Cenario 12 edição junho 2009

Page 1

Secretarias Município realiza reforma administrativa e modifica a divisão dos setores da prefeitura de departamentos para secretarias. Página 3

Rodeio poderia ter sido melhor se houvesse mais tempo para organização, diz prefeito Estrutura da cidade também dificultou realização do evento, que atraiu mais de 20 mil pessoas nos quatro dias de festa

Biodiesel Município conquista R$ 1,4 milhão para investir na construção da usina de biodiesel. Página 3

Motuca Jovem Fest Município torna oficial evento que inclui o Motuca Rodeio Show e a Semana Cultural. Projeto gerou discussões na câmara. Página 5

Rei Frango Rei Frango apresentará plano de pagamento aos credores, depois que a justiça de São Carlos aceitou pedido de recuperação judicial. Medida beneficiará produtores do Assentamento, que estão desde novembro sem receber da empresa. Página 6

Futebol Master O time de futebol master de Motuca pode conquistar campeonato de mini-campo neste sábado (20). A final será realizada contra a equipe Prainha, em Jaboticabal, às 16h. Página 13

Município subsidiou 25% da festa, que teve custo de aproximadamente R$ 318 mil

De acordo com o prefeito João Ricardo Fascineli, o Motuca Rodeio Show, que atraiu mais de 20 mil pessoas entre os dias 21 e 24 de março, teria melhor resultado se fosse realizado em um tempo maior. “Só não foi melhor por causa disso, mas para não perdermos agendas com bandas famosas foi necessário organizarmos rapidamente”, explica. Outro fator que dificultou a realização do evento foi a falta de estrutura da cidade, que não comportou a procura por serviços de hospedagem, alimentação e transporte. Os profissionais envolvidos e os componentes das bandas tiveram que se locomover para as cidades vizinhas. O custo do evento, realizado pela empresa Jota’s, de Guariba, com apoio da prefeitura, foi de aproximadamente R$ 318 mil. De acordo com projeto aprovado na Câmara (matéria nesta edição), a prefeitura subsidiou 25% do total, o que corresponde a cerca de R$ 82 mil, para pagamento de uma das

bandas e do ECADE (órgão de arrecadação de atividades artísticas). Somente com as atrações musicais, duas consideradas de grande porte e duas médias, foram gastos aproximadamente R$ 167 mil. Foram direcionados 10% do total da venda de bebidas, em torno de R$ 5 mil, para o Fundo Social de Solidariedade. “Fui a Brasília atrás de recursos para o rodeio e eles me informaram que é preciso legalizá-lo e termos um histórico. Hoje nós temos”, relata o prefeito. De acordo com Ricardo, a intenção é a partir do ano que vem conquistar verba federal para a realização da festa. “Agora existe a possibilidade de conseguirmos até R$ 150 mil”. Segundo o empresário Jamil Pimenta Rocha, da empresa Jota’s, a realização do rodeio não seria possível sem a participação do poder público. “O custo é muito alto, por isso é necessária a mobilização da prefeitura e também da iniciativa privada, que neste caso, em Motu-

ca, foi muito pequena”. De acordo com o empresário, que há treze anos realiza rodeios, o evento proporcionou pouco retorno. “Deu para cobrir os custos”, relata. Há seis anos não era realizado rodeio em Motuca. O empresário Waldo Mendonça sempre trabalhou na criação do evento na cidade, que “era feito na raça, sem a ajuda da prefeitura”, destaca. Mendonça, que desde criança aprecia montarias, diz que o rodeio foi bom para elevar a estima da cidade. “Esta foi uma das melhores festas da região”, observa. “Foi bom para mostrar que Motuca está de pé, apesar do fechamento da usina”. Já o aposentado Paulo Sérgio da Silva revela que já apreciou rodeio, mas atualmente, prefere ir a eventos artísticos. “Eu já frequentei muito, mas hoje acho considero perigoso, pois pode acontecer alguma fatalidade”, observa. “Acho que deveria investir mais na área cultural, pois é o que realmente desenvolve a mente das pessoas”, acentua. Oporturnidades

O rodeio movimentou a economia local em decorrência no grande número de pessoas que atraiu. Muitas pessoas da cidade aproveitaram a oportunidade para ganhar dinheiro, como é o caso do motorista Ubaldo Reis dos Santos (Bal), que montou, às pressas, dois estacionamentos ao lado do local da festa, além de utilizar o próprio quintal de sua casa para guardar motos. “A idéia surgiu de repente”, relata. “Conversei com a proprietária de um dos terrenos, que me emprestou em troca das benfeitorias que eu realizasse no local. A outra proprietária eu paguei uma porcentagem”. Do outro lado, a vendedora Andréia Esperâncio reclamou da falta de atenção da prefeitura. “Eles deveriam ter feito uma reunião com a gente antes, mas nem pediram nossa opinião”, relata a comerciante.


Cenário

um serviço de utilidade pública

EDITORIAL

Valorização da Câmara Na última semana, o executivo tomou iniciativas louváveis, ao convidar os vereadores a participarem das discussões sobre o futuro de uma empresa no distrito industrial, além de abrir espaço para as discussões sobre a reforma administrativa. Algumas decisões estratégicas para o desenvolvimento da cidade, no entanto, foram ou continuam sendo centralizadas no governo. Foi assim na subvenção da sopa, que até o momento não há uma definição, e de eventos como o carnaval e rodeio, polêmicos pelo alto custo das realizações em um momento de incertezas. Da mesma forma, os vereadores não estão participando dos debates estratégicos sobre a criação do novo distrito industrial e, salvo alguns da base aliada, nem da construção da usina de biodiesel. Além disso, com algumas exceções, os projetos continuam chegando com pouco tempo para estudo, o que dificulta uma análise pertinente das matérias. Ao ouvir a posição dos legisladores e inseri-los no debate, o executivo fortalece a Câmara, que não quer ser vista pela opinião pública como um mero carimbador de luxo. Valorizar o legislativo, inclusive, foi um das promessas do prefeito. É claro que responder todas as indica-

Página 02

ções, como havia se comprometido, não era tarefa fácil, como ficou provado. No entanto, responder aos requerimentos, ao contrário das indicações, é uma obrigação regimental. Segundo alguns vereadores, até a pouco, isto não estava ocorrendo. Até o momento, foram feitas 183 indicações pelos vereadores e 63 requerimentos, além da elaboração de projetos de lei. A conquista de emendas, que atualmente chega a cerca de R$ 1 milhão, segundo o governo, também teve participação significativa dos parlamentares, que buscaram se aproximar dos deputados da mesma sigla partidária. Os números demonstram que eles querem participar do desenvolvimento da cidade, só que, para isso, é necessário o apoio do executivo. O governo tem maioria na Câmara. Teoricamente, isto significa que todos os projetos de lei que enviar será aprovado facilmente, caso não haja nenhuma confusão como a da sessão que oficializou o “Motuca Jovem Fest”. Não deveria ser assim. Tanto os vereadores da base aliada quanto os da oposição teriam que desenvolver os trabalhos de forma responsável, tomando posições e fiscalizando de acordo com interesses do

município. Da mesma forma, o executivo não deve desqualificar ou fugir do debate. Ao invés disso, deve fazer de tudo para que os vereadores participem dos rumos da cidade, seja convidando-os para as discussões ou oferecendo os mecanismos necessários para que compreendam com clareza o que estão votando. Motuca certamente será beneficiada caso o governo continue seguindo esta linha. O Cenário quer saber sua posição sobre este texto. Envie sua opinião, crítica ou sugestão para cenarioregional@gmail.com

CARTA DO LEITOR

edição anterior

Dos 85 participantes, tivemos 41 erros. Portanto 44 pessoas acertaram a resposta do desafio cenário, da edição anterior, ao responder que a cachoeira (foto), considerada a praia dos motuquenses na época, chama-se SALTO, também conhecida como cachoeira do Frucho. Com isso, foi realizado sorteio no Supermercado Santa Mônica, com a participação de Maira F. Fascinelli e Elizabeth Zanni, sendo os vencedores: Maria do Carmo Thomaz de Aquino Rocha, que irá receber o cupom para saborear a deliciosa pizza da Lanchonete do Levi, e Arlindo Fernandes Gouvêa, que irá receber um cupom da Cabelereira Silvia R. B. Sena para um corte e hidratação no cabelo.

Está foto, tirada na década de 30, mostra uma importante rua da cidade de Motuca. O desafio cenário deste mês pergunta qual o nome desta famosa rua? Deposite a resposta nas urnas que se encontram na Farmanina e no Supermercado Santa Mônica. O acertador que for sorteado primeiro ganhará uma pizza oferecida pela lanchonete do Levi e o segundo ganhará um corte de cabelo e hidratação no salão de beleza Silvia Cabeleireira. Fábio Falvo e Maria Angélica EXPEDIENTE Jornalista: Jairo Figueiredo Falvo, MTB 44.652/SP Repórter: Gabriela Marques Luiz Colaboradores: Fábio de Mello Falvo, Maria Angélica dos S. Mendes, Gerson Donini de Lima Tiragem: 1.000 exemplares Circulação: Motuca Impressão: Jornal Folha da Cidade - Araraquara Telefone: 16 3348 11 85 - 8141 9125 e-mail: cenarioregional@gmail.com

Achei de suma importância a oportunidade do leitor opinar ou até mesmo criticar sobre assuntos que diz respeito à sua cidade. No editorial sobre “Gestão Pública”, fica-se pensando até que ponto nossos políticos estão prontos para determinados cargos, principalmente o da administração pública. Sabemos que a gestão pública é complexa, muitas regras, burocracia, sem contar a falta de recursos enfrentados por parte de nossos administradores, ainda mais agora que estamos enfrentando uma crise mundial. Felizmente, a população não mais se deixa enganar, faz cobrança, exige seus direitos, observa, questiona, enfim, percebe-se um avanço por parte da sociedade. Vamos começar a mudar, fazer nossa parte, iniciando em nossa pequena cidade, até um dia o Brasil inteiro se conscientizar de suas obrigações perante o povo que é sua maioria... Ivonete Mello Santos, secretária


Cenário

um serviço de utilidade pública

Município passa a ter secretarias Segundo governo, medida descentralizará administração e facilitará captação de recursos

O município criou cinco secretarias (ver box), modificando o modelo administrativo que dividia os setores da prefeitura em departamentos. O salário mensal dos secretários (que é um agente político e não possui benefícios trabalhistas como INSS e férias) será de R$ 3.900,00. As pastas terão recursos e composição administrativa próprias e, segundo a prefeitura, os funcionários que as integrarão serão remanejados do quadro atual de funcionários. A novidade é Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Meio Ambiente, já que o município não tinha setor responsável nesta área. De acordo com o presidente da Câmara, José Carlos Francisco de Arruda, o projeto trará avanços para o município. “Este é a uma mudança necessária, que irá descentralizar a gestão do gabinete do prefeito, além de facilitar a conquista de recursos, já que os secretários possuem mais autonomia para criar projetos”. Arruda revela que a matéria foi discutida com os vereadores e que as dúvidas foram esclarecidas.

sessão ordinária realizada na segunda (15). O vereador Renato Luis Rateiro requisitou mais tempo para estudo e a votação foi adiada. “É um projeto polêmico, mas segundo estudos que fizemos e explicações de outros políticos, não existe qualquer impedimento para a criação das secretárias”, ressalta. “Pelo que nos foi passado pelo executivo, o projeto só vem a beneficiar o município”. Uma das preocupações do vereador era com relação ao nepotismo, já que a prerrogativa de secretário não impede a contratação de parentes. “Mas o prefeito nos afirmou que isso não ocorrerá”, destaca. O projeto de Reorganização Administrativa, aprovado por unanimidade pela Câmara em 17 de junho, também modificou a carga horária e a referência de alguns cargos. Segundo a prefeitura, com a medida, haverá uma diminuição de custos de aproximadamente R$ 15 mil anualmente.

Nepotismo

O projeto foi enviado para os vereadores na sexta (12) e seria votado na

CONHEÇA AS SECRETARIAS Secretaria Municipal de Administração e Finanças Composta por quinze funcionários. Pasta responsável pela execução administrativa e financeira do município e da coordenação dos recursos humanos. Secretaria Municipal de Planejamento, Obras e Serviços Composta por quatro funcionários. Pasta responsável pelo planejamento e gestão de obras públicas e particulares.

Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer Composta por dez funcionários. Pasta responsável pelas atividades educacionais, culturais, esportivas e de lazer no município. Secretaria Municipal de Saúde, Assistência e Promoção Social Composta por seis funcionários. Pasta responsável pelas atividades médicos odontológicas da população, além de promoção de eventos de cunho social. Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Meio Ambiente Composta por três funcionários. Pasta responsável pelo apoio e desenvolvimento econômico voltado à geração de emprego e renda, além de criação e gestão de programas voltados às áreas de agricultura e meio ambiente.

Governo conquista R$ 1,4 milhão para a usina de biodiesel Projeto está orçado em R$ 2 milhões; prefeito afirma que utilizará recursos próprios para a viabilização, caso necessário

O governo municipal conquistou, por meio de recursos da Embrapa e de emendas parlamentares, R$ 1,4 milhão para a construção da usina de biodiesel, de acordo com o prefeito João Ricardo Fascineli. O projeto está orçado em R$ 2 milhões. “Estamos trabalhando para conseguir os outros R$ 600 mil”, afirma. “Se for preciso, utilizaremos até recursos próprios para sua viabilização, pois não podemos perder esta oportunidade”. O projeto foi elaborado e está sendo articulado pelo ex-secretário de agricultura de São Carlos, Sérgio Dutra, do mesmo partido do prefeito (PT), que deverá assumir cargo no governo municipal. Tecnologia

O município aguarda a aprovação do projeto e a liberação do recurso para a negociação com a empresa Bio Petro, proprietária da tecnologia, que está

construindo uma unidade em Araraquara. De acordo com a proposta, a matéria prima, como pinhão e mamona, será produzida por famílias do Assentamento Monte Alegre, por meio de uma

Cooperativa, que ficará responsável pela administração da indústria, com capacidade para produzir seis bilhões de litros de biodiesel por ano e oferecer 40 empregos diretos.

Página 03


Cenário

um serviço de utilidade pública

Página 04


Cenário

um serviço de utilidade pública

Motuca Jovem Fest torna-se evento oficial no município Projeto, que inclui Semana Cultural e Festa de Rodeio, foi aprovado depois de passar por duas sessões extraordinárias e sofrer modificação O evento idealizado pela prefeitura denominado Motuca Jovem Fest, que inclui a Semana Cultural e a Festa de Rodeio, tornou-se oficial no município com a aprovação do legislativo, depois de passar por duas sessões extraordinárias e ser modificado. O projeto, que prevê a realização do evento no primeiro semestre de cada ano, gerou discussões entre os vereadores, principalmente, porque inclui subsídio municipal em sua execução. Poucas horas antes da sessão extraordinária realizada em 13 de maio, o prefeito João Ricardo Fascineli se reuniu com os parlamentares informando que a medida tem como objetivo facilitar a liberação de verbas federais para atividades futuras e que era necessária a realização de um evento com verba municipal para servir como histórico de apresentação. O vereador Fabio de Menezes Chaves, que saiu antes do término da reunião com o prefeito, por discordar das explicações, apontou inconstitucionalidade no projeto, pois não constava o valor do subsídio que a prefeitura estava sendo autorizada a direcionar. “De acordo com a Constituição Brasileira, a concessão e a utilização de créditos ilimitados são proibidos e o prefeito nos mandou um projeto com crédito ilimitado”, afirmou. O vereador declarou, ainda, que tinha outras dúvidas, entre elas se existia dotação orçamentária destinada para o evento deste ano. Por motivo de esclarecimento junto ao executivo, Chaves apresentou requerimento de adiamento das discussões e votação do projeto. Mesmo com maioria na Câmara, o governo saiu derrotado, depois que alguns vereadores da base aliada claramente se confundiram no momento do voto. Com a aprovação do requerimento, o presidente da câmara agendou sessão extraordinária para o dia seguinte (14). O executivo, então, enviou o mesmo projeto acrescentando o limite de subsidio até 25%, além de explicações sobre como seria a Semana Cultural e a Festa de Rodeio. Mesmo com a mudança, Chaves reiterou seu voto contrário, justificando que existiam alguns pontos problemáticos.

Verba federal

O vereador Renato Luis Rateiro também se posicionou contrariamente. “Não fomos convidados a discutir o projeto, como podemos votar um evento que já se encontra em andamento, com vendas de ingresso e publicidade”, indagou. “Desde o início fomos informados que o rodeio seria realizado com verba federal e agora nos informam que é dinheiro dos contribuintes”. Segundo Rateiro, em função das dificuldades enfrentadas pelo município, o governo deveria focar em programas de geração de emprego e renda. De acordo com o prefeito João Ricardo Fascineli, o subsídio para o evento é proveniente do superávit primário da gestão anterior. “Os vereadores aprovaram suplementação de verbas a pouco tempo, quando também dstinamos para a cultura, que estava com poucos recursos no orçamento”. O vereador Aguinaldo dos Santos criticou a postura do vereador Fábio Chaves, que saiu antes do término da reunião com o prefeito. “Se tivesse ficado, ele tinha ouvido os esclarecimentos”, destacou.

Página 05

Novo distrito industrial Acordo entre prefeitura e família Malzoni para compra de área ainda não foi fechado

A negociação entre a prefeitura e a família Malzoni sobre a venda da área de terras de 13 alqueires para a criação do novo distrito industrial não avançou. Em nota (nesta edição), a família Malzoni afirmou que ainda não recebeu nenhuma proposta oficial e que está disposta a negociar, por valores de mercado, após processo de avaliação. No mês passado, a prefeitura realizou suplementação de verbas no valor R$ 750 mil, proveniente do superávit gerado pela gestão anterior, para a compra do terreno com cana plantada, localizado próximo ao anel viário. O prefeito João Ricardo Fascineli afirma que, no mês passado, ofereceu verbalmente R$ 500 mil pela área, sem o processo de avaliação. O prefeito revela que ainda não requisitou o trabalho de um avalista porque, segundo ele, aumentará o valor da negociação. “É mais um custo para a prefeitura, pois teremos que pagar uma porcentagem para o avaliador”, relata. “Por isso acho importante negociar para adquirir da forma mais barata”.

Empresas

O prefeito revela que já não está tão preocupado em adquirir a área neste ano. “Temos ainda alguns terrenos que podem ser utilizados por indústrias que queiram se instalar no município”, aponta. “Agora, se o projeto da usina de biodiesel fechar, será necessário pelo menos um alqueire para seu funcionamento e, precisamente, teremos que negociar rapidamente”. Segundo ele, três empresas com capacidade para oferecer até dez empregos cada uma estão em processo de instalação no município


Cenário

um serviço de utilidade pública

Rei Frango apresentará plano para quitar dívidas

Página 06

NOTA DE ESCLARECIMENTO PÚBLICO

Medida beneficiará produtores do Assentamento, onde existem cerca de 30 granjas instaladas

que somam cerca de 80 milhões, iniciou processo de demissão e aproximadamente 1.100 funcionários foram atingidos. Atualmente, em torno de 500 pessoas trabalham na empresa. Redução de custos

Granjas encontram-se inativas desde novembro. Empresa culpa crise

A Rei Frango, de São Carlos, tem até o dia oito de julho para apresentar plano de pagamento aos credores, depois que a justiça de São Carlos aceitou pedido de recuperação judicial impetrado pela empresa, que passa por dificuldades financeiras em decorrência da crise econômica mundial. “Os credores receberão uma carta por meio dos advogados, com explicações sobre o plano, que será protocolado no Fórum de São Carlos”, afirma o analista financeiro Alexandre Fock, da Rei Frango. A medida beneficiará cerca de trinta produtores do Assentamento Monte Alegre, que possuem parceria com a empresa. Pelo contrato, os fornecedores tiveram que construir as granjas e realizar o beneficiamento, desde a chegada dos pintinhos até o momento do abate. Já a Rei Frango ficava responsável pela entrega dos animais, assistência técnica e fornecimento dos insumos. Em março, a Rei Frango, com dívidas

O produtor João Paulo Bento dos Santos, morador do Assentamento 01, firmou contrato com a Rei Frango em 2003. Ele revela que, desde novembro do ano passado tem a produção paralisada, pois não recebeu a quantia pelo frango retirado e nem a remessa de mais pintinhos. “Eles disseram que cortaram a produção de fornecedores que possuem granjas distantes da empresa para reduzir custos, o que acabou atingindo a gente”, relata Santos, que investiu cerca de 100 mil na construção de duas granjas, com capacidade para alojar 15 mil cabeças. “Financiei a primeira granja e estava pagando o equipamento”, conta. “A primeira parcela da outra granja já venceu e não tem como pagar”.

Diante da publicação de informação equivocada em edição de maio de 2.009, a Família Malzoni vem a público esclarecer o quanto segue: No mês de abril do corrente ano, representante dos proprietários da área de 13 alqueires localizada ao lado do anel viário reuniu-se com o Prefeito da cidade de Motuca para resolver assuntos de interesse da comunidade local. Neste encontro, acordou-se que a Família Malzoni efetuaria a doação ao Poder Público Municipal da Biblioteca Pública de Motuca e da área do terreno da Creche Maria Luiza Rocha Leite. Da mesma forma, ficou acordado que a Prefeitura procederia à avaliação da área de terra de 13 alqueires, localizada próxima ao anel viário, e que seria posteriormente utilizada para a formação do Distrito Industrial, apresentando, oportunamente, proposta para a compra da área. Até a presente data nenhuma oferta foi apresentada à família, que se encontra disposta a negociar a área por valores de mercado e nos parâmetros da avaliação e ser efetuada, atendendo às necessidades e interesses de ambas as partes envolvidas. Com esta finalidade disponibiliza, tanto representantes, como advogados, a fim de resolver as negociações entabuladas.


Cenário

Paulo Roberto Simões, diretor municipal de educação, esporte, cultura e lazer

um serviço de utilidade pública

Para o Diretor de Educação, Cultura, Esporte e Lazer do município, Paulo Roberto Simões, a educação tem que ser vista como um tripé, no qual não só a escola, mas também a família e a sociedade têm as suas responsabilidades. “Não adianta a escola correr para um lado se a família não der um apoio”, destaca. “Da mesma forma, se a sociedade não oferecer uma estrutura adequada, a formação do cidadão pode ter grandes problemas”. Formado em geografia e história, Paulo lecionou por quinze anos, seis em Motuca, e, no ano passado, aceitou o convite do prefeito eleito para assumir a direção da educação no município. Na entrevista para o Cenário, ele aponta as mudanças realizadas pelo governo na educação e as dificuldades enfrentadas até o momento.

Cenário: Quais foram as principais mudanças realizadas pelo atual governo na educação?

Paulo: A educação já vinha com um bom trabalho. Nossa proposta era fazer algo diferenciado. Para isso, mudamos a grade escolar de cinco para seis aulas por dia e inserimos informática e inglês desde a primeira série. Também decidimos substituir a apostila do sistema COC, que há nove anos mantinha contrato com a prefeitura. Em nossa opinião, a empresa não prestava um bom serviço de assessoria. Procurávamos um modelo profissional, que nos proporcionasse cursos, capacitações e parcerias. Fizemos uma seleção, juntamente com professores e alguns pais de alunos, e chegamos a três que consideramos as melhores. Depois, fizemos a licitação e o sistema Uno, da editora Moderna, apresentou o menor preço. Além de nos fornecer um bom serviço de assessoria, o sistema Uno atualiza de quatro em quatro anos as apostilas. É isso o que a gente quer, pois vivemos num mundo muito acelerado. Cenário: Como será a aula de inglês?

Paulo: As aulas de inglês serão ministradas pelos próprios professores da primeira a quarta série, que estão sendo capacitados com cursos financiados pela prefeitura. A princípio foi um susto para eles e houve um pouco de resistência, pois o que é novo sempre assusta. Financeiramente era bem mais fácil para contratarmos um professor de inglês, mas estaríamos indo contra nossa ideologia, que é investir no próprio professor. No decorrer das atividades eles terão toda a assessoria necessária para vencerem este desafio. A aula de inglês já está na grade. Será ministrada uma vez por semana. Iremos inserir o conteúdo de forma gradual, para que os alunos cheguem à quinta série com um conhecimento básico do inglês. Cenário: As aulas de informática já iniciaram?

Paulo: Já temos os computadores e estamos montando a sala de informática. Contratamos um monitor para assessorar o professor e outro será convocado em breve. As aulas serão voltadas para a questão educacional em termo de pesquisa, pelas quais os alunos terão a oportunidade de aprender a realizar procedimentos básicos como recortar, colar e fazer pesquisas na internet. Cenário: A merenda escolar foi alvo de críticas por falta de alguns alimentos em certos dias. O problema já foi resolvido?

Paulo: Todo início de um novo governo é difícil. O fato de alguns funcionários

Página 07

saírem pelo Pedido de Desligamento Voluntário (PDV) nos deixou sem informações, com dificuldade de montar a equipe, por isso houve um processo de renovação. Além disso, empresas que tinham contrato não puderam mais fornecer, pois configurava nepotismo. Foi difícil no começo, mas agora está tudo ok. A merenda está uma delícia. Criamos a cozinha piloto para centralizar o preparo das refeições em um único lugar. Com isso, as duas escolas recebem a mesma alimentação. Cenário: Qual a posição do ensino em Motuca nos programas de avaliação?

Paulo: No ano passado, nossa educação teve rendimento de 120% perante a média estadual no Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), além de também ser bem avaliada no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), o que significa que ultrapassamos a meta. Isso se deve, fundamentalmente, a um trabalho de equipe, que está comprometida com bons resultados na educação. Cenário: A evasão escolar preocupa o município?

Paulo: Ela ocorre mais na época de final de safra. O pessoal de fora vem para trabalhar nas usinas da região e depois da safra vão embora para o local de origem. Isso foge do nosso controle, pois se caracteriza mais como uma transferência. Para o governo federal, no entanto, a partir do momento que o aluno saiu de uma escola e foi para outra, é considerado evadido. Considero um erro de avaliação, o que traz prejuízos, pois influencia na verba que vem do Fundeb (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). A partir de seis anos, os alunos são obrigados, por lei, a freqüentar a escola. Caso os pais descumpram a legislação, podem ser penalizados por abandono de intelecto.


Cenário

um serviço de utilidade pública

Na Área... Espaço Jovem

Página 08

Conversamos com Alex Fernando Ferreira, 19 anos, estudante de Ciência da Computação; Mário Martins Neto, 13 anos, estudante do 7º ano; e Silvio Donizete Marques Luiz Junior, 18 anos e estudante de Sistemas de Informação. Eles nos contam como é a vida de um internauta. Gabriela Marques Luiz Ensinando os pais

“A crueldade da infância é os filhos ensinarem as mães a mexerem no computador”, brinca Neto, revelando que ensinou sua mãe a navegar na internet. Silvio passou por experiência semelhante. “Minha irmã ensinou minha mãe e eu ensino meu pai”, fala. Por conseqüência disso, a disputa pelo computador em suas casas é acirrada. Alex não precisou passar por isso. “Minha mãe não gosta de mexer no computador”, conta. Problemas, facilidades e perigos

Os internautas Neto, Silvio e Alex Internautas convictos

Todos eles passam de três a sete horas na internet por dia. Neto revela que fica cerca de cinco horas na frente do computador. “Uso mais a internet para participar de jogos”. Alex é o que mais ‘navega’. “Chego a ficar até sete horas no computador por dia, porque o utilizo na faculdade”, relata. Três horas é o tempo gasto por Silvio na máquina. “Já fui muito viciado, mas como trabalho e estudo, meu tempo ficou curto para ‘internetar’”.

preferidos de Neto. “Passo o dia jogando MU, CS e outros jogos”. Diversão e informação

Alex e Silvio usam mais a internet para informação, ao contrário de Neto, que a utiliza para diversão. Para ler, não precisa apenas de livros ou jornais. “Leio bem mais notícias na internet”, confessa Silvio, que tem o mesmo hábito de Neto. Alex concorda, mas não deixa de lado os livros. “Para informação uso a web, mas leio bastantes livros de romance”, diz.

Sites

O Orkut (rede de relacionamentos) é o mais acessado por eles. Logo após, vem o site de pesquisa Google e jogos. “Uso bastante o Gmail e também participo de fóruns sobre informática, como Linux”, conta Alex, que utiliza a internet para ter acesso aos materiais da faculdade, como apostilas. Além de também usar para esse fim, Silvio procura aprender através dos sites de pesquisa. “Gosto de visitar os sites da UOL e Yahoo”, revela. Sites de jogos são os

Amigos ainda pessoalmente

Sites como Orkut propiciam a amizade virtual, como revela Neto. “Tenho muitos amigos virtuais, mas mantenho contato pessoalmente com meus amigos daqui”. Mesma atitude tem Alex, que tem amigos de lugares bem distantes. “Converso por e-mail com um cara do Peru”, conta. Silvio já teve muitos amigos virtuais. “Eu tinha mais de 300 amigos no Orkut, mas ‘deletei’ e fiquei apenas com os que eu conhecia pessoalmente”.

Alex foi o único que revelou ter passado por dificuldades com a internet. “Na época que não era ilimitada, tínhamos que entrar aos finais de semana e a conta telefônica ficava cara”, lembra. Todos apontaram a fácil comunicação e acesso a informação como as principais facilidades. Mas há o lado ruim também. “Acredito que um dos principais perigos é a pedofilia”, conta Neto. Silvio pensa diferente. “Se você tiver bom senso, não tem perigo nenhum”, finaliza.


Cenário

um serviço de utilidade pública

Educação Ambiental: faça sua parte Angela Regina Santos (Nê)

Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho não se desviará dele (Provérbios 22:6).

Muito se tem falado de meio ambiente, aquecimento global, ecologia... Porém, o homem tem feito pouco neste sentido, tanto que as catástrofes ambientais têm sido muitas: enchentes, secas, calor e frio exagerados no Mundo. No Brasil estamos vendo enchentes no Nordeste, ciclones e seca no Sul, raios cada vez mais poderosos. O desenvolvimento é necessário. As cidades precisam crescer e gerar empregos, porém com qualidade, com respeito ao meio ambiente, pois, dependemos dele para sobreviver no planeta Terra, e, o planeta depende de nós para não explodir. Como conciliar o desenvolvimento (e suas conseqüências) e a preservação do meio ambiente? Com educação! Tem-se falado muito, também, em educação ambiental, que é destinada a desenvolver nas pessoas conhecimento, habilidades e atitudes voltadas para a preservação ambiental. As entidades ligadas ao meio ambiente e a mídia tem um papel muito importante na disseminação deste conhecimento, e o tem feito com competência! Mas falta o comprometimento do poder público e das escolas... A educação ambiental deveria estar presente em todos os níveis educacionais, principalmente nos primeiros anos escolares. Porque, nós, pais e avós, embora nascidos e criados já com a alta degra-

5 de junho, o Dia Mundial do Meio Ambiente e da Ecologia

dação ambiental, não sentimos seus impactos. Temos, com exceções, pouco conhecimento sobre a preservação e recuperação do meio ambiente. Portanto, seria de fundamental importância que o poder público, em parceria com as escolas, desenvolvesse projetos ambientais e trabalhasse com conceitos e conhecimentos voltados para a preservação ambiental e uso sustentável dos recursos naturais, pois, as crianças serão os próximos “grandes educadores das famílias”. O Brasil tem milhões de hectares de cana-de-açúcar plantados, sendo o maior percentual no Estado de São Paulo. Da área cultivada, a maioria é queimada nos seis meses de pré-colheita. Com a queima dessa biomassa, são enviados à atmosfera inúmeras partículas e gases poluentes, que influem direta e indiretamente na saúde de praticamente todos os moradores do interior do Estado de São Paulo (dados retirados de uma pes-

Prefeitura, plante árvores de sombra nas praças e calçadas! Empresas motuquenses, adotem árvores! Comunidade, cuide das árvores das praças e calçadas e plantem árvores frutíferas no seu quintal!

quisa do Dr. José Eduardo Delfini Cançado - Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia). Motuca é um município rodeado de plantação de cana-de-açúcar e Usinas Sucroalcooleiras. Sabemos que esta é uma atividade importante na economia e desenvolvimento da cidade e do País. Mas, sabemos também, que este desenvolvimento econômico tem que garantir o equilíbrio ecológico do município! Como estão nossos mananciais? Como estão nossos rios? Como está a saúde de seus moradores? As usinas já estão investindo no respeito ao meio ambiente, como, por exemplo, a Usina Santa Cruz de Américo Brasiliense-SP. E nós, os cidadãos comuns, o que podemos fazer? Coisas simples, como: - Reciclar nosso lixo doméstico; - Quando formos pescar ou tomar banho nas cachoeiras (são tantas e bonitas em Motuca), trazer para o lixo, todo material que levamos (latas, garrafas, bitucas de cigarros, embalagens, etc.), não fazer fogueiras, não depredar as plantas e pedras dos rios; - Não jogar entulhos nas margens dos rios e suas nascentes; - Não jogar lixo nas ruas; - Usar água com sabedoria (sem desperdícios); - Projetos residências com aproveitamento da água da chuva (reuso da água). Quanto à qualidade do ar, que é comprometida pelas queimadas, pela combustão de veículos automotores e outras emissões de poluentes, vamos compensar, plantando árvores nas calçadas e nos nossos quintais, que além da função paisagística, a arborização urbana proporciona benefícios à população como: proteção contra ventos, diminuição da poluição sonora, sombreamento, ambientação aos pássaros, absorção da poluição atmosférica e absorção de parte dos raios solares. Em Motuca, o morador fica sujeito a um grande desconforto térmico e a exposição de radiação ultravioleta, aumentando o perigo de contrair câncer de pele. Portanto, a arborização urbana deveria ser uma prioridade nas ações do Poder Público e uma preocupação da iniciativa privada e da comunidade em geral.

Página 09


Cenário

um serviço de utilidade pública Pedro Vaz de Lima

Página 10

Semana cultural apresentou arte local e regional Evento também incluiu atividades esportivas com participação de atletas do município

Você sabia que a caixa d’água de Motuca não era só um depósito de água, mas um local onde se iniciavam e terminavam muitos sonhos. Ali começaram vários casamentos e acabaram alguns também. Se me perguntassem qual a sua idade ou sua data de construção, não saberia responder, mas se me perguntassem o significado da caixa d’água da praça eu responderia na hora. Quanta saudade daqueles tempos onde a inocência de criança se via posta de lado, quando alguém dizia “te encontro atrás da caixa d’ água”. Eram puros e inocentes os olhares, os pequenos beijos roubados de formas tão momentâneas, que só se ouvia o barulho dos lábios. Mas como era bom... existia algo muito mais que poético, com muito mais sabor de coisas proibidas, e significava conhecer o desconhecido mesmo estando no mesmo local e vivendo somente o momento presente. Havia mais sacanagem nas mentes do que maldade nas ações. Hoje tão só e desativada, já não ostenta sua grandeza nem como depósito nem ponto de encontro, mas dentro de nós que vivemos este momento ela será sempre parte de nosso passado e sobreviverá para sempre em nós como lembranças dos velhos e bons tempos de adolescência...

Apresentações de teatro despertaram a atenção do público A semana cultural, evento que antecedeu o Motuca Rodeio Show, realizado entre os dias 17 e 20 de maio, como parte do Motuca Jovem Fest, mesclou manifestações artísticas de Motuca com as de outras cidades da região. O público, em sua maioria estudantes das escolas do município, teve a oportunidade de apreciar apresentações de artistas locais como o grupo de dança de rua Ênfase, Orquestra de Sopro e exposições de artigos de artesãos da cidade, além de conhecer obras da arte regional como as do artista plástico Anderson Gianne e o escultor Mestre Jorge, ambos de Araraquara, além de peças de teatro, cinema itinerante, bandas marciais e exposição de fotografias. O evento também incluiu atividades esportivas com a participação de atletas do município. O diretor municipal de educação, esporte e lazer, Paulo Roberto Simões, organizador do evento, revela que a ideia da Semana Cultural surgiu durante a organização da festa de rodeio, como forma de proporcionar cultura e lazer para os moradores de Motuca. “A intenção era criar algo inspirado na Virada Cultural (evento patrocinado pelo governo paulista em algumas cidades do estado), com várias atrações sendo realizadas simultaneamente”, explica. Segundo Paulo, a Semana foi organizada em aproximadamente 20 dias e teve

poucos custos para o município. “Tenho contatos com escolas de Araraquara que vieram sem cobrar nada, a prefeitura apenas cedeu o transporte e a alimentação”.


Cenário

um serviço de utilidade pública

Página 11


Cenário

um serviço de utilidade pública

Fábio Falvo e Maria Angélica

VOCÊ TEM PRECONCEITO RACIAL? O preconceito racial é a opinião formada antecipadamente, sem maior ponderação ou conhecimento dos fatos, sendo que qualquer preconceito é a radicalização da intolerância às diferenças. É ainda um dos mais graves problemas em todo mundo. Portanto, precisamos conhecer melhor as pessoas, indiferente da cor e raça: branco, preto, índio ou qualquer outro tipo, respeitando e zelando pelo próximo. O preconceito é sempre uma atitude negativa em relação a alguém. Para ajudar resolver o preconceito racial é preciso diariamente tomar pequenas atitudes que sirvam de modelo para outras pessoas:

Página 12

CARNE NA CERVEJA

I ngredientes 1 peça de fraldinha em cubos (1,3 kg, aproximadamente) 1 pacote de sopa de creme de cebola 1 lata de molho de tomates 1 xícara (chá) de água 1 lata de cerveja preta 2 cebolas médias cortadas em pétalas Manjerona para salpicar Como fazer 1- Em uma panela de pressão, coloque os ingredientes, com exceção das cebolas. Leve ao fogo por cerca de 40 minutos ou até que a carne fique macia.

Discriminação: É crime imprescritível, não se prescreve,

e inafiançável, não paga fiança para sair da prisão. Denuncie!

2- Retire do fogo, espere sair a pressão, acrescente as cebolas e cozinhe com a panela destampada por 10 minutos.

Educação: O preconceito é um tipo de pensamento que

3- Salpique a manjerona e sirva com arroz branco.

não surge e nem se adquire do nada. É necessário que os pais ensinem para as crianças pensamentos contra o preconceito racista. Muitas vezes o racismo é conseqüência de uma educação familiar racista e discriminatória.

Opções: A carne pode ser acém. Ao invés da sopa creme de cebola, podem ser 2 tabletes de caldo de carne, e a manjerona é opcional.

Conhecimento: Precisamos buscar informações e

transformá-las em conhecimento. Assim, seremos, aprenderemos e mudaremos nossas atitudes sobre alguns comportamentos ruins. Ou seja, tornaremos pessoas conscientes quanto a este problema. Informe-se e mude!

Piadas: Convém ressaltar que o racismo nem sempre ocorre de forma explícita. Existem casos em que a prática do

racismo é sustentada por ações preconceituosas em forma de piadas, sátiras e até histórias. Não faça e não incentive! Diferenças: A única forma de acabar com o preconceito é simplesmente

desvalorizar as diferenças. Porque algumas pessoas recebem mais atenção do que outras em relação à cor da pele, cabelo, olhos...? Desvalorize as diferenças! Para saber: A Constituição brasileira de 1988, no art. 5°, diz: “Todos são

iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança, à propriedade”. Nossa dica mais importante: Somos todos iguais, com as nossas diferenças.

Essa receita é uma sugestão do Cenário. Muito fácil de fazer e é uma delícia!

Envie também sua receita predileta para cenarioregional@gmail.com ou diretamente a um de nossos colaboradores.


Cenário

um serviço de utilidade pública

Futebol master de Motuca disputa final neste sábado Equipe chegou à final em primeiro lugar com apenas duas derrotas Grabriela Marques Luiz

O time veterano de futebol minicampo, o Motuca Master 50, pode sagrar-se campeão do campeonato Adilson Roberto Ascari (GEADA 2009). Depois de terminar a fase de classificação em primeiro de sua chave, a equipe disputará a final contra o Prainha, neste sábado, às 16h, em Jaboticabal. Com apenas duas derrotas em 14 jogos, o time se destacou na competição. “Estamos com um desempenho muito

Família esportista

bom o campeonato todo, sempre ocupando o primeiro ou segundo lugar”, relata o técnico Roberto Franco da Silva. O campeonato é disputado por jogadores acima de 50 anos, na modalidade futebol mini-campo. Na última edição, em 2008, ficou em quarto lugar. A competição conta com oito times inscritos: Barrinha, Jabuka, Lafranch, Motuca, Prainha, Prefeitura, Santa Mônica e Stefani. O campeonato é realizado pelo município de Jaboticabal. Motuca e Barrinha foram os únicos times da região convidados na competição.

texto enviado por Sandra e Markinhos

Sandra, Carlão, coordenador de esportes de Américo, e Ana Flávia

As atletas Sandra e Ana Flávia, respectivamente tia e sobrinha, conquistaram no último dia primeiro de maio o Campeonato Municipal de Vôlei de Praia de Américo Brasiliense. Elas disputaram com onze duplas da região. O técnico da dupla, Markinhos, marido de Sandra e tio de Ana Flávia, também obteve resultado expressivo ao comandar a equipe de voleibol da USP São Carlos, na qual atua como técnico, no inédito título do Campeonato Universitário Estadual “Circuito USP”, ao bater a equipe da Medicina – USP Capital por 3x2 na final.

Markinhos junto com suas comandadas, jogadoras de voleibol da USP São Carlos

O time sagrou-se campeão invicto. “Os campeonatos foram marcados por elevado nível técnico e conseguimos levar o nome de Motuca para outras cidades”, destaca Markinhos.

Página 13

Futsal feminino fica em 2º na Copa Sesc Equipe de Motuca perde nos pênaltis para Tabatinga depois de empate em 6 a 6 no tempo normal

A equipe de futsal feminino de Motuca deixou escapar nos últimos minutos a taça de campeã da Copa Sesc, disputada em Araraquara, no dia 31 de maio. O time jogou melhor durante toda a partida, estando sempre à frente no placar. No segundo tempo, chegou a abrir dois gols de vantagem, mas faltando apenas 1m50s, cedeu o empate para Tabatinga, que igualou o jogo em 6 a 6 e consagrou-se campeã com a vitória nos pênaltis. O time de Motuca terminou a fase de classificação em segundo lugar, com cinco vitórias, um empate e uma derrota, justamente para Tabatinga, que terminou em primeiro. Nos três últimos jogos da Copa, a equipe ficou sem a goleira titular, que se afastou por compromissos particulares. Em seu lugar foi improvisada a pivô Rosa Fernandes Gouvêa, capitã do time. “Tive algumas dificuldades para jogar, pois não sou goleira, e acabei cometendo alguns erros”, declarou. “Mesmo assim, jogamos melhor e merecíamos ganhar, mas o futsal é um esporte muito rápido e a desatenção em alguns

Time cedeu empate nos últimos minutos depois de abrir dois gols de vantagem

segundos determinou o resultado”. Segundo a pivô do time de Motuca Geordânia Cristina de Souza Martins (Barbie), que mora em São Carlos, o time demonstrou nervosismo na partida decisiva, o que prejudicou o rendimento das jogadoras. “Tropeçamos diante do Tabatinga na primeira fase, mas hoje não perdemos para elas, fomos derrotados por nós mesmas”, ressaltou. Mesmo se consagrando como a artilheira da final, com três gols marcados, Barbie ficou insatisfeita com a posição que foi escalada. “Hoje atuei na frente, mas gosto de jogar vindo de trás, onde meu rendimento é melhor, dois gols que marquei foram desta forma”, apontou.


Cenário

um serviço de utilidade pública

Página 14


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.