Page 1


Olhares do IFPB Cláudia Pereira do Nascimento Guilherme Marconi Gomes de Brito Jeudi Brito de Lemos Olga Sueli Bezerra (Organizadores)

Editora do IFPB João Pessoa – PB 2013


Reitor do IFPB Professor João Batista de Oliveira Silva Pró-Reitora de Extensão Maria Edelcides Gondim de Vasconcelos Diretor de Gestão das Atividades de Extensão Guilherme Marconi Gomes de Brito Diretor de Extensão Tecnológica e Assuntos Comunitários Alexandre Urquiza de Sá Coordenadora de Registro e Gerenciamento de Projetos Olga Sueli Bezerra Organizadores Cláudia Pereira do Nascimento Guilherme Marconi Gomes de Brito Jeudi Brito de Lemos Olga Sueli Bezerra Comissão de Avaliação Adilson Luiz Silva Humberto Borges Andrade de Vasconcelos João Carlos Gomes Beltrão João Miguel Neto Produção Executiva Coordenação de Comunicação Social do IFPB Capa, Projeto Gráfico e Diagramação Luzivan José da Silva


Prefácio Nasce a Fotografia em 1839, como meio de expressão novo, referindo-se ao mundo como objeto a ser compartilhado. Seu reconhecimento cultural e artístico não foi imediato, tendo sido usada, sobretudo, como um instrumento para fins práticos, para documentar e atualizar valores da sociedade daquela época. Ao longo de toda a história da fotografia, sempre houve quem a promovesse como uma forma de arte e veículo de ideias, perspectiva esta hoje difundida com maior frequência e veemência (Charlotte Cotton). A fotografia chega, também, ao nosso tempo reconhecida como a mais universal de todas as linguagens da representação plástica. Iniciativa interessante a da Pró-Reitoria de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - IFPB, de criar um acervo fotográfico de preservação da memória institucional com olhares do discente. Os “Olhares do IFPB” revelam, no conjunto dos trabalhos, o registro não apenas do reconhecimento de um espaço de vivência e trocas, como também desse olhar que, estimulado, percorre com intuição e sensibilidade seu ambiente, revelado em cores, formatos, objetos e pessoas que se frequentam. São identificados detalhes/fragmentos, arquitetura/formatos, objetos/livros, natureza/jardim, luzes/sombras, superfícies/texturas, corredores/interiores, olhares/voyeurismos, indivíduo/amigos, memórias particulares/memórias coletivas. Fotografia como documento. Fotografia além do documento. Fotos podem ser mais memoráveis que imagens em movimento; são uma fatia do tempo e não um fluxo... Ao munir esse mundo de uma duplicata do mundo feita de imagens, a fotografia nos faz sentir que o mundo é mais acessível do que é na realidade... (Susan Sontag). Bom trabalho o de vocês. Que esse começo seja permanente. Que esse Olhar seja pensamento. A fotografia perpetua-nos, ainda que não sejamos para sempre. Rodolfo Athayde¹ João Pessoa, 16/08/2013

¹Nascido em João Pessoa, Rodolfo Athayde é formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba. Fez pós-graduação em Medicina na Universidade Autônoma de Barcelona, na Espanha, onde começou suas atividades artísticas com os mestres Père Cara e César Lopez Ozómio. Realizou sua primeira exposição individual no Brasil, na Galeria Macunaíma, da Funarte, no Rio de Janeiro, em 1986. Premiado diversas vezes em Salões Nacionais de Arte, Rodolfo atua também como curador em algumas exposições. Porém, é na fotografia que o artista encontra seu olhar mais peculiar sobre a humanidade e elabora suas séries, instalações e vídeos sobre o ser humano.


Apresentação Revelar a visão educacional do discente dentro do seu câmpus e criar um acervo fotográfico de preservação da memória institucional: estes foram os objetivos do I Concurso de Fotografia do Instituto Federal da Paraíba - “Olhares do IFPB”. Como tema do concurso, o cotidiano do IFPB; como foco, a educação e as edificações dos câmpus. A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica foi instituída em final de 2008, através da Lei n° 11.892, que criou os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, sendo responsável por grandes mudanças nos então Centros Federais de Educação Tecnológica. O CEFET/PB, de três unidades, passa para dez, quinze, muda a missão e a abrangência, tudo muito rápido. Iniciar a construção da memória institucional fotográfica no momento em que o IFPB é chamado à renovação de valores e paradigmas, sob o olhar do nosso alunado, estimula a criatividade, desenvolve a visão estética, ao se perceber e se captar o cotidiano educacional. Muitos foram os olhares captados, difíceis de ser julgados, pois todos têm o seu valor, a carga de emoção que traz e deixa na fotografia a sensibilidade de seus autores. A avaliação é subjetiva, feita por quem tem experiência. Como critérios de avaliação, a Comissão Julgadora levou em consideração a criatividade, a originalidade, a qualidade estética e a adequação ao tema. As fotografias inscritas farão parte do acervo fotográfico do IFPB, mediante autorização na ficha de inscrição. No acervo de preservação da memória institucional, constam os dados dos autores das imagens e o texto explicativo, escrito pelo autor, no contexto do tema. Das 135 fotografias inscritas, com poucas desclassificadas por não cumprimento ao edital, 50 foram selecionadas e as três primeiras, com premiação. As selecionadas farão parte do livro “Olhares do IFPB”. Quem abrir estas páginas compartilhará os sentimentos dos nossos discentes, através de imagens e letras.

Profª Maria Edelcides Gondim de Vasconcelos Pró-Reitora de Extensão do IFPB


Sumário 06 APRESENTAÇÃO ...................................................................................................................................................... 07 A ENTRADA DOS ÂNGULOS ................................................................................................................................. 12 PREFÁCIO ..................................................................................................................................................................

Victor Erich Lucena Nobre

CAMINHOS SEM FRONTEIRAS ............................................................................................................................ Ana Lúcia de Lima Gondim A LEITURA É UMA PORTA ABERTA ..................................................................................................................... Manuela Ananias de Barros JUNTOS COM O MESMO OBJETIVO .............................................................................................................. Everton Nascimento da Silva QUERER VENCER É PERCORRER METADE DO CAMINHO ......................................................................... Manuela Ananias de Barros A MELHOR FORMA DE PREVER O FUTURO É CRIÁ-LO ............................................................................. Manuela Ananias de Barros ASSIMETRIA SOBREVIVENTE ................................................................................................................................ Arthur Aprígio de Melo EXPANSIONISMO CULTURAL ............................................................................................................................... Emerson Lopes Barbosa CAMPO DA ROTINA ............................................................................................................................................... Arthur Aprígio de Melo ENTRADA IFPB-JP ..................................................................................................................................................... Camila Barros da Silva Freire ALÉM DAS BOTOEIRAS .......................................................................................................................................... Marcos Suendy Santos do Nascimento LEITURA! ..................................................................................................................................................................... Marcos Sueudy Santos do Nascimento

14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 34


APRENDER SEM PENSAR É TEMPO PERDIDO ................................................................................................ Thaísy da Silva Ferreira NÃO HÁ VENTOS FAVORÁVEIS PARA QUEM NÃO SABE AONDE QUER IR ....................................... KaryneMillena Nascimento Silva FAZENDO JORRAR .............................................................................................................................................. Paulo de Oliveira Nascimento ABRAÇO DA NATUREZA .................................................................................................................................... Alerson Vicente da Costa PÔR DO SOL NO CORREDOR ......................................................................................................................... Marta Polyana Farias da Silva IFPBRAÇOS ABERTOS DA PARAÍBA .................................................................................................................. Gills Lopes Macedo Souza OS FRUTOS DA EDUCAÇÃO SÃO DOCES..................................................................................................... Karyne Melina Nascimento Silva MAIS IMPORTANTE QUE VITÓRIA É A CORAGEM DE LUTAR.................................................................. Karyne Melina Nascimento Silva REVIVA, HORÁCIO.................................................................................................................................................. Diógenes Bezerra Pereira O CAPACETE........................................................................................................................................................... Victor Erich Lucena Nobre AULA DE TOPOGRAFIA NO PÁTIO DO IFPB/PICUÍ..................................................................................... Antonio Cândido Filho ENTRE NUVENS......................................................................................................................................................... Ermeson Moreira Campos QUÍMICA – IDENTIFICAÇÃO DE ÂNIONS........................................................................................................ Marcos Sueudy Santos do Nascimento EDUCAR É SEMEAR COM SABEDORIA............................................................................................................. Thaísy da Silva Ferreira TONS DE VERDE....................................................................................................................................................... Victor Erich Lucena Nobre

36 38 40 42 44 46 48 50 52 54 56 58 60 62 64


O IFPB NO SERTÃO................................................................................................................................................. Paulo de Oliveira Nascimento AULA DE CAMPO...................................................................................................................................................... Antônio Cândido Filho GUARDIÃ DO CONHECIMENTO............................................................................................................................ Gills Lopes Macedo Souza A CONSTRUÇÃO DOS SABERES........................................................................................................................... Ana Lúcia de Lima Gondim INOVAÇÃO, TECNOLOGIA E SEGURANÇA..................................................................................................... Everton Nascimento da Silva PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES............................................................................................... Camila Barros da Silva Freire IFPB NOTURNO.......................................................................................................................................................... Raul Lafayette Formiga L. Sobrinho CAMPOS DE FUTEBOL IFPB-JP............................................................................................................................... Camila Barros da Silva Freire PLANTANDO SEMENTES, COLHENDO CONHECIMENTO.............................................................................. Gilmar Silva Oliveira FLORESCER................................................................................................................................................................. Diego Bruno de Macedo Silva EM BUSCA DE NOVOS RUMOS............................................................................................................................ Alessandra Alves de Fontes Rodrigues SEMIÁRIDO E EDUCAÇÃO MODERNA................................................................................................................ Paulo Everson Martins Nunes LOGO, VERDE............................................................................................................................................................ Gills Lopes Macedo Souza EDUCAÇÃO SOB ÁGUA......................................................................................................................................... Allan Alex de França HETEROGÊNIA 1....................................................................................................................................................... Ewerton Macedo Dantas de Melo

66 68 70 72 74 76 78 80 82 84 86 88 90 92 94


O FUTURO LÁ FORA............................................................................................................................................. Anderson Dantas Santos PASSARINHO NA ROSEIRA.................................................................................................................................... Marta Pollyana Farias da Silva SIMETRIA PERFEITA................................................................................................................................................. Redlhey Michael Andrade Maciel REFLEXO DA MUDANÇA........................................................................................................................................ Jéssika Monteiro Cordeiro O TRABALHO NA EDUCAÇÃO............................................................................................................................. Allan Alex de França VIAGEM DO DESCOBRIMENTO........................................................................................................................... Rafael Douglas Soares Barboza CENTRANDO E CALANDO..................................................................................................................................... Caroline Freire Alves ESCADARIA NO FINAL DA TARDE........................................................................................................................ Anderson Dantas Santos

96 98 100 102 104 106 108 110


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

A Entrada dos Ângulos

Autor Local

Victor Erich Lucena Nobre IFPB – Câmpus Patos Em “A Entrada dos Ângulos”, são identificadas inúmeras figuras geométricas a partir de onde a fotografia foi registrada. São retângulos, quadrados, triângulos, um grande círculo no centro e tantas outras formas. Esta fotografia foi tirada da parte de dentro do câmpus, destacando ao fundo os ângulos posicionados na parte superior dos portões de entrada e de saída do prédio, que serão inaugurados em breve. O céu azulado e totalmente sem nuvens dá um toque especial à imagem. A ausência do verde nos lembra da triste seca que toma conta de todo o Sertão paraibano.

12


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

13


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Caminhos sem Fronteiras AutorA Ana Lúcia de Lima Gondim L ocal Corredor de Engenharia Elétrica do Câmpus João Pessoa Esta foto retrata o cotidiano do IFPB em duas formas: é muito comum, em meio à beleza física da arquitetura dos corredores do IFPB, ou seja, desta edificação, encontrarmos cenas como esta, onde a beleza da inclusão social e a interação dos estudantes quebram as barreiras das discriminações e diferenças sociais ou físicas, e seguem um só caminho, um só objetivo construindo caminhos sem fronteiras. Constroem juntos o futuro e fazem história. Quando um jovem como este quer alcançar seus objetivos, segue com perseverança, vencendo os obstáculos. Cada dificuldade encontrada é uma oportunidade para vencer, traçar metas e fortalecer-se para as demais dificuldades que vêm pela frente. “Desistir nunca, vencer sempre.” Este é o objetivo de cada um deles: seja sem deficiência física, seja como portador dela, o sonho de vencer vibra dentro de cada um deles com os mesmos entusiasmos. E seguem seus caminhos, vencendo a cada dia as fronteiras da vida.

14


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

15


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

A Leitura é uma Porta Aberta AutorA Manuela Ananias de Barros L ocal Varanda das Salas do Pet-Química Câmpus João Pessoa A foto mostra que a leitura é o principal artifício da educação, pois por meio dela são introduzidos sentimentos íntimos e profundos no aluno/leitor, possibilitando a entrada e a saída das mais diversas ideias, como se fosse um portal. O livro, na foto, é utilizado para formar um coração. Tudo isto é simbologia. O livro representa a leitura, a sabedoria, o estudo e a dedicação. O formato do coração representa os sentimentos do aluno, as interligações estabelecidas com sua vida social e emocional, a dedicação, a entrega de seu tempo em troca de ser correspondido com algo novo. A luz do sol transpassando o formato de coração nos revela o ponto essencial da fotografia, pois este fator assume vários significados: a iluminação do entendimento humano e a clareza que é adquirida na vida social e, principalmente, emocional. A fotografia enfoca que a associação da leitura (como processo de aprendizado) com as emoções do indivíduo proporciona uma clareza e justificação das ideias e dos ideais, formando um vínculo de respeito com o processo de educação.

16


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

17


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Juntos com o Mesmo Objetivo

Autor Local

Everton Nascimento da Silva IFPB – Câmpus João Pessoa Muitos pensam que o IFPB é uma instituição apenas para estudar e nada mais, porém quem pensa assim está completamente errado. Uma prova disso são os vários alunos que se reúnem não apenas para estudar, mas também para compartilhar experiência de suas vidas, contar sobre o que têm aprendido nas salas de aulas e ensinar um pouco sobre a palavra de Deus. É comum ver pelos corredores e no pátio do IFPB alguns grupos de jovens se reunindo para louvar, orar, dançar, contar piadas, conversar e estudar. Jovens de todas as idades, tamanhos, raças, cores, religiões e do ensino médio, técnico e do superior. Juntos fazem o IFPB ser o que realmente é: uma instituição de qualidade, de respeito e que visa o futuro desses jovens. Na foto, os alunos de vários cursos se reúnem para fazer o nome IFPB formado por pessoas, querendo mostrar que, mesmo sendo de cursos diferentes, todos têm o mesmo objetivo, que é ter um futuro a partir do IFPB.

18


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

19


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Querer Vencer é Percorrer Metade do Caminho AutorA Manuela Ananias de Barros L ocal Ao Lado do Campo de Futebol (Pracinha) IFPB - Câmpus João Pessoa Esta foto focando no globo terrestre retrata que todos nós temos “um mundo” de descobertas disponíveis para nós. A luz do sol iluminando o globo foi proposital, pois nos passa a ideia de que não importa a estação ou localização, a luz sempre chegará para iluminar nossos sonhos, nos mostrando para onde devemos ir. Nos mostra também que nada é igual, cada sonho recebe seu esclarecimento na hora certa, não devemos apressar aquilo que deve ser natural, e que a clareza das coisas sempre é o melhor jeito de se executar as ideias. O globo terrestre sobre o livro mostra que, independentemente de qualquer coisa, a nossa base deve ser a cultura e a sabedoria, prezando a prudência e a inteligência nos atos. O galho com flores ao lado do globo terrestre nos fala que por trás de toda a prudência, sede de alcançar objetivos, inteligência e sabedoria, não somos nada se não preservarmos nossa pureza, naturalidade e inocência, nossa beleza natural. Por fim, a foto diz que devemos possuir três características: determinação, sabedoria e naturalidade.

20


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

21


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

A Melhor Forma de Prever o Futuro é Criá-lo AutorA Manuela Ananias de Barros L ocal Varanda das Salas do Pet-Química Câmpus João Pessoa

Concordo com o que o grande físico e cientista Albert Einstein disse: “Imaginação é mais importante do que conhecimento”. Os antigos povos gregos não tinham o conhecimento dos deuses nos quais eles acreditavam. Apenas imaginavam eles, e assim os criaram e criaram também toda aquela mitologia, uma cultura inteira baseada naqueles mitos e lendas. Eles determinaram seu futuro a partir do que eles acreditavam existir. E assim como os povos da Grécia Antiga, cada um de nós pode moldar e criar o nosso futuro. Podemos plantar nossas sementes e colhê-las amanhã. Mas tudo depende de nós plantarmos boas ou ruins sementes. Um exemplo de uma semente boa é a educação, pois ela é essencial para o futuro de cada um de nós, porque através dela podemos melhorar o nosso meio, até mesmo o mundo. Podemos melhorar o lugar onde nós vivemos e assim, fazer com que a convivência seja mais harmoniosa, que o ser humano aprenda a dar valor à natureza e a preservá-la.

22


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

23


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Assimetria Sobrevivente

Autor Local

Arthur Aprígio de Melo IFPB – Câmpus João Pessoa As fendas revelam a beleza natural que existe no Câmpus João Pessoa. A palmeira, que surge imponente em meio aos prédios, revela a resiliência do verde assimétrico, que sobrevive às intervenções humanas, que resiste à frieza do concreto. Ela aparece silenciosa através das entradas de ventilação, aguardado alguém que, em meio à correria, pare para contemplar o belo, contemplar a vida e o singelo, alguém que esqueça por um momento os ponteiros do relógio e se deixe levar pelo calor das emoções. A assimetria da folhagem representa a capacidade de adaptação, a capacidade de resistência às adversidades, e a superação é representada pela copa da palmeira, que surge mais elevada que os prédios.

24


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

25


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Expansionismo Cultural

Autor Local

Emerson Lopes Barbosa IFPB – Câmpus Monteiro Chegou com sua nova forma de instruir, reconstruir e apoiar formações. Cresceu de uma maneira inigualável, elevando-nos a uma forma de pensar e viver nunca vista. Transformou o cenário cultural do Cariri no que diz respeito à educação e expansão de sabedoria a que nós pouco tínhamos acesso antes. Fez com que o espírito da curiosidade vencesse em nós, provocando-nos a querer mais e mais, sem nunca parar ou estagnar diante de qualquer dificuldade. Trouxe o progresso à tona, não apenas colaborando com a educação, mas também com a vida de toda uma sociedade. Agora pode-se dizer que esta realidade antes utópica habita não mais em nossos sonhos, mas em nossas vidas. Já podemos notar, e muito claramente, a mudança da perspectiva de vida. Temos certeza de que agora as coisas andarão em caminhos mais prósperos, e que nosso câmpus virá a crescer muito mais.

26


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

27


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Campo da Rotina

Autor Local

Arthur Aprígio de Melo IFPB – Câmpus João Pessoa Cotidianamente ficamos tão preocupados com horários e obrigações, que nos esquecemos de desfrutar as coisas boas que temos. Coisas simples como uma partida de futebol, uma corrida ou um jogo de vôlei parecem devaneio para a sociedade do horário regrado, que esquece o prazer das coisas simples da vida, a sensação estonteante de quebrar a rotina e fazer o que se tem vontade, mesmo que não estivesse na agenda. Ficamos tão presos aos ponteiros do relógio que deixamos de ver o que está à nossa volta, deixamos de aproveitar as oportunidades para cumprir a rotina, assim acabamos sedentários e amargurados, perdemos a leveza. Devemos aprender a conciliar nossa rotina com o prazer, temos que aprender a aproveitar os espaços que nos são disponíveis, mas dos quais nunca fazemos uso, e mais, devemos aprender a ser felizes.

28


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

29


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Entrada IFPB-JP

AutorA Camila Barros da Silva Freire L ocal IFPB – Câmpus João Pessoa A entrada do Câmpus João Pessoa é sem dúvida uma das mais belas, garantindo aos estudantes uma imagem sólida e responsável da instituição.

30


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

31


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Além das Botoeiras

Autor Local

Marcos Suendy Santos do Nascimento Laboratório de Comandos Elétricos do IFPB – Câmpus João Pessoa A foto “Além das botoeiras” reflete o processo de aprendizagem de alunos que interligam a teoria, passada pelo professor, à prática feita pelos alunos. Como se observa na imagem, a atenção dos alunos na aula teórica e também a presença do professor como um facilitador da aprendizagem demonstram a realidade de muitos alunos do IFPB. O foco nas botoeiras foi proposital, pois tem a intenção de mostrar os equipamentos de nossa instituição, que passa por uma grande mudança, uma modernização. Os laboratórios do IFPB são um local em que há muitas aulas. No âmbito de toda a história da instituição, esses ambientes já foram bastante procurados por outros para atividades diversas, como, por exemplo, o programa do governo PROJOVEM. O IFPB sempre foi uma das Instituições com melhores equipamentos e com os professores mais preparados para lecionar e capacitar os alunos para o mercado de trabalho e, como não falar, também para a vida.

32


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

33


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Leitura!

Autor Local

Marcos Suendy Santos do Nascimento Biblioteca Nilo Peçanha do IFPB – Câmpus João Pessoa O objetivo desta imagem foi perceber a rotina da biblioteca Nilo Peçanha do IFPB. Sempre foi visível para seus usuários, como também para os visitantes, toda a movimentação neste ambiente. Atualmente percebe-se que é um dos locais mais modernos e frequentados do Instituto. Com foco na imagem proposta, percebi que, no momento da leitura, o usuário e a iluminação eram necessários; a localização da bibliografia procurada e também a atenção do usuário cooperaram para que se chegasse ao resultado dessa bela imagem. O ambiente da biblioteca e os livros são dois dos fatores mais procurados pelos discentes. A importância desse moderno espaço é imensa, tanto que a movimentação na biblioteca Nilo Peçanha é muito alta. O usuário lendo, as estantes, os livros, a sua atenção, a iluminação, entre outros aspectos, refletem a rotina atual de nossa instituição, que é hoje uma das mais procuradas, não só pelos discentes, mas também pelos docentes e visitantes.

34


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

35


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Aprender sem Pensar é Tempo Perdido

AutorA Thaísy da Silva Ferreira L ocal Ao Lado do Campo de Futebol do IFPB – Câmpus João Pessoa Esta foto expressa, por meio da simplicidade, que aprender é um processo que depende unicamente de você. Não importa de onde você veio, seu aprendizado determinará para onde você vai. A foto expressa também que, muitas vezes, temos que nos afastar e ficar sozinhos, temos que ter um tempo reservado apenas para nós mesmos, pois isto facilitará a fixação e a aceitação de qualquer assunto que desejamos aprender. A foto foi tirada em um lugar perto da natureza, e há flores na cabeça da aluna. Tudo isso para mostrar que devemos dar adeus, nos desfazer das artificialidades do cotidiano, e nos aproximar daquilo que é puro e natural. Aproximar-se da naturalidade e da pureza dos pensamentos quebra os preconceitos que rondam a cabeça do aluno. A foto retrata que não adianta estar presente e tirar boas notas, apenas. O aluno tem que pensar e encontrar prazer no aprendizado, mesmo longe da sala de aula.

36


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

37


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Não há Ventos Favoráveis para Quem não Sabe Aonde Quer Ir AutorA Karyne Millena Nascimento Silva L ocal Varanda das Salas do Pet-Química Câmpus João Pessoa Cada indivíduo tem seu modo de agir e pensar, mas cada uma dessas ações se originou da educação que seus pais e familiares lhe proporcionaram. A educação é algo “indispensável” na vida de um ser humano, pois é com ela que aprendemos o que fazer o que queremos de nossas vidas e é dela que vem a base do nosso caráter. Não podemos afirmar que todas as pessoas possuem educação igual, porém, podemos sim afirmar que tivemos os mesmos princípios da educação. Mesmo tendo recebido uma educação de qualidade desde pequeno, é muito difícil chegar a uma conclusão definitiva sobre qual profissão se quer seguir. Quase todas as pessoas têm um sonho do que “querem ser quando crescer” na infância, mas dificilmente elas irão continuar mantendo essa escolha, e será ainda mais difícil segui-la, seja pelo mercado de trabalho não ser tão amplo quanto o de outras profissões, seja por motivos pessoais ou até porque não se tem as condições financeiras necessárias para seguir em frente, entre outros. A única solução é pesquisar e se decidir mesmo, fazer o que lhe agrada e lutar por isso, ultrapassando os obstáculos, e tornando isso uma vitória.

38


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

39


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Fazendo Jorrar

Autor Local

Paulo de Oliveira Nascimento IFPB – Câmpus Picuí Nesta fotografia, nossa ideia foi trazer um elemento significativo para a cultura ocidental. Trata-se da fonte d’água do jardim do IFPB/Câmpus Picuí, em primeiro plano, posta como um espaço acolhedor, que – situando-se no prédio administrativo e que dá acesso às salas de aula – dá as boas-vindas aos alunos e alunas. Sabe-se que a fonte d’água simboliza, na cultura ocidental, ora a juventude, ora a imortalidade, ora a sabedoria. Aqui, concebemos a fonte como força motriz para a busca do conhecimento e, portanto, como símbolo da sabedoria que o IFPB pode oferecer, na medida em que vemos, na fotografia, uma jovem sentada à direita da fonte, lendo um texto, enquanto outro jovem olha para o jardim e contempla seus elementos, enquanto se dirige à sua sala de aula.

40


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

41


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Abraço da Natureza

Autor Local

Alerson Vicente da Costa IFPB – Câmpus João Pessoa A sensibilidade da natureza abraça o ambiente acadêmico do IFPB. Estamos rodeados de belas paisagens que aumentam nosso desejo de valorizar o meio ambiente. Em nossos dias, a busca de riquezas tem levado muitos a esquecerem dos grandes valores da vida, principalmente os que estão relacionados à natureza. Queremos viver num mundo moderno, mas atrelado a essa modernidade queremos paz, tranquilidade e segurança. Essa paz tão buscada pelas pessoas pode ser encontrada nas coisas simples, naquelas que nosso tempo nem sempre permite que observemos: a natureza. Não se trata apenas de belas paisagens, pelo contrário, são cenas que nos inspiram e nos ensinam bastante a ter harmonia, cuidados e amor no nosso dia-a-dia. Apesar da decadência dos valores de cuidados ambientais estar em alta, quão bom é estudar no IFPB, um local que abraça a causa ambiental; um local que nos ensina a valorizar a natureza. A natureza, por sua vez, abraça o IFPB e permite que todos nós desfrutemos de sua paz e harmonia.

42


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

43


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Pôr do Sol no Corredor

AutorA Marta Pollyana Farias da Silva L ocal IFPB – Câmpus João Pessoa O pôr do sol tem uma disposição natural para ser poético. Os orifícios circulares e peculiares das paredes dos corredores do IFPB permitem a passagem da luz do sol formando uma textura, uma imagem única, encantadora e admirável. Quando isso acontece na hora do pôr do sol, o efeito “poá psicodélico” que ocorre no corredor do ensino médio é fascinante e sublime, me permitindo assim uma ótima oportunidade de expor esse fascínio através da fotografia. Dá uma sensação de nostalgia e vivacidade. Parece que é sempre uma novidade: toda vez que vejo esse efeito ou visualizo algo semelhante em qualquer outro lugar até mesmo em alguns objetos, seja num tecido de bolinhas ou no globo espelhado de uma festa, retorno ao corredor do ensino médio do IFPB. O pôr do sol no corredor do ensino médio ficará guardado para sempre em minha memória, de uma maneira feliz e romântica.

44


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

45


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

IFPBRAÇOS Abertos da Paraíba Autor Local

Gills Lopes Macedo Souza IFPB – Câmpus João Pessoa Esta fotografia busca demonstrar a receptividade do Câmpus João Pessoa do IFPB, através de sua entrada frontal interna. Embora haja três vias que dão acesso à porta principal, a entrada em destaque na foto proporciona, ao visitante ou ao estudante, um sentimento de que o Instituto está de braços abertos para recepcioná-lo em mais um dia de aula. Daí o seu título, a saber: “IFPBraços Abertos da Paraíba”. Como o tema do concurso é o cotidiano do IFPB em 2012, tendo como foco a educação e as edificações do câmpus, buscou-se retratar nesta fotografia um lado mais subjetivo proporcionado pelas edificações do Câmpus João Pessoa, em especial a sua entrada frontal: a tranquilidade e a harmonia transmitidas ao entrar, literalmente, no IFPB, antes de uma aula. Nesse sentido, a não figuração de pessoas, na imagem fotográfica, é proposital: a imagem da entrada deveria, per se, demonstrar tais tranquilidade e harmonia em seus traços edificados, rodeados por uma natureza exuberante. Assim, a foto “IFPBraços Abertos da Paraíba” busca não só retratar tal imagem subjetiva que, principalmente, o aluno tem do IFPB, mas também demonstrar que suas edificações denotam uma receptividade calorosa.

46


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

47


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Os Frutos da Educação São Doces AutorA Karyne Millena Nascimento Silva L ocal Pracinha atrás do Bloco de Mecânica IFPB – Câmpus João Pessoa A fotografia é bem clara na mensagem que transporta, pois foram usados principalmente dois objetos para compor o cenário: uma flor e um caderno escolar com anotações. Principalmente, a flor amarela passa a sensação de vitalidade e leveza, além da sua naturalidade e inocência. Essas são as características que a sabedoria e a prudência possuem. Se os ensinamentos e o ato de aprender na escola possuírem tais características, tudo irá se tornar mais fácil para o aluno. O caderno servindo de base para a flor retrata que sempre devemos transportar conosco, no processo de aprendizado, a vitalidade, pois ela não pesa em nossos ombros, apenas nos acrescenta. A dualidade da foto retrata que devemos sempre conseguir um meio-termo entre aquilo que é sério e o que é divertido, pois mesclando os dois elementos, teremos sempre o maior nível de aproveitamento. Ao enquadrar a dualidade, quis mostrar que podemos escolher, mas também que temos a capacidade de criar nossas escolhas, e que nem tudo é imutável, pois ao adicionar leveza àquilo que nos parece pesado, obteremos algo maravilhoso e novo.

48


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

49


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Mais Importante que Vitória é a Coragem de Lutar AutorA Karyne Millena Nascimento Silva L ocal Praça que dá Acesso ao Pátio Principal IFPB – Câmpus João Pessoa O mundo depende de nós, e nós dependemos de nós mesmos. Devemos investir em nós mesmos, nos preservar, ampliar nosso conhecimento e aperfeiçoar nossas habilidades, exercitar nossos talentos e ter força de vontade, fé em nós mesmos e acreditar que podemos realizar nossos sonhos, ser aquilo que nós sempre desejamos. Talvez o maior esforço necessário seja para dar o primeiro passo. O primeiro passo de uma caminhada em direção ao nosso objetivo, nossa vitória, nossa meta. Ultrapassando possíveis (e prováveis) obstáculos e sempre acreditando em nossa capacidade de conseguir. A estrada para o sucesso pode ser longa e demorada, mas ao final, ao topo, valerá todo o esforço e uma nova estrada surgirá a partir desta última. E surgirá ainda maior, exigirá ainda mais esforço, mas será mais gratificante e glorioso atravessá-la. Jean Jacques Rousseau afirmou que “a educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui”, ou seja, o primeiro passo já foi dado, agora só é necessário continuar em frente.

50


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

51


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Reviva, Horácio.

Autor Local

Diógenes Bezerra Pereira IFPB – Câmpus Cajazeiras Depositado em uma das extremidades do que seria uma representação artificial de uma lagoa, reside Horácio, tal como gravado frontalmente em sua base. Acredita-se que ele está ali desde a fundação do câmpus de Cajazeiras. Não se sabe sobre a história de Horácio ou o porquê de sua escolha para a decoração do local, já que, para isso, poderia ter sido utilizado qualquer outro tipo de ornamento. Sob o desgaste do sol e da chuva, o sapo passa despercebido dos olhares de alguns, porém para outros que já frequentaram ou que ainda frequentam o câmpus, Horácio é considerado o mascote dos alunos. A fotografia intitulada “Reviva, Horácio” propõe uma metáfora em alusão aos contos em que um beijo poderia trazer a figura de volta à forma humana, libertando-a de um encantamento. “Reviva, Horácio” é um apelo para evitar o esquecimento do nosso mascote entre as linhas do tempo, de forma que sua companhia continue sendo considerada aos que ainda virão assim como tem sido desde outrora.

52


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

53


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

O Capacete

Autor Local

Victor Erich Lucena Nobre IFPB – Câmpus Patos Na imagem “O Capacete”, podemos observar um capacete já velho e sujo, cheio de cimento em seu interior e que muito provavelmente foi utilizado (em um passado recente) como equipamento de proteção individual por algum trabalhador ao longo das obras do IFPB – Câmpus Patos. Hoje, esta imagem faz parte de uma grandiosa história de dedicação, trabalho e suor que se destaca pelas grandes construções do câmpus. Envolvido por uma grande quantidade de entulho, a imagem do capacete nos transmite um pouco a transformação que vive o nosso câmpus, nos fazendo refletir sobre coisas e homens de vidas simples ‒ muitos deles, talvez, nem consigam ler este texto, mas sabem da importância do que estão deixando para todas as gerações futuras da nossa cidade.

54


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

55


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

AULA DE TOPOGRAFIA NO PÁTIO DO IFPB/PICUÍ

Autor Local

Antônio Cândido Filho Pátio do IFPB – Câmpus Picuí A interação câmpus-aluno é importante. Em determinadas aulas, o câmpus é a referência: sua localização, seu solo e sua construção colaboram para que os professores coloquem em prática a teoria passada em sala de aula. Os equipamentos utilizados são a maior contribuição da Instituição para a formação dos seus discentes; o aproveitamento do espaço interno do câmpus é uma forma de mostrar para os alunos que, por menor que seja o ambiente, é possível utilizá-lo de forma benéfica. Nossos professores sabem como aproveitar esses espaços e colocar em prática todos os conhecimentos, adequando, para isso, o material necessário ao ensino que existe em cada câmpus. Essa prática torna o aluno um corpo mais integrante da Instituição.

56


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

57


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Entre Nuvens

Autor Local

Ermeson Moreira Campos Entrada do IFPB – Câmpus Patos Essa foto mostra uma visão central do câmpus do IFPB de Patos juntamente com sua entrada, que possui um design próprio e exclusivo, o que caracteriza e dá uma identidade ao câmpus. A guarita possui estruturas metálicas que dão a impressão, a quem observa, de que se equilibram no teto de uma forma aparentemente difícil de ser concebida, o que revela um trato especial no que concerne ao cuidado com a estética na arquitetura do câmpus de Patos. O céu mostra algumas nuvens a se dispersar pela paisagem, e sua cor faz um contraponto com a cor verde do Instituto. Essa cena é comum em virtude do clima quente da cidade de Patos, o que torna raros os episódios de chuva. A posição das nuvens em relação ao Instituto dá a impressão de que o segundo está entre elas, como se fosse uma edificação construída em um plano celeste.

58


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

59


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Química – Identificação de Ânions

Autor Local

Marcos Suendy Santos do Nascimento Laboratório de Análises de Água do IFPB – Câmpus João Pessoa A imagem intitulada “Química – identificação de ânions” foi tirada durante uma experiência da disciplina denominada Química Analítica Qualitativa, do Curso de Licenciatura em Química do IFPB. Os processos de ensino-aprendizagem têm a intenção de relacionar de várias maneiras o aprendizado do aluno. Isso não é diferente para os discentes do curso de química, que sempre conciliam as aulas teóricas com a prática. Atualmente, o IFPB tem modernos espaços para os alunos desse curso; os laboratórios e o PET são espaços onde cada discente pode colocar em prática todos os seus conhecimentos. A imagem traz aos nossos olhos a percepção da atenção, pois em experiências químicas não se pode sair da concentração, é importante estar preparado para cada ensaio no laboratório. Primeiro o professor deu todas as instruções, e em seguida liberou os discentes para fazer os experimentos. Maria, a personagem dessa foto, esteve em todo momento centrada no ensaio.

60


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

61


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Educar é Semear com Sabedoria AutorA Thaísy da Silva Ferreira L ocal Próximo ao Bloco de Mecânica do IFPB – Câmpus João Pessoa Esta foto retrata que não basta aprender, o aluno precisa desejar e buscar seus objetivos. Com o foco dado, na foto, ao globo terrestre, desejou-se mostrar que a educação oferecida pode nos levar a qualquer lugar. A flor em segundo plano mostra que, realmente, podemos ir a qualquer lugar, se formos como ela: natural, sem artifícios, sem desejo de diminuir o outro, apenas florescendo onde somos plantados, mostrando nossas melhores características, com simplicidade e naturalidade, deixando sempre disponível o pólen da sabedoria, para que o busquem e levem aos demais. A aluna, em terceiro plano, nos mostra que a viagem da sabedoria começa quando não nos limitamos apenas à sala de aula. Que devemos lutar por nossos objetivos onde quer que estejamos, e que, algumas vezes, as escolhas só dependem de nós mesmos.O globo terrestre significa que, mesmo tão complexo, o mundo sempre será acessível. Não devemos temê-lo, devemos ter a coragem de descobri-lo.

62


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

63


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Tons de Verde

Autor Local

Victor Erich Lucena Nobre IFPB – Câmpus Patos Na imagem “Tons de Verde”, verifica-se um verde vivo e intenso que toma conta de todo o ambiente. Esta fotografia foi registrada sem flash para que se pudesse captar ao máximo a luminosidade do local. A transparência verde do telhado faz com que os raios do sol possam entrar e destacar o ambiente. Outro ponto de destaque é o céu azul, que timidamente aparece por trás do telhado.

64


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

65


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

O IFPB no Sertão

Autor Local

Paulo de Oliveira Nascimento IFPB – Câmpus Picuí Nesta fotografia, objetivamos representar o IFPB e o Sertão. No primeiro plano, temos o xique-xique (Pilosocereus gounellei), percebido enquanto elemento representativo de nosso sertão – aparecendo em filmes, pinturas, literatura. Trata-se, pois, de uma planta que, por sua fisiologia, sobrevive num sertão marcado pela seca e que serve de alimento para os animais durante a seca. Ao fundo, temos o prédio administrativo do IFPB/Câmpus Picuí, posto enquanto elemento representativo de um espaço para a produção de saberes acerca desta região, na busca por alternativas viáveis para a resolução dos problemas enfrentados pelos sertanejos, notadamente a seca. Nesta fotografia, portanto, congregamos dois elementos significativos, que metaforizam uma iniciativa para pensar o semiárido como uma região que tem potencial para ser desenvolvida – a partir dos recursos ambientais existentes, na medida em que os conhecimentos produzidos no âmbito do IFPB podem e devem prestar a tal desenvolvimento.

66


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

67


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Aula de Campo

Autor Local

Antônio Cândido Filho Comunidade de Picuí As aulas de campo são de grande importância para o currículo do alunado, pois nelas todos aprendem de alguma forma com os saberes populares, incorporando-os ao seu aprendizado e colocando em prática tudo que foi aprendido na sala de aula. A aula de campo contribui com o conhecimento empírico e nos leva à vida cotidiana de nosso povo em comunidades rurais. É através destas aulas que descobrimos o verdadeiro valor do nosso homem do campo, quando professores e alunos interagem com os agricultores e aprendem uns com os outros, o que realmente importa; o que deve ser feito para que tanto o nosso homem do campo quanto todos os que consomem o que ele produz tenham uma qualidade melhor de vida.

68


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

69


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Guardiã do Conhecimento Autor Local

Gills Lopes Macedo Souza IFPB – Câmpus João Pessoa A fotografia em tela do Câmpus João Pessoa do IFPB, à primeira vista, pode parecer poluída, devido à quantidade de informações que ela carrega: entrada frontal do câmpus com a logomarca do Instituto, jardim florido com estátua no meio e lixeiras coletoras de material reciclável. Todavia, por mais contraditório que possa parecer, todos esses elementos sugerem certo ar de harmonia entre si. A estátua, cujo nome fictício deu-se “Guardiã do Conhecimento”, se posta como se estivesse defendendo a entrada de algum lugar deveras importante, sacro. Ao seu lado, figuram a entrada do IFPB – ou a entrada para um portal, neste caso, o portal do conhecimento a ser adquirido/compartilhado – e, do outro lado, os supracitados coletores de lixos que denotam a consciência da instituição para com o meio-ambiente. Em outras palavras, esta imagem busca unir os dois subtemas do concurso de fotografia – a educação e as edificações do câmpus – ao tema principal do mesmo, que é o cotidiano do IFPB em 2012. Desde o início do ano, este câmpus promoveu vários eventos que tinham como objetivo final conscientizar seus estudantes sobre temas importantes da sociedade atual. Com certeza, essas quatro lixeirinhas mostram que o IFPB está permanentemente atento a essas questões educativas; daí o porquê de a estátua proteger tal bem/conhecimento.

70


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

71


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

A Construção dos Saberes AutorA L ocal

Ana Lúcia de Lima Gondim Biblioteca do IFPB – Câmpus João Pessoa Esta pilha de livros em cima do balcão da Biblioteca Nilo Peçanha do IFPB é apenas uma parte dos livros que foram lidos na sexta-feira, 25 de janeiro de 2013. A forma como eles são empilhados provisoriamente, ali naquele balcão, parece formar um pilar que sustenta uma laje, uma edificação, daí o título escolhido para esta foto: Construção dos Saberes. Ao escolhermos esse título, consideramos que são as informações contidas nos livros que penetram em nossas mentes a cada vez que lemos. Esses conhecimentos são o futuro dos alunos desta instituição, que buscam o crescimento intelectual durante sua trajetória de vida. Esta quantidade de livros que está no balcão demonstra o quanto os alunos frequentam a biblioteca e o interesse que eles possuem em buscar o conhecimento e o aprendizado que só os livros podem oferecer; esta é, sem dúvida, a rotina daqueles que fazem parte do corpo discente desta escola. Um povo que não lê é um povo sem memória e um povo sem memória é um povo sem vida. Mas aqui no IFPB temos vida, temos memória, porque na biblioteca existe uma riqueza de conhecimento. Não é à toa que um professor falou sobre os livros: “isso é um livro, livros têm folhas, folhas têm letras, letras formam sílabas, sílabas formam palavras, palavras são para ler, ler traz conhecimento.”

72


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

73


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Inovação, Tecnologia e Segurança

Autor Local

Everton Nascimento da Silva IFPB – Câmpus João Pessoa Quem chegar agora ao IFPB de João Pessoa terá uma grande surpresa ao andar pelos corredores da instituição, porque o IFPB recentemente adquiriu e investiu em novas tecnologias para o instituto; câmeras e leitores biométricos agora fazem parte do cotidiano do IFPB. Agora os alunos, professores e funcionários, para poderem ter acesso às salas de aula, laboratórios e futuramente ao restaurante, precisam fazer o cadastro das suas digitais. As câmeras fazem que os alunos se sintam mais seguros, ao mesmo tempo em que o instituto pode se manter sob total vigilância, evitando assim futuros furtos nos laboratórios e nas salas de aula, como também aos alunos. Os leitores biométricos são muito eficientes quando se trata de segurança, pois somente vão poder abrir as salas e laboratórios as pessoas autorizadas e que tiverem feito o cadastro. A foto mostra uma pessoa abrindo o laboratório com sua digital, usando o leitor biométrico, e as câmeras acima filmando quem passa pelos corredores.

74


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

75


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Pra não Dizer que não Falei das Flores

AutorA Camila Barros da Silva Freire L ocal IFPB – Câmpus João Pessoa Fotografia tirada próxima aos assentos, na qual estudantes reservam-se em conversas e descontração, com canteiros floridos e próximos ao campo. O local proporciona uma boa visão e bem-estar no câmpus.

76


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

77


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

IFPB Noturno

Autor Local

Raul Lafayette Formiga L. Sobrinho IFPB – Câmpus Monteiro Com exposição estendida, é possível destacar ainda mais a iluminação e as curvas arquitetônicas, contemplando o encanto dos traços e curvas ocultas a olho nu. Alunos, professores, técnicos e visitantes deleitam-se com a beleza do Câmpus Monteiro. Suas formas e arquitetura quebram o silêncio da rotina do Cariri paraibano. O Câmpus Monteiro tem seus ângulos em harmonia com a poesia da cidade; revitaliza e engrandece o recanto do Cariri; dá vida aos elementos sofridos do recanto silencioso do Sertão. Que diferente - a ponto de apenas três fotos bastarem para revelar todas as belezas que o IFPB propicia aos olhos de quem vê - , mostra-nos que realizações acontecem: se há quatro anos o IFPB não passava de um mero sonho, hoje estamos aí com mais de mil e duzentos alunos contemplados com essa dádiva que se chama Instituto Federal da Paraíba, pois é por meio dele que temos incentivo de registrar todo apreço pelo câmpus.

78


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

79


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Campos de Futebol IFPB-JP

AutorA Camila Barros da Silva Freire L ocal IFPB – Câmpus João Pessoa O campo de futebol do Câmpus João Pessoa proporciona aos alunos, além de diversão e desenvolvimento esportivo, a bela visão das estruturas do câmpus. Localizado próximo a futuras edificações, o campo e sua beleza prometem aos estudantes ótimos avanços.

80


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

81


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Plantando Sementes, Colhendo Conhecimento Autor Local

Gilmar Silva Oliveira IFPB – Câmpus Picuí Em um dos semestres em que pagamos a disciplina de Olericultura, realizamos atividades práticas que consistiam na elaboração de hortas e leirões. Além dessas atividades, pudemos aprender como são plantadas determinadas olerícolas e, principalmente, como se realizam seus tratos culturais. Dentre as culturas cultivadas estavam o coentro, a berinjela, o pimentão, a couve, além de várias outras. Como se pode observar na fotografia, a aluna do Curso Superior de Agroecologia colhe o coentro, em meio a outras culturas que a rodeiam. Tal ato ressalta a importância do cultivo e proporciona aos alunos a experiência de colher o fruto de seu próprio trabalho. Com o celular em mãos, resolvemos eternizar um momento tão importante para nós, e, para isso, tiramos várias fotos em diversos ângulos e posições. Após o surgimento do concurso Olhares do IFPB, em que um dos objetivos é mostrar atividades educacionais e ressaltar o cotidiano da instituição, decidimos tornar público esse momento que retrata o que fazemos todos os dias e principalmente divulgar o trabalho realizado pelos alunos que fazem o Curso Superior de Agroecologia no IFPB. Para concluir, ressaltamos que através dessa imagem podemos divulgar o envolvimento do aluno com a instituição e que essa relação tão próxima proporciona uma formação sólida, essencial para a formação de um bom profissional. É importante ainda ressaltar que conhecer como se dá o plantio e os tratos culturais de determinadas culturas proporciona uma relação íntima com o meio ambiente e que a Agroecologia vem para garantir a preservação dos recursos naturais.

82


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

83


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Florescer

Autor Local

Diego Bruno de Macedo Silva IFPB – Câmpus Picuí Nosso Instituto Federal de Tecnologia da Paraíba, Câmpus Picuí, vem com uma frequência de olhares parecendo até um cartão de boas-vindas bem que não acontece sempre, mas com um olhar atento e curioso, mesmo que sintamos contemplados com o que é o nosso instituto. É possível ver a beleza de uma palma espinhosa, parecendo até fazer parte da arquitetura que foi projetada para o nosso câmpus. Com um olhar atento e curioso dá para perceber a beleza em cores vibrantes e fortes que surgem a cada florescer da palma, e que se faz como um arranjo, enfeitando e dando boas-vindas a mais um dia de jornada e de conhecimento. Em meio a tantas dificuldades encontradas no semiárido paraibano, a palma Opuntia Ficus consegue ter recursos que possibilitam sua permanência em nosso solo, além de sua beleza exótica. Ela é vista como uma alternativa viável que atende às necessidades de forma eficaz, por isso faz-se necessário um maior empenho na divulgação desta espécie, que é riquíssima em nutrientes e em beleza exuberante.

84


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

85


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Em Busca de Novos Rumos AutorA Alessandra Alves de Fontes Rodrigues L ocal IFPB – Câmpus Cabedelo

O que seria da humanidade se perdesse o hábito de sonhar, de visualizar o futuro e de buscar esse futuro? Estamos em constante movimento, crescimento pessoal e interpessoal. O modo como conseguiremos concretizar nossos sonhos depende da educação que tivermos. O educador é o capitão de um navio recheado de esperanças futuras, em busca de novos rumos. Mas ele não consegue levar a embarcação sozinho, sem a colaboração de alunos que queiram fazer parte desse desafio. O título “Em Busca de Novos Rumos” faz referência a todo o contexto dessa imagem e ao significado poético do timão do navio, que poderíamos qualificar como uma metáfora da educação, que sem o papel do educador não poderá ir a lugar algum. As bicicletas ao fundo mostram que, para chegar ao comando do navio, ou seja, colher os frutos de uma boa educação, precisamos pedalar muito, suar muito a camisa. Mas o esforço será compensador se conseguirmos valorizar a caminhada. E essa, mesmo que seja feita em grupo, vai depender do esforço individual de cada um.

86


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

87


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Semiárido e Educação Moderna

Autor Local

Paulo Everson Martins Nunes IFPB – Câmpus Patos A fotografia retrata o cotidiano do semiárido no bioma da caatinga, refletindo o encontro da natureza sofrida com a modernidade da educação, espelho de novas aprendizagens. Dentro dessa realidade, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) apresenta-se como um elemento de socialização, construção e difusão de conhecimentos e saberes. Pensando em uma perspectiva de superação do antigo modelo de educação escolar, descontextualizado da realidade local, para um modelo contextualizado que tenha como ponto de partida a realidade vivenciada no semiárido, percebe-se que são as experiências locais que validam e reconstroem os saberes. Contudo, podemos constatar que, ao retratar a importância de aliar a convivência escolar com a qualidade de vida, entendemos que não é possível mudar as condições naturais do semiárido, porém é possível conviver com elas, visando a uma aprendizagem em torno da realidade do meio no qual estamos inseridos.

88


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

89


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Logo, Verde

Autor Local

Gills Lopes Macedo Souza IFPB – Câmpus João Pessoa Esta fotografia foi tirada em 05 de junho de 2012, ou seja, no Dia Mundial do Meio Ambiente, e busca demonstrar como o IFPB está rodeado de uma beleza natural ímpar. O verde-claro da logomarca do Instituto e os detalhes de suas edificações caem como uma luva ao câmpus João Pessoa, sediado na segunda cidade mais verde do mundo. Verde este que está estampado por todo o câmpus, sobretudo em sua entrada. Esta fotografia insere-se no contexto do tema do concurso – o cotidiano do IFPB em 2012 – como uma forma de relembrar o papel que o tema “meio ambiente” enseja para o Instituto, e também para contextualizá-lo frente ao evento RIO+20, que tratará de temas correlatos ao meio ambiente. A fotografia busca inserir a logo do instituto numa espécie de moldura própria formada pela natureza e pelas linhas de suas edificações, as quais nos ensinam que respeitar o verde traz grandes – e, muitas vezes, despercebidos – benefícios.

90


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

91


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Educação sob Água

Autor Local

Allan Alex de França Piscina do IFPB – Câmpus João Pessoa Não é de hoje que várias instituições de ensino utilizam como parte da grade curricular alguma atividade física para complementar o processo de ensino-aprendizagem do aluno. Percebe-se que dá alto rendimento escolar, melhor disposição e além de tudo possibilita uma vida mais saudável. A fotografia mostra um aluno em preparação para a aula de natação. No momento em que foi tirada a foto, antes do início da aula, ele estava fazendo o seu rotineiro aquecimento. O complexo aquático do IFPB já foi palco de grandes competições e hoje é um dos mais belos espaços de nossa instituição. Observar o aluno na aula de natação não era o objetivo primordial, mas sim tentar ultrapassar as lentes do equipamento fotográfico e perceber a satisfação do discente na aula, e também notar todo o espaço ao redor do aluno, que reflete o atual espaço do IFPB.

92


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

93


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Heterogênia 1 Autor Local

Ewerton Macedo Dantas de Melo Laboratório de Química do IFPB – Câmpus Cabedelo O concurso Olhares do IFPB é uma porta para que os alunos da instituição mostrem os seus olhares pessoais sobre o ambiente educacional do instituto. O ambiente de nossa escola é um mundo de conhecimento; em cada local existem pessoas realizando atividades distintas, mas que comungam num só ponto: relacionar-se e aprender. A imagem, que tem por título “Heterogênia 1”, é uma visão sobre a multiplicidade que existe em nossa instituição, sobre como as diferenças se acentuam em certos momentos, porém existindo sempre convivência e respeito. O fenômeno científico que ocorre na mistura também ocorre no meio social. O nome diferença já é claro em significar distinção; não há uma unidade em um local onde existe convívio de pessoas; a multiplicidade é real e necessária, pois é através da interação das diferenças que desenvolvemos nossa tolerância e entendimento. É uma imagem que pode ser observada de vários pontos de vista; sejam eles científicos ou sociais, uma coisa é clara: as diferenças. O ser humano é único e não existe ninguém igual a ninguém, cada ser é um indivíduo diferenciado.

94


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

95


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

O Futuro Lá Fora

Autor Local

Anderson Dantas Santos IFPB – Câmpus Picuí Nesta fotografia, tomada no final da tarde, a construção de um novo edifício do câmpus está em andamento. Logo mais, será uma biblioteca, mas hoje ainda é tijolo e ferro, sob o suor do ofício. Aos poucos, os trabalhadores erguem o concreto sobre o meticuloso projeto. É observado de longe todos os dias, e se torna parte do cotidiano do instituto, sempre em crescimento entre as elevadas armações de metal que o cercam. Sobrepõem-se então alguns compensados de madeira, servindo de apoio para os homens que revestem a parede com concreto. No plano de fundo está a paisagem montanhosa do Seridó Oriental paraibano.

96


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

97


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Passarinho na Roseira

AutorA L ocal

Marta Pollyana Farias da Silva IFPB – Câmpus João Pessoa A intenção era captar a fachada do IFPB e seu lindo jardim, quando um modelo inusitado resolveu pousar para a foto e roubar a cena. E roubou mesmo; foi a estrela competindo com a rosa da roseira, não sei quem se saiu melhor. Desculpe, “Fachada do IFPB”, mas a foto é do passarinho e da roseira.

98


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

99


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Simetria Perfeita

Autor Local

Redlhey Michael Andrade Maciel IFPB – Câmpus Monteiro Essa fotografia mostra os quatro blocos de aula do IFPB Câmpus Monteiro, divididos simetricamente - o poste divide bem os dois lados, dando essa simetria. Ao fundo, um pôr do sol espetacular. A foto foi tirada por trás dos blocos C e D, e tem a finalidade de mostrar como é o cair da tarde no câmpus. A imagem retrata também os blocos de aula, que são divididos por cores, o que ajudou para que a imagem ficasse mais diversificada. Diversificada como nós, alunos, que temos o mesmo ensino que nos guia para realidades tão diferentes. Embora simétricos, cada bloco tem a sua própria cor, cor que pode ser comparada a nossa personalidade, nossa utilidade nessa grande colmeia que é o nosso câmpus. Essa foto não é nada mais nada menos do que a realidade de estudante “simétrico” aos outros, que através de educação de qualidade pode ver tudo de uma perspectiva diferente.

100


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

101


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Reflexo da Mudança

AutorA L ocal

Jéssika Monteiro Cordeiro IFPB – Câmpus Monteiro A mudança é o reflexo do empenho de cada brasileiro por um Brasil melhor. Essa mudança começa na educação. Educação que é edificada com base na expansão do Instituto Federal e visa cada dia mais refletir no cotidiano do aluno, que se empenha em lutar por um futuro melhor pro nosso país e para si próprio. O lugar de ensino é onde nascem os maiores brasileiros da história, onde as ideias brotam e saem do papel. O IFPB trouxe a oportunidade de colocar em prática o que está dentro de nós e que pode melhorar a realidade do Sertão. A educação chega com toda força e nos faz sonhar, nos faz acreditar que ainda é possível um país diferente. O IFPB é o reflexo dos brasileiros que lutam por um futuro para todos e que visam crescer sempre mais e mais.O saber nos dá liberdade para mudar nossas histórias e autoridade para fazer um Brasil de todos, literalmente.

102


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

103


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

O Trabalho na Educação Autor Local

Allan Alex de França Corredor da Sala dos Professores IFPB – Câmpus João Pessoa O cenário da fotografia: corredor de acesso às salas de aula, onde se encontram a sala dos professores e a sala da coordenação de estágio. Na fotografia, procurou-se retratar um momento do cotidiano institucional e do pessoal que faz a limpeza diária da instituição. Ao centro, uma representante dos funcionários que fazem a limpeza das edificações do instituto. Uma representante que tem papel fundamental na qualidade educacional da instituição, não de forma direta, através de contribuição científica teórica, por exemplo, mas de forma indireta, através da higienização dos ambientes internos e externos do instituto e da garantia da qualidade estética destes mesmos ambientes, que são utilizados para a produção do conhecimento. Apesar de existir, dentro do instituto, e ainda em escala muito pequena, uma integração mais efetiva entre estes funcionários e os atuantes da educação, seu trabalho ainda é visto como inferior em termos educacionais; eles parecem sombras aos olhos dos alunos, e sua contribuição na educação muitas vezes não é percebida nem valorizada como deveria, uma contribuição digna e de qualidade.

104


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

105


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Viagem do Descobrimento Autor Local

Rafael Douglas Soares Barboza Areia-PB, Visita Técnica - Campus João Pessoa Viagem remete a lugares novos, belas paisagens, sabores, encontros, reencontros, partidas, despedidas e sonhos. Mas a essência de uma viagem do descobrimento, de acordo com Marcel Proust, não é a procura incessante por novas paisagens, e sim, ver as coisas com novos olhos. Nela, os pequenos detalhes quase que imperceptíveis e cotidianos transformam-se em um parque de diversões, um celeiro de ideias, novas descobertas e cores, tornando a vida mais bela, tranquila e leve, modificando assim a forma de ver o mundo. O conhecimento não é só aquele aprendido em sala de aula, apenas fórmulas, teorias, regras e normas; o conhecimento prático é de extrema importância para nós alunos e de grande valor para o mercado de trabalho. Além disso, as experiências vividas no IFPB e nas visitas técnicas nos possibilitam um grande aprendizado, não apenas técnico ou escolar, e sim para toda uma vida; a rotina institucional mista, colocando alunos dos cursos superiores, técnicos e subsequentes, além de alunos de intercâmbios internacionais em contato diário, traz uma bagagem cultural e educacional enorme, diferenciando-nos de toda e qualquer instituição de ensino do Brasil.

106


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

107


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Centrando e Calando

AutorA L ocal

Caroline Freire Alves IFPB – Câmpus João Pessoa A foto tem como foco uma aula prática da disciplina de topografia, realizada no campo de futebol do IFPB, no Câmpus João Pessoa, por ser um local amplo e isolado, permitindo assim um melhor aproveitamento de espaço para os alunos. Topografia é uma ciência que tem como objetivo principal efetuar levantamento de ângulos, distâncias e desníveis que permite representar uma porção de superfície terrestre em uma escala adequada. Nessas aulas práticas, aprende-se através do uso do teodolito, um equipamento destinado à medição de ângulos verticais ou direções horizontais, tendo como objetivo a determinação dos ângulos internos e externos de uma poligonal, bem como a posição de determinados detalhes necessários ao levantamento topográfico. No IFPB, esta matéria faz parte da grade curricular do curso técnico em edificações e também dos cursos superiores de tecnologia em construção de edifícios e tecnologia em geoprocessamento. Na foto, observa-se a aluna fazendo o procedimento de centragem e calagem do teodolito.

108


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

109


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Escadaria no Final da Tarde

Autor Local

Anderson Dantas Santos IFPB – Câmpus Picuí Uma edificação do câmpus projeta sombra sobre a longa escadaria. O ambiente é dominado por um poste de iluminação em metal escuro. Em segundo plano está a rampa de acesso especial, escoltada por um extenso corrimão que serve de apoio para quem sobe e quem desce. Algumas alunas sobem os degraus em direção ao prédio, afastando-se do poste, na parte da escada que está sob a sombra do edifício.

110


Pr贸-Reitoria de Extens茫o | Olhares do IFPB

111


Catálogo de Fotografias  

Olhares do IFPB - Publicação da Pro-Reitoria de Extensão do Instituto Federal da Paraíba.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you