cenário 21 edição junho 2010

Page 1


Cenário

2

junho de 2010

Calma, Dunga, e rumo ao hexa! A relação conflituosa entre Dunga e a imprensa brasileira atingiu seu momento mais delicado no último dia 20, na entrevista coletiva logo após a comemorada vitória da seleção brasileira sobre a Costa do Marfim. Na ocasião, o técnico da seleção dirigiu palavras de baixo calão, captadas pelo sistema de som, ao repórter Alex Escobar, da rede Globo, ao entender que ele discordava de suas considerações com movimentos negativos de cabeça. O episódio rendeu um editorial da equipe esportiva da emissora, transmitido no programa Fantástico, ao classificar o comportamento do técnico como “incompatível com alguém tão vitorioso no esporte”. A rusga do treinador com a imprensa não é de hoje. Vem desde a Copa da Itália, em 1990, quando a geração de jogadores derrotada naquela competição foi rotulada de “era Dunga”, termo pejorativo entoado por jornalistas brasileiros como sinônimo de fracasso. Dunga, ao contrário, realmente é um vitorioso. Foi campeão do mundo quatro anos após, na Copa de 1994, nos Estados Unidos, como capitão do time brasileiro, entre outras conquistas como atleta. Além disso, até o momento, sob seu comando, a seleção possui mais créditos do

que deméritos. Estes argumentos já seriam suficientes para rebater os posicionamentos sobre “má convocação”, “esquema defensivo”, “substituição equivocada”, “inexperiência como técnico”, “mau gosto com roupas”, entre outras

EXPEDIENTE Jornalista: Jairo Figueiredo Falvo, MTB 44.652/SP Repórter: Gabriela Marques Luiz Conselho Editorial: Fábio de Mello Falvo, Jairo Falvo Colaboradores: Milena Fascinelli, Mércia Fabrício e Ângela Santos Tiragem: 1.000 exemplares Circulação: Motuca Impressão: Jornal Folha da Cidade - Araraquara Telefone: 16 3348 11 85 - 8141 9125 e-mail: cenarioregional@gmail.com CNPJ: 07.650.710/0001-06

inúmeras críticas formuladas pelos jornalistas esportivos. Dunga, contudo, insiste em colocar a imprensa brasileira como um rival a ser batido nesta Copa, assim como as seleções da Argentina, Alemanha e Holanda, também favoritas ao

título. Isso não quer dizer que a imprensa, não só a esportiva, deva ser observada como vítima. Ao contrário. Ela se equivoca, comete excessos e, da mesma forma que pode levar alguém aos céus, também joga ao inferno, muitas vezes injustamente. O poder que possui sobre a opinião pública não deve ser menor que sua responsabilidade. A postura de Dunga destoa de um bom líder. Ao preferir atacar com grosserias e fazer imposições, ele perde a oportunidade de discutir e melhorar a cobertura da imprensa, ferramenta fundamental da democracia. A visão crítica dos acontecimentos é inerente ao bom jornalismo e deve ser respeitada. Qualquer pessoa que ocupa postos de liderança e lida com a opinião pública, como o técnico da seleção, deve estar preparada para as pressões. Momentos de irritação são naturais a todos nós, mas líderes como Dunga, têm obrigação de procurar ser exemplo e se controlar. Os comportamentos do técnico até o momento são prejudiciais ao desempenho da seleção, pois tira o foco principal da equipe, que é conquistar o título. Mais calma, Dunga, e rumo ao hexa!


Cenário

Estudo aponta déficit de árvores em calçadas Jairo Falvo

Município ultrapassa recomendação da OMS se forem somadas as áreas públicas

Quarteirões da rua Santo Antônio sem a presença de plantas

O número de árvores plantadas nas calçadas da área urbana do município é de aproximadamente 2,5 por habitante, menor que a quantidade de ao menos três por habitante preconizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), segundo levantamento realizado pela Secretaria de Meio Ambiente. Se somadas as áreas pertencentes ao poder público local, como praças e reserva legal localizada no perímetro urbano, o índice chega a 3,21 por habitante, ultrapassando a recomendação. O número total de árvores

3

junho de 2010

levantadas foi de 13.946.Desse total, 1.627 estão plantadas em calçadas, 1.137 em áreas verdes e praças, 2.158 em terrenos particulares e 9.024 em área de reserva legal. As árvores mais plantadas no município são: oiti (47%), murta (16%) e esquinos mole (7%), O objetivo do estudo, realizado durante todo o mês de abril, foi averiguar a realidade arbórea do município, como parte das ações para a conquista da certificação no programa “Município Verde Azul”, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, que ofe-

rece vantagens no direcionamento de recursos para as cidades que atingirem as metas. Motuca ocupa, atualmente, a 421ª posição, com 48,92 pontos. Para receber o certificado, precisa chegar a 80 pontos. De acordo com o interlocutor da prefeitura no programa “Município Verde Azul”, Pedro Vaz de Lima, coordenador do levantamento, o resultado demonstra a necessidade de conscientizar a população sobre a importância da arborização urbana. “Infelizmente, muitos moradores não plantam ou erradicam árvores por causa das folhas que caem, ocasionando prejuízos para a cidade”, aponta. Outros problemas constatados no estudo são a realização de podas irregulares, abertura de covas com diâmetro menor do que o tronco da árvore adulta e o plantio embaixo de redes elétricas.

Prenúncio de uma morte anunciada! (Plágio de Gabriel Garcia Marquez, não só no título como na morte)

Presenciei o nascimento... O crescimento... Sua juventude em flor, muitas flores... Sua beleza altiva e frágil. Vi também alguns maltratos, pelos transeuntes e veículos de transportes... Mas o que é pior, presenciei seu assassinato! Seu tutor a assassinou! E eu fui cúmplice: não impedi e nem denunciei! Agora ela está morta, pra sempre! E sofreu muito para morrer. Eu a vi agonizando, em lágrimas, pedindo socorro. A vítima era uma quaresmeira roxa. Ela era frágil, porém fértil, pois estava sempre em flores e botões. Porque ela foi assassinada? Talvez por fazer sua higiene diária, descarregando no solo suas folhas e flores mortas (afinal era um ser vivo). Talvez seu tutor não gostasse da cor ou do cheiro de suas flores... Talvez ele não estivesse bem... Porque um cidadão faz uma atrocidade desta com um ser vivo? Porque é uma árvore? Ela não sente? Não chora? Não agoniza? Por quê? Por quê? Hoje, quando passo naquela rua e vejo sua marca, sofro muito, pois não a socorri... Eu deveria ter telefonado para prefeitura, polícia, bombeiro, hospital, jornais, televisão... Para os vizinhos. Afinal era um ser vivo que estava sendo morto aos poucos. Deixo aqui registrado meu pecado e um recado: nunca mais serei omisso! E espero que todos denunciem quaisquer abusos contra as árvores, o solo, o ar e os animais. Motuca precisa de árvores! Uma cidade arborizada retrata o perfil de seus cidadãos. Anjo Verde

Conselho de Meio Ambiente realiza primeira reunião O Conselho Municipal de Meio Ambiente realizou no dia quatro de maio a primeira reunião, pela qual foi decidida por meio de eleição a composição da mesa diretora. Composto por onze membros efetivos representando diferentes áreas do poder público municipal, legislativo e sociedade civil, além de dois suplentes, o órgão terá missão de discutir os principais problemas e oportunidades relacionados ao meio

ambiente no município. A próxima reunião, ainda sem data definida, definirá o regimento interno. “Vamos determinar as prioridades para serem abordadas nos encontros”, explica o secretário Jair dos Santos, presidente do Conselho. Entre os assuntos considerados importantes no momento estão a discussão para criar mecanismos que regulamentem a poda de árvores e o ateamento de fogo em terrenos baldios.


Cenário

4

junho de 2010

Curso de costura já capacitou 126 pessoas O curso de capacitação de costureiros realizado pelo SENAI em parceria com o Sindicato têxtil (Sindivest), empresas do setor e prefeitura de Motuca já capacitou 126 pessoas, desde o início da atividade, em outubro do ano passado. A crescente demanda por trabalhadores em razão do fortalecimento do setor motivou a renovação do contrato do SENAI no mês passado. No total, quatro indústrias atuam no município. Na última semana, a empresa Emmes, de Matão, iniciou os trabalhos no prédio cedido pela prefeitura. A intenção é contratar 30 funcionários no primeiro ano. A cada etapa, 42 pessoas participam do curso, divididas em três grupos de quatorze, em três períodos: manhã, tarde e noite. De acordo com a instrutora Maria do Carmo de Oliveira, mais de 50% dos diplomados já estão trabalhando. “As pessoas têm que aproveitar esta oportunidade, pois é uma forma de muitas mulheres conseguirem independência dos maridos”, aponta. É o que pensa Renata Teles dos Reis, 36, que está prestes a

formar-se costureira. No início, segundo ela, foi difícil, mas a motivação de conseguir seu primeiro emprego com carteira assinada e ter seu próprio dinheiro lhe deu forças para continuar. “Não tinha ideia do que era costurar, então sofri muito, mas agora não consigo mais parar, estou adorando. Não vejo a hora de terminar e fazer testes nas empresas”, revela. Segundo a instrutora do SENAI Gilzilene Linhares de Souza, a carga horária de 160 horas por grupo é suficiente para a formação de uma costureira. “Este é um padrão do SENAI, que observa a preparação técnica, mas depois tem a forma de trabalhar de cada empresa”, analisa. Rapazes

E não são somente as mulheres que estão aproveitando a oportunidade de ingressarem no mercado de trabalho. Rapazes de olho no primeiro emprego também atuam no setor, até então dominado pela presença feminina. É o caso do estudante do 3º colegial Tales Fernando Regis, de 17 anos, que se forma no final

Jairo Falvo

Crescente demanda por trabalhadores nas empresas do setor motivou a renovação do contrato do SENAI no mês passado

Projeto também realiza capacitação Aulas são realizadas todos os dias em três períodos

deste mês. Segundo ele, o preconceito acabou. “Somente na minha classe, sete já trabalham nas empresas”, aponta. No próximo grupo, que inicia no dia primeiro de julho, nove rapazes estão matriculados.

O jovem Tales aproveita bom momento do setor para ingressar no mercado de trabalho

Além do curso do SENAI, o projeto “Costurando um sonho”, realizado pela prefeitura municipal em parceria com o governo estadual, também realiza capacitação de costureiras aos sábados, em dois períodos. Os participantes dividem as confecções produzidas durante o processo de aprendizagem. A parceria com o governo do Estado foi firmada na gestão anterior, que cedeu sete máquinas, mas o projeto não chegou a funcionar. O governo estadual cedeu sete máquinas e a prefeitura local direcionou instrutora e materiais básicos de costura.


Cenário

5

junho de 2010

Usuários observam benefícios em nova linha da Ramazini Passageira reclama por cobradores não receberem vale transporte de outro trajeto Jairo Falvo

outra linha, pois muitos passageiros que utilizam há vários anos o ônibus já passaram vergonha em algumas ocasiões, pois não tinham dinheiro, e tiveram que emprestar de amigos”. O novo horário ainda não foi inserido no painel da rodoviária e nem no site da empresa. A nova linha era uma antiga reivindicação dos usuários. Quando foi anunciada, a Ramazini extinguiu outras duas, de pequena circulação, mas voltou atrás após pressão de alguns passageiros. Ônibus chega na rodoviária; horário era antiga reivindicação

A partir do dia 15 de abril, quando iniciou a nova linha da Ramazini, que sai de Araraquara às 18h45 e chega em Motuca às 19h30, por Bueno de Andrada, o trajeto de volta para casa ficou menos cansativo, segundo a operadora de caixa Elaine de Souza Rodrigues Santana, 21, que há dois anos e três meses trabalha no Hipermercado Extra, de Araraquara. “Antes eu só retornava uma hora depois, pois o ônibus passava por Rincão, onde tínhamos que esperar para fazer a baldeação”, relata. Mas a mudança não trouxe somente alegrias. Segundo Elaine, os cobradores que trabalham

no novo horário não recebem o vale transporte utilizado no trajeto Rincão - Araraquara. “Em outras linhas eles aceitam, mesmo que a gente tenha que cobrir a diferença ou pagar com dois vales sem receber o troco”, relata. Segundo ela, a empresa que trabalha compra apenas um tipo de vale transporte. “Nos finais de semana não circula esta linha com trajeto direto para Motuca e terei que pagar com meu dinheiro”, lamenta. A operadora de caixa também reclama da falta de comunicação da empresa. “Eles poderiam colocar um cartaz informando que não recebem o vale transporte de

Emprego

Ana Carolina Gentil Silva, 33, que trabalha em Américo Brasiliense como técnica em enfermagem, também aponta melhorias, mas observa necessidade de criação de mais linhas de transporte. “Motuca está carente de empregos, por isso é muito importante suprir a necessidade de transporte para que as pessoas possam trabalhar em outras localidades”, comenta. Outro problema, segundo ela, é o valor da passagem, que considera abusivo. “De Rincão a Araraquara está R$ 2,80 e de Motuca a Araraquara, por Bueno, que é quase a mesma distância, está R$ 4,20”, analisa.

Empresa precisa ter lucro, diz gerente O gerente geral Raul José Favaretto, da Ramazini Turismo, explica que a empresa procura atender as reivindicações dos usuários de acordo com realidade econômica do mercado de atuação. “Somos uma empresa privada, vivemos em um mundo capitalista, e visamos lucro”, acentua. Mesmo assim, segundo ele, existe a preocupação de atender as necessidades das pessoas. “Temos horários mais rentáveis e outros deficitários. Procuramos fazer uma média para manter os horários deficitários, que acaba ficando rentável para

nós”, explica. Sobre o valor das passagens, considerado abusivos por alguns usuários, ele diz que o cálculo é realizado por média ponderada, de acordo com o número de passageiros e a quilometragem, ou por sessão, pela quilometragem direta, ambas regulamentadas pela Artesp, agência que regulamenta o transporte no estado de São Paulo. “Existem linhas com poucos passageiros, como é o caso de Guariba a Araraquara, por Bueno, que temos que fazer por sessão, para cobrirmos os custos”, aponta. Favaretto reconhece erro na falta dos novos horários no painel da rodoviária e no site da empresa. “A atualização deveria ter sido realizada de imediato, mas iremos providenciá-la para os próximos dias”, afirma.


Cenรกrio

junho de 2010

6


Cenário

7

junho de 2010

Ensino médio ultrapassa pelo 3º ano meta do IDESP Jairo Falvo

Avaliação é realizada anualmente pelo governo do Estado para avaliar qualidade da educação

Faixa instalada em frente à instituição exalta a conquista

O ensino médio da Escola Estadual Adolpho Thomaz de Aquino ultrapassou pelo terceiro ano consecutivo a meta estipulada pelo Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp), ao alcançar a média de 3,14 em 2009, superando o índice de 2,35 preconizado pelo programa. A meta a ser atingida em 2010 é de 3,22. O IDESP também avalia o ensino fundamental nas escolas estaduais, que em Motuca é administrado pela prefeitura. Para o vice-diretor Hildeber-

to Chierice, os resultados estão sendo alcançados “graças ao trabalho dos coordenadores, professores e a participação efetiva dos alunos”. Segundo ele, são realizadas reuniões periódicas com os membros do corpo docente para avaliar o desempenho dos estudantes. “Observamos as falhas e tentamos corrigi-las”, aponta Chierice. A evasão escolar, de “praticamente zero no ano passado e neste ano também” e o nível de repetência estão controlados, de acordo com o vicediretor.

O Idesp é um indicador que avalia a qualidade da educação das escolas estaduais paulistas. Para chegar ao índice, são observados o desempenho no Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) e o fluxo escolar, pelos quais são analisados a evasão, repetência, faltas e o aproveitamento durante o ano letivo. Como prêmio pelos bons resultados, o governo do Estado concede bônus salariais aos professores cujas escolas que trabalham alcançaram as metas do Idesp.

Agência dos Correios é arrombada um mês após sofrer assalto A agência dos Correios de Motuca foi arrombada na madrugada do último dia 23, praticamente um mês após ter sido assaltada. No mesmo dia, a Casa Lotérica também foi invadida. Segundo informações da polícia civil, os criminosos tentaram sem sucesso abrir os cofres dos dois locais e foram embora sem levar nenhum dinheiro. Os casos estão sendo investigados. A perícia criminal encontrou apenas fragmentos de digitais e a câmera de segurança gravou apenas vultos, o que dificulta a identificação dos infratores. A polícia de Motuca, em conjunto com a de Rincão, já identificou dois suspeitos que assaltaram a agência dos Correios no dia 27 de maio, por meio de reconhecimento a partir de um arquivo de fotos. Os acusados, de

Ribeirão Preto, já possuem passagem por cometerem o mesmo crime. O delegado Antonio Carlos da Silva, que responde por Motuca e Rincão, encaminhou cópia para a polícia federal, órgão responsável pela apuração de crimes nos Correios. “Também estamos investigando porque foi na cidade”, relata Silva. Esta é a segunda vez que a agência de Motuca, que possui convênio com o banco Bradesco, é assaltada. A primeira foi em 2006. O valor levado pelos criminosos não foi informado. De acordo com o delegado, o município precisa de um policiamento mais ostensivo. “Só uma viatura é pouco”, destaca, ressaltando a necessidade de um trabalho maior de prevenção. Já o escrivão Carlos Aberto Stochi, da polícia civil, observa que a polícia não é onipresente e aponta a necessidade dos locais que lidam com dinheiro investirem em sistemas de segurança. “Um alarme já seria suficiente para intimidar os criminosos”, diz.


Cenรกrio

junho de 2010

8


Cenรกrio

junho de 2010

9


Cenรกrio

junho de 2010

10


Cenรกrio

junho de 2010

11


Cenรกrio

junho de 2010

12


Cenรกrio

junho de 2010

13


Cenário

14

junho de 2010

Exposição homenageia Louis Braille “Se os meus olhos não me deixam obter informações sobre homens e eventos, sobre ideias e doutrinas, terei de encontrar uma outra forma”. se encontravam em plena escuridão. Desde o ano passado estão sendo realizados em todo o mundo eventos em comemoração ao bicentenário de nascimento de Louis Braille. Em atenção à data, a biblioteca municipal de Motuca expôs entre os dias sete e dez deste mês banners relatando sua história, além de material didático, equipamentos e jogos utilizados por deficientes visuais em processos de aprendizagens. A iniciativa da realização do evento partiu do teólogo Antônio

Jairo Falvo

O francês Louis Braille (18091852) tinha apenas três anos quando feriu gravemente o olho esquerdo, ocasionando uma séria infecção, que o deixou completamente cego. A deficiência contrastava com sua extrema vontade em adquirir conhecimento. Por isso, dedicou-se a encontrar uma forma, conforme frase acima, tirada de seu diário, que facilitasse a leitura de textos para as pessoas sem visão. Sua invenção, denominada posteriormente de código Braille, iluminou a vida de inúmeras pessoas que

Antônio Neto, idealizador do evento, junto com a monitora Mariele

Miguel de Lima Neto, que atua no projeto para desenvolvimento rural sustentável no município. “A esposa de um amigo trabalhou este tema no ano passado e solicitei o material para realizar a exposição em minha cidade (Dobrada) e aqui”, explica Neto, que já concluiu estudo sobre a inclusão de minorias no ensino, focando pessoas com síndrome de down. “Esta também é uma forma da população aprender com a diferença e se conscientizar com relação a uma deficiência que altera o ritmo da vida de algumas pessoas”, complementa.

“Nenhum avanço irá superar o Braille”

Mariele iniciou aprendizado do código aos 5 anos

O código Braille foi uma invenção revolucionária que proporcionou melhorias na qualidade de vida das pessoas com deficiência visual. Com o decorrer do tempo, os avanços tecnológicos trouxeram novas modalidades de inclusão social, como softwares que possibilitam a utilização de computadores por meio de um sintetizador de voz, que lê para os usuários o conteúdo da tela. “É uma forma de termos chance de participar do mercado de trabalho, pois hoje em dia tudo é informática, mas nenhum avanço irá superar o Braille”, destaca Mariele Legramandi Falvo, que trabalhou como monitora na exposição. Mariele nunca enxergou. Aos

cinco anos iniciou o aprendizado do Braille na PARA D.V. (Associação para Apoio e Integração do deficiente Visual), em Araraquara. “Tem que ter muita paciência, pois o código é de difícil memorização”. Além de apresentar os materiais na exposição, que também continha coisas suas, a monitora se preocupou em demonstrar para os visitantes as dificuldades enfrentadas por quem não tem visão. “Colocamos uma venda nas pessoas e elas tinham que se locomover e manusear objetos sem enxergar”, diz. Segundo Mariele, apesar das muitas conquistas, os deficientes visuais ainda enfrentam dificuldades no convívio social. Distinguir os valores nas cédulas de dinheiro e ler cardápios nos restaurantes são alguns dos exemplos citados por ela. “Nossa mobilização já resultou em diversas melhorias, mas temos que avançar ainda mais”, destaca Mariele, música profissional, que canta e toca teclado em eventos como casamentos e aniversários. Seu próximo objetivo é passar no vestibular para o curso de fisioterapia.


Cenรกrio

junho de 2010

15


Cenário

16

junho de 2010

Arquivo pessoal

Jogadora de futebol de Motuca foi campeã mundial na França Arquivo pessoal

Natália, atleta da equipe da Marinha do Brasil, ficou emocionada com a convocação

A atacante junto com a amiga Vanessa, que também já jogou por Motuca

A motuquense Natalia Ferreira de Araújo, 23 anos, foi campeã Mundial de Futebol disputando o VI Jogos Mundiais Militares, na França, como jogadora da Marinha do Brasil. A competição, que aconteceu entre 8 e 20 de junho, reuniu países como Estados Unidos, França e Alemanha. De acordo com a técnica do futsal feminino e amiga da atleta, Rosa Fernandes, a atacante percebeu que seu sonho estava se realizando quando chegou o dia do embarque. “Ao ver o aeroporto ela começou a chorar,

pois viu que não estava sonhando, que aquilo tudo era realidade”. Rosa também revela que a jogadora achou que não iria ser convocada. “Eram 30 atletas que estavam na Marinha, mas somente 18 iriam viajar. Então a pressão foi grande, por isso que o momento da viagem ficou marcado pela emoção”, conta. Natalia, que atualmente mora no Rio de Janeiro, também aproveita a oportunidade para estudar, em virtude da estabilidade que possui na Marinha. “Existe um contrato que todo ano será renovado, mesmo porque em

Vôlei joga pela Liga de Orlândia dia 27 A equipe de vôlei masculino de Motuca joga pela Liga Pró-Voleibol de Orlândia, no próximo dia 27. A categoria Infantil enfrenta Brodowski e a equipe Infanto joga contra Santo Antônio da Alegria, am-

bos na casa do adversário. Na última rodada da competição, dia 13 de junho, Motuca venceu Guariba nas categorias Infantil, Infanto e Sub-21. Motuca está em 2° lugar na classificação geral.

2011 os Jogos Mundiais Militares será realizado no Brasil”, afirma Rosa. Por força de um contrato com a Marinha, após os Jogos Mundiais, Natalia irá disputar o campeonato carioca feminino pelo Vasco da Gama. Além de Natalia, a goleira Vanessa, que já jogou muitas partidas por Motuca, também compõe o time da Marinha do Brasil. “A família, seus amigos e o futsal feminino de Motuca agradecem de coração tudo que tem feito por nós. Temos a honra de poder fazer parte dessa história, um exemplo de vida e de superação para nossos futuros atletas”, agradece Rosa.

Profº. Silva, profº. Lacombe técnico da seleção Brasileira e Raul

Karateca conquista 3° lugar em Campeonato Brasileiro Raul Vinicius Rita é destaque da equipe do município O karateca Raul Vinícius Rita, 16 anos, conquistou o 3° lugar no Campeonato Brasileiro de Karatê Júnior, em Campo Grande (MG), que aconteceu nos dias 5 e 6 de junho. “Senti uma emoção inexplicável, não sabia pra onde ia, quem eu abraçava, se dava risada ou chorava”, relembra Raul. “Há dezessete anos trabalhando e esperando um título brasileiro por um de meus alunos, e este ano conquistamos dois. Agora o momento é só de agradecimento a Deus e aos patrocina-

dores”, ressalta o professor José Roberto Silva, o Sampaio. O atleta é um dos destaques da equipe de Motuca. Em sua primeira competição internacional, o 12° Campeonato Sul Americano de Karatê, no Chile, em abril, Raul conquistou duas medalhas de prata. “Estou em uma boa fase neste ano, fico muito feliz por isso”. Se tiver chance, Raul pretende seguir carreira no karatê. “Mas a carreira no karatê é muito difícil, pois são muitos atletas de nível alto”, afirma.


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.