{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

FORTISSIMO Nยบ 8 / 2019

Presto

Veloce

16 17


Ministério da Cidadania e Governo de Minas Gerais

PROGRAMA

JOSÉ ANTONIO DE ALMEIDA PRADO

A P R E S E N TA M

Concerto para piano nº 1

Presto

16/05

Veloce

1 7/0 5

FA B I O M E C H E T T I , R E G E N T E

Apelo I (Prelúdio)

Heroico, Épico (Variações)

Monólogo (cadência do piano solo)

Interlúdio

Floral, Transparente (Andante) (Fantasia)

Granítico, Rítmico (Tocata)

Memorial

Apelo II (Poslúdio)

SONIA RUBINSKY, PIANO CARLA COT TINI, SOPRANO

I N T E R VA L O

C O N C E N T U S M U S I C U M D E B E LO H O R I Z O N T E , C O R O M A S C U L I N O

HEITOR VILLA-LOBOS Floresta do Amazonas P OE M A S D E D OR A VA S C ON C E L LO S

Abertura

Pássaros da floresta – canto 3

A floresta

Cair da tarde

Dança dos índios

Os índios em busca da moça

Em plena floresta

Pássaros da floresta – canto 4

Pássaro da floresta – canto 1

Dança guerreira (repetição)

Dança da natureza

Canto da floresta (2)

Pássaro da floresta – canto 2

Caçadores de cabeça

Canto da floresta (1)

Canção de amor

Conspiração e dança guerreira

Melodia sentimental

Veleiros

O fogo na floresta

Em caminhos para a caçada

Epílogo


CAROS AMIGOS E AMIGAS,

FABIO MECHETTI DIRETOR ARTÍSTICO

Dando continuidade ao projeto de

é, sem dúvida, uma de suas obras

gravação de obras de compositores

mais geniais.

E REGENTE TITULAR

brasileiros, em colaboração com o Itamaraty, apresentamos também o

Com uma grande paleta orquestral,

Diretor Artístico e Regente Titular

sua estreia no Carnegie Hall de Nova

Concerto nº 1 do santista Almeida

coro masculino e soprano solista,

da Orquestra Filarmônica de Minas

York conduzindo a Sinfônica de Nova

Prado, com a pianista Sonia Rubinsky.

Villa-Lobos pinta uma Amazônia

Gerais desde sua criação, em 2008,

Jersey. Continua dirigindo inúmeras

Aluno de alguns dos compositores mais

densa, rica, misteriosa e encantadora.

Fabio Mechetti posicionou a orques-

orquestras norte-americanas e é

importantes do século XX, Almeida

Revisitar essa partitura é reavaliar

tra mineira no cenário mundial da

convidado frequente dos festivais

Prado conseguiu aliar a técnica moderna

a importância da visão magnífica

música erudita. Além dos prêmios

de verão norte-americanos, entre

de seus mestres com uma linguagem

revelada por Villa-Lobos há ses-

conquistados, levou a Filarmônica

eles os de Grant Park em Chicago

própria, única, que o torna um dos mais

senta anos e posicioná-la com toda

a quinze capitais brasileiras, a uma

e Chautauqua em Nova York.

relevantes músicos de nossa história.

a sua relevância na realidade que

turnê pela Argentina e Uruguai e

encaramos nos dias de hoje.

realizou a gravação de nove álbuns,

Igualmente aclamado como regente

sendo quatro para o selo interna-

de ópera, estreou nos Estados Unidos

cional Naxos. Natural de São Paulo,

dirigindo a Ópera de Washington. No

Mechetti serviu recentemente como

seu repertório destacam-se produções

Regente Principal da Filarmônica

de Tosca, Turandot, Carmem, Don

da Malásia, tornando-se o primeiro

Giovanni, Così fan tutte, La Bohème,

regente brasileiro a ser titular de

Madame Butterfly, O barbeiro de

uma orquestra asiática.

Sevilha, La Traviata e Otello.

Nos Estados Unidos, Mechetti esteve

Suas apresentações se estendem

quatorze anos à frente da Orquestra

ao Canadá, Costa Rica, Dinamarca,

A imensidão da floresta amazônica, com toda a sua história e diversidade,

Um bom concerto a todos,

é retratada de forma monumental pelo nosso maior compositor, nesta que

FA B I O M E C H E T T I

Sinfônica de Jacksonville e, atual-

Escócia, Espanha, Finlândia, Itá-

mente, é seu Regente Titular Emérito.

lia, Japão, México, Nova Zelândia,

Foi também Regente Titular das sin-

Suécia e Venezuela. No Brasil,

fônicas de Syracuse e de Spokane,

regeu todas as importantes orques-

da qual hoje é Regente Emérito.

tras brasileiras.

FOTO: ALEXANDRE REZENDE

Regente Associado de Mstislav Rostropovich na Orquestra Sinfônica

Fabio Mechetti é Mestre em Regência

Nacional de Washington, com ela

e em Composição pela Juilliard

dirigiu concertos no Kennedy Center

School de Nova York e vencedor do

e no Capitólio. Da Sinfônica de San

Concurso Internacional de Regência

Diego, foi Regente Residente. Fez

Nicolai Malko, da Dinamarca.


SONIA RUBINSKY

CARLA COTTINI

e do Rio de Janeiro, Filarmônica de Goiás. Entre as obras que tocou com a Filarmônica de Minas Gerais, em três

A soprano atuou em produções diri-

temporadas, está a Suíte Brasileira Vencedora do Grammy latino, considerada Melhor Recitalista do Ano

para Piano e Orquestra de Villa-Lobos,

Vencedora do Prêmio Revelação no 10º

gidas por Pier Francesco Maestrini,

89 anos após a sua estreia.

Concurso de Canto Maria Callas, em

Jorge Takla, Livia Sabag, Francesco

2011, Carla Cottini tem se destacado

Bellotto, Stefano Poda e Caetano Vilela.

pela Associação Paulista de Críticos de Artes, vencedora do Piano Recital

Sua extensa discografia inclui a integral

por integrar em suas performances belo

Award William Petschek da Juilliard

da obra de Villa-Lobos para piano solo,

timbre e marcante presença cênica.

School e do Primeiro Prêmio Artists

com premiação pela revista Gramophone

International de Nova York, a pianista

e pelo Grammy latino. O repertório de

Carla tem atuado nos principais tea-

Fernando Malheiro, Cláudio Cruz,

Sonia Rubinsky se destaca por seu

Rubinsky varia do Barroco à música

tros de ópera e concerto do Brasil,

Roberto Tibiriçá, Yoram David, Fabio

estilo poético e vigoroso.

de hoje. Almeida Prado dedicou-lhe

como o Theatro Municipal de São

Mechetti, Sílvio Viegas, Rodolfo Fischer,

várias obras, entre elas a Sonata para

Paulo (em Don Giovanni, O Morcego,

Carlos Prazeres, Helder Trefzger,

violoncelo e piano, encomendada e

Thaïs e Ainadamar), Theatro Munici-

Evandro Matté e Tobias Volkmann.

dedicada a ela e a Antonio Meneses.

pal do Rio de Janeiro (em As bodas

Nascida no Brasil, Sonia Rubinsky iniciou seus estudos no Conservató-

Cantou sob a regência de Rinaldo Allessandrini, Alain Guingal, Luiz

rio de Campinas com Olga Rizzardo

de Fígaro), Sala Minas Gerais (em

Carla Cottini concluiu seu mestrado

Normanha. Aos seis anos realizou seu

Entre os músicos que ajudaram a mol-

Così fan tutte) e Palácio das Artes

em Interpretação Operística no Con-

primeiro recital e aos doze foi solista

dar a arte de Rubinsky estão Jacob

de Belo Horizonte (na Missa em dó

servatório Superior de Música Joaquín

com orquestra. Estudou na Academia

Lateiner, Gina Bachauer, Claude Frank,

menor de Mozart).

Rodrigo de Valencia, Espanha, sob

Rubin, Jerusalém, e concluiu Doutorado

Leon Fleisher, Benjamin Oren, William

em Performance de Piano na Juilliard

Daghlian, Irma Wolpe, Vlado Perlemuter,

Apresentou-se também no Palau de

2012 tem como tutora a soprano

School. Como recitalista, apresenta-se

Arthur Rubinstein e Murray Perahia.

la Musica de Valencia (em Hansel

Eliane Coelho.

orientação de Ana Luisa Chova. Desde

em salas de prestígio como Carne-

und Gretel), nos auditórios de

gie Hall, Alice Tully Hall, Bargemusic,

Riba-roja e Paterna, Espanha, no

Merkin Concert Hall, Miller Theatre,

Teatro Sociale di Rovigo, Itália (em

Hertz Hall, Maison de Radio France,

Don Pasquale), e no Festival de

Sala São Paulo, Theatro Municipal de

Música de Cartagena, Colômbia,

São Paulo, Sala Minas Gerais, Recanati

com a Orpheus Chamber Orchestra.

Hall e AGA-Zaal. incluem Adina em Elisir d’amore, em

como St. Luke’s, St. Etienne, New

Roma, com a Associazione Musicale

York Women's Ensemble, Richmond,

Tito Gobbi, e Zerlina no Teatro São

Springfield, Syracuse, Jacksonville,

Pedro de São Paulo e no Teatro São

Cheyenne, Phoenix, sinfônicas de Jeru-

Pedro de Porto Alegre, além de con-

salém, da Universidade de São Paulo,

certos com a Osesp e a Orquestra

dos teatros municipais de São Paulo

FOTO: ISABELA SENATORE

Sônia é convidada de orquestras

Sinfônica da Bahia.

FOTO: CAIO GALLUCCI

Compromissos recentes de Carla


CORAL CONCENTUS MUSICUM DE BELO HORIZONTE

de masterclasses com Collin Metters e Helmuth Rilling.

Iara Fricke Matte

Como regente titular e diretora artística do Ars Nova – Coral da UFMG,

O Concentus Musicum de Belo Horizonte é um grupo misto, com formação

Regente coral e orquestral, Iara Fricke realizou concertos no Brasil e no

vocal e/ou instrumental variável, idealizado pela regente Iara Fricke Matte,

Matte dedica-se ao estudo e apresen- exterior. Em 2016, sob sua direção,

que também é preparadora vocal do grupo, e dedicado à interpretação de

tação de obras dos períodos Barroco, o Ars Nova ganhou o Troféu JK de

obras consagradas e inéditas dos períodos Barroco, Clássico e Renas-

Renascimento e Contemporâneo, com Cultura e Desenvolvimento do Estado

cimento, bem como de um seleto repertório contemporâneo. O grupo é

ênfase na performance historicamente de Minas Gerais e o terceiro lugar na

formado por profissionais altamente qualificados, unidos pelo objetivo de

embasada. Em seu repertório estão competição coro misto do 34º Festival

contribuir para a difusão da música erudita em uma perspectiva histori-

obras corais a cappella, obras sinfônico- de Música de Cantonigròs, Espanha.

camente embasada.

-corais e sinfônicas, destacando-se sua afinidade com a música de J. S. Bach. Iara Fricke Matte dirige a Série Fermata,

O foco do seu trabalho de interpretação está na compreensão do discurso

projeto anual da Escola de Música

musical e sua relação com o texto poético, a sonoridade, a articulação

Professora de Regência na Escola de da UFMG com repertório para coro

e rítmica das palavras, e também com o contexto histórico das obras.

Música da Universidade Federal de e orquestra. Foi diretora artística da

Projetos futuros incluem a montagem de peças de J. S. Bach, de seu

Minas Gerais (UFMG), a maestrina é II e III Semana de Música Antiga da

contemporâneo Jan Dismas Zelenka e de compositores brasileiros colo-

Pós-doutora em Regência pela Univer- UFMG e coordenadora geral da quarta

niais, além de obras instrumentais do século XVIII e início do século XIX,

sity of Southern California, Doutora e edição do Festival Internacional de

obras modernas e contemporâneas.

Mestre em Regência Coral pelas uni- Música Antiga. Atuou como regente versidades de Indiana e de Minnesota, convidada da Camerata Antiqua de Curi-

O grupo estreou em 2016, apresentando o Réquiem de Mozart junto à

Estados Unidos, com especialização tiba, professora e regente em festivais

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, dando início a uma frutífera parceria.

em Música Antiga e História da Música. brasileiros de música antiga e regente Estudou com John Pool, Jan Harrington, do Coro de Câmara da UFMG. Em 2019 Collin Metters, Kathy Romey e Thomas assume a regência e direção artística Lancaster. Na Alemanha, participou da Orquestra Sinfônica da UFMG.

FOTO: MARIANA GARCIA

CORO MASCULINO

REGENTE

Tenores

Baixos

André Felipe

Antônio Marcos

Eduardo C. Melo

Batista de Souza

PIANISTA

Laydson Braga

Bruno Augustus

Hélcio Vaz

Lucas Damasceno

Carlos Morais

Lucas L. R. Viana

Carlos D’Elia

Marcelo Maia

Cristiano Rocha

COMUNICAÇÃO E SECRETARIA

Renato Rodrigues

Dalton Barros

Fabrício Halsmann

Rodrigo Castro

Dayvid Lucyan

Rogério Francisco

Elias Magalhães

Sandro A. de Deus

Fabrício Halsmann

Wagner Soares

Filipe Santos

Wellington Vilaça

Marcos V. N. dos Santos Rafael Capossi

Iara Fricke Matte


José Antonio de

ALMEIDA PRADO SANTOS, BRASIL, 1943

S Ã O PA U L O , B R A S I L , 2 0 1 0

Concerto para piano nº 1 1982/1983

Primeira apresentação com a Filarmônica

23 MINUTOS

I N S T R U M E N TA Ç Ã O

A vasta produção de Almeida Prado, composta por cerca

os movimentos, gestos musicais

pelo piano, de acordes à la Messiaen.

Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetes, 2 fagotes, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, harpa, celesta, cordas.

de setecentas obras, revela conhecimento ímpar dos

reiterados (correntezas do grave

Por outro lado, recorre a sonoridades

estilos e linguagens encontrados na história da música

ao agudo do piano, intervalos de

extraídas da natureza na transição ao

ocidental. Além de incorporar diversas referências

quarta) e reminiscências de temas

sexto movimento, cujo motivo funda-

musicais, o compositor constrói sua obra a partir de

expostos anteriormente (como no

mental alude ao canto da araponga.

uma visão de mundo singular, na qual se conjugam sua

Memorial ou no solo de trompa ao

Canto que inspira outras obras do

formação, seus valores, sua religiosidade, seus gostos

fim do sexto movimento, que retoma

compositor, cujo humor e geniali-

EDITORA

literários e artísticos. Assim, podemos encontrar ao

o tema das Variações). A coesão da

dade conseguem metamorfosear um

Academia Brasileira de Música

longo de sua carreira composições tonais, atonais, de

obra e sua configuração de con-

grito esganiçado em sonoridades

tonalismo livre, dotadas de temáticas cósmica, afro-

certo também poderiam advir de

envolventes. Ademais, também no

-brasileira, ecológica, livre e mística.

uma estrutura em três movimentos,

sexto movimento, as acentuações,

PA R A O U V I R

CD O som de Almeida Prado – Oficina Coral do Rio de Janeiro – 1999 (2 CDs)

registrada na própria partitura. Nessa

as inusitadas divisões de compassos

O Concerto para piano nº 1 (1982/1983) insere-se na

escala mais ampla, o primeiro movi-

e as síncopes remetem à rítmica afro-brasileira.

terceira fase composicional de Almeida Prado, síntese

mento é composto pelas Variações,

CD Sinfonia Brasil 500 anos – Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional – Silvio Barbato, regente – Ministério da Cultura – 2000 (2 CDs)

de sua primeira fase de influência nacionalista e sua

o segundo, pelo Andante do Floral,

segunda fase de traços vanguardistas. Por sua divisão

Transparente, enquanto o terceiro,

Curiosamente, essa poética com-

em oito movimentos, o Concerto poderia parecer ao leitor

pela Tocata do Granítico, Rítmico.

posicional capaz de entrelaçar, de

deste programa uma desconexa colcha de retalhos. No

Assim, o Interlúdio, o Prelúdio e o

modo inclusivo, múltiplas influên-

entanto, quando o ouvimos e nele nos aprofundamos,

Poslúdio complementariam o esqueleto

cias temáticas, estilísticas, rítmicas

PA R A L E R

um dos aspectos que mais nos impacta é, sem dúvida,

da obra, concedendo-lhe simetria.

e harmônicas poderia ter como lema

Francisco Carlos Coelho (coord.) – Música contemporânea brasileira: Almeida Prado – Centro Cultural São Paulo – 2006 (Catálogo)

sua coesão. Voltando à imagem da colcha, a obra possui

Thiago de Freitas Câmara Costa – A edição crítica e revisada dos noturnos para piano de Almeida Prado – Dissertação de mestrado – Universidade de São Paulo – 2011

uma indicação de expressividade pre-

algo da rapsódia, compreendida, em sua etimologia,

Possuindo alguns centros tonais,

sente na Variação VIII deste Concerto:

como “costura de cantos”. Em sintonia com a escrita

o Concerto oferece-se como um

“Eloquente, com o coração aberto!”.

rapsódica, Almeida Prado prima aqui pelo fluxo da inven-

microcosmo da obra do autor. Evoca,

ção, observado, sobretudo, nas passagens que abrem

no quinto movimento, não só algo de

o Concerto (Apelo I) e tecem sua cadência (Monólogo).

cósmico nas sonoridades feéricas

GONTIJO

Em meio ao aparente improviso, o compositor obtém

criadas pela harpa, pelo vibrafone

da Arte pela Universidad de Chile, autor

vigorosa unidade ao empregar um caráter recorrente

e pela celesta, mas também uma

de Ressonâncias noturnas: do

(fatídico, denso, decidido), articulações orgânicas entre

aura mística na solene sucessão,

indizível ao inefável.

CLOVIS SALGADO

Doutor em estética e teoria


Heitor

VILLA-LOBOS RIO DE JANEIRO, BRASIL, 1887

1 9 59

Floresta do Amazonas 1958

Última apresentação: 21 de julho / 2009 Fabio Mechetti, regente Edna D’Oliveira, soprano Coral Lírico de Minas Gerais

70 MINUTOS

I N S T R U M E N TA Ç Ã O

Piccolo, 2 flautas, 2 oboés, corne inglês, 2 clarinetes, clarone, 2 fagotes, contrafagote, saxofone soprano, saxofone alto, 4 trompas, 4 trompetes, 4 trombones, tuba, tímpanos, percussão, celesta, harpa, piano, violão, solovox, cordas. EDITORA

Academia Brasileira de Música PA R A O U V I R

LP Villa-Lobos – Forest of the Amazon – The Symphony of Air and chorus – Villa-Lobos, regente – Bidu Sayão, soprano – United Artists PA R A A S S I S T I R

Orquestra Petrobras Sinfônica – Isaac Karabtchevsky, regente – Mirna Rubim, soprano – Coro Sinfônico do Rio de Janeiro Acesse: fil.mg/vlfloresta PA R A L E R

Bruno Kiefer – Villa-Lobos e o Modernismo na Música Brasileira – Movimento – 1986 Vasco Mariz – História da Música no Brasil – Nova Fronteira – 2005

A partir de 1945, Villa-Lobos (que não falava inglês)

Choros da década parisiense de

violão, em contraponto com a voz; e

viajou regularmente para os Estados Unidos, onde se

1920, nem o sincretismo neoclás-

Melodia sentimental é uma saudosa

tornara uma celebridade nos meios musicais. Com seu

sico das Bachianas Brasileiras dos

seresta. Essa melodia reaparece ao

prestígio consolidado, recebia diversas encomendas,

anos 1940. Mas impressiona por

final da obra com um magnífico acom-

como a da trilha sonora para o filme Green mansions

uma escrita espontânea, delicada

panhamento orquestral, terminando

(1959), estrelado por Audrey Hepburn e lançado no

e serena, que consegue transmitir

a suíte de forma emocionante.

Brasil com o título A Flor que não morreu. Baseado

uma variada gama de emoções e se

no livro do britânico W. H. Hudson e ambientado

permite, em vários momentos, efeitos

A Floresta do Amazonas foi apresen-

nas selvas das Guianas, o filme narra o romance de

orquestrais surpreendentes, com

tada pelo próprio Villa-Lobos em seu

uma deusa indígena que, apaixonada por um branco,

audaciosas combinações tímbricas.

último concerto, ao lado da cantora

torna-se mortal. Os índios, revoltados com o sacrilégio

Elinor Ross, no dia 19 de julho de 1959,

dessa união, incendeiam a floresta para afugentar o

A suíte inicia-se com uma melodia

em Nova York. Tornou-se, também,

homem branco. A floresta se petrifica, mas a força

indígena cantada por um coral

sua última gravação — Bidu Sayão,

do amor revigora o vento, o verde e o rio “que bebeu

masculino, empregando palavras

a cantora favorita de Villa-Lobos,

as nuvens do céu”. Villa-Lobos opunha-se à ideia de

imaginárias de uma língua inexis-

atendendo ao convite do amigo,

fazer “música de fundo” e só depois de dois anos, por

tente, criadas por Dora Vasconcellos.

abandonou seu retiro nova-iorquino

insistência de sua mulher, Mindinha, acabou cedendo

As canções para solista, todas com

para gravá-la com a Symphony of the

aos convites. Compôs, entretanto, uma música bastante

letra da mesma poetisa e habilmente

Air regida pelo compositor.

independente do enredo narrativo, muito evocativa da

orquestradas, embora não acrescen-

ambientação amazônica e considerada, pelos produtores,

tem novidades ao repertório vocal do

demasiadamente rude para o cinema. O compositor

compositor, encontram-se, por sua

PAU L O S É R G I O

polonês Bronislaw Kaper (1902-1983) foi encarregado,

expressividade, entre as peças mais

MALHEIROS DOS SANTOS

então, de suavizar e editar a trilha sonora para que se

queridas do autor: Veleiros traz um

Pianista, Doutor em Letras, professor na

adequasse à película. Insatisfeito, Villa-Lobos pretendeu

acompanhamento de barcarola em

UEMG, autor dos livros Músico, doce

desvincular a música do filme, reestruturando-a

12/8; Cair da tarde é uma canção

músico e O grão perfumado – Mário

como uma suíte de concerto, sob o título de Floresta

idílica, de contemplação da natureza;

de Andrade e a arte do inacabado.

do Amazonas. A partitura, característica da última

Canção de amor, uma triste modinha,

Apresenta o programa semanal Recitais

fase do compositor, não apresenta as ousadias dos

apresenta no acompanhamento um

Brasileiros, pela Rádio Inconfidência.


INGRESSO SOLIDÁRIO

Algo aconteceu e você não pode ir a um concerto? A P R O V E I T E PA R A A P R E S E N TA R A FILARMÔNICA AOS SEUS AMIGOS, PA R E N T E S O U E S T U D A N T E S D E M Ú S I C A . É muito simples. Para doar seu Ingresso Solidário, basta o Assinante acessar o aplicativo da Filarmônica até 30 minutos antes do início do concerto e realizar sua doação. O Assinante também pode enviar um e-mail ou ligar para a Assessoria de Relacionamento pelo menos 2 horas antes do concerto. O aplicativo da Filarmônica é compatível com aparelhos

FOTO DO FUNDO: JOMAR BRAGANÇA

Android e iOS e pode ser baixado na loja de aplicativos do seu celular (Google Play ou App Store).

PARA USAR, BAIXE O APP GRATUITAMENTE NO SEU CELULAR

Assessoria de Relacionamento: (31) 3219-9009 de segunda a sexta, das 9h às 18h assinatura@filarmonica.art.br


ORQUESTRA FILARMÔNICA DE MINAS GERAIS

Diretor Artístico e Regente Titular FABIO MECHETTI Regente Associado MARCOS ARAKAKI

PRIMEIROS VIOLINOS

Mikhail Bugaev

FAGOTES

HARPA

Anthony Flint – Spalla

Nathan Medina

Catherine Carignan *

Clémence Boinot *

Rommel Fernandes –

Victor Morais ***

INSTITUTO CULTURAL FILARMÔNICA CONSELHO ADMINISTRATIVO

Oscip — Organização da Sociedade Civil de Interesse Público Lei 14.870 / Dez 2003

OS — Organização Social Lei 23.081 / Ago 2018

EQUIPE TÉCNICA

Presidente Emérito

Gerente de Comunicação

Jacques Schwartzman

Merrina Godinho

Spalla associado

VIOLONCELOS

Andrew Huntriss

TECLADOS

Ara Harutyunyan –

Philip Hansen *

Francisco Silva

Ayumi Shigeta *

Spalla assistente

Robson Fonseca ***

Ana Paula Schmidt

Camila Pacífico

SAXOFONES

Ana Zivkovic

Camilla Ribeiro

Robson Saquett *****

Arthur Vieira Terto

Eduardo Swerts

Joanna Bello

Emília Neves

TROMPAS

Conselheiros

Laura Von Atzingen

Lina Radovanovic

Alma Maria Liebrecht *

Angela Gutierrez

Luis Andrés Moncada

Lucas Barros

Evgueni Gerassimov ***

Arquimedes Brandão

Roberta Arruda

William Neres

Gustavo Garcia Trindade

Berenice Menegale

Assessora de Programação Musical Gabriela de Souza

Delgado

Wagner Sander *****

Presidente

VIOLÃO

Gonçalves Soares Filho

Roberto Mário Fernando Araujo *****

Rodrigo Bustamante

José Francisco dos Santos

GERENTE

Bruno Volpini

Jussan Fernandes

Celina Szrvinsk

Rodrigo M. Braga

CONTRABAIXOS

Lucas Filho

Rodrigo de Oliveira

Nilson Bellotto *

Fabio Ogata

Wesley Prates

André Geiger ***

Gerente Contábil

Claudia da Silva

Graziela Coelho

Guimarães

Ítalo Gaetani

Luis Otávio Rezende

João Paulo de Oliveira

Diano Carvalho

Marco Antônio Pepino

Paulo Baraldi

Rafael Franca

Secretária Executiva

Assistente Operacional

Flaviana Mendes

Rodrigo Brandão

Renata Romeiro

Assistente Administrativa

FORTISSIMO

Carolina Moraes Santana

Cristiane Reis

Abril nº 8 / 2019

Analista de Marketing e Projetos

Assistente de Recursos Humanos

Godinho Delgado

Lilian Sette

Jessica Nascimento

Edição de texto

Analista de Marketing e Relacionamento

Recepcionistas

Capa Detalhe de foto

Meire Gonçalves

de Alan Godfrey

Itamara Kelly

Vivian Figueiredo

Assistente de Produção

Auxiliar Contábil

Pablo Guiñez

Érico Fonseca ** Daniel Leal ***

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Cunha Castello Branco

Rossini Parucci

Mauricio Freire

Fernando Dornas

Gideôni Loamir

Walace Mariano

Tássio Furtado

Risbleiz Aguiar

Octávio Elísio

Lívia Aguiar

Sérgio Pena

Renata Gibson

Luka Milanovic

FLAUTAS

TROMBONES

ARQUIVISTA

Martha de Moura

Cássia Lima*

Mark John Mulley *

Ana Lúcia Kobayashi

Pacífico

Renata Xavier ***

Diego Ribeiro **

Matheus Braga

Alexandre Braga

Wagner Mayer ***

ASSISTENTES

Radmila Bocev

Elena Suchkova

Renato Lisboa

Claudio Starlino

Tiago Ellwanger

OBOÉS

TUBA

Valentina Gostilovitch

Alexandre Barros *

Eleilton Cruz *

Marco Antônio Soares da

Jovana Trifunovic

Pradenas *

DIRETORIA EXECUTIVA

SUPERVISOR DE MONTAGEM

Diomar Silveira

Diretor Administrativofinanceiro Joaquim Barreto

Rodrigo Castro

MONTADORES

Diretor de Comunicação

Hélio Sardinha

Agenor Carvalho

Flávia Motta

CLARINETES

Gerry Varona

Marcus Julius Lander *

PERCUSSÃO

Gilberto Paganini

Jonatas Bueno ***

Rafael Alberto *

Katarzyna Druzd

Ney Franco

Daniel Lemos ***

Diretora de Marketing e Projetos

Luciano Gatelli

Alexandre Silva

Sérgio Aluotto

Zilka Caribé

Marcelo Nébias

Klênio Carvalho

Werner Silveira

**** principal / assistente substituta

*** principal assistente ***** musicista convidado

Pedro Almeida

Auxiliares de Produção

Auxiliar Administrativa Geovana Benicio

O Fortissimo está indexado aos sistemas nacionais e internacionais de pesquisa. Você pode acessá-lo também em nosso site.

André Barbosa Ivar Siewers

** principal associado

Editora Merrina

Berenice Menegale

Rildo Lopez

Diretor de Operações

* principal

ISSN 2357-7258

Diretor Presidente

Jônatas Reis

Patricio Hernández

Jorge Correia

Karolina Lima

Hyu-Kyung Jung ****

Maria Fernanda Gonçalves

Gerente de Operações

Quézia Macedo Silva

INSPETORA

Frank Haemmer *

Roberto Papi ***

Renato Bretas

Gerente de Recursos Humanos

Técnicos de Áudio e de Iluminação

Analistas de Comunicação

João Carlos Ferreira *

Gerente de Infraestrutura

Analistas Administrativos

Marlon Humphreys *

TÍMPANOS

Sunamita Souza

Produtor

Marcos Lemes

Israel Muniz

Jovem Aprendiz

Fernando de Almeida

SEGUNDOS VIOLINOS

VIOLAS

Douglas Conrado

SALA MINAS GERAIS

Gerente de Produção Musical

TROMPETES

Públio Silva ***

Gerente Administrativofinanceira

Mensageiro

Ana Lúcia Carvalho

Marcelo Cunha

Rodolfo Toffolo

EQUIPE ADMINISTRATIVA

Jeferson Silva

Auxiliares de Serviços Gerais Ailda Conceição Rose Mary de Castro

Este programa foi impresso em papel doado pela Resma Papéis.


NO CONCERTO CUIDE DA SAL A

SEJA PONTUAL.

MINAS GERAIS.

TRAGA SEU

NÃO COMA

I N G R E S S O O U C A R TÃ O

OU BEBA.

DE ASSINANTE.

DESLIGUE

D E I X E PA R A

O CELULAR

APL AUDIR AO F IM

(SOM E LUZ).

DE CADA OBRA.

NÃO FOTOGRAFE

S E P U D E R , D E V O L VA

O U G R AV E E M

SEU PROGRAMA

ÁUDIO / VÍDEO.

DE CONCERTO.

EVITE TRAZER

FA Ç A S I L Ê N C I O

CRIANÇAS MENORES

E EVITE TOSSIR.

DE 8 ANOS.

EM MAIO Dias 4 e 5, 18h

FORA DE SÉRIE / MÚSICA E CINEMA

Dias 9 e 10, 20h30 Dia 12, 11h

A L L E G R O E V I VA C E

CLÁSSICOS NA PRAÇA / INHOTIM

Dias 16 e 17, 20h30 Dia 25, 18h

PRESTO E VELOCE

F O R A D E S É R I E / M Ú S I C A , FAU N A E F L O R A

Dias 30 e 31, 20h30

A L L E G R O E V I VA C E

Restaurantes parceiros Nos dias de concerto, apresente seu ingresso ou cartão de Amigo ou

Rua Pium-í, 229

Assinante e obtenha

Cruzeiro

Lourdes

Tel: 3227-7764

Tel: 3292-6221

descontos especiais.

R. Rio de Janeiro, 2076


MANTENEDOR

DIVULGAÇÃO

PAT R O C Í N I O

REALIZAÇÃO

www.filarmonica.art.br / FILARMONICAMG

RUA T E N E N T E B R I TO M E LO , 1. 090 — BA R RO PR E TO C E P 3 0 .1 8 0 - 0 7 0

|

T E L : ( 3 1 ) 3 2 1 9. 9 0 0 0

BELO HORIZONTE – MG |

FA X : ( 3 1 ) 3 2 1 9. 9 0 3 0

COMU NI CA ÇÃO IC F / 20 19

Sala Minas Gerais

Profile for Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Maio de 2019 | Presto e Veloce 4  

Fabio Mechetti, regente Sonia Rubinsky, piano Carla Cottini, soprano Iara Fricke Matte, regente do coral Concentus Musicum de Belo Horizonte...

Maio de 2019 | Presto e Veloce 4  

Fabio Mechetti, regente Sonia Rubinsky, piano Carla Cottini, soprano Iara Fricke Matte, regente do coral Concentus Musicum de Belo Horizonte...

Advertisement