Portfolio IPRAM 2021

Page 1

PORTFOLIO IPRAM

2021



QUEM SOMOS

O Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (IPRAM) é uma associação civil sem fins lucrativos fundada por profissionais das ciências biológicas e medicina veterinária com visão conservacionista.

Declarado como de Utilidade Pública pelo município de Vitória;

Nossa principal atividade é a reabilitação dos pinguins-deMagalhães, que eventualmente encalham em massa e demandam uma complexa logística de atendimento. Somos especializados em responder a emergências dessa natureza, tendo recebido pinguins encalhados no Espírito Santo, norte do Rio de Janeiro, Bahia e Alagoas. Além dos pinguins, atendemos outros animais marinhos.

Atualmente o IPRAM realiza suas atividades no CENTRO DE REABILITAÇÃO DE ANIMAIS MARINHOS DO ESPÍRITO SANTO (CRAM-ES), que funciona em conjunto com o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA) do governo do Estado do Espírito Santo através de um Acordo de Cooperação Técnica sem repasse de recursos financeiros.

(Lei Municipal 8.677 de 20/05/2014) e pelo Estado do Espírito Santo (Lei 11.284 de 10/05/2021).

Endereço Rodovia BR 262, Km 0 sem número, lado par. Jardim América, Cariacica – ES CEP 29140-130 Contato (27) 3286-0135 (27) 99865-6975 administrativo@ipram-es.org.br luis@ipram-es.org.br renatabhering@ipram-es.org.br


ATIVIDADES / SERVIÇOS

-

Elaboração e execução de projetos de monitoramento de praias.

-

Atendimento a pacientes debilitados no Centro de Reabilitação de Animais Marinhos do Espírito Santo (CRAM-ES) com médicos veterinários e biólogos experientes.

-

Atendimento na praia a golfinhos ou tartarugas marinhas de grande porte.

-

Exames necroscópicos para investigação da causa do óbito.

-

Elaboração de Planos de Proteção a Fauna (PPAF) e PMAVE.

-

Execução da resposta a fauna em emergências ambientais como derramamentos de óleo.

-

Execução de PMAVE’s, incluindo o embarque para atendimento a aves debilitadas.

-

Telemetria com quelônios marinhos.

-

Monitoramento da poluição luminosa nas praias.

-

Cursos de capacitação para técnicos que trabalham com fauna marinha.

-

Atividades de Educação Ambiental.

-

Publicações científicas.

youtube.com/user/IPRAMblog

facebook.com/InstitutoIPRAM

instagram.com/ipram.es/


Missão Prestar ajuda humanitária a animais marinhos encalhados e possibilitar a sua reabilitação à vida livre. Fornecer dados que embasem projetos de conservação das espécies e orientar a mitigação do impacto humano sobre o ambiente natural - inclusive em emergências ambientais. Prestar apoio a instituições públicas e privadas, e efetivamente contribuir para a conservação da biodiversidade do ambiente marinho.

Visão Ser referência em reabilitação e pesquisa científica em animais marinhos.

Valores Foco no bem-estar animal, Pessoas comprometidas com a causa, Trabalho com excelência, segurança, ética e transparência, de acordo com a legislação vigente, Respeito à diversidade humana, Profissionais realizados.


1 REABILITAÇÃO DE PINGUINS

Em alguns anos os pinguins-de-Magalhães encalham em massa no litoral brasileiro. Se não recebem atendimento especializado, não conseguem sobreviver.


Desde 2010 o IPRAM recupera a saúde dos pinguins no ES e os devolve ao ambiente natural.


2

RESPOSTA A FAUNA EM EMERGÊNCIAS AMBIENTAIS


Desde 2014 o IPRAM está de prontidão para emergências ambientais na maioria dos portos capixabas


EXERCÍCIO SIMULADO

O atendimento em campo na base de recepção tem como objetivo prestar primeiros cuidados aos animais resgatados: removendo excesso de óleo em narinas, boca e olhos, proporcionando repouso, medicações e tratamento de feridas, se necessário. Exceto em situações muito atípicas, o IPRAM não realiza nem preconiza a limpeza de animais em campo, ou seja, nas proximidades das manobras de combate ao incidente. Após o atendimento inicial em campo os animais devem ser transportados para o Centro de Reabilitação, onde serão estabilizados clinicamente para o procedimento de limpeza.


ESTABILIZAÇÃO CLÍNICA DESCONTAMINAÇÃO


A limpeza de fauna oleada é um procedimento delicado que envolve água pressurizada e aquecida, profissionais capacitados e destinação adequada do efluente gerado. Muitas espécies não podem ser descontaminadas imediatamente, necessitando aguardar por alguns dias de estabilização do quadro clínico antes de serem submetidas a esse procedimento.


3 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA PMAVES

Elaboramos projetos, e recebemos em aeroporto ou portos aves resgatadas em unidades marítimas. Se necessário, embarcamos e prestamos atendimento in situ às aves debilitadas. O IPRAM dispõe de veterinários capacitados em salvatagem e HUET.

A sigla PMAVE significa Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna. É uma das exigências do IBAMA à cadeia petrolífera no licenciamento ambiental.


Animais marinhos entregues no CRAMES recebem tratamento especializado e caso recebam alta, são devolvidos ao ambiente natural. As tartarugas são anilhadas pelo Projeto TAMAR e as aves recebem anilhas do CEMAVE/ICMBio. Assim, caso sejam reavistados ou recapturados por outras pessoas, podemos receber notícias e aumentar o conhecimento.

4

PRESTAÇÃO DE SERVIÇO A PROJETOS DE MONITORAMENTO DE PRAIAS


Atualmente o CRAM-ES funciona através de uma parceria com o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (IEMA), do Governo do Estado.


5

EXAMES NECROSCÓPICOS As análises das carcaças permitem investigar a causa da morte e a compreender o impacto das atividades humanas ao ambiente marinho. Por exemplo; dentre 224 tartarugas necropsiadas entre 2016 e 2017, encontramos detritos plásticos no conteúdo gastrintestinal de 25%. A atividade é licenciada e os resíduos são recolhidos por empresas especializadas.


CASOS DE DESTAQUE


ENCALHES EM MASSA DE PINGUINS Em 2012 atendemos mais de 400 pinguins originários do Espírito Santo, Rio de Janeiro e da Bahia, construindo cinco recintos externos e diversos recintos internos para acomodar tantas aves. Representantes do International Fund for Animal Welfare (IFAW) e da Universidade de São Paulo (USP) prestaram apoio logístico no atendimento aos pinguins durante uma semana do mês de setembro. Centenas de pinguins foram reabilitados e devolvidos ao ambiente natural em várias operações de soltura. A carcaça de um dos pinguins soltos em alto mar no litoral capixaba foi encontrada 34 dias depois na Praia de La Coronilla, no Uruguai, sendo reconhecida através da anilha metálica que a identificava. Apesar da ave não ter resistido à viagem de retorno à Patagônia, essa informação representou uma importante resposta sobre a eficiência das solturas realizadas no Espírito Santo.


RESPOSTA A FAUNA NO RIO DOCE Entre novembro de 2015 e fevereiro de 2016 o IPRAM coordenou as atividades de resgate e reabilitação de fauna ao longo da porção capixaba do Rio Doce e seu estuário após o rompimento da barragem de Fundão-MG, a maior catástrofe ambiental da história do Brasil. Neste incidente foram investidas 6.888 horas da equipe de campo ao longo do Rio Doce (in situ), e 4.360 horas da equipe em atendimento no CRAM-ES (ex situ), chegando a 30 pessoas envolvidas diretamente no resgate de fauna em determinada etapa do projeto. Além disso, o IPRAM administrou a relocação da ictiofauna local para tanques de piscicultura. Essa emergência ao longo da porção capixaba do Rio Doce e em sua foz reforçou a capacidade do IPRAM em gerenciar grandes demandas e grandes volumes de recursos, implementando medidas rápidas em cenários de muita incerteza.




DERRAMAMENTO DE ÓLEO NO NORDESTE DO BRASIL - 2019 Em 2019 auxiliamos as operações de proteção a fauna afetada pelo óleo de origem desconhecida que atingiu o litoral nordeste e sudeste do país. Além de receber e descontaminar quatro aves marinhas atingidas no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, o IPRAM realizou capacitação de instituições em Caravelas-BA, Vitória-ES e Vila Velha-ES quanto aos primeiros cuidados no atendimento de fauna oleada, além de doar equipamentos de proteção individual. Também recebeu da Polícia Federal carcaças de animais para investigação e enviou um médico veterinário para auxiliar, capacitar técnicos locais e também adquirir experiência nas ações de resposta a fauna oleada em Maceió-AL. Por sua contribuição voluntária, o IPRAM é uma das instituições mencionadas no Ofício Circular n.1/2020/GAA-RJ de agradecimento do Grupo de Avaliação e Acompanhamento (GAA) do Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional – PNC.


RESGATE DO ELEFANTE MARINHO FRED - 2017 Quando o elefante-marinho conhecido como “Fred” pela população retornou ao litoral norte do ES apresentando uma condição crítica de saúde, caquético e com vários ferimentos, numerosas instituições se mobilizaram para resgatar o animal e reabilitá-lo em cativeiro. Sem receber nenhuma remuneração, o IPRAM providenciou materiais e medicamentos que não poderiam ser comprados em tempo hábil, além de manter sempre uma pessoa para auxiliar diariamente no atendimento do animal na base do PMP-BC/ES até o encerramento dos trabalhos. O animal foi reabilitado e solto com um transmissor para acompanhamento via satélite, um acontecimento inédito para esse táxon no Brasil, o que foi financiado pelo IPRAM, pelo Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA, BA), pelo Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental (NEMA, RS) e pelo Portocel (Aracruz-ES).




RESULTADOS Entre 2010 e 2020 o IPRAM foi responsável pelo atendimento a 3.926 animais vivos, sendo 1.745 marinhos ou costeiros, 108 dulcícolas ou estuarinos e 2.073 terrestres ou exóticos. Várias aves marinhas e terrestres foram provenientes de resgates em Unidades Marítimas da cadeia de exploração e produção de petróleo. O pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) e a tartaruga-verde (Chelonia mydas) representam as espécies marinhas mais frequentemente atendidas.


PRODUÇÃO CIENTÍFICA O IPRAM contribui com estudos científicos e atividades de ensino de instituições reconhecidas como a Universidade Federal do Espírito Santo, a Universidade de São Paulo, a Universidade Federal de Viçosa e a Universidade de Vila Velha, entre outras. Desde a sua fundação até 2020 foram publicados pelo IPRAM um total 53 resumos científicos em eventos acadêmicos, 14 teses ou dissertações de graduação ou pós-graduação, 29 artigos em periódicos científicos nacionais e internacionais, 4 livros ou capítulos de livros e 6 publicações em revistas e materiais de divulgação.


PLANOS FUTUROS Ao completar dez anos de existência em outubro de 2020 o IPRAM adquiriu um terreno na Praia dos Recifes, em Vila Velha, ES. Nesse local estratégico será construído o novo Centro de Reabilitação de Animais Marinhos do Espírito Santo, em um projeto que aumenta a capacidade física para recebimento dos animais e expande o horizonte de possibilidades.


Diretor Presidente Médico Veterinário e mestre em Ciência Animal pela Universidade Vila Velha (UVV), fundador do IPRAM. Desde 2007 atua no monitoramento e reabilitação de fauna marinha, especialmente no atendimento aos arribamentos sazonais de pinguins-deMagalhães no litoral do Espírito Santo e do Rio de Janeiro.


Diretora Executiva Bióloga formada pela Universidade Vila Velha (UVV), fundadora do IPRAM. Responsável por administrar e coordenar o Resgate de Fauna do IPRAM ao longo da porção capixaba do Rio Doce entre novembro de 2015 e fevereiro de 2016, após o derramamento de rejeito de mineração.


Supervisor de Operações Médico Veterinário e Mestre em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Espírito Santo, com experiência na resposta a fauna no Rio Doce e no atendimento emergencial a centenas de pinguins, dentre outros animais selvagens, aquáticos e marinhos atendidos pelo IPRAM.


Supervisor de Projetos Bacharel e Licenciado em Biologia pelo Centro Universitário São Camilo com especialização Lato Sensu em Educação Ambiental. Possui experiência na Coordenação e Execução Técnica de Programas de Monitoramentos de Praias com trabalhos desenvolvidos desde 2010 nos estados da Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Atuou como Coordenador das equipes de campo durante a Emergência Ambiental da Região dos Lagos/RJ e a Emergência Ambiental do Nordeste, com participação especifica nos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.


Supervisor Científico Médico Veterinário pela Universidade de São Paulo, possui Doutorado pelo Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo. Realizou pós-doutorado no Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo e na Marine Apex Predator Research Unit (MAPRU) da Nelson Mandela University na África do Sul. Atua em Conservação e Medicina de Animais Selvagens, com ênfase na reabilitação, patologia e epidemiologia de vertebrados marinhos. É membro do Grupo de Trabalho em Monitoramento Sanitário de Aves e Mamíferos Marinhos (HMBMM-WG) do Comitê Científico de Pesquisa Antártica (SCAR) e pesquisador associado do One Health Institute da University of California Davis.


Supervisora de Reabilitação de Animais Marinhos Médica Veterinária pela Universidade Paulista. Doutora pelo Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo. Pesquisadora associada à Southern African Foundation for the Conservation of Coastal Birds (SANCCOB).


Diretor do Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA), na Bahia. Consultor em mamíferos aquáticos, especializado em pinípedes e mustelídeos. Experiência em elaboração de recintos, manutenção de mamíferos aquáticos em cativeiro, resgate e reabilitação. Coordenou o resgate, reabilitação e soltura do elefante marinho “Fred” no Espírito Santo, em 2017. Compõe a resposta a fauna no norte do Espírito Santo, pelo IPRAM.



administrativo@ipram-es.org.br