Page 1


Universidade Paulista –UNIP campus,Anchieta.

Jalile Sant'Ana Seminário-Arquitetura Urb paisagismo Contemp. Exercício Análise critica. Prof. Orientador: Janaína Stédile.

Will Eisner/Filme.

Filme: Meia-noite em Paris.

Ano: 2016.


SUMÁRIO.

1.0 INTRODUÇÃO. ...................................................................... 1 CAPÍTULO 1- DIRETOR WOODY ALLEN. 1.1 Biografia ........................................................................ 2 1.2 Olhar do diretor para cidade ........................................ 3

CAPÍTULO 2- HISTÓRIA DA CIDADE, PARIS. 2.1 Barão de Haussmann ................................................... 5 2.2 Paris nos anos 20 ..........................................................9 CAPÍTULO 3 - JAZZ ANOS 20.

3.1 Trilha sonora ......................................................... 12 3.2 Jazz clássico ........................................................ 13 CAPÍTULO 4- RELAÇÃO MÚSICA E A CIDADE. 4.1 Leitura Horizontal ..............................................14 4.2 Leitura Vertical ................................................. 16 4.3 Referências bibliográficas .................................. 18


1.0 INTRODUÇÃO. Filme: Meia-noite em Paris, (Midnight in Paris) Direção: Woody Allen. Lançamento: 17 de Junho de 2011. País: Estados Unidos. Meia-noite em Paris é um filme escrito e dirigido pelo diretor Woody Allen, a história acontece na França cidade Paris. O personagem Gil (Owen Wilson) é um escritor que escreve roteiros para filmes de Hollywood. Gil, viaja com a noiva Inez(Rachel McAdams) para Paris ele acredita que sua carreira como roteirista de Hollywood está estagnada, visa somente grandes bilheterias e enredos ruins. Encantado com Paris ele vê a cidade como fonte de inspiração para escrever um romance, ele então resolve fazer passeios noturnos por Paris com intuito de conhecer e se inspirar como escritor. Em um desses passeios noturnos o relógio soou meia-noite uma badalada, Gil então viu um carro clássico dos anos 20. A badalada que se deu a meia-noite é uma espécie de "portal "para outro século, como uma "mágica "ele então é teletrasportado para Paris em 1920.

1


CAPÍTULO 1.


1.1

Woody Allen,

IMAGEM-1 Ilustração Minimalista. Fonte:http://www.snappoint.com.br/ilustra coes-minimalistas-de-stanley-chow/

Nasceu no dia 1 de dezembro de 1935, seu nome é Allan Stewart Königsberg. A carreira do Woody Allen começa nos anos 1950, quando escreve peças e textos de humor. No final dos anos 1960, ele escreve o roteiro de What's New Pussycat? (1965).

Os primeiros filmes que mostraram o Woody Allen para o público são: Comédias leves como Bananas (1971), Tudo o que Você Queria Saber Sobre Sexo e Tinha Medo de Perguntar (1972) e O Dorminhoco (1973). Mas o reconhecimento como Diretor foi em 1977, quando ele dirige a comédia dramática Noivo Neurótico, Noiva Nervosa,como Interiores (1978), Manhattan (1979), Zelig (1983) e A Rosa Púrpura do Cairo (1985). 2


Os anos 20000, marca o início da "viagem à Europa", quando ele deixa Nova Iorque para filmar na Inglaterra (Match Point, O Sonho de Cassandra), Espanha (Vicky Cristina Barcelona), França (Meia Noite em Paris) e Itália (Para Roma Com Amor). Esses filmes consolidam o reconhecimento do diretor na Europa. 1.2 Olhar do Diretor para a cidade. Woody Allen começa o filme com cenas da cidade em movimento escolheu Paris como cenário principal para o filme por ser o oposto das cidades americanas, ele tem a intenção de mostrar uma Paris fantástica onde artistas que não tem reconhecimento nos Estados Unidos podem expor sua arte assim como foi cenário para os famosos artistas do século 20. IMAGEM 2-ARCHE,PARIS.

Fonte: http://1.bp.blogspot.com/XSPazBehD5o/T05pelccXnI/AAAAAAAAA8Q/Qu3uDAPiSs/s1600/Dia+de+chuva+em+Paris.jpg

3


IMAGEM 3- ILUSTRAÇÃO PARIS DIA DE CHUVA.

Fonte: http://1.bp.blogspot.com/XSPazBehD5o/T05pelccXnI/AAAAAAAAA8Q/Qu3uDAPiSs/s1600/Dia+de+chuva+em+Paris.jpg

Na época em que o filme estava sendo filmado o próprio diretor Woody Allen não conseguiu patrocínios para o filme ser rodado em Nova Iorque portanto começou sua turnê pela Europa. Em uma das cenas do filme Gil é apresentado ao amigo da sua noiva eles fazem um passeio pelo Jardim de Versalhes e pelas estátuas de Rodin. Depois do passeio a então noiva de Gil fica impressionada com o conhecimento sobre arte do seu amigo.

Gil então o chama de Pseudointectual nessa cena fica claro que o cineasta Woody Allen fez uma espécie de critica, porque a arte deve ser uma experiência vivenciada. O Museu no filme é a céu aberto, a própria cidade Paris. 4


CAPÍTULO 2

.


IMAGEM-4 Barão de Haussmann.

2.1

Barão de Haussmann,

Henri Lehmann, Retrato do barão Georges-Eugène Haussmann, cerca de 1860 colecções do MUSÉE CARNAVALET, Paris, França. Fonte: http://www.carnavalet.paris.fr/fr/musee-carnavalet

Georges-Eugène Haussmann Nasceu em: 27 de março de 1809. Foi nomeado Prefeito por Napoleão III, ganhou então o título de Barão. Responsável por todo planejamento urbano da cidade, durante 17 anos, com a colaboração de arquitetos e engenheiros de Paris.

5


Ele tinha a sua disposição um exercito que estava preparado para a demolição, com o apoio do Imperador o então prefeito fez o que ele acreditava ser melhor para Paris. Haussmann planejou uma nova cidade, modificando parques e projetando outros. Construiu também vários edifícios públicos. Melhorou o sistema de distribuição de água e criou a grande rede de esgotos.

Haussmann tratou os elementos urbanísticos tradicionais com regularidade, um edifício monumental moderno como ponto de referência de cada nova rua, manteve a arquitetura das fachadas das ruas e praças mais importantes. A Paris do século XIX depois da revolução burguesa, tinha um projeto de "Embelezamento "para Paris. Com esse nosso projeto as ruas que antes eram estreitas agora se tornavam largas e retas.

O principal objetivo de Haussmann com esse novo plano era vencer as barricadas, e que canhões pudessem atravessar as ruas com facilidade de forma que isso ocasionasse vitórias nas as guerras civis que aconteciam na época.

6


Mapa de Haussmann em Paris linhas mais grossas, novas ruas tracejado quadriculado, novos bairros, tracejado horizonta e os dois grandes parques periféricos: o Bois de Boulogne (à esquerda) e o Bois de Vincennes (à direita)

Fonte: Livro História da Cidade, Leonardo Benevolo.

7


O plano urbanístico do Barão de Haussmann, que séculos depois mantém uma Paris com Gabaritos baixos e pátios internos só se manteve graças ao plano Diretor de Paris que foi proposto em 1967. Suas principais diretrizes buscavam a importância de preservar o patrimônio histórico. O sistema de radiais, no modelo Boulevard, longas e largas avenidas que servem como entrada nos principais edifícios públicos. O plano de transportes de Paris que hoje também funciona de outro ponto fundamental, que foi a limitação dos veículos que podem transitar dentro de determinados perímetros quanto mais próximo se chega do centro da cidade, mais restrito se torna.

Estabelece leis urbanísticas que regulamentam de forma que impõe uma coerência visual, ao traçado e aos pontos focais que são determinados pelos edifícios públicos. O traçado da cidade é o principal componente do plano diretor. O plano Diretor de Paris propõe medidas que são aplicadas em várias cidades históricas, como a limitação dos gabaritos das edificações e legislações que se adequam as futuras construções.

8


IMAGEM-5 ILUSTRAÇÃO, MAPA DE PARIS.

Fonte: http://www.antoinecorbineau.com/Amap-of-Paris-new


2.2 Paris nos anos 20. Voltando ao filme Meia-noite em Paris, Gil entrou no carro e foi levado à uma festa em 1920. Lá realiza seu sonho conhece seus principais ídolos literários como: Scott Fitzgerald e Zelda Fitzgerald, Ernest Hemingway e Gertrude Stein. E também os famosos pintores: Pablo Picasso, Matisse, e os pintores surrealistas Salvador Dalí e Luís Buñuel. Os anos 20 foi o auge da criatividade e dá loucura dos artistas que viveram nessa época. O início dos acontecimentos dos anos 20 começou com a "geração perdida "nome apelidado por Gertrude Stein escritora e poeta que teve grande influência na época. Gertrude Stein, chamava de geração perdida o grupo que havia lutado o final da Primeira Guerra mundial e o começo da grande depressão (crise de 29). Esse grupo de amigos eram os famosos literários do século 20, Scott Fitzgerald, Ernest Hemingway, T. S. Eliot., Ezra Pound, entre outros escritores.

9


Ernest Hemingway.

Gertrude Stein.

Pablo Picasso.

Scott Fitzgerald.

Zelda Fitzgerald.

Salvador DalĂ­.

10


Essa expressão foi ouvida por um mecânico francês que consertava seu carro. Ela estava chateada com o escritor Ernest Hemingway então disse "todos vocês jovens que fizeram a guerra são uma geração perdida.” Estavam sem rumo e adoraram o fato que a venda de bebidas era livre, que não mais acontecia nos Estados Unidos, por causa Lei Seca. Em 1926, Hemingway quando escreveu o livro "O Sol também se Levanta "era claro a falta de direção que eles tinham na época. O personagem principal do seu livro, que serve de metáfora para toda uma geração, mostrava toda sua desilusão. Na arquitetura um movimento arquitetônico também tem seu inicio no século XX, a Arquitetura Expressionista. O estilo arquitetônico era prémodernista utilização de novos materiais, inovações e volumes incomuns, inspirados nas formas biomórficas naturais tinham características fantasiosas, por uma nova técnica oferecida pela grande produção de tijolos, aço e em especial o vidros. Muitos arquitetos expressionistas lutaram na Primeira Guerra Mundial e suas experiências, combinadas com as agitações política e social que seguiram-se à Revolução Espartaquista de 1919, resultaram em uma perspectiva utópica e em uma visão romântica do socialismo.

11


CAPÍTULO 3


3.1 Trilha sonora. O filme meia-noite em Paris tem uma umas das melhores trilhas sonoras, por estabelecer uma relação com o tempo, Música e a cidade. O Jazz foi escolhido como trilha sonora por ter também sua origem no século 20. A música que toca na abertura do filme é Si tu vois ma mère, do músico Sidney Bechet. Sidney Bechet, foi um clarinetista, saxofonista e compositor de Jazz americano. Foi um dos músicos importantes que começaram a tocar Jazz como um movimento artístico-musical e cultural em 1920.

3.2 Jazz clássico. O Jazz que toca no filme meia-noite em Paris é o clássico teve origem em New Orleans USA, as músicas da trilha sonora foram compostas em 1920. Época que o Jazz era "marginalizado "os músicos que deram início ao Jazz tinham um estilo de vida que é bem semelhante aos escritores citados que viveram nos anos 20.

12


A proibição da venda de bebidas alcoólicas nos Estados Unidos, que vigorou de 1920 a 1933, resultou na criação dos SPEAKEASIES, locais onde a bebida era vendida ilegalmente. Esses bares acabaram sendo o único lugar que eles poderiam tocar, por isso, ganhou a reputação de ser um estilo musical imoral. Woody Allen também é músico e apaixonado por Jazz, há anos isso se tornou um hobbie para ele. Nos momentos livres o instrumento que toca é clarinete com uma banda ao estilo de New Orleans, já fez shows com sua banda em 1997. Em meia-noite em Paris o Jazz é estilo musical predominante da trilha sonora do filme. IMAGEM-6 ILUSTRAÇÃO MEIA-NOITE EM PARIS.

Fonte: http://whosthanny.com/especial-oscar-meia-noite-emparis-2011

IMAGEM- 7 ILUSTRAÇÃO BANDA JAZZ

Fonte: http://www.shoppingsantaursula.com.br/blog/index.php/varie dades/hoje-e-dia-de-jazz-bebe/

13


CAPÍTULO 4


4.1 Leitura Horizontal A música e arquitetura estão relacionadas por uma conexão, são resultado de uma serie harmônica. As duas são geradas por um código, uma formula matemática e geométrica. A arquitetura e a música compartilham uma clara relação cultural.

A utilização de novas formas e linhas a arquitetura no século 20, incluiu os conceitos fundamentais da música moderna. Esses princípios se revelaram, por exemplo, nas linhas curvas da capela de Notre-Dame-du-Haut, de Le Corbusier, catedral de Brasília e do Palácio do Planalto, projetadas por Niemeyer. Harmonia: é a combinação de sons simultâneos dados de uma só vez um acorde grupo de notas que juntos preenchem a harmonia. Escala é: uma serie de notas ascendentes ou descendentes separadas por tons ou semitons que são produzidas infinitamente subindo e descendo. IMAGEM-4 LINHA HORIZONTAL NA MÚSICA.

Fonte: https://incentivomusical.wordpress.com/tag/espacos/

14


A escala musical molda as formas e volumes arquitetônicos. A leitura horizontal oferece algumas linhas musicais, como partituras e tablaturas. Um edifício por exemplo harmônico, segue o movimento dos acordes. um ritmo de espaços vazios que produz as sequências de notas silenciosas. As proporções musicais harmônicas foram utilizadas na arquitetura como as catedrais medievais que determinavam o cruzeiro, o alçado a largura da nave. A linha do horizonte e o plano do horizonte são os mais importantes elementos estruturantes do projeto. Ao observarmos uma paisagem, caminhamos e vemos primeiro o plano horizontal, mesmo que muitas vezes seja ilusão, como no caso da perspectiva. ela faz parte de nossa ideia ou visão de mundo, uma necessidade básica espacial. IMAGEM-8 TRIEDO MONGEANO.

Fonte: http://wwwo.metalica.com.br/desconstrutivismoestruturalismo-pos-estruturalismo-e-arquitetura

15


4.2 Leitura Vertical Leitura vertical demonstra a harmonia e a dissonância, a harmonia na arquitetura por exemplo no edifício, gera composição espacial de um determinado lugar e um determinado espaço que não são capazes de transmitir a mesma coerência. Dissonância na música seria o momento que ocorre a falha harmônica, o que equivale a uma nota desafinada. Na arquitetura e especificamente na cidade, a dissonância seria o gabarito de uma cidade com edifícios altos, que torna a paisagem e a qualidade de vida nas cidades ruins. IMAGEM-9 ESCALA DE DISSONÂNCIA.

Fonte: http://espalhandomusica.blogspot.com.br/2014/09/consonanciadissonancia-linguagem.html

16


A altura dos edifícios sempre esteve relacionada, ao poder podemos ver isso pelas pirâmides do Egito e as torres na Idade Média. Assim que dominamos as técnicas construtivas, isso virou uma competição entre os países qual seria o edifício mais alto. Outro fator está relacionado ao capitalismo moderno. Outro avanço que possibilitou os edifícios Arranha-céu foi o elevador, pois permitiu transportar as pessoas a grandes alturas com segurança e rapidez. Esse era o único fator que talvez barrasse essa ideia era o principal obstáculo dos projetos. Até mesmo no meio do deserto do Oriente Médio, surgiram "elefantes brancos", sem qualquer preocupação com o entorno da cidade. Gabaritos baixos na cidade são como um acorde na música uma série harmônica. O filme meia-noite em Paris mostrou o quão harmônica é a cidade com um gabarito baixo, e em relação a arquitetura o plano de Paris é principalmente sua legislação é algo que devemos nos espelhar ao desenhar intervenções na cidade.

FIM. 17


Referências Bibliográficas: BENEVOLO, LEONARDO. -HISTORIA DA CIDADE Editora: PERSPECTIVA Ano: 2001. MED ,BOHUMIL .-TEORIA DA MUSICA Editora: MUSIMED Edição: 4 Ano:1996. MEIA-NOITE EM PARIS FILME,[consult]Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=yBC0Z2I-M6M TREVOR GILKS, Every Woody Allen Movie. Trevor Gilks, actual. 2012 [consult. 2016]. Disponível em: http://www.everywoodyallenmovie.com WEIDE, Robert B. – American Masters: Woody Allen: a Documentary.[consult 2016] Arlington, VA: PBS, 2011. (192 mins): colorido, sonoro. DUARTE, JOSÉ A história do Jazz [consult 2016] disponível em: http://static.publico.pt/coleccoes/jazz/drt.historia.asp Clube do JAZZ [consult 2016] disponível em: http://www.clubedejazz.com.br/ojazz/historia.php 18


Profile for Jalile

Livro. Midnight in Paris - Jalile Sant'Ana  

Projeto Acadêmico que escrevi na época da faculdade em 2016.

Livro. Midnight in Paris - Jalile Sant'Ana  

Projeto Acadêmico que escrevi na época da faculdade em 2016.

Profile for jalile0
Advertisement