Page 1

HB20X

ALTERNATIVAS

Hyundai em novo território

SEMÁFOROS

Para a crise energética

Marca lança primeiro derivado do HB20 para aventuras. nD1

Alerta na madrugada

Sinais poderão funcionar com luz amarela piscante nas madrugadas. nB4

Veja o que dizem os especialistas sobre as soluções. nA4

Fundado em 04 de Fevereiro de 1987

Macapá-AP, Domingo e Segunda, 27 e 28 de Janeiro de 2013 - Ano XXV

• Domingo e Segunda R$ 2,50 • Terça a Sábado R$ 1,50 JORNAL DO DIA

MP X ASSEMBLEIA

Desembargador diz que há indícios contra 20 deputados

O desembargador Gilberto Pinheiro ao analisar a denúncia feita pelo Ministério Público contra os deputados Moisés Souza e Edinho

Duarte, visualizou indícios de que todos os deputados citados no processo deveriam ser incluídos no rol de denunciados pelo MP. nB1

NO ENREDO

Piratinha vence o Festival de Samba Desembargador Gilberto: determinação para que a inicial do processo seja refeita CELIANE FREITAS

O Piratas Estilizados sagrou-se como o grande campeão do Festival de Samba de Enredo 2013, trazendo o enredo “Bar do Abreu é Tradição!. nB1 JORNAL DO DIA

ACIDENTES

Código de Trânsito completa 15 anos e mostra muitas falhas Euricélia Cardoso, da Associação dos Municípios: prefeitos vão à Brasília levando grandes esperanças

que o quadro de acidentes não se modificou positivamente. Primeiro porque a lei vem revelando falhas e lacunas imensas. nB2 e B3

JORNAL DO DIA

O Código de Trânsito Brasileiro, (CTB) completou na terça-feira passada (22), 15 anos de vigência. E a primeira constatação é a de

ENCONTRO EM BRASÍLIA

Prefeitos buscam compensações com Dilma Rousseff Inicia nesta segunda-feira (28), em Brasília o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas. No Amapá, expectativa dos prefeitos é pactuar parcerias para aliviar sufoco administrativo, dificuldades também enfrentadas pela queda no FPM decorrente das isenções do IPI. nB2 e B3

Número de mortes em acidentes com carros cresceu 72% de 2000 a 2010

Savino, organização da Banda

CARNAVAL

Desfile da Banda terá novidades este ano Serão 10 trios elétricos, 15 pontos fixos de som em todo o percurso transmitido pela 90.9 FM. E ainda, arquibancada em toda a extensão. nB4

NA INTERNET www.jdia.com.br - REDAÇÃO 3217.1117 - COMERCIAL jdcomercial@jdia.com.br 3217.1100 - DISTRIBUIÇÃO 3217.1111 - ATENDIMENTO 3217.1110


JD

Opinião

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Consumidor de energia: duplo castigo RODOLFO JUAREZ

Jornalista rodolfojuares@gmail.com

D

e vez em quando começamos a perceber que as coisas estão todas às avessas com relação a determinado assunto e são necessários mais de horas e alguns dias para se entender não o que está acontecendo, mas porque está acontecendo. A vez agora - mais uma vez -, é da Companhia de Eletricidade do Amapá – CEA que, representada por um dos seus dirigentes, nem tentou explicar o inexplicável: os motivos pelos quais os brasileiros amapaenses não serão alcançados pelo barateamento da energia elétrica que todos os outros brasileiros – que não os do Amapá. Duplo castigo pela mesma conduta? Parece que sim. Os dois castigos, em forma de punição, são pelos desmandos havidos na companhia os quais levaram federalização da empresa, isto é, a perda completa, pelo governo do Estado, do controle acionário da empresa e que foram materializados pelo empréstimo de um bilhão e quatrocentos milhões de reais para “turbinar” o balanço patrimonial da CEA e pelo “paredão” que a situação criou que impediu que

a diminuição na conta de energia chegasse ao consumidor, cliente da concessionária local. O contribuinte, que vai pagar o empréstimo feito pelo Governo, e o consumidor, que não vai receber o rebate na conta mensal de energia são a mesma pessoa. Se a situação fosse assemelhada a uma questão jurídica não seria admitida, pois, nem mesmo um réu pode ser punido duas vezes por uma mesma conduta típica. E isso tem nome – bis in idem (não repetir sobre o mesmo). Ninguém pode esquecer que a dinheirama que os deputados autorizaram o governador emprestar da Caixa Econômica Federal, para equilibrar o balanço patrimonial da CEA, vai ser pago, até o último centavo dos juros, pela população amapaense. Como também os consumidores, clientes da CEA, não vão receber os 18% de desconto na conta, porque são clientes da CEA. Ou seja, duplo castigo! Mas, além disso, nem uma explicação convincente para aqueles que sempre tiveram o fornecimento de energia interrompido quando deixavam de pagar

a conta mensal da energia. Às vezes esses cortes feitos com aditivos ao constrangimento natural que traz o corte, mas outras vezes, feito como vingança por posicionamento crítico contra a forma como a empresa era administrada, na maioria das vezes entregue a dirigentes partidários dispostos a utilizar a mão invisível da companhia a serviço das campanhas eleitorais do “afilhado” da vez. Depois da autorização dos deputados estaduais, e as ações do governo, se foge das explicações sobre a federalização da companhia. Nem mesmo o Ministério Público, tão diligente em muitos casos, até insistentes em outros, não se posiciona, dando a impressão que vai esperar, com a paciência que não deve ter, que algum cidadão lance mão dos instrumentos que

pode lançar e questione, ao próprio Ministério Público, os motivos que levaram a CEA à não pagar as suas dívidas, ao ponto de superarem um bilhão de reais. E o Ministério Público tem um dos seus promotores fazendo parte do Conselho de Consumidores, com objetivo, entre tantas atribuições, de ficar próximo do que acontece na empresa. A realidade é que, duplamente punidos, os consumidores amapaenses não recebem nenhuma explicação sobre os prejuízos diretos da empresa que tiveram que assumir e sobre os prejuízos indiretos que terão sentidos pela discriminação nacional, fundada em um motivo do qual não conhece e, acredita-se, não são considerados em condições de conhecê-los. Muito para um povo que precisa tanto.

O que define a nossa vida? VANESSA FREITAS

Palestrante, consultora de empresas, escritora, professora universitária, executive coach, apresentadora do programa “Espaço da Mulher” e diretora da melhoRH consultoria. Escreve aos domingos no JD.

Q

uem escreve se alimenta do que vive, ouve e vê. Eu me alimento da vida cotidiana de cada um de nós, que mesmo sem perceber escrevemos histórias anônimas que nos permitem crescer. Hoje fiz uma pergunta simples e recebi uma resposta complexa, que tive a missão de simplificá-la. Perguntei algo e ouvir: - Faça o que o seu bom senso mandar! Como um punhal em minhas costas, aquilo soava como; você não teve bom senso para o primeiro ato, então estou lhe dando uma segunda chance para usar o bom senso! E fiquei inquieta em meus questionamentos, eis que em um trecho do filme: “As aventuras de Pi”, é revelado a grande incógnita dos nossos conflitos. A cena aparentemente simples, tornou-se a mais educadora que já vi nos meus quarenta anos de vida. Uma criança se aproxima de um tigre feroz e exclama

algo como: - Ele é bom, ele é amigo... Ele tem alma! O pai mostra ao garoto que qualquer coisa que se aproximar daquele tigre seria devorado por ele imediatamente, simplesmente por que ele é um “tigre” e não uma alma boa como o menino queria que fosse. E na hora pensei: - Caramba! Tudo o que enxergamos no outro e na vida tem os ingredientes do que carregamos em nossos corações! Nenhuma pessoa sabe de fato o que ou quem é o outro, o que ele pensa ou sente. Tudo o que sabemos e enxergamos é “criado” em nossa mente a partir do que somos. Vou comprovar! Imagine uma mulher que diz ter sido “enganada” por um cafajeste. Vocês acham mesmo que o cara não deu sinais de que era um cafajeste? Claro que deu! Mas a “vítima” enxergou o que queria enxergar, aliás, o que “precisava” enxergar

naquele momento. E como precisava encontrar uma grande paixão ou viver algo intenso, ela “recebeu” aquela pessoa com os elementos que precisava. Que coisa louca! Eis o motivo de tantos conflitos, seja em relações pessoais ou profissionais. Todo quadro que pintamos tem as cores que queremos pintá-lo. Não há motivo para engano, até a nossa própria vida tem o astral que “nós” esta-

mos no momento presente. Descobrir isso me fez ficar muito insegura, por que o terreno em que penso que estou pisando, é uma total projeção minha e para não correr o engano de perder o “bom senso”, tenho que me perguntar a partir de hoje: - O que eu estou enxergando? E o que de fato está acontecendo? Emoções são emoções e fatos são fatos! Simples assim... Para não esquecer!

Uma publicação do Jornal do Dia Publicidade Ltda. CNPJ 34.939.496/0001-85 Fundado em 4 de fevereiro de 1987 por Otaciano Bento Pereira(+1917-2006) e Irene Pereira(+1923-2011) Primeiro Presidente Júlio Maria Pinto Pereira(+1954-1994) Diretor Executivo: Marcelo Ignacio da Roza Diretora Corporativa: Lúcia Thereza Pereira Ghammachi Assessoria Jurídica e Tributária: Américo Diniz (OAB/AP 194) Eduardo Tavares (OAB/AP 27421) Editor-Chefe: Janderson Cantanhede Gerente Comercial: Andrew Gustavo Cavalcante dos Santos CONSELHO EDITORIAL Presidente: Aldenor Benjamim dos Santos

Secretário Executivo: Marcelo Ignacio da Roza

Conselheiros: Carlos Augusto Tork de Oliveira

José Arcângelo Pinto Pereira

Danieli Amanajás Scapin

Luiz Alberto Pinto Pereira

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede

Maria Inerine Pinto Pereira

Endereços Redação, Administração, Publicidade e Oficinas: Rua Mato Grosso, 296, Pacoval, Macapá (AP) - CEP 68908-350 - Tel.: (96) 3217.1110 E-mails pautas e contato com a redação: jornaldodia@jdia.com.br Editor-Chefe: cantanhede@jdia.com.br departamento comercial: jdcomercial@jdia.com.br comercialjd.2011@gmail.com mariaruth@jdia.com.br JD na Internet: www.jdia.com.br VIA CELULAR: m.jdia.com.br Representante comercial Grupo Pereira de Souza – GPS Matriz - Rio de Janeiro/RJ - Tel.: (21) 2544.3070; Brasília/DF - Tel.: (61) 3226.6601; São Paulo/SP - Tel.: (11) 3259.6111; Belém/PA Tel.: (91) 3244.4722 Contatos Fale com a redação (96) 3217-1117 Fale com o departamento comercial (96) 3217-1100 / 3217-1111 Geral (96) 3217-1110 Conceitos emitidos em colunas e artigos são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião deste jornal. Os originais não são devolvidos, ainda que não publicados. Proibida a reprodução de matérias, fotos ou outras artes, total ou parcialmente, sem autorização prévia por escrito da empresa editora.

A2

Análise

Dilma, Lula, a carapuça

D

ilma é criticada no macro e se defende no micro. No macro, seu governo fechou 2012 com o pibinho de 1% e abriu 2013 maquiando números, correndo atrás dos baixos níveis dos reservatórios e segurando o reajuste da gasolina e das tarifas de transportes. Afinal, há três anos consecutivos a inflação está fora do centro da meta. No micro, como enfatizou Dilma no pronunciamento de quarta, o governo cumpriu a promessa de reduzir a tarifa de energia elétrica, chegou a índices ainda mais camaradas do que os anunciados e ainda antecipou a vigência. Além disso, baixou juros, reduziu IPI, desonerou a folha de pagamentos, ampliou o crédito da casa própria. E “não faltou comida na mesa, nem trabalho”. O contraste é principalmente político. Quem critica o macro são economistas, analistas e jornalistas que não identificam uma política econômica, e sim um amontoado de medidas pontuais sem rumo. E quem se beneficia do micro são os cidadãos ou,

em última instância, os eleitores. Se é crucial para a Petrobras e para as empresas estaduais de ônibus praticar preços justos, para os consumidores o que importa é pagar menos. Entre a Petrobras e a boa vontade do eleitor, dane-se a Petrobras. Na maior parte do pronunciamento, a presidente falou como ex-ministra de Minas e Energia ferida em seus brios com as brincadeiras de mau gosto de são Pedro. No resto, a presidente e ex-ministra falou mesmo foi como candidata à reeleição. Dilma saiu da defesa e partiu para o ataque. Vangloriando-se de ser do “time vencedor”, disse que “aqueles que são sempre do contra estão ficando para trás”, desdenhou os que trabalham para “desunir ou destruir” e conclamou os brasileiros a colocar “nossa fé no Brasil acima dos interesses políticos ou pessoais”. O pronunciamento foi na quarta e hoje ela estará com Lula. O recado para a oposição, para a imprensa e para parte da indústria não terá sido também para Lula e lulistas? (Eliane Cantanhêde)

Hora-Hora

Piabas e... Os órgãos policiais repressores no Amapá estão realizando operações e prendendo traficantes de drogas, visando dar mais tranquilidade à população durante a quadra carnavalesca. O que intriga a todos e que apenas as “piabinhas” são remetidas ao IAPEN.

Rebaixamento Funcionárias da Unidade de Saúde de Calçoene reclamam que depois de terem sido promovidas a técnicas de enfermagem, estão sendo devolvidas a antigas funções, por ordem da Secretaria de Estado da Saúde.

Tubarões Faz muito tempo - e bote tempo nisso – que nenhum “tubarão” é apresentado ao povo, como prova de eficiência no combate ao pernicioso tráfico de drogas. Os chefões estão no Meio do Mundo ou fora dele?

Promoção As promoções das funcionárias ocorrem há cerca de 10 anos. Elas trabalhavam em serviços gerais e passaram para técnicas de enfermagem, depois de receberem os treinamentos devidos e de pagarem anuidades no Conselho Regional de Enfermagem (Coren).

Aumentos Alguém tem alguma dúvida de que o aumento do preço da gasolina, previsto para ocorrer por esses dias, na margem de 5%, vai engolir de vez o que foi dado para o salário mínimo? É só conferir as majorações que virão em cascata.

Defesa Fervoroso defensor do Ministério Público, o senador Randolfe Rodrigues deve, certamente, acabar “metendo a colher” no angu gerado em função da postura de magistrados que estão rejeitando as denúncias formuladas pelo MPE, contra deputados estaduais.

Previsíveis Os reajustes de preços são previsíveis, incluindo tarifas de coletivo, fretes, vestuário, automóveis e peças automotivas. Vai impactar também nos preços dos alimentos. A farinha, por exemplo, pode chegar a R$ 6,00 o quilo e o açaí a R$ 10,00 o litro

Hora H Com o retorno do governador Camilo Capiberibe, chegou a hora de anunciar as novas mudanças na equipe de governo. Intenção é fortalecer a base política, já de olho nas eleições de 2014. Movimento que pode acabar afetando relações sempre instáveis entre PSB e PT.

MINUTOS

Fora do Eixo - Nesse domingo, reinauguração da Casa Fora do Eixo Amapá, com brechó e programação cultural. A nova casa fica na Avenida Tembés, 160, no Beirol. Planejamento – Pessoal da Secretaria de Saúde participando de planejamento na Escola de Administração Pública, para definir prioridades do setor para 2013. Prejuízo – Anúncio da redução no valor da tarifa de energia elétrica perde importância diante do aumento do preço do combustível. No fim, vai resultar em prejuízo.

Índice Opinião - A2, A3 Especial - A4, A5 Geral - A6 Sociedade - A8 Dia Dia - B1, B3, B4 Geral - B2 Classidia - 14 Pag.

Esportes - A6, A7 Atualidades - C3 Diversão&Cultura - C4 Carro e Moto - D1, D2, D3, D4 Social Click JD - A8 Economia - E1, E2, E3

Edição número 8115


JD

“ ”

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Entre Aspas

JANDERSON CANTANHEDE Jornalista cantanhede@jdia.com.br

Pressão - Recebi ontem uma ligação que me deixou ainda mais perplexo com o que vem acontecendo no Estado. Oito deputados estaduais teriam sido chamados por Ivana Cei para uma reunião. O assunto em pauta teria sido este: pressão para que os parlamentares tomassem providências contra Moisés e Edinho Duarte. Se isso for verdade, não sei mais o que pode acontecer nesse Amapá.

Revoltado - Na reunião estariam Balieiro, Jacy Amanajás, Jorge Salomão, Roseli Matos, Sandra Ohana, Valdeco, Telma Nery e o presidente em exercício Júnior Favacho. O deputado Jorge Salomão teria ficado revoltado com o assunto. Sem interferência - O deputado Salomão, que entre os presentes na reunião reunia mais tempo de Assembleia, teria revidado com todas as letras: “não vamos aceitar qualquer tipo de interferência externa na Assembleia Legislativa”. Sem mais palavras, a reunião foi encerrada.

Quem ganha? – Outro destaque desta semana ficou para o embate entre o desembargador Constantino Brahuna e a procuradora do MP, Ivana Cei. Quem ganha essa queda de braço? Façam suas apostas porque os dados estão na mesa. Suspeito - Do lado de Brahuna existe outro desembargador de peso: Gilberto Pinheiro. Eles comungam do mesmo pensamento, ou seja, se há indícios contra vinte deputados, porque então Ivana quer denunciar apenas Moisés e Edinho? Sugestão - Aliás, o Ministério Público tem uma função primordial ao investigar atos da Assembleia Legislativa. Sugiro à procuradora Ivana Cei que vá mais a fundo e também investigue os gastos da verba indenizatória e passagens aéreas da legislatura anterior, quando Jorge Amanajás era presidente e Camilo Capiberibe era deputado esta-

Siga: @cantanhede_AP Email: cantanhede@jdia.com.br

Suspeitas - Eu não quero de maneira nenhuma levantar qualquer suspeita contra as ações do Ministério Público, mas se eu fosse Ivana Cei passaria a Assembleia a limpo. Para isso, bastaria que ela puxasse os extratos de todos os parlamentares da legislatura anterior. De bate pronto ela iria saber quem gastou a mais e quem gastou dentro do recomendável. E o Pleno? - Quanto ao posicionamento de Brahuna e Gilberto, ambos considerados referências do Direito a nível nacional e até internacional, o que dizem os demais membros do Pleno do Tribunal de Justiça? Vai assumir - Falando em Moisés, ele me confirmou que já mandou distribuir os convites para a sua posse no próximo dia 1º de Fevereiro, quando a Assembleia inicia o ano legislativo. Pelo o que tenho investigado, há bastante consenso dentro do Legislativo quanto ao assunto. Bom domingo!

Infidelidade: ação egoísta DORIEDSON ALVES Professor

É

muito comum, em casos de traição, se afirmar que a causa da ação (entendida como ato de infidelidade) está na conduta inapropriada, em algum momento da relação, do outro conjugue, parceiro, amante etc., é como se a força propulsora fosse determinada pela conduta de outrem, independentemente daquele que trai. A justificativa, por conseguinte, reside no outro. Desse modo, o individuo infiel se autojustifica. Ou seja, se houve algum erro; ele certamente não foi cometido por quem traiu. O traído é o grande culpado por sua “infelicidade”: ele provocou sua própria “ruína”. Não devemos esquecer, no entanto, que nossa cultura abomina a ideia do engano, do erro, da falha. Logo, qualquer coisa que venha implicar em um tipo de comportamento destoante do moralmente aceito, mesmo sendo algo tão banal (eu diria, até natural), acaba caracterizado como afronta à “conduta moral humana”, tida como correta, isto é, à monogamia. Dentro desse quadro cabe, então, de forma hipócrita e patética, a repreensão social de quem diverge comportamentalmente desse modelo idealizado de relação, pautado numa visão reducionista, simplista, sobretudo equivocada do homem, como sujeito adestrado; contudo, arraigado a um status moralista marcado pela negação da sua natureza, ou melhor, de sua incompatibilidade a modelos que firam sua vocação instintiva. O problema básico, no entanto, é a “necessidade” – criamos modelos e queremos, sempre, encaixar nossas aspirações, desejos, expectativas, etc., dentro deles, ali, quase perfeitamente – que temos de sempre buscar o inalcançável (a regularidade amoroso-afetiva é um excelente exemplo disso), especialmente através de

idealizações ingênuas e/ ou estúpidas, como tentar regular uns aos outros no que tange à vida amorosa. Não há como prever, por exemplo, o comportamento de alguém daqui a alguns anos (ou meses) em relação a sua afetividade. É como se quiséssemos inibir, no indivíduo, qualquer possibilidade, por menor que seja, de decidir espontaneamente, querer outra coisa, ou melhor, tornando a mudança-escolha um ato infeliz, absurdo, intolerável. Além disso, alimentamos ingenuamente perspectivas fadadas ao fracasso. Uma delas é clássica: a ideia de posse. Lidamos com o outro como se ele nos pertencesse, e esse pertencimento independesse da vontade dele, mas apenas da nossa vontade soberana: meu marido, minha mulher, meu amante, minha amante, meu namorado, minha namorada etc. Tudo nos pertence, mas nada é nosso. Cria-se, portanto, a falsa impressão de posse, a forma mais grosseira de tentar, dentro das incertezas de todo e qualquer relacionamento, instituir um pouco do velho e tão apreciado controle. Quando alguém se envolve com outra pessoa – embora já tenha, eventualmente, algum outro tipo de relacionamento – age de maneira naturalmente egoísta. Ele busca, sem dúvida nenhuma, prazer-satisfação (hedonismo) pessoal, narcisista, egocêntrico. Não há qualquer preocupação com o outro, a não ser aquela atrelada debilmente a concepção moral em vigor, cobrando um comportamento julgado socialmente aceito – quando o indivíduo se permite isso –, mas que ninguém quer, realmente, praticar, por mais que se diga o contrário. Não nascemos monogâmicos, a realidade sociocultural nos construiu assim – empreendimento bem im-

Eu fiz a ti

dual. Teria o MP disposição de chegar tão longe?

perfeito, eu diria. Mas também não há perfeição. Perfeição é uma noção bonita, inventada somente para nos enganar, incutindo em nossas cabeças a pretensão de alcançar aquilo que não pode ser alcançado, causando a impressão de algo atingível apenas com esforço. Por isso, o erro foi tacita e inicialmente inventado: o erro da fidelidade. Agora, nos tornamos reféns de uma simples, porém, complexa imagem, aquela falsificada com a rubrica da moral hipócrita, demagógica, enganosa, com o intuito de nos fazer crer no impossível: o indivíduo se desprendendo de si mesmo, integralmente, pelo outro. Ou seja, se quer demais daquilo que será (ou poderá ser) dado de menos. Por essa razão, ao sermos atraiçoados (basicamente contrariados), nos irritamos, desesperamos, desiludimos. São falsas expectativas e/ou esperanças, exatamente ao serem frustradas, os verdadeiros artífices das grandes desilusões amorosas, especialmente porque toda a passionalidade da vida do sujeito passar a orbitar em torno da existência do não-eu, ou melhor, do objeto do amor egoísta que, depois, facilmente se converte no objeto do “meu ódio”. E, dessa forma, no infiel se dá a própria natureza e finalidade do deleite da sua ação desleal. Portanto, a causa da deslealdade num relacionamento intersubjetivo está basicamente na liberdade e possibilidade de escolha, inata a todo ser humano, enquanto se constituem, antagonicamente, aspectos pseudopuritanos de uma ética comportamental materializada na vacilante concepção de certa monogamia sentimentalóide; arquétipo tão caro a realidade fugaz das relações humanas. Ela é a regra normativa burlada, continuamente, por aqueles dispostos a usufruírem da liberdade da autodeterminação.

DOM PEDRO JOSÉ CONTI

U

A3

Bispo de Macapá

m santo homem passeava pelas ruas da cidade quando viu, numa esquina, uma criança maltrapilha e suja pedindo esmola. Elevou o seu pensamento a Deus: - Ó Senhor, como podes permitir uma coisa destas? Suplico-te, faças alguma coisa. De noite, sentado na poltrona de sua casa, assistiu ao noticiário da TV. Apareceram cenas de violência, de morte, de crianças abandonadas, feridas e doentes. Novamente rezou: - Ó Senhor, quantos sofrimentos. Eu te peço, faças alguma coisa, por favor! No silêncio da noite, o Senhor Deus lhe disse claramente: - Eu já fiz alguma coisa: fiz a ti! Muitas vezes pensamos que seja obrigação de Deus resolver certos problemas. Ou que Ele tenha ficado indiferente e insensível aos nossos sofrimentos. Chegamos a duvidar do seu amor. Este não é somente um dos mal-entendidos a respeito de Deus, é também a forma mais simples para nos desculparmos e não assumirmos as nossas responsabilidades. Será mesmo que Deus não fez – ou não faz – nada para nos ajudar? O evangelho deste domingo nos apresenta Jesus voltando à sua cidade natal: Nazaré. Já havia muitas conversas sobre ele; algumas boas, falavam das suas curas e dos seus milagres, outras lembravam a sua família conhecida por todos. Jesus também ensinava. Assim lhe deram para ler e comentar um

trecho do livro do profeta Isaías. Animado pelo Espírito, o profeta proclamava em poucas palavras o grande projeto de Deus. Estava comunicando a boa notícia da libertação para todos os que estavam presos pelas correntes da miséria, da opressão, da injustiça, da cegueira. Começava algo de novo; devia ser o tempo no qual se manifestava a bondade e a presença amorosa de Deus junto ao seu povo. Entendemos que eram palavras belíssimas capazes de dar coragem aos desanimados e reacender a esperança nos corações enfraquecidos. A pergunta que surgia, porém, nos corações dos ouvintes era sempre a mesma: “Até quando devemos esperar para que tudo isso aconteça? Talvez ocorra se Deus mesmo vier no meio de nós”. Mas, desta vez, inesperadamente, pela boca de Jesus, um homem igual a eles, bem ali na frente deles, veio a confirmação: “Hoje, se cumpriu esta passagem da Escritura que acabaste de ouvir” (Lc 4,21). “Hoje”, é a palavra chave para entender não somente esta página do evangelho, mas a própria missão de Jesus. O “hoje” não significa que tudo já está feito e que nada mais tem para fazer. Isso é o que pensam os que acham que Jesus devia ter resolvido todos os problemas uma vez por todas e que, portanto, não devia ter mais sofrimento e injustiça alguma no mundo. A terra já deveria ser um céu. No entanto se ainda não é assim é porque Jesus foi um grande mentiroso e um vendedor de

ilusões. Igual aos moradores de Nazaré que ficaram decepcionados com Jesus. Eles teriam gostado muito mais dele se tivesse sido um milagroso salvador da pátria. Pelo jeito, os preconceitos não mudaram muito. O “hoje” do evangelho de Lucas significa que o tempo da espera terminou, porque agora o próprio Jesus é a boa notícia que Deus está enviando à humanidade. Ele é o “hoje” do Reino, acontecendo. Quem acreditar nele e começar a viver o que ele ensina encontrará a sua própria libertação. Quem seguir a Jesus experimentará o que significa quebrar, primeiro em si mesmo, as correntes do egoísmo e do desamor. Não poderá mais explorar ou escravizar alguém, não poderá mais desprezar um irmão. Será olhos para os cegos, ouvido para os surdos, pernas para os paralíticos, esperança para os tristes e abatidos. Perdoará inimigos e chegará a doar a sua própria vida. O “hoje” do amor de Deus para com todos já começou, só falta a nossa colaboração, só falta acreditar mais. Falta ter a certeza de que a fraternidade, a paz e a justiça, não são mais impossíveis. Infelizmente continuamos desacreditando na capacidade do amor de transformar o mundo e os corações humanos. Assim não enxergamos o bem que acontece ao nosso redor, a fé que move montanhas, o Reino de Deus, grão de mostarda, crescendo. Em lugar de cobrar de Deus deveríamos acreditar mais no “hoje” do bem e fazê-lo acontecer, aqui e agora, em nossas vidas. Ele nos fez cristãos para isso.

Os números governam o mundo! Renivaldo Costa Jornalista

S

ou fascinado pelos números. Não, não sou esotérico nem me deixo influenciar pelo tarô, horóscopo ou outras superstições new age. Gosto da forma como os números governam o mundo, como teria dito Pitágoras, conforme li num livro de Malba Tahan. Os números estão presentes no nosso dia a dia, e tornaram-se tão comuns que nem pensamos mais sobre eles, mas representam muito mais do que uma forma de se medir ou quantificar o que existe ao nosso redor. Segundo Pitágoras, o Universo deve ser visto como um todo harmonioso, onde tudo emite um som ou uma vibração e obedece a uma ordem criada pelos números. Os números evocam vida e mistério. Na Bíblia, Deus ordenou todas as coisas “segundo o número, o peso e a medida”. Para Pitágoras, “Todas as coisas eram números e qualquer número era uma divindade”. De acordo com Leibniz, “Enquanto Deus calcula e exerce o seu pensamento, o mundo se faz”. Os escolásticos

definiam a verdade como adequatio rei et intellecto, isto é, uma perfeita correspondência entre o intelecto e os objetos observados. Descartes, mais tarde, afirma: “Eu não incluo, em minha física, outros princípios que não aqueles que aceito em matemática”; e Hegel: “Nada há de real além do racional e nada há de racional além do real”. Não à toa, os partidos são representados, além das cores, pelos números. O PT, por exemplo, é o 13. Para os judeus, 13 significa evolução ou destino. É um número apático pois guarda relação com a última ceia de Cristo, quando 13 pessoas estavam à mesa, dentre eles o traidor. No tarô, a décima terceira carta é a da morte. Quando escolheu este número, o PT traçou seu destino. Começou como partido de presos políticos e vai terminar como um partido de políticos presos. O Psol, que agora governa Macapá, tem o número 50 por emblema. 50 é um número que significa “penitência”. O salmo 50, por exemplo, é um Salmo de

Penitência, por excelência. Mas também é um número de renovação, relacionado na Bíblia com o Dia de Pentecostes. O 40, número do PSB, é fartamente citado na Bíblia. Durante 40 dias Cristo foi tentado por Satanás e durante 40 dias e 40 noites houve dilúvio sobre a terra. Aos 40 anos Moisés feriu um homem egípcio e teve de fugir. 40 anos mais tarde foi conduzido a ir libertar seus povo da escravidão egípcia. Recolheu-se no monte por 40 dias e 40 noites. Peregrinou com o povo israelita pelo deserto por 40 anos. Mas o 40 também é um número de esperança: após ressuscitar, Cristo ficou 40 dias entre os discípulos e 40 é o número de gerações entre Abraão a Jesus. Vou parar por aqui, pois o objetivo deste artigo não é propor nenhum ensaio acerca da relação que cada número guarda com seu partido. Ademais, há partidos que escolhem seus números por mera conveniência, não necessariamente por relação com a doutrina partidária. O número do partido a que sou filiado, por exemplo, o PSTU, é o 16. A soma de 1+6 é 7. E 7 é um número relacionado à espiritualidade, à perfeição, à pesquisa, à introspecção e ao ocultismo. E o que isso tem a ver com o PSTU? Nada! Dizem que os números não mentem, mas as pessoas podem mentir com os números. É preciso, portanto, desconfiar das armadilhas da matemática. Saibamos raciocinar com os números. Que eles sejam nossos aliados, e não os nossos opositores.


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

A4

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

As alternativas na crise energética

A utilização de usinas térmicas é balizada pelo seu custo e, além do aumento do preço da energia, traz a contrapartida de crescimento da poluição, porque, em sua maioria, com exceção das nucleares, as termelétricas geram energia de queima

M

ais uma vez, o risco vivido pelo país de sofrer uma crise de energia elétrica, por conta da falta de chuvas, mostrou a necessidade de se manter uma matriz energética diversificada. Essa matriz deve contemplar todas as fontes disponíveis para a geração de eletricidade, reduzindo a dependência das condições climáticas, cada vez mais adversas com o progressivo aumento do aquecimento global. Desde o início dos anos 1990, o poder de regularização dos reservatórios das hidrelétricas vem caindo em relação ao aumento da capacidade instalada. Isso se deve à ampliação das condicionantes ambientais, que, no máximo, permitem reservatórios muito pequenos ou praticamente inexistentes (usinas a fio dágua), reduzindo a geração dessas usinas em período seco. Com isso, para manter a segurança de suprimento elétrico, fica indispensável o acionamento das usinas térmicas na base do sistema. A participação das termelétricas tem aumentado de forma relevante nos últimos dez anos, dando à matriz uma configuração hidrotérmica, com prevalência hidráulica (85,36%) em termos de geração de energia, com as térmicas em geral contribuindo com 13,63%, e as demais fontes, com cerca de 1%.

A utilização de usinas térmicas é balizada pelo seu custo e, além do aumento do preço da energia, traz a contrapartida de crescimento da poluição, porque, em sua maioria, com exceção das nucleares, as termelétricas geram energia queimando combustível fóssil. Sem geração de gases As usinas nucleares, no processo produtivo, não geram gases de efeito estufa e de chuva ácida, nem cinzas ou gesso durante a geração de energia. Podem ser instaladas próximas a centros de consumo, dispensando longas linhas de transmissão, diminuindo os riscos de falha no transporte de grandes blocos de energia e colaborando para a estabilidade do sistema. Também não dependem de fenômenos naturais (chuva ou vento) e precisam de pouco espaço para gerar muita energia. Por exemplo, o sítio de Angra 1 e 2 utiliza cerca de 1,5 quilômetro quadrado para uma capacidade de 1.990 megawatts. O preço do combustível tem impacto de apenas 17% no custo de geração, e seu valor no mercado internacional não costuma ser submetido a bruscas oscilações. No Subsolo O Brasil possui uma grande quantidade de urânio e, se for realizada a de-

As usinas nucleares, no processo produtivo, não geram gases de efeito estufa e de chuva ácida, nem cinzas ou gesso durante a geração de energia.

vida prospecção, estima-se que o subsolo nacional possa abrigar cerca 800 mil toneladas do minério o que representaria a segunda maior reserva do mundo. O país domina a tecnologia do ciclo do elemento combustível e, com as usinas Angra 1 e 2, se adquiriu um alto grau de experiência operacional.

As condições naturais são excepcionais para a construção de usinas nucleares: o território brasileiro oferece água em abundância, solos estáveis e não está sujeito a eventos externos de alta magnitude. A geração das usinas Angra 1 e 2 contribuiu para a economia de água dos re-

servatórios das usinas do Sudeste, tornando menos dramática a situação crítica atual do sistema elétrico. As duas geraram energia suficiente para suprir as cidades de Fortaleza, Porto Alegre e Belo Horizonte por um ano. A seca que o país enfrentou nos últimos meses é a segunda em 12 anos,

para um ciclo que deveria ter sido de dez anos. Portanto, é inevitável que as térmicas aumentem seu peso na matriz elétrica, e a ampliação do parque nuclear, dentro desse contexto, é uma decisão racional e natural para dar maior segurança ao sistema elétrico brasileiro. (O Globo)

Agência poderá ser criada pelo governo federal para regular exploração mineral

E

stima-se que, atualmente, de 300 mil a 500 mil pessoas trabalhem em garimpos no País. A Constituição Federal (artigo 174) determina que o Poder Público deve favorecer a “organização da atividade garimpeira em cooperativas, levando em conta a proteção do meio ambiente e a promoção econômico-social” dos operários. Essa é, portanto, uma das principais bases legais para a extração mineral. Para corrigir rumos e ajustar o setor à regra constitucional, o Executivo trabalha na elaboração do novo marco regulatório da mineração, a ser enviado ao Congresso - o código em vigor é de 1967 (Decreto-Lei 227/67). Pela proposta do governo, serão criados um conselho e uma agência nacional para reforçar o papel regulador e de fiscalização do Estado. A criação de um ambiente de segurança jurídica para atrair investimento privado também faz parte dos planos, como explica o ex-secretário de geologia e mineração do Ministério de Minas e Energia Claudio Scliar, que participou da elaboração do texto. “O grande desafio da nova agência será manter a competitividade do mercado de minérios. Queremos que o Brasil continue sendo um país onde a pesquisa e a extração mineral sejam bem-vindas e que a agência permita fazer esse controle, a fim de que as atividades não fiquem paralisadas por anos e anos”, diz. Impacto ambiental Scliar acrescenta que um dos objetivos da nova legislação é reduzir o impacto ambiental da mineração. “Indiretamente, a organização do setor mineral da forma como estamos propondo vai resultar em uma

extração sustentável, porque é esse controle do Estado que viabiliza que todas as atividades econômicas possam ser benfeitas legalmente”, declara. Para a região amazônica, por exemplo, será dada ênfase ao macrozoneamento ecológico-econômico da Amazônia Legal para consolidar os diferentes usos do solo e do subsolo, tendo como base os estudos da biodiversidade e da geodiversidade local. Essas ações estão sendo articuladas pelos Ministérios de Meio Ambiente e de Minas e Energia. Garimpos clandestinos Na repressão aos garimpos clandestinos, o foco do marco regulatório, segundo Scliar, estará no incentivo à formalização, ou seja, na conscientização dos garimpeiros de que a mineração pode ser um vetor de desenvolvimento regional. “Algumas situações, muitas vezes e infelizmente, se tornam questões policiais, como em terras indígenas ou invasões de áreas onde é proibida a atividade extrativa mineral, como parques nacionais. Mas há muitas outras regiões nas quais o papel do ministério era o de contribuir para a regularização, a formalização da atividade dos pequenos produtores no Brasil, entre os quais estão os garimpeiros”, comenta. Esse esforço pela formalização da atividade pode ser vista em Lourenço, distrito do município de Calçoene, no norte do Amapá, que vive praticamente do garimpo. A extração do ouro por lá está em fase final de legalização, coordenada pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão que libera a permissão de lavra garimpeira. Para consegui-la, os trabalhadores se or-

ganizaram em cooperativas, como manda a Constituição. “Hoje, trabalhamos com 1.200 cooperados, com base em duas portarias de lavras concedidas pelo DNPM e uma área em torno de 7 mil hectares, onde os garimpeiros estão agregados. Temos uma comunidade de quase 5 mil pessoas que dependem e sobrevivem do garimpo”, informa o presidente da Cooperativa de Lourenço, Antônio Pinto. Termo de Ajustamento de Conduta O Ministério Público (MP) supervisiona a extração do ouro em Lourenço e determinou algumas condicionantes para o funcionamento do garimpo por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), sobretudo quanto a questões ambientais e de segurança do trabalho. Conforme Antônio Pinto, o TAC impôs a contratação de empresa terceirizada para suprir o garimpo de alguns profissionais, como engenheiro de mina, engenheiro ambiental, técnico de segurança e técnico de mina. “Agora, estamos trabalhando e cumprindo as condicionantes do MP. Está sendo muito bom para nós, porque a gente vem cumprindo as metas, apesar de os gastos serem grandes”, declara o dirigente da cooperativa. Em análise na Câmara, mineração em terras indígenas não tem consenso O novo marco regulatório da mineração terá de ser analisado e aprovado no Congresso Nacional antes de entrar em vigor. Enquanto isso não acontece, os parlamentares contribuem com propostas individuais para melhorar as condições socioambientais

Para a região amazônica, por exemplo, será dada ênfase ao macrozoneamento ecológico-econômico da Amazônia Legal para consolidar os diferentes usos do solo e do subsolo

dos garimpos. Já está pronta para votação no Plenário da Câmara uma proposta de emenda à Constituição (PEC 405/09), do deputado Cleber Verde (PRB-MA), que inclui os garimpeiros e os pequenos mineradores no Regime Geral da Previdência Social. Na prática, a PEC garante a eles o recebimento de aposentadoria no valor de um salário mínimo, independentemente de ter ou não produção comercializada, além de benefícios por acidentes do trabalho. Outro tema analisado pela Câmara é a exploração mineral em terras indígenas. O Projeto de Lei 1610/96, do Senado, condiciona a concessão de áreas exploradas ao licenciamento ambiental e assegura a participação econômica das comunidades afetadas pela mineração. Mesmo depois de várias audiências públicas sobre o

assunto com lideranças indígenas em vários estados, ainda não há consenso, ressalta o relator da matéria, deputado Edio Lopes (PMDB-RR). “Em São Gabriel da Cachoeira, onde reunimos as 12 principais etnias do estado do Amazonas, vimos uma manifestação praticamente unânime à regulamentação. Em Rondônia, entre os índios cinta larga, por exemplo, os que não estão participando do garimpo ilegal na mina de diamantes de Roosevelt também são favoráveis; já as lideranças que participam dessa exploração irregular são contra. E aqueles indígenas que estão muito próximos dos flashes da grande mídia e das ONGs são rigorosamente contrários à proposta”, explica. E preocupado com o nível de contaminação das minas, o deputado Nilton Capixaba (PTB-RO) apresentou proposta (PL 4087/12) que determina o monitora-

mento semestral dos níveis de mercúrio em áreas garimpeiras. Resíduos sólidos Vale lembrar que várias medidas já aprovadas no Congresso também tentam assegurar a legalidade e a sustentabilidade dos garimpos. A Política Nacional do Meio Ambiente (Lei 6.938/81), aprovada pelos parlamentares em 1981, já obriga o Ibama a controlar o uso do mercúrio no Brasil, sobretudo nas atividades de mineração. Mais recentemente, em 2010, o Parlamento aprovou a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10), que estabelece a responsabilidade compartilhada do importador, do produtor, do comerciante e do usuário no gerenciamento e na destinação adequada do mercúrio metálico. Agência Câmara de Notícias


Geral

JD

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

IBRAM: Entidade quer destravar licenças minerais antes de marco regulatório

O

Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) vai trabalhar com o governo federal alternativas para destravar a liberação de novas licenças minerais e de portarias de lavras antes da sanção e entrada em vigor do marco regulatório, afirmou hoje José Fernando Coura, presidente da entidade. “O mais preocupante é o entrave das portarias de lavras. O setor não pode ficar parado todo esse tempo, tenho certeza que o governo vai encontrar uma forma de lidar com isso”, disse Coura, em entrevista após evento. A suspensão das outorgas de autorização de pesquisa mineral e de portarias de lavras para a abertura de novas minas pelo Ministério de Minas e Energia acontece desde novembro de 2011. Pelo menos oito mineradoras têm seus projetos travados à espera do novo marco regulatório. Segundo Coura, a expectativa é que o marco da mineração seja encaminhado para o Congresso em fevereiro, na volta do recesso, com previsão de ser discutido no primeiro semestre deste ano. O prazo para uma definição ainda está aberto. “Acredito que não teremos uma MP

O

A

Coluna

ESPLANADA Jornalista

Twitter @leandromazzini

Farra ministerial: R$ 781 milhões em alugueis

A conta do custo-governo com 40 ministérios, e cada vez com mais cargos comissionados: Somente ano passado, o governo federal pagou R$ 781,4 milhões em alugueis de edifícios de grande e pequeno porte, informou à coluna a Secretaria de Patrimônio da União (SPU). A maioria fica em Brasília e outras sedes de ministérios, autarquias e estatais espalhadas por capitais estratégicas. A SPU é a fiadora responsável. A responsabilidade do contrato de aluguel é de cada ministério.

Palácio

Chamou a atenção em Brasília a nova sede do Ministério da Integração: serão R$ 100 milhões por 10 anos de contrato.

Bye, bye

A suspensão das outorgas de autorização de pesquisa mineral e de portarias de lavras para a abertura de novas minas pelo Ministério de Minas e Energia acontece desde novembro de 2011

[medida provisória] nesse processo, mas assim que for para o Congresso o Ibram vai usar seu papel de representante do setor para buscar uma solução”, disse Coura. Em novembro, o deputado Arnaldo Jardim (PPS), presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Infraestrutura Nacional afirmou que já estava sen-

do analisadas medidas a serem adotadas no judiciário para destravar as outorgas e portarias de lavras. Em média, por ano, cerca de 350 pedidos de outorga de portaria de lavra são feitos ao Departamento Nacional de Produção Mineral. “Estou muito confiante após a conversa que tive como o ministro [de Minas

e Energia] Édison Lobão em dezembro, me dizendo que o que será encaminhado ao congresso se apoia nos três pilares que o Ibram apresentou: segurança jurídica, respeito aos direitos adquiridos e atratividade para o setor. Não podemos taxar investimentos”, ressaltou o presidente da entidade. (Safras & Mercado)

como China e Índia, segundo a AIE. “A cota de carvão nas fontes de energia mundial segue progredindo a cada ano”, afirma a diretora da organização, Maria van der Hoeven. Como resume a AIE, “o carvão é a China” e “a China é o carvão”. A China, que não para de inaugurar centrais elétricas de carvão, representou no ano passado 46,2% do consumo mundial deste combustível. A barreira dos 50% será alcançada a partir de 2014, o que significa que a China consumirá a partir deste ano mais carvão que todos os demais países do mundo juntos. A importação de carvão crescerá de forma importante na América Latina, em particular no Brasil, onde as compras de carvão de coque aumentarão 45%, chegando a 20 Mtce (toneladas métricas equivalentes de carvão) em 2017, indica o relatório. Além dos Estados Unidos, as importações do Brasil

provêm de Moçambique e Colômbia, onde várias empresas brasileiras - Vale, entre elas - desenvolvem importantes projetos mineradores. A AIE, uma organização vinculada à OCDE, “espera que a demanda de carvão aumente em todas as regiões do mundo”, com a exceção notável dos Estados Unidos, onde o desenvolvimento do gás de xisto provocou uma forte queda do preço do gás, que torna o carvão muito menos competitivo. Mas o carvão é uma energia muito poluente. “Apenas uma concorrência feroz de um gás a baixo preço permite reduzir a demanda de carvão”, adverte a AIE. “Europa, China e outros países devem tomar nota disso”, acrescenta. No entanto, o declive do carvão nos Estados Unidos gerou um “boom” das exportações americanas, especialmente em direção à Europa. Consequência: a tonelada de carvão na Europa passou de 130 dóla-

res a tonelada em março de 2011 a 85 dólares em maio de 2012. Por isso, embora o Velho Continente permaneça com objetivos ambientais ambiciosos, muitos países estão retomando o carvão como fonte de energia. No primeiro semestre de 2011, Espanha, Alemanha e Reino Unido produziram menos eletricidade a partir do gás - energia mais limpa e mais a partir do carvão, destaca a AIE. Hoje, o carvão já representa cerca de 28% de toda a energia consumida no mundo e é a primeira fonte de eletricidade, segundo a AIE. A emergência desta energia também ocorre num momento em que os objetivos contra o aquecimento climático parecem ter passado para um segundo plano. “O resultado é que, sem restrição no consumo de carvão mediante políticas climáticas, a demanda e o CO2 seguirão aumentando”, adverte a organização. (Correio Braziliense)

Brasil cresce menos que a América Latina

pesar de ser a maior economia latino-americana, o Brasil amarga uma posição desconfortável quando o assunto é o crescimento. A Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal) reduziu de 1,6% para 1,2% a previsão de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2012. O país foi um dos poucos a ter rebaixada a projeção anterior, feita em outubro, e agora ostenta a segunda pior estimativa em toda a região, excluindo o Caribe. Fica atrás apenas do Paraguai, que passou por uma grave crise institucional neste ano e deverá amargar uma retração de 1,8%. A estimativa da entidade para o PIB brasileiro está em linha com os cálculos feitos por boa parte dos especialistas do mercado e bem abaixo das expectati-

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

POR LEANDRO MAZZINI

Carvão será principal fonte de energia em 10 anos, à frente do petróleo

carvão, grande gerador de gases de efeito estufa, se aproximará em cinco anos do petróleo como primeira fonte de energia mundial e pode superá-lo em dez anos, devido ao desenvolvimento acelerado dos países emergentes, considera a Agência Internacional de Energia (AIE) em um relatório publicado na terça-feira. “Graças a sua abundância e a uma insaciável demanda de eletricidade nos mercados emergentes, o carvão já representou cerca da metade do aumento da demanda mundial de energia na primeira década do século XXI”, ressalta a Agência Internacional de Energia (AIE), com sede em Paris. O consumo de carvão em 2017 será de 4,32 bilhões de toneladas equivalentes ao petróleo, contra 4,4 bilhões de toneladas de petróleo. E em 10 anos superará o petróleo devido ao crescimento de mercados emergentes gigantescos,

A5

vas do Ministério da Fazenda, que, oficialmente, mantém o prognóstico de 2% (menos da metade do objetivo de 4,5% estabelecido no início do ano), e do Banco Central (1,6%). Para o economista-chefe da Corretora Votorantim, Roberto Padovani, o país não avançará mais do que 1%. Mais otimista, a britânica Capital Economics prevê expansão de 1% a 1,5%. No relatório Balanço preliminar das economias da América Latina e do Caribe 2012, divulgado ontem, a Cepal, que é ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), também diminuiu a previsão para a economia da Argentina, principal parceira do país no Mercosul, de 2,5% para 2,2%. Com um PIB quase 50 vezes menor que o brasileiro, o pequeno Panamá continua na liderança de crescimento na América Latina. Depois dos

10,6% de 2011, o país centro-americano deve evoluir mais 10,5% neste ano, de

acordo com as previsões da entidade. Para 2013, espera-se um avanço de 7,5%.

A Integração deixou três andares vazios no Bloco E da Esplanada porque, segundo a assessoria, a equipe cresceu e precisa de mais espaço e conforto.

Canetada

A SPU explica que “Não havendo imóvel disponível compete a cada Órgão promover procedimentos”. Ou seja, com seu dinheiro, cada ministro dá sua canetada como quer.

Lugar ao sol

Ciro Gomes está mordido. Ele confessou a amigos que foi a pedido do ex-presidente Lula que transferiu seu título de eleitor para São Paulo, num projeto de lançá-lo ao Planalto em 2010, mas levou uma rasteira e foi escanteado. Agora, sem mandato e com o brilho de Eduardo Campos, que controla o PSB, o ex-deputado começa a desabafar.

Megafone

Ciro detestou atuar como deputado. Considera a Câmara banca de negócios, e não volta. E começou a escancarar sua indignação contra o PT. E sobre Lula: “Gosta muito do povo, desde que ele fique em cima mandando em todo mundo”, disse em palestra.

Pacote & Campanha Os mais importantes ministérios foram mobilizados pelo Planalto para apresentar benesses aos prefeitos que chegam amanhã para o encontrão em Brasília. Pedido da presidente. Sabe que eles são os maiores cabos eleitorais. Amigos A moral do governador Marcelo Déda com a presidente. Ela encaixou na agenda uma visita a Aracaju na terça. Visitará parque eólico e até inaugura ponte. Medo Pelo menos 129 médicos são investigados pelo Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal por irregularidades e erros no exercício da profissão. Sem confete A turma está mais cautelosa este ano. Ceticismo é a palavra dominante entre os prefeitos que se mobilizam a partir de amanhã para mais uma Marcha a Brasília. Sabem que voltarão com pouco ou nada no bolso. Ela não esquece Desta vez precavida, a presidente Dilma decidiu organizar o evento com prefeitos. Ano passado, foi

vaiada pelos munícipes ao dizer que não abriria cofre fácil. Deu um pito no presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski. S.O.S. do Poder É aquela história: casa de ferreiro... A governadora Roseana Sarney foi internada às pressas na quinta-feira no UDI, hospital particular em São Luís. Fez endoscopia. A comitiva passou longe do Socorrão, o maior hospital público da capital. Blindagem O Conselho Nacional de Justiça corre para aprovar resoluções que blindem os magistrados de lobbies. Representantes de ONGs que atuam na área dos direitos humanos denunciam participação de juízes em eventos patrocinados. Federalismo O IPEA aproveita a Marcha dos Prefeitos e lança em Brasíia terça-feira o livro Federalismo à Brasileira: questões para discussão. Ponto Final Num país pobre como Angola, descobre-se que a maior e única bilionária do país é a ... filha do presidente.

Com Vinícius Tavares, Marcos Seabra e Adelina Vasconcelos

www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br @colunaesplanada


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

A6

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Corrida Ciclística Antonio Assmar abre neste domingo temporada de 2013 Competição vale pontos para o ranking nacional e recebe vários atletas renomados de todo o Brasil , inicia a partir das 8 horas da manhã

Renato Augusto, que deve estrear no próximo domingo, foi revelado por Ney Franco, hoje rival

Esperança do meio corintiano, R. Augusto surgiu com rival e foi ídolo “sozinho” na Alemanha

C Aspecto da largada no Circuito da Orla no Santa Inês da primeira prova de ciclismo do ano de 2013

Elcio Barbosa

Da Reportagem

A

Federação Amapaense de Ciclismo (FAC) abre oficialmente neste domingo, 27, o calendário de competições de 2013. A competição inicia a partir das 8 horas da manhã no Circuito da Beira Rio no Bairro, Santa Inês. Ano passado a atleta, Fabiele Mota da Equipe FW do Rio de Janeiro chegou à frente, e venceu a prova. Cerca de 150 atletas participaram da competição nas diversas oportunidades, e categorias. De acordo com informa-

ções do departamento técnico da FAC, as premiações, ou brindes a ser ofertado serão divulgados pela promotora do evento, a TV Amapá, canal 6. Serão troféus personalizados as 03 (três) primeiras equipes: Campeão, Vice, e 3° colocados. Serão premiados os atletas individualmente com medalhas, espécie e brindes de acordo a tabela divulgada pela patrocinadora da competição. A prova vale pontos para o ranking nacional, e terá a presença de competidores dos diversos estados do Brasil. As provas iniciam a partir

da 9 horas da manhã com os Cadeirantes, as Crianças, e os Não Federados com idade de 3 a 10 anos. Depois segue a seqüência das baterias: A 1ª Bateria: Infanto Juvenil/Juvenil/Feminino, e Veterano. A 2ª Bateria: M 30-39/M40-49/M 50-59 anos. A 3ª Bateria: Elite/Júnior. A 4ª Bateria: POTY. A 5ª Bateria: Feminino/Júnior e Juvenil MTB. A 6ª Bateria: Elite MTB, e finalizando a 7ª Bateria: Não Federados MTB. “Esta é a primeira corrida do ano de 2013 que inicia oficialmente o calendário de eventos da federação. A prova vale pontos para o

ranking nacional, e os competidores dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza chegam a partir desta noite em Macapá. Esperamos que os nossos corredores cheguem a frente por que, eles estão bem preparados para a prova” ressaltou Antonio Carlos Araujo, presidente da FAC. O complexo da Orla do Bairro Santa Inês será fechada para o trafego automotivo a partir das 7 horas da manhã deste domingo, 27 de janeiro de 2013. A população está convidada em prestigiar a competição.

Botafogo sai na frente do Flu, coloca Seedorf em campo e evita reencontro com Fred

N

os preparativos que antecedem o confronto, o Botafogo já saiu na frente no clássico contra o Fluminense, o primeiro da Taça Guanabara. O Alvinegro contará com Seedorf de domingo, no Engenhão. Enquanto isso, Fred, conhecido pelo retrospecto excelente contra o time de General Severiano, segue longe de estrear. A presença do meia alvinegro será a grande novidade do clássico de domingo, às 19h30. Camisa 10 do Botafogo, Seedorf

se juntou aos companheiros já durante a pré-temporada em Saquarema e contou com alguns imprevistos na preparação, como problemas pessoais que o afastaram de treinamentos. Nesta sexta-feira, o jogador treinou normalmente com os companheiros, inclusive marcando um golaço por cobertura, e praticamente confirmou sua estreia no ano. “O Seedorf não tem que provar nada para ninguém. É um grande jogador e um cara muito humilde. Ali,

dentro de campo, temos que neutralizar e não podemos dar espaço pra ele. Vamos fazer de tudo para estarmos focados e atentos a ele”, disse Leandro Euzébio, um dos responsáveis por conter o meia no clássico. Já Fred continua de fora no Fluminense devido a um desnível de força entre as pernas. Carrasco do Alvinegro, o atacante já marcou até mesmo gol de bicicleta em plena decisão de Estadual, no ano passado. Nesta sexta, o centroa-

vante apenas correu pelo gramado das Laranjeiras e não deu qualquer sinal de que possa entrar em campo no domingo.

Dorival comanda treino do Flamengo sem trabalho tático e aproveita Mattheus

O

Flamengo encerrou a preparação antes de enfrentar o Volta Redonda sem um trabalho tático. O técnico Dorival Junior aproveitou a manhã de sábado para treinar passes com os jogadores e abriu mão de uma atividade em que poderia colocar em campo mais uma vez a formação planejada para a terceira rodada do Estadual do Rio. Mattheus participou normalmente do treinamento no Ninho do Urubu. Apesar de ter entrado em campo com os companheiros, o filho de Bebeto não deve ser relacionado para o jogo contra o Volta Redonda, às 17h do domingo. O garoto está perto de deixar o Fla. A Juventus-ITA ofereceu pouco mais de 2,5 milhões de euros pelos direitos econômicos do meia, que tem

ontratado para ser uma opção versátil no elenco alvinegro, Renato Augusto deve estrear no próximo domingo, contra o Mirassol, com status de solução para o meio-campo, que não foi bem nos dois primeiros jogos da temporada. O jogador que pode ajudar a criar, grande preocupação de Tite no atual momento, foi revelado pelo hoje rival Ney Franco e construiu a maior parte na carreira brigando “sozinho” para ser ídolo na Alemanha. A trajetória de Renato Augusto começou no Flamengo de 2006. Revelado pelo clube, ele até havia recebido suas primeiras chances no ano anterior, mas só brilhou pela primeira vez na decisão da Copa do Brasil daquele ano, contra o Vasco. A escalação de Renato Augusto, à época uma das maiores promessas do clube, foi uma tacada ousada de Ney Franco, que havia acabado de assumir a equipe depois de uma boa campanha pelo Ipatinga. O meia foi destaque das duas partidas, dando assistência para um dos gols, e ganhou a confiança da torcida rubro-negra. A experiência no Flamengo forçou Renato a aprender a se virar. Meia de origem, ele teve de atuar pelos lados, no centro do campo, como volante e até de atacante por conta da escassez de jogadores do clube, que não vivia sua fase mais pujante. O pior momento dele foi no início de 2008, quando um choque com o zagueiro Hélton, do Boavista, o forçou a fazer uma cirurgia no rosto. Para fazer a reconstrução facial, os médicos inseriram três placas de titâ-

nio fixadas com onze pinos. “Eu fui visitá-lo quando ele foi operado. Era um rapaz simples, sem nariz para frente, gosto muito dele”, disse Joel Santana, técnico de Renato naquele tempo, a quem rasga elogios. “Ele era muito promissor. Tinha muita força, era um jogador que fazia gols, moderno, que marcava”, explicou ele. A operação e o período de recuperação comprometeram o semestre de Renato Augusto, que seria o último dele no Rio de Janeiro. No meio de 2008, ele foi negociado com o Bayer Leverkusen, clube que se notabilizou nas duas últimas décadas pela legião de brasileiros. Renato Augusto, no entanto, estava sozinho. Nos quatro anos e meio em que esteve no clube, ele não teve a companhia de nenhum compatriota. Hoje, ele sente a diferença no dia-a-dia do Corinthians, marcado por brincadeiras e descontração. “Na Alemanha era muito difícil. Fiquei quatro anos e meio sozinho, sem brasileiro. Esse carinho no almoço, no jantar, é diferente. Procuro curtir esses momentos. Fiquei muito tempo fora sozinho, é bem diferente agora”, explicou ele. A “solidão” não o impediu de se dar bem no exterior. Em seu melhor momento, a temporada 2010/2011, ele comandou a equipe na campanha do vice-campeonato alemão, melhor resultado do Bayer enquanto Renato Augusto esteve por lá e que lhe rendeu até uma passagem rápida pela seleção de Mano. Foram nove gols e 16 assistências no futebol europeu, números que dizem menos sobre o meia do que a comoção que foi a sua saída. (uol)

Cuca admite que palmeirense Luan o agrada, mas evita falar sobre tentativa de contratá-lo

Luan, atacante do Palmeiras, é jogador que agrada ao técnico atleticano Cuca

Flamengo fechou preparação para o confronto com o Volta Redonda hoje

contrato com o Flamengo até o fim de 2013. Mattheus trabalhou com o grupo em atividade destinada ao acerto nos passes. Em seguida, o elenco rubro-negro participou do rachão. Dorival não colocou o time que irá enfrentar o Volta Redonda em

campo neste sábado. No entanto, a definição para entrada dos reforços Elias e João Paulo já foram tomadas. Com isso, o Flamengo jogará com a seguinte formação: Felipe; Léo Moura, Renato Santos, González e João Paulo; Cáceres, Ibson e Elias; Rafi-

nha, Hernane e Nixon. As mudanças no time acontecem após o primeiro tropeço no Carioca. O Flamengo empatou em 1 a 1 com o Madureira e foi aos 4 pontos no grupo B da Taça Guanabara. O Fluminense, com seis pontos, é o líder. (uol)

O

técnico Cuca evitou comentar a negociação envolvendo Atlético-MG e Palmeiras, pela contratação do atacante Luan. Ele preferiu deixar a definição do negócio para a diretoria atleticana, mas reconheceu que o atleta o agrada. “Todo bom jogador me agrada, parece que ele está bem no time dele, até gol ele fez anteontem”, despistou Cuca sobre a negociação envolvendo Atlético e Palmeiras. O Atlético ofereceu ao clube paulista o meia-atacante Nikão, que não agradou ao técnico do Palmeiras, Gilson Kleina. Os dois trabalharam juntos na Ponte Preta em 2012. O atacante Neto Berola, que já despertou interesse do time paulista no ano passado, também poderia ser incluído na transação. Ambos iriam por empréstimos para o Palmeiras, em troca da liberação de Luan. (uol)


JD

Esporte

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Presença de Nadal no Brasil Open aumenta segurança e preço de ingressos

A7

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Enquanto isso...

Para ter o atual número cinco do mundo, a Koch Tavares, empresa responsável pelo Brasil Open, teve de reforçar bastante o número de seguranças Lakers vencem Jazz e quebram sequência negativa de quatro derrotas; Splitter faz double-double pelos Spurs

O Los Angeles Lakers deu um suspiro na má fase vivida na temporada ao bater o Utah Jazz, na noite da última sexta-feira, no Staples Center, na Califórnia, por 102 a 84, e quebrar assim uma sequência de quatro derrotas seguidas na temporada regular da NBA. O pivô Dwight Howard, que havia deixado a quadra lesionado na derrota para o Memphis Grizzlies, na quarta, atuou normalmente e foi um dos cestinhas da equipe ao anotar 17 pontos, ao lado de Metta World Peace. O ala-armador Kobe Bryant contribuiu com 14 pontos. Apesar da vitória, os Lakers continuam com a péssima campanha no torneio, com 18 vitórias e 25 derrotas. É apenas o 11º da Conferência Oeste. O Utah, com 23 vitórias e 20 derrotas, é o sétimo da mesma conferência. Splitter O brasileiro Tiago Splitter foi um dos destaques da vitória do San Antonio Spurs, fora de casa, por 113 a 107 sobre o Dallas Mavericks. Ele fez um double-double (anotar dois dígitos em dois fundamentos) ao marcar 13 pontos e pegar 12 rebotes. O San Antonio é o vice-líder da Conferência Oeste, com 35 vitórias e 11 derrotas. O Dallas é o 12º, com 18 vitórias e 25 derrotas.

Rafael Nadal será uma das atrações do Aberto do Brasil de tênis

R

afael Nadal não fez muitas exigências para disputar o Brasil Open, no começo de fevereiro, em São Paulo. Pediu apenas quartos individuais no hotel aos membros de seu estafe e para ser tratado como “um tenista qualquer” no torneio no Ginásio do Ibirapuera. Mas a organização teve de se apressar para adequar o evento e receber um astro mundial. Para ter o espanhol, atual número cinco do mundo, a Koch Tavares, empresa responsável pelo Brasil Open, teve de reforçar bastante o número de seguranças, por exemplo, nas dependên-

cias do ginásio e também para uso próprio Nadal. “Quando se tem uma personalidade do nível dele, algumas exigências de segurança a mais são feitas naturalmente, pela quantidade de gente que ele traz para um evento e que provavelmente vai cercá-lo. Claro que as preocupações são aumentadas, é um astro mundial e precisamos tomar alguns cuidados”, afirmou Roberto Burigo, gerente de competição da empresa. Em quadra e durante a semana do Brasil Open, Nadal não terá privilégios como horário específico de treino, salas especiais ou

transporte especial, segundo Burigo. Será tratado como todos os outros tenistas, com exceção, é claro, de participações em eventos de patrocinadores e entrevistas já combinadas previamente. Nada, porém, vai atrapalhar a programação de treinos e descanso do espanhol. Em dezembro do ano passado, a mesma empresa foi responsável pela exibição que o melhor do mundo, Roger Federer, fez em São Paulo. Por isso, alguns acontecimentos serviram de lição para que erros não sejam cometidos com Rafael Nadal. “O Federer nos ensinou muito nessa passagem

dele pelo Brasil. Não haverá esquema especial, pois há diferenças em um torneio exibição e um torneio chancelado pela ATP”, completou o dirigente. Para bancar os custos de ter um jogador “Top 5” na capital paulista (pouco mais de R$ 2 milhões), a organização teve de aumentar os preços dos ingressos. Divididos em lotes, as entradas começaram a ser vendidas com preços promocionais a partir de 15 reais. A tendência, segundo Burigo, é que no último lote para os jogos do domingo, dia da final, por exemplo, os preços cheguem a até R$ 450.. (espn.com)

Julio Cesar diz que recebeu ligação de Felipão antes de convocação para duelo contra Inglaterra

O

goleiro Julio Cesar revelou que recebeu um telefona do técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, antes de ser convocado na última terça-feira para o confronto com a Inglaterra no dia 6 de fevereiro, em Londres. O arqueiro titular na Copa do Mundo de 2010 afirmou que o treinador ligou há algum tempo para saber sobre sua motivação de jogar pela equipe. Felipão não garantiu que o jo-

gador seria chamado e fez apenas uma consulta. “Eu vi um número e costumo não atender, mas nesse dia eu atendi [era Scolari]. Batemos um papo bacana e ele queria saber como eu estava, minha motivação, o fato de querer voltar a seleção brasileira. Eu estava confiante em voltar pro causa dessa ligação”, falou Julio Cesar à TV Record. “É uma nova oportunidade que foi dada. Estou muito feliz com esse

retorno que estava projetando.” O goleiro é o grande destaque do pequeno QPR, que faz campanha ruim no Campeonato Inglês e está na última posição. Ainda assim, Julio despertou o interesse dos times grandes do país após algumas boas atuações. Segundo a imprensa local, Manchester United e Arsenal pretendem contar com o brasileiro. “São dois grandíssimos clubes, respeitadíssimos, mas minha

realidade é o QPR e estou trabalhando para livrá-lo da segunda divisão.” Depois de sete anos na Inter de Milão, Julio Cesar perdeu espaço no time italiano e decidiu arriscar uma mudança para Londres, onde passou a defender o QPR, time sem grande força e que costuma brigar contra o rebaixamento, para voltar a jogar com mais frequência. Aposta que parece ter dado certo.. (uol)

Nenê Outro brasileiro que foi bem na rodada foi Nenê. Ele anotou 14 pontos e pegou sete rebotes na vitória do Washington Wizards sobre o Minnesota Timberwolves por 114 a 101, na capital americana. Apesar disso, os Wizards fazem péssima campanha, com dez vitórias e 31 derrotas, na penúltima colocação da Conferência Leste. O Minnesota é o décimo da Conferência Oeste, com 17 vitórias e 23 derrotas.. (espn.br)

Liverpool faz nova tentativa para contratar Philippe Coutinho

Segundo a imprensa britânica, o Liverpool faz sua terceira, e última tentativa, de tirar o meia-atacante brasileiro Philippe Coutinho da Inter de Milão. O clube estaria disposto a subir sua última proposta, que foi de 8 milhões de libras. Na semana passada, a Inter teria aceitado oferta de 10 milhões de libras do Southhampton pelo jogador, mas Coutinho não queria ir para o mediano clube. Mesmo tendo pouco atuado na Inter, o brasileiro é visto no Liverpool como esperança para tirar o time da pasmaceira na Premier League.. (espn.br)

Arthur Zanetti reclama de condições ruins de trabalho e ameaça deixar seleção se técnico não renovar

O

ouro olímpico conquistado nas argolas nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012 parece não ter mudado muito a vida do ginasta Arthur Zanetti, que reclama de falta de boas condições de trabalho para o prosseguimento da carreira. Zanetti treina na Associação de Ginástica Di Thiene, em São Caetano do Sul, onde seu treinador reclamou do calor excessivo pelo material do teto e também que as chuvas fazem com que o local sofra com goteiras. Um dos fatos mais reclamados é quando a uma minúscula sala de ginástica improvisada. “O máximo que dá para fazer são quatro pessoas ao mesmo tempo. Mais do que isso atrapalha. E tem aparelhos quebrados e faltam pesos”, falou Zanetti. “Você se esforça durante 15 anos de treinamento, é campeão olímpico e depois vê que não levam o esporte a sério e não in-

Benítez reclama de falta de opções no Chelsea e pede reforços

Arthur Zanetti comemorou a medalha de ouro exibindo a bandeira do Brasil

centivam o atleta”, continuou. O técnico de Arthur, Marcos Goto, disse que depois do ouro o atleta não conseguiu capitalizar verbas e patrocinadores. Permanece com apenas dois. O treinador reclama também de não ter sido procurado pela Confederação Brasileira de Ginástica para a renovação de seu contrato, que venceu em dezembro de 2012. Goto afirmou que caso

não continue à frente da equipe, o campeão olímpico também estará fora. “Até agora ninguém conversou conosco. [Se não renovar], ele não vai. O Arthur e o técnico são uma pessoa só”, explicou. “Se ele não for, eu não vou. Ele é meu técnico e quem me criou”, falou Zanetti. A presidente da Confederação Brasileira de Ginástica, Luciene Resende, afirmou que o contrato do

técnico será renovado. “Deveremos aguardar toda essa assinatura de patrocínio pra firmar com atletas e técnicos. Ele [Groto] foi convidado na gestão passada e com certeza estará participando da nossa comissão técnica”, falou à TV Record. A prefeitura de São Caetano do Sul afirmou que vai fazer reformas no local de treinamento do atleta.. (uol)

Treinador do Chelsea desde 21 de novembro do último ano, Rafa Benítez está insatisfeito com o número de jogadores que tem à disposição no clube londrino. Após comandar a equipe em 18 jogos nos últimos dois meses, o técnico espanhol reclamou do calendário cheio e ressaltou a necessidade de buscar reforços ainda nesta janela de transferências do futebol europeu, que se estende até o próximo dia 31 de janeiro. “Eu tive uma boa conversa sobre isso com o proprietário do clube (Roman Abramovich) outro dia. Dei minha opinião e ele me ouviu. Mas tenho que me concentrar no time”, disse. “Preciso jogar com Lampard e Ramires o tempo todo, porque temos problemas com lesões, suspensões e dois jogadores (nigerianos Victor Moses e Obi Mikel) na Copa Africana de Nações”, explicou. Com elenco avaliado em 292 milhões de euros (aproximadamente R$ 797,8 milhões), o Chelsea atingiu o auge de sua história na última temporada ao conquistar o título da Liga dos Campeões. O troféu continental expandiu o calendário de jogos da equipe inglesa, que precisou disputar a Supercopa da Europa e o Mundial de Clubes, sendo derrotado nas duas competições. “O time que temos foi vitorioso no ano passado e, como resultado, tivemos mais competições nesta temporada. Precisamos jogar partidas extras no Japão e em Mônaco. Temos jogadores na Copa Africana de Nações e tivemos que lidar com lesões de Lampard, Terry e Romeu”, completou Benítez, que ainda pediu maiores folgas para os jogadores entre os jogos oficiais. “Podemos perceber a diferença quando os atletas conseguem ter um descanso. Quando eles têm três ou quatro dias para recuperação, ficam bem. Quando são apenas dois dias, o desempenho já não é tão bom”, encerrou. Após enfrentar o Swansea City, na última quarta-feira, e ser eliminado nas semifinais da Copa da Liga Inglesa, o Chelsea volta a entrar em campo neste domingo, às 10 horas (de Brasília), quando mede forças com o Brentford, no Griffin Park, em partida válida pela Copa da Inglaterra.. (espn.br)


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

A8

Apesar de chuvas, Nordeste levará uma década para se recuperar de efeitos da seca

Segundo especialistas, a recuperação de um período de estiagem tão longo e intenso só deve acontecer em um década

Santa Maria da Boa Vista é uma das 72 cidades de Pernambuco que está em situação de emergência devido a seca

A

volta das chuvas no semiárido nordestino trouxeram a esperança de dias melhores ao sertanejo, mas ainda estão longe de acabar com a devastação ambiental causada pela seca desde o início de 2012. Segundo especialistas e autoridades, a recuperação de um período de estiagem tão longo e intenso só deve acontecer em um década. Isso, caso

as chuvas voltem à média nos próximos meses e ações governamentais sejam tomadas para garantir o abastecimento de água. A seca 2012-2013 já é considerada a pior em pelo menos 40 anos. Em muitas regiões do sertão, a semana foi de chuva intensa, que chegaram a causar prejuízos e levaram municípios que sofriam com a seca a decretar

emergência no Piauí e na Bahia. Porém, devido ao deficit hídrico acumulado, as chuvas não devem ser capazes de suprir toda a carência deixada nos últimos meses. É a chamada “seca verde”, quando o pasto floresce, o chão fica úmido, mas não houve um bom acúmulo de água. “As chuvas que caíram esses dias foram importantes, mas não foram sufi-

cientes para a regularização do deficit hídrico no Estado. O que tem chovido não corresponde a 10% do necessário para a normalização hídrica do Estado. É necessário que as chuvas continuem a cair”, afirma o meteorologista da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Sergipe, Overland Amaral. Mesma situação de “seca verde” é enfrentada na Bahia. “Essas chuvas deram uma aliviada, mas não resolvem o problema, pois o deficit é muito grande e vem de longo tempo. Há ainda um prejuízo muito grande para a agricultura, pois a retomada vai demorar muito tempo.”, afirma o coordenador da Defesa Civil da Bahia, Salvador Brito. 10 anos de recuperação Em Alagoas, 37 municípios sofrem com a estiagem e a situação também é de caos. Para o ex-secretário de Estado da Agricultura e recém-empossado na cidade de Pão de Açúcar, Jorge Dantas (PSDB), é preciso que o governo federal participe de forma

mais atuante no processo. Ele também acredita que a recuperação nordestina só ocorrerá a longo prazo. “Serão 10 anos para recuperar os efeitos desta seca. Precisamos pensar em ações de médio e longo prazo, porque a seca é um efeito natural que sempre acontece. É necessário propor a criação de um órgão a nível federal específico para seca”, disse. Diante da necessidade de recuperação a médio e longo prazo, a AMA (Associação dos Municípios Alagoanos) preparou uma série de reivindicações que serão entregues, nos próximos dias, ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho. Entre as medidas solicitadas estão o fortalecimento do programa de segunda água, que prevê a construção de cisternas com capacidade para 52 mil litros (que serviria para consumo animal), recuperação de 100% dos poços artesianos e criação de um programa para plantio da palma (vegetação da mesma família do cacto, que sobrevive a

longos períodos de seca, mas serve de alimento para o rebanho). Na Paraíba, onde 195 municípios decretaram emergência, as chuvas caíram com menos intensidade nos últimos dias. A situação no Estado ainda é considerada bastante preocupante, especialmente no que diz respeito a questão pecuária. Segundo o presidente da Federação da Agricultura da Paraíba, Márcio Borba, 40% das cabeças de gado do Estado foram perdidas com a seca, seja por morte, transferência de Estado ou abate antecipado. “A Paraíba tinha 1,2 milhão de reses [animais que se abatem para a alimentação] antes da seca, e hoje não temos 800 mil. Se continuar seco, além das 40% perdidas, 30% irão daqui para o final de 2013. Vamos levar de oito a 10 anos para recuperar esse índice, caso tenhamos anos normais e se houver incentivo do governo federal, que até agora tem feito algo quase que insignificante”, disse.. (uol)

Excesso de peso da mulher prejudica casamento, diz estudo

U

m estudo realizado pela Universidade do Arizona e pela Universidade de Puget Sound, nos Estados Unidos, divulgado mês passado no Journal of Social and Personal Relationships, concluiu que os “quilinhos a mais” podem afetar o relacionamento do casal. Principalmente se quem estiver acima do peso for a mulher.

Dos 43 casais heterossexuais analisados, os que mais reportaram conflitos foram aqueles formados por homens de peso saudável e mulheres gordinhas. Mas quando o homem é quem estava acima do peso, o “nível de discussões” registrado na pesquisa era igual ao de casais sem problema com a balança. “Isso acontece porque estamos em

uma sociedade machista, onde o homem pode engordar, mas a mulher tem que estar sempre linda”, diz o psicólogo Tiago Lupoli. A professora Tricia Burke, do departamento de estudos comunicacionais da Universidade de Puget Sound, que liderou o estudo, afirma que o mais importante é reconhecer o esforço do cônjuge caso ele

decida fazer dieta e encarar uma rotina exercícios. E lembra que a comunicação é essencial. “Mesmo que haja riscos de discussões e conflitos, alguns mecanismos de comunicação podem reduzi-los”, declarou ao Wall Street Journal. Lupoli concorda: “A famosa ‘DR’ (discutir a relação) é essencial para manter o relacionamento saudável”.

Existem, ainda, outros cuidados, indicados pelo especialista, que ajudam a lidar com o problema. O assunto é polêmico e já rendeu um livro, escrito por Betsy Schow, uma americana que passou pelo dilema e conseguiu superá-lo com a ajuda do marido. O peso é, sem dúvida, uma preocupação feminina frequente. Se você é mulher, provavel-

mente já perguntou a seu namorado, noivo ou marido: “Amor, você acha que eu estou gorda?”. Mas até então essa era apenas uma questão de estética ou vaidade exagerada. Lidar com o assunto é uma questão delicada e também pode ser estressante para o casal. Por isso, reconhecer o problema e conversar é fundamental.


CadernoB

DiaDia

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Desembargador diz que há indícios contra 20 deputados estaduais Curiosamente, apenas dois foram denunciados pelo Ministério Público em polêmica ação judicial REPORTAGEM JD da Redação

E

sta semana, o confronto de ideias entre a procuradora do Ministério Público Estadual, Ivana Cei, e o desembargador Constantino Brahuna, deixou ainda mais sob suspeita as ações que o MP move contra deputados estaduais. Se por um lado Ivana Cei diz que não existe a necessidade de denunciar todos os deputados listados no processo iniciado com a Operação Eclésia, Constantino Brahuna afirma que a estratégia do Ministério Público está equivocada. E ele não está só nesse pensamento. O desembargador Gilberto Pinheiro, um dos mais antigos membros da corte de Justiça amapaense, ao analisar a denúncia feita pelo Ministério Público, também visualizou indícios de que todos os deputados citados no processo, ou seja, 20 dos 24 existentes, deveriam ser incluídos no rol de denunciados pelo MP. Diante disso, Gilberto determinou a emenda do processo, considerando a indivisibilidade da ação penal pública, uma vez que só foram denunciados apenas dois parlamentares. De acordo com o voto do desembargador Gilberto Pinheiro, a Assembleia Legislativa do Amapá é composta de 24 parlamentares e a denúncia apresenta um demonstrativo geral de gastos de vinte deputados. “Na folha dez da denúncia diz: as provas extraídas nos documentos juntados revelam cristalinamente que não ocorreu, por parte da agência de viagem, a maior parte da contraprestação do serviço contratado e pago pela Assembleia. Na verdade, como se extrai dos documentos juntados, os pagamentos à empresa serviram principalmente para permitir vultosos desvios de recursos. Volto a frisar que a Assembleia é composta por 24 deputados e não apenas pelos dois denunciados”, diz parte do voto

de Gilberto. Ele continua o texto dizendo que o Ministério Público é o autor da ação penal pública, assim, nos delitos processados e julgados nessa condição, incidirá o princípio da obrigatoriedade, ou seja, diferente da ação penal de iniciativa privada, em tais situações o MP estará obrigado a oferecer a denúncia. “Jamais poderá agir de acordo com sua conveniência, na medida em que o ato é vinculado, e o Ministério Público não pode optar, como no caso em comento, por denunciar apenas dois e deixar de ofertar denúncia em desfavor dos demais, mesmo por razões de políticas criminais”, ressaltou o desembargador. Ambos os deputados acusados na ação foram denunciados pela prática de crime previsto na lei de licitações, bem como por formação de quadrilha. “A denúncia imputa aos denunciados vários crimes, em relação a alguns dos quais não houve descrição do fato, de suas circunstâncias, além da ausência de individualização da conduta dos denunciados, o que conduz a uma possível inépcia”, diz outra parte do voto de Gilberto. Nesse sentido, determinou pelo não recebimento da denúncia determinando a remessa da ação de volta para o Ministério Público afim de que seja feita uma emenda no processo, incluindo os demais co-réus que, em tese, teriam se beneficiado dos supostos ilícitos descritos na acusação. Várias falhas A briga envolvendo Ministério Público e deputados estaduais não é de hoje. Começou ainda no início de 2011, quando Moisés Souza assumiu a presidência da Assembleia. O promotor Adauto Barbosa criticou ferozmente o uso da verba indenizatória pelos deputados, que na época poderia chegar a R$ 100 mil. Os parlamentares não gostaram e processaram, um por um, o promotor de Justiça.

CELIANE FREITAS

De acordo com o voto do desembargador Gilberto Pinheiro, a Assembleia Legislativa do Amapá é composta de 24 parlamentares e a denúncia apresenta um demonstrativo geral de gastos de vinte deputados

Um ano depois explodia no Amapá a Operação Eclésia, autorizada pelo juízo de primeiro grau e assinada por um promotor de Justiça. Era este o segundo round da briga entre deputados estaduais e Ministério Público. A tal operação teve como objetivo apurar eventuais atos de improbidade administrativa na gestão da Assembleia Legislativa. Porém, é aqui na Operação Eclésia que o MP começa a colocar suas ações em xeque. Assinada por um promotor de Justiça e autorizada por uma juíza de primeiro grau, a Eclésia perdia seu efeito jurídico, uma vez que era movida contra parlamentares que possuem foro privilegiado.

Nesse caso, apenas a procuradora geral do MP, Ivana Cei, e o presidente do Tribunal de Justiça do Amapá poderiam subscrever tal ação. Por conta disso, a operação chegou a ser suspensa e depois refeita. Foi então que Ivana entrou no circuito diretamente, subscrevendo tal ação contra os deputados. Curiosamente, apesar de 20 deputados serem listados no processo, Ivana optou por denunciar apenas dois: Moisés Souza e Edinho Duarte. É nesse ponto que mais uma vez a ação do Ministério Público é questionada. Ora, dois magistrados identificaram os mesmos erros no processo: se há indícios contra vinte parla-

mentares, porque então apenas dois foram denunciados? Essa foi a indagação feita pelos desembargadores Gilberto Pinheiro e Constantino Brahuna, que negaram o recebimento da ação nos moldes como estavam. Em sessão anterior a de quarta-feira, os desembargadores Agostino Silvério, Gilberto Pinheiro e Constantino Tork Brahuna (que assumiu a relatoria com a saída da juíza Sueli Pini), votaram a favor de Moisés Souza, para que a denúncia fosse rejeitada. Para esses magistrados, o parlamentar não tem a obrigação de prestar contas ao Ministério Público dos gastos executados pelos parlamentares.

No julgamento da última quarta-feira foi iniciado com o voto do desembargador Raimundo Vales, que havia pedido vistas do processo anteriormente. O magistrado, ao contrário dos três anteriores, votou pela aceitação da denúncia. Disse em seu voto que o gestor público tem a obrigação de prestar contas. A votação foi interrompida em razão da ausência do juiz convocado Décio Rufino, que havia participado da sessão anterior. Enquanto uma nova sessão não acontece, Justiça e MP travam uma guerra jamais vista. Os dados estão na mesa. Façam suas apostas para saber quem ganha essa guerra.

Piratas Estilizados é a campeã do Festival de Samba de Enredo

O

Grêmio Recreativo Escola de Samba Piratas Estilizados sagrou-se como o grande campeão do Festival de Samba de Enredo 2013, com 89,6 pontos, trazendo o enredo “Bar do Abreu é Tradição! Estilizados Vivencia sua História na Apoteose da Emoção”, dos compositores: Aureliano Neck, Nonato Soledade e Ademir do Cavaco. A segunda colocada foi a Embaixada de Samba Cidade de Macapá, com 89,1 pontos. E a terceira

colocação ficou com a Escola de Samba Piratas da Batucada, com 89 pontos. “Foi uma luta de Titãs do samba”, comentou a carnavalesca Tica Lemos. Uma multidão se deslocou para a sede da Associação dos Empregados da Eletronorte (Aseel) para uma prévia do Carnaval deste ano, durante o Festival de Samba de Enredo, realizado nesta sexta-feira, 25, sob a coordenação da Liga das Escolas de Samba do Amapá (Liesap), tendo como patrocinador

oficial do Carnaval o Governo do Estado do Amapá (GEA), além da Você Telecom e da Cervejaria Nova Schin. Foram colocados à disposição do público cinco mil ingressos ao preço de R$ 10,00. Nem a chuva que ensaiou alguns pingos não desanimou o povo em continuar lotando o espaço da Aseel. A abertura do evento coube ao presidente da Liesap, Luiz Mota. Nos intervalos, a apresentação do show do DJ Tonelada e dos grupos

de samba Pagode Nosso Jeito e Sentimento Puro. De acordo com o regulamento, cada escola de samba deveria se apresentar com no máximo 30 ritmistas, mais intérpretes, músicos e mestre de bateria, o que foi rigorosamente cumprido pelas escolas. O tempo de apresentação de cada samba estabelecido era de no máximo de cinco passadas, que é a repetição do Samba de Enredo. O intervalo entre as apresentações foi de 15 minutos.

Foram avaliados os quesitos: letra, melodia e arranjo. A comissão julgadora foi composta por nove membros mais o presidente da mesa. O samba campeão do festival foi premiado com R$ 4.000,00, mais troféu. O segundo e terceiro lugar receberam apenas o troféu. Estava previsto no regulamento, caso alguma escola não estivesse presente na hora programada, além de desclassificada, seria punida com a multa de cinco salários mínimos,

recurso que seria rateado entre a Liesap e a escola campeã. Mas, todas compareceram. Na plateia, milhares de pessoas deram o tom de como será o Carnaval deste ano. Em torcidas organizadas, portando bandeiras e camisas das escolas, os simpatizantes fizeram a festa durante a exibição individual. Com o resultado sagrando a Piratas Estilizados, diretoria, simpatizantes e os carnavalescos fizeram um show a parte em frente ao palco.

Municípios amapaenses fazem pacto pela Alfabetização na Idade Certa

S

erá lançado na segunda-feira (28), a partir das 8h, no anfiteatro da Universidade Federal do Amapá (Unifap), o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). O objetivo é assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os 8 anos de idade, ao final

do 3º ano do ensino fundamental, contribuindo para a melhoria do percurso de escolarização com sucesso nos anos sequentes do ensino. O pacto é composto por um conjunto integrado de programas, materiais e referências curriculares e pedagógicas que serão

disponibilizados pelo Ministério da Educação (MEC). Seu eixo principal é a formação continuada dos professores alfabetizadores, com ênfase em materiais didáticos e pedagógicos, avaliações e gestão, controle social e mobilização. O papel da Secretaria de

Estado da Educação (Seed) é promover a participação das escolas de sua rede de ensino que tenha o primeiro seguimento 1º, 2º e 3º anos para que todos participem desse programa onde todos serão contemplados com a formação continuada especificamente para alfabetização.

Esta será a primeira etapa de um projeto, que terá duração de dois anos, desenvolvido por meio de módulos de formação com 200 horas para os orientadores de estudo e um curso de 120 horas para os professores dos anos iniciais do ensino fundamental. Analfabetismo - Segun-

do o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no período entre 2000 e 2010 a taxa de analfabetismo no Brasil, até os 8 anos de idade, caiu 28,2%, com variações entre os estados da federação, alcançando uma taxa de alfabetização média de 84,8%.


JD

Geral

B2

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Gestores amapaenses esperam compe

Uma das explicações para as dificuldades financeiras quanto aos investimentos no m REDAÇÃO JD DA REPORTAGEM

I

nicia nesta segunda-feira (28), em Brasília o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas – Municípios fortes, Brasil Sustentável. Promovido pelo Governo Federal e coordenado pela Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, o encontro dará suporte aos gestores municipais com informações sobre programas e ações federais. No Amapá, expectativa dos prefeitos é pactuar parcerias para aliviar sufoco administrativo, dificuldades também enfrentadas pela queda no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), decorrente das isenções de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Nos próximos três dias, gestores de municípios brasileiros estarão reunidos com um único objetivo, conhecer a estrutura do Governo Federal. A maioria das cidades recebeu as prefeituras dos antecessores completamente destruídas, com zero em caixa e milhares de compromissos e quem vêem nas ações executadas pela União em parceria com os governos municipais, como Brasil sem Miséria, PAC II, Política Nacional de Saneamento e de Resíduos Sólidos, entre outros uma forma de minimizar os impactos na administração. Os participantes também

terão acesso a oficinas técnicas sobre o sistema de convênios e outros instrumentos de modernização administrativa, além de ter acesso a boas práticas de municípios e consórcios públicos intermunicipais em diversas áreas. Haverá 26 estandes de ministérios e órgãos federais à disposição dos gestores municipais. A idéia é que cada prefeito obtenha um diagnóstico dos programas federais e oportunidades de parcerias em sua cidade. Além do corpo técnico dos ministérios, os ministros também farão atendimento personalizado durante o encontro. Cada ministério apresentará programas prioritários de acordo com a demanda dos prefeitos. Na área de educação, uma das mais requisitadas, as prioridades são informações para a ampliação do número de creches, quadras poliesportivas, e programa de treinamento técnico e de educação no campo. Para a presidente da Associação dos Municípios do Estado do Amapá (AMEAP), Euricélia Cardoso, a ocasião será de plena familiarização dos gestores para com as ações da União, mas apesar da grandiosidade do evento, será apenas um momento para se tomar conhecimento sobre a estrutura governamental. “Neste primeiro momento

é de troca de informações. Os gestores terão oportunidade de discutir suas pautas específicas no grande encontro marcado para maio” disse a presidente. Queda do FPM De acordo com a Confederação Nacional de Municípios (CNM) cerca de 387 municípios não receberam recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) na partilha de 10 de janeiro, a primeira do ano. O não repasse ocorreu em função de dívidas previdenciárias e tributárias com a União, retidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ou pela Receita Federal. A retenção impossibilitou o repasse aos gestores, que tem no FPM a principal fonte de receita e com bloqueio acaba causando um enorme problema financeiro. Segundo a CNM a dívida dos municípios com a União chega a R$ 25 bilhões. Perdão das dívidas Prefeitos que acabaram de assumir e herdaram dívidas querem, pelo menos, acertar as contas com o governo federal. Só para a Previdência Social, os municípios devem R$ 25 bilhões, mas calculam que tem R$ 30 bilhões a receber da União, porém, o governo afirma ser bem menos, algo entorno de R$ 800 milhões e apenas para uma parte dos muni-

Para a presidente da Associação dos Municípios do Estado do Amapá (AMEAP), Euricélia Cardoso, a ocasião será de p do evento, será apenas um momento para se tomar conhecimento sobre a estrutura governamental.

Ministério da Integração Nacional apresenta programas e ações no Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas O Ministério da Integração Nacional participa, de 28 a 30 de janeiro, do Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas – Municípios Fortes, Brasil Sustentável, que vai acontecer no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF). A presidenta da República, Dilma Rousseff, fará a abertura do evento, às 18h da próxima segunda-feira (28), com a presença do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, e de outras pastas. Na quarta-feira (30), às 14h30, Fernando Bezerra Coelho vai proferir palestra sobre o tema “Prevenção, Monitoramento e Resposta a Desastres Naturais”. Até o final do Encontro, 28 ministros de Estado participam da programação com palestras que abordam as principais ações e metas do Governo Federal. A Integração Nacional vai apresentar aos novos gestores municipais os programas que executa. “A participação dos municípios é muito importante para alcançar os objetivos desses programas”, afirma Fernando Bezerra Coelho, destacando os programas voltados para a oferta de água. “Boa parte da preocupação do Ministério da Integração Nacional é promover a oferta de água de qualidade em toda a extensão do território nacional, não só para consumo humano, mas também para fins de uso em atividades produtivas, seja em comércio, em indústria, a irrigação ou na agricultura”, acrescenta. Por meio do PAC Infraestrutura Hídrica, estão sendo viabilizados o projeto de transposição do Rio São Francisco, a constru-

CELIANE FREITAS

A presidenta da República, Dilma Rousseff, fará a abertura do evento, às 18h da próxima segunda-feira (28), com a presença do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, e de outras pastas.

ção de grandes adutoras, barragens e diversos sistemas de abastecimento de água. Outro programa que será tratado durante o encontro de prefeitos será o Água para Todos, lançado em junho de 2011 pela presidenta Dilma Rousseff com a meta de implantar, por exemplo, cisternas, sistemas de água simplificados e pequenas barragens. “O objetivo do Água para Todos é universalizar o acesso à água, sobretudo nas regiões mais isoladas e dispersas da zona rural do Brasil”, diz o ministro. Um terceiro programa que Fernando Bezerra

Coelho destaca como de grande interesse dos municípios é o Mais Irrigação, que tem por objetivo ampliar a área irrigada do Brasil em pelo menos 500 mil novos hectares, “seja através de investimentos privados - sobretudo utilizando os investimentos de parceria pública privada -, seja os investimentos conduzidos pela Codevasf e pelo DNOCS na ampliação de perímetros irrigados”. Fernando Bezerra Coelho ressalta uma outra frente de atuação do Ministério da Integração que terá destaque no encontro de prefeitos: as ações volta-

das para o enfrentamento de riscos e desastres naturais, seja devido a chuvas fortes ou à estiagem, que impacta principalmente o semiárido, mas também o sul do País. Oficinas Paralelamente à programação principal do Encontro Nacional, serão realizadas oficinas de capacitação e mesas de boas práticas. No dia 29, o Ministério da Integração Nacional participa da programação com duas oficinas. A primeira, com eixo no Desenvolvimento Urbano e Ambiental, fala sobre o Sistema

Integrado de Informações sobre Desastres e o Processo de Reconhecimento Federal de situação de emergência e estado de calamidade pública. A segunda traz como tema o Cartão de Pagamento da Defesa Civil. Ambas são organizadas pela Secretaria de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional. A intenção é promover o treinamento e qualificação para que os gestores conheçam as ferramentas que dão acesso aos recursos e aos programas do Governo Federal. O Ministério também

terá um estande no espaço de atendimento direto aos gestores municipais no Encontro. A ideia é esclarecer dúvidas e fornecer informações sobre os principais programas em que o Ministério trabalha. O objetivo do evento é apresentar aos novos gestores municipais os programas do Governo Federal que têm reflexo direto nas Prefeituras com base em quatro diretrizes: Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Ambiental e Urbano e Participação Social e Cidadania.


Geral

JD

B3

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

ensações no encontro com Dilma

município pode estar nas contrapartidas que muitas vezes não pode ser dada CELIANE FREITAS

plena familiarização dos gestores para com as ações da União, mas apesar da grandiosidade

cípios endividados. A união estuda a possibilidade de descontar da dívida que os municípios têm com o INSS os créditos que as prefeituras têm a receber da Previdência. O governo editou uma portaria que autoriza estados e municípios a parcelar, em até oito anos, as dívidas com a Previdência. Quem não aderir até 29 de março não poderá fazer empréstimos em bancos oficiais e organismos internacionais, e também não poderá firmar convênios com a União. De olho da reeleição A estratégia da presidente Dilma Roussef é abrir um canal direto com os prefeitos e neutralizar, de certa forma, deputados e senadores, assim como os lobistas, que tradicionalmente atuam como facilitadores para obtenção de verbas nos ministérios. Dilma determinou aos ministros que sejam didáticos e objetivos. Além disso, está proibido o uso de tom político em suas falas. A ordem é para que apenas expliquem os programas e projetos que estão ao alcance dos municípios e os caminhos que os prefeitos devem seguir para terem acesso aos benefícios. A presidente pretende aproveitar o momento político, em que os prefeitos estão montando seus governos e estabelecendo suas prioridades de traba-

lho, para trazê-los para mais perto do governo federal. Contrapartidas Uma das principais dificuldades enfrentadas pelos gestores também são as contrapartidas acarretadas pelos programas federais, cujas contrapartidas são de 50%, 60%, na maioria das Prefeituras, impossíveis de viabilizadas em função da arrecadação própria. Programas e ações Ainda não há um número fechado de recursos a serem anunciados para liberação para os municípios, porém, a presidente Dilma pediu que a área econômica verifique se há alguma viabilidade de atendimento a uma antiga reivindicação dos prefeitos, que é o “encontro de contas”. A área econômica e o próprio governo sempre tiveram resistência a este antigo pedido da Confederação Nacional dos Municípios. Este “encontro de contas” prevê a contabilização de débitos e créditos das contas dos municípios, de um lado, e da Receita Federal e o Instituto Nacional do Seguro Social, de outro. Não há sinalização de que este antigo impasse possa ser resolvido. A orientação aos Ministérios ligados à área social, saúde e infraestrutura foi de que preparassem apresentações destacando os

principais programas e convênios que podem ser feitos em parceria com o governo federal. Na área de educação, o governo quer empenhar esforços para a construção de mais creches e promover o fortalecimento do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Suporte aos Municípios amapaenses No Amapá, além do Encontro com a presidente que promete ser produtivo, a diretora da Escola do Legislativo, Euricélia Cardoso lembrou que deve estabelecer ações necessárias para auxiliar gestores e equipes técnicas da Prefeituras. A meta é construir um calendário de atividades, qualificando e seus os municípios servidores públicos para melhor prestação de serviços. “Quando você qualifica o servidor público, isso reflete na qualidade dos serviços prestados à população” acrescentou Euricélia Cardoso. Ao longo do ano, a Escola do Legislativo deve atuar com a elaboração e promoção de cursos, seminários, palestras e conferências voltados ao servidor público e seus gestores. O primeiro evento é ser realizado será o seminário para Câmaras de Vereadores dos municípios amapaenses.

Código de Trânsito Brasileiro completa 15 anos e mostra muitas falhas

O

Código de Trânsito Brasileiro, (CTB) completou na terça-feira passada (22), 15 anos de vigência. E a primeira constatação é a de que o quadro de acidentes não se modificou positivamente. Primeiro porque a lei vem revelando falhas e lacunas imensas. Segundo, porque as medidas complementares, como investimento em infraestrutra viária, educação e fiscalização de trânsito são ineficientes. A dura realidade do trânsito no Brasil é mostrada por estudo desenvolvido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) que confirma, através de dados definitivos de 2008 a 2010, que o Brasil continua seguindo um caminho inverso a maioria dos países. Em 1971, a taxa de mortes por Acidentes de Trânsito (AT) em nosso país era de 11,1 a cada 100 mil habitantes, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Em 2010 passou para 22,5. A taxa nacional está seguindo um caminho preocupante, não demonstra sinais de queda. O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, ressalta que mais preocupante ainda vem sendo a evolução dos acidentes de moto no Brasil. “A partir de 2007, a quantidade de mortes por acidentes de moto começou a ultrapassar a quantidade de mortes por acidentes de carro, mesmo sendo a frota de motos três vezes menor”, destaca. A frota de motos quadruplicou no período de 2000 a 2010, fator que potencializou enormemente a quantidade de acidentes com mortes e a quantidade de internações em hospitais. O número de mortes em acidentes com carros cresceu 72% de 2000 a 2010, enquanto a frota cresceu 76%. Já o número de mortes em acidentes com mo-

tos cresceu 339% no mesmo período, com um aumento de frota de 293%. Crescimento da frota e de mortes Segundo Ziulkoski é interessante ponderar que na última década a população brasileira cresceu 11%, a frota de automóveis cresceu 86% e a frota de motos cresceu 257%. As taxas de mortes por acidentes com automóveis e com motos segundo a população mostram como o risco de óbito por AT vem aumentando em ambos os tipos de acidentes. No entanto, a taxa de mortes por AT com motocicleta tem um crescimento progressivo e mais acentuado, passando de 1,5 mortes a cada 100 mil habitantes em 2000, para 5,7 em 2010. As taxas de mortes segundo a frota de motocicletas são maiores do que as de acidentes com automóveis em todas as unidades da federação, com quadros mais alarmantes concentrados no Nordeste. “Sergipe apresentou uma taxa de 17,2 mortes a cada 10 mil motocicletas; Piauí (16,0), Maranhão (10,3), Pernambuco (10,0), Rio Grande do Norte (9,4). As menores taxas são do Amapá (1,2), Acre (1,9), Rio Grande do Sul (3,9) e Minas Gerais (4,1)”, conta. Atropelamentos O presidente da CNM entende que uma questão que não pode ser deixada de lado é a relativa à morte de pedestres. Em 2000, 30% das mortes por AT foram de pedestres (atropelamentos), 18% de vítimas ocupantes de automóveis, 9% de ocupantes de motocicletas e 3% de ciclistas. Ou seja, quando se fala em mortes no trânsito, devemos levar em consideração que a maioria delas se trata de pedestres atropelados e não de acidentes com automóveis.

A dura realidade do trânsito no Brasil é mostrada por estudo desenvolvido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) que confirma, através de dados definitivos de 2008 a 2010, que o Brasil continua seguindo um caminho inverso a maioria dos países.

No entanto, essa proporção de atropelamentos vem caindo a cada ano e sendo ultrapassada pelas mortes por acidentes com motos. Em 2000, morreram 8.696 pessoas em decorrência de atropelamentos e 2.465 em decorrência de acidentes com motocicleta. Já em 2010, esse quadro claramente se inverte, morrendo 9.944 pedestres e 10.825 motociclistas. Com base no estudo, o presidente da CNM informa que as mortes por atropelamentos não diminuíram, mas sim as mortes de motociclistas que cresceram em demasia. Em capitais como Belém e Rio de Janeiro, mais de 50% das vítimas fatais em acidentes de trânsito em 2010 foram pedestres. Manaus, Fortaleza, Salvador e São Paulo também registram altos índices de pedestres mortos no trânsito, ultrapassando as mortes por acidentes de carro e moto.

O estudo da CNM também traz uma análise das internações por acidentes de trânsito de 2000 a 2010. Os dados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS/MS mostram que foram registradas no Brasil, em 2011, 153.631 internações de vítimas de acidentes de trânsito, maior quantidade desde 2000. Os anos de 2010 e 2011 tiveram um aumento mais intenso de internações. Consequentemente, as taxas aumentaram bastante, chegando a 79,9 internações por AT a cada 100 mil habitantes em 2011. Financiamento A CNM assinala que apesar de Estados e Municípios terem a maior parte dos encargos com o trânsito, é na União que se concentra o maior volume de recursos, os quais não atendem à finalidade de prevenção de acidentes. Uma das fontes é o Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito

(Funset), destinado à Segurança e Educação de trânsito. O CTB estabelece que 5% do valor das multas de trânsito devem ser depositados mensalmente na conta do Funset, cuja gestão é do Denatran. A arrecadação é superior a R$ 1 bilhão por ano, e quase nada é destinado à sua finalidade. Já o Seguro Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores (DPVAT) foi criado em 1974 para amparar as vítimas de acidentes com veículos em todo o território nacional, não importando de quem seja a culpa. Como se vê, trata-se de um seguro eminentemente social. Um dos objetivos do Seguro DPVAT é contribuir com a manutenção da saúde pública e com a política nacional de trânsito. Do total arrecadado pelo DPVAT, 45% são destinados ao Fundo Nacional de Saúde (FNS), para custeio da assistência médico-hospitalar dos segu-

rados vitimados em acidentes de trânsito, e 5% ao Denatran para aplicação em programas destinados à prevenção de acidentes de trânsito. Em 2011, a arrecadação bruta do DPVAT foi de cerca de R$ 7 bilhões. Pouco desse valor chegou a seu destino. Mas o desvio de finalidade dos recursos contingenciados é uma prática que se estende aos Estados. A maioria dos governos estaduais utiliza os recursos arrecadados pelos Detrans para cobrir despesas gerais, numa clara afronta às normas legais. Conclusão Por tudo isso, nestes 15 anos de funcionamento do CTB falta motivos para comemorar e sobram críticas. “Precisamos repensar esse quadro de inoperância, pois apesar do excesso e do rigor das normas, as mortes continuam acontecendo em escala crescente”, conclui Ziulkoski.


JD

DiaDia

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

B4

Editor: Túlio Pantoja - tuliopantoja@jdia.com.br

Bloco de sujos “A Banda” terá novidades este ano Serão dez trios elétricos, 15 pontos fixos de som em todo o percurso transmitido pela rádio

T

udo começou no ano de 1965, na Sede do Amapá Clube, com um grupo de amigos que resolveu criar um bloco em forma de repúdio contra a atitude de um governador da época contrário a candidatura de Deputado Federal de Janary Nunes. O grupo foi feito para apoiar Janary. Naquele tempo, a música de campanha do candidato era ‘A Banda’, de Chico Buarque, cantada por Nara Leão, que imediatamente os organizadores fizeram dela um hino nacional e o nome ‘Banda’ foi dado ao bloco de sujos de Macapá. No primeiro ano foram para as ruas aproximadamente 15 pessoas, com o tradicional cinturão asfáltico. Ao chegar à frente da Sede do Macapá Clube os brincantes se depararam com uma escolta policial que evitou a conclusão da caminhada, pois sabiam que o Bloco era contra o candidato do governador, da revolução. Nesse mesmo dia aconteceria o tradicional desfile de blocos, onde o governador da época prestigiava. Munidos de convicção, os meninos voltaram para a Sede do Amapá Clube, lá as forças foram renovadas e avigoraram a idéia de continuar o Bloco. Conclusão: Janary ganhou a eleição, a população adotou a Banda e ela tomou força. No ano seguinte 200 pessoas marcaram presença e hoje são mais de 120 mil brincantes que se divertem na caminhada pelas ruas de Macapá. Violência Antigamente existiam as gangues que ao invés de diversão levavam a tristeza, briga e até mortes para o corredor da folia. Porém, de acordo com Savino, fundador da Banda, estes fatos negativos não existem mais. “A violência é praticamente zero na Banda hoje, e isso nos gratifica porque vemos que a população participa positivamente”, conta ele completando que isso é graças aos órgãos de segurança do Estado, comandando pela Polícia Militar, que realiza um trabalho ostensi-

CELIANE FREITAS

vo. “Essa conquista se deve ao fato da credibilidade que a Banda conquistou ao longo dos seus mais de 40 anos que hoje se pode dizer que ela é uma utilidade pública, um patrimônio cultural de toda a comunidade macapaense. Reconhecimento Falando em utilidade pública, foi aprovado o Projeto de Lei 0037/2012, de autoria do deputado Bruno Mineiro que tomba a Associação dos Brincantes e Simpatizantes do Bloco de Sujos A Banda, como Patrimônio Histórico Cultural do Estado do Amapá. E ainda, através da Lei 0966, de 31 de março de 2006, de autoria do Deputado Paulo José, foi aprovada na Assembleia Legislativa, que A Banda foi declarada de Utilidade Pública no âmbito do Estado do Amapá. “Este é o maior título que uma instituição como a nossa poderia receber”, disse Savino ressaltando que a entidade vem todos os anos realizando o carnaval de inclusão, proporcionando a todos que brinquem de graça, nas ruas e avenidas de Macapá. “O nosso abadá, a nossa fantasia é o sorriso exposto no rosto. A Banda tem o seu valor!”. Teatro Savino conta que A Banda tem uma nova missão: a implantação do Teatro Professor Antonio Munhoz Lopes. A diretoria da instituição reuniu, chegou a conclusão que ela precisaria de um Centro Cultural e foi iniciado um projeto em construí-lo. O Governo do Estado doou um terreno e a bancada federal disponibilizou a emenda. Serão dois pavimentos: o primeiro composto com auditório para 250 pessoas para trabalhos com teatro, música e afins. No segundo andar terão salas para aulas de informática atendendo as crianças da comunidade. Os banheiros será todos adaptados, rampas de acesso para receber os deficientes. “Pretendemos ainda firmar parceria com o SENAI para fornecer o curso de costu-

“Essa conquista se deve ao fato da credibilidade que a Banda conquistou ao longo dos seus mais de 40 anos que hoje se pode dizer que ela é uma utilidade pública, um patrimônio cultural de toda a comunidade macapaense.

reira para as mães dessas crianças com certificado. Nossa intenção é a parceria com todos”. Novidades para 2013 Para a terça-feira “gorda” de carnaval já está tudo pronto para a comunidade levar alegria pelas ruas de Macapá. Serão 10 trios elétricos, 15 pontos fixos de som em todo o percurso transmitido pela 90.9 FM. E ainda, arquibancada em toda a extensão do terreno da Escola Estadual Alexandre Vaz Tavares totalizando 200 metros, e um palco para a equipe de profissionais da Escola pri-

vilegiando também idosos e crianças. Os bonecos Os bonecos são uma atração a parte! No primeiro ano que a Banda saiu, o grupo de brincantes encontrou na esquina do Estádio Municipal Glicério Marques um rapaz carregando uma grande boneca Cutião (como era conhecido) entrou e se misturou com os outros 15 participantes. Savino, então, batizou de Chicona a nova integrante, homenagem a uma enfermeira muito bonita que tinha a fisionomia parecida com a da boneca.

A moça não hesitou e aprovou o batismo, ficando como referência folclórica de Macapá. Como é normal no curso da vida, as pessoas casam, constituem família, têm filhos e isso não foi diferente com a Chicona. O professor Munhoz realizou a cerimônia de casamento dela com Anhanguera e o casal teve três lindos filhos: Arizinho, Iracema e o Cutião (homenagem ao criador da boneca). Este ano, os bonecos estão sendo confeccionados em Recife e farão homenagens a algumas personalidades do Amapá, como

Raimundo Adamor Picanço (conhecido como Wanderlei), já falecido e que também dedicou parte de seu tempo para confeccionar o boneco Anhanguera. Percurso Com um trajeto de cinco quilômetros, a caminhada terá concentração a partir das 14 horas na Presidente Vargas (com São José) depois circula pela Cândido Mendes, Henrique Galúcio, Tiradentes, Feliciano Coelho, Leopoldo Machado, Avenida FAB e finaliza na rua São José na Praça do Barão com grande show da Banda Placa.

Semáforos poderão funcionar com luz piscante nas madrugadas

A

Câmara analisa o Projeto de Lei 4380/12, do deputado Ângelo Agnolin (PDT-TO), que determina que os semáforos funcionem, entre meia-noite e 5 horas, em sistema de alerta, com luz amarela piscante, exceto aqueles posicionados em locais cujo fluxo de veículos e pedestres justifique o

funcionamento padrão. Nestes casos, deverá haver decisão fundamentada da autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via. O autor argumenta que, durante a madrugada, condutores de veículos costumam cruzar o sinal vermelho, seja por impaciência, seja por medo de abordagens criminosas. “Ao ultra-

passar o sinal vermelho, o condutor se sujeita a colisão com outro veículo, que se desloca confiante sob o escudo do sinal verde, desenvolvendo a velocidade admitida para a via”, afirma. Segurança aos motoristas Na visão do deputado, a flexibilização noturna dos

semáforos, nas madrugadas, promoverá mais segurança aos motoristas. “Os cruzamentos com sinalização amarela intermitente impõem aproximações cuidadosas, nas quais os condutores de ambas as vias obrigam-se a conter a velocidade dos veículos, redobrando a atenção”, argumenta Agnolin.

O projeto acrescenta artigo ao Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97). Pela proposta, a autoridade de trânsito local poderá ainda estabelecer outros horários para o início e término do sinal amarelo piscante, conforme a característica do local. Para garantir o correto funcionamento da sinalização, o

texto determina a colocação do sinal “Dê a preferência” na via secundária dos cruzamentos. Tramitação O projeto será analisado de forma conclusiva pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Moradores do bairro São Lázaro reclamam da situação precária da rua

N

a Avenida José Alves Pessoa os moradores reclamam por causa de uma cratera que esta no meio da rua. A Avenida fica localizada entre as ruas Julião Ramos e Adilson José Pinto Pereira na Rodovia BR 210 no bairro São Lázaro. De acordo com os moradores, o buraco foi provocado por causa de um cano quebrado há meses atrás. Os funcionários da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) estiveram no local para consertar o cano, porém, embora tenham solucionado um problema, o tamanho dos constrangimentos para os moradores da rua só aumentaram. As vizinhanças tomaram uma atitude de colocar um

pedaço grande de madeira para sinalizar aos veículos que há um sinal perigo. Crianças brincam nas proximidades, e correm o risco de sofrerem acidente também. A passagem dá acesso a Escola São Lázaro que fica 200 metros próximo. A situação dificulta os alunos a passarem quando chove, pois a lama escura impossibilita localizar a vala. Os vizinhos que têm carro são necessário a mudar de trajeto por causa da cratera. Segundo a Deusa Lima, que mora há mais de dez anos na rua, vários carros já ficaram no local, atolados, “todos os anos em época de chuva, piora a situação desta rua” reclamou a moradora. (Mônica Costa)


CadernoC

Atualidades

Editora: Pablo Oliveira- pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Cinema brasileiro sofre com falta de distribuição, diz cineasta Cláudio Assis A produção audiovisual brasileira não pode ficar só nos festivais. Temos que ocupar as salas, temos que melhorar a distribuição”, diz Cláudio

P

roduzir um filme hoje no Brasil é difícil, fazer com que ele chegue às salas de cinema, à programação das TVs, é quase impossível até mesmo para os melhores filme do Brasil, o diretor de cinema Cláudio Assis fala com propriedade. Seus longa-metragens: Amarelo Manga (2002), Baixio das Bestas (2006) e Febre do Rato (2011) foram todos premiados nos principais festivais de cinema do país e todos receberam o título de melhor filme por um ou mais júris. Em debate na 8ª Bienal de Arte e Cultura da União Nacional dos Estudantes, Assis compartilha as dificuldade em ser cineasta e discute o cenário com especialistas e estudantes. “Trabalhamos, lutamos, fizemos o melhor filme [Febre do Rato], mas ele não está nas salas do país. Circulou inclusive pela Europa, mas chegou a poucos cinemas brasileiros. A produção audiovisual brasileira não pode ficar só nos festivais. Temos que ocupar as salas, temos que melhorar a distribuição”, diz Cláudio. O cineasta foi rebatido pelo diretor-presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Manoel Ran-

gel, também presente no debate. Ele afirmou que o cinema ainda tem muitas falhas, mas avançou muito ao longo dos últimos anos. Segundo ele, em 2003 o setor recebeu R$ 40 milhões do governo federal e R$ 100 milhões em leis de incentivo. Em 2012, houve um crescimento de mais de seis vezes, o investimento do governo passou para R$ 300 milhões e os incentivos mais que dobraram, alcançando R$ 250 milhões. Os valores são destinados à produção audiovisual. A dificuldade maior está na hora de exibir as obras. São hoje 2,5 mil salas em todo o país, o que equivale a uma sala para cada 79 mil habitantes, de acordo com a Ancine. Rangel é otimista. “Em 2002, tínhamos uma sala para cada 95 mil habitantes. Uma pequena mudança, mas não podemos deixar de reconhecê-la”. Além de não chegar aos espectadores, os filmes não seriam acessíveis. O cineasta amazonense Júnior Rodrigues faz parte do projeto Uayná Lágrimas, que viaja o país exibindo filmes com audiodescrição (para surdos) e videodescrição (para cegos e pessoas de baixa visão). “Hoje não existem nem dados de

“Produzir um filme hoje no Brasil é difícil” diz o cineasta Cláudio Assis

quantos filmes acessíveis são produzidos, nem de quantos são exibidos. Viajamos a capitais e encontramos pessoas com deficiência que nunca tiveram acesso ao cinema”. Cabe à Ancine a fiscalização de empresas produtoras, programadoras, distribuidoras e exibidoras, bem como aquelas que comercializam produtos e conteúdos audiovisuais. Rangel reconheceu que há falhas. “Existem brasileiros que nunca entraram numa sala de cinema”. A 8ª Bienal de Arte e Cultura da UNE é considerada

o maior evento estudantil da América Latina. As atividades foram até ontem (26) e incluem mostras de teatro, música e cinema, seminários de esportes, além de apresentações de trabalhos acadêmicos e de extensão. O tema desta edição é A Volta da Asa Branca, uma Homenagem ao Sanfoneiro Luiz Gonzaga, cujo centenário foi comemorado em 2012. As atividades são gratuitas e abertas à comunidade. A programação completa pode ser consultada no site da bienal. (agenciabrasil)

MPF promete recorrer de decisão que transfere julgamento de chacina para Unaí

A

procuradora da República Mirian Moreira Lima lamentou a decisão da juíza substituta da 9ª Vara da Justiça Federal em Belo Horizonte, Raquel Vasconcelos Alves de Lima, de remeter o julgamento da Chacina de Unaí para a Vara Federal da cidade, local em que o crime ocorreu e onde os principais réus gozam de grande influência política e econômica. Autora da denúncia criminal contra os acusados da chacina, ocorrida em 28 janeiro de 2004, quando foram assassinados três fiscais do trabalho e um motorista, também servidor do Ministério do Trabalho, a procuradora prometeu recorrer da decisão, assim que for notificada. A assessoria da juíza confirmou à Agência Brasil que a magistrada decidiu declarar-se incompetente e encaminhar o processo para julgamento na Vara Federal de Unaí. “Mais uma vez, é [o resultado da] ação da defesa para postergar o julgamento do júri em Belo Horizonte. Embora eu respeite a decisão da juíza, o Ministério Público não pode concordar com a remessa do processo para Unaí. Primeiro porque, no nosso entendimento, não há fundamentação legal para isso. Depois porque não há como garantir a isenção do júri na cidade onde o crime ocorreu”, disse a procuradora à Agência Brasil. Alegando ainda não ter sido oficialmente notificada da decisão, a procuradora prometeu recorrer da decisão a fim de manter o jul-

gamento em Belo Horizonte. Segundo Mirian, já há decisões anteriores do Tribunal Regional Federal (TRF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF) atribuindo a competência pelo julgamento imediato à vara para a qual o processo foi inicialmente distribuído. “Não acredito que caiba rediscutir essa questão da competência [territorial] quando os tribunais superiores já declararam que a competência é da 9ª Vara. Foi lá que a ação penal foi inicialmente distribuída, portanto, aplica-se o princípio da perpetuação da jurisdição, mesmo que uma outra vara federal tenha sido instalada posteriormente, no interior”, disse a procuradora. Segundo a assessoria da juíza Raquel Vasconcelos, a vara de Unaí foi criada em 2010. A juíza ainda não divulgou as justificativas para ter declinado da competência de julgar o caso nem se o conflito de competência foi de razão territorial levantado por recurso da defesa. Assim como o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, Domingos Dutra (PT-MA) e entidades de classe como o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait) e a Associação dos Auditores Fiscais do Trabalho de Minas Gerais (Aafit), a procuradora disse que não há como garantir a isenção do júri na cidade onde o crime ocorreu. (agenciabrasil)


JD

Geral

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

C2

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

JD

Mundo

Acordos bilaterais

Dilma assina acordos bilaterais com Chile em sua primeira viagem internacional de 2013

O governo federal fará investimentos de R$ 637 milhões na região de Itaquera para evitar enchentes e deslizamentos

Moradia digna para a população é questão de responsabilidade, diz Dilma Além dos edifícios residenciais, Dilma anunciou a doação de 84 ambulâncias à prefeitura que passaram a fazer parte do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)

A

presidenta da República, Dilma Rousseff, disse que garantir moradia digna para a população é uma questão de responsabilidade. “A sua população não pode morar em favelas. A sua população não pode morar em habitação precária”, disse ao entregar 300 apartamentos construídos por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida em Itaquera, zona leste paulistana, próximo ao futuro estádio do Corinthians. “Por isso, eu olho para esse apartamento, olho lá dentro e quero sempre melhorar alguma coisa. Quero sempre que tenha mais parede com

azulejo”, completou ao falar sobre a qualidade dos imóveis de 45 metros quadrados que custaram, no total, R$ 15,8 milhões. Além dos edifícios residenciais, Dilma anunciou a doação de 84 ambulâncias à prefeitura que passaram a fazer parte do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Também foi anunciada a construção de um campus da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) na região. O terreno de 150 mil metros quadrados será doado pela prefeitura. “Sem trabalhadores especializados, nós não faremos o nosso país crescer. E precisa também de cientistas, de pro-

fessores, historiadores, enfim, precisa de universidades”, disse a presidenta sobre o projeto. O governo federal fará investimentos de R$ 637 milhões na região de Itaquera para evitar enchentes e deslizamentos. Estão incluídas no pacote obras de drenagem, canalização de córregos e contenção de encostas. O evento encerrou a agenda da presidenta no aniversário da cidade de São Paulo, que completa 459 anos hoje. Mais cedo, Dilma participou do anúncio da entrega de um centro paralímpico na zona sul da cidade em parceria com o governo estadual. Antes de encerrar seu

discurso, devido à chuva forte que começou a cair no início da noite, Dilma pediu para que a população confie no processo de desenvolvimento do país. “Eu queria dizer para vocês uma última coisa: eu acredito muito que o Brasil vai crescer e vai crescer muito. Mesmo que tenha gente no primeiro momento que seja pessimista, vocês acreditem nisso, o Brasil vai crescer e vai cada vez mais garantir renda e emprego para a população. Nós abaixamos a conta de luz porque podíamos e isso vai ser uma coisa boa para o Brasil continuar crescendo”, disse. (agenciabrasil)

Programa Saúde Para Todos Copa foi lançado na última sexta-feira (25)

A

Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES) lançou o Programa Saúde Para Todos Copa. A ação tem como objetivo garantir saúde para as pessoas que irão trabalhar durante as copas das Confederações e do Mundo e os turistas que visitarão a capital nos dois eventos esportivos. O programa é composto por ações que pretendem garantir medidas de prevenção, controle e promoção da saúde a todos. A subsecretária de Vigilância e Saúde da SES, Marília Coelho Cunha, diz que a meta do programa é proteger a população na realização destes grandes eventos. “Estamos implementando e reforçando

ações de prevenção e promoção da saúde para manter a população protegida contra doenças”, explica a subsecretária. Serão realizadas quatro ações. A primeira consiste na certificação dos estabelecimentos comerciais que aderirem ao programa. Farmácias, drogarias, bares, restaurantes e hotéis da cidade passarão por fiscalizações higiênico-sanitárias para garantir a qualidade dos serviços prestados. Todos estes estabelecimentos receberão um selo de certificação. A segunda é a distribuição de cartilhas com orientações de saúde, farmacêuticas e localização de serviços e de ambulância. O material terá símbolos

internacionais para facilitar a comunicação. A vacinação é a terceira ação do programa e pretende proteger 95% dos trabalhadores que terão contato direto com os turistas. Funcionários do aeroporto, da rodoviária, de hotéis, feiras, bares, restaurantes e taxistas receberão a dose contra o sarampo, rubéola e caxumba. A ação terá início hoje (27) no Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitschek das 8h às 18h. A quarta é intensificar as ações de saúde nos lugares de maior circulação de pessoas como shoppings, cinemas e teatros. O objetivo é sensibilizar a população quanto ao uso abusivo do álcool e quanto às do-

enças sexualmente transmissíveis (DST). O subsecretário de gestão participativa da Secretaria de Estado de Saúde do DF, José Bonifácio Carreira, diz que Brasília será um exemplo em saúde durante os eventos esportivos. “Marcaremos um ponto importante porque vamos ter o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atendendo dentro do estádio, agilidade na locomoção para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e Hospital de Base, além de treinamento de segurança aos funcionários do estádio para ensinar como prestar os primeiro socorros a vítimas de acidentes”, disse o subsecretário. (agenciabrasil)

Volta ao normal a emissão de passaportes pela Polícia Federal

V

oltou a funcionar normalmente o sistema de informática da Polícia Federal (PF), que estava sem funcionar desde a última quarta-feira (23) devido à uma pane causada pela falta de um equipamento em Brasília. Segundo informações da assessoria da PF, além da emissão e entrega de passaportes, foram afetados também os serviços administrativos, o agendamento e o atendimento de registro de estrangeiros. Os cidadãos que não puderam ser atendidos foram orientados a retornar às unidades da Polícia Federal nos próximos dez dias úteis, independente de novo agendamento, em data e horário que lhes forem convenientes, portando consigo os agendamentos e protocolos referentes aos dias em que seriam atendidos. Ainda de acordo com a assessoria, a atividade de repressão policial não foi prejudicada.. (agenciabrasil)

Ao desembarcar em Santiago para participar da 1ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) – União Europeia (EU), a presidenta Dilma Rousseff deu início à sua primeira viagem internacional de 2013. Na capital chilena, a presidenta também terá reuniões bilaterais com alguns presidentes, como seu colega chileno Sebastián Piñera, a argentina Cristina Kirchner, o mexicano Enrique Peña Nieto, que tomou posse em dezembro passado, e a chanceler alemã Angela Merkel. Às 8h30 de ontem (26), durante café da manhã no Palácio de La Moneda, Dilma e Piñera fazem uma revisão da agenda bilateral entre Brasil e Chile e assinam acordos nas áreas de cultura, educação e cooperação científica na Antártica. As trocas comerciais entre os dois países cresceram quase 50% entre 2006 e 2011, passando de US$ 6,78 bilhões para US$ 9,98 bilhões. O Brasil é o segundo país com maior estoque de investimentos chilenos, na casa de US$ 12 bilhões. À tarde, a Celac discutirá com a União Europeia uma nova agenda de cooperação inter-regional. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, será adotado, durante a cúpula, o Plano de Ação Celac-UE para o biênio 2013-2014. Além da reunião entre chefes de estado, também serão realizados encontros de acadêmicos, empresários e parlamentares das duas regiões. A Celac foi criada em fevereiro de 2010 no México e oficializada em 2011 na Venezuela para integrar 33 países da América do Sul, América Central e Caribe. As trocas comerciais entre os países membros da Celac e da UE foram de US$ 278,1 bilhões em 2011, representando um crescimento de 31,5% em relação a 2007, quando eram de US$ 211,6 bilhões. Apesar do aumento, os países sul-americanos reclamam das barreiras comerciais impostas pelos europeus aos seus produtos, o que também deve ser discutido na cúpula. A data do retorno da presidenta ao Brasil ainda não está confirmada. De acordo com a Presidência, o embarque de volta poderá ser feito no sábado à noite ou no domingo pela manhã. Na segunda-feira, às 18h, Dilma abre o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas – Municípios Fortes, Brasil Sustentável, que deve receber cerca de 20 mil gestores municipais e assessores em Brasília.. (agenciabrasil)

Campanha Candidato brasileiro à OMC intensifica campanha na América Latina

O candidato do Brasil ao cargo de diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC) e representante brasileiro na entidade, o embaixador Roberto Carvalho de Azevêdo, intensificará a campanha nos próximos dias. O diplomata quer garantir o apoio dos latinos-americanos à sua candidatura. A ideia é visitar a Argentina, o Uruguai, Chile e a Colômbia. No dia 31, Azevêdo apresentará suas propostas e defenderá a candidatura. O embaixador também pretende visitar países da África e Ásia em busca de apoio político. Na OMC, a eleição, que ocorre em maio, é construída por meio de consensos e não exatamente de votos diretos. Atéo momento, há nove candidaturas, incluindo a do brasileiro, daí o empenho de Azevêdo em intensificar a campanha. Em dois anos de mandato, o governo da presidenta Dilma Rousseff conseguiu eleger representantes para cargos considerados relevantes no cenário político e econômico internacionais. Uma das principais vitórias foi para o cargo de diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) - o escolhido foi José Graziano. Na relação estão também o diretor executivo da Organização Internacional do Café, Robério Silva, o presidente do Comitê Jurídico Interamericano, o embaixador aposentado Clemente Baena Soares, e o representante no Tribunal Penal Internacional, Leonardo Brandt, além de integrantes para a Comissão de Direito Internacional, Gilberto Saboia, para a Corte Interamericana de Direitos Humanos, Roberto Caldas, e para o Comitê sobre Eliminação da Discriminação contra as Mulheres, Silvia Pimentel. No começo deste mês, ao confirmar sua candidatura, Azevêdo criticou a paralisia nas negociações multilaterais. Segundo ele, essa paralisia preocupa, pois impede o aprimoramento e os avanços em vários setores. Se eleito, o embaixador disse que pretende incentivar a busca por consensos e a conciliação. “Ser um brasileiro e vir do Brasil, ter esse histórico, é um ativo que só ajuda”, ressaltou. Aos 55 anos, o diplomata brasileiro enfrenta oito candidatos na disputa pelo cargo de diretor-geral e busca apoio dos latino-americanos e africanos. De 29 a 31, os nove candidatos apresentarão suas propostas e a eleição ocorrerá em 31 de maio. Além de Azevêdo, concorrem à direção-geral da OMC Alan John Kwadwo Kyerematen, de Gana; Anabel González, da Costa Rica; Mari Elka Pangestu, da Indonésia; Tim Groser, da Nova Zelândia; Amina C. Mohamed, do Quênia; Ahmad Thougan Hindawi, da Jordânia; Herminio Blanco, do México, e Taeho Bark, da Coreia do Sul. O embaixador é apontado como um dos mais preparados especialistas em política comercial do governo brasileiro. O comando da OMC é exercido pelo diretor-geral, presidente do órgão revisor e presidente do mecanismo de controvérsias. Diplomata de carreira, Azevêdo é o representante permanente do Brasil na OMC, na Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), no Conselho das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad), e na União Internacional de Telecomunicações (UIT). Ele construiu sua carreira na área de economia e comércio internacional, em especial de resolução de litígios... (agenciabrasil)


JD

Diversão&Cultura

Embate entre religião e ciência é revisitado no drama brasileiro “País do Desejo” Recife e Olinda, onde as cenas foram filmadas, ganham nomes míticos de Pasárgada e Eldorado, o que pode ser uma tentativa de emprestar uma outra dimensão ao filme

Cena de “País do Desejo”, filme estrelado por Fábio Assunção e Maria Padilha

O

antigo debate entre ciência e religião é o que move “País do Desejo”, novo longa do cineasta Paulo Caldas (“Deserto Feliz”), cuja trama envolve um padre (Fábio Assunção), uma pianista (Maria Padilha) e um médico (Gabriel Braga Nunes). Recife e Olinda, onde as cenas foram filmadas, ganham nomes míticos de Pasárgada e Eldorado, o que pode ser uma tentativa de emprestar uma outra dimensão ao filme. José (Fábio Assunção) é um clérigo um tanto anticonvencional, já que apoia a prática do aborto para uma garota de 12 anos, grávida de gêmeos, que fora estuprada pelo tio. Quando isto acontece, o

bispo (Nicolau Breyner) excomunga a menina, a mãe dela e o médico. Já o estuprador não é punido, o que gera mais revolta no sacerdote. Essa parte da trama é inspirada num fato real, acontecido em Pernambuco em 2009. Esta é uma das decepções que o padre tem com a Igreja. Ainda assim, defende a fé sempre que entra em discussão com seu irmão médico, César (Gabriel Braga Nunes). Uma das pacientes é Roberta (Maria Padilha), uma pianista acometida por uma doença renal crônica. A personagem sofre uma crise enquanto está na cidade onde fica a paróquia de José. Aos poucos, o padre se

interessa pela pianista, e esse amor mudará o seu destino em vários sentidos. É nesse momento

que o embate entre ciência e religião ganha alguns contornos mais nítidos no longa, roteirizado por Caldas, Pedro Severien e Amin Steppler. Mas essa questão permanece num campo mais superficial, nunca vai fundo. Contando com um bom casal de protagonistas Maria Padilha e Fábio Assunção , o filme nem sempre aproveita todo o potencial da dupla e as possibilidades que a trama oferece. A ação se dissolve em cenas, personagens e situações sem muito a dizer, como a enfermeira japonesa (Juliana Kametani), que lê mangás eróticos enquanto come hóstias com ketchup. (uol)

Diretor diz que novo filme do Wolverine será mais violento

O

s fãs aguardam com curiosidade a chegada de Wolverine – Imortal, principalmente depois que o primeiro filme solo do mutante não agradou muito, embora tenha ido bem nas bilheterias. E o diretor James Mangold, convocado para a missão, conversou com a MTV americana e falou um pouco sobre a produção. “A maravilhosa oportunidade para mim com este filme é que 90% dele se passa no Japão. E embora vários elementos do anterior continuem, como Hugh Jackman, nós meio que temos a chance de dar um reboot no tom e ficar um pouco mais sombrio e profundo com o personagem. Isso foi empolgante para mim”. Mangold também falou sobre a influência japonsesa do filme. “Há muitas falas em japonês e o elenco é quase todo formado por ja-

Guerra dos Sexos Otávio vai à casa de Vânia. Carolina pede para Juliana deixar que ela more na mansão. Charlô fica animada com o treino de Ulisses, e Zenon se aproxima. Felipe dispensa Fritz e sua equipe. Roberta cobra uma resposta de Nando sobre seu pedido de casamento. Otávio convence Vânia a sair com ele. Nando leva Roberta para a piscina, e Kiko fica furioso. Felipe encontra sua ex-namorada Natália em um bar e vai para casa com ela. Dino destrata Nieta. Charlô convida Zenon para sair. Felipe sonha com Roberta, mesmo estando com Natália. Kiko constrange Roberta e Nando na frente de seus amigos. Charlô, Zenon, Otávio e Vânia vão para o mesmo clube de dança.

Celebridades É o fim

Mulher de diretor que teve caso com Kristen Stewart pede o divórcio

A atriz Liberty Ross, 34, deu entrada com o pedido de divórcio de Rupert Sanders, 41, em um tribunal de Los Angeles, nesta sexta-feira (25), de acordo com a revista “People”. A separação oficial acontece seis meses depois que Rupert, diretor do filme “A Branca de Neve e o Caçador”, se envolveu com a atriz da saga “Crepúsculo” Kristen Stewart. Em julho de 2012, a atriz e o diretor foram flagrados em fotos comprometedoras, e Kristen pediu desculpas publicamente ao namorado, o ator Robert Pattinson. Em outubro, Liberty e Rupert tentaram terapia de casal, sem sucesso. Depois de alguns meses separados, Kristen e Pattinson se reconciliaram, mas o ator já deu sinais que ainda não superou a traição. Na premiação do Globo de Ouro, no dia 13 de janeiro, negou a companhia da Bella de “Crepúsculo” e disse que queria dar um tempo.. (uol)

Inocente

Dado é absolvido por ter encontrado com Luana Piovani em camarote

A Justiça do Rio de Janeiro absolveu nesta sexta-feira (25) o ator Dado Dolabella do crime de desobediência. O ator teria desrespeitado a medida protetiva que determina que ele mantenha distância de 250 metros da atriz Luana Piovani. Dado e Luana se encontraram em 2009 dentro de um camarote de uma cervejaria no Carnaval do Rio. “O Dado foi absolvido hoje pela manhã e a decisão não cabe mais recurso. É uma decisão imutável”, explicou o advogado Marco Aurélio Assef ao UOL. Ainda segundo o advogado, Dado “já esperava essa decisão”. “O Dado sempre teve a consciência de que era inocente, não foi uma surpresa para ele”, prosseguiu Marco Aurélio.. (uol)

Áries (21 mar. a 20 abr.) Pela manhã e ate início da tarde você pode se dedicar a família e as artes da culinária preparando um gosto almoço para os seus queridos. Mais tarde, entregue-se aos prazeres culturais com gosto e animação! Touro (21 abr. a 20 mai.) Astral pede mudança de ares e um bom papo com uma pessoa que aceite você como é, com quem possa abrir seu coração sem receber uma punhalada. De tarde, mimos familiares e a noite muito amor, em total intimidade. Gêmeos (21 mai. a 20 jun.)

Com seu jeito criativo e sua sintonia com o que está na moda você pode fazer um pouco de arte e achar muito divertido se soltar nisto. Pode tornar mais linda a sua casa. Depois, mude de ares, viaje ou explore um novo horizonte.

Resumo das Novelas Bruno aceita o desafio de Fatinha para a competição de dança. Mario comunica a Bárbara que se mudará para Miami. Fatinha provoca Vitor até que ele lhe beija, deixando Bruno desconfortável e Pilha irritado. Rita diz a Fera que eles são apenas amigos. Passa-se um mês. Fatinha cobra de Raquel o dinheiro dos holandeses para as obras na comunidade. Pilha conta para Vitor de seu interesse por Fatinha. Do Marrocos, Dinho liga para Alice, tranquilizando a mãe. Raquel se muda para o apartamento de Lorenzo e ele deixa claro que não quer mais nada com ela. Paulina viaja para visitar sua irmã. (segunda-feira)

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Horóscopo

poneses. Então há esta sensação de cruzamento de países entre um personagem bem ocidental com a cultura oriental. Acho isso muito legal e é uma coisa que não vimos até agora”. Com isso, o diretor pode adicionar elementos em Wolverine – Imortal elementos do cinema japonês: “Há um efeito grande neste filme do estilo de luta e de artes marciais japonesas”. O diretor revelou ainda que vamos ver um Wolverine mais raivoso, o que se chama em inglês de “berserker rage”. “A questão toda não é a violência ou a censura: é sobre intensidade. Queria fazer um filme que, de alguma maneira, capturasse a intensidade do personagem. Uma dos elementos fortes dele nas HQs é sua raiva descontrolada e o fato de algumas de suas habilidades serem comandadas por algo mais primitivo”. (uol)

Malhação

C3

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Lado a Lado Zé Maria expulsa Albertinho da casa de Isabel. Laura diz a Guerra que gostaria de conhecer Antônio Ferreira. Sandra se sente angustiada por não dizer a Teodoro que Ângelo é seu filho. Laura tenta convencer Isabel a conversar com Albertinho, lembrando à amiga que ele é o pai de Elias. Berenice depõe contra Isabel, alegando que ela abandonou o filho. Jonas convida Zé Maria para assistir a uma apresentação de jiu-jítsu. Edgar sente ciúmes de Laura. Berenice segue Caniço e acaba chegando à casa de Catarina.

Salve Jorge Sheila fica chocada com a revelação de Morena sobre o tráfico de mulheres. Helô comenta que estranhou a reação de Morena com Wanda. Lurdinha vê um bebê no carro com Wanda e a ajuda a levá-lo para casa. Áurea se decepciona ao saber que Érica vai sair do regimento. Theo ameaça desistir de Morena se ela aceitar viajar com Lívia. Morena decide denunciar Wanda por tráfico de bebês. Sarila fica encantada ao ver Ayla vestida de noiva. Zyah afirma a Demir que ama Ayla. Fatma insinua a Mustafá que Pepeu roubou o dinheiro de Berna. Wanda conta para Lívia que recebeu um estranho aviso no hotel. Russo inventa para Lucimar que Morena está envolvida com drogas.

Câncer (21 jun. a 21 jul.) A Lua encerra hoje de tarde sua passagem mensal por seu signo. Logo, você ainda tem este tempo para cuidar de si, de sua beleza e de seus assuntos de saúde, pessoais e íntimos. Depois, mais autoconfiante, atrairá quem ama. Leão (22 jul. a 22 ago.) Procure descansar o quanto puder neste sábado. Além de sono e momentos de meditação e reflexão sobre o passado, a família e os condicionamentos, você também precisa de tempo pra si. Lua em seu signo a partir da tarde: cuide-se. Virgem (23 ago. a 22 set.) Estar com alguns amigos queridos neste momento terá um valor inestimável para você. Aproveite para brindar com eles, ou pedir uma orientação ou apenas um abraço de quem confia há tantos anos. Tarde para meditar.

Libra (23 set. a 22 out.) Talvez você precise falar com seu chefe ou trabalhar ainda hoje, e não dá pra ser diferente, há pendências e urgências e o astral está perfeito para arrematar tudo isto. Somente de tarde a companhia animada dos amigos terá vez. Escorpião (23 out. a 21 nov.) Depois de alguns dias cismando com sonhos e dicas da vida, você começa a achar um sentido em todos estes sinais - justamente neste sábado! Anote, entenda, expanda. Depois, faça uma lista de metas e objetivos urgentes a realizar. Sagitário (22 nov. a 21 dez.) Toda vez que a Lua passa por Câncer os sagitarianos ficam mais ressabiados em mostrar suas fraquezas, dependências, apegos. Tal ocorre nestes últimos dias. Mas de tarde este clima mudará, e você poderá dar risada com gosto! Capricórnio

(22 dez. a 20 jan.) Nada como ficar um tempinho maior com seu amor, para que ele possa comprovar seu empenho e seriedade na relação. De tarde vale a pena acertar com ele o quanto irão poupar para realizar um sonho divertido em comum.

Aquário (21 jan. a 19 fev.) Pegue leve na rotina e respeite suas emoções, que alias estão variadas e desencontradas. Mas tudo isto vai melhorar a partir da tarde de hoje. Cuidar do seu relacionamento é algo urgente. Comece por isto. Vida social animada. Peixes (20 fev. a 20 mar.) Véspera de Lua cheia, todo mundo animado, pronto pra brigar ou dançar. É assim mesmo! Absorvente no amor e com os filhos, de tarde você muda de pique. Atenção com rotina; empregados e saúde em destaque.


Sociedade

Aline Lima alinelima@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mensagem do Dia Tenha em mente pensamentos elevados, eles contribuirão para formar a sua personalidade. Gustave Le Bon

Esta colunista, fotógrafo Maicon Abreu e locutor Reginaldo Moreno

Dj Pingo e esposa

Alexandre Lima

Gatinha Renata Amanajas flagrada pela coluna

Laryssa e Pachequinho

Renata Coelho

Andressa Andrade

FIQUE LIGADO!!! No mês de janeiro você confere o programa balada fashion retro com as principais matérias de 2012. Todos os sábados ás 18:40 e reprise aos domingos às 13h. Contamos com sua audiência!!! Dan Miller

Jornalista Neily Flan


CadernoD

Carro&Moto

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

HB20X leva a Hyundai a novo território Marca lança primeiro derivado do HB20 de olho no público aventureiro, mas cobra alto pelo estilo

Painel do HB20X tem em seus principais diferenciais a pedaleira e os controles de telefone no volante (para pacote com sistema Bluetooth)

O HB20X se assumiu como urbano no próprio departamento de marketing

O

segmento de carros com visual inspirado em veículos off-road, iniciado pela Fiat em 1999 com o Palio Weekend Adventure, é mais rentável do que se imagina. Somente em 2012, segundo números da Anfavea, o filão somou mais de 91.000 carros emplacados com badaluques aventureiros, como os para-choques saltados da carroceria e estepes pendurados na traseira. A moda se espalhou por todo mercado e alcançou até marcas de posturas mais “sisudas”, como a Volkswagen com o CrossFox e até a Honda, que lançou recentemente o Fit Twist. A Hyundai, sempre agressiva e suas estratégias e que agora conta com uma base de produção no Brasil, a fábrica da linha HB20 em Piracicaba (SP), também não poderia ficar de fora da categoria. A resposta dos coreanos para enfrentar a legião brasileiro com “inspiração” off-road é o HB20X, que chega ao mercado com bons argumentos. O modelo reúne todo o conteúdo do HB20, que é

Mesmo com 1.072 kg na balança, 72 kg a mais que o HB20, o hatch manteve a boa disposição

bem servido, com uma leve caracterização “cross”. A decoração externa resume-se a para-choques com desenho mais avançado e o comum contraste de cores, combinando a cor da carroceria com o preto do para-choque sem pintura, e pneus maiores na medida 195/65 em rodas aro 15” – o HB20 Premium conta com roda aro 15” calça 175/70. A marca ainda diz que o HB20X tem a

suspensão 4 centímetros mais alta, graças a molas maiores, mas notar alguma diferença é diferença no porte do veículo é difícil – se não impossível. O interior, no entanto, não contém uma gota sequer de inspiração off-road. Por dentro, o “X” é exatamente igual ao HB20, o que pode ser bom, para quem já curtiu o compacto da Hyundai, ou ruim, no caso dos que esperam algo diferenciado na cabi-

ne. No geral, o carro agrada justamente por ser discreto e sutil na decoração aventureira. Off-road não é com ele O HB20X é como qualquer outro carro normal ao andar por trechos de terra. Se andar rápido a traseira vai escapar fácil ou se entrar forte em alguma curva o eixo dianteiro vai se arrastar para o lado. Já os buracos, valetas ou qualquer variação brusca

na via vão fazer a suspensão dar um forte solavanco e o amortecedor chegar ao limite de seu curso. Sem contar ainda as raspadas de para-choque no chão, quando não o próprio assoalho. Nenhum desses carros se salva sozinho da selva, essa é a verdade, e com o carrinho da Hyundai não é diferente. Mas no asfalto, para onde foi feito para andar, ele vai bem. A nova versão é oferecida apenas com motor 1.6 16V Flex, que rende até 128 cv e 16,5 kgfm de torque. Já o câmbio pode ser manual de cinco marchas ou automático (sem comando sequencial) de quatro velocidades. Os dois agradam. O HB20 é um carro bom de dirigir. Tem boa “pegada” de condução, com respostas diretas do volante e comandos obedientes de pedais e câmbio, e ainda ganha pontos extras pelo conforto, mérito da suspensão bem ajustada e o isolamento acústico acima da média. Quem gosta de trocar marchas se dá bem com o modelo manual. Já quem prefere mordomias vai preferir o HB20X automático, que não dá trancos. A performance dinâmica do carro também não muda comparado ao HB20 normal, embora o X tenha mudanças na suspensão. Segundo a Hyundai, o modelo acelera do 0 aos 100 km/h em 9,8 segundos com câmbio manual e 11,5 s com

transmissão automática. Já a velocidade máxima é de 181 km/h (na versão mecânica). CrossFox, o rival a ser batido Se o principal rival do HB20 é o VW Gol, o concorrente número 1 do HB20X, segundo os executivos da Hyundai, é o CrossFox. A intenção da marca é fazer frente ao modelo da VW e chegar a segunda colocação entre os hatch aventureiros, que tem ainda o líder Renault Sandero Stepway, que em 2012, aliás, foi o carro aventureiro mais vendido no Brasil, com 23 mil unidades emplacadas – o CrossFox somou 22 mil. E o HB20X pode ser dar bem. O preço do modelo é mais alto que o do VW, começa em R$ 48.755, enquanto o CrossFox parte de R$ 46.067, mas ele traz equipamentos de série que elevariam o valor do VW para mais de R$ 50.600 – equipar o carro da VW com ar condicionado e rádio acrescenta mais de R$ 3.000 ao valor final. O carro da Hyundai ainda pode se gabar de ter uma mecânica melhor, com motor 1.6 16V (o CrossFox é 8V), e ser um projeto mais moderno e atual. Tal como o HB20, o modelo “Cross” da Hyundai é novamente competitivo e por isso deve ter filas de espera para compra, assim como tem ocorrido com sua variante “civil”.. (revistaautoesporte)

Peugeot anuncia patrocínio ao Flamengo Novo Prisma chega

A

Peugeot anunciou que fechou um contrato de duração de três anos com o Clube de Regatas do Flamengo. Com o contrato firmado entre a fabricante francesa e o clube carioca a inscrição Peugeot será estampada na frente da camisa do time até abril. Depois do quarto mês, o nome da marca passará para a parte de trás da camisa. Para o diretor de marketing da Peugeot, Frederico Battaglia, a produ-

ção e o lançamento do compacto 208 no Rio de Janeiro marcam uma nova era da empresa no Brasil. “E a associação com o Flamengo demonstra a nossa disposição de sermos grandes”. O lançamento do compacto 208 acontecerá no dia 13 de abril. Um mês antes, será feita a entrega das 208 unidades da série especial Premier, comercializada em caráter de pré-venda por R$ 54.990. (carros.ig.com.br)

em 26 de fevereiro

O Contrato entre a fabricante francesa e o clube carioca terá duração de 3 anos

Carro desconhecido bate recorde de aceleração de 0 a 300 km/h

N

em Lamborghini, Ferrari ou Bugatti, o carro mais rápido do mundo produzido em série na prova de aceleração de 0 a 300 km/h é o desconhecido Venon GT, da Hennessey Performance. O supercarro, fabricado nos Estados Unidos, alcançou os três dígitos do velocímetro em apenas 13,6 segundos – um Chevrolet Celta 1.0, como comparação, leva longos 13,8 s para chegar aos 100 km/h. O novo recorde foi homologado pelo Guinness Book, o livro dos recordes, nesta semana no aeroporto de

Ellington, no Texas, e desbancou o sueco Koenigsegg Agera R, outro desconhecido, com uma folga de 3,1 segundos. Para alcançar tal velocidade em tão pouco tempo, o Venon GT, claro, possui um motor de proporções nada usuais. O carro da Hennessey pegou emprestado o motor 7.0 litros V8 do Corvette ZR1 (a versão mais “furiosa” do Corvette já produzida em 60 anos, de 700 cv) e acrescentou dois turbocompressores para alcançar 1.261 cavalos de potência e 159,7 kgfm de

torque – o Celta, novamente como exemplo, tem a

disposição 78 cv e 9,7 kgfm. (carros.ig.com.br)

novo Prisma será lançado nos dias 26 e 27 de fevereiro em Joinville, Santa Catarina. Nestas datas, a Chevrolet também inaugura uma fábrica de motores que estava em construção na mesma cidade. À principio, o novo sedã compacto, que deve ficar posicionado entre os modelos Classic e Cobalt, deve vir apenas com motor 1.4 8V flex de 106 cv e 13,9 kgfm de torque com transmissão manual. Porém, a montadora não confirmou a informação. O visual deve agradar mais que o Onix, já que será um cupê com trasei-

ra curta e alta. A fábrica de motores que será inaugurada em Joinville faz parte do plano da General Motors de esvaziar a planta de São José dos Campos (SP), que perdeu vários projetos devido à intransigência do sindicato local nas negociações com a montadora. Hoje, restam na unidade de SJC a linha de montagem da S10, Trailblazer e Classic, essa última que deve parar em breve e gera protestos dos funcionários. O Chevrolet Prisma 2013 será fabricado em Gravataí (RS) e as vendas devem começar em março. (carros.ig.com.br)

O porta-malas é volumoso, porém curto


Carro&Moto

JD

Segundo pesquisa, Honda Civic é o preferido dos deficientes Sedã da Honda foi eleito o melhor carro para pessoas com deficiência

A

“Revista Nacional de Reabilitação”, publicação especializada em assuntos como acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, realizou uma pesquisa com leitores e formadores de opinião que elegeram o Honda Civic como melhor veículo para portadores de deficiência. Na pesquisa, que acontece há 15 anos, a Honda e a Toyota costumam liderar as votações, no entanto, este ano o segundo lugar foi dividido entre a Fiat, com a multivan compacta Doblò e a Nissan com a minivan Livina. O sedã Toyota Corolla ficou em terceiro lugar com 15% dos votos. Na pesquisa são analisados itens como acessibilidade aos comandos de painel, espaço interno e de porta-malas, funcionalidade, conforto, visibilidade, preço e condições de compra, além do atendimento da rede de concessionárias. No último item, a Honda saiu na frente com seu programa Honda Conduz, criado em 1997,

que baseia-se em atendimento diferenciado, concessionárias com acessibilidade e uma equipe de de vendedores treinados, que tem garantido o primeiro lugar da marca nos últimos quatro a n o s

(com outro sedã, o City). É perceptível que a pesquisa reflete os resultados das ações das montadoras em suas participações ativas neste segmento.

D2

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Segundo o último Censo realizado pelo IBGE, estamos falando de um universo de mais de 45 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência, um nicho que merece atenção dos fabricantes.. (revistaautoesporte)

Apesar de simples, o carro mantém o aspecto

Fox atinge 1,5 milhão de unidades no Brasil

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Pista livre JOSÉ ARCANGELO

Colunista

Curiosidades O recém-lançado Ford Fusion vem com muitas novidades de alta tecnologia. São 145 atuadores, 4.716 sinais e 74 sensores, ai incluído, radar, sonar, câmeras, acelerômetro, sensores de chuva e de temperatura que fazem a monitorizarão externa e revelam os pontos cegos do veículo ao condutor. Os sensores se encarregam de produzir mais de 25 gygabites de dados/hora para os 70 computadores instalados, alertando para os potenciais perigos, ajuda no estacionamento e manter o carro na faixa de rolamento. Promoções A Moselli Veículos (Ford) está oferecendo com vantagens imbatíveis as últimas unidades com o IPI Zero. O Edge tem taxa 0% e bônus de R$ 10 mil. O Ka KBR está com entrada mais parcela de R$ 399,00 e o Fiesta Rocam hatch FET por R$ 33.990,00. Destaques para os dois veículos mais cobiçados do País, atualmente: o Novo EcoSport e a Nova Ranger. Neste final de semana o gerente Luís Santos e equipe esperam seus clientes para um cafezinho e test drive. Recorde Em 36 anos de Brasil, em 2012, apesar dos percalços econômicos mundiais, a Fiat registrou seu melhor desempenho em vendas. Segundo dados da Anfavea foram emplacados 838.218 unidades, exatos 10,2% a mais que a marca anterior (754.276) comercializados em 2010. Assim, a montadora italiana lança na mídia com orgulho o seu décimo primeiro “campeonato” na liderança do mercado. Participação A Fiat fechou o ano

passado com 23,1% de share (mercado) num bolo de 3.634.115 unidades comercializadas. Os modelos mais vendidos da marca, foram: compactos Uno (255.838 unidades), Palio (186.384) e a campeonissima picape Strada, com 117.464. Vale ressaltar que alem das boas vendas de novos, o mercado brasileiro considera estes veículos da Fiat como um dos melhores em custos-benefícios. Na entrada para um zero estes seminovos são quase imbatíveis. Projeção A Fenabrave, braço patronal das montadoras, prevê um crescimento global nas vendas para 2013 em torno de 2,82%, o que poderá resultar no emplacamento de 5.592.673 veículos até dezembro. Somente no segmento de automóveis e comerciais leves, o mais significativo, deve crescer em média de 3% e o de caminhões que ano passado teve grande baixa, espera crescimento de 16% em relação ao ano passado. Greve A GM, em sua fábrica paulista de São José dos Campos experimentou esta semana que passou um preocupante foco de descontentamento dos seus colaboradores. Assim, em apenas um dia de movimento grevista deixaram de serem fabricados 480 veículos e 2,4 mil motores. Ontem (26), venceu o prazo para que os 800 operários que estão com os contratos suspensos voltem a laborar. Junto com eles, a tendência é dispensar mais 800 trabalhadores devido à modernização das novas máquinas e a retirada de linha do Corsa, Meriva e Zafira.

Auto Pista Marca é atingida no ano em que o modelo faz 10 anos de história

A

Volkswagen do Brasil acaba de superar a marca de 1,5 milhão de Fox produzidos na fábrica em São José dos Pinhais (PR), no mês em que completou 14 anos. O recorde foi representado pelo Fox 1.6l Prime, que

oferece até 104 cv, na cor vermelha, fabricado na unidade, Desde a sua inauguração, em 18 de janeiro de 1999, o complexo industrial produziu mais de 2,1 milhões de veículos para os mercados interno e externo.

Hoje, o Fox é o segundo modelo da marca mais produzido e comercializado no país, atrás apenas do novo Gol. Em 2012, foram comercializadas 167.710 unidades do modelo no mercado brasileiro, um crescimento de 38% em

relação ao ano retrasado. O Fox é também o segundo veículo mais exportado pela Volkswagen do Brasil, totalizando quase 420 mil unidades enviadas para 62 países em seus 10 anos de história. (caranddriverbrasil)

Verde e feroz: Panamera Turbo com 597 cavalos

A

preparadora alemã Regal Exclusive revelou a sua nova criação desenvolvida para o Porsche Panamera Turbo. Para quem curte carros modificados, o modelo é um prato cheio, já que une alterações no visual e melhora no desempenho. A principal novidade está sob o capô. Com as mudanças feitas pelos alemães da Regal, o motor V8 que equipa o cupê passou a entregar 597 cavalos de potência – são 97 cv a mais que o modelo original. Já o kit aerodinâmico inclui novo para-choque dianteiro, saias laterais e difusor traseiro. Outros destaques ficam por conta das rodas de 22 polegadas com detalhes na cor verde, parecida com a nada discreta tonalidade da carroceria. (caranddriverbrasil)

Preparadora Regal Exclusive deixa cupê com visual nada discreto e coloca mais cavalos sob o capô

Agradeço o envio pela Assessoria de Comunicação da ABRACAF (Fiat) da revista da entidade com o Relatório de Gestão 2009/2012 do presidente Luís Romero. O representante da entidade no Amapá, engenheiro civil Otaciano Júnior, na página 27 da publicação aparece em foto sobre a matéria “Realizações”. –x-x-x-x- Do mesmo modo as ASCOM da APG Amana-Key – Programa de Gestão Avançada e da revista Locação (Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis). –x-x-x-x-Uma das mais novas concessionárias de veículos no Meio do Mundo vem atravessando imensas dificuldades no que se refere aos seus recursos humanos. Acaba de perder para a concorrência seus melhores quadros. Tudo pelo descontentamento como estão sendo pagas as gratificações e comissões em três parcelas. E para completar, o plano de mídia é ineficiente e as vendas despencaram. Até semana passada, apenas 12 veículos haviam sido emplacados. Isto não paga nem o cafezinho servido aos clientes. –x-x-x-x- IPVA no Amapá pago em cota única pode ter um bom desconto de até 20%. A primeira parcela ou cota única vence no dia 15 de março. –x-x-x-x- “Semelhante a uma flor que parece linda, mas não tem nenhum perfume, assim são as palavras infrutíferas do homem que as fala e não a coloca em prática”. (Provérbio Dhammapada). –x-x-x-x- Freando... e por enquanto confiando na melhoria da nossa Macapaba. –x-x-x-x- Bom Domingo!


JD

Carro&Moto

D3

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

10 carros que mereciam ser vendidos no aqui no Brasil

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Em detalhes

FOTOS DIVULGAÇÃO

Mesmo sendo o 4º mercado do mundo e tendo quase 50 marcas atuantes, há muitos modelos distantes de nossos consumidores

O

slogan “brasileiro gosta de carros” foi usado em exaustão por uma rede de postos de combustível há alguns anos e ele tem realmente um fundo de verdade. Nosso país, além da tradição da indústria automobilística de mais de 50 anos de produção, tem galgado degraus no ranking dos maiores mercados do mundo e hoje disputa com a Alemanha a 4ª posição, atrás apenas do Japão, Estados Unidos e, claro, a China. Mas o que mais impressiona é que pagamos muito mais pelos veículos que qualquer outro lugar no globo, embora governo e fabricantes neguem. Nem isso tem impedido que as vendas cresçam e que nada menos que 46 marcas tenham disputado esse público em 2012 – a 47ª marca foi lançada nesta semana, a Rely, de comerciais leves. Ainda assim, há muitos modelos que passam longe de nós. Carros e utilitários famosos, outros caros demais e outros que simplesmente não têm uma razão clara para não chegar aqui por vias oficiais – mas que são até vistos com frequência por aí via importadores independentes. A reportagem resolveu elencar 10 modelos que gostaria de ver no Brasil e explica as hipóteses que impedem que eles estejam nas lojas oficiais de suas marcas. Para abrandar uma possível revolta, também citamos as marcas que já anunciaram sua chegada ao país em breve, quem sabe um prenúncio que mais e mais modelos estarão entre nós de forma oficial. Que os deuses (e os fabricantes) nos ouçam. McLaren MP4-12C Nem a tradição dos pilotos brasileiros na McLaren (Senna e Emerson) fez Ron Dennis cogitar abrir uma loja da marca no Brasil. A empresa inglesa tem colhido bons frutos com o MP4-12C, seu primeiro esportivo comercial, e certamente existe num cenário futuro planos de expansão para países em desenvolvimento como o nosso. Só

McLaren mostra 12C GT3 para 2013 A McLaren apresentou a sua nova máquina de corrida, a 12C GT3 de 2013. De acordo com a fabricante britânica, o modelo GT3 irá disputar várias competições nessa temporada. Para deixar esse foguete pronto para as pistas, o V8, 3.8, biturbo, foi alterado para poder encarar as exigências de uma corrida, o câmbio é sequencial de seis marchas. O carro recebeu um monocoque de fibra de carbono com reforços de alumínio na dianteira e na traseira, uma gaiola de proteção aprovada pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo), e paineis superleves de fibra de carbono.. (caranddriverbrasil) ............................................................................

A reportagem resolveu elencar 10 modelos que gostaria de ver no Brasil o Nissan Juke é um deles

não se sabe quando isso pode virar realidade. Por enquanto, o jeito é ver os McLaren em Interlagos no GP Brasil de F1. Nissan Juke A Nissan é uma das marcas que mais cresce no Brasil e abrirá sua primeira fábrica própria em 2014. A montadora também já planeja ampliar novamente o portfólio no mercado com a vinda do sedã Altima, mas há outros modelos bem interessantes em sua linha mundial. Um exemplo é o Juke, um crossover de formas pouco convencionais que certamente não passaria despercebido nas ruas. Tesla S Provavelmente, você nem tenha escutado falar dessa marca, mas deveria. A Tesla surgiu como uma espécie de montadora do Vale do Silício, com modelos elétricos com caráter esportivo e teor ecológico. Caiu nas graças das celebridades americanas com seu primeiro veículo, o Roadster. O sedã S, no entanto, é bem mais interessante. Seu desenho elegante nem parece de um elétrico, mas o carro consegue ir de 0 a 100 km/h em menos de 5 segundos e chega a atingir 210 km/h. Dependendo do modo, pode rodar por até 480 km com suas baterias. O preço é salgado, no entanto – US$ 52 mil, ou pou-

co mais de R$ 100 mil. Toyota iQ Nem só os carrões fazem falta no Brasil. Modelos urbanos seriam bem-vindos em cidades com trânsito caótico. O iQ, da Toyota, é um modelo que cairia como uma luva por aqui. Rival do Smart ForTwo, o carrinho de dois lugares japonês é mais espaçoso e possui motores mais potentes. Para uma das maiores montadoras do mundo, seria uma adição importante para sua lista de carros, que por aqui é um tanto modesta comparada à de seus concorrentes.

Alfa Romeo MiTo Parece engraçado, mas a Alfa Romeo ainda figura como marca da Anfavea, a associação que reúne as montadoras instaladas no país. Vez ou outra, um exemplar aparece emplacado no Brasil, certamente para uso interno na Fiat, mas a empresa nunca deixou de pensar na sua volta. Parece que esse momento está próximo, num suposto trabalho conjunto com a rede da Chrysler. Modelos interessantes não faltam como o MiTo, um hatch compacto premium que brigaria com A1, Mini Cooper e Citroën DS3.

Hyundai Genesis Coupé É verdade, já temos o Genesis aqui, mas o sedã de luxo. Falta, sem dúvida, o cupê esportivo que é vendido até na Argentina, mas negado aos consumidores brasileiros. Com motor 3.8 litros V6 de mais de 350 cv, o Genesis esportivo certamente poderia apagar a má imagem que o Veloster deixou em relação ao desempenho de carro comum.

Bentley renova sedã Mulsane para Genebra Uma das novidades da Bentley no Salão de Genebra (Suíça), em março, será a linha 2014 do sedã de luxo Mulsane. Agora o carro passará a estar disponível com bancos ainda mais confortáveis. Além disso, como opcional, a marca oferece iPad a bordo, bem como teclado sem fio, mesa escamoteável nas costas dos encostos dianteiros e telas de LCD, de 8 polegadas, nos apoios de cabeça. Além disso, há como encomendar DVD, disco rígido de 20 Gb e fone de ouvido que se conectam aos aparelhos via Bluetooth. Para maior privacidade, o sedã passa a ter novas cortinas nas janelas. Outra novidade é o jogo de malas feitas especialmente para o carro, produzidas pela marca italiana Schedoni. Veja mais detalhes na galeria de fotos acima. . (caranddriverbrasil) ............................................................................

Nissan confirma produção do Leaf Nismo A Nissan vai começar a fabricar o Leaf Nismo em meados do ano, no Japão, informa o site da revista inglesa Autocar. Assim como o protótipo das fotos, a versão de produção terá apenas diferenças estéticas, que se baseiam num kit aerodinâmico e novas rodas com aro de 18 polegadas de diâmetro. Ainda não há decisão sobre a venda da nova versão na Europa e em outros países. O kit aerodinâmico do Leaf Nismo é composto por defletores de ar nos para-choques e nas laterais. Além disso, há filetes de LEDs na dianteira. O motor continua sendo o mesmo, que rende até 107 cv, potência que é transmitida às rodas do eixo dianteiro do carro que acaba de ganhar a linha 2013 com algumas melhorias, como a recarga mais rápida das baterias. Na prática, o novo método faz a recarga na metade o tempo de vazio até 80% da bateria. Agora são necessárias apenas quatro horas. A tecnologia será de série nas versões SL e SV e opcional no Leaf S. A Nissan diz que também instalou novos freios regenerativos.. (caranddriverbrasil) ............................................................................

Dodge Dart Pensaram que iríamos citar o Viper? Ele também seria uma boa escolha, mas a produção está toda comprometida com os EUA. Já o Dart, o sedã da Dodge, com seu belo visual, poderia servir como uma opção interessante para quem cansou de Civics e Corollas. O Dart, cujo nome tem história aqui também, é uma carta que a Fiat, dona da Chrysler, guarda com carinho para os próximos anos.

Ford F150 Num ano em que a Ford disse que será o dos comerciais para ela por que não ver a F150 sendo vendida no Brasil? A picape é seu modelo mais vendido nos Estados Unidos e é maior que a nova Ranger. Por aqui, a Ford vendeu a maior F250 até o ano passado para brigar com a RAM, mas a F150, com seu visual mais agressivo, poderia dominar o segmento acima dos modelos médios. Fãs da picape não faltarão.

Chevrolet Corvette Mais um GM desejado. E não há como evitar isso. A nova geração do Corvette, mostrada em Detroit, parou o COBO Center. Era quase impossível fotografá-lo sem ninguém ao seu lado. A experiência positiva com o Camaro pode ser um incentivo para a Chevrolet – o esportivo emplacou 928 unidades em 2018, um número respeitável para um carro que custa cerca de R$ 200 mil.

Cadillac ATS O sedã americano foi escolhido o Carro do Ano 2013 durante o Salão de Detroit, na semana passada. A imprensa do país, aliás, fez generosos elogios ao modelo, considerado pelo Washington Post como melhor até que o BMW Série 3. A Cadillac sempre rondou nosso país, mas até hoje o GM nega que vá trazê-la para cá. Uma pena, já que há outros modelos interessantes como o novo ELR, um cupê híbrido bem mais elegante que o Volt, do qual usa o sistema de propulsão.

Mini Bond Street é revelado antes da estreia Uma das novidades que a Mini terá no Salão de Genebra (Suíça), em março, será a série especial Bond Street do Mini Clubman. O nome homenageia uma das ruas mais famosas de Londres (Inglaterra), conhecida por suas lojas sofisticadas. Portanto, não é à toa que escolheram uma combinação de cores à altura: preto e champanhe, tanto na carroceria quanto em vários detalhes estéticos. Repare que as rodas de aro 17 são pintadas de preto, mas vêm com cubo central champanhe e o aro cromado. Além disso, a capota também recebeu a cor que se aproxima do bege em contraste com o preto da carroceria. Nas soleiras das portas e os para-lamas dianteiros existe a inscrição “Bond Street”, que identifica a série limitada. Por dentro também há detalhes exclusivos, como o aplique de fibra de carbono no painel e frisos na cor champanhe nos bancos e tapetes. Também não se esqueceram de caprichar na lista de itens de série. Há computador de bordo, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, volante multifuncional revestido de couro, entre outros itens. O carro poderá vir com motores de 121 a 181 cv acoplados a sistemas de transmissão com câmbios de seis marchas, manuais ou automáticos. As vendas globais começam em março.(caranddriverbrasil)


Assis Motta programacirculando@bol.com.br

Escreve...

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013 Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Nosso destaque de hoje vai para o Presidente da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA) Ricardo Noronha e de seu vice Matheus “Cap” de o Boticário que vai inaugurar uma loja no município de Oiapoque.

Dr. Valkimar, Daleti, Monica, Conselheiro federal Dr. Jeová e o Pres. Carlos Andre

O

dia do Farmacêutico foi no domingo passado dia 20, mas, o Conselho Regional resolveu executar um projeto em parceria com o Ijoma denominado de “Farmacêutico profissional a serviço da vida”. O acontecimento foi ontem na quadra da Igreja Jesus de Nazaré.

Esbanjando simpatia a jovem empresária Mônica que comanda com maestria a CVC Viagens e a mais nova loja da cidade a Personal Love.

Francisco e Danusa, casal charmoso e simpático que cuida da beleza dos amapaenses que procuram a Lipocenter. Aliás, na atualidade, a melhor de Macapá.

Casal empreendedor Camila e André que esta investindo com sucesso no vizinho estado do Pará com os produtos Milla.

Rua General Rondon 1942 – Centro tel 3223 6200


CadernoE

Economia&Negócios Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Pablo Oliveira - pc.oliveira@jdia.com.br

Mercado aumenta disputa por profissionais aposentados

As dificuldades para um profissional se adequar a esta demanda de mercado é muito grande.

N

ão é só nos gramados de futebol que profissionais veteranos estão prolongando sua carreira. Um levantamento inédito realizado pela Vagas Tecnologia, empresa especializada em consultoria e informatização de processos seletivos, mostra que profissionais experientes estão recebendo propostas para retornar ao mercado de trabalho ou estão querendo trocar de emprego. O estudo revela que 36% dos aposentados inativos receberam pelo menos uma oferta para voltar ao trabalho nos últimos três meses. O levantamento também identificou que, dos 47% de aposentados ativos declarados, 80% pretendem trocar de emprego. “Esse é um fenômeno novo no país. A população da terceira idade continua sendo muito requisitada por sua experiência e qualificação. Com a escassez de profissionais, tem se tornado mais frequente a busca por um trabalhador com esse perfil”, explica Fernanda Diez, gerente de relacionamento da Vagas. O levantamento foi feito em novembro e dezembro do ano passado por meio da base de currículos cadastrados no portal da empresa. Dos 476 respondentes, 89% são homens e 11% mulheres. De todos os participantes, 82% declararam estar aposentados e 18% ainda não. Dos 82% que declararam estar aposentados, 73% afirmaram estar nessa condição há pelo menos três anos. O perfil identificado na amostra é de idade média de 68 anos, pertencente à classe média e bacharelado completo. O estudo também procurou segmentar os aposentados em profissionais

O estudo revela que 36% dos aposentados inativos receberam pelo menos uma oferta para voltar ao trabalho nos últimos três meses.

ativos ou inativos. De acordo com os resultados da amostra, 48% indicaram que estão sem emprego, 5% não pretendem voltar mais ao mercado e 47% continuam trabalhando. Desse total que está sem emprego, 98% querem voltar ao batente. E daqueles que permanecem ativos, 80% querem trocar de emprego. “É um sinal de que esse público ainda quer continuar trabalhando por muito tempo. E de que o mercado continua apostando nele e procurando pessoas com esse perfil”, conta Diez. Outro dado revelado é que, dos

80% que pretendem conseguir uma nova oportunidade de trabalho, 84% buscam remuneração superior à atual. “Também há um percentual relevante, de 36%, que está de olho num salário 50% acima do que ganha hoje. É uma nova configuração no mercado de profissionais sêniores”, explica. Para os aposentados que estão fora do mercado de trabalho e pretendem voltar ao mercado (48%), o cenário também é positivo. O estudo mostra que 36% dos aposentados inativos receberam pelo menos uma oferta para voltar ao trabalho nos úl-

timos três meses. Entre os motivos destacados para voltar ao trabalho, aparecem: porque gostam de trabalhar, sentirem-se mais ativos, ter uma renda extra para complementar orçamento e ajudar a família. Os profissionais ativos e inativos também informaram em qual área mais gostariam de atuar. Destacaram-se Engenharia Civil, Mecânica e Eletrotécnica; Administração de Empresas e Vendas. O levantamento também mostra que os aposentados preferem trabalhar em áreas que acumularam experiência.

Para 86%, há o desejo de permanecer na mesma área ou retornar a um antigo setor em que sempre trabalhou. Há ainda 14% que querem ter a oportunidade de colaborar em uma nova área. Para esse público, os novos setores mais desejados para atuação são Administração de Empresas, Direito, e Vendas. “Há vigor, disposição e muita motivação entre esses profissionais. Eles são movidos a desafios, seja para colaborar com seu expertise ou até mesmo agregar experiência em novos projetos”.

Setor de distribuição de aço fechou 2012 com alta de 1,5% nas Vendas

L

evantamento realizado pelo SINDISIDER (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Produtos Siderúrgicos) revela que, de 2011 para 2012, houve pequeno aumento de 1,5% nas vendas de aços planos realizadas pelos distribuidores associados ao INDA (Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço). Foram vendidas 4.354,5 mil toneladas, no ano passado, contra 4.289,5 mil toneladas, do período anterior. Na comparação entre os meses de novembro e dezembro, as vendas registraram significativa queda de 18,8%, passando de 384,8 mil toneladas para 312,5 mil toneladas. Em relação a dezembro de 2011, quando foram vendidas 324,8 mil toneladas, a retração foi de 3,8%. As compras em 2012 tiveram aumento de 5,2%, com 4.297,9 mil toneladas contra 4.087,3 mil toneladas do acumulado do ano anterior. De novembro para dezembro, as aquisições caíram de 381,4 mil toneladas para 323,1 mil toneladas, o que corresponde a 15,3%. Comparado a dezembro de 2011, com 317,7 mil toneladas, houve ligeiro crescimento de 1,7%. Importações e estoques De acordo o SINDISIDER, a importação de aço plano comum, realizada pelo mercado brasileiro, encerrou 2012 com redução de 15,3%, passando de 1.943.776 toneladas para 1.645.600 toneladas. Em dezembro, foram importadas 79,1 mil toneladas ante as 110,4 mil toneladas de novembro, apresentando uma queda de 28,3%. Quando comparadas ao mesmo mês de 2011 (207,6 mil toneladas), as importações registraram volumes 61,9% menores. Os estoques, em dezembro, tiveram alta de 1,1% em relação ao mês anterior, atingindo o volume de 944,1 mil toneladas, com um giro de 3 meses.

Atendimento do farmacêutico é valorizado Consumidores entre 18 e 24 anos são os que por consumidores, aponta pesquisa

P

esquisa nacional inédita mediu a valorização do farmacêutico entre consumidores. Para 95% dos 1.611 entrevistados em 12 capitais brasileiras, a presença desse profissional nas farmácias é importante. E 90% consideram o farmacêutico importante para a saúde do consumidor. Esses dados fazem parte do levantamento finalizado em dezembro de 2012 pelo Instituto Datafolha em conjunto com o Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ), especializado em educação continuada, com foco no mercado farmacêutico. A quase unanimidade da relevância atribuída ao farmacêutico é fruto de uma série de transformações positivas vividas no setor. A começar pelo consumidor, que está cada vez mais consciente de seus direitos. “Muitos estabelecimentos passaram a respeitar a lei [federal número 5.991, de 1973], que obriga a presença de um farmacêutico durante todo o período de funcionamento”, observa Marcus Vinícius Andrade, diretor do ICTQ. “No entanto, ainda existe certa dificuldade em identificar a diferença entre o atendente e o farmacêuti-

co”, diz Andrade. De acordo com o estudo Datafolha/ICTQ, os entrevistados de São Paulo foram os que mais reconheceram o valor dessa especialidade ao julgar a presença do farmacêutico nos estabelecimentos muito importante (87%). A maior visibilidade e respeito do profissional vêm a reboque também do cresci-

mento de vendas apresentado no varejo farmacêutico. Considerado promissor, o profissional graduado em Farmácia encontra um mercado de trabalho em expansão. O farmacêutico não se restringe ao atendimento no balcão. O leque de atuação se estende para várias outras áreas, além

do varejo. Hoje, esse profissional pode seguir carreira na área de logística farmacêutica, na indústria de alimentos e de cosméticos, na vigilância sanitária, nas unidades de saúde pública e privada, entre outros setores. Isso não significa, porém, que a competitividade nessa profissão não esteja acirrada. Para Andrade, do ICTQ, quem para na graduação terá mais dificuldade de conseguir posições melhores no mercado. “O profissional sem especialização, que se contenta apenas com a formação acadêmica, será aquele que vai ganhar piso salarial e assumir postos de baixa relevância”, ressalta Andrade. “Sem aprimoramento, o farmacêutico vai perder a chance de aproveitar as oportunidades que se abrem na profissão.” Segundo o Conselho Federal de Farmácia, existem cerca de 67 mil farmacêuticos registrados no país. A cada ano, entram no mercado aproximadamente 8 mil formandos. De acordo com O CRF-SP, o curso de Farmácia está presente em mais de 400 instituições de ensino superior em todo o país. Dessas, 101 estão localizadas no estado de São Paulo.

mais ativam QR Code

D

e acordo com o relatório Quick Response (QR) divulgado pela Pitney Bowes Inc, os códigos de resposta rápida estão ganhando aceitação cada vez maior entre os consumidores da América do Norte e Europa. O uso do código QR como relatado por mais de 5.000 consumidores entrevistados é de 15% em média, e em 27% entre os consumidores na faixa etária entre 18 e 34 anos de idade. Essas foram as conclusões da pesquisa QR Code use encomendada pela Pitney Bowes. A pesquisa ouviu 2.000 consumidores nos EUA e 1000 consumidores na Grã-Bretanha, França e Alemanha respectivamente, para saber se eles já tinham usado códigos QR e onde. Os resultados mostram que, em média, a maioria dos códigos QR foram capturados de impressos. Revistas incentivam altos níveis de interação com o código QR (15%), seguido por correio e embalagens (ambos com 13%), cartazes (10%), Web site (8%), e-mail (5%) e TV (4%). No caso de impresso transacional como faturas e extratos, a adição de códigos QR pode ajudar as

empresas a entregar ações tangíveis, agregando valor à peça. Por exemplo, um código QR em uma conta de serviço público pode levar o cliente diretamente para um site de pagamento seguro na Web. A conta é então imediatamente paga com a confirmação do valor. Um aplicativo de mala direta pode apresentar clientes selecionados com um convite para ler o QR code para mais detalhes. Uma vez digitalizado, o código leva o cliente para uma página da Web personalizada onde sua fidelidade é reconhecida e recompensada com uma oferta adequada. Há dois elementos convincentes desta ferramenta de marketing emergente. Primeiro, ela cruza os canais tradicionais e digitais, agregando valor a ambos e é entregue por meio de um canal móvel, que está se tornando rapidamente o canal preferido entre os consumidores. Os consumidores responderam mais códigos QR encontrados em revistas, em embalagens e em malas direta. Uma vez ativado corretamente, os códigos QR portam o consumidor para uma agradável experiência digital.


JD

Economia&Negócios

E2

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Estudantes deixam de tentar vaga em universidades para prestar concurso

Estabilidade e independência financeira são fatores que pesam na decisão.Ingresso no serviço público ajuda estudantes a pagar depois os estudos.

E

nquanto os estudantes aprovados para as 129.319 vagas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) fazem a matrícula nas instituições federais de ensino superior, alguns alunos que estão cursando o ensino médio preferem investir na preparação para as vagas do serviço público antes de fazer vestibular. Eles dizem que só vão tentar entrar em uma universidade depois de obter estabilidade no emprego. Apesar de ser permitido assumir o cargo só aos 18 anos e apenas disputar cargos de nível fundamental ou médio, para esses jovens, o que importa é conseguir a tão sonhada independência financeira o mais cedo possível. Aos 16 anos, Isaura da Silva Pinto já tem duas certezas: quer ser escritora e passar em concurso público. Cursar universidade nem passa pela sua cabeça, apesar de estar no último ano do ensino médio. Como ela, Thalita Dall’Armi e Nataly Miranda, ambas com 19 anos, decidiram prestar concurso público antes de fazer faculdade. Para as três jovens, o serviço público é o passaporte que viabilizará a realização de seus sonhos. “Descobri que posso, só com o nível médio, ter minha independência financeira”, diz Isaura. Quando Isaura tinha 14 anos, no último ano do ensino fundamental, sua mãe encontrou uma maneira de ajudá-la a incrementar seus estudos em matemática e português – a colocou para assistir às aulas das duas matérias no curso preparatório Academia do Concurso, no Rio. “E lá estava eu estudando com um monte de gente que tinha um objetivo diferente do meu. Enquanto eu estava acrescentando conteúdo à minha formação escolar, eles estavam em busca de emprego com estabilidade”, conta. A jovem afirma que o que mais a influenciou a optar por concurso foi ver sua mãe sempre trabalhando muito, sem tempo para descansar. “Ela falava muito que não queria que fosse assim comigo. O que também me influencia, e muito, é saber que terei dinheiro para realizar meus sonhos e poder ajudar minha mãe e minha irmã”, diz. Além de estudar português e matemática, Isaura acrescentou à sua rotina informática, atualidades e direito constitucional. “O legal é que muita coisa que meus professores ensinam na minha escola eu já sei e acabo ensinando para meus amigos. Quando eu terminar a escola, aí sim vou pegar mais disciplinas e focar mesmo”, garante. Dedicação A rotina de Isaura é puxada: vai à escola pela manhã, ao curso preparatório para concursos à noite e, à tarde, faz o dever de casa e a revisão dos estudos da aula do curso da noite anterior. “Ainda não entrei no ritmo de fazer exercícios do curso em casa, o que é o certo, porque só vou fazer isso quando eu terminar o ensino médio. Mas frequentar a sala de aula do curso

Nataly Miranda vai disputar vaga no TRT do RJ com 1.709 candidatos

Thalita Dall’Armi pretende prestar o Enem no ano que vem

já me deixa à frente de muita gente.” Isaura ainda não prestou nenhum concurso, mas seu foco é o BNDES. “Acho que é o que mais se aproxima de mim. Adoro inglês e tem conteúdo do idioma na prova.” Ela tem esperança de ser um dos últimos classificados da lista e, assim, ser chamada quando já tiver 18 anos. “Tenho sonhos, um deles, por exemplo, é ser escritora. Mas preciso de dinheiro para bancá-los e é no serviço público que terei condições financeiras para poder pagar meus gastos”. Isaura conta que é a única na sua sala de aula do ensino médio que não tem planos para a faculdade. “Quando meus amigos me perguntam o que vou fazer, eu digo: concurso público. No começo eles estranhavam, mas com o tempo eles se acostumaram e acham legal minha decisão”, diz. Ministra do STF Os colegas de Nataly Miranda também achavam “estranho” ela não ter em seus planos a faculdade logo após terminar o en-

sino médio. “Eles me achavam maluca por não fazer vestibular”, lembra. Nataly terminou o ensino médio em 2011 e já passou a estudar para o concurso da Ancine, que ofereceu no ano passado 82 vagas de nível médio e salário de R$ 4,8 mil. Apesar de estudar 6 horas diariamente por 5 meses, não conseguiu vencer a concorrência de mais de 500 candidatos por vaga. Atualmente, ela está estudando para o concurso do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio de Janeiro, cuja prova é dia 27 de janeiro. A concorrência também é alta: 1.709 candidatos por vaga - 64.949 inscritos para 38 vagas de técnico judiciário - área administrativa. Nataly trabalha como vendedora 6 horas por dia em um shopping do Rio de Janeiro no período da tarde. De manhã ela faz cursinho preparatório e na hora do almoço e depois do trabalho ela se debruça sobre as apostilas. A decisão de tentar o serviço público teve influência direta dos pais, que são concursados – a mãe trabalha na prefeitura e o

pai, no governo do estado, ambos como assistentes administrativos. “Eles trabalham bem menos e ganham bem mais que eu. Além disso, não trabalham em fim de semana nem em feriado. Eu não tenho folga”, lamenta. Nataly não abandonou o desejo de fazer faculdade. No futuro ela pretende fazer direito ela tem vontade de ser juíza, e seu grande sonho é trabalhar no Supremo Tribunal Federal (STF). “Quero ser ministra. O Joaquim Barbosa é meu ídolo”, diz. Foco Por enquanto, ela pretende conseguir a vaga de técnica no TRT e trabalhar com o que gosta: mexer com processos. “Aí vou poder fazer uma boa faculdade, depois prestar outros concursos para nível superior, inclusive para delegada. Gosto muito de estudar direito”, diz. Meta é passar em concurso até 21 anos Thalita Dall’Armi também disputará uma vaga no TRT do RJ. Ela chegou a passar em psicologia na

UFRJ e desistiu porque decidiu prestar concurso. Thalita prestou o Enem em 2011. “Acho muito importante ter meu dinheiro próprio, estabilidade, para depois fazer a faculdade que tenha a ver com o cargo que escolhi, que no caso é de direito”, diz. A jovem pretende prestar o Enem no ano que vem para “usar” a graduação para participar de concursos públicos para cargos de nível superior. A estudante faz curso preparatório pela manhã, trabalha à tarde em uma editora de livros para concursos como atendente e à noite descansa. Os sábados e domingos ela passa estudando e fazendo revisão. Apesar de preferir trabalhar em tribunal, ela pretende fazer também concurso para o Banco do Brasil e Banco Central. “Vou fazer 20 anos em maio, até os 21 tenho que passar, essa é minha meta.” O interesse por concursos surgiu bem antes de trabalhar na editora – ela começou a estudar há mais de um ano. Em agosto do ano passado, prestou o concurso do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) e passou na 1.000ª posição – em disputa estavam 9 vagas. “Mas pra mim foi uma vitória, pois foram 32 mil concorrentes e eu estudei por apenas 8 meses”, afirma. Estabilidade antes do diploma Amábile Lucy de Souza Gomes, de 22 anos, trancou a faculdade no ano passado para investir nos estudos para concurso. Com formação de professora primária, ela foi demitida da escola na qual trabalhava. Era seu primeiro emprego. Foi o incentivo para decidir tentar uma vaga no serviço público. “Me dei conta de que não podia fazer planos a não ser que entrasse na área pública. Até pode ganhar menos, mas você sabe que não vai ser mandada embora”, diz. Amábile terminou o ensino médio em 2009 e em 2010 passou no curso de serviço social da UFF. Quando estava no 5º semestre decidiu trancar o

curso. Em 2011, começou a estudar para concurso. Já fez a prova do Banco do Brasil, na qual ficou na 4.000ª colocação entre 90 mil concorrentes. Seu foco agora é a área bancária. Está esperando o próximo concurso do BB. “Não me identifico mais com serviço social, mas pretendo me formar para poder ter o nível superior e tentar concursos para cargos com essa escolaridade”. Para isso, Amábile diz que precisa de estabilidade para então estudar na universidade. “Aí então eu pretendo tentar Banco Central e BNDES”, planeja. Opção Ao comparar com os estudos para vestibular, Amábile acha que a preparação para concursos exige mais seriedade e dedicação. “Vestibular você faz por obrigação, concurso é por determinação, por vontade de crescer, de ter um emprego público, ter a vida inteira estabilizada.” Além disso, para ela, a competitividade é maior em concursos. “Mas é uma competitividade saudável. Você torce para as outras pessoas passarem e um ajuda o outro. Quando alguém passa revigora as forças dos demais”, diz. “Em 4 anos você termina a faculdade. Emprego público é para a vida inteira. O concurso é mais importante que a faculdade. Você passa por mérito, tem estabilidade. Na faculdade você ainda é preparado para o mercado de trabalho privado”, argumenta. A jovem diz que os editais de concursos pedem matérias que os estudantes nunca viram na vida. Por isso, ela até dá dicas para quem está começando: primeiro fazer um concurso mais fácil e depois partir para outros concursos mais disputados. “Quando você define uma área já sabe o que tem que estudar, o conteúdo muda pouco de um concurso para o outro. E todo o ano tem concurso da Caixa ou do BB, e BNDES tem quase todos os anos. Mas tem que estudar com antecedência, não com a saída do edital”, aconselha.


JD

Economia&Negócios

E3

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Estudos cientificos buscam elo entre casos de narcolepsia e vacina contra H1N1

C

ientistas investigam na Europa o surgimento de 800 casos de crianças e adolescentes da Suécia e de outros países do continente que desenvolveram narcolepsia, um distúrbio do sono que é incurável, após serem imunizadas com a vacina Pandemrix, produzida pela farmacêutica britânica GlaxoSmithKline (GSK) em 2009 para combater casos da gripe H1N1, que ficou conhecida como a “gripe suína”. Finlândia, Noruega, Irlanda e França registraram ocorrências da doença. Um estudo que deve ser publicado em breve cita registros também no Reino Unido. A narcolepsia, ou doença de Gélineau, é um problema neurológico pouco comum que consiste em ataques de sono irresistíveis que acontecem de repente e com um cansaço extremo. O órgão regulador de medicamentos na Europa decidiu que o Pandemrix não deve ser mais utilizado em pessoas com idade inferior a 20 anos. O responsável pela divisão de vacinas da GSK, Norman Begg,

informou que a empresa enfrenta seriamente a questão e está “absolutamente comprometida para encontrar resultados”. Ele acrescenta que ainda não há dados suficientes ou evidências que sugerem uma relação entre a vacina e os casos recentes de narcolepsia. No entanto, Emmanuel Mignot, um dos maiores especialistas do mundo nesta doença e que é financiado pela GSK para investigar mais a fundo o drama, aponta para outra direção. “Não há dúvida que o Pandemrix aumentou a ocorrência de narcolepsia em crianças de alguns países”, disse o especialista em distúrbios do sono da Universidade Stanford, dos Estados Unidos. Vacinação contra a pandemia Durante a pandemia de H1N1 entre 2009 e 2010, mais de 30 milhões de pessoas em 47 países foram vacinadas com Pandemirix – os Estados Unidos não utilizaram esta medicação. Segundo a GSK, 795 pessoas de toda a Europa relataram o desenvolvimento de narcolepsia após a imunização. Um dos casos estuda-

dos é o de Emelie Olsson, que vive na Suécia. Segundo seus pais, ela era uma estudante que adorava tocar piano, ter aulas de tênis e se divertir com os amigos. Mas sua vida começou a mudar no início de 2010, poucos meses após ser medicada com o Pandemrix. Marie Olsson, mãe da menina, começou a notar que ela estava frequentemente cansada e precisava dormir toda vez que chegava da escola. Tudo parecia normal até que a jovem começou a “cair de sono”, literalmente, na escola. Ainda não foi descoberto o gatilho que relaciona o remédio à doença, mas pesquisas sobre o assunto indicam que o risco de desenvolvimento de narcolepsia em crianças que receberam o Pandemirix contra o H1N1 entre 2009 e 2010 aumentou até 13 vezes. Cientistas investigam a presença de agente biológico no remédio chamado AS03, que pode ter contribuído para o desenvolvimento da doença em portadores de uma variação genética. Esta alteração natural teria deixado algumas pessoas mais

Três laboratórios propõem assumir fornecimento de remédio de leucemia

T

rês laboratórios enviaram propostas para assumir o fornecimento do remédio asparaginase, usado no tratamento de leucemia, informou nesta terça-feira (22) o Ministério da Saúde ao G1. O medicamento está em risco de desaparecer das prateleiras de farmácias, além de hospitais ligados ao Sistema Único de Saúde (SUS), após a empresa responsável haver anunciado que vai suspender a distribuição nos próximos seis meses. A ideia, afirma o ministério, é garantir a produção e venda de asparaginase no Brasil. De acordo com o ministério, dois dos laboratórios interessados no fornecimento são brasileiros, um público e o outro particular. Um terceiro, internacional, também apresentou proposta, segundo a pasta. O ministério não

deu mais detalhes sobre os laboratórios, mas informa que está aberto a receber novas propostas até o fim desta semana, e que começará a avaliá-las na próxima segunda-feira (28). Um dos laboratórios cogitados enviou proposta ao ministério na última segunda-feira (21), e os outros dois, no fim da semana passada. Todos os pontos, como preço e capacidade de distribuição, devem ser analisados. Reunião Na quarta-feira (23), o Ministério da Saúde deve se reunir com representantes do laboratório Bagó, o atual responsável pelo asparaginase (vendido com o nome comercial Elspar), para discutir o motivo da suspensão da distribuição. Também deve ser discutida a hipótese de a em-

presa transferir a tecnologia de produção do remédio para o Brasil, para garantir que ele continue a ser produzido, diz a assessoria da pasta. O G1 procurou o laboratório Bagó para questionar os motivos da suspensão, mas não recebeeu resposta até o fechamento desta reportagem. O ministério também estuda a alternativa de importar o remédio. Uma nota oficial da pasta afirma que “tal medida já ocorreu no Brasil, com o medicamento taliglucerase, usado no tratamento da doença de gaucher”. Segundo o texto oficial, o taliglucerase recebeu autorização especial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) “para atender situação emergencial também provocada pela interrupção no fornecimento de um único laboratório”.

Emelie Olsson, da Suécia, é um dos casos investigados de desenvolvimento de narcolepsia após a medicação com a vacina Pandemrix

vulneráveis a desenvolver a narcolepsia, que afeta 500 pessoas a cada grupo de um milhão, segundo estimativas. Além de crises de sonolência diurnas, a narcolepsia pode causar

pesadelos, alucinações, além de episódios de cataplexia, quando fortes emoções podem desencadear a perda súbita da força muscular. A Organização Mundial

de Saúde (OMS) afirma que a pandemia do H1N1 matou 18.500 pessoas, embora um estudo divulgado em 2012 aponte para um número 15 vezes maior.

Estudo liga produtos de limpeza a asma em adultos

P

essoas que trabalham com produtos de limpeza têm mais risco de ter asma, segundo especialistas britânicos, que publicaram uma pesquisa sobre o tema na revista médica “Thorax”. O estudo, do qual participaram mais de 7.000 pessoas, sugere que a exposição a alvejantes e outros produtos químicos está ligada a um em cada seis casos de britânicos que desenvolveram asma depois dos 50 anos. Ele identifica 18 ocupações de alto risco - quatro das quais seriam ligadas ao setor de limpeza. No topo da lista estão agricultores, mecânicos de aeronaves e tipógrafos, mas ela também inclui faxineiros, faxineiros de escritório, empregadas domésticas, cuidadores, cabeleireiros e funcionários de lavanderia. Segundo especialistas, a

culpa pela maior incidência de asma parece ser do ambiente de trabalho desses profissionais e não das atividades que eles desenvolvem em seu dia a dia. Partículas inaladas Muitos produtos têm sido associados à asma, entre eles farinha, grãos e diferentes tipos de detergente. Quando partículas muito finas de substâncias presentes nesses produtos são inaladas, acabam causando irritações. A cientista Rebecca Ghosh, que coordenou o estudo, diz que produtos de limpeza também já estão começando a ser reconhecidos como uma potencial causa de asma. Por isso, há instruções sobre procedimentos padrões para o uso seguro desses produtos. Gosh diz que as empresas devem controlar a exposição de seus funcionários a substâncias

perigosas e relatar todos os casos de asma ocupacional. “Os empregadores, empregados e profissionais de saúde ainda têm pouca informação sobre a asma ocupacional. Conscientizar as pessoas de que essa é uma doença quase totalmente evitável seria um passo importante na redução da sua incidência”, diz Ghosh. “Aconselhamos que quem trabalha nas indústrias destacadas nesse estudo e tem sofrido problemas respiratórios discuta isso com seu médico de família”, afirma Malayka Rahman, da organização britânica Asthma UK. “E também pedimos que os profissionais de saúde se certifiquem de que estão considerando a questão ocupacional ao avaliar as possíveis causas de asma em um paciente adulto e lhes instruir sobre como tratar o problema.”

Secretário-geral da ONU diz que fará pressão por acordo climático até 2015

O

secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, disse nesta terça-feira (22) que pressionará os líderes mundiais a fecharem, até 2015, um acordo para combater o aquecimento global. “No mês passado, em Doha, fizemos negociações sobre o clima. É uma prioridade para mim, e no ano que vem tenho a intenção de convidar os líderes do mundo, individual e coletivamente, a pôr a vontade política necessária para adotar, até 2015, um instrumento forte, completo e vinculante sobre as mudanças climáticas”, afirmou na Assembleia Geral da ONU. O acordo de Doha, alcançado em dezembro depois de 12 dias de negociações, estabelece que a

União Europeia, a Austrália e uma dezena de outros países industrializados reduzam suas emissões de gases causadores do efeito estufa antes de 2020. Mas o acordo, que é uma extensão do Protocolo de Kyoto, exclui países como China, Índia e Estados Unidos, principais emissores desses gases. Ban Ki-moon fez essas declarações depois que o presidente americano Barack Obama disse em seu discurso de posse, nesta segunda-feira (21), que as mudanças climáticas serão uma prioridade para seu segundo mandato. “Responderemos à ameaça das mudanças climáticas sabendo que, se não agirmos, trairemos nossos filhos e as gerações futuras”, afirmou Obama.


JD

Educação

E4

Macapá-AP, domingo e segunda, 27 e 28 de janeiro de 2013

Editor: Túlio Pantoja- tuliopantoja@jdia.com.br

Só os royalties podem viabilizar 10% do PIB para a educação, diz ministro

Ministro Aloizio Mercadante participou de congresso da UNE em PE no ultimo domingo. MP do governo destina royalties de parte dos contratos à área.

O

ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou no domingo (20), durante congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE) em Recife (PE), que o fluxo de investimento na educação proveniente dos royalties do petróleo seria “fantástico” caso a previsão do governo federal se confirme, e que os recursos do pré-sal são a única fonte de financiamento capaz de viabilizar o investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro na área da educação. Segundo comunicado divulgado pelo Ministério da Educação, a expectativa do governo federal é que a medida provisória que destina à educação 100% dos royalties das futuras concessões de petróleo e gás poderia render ao setor R$ 16 bilhões ainda em 2013. “Segundo o ministro, os royalties são a única fonte de financiamento realista para viabilizar o investimento de 10% do PIB na educação”, diz um comunicado divulgado pelo Ministério da Educação divulgado no domingo. Em outubro, a Câmara dos Deputados aprovou a a aplicação, em até 10 anos,

Segundo comunicado divulgado pelo Ministério da Educação, a expectativa do governo federal é que a medida provisória que destina à educação 100% dos royalties das futuras concessões

de 10% do PIB na área. De acordo com a nota, a expectativa do governo federal é que a medida provisória que destina à educação 100% dos royalties das futuras concessões de petróleo e gás renda ao setor R$ 16 bilhões em 2013, volume classificado por Mercadante como “um fluxo de

investimento fantástico”. Recursos para chegar aos 10% A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou o PNE em 16 de outubro do ano passado. O projeto prevê a aplicação, em até 10 anos, de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na

área da educação. No ano passado, União, estados e municípios aplicaram, juntos, 5,3% do PIB no setor por ano. A proposta inicial do governo era ampliar esse percentual para 7% ao longo dos próximos dez anos. Como foi votada em caráter conclusivo, a proposta não precisa passar

pelo plenário da Câmara e seguirá diretamente para análise no Senado. Se aprovada pelos senadores sem alterações de mérito, o texto vai para sanção presidencial. Em dezembro,o governo publicou a Medida Provisória 592/2012, que destina à educação os royalties recolhidos em futuros

contratos de produção de petróleo sob o regime de concessão. A medida havia sido anunciada no fim de novembro, junto com o teor dos vetos da presidente Dilma Rousseff à lei recém-aprovada pelo Congresso que alterou a distribuição das receitas arrecadadas com a exploração do petróleo.

“É preciso criar cotas para nós”, diz preso de PE aprovado no Sisu maior: ele conseguiu a sétima posição no curso escolhido, a licenciatura em matemática, na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), com nota 706,29. Foi a melhor colocação de um reeducando em toda a história do sistema prisional do estado.

Dos 120 calouros, apenas três não compareceram e perderam as vagas. Segundo o edital, o ITA é quem vai decidir se haverá uma segunda chamada ao vestibular.

Alunos aprovados no ITA fazem matrícula em São José dos Campos

O

s aprovados no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), compareceram neste domingo na sede do instituto, em São José dos Campos (SP), para efetuar as matrículas. Serão cinco anos de estudo em um dos cursos de engenharia mais concorridos do país. Dos 120 calouros, apenas três não compareceram e perderam as vagas. Segundo o edital, o ITA é quem vai decidir se haverá uma segunda chamada ao vestibular. Uma reunião da reitoria já foi marcada e se for aprovada a convocação de mais três estudantes, o resultado será divulgado na quarta-feira (23). De todos os aprovados no vestibular, só 10 eram mulheres. Entre as poucas jovens, está a pernambuana Ma-

ria Catarina Carvalho, de 18 anos , que veio de Petrolina para São José dos Campos há três anos afim de estudar para um dos vestibulares mais concorridos do país. “Foi difícil, mas valeu a pena. Depois que você para, olha e pensa que foram três anos de investimentos para entrar. Mas agora que eu estou vendo esse local que eu vou estudar e os meus colegas, valeu muito a pena”, afirmou. A mãe de Maria Catarina, Ana Rúbia Torres, fala da surpresa com a escolha da filha e da emoção de ver o objetivo da jovem ser realizado. “Quando aos 15 anos que ela nos informou que queria ser engenheira do ITA, nós dois nos assustamos. Agora, é só comemorar.

Eu não consigo parar de chorar de alegria e agradecimento”, contou a promotora de Justiça. O coordenador do vestibular do ITA, professor Luiz Carlos Rossati, fala sobre a mistura que o instituto propicia. “São culturas diferentes, nós temos alunos de Porto Alegre, Fortaleza e do Brasil todo. Muitos deixam a família ,os amigos a namorada”, contou. O calouro Vitor Gonçalves, de Caçapava, também foi um dos jovens que estudou muito durante três anos e até pensou em desistir do sonho de ser um engenheiro do ITA. “Deu vontade de desistir todas as vezes que eu não passei, mas para a pessoa que quer, que esta focada em passar no ITA, isso passa logo”, disse.

Henry conta os dias para sair da prisão e começar as aulas na UFRPE

H

enryton Klysthenes Ribeiro estava animado com o aniversário de 24 anos. Planejava fazer uma rave para ‘parar’ a pequena cidade de Timbaúba, na Mata Norte de Pernambuco, distante cerca de 100 km do Recife. Ribeiro dava aulas particulares de matemática e inglês, vivia bem com os pais e a irmã mais velha e tinha vários amigos, mas também uma fraqueza: queria ganhar dinheiro fácil. Com dois colegas, resolveu assaltar a agência dos Correios de Aliança, município vizinho, apenas quatro dias antes da festa. Sabia que o sistema de segurança do local era frágil e acreditava na impunidade. No dia 6 de junho de 2012, o trio aproveitou a saída de almoço dos vigilantes e, fingindo estarem armados, roubaram dinheiro da agência, que estava em funcionamento e

atendia alguns clientes no momento do crime. Os comparsas conseguiram fugir, mas ele acabou sendo preso em flagrante e a tão esperada data passou em branco, na prisão. Cadeia Foi no Presídio de Igarassu (PIG), na Região Metropolitana do Recife, onde cumpre pena, que o jovem, envergonhado e arrependido do crime, parou para pensar na vida que queria levar dali em diante. Inscreveu-se no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), formou um grupo de estudos com outros 16 reeducandos, todos já com o ensino médio completo, e fez a prova. Resocialização O resultado no Sistema de Seleção Unificado (Sisu), que saiu na última segunda-feira (14), foi uma surpresa ainda

Aprendendo a lição “É muito melhor ser reconhecido como alguém que venceu, pelo estudo, que como alguém que roubou, até porque eu não me considero um bandido, mas alguém que errou, aprendeu com isso e merece uma segunda chance. Pensei no dinheiro fácil, queria aventura, mas passei do limite e achei que tinha destruído a minha vida. Agora, ao invés de contar os dias para sair da prisão, vou contar os dias para começar as aulas. Vou embarcar em uma aventura bem melhor, e nessa quero ter sucesso”, diz Henry, como é chamado pelos amigos do PIG. À espera da liberdade Henry é um preso provisório. Ele foi julgado pela 25° Vara da Justiça Federal e condenado a cinco anos de detenção. Ele está agora em regime fechado, em um presídio de segurança máxima. Sentença A sentença dele ainda vai passar pela Vara de Execuções Penais, que deve encaminhá-lo para o regime semiaberto. O advogado dele entrou com pedido para desclassificar o crime para furto. A expectativa é que em abril, quando começam as aulas na UFRPE, Henry já possa cumprir a pena em regime aberto, tendo que assinar, todo mês, o livro de presença no Centro de Apoio a Egressos em Liberdade (Cael).

jornal do dia 27e28/01/2013  

jornal do dia 27e28/01/2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you