Page 1

GABRIELA HEUSI Portfรณlio de Arquitetura e Urbanismo


GABRIELA HEUSI RODRIGUES Arquiteta e urbanista

Florianópolis, Brasil 26 Dezembro 1992 +55 48 996369882 gabiheusi@hotmail.com

HABILIDADES AutoCAD Desenho a mão InDesign Illustrator Lumion

IDIOMAS Português Inglês Espanhol Francês

Pacote Office Photoshop Revit SketchUp V-ray

EDUCAÇÃO ARQUITETURA E URBANISMO Universidade de Brasília, UnB | 2011 - 2017 IRA 4.3/5.0 INTERCÂMBIO ACADÊMICO University of New South Wales, UNSW | 2014 - 2015 (Julho-Julho) Sydney, Austrália

ATIVIDADES EXTRA-CURRICULARES OFICIANTE - SEMANA UNIVERSITÁRIA 2017 Produção de tinta de terra

PROJETO DE EXTENSÃO - PÉ NA ESTRADA (Unb) Agosto 2015 | Agosto 2016

PIBIC - Pesquisa de Iniciação Científica (2016-2017) TEMA: Avaliação do desempenho solar de diferentes configurações urbanas ORIENTADORA: Claudia Amorim


EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS CODHAB - COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO HABITACIONAL DO DF Estagiária | Mai 2016 - Ago 2017 IMAGINARIUM Vendedora| Dezembro 2016 ESCRITÓRIO ARCH-TEC Estagiária | Jan 2016 - Mai 2016

PARTICIPAÇÃO CONCURSOS 2017 | Concurso Parques Central e Sul de Águas Claras(DF) 2016 | CBCA 9º concurso para estudantes de arquitetura de 2016

HEMOCENTRO BRASÍLIA Estagiária | Nov 2013 - Fev 2014 ESCRITÓRIO CESCO - ARQUITETURA E DESIGN Estagiária | Ago 2013 - Nov 2013 EVENTO FLAAC – FESTIVAL LATINO AMERICANO E AFRICANO DE ARTE E CULTURA Estagiária | Ago 2012 - Dez 2012

VOLUNTARIADOS ALL HANDS AND HEARTS – PERU, YAPATERA Voluntária | Dezembro 2017 ALL HANDS – FILIPINAS, TACLOBAN Voluntária | Novembro, 2014 VIVID SYDNEY – FESTIVAL DE LUZES, ARTE E TECNOLOGIA Voluntária | Maio 2014

PARTICIPAÇÃO EM PUBLICAÇÕES “Manual ações urbanas comunitárias” <http://www.codhab.df.gov.br/uploads/archive/files/e6803f125ccd2ba47cd993da1c9359e4.pdf> “Pé na estrada, Rio de Janeiro”. Revista ARQUI, UnB. <https://issuu.com/fau.unb/docs/arqui_5_issuu_05> Manual de vivência do rio de Janeiro <https://issuu.com/penaestradafaunb/docs/manual_rio_diagramacao_versao_final> Manual de vivência de Minas Gerais <https://issuu.com/penaestradafaunb/docs/manual_de_viv__ncia_mg_versaofinal>


Recém graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília, sou fascinada pelos diferentes níveis em que a arquitetura e o urbanismo influenciam no cotidiano e nas relações entre as pessoas e a cidade. Crescida em uma cidade moderna e planejada, Brasília teve o poder de me fazer enxergar e criticar o meu papel como arquiteta e urbanista sob diferentes perspectivas. Acredito numa arquitetura além da estética, mas como direito à qualidade de vida e ao espaço. Sempre me interessei por suas vertentes sociais e sustentáveis, mas assim como a arquitetura, me vejo flexível e disposta a absorver e aprender cada vez mais em qualquer campo que seja. Me considero uma pessoa determinada, esforçada e pró-ativa. Com um desejo enorme de ver meu trabalho sendo parte das mudanças que eu quero ver no mundo, doando o meu melhor, sempre. Os projetos contidos nesse portfólio, foram alguns dos trabalhos desenvolvidos ao longo da minha trajetória na arquitetura e urbanismo. -Gabriela Heusi


- RENDERS DESIGN INTERIORES -CENTRO SUSTENTÁVEL | 100 DIMENSÃO trabalho de conclusão de curso

-UNIDADE DE INTERNAÇÃO | MENOR INFRATOR Projeto de Arquitetura 6 - edifícios complexos -YOGA BY THE SEA | CONTAINER University of New South Wales -CENTRO CULTURAL | CBCA Concurso de estudantes

PORTFÓLIO


MÃ&#x201C;VEIS PLANEJADOSCOZINHA


HOME OFFICE


Escritório reversível painéis acústicos

com


100 DIMENSÃO - CENTRO SUSTENTÁVEL

DISCIPLINA: TFG | Diplomação ORIENTADORA: Liza Andrade PROJETO: Gabriela Heusi TIPO DE PROJETO: Edíficio complexo - centro de práticas sustentáveis SOFTWARES: Revit, Sketchup, V-ray, Photoshop, Illustrator

O centro sustentável ‘100 dimensão’ é um complexo de aprendizagem ecológica, um projeto de intervenção na área de três galpões já existentes da Cooperativa de reciclagem 100 dimensão, localizada no Riacho Fundo ll, Distrito Federal. A ideia do projeto surgiu a partir da necessidade de cooperados que buscavam ressignificar seus ofícios, modo de vida e valorizar os aprendizados que obtiveram no decorrer dos anos com o trabalho de reciclagem. Esse complexo conta com novos espaços voltados à conscientização sustentável de crianças de escolas públicas e privadas do Distrito Federal, bem como produção de conteúdo online relacionado à reciclagem e sustentabilidade para todas as idades. O centro sustentável tem como foco maior a reciclagem, seguindo o pensamento de que nada se perde, tudo se transforma, o projeto buscou reintegrar e reutilizar o máximo de materiais e estruturas já existentes no sítio. Criando um ambiente em que a filosofia de transformação esteja evidente em todos os cantos. No projeto, buscou-se trabalhar a materialidade nos três galpões de forma a diferenciá-los; o galpão em que abriga os alojamentos é trabalhado com paredes verdes e madeira, contendo um terraço e uma lavanderia coletiva, o segundo galpão, que contem salas de aula e biblioteca é revestido com materiais reciclados, como por exemplo os paletes e também madeira, foi feito um recorte no volume com o intuito de trazer iluminação e ventilação para o ambiente interior e o terceiro galpão abriga tarefas comunitárias e de reciclagem é trabalhado com o elemento terra, se criando um anexo de taipa de pilão e sua pintura com pigmentos naturais.


Distrito Federal Riacho Fundo ll

centro-oeste

A metodologia utilizada para esse projeto teve como base a estruturação desenvolvida pelo grupo periférico, organizado pela professora Liza Andrade. A partir de análises das dimensões ambientais, sociais, culturais e econômicas, foi realizado um processo participativo com os cooperados, no qual buscou-se definir padrões arquitetônicos e sustentávei, baseados na literatura de Alexander e Andrade, que melhor atendessem suas expectativas e objetivos. Visitas com a comunidade foram agendadas, de forma a entender melhor os anseios da comunidade. Durante as visitas, atividades foram programadas com o intuito de traduzir o papel da arquitetura de maneira leve e compreensível, seja com a utilização de mapas, desenhos, maquetes e conversas. Princípios da permacultura, materiais ecológicos e tecnologias sustentáveis foram adotados no intuito de minimizar o impacto e manutenção da construção e servir de referência aos seus visitantes.

N


área convivio

132.46 m²

GALPÃO GALPÃO 13 Coluna1 Coluna2 AMBIENTE ÁREA Lavanderia Administrativo 17.88 50.18 m² Apartamentos Reciclagem Móveis550.00m² 26.36 m² área convivio 132.46 m² Reunião 29.84 m² Eletro/eletrônico 37.22 m² 2 Estúdio GALPÃO21.01 m² AMBIENTE ÁREA 3 Escritório GALPÃO21.62 m² Hall 38.93 m² AMBIENTE ÁREA Café 21.82 m² Laboratório 39.39 Administrativo 50.18 m² Cozinha/Sala funcionários 22.17m² Laboratório 39.39 m² Reciclagem Móveis2 6.36 m² Vocal 15.93 Biblioteca 40.53 Reunião 29.84 m² Controle 13.06m² Cozinha 43.05 Eletro/eletrônico 37.22 m² Recepção 13.30m² Estufa 21.13 m² Estúdio 21.01 Lounge 13.46 m² Ateliê 79.80 Escritório 21.62 m² 13.50m² Sala 1 39.38 m² Café 21.82 Depósito 37.28 m² Sala 2 61.18 Cozinha/Sala funcionários 22.17 m² Estoque 10.34m² Sala 3 65.38 Vocal 15.93 m² Recepção 9.33 m² m² Sala 4 67.16 m² Controle 13.06 m² DML 4.78 m² Sala 5 52.73 m² Recepção 13.30 m² Elevador 3.63 m² Loja 24.78 Lounge 13.46 m² WC fem 3.74 m² m² Loja 31.31 m² Escritório 13.50 m² WC masc 4.16 m² Midioteca Depósito 37.28 m² WC Feminino 33.91 11.21m² Culinária 60.87 m² Estoque 10.34 m² WC PNE 3.56 m² Biblioteca 92.01 m² Recepção 9.33 PNE 3.52 m² Jardim 101.99 m² DML 4.78 m² COPA 7.43 m² Elevador 3.63 m² Bicicletário 9.00 WC fem 3.74m² m² Recepção 9.06 WC masc 4.16m² m² Loja 9.36 m² WC Feminino 11.21 m² Freezer 2.11 WC PNE 3.56m² m² Lavabo 2.23 m² PNE 3.52 m² WC Fem. 11.08 m² WC PNE 7.25 m² WC PNE 5.23 m² WC PNE 5.00 m²

Laboratório 39.39 m² Biblioteca 40.53 m² Cozinha 43.05 m² GALPÃO 2 m² Estufa 21.13 AMBIENTE ÁREA Ateliê 79.80 m² Hall 38.93 Sala 1 39.38 m² Laboratório 39.39 Sala 2 61.18 m² Laboratório 39.39 Sala 3 65.38 m² Biblioteca 40.53 Sala 4 67.16 m² Cozinha 43.05 Sala 5 52.73 m² Estufa 21.13 Loja 24.78 m² Ateliê 79.80 Loja 31.31 m² Sala 1 39.38 Midioteca 33.91 m² Sala 2 61.18 Culinária 60.87 m² Sala 3 65.38 Biblioteca 92.01 m² Sala 4 67.16 Jardim 101.99m² m² Sala 52.73 m² COPA5 7.43 m² Loja 24.78 m² Bicicletário 9.00 m² Loja 31.31 m² Recepção 9.06 m² Midioteca 33.91 m² Loja 9.36 m² Culinária 60.87 m² Freezer 2.11 m² Biblioteca 92.01 m² Lavabo 2.23 m² Jardim 101.99 m² WC Fem. 11.08 m² COPA 7.43 WC PNE 7.25 m² Bicicletário 9.00 WC PNE 5.23 m² Recepção 9.06 WC PNE 5.00 m² Loja 9.36 m² Freezer 2.11 m² Lavabo 2.23 m² WC Fem. 11.08 m² WC PNE 7.25 m² WC PNE 5.23 m² WC PNE 5.00 m²

Postura Recria Pasto Pasto Pasto Pasto Galinheiro - ovos Engorda Artes Marciais

3.41 m² 3.41 m² 11.55 m² 11.55 m² 15.00 m² 15.00 m² 14.82 m² 14.82 m² 52.69 m²

área convivio

132.46 m²

GALPÃO 3 AMBIENTE ÁREA Administrativo 50.18 m² Reciclagem Móveis26.36 m² Reunião 29.84 m² Eletro/eletrônico 37.22 m² Estúdio 21.01 m² Escritório 21.62 m² Café 21.82 m² Cozinha/Sala funcionários 22.17 m² Vocal 15.93 m² Controle 13.06 m² Recepção 13.30 m² Lounge 13.46 m² Escritório 13.50 m² Depósito 37.28 m² Estoque 10.34 m² Recepção 9.33 m² DML 4.78 m² Elevador 3.63 m² WC fem 3.74 m² WC masc 4.16 m² WC Feminino 11.21 m² WC PNE 3.56 m² PNE 3.52 m²


COBERTURA VERDE - AMBIENTE DE CONVIVÃ&#x160;NCIA


O TEATRO/CINEMA AO AR LIVRE FOI PROJETADO NO INTUITO DE SER SEMI-ENTERRADO, CRIANDO DESSA FORMA DESNÍVEIS QUE SERVIRIAM DE ASSENTOS E A TERRA RETIRADA SERIA APROVEITADA PARA A CONSTRUÇÃO DAS PAREDES INTERNAS DE TAIPA DE PILÃO. COMO O INTUITO DO PROJETO É REINTEGRAÇÃO E REAPROVEITAMENTO, OS ELEMENTOS DE MADEIRA VERTICAIS, OBTEM NOVAS FORMAS E SE TRANSFORMAM ORA EM PERGOLAS, ORA EM BANCOS, OU ATÉ MESMO PISO.


PERMACULTURA AMBIENTE ÁREA Incubação 2.10 m² Cria 2.10 m² Postura 3.41 m² Recria 3.41 m² Pasto 11.55 m² Pasto 11.55 m² Pasto 15.00 m² Pasto 15.00 m² Galinheiro - ovos 14.82 m² Engorda 14.82 m² Artes Marciais 52.69 m²

FRANGO DE CORTE Tempo: a cada 10 dias 30º dia pode se comer um frango por dia com peso de 1,2kg -2,5kg O resíduo que também é formado da palhada com as fezes dos animais também é destinado a compostagem e logo depois no humus que vai ser utilizado na adubação das plantas

PRODUÇÃO DE OVOS área: 80m² (separados em 4 pastinhos) capim: da grama tifton Tempo: revezados pelas galinhas, a cada semana Portinhas de acesso nas celas, utilizam apenas um pastinho enquanto os outros três descansam

HUMUS DE MINHOCA Reutilizando o resíduo proveniente dos galinheiros e folhas secas das plantações, as minhocas vão trabalhar transformando no final o humus, que será utilizado no plantio das diversas olerícolas que vão ser cultivadas

ESTUFA As estufas são utilizadas com o objetivo do melhor desenvolvimento da planta, uma vez que, ela oferece proteção aos ataques externos. Assim, a função da estufa é proteger as plantas que são condicionadas em seu interior, mantendo as melhores condições para o perfeito desenvolvimento do cultivo. Servindo para abrigar sementeiras também.

BIORREMEDIAÇÃO Tanques sequenciais fazem a filtragem da água proveniente das torneiras da cozinha.


BIBLIOTECA


O projeto tentou passar o máximo possível a identidade do projeto. O mobiliário e materiais utilizados são em sua maioria provenientes do trabalho de reciclagem e reaproveitamento, deixando desde a primeira impressão as possibilidades que a reciclagem pode proporcionar.

RECEPÇÃO SOBE

A flexibilidade é destacada no espaço multiuso, no qual possui divisórias móveis que podem ser recolhidas, ampliando o espaço para diversas funções. As cadeiras são móveis, de forma a atender diferentes configurações.

SO

BE

SOBE

MULTIUSO


UNIDADE DE INTERNAÇÃO - ASA NORTE DISCIPLINA: Projeto Arquitetônico 6 ORIENTADORA: Raquel Blumenschein PROJETO: Gabriela Heusi, Gustavo Angeli e Rafael Pereira TIPO DE PROJETO: Edíficio complexo - internação menor infrator SOFTWARES: Revit, Photoshop, Illustrator


/MEMORIAL

A proposta destinada à unidade de internação da Asa Norte foi idealizada com o intuito de responder à problemática percebida no sistema socioeducativo, o qual conserva uma série de transtornos nos âmbitos político-legal, econômico, sociocultural, técnico e funcional que impossibilitam a função institucional primária do estabelecimento, a recuperação e RESSOCIALIZAÇÃO de menores infratores. Adotou-se a decisão de adaptar o modelo vigente atual flexibilizando principalmente as norma deste, sendo, portanto, um posicionamento real mas que busque soluções alternativas visando a um ambiente mais digno e humanizado. O partido foi concebido a partir das respostas a essas demandas dos estabelecimentos socioeducativos:


/ORGANIZAÇÃO DOS ESPAÇOS

- No âmbito político-legal, ADAPTAR NORMAS E DIRETRIZES recomendadas, propiciando ESPAÇOS MAIS DIGNOS e invertendo a lógica organizacional da edificação, tratando, no lugar dos entes federativos, o adolescente, sua família e sociedade como favorecidos do projeto. - Em relação à questão econômica, propor uma UNIDADE MENOR, COMPACTA E RACIONAL, facilitando fluxos, circulações e funcionalidade. - No campo sociocultural, promover um senso de comunidade através de ESPAÇOS COLETIVOS DE QUALIDADE que permitam INTERAÇÕES EM DIVERSOS NÍVEIS. - Para as soluções técnicas, elaborar MODULAÇÕES CONSTRUTIVAS cujas finalidades são PRATICIDADE, FUNCIONALIDADE E SUSTENTABILIDADE, esta última contribuindo também nos contextos econômico e sociocultural.


/PLANTA DE SITUAÇÃO

N


PLANTA TÉRREO

PLANTA 1º PAVIMENTO

AXONOMÉTRICA


VA GA CB F

MD

DEPÓSITO RESÍDUOS

CARGA E DESCARGA

WC

1,5m²

Guarita 13,80m²

/PLANTA TÉRREO

N


VA GA CB MDF

DEPÓSITO RESÍDUOS

CARGA E DESCARGA

/PLANTA 1º PAVIMENTO

N


O PROJETO DE PAISAGISMO BUSCOU VALORIZAR A FAUNA LOCAL, AS DIVERSAS PLANTAS ESCOLHIDAS PARA COMPOR O PAISAGISMO SÃO VEGETAÇÕES TÍPICAS DO CERRADO, COMO IPÊS, PEROBA DO CERRADO, PEQUIZEIRO ENTRE OUTROS

/PARQUE EXTERNO CRIADO PARA A VIZINHANÇA


YOGA BY THE SEA

DISCIPLINA: UNSW | intercâmbio ORIENTADOR Dr. Michael Garbutt PROJETO: Gabriela Heusi TIPO DE PROJETO: PROJETO EM CONTAINER - CENTRO DE YOGA SOFTWARES: Sketchup, V-ray, Photoshop, Illustrator

/MEMORIAL

O desafio para esse projeto era abrigar em um container, profissão e moradia de um profissional. O profissional escolhido foi uma instrutora de yoga, que precisaria de um espaço tranquilo para suas aulas de yoga e meditação. O local escolhido foi a encosta de um parque, localizado na praia de Maroubra, Sydney. A entrada se daria pelo nível da cobertura, onde também poderia ser utilizada como espaço aberto para práticas, um elemento vertical vermelho cumpriria o papel de demarcar a entrada para o interior do container. O container se encontraria semi-enterrado, sendo suportado por estruturas de madeira, que servem de apoio para uma divisória que pode ser aberta, ampliando o espaço. Para manter a sensação de privacidade em um espaço tão pequeno, o banheiro foi alocado no centro do container, a cozinha disposta em baixo da escada com a possibilidade de ser fechada quando não utilizada, a cama foi alocada em cima de um mini-escritório no intuito de aproveitar melhor o espaço.


/PLANTA COBERTURA

/CORTE AA

/CORTE BB


B

A

A

C

C

/PLANTA TÃ&#x2030;RREO B

/CORTE CC


CENTRO CULTURAL DISCIPLINA: 9ยบ CONCURSO CBCA PARA ESTUDANTES DE ARQUITETURA 2016 ORIENTADOR: ร‰DERSON TEIXEIRA PROJETO: Camila Joko, Gabriela Heusi, Larissa Guerra e Roberta Carolina TIPO DE PROJETO: Centro cultural SOFTWARES: Revit, sketchup, Vray, Photoshop, Illustrator


/PLANTAS

O projeto desenvolvido para o concurso CBCA, foi realizado em conjunto entre as integrantes do grupo; entretanto após definido o projeto, foi feita a divisão dos blocos dos projetos para que cada integrante pudesse desenvolver mais detalhadamente uma parte da edificação. O teatro foi a parte desenvolvida pela estudante Gabriela.


De acordo com o edital do concurso o teatro deveria ter capacidade para atender 800 espectadores, destinado à música, balé e teatro. Este recinto deveria ser desenvolvido com detalhe. Incluindo serviços de apoio para artistas, um cenário que varia de dimensões segundo o espetáculo, fosso para a orquestra, câmara acústica, espaços destinados à equipe técnica e porão.


/CORTE CC


Como há um desnível no terreno, o teatro e o hall central são semienterrados surpreendendo o transeunte ao longo do percurso. Este desnível também cria diferentes percursos ao usuário. Um destes percursos o guia através de um passeio jardim contendo um caminho bucólico ao lado do teatro. Outro cria uma conexão entre o edifício principal, o restaurante, o redário e ao estacionamento, a partir de uma cobertura metálica semipermeável com vegetação de diversas escalas que ultrapassa a cobertura.


A

B

Treliça espacial com seção quadrangular.

Detalhe B

Detalhe A

ISOMÉTRICA DO SISTEMA ESTRUTURAL Teatro

Viga treliçada com perfil C soldado em placa base metálica. Esperas parafusadas na placa base. Utilização de graute entre a estrutura e a fundação.


OBRIGADA!

Portfolio Gabriela Heusi  
Portfolio Gabriela Heusi  
Advertisement