituição no Brasil é um sinal de novos tempos, de evolução e progresso. A mulher que trabalha aqui na esquina de casa já largou o currículo dela em vários inferninhos da Av. Farrapos. Fernanda Silva – Porto Alegre

Faceiros:

Muito legal a homenagem que o jornal fez ao grande Chico Anysio. O melhor humorista do Brasil estará sempre entre nós. Que o Opa! continue exercendo o que Chico sempre fez – alegrar e divertir a todos. Miriam Torres – Porto Alegre

Faculdade Senac ( Coronel Genuíno, 358)

FAQI (Av. Júlio de Castilhos 435)

Foi com apenas um voto, o dela mesma, que a professora aposentada de 79 anos tomou posse na Câmara Municipal de Coivaras, no Piauí. Evangélica, ela diz que só assumiu o mandato porque “Deus quis”. O marido da nobre vereadora disse que não votou nela porque eles haviam brigado no dia da eleição.

Senac Informática (Av. Venâncio Aires, 93)

Pampa Burger (Av. Venâncio Aires, 57)

Casa Azul Hostel (Rua Lima e Silma, 912)

Banca CRT (Salgado Filho / Borges)

Banca Buenos Aires (Lima e Silva/Sarmento Leite)

Banca Luiz Afonso

Quanto vale uma VIDA? Não raro são divulgados estudos que quantificam o preço que o nosso país paga pelos acidentes de trânsito, trabalhos de toda a ordem falam dos custos com tratamentos das sequelas, dos danos materiais e até com a perda da mão de obra, muitas vezes extremamente qualificada. Essa é uma forma de chamar a atenção das autoridades, da iniciativa privada e até da população sobre a gravidade e letalidade de acidentes de trânsito. Para nós da Fundação Thiago Moraes de Gonzaga, as estatísticas têm rosto, nome e sonhos. Hoje, quando mais um dia Das Mães se aproxima e coincidentemente neste ano cairá num 13 de maio dia em que Thiago nasceu , vejo que a saudade do que não vivi com o Thiago e dos seus 20 anos é talvez o custo que poucos podem quantificar . Quanto vale uma Vida? Sei que isso não é só comigo, outros pais sentem o mesmo. Quando a Princesa Diane morreu na carona em um acidente de trânsito, como o

(Luiz Afonso/José do Patrocínio)

Banca da República

Thiago, o mundo se comoveu, e eu pensei... O Thiago para mim era mais que um Príncipe, quantas coisas poderia ter realizado, quão importante teria sido para Porto Alegre, para o Rio Grande do Sul, o Brasil ou o Mundo. Mãe sempre acha o filho o máximo. O certo é que o acidente me deixou uma única coisa a fazer: Lutar para que outros jovens não tenham de partir quando o que mais querem é viver, e por mais que eu tente calcular, por mais que eu tente quantificar e por mais que eu tente dimensionar, essa SAUDADE que eu carrego em meu peito e a VIDA do meu belo e jovem Thiago não tem preço. E a luta para acabar com essas frias estatísticas é URGENTE. Talvez os números, as cifras astronômicas que são gastas com os acidentes de trânsito impressione autoridades, dirigentes de nosso país, mas para os pais que viram sonhos interrompidos, elas são apenas um detalhe. Diza Gonzaga é Presidente da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga @dizagonzaga

(Rua da República, 21)

Video locadora Classe A (Borges de Medeiros, 962)

Cia do Vídeo ( Lima e Silva, 165)

CIEE

A Câmara dos Deputados aprovou a criação de um banco de dados de DNA, que terá a identificação genética de pessoas condenadas por crimes violentos ou hediondos. Com a novidade, o Brasil terá acesso ao sistema Codis, usado nos EUA, e que ficou famoso ao aparecer em séries policiais americanas, como “CSI” e “NCIS”. O projeto segue agora para sanção presidencial.

(Borges de Medeiros, 328, 13° andar)

FATEPA (General Vitorino, 229)

Faccentro (Marechal Floriano, 185, 3° andar)

PUCRS (Famecos e DCE)

Fabico (Rua Ramiro Barcelos, 2705)

ESPM (Prédio C)

Casa da Traça (Independência, 450)

Usuale Sex Shop (Av. Ceará, 982)

UEE (Segundo andar do Mercado Público)

Academia Sul Runner (General Lima e Silva, 736)

São Leopoldo: Academia SESC São Leopoldo (Rua Marquês do Herval, 784)

UNISINOS (Prédio 3 e central)

Faculdade EST

Cerca de 42% do lixo acaba em local inadequado. A quantidade de resíduos sólidos gerados no Brasil em 2011 totalizou 61,9 milhões de toneladas, 1,8% a mais do que no ano anterior.

( Amadeo Rossi, 467)

Canoas: ULBRA (DCE e Prédio 11)

UNIRITTER (DCE, RU e Biblioteca)

ULBRA (Prédio 11, Biblioteca e DCE)

OPA COMUNICAÇÃO LDTA - CNPJ: 12040043/0001-80 Correspondências: Rua Arabutan 724/302 Bairro Navegantes, Porto Alegre-RS CEP: 90240-470

E-mail: contato@jornalopa.com.br Twitter: @jornalopa Site: www.jornalopa.com.br Edição: Tuio Moraes > tuiomoraes@jornalopa.com.br Revisão: Leci e Luiz Erni Moraes Contato Comercial: João Arthur Moraes comercial@jornalopa.com.br | (51) 9282.0994 Colaboradores desta edição>>>

Raisa Machado

Nícolas Andrade

Bruno Moura

Bruna Lais Alves

Thamires Rosa


Entre em contato com a gente: contato@jornalopa.com.br

Jornal Opa! Maio de 2012 A partir da segunda quinzena de maio, o Sistema Único de Saúde (SUS) deverá começar a distribuir preservativos femininos. Ao longo do ano, devem ser distribuídos 20 milhões de preservativos. Pesquisa revela que quase

Uma pesquisa realizada pelo NUBE (Núcleo Brasileiro de Estágio) aponta que, pelo menos 40% dos candidatos são reprovados em processos seletivos por cometerem erros de português. E o pior, o desconhecimento da nossa língua atinge, inclusive, estudantes de áreas onde ela é uma das principais ferramentas de tra-

balho, como as de jornalismo e de pedagogia, nas quais o índice de reprovação chegou a 49% e 50%, respectivamente. Já entre os estudantes de matemática, a quantidade de pessoas reprovadas em português chega a 66%. Nas áreas de arte e design, é ainda maior: 70%. No caminho contrário, es-

tão os alunos de direito, com 83% de aprovados nos testes de português, e os de engenharia, com 74%. Para a supervisora da área de seleção do Nube, Aline Barroso, a escrita sintetizada e informal usada, hoje em dia, na comunicação pela internet é um dos fatores que levam os jovens a “maltratar” a língua.

>Segundo pesquisa:

Ter amigos bonitos no Facebook garante popularidade Um estudo que aplica as leis de Charles Darwin ao domínio das redes sociais mostrou que ter amigos atraentes tornará o dono de um perfil mais popular no Facebook, especialmente se o proprietário for uma mulher. O pesquisador holandês PietKommers falou a uma rede de TV que a descoberta demonstra que sinais

Procissão ao som de Michel Teló Uma procissão muito animada em uma cidadezinha da Espanha carregava imagem de Jesus Cristo ao som da música “Ai, se eu te pego” de Michel Teló. É o fim dos tempos.

Programa permite atualizar suas redes sociais depois de sua morte

Essa é para aqueles que não querem deixar de atualizar as redes sociais mesmo a sete palmos do chão. O DeadSocial, programa que se conecta no Facebook, Twitter e Google+, permite que você agende mensagens que serão postadas postumamente. Ele permite que você componha mensagens secretas, que só serão reveladas depois de sua morte, quando seus parentes ativarem o sistema. Será que sua família e amigos, vivos, vão curtir a ideia?

de aptidão reprodutiva influenciam nossas decisões sobre amizade. “As pessoas se sentem atraídas por outras com aparência muito saudável, feliz e produtiva no sentido sexual. Esta é uma lei evolutiva amplamente aceita”, afirmou. “O caráter puramente saudável ainda é dominante. É difícil eliminá-lo”, acrescentou.

Polícia prende profissionais do sexo que faziam propaganda irregular no Rio

A polícia do Rio prendeu quinze prostitutas e travestis sob a suspeita de colar cartazes com propagadas de prostituição em orelhões do bairro de Copacabana. Elas foram indiciadas sob acusação de dano contra o patrimônio público e escrito obsceno, e podem ser condenados a cinco anos de prisão. Já faz algum tempo que policiais reprimem essa prática no bairro. Eles ligam para os números de telefone dos anúncios, marcam um encontro e vão até os endereços. Prostituição não é crime, apenas o favorecimento ou agenciamento da prática.

Acaba a briga entre Coca-Cola e Pepsi

A Coca-Cola perdeu o direito exclusivo de usar a marca “zero” em seus produtos. A ação foi movida pela AMBEV, fabricante da Pepsi. A justiça de São Paulo entendeu que o uso da palavra não gera confusão nos consumidores, como alegava a Coca-Cola.

Desvendamos quem está por trás da máscara

Após o roteirista do HQ de Batman, Grant Morrison, confirmar o que muitos já desconfiavam: que o homem morcego é gay, uma equipe do Jornal Opa! saiu a campo investigando quem estaria por traz daquela máscara preta com orelhas para cima. Após pesquisar, passamos por nomes como Léo Áquila, Isabelita dos Patins, Agnado Timóteo – ah, esse não, tá fora - chegamos “A loka”, ou melhor, quem é o herói que responde pelo nome de Batman. Eis que surge o ator John Travolta que está sendo acusado de assedio sexual. John foi denunciado por um massagista por tentar fazer sexo com o profissional durante uma sessão de massagem marcada pela internet. As máscaras sempre caem, não tem jeito!

15% da população mundial acredita que o fim do mundo ocorrerá durante suas vidas, e 10% acham que isso vai acontecer ainda em 2012, graças ao calendário maia.

A maior cervejaria do Brasil, a Ambev, teve um lucro líquido 12,3% maior no primeiro trimestre deste ano comparado ao mesmo período de 2011. A empresa registrou receita líquida de R$ 7,235 bilhões nos três primeiros meses de 2012.

Para 39% das empresas no mundo, ser fluente em inglês e pelo menos em mais uma língua estrangeira é importante para conseguir uma vaga. Entre as línguas que os executivos consideram ser “idiomas de negócios” estão inglês (68%), mandarim (8%) e espanhol (6%). Com o objetivo de erradicar o fumo no país até 2025, o governo da Nova Zelândia analisa a possibilidade de cobrar US$ 80 (R$ 150) por um maço de cigarro. O Banco Central calculou que 27% das moedas lançadas desde o Plano Real (1994) estão fora de circulação, “perdidas” em cofrinhos. São 5,134 bilhões de unidades que valem R$ 508 milhões.

A Petrobrás ficou em 10.º lugar no índice Forbes Global 2000, das maiores empresas de capital aberto do mundo.

A justiça suspendeu o lançamento do livro “Lampião Mata Sete” a pedido de Expedita Ferreira, filha do cangaceiro. O motivo é que a obra fala que o Rei do Cangaço era homossexual. Um estudo revela que, após uma tendência de queda, as mortes em acidentes de trânsito voltaram a subir. Em 15 anos, a quantidade de mortes envolvendo motociclistas aumentou mais de nove vezes.


Jornal Opa! Maio de 2012

Fúria de Titãs 2

Sequência, que prometia ser grandiosa, deixa a desejar.

Avante Vingadores

Filme reúne os maiores heróis da Terra para delírio de inúmeros fãs Por Bruno Moura e Thamires Rosa Um filme feito de fãs para fãs, “Os Vingadores” chega aos cinemas para êxtase de inúmeros apaixonados por HQs da nova e velha geração. Alguns questionamentos surgiram durante a pré-produção do longa-metragem, sobre se haveria uma saturação nas atuações dos personagens, visto que teríamos um grande time de heróis, e ficaria apertado para dar destaque a todos em apenas duas horas. Para surpresa de todos, Joss Whedon conseguiu dirigir o filme de forma sublime, todos apareceram e tiveram seus momentos dentro da trama. A Marvel conseguiu reunir neste filme um time de peso. Temos o Capitão América, com a missão de liderar os demais heróis. O Homem de Ferro mantém sua genialidade somada ao seu bom humor (por vezes negro). Thor vem para deter a ameaça apresentada por seu meio-irmão Loki, os agentes da SHIELD, Viúva

Negra e Gavião Arqueiro e fechando o time para quebrar, esmagar e não deixar pedra sobre pedra, temos o inigualável Hulk. Tudo orquestrado, e, porque não dizer, manipulado pelo General Nick Fury. Apesar de tantos heróis e atores para dividirem o papel de protagonista, isso não atrapalha o andamento do filme. O inicio é destinado à apresentaçãoda ameaça e à formação do grupo de heróis. Mas, todo fã de HQ sabe que, mesmo nos quadrinhos, os heróis jamais se entendem no início. Uma guerra de egos ocorre, até que todos entendam que devem se unir para deter um inimigo comum. A fidelidade com os quadrinhos é talvez um dos pontos fortes. A parte técnica tem destaque para as locações, efeitos especiais e caracterizações. Quando o filme dos X-Mens foi lançado, optaram pelo uso de vestimentas pretas para os heróis, a fim de evitar uma coloração exacerbada. Em Os Vingadores, a coloração é visível. Thor, Capitão Améri-

ca, Homem de Ferro e Hulk mostram suas cores sem repúdio. Seria caricato na vida real, mas falamos de um filme que tenta ambientar as histórias em quadrinhos. Inúmeros fãs clamavam por uma obra dessas. Para quem lia e lê, o filme se apresenta como uma obra prima. Para quem não lê, talvez estranhe, mas deve entender que o filme foi feito para os leitores das HQs, afinal, temos cinco décadas de histórias bem representadas na trama do filme. As atuação de destaque são de Robert Downey Jr. (Homem de Ferro) e de Samuel L. Jackson (Nick Fury). Ambos incorporaram os personagens com maestria, assim como Tom Hiddleston (Loki). De todas as adaptações feitas com o personagem Hulk, a de Mark Ruffalo foi sem dúvida a melhor. Jeremy Renner (Gavião Arqueiro), Scarlett Johansson (Viúva Negra) e CobieSmulders (Maria Hill) não comprometeram, mantendo uma média considerável. Chris Evans (Capitão América) e Cris Hemsworth (Thor) estavam

pouco a vontade com seus personagens. Outro ponto que vale nota é como as cenas de ação conseguem ser grandiosas, e ainda assim, sem perder a essência de focar os personagens. Não se pode esquecer o destaque dado ao agente Coulson (Clark Gregg). Ele assume o papel de muitos fãs, só que dentro do filme. Ao ver todos aqueles heróis reunidos, o agente demonstra uma empolgação que só pode ser compreendida pelo público. Clark Gregg foi uma espécie de homenagem a todos os fãs, e ao mesmo tempo, representou o estopim para a união definitiva de todos os heróis. O filme não possui uma trama intrincada, tão menos um roteiro genial. Mas dentro de seus propósitos, cumpre seu papel. De mostrar uma legítima aventura de super-heróis unidos, contra um grande mal que ameaça o mundo. Mesmo entre tantos clichês, os fãs de histórias em quadrinhos podem finalmente morrer em paz.

A continuação do remake “Fúria de Titãs”, agora comandado por Jonathan Liebesman (Invasão do Mundo - A Batalha de Los Angeles), traz o semideus Perseu (Sam Worthington) uma década após a grande vitória contra o Kraken como um pai zeloso e pescador pacato, que tem a sua vida humilde e sossegada ameaçada quando Hades (Ralph Fiennes) e Ares (Edgar Ramirez) formam uma aliança com Cronos para que este escape do Tártaro, acabe com Zeus e destrua o mundo. E, como não poderia deixar de ser, Perseu é o herói e único capaz de salvar seu pai e a humanidade. Tirando os efeitos especiais que não deixaram a desejar, não se tem muito a elogiar. O enredo gira em torno daquela mesma história de que os Deuses ficam enfraquecidos com a falta de oração e de fé do povo e tramóias pelo poder que dão errado. Como se não bastasse, Fúria de Titãs 2 tem mais drama e decepções familiares que o primeiro. Temos um Ares, extremamente ciumento e chorão por não ser o filho predileto, um Perseu “paizão” que agora age por amor ao filho e entende Zeus como nunca antes, além de uma relação que oscila entre amor, ódio, inveja e perdão entre Hades e Zeus. A Rainha Andrômeda cai de pára-quedas para dar um toque feminino à trama e pouca diferença faz. Poderia até ter passado batido a participação sem sentido dela se não fosse um ensaio de romance completamente avulso surgido nos instantes finais. Os movimentos da câmera foram de enlouquecer e confundir qualquer um. Nas cenas de batalha e de maior ação, que poderiamter salvo o filme, pouco se podia identificar de tão rápidas e pelos mais diversos ângulos que apareciam, manobra comum para esconder algumas falhas, mas exagerada. Segundo aficionados por assuntos mitológicos, com quem tive o prazer de assistir o filme, a reclamação maior foi a caracterização dos personagens, como o Deus Hefesto, por exemplo, que apareceu como um velho frágil e louco e um Cronos de lava vulcânica que mal se podia identificar. O filme foi rápido demais. Um tempo maior no desfecho e um pouco mais de calma poderiam ter feito a ida ao cinema mais satisfatória. Todavia, esse tipo de filme serve para passar o tempo em um final de semana chuvoso, onde o senso crítico fica de lado, não é totalmente descartável.


Jornal Opa! Maio de 2012

facebook.com/jornalopa > Vida de universitĂĄrio:

Exame da Ordem, e agora? Por Bruna Lais Alves bruna.lais.alves@hotmail.com @brunalaisalves Dentre as exigĂŞncias para pertencer aos quadros da OAB, o estudante de Direito deve ser aprovado no Exame de Ordem, que ĂŠ realizado trĂŞs vezes por ano em todos os Estados brasileiros. Quando falamos sobre o temor em relação Ă prova, o assunto ďŹ ca ainda mais sĂŠrio, pois estĂĄ chegando a etapa ďŹ nal para os alunos que buscam a aprovação para exercer a proďŹ ssĂŁo. E por que o medo em relação a esta prova? Quem pode nos contar sĂŁo os estudantes de Direito, que estĂŁo passando ou jĂĄ passaram por esta experiĂŞncia. Conversamos com dois alunos, JosĂŠ Gabriel Fernandes (24), que jĂĄ realizou a prova e com NicĂłliBulle (25), que vai realizar a prova em seguida, ambos estudam no Centro UniversitĂĄrio Univates. ConďŹ ra o que eles nos disseram: Jornal Opa! - Quando começam os sintomas de “frio na barrigaâ€? em relação Ă  prova da Ordem? JosĂŠ Gabriel - No meu caso, durante todo o perĂ­odo de estudo especĂ­ďŹ co para a prova, senti um desconforto, uma pressĂŁo muito grande. Tal pressĂŁo era fruto de uma cobrança prĂłpria, pois foram anos de estudo para tal momento e Ă  medida que a prova se aproximava, a sensação de que estava estudando

assuntos que nĂŁo iriam ser abordados era muito grande, considerando a enorme extensĂŁo do conteĂşdo com probabilidade de ser cobrado na prova e que muitas vezes nĂŁo foram vistos ou foram apenas no inĂ­cio da faculdade, hĂĄ mais de quatro anos, por exemplo. Isso torna o perĂ­odo prĂŠ-prova muito tenso. NicĂłli -Na verdade desde que ĂŠ feita a opção pelo curso de Direito a prova da Ordem jĂĄ causa desconforto e preocupação, mas esses “sintomasâ€? se agravam mesmo a partir do 9Âş semestre, que ĂŠ o momento em que realmente podemos prestar a prova com validade. Jornal Opa! – O que fazer para controlĂĄ-lo? JosĂŠ Gabriel - Vale de tudo para controlĂĄ-lo, sendo isto uma questĂŁo bem pessoal. É mais fĂĄcil dar sugestĂľes de atitudes que nĂŁo devem ser tomadas de modo a nĂŁo aumentar o nervosismo, como por exemplo, procurar muitas informaçþes sobre a prova da Ordem de diversas fontes, sites, blogs, que inevitavelmente deixam a pessoa mais nervosa, pois hĂĄ muitos sites a respeito do exame da OAB, e eles indicam probabilidades e notĂ­cias na maioria das vezes sem qualquer fonte segura. NicĂłli - Creio que os sintomas nĂŁo passam atĂŠ se ter o nome na lista dos aprovados. Acredito nĂŁo haver receita para controlĂĄ-los, eu poderia dizer o estudo, mas ao mesmo tempo

Marledi Kern Bulle

que ele acalma, nos apavora ainda mais, pois hĂĄ muito o que se rever em pouco tempo. Jornal Opa! - Como ĂŠ a preparação para este exame? JosĂŠ Gabriel - Estudar, ouvir quem jĂĄ passou por essa fase. Cursinhos preparatĂłrios sĂŁo muito aconselhĂĄveis, pois possuem uma didĂĄtica voltada especialmente para o exame, nas suas duas etapas. EstĂĄgios jurĂ­dicos realizados durante a faculdade,contribuem de uma forma incalculĂĄvel para a tranquilidade e para a preparação do examinando no momento da prova. NicĂłli - Cada um tem seu mĂŠtodo de estudo e aprendizagem e a aprovação nĂŁo depende exatamente de qual ĂŠ escolhido. No geral, a preparação estĂĄ, em tese, em condensar o maior nĂşmero de informaçþes sobre cada disciplina, selecionando os temas foco e mais questionados nos Ăşltimos exames, de forma dinâmica e resumida, fazendo uso de todo tipo de material. Jornal Opa! - Como foi a realização da prova e expectativa do resultado? JosĂŠ Gabriel - A realização da prova ĂŠ uma ocasiĂŁo Ă­mpar na vida dos acadĂŞmicos do curso de Direito. DiďŹ cilmente ĂŠ possĂ­vel ter uma noção do resultado logo apĂłs realizada a prova, pois sĂŁo 80 questĂľes objetivas na primeira fase, uma peça prĂĄtica e mais quatro questĂľes dissertativas na segunda fase

FAÇA UMA FACULDADE QUE TE DÊ

ORGULHO.

NicĂłli ĂŠ sĂł estudo e os resultados conferidos pelos prĂłprios examinandos nĂŁo combinam, e aĂ­ outra etapa do nervosismo começa, qual seja, a espera pelo resultado preliminar e depois o deďŹ nitivo. Todavia, quando da certeza da aprovação, a sensação ĂŠ indescritĂ­vel. Jornal Opa! - JĂĄ ouvimos falar em alunos que querem “acabarâ€? com a prova da OAB. O que vocĂŞ pensa a respeito? NicĂłli - NĂŁo vejo necessidade de acabar com o exame, porĂŠm de alterar-se a forma como vem sendo aplicado. O argumento geral ĂŠ de que ele ĂŠ uma forma de selecionar os proďŹ ssionais competentes dos nĂŁo, porĂŠm acredito que assim como passar na prova da autoescola nĂŁo qualiďŹ ca o motorista, a aprovação na OAB tambĂŠm

Jornal Opa! - Qual a importância do exame da Ordem para a proďŹ ssĂŁo? JosĂŠ Gabriel - Muito importante a realização do exame, pois dĂĄ segurança a toda comunidade de que advogado atuante provou ter conhecimento satisfatĂłrio do conteĂşdo que lhe foi apresentado.

Cursos Faculdade Senac Porto Alegre t#BDIBSFMBEPFN"ENJOJTUSBĂŽĂ?P

Cursos Superiores de Tecnologia em: t"OĂˆMJTFF%FTFOWPMWJNFOUPEF4JTUFNBT t$PNĂ?SDJP&YUFSJPS t%FTJHOEF.PEB t(FTUĂ?PEF3FDVSTPT)VNBOPT t(FTUĂ?P'JOBODFJSB t)PUFMBSJB t.BSLFUJOH t1SPEVĂŽĂ?P.VMUJNĂ“EJB

*OTDSJĂŽĂœFTBUĂ?t1SPWB

não. Talvez uma comparação não muito apropriada, mas que retrata de uma forma simples, a realidade. Tem muita gente competente e talentosa que faz e refaz a prova e não consegue passar e,creio, que o contrårio tambÊm acontece. Acredito que a aprovação Ê, alÊm de estudo, questão de sorte, pois controlar o nervosismo e a concentração são fatores decisivos para aprovação.

t3FEFTEF$PNQVUBEPSFT

3022.1044 Inscriçþes pelo site: senacrs.com.br /vestibular


Jornal Opa! Maio de 2012


Jornal Opa! Maio de 2012

A delícia de não fazer absolutamente nada Por Raisa Machado raisamachado@ymail.com

Tem momentos em que nada adianta. O texto não flui, a monografia não rende, e no trabalho a coisa também não deslancha. Os prazos começam a estourar. É preciso eleger prioridades, as horas de sono diminuem. O corpo começa a dar os primeiros sinais de que algo não está bem: surgem as olheiras, a dor de cabeça, as dores nas costas. Bom, eu poderia resumir tudo isso como síndrome de final de semestre. E se é esse o seu caso, até vai, sabemos que é algo temporário. O problema é quando o estresse se torna constante.

E não há paracetamol que resolva. Como fazer para tomar as rédeas da situação e ficar numa boa? Na verdade, a resposta para essa pergunta pode estar na primeira frase desse texto. Pelo menos, é no que acredita Marcelo Bohrer, inventor do nadismo.Como o próprio nome sugere, a palavra vem de nada. E significa fazer nada, mas nada mesmo: momentos de lazer não valem, ver TV também não, muito menos pensar em algo que possa ser deixado para depois. Você pode até pensar que a ideia é invenção de quem não tinha mais o que fazer. Porém, tudo começou após Marcelo sofrer um colapso físico e mental, por conta do elevado nível de estresse em

que se encontrava. Em 2005, durante uma estada em Londres, o designer e consultor criativo notou que as pessoas de lá também tinham um ritmo acelerado durante o dia a dia. Foi então que decidiu escrever em uma placa a frase: “Você está com muita pressa, muito ocupado, estressado? Aprenda a fazer nada!”. E foi até uma estação de metrô observar a reação das pessoas. Depois de constatar que a maioria concordava com a frase e ainda assim não parava, pensou que seria preciso inventar uma boa desculpa pra que as pessoas aderissem à ideia, sem culpa. E assim surgiu o Clube do nadismo, hoje com quase 7 mil associados espalhados em diferentes países e

estados do Brasil. Para Marcelo, o nadismo pode ser praticado da seguinte forma: “se você tem um compromisso que termina às 15h, sabe que precisa de 30 minutos para chegar ao próximo então, ao invés de marcá-lo para às 15h e 30min, marque para às 16horas. Chegue às 15h 30min e aproveite essa meia hora para sentar em um gramado e olhar as nuvens por meia hora”. O ato de praticar o nada, também pode ser realizado de maneira coletiva e para isso, Marcelo seleciona embaixadores em diferentes cidades para organizar o evento. Em 2008 foram realizados encontros em Londres e Munique e em 2009, em outras cidades alemãs. A meta de Bohrer é pro-

mover a ideia em todo o mundo para garantir o bem-estar e o aumento na qualidade de vida das pessoas. Basta criar intervalos de tempos vazios entre um compromisso e outro. Para aqueles, porém, que encontram dificuldades em desligar-se das tarefas do dia, o inventor do nadismo, também criou quatro diretrizes para auxiliar na realização de nada. A primeira é stopnjoy - “desfrute o fazer nada sem pressa”; depois entregue-see “ esqueça qualquer objetivo” ; sossegue e “privilegie o silêncio e a imobilidade” e, por fim, observe e “deixe a mente vagar como as nuvens”.

Matéria publicada inicialmente no UNICOM – Jornal do curso de comunicação social da UNISC


NÃO É SÓ UM ROSTINHO BONITO. TEM CONTEÚDO. TEM TUDO O QUE O UNIVERSITÁRIO PRECISA.

ANUNCIE (51) 9282.0994 COMERCIAL@JORNALOPA.COM.BR


Jornal Opa! Maio de 2012 Fantasias Sexuais As fantasias sexuais são exercícios saudáveis e lúdicos que fazem parte da capacidade imaginativa das pessoas e compreendem o universo da Sexualidade Humana. São recursos mentais e psíquicos que liberam a energia sexual e criativa, podendo provocar desejo, excitação e orgasmo, enriquecendo assim, a vida sexual das pessoas e as afastando do tédio e da rotina. As fantasias nos permitem escapar das frustrações e limites do cotidiano, sendo uma incursão no faz-deconta da mente. Existe uma variedade enorme de fantasias e a grande vantagem é que se pode inventá-las da forma que quiser, utilizando personagens, cenários, emoções, sensações, liberando assim a imaginação para o prazer. Segundo as pesquisas é a partir da adolescência que as pessoas se lembram de iniciarem o processo da imaginação sexual, mais ou menos na faixa etária dos 11 a 13 anos de idade; nesta época é comum a mente ser povoada por pensamentos de cunho sexual e erótico. Muitas pessoas têm uma concepção negativa da sexualidade, sempre associando sexo à culpa e medo, sentindo-se bastante ameaçadas e amedrontadas caso tenham alguma fantasia sexual. Sabemos que ainda hoje, há muita desinformação nesta área, levando as pessoas sentirem ansiedade e insegurança. Temos que lembrar, que a utilização das fantasias sexuais pode se tornar um problema, quando a pessoa só consegue fazer sexo se acionar uma fantasia, ou seja, ela tem de utilizá-la em todas as relações sexuais, deixando de relacionar com seu(sua) parceiro(a) e se concentrando única e exclusivamente na fantasia. É importante para o exercício da vida sexual saudável, criar condições que estimulem o desejo sexual e este pode ser melhorado através da utilização de fantasias sexuais, filmes eróticos, literatura erótica, pensamentos e sentimentos que nos proporcione prazer. Claudia Marques é sexóloga e Psicóloga. Mande sua pergunta: sexo@jornalopa.com.br


Jornal Opa! Maio de 2012

A colaboração coletiva faz a força Para dar uma mãozinha a projetos como bandas “no vermelho” os crowdfundings estão aí

Por Tuio Moraes

tuiomoraes@jornalopa.com.br @tuiomorases

Montar uma banda, ensaiar, cair no mundo, fazer sucesso, fama e dinheiro. Esse parece ser o sonho de muitos jovens músicos por aí afora. Mas na real, para quem não nasceu filho de algum artista famoso e também não quer ser lembrado apenas pelas calças coloridas que veste, o estrelato fica longe e difícil de alcançar. A coisa não é fácil, tem que se ter talento, tempo e dinheiro. E é grana que estava faltando para a banda de Avant Royale terminar seu disco e pagar os envolvidos na produção, tanto musical quanto artística. Mas eis que surge o tal de crowdfunding – que já é uma realidade em outras cidades e começa a brilhar por aqui. O termo é para usar quando a gente fala de iniciativas de financiamento colaborativas. Tradu-

zindo para o português seria algo como “financiamento pela multidão”. A ideia é que várias pessoas contribuam, com pequenas quantias, de maneira colaborativa, a viabilizar uma ideia, um negócio, um projeto. No ar, há mais ou menos três semanas, o Muito Nós, foi criado pelo produtor e empresário Rafael Costa e sua namorada, Emily Borghetti. Trata-se do primeiro crowdfunding para projetos artísticos e culturais de Porto Alegre. “Lançamos o projeto com a ideia de fazer algo no

campo da cultura, da divulgação e também do financiamento de alguns projetos”, disse Rafael, que salienta que a partir de agora o trabalho é de difusão do site. No Muito Nós quem quiser ter seu projeto financiado se cadastra e esse projeto será avaliado por pessoas ligadas à cultura. Se passar por essa curadoria, vai pro site e já pode receber doações. Cada projeto tem queoferecer algo em troca das doações, assim que conseguir o valor pedido. No

Caso da Avant Royale, assim que a banda arrecadar R$ 4.500 vai doar 10% da venda do CD para a ONG Bixo de Rua, que cuida de animais abandonados. A banda que toca instrumental rock e, de vez em quanto, surf music,está em campanha desde que o Muito Nós está no ar.Até o dia que escrevo essa matéria eles haviam conseguido 11% do valor pedido. Os meninos da Avant haviam conseguido levantar a metade do dinheiro com cinco festas – ou melhor, 4, porque a polícia interrompeu a última - no próprio apartamento deles, mas tanto o dinheiro quanto o apartamento acabaram. Sobre o porquê da escolha da ONG, o guitarrista da banda, Frederico Tarasuk, explica

que a história que a banda leva ao público, que é o tema do disco, é de um gato que foge de casa e a sorte dele nas ruas. “Não é justo se apropriar de um drama para contar uma aventura somente, e, já que o tema é capital, nada mais justo que ajudar de verdade”. Para ele o crowdfun-ding chegou em boa hora, “Parece ser uma boa ideia e sem dúvida amplia as possibilidades, principalmente em tempos como estes”, afirma ele. Se tudo der certo e o pessoal ajudar, a banda pretende doar ao Bixo de Rua R$ 450,00 limpos. No site do Muito Nós existem mais dois projetos esperando a doação de pessoas de bom coração que acreditam que a união – cada vez mais - faz a força.

Banda Avant Royale

MÚSICA

LIXO

A Cidade é Baixa, mas o barulho é alto. Na saída dos estabelecimentos mantenha o volume baixo para não acordar nossos vizinhos.

Nossa casa é a sua casa, portanto cuide do bairro e coloque o lixo no lixo.

BANHEIRO

CACHORRO

Todos os estabelecimentos do bairro possuem banheiros próprios. Evite o constrangimento de fazer suas necessidades na rua.

Seu cãozinho é lindo e nós sabemos, mas o cocô dele não é benquisto. Recolha a sujeira do seu cachorrinho e deposite nas áreas destinadas a sua coleta.

Somos um grupo formado por comerciantes locais e temos como objetivo trazer de volta ao bairro toda cultura, entretenimento, música e diversão. Somente a Cidade Baixa, com sua cena eclética, pode proporcionar isso para Porto Alegre. Faça parte deste time e seja mais um na luta por uma Cidade Baixa melhor!


Divulgue seu evento aqui: comercial@jornalopa.com.br

25 Bidê ou Balde

> MIB - Homens de Preto 3

Em Homens de Preto 3, os agentes J (Will Smith) e K (Tommy Lee Jones) estão de volta... no tempo. J já viu muitas coisas inexplicáveis em seus 15 anos com os Homens de Preto, mas nada, nem mesmo os alienígenas, o deixam tão perplexo quanto o seu parceiro irônico reticente. Mas quando a vida de K e o destino do planeta são colocados em jogo, o agente J vai ter que viajar de volta no tempo para acertar as coisas. J descobre que há segredos no universo que K nunca lhe disse − segredos que se revelarão a medida que ele se junta ao jovem agente K (Josh Brolin) para salvar seu parceiro, a agência e o futuro da humanidade.

Onde: Beco 203 Hora: 22h Onde: Av. Independência, 936

20 Vitor Ramil

19 Letz Zep

Onde: Opinião Hora: 21h Onde: Rua José do Patrocínio - 834

27 Apanhador Só Onde: Theatro São Pedro Hora: 18h Onde: Praça Marechal Deodoro, s/n

26

Jornal Opa! Maio de 2012

Toquinho e João Bosco

> A Arte da Conquista

Onde: Teatro do Sesi Endereço: Av. Assis Brasil, 8787

31 Xanadu

Onde: Teatro do Sesi Endereço: Av. Assis Brasil, 8787

Onde: Opinião Hora: 21h Onde: José do Patrocínio, 834

24

Mariana Aydar

George (Freddie Highmore) é um adolescente solitário que não vê sentido na vida e nem na escola. Para ele tudo é uma grande ilusão, não estava preparado para se apaixonar, até que Sally (Emma Roberts) surge em sua vida.

> Hasta La Vista: Venha Como Você É

Onde: Opinião Hora: 23h Onde: José do Patrocínio, 834

Três jovens de vinte anos amam beber vinho e paquerar as mulheres, mas ainda são virgens. Sob o pretexto de conhecer as vinícolas espanholas, eles embarcam em uma viagem com um objetivo definido: perder a virgindade. E nada os impedirá, nem mesmo suas deficiências físicas: um deles é cego, o outro está confinado a uma cadeira de rodas e o terceiro é paraplégico.


Por Nícolas Andrade

nicolass_andrade@hotmail.com

Certa vez o jornalista Armando Nogueira escreveu que “O gol que glorifica o artilheiro é o mesmo que mortifica o goleiro”. Ele se referia ao processo que vem junto com a comemoração de uma bola na rede e que pouca gente dá bola. Sempre que há um atacante feliz, há um goleiro que não conseguiu evitar que isso acontecesse. Outra verdade no folclore do futebol é que todo bom time começa com um bom goleiro, o que torna este uma espécie de anti-herói das torcidas adversárias. Seja nas quadras, nos campos ou nas praças, junto com a posição de guarda-metas vem sempre uma responsabilidade particular onde qualquer falha pode ser fatal. Para um jogador dessa posição nada pode ser pior do que a desconfiança, seja ela do treinador, da torcida ou dos companheiros. No futebol brasileiro a história mais triste de torcida contra goleiro ocorreu em 1950 na Copa do Mun-

do realizada no Brasil. A final daquele ano foi disputada pelo time da casa contra a seleção uruguaia sob os olhares de um Maracanã lotado. O empate de 1 a 1 permanecia até os 34 minutos do segundo tempo quando o atacante Ghiggia, do Uruguai, correu e chutou a bola em direção ao gol brasileiro.Lá estava Moacir Barbosa Nascimento, o goleiro que teria sua carreira encerrada naquele momento. A bola que vinha fraca acabou entrando e Barbosa passou a ser o personagem central do chamado “Maracanazo” ou simples “Desastre do Maracanã”. Esta pode ser a maior ilustração do que é ser goleiro, pois se Barbosa defende a bola com facilidade e o jogo segue seu nome provavelmente não seria lembrado até hoje. Fato é que podem faltar zagueiros, meias ou atacantes, mas alguém obrigatoriamente tem que jogar no gol. O que pra muitos “peladeiros de final de semana” é a pior função a se desempenhar, para outros é tão divertidos quanto jogar com a camisa 10. É o casodo goleiro Marcelo Pepe, que já disputou a

Copa do Brasil juvenil de futsal. Segundo ele, a história de só ir para o gol quem não tem habilidade na linha não é verdade. “Sempre me diverti muito mais sendo goleiro, me atirando e fazendo defesas plásticas. O futebol, que já era uma brincadeira de criança extremamente divertida, era ainda mais gostosa jogando no gol. Entre pontes, espalmadas e pulos para um lado e para o outro eu curtia o jogo tanto ou mais que os jogadores de linha”. Mas a diversão de criança acaba ficando séria e com a escolha de ser goleiro vêm as responsabilidades. “Com o passar dos anos, quando os amigos já começaram a reconhecer em mim um goleiro de verdade, as coisas foram ficando menos engraçadas, mas não menos interessantes” completou Pepe. Apesar dos momentos de aperto há também as horas em que os goleiros viram heróis. Nada pode ser melhor para o guarda-metas do que o pênalti. A hora em que o duelo com o atacante acontece é o melhor momento para que o camisa 1 saia como herói de seu time e tenha o

Jornal Opa! Maio de 2012

nome cantado pela torcida. Segundo Pepe, é o momento em que só um jogador pode sair feliz. “O pênalti é o momento de destaque, de holofote para quem joga no gol. Afinal, se o cara marcar não fez mais do que a sua obrigação, mas se o goleiro defende sai carregado pelo time”. A sensação de ser a única esperança nas horas mais difíceis parece ser a grande motivação dos jogadores da posição. Lucas Casagrande, que desde pequeno é goleiro nas horas vagas, conta que além do pênalti o duelo contra o atacante com bola rolando também é um dos melhores momentos do jogo. “Gosto mesmo é quando tem um contra-ataque do adversário e apenas tu, o goleiro, como única esperança para não sofrer o gol” disse Lucas demonstrando que adrenalina é uma sensação comum para os jogadores da posição. Outra parte boa de jogar debaixo das traves é que permite ao goleiro uma carreira muito maior como jogador. Rogério Ceni de 39 anos e Marcos que se aposentou com a mesma idade são considerados len-

das em seus clubes, São Paulo e Palmeiras respectivamente. Dificilmente um jogador de linha chega em condições de atuar na maioria das partidas do ano com essa idade. Na última Copa do Mundo disputada na África do Sul, 7 dos 10 jogadores mais velhos eram goleiros. Destaque para David James da Inglaterra que foi titular de sua seleção em três jogos do mundial comemorando 40 anos de idade dois meses após o fim da competição. Pode ser em um campeonato de colégio ou em um Maracanã lotado em final de copa, toda a bola chutada ao gol precisa ser defendida por quem está lá. A grande questão é que nem sempre isso é possível, porém todos os jogadores que se destacam nessa posição viram heróis. Seja Gordon Banks, por parar uma cabeçada fatal do rei Pelé, ou o goleiro que sai carregado pela turma por buscar um pênalti no final do recreio, o esporte mais popular do mundo acaba, uma hora ou outra, se esquecendo dos artilheiros e se rendendo aos seus algozes.

Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/jornalopa

facebook.com/jornalopa

Jornal Opa! Maio de 2012  

> Nadismo: A arte de não fazer nada; > A nada mole vida de goleiro; > A grande ideia dos crowdfunding; > O temor de enfrentar o Exame da Ord...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you