Page 1

Edição para a EUROPA

A RIVISTA QUE CONSTRÓI A SUA VIDA

Abril 2019 / Edição 783

evangélico www.impactoevangelistico.net

DEVOCIONAL

FAZENDO VÃ A CRUZ

INTERNACIONAL

BASTA À IDEOLOGIA DE GÊNERO

TESTEMUNHO

NAS GARRAS DE UM BRUXO

PUBLICAÇÃO OFICIAL DO

MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL

A verdade sobre o corpo de cristo

O MISTÉRIO DO

TÚMULO


MISIONÁRIO MUNDIAL 2 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


EDITORIAL

TRIUNFANTES EM CRISTO Rev. José Arturo Soto B. Presidente Internacional do M.M.M.

“E graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em todo o lugar a fragrância do seu conhecimento”. 2 Coríntios 2:14

O

Espírito Santo nos revela Jesus Cristo como

mas sempre levantará o olhar para o céu, para a espe-

Salvador, e nos convence de pecados e de juízo.

rança de glória com a certeza de que nosso Redentor

Sem Ele, nunca poderíamos chegar aos pés de Cristo.

vive.

Uma vez dado este primeiro passo de fé, o Espírito

Nós valemos muito perante os olhos de Deus. Por

Santo nos edifica e nos dá a conhecer as verdades ou os

isso o apóstolo rogava a Deus: “Para que Cristo habite

mistérios de Deus. Por meio de Ele levamos uma vida

pela fé nos vossos corações; a fim de, estando enraiza-

de fé triunfante que nos permite acabar nossa carreira

dos e fundados em amor, poderdes perfeitamente com-

com gozo (2 Timóteo 4:7-8).

preender, com todos os santos, qual seja a largura, e o

Amados leitores, o Espírito Santo vai além de falar em línguas e de fazer milagres. A Terceira Pessoa da Trindade quer nos formar segundo a estatura da plenitude de Cristo, e pôr em nós o mesmo sentir que houve em Jesus. Também o Espírito de Deus infunde e renova em nós de forma constante a esperança da ressurreição. Sem esta esperança, nossa fé é vã. Quando a vida dos crentes começa a ser atraída pelo mundo é porque estão afastando seu olhar da herança celestial para tentar mudar nosso mundo em algo melhor. De que nos serve, pois, ser grandes ou influentes nesta terra se somos peregrinos nela? O diabo não pode enganar quem sabe em quem confia. Um pode perder tudo e padecer os piores males,

comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus” (Efésios

3:17-19). Deus se regozija quando nos vê resistir os ataques do inimigo. Ele não se impressiona com os sucessos dos homens neste mundo, mas ao nos ver apagar os dardos de fogo de Satanás com o escudo da fé. O poder que o Espírito Santo nos deu é aquele que levantou Cristo dos mortos (Romanos 8:11). A vitória de nosso Redentor foi completa, e também tem que ser a nossa. Este poder nos garante o triunfo sobre nossos inimigos, sobre a morte, e nos faz coerdeiros com Cristo. Deus os abençoe e os leve de vitória em vitória, de triunfo em triunfo, e de poder em poder. Amém.

Abril 2019 / Impacto evangélico

3


www.impactoevangelistico.net

evangélico Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz ABRIL 2019 / EDIÇÃO N° 783 USPS 012-850) PUBLICAÇÃO OFICIAL DO MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL O World-Wide Missionary Movement, Inc. é uma igreja sem fins lucrativos, com uma visão para fundar novas igrejas nos Estados Unidos da América e seus territórios e também com uma visão missionária para fundar novas igrejas onde Deus abre novas portas em todo o Mundo. PUBLICAÇÃO MENSAL POR: Movimiento Misionero Mundial, Inc (Movimento Missionário Mundial, Inc.) San Juan, Porto Rico Washington, D.C. Postagem Periódica pagada a: San Juan, Porto Rico 00936

AGENTE DO CORREIO:

enviar variações de endereço a Impacto Evangélico P.O. BOX 363644 San Juan, Porto Rico 00936-3644 Telefono (787) 761-8806; 761-8805; 761-8903 OFICIAIS DO M.M.M. INC. Rev. José Soto Presidente Rev. Humberto Henao Vicepresidente Rev. Rubén Concepción Secretário Rev. Gustavo Martínez Tesoureiro Rev. Rómulo Vergara Diretor Rev. Luis Meza Diretor Rev. Clemente Vergara Diretor Rev. Carlos Guerra Diretor OBRAS ESTABLECIDAS EM: África do Sul Alemanha Argentina Aruba Austrália Áustria Bélgica Belize Bolívia Bonaire Brasil Camarões Canadá Chile Colômbia Congo Costa do Marfim Costa Rica Curaçao Dinamarca El Salvador Equador Espanha EUA Filipinas

Finlândia França Gabão Gana Guatemala Guiana Francesa Guiana Inglesa Guiné Equatorial Haiti Havaí (EUA) Holanda Honduras Ilha de San Andrés (Col.) Ilha Rodrigues Ilhas Canárias (Espanha) Índia Inglaterra Israel Itália Jamaica Japão Kuwait Madagáscar

O Movimento Missionário Mundial é uma organização religiosa sem fins lucrativos, devidamente registrada em San Juan, Porto Rico, e na capital federal, Washington DC com sede nas duas cidades, bem como em todos os estados da União Americana e em outros países onde temos obras missionárias estabelecidas. Importante As ofertas e doações em dinheiro, computadores, imóveis, legados em testamento, para o benefício desta obra do Movimento Missionário Mundial, Inc. são dedutíveis do imposto de renda (Income Tax) e os recibos emitidos pelo Movimento Missionário Mundial são reconhecidos pela Diretoria das Rendas Internas (IRS), do Governo Federal dos Estados Unidos da América e do Estado Livre Associado de Porto Rico. n

Visite o nosso website Obtenha informação edificante da Obra de Deus e fique a par das últimas notícias. Um acesso personalizado a partir de qualquer lugar do mundo: www.impactoevangelistico.net n

Se você quiser Escreva-nos para o nosso endereço postal: Movimiento Misionero Mundial, Inc. P.O. Box 363644 San Juan, P.R. 00936-3644 n

Malásia Maurício México Mianm o valor da vida ar Nicarágua Nigéria Oman Panamá Paraguai Peru Porto Rico Portugal República Dominicana Roménia Saint Martin Suécia Suíça Suriname Trinidad e Tobago Ucrânia Uruguai Venezuela

Copyright © 2009 Impacto Evangélico Movimiento Misionero Mundial, Inc. (World-Wide Missionary Movement, Inc.) Todo o conteúdo da revista e cada edição subseqüente está devidamente registrada na Biblioteca do Congresso, Washington, DC EUA. Todos os direitos reservados. A reprodução parcial, completa ou em qualquer forma ou sua tradução para outros idiomas sem a autorização do Diretor é proibida. No âmbito dos acordos internacionais de direitos autorais é um crime punível por lei n

Declaração Doutrinária O Movimento Missionário Mundial adere às doutrinas fundamentais da Bíblia, tais como: n

Depósito Legal na Biblioteca Nacional do Peru N ° 2011-02530 Igreja Cristã do Pentecostes do Movimento Missionário Mundial: Horacio Cachay 388 - La Victoria - Lima 13 - Peru Impressão: Quad/Graphics Perú S.A. Av. Los Frutales 344 - Lima 03 - Perú MISIONÁRIO MUNDIAL 4 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

• A inspiração das Escrituras Sagradas: 2 Timóteo 3:15-17, 2 Pedro 1:19-21. • A Divindade adorável em Três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo: Mateus 3:16-17, 17: 1-5; 28:19 João 17: 5, 24, 26, 16:32, 14:16, 23, 18:05, 6, 2 Pedro 1:17,18; Apocalipse 5. • A salvação pela fé em Cristo: Lucas 24:47, João 3:16, Romanos 10:13, Tito 2:11, 3:5-7. • O Novo Nascimento: João 3:3, 1 Pedro 1:23, 1 João 3:9. • A Justificação pela Fé: Romanos 5:01, Tito 3:07. • O Batismo nas águas por imersão, segundo ordenado por Cristo: Mateus 28:19, Atos 8:36-39. • O Batismo no Espírito Santo, subseqüente à salvação, falando em outras línguas, segundo: Lucas 24:49, Atos 1:4, 8, 02:04. • A Cura Divina: Isaías 53:4, Mateus 08:16, 17, Marcos 16:18, Tiago 5:14, 15. • Os Dons do Espírito Santo: 1 Coríntios 12:1-11. • Os frutos do Espírito Santo: Gálatas 5:22-26. • A Santificação: 1 Tessalonicenses 4:03, 5:23, Hebreus 0:14, 1 Pedro 1:15, 16, 1 João 2:6. • O Ministério e a Evangelização: Marcos 16:15-20, Romanos 10:15. • O dízimo e a Sustentabilidade da Obra: Gênesis 14:20, 28:22, Levítico 27:30, Números 18:21-26, Malaquias 3:7-10, Mateus 10:10; 23:23. • A ascensão da Igreja: Romanos 8:23, 1 Coríntios 15:51 - 52, 1 Tessalonicenses 4:16-17. • A Segunda Vinda de Cristo: Zacarias 14:1-9, Mateus 24:30, 31, 2 Tessalonicenses 1:07, Tito 2:13, Judas 14, 15. • O Reino Milenar: Isaías 2:1-4, 11:5-10, Zacarias 9:10, Apocalipse 19:20, 20:3-10. • Novos Céus e Nova Terra: Isaías 65:17, 66:22, 2 Pedro 3:13, Apocalipse 21:1.


30

HERÓI DA FÉ

SOMMARIO Encontrar-nos em

www.facebook.com/impactoevangelistico

6.- Nota de capa O CORPO DE CRISTO FOI

ROUBADO DE SEU TÚMULO? Conheça como os céticos reagiram respeito à ressurreição. Alguns afirmam que alguém roubou o corpo de Cristo e que isso gerou relatos incríveis. É possível? 14.- nfográfica O TÚMULO DE CRISTO AO LONGO DO TEMPO Os detalhes do provável túmulo de Jesus, o lugar mais venerado do mundo cristão. 16.- Internacional EM DEFENSA DA VIDA E DA FAMÍLIA 3° Congresso Ibero-Americano pela Vida e pela Família ratificou sua luta contra a ideologia de gênero. 18.- Atualidade O CRISTIANISMO CONTRA O INFANTICÍDIO Um artigo do jornal ABC destaca o papel dos crentes na erradicação do infanticídio no século IV. 20.- Juventude EXISTE AMIZADE ENTRE HOMEM E MULHER? Entre jovens de diferente sexo a amizade pode ser tão possível como não. 22.- Mulher O SILÊNCIO DE DEUS Muitas vezes, o silêncio do Senhor é sinal de desgosto. Para que não deixe de nos falar, é necessário cumprir certas condições. 24.- Música JUBILOSOS, TE ADORAMOS Hino que expõe o gozo que cobre os fiéis de Deus pela criação do Todo-Poderoso.

26.- Literatura HERÓIS DA FÉ

Recopilação das biografias de vinte dos mais destacados personagens da história do cristianismo moderno. 30.- Herói da fé O MISSIONÁRIO INGLÊS Dixon Edward Hoste demonstrou que com tolerância e orações era possível mover os homens na fé. 34.- História de vida ATRAPALHADO NAS GARRAS DE UM BRUXO Uma doença o levou a acudir ao diabo para melhorar, mas tudo foi uma fraude. Unicamente se recuperou quando conheceu o Evangelho. 40.- Entrevista “A DOUTRINA MANTÉM A OBRA” O reverendo Gustavo Martínez, Tesoureiro Internacional do Movimento Missionário Mundial, realizou um resumo dos 56 anos da Obra. 42.- Apologética O MORMONISMO É UMA SEITA? Os mórmons estão envolvidos em uma religião falsa que distorce a natureza de Deus, Jesus Cristo e o significado da salvação. 44.- Devocional FAZENDO VÃ A CRUZ DE CRISTO 46.- Devocional NÃO HÁ NADA A TEMER 48.- Devocional A IGREJA EM PÉRGAMO 50.- Eventos O TRABALHO EVANGELIZADOR DESENVOLVIDO PELO MMM NO MUNDO 66.- Cartas NOSSOS LEITORES NOS ESCREVEM

Abril 2019 / Impacto evangélico

5


NOTA DE CAPA

O CORPO DE CRISTO FOI ROUBADO DE SEU TÚMULO?

Como os críticos da ressurreição de Cristo responderam? Alguns céticos afirmam que alguém deve ter roubado o corpo de Jesus de seu túmulo dando margem assim às estórias de uma ressurreição miraculosa. Isso é possível? Rev. Gary W. Jensen (*)

MISIONÁRIO MUNDIAL 6 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


Abril 2019 / Impacto evangĂŠlico

7


NOTA DE CAPA Não há dúvida de que o túmulo de Jesus Cristo

estava misteriosamente vazio. Como Paul Althaus disse: “… a mensagem da ressurreição não resistiria um dia, ou uma hora sequer, em Jerusalém, se não se houvesse estabelecido com toda certeza o fato do túmulo estar vazio…”.[1] O doutor Craig observou que “em nenhum lugar, nem mesmo na polêmica judaica, aparecem tradições conflitantes sobre o fato do túmulo se encontrar vazio”.[2] Pelo menos um cético (Dr. John Dominic Crossan) erradamente afirmou que a lei romana automaticamente proibia o sepultamento de Jesus, sendo que ele teria sido jogado em uma vala comum, anônimo. Esta afirmação é insustentável. Raymond Brown mostrou que a política romana para o sepultamento variava com as circunstâncias e abria a possibilidade de enterro pessoal para alguns dos crucificados.[3] Afirmar que o corpo não foi levado para um túmulo também nega os consistentes protestos judeus de que o corpo teria sido removido do mesmo.[4] Além do que os Evangelhos não conseguiriam inventar com sucesso um proprietário para o túmulo tão específico como o membro do Sinédrio Judeu José de Arimateia (Marcos 15:43). Se os Evangelhos não estivessem corretos neste ponto eles não seriam capazes de fazer frente à correção e ridículo que se levantaria por parte dos judeus. Como os críticos da ressurreição de Cristo responderam? Alguns céticos afirmam que alguém deve ter roubado o corpo de Jesus de seu túmulo dando margem assim às estórias de uma ressurreição miraculosa. Isso é possível? OS JUDEUS E OS ROMANOS

Nem os líderes judeus nem os líderes romanos, que guardavam o túmulo (Mateus 27:62f) poderia ter levado o corpo. Ao contrário, ambos tinham motivos de sobra para exibir o corpo em público humilhando assim os discípulos e destruindo seu incipiente movimento. E desde de que a cena em questão se passara em Jerusalém, estava no poder completo desses líderes encontrar o corpo caso ele existisse. Mas, para a frustração dos mesmos, nenhum corpo jamais foi encontrado. Se os judeus tivessem escondido o corpo, certamente eles o teriam exibido no Dia de Pentecostes quando toda a Jerusalém estavam em polvorosa por causa do sermão de Pedro sobre a ressurreição de Cristo. OS SEGUIDORES DE CRISTO

Do mesmo modo, é altamente improvável que os seguidores de Jesus tivessem sido capazes de remover o corpo com uma guarda romana protegendo o túmulo e uma pedra gigantesca colocada em sua entrada. E também não se pode creditar a eles a invenção dos guardas dormindo como registrado em Mateus 28:11f. A história serviria apenas como propaganda caso os guardas tivessem permanecido acordados. E porque os discípulos (ou quaisquer outras pessoas) iriam arriscar as suas vidas para roubar o corpo de Cristo. O registro MISIONÁRIO MUNDIAL 8 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


Abril 2019 / Impacto evangĂŠlico

9


NOTA DE CAPA

Seria loucura esconder o corpo e engendrar uma ressurreição. As consequências da lealdade dos discípulos a Jesus incluíram espancamentos, aprisionamento e mesmo morte. Nenhuma pessoa, em sua sã consciência escolhe passar por isso para manter algo que sabem ser falso. Sobre pressão, mentirosos confessam seus engodos e traem seus companheiros.

MISIONÁRIO MUNDIAL 10 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


bíblico mostra como os discípulos estavam amedrontados, desencorajados e desesperançados. O único motivo seria uma tentativa de enganar outras pessoas. Mas, tudo o que lemos sobre esses homens indica que eles eram bons e honestos. Como eles poderiam, pelo resto de suas vidas, pregar algo que eles sabiam ser uma mentira? E, ainda mais, eles iriam ser capazes de sofrer tanto e se sacrificar por algo que eles tinham por certo ser um engodo? Seria loucura esconder o corpo e engendrar uma ressurreição. As consequências da lealdade dos discípulos a Jesus incluíram espancamentos, aprisionamento e mesmo morte. Nenhuma pessoa, em sua sã consciência escolhe passar por isso para manter algo que sabem ser falso. Sobre pressão, mentirosos confessam seus engodos e traem seus companheiros. O explosivo crescimento da Igreja é uma forte evidência da ressurreição de Cristo. Significantemente, não foram os poderosos, mas as pessoas comuns, com toda a oposição pesando contra elas que transformaram o Império Romano através da mensagem da ressurreição (1 Coríntios 1:26f). Quem poderia prever que esse fato “impossível” pudesse ocorrer? Ainda assim, ele aconteceu![5] O fato de que o Cristianismo se originou no Judaísmo[6] é outra evidência para a ressurreição. O renomado arqueólogo William F. Albright observou o seguinte: “Em minha opinião, cada livro do Novo Testamento foi escrito por um judeu batizado entre os anos quarenta e oitenta do primeiro século A.D.”[7]

O explosivo crescimento da Igreja é uma forte evidência da ressurreição de Cristo. Significantemente, não foram os poderosos, mas as pessoas comuns, com toda a oposição pesando contra elas que transformaram o Império Romano através da mensagem da ressurreição (1 Coríntios 1:26f) […]

AS SEIS OBJEÇÕES MAIS COMUNS Levantadas pelos críticos da ressurreição de Cristo… • A ressurreição de Jesus Cristo é um mito, e não uma história real. • As histórias da ressurreição estão cheias de contradições. • Milagres não são possíveis. • O corpo foi roubado. • Jesus somente desmaiou e depois se recuperou de suas feridas. • As testemunhas estavam apenas “vendo coisas”.

Abril 2019 / Impacto evangélico

11


O preconceito judeu para com o Jesus do Novo Testamento era enorme. O que poderia levar judeus a aceitarem um “criminoso” que fora vergonhosamente crucificado (Gálatas 3:13) como o seu Messias prometido se eles esperavam um libertador no sentido militar? E mais, o que poderia convencer judeus a quebrar suas convicções monoteísticas[8] e adorar Jesus como Deus, o Filho (João 1:18), ou mudar o seu dia de adoração do sábado para o domingo (Atos 20:7)? Um mero mito inventado não teria poder para derrubar tais esperanças e tradições. “Jesus era tão diferente daquilo que todos os judeus esperavam que o Filho de Davi fosse que seus próprios discípulos achavam quase impossível ligar a ideia do Messias a ele” [9] (Millar Burrows) Foi a ressurreição de Jesus, como declara o Novo TestamenMISIONÁRIO MUNDIAL 12 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

to, que se sobrepôs a esta impossibilidade (Atos 2:24). A CONVERSÃO DE SAULO

Adicionalmente, a conversão de Saulo de Tarso aponta para um milagre instantâneo. Inicialmente um violento inimigo da Igreja (Atos 8:3; 9:1, Gálatas 1:13), ele se tornou de forma inusitada um servo de Jesus. Escolhendo o sofrimento por amor a Cristo (2 Coríntios 11:23f), Paulo (ele teve seu nome mudado) desistiu de tudo o que tinha, passou por perseguições sem conta e pregou o evangelho cidade após cidade no caminho para Roma, onde morreu como um mártir. Ele foi a pessoa de maior influência sobre o curso da história do Império Romano no primeiro século excetuando-se Jesus Cristo.[10]


NOTA DE CAPA haviam visto Jesus vivo novamente. O perito em legislatura Dr. Simon Greenleaf, fundador da Harvard Law School, nota: “ Propagandeando essa nova fé, mesmo do modo mais inofensivo e pacífico, [os primeiros cristãos receberam] desprezo, oposição … e mortes cruéis. Mesmo assim eles propagaram essa nova fé zelosamente e suportaram todas as dificuldades sem se desesperarem e se regozijando com elas. E mesmo quando, um após o outro, iam sendo mortos, aqueles que sobreviviam somente [continuavam] o seu trabalho com mais vigor e resolução… Raramente os anais de conflitos históricos mostram tal exemplo de constância e paciência heroicas e indisputável coragem… Se fosse moralmente possível que eles tivessem sidos enganados nesta matéria, todos motivos humanos cooperariam para fazê-los descobrir e evitar o seu erro. A partir dessas [considerações] não há escape a não ser a perfeita convicção e admissão de que eles eram bons homens, testificando o que eles haviam cuidadosamente observado … e sabiam bem ser a verdade”. [12] O Dr. Greenleaf é considerado como um dos maiores juristas dos Estados Unidos. Ele era, anteriormente, aberto e completamente cético sobre o Cristianismo e tomou como objetivo para si desaprovar a deidade de Cristo. No final de suas pesquisas ele concluiu que a ressurreição era verdadeira “além de qualquer dúvida razoável”. Greenleaf tornou-se um cristão após estudar a evidência por si próprio. Muitos outros grandes juristas concordam com Greenleaf que, se o caso da morte e ressurreição de Cristo fosse levado a julgamento, ele venceria sem sombra de dúvida. As suas reivindicações são bem estabelecidas e verificadas por provas independentes e convergentes. Fuente: https://christiananswers.net/portuguese/

OS OUTROS APÓSTOLES

Os outros apóstolos, também, superaram o medo e enfrentaram sofrimento, prisões e mesmo a morte ao proclamarem as boas novas de um Cristo ressurreto pelo mundo. Seria possível imaginar que essas pessoas pudessem morrer tão bravamente por um mero mito? “Cada um dos discípulos, exceto João, morreu como um mártir … por causa da tenacidade de suas crenças e declarações”, observa o pesquisador Josh McDowell.[11] Em contraste com outros que têm morrido por uma esperança inverificável além da morte (p. ex., místicos buscando a reencarnação e militantes mulçumanos esperando recompensas de Alá), os discípulos de Jesus viveram e morreram por uma afirmação verificável de que o túmulo estava vazio e que eles

Referências e notas [1] Paul Althaus em Wolfhort Pannenberg, Jesus-God and Man (SCM Press, 1968), p. 100. [2] Dr. Craig em M. Wilkins e J.P. Moreland, editores, Jesus Under Fire (Grand Rapids, Michigan: Zondervan, 1995), p. 149. [3] Raymond Brown, The Death of the Messiah, Vol. II (New York: Doubleday, 1994), p. 1205f. [4] Veja Justin Martyr, “Dialogue with Trypho,” e o “Toledoth Yeshu,” um conto judeu de que o proprietário do túmulo vendeu o corpo de Jesus que depois teria sido arrastado pelas ruas da cidade. Ambas estórias são discutidas por Gary Habermas em Gary R. Habermas and Anthony G.N. Flew, Did Jesus Rise From the Dead?—toda a transcrição, Terry L. Miethe, editor (San Francisco: Harper & Row, 1987), p. 99f. [5] "Que o movimento cristão tenha sido bem-sucedido ao ponto de que homens humildes que pescavam no Mar da Galileia sejam hoje mais conhecidos dos que os próprios Césares que regeram o mundo é tão espantoso que seria inacreditável se não soubéssemos ser este o caso." [Elton Trueblood, Philosophy of Religion (Harper and Brothers, 1957), p. 140.] [6] Atos 2:5-43, 6:7. [7] William F. Albright em uma entrevista para o Christianity Today (18 de janeiro de 1963), p. 3. [8] O "monoteísmo", como especificado em Deuteronômio 6:4 ("O Senhor nosso Deus é o único Senhor"), colocou a crença de Israel em contraste como o politeísmo de seus vizinhos. Em princípio, aparentemente, ele excluía até a reivindicação de deidade feita por Jesus. Na realidade, entretanto, a mesma palavra hebraica para "único" é usada em Gênesis 2:24 ("dois se tornarão uma só carne"), Josué 9:2, e Juízes 20:1, e implica uma unidade composta. Assim, mesmo que o preconceito judeu se opusesse fortemente às reivindicações de Jesus, a palavra em questão permite e até implica tal possibilidade. [9] Millar Burrows, More Light on the Dead Sea Scrolls (Viking Press, 1958), p. 68. [10] Sir William Ramsey, citado por Wilbur Smith, Therefore Stand (Wilde, 1945), p. 246f. [11] Josh McDowell, editor, Evidence that Demands a Verdict (San Bernardino, California: Campus Crusade for Christ, 1972), p. 255. [12]. Simon Greenleaf, The Testimony of the Evangelists (Kregel, 1995 - reimpressão da edição de 1847), pp. 31-32.

Abril 2019 / Impacto evangélico

13


O TÚMULO DE CRISTO AO LONGO DO TEMPO

34 – 135 d.C.

325 – 327 d.C.

Veneração do túmulo vazio de Jesus por parte dos cristãos.

Constantino e Elena promovem a busca do túmulo de Jesus. Para isso, foi destruído o templo de Vênus.

336 d.C.

135 - 325 d.C. Adriano ordenou no ano 135 enterrar a zona e construir um templo para Vênus.

MISIONÁRIO MUNDIAL 14 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

Isolamento do túmulo de Jesus e seu revestimento com uma edícula por parte dos arquitetos de Constantino Tomando-o como centro, foi projetado um mausoléu circular.


FONTE: Custodia Terrae Sanctae e National Geographic

O provável túmulo de Jesus Cristo é o lugar mais venerado do mundo cristão, consiste atualmente de um leito mortuário de calcário que foi talhado na parede de uma caverna. Pelo menos desde 1555, mas provavelmente desde séculos anteriores, esse leito mortuário se encontra protegido com uma coberta de mármore, supostamente para impedir que os peregrinos arrancassem fragmentos da rocha original como relíquias.

1114 – 1167

1810.

2016 – 2017.

Durante os estados cruzados, ampliação da restauração que o imperador bizantino Constantino Monômaco tinha propiciado no século XI.

Reconstrução da edícula que tinha sido afetada por um incêndio.

Restauração completa do pavilhão.

1974. 1555. Restauração da edícula com estilo gótico.

Durante o protetorado britânico, colocação de vigas de aço a causa de um possível derrubamento da edícula.

Abril 2019 / Impacto evangélico

15


INTERNACIONAL

EM DEFESA DA VIDA E DA FAMÍLIA Por terceiro ano consecutivo se celebrou o Congresso Ibero-Americano pela Vida e pela Família, no qual os participantes assinaram uma declaração para ratificar sua luta contra a ideologia de gênero e exigir que as organizações internacionais brindem um espaço de diálogo franco e construtivo em vez de impor seus ideais contra a família. Mais de duas centenas de representantes de 17 países se reuniram no Panamá para denunciar as “inicia-

tivas neocolonialistas” dos organismos internacionais que oferecem apoio financeiro em troca de modificações legislativas que impulsionam a ideologia de gênero. Além disso, ratificaram seu compromisso com a vida e a família, a justiça, o desenvolvimento e a liberdade, bem como com a defesa das liberdades civis que novamente hoje se encontram ameaçadas. “Em um momento no qual a ideologia de gênero está se infiltrando nas mentes, estruturas e instâncias de poder, MISIONÁRIO MUNDIAL 16 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

nós nos levantamos não só em defesa de nossa ética, mas também em defesa da identidade e as liberdades de todos, especialmente da próxima geração”, diz o documento assinado por pastores evangélicos, escritores, senadores, parlamentários e candidatos presidenciais. Os participantes reclamaram respeito à autonomia da família na educação em valores de seus filhos, exigindo um modelo educativo que exclua o doutrinamento e as consignas ideológicas. “Conscientes de que a ciência desmente as falácias da ideologia de gênero, nos preocupa que na elaboração de leis e programas educativos se exclua a informação que oferece a ciência e sejam aplicadas imposições ideológicas”, assinalam. Além disso, eles se mostraram abertos ao diálogo franco e construtivo para contribuir para a busca de soluções perante as instancias de governo, particularmente no âmbito legislativo, para estabelecer leis justas que resguardem os direitos inalienáveis, particularmente o direito à vida, e das instituições fundamentais, como o casamento. Os assistentes ao congresso exigiram, por outro lado, manter e fortalecer a Declaração Universal dos Direitos Humanos; a Convenção dos Direitos da Criança; a Declaração Americana dos Direitos Humanos; o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos; e a Declaração Americana dos Direitos e Deveres do Homem, bem como outros instrumentos internacionais.


O evento contou com a participação de representantes de 17 países da América Latina, Europa e África do Sul. “É uma experiência gratificante poder compartilhar com colegas, amigos do continente americano que também se preocupam com o bem-estar da família e o direito à vida; este movimento não só está tomando notoriedade, mas

também está gerando uma enorme influência continental e um compromisso por continuar apoiando a defesa da vida e a família; nenhuma entidade poderia propor o que a Igreja cristã tem em suas mãos porque a Igreja é a luz do mundo e a sal para a terra”, disse o Diretor do Congresso Ibero-Americano pela Vida e pela Família, Aarón Lara. O reverendo José Arturo Soto, Presidente Internacional do Movimento Missionário Mundial, assistente ao evento, salientou que “todos devemos defender os direitos que temos adquiridos, como cidadãos do mundo devemos fazer nossa contribuição, talvez com uma marcha, e nós com a oração também podemos consertar muitas coisas, levantar nossa voz como Igreja, sem entrar em outras motivações”. Entre os exponentes, ressaltou a participação do advogado, jornalista e escritor César Vidal; do periodista e ex-candidato à presidência da Costa Rica Fabricio Alvarado; e do porta-voz e integrante do grupo “Não se meta com meus filhos”, Christian Rosas, entre outros. Em suas exposições, eles motivaram a combater os ataques contra a família e a criança por nascer, bem como pelo respeito às firmes convicções éticas, morais e espirituais na busca da construção de um modelo de desenvolvimento para a Ibero-América que restaure a imagem de Deus no ser humano. Por último, fez-se um convite para o 4° congresso, que terá como sede a cidade de Lima, Peru.

Abril 2019 / Impacto evangélico

17


HISTÓRIA

O CRISTIANISMO CONTRA O INFANTICÍDIO Um artigo do jornal espanhol ABC destaca o papel do cristianismo na erradicação do infanticídio no século IV e os excessos contra as crianças.

Em 16 de novembro do ano 318, o Império Romano assimilou o infanticídio, o assassinato do recém-nascido, ao crime de parricídio. Limitava assim a pátria potestade (patria potestas) do pai de família (pater familias) sobre sua progênie, até então quase absoluta nos primeiros dias de vida dos bebês. O imperador romano que promulgou este decreto (Codex Theodosianus 9, 15, 1) foi Constantino o Grande, o primeiro imperador cristão. Outro imperador cristão, Valentiniano, promulgaria em 7 de fevereiro do ano 374 a lei pela qual o castigo do infanticídio se equiparava ao de qualquer outro tipo de homicídio (Codex Theodosianus 9, 14, 1). Os dois pesquisadores pioneiros sobre a tenebrosa história do infanticídio, os estadunidenses John T. Noonan e Lloyd DeMause, reconhecem taxativamente que foi no século IV, o da conversão de Roma ao cristianismo, quando em Ocidente se começou a lutar realmente contra este mal.

relativo à decisiva contribuição do cristianismo para a história dos direitos humanos. As duas inovadoras disposições legislativas antes mencionadas eram o fruto de séculos de tradição ética cristã em torno à proteção da vida mais preciosa, aquela dos mais inocentes e os mais fracos entre os seres humanos: os recém-nascidos e os não nascidos. Dois textos cristãos primitivos tão antigos como a Didaquê (c. 100 d.C.) e a Epístola de Bernabé (c. 130 d.C.) marcaram o caminho: o primeiro denunciava que o “caminho da morte” é o que seguem os pagãos que dão morte a seus bebês (Didaché 5, 2), enquanto que o segundo proibia expressamente que os cristãos cometessem tanto o infanticídio como o aborto (Epístola de Bernabé 19, 5). Justino Mártir, o primeiro dos pais da Igreja de formação filosófica, tinha escrito, recolhendo a tradição bíblica hebraica (Êxodo 21, 22-23) que condenava o aborto e o infanticídio (tradição renovada por Fílon de Alexandria), que “abandonar crianças é um ato próprio de homens depravados” e “assassinos” (Apologia I, 27 e 29). Tertuliano, em seu escrito apologético às nações (Ad nationes I, 15), denunciava que a prática de abandonar as crianças com os cachorros ou afogar os recém-nascidos era “algo comum entre os pagãos”. Um século depois, em torno ao ano 300, Lactâncio ainda denunciava que “os pagãos estrangulam os recém-nascidos não desejados” (Divinae institutiones, V, 9, 15).

FRUTO DE SÉCULOS

«ALIMENTO PARA ANIMAIS SELVAGENS»

De fato, ao igual que aconteceu com a escravidão, a tortura judicial, a prostituição infantil, a pena de morte por crucifixão ou o combate de gladiadores, a mudança das mentalidades que deu como resultado o triunfo do cristianismo no Império Romano marcou um antes e um depois na proteção dos direitos dos mais fracos. A crueldade descarnada das estruturas sociais do mundo antigo começou então a verse moderada paulatinamente pelo humanismo cristão. Assim, o fim da violência contra os mais indefensos foi um dos principais sucessos da cristianização da sociedade. Um sucesso obviamente esquecido pela seletiva memória histórica de nossa época secularizada, presa de amnesia no

De fato, Suetônio em suas “Vidas dos Doze Césares” (Vida de Calígula, 5) afirma que a vida do recém-nascido dependia completamente da vontade de seus pais. Porque, ao igual que acontece com o drama da escravidão, o infanticídio na Antiguidade Clássica não era muito importante para muitos historiadores apesar das centenas de claras referências por parte dos autores antigos no sentido de que era um fato quotidiano e normalizado. Os bebés eram lançados aos rios, selados em vasos para que morressem de fome ou abandonados em montanhas e caminhos, “presa para as aves, alimento para os animais selvagens”, segundo Eurípides. A triste realidade é que no mundo greco-romano toda

MISIONÁRIO MUNDIAL 18 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


(…) o fim da violência contra os mais indefensos foi um dos principais sucessos da cristianização da sociedade. Um sucesso obviamente esquecido pela seletiva memória histórica de nossa época secularizada, presa de amnesia no relativo à decisiva contribuição do cristianismo para a história dos direitos humanos.

criança que não fosse perfeito em forma, tamanho ou saúde a partir das pautas contidas nas obras ginecológicas sobre como reconhecer o recém-nascido digno de ser criado, autênticos manuais de instruções para praticar o infanticídio em grande escala, geralmente era assassinado sem maiores escrúpulos. O cristianismo começou a pôr fim há 1500 anos a esta aberração que ainda continuava no século XIX em alguns âmbitos. Convém que ao menos os cristãos lembremos isso. (*) Fuente: www.abc.es

Abril 2019 / Impacto evangélico

19


JUVENTUDE

EXISTE AMIZADE ENTRE HOMEM E MULHER? Atualmente, muitas pessoas desejam conhecer outras para poder compartilhar uma maravilhosa amizade. Entre jovens de diferente sexo a amizade pode ser tão possível como não. Mas, isso dependerá das intenções de cada um deles.

Em uma ocasião, uma garotinha se aproximou do pregador Charles H. Spurgeon e lhe contou sobre uma amizade que tinha com um jovem. Sua meta era levá-lo a Cristo e, posteriormente, decidiu se comprometer com ele. Dado que ela tinha chegado para pedir um conselho,

o pregador lhe pediu que se parasse sobre uma mesa. Ela obedeceu e o pregador lhe indicou que pegasse sua mão e tentasse subi-lo também à mesa. Ela tentou, mas obviamente não pôde. Então Spurgeon lhe disse: “Agora, veja o que acontece quando tento pegar sua mão”. Puxou só um pouco, e a fez descer da mesa. “É fácil ser puxado para baixo, mas muito difícil puxar alguém para cima”. Com isso, a jovem viu claramente o que aconteceria em sua relação com o jovem. A amizade não é mais que um sentimento fraterno com as pessoas, é o amor e a dedicação que se tem para os outros, ajuda de maneira incondicional sem esperar nada em troca. Em diferentes congregações, no entanto, as amizades entre pessoas de sexos opostos são estigmatizadas de forma negativa, algumas porque consideram que só procuram ter uma relação; outras, porque a Bíblia não vê com bons olhos uma amizade entre pessoas do mesmo sexo e,

O QUE É A AMIZADE? A amizade como valor é a relação entre como mínimo dois pessoas que compartilham, crescem e se conhecem. Eles se aceitam mutuamente com opiniões parecidas ou diferentes, com suas virtudes e seus defeitos.

ETIMOLOGIA:

Existem duas teorias sobre a origem da palavra amizade:

Do latim

Do grego

Apoio “Sem” “ego” = “sem meu eu”

A amizade se baseia em:

“Amore” amar = “Amicus” amigos

Confiança

A origem da amizade entre pessoas é fruto do esforço destinado a consegui-la, mas o que pode requerer mais dedicação é mantê-la.

A amizade é definida como: Afeto pessoal, puro e desinteressado, compartilhado com outra pessoa, que nasce e se fortalece com o tempo.

Santa Biblia

Segundo, a Bíblia, a amizade é considerada como: -Um bem impossível de pagar -Um tesouro preciosíssimo. Fonte: http//quees.la /la amistad /

MISIONÁRIO MUNDIAL 20 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


finalmente, porque alguns argumentam que os vínculos amicais são por interesse. Isso leva muitos jovens a romper amizades de anos, por evitar as opiniões negativas das pessoas e sem saber que esse tipo de ação é um erro. O reverendo David Echalar, Supervisor do Movimento Missionário Mundial na Itália, assinala que “a amizade no corpo de Cristo é de uma grande família, formada por irmãos e irmãs. Jesus tinha amigos como Lázaro e amigas como Marta e Maria, que o recebiam com alegria e formavam uma linda amizade. Isso nos mostra que nós também devemos tomar esse modelo”. COMO MANTER A AMIZADE

Transparência: Ser sinceros com os amigos e encorajá-los a ser honestos com todos. Para preservar um vínculo forte, não ocultar as feridas que podem ter sido causadas. A transparência pode ajudar as pessoas a ser melhores. Uma relação sólida permite que cada parte assinale com delicadeza os erros na vida da outra pessoa e ofereça uma amorosa retificação. Tempo e comunicação: A amizade genuína requer tempo para se desenvolver. Compartilhar opiniões e de-

sejos, e fazer perguntas que instem os amigos a dialogar sobre o que há na mente e o coração. Gratidão: Ser apreciado é o que todo jovem procura. Expressar gratidão quando se triunfa na vida e mostrar um amor quando é necessário. COMO FAZER BONS AMIGOS

• A base de toda amizade é Cristo. Toda amizade deve iniciar com a intenção de agradar a Nosso Criador. • Motivar outros jovens a realizarem atividades a favor do serviço a Deus, como atividades ao ar livre, compartilhar a Palavra em cada casa ou visitar os doentes nos hospitais. • Manter uma constante busca de Deus motivará outros jovens a terem uma amizade com Ele. • Ser leais; um verdadeiro amigo confia sempre no outro e está presente nos momentos alegres e nos mais difíceis. Finalmente, ser um bom amigo é uma maneira de servir a Deus. Ele criou os homens para nos relacionar com os outros, e por isso se deve dar o melhor de um para cada amigo que Ele colocou em nossa vida.

Abril 2019 / Impacto evangélico

21


MULHER

O SILÊNCIO DE DEUS Irmã Carmen Valencia de Martínez

O Deus que fala, também permanece em silêncio e, muitas vezes, o silêncio de Deus é sinal de desgosto. Para que Deus não deixe de nos falar, devemos cumprir certas condições que nos aproximam mais d’Ele. Quando Deus permaneceu em silêncio, foi com aqueles a quem Ele tinha se revelado, aqueles que tinham tido conhecimento sobre Ele. No Primeiro livro de Samuel, capítulo 28, versículo 6, lemos: “E perguntou Saul ao Senhor, porém o Senhor não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas”. Deus fala de diferentes maneiras segundo sua sabedoria, de modo que possamos entendê-lo. Ele dá a conhecer sua vontade, e se regozija quando se relaciona com o homem. Aqueles servos que lhe são fiéis, aqueles que fazem o que Ele manda, são chamados por Deus de amigos e companheiros (Êxodo 33:11; João 15:14-15). Esse Deus que fala, também permanece em silêncio e muitas vezes o silêncio de Deus é sinal de desgosto. CONDIÇÕES A CUMPRIR

Para que Deus não deixe de nos falar, devemos cumprir certas condições que nos aproximem mais d’Ele. A mais importante é escutar o que nos diz e obedecer. Muitos aos que Ele não falou novamente foram homens que receberam sua mensagem, mas fizeram caso omisso a sua ordem. • Ter uma comunhão íntima com Ele. Para ter uma MISIONÁRIO MUNDIAL 22 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

comunhão íntima com Deus devemos ter temor de Jeová. E o temor de Jeová não é medo, mas respeito, honra, admiração e obediência; assim Ele fará com que conheçamos seu pacto (Salmo 25:14). • Não ser um homem perverso, mas um homem justo. Quando há pecado, quando há perversidade no coração do homem, essa comunicação com Deus, essa comunhão é vulnerada (Provérbios 3:32). O livro de Isaías 64:7, diz: “E já ninguém há que invoque o teu nome, que se desperte, e te detenhas; porque escondes de nós o teu rosto, e nos fazes derreter, por causa das nossas iniquidades”.


que cumpriam as condições: confessaram seu pecado e aparentemente estavam prontos para lutar contra seus inimigos. • Mas não tinham autorização de Deus. Apesar de que Deus avisou que não estaria entre eles, decidiram continuar. Nós temos que ter cuidado de dar um passo sem a aprovação de Deus, sem sua direção; pode que sejam coisas boas aparentemente, mas se não fossem feitas pelas vias legais, tido seria um completo fracasso. • O povo se obstinou em seu propósito. Foram advertidos, mas acudiram à guerra e sofreram uma humilhante derrota. Humilhados, chegaram a Deus chorando, mas Deus não respondeu. • Não escutaram. O homem de Deus lhes falhou, mas eles não quiseram escutar, preferiram ser rebeldes ao mandato divino. O livro dos Provérbios 5:11-14 nos diz: “E no fim venhas a gemer, no consumir-se da tua carne e do teu corpo. E então digas: Como odiei a correção! E o meu coração desprezou a repreensão! E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem aos meus mestres inclinei o meu ouvido! No meio da congregação e da assembleia foi que eu me achei em quase todo o mal”. Que outra lição recebemos deste acontecimento? Que quando Deus não está de acordo com algo temos que parar, estar atentos à voz de Deus. O CASO DE SAUL

POVO DE ISRAEL

O primeiro caso em que Deus permaneceu em silêncio foi perante seu povo Israel. E foi devido à desobediência a seu mandato e à altivez do coração dos homens (Deuteronômio 1:41-45). Moisés lembra ao povo de Israel que sofreu uma grande derrota por ter desobedecido Jeová, e como depois eles pediram ajuda a Deus, e Deus não lhes respondeu, nem sequer escutou seus rogos. • O povo tinha se proposto ir para lutar contra seus inimigos. Nessa ocasião o povo decidiu enfrentar uma nação que se interpunha. Mesmo fizeram preparativos

Na guerra de Saul contra os filisteus, o rei devia esperar durante sete dias até que chegasse o profeta Samuel para apresentar um holocausto e oferendas a Jeová. Mas Samuel não chegava, e o rei Saul e o povo se impacientaram (1 Samuel 113:9-13). Quantos erros são cometidos por falta de paciência! • Saul tentou justificar o que tinha feito. Quando o profeta veio, o rei Saul tentou justificar o que tinha feito, e deu três razões: 1) que o povo desertava; 2) que Samuel, o profeta, não chegava; e, 3) que os filisteus estavam reunidos e prontos para atacar. Apesar de que havia algo de verdade, não justificava o que o rei Saul tinha feito. • O rei Saul quis consultar a Deus muito tarde. Já era muito tarde, e Deus permaneceu em silêncio, não o escutou apesar de que o tentou por meio de profetas e do Urim. Não permita que a voz de Deus se silencie em sua vida, porque o vazio e a solidão que pode sentir será muito grande e quase impossível de suportar; esse silêncio o aturdirá. O livro de Hebreus 1:1 diz: “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas …”. E no livro de Jó 33:14, lemos: “Antes Deus fala uma e duas vezes; porém ninguém atenta para isso”.

Abril 2019 / Impacto evangélico

23


MÚSICA

JUBILOSOS, TE ADORAMOS Hino que expõe o gozo que cobre os cristãos pela criação do TodoPoderoso. Um símbolo do amor, reverência e honra a Deus criado em 1907 pelo escritor Henry van Dyke.

Louvor que transmite confiança, felicidade e esperança. A canção “Jubilosos, te adoramos” foi com-

posta em 1907 pelo escritor estadunidense Henry van Dyke. Mostra em suas três estrofes a alegria que envolve os crentes por toda a criação de Deus e se constitui em um emblema do amor, reverência e honra ao Todo-Poderoso. Os biógrafos de Van Dyke detalham que a composição foi concebida enquanto o autor anunciava o Evangelho nas instalações da Universidade William College, situada no oeste do estado de Massachusetts. Impressionado pelas imponentes montanhas que cercavam o lugar, o pregador escreveu um canto centrado em louvar ao Senhor, que com seu poder infinito enche de bênçãos seus seguidores. Consultado em alguma ocasião pela essência de seu hino, que foi publicado pela primeira vez em 1911 como parte de um livro de poemas, o servo do Altíssimo revelou todas as emoções que o motivaram a compor este cântico que contém a obra redentora de Jesus Cristo. Com modéstia, assinalou: “Estas estrofes são expressões simples dos sentimentos e desejos cristãos comuns. É uma canção de fé e otimismo”. OBREIRO DESTACADO

Nascido na localidade de Germantown, em 10 de novembro de 1852, Van Dyke foi um destacado pastor que difundiu com energia as boas novas durante sua existência. Em sua juventude, depois de se graduar da escola Poly Prep Country Day School em 1869, estudou na Universidade de Princeton e no Seminário Teológico de Princeton. Depois, entre 1883 e 1899, liderou um templo de Manhattan. Leal a Deus até o último momento de sua vida, Van Dyke foi um prolífico e fértil escritor de textos, ensaios e versos que mostraram a mensagem de Deus para a humanidade. Além disso, ensinou literatura inglesa na UniMISIONÁRIO MUNDIAL 24 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


JUBILOSOS, TE ADORAMOS 1 Jubilosos te adoramos, Deus da glória, Deus do amor. Nosso coração transborda em louvor a Ti, Senhor. Rompe as nuvens da tristeza, do pecado e do temor. Doador da eterna graça, enche-nos de Teu amor! 2 Tuas obras anunciam Teu poder e resplendor. Céus e Terra cantam hinos em louvor a Ti, Senhor. Vales, montes e campinas, lindos prados, verde mar, Aves, fontes cristalinas, todos querem te adorar. 3 Aleluia, aleluia, a Jesus o Redentor! Aleluia eternamente em louvor a Ti, Senhor Ao Consolador dai glória, pois conforto e vida traz. Aleluia ao Pai eterno, Deus da graça, Deus da paz!

versidade de Princeton durante mais de duas décadas. Também foi embaixador dos Estados Unidos nos Países Baixos e Luxemburgo, por pedido expresso do presidente Woodrow Wilson, de 1913 a 1916. Adepto à música do compositor Ludwig van Beethoven, o professor universitário, após conceber “Jubilosos, te adoramos”, seu poema mais importante, dispôs que fosse entoado com a melodia da última seção coral da Nona Sinfonia do destacado pianista alemã: o “Hino à alegria”. Sua determinação e dedicação possibilitou que seu texto se fundisse com as harmonias do célebre músico europeu e produzisse uma notável canção. Henry van Dyke, que compartilhou a Palavra no funeral do escritor Mark Twain, deixou de existir em 10 de abril de 1933 depois de servir ao Salvador com todas suas forças. Seu trabalho a favor da divulgação da doutrina de Cristo vive hoje em cada uma de suas poesias, mas de forma principal em seu memorável louvor “Jubilosos, te adoramos”. Uma obra que é útil, como uma perfeita ferramenta, para adorar o Senhor.

Abril 2019 / Impacto evangélico

25


LITERATURA

HERÓIS DA FÉ Livro escrito por Orlando Spencer Boyer, recopilação das biografias de vinte dos mais destacados personagens da história do cristianismo moderno. Desde sua aparição, compêndio de grande aceitação. Foi ideado com o propósito de inspirar os crentes. O povo de toda a Itália afluía, em número sempre crescente, a Florença. A famosa Duomo não mais comportava as enormes multidões. O pregador, Jerônimo Savonarola, abrasado com o fogo do Espírito Santo e sentindo a iminência do julgamento de Deus, trovejava contra o vício, o crime e a corrupção desenfreada na própria igreja. O povo abandonou a leitura das publicações torpes e mundanas, para ler os sermões do ardente pregador: deixou os cânticos das ruas, para cantar os hinos de Deus. Em Florença, as crianças fizeram procissões, coletando as máscaras carnavalescas, os livros obscenos e todos os objetos supérfluos que serviam à vaidade. Escrita pelo pastor estadunidense Orlando Spencer Boyer, o livro “Heróis da fé” de é um texto que reúne as biografias de vinte dos mais destacados personagens da história do cristianismo moderno. Publicada pela primeira vez em 1983, em português, a obra essencialmente revela o verdadeiro mistério da grandeza deste grupo de homens do Criador que pregou o Evangelho: a oração. Mais de 100 mil homens e mulheres rodeavam o pregador, há mais de duzentos anos, em Cambuslang, Escócia. As palavras do sermão, vivificadas pelo Espírito Santo, ouviam-se distintamente em todas as partes que formavam esse mar humano. É-nos difícil fazer uma ideia do vulto da multidão de 10 mil penitentes que responderam ao apelo para se entregarem ao Salvador. Estes acontecimentos servem-nos como um dos poucos exemplos do cumprimento das palavras de Jesus: “Na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque vou para meu Pai” (João 14.12). Havia “como um fogo ardente encerrado nos ossos” deste pregador, que era Jorge Whitefield.

MISIONÁRIO MUNDIAL 26 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


TEXTO SELETO

Compêndio de grande aceitação desde sua aparição, a recopilação de histórias de vida de Boyer foi ideada com o propósito de inspirar os crentes e de lhes demonstrar que a vitória da fé depende principalmente das implorações ao Senhor. Também foi concebida com o fim de proporcionar a informação necessária para conhecer o heroísmo daqueles fiéis que destacaram por sua dedicação ao Todo-Poderoso.

Diz-se que Guilherme Carey, fundador das missões atuais, não era dotado de inteligência superior e nem de qualquer dom que deslumbrasse os homens. Entretanto, foi essa característica de persistir, com espírito indômito e inconquistável, até completar tudo quanto iniciara, que fez o segredo do maravilhoso êxito da sua vida. Quando Deus o chamava a iniciar qualquer tarefa, permanecia firme, dia após dia, mês após mês e ano após ano, até acabá-la. Deixou o Senhor utilizar-se de sua vida, não somente para evange-

Abril 2019 / Impacto evangélico

27


MISIONÁRIO MUNDIAL 28 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


LITERATURA lizar durante um período de quarenta e um anos no estrangeiro, mas também para executar a façanha por incrível que pareça, de traduzir as Sagradas Escrituras em mais de trinta línguas. Missionário, tradutor e escritor evangélico, Boyer incluiu em seu livro as histórias de Jerônimo Savonarola, Martinho Lutero, João Bunyan, Jônatas Edwards, João Wesley, Jorge Whitefield, Davi Brainerd, Guilherme Carey, Christmas Evans, Henrique Martyn, Adoniram Judson, Carlos Finney, Jorge Müller, Davi Livingstone, João Paton, Hudson Taylor, Carlos Spurgeon, pastor Hsi, Dwight Lyman Moody e Jônatas Goforth. Seus pais deram-lhe o nome de Christmas porque nasceu no dia de “Christmas” (Natal), em 1766. O povo deu-lhe a alcunha de “Pregador Caolho” porque era cego de um olho. Alguém assim se referiu a Christmas Evans: “Era o mais alto dos homens, de maior força física e o mais corpulento que jamais vi. Tinha um olho só; se há razão para dizer que era olho, pois mais propriamente pode-se dizer que era uma estrela luzente, brilhando como Vênus”. Foi chamado, também, “O João Bunyan de Gales”, porque era o pregador que, na história desse país, desfrutava mais do poder do Espírito Santo. Em todo o lugar onde pregava, havia grande número de conversões. HISTÓRIAS REAIS

“Heróis da fé” contém três capítulos dedicados ao testemunho pessoal do autor. Nestes apêndices, o reverendo expõe, com uma prosa direta, seus pensamentos sobre o segredo dos triunfos alcançados pelos personagens de sua obra. Além disso, explica o que o Salvador espera e aborda o gemer de milhares de milhões de almas que vivem atrapalhadas na escuridão, na miséria e na desesperação. Ajoelhado na praia da Índia, Henrique Martyn derramava a alma perante o Mestre e orava: “Amado Senhor, eu também andava no país longínquo; minha vida ardia no pecado... desejaste que eu me tornasse, não mais um tição para espalhar a destruição, mas uma tocha brilhando por ti (Zacarias 3.2). Eis-me aqui nas trevas mais densas, selvagens e opressivas do paganismo. Agora, Senhor, quero arder até me consumir inteiramente por ti!”; o intenso ardor daquele dia sempre motivou a vida desse moço. Diz-se que o seu é “o nome mais heroico, que adorna a história da Igreja da Inglaterra, desde os tempos da rainha Elisabete”. Nascido em 5 de março de 1893, na localidade de Bedford, Boyer procurou com sua homenagem antológica mostrar à humanidade o caminho que leva aos pés de Jesus Cristo. Uma meta que, além de se concretizar com a publicação do livro resenhado neste artigo, guiou sua existência e lhe outorgou a faculdade necessária para anunciar as boas novas nos Estados Unidos e no Brasil, onde cumpriu trabalhos missionárias e semeou a Palavra.

Diz-se acerca deste pregador, que se chamava Carlos Finney, que, depois de ele pregar em Governeur, no Estado de New York, não houve baile nem representação de teatro na cidade durante seis anos. Calculase que, durante os anos de 1857 e 1858, mais de 100 mil pessoas foram ganhas para Cristo pela obra direta e indireta de Finney.

Diz-se acerca deste pregador, que se chamava Carlos Finney, que, depois de ele pregar em Governeur, no Estado de New York, não houve baile nem representação de teatro na cidade durante seis anos. Calcula-se que, durante os anos de 1857 e 1858, mais de 100 mil pessoas foram ganhas para Cristo pela obra direta e indireta de Finney. A sua autobiografia é o mais maravilhoso relato de manifestação do Espírito Santo, excetuando o livro de Atos dos Apóstolos. Alguns consideram o seu livro, “Teologia Sistemática”, a maior obra sobre teologia, a não ser as Sagradas Escrituras. Falecido em território brasileiro em 21 de abril de 1978 aos 85 anos, Orlando Spencer Boyer emulou durante sua vida os corajosos e fiéis defensores do Altíssimo que fazem parte de “Heróis da fé”. Seguidor comprometido de Cristo, sempre procurou transformar a existência dos crentes e não crentes com histórias reais que marcaram a solidez do cristianismo. Assim ele reconheceu que a mão de Deus o guardava maravilhosa e constantemente durante o tempo do morticínio dos boxers, no qual centenas de crentes foram mortos. Jônatas Goforth e sua família, foram salvos de inumeráveis situações angustiosas entre o povo amotinado, até que, por fim, vinte dias depois, chegaram ao litoral do país. Rosalind e Jônatas Goforth tinham as suas vidas escondidas com Cristo em Deus. Eis como viviam, nas suas próprias palavras: “Não é somente tolice aceitar para nós mesmos a glória que pertence a Deus, mas é grave pecado, porque o Senhor diz: ‘A minha glória a outrem não darei’”. Quando ainda jovem, Jônatas Goforth adotou as palavras de Zacarias 4.6 como lema da sua vida: “Não por força nem por violência, mas por meu espírito, diz o Senhor dos Exércitos.”.

Abril 2019 / Impacto evangélico

29


HERÓI DA FÉ

O MISSIONÁRIO INGLÊS Phyllis Thompson

Dixon Edward Hoste serviu a Cristo por mais de seis décadas. Servo de profundas convicções cristãs, foi o diretor geral da Missão no Interior da China de 1900 a 1935. Demonstrou que com tolerância e orações era possível levar os homens à fé em Deus.

Dixon Edward Hoste nació en Inglaterra, Dixon Edward Hoste nasceu na Inglaterra, na cidade de Brighton, em 23 de julho de 1861, só quatro anos antes da fundação da Missão no Interior da China (MIC). Seus pais foram cristãos temerosos que o criaram em um lar cheio de disciplina, amor e formação nas Sagradas Escrituras. O conhecimento da Bíblia de sua mãe era profundo. Ela lhe transmitiu o amor de Deus, a necessidade de arrependimento e a fé em Cristo. Também lhe inculcou um cálido interesse nas missões e sólidos princípios evangélicos. Em sua infância, Hoste assistiu ao Clifton College, no qual destacou por sua diligência, sobretudo na aprendi-

MISIONÁRIO MUNDIAL 30 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


zagem do grego, que dominou aos 8 anos. Depois, aos 17 anos, ingressou na Real Academia Militar de Woolwich, na qual aprendeu obediência, precisão e ordem; mais tarde, como entender e dirigir os homens. Um ano depois, esta vez como tenente em um regimento da Real Artilharia, viveu uma história longe do Senhor. No entanto, o Evangelho sempre comoveu seu coração por aqueles dias. Em 1882, sua existência se transformou quando assistiu, guiado por seu irmão William, quem acabava de se entregar ao Salvador, a uma reunião celebrada pelo servo Dwight Moody em Brighton. A prédica do evangelista estadunidense o convenceu de que vivia em pecado e lhe lembrou que os incrédulos enfrentariam a ira eterna. Nesse momento, decidiu aceitar Jesus como seu salvador e se ajoelhou para se submeter ao poder do Altíssimo. Imediatamente, o perdão e o amor do Criador o abrumaram e se encheu de uma profunda alegria.

Com a companhia dos cinco universitários e junto com um colega de seu regimento, Dixon criou depois o grupo “Os Sete de Cambridge” e fortaleceu sua esperança de levar a mensagem de salvação à China.

FIEL CRENTE

Depois de sua conversão, começou a ler a Bíblia vorazmente, como se fosse o único livro no mundo. Além disso, sentiu uma convicção enorme de que compartilhar as boas novas era mais importante que qualquer outra atividade. Então, seu pai lhe disse que orasse pela direção de Deus. Seus desejos de viver o Evangelho o levaram a contatar seguidores de Jesus Cristo que tinham ideias afins às suas. Além disso, pregou a Palavra em diversos lugares e se dedicou em seu tempo livre a aprofundar sua fé. No início de 1883, uma de suas novas amizades, Montagu Beauchamp, um estudante da Universidade de Cambridge, lhe proporcionou informação sobre a Missão no Interior da China e o contatou com quatro crentes universitários. Imediatamente sentiu um enorme desejo de ser missionário e levar a mensagem do Senhor ao povo chinês. Oito meses depois, conheceu Hudson Taylor, fundador da organização, e soube das provas que deviam suportar os fiéis que optavam por se deslocar à Ásia, mas não desistiu. Com a companhia dos cinco universitários e junto com um colega de seu regimento, Dixon criou depois o grupo “Os Sete de Cambridge” e fortaleceu sua esperança de levar a mensagem de salvação à China. Em fevereiro de 1884,

Abril 2019 / Impacto evangélico

31


HERÓI DA FÉ

O pregador inglês dirigiu com sabedoria a Missão no Interior da China e a levou a superar grandes desafios. Respaldado pelos membros da organização, realizou uma série de esforços evangelísticos que se basearam nos ensinamentos do Messias.

compareceu perante as autoridades da Missão no Interior da China. Naquele momento, o missionário Taylor lhe aconselhou que adquirisse experiência e ajudasse os fiéis ingleses nos serviços celebrados por Moody e o cantor Ira Sankey. Do mesmo modo, ele lhe sugeriu aprofundasse seus conhecimentos das Escrituras. Em 5 de fevereiro de 1885, depois de percorrer diversas universidades da Inglaterra e da Escócia nas quais evangelizaram milhares de jovens, os sete de Cambridge partiram para a nação asiática. Chegaram em 18 de março e Hoste viajou para a província de Shanxi para começar sua vida missionária. Depois, foi para a localidade de Quwo, onde se dedicou a estudar a língua local. Pelas noites, ele se sentava no pátio de sua casa e pregava a Palavra a uma multidão de curiosos. Pelas tardes, repartia tratados cristãos. PREGADOR TENAZ

Em 1886, Hudson Taylor visitou a parte sul de Shanxi e comprovou o frutífero trabalho evangelístico efetuado no condado de Hongtong pelo pastor Hsi, homem piedoso que foi um dos missionários responsáveis pela propagação do cristianismo em solo chinês. Tempo depois, Dixon se uniu a este emblemático servo chinês e colaborou com ele como seu assistente pessoal. Ambos, que eram entusiastas da oração, visitaram diversos lugares nos quais grupos de novos crentes tinham surgido graças à bênção de Deus. Ao lado do pastor Hsi, o evangelista passou um período de formação que o preparou para os desafios que enfrentaria depois na Missão no Interior da China. Nesse tempo, igual que o reverendo oriental, confiou só em Cristo para mudar os corações dos homens para quem difundia a mensagem do Altíssimo. Além disso, percebeu que os crentes tinham que apelar a sua fé quando eram perseguidos por confiar no Redentor e aprendeu a esperar que o Todo-Poderoso amadurecesse a esperança e o amor dos recém-convertidos. Durante cerca de uma década, o pregador contribuiu para que uma enorme colheita de fiéis se concretizasse em Hongtong. Partidário de que a Igreja na China estivesse cimentada em colaboradores, obreiros e pastores locais, respaldou de forma decidida o trabalho silencioso do ministro Hsi, que levou milhares de pessoas aos pés de Jesus Cristo. MISIONÁRIO MUNDIAL 32 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


Os dois obtiveram incontáveis triunfos espirituais que engrandeceram a entidade estabelecida por Taylor, até 19 de fevereiro de 1896, quando o missionário Hsi seu uniu à presença do Senhor. LÍDER EXEMPLAR

No início de 1900, enquanto se encontrava na cidade de Xangai, Hoste foi testemunha do Levante dos Boxers, uma rebelião popular que comprometeu a segurança e a paz dos pregadores estrangeiros. Então, o reverendo Taylor, que se encontrava nas Suíça, pediu-lhe que permanecesse ali para ajudar o diretor-adjunto da instituição, o pastor J. W. Stevenson. No entanto, em 7 de agosto do mesmo ano, quando soube sobre os sangrentos ataques contra os ministros estrangeiros, foi designado por ele condutor da Obra. Durante os seguintes 35 anos, o pregador inglês dirigiu com sabedoria a Missão no Interior da China e a levou a superar grandes desafios. Respaldado pelos membros da organização, realizou uma série de esforços evangelísticos que se basearam nos ensinamentos do Messias. Com a bênção do Criador e amparado na Bíblia, proporcionou um governo estável para a sociedade missionária, que continua até a atualidade, e a conduziu a ser o organismo evangélico mais importante do território chinês. Crente de que o reino de Deus devia ser o primeiro, em seu trabalho como líder da MIC orou muitas horas diariamente para contar com a direção de Jesus. Além disso, apesar de que era reservado e, às vezes, parecia ser distante, prodigou abundante amor às crianças que evangelizou em suas ocupações pastorais. Além disso, comprometido a seguir os passos de Cristo, optou pela paciência e a humildade para exercer sua liderança. Do mesmo modo, suas decisões sempre estiveram assentadas nos preceitos da fé e responderam a uma análise cuidadosa. De forma permanente, Dixon lembrava aos missionários estrangeiros que deviam servir aos chineses e não se impor sobre eles. Segundo ele, a oposição espiritual devia ser enfrentada com gentileza e oração. Também nomeou crentes nativos em cargos vitais com o objetivo de construir congregações locais fortes. Até o dia de sua aposentadoria, acontecida em junho de 1935, sua vida foi uma jornada contínua a favor do crescimento do cristianismo na Ásia. Além disso, abraçado nas Escrituras, suportou as peripécias da Primeira e da Segunda Guerra Mundial. Em 19 de maio de 1946, quando o sol saia sobre Londres, o missionário Dixon Edward Hoste se marchou para o céu depois de mais de seis décadas ao serviço do Todo-Poderoso. Homem humilde e de profundas convicções cristãs, o servo britânico demonstrou em sua longa história que com tolerância e orações era possível mover os homens para o caminho de Deus. Paciente e perseverante, Hoste desempenhou também um papel vital no desenvolvimento da Missão no Interior da China e na evangelização da China.

Abril 2019 / Impacto evangélico

33


HISTÓRIA DE VIDA

ATRAPALHADO NAS GARRAS DE UM BRUXO Uma doença o levou a procurar remédios desesperados e acudiu ao mesmo diabo para pretender curar, mas tudo foi uma fraude que lhe gerou grandes gastos. Só quando começou, arrependido de seus pecados, a caminhar pelo sendeiro do Evangelho recuperou a saúde completamente. STEVEN LÓPEZ FOTOS: ARQUIVO FAMILIAR

MISIONÁRIO MUNDIAL 34 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


Sentado junto à mesa, Oswaldo Huillcas Huincho esperava a hora do jantar. Cabisbaixo e preocupado, ele meditava sobre o dinheiro que gastava por tentar recuperar sua saúde, enfraquecida a causa de um estranho mal que o atacou desde muito pequeno, como consequência de uma queda e um golpe na cabeça. Tinha apelado a todas as opções possíveis para evitar os desmaios e as contínuas convulsões. Durante anos visitou consultórios médicos de diversos tipos e nada funcionava. Acudiu então à bruxaria e ao espiritismo, que em lugar de curá-lo só significavam grandes gastos. Ensimesmado em suas preocupações, tomou o caldo que sua esposa, Griselda, tinha lhe preparado exclusivamente para ele por mandato do bruxo. Ignorava completamente quais eram os ingredientes. O feiticeiro tinha lhe anunciado que teria que ir durante a madrugada a uma mina abandonada para assistir a um ritual satânico, no qual teria que fazer um pacto de sangue com o diabo com a falsa esperança de receber a sanidade esperada por mais de três décadas. Aceitar um trato com Satanás lhe resultava muito difícil e as dúvidas o assolavam. Oswaldo arrastrava aquele mal desde sua infância, quando sofreu um acidente no povo onde nasceu, o povo de Tucsipampa, na província de Angaraes, departamento de Huancavelica, nas alturas dos Andes peruanos. Um dia de 1977, quando só tinha 2 anos, estava jogando na rua; de repente, ele tropeçou e sua cabeça se estrelou contra o chão. O golpe lhe provocou um desmaio que durou vários minutos e a desesperação se apoderou de Juan Huillcas e Juliana Huincho, seus humildes pais. Os desmaios e convulsões se apresentaram constantemente durante os dias seguintes. O pequeno foi levado a diferentes médicos, mas não conseguiram curá-lo. Alguns parentes insinuavam que “o mal se apoderou do menino e não teria sanidade”. Pouco tempo depois, os pais conheceram uma igreja evangélica à que começaram a assistir frequentemente. A sanidade de seu menino era uma de suas súplicas diárias, mas os desmaios seguiram afetando seu filho. Em breve, Juan Huillcas assumiu o cargo de pastor e se tornou um representante da comunidade cristã, na qual era respeitado e admirado pela grei, mas sua vida era diferente entre as quatro paredes de seu lar. Batia constantemente em sua esposa e seus filhos, obrigava os menores a acudir à igreja com o fim de que a pessoas vissem que tinha uma família feliz, apesar de que a verdade era outra. Ao ver como agia seu pai, Oswaldo cresceu com ressentimento. Não cria nas famílias felizes e sentia que a fé não era para ele. Apesar de seu mal, durante sua adolescência se dedicou às festas, às discotecas e ao álcool. Deixou de assistir aos serviços que eram dirigidos por seu pai e se envolveu na vida noturna. O mal seguia presente.

Abril 2019 / Impacto evangélico

35


HISTÓRIA DE VIDA Aos 19 anos, poucos meses depois de acabar seus estudos escolares, conheceu Griselda Huaura Zevallos. Começaram um romance que acabaria em casamento; a cerimônia foi na igreja católica de Lircay. A felicidade parecia chegar e seu mal desapareceu durante um curto tempo. Oswaldo se dedicou depois à mineração em Casapalca, uma localidade nas montanhas da província de Huarochirí, Lima. Certo dia, ele se desmaiou em pleno trabalho e foi levado por seus companheiros ao médico. Após permanecer inconsciente por um tempo, Oswaldo se recuperou e lhe aconselharam que visitasse um hospital, mas ignorou o conselho e continuou trabalhando. Ao saber do acontecido, os familiares lhe disseram que visitasse o bruxo do povo, um sujeito conhecido como o “irmão Paulo” que prometia curar todos os males do corpo e da alma. Este homem aparentava ser um humilde camponês, mas andava com uma mala na qual portava um crânio e todos os beberagens que utilizava em seus rituais. Cansado da lástima dos companheiros a causa das convulsões, Oswaldo renunciou a seu trabalho na mina e se marchou para uma outra mais afastada, onde o mal recrudesceu e tiveram que levá-lo a um hospital onde foi submetido a uma avaliação completa. Depois de dias de provas e análises, os médicos o diagnosticaram com epilepsia severa e lhe receitaram medicamentos para controlar as convulsões.

Os desmaios e convulsões se apresentaram constantemente durante os dias seguintes. O pequeno foi levado a diferentes médicos, mas não conseguiram curá-lo. Alguns parentes insinuavam que “o mal se apoderou do menino e não teria sanidade”.

ENCONTRO COM O MAL

O tratamento farmacológico parecia ser a solução; no entanto, não foi assim. Os conselhos de seus familiares para que procurasse o curandeiro com o fim de que o curasse se tornaram mais fortes. Os médicos não conseguiram achar remédio para seu mal e parecia que sua única esperança era contratar os serviços do chamado “irmão Paulo”. Ele tinha se esquecido completamente de Deus. Ao chegar à casa do bruxo, Oswaldo observou o ambiente e se sentou junto à mesa preparada para ele. —Nosso pai virá e nos revelará como vai curar você; só confie — disse-lhe o “irmão Paulo”. MISIONÁRIO MUNDIAL 36 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

Depois, as luzes das velas que cercavam a mesa se apagaram e escutaram uma voz sombria. —Filho, o que aconteceu? Eu venho porque escutei seu chamado — disse a voz. FALSAS PROMESSAS

O ritual satânico acabou depois de uma hora e Oswaldo continuou com seu mal, mas o bruxo convenceu a família a continuar assistindo a mais sessões porque a doença “era resistente”. Cada ritual custava entre 1500 e 2000 soles. Na segunda sessão espiritista, o curandeiro fez novamente a “limpeza” em todo o lar e rociou beberagens para tirar o mal. O resultado foi o mesmo; as convulsões continuavam. A situação econômica da família era precária devi-


Abril 2019 / Impacto evangĂŠlico

37


HISTÓRIA DE VIDA

do aos enormes custos, já que as sessões espiritistas não tinham efeitos favoráveis. Oswaldo pediu para o bruxo considerar os altos gastos de seu trabalho. “Vamos consultar com nosso pai e veremos que nos diz sobre reduzir os preços”, respondeu o charlatão. Obviamente, o suposto conselho satânico foi continuar pagando. Oswaldo acedeu a pagar mais uma vez e o curandeiro lhe anunciou que esta vez não seria na casa, mas em Uchucchacua, uma mina abandonada na província de Oyón, departamento de Lima, onde faria um pacto com Satanás. Griselda, sua esposa, foi persuadida às escondidas pelo bruxo a matar um cachorro preto e preparar um caldo. “Faça que coma. É bom para ele”, disse-lhe, e ela aceitou elaborar a comida na véspera da sessão na mina abandonada. Durante essa noite, enquanto consumia carne de cachorro, Oswaldo continuou lutando contra si mesmo. Não podia se entregar ao diabo sob nenhuma circunstância. Ele lembrou que Deus podia curá-lo e veio a sua mente o testemunho de um companheiro de trabalho que tinha sido bruxo e agora pregava a Palavra de Deus. Este homem relatava as artimanhas do demônio para enganar agente. Foi nesse momento que decidiu não ir à mina nem muito menos procurar novamente o bruxo. Preferia morrer antes que ser enganado outra vez com uma cura que não chegava. MISIONÁRIO MUNDIAL 38 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

PROCURANDO DEUS

Decidiu ir para Oyón em busca de uma igreja. Percorreu vários lugares e encontrou um templo da mesma comunidade à que seu pai assistia. Chegou à igreja e se ajoelhou procurando perdão. —Meu Deus, eu peço perdão por todo o mal que fiz durante este tempo —implorou. Arrependido de sua conduta, seguiu com sua vida


com a esperança de que Deus lhe concedesse um milagre. Depois de um tempo, Oswaldo foi nomeado “meirinho de vara”, uma autoridade local que se encarrega, por tradição ancestral andina, da administração do povo, como parte do serviço à comunidade. Durante suas visitas ao povo de Lircay se encontrou com um irmão evangélico, conversaram e acordaram que se reuniriam para escutar a Palavra de Deus. O dia chegou. Um grupo de pastores chegou a sua casa. Ao recebê-los, a atitude de Oswaldo mudou repen-

tinamente. Uma tranquilidade encheu seu coração. Depois de escutar as boas novas de Deus, a família caiu aos pés de Cristo. Nesse momento, um espírito maligno saiu da vida de Oswaldo; o mal que padecia desapareceu de seu ser. No ano seguinte, o feliz casal desceu às águas do batismo. Já se passaram dez anos e os desmaios e as convulsões desapareceram da vida de Huillcas. Na atualidade, Oswaldo e Griselda, junto com seus quatro filhos, servem a Deus.

Abril 2019 / Impacto evangélico

39


ENTREVISTA

“A DOUTRINA MANTÉM A OBRA”

Eliseo Aquino Curi

Durante a recente visita ao retiro de pastores realizado pelos funcionários oficiais do Peru, o Reverendo Gustavo Martínez, Tesoureiro Internacional do Movimento Missionário Mundial (MMM), fez um balanço dos 56 anos da Obra. O Reverendo Gustavo Martinez confia no crescimento da Obra com base na experiência adquirida nos anos de existência do MMM e no seguimento fiel da Sã Doutrina. Destaca-se a grande vitória alcançada sobre os ataques que tentam enfraquecer a fortaleça da Obra. Passaram 56 anos desde a fundação da Obra do Movi-

mento Missionário Mundial, o que podemos destacar nestes anos? Para mim, é uma grande vitória que Deus nos concede no meio de tantos ataques. Apesar da tentativa do inimigo de impedir que esta obra fosse realizada, o Senhor ainda segue na frente desta Obra e cremos que se nós estamos celebrando estes 56 anos, é porque a presença de Deus esteve conosco. Eu acho que isso é o maior sucesso que alcançámos. Quais são as fortalezas e os pilares para que esta Obra continue? Primeiro foi ter confiança em Deus, usando a oração e o jejum como ferramentas, instrumentos que Deus deu a esta Obra. Segundo, considerar sempre a Palavra de Deus porque é vida, é espírito, é o que nos dá valor; a Bíblia é como uma espada de dois gumes que penetra na alma e no espírito, que discerne as intenções e propósitos de cada ser humano. Uma das coisas que mantém a solidez da Obra é a doutrina, mas também nossa força de vontade para não nos deixar contaminar. Do mesmo modo, podemos dizer que a unidade no pastorado de cada país e a direção da lideranMISIONÁRIO MUNDIAL 40 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

ça internacional beneficiou muito esta Obra. No livro do Apocalipse, o Senhor dá uma mensagem às sete igrejas, mostrando-lhes suas fraquezas e virtudes, quais são nossas fraquezas? Cada igreja e cada pessoa têm virtudes, mas também defeitos e fraquezas. Perante essa situação, devemos dar prioridade ao espiritual e à Palavra de Deus até que o Senhor tenha misericórdia e nos levante. A outra prioridade é fortalecer nossas áreas fracas. Na Obra, em geral, tivemos falências precisamente devido à negligência espiritual, porque confiaram em si mesmos, não perceberam suas fraquezas, não as fortaleceram e isso foi sua ruína. Eu acho que se recorrermos sempre a Deus, dependermos dele, confiarmos em sua graça e no poder de sua força, continuaremos colhendo vitórias até o fim. Vimos outros concílios com 40 anos de existência que depois declinaram e alguns até desapareceram, que reflexão podemos fazer sobre isso? Há vários motivos, o maior deles é sua negligência em conservar a presença de Deus, não admitiram mais o Se-


nhor. Vemos na mensagem para a igreja de Laodiceia, que Ele estava na porta, não estava dentro, e para que esta Obra ou qualquer outra se mantenha, o Senhor deve estar dentro, não fora! Quer por descuido quer por arrogância, Deus ficou fora e isso causou sua ruína. Isso também acontece na sucessão da liderança, surgem gerações completamente novas e sem experiência, que não compreenderam a visão; vêm para liderar quando tudo é feito, confiam nas conquistas e vitórias que outros alcançaram, negligenciam a presença de Deus, começam a admitir qualquer pessoa na igreja. A deterioração começa ali. Qual deve ser a função da Igreja nestes tempos? A Igreja deve tomar a ofensiva porque temos uma promessa do Senhor Jesus Cristo. Ele disse que as portas do inferno não podem prevalecer contra a Igreja. Isso significa que não podemos ficar passivos ou tranquilos esperando o ataque do inimigo, é a Igreja a que deve atacar. Devemos pregar o Evangelho independentemente das circunstâncias, Deus nos dará a unção, o poder, a palavra, a sabedoria, para enfrentá-los. Só uma pessoa que se rende a

Deus estará disposta a dar sua vida por Ele. A Igreja não pode ser submissa às ideologias humanas. Há um ser maligno que está influenciando os homens e mulheres amantes perversos de si mesmos, e os tornam aborrecedores do bem e amantes do mal. A Igreja não pode aceitar isto, deve lutar, deve continuar pregando o Evangelho, ainda que sejamos atacados, perseguidos ou percamos a vida; é melhor obedecer a Deus do que aos homens. Finalmente, que mensagem deseja enviar a todos nossos leitores da revista “Impacto Evangelístico”? Eu os encorajo a depender de Deus, a guardar a Palavra, a abraçar a fé com todo o coração, a permitir que Cristo seja o centro de suas vidas. Superem as provas e dificuldades, como diz o apóstolo Pedro: “Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo”. Hoje estamos em pé de luta resistindo, amanhã outros farão o mesmo em alguma nação, não se desanime nem se sinta sozinho, não acredite que Cristo vai decepcioná-lo, ninguém que teve fé no Senhor ficou envergonhado.

Abril 2019 / Impacto evangélico

41


APOLOGÉTICA

O MORMONISMO É UMA SEITA? Os mórmons estão envolvidos em uma religião falsa que distorce a natureza de Deus, Jesus Cristo, e o significado da salvação. Foi fundada quase dois séculos atrás por um homem chamado Joseph Smith que, segundo ele, teve um encontro com Deus.

Joseph Smith tinha 17 anos quando afirmou que um anjo chamado Morôni tinha aparecido perante ele. Morôni disse a Joseph que tinha sido escolhido para traduzir os escritos de vários profetas nativos americanos antigos que Mórmon, pai de Morôni, tinha compilado há mais de mil anos. O mormonismo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias foi fundado há menos de duzentos anos por Smith, que afirmou ter recebido uma visita pessoal de Deus Pai e Jesus Cristo, e lhe disseram que todas as igrejas e suas crenças eram uma abominação. Smith propôs criar uma nova religião que afirmava ser “a única igreja verdadeira no mundo”. Porém, o mormonismo comete o erro de contradizer, modificar e expandir a Bíblia. Os cristãos não têm motivos para crer que a Bíblia não é verdadeira e suficiente. Crer e confiar em Deus realmente significa crer em Sua Palavra. “Toda a Escritura é divinamente inspirada” (2 Timóteo 3:16), o que significa que vem dele. SUAS CRENÇAS

Os mórmons acreditam que existem, de fato, quatro fontes de palavras divinamente inspiradas, e não uma fonte única. 1) A Bíblia “se está traduzida corretamente”. Não sempre esclarecem quais versículos foram traduzidos incorretamente. 2) O Livro de Mórmon foi traduzido por Smith e publicado em 1830. Smith declarou que era o “livro mais MISIONÁRIO MUNDIAL 42 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

correto” do mundo, e que uma pessoa podia se aproximar a Deus, seguindo seus preceitos, “mais do que com qualquer outro livro”. 3) “Doutrina e Convênios” é considerada uma Escritura pelos mórmons; contém uma coleção de revelações modernas sobre “como a Igreja de Jesus Cristo foi restaurada”.


4) “A Pérola de Grande Valor” é considerada pelos mórmons uma passagem “esclarecedora” de doutrinas e ensinamentos que a Bíblia não tem, e acrescenta sua própria informação sobre a criação do mundo. Os mórmons acreditam nestas coisas sobre Deus: Que Ele não foi sempre o Ser Supremo do universo, mas alcançou esse status mediante uma vida justa e um esforço persistente. Acreditam que Deus Pai tem um “corpo de carne e osso tão tangível quanto o de um homem”. Apesar de serem já abandonados pelos líderes mórmons modernos, Brigham Young creu que Adão era Deus e pai de Jesus Cristo. Os cristãos sabem isto sobre Deus: um verdadeiro Deus (Deuteronômio 6:4, Isaías 43:10, 44:6-8), e que Ele sempre foi e sempre será (Deuteronômio 33:27, Salmo 90:2, 1 Timóteo 1:17), e que Ele não foi criado, mas que Ele é o Criador (Gênesis capítulo 1; Salmo 24:1; Isaías 37:16). Ele é perfeito e ninguém mais é como Ele (Salmo 86:8; Isaías 40:25). Deus o Pai não é um homem (Números 23:19; 1 Samuel 15:29), Ele é Espírito (João 4:24), e um Espírito não é de carne e osso (Lucas 24:39). Os mórmons acreditam que existem três níveis diferentes de reinos na vida vindoura: o Reino Celestial, o Reino Terreno, e as trevas exteriores onde a raça humana terminará, dependendo do que tenha crido e feito nesta vida mortal.

A Bíblia diz que após a morte vamos para o Céu ou para o Inferno, dependendo se nós colocamos ou não nossa fé em Jesus Cristo. Estar ausente de nossos corpos como crentes significa que estamos com o Senhor (2 Coríntios 5:6-8). Os incrédulos são enviados para o Inferno (Lucas 16:22-23). Para a segunda vinda de Jesus, receberemos novos corpos (1 Coríntios 15:50-54), os crentes terão novos Céus e nova Terra (Apocalipse 21:1), enquanto os incrédulos serão lançados em um eterno lago de fogo (Apocalipse 20:11-15). Não há segunda oportunidade de redenção após a morte (Hebreus 9:27). Os mórmons acreditam que a encarnação de Jesus foi o resultado de uma relação física entre Deus e Maria. Eles acreditam que Jesus é um Deus, e que qualquer ser humano também pode se tornar um deus. Historicamente, os cristãos acreditaram que Deus é Trino e que Ele existiu eternamente como o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Mateus 28:19). Ninguém pode alcançar o status de Deus, só Ele é santo (1 Samuel 2:2). Só podemos ser santificados perante os olhos de Deus mediante a fé n’Ele (1 Coríntios 1:2). Jesus é o único Filho unigênito de Deus (João 3:16) e é o único que já viveu uma vida de pecado, é o único livre de culpa, que agora tem o mais alto lugar de honra no Céu (Hebreus 7:26). Jesus e Deus são um em essência, Jesus foi o Único que existiu antes de seu nascimento físico (João 1:1-8, 8:56), Jesus se deu a Si Mesmo por nós como sacrifício, e Deus o ressuscitou dentre os mortos, e um dia todos confessarão que Jesus Cristo é o Senhor (Filipenses 2:6-11). Jesus nos diz que é impossível ir para o Céu por nossas próprias obras, só será possível se colocarmos nossa fé n’Ele (Mateus 19:26). E muitos não acreditarão n’Ele (Mateus 7:13). Todos nós merecemos o castigo eterno por nossos pecados, mas o amor e a graça infinitos de Deus nos deram uma saída. “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:23). É claro que só há uma maneira de receber a salvação: conhecendo Deus e Seu Filho, Jesus (João 17:3). Não é obtida pelas obras, mas pela fé (Romanos 1:17, 3:28). Quando temos essa fé, somos automaticamente mais obedientes às leis de Deus e somos batizados no amor por Ele, não porque isto seja um requisito para a salvação, mas como consequência dela podemos receber este dom independentemente de quem somos ou do que fizemos antes (Romanos 3:22). “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4:12). Os mórmons estão envolvidos em uma religião falsa que distorce a natureza de Deus, a Pessoa de Jesus Cristo e o significado da salvação. Fonte: http://www.gotquestions.org/Espanol/

Abril 2019 / Impacto evangélico

43


DEVOCIONAL “Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo não se faça vã”. 1 Coríntios 1:17 Rev. Luis M. Ortiz

FAZENDO VÃ A CRUZ DE CRISTO São Paulo não queria que a cruz de Cristo ou o

sacrifício de Cristo na cruz fossem vãos, sem efeito, inúteis. E para que isso não acontecesse, disse que não pregava o Evangelho “com sabedoria de palavras”, que é sabedoria humana, sabedoria confusa, sabedoria enlouquecida, sabedoria disputável, sabedoria insensata, sabedoria mundana, sabedoria perecedora. O apóstolo afirma que a pregação do Evangelho com “sabedoria das palavras” faz vã a cruz de Cristo, faz nulo o sacrifício de Cristo. Na época do grande apóstolo, existiam pregadores com “sabedoria de palavras”, pois para os judeus a pregação de Cristo crucificado era escolho, e para os pagãos era loucura (1 Coríntios 1:23), estes falsos pregadores evitavam a pregação clara, franca e concisa da cruz; e a substituíram por palavrórios, filosofias vãs e sutilezas ridículas. Por isso o apóstolo admoesta, dizendo: “Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas... Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo” (Colossenses 2:8; 2 Coríntios 11:3). Negam a eficácia do sacrifício de Cristo na cruz e o poder de seu sangue que nos purifica de todo pecado. Escondem a mensagem da cruz e pregam um evangelho social, acomodadiço e fácil; para atrair pessoas à igreja; apresentam todo tipo de programas e entretenimento superficial; organizam festas sociais, todos os tipos de sociedades, danças, rifas, passeios, festivais teatrais, espetáculos, etc. Outros citam erroneamente a oração de Cristo: “Que sejam um, como nós somos um” (João 17,22); e proclamam uma unidade, um ecumenismo, um cristianismo sem Cristo; onde se inclui aquele que nega a divindade de Cristo, a eficáMISIONÁRIO MUNDIAL 44 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


cia do sangue de Cristo, o novo nascimento, a santidade, o batismo no Espírito Santo, e muitas outras doutrinas fundamentalíssimas da Palavra de Deus. Há também lugar para aqueles que creem em todo tipo de doutrinas errôneas e demônios; há lugar também para o mundano, o libertino, o adúltero; a questão é reunir (juntar) pessoas, muitas pessoas, não importa como vivam ou o que elas acreditem. Há espaço para todos exceto para Cristo. Mas os verdadeiros cristãos estão unidos no Espírito. Os verdadeiros cristãos, aqueles lavados em seu sangue, cujos nomes estão escritos no Céu, a verdadeira Igreja de Jesus Cristo, mesmo que estejam espalhados pelos quatro confins da terra, mesmo que sejam divididos em muitas congregações e lugares, e, portanto não podem estar física ou organicamente unidos, estão, porém, unidos no espírito. Amamo-nos mutuamente, independentemente da raça, cor, posição ou lugar, pois “não há judeu nem grego, não há servo nem livre, não há macho nem fêmea, porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gálatas 3:28). Esta é a verdadeira unidade dos verdadeiros cristãos, a unidade bíblica, unidade no espírito (Efésios 4:26). Há outros que, em vez de pregar a verdadeira Palavra de Deus, a grande revelação do amor e do poder de Deus manifestado na cruz do Calvário, que é o que realmente alimenta a alma e o espírito, o único fundamento firme da nossa fé, estão sempre pregando suas próprias visões, revelações e supostas aparições de Cristo perante eles. Aqueles que edificam sua casa espiritual sobre suas visões e revelações próprias ou alheias, mas falsas, cairá quando se submeter à verdadeira prova; enquanto a casa edificada sobre o fundamento inabalável da Palavra de Deus prevalecerá. “E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que ilumina em lugar escuro...” (2 Pedro 1:19). Bem como Paulo, Pedro também ensina que nenhuma visão, revelação, aparição pode tomar o lugar da Palavra escrita, pois ela é segura. São Paulo não estava de nenhuma maneira interessado em aquelas coisas dos falsos pregadores de seu tempo, também não estaria interessado nas tantas sutilezas ridículas, vaidades e enfeites de hoje, que também fazem vã a cruz de Cristo. Como ontem, ele também diria hoje: “E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou sabedoria. E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder” (1 Coríntios 2:1-4). Nós pregamos a Cristo crucificado para que ninguém se gabe em sua presença. Longe esteja de mim me gloriar, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo. Amigo leitor, garantimos que a única maneira de ser perdoados por nossos pecados e salvar sua alma é através do arrependimento e aceitação de Cristo. E agora mesmo você pode ter essa experiência gloriosa, peça ajuda e ore a Deus. Amém.

Abril 2019 / Impacto evangélico

45


MISIONÁRIO MUNDIAL 46 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


DEVOCIONAL “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. João 16:33 Rev. Gustavo Martínez

NÃO HÁ NADA A TEMER Antes de saber que Jesus tinha ressuscitado, os discípulos estavam em um estado de prostração e tristeza inimagináveis; tanto assim que, quando Maria Madalena lhes anunciou a ressurreição, eles, no meio do pranto e o desconsolo, não a creram (Marcos 16:11). Apesar de que Cristo anunciou várias vezes que morreria e ressuscitaria no terceiro dia, os discípulos nunca tinham interiorizado essas palavras. Para eles, a crucificação tinha marcado o final do seu discipulado, e cada um voltou para sua casa e suas respectivas profissões. Mas Cristo apareceu a eles para devolver o gozo, e quando lhes mostrou suas chagas e seu lado, provas irrefutáveis de que era Ele, aqueles se regozijaram grandemente. Existe um conceito errado de que o cristão anda por um caminho de rosas, e nenhuma tristeza pode afetá-lo, porque isso significaria que Deus não está mais com Ele. Porém, esta ideia contradiz as palavras do Senhor Jesus Cristo quando disse que nesta terra não estaríamos livres de tribulações, mas Ele se comprometeria a nos dar sua paz divina. “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” ( João 16:33). Nossa vitória consiste em proclamar que, pela fé, vencemos o mundo juntamente com Cristo. Por outro lado, Cristo venceu não só a tristeza, mas também a ignorância. Após sua ressurreição, apareceu perante dois discípulos que passavam pelo campo; mas eles não o reconheceram, e foi mesmo chamado de “forasteiro” (Lucas 24:18). Ao ouvir essas palavras, nosso Salvador reprochou sua ignorância, e lhes disse: “Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os pro-

fetas disseram!” (Lucas 24:25). Pois Cristo recorreu à Palavra para lhes devolver o gozo que deriva da fé. Mas quando o contaram aos outros apóstolos, nenhum deles o creu (Marcos 16:12). Então, quando Cristo apareceu aos discípulos, reprochou tanto a dureza de seu coração (teimosia) quanto sua incredulidade. Quando Deus quer se revelar a uma pessoa, sempre o faz através das Escrituras. Elas produzem fé, e a fé leva a Cristo, desintegrando a incredulidade do coração (Romanos 10:17). A fé genuína não permite que nada nem ninguém possa nos afastar do amor sublime de Deus, nem sequer a morte. É assim porque nossa vida está baseada sobre a rocha que é Cristo. Lembremo-nos de que “no amor não há temor; antes o perfeito amor lança fora o temor; e o que teme não é perfeito em amor. Porque Deus é amor” ( João 4:18; 1 João 4:8). Quem, então, nos fará duvidar de sua existência, quando recebermos o testemunho de que Jesus Cristo vive em nossos corações? Que Ele é real? Que seu perdão ainda está em vigor para todos que se aproximam do trono da graça? Prezado leitor, possivelmente você nunca tenha experimentado o gozo da salvação, ou mesmo tendo-o experimentado, as tarefas da vida o afastaram de Deus. Agora, Deus o está chamando e lhe dando a oportunidade de aceitá-lo. Se você o fizer, Ele o receberá e o fará herdeiro do reino dos céus instantaneamente. Pelo contrário, se você já está salvo, goze de sua salvação em todo momento. A morte foi sorvida na vitória de Cristo no Calvário, não há nada a temer. Que Deus os abençoe agora e sempre.

Abril 2019 / Impacto evangélico

47


DEVOCIONAL “Mas algumas poucas coisas tenho contra ti: porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e fornicassem. Assim tens também os que retém a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio”. Apocalipse 2:14-15 Rev. Rodolfo González Cruz

A IGREJA EM PÉRGAMO Pérgamo era uma metrópole muito importante,

de seu nome deriva a palavra “pergaminho”. Tinha uma biblioteca com mais de duzentos mil livros, informação que a tornou uma cidade culta. Seus habitantes eram muito religiosos, tinham templos com muitos deuses. Era a sede do templo dedicado a Esculápio, deus da cura. “E ao anjo da igreja que está em Pérgamo escreve: Isto diz aquele que tem a espada aguda de dois fios: Conheço as tuas obras, e onde habitas, que é onde está o trono de Satanás; e reténs o meu nome, e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita” (Apocalipse 2:12-13). Esta igreja estava situada em uma cidade idólatra onde todas as pessoas eram obrigadas a adorar o César, dando-lhe o título de “Senhor”. Apesar das dificuldades, os irmãos de Pérgamo não negaram sua fé cristã. A história conta que Antipas era um mártir, morreu quando o governador da cidade o colocou em um caldeirão de bronze e assou este fiel discípulo de Cristo. Bem como Antipas foi cruelmente assassinado, outros cristãos foram enviados ao Coliseu Romano para ser devorados por leões, panteras e outras feras. Tudo isso mostra o nível de maldade, perversidade, ignorância e selvageria daqueles homens que, como se fosse um espetáculo, testemunharam este horrível massacre. “Mas algumas poucas coisas tenho contra ti, porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e fornicassem” (Apocalipse 2:14). Na igreja de Pérgamo, alguns praticavam a doutrina de Balaão, um profeta que se contaminou e promoveu a corrupção do povo de Deus porque se tornou amante do dinheiro. Sua doutrina era induzir o povo ao pecado, à perdição sexual, ao jugo desigual e à idolatria; e assim fazê-los perder a proteção de Deus e cair em maldição (Números 31:15-16, Judas 1:11). Balaão danificou seu coração e se apaixonou pela maldade. Como foi um canalha, perverso e corrupto, sua vida acaMISIONÁRIO MUNDIAL 48 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

bou com uma espada cravada nele (Números 31:8), porque Deus aborreceu dele (2 Pedro 2:15). “Assim tens também os que retém a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio” (Apocalipse 2:15). A igreja de Pérgamo se apegava à doutrina dos nicolaítas, que consistia em dominar os outros para benefício pessoal ou grupal, abusando de sua posição, esquecendo o amor, a justiça e a unidade. Isso não é autoridade, é autoritarismo; “não como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplos ao rebanho”, 1 Pedro 5:3 (1 Coríntios. 12:1-31; 3 João 1:9-10). A igreja em Pérgamo rejeitou este ensinamento.


“Arrepende-te, pois, quando não em breve virei a ti, e contra eles batalharei com a espada da minha boca” (Apocalipse 2:16). Jesus chama esta igreja misturada com a doutrina mundana, que tinha o espírito de Balaão e dos nicolaítas, ao arrependimento; caso contrário, será enfrentada, repreendida e sentenciada com a Palavra de sua boca (Apocalipse 19:15). “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer, darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, que qual ninguém conhece, senão aquele que o recebe” (Apocalipse 2:17). O maná se refere ao pão fornecido por Deus, que

deu sustento a seu povo no deserto (Êxodo 16). Em contrapartida, o maná escondido será para o vencedor; é um pão de comunhão com Cristo que dá bênção e vida espiritual. A “pedra branca” é uma recompensa, e nela será escrita uma nova identidade para o crente fiel. Não será recebido na Terra; o Senhor o dará quando entrarmos no céu. Provavelmente diga: pegue esta pedrinha... este é seu novo nome. Como Deus disse a Jacó: “... não se chamará mais o teu nome Jacó, mas Israel...” (Gênesis 32:28), ou como disse a Abrão: “E não se chamará mais o teu nome Abrão, mas Abraão será o teu nome...”. (Gênesis 17.5).

Abril 2019 / Impacto evangélico

49


Um relatório superficial do trabalho que a Obra do Movimento Missionário Mundial desenvolve pelos caminhos da América e ao redor do mundo. A Santa Bíblia diz: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo… E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:46, 47.

AGUARDANDO E RECEBENDO O PODER DO ALTO Evento: 30º Convenção Nacional. Data: 2 a 5 de março. Lugar: Cidade do Panamá, Panamá.

Sob o lema “Shekinah 2019” e com a presença do Reverendo José Arturo Soto, Presidente Internacional da Obra de Deus, o Movimento Missionário Mundial do Panamá realizou sua 30º Convenção Nacional na Arena Roberto Durán, um estádio sediado na capital do território panamenho, onde se reuniu um grande grupo de fiéis locais e delega-

MISIONÁRIO MUNDIAL 50 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

ções de irmãos da Costa Rica, Peru, Porto Rico, Colômbia, Equador e Venezuela. No serviço inaugural da festa espiritual, o Reverendo Rubén Concepción, Secretário Internacional do Movimento Missionário Mundial, foi responsável pela difusão da mensagem de Cristo. Sua exposição bíblica, “Aguardando e recebendo o poder do alto”, esteve apoiada em Lucas 24:49 e Atos 1:4 e 2:1. Em seu discurso, o servo falou sobre as promessas do Senhor, que são para aqueles que confiam n’Ele. Depois, no culto matutino do segundo dia, o reverendo


EVENTOS

Luis Meza Bocanegra, Diretor Internacional do MMM, se encarregou do ensinamento. A intervenção do servo foi “Os Pecados de Sodoma” e foi baseada em Ezequiel 16:49-50. Em sua participação, afirmou que o último ataque do diabo será contra a Palavra de Deus. TEMPO DE VISITAÇÃO

Posteriormente, no serviço noturno, o reverendo Aris Solis, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial da Colômbia, pronunciou a prédica “O tempo de uma visitação”. Em sua análise das Escrituras, apoiada em Lucas

19:41-44, enfatizou que nos últimos dias o Senhor derramará seu Espírito sobre toda a carne. Além disso, ressaltou que o Altíssimo cumpre todas suas promessas e salientou que Ele abençoa e prospera. No início da terceira jornada, um culto juvenil foi realizado pelo reverendo Juan Casiano, do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico, como expositor do Evangelho. Baseado em Atos 1:4-8, a dissertação do pastor, que dirige o Instituto Bíblico Elim na Ilha do Cordeiro, foi “Aguardando a promessa”. Em sua intervenção, disse que a bênção do Redentor está disponível para aqueles que vivem pela fé.

Abril 2019 / Impacto evangélico

51


EVENTOS

MISIONÁRIO MUNDIAL 52 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


Mais adiante, no quinto serviço, o reverendo Carlos Guerra, Diretor Internacional do MMM, transmitiu a Palavra. Apoiado em Salmos 118:13, expôs o tema “Empurrados com violência”. Em seu discurso, assinalou que os crentes não estão sozinhos. Também afirmou que o diabo deve lembrar que o Todo-Poderoso é mais forte do que ele. Do mesmo modo, disse que os golpes do Senhor não são para destruir, mas para restaurar. VISÃO TRANSFORMADORA

No último dia de atividades, um culto missionário foi realizado. Nesta ocasião, o reverendo Juan Castillo, membro do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico, transmitiu a mensagem do Salvador. Apoiado em Isaías 6:1-8, ofereceu a pregação “A visão transformadora”. Em sua dissertação, manifestou que é preciso o trata-

mento de Deus em nossas vidas e referiu que o Espírito do Criador é o que pode nos mudar. No último culto da 30º Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do Panamá, o Pastor Soto, líder mundial do MMM, foi o responsável por ministrar a Palavra. Baseado em Números 9:1516, proclamou: “Deus quer estar continuamente conosco”. A continuidade de sua presença indica que Ele leva as rédeas do seu povo. Quando o Senhor nos avalia, pode eliminar o escuro, o que estorva, o sujo, o inútil. Na parte final da reunião de fé do MMM do Panamá, realizou-se a promoção dos obreiros, na qual 28 irmãos foram reconhecidos por seu trabalho evangelizador. Além disso, o evento foi transmitido ao vivo para os cinco continentes, em alta definição, pelo sinal de Bethel Televisão e os vários meios de comunicação da Obra.

Abril 2019 / Impacto evangélico

53


EVENTOS

JESUS NOS JUNTA Evento: 19º Convenção Nacional. Data: 21 a 24 de fevereiro. Lugar: Buenos Aires, Argentina.

O Centro Esportivo Roberto Pando, localizado na parte sul da cidade de Buenos Aires, foi o cenário usado pelo Movimento Missionário Mundial da Argentina para celebrar sua 19º Convenção Nacional com uma festa espiritual cujo lema foi “Jesus nos junta”. O evento, com um público de aproximadamente três mil pessoas, contou com a presença das delegações do Paraguai, Uruguai, Venezuela e Chile. Na inauguração da convenção, o Reverendo Humberto Henao, Vice-Presidente Internacional do Movimento Missionário Mundial, foi responsável por

MISIONÁRIO MUNDIAL 54 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

anunciar as boas novas de Jesus Cristo. Sua exposição “Quando a Shekinah do Senhor cai ”, baseada em Daniel 7:9-10, ressaltou a mudança radical que o fogo de Deus produz nas pessoas. Depois, no serviço matutino do segundo dia de atividades do encontro de fé, o reverendo Luis Rivera, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial do Paraguai, pregou o Evangelho do Altíssimo com o tema “Vivendo no Fogo de Deus”, baseado em 2 Reis 2:1-13. Em sua participação, falou sobre o Espírito Santo. PRESENÇA DE DEUS

Horas mais tarde, no culto noturno, o reverendo Rómulo Vergara, Diretor Internacional da Obra do To-


Abril 2019 / Impacto evangĂŠlico

55


EVENTOS

MISIONÁRIO MUNDIAL 56 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


do-Poderoso e missionário no continente africano, transmitiu a mensagem do Criador. Apoiado em João 8:31-32, o servo pronunciou a prédica “A verdade nos libertará”, na qual falou sobre o poder da Palavra. No início da terceira jornada, o reverendo Fabio Mosquera, missionário do Movimento Missionário Mundial do Uruguai, foi o instrumento escolhido para transmitir a sã doutrina. Em sua intervenção “Estando sob o processo de Deus”, com base bíblica em Filipenses 1:6, o pastor motivou a se deixar moldar por Deus. Depois, no serviço noturno, o reverendo Gustavo Martínez, Supervisor Nacional do MMM do Chile e Supervisor Missionário da Zona Sul, desenvolveu a

apresentação das Escrituras através da mensagem “Vivendo na presença de Deus”. O discurso do pastor foi apoiado em 1 Reis 17:1-2. No último dia do culto missionário, o Reverendo Vergara foi novamente o porta-voz de Jesus Cristo. A intervenção do pregador, “Até o último da Terra”, foi baseada em Atos 1:6-8. Em sua apresentação, o missionário venezuelano testemunhou os crentes sobre os inícios da Obra do Movimento Missionário Mundial na África. Então, no encerramento da 19º Convenção Nacional, o Pastor Henao, apoiado em 2 Reis 5:14-17, pregou a palavra “De agora em diante”.

Abril 2019 / Impacto evangélico

57


EVENTOS

MANTENDO-SE NO TEMPO Evento: Culto especial. Data: 12 de fevereiro. Lugar: Barcelona, Espanha.

O Movimento Missionário Mundial da Espanha

celebrou um serviço especial para a visita do Rev. Samuel Mejía, Supervisor Missionário da Ásia, no templo principal da Obra na cidade de Barcelona, localizado em La Sagrera. O serviço presidido pelo reverendo Carlos Medina, Supervisor Nacional do MMM da Espanha contou com MISIONÁRIO MUNDIAL 58 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

a presença dos crentes das igrejas de Hospitalet, San Juan Despí e Ripollet. O rebanho do Senhor aproveitou a ocasião para enaltecê-lo, louvá-lo e exaltá-lo. No encontro de fé, o Pastor Mejía se encarregou de compartilhar o Evangelho. Baseado em 2 Timóteo 1:6, desenvolveu o tema “Mantendo-se no tempo e nas circunstâncias”. Em sua exposição, tocou os pontos mais importantes da segunda epístola do apóstolo Paulo a Timóteo. PREGAÇÃO SINGULAR

Com a Sagrada Escritura nas mãos, o pregador afirmou primeiramente: “Não devemos acabar com o dom que Deus colocou em nossos corações. Avivemos o fogo do Senhor que está em nós. Não deixemos a oração. Tentemos não perder nossa intimidade com Jesus Cristo”. Do mesmo modo, em sua prédica, salientou: “É muito


importante ser corajoso e dar testemunho do Criador em nosso ambiente, em nosso lugar de trabalho, onde ninguém da igreja nos vê. Não tenha vergonha de testemunhar. Mantenha seus princípios quando esteja sozinho. Ele não nos deixará envergonhados”. Além disso, o Pastor Mejía, em sua análise bíblica, examinou a passagem 2 Timóteo 2:1-7 e falou sobre o que significa ser um bom soldado de Jesus Cristo. Assim, declarou: “Devemos trabalhar e sofrer antes de receber algum descanso. Não tente evitar esse processo para alcançar a meta. Na vida, as coisas grandes custam. Por isso, esforcemo-nos em trabalhar na Obra de Deus”. Depois, o Reverendo Samuel Mejía começou a falar sobre o que o Altíssimo pensa de um obreiro aprovado. Apoiado em 2 Timóteo 2:14-26, disse que os cristãos devem se enfocar na verdade e evitar as aparências.

Abril 2019 / Impacto evangélico

59


EVENTOS

PREGUE A PALAVRA

Evento: Reinauguração da Casa da Bíblia. Data: 18 de fevereiro. Lugar: Gênova, Itália.

Com a presença de irmãos dos templos de Imperia, Busto Arsizio, Milão, Turim e fiéis de diversas

localidades cristãs, o Movimento Missionário Mundial da Itália reinaugurou a Casa da Bíblia na cidade de Gênova, capital da região da Ligúria, com um encontro de fé em que se comprovou o fundamental e marcante trabalho da MISIONÁRIO MUNDIAL 60 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

Obra de Deus a favor da expansão do Evangelho. Antes da reinauguração, o Reverendo David Echalar, Supervisor Nacional do MMM da Itália e responsável pelo Bloco B da Europa, mostrou sua alegria pela vitória alcançada pela Obra em solo italiano. Quanto a isso, o servo do Altíssimo disse: “Estamos muito felizes por reabrir este local. Para nós, é uma grande honra ter um lugar onde a Palavra do Senhor possa ser espalhada”. LUGAR DE REFÚGIO

O pastor Echalar deu detalhes sobre a reinauguração


da Casa Bíblica de Gênova e revelou que a revista “Impacto Evangelístico”, que edifica sua vida, fará parte deste espaço. Neste sentido, destacou: “Vamos ter uma área de leitura onde se poderá refletir, meditar e revisar as edições de ‘Impacto Evangelístico’. Será um lugar de refúgio para muitas pessoas que não sabem aonde se dirigir. Seguidamente, na oração pela implementação desta iniciativa para difundir a sã doutrina no povo italiano, o Pastor Echalar compartilhou a curta mensagem “Pregue a Palavra”, baseada em Timóteo 4:1-2. Em seu discur-

so, disse: “Como os grandes problemas são resolvidos? Como as doutrinas falsas são corregidas? Apenas pregando a Palavra do Senhor. E isso queremos”. Da mesma maneira, o reverendo Echalar comentou: “Há muitos irmãos, de muitos lugares, que escreveram estudos bíblicos e estudaram para nos oferecer livros preciosos que nos ajudarão a crescer na fé e não seremos enganados pelo Diabo. E apesar de que sejamos de lugares diferentes, temos algo em comum: Cristo e seu precioso sangue, que perdoou todos”.

Abril 2019 / Impacto evangélico

61


EVENTOS

NASCI PARA TE ADORAR Evento: Semana da Juventude. Data: 5 a 10 de fevereiro. Lugar: Berlim, Alemanha.

Em Berlim, o Movimento Missionário Mundial da Alemanha celebrou a Semana da Juventude com o

lema “Nasci para te adorar”. Este evento contou com a participação do reverendo Edwar Flores e a irmã Senaida Espinoza. No primeiro culto, o Pastor Flores, responsável pela igreja em Berlim, pregou a Palavra. Baseado em 2 Coríntios 7:10, transmitiu uma mensagem na qual analisou os

MISIONÁRIO MUNDIAL 62 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

momentos que nos levam ao arrependimento e à busca da salvação. No segundo serviço, a irmã Espinoza, do MMM da Itália, ofereceu a prédica “Nasci para te adorar”. Apoiada em 1 Samuel 1:20, explicou as razões pelas quais o Senhor é adorado. No terceiro culto, a serva Espinoza anunciou novamente a mensagem de Cristo. Baseada em 1 Samuel 2:26, abordou o tema “Estou crescendo para te adorar” e falou sobre as tentações. No quarto serviço, a irmã Senaida, mais uma vez, transmitiu o Evangelho. Apoiada em 1 Samuel 8:1, assumiu a mensagem “Adore e inspire todos” e revelou como se pode inspirar aqueles que não conhecem Jesus. A Semana da Juventude culminou com um culto cuja mensageira do Criador foi a serva Espinoza. Apoiada em Salmo 95, anunciou o Evangelho com o tema “O que nos leva à adoração”.


LUGARES DIFÍCEIS PARA A FÉ Evento: 12° aniversário da igreja de Londres. Data: 22 a 24 de fevereiro. Lugar: Londres, Inglaterra.

Com a participação de um grande grupo de fiéis de Leeds, Reading, Croydon e Luton, bem como com a presença especial do Reverendo Stanley Martis do MMM da Holanda, o Movimento Missionário Mundial da Inglaterra celebrou o 12º aniversário da congregação de Londres. No serviço inaugural da festa espiritual, o Reverendo Roberto Riojas, responsável pelo templo de Londres, foi o encarregado de compartilhar a Palavra. Baseado em Ezequiel 47:1-2, desenvolveu o tema “Crescimento, uma meta

que cada crente deve conseguir”. Depois, no serviço matutino do segundo dia, o Ministro Martis, que dirige a igreja de Lelystad, teve o privilégio de transmitir a mensagem do Altíssimo. Baseado em 1 Coríntios 3:6, espalhou a sã doutrina com a mensagem “Crescimento”. Horas depois, no culto noturno, o pastor Martis foi novamente escolhido para pregar o Evangelho. Em sua segunda exposição bíblica, “Lugares difíceis para a fé”, apoiada em Zacarias 4:6-14, alentou a orar e confiar em Deus. O evento do 12º aniversário do Templo de Londres culminou em um serviço no qual o reverendo Stanley Martis anunciou as boas novas pela terceira vez. Em sua prédica, baseada em Cantares 4:1-5 e 12, exortou os crentes a estarem unidos.

Abril 2019 / Impacto evangélico

63


OUTROS EVENTOS

BOLÍVIA

COLÔMBIA

HONDURAS

Batismos em Oruro

10º aniversário da igreja La Ronda

Retiro nacional de pastores

Em 12 de janeiro, o Movimento Missionário Mundial da Bolívia deu o sacramento do batismo na cidade de Oruro a trinta crentes do Todo-Poderoso que, depois de receber a sã doutrina transmitida pela Obra, desceram às águas batismais e selaram sua união com o cristianismo. Na cerimônia batismal, o reverendo Enrique Valenzuela, Presbítero da Zona 6 do MMM da Bolívia, foi o responsável por anunciar as boas novas. Apoiado em Êxodo 14, compartilhou uma mensagem enfocada em como o Senhor retirou os israelitas do Egito e fez com que cruzassem o Mar Vermelho.

Com uma presença significativa de fiéis do departamento de Santander, o Movimento Missionário Mundial da Colômbia celebrou de 25 a 27 de janeiro o 10º aniversário do templo de La Ronda, situado no município de Floridablanca, que durante três dias se transformou na porta do céu e casa de Deus. Na festa espiritual, encabeçada pelo reverendo William Cañas, o pastor Erson Moya, líder da congregação de El Palmar, localizada no município de Barrancabermeja, foi o instrumento escolhido pelo Senhor para transmitir o Evangelho de Jesus Cristo e doutrinar os paroquianos do Todo-Poderoso. Durante o evento, cujo lema foi “As dez lâmpadas acendidas”, o pregador Moya proferiu as seguintes prédicas: “Coisas que precisamos renovar em nosso casamento”, baseado em Malaquias 2:13-16; “O lar de Ló”, baseado em Gênesis 13:1-13; e “Neemias, um homem imparável”, baseado em Neemias 6:1-14. Do mesmo modo, o reverendo Moya se encarregou de realizar a renovação dos votos.

Na igreja da cidade de Danlí, situada na parte oriental do território hondurenho, o Movimento Missionário Mundial de Honduras realizou seu Retiro Nacional de Pastores nos dias 4 e 5 de janeiro. Durante o culto inaugural, o Pastor Daniel Ávila, Vogal do MMM de Honduras, pregou o Evangelho. Baseado em Êxodo 18:19-20, o servo abordou o tema “Oito características de um líder correto”. Em sua mensagem, enfatizou os rasgos que um líder deve ter para assumir a obra de Cristo. No início do segundo dia, efetuou-se uma jornada de jejum. Após esse momento de comunhão, o reverendo Heriberto Chacón, Supervisor Nacional do MMM de Honduras, compartilhou a mensagem “Não tenho pão comum, só pão sagrado”. Depois, no final, o Pastor Donato Sierra, vogal da congregação, ensinou aos servos do Senhor. Apoiado em Marcos 2:2-3, abordou o tema “As características dos quatro”.

MISIONÁRIO MUNDIAL 64 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

PANAMÁ 35º Confraternização Regional Sob o lema “É hora de agir” e com presença de mais de mil e quinhentos seguidores de Jesus Cristo, o Movimento Missionário Mundial do Panamá celebrou, de 1 a 3 de fevereiro, sua 35º Confraternização Regional no distrito de Baru, na província de Chiriqui. O reverendo Andrés Jean François, Presbítero da Zona 5 do MMM do Panamá, foi o encarregado de transmitir a primeira mensagem do evento. Baseado em Êxodo 25:8, compartilhou o tema “A Shekinah do Senhor”. Da mesma forma, o Reverendo Julio Klinger, Diretor Nacional da Juventude do MMM do Panamá, teve o privilégio de emitir a segunda prédica da reunião de fé. Apoiado em Levítico 6:10-13, expôs a mensagem “Por que o fogo de Deus se apaga?”. Por seu lado, o reverendo Agustín Batista, Presbítero da Zona 1 do MMM do Panamá, pregou a Palavra no terceiro serviço da festa espiritual. Baseado em 1 Reis 16:29 e 17:1, desenvolveu o tema “É hora de agir”. No último culto, o reverendo Epifanio Asprilla, Supervisor Nacional da congregação fundada em território panamenho, ofereceu a mensagem “Os tempos”. Baseado em Efésios 5:13-15, declarou que o homem precisa de um Salvador.


ESTADOS UNIDOS

Confraternização Regional da zona 13 Sob o lema “Avançando com poder”, o Movimento Missionário Mundial dos Estados Unidos celebrou de 7 a 9 de fevereiro a Confraternização Regional de sua Zona 13, que inclui os estados da Carolina do Norte e Carolina do Sul, na localidade de Hilton Head Island. No evento, que contou com a participação do reverendo Arturo Hernandez, Supervisor Nacional do MMM dos Estados Unidos, reuniu um número significativo de fiéis das igrejas e templos que formam a Zona 13. No culto de inauguração, o reverendo Mario Pascual, Presbítero da Zona 10, foi o expositor. Baseado em Gênesis 4:22-24, desenvolveu o tema “Caminhando com Deus” e falou sobre os benefícios de ter a presença do Criador em nossas vidas. No segundo serviço, o reverendo Hernández foi o instrumento escolhido para transmitir sua mensagem. Apoiado em Números 14:10, proferiu a prédica “Não crer em Deus nos coloca em situação de ruína”. Depois, no culto de encerramento, o reverendo Manuel Santiago, Oficial Nacional do MMM dos Estados Unidos, anunciou as boas novas de Jesus Cristo. Baseado em Salmos 42:5, assumiu a alocução “Razões pelas quais os abatimentos surgem”.

ESPANHA Graduação da escola missionária de Barcelona Na capital da comunidade autônoma da Catalunha, o Movimento Missionário Mundial da Espanha realizou em 3 de fevereiro a graduação de sua escola missionária ensinada no templo central da cidade de Barcelona. Nesta celebração, quarenta irmãos foram acolhidos depois de completarem com sucesso seus estudos sobre a Palavra de Deus. O reverendo Carlos Medina, Supervisor Nacional do MMM da Espanha, foi responsável por pregar o Evangelho na festa espiritual que se realizou na segunda cidade mais populosa da Península Ibérica. Apoiado em Amós 8:11-13, compartilhou uma mensagem na qual falou sobre a apostasia que envolverá os últimos tempos da Terra. A escola missionária do Movimento Missionário Mundial da Espanha opera desde 2002, quando o reverendo Carlos Guerra ofereceu um curso dirigido aos líderes e pastores da Obra sediada em solo espanhol, e atualmente desempenha um papel fundamental na formação teológica dos crentes graças às disciplinas que ensina.

SUÉCIA 7º aniversário da igreja de Malmö Com a presença dos pastores Morten Christensen, líder da congregação da Dinamarca, e Edwin Mamani, responsável pela Obra da Finlândia, o Movimento Missionário Mundial da Suécia celebrou o 7º aniversário da igreja na cidade de Malmö com um evento cujo lema foi “A grande comissão” e se estendeu de 22 a 23 de fevereiro. Na festa espiritual, presidida pelo Pastor Edwin Alvarado, o reverendo Carlos Contreras, Presbítero da Escandinávia, transmitiu o Evangelho durante as duas jornadas da comemoração. No primeiro serviço, o Pastor Contreras expôs o tema “A autoridade do Senhor Jesus”. Em sua dissertação, baseada em Mateus 28:18-20, o servo indicou que a Palavra deve ser pregada até que as almas sejam persuadidas. Além disso, advertiu que é preciso ter cuidado, como os discípulos de Cristo, com as más motivações. No segundo culto, o servo, baseado em João 13:1-20, transmitiu a mensagem de Deus com a prédica “A autoridade dos enviados”. Depois, no serviço final, abordou o tema “O dever daqueles que ouvem a grande comissão”. Nesta ocasião, amparado em Marcos 16,15-18, enfatizou que o Evangelho deve ser continuamente anunciado à humanidade.

PORTUGAL Cultos especiais Fiéis aos desígnios do Senhor, o reverendo Carlos Medina, Supervisor do Bloco A da Europa, e o Pastor Carlos Daniel Medina, membro do Movimento Missionário Mundial da Espanha, visitaram os templos da Obra de Deus na cidade de São João de Madeira e de Lisboa, capital de Portugal, de 23 a 24 de fevereiro, onde comprovaram o avanço da sã doutrina. Em Lisboa, os ministros de Jesus Cristo presidiram dois cultos especiais que fizeram parte de seu percurso missionário. Em primeiro lugar, o servo Carlos Medina, baseado em Provérbios 4:5-6, compartilhou uma mensagem que serviu para analisar o objetivo da Palavra do Senhor e afirmar: “Deus nos ama como pai, dá conselhos sábios e nos ama. Deixe que Ele aconselhe sua vida”. Posteriormente, o pastor Carlos Daniel Medina expôs o Evangelho com um tema apoiado em Salmos 147:1-6. Em sua prédica, comentou: “Há feridas profundas no coração. Deus quer curar essas feridas que entristecem. Deus quer que entregue essa dor e Ele curará essas feridas escondidas. Quando for curado, será usado como um instrumento para curar outros”.

Abril 2019 / Impacto evangélico

65


ESCREVA-NOS… CARTAS@IMPACTOEVANGELISTICO.NET

JANEIRO 3-10 21-24 25-27 31-3 (FEV.)

BENERADO MERCADO Muito amados no Senhor, um companheiro de cela me emprestou sua revista e lhes digo que isto é muito mais do que uma revista. Li e aprendi coisas muito interessantes desta Obra maravilhosa, tão cristã, tão informativa, tão cheia de bênçãos e mensagens bonitas de salvação. Muito obrigado! Da Florida, EUA.

LENNY SÁNCHEZ Agradeço a Deus por vocês que incansavelmente levam a semente do Evangelho da paz a um mundo perdido. Mesmo nas prisões, através desta revista, Deus faz maravilhas em nossas almas. É um gozo inefável esperar cada mês para obtê-la. Rezo por vocês, é meu dever e obrigação; sinto que é uma necessidade imposta. Que a paz de Deus esteja convosco. Seu irmão, Lenny. De Osborn Correctional Institution Sommers, Connecticut, EUA.

LYDIA ANTOSANTI Dou graças a Deus pela revista e por vocês porque tudo isso está cheio de muitas bênçãos para o povo de Deus e para aqueles que não fazem parte dele. Estou orando ao Senhor para que envie obreiros de seu conselho para abrir uma Obra em Amsterdam e Saratoya Springs. O leitor pode fazer download dos

ANA LUISA MARTÍNEZ Deus abençoe a revista "Impacto Evangelístico". Obrigada por me enviar esta publicação que é de grande benção para minha vida como é estar nos caminhos do Pai Celestial. Quando recebo a revista é de grande benção para minha vida e a de meus irmãos, já que todos queremos lê-la ao mesmo tempo. Saudações para toda a equipe da revista "Impacto Evangelístico". De Holguín, Cuba

CONVENÇÃO NA COLÔMBIA, MEDELLÍN CONVENÇÃO NA NICARÁGUA CONVENÇÃO NO PARAGUAI, MONTEVIDÉU CONVENÇÃO NA BOLÍVIA, TARIJA

FEVEREIRO 7-10 CONVENÇÃO EM BELIZE (ORANGE WALK). 21-24 CONVENÇÃO NA ARGENTINA (BUENOS AIRES). MARÇO 2-5 14-17

OCNIEL MONTERO Bênçãos irmãos. Eu lhes escrevo porque estou eternamente agradecido pela revista que recebo, e se tornou uma arma em minhas mãos. Sempre levo uma cópia em minha pasta para compartilhar seu rico ensinamento com um irmão ou interessado. Nos cultos, eu a usei como material de estudo. Eu lhes digo este testemunho: em uma Escola Dominical tinha a revista e o Espírito Santo me levou a um artigo que trata da vida de Policarpo. Falou-se deste mártir cristão com paixão; muitos choraram e ainda se lembram de quase tudo o que aprenderam de Policarpo, pois nunca tinham ouvido falar dele; que bênção. Isso nos deu todas as forças para continuar. De Holguín, Cuba.

AGENDA GLOBAL 2019 14-17 ABRIL 11-13 17-21

códigos QR gratuitamente desde estas plataformas; eu tenho fé em que Deus me ouvirá porque precisamos de homens e mulheres que se entreguem a Deus e a sua Obra. Saudações e um abraço no Senhor. De Amsterdam, NY, EUA.

BLANCA DELGADO Prezados irmãos, obrigada por me enviar a revista “Impacto Evangelístico”. É de grande bênção e contém temas e testemunhos importantes. Peço ao Senhor que os abençoe abundantemente para ajudar a continuar levando a Palavra do Senhor, que é essencial, ainda mais nos tempos em que vivemos. Que o Senhor os continue abençoando. De Barceloneta, Porto Rico.

ANTONIO SÁNCHEZ Queridos irmãos, eu quero agradecer pelo esplêndido trabalho que fazem para ganhar almas para nosso Senhor Jesus Cristo. Que Deus Todo-Poderoso os continue abençoando grandemente. Eu me despeço com muito amor e gratidão por seu grande trabalho. De Gardner, MA, EUA.

EVA N. RIVERA Saudações! Adoro sua revista. É de muita benção para mim. Muito bem redigida e atualizada. Deus os abençoe. De Camuy, Porto Rico.

MARIANA MATOS Amados irmãos em Cristo, que o Senhor os abençoe. Eu agradeço por essa revista que eu sei que é inspirada pelo Espírito Santo porque não tiram nem acrescentam nada a Sua Palavra. É um gozo para minha vida cada vez que a recebo e não a deixo até lê-la completamente porque é uma bênção para mim, e depois de lê-la, eu a dou às pessoas que não conhecem Deus. Amo vocês no amor de Cristo. De Cabo Rojo, Porto Rico.

Você pode baixar o leitor de código QR livre nestas plataformas:

18-20 25-27 25-28 26-28 MAIO 3-5 16-19 16-19 JULHO 2-6 4-7 9-12 12-14 17-20 25-28 AGOSTO 8-11 8-11 9-11 13-18 15-18 22-25 22-25 SETEMBRO 4-6 13-15 16-18 20-22 25-28 28 OUTUBRO 4-6 18-20 25-27 31-3 (NOV.)

CONVENÇÃO NO PANAMÁ CONVENÇÃO EM HONDURAS (SAN PEDRO SULA). CONVENÇÃO NA AUSTRÁLIA (MELBOURNE). CONVENÇÃO NO NEPAL. CONVENÇÃO NA GUATEMALA (CIDADE DA GUATEMALA). CONVENÇÃO NO SRI LANKA. CONVENÇÃO NA REPÚBLICA DOMINICANA. CONVENÇÃO DA GUIANAS, SURINAME E MARTINICA (SURINAME). CONFRATERNIZAÇÃO DO PRESBITÉRIO LESTE DA ÁFRICA, CONGO (BRAZZAVILLE). CONVENÇÃO NO JAPÃO (TÓQUIO E NARITA). CONVENÇÃO NA SUÍÇA (GENEBRA). CONVENÇÃO NA ALEMANHA E BLOCO C (HAMBURGO). CONVENÇÃO NA COSTA RICA. CONVENÇÃO NO BRASIL (MANAUS). CONVENÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS, MICHIGAN (GRANDVILLE). CONFRATERNIZAÇÃO NA NOVA ZELÂNDIA (WELLINGTON). CONVENÇÃO EM PORTO RICO. CONVENÇÃO NO MÉXICO.

CONVENÇÃO NA ESPANHA E BLOCO A DA EUROPA (MADRID). CONVENÇÃO NO HAITI (PORTO PRÍNCIPE). CONFRATERNIZAÇÃO NO BRASIL (SÃO PAULO). CONVENÇÃO GERAL E DE JOVENS NA ÁFRICA, GUINÉ EQUATORIAL (BATA). CONVENÇÃO NA ITÁLIA E BLOCO B (MONZA). CONFRATERNIZAÇÃO DO PRESBITÉRIO OESTE DA ÁFRICA, GANA (ACRA). CONVENÇÃO EQUADOR (GUAYAQUIL). CONVENÇÃO NA VENEZUELA. CONVENÇÃO NO PERU (AREQUIPA). CONVENÇÃO NO PERU (CHICLAYO). CONVENÇÃO NO PERU (LIMA). CONVENÇÃO NO ÍNDIA. DIA MUNDIAL DAS MISSÕES, ATIVIDADE SIMULTÂNEA EM TODOS OS PAÍSES. CONFRATERNIZAÇÃO NO CANADÁ. CONFRATERNIZAÇÃO EM MADAGASCAR. CONVENÇÃO NA ILHA MAURÍCIO. CONVENÇÃO NO CHILE (SANTIAGO).

NOVEMBRO 14-17 CONVENÇÃO EM EL SALVADOR. 21-24 CONVENÇÃO NO URUGUAI (MONTEVIDÉU) 26-29 CONVENÇÃO EM MYANMAR.

n Eventos passados n Eventos futuros MISIONÁRIO MUNDIAL 66 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia


II ACAMPAMENTO NACIONAL JUVENIL REUS-TARRAGONA 2019

18 a 21

ABRIL

Abril 2019 / Impacto evangélico

67


em toda a Europa Informamos a todos nossos telespectadores de Bethel Televisão na Europa que nos sintonizavam através da antena parabólica de 60 cm de diâmetro (DTH) instalada em casa e através do satélite Hotbird, que a partir de 28 de fevereiro deste ano, nosso sinal em qualidade padrão (SD) deixou de funcionar, porém, podem continuar desfrutando da programação de Bethel Televisão em alta definição (HD) através do mesmo satélite, só deverão ter ou trocar seu receptor de satélite para um de característica DVB-S2/MPEG4 e configurar os seguintes parâmetros:

Frequência: 11642 Symbol Rate: 27500 Polaridade: Horizontal

Para maior informação pode nos contatar em:

MISIONÁRIO MUNDIAL 68 MOVIMENTO América•Europa•Oceania•África•Ásia

Profile for Impacto Evangelistico

783_Português  

Revista Impacto Evangélico / Edição Abril 2019 / Língua Portuguesa

783_Português  

Revista Impacto Evangélico / Edição Abril 2019 / Língua Portuguesa