Page 1

1


Let us bring out the best in you Reshape your body with Laser Lipolysis/ Liposuction: Less pain, less down time, local anesthesia, fewer complications, and more skin tightening. All modern cosmetic procedures are available.

[Dermatologist and Cosmetic Laser Surgeon], are a patient seeking cosmetic surgery or a last minute

Dr. Khatri conducts medical research at his clinics and has helped develop many new lasers. Dr. Khatri has the only cosmetic laser research center in NH. If you are interested in volunteering for a laser study, please call us.

professional integrity and service.

NOW AVAILABLE pellevé: Pain free radio-frequency device with no down time for skin tightening.

PARA INFORMAÇÕES EM PORTUGUÊS LIGUE:

(617) 381-1717

2

Khalil A. Khatri, MD – Harvard-trained Dermatologist and Cosmetic Laser Surgeon

Nashua, NH – 603.886.5506 | Chelmsford, MA – 978.453.5559 | Everett, MA – 617.381.1717 | www.skinlaseronline.com


3


TENDÊNCIAS

LUZ, CÂMERA E COR. DESTACANDO

Fina Estampa NA VIDA DE MODELO

Por Sussen Gazal 4


Sonhar em preto e branco, um sonho urbano, conforto extra na camiseta de grafia fina e longa e calçolete de algodão…

PARA SONHAR E SE INSPIRAR 5


ACORDA

6

6


MENINA A roupa íntima que traz de volta o aconchego, faz qualquer movimento na cama ganhar mais elegância, acompanhando a tendência mundial, onde tamanhho virou documento…

7


COM O PÉ DIREITO Tão importante quanto começar o dia com o pé direito é se despir do preconceito e acolher de volta o branco na intimidade de uma manhã de outono. Sutiã tomara-quecaia e calcinha na cintura, criam um look casual e nada inocente: chic e sexy. 8


Reflexo da Vida

Para quem não tem medo de acordar e encarar a vida de frente, um clima retrô. Corselette preto com pesponto simples branco e calçolete branca. Um jogo de damas, onde o objetivo é mexer pouco nas peças para que continuem atuais e desafiadoras. 9


No outono, lรกpis Vestida para atacar o dia. A saia-lรกpis em preto fecha-se sobre a pele, minimalista. Contida e ao mesmo tempo atrevida, tudo o que uma mulher precisa.

10


Café com Informação Para neutralizar uma produção com muitas referências, tons terrosos no short de linhão e na blusa transparente com mangas volumosas, estampa étnica e remate em renda café.

11


Macacão, peça única! Para substituir o pretinho clássico, nada como um choque de cores e babados. Bem-vinda ao Color Block, uma viagem ao mundo das cores para quem vê a moda como um universo onde a ordem é ousar. Sinta-se poderosa dentro de um monoblock cor de laranja, ou melhor, abóbora selvagem.

12


leve

Linda,

e solta!

Encarnar a artista que existe dentro de cada mulher. Um exercício do olhar, que vê na estampa de flores a bailarina, a borboleta, a menina. Brincar com a leveza do tecido plissado e transparente, torna-se romântico e contemporâneo como a própria imaginação.

13


DO DIVÃ AO DESERTO Das savanas africanas para o sofá urbano. Sob a mira do analista, o macacão é o personagem principal desse drama de meia-estação. De um ombro só, se entrega de corpo e alma ao mundo animal, de instintos primários e faz da mulher uma fera moderna, que pode ir direto do trabalho para a festa mais glamurosa. 14


15


POD SO

16 16


A noite é brilho! A noite é gala! A noite é longa! A noite é nude!

DEROSA E OFISTICADA

O charme fica por conta do decote que apenas revela, colo de franja metalizada, num vestido longo e recortado de alcinhas frágeis. Forte tendência, sensualidade semi-descoberta. A diva mais viva que nunca, agora também na versão sofisticada e discreta.

Modelo: Glenda Shaw

Roupas: Coleção Outono e Acessórios from Blueberry-FL Estilista: Nei Andrade

Cabelo e Maquiagem: Hector Genovezzi

Fotógrafo: Elimar Coelho

17


Entrevista com Glenda Shaw

4 19 47 30 52 35 26 ÍNDICE

Editorial Fashion

NY Fashion Week SPRING 2012

Banda Majordomus Gravação do acústico Mundo Livre em 11/11/11

Hollywood em

Amaury Jr. O Rei da Noite

BOSTON

50

EXPEDIENTE

Br

az

ilia

n

Da

y2

01 1

Arte Fashion

Presidente/Publisher/ Chief

Rita Santiago

Produção e direção: ONLINE

Branco Designer - Boston www.brancodesigner.net

VITRINE FASHION MAGAZINE, é uma publicação trimestral, pertence ao grupo Vitrine Productions I N C . EUA

Produção e Direção: ARTE

Sistema administrativo Marketing/advertising/finanças Vitrine Productions Inc. contatos:

Web designer: Priscilla Mota Fashion Stylist: Ney Andrade

Direção de Arte e Diagramação:

Sussen Gazal (Boston) Ana Lúcia Souza (NY) Helena Martins (Boston) Tuska (Boston)

info@vitrinefashionmagazine.com www.vitrinefashionmagazine.com JMarcelo de Faria - Goiânia BR 18

OCTOPOD DESIGN (Goiania BR) www.octopoddesign.com

Editores:

Fotógrafos: Elimar Coelho (NY) Esperança Anderson (FL) Nicolle Saylor (Boston) Marília Lima (Boston)

VITRINE FASHION MAGAZINE is copyright and may not be reproduced without the expresse writtenconsent of the Published, Vitrine fashion is a registrered and reserves the right to the edit, rewrite or refuse material and is not responsible for errors or omissions.


A modelo rebelde, por trås das câmeras Por Sussen Gazal 19


Estou super feliz com o que Deus me deu

20


F

ilha de pai inglês e mãe brasileira, Glenda Shaw herdou o melhor de dois mundos. A espontaneidade sul-americana e a determinação anglicana. Munida com esses dois atributos e um par de olhos que hipnotizam, Glenda segue a carreira de modelo, que começou aos três anos, e aos 21 a faz brilhar na ensolarada Miami. A recém-adquirida independência financeira, oferece estabilidade e a chance de escolher trabalhos e sonhos. A agenda cheia de compro-

missos com a profissão também tem lugar para viagens e estudo. No futuro, não muito distante, Glenda visualiza uma carreira não na frente, mas por trás das câmeras. Ela cursa o quarto semestre da Faculdade de Produção de Cinema, no Art Institute, em Fort Lauderdale. “Estou dividida entre Nova Iorque e a Califórnia. Acho que depois de me formar, me mudo para Los Angeles, me sinto super preparada, afinal sou carioca!”.

21


SETE TROFÉUS E

FAIXA DE MISS durou até os 15 anos, quando voltou Nascida no Rio de Janeiro, Glenda ao Brasil e quase desistiu da profismantém residência na Flórida, por Tenho 120 pounds e são. “Se não fosse pela minha mãe, onde desfilou a faixa de Miss Miami tendência para engordar. teria me desmotivado”, confessa. 2010. Desde garotinha, mudou de endereço e de nacionalidade alguVivo lutando com o peso A razão para ter se sentido desencorajada na adolescência seria a eterna mas vezes. “Tenho passaporte eurobriga entre os prazeres da boca e a peu, vivi na Alemanha, na Itália e na França”. A primeira mudança para a América do Norte balança. “Tenho 120 pounds e tendência para engoraconteceu aos quatro anos. Na época, já fotografava. dar. Vivo lutando com o peso”. Para equilibrar-se en“Meu primeiro trabalho foi aos três anos de idade”. Um tre o peso ideal e as críticas de uma profissão que não ensaio para a revista Máxima Bebê. “ Foi uma matéria perdoa nenhuma deslize, Glenda passa dias comendo sobre alimentação e eu fazia biquinho, com um sorvete peixe grelhado para, de vez em quando, atacar uma picanha mal-passada. “Imagine como é difícil, sabendo a na boca”, conta rindo. Além de fotos de revista, a vida americana rendeu a quantidade de churrascarias brasileiras aqui na Flórida”. Glenda Shaw sete troféus e vários cursos de modelo e Glenda cuida da boa forma com a ajuda de uma equipe atriz. “Fui capa de caderno de escola, vestida de Cha- bem sintonizada. Além da mãe, sua melhor amiga e empeuzinho Vermelho, e ganhei concursos como “Miss presária, ela conta com dermatologista, personal trainer Hawaiian Tanning Oil”, “Cabelo Mais Bonito”, “Melhor e nutricionista. Garante um café da manhã com muita Passarela” e “Mais Bem-Vestida”. Guardo tudo.” O so- fruta e para as sessões de foto, bastante água e barrinhas nho americano, vivido entre Houston e Salt Lake City, de granola”. 22


Beleza Natural “Não acredito em fechar a boca. Discordo. Acho muito triste o que algumas meninas fazem sobre não comer por dez dias, quase chegar à anorexia”. O conflito da profissão vai além da balança e, se a fita métrica às vezes é aliada, outras, torna-se inimiga. Recentemente, Glenda foi recusada na fila para um teste de um desfile de moda. “Ouvi elogios mas a conclusão foi que sou baixinha e no final, um tchau!”. Sem deixar a auto-estima cair, ela sabe que nada como um casting depois do outro para trazer o sorriso vitorioso de volta. “Não quero botar silicone”, rebela-se. A filosofia de beleza ao natural já fez com que perde-se trabalhos. “Estou super feliz com o que Deus me deu”, contra-ataca. A modelo que é contra cirurgias corretivas, procura a moderação no salão de beleza. “Faço luzes bem clarinhas e o sol se encarrega de manter o tom loiro. Não

quero ficar escrava das tintas”. O maior orgulho vem da busca pela espiritualidade. “Pratiquei várias religiões. Nasci católica, frequentei igrejas e templos, desde o movimento “Hare Krishna” até a religião dos Mórmons, mas descobri que Deus existe dentro de todo mundo”. O equilíbrio interior é importante numa profissão em que cada dia de trabalho é uma competição contra o relógio natural e o próximo. “Outro dia fui a uma seleção de elenco marcada para às 9 horas da manhã. Cheguei sem maquiagem nenhuma, tinha acabado de acordar e, depois das apresentações disseram que iriam telefonar na segunda-feira”, conta. “Eram muitas modelos e os dias se passaram, estava num outro ensaio quando ligaram uma semana depois, dando a notícia que tinha sido selecionada.” 23


Billboards na Colômbia, República Dominicana e Porto Rico Além de ter feito bem ao ego, o teste em questão fez bem ao bolso. Deu a Glenda um emprego fixo como modelo principal para a marca hispânica de calçados Maker’s Shoes. O rosto e o corpo de Glenda são vistos não apenas na Flórida, mas em billboards na Colômbia, República Dominicana e Porto Rico. No site da marca, é ela quem aparece posando com modelitos das novas coleções. Segundo Glenda, a empresa tem planos de expansão para o concorrido mercado de sapatos brasileiro. No mercado internacional de modelos não há como fugir às comparações. Numa era em que não se fazem super modelos como antigamente, quem substituirá as medidas 34-24-24 de Gisele Bundchen? Quando comparada à modelo gaúcha, Glenda não pensa duas vezes antes de disparar: “Quem não quer ser comparada com a modelo mais bem paga do mundo? Algo de especial eu tenho que ter, mas quero que me olhem sabendo – essa é a Glenda – não aquele menina que se parece com a Bundchen”. Sobre as medidas, Glenda ostenta 36 de quadril, 25 de cintura e 24 de busto. Em matéria de identificação, para ela as semelhanças de personalidade contam mais: “Gisele passa uma imagem tranquila, equilibrada, um exemplo para todas nós”. 24


Amélia Rebelde

Quando se olha no espelho, Glenda diz enxergar uma menina humilde, alegre e verdadeira. Será que ela acrescentaria o adjetivo “rebelde”? “Sempre fui apaixonada, desde pequenininha, pela Noviça Rebelde. Assisti pela primeira vez quando morava na Europa, me trazia alegria. Subia as montanhas e cantava as músicas. Sempre quis fazer as outras pessoas sentirem como me sentia”. Se o musical americano, filmado em 1965, estrelando Julie Andrews no papel de Noviça, foi peça-chave na infância de Glenda, nos últimos anos é o filme francês Amélie, cuja personagem principal flutua entre a rebeldia e o bom-caratismo, que faz Glenda soltar a imaginação. “O mundo anda tão caótico, e como sou muito artística, fico alucinada pelas cores que usam. O filme foi todo rodado com filtros de lente verde e vermelho. Energizante!”. O fundo musical favorito para a aprendiz de cinema, que estudou violino na adolescência, é calmo e relaxante. “ Adoro chill-out com uma pitada de jazz. No meu i-pod tenho todas as edições do ”Café del Mar” e quando ouço rock, procuro algo ligado ao indie ou trip hop”, explica. Rebelde na medida certa. 25


i e R e t i O da No Por Ana Lucia Souza 26 26


A

maury Jr. ainda se surpreende quando alguém o encontra e diz coisas como: “te vejo no meu quarto todas as

noites”. Enfim são raros os que nunca assistiram o programa diário que leva seu nome. Há mais de 30 anos no ar e pioneiro do formato talk-show na televisão

brasileira, Amaury Jr. trouxe o cobiçado universo da alta sociedade brasileira ao alcance do controle remoto e tornou-se: O Rei da Noite. 27


“Aquele que se sentir realizado está morto, é só sentar no caixão e recolher a perna”, afirma. Nesse clima de descontração, marca registrada de sua personalidade, Amaury Jr. nos recebe em sua espaçosa produtora, no bairro dos Jardins em São Paulo e em entrevista exclusiva à Vitrine Fashion, revela o segredo de seus 30 anos de sucesso na telinha. Quando aos 14 anos, Amaury de Assis Ferreira Júnior, criou a “Coluna do Estudante” em São José do Rio Preto, o então rapazinho do interior nem imaginava a vida glamurosa que o aguardava. Anos depois, o astuto rapaz, recém-formado em Direito, já havia se tornado colunista respeitado nos principais jornais da região e tinha agora como objetivo ampliar seus horizontes. As cortinas se abrem revelando uma São Paulo de outrora e assim o segundo ato se inicia. Em pouco tempo, Amaury conquista seu espaço em renomados jornais e rádios da capital paulista e se torna repórter na extinta TV Tupi. “Na época, era obrigatório que as colunas socias descrevessem os vestidos, as decorações, enfim tudo de cada festa nos mínimos detalhes e esses elementos se tornavam intermináveis colunas chatíssimas.”, relembra. Pois foi sua aversão à chatice que inspirou nosso caro protagonista a ter a idéia mais fortuita de sua vida. Já ouviu dizer que uma imagem vale mais do que mil palavras? Esse sábio provérbio conduziu Amaury Jr. à seu pote de ouro. “Pensei, se eu levasse uma equipe de tv para esses eventos, seria possível explorar mais de perto esse universo 28 28

exclusivo, sem a necessidade de descrever tudo nos mínimos detalhes” diz com simplicidade. Com essa idéia, que logo se tornaria o primeiro talk-show da televisão brasileira, Amaury sai em busca de alguém que estivesse disposto à viabilizar aquela idéia, “eu levei não de monte e hoje todo mundo corre atrás de mim” afirma. A TV Gazeta foi quem decidiu dar-lhe uma chance, oferecendo-o um programa de 5 minutos. “Como eram apenas 5 minutos pensei, vai chamar Flash porque vai ser apenas um flash em cima de uma festa” relembra. O programa estreou uma linguagem descontraída em uma televisão até então engessada. “Naquela época, se o apresentador tropeçasse, parecia que o mundo iria acabar e a vida como ela é, como já dizia Nelson Rodrigues, não funciona assim”. Espontaneidade era o ingrediente que faltava na televisão da época e essa qualidade Amaury sempre teve de sobra. Sua idéia vingou e foi na Rede Bandeirantes que o nome Amaury Jr. se tornou sinônimo de fama e sucesso, conquistando projeção nacional. Considerado o pioneiro do formato talk-show no Brasil, Amaury descreve seu programa como uma revista variada de fim de noite com um elemento de coluna social, já que ele frequentemente utiliza a noite paulistana como cenário. A idéia que nos vem a cabeca quando se fala em talk-show, é um apresentador divertido, sentado atrás de sua bancada e com seu entrevistado sentado em uma poltrona, como nos talk-shows formatados por Johnny Carson, o precursor de David Lettermann. “Jô Soares seguiu o formato tradicional, mas quando eu comecei na tv o Jô ainda não estava no ar”, revela. Amaury também se tornou notório por tirar segredos e conversar com personalidades que em geral não dão entrevistas “saio ganhando porque


quando converso com as pessoas em um clima descontraído, elas são mais reveladoras e entregam as noticias, depois do primeiro whisky então, melhor ainda”. Essa linguagem charmosa é sem dúvida o ingrediente chave na receita de sucesso de seu programa. Hoje, seu império vai muito além de seu programa diário em rede nacional pela Rede TV e seu programa semanal no E! Entertainment Network. Com mais de trinta mil entrevistas em seu currículo, Amaury é hoje o rei da televisão de fim de noite, mas não pense que isso é tarefa fácil. Amaury cuida de sua produtora, têm dois livros e alguns guias de viagem publicados, produziu CD’s da trilha sonora do programa e hoje tem até mesmo sua própria casa noturna. À respeito de seu tempo livre ele comenta “eu quando tomo uma taça de champagne entre uma entrevista e outra me sinto em estado de lazer”, enfatizando a palavra estado. Muitas vezes comparado à Oprah Winfrey, pela maneira com a qual diversificou seus horizontes, hoje, aos 60 anos, Amaury continua expandindo seu domínio e tem planos de ainda ter seu próprio canal de televisão. “Eu pareço um canal de tv mas não sou, muitas emissoras estabelecidas não tem correspondente em Nova Iorque e meu programa tem.” diz com orgulho. – Como estes planos tem evoluído? - pergunto. O tom leve de nossa conversa desaparece instantaneamente. “No Brasil concessão de tv é só pra político, filho de político e fica nisso. Colocam um testa de ferro e ficam nos bastidores manipulando o veículo politicamente.” Aquelas palavras, apesar de não terem me surpreendido, ecoaram. Através delas uma certa fragilidade foi trazida à tona, até aquele momento eu parecia estar frente a frente à alguém que disfrutasse do privilégio de ter todas suas ambições ao seu alcance, então quis entender melhor aquela situação. Os políticos, que usam a tv

como meio de manipulação em mas- carroça as abóboras se acomodam” diz sa, são muito provavelmente os mes- graciosamente. mos que não tem interesse em melhorar a qualidade do ensino público no país. “O grande problema da televisão brasileira hoje é o nível de educação do povo”, afirma. Funciona como um panis et circus moderno, a televisão é medida pelo que ela tem de audiencia, “no Brasil o IBOPE é o senhor dos anéis da tv, eu tento elevar o conteúdo do proAmaury Jr. influente entrevistador de personalidades do grama porém eu também tenho que dançar conforme Brasil e do mundo. a música porque se não houver audiên- Fã incondicional de Gabriel Garcia cia, eu também sou cuspido fora” desa- Marques e Luís Fernando Veríssimo, bafa. Como soluções, Amaury procura Amaury espressa a importância da traduzir assuntos mais complexos para leitura, especialmente para aqueles uma linguagem mais popular, já que que almejam um futuro na area de coinfelizmente na televisão aberta bra- municações, “leia, leia, leia e não digo sileira, programas de maior audiência somente jornais e revistas, me refiro a e consequentemente com maiores re- livros”. Diz ainda que como resultado cursos são os de nível intelectual infe- da falta de leitura, talentos na arte de rior, o que reflete diretamente nossos escrever e pautar são hoje aves raras problemas sociais. em nosso país. Em meio a revolução digital que es- – Que conselho daria ao Amaury Jr. de tamos vivendo, Amaury é da opinião 20 anos atrás? pergunto. Ele faz uma que “o meio não importa, o que sem- pausa, analisa e diz que acha que tudo pre irá se expor é o conteúdo, o melhor foi uma evolução natural. conteúdo sempre sairá ganhando, seja – Uma evolução muito frutífera! O que ele visto em um relógio ou seja lá onde passava pela cabeça daquele Amaury? for.” Também considera a democratiza- -reformulo, “um simples armador fez a ção da mídia uma grande vantagem “o arca de Noé e um mutirão de técnicos poder de mobilização que essas mídias construíram o Titanic” diz enigmaticaadquiriram é impressionante”. Amaury mente e prossegue “não desista nunca, diz ainda que as redes sociais ainda não somos o que acreditamos ser”. alcançaram seu potencial social e político, mas acredita que “com o andar da

Algumas celebridades entrevistadas por Amaury Jr. ao longo de sua carreira. Liza Minelli, Pelé e o Rei Roberto Carlos 29


Por Sussen Gazal

ROCK POP ALTERNATIVO COM ESTILO BRASILIEIRO

Em menos de sete anos de estrada, três EPs, um CD, quatro vídeo singles e um SMD prestes a ser lançado. E isso é apenas o começo para a banda Majordomus. Desde 2005 a banda entrou 2011 em fase de renovação e prepara-se para encerrar o ano em excelente estilo. Com a estréia do seu segundo acústico “Mundo Livre” que acontecerá em 11/11/11 é o início da divulgação do material inédito. 30 30


Alan Capdehourat

Cantor/Compositor/Instrumentista

31


Independentes desde seu primeiro acorde, o Majordomus, mantém firmes as raízes no rock pop. Influência progressiva é também uma constante no trabalho mais antigo. Ainda que de forma básica e bastante alternativa, produzem, gravam e lançam seus próprios trabalhos, organizam shows, tem sua própria estrutura de divulgação e de conexões; não param um final de semana sequer e, mesmo sem salários de gravadoras, conseguem dar seguimento ao trabalho que não depende de remuneração para ser ou não gratificante.

Alan Capdehourat

Dos shows pequenos aos festivais como Lupaluna (Curitiba), a intenção de divulgar o trabalho e aumentar sua visibilidade é constante. São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Cuiabá, Brasília, Recife, Natal, Maceió, Boston, Sidney, Quebec, Berlin, Buenos Aires, são alguns dos lugares onde suas canções já encontraram cativos ouvintes. Com isso, nos últimos anos, o Majordomus com certeza é uma das verdadeiras bandas independentes

Rena Cáceres (Lady Be)

Toko Souza

brasileiras, pois prova na prática que independência não tem nada a ver com falta de seriedade ou de organização. Desde 2005 a banda passou por algumas formações, tendo sempre à frente o cantor instrumentista e compositor Alan Capdehourat. Atualmente conta nas guitarras com Toko Souza (Mister Mojo) e Newman Rickert (Trio70), no baixo, Rena Cáceres (Lady Be) e na bateria Cleon Bressiani (Subsolo).

Newman Rickert

Cleon Bressiani

A banda Majordomus, leva o internauta ao: Myspace, facebook, orkut e aos sites dedicados a música e a cultura como you tube, vímeo, conexão vivo e Palcomp3, entre outras dezenas deste patchwork eletrônico que mantém os fãs sempre atualizados com tudo o que acontece no planeta ROCK.

ÁLBUNS Cronologia EP- Green (2005) EP- Mais Feliz (2006) EP- Tudo (2007) Pra Quem Ficou (2009) SMD (2012) 32 32


Festival Lupaluna 2009 - Curitiba-PR

33


Outono, metamorfose de cores Carta do Editor Nenhun guarda -roupa é tão bem equipado quanto a própria natureza. Quando o outono se aproxima e o verde extravagante do verão começa a mudar de tom, cedendo a vez para os avermelhados e alaranjados, não é somente o meio ambiente que troca de roupa, nós humanos aproveitamos a desculpa da mudança para fazer-mos nossa própria metamorfose. A transformação neste outono 2011, continua carregada com a tendência das coleções do pré outono, côres vibrantes, dominantes, estampas de animais, formas fluídas e alongadas, que fazem da moda um ecossistema fascinante para quem não tem medo de ousar e se adaptar a Fina Estampa, estílo que está em vogue nesta estação. Em uma entrevista reveladora,Glenda Shaw, um dos principais talentos da nova geração,garimpada nas areias da Flórida, abre o jogo do que acontece por trás deste campo minado, que

pode ser os bastidores da Vida de Modelo. “Se uma foto exige que eu suba numa bancada e me pendure, eu faço, não tenho medo.’’ De olho na vida após a vida de modelo, Glenda se entrega a Faculdade de produção de Cinema de onde levanta a bandeira que “Mulher bonita pode ser inteligente.’’Quero mostrar que modelo tambem tem,’’Q l.’’ E por falar em cinema, esta edição traz uma homenagen de Hollywood a Boston. Cidade que captura o olhar de diretores que fugiram da Manhatan em preto e branco e sucumbiram a histórica colônia Britânica, de onde ecoou o grito pela independência americana. Cidade que dorme pouco, ou nada. New York tambem faz parte do caleidoscópio fashion da Vitrine Magazine, que deu um giro pela capital americana. Diretamente do NY Fashion Week,mais uma vez a moda brasileira foi destaque, e os responsáveis por isso foram os consagrados estilistas brasileiros, Carlos Miele e Alexandre Herchecovit. A banda Majordomus,lança novo CD e usa o poder das redes virtuais e socias para divulgar o trabalho. Um clique

nos endereços de pesquisa pela Internete revela a nova tendência do mercado musical,aos adébitos do Planeta ROCK. Da cena musical para as arenas Espanholas. O editorial Arte Fashion, com os modelos, Kaio wilker e Laríssa Patrocío,na lente de Marílha Lima,foi regado com muito amor e sedução,e mostrou que o encontro entre um homen e uma mulher,podem mudar a sorte para sempre. E antes do meu tchau à voces queridos leitores,quero dizer que o espaço celebridade, ficou por conta de Amaury Jr, responsável pelo primeiro Talk-show da TV Brasileira, hoje considerado, o Rei da Noite! Boa Diversão! Rita Santiago

Nossa capa Modelo: G L E N D A S H A W Fotógrafo: E L I M A R C O E L H O Estilista: N E I A N D R A D E Cabelo/Maquiagem: H E C T O R G E N O V E Z Z I Roupas /Acessórios: B L U E B E R R Y, P ompano Beach-F L 34


Por Sussen Gazal

Olhar James Dean. Não faz assim. Eu me apaixono. A música embala a cantada que faz parte do repertório. Quem resiste a um chapéu de feltro, tatuagem de rei, num fundo neutro? A pose é um quase-pedido. O olhar é bandido. Mas quem se atreve a jogar pedra se todos os telhados são de vidro? 35


Em Nome da Arte Fashion Para o modelo Kaio Wilker, a arte é uma companhia constante. Morador de Boston e um apaixonado pela cidade, afirma que sempre dá de encontro com a beleza, nos cantos mais pitorescos de Beantown e arredores. “Boston é um centro super diverso, lindo e multicultural, que enche os corações de muitos artistas. Muitas vezes ando por vizinhanças que têm o poder de nos transportar para outros lugares e épocas”. A “viagem” mais recente aconteceu, por acaso, ao decidir entrar no restaurante de número 415 da Washington Street, em Somerville. “O lugar é mágico, me levou à Espanha antes mesmo da primeira taça de vinho”. Wilker está se referindo ao Dalí, restaurante e tapas bar espanhol, frequentemente citado como um das cenas noturnas mais românticas da Grande Boston. Durante o jantar veio o insight. Por que não reunir meia dúzia de amigos talentosos e montar no restaurante um ensaio fotográfico único, capaz de arrebatar o leitor para uma arena de sensualidade e sedução? Depois de conversar in loco com o proprietário da casa, Mario Leon, e receber dele carta branca, Wilker viu-se rodeado por amigos ávidos a arregaçar as mangas e criar. A primeira a fazer parte da trupe artística foi a fotógrafa Marília Lima, que viajou pelo mundo a procura de eternizar paisagens urbanas e naturais e, mais recentemente, se rendeu ao mundo da moda. Com ela, seu fiel assistente, Carlos Stein. À frente das lentes e completando nosso Pas de deux, a modelo brasileira Larissa Patrocínio, que também escolheu Boston como pousada e passarela. O designer de cabelos e make up artist escolhido foi Gary Contreau, cedido por Mario Russo Salon, do Waterfront de Boston. Contreau tem sido uma peça importante para a carreira de Wilker, “minha inspiração para que voltasse a estudar”. Wilker cursa Direção de Arte na Academia de Cosmetologia Toni & Guy. O estilista principal, responsável pela criação e execução do personagem Matador, interpretado por Kaio Wilker, foi o jovem talento Harley O., criador de peças exclusivas e memoráveis para o ensaio, como o “long form tail tuxedo” em rosas negras e os sapatos de rosas vermelhas. Os cuidados de produção com o guarda-roupa feminino ficaram por conta do consagrado designer Michael de Paulo, assistido pelo notável Marlon Costa, recém-graduado pela Mass Art School. Junto aos gênios inventivos, o último nome escalado foi o de Roger Hinds. O designer tinha a tarefa de completar todos os looks da história, para recriar a Espanha de touradas, flamencos e paixão pela moda. 36 36


Modelos: Kaio Wilker e Larissa Patrocínio Fotos: Marília Lima

Gitano Tocador de gaita. Camiseta branca. Ar blasé. Bad boy. Good girl. Quis a vida que se cruzassem na calçada. Chame de acaso ou destino.As flores pregadas à mão no mini-vestido têm futuro ainda incerto. Podem ser buquê ou coroa.

37


O encontro. A entrega.

Pierrot e Colombina. Cai o pano. 38 38


Na moda, como na vida, nada se cria se não há cobiça. A ruptura, o rapto, o pacto, à espera da entrega do original. O objeto do Desejo dá as costas, no intuito de ser conquistado, adorado, imolado, num sacrifício final.

Render-se.

Nada mais há que fazer. 39


Por Sussen Gazal

A imagem que primeiro vem à mente quando se diz Espanha, talvez seja a figura solitária de um Matador. Numa Arena de Touros. Capa e espada em mãos, debaixo dos aplausos de um público menos interessado na vitória desse herói quanto mais afoito pela aventura de sua faina, onde a vida ou a morte são imprevisíveis. Neste duelo não há muito espaço para o blefe. Preto no branco, como manda o costume e a tradição. 40 40


41


Em Sevilha, a moda é assim: o pretinho básico, aquele clássico e sofisticado, feito como antídoto para não chamar atenção alheia, se escreve com vermelho e em letras garrafais. O vermelho é escarlate, sinônimo de extravagante. O tubinho discreto, no joelho, peça que não pode faltar no guarda-roupa da executiva de sucesso, segue joelho abaixo, em camadas e camadas do mais puro exagero, na dose certa. O cabelo ocidental, num coque discreto, dá lugar a outro tipo de penteado, onde a única semelhança são os ombros à mostra. Cabelos, na Espanha das sevilhanas, são um enrodilhar de caracóis no alto da cabeça, coroados por uma flor, de preferência vermelha.

42 42


A tradição das touradas começa na roupa e continua pela paisagem e arquitetura. A inspiração, não há dúvida, é moura, no melhor estilo árabe, de tijolos aparentes, arcos geminados, decoração em azulejos azuis, pintados à mão. Um devaneio surreal, a bordo de um tapete voador, onde a tripulação de dois é feita de um Matador e sua Musa. 43


44 44


Vermelho irresistível. Quem raciocina diante do objeto do desejo? Vermelho paixão. Levado pela sede, o toureiro sucumbe. Arqueia o corpo, não em fuga, mas em direção à fera que o vai dominar.A atração é fatal e inescapável. Vermelho feitiço. Sevilhanas, madrilenhas, ciganas, feiticeiras. O sangue ferve dos pés à cabeça. Vermelho da cabeça aos pés. 45


46


47 47


NY/FASHION WEEK

SPRING 2012 Por Elena Martins, fotos Nicolle Saylor

A recente edição da New York Fashion Week, agora oficialmente chamada de Mercedes-Benz Fashion Week, devido ao patrocínio da Mercedes-Benz, aconteceu entre os dias 8 e 15 de setembro. Esta edição veio repleta de novidades, como por exemplo, a transmissão ao vivo da grande maioria dos desfiles pelo canal live runway via youtube. Mais de 100 estilistas de várias partes do mundo, mostraram suas coleções Primavera/Verão 2012 nas passarelas do Lincoln Center, como tam48 48

bém em outras localidades da cidade de Nova York, durante a semana de moda considerada uma das mais importantes do mundo. Os estilistas Carlos Miele e Alexandre Herchcovitch foram os Brasileiros que reinaram absolutos apresentando suas coleções Primavera/Verão 2012 durante a semana de moda de Nova York. Ambos os desfiles aconteceram no dia 12 de Setembro. Cada designer com seu estilo diferente e único desfilaram coleções repletas de cores, texturas,

criatividade e originalidade. Carlos Miele mostrou na passarela 32 modelos da sua coleção Primavera/Verão 2012 intitulada Immersive Landscape. O desfile mostrou uma coleção repleta de tecidos leves e esvoaçantes, como o chiffon e o crepe, com estampas digitais vibrantes. Os vestidos, saias e macacões marcaCarlos Miele


ram sua presença na passarela do Lincoln Center. Miele diz que esta coleção foi criada a partir de elementos do meio ambiente, os quais foram recriados digitalmente, originando assim as formas e cores que foram vistas na passarela. Miele apresentou um desfile cheio de contrapontos onde ele misturou o primitivo e o contemporâneo. O designer trouxe à passarela modelos de várias etinicidades como, por exemplo, as modelos Brasileiras Fabiana Mayer e Aline Zanella. As jóias usadas no desfile foram assinadas por Ivana Trump. Além do público se deleitar com a coleção maravilhosa apresentada, os mesmos, ainda foi presenteados com uma trilha sonora que não podia ser mais original. A música tema

do desfile foi o remix especial da música de Vinícius de Moraes e Toquinho, A Tonga da Mironga do Kabuletê, original dos anos 70. Música esta que possui palavras do dialeto Iorubá, provinda dos nossos ancestrais africanos, cuja herança cultural marcou profundamente a alma do Brasil. Trilha Sonora bem Brasileira, e uma coleção de encher os olhos, foram as combinações mais que perfeitas para que o desfile fosse um grande sucesso. Alexandre Herchcovitch apresentou uma coleção Primavera/Verão 2012 fortemente influenciada pela elegância dos anos 40, 50 e 60. O desfile aconteceu no Eyebeam, famoso centro de arte e tecnologia da cidade de Nova York, e a coleção apresentada foi a mesma mostrada há três meses no São Paulo Fashion Week. Herchcovitch trouxe modelos criados a partir de estilos e elementos essências de cada década, onde o viscose foi utilizado para criar fluidez e movimento às peças criando um visual descontraído e elegante. Cortes distintos e linhas estavam presentes em toda a coleção e foram representados em vestidos, tops

e túnicas e em cores como os tons nude, preto e também uma seqüência de cores como amarelo, laranja, pink, roxo e vermelho. Um contraponto do desfile foi a outra parte em que o estilista mostrou ao público modelos inspirados no universo do futebol Americano. Onde modelos desfilaram peças com armações nos ombros e quadris bem estruturados e como também modelos usando chapéus esportivos. Ao final dos desfile o estilista entrou caminhando junto a fila de suas super modelos. Herchcovitch fechou sua participação durante a semana de moda de Nova York com uma sensação de dever cumprido. Alexandre Herchecovit

49


BRASIL em NEW YORK Por Tuska, fotos Esperança Anderson

O Brasilian Day já é um título consagrado nos Estados Unidos. Há 27 anos que este evento acontece sem interrupção. É a força do Brasil que reune essa multidão verde e amarela que sacode a “Little Brasil”, espaço coquistado por João de Matos, Presidente deste grande evento histórico.

BRASIL, I Love You!

50 50

Este foi o primeiro show iternacional de Luan Santana e a sua grande estréia foi no Brasilian Day. Luan se surpreendeu com a multidão verde e amarela, foi uma hora e meia de show que valeu até em ALTO ESTILO.


Serginho Groisman, considerado peso pesado, apresentando pela primeira vez em NY o Brasilian Day e recebendo uma grande homenagem.

Guga Kuerten, um campeão que já deu muitas alegrias ao Brasil através do esporte, junto com Netinho participaram da Lavagem da Rua 46, ritual sagrado que acontece a 13 anos.

Amauri Soares, Diretor da Globo Internacional e João de Matos, Presidente do Brasilian Day

João de Matos, Presidente do Brasilian Day e Edilberto Mendes, Diretor Geral.

Apesar de ter 25 anos de estrada, esta foi a primeira participação do Exalta Samba no Brasilian Day, e que participação! Foi o show que toda a galera esperava.

Homenagen as vítimas do 11 de setembro de 2001. 51


52


B

n o t s o in B

oston tem sido, há muito tempo, cenário para filmes de Hollywood. Em 1950, “Mystery Street” lançou Ricardo Montalban como um detetive que investigava o assassinato de uma moça de Beacon HIll, cujo corpo foi encontrado numa praia de Cape Cod. Montalban contou com a ajuda de um professor de Medicina de Harvard para elucidar o crime. No meio das cenas desse clássico noir, o expectador se encontra diante de tomadas que um atento

Por Sussen Gazal

morador de Massachusetts reconhece imediatamente, como sinais de trânsito na Estrada da da Rota 3. Ano passado, os cinéfilos de todo o mundo aplaudiram de pé os criadores do blockbuster “The Social Network”, nomeado para o Oscar com oito indicações e que faturou quatro estatuetas do Golden Globe, entre elas a de melhor

filme, melhor diretor e melhor roteiro original. A trama, lançada em 2010, mostra como um aluno novato de Harvard criou, em seu próprio dormitório, o que viria a ser a rede social mais famosa do planeta e uma revolução na comunicação, o Facebook, que seis anos depois transformou Mark Zuckerberg no bilionário mais jovem da história. 53


Beantown Um passeio por

na companhia dos Astros

Mas nem só de sucesso vivem os enredos filmados em Boston. Este ano, “The Company Men” mostra um drama bem atual, que poderia ter acontecido em qualquer capital americana, depois da crise financeira que ainda não acabou. Bobby Walker vive o sonho americano: um ótimo emprego, uma familia linda e um Porsche brilhando na garagem. Quando a firma para que trabalha decide cortar cargos, ele e mais dois colegas acabam desempregados e desiludidos. Com humor e senso de observação, o diretor John Wells retrata uma nova realidade da terra do Tio Sam, enquanto o expectador passeia por Boston, Burlington, Quincy, Lynn, Marblehead, Milton e Welllesley. Estrelando Kevin Costner, Tommy Lee Jones, Chris Cooper e Ben Affleck. Por falar em Ben Affleck, ele e seu melhor amigo de infância, Matt Damon, nem sonhavam com a fama Hollywoodiana quando se conheceram e descobriram o quanto tinham em comum, além de serem vizinhos em Cambridge, MA, torcedores fanáticos do Red Sox e aspirantes ao sucesso. Enquanto Damon é admitido em Harvard, Affleck mal termina o primeiro semestre na Universidade de Vermont e já parte para Los Angeles. No início dos anos 90, Damon mostra a Affleck uma idéia qual vi54

nha trabalhando para um projeto da faculdade. A história de dois amigos de South Boston, um bairro de classe media trabalhadora em Boston, o tipo de roteiro em que gostariam de atuar. Cinco anos depois, os direitos para rodar “Good Will Hunting” foram comprados pela Miramax e o filme rendeu a ambos a fama do stardom com direito a duas estatuetas importantes, o Oscar de Melhor Roteiro Original e um Golden Globe para “Good Will Hunting”. Boston continuaria marcante na vida dos dois jovens atores e roteiristas, que voltariam com seus trailers de rodagem, inúmeras vezes, ao quartel-general do Bruins e Celtics, na década seguinte. Em 2006, Matt Damon grava o violento “The Departed”, dirigido por Martin Scorcesse, com a participação de Jack Nicholson, Alec Baldwin e Leonardo DiCaprio. O filme mostra como um grupo especial de investigadores da Policia Estadual tenta pôr fim à máfia irlandesa de South Boston, ou Southie, apelido carinhoso. “The Departed” é uma adaptação de “Infernal Affairs”, um filme de ação violento escrito pelo roteirista nascido em Dorchester, William Monahan.

Boston continuaria marcante na vida dos dois jovens atores


Pelas ruas de Southie, gruas, trailers, tiroteios e assassinatos Chega a ser interessante notar como um bairro miscigenado de trabalhadores como South Boston se transforma na menina dos olhos dos produtores e diretores de cinema. Se Boston tem atraído sets de filmagens e nomes carregados de fama e história há mais de seis décadas, Southie tem provido um cenário perfeito para roteiros que se transformam em clássicos cult, sucessos de crítica e bilheteria. O exemplo mais recente, “The Town”, 2010, foi co-escrito, dirigido e estrelado, advinhe, por Ben Affleck. A história se baseia numa adaptação do romance “Prince of Thieves”, de Chuck Hogan. Affleck interpreta um assaltante de banco torturado entre permanecer numa vida de crimes com os amigos de bairro ou começar tudo de novo com a mulher por quem se apaixonou, vítima de um dos assaltos. A história de amor entre Boston e Affleck tem rendido a ele muitos bons dividendos, incluindo as boas críticas sobre o ator que vai parar atrás das lentes e se revela um diretor de talento, expoente da nova geração. Para ficar por dentro

da filmografia de Affleck e de Boston vale a pena assistir “Gone Baby Gone”, um thriller dirigido por ele em 2007. O filme relata o trabalho de dois detetives de Boston, que investigam o sequestro de uma garotinha. A autenticidade do roteiro passa pelas locações, escolhidas a dedo por quem conhece a cidade como um de seus cidadãos e, pelo capricho dos detalhes, como no sotaque indiscutivelmente bostoniano da gema.

Entre as estréias, um escritor cego e um urso de pelúcia Para quem já está pensando em conferir as próximas estréias de Boston nos cinemas, Hollywood tem algumas surpresas saindo do forno. Uma delas chama-se “Blind” e tem data de estréia prevista para fevereiro de 2012. O filme tem Uma Thurman e Clive Owen como protagonistas. Ele vive um escritor de best-sellers que sofre um trágico acidente deixando-o cego. Owen encontra conforto

em Uma Thurman, uma mulher sentenciada pelo Estado a pagar serviços comunitários, contratada para ler para ele. A vida dos dois se cruza e aprendem que há mais no mundo do que se pode ver. Outro filme que movimentou Boston por vários dias entre o fim da primavera/início de verão 2011 foi “Ted”, que conta a história de um homem e seu ursinho de pelúcia, que o acompanha desde a infância até a vida adulta – por um Desejo seu! - e que, por isso, gera várias “encrencas”. O garotão em questão é Mark Wahlberg (cria da casa), nascido e criado em Dorchester, bairro de classe operária de Boston. No elenco também estão Mila Kunis e Joel McHale. Quem teve a sorte de passar pelo Boston’s Public Gardens, Columbus Avenue, Chandler Street ou deu uma paradinha para se abastecer no Charlie’s Sandwich Shoppe no fim de maio pode ver toda a movimentação da equipe, que começava a rodar às 7 da manhã e só parava às 3 da manhã. “Ted” tem estréia prevista para o verão de 2012.

55


Boston para os amantes da Sétima Arte

Para aqueles que preferem dar um pulo na locadora e garimpar relíquias dos estúdios cinematográficos onde Boston aparece como o cartão postal, a lista de opções é farta.

2010 The Social Network The Town Grown ups Shutter Island Edge of Darkness

2001 Legally Blonde

2009 The Box The Proposal Knowing 2008 My Best Friend’s Girl The Women

1998 Next Stop Wonderland Good Will Hunting

2007 Gone Baby Gone The Game Plan Transformers Black Irish 2006 The Departed United 93 2003 Mona Lisa Smile Mystic River Alex and Emma Dreamcatcher 56

1999 Southie The Out-of-Towners

1997 Amistad The Matchmaker Never Met Picasso 1996 Celtic Pride Getting Away with Murder 1987 The Witches of Eastwick 1984 The Bostonians 1982 The Verdict 1968 The Thomas Crown Affair


34 012 Se em Boston é possível fazer excursões por cemitérios e até pelo rio, por que não pelos sets de filmagens? Pensando neste filão, ideal para os apaixonados pela Sétima Arte, é que, em 1999, foi criado “On Location Tour”, um empreendimento que leva os amantes da telona e da telinha pelos locais de gravações mais famosos da capital de Massachusetts. A finalidade é fazer do turista parte atuante do roteiro, um figurante suspenso no tempo, disposto a caminhar por uma hora e meia entre 30 locações de filmes e seriados para o cinema ou TV. “The Boston Movie Mile Tour” e “The boston TV and Movie Sites” oferecem um guia, com conhecimento de causa (e muitas curiosidades nas mangas), para circular pelos jardins do Boston Commons e sua linda e poderosa vizinhança de Beacon Hill. As paradas obrigatórias incluem locações de filmes como “The Thomas Crown Affair”, “The Departed” e “The Town”. As excursões acontecem entre abril e outubro, começam no guichê de visitantes do Boston Public Garden, na Tremont St. e terminam no West End de Boston, no endereço original do programa de TV “Cheers”.

4 3 2 01

e d s t e S s o l e P s e õ s r u Exc

N O T S

BO

Servico: A data e o horário da excursão devem ser agedados pelo telefone. O ingresso pode ser adquirido pessoalmente no quiosque de informações turísticas de Boston na Tremont St. (Distrito Teatral). Reservas e Compras pelo Telefone: 1800 9793370

Fontes: Boston Film Highlights - www.cityofbosto.gov/arts/film/highlights Massachusetts film Office – www.mafilm.org/2011 Boston Movie Tours – bostomovietours.net Ten memorable movies filmed in Boston – www.boston.com/ae/movies/gallery Southie through the movies – www.boston.com/yourtown Boston’s next “Big Movie” – www.beforethethrailer.com

57


Etiqueta Regras de boas maneiras Da apresentação decorrem os demais atos sociais. Deve-se sempre apresentar a pessoa menos importante à mais importante. O grau de importância é estabelecido a partir de: •Posição religiosa ou política; •Posição social; •Idade; •Sexo. Entretanto, quando não se pretende estabelecer diferenças, a apresentação se faz simultânea. A pessoa que faz as apresentações deve citar o nome das pessoas apresentadas, assim como títulos se houver , ou acrescentar uma palavra que qualifique os apresentados. A pessoa mais importante é quem estende a mão, a outra deve limitar-se a imitar o gesto. É a pessoa mais im-

58

portante que diz primeiro o protocolar ‘muito prazer’’. Quando a apresentação é de uma pessoa a um grupo, diz-se o nome dessa pessoa de longe,os nomes das pessoas que estão no grupo. Não há necessidade de apertos de mão, muito menos o tradicional beijinho. Duas pessoas que se conheceram num mesmo local e por alguma razão não tenham sido apresentadas, podem apresentar-se mutuamente. Uma senhora nunca se levanta ao ser apresentada à outra senhora ou a um senhor, levando em consideração o grau de importância já visto. Um homem sempre se levanta ao ser apresentado a uma mulher ou mesmo a outro homem.


Os melhores sonhos de consumo estĂŁo aqui, sua marca nĂŁo pode ficar de fora.

Magazine

Para anunciar ligue: (857) 251 2995 - info@ vitrinefashionmagazine.com - www.vitrinefashionmagazine.

59


www.blueberryfl.com 60

Revista Vitrine Fashion - Boston-MA-USA  

Revista Vitrine Fashion Ed 1 - Boston-MA-USA

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you