Issuu on Google+

pub

6 DEZ a 19 DEZ

2013 Ano XIV | Nº 334 Bi-Mensal | Sai às Sextas Director: Artur Bacelar

apenas 0,70 € IVA incluído

\\

PUB

www.maiahoje.pt

maiahoje jornal regional de grande informação

solidariedade Cruz Vermelha maiata apoia grupo «Coração na Rua» na cidade do Porto, auxiliando gente de todo o país

«Em Lisboa já ninguém ajuda! Vêm todos para o Porto!», diz sem-abrigo. Nogueira dos Santos, ex-vereador, diz que na Maia, sem-abrigo «são meia-dúzia». Voluntária diz que a existência «não é reconhecida, nem admitida pela Câmara Municipal». p. 7

\\

\\ especial

economia Programa “MaiaFinicia” já investiu 540 mil euros em 15 empresas do Concelho

Revista Especial Natal grátis nesta edição \\ desporto

p.12

Renato Pita faz balanço de 2013 e lança época de 2014 na Maia p. 13

pub

\\ iniciativa

Primeiro “Simpósio InforEstética” em Gueifães p.6


02

editorial \\ Sindicatos

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Página dois

artur bace|ar director

Já aqui tenho apontado “forças de bloqueio” ao crescimento da economia em Portugal e consequentemente da qualidade de vida como o longo tempo de espera nos tribunais. Hoje trago mais uma: Os sindicatos da CGTP. Sempre com um “folclore” muito bem montado pelos seus profissionais, mantem um largo calendário de greves e paralisações de gosto e oportunidade discutível, apenas com uma agenda: pedir a demissão do governo ou de um qualquer ministro.

Greve do utente Um dia destes, num directo televisivo sobre a greve dos transportes, foram entrevistados alguns utentes que estavam revoltados com a situação e as regalias que os grevistas tinham em relação ao cidadão comum. Ao lado estava a responsável sindical, atraída como se de mel fosse o directo televisivo, para de imediato centralizar o seu discurso na justiça da greve que era «em defesa dos utentes», não apontando em quê. É preciso ter lata! Numa greve que inicia às 5.30 e termina às 9.30 está bom de ver que era para benefício do utente trabalhador. Piquete de greve Outra idiotice é a dos piquetes de

greve. Segundo a Lei, servem para esclarecimento dos trabalhadores sobre a acção de luta. Na realidade serve para, numa atitude muito democrática, insultar e impedir quem quer ir trabalhar. Acresce também o folclore mediático quando se junta polícia e grevistas, com estes últimos a provocar as autoridades e para as câmaras armados em virgens ofendidas. Ridículo! Professores A Lei da razoabilidade não se aplica a estes sindicatos. Enquanto a FNE (UGT) desconvoca a greve aprazada devido a cedência do governo no caso das provas de avaliação, o que é razoável, a Fenprof (CGTP) não cedeu nem um milímetro mantendo a convocatória.

\\ MaiaHoje ganhou 106 novos amiguinhos! Olá amiguinhos da EB1/JI da Giesta, Antes de mais deixem-me agradecer aos Vossos professores pela excelente ideia que tiveram em vos ajudar a escrever esta carta

que muito nos sensibilizou. Esta carta, chegou-nos na manhã de terça-feira dia 27 de Novembro de 2013, quando a senhora carteira nos veio entregar uma carta especial, que se chama reg-

istada, e serve para saber se a pessoa recebeu ou não a carta que enviamos. Num papel cor-derosa, assinei o meu nome e entreguei de novo à carteira que depois o vai entregar na Vossa escola para saberem que recebi a Vossa Carta. Assim chegou a carta às minhas mãos e a prova de que recebi chegará às Vossas. Normalmente escrevia-vos uma carta a responder, mas achei melhor responder aqui no jornal para todos saberem o que vocês fizeram. Chama-se a isto “tornar público” ou “publicitar”. É uma das funções do jornal. Assim estamos, através do jornal, a tornar público o Vosso gesto fantástico e ao mesmo tempo a partilhar com todas as pessoas que nos lêem.

Os Profissionais das Manifs São, segundo o Expresso, cerca de 1.830 os funcionários requisitados pelos sindicatos ao Estado e pagos também por todos nós. Só na saúde são 1.200 os que optam por nos tratar… nos sindicatos. Na educação o número é de cerca de 400 os que se dedicam à causa sindical à custa dos impostos. Curioso é que estes mais de 1800 funcionários, sozinhos, são mais do que algumas manifestações mediáticas, ou seja, nem os próprios vão às Manifs. Por outro lado, no mínimo é uma situação que em nada ficaria a dever ao escritor Masoch (célebre pelo “masoquismo” ), dado que são pagos para dizerem mal de quem lhes

maiahoje

paga. Já sei que alguns não concordam desta minha opinião e até acham que deveria ser impedido de escrever, mas essa é apenas a visão democrática, do tipo estalinista, que para impor o comunismo na União Soviética condenou politicamente pelo menos mais de 4 milhões, dos quais, cerca de 50% a trabalhos forçados e 25% à morte e há quem fale em cerca de 10 milhões. Nota final Será que esta “malta” já se lembrou de ler a constituição e não só as partes que lhes interessa?

\\ O Centenário da D. Dulcinea Assunção Há dias felizes e com verdadeiras razões para festejar. Uma dessas datas é a celebração do centésimo aniversário. Por coincidência, na mesma altura, duas maiatas festejaram este marco histórico. Ora, por este facto, na nossa passada edição 332, publicamos a foto da D. Dulcinea, mas com a notícia da também centenária D. Serafina Vale. Pelo lapso aqui ficam as nossas desculpas e já agora, os votos de que a gente erre durante muitos anos na comemoração do seu aniversário, a 21 de Outubro, e a encontre com muita saúde. Parabéns.

Claro que é um prazer oferecer um jornalinho para a Vossa escola. Já a partir desta edição o MaiaHoje vai-vos chegar às mãos via Correios de Portugal. Mas mais, gostamos tanto, tanto, da Vossa cartinha que resolvemos enviar um jornal para cada um dos 106 alunos que assinaram a carta. Já agora, uma das outras funções do jornal é contar histórias e esta é uma delas. Já perceberam como se faz uma notícia? Hummm… uma dica! Leiam muito! Qualquer coisa. Só lendo muito é que os senhores das Playstations e das Bonecas as conseguiram fazer. Não gostavas de ser como eles? Mandem notícias, Feliz Natal Artur Bacelar

x

por apenas 16,80 10 euros /ano Sim, desejo ser assinante do jornal MaiaHoje pelo período de ___anos, automaticamente renováveis por igual periodo. assinatura

%

Recorte e envie para: Jornal MaiaHoje - Rua dos Altos, 18 • 4470-235 Maia

NOME_____________________________________________ MORADA__________________________________________ COD POSTAL_______-____ LOCALIDADE_________________ TELEFONE______________ TELEMÓVEL_________________ EMAIL_____________________________________________

%

pub


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade

«Afirmar uma Alternativa» é o «desígnio fundamental» da candidatura de Marco Duarte Martins

PS Maia vai a votos para eleger novo presidente da Concelhia Marco Duarte Martins vai ser o sucessor de Jorge Catarino na presidência da Comissão Política Concelhia (CPC) do PS Maia. As eleições realizam-se amanhã, 7 de Dezembro, mas o deputado municipal encabeça a única lista que se apresenta a sufrágio. O socialista revela, em comunicado, que a decisão de liderar uma candidatura à CPC da Maia do Partido Socialista, é fruto de «uma grande reflexão e um conjunto alargado de contactos com militantes, simpatizantes, amigos e família». «Faço-o, porque reconheço que, ao fim de todos os anos de militância e actividade política e partidária, estou em condições de poder estabelecer um conjunto de condições que permitam ao partido apresentar um projecto de união e de força», diz Marco Duarte Martins. Segundo o candidato, o próximo mandato da Concelhia reveste-se de uma «importância extraordinária» para o futuro da estrutura, porque possibilita, «pela primeira vez, a preparação de um trabalho político a médio/longo prazo que permita desenvolver um trabalho necessário à

POLÍTICA

afirmação de uma alternativa». «Este é o desígnio fundamental da minha candidatura: afirmar uma alternativa política para o concelho da Maia, que se traduza no assumir de responsabilidades autárquicas de relevo por parte do Partido Socialista em 2017», sublinha. Para que tal seja possível, Marco Duarte Martins defende que o partido necessita «urgentemente» de se unir em torno de um «projecto comum», centrado em dois eixos: «um interno, que tem como objectivo reforçar o papel da militância e adequar o partido à actual realidade concelhia e social; e um externo, que tem como finalidade reestruturar a forma de relacionamento do partido com a sociedade maiata, dando-lhe o relevo essencial para o afirmar como uma alternativa». Destas acto eleitoral sairá igualmente a nova constituição dos órgãos das secções de residência do PS Maia. Rita Santos

1. Marco José Duarte Martins 2. Jorge Luís Ferreira Catarino 3. Sandra Raquel Vasconcelos Lameiras 4. Hugo Filipe Ramalho Campos 5. Vítor Daniel Martins Mota 6. Maria Manuela Ferreira de Oliveira 7. Paulo Sérgio Fernandes Rocha 8. Rui Filipe Ribeiro Magalhães 9. Maria Luísa Dias Barreto 10. António Dias Oliveira 11. António Manuel Santos Teixeira 12. Maria Manuel Silva Ramos 13. Pedro Miguel Monteiro Martins 14. Luís Mamede Maia Sousa 15. Soraia Diana Gonçalves Ferreira Teixeira 16. Gabriel José Silva Almeida 17. João Filipe Ferreira Monteiro 18. Carla Susana Ferreira Dias 19. Rogério Duarte Rocha 20. Adão Fernando Batista Bastos 21. Paula Cristina F. Guimarães Duarte 22. José António Andrade Ferreira 23. Manuel Jorge Rebelo Silva 24. Raquel Jorge Ferreira Catarino 25. João José Magalhães Torres 26. Paulo Jorge Vitorino Veiga 27. Marta Alexandra Amorim Soares 28. Rui Miguel Sousa Moreira 29. Paulo Jorge Rocha Esteves Rodrigues 30. Maria de Fátima da Silva Garcia Ribeiro 31. Pedro Miguel Oliveira Soares 32. Júlio Domingos Carvalho Pereira 33. Lúcia Pires Marques Miguel Oliveira 34. Joel Bruno Sousa Teixeira 35. António Vieira Marinho 36. Cristiana Maria Monteiro Carvalho 37. Joaquim Alberto Maia Santos Ferreira 38. Paulo Alberto Ferreira Marques 39. Elsa Antónia Maia Martins 40. Manuel Francisco Figueiredo 41. Paulo Sérgio Pacheco Brandão 42. Márcia Manuela Gomes Moutinho 43. Joaquim Augusto Sousa Martins 44. António Alberto Inverneiro 45. Sandra Cristina da Silva Barbosa

Águas Santas Pedras Rubras Águas Santas Gueifães Maia Águas Santas Barca Milheirós Águas Santas Pedras Rubras Águas Santas Pedras Rubras Gueifães Maia Maia Pedras Rubras Castêlo Águas Santas Barca Maia Maia Pedras Rubras Gueifães Pedras Rubras Águas Santas Águas Santas Gueifães Águas Santas Pedras Rubras Maia Barca Milheirós Pedras Rubras Águas Santas Pedras Rubras Águas Santas Águas Santas Maia Barca Gueifães Pedras Rubras Gueifães Águas Santas Pedras Rubras Águas Santas

Emília Santos defende redução do tempo médio de pagamento das câmaras aos fornecedores

pub

forço solidário do poder local, é continuar a reduzir, no próximo ano, dez por cento dos pagamentos em atraso com mais de 90 dias», disse na sua intervenção. Segundo a deputada social-democrata, «este imperativo legal, que entendemos ser também um imperativo moral permite gerar liquidez no mercado, dinamizar a economia, nomeadamente a economia local, e exigir uma política de contenção e racionalização de des-

\\ Opinião Orlando Leal

\\ Lista candidata à Comissão Política Concelhia do PS Maia

Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal

A deputada do PSD, Emília Santos, defendeu, no dia 21 de Novembro, no Parlamento, a redução do tempo médio de pagamento das autarquias locais aos fornecedores. No debate na especialidade sobre o Orçamento de Estado 2014, Emília Santos apresentou, com base no artigo 93º, uma proposta de redução em dez por cento dos pagamentos em atraso com mais de 90 dias. «O objectivo do artigo 93º, em perfeita sintonia com o es-

03

pesa». O que se pretende, sublinhou, «é continuar a fazer um grande esforço de pagamento a tempo e horas aos fornecedores». «E não temos dúvidas que o poder local, como sempre, saberá corresponder. Tivéssemos nós e os portugueses essa certeza relativamente aos partidos da oposição», disse. Rita Santos

Verticalidade… Há 33 anos, no dia 4 de Dezembro em Camarate, caiu o avião que transportava entre outras pessoas o Primeiro-ministro de Portugal de então, Francisco Sá Carneiro. Muito se poderia escrever ou especular sobre as reais causas do acidente, e se foi mesmo acidente, e no caso de atentado quem seria o destinatário e quais os motivos… Sobre tudo isto já muito se escreveu, investigou e especulou podenda cada um de nós ter a sua opinião sendo que a minha é a de que um avião não cai assim. Mas recordo-me hoje da figura de Sá Carneiro para ressalvar a importância dos bons políticos na vida democrática de uma nação, onde a postura e a verticalidade eram bem mais coerentes do que aquilo que se vive atualmente. Mas se verificarmos a situação política de hoje e os personagens que nela “habitam” encontramos gente do tempo de Sá Carneiro, desde os mais veteranos, agora quase “Senadores” com maior ou menor lucidez mental e assertividade variável conforme a hora do dia ou a temperatura exterior. Temos ainda os jovens de então que deambulavam pelas juventudes partidárias e que foram ficando por lá até aos dias de hoje, umas vezes na “posição”, outras na oposição, mas sempre sempre por lá. Depois vão aparecendo amiúde alguns novos personagens das gerações seguintes que vão conseguindo ir penetrando neste mundo quase fechado da elite política nacional com critérios mais apertados à medida que a evolução democrática avançava, pois os que lá estavam não queriam sair e como tal havia menos vagas para os que queriam entrar. Finalmente entramos na última fase que é a do “cacique e família” onde os veteranos decidiram começar a abandonar os cargos de maior destaque, mas assegurando uma continuidade “democrática“ com o surgimento dos filhos de políticas, bem como os restantes familiares amigos e companheiros, que disputam agora os melhores lugares com os veteranos qua ainda não quiseram passar o testemunho e com os caciqueiros controladores das estruturas de voto dos partidos que conseguem os milagres das multiplicações das cotas pagas e as filinhas de votantes ordeiros quendo é necessário eleger alguém para posteriormente nomear esse mesmo alguém ou outros previamente escolhidos para um lugar, onde já está tudo decidido, mas devem disfarçar para que pareça uma coisa democrática e natural. É por isso que muita gente ainda hoje á saudosista de um passado de há 33 anos que infelizmente para alguns protagonistas acabou como acabou, mas por vezes a postura vertical incomoda muita gente, que só consegue chegar aos lugares com outro tipo de posturas menos ligadas com a nobre atividade política, que quando bem executada é fantástica e apaixonante…


04

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade

\\ Ângulo Recto António Neto

Sopros de Dezembro!... Neste soprar de Dezembro, não posso deixar de fazer uma referência ao centenário do nascimento (10 de Novembro) de Álvaro Cunhal, uma figura incontornável da luta contra a ditadura fascista e da democracia portuguesa. A minha homenagem ao homem, ao antifascista, ao comunista que marcará para sempre a luta dos trabalhadores portugueses pela sua emancipação. A minha homenagem ao lutador que contribuiu para que se abrissem as portas de Abril e o País respirasse de novo liberdade e democracia. Neste soprar de Dezembro, onde se assiste aos mais ignóbeis ataques à dignidade humana, à Constituição da República Portuguesa, à tentativa de destruição da escola pública, ao desmantelamento do Estado Social, não se pode deixar de ter presente o papel de Álvaro Cunhal pelas suas ideias, pela sua coerência, simplicidade e espírito solidário na conquista e na defesa de muitas das conquistas alcançadas com o 25 de Abril. Não posso deixar de aconselhar a que, sem complexos, percorram a exposição que sobre a sua vida e pensamento que permanecerá na Alfândega do Porto, entre 30 de Setembro e 15 de Dezembro e assistam ao filme “Até amanhã, camaradas” de Joaquim Leitão. A vida e a luta de Álvaro Cunhal tem o espaço merecido e sentido no soprar de Dezembro nestes momentos que vivemos de luta contra o retrocesso e austeridade. Neste soprar de Dezembro não posso deixar de me juntar a todos aqueles que lutam contra o aumento da violência doméstica, num momento em que os dramas sociais agravam esta dura e condenável realidade. Temos de soprar com toda a indignação contra a anacrónica prova de exame dos professores contratados que representam um ataque à sua dignidade, põe em causa aprendizagem adquirida nas Universidades e nos politécnicos e visa descredibilizar a docência e lançar mais uns milhares de professores no desemprego. Pela minha vivência não posso olvidar o grau de exigência a que um licenciado, por exemplo, em Geografia foi, e continua a ser, sujeito na Universidade do Porto, formação que inclui, na componente pedagógica, estágio, devidamente avaliado, complementado com anos de ensino e formação e, assim, concluir o quão injusto e vexatório se torna a sujeição a este exame. O actual ministro da Educação, Nuno Crato, continua de olhos voltados para o sector o privado e está a conduzir o Ensino para um beco sem saída, pondo em causa o direito à igualdade de oportunidades de acesso à educação, numa lógica de elitização do ensino, com vista à construção de um ensino para ricos e outro para pobres, à velha maneira fascista. Que o Dezembro seja o soprar da viragem em defesa da Constituição da República e do Estado social nela consagrado. ANTÓNIO NETO Técnico Superior Acção Jurídica/Formador (Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico)

POLÍTICA

maiahoje

JS Maia com novos órgãos eleitos

João Magalhães Torres é o novo presidente da estrutura concelhia «Sentimos que é possível fazer mais pelos jovens maiatos e pretendemos que a Juventude Socialista da Maia se afirme como a voz da mudança que se impõe. Sabemos o que queremos para a Maia, queremos um concelho voltado para o futuro, capaz de dar resposta às necessidades e anseios de todos os maiatos, mas principalmente dos mais jovens. Só com o esforço, empenho e a união de todos conseguiremos atingir a nossa meta». As palavras são de João Magalhães Torres, eleito, a 16 de Novembro, presidente da Comissão Política Concelhia (CPC) da Juventude Socialista da Maia. O estudante de Direito de 23 anos, natural de Águas Santas, sucede assim a Ana Leite na liderança da estrutura concelhia socialista.

POLÍTICA

Do seu “curriculum” constam a presidência da European Law Students Association da Universidade Portucalense, a coordenação do Núcleo Vale do Leça da JS, a participação na Comissão Política da Federação Distrital do Porto e a representação da JS Maia no Conselho Municipal de Juventude da Maia. Nas últimas eleições autárquicas foi eleito para a Assembleia de Freguesia de Águas Santas. No acto eleitoral de 16 de Novembro foram igualmente escolhidos Ricardo Pereira e Ivo Silva para coordenadores dos Núcleos do Vale do Leça e Maia Centro Leste, respectivamente. Rui Moreira foi eleito presidente da mesa da CPC da JS Maia. Rita Santos

Para 2014 estão na calha nomes como Teixeira dos Santos, Jerónimo de Sousa e Marcelo Rebelo de Sousa

Luís Nobre Guedes encerra ciclo de debates deste ano no Clube dos Pensadores Num debate subordinado ao tema “Portugal: outros caminhos”, que decorreu no dia 25 de Novembro, em Vila Nova de Gaia, Luís Nobre Guedes, ex-ministro do CDSPP disse que o sistema político foi «pensado e concebido para albergar os poderosos e garantir os interesses instalados». Prova disso, referiu, foi a «vitória dos fortes» no caso das Parcerias Público-Privadas (PPP), dos “swaps”, do BPN, do défice tarifário e dos mercados regulados. O ex-ministro com a pasta do Ambiente e do Ordenamento do Território no Governo de Durão Barroso defendeu uma revisão da Constituição que passe por «ter a coragem de reforçar os poderes do Presidente da República e, de uma vez por todas, fazer a revisão da lei eleitoral, sem a qual é impossível voltar a dar credibilidade a este regime». O centrista afirmou ainda não entender cortes de salários e de pensões sem que, na próxima legislatura, não haja «mais de 180 deputados» e não se proceda à extinção

progressiva de concelhos. Luís Nobre Guedes concluiu assim o ciclo de debates deste ano no Clube dos Pensadores, organização que recebeu, em 2013, entre outros, o constitucionalista Jorge Miranda, o antigo ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares Mi-

guel Relvas, o “chairman” da Sonae Belmiro de Azevedo, o escritor e comentador Miguel Sousa Tavares, o coordenador do BE João Semedo, e a ministra da Justiça Paula Teixeira da Cruz. Para Janeiro de 2014, o Clube pretende receber Teixeira dos San-

tos, ex-ministro das Finanças no Governo de José Sócrates. Há também a possibilidade de receber Jerónimo de Sousa, líder do PCP, e Marcelo Rebelo de Sousa.


maiahoje POLÍTICA

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade

Eleições para a Comissão Política “adivinham” sucessão para a Câmara

\\ Opinião

Silva Tiago “passa” teste PSD António Silva Tiago, actual vicepresidente da Câmara Municipal da Maia, substituiu o actual presidente da CM Maia na tarefa de presidir à Comissão Política do PSD Maia. Nesta eleição, aparentemente ainda longe das próximas autárquicas, estava em jogo o “pontapé de saída” para uma renovação tranquila na liderança do partido e de uma sucessão no candidato à autarquia maiata. Conhecidos os resultados finais, dizem os entendidos que Silva Tiago terá ganho confortavelmente esta primeira importante etapa, primeiro por conseguir unir o partido numa única lista e segundo por conseguir mobilizar e obter mais de 50% dos votos dos eleitores inscritos, numa eleição que seria difícil pelas condições atmosféricas não convidativas a sair e pelo facto desmobilizador de ser lista única. Sucessão natural Sobre a eleição o agora presidente disse estar «muito satisfeito com a adesão e o resultado obtido que demonstram claramente que o partido está unido e empenhado em continuar o bom trabalho na Maia», disse acrescentando que os militantes perceberam que «esta eleição era muito importante para o Concelho. Questionado sobre a eventual sucessão a Bragança Fernandes como candidato do PSD à Maia disse ser um «acto natural.

POLÍTICA

Ricardo Oliveira

Retórica

Entramos para a CM Maia na mesma altura, partilhamos o mesmo caminho político e une-nos uma forte amizade pelo que, se os militantes assim o entenderem, poderei considerar perfeitamente natural a sucessão», disse. Trabalho difícil pela frente Bragança Fernandes, agora presidente da Mesa do Plenário disse ao MaiaHoje que Silva Tiago «será um excelente presidente da Comissão Política e que irá dar continuidade ao bom trabalho que se tem feito na Maia, numa concelhia coesa e unida em torno do novo líder», disse. Questionado se dará um bom sucessor na câmara «Bra-

gança Fernandes disse que «é um sucessor natural dado que me tem acompanhado nestes anos todos. Será o homem certo no lugar certo. Se os militantes também o entenderem será com certeza um bom presidente que continuará o bom trabalho que, a pensar nas pessoas, tenho vindo a desenvolver», acrescentando que Silva Tiago «irá fazer um bom mandato no PSD, muito difícil porque em dois anos irá enfrentar duas eleições, as europeias e as legislativas, mas o programa é muito interessante e que também passa por manter a influência na Distrital PSD dado que fomos quem mais votos teve na AMP», disse Bragança Fernandes.

\\ Resultados eleitorais Inscritos com eleitoral: 576 Votantes: 298

capacidade

MESA DO PLENÁRIO (Bragança Fernandes) Lista A - 273 Brancos - 17 Nulos - 8 COMISSÃO POLÍTICA (Silva Tiago) Lista A - 273 Brancos - 18 Nulos - 7

Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal

À volta dos impostos A derrama, imposto adicional à colecta do IRC, é uma das receitas facultativas a que os municípios recorrem, para que os ganhos decorrentes das actividades económicas desenvolvidas no território concelhio possam contribuir para a melhoria da situação do respectivo município. Para o Bloco de Esquerda (BE) «esta deve ser uma das responsabilidades sociais dos agentes económicos, principalmente dos que obtêm grandes lucros no exercício das actividades a nível do município», sendo assim «favorável ao pagamento da derrama», acusando o executivo de, seguindo o que tem feito no passado, actuar de modo menos correcto aplicando as taxas «através de um critério simplista e cego quanto aos impactos no tecido em-

05

presarial do Concelho», dizem. Apesar dos votos contra de BE, PS, CDU e abstenção do PAN, a maioria votou favoravelmente a proposta que foi aprovada. Taxa Municipal Direito de Passagem O BE Maiadefendeu ainda, em Assembleia Municipal, ser a favor da existência da Taxa Municipal de Direito de Passagem e de Ocupação de Subsolo (TMDP) que no entanto «não deve incidir sobre o consumidor final, mas sim sobre as empresas operadoras (utilizadoras)», dizem. «Os princípios de justiça e de defesa dos interesses dos munícipes deviam em nossa perspectiva sobrepor-se aos interesses dos grandes grupos económicos lucrativos», acrescentaram anunciando

que irão colocar à consideração na próxima Assembleia Ordinária «uma Proposta de Recomendação sobre esta matéria», comunicou António Neto. Neste capitulo a proposta da Câmara foi aprovada com os votos favoráveis da maioria PSD/PP, os votos contra do BE/PS/CDU e a abstenção do PAN. Venda de Terrenos Sobre a solicitação da autorização, genérica, da Assembleia Municipal, para que a Câmara Municipal possa vender bens do domínio publico municipal designadamente terrenos ou parcelas de terreno cuja área e preço não excedam, respectivamente 5000m2 e/ou 99.756, 50, o BE tem a dizer que «esta proposta visa retirar à Assembleia Mu-

nicipal uma competência própria de se pronunciar, fiscalizar e decidir sobre desafectações até área e valor referido», pelo que votaram contra, além do BE a CDU e o PAN. NDR (Nota da Redacção): Os restantes partidos não nos fizeram chegar as suas posições sobre os assuntos. Mais informamos os nossos leitores que a Assembleia Municipal há vários meses não nos tem informado das suas reuniões. Como único órgão de Comunicação Social, além da informação sobre o calendário, pensamos que também seria útil ser-nos enviada a mesma documentação que é enviada aos senhores deputados.

Foram assinalados nesta semana dois dias de grande importância no domínio da consciencialização social e, mesmo, na chamada de atenção das pessoas para o mundo que as rodeia: o dia da pessoa com deficiência e o dia da pessoa com esclerose múltipla. Efectivamente tratam-se de duas datas que não deviam, pela sua pertinência, ser assinaladas para lembrar-nos das necessidades que essas pessoas têm diferentes das nossas, mas antes para festejar a sua integração completa na sociedade assim como a sua mais valia pessoal e profissional. Entre muitas verdades, algumas falsas verdades, e alguns interesses omissos que fui ouvindo nos órgãos de comunicação social dos intervenientes e responsáveis por algumas das entidades que coordenam esses movimentos, fica uma grande verdade: temos de lutar para que quer ideologicamente, quer de forma pragmática e objectiva tenhamos a aproximação a uma sociedade humanista que garanta à partida igualdade de oportunidades para todos, independentemente do seu estádio basal. Isto, porque para além de eticamente reprovável, em última instância o valor de cada um é dado em função da tarefa que executa, a flexibilidade que tem de resolver problemas dentro do seu âmbito profissional e a sua dedicação e por inerência competência no que concerne à tarefa que é suposto realizar. Claro está que todos devem ter acesso aos melhores tratamentos, às melhores terapêuticas disponíveis, ao estado da arte disponível. Mas pergunto eu ao leitor, embora que de forma retórica: será admissível a um fumador, que não abdique do seu vício dar o melhor tratamento disponível, comprometendo outros doentes que estarão na disposição de mudar a sua vida? Pessoalmente, não tenho uma resposta objectiva, daí ter ousado introduzir a retórica nesta pequena reflexão, mas quando todos, querem tudo, mas o que há é nada ou muito pouco para distribuir, temos de tentar, para além de recorrer às nossas capacidades empáticas, recorrer ao nosso altruísmo, aos nossos princípios éticos e mesmo à nossa experiência pessoal. Uma coisa é certa, na saúde, como em tantas coisas na nossa vida, a nossa maleita será sempre superior à do vizinho, turvando muitas vezes as opiniões que temos quando tentamos generalizar as medidas. No meio de toda esta retórica atrevome a terminar com pragmatismo. É dado objectivo que as autarquias têm tido um papel fundamental na melhoria das oportunidades que dá às pessoas com algum tipo de deficiência e mesmo na empregabilidade de algumas delas nos seus quadros. Continua por isso, com o orgulho que tal proporciona, mais uma vez à frente do seu tempo. Ricardo Filipe Oliveira Médico Mestre Eng. Biomédica (FEUP) Lic. Neurofisiologia (UP) Não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.

pub


06 \\ Opinião

Joaquim Jorge

PORTO O Porto começa a evidenciar muitas dificuldades. É impossível ter uma equipa competitiva com serviços mínimos. O Porto, o ano passado, vendeu dois importantes jogadores: João Moutinho e James Rodriguez. Não nos podemos esquecer que antes tinha ido Hulk. Deste modo não se pode ter tudo, isto é, fez-se uma mais-valia de 130 milhões de euros (70 (Moutinho e James) + 60 (Hulk) e depois não se pode ter êxito desportivo. O êxito financeiro nem sempre permite êxito desportivo. Jorge Nuno Pinto da Costa com a sua mestria e capacidade de inventar e recriar nos últimos anos conseguiu sempre colmatar a saída de grandes jogadores. Porém, este ano, o Porto está, como costumo dizer em "serviços mínimos", isto é, com o mínimo de gastos ir o mais longe possível em competições e resultados. Não está a funcionar este ano a fórmula sempre usada, culpa do novo treinador, inexperiente para a pedalada do Porto, que exige sempre, ir o mais longe possível na Liga dos Campeões e vencer o campeonato nacional.

INICIATIVA

Contudo para os portistas disputar o campeonato sabe a pouco, estão mal habituados. Depois muitos portistas já devem estar arrependidos das críticas que teceram a Vítor Pereira, um treinador mal-amado para muitos mas que fez sempre boas campanhas tendo o bónus de vencer tudo, pois vinha de uma série de resultados fabulosos com Villas-Boas (Liga Europa, campeonato, Taça). Agora é esperar para ver, para já, está em 3º lugar a dois pontos do Sporting e Benfica. Na Liga dos Campeões não só está arredado da fase seguinte e com jeitinho nem à Liga Europa vai. Joaquim Jorge

maiahoje

“O Papel da Esteticista na sociedade”

Primeiro simpósio InforEstética em Gueifães A Cripta da Igreja de Gueifães foi o local escolhido para o primeiro simpósio InforEstetica, com a temática “O Papel da Esteticista na sociedade”. O evento, que ocorreu no dia 20 de Novembro da parte da manhã, contou com a presença de representantes da Câmara Municipal da Maia, Junta de Freguesia da Maia/Vermoim, Delegação Regional do Norte do IEFP e Centro Emprego da Maia, entre outras entidades, como algumas escolas da área da estética. O programa abordou várias te-

CULTURA

máticas, constituído por quatro painéis subordinados a temas desde “Perspetivas do Futuro” a “Importância da formação - passaporte internacional”; “A esteticista e o empreendorismo” e a “Estética e a saúde”. Foi ainda possível assistir demonstrações práticas na área da estética e animações. A organização esteve a cargo da Inforpreparação – Formação e Consultoria, Lda., em comemoração do “Dia Nacional da Estética”. Manuel Jorge Costa

Amanhã na sede da colectividade

Fontineiros da Maia A colectividade maiata “Os Fontineiros da Maia” vai levar a cabo, amanhã, no auditório da sede do clube, várias actividades. Das 9h30 às 11h, na Biblioteca, reunião do GEPE (Grupo de Entreajuda na Procura de Emprego). Às 16h a escritora Maia Judite Carvalho é convidada para a sessão de “Poesia para Todos”. Por fim, às 21h30 os Pequenos Cantores da Maia protagonizam o Concerto de Natal. Este concerto tem

PRÉMIO Pelo que sei e me apercebi, ao longo dos anos, Jorge Nuno Pinto da Costa não vai mandar embora o treinador Paulo Fonseca, deste modo, o Porto começa a vencer ou este ano tem tudo irremediavelmente perdido. Pode sobrar para o campeonato conseguir estar na sua disputa até ao fim, pois a Liga dos Campeões é já uma miragem.

pub

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade

uma vertente solidária « para com aqueles que pouco ou nada tem para este Natal» O público pode contribuir com géneros alimentares numa campanha a favor dos Vicentinos de Águas Santas. Está a decorrer até 22 de Dezembro o XIX Concurso Quadras de Natal subordinado ao tema “Natal Reencontrado”.

HOMENAGEM

Santa Casa da Misericórdia

Colaboradores homenageados Foi no seu Salão Nobre totalmente preenchido que no dia 10 de Novembro a Santa Casa da Misericórdia da Maia homenageou trabalhadores que, neste ano de 2013, completam 20 anos ao serviço da Instituição. Após a Assembleia Geral que aprovou o Plano de Actividades e Orçamento para o ano de 2014, a Provedora deu as boas vindas aos colaboradores homenageados, familiares e colegas de trabalho, enal-

tecendo e agradecendo o contributo destes para o desenvolvimento da obra da Misericórdia. A anteceder a homenagem, os trabalhadores fizeram questão de recordar os irmãos da Misericórdia já falecidos e surpreender os irmãos da Misericórdia presentes com um tributo e agradecimento em reconhecimento.

Valorizar o trabalho académico com mérito dos estudantes

Entrega da Bolsa de Estudo Prof. Doutor José Vieira de Carvalho Decorreu no passado dia 10 de Novembro, no Salão Nobre da Sede da Santa Casa da Misericórdia da Maia, a cerimónia de entrega da Bolsa de Estudo Prof. Doutor José Vieira de Carvalho, que conta já com sete edições. Com o patrocínio da Caixa de Crédito Agrícola da Maia, a Bolsa de Estudo tem o valor de mil Euros foi atribuída a Sofia Filipa Marques Rocha, que concluiu o Ensino Secundário com média final de 18 valores e frequenta o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária, na Universidade de Trás os Montes e Alto Douro. Excepcionalmente foram ainda atribuídas Bolsas ou Menções Honrosas, no valor de 500 Euros cada, a Cristiana Vanessa Vieira Oliveira e Maria Vieira Santos Silva. Esta iniciativa surge para valorizar o trabalho académico aos estudantes com mérito académico cujas famílias possuem baixos rendimentos.


maiahoje SOLIDARIEDADE

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade

Apoio ao grupo “Coração na Rua” na cidade do Porto

07

\\ No fio da Pena

Cruz Vermelha da Maia sai para ajudar os sem-abrigo

Pedro Ferreira*

\\ «Temos cada vez mais famílias que estão a passar grandes dificuldades económicas porque estão desempregadas» Bimensalmente, a Praça Velasquez é o ponto de encontro do grupo «Coração na Rua» que usa o sábado à noite para apoiar os semabrigo e pessoas carenciadas na cidade do Porto. Pelas 19h os muitos membros começam a aglomerar-se e entre conversas, a vontade de ajudar é maior. Começa o carregamento das carrinhas que vão percorrer a cidade em pontos como a Praça da República, Câmara do Porto, São Bento, Jardins do Hospital Santo António e Júlio Dinis servindo, no total, cerca de 500 refeições. No passado sábado, dia 23 de Novembro, tudo foi diferente para o grupo que pode contar com o apoio da Cruz Vermelha da Maia. Cristina Silva, uma das quatro fundadoras do grupo, diz que «é apenas um grupo de amigos que, sem aceitar dinheiro, tenta que a sociedade intervenha e que defende que a solidariedade começa em cada um de nós ao darmos o coração na rua». O grupo tem conseguido vários apoios, nomeadamente de faculdades e outras iniciativas solidárias. Cristina conta que toda a promoção é feita «exclusivamente através das redes sociais, com a nossa página de Facebook que já tem perto de sete mil likes». Na verdade, a página conta já com mais de nove mil likes e conta com voluntários de Santo Tirso, Famalicão, Maia, Vila do Conde e Póvoa de Varzim. «Cada coração novo que entre para o grupo é valorizado. São sempre precisas pessoas que queiram dar e receber, que possam acompanhar quem precisa. Nós acompanhamos e apoiamos quem precisa, seja quando vão ao hospital, seja quando precisam de apoio para sair da rua.» Manuel Pacheco, já é voluntário do grupo há um ano, e desde aí que leva «o coração para a rua numa experiência forte que é sempre olhos nos olhos, mão na mão, coração no coração. Levamos uma refeição quente, roupa, cobertores, produtos de higiene, alimentos e companhia. Ajudamos que precisa, sejam sem abrigo ou famílias cujo rendimento não chega para as contas e precisam do nosso apoio para comer.». Segundo Manuel, os sem abrigo «são apenas um terço das pessoas que vem cá pub

ter. Temos cada vez mais famílias que estão a passar grandes dificuldades económicas porque estão desempregadas». Segundo o grupo, várias pessoas carenciadas chegam mesmo a percorrer vários pontos na mesma noite para ter mais comida e para não serem vistos sempre no mesmo sítio, chegando por vezes, a existir situações de precipitação que tem de ser controladas pelos voluntários. Irene Duarte, é a voluntária responsável pela confecção da comida distribuída nos jardins do Hospital de Santo António e conta que «faço tudo em minha casa e cozinho para dar para 150 pessoas. Mesmo que não venham cá 150 pessoas, nunca sobra. Uns repetem, outros levam para casa, nunca sobra nada aqui.». Maria (nome fictício) está grávida de 5 meses de uma menina e confessa que recorre a estes apoios porque «não tenho mais sítio onde recorrer. Recebo o rendimento mínimo e para pagar a casa, não consigo ter dinheiro para a alimentação. De dia a alimentação é sempre descuidada e à noite tenho que cá vir comer uma sopa ou algo quente. Eles ajudam como podem, mas também é muita gente, é mesmo muita gente.». Sobre a bebé que está a chegar, “Maria”

suspira: «tenho esperança que a minha vida já esteja melhor para não ter que trazer a minha filha para aqui. É muito complicado vir com crianças para aqui mas já tenho algumas roupinhas para ela que o grupo me tem dado.». Paulo (nome fictício) já foi sem abrigo mas agora, conta, com orgulho, que já tem «um quartito onde ficar». Já conhece os pontos de apoio como a palma da mão e há 11 anos que recebe ajuda dos voluntários. Conta que tudo começou com «uma separação que me pôs a dormir na rua durante 6 anos.». Confessa que percorre todas as carrinhas em busca de apoios e que «cada vez aparece mais pessoal cá no Porto à procura de ajuda. Lisboetas, Ucranianos, Algarvios, está cá tudo. Lá em baixo já ninguém ajuda nada. No dia em que acabar aqui no Porto, não sei o que vai ser de nós.». Projecto Solidário para a Maia Depois do apoio ao grupo «Coração na Rua», o núcleo maiato da Cruz Vermelha pretende desenvolver um projecto semelhante para apoiar os sem-abrigo da cidade da Maia. O presidente do núcleo, Manuel Nogueira dos Santos afirma que «existe um projecto semel-

hante para a cidade da Maia em que, felizmente, não há um número de sem abrigo muito significativo. Já foi feito um levantamento há cerca de três anos e registaram-se meia dúzia deles». Segundo Nogueira dos Santos, o projecto pretende suprimir as necessidades desses casos bem como casos de famílias carenciadas, seja com uma refeição quente ou com outro tipo de apoios que «possam melhorar as condições de vida deles». O presidente acrescenta ainda que «apesar de na Maia não existir a necessidade de uma intervenção tão constante, o núcleo vai continuar a dar apoio na cidade do Porto». Para o apoio aos maiatos está marcado um novo levantamento para obter um número actualizado que possa «justificar uma intervenção mais directa na Maia», declara o Nogueira dos Santos. Segundo o mesmo, a Câmara Municipal já foi contactada e mostrou-se receptiva. Apesar destas declarações, uma voluntária maiata no grupo «Coração na Rua» afirma que a existência de semabrigo na Maia «não é reconhecida nem admitida pela Câmara Municipal». Ana Luísa Azevedo Foto: Manuel Jorge Costa

Há alguns anos a esta parte os vários governos têm diminuido as transferências centrais para as autarquias como estratégia de diminuição de despesas em sede de Orçamento de Estado. Paralelamente, transferem para as mesmas novas responsabilidades e respectivos encargos financeiros, o que tem criado dificuldades de gestão acrescidas, as quais, cedo ou tarde, se reflectem na incapacidade dos municípios em cumprirem com as suas obrigações e compromissos. Tais condicionantes dependem em boa medida da qualidade das gestões em cada autarquia, bem como de diversos factores de ordem local. Porém, em bom rigor, este problema é comum a todo o país, independentemente dos partidos que aqui ou acolá detêm o poder. Se nuns municípios as dificuldades orgânicas são hoje mais evidentes que em outros, tendo em conta as crescentes limitações orçamentais impostas pela política de austeridade, será uma questão de tempo até todos atingirem um ponto de saturação a partir do qual não mais conseguirão cumprir com a totalidade dos seus compromissos: seja no apoio às colectividades, nos apoios sociais ou quaisquer outras áreas, dependendo das opções políticas do momento. A situação na Maia não é diferente do resto do país. Como em diversas outras autarquias, este fim de ano é marcado pela definição dos valores dos principais impostos municipais, nomeadamente o IMI, a Derrama, o IRS ou a Taxa Municipal dos Direitos de Passagem. No passado Novembro, em reunião de executivo, a maioria PSD/CDS decidiu manter o IMI em 0,7% e fixar os restantes nas taxas máximas permitidas por lei. Assim contorna o poder municipal na Maia os constrangimentos oriundos do poder central. Convém referir que surgiram propostas da oposição. A vereadora da CDU propôs a isenção extraordinaria do IMI para famílias em que ambos os conjuges estejam desempregados; propôs também isentar da taxa de derrama empresas cujo volume de negócios não ultrapasse os 50 000€, procurando assim desafogar a situação de diversas empresas na Maia, incentivando ainda a fixação de outras. Apresentou propostas e dispôs-se a negociar, ciente das dificuldades sentidas e em busca do equilíbrio entre o possível e o desejável. Não teve qualquer eco. Haja memória: esta maioria foi reeleita com a promessa de paulatinamente reduzir o IMI. Não lhe falta apenas capacidade política para encontrar outras soluções que não onerar os munícipes, como se a carga fiscal não estivesse já para além do suportável: falta o compromisso com a verdade que deveria orientar todos os detentores de cargos eleitos.


08

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade

maiahoje pub

\\ Opinião Joaquim Armindo

GASTRONOMIA

“Pratos Que Falam”

Tarteletes de Atum, Cebola Crocante e Cogumelos \\ Preparação

PENSAMENTOS Quando analisamos a situação portuguesa, da europa ou mesmo do mundo, assaltam-nos pensamentos muito distantes daquilo que os nossos políticos defendem, “pontualmente”, para a resolução de uma crise, que criaram e estão a gerir. E digo “nossos políticos” porque são portugueses, tal como nós, mas que nunca sentiram o quotidiano das nossas vidas ou se alguma vez sentiram na “pele” o que se sofre, tentaram mudar de rumo a pretexto de servir a coisa pública. Outros que servem, não são regra, mas exceções. É isto que o nosso povo constata e vê, melhor, sente, qual seta envenenada dirigida aos seus corpos. Exercemos funções políticas, não hoje, porque sempre pensamos que seriam passageiras, mas somos políticos como qualquer cidadão. Temos, já não sei se é sobre uma crise económica ou financeira, mas todo um arrazoado comentário sobre como vamos sair daqui, nem que seja salvarmo-nos, porque outros se seguirão e tomarão as rédeas de um poder, talvez inócuo e entrosado de um bem, que não o comum, mas o individual. Os pensamentos surgem à tona das nossas humildes contribuições, mas nem por isso podem deixar de ser importantes, para nós ou outros, que navegamos na utopia de conseguir ir no topo da proa da barcaça. Portugal tem um défice de crianças – problema crucial – então como vamos multiplicar os nascimentos, pois sem elas, o país será vazio e estereotipado. Não existirá nação. Resolver e debater esta questão é um dos fundamentos mais críticos para a nação. Se não existem crianças “importem-se”, para contradizer o discurso do primeiro-ministro que com convite à emigração. E não é um pensamento de todo descabido: quantas crianças em outros países morrem à fome, e nós bem podíamos inverter a situação, trata-se de sobreviver. Portugal é um país virado para o litoral. Cada vez mais assimétrico, despojando o interior de tudo aquilo que poderia atrair as mulheres e os homens. Aprofundar esta questão, construindo no interior verdadeiros pontos de desenvolvimento é aproveitar o que de melhor possuímos. As grandes cidades ou vivem sustentadas por outros, ou são esmagadas se o interior não desenvolver. Portugal é um país com uma cultura vazia, sem lastro, com história, mas já sem memória. A cultura de um povo, enraizada na sua língua, constitui a sua substantividade. O esvaziamento cultural, o corte abrupto de “despesas” na cultura, porque assim salvamos os portugueses, constitui a ignorância mais drástica dos governos desnorteados e imbecis. Pois três pensamentos, três ideias, iguais a tantas outras, de quem defende uma democracia participativa. Joaquim Armindo pub

1. Coloque um fio de azeite num tacho com os alhos bem picadinhos. 2. Pele o tomate e retire-lhe as sementes. Pique-o e junte no tacho e deixe refugar bem. 3. Acrescente os cogumelos laminados e deixe cozinhar um pouco. 4. Adicione o atum e tempere de sal e pimenta. Envolva tudo, desligue o lume e reserve. 5. Pré-aqueça o forno a 200ºC. 6. Forre as formas das tarteletes com papel vegetal e, de seguida, corte circulos de massa quebrada e molde-os às formas. 7. Coloque o preparado do atum nas formas (enchendo só metade das mesmas). 8. Misture o ovo com as natas e reserve. 9. Adicione um pouco de queijo ralado por cima do atum e cebola crocante e encha as formas com o preparado das natas. 10. Salpique com orégãos e leve ao forno durante aproximadamente 20 minutos, ou até ficarem douradinhas a gosto. 11. Deixe arrefecer e desenforme.

\\ Ingredientes

(para 6 tarteletes) 1 placa de Massa Quebrada (de compra) 2 latas de Atum 50g de Cogumelos 1 Tomate médio (maduro) 2 dentes de Alho 1 pacote de Natas 1 Ovo Queijo Ralado q.b. Cebola Crocante (de compra) Orégãos q.b. Sal Pimenta Azeite

Envie as suas questões culinárias para: pratosquefalam@gmail.com Blog “Pratos Que Falam” www.pratosquefalam.blogspot.pt

Pergunta do Dia: Olá Ricardo. Nunca usei baunilha as minhas receitas. Do que pesquisei, o melhor é usar vagem de baunilha, mas é o mais dispendioso. Pode explicar-me a diferença entre aroma, essência, extrato e baunilha em pó? O que costuma utilizar e em que quantidades? Também li que quantidade em excesso estraga o sabor. É verdade? Joana Ribeiro Resposta: Olá Joana. Obrigado pela sua questão. Passo então a explicar-lhe os vários derivados da baunilha. A Vagem de baunilha é mais orgânica e fidedigna. O sabor é leve mas intenso. Mais natural, fresca e fiel do que isto é impossível. Mas também é a mais cara. Quanto ao Extrato de baunilha, tenho a dizerlhe que é um xarope grosso e escuro extraído diretamente das vagens de baunilha e, por isso, o sabor é mais concentrado. No entanto leva alguns aditivos como álcool. No que diz respeito à Essência de

baunilha é um produto obtido através de processos químicos. É a alternativa sintética ao extrato de baunilha. É um sabor artificial. É, no entanto, menos concentrado do que o extrato. O Aroma e a Essência são a mesma coisa. Já a Baunilha em pó é a alternativa sem álcool ao extrato de baunilha, e é misturada com amido de milho. Há quem diga, no entanto, que não é das melhores alternativas para cozinhar mas sim apenas para coberturas pois o sabor é fraco. Ainda existe o açúcar baunilhado que, na minha opinião é bom apenas para, levemente, aromatizar os bolos ou afins. No que diz respeito ás quantidades, deve seguir as receitas, mas uso quase sempre 1 ou 2 colheres de chá de essência ou aroma; já se for extrato, apenas umas gotas. Tudo que é demais acaba por prejudicar, inclusive a baunilha! Espero ter ajudado. Cumprimentos e bons cozinhados! Ricardo Tiago Blog Pratos Que Falalm www.pratosquefalam.blogspot.pt


maiahoje

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade

09 pub

CULTURA

\\ Opinião

Ensemble Vocal Notas Soltas volta da Irlanda com 1º Prémio e dá concerto solidário

«São os meninos de ouro desta geração»

Mário Lopes

ESTRANHA APATIA OU TALVEZ NÃO

No passado dia 22 de Novembro, dia de Santa Cecília, o Conservatório de Música da Maia (CMM) cumpriu com a habitual tradição e deu música em honra à Padroeira. Porém, havia uma causa bem maior em jogo, a ajuda a uma menina de 15 anos que, tendo uma doença rara, precisa de apoio. O Ensemble Vocal Notas Soltas (EVNS) aproveitou o ensejo para dar o seu primeiro concerto, após a vitória no concurso internacional irlandês em que trouxeram o ouro em estilo Gospel. A actuação está marcada para as 21h30, mas todos sabem que às 20h começam os ensaios. O maestro Pedro Sousa conta que, na hora de ensaiar, «não há momentos lúdicos, nós já ensaiamos dentro do avião e nas escadarias dos aeroportos», e confessa que «quando o objectivo é cumprido, eu deixo de ser maestro e passo a

ser amigo deles, como eles são meus. São os meninos de ouro desta geração». Filipe Soares, chefe de naipe dos baixos, de 22 anos, é um dos membros fundadores da Ensemble e confessa que «com o passar do tempo, o espírito do coro fica cada vez unido. Vivemos como uma família. Nos momentos difíceis é essa união que nos motiva a trabalhar e a atingir resultados.». O «espírito do coro», como refere Filipe, não é algo quantificável, mas Catarina Vilarinho, soprano de 17 anos, diz mesmo que «é muito bom, e até fácil, fazer boa música em conjunto quando há esta intimidade entre o grupo», até porque «os elementos mudam, mas o espírito passa de uns para os outros», conta Ana Freitas, chefe de naipe das contraltos e membro fundador do Ensemble.

António Dias de 20 anos, é chefe de naipe dos tenores e conta que essa qualidade musical conseguida deve-se a uma constante necessidade de crescer: «Nós vamos crescendo com o Notas Soltas porque há sempre um novo patamar para alcançar, um novo desafio. Isso não nos deixa estagnar», acrescenta ainda que, nesta parte, o maestro é essencial: «Gostamos muito do Professor Pedro. Está sempre a puxar por nós sem nunca descer os padrões de exigência». António Dias e os seus tenores contam já com um quarteto denominado QuarTenor que, segundo o próprio, «surge das brincadeiras entre nós quando nos juntamos para ensaiar para o Notas Soltas». Do repertório do Concerto constaram dois temas compostos por dois elementos do próprio Ensemble: o tema “Riso”, de Francisca

Ferreira e “Alma Serena”, de Catarina Vilarinho. Após as duas interpretações, o maestro decidiu surpreender o público e até os elementos do coro, com três temas levados a concurso na Irlanda. O tema que fechou o concerto foi dedicado à menina de 15 anos cujos donativos do público, ajudariam a pagar os tratamentos. «São o nosso orgulho», disse o vereador com o pelouro da Cultura, Mário Nuno Neves. Em jeito de remate, Ana Freitas revelou que «a chave do nosso sucesso é a amizade, o bom ambiente, a boa disposição, e o gosto pelo que fazemos». Ana Luísa Azevedo

Li hoje (segunda-feira) na comunicação social, uma entrevista a um destacado dirigente do Partido Socialista e organizador do comício da Aula Magna, de seu nome Vitor Ramalho. Nela, Vitor Ramalho reforça uma ideia já veiculada pelo fundador do PS - Mário Soares , que entende que se os actuais dirigentes do PS fossem mais activos o partido teria sondagens na casa dos 90%. Enquanto Soares sinaliza o facto político, Vitor Ramalho avança com explicação para a falta de ousadia da Direcção do PS: o medo. Se à primeira vista esta afirmação poderia representar uma provocação política de alguém pertencente a uma facção opositora à actual liderança, uma análise mais cuidada permite também outras leituras, nomeadamente a de que Vitor Ramalho pode ter alguma razão no que diz. Na minha perspectiva, este “medo” poderá ter origem na percepção de António José Seguro sobre as reais alternativas à actual política governamental. Com efeito, na minha óptica, existem de facto alternativas, mas entendo que dada a indefinição europeia, devo considerar apenas aquelas que dependem exclusivamente de de nós. Só que todas confluem para um de dois caminhos: a nossa permanência ou saída do Euro. Esta dicotomia é cada vez mais real, tendo em conta os sinais que vão chegando dos nossos parceiros europeus. Se por uns tempo António José Seguro alimentou a ilusão sobre a eleição de Fraçois Hollande, hoje é mais do que evidente que a aposta falhou como tentativa de dinamização de uma nova ideia que contrapusesse à da Alemanha. Simultaneamente, verifica-se que o SPD o PS alemão de Martin Schulz - na sua coligação com a chanceler Merkel, não imporá um estilo de governação expansionista de que tanto necessitávamos. Nestes termos, para António José Seguro, adensam-se as desilusões na frente externa, que condicionarão inexoravelmente a sua estratégia de governação, quando o dia chegar. António José Seguro sabe que terá que optar por um de dois caminhos: uma política idêntica à praticada pelos actuais governantes ou a saída do Euro, sendo que ambos apresentam uma factura política elevadíssima. Só assim se compreendem as razões da dita apatia! Mário Lopes, Licenciado em Ciências Sociais, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico.

pub


10

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade \\ Opinião Frederico Branco

\\ Opinião

SAÚDE Enriquecimento curricular dos mais jovens

Assinado protocolo do Programa de Saúde Escolar

Infecções urinárias um drama para muitas jovens, mulheres e idosas! A infeção urinária é um motivo muito frequente de idas ao serviço de urgência e de consumo de consultas. Infeções do trato urinário (ITUs) são responsáveis por mais de 8,1 milhões de visitas a consultórios médicos por ano e cerca de cinco por cento de todas as visitas a médicos de cuidados primários nos E.U.A. Aproximadamente 40 por cento das mulheres e 12 por cento dos homens vai sofrer pelo menos uma infeção urinária sintomática durante sua vida. O trato urinário fabrica e armazena urina, sendo produzida pelos rins e percorrendo os ureteres até á bexiga, sendo esvaziada através da uretra. A urina normal é estéril e não contém bactérias. No entanto, as bactérias podem entrar na urina pela uretra e alojarem-se na bexiga. A infeção da bexiga é conhecida como cistite e uma infeção renal é conhecida como pielonefrite. Estas últimas são muito menos comuns, mas mais graves do que as infeções da bexiga. Algumas pessoas são mais susceptiveis a infeções do trato urinário por diversas razões: as mulheres na menopausa têm uma mudança no revestimento da vagina dado perderem parcialmente os efeitos protetores dos estrogênios (que diminuem a probabilidade de ITUs), por isso algumas mulheres pós-menopausa com ITUs podem beneficiar de reposição hormonal; algumas mulheres têm uma predisposição genética para ITUs ao terem vias urinárias que permitem que as bactérias adiram mais facilmente ao seu epitélio; as relações sexuais também podem aumentar a frequência de ITUs se determinados cuidados não forem tomados; o uso de preservativos com espermicida é também conhecido por estar associado a um aumento das ITUs. O grande predomínio das infeções urinárias nas mulheres tem que ver com o facto de estas possuírem uma uretra mais curta em relação aos homens e por isso permitir uma contaminação da bexiga pelas bactérias mais fácil. È importante que conceitos como nova infeção, recidiva, recorrência ou persistência bacteriana sejam descriminados e abordados exaustivamente com o seu médico assistente para que inúmeros antibióticos e inúmeros exames auxiliares de diagnóstico não sejam efetuados desnecessariamente. Durante a sua consulta com o seu médico assistente devem ser abordados todos os fatores de risco e tratamento deste problema, uma vez que a adoção de medidas não farmacológicas como a: hidratação, micções regulares, micção pós-coito, higiene, uso de vestuário adequado, regularização do trânsito intestinal, evicção de uso de espermicidas, acidificação da urina, ingestão de sumo de arando (Mirtilo) e identificação e resolução de fatores de risco corrigíveis são quase tão importantes como o tratamento farmacológico. Existem também medidas farmacológicas como a imunoprofilaxia – vacinas, a aplicação vaginal de probióticos – lactobacilos, a aplicação de estrogénios vaginais e a antibioterapia profilática ao deitar/ pós coito que poderão ser extremamente importante em casos selecionados. “Nem tudo que se enfrenta pode ser modificado mas nada pode ser modificado até que seja enfrentado.” Albert Einstein Frederico Branco Médico Especialista em Urologista no Centro de Urologia do X- Maia www.fredericobranco.pt Email: fredericobrancomd@hotmail.com Xmaiaconsultadeurologia@gmail.com

pub

maiahoje

Paulo Pinheiro

Emagrecimento e Hipnose Clinica

Realizou-se no passado dia 28 de Novembro, na Câmara Municipal da Maia, a assinatura Protocolar do Programa de Saúde Escolar entre a Câmara Municipal da Maia, Agrupamentos Escolares, Santa Casa da Misericórdia da Maia, Parceiros, Padrinhos e Embaixador. Na cerimónia estiveram presentes os Agrupamentos Escolares da Maia representados através dos seus diretores, a provedora da Santa Casa da Misericórdia da Maia, parceiros, padrinho e embaixador. O Programa de Saúde escolar engloba os seguintes projetos: Educação alimentar: “Maia refeições saudáveis” e “Maia menu saudável”, Segurança Alimentar: “Maia de pequenino se torce o pepino”, Prevenção Solar: “Maia com o sol no coração vamos ter precaução”, Educação Postural: ”Maia mais postura”, Terapia da Fala: “Maia fala melhor” Saúde e Cidadania: “Maia amiga da dádiva de sangue”. Estes projetos serão trabal-

POLÍTICA

hados nas 42 escolas do concelho da Maia mais doze infantários da Santa Casa da Misericórdia da Maia. Pelo 9º ano consecutivo a autarquia aposta na saúde escolar que se concretiza através do enriquecimento curricular dos alunos do JI e EB1 do concelho e nos infantários da Santa Casa da Misericórdia da Maia. Pela primeira vez o Programa de Saúde Escolar irá atuar no 2º e 3º ciclo nas seguintes áreas: “Sexualidade olhos nos olhos”, “Põe-te a milhas das pastilhas” e ”Sabes o que comes?” A Câmara Municipal implementa nas suas escolas o Programa de Saúde Escolar com a ajuda de parcerias científicas e técnicas, através de parcerias com ACES Maia/Valongo (representado por Luísa Fontes, diretora), Associação dos Industriais de Panificação, Pastelarias e Similares do Norte (AIPAN), representado por Aníbal oliveira, Escola Superior de Biotecnologia da universidade católica portuguesa (ESBUCP,) representado

pela diretora Isabel Vasconcelos), Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP), representado pelo subdiretor Pedro Moreira, Grupo Esfera Saúde (GES), representado por Ana Oliveira, Instituto de Biologia Molecular Celular da Universidade do Porto (IBMCUP), representado por Teresa Summavielle e Instituto Português do Sangue e da Transplantação, Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte (LPCC) representado por Henrique Coelho, membro da direção. Luís Sá, atleta olímpico e padrinho do Projeto de Educação Postural, esteve presente assim como o embaixador para todos os Projetos de Saúde Escolar, Futebol Clube do Porto, representado por Fernando Santos. Os restantes Padrinhos, por compromissos profissionais não puderam estar presentes, são eles: Chef Hernâni Ermida, a estilista Katty Xiomara, a atleta olímpica Fernanda Ribeiro e o cantor Tozé do grupo Per7ume.

Aposentados, Pensionistas e Reformados

Sessão Pública da APRe! na Maia A APRe! (Associação de Pensionistas e Reformados), reuniu no passado dia 26 de Novembro, no Fórum Jovem da Maia, com as presenças de Maria Rosário Gama, presidente da Associação, assim como Manuela Vilarinho e Fernanda Sousa, membros da Direcção. A sala esteve cheia de reformados Maiatos, que demonstraram interesse em saber mais acerca dos cortes de que estão a ser alvo por parte deste Governo.

A classe teve uma participação muito activa nesta Sessão Pública, contribuindo com opiniões e recusando a retroactividade no processo de convergência da Caixa Geral de Aposentações com a Segurança Social. Os participantes manifestaram também repúdio por eventuais novos cortes nas pensões no Orçamento de Estado (OE) de 2014, assim como da “TSU dos reformados”, prevista no OE rectificativo de 2013 e no OE de

2014. Foi também feita a apresentação do Caderno Reivindicativo dos Aposentados e Reformados da APRe! A Associação salientou ainda que as políticas governamentais estão a pôr em causa não só o funcionamento do sistema da Segurança Social, mas também o próprio direito à Segurança Social, arduamente conquistado em Portugal nos últimos 40 anos.

O Emagrecimento e consequentemente perda de peso é um processo muito mais amplo do que se possa pensar e este deverá ser uma “caminhada” sempre no sentido da promoção da saúde e não apenas contabilizando os kilos que a balança indica. Constantemente ouvimos falar em “dietas milagrosas”, o que adianta se o individuo não se sente motivado ou desenvolve mecanismos para conseguir gerir o impulso/compulsão que inibe a consumação dessa mesma dieta. Constantemente ouvimos falar em “medicamentos milagrosos”, o que adianta se estes medicamentos provocam agitação mental, distúrbios gástricos etc.. e outros efeitos indesejáveis, e se parar com a toma, provavelmente irá retroceder na perda de peso. É de vital importância focar a intervenção ao nível emocional, uma vez que em 70 % dos casos o peso excessivo tem por base a compensação na comida (geralmente alimentos calóricos) como mecanismo desadaptativo para liderar com fatores de stresse ou ansiedade. Torna-se assim necessário intervir na causa, ou seja na gestão das emoções, para deste modo conseguirmos obter mudança comportamental desejada. Partindo da premissa de que o sub-consciente é parte da mente responsável pela gestão dos impulsos, emoções, aspectos motivacionais, hábitos comportamentais e funcionamento orgânico. É assim crucial estar na “linha da frente” na intervenção para a “caminhada” da perda de peso os aspetos emocionais paralelamente com uma dieta saudável e com a prática de atividade física regular. A Hipnose Clínica, (que deverá ser desenvolvida por Médicos ou Psicólogos, como postulado a Organização Mundial da Saíde) tem revelado ser uma ferramenta útil para diversas intervenções. Ao aceder ao subconsciente permite desta forma ao individuo gerir de forma mais eficaz as suas emoções facilitando deste modo a mudança comportamental desejada na promoção de hábitos saudáveis, permitindo a obtenção dos objetivos individuais de forma, gradual e não invasiva. Sendo desta forma o ajuste emocional/comportamental feito de dentro para fora, o que implicará no aumento da autoestima do individuo. Psícologo Clínico Health & Emotions Clinic - Maia


maiahoje

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Desporto \\ Opinião

SIMULACRO Com o objectivo de pôr em prática conhecimentos leccionados nas aulas

CENFIM realizou simulacro Decorreu no passado dia 2 de Novembro, pelas 14:30, um simulacro nas instalações do CENFIM – Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica, instalações de Ermesinde. Esta iniciativa, que visa uma boa coordenação interna e externa com os meios de socorro e entidades que possam envolver uma possível catástrofe, é uma forma de colocar em prática a teoria que é leccionada nas aulas de Higiene e Segurança no local de Trabalho dos cursos leccionados nesta instituição. Sílvia Soares, coordenadora da Área do Desenvolvimento e Melhoria Contínua, afirmou que correu tudo dentro da normalidade, com uma boa coordenação com os Bombeiros Voluntários de Ermesinde e a Polícia de Segurança Pública local, que rapidamente chegaram ao local. O simulacro resultava de um incêndio existente numa secção de

ENTRETENIMENTO

Henrique Carvalho

Referendo aos católicos

soldadura, sendo activados os meios internos e externos ao Cenfim logo que detectada a ocorrência. Desta situação resultou uma vítima consciente, prontamente as-

sistida pelos B.V. de Ermesinde. No total estiveram envolvidas cerca de 134 pessoas. Este tipo de iniciativas são efectuadas a nível Nacional no CEN-

FIM pelo menos uma vez por ano. Manuel Jorge Costa

Crianças em destaque

Vivaci Maia com programação especial de Natal Para celebrar a época mais especial do ano, o Vivaci Maia preparou uma programação especial de Natal onde as crianças voltam a estar em destaque. O Pai Natal já chegou ao Centro, no dia 1 de Dezembro, acompanhado por duendes, soldadinhos de chumbo, patinadoras de gelo e uma boneca de neve. Até 24 de Dezembro, os mais pequenos vão ainda poder tirar uma foto com o Pai Natal e escrever-lhe uma carta com os seus pedidos de presentes para pôr debaixo da árvore. Amanhã sobe a palco a peça de teatro “Os brinquedos que não queriam ser embrulhados”, com exibição às 15h e às 17h. A mascote Alfa promete animar o Centro no domingo, dia 8. Até ao dia de Natal haverá ainda um Espectáculo de magia, no dia 14 de Dezembro, com sessões às 15h e às 17h, e o espectáculo «Travis – o domador de gatos», que poderá ser visto no dia 15, nos mesmos horários. No fim-de-semana de 21 e

pub

11

22 de Dezembro o destaque vai para a peça de teatro “Conto de Natal”, de Charles Dickens. As sessões realizam-se no Piso 1, às 15h e às 17h. O Natal é, claro está, o tema dos ateliês infantis a realizar durante o mês de Dezembro no Espaço Traquinas. Entre as 10h e as 13h, e das 14h às 18h, os mais novos vão “fazer um lindo presépio” (dia 7), “fazer um presente para a mãe” (dia 14), “fazer um presente para o pai” (dia 21), e, no dia 28, serão todos desafiados a “festejar e crescer”. Ajuda à Cáritas O Vivaci Maia e os Centros Comerciais Dolce Vita lançaram uma campanha de solidariedade com o objectivo de proporcionar um Natal mais feliz a quem mais precisa. Os visitantes dos shoppings vão ser convidados a ajudar a Cáritas através da entrega de brinquedos usados em bom estado até dia 22 de Dezembro. “Dá um novo amigo ao teu brin-

quedo” é o mote desta iniciativa, que será apadrinhada pelo judoca português João Pina. Para participar, basta entregar os brinquedos nos Centros Comerciais. Os brinquedos recolhidos

serão encaminhados para instituições e famílias apoiadas pela Cáritas nas localidades da área envolvente aos Centros Comerciais participantes na campanha.

O Papa Francisco tem surpreendido o mundo com as suas atitudes e iniciativas, a mais importante é a ideia de referendar os católicos sobre alguns temas que têm sido considerados tabu. Por isso, acho que este referendo devia ser feito ao mundo católico abrangendo todos os que quisessem participar. Depois da entrevista à La Civiltà Cattolica da qual destaco a seguintes frases, algo tem de acontecer. “A Igreja Católica tornou-se “obcecada” com os temas do aborto, do casamento homossexual e da contraceção. “Sabemos qual é a opinião da Igreja e eu sou um filho da Igreja, mas não é preciso continuarmos a falar disto assim.” “Temos de encontrar um novo equilíbrio, se não o edifício moral da Igreja pode cair como um palácio de cartas” “Quando estava em Buenos Aires, recebi cartas de pessoas homossexuais que estavam ‘socialmente feridas porque me diziam que a Igreja sempre os tinha rejeitado.” “Se um gay procurar Deus, quem sou eu para o julgar.” “Deus deu-nos a liberdade quando nos criou, não é possível a interferência espiritual na vida pessoal de outra pessoa.” “A visão dos que procuram soluções disciplinares, que dão excessiva importância a resguardar a doutrina e estão obcecados em trazer de volta um passado que já lá vai é estática e regressiva”, “Deus está presente na vida de todas as pessoas, mesmo se essa vida tiver sido destruída por maus hábitos, por drogas ou seja o que for”. Há dias acrescentou a frase: “Não existe mãe solteira… Existe mãe.” Em 8/11 a propósito da corrupção declarou:- "Hoje devemos rezar por muitas crianças e jovens que recebem dos pais um pão sujo. Eles também têm fome, têm fome de dignidade. Começa-se com um pequeno envelope, mas é como a droga, e o hábito dos subornos transforma-se num vício". Aguardo com calma a sua posição sobre a ordenação de mulheres. Não admira que com estas ideias tão fortes o Papa queira ouvir os católicos!? Sabemos que Deus está presente em todas as pessoas… Fez-nos seres pensantes e à sua imagem e semelhança. É por isso que quase todas as religiões, crenças e seitas proclamam Deus. No oriente existe Deus com vários nomes, do sol, da lua, das estrelas, do dragão, do gato, do cão, etc. Recordo D. Manuel Martins, então Bispo de Setúbal, aquando da publicação do evangelho de Saramago, disse: - “O homem para escrever este livro leu mais vezes a Bíblia que alguns católicos.” Os que fazem tudo para derrotar a ideia de Deus, só o fazem porque Ele existe, e existe em cada ser humano, porque as nossas atitudes só tem interesse, se fizermos aos outros como queremos que os outros nos façam… Assim sendo, tenho como bemvindo este referendo, pois desejo ver esclarecidas todas, as dúvidas que pairam no espírito dos católicos e definidas posições que por vezes temos dificuldade em defender. Henrique António Carvalho Novembro 2013. Escreve ao abrigo do AO


12 \\ Opinião

Rogério Gonçalves

A função pública durante décadas funcionou como uma rampa de lançamento para ter um bom emprego, mesmo que a incompetência nunca fosse avaliada. Ora o mundo evoluiu e os mercados financeiros e laborais são mais exigentes. Então foram criadas algumas normas para avaliar os funcionários públicos e isso foi uma transição que poucos aceitaram pois o lema de trabalho era "não é para fazer, vai-se fazendo". Ainda sou do tempo em que para plantar uma árvore eram precisos 5 homens, a saber: 1 motorista, outro para abrir a cova, outro para colocar a árvore, outro para tapar a cova e outro para dizer, tudo ok! Depois passaram a trabalhar 40 horas o que não é nada de especial, pois no privado isso já é normal há décadas. Continua a ser mais um entrave para algumas mentes que não p e rc e be m qu e todos d evem t r a balhar e ter os mesmos ho r ários. A gora te m os os pr of essor es que contestam a prova, pois p a r a ele s é m u ito c o n f uso e a t é acham isso um atentado à sua inteligência! Se este tipo de cri tério fosse im ple men t a d o há 30 anos aposto que muitos como eu não eram "torturados" com reguadas com tábuas de madeira que nos deixavam as mãos vermelhas e que nos impossibilitavam, por alguns seg u n d o s, de pe gar numa ca n et a . Pois, mas isso na altura era normal. Hoje quem fizer essa triste atrocidade é logo chamado à atenção, o que prova que o mundo evoluiu... Pena que os professores não queiram seguir pela mesma v e rte n te . Curioso é que na função pública tudo se contesta, mas experimentem fazer esse protesto no setor privado. Aposto que essa coragem e manifestações ficavam na gaveta das intenções. A terminar, eu que sou um visionário, ainda vou assistir à avaliação de duas classes que até hoje nunca foram avaliadas pela sua co m pe tênc ia qu e são os pa d r es e os deputados da Republica. Enf i m sou u m sonh ad or ! R ogério Go n ça lves

pub

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

Sociedade ECONOMIA

Autarquia pretende aumentar, em 2014, a dotação máxima do fundo para 750 mil Euros

MaiaFinicia já “investiu” 540 mil euros em 15 empresas do Concelho

maiahoje

\\ Opinião Rui Madureira

O Abominável César das Neves

A Câmara Municipal da Maia assinou, na passada quarta-feira, o décimo quinto contrato de financiamento, no âmbito do programa MaiaFinicia, com a empresa José Amorim Fernandes, Unipessoal, Lda. «Esta candidatura tem a particularidade de ser a primeira a ser financiada pelo retorno dos fundos», disse Hernâni Ribeiro, responsável pela constituição do fundo de financiamento. «O MaiaFinicia é um fundo reembolsável. Neste caso, já tínhamos esgotado os primeiros 500 mil Euros, a dotação inicial. Todos os apoios têm um ano de carência e depois começam a pagar a parte que foi financiada. Este é, assim, o primeiro projecto a ser financiado por essa componente», esclareceu o vereador. A empresa, sedeada em Gemunde, desenvolve actividades na área das plataformas de “e-commerce”, prioritariamente destinadas a Pequenas e Médias Empresas nacionais, produtoras de marcas próprias. Com este projecto a empresa contará com um financiamento de 38.250 Euros, sendo que 7.650 Euros ficam a cargo da câmara municipal (20 por cento do valor total), sob a forma de um subsídio reembolsável sem qualquer encargo de juro ou taxa. Os restantes 80 por cento são suportados através de emprés-

timo bancário com uma taxa de juro preferencial. «Este apoio é essencial, porque permite cumprir 85% do investimento que foi feito na aquisição de material informático e outras novas tecnologias, na aquisição de material logístico para armazenamento de produtos e na contratação de nove funcionários», afirmou José Amorim Fernandes, proprietário da empresa. «Sem este inventivo, muito provavelmente, não conseguiríamos arrancar com o projecto tão eficazmente ou, pelo menos, não neste momento. É muito importante em tempos de crise, de dificuldades, haver estas oportunidades e aproveitá-las», sublinhou o empresário. Objectivo para 2014: aumentar a dotação máxima do fundo Com a assinatura de mais este contrato o valor do financiamento efectuado às micro e pequenas empresas do Concelho ou que tenham escolhido a Maia para desenvolver a sua actividade é de 540 mil Euros (mais 40 mil Euros do dotação máxima do fundo), num total de investimento municipal de 110 mil Euros. Para 2014, o objectivo é aumentar a dotação máxima do programa MaiaFinicia para 750 mil Euros, dos quais 50 mil serão da responsabilidade da autarquia. «Com os primeiros 500 mil Euros conseguimos

Retorno «muito positivo» Através das visitas de acompanhamento “on the spot” às empresas financiadas pelo MaiaFinicia, a Câmara Municipal da Maia verificou que, «fruto deste incentivo, as empresas visitadas tinham mais do que duplicado o seu número de colaboradores, isto é, o MaiaFinicia foi responsável pela criação de 44 postos de trabalho, passando estas 14 empresas de 32 para 76 colaboradores. Trata-se de um crescimento de 145 por cento no fomento da criação de emprego, o que é muito positivo», sustentou Hernâni Ribeiro.

Há poucas semanas tivemos o economista César das Neves a mostrarse fervorosamente contra o aumento do salário mínimo, o que desde logo causou grande polémica, não apenas pela frieza com que tal opinião foi partilhada mas também pela aparente falta de sensibilidade para com a situação de milhares de famílias que mal conseguem sobreviver com o salário mínimo nacional, um dos mais baixos da Europa. Numa altura em que muita gente se vê à rasca para (sobre)viver num país de (ou da) tanga, opiniões destas são de lamentar, pois parecem vir de alguém que só olha para o seu umbigo e não está em contacto com a negra realidade. Não pretendo fazer julgamentos de caráter sobre o Sr. César das Neves, até porque quero acreditar que se limitou a expressar uma opinião sem segundas intenções. No entanto, ouso aqui discordar da sua tomada de posição e humildemente apresentar uma medida que poderia muito bem permitir o aumento do salário mínimo, sem grandes cataclismos e consequências para o país. Falo, claro está, da criação de um teto salarial. Parece-me lógico que se os privilegiados não recebessem salários monstruosos, mais possibilidades haveria de elevar um bocadinho as condições de vida dos menos afortunados. Imaginemos um bolo. Se o patrão de uma empresa fica com 80% do bolo, é óbvio que os seus funcionários terão que se arranhar uns aos outros para partilharem os restantes 20%. Mas se o patrão não fosse tão glutão (e bem sabemos que não necessita de o ser para ter uma vida bastante afortunada), sobrava certamente mais bolo para todos saciarem a sua fome. O teto salarial viria resolver muitos dos problemas da sociedade atual (como o desemprego elevado, já que haveria mais dinheiro no fundo de maneio das empresas para recrutar mais pessoal), tornando-a mais justa e mais solidária. Mas a ganância e o cruel desejo de ter mais do que o vizinho faz com que a maioria se contente com migalhas enquanto uma minoria vive à grande e à francesa. Utópico, dirão alguns. Talvez. Mas talvez fosse melhor tentarmos uma solução supostamente utópica do que continuarmos a permitir que as nossas vidas sejam geridas por estes abomináveis homens do grande capital.

Rita Santos

Rui Madureira, Escritor/Psicólogo

apoiar 14 projectos, mais ou menos o que estava na nossa expectativa. O nosso objectivo é, em 2014, ter capacidade de reforçar com 50 mil Euros este fundo, pela parte da câmara. Isto implica um aumento de 250 mil Euros do fundo, que passará a ter a dotação máxima de 750 mil Euros», explicou Hernâni Ribeiro. «Com o valor reembolsável dos investimentos feitos passaremos a ter capacidade de, independentemente de esgotar o fundo, o retorno desses investimentos gerarem valor para se conseguir apoiar quatro ou cinco empresas por ano», acrescentou


maiahoje

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

\\ Opinião

No lançamento da nova época

Renato Pita faz balanço de 2013

Virgílio Vale

A SAGRADA FAMÍLIA A “estória” que se segue não é verdadeira, está deslocada do tempo, mas penso que tem alguma piada e creio bem que Jesus não se ofenderá com esta brincadeira que, há pouco tempo, me chegou aos ouvidos, sobretudo agora, em vésperas de Natal. Ouvi e escrevi à minha maneira: Jesus Cristo andaria na Escola, tendo um comportamento normal para um jovem da sua idade. Brincava muito e estudava o mínimo. Como fazem os actuais estudantes, na sua maioria. Ao contrário destes, tinha um comportamento irrepreensível para com os seus professores. A certa altura, chegou carta da escola e Maria foi lê-la toda lampeira. Mas não gostou do que leu e tratou logo de informar o seu esposo José. Este nem queria acreditar no que acabava de ler: De matemática Jesus pouco percebia, pois apenas sabia multiplicar peixes e pães e nem sabia somar, porque sempre dizia que Ele e o Pai eram um só! Na escrita também não ia lá muito bem, não tinha cadernos nem canetas, e apenas sabia rabiscar uns sarrabiscos indecifráveis na areia! Em química nunca realizava as experiências que os mestres lhe propunham mas, sem se saber como, transformava água em vinho! Na expressão oral revelava diversas dificuldades bem visíveis, pois para transmitir as ideias que pretendia… sempre o fazia através de parábolas! Em educação física, em vez de aprender a nadar como faziam os demais alunos…preferia caminhar sobre as águas, num desafio às leis da natureza! Diz nada ter de seu, nem sequer onde reclinar a cabeça… mas então não teria a casa de seus pais? O carpinteiro José não gostou de tomar conhecimento destas informações e garantiu a Maria que isto teria forçosamente de mudar! Sem mais aquelas, chamou Jesus à sua presença e quis saber deste o que tinha a dizer sobre este assunto. Sem se atrapalhar nem revelar qualquer incómodo, Jesus limitou-se a informar que tudo fazia para agradar ao PAI! José não entendeu bem tal resposta e resolveu castigá-LO, dandoLhe como tarefa a feitura de uma cruz, já que estavam em tempo de Páscoa. Como resposta, o carpinteiro apenas ouviu um claro “Amén” proferido por Jesus. É este amén que os cristãos devemos dizer, sentidamente, em relação às verdades evangélicas que traduzem a vontade de Deus, a confiança de Deus em nós e devem ser o reflexo e prova da nossa Fé em Deus e em Jesus o Homem Deus que veio à terra para nos salvar, sujeitando-se à morte por nosso amor. E morte na Cruz! Virgílio do Vale pub

RALLYS

Desporto

A temporada de 2013 de Renato Pita chegou ao fim e o piloto fez um balaço positivo, «apesar de alguns problemas ao longo do percurso», em cerimónia realizada, no dia 29 de Novembro, no auditório da Casa do Alto, na Maia. Os objectivos de aprendizagem na estreia além-fronteiras foram cumpridos e estão reunidas as condições para que, em 2014 e como prometido desde o início, o piloto BP Portugal possa lutar pelos melhores lugares da 2WD Cup em que corre o Peugeot 208 R2 no Campeonato da Europa de Ralis (ERC). Único representante português no ERC, Renato Pita prometeu trabalho e dedicação. A boa imagem deixada não foi indiferente a ninguém, muito menos à Peugeot Sport e à Peugeot Portugal. A esta cerimónia juntaram-se o navegador, Marco Macedo, Manuel Barros, Director do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Paulo Cunha, General Manager do Concessionário Gamobar, em representação da Peugeot Portugal, e Hernâni Ribeiro, Vereador do Pelouro Juventude e do De-

KICKBOXING

sporto da Câmara Municipal da Maia. O piloto português salientou «o orgulho que senti ao ver as bandeiras portuguesas agitadas à minha passagem pelos troços da Córsega». A validade deste projecto é também reconhecida pela Câmara Municipal da Maia, que reforça, em 2014, o apoio já dado este ano, «pelo projecto de grande valor, que vai muito para além das provas», como reconhece Hernâni Ribeiro, que pretende «estreitar a ligação, contribuindo a dois níveis para o projecto: por um lado, através da Etapa Segura, investindo na educação; por outro, aproveitando o

\\ Opinião circuito do ERC para divulgar a Maia Cidade Europeia do Desporto 2014», revela ainda o vereador. Embaixador para a Ética no Desporto Outro dos reconhecimentos públicos ao bom trabalho desportivo e social de Renato Pita é o facto de ter sido recentemente nomeado Embaixador para a Ética no Desporto do Plano Nacional de Ética no Desporto da Secretaria de Estado do Desporto e Juventude, juntando-se a nomes como Aurora Cunha ou Carlos Lopes, num grupo de desportistas a que se vai juntar brevemente Rui Costa.

Fernando Pedroso

O ESPELHO És baralho da beleza Dos bonitos, sensação Dos feios, desilusão Dos médios, a incerteza És obra desenganada A uns tu fazes pranto A outros o desencanto A mim tu não dizes nada Fazes uns embandeirar A outros fazes chorar, Inda fazes indecisos, És sempre pretensioso Para mim, és mentiroso Dás enormes prejuízos Tens beldades à mercê Vez o que mais ninguém vê És perito em namorar, Há coisas que não resultam E esses até te insultam Mas não cansas de espelhar És manhoso e já és «cota» Fazes mal, fazes batota Ajudas a enganar, Mostras disfarçadamente Tu enganas muita gente Usam-te p’ra atraiçoar

Primeiro torneio da época

Life Combat só trouxe pódios de Almada A Life Combat participou, no passado dia 30 de Novembro, no primeiro torneio da época “Jovem Promessa do Futuro e Ladies Open”. A Almada rumaram 17 atletas que participaram em diferentes variantes e escalões da modalidade. Todos os atletas conseguiram um lugar no pódio. Eugénia Ponimasova, Mário Martins, Vera Soares, Bruno Pereira e Hugo Jesus arrecadaram o primeiro lugar no pódio, sagrandose campeões. Com o título de vicecampeões ficaram os atletas Hélder Silva, Hugo Duarte, Diogo Pontes, Rafael Ferreira, João Pereira, Tatiana Pereira e Patrícia Soares que eliminaram alguns adversários e perderam apenas na final. Os restantes atletas Artur Pasechenik, Carina Ferreira, Miguel Fernandes, Adriana Jesus e Vanessa Soares ficaram no terceiro lugar. A Escola Life Combat competiu ainda na variante de Aerokickboxing, escalão Júnior, modalidade de Grupo com as atletas Adriana Jesus, Tatiana

13

Pereira e Patrícia Soares, sagrandose campeãs. Nádia Barbosa, professora da Life Combat, refere que «são alunos com pouco tempo de treino (nenhum com mais de um ano) mas com espírito de verdadeiros atletas: demonstraram um amor à equipa incondicional, espírito de sacrifício, respeito pela equipa de arbitragem,

fair-play e camaradagem para com os adversários, humildade para aceitar as derrotas e alegria e sentido de dever cumprido nas vitórias. Nas suas prestações, mesmo nas derrotas, revelaram qualidade técnica, boa condição física e conhecimento das regras. Não podia estar mais orgulhosa, estão todos de parabéns».

Teus irmãos falam igual Para o bem e para o mal Falais a uma só voz, Tudo que sabeis dizer Acabais por convencer, Sois iguais a todos nós. Meu espelho igual ao teu Tem o dom que Deus lhe deu Mas não mostram interior, Por dentro há mais beleza Por dentro há mais certeza, Há beleza do amor. 21 de Outubro de 2013 Abílio Fernando Dias Pedroso, não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico


14 \\ Consultório

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

avisos

maiahoje

JORNAL MAIAHOJE Nº 334 • 6/12/2013 CARTÓRIO NOTARIAL DRA. CLÁUDIA BARBAS JUSTIFICAÇÃO

Natal Criativo e Sustentável Natal pode ser um pretexto para o exercício de contenção num ano especialmente difícil, a pensar que os próximos poderão continuar a ser complexos para muitas famílias, ao nível social e económico. Natal é o momento para rever algumas tradições e hábitos enraizados de pendor mais consumista e de procurar alternativas consonantes com uma sociedade mais sustentável e solidária. Gaste menos e ofereça mais: Estabeleça o sistema de “amigo secreto” no seio da família ou ofereça um presente para toda a família e que todos possam partilhar (um filme “familiar”, um jogo coletivo para os mais novos) ou, consoante o orçamento familiar, fixe o número de prendas e o montante para cada uma. Faça você mesmo: tem um valor incalculável independentemente do engenho de cada um: faça compotas, biscoitos, bordados, crochets, enfeites de Natal e outras habilidades. Crie um cartão personalizado e faça um embrulho original aproveitando materiais de casa. Para um Natal mais sustentável, reutilize e recicle os resíduos! O princípio da reutilização dos objetos, questionando se podem servir para outros fins ou guardados para o ano seguinte, evita o desperdício, mas também é um travão ao gasto do orçamento familiar. O princípio da reciclagem é especialmente importante nesta altura do ano tendo em conta o aumento da produção de resíduos. Quase tudo o que compramos vem acondicionado em embalagens, que, muitas vezes, pecam pelo excesso de material e de embalagem, sem uma adaptação ao volume dos bens que empacotam. Caso não consiga evitálos, espalme as embalagens de plástico e de catão até ficarem com o menor volume possível. Seja solidário: há inúmeras instituições de solidariedade social que precisam do apoio de todos. Faça um donativo no seu IRS, seja voluntariado e ofereça atenção e carinho a quem precisa e recolha os brinquedos e roupas que não já não se usam em casa para outros que precisam. E passe um Natal Feliz, são os votos da DECO!

Para qualquer pedido de apoio ou informação dirija-se à DECO, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - Delegação Regional do Norte, sita na Rua da Torrinha nº 228, H, 5º andar, 4050-610 Porto, ou através do endereço: deco.norte@deco.pt

-----Certifico para fins de publicação que, por escritura de treze de novembro e dois mil e treze, lavrada a folhas noventa e uma e seguintes do livro de notas para escrituras diversas número cinquenta e dois – A, do Cartório sito na Maia, na Rua Dr. Carlos Felgueiras, número cento e três, primeiro andar, sala cinco, da notária Licenciada Cláudia Sofia Duarte da Silva Barbas, MARIA LAURA DA SILVA SOARES DA COSTA, casada com Joaquim Lídio Silva Ferreira da Costa sob o regime de comunhão de adquiridos, natural da freguesia de Águas Santas, concelho da Maia, onde é residente na Rua Dr. António dos Santos, número 1444, contribuinte fiscal 169.637.271, AMÉRICO DA SILVA SOARES, casado com Maria Albina Espinheira Moreira da Silva Soares sob o regime de comunhão de adquiridos, natural da mesma freguesia de Águas Santas, residente na Rua de Leandro, número 692, São Pedro Fins, Maia, contribuinte fiscal 170.287.718, MARIA JOSÉ DA SILVA SOARES FAUSTINO, casada com Jorge Fernando de Sousa Faustino sob o regime de comunhão de adquiridos, natural da mesma freguesia de Águas Santas, onde é residente na Rua Dr. António de Sousa Oliveira, número 106, 1.º esquerdo traseiras, contribuinte fiscal 169.637.085, retificaram a escritura lavrada no dia trinta de março de mil novecentos e noventa e nove, a folhas setenta e duas e seguintes do livro de notas para escrituras diversas cento e dezoito D do extinto Primeiro Cartório Notarial de Vila do Conde, em que seus pais, de que são únicos herdeiros, Joaquim Ferreira Soares e mulher Maria Celeste da Silva Laracho, procederam à justificação notarial do prédio urbano composto por casa de habitação de rés-do-chão e primeiro andar e dependências, com a área total e coberta de cento e trinta e cinco metros quadrados, sito no Lugar do Monte de Arco, da referida freguesia de Águas Santas, concelho da Maia, a confrontar do norte com António Moutinho Maia e dos demais lados com Joaquim Ferreira Soares, inscrito na matriz sob o artigo 2567, à data não descrito no registo predial, hoje descrito na Segunda Conservatória do Registo Predial da Maia sob o número três mil quinhentos e vinte e quatro, com aquisição registada a favor daqueles Joaquim Ferreira Soares e mulher Maria Celeste da Silva Laracho pela inscrição com a apresentação vinte e três de quatro de junho de mil novecentos e noventa e nove, no sentido de passar a constar que o prédio é composto por edifício de rés do chão e andar com dependências e logradouro, com a área total de trezentos e sessenta e cinco metros quadrados, sendo a área coberta de cento e trinta e cinco metros quadrados e a descoberta de duzentos e trinta metros quadrados, e não como, por lapso, dela consta.--------------------------------------------É certidão narrativa e está conforme o original.-----------------------------------------------------Maia, treze de novembro de dois mil e treze.------------------------------------------------A Notária, (Cláudia Sofia Duarte da Silva Barbas)

LICENÇA DE FUNCIONAMENTO Nº 32/2013 REGIME DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTOS DE APOIO SOCIAL 1- Identificação do estabelecimento Denominação do estabelecimento: DOMUS24 Localização do estabelecimento: Rua Augusto Simões, nº 651 C. Postal: 4470-147 – Localidade: Maia Distrito: Porto – Concelho: Maia – Freguesia: Maia Telefone:229446981 – Fax: 229446983 E- Mail: geral@domus24.pt

2- Identificação da entidade gestora Nome completo: Domimaia – Serviços de Apoio Domiciliário, Lda Morada: Rua Augusto Simões, nº 651 C. Postal: 4470-147 – Localidade: Maia

3- Atividade exercida no estabelecimento Serviço de Apoio Domiciliário

4- Lotação máxima O estabelecimento pode abranger o número máximo de 40 (quarenta) utentes Emissão Data 2013/10/16 Manuel de Sampaio Pimentel JORNAL MAIAHOJE Nº 334 • 6/12/2013

JORNAL MAIAHOJE Nº 334 • 6/12/2013

CONVOCATÓRIA - ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA Ao abrigo do disposto no Artigo 20º dos Estatutos do Ginásio Clube da Maia convoco a Assembleia Geral para o próximo dia 20 de dezembro de 2013, com início às 19.30 Horas, na sede do Ginásio, com a seguinte Ordem de Trabalhos: 1. Aprovação do orçamento 2013/2014; 2. Aprovação da substituição de elemento da Comissão de Gestão;

No caso de na hora marcada para o início da Assembleia Geral não estiverem presentes pelo menos 50% mais um dos Associados com direito de voto, a Assembleia reunirá com qualquer número de sócios, 30 minutos depois. Maia e Ginásio Clube da Maia, 22 de novembro de 2013. O Presidente da Comissão de Gestão Dr. Rui Joaquim Sereno Garcia Araújo

CENTRO DE EMPREGO DA MAIA Rua Dr. Carlos Pires Felgueiras, 418 4470-157 Maia • Tel.:22 943 2700 e-mail: cte.maia@iefp.pt

PROFISSÃO ......................................Nº OFERTA.....REGIME DE TRABALHO................................................................................................................................................FREGUESIA Promotor Comercial (m/f)....................587817636 .....A tempo parcial, por turnos, para promover e vender cartões de crédito, experiencia em vendas................................Águas Santas Operador de telemarketing (m/f) .........588226042 .....A tempo parcial, experiencia em call center, outbound e/ou area comercial - de 2ª a sabado das 10h ás 14h..............Grande Porto Agente Comercial (m/f) .......................588208334 .....A tempo completo, p/prospeção mercado, elaboração plano de marketing, medida estimulo 2013...........................S. Pedro avioso Mecânico de automoveis (m/f) ............588224297 .....A tempo completo, Mecânico ou Aprendiz/ajudante p/oficina de reparação de viaturas pesadas e máquinas ....................................................................................condição essencial carta condução ligeiros/estimulo 2013+RTSU ...........................................................................................Moreira Vendedor Ambulante (m/f)...................588193116 .....Requisito obrigatorio: experiência profissional em Office Coffe e Vending oferta Estimulo 2013+ RTSU................................Moreira Inspetor torres de telecom. (m/f) .........588226805 .....A tempo completo, com experiencia minima de 3 anos. Trabalho em altura............................................................................Moreira Consultor Comercial (m/f) ...................588188745 .....A tempo completo. Domínio das tecnologias de informação e comunicação, deslocação em veiculo próprio, ....................................................................................formação superior em marketing e/ou gestão. .......................................................................................................................Vermoim Programador de informática (m/f) .......588189433 .....A tempo completo,experiencia no minimo de 1 ano em desenvolvimento de ...........................................aplicações mobile/exp. em ....................................................................................HTML/CSS e JAVA/MS SQL/dominio da lingua inglesa (obrigatório) ...........................................................................................Maia "Operador de maquina "giratoria" .......588226900 .....A tempo completo, experiencia e/ou cert. manuseamento maquina giratoria (grande porte) + carta de conduçao .....................Maia Vendedores porta a porta (m/f) ...........588076445 .....A tempo parcial, de 2ª a sexta-feira, das 17h às 22h. Para efetuar vendas porta a porta, mercado residencial, ....................................................................................área das telecomunicações..........................................................................................................................................................Porto Operador de call center (m/f .......................................enviar CV para filipa.fragoso@iefp.pt MULTINACIONAL FRANCESA, A ARMATIS LC OPTA POR CONTINUAR ....................................................................................A SUA EXPANSÃO INTERNACIONAL, ABRINDO UM NOVO CENTRO NO PORTO ONDE PRETENDE OFERECER ....................................................................................UM EXCELENTE AMBIENTE DE TRABALHO INTERNACIONAL, EM CONJUNTO COM ESTABILIDADE A NÍVEL ....................................................................................PROFISSIONAL E POSSIBILIDADES DE PROGRESSÃO ........................................................................................................Porto Operador de grua (m/f) .......................588187358 .....A tempo completo, c/experiencia comprovada e certificada no trabalho de grua torre, conhecimentos de frances ....................................................................................e carta de condução. ................................................................................................................................................................Moreira Mecatrón./eletric. Manut. (m/f) ............588223635 .....A tempo complet, assistencia a equipamentos para a industria. ............................................................................Vila Nova da Telha Soldador (m/f) .....................................588222733 .....A tempo completo, conhecimentos de solda em oxi acetileno, prefer.exp. condução de empilhadores. ...............Vila Nova da Telha Técnico Trat. águas e manut.(m/f) ......588229585 .....A tempo completo, gestão e operação de instalações de aguas (ex.ETAR) em clientes e dar apoio e manutenção ....................................................................................aos mesmos;conhecimentos em análises laboratoriais .........................................................................................................Milheirós Eletromecanico (m/f) ...........................588190020 .....A tempo completo, para trabalhar com máquinas de movimentação de cargas e empilhadores, conhecimentos ....................................................................................de eletrónica e mecanica............................................................................................................................................Vilar do Pinheiro Juntista de fibra otica (m/f)..................588204717 .....A tempo completo, com experiência nas telecomunicações, deve ter formação .................................../certificação ORAP E ORCA, ....................................................................................sendo uma mais valia formação em TET. As ofertas de emprego divulgadas fazem parte da Base de Dados do Instituto do Emprego e Formação, IP. Para obter mais informações ou candidatar-se dirija-se ao Centro de Emprego indicado ou pesquise no portal http://www.netemprego.gov.pt/ utilizando a referência (Ref.) associada a cada oferta de emprego. Alerta-se para a possibilidade de ocorrência de situações em que a oferta de emprego publicada já foi preenchida devido ao tempo que medeia a sua disponibilização e a sua publicação.


maiahoje

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

\\ EMERGÊNCIAS NACIONAIS • SOS Número Nacional de Socorro............................................112 • Incêndios Florestais .......................................................................117 • Emergência Social (crianças, idosos, vitimas, s/abrigo)....144 • Intoxicações ...............................................................808 250 143 • Emergência Gás (EDP)............................................800 215 215

\\ EMERGÊNCIAS LOCAIS • Bombeiros Voluntários de Moreira...................22 942 10 02 • A. H. Bombeiros de Pedrouços...........................22 901 27 44 • PSP Maia (Esquadra Cidade)...............................22 947 96 90 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Segurança)22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Esq. Trânsito).....22 948 26 93 • PSP Aeroporto Sá Carneiro (Es.Intervenção) 22 948 26 93 • PSP Águas Santas (Esquadra Vila).....................22 977 42 80 • PSP Maia (Divisão Policial)...................................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Trânsito) .............................22 978 51 90 • PSP Maia (Esquadra Interv. e Fiscalização) ....22 978 51 90 • GNR Maia (Posto Territorial da Maia) ...............22 986 74 30 • GNR Maia (Posto Fiscal de Pedras Rubras).....22 944 91 00 • GNR Maia (Posto Trânsito da Maia) ..................22 968 84 70 • Polícia Municipal Maia ..........................................22 940 86 00 • Protecção Civil (CM Maia) ....................................22 940 87 22 • Protecção Civil (CM Maia) Linha verde.............800 205 169 • Protecção Civil (Com. Distrital Op. Socorro)..22 619 76 50 • Cruz Vermelha Portuguesa (Núcleo Maia).....22 941 12 21

\\ LINHAS

SAÚDE NACIONAIS

• Saúde 24......................................................................808 242 424 • Saúde 24 (orientação pediátrica) .......................808 242 400 • Linha Saúde Cancro ................................................808 255 255 • Linha Saúde Sexualidade......................................808 222 003 • Linha Saúde SIDA.....................................................808 266 266 • Linha Saúde SOS Criança ......................................808 202 651 • Linha Saúde SOS Medicamento .........................800 222 444 • Linha Saúde SOS Grávida......................................808 201 139 • Linha Saúde SOS Droga ............................................................1414 • Linha Saúde Deixar de Fumar .............................808 208 888 • Informação a Vitimas Violência Doméstica.....800 202 148 • Linha APAV (Apoio à Vítima)..................................707200 077

\\ SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE LOCAIS • USF Alto da Maia (Águas Santas) ......................22 977 42 50 • USF Viver Mais (Castêlo Maia) ............................22 986 51 70 PUB • USF Saúde em Família (Pedrouços)..................22 977 47 10 • USF Pirâmides (Maia).............................................22 947 85 90 • USF Odisseia (Vermoim).......................................22 947 09 50 • USF Íris (Águas Santas)..........................................22 986 70 35 • USF Lidador (Gueifães) .........................................22 943 84 40 • USF Pedras Rubras (Moreira) ..............................22 943 14 70 • Extensão Saúde Nogueira (Nogueira).............22 961 77 10 • Extensão Saúde Milheirós (Milheirós) .............22 972 33 22 • Extensão Saúde Moreira (Moreira) ...................22 943 14 70 • Hospital S. João (Porto) ........................................22 551 21 00 • Hospital Pedro Hispano (Matosinhos) ............22 939 10 00 • Hospital Sto. Tirso (Sto.Tirso)................................252 830 700 • Hospital Joaquim Urbano (Porto).....................22 589 95 50 • Hospital N. Sra. Conceição (Valongo)..............22 422 00 19 • Hospital Sto. António (Porto) .............................22 207 75 00 • Hospital Maria Pia (Porto)....................................22 608 99 00 • Hospital Póvoa Varzim/V.Conde (P. Varzim)....252 690 600 • Hospital Magalhães Lemos (Porto) ..................22 619 24 00 • Inst.Port. Oncologia Francisco Gentil (Porto)22 508 40 00 • Unidade Alcoologia do Norte (Matosinhos) .22 004 50 60 • Centro Regional de Sangue (Porto) .................22 004 52 40

mh jornal regional de grande informação

EDITADO POR

Publireferência, Lda. REGISTADA NA 2ª CRPC MAIA CONTRIBUINTE NÚMERO 509 316 620

Depósito legal 147209/00 DGCS nº 123524 Tiragem 3.000 exemplares

Úteis \\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA NACIONAIS • Serviço Informações telefónicas PT . . . . . . . . . . . . . . . . . .1820 • Serviço Apoio a Clientes Optimus . . . . . . . . . . . . . . . . . .16103 • Serviço Apoio a Clientes TMN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1696 • Serviço Apoio a Clientes Vodafone . . . . . . . . . . . . . . . . .16912 • Aut.omóvel Clube ACP (assistência) . . . . . . . .707 509 510 • Brisa Auto-estradas de Portugal . . . . . . . . . . . .808 508 508 • CP Combóios de Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . .808 208 208 • TAP Air Portugal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 205 700 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede fixa) . . . .808 202 653 • SEF Serv. Estrang. e Fronteiras (rede móvel) .808 962 690 • Cartões Crédito American Express . . . . . . . . . .707 504 050 • Cartões Crédito Mastercard . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 272 • Cartões Crédito Visa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 811 107 • EDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 506 506 • EDP (Comunicação de Avarias) . . . . . . . . . . . . .800 246 246

\\ SERVIÇOS UTILIDADE PÚBLICA LOCAL • Loja do Cidadão (Porto) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .707 241 107 • Posto de Atendimento ao Cidadão (Maia) . .22 948 24 62 • Cartório Notarial da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 98 10 • Cartório Notarial de Cláudia Barbas . . . . . . . .22 940 67 22 • Conservatória do Registo Civil (Maia) . . . . . .22 943 98 00 • Conservatória do Registo Predial . . . . . . . . . .22 943 62 80 • Conservatória do Registo Comercial . . . . . . .22 947 76 50 • Serviços de Finanças da Maia . . . . . . . . . . . . . .22 947 06 40 • Tribunal Judicial da Comarca da Maia . . . . . .22 941 90 73 • Tribunal do Trabalho da Comarca da Maia . .22 941 41 52 • Inst. Info. Apoio Form. Profissional (IAFE) . . .22 977 39 10 • Inst. Fomento Desenvolv. Económico . . . . . .22 942 70 26 • Centro de Emprego da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 943 27 00 • Segurança Social da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 10 90 • Com. Protecção Crianças e Jovens da Maia .22 949 03 33 • CTT Correios de Portugal (Gueifães) . . . . . . .22 960 83 27 • CTT Correios de Portugal (Moreira) . . . . . . . .22 943 76 10 • CTT Correios de Portugal (Vermoim) . . . . . . .22 943 95 30 • CTT Correios de Portugal (Águas Santas) . . .22 974 33 50 • CTT Correios de Portugal (Castêlo) . . . . . . . . .22 986 66 00 • CTT Correios de Portugal (Aeroporto) . . . . . .22 940 00 11 • Áeroporto Sá Carneiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 24 00 • Biblioteca Gulbenkian . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 34 72 • Consulado de Chipre (Maia) . . . . . . . . . . . . . . .22 902 38 68 • Consulado do Paquistão (Maia) . . . . . . . . . . . .22 947 93 21 • Lipor II (Central de Valorização Energética) 22 947 73 40 • Táxi Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 948 26 60

\\ MUNICIPIO DA

• Câmara Municipal da Maia (Central) . . . . . . .22 940 86 00 • Serviços Águas e Saneamento da Maia . . . . .22 943 08 00 • Aeródromo de Vilar de Luz . . . . . . . . . . . . . . . .22 968 73 22 • Forum da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Forum Jovem da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 20 • Gab. Apoio Defesa do Consumidor . . . . . . . .22 944 24 62 • E. M. Estacionamento da Maia . . . . . . . . . . . . .22 940 87 21 • Academia das Artes da Maia . . . . . . . . . . . . . . .22 940 86 43 • Linha Directa Ambiente . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 947 81 30 • Linha Verde . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .800 202 639 • Casa do Alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 905 95 20 • Canil Municipal da Maia . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 982 36 87 • Quinta da Gruta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 986 71 80 • Espaço Municipal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 943 80 30 • Loja da Juventude S. Pedro Fins . . . . . . . . . . .22 968 91 69 • TURISMO Maia Welcome Center . . . . . . . . . . .22 944 47 32 nota: Informação actualizada em 2011/10/01 Ana Luisa Azevedo, TPJ analuisa@maiahoje.pt

COLABORADORES REDACTORES: Manuela Bacelar, TPJ CO 711 manuela@maiahoje.pt Luís Filipe Azevedo, TPJ luis@maiahoje.pt Carlos Barrigana, TPJ 8037 carlos@maiahoje.pt Francisco José Bacelar, TPJ CO592 francisco@maiahoje.pt Rita Santos, TPJ rita@maiahoje.pt

COLABORADORES FOTOGRAFIA: Ferreira Silva, TPJ CO 850 Edgar Alves, TPJ CO 708 Manuel Jorge Costa, TPJ CO 710

CORRESPONDENTES: João Diogo (Brasil) Williams James Marinho (EUA) Ainhoa Carrasco Robles (Espanha) Catarina Almendra (Lisboa)

\\ FARMÁCIAS Dia

06 07 08 09 10

PERM K REF

L

M

N

O

11

12

13

14 15

16

17 18 19 20

P

Q

R

S

U

V

T

A

B

C

-------------------------------------------------------------------------------------------

TURNO A AGRA - MILHEIRÓS TURNO B AEROPORTO - PEDRAS RUBRAS TURNO C LIMA COUTINHO - GUEIFÃES TURNO D SILVA ESCURA - FREJUFE TURNO E BASTOS - GUEIFÃES TURNO F GEMUNDE - CAMPA DO PRETO TURNO G ÁLVARO AGANTE - VERMOIM TURNO H CENTRAL - CATASSOL TURNO I MOREIRA BARROS - PARADA TURNO J ALIANÇA - VERMOIM TURNO K VILA NOVA DA TELHA - QUIRES TURNO L SOUSA BEIRÃO - MAIA TURNO M MARTINS DA COSTA - ÁGUAS SANTAS TURNO N BOM DESPACHO - MAIA TURNO O CASTÊLO - CASTÊLO DA MAIA TURNO P GRAMAXO- MOREIRA DA MAIA TURNO Q EUGÉNIA - PEDROUÇOS TURNO R NOVA DE ARDEGÃES - ARDEGÃES TURNO S LIDADOR - ARDEGÃES TURNO T ARAÚJO - NOGUEIRA TURNO U GUARDEIRAS - GUARDEIRAS TURNO V MAIA - ÁGUAS SANTAS

esta informação é patrocinada por:

Prop. e Dir. Técnica Dr. José Pedro M. Duran G. Dinis

De seg. a sex. das 9h00 às 21h00 • sáb. das 9h00 às 13h00

SERVIÇO PERMANENTE

MAIA

DIRECTOR DA PUBLICAÇÃO: Artur Bacelar artur@maiahoje.pt

15

CRONISTAS HABITUAIS: António Neto (política) Deco (Defesa do Consumidor) Fernando Pedroso (poesia) Fordoc (A.N.J.Form. e Docentes) Mário Lopes (sociedade) Nelson Azevedo Ferraz (sociedade) Orlando Leal (política) Pedro Ferreira (política) Ricardo Filipe Oliveira (sociedade) Rogério Gonçalves (sociedade) DESIGN / PAGINAÇÃO: Luís Filipe Azevedo Maxim Bukharov

27 Dezembro Av. Padre Manuel Alves do Rêgo, 657 • 4470-330 Vermoim Tel. 22 944 08 86 • Fax 22 940 64 35

DEPARTAMENTO COMERCIAL: Pedro Martins pedro@maiahoje.pt António F Silva silva@maiahoje.pt SEDE/ REDACÇÃO / D.COMERCIAL

Rua dos Altos, 18 4470 - 235 Maia Telefone 22 406 21 26 Fax. 22 406 21 25

IMPRESSÃO E EMBALAGEM: Empresa do Diário do Minho Braga Os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os assina, não reflectindo nem vinculando a opinião dos proprietários, editores, redacção, ou director do Jornal. A direcção de informação do Jornal é defensora da plena liberdade de expressão, reservando-se no entanto a não publicar artigos de opinião que prejudiquem deliberadamente a imagem e liberdade de outros. É política do Jornal o pluralismo e isenção nos assuntos tratados. MEMBRO HONORÁRIO Corpo de Voluntários de Protecção Civil da Maia desde 24/11/2007


maiahoje

sexta-feira 6 de Dezembro de 2013

A fechar

16

EFEMÉRIDE Especializada no tratamento da mente, comemorou primeiro aniversário

Happy & Health Emotions Clinic

Gala de Natal No passado sábado, a clinica “Happy & Health Emotions Clinic” propriedade do psicólogo clínico Paulo Pinheiro, festejou o primeiro aniversário na Maia. Definida como clínica de saúde, é conhecida pelos brilhantes resultados na área de emagrecimento, anti-tabagica e anti-fóbica, através de técnicas de Hipnose Clínica. O leque de oferta de saúde mental ou emocional é neste espaço completado com a oferta de Spa, Massagem e Relaxamento. Segundo Paulo Pinheiro «os pa-

INICIATIVA

cientes não têm uma consistência etária dado que são patologias que podem aparecer em qualquer idade», acrescentando que ao fim de um ano de actividade são muitas as pessoas que «deslocam-se de vários pontos do país para serem atendidos, por mim, aqui na Maia, o que me deixa muito honrado pela confiança em mim depositada». A confiança aliás é, segundo os cânones da especialidade, fundamental para o sucesso nesta área. À festa, além de muitos pacientes, amigos e suas famílias compareceu Silva Tiago, vice-presidente da Câmara

Municipal da Maia que desconhecendo o espaço ficou «muito impressionado pela qualidade. Tenho que dar os parabéns ao Dr. Paulo Pinheiro pelo investimento e aposta na Maia, exemplo que está a ser seguido por muitos empresários de sucesso que escolheram a Maia para desenvolver a sua actividade e também trazer tudo o que de melhor se faz noutros locais, neste caso na importante área da saúde onde todos os investimentos são bem-vindos», disse o autarca.

Livro conta com representação maiata

Receitas ao balcão dos CTT

Já está à venda o livro “Portugal Connosco Receitas ao Balcão”. Editado pelos CTT, este livro é o resultado do projecto com o mesmo nome que decorreu entre Fevereiro e Maio deste ano e que transporta para o papel 52 receitas propostas por atendedores dos balcões CTT. De entre as quase 600 receitas recebidas coube ao Chefe Henrique Sá Pessoa seleccionar as 52 melhores, divididas em quatro categorias de 13 receitas cada: Sopas, Entradas e Petiscos; Pratos da Terra; Pratos do Mar e Bolos e Sobremesas. A segunda fase do projecto teve lugar no espaço Kiss the Cook, em Lisboa, onde os 52 vencedores tiveram a oportunidade de cozinhar os seus pratos, para que um júri composto pelo Chefe Henrique Sá Pessoa, Duarte Calvão e Miguel Caldas, críticos gastronómicos, bem como Paula Padrão, representante dos CTT, elegesse o melhor de cada categoria.

O projecto contou com uma vertente solidária: os pratos confeccionados foram entregues à Associação Dar e Acordar, que fez a recolha e que, posteriormente, os entregou à Instituição Albergue. Entre os 52 seleccionados está Maria José Tavares, da loja da Maia, com uma Canja de Perdiz. Uma receita de Trás-os-Montes, de onde é natural, com uma pequena inovação: a introdução da castanha. «Sinto-me muito feliz por ver a minha receita no livro. Não contava ser selecionada. Aliás, fiquei muito atrapalhada quando soube. Tive que ficar a digerir a notícia. Tinha receio de me esquecer dos ingredientes na altura da confecção», disse. Rita Santos Fotos: Manuel Jorge Costa

Manuel Jorg3e Costa

pub

HOJE 20h00 Complexo Municipal da Maia


334