Page 74

GovInt

Esta dinâmica beneficiou da diversidade e quantidade de instituições que existiam no concelho, o que é entendido como uma força: “O concelho é muito rico em entidades, é uma zona geográfica pequena, mas que tem tudo, tem todas as entidades.” (ECPCJ14.1.b). “É uma comunidade onde existe muita oferta em termos de instituições.” (ECPCJ13.1.a). No entanto, nem sempre foi assim, e os entrevistados sublinham quer as melhorias alcançadas ao longo do tempo, quer ainda o espaço de melhoria que existe: “Acho que vem existindo efetivamente uma evolução, quando iniciei o meu percurso profissional aqui o concelho da Amadora, não sentia esta articulação que existe hoje.” (ECPCJ6.1.a). “Acho que agora, cada vez mais, se criam rede sociais, existem mais parcerias.” (ECPCJ17.1.a). “Não quer dizer que não haja aspetos que não possam ser melhorados. Há sempre, não é, nada é perfeito.” (ECPCJ9.1.c). No domínio dos obstáculos identificados no histórico de cooperação, sublinha-se a gestão de protagonismos, a burocracia e o desconhecimento mútuo. “Parece que há alguma cooperação sendo certo que nestas coisas das redes e parceria há sempre aqui alguma luta por algum protagonismo, digamos assim.” (ECPCJ13.1.b). “Tudo bem que às vezes há uma certa burocracia que impede que as coisas funcionem melhor, mas, da experiência que tenho, verifico que há uma boa interação entre as várias instituições.” (ECPCJ11.1.a). “Há alguns anos atrás, as entidades estavam todas muito dispersas, não havia uma concertação. Muitas entidades se calhar trabalhavam as mesmas coisas e as mesmas áreas e acabava por se perder um bocadinho do trabalho que era feito.” (ECPCJ14.1.a). 72

Profile for Instituto Padre António Vieira

Comissões de Proteção de Crianças e Jovens como modelo de Governação Integrada  

Um estudo de caso da CPCJ Amadora

Comissões de Proteção de Crianças e Jovens como modelo de Governação Integrada  

Um estudo de caso da CPCJ Amadora

Profile for ipav
Advertisement