Fora de Série: Formas Musicais | Suítes

Page 1

FORMAS MUSICAIS

TEMPORADA 2020 FORA DE SÉRIE 1

SUÍTES

1


Ministério da Cidadania, Governo de Minas Gerais e Aliança Energia apresentam

FORA DE SÉRIE • SUÍTES

14 DE MARÇO FABIO MECHETTI, regente

2


PROGRAMA

JOHANN SEBASTIAN BACH Suíte nº 4 em Ré maior, BWV 1069 • Abertura • Bourrée I & II • Gavota • Minuetos I & II • Regozijo

ARAM KHATCHATURIAN Suíte Masquerade • Valsa • Noturno • Mazurca • Romance • Galope

INTERVALO

BÉLA BARTÓK Suíte de danças, BB 86a • Moderato • Allegro molto • Allegro vivace • Molto tranquillo • Comodo • Finale: Allegro

RICHARD STRAUSS O cavaleiro da rosa, op. 59: Suíte

1


FOTO: RAFAEL MOTTA

CAROS amigos e amigas, Bem-vindos ao primeiro concerto

ligada às danças de época, como aquelas que

da série Fora de Série 2020.

compõem a Suíte nº 4 de Bach, até a sintetização dos melhores momentos de uma ópera de mais

Nesta temporada iremos conhecer

de três horas de duração. Espero que todos

um pouco mais como compositores

experimentem neste concerto as diversas

se utilizam de estruturas musicais

emoções e sentimentos que uma mesma forma

para dar forma e conteúdo à sua

pode dar a compositores de estilos e mensagens

imaginação. Ter ideias não é

diferentes, baseadas na história e na evolução

necessariamente um mérito. Mas

estética definida nos últimos quatro séculos.

saber o que fazer com elas, de maneira original e convincente,

A todos um bom concerto.

é o que define os grandes gênios. Nesta noite iremos apresentar a forma Suíte. Desde sua aplicação

2

FABIO MECHETTI


FABIO diretor artístico e MECHETTI regente titular Diretor Artístico e Regente Titular

de Mstislav Rostropovich na Orquestra Sinfônica Nacional

da Orquestra Filarmônica de Minas

de Washington, com ela dirigiu concertos no Kennedy

Gerais desde sua criação, em 2008,

Center e no Capitólio. Da Sinfônica de San Diego, foi Regente

Fabio Mechetti posicionou a orquestra

Residente. Fez sua estreia no Carnegie Hall de Nova York

mineira no cenário mundial da

conduzindo a Sinfônica de Nova Jersey. Continua dirigindo

música erudita. Além dos prêmios

inúmeras orquestras norte-americanas e é convidado

conquistados, levou a Filarmônica

frequente dos festivais de verão norte-americanos, entre eles

a quinze capitais brasileiras, a uma

os de Grant Park em Chicago e Chautauqua em Nova York.

turnê pela Argentina e Uruguai e realizou a gravação de nove álbuns,

Igualmente aclamado como regente de ópera, estreou nos

sendo quatro para o selo internacional

Estados Unidos dirigindo a Ópera de Washington.

Naxos. Ao ser convidado, em 2014,

No seu repertório destacam-se produções de Tosca,

para o cargo de Regente Principal da

Turandot, Carmem, Don Giovanni, Così fan tutte, La Bohème,

Filarmônica da Malásia, tornou-se

Madame Butterfly, O barbeiro de Sevilha, La Traviata e Otello.

o primeiro regente brasileiro a ser titular de uma orquestra asiática.

Suas apresentações se estendem ao Canadá, Costa Rica, Dinamarca, Escócia, Espanha, Finlândia, Itália,

Nos Estados Unidos, Mechetti esteve

Japão, México, Nova Zelândia, Suécia e Venezuela.

quatorze anos à frente da Orquestra

No Brasil, regeu todas as importantes orquestras brasileiras.

Sinfônica de Jacksonville e, atualmente, é seu Regente Titular Emérito. Foi

Natural de São Paulo, Fabio Mechetti é Mestre em

também Regente Titular das sinfônicas

Regência e em Composição pela Juilliard School de

de Syracuse e de Spokane, da qual hoje

Nova York e vencedor do Concurso Internacional de

é Regente Emérito. Regente Associado

Regência Nicolai Malko, da Dinamarca. 3


JOHANN SEBASTIAN BACH Eisenach, Alemanha, 1685 – Leipzig, Alemanha, 1750

Suíte nº 4 em Ré maior, BWV 1069 1717/1723 — 20 min 3 oboés, fagote, 3 trompetes, tímpanos, cravo, cordas. Editora: Bärenreiter

ARAM KHATCHATURIAN Tbilisi, Geórgia, 1903 – Moscou, Rússia, 1978

Suíte Masquerade 1941 — 18 min Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, 4 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, cordas. Editora: Herdeiros Khatchaturian Representante: Barry Editorial

BÉLA BARTÓK Nagyszentmiklos, Hungria, atual Romênia, 1881 – Nova York, Estados Unidos, 1945

Suíte de danças, BB 86a 1923 — 17 min Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, corne inglês, 2 clarinetes, clarone, 2 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 2 trompetes, 2 trombones, tuba, tímpanos, percussão, harpa, piano, celesta, cordas. Editora: Universal

RICHARD STRAUSS Munique, Alemanha, 1864 – Garmisch-Partenkirchen, Alemanha, 1949

O cavaleiro da rosa, op. 59: Suíte Ópera, 1909/1910 - Suíte, 1945 — 22 min Piccolo, 3 flautas, 3 oboés, corne inglês, requinta, 3 clarinetes, clarone, 3 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, 2 harpas, celesta, cordas. Editora: Boosey & Hawkes

A.

palavra Suíte designa uma forma musical em mosaico – sucessão de danças ordenadas de maneira a ressaltar o contraste de seus ritmos e andamentos característicos. Com

base na música popular, suas origens eruditas remontam ao século XVI. Ao longo dos dois séculos seguintes, várias danças europeias afirmaram-se como importante manancial para a música instrumental – cada vez mais, essas peças eram idealizadas para serem tocadas e não necessariamente dançadas. Às danças representativas de diferentes países europeus – consideradas patrimônio comum do Ocidente – opunham-se outras cuja atração era o próprio exotismo. Em seu apogeu, a Suíte tornou-se a forma instrumental mais característica do Barroco. Entretanto, com a liberdade e imprecisão da nomenclatura do período, os compositores a ela se referiram com títulos variados: Ordre, Partita, Sonata da Câmara... Bach (que escreveu numerosas

suítes para diversos instrumentos) designou suas suítes orquestrais como Aberturas, em virtude da importância de seus movimentos iniciais. A de nº 4 principia com uma grande Ouverture no estilo francês – solene Lento emoldura um fugato central, rápido e jocoso. Seguem-se os números de dança: duas Bourrées encadeadas, a Gavota e os dois Minuetos. A peça Réjouissance finaliza a Suíte com brilhantismo e elegância. Durante o Classicismo, o advento e a fixação da forma sonata decretou a progressiva decadência da Suíte. A partir do século XIX, o termo passou a designar uma seleção de peças extraídas de uma obra mais ampla: ópera (como a da Carmem, de Bizet), balé ou música de cena teatral.

4


O drama em versos Mascarada, do poeta russo Lérmontov,

antecede qualquer conceito moderno

inspirou vários compositores antes que o armênio Aram

de nacionalidade. Trata-se de um

Khatchaturian apresentasse sua consagrada partitura.

estudo rítmico. O importante final

A música segue o personagem Evgeny Arbenin pela cidade

trabalha vários temas já apresentados

de São Petersburgo, refletindo o brilho de sua faustosa

nas danças anteriores, realizando uma

aristocracia, em contraste com a amarga realidade dos que

síntese de seus diferentes estilos.

a sustentam. Toda a obra de Khatchaturian emana de dois

A suíte termina em clima de

núcleos principais: as raízes ancestrais de sua Armênia

entusiasmo, vivacidade e alegria.

(onde é um herói nacional) e o sinfonismo romântico russo (Tchaikovsky). Para além das fronteiras soviéticas, sua

A mais encenada das óperas alemãs

música se impôs pelo dinamismo, vitalidade e notável

escritas no século XX, O cavaleiro

virtuosidade na orquestração.

da rosa, de Richard Strauss, deve muito do seu sucesso à profusão dos

A Suíte de danças, de Béla Bartók, associa-se às pesquisas

ritmos de valsas em sua partitura. Tal

do compositor sobre as manifestações musicais populares

recurso revela-se sedutor e funcional,

do leste europeu e foi escrita para o cinquentenário da

porém anacrônico – as fascinantes

união das cidades de Buda e Peste. As danças, interligadas

valsas sugerem uma Viena ambígua,

por um refrão de caráter húngaro, inspiram-se também

nostálgica e encantadora, época da

nos estilos árabes e romenos. Em cada uma delas, Bartók

qual elas não fizeram parte. Duas séries

adota um processo de improvisação melódica comum a

de valsas, muito apreciadas, foram

diversas culturas camponesas: a obra começa com notas

retiradas da ópera, em 1911 e 1944. E

repetitivas, confinadas a um âmbito intervalar restrito;

Strauss ainda retomaria O cavaleiro da

progressivamente, com a ampliação dos intervalos, atinge-

rosa 35 anos após sua estreia. O grande

se a extensão de toda a escala.

maestro reuniu na Suíte op. 59 diversos extratos, formando um luminoso painel

Na primeira dança, com o monótono tema do fagote, o

sinfônico de surpreendente unidade.

compositor parece recordar uma de suas viagens ao Norte da África. O refrão é apresentado pelos violinos. A segunda dança possui evidente caráter húngaro. O refrão

PAULO SÉRGIO MALHEIROS DOS SANTOS Pianista,

é confiado ao clarinete. A terceira apresenta influências

Doutor em Letras, professor na UEMG, autor

romenas, húngaras e árabes. A quarta dança é a mais lenta do conjunto e revela um dolente motivo oriental. A quinta possui um caráter rústico tão primitivo que, certamente,

dos livros Músico, doce músico e O grão perfumado – Mário de Andrade e a arte do inacabado. Apresenta o programa semanal Recitais Brasileiros, pela Rádio Inconfidência.

5


para

OUVIR, ASSISTIR E LER

François-René Tranchefort Guia da Música Sinfônica Nova Fronteira – 1990

BARTÓK CD Bartók – Concerto for Orchestra; Dance Suite

BACH CD J. S. Bach – Suítes orquestrais The Academy Of Ancient Music Christopher Hogwood, cravo e regência Decca – 1988 NDR Symphony Orchestra Thomas Hengelbrock, regente Acesse: fil.mg/bsuite4 Karl Geiringer J. S. Bach, o apogeu de uma era Zahar – 1985

London Symphony Orchestra Georg Solti, regente Decca – 2001 Frankfurt Radio Symphony Orchestra Juraj Valčuha, regente Acesse: fil.mg/bdancas Pierre Citron – Bartók Éditions du Seuil – Solfèges – 1963

R. STRAUSS Richard Strauss – Suíte de O cavaleiro da rosa, op. 59

KHATCHATURIAN CD Khatchaturian – Spartacus; Masquerade; Circus; Dance Suite St. Petersburg State Symphony Orchestra André Anichanov, regente Moscow Symphony Orchestra Dmitri Yablonsky, regente Naxos – 1996 University of North Carolina Symphony Orchestra Tonu Kalam, regente Acesse: fil.mg/kmasquerade

Wiener Philharmoniker Richard Strauss, regente Minnesota Orchestra Antal Doráti, regente The Official Classical Collection – v. 33 Ermitage – 2017 Royal Concertgebouw Orchestra Mariss Jansons, regente Acesse: fil.mg/scavaleiro Michael Kennedy – Richard Strauss: man, musician, enigma Cambridge University Press – 2006 Charles Coumans (ed.) – The Cambridge companion to Richard Strauss Cambridge University Press – 2010

6


391 amigos! OBRIGADA AOS AMIGOS E AMIGAS QUE SE JUNTARAM À FIL ARMÔNICA PARA TORNAR POSSÍVEIS NOSSAS AÇÕES EDUCACIONAIS.

fil.mg/amigos

7


Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

DIRETOR ARTÍSTICO E REGENTE TITULAR

Fabio Mechetti REGENTE ASSISTENTE

José Soares

PRIMEIROS VIOLINOS

VIOLONCELOS

TROMPAS

GERENTE

Rommel Fernandes –

Philip Hansen *

Alma Maria Liebrecht *

Jussan Fernandes

Spalla associado

Robson Fonseca ***

Evgueni Gerassimov ***

Ara Harutyunyan –

Camila Pacífico

Gustavo Trindade

INSPETORA

Spalla assistente

Camilla Ribeiro

José Francisco dos Santos

Karolina Lima

Ana Paula Schmidt

Eduardo Swerts

Lucas Filho

Ana Zivkovic

Emília Neves

Fabio Ogata

Arthur Vieira Terto

Lina Radovanovic

Joanna Bello

Lucas Barros

TROMPETES

Laura von Atzingen

William Neres

Marlon Humphreys-Lima *

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO

Érico Fonseca **

Klênio Carvalho

Luis Andrés Moncada

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Risbleiz Aguiar

Roberta Arruda

CONTRABAIXOS

Daniel Leal ***

Rodrigo Bustamante

Nilson Bellotto *

Tássio Furtado

Rodrigo M. Braga

André Geiger ***

Rodrigo de Oliveira

Marcelo Cunha

TROMBONES

Wesley Prates

Marcos Lemes

Mark John Mulley *

ASSISTENTES

Pablo Guiñez

Diego Ribeiro **

Claudio Starlino

SEGUNDOS VIOLINOS

Rossini Parucci

Wagner Mayer ***

Jônatas Reis

Frank Haemmer *

Walace Mariano

Renato Lisboa

Gideôni Loamir

FLAUTAS

TUBA

Jovana Trifunovic

Cássia Lima *

Eleilton Cruz *

Luka Milanovic

Renata Xavier ***

Martha Pacífico

Alexandre Braga

TÍMPANOS

Matheus Braga

Elena Suchkova

Hilvic González ****

Rodolfo Toffolo

OBOÉS

PERCUSSÃO

Tiago Ellwanger

Alexandre Barros *

Rafael Alberto *

Valentina Gostilovitch

Públio Silva ***

Daniel Lemos ***

Israel Muniz

Sérgio Aluotto

Maria Fernanda Gonçalves

Werner Silveira

Ana Lúcia Kobayashi

Hyu-Kyung Jung ***

SUPERVISOR DE MONTAGEM

João Carlos Ferreira *

José Henrique Viana ****

Flávia Motta

CLARINETES

Gerry Varona

Marcus Julius Lander *

HARPAS

Gilberto Paganini

Jonatas Bueno ***

Clémence Boinot *

Katarzyna Druzd

Ney Franco

Arícia Ferigato ****

Luciano Gatelli

Alexandre Silva

Marcelo Nébias

TECLADOS

Mikhail Bugaev

FAGOTES

Ayumi Shigeta *

Nathan Medina

Catherine Carignan *

Thelma Lander ****

Victor Morais *** Francisco Silva

* PRINCIPAL

** PRINCIPAL ASSOCIADO

*** PRINCIPAL ASSISTENTE

Rodrigo Castro MONTADOR

Radmila Bocev

VIOLAS

ARQUIVISTA

**** MUSICISTA CONVIDADO  (A)

Hélio Sardinha


Instituto Cultural Filarmônica OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – Lei 14.870 / Dez 2003 OS — Organização Social — Lei 23.081 / Ago 2018

Conselho Administrativo

Equipe Técnica

Equipe Administrativa

MENSAGEIRO

PRESIDENTE EMÉRITO

GERENTE DE COMUNICAÇÃO

GERENTE ADMINISTRATIVO-

JOVEM APRENDIZ

Jacques Schwartzman

Merrina Godinho Delgado

FINANCEIRA

Sunamita Souza

Ana Lúcia Carvalho

Sala Minas Gerais

Douglas Conrado

PRESIDENTE

GERENTE DE

Roberto Mário

PRODUÇÃO MUSICAL

GERENTE CONTÁBIL

Gonçalves Soares Filho

Claudia da Silva Guimarães

Graziela Coelho

CONSELHEIROS

ASSESSORA DE

GERENTE DE

Angela Gutierrez

PROGRAMAÇÃO MUSICAL

RECURSOS HUMANOS

Arquimedes Brandão

Gabriela de Souza

Quézia Macedo Silva

Bruno Volpini

PRODUTOR

ANALISTAS ADMINISTRATIVOS

Celina Szrvinsk

Luis Otávio Rezende

João Paulo de Oliveira

TÉCNICOS DE ÁUDIO

Letícia Cabral

E DE ILUMINAÇÃO

GERENTE DE INFRAESTRUTURA

Fernando de Almeida

Daniel Hazan

Frederico César Silva Melo

ANALISTAS DE COMUNICAÇÃO

Iran Almeida Pordeus

Carolina Moraes Santana

SECRETÁRIA EXECUTIVA

Ítalo Gaetani

Fernando Dornas

Flaviana Mendes

Marco Antônio Pepino

Lívia Aguiar

Mauricio Freire

Renata Romeiro

Diano Carvalho ASSISTENTE OPERACIONAL

ASSISTENTE ADMINISTRATIVA

Rodrigo Brandão

Cristiane Reis

Octávio Elísio

Diretoria Executiva

GERENTE DE OPERAÇÕES

Jorge Correia

Berenice Menegale

Sérgio Pena

Renato Bretas

ANALISTAS DE MARKETING

ASSISTENTE DE

Eventos — Lívia Brito

RECURSOS HUMANOS

Projetos — Larissa Scarpelli

Jessica Nascimento

DIRETOR PRESIDENTE

Relacionamento —

Diomar Silveira

Itamara Kelly

DIRETOR ADMINISTRATIVO-

ASSISTENTE DE MARKETING

FINANCEIRO

E RELACIONAMENTO

Joaquim Barreto

Henrique Campos

DIRETOR DE COMUNICAÇÃO

ASSISTENTE DE PRODUÇÃO

Agenor Carvalho

Rildo Lopez

RECEPCIONISTAS

Meire Gonçalves Vivian Figueiredo AUXILIAR CONTÁBIL

Pedro Almeida AUXILIAR ADMINISTRATIVA

Geovana Benicio DIRETORA DE MARKETING

AUXILIAR DE PRODUÇÃO

E PROJETOS

Jeferson Silva

Zilka Caribé

Ivar Siewers

Formas musicais — Suítes março 2020 COORDENADORA

AUXILIARES DE

DA EDIÇÃO Merrina

SERVIÇOS GERAIS

Godinho Delgado

Ailda Conceição DIRETOR DE OPERAÇÕES

FORA DE SÉRIE

Rose Mary de Castro

EDIÇÃO DE TEXTO

Berenice Menegale


assinante, SEJA BEM-VINDO(A) À TEMPORADA 2020 E APROVEITE

aplicativo filarmônica AINDA MAIS OS NOSSOS CONCERTOS COM O

BAIXE GRATUITAMENTE NO SEU CELUL AR.

VOCÊ PODE CONSULTAR A SUA PROGRAMAÇÃO, BAIXAR, DOAR OU TRANSFERIR O SEU INGRESSO E AINDA ACESSAR AS NOSSAS REDES SOCIAIS.


NO CONCERTO

Saiba como apreciar ainda mais nossas apresentações.

CELULAR

APLAUSOS

Não é permitido usar o celular na

É hábito na música de concerto

sala de concertos, pois o som e a luz

aplaudir apenas ao fim de cada obra.

atrapalham o público e a orquestra.

REGISTRO

PROGRAMA Este programa é seu. Mas, se não

Não fotografe ou grave em áudio

for guardá-lo, devolva-o para que

ou vídeo durante o concerto.

possamos reutilizar e reciclar.

Isso atrapalha a apresentação e desrespeita direitos autorais.

CRIANÇAS Não é permitida a entrada de

SILÊNCIO

crianças menores de 7 anos. Entre

Não converse durante o concerto.

7 e 12 anos, elas poderão ocupar os

Para prevenir a tosse, pastilhas são

assentos localizados perto das saídas.

uma boa ideia, mas tome cuidado com o barulho da embalagem.

SALA MINAS GERAIS Cuide você também da Sala

ALIMENTOS

Minas Gerais. E venha sempre!

Não é permitido entrar na sala de concertos com comida ou bebida.

DEPOIS DO CONCERTO R. Rio de Janeiro, 2076 – Lourdes | Tel: 3292-6221

Vai jantar? Apresente seu ingresso, cartão de Amigo ou de Assinante e aproveite os benefícios dos restaurantes parceiros. Saiba mais em fil.mg/restaurantes

R. Pium-í, 229 – Cruzeiro | Tel: 3227-7764

SEMPRE PERTO WWW.FILARMONICA.ART.BR /filarmonicamg

Veja a programação completa no site e lembre-se de nos seguir nas redes sociais. SALA MINAS GERAIS Rua Tenente Brito Melo, 1.090

Barro Preto | CEP 30.180-070 | Belo Horizonte - MG (31) 3219.9000 | Fax (31) 3219.9030


MANTENEDOR

PATROCÍNIO MÁS TER

DIVU LGAÇ ÃO

COMUNICAÇÃO ICF 2020

REA LIZAÇÃO


esperamos você nos

PRÓXIMOS CONCERTOS 19 E 20 DE MARÇO, 20h30 ALLEGRO E VIVACE Fabio Mechetti, regente Danielle Akta, violoncelo LEVY | FAURÉ | SAINT-SÄENS | BEETHOVEN

22 DE MARÇO, 11h APRESENTAÇÃO GRATUITA CONCERTOS PARA A JUVENTUDE — BACH José Soares, regente Rodrigo de Oliveira, violino BACH

26 E 27 DE MARÇO, 20h30 PRESTO E VELOCE

COMPRE SEU INGRESSO

José Soares, regente

Na bilheteria da Sala Minas Gerais.

Daniela Liebman, piano

Confira os horários em fil.mg/bilheteria

Pelo site www.filarmonica.art.br

MOZART | TCHAIKOVSKY

13


14


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.