Page 27

Problemas sociais complexos e governação integrada

conflitos entre classes sociais, género ou grupos étnicos que geram os problemas sociais e estará referenciada a perguntas como: “O problema surge da competição entre que grupos e em que estrutura social?”. Finalmente, a perspetiva do interacionismo simbólico, com a inspiração de G. H. Mead, foca-se no significado que é atribuído pelos indivíduos aos comportamentos, pelo que através das nossas interações, tornamo-nos simultaneamente autores e resultado da nossa realidade social e tem como base perguntas como “Qual é a construção social do problema? Como é designado por aqueles que com ele estão preocupados?”. A cada uma destas perspetivas é suscitada uma crítica: a visão funcionalista é criticada por considerar a sociedade como estável; a abordagem marxista é criticada por levar longe demais a justificação dos problemas sociais com as desigualdades e, finalmente, o interacionismo simbólico é criticado por uma visão demasiado micro dos problemas sociais, ignorando as forças sociais que os provocam. Regressando ao esforço de definir o que é “problema social”, Santos (1999) parte da existência de uma “dificuldade”, que coloca uma “questão” a alguém e que supõe resposta. Considera que a transformação de uma “dificuldade” em “problema social” resulta de um processo interativo, com a intervenção de múltiplos atores, com produção de discursos e de ação, refletindo uma elaboração social do “problema social” e considera existir uma correlação entre o número de atores e a complexidade e abrangência. O mesmo autor salienta que há “diferentes tipos de discursos aos quais o «problema social» dá origem: discursos interpretativos, explicativos, normativos. Interpretativos: são os discursos que determinam de que se trata (qual é o problema), em que consistem as dificuldades sentidas? Explicativos: quais são as causas dessas dificuldades? Normativos (ou prescritivos): o que se deve fazer para lhes dar solução?”35 Uma outra definição possível de “problema social” – e útil no contexto do presente trabalho – é “a insatisfação experimentada perante este ou aquele aspeto da vida social considerado inconveniente e superável”36 ou ainda como um “sentimento de insatisfação ante uma dada situação coletiva, reconhecida, evidentemente por comparação com outras, como uma situação de inferioridade, considerada suscetível de melhoria e julgada injusta”37. Nesta dimensão do “superável” e de ser “suscetível de melhoria” pressupõe-se a expetativa e a capacidade real de desenvolver soluções por parte de uma “resposta 25

Profile for Instituto Padre António Vieira

Problemas Sociais Complexos e Governação Integrada  

Esta publicação resulta de uma versão resumida e atualizada da tese de doutoramento de Rui Marques “Problemas Sociais Complexos e Governação...

Problemas Sociais Complexos e Governação Integrada  

Esta publicação resulta de uma versão resumida e atualizada da tese de doutoramento de Rui Marques “Problemas Sociais Complexos e Governação...

Profile for ipav
Advertisement