Page 1

PUBLICAÇÃO MENSAL

JORNAL SÃO JUDAS

ANO XXIII Nº 188 março/2013

unidiversidade

O prazer de (re)começar A cada novo ano letivo, as unidades Mooca e Butantã são tomadas por rostos cheios de expectativas e com vontade de conhecer tudo e todos. Os calouros enchem a Universidade de movimento e sempre chegam com a disposição redobrada de quem está começando a trilhar um novo caminho. Ao lado deles, os alunos veteranos e os professores também retornam às atividades com planos renovados. Na seção UniDiversidade, você confere os índices de reconhecimento da qualidade divulgados recentemente pelo MEC e o grau de satisfação demonstrado pelos alunos em pesquisa de avaliação. Págs. 8 e 9

o que rolou

Veja os posts mais interessantes e tudo que bombou nas redes da São Judas. Pág. 2

sarau multimídia

Prêmio Jabuti O professor Paulo de Assunção, novo coordenador do curso de Pós-graduação Lato Sensu, conquistou o primeiro lugar na categoria Turismo e Hotelaria no Prêmio Jabuti, mais importante reconhecimento da produção literária no país. O professor José Eduardo Faria, por sua vez, ficou com o segundo lugar na categoria Direito. Pág. 11

www.usjt.br


Acesse o Portal da Universidade: www.usjt.br

editorial

Informe-se sobre um dos temas mais atuais e importantes, a sustentabilidade: www.usjt.br/universo_ sustentavel/

Começo de ano letivo sempre traz novos desafios e grandes transformações. Para os calouros, a simples chegada à Universidade garante emoções suficientes, ao representar o início de uma nova etapa na vida. Para os veteranos, é a continuidade do curso, com professores e disciplinas diferentes. Docentes e funcionários deparam-se com novos alunos e novas demandas. Toda essa movimentação motiva a busca de caminhos originais para a aquisição do conhecimento, dentro de uma Universidade que, cada vez mais, é reconhecida como uma das melhores de São Paulo. Na seção UniDiversidade deste mês, você lê como a São Judas vem sendo bem avaliada pelo MEC e pelos próprios alunos. No Nota 10, descobre que desde o 1º ano é possível se destacar com um trabalho bem feito. No Sarau Multimídia, confere como dois professores da São Judas foram agraciados com o Prêmio Jabuti, o mais importante do meio literário nacional. Tudo isso e muito mais. Esperamos que você leia e comente! Envie suas sugestões por email ou via redes sociais!

Veja um resumo dos posts e das histórias online mais interessantes.

Concurso Cultural “A Escolha” – No finalzinho do ano passado, saiu o nome da grande vencedora da segunda fase do Concurso Cultural “A escolha certa sempre leva a um final feliz”. Sylvia Gonçalves Rabello enviou sua história para o Concurso e levou um iPad para casa. Ela conta que, para se inspirar, leu a fotonovela postada pelo Interconectados. Moradora de Vitória (ES), escreveu no texto vencedor que não gosta de festas e decidiu fazer uma viagem em vez de participar da formatura do curso de Farmácia e Bioquímica. Foi para a Praia do Forte, na Bahia, passar 10 dias na sede do Projeto Tamar e acompanhar a desova das tartarugas marinhas. Quando voltou de viagem, mostrou aos pais seu álbum de formatura que, em vez de poses com vestido de festa, mostrava as tartarugas recém-nascidas. Parabéns à Sylvia, que garantiu o primeiro lugar com seu olhar voltado ao meio ambiente! 2

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

cartas

Boa leitura!

Envie um e.mail para jornal@usjt.br.

O Diário do Caçador Olá, sou aluno da USJT desde 2010. Eis que, ano passado, foi publicado meu romance de estreia e, pouco depois do lançamento, foi recebido pela 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, bem como pelo Fantasticon 2012 – a maior exposição de literatura fantástica e ficcional de nosso país. Trata-se da obra “O Diário do Caçador”, pela Ed. Novo Século. No livro, seis viajantes, em busca de aperfeiçoamento interior, partem em uma aventura pelo globo, ingressando em templos secretos de conhecimento. Passando por traços históricos e mitológicos, a narrativa, em belíssimos cenários, preza pelo respeito à preservação e à transmissão de cultura. Nesse sentido, gostaria de falar um pouco mais sobre o livro em uma das matérias do Jornal São Judas. Ulisses Aguiar – Aluno do 4º ano de Direito (Butantã) JSJ – Ulisses, parabéns pela iniciativa de escrever um livro e pela boa recepção que obteve! Sua história será tema da seção Qual é a Sua? desta edição. Desejamos muito sucesso à obra!

expediente

o que rolou

Participe e conecte-se com outros alunos, professores, ex-alunos e vestibulandos. Acesse www. interconectadossaojudas.com.br e conte a sua história. Ou siga no Twitter, Facebook, Orkut, Youtube e Flickr.

Conte sua história – Você já faz parte do Interconectados São Judas? Curta nossa fanpage no Facebook, siga no Twitter, assine o canal no Youtube, seja amigo no perfil. Você também pode assinar o blog interconectadossaojudas.com. br. Interconectados USJT é uma rede de pessoas ligadas pelas experiências vividas na Universidade São Judas ou pelo desejo de aprender cada vez mais. As histórias compartilhadas demonstram, na prática, o quanto somos interdependentes e como as pessoas que passam por nossas vidas nos ajudam a transformar sonhos em realidade. Se você é aluno, ex-aluno, professor, funcionário ou simplesmente quer estudar na São Judas, pode enviar seu depoimento em texto, fotos, áudio ou vídeo. Para isso, é possível usar o próprio celular para registrar sua história e fazer parte da rede. Visite o blog e as redes sociais para se inspirar, são dezenas de histórias já compartilhadas!

Nossas boas-vindas

O Jornal São Judas é uma publicação mensal do Departamento de Comunicação e Marketing da Universidade São Judas Tadeu, gratuita e dirigida a toda a comunidade. Unidade Mooca: Rua Taquari, 546. CEP 03166-000 - São Paulo - SP. Unidade Butantã: Av. Vital Brasil, 1000. CEP 05503-001 - São Paulo SP - Fone: (11) 2799-1677. Supervisão: Maria Luiza Mesquita. Conselho Editorial: Anderson Fazoli, Angelo Zanini, Antonio José da Silva, Beatriz Dionísio, Caio Pereira Santucci, Carla Witter, Durval Luiz da Silva, Fernando Duch, Giovana Ganeo e Júlio César Lucchi. São Judas é produzido pela Folie Comunicação Ltda. Av. Água Fria, 1892 - CEP 02332-001 - São Paulo - SP - Fone: (011) 2203-3892/ 2953-6347. Editora e Jornalista Responsável: Mirian Meliani Nunes - Mtb 23761. Coordenação Editorial: Frideriki Karathanos. Redação: Ana Paula Ramos e Tatiana Karpovas. Revisão: Prof. Everaldo José de Campos Pinheiro. Direção de Arte/Diagramação: PaulaLyn Carvalho. Produção Fotográfica: Ana Paula Ramos. Fotografia: Sergio Carvalho. Tiragem: 15.000 exemplares. Reprodução permitida sob autorização prévia, desde que citada a fonte. Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores, não refletindo obrigatoriamente a posição do jornal.


qual é a sua?

Paixões complementares O gosto por ler e escrever começou na adolescência e levou Ulisses de Aguiar a lançar seu primeiro livro no ano passado. Ele acredita que escrita e leitura são fundamentais ao exercício do Direito, profissão que escolheu.

perfil Ulisses de Aguiar cursa o 4º ano de Direito. Já participou de diversos concursos de música, poesia e redação, que despertaram o interesse pela escrita. Para ele, a atividade é essencial ao estudante e ao operador do Direito.

check in Personalidades inspiradoras | Clóvis Beviláqua, Thomas Marky, Machado de Assis, Olavo Bilac, Robert Louis Stevenson, Arthur Schopenhauer, Hermann Hesse, Garry Kasparov, Torkom Saraydarian Autores | Washington de Barros Monteiro, Giselda Maria Fernandes Hironaka, Hely Lopes Meirelles, Cândido Rangel Dinamarco Livrarias | Cultura, Nobel e Saraiva

Gostou? Veja mais no Portal www.usjt.br, Central de Mídia, no link do Jornal São Judas.

Ulisses de Aguiar realizou um sonho de infância ao ingressar na Faculdade de Direito, o que não ofuscou sua outra paixão, a escrita. No final do ano passado, lançou o livro “O Diário do Caçador” pela editora Novo Século, exposto na 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo e no Fantasticon 2012, simpósio de literatura fantástica realizado desde 2007. No livro, seis viajantes, em busca de aperfeiçoamento interior, partem em uma aventura pelo globo, ingressando em templos secretos de conhecimento. “Leitor, personagens e natureza caminham juntos por um enredo de mistérios, segredos e suspense, realçado por traços históricos, culturais e mitológicos”, conta Ulisses. Ao longo dos anos de escola, além de ter sido apresentado a noções de literatura, Ulisses teve a oportunidade de participar de concursos de música, poesia e redação, que propiciaram o florescimento da atividade. O aluno acredita que o gosto pela leitura e pela escrita e o consequente exercício do raciocínio são essenciais ao estudante de Direito. “Ler, escrever e exercitar o raciocínio são orientações fundamentais ao operador do Direito. Além disso, sinto-me muito bem quando escrevo e, sob essa ótica, o desenvolvimento do livro, desde sua idealização, permitiu que eu me conhecesse ainda melhor. Cada capítulo que se delineava reforçava não apenas uma paixão, mas o verdadeiro amor pela escrita e pelo aperfeiçoamento do raciocínio – como as jóias descritas por Olavo Bilac, em Profissão de Fé”, diz. Após a conclusão do curso, Ulisses pensa em publicar outros livros, pois já tem rascunhos e pesquisas para aperfeiçoar. “Gosto bastante de escrever sobre a natureza e as lições que podemos extrair de sua delicadeza, generosidade e sabedoria, algumas das qualidades que mais docemente falam ao coração e ao raciocínio. Assim, imagino que os próximos livros versarão nessa linha de romance.” O aluno pretende conciliar a atuação na área do Direito e a produção literária. “A potencial realização de um sonho repousa, sobretudo, na paixão e na determinação de realizá-lo – elementos que, necessariamente, orientam o caminho se o destino é sincero e para o bem”, finaliza. março _ 2 0 1 3

3


entrelinhas

Um bom começo São Judas inicia o ano letivo de 2013 com aulas inaugurais, palestras e atividades para recepcionar os novos alunos.

O QuÊ? Realização de aulas inaugurais, palestras e atividades extra-curriculares da Universidade São Judas.

Quem? Professores, alunos e convidados.

quando? Durante os meses de fevereiro e março. Por quê? Para iniciar as atividades de 2013, com informações para os novos alunos da graduação.

4

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

Para receber calouros e veteranos em mais um ano letivo que se inicia, a São Judas organiza extensa programação de atividades. São aulas inaugurais, palestras e diversas ações que oferecem informações sobre os cursos e o mercado de trabalho, além de apresentar o corpo docente e a infraestrutura das unidades Mooca e Butantã. De 18 a 22 de fevereiro, os alunos de Arquitetura e Urbanismo participaram de uma semana de atividades para integração dos calouros, com visitas a diversos pontos importantes da capital paulistana. O passeio ao Centro Velho incluiu passagens pelo Mosteiro de São Bento, Pátio do Colégio e Praça da Sé, entre outros. Na região da Av. Paulista, o grupo passou pelo Masp, Parque Trianon e Casa das Rosas. Os futuros arquitetos também estiveram no bairro de Higienópolis, onde está localizado o Parque Buenos Aires, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, além de vários edifícios marcantes. Já a Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas realizou palestras e aulas inaugurais ao longo do mês de fevereiro para receber os alunos ingressantes e esclarecer suas dúvidas. Nos dias 19 de fevereiro e 7 de março, aconteceram as aulas de apresentação do curso de Direito nas unidades Mooca e Butantã, ministradas pelo professor Fernando Aguillar, diretor da Faculdade de Direito. No dia 26 de fevereiro, a Aula Inaugural de Educação Física, ministrada pelo Prof. Aylton Figueira Júnior, docente da graduação e pós-graduação, contou com as presenças do Prof. Luís Antonio Baffile Leoni, diretor da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, e do Prof. Durval Luiz da Silva, coordenador do curso. Na ocasião, houve a entrega dos prêmios Desempenho Acadêmico 2012, Painel Científico 2012 e Mérito Acadêmico 2012. No dia 4 de março, foi realizada uma atividade de integração para alunos do 1º ano, conduzida pelo Prof. Marcelo Feitosa da Silva. Agora, no mês de março, os cursos de Comunicação Social e Desenho Industrial (Design) também estarão promovendo momentos de integração com os alunos, apresentando os docentes e repassando todas as informações sobre os cursos. No dia 6 de março, o curso de Fisioterapia realizou a sua Aula Inaugural, com as presenças do Prof. Luís Antonio Baffile Leoni, diretor da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, do Prof. Durval Luiz da Silva, coordenador do curso, do Prof. Semaan El Razi Neto, coordenador de estágios, e da Profª Juliana Valente Francica, que ministrou palestra. Em seguida, houve a entrega dos prêmios Desempenho Acadêmico 2012, Painel Científico e Mérito Acadêmico. Na mesma data, foi realizada atividade de integração para alunos, conduzida pelo Prof. Marcelo Feitosa da Silva.


entrelinhas

Descobrir-se repórter

da esq. para dir.: Francielle Correia de Souza Silva, Olívia Beserra Freitas, Raquel Brandão e Gabriela Zaniratto Silva.

Bem encaminhados

Nove alunos recém-formados no curso de Fisioterapia foram aprovados nos cursos de Aprimoramento e de Residência, oferecidos pelas melhores instituições de saúde do Estado, como a Santa Casa de Misericórdia, o Instituto Dante Pazzanese, Hospital AC Camargo e Hospital Pérola Byington. Confira quem são eles e as especialidades em que irão atuar: Dayane Nunes Rodrigues, aprovada em 1º lugar em Fisioterapia Cardiorrespiratória, no Hospital Dante Pazzanese; Fabíola Furtunato, aprovada em 1º lugar na Residência Multiprofissional em Oncologia, no Hospital AC Camargo; e Natália Mainardi Simas, aprovada em 1º lugar no Aprimoramento em Fisioterapia Hospitalar, no Hospital Pérola Byington. Além delas, foram aprovados para o curso de Aprimoramento na Irmandade Santa Casa de Misericórdia de São Paulo: Christian Mestriner Lorena, Paula Claudino Cobre e Carla Araújo Rodrigues, na especialidade Fisioterapia Músculo-Esquelética; Vanessa Costa Luvizuto, na especialidade Fisioterapia Neuro Funcional; Aíssa Cristina Poncetti Gallo e Douglas da Luz, na especialidade Fisioterapia Respiratória. Parabéns aos aprovados!

Três alunas do 4º ano de Jornalismo e uma recémformada estão entre os 32 estudantes selecionados para participar da 6ª edição do Projeto Repórter do Futuro, que oferece curso de complementação universitária e garante aos jovens a possibilidade de realizar reportagens especiais sobre temas de interesse da sociedade. Francielle Correia de Souza Silva, Gabriela Zaniratto Silva, Olívia Beserra Freitas e Raquel Brandão Inácio terão a oportunidade de conhecer como funciona o Poder Legislativo paulistano e quais são as propostas em debate para a elaboração do Novo Plano Diretor de São Paulo, que define como a cidade se desenvolverá. Realizarão reportagens sobre os principais problemas da cidade, contribuindo para o mapeamento e proposição de soluções para cada um dos 96 distritos que compõem a Capital. Ao final do projeto, a Câmara Municipal publicará dois livros contendo as iniciativas, a serem lançados no dia 25 de janeiro de 2014, em comemoração aos 460 anos de São Paulo. Gabriela Zaniratto e Olívia Freitas, que já participaram de outros dois módulos oferecidos pelo Projeto, o “Descobrir a Amazônia, Descobrir-se Repórter” e “Jornalismo em Situação de Conflito Armado e Outras Situações de Violência”, estão entusiasmadas com a oportunidade, assim como Francielle e Raquel, que aproveitam essa última chance para refinar seus conhecimentos, já que o curso as ajudará a compreender os regimentos de uma grande metrópole. “Os cursos oferecidos pela Oboré Projetos em Comunicação e Artes nos incitam a explorar não só os temas em questão, como também o mercado editorial, pois precisamos publicar ao menos uma das reportagens produzidas ao longo do curso em um veículo de comunicação”, ressalta Gabriela. Ela e Olívia contam que, ao término do módulo Amazônia, viajaram até o estado do Amazonas para acompanhar e escrever sobre a atuação do Exército nas regiões de fronteira. Os textos foram publicados no portal do Repórter do Futuro. Gabriela ainda emplacou duas outras matérias sobre conflito armado no Portal Amazônia e no Ópera Mundi. Além do conhecimento e prática adquiridos, Olívia não se esquece da grande aventura que foi “dormir na rede em plena floresta e ouvir o som dos animais, uma sensação única”. Gostou? Veja mais no Portal www.usjt.br, Central de Mídia, no link do Jornal São Judas, algumas das matérias produzidas pelas alunas. março _ 2 0 1 3

5


entrelinhas

Professor recebe prêmio Cineb Lato Sensu sob nova coordenação

Os cursos de Pós-graduação Lato Sensu estão, agora, sob a coordenação do Prof. Paulo de Assunção. Pós-doutor em História Ibérica pela École dês Haute Etudes em Sciences sociales – EHESS- Paris (França), autor de diversos livros e artigos, vencedor do Prêmio Jabuti 2012 na categoria Turismo e Hotelaria (leia na pág. 11), o professor Paulo, docente nos cursos de Secretariado Executivo e Turismo, assumiu a coordenação no final de 2012. Feliz com o novo desafio, ele adianta que a Pós Lato Sensu vai, cada vez mais, ser uma importante via de aperfeiçoamento para os alunos que concluem a graduação e desejam entrar para o mercado de trabalho com um diferencial de especialização.

No último dia 11 de dezembro, aconteceu o 3º Prêmio Cineb do Cinema Brasileiro, organizado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo e pela Brazucah Produções, no Café dos Bancários, localizado no Edifício Martinelli. Com apresentação das atrizes Lucélia Santos e Gorete Milagres, o professor Armando Sérgio dos Prazeres, do curso de Comunicação Social, recebeu um troféu pela sua dedicação e apoio ao circuito itinerante de cinemas, cujo propósito é despertar o interesse do público pelo cinema nacional. Os filmes são exibidos de forma itinerante, gratuitamente, a partir do uso de telão, projetor, caixas de som, banners, pesquisas de opinião e sorteio de camisetas. O projeto acontece em espaços comunitários e universitários de São Paulo, com direito a pipoca com saquinhos padronizados. Também estiveram presentes os realizadores dos filmes exibidos em 2011 e 2012: “O contador de histórias”, de Luiz Villaça; “Eu e meu Guarda-Chuva”, de Toni Vanzolini; “Uma noite em 67”, de Renato Terra e Ricardi Calil; e “Amor?”, de João Jardim.

Ex-aluno lança livro

Fernando Razzo Galuppo, formado em Jornalismo na turma de 2002, lançou o livro Glórias de um Moleque Travesso, em parceria com Angelo Eduardo Agarelli e Vicente Romano Netto, pela BB Editora. A obra conta a história do Juventus, um dos clubes mais tradicionais do futebol paulista, retratando mais de 80 anos de existência, com riqueza de detalhes e fotos de toda a sua trajetória. Fernando Galuppo é apaixonado pela história do futebol, possui outras obras publicadas sobre o tema e fala sobre a emoção de participar do projeto. “Foi uma alegria poder resgatar a história desse grande clube ao lado de dois amigos que compartilham a mesma paixão. O Juventus é maior do que imagina ser. Torço para que a obra desperte a atenção de seus torcedores e dirigentes para que o clube volte aos anos de glória”. O livro foi lançado no dia 10 de dezembro, no Salão do Clube Atlético Juventus.

arquivo pessoal

Atividade física é remédio?

Encontro Científico de Ex-alunos do curso de Educação Física.

6

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

A São Judas organizou, em dezembro, o Encontro Científico de Ex-alunos do Curso de Educação Física (ECECEF) com o tema “O papel dos profissionais da saúde na promoção da atividade física. Atividade física é remédio?”. O objetivo foi esclarecer os questionamentos gerados recentemente com relação ao lançamento, no Brasil, do programa “Exercise is Medicine”, que será implantado na rede pública de saúde do Estado de São Paulo, numa parceria entre o Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão de São Caetano do Sul (CELAFISCS) e a Secretaria de Saúde do Estado. O programa vai capacitar médicos e outros profissionais da área da Saúde a “prescreverem” atividades físicas, informação que motivou uma grande polêmica, principalmente nas redes sociais, gerando a cobrança de um parecer do Conselho Regional de Educação Física (CREF). O Prof. Luis Carlos de Oliveira, docente da Universidade e representante do CELAFISCS, esclareceu que a capacitação dos profissionais da Saúde será para orientar e recomendar a prática da atividade física orientada por um profissional bacharel em educação física devidamente registrado no CREF. O Prof. Mario Augusto Charro, representante do CREF4/SP, reforçou a preocupação do CREF. Já o Prof. Fabio Tanil Montrezol, educador físico que atua numa equipe interdisciplinar na área de medicina preventiva na Baixada Santista, trouxe para os participantes sua experiência profissional nesse que será um novo campo de trabalho para o profissional de educação física. Ele faz parte do atendimento a cooperados de risco em planos de saúde e participa ativamente na prescrição de exercícios físicos, de acordo com o que é diagnosticado pelo médico. O evento foi organizado pelos professores Glaucia Figueiredo Braggion, Marcelo Feitosa, Douglas Figueiredo Cossote, e pela ex-aluna Andréa Silva Frangakis, sob coordenação do Prof. Durval Luiz da Silva, coordenador do curso de Educação Física.


entrelinhas arquivo pessoal

Contra o preconceito

Alunos de Publicidade e Propaganda mobilizaram-se para criar campanha para o

arquivo pessoal

Hospital Emílio Ribas.

Alunos de Publicidade e Propaganda da unidade Butantã participaram da nova campanha do Instituto de Infectologia Emílio Ribas Diga não ao preconceito!. Eles produziram os símbolos e os personagens da campanha, que será veiculada em abril, com o objetivo de conscientizar funcionários e pessoas do convívio dos pacientes a respeito da discriminação contra as doenças infectocontagiosas tratadas no hospital. Os trabalhos, um total de 59 charges, realizados sob a coordenação do Prof. Dr. Posdoc Marcio da Graça, foram enviados à equipe do Comitê de Humanização do Instituto de Infectologia Emílio Ribas (CHER), que escolheu os que mais se aproximavam do perfil do hospital. Os novos personagens vão compor, para as futuras campanhas da instituição, a família do Emilinho (adolescente questionador) e do vô Ribas (médico), criados em 2007 pelo ilustrador e cineasta Walbercy Ribas. Além disso, os alunos desenvolveram seis exercícios de criação com os 12 valores éticos e morais preconizados pela Unesco e pela ONU, que serão destaque em futuras ações específicas. Em abril, na Semana Mundial de Saúde, haverá um evento com a presença de autoridades da área de saúde, além dos alunos e profissionais do hospital, para divulgar o resultado final do trabalho.

Professores em Israel

Na foto de cima, a Igreja do Santo Sepulcro, e na foto de baixo, o conhecido Muro das Lamentações.

Mais uma vez, a São Judas foi a única universidade brasileira convidada pela Escola Internacional para o Estudo do Holocausto a participar das atividades realizadas em Jerusalém, Israel, pela instituição. Os docentes Arilson Pereira da Silva, Daniel Paulo de Souza e Edson Martins Júnior, que atuam no Núcleo de Atenção à Discriminação e à Intolerância da Universidade São Judas, estiveram lá para um curso sobre o Holocausto. Também participou da visita a professora Elisangela Cardozo de Oliveira, do Colégio São Judas. Parte integrante do Memorial Yad Vashem, que abriga museus, biblioteca e um instituto de pesquisa dedicado ao tema, a Escola oferece cursos voltados para docentes não-judeus sobre o Holocausto e estimula o debate de temas que envolvem a intolerância, discriminação e violência entre os povos, seja por questões raciais, religiosas ou outras similares. Realizado no período de 27 de janeiro a 6 de fevereiro, o curso de oito horas diárias explorou as muitas facetas da intolerância, fornecendo conteúdo de reflexão e análise. “O grupo era composto por professores de vários países da América Latina que passaram por regimes ditatoriais e sofrem com a violência e a desigualdade social. Essas características comuns enriqueceram bastante o debate”, observou o Prof. Daniel Paulo de Souza, do curso de Letras. Além desse aspecto, o Prof. Arilson Pereira da Silva, responsável pelas disciplinas de Dinâmica de Grupo e Psicologia do Trabalho, no curso de Psicologia, também ficou impressionado com a riqueza documental do acervo do Memorial, que conta com fotos, textos e testemunhos das vítimas que sobreviveram à tortura nos campos de concentração. “Preservar a história nos ajuda a refletir sobre a intolerância e a discriminação cometidas cotidianamente em diversos ambientes”, afirmou. março _ 2 0 1 3

7


uniDIversidade

Temos o melhor curso A Universidade São Judas conquista, mais uma vez, excelentes conceitos junto ao MEC. o curso de Licenciatura em Filosofia alcança o melhor desempenho no Enade entre todas as graduações do país. O ano letivo de 2013 não poderia começar melhor. A posição da Universidade São Judas entre as mais destacadas do Brasil é uma realidade que só vem sendo confirmada com as diferentes avaliações realizadas pelo Ministério da Educação ao longo das últimas décadas. No último Enade (Exame Nacional de Desempenho do Estudante), referente ao ano de 2011 e divulgado no final do ano passado, o curso de Licenciatura em Filosofia da Universidade São Judas obteve o 1º lugar entre todos os 7.576 cursos avaliados pelo MEC, ou seja, foi o melhor desempenho de um curso em todo o Brasil, incluindo todas as áreas do conhecimento e todas as universidades avaliadas, públicas e privadas. Tanto no caso do Enade, que avalia a performance dos alunos por meio de uma prova, quanto no caso do CPC (Conceito Preliminar de Curso), que analisa e pontua as condições oferecidas pela Universidade para uma boa formação, calculado a partir da composição de vários indicadores de qualidade, a Licenciatura em Filosofia obteve nota máxima. Ou seja, Enade e CPC iguais a 5 (a escala aplicada pelo MEC vai de 1 a 5).

Coleção de bons conceitos As boas notícias não param por aí. A Licenciatura em Ciências Biológicas alcançou ótimo desempenho ao obter nota 5 no Enade 2011 e conceito igual a 4 no CPC . Seguida de perto pelo Bacharelado em Ciências Biológicas, que obteve nota 4 no Enade 2011 e CPC igual a 4. A qualidade dos cursos que compõem a área da Saúde, como um todo, também vem sendo reconhecida. Avaliado em 2010, o Bacharelado em Educação Física obteve nota 4 no Enade e conceito 4 no CPC, mesmo resultado obtido pelo Bacharelado em Farmácia. Os Bacharelados em Fisioterapia e Nutrição alcançaram CPC igual a 4. Na esteira das boas avaliações, os cursos de Engenharia garantiram ótimo desempenho no Enade 2011 e no CPC. Em ambas as avaliações, o conceito obtido foi igual a 4. A partir desses resultados, os cursos de Engenharia Elétrica, Engenharia Civil e Engenharia Mecânica da São Judas despontam entre os melhores da cidade de São Paulo, à frente de cursos de mesma nomenclatura oferecidos por escolas tradicionais. É importante ressaltar que as notas obtidas no Enade refletem o excelente nível de aprendizagem dos alunos da São Judas em sua totalidade, uma vez que a Universidade inscreve todos, indistintamente, no Exame, assim que concluem a graduação.

A opinião de quem conhece Andreia Lair Alves da Silva, 1º ano de Administração – “Quero atuar na Gestão Pública e resolvi fazer graduação em Administração de Empresas. Como a São Judas possui bons conceitos junto ao MEC, considerei que seria a melhor opção. Ainda é cedo para avaliar o curso, mas pelo que senti será bastante puxado e isso é bom, pois busco uma boa formação. Gostei da estrutura oferecida e também dos professores. No momento, as minhas impressões são as melhores.”

8

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

Pedro Ribeiro de Paula Souza, 4º ano de Direito – “Optei pela São Judas porque desejava obter uma boa qualificação. Com a proximidade do 5º e último ano do curso, considero que a Universidade nos prepara bem para sermos operadores do Direito. O conteúdo oferecido equilibra teoria e prática e a gente percebe isso claramente quando inicia o estágio. Agora, que estou ingressando na área do Direito do Trabalho, consigo aplicar na prática o conteúdo estudado no ano passado, o que é gratificante. No 2º ano do curso, respondi à Pesquisa de Satisfação e muitas das questões apontadas foram resolvidas. Da experiência que tive até o momento, voltaria sim a fazer um curso aqui.”

Ana Carolina Costa Lucas Santos, 2º ano de Nutrição – “Já no 1º ano tivemos alguns trabalhos científicos bastante interessantes, em que pude refinar os meus conhecimentos. Venho de um curso técnico na área e nem por isso achei ruim rever conceitos básicos, justamente porque a São Judas tem a preocupação de manter o curso atualizado, trazendo informações novas. Essa dinâmica me deixou bastante entusiasmada. Já consegui um estágio e estou me saindo bem porque coloco em prática o que aprendo aqui.”


uniDIversidade

do Brasil

Gostou? Veja mais no Portal www.usjt.br, Central de Mídia, no link do Jornal São Judas.

Pesquisa interna confirma satisfação A evolução constante da São Judas na busca da excelência no ensino também é percebida na Pesquisa de Satisfação, respondida anualmente pela totalidade dos alunos matriculados. Desde que foi implantada, a Pesquisa de Satisfação aponta percentuais cada vez mais favoráveis. Em 1999, por exemplo, 9,1% dos alunos classificaram o seu curso como ótimo; 58,3% o consideravam bom e apenas 2,4% o consideravam como ruim. Ao longo de pouco mais de uma década, a evolução do nível de satisfação dos alunos em relação ao curso só cresceu. Em 2012, o percentual de alunos que classificou o curso como ótimo ficou perto de 30%; 58,5% consideraram o curso bom e menos de 1% mostraram-se insatisfeitos. Considerando a experiência que tiveram na Universidade, 67,6% dos alunos disseram, em 1999, que voltariam a estudar na instituição. Em 2001, esse percentual subiu para 73,1%; em 2007 para 82,1%; e alcançou 82,2% em 2012. Confira os números completos nas tabelas.

Cursos de Excelência na São Judas segundo avaliações do MEC. NOTA 5 (máxima) na avaliação institucional 2012

Fernando Rodrigues Obar, 4º ano de Publicidade e Propaganda – “Eu me surpreendi bastante com o curso, não só com o nível dos professores e a qualidade das aulas, tanto práticas quanto teóricas, mas também por ser um ambiente integrado, que permite o contato com alunos de outros cursos. Isso enriquece bastante o nosso conhecimento. Quando converso com pessoas de outras universidades, percebo grande diferença, tanto em termos do conteúdo que é transmitido, como no preparo dos professores. Isso nos deixa mais seguros em relação ao mercado de trabalho. Voltaria a estudar na São Judas com prazer.”

Jaqueline Fernandes Ferreira, 1º ano de Engenharia Mecânica – “Sempre ouvi falar muito bem da São Judas e por isso a escolhi. Mecânica está bem posicionado entre os cursos de Engenharia e as perspectivas em termos de carreira e salário são as melhores possíveis. Até agora, estou gostando muito. Sinto que os professores não estão apenas preocupados em cumprir o programa do semestre, mas em nos ajudar a entender a matéria. São atenciosos e dedicados. Claro que uma boa formação não depende apenas do que eles vão nos ensinar, mas da dedicação do aluno. No meu caso, cheguei com a intenção de estudar. Tudo indica que vou gostar do curso.”

Cursos avaliados em 2011

ENADE

CPC

Ciências Biológicas (Bacharelado)

4

4

Ciências Biológicas (Licenciatura)

5

Engenharia Civil (Bacharelado)

Pesquisa de Satisfação Você considera seu curso:

ótimo

bom

regular

ruim

1999

9,1%

58,3%

22,3%

2,4%

4

2000

9,3%

58,5%

24,3%

3,1%

4

4

2001

11,0%

60,6%

21,8%

2,0%

Engenharia Mecânica (Bacharelado)

4

4

2002

10,3%

56,7%

24,4%

3,1%

Engenharia Elétrica (Bacharelado)

4

4

2003

11,9%

58,6%

21,3%

2,5%

Filosofia (Bacharelado)

4

4

2004

11,8%

62,3%

22,6%

2,6%

Filosofia (Licenciatura) *

5

5

2005

13,7%

63,4%

19,8%

2,1%

Letras (Bacharelado)

3

4

2006

18,0%

63,0%

16,4%

1,4%

Letras (Licenciatura)

4

4

2007

24,6%

61,6%

12,3%

1,0%

Pedagogia (Licenciatura)

4

4

2008

27,8%

58,7%

12,2%

1,0%

2009

28,3%

57,5%

12,2%

1,0%

2010

28,2%

57,0%

12,9%

1,3%

2011

28,6%

56,7%

13,0%

1,3%

2012

29,4%

58,5%

10,8%

0,8%

Edilene Alves Bezerra, 2º ano de Filosofia – “Minha primeira opção foi Direito na São Judas, devido aos bons conceitos obtidos pelo curso. Só depois de iniciar a graduação, descobri que Filosofia tinha a mesma qualidade e reputação. A transição se deu no 2º ano, quando fiz Iniciação Científica na área de Filosofia Política e me identifiquei bastante. O curso de Filosofia é bom e possui excelentes professores. Acredito que essa é a característica mais marcante da São Judas: a qualidade do corpo docente. O Centro de Pesquisa, que oferece bolsas de estudos em vários programas, como o RIC, o PBIC e o PVIC, é um diferencial. No meu caso, quero continuar no campo da pesquisa e da docência.” março _ 2 0 1 3

9


nota 10

Novos engenheiros Alunos do 1º ano de Engenharia Civil projetam ponte e estabelecem contato com as primeiras noções da área.

quem? Alunos do 1º ano de Engenharia Civil: Guilherme Silva Baracho, Luiz Felipe

Os alunos do 1º ano de Engenharia Civil participam, anualmente, do concurso Construção de ponte de espaguete, parte das atividades da disciplina Introdução à Engenharia. Os estudantes devem confeccionar uma ponte de macarrão que será submetida a prova de carga para avaliação da capacidade de suporte. É a primeira experiência dos alunos como engenheiros, observando todas as especificações técnicas. Entre as regras, a ponte deve vencer um vão livre de 40 cm, apoiada horizontalmente sem vínculos. O vão pode ser ultrapassado pela ponte em 5 cm, no máximo, para cada apoio. A ponte deve ser indivisível, sem partes móveis ou encaixáveis. Ela deve ser treliçada e inteiramente construída de espaguete Barila nº 5, sendo que as barras das treliças devem ter comprimento de 5 cm, no mínimo. Para a união das partes, deve ser usada cola quente aplicada com pistola. Prontas, as pontes devem pesar 400 gramas, no máximo. Em data previamente fixada, todas são examinadas, pesadas e submetidas a um teste de carga, até ocorrer o colapso. “No momento do teste, é aplicada, inicialmente, uma carga de 0,5 kg durante cinco segundos. Não havendo colapso, a carga será sucessivamente aumentada com mais 0,5 kg, atuando sempre durante cinco segundos, até ocorrer o colapso”, explica o professor João Chagas Soares Filho, que orientou os alunos, sob a supervisão das professoras Marília Silveira e Sandra Uemura. Em 2012, o concurso foi disputado por 22 turmas com uma média de seis grupos de quatro a cinco alunos cada. O grupo vencedor foi dos alunos Guilherme Silva Baracho, Luiz Felipe Aparecido dos Santos, Marcelo Castilho Ribeiro e Mateus Araújo Santiago. Segundo Guilherme, a experiência foi muito interessante, pois ele e os colegas puderam notar como funciona a distribuição das cargas pela estrutura da ponte. “Ao observar a ponte sendo rompida, percebi onde as forças estão sendo aplicadas e onde eu deveria ter reforçado 10

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

mais a estrutura”, analisa. O aluno Luiz Felipe achou esse um ótimo trabalho, que já o colocou na primeira experiência como engenheiro. “Por isso mesmo, senti o peso da responsabilidade. Foi uma tarefa difícil de realizar”, disse. O professor João Chagas explica que os alunos de 1º ano estão iniciando o contato com a Engenharia, esse é o objetivo principal da disciplina. Nessa fase, eles ainda não tiveram disciplinas como Mecânica Geral (Estática) e Resistência dos Materiais, que facilitam o entendimento e a compreensão dos fenômenos relativos ao comportamento dos materiais quando estão sendo solicitados por esforços diversos. “Foi muito interessante vê-los trabalhando em sala, definindo o projeto da ponte e, após desenhá-la, ter que adotar a forma das barras”, conta o professor. Segundo ele, a atividade desenvolve a criatividade dos alunos, estimula o interesse pelo estudo das propriedades dos materiais e pela análise de estruturas básicas de Engenharia Civil, além de reforçar conceitos de projeto, planejamento, organização, trabalho em equipe e custos do processo. A professora Marília Silveira também considerou os trabalhos muito bons e a dedicação dos alunos altamente satisfatória. “O comprometimento aconteceu, principalmente, porque havia o interesse de comprovar a capacidade de carga de uma estrutura aparentemente tão frágil. Evidentemente, houve curiosidade quanto aos diferentes resultados de capacidade de suporte de um grupo para outro. As diferenças aconteceram em função das escolhas de cada grupo para a forma e a montagem das estruturas das pontes”, comenta.

Aparecido dos Santos, Marcelo Castilho Ribeiro e Mateus Araújo Santiago.

o quÊ? Foram os vencedores do concurso interno entre estudantes do 1º ano de Engenharia Civil denominado “Construção de ponte de espaguete”.

onde? Na unidade Mooca.

por quê? Para estimular a criatividade e o interesse pelo estudo das propriedades dos materiais e pela análise das estruturas básicas de Engenharia Civil.

Gostou? Veja mais no Portal www.usjt.br, Central de Mídia, no link do Jornal São Judas.


Prêmio máximo da literatura

fotos: divulgação CBL

sarau multimídia

Na foto de cima, Prof. Paulo de Assunção com o prêmio. Ao lado (no centro), Prof. José Eduardo Faria.

Professores da São Judas são premiados no 54º Prêmio Jabuti, o mais importante da área literária no país. Criado há 55 anos pela Câmara Brasileira do Livro, o Prêmio Jabuti é considerado o mais importante reconhecimento à produção literária no Brasil. Ele foi idealizado para prestigiar aqueles que fazem parte de todas as etapas de produção dos livros. Anualmente, editores, escritores, tradutores, ilustradores, produtores gráficos e designers inscrevem suas obras com o desejo de ver o trabalho lembrado entre os mais importantes da literatura nacional. Com números que apontam crescimento dos índices de leitura no país, o mercado nacional já ocupa o 9º lugar no ranking mundial do consumo de livros. Ainda assim, falta muito para que a leitura ocupe espaço significativo suficiente para alavancar a vida cultural brasileira. Por isso, a relevância do Prêmio é ainda maior, pois críticos e acadêmicos dão seu aval às obras, tornando públicas suas qualidades. Na edição de 2012, os profissionais inscritos participaram de 29 categorias: Capa; Ilustração; Ilustração de Livro Infantil e Juvenil; Arquitetura e Urbanismo; Artes; Biografia; Ciências Exatas; Ciências Humanas; Ciências Naturais; Ciências da Saúde; Comunicação; Contos e Crônicas; Didático e Paradidático; Direito; Economia, Administração e Negócios; Educação; Fotografia; Gastronomia; Infantil; Juvenil; Poesia; Psicologia e Psicanálise; Reportagem; Romance; Tecnologia e Informática; Teoria e Crítica Literária; Turismo e Hotelaria; Projeto Gráfico e Tradução. Na cerimônia de entrega do Prêmio, realizada no dia 28 de novembro do ano passado, na Sala São Paulo, foram contemplados os três primeiros lugares de cada categoria, em uma votação realizada por membros da Câmara Brasileira do Livro, da Associação Nacional de Livrarias, da Associação Brasileira de Difusão do Livro e do Sindicato dos Editores de Livros.

Os vencedores Entre os prêmios mais aguardados estavam o de melhor livro do ano de ficção e não ficção, que foram respectivamente para a escritora Stella Maris Rezende, com A Mocinha do Mercado Central; e para a jornalista Miriam Leitão, com Saga brasileira: a longa luta de um povo por sua moeda. Na categoria Turismo e Hotelaria, o professor Paulo de Assunção, coordenador da Pós-graduação Lato Sensu, conquistou o primeiro lugar, com a obra História do Turismo no Brasil entre os séculos XVI e XX, Editora Manole. Já o professor José Eduardo Faria ficou com o segundo lugar na categoria Direito, com O Estado e o direito depois da crise, da série Direito em Debate (DDJ), Editora Saraiva. Para o professor Paulo de Assunção, foi uma grande surpresa ficar entre os finalistas, uma vez que não sabia da inscrição de sua obra no Prêmio. “Estava viajando quando recebi a notícia e fiquei surpreso, pois foi a editora que realizou a inscrição. Foi uma grande honra ficar em primeiro lugar. O prêmio traz uma notoriedade à obra, mostra que teve uma boa acolhida não só pelo público, mas também pelo meio acadêmico, além de dar visibilidade à carreira do autor”, afirma. A obra premiada do professor José Eduardo Faria faz parte de uma trilogia que aborda aspectos da Economia e do Direito após a crise internacional de 2008. Segundo ele, o livro já era bem aceito pelo mercado, e o prêmio significou um grande reconhecimento profissional. “É uma consagração, senti como se tivesse a confirmação de que fiz o certo durante a minha carreira”, comemora o professor.

março _ 2 0 1 3

11


vocação

Profissional em ascensão Graduada em 2010, Rosimeire Marcos Felisberto fez aprimoramento em Fisioterapia Hospitalar no InCor e, hoje, atua como Fisioterapeuta no Hospital Sírio Libanês. A rotina de trabalho exige grande responsabilidade, mas garante autonomia e satisfação, conta a ex-aluna. Desde criança, Rosimeire Marcos Felisberto, de 26 anos, mostrou habilidade no cuidado com as pessoas. Sonhava em ser médica, mas se apaixonou mesmo pela Fisioterapia, que se vale da técnica e da destreza manual para garantir a reabilitação e o conforto dos pacientes. “É uma profissão muito bonita, que alia conhecimento e carinho, além de oferecer mercado promissor”, afirma. Atuando como Fisioterapeuta Junior em um dos mais importantes centros médicos do país, o Hospital Sírio Libanês, ela investe na carreira e cultiva o desejo de se tornar docente. A seguir, você confere a trajetória dessa profissional em ascensão. multidisciplinar de um hospital que é referência nacional no tratamento de cardiopatias é uma experiência enriquecedora. Esse período foi fundamental para que eu pudesse enfrentar as etapas de avaliação do Hospital Sírio Libanês, onde hoje sou Fisioterapeuta Junior.

JSJ Em que momento descobriu sua vocação?

Rosimeire Marcos Felisberto – Sempre gostei de cuidar de pessoas. Na infância, queria ser médica, mas quando cresci percebi que, além da Medicina, existe uma série de outras profissões tão fascinantes quanto, com a vantagem de serem mais acessíveis, já que um curso de Medicina não é nada barato. Ao pesquisar as alternativas, fiquei encantada com a possibilidade de garantir conforto e bem-estar às pessoas por meio de técnicas de manipulação e exercícios que ajudam na reabilitação. Na hora de escolher a faculdade, não pensei duas vezes. Em primeiro lugar, porque tinha boas referências da São Judas e, em segundo, porque tive a oportunidade de conhecer a Universidade no 3º ano do Ensino Médio, ao participar do programa de Visitas Programadas (VIPs). A estrutura oferecida me impressionou, assim como a qualidade do corpo docente, tanto do ponto de vista profissional quanto pessoal. Diria que o curso superou minhas expectativas. JSJ

12

Qual a contribuição da São Judas para a sua formação? Rosimeire – A São Judas oferece uma excelente formação teórica e prática. A Clínica de Fisioterapia conta com uma estrutura que permite ao aluno passar por todas as especialidades, como Fisioterapia Neurológica, Cardiovascular, Ortopédica e Ginecológica. Isso nos dá uma visão ampla e nos capacita a atuar em qualquer uma delas. O corpo docente é ótimo, com professores empenhados e dispostos a ajudar. Todos eles, de modo geral, foram importantes, mas tenho especial carinho por Marcio Tubaldini Sousa, Giuliano Gardenghi, que não está mais na São Judas, Romeu Rodrigues de Souza e Juliana Valente Francica, que no 4º ano do curso montou um grupo de estudos, do qual fiz parte, voltado para o coração e o pulmão. Por incentivo da professora Juliana, conquistei uma vaga no curso de Aprimoramento em Fisioterapia Hospitalar oferecido pelo InCor – Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP. Durante um ano, passei por diversas situações que me ajudaram a amadurecer. No InCor, além de aprimorar meus conhecimentos, tive de aprender a lidar com situações de estresse, como a possível morte de um paciente. Fazer parte da equipe

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

JSJ Como é a sua rotina de trabalho no Sírio Libanês?

Rosimeire – Atuo, há um ano, na Unidade Crítica Cardiológica, na avaliação e proposição de programas de tratamento. No InCor, atuava sob supervisão de um profissional experiente. Já no Sírio tenho maior autonomia e, consequentemente, mais responsabilidade. Diariamente, reúno-me com a equipe multidisciplinar para discutir o quadro clínico de cada paciente. Essa troca é muito importante e nos ajuda na tomada de decisão. Aprendo muito com todos os profissionais e tenho a oportunidade de expor as medidas que considero necessárias para a reabilitação dos pacientes. Sinto-me cada vez mais segura para tomar decisões. As oportunidades de crescimento são inúmeras - e eu já agarrei a primeira ao me inscrever no Mestrado que o hospital oferece na área de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). JSJ Quais são as suas expectativas e perspectivas?

Rosimeire – Dado o primeiro passo, que é o Mestrado, considero que são boas as chances de chegar à função de Fisioterapeuta Sênior. Além da prática profissional, desejo seguir carreira como docente. Tive a primeira experiência ao ser convidada para dar uma aula no Hospital São Cristóvão sobre pacientes com insuficiência cardíaca e fui bem avaliada. Vou me empenhar para atuar nesses dois campos. JSJ

Qual o seu recado para os que ainda não concluíram o curso? Rosimeire – A Fisioterapia é uma profissão muito bonita, que alia conhecimento e carinho no cuidado das pessoas. É fascinante saber que, com o uso de técnicas de manipulação adequadas e exercícios programados, você garante bem-estar ao paciente e o ajuda na recuperação. Além disso, o mercado de trabalho é promissor, desde que você se dedique ao aperfeiçoamento.


múltiplos saberes

Grande sucesso no Conic divulgação SEMESP

Congresso de Iniciação Científica reuniu pesquisadores, professores e estudantes, apresentando mais de 1500 trabalhos, na unidade Mooca, no final do ano passado.

Da esq. para dir.: Prof. Francisco Solano Portela Neto, Prof. Luís Antônio Baffile Leoni, Profª Cecília B. Pires Tavares de Anderlini, Prof. Angelo Sebastião Zanini e Prof. Rodrigo Capelato.

Confira os números O Conic 2012 apresentou número recorde de participação. 1.949 trabalhos foram enviados para inscrição e 1.536 foram aprovados para participação no Congresso. Os trabalhos foram produzidos por 2.641 alunos e orientados por 1.117 professores de 232 instituições de ensino superior de diversas regiões do país. Foram apresentados estudos relativos a cincos áreas do conhecimento: 501 de Ciências Biológicas e da Saúde; 48 de Ciências Exatas e da Terra; 415 de Ciências Humanas; 262 de Ciências Sociais Aplicadas; e 310 de Engenharia e Tecnologia. Foram apresentados 664 trabalhos já concluídos e 872 em andamento. A região sudeste teve grande participação: 1.486 estudos oriundos de São Paulo, 134 de Minas Gerais, 33 do Rio de Janeiro e 7 do Espírito Santo.

Gostou? Veja mais no Portal www.usjt.br, Central de Mídia, no link do Jornal São Judas.

Nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, a São Judas sediou a 12ª edição do Conic – Congresso de Iniciação Científica, realizado pelo Semesp – Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior do Estado de São Paulo. O encontro foi considerado um enorme sucesso, com recorde de inscrições e apresentações de trabalhos. Durante a abertura, o professor Luís Antônio Baffile Leoni, diretor da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, falou sobre a importância da iniciação científica para o processo de produção do conhecimento e agradeceu, em nome da São Judas, a oportunidade de sediar o congresso. Já o diretor do Semesp e da Universidade Mackenzie, Prof. Francisco Solano Portela Neto, ressaltou o empenho das mais de 230 instituições participantes, que representaram os diversos estados do país. “O Conic recebe grande número de trabalhos, marcados pela qualidade e inovação, com participação de 80% de universidade privadas e 20% públicas”, destacou. No mesmo dia, a Profª Cecília B. Pires Tavares de Anderlini, diretora do Semesp e das Faculdades Integradas de Botucatu, entregou ao professor Ângelo Sebastião Zanini, diretor da Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas, uma placa comemorativa pelo empenho da São Judas, que apresentou 186 trabalhos. “A inovação move o mundo e cada vez mais devemos aprimorar as pesquisas e promover a iniciação científica entre os jovens”, disse o professor. Rodrigo Capelato, diretor executivo do Semesp, também destacou o grande número de trabalhos apresentados nos últimos anos, o que comprova o interesse dos estudantes na busca de conhecimento original, ampliando o investimento e a atenção dirigida ao evento no Brasil. “Em especial, esta edição bateu o recorde de inscrições, pois foi realizada em uma universidade de alta qualidade, o que é muito importante para nós. Além disso, pudemos observar que a avaliação realizada pelos professores para selecionar os trabalhos a serem expostos está cada vez mais rigorosa, com uma qualidade crescente.” No encerramento, o professor Antônio José da Silva, diretor do Centro de Pesquisa da São Judas, agradeceu a presença de todos durante os dois dias de Congresso, e dirigiu-se diretamente ao Semesp para reconhecer a importância de a São Judas ter sido escolhida como palco desse grande encontro. “Para nós, sediar o Conic foi uma oportunidade especial. Convivemos com alunos e professores de instituições de quase todos os estados do Brasil, que pesquisaram temas diversos e relevantes. Certamente, foi um dos eventos mais importantes ocorridos no ano de 2012, principalmente dentro de um campo fundamental para o desenvolvimento da produção de conhecimento em nosso país: a iniciação científica. A partir deste momento, sinto que ganhamos novo fôlego para estimular ainda mais a produção científica, a partir da enorme motivação gerada entre alunos e professores.” Em seguida, foram anunciados os premiados, divididos entre trabalhos não concluídos e concluídos. março _ 2 0 1 3

13


múltiplos saberes

fotos: cleusa oliveira

Incentivo à boa música

A segunda edição do São Judas Music Festival revelou novos talentos que, no início do ano, gravaram um CD com suas composições. Em 2012, a São Judas realizou a segunda edição do São Judas Music Festival, evento do Programa São Judas Comunidade cujo objetivo é incentivar a cultura musical, buscando evidenciar e valorizar novos talentos. Com apoio da agência J.Cocco e da Rádio Metropolitana FM, as inscrições no concurso totalizaram 206 bandas, de alunos e não alunos, com 42 classificadas para a segunda fase. A grande final ocorreu no dia 25 de novembro, no Salão Nobre do Clube Atlético Juventus, na Mooca, com oito bandas. Os vencedores foram: Ricardo Guimarães, na categoria São Judas - Outros Ritmos; Power Nerds, na categoria São Judas - Ritmo Rock; Antes do Sol, na categoria Livre Outros Ritmos; e Locus, na categoria Livre – Ritmo Rock. Para finalizar o evento, houve um show especial do Capital Inicial. O júri atribuiu pontos de 5 a 10 para os quesitos arranjo, presença de palco e personalidade. Fizeram parte do júri Carlos Augusto Almeida Spencer de Holanda, ex-aluno da São Judas; Maestro Rafael Righini, professor da Universidade São Judas; Daniel Vito, jornalista da Rádio Metropolitana FM e autor do blog papodosom.blogspot.com; Priscilla Cardena, radialista e locutora da Rádio Metropolitana FM; e professora Doralice Aparecida Claudio, coordenadora do Núcleo Pedagógico/ Artes e Música - Leste 4. 14

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

CD e programa na TV São Judas As quatro bandas vencedoras gravaram em conjunto um CD, em janeiro. O maestro Rafael Righini disse estar feliz por ter sido convidado a compor o júri. “Muitas bandas começaram assim, em festivais de universidades. Por isso, admiro a iniciativa que, além de revelar novos talentos, integra funcionários, alunos, ex-alunos, enfim, todos que fazem parte da nossa comunidade acadêmica”, afirmou. Silvia Cavalli, professora do curso de Rádio e TV e responsável pela TV São Judas, concorda. “Festivais são a oportunidade para os alunos mostrarem a música que sabem fazer e para incentivar a produção musical. A TV São Judas está aqui, junto, para mostrar ao público o trabalho dessas bandas. As vencedoras vão gravar um programa para a TV posteriormente”, disse. Jaime Tefé, vocalista da banda Power Nerds e ex-aluno de Sistemas de Informação, gostou do evento pela chance que oferece às bandas autorais. “A maioria dos outros festivais é voltada para bandas cover”, lembrou. Andréia Savarego, vocalista da banda Antes do Sol, gostou da oportunidade oferecida para quem não é aluno da Universidade. Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital Inicial, deu um recado a todos que participaram: “Se vocês não foram selecionados, não desistam, porque um dia dará certo. Nós e a Legião Urbana tentávamos entrar em festivais de música de universidades e éramos frequentemente barrados. Esperamos encontrar com vocês profissionalmente um dia”. O show trouxe os grandes sucessos da banda e levantou o público, de cerca de três mil pessoas.


25 anos de muita história

fotos: Ana Fuccia

múltiplos saberes

Em clima de gala, 29 professores e funcionários foram homenageados pelas duas décadas e meia de serviços prestados à Universidade. O dia 1º de fevereiro de 2013 ficará marcado para sempre na memória de todos os presentes à festa em homenagem aos professores e funcionários da Universidade que completaram 25 anos de casa. Na ocasião, eles receberam a Medalha Prof. Alberto Mesquita de Camargo e participaram de um jantar com música ao vivo. Um dos pontos altos do evento foi a participação especial da Profª Alzira Altenfelder Silva Mesquita. Aos 96 anos, a Chanceler emocionou a todos com o seu discurso de agradecimento. Ela destacou o profissionalismo e a dedicação dos docentes e funcionários e, com suas palavras de carinho, acabou levando boa parte da plateia às lágrimas. Um pouco de memória Após a solenidade de abertura, realizada pelo Reitor da Universidade, Prof. José Christiano Altenfelder Silva Mesquita, a noite foi marcada por uma sequência de discursos calorosos. A Pró-reitora de Extensão, Profª Lilian Brando Garcia Mesquita, enumerou alguns dos principais fatos históricos que marcaram o país e a trajetória da São Judas ao longo dos últimos 25 anos. Entre eles, os anos finais do Governo Militar, a Nova Constituição do Brasil, a queda do Muro de Berlim, as primeiras tecnologias ao alcance dos professores, a mudança de status de faculdade para universidade, a criação de novos Confira a relação de docentes e funcionários cursos, a ampliação do quadro de docentes, o fortalecimento do Centro de homenageados Pesquisa e de Extensão, o primeiro curso de Mestrado e também o Doutorado. “A Universidade não nasceu de uma simples Profª Rita de Cássia Celentano Professores: assinatura, mas do esforço e compromisso dos Prof. Selmo Bernardo Torquetto Prof. Agnaldo Brabo Furtado docentes e funcionários aqui homenageados. Profª Sonia Maria de M. T. Rossini Prof. Angelo Sebastião Zanini Nasceu na construção de um saber baseado no Prof. Wilson Takahashi Prof. Armando Luiz Pereira da Costa Miranda tripé ensino-pesquisa-extensão, e na consolidação Profª Zenaide Caciare Pereira Prof. Carlos Alberto G. Pegollo de um projeto cujo propósito é contribuir com o Prof. Cesar Farid Haddad desenvolvimento humano dos estudantes que aqui Funcionários: Prof. Flávio dos Santos (in memorian) estão e continuam a chegar”, enfatizou a Pró-reitora. Prof. Gediael Felipe da Silva Ana Carolina Sosa Testa Nos momentos finais da premiação, o Prof. José Carlos Jadon, diretor da Prof. Hélio Francisco Corrêa Lino Ana Lúcia Ramos de Oliveira Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, e o coordenador dos cursos de Prof. João Miguel Caparroz José Renato Pereira Ciências Contábeis e Ciências Econômicas, Prof. José Miguel Caparroz, fizeram Prof. Júlio César Lucchi Marisa Severino da Silva uma homenagem póstuma ao Prof. Flávio Santos, docente do curso de Ciências Profª Lóris Graldi Rampazzo Ronaldo Rubens Pinto de Faria Econômicas, que completaria 25 anos de casa. Eles lembraram não apenas do Prof. Luiz Aparecido Toledo mestre, que deixou enorme legado, mas da pessoa amável e querida por todos. Prof. Luiz Tomaz Filho A medalha comemorativa foi entregue ao seu filho, Eric Fabiano dos Santos. Prof. Marcos Anselmo Paulesini Gostou? Em seguida à cerimônia, foi oferecido um jantar aos 296 convidados presentes, Profª Maria Aparecida Bento Veja mais no Portal entre diretores, coordenadores de cursos, docentes, funcionários e seus www.usjt.br, Central Profª Maria Luisa Gomes da Silva Mancini de Mídia, no link do familiares, o que selou o reconhecimento e a amizade, marcas da parceria entre Prof. Mário Sarbu Jornal São Judas, a Universidade São Judas e todos os seus colaboradores. Prof. Nicolino Bello Junior Profª Paula de Vincenzo F. B. Mattos

a galeria de fotos, com os momentos marcantes do evento.

março _ 2 0 1 3

15


você faz

Opção pela sustentabilidade Nem sempre é fácil acreditar na força das próprias ideias, principalmente quando um bom emprego Eletrotécnica Rafael Henrique está em jogo. Rafael Henrique Siqueira Rodrigues, deixou o emprego para apostar ex-aluno de Engenharia Eletrotécnica, formado num empreendimento sustentável. em 2008, acreditou. Ele é o idealizador da S.O.S. Sustentabilidade (Sistemas Organizados para a Sustentabilidade), cujo objetivo é difundir e aplicar os conceitos de sustentabilidade na prática. A ideia surgiu na faculdade, quando Rafael percebeu que o tema era, de fato, uma ferramenta para fazer do mundo um lugar melhor. O ex-aluno trabalhou durante alguns anos com projetos de automação industrial e gerenciamento de riscos, em seguradoras e depois na AES Brasil. Apesar de estar em um ótimo emprego, com salário maior do que a média do mercado para sua idade, Rafael resolveu abrir a S.O.S., em 2011. Um dos fatores que o levou a encarar de vez o projeto foi o desejo de inserir a prática da sustentabilidade nos processos de trabalho. Os projetos da S.O.S. giram em torno da cadeia da coleta seletiva. “Transformamos o que é problema, como o lixo, em solução”, conta Rafael. Ele exemplifica: “Numa caneta, existe um passivo ambiental, mas isso normalmente não é contabilizado. Você pode utilizar o resíduo como recurso para gerar inclusão social e renda. Fazemos isso por meio de diferentes processos”, explica. A ONG tem nove projetos, entre eles o Muro Consciente. Trata-se de um conjunto de ações que utiliza muros de escolas como PEVs (pontos de entrega voluntária) para promover a conscientização ambiental de toda a comunidade escolar e da população do entorno, estimulando a separação correta do material reciclável e dando subsídios para que a coleta aconteça de maneira eficaz. Isso é feito por meio de um programa de educação ambiental na escola e da adaptação física do muro em questão, o que inclui um grafismo em sua parte externa. Recentemente, a S.O.S. lançou um projeto denominado Ecoworking, um escritório colaborativo, onde fica a sede da S.O.S, que permite o compartilhamento de saberes e oportunidades, além de dividir solidariamente os custos. “A intenção é proporcionar a organizações sociais que atuam com sustentabilidade a oportunidade de terem uma infraestrutura adequada de trabalho com baixo custo, de maneira a auxiliá-las a maximizar seus impactos sociais”, explica Rafael. Toda essa história já rendeu a Rafael um prêmio, o YouthActionNet®, no ano passado. O prêmio foi lançado em 2001 pela International Youth Foundation, que investe no talento de jovens empreendedores sociais ao redor do mundo. Para receber o prêmio, ele viajou até a Turquia, onde fez contato com jovens Gostou? Veja mais no Portal dos mais variados lugares que têm projetos parecidos com o dele. “Aposto num www.usjt.br, Central mundo sustentável, com melhor distribuição de renda, e numa sociedade mais de Mídia, no link do equilibrada, que preserva melhor os recursos ambientais”, afirma. Jornal São Judas. O ex-aluno de Engenharia

16

JORNAL DA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS

agenda

MARçO 01/03 XIII Encontro Paulista de Farmacêuticos. No Aud. do Térreo, das 8h às 17h. 04/03 Aula de Apresentação de Comércio Exterior. No Aud. do Térreo, das 19h às 21h. Aula de Apresentação de Farmácia. No Aud. da Reitoria, das 8h às 12h e das 19h às 21h. 06/03 Aula Inaugural de Fisioterapia. No Aud. da Reitoria, das 19h às 22h. 09/03 Palestra de Administração de Empresas. No Aud. do Térreo, das 8h às 12h. 11/03 Aula de Apresentação de Arquitetura e Urbanismo. No Aud. do Térreo, das 9h às 12h. Aula de Apresentação de Comunicação Social e Desenho Industrial. No Aud. do Térreo, das 19h às 22h. 11 a 21/03 Exposição de maquetes de Arquitetura e Urbanismo. No Saguão do Térreo, período integral. 12/03 Aula de apresentação de Adm. e Comex. No Aud. do Butantã, das 19h às 22h. 13/03 Aula de Apresentação dos cursos de Arquitetura, Comunicação Social e Desenho Industrial. No Aud. do Térreo, das 8h às 12h.

16/03 Palestra de Administração de Empresas. No Aud. do Térreo, das 8h às 12h. Palestra de Administração de Empresas. No Aud. do Butantã, das 13h às 16h. 18 a 20/03 Integração do curso de Ciências Contábeis. No Aud. do Butantã, das 19h às 22h. 21/03 Aula Inaugural de Filosofia. No Aud. da Reitoria, das 19h às 22h. 23/03 Palestra de Administração. No Aud. do Térreo, das 8h às 12h. 25 a 28/03 Integração do curso de Ciências Contábeis. No Aud. do Térreo, das 19h às 22h. 26/03 Ação de cadastramento Ernst & Young/ DIUE. No Saguão do Térreo, das 17h às 22h. Aula de Apresentação da diretoria da Faculdade de Letras, Artes, Comunicação e Ciências da Educação. No Aud. do Butantã, das 9h às 12h e das 19h às 22h. 27/03 Ação de cadastramento da Ernst & Young - No Saguão do Térreo, das 17h às 22h.

Aula Magna de Design. No Aud. do Térreo, das 19h às 22h. 14/03 Recepção aos Calouros de Nutrição. No Aud. da Reitoria, das 8h às 12h e das 19h às 22h. Aula de Apresentação dos cursos de Letras, Pedagogia e Desenho Industrial. No Aud. do Térreo, das 19h às 22h. 15/03 Aula de Apresentação de Administração de Empresas. No Aud. do Térreo, das 19h às 21h. Recepção aos calouros de Ciências Biológicas. No Aud. da Reitoria, das 8h às 12h e das 19h às 22h.

Unidade Mooca Unidade Butantã Externa

Confira a agenda atualizada no portal www.usjt.br

Jornal São Judas Edição 188  

Jornal mensal da Universidade São Judas

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you