Page 1

...is more trimestral / Outubro 2008

edição 17

Arte ao Vivo em Braga no

Mesquita Machado

...

Francisco Soares Mesquita Machado nasceu em Vila Nova de Famalicão a 18 de Abril de 1947. É desde as eleições autárquicas portuguesas de 1976, presidente da Câmara Municipal de Braga, tendo sido sucessivamente reeleito sempre com maioria absoluta (1979, 1982, 1985, 1989, 1993, 1997, 2001 e 2005). Pai de três filhos, tinha 29 anos quando assumiu a presidência da Câmara Municipal de Braga. (pag. 14)

grupo dst recebe certificação europeia Numa iniciativa inédita na cidade de Braga, a dst promoveu um Simpósio de Escultura a que chamou “Arte na Cidade”. Durante duas semanas (de 22 de Setembro a 3 de Outubro), foram muitos os bracarenses que tiveram oportunidade de presenciar a realização de quatro esculturas em materiais tão distintos como a madeira, o aço inox e o granito.

O grupo dst obteve, no passado mês de Agosto e na sequência da adesão ao projecto PME-Ambiente, o registo no Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria (EMAS).

(pag. 5)

(pag. 9)

GASMAPPERS

consumidores podem agora saber online onde abastecer mais barato

Os espanhóis e os portugueses podem agora, através da plataforma www.gasmappers.com, encontrar o posto, mais perto de si, com o combustível mais barato, numa rede que comporta 14 mil postos de abastecimento em toda a Península Ibérica. (pag. 8)

O grupo dst organizou em Agosto, o 7.º Encontro Radical para colaboradores, com o propósito de incentivar dinâmicas de grupo que reforcem o espírito de equipa, a sua Foram cerca de 400, entre colaboradores e convidados, os participantes na IV Convenção de Segurança promovida pela dst

gestão e liderança.

que se realizou no passado dia 8 de Novembro, na aula magna da Faculdade de Filosofia.

(pag. 18) (pag. 22)


CONTINUAR MUDAR A palavra “Mudar” ficou mais visível e ganhou até uma certa magia com a eleição para a Presidência dos Estados Unidos. “Mudar “ era uma proposta, nas eleições dos Estados Unidos, de um corte – de uma ruptura e abandono de uma direcção tomada pela, ainda actual administração. “Mudar “ganhou força. Na dst, como em muitas empresas que comunicam com frequência com os trabalhadores, devemos evitar o risco de solicitar para “Mudar” invocando crises, se não sustentarmos o que pretendemos “Mudar” de forma estruturada e objectiva. Mesmo sustentando, quem comunica, tem de ter a noção de que quem nos ouve nos ouve, com detalhes de pormenor eventualmente diferentes, falar de crise há muitos anos e apelarmos a “Mudar” há muitos anos. Ganhamos um problema. Do lado de quem ouve está alguém que, numa empresa como a nossa, ouve falar de crise há muitos anos com variantes, decerto, mas nunca a sentiu, nem a sente, e menos a vê na forma de sinais daquilo que tem formatado como crise. Pelo contrário. Assiste ao crescimento da empresa com múltiplas evidências; a diversidade dos negócios, o aumento do emprego, o aumento do volume de facturação ou o aumento do volume de investimento. Este é um problema que devemos ter em conta para termos o retorno esperado da nossa comunicação que transmite a estratégia e o que esperamos dos que connosco trabalham, nomeadamente, a posição que devem ocupar e os objectivos associados a essa posição, tendo em conta o grupo. O que pedimos muito, com muita nitidez, é que saibamos usar a nossa posição no grupo para o grupo vencer ao menor custo, o que não significa que vença ao menor esforço. E porque o esforço e um certo estado de sacrifício são muitas vezes solicitados aos nossos trabalhadores, a pretexto da crise, no sentido de “Mudar” induziremos certamente a que se coloquem na posição de perguntar: “bolas, não param de investir, de crescer e de enriquecer e lá vêm com a cantilena da crise e da necessidade de “Mudar” e da necessidade de nos sacrificarmos”! Quem não estiver preparado para este estado de síntese de alma, está a comunicar para o balão. A solução só pode ser a que os valores da dst sinalizam: sermos honestos com os nossos trabalhadores. E, Meus caros trabalhadores. O ponto não é, todos os anos, ou todos os trimestres, ou todos os meses, ou todas as semanas, voltarmos a pedir para voltarem a mudar. O ponto é que o Mundo não pára de girar, de mudar de posição relativa, de nos oferecer novas oportunidades com base em novos paradigmas – com base em novos conhecimentos. O ponto é que não devemos pedir que voltem a”Mudar”. Não. Pedimos que continuem a “Mudar”. Este pedido resolve parte do problema. Continuar a “Mudar” implica disponibilidade para o treino diário com vista a que a competição nos encontre na nossa melhor forma. Continuar a “Mudar” convoca para trocar o sofá e a televisão pela leitura adicional que nos permite ser mais robustos intelectualmente. Continuar a “Mudar” pela formação que nos qualificará mais. Continuar a “Mudar” na direcção da preparação da reunião que nos permitirá sermos mais escutados e respeitados. Continuar a “Mudar” para substituir coisa apenas vista a partir da nossa posição e pela sua valorização comparada, porque antes do jogo, a nossa razão é tão forte como a do nosso parceiro, pois devemos presumir que ele também se preparou e só no fim veremos quem vence na certeza de que deve vencer, sempre, com objectividade, quem tem a melhor proposta. Continuar a “Mudar” para agarrarmos as vantagens de sermos solidários e de sermos co-responsáveis, para sermos outra vez mais respeitados. Continuar a “Mudar”no sentido de fazermos voluntariado e obter, assim, mais robustez moral. Continuar a “Mudar” para sermos mais vezes opinião e nesse objectivo influenciar a agenda do mundo. Não nos devemos assustar por termos de substituir muitas vezes práticas ganhas com conhecimentos adquiridos no passado por práticas recomendadas adoptar por ganhos de conhecimento recentes. Uns não são maus e outros bons conhecimentos. Uns apenas induzem em, determinado contexto, tempo e circunstância, uma maior competitividade pelo “insignificante” pormenor de que aquele produto já não se vende e para isso faz sentido continuar a “Mudar” para ganhar mais conhecimento e conseguir soluções que gerem maior valor relativo para aquele produto ou outro que o substitui. Temos de ter para nós, e para medida de compensação, que o que ganhamos está ganho – faz parte do nosso património de conhecimento e é esse património que nos permite ser melhores no ganho de novos conhecimentos. Teremos, apenas, de aprender a esquecer assim como aprendemos a aprender. O ponto é que não pedimos que voltem a “Mudar”. Pedimos: continuem a “Mudar” porque as crises serão menores para quem estiver mais preparado e para quem continua a acompanhar o mundo no sentido em que o mundo gira.

José Teixeira CEO da dst

2


AQUAPOR vai concorrer a todas as concessões e privatizações em portugal O consórcio dst/ABB, que comprou recentemente a

as áreas de negócio core, bem como para novas áreas de

des de águas e esgotos e de rega, da concepção de siste-

Aquapor por 62,9 milhões de euros, quer transformar a

negócio, nomeadamente para os processos de tratamento

mas de tratamento da água e na concepção de estações de

empresa na maior do sector da Água em Portugal e torná-la

de água por dessalinização. Já temos lá negócios e estão a

tratamento de águas residuais com vista à utilização para a

numa referência internacional.

correr muito bem”, conclui.

rega dos espaços ajardinados, posicionando-se como

Para os próximos 3 anos, pelo menos 50 milhões de euros

entidade que explorará sistemas de condomínio.

Para isso, a Aquapor vai concorrer a todas as concessões e

deverão ser disponibilizados para a esses negócios.

privatizações em Portugal no sector da Água, dos Resí-

“A Aquapor desenvolverá o seu negócio segundo princípios

duos, Higiene e Limpeza das Cidades e nos Sistemas de

Neste momento, serão aparcados, na Aquapor, todos os

Tratamento de Águas e Esgotos.

de sustentabilidade e contribuindo decisivamente para a

negócios da dst e da ABB na área do ambiente e em deriva-

formação de sector nacional forte, integrado, eficiente e

dos desta, nomeadamente, a produção de energia eléctri-

competitivo, promovendo a concorrência no mercado e a

ca.

eficiência e a produtividade das operações, para a qual

tar na internacionalização. Um investimento de 185 mi-

“A área internacional será uma das

PEAASAR II”, conclui José Teixeira.

lhões de euros já está definido”, afirma José Teixeira, CEO

privilegiadas para criar valor para a empresa.

da dst.

A Aquapor tem de vender o know-how no

“Temos como objectivo ganhar 30% dos concursos em que estivermos presentes, diversificar os negócios e apos-

mercado internacional.”

Para as concessões até 2009 estão previstos 60 milhões de euros.

contribuirá a implementação das soluções preconizadas no

A dst e a ABB pagaram 62,9 milhões de euros pelo negócio. “A empresa vale 100 milhões de euros e nós comprámos por 63 milhões, o que foi um bom negócio. Existe um

Será desde já aparcado também outro negócio que a dst e a

enorme potencial. Os upgrades que têm de ser feitos nos

ABB têm em desenvolvimento na área de gestão de resí-

sistemas de tratamento de águas em Portugal estão quase

Na área internacional, a estratégia passa por abordar os

duos de demolição e construção – RDC's -, cujo objectivo

todos por fazer. Ficámos com o principal player e com a

PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) e,

será atingir 15 unidades de triagem e aterro para este tipo

maior expertise na gestão dos sistemas”, frisa.

no Brasil, procurar parceiros locais para o desenvolvimento

de resíduos.

das áreas de negócio das águas, à semelhança do que está

E continua: “Vimos aqui uma grande possibilidade de alavancar valor, de diversificar negócios, com a possibilidade

definido para Portugal.

É ainda objectivo do consórcio potenciar as competências

de os internacionalizar. O potencial da Aquapor só está a 10

“A área internacional será uma das privilegiadas para criar

da Luságua – prestadora de serviços na óptica da gestão de

por cento, por isso, há aqui um percurso imenso. Alguns

valor para a empresa. A Aquapor tem de vender o know-

estações de tratamento de água e de águas residuais,

concorrentes apresentaram-se a concurso com bancos,

how no mercado internacional. É isso que vamos fazer.

dando-lhe dimensão para entrar no mercado internacional.

mas nós não fomos com instituições financeiras. Temos

A Aquapor actuará, assim, numa nova e promissora área de

empresa. O objectivo é ter, dentro de 4 a 5 anos, uma

Vamos primeiro aos PALOP, onde temos empresas. E

uma visão industrial. É por isso que oferecemos mais pela

apesar da incursão da Águas de Portugal não ter corrido bem no Brasil, este país também está nos nossos planos.

negócio e será parceira nos negócios imobiliários de gran-

empresa que tenha condições para ser colocada na bolsa”,

Levaremos a Aquapor também para o mercado líbio, para

de dimensão na concepção de sistemas integrados de re-

conclui.¢

3


CONSTRUNOR

AQUAPOR vence concessão de água e saneamento na Azambuja

A 18.ª CONSTRUNOR - Exposição de Máquinas e Materiais

A Aquapor saiu vitoriosa do concurso lançado recente-

sa entrar em vigor”, avança ainda o mesmo responsável.

de Construção, ocorreu de 25 a 28 de Setembro de 2008 no

mente pela autarquia da Azambuja para conceder os seus

Com este processo, a autarquia espera conseguir uma re-

Parque de Exposições de Braga e contou com a parti-

serviços de água e saneamento a empresas privadas, por

dução da tarifa que variará entre os 12 e os 20 por cento,

cipação da dst renováveis.

um período de 30 anos. Ao todo eram 13 as empresas, dis-

“devido à racionalidade que a empresa concessionária vai

Com o objectivo de apresentar as suas diversas soluções no

tribuídas por sete propostas, que estavam a disputar o

empreender”.

âmbito das energias eólica, solar e hídrica, a dst renováveis

concurso.

Entre os concorrentes que participaram no concurso en-

sadas, essencialmente, pelas várias propostas de micro-

Na sua totalidade, as participadas da

agrupamentos Aqualia/Lena Ambiente, Geswater/Agere e

geração.

Aquapor apresentam um volume de

Tomás de Oliveira/Cassa/Sabadell/Asibel.

Certame de cariz profissional com periodicidade bienal, a

negócios anual superior a 100 milhões de

foi visitada por um elevado número de pessoas interes-

CONSTRUNOR está direccionada fundamentalmente para

contravam-se as empresas AGS, Indaqua e Veolia, e os

Recordamos que a dst, em consórcio com a ABB, for-

as empresas do sector, em particular para as fornecedoras

euros e abastecem mais de 360.000

malizou a 21 de Julho a aquisição da Aquapor, numa tran-

de bens de equipamento, materiais e serviços para a

clientes.

sacção que ascendeu os 62 milhões de euros, reforçando a

Este ano contou com a presença de 108 expositores, 55

“Nos primeiros cinco anos da concessão, a Aquapor deverá

riência com activos como a Geswater, Agere e Braval.

portugueses e 53 estrangeiros. A maior representação veio

realizar um investimento de 8,5 milhões de euros”, adiantou

A Aquapor detém participações no capital social de doze

de Espanha (13), seguida da Itália (oito) e Alemanha (sete).

o presidente da Câmara Municipal da Azambuja, Joaquim

empresas, das quais onze são concessionárias de siste-

De registar também a presença de expositores do Japão,

António Ramos.

construção civil e obras públicas.

sua posição num sector em que já dispõe de larga expe-

mas municipais de abastecimento de água e saneamento

Austrália e Estados Unidos.

de águas residuais e uma empresa especializada na presta-

A Steelgreen, outra empresa do grupo dst, também marcou

Segundo o autarca, entre as obras prioritárias está a substi-

ção de serviços ambientais não concessionados.

presença. A Steelgreen é o mais recente e moderno centro

tuição de algumas redes de água mais antigas, ainda em

Na sua totalidade, as participadas da Aquapor apresentam

de serviços de corte e moldagem de varão nervurado do

fibrocimento. Ao nível do saneamento, a prioridade será a

um volume de negócios anual superior a 100 milhões de

país, resultado de uma parceria entre a dst e a Ferlito –

construção das redes em baixa de diversas localidades.

euros e abastecem mais de 360.000 clientes. ¢

Ferros do Litoral, s.a.¢

“Só no início de 2009 é que se espera que a concessão pos4


Arte ao Vivo em Braga no I SIMPÓSIO DE ESCULTURA da dst Grande Prémio de Literatura e a fazer apoios regulares à

forma como se trabalhava a matéria-prima e o que dela

um Simpósio de Escultura a que chamou “Arte na Cidade”.

Numa iniciativa inédita na cidade de Braga, a dst promoveu

Companhia de Teatro de Braga e à Feira do Livro.

resultaria. A última semana foi plena em visitas de estudo

Durante duas semanas (de 22 de Setembro a 3 de Outubro),

O presidente da Câmara Municipal de Braga também mar-

por parte de alunos do 2.º ciclo ao secundário e houve até

foram muitos os bracarenses que tiveram oportunidade de

cou presença na abertura do I Simpósio de Escultura dst

alunos e professores que deixaram a sua marca na escul-

presenciar a realização de quatro esculturas em materiais

para desejar bom trabalho aos quatro escultores e enaltecer

tura “Onda Orgânica” de João Antero.

tão distintos como a madeira, o aço inox e o granito.

a generosidade da construtora bracarense que vai oferecer

O dia 1 de Outubro foi a data escolhida pela Delegada Regio-

Na cerimónia de abertura, José Teixeira (CEO da dst) escla-

uma das esculturas à cidade. “A escultura será colocada

nal do Norte do Ministério da Cultura, para visitar o simpó-

receu que este tipo de iniciativas fazem parte da estratégia

num espaço nobre do centro da cidade”, assegurou

sio. De acordo com Helena Gil, apesar de certos eventos de

empresarial do grupo e convidou as escolas do concelho a

Mesquita Machado.

grande importância cultural poderem ser apoiados gover-

visitar este espaço já que teriam, assim, a oportunidade de

O autarca mostrou-se igualmente satisfeito pelo facto do

namentalmente, “a tendência é para os promotores encon-

contactar directamente com os escultores para melhor

Simpósio de Escultura se realizar na Av. Central, local

trarem patrocinadores e mesmo mecenas como sucede em

perceberem o processo criativo, estimulando-lhes o inte-

considerado o coração da cidade.

Braga, com a firma dst, que promoveu a iniciativa escultó-

resse por esta forma de arte.

“Este simpósio vai decorrer num ponto central da nossa

rica e apoia, em diversas áreas, a actividade artística”.

cidade que foi precisamente feito para iniciativas deste

No final destas duas semanas de trabalho intensivo, as

O presidente da Câmara enalteceu ainda o

género”, sustentou.

esculturas ficaram terminadas, sendo que três delas foram

exemplo dado pela dst, uma das únicas

O presidente da Câmara enalteceu ainda o exemplo dado

para a sede da dst, em Palmeira, e uma ficou provisoria-

pela dst, uma das únicas empresas “que investe de forma

mente na Av. Central (a “Árvore do Conhecimento” de Vítor

empresas “que investe de forma

significativa na cultura”.

Ribeiro), bem perto do local onde foi esculpida.

significativa na cultura”.

Também Amândio Secca, Presidente da Direcção da

Para os escultores participantes, esta foi uma experiência

Cooperativa Árvore, enalteceu a escolha da Av. Central para

muito enriquecedora. De acordo com Vítor Ribeiro, a expe-

Aproximar as escolas e a população à escultura e dinamizar

atelier dos quatro escultores, dado constituir um “processo

riência foi “fantástica” e revelou-lhe uma “cidade encanta-

as artes plásticas no concelho eram os grandes os objecti-

didáctico enriquecedor”.

dora”, desde as pessoas à beleza do território. A escolha da

vos da iniciativa que contou com o apoio da Cooperativa

Nesta cerimónia estiveram, naturalmente presentes, os

sua obra, por parte da autarquia, foi motivo de satisfação,

Árvore, da Câmara Municipal de Braga e dos Transportes

quatro escultores que iriam trabalhar ao vivo (João Antero,

confessando que foi um trabalho duro e difícil porque o

Urbanos de Braga.

Jorge Pé-Curto, Vítor Ribeiro e Volker Schnüttgen) e ainda o

material assim o exigia.

José Teixeira referiu ainda que o projecto dá continuidade “a

Mestre Ângelo de Sousa que fez questão em estar presente

um estado de ser empresarial”, lembrando que a economia

na abertura desta iniciativa.

“O balanço não podia ser melhor, pois conseguimos levar

da dst foi fundada numa base cultural forte e “numa relação

O barulho dos trabalhos e as especificidades das peças es-

esta forma de arte a centenas de pessoas. Congratulando-

que se quer profunda com o conhecimento”.

cultóricas foram gerando, ao longo de duas semanas, muita

nos, sobretudo, pela aproximação registada pelas escolas e

Ainda segundo o mesmo responsável, é esta mesma filo-

curiosidade junto dos que passavam nesse espaço, ha-

respectivos alunos, que esperamos ter inspirado de alguma

sofia empresarial que leva a dst a atribuir anualmente o

vendo até quem indagasse junto dos escultores, sobre a

forma” destaca José Teixeira . ¢

5


João Antero “Onda Orgânica”

Jorge Pé-Curto Vítor Ribeiro “Construção Dinâmica” “Árvore do Conhecimento”

A proposta escultórica apresentada é uma obra pensada

O engenho do homem posto nas técnicas de construção é

A Árvore do Conhecimento evoca os primórdios da huma-

para um espaço de recepção, com características e valores

a temática que inspira a concepção deste projecto.

nidade.

artísticos contestáveis, visto ser pensada para uma zona de

Procura explorar plasticamente o processo construtivo e o

Há todo um caminho a percorrer para se chegar até ela.

passagem e de espera…

rigor técnico que lhe está associado, aspectos estes que

O espaço vazio, enfatiza esse percurso.

O factor surpresa (flash) é preponderante, de modo que a

estarão presentes na realização da própria escultura.

A árvore é o culminar de um desejo, o conhecimento.

ideia de uma “onda orgânica” elaborada em madeira,

A escultura é formada por dois volumes, um tronco de cone

Do ponto de vista da composição, ela torna-se dinâmica

pensada para ser fixada numa parede, numa arquitectura de

que intersecta um plano recortado. O equilíbrio, algo

devido à assimetria do perfil, devendo a forma ser

teor minimalista, vai, com certeza, intimar e enriquecer o

instável do conjunto, procura provocar um efeito dinâmico.

adequada ao granito (com notas de esboço).

espaço ambiente na sua envolvente.

A face externa do plano é modelada de forma convexa

Deverão surgir apontamentos de frutos (na copa) e

Neste sentido, o espectador é convidado a questionar…

enquanto que o interior é plana.

algumas folhas caídas pelo chão.

Segundo as referências do seu universo. Será um lugar de

O granito azul é o material escolhido de modo a reforçar a

meditação (oratório) mas, acima de tudo, que a espon-

robustez das formas tendo como acabamento final uma

taneidade de uma interpretação seja meta a conquistar.

textura abujardada que jogará com superfícies lisas na zona das arestas.

Pensamentos do Trimestre Há dois tipos de pessoas: As que fazem as coisas, e as que

Podes enganar algumas pessoas todo o tempo. podes

O homem comum é exigente com os outros; o homem

dizem que fizeram as coisas. Tente ficar no primeiro tipo. Há

também enganar todas as pessoas algum tempo. Mas não

superior é exigente consigo mesmo.

menos competição.

podes enganar todas as pessoas todo o tempo.

Marco Aurélio

Indira Ghandi

Abrahan Lincoln

As nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem

Dá-se muita atenção ao custo de se realizar algo. E nenhu-

Há cinco degraus para se alcançar a sabedoria: calar, ouvir,

que às vezes poderíamos ganhar pelo medo de tentar.

ma ao custo de não realizá-lo.

lembrar, agir e estudar.

William Shakespeare

Philip Kotler

Provérbio Árabe

Imaginação é mais importante que inteligência".

Um quadro só sobrevive, graças àquele que o olha.

O insucesso é apenas a ocasião de recomeçar uma tenta-

Albert Einstein

Pablo Picasso

tiva com mais sabedoria" Henry Ford

6


Volker Schnuttgen “Raumschleife”

Os jovens e a arte O que significa essa escultura? Porque escolheu trabalhar com esse material? Foram várias as questões colocadas pelos inúmeros alunos que visitaram o simpósio de escultura. A analogia feita pelo escultor João Antero serviu para esclarecer muitos dos alunos sobre os diferentes movimentos artísticos: “Se formos num comboio em movimento, como vemos a realidade? Vemo-la de forma imprecisa, mas conseguimos reconhecer os objectos que nela aparecem. Assim é o impressionismo! Quem sabe dizer qual o meio de transporte que nos remete para o abstracionismo?” A atenção dos alunos é imediatamente posta à prova e há um que grita: “O Avião!”. Acertou. Esta interactividade com os escultores revelou-se preciosa para grande parte dos estudantes que na disciplina de artes, mais ouvem falar de arquitectura e pintura. Dos mais jovens aos mais velhos, do 2.º ciclo ao 10.º ano de escolaridade, todos tiraram o melhor partido da visita, registando as informações ou fazendo um desenho das peças em execução no material oferecido pela organização. De acordo com os professores, esta foi uma excelente oportunidade para abrir mentalidades e contactar directamente com diferentes formas de arte.

“ (…) As obras de Volker Schnüttgen em aço, pendem para uma arquitectonização escultórica, preocupando-se com uma sensibilização para o acontecimento espacial que provocam, sem, contudo, descuidar das qualidades inerentes do material. Todo o processo ao qual a chapa de aço é submetida desde a quinagem à soldagem - pretendem alcançar a terceira dimensão. Deste modo as chapas criam interiores semi-abertos, abrigados por “tectos” ou “paredes”, recortados/arrancados de um espaço antemão indefinido. Sensibilizam-nos para a fronteira entre espaços limítrofes, vinculando as chapas para formar “pilares” laterais, ligadas entre si por outras chapas dobradas em forma de “viga” ou “arco” na procura da conquista do espaço. (…)” Gisela Rosenthal

7


GASMAPPERS

Núcleo de estágio de Matemática

consumidores podem agora saber online onde abastecer mais barato

No passado dia 18 de Julho, realizou-se na Escola do Ensino

Os espanhóis e os portugueses podem agora, através da

surgindo no mapa os postos que se encontram num raio de

Básico do 2.º e 3.º Ciclos de Palmeira - Braga, a final do

plataforma www.gasmappers.com, encontrar o posto,

cinco quilómetros, distância que pode ser alterada pelo

concurso "Problema do Mês". De entre os alunos partici-

mais perto de si, com o combustível mais barato, numa

utilizador. Para quem acrescente à localidade, o tipo de

pantes no concurso, e após os cinco problemas publicados,

rede que comporta 14 mil postos de abastecimento em

combustível pretendido, os postos mais económicos são

seleccionaram-se os dez melhor classificados, que reali-

toda a Península Ibérica.

rapidamente identificados através de um esquema de cores.

zaram a prova final. No final da prova, realizou-se a cerimó-

O site entrou em funcionamento em Julho e foi criado pela

nia de entrega dos prémios, sendo galardoados os três

Innovation Point SA, uma start-up tecnológica do grupo

melhores.

dst.

Para a realização desta actividade, o Núcleo de Estágio desta Escola assegurou os apoios da dst, s.a., que garantiu

Em Portugal, a actualização é feita pelos próprios consumidores registados no gasmappers.com, mas, em Espa-

Para além dos idiomas espanhol e

nha, está já a ser aplicado um novo sistema de actua-

os três primeiros prémios para o concurso “Problema do

português, a plataforma está agora

lização automática e diária nos mais de 12.000 postos de

Mês”.¢

também disponível em inglês, no sentido

abastecimento.

Núcleo de Estágio de Matemática

Para além dos idiomas espanhol e português, a plataforma

de alargar a sua utilização aos muitos

está agora também disponível em inglês, no sentido de

milhares de turistas que nesta época vêm

alargar a sua utilização aos muitos milhares de turistas que

até à Espanha e a Portugal.

nesta época vêm até à Espanha e a Portugal.

Utilizando uma interface única desenvolvida sobre a

“A Innovation Point vem assim reforçar o seu propósito de

tecnologia Google Maps, este portal de utilização livre

implementação de soluções inovadoras e criativas,

assenta numa navegação intuitiva, através da qual é

colocando à disposição dos utilizadores uma ferramenta

possível efectuar pesquisas de postos e preços de

tecnologicamente evoluída que vem responder a uma

combustíveis dentro de um dado raio de alcance, numa

necessidade proeminente no quotidiano dos consumi-

localização escolhida pelo utilizador e até segundo o tipo de

dores” salienta José Mendes, CEO da Innovation Point.

combustível desejado.

Ainda segundo a Innovation Point, o roadmap do desen-

E quem pensa que neste site, se encontram apenas os

volvimento do conceito gasmappers.com contempla a

postos de abastecimento das grandes cidades,

mobilidade, através da disponibilização de soluções dese-

desengane-se. Os resultados são tão satisfatórios para

nhadas para dispositivos móveis, nomeadamente tele-

uma pesquisa sobre "Braga", como para "Mogadouro",

móveis. ¢ 8


Caixa de sugestões A caixa de sugestões é importante e deve ser utilizada por todos nós. No entanto, as sugestões poderão também ser enviadas, por mail, para o departamento de qualidade. O impresso encontra-se na rede "dstwork - Impressos qualidade - impressos gerais qualidade impressos dqs gerais (Mod.45/dqs - sugestão de melhoria)". Colaborem!

grupo dst recebe certificação europeia depois de aderir ao projecto pme-ambiente O Grupo dst obteve, no passado mês de Agosto e na se-

actividades no ambiente e na sociedade.

quência da adesão ao projecto PME-Ambiente, o registo no

“...apostando na consciência e res-

Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria (EMAS), para a actividade de Transformação de Rochas Ornamentais,

ponsabilidade ambiental e procurando

Fabrico de Produtos de Madeira e Mobiliário, Produção de

soluções eco-eficientes, preventivas

Estruturas Metálicas e Manutenção de Viaturas e Equipamentos.

e, acima de tudo, orientadas para a

A dst associa-se, deste modo, a pouco mais de 4.000 em-

construção de um futuro melhor”.

presas europeias que detêm este instrumento de salvaguarda ambiental.

Cecília Araújo,

O EMAS é, actualmente, o sistema de gestão ambiental

directora do Departamento de Ambiente do grupo dst

mais credível e robusto do mercado. Tem por base o Regu-

Neste documento, a dst compromete-se a cumprir com

lamento Europeu (CE) n.º 761, de 19 de Março de 2001,

toda a legislação ambiental aplicável à organização, pro-

cujos requisitos traduzem uma aproximação à NP EN ISO

curar a melhoria contínua do seu sistema de gestão, exer-

14001. Tem como principais objectivos a melhoria do de-

cer um consumo responsável dos recursos naturais, redu-

sempenho ambiental, a demonstração de conformidade

zir a utilização de produtos perigosos e a produção de resí-

por uma entidade acreditada para o efeito, sendo propósito

com a legislação ambiental e a comunicação ao público

duos prevenindo a poluição e potenciar o desenvolvimento

da empresa não só mantê-la como alargá-la a outras áreas

dos resultados ambientais conseguidos. Os requisitos do

de processos que causem um menor impacto ambiental e

de actividade do grupo.

EMAS, como instrumento voluntário, implicaram a imple-

promover a participação dos seus colaboradores na gestão

Relembramos que o grupo dst está certificado no âmbito

mentação de um sistema de gestão ambiental e a auditoria

ambiental da empresa.

da Concepção, Desenvolvimento e Produção de Betão

do sistema, bem como a declaração pública do desempe-

“O registo no EMAS abre caminho para um desenvolvi-

Pronto; Produção e Aplicação de Betão Betuminoso; Con-

nho ambiental, traduzida na Declaração Ambiental. Este

mento sustentável que a dst quer promover sempre mais,

cepção, Desenvolvimento e Transformação de Rochas Or-

processo iniciou-se com a adesão ao projecto PME-Am-

apostando na consciência e responsabilidade ambiental e

namentais (granito); Concepção, Desenvolvimento, Pro-

biente que englobou parte dos centros industriais da dst.

procurando soluções eco-eficientes, preventivas e, acima

dução e Montagem de Estruturas Metálicas; Fabrico de

Assim, foi preparada a Declaração Ambiental 2007 refe-

de tudo, orientadas para a construção de um futuro

Produtos de Madeira e Mobiliário.

rente à actividade da dst nas Madeiras, Metalomecânica,

melhor”, refere Cecília Araújo, directora do Departamento

O grupo tem também atribuída a marca CE às misturas

Ro-chas Ornamentais e Manutenção. É um documento

de Am-biente do grupo dst.

betuminosas, agregados e ao seu Departamento de

elabo-rado pela empresa que pretende comunicar a todas

De acordo com esta responsável, “EMAS significa integrar

Manutenção por parte da APCER no âmbito da Manutenção

as partes interessadas o desempenho ambiental, desde

uma tendência de modernização organizacional, preten-

e Prestação de Serviços Internos e Externos a Viaturas e

2005 até ao final do 1.º semestre de 2007. Inclui, entre

dendo a dst continuar este processo com o registo suces-

Equipamentos. É ainda certificado pelas OSHAS e NP

outros aspectos, a descrição das actividades, produtos ou

sivo das várias actividades e empresas do grupo. Quere-

4397- Higiene e Segurança no Trabalho.

serviços, a política ambiental e os resultados do programa

mos, enquanto actividade económica e criadora de valor,

No âmbito do ambiente, está certificado pela Norma

ambiental implementado. Pretende-se com a Declaração

ser compatíveis com a preocupação de preservar e garantir

14001:2004 no que diz respeito à Produção de Betão

Am-biental divulgar o conhecimento adquirido, sensibilizar

a qualidade de vida das gerações futuras. Pretendemos

Pronto, Transformação de Rochas Ornamentais, Fabrico de

os colaboradores para os impactos decorrentes das suas

manter este compromisso ético e demonstrar uma atitude

Produtos de Madeira e Mobiliário, Produção de Estruturas

actividades, permitindo a todas as partes interessadas

responsável face ao uso de recursos naturais e à capacida-

Metálicas e Manutenção de Viaturas e Equipamentos.

parti-lhar os nossos esforços na implementação de prá-

de de sustentação do planeta”.

A empresa eléctrica da dst (dte) está igualmente certifi-

ticas que atenuem os impactos menos positivos dessas

A certificação está sujeita a verificações externas anuais

cada. ¢

9

11


candidata-se ao prémio “melhores empresas para trabalhar” 2009

dst desenvolve rede de energia para projecto de carro eléctrico

A revista Exame, em parceria com a Heidrick & Struggles,

O grupo dst vai desenvolver uma rede de energia “inteli-

sificação que tem vindo a caracterizar o grupo” destaca o

empresa de consultoria de recursos humanos, está a

gente” para a concepção, desenvolvimento e aplicação de

CEO, Eng. José Teixeira.

preparar a eleição da Melhor Empresa para trabalhar em

um modelo de mobilidade sustentável – carro eléctrico -,

Portugal” 2009.

enquadrado no projecto Mobi_Guimarães.

Os principais objectivos da iniciativa são a criação de uma

Esta aposta da dst, que terá um investimento inicial de 400

construção de uma infra-estrutura adequada de uma rede

frota de veículos eléctricos partilhados, bem como a

A dst concorre a este prémio, pelo segundo ano consecutivo, sendo que no ano passado, obteve o 33.º lugar, num ranking a que concorreram 250 empresas. O processo

mil euros, é composta por uma rede de abastecimento

de energia e carregamento e de um sistema de informação

de selecção baseia-se nas respostas obtidas nos ques-

piloto, com 9 pontos de carga (3 por parque de abaste-

que permita a gestão da mobilidade dentro do município.

tionários que são distribuídos a todos os colaboradores da

cimento), rede de produção de energia com base em fontes

empresa (em papel ou por internet).

renováveis (fotovoltaicos e/ou aerogeração) e sistema de

Chegados a uma shortlist de 30 empresas, estas são visi-

gestão de carga.

Para já, as actividades centram-se no desenvolvimento dos veículos, parques de entrepostos de carsharing, rede de abastecimento piloto e do sistema de informação e gestão.

tadas pela equipa da revista para averiguar se essas empresas são efectivamente bons locais para trabalhar. Se

Por outro lado, o grupo vai dedicar-se também aos sistemas

dúvidas houverem, os jornalistas entrevistam igualmente os

de informação, apostando no desenvolvimento e teste de

colaboradores da empresa.

um mecanismo de gestão de mobilidade, com sistemas ITS

nossas competências tradicionais – associadas à

O prazo de resposta de todos os questionários foi 24 de

piloto, de gestão da “factura da mobilidade”, de carsharing e

construção – com o know-how já adquirido nas energias

Outubro.¢

planeamento de recursos, bem como unidades de teste nos

renováveis e ainda com a recente aposta que efectuámos

veículos (on-board-units) e dispositivos de acesso móvel.

nas telecomunicações e nos sistemas de informação

“Esta é uma excelente oportunidade para cruzarmos as

(dstelecom)” conclui o mesmo responsável. Recorde-se que o projecto contempla uma parceria liderada Posteriormente, o projecto será aplicado e testado em

pela Câmara Municipal de Guimarães e, além da dst, conta com a Petrotec, a Universidade do Minho, o Centro para a

ambiente urbano, com base nas comunidades específicas

Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA) e o

(população universitária e turistas). ¢

Centro de Inovação INTELI. “Com este projecto, a dst procura prestar um apoio activo à I&D, associando-se a instituições de renome, e apostar em mais uma nova área de negócios, numa lógica de diver10


com “pedalada” São muitos os colaboradores do grupo dst que têm como

dst executa obra de € 4,5m

desporto favorito o ciclismo e o BTT, desporto este com crescente visibilidade.

O grupo dst foi escolhido para executar a obra da nova loja

mista para suportar o edifício. O parque de estaciona-

Foi recentemente constituída a dst BIKE TEAM - no mo-

da Media Markt em Leiria, incluindo a compra do terreno, a

mento, semi-enterrado, é constituído por paredes de

mento com 14 participantes, sugestão do nosso colega

elaboração da totalidade de projectos, a construção e

contenção/suporte em betão armado e pilares metálicos

Emanuel Matos. Esta proposta foi abraçada pela adminis-

licenciamento do espaço comercial, num negócio de 4,5

que suportam a laje colaborante do piso 0. Sobre esta é

tração (com o patrocínio de camisolas) como uma ajuda na

milhões de euros.

apoiada toda a estrutura metálica da loja, escritórios e

interligação de vários colaboradores da dst permitindo

armazém.

assim, aos amantes deste desporto, terem pontos em co-

A execução da obra contou com a participação das

mum promovendo cada vez mais o diálogo, amizade e o

O mais recente espaço comercial, em solo nacional, do líder europeu no sector de

empresas bysteel (estrutura metálica e revestimentos) e

companheirismo nas diversas actividades do dia a dia.

electrónica de consumo e informática...

dte (empreitada eléctrica, AVAC e Hidráulica), ambas

O percurso "Trilhos Santo António", em Vila Verde, foi o

grupo dst.

“Temos apostado cada vez mais num serviço “turn key” por

início de um dos muitos trilhos que a equipa dst BIKE TEAM irá participar. Organizado pela Casa do Benfica de Vila

estarmos cientes do valor acrescentado que o modelo nos

“A qualidade do nosso trabalho e a rapidez de resposta que

Verde, levou mais de 400 amantes do BTT a participar

traz. Garantimos ao cliente o sucesso das várias etapas do

demonstrámos na construção das outras duas lojas da

numa prova com grande sucesso, oferecendo uma

processo, tirando partido das diversas valências que o

cadeia Media Markt – Braga (2005) e Alfragide (2007) –

experiência única cheia de adrenalina, divertimento e

grupo dst tem vindo a adquirir”, salienta o CEO da dst, eng.

foram decisivas para a adjudicação da obra de Leiria”,

convívio mas com todas as condições de segurança.

José Teixeira.

refere o responsável máximo do grupo.

A dst BIKE TEAM agradece o apoio da administração nestes

O mais recente espaço comercial, em solo nacional, do líder

A maior cadeia europeia de electrónica de consumo,

eventos. Ficamos felizes pela partilha desta adrenalina.

europeu no sector de electrónica de consumo e infor-

inaugurou esta loja em Agosto, passando a apresentar

mática, contará com uma área total de 3 574,42 m² e um

50 mil referências, que estão distribuídas por 3 mil m².

Equipa: contamos para as próximas aventuras que todos os

volume de construção de 42 956 m3.

O target de consumidores envolve uma população de 420

inscritos possam participar e tornar estes momentos

Neste projecto, foi prevista a construção de uma estrutura

mil pessoas. ¢

únicos. ¢ Luís Carlos Martins dep. sist. abast. recolha e tratamento de água da dst

11


LANÇAMENTO DA PRIMEIRA PEDRA DAS PISCINAS DE VILA PRAIA DE ÂNCORA Num "cenário preparado com carinho, dedicação e emoção" e em que a palavra "Cumprimos" se destacava no púlpito instalado no interior de uma tenda, na qual decorreram os discursos alusivos à inauguração da obra da

DST INICIOU OBRA DE €5,4M PARA CÂMARA MUNICIPAL DE CAMINHA

piscina, Júlia Paula, presidente do município Caminhense,

O consórcio de empresas constituído pela dst, Investhome,

principal, estando ainda projectados balneários, clube de

dia histórico para Vila Praia de Âncora, para mim e para

ABB e Irmãos Borges Imobiliária, em conjunto com a C. M.

saúde (saunas, salas de ginástica, musculação e squash

vós", em referência aos presentes.

de Caminha, está a construir as novas piscinas municipais

para 70 pessoas), café com esplanada (espaço comercial)

Júlia Paula insistiu que "é para as pessoas que fazemos as

insistiu que "não desistimos e aqui estamos hoje (...) (n)um

de V. P. de Âncora, uma obra orçada em 5,4 milhões de

e um gabinete de apoio que se poderá adaptar a espaço

obras", expressando ainda a sua manifestação de fé "nas

euros.

infantil enquanto que os pais usufruem do equipamento. Na

gentes de Vila Praia de Âncora" e citou de cor António

O consórcio foi integrado numa empresa público-privada,

zona exterior, serão construídos dois campos de ténis e

Gedeão, chegando a trautear a canção que fala do "sonho

designada Caminhaeaqui, s.a., que pretende responder às

parques de estacionamento, contemplando a possibilidade

que comanda a vida", para concluir que a todos é permitido

necessidades municipais recorrendo ao sector privado,

de albergar autocarros, tendo em vista a participação de

sonhar.

pelas suas formas de organização e gestão de maior flexi-

equipas de competição, sendo todo este conjunto referen-

A autarca, empolgada pelo momento que estava a viver,

bilidade e eficiência.

ciado como uma "nova centralidade" da vila. O corpo das

visto ser “a primeira vez que presido ao lançamento de uma

“A constituição desta relação de longo prazo - 25 anos -

piscinas será envidraçado, permitindo ainda que as paredes

primeira pedra", depois de terem sido denegadas duas

com a Câmara Municipal de Caminha permite à autarquia

se abram a 50% durante o Verão e possam ser colocadas

candidaturas de apoio financeiro, o que a poderia levar à

dividir com os privados o risco financeiro do projecto. Trata-

serigrafias de fácil substituição sobre elas.

desistência deste empreendimento, incluiu-se no rol de

se de um modelo de gestão de rigor e de preço máximo ga-

A visibilidade de dentro para fora e vice-versa está prevista

políticos "que cumprem as suas promessas e que tra-

rantido. Neste modelo não existem derrapagens finan-

neste edifício "polivalente, nobre, simpático e com quali-

balham por bem".

ceiras”, refere o CEO da dst, Eng. José Teixeira.

dade estética", conforme o projectou o Arq. Victor Moga-

Sublinhou que lhe não seria possível avançar "sem este

O edifício das piscinas municipais de Vila Praia de Âncora,

douro, autor de equipamentos semelhantes em Barcelos e

alimento", representado pelas pessoas para quem con-

primeiro projecto da nova empresa, ocupará uma área total

Esposende.

cretizara este projecto avaliado em mais de cinco milhões

de cerca de 12 882 m², com uma área de implantação de 4

Com uma estrutura em betão armado e a cobertura das

de euros, constituindo como tal "um prazer, orgulho e

088 m² e a área bruta de construção será de 8 142 m².

piscinas em madeira, será possível a prática da natação e

carinho".

A obra implica a construção de uma estrutura mista com

pólo aquático a 360 praticantes e terá uma capacidade para

No que respeita à Junta de Freguesia de Vila Praia de

elementos em betão armado, metálicos e uma estrutura em

mais de 400 espectadores.

Âncora, Manuel Marques, para além de considerar as

madeira lamelada que rodeará a área das piscinas e

Segundo revelou Júlia Paula, o investimento poderá rondar

piscinas "um valor acrescentado", considerou-as "a obra

suportará toda a cobertura.

os cinco milhões de euros, tendo já apresentado uma

mais importante dos meus mandatos".

Localizado junto ao parque escolar da vila, com três pisos,

candidatura ao Eixo III, no âmbito do III Quadro Comunitário

Aproveitou para agradecer à presidente da câmara e aos

sendo um deles de cave, e outro encaixado no desnível

de Apoio, esperando uma comparticipação que deverá

proprietários dos terrenos que colaboraram para que a obra

existente, o que permitirá diminuir o impacto da volumetria

ascender a 75% do seu valor.

fosse por diante, porque, inclusivamente, "já possuíam

da obra, prevê uma piscina de 25 metros com duas das oito

O facto de a obra poder ser faseada, permitirá iniciá-la pela

licenças para construção", o que proporcionará o "início de

pistas adaptadas para competição olímpica.

parte central, atendendo que os terrenos foram já adqui-

uma vida melhor para todos".

Esta piscina, composta por dois tanques de aprendizagem

ridos pelo município, conforme a própria nos revelou.¢ Manuel Marques evidenciou o facto de os terrenos, ori-

e um "chapinheiro", constituirá a parte central do edifício

ginariamente destinados à produção de pão, estarem agora 12


dst superou as 80 candidaturas ao grande prémio de literatura 2008 predestinados "à cultura do nosso físico".

A dst superou, este ano, a meta de 80 candidaturas para a

2007.

Coube a Victor Mogadouro, arquitecto do gabinete que

presente edição do Grande Prémio de Literatura, uma inicia-

3. O valor do Grande Prémio é de 15.000 €.

executou o projecto, descreve-oo sucintamente, desta-

tiva que visa destacar obras nacionais de prosa e poesia.

4. De cada livro serão enviados a concurso, pelo autor ou

cando a "flexibilidade e sustentabilidade" desta estrutura

“Esta iniciativa, em particular, procura incentivar e premiar

pelo editor, através dos meios correntes, quatro exempla-

orientada para sul, e que possuirá uma grande inércia tér-

obras literárias que se destaquem pela excelência e,

res para o endereço da dst: Rua de Pitancinhos, Ap. 208,

mica, permitindo uma diminuição de custos com a ene-

simultaneamente, dar a conhecer ao grande público o valor

Palmeira 4711-911 Braga. Esse envio, no ano em curso,

rgia, graças à instalação de painéis solares e fotovoltaicos.

de alguns dos nossos talentos nacionais”, afirma o CEO do

deverá ocorrer até 30 de Setembro de 2008.

Aludiu também à inclusão de outras valências que pro-

grupo dst, José Teixeira.

5. Cabe à dst a escolha de um Júri bienal, constituído por

porcionariam mais valias para o empreendimento, tais

A XIV edição do Grande Prémio de Literatura da dst con-

três personalidades de reconhecido mérito.

como a zona comercial e o clube de saúde, bem como a

templará, com um prémio de quinze mil euros, uma obra em

5.1. Não podem ser membros do Júri escritores ou editores com obras a concurso.

"visibilidade interna" que a estrutura conterá, possibilitando

prosa, em português, cuja primeira edição tenha sido pu-

uma sustentabilidade maior do ponto de vista financeiro.

blicada entre 2006 e 2007.

5.2. No décimo quarto ano integram o Júri o Professor

Quanto à flexibilidade, chamou a atenção para o recreio e

Foram 83 os livros concorrentes, estando o anúncio pú-

Doutor Vítor Manuel de Aguiar e Silva, o Doutor José

competição (possuirá duas pistas com 50 metros).

blico do vencedor agendado para o dia 06 de Dezembro em

Manuel Mendes e o Doutor Carlos Mendes de Sousa.

Salientou os cuidados estéticos colocados neste projecto,

diversos órgãos de comunicação social.

6. O Júri decidirá no prazo de sessenta dias, podendo, nes-

dando como exemplo as suas paredes serigrafadas que

Esta iniciativa da dst é rotativa, alternando a cada ano entre

se período de tempo, efectuar as reuniões que tiver por

permitirão "baixar" a volumetria, do ponto de vista visual.

poesia e prosa e visando livros publicados no biénio pre-

convenientes.

José Teixeira referiu que "não somos um cristão-novo" nos

cedente a cada edição.

projectos conjuntos, dando como exemplo a sua participa-

6.1. A decisão é tomada por maioria ou unanimidade, excluindo-se sempre a posição de abstenção.

ção nos empreendimentos eólicos e, presentemente, na

Regulamento do Grande Prémio de Literatura 2008

6.2. São igualmente excluídas as possibilidades de atribui-

instalação da rede de fibra óptica que "vai tornar Caminha

1. O Grande Prémio de Literatura dst é instituído pela

ção ex aequo do Grande Prémio de Literatura dst bem

na ponta do mundo".

dst_domingos da silva teixeira, s.a. e destina-se a galardoar

como de menções honrosas.

A presidente da câmara procedeu, no final das interven-

todos os anos uma obra em português, de autor português

6.3. O Júri lavrará uma acta dos seus trabalhos e da sua

ções, à selagem de um tubo no qual introduziu um perga-

nascido ou residente no território nacional.

decisão não cabe recurso.

minho que descrevia o acto de lançamento da primeira

1.1. Os concorrentes deverão comprovar o seu nascimento

7. Este Grande Prémio não será atribuído quando o Júri

pedra e a respectiva data, bem como algumas moedas

mediante fotocópia do Bilhete de Identidade ou atestar a sua

entender que nenhuma das obras a concurso o justifica.

actuais, a par de um exemplar do jornal nacional (Jornal de

residência no território nacional com documento idóneo

8. Incumbe ao Júri regular toda a matéria que for omissa no

Notícias) que noticiara naquele dia a cerimónia de início

emitido pela Junta de Freguesia em que habitam.

presente Regulamento.

simbólico da obra.

2. O Grande Prémio de Literatura dst terá um funcionamento

9. Dar-se-á pronta notícia à comunicação social, no dia 06

Seguidamente, Júlia Paula e Manuel Marques colocaram o

rotativo, distinguindo, num ano, um livro de poesia publi-

de Dezembro de 2008, nos jornais “Público”, “Expresso”,

pequeno tubo no buraco preparado para receber aquela

cado em primeira edição no biénio anterior e, no ano se-

“Diário do Minho” e “Correio do Minho” da decisão de atri-

que, simbolicamente, foi definida como a primeira pedra da

guinte, um título em prosa saído, também em primeira

buição do Prémio, nesse momento indicando, sempre que

obra, tendo ambos deitado pás de cimento em cima.

edição, no biénio que o precedeu.

possível, a data e as circunstâncias em que ocorrerá a

Num futuro próximo, a Caminhaeaqui, s.a. desenvolverá

2.1. São considerados todos os domínios da prosa

também parques de estacionamento para o município. ¢narrativa.

13

cerimónia pública de entrega ao autor distinguido. 10. As edições subsequentes da obra galardoada deverão

2.2. A décima quarta edição do Grande Prémio de Literatura

referenciar, através de uma cinta ou no corpo do volume, o

dst é destinada a obras de prosa publicadas em 2006 e

Grande Prémio de Literatura dst e o ano a que se refere.¢


havia uma grande crise no meio empresarial e para nós, para a sobrevivência da empresa, foi fundamental essa encomenda.

Mesquita Machado

O apelo da vida politica manifestou-se cedo? Desde quando? Eu fiz o curso de engenharia, na Faculdade de Engenharia do Porto mas fiz os preparatórios em Coimbra. Fui para Coimbra nos anos 60, estive numa república - a república dos Pachás - e obviamente, como não podia deixar de ser, tive lá os meus primeiros contactos políticos, as primeiras discussões políticas. O primeiro ano em que fui para Coimbra foi um ano extremamente agitado politicamente. Faziam-se as festas - chamadas “latadas” que eram realizadas no inicio do ano para a recepção aos caloiros. Nesse ano foi feita em silêncio, fez-se um cortejo e esse cortejo foi todo feito em silêncio. A partir daí comecei a ter os primeiros contactos com a política. Porque enveredou por essa actividade? Quando se deu o 25 de Abril, demorei cerca de um ano a tomar a opção de me filiar num partido porque as coisas estavam muito confusas na altura. Decidi deixar que os partidos, em certa medida, pudessem ficar mais clarificados em função da sua prática.

Francisco Soares Mesquita Machado nasceu em Vila Nova de Famalicão a 18 de Abril de 1947. É licenciado em Engenharia Metalúrgica e assumiu o cargo de Secretário de Estado do Fomento Cooperativo

No início de Abril, antes das primeiras eleições para a

a pedido do então Primeiro-Ministro Mário Soares, abandonando o cargo aquando a sua eleição

Constituinte, decidi filiar-me no Partido Socialista e como

para a Presidente da Câmara Municipal de Braga.

havia falta de quadros no próprio partido, fui chamado, logo

É desde as eleições autárquicas portuguesas de 1976, presidente da Câmara Municipal de Braga,

de seguida, a assumir alguma responsabilidade na direc-

tendo sido sucessivamente reeleito sempre com maioria absoluta (1979, 1982, 1985, 1989, 1993, 1997, 2001 e 2005).

ção local. A partir daí, passado um ano, entenderam que eu

Pai de três filhos, tinha 29 anos quando assumiu a presidência da Câmara Municipal de Braga.

deveria ir para deputado. Fui eleito deputado na primeira Assembleia Legislativa que houve, em 1976: em 1975 foram as eleições para a Constituinte, em 1976 as eleições

É verdade que passou parte da infância na Venezuela?

É licenciado em Engenharia Metalúrgica. Chegou alguma

Estive lá até completar a instrução básica toda - até à antiga

vez a exercer?

para a Assembleia da República. Fui eleito, e quando estava

4ª classe. Depois viemos para Portugal, eu e um irmão, no

Cheguei. Quando acabei o curso, trabalhei aqui numa

a exercer as funções de deputado, o partido entendeu que

princípio dos anos 60, para prosseguir os estudos em

empresa de Braga que estava sediada na Rua Conselheiro

eu deveria ser candidato à Câmara Municipal de Braga.

Lobato.

Fui candidato nesse mesmo ano.

português.

Foi onde se fizeram urnas para as primeiras eleições para Que memória tem hoje desses tempos?

Assembleia Constituinte que foram fabricadas e dese-

Caso não se tivesse dedicado à actividade política, como

Muitas memórias… Lembro-me perfeitamente da zona de

nhadas nessa mesma empresa. Lembro-me que tivemos

acha que teria sido a sua vida?

Caracas, onde vivia, e que era extremamente agradável.

que trabalhar dia e noite para que as urnas estivessem

Com certeza que seria muito melhor do que é actualmente.

Lembro-me da escola que frequentei, o Colégio de S.

prontas e nos locais das eleições. Eu próprio fiz de tudo para

Não estou arrependido mas era uma vida melhor de cer-

Fernando.

que isso acontecesse e estive até, a ajudar a embalar as ur-

teza absoluta. E, se calhar, com mais cabelo ainda!

Já havia lá na altura, muitos portugueses.

nas para que a empresa conseguisse dar satisfação ao

Ainda lá tenho uma irmã, a minha irmã mais velha, que

compromisso que tinha assumido. Essa encomenda era

Como é viver enquanto figura pública? Como consegue

entretanto casou, ficou lá, tem lá os filhos e os netos.

vital para a saúde financeira da empresa, já que na altura

conciliar a vida familiar com a profissional? 14


Eu consigo porque faço uma separação total do que é a

Norte que já está meio concretizado, mas temos cons-

foi contagiante: os comerciantes começaram a verificar que

minha privada e o que é a minha vida política. Para isso

ciência que ainda lá falta concluir dois equipamentos extre-

era bom retirar o trânsito. Depois, foi toda a zona

tenho tido uma colaboração notável da própria família,

mamente importantes: a Piscina Olímpica e o Multiusos.

envolvente.

nomeadamente da minha mulher.

Temos consciência que se houvesse abundância finan-

É obvio que esta foi uma obra extremamente emblemática

A minha mulher costuma dizer que quem foi eleito fui eu,

ceira, o ritmo de construção podia ser mais acelerado. Vai

que, posteriormente apoiada pelos parques de estaciona-

não ela, e como tal, não participa em nada da vida pública.

mais devagar mas há-de chegar-se lá.

mento no centro da cidade, trouxe dinamismo ao centro.

de uma ocasião especia. Quando o Presidente da

Quais os projectos que lhe falta completar até ao final do

dia, e vemos pessoas e movimento. É sinal que as infra-

República, Dr. Mário Soares, veio a Braga. Nesta ocasião,

mandato?

estruturas estão a funcionar bem.

ela acompanhou a esposa do Dr. Mário Soares porque era

Em termos de infra-estruturas básicas, temos praticamente

Outro projecto emblemático foi o projecto do estádio. O

de protocolo, de resto, não participa em acto nenhum. Diz

tudo concluído: temos um abastecimento de água a 100%,

estádio está em vias de ser classificado monumento

que eu é que fui o homem que seguiu a carreira política e

uma rede de saneamento que serve já mais de 96% da

nacional e é das poucas obras que nasceu e foi logo

não foi ela, por isso temos uma perfeita sintonia e

população, o que significa uma taxa de cobertura, em

seleccionada para monumento nacional. O processo de

harmonia.

termos de padrões da CEE, já total.

classificação do estádio já está em andamento, o que diz

Como tenho dito, a minha vida privada é minha, não

Mas há coisas que ainda queremos fazer, nomeadamente a

bem da dimensão e da beleza da obra.

pertence à política.

regularização das margens do Rio Este. É uma obra para

Só em condições muito excepcionais. Estou a lembrar-me

Todos nós passamos na zona pedonal, a qualquer hora do

cerca de 2 milhões de euros e que está neste momento à

Muito se diz que esta é uma cidade de Betão. O que tem

O que lhe dá mais prazer enquanto autarca?

espera de aprovação do Estudo de Impacto Ambiental para

sido feito para contrariar esta afirmação?

Concretizar as nossas ideias no terreno, isto é, pensar em

a colocarmos em concurso.

Nada! Qual é o material que se usa neste século para fazer

fazer uma obra, mandar fazer o projecto, adjudicar a obra e

Temos o Parque Urbano do Monte Picoto cujo projecto está

casas? Haver muitas casas é algum defeito? Braga é a

depois ver a obra feita e a funcionar.

concluído e vai avançar no próximo ano. Temos ainda a

cidade de betão porque as casas são construídas em betão

remodelação do Parque da Ponte cujas obras já estão

e o “ser muito” deve ser motivo de orgulho bracarense. Há

Cumpridos tantos mandatos, como vê hoje Braga e o seu

adjudicadas e que irão avançar no terreno quase de

espaços verdes e há betão!

concelho?

imediato, só faltam resolver questões burocráticas de

Braga tem inúmeros jardins, tem inúmeros parques: temos

Quem tem que ver são os munícipes, não sou eu! Eu sou

assinaturas de contratos.

o Parque Norte com mais de 55 hectares de zonas verdes,

suspeito! Eu durmo todos os dias com a consciência tran-

Para além disso, temos a obra de prolongamento do túnel

temos o Parque Desportivo da Rodovia que é um espaço

quila de ter feito o meu melhor e de ter dado o meu melhor

da Avenida da Liberdade que é uma obra extremamente

notável de animação, nomeadamente aos Sábados e

sobre todos os aspectos. O facto de eu ter sido reeleito

importante e emblemática e que deverá ficar concluída

Domingos em que os pais, os avós e as crianças vão para

nove vezes, significa que haverá um agrado genérico na

durante o mês de Junho do próximo ano. Há sempre coisas

ali praticar desporto. Vamos ter, muito em breve, o Parque

população de Braga.

para fazer porque, quando pensamos que está tudo feito,

da Ponte totalmente remodelado.

aparecem coisas novas a fazer.

Eu acho o betão absolutamente necessário e imprescindível

Das diversas áreas da autarquia, quais as que

Hoje os cidadãos têm um grau de exigência muito superior

e não aceito que se utilize a palavra betão em termos

destacaria, tanto pela positiva como pela negativa?

aos cidadãos do passado e ainda bem! Esse grau de

pejorativos. O betão é um material nobre que temos para

Terá que perguntar isso aos munícipes porque eu tenho

exigência obriga-nos a trabalhar cada vez mais e a sermos

fazer as habitações.

consciência que o que faço, faço bem, senão teria que pôr

melhores naquilo que fazemos.

melhor.

O facto de Braga ter crescido muito é, para nós, uma coisa positiva. É algo extremamente importante porque quando

Quais os planos que tinha para a autarquia que deixou de

Da totalidade dos seus mandatos quais os projectos que

vim para a Câmara de Braga, as pessoas que habitavam na

mais se orgulha? E os que menos?

cidade eram as pessoas que pertenciam à chamada

desenvolver? Quais os motivos?

Diria que todos! Tivemos algumas intervenções especiais,

“classe com muito dinheiro”, a classe alta. Alguma classe

Normalmente, sou teimoso e os projectos, tiro-os sempre

como por exemplo, a criação da área pedonal. Lembro-me

média ainda habitava na cidade de Braga, mas os operários

da gaveta. Há projectos que eventualmente pode-rão

que quando fechamos a primeira rua, disseram-me que em

e trabalhadores não viviam na cidade. Havia alguns que

demorar mais tempo, por circunstâncias várias.

Braga era impossível fechar uma rua ao trânsito porque os

viviam em bairros degradados, como o Bairro Luís Ca-

Lembro do sonho de construir o Palácio de Exposições, a

comerciantes não deixavam. Na altura preguei uma partida

randá, a ilha Afonso na Rua D. Pedro V, a ilha de Paio Manta,

chamada Grande Nave, que demorou quase 10 anos, mas

aos munícipes. Fechamos a primeira rua para obras, a Rua

havia toda uma zona com ilhas e bairros degradados onde

chegou-se lá.

Justino Cruz, e foi dito que era para obras mas nunca mais

viviam essas classes operárias. Ou então viviam fora da

Temos neste momento, por exemplo, o projecto do Parque

abriu ao trânsito. A partir daí começaram a aplaudir e depois

cidade.

15


O que quisemos foi dar um grande desenvolvimento à

restauro do respectivo prédio, gratuitamente. São duas

Temos praticamente em quase todas as freguesias,

cidade com uma impulsão muito grande na área da

ajudas preciosas. Nós acreditamos que quem deve

associações culturais como os ranchos folclóricos. O

construção, de maneira a que houvesse habitação a preços

recuperar, em primeira-mão, os prédios são os proprie-

nosso património em termos de ranchos folclóricos é

módicos para que essas classes menos favorecidas,

tários. Só quando ficam esgotadas no terreno, as possibili-

extremamente rico e para mim isso também e cultura. A

pudessem habitar na nossa cidade. E conseguimos isso

dades do proprietário recuperar o prédio, é que a Câmara

cultura não pode ser só uma parte, não é só a chamada

com êxito, porque conseguimos fazer com que houvesse

procede à respectiva aquisição do prédio e faz a recu-

cultura elitista. Para mim, a cultura tem que ir de encontro

habitação em quantidade suficiente para que as pessoas de

peração. A própria Câmara, por iniciativa própria, já recu-

àquilo que a população gosta. Eu assisti curiosamente a um

todas as classes sociais aqui pudessem viver e hoje não se

perou dezenas de prédios no centro histórico, alguns para

espectáculo no Theatro Circo que foi uma noite de fado com

consegue dizer que há em Braga uma zona de elite, porque

serem novamente postos no mercado de habitação e outros

o Camané e a sala estava cheia mas há espectáculos ditos

tem lá pessoas de todas as classes sociais a viver.

até para terem os equipamentos que eram necessários,

“elitistas” e de grande valor com meia sala ou menos cheia,

Quando eu vim para aqui em 1976, o mais problemático era

como é o caso do prédio onde está o Museu da Imagem e

mas isso acontece.

que quem quisesse comprar uma casa tinha que pedir por

outros prédios onde estão instituições sociais.

favor para lhe venderem a casa, porque o mercado não

Braga tem dinâmica o suficiente para ser uma capital de

respondia e não havia casas para adquirir. Para alugar muito

Sendo Braga reconhecida pela cidade dos arcebispos e

cultura?

menos. Praticamente não existia habitação nenhuma. Isso

as celebrações da Semana Santa um dos seus pontos

A capital da cultura está fora de causa, vai para Guimarães.

foi desbloqueado e agora quem eventualmente poderá

altos, como tem vindo a ser a relação da câmara com a

Parabéns, também têm direito. Não se pode ter tudo.

sentir-se incomodado, são aqueles que estavam

igreja?

Nós temos outras coisas: temos o Instituto de Nano-

habituados a viver sozinhos, sem ninguém à volta.

Uma relação de respeito mútuo. No passado, a igreja era

tecnologia. O Instituto de Nanotecnologia vai ser um centro

autoridade administrativa e também religiosa e é obvio que

de investigação na área da nanotecnologia, internacional,

Como tem vindo a acontecer com muitas cidades deste

actualmente assim não é. Nós somos a autoridade adminis-

cuja propriedade pertence a Espanha e a Portugal e gostaria

país, em Braga também já se começa a verificar uma

trativa, a igreja a religiosa. Respeitamo-nos mutuamente e

de dizer que aquele território onde está o centro de nano-

certa desertificação no centro histórico.

ajudamos a igreja naquilo que pudermos. A igreja braca-

tecnologia é um território internacional por definição. Tem o

Creio que em Braga isso não acontece tanto. Temos um

rense desempenha um papel bastante relevante no apoio

mesmo estatuto que uma embaixada estrangeira aqui no

regulamento para o centro histórico e obrigamos a que as

social que dá às pessoas, quer sejam crianças, quer seja a

nosso país. É considerado território internacional, isto só

reabilitações que se fazem tenham sempre habitação.

terceira idade, através de inúmeras obras que detém e,

para lhe dar um pormenor da importância deste centro. Vai

Vemos já muitos prédios que foram devidamente

obviamente, nesse âmbito, sempre que pudermos, também

ser, obviamente, um pólo de ciência e sabedoria que vai

recuperados e com grande qualidade. Contudo, há também

damos uma ajuda à igreja para poderem desenvolver essas

marcar a cidade de Braga e isso é extremamente impor-

algumas dificuldades por parte dos proprietários. Em

tarefas da melhor maneira.

tante.

primeiro lugar, as rendas extremamente “degradadas” e os proprietários não têm rendimentos para fazer obras. Esse é

O desenvolvimento cultural de braga passa essencial-

A dst desenvolveu recentemente um projecto no centro

um dos problemas. Outro problema é quando os

mente pelo Theatro Circo?

cujo objectivo era aproximar a arte da população. O que

proprietários querem fazer obras e alguns inquilinos não

Não, Deus me livre! Se nós tivéssemos confinado o nosso

falta para dinamizar a arte e a cultura na cidade?

querem sair e impedem a realização das obras. Outros até

desenvolvimento cultural ao Teatro Circo estávamos mal.

Faltam mais dst´s. A dst é, praticamente, um exemplo

saem porque o prédio já não tem condições de

Eu penso que o desenvolvimento cultural passa fundamen-

único nessa área. Tem que haver vocação. A dst felizmente

habitabilidade mas querem manter o contrato de

talmente pelas pessoas, por aquilo que as pessoas querem

tem uma gestão e pessoas que se importam com a cultura e

arrendamento para pedir uma indemnização… Isto é muito

na área cultural e pelo desenvolvimento associativo.

com a arte. Têm essa sensibilidade. Outras empresas já

complicado!

Em Braga, temos inúmeras associações culturais e isso é

começam a agir dessa forma e já tem havido colaboração,

extremamente importante. Temos coisas que só Braga

mas não com a dinâmica e dimensão da dst. A dst nesse

Quais os incentivos da câmara para assegurar o

tem, por exemplo, um conjunto de bandas de garagem que

aspecto é única. Oxalá que haja mais dst´s.¢

rejuvenescimento do centro histórico?

estão instaladas no Estádio 1.º de Maio, onde adaptamos as

Por exemplo, no centro histórico as obras não pagam taxas.

instalações para as mesmas e temos um movimento

Quem pedir ajuda à Câmara, a Câmara faz o projecto de

musical nessa área extremamente grandioso. Isso é cultura. 16


Ser dst é ter mais regalias! SEPRI: 15% de desconto aos colaboradores nas várias especialidades (medicina dentária, urologia, ortopedia, nutrição, otorrinolaringologia, psicologia, etc). Centro Óptico: descontos de 30% nas consultas de oftalmologia, na aquisição de lentes e armações para óculos. Consultas de avaliação de optometria, gratuitas para os trabalhadores e familiares. Uniterapia: desconto de 25% no apoio terapêutico aos colaboradores da dst e familiares em 1.º grau. Holmes Place: desconto de 10% na mensalidade e oferta de jóia de inscrição. Para mais detalhes e informações, contactar dep. HST e dep. RH.

INNOVATION POINT PRETENDE AJUDAR MUNICÍPIOS A CAPTAR INVESTIMENTO SOLUÇÃO ONLINE DE MARKETING TERRITORIAL PERMITE AVALIAR MELHORES LOCAIS PARA NOVOS NEGÓCIOS EM PORTUGAL

A plataforma where-to-invest-in-portugal.com (WTIP)

processo de decisão”, destaca José Mendes, CEO da

pretende registar, até 2011, pelo menos 70% dos municí-

Innovation Point.

permite determinar quais as melhores localizações para os respectivos investimentos, ou ainda solicitar um serviço personalizado de acompanhamento de todo o processo de

pios nacionais na sua estrutura, que tem como objectivo atrair investidores nacionais e estrangeiros para a imple-

A plataforma web, com versão em português e inglês,

decisão do local de investimento por parte da equipa da

mentação de negócios em Portugal.

encontra-se em funcionamento desde 2006 e conta, até ao

Innovation Point.

O projecto, da responsabilidade da start-up tecnológica

momento, com o registo de 50 municípios, prevendo-se

InnovationPoint, do grupo dst, funciona como base de

para breve a adesão de outros 20.

apoio aos municípios, permitindo-lhes entrar na rota do

Através da subscrição, as autarquias são incluídas na

e recursos de análise para os utilizadores da plataforma que

investimento directo e apresentar argumentos para a sua

plataforma WTIP e, desta forma, fica acessível informação

lhes permitam implementar o seu próprio processo de

captação.

crítica para o processo de decisão no investimento,

decisão e avaliar os méritos relativos aos municípios

organizada em sete dimensões: capital humano, qualidade

enquanto localizações potenciais para unidades produtivas

Desde o seu lançamento, já foram exibidas

“O nosso intuito é disponibilizar um conjunto de informação

de vida, emprego e desemprego, actividade económica,

ou de negócio”, explica o mesmo responsável.

cerca de 200 mil páginas do WTIP e

serviços às empresas, acessibilidade e transportes e

Desde o seu lançamento, já foram exibidas cerca de 200 mil

registaram-se visitas de cerca de 120

impostos e investimentos do estado.

páginas do WTIP e registaram-se visitas de cerca de 120 países, contando-se entre estes Portugal, EUA, Reino

países, contando-se entre estes Portugal,

Para os utilizadores, o registo na plataforma é gratuito e

Unido, França, Brasil ou Espanha.

EUA, Reino Unido, França, Brasil ou

prevê a recepção de uma newsletter mensal com info-

Espanha.

rmação relevante sobre a situação económica nacional,

A plataforma é recomendada por diversas entidades rela-

oportunidades de investimento e espaços de interesse para

cionadas com o mundo empresarial e o investimento, como

"Encaramos a actual conjuntura económica como uma

a localização de empresas e o acolhimento empresarial (no

é o caso da Câmara de Comércio Luso-Britânica.

seio dos municípios registados).

Recorde-se que a Innovation Point tem como objectivo o

victos de que o nosso público – municípios e investidores –

desenvolvimento de conceitos e soluções únicas no

vai valorizar cada vez mais o facto de dispormos de uma

Para além disso, os utilizadores podem também recorrer ao

mercado que conjuguem inovação e tecnologia, como é o

ferramenta credível de acompanhamento deste tipo de

Investor Decision Support System, um sistema gratuito que

caso do recém apresentado portal Gasmappers.com. ¢

janela de oportunidade para o WTIP, pois estamos con-

17


requeridas.

O grupo dst organizou, em Agosto, o 7.º Encontro Radical

- Jogos Tradicionais – Jogos populares.

para colaboradores, com o propósito de incentivar dinâ-

- BTT – Gincana com obstáculos.

- Prova Surpresa Final – Jogo de teste à capacidade de im-

micas de grupo que reforcem o espírito de equipa, a sua

- Tiro com Arco, zarabatana e fisga – Actividade com

provisação, precisão, planeamento, estratégia, concentra-

gestão e liderança.

treino ao nível da precisão.

ção e decisão de cada equipa: construção de carrinho de

- Circuito Ranger – Circuito de obstáculos.

rolamentos e posterior corrida.

Este ano participaram no evento 150 colaboradores, orga-

- Manobra com Cordas – Prova constituída por um cabo

nizados em 15 equipas de 10 elementos cada, as quais, em

esticado, sobre o qual os elementos da equipa têm de

33 jipes, iniciaram as actividades com um percurso TT e,

passar, com a ajuda da restante equipa.

contribuiu para um maior estreitamento das relações inter-

seguindo as indicações de um road-book, chegaram ao

- Enigma – Jogo de resolução de problemas e de tomada de

pessoais entre os diversos colaboradores do grupo.

local das restantes provas - o complexo turístico de

decisão.

O VII Encontro Radical encerrou com a análise de desem-

- Jogo do Copo – Cada participante possui um copo no

penho dos diversos grupos de participantes e com a

Rilhadas, em Fafe.

Terminadas as provas realizou-se um Jantar-Convívio que

interior do qual se encontra uma bola de ping-pong que

entrega dos prémios às equipas mais bem classificadas,

Das várias actividades realizadas, destacam-se:

deve ser passada para outro copo sem ser atirada nem

numa clara valorização do trabalho em equipa que o grupo

- Prova de Karting – Cada equipa dispunha de um karting

derrubada.

dst promove em todos os seus projectos.

para completar o maior número de voltas ao kartódromo

- Bidão Furado – As equipas têm de encher com água um

em 100 minutos (cada elemento não podia conduzir por

bidão furado que contém uma bola, de modo a que essa

Classificações:

períodos superiores a 10 minutos).

bola salte do bidão, mas têm de encontrar uma forma de

- Inserir quadro classificações gerais. ¢

- Azimutes – Prova de orientação que envolveu a utilização

tapar os buracos.

de bússolas.

- Golfe - Precisão e concentração foram as capacidades

equipa

Karting

Azimutes

Equilíbrio

Bicicleta

C tiro

C Ranger

C Trafic

Relógio

Corda

Bidão

Golfe

P Surpresa

TOTAL

DSTeam

40+5

40

45+17,5

0

35

0

0

40

25

0

20+15

40+5

327.5

Os feras

50+5

40+15

45

0

35+20

0

0

40+25

0

0

20

25+5

325

Os Lunáticos

0+5

0

0

30

0

40-1

25

0

0

35

0

50+5

189

Big Bosses

0+5

40

0

0

35

0

0

0+15

25+60

0

0

0+5

185

Algo mais original

0+5

0

0

30+15

0

0

25+25

0

0

35

20

20+5

180

2 Triple Bull

0+5

0

45

0

0

40+20-4

0

40

0

0

0

20+5

176

DTE’s

10+5

0

0

0

35

0

0

0

25

35+15

30

0+5

160

Lobo solitário Serra Cabr

30+5

0

45+17,5

0

0

0

0

0

25

0

30

0+5

157.5

Os Bravos

20+5

0

45

0

0

0

0

0

0

35

0

30+5

140

É para Ontem

5+5

0

45

0

0

0

0

0

0

35

20+5

20+5

140

T-betão

25+5

0

0

30

0

0

0

0

0

35

30

5+5

135

Tgeotecnia

0+5

40

0

0

0

0

0

40

0

35

0

0+5

125

Água Mole

0+5

0

0

0

35

0

0

0

0

0

0

5+5

50

Unidos Garrafão

15+5

0

0

0

0

0

0

0

0

0

20

0+5

45

Gang do Serrim

0+5

0

0

0

35

0

0

0

0

0

0

0+5

45

14


renováveis COMO?

PORQUÊ?

Crie em casa a sua própria central. Com entrada em vigor do DL 363/2007, já é possível poupar na facturação energética e ainda vender a energia à rede pública.

A dst energias renováveis executa o projecto de central fotovoltaica A instalação paga-se a ela própria em poucos anos, uma vez que a energia produzida é vendida à rede pública e de sistemas de aquecimento solar de águas sanitárias e na sua totalidade e é remunerada a um preço várias faz a instalação “chave na mão” de central fotovoltaica e vezes superior à energia comprada. dos colectores solares para Aquecimento de Águas Sanitárias. Após este período de recuperação do investimento, ainda é possível, durante muitos anos, gerar uma receita mensal. As águas quentes sanitárias serão aquecidas através de colectores solares, havendo consequentemente uma redução muito significativa na factura energética.

COM QUEM?

19


SEGURANÇA Cumprindo o programa estabelecido no início do ano pelo dhs, foram e serão implementadas as restantes campanhas para o 2.º semestre. As campanhas têm trazido resultados bastantes positivos para a acção deste departamento. Os trabalhadores de uma forma geral mostram-se mais receptivos, mais sensibilizados para a mensagem que o departamento pretende transmitir, quando veiculada de uma forma mais específica e mais personalizada. Pretendemos, acima de tudo, implementar uma cultura de segurança, queremos chegar, de uma forma transversal, a todos os trabalhadores em todos os sectores. Neste sentido, queremos crer que as campanhas que foram realizadas e que serão ainda implementadas, têm de alguma forma sensibilizado e incutido hábitos adequados, saudáveis e seguros nos trabalhadores. Queremos uma empresa saudável e segura….

RISCOS ELÉCTRICOS

RUÍDO

Cintos

Setembro

Outubro

Novembro

Cada mês, uma campanha….

Mais saúde, mais dst….

A Campanha de sensibilização para o uso do cinto de

Em Setembro o dhs, implementou a campanha de

Durante o mês de Outubro, o dhs irá distribuir panfletos da

segurança irá decorrer durante o mês de Novembro.

sensibilização para os riscos eléctricos.

Campanha de prevenção contra a surdez a todos os

O dhs pretende sensibilizar todos os colaboradores,

Considerarmos a electricidade um elemento muito presente

colaboradores do grupo.

principalmente os manobradores, para o uso correcto e

na nossa actividade, mas também um grande potencial de

Pretende-se com esta acção de sensibilização alertar a

contínuo do cinto de segurança, enquanto manobram e

risco ao qual os nosso trabalhadores estão expostos.

todos para os efeitos nocivos que o ruído pode causar.

operam os equipamentos durante a execução dos trabalhos.

O objectivo desta campanha será no sentido de apontar as causas, alertar para as consequências e sensibilizar para as

Proteja-se, cuide da sua saúde, pior surdo é aquele que não

medidas preventivas.

quer ouvir.

Queremos alertar para os ricos aos quais estão expostos e prevenir e evitar danos corporais em caso de acidente.

Todo o improviso é fonte de acidentes graves.

20


O sucesso das organizações depende, cada vez mais, da eficiente Gestão da Higiene e Segurança no Trabalho A melhoria da produtividade no trabalho sempre constituiu

da produtividade, sustentada por condições de trabalho

um dos objectivos da sociedade, mesmo nas civilizações

dst é prevenir os acidentes, investir na prevenção, mini-

motivadoras, estimulantes e seguras, assume um papel

mizar a probabilidade de surgirem os acidentes e promover

mais antigas. Até meados do século 20, não eram evidentes

fundamental neste desafio.

a consciencialização dos trabalhadores para as questões

as preocupações com as condições de trabalho mesmo

Durante muito tempo a HST foi confundida com o controlo

relacionadas com a Segurança.

que tal implicasse riscos de doença ou morte para os

do uso de capacetes, botas, cintos de segurança e uma

O cumprimento da legislação é o mínimo exigível. O

trabalhadores. Com a evolução da civilização, surgiu uma

série de outros equipamentos de protecção individual

objectivo desta organização é muito mais abrangente.

nova cultura associada ao trabalho, novos comportamen-

contra acidentes.

Pretende de uma forma transversal chegar a todos os seus

tos e atitudes, novas tecnologias e, obviamente, o reforço

Hoje, a Gestão da HST é multidisciplinar, abrange todas as

colaboradores, de maneira a que estes adoptem métodos

da legislação. Foram estes os factores impulsionadores do

actividades de qualquer organização e tem como objectivo

de trabalho mais seguros. As consequências de um

surgimento e reforço da Higiene e Segurança no Trabalho

principal a prevenção dos riscos profissionais, a

acidente podem assumir consequências imprevisíveis.

(HST).

minimização dos custos económicos decorrentes dos

Invista na prevenção ….¢

Num mercado extremamente competitivo e em permanente

acidentes e o contributo para a melhoria do desempenho

mudança, as organizações devem identificar e gerir eficien-

dos trabalhadores.

temente os factores críticos para o seu sucesso. A melhoria

O propósito da intervenção dos técnicos de Segurança da

Filipa departamento de segurança ds dst

Que presente é este…. própria protecção.

No início de Agosto de 2008, fui convidado pelo departa-

nos seus postos de trabalho, sem esquecer que nós, como

mento de segurança da dst, para trabalhar com os restantes

Mas uma coisa é certa, as estatísticas de acidentes mortais

técnicos, temos todo o dever de informar e alertar para

colegas na actividade de higiene e segurança.

ainda continuam com números muito elevados. Até esta

todos os riscos aos quais estão sujeitos nos seus postos de

A partir desse momento a minha vida mudou de uma forma

altura, já são 87 os acidentes mortais. São números signifi-

trabalho. Essa prática só poderá ter resultados positivos

vertiginosa. Foi muito complicado aplicar, no mundo da

cativos. As empresas terão de se mentalizar que na higiene

com uma mudança da mentalidade por parte dos

construção civil, os conceitos e teorias adquiridas ao longo

e segurança não se pode olhar a custos nem a perdas de

trabalhadores, para não pensarem que os acidentes só

do percurso académico e que pensava importantes para

tempo, porque em cada homem destes que faleceu não há

acontecem aos outros.

serem aplicados profissionalmente.

nada que pague sua vida, sem esquecer que muitos deles

Nesta momento, sou responsável por três empreitadas: a

Antes de começar a trabalhar na empresa Domingos da

são ainda jovens com uma vida pela frente. E se formos

construção de um parque empresarial “TV-PAR“ que

Silva Teixeira, s.a., o meu olhar para a segurança era um

falar de custos e de perdas de tempo, com a perda de cada

cumpre boas práticas de segurança; sou responsável pela

pouco básico, porque na empresa onde trabalhei, tudo o

um destes homens, os custos serão muitos mais elevados

higiene e segurança na construção de mais um “STAPLES

que dizia respeito à higiene e segurança no trabalho era

do que implementar um sistema de segurança.

Office Centre”, em Torres Vedras, que, apesar de ainda estar no início tem direcção de obra sensível e implementa as

apenas em último recurso. Agora as empresas dão cada

Mas, depressa comecei a verificar que uma maior percen-

vez mais importância e estão mais sensibilizadas para as

tagem dos trabalhadores, que se encontram nas em-

boas práticas de segurança; e, por último, a construção das

questões de higiene, segurança e saúde no trabalho.

preitadas da dst, já estão muito sensibilizados para as

Piscinas em Vila Praia Âncora. Não posso deixar de fazer

Contudo, ainda não chega. É preciso mudar mentalidades,

questões de segurança no trabalho. Isso, logo á partida,

uma menção especial a esta obra, que me tem

principalmente dos trabalhadores que ainda não conse-

prova que os meus colegas fizerem um bom trabalho ao

impressionado pelas boas práticas de higiene e segurança

guem assimilar necessidades de higiene, segurança e

longo deste tempo e que a nossa empresa, no que diz

no trabalho, por várias razões: desde um controlo muito

saúde no trabalho, apenas porque, durante muitos anos,

respeito à higiene e segurança, está no caminho certo. Mas

eficiente de todos os trabalhadores que se encontram

executaram as mesmas tarefas e nunca tiveram um

não nos poderemos esquecer que isso por si só também

dentro de obra a uma organização de estaleiro por

acidente de trabalho (ou pelo menos acidentes graves) e

não chega. Apesar da empresa disponibilizar meios para a

materiais. Penso que poderá ser uma obra exemplo para

não lhes ocorre mudar, aceitar que as normas são para sua

segurança e proporcionar o bem estar dos trabalhadores

obras futuras. ¢

21

Carlos departamento de segurança da dst


dade do emprego, seja ao nível das políticas públicas e da

Foram cerca de 400, entre colaboradores e convidados, os

Outro assunto destacado foi a formação. Para José

participantes na IV Convenção de Segurança promovida

Teixeira, a formação “deve dar trabalho” e existe uma

actuação dos actores institucionais do Estado, seja ao nível

pela dst que se realizou no passado dia 8 de Novembro na

“vantagem económica de aprender”. Só com a “troca do

das próprias empresas, trabalhadores e parceiros sociais”.

aula magna da Faculdade de Filosofia. Com esta iniciativa, a

sofá pelo banco da escola” se pode obter mais qualificação

Ana Santos, da OIT, apresentou a dimensão global do

dst quis sensibilizar o seu público interno e parceiros de

e, consequentemente, maior valorização pessoal e profis-

problema de HSST, a capitalização de boas práticas ao nível

negócio para os problemas que existem em matéria de

sional. O sucesso de uma empresa não depende exclusi-

internacional e os novos desafios da HSST face à

segurança, higiene e saúde no trabalho na construção civil

vamente da vertente tecnológica, mas sobretudo do conhe-

globalização.

em Portugal.

cimento e das competências que cada um possui.

Após caloroso debate, José Teixeira encerrou esta con-

Esta convenção contou com a presença de representantes

“A técnica não fornece robustez intelectual. Esta robustez

venção com um apelo para continuarem a mudar. Mudar

do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e de

só se adquire com as humanidades e a filosofia, que nos

para fazer das pessoas competentes, competitivas; mudar

entidades como a Autoridade para as Condições de

dão a elasticidade necessária para podermos en-caixar as

para criar novos conhecimentos, divulgá-los por toda a

Trabalho (ACT), a Organização Internacional do Trabalho

ferramentas e as técnicas”, sustentou o administrador.

organização e interiorizá-los.

(OIT), a Mota Engil e o Centro de Formação Profissional da

Francisco Madelino (IEFP), por sua vez, abordou as ques-

Para este responsável, “os trabalhadores são a oportu-

Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte

tões da certificação profissional, salientando o baixo nível

nidade mais desperdiçada pelas empresas. Na dst, vamos

(CICCOPN).

de escolaridade em Portugal e o aumento do número de

trabalhar os trabalhadores. Temos que apagar o mau-feitio

No discurso de abertura, José Teixeira, CEO da dst, fez

formadores e formações nos últimos anos. Para este

e compreender as coisas do ponto de vista racional: ter

votos para que fosse um dia de reflexão para um tema que

responsável, “certificação é mais saúde, certificação é

treino para gerir os conflitos do dia-a-dia e coragem para

influencia o sucesso dos negócios da dst de forma tão

mais segurança”.

fazer o que temos dificuldades em fazer”.

intensa e transversal.

Coube a João Ferreira, do Núcleo de Gestão de Segurança

Para José Teixeira, um trabalhador não se faz, faz-se! E para

Após a apresentação do grupo dst e as suas diversas áreas

da Mota-Engil, apresentar esta empresa e as suas políticas

isso “é preciso sonhar, saber esquecer, gostar de aprender,

de actividade, José Teixeira destacou a importância das

de gestão a nível da Higiene, Saúde e Segurança no

ter paciência para repetir, ousar, arriscar, partilhar,

pessoas e seu papel fundamental na prevenção dos aci-

Trabalho.

conhecer”.

dentes de trabalho: “A descrição de funções escritas per-

José Magalhães, da ACT – Braga, falou sobre a sinis-

O administrador terminou a IV Convenção de Segurança

mite a cada um saber a sua posição relativa. Não ter descri-

tralidade laboral, apresentando alguns dados estatísticos

com parte do discurso do recém-eleito Barack Obama:

ção de funções é o mesmo que ter em campo onze jogado-

sobre acidentes de trabalho, custos associados à sinis-

…”serei sempre honesto convosco sobre os desafios que

res sem lhe atribuir posição concreta”.

tralidade laboral e medidas para a prevenção dos riscos

enfrentamos, ouvir-vos-ei, especialmente, quando discor-

De acordo com o mesmo responsável, é também impor-

profissionais.

darmos. Convoquemos então um novo espírito de patrio-

tante falar do tema saúde e diminuir o número de absen-

“Medicina no Trabalho” foi o tema apresentado por Rui

tismo, em que cada um de nós resolve deitar mãos à obra e

tismo por falta de saúde, sendo fundamental envolver e co-

Ponce Leão (CICCOPN). De acordo com este médico, “a

trabalhar mais esforçadamente, cuidando não só de nós

responsabilizar os trabalhadores, mas também os subem-

segurança e saúde no trabalho são actualmente preocu-

mas de todos nós”.¢

preiteiros que trabalham com a empresa.

pações centrais de qualquer política de promoção da quali-

22


dst participa no torneio JMMSROC Futsal League - Ferreira & Américo

A equipa de futsal da dst participou, durante o mês de

Francisco Almeida que concluiu, da melhor forma, uma

Julho, no torneio JMMSROC Futsal League, tendo chegado

excelente jogada de ataque da sua equipa.

- Fonseca & Alves

aos Quartos-de-Final.

A segunda parte iniciou com um pendor mais ofensivo da

- Hydra IT

Este torneio foi organizado com o objectivo de promover o

dst, culminada com o tento da igualdade num remate

- J. Gomes

são convívio entre as empresas clientes da JMMSROC e

surpreendente de Bruno Oliveira. Num jogo demasiado

- Jamarfel

seus colaboradores.

táctico, previa-se que o desfecho do mesmo ia ficar para o

- Jmmsroc

Todos os jogos decorreram no pavilhão da Universidade do

prolongamento. Mas quase no término do jogo, quando já

- Perfilnorte

Minho e contaram com a participação de árbitros de Futsal

ninguém esperava, Guilherme Almeida resolveu a

- Posterede

Federados.

eliminatória com uma recepção fantástica e um remate

- Ricap

Constituída pelos jogadores José Carvalho, Bruno Oliveira,

explosivo de primeira, dando o apuramento da Ricap para

- Rodel

Paulo Ferreira, Nuno Oliveira, Manuel Silva, Luís Carlos,

as meias finais da Jmmsroc Futsal League.

- Socimorcasal

Avelino Teixeira, Paulo Silva, Cláudio Costa, César Leite,

A dst despediu-se do torneio com a imagem de uma equipa

- Sá Machado

Miguel Pontes, Eduardo Coelho, José Noversa, Filipe

muito competitiva e consistente que será sempre candidata

- Sá Taqueiro

Correia e Hugo Cunha, a equipa dst teve como treinador o

em qualquer torneio que participe.

- Urbanop.

Sr. Heitor Maranho e como Director Desportivo, o Sr.

Golos Ricap: Francisco Almeida, Guilherme Almeida

Cunha.

Golo dst: Bruno Oliveira

A equipa vencedora foi a Socimorcasal, seguida da Ferreira & Américo. Em 3.º Lugar ficou a Ricap.

No jogo que ditou a derrota da dst nos Quartos-de-Final

Empresas Participantes:

(Ricap 2-1 dst), o equilíbrio foi a nota dominante. As

- Bragalux

equipas respeitaram-se mutuamente e tentaram correr

- Cantinhos

Parabéns à JMMSROC pela organização e sucesso deste

poucos riscos. Contudo, perto do final da primeira parte, a

- dst

evento! ¢

equipa de Felgueiras chegou à vantagem por intermédio de

- F3M

Principais obras ganhas no último trimestre dono da obra

designação

dono da obra

designação

- Eco-Parque, Estarreja

Tensai

- Parque Eólico Maravilha II, Torres Vedras

ENEOP 3 / ENERCON

- Office Centre, Valongo

OFCEP, Office Centre Portugal

- Gaiarts Plaza Centrum, Vila Nova de Gaia

FISPOR

- Office Centre, Perafita

OFCEP, Office Centre Portugal

- Retail Park de Vila Nova de Gaia - Uponor

- Office Centre de Torres Vedras

OFCEP, Office Centre Portugal

- Arranjos Exteriores à Praceta Adelino Amaro da Costa, Porto

- Office Centre, Palmela

OFCEP, Office Centre Portugal

- Remod. das Condutas de Abast. de Água na R. Conselheiro Lobato, Braga

Makro Cash & Carry

- Makro, Aveiro

TV Par

- Parques Empresariais de Torres Vedras

Campos Silva, S.A.

- Pavimentação, Valadares

ALFANEXUS AGERE Ana Aeroportos

- Silo Auto PP1, Lisboa

Águas do Minho e Lima

- Subsist. de Abast. de Água de S. Jorge - Parque Eólico de Arga, Alto Minho

BragaParques

Empreendimentos Eólicos de Espiga

Antunes & Durães

- Parque Eólico de S. Paio, Alto Minho

Empreendimentos Eólicos Cerveirenses

- Pavimentação da Rua dos Barbosas, Braga

Município de Braga

- Parque Eólico de Espiga, Alto Minho

Empreendimentos Eólicos de Espiga

- Pavimentação da Rua Padre Manuel Alaio, Braga

Município de Braga

- Reloc. de Áreas, Gab. e Ofic. da ENG II, DATP, DP3, Famalicão

AGERE - Remod. e Ampl. da Rede de Drenagem de Águas Residuais, 39.ª fase - Obras de Ren. rede de Distri. de Águas EPAL – Empresa Portuguesa de Águas Livres, S.A. AGERE - Remodelação das Condutas de Abastecimento da Rua Conselheiro Lobato

- Pavimentação de Campos de Futebol - Rodovia, Braga

- Pavimentação da Rua de São José, Braga

Município de Braga

- Parque Eólico dos Milagres, Torres Vedras

ENEOP 3 / ENERCON

- Parque Eólico Maravilha I, Torres Vedras

ENEOP 3 / ENERCON 23

Continental Mabor, S.A.


zoom departamento de construção civil II (João Bruno Gonçalves)

Da esquerda para a direita: Miguel Mesquita, João Bruno Gonçalves , Renato Ferreira, José Pedro Castro, Nelson Oliveira, Jaime Soares, Pedro Martins e Mário Ferreira.

Constituído por uma equipa jovem dinâmica, o

Com um forte espírito de equipa, ambicioso e de elevada

clientes, existem também premissas qualitativas que

Departamento Construção Civil II da dst é chefiado pelo

motivação, é prezado o contributo de todos os elementos

nunca são descuradas: Politica de mitigação / minimização

Eng.º João Bruno que dirige diversas equipas de trabalho.

para que exista uma superação constante dos limites esta-

de impacte Ambiental; Filosofia de acidentes zero /

Estas são constituídas por um corpo de engenheiros, en-

belecidos. São incutidos de forma transversal, a todos os

Segurança, Higiene e Saúde; Redobrado objectivo de

carregados, preparadores, apontadores e técnicos de obra,

elementos do CC II, os objectivos quantitativos e qualita-

distanciamento da “linha de água” da Qualidade mediana e

responsáveis pela gestão directa das empreitadas.

tivos definidos pela organização.

aposta na Formação contínua. Estes são os vectores segui-

Preferencialmente vocacionado para a produção de obras

De acordo com as novas exigências de mercado, cada vez

sustentado da dst, que se tem vindo a verificar nos últimos

de construção de cariz industrial, comercial e desportivo,

mais se acentua o papel comercial do corpo técnico do

anos.

apresenta também valências nas áreas dos arranjos exte-

CCII, procurando sempre fixar e ganhar novos clientes. Para

dos, de forma a podermos continuar com o crescimento

riores, infra-estruturas e rodovias.

isso, é importante dominar o orçamento e termos bom

O Departamento Construção Civil II tem por objectivo

feitio, procurando sempre elevar os patamares de empenho

procurar sempre um patamar de excelência como forma a

No presente momento, destaca-se a execução das emprei-

no desenvolvimento das empreitadas, bem como

afirmar-se como referência perante os clientes/forne-

tadas das Piscinas/Pavilhão Gimnodesportivo de Guifões,

privilegiando o relacionamento próximo com o cliente indo

cedores. ” ¢

das Piscinas Municipais de Vila Praia de Âncora, da nova

de encontro às suas necessidades.

fábrica da Tensai em Estarreja, de várias lojas Stapples Office Centre (Torres Vedras, Valongo, Palmela e Perafita) e

Em complemento dos objectivos económicos e de renta-

do Complexo Escolar de Vila Verde que está a ser executado

bilidade impostos, fundamentais para a saúde da organiza-

em consórcio com a ACF.

ção, bem como para um relacionamento estável com os 24


Solução Adoptada pilares e Vigas laje de piso

Paredes exteriores Janelas Paredes interiores Cobertura

Edifício de betão

Edifício de aço

Edifício de madeira

m2

Concrete

Wide flange steel

Glulam

84

Concrete flat plate and slab column

Open web steel joist w/Steel decking system

Glulam joist and plank decking

system 25% flyash with interior ceiling

and concrete topping with interior ceiling finish

with interior ceiling finish

finish (gypsum board, latex paint).

(Gypsum board; latex paint)

(gypsum board; latex paint).

Concrete block, brick cladding,

2x4 Steel Stud 16 "oc, brick cladding gypsum board sheathing

Wood Stud 16 ‘’ oc, brick cladding, WSP sheathing

rigid insulation, vapor barrier.

batt insulation,vapor barrier gypsum board, latex paint.

batt insulation, vapor barrier gypsum board, latex paint

Vinil (PVC)

Vinil (PVC)

Vinil (PVC)

20

6" Concrete block; gypsum board+latex

Steel Stud (16"OC) gypsum

Wood Stud (16"OC) gypsum

46

paint each side

board+latex paint each side.

board+latex paint each side.

Concrete flat plate slab

Open w-web steel joist w/steel decking,

Glulam joist w/plank decking,

and column, Pvc membrane,

Pvc membrane, vapor barrier,

Pvc membrane, vapor barrier,

vapor barrier, rigid insulation,

rigid insulation, gypsum board, latex paint)

rigid insulation, gypsum board,

84 93

101

latex paint)

latex paint

tabela 2: Soluções construtivas adoptadas

Plataforma sustentavél centro habitat. A análise do ciclo de vida de construções demonstra que o

tos, foram criadas certos pressupostos.

termos de análise do impacto ambiental.

sistema estrutural pode desempenhar uma significativa im-

Neste trabalho, com base num software, o ATHENA® Eco

Os resultados demonstram o elevado potencial das

portância na redução dos impactos ambientais. A selecção

Calculator, comparou-se os resultados da avaliação do

estruturas de madeira quando a sustentabilidade das

do sistema estrutural tem grande influência na quantidade

impacto ambiental associado a três edifícios, distintos

construções é avaliada.

de material usado, nos resíduos que a construção produ-

apenas no material estrutural - betão, aço e madeira.

A construção que tem menor impacto ambiental no

zirá, na quantidade de energia necessária à construção e

Comparou-se a eficiência dos três edifícios recorrendo a

conjunto de todos os aspectos em estudo (uso de energia

despendida durante a sua vida útil.

tradicionais soluções construtivas disponíveis para os três

primária, potencial efeito de estufa, uso de recursos

O objectivo da avaliação da sustentabilidade é reunir dados

materiais estruturais considerados.

naturais, poluição do ar e poluição da agua) é aquela

e reportar informação que servirão de base aos processos

O edifício em estudo é uma habitação unifamiliar situada

construída recorrendo a uma estrutura de madeira.

de decisão que decorrem durante as diversas fases do ciclo

em Atlanta, Estados Unidos da América. A área total de

A madeira utiliza menos energia comparativamente com o

de vida de um edifício . Actualmente, existe uma variedade

construção da habitação é de 84 m² e na Tabela 1 são

aço e o betão e apresenta menor libertação de gases com

de ferramentas no mercado da construção que têm sido

apresentadas as divisões e respectivas áreas de

efeito de estufa. O aço é o material estrutural que apresenta

utilizadas na avaliação da construção sustentável e/ou no

implantação.

menor índice de uso de recursos naturais contudo, uma

apoio à concepção sustentável. As ferramentas mais co-

gestão florestal adequada permite reduzir significativa-

nhecidas são a BREEAM, desenvolvida no Reino Unido, e a

mente a diferença apresentada pela madeira.

Dimensões (m2)

Área (m2)

Quarto

3x4

12

Vida (ACV) que foram especialmente desenvolvidas de

Quarto

3x4

12

modo a abranger os edifícios no seu todo (ex: Athena,

Wc

2x3

6

aquele que apresenta um menor índice de impacto de

Sala

8x4

32

poluição da água.

-

15

A comparação teve por base soluções construtivas tradicionais dos três materiais estruturais adoptados (madeira,

Divisória

LEED, desenvolvida nos Estados Unidos. Existem também ferramentas baseadas nos sistemas Análise de Ciclo de

GBTool e EnVest). A análise do ciclo de vida (ACV) baseia-se na comparação

Cozinha

de todos os possíveis danos ambientais que cada produto

Despensa

1x3

3

ou serviço possa provocar, dando assim a possibilidade de

Corredor

4x1

4

poder escolher o menos gravoso. É um método analítico

Relativamente ao índice de poluição do ar, o edifício em aço é aquele que apresenta o valor mínimo seguido muito de perto pela construção em madeira. O edifício em madeira é

aço e betão). Contudo, o desempenho dos edifícios, em particular, aquele composto por estrutura de madeira, pode

tabela 1: Áreas de implementação

reconhecido internacionalmente que quantifica a energia, o material usado, as emissões de gases para o ar e água, bem

ser ainda melhorado recorrendo a técnicas mais actuais e específicas das construções em madeira.

como todos os resíduos sólidos gerados por cada patamar

Soluções Construtivas Adoptadas

À medida que Arquitectos e Engenheiros começarem a

do ciclo de vida de um produto.

Para a moradia unifamiliar foram adoptadas três soluções

fazer escolhas ambientais mais conscienciosas, eles vão

O ATHENA ® Eco Calculator permite análises de ciclo de

construtivas diferentes em função do material seleccio-

voltar para o único material de construção que usa a energia

vida tendo em conta: a) extracção e processamento de

nado para a estrutura (madeira, betão e aço). Na Tabela 2

solar para se auto renovar num ciclo contínuo sustentável, a

recursos; b) fabrico do produto; c) construção no local das

apresentam-se as soluções construtivas adoptadas para

madeira. A madeira é o único grande material de construção

opções construtivas; d) transporte; e) manutenção e

cada um dos exemplos estudados.

que é renovável. Quente e leve, a madeira natural usa menos

substituição assumida ao longo da vida útil do edifício; e f)

Em cada um dos edifícios foram escolhidas soluções se-

energia e produz menos poluição do ar e da água que outros

demolição e transporte para aterro de todo o sistema

melhantes diferenciando apenas o material estrutural, para

materiais de construção, como são exemplo o betão e o

estrutural. Os efeitos da energia operacionada em todo o

existir uma comparação mais justa entre as diferentes

aço, como comprovado pelos resultados do presente

ciclo de vida do edifício não estão incluídos neste software.

habitações a estudar, já que o objectivo deste estudo é o de

trabalho.¢

Para assegurar a equidade de comparações entre conjun-

aferir qual dos materiais apresenta melhores resultados em

Pedro Martins departamento de construção civil II da dst

25


“Pontes” de vista Espaço aberto à colaboração de todos os funcionários. Destina-se a publicar textos de reflexão crítica ou pensamentos e opiniões sobre temas de interesse geral. Participem!

Regime Jurídico da Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) Têm-se verificado igualmente alguns constrangimentos

fase de projecto, de medidas que privilegiem a aplicação

46/2008 de 12 de Março de 2008, que veio estabelecer o

quanto às soluções técnicas de valorização de RCD. Estes

dos princípios da prevenção e da redução da produção de

regime jurídico específico a que fica sujeita a gestão de

problemas sentem-se ao nível da triagem de misturas de

RCD e da sua perigosidade e da hierarquia das operações

resíduos resultantes de obras ou demolições de edifícios

RCD e britagem de inertes, bem como reciclagem de

de gestão de resíduos”.

ou de derrocadas, designados resíduos de construção e

resíduos betuminosos, uma vez que não existem em

As medidas de prevenção da produção e perigosidade dos

demolição (RCD), bem como a sua prevenção. No quadro

Portugal soluções que possibilitem o tratamento de RCD,

RCD terão essencialmente relevância na fase de projecto,

legislativo precedente, a gestão de RCD era regulada pelo

pelo menos a preços competitivos. A maioria dos opera-

isto é, terão que ser pensadas durante a execução do

regime geral da gestão dos resíduos, aprovado pelo

dores recorre à triagem manual ou a sistemas muito sim-

projecto. Os Donos de obra/projectistas deverão elaborar o

Decreto-Lei n.º 178/2006, de 5 de Setembro, bem como

ples de triagem que só permitem tratar pequenos volumes.

Plano de Prevenção e Gestão de Resíduos, vertendo no

pela legislação específica referente aos fluxos especiais

E, com preços muito elevados, a maioria é encaminhada

projecto soluções, que de outra forma serão impossíveis

frequentemente contidos nos RCD. No entanto a aplicação

para aterro. Um segundo problema decorre precisamente

de implementar, como a selecção de materiais tendo em

das disposições do regime geral a este fluxo de resíduos

da grande quantidade de RCD que é enviada para aterro

conta critérios como a energia incorporada, a análise do

gerava, com frequência, dificuldades de ordem prática e

sem qualquer tratamento e da falta de locais apropriados e

ciclo de vida, a imposição de incorporação de reciclados e

técnica, tendo em conta as questões muito específicas que

disponíveis para a deposição final dos resíduos não pas-

a reutilização de materiais na obra. Estas medidas, se

lhes estão associadas.

síveis de valorização.

implementadas com rigor, serão mais um alicerce para o

Desde logo, a quantidade de resíduos produzidos confere-

Neste enquadramento, tornou-se incontornável a neces-

desenvolvimento da construção sustentável.

lhes uma importância irrefutável. Em Portugal não existem

sidade de criar um regime jurídico próprio que estabeleça

registos dos resíduos produzidos. Contudo, estima-se,

as regras e as normas técnicas relativas às operações de

com base nos valores apresentados pela UE, uma produ-

Em Julho de 2008 entrou em vigor o Decreto-Lei n.º

“O procedimento de licenciamento tem constituído um

gestão de resíduos de RCD e que possa funcionar como

forte obstáculo a uma gestão de RCD consentânea com o

ção de 7,5 milhões de toneladas anuais. Para além das

força motriz para o desenvolvimento de oportunidades de

princípio da hierarquia das operações de gestão de resí-

quantidades muito significativas que lhe estão associadas,

negócio nesta área.

duos. Este regime isenta de licenciamento todas as opera-

Relativamente aos principais objectivos do diploma em

utilização de solos e rochas que não contenham substân-

o fluxo de RCD apresenta outras particularidades que dificultam a sua gestão, de entre as quais a sua constituição

ções de gestão realizadas na própria obra, assim como a

heterogénea com fracções de dimensões variadas e

apreço, tecem-se alguns comentários e chamadas de

cias perigosas, na recuperação ambiental e paisagística de

diferentes níveis de perigosidade e o carácter geografica-

atenção, esperando que, de algum modo, possam servir a

pedreiras ou na cobertura de aterros destinados a resí-

mente disperso e temporário das obras, que dificultam a

futuras reflexões sobre o tema.

duos, permitindo também a sua reutilização em outras

gestão, controlo e a fiscalização do desempenho ambiental das empresas do sector.

obras para além da de origem”. Esta isenção vem legitimar boa parte das situações verificadas em obra, uma vez que

“O diploma cria condições para a aplicação, inclusive na 26


na situação anterior era impossível o seu licenciamento em

crivagem de inertes para produção de agregados recicla-

são, talvez, as medidas mais importantes e inovadoras

tempo útil, tornando transparente e controlável o fluxo de

dos. Será um equilíbrio difícil mas alcançável.

deste regime e que a par de uma boa fiscalização poderá

“São criados mecanismos inovadores ao nível do planea-

reciclagem, tratamento e destino final dos RCD.

pôr a funcionar todo o fluxo de triagem, reutilização,

materiais utilizado na construção. “Obriga à existência, em obra, de sistemas de triagem ou,

mento, da gestão e do registo de dados de RCD”. O registo

quando tal não seja possível, ao encaminhamento para

de dados de RCD preconizado neste diploma, juntamente

“Na promoção do mercado de reciclados de RCD, o

operador de gestão licenciado para realizar essa operação e

com a Portaria n.º 417/2008 de 11 de Junho referente às

presente decreto-lei prevê a aprovação de especificações

condiciona a deposição de RCD em aterro a uma triagem

guias de transporte, não permite o total controlo da saída de

técnicas relativas à utilização de RCD em diferentes tipos de

prévia”. Sendo de todo verdade que estas medidas eram

resíduos de uma determinada obra. O registo de saída de

materiais de construção”. Se é impor tante o

necessárias e que contribuirão para um incremento da

resíduos, a menos que na obra exista uma balança, só tem

estabelecimento de critérios de qualidade que induzam a

reciclagem de RCD e, em simultâneo, para a minimização

as quantidades aproximadas e o certificado de recepção,

confiança dos potenciais consumidores, esta medida não é

dos quantitativos depositados em aterro, é também

emitido pelos operadores de gestão de resíduos, não

de todo suficiente para alavancar o mercado dos

verdade que na situação actual, e especialmente no norte

identificam as obras de origem dos resíduos. Assim, se um

reciclados. Mesmo que, entretanto, seja publicada

de Portugal, onde ainda não existem instalações de triagem

operador receber resíduos de várias obras através de um só

legislação que obrigue à incorporação de reciclados em

e tratamento para RCD eficazes, o valor a pagar pela gestão

transportador, situação bastante comum, será quase

obras de construção, esta medida, se bem que necessária,

de resíduos poderá atingir valores não comportáveis nos

impossível determinar as quantidades saídas de cada obra.

acabará por se mostrar descontextualizada. A elevada

custos das empreitadas. Este problema é ainda agravado

Assim, não parece ser conciliável com o necessário

capacidade da actividade extractiva de agregados naturais

controlo da produção de resíduos em cada obra.

e consequentemente, a sua desvalorização no mercado e a

orçamentados na elaboração das propostas a concurso. O

necessidade de recuperar pedreiras abandonadas, que

estabelecimento de unidades de triagem viáveis em termos

“Estabelece-se uma cadeia de responsabilidade que vincu-

passará em muitos casos pelo seu licenciamento para

económicos e técnicos dependerá da existência de um

la, quer os donos da obra e os empreiteiros, quer as câma-

aterro de inertes e o seu enchimento com RCD inertes,

volume mínimo de RCD a tratar (que terá que ser

ras municipais e criam-se mecanismos ao nível do planea-

serão factores que funcionarão como bloqueio a um

equacionado juntamente com os custos de transporte) e da

mento, da gestão e do registo de dados de RCD, que permi-

mercado de reciclados equilibrado e que represente o

possibilidade de escoar o produto final, especialmente os

tem, em articulação com os regimes jurídicos das obras

caminho da sustentabilidade que o país terá que seguir.¢

agregados reciclados. Estas unidades triam misturas de

públicas e das obras particulares, condicionar os actos

se tivermos em conta que estes custos raramente são

resíduos e, se a triagem já vem efectuada da obra, deixarão

administrativos associados ao início e conclusão das obras

de ter produto em quantidade suficiente para tratar. Nesta

à prova de uma adequada gestão de RCD”. Estas, talvez, as

condição, só fará sentido falar de unidades de britagem e

medidas mais importantes e inovadoras deste regime e que

Cecília Araújo departamento de ambiente do grupo dst

Teatro, Exposições e Música Prova

The Blind Boys of Alabama (soul/blues)

Deolinda – Canção ao Lado

Local: Sala Principal Theatro Circo, Braga

Local: Sala Principal Theatro Circo, Braga

Local: Sala Principal do Theatro Circo, Braga

Data: 05 Dezembro às 21:30

Data: 14 Dezembro às 21:30

Data: 5 Janeiro às 21:30

“Amor”

Concerto de Natal

Arena #1 – Antes do Combate

Local: Teatro Oficina, Guimarães

Local: Centro Cultural Vila Flor, Guimarães

Local: Fnac Braga

Data: 17 a 20 Dezembro às 22:00

Data: 21 Dezembro às 16:00

Data: Até 07 Janeiro 2009

Conto de Natal (companhia da esquina / Charles Dickens)

Concerto de Ano Novo

Feminine

Local: Sala Principal do Theatro Circo, Braga

Local: Sala Suggia, Casa da Música, Porto

Local: Centro Cultural Vila Flor, Guimarães

Data: 20 e 21 Dezembro às 16:30

Data: 03 Janeiro às 18:00

Data: 13 Dezembro às 22:00

27 23


O regresso “O Halloween tem as suas origens no ancestral festival celta conhecido como Samhain. (…) O antigos gauleses acreditavam que no dia 31 de Outubro, conhecido agora como Halloween, a fronteira entre os vivos e os mortos se dissolvia e os mortos tornavam-se perigosos ao causarem problemas como a disseminação de doenças e a destruição de colheitas.” Retirado de www.wikipedia.org (tradução livre)

gostar muito de inventar histórias de terror. A ruptura com a

Além do nome, dissera-me a morada e fizera-me uma

marcou passou-se durante o meu estágio numa clínica

realidade acontecera na noite de Halloween, pouco antes da

descrição completa da pessoa, descrição essa que

psiquiátrica no Mississipi. Um dia foi internado um jovem

sua entrada na clínica. Fora encontrado num canto do qua-

coincidia pontualmente com a fotografia que eu conse-

que sofria de esquizofrenia paranóica, mais conhecida por

rto, sentado no chão, virado para a janela aberta e a delirar,

guira arranjar. Esta pertencia a um jovem que tinha sido

mania da perseguição. A primeira vez que o vi, estava

como eu já o vira muitas vezes. Nada explicava a razão do

colega do meu paciente. Faço aqui um parêntesis para

deitado na cama a descansar. Tinha sido colocado na enfer-

seu delírio, não havia nenhum motivo, nem nenhum

explicar que não irei mencionar nenhum dos nomes das

maria onde eu estava a trabalhar, o que me permitiu um

antecedente familiar. Segundo o psiquiatra da clínica, que o

pessoas envolvidas nestes acontecimentos para salva-

contacto directo e permanente com ele. Quando me aproxi-

conhecia a ele e à família, ele era uma pessoa psicologica-

guardar a sua privacidade. Ele tinha tido um final trágico,

mei, naquele primeiro dia, para lhe dar uma vista de olhos,

mente forte e só um choque fortíssimo o poderia levar

tinha sido encontrado morto no seu quarto da residência

ele sentou-se repentinamente na cama, agarrou-me os

àquele estado. Ainda explorei a possibilidade de um esgo-

universitária, na madrugada a seguir à noite de Halloween.

braços e olhou-me nos olhos.

De toda a minha carreira de enfermeiro, o caso que mais me

tamento, mas cedo fiquei convencido de que tal era impos-

Sofrera um ataque cardíaco durante a noite, o que acabou

- Ele vai voltar. - Disse ele. - Vai voltar e vai-me levar com

sível, já que, além de atleta, ele era um génio por natureza,

por não ser considerado nada de invulgar pois tinha um

ele... Levem-me daqui... Quero ir embora!

conhecido por ter uma facilidade enorme de assimilação de

historial clínico de problemas cardíacos. Estes aconteci-

Eu fiz todos os esforços que pude para o acalmar, mas ele

conhecimentos e, como tal, nunca se dedicara ao estudo de

mentos passaram-se um ano antes da noite em que o meu

ficava cada vez mais excitado.

forma a poder sofrer um esgotamento.

paciente enlouqueceu.

- Ele vai voltar e vem atrás de mim!

Comecei, então, por tentar organizar de forma coerente as

Embora tivesse descoberto alguma coisa, continuava às

Teve que lhe ser administrado um sedativo porque já se

palavras que ele dizia. Nos primeiros tempos a única coisa

escuras, porque não conseguia encontrar qualquer relação

estava a tornar incontrolável.

que dizia era que alguém iria voltar para o vir buscar. As

entre estes acontecimentos e aqueles que me intrigavam.

Durante vários dias acompanhei-o de perto, tinha-me ofe-

minhas tentativas para saber quem era esse “alguém”

Para tentar encontrar algum ponto comum entre os dois

recido voluntário para lhe dar a medicação. Ele repetia as

foram, durante bastante tempo, infrutíferas. Quando tal

acontecimentos, que não fosse a noite de Helloween,

mesmas frases vezes sem conta, mas, com o tempo, co-

aconteceu, aguardei algum tempo para o levar a dizer-mo

procurei entrar em contacto com alguns estudantes que

meçou a acalmar e a dizer outras coisas que ao princípio

novamente. A minha intenção era simples: se, com alguns

tivessem conhecido tanto o meu paciente como o jovem

não faziam muito sentido. Era um jovem de vinte e cinco

intervalos temporais, ele conseguisse manter a mesma

de quem ele tanto falava. A princípio encontrei bastante

anos, aproximadamente, tinha uma boa compleição física e

versão da história, os mesmos nomes e todos os outros

resistência, limitavam-se a comentar os factos, emitindo,

notava-se que era de uma família abastada. Os pais visi-

pormenores inalterados, mesmo que eu lhe tentasse ba-

principalmente, juízos de valor sobre eles sem me eluci-

tavam-no frequentemente, embora não conseguissem su-

ralhar os pensamentos, então, ou estava terminalmente

darem sobre os factos em si. Esta reacção por parte dos

portar as explosões de loucura dele.

louco e obcecado com uma fantasia, ou alguma coisa do

meus inquiridos levou-me a desconfiar que alguma coisa

No meu tempo livre investiguei a vida que o meu paciente,

que dizia tinha que estar ligado à realidade.

estava a ser fortemente guardada, algo que ninguém que-

como eu lhe chamava, tivera antes de ficar no estado em

O passo seguinte que tomei foi verificar a identidade do

ria comentar. Só quando estava prestes a desistir é que

que estava. Não tinha muito que contar, era filho de um

nome que me repetira vezes sem conta, enfurecendo-se

fiquei a saber a verdadeira história da primeira noite de

advogado e de uma veterinária, tinha frequentado a univer-

com todas as minhas tentativas de o baralhar e de o levar a

Halloween. O meu paciente era um grande apreciador

sidade onde interrompeu um brilhante curriculum na facul-

alterar o que dissera.

dessa noite, a noite em que os mortos se levantam e

dade de direito, tinha alguns amigos e era conhecido por

O nome era real, todos os dados que ele me dera eram reais.

andam entre os vivos. Naquela noite, tinha-se reunido um

28


Valores… grande grupo na residência universitária e o meu paciente

o jovem voltara dos mortos na noite de Halloween e lhe

começou a contar uma história horrenda de mortos-vivos.

dissera que voltaria para o vir buscar. Esta última variante

Medito sobre as imagens diante de mim.

O seu gosto pelo terror era tão conhecido como a sua

do seu estado demente manteve-se e tornou-se cada vez

Parecem nascer ordenadas de uma só fonte

capacidade de ser convincente e de envolver todos os que o

mais forte e obsessiva.

Mas espalham-se por caminhos sem fim

rodeavam naquilo que dizia, atributo este que lhe prognos-

Nos últimos dias em que o vi, o seu estado regrediu

ticava uma carreira de sucesso na advocacia. De entre

imenso, regressando aos ataques e às balbucinações que

Umas mais claras, outras mais escuras,

todos os presentes o meu paciente detectou que um deles

tivera nos primeiros dias do internamento. Por minha parte

Com traçado semelhante e fim distinto,

era mais impressionável e influenciável que todos os

nada mais podia fazer do que aguardar. Associei este

Com marcas vincadas mas também obscuras.

outros. Depois do serão, e consciente do impacto que a sua

estado do meu paciente com a aproximação da noite de

Escolhas possíveis no ímpeto do momento.

história tivera naquele jovem estudante, resolveu fazer outra

Halloween, só depois da passagem dessa noite é que eu

De olhos armados presencio o horizonte.

coisa pela qual nutria também um especial apreço: pregar

poderia regressar aos meus questionários para descobrir,

sustos de morte. Nunca tal expressão foi tão bem levada à

finalmente, o que realmente acontecera. No dia em que se

Saber opinar é falar com clareza.

letra, pois o susto que o meu paciente pregou, durante a

iria celebrar a noite de Halloween o meu paciente tornou-se

Saber criticar é justificar com razão

noite, ao jovem estudante, levou-o a sofrer um ataque

de tal forma violento que foi necessário colocá-lo numa

Saber perdoar é agir com nobreza.

cardíaco fatal.

cama com correias para ficar atado de pés e mãos. Quando

A partir de aqui alguma coisa começava a fazer sentido. O

a noite se aproximou foi-lhe administrado um sedativo para

A confusão das luzes e sons é abundante.

meu paciente estaria a ter uma incapacidade de lidar com a

evitar que se magoasse a si próprio e para lhe calar os

Se vou criticar ou perdoar merece reflexão

realidade pelos remorsos do acto que cometera. Por outro

gritos ininterruptos.

Mas decisão de opinar é contundente,

lado, algo não fazia sentido. Porque é que levara precisa-

No dia seguinte deparei-me com uma cena inexplicável. A

E sem leviandade na razão ou astenia do coração.

mente um ano a perder o contacto com a realidade? Como é

cama encontrava-se vazia com as correias rebentadas. A

Saber decidir é executar com persuasão

que tal fora possível, e da forma repentina que acontecera,

janela estava arrombada de fora para dentro e no chão

quando nunca mostrara sinais de arrependimento nem alte-

encontrava-se alguma terra espalhada. No ar pairava um

É um juiz sem rosto mas com verticalidade

rações no seu comportamento? Embora fizesse sentido,

terrível e intenso cheiro a putrefacção, que levou o dia todo

Saber usá-la pode ser arte ou mestria

não o fazia ao mesmo tempo. Sentia-me tão confuso como

a sair. ¢

Não a corromper é a essência da verdade.

A ponderação é um valor com garantia,

no início da minha investigação. A única resposta que conseguia encontrar era a possibilidade de algo ter despoletado

Valores! Todos apregoam possuir.

o bloqueio mental que ele devia ter feito sobre a memória

Justiça! Todos a reclamam como sua.

destes acontecimentos, levando-o a não suportar o choque

Segredo! Recusam que possa existir.

e a enlouquecer. Convencido de que esta era a resposta, só

Realidade…. só tem forma nua e crua!¢

uma pergunta ainda se mantinha: que acontecimento despoletara tão terríveis sensações? A única pessoa que mo poderia dizer era o meu paciente. Durante muito tempo tentei levá-lo a falar, mas a única coisa que me disse foi que 29

João Pedro Félix da Costa

Sérgio Ferreira

departamento de contabilidade da dst

departamento construção civil I da dst


7 meses na dst Ainda antes de sonhar que um dia faria parte da equipa do

motivação, a vontade de crescer e ser cada vez maior, um

grupo dst, através de pessoas amigas, já me tinham dito

forte empreendedorismo, o cuidado com o ambiente e a

empresa, o que por vezes, cria algumas dificuldades. Mas,

que esta era uma empresa em franco crescimento e onde

dedicação de todos num “grande projecto”, podendo desde

já embutidos num espírito de entreajuda e dinamismo que

as pessoas eram realmente valorizadas pelo seu valor e

já afirmar que o risco compensou, porque é com grande

toda a empresa “transpira” e, com a ajuda de todos na

empenhamento e que a progressão de carreira, não era

prazer que faço parte deste grupo. Portugal precisa cada

sede, essas dificuldades têm sido superadas.

uma ilusão, mas sim uma realidade. Fiquei curiosa em

vez mais de empresas com esta postura e atitude para

Fazemos-vos um convite, para quem ainda não teve o

conhecer esse “Oásis“…

poder mostrar ao mundo, o que de melhor existe no nosso

prazer de conhecer as nossas/vossas instalações, façam-

espaço físico longe da sede é uma nova experiência para a

Em Fevereiro, entre outras hipóteses, surgiu a possibilidade

país e que podemos fazer igual ou melhor que os outros.

no quando poderem, pois será sempre um prazer receber-

de entrar para a dst, e conhecer o tal “Oásis”. Poderia ter

Estar em Lisboa tem um significado especial para nós,

vos! ¢

optado por uma situação mais segura, mas existe um

implica ser autónomo, exigente, empreendedor e estar a par

poema que diz “…que o sonho comanda a vida.”. Decidi

de todas as movimentações no mundo da construção.

arriscar.

Neste momento, somos apenas três colaboradores, mas

Nestes 7 meses, além de confirmar o que me tinham dito,

esperamos vir a ser muitos mais para ajudar no

descobri ainda que nesta equipa impera o bom gosto, a

crescimento da “nossa” empresa. A existência de um

Carla Almeida assistente de administração da dst - Lisboa

Ética e deontologia profissional No percurso da palavra “ética” deparo-me com a “deon-

- Deverão os directores de obra denunciar as actividades

tologia”. Se a analisar a fundo, descubro a deontologia pro-

ilegais ou perigosas levadas a cabo nas suas

alteração de personalidade consoante a pessoa em frente,

fissional que, simplificando a explicação filosófica e sendo

organizações?

como uma espécie de teatro comportamental). É

concreto, não é mais do que um conjunto de regras e

- Quais as condições que legitimam ou que tornam

incontestável o facto de sermos confrontados com

princípios que regem a nossa conduta no dia-a-dia laboral.

moralmente obrigatório o whistleblowing? (em linguagem

enormes pressões que se transformam por vezes em

Ora, nada como inserir um engenheiro civil numa obra para

calão, “bufar” às entidades responsáveis uma burla do

escolhas éticas pendentes naquela linha ténue e invisível

testar ao máximo as suas escolhas e decisões éticas.

colega profissional próximo)

que pode rebentar para o bom ou para o mau. E aqui é

Plageando algumas perguntas que analisei, descrevo:

- Como podem os directores de obra conciliar as suas

necessária inteligência para decidir. Mas é a cultura que

- Qual a responsabilidade ética dos directores de obra em

responsabilidades perante a sociedade, a lealdade ao

define tudo. É a cultura que nos define enquanto seres

decisões potencialmente problemáticas vindas da coorde-

empregador e as responsabilidades familiares?

humanos, indivíduos capazes de viver em sociedade

nação/fiscalização?

É sempre bom reflectir, pensar, repensar, filosofar (a

procurando o bem comum.

- Qual a importância da confiança?

filosofia sempre foi importante) sobre questões que só

Gosto da atitude da dst em querer ser culta. Caminhará

-Quais as virtudes essenciais dos directores de obra?

permitem o crescimento individual e o fortalecimento da

assim para o caminho ético correcto. ¢

- Qual o papel dos líderes e do seu comportamento exem-

maneira de ser.

plar?

É inegável o facto de lidarmos em obra com todo o tipo de

pessoas e feitios (confunde a constante tentativa de

Ricardo Pinto departamento dst

30


Caros colegas...

Personalidade

MUDANÇA - em 3 meses

Antes de mais quero dar as boas vindas aos meus colegas

Personalidade

Empresa. Cidade. Registo Civil.

da CARI que recentemente se juntaram aos departamentos

É na conversa, no silêncio

de compras, logística e segurança da dst.

No afecto e na distância

06/ 2008

Há cerca de sete meses atrás, era o departamento de orça-

Na concordância, na discordância

Uma mudança exige, pede de nós, tem preço.

mentos que iniciava a sua jornada no grandioso mundo da

No carinho, na ignorância que a verdadeira personalidade

Mas compensa.

dst. Encontramos um grupo unido, energético e com um

é mostrada

Encontrei na dst uma raridade. Pessoas com palavra.

espírito de entreajuda formidável, que não nos viu como

E assim ganha espaço em minhas memórias e coração.

Com a agressividade do mercado de trabalho e com apenas

pessoas de certa forma inferiores mas como uma mais-

Porque a cada dia que passa eu descubro como cada

uma entrevista feita, disseram que esperavam por mim.

valia para o grupo dst. Nem sempre é fácil aclimatar estas

pessoa, cada alma

E esperaram.

novas vidas mas estou certo que as recentes mudanças

Cada palavra, cada gesto, independentemente do

Durante dois meses e meio respeitaram a minha agenda,

conduzirão a uma mais-valia para a CARI e para a dst.

tamanho tem uma importância inexplicável.

ligaram a perguntar se estava tudo bem e integraram-me no devido tempo na sua equipa.

Dedicado. Responsável. Dinâmico. São as palavras que en-

Um simples "Oi" ou "Tchau", uma demonstração de

contro para descrever o grupo de trabalho. Umas vezes

preocupação, uma demonstração de consideração.

O que mudou foi a equipa de trabalho, os horizontes da

com a motivação mais em baixo e outras mais alta, damos

Um sorriso pode mudar o dia,

nova empresa.

sempre tudo para cumprir os prazos que nos são estipula-

A semana,

É mais forte.

dos e conquistar o nosso objectivo. Nos dias de hoje, em

O destino de alguém.

que a concorrência é abundante, é o mercado que nos con-

Não importa o tempo de convivência,

06/ 2008 Fica para trás o que nos constrói. O meio onde crescemos.

diciona o sucesso das propostas que preparamos. No en-

A quantidade de palavras trocadas,

tanto, existem outros factores que nos colocam na vanguar-

O tempo passado juntos,

Ficou também Santo Tirso. Braga convida a ficar.

da face aos concorrentes, a constante inovação e o know

Mas sim que houve uma comunicação.

how permite-nos ajustar os variados métodos a variadas

A cada emoção diferente um novo aprendizado,

As gentes são do Minho. O verde é o do Minho. A adaptação é natural.

propostas. A aposta da administração nas parcerias públi-

Um novo conhecimento.

co-privadas é, sem dúvida, uma excelente escolha. Cada

A cada tombo uma nova descoberta de como é levantar

vez mais vemos entidades públicas a recorrer a parcerias

e seguir em frente.

para aproveitarem a experiência dos privados e também

A cada conquista uma nova motivação.

Depois de ler o poema de Nuno Júdice, “Pedro, lembrando

para economizar na elaboração das várias fases de um pro-

A cada demonstração de afecto uma nova porta que se

Inês”, dei por mim a olhar em frente, e a formular a pergunta

jecto. Outra visão é a área de reabilitação do património, in-

abre, mostrando a felicidade.

que tem a força de ditar como será a nossa vida “até que a

tervir onde existe carência de mão-de-obra especializada só

A cada nova amizade, mais uma prova de que nunca

morte nos separe”.

nos vai conduzir a melhores resultados.

estamos sozinhos. ¢

Queres casar comigo?

08/ 2008

Para concluir deixo uma palavra de apreço para os colegas

A alegria vem de mãos dadas com a responsabilidade.

orçamentistas do grupo dst que tudo fazem para não nos

O desafio é duplo, mas a ajuda também.

deixar mal, não esquecendo os nossos subempreiteiros. O Somos a soma das decisões que tomamos.

que precisamos é de propostas mais competitivas que nos ajudem a ganhar mais e mais obras. Contaremos sempre

De momentos.

convosco! ¢

Somos Mudança. ¢

“É bom sonhar, mas é melhor sonhar e trabalhar. A fé é poderosa, mas a acção com fé é mais poderosa.”

Emerson Ribeiro

Thomas Robert Gaines

departamento de logística da dst

Vasco Carneiro departamento de orçamentação da cari

31

Carlos Xavier departamento da dst


ficha técnica: edição: dst_domingos da silva teixeira, s.a. redacção e grafismo: departamento de marketing & design margarida pereira e joão pedro sampaio fotografia: hugo delgado joão pedro sampaio, margarida pereira periocidade: trimestral tiragem: 700 exemplares

dst_domingos da silva teixeira, s.a. rua de pitancinhos apartado 208 palmeira 4711-911 braga portugal tlf. 351 253 307 200/1 fax 351 253 307 210 www.dstsgps.com alvará de construção civil n.º 2846 impresso em papel reciclado

AS MÃES TAMBÉM SE ENGANAM seus herdeiros e sucessores, em carácter irrevogável, declarando Paulo que o aceita em todos os seus termos e conhece perfeitamente o sabor da laranja, não se aplicando ao caso o disposto no Código do Consumidor.

Deixa de jogar bola e vai estudar para poderes ter um futuro! (Mãe do Cristiano Ronaldo)

Pára de gritar! E o professor então comenta: - Melhorou bastante, mas não seja tão sucinto...! ¢ TESTE PSICOLÓGICO

(Mãe de Luciano Pavarotti)

Deixa de brincar com essas máquinas ou nunca terás nada na vida! (Mãe de Bill Gates)

Esta é a história de uma rapariga que, durante o funeral da sua mãe, conheceu um rapaz que nunca tinha visto antes. Ela achou-o tão maravilhoso que acreditou ser o homem da sua vida. Apaixonou-se por ele e começaram um namoro que durou uma semana. Sem mais nem menos o rapaz desapareceu e nunca mais foi visto. Dias depois, ela matou a própria irmã. Questão: Qual o motivo da rapariga ter matado a irmã?

É a última vez que rabiscas as paredes da sala! (Mãe de Miguel Ângelo)

Pára de bater na mesa, estou cansada desses ruídos! (Mãe de Samuel Morse)

Fica quieto de uma vez, daqui a pouco vais querer dançar nas paredes! (Mãe de Fred Astaire)

Nada de igualdades, eu sou a tua mãe e tu és o meu filho! Ela esperava que o rapaz pudesse aparecer novamente no funeral da irmã. Se acertou a resposta, você pensa como um psicopata. Este é um famoso teste psicológico americano para reconhecer a mente de assassinos em série. A maioria dos assassinos presos acertou a resposta. Para um psicopata, os fins justificam os meios.

Um professor perguntou a um dos seus alunos do curso de Direito: - Se quiser dar a Epaminondas uma laranja, o que deverá dizer? O estudante respondeu: - Aqui está, Epaminondas, uma laranja para si. O professor gritou, furioso: - Não! Não! Pense como um Profissional do Direito! O estudante respondeu: - Ok, então eu diria: Eu, por meio desta, dou e concedo a si, Epaminondas de tal, BI e Contribuinte n.º., e somente a si, a propriedade plena e exclusiva, inclusive benefícios futuros, direitos e reivindicações, títulos, obrigações e vantagens no que concerne à fruta denominada laranja em questão, juntamente com sua casca, sumo, polpa e sementes, transferindo-lhe todos os direitos e vantagens necessários para espremer, morder, cortar, congelar, triturar, descascar com a utilização de quaisquer objectos e, de outra forma, comer, tomar ou, de qualquer forma, ingerir a referida laranja, ou cedê-la com ou sem casca, sumo, polpa ou sementes, e qualquer decisão contrária, passada ou futura, em qualquer petição, ou petições, ou em instrumentos de qualquer natureza ou tipo, fica assim sem nenhum efeito no mundo cítrico e jurídico, valendo este acto entre as partes,

(Mãe de Karl Marx)

Pára de prometer! Tu pensas que por estares sempre a prometer te vai ajudar a conseguir ser alguém na vida!? (Mãe de um político)

Estamos a preparar o plano de formação para 2009 mas para este ano, existem ainda cursos nos quais se podem inscrever. Para mais informações, contactem a Dr. Ana Antunes do Dep. Qualidade da dst. - Reparação mecânica de veículos - 40h

- Aplicação de Misturas Betuminosas - 22h

- Betão para Motoristas e Operadores da Central - 17h

- Gestão Técnica de obra - Estaleiros - 25h

- Técnicas de Acabamento e Madeiras - 28h

- Gestão Técnica de Obras - Controlo Técnico de Execução - 25h

- Condução Económica e Segura - 34h

- Elementos de Construção - Revestimentos e Acabamentos - 50 h

- Misturas Betuminosas, Betão, Solos e Agregados - Laboratório - 34 h

- Introdução ao CAD - Construção Civil - 50h

Nota: Os últimos quatro cursos destinam-se a Encarregados, Apontadores, Técnicos de Obra e Operacionais.


Newsletter 17 outubro 2008  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you