Issuu on Google+

p o r t f o l i o ARQUITECTURA

filipa caio


formação

FILIPA FÉLIX DA SILVA CAIO 17.11.1985 Lisboa Portugal

Mestrado Integrado em Arquitectura Dissertação de Mestrado: "Dispositivos de Iluminação Natural: A Sua Evolução na Arquitectura“, Abril de 2012. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Domínio de Software: - Microsoft Office Word - Microsoft Office PowerPoint - Microsoft Office Excel - AutoCad 2D/3D - Sketchup - Photoshop


p r o j e c t o s (trabalhos académicos)

I :: Unidades de Alojamento Temporário, Lisboa

II :: Ópera do Parque, Lisboa


III :: Requalificação do Bairro Cova da Moura, Amadora


p r o j e c t o s (trabalhos académicos)

I :: UNIDADES DE ALOJAMENTO TEMPORÁRIO, LISBOA


Fenómenos como a imigração ilegal, o desemprego de longa duração, a gravidez na adolescência e a violência doméstica, entre outros, são responsáveis por situações extremas de exclusão social a que é imperativo dar uma resposta. A prioridade deste equipamento é a de assegurar uma solução, temporária - por definição - capaz de alicerçar um processo de progressiva reintegração que se pretende definitivo, sem com isso sacrificar as referências da ‘multiculturalidade’ dos seus potenciais utentes.

ESTUDO PRÉVIO :: Área de Intervenção :: Maquetas de Estudo

:: ÁREA DE INTERVENÇÃO :: Campo Mártires da Pátria, Lisboa

:: FOTOS :: Envolvente

:: MAUQETAS DE ESTUDO ::


ESTUDO PRÉVIO :: Referências :: Iluminação :: Esquiços / Volumetrias :: Fotos :: Maqueta de Estudo :: Alçados :: Plantas

:: REFERÊNCIA :: Edifício de Escritórios _ Layetana, Barcelona (re v is ta: + arq uite c tura _ 02, ano I- Maio 06)

:: ESQUIÇOS :: Volumetrias :: Organização do espaço interior

:: MAQUETA ::

:: FOTOS MAQUETA :: Iluminação Natural


N ⇧ Alçado :: Poente

Alçado :: Principal / Sul

Alçado :: Posterior / Norte

Planta :: Área de Intervenção

Planta :: Piso 0

Planta :: Piso 1

S/Escala


p r o j e c t o s (trabalhos académicos)

II :: ÓPERA DO PARQUE, LISBOA


LOCALIZAÇÃO PRAÇA DE LISBOA Contexto

N ⇧ 1

3

:: LOCALIZAÇÃO :: 1 :: Parque Eduardo VII 2 :: Marquês de Pombal 3 :: Av. da Liberdade

2

:: Eixos

:: Ruas

:: Acessos

:: Malha

:: IMAGINÁRIO :: :: Espaços Públicos

:: PRAÇA DE LISBOA ::

Ep ul: We lc o me C e nte r, So us a Santo s

:: Casa da Música :: Casa das Artes :: Casa dos Espetáculos

:: P. Eduardo VII Se rralv e s

S/Escala


LOCALIZAÇÃO PRAÇA DE LISBOA Contexto

:: ESQUIÇOS ::

:: MAQUETAS ::

S/Escala


N ⇧

Átrio Grande Auditório Pequeno Auditório Zona de exposições Restaurante – Bar (teia)

S/Escala


p r o j e c t o s (trabalhos académicos)

III :: REQUALIFICAÇÃO DO BAIRRO COVA DA MOURA, AMADORA


A Cova da Moura é um Bairro do Município da Amadora, que embora de génese ilegal apresenta uma comunidade de grande complexidade social, cultural, étnica, e uma clara identidade histórica. Pretende-se assim para além de responder directamente ao enunciado da Trienal de Lisboa 2010, que se intitula “Fale mo s de C as as ”, que se encontrem soluções e intervenções, materializando-se sobre várias formas. A amplitude destas intervenções parte em primeiro lugar da análise crítica do local, do programa, da morfologia, existentes, e nas soluções formuladas.

:: LOCALIZAÇÃO / ENVOLVENTE ::

:: Lisboa :: Amadora

:: Amadora :: Bairro Cova da Moura

Damaia

Buraca

:: FOTOS :: Área Envolvente


Inicialmente pensou-se demolir todo o bairro para criar uma nova estrutura viária mas, ao demolir grande parte do que existe iríamos destruir a identidade do próprio local. Além desse apecto, as vias propostas acabavam por ser pouco diferentes das que já existem (intenção de manter a identidade), iríamos assim sujeitar o bairro a profundas alterações e o resultado final, talvez não oferecesse grandes melhorias ao que existe. Sendo assim, a proposta consiste, em primeiro lugar, tratar as zonas que se podem transformar em largos, pracetas e pequenas zonas de convívio, em segundo, recuperar as habitações que estão em mau estado e, em terceiro, demolir por completo uma determinada zona para criar uma nova tipologia de habitação e comércio.

:: PROPOSTA VIÁRIA :: ACESSOS E VIAS N

:: EXISTENTE ::

Acessos ao Bairro

S/Escala


:: CONCEITO :: Com base na análise feita sobre a Cova da Moura, sabe-se que se trata de um bairro de origem ilegal que possui um comunidade que apresenta alguma complexidade social, cultural, étnica e uma acentuada identidade histórica. Sendo assim, surgiu o conceito de IDENTIDADE. Este elemento é visível em todo o bairro, através das habitações que refletem a cultura dos seus habitantes e, muitas das quais foram construídas pela própria comunidade.

Esta ideia de IDENTIDADE, surgiu, inicialmente, pela forma/imagem de uma Impressão Digital, associando-se à imagem do próprio terreno, das suas cotas de nível e do ritmo que marcam. Daí resolveu-se aplicar essa Identidade do Bairro, a sua estrutura "desorganizada" e alguma densidade, à proposta habitacional. Iram surgir algumas referências que marcam esse elemento, em pavimentos diferenciados, percursos, mobiliário urbano, arvoredo / hortas, entre outros.

:: ELEMENTOS ::

:: REFERÊNCIAS:: De ns idade Residential Complex :: Mashhad

De s o rg anizaç ão Children's Center of Psychiatric Rehabilitation :: Sou Fujimoto

Imp re s s ão Dig ital Architecture of the Future :: Jun Aoki : Sou Fujimoto : Toyo Ito : Yasuhiro Yamashita (...)

Richard Mortensens :: Copenhaga : Dinamarca : 2006/10


A principal preocupação é tratar a habitação em mau estado e reabilitar as restantes. Algumas das que se encontram em mau estado serão demolidas para dar lugar a pracetas, largos e espaços verdes / públicos, que quase não existem no bairro. Estes espaços pretendem criar zonas de convívio, atividades e lazer para os habitantes, que segundo a sua cultura gostam de aproveitar o "ar livre".

:: PROPOSTA URBANA :: N ⇧

Zona muito densa / Difícil Acesso e Circulação

Demolir

Manter

Largos / Pracetas

Recuperar

Pracetas

Demolições necessárias para novas vias

Habitação/Comércio

Demolir

S/ Escala


Apenas uma área do bairro irá ser demolida para dar vida a uma nova tipologia habitacional, pois é uma zona bastante densa, quase sem acessos pedonais e sem acessos viários. Pretende-se que sirva como exemplo de "quarteirão" e, mais tarde poder estender-se a todo o bairro. O local para a intervenção foi escolhido tendo em conta a densidade excessiva e a falta de acesso e circulação. Parece ser uma das zonas mais problemáticas a esse nível. E também por ser a "cara" do bairro, é a zona limite, de fronteira entre bairros. É uma intervenção que será notada quase inevitavelmente, podendo assim atrair novos moradores.

:: TIPOLOGIA :: N ⇧ :: Referências :: Vivência do Bairro

Zonas Verdes / Hortas

Zonas de Esplanada

Zonas de Estar / Públicas

Percursos / Acessos Pedonais

S/ Escala


A tipologia consiste, na maior parte dos casos, em comércio no piso térreo e habitação nos pisos superiores. As habitações terão no máximo quatro pisos e, em geral, serão tipologias com dois/ três quartos, uma sala, uma cozinha, duas instalações sanitárias e um pátio. Este é um elemento bastante importante e caracterizante da habitação Cabo Verdiana, assim como as escadas exteriores e as coberturas planas.

A ideia de tipologias com coberturas planas surge para um maior aproveitamento do espaço, caso a família cresça há a possibilidade de aumentar a habitação. A relação interior/exterior é bastante importante na cultura dos habitantes do bairro, daí a preocupação em criar zonas de estar entre as habitações ou mesmo de comercio.

:: TIPOLOGIA :: N ⇧

Planta Piso Térreo :: Comércio

Planta Piso 1 :: Habitação

:: MAQUETA :: Planta Piso 2 :: Habitação

Corte E

Corte D

Corte B

Corte C

S/ Escala


PORTFOLIO ARQUITECTURA