Page 1

Relatório Anual 2003

Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos


2

Sumário Apresentação Da Antiguidade aos nossos dias: breve histórico dos surdos no mundo Os surdos no Brasil Feneis: uma história de muita luta O que é a FENEIS? Matriz - Rio de Janeiro Escritório Regional de Minas Gerais Escritório Regional do Rio Grande do Sul Escritório Regional de São Paulo Escritório Regional do Distrito Federal Escritório Regional de Pernambuco Escritório Regional do Paraná Escritório Regional do Ceará Escritório Regional de Santa Catarina Escritório Regional do Amazonas Outras Atividades desenvolvidas Balanço Anual de 2003 Relação dos membros e órgãos da FENEIS Agradecimentos


3

Apresentação

Inclusão social, esse foi o maior desafio de 2003 para a comunidade surda. A Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos, Feneis, nos seus 18 anos de existência, vem lutando pelo reconhecimento da identidade surda e pela eliminação das barreiras de comunicação. Isso só é possível se houver a aceitação da Libras como língua materna. Entendemos que a inclusão só é acontecerá se vier acompanhada do respeito a nossa cultura e a todas as subculturas existentes no Brasil. Sendo assim, a entidade desenvolveu um trabalho voltado para todos os surdos do país, sejam eles negros, brancos, índios ou mestiços, e de todas as idades. A cultura surda abrange uma totalidade de outras culturas e é por isso que a Feneis busca estar em todos os lugares, mesmo sendo o Brasil um país de extenso território. Para um melhor desenvolvimento dos trabalhos, a Feneis, em 2003, estreitou suas relações com organizações governamentais e não governamentais, visando parcerias produtivas e eficazes. Além disso, criou novos escritórios regionais para reduzir as barreiras de comunicação e de distância existentes em nosso país. Uma das nossas lutas constantes, que não se interrompe em 2003, é pelo cumprimento da lei de oficialização da Libras. Alguns setores ainda possuem uma mentalidade tradicionalista, pouco inclusiva e preconceituosa, o que impede o efetivo cumprimento da lei nacional. O mercado de trabalho e a promoção social dos indivíduos surdos também foi uma forte preocupação da Feneis. Trabalhador satisfeito, cidadão participante. Com isso, acredito que cumprimos a nossa função social. A luta não pára por aqui. Ainda há muito por fazer pela comunidade surda. Consciente disso, a Feneis reitera diariamente o seu compromisso de luta pela melhoria da qualidade de vida dos surdos e pelo reconhecimento da cultura. A todos os companheiros, profissionais, dirigentes e pessoas envolvidas, o meu agradecimento pelo apoio nesse árduo trabalho. Nossos parceiros favorecem, cada vez mais, o bom trabalho da Feneis, que parte rumo ao ano de 2004, satisfeita com o trabalho realizado e com expectativas positivas para o próximo ano.

Antônio Mário Sousa Duarte Diretor Presidente


4

Da Antiguidade aos nossos dias: breve histórico dos surdos no mundo A história dos surdos e a origem da exclusão são contadas a partir de diversos recortes da história da humanidade. Ao reunir os momentos em que a historiografia registra a passagem dos surdos é possível tecer uma análise histórica sobre a representação dessas pessoas desde a antigüidade e sobre o reconhecimento na sociedade atual. Na literatura mundial, os registros mais antigos são as passagens do antigo testamento que mostram que hebreus, egípcios e romanos já conviviam com os surdos e os consideravam inferiores. Rômulo, fundador de Roma, decretou no ano 753 a.C. que todas as crianças de até três anos que constituíssem um peso potencial para o Estado fossem sacrificadas. Os surdos estavam nessa lista. Já na Grécia antiga, predominava o ideal da beleza e da perfeição, representado pelos deuses gregos. Nesse contexto, os surdos eram considerados imperfeitos e incapazes de desempenhar qualquer atividade produtiva ou útil para o Estado. Heródoto, historiador grego, dizia que os surdos eram castigados por Deus. Até mesmo Aristóteles, que participava de um movimento filosófico baseado na experimentação, não acreditava na possibilidade de participação dos surdos na sociedade grega. Nessas sociedades antigas, os surdos ficavam restritos aos seus lares por vergonha da família. Essa situação perdura em algumas casas até os dias de hoje. Por certo, a representação que se tinha dos surdos passa por lentas mudanças ao longo da história, mas o estigma da inferioridade ainda continua presente. No século XVIII, entretanto, essa situação começa a sofrer transformações radicais. Ao observar que os surdos pobres da periferia de Paris se comunicavam através de gestos, o Abade L’Epée (1712-1789) resolveu aprender essa forma de comunicação e criou a primeira escola pública para surdos com a metodologia de ensino baseada no uso da língua de sinais. Esse foi o primeiro passo para a valorização dos surdos enquanto pessoas capazes. Se há possibilidade de aprendizado e de desenvolvimento ao se empregar uma outra forma de ensino, então há uma igualdade cognitiva entre surdos e ouvintes. Esse modelo educacional se expandiu por toda a Europa e as escolas dos outros países passaram a utilizar as línguas de sinais nacionais. O avanço na educação durou pouco mais de um século. Ele foi abafado pela força da medicina e por correntes filosóficas que refutavam a possibilidade de se comunicar e de ensinar através dos gestos. Em 1750 surge o método do oralismo, o qual considera a surdez uma patologia crônica, traduzida como uma lesão no canal auditivo que impede a aquisição da língua. Para os defensores do modelo médico, a voz é o único meio de comunicação e de educação. Nesse sentido, intervenções clínicas, segundo os médicos e fonoaudiólogos, podem corrigir a surdez e induzir à fala. Além disso, a concepção errônea de que a abstração só é possível através da comunicação oral e que o gestualismo leva ao pensamento concreto ajudou a reforçar a ideologia dominante. Sendo assim, o oralismo parte da idéia de uma “normalização” dos surdos. Em 1880, esse método foi oficialmente adotado no Congresso de Milão. Desde então, foram excluídas todas as possibilidades de uso das línguas de sinais nas instituições ou nas escolas que recebiam surdos. Orientada pelos professores, a família também passou a adotar o método em casa. Seguiram-se anos de extrema repressão, em que simples gestos eram considerados caminhos para a língua de sinais e, portanto, estavam expressamente proibidos. No auge do oralismo, aquele surdo que utilizasse sinais era severamente punido. Às vezes tinha as mãos amarradas, eram impedidos de se encontrarem com outros surdos e sofriam


5

castigos físicos. Eram verdadeiras perseguições que reforçavam cada vez mais o colonialismo dos ouvintes. Durante o período em que predominou a ideologia oralista, alguns surdos continuaram com suas reuniões que se originaram nos banquetes de surdos franceses de 1834. Esses encontros eram bem mais do que simples reuniões. Eles nasceram puramente da necessidade de se comunicar, de encontrar um igual, pessoas que “falassem” a mesma língua e que se entendessem. Com o tempo conquistas e experiências foram sendo comunicadas. Depois da implantação do oralismo, as reuniões passaram a ser a resistência da cultura surda, pois era o único lugar onde a língua de sinais era usada, mesmo sendo proibida. As primeiras organizações francesas deram origem às associações de Surdos que se espalharam pelo mundo todo. Hoje, além de desempenhar uma função política e social, elas funcionam como lugares de rica convivência, troca de experiências, lazer, esporte e, principalmente, o fortalecimento da identidade Surda. Uma importante organização que surgiu da luta das associações é a Federação Mundial dos Surdos, entidade não-governamental que representa as comunidades surdas em organizações como a ONU, UNESCO, OMS e OIT. Fonte: PERLIN, Gladis T. T. História dos Surdos. Caderno Pedagógico – Pedagogia para Surdos. Florianópolis: UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina/ CEAD, 2002. 107p SKLIAR, C. (Org.) A Surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre, RS: Mediação, 1998.

Os surdos no Brasil No Brasil, a história não foi muito diferente. Em setembro de 1857 surgiu na cidade do Rio de Janeiro a primeira escola de surdos brasileira a utilizar a língua de sinais, o Imperial Instituto de Surdos-Mudos, hoje chamado INES (Instituto Nacional de Educação dos Surdos). A iniciativa foi de Eduard Huet, professor surdo que havia se mudado da França para o Brasil naquela época e que seguia a mesma modalidade de ensino do abade L’Epée. Mas, assim como a educação na França, a língua de sinais no Brasil deixou de se desenvolver com o Congresso de Milão. Embora a influência do oralismo fosse forte, os surdos brasileiros buscaram alternativas de se comunicarem através da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Organizaram-se em forma de associações para viverem aí a sua cultura. No princípio eram apenas encontros que aconteciam nas escolas ou mesmo em pontos de encontro. O Instituto Nacional de Educação de Surdos do Rio de Janeiro é um desses famosos lugares, na rua das laranjeiras. Surdos de todo o país iam estudar na capital do Rio de Janeiro e a partir dessas reuniões informais surgiam algumas lideranças. Na década de 50 surgiram as primeiras associações de surdos no Brasil, que depois de algum tempo começaram a se organizar politicamente. Associação Brasileira de SurdosMudos (Rio de Janeiro), Associação Alvorada dos Surdos (Rio de Janeiro) e Associação dos Surdos de São Paulo foram as primeiras do país. Hoje, praticamente todas as cidades que conseguem reunir um número mínimo de surdos para fundar uma associação o fazem. Elas estão espalhadas por todo o país, em cidades pequenas, médias ou grandes. O esporte tem sido um dos grandes responsáveis pelo intercâmbio entre as associações de todo o país, já que as competições esportivas reúnem surdos de diversos


6

lugares. Esse é um fator importante para a troca de experiências sobre as lutas pelo reconhecimento nas várias regiões.


7

Feneis: uma história de muita luta A criação das associações foi, sem dúvida, um passo decisivo para a autonomia dos surdos. Com o passar do tempo, houve a necessidade de fundar uma organização nacional que atendesse a todas as pessoas surdas do país. Como resultado da reunião de várias entidades que já trabalhavam com essa temática surgiu a Federação Nacional de Educação e Integração dos Deficientes Auditivos, conhecida como FENEIS, fundada no dia 21 de Abril de 1977, no Rio de Janeiro. Entretanto, a entidade era dirigida por ouvintes que representavam a comunidade Surda. Em 1987, os surdos, antes excluídos das decisões dessa entidade, concorreram às eleições daquele ano e assumiram a liderança da FENEIDA, que passou a se chamar FENEIS (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos). Nesse dia estiveram presentes líderes da comunidade surda de vários lugares do país, num total de 16 representantes:                

Associação dos Surdos de Minas Gerais - Belo Horizonte - MG Antônio Campos de Abreu (surdo) Associação Bem Amado dos Surdos - Rio de Janeiro - RJ Láis Migon da Costa velho (ouvinte) Associação de Pais e Amigos de Audio-comunicação – Marília –SP Luiza Paulina de Lira (ouvinte) Instituto Nossa Senhora de Lourdes – Rio de Janeiro - RJ Irmã Maria Lúcia Pinto Marques (surda) Associação de Pais e Amigos dos Deficientes .Auditivos – Niterói – RJ Luciane Rodrigues (surda) Associação dos Surdos de Cuiabá – MT Cleber Gomes Tavares (surdo) Centro Educacional da Audição e Linguagem – Brasília – DF Associação de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos – Brasília - DF Padre José Rimoldi (ouvinte) Associação dos Surdos de Rio de Janeiro José Carlos Laviola (surdo) Associação dos Surdos de Mato Grosso do Sul - MS Shirleu Vilhalba (surda) Instituto Londrinense de Educação de Surdos – Londrina - PR Padre Salvador Stragapede (ouvinte) Pastoral dos Adolescentes Surdos – PR Rejane Assumpção (surda) Associação Reabilitação e Pesquisa em Fonaoudiologia – Rio de Janeiro - RJ Centro SUVAG – Recife - PE Carmem Portual de Almeida Falcâo (ouvinte) Associação dos Deficientes Auditivos do Distrito Federal – Brasília - DF Clóvis Coutinho do Nascimento (surdo) Instituto da Fala e da Audição –Escola Estadual Francisco Sales – Belo Horizonte – MG - Geralda Eustáquia Ferreira (ouvinte)

Vários nomes foram sugeridos para a nova entidade e a votação ficou assim definida. Federação Nacional de Surdos – FNS – 1 voto Federação Brasileiro de Surdos – FBS – nenhum voto


8

Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos – FENEIS – 10 votos Federação Nacional Entidades de Luta pelos Direitos dos Surdos – FENS – 1 voto Federação Nacional de Educação e Integração de Deficientes Auditivos – FENEIDA – 1 voto Abstenções – 3 A mudança do nome foi muito significativa, pois era o primeiro passo para o surdo ser reconhecido como diferente, e não como uma pessoa que é incapaz por possuir uma deficiência. O desejo da nova diretoria era constituir uma federação nacional verdadeiramente representativa da comunidade e que tivesse como princípio a luta pelo reconhecimento da Libras, a luta pelas mudanças nas políticas governamentais e a mudança do conceito que a sociedade tem sobre os surdos. O movimento social legitimamente constituído na contemporaneidade se caracteriza pela busca do reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais e da cultura dos surdos. A FENEIS cresceu e expandiu seu trabalho por todo o país. A luta pelo reconhecimento continua, pois a herança do oralismo ainda perpetua as idéias de correção da surdez, de medicalização e de deficiência. Incentivada pela Coordenadoria Nacional para a Integração de Pessoas Portadoras de Deficiência (CORDE), do Ministério da Justiça, a FENEIS iniciou a realização de convênios para a inserção de surdos no mercado de trabalho. O primeiro deles foi assinado com a DATAPREV/SA, e é dessas parcerias que a FENEIS, em sua grande parte, se mantém financeiramente. Com o sonho de fundar seus Escritórios Regionais para suprir as demandas diferenciadas da comunidade, a Federação se fortaleceu e preparou-se para descentralizar. Hoje, com 18 anos de existência, a FENEIS se orgulha do trabalho que vem realizando com esforço e consciência de que a audácia e a coragem fazem parte do dia a dia. Já passaram pela presidência da instituição os seguintes surdos:


9

O que é a FENEIS? Como entidade filantrópica, de cunho civil e sem fins lucrativos, a FENEIS trabalha para representar as pessoas surdas, tendo caráter educacional, assistencial e sociocultural. Uma das suas principais bandeiras é o reconhecimento da cultura surda perante a sociedade. São atendidos pela FENEIS, além de surdos, familiares, instituições, organizações governamentais e não governamentais, professores, fonoaudiólogos e profissionais da área. Atualmente, possui 141 entidades filiadas, 11 Escritórios Regionais, além da matriz, e uma representação em Teófilo Otoni/MG. É filiada à Federação Mundial dos Surdos (FMS/WFD), que tem sede e administração na Finlândia. Essa entidade representa os surdos em organizações mundiais como a ONU, UNESCO, OEA, OIT, sempre trabalhando no sentido de garantir os direitos culturais, sociais e lingüísticos da comunidade surda mundial. A participação da Feneis numa entidade como essa propicia o constante intercâmbio com surdos do mundo todo, conhecendo a luta de cada um e formando uma rede em prol do direito universal à cidadania. Objetivos O caráter filantrópico da FENEIS ultrapassa o assistencialismo e a caridade, sendo que fornece condições para o real desenvolvimento dos surdos, equiparando-os com os demais integrantes da sociedade. Seu papel é o de dar suporte para esse desenvolvimento, além de defender os direitos da comunidade surda junto a órgãos oficiais para garantir essas condições de igualdade. A principal forma de igualdade dos surdos é a conquista da sua autonomia. Isso se consegue através do respeito à cultura de cada um e do acesso aos sistemas de saúde, educação, jurídico e a todos os outros setores da sociedade. A FENEIS busca reivindicar esses direitos para que o surdo tenha uma boa qualidade de vida, além de incentivar o uso da Libras como meio de comunicação. Uma das nossas metas foi atingida recentemente com a oficialização da Libras. A nova Lei garante à comunidade surda uma Educação Especial que respeite a Libras e atendimento em estabelecimentos públicos com pessoa capacitada a atender os surdos. Consta nos artigos quinto e sexto do estatuto da FENEIS as suas principais finalidades: I - Promover e assessorar a educação e a cultura das pessoas portadoras de surdez/deficiência auditiva; II - Incentivar o uso dos meios de comunicação social apropriados à pessoa surda, especialmente de LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais; III - Apoiar e colaborar com as filiadas, as Associações de Surdos, de Pais e Amigos de Surdos, Escolas e Clínicas especializadas, objetivando uma ação conjunta no sentido de melhorar os recursos educativos e de integração das pessoas portadoras de surdez/deficiência auditiva; IV - Incentivar a criação e o desenvolvimento de novas instituições, nos moldes das modernas técnicas de atendimento, visando o diagnóstico à prevenção, a estimulação precoce, a educação, a profissionalização e a integração da pessoa portadora de surdez/deficiência auditiva; V - Estender o seu âmbito de ação às organizações nacionais e internacionais, para maior troca de experiência e ampliações de recursos técnicos e materiais;


10

VI - Apresentar sugestões aos órgãos oficiais e poderes públicos, visando o aperfeiçoamento do atendimento da pessoa portadora de surdez/deficiência auditiva, servindo, inclusive, como órgão de assessoramento; VII - Organizar e participar de Congressos, Seminários, Cursos ou correlatos, a nível Internacional, Nacional, Regional, Estadual ou Municipal com fins de promover o intercâmbio e aprimoramento dos assuntos que envolvem a problemática da pessoa portadora de surdez; VIII - Estimular a realização de pesquisas, estudos e estatísticas referentes à deficiência auditiva, favorecendo a formação e o aperfeiçoamento de recursos humanos especializados; IX – Promover a profissionalização e inserção da pessoa portadora de surdez no mercado de trabalho, firmando convênios e/ou contratos com pessoas jurídicas privadas e públicas; X - Promover a defesa e postulação pela substituição processual de interesses difusos e coletivos pertinentes à deficiência; XI – Incentivar e/ou criar escolas e cursos voltados aos surdos através de parcerias, convênios ou outros meios, com órgãos governamentais ou não governamentais, dentro de seus escritórios ou fora deles. Artigo 6º - A FENEIS envidará meios de divulgar através dos veículos de comunicação de massa ou de periódicos, para conhecimento de pais, educadores, empregadores, autoridades e do público: I - A importância do uso da Língua de Sinais, como meio natural de comunicação de pessoas surdas. II - As possibilidades de pessoas portadoras de surdez na educação, com o uso formal de linguagem oficial, na estruturação oral escrita e de leitura, através do ensino específico, seja em escolas especializadas ou classes especiais de escolas regulares, públicas ou privadas; III - A plena capacidade laborativa da pessoa portadora de surdez; IV - Das experiências e resultados de trabalhos de instituições afins de obras específicas nacionais e estrangeiras, de normas federais, estaduais e municipais que abordem a problemática da surdez; As inúmeras atividades descritas nesse relatório, tem como objetivo final o reconhecimento dos surdos pela sociedade como pertencentes a uma cultura própria, mas igualmente capazes de realizar os deveres e reivindicar os direitos de um cidadão. Como funciona e se mantém A FENEIS é uma entidade que visa a filantropia e é reconhecida como Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal. Por isso tem isenção da contribuição do INSS e de encargos sociais. Também é registrada no Conselho Nacional de Assistência Social e no Ministério da Previdência Social. Anualmente esse relatório é enviado ao Ministério de Justiça para que sejam conferidas as ações executadas pela FENEIS. A partir daí é renovado esse benefício. A execução e a fiscalização das atividades, tanto administrativas quanto financeiras, é de responsabilidade de todos os membros da Diretoria, Conselho Fiscal, Conselho Consultivo e Diretores Regionais. É previsto em estatuto, que todos esses integrantes não devem usufruir de vantagens ou benefícios para a execução dessas atividades.


11

As despesas da Feneis incluem gastos com material e com funcionários dos Escritórios Regionais, planos de saúde, assessoria judiciária, orientação familiar e visitas domiciliares. Aqueles escritórios que ainda não possuem sede própria ou não conseguiram um local provisório de funcionamento, têm o aluguel pago pela Feneis. Além disso, constantemente tem-se contribuído para a realização de eventos relacionados à problemática da surdez, através de patrocínio, divulgação e envio de intérpretes e palestrantes. A entidade se mantém das seguintes formas: Subvenções: Órgãos governamentais ou não governamentais, mediante apresentação de projeto, repassam recursos para a viabilização destes. Normalmente esses recursos são solicitados para a aquisição de equipamentos, remuneração de profissionais, oferta de cursos, reformas e eventos. Posteriormente é feito a prestação de contas. Taxas administrativas: A partir de cada convênio firmado de prestação de serviços, é cobrada uma taxa administrativa, negociada por contratado e contratante. Essa quantia é geralmente utilizada para pagamento de encargos sociais, despesas de manutenção dos Escritórios Regionais, aluguel, funcionários, entre outros. Fundo de Reservas: Esse recurso é destinado ao pagamento de acerto com funcionários, FGTS, salário-férias, décimo terceiro salário, e outras garantias do trabalhador. Ele é adquirido também através dos convênios e não pode ser utilizado para nenhum outro fim. Estrutura Organizacional A Feneis é dirigida por uma equipe composta pela Diretoria, Conselho Fiscal, Conselho Consultivo e Diretores Regionais. Todos os membros estão espalhados pelas várias regiões do país, buscando tornar a representatividade completa. Além disso, sua estrutura física se divide, atualmente em Matriz, localizada no Rio de Janeiro, Escritórios Regionais e Centro de Educação e Estudos em Libras (CEEL).

Escritório Regional A intenção da Feneis é poder alcançar o maior número de surdos. Entretanto o Brasil é um país de extenso território. Para vencer essa barreira a descentralização se fez necessária e hoje a Feneis conta com 7 Escritórios Regionais localizados em Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Distrito Federal, Paraná, Ceará,Amazonas,Santa Catarina. Cada um possui um Diretor Regional e uma linha de ação, considerando as demandas locais. É impossível estabelecer o mesmo conjunto de ações, já que cada região tem suas particularidades e suas necessidades. Entretanto as atividades são realizadas com as mesmas diretrizes definidas pela diretoria, em todo o país. Centro de Educação e Estudos em Libras (CEEL)


12

O CEEL foi constituído com o objetivo de ser um centro de referência para estudos realizados sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e sobre a educação dos surdos. Suas atividades envolvem elaboração de políticas voltadas para a Libras, promoção de cursos de Libras, promoção e apoio a eventos relacionados com a educação dos surdos e suporte para trabalhos e pesquisas. Dentre as suas finalidades estão: defender a Libras como primeira língua das comunidades surdas; apresentar à sociedade a necessidade da presença de intérpretes de Libras nos estabelecimentos de ensino freqüentado por surdos; estimular a criação de escolas de surdos; reunir grupos de discussões sobre propostas metodológicas e curriculares para a educação dos Surdos e promover intercâmbios permanentes com grupos de pesquisa nessa área. Funcionamento da Matriz e dos Escritórios: Matriz da FENEIS – Rio de Janeiro O Escritório funciona na sede própria deste 1991. A casa é antiga e já foi reformado o segundo andar, onde funciona a parte administrativa e diversas reuniões Escritório Regional de Minas Gerais No início funcionava numa sede provisória cedida pela Sociedade dos Surdos de Belo Horizonte. Em seguida passou a funcionar numa sede alugada e só depois é que se mudou para o Centro Verbonal de Minas Gerais (SUVAG). O acordo era que a FENEIS pagasse as despesas de manutenção do espaço e dos profissionais do Centro, ao invés do aluguel. A estrutura física do local é composta por 3 andares , 21 salas, auditório e pátio. Secretaria Regional em Teófilo Otoni A princípio funcionava em um posto de saúde emprestado pelo Governo Estadual de Minas Gerais. Com o passar do tempo, desenvolveu-se e conseguiu alugar uma casa. Está ligada ao Escritório Regional de Minas Gerais. Escritório Regional de São Paulo Durante algum tempo a sede funcionou em uma casa alugada. Em seguida mudou-se para a sede da Confederação Brasileira de Desportos dos Surdos, devido a uma difícil crise econômica. Por enquanto, o escritório vai funcionar nessa sede até que se acabem as dificuldades financeiras. A contrapartida da FENEIS é o pagamento das despesas de manutenção do local. Escritório Regional de Rio Grande do Sul Sede alugada, que se sustenta com o dinheiro que provém dos cursos de Libras. Escritório Regional de Pernambuco Funciona na Santa Casa de Misericórdia. O Instituto dos Cegos ofereceu uma sala para a FENEIS, que paga uma pequena taxa para a manutenção do espaço. Escritório Regional do Ceará Funciona na Associação dos Pais e Amigos dos Surdos do Ceará, de segunda a sexta. Escritório Regional do Distrito Federal


13

No início, a Associação dos Surdos de Brasília, que possui sede própria, ofereceu duas salas que estavam vagas para a FENEIS. A contrapartida era o pagamento de condomínio, energia e demais despesas. Depois de alguns meses, foi alugada uma sala maior, que abrigasse os cursos de Libras e as reuniões. Escritório Regional do Amazonas A Associação dos Surdos de Manaus ofereceu uma sala para o funcionamento do escritório. É um local provisório, que funciona de segunda a sexta. Escritório Regional do Paraná A Associação dos Surdos de Curitiba ofereceu um espaço na sua sede própria para o funcionamento do Escritório da FENEIS. A parceria favoreceu tanto a nossa entidade quanto a Associação, pois a Prefeitura exigiu que a entidade local abrisse suas portas durante todos os dias da semana. Sendo assim, a FENEIS utiliza o espaço de Segunda a Sexta e a Associação aos sábados, domingos e feriados. A prefeitura assinou um decreto publicado no diário oficial, que autoriza a instalação do Escritório da FENEIS em propriedade prefeitura (decreto nº733, publicado no dom 79 de 10/10/2002). Escritório Regional de Santa Catarina O escritório funciona provisoriamente na escola IATEL, e a previsão de permanência é até 2004. Todas as despesas são cobertas com receitas que provém dos cursos de Libras e das taxas de filiação das entidades. Para aqueles escritórios que ainda não possuem meios para a auto gestão, a matriz e o Escritório de Minas Gerais oferecem um auxílio. Não há nenhum financiamento do Governo e é de inteira responsabilidade da diretoria garantir o bom funcionamento dos escritórios.


14

Rio de Janeiro – Matriz Secretaria É de responsabilidade da Secretaria todo o envio, recebimento, elaboração e encaminhamento de correspondências e de comunicados internos. Além disso são feitos, diariamente, contatos com os Escritórios Regionais e com as entidades filiadas para orientar e informar sobre a organização da FENEIS. O setor também é responsável pelo recebimento da taxa de filiação, atualização dos arquivos de endereços, atendimento a pessoas interessadas em conhecer mais a FENEIS e a entidades que queiram se filiar. Para essas pessoas são encaminhados material institucional. Por fim, a Secretaria faz a transcrição das atas de reunião administrativa e da Diretoria.

Assessoria Jurídica Durante esse ano, a Assessoria Jurídica orientou a FENEIS na realização dos contratos de prestação de serviço e deu respaldo jurídico a todas as situações que envolvam o aspecto legal. Além disso realizou-se orientações gratuitas à comunidade surda sobre leis e direitos.

Recursos Humanos O setor de Recursos Humanos é subdividido em Divisão de Psicologia e Divisão de Serviço Social. Segue abaixo a descrição das atividades: Divisão de Psicologia A Divisão de Psicologia na instituição permite à organização realizar procedimentos que envolvam tanto o comportamento das pessoas como em suas competências, podendo gerar conceitos que transformam os tradicionais. O trabalhador, motivado por novos conceitos, agrega valores positivos sobre a atividade produtiva na organização. Na era da informação os trabalhadores sem qualificação têm seus salários diminuídos ou demonstram um grande índice de rotatividade. Diante desse quadro, o setor de RH procura atuar e mostrar valor, qualidade e confiabilidade dos talentos de seu quadro funcional. A qualidade nas organizações deve ser entendida como um processo contínuo e ético, envolvendo respeito ao cliente, aos membros da organização e a sociedade como um todo. Motivar os empregados é uma tarefa difícil por ser um processo demasiadamente complexo. Motivação e comprometimento são dois pontos importantes para qualidade da empresa. O RH da instituição lida com o envolvimento, educação e treinamento dos empregados, auxiliando assim na garantia da qualidade dos serviços, e consequentemente zelando pelo nome e espaço da FENEIS. São realizados recrutamento, seleção e treinamento de candidatos às vagas dos convênios. Contamos com os seguintes convênios: DATAPREV IRB(Instituto Brasil Resseguros) SINE (Sistema Nacional de Emprego/ Secretaria do Estado de Ação Social) INES (Instituto Nacional de Educação dos Surdos)


15

Eninco - Engenharia Indústria e Comércio FioCruz (Fundação Oswaldo Cruz) Funlar( Fundação Lar Escola Francisco de Paula) Instituto Vital Brasil Fundação de Energia Elétrica Rio Luz Fundação de Zoológicos RioZoo Atendimento às empresas contratantes e à própria sede: IRB (Instituto Brasil Resseguros) Visitas ao local: 20  Acompanhamento a funcionário devido a problemas particulares, que interferem no desempenho do surdo no trabalho;  Recrutamento e seleção;  Aconselhamento psicológico;  Reunião com um grupo de surdos, orientando quanto ao desempenho;  Reuniões com as chefias;  Reunião junto ao Recursos Humanos da instituição contratante para organizar a reunião com as chefias; Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) Visitas ao local: 15  Reunião com surdo para a mudanças das tarefas no setor;  Intervenção em situação problema;  Reunião com chefia para realizar desligamento de funcionário;  Seleção para cooperativa;  Organização com RH /INCQS para organizar palestras de um profissional da área de médicina sobre qualidade de vida; Sine (Sistema Nacional de Empregos) Visitas ao local: 09  Encaminhamento para substituição de férias;  Intervenção em situação problema;  Reunião com o grupo de surdos; Funlar ( Fundação Lar Escola Francisco de Paula) Visitas ao local: 09  Reunião com o grupo com o objetivo de esclarecer pontos que atrapalham o alcance de resultados esperados pela organização;  Reunião com o grupo;  Intervenção em situação problema;  Participação como palestrante da Oficina "Surdez", que tratou das seguintes questões: esclarecimentos sobre o que é a deficiência, papel do funcionário da instituição para portador de deficiência e paternalismo e profissionalismo. Bancas de Intérprete Participação: 09  Checando postura do candidato.  Participação em dramatização para observar o desempenho do candidato.  Checar domínio dos sinais.


16

Projeto Escolarizar: Visitas ao local: 29  Reunião com o núcleo de organização do projeto;  Observação e pesquisa de campo em sala de aula;  Reunião com a coordenação de Libras - contrapartida da FENEIS para funcionário do Sine;  Substituição do orientador na disciplina de Português, a partir de Maio. A orientadora foi afastada de suas atividades devido a gravidez de risco e o núcleo de organização do projeto, composto por representantes da FENEIS e do Sine, se articulou para que o projeto não fosse extinto. Rioluz Visitas ao local: 10  Reunião com o coordenador da sede;  Intervenção em situação problema. Sede da FENEIS: Um total de 540 surdos foram atendidos nesse setor para cadastramento, orientação, encaminhamentos e outros procedimentos descritos abaixo:          

Realização de Parecer Psicológico, mediante solicitação do Ministério da Justiça, Detran e outras instituições; Reunião com Vice-Presidente e o responsável pela Segurança de Trabalho, a fim de discutir como orientar os funcionários sobre o que é segurança. Reunião com a Prefeitura de Caxias, a fim de discutir estratégias para estreitar a parceria . Contato com empresas, propondo parceria com a FENEIS. Um desses contatos foi realizado com a Sadia Organização de cursos para surdos, concretizados através da verba da Prefeitura da Cidade do RJ em parceria com o CEFET. Acompanhamento do curso CEFET Recrutamento externo, a fim de completar o quadro interno da FENEIS. Intermediação junto a empresas contratantes no encaminhamento de intérpretes, a fim minimizar dificuldades de comunicação. Desligamento de prestador de serviços lotado na Prefeitura de Caxias. Orientação a funcionário, a fim de mudanças no comportamento

Quanto ao encaminhamento para as empresas não contratantes, cerca de 15 surdos foram encaminhados para o Balcão de Empregos Bed e 3 pessoas para o Ipiranga. Os outros serviços realizados seguem descritos abaixo:    

Reunião na Dataprev/CV junto a empresa Dentecross, a fim de esclarecer os valores do plano odontológico; Reunião no INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos), a fim de discutir contratos; Aconselhamento psicológico na Dataprev/AR. Participação no Evento da Eletronuclear em parceria com ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos) sobre o papel desse setor nas instituições;


17

    

Acompanhamento do CIAD - Centro de Integração da pessoa portadora de deficiência, sendo realizadas 8 visitas; Participação do evento realizado pelo Ines e pelo Senai " A importância da escolaridade no mercado de trabalho"; Participação em reuniões da Delegacia Regional do Trabalho; Acompanhamento de surdo ao hospital. A pessoa estava internada e a FENEIS precisava dos dados; Participação no evento sobre intérpretes de Libras; Serviço Social

O atendimento do Serviço Social à comunidade surda e familiares tem o papel de orientar, questionar e intervir nas situações apresentadas, buscando juntos alternativas de superação. Profissionais da área de surdez ou aqueles que pretendem ingressar, também procuram esse setor para trocar informações e conhecer o trabalho desenvolvido pela FENEIS. Cerca de 540 surdos foram atendidos pelo setor, neste ano. Atividades desempenhadas em 2003: 

         

Membro da Secretaria Executiva do Fórum Popular Permanente de Cidadania do Município do RJ, cujo prazo para compor essa Secretaria foi encerrado em Setembro desse ano. O Fórum tem o papel de reunir a sociedade civil e as Organizações Não Governamentais para discutir as questões e as reivindicações relacionadas às diferentes áreas e encaminhar ao órgão competente de articulação: Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS); Solicitação de Atestado de Funcionamento da FENEIS para o CMAS e Conselho Municipal de Pessoas Portadoras de Deficiência, a fim de cumprir exigência do relatório anual da Previdência Social e do Projeto do MEC; Organização da assembléia anual com todos os funcionários da FENEIS, Departamento Pessoal e Jurídico (FENEIS) e Senalba para informações sobre o acordo coletivo; Reuniões com funcionários e chefias nas empresas contratantes para acompanhar o trabalho desenvolvido; Visita à empresas para apresentar o trabalho da FENEIS e propor contratação de surdos; Encaminhamento de intérpretes para atendimentos médicos, jurídicos e treinamento de trabalho; Recrutamento e encaminhamento de intérpretes para seleções de vagas na Fundação Oswaldo Cruz e no Projeto da Funlar (Fundação Lar Escola Francisco de Paula); Recrutamento e encaminhamento de surdos para trabalharem em empresas não contratantes; Acompanhamento de casos de funcionários licenciados pelo INSS (Auxílio-Doença, Licença Maternidade e Acidente de Trabalho); Reunião com funcionários para renovação dos contratos com os Planos de Saúde Unimed e Dentário Dente Cross; Execução de inclusão e exclusão de funcionários e dependentes na Unimed e Dente Cross;


18

    

  

Participação do trabalho de pesquisa de estagiária de enfermagem com funcionários na Funlar de Vila Isabel; Reunião na Secretaria de Transporte para discutir a suspensão do Passe Estadual; Reunião na Funlar sobre o Passe Municipal para surdos; Encaminhamento de surdos para emissão do Passe/Funlar e de exames de audiometria; Participação no Seminário Transporte e Segurança, promovido pelo SEST/Serviço Social de Transporte. O órgão está realizando um treinamento para que os motoristas aprendam a lidar com pessoas portadoras de necessidades especiais e pretende oferecer o curso de Libras; Reunião com o neurologista responsável pelo tratamento de um funcionário para tratar de seu afastamento do trabalho, haja visto as freqüentes crises de epilepsia; Contato com o SESI (Serviço Social da Indústria) para encaminhar funcionários para atendimento médico e odontológico; Participação na Conferência Municipal de Assistência Social. A Conferência foi realizada para avaliar a implementação da Lei Orgânica de Assistência/LOAS nestes dez anos de existência, além de eleger pontos de mudanças na Lei juntamente com os participantes. As propostas da conferência serão levadas para Brasília, através da Conferência Nacional da Assistência Social;

Setor de Pessoal Esse setor é responsável por toda a administração de pessoal, de funcionários da Feneis e daqueles que prestam serviços nos convênios. Fazem parte das suas funções gerenciar e renovar os contratos junto às empresas conveniadas, realizar admissões, rescisão de contrato, cadastro nos planos de saúde, preparo de guias de encargos sociais, elaboração das folhas de pagamento e aquisição de material. Além disso é feito toda a preparação de documentos relativos a processos trabalhistas a serem enviados ao Setor Jurídico e serviços de despachantes junto às repartições públicas. O contato com os surdos também é de suma importância nesse Setor. Nesse sentido são feitas orientações sobre direitos trabalhistas e sobre declaração e imposto de renda.

Contabilidade Responsável por todo o movimento financeiro e fiscal da entidade, o Setor de Contabilidade realiza o pagamento de despesas, faz a prestação de contas mensal e anualmente, balancete patrimonial, demonstrativo de recursos no ativo e no passivo, mantém os saldos bancários atualizados, além de prestar assessoria contábil aos Escritórios Regionais.

Setor de Intérpretes Atendimentos Médicos ..................................................................................................... 160


19

Jurídicos..................................................................................................... 132 Os Atendimentos Jurídicos são atendimentos realizados em Fóruns, escritórios, audiências, Ministério do Trabalho. Segue-se abaixo as Comarcas e Varas em que foram solicitado presença de intérpretes: Comarca de Nova Iguaçu Comarca de Belford Roxo Comarca da Capital Comarca de São Gonçalo Comarca de Caxias Comarca do Castelo Comarca de São Pedro da Aldeia Comarca de Iguaba Grande Comarca de Ilha do Governador Comarca de Niterói Reuniões........................................................................................................70 Os Atendimentos em reuniões foram reuniões internas , ARPEF (Associação de Pesquisa Fonoaudiológica) entre outros.  Reunião com Diretoria  Conselhos de Deficientes  Reunião na ACM  Reunião da Feneis e CIEE ( Centro de Integração Empresa Escola)  Reunião com Diretores  Reuniões em escolas Palestras....................................................................................................... 47  Sesi – Teleconferência Internacional de EJA.  Ministério do Trabalho – “I Seminário Diminuição de Discriminação no Mercado de Trabalho”  UFRJ – I Simpósio de Informática na Educação  Senai – Arte sem Barreiras  CEAS – Conferencia Estadual da Assistência Social  Palácio Tiradentes: Seminário de Educação Física Cursos..........................................................................................................102  Aula inaugural de Libras  CEFET  Projeto Escolarizar  UERJ – Uma séria de palestras sobre “ Inclusão do Deficiente na Mídia Legal”  Escola de Gente: Oficinas sobre Inclusão Prefeitura e órgãos públicos.................................................................................................06 Bancários.....................................................................................................76 Policial...........................................................................................................15 Psicologia...................................................................................................... 42


20

Convênios................................................................................................... 228 São todas as empresas ligadas a FENEIS, cujos pedidos são inúmeros e variados. Tais como: treinamento de novos funcionários, SIPAT’s (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho), palestras em geral, reuniões com funcionários, entre outros. Esses pedidos são solicitados pelo Recursos Humanos da FENEIS ou pelos próprios convênios. Sindicatos........................................................................................................36 Outros atendimentos......................................................................................................... 120  Schering  TRE (Tribunal Regional Eleitoral)  Imobiliárias  ATL  Financeiras  Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais)  Cartórios  Serasa  Souza Cruz (empresa)  Receita Federal  SPC (Serviço de Proteção ao Crédito)  Telefônica  TV – Gravações  White Martins (empresa)  Senai (Serviço Nacional da Indústria)  Furnas (empresa)  Comlurb  Fininvest Serviços internos São serviços feitos dentro da própria Federação, nos períodos em que os intérpretes não têm nenhum agendamento, tais como, recepção, portaria, telefonemas, advogados, relatórios, exames médicos (admissionais e demissionais), organização de arquivos, reuniões internas e realização de provas de intérpretes. Total de atendimentos anual ......................................................................................1070 Equipe de Intérpretes: Fabiano Guimarães, Leila Fernandes, Débora Santos, José Luiz Apolinário, Rosane Ribeiro, Luiz Eduardo Alves e Sueli Serra. Intérpretes Contratados para serviços particulares: Jadson Silva, Etiene da Silva, Aline Zaluar.

Setor de Comunicação


21

Responsável pelo contato com todos os interessados na comunidade surda, esse setor visa orientar e esclarecer questões que envolvam a FENEIS e seu trabalho com os surdos, além de buscar parcerias que possibilitem a continuidade da Revista da FENEIS. Esse setor também tem a preocupação de sempre divulgar as inovações tecnológicas que venham proporcionar facilidades à vida dos surdos. A revista da FENEIS existe para informar aos interessados e aos surdos, os assuntos e acontecimentos sobre as mais diversas áreas desta comunidade. Com tiragem de cinco mil exemplares a revista da FENEIS tem hoje, distribuição nacional e internacional. Durante todo o ano de 2002 o impresso contou com o patrocínio da Petrobrás e o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro. Além da elaboração da revista e da captação de recursos para a publicação, foram realizadas as seguintes atividades: · · · · ·

Atualização da Home Page da FENEIS Distribuição trimestral da Revista da FENEIS e de material de divulgação através de correspondências Participações e acompanhamentos de entrevistas realizadas em emissoras de TV e Rádio sobre assuntos relacionados aos surdos Recepção de visitantes, familiares, amigos, estrangeiros e estudantes da área de surdez esclarecendo atividades e apresentando as dependências da FENEIS Clipagem e organização de matérias sobre surdos, instituições e temas ligados à surdez.

Telefone público para surdos: O Setor de Comunicação também auxiliou a operadora Telemar na instalação de telefones públicos para surdos através da indicação dos locais de maior concentração dos surdos no Rio de Janeiro. Foram instalados telefones na sede da FENEIS, na Associação de Pesquisa Fonoaudiológica (ARPEF), na Associação dos Surdos do Rio de Janeiro (ASURJ) e no Instituto Nossa Senhora de Lourdes. Com a instalação dos telefones públicos para surdos, a Telemar cumpre as obrigações estabelecidas pela Agência Nacional de Telecomunicação (ANATEL) e, de antemão, cumpre a determinação do projeto de lei 4797/2001 que dispõe sobre a instalação de telefones públicos para pessoas portadoras de deficiência auditiva e da fala. Campanha Publicitária: A FENEIS contou com uma campanha publicitária institucional gratuita, elaborada pela Publivendas Comunicação. A equipe criativa encontrou um conceito que, além de traduzir as vantagens de se contratar um profissional da FENEIS, promove uma reflexão mais ampla sobre o mercado de trabalho e instiga os empresários a procurar a Federação: “Contratar um surdo não é uma boa ação, é um bom negócio”. A partir desse conceito foi desenvolvida toda a campanha, composta por um comercial, um spot para rádio, quatro anúncios de jornal, outdoor e uma mala direta. A mala direta procura resolver o problema de discriminação, ainda vivenciado pelos surdos. O spot mostra as vantagens fiscais na contratação de um surdo via FENEIS. O outdoor divulga o conceito da campanha, e finalmente, os anúncios de jornal promovem as vantagens competitivas dos surdos no mercado de trabalho. Essa campanha já havia sido veiculada no estado de Minas Gerais obtendo um ótimo resultado. Vale lembrar que toda a criação, produção e veiculação da campanha foram totalmente gratuitos contando com o apoio de vários fornecedores e de todos os veículos envolvidos.


22

CONADE (Conselho Nacional de Apoio à Pessoa com Deficiência) As atividades realizadas pelo Conselho Nacional de Apoio à Pessoa com Deficiência no ano de 2003 foram as seguintes:  Isenção do IPI para portadores de Deficiência Mental, Visual e Autistas  Participação de Audiência Pública no Senado. Diante dessa oportunidade, a Conselheira Lúcia Severo expôs sua indignação devido à não aprovação do Projeto que inclui a legenda nos programas de televisão. Houve um engano no que diz respeito à essa necessidade dos surdos. Algumas pessoas que desconhecem a cultura surda afirmaram que a legenda é desnecessária pois os surdos preferem a janela com o intérprete. A conselheira disse se tratar de um absurdo o arquivamento do Projeto pelo Senado, que se baseou em comentários para tirar as próprias conclusões. Nem sequer consultou o Conade, que tem uma representante nacional da área da Surdez.  Reunião com Senador Paulo Paim, que explanou a respeito do Estatuto.  Ida ao Congresso Nacional para participar do manifesto em prol da PEC, que favorece as pessoas com deficiência com a redução do tempo de aposentadoria. Nessa oportunidade, os membros do CONADE tiveram uma Audiência com os Senadores Paulo Paim e José Sarney, que se comprometeram em ajudar o movimento. Em Audiência com o Secretário de Direitos Humanos do Governo Federal, Nilmário Miranda, foi discutido o Manifesto elaborado pelo CONADE.  Realização do I Encontro Nacional de Conselhos Setor de Informática Neste ano, o trabalho realizado no escritório do Setor de Informática contou com as seguintes atividades:  Continuação do cadastro no novo Banco de Dados (Access) – contendo cadastros dos alunos desde 1997 até a presente data.  Produção Do manual do setor de informática da FENEIS/RJ está quase pronto, e será enviado 1 (uma) apostila para cada regional da FENEIS  Arrumação, organização e diminuir o trabalho acumulativo.  Organização de novos módulos do curso.  Controle de correspondências, correio eletrônico e fax, num total de 25 enviados e recebidos A respeito do desempenho dos alunos, obtivemos os seguintes resultados: 18

18 16

15

14

14

12 10

9

8 6 4 2 0

4

4

3 1

0

 Alunos concluintes: 43  Alunos que não concluíram ou abandonaram: 7  Quantidade dos módulos que os alunos concluíram: 83

1

Windows

Word

Excel

Power

Access

Publisher

Digitação

Binder

Outlook

Corel Draw

Introducao a Informática

Photo Editor


23

Ano 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 Total

Alunos 60 56 57 43 35 35 43 329

Módulos 60 110 158 94 65 88 83 658

Porcentagem 0% 1,83 % 2,63% 1,56% 1,08% 1,46 % 1,38 % 10,97%

Publicações:  

Revista da FENEIS – Colunas de Informática – nº 17 – ano V – página 6 Revista da FENEIS – colunas de Informática – nº 19 – ano V – página 28.

Palestras e Projetos 

XIV Simpósio Brasileiro de Informática na Educação com o tema geral “Inclusão Digital como instrumento de inclusão Social”. A coordenadora do setor, Andréa Giovanella, participou do trabalho sobre Pôster com o tema “Informática na Educação Especial - Experiência profissional e capacitação da pessoa surda na área de informática – Linguagem específica de Informática na sala de aula com instrutor surdo”.

“A informática para Surdos, A expressão real de potencialidades inexploradas na construção de um mundo melhor”. Corde/ FENEIS –2002/2003. O Projeto iniciou no dia 18 de outubro com término em 01 de abril de 2003 sendo que 22 alunos surdos concluíram e 2 não concluíram. A entrega dos certificados foi no dia 28 de novembro de 2003 no INES – Instituto Nacional de Educação de Surdos do Rio de Janeiro. Os materiais não ficaram prontos, apesar de o trabalho ser muito grande, difícil e bem preparado, mas ficará pronto em Janeiro de 2004. Pretendemos inserir os surdos do Brasil inteiro, distribuindo apostilas, Cd-rom e vídeo, inclusive o dicionário específico com vocabulário de informática em Libras e que contenham todos os três módulos do curso.

Novo Projeto “Informática Especial para alunos surdos” – Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro – 2004.. Serão oferecidos cursos gratuitos para alunos surdos carentes, desempregados e para aqueles sem recursos financeiros, que aprenderão quatro módulos: Introdução à Informática, Windows, Word e Excel. O Curso será ministrado pelos estagiários surdos de Informática com a supervisão dos Instrutores profissionais, com duração de 4 (quatro) meses.


24

Novos trabalhos para o ano de 2004. O Curso sofrerá mudanças, como segue abaixo: 

 

Nos cursos gratuito serão apresentadas novas apostilas para o curso de informática para uso interno do curso, em caráter provisório, não podendo ser vendida ou distribuída, uma vez que aguardaremos a finalização do projeto Prefeitura do Rio de Janeiro para que posteriormente possam ser vendidas para cada módulo junto com kit do material do curso. O valor sofrerá aumento após o Projeto Prefeitura e iremos acabar com a promoção que oferecíamos nos preços das mensalidades para os funcionários dos convênios. Organização do primeiro Encontro dos Surdos de Informática que irá acontecer em Junho de 2004.

Centro de Educação e Estudos em Libras - CEEL As atividades do Centro de Educação e Estudos em Libras tiveram início no mês de fevereiro, logo após o retorno das férias. Os cursos de Libras que já estavam em andamento continuaram e surgiram novas turmas. O cursos de Libras para ouvintes tem o objetivo de divulgar a língua. A FENEIS oferece cursos à ouvintes, sejam familiares de surdos ou profissionais da área de educação. Os horários são variados e os cursos acontecem durante a semana ou aos sábados. A partir desse ano, passamos a oferecer também, em caráter experimental, um curso básico gratuito, para surdos, deficientes auditivos e Surdos com perda de visão. O curso teve início em setembro de 2003, com instrução de Fernando de Miranda Valverde – agente multiplicador/Instrutor Surdo e tem como objetivos:

  

Atender os surdos que não conhecem a Libras e que têm dificuldades com o português; Atender os ouvintes que perderam a audição no decorrer da vida e anseiam aprender a Língua de Sinais para se comunicarem com os outros surdos; Atender os surdos que já possuem perda de visão e não dominam a Língua de Sinais para que futuramente possam ter um meio de comunicação.

Parcerias: No intuito de melhorar a comunicação com funcionários e profissionais envolvidos no trabalho com Surdos, a FENEIS desenvolve parcerias com empresas privadas e órgãos públicos para ofertar cursos aos funcionários que convivem com surdos. No ano de 2003 estabelecemos as seguintes parcerias:   

Empresa Vítor Hugo Artefatos de Couro. Departamento Municipal de Educação de Bebedouro/SP. Escola Municipal de Educação Especial Rompendo o Silêncio/Resende.

O Setor de Libras recebeu a seguinte demanda de alunos: 1989 a 2000 2001

1974 229


25

2002 2003 Total

Instrutores Vicente Scofano Patrícia Gazale Moisés Gazale Luís Carlos dos Santos André Luís Matiole/SP Fernando Valverde José Aírton Jeanie Liza

123 398 2.724724

- FENEIS - FENEIS - FENEIS - FENEIS - Bebedouro/SP - FENEIS - Resende - FENEIS

II Encontro Carioca de Intérpretes O Centro de Educação e Estudos em Libras realizou no mês de maio um encontro para que os intérpretes de Libras pudessem discutir a legalização da profissão, questões éticas e medidas que visam ampliar o universo de atuação desses profissionais. No encontro percebeu-se a necessidade de elaboração de um documento que lance bases para a regulamentação da profissão no Brasil. O encontro aconteceu num momento em que a aplicação da lei de oficialização da Libras se vê comprometida pela falta de oficialização da profissão de intérprete, profissional que favorece a aplicação da Lei e a torna viável. Capacitação dos professores da Rede Estadual de Educação do Rio de Janeiro. Com o respaldo da Lei n.º 10.436, sancionada em 24/04/2002, que reconhece a Libras como um meio legal de comunicação e expressão, a Coordenação de Educação Especial propôs o Projeto de Capacitação dos professores da Rede Estadual de Educação do Rio de Janeiro. O objetivo desse projeto é dar ao aluno surdo um atendimento educacional de qualidade, viabilizando o seu acesso à aprendizagem, ao conhecimento e ao conjunto de experiências curriculares disponibilizados ao ambiente educacional. Esse projeto têm como finalidade dar continuidade ao Programa Nacional de Educação dos Surdos, ensinando a Libras aos professores da Rede Estadual de Educação, para melhorar a comunicação com os alunos surdos que fazem parte do ensino regular. Segue abaixo a relação dos locais e dos instrutores. Local

Instrutor

N.º de alunos por turmas

Total de horas

Miracema Nova Iguaçu Niterói

Mônica

20 18 09

40 h 40 h 32 h

Campos São Fidélis

Fabiano

25 20

40 h 40 h

Isabel

18

40 h

Macaé


26

Araruama Barra do Piraí Volta Redonda

18 20 23

40 h

25 17 20 25

40 h

18 25 25 25

40 h 40 h 40 h 40 h

25

40 h 40 h

Arthur

22 16 17 15

Luís Mauro

20

40 h

Petrópolis

Adriana

-

8h

Niterói

Marcos Fayal Elaine

09

8h

12

40 h

Resende Vassouras São João de Meriti Belford Roxo Duque de Caxias Três Rios São Gonçalo Magé Angra dos Reis Cordeiro Nova Friburgo Itaboraí Campo Grande Itaguaí

Tijuca

Sônia Sandra Lúcia Iracema Jeanie Flávia

Ana Regina Betty José Ayrton

40 h

40 h

40 h

Capacitação dos Professores da Prefeitura do Rio Visando uma melhor comunicação com os alunos inseridos no ensino regular, a Prefeitura do Rio de Janeiro, em parceria com a FENEIS, realizou o módulo I do curso de Libras em 2002. Em 2003 houve a continuidade com os módulos II e III, no período de setembro a dezembro, com carga horária de 40 horas/aula presenciais por turma. Os professores foram organizado em duas turmas, com 20 pessoas em cada, num total de 20 dias letivos com 2 horas/aula por dia.

Instrutor Luís Carlos Alexandre Clécius

Período Out/03 a dez/03 Out/03 a dez/03

N.º de alunos 22 18

Local Tijuca Campo Grande

Horário 18:30 às 20:30 18:30 às 20:30

Projeto Tradutor – Português x Libras Esse projeto é uma parceria entre a FENEIS, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) e o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento em Educação). O objeto do projeto é a construção um tradutor automático, em tempo-real, do Português para a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS focado inicialmente, na produção de um sistema de tradução que auxilie na educação e entretenimento de crianças portadoras de deficiência


27

auditiva. Este projeto será a primeira parte de um tradutor automático para diversos tipos de entrada tais como voz, textos e textos rastreados (scanned). O projeto sem justifica na medida em que considera a recente lei sancionada em 03 de abril de 2002 pelo Congresso Nacional, de autoria da senadora Benedita da Silva. A lei justifica e reconhece que as comunidades surdas brasileiras têm direito lingüístico de ter a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) como língua de instrução, devendo ser utilizada na educação de surdos em todo território nacional. Além disso, considera-se que a atual estrutura de apoio educacional não fará frente a uma demanda de intérpretes e professores especializados que se fará necessária. Sendo assim, organizou-se a proposta para a construção de um tradutor automatizado de Português x LIBRAS, que possa ser utilizado em sala de aula, pela televisão (concomitante ou em substituição aos textos legendados), em vídeos, pela internet, na construção de livros visuais ( traduzindo informações em português de origem textual ou sonora para LIBRAS através sinais animados apresentados via computador). Com a nova tecnologia, são grandes as chances da exclusão ser minimizada, além do aparelho se tornar um grande meio de integração social e educacional, beneficiando em médio prazo um grande contingente de alunos surdos e suprindo parcialmente o imenso déficit de professores especializados e interpretes atualmente existente. Outras Atividades 

Recebemos ofícios de diferentes locais, solicitando orçamento de cursos de Libras, para capacitação de professores dos municípios que trabalham com crianças Surdas. As cidades do estado do Rio de Janeiro que solicitaram nossos serviços foram São Pedro da Aldeia, Itaguaí, Resende, Casimiro de Abreu, São Gonçalo, Miguel Pereira, Mesquita e Rio Bonito. Algumas cidades do Estado de São Paulo também solicitaram orçamentos, tais como Jacareí, Taubaté, Barueri e Limeira. Para finalizar a lista, Alagoinhas, da Bahia e Orós, do Ceará também entraram em contato com o setor de cursos.


28

Escritório Regional de Minas Gerais Setor de Gestão de Pessoas O Setor de Gestão de Pessoas do Escritório da FENEIS de Minas Gerais realiza, sistematicamente, trabalhos de recrutamento, seleção, encaminhamento e treinamento de novos funcionários, além de acompanhar e orientar os 395 surdos já contratados pela FENEIS. Eles estão alocados em 21 contratos. A novidade é que no ano de 2003, quatro novos contratos foram realizados. As novas parcerias são: Central Lav Produtos Prima Puras do Brasil (funciona na FIAT automóveis) Transcom. (Empresa de Transportes e Trânsito de Contagem)

Os antigos contratos estão cada vez mais consolidados, sendo que alguns deles renovam periodicamente a parceria. Segue a lista de todos os outros contatos já realizados anteriormente: Abrilho Indústria e Comércio Ltda. Beprem (Prefeitura Municipal de Belo Horizonte) BHTrans (Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte) Centro Verbo Tonal de Minas Gerais COMIG (Companhia Mineradora de Minas Gerais) DATAPREV EGON Instalações e Montagens Ltda. Farmácia Belle Eterne FIOCRUZ (Fundação Oswaldo Cruz/ Centro de Pesquisa Renê Rachou) Fundacentro Gráfica Castro Alves Hospital Felício Rocho IMA (Instituto Mineiro de Agricultura) INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) IPSEMG (Instituto da Previdência e Serviços do Estado de Minas Gerais) Plaspot Ltda. PRODEMGE (Companhia de Processamento de Dados de Minas Gerais) Além dos novos contratos, outras atividades foram executadas pelo Setor de Gestão de Pessoas, conforme abaixo: 

Neste ano uma de nossas prioridades foi a informatização de nosso cadastro, uma vez que a demanda cresceu significativamente, o que dificulta o recrutamento manual. Além de todos os surdos que já estavam inscritos na FENEIS/MG, tivemos mais de 150 novos surdos cadastrados;

Firmamos parceria com o Centro de Inclusão Digital Social (CIDS), que oferece cursos de informática gratuitamente para surdos de baixa renda, com presença de intérpretes em sala de aula. A FENEIS/MG contribuiu com o oferecimento de


29

intérprete gratuito para todo o processo de seleção dos candidatos e com o encaminhamento de surdos; 

Continuamos a contar com os serviços da agência de publicidade Publivendas para continuidade da divulgação gratuita da FENEIS, agora, especificamente na criação da campanha publicitária do CEEL e dos cursos de Libras;

Reforçamos o contato com o Ministério Público para apresentação e divulgação do nome da FENEIS e da proposta de trabalho conjunto, através da prestação de serviços terceirizados de mão de obra surda e sensibilizações nas empresas contratantes;

Promovemos sensibilizações em empresas que, cumprindo determinações do Ministério Público, tenham realizado contratações diretas de surdos. A empresa Flender do Brasil foi a primeira a contar com nossos serviços. A primeira etapa foi realizada em maio e a etapa de manutenção em novembro. Além desse trabalho já desenvolvido, fizemos outros três contatos para esse serviço, que serão realizados no próximo ano;

Aplicação e mensuração de 412 avaliações de satisfação dos surdos e de 395 avaliações de desempenho de todos os funcionários que prestam serviços para a FENEIS;

Contatos com o SENAI (Serviço Nacional da Indústria) para futura parceria de Cursos de Libras a Distância;

Fornecimento de intérprete gratuito em palestras educativas do Centro Verbo Tonal e na aplicação da Pesquisa sobre a funcionalidade da legenda nos programas televisivos para surdos;

Encaminhamento de um funcionário do setor de Gestão de Pessoas da FENEIS/MG para a FENEIS/SP para auxiliar na composição do setor de Recursos Humanos;

Participação do setor de Gestão de Pessoas na Palestra “Como ter Trabalho num Mundo sem Emprego” de Waldez Ludwig;

Reciclagem dos funcionários do Setor de Recursos Humanos da FENEIS/MG e dos coordenadores responsáveis pelos contratos, através de mais de 10 palestras no Salão de Oportunidades do Sebrae-MG “Como sobreviver em um mar de tubarões”. Nessas conferências a FENEIS forneceu intérprete gratuitamente;

Participação no evento Gestão do Futuro, onde foram proferidas 9 palestras mensais sobre liderança, criatividade, negociação, marketing, economia e empreendedorismo.

Participação em diversas reuniões para a organização da 10ª Semana da Pessoa com Deficiência, que se realizou de 23 de agosto a 2 de setembro e teve o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte;


30

Realização da Pesquisa de Satisfação do Aluno do Curso de LIBRAS, na capital e interior do estado, com posterior mensuração e devolução dos resultados;

Reuniões com alunos dos cursos de Psicologia, Comunicação, Relações Públicas e Marketing, estudantes das Faculdades Unicentro Newton Paiva, UNIBH, FUMEC, PUC/MG e UFMG. Através desses encontros conseguimos 2 voluntários do curso de Relações Públicas do Unicentro Newton Paiva para a área de assessoria de imprensa. Eles fizeram diversos contatos para divulgar o nome da FENEIS e uma parceria para o evento do Dia Municipal do Surdo. Também fomos presenteados com um spot de Rádio oferecido pela turma do 7º período do Curso de Comunicação do Unicentro Newton Paiva sobre mercado de trabalho;

Curso de Educação Afetivo-Sexual do Adolescente, oferecido pela ASSPROM, para um profissional da Área de Gestão de Pessoas da FENEIS/MG;

Encaminhamento de intérprete gratuito no Encontro do Centro SUVAG, realizado no mês de agosto;

Contatos com o América Futebol Clube para a seleção de surdos com domínio de leitura labial para elaboração de laudo que comprovasse o conteúdo da discussão entre juiz e goleiro;

Participação no I º Fórum “Surdos no Mercado de Trabalho”, realizado em Brasília através de parceria com o SENAI (Serviço Nacional da Indústria);

Participação, com oferecimento de intérprete gratuito e/ou palestrante, em 8 Ciclos de Debates sobre Surdez nas cidades de Montes Claros, Varginha, João Monlevade, Conselheiro Lafaiete, Coronel Fabriciano, Pará de Minas, São João Del Rei e Araxá;

Reuniões para a organização do Dia Municipal do Surdo, em parceria com o Unicentro Newton Paiva;

Oferecimento de intérprete gratuito para diversas atividades e palestras comemorativas do Dia Municipal do Surdo;

Reuniões mensais com os Coordenadores/Intérpretes dos contratos, em que se discutiu vários temas, tais como: A Importância da Comunicação, Recrutamento e Seleção – Um Início Eficiente e Eficaz, Empregabilidade, Compromisso no Trabalho, Orientações Financeiras entre outros;

Oferecimento de intérprete gratuito em dois cursos específicos para surdos realizados pelo Centro CAPE (Centro de Capacitação e Apoio ao Empreendedor). Os temas foram Empreendedorismo e Viabilidade de Negócios;

Palestra “A Inserção da Pessoa Surda no Mercado de Trabalho” para alunos do Curso de Libras da FENEIS/MG;

Participação do Curso Jogos de Empresas no Centro CAPE (Centro de Capacitação e Apoio ao Empreendedor).


31

O Centro CAPE e a FENEIS O Centro de Capacitação e Apoio ao Empreendedor desenvolveu uma iniciativa pioneira junto à Comunidade Surda para desenvolver uma metodologia de educação empreendedora. O objetivo é desenvolver e capacitar indivíduos surdos para que identifiquem as principais características empreendedoras, desenvolvendo habilidades para a criação e monitoramento de plano de negócios e conheçam as particularidades e aplicabilidade do CEFE (Competência Econômica baseada na Formação de Empreendedores) no processo de ensino e aprendizagem. Assistência Social Internet Comunitária A internet comunitária foi uma grande conquista. Foi feita a instalação de 4 computadores em rede, em parceria com a PRODEMGE, uma de nossas conveniadas. Esse é um projeto que a PRODEMGE vem realizando em todo o estado. Destinou-se uma sala que fica aberta das 8h30 às 17h30 para que os surdos tenham acesso gratuito à internet e à outros programas. Esse é o primeiro passo para promover a inclusão digital dos surdos e à democratização da informação. Só nesse ano, o número de usuários atingiu um total de 7.364 surdos. Plano de Saúde A qualidade de vida envolve também um aspecto primordial que é a saúde. Pensando nisso, a FENEIS paga 50% do valor do Plano de Saúde Santa Casa para seus funcionários. Esse plano dá direito a consultas e exames. Além disso, para as mulheres surdas são oferecidas atividades de artesanato e bordado por uma terapeuta voluntária, favorecendo positivamente a qualidade de vida dessas pessoas. Passe Livre Quanto ao transporte, em Belo Horizonte existe o Passe Livre de surdos, coordenado pela BHTrans (Empresa de Trânsito de Belo Horizonte), que é concedido de acordo com a situação financeira dos surdos. Esse benefício é organizado pelas instituições que trabalham com a comunidade surda. Este ano a empresa de transportes distribuiu entre os usuários cartões magnéticos substituindo a convencional carteira. O cartão dá direito a 6 deslocamentos na Grande Belo Horizonte, número que não pode ser ultrapassado. Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos O presente projeto é fruto do trabalho e da parceria do MEC (representado pela Secretaria de Educação Especial e pelo Instuituto Nacional de Educação de Surdos), com as Secretarias de Educação, instituições de ensino superior, organizações nãogovernamentais e entidades filiadas à Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (FENEIS). Ele tem o objetivo de viabilizar a implantação, nas 27 unidades federadas, de Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez (CAS).


32

Devido à extensão territorial do Brasil, o número de pessoas surdas, por município, é relativamente baixo (exceto nas capitais) o que dificulta a criação de classes especiais ou salas de recursos, bem como a capacitação de professores para essa minoria. Há casos em que se faz necessário o consórcio entre os municípios para lhes oferecer o atendimento educacional especializado, assim como para promover cursos para os professores. Constata-se, entretanto, que, apesar do atendimento educacional integrado, os serviços educacionais existentes ainda estão distantes de promover, com qualidade, a real inclusão do surdo no sistema regular de ensino. Esse fato decorre, sobretudo, das inúmeras dificuldades encontradas no processo educativo desse aluno, principalmente no que se refere à utilização da língua portuguesa escrita, da Língua Brasileira de Sinais (Libras), sua interpretação e recursos específicos necessários para o acesso ao saber pedagógico e, consequentemente, para o progresso e sucesso na educação acadêmica. Dentre as dificuldades, podem ser destacadas:  A ausência de cursos de graduação que incluam a língua portuguesa como 2º língua e a língua brasileira de sinais;  As falhas curriculares nos cursos de formação de professores, ora existentes;  A falta de serviços de apoio pedagógico, salas de recursos e de equipamentos específicos;  As dificuldades para aquisição de recursos pela escola e pela família, em virtude dos elevados custos e das implicações com relação a sua operacionalização;  A ausência de instrutores e/ou professores surdos, para prática da docência em língua brasileira de sinais;  A ausência de professores intérpretes nas escolas. Como conseqüência das dificuldades, há um baixo nível de escolaridade da maioria absoluta dos alunos com surdez, fato decorrente da inadequada formação inicial de professores. Uma das alternativas para dinamizar e desenvolver a melhoria da educação oferecida aos alunos consiste, principalmente, na melhoria da qualidade da formação continuada de professores, na produção de material visual em vídeos, na adequação de textos, na adaptação de outros recursos necessários ao processo de ensinoaprendizagem do aluno com surdez. Educação Especial O Centro de Atendimento aos Surdos (CAS) será instalado em algumas cidades e terá uma estrutura apta a receber surdos e orientar famílias e profissionais. Em algumas cidades já está sendo construído esse centro e distribuído os equipamentos necessários para o funcionamento. Em Belo Horizonte, por exemplo, o espaço já foi construído e o CAS já está em processo de seleção de candidatos a professores, instrutores e intérpretes. Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas Surdas: Estado Distrito Federal Mato Grosso Sul Minas Gerais Pará Pernambuco Rio Grande do Sul

Escola Centro I.de Ensino Especial CAS Escola E.Francisco Salles CAS Escola Cônego R.Medeiros Escola de Ensino Lilia Mazeron

Cidade Brasília Campo Grande Belo Horizonte Belém Recife Porto Alegre


33

Sala de Recursos para Surdos Estado Escola Acre Centro Estadual de Educação de Surdos Alagoas Escola Estadual Tavares Bastos Escola Estadual Rosalvo Lobo Amapá Centro de E.E.Raimundo Nonato Amazonas Escola Estadual Augusto dos Santos Escola Estadual Getúlio Vargas Centro de Educação de Jovens e Adultos Bahia Colégio Estadual Vitor Soares Escola Estadual Wilson Lins Colégio Raphael Serravalle Escola Visconde de Itaparica Bahia Escola Santa Ângela Ceará Escola Estadual M.Sourado Instituto Cearense de Educação de Surdos Ceará Escola Estadual M.José Juca D.Federal Escola Classe 1 de Brazlândia Centro de Ensino Fundamental Santa Maria Escola Classe 303 de Samambaia E. Santo Escola Oral e Auditiva de Vitória E. Santo E. de Educação Especial Lions Surdos E. Santo Goiás Goiás Goiás Maranhão Maranhão M.Grosso M.G.Sul M.G.Sul M.G.Sul M.Gerais M.Gerais M.Gerais M.Gerais M.Gerais M.Gerais M.Gerais Pará

Pará

Escola Oral e Auditiva Profa Alécia Couto Colégio Estadual Emília Maria Guimarães Escola Estadual Joaquim e Silva Escola Estadual Colemar Natal e Silva Escola Estadual Visconde de Mauá Centro de Ensino Especial Helena Antipoff Compelxo Educacional Gov.Edson Lobão Unidade Integrada.Gov.Archer Centro Estadual de At.Apoio ao Def.Auditivo Escola Estadual Elmaz Gattas Monteiro Escola Estadual Abigail Borralho Escola Estadual Peri Martins Escola Estadual Santos Dumont Escola Estadual Pastor Hollerback Escola Estadual Temistocles Rocha Escola Estadual Presidente Costa e Silva Escola Estadual Eugênia Scharté Escola Estadual Quintiliano Jardim Escola Estadual Irmão Mário Murgel Escola Estadual Maurício Murgel Escola Estadual Jarbas Passarinho Escola Estadual Vilhena Alves Escola Estadual Augusto Meira Departamento de Educação Especial Escola Estadual Álvaro da Silveira

Cidade Rio Branco Maceió Macapá Manaus

Salvador

Ilhéus Fortaleza Quixadá Brasília

Vitória Cachoeira de Itapemirim Vila Velha Itumbiara Catalão Goiânia São Luís Imperatriz Cuiabá Dourados Bataguassu Costa Rica Teófilo Otoni Paracatu Minas Novas J. Monlevade Uberaba Varginha Belo Horizonte Belém

Santarém


34

Paraná Paraná Paraná Paraná Paraná Paraná Paraná Paraíba Paraíba Pernambuco

Pernambuco Pernambuco Piauí Rio G.Norte Rio G.Norte Rio G.Sul Rio G.Sul Rio G.Sul Rio G.Sul Rio G.Sul Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro Roraima Rondônia Rondônia Santa Catarina Santa Catarina Santa Catarina Santa Catarina São Paulo São Paulo São Paulo São Paulo

São Paulo São Paulo São Paulo

Escola Estadual para Surdos ªFanaya Junior” Colégio Estadual do Inst.L.E.Surdos Escola Municipal Cristovão Colombo Escola Municipal Maria Basso Dellani Escola Municipal Rocha Pombo Escola Municipal Santos Dumont Escola Municipal São José Escola Estadual Audiocomunicação Escola Estadual M. Vicente Freitas Escola Estadual Audiocomunicação Escola Barbosa Lima Escola Etapam Escola Engenheiro Lauro Diniz Escola Prof.Adelino Almeida Escola Conde Pereira Carneiro Unidade Escolar Paulo Ferraz Unidade Escolar Matias Olímpio Escola Estadual Tristão de Barros Centro Regional de E. Especial Escola Estadual de E.C.Portinari Escola Estadual Joaquim F.Reis Escola Estadual Justino Tietboehl Escola Estadual Santo Agostinho Escola E. G.Bento Gonçalves Inst.de Educação Gov.R.Silveira Instituto de Educação I.Coutinho C.Estadual João Alfredo Ciesp C.Faria Lima C.E.Albert Sabin Centro de Educação Municipal C.E.Jardim Meriti Escola de Audiocomunicação Escola Estadual 21 de Abril Escola Estadual Cora Coralina Escola de Educação Felisberto Escola de Ensino Rui Barbosa Escola de Educação Jerônimo Escola de Educação Aldo C.Silva Escola Prof.Wilma R.Boccardo Escola Genesto Machado Escola Prof.Inocênio Maia Escola D.João Maria Ogno Osb Escola M.Manoel de Melo Escola Dona Clara Mantelli Escola Roldão Lopes de Barros Escola Dr.Lourenço De Senne Escola Prof.Frederico B.Brotero Escola Antônio dos Santos Cabral

Curitiba Londrina Colombo F. Beltrão Pato Branco Paranavai Guarapuava João Pessoa Campina Grande Recife

Petrolina São L.Mata Teresina Currais Novos Mossoró Porto Alegre Passo Fundo Torres Erechim Bento Gonçalves 25 de Agosto Niterói Vila Isabel Nova Iguaçu Campo Grande Angra dos Reis São João de Meriti Boa Vista Porto Velho Cacoal Maravilha Joinville Laguna São José S.José Campos Sorocaba Santa Bárbara D´Oeste São Paulo

Marília Guarulhos S. João Da Boa Vista


35

São Paulo São Paulo Sergipe Sergipe Tocantins Tocantins

Escola Prof.Carolina Seraphim Escola Cristiano Olsen Escola Estadual 11 de Agosto Caic Vicente Machado Menezes Escola Estadual Chico de Alencar Escola Estadual Madre Belém

Rio Claro Araçatuba Aracaju Itabaiana Nova Olinda Palmas

Distribuição dos equipamentos e materiais: Os seguintes materiais serão distribuídos para as salas de recurso e para os Centros de Atendimento ao Surdo: Picotadeira, retroprojetor, adaptador de campainha, câmara digital(olympicos), televisor de 20 polegadas com decodificador de legenda, televisor de 29 polegadas com decodificador de legenda, vídeo cassete, filmadora vhs, aparelho de ar condicionado, máquina fotográfica com flash, estabilizador de tensão, tela de projeção, grampeador profissional(25 folhas), grampeador profissional (125 folhas), quadro branco, estante de aço, armário de aço, arquivo de aço, mesa com gavetas, mesa para impressora, mesa para computador, cadeira de digitador, projetor multimídia resolução 800x600 com uma entrada VGA e uma RCA, nobreak de um kva, rede para três microcomputadores (hub para 8 entradas), impressora multifuncional de 9ppm - 1200 por 1200, scanner(copiadora, impressora e scanner), impressora laser 11ppm, leitura DVD para micro, microcomputadores pentium III ou compatível de 1,5 g, HD de 20, 256 mb, kit multimídia e saída para vídeo (Windows XP e Office xp)e 10 x100 pci, com placa de rede e fax modem, gravador de Cd regravável. A Feneis, o MEC, SEESP e Fnde foi uma parceria que deu certo. O material didático foi distribuído por todo o país e os cursos foram realizados. Os gastos giram em torno de R$1.345.700. Algumas pessoas que acreditaram nesse projeto pioneiro merecem os nossos sinceros agradecimentos. Comunicação Social Alguns jornais e emissoras de televisão e rádio publicaram reportagens sobre surdos e sobre a Feneis. Dentre eles o Estado de Minas, com 4 matérias; Diário da tarde, com 3 matérias, O Tempo, Rede Super, Portal UAI, do Estado de Minas, Diário Oficial de Minas Gerais, Internet Comunitária, do Diário Oficial, Rádio CBN, Rádio Globo, Rádio Itatiaia, TV Globo, TV Minas, TV Bandeirantes e TV Record: Planejamento para o próximo ano e propostas em andamento:  Previsão de contratos no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), IPSEMG e PRODEMGE em cidades do interior do estado. Para a capital a previsão é de contrato com o IBAMA, Banco do Brasil e Secretaria do Estado de Planejamento.  Encontro Latinoamericano de Surdos da Federação Mundial dos Surdos e da FENEIS  Parceria com a Universidade Federal de Montes Claros  Seminários nas Associações do interior  Parcerias com as associações na implantação dos cursos de Libras  Fundar associações de surdos  Parceria nas áreas de lazer e de recrutamento do SESC


36

Cursos de formação de instrutores de 240 horas interno e externo cidades: Sete Lagoas, Pedro Leopoldo, Poços de Caldas, Barbacena, Santos Dumont, Curvelo Centro de Educação e Estudos em Libras – CEEL

Cursos Realizados


37

BÁSICO MÓDULO I FENEIS FENEIS FENEIS Pastoral de Coronel Fabriciano SMEC de Contagem Centro de Apoio Educ. Inclusiva Betim APAE de Guanhães Câmara Municipal de Belo Horizonte FENEIS FENEIS FENEIS APAE de Caeté APAE de Alpinópolis Associação dos Surdos de Montes Claros Associação dos Surdos de Montes Claros Básico Módulo II SMEC de Contagem FENEIS NÍVEL II FENEIS Centro de Apoio Educ. Inclusiva Betim NÍVEL III FENEIS FENEIS FAT/PEQ 2003 Curso para Família de Libras Curso para Família Instrutores de Libras Instrutores de Libras Profissionais da Saúde Profissionais Feneis Curso de Instrutores Formação de Instrutores em BH Formação de Instrutores do Interior TOTAL DE ALUNOS = 526 1994 a 2000 2001 2002 2003

426 100 254 526

Nº ALUNOS 19 18 14 17 21 19 20 21 15 16 12 20 16 21 20 Nº ALUNOS 15 19 Nº ALUNOS 11 19 Nº ALUNOS 19 15 Nº ALUNOS 20 20 20 20 20 20 Nº ALUNOS 20 19


38

total

1.306

Atividades Realizadas 1 – Palestras: O CEEL/MG promoveu em 2003 o ciclo de debates: “A Qualidade de Vida dos Surdos e a Libras”, realizado em vários municípios mineiros, com carga horária de 8 horas. O objetivo dessas palestras foi mostrar a cultura e a política de educação dos surdos em Minas Gerais. O público-alvo foi estudantes, professores e profissionais envolvidos na área de educação especial. Os seguintes temas foram abordados:          

A FENEIS e seu papel na sociedade A importância da parceria do MEC (Ministério da Educação e Cultura) com a Secretaria de Educação Especial/MG e a FENEIS A importância da parceria da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) com a FENEIS A inclusão do surdo na rede regular de ensino A educação dos surdos na rede pública da região que é Libras? A responsabilidade da família na educação dos surdos A importância de uma Associação de Surdos atuante surdo e o mercado de trabalho A importância do esporte na Comunidade Surda

Nos vários municípios mineiros onde foram realizados os Ciclos de Debates promovidos pela FENEIS, o CEEL contou com o apoio de entidades e autoridades locais. Em Varginha, o evento foi realizado no Auditório do Centro Catequético, com o apoio da APAE, da Fundação Excepcional de Varginha, da 41ª Superintendência de Ensino da Secretaria de Educação Especial, da Vereadora Abeir Miranda e da Comunidade Surda da cidade. Já em Coronel Fabriciano, o evento foi realizado no Auditório Padres do Trabalho, da Faculdade UniLeste, com o apoio da 9ª Superintendência Regional de Ensino de Coronel Fabriciano. Em João Monlevade, a APADA(Associação dos Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos) nos concedeu o auditório. Assim como em outras cidades, em Pedro Leopoldo o Ciclo de Debates foi realizado na APAE, com o apoio da APAE e da Igreja Presbiteriana de Pedro Leopoldo. Em Pará de Minas aconteceu o II Seminário Inclusivo de Educação, realizado e promovido pela APAE, com apoio da FENEIS. Em São João Del Rei, o evento foi realizado na APAE. O último Ciclo de Debates do ano foi realizado em Araxá, na Associação Comercial e Industrial de Araxá (ACIA), com a promoção da FENEIS e Associação de Surdos de Araxá e apoio da ACIA , FADA (Fundação de Apoio ao Deficiente de Araxá), Câmara de Vereadores, Prefeitura Municipal, Colégio Dom Bosco, APAE e Bit Company. Além dos Ciclos de Debate, outras atividades foram realizadas. Em Belo Horizonte, houve uma Oficina de LIBRAS na Fundação Dom Bosco, com carga horária de 4 horas. Em Sabará, houve a participação de Antônio Campos de Abreu na palestra sobre Linguagem dos Surdos, que aconteceu no II Congresso Internacional Linguagem e Espirito.


39

Parceria Uma importante parceria foi realizada este ano entre a FENEIS e a FESEM (Federação das Entidades de Surdos do Estado de Minas Gerais). Com o objetivo de padronizar e potencializar a eficiência nos cursos de LIBRAS, os representantes das entidades se reuniram em Belo Horizonte para assinar a parceria. Eventos: 

A FENEIS contribuiu financeiramente, com a alimentação dos participantes da Assembléia da Federação Mineira Desportiva dos Surdos, que se realizou em Belo Horizonte. Estiveram presentes os representantes da Associação dos Surdos de Minas Gerais, Associação dos Surdos de Governador Valadares, Associação dos Surdos de Ipatinga, Associação dos Surdos de Teófilo Otoni, Associação dos Surdos de Ituiutaba, Associação dos Surdos de Uberaba, Associação dos Surdos de Uberlândia, Associação dos Surdos do Prata, Associação dos Surdos de Frutal, Associação dos Surdos de Montes Claros, Associação dos Surdos de Juiz de Fora, Associação dos Surdos de Divinópolis, Associação dos Surdos de Betim, Associação dos Surdos de Contagem, Associação dos Surdos de Araxá, Sociedade dos Surdos de Araguari, Sociedade dos Surdos de Patos de Minas e Sociedade dos Surdos de Belo Horizonte;

Participação na Assembléia Geral da Confederação Brasileira Desportiva dos Surdos, realizada em Goiânia;

Participação do I Encontro de Intérpretes, realizado em São Paulo;

Realização de trabalho de suporte administrativo à Sociedade de Surdos de Patos de Minas;

Participação da Assembléia Geral da FENEIS, realizada no Rio de Janeiro;

Participação da palestra “A Inserção do Surdo no Mercado de Trabalho”, realizada em Betim/MG, com a promoção das distribuidoras AGIP, SHELL, ESSO, Atlantic;

Participação de palestra sobre sensibilização sobre a surdez em Contagem/MG; Reuniões

Reuniões com as Associações de Surdos do estado de Minas Gerais, durante o mês de julho, para viabilizar parceria de cursos de Libras. Houve encontros com a Associação de Surdos de Juiz de Fora, Associação de Surdos de Araguari, Associação de Surdos de Araxá, Associação de Surdos de Patos de Minas, Associação de Surdos de Governador Valadares, Associação de Pais e Amigos dos Surdos de Uberaba, Associação de Surdos de Ipatinga, Associação de Surdos de Divinópolis e Associação de Surdos de Montes Claros

Reunião com Presidente da FENEIS, para elaboração do contrato da Editora e Gráfica prestadora de serviços em Teófilo Otoni .


40

Reuniões Periódicas             

Com o Conselho Consultivo da FENEIS; Com a direção da Publivendas para elaboração e confecção de folders para o Curso de LIBRAS; Com o Conselho Estadual de Pessoa com Deficiência, realizadas no Instituto São Rafael; Com a Câmara Municipal de Belo Horizonte, visando a promoção de oficina de Libras, com duração de 30 horas/aula; Com representantes da Prefeitura de Belo Horizonte; Com Sra. Tânia Felipe – Coordenadora do Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos (Parceria entre FENEIS e MEC); Reunião na PRODEMGE com os responsáveis pela Contabilidade e pelo Recursos Humanos da FENEIS/MG, para renovação de contrato existente; Reunião na Secretaria Municipal de Educação para possível convênio de contratação de instrutores e intérpretes de LIBRAS, prestadores de serviços nas escolas municipais não concretizado; Cadastramento e breve entrevista com os candidatos aos cursos de formação e de reciclagem de instrutores; Orientações aos coordenadores da FENEIS/DF e representantes dos CEEL´s de outros estados sobre o funcionamento do Centro de Educação e Estudos e Libras; Reunião com a diretora da DESP/MG, para viabilização de uma parceria no Curso de Formação de Instrutores em Belo Horizonte, formação de banca examinadora e outros; Reunião com representantes da Universidade UNI-BH e da Faculdade de Diamantina para possíveis parcerias na área de cursos de LIBRAS; Reunião para elaboração e constituição de Associação Mirim

Reportagens e Entrevistas Realizadas  

Entrevista à Radio TransAmérica de Varginha com o Sr. Luís Antônio Francelino, para a difusão da importância da interação da pessoa surda no contexto social; Coordenadora do Projeto de Fonoaudiologia da UFMG, Sra. Denise Gonçalves, para fornecer dados para pesquisa quantitativa de pessoas surdas no município de Belo Horizonte.

Equipe de Instrutores: Durante o ano de 2003, os instrutores abaixo reuniram-se semanalmente para reciclagem, consultas, planejamentos e pesquisas, sob a supervisão do Agente Multiplicador Amauri Valle do Amaral Júnior.        

Anderson Geraldo Rodrigues Célio Afonso Cardoso de Castro Charley Pereira Soares Cláudio Martins Denise Camara Lopes Ernesto Bento e Silva Marcos Antônio de Sousa Júnior Maria Regina Forin Tavares Pais


41

     

Marlon Loureiro Ulhôa Patrícia Luíza Ferreira Pinto Rita de Cássia Pires Miranda Rodrigo Rocha Malta Rubens Xavier de Oliveira Vera Lúcia Teixeira Maia

Formação de Instrutores No ano de 2003, houve dois curso de formação de instrutores de LIBRAS, sendo um de alunos da capital (concluído) e outro de alunos do interior (a concluir em fevereiro de 2004), totalizando 38 alunos. O objetivo desses cursos é a fomentação da Língua Brasileira de Sinais na região metropolitana de Belo Horizonte e no interior do Estado de Minas Gerais.

Formação de Instrutores em Belo Horizonte

Formação de Instrutores no Interior

01. Bruna Frinhani Masssucati

01. 02. 03. 04. 05. 06. 07. 08. 09. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19.

02. Bruno Gomes Inácio 03. Cláudio Câmara Lopes 04. Conrado Duarte Marotta 05. Cristiano Faustino de Araújo 06. Danielle Alves da Silva 07. Elizangela Meireles Pereira 08. João Rigueira Hissa 09. Juliana Andrade Botelho 10. Magda Gonçalves Queiroz Machado 11. Maria Cristina Lopes Martins 12. Marli Xavier Eustáquio 13. Paulo Henrique Passos Santiago 14. Rafael José Costa Rodrigues Novais 15. Richieli de Lima Teodoro 16. Rogério Teixeira de Carvalho 17. Rosely Lucas de Oliveira 18. Vera Dirce Reis Ferraz 19. Wanderson de Souza Bicalho 20. Wesley Odorico Camilo

Anderson Geraldo Rodrigues – Contagem Cássia Maria Borges – Araxá Charley Pereira Soares – Montes Claros Cristiano Ferreira da Silva – Araguari Delvan César S. Fernande – Curvelo Eliane S. Morgado – Patos de Minas Eliete F. Matos Nascimento – Araguari Erika Viviane F. Machado – Divinópolis Gilberto A. Rezende – Gov. Valadares José Benedito Vieira – Contagem Luciane A. B. Silva – Gov. Valadares Luciano de Souza Gomes – Teófilo Otoni Maria Cristina G. Norton – Divinópolis Maria das Graças da Silva – Frutal Maria de Lourdes de Oliveira – Uberaba Maria Goretti Borges – Araxá Rubens Oliveira Xavier – Montes Claros Selma Conceição S. Cruz – Patos de Minas Tatiane Rodrigues Dias – Teófilo Otoni

Equipe de Intérpretes Durante esse ano prestaram serviços, de caráter voluntário, de interpretação em ciclos, reuniões e outros.   

Adriana Meirelles de Mello Débora Martins de Oliveira Ednilson de Freitas


42

         

Fabiana Pereira Gilberto Santos Justino Heliane A. C. Costa Jackson Lima Vasconcelos Paula Pereira Libório Raquel da Silva Fortes Regiane Lucas de Oliveira Garcêz Rosane Lucas de Oliveira Rosilene Novais Sônia Marta de Oliveira

Atividades Internas:  Atendimentos aos alunos da Universidade Federal de Minas Gerais e Faculdade Newton Paiva, com entrevistas e pesquisas sobre surdez;  Resposta às cartas, faxs e e-mails recebidos através de ofícios;  Elaboração e divulgação dos cursos através de atendimentos ao público por telefone e distribuição dos folders para Secretarias Regionais de Educação – SRE, escolas e entidades ;  Elaboração e organização dos cursos de Libras em Belo Horizonte e nas cidades do interior de Minas Gerais;  Elaboração e implantação do planejamento administrativo (contratos com instrutores, alunos e entidades parceiras, confecção de certificados, lista de presença, calendário, pesquisa de satisfação e manual do aluno );  Elaboração e implantação do planejamento financeiro (convênio com Caixa Econômica Federal e distribuição de boletos bancários para os alunos);  Elaboração e implantação do curso de formação de instrutores em Libras;  Elaboração e implantação do Curso de Formação de Instrutores do Interior de Minas Gerais em parceria com a FESEM (Federação Estadual de Educação de Minas Gerais). A FENEIS e as Associações de Surdos Minas Gerais é grande estado em extensão territorial e em números populacionais. São 867 cidades no estado. Diante desses números, é possível concluir que a quantidade de surdos existente no Estado também é grande. É aí que surgem as Associações de Surdos. A princípio, elas começam com simples reuniões informais. Aos poucos vão emergindo as lideranças e os encontros vão tomando a forma de movimento. O conteúdo político das associações deriva das reivindicações por reconhecimento da cultura surda, da Libras e da cidadania surda. Essa uma das principais razões da existência das Associações. Elas dependem da dedicação voluntária dos surdos militantes. Depois de constituídas, elas buscam eliminar os bloqueio comunicação e a discriminação, que desprezada e isola os surdos, deixando-os em situações de abandono, pobreza e exclusão. Além das reivindicações, no espaço das Associações, os surdos têm a liberdade das formas de comunicação. Lá eles fazem suas festividades e vivem a cultura surda como se Associações fossem um segundo lar. A FENEIS tem como objetivo incentivar a criação das Associações de surdos e dar um suporte administrativo para o bom funcionamento dessas. Em Minas jä existem 27 instituições de surdos, dentre elas associações, congregações, cooperativas e federações:


43

Associação dos Surdos de Minas Gerais (Belo Horizonte) Associação dos Surdos de Governador Valadares Associação dos Surdos de Ipatinga Associação dos Surdos de Teófilo Otoni Associação dos Surdos de Ituiutaba Associação dos Surdos de Uberaba Associação dos Surdos de Uberlândia Associação dos Surdos do Prata Associação dos Surdos de Frutal Associação dos Surdos de Montes Claros Associação dos Surdos de Juiz de Fora Associação dos Surdos de Divinópolis Associação dos Surdos de Betim Associação dos Surdos de Contagem Associação dos Surdos de Araxá Associação dos Surdos de Passo Associação dos Surdos de Varginha Associação dos Surdos de Pará de Minas Associação dos Surdos de Conselheiro Lafaiete Sociedade dos Surdos de Araguari Sociedade dos Surdos de Patos de Minas Sociedade dos Surdos de Belo Horizonte Congregação dos Deficientes Auditivos de Beagá Cooperativa Padre Vicente Burnier Ltda Federação das Entidades de Surdos do Estado de Minas Gerais Federação Mineira Desportiva dos Surdos Escritório Regional da FENEIS/MG O número de entidades é grande, mas insuficiente para abranger todo o estado. Sendo assim, está em andamento a criações de instituições nas seguintes cidades: Sete Lagoas, Pedro Leopoldo, Poços de Caldas, Barbacena, Nova Lima , Lavras, Salinas, Santos Dumont e Pará de Minas. Escolas para Surdos em Belo Horizonte  

   

Instituto Santa Inês: possui 234 alunos surdos, é oralista e a Libras é usada apenas nos intervalos. Não há professores que dominem a Libras e nem instrutores. Escola Estadual Francisco Sales: possui 365 alunos surdos divididos nos turnos da manhã, tarde e noite. A Libras ainda está em desenvolvimento nessa escola. Trabalha lá uma pedagoga surda e agora está sendo implantado o CAS para o qual foram contratados 4 instrutores. Escola Estadual Maurício Murgel: escola inclusiva de ensino médio e fundamental. Possui 97 alunos surdos e 4 intérpretes. Escola Municipal Paulo Mendes: possui 90 surdos e conta com os serviços de instrutores e interpretes de Libras. Imaco: escola inclusiva. Todas as escolas da Prefeitura de Belo Horizonte que receberem alunos surdos estão obrigadas a contratar instrutores de Libras.

Secretaria Regional de Teófilo Otoni


44

A novidade desse ano foi a mudança de endereço do escritório da rua Adalberto Hollebarch, 88 B, para o nº 74 da mesma rua, visando melhor instalação do escritório, onde houvessem salas individuais para cada tipo de atividade, tais como : Sala de recepção para atendimento ao público, sala de curso, cantina, sala de costura e sala de silk. Secretaria Esse setor é o responsável pelo repasse de informações sobre o curso de Libras ou qualquer outro tipo de atendimento, por telefone ou pessoalmente. Só nesse ano foram 246 ofícios enviados via fax e correio e 300 correspondências via correio para as associações e para a FENEIS. Houve o recebimento de 15 convites para a comemoração da fundação das Associações dos Surdos e 420 ofícios de Associações e da FENEIS. Além disso, é responsável pelo recebimento das mensalidades dos alunos do curso e pela venda de materiais em exposição pela FENEIS. Outras Atividades  Cursos de Libras em Teófilo Otoni, para uma turma de 08 alunos e na cidade de Poté, próxima a Teófilo Otoni, para uma turma de 09 alunos, perfazendo um total de 17 alunos. Sabemos que este número ainda é bastante pequeno, mas estamos trabalhando para que possamos aumentá-lo. 

Atendimento às solicitações de pessoas que buscam informações sobre o Curso de LIBRAS e sobre o Curso de Libras e sobre filiação a esta entidade, quase sempre via telefone ou fax.

Encaminhamento de treze surdos ao mercado de trabalho e acompanhamento aos empresários e aos funcionários, quando solicitado

Visita ao gerente da CDL ( Câmara de Dirigentes Lojista de Teófilo Otoni ), Sr. Carlos Salomão para divulgar a FENEIS e falar sobre o trabalho que desenvolvemos e sobre o curso de Língua de Sinais que até então era desconhecido pelo mesmo.

Criação de um CNPJ e abertura de uma conta Corrente no Banco do Brasil para o escritório , por motivo de crescimento do escritório e para obter maior organização nos balanços.

No mês de Outubro, a FENEIS realizou exposição e venda de material na Apresentação do Projeto de Inclusão, no 19º Batalhão de Policia Militar de MG. O evento foi realizado pela Escola Estadual Germano Augusto de Souza. Na mesma oportunidade, as informações sobre o Curso de Libras ministrado nesta cidade foram repassadas.

No mês de Outubro, também a FENEIS mudou para junto da Gráfica, na rua Dr. João Antonio , 115, Centro, pois é um local que facilitará as visitas de pessoas interessadas em fazer o curso de Libras.

Em novembro visitamos a Escola Estadual Clotilde Onofre de Campos, para divulgação do novo endereço de funcionamento. Somos responsáveis pela confecção do uniforme dessa escola.


45

Em novembro iniciamos uma turma de 20 alunos, professores da Escola Estadual Germano Augusto, para o Curso de Libras.

No mês de dezembro, contratamos um surdo de Ipatinga para ministrar um curso de encadernamento para 6 funcionários da gráfica, sendo 3 surdos, pois os mesmos iriam encadernar as agendas imprimidas na mesma.

Com a fundação da gráfica já foram feitas muitas impressões, tanto para a FENEIS quanto para terceiros, emitindo somente o recibo. Já foram produzidos os seguintes materiais: 13.600 cartões de visita, 1.500 crachás para FENEIS/RJ, 3.500 papéis ofícios incluindo os destinados para os escritórios regionais da FENEIS, 400 cartazes para FENEIS/MG e 200 para terceiros, 1.100 cartões de Natal, 1.000 envelopes distribuídos para os escritórios regionais, 200 etiquetas; 500 convites de casamento, 300 Livros Comunicando Com As Mãos, 1.000 panfletos do Alfabeto Manual para a FENEIS/CE, 3.000 fichas de cadastro entre FENEIS RJ e SP, 300 blocos, 10 blocos recibos para Curso de Libras, 1.500 revistas da FENEIS, 2.000 cópias do Relatório Anual 2002 da FENEIS, 3.000 calendários 2004 da FENEIS.

Na área de costura, confeccionamos muitas blusas da FENEIS, uniformes escolares, e sacola da FENEIS. Foram um total de 1216 blusas da FENEIS, 480 Sacolas da FENEIS e 445 Uniformes escolares. O escritório da FENEIS, juntamente com a gráfica contém : 2 computadores, 2 aparelhos de fax, 1 estante de escritório, 2 cadeiras com rodinhas, 3 mesas de escritório, 1 impressora HP laser, 1 impressora HP 640, 1 scanner, 1 máquina de impressão, 1 guilhotina, 2 máquinas de costura, 1 impressora, 1 impressora que inclui xerox e 4 mesas grandes, sendo 1 para corte e costura e 3 para acabamento gráfico.


46

Escritório Regional do Rio Grande do Sul Secretaria O setor é composto por quatro pessoas, uma pessoa do Recursos Humanos e Ação Social e 3 funcionárias, sendo uma gerente e duas secretárias, que são responsáveis por todo trabalho burocrático. É responsabilidade deste setor todo o envio, recebimento, elaboração e encaminhamento de correspondências; atendimento por telefone; manutenção e atualização dos arquivos; informar e atender pessoas interessadas em fazer a filiação e quaisquer outras dúvidas administração de pessoal, de funcionárias da FENEIS e daqueles que prestam serviços nos convênios; realizar admissão, rescisão de contratos, cadastro nos planos de saúde e alimentação dos dados para o bom andamento do trabalho; fazer o controle das contas correntes, observação dos pagamentos a serem efetuados, como o GFIP, GPS e Darf e outros pagamentos, intérpretes, instrutores, fornecedores. Todos estes serviços são realizados sob a supervisão da gerência e com o aval dos diretores. Com o apoio da FENEIS, foram instalados telefones para surdos TDD, em locais de maior concentração e utilização deste serviço (Escola Lilia Mazeron, Sociedade dos Surdos do RS, Sede da FENEIS). Diariamente são atendidas em média de 35 surdos para a confecção de carteira de passe livre e outros encaminhamentos. Setor da saúde 

Continuação do serviço médico gratuito para surdos carentes nas especialidades médicas de otorrinolaringologia e oftalmologia e realização de audiometria. Esse trabalho é feito por profissionais voluntários que, em parceria com a FENEIS, colaboram com seu trabalho, atendendo em seu próprio consultório, sem qualquer custo, os pacientes agendados pela FENEIS.

Realização de exames para constatar o grau de deficiência auditiva (audiometria). O serviço é totalmente gratuito.

A psicóloga Maria Fernanda Halliot Habckost é quem faz o atendimento às pessoas carentes que procuram o serviço de aconselhamento psicológico. Este serviço é voluntário.

Setor de Ação Social Atualmente em Porto Alegre temos 1758 surdos, usuários do transporte coletivo de Porto Alegre, cadastrados na EPTC (Empresa de Transporte Coletivo). Dentre esses, 1520 fizeram carteira de passe livre através da FENEIS. Esse serviço é totalmente gratuito. Com a preocupação do bem estar do surdo no contexto familiar, a FENEIS pleiteou junto a EPTC e adquiriu a cota de 500 pacotes de vales transporte, garantindo ao responsável ao seu retorno e assegurando ao surdo o direito a educação. Esse benefício pode ser ampliado, de acordo com a procura de usuários. Além disso, o setor presta realiza outras atividades descritas abaixo: 

Encaminhamento junto à órgãos públicos;

Movimentação perante a EPTC. A falta desse trabalho no ano anterior dificultou a liberação e até mesmo a renovação do passe livre municipal;

Agilização do processo de cadastramento do passe livre intermunicipal;


47

Fornecimento de intérpretes voluntários para surdos carentes;

Participação em programas sociais com vistas a capacitação profissional;

Participação em encontros e seminários interessados à comunidade surda;

Visitas à abrigos comunitários quando necessário;

Constante busca de parcerias para melhorar e ampliar o atendimento prestado a comunidade surda através de serviços que objetivem o crescimento cultural, educacional, pessoal e profissional;

Assistência a mãe e ao bebê surdo através do projeto com o mesmo nome (ainda em fase de concretização).

Setor de Trabalho 

Trabalham atualmente em convênios da FENEIS 42 surdos, sendo que 41 estão na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e 1 na CORAG (Companhia Riograndense de Artes Gráficas).

De março a dezembro foram feitos diversos contatos com inúmeras empresas para a realização de novos contratos e encaminhamentos para o mercado de trabalho. Mais de 150 surdos foram empregados nas seguintes empresas, Dimed, Carrefour, Febraban, Souza Cruz, Santa Cruz, Mc Donald’s, Mercúrio, Agafarma, Ferramentas Gerais, Paquetá, Záffari e escritórios particulares.

Atualmente contamos com 4 funcionários administrativos (internos) no Escritório.

Setor de Legislação 

Foi utilizado pela FENEIS-RS, representado pelo Diretor Marcelo Silva Lemos, o espaço na Tribuna Popular na Câmara de Vereadores de Canoas no dia 31 de julho, com a efetiva participação da comunidade surda local. O objetivo da sessão foi a explanação sobre a regulamentação da Lei nº 4.596/2001 que oficializa a Língua Brasileira de Sinais;

Utilizado o espaço da Tribuna Popular na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, na qual Marcelo Lemos versou sobre a Regulamentação de Libras, no dia 28 de abril;

Comentários sobre a Regulamentação da Lei Libras em nível federal, elaborado por Marianne Rossi Stumpf;

Regulamentada a Lei Nº 11.664 de 28 de agosto de 2001, que dispõe sobre a gratuidade nas linhas comuns do transporte intermunicipal.

Setor de Intérpretes de Libras 

Reunião geral dos intérpretes no dia 23 de abril na sede da FENEIS


48

Inserção do intérprete de Libras na programação local “ Hip Hop Sul” e com perspectivas de ampliação em âmbito estadual.

Reunião geral dos intérpretes no dia 24 de maio, na sede da FENEIS

Reunião geral dos intérpretes no dia 26 de julho, teve a participação do palestrante Alex Garcia “Guia-intérprete para surdocegueira”, na sede da FENEIS

Realização da Palestra “Princípios Éticos”, ministrada por Maria Cristina Pires Pereira no Curso de Intérprete de Língua de Sinais, promovido pela Secretaria de Educação do Paraná

Realização das palestra “Intérpretes de Língua de Sinais e Instrutores Surdos: direitos e deveres compartilhados”

Instaurado o colegiado como coordenação dos intérpretes de Língua de Sinais do RS, composta de cinco membros;

Continuação da formação “ Guia intérpretes para surdocegueira”, por Alex Garcia;

Realização de Convênio com a FADERS, visando assegurar o intérprete de Libras em seminários e eventos ligados a diversas áreas e garantindo, assim a participação da comunidade surda.

Centro de Educação e Estudos em Libras - CEEL O CEEL foi constituído com o objetivo de ser um centro de referência para estudos realizados sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e sobre a Educação dos Surdos. Suas atividades envolvem elaboração de políticas voltadas para a Libras, promoção de cursos de Libras, promoção e apoio a eventos relacionados à educação dos Surdos e suporte para trabalhos e pesquisas. Atividades: 

A equipe realizou 12 reuniões periódicas para o monitoramento do setor

Avaliação dos Intérpretes empíricos em Pelotas, no mês de abril

Reunião na Secretaria Municipal de Educação, no mês de Abril;

Reunião Geral de Instrutores

Realização de quatro reuniões dos Instrutores ativos

Reunião da Comissão de Organização por ocasião da comemoração da Lei Libras, dia 24 de maio;

Reunião Comissão encarregada de decorar a Festa de Lei Libras

Festa em comemoração da Lei Libras Nº 10.436 de 24/04/2002, na Sociedade dos Surdos do Rio Grande do Sul, no dia 07.06.


49

II Encontro Estadual de Instrutores, 31 em Porto Alegre e 01/11 e 02/11 em Capão da Canoa, RS

Cursos, oficinas de aperfeiçoamento e capacitação de instrutores 

Oficina de Recreação ministrada por Fabiano Souto Rosa e William Dias da Silveira, na SS/RS, em abril

Oficina “Ética Profissional”, ministrada por Sandra Angelini, na SS /RS, em maio

Oficina “Prática Metodológica de Agentes Mutiplicadores”, ministrada por Gisele Rangel e Marcelo Lemos, na SS/RS, em agosto

Oficina “Escrita da Língua de Sinais” , ministrada por Marianne Rossi Stumpf, no Escritório Regional

Oficina “Intérpretes de Língua de Sinais” ministrada por Maria Cristina Pires Pereira

Oficina “Prática da Metodologia Agentes Multiplicadores / LIBRAS”, ministrada por Gisele Rangel, em agosto

Oficina “ Prática de Agentes Multiplicadores” , ministrada por Gisele Rangel, em outubro

Curso de formação Libras do MEC, com carga horária 80h, ministrada pela instrutora Gisele Rangel

Participação na avaliação de candidatos intérpretes empíricos de Libras

Curso de Instrutor na cidade de Santa Rosa, de 09/Agosto a 05/Outubro, com 12 alunos inscritos, sendo que sete aprovados, dois estagiários e dois foram reprovados. Atuaram como professores: Marcelo Lemos, Carolina Hessel, Vânia Chiella, Fabiano Souto Rosa, Gládis Perlin.

Oficina de sensibilização junto aos professores do Curso de Pré-Vestibular “Diversidade na Universidade” (NAPNES/UFRGS), ministrada por Marcelo Lemos

Curso Básico “ Libras em Contexto”, realizado através da parceria com o MEC/CAS, destinado a instrutores de Libras e professores ouvintes de escolas especiais do interior do Estado. Atuaram como instrutores Marcelo Lemos e Gladis Perlin, no City Hotel em Porto Alegre

Pesquisa na Área de Educação: Mostraremos a seguir levantamentos realizados pela pesquisadora Gisele Rangel, integrante do CEEL, com a finalidade de mostrar como está sendo desenvolvido a educação para surdos no Estado do Rio Grande do Sul. O objetivo deste trabalho é de termos um senso mais fidedigno possível em torno dos levantamentos efetuados. Nossa


50

investigação se dá em Escolas Especiais para surdos, ensino fundamental e médio e também universidades. Percebe-se, neste estudo, que a educação feita em Escolas Especiais para surdos estão alcançando seus objetivos, preparando jovens surdos para seguir carreira acadêmica. Desse modo, descarta-se a “inclusão” uma vez que estas escolas especiais tornaram-se eficazes, tendo como principal objetivo inclusão da Libras no Currículo Escolar e como conseqüência a sua divulgação e a preservação da Identidade Surda. A seguir mostramos as planilhas com os referidos dados:


51

ESCOLAS

Grau

Escola Ensino Fundamental Professora Lilia Mazeron – POA/RS Escola Ensino Fundamental Frei Pacífico Educação p Surdos – POA/RS Escola Estadual Mane Garrincha – POA/RS Centro Municipal de Educação e Trabalho – Paulo Freire – POA/RS Escola Unidade Especial Concórdia – Ulbra – POA/RS Escola Estadual Especial Padre Réus – Esteio/RS Escola Municipal Vitória – Canoas/RS Escola Municipal Hellen Keller – Caxias do Sul/RS

Ensino Fundamental

Escola Municipal Especial de Educação de Surdos – Gravataí/RS Escola de Ensino Médio Concórdia para Surdos – Santa Rosa/RS

TOTAL ALUNOS

L. S. no Currículo

PROF. SURDOS

INSTRUTORES

129

SIM

2

3

114

SIM

4

NÃO

54

SIM

2

NÃO

130

SIM

1

NÃO

181

SIM

6

NÃO

141

SIM

7

NÃO

Ensino Fundamental

Ensino Fundamental (Classe Especial) Ensino Fundamental (Classe Especial) Ensino Fundamental e Médio Ensino Fundamental e Médio Ensino Fundamental

95

SIM

NÃO

Ensino Fundamental e Médio

198

SIM

4

NÃO

Ensino Fundamental (Ciclada)

80

SIM

2

NÃO

Ensino Fundamental e Médio

78

SIM

NÃO

3

1 Orientador

2 Estagiários 1 Supervisora ou Coordenadora


52


53

Universidades Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)

Nº alunos 68

Tem Interpretes Sim

Centro Universitário La Salle (UNILASALLE) Centro Universitário Feevale (FEEVALE)

14

Sim

1

Sim

Universidade Católica de Pelotas

4

Sim

Universidade de Caxias do Sul (UCS)

2

Sim

Universidade de Passo Fundo -UPF

3

Sim

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS -UNIJUÍ. (Santa Rosa) Universidade do Vale do Taquari – UNIVATES (Lajeado) Universidade Regional Integrada – URI (Erechim)

1

Sim

4

Não

1

Não

1

Sim

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS)

Obs: Pós Graduação 2 Doutorando 1 Formanda Doutoranda 1 Mestranda, atual 2004 - 2 mestrandos 3

Sim

Universidade de Santa Cruz do Sul

Sim


54

(UNISC) Universidade Cruz Alta (?)

1

Não


55

Participação em Seminários, Encontros e reuniões: 

Reuniões sistemáticas na Prefeitura Municipal de Porto Alegre, da Comissão de Concurso de PPD’s, com a participação de Marianne Rossi Stumpf, como representante desta Comissão

Reuniões periódicas, com a equipe do Projeto “Libras é Legal” em Florianópolis, SC, com a participação efetiva dos Diretores da FENEIS /RS

Palestra sobre Escrita de Língua de Sinais, em Florianópolis. A atividade faz parte do Projeto “Libras é legal”, ministrada por Marianne Rossi Stumpf

Reunião com a Secretaria Municipal de Educação de Pelotas, sobre a organização de concurso referente a inclusão do facilitador da Língua de Sinais (Intérprete) em sala de aula

II Fórum “Letramento e Minorias”, realizado na Fundação de Rotarianos de São Paulo, SP, com a participação de Marianne Stumpf, com o tema “Pedagogia da diferença para surdos”

Palestra na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, sobre a informática na educação de surdos, ministrada por Marianne Stumpf

Participação da reunião do Orçamento Participativo da Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Foi realizado na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), através do NUPPES, o Fórum de Discussão em Educação dos Surdos, discutindo a formação dos intérpretes de Libras

Marianne Rossi Stumpf participou como organizadora das eleição para o cargo de Presidente de SRSS

Realizado na UFRGS/NUPPES, o Fórum de Discussão em Educação dos Surdos, “Construindo o CAS”. Na mesma ocasião, houve o lançamento do livro “Cinderela Surda, de autoria de Lodenir Karnopp, Fabiano Souto e Carolina Hessel

Realizado na UFRGS/NUPPES, o Fórum “Regulamentação da Libras, Municipal, Estadual e Federal”

Participação de Marcelo Silva Lemos em evento na UNISC – Universidade de Santa Cruz do Sul sobre “Os deficientes no mercado de trabalho: relato de experiência (surdos)”

Realizado na UFRGS/NUPPES, o Fórum de Discussão do Ensino Médio na Escola Lílian Mazeron”

Reunião na SEC com os professores de surdos de Pelotas, com a participação de Marianne Stumpf


56

Marianne Rossi Stumpf participou da reunião do projeto de Esportes dos Surdos no SRSS responsável pelo Wilson Miranda, em junho

Reunião na FADERS sobre Regulamentação da Libras, no dia 5 de maio;

Participação da Festa de aniversário da Escola Lílian Mazeron, evento realizado na SSRS

Palestra sobre Escrita de LS e o lançamento do livrinho do Betinho em edição bilíngüe português-libras na XI Fenadoce em Pelotas, no dia 11 de junho

Participação de Marinne Rossi Stumpf no Encontro das Associações dos Surdos (British Deaf Association – BDA) em Bristol-Inglaterra, em junho

Participação de Marianne Stumpf, do CSD – Center Studie of Deaf – Bristol – Inglaterra, em junho

No dia 15 de abril, reunião da Comissão de Acessibilidade aos prédios públicos federais, na qual a Feneis se faz representar. A referida reunião aconteceu no prédio da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em Porto Alegre

12ª Coordenadoria Regional de Educação, Governo do Estado do RS, promoveu reunião com a Comunidade Surda de Guaíba, com vistas a construir uma caminhada visando proporcionar melhores condições de atendimento educacional a comunidade, com a participação de Marcelo Lemos

Solenidade de entrega de certificados, promovido pela Sociedade Literária e Caritativa Santo Agostinho – Rumo Norte, que ao longo de 2003 promoveu cursos de capacitação profissional “Projeto PPD’S”, com a participação de Marcelo Lemos

Semana de Acessibilidade promovida pela Câmara Municipal de Vereadores de Porto Alegre em parceria com a Feneis-RS

Palestra sobre Sign Wrting, no Seminário Nacional de Letras- PUC-RS, ministrante Marianne Stumpf

Reuniões com a DRT (Delegacia Regional do Trabalho, com vistas a esclarecimentos de Leis trabalhistas, viabilizando a inclusão de PPD’S no mercado de trabalho

Atividades desenvolvidas no Setor de Língua de Sinais 

Finalização dos Cursos referentes ao Convênio entre a Secretária Municipal de Educação – SMED e a FENEIS-RS. O público-alvo foram os professores da rede municipal de ensino. No ano de 2003 foram realizados 7 cursos de Libras.


57

Quinze cursos de Língua Brasileira de Sinais e de Sign Writing, na Sede da FENEIS/RS. Foram realizados 12 cursos externos: Curso básico na FEEVALE, em Novo Hamburgo, Básico e Intermediário na PUCRS, Igreja Batista e na cidade de Pelotas.

Foram expedidos 212 (duzentos e doze reais) certificados no ano de 2003.

Projeto Libras é Legal O Projeto Libras é Legal está em fase de tabulação dos dados, entrega e avaliação que foi recebido de RS, PR e SC com a finalidade de compor um Relatório que será entregue a Petrobrás contendo Resumo do Projeto, Metodologia e Indicadores de Resultado, Quadros e Gráficos de Avaliação dos questionários, Reprodução das peças publicitárias desenvolvidas, cronograma totalmente cumprido, mídia expontânea e Mídia paga para divulgação, número de oficinas, eventos e surdos beneficiados, Mapas detalhados da distribuição dos Kits. Documentos de acordo de Cooperação com os Estados (RS, SC e PR), DVD com relatório de imagem produzidas no Projeto. Reuniões com a presença dos diretores Marcelo e Marianne: 

Reunião da Oficina da Gestão Social, local SC

Reunião escolha de temas para o Kit, local SC

Oficina de Desenho e Origami dos surdos, Local SC

Reunião de definição dos temas de jogos, SC

Reunião de re-alinhamento do Kit, em POA

Formatura dos surdos da Oficina de Desenho, SC

Reunião dos desenhistas do Kit, SC

Avaliação dos desenhos e da Libras sinalizada, SC

Aprovação final do Kit Libras (primeiros exemplares saídos da gráfica) desenho/libras sinalizada/libras escrita – lançamento simbólico em SC

Lançamento do Kit Libras em Porto Alegre

Lançamento do Kit Libras no Paraná

Distribuição do Kit Libras em Florianópolis para a rede de professores

Fórum Social do Mercosul, em Porto Alegre

Equipe de Instrutores 1. Ana Cristiane V. Boas – 2grau completo 2. Ana Luiza P. Caldas - Pedagógica


58

3. Ana Paula G. Lara - Pedagógica em andamento 4. André R. Reichert - Pedagógica 5. Angelisa Goebel - 2grau completo 6. Augusto Shallenberger - Pedagogia 7. Carlos Alberto Goes – Serviço de social em andamento 8. Carlos Roberto Martins – Pedagogia em andamento 9. Carolina Hessel Silveira – Desenho Industrial 10. Claudia Magnus Fialho – Pedagogia em andamento 11. Cleonice - 2grau completo 12. Cristian A . Strack – 2grau completo 13. Cristina Ramos Muller – Pedagogia incompleto 14. Daniel Lopes Romeu – 2grau completo 15. Dauber Santos Roque – Educação Física incompleto 16. Denise Kras Medeiros - Pedagogia 17. Denise Santos Roque – Magistério 18. Diogo S . Madeira – Informativa em andamento 19. Eduardo G. Morschbacher – Informativa incompleto 20. Eleonora Elisa Scheid – Educação Artística em andamento 21. Fabiano Souto Rosa – Pedagogia em andamento 22. Fabricio M. Ramos – Educação Física em andamento 23. Francisco E.C. da Rocha – Informativa 24. Gionavi Cristina D. de Campos- 2grau completo 25. Gisele Maciel M. Rangel – licenciatura em História e Geografia. 26. Gustavo T. Bresolin – 2grau completo 27. Ivana G. da Silva – Pedagogia em andamento 28. Janaina P. Cláudio – Arquitetura em andamento 29. Jaqueline Boldo – Pedagogia em andamento 30. Jeferson de Oliveira Miranda – Educação Física 31. Jessica Casa Nova Casa Nova – Radiologia incompleto 32. Juliana Renheimer – Pedagogia em andamento 33. Keli Krause- 2grau completo 34. Lisandra Casa Nova Casa Nova – Magistério, Pedagogia em andamento 35. Lucila dos Santos Valles – Educação Artística em andamento 36. Luis Henrique C. Alexandrinho – Pedagogia em andamento 37. Marcelo da Silva Zettermann – Geográfica incompleto 38. Marcelo Silva Lemos – Pedagogo em curso 39. Márcia Magnus Carpeggiani – 2grau completo e Magistério 40. Marco Aúrelio R. Di Franco – Geográfica em andamento 41. Marianne Rossi Stumpf – Doutorado em informativa na educação 42. Mauri Jose Szinwlski- 2grau completo 43. Monique Giusti Reveillan – Pedagogia em andamento 44. Natacha Soares – Pedagógica 45. Nelson Goettert – 2grau completo 46. Patrícia Silva Rodrigues – Fisioterapia em andamento 47. Paula Weiss – Pedagogo em andamento 48. Paulo Alcides B. Zimmermann - 2grau completo 49. Paulo Campos - 2grau completo


59

50. Paulo Renato dos Santos Barreto – 2grau completo 51. Paulo Roberto Gauto – Pedagogia em andamento 52. Rejane Storch Holtz – 2grau completo 53. Renata O. Heinzelmann Bosse – Letras em andamento 54. Ricardo - 2grau completo 55. Ricardo Morand Goes – Engenharia Elétrica em andamento 56. Rodrigo S. Tavares – 2grau completo 57. Roger L. Prestes – Letras em andamento 58. Rosa Virgínia Oliveira dos Anjos – Educação Artística em andamento 59. Sandra Milano – 2grau completo 60. Sandra Tascado - Pedagogo em andamento 61. Simone M. Fontoura – Educação Física 62. Sonia T. M. Schuster – Magisterio em andamento 63. Tatiane de Souza – 2grau completo 64. Tibiriça Vianna Marneri – Pedagogia 65. Vilson José Gauto – Pedagogia em andamento 66. Wagner A . Campos – Pedagogia em andamento 67. William Dias Silveira – Educação Física em andamento 68. Wilson de O. Miranda – Doutorado em Educação para a Comunidade dos Surdos.


60

Relatório das Atividades Realizadas pela FENEIS/DF

Nova Sede Desde Janeiro do corrente ano a equipe do Escritório Regional do Distrito Federal esteve pesquisando um novo local para a sede da FENEIS/DF. Desde a fundação do Escritório, a sede funcionava em um local cedido pela Associação dos Surdos de Brasília (ASB) e com o crescimento foi necessário ocupar um local maior. No mês de Abril foi alugada provisoriamente uma sala bem localizada e de boas acomodações, até que seja possível a aquisição de uma sede própria. Logo nos primeiros dias a nova sede foi organizada e o novo endereço divulgado. Neste período também foi feito o envio de cartas de apresentação para algumas entidades, no intuito de futuramente conquistar parcerias. No mesmo mês recebemos mais um surdo para estar trabalhando conosco voluntariamente : Arislan Silva Dantas.

Atividades Periódicas Semanalmente a diretoria se reúne com a equipe de trabalho da FENEIS/DF. Nesses encontros foi elaborado um planejamento das atividades a serem realizadas no ano de 2003. Além das reuniões internas, houve também reuniões em órgãos governamentais e não governamentais, para a divulgação da FENEIS e apresentação de propostas de parceria, palestras em faculdades e entidades diversas. O atendimento à comunidade para esclarecimentos relativos aos surdos e para cadastro de surdos para encaminhamento ao mercado de trabalho é feito diariamente, assim como as vendas de livros e revistas restantes.

Serviço de Psicologia A FENEIS/DF foi representada em alguns eventos pela psicóloga do Escritório. Além disso, é feito habitualmente um trabalho com os surdos que buscam ingressar no mercado de trabalho. Esses procedimentos envolvem entrevistas, aplicação de testes psicológicos, questionários individuais e questionário para os pais, testes projetivos, devolutivas e testes e entrevistas e tabulação de dados. Paralelamente às atividades de mercado de trabalho, realiza-se também terapia individual, terapia familiar e orientação em trabalhos e faculdades. O setor efetuou contatos sociais para aquisição de materiais para a FENEIS/DF, como a doação de uma placa de 4,00m por 1,40m. 1- Além do atendimento e aconselhamento ao surdo e à família, o setor de psicologia também realizou testes vocacionais anexados aos cadastros de surdos para o mercado de trabalho; 2- Reuniões de contato com empresas e instituições para celebração de convênio para contratação de trabalhadores e estagiários surdos. Os convênios serão firmados no início do ano de 2004;

Centro de Educação e Estudos em Libras - CEEL No primeiro semestre foram realizadas as seguintes atividades: 

No que diz respeito aos Cursos de Libras, foram realizadas reuniões com os agentes multiplicadores para a definição de metodologia do ensino da Língua de Sinais. Realizou-se também reuniões com os instrutores onde os cursos de Libras nível 1 foram organizados.


61

      

Foi feito o planejamento das aulas, análise do material e só então houve a divulgação dos cursos e a abertura das inscrições dos alunos. O curso “Libras Nível 1 teve início no dia 24 de abril, com duas turmas no noturno, todas as segundas e quintas-feiras e outra que iniciou no dia 30 de julho, também às segundas e quintas no período noturno. A coordenação do CEEL foi modificada, sendo que Gláucia Rosa de Souza foi substituída po Gricélia Silva Carvalho. No mês de maio, o grupo de instrutores da FENEIS/DF passou a se reunir aos sábados no período da tarde para estudarem novos cursos, a metodologia do livro “Libras em Contexto”, alguns conceitos e definições de sinais. A equipe do CEEL participou da II Avaliação de Intérpretes nos dias 09 e 11 de junho. Participação de um evento sobre mídia e pessoas com deficiência, nos dias 13, 14 e 15, organizado pela ANDI (Agência Nacional dos Direitos da Infância) onde foi abordado a forma com que a mídia se coloca em relação ao portador de deficiência. A Coordenadora do CEEL e o responsável pelos multiplicadores visitaram a FENEIS/BH, para uma reunião com o representante do CEEL/MG, no mês de julho, com a finalidade de esclarecer algumas dúvidas sobre o funcionamento dos cursos, como por exemplo: certificados e regulamento.

Já no segundo semestre, sob a coordenação de Gricélia Carvalho, o CEEL desenvolveu as seguintes atividades:  Curso de Formação de Instrutores de Libras, todos os sábados, noturno matutino;  Estudo aprofundado e desenvolvimento de metodologia mais detalhada do Libras em contexto;  Observação da aprendizagem dos instrutores, que só serão encaminhados para Cursos quando estiverem preparados de acordo com o requisitos propostos pelo CEEL;  Reuniões para preparação do III Módulo do Curso de Formação de Intérpretes e do Curso de Formação Continuada.  Os Cursos Básicos de Libras foram realizados em três turmas. Os instrutores Arislan, Fabricia e César desempenharam bem seu trabalho, não havendo nenhuma reclamação dos alunos quanto à metodologia, didática e material usado nos Cursos. Os cursos foram realizados na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em Taguatinga e na Primeira Igreja Batista L2 norte. 49 alunos ingressaram nos cursos de 80 horas/aula e 44 foram aprovados.  O CEEL, após pesquisas de preço e orçamentos adquiriu cadeiras para a realização de cursos nas dependências da FENEIS. Está previsto para janeiro de 2004, a realização de Oficinas de LIBRAS e outros cursos que acontecerão a partir de fevereiro.  O CEEL conta com 15 instrutores surdos em formação. Aqueles que já atuam somam 20 instrutores.  Realização do II Módulo do Curso de Formação de Intérpretes “Lingüística aplicada à Interpretação”, ministrado pela Drª Ronice Muller Quadros. Deste Módulo, que teve 16 horas, participaram 25 intérpretes, com ótimo aproveitamento. Estamos oferecendo este curso de formação inicial, com o objetivo de levantarmos um grupo de profissionais intérpretes coeso e competente em Brasília.  Encaminhamento de quatro intérpretes para o Seminário “Mídia e Deficiência”,promovido pela CORDE Nacional e pela ANDI. Deste Seminário, participaram dois surdos que trabalham na FENEIS-DF, a convite da CORDE Nacional. Este Seminário ocorreu a fim de colocar


62

  

 

  

    

repórteres, jornalistas e profissionais da mídia em geral, de todo o país, a par de conceitos e questões ligadas à deficiência. Encaminhamento de uma intérprete para o Programa “Cidadania”, exibido na TV Senado. O programa foi sobre o Estatuto da Pessoa com Deficiência, sugerido pelo senador Paulo Paim que explicou seu projeto de lei. Encaminhamento de três intérpretes para o Lançamento do Programa Petrobrás Fome Zero, no Palácio do Planalto. A interpretação do evento foi exibida em canal fechado da Petrobrás. Encaminhamento de duas intérpretes para o Seminário Nacional “As políticas públicas brasileiras e a inclusão das pessoas com deficiência”, realizado na Câmara dos Deputados, com a presença de pessoas com deficiência de vários Estados, onde foram discutidas políticas públicas referentes à inclusão. Encaminhamento de cinco intérpretes para a I Amostra Internacional de filmes sobre Deficiência do Centro Cultural Banco do Brasil. As intérpretes atuaram durante os debates, que aconteceram após a exibição dos filmes. Participação de intérpretes na Semana Pedagógica na Faculdade Objetivo. A Semana Pedagógica abriu as comemorações referentes ao Dia do Surdo, tratando de temas ligados à educação de pessoas surdas, dentre outros temas sobre a surdez. Interpretação voz-sinais em palestras proferidas por ouvintes e interpretação sinais-voz na palestra proferida por Rogério Feitosa, responsável pelo Setor de Arte e Cultura Surda na FENEIS/DF e dos surdos que participaram com perguntas,dúvidas e opiniões durante palestras e debates.

Encaminhamento de quatro intérpretes para o Seminário de Educação Especial, realizado pelo Sindicato dos Professores, SINPRO/DF, com a participação de dois professores surdos que trabalham na Secretaria de Educação do Distrito Federal. Participação de intérpretes na Sessão Solene alusiva ao Dia do Surdo, na Câmara Legislativa do Distrito Federal, onde estiveram presentes autoridades da comunidade surda de Brasília. Encaminhamento de duas intérpretes para o Lançamento do livro “Retratos da Deficiência”, produzido a partir de debates no Seminário “Mídia e Deficiência”, que ocorreu em julho. No livro, constam sugestões e esclarecimento feitos pelos surdos da FENEIS/DF, convidados para o evento. Encaminhamento de oito intérpretes para a I Conferência Nacional das Cidades. De todos os surdos que viriam, de vários Estados, só tivemos a participação de uma surda do Amapá, que veio representando a comunidade surda e seus interesses naquele Estado. Encaminhamento de quatro profissionais para o Fórum Nacional de Empresas e Responsabilidade Social – “Inclusão das Pessoas com Deficiência”. Encaminhamento de seis intérpretes para o I Encontro Nacional de Conselhos de Direito da Pessoa com Deficiência, promovido pelo CONADE (Ministério da Justiça) e BBTUR. Participação de surdos da FENEIS/DF convidados pelo Gabinete do senador Paulo Paim e respectivo encaminhamento de duas intérpretes para atuar na Videoconferência sobre o Estatuto da Pessoa com Deficiência, em nível nacional. I Conferência Nacional da Saúde – encaminhamento de seis intérpretes. O evento teve a participação de surdos de outros Estados.

Intérpretes 

A equipe do CEEL/DF elaborou documentos sobre os intérpretes educacionais e demais intérpretes. Houve reuniões com esses intérpretes para a apresentação de toda a documentação.


63

     

Realizou-se uma segunda avaliação de Intérpretes para participarem do Curso de Lingüística em ILS, II Módulo de Formação de Intérpretes com a Professora Ronice Quadros. Houve também a divulgação do serviço de interpretação para instituições públicas e particulares. A FENEIS/DF forneceu serviços de interpretação em alguns órgãos como Câmara Federal, Rede ANDI, Projeto Rua Viva e Senado. Outros eventos e reuniões diversas também contaram com a concessão de intérpretes. Participação da organização dos cursos de Libras. Colaboração com o MEC, através do envio da proposta (regulamento) para a contratação de intérpretes em um provável concurso público para o Congresso Nacional.

Existem, em Brasília, cerca de 28 intérpretes em formação na FENEIS/DF e cerca de 12 intérpretes já considerados profissionais, respeitados e legitimados pela comunidade surda (alguns ainda não fazem parte do quadro de intérpretes da FENEIS/DF). Eventos realizados pela FENEIS/DF A FENEIS/DF neste 1º semestre de 2003 realizou alguns eventos de grande importância para a comunidade surda local. Os eventos foram organizados e divulgados pela FENEIS.  

O grupo de teatro da FENEIS/DF, organizou peças que foram apresentadas em escolas visando a prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis, inclusive a AIDS. O público foi formado por adolescentes e adultos surdos. No dia 26 de junho do corrente ano, realizou-se o I Encontro dos Surdos com as Faculdades e Universidades do Distrito Federal. O objetivo do curso foi discutir com diretores e coordenadores de diferentes cursos questões importantes sobre o surdo no contexto do Ensino Superior. Nesse evento a FENEIS contou também com a participação da Professora Marlene Gotti, do Ministério da Educação, que esclareceu sobre a legislação na Educação e no Ensino Superior. No dia 01 de julho aconteceu o Manifesto Surdo. Este evento contou com a participação significativa da Comunidade Surda e de pessoas e entidades que trabalham com surdos. O objetivo do Manifesto foi solicitar ao governo do Distrito Federal o cumprimento das duas leis que garantem a interpretação em Língua de Sinais nas peças públicas e intérpretes em órgãos públicos. Graças a essa mobilização, as referidas leis estão em processo de regulamentação, cujo o prazo para o cumprimento é de 60 dias. Realização do Curso de Lingüística Aplicada à Interpretação, nos dias 16 e 17 de julho com um público de 25 intérpretes que estão em formação pela FENEIS/DF. Esse curso foi ministrado pela Lingüista Ronice Quadros, que compartilhou seus conhecimentos e suas experiências com carinho e profissionalismo. Participação no Programa Plurianual, organizado pelo Governo Federal.

Outras Atividades 

Entrevistas em emissoras de rádio e televisão( TV e rádio Nacional, Radiobrás, TV Brasília, TV Record) para divulgação da FENEIS e de questões relacionadas ao surdo como: educação, trabalho, cultura/língua de sinais;


64

    

 

  

Organização e realização em parceria com SENAI/DN, SENAI/DF e Instituições que atuam com Pessoas com Deficiência do 1º Fórum do DF Sobre Inclusão de Pessoas com Necessidades Especiais no Mercado de Trabalho. DATA: 07 de agosto de 2003 no auditório do CNI; Reuniões no Senado Federal - ILB- Instituto Legislativo Brasileiro - para celebração de Convênio FENEIS/ SENADO FEDERAL para cursos de LIBRAS para funcionários do Senado e estágios para surdos; Participação em evento com a presença do presidente Lula para entrega do Plano Plurianual do Governo Federal( PPA)- 2004/2007, representando as entidades não governamentais que ajudaram na elaboração do PPA.DATA:14 de agosto - Palácio do Planalto; Participação em eventos diversos representando a Comunidade surda; Organização da Semana do Surdo: Cultos ecumênicos, Palestras em faculdades, sessão solene na Câmara Legislativa do DF Contato com emissoras de televisão( REDE GLOBO, RECORD, SBT,) para veiculação de filmete sobre o Dia Nacional dos Surdos; Este filme foi produzido pela Radiobras e cedido às outras emissoras que fizeram a veiculação veiculado em toda a semana ( de 22 a 27 de setembro); Palestras em Universidades e Faculdades do DF sobre os seguintes temas: “O Surdo no Contexto do Ensino Superior”, “Comunidade e Cultura Surda”, “Educação de Surdos e Língua Brasileira de Sinais”; Participação do GRUPO DE REGULAMENTAÇÃO da Lei Distrital nº 2.532 que determina a habilitação de servidores públicos do DF para o atendimento ao surdo na Língua Brasileira de Sinais e da Lei 2.089 que institui a obrigatoriedade de inserção, nas peças publicitárias produzidas para veiculação em emissoras de televisão, da interpretação da mensagem, em legenda e na língua Brasileira de Sinais. Estas reuniões aconteceram nos meses de agosto e setembro na sede da CORDE/DF; Atendimento a estudantes, de diferentes cursos, sobre temas diversos relacionados à surdez, oferecendo inclusive material de apoio; Apoio e orientação aos surdos universitários por meio de reuniões diversas para troca de experiências, apresentação de sugestões e formulações de documentos; Organização do 1º CAMPEONATO DE INTEGRAÇÃO SURDOS E OUVINTES do DF, em parceria com Associação dos Surdos de Brasília, Associação Desportiva dos Surdos de Brasília, Secretaria de Esporte do DF e CORDE/DF. Este importante evento para a comunidade surda foi realizado com muito sucesso, tendo cumprido com os seguintes objetivos propostos: promover a integração das pessoas surdas e ouvintes mediante a prática esportiva, divulgar a capacidade esportiva e o potencial competitivo dos surdos, incentivar a formação de atletas surdos. DATA 01 de novembro de 2003 no CENTRO POLIESPORTIVO DE BRASÍLIA; Elaboração de documentação e reuniões para celebração de convênio FENEIS/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO DF que está prestes a ser firmado com vigência em 2004;

Atividades de incentivo ao desenvolvimento da cultura surda através de ensaios, formação e apresentação do grupo de TEATRO SURDO da FENEIS/DF sob a responsabilidade do coordenador do setor de arte e cultura surda da FENEIS/DF, Rogério Feitosa. Boas notícias Os surdos de Brasília já podem comemorar:


65

O governador do Distrito Federal assinou o decreto nº 24.136, de 09 de outubro de 2003, que regulamenta a lei nº 2.532, onde determina que todos os órgãos públicos do Distrito Federal deverão contar com funcionários aptos a oferecer atendimento ao surdo na Língua Brasileira de Sinais. Além disso, a lei 2089, que institui a obrigatoriedade da legenda e da interpretação em Libras nas peças de utilidade pública veiculadas em todas as emissoras de televisão, começará a vigorar no ano de 2004.


66

ESCRITÓRIO REGIONAL DA DE PERNAMBUCO O Escritório Regional de Pernambuco funciona provisoriamente no Instituto Antônio Pessoa de Queiroz (Instituto dos Cegos), locado desde a sua fundação em 2002. Sendo mais uma referência para Comunidade Surda, já conta com a realização de várias atividades em prol da mesma. Entre outros, um dos nossos objetivos para 2003, foi a articulação com entidades, órgãos governamentais e não governamentais, no intuito de fortalecer o movimento, propondo ações que garantam a acessibilidade da Pessoa Surda à educação, saúde, ao trabalho e a comunicação. Na garantia da sustentabilidade, a capitação de recursos se manteve através de: contratos de prestação de serviços dos intérpretes de Libras e Instrutores de Libras, cursos de Libras para ouvintes além de doações recebidas no ano de 2003, da Universidade Católica de Pernambuco – UNICAP, bem como da empresa PHILIPS.

Contudo, além das conquistas, várias ações, antes planejadas estrategicamente, podemos desenvolver, as quais seguem abaixo descritas:

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESTUDOS EM LIBRAS (CEEL) Constituído como Centro de referência para estudos realizados sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e sobre a Educação de Surdos, o CEEL desenvolveu as seguintes ações, em seus respectivos setores:

 Setor de Cursos O Setor de Cursos, este ano, ministrou cursos de nível básico com carga horária de 180 h/a, dividida por módulos de 60h/a, ficando a critério do cursista, a escolha do(s) módulo(s) que desejou cursar. Todavia totalizamos 17 cursos de Libras em nível básico, com parcerias, incluindo interiores do Estado de Pernambuco e municípios vizinhos, indústria alimentícia Vitarella (local onde tem 35 Surdos empregados). Além de uma oficina, realizada na Faculdade de Filosofia do Recife – FAFIRE.

 Estatística dos cursos O motivo pelo qual não estamos enviando os nomes dos cursistas, Instrutores de Libras, dar-se-á pela não conclusão do curso, uma vez que será concluído em 20.03.2004, perfazendo uma carga horária de 180h.

Vale salientar que também foram proferidas palestras, encontros, seminários, fóruns e eventos, assim distribuído graficamente:

Entre os eventos desenvolvidos, nossa maior realização foi a organização da I Conferência Municipal de Educação de Surdos – COMUDES, evento que objetivou discutir sobre a escola de


67

qualidade para os Surdos e divulgar a sociedade em geral os nossos interesses e a nossa bandeira por nossa cidadania. Com a repercussão obtida com a COMUDES, conseguimos uma conquista inédita e de suma importância – a oficialização e reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais – Libras em nível municipal. O reconhecimento a nossa língua chega no momento oportuno, pois percebemos por parte da sociedade, que começamos a sermos respeitados como cidadãos participativos. Estamos orgulhosos e cheios de desejos de continuarmos a conquistar novos horizontes.

Segue em anexo, o relatório específico da COMUDES.

 Setor de Pesquisa Preocupados com avanço na Educação escolar do Surdo, onde ainda percebe-se a resistência quanto a aceitação da Libras, nosso Setor de Pesquisa obteve os seguintes dados do número existente de Surdos que estão freqüentando a Escola nas séries de 1ª a 8ª no município de Recife/PE: SETOR DE PESQUISA DA FENEIS/PE

 Parcerias Para atender com qualidade os objetivos e interesses propostos por esse escritório, e em prol da Comunidade Surda de Pernambuco, fizemos parceria com; APAE - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais CORDE - Coordenadoria da Pessoa com Deficiência UNICAP - Universidade Católica de Pernambuco CREA - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de PE SEAD - Superintendência Estadual do Apoio à Pessoa com Deficiência Igreja Presbiteriana das Graças Igreja Batista da Batista E em agosto de 2003, fizemos parceria com a Secretaria de Educação e Cultura do Estado de Pernambuco com a abertura do Centro de Apoio ao Surdo – CAS, localizado na Escola Cônego Rochael de Medeiros (Rede Estadual de Ensino), onde estudam 80 Surdos em salas especiais da 5ª a 8ª séries. Essa parceria favorece ainda mais a Comunidade Surda, uma vez que o objetivo é garantir um espaço de reconhecimento político – social da Cultura Surda, legitimando o Surdo, enquanto cidadão, através da institucionalização dele como profissional e do suporte às ações da Secretaria de Educação e Cultura – SEDUC para melhoria da qualidade da educação oferecida.


68

O Centro destina-se a capacitação de profissionais da Educação, produção de material científico e apoio às ações culturais além dos cursos de Libras e de um local de convivência para surdos. O CEEL, em defesa da Comunidade Surda Pernambucana também alcançou os seguintes objetivos: 

Divulgação da “Cultura Surda”;

Passeata organizada na data destinada ao Dia dos Surdos, (26/09/03) pela conquista dos seus direitos; II PASSEATA REALIZADA EM 26/09/03 – DIA DOS SURDOS

Alteração da Lei nº 16.529/99 para Lei nº 16.918/2003 da Libras no município de Recife;

Sensibilização nas empresas beneficiando a empregabilidade do Surdo;

Elaboração de proposta de Intérprete de Libras para a Universidade, facilitando acesso e permanência do Surdo;

Proposta de Intérprete de Libras enviada para a Secretaria de Saúde, nos locais de urgência, emergência e internamento objetivando quebrar a barreira na comunica da comunicação com o Surdo, garantindo a sua saúde física;

Proposta de cursos de Libras enviadas para hospitais e empresas;

Cursos de profissionalização:

Em parceria com a SEAD, foram encaminhados Surdos para cursos de qualificação profissional oferecidos pelo SENAI e FAT.

CURSO

CARG A HORÁ RIA

Informática Básica

80 h/a

Gestor de Negócio

80 h/a

Corte e Costura Industrial em Malha

60 h/a

Modelagem Industrial Curso de Capacitação para Instrutores Iniciantes Surdos

40 h/a 180 h/a

PARCEIRO

NÚMERO DE PARTICIPANTES

SEAD/FA T SEAD/FA T

10

SEAD/SE NAI SEAD/SE NAI

40

FENEIS/C AS

34

05

40


69

 Assistência Judicial Objetivando assegurar os direitos básicos do cidadão Surdo a FENEIS/PE tem prestado atendimento ao Surdo em processos judiciais. Tais atendimentos são totalmente gratuitos, pois trabalhamos também, com profissionais intérpretes que atuam voluntariamente em situações específicas.

 Assistência Social Visando à fundação de novas Associações de Surdos, o Escritório Regional de Pernambuco vem apoiando a Comunidade Surda de vários municípios da região metropolitana e do interior do Estado. Durante os trâmites de fundação de uma Associação, o Escritório tem assessorado no processo de organização de documentação, tais como, estatuto, regimento interno, ata de fundação e posse, CNPJ entre outros, na busca da legalização das mesmas, uma vez que já estão em funcionamento. Importante lembrar que o aumento do número de Associações aconteceu depois da fundação do Escritório Regional, bem como o aumento do Movimento de Surdos:      

Município de Petrolina – Associação de Surdos de Petrolina - ASPET Município de Gravatá – Associação de Surdos de Gravatá - ASG Município de Caruaru - Associação de Surdos de Caruaru - ASC Município de Vitória - Associação de Surdos de Vitória - ASV Município de Arcoverde - Associação de Surdos de Arcoverde - ASAV Município de Garanhuns - Associação de Surdos de Garanhuns – ASGH

OBSERVAÇÃO: Associações já existentes em Pernambuco;   

Associação de Surdos de Pernambuco – ASSPE Associação de Surdos de Olinda – ASO Associação dos Educadores em Educacional Especial do Cabo – EDUCO

Também estivemos apoiando a Fundação de um Escritório Regional no Estado do Ceará, com a ida do nosso Diretor para assessorar os dirigentes quanto a documentação necessária, atribuições do Escritório e seus Setores. Vale ressaltar que o Estado do Ceará é o segundo da Região Nordeste a ter um Escritório Regional da FENEIS. Em se tratando de recrutamento e encaminhamento dos Surdos para empregabilidade do mesmo, trabalhamos como fonte possuindo mais de 100 (cem) Surdos cadastrados. Conforme a procura feita pelas empresas, o Escritório faz a triagem e o contato inicial dos candidatos. A entrevista e a seleção são de responsabilidade da empresa. A entrevista e o processo de integração tem sido acompanhado por um intérprete de Libras do quadro da FENEIS/PE. Empresas contactadas em 2003:  Vitarella  Vincunha Textil


70

     

C&A IGL Indústria Ltda. Exótica Calçados ASA Indústria e Comércio Ltda. Unilever Philips LG

Com o objetivo de ampliar as atividades sociais do nosso Escritório, bem como divulgar os veículos de comunicação, com mais periodicidade em nosso trabalho, abrimos um SETOR DE PROJETOS E COMUNICAÇÃO – PROCOM. Contudo o referido Setor desenvolveu o projeto de Curso de Libras na Universidade Católica de Pernambuco - UNICAP, abrindo parceria com a mesma.

 Setor de Intérprete O Escritório Regional de Pernambuco marcou sua presença na 55ª Reunião anual da SBPC – Educação, Ciência e Tecnologia para inclusão social, realizada em Recife na UFPE, no período de 13 a 18 de julho de 2003, com atuação dos intérpretes de Libras, cadastrados pela FENEIS/PE, nas palestras oferecidas nesse evento. Todavia, a FENEIS/PE, destacou-se por sua organização quanto a interpretação. O que mostra seu trabalho em favor da Comunidade Surda. Vale salientar que o presidente da FENEIS, Antônio Mário Souza Duarte compareceu ao evento no momento oportuno. Para que possamos aprimorar os trabalhos, durante o ano de 2003 os Intérpretes de Libras tiveram encontros quinzenais para discutir:     

Ética profissional Comunidade Surda Estudos de casos Gramática da Libras Etc...

Os intérpretes também participam de cursos, seminários, fóruns, palestras, encontros, debates, oficinas, reuniões e outros. Destacaram-se no I Congresso Internacional de Tecnologia na Educação. Ressaltamos ainda, que os Surdos presentes tiveram o direito de perguntar publicamente, sendo interpretados. JUNTOS PROCURAMOS DESENVOLVER TRABALHOS PARA QUE POSSAMOS REFORMULAR A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA COMUNIDADE SURDA. Equipe 1º Diretor Regional – Antônio Carlos Cardoso 2º Diretora Regional – Maria Dione Monteiro Secretária – Ângela Farias Coordenadora do CEEL – Michelle Guedes Subcordenação do Setor de Cursos – Adriana Cecília Uchôa


71

Subcoordenação do Setor de Intérpretes – Patrícia Cardoso Subcoordenação do Setor de Projeto e Comunicação – Sylvia Farias Subcoordenação do Setor de Pesquisa – Wanda Maria Pinheiro Instrutores: Ana Lúcia Pereira da Silva, Adriana Cecília Uchoa, Bernado Klimsa, Jadson Cristóvão Rodrigues, Leane Pereira Cordeiro, Patrícia Cardoso,Terezinha de Jesus, Wanda Maria Pinheiro. Intérpretes: Benevando Magalhães Faria, Creuza Santana da Silva, Ernani Nunes Ribeiro, Evandro Filho, Lis Pedrosa da Silva, Marcos Onofre Ferreira Maria Janaína Alencar Sampaio, Mauria Figueiredo da Silva, Nádja Alexandrino de Medeiros, Norma Abreu e L. Maciel de L. Vasconcelos, Adriana Di Donato Rérica Soares dos Santos, Severina Sylvia Batista de Farias e Sueli Cristina dos Santos.

O Curso de Libras: Objetivos:  Qualificar profissionais que desenvolvam trabalhos com a  Facilitar a comunicação entre Surdos e ouvintes;  Valorizar a Cultura dos Surdos.

Comunidade Surda;

Modalidades: Básico: Proporciona conhecimentos da Cultura Surda e noções básicas da Libras; Carga Horária:

Módulo I - 60h Módulo II - 60h Módulo III - 60h Total: 180 horas/aula

Intermediário: Proporciona conhecimentos da Língua e conhecimentos Lingüísticos da Libras. Carga Horária:

Módulo I - 60h Módulo II - 60h Total: 120 horas/aula

Avançado: Proporciona conhecimentos da Educação dos Surdos e conhecimentos específicos da Libras. Carga Horária:

Módulo Único


72

Escritório Regional do Paraná Participação de reunião do projeto “LIBRAS é Legal” em Florianópolis-SC, em parceria com a Petrobrás. Participação do I Encontro das Instituições “de e para” pessoas portadoras de deficiência, promovido pelo D\SENAC, visando a melhoria da Educação Profissional tendo em vista o perfil do mercado de trabalho Reunião da equipe com o objetivo de divulgar a FENEIS em todo o Paraná. Participação em palestra para pais na cidade de São José dos Pinhais - PR. Houve um trabalho de divulgação no eveto Colaboração na fundação da Associação de Surdos de Ubiratã –PR, através de palestras para a comunidade e divulgação da FENEIS Divulgação da FENEIS na Oficina de Interpretação para Professores, com a participação do Pastor Marco Antônio Arriens Reunião na Fundação de Assistência Social (FAZ), da Prefeitura Municipal de Curitiba, onde foi tratado sobre a Isenção Tarifária para pessoas portadoras de deficiência Realização de cursos de Libras de níveis Básico e Avançado Avaliação para intérpretes Participação do II Encontro de Instituições “de e para “ pessoas portadoras de deficiência, promovido pelo SENAC Reunião da equipe da FENEIS para a formação das seguintes subdivisões por grupos: 1 – Equipe de Intérpretes: Responsável pela organização do teste de intérpretes 2 – Equipe de Instrutores: Responsável pela organização de cursos para surdos, sobre Libras, didática, postura, entre outros 3 – Equipe de cursos de Libras: Responsável pela organização e divulgação dos cursos de Libras, em nível básico, intermediário e avançado 4 – Equipe de Estudos e Formação de Intérpretes: Responsável pela organização de estudos de formação membros da FENEIS, intérpretes e membros da Associação dos Surdos de Curitiba 5 – Grupo de Acervo e Pesquisa: Responsável pela organização da biblioteca e aquisição de materiais para pesquisas sobre surdos, surdez e Língua de Sinais Divulgação e venda de materiais da FENEIS na Oficina para Intérpretes do Pastor Marco Arriens Aplicação de testes para intérpretes Participação de palestra promovida pelo SENAC com o tema “Captação de Recursos para a Sustentabilidade de Projetos” Discussão da realização da Pré-Conferência dos Núcleos Regionais Participação de reunião com o CIESPAR Encaminhamento de pedido para a oficialização do “Dia do Surdo” Discussão sobre Isenção Tarifária, com participação de técnicos da URBS Reunião com a equipe da FENEIS abrangendo a importância de cada equipe possuir um plano de trabalho organizado Lançamento nacional do Kit “Libras é Legal” No Dia do Surdo foi realizada um palestra na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, referente à Educação inclusiva no ensino superior Avaliação da Semana da Pessoa com Deficiência Participação da Conferência Municipal: Avanços e Desafios Participação do processo eleitoral dos Conselhos na área não governamental


73

Discussão do tema inclusão, com a participação dos Técnicos da Secretaria de Educação, Secretaria Municipal e Secretaria da Criança Divulgação das atividades da FENEIS e venda de materiais no Congresso Internacional Keiraihaguiai Seminário promovido pela Fundação de Ação Social (FAS), com o tema “Conhecendo e compreendendo a pessoa com necessidades especiais” Divulgação e venda de material da FENEIS no curso formador de intérpretes educacionais, promovido pela Secretaria de Educação Encerramento e confraternização com os alunos dos cursos de Libras I Encontro Paranaense de Intérpretes promovido pela FENEIS/PR com os seguintes temas: 1 – O que é a FENEIS 2 – A comunidade surda frente o intérprete 3 - A atuação do intérprete educacional 4 Classificadores em Libras 5 Introdução a Tradução Libras – Português 6 Perguntas, sugestões e encerramento Curso relâmpago sobre classificadores com a instrutora Rosani Suzin Publicação da Lei Estadual 14.220, que institui o dia Estadual dos Surdos Instalação de telefone surdos (TDD) na sede do Escritório Recebemos a doação de uma máquina de escrever elétrica Fizemos a compra de uma geladeira


74

Escritório Regional do Ceará O Escritório Regional da FENEIS no Ceará está inserido no panorama político de luta das pessoas com deficiências no Estado do Ceará. Manteve o firme propósito, no decorrer de 2003, na busca de uma estruturação interna de suas bases. Ainda precisa ampliar em muito sua atuação junto à comunidade surda e ouvinte. Algumas conquistas já são percebidas como a política de divulgação da língua de sinais através de cursos de língua de sinais, que existiam de forma descontínua e desorganizada, uma valorização do profissional instrutor surdo e uma aglutinação maior dos intérpretes da língua de sinais, inclusive em remuneração, planejamento e formação. Acreditamos que a FENEIS ainda terá muitos caminhos a percorrer, sobretudo em criar condições de interlocução com empresas, escolas, órgãos governamentais e outras entidades no sentido de valorização das capacidades da pessoa surda. O incremento em algumas áreas é de fundamental importância para que a sociedade obtenha um conhecimento maior a respeito da pessoa surda e, com isso, conquistar cada vez mais espaços sociais. A seguir, apresentamos um resumo das atividades desenvolvidas por este escritório no período de Janeiro a Dezembro de 2003. Palestras em diversos eventos Palestra intitulada “O que é a FENEIS” que explanou acerca dos objetivos, formas de atuação, organização, principais preocupações, divulgação dos trabalhos, no I Encontro Cearense de Obreiros com Surdos, promovido pela 1ª Igreja Batista; Palestra “O Surdo: dificuldades, sucessos e desafios” que discutiu a respeito do preconceito em relação à surdez, problemas de comunicação, dificuldades enfrentadas pelos surdos na família, escola e mercado de trabalho, algumas diferenças significativas da pessoa surda em relação à ouvinte; formas de organização da pessoa surda, educação diferenciada, importância da língua de sinais no universo surdo, no Fórum sobre pessoas com deficiências, promovido pela Universidade Vale do Acaraú (UVA) na cidade de Iguatu-Ce; Palestra “Formas de atuação e sensibilização”, que explanou os objetivos das entidades representativas de surdos, os trabalhos realizados, estratégias de sensibilização na sociedade, organização interna, divulgação da associação em todos os âmbitos, investimento nas áreas de educação e cultura dos surdos associados, para os membros da diretoria da Associação dos Surdos do Ceará Palestra: “Identidade, cultura e Dia Nacional dos Surdos”, sobre diferenças entre pessoas surdas e ouvintes, importância da língua de sinais e do envolvimento com seus pares adultos, aspectos culturais peculiares da pessoa surda, objetivos e principais reivindicações da comunidade surda, importância da organização dos surdos, na IX Conferência de Temas Atualizados do Curso de Terapia Ocupacional promovido pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR; Palestra: “Organização e Atuação da Diretoria de Associação”, que explicitou os objetivos de uma associação de surdos, a responsabilidade da diretoria na formação de lideranças surdas, na promoção de encontros de sensibilização, na conscientização dos surdos pelos direitos, na organização interna da entidade, na luta pelo reconhecimento da língua de sinais, no Encontro de Surdos promovido pela Associação dos Surdos de Teresina (ASTE);


75

Palestra “Instrutores Surdos” que abordou a formação, atuação, importância, formas de organização dos cursos, postura, ética, no Encontro de Surdos promovido pela Associação dos Surdos de Teresina (ASTE); Palestra: “Luta das comunidades surdas pelas conquistas de seus direitos” abordou um resgate histórico das lutas dos surdos no Ceará, resumo de conquistas pontuais pelo Brasil, resumo de reivindicações, importância das entidades de surdos, atuação dos instrutores/professores surdos, no III Seminário sobre Educação e Integração dos Surdos em Quixeramobim-Ce; Palestra “Dia Nacional do Surdo” que abordou dificuldades encontradas pela pessoa surda na sociedade, explicitação de necessidades diferenciadas, valorização da língua de sinais, nas comemorações do Dia 26 de setembro; Palestras acerca do segmento surdez, nos fóruns regionais nos municípios de Sobral, Itapipoca, Russas, Crateús, Crato, Iguatu, Maracanau e Fortaleza, promovidos pela Secretaria de Ação Social do Governo do Estado, com o objetivo de discutir e conhecer a realidade dos portadores de deficiências em todo o Estado e meios de planejamento de políticas públicas de inclusão; Promoção e participação em reuniões Reunião da Diretoria da FENEIS com o CEEL para solucionar problemas internos; Reunião geral com os setores para avaliação dos trabalhos da FENEIS em 2003; Reunião com alguns membros da FENEIS de SP, RS e PE para troca de experiências quanto à organização de cursos, financeiro, planilhas e outros; Reunião com o 1º Diretor regional do escritório da FENEIS em Fortaleza para análise e possibilidades de desenvolvimento da FENEIS Participação nas reuniões e assembléia convocadas pela FENEIS à diretoria para apresentação do relatório, balanço, financeiro e outros assuntos; Reunião com representantes do Instituto de Capacitação para a Vida (ICV) a fim de firmar parceria na divulgação e promoção do Curso de Libras; Participação na reunião com a célula de educação especial da secretaria de educação do Estado para fins de contratação de intérpretes e instrutores da Libras; Reunião com a coordenação do SINE–CE para estratégias de sensibilização das empresas no cumprimento da legislação de oferta de vagas no mercado de trabalho às pessoas co m deficiências; Reunião com surdos e ouvintes para responder questionário enviado pela FENEIS/MG acerca da realização do V Congresso Brasileiro de Surdos;

Participação em vários eventos Painel “É assim que eu me expresso”, mostra de pontos como educação, cultura, mercado de trabalho, família, lazer, comunicação, direitos em relação à pessoa surda, apresentação de um


76

teatro sobre educação, no Fórum Regional de Pessoas Portadoras de Deficiência com o objetivo de Planejamento das políticas públicas de inclusão dos portadores de deficiência. Participação no encontro do Grupo de Estudos e Pesquisas da Educação de Surdos (GEPES) com o objetivo de retorno às suas atividades; Participação na reunião do Conselho de Direitos Humanos dos Portadores de Deficiência na Assembléia Legislativa; Participação na elaboração do Plano Estadual de Atenção à Pessoa Portadora de Deficiência – segmento surdez, promovido pela Secretaria da Ação Social (SAS); Participação na reunião com a Procuradoria Geral da Justiça acerca da luta pela implementação do Passe Livre do Deficiente nos ônibus coletivos na cidade de Fortaleza-Ce; Exposição no stander de painéis, folder, folhetos informativos sobre a Feneis e suas ações juntamente com a ASCE e APADA em ocasião ao “I Seminário sobre Inclusão e Empregabilidade” promovido pela FIEC; Participação na defesa de Tese de doutorado de Vanda Magalhães Leitão da Universidade Federal do Ceará sobre narrativas da história dos surdos no Estado do Ceará; Participação no seminário promovido pelo Governo Federal na discussão do Plano Plurianual 2004-2007 no auditório do Banco do Nordeste; Participação no seminário promovido pelo Governo Estadual na discussão do Plano Plurianual 204-2007; Participação para reativação do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos da Pessoa Portadora de Deficiência; Participação no encontro promovido pelo GAIS – Grupo de Apoio ao Investimento Social com o tema: “1ª Pratica Social”; Participação no Painel de Discussão promovido pelo Movimento Vida com o tema: “Monitoramento Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência”; Entrevista na Rádio Universitária de Fortaleza sobre o Dia Nacional dos Surdos, Políticas de ensino da Língua de Sinais e o papel da FENEIS Participação no Fórum de Responsabilidade Social com o tema: “Empresa Cidadã”, promovido pela Federação das Industrias (FIEC); Participação na Abertura do Programa “Portas Abertas” da Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo do Governo do Estado; Participação na Teleconferência com tema: “O Retrato da Pessoa com Deficiência no Brasil” com a participação de deputados federais;


77

Encontro com entidades para análise e sugestões ao “Estatuto do Deficiente” do deputado Paulo Paim, ; Discussão e envio de sugestões acerca de pontos que contemplem o segmento surdez à Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) via internet, para a elaboração da Política Nacional dos Direitos Humanos; Participação nos debates e palestras sobre a inclusão da pessoa portadora de deficiência no mercado de trabalho promovido pela Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo. Participação com outras entidades de/para surdos da audiência com a secretaria de administração do Governo do Estado para tratar do problema de contratação temporária de intérpretes e instrutores da Libras; Participação da 1ª Reunião com o partido político PT;

Outras ações Garantia de uma vaga de estágio para pessoa surda no setor de informática da Federação das Industrias (FIEC); Envio de projeto à Secretaria de Educação na discussão de abertura de concurso publico para intérpretes e instrutores/professores surdos; Confraternização do 1º ano de atuação da Feneis-Ce com a participação das entidades de pessoas com deficiências, com apresentação de uma peça teatral organizada pelos instrutores de língua de sinais. Participação e apoio no 20º Aniversário de fundação da ASCE com uma peça de teatro organizada pelos instrutores; Serviços de Secretaria O serviço de secretaria, além de suas atribuições inerentes ao cargo, teve outras participações como: Encaminhamentos dos projetos dos cursos de Língua de Sinais a algumas prefeituras dos municípios cearenses; Inscrições para os cursos de língua de sinais; Auxilio no controle de pagamento dos alunos; Serviços bancários, receita federal, secretarias de governo para entrega de documentações; Auxilio no balanço financeiro. Centro de Educação e Estudos em Libras (CEEL)


78

Elaboração de projetos de cursos de Libras para ouvintes, nível I, básico I, II e III para divulgar junto aos órgãos que solicitam;; Elaboração de material informativo sobre a FENEIS Reuniões do CEEL com os vários setores, individuais ou em coletivo com o objetivo de esclarecimentos, atribuições, planejamento, criatividade, superação das dificuldades e estratégias para uma melhor organização interna; Coordenação de todos os setores quanto ao desenvolvimento dos trabalhos; Organização dos relatórios de cada setor para compor o geral; Promoção de encontro com os instrutores para estudo de metodologia de ensino da língua de sinais, organização didática das aulas, aplicação e correção das avaliações, discussão teórica de assuntos abordados nos cursos; Reuniões específicas sobre educação, ética, direitos humanos e outros assuntos; Estudo do Código de Ética do Instrutor aos instrutores da Libras; Leitura, análise e acompanhamento dos mapas dos cursos de língua de sinais no que se refere à quantidade de alunos, locais dos cursos, pagamentos, instrutores, distribuição de material; Momento de esclarecimento em todos os cursos sobre o “Manual do Aluno” que contém informações importantes a respeito de todo o funcionamento dos cursos; Organização das fotos da FENEIS na participação em vários eventos; Aplicação da avaliação em relação ao instrutor, espaço físico, material, metodologia, aos alunos dos cursos de Língua de Sinais. Reuniões semanais entre os instrutores para estudo da metodologia de ensino da Libras, educação, ética, direitos e outros assuntos referentes aos mesmos; Votação e aceitação de sinais novos pelos instrutores; Equipe de instrutores NOME FORMAÇÃO André Henrique Conrado A.Vasconcelos Pedagogia em andamento Andréia Nogueira Machado Pedagogia em andamento Antonio Nelson Teixeira Moreno Pedagogia em andamento Débora de Vasconcelos Souza Pedagogia em andamento Ellen Soares de Loyola Ensino médio completo Érika Eduardo Saraiva Ensino médio completo Flávio William Rocha Gomes Ensino médio completo Francisco Sandro Quintella de Melo Ensino médio completo Francisco Sérvulo Gomes de Lima Ensino médio em andamento Joaci Pires Gomes Ensino médio incompleto


79

João Martins de Morais Neto Kátia Lucy Pinheiro Márcio Rogério Rodrigues Catanhedes Maria Maísa Farias Jordão Maria Márcia Fernandes de Azevedo Rundesth Saboia Nobre Willer Cysne Prado e Vasconcelos

Ensino superior Implantação em Rede de Computadores Pedagogia em andamento Ensino médio completo Graduada em Pedagogia Ensino médio completo Pedagogia em andamento Pedagogia em andamento

Interpretes de Língua de Sinais Realização de reunião em Juazeiro do Norte-Ce com o objetivo de divulgar a Feneis-Ce e formar equipes de trabalho para organizar o III Encontro Estadual de Intérpretes de Língua de Sinais; Realização de 6 reuniões com os intérpretes da Libras para apresentação da Feneis-Ce; elaboração, discussão e aprovação do regulamento dos intérpretes; formação de uma comissão de ética; estudos sobre o profissional intérprete e sua atuação; discussão para viabilizar recursos para o III Encontro Estadual de Intérpretes de Língua de Sinais, ´formas de captação de recursos para realização de cursos de formação de intérprete. Organização do Curso de reciclagem de interpretes para janeiro/2004;. Atualização do cadastro dos intérpretes; Visitas às escolas de ensino fundamental e médio onde estão inseridos alunos surdos com os serviços de interpretação; Divulgação de material referente à atuação e à ética do intérprete; Encaminhamento dos intérpretes para realizar serviços nos seguintes eventos: 02 Audiências jurídicas; 01 Curso de informática no BEC – Banco do Estado do Ceará 40 h/a 01 Concurso público realizado pela Prefeitura Municipal de Fortaleza para cargos de agente administrativo que participaram 18 surdos; 01 Vestibular da UFC – Universidade Federal do Ceara para 4 surdos - 1ª fase; 24 DETRAN – prova de legislação; 08 a da Ação Social acompanhando os representantes surdos através da FENEIS . 02 Seminários acerca das condições de empregabilidade das pessoas com deficiências, promovidos pela Federação das Indústrias (FIEC); 24 Reuniões e encontros sobre diversos assuntos em vários órgãos e entidades com a participação de representantes surdos; 11 serviços para apresentação do CEEL e da Feneis-Ce aos alunos do curso de Libras em contexto; Equipe de Intérpretes NOME FORMAÇÃO


80

Ádila Silva Araújo Aline Nunes de Sousa Andréa Micheles Lemos Cleuson Pires Gomes Ernando Pinheiro Chaves Fernando Antonio de Araújo Melo Jonathan Sousa de Oliveira Josenilson da Silva Mendes Kartiana Maria Lima Dutra Kartya Vieira Moreira Kiara Maria Socuta Quintanilha Margarida Maria Pimentel de Souza Maria Cristiane Menezes farias Maria das Graças P. Nogueira Maria de Jesus Gondim Vilarouca Maria Enedy Sousa Araújo Maria Izalete Inácio Vieira Maria Izanir da Silva Mariana Farias de Lima Marla Vieira Moreira Mirella Cacau Costa Nilton Câmara de Oliveira Paula Franssinette F. M. G. do Nascimento Renato Pinheiro Gomes Roberta Vasconcelos Braga Robson de Moraes Alves

Ensino Superior em andamento Ensino Superior em andamento Ensino Superior em andamento Ensino Médio Completo Mestre em Educação Ensino Superior em andamento Ensino Médio Completo Ensino Superior em andamento Ensino Superior em andamento Ensino Médio Completo Ensino Médio completo Ensino Superior completo Ensino Superior completo Ensino Superior em andamento Ensino Superior completo Ensino Superior completo Ensino Superior completo Ensino Superior em andamento Ensino Superior em andamento Ensino Superior completo Ensino Superior em andamento Ensino Superior completo Pós-graduada Ensino Superior completo Ensino Superior completo Ensino Médio Completo

Setor de Língua de Sinais Discussão, elaboração e confecção de material didático (exercícios, ilustrações, dinâmicas) a serem aplicados nos cursos de Libras para pessoas ouvintes; Produção de alguns textos sobre gramática da Língua de Sinais, história da comunidade surda, implicações sócio-educacionais, cultura e identidades surda a serem discutidos nos cursos de Libras para pessoas ouvintes; Realização do 01 curso de Libras - nível I, Básico I - a 22 professores do município de Maracanau; Realização de 08 cursos de Libras – nível I, Básico I, na capital para professores, familiares e profissionais; Realização de 02 cursos de Libras – nível I, Básico II na capital para professores, familiares e profissionais;

Setor de Informática setor de informática ainda está se estruturando.


81

Realizaram reuniões e planejaram algumas ações para dar suporte ao grupo de pesquisa, aos instrutores, a organização de cursos de informática para os surdos. Equipe de Informática Nome Formação Antonio Carlos Uchoa Granjeiro Implantação em Rede de Computadores – em andamento Carlos Henrique Aquiar de Oliveira Ensino superior Implantação em Rede de Computadores Danilo Barros Ramos Ensino fundamental completo Francisco Djalma Castro Saraiva Ensino médio completo (Ouvinte) João Martins de Morais Neto Ensino superior Implantação em Rede de Computadores José Eldimar de Oliveira Sá (Ouvinte) Pós- Graduado em informática educativa José Joelisson Menezes Ribeiro Ensino fundamental completo Ligia Cacau Graduada em Economia

Setor de Comunicação Social e Marketing É um setor recente da FENEIS com as seguintes ações: Distribuição de folhetos informativos nas universidades e escolas; Venda e controle de material: agendas, blusas, revistas confeccionadas pela FENEIS Divulgação acerca das atividades e novidades da FENEIS


82

ESCRITÓRIO REGIONAL DE SANTA CATARINA Histórico No início de 2002 um grupo de surdos – instrutores de LIBRAS e alguns alunos surdos do curso de Pedagogia da UDESC1 - começaram a discutir sobre o Movimento Surdo Catarinense e a necessidade de criar um Escritório Regional no Estado. A preocupação principal estava principalmente relacionada com as condições da Educação e Trabalho dos surdos em nosso Estado, especialmente quanto à oficialização da LIBRAS em Santa Catarina (em setembro de 2001) e no Brasil (abril de 2002). A partir de fevereiro de 2003, o grupo decidiu organizar o Movimento dos Surdos em direção à criação do Escritório Regional. Em reuniões mensais, discutia-se o que significava ter a FENEIS no Estado, o que traria de benefícios e incentivo às Associações e como poderia contribuir para a melhoria da vida dos surdos catarinenses. Estas reuniões culminaram com um Encontro Estadual em 12 de julho de 2003, nas dependências do SENAC em Florianópolis, com a presença de sete das treze Associações de Surdos do Estado, além da presença de Antonio Mário Souza Duarte (Presidente Nacional da FENEIS), de Antonio Campos Abreu (Diretor Primeiro Vice-Presidente), da Profa. Ronice Müller de Quadros (da Universidade Federal de Santa Catarina) e de outros ouvintes militantes. Neste dia criou-se o Escritório Regional da FENEIS em Santa Catarina, ficando a diretoria assim constituída: Diretor Regional: Fábio Irineu da Silva Vice-Diretora Regional: Idavania M. S. Basso Representante CEEL: Deonísio Schmitt Representante de Oeste Catarinense(Chapecó): Paulo Roberto Gauto Representante de Vale do Itajaí(Bal. Camboriú): Gustavo B. Horst Com o decorrer dos meses, outras regiões também apresentaram representantes.

Representante de Grande Florianópolis(Capital): Deonísio Schmitt Representante de Sul Catarinense(Criciúma): Rodrigo R. Marques Representante de Litoral Norte(Joinville): Geovani Crispim

Atividades desenvolvidas O Escritório Regional da Feneis de Santa Catarina está se estruturando e funciona, provisoriamente, em espaço cedido pelo IATEL (Instituto de Audição e Terapia da Linguagem) em Florianópolis, sendo que as reuniões dos membros da Diretoria e Representantes Regionais acontecem nas dependências da UDESC, aos sábados, após o término das aulas do curso de Pedagogia. Desde sua criação, foram realizadas as seguintes atividades: 1

UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina


83

Participação do representante dos membros da diretoria e CEEL no Grupo de Estudos Surdos da Universidade Federal de Santa Catarina (GES-UFSC).

Divulgação da fundação do Escritório Regional da Feneis entre as Associações de Surdos do Estado.

Participação no I Seminário Catarinense de Políticas Públicas para Portadores de Necessidades Especiais, organizado pelo gabinete do Deputado Estadual Wilson Vieira, o Dentinho, do PT, nos dias 16 e 17 de outubro, em Joinville. O objetivo foi apresentar o projeto de Lei no. 258/2003, que dispõe sobre a “Política Estadual para a Promoção e Integração Social da Pessoa Portadora de Necessidades Especiais”. Estiveram presentes representantes de várias instituições: ACIC (Associação Catarinense para Integração do Cego), AFLODEF (Associação Florianopolitana de Deficientes Físicos), o CONEDE (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Portadora de Necessidades Especiais) e membros do Gabinete de Deputado Wilson Vieira. Também marcaram presença as Associações de Surdos de Florianópolis, Balneário Camboriú, São Bento do Sul e Joinville. A FENEIS-SC esteve presente apresentando propostas em benefício dos surdos catarinenses nas seguintes áreas:

EDUCAÇÃO Escola de surdos/turmas de surdos em escolas de ouvintes Professores surdos Professores ouvintes bilíngües Intérpretes de LIBRAS para os cursos universitários Ensino baseado na experiência visual

SAÚDE Centro de tratamento e recuperação de drogados, alcoólatras, vítimas de abuso sexual, DST e AIDS, com profissionais bilíngües Central de intérpretes de LIBRAS nas regiões do Estado

TRABALHO Formação profissional em nível fundamental, médio e superior Mais vagas no mercado de trabalho Intérprete de LIBRAS e avaliação diferenciada nos concursos públicos COMUNICAÇÃO E ACESSO A INFORMAÇÕES

Intérprete de LIBRAS nos órgãos públicos


84

Central de intérpretes nas regiões do Estado Programas legendados e/ou com janela de intérprete TDD nos locais públicos - rodoviárias, prefeituras, delegacias, hospitais etc. 

Realização em conjunto com o GES-UFSC do I SEMINÁRIO DE ESTUDOS SURDOS: Conhecendo o olhar dos surdos sobre a educação em Santa Catarina, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2003, na UFSC, Florianópolis. O Seminário teve mais de 200 inscritos, mas devido ao apagão em Florianópolis, participaram cerca de 120 pessoas. Estiveram presentes 11 Associações de Surdos do Estado, autoridades, pesquisadores e interessados em geral. Houve apresentação de Humor, como muitas piadas e histórias e também duas apresentações de Teatro: da Sociedade de Surdos de São José e as Associação de Surdos da Grande Florianópolis. Foram homenageados o Sr. Francisco de Souza Lima, primeiro professor surdo do Estado de Santa Catarina (que não pode comparecer) e a Profª. Sônia Probst, Pró-Reitora da UFSC. O conteúdo do seminário foi o seguinte: A educação em Santa Catarina: o olhar das Associações de Surdos de Santa Catarina Alternativas educacionais e sociais das Associações de Surdos de Santa Catarina O Movimento Surdo em Santa Catarina – papel das Associações de Surdos Movimentos Sociais de Surdos: Educação e Integração Apresentação de Palestras:

-

A FENEIS em Santa Catarina Políticas Públicas para a Educação de Surdos em Santa Catarina Novos olhares sobre velhas questões na educação de surdos em Santa Catarina A importância da contação de histórias para crianças surdas Formação do profissional surdo em Santa Catarina Formação de Intérprete de Língua de Sinais

 Participação em 30 de outubro, junto ao Sr. Antônio Mário Souza Duarte, de reunião com assessores da Senadora Ideli Salvati, do PT, sobre emenda alterando artigo da LDB, incluindo a LIBRAS na educação básica nacional.  Elaboração do Boletim Informativo Ano 0 – no. 1 e no. 2, com informações sobre as atividades do Escritório Regional em Santa Catarina no 2º semestre de 2003.

CEEL O CEEL está estruturando suas atividades, coletando material sobre LIBRAS e apresentando propostas para realização de cursos em parceria com instituições educacionais e outras instituições para divulgação da LIBRAS no Estado. Atualmente o representante do CEEL


85

tem participado dos encontros de instrutores de LIBRAS na UFSC, que ocorrem periodicamente. A proposta para 2004 é estabelecer critérios para avaliação de intérpretes de LIBRAS, estabelecer convênios com órgãos públicos para cursos de LIBRAS e incentivar o ensino da LIBRAS nas escolas públicas e privadas nas diferentes regiões do Estado. Instrutores: Carla Cris Pasetti(Xanxerê); Deonísio Schmitt(Palhoça);* Elaine Adriani Kinal(Porto União); Eliane Schmitt Maçaneiro(Gaspar); Fábio Irineu da Silva(Governador Celso Ramos); * Juliana Tasca Lohn(Florianópolis); Paulo Roberto Gauto(Chapecó); * Rodrigo Rosso Marques(Criciúma); Walter Nunes da Silva Filho(São José). Intérprete Voluntária: Mauren Elizabete Medeiros(Florianópolis)*

* Participam ativamente do movimento(Feneis-sc)

Proposta de Trabalho da FENEIS-SC para 2004 1. Fortalecer as Associações de Surdos no Estado de Santa Catarina, oferecendo apoio aos Movimentos Surdos locais. Para isso, foram agendadas visitas (uma por mês) às Associações de Surdos; 2. Divulgar informações referentes aos Movimentos Surdos e outras de interesse dos surdos no Estado, através de boletins informativos, cursos, palestras, etc. 3. Participar ativamente do processo de elaboração da Política de Educação de Surdos de Santa Catarina, em andamento desde 2003; 4. Estabelecer critérios para avaliação de intérpretes de LIBRAS; 5. Divulgar a LIBRAS pelo Estado através de cursos, palestras, seminários; 6. Produzir material didático para os cursos de LIBRAS; 7. Lutar pela presença de intérpretes de LIBRAS em setores públicos, principalmente nas escolas; 8. Participar de eventos, palestras, seminários e demais atividades que visem a melhoria da qualidade de vida dos surdos; 9. Incrementar os setores ainda não ativados do escritório regional (trabalho e saúde); 10. Divulgar a cultura surda através de todos os meios disponíveis.


86

Agradecimentos Agradecemos a todas as Associações de Surdos que apoiaram a criação do Escritório Regional da FENEIS em Santa Catarina, como também a todas as pessoas que acreditaram neste projeto, pelo incentivo, confiança e compromisso que assumiram conosco. Especialmente a Antonio Mário Souza Duarte e Antonio Campos Abreu, por estarem conosco neste momento. Nosso muito obrigado e o desejo de um FELIZ NATAL a todos.


87

Escritório Regional da Amazônia Apresentacäo O escritório Regional da FENEIS-AM, é o primeiro da Região Norte, funciona em parceria com Associação dos Surdos de Manaus-ASMAN, onde funciona provisoriamente. Fundados a menos de um ano a FENEIS-AM, embora esteja em fase de implantação e organização de registro. Já se destaca em Manaus na mídia local devido ao seu trabalho e luta pela causa da comunidade surda, neste pequeno espaço de tempo a FENEIS-AM se fez presente em passeatas, Audiências Públicas na Assembléia Legislativa do Estado, promoveu encontro de interpretes do Amazonas, encontro dos instrutores para estudo do estudos de LIBRAS bem como outros eventos no relatório, concluímos que o ano de 2003 nos serviu como aprendizagem e termos grandes planos para o ano de 2004.

Atividades do Mês de Março Dia 20/03/2003 (Quinta-feira às 21:00hs): Chegada dos Srs. Diretores Presidente da FENEIS e Vice-presidente; Antônio Mário Sousa Durante e Antônio Campos de Abreu. Objetivo da Viagem: 1.Fundar escritório da FENEIS em Manaus; 2.Visitar instituições educacionais que trabalham com surdos; 3.Participar de palestras sobre surdez e educação dos surdos; 4.Visitar Associação dos Surdos de Manaus. Programação Dia 21/03/2003 (Sexta): Ás 9:00hs. Visitar Escola Augusto Carneiro; Ás 10:30hs. Visitar Escola Filippo Smaldome; Ás 12:00hs. Reunião na Secretaria de Educação do Estado; Ás 17:00hs. Solenidade inauguração do escritório regional com a presença dos senhores Antônio Mário e Antônio Campos; Ás 17:40hs. Palestra “Educação de Surdos e Histórico dos Surdos”. Dia 22/03/2003 (Sábado): Ás 17:00hs. Visita Associação dos Surdos de Manaus; Ás 19:00hs. Reunião composição diretoria FENEIS-AM: Ás 20:00hs. Reunião presidida Sr. Antônio Campos, instrução sobre a instalação do CEEL Dia 23/03/2003 (Domingo) Retorno do Sr. Antônio Mário Campos á Belo Horizonte-MG. Dia 04/03/2003 (Sexta Feira) 1 Reunião diretoria Sr. Marlon Jorge e Sra. Raimunda Pereira. Assunto: Tratar e organizar diretrizes básicas.


88

Dia 29/04/2003 (Sexta Feira): Inauguração do CAS, A FENEIS-AM, esteve presente representada pelos diretores: Marlon Jorge e Raimunda Pereira. Dia 06/03/2003 (Domingo): Assunto: Instalação do CEEL-AM, coordenador Sr. Hamilto Pereira (surdo) Dia 16/05/2003 (Sexta Feira): Reunião Diretoria e 2 Diretor FENEIS-AM. Traça metas para o 2003 e elaborar o encontro de interpretes. Dia 15/06/2003 (Sexta Feira): Palestra no CEFET- Abordagem sobre surdez. A FENEIS esteve representada por Raimunda Pereira 2 Diretoria. Dia 18/06 á 22/06/2003: Viagem do Sr. Marlon Jorge, destino á Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Assunto: Conhecer o trabalho desenvolvimento pelo escritório em Belo Horizonte, conhecer a Matriz no Rio de Janeiro e reunir com Diretoria da FENEIS e com Diretores Regionais. Dia 25/06/2003 (Quarta): 1 Reunião CEEL-AM, encontro de instrutores, estudo do código de ética. Dia 19/07/2003 (Sábado): Assunto: I Encontro Manauense de Interprete. Número de participantes: 53 pessoas.  18 Intérpretes  10 Profissionais na área  15 Surdos  10 Familiares

Atividade do mês de Agosto

Durante o Mês de Agosto todos as atividades e movimentação estiveram voltadas á organização do dia do Surdo que foi realizada no dia 26 de Setembro; Dia 22 de Agosto a Diretoria FENEIS esteve presente na Rede Amazônica de Televisão no programa comemorativa ao dia do Excepcional. Agosto Dia 27 de Agosto, A FENEIS na pessoa da 2 Diretora Sra. Raimunda Pereira esteve presente em mesa Redonda do CAS para um debate sobre a “Educação especial da Pessoa Portadora Deficiência Auditiva.” Setembro


89

Dia 04 de Setembro Houver Reunião com Diretoria da FENEIS e a do CEEL Assunto: Orientação quantos aos Objetivos e Funcionamentos do CEEL. AM no dia 11 Setembro a FENEIS-AM participou de um encontro na Faculdade Martha Falcão a convite da secretaria de educação para elaboração do plano Estadual de Educação. No dia 16 de Setembro A Diretoria da FENEIS-AM, participou do jantar do beneficente promovido pela primeira dama da cidade Sra. Léo Nascimento. Dia 26 Setembro, Passeata do dia do surdo promovido pela FENEIS-AM, pela regulamentação a LIBRAS e oficialização do dia surdo. Parada Câmara Municipal e Assembléia Legislativa, qual foi entregue documentos Reivindicativo em favor da comunidade Surdo.

OUTUBRO No dia 03 Houver Audiência Pública na Assembléia Legislativa do estado pela cauda Surdez, a FENEIS-AM, esteve representando a comunidade Surda, além de muitos Surdos associados da ASMAN. No dia 31 Outubro 2 Audiência Pública, o Dep. Estadual Evilásio Nascimento, é o representante da comunidade Surda, elabora os projetos essências para o desenvolvimento da comunidade.

NOVEMBRO Reunião na Assembléia Legislativa, preparação de Banco de dados a pedidos na Assembléia Legislativa, e reunião com o Dep. Evilásio Nascimento, foi discutido a criação da Associação de Pais e Amigos de Surdos, preparativos para curso de capacitação, profissionalizantes para os Surdos.

DEZEMBRO

Dias 11 á 14 de Dezembro, viaje do Sr. Marlon Jorge Diretor da Regional FENEIS-AM á Belo Horizonte, a fim de Participação de Reunião com as Representações Brasileiras, e discutir os problemas e situações com quer se encontra a FENEIS-AM. Juntamente com outros Regionais, além de participar de uma confraternização promovida pela FENEIS-Matriz.


BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 A T I V O ATIVO CIRCULANTE DISPONÍVEL Caixa Bcos.C/Movimento Cadern. de Poupança Aplic. Financeiras VALORES REALIZÁVEIS Adiant. e Créditos Diversos Impostos a Recuperar ATIVO PERMANENTE IMOBILIZADO Imóveis de Uso Imóveis Máquinas e Equipamentos Moveis e Utensílios Linha Telefônica Biblioteca Veículos Equip. Para Process.de Dados Benfeit. Imóveis de Terceiros TOTAL DO ATIVO

33.982,68 879.015,27 104.324,96 662.439,98

1.679.762,89

467.100,64 33.117,41

500.218,05

4,87 31.852,26 2.402,00 136.255,30 14.045,92 1.533,19 29.000,00 18.986,85 20.216,21

254.296,60 2.434.277,54

P A S S I V O PASSIVO CIRCULANTE Tributos a Recolher Salários a Pagar Adiant. e Débitos Diversos Outros Valores a Pagar PASSIVO CIRCULANTE Indenizações Trabalhistas Férias 13º Salário Encargos Sociais - INSS Provisões-Convênios: Materiais e Uniformes Provisões e Reservas Convênios PATRIMÔNIO LIQUIDO Patrimônio Social Fundo de Reserva C/Resultado: Déficit-2003 TOTAL DO PASSIVO

71.456,77 250.172,30 294.069,40 109,10

1.797.268,22 (2.994,01) (78.777,16) 52.491,64 27.568,02 102.186,53 111.281,95 38.772,84 (229.328,06)

615.807,57

1.767.988,69

129.754,55

(79.273,27) 2.434.277,54

90


91

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO RECEITAS Convênios Contribuições de Entidades Rendimentos de Aplicações Financeiras Doações e Subvenções Outras Receitas Soma das Receitas DESPESAS Ordenados e Outros Pagamentos Encargos Sociais e Previdência IR Retido s/ Rend. de Aplicações Impostos e Taxas Despesas de Manutenção Outras Despesas Soma das Despesas Déficit Patrimonial TOTAL

2.271.795,45 7.950,00 25.879,63 30.931,61 362.501,67 2.699.058,36 503.396,00 70.462,42 483,27 7.520,27 42.995,67 2.303.528,79 2.928.386,42 (229.328,06) 2.699.058,36

Parecer do Conselho Fiscal Os abaixo-assinados membros do Conselho Fiscal da FENEIS, sito à Rua Major Ávila, 379, nesta cidade, declaram ter examinado os documentos relativos as contas do Exercício de 2002, tendo encontrado tudo na mais perfeita ordem, pelo que são de parecer que sejam as mesmas aprovadas pela Assembléia Geral, como também o respectivo Balanço Patrimonial levada a efeito em 31 de Dezembro de 2002. Carlos Alberto Góes Presidente do Conselho Fiscal

Rio de Janeiro, 15 de março de 2003 Delvam C. de S. Fernandes Secretário do Conselho Fiscal

Luis Geraldo N. dos Reis Membro do Conselho Fiscal


92

Relação dos membros e órgãos da Feneis Escolhidos sob o regime de votação trianual, os membros eleitos atuam na Diretoria da Feneis, seguindo os preceitos contidos no estatuto e tendo como finalidade a representação de vários seguimentos. Atualmente compõe a diretoria, os conselhos e os Escritórios Regionais 25 surdos e 6 ouvintes, totalizando 31 membros. MEMBROS DA DIRETORIA Diretor- Presidente: Antônio Mário Sousa Duarte (MG) Diretor Primeiro Vice- Presidente: Antônio Campos de Abreu (MG) Diretor Segundo Vice- Presidente: Max Augusto Cardoso Heeren (RJ) Diretor Administrativo: Walcenir Souza Lima (RJ) Diretor Administrativo Adjunto: Silvia Sabanovaite (SP) Diretor Financeiro:VAGOS Diretor Financeiro Adjunto: Washington Luis Barros de Oliveira (SP) CONSELHO FISCAL 1 Membro Efetivo e Presidente: Carlos Alberto Góes (RS) 2 Membro Efetivo e Secretária: Alzira Elaine de Carvalho (MG) 3 Membro Efetivo: Delvan César de Souza Fernandes (MG) 1 Membro Suplente: Luiz Dinarth Faria (MT) 2 Membro Suplente: Luiz Geraldo F. A. Neto dos Reis (RJ) 3 Membro Suplente: Benedito Andrade Neto (RN)

CONSELHO CONSULTIVO Presidente: Fernando de Miranda Valverde (RJ) Secretária: Shirley Vilhalva (MS) Membros: Lúcia Severo da Costa (RJ) Rodrigo Rocha Malta(MG) Flaviane Reis do Carmo (GO) DIRETORES REGIONAIS Rio Grande do Sul: Marcelo Silva Lemos Marianne Stumpf São Paulo: Maria Inês da Silva Vieira Minas Gerais: João Rigueira Hissa Rosilene Fátima Costa Novaes Pernambuco: Antonio Carlos Cardoso Ana Conceição Mangueira de Aguiar Valença Distrito Federal: César Nunes Nogueira Silvana Patrícia de Vasconcelos Paraná: Karin Lilian Strobel Iraci Elzinha Bampi Suzin Ceará: Willer Cysne P. Vasconcelos Ernando Pinheiro Chaves


93

Agradecimentos Satisfeita por ver a conclusão desta etapa de atividades desenvolvidas num período de dedicação, muitas vezes de sacrifício, mas sem dúvida também momento de crescimento profissional e pessoal, a Diretoria da Feneis, em nome dos funcionários, instrutores, toda a comunidade surda que representa a Feneis e demais membros, vem dizer seu “Muito Obrigado” pela convivência amiga, pela confiança e, principalmente, pelas críticas construtivas que permitiram aprimorar cada vez mais o trabalho executado, expressando ainda seu agradecimento pelo apoio recebido das lideranças políticas: Federal, Estadual e Municipal. Consciente de que, mais uma vez, cumpriu metas propostas e alcançou novos patamares na integração dos surdos brasileiros, a Feneis finaliza este documento agradecendo a todos os envolvidos pela causa da surdez que, de uma forma ou de outra, tiveram a oportunidade de apoiar a luta e as conquistas realizadas durante este período. Orgulhosa por saber do valor que tem, junto a esta mesma comunidade, percebe neste âmbito que novos fatos irão provavelmente povoar o trabalho que ainda tem pela frente, no sentido de desempenhar seu papel social junto aos que se engajaram neste grande movimento. Certa de continuar a trilhar este caminho espera, ainda, poder contar com a participação de todos neste momento em que o mundo pretende atingir novos paradigmas e desafios, acreditando que só chega quem caminha...


94

Documentos da Feneis FENEIS - MATRIZ - RIO DE JANEIRO CNPJ 29.262.052/0001-18 Registro Civil das Pessoas Jurídicas nº 133865 de 11/07/94 Atestado de Registro do CNAS nº 23002.000536/88-25 de 09/05/1989 Certificado de Fins Filantrópicos do CNAS de 09/04/99 nº 44006.001387/97-61 Reconhecida de Utilidade Pública Municipal Lei nº 2797 de 30 de Abril de 1999 Reconhecida de Utilidade Pública Estadual Lei nº2293 de 13 de Julho de 1994 Reconhecida de Utilidade Pública Federal Decreto de 12 de Julho de 1999 - DOU de 13 de Julho de 1999 Registro do Conselho Municipal de Assistência Social nº 0240/99 Inscrição Estadual - Isento Filiada à Federação Mundial de Surdos Sede Própria: Rua: Major, 379 - Tijuca - Rio de Janeiro/RJ CEP: 20.511-140 Tel: (21) 2567-4800 Fax: (21)2284 7462 E mail: feneis@ruralrj.com.br FENEIS - ESCRITÓRIO REGIONAL DE MINAS GERAIS CNPJ 29.262.052/0002-07 Registro Civil das Pessoas Jurídicas nº 87.829 Reconhecida de Utilidade Pública Municipal Decreto nº 10.108 de 27 de Dezembro de 1999 Reconhecida de Utilidade Pública Estadual Lei nº 13.426 de 27 de Dezembro de 1999 Registro no Conselho Municipal de Assistência Social/MG nº 0263 Registro no Conselho Estadual de Assistência Social/MG nº 0031 Inscrição Municipal nº 116.270/001-4 Inscrição na Prefeitura Municipal de Belo Horizonte - SUCAF nº 806 1 - Rua Albita, 144 - Cruzeiro - Belo Horizonte/MG CEP: 31310-160 Telefax: (31) 3225-0088 E mail: feneis@feneis.com.br 2 - Escritório de Representação em Teófilo Otoni Rua Teófilo Otoni - MG E-mail: feneistot@ FENEIS - ESCRITÓRIO REGIONAL DE SÃO PAULO CNPJ 29.262.052/0003-80 Rua: PADRE MACHADO - Vila Mariana - São Paulo/SP CEP: 04119-080 Tel: (11)5549-3798/5575 5588 Fax: (11)5573 0468 E mail: feneis@surdos.com.br FENEIS - ESCRITÓRIO REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

94


95

CNPJ 29.262.052/0004-60 SETCAS - Registro de Entidades nº 311.484 Rua: Castro Alves, 442 - Rio Branco - Porto Alegre/RS CEP: 90.430-130 Tel: (51) 3321-4244 Fax: (51) 3321-4334 E mail: feneisrs@ez.com.br FENEIS - ESCRITÓRIO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL Brasília-DF E-mail: feneis-df@ig.com.br FENEIS - ESCRITÓRIO REGIONAL DE PERNAMBUCO Rua Guilherme Pinto, 146 - Graças Cep: 52.011-210 - Recife – PE Telefax: (81) 3223 4571 E-mail: feneispesurdos@ig.com.br FENEIS - ESCRITÓRIO REGIONAL DO CEARÁ Av. Bezerra de Menezes, 549 - São Geraldo Cep: 60.325-000 Fortaleza-Ceará

FENEIS - ESCRITÓRIO REGIONAL DO PARANÁ Rua Nunes Machado 2569 - Bairro Parolin Cep 80.220-071 Cuitiba-PR

WEB SITE DA FENEIS NA INTERNET http:www.feneis.com.br O presente relatório foi aprovado pela Assembléia Geral Ordinária no dia 13 de Março de 2004 em Belo Horizonte, Minas Gerais.

95

Feneis Relatório 2003  
Advertisement