Page 1

Daniel Jimenez

palmvillage

The world in our hands


Idealized by Daniel Jimenez in 2007 Graphic Design and Layout: Daniel Jimenez & Marcio Neves Photos: Daniel Jimenez & Marcio Neves Photo of Hands: Daniel Jimenez

JIMENEZ, Daniel. - 1978 JIMENEZ, Daniel. Palmvillage: the world in our hands. S達o Paulo: D.O.G. 2013

ISBN:978-85-914881-3-1

All Rights reserved. No part of this book may be used or reproduced without the author's permission.


palmvillage The world in our hands


THANKS Carolina Shiraiva Fábio Zoehler Humberto Ogata Joel Barbosa Júnior

Lucinda Ferreira Luiz Antônio Márcio Neves Mário Campos Nelson Osório Philip Shin Rosilda Fermino Raquel Pontes Rosangela Rodrigues Sander Pinheiro Thiago Vicente Waldir Souza


DEDICATE

FREEDOM OF EXPRESSION ... to Life...

Estevam, Denise & Alexandre Jimenez


Palmvillege is a reinterpretation and an ode to the Manual Alphabet as icon and "poster boy" of the counterculture and social market of sign languages ​around the world. WELCOME


ABRÃO, B. S. Dicionário de mitologia. s.l., Best Seller, s.d. ABREU, M. H. e MURTEIRA, R. B. Grammatica del portoghese moderno. Bologna, Zanichelli, 1994. AHLGREN, I. Deictic pronouns in swedish and swedish sign language. In: Theoretical issues in sign language research: linguisties. Chicago, University of Chicago Press, 1990. ALI, M. S. Dificuldades da língua portuguesa - estudos e observações. 6. ed. Rio de Janeiro, Livraria Acadêmica, 1966. ALMEIDA, N. M. de. Gramática metódica da língua portuguesa. 32. ed. São Paulo, Saraiva, 1983. _______. Dicionário de questões vernáculas. São Paulo, Caminho Suave, 1981. _______. Gramática latina. 29. ed. São Paulo, Saraiva, 2000. _______. Gramática metódica da língua portuguesa. 28. ed. São Paulo, Saraiva, 1979. _______. Gramática metódica da língua portuguesa. 44. ed. São Paulo, Saraiva, 1999.


ALMEIDA, R. C. Dicionário etimológico da língua

portuguesa. Brasília: Editora do Autor, 1980. ALVES, F. Dicionário de expressões estrangeiras correntes na língua portuguesa. 2. ed. s.l., s.e., s.d. AMARAL, A. O dialeto caipira. s.l., HUCITEC, s.d. ANDERSON,

K.

N.

e

GOLDENSON,

R.

M.

Dicionário de sexo. s.l., s.e., s.d. ANDERSON, S. R. Phonology in the twenty century: theories of rules and theories of representation. Chicago, The University of Chicago Press, 1985. ANDRADE, A. H. e ANDRADE, M. M. Dicionário de

verbos jurídicos. 3. ed. s.l., s.e., s.d. ANDRÈ, H. A. de. Gramática ilustrada. São Paulo, Moderna, 1982. ANDRÉ, H. A. Curso de redação. 5. ed. São Paulo, Moderna, 1999.


ARANTES, J. Pequeno dicionário crítico, histórico, geográfico,

econômico,

político

e

social.

s.l.,

Interciência, s.d. ARAÚJO, J. A. dos Santos. Pequeno dicionário de regras práticas de português. Rio de Janeiro, Record, s.d. ARIAS, S. L.Guia do espanhol para quem só fala portunhol. s.l., Campus, s.d. ARANOFF,

M.

Word

formation

in

generative

grammar. Cambridge (MA), MIT Press, 1976. AUMONT, J. e MARIE, M. Dicionário teórico e crítico de cinema. s.l., Papirus, s.d. AUSTIN, J. L. How to do things with words. Oxford, Harvard University William James Lectures, 1955, 1962. AXTELL, J. L. The indian sing language in indian

education. In: D. J. Umiker-Sebeok e T. A. Sebeok (eds.) Aboriginal sign languages of the americas and Australia. vol. II. New York, Plenum Press, 1978.


AZEVEDO, A C. do

Al. Dicionário de nomes,

termos e conceitos históricos. s.l., s.e., s.d. AZEVEDO FILHO, L. A. Gramática básica da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro, Fundo de Cultura, 1969. AZEREDO, J. C. Iniciação à sintaxe do português. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1990. BAKER, C. A. Michoanalysis of the nonmanual components of questions in america sing language. Phd dissertation. Berkeley, University of California, 1983. BAKER,

C.

e

COKELY,

D.

American

sing

language: a teacher’s resource texto on grammar and culture. Silver Spring (MA), T. J. Publishers, 1980. BACKER, M. Routledge encyclopedia of translation studies. London: Routledge, ed. 1998. BALLARIM, O. As línguas divertem – uma visão não convencional. s.l., T. A. Queiroz, s.d.


BASILIO, Margarida. Teoria lexical. Princípios. São Paulo, Ática, s.d. BATTRO, A. M. Dicionário terminológico de Jean Piaget. s.l., Thomson Pioneira, s.d. BEARD, H. e CERF, C. Dicionário do politicamente correto. s.l., s.e., s.d. BEARZOTI FILHO, P. A descrição. s.l., Atual, s.d. BECHARA, E. moderna gramática portuguesa. 28. ed. São Paulo, Nacional, 1983. _______. Moderna gramática da língua portuguesa. 22. ed. São Paulo, Nacional, 1977. _______.

Ensino

da

gramática;

opressão?

Liberdade? 4. ed. São Paulo, Ática, 1989. BEHAR, E. Mil palavras em português para estrangeiros. s.l., s.e., s.d. BEKSTEIN, I. Técnicas de comunicação escrita. Série Princípios. São Paulo, Ática, s.d. BELLARD, H. Guia prático de conjugação de verbos. São Paulo, Cultrix, 1999.


BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral. Campinas, Pontes, 1989. BENVENISTE,

E.

Problèmes

de

linguistique

générale. Paris, Editions Gallimard, 1966. BERENZ, N. e FERREIRA BRITO, L. Pronouns in BCLS ans ASL. SLR’87: Papers from the Fourth International

Symposium

on

Sign

Language

Research. Hamburg, Signum Press, 1990. BERGMAN,

B.

Sign

typology.

Forskning

om

teckensprak. s.l., Stocholms Universitet, 1982. BERGO, V. Erros e dúvidas de linguagem. s.l., Francisco Alves, s.d. BERLIN, B. e KAY, P. Basic color terms. Berkeley, University of California Press, 1969. BERNARD, Y. Dicionário internacional de economia e finanças. s.l., Forense Universitária, s.d.


BERNARDINO, A. O destino de Pan / O ouro de

Midas. Contos da Mitologia. São Paulo, FTD, s.d. BÉZIERS, M. M. e PIRET, S. A coordenação motora:

aspecto

mecânico

da

organização

psicomotora do homem. São Paulo, Summus Editorial, 1992.

BICKERTON, D. Roots of language. s.l. (USA), Karoma Publishers, 1981. BILAC, O. e PASSOS, G. Tratado de versificação. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1956. BLACKBURN, S. Dicionário Oxford de filosofia. s.l.,

Jorge Zahar, s.d. BLEAU,

J.

Étude

ergonomique

auprès

des

interprètes en langue des signes. Montréal, Québec: UQAM, 1996. BOMFIM, E. Advérbio. Princípios. São Paulo, Ática,

s.d. BONA, P. Bona Método musical. s.e., s.l., 1998.


BONDON, R. e BOURRICARD, F. Dicionário crítico de

sociologia. s.l., s.e., s.d. BORBA, F. da S. Introdução aos estudos linguísticos. São Paulo, Nacional, 1975. _______. Introdução aos estudos linguísticos. 9. ed. São Paulo, Nacional, 1987.

_______. Dicionário gramatical de verbos do português contemporâneo do Brasil. São Paulo, Unesp, 1991. BORBIO, N.; MATTEUCCI, N. e PASQUINO, G. Dicionário de política. s.l., s.e., s.d. BORDENAVE, J. D. O que é comunicação. Coleção

Primeiros Passos. s.l., Brasiliense, s.d. BORREGANA, A. A. Gramática universal da língua portuguesa. 7. ed. Lisboa, Texto Editora, s.d. BOTTOMORE, T. e OUTHWAITE, W. Dicionário do pensamento social do Século XX. s.l., s.e., s.d.


BOUDON, R. Dicionário Crítico de Sociologia. São Paulo, Ática, s.d.

BOUVET, D. Sign language and education of the deaf child. In: J. Kyle (org.) Sign and scholl: using signs in deaf children’s development. ClevendonEngland, Multilingual Matters, 1987. BOWKER, J. Para entender as religiões. s.l., s.e.,

s.d. BORTONI-RICARDO,

S.

M.

Educação

em

Língua Materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo, Parábola Editorial, 2004. BRANDÃO, J. S. Dicionário mítico-etimológico.

Vol. I. s.l., Vozes, s.d. _______. Dicionário mítico-etimológico. Vol. II. s.l., Vozes, s.d. BREKLE, H. E. Sémantique. Paris, Colin, 1974. BROWN, P. Reference: in memorial tribute to

Eric Lennenberg. Cognition 4. s.l., s.e., 1976.


BROWN, P. e LEVINSON, S. Universals in language

usage: politeness phenomena. In: E. N. Goodoy (ed.) Questions and politeness: strategies in social interation. Cambridge, Cambridge University Press, 1978. _______. Politeness: some universals in language

usage. Cambridge, Cambridge University Press, 1987. BRUNNER, R. Dicionário de psicopedagogia e psicologia educacional. s.l., Vozes, s.d. BUSSE,

W.

Dicionário

sintático

de

verbos

portugueses. Coimbra, Almedina, 1994. CABRAL, A. e NICK, E. Dicionário técnico de psicologia. São Paulo, Cultrix, s.d. CALLOU, D. e LOPES, C. R. (org.). A linguagem falada culta na cidade do Rio de Janeiro. Rio de

Janeiro, UFRJ/Capes, 1993. CÂMARA CASCUDO, Luiz da. História dos gestos. s.l., Melhoramentos, s.d.


CAMÕES, L V. Os Lusíadas. 4. ed. Porto, Porto Editora, s.d. CAMPOS, R H de F. Dicionário biográfico da psicologia no Brasil. s.l., Imago, s.d. CAMPOS MELLO, H. Curso de revisão criativa; infinitivo flexionado e não-flexionado. São Paulo, nº 15, s.d. _______. Instrumentos de comunicação oficial. São Paulo, Estrutura, 1978. CANTEL, R. Précis de Grammaire Portugaise. Paris, Vuibert, s.d.

CAPPAREELLI, S. 33 ciberpoemas e uma fábula virtual. Porto Alegre, L&PM, 1996. CAPOVILLA, F. C. e RAPHAEL, W. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue LSB. s.l., s.e., s.d. CARDOSO, Z. de A. Iniciação ao Latim. Série

Princípios. São Paulo, Ática, s.d. CARONE,

F.

de

B.

Morfossintaxe.

Fundamentos. São Paulo, Ática, s.d.

Série


_______. Subordinação e Coordenação. Série Princípios. São Paulo, Ática, s.d. CARVALHO, D. G. e NASCIMENTO, M. Gramática histórica. São

Paulo, Ática, s.d.

CARVALHO, D. e outros. Gramática histórica. 7. ed. São Paulo, Ática, 1971. CARVALHO, J. G. H. Teoria da linguagem. s.l., Atlântida, s.d. _______. Estudos linguísticos. s.l., Atlântida. CASCUDO, L. da C. Dicionário do folclore brasileiro. s.l., Global, s.d. CASTILHO, A. T. de. Gramática do português falado. Vols. I, III e IV. Campinas, Pontes. CASTRO, C. A. S. A estruturação temporal na língua dos sinais em São Paulo. Mogi das Cruzes, Universidade de Mogi das Cruzes, 1982. CATTANI, A. D. Dicionário crítico – trabalho e tecnologia. s.l., Vozes, s.d.


CATFORD, J. C. Uma teoria linguística da tradução. São Paulo, Cultrix, s.d. CATUREGLI, M. G. Dicionário inglês-português. s.l.,

Aleph, s.d. CEGALLA, D. P. Novíssima gramática da língua portuguesa. 30. ed. São Paulo, Nacional, 1988. _______. Novíssima gramática da língua portuguesa. 43. ed. São Paulo, Nacional, 2000.

CHATELET,

F.;

DUHAMEL,

O.

e

PISER,

E.

Dicionário das obras políticas. s.l., s.e., s.d. CHENG, T. A. Gramática de português. Macau, Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 1995.

CHERUBIM, S. Dicionário de figuras de linguagem. São Paulo, Pioneira, 1989. CHEVALIER, J. e GHEERBRANT, A. Dicionário de símbolos. 18. ed. s.l., José Olympio, 2003. CHOMSKY, N. Aspectos da teoria da sintaxe. 2. ed. Trad. José António Meirelles e Eduardo Paiva Raposo. Coimbra: Arménio Amado, 1978.


CHOMSKY,

N.

e

HALLE,

M.

Fundamentos

metodológicos da linguística: fonologia e sintaxe. In M. Dascal (org.). vol II. Campinas, Unicamp, 1981. CIPOLLA, M. B. Dicionário Oxford de arte. s.l., Martins Fontes, s.d. CIPRO NETO, P. Inculta & bela. 3. ed. São Paulo, Publifolha, 2000. CIRLOT, J. E. Dicionário de símbolos – brochura. s.l., Moraes, s.d. COELHO, N. N. Literatura & linguagem. São Paulo, Quiron, 1986. _______. Dicionário crítico da literatura infantil e juvenil brasileira. s.l., s.e., s.d. _______.

Dicionário

crítico

de

escritoras

brasileiras. s.l., Escrituras, s.d. COIMBRA, O. M. e COIMBRA, I. Gramática activa 1. 2. ed. Lisboa, Lidel, 2000. _______. Gramática activa 2. 2. ed. Lisboa, Lidel, 2000.


COKELY, D. Sign language: teaching, interpreting,

and education policy. In: Ch. Baker e R. Battison (org.) Sign language and the deaf community. s.l. (USA), National Association of the Deaf, 1980. _______. Interpretation: a sociolinguistic model. Burtonsville, MD: Linstok Press, 1992.

_______. Sign language interpreters and interpreting. Burtonsville, MD: Linstok Press, 1992. COSERIU, E. Princípios de Semântica estructural. Madri, Gredos, 1977. COUTINHO, I. de L. Pontos de gramática histórica.

6. ed. Rio de Janeiro, Acadêmica, 1968. COUTINHO, I. L. Gramática histórica. 4. ed. Rio de Janeiro, Acadêmica, 1958. COUTO, H. H. do. O que é português brasileiro. Primeiros Passos. s.l., Brasiliense, s.d.


COYN, H. R. Dicionário da Idade Média. s.l., s.e.,

s.d. CRYSTAL, D. Dicionário de linguística e fonética. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1988. CUESTA, P. V. e LUZ, M. A. M. da. Gramática da língua portuguesa. Lisboa, Edições 70, 1971.

CUNHA, Antonio Geraldo da. Dicionário histórico das palavras portuguesas de origem tupi. s.l., Melhoramentos. s.d. _______. Dicionário etimológico Nova Fronteira. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, s.d.

_______. Dicionário etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1991. CUNHA, A. G. Dicionário etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. Rio de Janeiro, Nova

Fronteira, 1982. _______. portuguesas

Dicionário de

histórico

origem

Melhoramentos; Edusp, 1982.

tupi.

das São

palavras Paulo,


CUNHA, C. Gramática moderna. 2. ed. Belo Horizonte, Bernardo Álvares, 1970. _______. Língua portuguesa e realidade brasileira. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1972. _______. Língua, nação, alienação. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, s.d. CUNHA, C. e CINTRA, L. F. L. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1985. _______.

Breve

gramática

do

português

contemporâneo. Lisboa, Sá da Costa, 1995. _______.

Nova

gramática

do

português

contemporâneo. Lisboa, Sá da Costa, 1984. CUNHA, C. e outros. Nova gramática do português contemporâneo. 2. ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 2000. CUNHA, J. A. Filosofia: iniciação à invetigação filosófica. Atual Etidota, s.l. s.d.


CUNHA, M. C. da e ALMEIDA, M. W. B. de. Enciclopédia da floresta. s.l., Companhia das Letras,

s.d. D’ÁVILA, S. Gramática da língua portuguesa: uso e abuso. São Paulo, Editora do Brasil, 1997. DAVIS, F. A comunicação não-verbal. São Paulo, Summus, s.d.

DEAN, D. D. Baixo elétrico composite: método de Dan Deam, s.e., s.l., Fermata do Brasil,1996. DELLA TORRE, M. B. L. O homem e a sociedade: uma introdução à sociologia, 8ª ed. São Paulo, Ed. Nacional, 1980.

DE NICOLA, J. e outros. 1001 dúvidas de português. 10. ed. São Paulo, Saraiva, 2000. DELMAS, A. e ROUVIÉRE, H. Anatomie humaine. vols. I, II, III. Paris, Masson, 1991. DENYS-STRUYF, G. Cadeias musculares e articulares.

São Paulo, Summus Editorial, 1995.


DENTON, D. M. The total communication revolution. In: J. Kyle (ed.) Sing and school: using signs in deaf children’s

development.

Clevedon-England,

Multilingual Matters, 1987. DEUCHAR, M. British sign language. London e Boston, Routledge & Kegan Paul, 1984. DIAS, A. P.; MARTINS, F.; PALMA, G; GÓIS, M. e LAPA,

M.

Gramática

universal

escolar

língua

portuguesa 2º e 3º Ciclos do Ensino básico. 5. ed. Lisboa, Texto Editora, s.d. DICIONÁRIO

OXFORD

ESCOLAR

PARA

ESTUDANTES BRASILEIROS. s.l., Oxford University, s.d.

DICIONÁRIO

BILÍNGUE

PARA

BRASILEIROS.

OXFORD POCKET. s.l., Oxford University, s.d. DICIONÁRIO DE VERBOS PORTUGUESES. Paris, Larousse, 1995. DICIONÁRIO

BÁSICO

LAROUSSE

INGLÊS/PORTUGUÊS. São Paulo, Ática, s.d.


DICIONÁRIO

MINI

LAROUSSE

INGLÊS/PORTUGUÊS. São Paulo, Ática, s.d. DICIONÁRIO MÉDICO ILUSTRADO DORLAND. s.l., Manole. s.d. DICIONÁRIO AURÉLIO ELETRÔNICO: SÉCULO XXI. Rio de Janeiro, Nova Fronteira e Lexicon Informática, 1999. CD-ROM, versão 3.0. DICIONÁRIO

BRASILEIRO

DA

LÍNGUA

PORTUGUESA. 12. ed. São Paulo, Encyclopaedia Britannica, 1990. DICIONÁRIO

DE

CIÊNCIAS

FÍSICAS

E

BIOLÓGICAS. Meca. DICIONÁRIO

ETIMOLÓGICO

DE

NOMES

E

SOBRENOMES. 2. ed. São Paulo, Ave Maria, 1973. DONATO, H. Dicionário das mitologias americanas. s.l., s.e., s.d.


DONNELAN,

K.

S.

Reference

and

definite

description.In: J. F. Rosemberg and C. Travis (eds.) Reading in the philosophy of language. New Jersey, Prentice-Hall, 1971. DORON, Roland. Dicionário de psicologia. São Paulo, Ática, s.d.

DORSCH, F. Dicionário de psicologia Dorsch. s.l., Vozes, s.d. DOTZAUER, F. Violoncello method, vol. I., s.e., New York, 1951. DUARTE, M. Almanaque das bandeiras. s.l., s.e., s.d.

DUBNER, A. G.; MOREIRA, J. C. T. e PASQUALE, P. P. Dicionário de termos de marketing. 4. ed. s.l., s.e., s.d. DUBOIS-CHARLIER, F. Bases de análise linguística. Coimbra, Livraria Almedina, 1977.

DUBOIS, J. e outros. Dicionário de linguística. São Paulo, Cultrix, 1978.


DUCROT,

Oswald.

Princípios

de

semântica

T.

Dicionário

linguística. São Paulo, Cultrix, s.d. DUCROT,

O.

e

TODOROV,

enciclopédico das ciências da linguagem. s.l., s.e., s.d. EDELWEISS, F. G. Estudos tupis e tupi-guaranis. Rio de Janeiro, Brasiliana, 1969. ELIA, S. A unidade linguística do Brasil. s.l., Padrão,

s.d. _______. A língua portuguesa no Mundo. Princípios. São Paulo, Ática, s.d. ELGIA, S. H. O que é linguística. s.l., s.e., s.d. ELIA, H. e outros. 100 textos errados e corrigidos de

acordo

com

a

nova

nomenclatura

gramatical

brasileira. 27. ed. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1985. ENCICLOPÉDIA DO MUNDO CONTEMPORÂNEO: TERCEIRO MILÊNIO. 3. ed. São Paulo, Publifolha, 2002.


ENCICLOPÉDIA

MUSICAL

ARTE

DRAMÁTICA

EDCAÇÃO FÍSICA: enciclopédia ginasial ilustrada, s.e., São Paulo, s.d. ENGBERG-PEDERSEN, E. Space in danish sing language and morphosyntax of the use of space in a visual language. Hamburg, Signum Press, 1993. ESTRELA, E. Bem dizer, bem escrever. 2. ed. Lisboa, Editorial Notícias, 1991. _______. Dúvidas do falar português I: Consultório da língua portuguesa. 3. ed. Lisboa, Editorial Notícias, 1991. _______. Dúvidas do falar português II: Consultório da língua portuguesa. 3. ed. Lisboa, Editorial Notícias, 1991. _______. Dúvidas do falar português III: Consultório da língua portuguesa. 3. ed. Lisboa, Editorial Notícias, 1991.


_______. Dúvidas do falar português IV: Consultório

da língua portuguesa. 3. ed. Lisboa, Editorial Notícias, 1991. ESTRELA, E. e PINTO CORREA, J. D. Guia essencial da língua portuguesa para a comunicação social.

Lisboa,

Editora

do

II

Congresso

dos

Jornalistas Portugueses, 1988. FARIA, E. Fonética histórica do latim. 2. ed. Rio de Janeiro, Acadêmica, 1970. FARIA, C. V. de S. Atos de fala: o pedido em LIBRAS. Dissertação de mestrado. Rio de Janeiro,

UFRJ, 1995. FARIA, C. V. de S. e CORREIA, M. M. Translação, rotação, simetria e eixos no sistema FerreiraBrito/Langevin para transcrição de língua de sinais. Anais do I Encontro da ASSEL/Rio. Rio de Janeiro,

ASSEL/Rio, 1992. FELIPE, A. Por uma tipologia dos verbos da LSCB. Anais do VII Encontro Nacional da ANPOLL. Goiânia, ANPOLL, 1993.


_______. O signo gestual-visual e sua estrutura frasal na língua dos sinais dos centros urbanos brasileiros (LSCB). Dissertação de Mestrado. Recife, UFPE, 1988. FERNANDES,

F.

Dicionário

de

regimes

de

substantivos e adjetivos. 20. ed. Rio de Janeiro, Globo, 1987. _______. Dicionário de regimes de substantivos e adjetivos. 2. ed. Porto Alegre, Globo, 1972. _______. Dicionário de verbos e regimes. 36. ed. Rio de Janeiro, Globo, 1989. _______. Dicionário de sinônimos e antônimos da língua portuguesa. s.l., Globo, s.d. FERRARA,

L.

D’A.

Leitura

sem

palavras.

Princípios. São Paulo, Ática, s.d. FERREIRA

BRITO,

L.

Modalidade:

estudo

semântico-lexical. s.l., Edições Presença, no prelo, s.d.


_______. Uma abordagem fonológica dos sinais da LSCB. Espaço nº 1. Rio de Janeiro, INES, 1990. _______. Classificadores em LSCB. Anais do IV Encontro Nacional da ANPOLL. Recife, ANPOLL, 1989. _______. Integração social e educação de surdos. Rio de Janeiro, Babel Editora, 1993. _______. Co-referência em uma lingua de sinais brasileira. Anais do VII Encontro Nacional da ANPOLL, vol. 1 e 2. Goiânia, s.e., 1993. _______. Convencionalidade e iconicidade em línguas de sinais. Anais do I Congresso da ASSEL/Rio. Rio de Janeiro, ASSEL/Rio, 1992. _______. Atos de fala: o pedido e as estratégias de polidez em LIBRAS. Espaços e interfaces da linguística e da linguística aplicada. Cadernos Didáticos. Rio de Janeiro, UFRJ, 1995.


_______. Epistemic, alethic, and deontic modalities in a brazilian sign language. In: Theoretical issues in sign language research, S. D. Fischer e P. Siple (org.). Chicago, The University of Chicago Press, 1990. _______. Desenvolvimento linguístico e deficiência auditiva. Educação e Cultura, Ano IV, nº 16, 27-30, Secretaria da Educação do Estado da Paraíba, João Pessoa, 1985. _______. Necessidade psico-social e cognitivo de um bilinguismo para surdo. Anais do I Congresso Nacional

de

Linguística

Aplicada.

Campinas,

Unicamp, s.d. FERREIRA BRITO, L. e outros. Morfo-fonologia e sintaxe da língua de sinais das cidades brasileiras. Anais do IX Encontro Nacional de Linguística. Rio de Janeiro, PUC-RJ, 1984.


FERREIRA

BRITO,

L

e

MACEDO,

A.

Características dos pedidos em português. Anais do X Encontro Nacional de Linguística. Rio de Janeiro, PUC-RJ, 1985. FERREIRA BRITO, L. e SIQUEIRA, E. A. S. Termos básicos para cores em duas línguas de sinais.

Anais

do

X

Encontro

Nacional

de

Linguística. Rio de Janeiro, PUC-RJ, 1985. FIGUEIREDO, J. M. N. de e FERREIRA, A. G. Gramática elementar da língua portuguesa. Porto, Porto Editora, 1989. FISCHER, S. D. Influences on word-order change in american sign language. In: C.N. Li. 1975. _______. Sign language and creoles. In: P. Siple (ed.)

Understanding

language

through

sign

language research. New York, Academic Press, 1978.


FREIRE, N. A. Lês verbes portugais et brésiliens.

Formes et Emplois. Paris, Hatier, 1997. FREIRE, N. A. Dicionário dos verbos portugueses. Lisboa, Plátano, 1993. FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo, 24ª ed. São

Paulo, Cortez & Autores Associados, 1990. FRIEDMAN, L. The manifestation of subject, object, and topic in the america sign language. In: C. N. Li. 1976. _______. Formational properties of american sign

language. In: L. Friedman (ed.) On the other hand. New York, Academic Press, 1978. GARCIA, O. M. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro, FGV, 1978. _______. Comunicação em prosa moderna. 14. ed.

Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1988.


GENOUVRIER, E. e PEYTARD, J. Linguística e ensino do português. Coimbra, Livraria Almedina, 1974. GHITESCU, M. Dicionário prático de substantivos e Adjectivos com os Regimes Preposicionais. Lisboa, Edições Fim de Século, 1992. GIANNINI, N. Conjugação de verbos portugueses. São Paulo, s.e., 1972. GOBBES, A. e MEDEIROS, J. B. Dicionário de erros correntes da língua portuguesa. 4. ed. s.l., s.e., s.d. GÓES, C. e PALHANO, H. Gramática da língua portuguesa. 5. ed. São Paulo, Francisco Alves, 1963. GOMES, R. Dicionário inglês-português ilustrado 1200 verbetes. s.l., Thomson Pioneira, s.d.


GOODY, E. Towards a theory of questions. In: Goody, E. (ed.) Questions and politeness: strategies in

social

interaction,

Cambridge,

Cambridge

University Press, 1978. GORDON, D. e ERVIN-TRIPP, S. The development of

requests.

Communicative

In:

Schiefelbusch, competence

R.

E.

(ed.)

acquisition

and

intervention. Baltimore (USA), University Park Press, s.d. GRANIÈR,

S.

Petite

grammaire

de

l’occitan.

Vilanuèva d’Olt: Escola Occitana d’Estiu, 1978. GREIMAS, A. J. Semântica estrutural. São Paulo, Cultrix e Edusp, 1976. GREIMAS, A. J. e outros. Sémiotique; dictionaire raisonné de la thérie du langage. Paris, Hachete, 1979. GRICE, H. P. Lógica e conversação. In: Dascal, M. (ed.) Fundamentos metodológicos da linguística: pragmática. vol. IV, pp. 81-104. Campinas, Unicamp, 1975.


GRIMAL, P. Dicionário da mitologia grega e romana. s.l., Bertrand Brasil, s.d. GUÉRIOS, R .F. M. Tabus linguísticos. s.l., s.e., s.d. _______.

Dicionário

portuguesa.

São

de

etimologias

Paulo,

da

Nacional;

língua Curitiba:

Universidade Federal do Paraná, 1979. GUIMARÃES, A. P. Tudo sobre o verbo. s.l., Cone, s.d. GUIMARÃES, R. Dicionário da mitologia grega. São Paulo, Cultrix, s.d. GUIRAUD, P. A semântica. 2. ed. São Paulo, Difel, 1975. GUMPERZ, J. J. Discourse strategies. Cambridge, Cambridge University Press, 1982. HANSEN, B. Sign language and bilingualism: a focus on an experimental approach to the teaching of deaf children in Denmark. In: J. Kyle (ed.) Sign and school: using

signs

in

deaf

children’s

development.

Clevendon (England), Multilingual Matters, 1987.


HARRINGTON,

F.

J.;

TURNER,

Graham

H.

Interpreting interpreting. Studies & refelctions on sign

language

interpreting.

Coleford:

Douglas

McLean, 2001. HARRY, A. B. Vozes verbais. Série Princípios. São Paulo, Ática, s.d.

HARVEY, P. Dicionário Oxford de literatura clássica. s.l., s.e., s.d. HARNEY, P. Dicionário Oxford de literatura clássica. s.l., Jorge Zahar, s.d. HILL, A. A. Aspectos da linguística moderna. São

Paulo, Cultrix, s.d. HILL, C. A. Variation in the use of ‘front’ and ‘back’ by bilingual speakers. C. Cogen, H. Thompson e J. Wright (eds.). In: Proceedings of the First Annual Meeting of the Berkeley Linguistic Society. s.l., s.e.,

1975. HOIJER, H. Classificatory verb stems in apachean languages. IJAL 11. s.l., s.e., 1945.


HORA, D. da (org.). Diversidade linguística no Brasil.

João Pessoa: Idéia Editora, 1997. HOUAISS, A. Dicionário inglês-português Webster. Rio de Janeiro, Record, s.d. HOUAISS, A. Dicionário Houaiss de sinônimos e antônimos. s.l., Objetiva, s.d.

HOUAISS, A. Elementos de bibliologia. São Paulo e Brasília, HUCITEC e INL - Fundação Pró-Memória, 1983. HUBER, C. Manual prático de português-InglêsAlemão. Livros técnicos e científicos. São Paulo,

Artesc, 1977. HUCITEO, C. H. Fazer dizer querer dizer. s.l., s.e., s.d. HULST, H. van der. The framework of nonlinear phonology. In: H. van der Hulst, Syllable structure and stress in dutch. Dordrecht-Holland, Foris Publications,

1984. HULST, H. van der e SMITH, N. Autosegmental and metrical phonology. In: H. van der Hulst e N. Smith (eds.) One Structure of phonological representations (part. I). Dordrecht-Holland, Foris Publications, 1982.


_______. The framework on nonlinear generative phonology. In: H. van der Hulst e N. Smith (eds.) Advances

in

nonlinear

phonology.

Dordrechet-

Holland, Foris Publications, 1985. HUMPHREY, J. H., e A.; Bob J. So you want to be an interpreter?

An

introduction

to

sign

language

interpreting. Amarillo, TX: H & H Publishing Company, 2001. HUNDERTMARK-SANTOS

MARTINS,

M.

T.

Portugiesische Grammatik. Tubingen: Max Niemyer Verlag, 1982. HUTCHINSON, A. P. e LLOYD, J. Portuguese: An Essential Grammar. London: Routlegde, 1996. IBAIXE, A. M. As palavras que, se e como: teoria e prática. s.l., Atual, s.d. ILARI, R. e outros. Semântica. 2. ed. São Paulo, Ática, 1985. ILARI, R. Gramática do português falado. vol. II. Campinas, Pontes.


JOHNSON, A. G. Dicionário de sociologia. s.l., Jorge Zahar, s.d. JOTA, Z. S. Dicionário de linguística. 2. ed. Rio de Janeiro, Presença; Brasília: INL, 1981. JULIEN, N. Dicionário dos símbolos. s.l., Rideel, s.d. KADOTA, N. P. A escritura inquieta. s. l., Estação Liberdade, s.d. KATO, M. Gramática do português falado. vol. V. Campinas, Pontes. KAUFMANN,

P.

Dicionário

enciclopédico

de

psicanálise. s.l., Jorge Zahar, s.d. KAY, P. Synchronic variability and diachronic change in basic color terms. Language and Society 4, s.l., s.e., 1975. KAY, P. e KEMPTON, W. What is the Sapir-Whorf hypothesis? Berkeley Cognitive Science Report 8. Berkeley, University of California, 1983.


KEGL,

J.

Locative

relations

in

american

sign

language, word formation, syntax and discourse. Tese de doutorado. Massachusetts, MIT, 1985. KEGL, J. e SCHLEY, S. When is a classifier no longer a classifier? In: V.Nikiforidou, M. Vanclay, M. Niepokuj

and D. Feder (eds.), Proceedings of the twelpfth annual meeting of the Berkeley Linguistics Society. Berkeley, Berkeley Linguistics Society, 1986. KEHDI, V. Morfemas do português. Série Princípios. São Paulo, Ática, s.d.

KELLY, J. E. Transliteration: show me the English. Alexandria, VA: RID Press, 2001. KEMPSON, R. M. Teoria semântica. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1980. KIMBALL, John P. Teoria formal da gramática. Trad.

Luiz Alberto. Cerqueira. Rev. téc. Yonne de Freitas Leite. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.


KLIMA, E. e BELLUGI, U. Perception and prodution in a visually based language. In: D. Aaronson e R. W. Rieber,

Developmental

psycholinguistic

and

communication disorders. New York, The New York Academy of Science, 1975. _______. The signs of language. Cambridge e Massachusetts, Harvard University Press, 1979. KOCH, I. G. V. Gramática do português falado. Campinas, Pontes. KOCH, I. V. e SILVA, M. Cecília P. S. Linguística aplicada ao português: morfologia. São Paulo, Cortez, 1985. KRISTEVA, J. História da linguagem. Lisboa, Edições 70, 1969. KUCZAJ, S. e DALY, M. The development of hypothetical reference in the speech of Young children. s.l., Journal of child language 6, 1979. KURY, A. da G. Português básico. Rio de Janeiro, Agir, 1960.


_______. Novas lições de análise sintática. Série

Fundamentos. São Paulo, Ática, s.d. KURY, M. da G. Dicionário de mitologia grega e romana. s.l., Jorge Zahar, s.d. _______. Dicionário de mitologia. s.l., s.e., s.d. KYLE, J. Sign and school: using signs in deaf

children’s

development.

Cleveland

(England),

Multilingual Matters, 1987. LAKOFF, G. e JOHNSON, M. Metaphors we live by. Chicago, University of Chicago Press, 1980. LANCIANI,

G.

e

TAVANI,

G.

Grammatica

portoghese. Milano, CEA, 1993. LANDSMANN, L. T. Aprendizagem da linguagem escrita. São Paulo, Ática, s.d. LANGACHER, R. W. A linguagem e sua estrutura. s.l., s.e., s.d.

LAOUREUX, N. Método practico de violin: libro II – 30 estudios progresivosde la primeira posición. Buemos Aires, RICORDI, 1997.


LAPA, M. R. Estilística da língua portuguesa. Coimbra, Coimbra Editora, 1977. _______. Estilística da língua portuguesa. São Paulo, Martins Fontes, 1982. _______. Estilística da língua portuguesa. Coimbra, Coimbra Editora, 1984. LEI, H. I. Os erros Comuns que os Chineses Cometem na Aprendizagem do português. Macau, Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Centro de Difusão de Línguas, 1996. LEITE DE VASCONCELLOS, J. Textos arcaicos. 4. ed. Lisboa, Clássica, 1959. LELLO, J. e outros. Lello universal; dicionário enciclopédico luso-brasileiro em 4 volumes. Porto, Lello & Irmão, s.d. LEME, O. S. e outros. Assim se escreve... gramática: assim escreveram... literatura. São Paulo, Editora Pedagógica e Universitária, s.d. LEME, O. S. Tirando dúvidas de português. 2. ed. São Paulo, Ática, 1995.


LEVINSON, S. C. Pragmatics. Cambridge, Cambridge

University Press, 1983. LEXIKON, H. Dicionário de símbolos. São Paulo, Cultrix, s.d. LILLO-MARTIN, D. e KLIMA, E. S. Pointing out differences:

ASL

pronouns

Theoretical

issues

in

in

sign

syntactic

language

theory.

research.

Chicago, University of Chicago Press, 1990. LYONS,

John.

Linguagem

e

linguística:

uma

introdução. Trad. Marilda Winkler Averbug e Clarisse Sieckenius de Sousa. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

LOPES, F. C. e FARINA, H. M. L. Grammaire active du portugais. Lê livre de poche. Paris, Hachette, 1992. LOPES,

E.

Fundamentos

da

linguística

contemporânea. 2. ed. São Paulo, Cultrix, 1977.

LUFT, C. Gramática resumida. 2. ed. Porto Alegre, Globo, 1963.


_______. Novo Guia ortográfico. 19. ed. Rio de Janeiro, Globo, 1987. _______. A vírgula. 2. ed. São Paulo, Ática, 1998.

_______. Dicionário prático de regência nominal. 4. ed. São Paulo, Ática, 1999. _______. Dicionário prático de regência verbal. São Paulo, Ática, 1987. _______. Dicionário prático de regência nominal. São

Paulo, Ática, 1992. _______. Dicionário prático de regência verbal. São Paulo, Ática, 1996. LUIZ, A. F. Dicionário de expressões latinas. 2. ed. s.l., s.e., s.d.

LURKER, M. Dicionário de figuras e símbolos bíblicos. s.l., Paulus, s.d. LYONS, J. Introdução à linguística teórica. São Paulo, Nacional, 1979. LYONS,

J.

Semantics.

v.

II,

Cambridge University Press, 1977.

s.l.

(Inglaterra),


_______. Language, meaning and context. s.l. (GrãBretanha), Fontana Paperback, 1981. MACDONALD, B. H. Aspects of the american sign

language predicate system. Tese de doutorado. Buffalo (NY), University of Buffalo, 1982. MACEDO, W. Elementos para uma estrutura da língua portuguesa. s.l., s.e., s.d. MADRE, O. Termos da oração. s.l., Vozes, s.d.

MALLERY, G. Introduction to the study of sign language among the north american indians as illustrating the gesture speech of manking. In: Umiker-Sebeok (eds.) Aboriginal sign languages of the americas and Australia. New York, Plenum

Press, 1880a. _______. A collection of gesture signs and of the north american indians with some comparisons. In: Umiker-Sebeok (eds.) Aboriginal sign languages of the americas and Australia. New York, Plenum Press, 1880b.


_______. The gesture speech of man. In: Umiker-

Sebeok (eds.) Aboriginal sign languagesof the americas and Australia. New York, Plenum Press, 1880c. MANDEL, M. A. Phonotactis and morphophonology in american sign language. Phd. dissertation.

Berkeley, University of California, 1981. MANUILA, A. e outros. Dicionário médico Medsi. s.l., Medsi, s.d. MARQUES, M. H. D. Iniciação à semântica. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1990.

MARTINET, A. Elementos de linguística geral. 6. ed. São Paulo, Martins Fontes; Lisboa, Sá da Costa, 1975. MARTINS, D. S. e outros. Português instrumental. 21. ed. Porto Alegre, Sagra Luzzatto, 2000.

MARTINS, H. M. O que è leitura, 19ª ed. São Paulo, Brasiliense,1994.


MASUCCI, O. Dicionário tupi-português e viceversa. Rio de Janeiro, São Paulo, Brasilivros, 1979. MATEUS, Maria Helena Mira e outros. Gramática da

língua portuguesa. Lisboa, Caminho, 1989. MATEUS, Maria H. Mira et alii. Gramática da língua portuguesa. Coimbra, Almedina, 1983. MATTHEUS,

G.

Morphology.

Cambridge,

Cambridge University Press, 1974.

MATTOSO CÂMARA Jr., Joaquim. Dicionário de filologia e gramática. 14. ed. Rio de Janeiro, J. Ozon, 1988. _______. Problemas de linguística descritiva. s.l., Vozes, s.d.

_______.

Introdução

às

línguas

indígenas

brasileiras. s.l., s.e., s.d. _______. Dicionário de linguística e gramática. 8. ed. Petrópolis, Vozes, 1978.


_______. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis,

Vozes, 1970. _______.

Introdução

às

línguas

indígenas

brasileiras. Rio de Janeiro, Ao Livro Técnico, 1977. _______. Princípios de linguística geral. Rio de Janeiro, Acadêmica, 1969.

_______. História e estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro, Acadêmica, 1970. _______. Dicionário de linguistica e gramática. Petrópolis, Vozes, 1977. _______. Para o estudo da fonêmica portuguesa.

Rio de Janeiro, Padrão Livraria Editora, 1977. McINTIRE, M. Interpreting: the art of cross-cultural mediation, 188. Alexandria, VA: RID Publications, 1996 MEDEIROS, J. B. e outros. Dicionário de erros

correntes da língua portuguesa. 3. ed. São Paulo, Atlas, 1999.


MELO, G. C. A língua do Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro, Padrão, 1981. MESQUITA, Roberto Melo. Gramática da língua

portuguesa. 6. ed. São Paulo, Saraiva, 1997. METZGER,

M.

Sign

language

interpreting.

Deconstructing the myth of neutrality. Washington DC: Gallaudet University Press, 1999. METZGER,

M.,

COLLINS,

STEVEN,

DIVELY,

VALERIE L., and SHAW, Risa eds. From topic boundaries

to

omission.

New

research

on

interpretation. Washington DC: Gallaudet University Press, 2003. MIAZZI, M. L. F. Introdução à linguística românica.

São Paulo, Cultrix; Edusp, 1972. MIKOS,

K. Classifiers

in ASL: a manual for

instructors. Berkeley, Vista College, 1983. MINDESS, Intercultural

Anna.

Reading

communication

between for

sign

the

signs.

language

interpreters. Yarmouth, Maine: Intercultural Press, 1999.


MIRA, Mateus M. H. e outros. Gramática da língua portuguesa. Coimbra, Livraria Almedina, 1983. MOISÉS, M. Dicionário de termos literários. 14. ed.

São Paulo, Cultrix, 1999. MONTEIRO, Deolinda e PESSOA, Beatriz. Guia prático dos verbos portugueses. 5. ed. Lisboa, Lidel, 1998. MOTA, Mauro. Os bichos na fala da gente. s.l.,

s.e., s.d. MOURA, Francisco Marto de; e FARACO, Carlos Emílio. Gramática. 7. ed. São Paulo, Ática, 1994. MOURAO, Ronaldo Rogério Freitas. Dicionário Enciclopédico de astronomia e astronáutica. Rio de

Janeiro, Nova Fronteira, s.d. NAMURA, M. I C. A ordem sintática e a repetição na língua de sinais em São Paulo. Dissertação de mestrado. Mogi das Cruzes, Universidade de Mogi das Cruzes, 1982.


NAPIER,

Jemina.

Linguistic

coping

Sign

language

interpreting.

strategies. Coleford:

Douglas

McLean, 2002.

NASCENTES, Antenor. Dicionário de sinônimos. s.l., Nova Fronteira, s.d. NARO, Anthony Julius. Tendências atuais da linguística e da filologia no Brasil. s.l., s.e., s.d. NETTO, Waldemar Ferreira. Introdução à fonologia

da língua portuguesa. s.l., s.e., s.d. NOVA, Sebastião Vila. Introdução à sociologia. São Paulo, Atlas, 1981. NUNES, José Joaquim. Compêndio de gramática Histórica

portuguesa.

8.

ed.

Lisboa,

Clássica

Editora, 1995. OBATA, R. O Livro dos nomes. São Paulo, Círculo do Livro, 1986. O’CONNOR, M. C. Topics in northern pomo. Tese de doutorado. Berkeley, University of California, 1987.


OLIVEIRA, M. T. I. e PINILLA, M. A. M. Advérbios em–mente: estudo comparativo na fala e na escrita. Rio de Janeiro, Faculdade de Letras/UFRJ, 1995. OLIVEIRA, E. Todo mundo tem dúvida, inclusive você. 5. ed. Porto Alegre, Sagra Luzzatto, 1999. OLIVEIRA, N. C. Português ao alcance de todos. 23. ed. Rio de Janeiro, Barbero, 1972. OLIVEIRA, E. B. e outros. Encontro com a linguagem. São Paulo, Atual, 1977. OLIVEIRA, P. M. A. D. Dicionário médico. s.l., Roca, s.d. OUTHWAITE, W. Dicionário do pensamento social do Século XX. s.l., Jorge Zahar, s.d. OZON, M. e FURET, F. Dicionário crítico da revolução francesa. s.l., s.e., s.d. PADDEN, C. Complement structure in american sing language. Revised Paper. San Diego, University of California, 1980.


PAES, J. P. e outros. Pequeno dicionário de literatura

brasileira. São Paulo, Cultrix, 1969. PARKER, D. e PARKER, J. O livro ilustrado dos sonhos: guia completo para você entender seus sonhos e aprender com eles. São Paulo, Publifolha, s.d.

PARRET,

H.

La

pragmatique

des

modalités.

Langages 43, s.l., s.e., 1976. PAZ, M. L. A. L. Dicionário trilíngue do Miau: português, espanhol e inglês. s.l., Girassol, s.d. PERLIM,

J.

Warszawa,

Gramatyca

Panstwowe

jezyka

portugalskiego.

Wydawnictwo

Naukowe,

1988. PFAFFENBERGER,

B.

Webster’s

new

world

dicionário de informática. s.l., Campus, s.d. PIMENTA, R. A casa da Mãe Joana. 2. ed. Rio de

Janeiro, Campus, 2002. PINHO, M. O. de M. Dicionário de termos de negócios: português/inglês, inglês/português. 2. ed. s.l., s.e., s.d.


PINTO, E. P. O português do Brasil. São Paulo, Edusp, s.d. PISCIOTTA, H. Aquisição de noções modais por crianças de 2 a 6 anos. Dissertação de mestrado. Mogi das Cruzes, Universidade de Mogi das Cruzes,

1982. POIZNER,

H.

e

BATTISON,

R.

L’asymetric

cérébrale el la langue des signes; etudes cliniques et expérimentales. Langages 56. s.l., s.e., 1979. POLITO, A. G. Michaelis – dicionário de sinônimos e

antônimos. s.l., Melhoramentos. PONTES, E Verbos auxiliares em português. s.l., Vozes, s.d. POTTIER,

B.

Linguistique

générale.

Paris,

Klincksiek, 1974.

POZZOLI: GUIA TEÓRICO-PRATICO PARA O ENSINO DO DITADO MUSICAL. s.e, s.l., s.d. PRAZERES, P. M. qualidade. s.l., s.e., s.d.

Dicionário de termos

da


PRETI, D. A linguagem proibida. s.l., T. A. Queiroz,

s.d. PRILLWITZ, S. Hamburg notation system for sign languages. Hamburg, Signum Press, 1989. PRISTA, A. da R. Essential portuguese grammar. New York, Dover Publications, 1996.

QUADROS, J. Novo dicionário prático da língua portuguesa. s.l., s.e., s.d. RECTOR, M. Para ler Greimas. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1979. REIS, O. Breviário da conjugação de verbos. 38. ed.

Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1978. REIS,

R.

Dicionário

ilustrado

para

crianças:

português-inglês/ português-espanhol. s.l., Impala, s.d. RIBEIRO, J. A língua nacional e outros estudos

linguísticos. Petrópolis, Vozes; Aracaju: Governo do Estado de Sergipe, 1979. RICINO, L. Gramática simples – vértice. Campinas, Pontes.


RIOS, D. R. Dicionário de sinônimos, antônimos e

homônimos. s.l., Rideel, s.d. ROBINS, R. H. Pequena história da linguística. Trad. Luiz Martins Monteiro de Barros. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1983. ROUDINESCO, E. Dicionário de psicanálise. s.l.,

Jorge Zahar, s.d. RYAN, M. A. Conjugação dos verbos em português; prático e eficiente. 5. ed. São Paulo, Ática, 1989. RYAN, M. A. Conjugação dos verbos em

português. São Paulo, Ática, s.d. SÁ, A. L. de e SÁ, A. M. L. de. Dicionário de contabilidade. 9. ed. s.l., s.e., s.d. SÁ

NOGUEIRA,

portugueses

R.

Dicionário

conjugados.

de

Lisboa,

verbos Clássica

Editora, 1986. _______. R. Dicionário de erros e problemas da linguagem. 4. ed. Lisboa, Clássica Editora, 1995.z


SACHS, O. Vendo vozes. São Paulo, Companhia

das Letras, s.d. SADIE, S. Dicionário Grove de música. s.l., Jorge Zahar, s.d. SALMONI, A. Em Busca das linguagens perdidas. s.l., Perspectiva, s.d.

SALUM, T. Português para quem fala inglês. s.l., Melhoramentos, s.d. SANDRONI,

P.

Novíssimo

dicionário

de

economia. s.l., Best Seller, s.d. SANTOS, D. V. dos. Coesão e coerência em

escrita dos surdos. Dissertação de mestrado. Rio de Janeiro, UFRJ, 1994. SANTOS, E. dos. Dicionário de derivativos inglês/português. s.l., s.e., s.d. SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. São

Paulo, Cultrix & Edusp, 1969. SAWAYA, M. R. Dicionário de informática e internet inglês/português. s.l., Nobel, s.d.


SEARLE, J. R. Lês actes de langage. Paris, Hermann, 1972. _______. Expression and meaning. Cambridge, Cambridge University Press, 1972. SENN,

A.

e

WILLIAMS,

E.

B.

Dicionário

multilingual. s.l., s.e., s.d. SHEPHERD, S. Modals in antiguan creole, child language acquisition and history. Phd. diss. s.l., Stanford University, 1981. SILVA, C. Gramática transformacional. s.l., s.e., s.d. SILVA, E. e TAVARES, A. Dicionário dos verbos portugueses: conjugação e regências. Porto, Porto Editora, 1988. SILVA, D. De onde vêm as palavras; frases e curiosidades da língua portuguesa. São Paulo, Mandarim, 1997. _______. De onde vêm as palavras II. São Paulo, Mandarim, 1998.


SILVA, M. Dicionário crítico Câmara Cascudo. s.l.,

Perspectiva, s.d. SILVA, F. C. T. Dicionário crítico do pensamento da direita. s.l., Mauad, s.d. SILVEIRA BUENO, F. Antologia arcaica. 2. ed. São Paulo, Saraiva, 1968.

SIPLE, P. Linguistic and psychological properties of american sign languages: an overview. In: P. Siple, Understanding language through sign language research. New York, Academic Press, 1978. SOUZA, A. J. de. Geografia linguistica. s.l.,

Contexto, s.d. SOUSA, J. P. G. de. Dicionário de política. s.l., T. A. Queiroz Editor, s.d. SPALDING, T. O. Dicionário da mitologia latina. São Paulo, Cultrix, s.d.

STEDMAN, T. L.. Stedman dicionário medico. s.l., Guanabara Koogan, s.d.


STEINBERG, M. Os elementos não-verbais da

conversação. s.l., Atual, s.d. STEINER, G. After Babel. Aspects of language and translation. Oxford: Oxford University Press. 1998. STOKOE, W. C. Sign language structure: na outline of the visual communication system of the american

deaf. Studies in Linguistics: Occasional Papers, 8. Buffalo, University of Buffalo Press, 1960. STOKOE, W. C. e KUSCHEL, R. A field guide for sign language research. Silver Spring, Linstock Press, 1979.

STOKOE, W. C. e outros. A dicionary of american sign

language

on

linguistics

principles.

Silver

Springs, Linstock Press, 1965. STRATTON,

P.

Dicionário

de

psicologia.

s.l.,

Thomson Pioneira, s.d.

SUPALLA, T. e NEWPORT, E. How many seats in a chair? The derivation of nous and verbs in american sign language. In: P. Siple (ed.) Understanding language through sign language research. New York, Academic Press, 1978.


TERVOOT, B. The status of sign language in education in Europe and de prospects for the future. In: J. G. Kyle e B. Woll (eds.), Language in sign. London, Croom Helm, 1983. THEODOR, E. Tradução, ofício e arte. São Paulo, Cultrix, s.d. TIBIRIÇA, L. C. Dicionário guarani-português. s.l., Traco, s.d. TORRINHA, F. Dicionário latino-português. Porto, Gráficos

Reunidos,

s.d.TYSON-WARD,

S.

Portuguese verbs and Essentials of Grammar. s.l., Passport Books / NTC Contemporary Publishing

Group, 1997. VALDEZ, J. F. Dicionário inglês-português. s.l., Garnier, s.d. VAN ACHTER, E. e outros. Estudar o verbo: exercícios

práticos

para

estrangeiros.

Coimbra,

Minerva, 1996. VAZQUEZ, J. L. Dicionário de termos de comércio exterior. s.l., s.e., s.d.


VENTURA, M. H. e CASEIRO, M. M. Guia prático de verbos com preposições. Lisboa, Lidel, 1996. VENUTI, L. The translation studies reader. London: Routledge, ed. 2000. VIANA, J. C. S. C. O dicionário do advogado. Terminologia. s.l., E.V., s.d. VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo, Livraria Martins Fontes Editora, 1984. WALLIN, L. Surdos e bilinguismo.Geles, 5, pp. 1-4. Rio de Janeiro, UFRJ, 1990. WALDECK, S. e SOUZA, L. M. Roteiros de comunicação e expressão. Rio de Janeiro, Eldorado, 1980. WANG, S. Y. e LU, Y. Gramática da língua portuguesa. Macau, Instituto português do Oriente, 1996.


WILBUR, R. Description linguistique de la langue des sings. Langages 56. Paris, Larousse, 1979. WICKHAM, C. e KYLE, J. ‘Teachers’ belief about BSL and their perceptions of children’s signing. In: J. Kyle (ed.) Sign and school: using signs in deaf children’s development.

Clevendon–England,

Multilingual

Matters, 1987. WILLIAMS,

E.

B.

An

introductory

portuguese

grammar. New York, Dover Publications, 1942. WITTGENSTEIN,

Ludwig.

Tractatus

logico-

philosophicus. Vers. esp. Enrique Tierno Galván. Introd. de Bertrand Russell. Madrid: Alianza Editorial, 1973. XAVIER, A. C. S. Como se faz um texto; a construção da dissertação-argumentativa. Campinas, Editora do Autor, 2001. ZAITSEVA, G. J. Problems of sign language in soviet deaf educations. In: J. Kyle (ed.) Sign and school: using

signs

in

deaf

children’s

development.

Clevendon-England, Multilingual Matters, 1987.


MORE FROM AUTHOR

Palmvillage  

Palmvillege is a reinterpretation and an ode to the Manual Alphabet as icon and "poster boy" of the counterculture and social market of sign...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you